MAIO_2019-dm

araujomota

L U S I T A N O

MAIO 2019

ANO XXV - Nº. 253 - DIRECÇÃO: Sandra Ferreira + Armindo Alves - Publicação mensal gratuita

d e Z u r i q u e

SOLIDARIEDADE

CLZ doou mais de

110 mil francos

Estivemos à

conversa com o

Dr. Paulo Maia e Silva,

Cônsul-Geral de

Portugal

em Zurique

Páginas 8 e 9


ABRIL 2019

ANO XXV - Nº. 252 - DIRECÇÃO: Sandra Ferreira + Armindo Alves - Publicação mensal gratuita

2 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

PUBLICIDADE

Centro Lusitano de Zurique

Birmensdorferstr, 48

8004 Zürich

www.cldz.ch - info@cldz.ch

Bufete, reserva de refeições 077 403 72 55

Cursos de alemão 076 332 08 34

Consulado Geral de Portugal em Zurique

Zeltweg 13 - 8032 Zurique

Tel. Geral: 044 200 30 40

Serviços de ensino: 044 200 30 55

Serviços sociais: 044 261 33 32

Abertura de segunda a sexta-feira das

08:30 às 14:30 horas

Embaixada de Portugal

Weitpoststr. 20 - 3000 Bern 15

Secção consular: 031 351 17 73

Serviçoa sociais: 031 351 17 42

Serviços de ensino: 031 352 73 49

Edição anterior

L U S I T A N O

d e Z u r i q u e

E s paç o

Português

“27 anos de Rádio

sem trocar

as voltas”

Direcção

044 241 52 60 / info@cldz.ch

Futebol armindo.alves@garage-mutschellen.ch / 079 222 09 14

InCentro

incentro@cldz.ch

Publicidade 079 913 00 30/lusitanozurique@gmail.com

Rancho folclórico 076 344 15 40 / rancho@cldz.ch

Vamos contar uma história 079 647 01 46

Serviços municipais de informação para

imigrantes - Zurique (Welcome Desk)

Stadthausquai 17 - Postfach 8022 Zurique

Tel.: 044 412 37 37

Polícia 117

Bombeiros 118

Ambulância 144

Intoxicações 145

Rega 1414

© Manuel Araújo

Missão Católica de Língua Portuguesa – ZH

Katholische Mission der Portugiesischsprechenden

Fellenbergstrasse 291, Postfach 217 - 8047 Zürich

Tel.: 044 242 06 40 7 044 242 06 45 - Email: mclp.zh@gmail.com

Horário de atendimento:

- segunda a sexta-feira das 8h às 13h00 e das 13h30 às 17h

Publicidade


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 3

Equipa Redactorial

EDITORIAL

Sandra Ferreira

Sandra Ferreira

DIRECTOR A CC12 A

Armindo Alves

SUB-DIRECTOR CC15 A

Email: lusitanozurique@gmail.com

Um voto

pela diferença

Natascha D´Amore Maria dos Santos

Joana Araújo

CC11 A

A 25 e 26 de Maio realizam-se as eleições para o Parlamento

Europeu em Portugal, para escolher os 21 deputados portugueses

que nos representam.

Cristina F. Alves

CC 16 A

Lúcia Sousa

Pedro Nabais

CC14 A

A campanha tem sido grande na tentativa de não sermos

por mais um ano consecutivo, o país com maior abstenção.

Os candidatos são caras conhecidas e dos quais já mais ou

menos sabemos o que podemos esperar, pelo trabalho que

têm ou não feito.

Mas todos caem no mesmo erro: vêem estas eleições como

uma pré-eleição das legislativas, que se realizam este ano,

em Outubro. O que faz com que a vontade dos portugueses,

irem votar agora, seja menor.

Contudo, é importante que se saiba que não se trata do

mesmo.

Jorge Macieira

CC28 A

Manuel Araújo

JORNALISTA 3000 A

Pedro Nogueira

Domingos

Pereira

Nuno Brandão

Carmindo de

Carvalho

Se queremos que Portugal tenha uma posição forte, como

este a ter a várias níveis em Portugal, temos de ter deputados

que saibam dizer não na hora certa! Deputados que ponham

os interesses dos portugueses à frente dos interesses

económicos europeus ou das suas “amizades“. Temos

que votar e ter conhecimento dos deputados que cumprem

as suas promessas e daqueles que sempre as falham. Ou

seja, votar pela diferença para fazer a diferença!

Em Zurique as eleições terão lugar também nos dias 25 e

26 de Maio, entre as 08h00 e as 19h00, com duas mesas

de voto em funcionamento.

Euclides Cavaco Pedro Barroso Carlos Matos

Ivo Margarido Jeremy da Costa

Daniel Bohren

JURISTA

EDIÇÃO, COMPOSIÇÃO

E PAGINAÇÃO

Manuel Araújo

Jornalista 3000 A

araujo@manuelaraujo.org

Tel.:(+351) 912 410 333

PUBLICIDADE

lusitanozurique@gmail.com

Tel.: 079 913 00 30

Gomes

Nelson Lima

IMPRESSÃO

Diário do Minho

Tiragem: 2000 exemplares

Periodicidade: Mensal

Distribuição gratuita

PROPRIEDADE & ADMINISTRAÇÃO:

Centro Lusitano de Zurique

Birmensdorferstr. 48

8004 Zürich

Tel.: 044 241 52 60 -

Fax: 044 241 53 59

Web: www.cldz.eu

E-mail: info@cldz.eu

Esta publicação não

adopta nem repeita o inútil

(des)Acordo Ortográfico

APOIOS:

Jornal Tornado


4 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

EUROPEIAS

Eleições para o Parlamento Europeu

Reforçar a democracia na

União Europeia

As eleições para o Parlamento Europeu terão lugar de 23 a 26 de Maio de 2019 (a 26

para os cidadãos portugueses). Os cidadãos da União Europeia têm, nesta altura, a

oportunidade de reforçar a democracia na Europa, elegendo as forças políticas que se

empenham por uma Europa social e pelos direitos dos trabalhadores. Damos-lhe aqui

alguma informações úteis sobre o Parlamento.

Marília Mendes

O que é o Parlamento

Europeu?

O Parlamento Europeu é, a nível mundial,

a única assembleia constituída por

deputados de países diferentes e representa

os interesses dos 512‘000‘000

cidadãos da UE. É a única instituição da

UE cujos membros são eleitos directamente

pelos eleitores. Reforçar o Parlamento

é, portanto, fundamental para o

processo de democratização da UE. O

Parlamento tem um papel importante:

escolhe o presidente e nomeia os membros

da Comissão Europeia, toma decisões

sobre a legislação e o orçamento

da UE. Quanto mais forças sociais estiverem

representadas no Parlamento,

mais forte é a direcção social da UE. E

isto tem consequências para a vida de

todos os cidadãos europeus, incluindo

quem vive na Suíça (ver Horizonte, n.o

1/2019).

Como é constituído o

Parlamento Europeu?

Os deputados ao Parlamento Europeu

(eurodeputados) organizam-se em grupos

políticos que têm posições e identidades

semelhantes. Cada grupo

tem de ter, no mínimo, 25 deputados

e representar um quarto dos

estados-membros. Os partidos

nacionais integram-se normalmente

num destes grupos, que

realizam depois políticas e campanhas

comuns. Há actualmente

oito grupos políticos no Parlamento

Europeu (ver o gráfico).

Vencer a política

nacionalista baseada

no medo

De acordo com as sondagens,

o maior grupo político do Parlamento

(de natureza conservadora

e que inclui ainda o parti-

Os grupos do Parlamento Europeu

EPP

S&D

ECR

ALDE

Socialistas, socaisdemocratas

EUE-

ENV

Verdes/

ALE

ELD

ENL

Partido Popular

Europeu

Aliança Progressista de

Socialistas e

Democratas

Conservadores e

Reformistas Europeus

Aliança dos

Democratas e Liberais

para a Europa

Esquerda Unitária

Europeia/ Esquerda

Nórdica Verde

Verdes/ Aliança Livre

Europeia

Europa da Liberdade e

da Democracia

Europa das Nações e

da Liberdade

Democratas-cristãos,

conservadores,

populistas de direita

Eurocépticos,

extrema-direita

Liberais, centristas

Esquerda,

comunistas,

socialistas da

esquerda

Verdes

Eurocépticos,

populistas de direita,

nacionalistas

Populistas de direita,

extrema-direita,

nacionalistas

Ex.: CDU alemã, Forza

Italia de Berlusconi, PSD e

PP portugueses, Fidesz

húngaro (de Viktor Orban)

Ex.: SPD alemã, PSOE

espanhola, PS português e

francês

Ex.:PiS polaca, Partido

Popular Dinamarquês

Ex.: La République en

Marche de Emanuel

Macron, FDP alemã

Ex.: Bloco de Esquerda e

CDU portugueses, Die

Linke alemã, Syriza da

Grécia

Ex.: Verdes alemães,

austríacos, belgas

Ex.: UKIP bretã, 5 Stelle

italiana, AfD alemã

Ex.: Rassemblement

national (antiga Front

Nationale francesa), Partido

da Liberdade da Áustra,

Lega Nord italiana

Independentes 22

217

187

75

68

52

52

41

37


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 5

COMUNIDADES

do nacionalista de extrema

direita da Hungria, o Fidesz)

deverá perder a sua maioria.

Isto acabaria com o domínio

de um grupo e deixaria espaço

a mais diversidade. Mas

comporta um grande perigo:

que sejam os grupos políticos

radicais e nacionalistas

a beneficiar do voto popular,

o que seria um perigo para a

democracia na Europa. Contra

isso, é importante os eleitores

mobilizarem-se.

Cerca de dois milhões de

habitantes da Suíça têm um

passaporte de um estado-

-membro da UE e podem,

portanto, votar para o Parlamento

Europeu. Recomendamos-lhes

que votem num

grupo que defenda políticas

sociais, a bem da democracia.

Se queremos uma Europa

social temos de a defender

contra as forças radicais e nacionalista,

que fazem política

atiçando o medo.

Eleição dos deputados

ao Parlamento Europeu

ALTERAÇÕES AO RECENSEAMENTO ELEITORAL

Cidadãos portugueses residentes no estrangeiro

Todos os cidadãos nacionais maiores de 17 anos com cartão de cidadão foram oficiosa e

automaticamente inscritos no recenseamento. A circunscrição eleitoral é a correspondente à morada

constante do cartão de cidadão.

A atualização do recenseamento eleitoral está suspensa entre os dias 27 de março e 26 de maio

de 2019, não sendo possível, durante este período, proceder a novas inscrições ou transferências no

recenseamento.

Os cidadãos nacionais recenseados podem, a qualquer momento, solicitar o cancelamento da

respetiva inscrição no recenseamento junto das comissões recenseadoras (Consulado ou Embaixada),

salvo em período de suspensão da atualização do recenseamento.

O voto é exercido direta e presencialmente na representação diplomática correspondente ao local onde

esteja recenseado, nos dias 25 e 26 de maio.

Dia 25 de maio - entre as 8 e as 19 horas (horário local).

Dia 26 de maio - das 8 horas até à hora limite do exercício do direito de voto em território

nacional (20 horas em Lisboa), não ultrapassando as 19 horas locais.

Em data mais próxima da eleição, pode consultar em www.cne.pt os locais de voto e o horário de

votação.

www.cne.pt

Residentes no Estrangeiro

QUAL É O BANCO QUE

O LIGA A PORTUGAL?

A Caixa, com certeza. Um Banco com 140 anos de história

e uma vasta experiência na oferta de soluções financeiras

adequadas a quem está longe.

A CAIXA. COM CERTEZA.

www.cgd.pt | (+351) 707 24 24 24 | 24h todos os dias do ano | Informe-se na Caixa.

A Caixa Geral de Depósitos S.A. é autorizada pelo Banco de Portugal.


6 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

SOLIDARIEDADE

CLZ já ajudou com mais de

110 mil francos

V Sandra Ferreira

Todos os anos, entre Janeiro

e Fevereiro, um grupo

de cantadores e tocadores,

amigos e membros

do Centro Lusitano de Zurique,

saem para as ruas

da Suíça, para cantarem

as tradicionais Janeiras.

Um gesto que tomam a

pensar não apenas na tradição,

mas nas pessoas e

instituições que vai ajudar

com o dinheiro angariado.

Há onze anos que cumprem

esta tradição, sem

interrupção, e já conseguiram

ajudar dezenas de

instituições, num total angariado

de mais de 110 mil

francos Suíços. A entrega

dos donativos é sempre

feita directamente (pessoalmente

ou por transferência)

por membros da

direcção ou do grupo que

canta as Janeiras, o que

deixa os seus beneficiários

sempre cheios de satisfação.

Este ano foi a vez

de entregar os donativos

de 2018 e 2019. Em 2018

conseguiram angariar 16

mil euros e em 2019 12 mil

euros, valores que já tinham

sido ultrapassados

em anos anteriores.

Uma entrega especial que

muito emocionou os que

estiveram presentes.

Vítimas dos

Incêndios

Em 2017, todos ficamos em choque

com as dimensões que os fogos em

Portugal tomaram. Desde cedo foi,

para o grupo do CLZ, claro que tinham

de ajudar. Ficou então decidido que os

donativos das Janeiras de 2018 seriam

para ajudar 4 famílias, vitimas dos incêndios

em Portugal. Chegar até estas

famílias não foi fácil. Tendo em conta

as noticias negativas relativamente a

entrega das ajudas às vitimas dos incêndios,

o CLZ quis ter a certeza que

São Pedro do Sul

o dinheiro fosse chegar mesmo a quem

mais precisava. E assim foi! É certo que

demorou mais de um ano até encontrar

estas famílias, mas conseguiram.

No passado mês de Abril alguns membros

da direcção do CLZ dirigiram-se

a São Pedro do Sul onde encontraram

pessoas com muitas necessidades e

entregaram o valor de 5867, 45 euros a

3 famílias e 500 euros a um idoso que

vivia sozinho. O presidente da câmara

de São Pedro do Sul assim como dois

presidente de juntas de freguesia estiveram

presentes nesta entrega, agradecendo

o acto solidário do CLZ.


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 7

SOLIDARIEDADE

Onze anos:

missão

cumprida!

Instituição Bagos d’Ouro

Centro Social C.R. Abel Varzim

Janeiras de 2019

No passado mês foi também altura

de entregar o dinheiro angariado,

a duas das três instituições,

para as quais o grupo da Janeiras

cantaram este ano.

A primeira entrega foi feita à Instituição

Bagos d’Ouro, em vale do

Douro, que é uma instituição particular

de solidariedade social que

apoia e acompanha crianças, entre

os 6 e 18 anos, que viviam em

situações precárias e de carência

económica. Esta instituição recebeu

o valor de 4 mil euros, agradecendo

e muito este apoio vindo de

terras helvéticas.

Mais a norte de Portugal, encontramos

o Centro Social C.R. Abel Varzim

que recebeu o CLZ da melhor

maneira que podia. Este centro si-

tuado em Cristelo, distrito de Barcelos,

tem como principal missão responder

às necessidade da comunidade

promovendo a assistência à infância,

juventude, terceira idade, invalidez e

deficiência. Nesta entrega especial

estiveram presentes as crianças da comunidade

que quiseram presentear e

agradecer a solidariedade vinda do estrangeiro

com pequenos gals de Barcelos

e uma toalha em linho. Um belo

gesto vindo de crianças,

que muito emocionou

os membros

presentes do CLZ.

Nesta instituição foram

então entregues

4 mil francos suíços.

Este ano ainda será

entregue o mesmo

valor à terceira instituição

que é o Rotary

Club de Santarém.

SEGUROS

Doença ( krakenkasse )

210.70 Chf ( adultos / +25 anos )

205.90 Chf ( adultos / 19-25 anos )

47.40 Chf ( menores / 0-18 anos )

VIDA, JURÍDICO

ACIDENTES

AUTOMÓVEL

POUPANÇA REFORMA, etc...

Como muitos sabem, o grupo de Janeiras

do CLZ surgiu de uma brincadeira

entre amigos, à 11 anos a trás,

mas conseguiu, com o tempo, crescer

e manter sempre as suas causas

e promessas. Teve tempos mais difíceis,

assim como, várias entradas

e saídas do grupo inicial, mas mantendo

sempre o mesmo objectivo:

Ajudar os mais necessitados em

Portugal.

Mas para que o Centro Lusitano de

Zurique consiga cumprir o seu objectivo,

muito tem a agradecer a todas

as casa portuguesas, empresas

portuguesas, instituições portuguesas

residentes aqui na Suíça, assim

como a todos os portugueses que

vão encontrando e que todos os

anos recebem o Grupo das Janeiras

de braços abertos e dão aquilo que

podem para ajudar. Um louvor a toda

a vossa solidariedade!

