Fundamentos do Jornalismo

arlinelins

Revista criada com textos dos alunos da disciplina Fundamentos do Jornalismo 2019.1 da Universidade Católica de Pernambuco.

História

O que chamamos hoje “jornalismo esportivo”

surgiu em Londres, na Inglaterra no

século XIX, por meio do diário de esportes

Sportsman e os relatos eram feitos através

de telégrafos. Em 1856 a imprensa espanhola

criou uma revista chamada El Cazador

voltada para a prática da caça. Alguns

anos mais tarde, ainda na Espanha, surgiu

a revista El Sport Español, que mostrava

notícias relacionadas a atividades físicas e

passou a ganhar a atenção do público em

proporções cada vez maiores. Em Barcelona,

por volta dos anos 1900, foi criado o

jornal El Mundo Desportivo, cujo principal

atrativo se resumia em publicar notícias

sobre atletismo, automobilismo, ciclismo e

ginástica. Além disso, incentivava os jovens

a praticar esportes. No ano de 1916 foi criada,

em Madrid, a primeira revista esportiva

direcionada para o turismo, destacando

os locais em que os torneios e competições

eram realizados, com grande uso de fotografias.

Na Itália, curiosamente o jornal

Gazzetta dello Sport, foi lançado poucos

dias antes dos jogos olímpicos de Atenas, o

primeiro da era moderna. Na década de 20,

o futebol passou a ganhar mais destaque

nos noticiários tanto europeus quanto sulamericanos.

Foram formadas as primeiras

equipes especializadas, sobretudo na área

futebolística, valorizando o uso de opiniões

e fotografias. O rádio fez sua primeira

transmissão também nessa época, a qual foi

ininterrupta.

As lutas de boxes caracterizaram o principal

produto esportivo dos Estados Unidos.

Segundo alguns historiados isso contribuiu

para a popularização do rádio, transformando

as transmissões em verdadeiras

jornadas.

A primeira transmissão televisionada ocorreu

em Berlim, durante os jogos Olímpicos

e durou até o fim do evento. Era televisionado

apenas para o público presente nas

quadras e estádios. Deste modo, a televisão

transformou as coberturas em espetáculos,

atingindo proporções ainda maiores. Em

1937 e 1940 a BBC realizou, respectivamente,

a transmissão do Torneio de Wimbledon,

na Inglaterra, e uma partida de

beisebol realizada nos Estados Unidos. Daí

em diante, diversas transmissões esportivas

passaram a ser realizadas.

Em 1954, surge nos Estados Unidos a revista

Sports Illustrated que se tornou o maior

veículo impresso da época. Na década de

1990 foi criado o pay-per-view, na Inglaterra,

transformando o esporte como o

principal produto das emissoras de TV por

assinatura.

De acordo com PVC, o jornalismo esportivo

começa no Brasil em 1910, com relatos de

folha inteira dos times amadores italianos

em São Paulo, no jornal Fanfulla. Não era

um jornal das elites paulistanas, mas atingia

o crescente número de italianos na cidade.

Em uma de suas edições, convocava os

italianos a montar um clube, e assim nascia

o ‘Palestra Itália’, que durante a Segunda

Guerra mudaria de nome para ‘Sociedade

Esportiva Palmeiras’. Essa e outras informações

históricas – não só sobre futebol, mas

de outros esportes, como o primeiro jogo

de basquete no Brasil – estão conhecidas

graças ao Fanfulla. Ainda assim, eram apenas

relatos, não era o jornalismo esportivo

de hoje. Outros jornais, como o Correio

Paulistano, dedicavam apenas 3 colunas

para futebol e turfe. O remo, esporte mais

popular da época, que deu origem a maioria

dos clubes esportivos brasileiros, como

o Botafogo de Futebol e Regatas e o Clube

Náutico Capibaribe, não era suficientemente

importante para ser assunto de capa.

Em Pernambuco, o pioneirismo da crônica

esportiva fica por conta de Adonias de

Moura (1924-1996). Ponta-esquerda de Santa

e Sport na década de 40, saiu dos gramados

na década seguinte e trabalhou na

Folha da Manhã, na sucursal da Manchete

Esportiva e no Diário de Pernambuco,

onde atuou por quase 20 anos assinando a

coluna Dentro e Fora das Quatro Linhas.

5

Similar magazines