Jornal das Oficinas 165

apcomunicacao

Contactos:

93 22 22 200

www.escapeforte.com

PUB

jornaldasoficinas.com | JORNAL INDEPENDENTE DA MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS LIGEIROS E PESADOS | DIRETOR | João Vieira

165

Agosto 2019

PERIODICIDADE | MENSAL

ANO XIV | 3 EUROS

PUB

SISTEMAS ADAS

A caminHO dos

autónomos

PÁG. 8

veneporte

PÁG. 22

As instalações do fabricante

de Águeda estão mais espaçosas

e funcionais do que nunca

técnica

PÁG. 62

As zonas de carroçaria rápida

são uma oportunidade de negócio

a considerar pelas oficinas

polibaterias

PÁG. 32

Nuno Guerra, administrador

da empresa, fala sobre o futuro

das baterias para veículos híbridos

60 anos mEyle

PÁG. 46

Viagem no tempo às origens da

conceituada companhia fundada

por Wulf Gaertner nos idos de 1958

PUB

PUB


PRINCÍPIO BÁSICO

A PCC, tem como princípio, colocar os interesses

dos clientes acima de qualquer interesse pessoal,

servindo diariamente com o mesmo empenho, entusiasmo

e dedicação.

MISSÃO

Servir e criar valor para os nossos clientes através

de oferta de produtos de qualidade aos melhores

preços.

SOLIDEZ

Ao longo de mais de 19 anos, a PCC tem vindo a

prosseguir a sua estratégia de crescimento sólido

e sustentado, tendo atingido a cada ano que passa

um aumento no número de clientes.

INOVAÇÃO

Temos o objetivo de crescer a inovar, porque queremos

oferecer aos nossos clientes as melhores

soluções.

www.pcc-lda.pt


ESPECIALISTAS EM

EQUIPAMENTO OFICINAL

MECÂNICA

ELEVADORES

EQUIPAMENTOS

P/ MUDANÇA DE

PNEUS

COMPRESSORES

& REDES DE

AR COMPRIMIDO

COLISÃO

BANCOS P/

ALINHAMENTO

DE CHASSIS

FERRAMENTA

P/ COLISÃO

SISTEMAS DE

REP. & MEDIÇÃO

ELETRÓNICA

PINTURA

CABINES DE

PINTURA

ÁREAS DE

PREPARAÇÃO

INFRA-VERMELHOS

AMBIENTE

VFV- SISTEMAS

DE VEÍCULOS

EM FIM DE VIDA

SEPARADORES DE

HIDROCARBONETOS

BACIAS DE

RETENÇÃO

EMPRESA CERTIFICADA


MAIS ENERGIA

PARA O SEU NEGÓCIO

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

QUALITY

CERTIFIED

EXCELLENCE

AWARDS

35

years

ex perience

QUALIDADE DAS GRANDES MARCAS

A UM PREÇO MAIS COMPETITIVO

A AUTOPART está no mercado desde 1982. É uma empresa

especializada na produção industrial de baterias de alta qualidade

para todos os tipos de automóveis, tratores e máquinas agrícolas,

bem como barcos ou caravanas campistas. Produz 2,5 milhões de

baterias por ano, distribuídas para mais de 40 países. A constante

pesquisa e desenvolvimento são sinais da paixão por criar e

seguir as últimas tendências. www.autopart.pl

Exclusivo

T.: 210 534 808/210 534 809 | F.: 210 534 809 | E.: geral@afkt.pt | www.trustauto.pt


Editorial

DIRETOR

João Vieira

joao.vieira@apcomunicacao.com

EDITOR EXECUTIVO

Bruno Castanheira

bruno.castanheira@apcomunicacao.com

REDAÇÃO

Jorge Flores

jorge.flores@apcomunicacao.com

Joana Calado

joana.calado@apcomunicacao.com

DIRETOR COMERCIAL

Mário Carmo

mario.carmo@apcomunicacao.com

GESTOR DE CLIENTES

Paulo Franco

paulo.franco@apcomunicacao.com

IMAGEM

António Valente

MULTIMÉDIA

Catarina Gomes

ARTE

Hélio Falcão

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS

E CONTABILIDADE

financeiro@apcomunicacao.com

PERIODICIDADE

Mensal

ASSINATURAS

assinaturas@apcomunicacao.com

© Copyright Nos termos legais em vigor, é totalmente

interdita a utilização ou a reprodução desta publicação,

no seu todo ou em parte, sem a autorização

prévia e por escrito do JORNAL DAS OFICINAS

IMPRESSÃO

Lisgráfica - Impressão e Artes Gráficas, S.A.

Estrada Consiglieri Pedroso, 90

2730 - 053 Barcarena Tel.: 214 345 400

N.º de Registo na ERC: 124.782

Depósito Legal n.º: 201.608/03

Tiragem – 10.000 exemplares

.es

Parceiro

em Espanha

EDIÇÃO

AP COMUNICAÇÃO

Propriedade/Editor João Vieira -

Publicações Unipessoal, Lda.

Contribuinte 510447953

Sede Bela Vista Office, Sala 2.29,

Estrada de Paço de Arcos, 66 - 66A

2735 - 336 Cacém - Portugal

GPS 38º45’51.12”N - 9º18’22.61”W

Tel. +351 219 288 052/4

Fax +351 219 288 053

Email geral@apcomunicacao.com

Consulte o Estatuto Editorial no

site www.jornaldasoficinas.com

OFICINAS E

SEGURADORAS

A

relação entre as oficinas independentes e as companhias de seguros nunca foi fácil. Num contexto

económico difícil, a menor utilização do automóvel, a diminuição da sinistralidade, o corte das

coberturas contra todos os riscos ou a concorrência do setor dos seguros aceleraram a pressão entre

as oficinas e as seguradoras.

Muitos dos problemas com que as oficinas se deparam no seu relacionamento com as seguradoras,

traduz-se na imposição, por parte de algumas companhias de seguros, de oficinas para a reparação dos veículos

sinistrados, contrariando a vontade manifestada pelos seus proprietários, da escolha dos fornecedores de peças

às oficinas, na exigência de entrega de faturas de aquisição de peças pelas oficinas aos seus fornecedores, com

informação do respetivo preço, no pagamento de indemnização ao segurado, não sujeito a IVA e, ainda, questões

relacionadas com a atribuição de veículo de substituição durante a reparação. Estes e muito outros problemas,

aliados a alguma dificuldade na obtenção de consensos, têm marcado, negativamente, o relacionamehto entre as

companhias de seguros e os profissionais da reparação automóvel.

Considerando que a satisfação dos clientes é o objetivo comum das seguradoras e das oficinas, chegar a um

entendimento não é uma opção, mas sim uma obrigação. As oficinas precisam das seguradoras para rentabilizarem

os seus serviços e as seguradoras precisam das oficinas para conseguirem responder, em

tempo útil, às necessidades dos seus clientes.

A rentabilidade e a competitividade são as duas prioridades

preponderantes para as seguradoras na escolha de oficinas com as

quais trabalham. Ou seja, os melhores preços, a eficiência da oficina

e a produtividade dos processos. Para se encontar uma solução

exequível, a oficina deve estar focada em criar uma relação de

confiança com a empresa seguradora. É primordial que a oficina

estabeleça um controlo de gestão que tenha em conta fatores

como a mão de obra em bruto, a margem de lucro dos produtos

ou serviços, a eficiência de cada profissional ou a produtividade da

empresa. Os programas informáticos para oficinas podem ser uma

grande ajuda.

Por outro lado, os processos devem estar padronizados para que

seja possível obter um amplo conhecimento do que é rentável

para a oficina e do que não é. A implementação de um

sistema de incentivos será uma opção a considerar. Existem

poucas coisas mais importantes do que a satisfação do

cliente, que é a prioridade da oficina. A reparação não

deixa de ser um serviço que deve cumprir expectativas e

padrões de qualidade.

Por último, a oficina deve fazer uma aposta contínua

na formação, de modo a reforçar os conhecimentos e

melhorar as competências dos membros da equipa.

Para oferecer o melhor serviço, a oficina tem de contar

com profissionais bem preparados. Além do mais,

dispor do equipamento mais avançado do mercado

e da tecnologia mais inovadora poderá diferenciar a

oficina da concorrência. l

JOÃO VIEIRA | Diretor


FOLHA

DE SERVIÇO

IPSIS

VERBIS

SEMPRE QUISEMOS

ESTAR ASSOCIADOS

A UMA ENTIDADE

QUE DEFENDESSE

O PÓS-VENDA

AUTOMÓVEL

INDEPENDENTE EM

PORTUGAL

ISABEL BASTO, DIRETORA

EXECUTIVA DE AFTERMARKET

LIGEIROS DO GRUPO NORS

JÁ PENSOU NO

CUSTO QUE UMAS

MERAS PASTAS

COM DOCUMENTOS

CONTABILÍSTICOS

REPRESENTAM PARA

A SUA EMPRESA?

CRISTINA CARDOSO, CHIEF SALES

OFFICER DA ALIDATA

FINALISTAS SOB PRESSÃO

Já são conhecidos os oito finalistas da Competição “Melhor Mecatrónico 2019”, uma iniciativa do Jornal

das Oficinas em parceria com a ATEC, que, este ano, celebra a 4.ª edição. A Competição volta a ter

como principal objetivo promover a profissão de mecatrónico automóvel e, ao mesmo tempo, desafiar

os profissionais no ativo a colocarem à prova os seus conhecimentos e competências nesta área. Consideramos

que esta profissão é cada vez mais importante na atividade da reparação automóvel. As oficinas têm de

integrar nos seus quadros mecatrónicos bem formados e competentes para poderem responder às exigências

atuais e futuras dos automóveis. Esta iniciativa terá como ponto alto a realização da Grande Final nos dias 15 e

16 de novembro, nas instalações da ATEC - Academia de Formação, situada no Parque Industrial da Volkswagen

Autoeuropa. O júri será, uma vez mais, presidido por Carlos Isidro, coordenador da área de Mecatrónico

Automóvel da ATEC, que contará com a colaboração de oito experientes formadores, que acompanharão,

individualmente, os concorrentes nos seus postos de trabalho. Tudo, mas mesmo tudo, será avaliado. Desde o

conhecimento técnico até ao manuseamento das ferramentas, passando por hábitos de limpeza. Aos finalistas

cabe, agora, prepararem-se o melhor possível para superarem as provas e conquistarem o primeiro lugar.

BARÓMETRO

SOU UM POUCO

CÉTICO EM RELAÇÃO

AOS VEÍCULOS

ELÉTRICOS (...) AS

BATERIAS DESTES

MODELOS TÊM UM

VALOR AINDA MUITO

ELEVADO

NUNO GUERRA, ADMINISTRADOR

DA POLIBATERIAS

TIRO AO DIESEL

Os veículos a gasóleo continuam a sua

via sacra. Segundo dados da Autoridade

Tributária, alusivos ao primeiro trimestre

de 2019, pelo menos 10 modelos,

equipados com motores Diesel, viram

o ISV disparar. Alguns deles assistiram

ao valor passar para o... dobro! O nosso

Semáforo Vermelho, de indignação,

deve-se à forma como o Governo tem

conduzido esta complexa questão que

afeta tantas marcas.

OLHO NOS MILLENNIALS

A geração conhecida como Millennials

está descontente com as oficinas afetas

às marcas de veículos. De acordo com

um estudo da Braintrust, envolvendo

dois mil donos de automóveis, estas

adaptam-se pior às necessidades

destas faixas etárias. O nosso Semáforo

Laranja, de expectativa, pela forma

como o aftermarket independente saberá

aproveitar esta insatisfação para preparar

o futuro.

EUROREPAR CAR SERVICE

A Eurorepar Car Service está de

parabéns e é merecedora do nosso

Semáforo Verde, de aplauso. A rede acaba

de alcançar a histórica marca de 150

oficinas a operar em Portugal, tornandose,

deste modo, numa das maiores,

dentro do ramo da reparação automóvel

multimarca nacional. No seu conjunto,

a rede conta com 600 profissionais, no

nosso país, entre os quais 500 mecânicos

especializados.

6 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Chama-se

5G.

A tecnologia avança.

Nós também.


DESTAQUE

SISTEMAS ADAS

VEÍCULOS AUTÓNOMOS

VIVEMOS NA ERA DA TECNOLOGIA. E OS VEÍCULOS NÃO SÃO EXCEÇÃO. APESAR DE PORTUGAL TER UM PARQUE

AUTOMÓVEL ENVELHECIDO, CADA VEZ MAIS CIRCULAM MODELOS EQUIPADOS COM ESTES SISTEMAS, QUE, PARA

ALÉM DE AUXILIAREM OS CONDUTORES NO ESTACIONAMENTO, PODEM EVITAR ACIDENTES por Joana Calado


AO VIRAR DA ESQUINA

Ouvimos falar muito em sistemas ADAS. Mas saberemos

realmente o que eles significam? A sigla ADAS

provém do inglês Advanced Driver Assistance Systems,

ou seja, Sistemas Avançados de Assistência ao

Condutor. Estes sistemas podem ir do mais simples,

como sensores de estacionamento, que nos avisam da

proximidade do obstáculo que se encontra na traseira do veículo, até

aos mais complexos, que atuam na direção do veículo e até detetam

obstáculos que se encontram no caminho, bem como interpretam sinais

de trânsito. Damos, assim, o primeiro passo na direção do veículo

autónomo. Caso o automóvel integre mais do que um destes sistemas,

todos eles comunicam entre si, o que poderá causar problemas

às oficinas. Por exemplo, no caso da substituição de um vidro ou de

um para-choques, é necessário que os sensores sejam colocados nos

sítios corretos e, posteriormente, calibrados.