O Grupo da Janeiras do CLZ pretende

manter esta tradição e continuar

a ajudar, em conjunto com toda a

comunidade, mais instituições que

necessitem, em Portugal.

CRÉDITOS DESDE 8,9%

*Compra de outros créditos, “Permissos” L, B, C

CONTACTOS

Birmensdorferstrasse, 55 – 8004 Zürich

Junto à Estação de Wiedikon

Frente ao Centro Lusitano de Zurique

Telm.: 076 336 93 71 * Tel.: 043 811 52 80

wwww.andradefinance.ch

info@andradefinance.ch


8 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

COMUNIDADE

À conversa com o Cônsul-Geral

de Portugal em Zurique

O Dr. Paulo Maia e Silva foi colocado em Setembro 2018 na Área Consular de Zurique,

que abrange 18 cantões e também o Principado do Liechtenstein, onde residem cerca

de 90 mil portugueses.

Residem em toda a Suíça cerca de 265 mil portugueses, constituindo assim a terceira

maior comunidade estrangeira em terras helvéticas, logo a seguir aos alemães e aos

italianos.

Conheça um pouco da história profissional do actual cônsul de Portugal em Zurique

como diplomata, os seus objectivos, mas também o cidadão.

V Lúcia Sousa

Devido à carreira diplomática do pai,

viveu em diversos países, contactou

com outras culturas, tendo frequentado

o ensino primário e secundário

em francês. Assim, ele e o irmão cresceram

naturalmente entre estas duas

línguas: português e francês.

Ser filho de um diplomata facilitou-

-lhe a adaptação ao estilo de vida

algo nómada inerente a esta carreira,

na qual viria a ingressar em 1998.

Considera que é necessário ter uma

capacidade de adaptação muito apurada

para se ajustar à vida num novo

país. Por falar alemão, manifestou

desejo de ser colocado em Zurique

e, sem dúvida nenhuma, o domínio

da língua local facilita a adaptação à

nova vida e permite-lhe desempenhar

as suas funções com confiança.

Se não tivesse escolhido a carreira diplomática,

muito provavelmente teria

sido professor. Gosta de livros, é apreciador

de música e da gastronomia

portuguesa.

Considera que os emigrantes portugueses,

por se encontrarem em contacto

com outras culturas, aprendem

outras línguas, adaptam-se bem, são

muito trabalhadores e dedicados, o

que os torna representantes da cultura

e das raízes de Portugal, sendo

esse o verdadeiro cartão de visita do

nosso país no estrangeiro.

Dr. Paulo Maia e Silva acompanhado pela esposa Isabel Maia e Silva

“Ser diplomata é também fazer contactos

e estabelecer pontes culturais

entre países. É uma honra servir e representar

o país” – é essencial ouvir


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 9

COMUNIDADE

o que as comunidades portuguesas

têm a dizer, mas por outro lado saber

que imagem os suíços têm dos portugueses.

São informações a ter em

conta em tudo aquilo o que, em estreita

coordenação com a Embaixada

de Portugal em Berna, se possa fazer

em prol dos portugueses aqui na Suíça,

país onde os nossos compatriotas

representam uma comunidade tão

numerosa.

O Sr. Cônsul salientou a importância

do apoio da esposa, Isabel Maia e Silva,

que o tem acompanhado nas suas

funções de diplomata. “Há muitos aspectos

do cargo que ocupo em que a

presença e sensibilidade femininas

se revelam essenciais. A nível de contactos,

a minha mulher tem desempenhado

um papel bastante importante

no seio da comunidade local ao longo

destes anos, este é já a nossa sexta

colocação. A minha mulher tem igualmente

contribuído para divulgar a cultura

portuguesa, tendo chegado a dar

aulas de Português. Outro aspecto

fundamental que faz parte da carreira

de um diplomata é o de receber em

casa e também aí o papel da mulher

do diplomata é crucial. “

“O atendimento ao público e a imagem

do Consulado têm de ser baseados

na excelência e tudo tenho feito

para criar uma imagem de proximidade,

não só do Cônsul, mas acima

de tudo da instituição, já que o Consulado

é uma extensão da Administração

pública portuguesa. Enquanto

exercer funções como Cônsul aqui em

Zurique, faço questão de conhecer as

associações, as colectividades, estar

em contacto com as pessoas, conhecer

as suas experiências, comunicar e

transmitir informações do seu interesse.

Para isso, de forma a estabelecer

esse elo de ligação, é necessário eu

dispor de canais de comunicação actualizados

e eficientes.”

Aos portugueses residentes na Suíça,

gostaria de transmitir uma mensagem

de confiança, o desejo que os nossos

compatriotas reconheçam o quanto

são bons naquilo que fazem quando

se empenham. Apesar das dificuldades,

esforçam-se, conseguem adaptar-se

no país de acolhimento. Nesse

intuito, é realmente importante aprender

a língua local. Desejam manter

as suas raízes e ligações a Portugal

e o português é a língua de comunicação

em família. Está provado que o

domínio da primeira língua ou língua

materna facilita a aprendizagem de

outras línguas.”

A experiência de vida noutros países é

um desafio ao nível da adaptação, em

variados níveis, mas também de consciência

da própria identidade cultural.

Saudade – palavra tão portuguesa e

tão singular que não tem tradução!

Por viver no estrangeiro, sente saudades

da família, dos amigos, das raízes

que estão em Portugal, do ambiente

familiar do dia-a-dia. As novas tecnologias

ajudam bastante a minimizar a

distância geográfica, mas mesmo assim,

a saudade está presente.

De todos os muitos países que conhece,

a viagem que mais o marcou foi

à Malásia: em Malaca, que já foi portuguesa,

ficou sensibilizado por ter

encontrado a indicação PORTUGAL:

10.000 KM. “Portugal deixou de estar

presente em Malaca desde 1611, mas

curiosamente falaram comigo em português.

Igualmente impressionante é

o Museu da Marinha em Malaca, que

retrata de forma aprofundada a história

da presença portuguesa naquele

local. Isto ilustra a grandeza do nosso

país e prova como o povo português

esteve em todo o lado, dando os primeiros

passos para a construção da

aldeia global de que hoje tanto se

fala.”


10 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

CIDADANIA

Entrevista com Aldo Ferrari

Partida definitiva da Suíça:

O que acontece com os fundos

da caixa de pensões?

Quando querem partir definitivamente

da Suíça, muitos migrantes

interrogam-se sobre o

que acontece com a sua previdência

profissional. Aldo Ferrari,

vice-presidente do Unia e especialista

em assuntos da previdência

profissional, responde a

algumas perguntas do Horizonte.

V Marília Mendes

Muitos migrantes temem que no futuro

não seja possível levantar o dinheiro

acumulado na caixa de pensões

quando partem definitivamente da

Suíça. Este temor justifica-se?

— Aldo Ferrari — Não. Esta proposta

foi feita no âmbito da discussão da revisão

da lei sobre as prestações complementares

(EL- PC). Aparentemente

muita gente gasta os seus fundos da

caixa de pensões e depois necessita

de prestações complementares para

sobreviver. Mas esta proposta não

teve apoio político e por isso foi retirada

do projecto-lei. Por isso, continua

a ser possível levantar os fundos da

caixa de pensões. Quem deixa a Suíça,

pode sob certas condições levar o

capital da caixa de pensões.

Quais são essas condições?

AF — Em primeiro lugar, é preciso definir

se a saída é para um país da União

Europeia ou não. Para um país fora da

UE é sempre possível levar o capital

da caixa de pensões. Em alguns casos

também é possível optar por uma

pensão. Isto não está previsto na lei,

depende da caixa de pensões. Por

exemplo, as caixas de pensões paritárias

dos sectores da construção e

acabamentos permitem-no.

E para um país da UE?

AF — Neste caso, é sempre possível

levar a parte extra-obrigacional do capital

da caixa de pensões. O seu comprovativo

de seguro do 2.º pilar contém

o capital que poupou durante a

sua vida de trabalho (a chamada prestação

de saída ou o capital acumulado).

Outro valor que o comprovativo

menciona é o valor segundo a lei da

previdência profissional (BVG-LPP). A

diferença entre os dois é o capital extra-obrigacional

acumulado, que pode

sempre ser levado quando se parte

para um país da UE.

ALDO FERRARI - © UNIA

Para um país da UE só se pode levar o

capital extra-obrigacional?

AF — Não. Quem chegue à reforma

ou, se o regulamento da caixa de pensões

o permitir, à reforma antecipada,

pode levar o capital acumulado que o

regulamento da caixa de pensões permitir

(no mínimo um quarto do capital).

Antes da idade da reforma, pode

levar o capital quem no novo país não

ficar sujeito à segurança social (isto

é, não esteja a trabalhar ou a receber

um subsídio ou uma pensão de uma

segurança social). O Órgão de Conexão

do Fundo de Garantia LPP faz

a verificação no novo país. O capital

pode ainda ser levantado para que o

segurado passe a trabalhar por conta

própria (mas só se o segurado não

estiver sujeito à previdência profissional)

ou para a compra, a construção e

a renovação da habitação principal,

bem como para a amortização de uma

hipoteca.

A discussão da lei das EL-PC não

tem então consequências para o

nosso dinheiro da caixa de pensões?

AF — Tem. Ainda não está tudo decidido,

mas uma boa notícia é que

quem ficar desempregado a partir

dos 58 anos pode continuar na sua

caixa de pensões e tem mais tarde

direito a uma pensão de reforma

desta. Este não é actualmente o

caso: agora, quem fica desempregado

antes da idade da reforma, perde

o direito à previdência profissional.

O dinheiro é colocado numa conta

de livre passagem e as condições

para a reforma são muito piores. A

lei deve ser aprovada na sessão de

Primavera do Parlamento. Nós depois

daremos todas as informações.

Quem depois da reforma deixar a

Suíça para um país da UE poderia

optar por uma pensão de reforma

do 2º pilar?

AF — Sim, poderia. Aconselho os segurados

a avaliarem bem as vantagens

e as desvantagens, tendo sendo

em consideração o regulamento da

sua caixa de pensões. É importante

saber, por exemplo, que quem decide

levantar o dinheiro está a desistir de

uma pensão de viuvez ou de uma pensão

para filhos menores ou em formação

(desde que a caixa de pensões as

preveja). Seria importante que os trabalhadores

se aconselhassem junto

do sindicato. Eles poderão, assim, receber

um aconselhamento informado

e actualizado, porque este é um campo

em constantes alterações.


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 11

BREVES

A Flor-Cadáver

abriu no Jardim Botânico

de Zurique

A Amorphophallus titanum, nome científico

como é conhecida. Esta é a maior flore

existente no mundo que pode atingir 3 metros

de altura e chegar a pesar 70 quilos.

Esta planta floresceu recentemente no Jardim

Botânico da Universidade de Zurique

e tem atraído um grande número de visitantes.

Seu nome popular - "Flor-cadáver"

– presume-se que foi baptizada com este

nome derivado ao seu cheiro bem acentuado.

Esta planta tem origem na floresta tropical

da Indonésia ,na ilha Sumatra, tendo sido

descoberta em 1878 pelo botânico italiano

Odoardo Beccari que lhe deu o nome científico

Amorphophallus-titanum que significa,

literalmente: folha gigante sem forma.

Esta pode viver até os seus 40 anos, mas

infelizmente só floresce duas ou três vezes.

A última vez que esta raridade pode ser

observada na Suíça foi em 2004 no Jardim

Botânico da Universidade de Basel.

O Jardim Botânico da Universidade de Zurique

tem o seguinte Horário de abertura:

Março a Setembro, Segunda a Sexta-feira

das 7 ás 19 horas, finais de semana das 8

ás 18 hora. Nas estufas (todo o ano sete

dias á semana) das 9.30 ás 17 horas, incluindo

feriados com entrada gratuita

e situa-se na Zollikerstrasse 107, 8008

Zurique.

Será verdade que

os alunos se tornaram

mais cruéis?

Segundo o estudo realizado pela (ZHAW)

Universidade Suíça de Ciência Aplicada,

confirma que sim. Três a cinco por

cento dos estudantes são afetados pelo

Bullying. Segundo os especialistas “não

há como fugir do assédio”.

Este estudo, designado por JAMES-Studie,

tem monitorizado jovens desde 2010

nas quatro regiões linguísticas da Suíça

com idades entre os 12 e os 19 anos sendo

publicado em cada dois anos estudos

sobre os jovens e a sua interacção com o

mundo digital.

Segundo o estudos, de três a cinco por

cento dos estudantes do ensino médio,

em toda a Suíça, são afectados pelo

bullying, como diz Otto Bandli, orador e

conselheiro em violência e intimidação

na Universidade de Formação de Professores

em Zurique.

Além disso, como mostra o estudo de James

de 2018, 23% dos adolescentes já foram

vítimas por via-online. Dezasseis por

cento dos entrevistados enviaram textos

ou fotos ofensivas, com seu telemóvel ou

computador.

Os alunos sofrem constantemente e com

o aumento constante de agressividade, e

uma vez que uma vitima entra numa rede

de assédio numa plataforma como Instagram,

Snapchat, ou Whatsapp, não tem

formas de escapar, afirmou o Dr. Bandli.

Basta uma simples e curta frase como:

“todos sem a Laura“ para se tornar numa

ameaça para a integridade de um jovem,

levando-o infelizmente a situações trágicas.

Deixamos os contactos para alguém que

necessite de ajuda para lidar com estes

casos:

Dargebotene Hand, Tel. 143, ou www.143.ch

Angebot der Pro Juventute: Tel. 147, ou www.147.

ch

Kirchen:www.Seelsorge.net

Centro de informação prevenção suicídio:

Nebelmeer : www.Nebelmeer.net

Refugium : www.Verein-refugium.ch

Verein Regenbogen Schweiz: www.Verein-regenbogen.ch

SBB-App e a caixa-automática

de

emissão de Bilhetes

emitem preços

elevados

Quem adquira o seu bilhetes de viagem

no SBB-App ou na caixa-automática de

emissão de bilhetes vai pagar mais (em

alguns trajectos) um quarto do preço normal.

Se deseja realizar uma viagem não confie

cegamente neste dois sistemas e

dirija-se a uma caixa convencional - à

bilheteira – e adquira o seu bilhete pedindo

sempre que o funcionário faça a

proposta mais barata. Por duas razões:

a Primeira é, que a SBB (Companhia de

Caminhos de Ferro Suíça) tem muitas

vezes para certos destinos ofertas especiais;

Segundo, existem tarifas diversas

para certos destinos assim como linhas

e horários. Existem ainda serviços que

são prestados por outras companhias

que cobram outros tarifas ou não existem

acordos de preços. Na bilheteira é

possível calcular a melhor rota ao melhor

preço, no sistema automático e digitar

não.

Veja um exemplo: Um passageiro portador

do Halbtax, partindo de Zurique

(estação-central) viagem directa destino

ao Fusio (Tisino), paga 45,80 CHF. Se

o passageiro tivesse feito o seu bilhete

com escala (Zurique-Locarno e Locarno-Fusio,

o preço é de 39,10 CHF, um

desconto de 6,70 CHF.

Segundo o responsável pela comunicação

da SBB Thomas Ammann os culpados

são as empresas que fazem as ligações

regionais porque calculam o preço

ao quilometro e este, varia consoante a

zona e não o equipamento tecnológico

da SBB. No entanto, prevê-se que no

final de 2020 estes problemas estejam

ultrapassados porque se prevê uma

reorganização do sistemas de transportes

a nível nacional.

Mas enquanto isto não acontece é aconselhável

que o caro leitor se dirija à tradicional

bilheteira mesmo que tenha de

perder uns minutos a espera compensa.

in Blick e 20 Minuten


12 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

COMUNIDADE

Cuidar da saúde na velhice

V Sandra Ferreira

No passado dia 30 de Março,

realizou-se no Centro

Lusitano de Zurique uma

sessão de informação sobre

“Como cuidar da saúde

na velhice“. Um projecto

realizado pelo projecto Public

Health Services e a Fundação

para a promoção da

saúde na Suíça.

Esta sessão foi administrada

pelo psicólogo Ricardo

Pinto, que numa primeira

parte explicou o que significa

saúde mental; em segundo

deu a conhecer os factores

de protecção da mesma;

e por fim, falou um pouco

de duas dependências que

afectam muito os mais seniores,

que é o álcool e os

medicamentos.

Estas sessões são de extrema

importância, tendo

em conta as estatística que

mostram um aumento gradual

do numero de doentes

mentais na Suíça assim

com a nível mundial.