Nicho de mercado

Atualmente, a calibração de sistemas ADAS ainda é um nicho de

mercado. No entanto, com a evolução do parque automóvel em Portugal,

a tendência aponta para que este serviço se torne cada vez mais

usual. “O sistema ADAS está, hoje, para as oficinas como o autodiagnóstico

esteve nos finais dos anos 90. Portanto, tudo é uma questão do

parque automóvel se modernizar”, explica Vitor Fontes, da Equiassiste.

A calibração destes sistemas poderá representar alguns custos para

as oficinas, como alerta António Garrido, da Lusilectra: “Será necessário

um sério investimento ao nível do equipamento e da formação,

por forma a acompanhar a evolução tecnológica dos veículos”. Uma

vez que existem vários sistemas instalados muito próximos do vidro

dianteiro do veículo, as empresas especialistas em substituição de vidros

começam a necessitar de materiais diferentes e a ter a preocupação

de calibrar o sistema, o que poderá representar um custo mais

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 9


SISTEMAS ADAS

“ESTIMA-SE QUE A TRAVAGEM autÓNOMA DE EMERGÊNCIA

PODERÁ REDUZIR EM 38% O NÚMERO DE EMBates NA traseira

DOS VEÍCULOS”, REFERE PAULO NEVES, DA TEXA

elevado, mas que deverá estar incluído

na apólice da seguradora.

“No caso dos vidros ADAS, o custo de

aquisição é mais elevado devido a vários

fatores. A curvatura do vidro faz

com que, logisticamente, seja mais

dispendioso a sua manipulação. E o

próprio vidro é mais caro devido à

sua tipologia”, explica Frederico Santos,

da Carglass.

Por outro lado, “a calibração dos vidros

e dos equipamentos satélites,

para-choques, painéis e portas, é, obviamente,

tratada de forma autónoma

e, consequentemente, representa

um custo para o cliente”, explica Licínio

Nunes, da Glassdrive.

oficinas estão preparadas?

Se pensarmos no atual parque automóvel

em Portugal para a maioria

dos veículos mudar um para-choques

é “só” mudar um para choques

e mudar um vidro é “só” mudar um

vidro. No entanto, com cada vez mais

veículos dotados de sistema ADAS a

entrar no nosso parque automóvel,

este paradigma começa a mudar.

Quando é necessário trocar o para-

-choques de um veículo, este chega,

na grande maioria das vezes, sem a

furação necessária para a aplicação

dos sensores. Então, a oficina deve

estar preparada para conseguir colocar

os sensores exatamente nos lugares

corretos, de forma a não prejudicar

o seu funcionamento.

Falamos no caso dos para-choques

apenas como um exemplo, pois cada

sensor tem as suas particularidades

e, por isso, é instalado e calibrado de

formas diferentes.

Segundo Paulo Neves, da Texa, as

oficinas melhor preparadas até ao

momento são as especializadas em

substituição de vidros. “Esta necessidade,

por parte destas oficinas, é

motivada pelo aumento do número

de veículos que lá chegam, com o objetivo

de substituírem o para-brisas

já equipado com câmaras e à necessidade

de calibração das mesmas, para

que os sistemas fiquem a funcionar

corretamente”, explica.

Relativamente às restantes oficinas,

António Garrido, da Lusilectra, considera

que “estas estão na expectativa

da saída de mais modelos automóveis

com esta tecnologia integrada,

o que será uma realidade num curto

espaço de tempo”. E, como tal, “vamos

assistir a uma procura mais efetiva

deste tipo de equipamentos”.

reduzirão acidentes?

Os sistemas ADAS mais avançados

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

10 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


permitem que o veículo realize as

mais diversas correções e ações durante

a condução, desde manter a

distância para o veículo da frente enquanto

viajamos com o cruise control

ativo, até corrigir a direção quando

encostamos demasiado o veículo à

berma, passando por travar o automóvel

quando deteta um objeto.

A maioria dos acidentes ocorrem

por erros humanos, sejam eles provocados

pela distração ou pelo cansaço.

Estes sistemas parecem ter vindo

colmatar essas falhas. “Estima-se

que a travagem autónoma de emergência

possa reduzir em 38% o número

de embates na traseira dos veículos”,

afirma Paulo Neves, da Texa.

Demasiada confiança nestes sistemas

poderá gerar mais acidentes do

que evita. Contudo, a generalidade

dos portugueses parecer ter plena

consciência de que este é apenas um

sistema de apoio à condução.

Licínio Nunes, da Glassdrive, expli-

Untitled-3.pdf 1 06/09/18 15:38

PUB


SISTEMAS ADAS

A UNIÃO EUROPEIA LANÇOU UMA DIRETIVA QUE OBRIGA

OS FABRICANTES A INCLUIR ESTE TIPO DE SISTEMAS NOS SEUS

VEÍCULOS PRODUZIDOS EM SÉRIE DEPOIS DO ANO 2022

ca que, “segundo um estudo francês

a que tivemos acesso, a sinistralidade

deverá descer, acentuadamente,

quando o parque automóvel reverter

a tendência do sistema vigente para

a era ADAS. Prevê-se uma descida de

cerca de 23% na sinistralidade e, consequentemente,

da atividade económica

ligada à reparação automóvel”.

Da opção à obrigatoriedade

Apesar de, atualmente, a grande

maioria dos veículos novos virem

equipados com sistemas ADAS, talvez

uns mais desenvolvidos que outros,

ainda não é obrigatório integrá-

-los no veículo. A diretiva da União

Europeia indica que, a partir de

2022, todos os veículos produzidos

terão, obrigatoriamente, de incluir

estes sistemas, mais ou menos complexos

dependendo do tipo de veículo.

Todos os veículos deverão estar

equipados com sistemas de controlo

de sonolência e distração do condutor,

adaptação inteligente à velocidade,

controlo da segurança em

marcha-atrás, através de câmaras e

sensores, bem como registo de dados

em caso de acidente.

Os veículos de passageiros e comerciais

ligeiros deverão estar equipados

também com sistemas de aviso de desvio

da faixa de rodagem, sistema avançado

de travagem e cintos de segurança

com mais resistência às colisões.

Já no caso dos camiões e autocarros,

deverão incluir requisitos específicos

destinados a melhorar a visão direta

dos condutores de pesados e reduzir

os ângulos mortos, instalação

de sistemas à frente e nas laterais do

veículo, para detetar e alertar para a

presença de utentes da via pública

vulneráveis, tornando estes veículos

mais seguros.

Esta nova diretiva da União Europeia

poderá ser um alerta para que

as oficinas comecem a apostar mais

na formação e equipamentos para a

calibração destes sistemas.

Vitor Fontes, da Equiassiste, alerta

que “a perfeita calibração dos sistemas

ADAS necessita, também, de determinada

área oficinal, que terá de

existir ou ser gerida em função do espaço

existente. Há oficinas que o têm

e outras que não. Portanto, não é somente

o investimento em sistemas de

calibração ADAS que as oficinas terão

de equacionar, mas, também, de um

bem mais escasso, que é o espaço. Dependendo

da zona do país, esse espaço

poderá ser mais ou menos valioso

e entrará como fator na equação de

aquisição/investimento”. l

12 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


SISTEMAS ADAS NO PARA-BRISAS

DA SUBSTITUIÇÃO

À CALIBRAÇÃO

Pensemos, então, no sistema ADAS colocado no para-brisas do nosso

veículo. A substituição do vidro terá um sistema idêntico, pois, na

realidade, é apenas um vidro com características diferentes, o que poderá

gerar alguns problemas ao profissional, caso ele não esteja preparado

para esta operação. E, posteriormente, ao cliente, caso não seja realizada

corretamente, a calibração.

O sistema ADAS incluído no para-brisas é, essencialmente, uma câmara,

que, caso necessário, poderá ser substituída por um técnico especializado,

mas que requer, obrigatoriamente, calibração após a substituição de um

vidro. Para que o cliente não venha a ter problemas durante a condução, é

necessário que esta calibração fique bem realizada.

Na Glassdrive, como explica Licínio Nunes, a calibração é feita “no

momento e, em cerca de 30 minutos, já teremos o relatório disponível,

porque só fazemos e validamos calibrações com relatório”

Para a Carglass, esta também é uma parte importante da substituição de

um vidro num veículo com sistema ADAS: “É necessário identificar, a priori,

a necessidade de calibração. E, para tal, a Carglass tem acesso a uma

base de dados globalizada e atualizada em tempo real, que nos permite

antecipar a necessidade de calibração e, assim, garantir que os nossos

clientes estão em segurança”, explica Frederico Santos.

PUB


EVENTO

4.° SALÃO NACIONAL DO TRANSPORTE

FORTE CRESCIMENTO

O 4.° SALÃO NACIONAL DO TRANSPORTE, QUE DECORREU NO ÚLTIMO FIM DE SEMANA DE JUNHO,

NO CENTRO MUNICIPAL DE EXPOSIÇÕES DE POMBAL, CONTOU COM CERCA DE 100 EMPRESAS

E MUITO PÚBLICO. O JORNAL DAS OFICINAS NÃO FALTOU À CHAMADA por João Vieira


Nesta iniciativa, a ANTRAM reuniu fabricantes,

importadores e representantes, que apresentaram

ao mercado todas as novidades,

soluções e propostas em veículos pesados, equipamento

oficinal, peças, pneus, lubrificantes,

componentes e acessórios, ferramentas, software

para gestão de frotas e de logística, entre outros

produtos e serviços que servem o setor.

Segundo Nelson Sousa, vice-presidente da AN-

TRAM e diretor do salão, “este evento pretendeu,

acima de tudo, trazer alguma dinâmica à

região e ao setor, sendo uma excelente oportunidade

para as empresa apresentarem novidades,

estabelecerem novos contactos e parcerias,

bem como para concretizarem negócios”.

Este ano, face às edições anteriores, a área de

bar e restauração foi alterada para privilegiar e

acolher um maior número de expositores e visitantes.

Dadas as limitações de espaço do pavilhão

do Expocentro, a organização do Salão

Nacional do Transporte já está a analisar, em

conjunto com a Câmara Municipal de Pombal,

as alternativas que permitam uma próxima edição

com mais expositores e atividades de entretenimento.

Presença de peso

Muitas empresas presentes no 4.° Salão Nacional

do Transporte realizaram apresentações dos

seus novos equipamentos e serviços. Como foi

o caso da Glassdrive, que efetuou diversas demonstrações

do sistema ADAS para pesados,

divulgando os 58 equipamentos já instalados

na sua rede nacional de 130 centros. Licínio

Nunes, diretor-geral da Glassdrive, realçou o

facto de a rede ser a única que tem um produtor

de vidros por detrás, neste caso a Saint Gobain.

“Estivemos no salão para apoiar os nossos

clientes de pesados e informar que dispomos

de equipamento para calibração do sistema

ADAS, como câmaras, radares ou sensores.”

Para o responsável, “2019 será o ano de crescimento

da Glassdrive, porque o parque tem aumentado.

E quando assim é, a economia está

em alta e as pessoas andam mais de automóvel.

Logo, há mais vidros partidos”.

Já a FUCHS, apresentou a tecnologia XTL para

motores de veículos pesados, que oferece um

potencial de poupança muito atraente para as

frotas. Testes no laboratório e no terreno demonstraram

que, com a gama XTL, pode ser

melhorada a rentabilidade das frotas em quatro

áreas: consumo de combustível (1,8% menor);

proteção do turbocompressor (11% menos

depósitos); performance em ambientes

frios (23% de melhoria); consumo de óleo (menos

27%). Paul Cezanne, diretor-geral da FU-

CHS Lubrificantes, referiu a importância de estar

na feira: “É um segmento de mercado onde

lidamos diretamente com os clientes finais, que

procuram produtos de altíssima qualidade para

melhorar o funcionamento das suas viaturas.

Foi a primeira vez que estivemos neste salão e

consideramos que foi a altura certa, porque estamos

a entrar neste segmento de mercado específico,

cada vez mais importante para nós.

Todos os nossos agentes e distribuidores especializados

estão a promover o novo Titan Cargo

5W30 XTL. Temos um panfleto que informa os

clientes acerca da potencialidade de economia

de combustível que têm e o que vão poupar utilizando

este lubrificante”.

Novidades de relevo

Enquanto maior player de aftermarket na área

dos pesados, a Civiparts não pôde deixar de estar

presente no salão. Para Carlos Feliciano, diretor

comercial da Civiparts, “a zona centro do

país é muito importante para a empresa, pois

temos aqui muitos clientes. Por isso, viemos

mostrar-lhes o nosso portefólio de produtos e

angariar novos contactos. Trabalhamos com

muitos fornecedores de primeiro equipamento

e queremos reforçar a nossa aposta nas marcas

premium. Toda esta panóplia de produtos que

comercializamos mostra que temos soluções

de confiança e que qualquer cliente pode estar

à-vontade connosco. A nível de produto, foi dado

um destaque muito especial à nova bateria

Varta Promotive AGM, com tecnologia patenteada

PowerFrame, projetada para colmatar o

crescente número de dispositivos eletrónicos

no camião. A bateria de camião AGM pode suportar

seis vezes o número de ciclos em comparação

com as baterias padrão e tem a capacidade

de operar em níveis de descarga próximos


4.° SALÃO NACIONAL

DO TRANSPORTE

DADAS AS LIMITAÇÕES DE ESPAÇO DO PAVILHÃO DO EXPOCENTRO, A

ORGANIZAÇÃO DO SALÃO JÁ ESTÁ A ANALISAR, EM CONJUNTO COM

A CÂMARA MUNICIPAL DE POMBAL, OUTRAS ALTERNATIVAS

de 80%. A Civiparts participou nos

testes da Varta Promotive AGM na

Europa. Os resultados foram muito

satisfatórios. Esta nova bateria é uma

necessidade real no nosso mercado,

especialmente para camiões de longa

distância”, disse Carlos Feliciano.

Presente como expositor deste a primeira

edição do Salão Nacional do

Transporte, a Visoparts apresentou-

-se com um novo stand e uma nova

imagem, no ano em que comemora

15 primaveras. “É nestes eventos

que encontramos os nossos clientes e

lhes mostramos as novidades. Somos

uma empresa ativa, que acompanha

a evolução do mercado. Estamos com

um crescimento na ordem dos dois

dígitos em relação a 2018, que tinha

sido o melhor ano da Visoparts. Em

2019, com a mesma equipa, prevejo

fechar com grande crescimento, o

que até a mim me surpreende, porque

existem cada vez mais players e

nós continuamos a crescer e a diversificar

a nossa oferta de produto”, disse

o diretor-geral, José Oliveira. A Visoparts

oferece desde material de reboque

a material de camião, chaparia,

todo o tipo de material que o pesado

precisa e está a alargar a sua atividade

aos veículos comerciais ligeiros,

uma das razões para ter um crescimento

mais acentuado este ano.

Do lado da RSM (Recauchutagem

São Mamede), foi apresentada a gama

de pneus recauchutados para veículos

pesados, com destaque para

os novos pisos da Vipal. Para Eugénio

Pereira, sócio-gerente, a empresa

“está a comemorar 20 anos e quer

apresentar aos clientes as novidades,

com destaque para os pisos de redução

dos custos com combustível, que,

atualmente, é uma exigência de muitos

clientes”. A RSM aproveitou a feira

para apresentar um novo carro de

assistência, para as zonas centro e

sul, que vai permitir à empresa prestar

serviços de “desempanagem” em

qualquer local. A entrada de um novo

comercial vai ajudar a angariar mais

clientes.

Tudo em prol do setor

A Vipal esteve presente com o diretor

comercial, Fabricio Pandolfo, que

realçou a importância do nosso país

para a empresa: “O mercado português

é o principal mercado para a Vipal

na Europa, seguido da Espanha.

Estive nesta feira pela primeira vez,

juntamente com a Recauchutagem

São Mamede, que é o principal cliente

da Vipal em Portugal. A empresa

está em franca evolução. Lançámos

três novos desenhos e, recentemente,

também entrámos no mercado

de máquinas através da divisão Vipal

máquinas. Já contamos com três

máquinas para a recauchutagem de

pneus. A Vipal continua a apostar no

mercado da recauchutagem, que sofreu

muito com a invasão dos produtos

asiáticos. Este ano, lançámos dois

pisos totalmente desenvolvidos por

nós. Um misto e outro urbano. Acreditamos

que com a implementação

do regulamento anti-dumping podemos

crescer ainda mais”.

No caso da Lusilectra, a empresa

apostou na sua gama de equipamentos

para veículos pesados, da qual

dispõe de uma linha diversificada de

soluções para quem opera na área

da manutenção e reparação de veículos

pesados. Os principais destaques

foram as colunas independentes

16 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


PUB

da Stertil Koni, a máquina de alinhamento para pesados e a

máquina de aquecimento por indução, ambas da Josam. Para

Carlos Rebocho, gestor comercial da Lusilectra, a presença da

empresa na feira fez todo o sentido: “O mercado de veículos

pesados está muito dinâmico e numa fase de crescimento. É

uma área pouco explorada pelas empresas que comercializam

equipamentos, mas nós consideramos que é uma boa altura

para apostar, porque há oportunidade de negócio nos equipamentos

para pesados”, disse.

Quanto à Cepsa, marcou presença no salão com o reforço do

novo conceito StarRessa. Um serviço que se destaca em toda a

amplitude do mundo do transporte profissional, posicionando-se

como mais do que cartões. Um conjunto amplo de soluções,

válidas não só para a rede mas, também, para outros

países da Europa, resolvendo as necessidades dos profissionais

no decorrer das viagens. O conceito StarRessa tem soluções

de portagens para vários países da Europa, permite a

devolução do IVA internacional, dá descontos em combustível,

presta assistência na estrada e ajuda na gestão, através da

faturação eletrónica. Entre outras funcionalidades, o conceito

StarRessa facilita o trabalho dos profissionais dos transportes

de passageiros. “A Cepsa continua a apostar no setor profissional,

oferecendo ao cliente uma das mais completas gamas

de produtos e serviços”, referiu Miguel Barbosa, gestor de cartões

de crédito da Cepsa. “Através do StarRessa, oferecemos

aos profissionais dos transportes todas as soluções que necessitam,

tanto nos seus trajetos nacionais e internacionais, como

na gestão da empresa, com o objetivo de que a sua atividade

comercial se realize sempre com sucesso“, concluiu. l

Liderança faz-se com qualidade!

C

M

Y

CM

MY

Liderança faz-se com qualidade!

LIDERANÇA

FAZ-SE

COM QUALIDADE

CY

CMY

K

www.facebook.com/visoparts

www.visoparts.com

www.facebook.com/visoparts

www.visoparts.com

www.facebook.com/visoparts

www.visoparts.com


OPINIÃO

CRISTINA CARDOSO, CHIEF SALES OFFICER DA ALIDATA

DESMATERIALIZAÇÃO É O CAMINHO

A DIGITALIZAÇÃO, OU TRANSFORMAÇÃO DIGITAL, SE PREFERIR, É O CAMINHO DE FUTURO

(E JÁ DO PRESENTE!) PARA QUALQUER EMPRESA, INDEPENDENTEMENTE DA ÁREA DE NEGÓCIO,

E, PORTANTO, TAMBÉM DAS DO SETOR OFICINAL E AFTERMARKET AUTOMÓVEL

Trata-se de um processo

tecnológico assente numa

filosofia “menos é mais”, que

obriga a uma transformação cultural

das empresas e que significa renovação,

inovação, simplificação, flexibilidade

e rapidez na resposta ao mercado,

permitindo a maximização da agilidade

ao nível de processos, que conduzem a

vantagens competitivas, que são o motor

do crescimento dos negócios.

Neste momento, o leitor deve estar a

questionar: “Mas, do ponto de vista

prático, como a posso implementar

na minha empresa?” Muitos

seriam os exemplos que lhe poderia

dar. Vou cingir-me a apenas um:

desmaterialização de documentos

comerciais e contabilísticos. Quantas

centenas de pastas tem na sua

empresa? Que espaço ocupam? Qual

o valor por metro quadrado na zona

da sua empresa? Quanto tempo

demora quando tem de recuperar um

documento e qual o valor/hora da

pessoa a quem essa tarefa foi atribuída?

Já pensou no custo que umas meras

pastas com documentos contabilísticos

representam para a sua empresa?

Sabemos que, legalmente, tem de

manter esses documentos durante 10

anos. Todavia, é permitido o arquivo

em suporte eletrónico, desde que

garanta o acesso aos dados e que a

integridade da origem, do conteúdo e a

sua legibilidade sejam asseguradas. A

simples gestão eletrónica documental,

que facilita as tarefas de arquivo,

pesquisa, distribuição e extração de

documentos comerciais ou outros, pode

ser o primeiro e mais acertado passo

para migrar a sua empresa para a era

da transformação digital. A gestão

documental vai permitir o registo e

classificação desses documentos, mas,

sobretudo, incrementar a segurança,

com a possibilidade de controlo de

JÁ PENSOU NO

CUSTO QUE

UMAS MERAS

PASTAS COM

DOCUMENTOS

CONTABILÍSTICOS

REPRESENTAM

PARA A SUA

EMPRESA?

acessos e consulta à informação.

Faturas e outros documentos passam a

ser localizados e consultados pelo seu

conteúdo integral, através dos campos

de indexação. De entre as vantagens, e

de forma breve, passa a ser possível a

agregação de documentos comerciais

em processos eletrónicos, assegura-se

controlo de prazos e geração de alarmes,

por exemplo, em faturas por liquidar,

bem como torna possível juntar anexos e

várias versões e revisões por documento.

Para se conseguir as referidas

simplificação, inovação, rapidez,

segurança e economia de

processos, neste caso, através

da desmaterialização de

documentos comerciais, é

necessária a igualmente citada

transformação cultural de

cada organização. E, esse

passo, depende apenas de

si. Vai manter a consulta de

documentos da sua empresa

como acontecia quando

necessitava de consultar um tema

numa enciclopédia? Ou vai preferir

como o faz hoje, chegar à informação

através do Google, no seu telemóvel

e em qualquer local? l

PUB

“Seja onde for, vamos juntos.”

18 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com

WWW.KROFTOOLS.COM


ObservATÓRIO

CONCEITOS DE MOBILIDADE

PARCERIA GERMÂNICA...

E AUTÓNOMA

A PARCERIA ENTRE

BMW E DAIMLER

VISA DESENVOLVER

TECNOLOGIAS DE

CONDUÇÃO AUTÓNOMA

E/OU DE ASSISTÊNCIA AO

CONDUTOR, A APLICAR

NOS VEÍCULOS DE

PRODUÇÃO EM SÉRIE, EM

2024. A IDEIA É ACELERAR

A IMPLEMENTAÇÃO DOS

SISTEMAS E REDUZIR

CUSTOS

por Jorge Flores

Na iminência de um novo mundo,

nada como novas parcerias.

Inéditas. E estabelecidas entre

duas marcas que, apesar da mesma

nacionalidade, têm uma longa história

de competitividade. Como é o caso dos

Grupos BMW e Daimler. Ambos estão

prestes a dar as mãos para o desenvolvimento

conjunto de tecnologias de

condução autónoma e/ou assistência

ao condutor. O objetivo? Acelerar o

ritmo de implementação destes sistemas.

E reduzir custos nas duas marcas

alemãs, como não poderia deixar de

ser, sobretudo, nos tempos atuais.

Segundo o acordo, BMW e Daimler

comprometem-se a disponibilizar

1.200 funcionários para trabalharem,

em conjunto, nas tecnologias associadas

à condução autónoma, de modo

a aplicá-las nos veículos de produção

em série, já em 2024. Mas esta parceria

germânica poderá ser ainda alargada

a testes com modelos autónomos

em zonas urbanas.

Para já, nível 4!

O acordo deverá passar por diversas

fases. As tecnologias de condução autónoma

que as duas marcas pretendem

preparar, para já, são de nível 4.

Por outras palavras, o sistema permite

já que o condutor abdique das suas tarefas

ao volante, assumindo o veículo

o pleno controlo da situação, muito

embora esteja previsto que estas funções

sejam apenas ativadas em locais

delimitados ou quando as condições

assim o permitam.

Tanto a BMW como a Daimler asseguram

que os resultados da parceria

agora estabelecida não se encontram

“fechados”, abrindo, desta forma, a

porta a outros fabricantes que queiram

tirar partido destas tecnologias

sob licença de fornecimento. As duas

marcas trabalharão nas respetivas

bases centrais, quer no campus de

condução autónoma da BMW, perto

de Munique, quer nos centros de

Sindelfingen e de Immendingen, da

Daimler. Do trabalho conjunto, deverão

surgir novas arquiteturas para

sistemas de assistência, como, por

exemplo, sensores e unidades de controlo

e de análise mais avançados do

que os atuais. l

20 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


empresas

EM OUTUBRO, NA EQUIP AUTO, EM PARIS, A VENEPORTE

REVELARÁ UMA NOVA GAMA DE PRODUTOS. E SERÁ O

PRIMEIRO FABRICANTE DA EUROPA A LANÇAR OS SCRs


VENEPORTE

PREPARAR O FUTURO

A VENEPORTE REFORÇOU A ORGANIZAÇÃO E A FUNCIONALIDADE DAS SUAS INSTALAÇÕES. EM OUTUBRO,

LANÇARÁ A NOVA GAMA DE PRODUTOS SCR. ABÍLIO CARDOSO, CEO DA EMPRESA, ANUNCIOU AINDA

MUDANÇAS ESTRUTURAIS NA FÁBRICA, PARA OS PRÓXIMOS TRÊS ANOS, DE MODO A TORNÁ-LA MAIS

EFICIENTE NO FUTURO por Jorge Flores

Organização e funcionalidade. O Jornal das

Oficinas visitou as instalações da Veneporte,

em Águeda, a poucos dias da conclusão

dos trabalhos de remodelação. E estas são as duas

qualidades que mais ficaram na retina. O espaço

ganhou maior dinamismo e uma interatividade

ímpar entre as áreas administrativas e comercial,

bem como com o bloco técnico. Com a criação de

um novo (e amplo) corredor, é agora possível ver-

-se, em profundidade, todas as salas, separadas por

superfícies vidradas. A sensação é de grandeza e de

comunicação total.

Abílio Cardoso, CEO da Veneporte, reconheceu

que existia “um grave problema de espaço e funcionalidade”

entre os dois blocos. “Comunicavam

através de uma passagem interior da fábrica, mas

a interação não era funcional”, explicou. “Já era um

projeto antigo. Sempre privilegiámos a estabilidade

e o equilíbrio financeiro da empresa, mas estava

a tornar-se impossível. O sentimento de todos é

muito positivo”, reforçou. A inauguração oficial da

“nova” casa ocorrerá em setembro, mês em que a

empresa comemorará 53 anos de existência. Nessa

altura, terão já sido concluídas as obras na (mega)

sala de formação, na zona de testes e num pequeno

ginásio que ficará disponível para os cerca de 175

funcionários. “Melhorámos as condições de trabalho

dos nossos colaboradores. Sentimos, da parte

deles, uma imensa satisfação pelas novas instalações

e pelas condições que lhes estão associadas”,

acrescentou Abílio Cardoso.