Para tal, será organizada

mais uma sessão destas,

em Zurique, para a comunidade

portuguesa, que ter

lugar no próximo dia 19 de

Maio, pelas 9:30 Horas, no

Salão da Igreja S. Félix e Regula.

Convida-se assim a todos

que estejam preocupados

com a sua velhice, mas

também familiares que se

preocupem com o tema, a

participarem nesta sessão.

O sistema escolar Suíço não dá

as mesmas oportunidades a todos

Um artigo do „Neuen

Zürcher Zeitung“ de

24.01.2019

O sistema escolar Suíço ainda

não é um sistema com

igualdade de oportunidades

para todos. É o que mostra

um estudo realizado pelo

concelho científico suíço

e que exige que a Política

tome as suas medidas.

O Sistema Escolar

suíço ainda é socialmente

injusto

“O que o Pedro não aprendeu,

não aprende mais.“

Esta é uma expressão antiga

que hoje em dia não

é mais válida. O mundo

profissional de hoje em

dia exige que se aprenda

a vida inteira. A Suíça

encontra-se, em relação à

formação continua, num

lugar de excelência a nível

mundial. Mas infelizmente

nem todos tem as mesmas

oportunidades em relação

ao sistema de ensino. Um

estudo mostra que a suíça

encontra-se numa situação

„insustentável“. E são os Jovens

que mais sofrem com

esta situação, que devido à

sua classe social ou a raízes

migratórias são discriminados.

Isso prejudica também

a economia nacional.

A politica não leva o

problema a sério

O estudo realizado pelo

concelho científico suíço (

Wissenschaftsrat) diz que a

igualdade de oportunidades

no sistema escolar suíço

é deficiente. E a Suíça não

se pode permitir isso, pois

como local de Investigação

e Inovação, o pais tem uma

grande necessidade de ter

trabalhadores qualificados.

Em vez procurar potencial

no estrangeiro, devia incentivar

este no próprio país.

O sistema escolar Suíço não dá as mesmas oportunidades a todos

Mas a nível político tem-se

feito muito pouco.

Um artigo do „Neuen Zürcher Zeitung“ de 24.01.2019

as suas medidas.

O Potencial dos jovens

não é aproveitado

Os autores do estudo chegam

à conclusão que o sistema

escolar suíço é injusto

e, por consequência, pouco

eficiente. Os filhos de licenciados

chegam em dobro a

um „Gymnasium“, do que os

filhos de pais com pouca escolaridade.

Um estudo feito

pelas universidades mostra

que este valor é cinco vezes

maior. Alem disso, mostra

que as diferenças sociais

tem implicações

„uma abertura do


desempenho“.

na mais

tenra idade, na oportunidades

de formação do público em geral. e que a

diferença depois tendem a

aumentar de escalão de formação

para escolar escalão. Suíço. Ate ao

fim da escola primaria já se

Concelho Federal suíço.

transmite „uma abertura do

desempenho“.

Um jovem talentoso, que

vem de famílias económico-

-social fracas, não fazer um

Curso universitário é mais

caro para a sociedade em

geral do que pagar os custos

da formação através do

público em geral.

O sistema escolar Suíço ainda não é um sistema com igualdade de oportunidades para todos. É

o que mostra um estudo realizado pelo concelho cientifico suíço e que exige que a Política tome

O Sistema Escolar suíço ainda é socialmente injusto

Rolf Becker e Jürg Schoch,

directores do estudo, falam

de uma miopia para a política

educacional na suíça, „

que se concentra na formação

profissional e em poupar

nos custos de formação

académica“. Para eles seria

necessário uma „corajosa

modernização“ do sistema

escolar Suíço.

„ O que o Pedro não aprendeu, não aprende mais.“ Esta é uma expressão antiga que hoje em dia

não é mais válida. O mundo profissional de hoje em dia exige que se aprenda a vida inteira. A

Suíça encontra-se, em relação à formação continua, num lugar de excelência a nível mundial.

Mas infelizmente nem todos tem as mesmas oportunidades em relação ao sistema de ensino. Um

estudo mostra que a suíça encontra-se numa situação „insustentável“. E são os Jovens que mais

sofrem com esta situação, que devido à sua classe social ou a raizes migratórias são

discriminados. Isso prejudica também a economia nacional.

A politica não leva o problema a sério

O estudo realizado pelo concelho cientifico suíço ( Wissenschaftsrat) diz que a igualdade de

oportunidades no sistema escolar suíço é deficiente. E a Suíça não se pode permitir isso, pois

como local de Investigação e Inovação, o pais tem uma grande necessidade de ter trabalhadores

qualificados. Em vez procurar potencial no estrangeiro, devia incentivar este no próprio país. Mas

a nível político tem-se feito muito pouco.

O Potencial dos jovens não é aproveitado

O estudo foi feito pelo concelho

científico suíço, feito

a pedido de um órgão de

apoio do Concelho Federal

suíço.

Os autores do estudo chegam à conclusão que o sistema escolar suíço é injusto e, por

consequência, pouco eficiente. Os filhos de licenciados chegam em dobro a um „Gymnasium“,

do que os filhos de pais com pouca escolaridade. Um estudo feito pelas universidades mostra

que este valor é cinco vezes maior. Alem disso, mostra que as diferenças sociais tem implicações

jà na mais tenra idade, na oportunidades de formação e que a diferença depois tendem a

aumentar de escalão de formação para escalão. Ate ao fim da escola primaria já se transmite

Um jovem talentoso, que vem de famílias económico-social fracas, não fazer um Curso

universitário é mais caro para a sociedade em geral do que pagar os custos da formação através

Rolf Becker e Jürg Schoch, directores do estudo, falam de uma miopia para a política

educacional na suíça, „ que se concentra na formação profissional e em poupar nos custos de

formação académica“. Para eles seria necessário uma „corajosa modernização“ do sistema

O estudo foi feito pelo concelho cientifico suíço, feito a pedido de um órgão de apoio do

Estimados Pais,

Procuram apoio para assuntos relacionados com

a formação escolar do seu filho?

Não hesite em contactar-nos!

Verein S.E.S.J Giuliana Lamberti

Weberstrasse 21 Tel. 044 242 27 27

8004 Zürich Sandra Ferreira

www.sesj.ch Tel. 079 243 01 66


Falamos Português!

www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 13

PUBLICIDADE

MAIS DE 200 VIATURAS AOS MELHORES PREÇOS

Financiamento - Leasing - Crédito — VENDA, TROCA E COMPRA

VW TOURAN 2.0 TDI SCR Highline

DSG

Automático, Diesel, 150 PS

Com MFK, Garantia e 1a. mão

09.2016; 58’000KM; CHF 28’900

MERCEDES-BENZ GLA 220 CDI

Urban 4m

Automático, Diesel, 170 PS

Com MFK, Garantia e 1a. mão

05.2014; 39’000 KM; CHF 27’900

MERCEDES-BENZ C250 BlueTec

AMG Line 4m

Automático, Diesel, 204 PS

Com MFK, Garantia e 1a. mão

01.2015; 92’475 KM; CHF 31’900

MERCEDES-BENZ C250 d AMG

Line 4matic

Automático, Diesel, 204 PS

Com MFK, Garantia opcional

09.2016; 33’290 KM; CHF 37’900

MERCEDES-BENZ GLE 350 d

Automático, Diesel, 258 PS

Com MFK, Garantia e 1a. mão

09.2015; 58’000 KM; CHF 69’900

Audi Q7 3.0 V6 TDI 272 quattro

T-Tr. 5-Line

Automático, Diesel, 272 PS

Com MFK, Garantia 1 ano

10.2015; 46’085 KM; CHF 67’900

MERCEDES-BENZ V 250 d Blue-

Tec Avant 4m

Automático, Diesel, 109 PS

Com MFK, Garantia e 1a. mão

06.2016; 58’274 KM; CHF 54’900

Audi A6 3.0 V6 TDI S-Line

Automático, Diesel, 204 PS

Com MFK, Garantia 1 ano

08.2014; 122’506 KM; CHF 26’900

Audi A3 Limousine 2.0 TDI 150

Ambition 5-Tr

Automático, Diesel, 150 PS

Com MFK, Garantia 1 ano

11.2014; 94’517 KM; CHF 22’900


14 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

AGENDA CULTURAL

5.5.2019

EXPOSIÇÃO NA “AU-

TONOME SCHULE”

Os músicos do “Ensemble Tzara”

e os refugiados organizaram conjuntamente

a exposição “Tzara

geht zur Schule”. O tema central é

a integração. Com estações sonoras,

visuais e multimídias. 16:00-

20:00. Entrada livre, contribuição

espontânea.

Autonome Schule Zürich. Sihlquai

125. Tram 4/13/17 oder Bus 32 bis

“Limmatplatz”. http://www.ensembletzara.ch

6.5.2019

VIAGEM,

A CIDADE

DESCUBRIR

Park im Grüene”. http://www.

parkimgruene.ch

9.5.2019

FESTIVAL DE CINEMA

(09.05.-19.05.)

O festival “stattkino” exibe filmes

combinados à uma programação

com concertos, cinema-olfativo,

lanches ou leituras. Também para

crianças. Programação www.stattkino.com.

O escritório da MAPS

sorteia 2×2 entradas para um filme-experiência

de sua escolha

no antigo Cinema ABC. É só ligar

para: 044 415 65 89 ou escrever

um e-mail para: maps@aoz.ch.

Kino ABC. Beatenplatz. Tram

6/7/11/13/17 bis “Bahnhofstrasse/

HB”. http://www.stattkino.com

10.5.2019

CARAOQUÊ

12.5.2019

JARDIM DE SUCULEN-

TAS

O jardim de cactus de Zurique e

outras plantas suculentas é um

dos maiores do mundo. Hoje e

no dia 15.05., acontece a visita

guiada gratuita “Kakteenblüte

im Frühling”. 14:00-15:00. Horários

de visita do jardim: Seg-dom

09:00-16:30. Entrada livre.

Sukkulentensammlung. Mythenquai

88. Bus 161/165 bis “Sukkulentensammlung”.

http://www.

stadt-zuerich.ch/sukkulenten

16.5.2019

OFICINA PARA IM-

PRESSÃO EM OLEADO

AGE

CULTU

d

Zuri

A sequência de exposições

“Nahreisen” oferece um programa

variado e original com excursões

guiadas e passeios pela cidade de

Zurique de 06.05. a 10.06. Programação:

www.nahreisen.ch. Participação

gratuita.

http://www.nahreisen.ch

7.5.2019

EXPOSIÇÃO SOBRE OS SO-

NHOS

Na exposição “Träume werden

wahr” a artista Franziska Furter

trata sobre a relação entre os sonhos

e a realidade. Até o dia 16.06.

Ter-dom 11:00-18:00. Qui 11:00-

20:00. Entrada livre.

Helmhaus. Limmatquai 31. Tram

4/15 bis “Helmhaus”. http://www.

stadt-zuerich.ch/kultur/de/index/institutionen/helmhaus.html

8.5.2019

PROGRAMAÇÃO PARA CRIAN-

ÇAS NO PARQUE

Às quartas-feira e nas tardes de

domingo, o “Park im Grüene” oferece

uma programação gratuita

para crianças: Teatro De Marionetas

ao ar livre, voltas num pequeno

comboio e passeios de burros. A

partir de 14:00. Participação gratuita.

Custos para o trajeto.

Park im Grüene. Alsenstr. 40, Rüschlikon.

Bus 165 bis “Rüschlikon,

Uma noite de caraoque, bebidas

deliciosas e arepas recheadas

(bolo de milho). 19:00-00:00. Participação

gratuita.

GZ Oerlikon, Café. Gubelstr.10.

Tram 10/14 bis “Salersteig”. http://

www.gz-zh.ch/gz-oerlikon

10.5.2019

MERCADO DE ROUPAS PARA

MULHERES

Aqui você encontra roupas usadas

e gratuitas. Você pode levar suas

próprias roupas em bom estado

que você queira doar. Com serviço

de bar. 19:30-22:00. Entrada livre.

GZ Riesbach. Seefeldstr. 93. Tram

2/4 oder Bus 33 bis “Höschgasse”.

http://www.gz-zh.ch/gz-riesbach

11.5.2019

ABERTURA DA EPOCA

BALNIAR

Todos os espaços balniares ao

ar livre da cidade estão abrem as

portas este dia ( 11.05.), como por

exemplo o “Flussbad Unterer Letten”

(entrada livre) ou o “Freibad

Letzigraben” (com KulturLegi para

adultos a partir de CHF 4.- (ao invés

de CHF 8.-). Locais e temperatura

da água:

www.sportamt.ch/badi-aktuell. http://

www.sportamt.ch/badi-aktuell

Quer se trate de principiantes ou

de conhecedores, à quinta-feira à

tarde todos são bem-vindos para

imprimir em oleado. Apenas com

tempo seco. A partir das 18:00.

Participação gratuita, material disponível

a preços acessíveis.

Park Platz. Wasserwerkstr. 101.

Tram 4/13/17 oder Bus 32 bis

“Limmatplatz”. http://www.park-

-platz.org

17.5.2019

FESTIVAL DE MÚSICA

(17.05.-19.05.)

No “Lauter Festival” durante três

noites pode assistir a concertos

com músicos de todo o mundo.

Sex e sáb há também festa com

música electrónica. Sex a partir

das 20:00. Sáb a partir das 17:00.

Dom a partir das 19:30. Entrada livre.

Stall 6. Gessnerallee 8. El Lokal.

Gessnerallee 11. Tram 3/14 oder

Bus 31 bis “Sihlpost”. http://www.

lauter.ch/lauter-festival/lauter-

-festival

17.5.2019

TROCAR EM VEZ DE

PAGAR

Na associação “Tauschen am

Fluss” trocam-se serviços, conhecimentos

e saberes. Hoje decorre

uma sessão informativa na qual

também pode conhecer pessoas.


NDA

RAL

e

que

© annca

19:00. Participação gratuita.

GZ Wipkingen. Breitensteinstr.

19a. Tram 4/8/11/13/15/17 oder

Bus 33/72/83 bis “Escher-Wyss-Platz”.

http://www.tauschenamfluss.ch

18.5.2019

FESTA DA PRIMAVE-

RA

A associação “Mosaik” festeja

a convivência de pessoas de

diversas culturas. Desfrute de

comida, música e danças de vários

países. Com um programa

especial para crianças. 11:00-

21:00. Participação gratuita.

Schwamendingerplatz, Zürich.

Tram 7/9 oder Bus 61/62/75/79

bis “Schwamendingerplatz”.

http://www.fruehlingsfest-mosaik.ch

21.5.2019

VISITA AO LANDES-

MUSEUM

Por ocasião do “Dia Internacional

dos Museus”, hoje a entrada

e todos os eventos no “Landesmuseum”

Zürich são gratuitos.

10:00-17:00. Entrada livre.

Landesmuseum. Museumstr. 2.

Tram 4/11/13/14/17 oder Bus 46

bis “Bahnhofquai/HB”. http://

www.landesmuseum.ch

22.5.2019

CONCURSO DE COR-

RIDA PARA CRIAN-

ÇAS E JOVENS

No concurso “De schnällst

Zürihegel” podem participar

numa corrida de 80 metros todos

os residentes da cidade

de Zurique nascidos em 2006

ou depois desse ano. A primeira

eliminatória realiza-se nos

bairros hoje e a 25.05. Locais

em www.zuerihegel.ch (por ex.,

“Sportplatz Liguster”). A final

decorre no dia 15.06. em “Sportanlage

Utogrund”. Participação

gratuita. http://www.zuerihegel.ch

www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 15

22.5.2019

ANIMAIS NA CIDADE

Hoje adultos e crianças descobrem

animais que vivem na cidade.

Stands e visitas guiadas

com especialistas convidam a

saber mais sobre raposas, morcegos

ou abelhas. 13:30-17:00.

Participação gratuita, contribuição

espontânea.

GZ Schindlergut. Kronenstr. 12.

Bus 32/46 bis “Nordstrasse”.

http://www.gz-zh.ch/gz-schindlergut

23.5.2019

CONCERTOS DE MÚ-

SICA JAZZ E POP

(23.05.-29.05.)

Ao longo de várias noites, músicos

que concluíram os seus

cursos, apresentam as suas

próprias obras de jazz e pop.

20:30. Entrada livre, contribuição

espontânea.

Mehrspur, Musikklub Toni-Areal.

Förrlibuckstr. 109. Tram 4

bis “Toni-Areal” oder Tram 8/17

bis “Fischerweg”. http://www.

mehrspur.ch

24.5.2019

FESTIVAL DE MÚSI-

CA EM WOLLISHO-

FEN (24.05.-25.05.)