Crescer... com rentabilidade

A Veneporte tem mantido sempre bons níveis

de crescimento. Mas, “mais importante do

que crescer”, sublinhou o responsável, “é a nossa

rentabilidade”, frisou. Há nove anos, a empresa

deu início ao desenvolvimento da parte quente do

sistema de escape (catalisadores e filtros de partí-

culas). “Hoje, é uma parte importante da empresa.

Não em termos de valor absoluto, mas sobretudo

em termos técnicos e de inovação, e a aproximar-

-se até da parte tradicional: parte fria. Esta área de

negócio tem cada vez maiores exigências técnicas e

tecnológicas, obrigando a inovação constante.

O dinamismo da empresa comprova-se pelas propostas

que se prepara para dar a conhecer ao mercado.

“Vamos lançar, na Equip Auto 2019, em

VENEPORTE

CEO Abílio Cardoso

Sede Rua Jesse Almeida, 412, 3750 - 066

Vale Grande (Águeda)

Telefone 234 660 370

Email geral@veneporte.pt

Site www.veneporte.pt

Paris, uma nova gama de produtos. Seremos os

primeiros fabricantes da Europa a lançar, de forma

significativa, os SCRs, um produto para veículos

Euro 6 na gama aftermarket. Já saíram em termos

de OEM, mas no IAM ainda existe uma enorme

lacuna”, disse o CEO.

A empresa encontra-se, inclusivamente, nomeada

para o prémio “Inovação” desta feira internacional,

num restrito grupo de cinco empresa de IAM. “Significa

que a Veneporte não tem a lógica de ir atrás

daquilo que acontece no mercado. Antes preocupa-se

e posiciona-se como referência”, afirmou.

Otimização da fábrica

Com os olhos colocados no futuro, Abílio Cardoso

não hesitou em revelar os planos para os próximos

anos. Além da renovação do espaço, a apresentar

em setembro, do novo site, quase concluído, do

lançamento da gama de SCRs, em outubro, e do

reforço da parte quente do sistema de escape, já

em curso, o CEO da Veneporte quer ir ainda mais

longe. “Vamos iniciar uma análise profunda das

nossas preocupações de futuro. Até porque admitimos

que, nos próximos 20 anos, o nosso negócio

possa ter algumas ameaças. Queremos deixar a

empresa, tanto quanto possível, preparada para o

futuro. Temos, também, preocupações sociais”, explicou.

“A próxima aposta passará pela reorganização industrial.

Vamos ter uma mudança muito grande de

organização, através da implementação de práticas

de referência na parte produtiva. As mudanças e

melhorias são contínuas, mas temos um projeto

muito claro e bem desenhado para reforçar a nossa

eficiência produtiva”, assegurou Abílio Cardoso.

Os trabalhos na fábrica começarão no final de

2019 e deverão estender-se por um período de dois

anos e meio a três. l

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 23


É NOTÓRIA A MOTIVAÇÃO

ENTRE TODOS OS INTERVENIENTES

DO PROJETO TOPCAR


ENTREVISTA

ISABEL BASTO,

DIRETORA EXECUTIVA DE AFTERMARKET

LIGEIROS DO GRUPO NORS

O CONCEITO TOPCAR NASCEU EM

OUTUBRO DE 2011. E, DE FORMA

SUSTENTÁVEL, FOI ANGARIANDO NOVOS

ADERENTES, TENDO A REDE CRESCIDO

PARA UMA PRESENÇA NACIONAL. EM

ENTREVISTA AO JORNAL DAS OFICINAS,

ISABEL BASTO, DIRETORA EXECUTIVA

DE AFTERMARKET LIGEIROS

DO GRUPO NORS, FAZ UM BALANÇO DO

DESEMPENHO DA REDE por João Vieira

A base do conceito da rede TOPCAR consiste num “abandeiramento”

da oficina, sendo permitida a utilização da marca

pelo proprietário e o usufruto de um conjunto de soluções estratégicas

para o seu negócio. Este conceito foi testado com

resultados comprovados a nível mundial, em vários países e

continentes. Atualmente, a rede é composta por 82 oficinas

estrategicamente distribuídas pelo país de norte a sul, conseguindo

uma cobertura a nível nacional. Brevemente, irão integrar

a rede mais quatro oficinas.

Quais os aspetos diferenciadores da rede TOPCAR?

A rede TOPCAR diferencia-se no mercado por desenvolver,

com o mesmo peso, as valências de mecânica (serviços rápidos,

diagnóstico, eletricidade, climatização, mecânica geral)

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 25


ISABEL BASTO

ESTE ANO, ARRANCOU COM MAIS UMA FASE DE CERTIFICAÇÃO DA

REDE. NESTE MOMENTO, A TOPCAR JÁ DISPÕE DE METADE DAS

OFICINAS CERTIFICADAS. ATÉ 2020, DEVERÃO ESTAR TODAS

e colisão (pintura, reparação), permitindo

aos parceiros trabalhar uma

valência ou ambas.

Quais os principais benefícios

e mais-valias que uma oficina

independente pode ter ao aderir à

rede TOPCAR?

A TOPCAR tem quatro pilares essenciais

que definem as várias soluções

que faculta às oficinas. Uma

delas, é a formação, em que é disponibilizado

às oficinas um plano completo,

atualizado anualmente, que é

transversal a toda a estrutura, desde

o gestor ao rececionista, como, também,

ao produtivo, seja qual for a sua

especialização (mecânica ou colisão).

Outra solução da rede é o apoio técnico

via call center e acesso a uma

plataforma com uma base de dados

de avarias registadas a nível ibérico.

E, também, o acesso à imagem moderna

e atrativa da marca, comunicada

através de um plano de marketing

aplicado à realidade local de cada oficina.

O conceito de rede, para além

das soluções que o caracterizam, vai

sempre dinamizar o espírito de entreajuda

e de apoio entre os vários

intervenientes que se gera. É notória

a motivação entre todos os intervenientes

do projeto, para que a rede

seja cada vez mais forte e homogénea,

através da partilha de know-how

técnico e experiência de mercado.

Quais os principais serviços

prestados pelas oficinas da rede

TOPCAR?

Existe um leque alargado de serviços

associados às valências de mecânica

e colisão. Para o cliente, isso constitui

uma vantagem significativa, porque

a oficina abrange um vasto nível

de serviços num só local.

E no que toca às novas tecnologias,

que importância têm elas para a

rede TOPCAR e o que está a ser

feito neste domínio?

A rede de oficinas multimarca TOP-

CAR está a preparar-se para os desafios

do marketing digital, reforçando

as funcionalidades do site da marca,

a ser disponibilizado nos próximos

meses, e aumentando a comunicação

nas redes sociais, como o Facebook e

o LinkedIn. Privilegiando estes canais

de comunicação, conseguimos

aproximar-nos do cliente final, que é

cada vez mais digital, pois vamos ao

encontro deste com conteúdos úteis

ao seu dia a dia.

Que ações de marketing e

publicidade têm desenvolvido

para promover as oficinas junto do

consumidor final?

A TOPCAR tem um plano de marketing

definido para o ano corrente.

Neste, temos sempre definidas

duas ações promocionais. Uma delas

já realizada e outra, atualmente,

em vigor. A campanha agora em vigor

promove uma revisão simples a

€99, com oferta de um check-up a 20

pontos de segurança. Para além das

ações promocionais, estamos presentes

em vários eventos a nível local

e realizamos, também, ações de

marketing relacional, onde desenvolvemos

a notoriedade da marca

junto do consumidor final.

26 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


A rede está a prestar serviços a

empresas com frotas de veículos?

Neste momento, a rede dispõe de várias

parcerias, seja com grandes gestoras

de frota a nível nacional, como

com várias seguradoras, que são uma

base alargada para prospeção de novos

clientes, onde a oficina passa a

estar visível e onde podem gerar-se

oportunidades de negócio.

Qual o ponto de situação da solução

G-Connect?

O G-Connect está ser testado no

país vizinho, tendo sido escolhido

esse mercado para iniciar a utilização

desta solução. O objetivo do

G-Connect é dar informação live,

de forma tripartida, ao utilizador da

viatura, à oficina e à gestora de frota,

de forma a garantir uma abordagem

de manutenção preventiva e a

partilha de mais informação às três

entidades.

E a implementação do novo software

informático SAP S/4Hanna, quais

as mais-valias que trouxe para a

empresa e clientes?

A implementação do SAP S/4Hanna

faz parte do projeto de transformação

digital do Grupo Nors. O aftermarket

ligeiros foi a área por onde se iniciou

este projeto. A mais-valia da implementação

de uma solução do género

é a fiabilidade de dados e a robustez

característica deste tipo de solução.

Conseguimos melhorar a capacidade

de integração com outras plataformas

e disponibilizar informação de gestão

fidedigna internamente, o que melhora

a nossa capacidade de gestão e serviço

para os nossos clientes.

Em 2017, iniciaram o processo

de certificação das oficinas de

colisão através do Centro Zaragoza.

Quantas oficinas foram certificadas

até à data e quais as vantagens

que a certificação trouxe a essas

oficinas?

Para além de melhorar a rentabilidade

e os processos internos das oficinas,

a certificação do Centro Zaragoza

requer a implementação de

mecanismos de controlo de qualidade,

evidenciando, assim, o compromisso

das oficinas com os serviços

prestados aos seus clientes. Este ano,

arrancou com mais uma fase de certificação,

sendo que, neste momento,

já dispomos de metade da rede certificada

ou em fase de certificação.

Quais as valências em que as

oficinas são certificadas?

Dentro da rede TOPCAR, as oficinas

são certificadas na valência de colisão

e estão em processo de certificação

da valência de mecânica (projeto

pioneiro em Portugal). O objetivo de

certificação de toda a rede será cumprido

até 2020.

O que tem sido feito a nível da

formação para as oficinas TOPCAR?

A TOPCAR ministra às suas oficinas,

todos os anos, um plano de formação

devidamente estruturado e calendarizado.

Os temas de formação acompanham

as necessidades da rede de

oficinas e são sempre ajustados à

evolução do mercado.

Por exemplo, no primeiro trimestre

deste ano, a rede TOPCAR iniciou a

formação em veículos híbridos e elétricos

para as oficinas com a valência

de mecânica. Desta forma, a rede

TOPCAR está, agora, devidamente

capacitada para fazer manutenção

preventiva e corretiva nesta tipologia

de veículos.

Este ano, voltaram a realizar a Gala

EuroPremium. Qual a importância

desta cerimónia para a rede, no

geral, e para os vencedores, em

particular?

Para os vencedores, estes prémios representam

uma honra e um privilégio.

Para a TOPCAR, constitui uma

forma de distinguirmos as oficinas

pelo trabalho realizado ao longo do

ano.

Que desafios se colocam ao futuro

da rede TOPCAR?

O que identificamos como os maiores

desafios são questões como mobilidade,

telemática, veículos elétricos

e/ou autónomos, entre outros. Estes,

reforçam a importância de formação

adequada para o novo parque automóvel

e, também, para os “novos

clientes”. A questão da mobilidade,

por exemplo, vai alterar o papel do

decisor na escolha da oficina. Logo,

é importante que as oficinas se adaptem

a esta realidade com novos recursos

e serviços. l

“SEMPRE QUISEMOS

ESTAR ASSOCIADOS

A UMA ENTIDADE

QUE DEFENDESSE O

PÓS-VENDA AUTOMÓVEL

INDEPENDENTE

EM PORTUGAL”

Recentemente, a rede TOPCAR aderiu à

Comissão de Mobilidade da DPAI, com o

objetivo de fazer parte de um grupo de

trabalho que contribuísse com projetos com

vista à criação de soluções para problemas

das oficinas independentes. Para Isabel Basto,

esta foi uma decisão lógica, atendendo aos

princípios que norteiam o posicionamento

da rede TOPCAR no mercado: “Sempre

quisemos estar associados a uma entidade

que defendesse o pós-venda automóvel

independente em Portugal. Neste caso,

a ACAP, quer pela sua capacidade de

representar a globalidade do setor junto

de interlocutores estratégicos, quer pela

informação de gestão estratégica que

disponibiliza ao mercado. Além disso, a nível

nacional, a ACAP é a única associação filiada

à FIGIEFA, a federação que representa o

IAM a nível europeu, onde são, atualmente,

debatidos temas de futuro para as oficinas,

como a conectividade automóvel e a

telemática”, disse.

Como principais prioridades da comissão,

Isabel Basto destaca os projetos relacionados

com a formação das oficinas, com enfoque

nos seus recursos, e a qualificação do setor,

sempre com uma base de transparência e

legalidade. “Dar as mesmas oportunidades

às oficinas independentes do que as oficinas

que representam as marcas têm, de modo

a concorrerem de forma justa, deve ser a

grande prioridade das diversas entidades que

regulam o setor”, alertou Isabel Basto.

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 27


EM FOCO

COMISSÃO ESPECIALIZADA DE SERVIÇOS

DE MOBILIDADE DA DPAI/ACAP

EM DEFESA

DAS OFICINAS

Constituída em setembro de 2016, ou

seja, há quase três anos, a Comissão

Especializada de Serviços de Mobilidade

da DPAI/ACAP conta, atualmente,

com 10 membros. Maioritariamente,

representam redes

organizadas mas, também, contemplam oficinas

independentes não integradas em redes. A comissão

está totalmente disponível para integrar novos

membros que possam contribuir, de forma proativa,

nos projetos em curso.

A comissão surge no seio da Divisão do Pós Venda

Automóvel Independente da DPAI/ACAP, que, para

além de representar fabricantes, distribuidores

e retalhistas de peças e pneus, passou, também, a

representar as oficinas de manutenção e reparação

automóvel. Considerou-se fundamental integrar

esta comissão especializada, sendo as empresas

que a representam uma parte importante do pós-

-venda automóvel e que, por sua vez, tem contacto

direto e diário com o consumidor. Desta forma, a

DPAI completa o ciclo com todos os canais do pós

venda-representados.

Os objetivos da comissão (ver caixa, nestas páginas)

são transversais e partilhados entre todas as

que compõem a DPAI/ACAP. Tendo todos os canais

representados por comissões especializadas

e com especificidades, no global, consegue-se ter

uma visão abrangente e completa de todas as temáticas

que interessam e têm impacto no setor.

No fim, estão todos a trabalhar para um objetivo

comum. É importante ouvir o mercado e perceber

quais as maiores dificuldades das redes de oficinas

e das oficinas independentes, trabalhando no sen-

NUMA PRIMEIRA FASE,

A COMISSÃO ESPECIALIZADA

DE SERVIÇOS DE MOBILIDADE

DA DPAI/ACAP ABRIU ESPAÇO

PARA UMA IMPORTANTE

REFLEXÃO, QUE RESULTOU

NA DEFINIÇÃO DE METAS

E PRIORIDADES NO PLANO

DE TRABALHO A DESENVOLVER.

ATUALMENTE, VÁRIOS PROJETOS

ESTÃO A SER CONCRETIZADOS

E OUTROS VÊM A CAMINHO

por João Vieira

tido de encontrar soluções para as mesmas. Estando

próxima das oficinas e das dificuldades que

estas identificam no seu dia a dia, a Comissão Especializada

de Serviços de Mobilidade pode definir

como temas de ação áreas de valor para as oficinas

e conseguir um maior envolvimento das mesmas.

Relativamente ao futuro da reparação automóvel

e aos veículos comunicantes, que estão em ligação

direta com as marcas, a comissão acompanha as

negociações e este processo legislativo em Bruxelas,

através da FIGIEFA, federação europeia onde

a DPAI está filiada e na qual integra a direção.

Tem, por isso, acesso privilegiado a informação e

possibilidade de influenciar a legislação, para que

esta fique disponível para todos.

Comunicar é fundamental

Para dar maior visibilidade ao pós-venda independente,

divulgar a qualidade dos seus serviços

e produtos, demonstrar o seu posicionamento de

credibilidade e qualificação e ser interlocutor reconhecido

para influenciar as decisões com impacto

no futuro deste negócio, a comissão tem uma

estratégia de comunicação bem planeada, que passa

por diversos canais: newsletter mensal; website

próprio (https://dpai.acap.pt/pt/home); redes

sociais; artigos e entrevistas em meios de comunicação

da especialidade. A comissão tem, também,

participado em salões e eventos do setor (a

expoMECÂNICA é um dos exemplos). Com estas

ações, pretende comunicar com o mercado em geral

(consumidores, parceiros de negócio, decisores

políticos, órgãos de comunicação social) e estimular

outras empresas a participar, ativamente, na

construção de um pós-venda independente mais

forte e competitivo.

Gestão de conflitos

A manutenção dos veículos em período de garantia

nas oficinas independentes ainda levanta muitas

dúvidas aos automobilistas e às próprias oficinas.

Por isso, a Comissão Especializada de Serviços de

Mobilidade está a promover uma formação subordinada

ao tema “Gestão de Conflitos em Garantia”,

que tem como objetivo preparar as redes de oficinas

e as oficinas independentes para lidar com automobilistas

proprietários de viaturas em garantia

de marca e, ao mesmo tempo, dar-lhes acesso

a mais informação sobre legislação e procedimentos,

para melhor saberem defender-se em relação

aos conflitos que possam surgir no contacto com a

marca. Já foi realizada uma sessão, em Lisboa, que

teve grande afluência, e até final deste ano serão

realizadas mais ações, estando previstas, também,

para o Porto.

28 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


DPAI/ACAP

Vanessa Barros, gestora de marketing AS Parts (à esquerda), Raquel Marinho, responsável da Rede Bosch Car Service Portugal, e António Costa, gerente da Auto

Furtado, foram os membros da Comissão Especializada de Serviços de Mobilidade da DPAI/ACAP entrevistados pelo Jornal das Oficinas

Concorrência desleal

A comissão desenvolveu uma análise

sobre os efeitos da concorrência desleal

associado a um projeto que visa

a transformação desta realidade. Para

a comissão, a concorrência desleal

continua a ser um problema, não só

das oficinas clandestinas mas, também,

de muitas oficinas legalmente

constituídas, porque é do seu entendimento

que a concorrência desleal

é bastante abrangente e incorpora

todos os atos que vão contra as normas

estabelecidas e reguladas para o

A COMISSÃO PRETENDE ESTIMULAR OUTRAS EMPRESAS

A PARTICIPAR, ATIVAMENTE, NA CONSTRUÇÃO DE UM PÓS-VENDA

INDEPENDENTE MAIS FORTE E COMPETITIVO

Apoio às oficinas

A comissão disponibiliza indicadores

de negócio para apoio à gestão estratégica

das empresas – Observatório

do Pós-venda Automóvel Independente;

Consultadoria – apoio jurídico,

informação fiscal, gestão ambiental,

entre outros; Formação específica

e Parcerias, com condições preferenciais

em parceiros. A qualificação do

setor é uma das principais prioridades.

E sendo a ACAP uma entidade

formadora certificada pela DGERT,

a DPAI foi pioneira na formação para

os profissionais do pós-venda automóvel,

em parceria com a Universidade

Nova – SBE, ao lançar o “Programa

Avançado de Gestão para o Pós-venda”.

A carga horária foi distribuída

para não prejudicar o funcionamento

das empresas de menor dimensão e

não é exigido aos participantes qualquer

formação superior.

OBJETIVOS DA COMISSÃO

especiALIZADA DE SERVIÇOS

DE MOBILIDADE DA DPAI/ACAP

l Assegurar a livre concorrência em condições

de equidade

l Promover as boas práticas

l Promover a qualificação do setor

l Promover a transparência e a confiança

no setor

l Aumentar e melhorar a notoriedade e reputação

do setor do pós-venda junto do consumidor final

l Promover o cumprimento dos direitos

do consumidor

l Combater a evasão fiscal

l Promover a proteção ambiental

setor, sejam estas, de carácter fiscal,

ambiental, técnico ou de direitos do

consumidor final.

A comissão tem estado a recolher

informação do mercado, por forma

a mensurar este flagelo e, também,

a trabalhar no sentido de propor a

melhoria e atualização dos programas

de oferta formativa do Quadro

Nacional da Qualificações, no sentido

de chamar a atenção aos futuros

profissionais deste setor para temas

importantes para a gestão de uma

oficina, como, por exemplo, os requisitos

legais deste negócio, os direitos

dos consumidores, os conflitos

em garantia, a gestão dos RH e

30 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


a gestão oficinal entre outros. A comissão

acredita, de resto, que, com

esta atualização formativa, conseguirá

sensibilizar também as entidades

competentes para a necessidade de

certos requisitos para a prática desta

profissão.

MEMBROS DA COMISSÃO

ESPECIALIZADA DE SERVIÇOS

DE MOBILIDADE DA DPAI/acaP

Mónica Alves – AutoCrew Portugal

António Costa – Auto Furtado

Raquel Marinho – Bosch Car Service Portugal

Pedro Cunha – Midas

Miguel Costa – Norauto

Falta de qualificação

A falta de pessoal habilitado, nomeadamente

bate chapas e pintores, está

a condicionar o desenvolvimento de

algumas oficinas. Para a comissão, o

problema não é só a falta de formação

na área mas, também, a baixa

atratividade como saída profissional

pelas camadas mais jovens. Um dos

motivos são os conteúdos dos programas

de formação associados a estas

áreas. Os programas deveriam ir

mais ao encontro dos formandos da

atualidade, que procuram ter funções

mais abrangentes, preferencialmente

com componente tecnológica associada.

Englobar técnicas e serviços mais

inovadores na formação e dar acesso

a novos produtos e soluções de pintura

disponíveis no mercado, tornaria

a formação mais atrativa. Além

da formação prática, seria possível

tornar a função mais robusta a acrescentar

conteúdos teóricos nos programas

como o tema da produtividade e

rentabilidade, aspeto fundamental e

bastante valorizado nas oficinas que

disponibilizam este serviço.

Patrícia Sénico – Roady

João Paulo Cruz – Precision

Vanessa Barros – TOPCAR

Rui Damas – Create Business

Pedro Monteiro - MCoutinho Peças

Certificação de oficinas

A comissão defende a certificação

das oficinas, um processo que aumentaria

o nível do serviço prestado

ao cliente e a credibilidade do setor.

Porque não, como já existe noutras

profissões com responsabilidades

acrescidas, atestar os profissionais

para cumprirem determinados requisitos

para o exercício da profissão

de mecânico/mecatrónico? Estamos

a falar que, inúmeras vezes, uma intervenção

num veículo tem um impacto

direto na segurança e na vida

dos clientes. Não podemos, de ânimo

leve, negligenciar este aspeto ao entregá-lo

nas mãos de alguém que tem

alguma habilidade para executar. É

de extrema importância o processo

de certificação das oficinas para dissipar

esta questão. Presentemente, a

comissão está a trabalhar num projeto

ambicioso com vista a valorizar as

oficinas que cumprem com parâmetros

que considera importantes para

a sua atividade e que tem um impacto

considerável para a sociedade. l

PUB


ENTREVISTA

NUNO GUERRA, ADMINISTRADOR DA POLIBATERIAS

BATERIAS

CARREGADAS

NUNO GUERRA, ADMINISTRADOR DA POLIBATERIAS, CONTINUA A VALORIZAR OS SEUS DISTRIBUIDORES.

ACREDITA QUE O FUTURO PRÓXIMO PASSARÁ PELAS BATERIAS AGM PARA VEÍCULOS HÍBRIDOS E EQUIPADOS

COM SISTEMAS START & STOP. NÃO TANTO PARA ELÉTRICOS. A FIAMM CONTINUA A SER A MARCA BANDEIRA DA

EMPRESA E A EUROCELL A SUA GAMA MAIS PROCURADA por Jorge Flores

Apaixonado pelas duas rodas, Nuno Guerra

andou muitos anos afastado deste mundo.

Trabalho, família, enfim, a vida, sempre a

reclamar outro tipo de equilíbrios. Recentemente,

o administrador da Polibaterias voltou a sentir a

liberdade do asfalto, viajando pelos picos da Europa

em cima da sua potente BMW. “É o meu escape,

uma forma de descontrair e de estar na vida”,

garante.

A Polibaterias nasceu em 1996, na altura com

uma abordagem ainda distinta no mercado, fazendo

os serviços de distribuição e reparação de

baterias. A importação veio mais tarde. Nuno

Guerra transitou da área das motos, a sua paixão

original, e abraçou o negócio, em parte, por

influência do pai, responsável, então, da Tudor,

“emblema” fundamental para o arranque da

empresa. Ganhou volume, expressão. Mas tudo

terminou, um dia.

A empresa, contudo, não perdeu o rumo. Apostou

numa marca própria, EUROCELL, uma

linha que combinava qualidade e preço e que

funcionava como uma garantia em relação às

incertezas que assolavam o mercado.

Em 2010, porém, a empresa estabeleceu uma

parceria com a marca italiana FIAMM, líder incontestável

do seu mercado, e fornecedora privilegiada

ao nível de equipamento original para

os principais construtores de automóveis:

Ferrari, Mercedes-Benz, Volvo, BMW, Renault,


SOU UM POUCO CÉTICO EM RELAÇÃO ao VEÍCULO ELÉTRICO. POR VÁRIAS

QUESTÕES. UMA DELAS, PASSA PELAS Baterias EM SI. DEPOIS, EXISTEM

PROBLEMAS AMBIENTAIS GRAVÍSSIMOS. A RECICLAGEM É UM DELES

Nissan, Toyota, Groupe PSA, Opel

e Fiat, entre outros. A importância

da marca que ocupa a terceira posição

entre os fabricantes europeus

de baterias de arranque (quarto

em termos mundiais) foi grande e

mudou, inclusivamente, a história

da Polibaterias.

Valorizar parceiros

“A FIAMM é a nossa principal

bandeira. Mas o nosso mercado

ainda procura muito o produto

económico, embora reconheça o

premium. Os intermediários, por

vezes, também querem ficar com

fatias muito largas das margens e

dificultam a vida dos premium. A

nossa marca acaba por ter uma expressão

maior”, diz Nuno Guerra.

Mas esse é um problema generalizado.

“É um facto inegável do nosso

mercado: as linhas económicas

têm maior expressão nas vendas.

Temos de viver com isso”, acrescenta.

E tentar potenciar, ao máximo,

a marca FIAMM. “Os preços que

praticamos em Portugal são bastantes

inferiores aos praticados na

tabela de Itália e no resto da Europa.

Foi uma opção comercial”, sublinha

Nuno Guerra.

O administrador continua, desde a

primeira hora, a valorizar os parceiros/distribuidores

da Polibaterias.

E não compete com eles, uma prática

comum no mercado. “Não tenho,

nem terei, essa postura. Não

a acho deontologicamente correta.