Este festival gratuito oferece

dois dias com música a céu

aberto junto do lago. Concertos

sex a partir das 18:00, sáb a partir

das 16:00. Programa infantil

sex e sáb a partir das 14:00. Entrada

livre.

GZ Wollishofen. Bachstr. 7. Tram

7 bis “Post, Wollishofen” oder

Bus 161/165 bis “Rote Fabrik”.

http://www.openair-wollishofen.ch

25.5.2019

PASSEIO DE ELÉC-

TRICO COM GUIA

AGENDA CULTURAL

Tenha a experiência de um passeio

de eléctrico com um especialista,

que lhe dá informações

em directo, por altifalante, sobre

as plantas e animais ao longo

do percurso de eléctrico. Ponto

de encontro: “Extrafahrten”-

-paragem Bellevue. A 25.05.

às 15:00 e às 16:30. A 26.05 às

14:00 e às 15:30. Participação

gratuita.

Bellevueplatz.

Tram

2/4/5/8/9/11/15 bis “Bellevue”.

http://www.nahreisen.ch

26.5.2019

FESTA DA FAMÍLIA

Hoje na “Mühle Tiefenbrunnen”

decorre a festa “EinChorn - Luege,

lose, lache und bache ...”

para toda a família. Com brunch,

teatro, música e workshops.

09:30-17:00. Entrada livre.

Miller’s, Mühle Tiefenbrunnen.

Seefeldstr. 225. Tram Nr.

2 oder 4 bis “Wildbachstrasse”

oder “Bahnhof Tiefenbrunnen”.

http://www.millers-studio.ch

28.5.2019

MUSEU DOS INUIT E

DOS ÍNDIOS

O “Nordamerika Native Museum

(NONAM)” mostra a cultura

dos povos índigenas da

América do Norte. Uma sala de

sons conduz-nos pelo mundo

acústico dos inuit e dos índios.

Ter-sex 13:00-17:00. Sáb-dom

10:00-17:00. Com KulturLegi

entrada livre (em vez de adultos

CHF 12.-, crianças CHF 4.-).

NONAM. Seefeldstr. 317.

S-Bahn oder Tram 2/4 bis “Bahnhof

Tiefenbrunnen”. http://

www.nonam.ch

ÓPERA

Seis estudantes da Escola Superior

de Artes (ZHdK) apresentam

a ópera “Prima la musica e

poi le parole” de Antonio Salieri.

19:00. Entrada livre, contribuição

espontânea.

Limmat Hall. Hardturmstr. 22.

Tram 8/17 bis “Förrlibuckstrasse”.

http://www.zhdk.ch/musiktheater

Fonte: www.maps-agenda.ch/


16 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

COMUNIDADES

João Pereira, o português que

se destacou na General Electrics

João Pereira é um jovem engenheiro que trabalha na General Electrics, em Baden.

Encontrámo-lo ao fim de um dia de trabalho num bar em Baden e, enquanto bebíamos

uma cerveja, falámos acerca da sua vida e experiências, dos seus planos e sonhos.

V Nuno Brandão

Lusitano de Zurique – João, quando é

que chegaste à Suíça? E o que é que

te levou a vir para a Suíça?

— J.P. - Cheguei em Novembro de

2013 através de um convite. Eu já estava

na Alemanha. Na altura com a

minha mulher e a minha filha, que tinha

seis meses. Chama-se Leonor e

nasceu já na Alemanha. A chefia da

empresa onde eu trabalhava transferiu-se

para a Suíça e convidaram-me

para os acompanhar. Eu aceitei. Era

uma empresa que eu já conhecia, de

dimensões gigantescas…

L.Z. - Como é que se chama essa empresa?

— J.P. - Alstom. Agora que foi comprada

pela GE, faz parte desta última,

mas as funções são as mesmas. Foi

uma decisão motivada pelo desejo

de continuar a trabalhar com a mesma

equipa de chefia, para uma empresa

de renome.

L.Z. - A continuação de um projecto?

— J.P. - Sim. O mesmo tipo de trabalho,

com funções semelhantes,

um pouco mais de responsabilidade,

noutro país, para uma empresa

maior.

L.Z. - Então agora a tua empregadora

é a GE?

— J.P. - Sim, desde que a GE comprou

a Alstom em 2015. O negócio é o

mesmo, continuamos a produzir os

mesmos produtos, para os mesmos

clientes, mas agora com o logótipo

da GE.

L.Z. - E como é que te surgiu a ideia

de emigrar para a Alemanha?


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 17

COMUNIDADES

— J.P. - Eu tive a sorte de vir para a Alemanha

por escolha e não por obrigação.

Tinha um emprego razoável em

Portugal, na Martifer, que na altura

era líder de construções metálicas em

Portugal, estava relativamente contente,

mas queria experimentar algo

diferente. Isto numa altura da minha

vida em que não tinha filhos ainda,

tinha liberdade de movimentos. Então

decidi procurar algo lá fora e tive

a sorte de, nos primeiros contactos

que fiz, conseguir logo uma entrevista.

Mudei-me para uma empresa de

turbinas eólicas, sempre na área da

energia. Na Martifer nós produzíamos

equipamentos para as turbinas

eólicas. Na altura a empresa sentia

algumas dificuldades. O mercado

sentiu o impacto da crise financeira

de 2008, perdemos os principais

clientes, aquele ramo da Martifer extinguiu-se,

eu passei a trabalhar noutro

ramo e o nosso principal cliente,

como viu que eu estava interessado

em algo diferente, convidou-me. Eles

solicitaram-me para uma entrevista

na Dinamarca e um mês depois estava

a trabalhar na Alemanha. Quer dizer:

eu era fornecedor da firma para a

qual depois fui trabalhar. Isto sempre

no mesmo ramo da energia. Apenas

deixei de trabalhar para o fornecedor

e passei a trabalhar para o consumidor

final.

L.Z. - Em que departamento é que trabalhas?

— J.P. - O departamento onde trabalho

é o mesmo onde comecei há 12 anos,

no controle de qualidade. Tenho uma

equipe multinacional de cerca de 70

pessoas, em 10 países de 3 continentes,

da qual eu sou o director. Basicamente

o que fazemos: somos a interface

com o cliente, o cliente diz-nos

quais são as especificações técnicas,

quais os requisitos para o produto

que ele está a comprar e nós garantimos

que os fornecedores, as nossas

fábricas, tudo aquilo que fornecemos

aos nossos clientes obedece aos critérios

por eles determinados. Garantia

de qualidade é isso; dar ao cliente

aquilo que ele pretende, quando ele

pretende e de acordo com o orçamento

definido. Para isso acontecer

há uma série de metodologias. É isso

que eu faço.

L.Z. - Como coordenas a tua vida profissional

com a familiar? Há dificuldades

nessa área?

— J.P. - Tenho dois filhos, a minha esposa

também trabalha, também na

área da qualidade, mas noutro ramo

de negócio. Felizmente não temos

muita dificuldade porque conseguimos

ter ajuda em casa, temos uma

ama em casa que é flexível que, no

caso de eu ter uma viagem não planeada

ou mesmo planeada, acompanha

bem os nossos filhos mesmo

quando não estamos presentes. Portanto,

consegue-se equilibrar essa

questão.

L.Z. - Partindo do princípio de que tens

tempos livres, como os preenches?

— J.P. - Tenho menos tempos livres

do que o que gostava, mas, felizmente,

consigo ter alguns e a maior parte

deles passo-os com os meus filhos.

Há poucas coisas que me dêem mais

prazer do que chegar a casa e brincar

com eles antes do jantar, ao fim de

semana sair com eles de bicicleta. Ir

à piscina ao fim de semana é quase

religião lá em casa. Também fazemos

caminhadas na floresta. Quando não

estou com eles, faço as minha futeboladas

com colegas. Jogo numa equipa

da GE e participamos num campeonato

de firmas o que me permite manter

a minha sanidade mental e física.

L.Z. - Sentes-te integrado na Suíça?

Como te sentes enquanto estrangeiro

neste país?

— J.P. - Não estou totalmente integrado

e a principal pedra no sapato,

por assim dizer, é a questão da língua.

Felizmente a grande maioria das

pessoas que conheço na Suíça são

super afáveis, super-simpáticas, não

olham para a dificuldade linguística

como um obstáculo, quase todas

falam inglês ou pelo menos há sempre

alguém que “arranha” italiano,

espanhol ou francês. Sei o básico de

alemão, mas para interagir com um

suíço ou alemão tenho muitas dificuldades.

É isso que me impede de me

integrar mais. Por exemplo quando

tenho de tratar de alguma coisa na

comuna, nas reuniões de pais etc.,

tenho sempre alguma dificuldade em

compreender a mensagem. Tirando

isso tenho muitos amigos na Suíça,

das mais variadas nacionalidades e

falamos sempre em inglês. A língua

de trabalho também é o inglês, não

tenho colegas suíços. No caso da minha

esposa passa-se o mesmo.

L.Z. - O que é que pensas acerca do

fenómeno da emigração portuguesa?

— JP: Eu sou a favor. As pessoas

emigram por duas razões: ou porque

querem uma vida melhor e não têm

condições no país de origem; outras

querem experimentar, vão pelo desafio.

Qualquer uma das razões é válida

e eu aplaudo todas as pessoas que

têm coragem para emigrar. Nem que

seja por um pequeno período, emigrar

é positivo. Portugal ganha com isso

também porque as pessoas voltam,

e voltam cada vez mais, e vêm com

outra maneira de ver as coisas, outras

experiências, outros conhecimentos.

A indústria portuguesa, a sociedade

portuguesa só tem a ganhar com isso.

E pela mesma razão os países que

acolhem os portugueses, como a Suíça,

enriquecem económica e culturalmente.

Os portugueses são conhecidos

pela sua energia e a Suíça ganha

com a sua presença, como é óbvio.

L.Z. - E para terminar, que planos tens

para o futuro?

— J.P. - Essa é daquelas coisas em que

não pensas quando és miúdo, mas

que, com o avançar do tempo, se tornam

mais presentes. O que eu mais

penso e acho que está na cabeça de

todos os emigrantes, embora nem todos

o admitam, é voltar para Portugal

ou não. Há pessoal mais decidido e

com ideias concretas relativamente

ao quando e como, outros optaram

definitivamente por ficar. Eu e a minha

esposa gostávamos imenso de

conseguir garantir condições que nos

permitissem, de uma forma antecipada,

obter uma reforma que nos possibilitasse

voltar para Portugal. A terra

mãe chama sempre mais alto e não

há volta a dar. Eu quero voltar para lá

ainda com energia para curtir o meu

país. A Suíça é boa, mas Portugal é

outra história; são os amigos, o clima,

a comida, uma série de coisas…


18 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

COMUNIDADE

O nosso objectivo é aumentar a proximidade

com todos grupos Folclóricos

para a nova Federação?

— L.M. Tenho 3 pontos para mim essenciais:

em primeiro, melhorar a imagem da

Federação; em segundo, preparar formação

para transmitir aos dirigentes de todos

os grupos; e por fim, federar mais grupos.

L.Z. - Os nossos grupos Folclóricos têm

uma filosofia muito própria e nem sempre

é fácil chegar a um bom diálogo. Como pretendes

abrir esta barreira?

— L.M. Aceitar e compreender a filosofia

dos grupos. Compreender as bases desses

mesmos. Respeitar a história deles.

Todos nos que andamos num grupo folclórico

no estrangeiro. Sabemos como começamos

e como começaram a maior parte

dos grupos. Dai achar que será possível

ajuda-los a evoluir sem os criticar, como

foi feito até bem pouco tempo atrás.

Luís Martins com o Presidente da Federação

Luis Martins nasceu em Vale de Cambra.

e as suas raízes culturais profundamente

assumidas, levaram-no a

fazer parte da Associação Portuguesa

de Sierre e do Rancho folclórico da

mesma, onde permaneceu até ao ano

de 2017.

Em 2006 integra a equipa da Federação

Portuguesa de Folclore e Etnografia

na Suíça.

Foi no passado mês de Março, que Rui

Abreu apresenta uma nova lista, saindo

vencedor e com ela, transporta o

Luis Martins, que assume a presidência

da Assembleia Geral.

VA Maria dos Santos

Lusitano Zurique - Luis Martins, depois de

tantos anos no meio associativo, como vês

a evolução da nossa cultura folclórica?

— Luis Martins - Depende de que ponto de

vista nos situamos. No meu ponto de vista

acho que não há grande evolução, acho

que há muitos grupos, que eu considero

de divertimento, de animação, de barulho.

E acho muito bem que assim seja. Mas infelizmente

acho que há pouca evolução

devido à falta de formação dos directores

e responsáveis.

Os directores não se deveriam limitar só a

olhar a organização de festivais e participação

em outros festivais. Deviam, e acentuo

estas minhas palavras, também se formar

para poderem transmitir aos componentes

melhores informações sobre o trajar, sobre

o representar e o que representam.

L.Z. - Como sabemos na Suíça existem

muitos Ranchos folclóricos e muitos outros

acabaram por desaparecer. Onde reside o

problema para a não sobrevivência dos

grupos?

— L.M. - A dificuldade reside no facto de

haver dificuldade em haver componentes

que integrem os grupos, de haver directores

que estejam de acordo em disponibilizar

muito tempo para formar um grupo.

Penso que cada vez vai ser mais difícil.

Quero só fazer um parêntese sobre algo

que acho que também está a dificultar o

movimento folclórico que são os grupos

de concertinas. Vejam quantos grupos de

concertinas têm emergido.. Um grupo de

concertinas será sempre muito mais fácil

de gerir, pois não tem grande pesquisa, só

tem a aprendizagem do tocador. De resto

não tem investimento em trajes, etc, E

claro não tem tanto rigor, dai que muitos

fogem dos ranchos folclóricos para as

concertinas.

L.Z. - Podemos dizer que o nosso folclore

vai ter que acabar por aceitar a mesma evolução,

que o fado, e termos grupos da nova

geração e outros grupos que permanecem

fiéis as raízes da antiguidade?

— L.M. Todos os grupos tem direito de evoluir

como querem, como até aqui. Haverá

sempre grupos que terão uma filosofia e

outros que terão outra.

L.Z. - Como actual presidente da Assembleia

geral da F.P.F.E.S., quais são as prioridades

deste novo grupo de trabalho?

— L.M. Acho que a grande prioridade deste

grupo de trabalho será de se aproximar

mais dos grupos federados e também daqueles

que não são.

Aproveito para lhes transmitir que podem

contar com todos os elementos da estrutura

federativa para os ajudar e apoiar.

L.Z. - Certamente terás projectos que já sonhastes

realizar, outros que terão surgido

nos últimos tempos. Que propostas tens

L.Z. - Ao longo dos anos temos assistido

a um folclore dominante do Norte de Portugal.

Não seria também bom começar a

mostrar outros grupos de regiões mais do

centro e sul de Portugal?

— L.M. Sim estou de acordo, mas mais uma

vez serão sempre os corpos directivos dos

grupos a decidir. Talvez esta região será

também a mais representada, por haver

mais pessoas desta mesma região.

L.Z. - Como incentivar os grupos a mostrar

mais etnografia, até porque é algo de que

o público gosta e é muito aplaudido, mas

pouco praticado na Suíça?

— L.M. Passará, penso eu, pela informação

e formação da parte da federação.

L.Z. - Até onde vai a margem de tolerância

da F.P.F.E.S? Sabemos que os nossos jovens,

estão cada vez mais tatuados, as meninas

não prescindem das unhas de gel, da

maquilhagem, das pestanas postiças…etc.

Poderá este conjunto de dados, afastar os

nossos jovens do folclore?

— L.M. Eu fui responsável durante muitos

anos de um grupo folclórico e, graças a

deus, tinha muitos jovens, muitos mesmo.

Foi um orgulho ter trabalhado com eles.

E eles sempre aceitaram esconder as tatuagens,

esconder as unhas e trajar como

achávamos que seria a melhor representação

da região que representava-mos.

Possível é, depois vai da comunicação e

liderança de cada responsável.

L.Z. - Como presidente da assembleia geral

da F.P.F.E.S, o que tens a dizer á nosso

comunidade folclórica?

— L.M. Que podem contar com o novo

elenco directivo da federação, que não tenham

medo de nos contactar. E que tentem

se orientar por grupos em Portugal

para poderem ter bases e origens para a

suas representações.


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 19

PUBLICIDADE

Romanisches Seminar

Colóquio

Santander um Banco

sempre crescer

Novas instalações na Baslerstrasse,117 -8048 Zurique

Modelos e desvios.

Transgressão de géneros em culturas de língua portuguesa

Estávamos no ano 2000 quando

o Santander Totta (agora Santander)

resolveu ter um Representante

em Zurique. Nessa época já a

concorrência estava instalada na

cidade á muito. Pedro Nogueira foi

sem dúvida a escolha certa para

iniciar este percurso por vários fatores,

até porque já era uma figura

bastante conhecida no meio associativo

e religioso, participou em

muitos eventos Festivos, também

participou em diversos programas

na Radio Lora espaço Português

com o Manuel Beja e Luis Beja.

Pedro Nogueira pelo seu passado

junto da comunidade reunia todas

as condições para vencer num

meio Bastante difícil que é o da

Banca.

Se nos primeiros 9 anos fez um

trajeto sozinho no que concerne á

prospeção do Banco na Suíça alemã

e italiana, depois com vinda do

colega Fernando Dias e mais tarde

a Sara Correia, o Banco começou

a prestar um serviço de mais proximidade,

foi evidente a evolução

que o Escritório de Representação

teve. Mais recentemente a equipa

foi reforçada com mais um colaborador

vindo de Portugal (Nuno

Pereira).

O Banco Santander está de parabéns

por ter feito a escolha certa

no momento.

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Rämistr.71, KOL-H-317

Imagem cedida por Livraria Lello, Porto

Sábado, 25 de maio de 2019

Zürichbergstr. 8, ZUG-D-31

Docentes, estudantes e todos os interessados estão convidados a participar.

PD. Dra. Maria Ana Ramos, Diretora da Cátedra Carlos de Oliveira

Prof. a Dra. Tatiana Crivelli, Diretora do Romanisches Seminar

Cátedra Carlos de Oliveira


20 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

Juniores A em Barcelona

na “Copa Dourada”

VA Jorge Macieira

A equipa dos Juniores A do Centro Lusitano

de Zurique participou ,entre o dia 23 e 26

do mês passado, na “Copa Dourada 2019”,

em Salou, nos arredores da cidade de Barcelona,

tendo acabado a competição em

sétimo lugar, num total de nove equipas.

Uma competição pela primeira organizada

em Salou, depois de cinco edições

na Alemanha. Foi uma nova e boa

experiência para os jovens jogadores

desta equipa do Centro Lusitano.

Uma viajem longa de 14 horas até a capital

da Catalunha da jovem equipa do Centro

Lusitano de Zurique ,nada impediu a

motivação e dedicação dos jogadores e

treinadores para defender da melhor maneira

o símbolo que carregam ao peito.

Os resultados não foram os melhores

ao obterem uma vitória em seis jogos,

não conseguiram impor o seu estilo de

jogo contra equipas alemãs e fortes fisicamente,

mas fizeram boas exibições

que mereceram elogios de outros treinadores

também presentes nesta edição.

Nesta equipa vemos jogadores com grande

potencial para serem “reforços” às

equipas seniores do Centro Lusitano. Desde

da baliza ao ataque há qualidade para

poder dizer que o futuro está assegurado.

Nos tempos de pausa entre jogos e tardes

livres aproveitaram para visitar monumentos

históricos de Barcelona e

também o Camp Nou, estádio de um dos

clubes mais históricos do futebol mundial.

De volta a “casa”, os treinadores Zé Ricardo

e Santos demonstraram estar contentes

com o trabalho feito pelos seus

pupilos em Barcelona e também no campeonato

onde se encontram com 3 vitórias

em 4 jogos nesta segunda fase da

época.


Ataque à liderança

www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 21

SOCIEDADE

VA Jorge Macieira

Acabando a primeira volta e ainda na

luta pelo objectivo da subida, apenas

a sete pontos do líder do campeonato

e a visitá-lo logo na primeira jornada

da segunda volta da 4ª. Liga.

A equipa sénior do Centro Lusitano de

Zurique entrou com um empate na casa

do SV Seebach a uma bola, de seguida

recebeu o FC Kloten onde os visitantes

foram goleados por 6-2 , e logo

a seguir visitaram o FC Engstringen

e o Centro Lusitano ganhou por 4-0.

Actualmente, a cinco pontos do líder SV

Seebach e com um jogo a menos, o Centro

Lusitano ainda pode aproximar-se nesta

recta final, da liderança e do objectivo da

época que é a subida da equipa a 3ª. Liga.

Faltando ainda cinco jogos para o final

da época que só termina dia 16 de Junho,

onde o Centro tem ainda que jogar contra

FC Italia Zurigo, SC Barcelona, FC Oerlikon/Polizei,

SV Hongg e FC Wallisellen.

Será uma luta a quatro, entre o Centro Lusitano de Zurique, SV Seebach,

SV Hongg e FC Oerlikon/Polizei onde ainda vão encontrar-se em campo

nos jogos de mata-mata.


22 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

FUTURO

Ciclos universais e ciclos de consciência

A vida desenvolve-se em ciclos.

A humanidade está habituada a

alguns, mas desconhece a maioria.

Os ciclos que melhor conhecemos

são os ciclos do tempo

(segundos, minutos, horas, dias,

semanas, meses, anos, séculos,

milénios, …), todavia, para além

destes, existem outros ciclos tais

como estações, dia / noite, ano

cósmico, etc., que influenciam todos

os outros. 21 de Dezembro de

2012 marcou o fim de um longo

ciclo universal de 25.920 anos e

o início de uma nova era que nos

coloca em plena transição para

o plano da 5ª dimensão de consciência.

Está a nascer em nós um

tipo de consciência diferente; é a

consciência da unidade, que abre

a porta a uma nova forma de vivermos

uns com os outros e com

o planeta.

V Ivo Margarido

O mundo é impulsionado pelo magnetismo

planetário e universal, cujos ciclos vão

sendo decifrados pela ciência. Nas últimas

décadas, historiadores especializados no

estudo das civilizações antigas, tais como

a civilização Maia, vêm desenvolvendo um

trabalho meritório, cujo conteúdo académico

e científico nos permite, hoje, verificar a

repetição de padrões que proporcionam

um melhor entendimento da vida e possibilitam

a definição de novos paradigmas,

alinhados com os mecanismos da natureza

e os ciclos universais. Num breve resumo,

podemos afirmar que tudo é energia.

Convido os leitores a fazerem o seguinte

raciocínio, integrando alguns conceitos

elementares; da mesma forma que, numa

escala inferior, o ano e ciclo planetário se

desenvolve em 12 meses, 4 estações, 365

ou 366 dias, o ano cósmico desenvolve-se

em 12 quadrantes (Zodíaco) de 2.160 anos

cada, totalizando 25.920 anos. Os gráficos

1 e 2, mostram-nos como se alternam

os referidos ciclos. Durante os ciclos das

estações, que por sua vez se inserem no

ciclo, do ano, a natureza e tudo o que integra

o planeta passam por várias fases. Na

primavera e verão ganham determinadas

características que perdem gradualmente

no outono e no inverno; a variedade de cores

deixa de existir e as árvores perdem as

suas folhas, por exemplo. E no verão, não

se expandem os dias, contraindo-se no

inverno? Desta forma, assistimos a uma

inversão periódica da duração de ambos

os ciclos, sendo um facto que todos nós

conseguimos constatar. De salientar ainda

que a polaridade do verão é positiva (quente)

e a polaridade do inverno é negativa

(frio). Também o dia possui uma polaridade

positiva (+) e a noite uma polaridade negativa

(-).

O magnetismo está presente em todos

os ciclos, transformando o Universo num

grande íman. As leis da física determinam

que os opostos se atraem e é com base

nesta lógica e no calendário Maia, que assinala

21 de Dezembro de 2012 como sendo

a data em que findou a “era de Peixes”

(polaridade magnética negativa), que podemos

claramente identificar e reconhecer

padrões que nos concedem certezas. De

facto, o Universo desenvolve-se em ciclos

Yin / Yang perpétuos e que se alternam. No

ocidente, estes ciclos também rotulados

por conceitos de Trevas / Luz e/ou Deus

/ Lúcifer, influenciam todas as formas de

vida assim como a consciência individual

e colectiva. Observemos agora o seguinte

exemplo; depois do dia segue-se a noite

e vice-versa. Em determinado momento,

o equilíbrio é perfeito, pois não há domínio

de uma polaridade sobre a outra. Já ao

amanhecer, começa o domínio da polaridade

positiva (dia) sobre a polaridade negativa

(noite), sendo que a intensidade do

domínio do dia diminui à medida que este

se aproxima do fim do seu ciclo. O mesmo

acontece com a noite, no respectivo ciclo

de domínio. Fazendo um paralelo, a consciência

desenvolve-se na mesma lógica,

expandindo-se e contraindo-se de acordo

com a era que se vive no momento. Quando

esta se expande, podemos afirmar que

é um ciclo de “luz” e quando se contrai um

ciclo de “trevas”. São respectivamente ciclos

de construção e destruição.

Logo, se a 21 de Dezembro de 2012 terminou

um ciclo de polaridade negativa

(-), o domínio seria da polaridade oposta,

isto é, da energia masculina. Observando

o mundo em que vivemos com atenção,

conseguimos facilmente identificar este

padrão; nas religiões por exemplo, ainda

não existem mulheres nas estruturas organizacionais,

porém é uma realidade que

irá inverter-se ao longo desta nova era.

Também nas organizações políticas, cujos

cargos eram ocupados exclusivamente por

homens, se observa uma mudança muito

recente. A eliminação do estatuto jurídico

de inferioridade das mulheres, na vida civil,

ocorreu somente no século XX e, ainda

assim, não em todos os países. A Nova

Zelândia, foi o primeiro país a reconhecer

às mulheres o direito de voto, em 1893. Em

seguida, Austrália (1902), Finlândia (1906)

e a Noruega (1913). Entre 1914 e 1939, as mulheres

adquiriram o direito ao voto em mais

28 países. Foi somente após a Segunda

Guerra Mundial que alguns países ocidentais,

como a Itália e a França, admitiram as

mulheres no corpo eleitoral. O último país

ocidental a reconhecer às mulheres o direito

de votar foi a Suíça, em 1971, e ainda

assim com limitações. À medida que o movimento

feminista internacional começou

a ganhar força nos anos 70, a Assembleia

Geral das Nações Unidas declarou o ano

de 1975 como o Ano Internacional das Mulheres

e organizou a primeira Conferência

Mundial sobre as Mulheres, na Cidade do

México. Os anos de 1976 a 1985 foram declarados

a Década da Mulher. A 18 de Dezembro

de 1979, foi promulgada, no âmbito

das Nações Unidas, a Convenção sobre a

Eliminação de todas as Formas de Discriminação

contra as Mulheres, frequentemente

descrita como a Carta Internacional

dos Direitos da Mulher. Em alguns países,

esses direitos começaram a ser institucionalizados

e garantidos pela legislação,

pelos costumes e comportamentos, enquanto

que noutros ainda são suprimidos

ou ignorados.

Estas mudanças são naturalmente influenciadas

pelos mecanismos universais que

acabei de expor. Fica patente o domínio da

energia masculina, sendo esta de polaridade

magnética positiva (+), em oposição

à polaridade magnética do quadrante de

“Peixes”, a era que findou.

O marco da inversão das polaridades magnéticas

ocorreu a 21 de Dezembro de 2012,


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 23

FUTURO

iniciando-se um novo ano cósmico

(ciclo universal de 25.920

anos), que eleva as frequências

para patamares superiores. Em

analogia à música, é como se

estivéssemos a deslocar-nos

para uma oitava superior. Tal

como referido anteriormente,

este ano cósmico decompõe-

-se em 12 quadrantes (Zodíaco)

cada um com a duração de

2.160 anos. Assim, as polaridades

magnéticas invertem-se

a cada término de um desses

quadrantes, provocando mudanças

profundas no nosso

planeta e em todo o sistema

universal, nomeadamente mudanças

climáticas severas. À

medida que a era do quadrante

de Aquário (2.160 anos de polaridade

positiva) se vai desenvolvendo

no tempo, maior será

o domínio da energia feminina

(polaridade negativa), impulsionando

a queda gradual de todos

os sistemas e instituições

regidos pela energia masculina

(religiões, sistema financeiro,

poder, portanto governos que

funcionem neste modelo, ...)

que porventura tão escravizantes

são.

Estamos assim a evoluir para

uma era de grandes acontecimentos

e paz, uma nova era

dourada a iniciar em 2032,

surgindo após o período de

transição e “purga” de 20 anos

a decorrer, onde o caos é uma

constante que se vai intensificando.

A ordem surge do caos

e o auge desta nova era será

atingido no ano 3080, decorrido

50% do tempo do quadrante

de Aquário. A partir desse momento,

tal como num amanhecer,

surgirá de forma gradual

e progressiva a influencia da

energia masculina, podendo

antecipar-se novo período de

destruição e guerra. Pode dizer-se

que, no passado grandes

civilizações desapareceram

quando a energia masculina

assumiu o domínio.

Com o início desta nova era

de polaridade positiva, tudo o

que existe vai ser influenciado

positivamente. No caso do Ser

Humano, recuperará gradualmente

as suas capacidades,

vivenciando um despertar da

consciência. Em analogia, poderíamos

comparar este processo

com um ciclo planetário

muito mais curto; o da noite

e do dia (também conhecido

pelo ciclo das trevas e da luz).

À noite, quando adormecemos,

entramos em estados inconscientes.

Ao amanhecer, despertamos

e recuperamos as

nossas capacidades. Na escala

do ano cósmico, cuja duração é

de 25.920 anos, digamos, que

estamos no início de uma longa

primavera, que terá a duração

de 6.480 anos. Tudo o que

não esteja alinhado com esta

vibração está condenado a desaparecer,

a extinção massiva,

que já se observa, ocorrendo

gradualmente, pois esta evolução

eleva a consciência do

todo em que estamos inseridos

e por consequente altera a percepção

e influencia a correcção

dos hábitos nefastos. É previsível

que a população menos

preparada venha a sofrer durante

estas "mutações"; quanto

maior o apego mais intenso

será o sofrimento. O apego ao

materialismo e ao dinheiro, será

duramente colocado à prova.

O ego e tudo o que o alimenta

não terá espaço neste novo ciclo.

No final desta nova era de

Aquário, que apenas começou

e logo a partir do momento (Endireita) em

que se alcance a sua metade, a

MASSAGISTA humanidade TERAPEUTA voltará DE a perder RELAXAMENTO as

suas capacidades, regredindo

gradualmente MUSCULAR para um DESPORTIVO estado

"primitivo" MASSEUR UND de KÖRPERTHERAPEUT

consciência,

KLASSISCHE que gerará SPORT desequilíbrios UND RELAX MASSAGEN que

tão bem conhecemos. É nesse

estado de consciência que a

Baptista Soares

Zürichstr, 112, 8123 Ebabatingen

população vivia até há pouco

tempo, havendo Natel ainda 078 alguns 754 18 31

"restos" visíveis do “inverno”.

O desconhecimento dos ciclos

naturais, das escalas, do

magnetismo universal, das polaridades,

..., leva a maioria da

humanidade a viver vidas "fora

de rota", ficando vulnerável e

ainda mais exposta às consequências

da manipulação dos

sistemas opressores, habitualmente

regidos pela energia

masculina. Quem se interessa

pela investigação, sabe que

civilizações antigas utilizaram

métodos que ainda hoje são

de difícil explicação, nomeadamente

nas grandes construções.

Existem gravuras muito

antigas que provam que houve

em determinadas alturas registos

de coisas que hoje nem sequer

ainda vimos ou sabemos

explicar ... simplesmente, nessa

altura, a humanidade encontrava-se

num desses ciclos em

que estava na posse das suas

plenas capacidades. A Humanidade

está a acordar (despertar

da consciência) de uma longa

noite ... assim, há cada vez mais

pessoas a "despertar", e isso

nada tem de estranho. É um

processo natural e é parte integrante

do mecanismo do todo

em que estamos inseridos. As

pessoas vão sentindo a reconexão

e voltarão a entender o

mundo em que vivem. Tal como

referi, a elevação da consciência

(e, portanto, das frequências)

está na sua primavera. A 25-12-

2012, entrámos na 5ª dimensão

de consciência (num total de 7),

influenciando tudo o que existe

e, portanto, o próprio ADN. A

cada ciclo de 25.920 anos que

se conclui, as frequências sobem

de um "patamar", sendo

este processo designado por

"ascensão". Todavia, muitos falam

de "Ascensão" sem, no entanto,

perceberem que é deste

mecanismo que se trata.

A Humanidade está a libertar-

-se da sua prisão mental …

“O nosso mundo físico é um

mundo de muitas dimensões, e

todos os objectos nele existentes

estendem-se numa direção

que escapa à nossa compreensão

no presente estágio da evolução

mental do homem. Quando

desenvolvemos os sentidos

astrais, ficamos em contacto

muito mais imediato com aquela

dimensão do que a nossa

mente é capaz de avaliar, e os

mais inteligentes conseguem

afinal compreendê-la.”