Vou continuar a manter o posicionamento

de cada distribuidor. Desde

que estes continuem a ter um

bom desempenho, a ser responsáveis

e a honrar o compromisso com

os nossos produtos e marcas. Enquanto

assim for, manteremos os

nossos parceiros. Só assim faz sentido”,

afirma. Além disso, segundo

explica, o negócio não se resume à

venda. “O pós-venda é o que faz as

marcas vingarem”, assegura.

Adaptação elétrica

A Polibaterias tem sabido adaptar-

-se aos tempos modernos e à transformação

da indústria automóvel,

nomeadamente, à crescente massificação

dos veículos elétricos e híbridos.

Nesse sentido, a empresa

dispõe já, em catálogo, de baterias

AGM para os motores a combustão

dos automóveis híbridos. Mas

não só. Nuno Guerra acredita que

esta revolução elétrica ainda levará

o seu tempo. “Quem está dentro do

mercado, sabe que os elétricos ainda

têm uma expressão exígua. Insignificante.

“Sou um pouco cético

em relação ao veículo elétrico. Por

várias questões. Uma delas, passa

pelas baterias em si, porque estas

têm um valor ainda muito elevado.

Todas as tecnologias que estão

a desenvolver, neste momento, têm

valores elevados”, diz. E esclarece:

“Logo à partida, as baterias têm

um custo de produção tremendo.

E há dois problemas ambientais

gravíssimos. As baterias de lítio,

comparadas com as de chumbo,

são capazes de ser 20 ou 30 vezes

superiores em termos de pegada

ambiental. E, depois, a reciclagem.

Neste momento, na Europa, há só

uma empresa, na Alemanha, a fazer

reciclagem de baterias de lítio.

Ou seja, todas as baterias que sejam

recolhidas, que sejam entregues,

terão de ir para a Alemanha.

O que está a acontecer nesta fase?

Não vão para lado nenhum. Estão

a ir para o lixo normal. Acabam

por ser recolhidas e vão para aterros.

Está a cometer-se um crime

ambiental enorme por causa das

baterias de lítio, mas as entidades

que deviam estar preocupadas com

isso não estão”, acusa.

Nuno Guerra exemplifica: “Se tivesse

uma bateria de lítio, teria de

enviá-la para a Alemanha. E, isso,

tem um custo enorme. O lítio é um

prejuízo que tem de ser assumido

pelo distribuidor que tem essas baterias”,

adianta. Para melhor ilustrar

o seu pensamento sobre os veículos

100% elétricos, Nuno Guerra

vai ainda mais longe: “Se todos os

veículos com motor de combustão

existentes fossem, agora, retirados

do mercado e ficássemos só com

elétricos, para já, nem havia produção

mundial de energia elétrica

suficiente para os alimentar”, sublinha

o responsável.

Outra questão a atentar é o valor

34 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


de uma bateria para este tipo de

modelos. “O veículo elétrico, quando

bate, aciona o sistema de corte

da bateria. A bateria cai, desliga-se

e corta os cabos. Aquilo tem de ser

automaticamente substituído. O

orçamento anda entre 20 e 22 mil

euros de bateria para um BMW i3,

por exemplo, como o caso daquele

modelo que andou em exposição

pelo país inteiro, a dar conta do que

sucedeu. O veículo tinha oito ou nove

meses. A seguradora, pura e simplesmente,

não cobrou, porque a

avaria foi só um impacto. Por acaso,

essa seguradora já tinha salvaguardado

isso nos seus contratos. O dono

ficou sem o veículo ao fim de tão

pouco tempo”, relata.

Estratégia consolidada

Para Nuno Guerra, a estratégia para

manter a posição consolidada, entre

os principais distribuidores de baterias

nacionais, está estabelecida

há muitos anos. “Vamos continuar

a manter como nossos parceiros as

casas de peças, os distribuidores de

baterias. Vamos continuar a abrir

mais contas, mais clientes. Paralelamente,

temos o projeto da rede

+Baterias, que, a breve prazo, abrirá

mais uma loja. Vamos tentar passar

pela exportação”, revela. Além disso,

“estamos há um ano a apostar, também,

na área industrial”. E concretiza:

“Temos uma importação nova

na área industrial com a representação

da marca OUTDO, fabricada

pela Huawei. E estamos, também, a

apostar nessa área nas baterias para

os veículos elétricos, cadeiras de rodas

e sistemas fotovoltaicos. Temos

uma linha muito abrangente de bateria

de tração, um stock razoável

desses produtos”, diz. “Na área de

baterias de arranque, já temos tudo

que é produto e, portanto, vamos

manter”, refere.

Área onde a empresa não tem sido

tão forte é a industrial. Mas haverá

um reforço na oferta. “A perspetiva

é termos sempre produtos para os

clientes. Gosto de dizer que até os

importadores das outras marcas nos

consultam, por vezes, e vêm aqui

buscar produtos que não têm nos

próprios catálogos”, revela. No fundo,

“é termos sempre aquele produto

que mais ninguém tem e diferenciarmo-nos

por aí”, avança. O apoio

técnico é outra área fundamental

para Nuno Guerra. A empresa acaba

de traduzir para português o manual

da FIAMM. Uma ferramenta

de trabalho de extrema utilidade

para os profissionais da área. Além

disso, em outubro, a Polibaterias

levará ainda a cabo uma formação

para clientes, com especialistas da

própria marca italiana. O foco estará

nas baterias AGM para híbridos

e sistemas start & stop. “O futuro”,

defende o responsável, “passará,

certamente, por aí”.

Em casa de ferreiro...

Profundo conhecedor do universo

das baterias, nas suas mais variadas

formas, desde automóveis, a motos

e camiões, Nuno Guerra reconhece

que, também ele, já ficou apeado

por falta de... bateria. “Em casa de

ferreiro, espeto de pau”, brinca. O

episódio aconteceu há já uns anos,

quando saiu a primeira geração do

Kia Sorento, na época o seu automóvel

de família. “Estávamos no

Fórum Almada e, quando chegámos

ao carro, ele estava, pura e simplesmente,

morto. Não dava nada.

Era uma bateria selada, de chumbo-cálcio.

Interromperam-se as ligações

entre os elementos da bateria...

e não mais pegou”, conta. Eram

já 23h. Mas teria um profissional do

ramo, como Nuno Guerra, levado

os cabos? Ou um booster? “Nada.

Não tinha nada. Vendia esses produtos

todos e não tinha nenhum”,

reconhece. Ainda ligou ao pai para

pedir auxílio. E este prontificou-se

a ligar os cabos ao seu jipe. “Mas a

capacidade da sua bateria (100 Ah)

nada conseguiu. Tive de lá deixar o

carro e ir apanhá-lo no dia seguinte”.

Acontece aos melhores... especialistas.

l

EM OUTUBRO, A POLIBatERIAS PROPORCIONARÁ UMA FORMAÇÃO

COM A FIAMM PARA CLIENTES. O FOCO ESTARÁ NAS BatERIAS agm

PARA VEÍCULOS HÍBRIDOS E SISTEMAS START & STOP


Oficina

do Mês

A OFICINA DO MÊS É PATROCINADA POR TOTAL ROC (RAPID OIL CHANGE)

AUTO FRANCAR

CORES NÍTIDAS

NASCIDA EM 1992, EM LOURES, A AUTO FRANCAR É UMA OFICINA ESPECIALIZADA

EM REPINTURA AUTOMÓVEL, EMBORA ASSEGURE TODO O TIPO DE REPARAÇÕES.

HÁ DOIS ANOS, A EMPRESA TORNOU-SE PARCEIRA DA CROMAX por Jorge Flores

Fundada há 27 anos, a Auto

Francar é uma oficina especializada

em serviços de pintura,

bate-chapa e reparação automóvel.

Situada na região de Loures, a empresa,

liderada por António Saiote, dispõe

de uma estufa própria e de uma

equipa bastante experiente, de cinco

elementos (mais uma responsável da

secretaria), naquela que é área mais

procurada pelos clientes. Mas a Auto

Francar assegura uma variedade

de serviços, além da sua especialidade,

através da subcontratação, como,

por exemplo, os relacionados com a

parte elétrica: montagem e reparação

de alarmes, autorrádios, sistemas de

som e iluminação; ar condicionado e

climatização (manutenção e reparação);

sistemas de navegação, park

pilot (sensores de parqueamento) e

montagem de sistemas de localização

de veículos por GPS – GPRS.

Além dos serviços rápidos (sem marcação),

suspensões, travões (com teste

em banco de ensaios) e preparação

para as Inspeções Técnicas de Veículos

(ITV). A oficina é parceira da

Cromax há dois anos, depois de uma

longa relação com outra marca. “Estamos

muito contentes com a relação.

Os produtos têm muita qualidade

e grande aceitação da parte dos

clientes”, afirma.

AUTO FRANCAR

Gerente António Saiote

mORADA Estrada Nacional 8, 157,

Pav. A/B, 2670 - 415 Loures

Telefone 219 831 254

Email autofrancar.ac@gmail.com

Site www.autofrancar.pt

Área complexa

António Saiote não tem dúvidas das

dificuldades da área de especialização

da oficina. “Com os novos vernizes

coloridos (e as novas cores, em

geral), os serviços são sempre complexos.

Obrigam a uma atenção redobrada

e a uma formação permanente.

Qualquer erro que possamos

cometer, durante o trabalho, obrigar-nos-á

a refazê-lo. E, isso, quase

sempre significa o mesmo do que

fazer o serviço gratuitamente. Não

haverá lucro”, explica. A carteira de

clientes da Auto Francar é composta

por 60% de particulares e 40% de

empresas. Entre estes últimos, encontram-se

muitas companhias de

seguros.

Manter o rumo

Segundo António Saiote, o negócio

da repintura automóvel encontra-se

estável. Já teve melhores e piores períodos.

“Mas não nos podemos queixar”,

acrescenta. O gerente da Auto

Francar garante que já teve propostas

para aderir a uma rede de oficinas,

mas optou sempre por manter a

sua independência. E quanto ao futuro,

é categórico. “Gostava de manter

o negócio, como está, atualmente,

nos próximos anos. Não pedia mais”,

adianta. l

DEPOIS DE UMA LONGA RELAÇÃO COM OUTRA MARCA, A AUTO

FRANCAR TORNOU-SE PARCEIRA DA CROMAX HÁ DOIS ANOS

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 37


NOTÍCIAS // DINÂMICA DO SETOR ESCREVE-SE DE A A Z

Empresas

SPINERG

REGATA COM CLIENTES

No passado mês de junho, a Spinerg levou a cabo a Regata SPINERG

ENERGY WAVES com clientes e outros parceiros. A regata, de oito

barcos, em pleno rio Tejo, teve a coordenação da BMW Sailing Academy,

numa tarde repleta de emoção e adrenalina, onde valores importantes

como o trabalho de equipa, a liderança, a responsabilidade e a boa disposição

foram as tónicas dominantes. O objetivo deste evento foi demonstrar

que, tal como as parcerias que a Spinerg estabelece, qualquer desafio pode

ser superado. Porque, “Juntos, tudo é possível!” E assim foi.

38 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


AUTO POP É NOVO MEMBRO

grupo Trustauto | A organização liderada por Ricardo Ribeiro continua

a expandir-se. Desta vez, chegou à Madeira. A empresa C. Correia & Filhos, mais

conhecida pela Auto Pop, dispensa apresentações. Com uma história no mercado

independente que remonta a 1973, a Auto Pop é sinónimo de credibilidade,

prestígio e, acima de tudo, de saber fazer. Não é por acaso que a Auto Pop

ostenta, desde há vários anos ininterruptamente, o estatuto de PME Excelência.

Com o passar dos anos, surgem novos desafios. E, com eles, a nova geração da

família Correia vem impondo dinâmicas de inovação que, agora, ficam ainda

mais reforçadas no contexto TRUSTAUTO. De referir que a Auto Pop dispõe de três

unidades de venda na ilha da Madeira.

OLIPES

DEPARTAMENTO

DE EXPORTAÇÃO REFORÇADO

Sandra Labarta passou a integrar o departamento de exportação da Olipes, tendo

a missão de reforçar e desenvolver a expansão da empresa no mercado exterior.

A seu cargo, terá a gestão das relações comerciais internacionais, seguindo

as diretrizes estabelecidas no plano de expansão que o fabricante espanhol de massas

e lubrificantes iniciou no ano passado. Sandra Labarta é formada em Ciências Empresariais

pela Universidade de Saragoça, conta com um bachalerato em Commercial

Economics pela HZ University of Applied Sciences nos Países Baixos e, atualmente,

está a frequentar um EMBA na EAE Business School, em Madrid.

PUB


Notícias

empresas

FM EQUIPAMENTOS

AÇÃO DE FORMAÇÃO PASSTHRU

O

Distribuidor

de soluções de diagnóstico Hella Gutmann realizou, recentemente,

uma ação de formação para clientes, que versou sobre o PassThru. A

formação decorreu nas instalações da Oficina Auto Espírito Santo, de Paulo

Espírito Santo, em Sintra, tendo contado com a presença de 15 clientes da FM Equipamentos,

proprietários de aparelhos de diagnóstico da Hella Gutmann. O objetivo

foi explicar o modo de funcionamento do PassThru através dos equipamentos

da marca. Para o efeito, foi utilizada uma viatura de demonstração (Toyota Auris

Hybrid) e a solução autónoma da marca, o mega macs PC x Change, para além dos

aparelhos mega macs 66, 56, 42 SE e mega macs PC.

AUTO DELta DINAMIZA REDE

cga car service | Depois de Coimbra e Canas de Senhorim, a maior rede

oficinal da Península Ibérica chegou a Vila Nova de Gaia pela mão da Auto Delta e

do seu parceiro Rui & Sousa. A Almóribeiro Unipessoal, Lda. é, desde 19 de julho,

CGA Car Service. Esta adição surge pela mão da Rui & Sousa, parceiro de longa data

da Auto Delta em Vila Nova de Gaia, que tem desenvolvido um trabalho muito

interessante na zona do Grande Porto.

NelsonTripa_IIaaa.pdf 1 19/07/2019 16:16

Visite-nos no Facebook

SOLUÇÕES EM A/C AUTO

E REFRIGERAÇÃO DE TRANSPORTE

CURSO SOBRE VEÍCULOS ELÉTRICOS

RecOficial | A rede ibérica de oficinas multimarca promoveu, em Portugal, o

seu 1.º Curso de Manutenção e Reparação de Veículos 100% Elétricos. Durante o mês

de julho, nas instalações da Scame (Maia) e da Atlantic Parts (Sintra), as oficinas

aderentes à rede RecOficial e potenciais aderentes tiveram a oportunidade de,

durante 16h, obter conhecimento profundo acerca de como trabalhar num veículo

100% elétrico. A rede RecOficial em Portugal almeja ser a referência multimarca no

que à qualidade das formações e apoio técnico diz respeito.

C

M

Y

CM

MY

CAMPANHA DE VERÃO ECOTECHNICS

PCC | Chegou a época mais quente do ano e a PCC lançou uma campanha de verão

que abrange as estações de ar condicionado ECOTECHNICS ECK1800 (gás R134A) e

ECOTECHNICS ECK 1800 HFO (gás 1234YF). São estas as estações de ar condicionado

da ECOTECHNICS que se encontram ao abrigo da campanha de verão. Mais uma

oportunidade única para se adquirir um equipamento de qualidade ao melhor

preço. Para mais informações, consultar a PCC, no site ou através do email geral@

pcc-lda.pt.

CY

CMY

K

PUB

Rua Fernando Vicente - Armazém 15 - 2560-677 Torres Vedras

Telefone: +351 261 335 050 - E-mail: geral@nelsontripa.pt

Coordenadas GPS - Latitude 39º5'42.83"N - Longitude 9º15'7,74"W


NOVO WEBSITE COM MAIORES FUNCIONALIDADES

SACHS | A ZF Aftermarket lançou um novo website para a marca SACHS, com nova imagem

e maiores funcionalidades, com o objetivo de facilitar o acesso a toda a informação importante

para os clientes da marca. O novo website mantém informação relevante, conselhos úteis para

oficinas, informação técnica, informação sobre a marca SACHS e todos os seus produtos. Uma das

novidades é um novo menu de acesso rápido ao catálogo interativo e ao formulário de contacto. O

novo catálogo online permite encontrar qualquer produto SACHS através de uma pesquisa rápida

por fabricante, modelo e tipo de motor do veículo. A equipa da ZF Aftermarket também criou um

formulário para contactar o Serviço de Atendimento ao Cliente com dúvidas e questões sobre os

produtos SACHS. Para descobrir mais sobre o novo website da SACHS, visitar www.sachs.pt.

MF PINTO COMEMORA 15 ANOS DE EXISTÊNCIA

NO PASSADO DIA 1 DE JUNHO, A

MF PINTO CELEBROU 15 ANOS DE

EXISTÊNCIA. FOI, DE FACTO, A 1 DE

JUNHO DE 2004 QUE ESTE PROJETO

AVANÇOU. HOJE, A MF PINTO TORNOU-

SE NUMA EMPRESA DE REFERÊNCIA NO

AFTERMARKET NACIONAL EM VÁRIAS

ÁREAS, COM PARTICULAR DESTAQUE

PARA OS SISTEMAS DE INJEÇÃO DIESEL

E TURBOCOMPRESSORES. NESTE

MOMENTO, A EMPRESA CONTA COM MAIS

DE 30 COLABORADORES, DISTRIBUÍDOS

ENTRE LISBOA E A MAIA.

Polibaterias_top100.pdf 1 13/11/18 15:47

PUB

TUDO EM ENERGIA, ENERGIA PARA TUDO


Notícias

empresas

AMPLA COBERTURA EM VEÍCULOS asiÁTICOS

Bosch | O peso das marcas asiáticas, principalmente japonesas e sul-coreanas, cresceu

significativamente. Como exemplo, refira-se que o Toyota Corolla é, atualmente, o modelo mais

vendido no mundo. A Bosch tem uma ampla gama de produtos, equipamentos e serviços de

oficina, incluindo tudo o que é necessário para manutenção e reparação de todos os tipos de

veículos, seja qual for a sua origem. Assim, a cobertura de produtos e serviços da Bosch em

veículos asiáticos é, hoje, muito alta, seja para peças de reposição consideradas mais comerciais

ou para sistemas mais técnicos. Por exemplo, as velas de ignição Bosch atingem uma cobertura

próxima de 95% das principais marcas sul-coreanas e japonesas, enquanto o diagnóstico abrange

até os modelos mais modernos desses fabricantes.

MECÂNICA

APOSTA NA

INTERNACIONALIZAÇÃO

A

MECÂNICA

voltará a Lisboa, de 22 a 24 de novembro, para a sua

9.ª edição. O salão do aftermarket, equipamento oficinal e logística,

organizado pela Exposalão, terá lugar na FIL e contará com um

programa renovado e várias novidades. Este ano, a MECÂNICA contará

com uma projeção internacional nunca antes vista em edições anteriores,

muito devido à forte aposta que a organização da Exposalão colocou na

comunicação e projeção para os mercados estrangeiros, com o intuito de

reunir expositores, visitantes, parceiros de negócio e profissionais do setor

num espaço comum, ideal para a concretização de negócios.

Publireportagem

MINUTO VALORPNEU

SABIA QUE …

O SEU CONTRIBUTO É FUNDAMENTAL PARA O AMBIENTE?

AF_VALORPNEU_FOLHETO_200x100.pdf 1 14/11/2018 10:14

E

nquanto comerciante e distribuidor de

pneus, o seu papel é fundamental para o

bom funcionamento do Sistema de Gestão de

Pneus Usados (SGPU) e, principalmente, para o

ambiente. Isto, claro está, se pertencer à rede Valorpneu.

Ao substituir os pneus antigos de um veículo por pneus

novos, fazendo o correto encaminhamento dos pneus

C

usados para os Centros de Receção da rede Valorpneu,

M

distribuídos por todo o país e ilhas, está a contribuir para

Y

um ambiente melhor, poupando nas emissões poluentes

e no consumo de energia.

CM

Vejamos: ao substituir os quatro MY pneus de um veículo

ligeiro e fazendo o devido encaminhamento para

CY

os Centros de Receção, de acordo com o simulador

CMY

disponível no site institucional da Valorpneu, está a

K

evitar:

l Emissões equivalentes a 216 km percorridos por um

automóvel de passageiros;

l Emissões equivalentes a 17 agregados familiares

médios (três pessoas) em Portugal na sua atividade

diária;

l Consumo diário de energia equivalente

a 437 computadores portáteis;

Desde o início do SGPU, desenvolvido, em 2002, pela

Valorpneu e posto em prática, desde 2003, em Portugal,

até à data em que publicamos este texto, já foram

evitadas 2.045.871 toneladas de CO 2 de emissões e

61.269.940 GJ de consumo de energia.

Para chegarmos a estes resultados, é importante realçar

o papel fundamental que oficinas, estações de serviço,

lojas especializadas, empresas de recauchutagem e

outros distribuidores tiveram na gestão dos pneus

usados. É a partir destes agentes de mercado que o resto

da cadeia se desenrola.

Avª Torre de Belém, 29, 1400-342 Lisboa

T.: (+351) 213 032 303

valorpneu@valorpneu.pt www.valorpneu.pt

Os pneus em fim de vida são entregues nos Centros de

Receção, onde os pneus são controlados e quantificados,

para, depois, serem encaminhados, maioritariamente,

Uma iniciativa:

para as empresas de reciclagem ou de valorização

energética. Tudo isto com o objetivo de permitir a

economia de recursos naturais, reduzir a emissão de

gases nocivos e gerar energia renovável.

ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS

DAR A VOLTA AO AMBIENTE

42 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


AÇÃO DE FORMAÇÃO COM A ENI

Auto-Mafergil | Este membro da RedeInnov voltou

a organizar uma formação. Desta vez, em conjunto com a ENI

Lubrificantes. A ação foi realizada em Ovar, nas instalações da ENI,

e contou com a participação de 20 oficinas. A formação centrou-se

no tema de “Lubrificação dos sistemas de transmissão” e permitiu

aos participantes obter certificação sobre este tema. O curso

revelou-se uma oportunidade bastante enriquecedora para todos

os participantes, pois permitiu aumentar o conhecimento sobre a

temática dos lubrificantes.

SITE DE DESPORTOS MOTORIZADOS

KYB Europe Aftermarket | Empresa lançou um novo

site dedicado às suas atividades em desportos motorizados:

www.kybsport.com. O fabricante de amortecedores patrocina

várias equipas de elite em todo o mundo. O site reúne todas num

só local, mostrando o progresso de cada equipa ao longo do ano.

Os patrocínios cobrem uma ampla gama de eventos, desde o

acelerado World Rallycross até corridas de endurance, como o Asia

Cross Country Rally e a velocidade, como o Super GT. Ao expandir

os limites da engenharia, a KYB pode tirar lições e compartilhar os

avanços dessa tecnologia aprimorada em toda a companhia.

APOSTA FORTE NAS REDES SOCIAIS

Auto DelTA | Na sociedade do século XXI, a preponderância das redes

sociais é inquestionável. E a Auto Delta não é alheia a isso, marcando uma

forte presença nas principais estruturas. Se a forte presença no Facebook era

tradicional, agora poderá encontrar a Auto Delta em mais três redes sociais

de grande difusão: Instagram, LinkedIn e Twitter. O Facebook da Auto Delta

será a forma mais simples de ficar a conhecer a atualidade da empresa de

Leiria. O Instagram irá centrar-se na imagem propriamente dita, publicando

fotos de eventos em que a Auto Delta participe. Por outro lado, o LinkedIn fica,

exclusivamente, para assuntos profissionais, não fosse esta uma rede social

especializada em negócios.

PUB


produto

COM A NOVA CAIXA AUTOMÁTICA DE OITO VELOCIDADES, A ZF CONTRIBUI

PARA QUE AS MOTORIZAÇÕES HÍBRIDAS GANHEM MAIOR ACEITAÇÃO


CAIXA AUTOMÁTICA ZF DE 8 VELOCIDADES PARA HÍBRIDOS

FORÇA DA TÉCNICA

O SISTEMA DE CONSTRUÇÃO MODULAR DA NOVA CAIXA AUTOMÁTICA DE OITO VELOCIDADES DA ZF PERMITE

QUE OS VEÍCULOS HÍBRIDOS, SEJAM ELES MILD, FULL OU PLUG-IN, EQUIPADOS COM TECNOLOGIA DE 48

VOLT, ATINJAM ATÉ 160 KW DE PERFORMANCE ELÉTRICA. QUER OS COMPONENTES QUER O SOFTWARE DE

CONTROLO FORAM DESENVOLVIDOS, DE FORMA INTELIGENTE, PARA OPERAÇÕES HÍBRIDAS. A ZF DÁ, ASSIM,

UM NOVO PASSO NO PROCESSO DE “HIBRIDIZAÇÃO” por Bruno Castanheira

A

ZF apresentou, no evento

Global Technology Day

2019, realizado no início de

julho, diversas soluções para a “Next

Generation Mobility” (Mobilidade

da Próxima Geração). Com um leque

de produtos para veículos híbridos e

elétricos, chassis ativos, segurança

integrada e condução autónoma, a

ZF expande, assim, o seu portefólio

de produtos com mais soluções atrativas

para a mobilidade do amanhã

e para o dia depois de amanhã. Uma

das novidades reveladas foi a caixa

automática de oito velocidades para

veículos híbridos.

Tradicionalmente, as transmissões híbridas

são construídas com uma eficiente

transmissão automática, substituindo

o conversor de binário por um

motor elétrico com maior densidade

de potência. A ZF escreve, agora, um

novo capítulo no processo de “hibridização”,

ao projetar, de forma inteligente,

uma nova geração da transmissão

automática de oito velocidades para

veículos híbridos. O sistema de construção

modular desta nova caixa permite

que os veículos híbridos, sejam

eles mild, full ou plug-in, atinjam desempenhos

superiores, entre 24 e 160

kW. A eletrónica de potência não é

projetada como uma unidade separada,

mas surge totalmente integrada na

transmissão, sem aumentar as dimensões

externas da mesma. Com uma nova

unidade de controlo hidráulico, significativamente

menor, a ZF criou o

espaço de instalação necessário para

alojar os componentes elétricos e eletrónicos

indispensáveis.

Produção ARRANCARá em 2022

A ZF estima que, pelo menos, 70%

de todos os veículos novos em 2030

ainda estejam equipados com motor

de combustão interna. No entanto,

a solução híbrida plug-in poderá

reduzir, consideravelmente, as emissões

de CO 2 provenientes dos motores

de combustão. Mas tal dependerá

da autonomia em modo 100% elétrico

e da potência elétrica, que deverão

permitir uma condução diária

apenas com a energia proveniente da

bateria. A ZF lança, assim, as bases

para atingir este objetivo, graças ao

modelo plug-in da transmissão automática

de oito velocidades da nova

geração. O motor elétrico tem uma

potência máxima de 160 kW (80 kW

em modo contínuo). O binário máximo,

que pode ser obtido sem acionamento

do motor de combustão interna,

é de 450 Nm, permitindo, deste

modo, passagens de caixa rápidas,

mesmo em modo elétrico.