Livro “O Lado Oculto das Coisas”

Editora Teosófica

Baptista Soares

(Endireita)

MASSAGISTA TERAPEUTA DE RELAXAMENTO

MUSCULAR DESPORTIVO

MASSEUR UND KÖRPERTHERAPEUT

KLASSISCHE SPORT UND RELAX MASSAGEN

Zürichstr, 112, 8123 Ebabatingen

Natel 078 754 18 31

Bus 31+33 / Tram 3+8 fim Endstation Klusplaz

apanha Bus 701 sai Ebmatingen Borf

Bus 31+33

apanha B


24 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

BREVES

Governo realça contributo

português no maior laboratório

de física de partículas

mundial

170 investigadores portugueses estão a trabalhar no Laboratório

Europeu de Física de Partículas, na Suíça. Investigação

visa particularmente o combate a doenças cancerígenas.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas destacou

esta sexta-feira a importância do contributo dos cerca de

170 investigadores portugueses no Laboratório Europeu de Física

de Partículas (CERN), em Meyrin, na região de Genebra, na

Suíça.

José Luís Carneiro visitou esta sexta-feira o CERN, onde teve

“um diálogo muito pedagógico e construtivo com as autoridades”

do maior laboratório de física de partículas do mundo, que

“puderam explicitar os termos em que os portugueses têm contribuído

para a investigação”.

“Investigadores nas várias áreas, desde a Engenharia Informática

à Mecânica, desde a Engenharia Civil à área da Física, os portugueses

participam no trabalho que o CERN está a desenvolver

também na transferência de conhecimento para a sociedade,

para as empresas e a indústria e, muito particularmente, para a

área da saúde, no combate às doenças cancerígenas”, declarou.

José Luís Carneiro assinalou também o contributo de portugueses

para “o modelo de organização e gestão de todo o centro”,

com cidadãos nacionais “associados à organização e à logística

de todo o CERN, com milhares de investigadores de todo o

mundo”.

Agência Lusa

O Governo quer mais luso-

-descendentes e filhos de

emigrantes no ensino superior

em Portugal

O Governo e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

estão a promover as “Jornadas Estudar e Investigar em

Portugal 2019”, destinadas a divulgar o potencial do Ensino Superior

português junto das comunidades.

Foi dentro deste programa que o Secretario de Estado das Comunidades

Portuguesas (SECP) se deslocou à Suíça, trazendo

na comitiva o Director-Geral do Ensino Superior, João Queiroz,

e de representantes de Universidades e Institutos Politécnicos

portugueses.

Foram realizadas três sessões de informação, uma em Genebra,

Sierre e Zurique no dia 14 de Abril no Salão Paroquial da Igreja

St. Félix e Regula, onde uma centena de interessados poderão

ouvir e colocarem as suas dúvidas.

“O Ensino superior em Portugal tem um contingente reservado

a filhos de emigrantes de 7% do total das vagas nacionais, o que

corresponde a - cerca de 3500 vagas -, mas embora ter crescido

cerca de 40% no ano de 2017 para 2018, no ano passado só houve

247 vagas ocupadas,” lamentou o secretário de Estado das

Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro.

O Dr. José Luís Carneiro assistiu à missa na Igreja St. Félix e Regula

onde fez uma saudação a todos os presentes.

Famalicão tem já tem novo

Gabinete de Apoio ao Emigrante

O Concelho de Famalicão já tem novo gabinetes de apoio

ao emigrante denominados de 2ª geração. Dos 157 existentes

em todo o país, só 30 dispõe destas valências.

O Concelho de Famalicão foi um dos concelhos pioneiros na

abertura destes gabinetes de primeira geração que se destinavam

essencialmente a apoio de carácter social, nomeadamente:

“recuperação de pensões e subsídios, também na formação,

reconhecimento e validação de competências educativas, assim

como na importação de bens pessoais. A partir de agora,

os gabinetes vão inserir uma unidade de apoio ao investidor da

Diáspora, assumindo funções económicas e apoiando e promovendo

o investimento", disse o secretario de estado das comunidades

portuguesas José Luís Carneiro.

O governante referiu ainda que: “há dados que justificam que a

Diáspora Portuguesa é uma mais valia para a economia portuguesa

não só no envio de remessas, mas também nas exportações

porque esta tem aumentado para países onde existe uma

comunidade portuguesa significativa”.

Devido ao Brexit os Consulados

de Londres e Manchester

reforçados com mais funcionários

Estes consulados de Portugal no Reino-Unido vão ser reforçados

com mais 11 funcionários durante seis meses para acelerar

o atendimento e emissão de documentos, ( cinco são do Ministério

dos Negócios Estrangeiros, três do Serviço de Estrangeiros

e Fronteiras e três do Instituto dos Registos e Notariado) “para

reforçar a capacidade de resposta nos registos de nascimento,

cartões de cidadão e passaportes" num período em que se espera

muita procura devido ao processo de saída do Reino Unido

da União Europeia (UE) anunciou o secretário de Estado das Comunidades

Portuguesas.

O Brexit continua num impasse sem data definitiva de saída.

Depois da data prevista de 29 de Março foi adiada para 31 de

Outubro. Esta nova data é uma boa noticia para a comunidade

portuguesa a residir no Reino-unido uma vez que esta necessita

de apresentar o passaporte ou cartão do cidadão para se candidatarem

ao estatuto de residentes no país pelo menos até ao

final de 2020.


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 25

SAÚDE

Proteger a saúde mental

na terceira idade

A vida é repleta de alegria,

felicidade mas também de

desilusões, tristeza e dor. Além

da saúde física também é a

saúde mental que nos ajuda a

ultrapassar com sucesso fases

de vida mais complicadas.

Um bom equilíbrio mental e

psicológico empresta-nos força

de viver e tem um impacto

positivo na interação com os

outros, assim como, aumenta a

auto-estima.

Dicas práticas que podem

influenciar directa e positivamente

a saúde mental e psicológica:

Texto: Anna Hirsbrunner (*)

• Actividade física faz bem ao corpo

e à mente

Pessoas com mais idade que se

mantêm ativas, têm normalmente

uma melhor saúde cardiovascular e

mais capacidade física. Estas pessoas

apresentam maior segurança nos

seus movimentos quotidianos e o

risco de queda é menor. Atividade,

essencialmente no exterior, traz boa

disposição. Inclua a atividade física

o mais possível no seu dia-a-dia e

utilize as possibilidades existentes na

comunidade.

• Mantenha a diversidade de

contactos com outras pessoas

Com amigos, conhecidos, com a

família, com crianças, com os vizinhos,

dentro da comunidade. Cuide das

relações, essencialmente, aquelas

que possuem uma conotação positiva

e não conflituosa, por exemplo,

participe em refeições, festas,

conversações, jogos em conjunto

com outras pessoas.

• Tente relaxar

Relaxe e regenere-se no seu dia-adia.

Com o avançar da idade aumenta

necessidade de pausas para descanso

e isso deve ser tido em conta. Procure

dormir suficientemente e relaxar-se

no seu quotidiano para que tenha um

ritmo equilibrado.

• Esteja atento a si mesmo

Estar atento, preocupar-se e gostar

de si mesmo é muito importante.

Desfrute de pequenos prazeres no

seu dia-a-dia. Se necessário, diga

não.

• Aja com criatividade

Pode-se ser criativo de diferentes

formas, por exemplo, pintar, trabalhar

no jardim, tocar um instrumento

musical, artesanato, ler, tricotar etc…

• Aprenda coisas novas, com

curiosidade

Procura novos desafios que façam

sentir-se bem (línguas, computador,

aprender um novo jogo com os netos

etc…)

• Mantenha objectivos de vida,

procure, concretize – participe

Procure actividades inspiradoras,

mas que não aumentem os níveis

de stress; voluntariado, participe em

associações, esteja atento aos seus

hobbies e à componente espiritual

na sua vida. Construa objetivos.

Não procure fazer muita coisa ao

mesmo tempo, pois pode diminuir a

produtividade final. Seja realista na

elaboração dos objetivos para que

não se desiluda.

• Fale ou escreva sobre assuntos

que preocupam


Nos momentos difíceis e

preocupantes, é importante falar com

alguém. Pode ser com um familiar, com

um amigo/a ou com um especialista,

por exemplo, médico de família, a Pro

Senectute ou instituições do género.

Escreva se não conseguir falar sobre

o assunto.

• Peça ajuda e não desista

Se uma pessoa não se sente bem

durante um longo período de tempo

e não conseguir ultrapassar isso

sozinho, é importante que peça

ajuda, caso contrário ficará doente.

Não espere muito tempo, não tenha

vergonha de pedir ajuda. Nunca é

tarde.

A Pro Senectute é a maior organização

de aconselhamento em toda a Suíça

para pessoas a partir dos 60 anos,

para os seus familiares ou pessoas

próximas.

Em todos os cantões existem

centros de aconselhamento e para

muitas áreas de especialidade para

imigrantes. Contacte-nos caso tenha

questões ou precise de informações.

Nós estamos ao seu dispor.

Fonte: Campanha 10 passos para a saúde

mental, rede de saúde mental suíça).

(*) Pro Senectute Suíça:

www.prosenectute.ch,

Telefone: 044 283 89 89,

Envelhecimento com qualidade, Pro

Senectute Região Berna


26 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

https://www.facebook.com/transportes.fernandes

Serviço de Diárias de Segunda a Sexta-Feira - 18 Frs tudo incluído - Aguardámos a sua visita


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 27


28 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

MOTORES

Motores a gasolina e diesel

vão desaparecer?

Na eterna discussão entre

o diesel e a gasolina, são

muitos argumentos a favor

e contra. Depois do “diesel

gate”, o sector automóvel

está a considerar alternativas

energéticas eficientes.

Será que os motores de

combustão vão desaparecer

com os eléctricos? Vamos

apresentar-lhe algumas respostas

a estas questões.

V Jeremy da Costa(*)

Ambos os motores, a gasóleo

e a gasolina, convertem a energia

química do combustível

em energia mecânica através

de uma série de explosões. A

forma como essas explosões

acontecem é a principal diferença

entre estes dois motores.

O motor a gasóleo é de combustão

interna que começa a

funcionar através de uma faísca

que expande um gás que

empurra um pistão que transmite

o seu movimento para o

cambota. O segundo transforma

o calor em movimento através

de temperatura, pelo que é

necessário introduzir um foco

frio no processo.

Como funciona um motor

a gasolina?

O motor de explosão, ou motor

a gasolina, obtém energia mecânica

directamente da energia

do combustível. A explosão

do combustível, através de

uma faixa, como já referimos,

provoca a expansão do gás e o

movimento do pistão.

Foi em 1876, que o alemão

Nikolaus August Otto construiu

o primeiro motor de gasolina

da história, de quatro

tempos, que foi a base para todos

os motores de combustão

interna posteriores. Em 1886,

Karl Benz começa a utilizar os

motores de gasolina nos seus

primeiros protótipos.

Os motores a gasolina podem

ser de dois tipos: de dois ou

quatro tempos. Os primeiros e

mais antigos (cambota de uma

volta) são utilizados actualmente

em ciclo-motores de 50

cm3. A troca de gases é então

direccionada pelo pistão e não

por válvulas como acontece

com o de quatro tempos.

Os segundos (cambota de

duas voltas) são os que equipam

todos os motores a gasolina

dos automóveis actuais.

O motor a gasolina de quatro

tempos precisa assim de quatro

cursos de pistão (admissão,

compressão, combustão ou

explosão e escape) para completar

o ciclo de combustão.

Ciclo de combustão num motor

a gasolina, o processo de

explosão é o seguinte:

— Fase de Admissão – O combustível

é misturado com ar

— Fase de Compressão – O

pistão sobe e a mistura de ar/

combustível é comprimida

— Fase de Combustão – A mistura

de combustível/ar é inflamada

através do uso de uma

vela de ignição

— Fase de Escape – O pistão

sobe e pressiona os gases

através da válvula de escape

No motor a gasóleo, o processo

de explosão é o seguinte:

— Fase de Admissão – A válvula

de admissão abre-se, o ar

entra e o pistão desce

— Fase de Compressão – O

pistão sobe e o ar é comprimido

(aquecido em excesso a

540°C)

— Fase de Combustão – O

combustível é injectado (no

momento certo), ignição, o pistão

desce

— Fase de Escape – O pistão

sobe e pressiona os gases

através da válvula de escape

O movimento do pistão (em

quatro tempos) transforma-

-se em movimento através do

cambota, ao qual é ligada a

biela.

O bloco do motor é uma das

partes fundamentais de um

automóvel. No caso dos motores

convencionais de gasolina,

a cadeia de reações causada

pela centelha inicial que inflama

uma mistura de vapor de

combustível e ar comprimido

dentro de um cilindro, faz com

que a mistura se queime rapidamente

e, à medida que o faz,

expande-se e fornece energia.

Os motores a gasolina

vão desaparecer?

Não apenas os motores a gasolina,

mas também os diesel

vão desaparecer no prazo

de 20 anos. Assim assegura

o professor da Universidade

Cantabria (UC) Delfín Silió.

Assegura que estamos a viver

um período de transição, equivalente

às revoluções industriais

de séculos passados, que

irá terminar “em menos de 20

anos” com o desaparecimento

do motor de combustão e a

sua substituição por motores

eléctricos. Por agora, na Europa,

os automóveis eléctricos

representam apenas 1,4% do

mercado e os combustíveis alternativos

5%.

O que acontece que coloca

diesel num motor a

gasolina

De acordo com a RACE, anualmente

72.700 condutores enganam-se

no posto de gasolina.

Sabe o que se passa no

motor se se enganar no combustível?

Se pusermos diesel

num automóvel de gasolina, os

tubos e injetores serão afectados.

O habitual é que com

mais de um quatro de depósito

com o combustível errado,

o automóvel a gasolina consegue

arrancar, mas irá parar

imediatamente. O gasóleo terá

percorrido várias partes do sistema

que terão de ser esvaziadas

e limpas: o depósito e os

injectores.

Se pusermos gasolina em lugar

de gasóleo poderá afectar-se

o filtro da bomba de

injecção do motor diesel, uma

das avarias menos desejadas

e mais evitáveis por parte

dos utilizadores. Neste caso, é

fundamental que os técnicos

especializados comprovem os

possíveis danos na bomba antes

de esvaziar o depósito. Não

tente esvaziar o depósito, porque

poderá danificar mangas,

filtros ou componentes do sistema

de alimentação. Se detectar

o problema ainda no posto

de abastecimento, não mova o

veículo nem o ligue para evitar

que entre o combustível errado

no circuito e na bomba.

(*) com Goodyear


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 29

TRABALHO

14 de Junho de 2019

Greve das Mulheres 2019: Porquê?

Há razões suficientes para a greve das mulheres. Reformas e salários baixos que não

chegam para viver, falta de respeito e pouca consideração pelo nosso trabalho (remunerado

e não remunerado) são apenas a ponta do iceberg. Por isso, estamos a preparar-nos

para a greve das mulheres no dia 14 de Junho.

stress e a pressão no local de trabalho aumentam constantemente

e a compatibilidade entre a vida profissional e familiar é

um desafio cada vez maior. Não resta tempo nem dinheiro para

a formação e o aperfeiçoamento profissional. Para muitas de

nós, a vida na velhice é mais uma luta pela sobrevivência do que

uma aposentação digna por causa das pensões e dos salários

baixos.

Mulheres migrantes mais afectadas

Manuela Giovanoli

A caminho da greve

O passado dia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, foi um

importante marco a caminho do dia 14 de Junho, dia de greve

e acções das mulheres em todo o país. O Unia também esteve

presente, tanto em diferentes acções como nas empresas. Dois

dias depois, 500 mulheres reuniram-se em Biel/Bienne para

preparar a greve. Foram dias de acção em que ficou mais uma

vez claro: a greve é necessária porque há muitas razões para

elas.

Muitas razões para a greve

Embora trabalhemos arduamente e com empenho nas nossas

profissões, o nosso trabalho é pouco valorizado. Devemos trabalhar

sempre mais, pelo mesmo salário e em menos tempo. O

Preconceitos, sexismo e discriminação afectam as mulheres

em todos os aspectos da vida e limitam as mulheres nos seus

direitos e liberdades. Como também são confrontadas com a

xenofobia e o racismo, as mulheres migrantes são duplamente

afectadas pela discriminação. A igualdade de oportunidades e a

igualdade de direitos estão longe de ter sido alcançadas.

Reivindicamos: Respeito! Aumento salarial! Mais tempo!

Respeito por nós e pelo nosso trabalho, independentemente de

factores como a origem ou o sexo. Melhores salários, porque

queremos poder viver dos nossos salários e pensões. Mais tempo

para nós, para as nossas famílias e nossas vidas.

Tudo isto te parece familiar? Conta-nos a tua história e participa

na greve das mulheres. Encontras todas as informações em:

www.frau-streikt.ch; https://greve-des-femmes.ch/; https://

sciopero-delle-donne.ch/

(*) Horizonte Nr,2, 2019, Seite 3

Preciso

COLABORADOR

para o GRILL do

Centro Lusitano

de Zurique

Contacto:

Tlm. 077 403 72 55


30 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

PUBLICIDADE


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 31

CRÓNICA

AINDA O 25 DE ABRIL...

Alice Vieira

O dia 25 de Abril já lá vai.

Como sempre acontece nesta altura,

várias escolas chamaram-me para

que eu falasse aos alunos sobre esse

dia único de 1974, que para mim foi ontem

e para eles na pré-história.

Lá vou, levo provas de censura do

“Diário de Lisboa” para lhes mostrar,

tento animar a discussão. Mas não é

fácil.

Porque, na esmagadora maioria dos

casos, este é um assunto de que estão

a ouvir falar pela primeira vez. O

que me assusta um pouco.

–Então o que é que aconteceu no da

25 de Abril de 1974?—perguntava eu

a um grupo de alunos do 8º ano duma

das últimas escolas onde fui.

Silêncio. Uns a olhar para trás, outros

a dar cotoveladas aos do lado, um ar

de riso em todos.

Até que uma se aventura:

– Foi a queda do regime sa...sa....sa...

ai como é? – Salazarista — digo eu.

– Isso !

E todos riem.

Incluindo professores.

Mostro as provas de censura da visita

do Papa Paulo VI a Fátima — todas

as notícias cortadas, incluindo a fotografia

da sala onde ele iria repousar

uns minutos, porque o Papa, que anteriormente

recebera no Vaticano os

líderes dos movimentos de libertação

africanos , fizera muita questão de sublinhar

que vinha apenas a Fátima.

Não reagem.

Mostro as provas de censura da visita

da princesa Grace do Mónaco, só porque,

numa parte do texto, o jornalista

dizia “Grace, filha de um antigo pedreiro...”

Uma princesa, mesmo que fosse

de um principado minúsculo como o

Mónaco, não podia ser filha de um

antigo pedreiro. (Por acaso o antigo

pedreiro era milionário, mas isso não

interessava)

Não reagem.

Mostro as provas de censura de uma

viagem do Presidente da República,

onde se escrevia: “O Presidente Américo

Tomás deslocou-se ontem a Freixo

de Espada à Cinta, para inaugurar

um fontanário.” — e onde a razão, ridícula,

da visita fôra cortada.

Não reagem.

Falo dos telefones sob escuta — e daquela

manhã em que eu tinha ligado

para uma tia a dizer-lhe que ia levar-

-lhe uns bolos que eu tinha feito e de

que ela gostava muito. “Os russos já

aí vão”” — disse eu. ”Russos” era o

nome dos bolos, claro... À porta estava

a polícia, que me levou para a esquadra,

a querer saber onde estavam os

russos, inimigos da pátria.

Não reagem.

Não acham bem nem mal. A censura,

as prisões, não se poder falar livremente

em sítios públicos, os telefones

sob escuta – são coisas que nem entendem.

O que, num certo sentido, até

podia ser bom, mas que, como sinónimo

de desconhecimento, alheamento

e indiferença, é muito mau.

As professoras não dizem nada. O

que prova que nem minimamente os

prepararam para este encontro.

Até que uma delas, de repente, fala do

seu tempo de criança. E de como os

pais, que lutavam contra a ditadura,

tinham muito cuidado no que diziam

na sua frente, com medo que ela, apenas

uma crianças, fosse depois contar

às outras pessoas. E outra professora

fala da Rádio que se ouvia muito baixo

e às escondidas. E outra fala das

pessoas que se acolhiam na sua casa

antes de darem “o salto”.

E eu fico sem saber o que dizer.

Gente com uma tão rica experiência

de vida — e que não a transmite aos

seus alunos?

À saída, falo-lhes disso. Abanam a cabeça.

Para quê? – dizem . “Eles nem entendem

de que é que que lhes estamos

a falar...-“

E uma diz que uma vez, há muito tempo,

ainda tentou – e logo lhe apareceu

na escola uma mãe a protestar,

porque ela estava a fazer política nas

aulas.

Nestas alturas lembro-me sempre de

um padre meu amigo, desses tempos

em que o 25 de Abril ainda vinha longe,

que um dia foi chamado às autoridades

porque, nas suas homilias, falava

sobre a guerra de África — e isso,

diziam-lhe, era fazer política.

E ele só perguntou: ”E se eu calasse,

não estava também a fazer política?”

Eu sei que o 25 de Abril já passou, as

comemorações, os discursos, os cravos

na lapela, essas coisas.

Mas seria muito bom que, durante o

ano lectivo, sem data marcada, os alunos,

nas suas escolas ouvissem falar

destas coisas.


32 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

HUMOR

Dez escudos...

O avô conta ao seu neto João as grandes

mudanças que aconteceram na sociedade,

desde a sua juventude até agora...

“Sabes, João, quando eu era pequeno, a

minha mãe dava-me dez escudos = (+/-

) 5 cêntimos de euro hoje, e com isso

mandava-me à mercearia da esquina.

Então eu voltava com um pacote de

manteiga, dois litros de leite, um saco de

batatas, um queijo, um pacote de açúcar,

um pão e uma dúzia de ovos..!”

E o João respondeu-lhe:

“Mas avô, na tua época não havia câmaras

de vigilância?”

Na aulas

Numa aula, a professora pergunta aos

meninos o que estes querem ser quando

forem grandes. Um diz que quer ser

aviador, outro cientista, outro piloto de

automóveis e, quando chega a vez do

menino Carlinhos, este diz que queria

ser playboy. Pergunta a professora:

- Playboy, menino Carlinhos?! O que é

isso?

Então! É um gajo que anda em brutos

carros, bebe uns brutos whiskies e anda

com umas brutas mulheres.

- Ó menino Carlinhos, chegue aqui! A

professora deu-lhe uma série de reguadas

no rabo e o miúdo vai a chorar para

casa. Chega a casa e o pai, ao ver o filho

a chorar, pergunta:

- Porque choras meu filho?

- Porque a minha professora perguntou-

-me o que eu queria ser quando fosse

grande e eu disse que queria ser playboy.

O pai, irritado, faz-lhe a mesma coisa. No

outro dia, o menino Carlinhos já de mansinho,

quando a professora pergunta

o que este quer ser quando for grande,

responde:

- Eu quero ser mini-playboy!

- E o que é isso?

- Pergunta a professora.

- Então! É um gajo que anda em brutos

triciclos, bebe umas brutas gasosas e

apalpa o lado da frente das costas às gajas...

Químicos Sé. XVII

Professora:

- Que sabes tu dos químicos do Século

XVII, menino Joãozinho?

- Bem ... Eu sei ... Sei ... Só sei que já estão

todos mortos...

Na catequese

Padre: - Como vocês sabem, o nosso primeiro

pai foi Adão e nossa primeira mãe

foi Eva...

Nisto, uma das crianças interrompe:

- Não é verdade.

- Como não é verdade? - Pergunta o padre

um tanto aborrecido.

- O meu pai diz que nós descendemos do

macaco!

- Olha meu filho, os teus problemas de família

não me interessam....

Na Igreja

Um homem olha para o chão e vê uma

nota de 50 euros, ao mesmo tempo que

ia apanhá-la um sujeito ao lado repara. E

faz-lhe sinal dizendo que queria metade.

O primeiro olha para ele e ergue a mão

fechada com o polegar esticado, como

quem diz: “OK”

Acaba a missa e cá fora diz o segundo

homem:

- “ Então? Venha a minha parte!”

- “ Que parte, eu é que vi a nota!”

- “ Mas... você fez-me sinal a dizer que era

para os dois!!!”

- “ Que é que você queria, que dentro de

uma Igreja eu lhe fizesse assim?” - Diz o

primeiro homem, fazendo-lhe um manguito.

Gatos

- Mãe, ajuda-me, o meu marido está completamente

louco.

- O quê?

- Ele tem cinquenta gatos no nosso apartamento!

E o pior é que todas as janelas

estão sempre fechadas.

- Então porque é que não abres as janelas?

- Não posso, os meus 100 pombos podiam

fugir...

Na Igreja

Era uma mulher que todos os

dias estava na igreja a rezar.

Um dia, o padre resolveu ir falar

com a mulher:

- Minha senhora, o que se passa,

todos os dias a senhora está

aqui a rezar tão ardentemente.

Posso ajudar?

- Sabe senhor padre, eu queria

engravidar, mas como não consigo,

então venho aqui todos os

dias durante nove meses rezar

500 Ave Marias.

Diz o Padre:

- Minha filha... já experimentou

um Padre Nosso?

Safari

O homem foi fazer um safari

em África e todos os dias quando

voltava da caçada o gerente

do hotel perguntava-lhe:

- E então Manel? O que apanhaste

hoje? No primeiro dia

ele respondeu:

- Hoje apanhei uma zebra, dois

leões e quatro minonplis. No

segundo dia:

- Hoje apanhei um rinoceronte,

cinco veados e 12 minonplis. O

gerente achava estranho mas

não perguntava nada para não

parecer ignorante. Até que um

dia, de tanto ouvir o homem dizer

que apanhou um monte de

minonplis ele decidiu esclarecer

o assunto:

- Desculpe Sr. Manel a minha

ignorância mas eu não conheço

esse bicho chamado minonplis.

- Não? Há muitos por aqui. E

são fáceis de apanhar... São uns

bichinhos baixinhos, pretinhos

e que quando lhes apontamos

a arma eles começam a abanar

os bracinhos e gritar “Mi nom,

plis!”


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 33

PASSATEMPO

SOPA DE LETR AS

Adivinhas (*)

76

Sou uma folha gigante

Bastante grande e comprida

O masculino intrigante

Serve pra tirar medida.

80

Sou masculino sonante

E sirvo para avisar

No feminino interessante

Usam-me p’ra adivinhar.

77

Resolva lá o mistério

81

De água quente encontrar Com o seu ar sapiente

Utilizando o critério De sabedoria sua

De onze com onze juntar. Qual o planeta existente

Mais pequeno que a Lua?

78

São fêmeas de gosto fino

82

Tão boas para comer Numa resposta concreta

Na forma do masculino Bem certa sem se enganar

Servem p’ra andar ou

correr.

Qual é o maior planeta

Deste sistema solar?

79

Com qual rei terminou

A dinastia de Aviz

Que grande perda causou

Ao nosso nobre País?

Informação!

As pessoas que quiserem,

podem solicitar o

livro digital, SABER E

LAZER através do email

do autor: poesia@sympatico.ca,

escrevendo

apenas no assunto da

mensagem: “sócio do

Lusitano de Zurique”

Soluções

76 – Palma e palmo

77 – XI + XI = XIXI

78 – Passas e passos

79 – Cardeal D. Henrique

80 – Sina e sino

81 – Plutão

82 – Jupiter

COOORDENAÇÃO E RECOLHA: JOANA ARAÚJO


34 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

HORÓSCOPO

Carneiro

No serviço, não cobre demais do próprio

desempenho. Terá mais habilidade

ao lidar com o seu dinheiro. Gaste o

excesso de energia praticando alguma

actividade física. No relacionamento

amoroso, controle a possessividade.

Touro

Procure se envolver em novos assuntos.

No trabalho, não fale dos seus

planos com qualquer um. Mês favorável

para abrir próprio negócio. Se você

está de olho em alguém, tome a iniciativa.

Terá mais carinho com o seu par.

Gémeos

Alguém experiente poder-lhe-á dar

apoio, se precisar. No emprego, evite

bater de frente com o chefe. Deve ter

mais interesse nos assuntos místicos.

Uma amizade colorida pode se firmar.

A sintonia com quem ama vai crescer.

Caranguejo

Cursos, estudos e treinamentos estão

favorecidos. Óptima fase para investir

no seu crescimento profissional. Na relação

amorosa, valorize a cumplicidade

que existe entre o casal. Programa com

amigos deve animar o romance.

Leão

Mostre todo o seu potencial no serviço

e uma boa oportunidade pode aparecer.

Controle os seus gastos com mais

rigor. Risco de problemas com amigos.

Será mais fácil seduzir quem deseja. O

seu jeito descontraído vai favorecer o

romance.

Virgem

Olho vivo para não se iludir

com parcerias no trabalho. Não

tenha medo de romper com

algo que não lhe traz mais satisfação.

Bom mês para mudar

o visual. Pode começar namoro

ou fortalecer a união com o

seu amado.

Balança

Mudança de residência recebe

boas energias. Parceria ou sociedade

pode trazer benefício.

No trabalho, aceite ajuda dos

colegas. A sua sensualidade

vai deixar o par a seus pés.

Forte atracção por pessoa que

já conhece.

Escorpião

Boa altura para dedicar atenção

à saúde. No serviço, tenha

cuidado com mal-entendido.

Aproxime-se mais dos familiares.

Astral favorável para

dar um passo mais sério com

quem ama. Pode conhecer alguém

especial.

Sagitário

Terá facilidade para tomar medidas

importantes para a rotina

de casa. Pode ganhar dinheiro

com produtos caseiros. Será

preciso uma dedicação extra ao

serviço para dar conta de tudo.

Use seu charme no romance. A

vida a dois deixa a desejar.

Capricórnio

Pode ter sorte em jogos, rifas ou

sorteios. Deve receber notícias

sobre saúde de parente. No trabalho,

seja discreta/o e tenha

cuidado ao lidar com documentos.

Muita paixão e sedução

na vida amorosa, mas o ciúme

pode cortar esse clima.

Aquário

No serviço, procure falar de forma

mais clara para evitar problemas.

Redobre atenção com

fofocas. Evite emprestar dinheiro

a amigos. Em casa, não exija

que tudo seja feito do seu jeito.

Ex-amor pode cruzar seu caminho.

Protecção a dois.

Peixes

Boas energias para as finanças.

Tire proveito para negociar

descontos ou batalhar por promoção

no emprego. Reserve

tempo para trocar ideias com

amigos. No romance, diálogo

em alta. Vai se dar bem no romance.

COORDENAÇÃO E RECOLHA:

JOANA ARAÚJO


www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 35

CURIOSIDADES

A Atlântida é

real?

Atlântida é representada como

uma civilização de uma ilha no

Oceano Atlântico, que existia cerca

de 9000 AC e que supostamente

conquistou grande parte da Europa

e da África nos tempos pré-históricos.

Essa cidade foi descrita pela primeira

vez no diálogo do filósofo

grego Platão, Timeas, em torno de

360 AC. Conta a história que os

atenienses pré-históricos atacaram

Atlântida em um conflito, terminando

com a cidade desaparecendo

sob as ondas.

Embora seja um bom tema para

histórias e filmes, os cientistas não

acreditam que esta história seja

verdadeira. Quando foi escrito por

Platão, o conto sobre Atlântida deveria

ser apenas um exercício de

pensamento sobre poder e corrupção.

O Triângulo

das Bermudas

O Triângulo das Bermudas é uma

área que fica na região do Oceano

Atlântico, entre as Bermudas, Porto

Rico e Miami, na Flórida. Esse espaço

ficou famoso devido à afirmações

de que navios e aviões

haviam desaparecido sem deixar

rastro.

O mistério foi resolvido em 1975,

quando o bibliotecário e piloto

Lawrence David Kusche descobriu

que algumas das reivindicações

sobre desaparecimentos eram

exageradas ou falsas. Na maioria

dos casos os navios afundavam

por causa do mau tempo, ou sofriam

acidentes por motivos explicáveis.

Além disso, ele descobriu que o número

de naufrágios ou acidentes

de avião não era tão incomum assim,

se comparado com qualquer

outra área com tráfego similar.

No entanto, a corrente do Gulf

Stream é forte o suficiente para

dispersar qualquer evidência de

navios ou aviões caídos. Isso fez

com que os sumiços ficassem ainda

mais misteriosos.

As rochas que

se movem

O Racetrack Playa, no Vale da

Morte da Califórnia, é marcado

por centenas de trilhas criadas por

grandes pedras. A cada 10 anos

ou mais, essas enormes pedras de

cerca de 318 quilos, parecem mover-se

por conta própria, deixando

trilhas na superfície do deserto.

Em 2011, pesquisadores da Scripps

Institution of Oceanography da

Universidade da Califórnia, decidiram

resolver o enigma. Como o

Serviço de Parques Nacionais não

lhes permitiu colocar dispositivos

GPS nas rochas, eles trouxeram 15

pedras de tamanho semelhante e

monitorizaram-nas.

Foram necessários dois anos, mas

finalmente conseguiram a resposta.

No Inverno, a praia às vezes

enche-se de uma fina camada de

água da chuva, que congela durante

a noite e forma folhas de gelo. O

gelo é aquecido pelo sol na manhã

seguinte, quebrando-os em pequenos

pedaços. Quando uma dessas

placas está debaixo das rochas, o

fluxo de vento e água empurram a

rocha muito lentamente, viajando

cerca de 224 metros durante cada

temporada de inverno.

Stonehenge

O Stonehenge é formado por um

círculo de pedras empilhadas, localizado

numa área remota em

Wiltshire, Inglaterra. Essa estrutura

é datada de 3000-2000 AC, o que

levanta questões sobre como essa

arquitectura avançada poderia ter

sido construída com a tecnologia

da época.

Muitos consideraram que Stonehenge

poderiam ter sido produto

do trabalho escravo ou mesmo

que houve ajuda extraterrestre

para mover as pedras no lugar. Mas

Wally Wallington, um carpinteiro do

Michigan, desmascarou essas afirmações

quando construiu sozinho

uma réplica de Stonehenge em seu

quintal, usando apenas tecnologia

rudimentar.

Se um homem pode fazer isso sozinho,

um grupo de construtores da

época poderia ter feito um trabalho

rápido na construção do monumento

e de suas estruturas.

Embora ainda existam mistérios

sobre o significado cultural e o uso

do monumento de Stonehenge, já

se sabe que não é completamente

surpreendente que tenha sido

construído naquela época.

As pirâmides

A construção das pirâmides é um

dos mistérios do mundo que mais

desperta o interesse das pessoas.

No final dos anos 1960, algumas

pessoas chegaram a apontar as

pirâmides egípcias como prova

de que a civilização humana tinha

sido iniciada por extraterrestres.

Segundo essas pessoas, os antigos

egípcios não poderiam ter

movido esses blocos maciços de

pedra usando apenas força humana.

Alguns até sugeriram que a tecnologia

anti-gravidade alienígena

era uma explicação mais plausível.

Porém, em 2014, os físicos da

Universidade de Amesterdão pesquisaram

a fundo sobre o caso e

resolveram o mistério.

Ao analisar um desenho de túmulo

antigo, descobriram que uma grande

equipe de trabalhadores poderia

ter levado os blocos de pedras

gigantes em um trenó e derramado

água na areia pelo caminho. Isso

reduziria o atrito e permitiria que

os blocos fossem arrastados para

a Pirâmide.

A civilização

Maia

Durante muito tempo, as pessoas

ficaram intrigadas com um dos colapsos

sociais mais estranhos da

história humana.

Por que o povo Maia abandonou

dezenas de cidades que haviam

construído na península de Yucatán

nos anos 700, e permitiu que

uma civilização altamente desenvolvida

acabasse?

Algumas teorias apontam que

provavelmente os maias foram

derrotados em batalha por povos

rivais ou que a classe dominante

foi derrubada em uma revolta camponesa.

Porém, num estudo publicado

em 2012, pesquisadores da

Universidade Estadual do Arizona

analisaram os dados arqueológicos

com o objectivo de descobrir

as condições ambientais no apogeu

Maia.

Segundo os pesquisadores, os

maias queimaram e cortaram tantas

florestas que alteraram a capacidade

da terra de absorver a radiação

solar, o que tornou escassas as

nuvens e as chuvas. Isso começou

uma seca natural, aumentando a

erosão no solo e causando falhas

na agricultura. Com menos comida

disponível, os trabalhadores foram

forçados a abandonar suas cidades

para evitar a fome.

O astronauta

de Salamanca

A figura de um astronauta moderno

talhada sobre a fachada da entrada

da Catedral de Salamanca, na

Espanha, destaca-se de todo o resto

e impressiona a todos que passam

por ali. Isso porque a igreja,

que tem um estilo barroco e gótico,

foi construída entre 1513 e 1733.

A figura está localizada em uma

coluna na entrada da Nova Catedral,

mostrando um astronauta

com botas, capacete e o que parece

ser um sistema de respiração no

seu peito.

Mas como seria possível alguém

ter esculpido tão perfeitamente um

astronauta muito antes deles realmente

existirem?

A imagem fez com que surgissem

várias teorias que envolvem viagens

através do tempo ou acontecimentos

sobrenaturais como

formas de explicação. No entanto,

o astronauta enigmático da Catedral

de Salamanca parece ter uma

explicação muito simples.

Ao que tudo indica, isso teria acontecido

há muito pouco tempo,

quando a catedral foi restaurada

em 1992. A escultura do astronauta

seria uma adição do escultor

Miguel Romero, e foi parte de uma

velha tradição, na qual os restauradores

costumam incluir algum elemento

moderno na decorações de

monumentos antigos.

E o astronauta na Puerta de Ramos

não foi a única inclusão: não muito

longe do astronauta podemos ver

um dragão comendo um gelado.

in hipercultura.com

COORDENAÇÃO E RECOLHA:

JOANA ARAÚJO


36 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

LITERATURA

Robô industrial

VCARMINDO

DE CARVALHO

Ghttps://www.facebook.

com/carmindo.carvalho

Cai a chuva , oblíqua , fustigada

Pelo vento veloz e agreste que passa .

Lá em cima , nuvens dum negro carregado

Seguem o seu caminho .

E eu , aqui estou sozinho

Neste lugar, neste momento

Quedo , manietado e amordaçado

Como cão a ganir e açaimado .

Sinto inveja do pardal , que livre voa !

Que vai e que vem

Sem dar contas a ninguém .

E torna a ir

E torna a vir .

Estou farto , muito farto !

As caixas médicas muito

Cobram e pouco curam .

Os seguros pouco seguram ,

Arranjam quase sempre maneira

De fugirem com o cu à seringa !

E quem se lixa é o ZÉ , como a petinga

Que é pescada frita e comida .

Aumenta o preço de tudo

Da água , do vinho e do pão

Só o ordenado é que não .

Apetece - me sumir !

Para bem longe partir !

Mas para onde ? Para a Lua ?

Tenho que esperar pelos voos turísticos

Que não tardam aí já dizem os dísticos .

Para Marte ? ( Os gringos dos States )

Já o andam a vender em lotes retalhado .

E eu que fui a teso condenado

Estou lixado !

Que parvo que sou !

Se o andam a vender é porque tem dono !

E eu que pensava que era meu e teu !

Que grande treta ! Pela internete impingida !

Eles cá da Terra , serem donos de Marte ?

Não aceito , mas não me admiro que o vendam .

Eles que já há muito impingem

Merda por oiro , que os papalvos ingerem

E chamam - lhe um figo !

Fecho os olhos e em saborosa alucinação

Sinto a palavra e a melodia daquela canção

Que dizia : “ Não há machado

Que corte a raiz ao pensamento

Porque é livre como o vento “ .

E aí sim , aí sou livre como tu ó pardal

Que vais e vens , tornas a ir

E tornas a vir .

--------

15/9/97 _ Entre o Ter e o Querer _ edic. 2000

Ode à Paz

VEUCLIDES

CAVACO

Ghttps://www.facebook.

com/euclides.cavaco

Para no mundo haver PAZ

Não deveria haver guerra

Nem todo aquele que a faz

Ser hospedado na terra.

Para no mundo haver PAZ

Luta com armas de amor

Só assim conseguirás

Fazer um mundo melhor.

Para no mundo haver PAZ

Em qualquer sociedade

Há que em coesão veraz

Dar mais sentido à amizade.

Para no mundo haver PAZ

Deste preceito carece

É que tu sejas capaz

Fazer que ela em ti comece.

Que a hístória jamais olvide

Os militares de excelência

Que incutiram fim à pide

E à maldita prepotência...

Deixem-me exaltar os bravos

Do nosso Portugal novo

Da Revolução dos Cravos

Que trouxe justiça ao povo.

Dando a Abril o sentido

Com coragem e vontade

De abrir com o povo unido

As portas da liberdade !...

Euclides Cavaco

Escute e leia mais aqui: EuclidesCavaco.com


Livros

www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 37

LITERATURA

Herói do 25 de Abril

protagoniza novo romance

Depois de “A Última Viúva de África”, vencedor do Prémio Fernando Namora, o autor Carlos Vale

Ferraz lança “Que fazer contigo, pá?” O livro “Que fazer contigo, pá?” foi lançado pela Porto Editora

no dia 16 de Abril no El Corte Inglés em Lisboa e foi apresentado por José Pacheco Pereira.

Manuel Araújo

Numa sala a abarrotar, com inúmeros

“Homens de Abril”, foi notória a presença

do General Otelo Saraiva de Carvalho, do

ex-presidente da República Ramalho Eanes,

do General Almeida Bruno e do meu

também amigo Furriel Francisco Carrola,

entre muitos outros Heróis anónimos, que

ali foram “beber” História, contada na primeira

pessoa. Também a escritora Alice

Vieira, o cantor José Fanha e João Soares,

autor de algumas destas fotos, marcaram

presença no magnífico evento.

“Que fazer contigo, pá?” é um romance

corajoso, no qual Carlos Vale Ferraz se

confronta com uma das situações mais

delicadas da nossa História recente. Neste

novo romance, o ex-capitão de Abril

narra a história de um major da artilharia,

herói do 25 de Abril, que viverá intensamente

o “Verão Quente” de 1975. Derrotado

pelo 25 de Novembro, é-lhe dada a

escolha de ir para o exílio, abdicando da

memória desses tempos. Até que chega o

dia de regressar a Portugal para procurar

os seus companheiros de luta e retomar o

percurso político que abandonou.

“Que fazer contigo, pá?” é uma história

da História: a de Rúben, nome de código

de um indistinto major de artilharia que

veio a ser comandante da operação que

pôs fim à longa ditadura portuguesa. Um

homem que a mãe, descendente de D.

António, Prior do Crato, considerou estar

destinado a desempenhar o papel de um

Salvador da Pátria, redimindo, a talhe de

foice, o nome e os feitos do seu antepassado.

Herói do 25 de Abril, derrotado do

25 de Novembro, Rúben envolver-se-á

nas ações violentas que se seguiram à

contra-revolução. Por fim, abandonará os

camaradas de luta para se exilar em Paris,

deixando-os entregues à sua sorte. Na

capital francesa encontrará um duplo, o

Outro, com quem todos o confundem. O

confronto é fatal: um dos homens morre

e o sobrevivente regressa à Pátria para

reconstituir o seu passado. No entanto,

nem os antigos camaradas, nem os inimigos

de sempre sabem o que fazer dele…

SOBRE O AUTOR

Carlos Vale Ferraz, pseudónimo literário de Carlos de Matos Gomes,

nasceu a 24 de julho de 1946, em Vila Nova da Barquinha.

Foi oficial do Exército, tendo cumprido comissões em Angola, Moçambique

e Guiné.

Algumas das suas obras foram adaptadas ao cinema e à televisão,

e colaborou com Maria de Medeiros no argumento do filme

“Capitães de Abril. É investigador de História Contemporânea de

Portugal e publicou, como Carlos de Matos Gomes e em co-autoria

com Aniceto Afonso, os livros “Guerra Colonial”, “Os Anos da

Guerra Colonial”, “Portugal e a Grande Guerra”, “A Última Viúva em

África”, que relata a história de Alice Oliveira, nascida e criada em

Vieira do Minho e que terá emigrado para o continente africano

onde era conhecida por Madame X pelas autoridades portuguesas,

para quem trabalhava como informadora. “A Última Viúva em

África” é um livro que se aconselha especialmente aos amantes da

leitura oriundos da Póvoa de Lanhoso e de Vieira do Minho. E finalmente

o “Nó Cego” (reeditado em 2018), uma obra de referência

obrigatória na ficção portuguesa sobre a Guerra Colonial.


38 | MAIO 2019 | LUSITANO DE ZURIQUE | www.cldz.eu

PUBLICIDADE

Muito fácil para o

melhor Serviço.

Torne-se associado do

Centro Lusitano

de Zurique

Somos o seu parceiro para reparações e serviços.

Connosco o seu Volkswagen está em mãos firmes. Todos os nossos serviços são especialmente

adaptados para você e seu Volkswagen. Garantimos uma manutenção e suporte profissional e

barato na sua área.

e usufrua de inúmeras vantagens

Ligue Tel.: 079 222 09 14

Para que o seu Volkswagen permaneça um

Volkswagen. Serviço da Volkswagen.

Garage Mutschellen AG

Bernstrasse 4, 8965 Berikon

Tel. 056 633 15 79


Convocatória

Assembleia-Geral Ordinária 2019

www.cldz.eu | LUSITANO DE ZURIQUE | MAIO 2019 | 39

C ENTRO LUSITANO DE Z URIQUE

BIRMENSDORFERSTRASSE 48

8004 ZÜRICH

www.cldz.ch

info@cldz.ch

COMUNIDADE

Zurique 2 de Maio 2018

Estimadas/os associadas/os,

Venho por este meio convocar V. Exa, para a Assembleia-Geral Ordinária do Centro Lusitano de

Zurique, a realizar na Sexta-feira, dia 24 de Maio de 2019 pelas 19.30 horas, nas instalações da nossa

sede. Como consta nos nossos Estatutos, esta será a primeira e única convocação.

Como presidente deste órgão máximo da nossa colectividade, apelo á vossa participação nesta

Assembleia-Geral Ordinária de forma activa e construtiva.

Da nossa parte, segue a seguinte proposta de ordem de trabalhos. Sendo possível a V. Exa. contribuir

para a mesma, sempre que, o/s ponto/s que deseja ser abordado chegue aos membros da mesa da

Assembleia-Geral antes do início da mesma.

Ordem de Trabalhos:

1. Discussão e aprovação da ordem de trabalhos

2. Aprovação da acta da última Assembleia-Geral ordinária

3. Apresentação do relatório de contas 2016, parecer do Conselho-Fiscal, votação

4. Plano de actividades

5. Proposta de agregação de (conduta de atleta e regulamentos internos) aos estatutos

6. Diversos

Cordiais saudações

O Presidente da mesa Assembleia-Geral

Padre Luís Varandas

Endereço Postal / Postalische Adresse: Centro Lusitano De Zurique, Postfach 9612, 8036 Zürich


DA SUÍÇA PARA PORTUGAL

PORTUGAL SEMPRE

NO NOSSO CORAÇÃO

Vantagens do SERVIÇO

DE TRANSFERÊNCIAS:

Simples

Online ou por correio, os seus recursos ficam disponíveis

com rapidez na conta do Banco Santander Totta.

Próximo

O seu Banco sempre perto de si. Na Suíça ou em Portugal.

Justo

Câmbio favorável. Agora com despesas reduzidas.

Online

Acesso fácil via e-banking.

Através do Site da Postfinance ou do seu Banco na Suíça utilize

a opção: “ordem de pagamento com o boletim vermelho”.

Preencher todos os campos conforme o vale de correio vermelho

fornecido pelos escritórios de representação.

Correio

Utilizando o Impresso (Vale de correio vermelho)

Boletim/Vale vermelho requisitado através dos escritórios

de representação de Genebra ou Zurique e entregue com

a Ordem de Pagamento ao seu Banco na Suíça

(preferencialmente no PostFinance) para concretizar

o pagamento.

Boletim vermelho

(fornecido pelos escritórios de representação

de Genebra ou Zurique)

+

Ordem de pagamento

(fornecido pelo seu banco suíço ou Postfinance)

+

Envelope

(fornecido pelo seu banco suíço ou Postfinance)

Envio por correio para o seu banco suíço

ou Postfinance

Pelas regras em vigor é obrigatória a identificação do ordenante, IBAN e morada

do beneficiário realizando-se a transferência para débito em conta. Interdita

a utilização de numerários (cash).

A utilização do ST (Serviço Transferências) apesar de permitir custos reduzidos não

dispensa a consulta do preçário em santandertotta.pt, com as condições de cada

entidade bancária na Suíça e em Portugal.

Escritório de Representação de Genebra

Rue de Genève 134, C.P. 156 | 1226 Thônex - Genève | Tel. 022 348 47 64

Escritório de Representação de Zurique

Badenerstrasse 382, Postfach 687 | 8040 Zürich | Tel. 043 243 81 21

Não esquecer:

conta do Banco Santander Totta (30-175563-2)

IBAN, nome e morada do beneficiário

More magazines by this user
Similar magazines