A nova caixa automática de oito ve-

locidades foi projetada para ser instalada

em posição longitudinal, tal

como o motor ao qual estará acoplada.

Configuração que será particularmente

bem sucedida no segmento

premium, uma vez que vai ao encontro

das necessidades em matéria de

conforto de operação e redução de

ruído. Este resultado durante a operação

híbrida deve-se, em parte, à

sua composição mecânica sólida.

A ZF começará a produzir a nova geração

da transmissão automática de

oito velocidades em Saarbrücken,

na Alemanha, no ano 2022. O lançamento

nos mercados da China e

EUA, considerados os mais importantes,

será feito logo a seguir. A ZF

dá, assim, um passo importante no

sentido de garantir que as motorizações

híbridas ganhem maior aceitação

e reduzam, ao mesmo tempo, as

emissões de CO 2

dos veículos em segmentos

de mercado onde a “eletrificação”

não pode ser totalmente implementada

de forma imediata. l

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 45


1958

Fundação da

empresa por Wulf

Gaertner a 11 de julho

1962

Início da exportação

para os EUA

1977

Abertura de

escritório em

Singapura

1995

Wulf Gaertner GmbH

adquire marca

MEYLE

1997

Inauguração da nova

sede em Merkurring

1998

Torna-se fabricante

com unidades de

produção próprias


MÁQUINA

D0 TEMPO

MEYLE

O MELHOR AMIGO DO CONDUTOR

HÁ MAIS DE 60 ANOS

A MEYLE, EMPRESA DE ORIGEM ALEMÃ, MAIS CONCRETAMENTE DE HAMBURGO, ESTÁ PRESENTE NO

MERCADO HÁ MAIS DE SEIS DÉCADAS. DE EXPORTADOR A FABRICANTE, É, HOJE, UMA MARCA DE RENOME

A NÍVEL MUNDIAL, TENDO NA AUTO DELTA O SEU PARCEIRO PORTUGUÊS DE EXCELÊNCIA, QUE DISTINGUIU,

NO PASSADO MÊS DE MAIO, OS 14 REVENDEDORES OMD (OFFICIAL MEYLE DEALER) por Joana Calado

O

sonho começou em 1958 pela

mão de Wulf Gaertner, piloto

apaixonado que enfrentou a

difícil tarefa de encontrar peças para

o seu carro de corrida, acabando por

ter acesso a elas na Alemanha. Pensando

na oportunidade de negócio

que oferecia a exportação, abriu a

sua atividade. Mas é preciso recuar

quase 40 anos na história para chegarmos

à MEYLE. A aquisição da

marca por parte de Wulf Gaertner foi

o começo da transição de exportador

para fabricante. Mais tarde, surgiram

as instalações, onde, ainda hoje,

são produzidos os componentes de

chassis e direção, bem como as peças

de metal-borracha.

Amizade na bASE do sucesso

A MEYLE é, hoje, um dos mais conceituados

fabricantes de peças para

automóveis. O lema do fundador citava

a amizade. E continua a ser esta

a grande máxima da empresa germânica.

O espírito de afinidade está, de

resto, sempre presente, quer entre os

colaboradores quer na relação da marca

com os parceiros. A empresa alemã

tem vindo a desenvolver-se e a apostar

em novos produtos. Por isso, no ano

2000 lançou a linha de produto MEY-

LE HD. Dezasseis anos volvidos, surgiu

a MEYLE AG, acompanhada da

nova imagem de marca, que apostava

no slogan “Driver’s best friend” (O melhor

amigo do condutor).

Apesar da sua sede ser na Alemanha,

mais concretamente na cidade de

Hamburgo, a MEYLE é uma empresa

de dimensão planetária. Como tal,

está presente em 120 países de todo

o mundo. A velha máxima de Wulf

Gaertner perdura até hoje. Por isso, à

escala global, a MEYLE tornou-se conhecida

como sendo o melhor amigo

do condutor (e do seu veículo).

Inovação e qualidade

Para que uma peça seja lançada no

mercado, é necessário que esta seja

pensada, produzida e que tenha qualidade.

Nas fábricas da MEYLE, a

qualidade é dos aspetos mais importantes.

Contudo, o processo começa

quando a peça é pensada.

Máquinas tecnologicamente avançadas

garantem a precisão necessária

para manter a qualidade a que a

empresa alemã tem vindo a habituar

o mercado. Mas, ao longo desse processo,

existem pessoas qualificadas

e vários testes de qualidade que são

realizados. No final, a MEYLE garante

que cada peça sai com a qualidade

desejada, seja ela para equipamento

original ou para o aftermarket.

Apesar dos seus dois espaços de produção,

nem sempre é fácil acompanhar

a procura do mercado ou alcançar

todas as localizações onde a

marca se encontra presente. Por isso,

a MEYLE conta com uma vasta rede

1999

Wulf Gaertner

GmbH torna-se Wulf

Gaertner Autoparts

AG

2002

Lançamento da

gama MEYLE HD

2005

Wulf Gaertner Autoparts

AG e parceiro espanhol

fundam a Meycar para

representação da

MEYLE em Espanha

2008

Celebração dos

50 anos da Wulf

Gaertner Autoparts

AG

2009

Abertura de

escritório no Reino

Unido

2010

Criação de escritório

em França, em

Toulouse

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 47


MEYLE

de parceiros, que produzem nas suas

fábricas peças com as especificações

e padrões de qualidade típicos da

empresa.

Engenharia no desporto

Um know-how de mais de 60 anos

dá à MEYLE a oportunidade de

equipar, não só, veículos do dia a dia,

como, também, de marcar presença

em carros de competição. É aqui que

entra a MEYLE Performance, criada

para satisfazer a necessidade de peças

para este tipo de veículos. Uma

vez mais, um paralelismo com a história

da fundação da empresa, que

nos chega até aos dias de hoje.

Desde 2014 que a MEYLE equipa

os camiões de competição da equipa

que apoia, a tankpool24, como parceiro

de cooperação técnica. Todas

1.000

5MILHÕES

PEssoas

DESTAS, CERCA DE 500

TRABALHAM EM HAMBURGO

DE LIGAÇÕES PARA

DIREÇÃO E SUSPENSÃO

FORAM PRODUZIDAS PELA

EMPRESA DESDE OS ANOS 90

24.000

EM 1995, A EMPRESA DISPUNHA DE 700

29.000 M 2

EM 1958, A ÁREA DE ARMAZENAMENTO

TOTALIZAVA 20 M 2

56.000

PALETES

TOTAL DE

PEÇAS

MEYLE

HOJE

120

PAÍSES

A PRESENÇA DA MEYLE

NÃO PODIA SER MAIS

INTERNACIONAL

6prémios TOP JOB

EM 2018, A EMPRESA

CONQUISTOU ESTE

GALARDÃO PELA SEXTA VEZ

CONSECUTIVA

“a amizade daqueles que servimos é a base do nosso

sucesso”. ESTA VELHA MÁXIMA DE WULF GAERTNER, FUNDADOR

da EMPRESA, MANTÉM-SE hoje BEM viva NO ESPÍRITO DA MEYLE

as peças que são aplicadas nessas

viaturas permitem à empresa fazer

testes e tirar conclusões que podem,

depois, ser aplicadas em peças para

veículos utilitários do dia a dia.

Em 2018, a empresa alemã tornou-se

na principal patrocinadora da série

Drift United. Para além do patrocínio,

a MEYLE tem ainda a oportunidade

de trocar impressões com os

participantes desta corrida e perceber,

através das peças utilizadas em

condições extremas, qual o caminho

a seguir. Também no todo-o-terreno,

a empresa alemã dá cartas, tendo-se

tornado, também em 2018, patrocinadora

do piloto de ralis Eddy Abou

Karam.

Três gamas, qualidade idêntica

A MEYLE divide as suas gamas de

produtos em três: MEYLE HD;

MEYLE PD; MEYLE Original. Mas

a preocupação constante com a qualidade

mantém-se. No caso da linha

MEYLE HD, encontram-se produtos

que, devido à equipa de pesquisa e

desenvolvimento da marca, apresen-

tam características superiores às do

equipamento original. Por exemplo,

no caso das rotulas esféricas, a MEY-

LE opta por aumentar o diâmetro da

esfera, o que faz com a pressão seja

reduzida e, por isso, a vida útil do

componente aumente como consequência.

Por seu turno, a gama MEYLE PD

engloba, essencialmente, pastilhas e

disco de travão, também otimizados

para um desempenho consideravelmente

superior ao dos produtos de

origem do veículo. A junção dos dois

componentes MEYLE, oferece ao

condutor ausência de vibrações na

travagem, alta performance e baixo

nível de ruído. Por outro lado, estão

prontos a instalar e incluem o material

necessário à montagem.

A gama mais extensa é, sem dúvida, a

MEYLE Original, que engloba vários

produtos, como sensores de temperatura

dos gases de escape, sensores de

pressão, kits de reparação do eixo de

transmissão e braços de suspensão,

sempre com os mais elevados padrões

e especificações do mercado. l

2012

Escritório em Xangai

inicia atividade.

Atribuição do prémio

“Top Job”

2017

2013

2015

2016

para 29.000 m 2

Expansão do

armazém central

Fundação da emovum

GmbH

Nova imagem de

marca. Criação do

slogan “Driver’s Best

Friend”

A 1 de janeiro,

as operações da

Wulf Gaertner

Autoparts AG foram

transferidas para a

nova MEYLE AG

2018

Comemoração dos

60 anos da Wulf

Gaertner Autoparts

48 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


SEMPRE PELO

MELHOR CAMINHO.

Beneficie da gama mais completa de produtos e serviços

que um profissional necessita para o seu dia a dia.

MAIS INFORMAÇÕES ATRAVÉS DO (+351) 217 217 674

OU EM STARRESSA.PT


NOTÍCIAS // PEÇAS E EQUIPAMENTOS À MEDIDA DE CADA NEGÓCIO

Produto

GAMA NHTC

IDEAL PARA AQUECIMENTO INTERMÉDIO

A

gama NHTC da NGK Spark Plug é ideal

para as exigências do aquecimento intermédio

da válvula EGR, do DPF e da câmara

de combustão. Podem aquecer durante mais

de 10 minutos a uma temperatura de até 1.350°C.

Quando as temperaturas exteriores são baixas,

as velas de pré-aquecimento NHTC permitem

que ocorra a ignição usando a voltagem da bateria

para aquecer o ar da câmara de combustão.

Graças à evolução contínua da tecnologia das velas

de pré-aquecimento, é agora possível o motor

começar a trabalhar de imediato mais facilmente.

Também beneficiam a saúde da válvula EGR para

produzir o que é conhecido como um “aquecimento

intermédio”.


PIERBURG

MILIONÉSIMA BOMBA

DE VÁCUO

A

Pierburg, membro do Grupo Rheinmetall, produziu sua milionésima bomba elétrica a vácuo, na

localidade de Hartha. As bombas de vácuo elétricas são particularmente compactas e potentes,

sendo usadas em veículos híbridos e elétricos, bem como em veículos com transmissões convencionais.

Especialmente para os atuais motores a gasolina de tamanho reduzido, as bombas pequenas

são indispensáveis, pois garantem sempre um nível de vácuo adequado. Por exemplo, para aumentar o

poder de travagem. A bomba de vácuo elétrica desliga quando os travões não são aplicados, reduzindo,

assim, o consumo de combustível e, consequentemente, as emissões nocivas.

CORREIAS PARA PESADOS

Continental | A marca alemã já fez saber que

está a ampliar a sua gama de correias de transmissão

para veículos pesados. A gama conta com mais de 40

novas variantes de correias estriadas para o acionamento

de componentes auxiliares, que ostentam os códigos

de perfil 4PK, 6PK, 8PK, 10PK e 12PK. Entre outros, são

utilizadas em autocarros e veículos pesados das marcas

Mercedes-Benz, MAN e DAF. Estas correias, de borracha

sintética reforçada com cordas tensoras de poliéster,

são fabricadas pela Continental de acordo com os

mesmos padrões de qualidade dos produtos utilizados

no equipamento original. Desta forma, as oficinas

podem manter a elevada qualidade original também no

mercado das peças sobressalentes, tal como acontece em

todos os produtos da Continental destinados ao mercado

do pós-venda automóvel.

GAMA DE COMPONENTES DE DIREÇÃO E SUSPENSÃO

FAI AUTOMOTIVE | A empresa que abastece o mercado de reposição com componentes de direção e suspensão há quase 20 anos,

conta, agora, com uma gama composta por mais de 6.000 referências nesta categoria, abrangendo as aplicações mais populares no Reino

Unido e em toda a Europa. O último ano de extensões de gama equivalem a mais de 680 novas referências de peças, todas disponíveis em

stock. As diversas adições à gama abrangem veículos que vão desde o Porsche Cayman ao Volkswagen Crafter e Ford Transit Connect. Alguns

dos componentes recomendados pela FAI Automotive incluem triângulos e braços de suspensão.

BATERIAS HELLA É APOSTA

Grupo Beirauto | Introduziu a mais recente

gama de baterias Hella no seu stock. Assim, a

Mondegopeças e a Beirauto passam a dispor de mais

referências de baterias Hella, desde as convencionais até

às dotadas de tecnologia AGM e EFB. São 35 referências

considerando as três tecnologias, que cobrem todas as

necessidades do mercado. No que diz respeito às baterias

mais convencionais, são 24 referências, desde 35AH a

215AH com 1150 amperes. No mercado das EFB, o Grupo

Beirauto dispõe de baterias desde 55AH a 80AH, 480 a

720 amperes, respetivamente. No mercado das AGM,

dispõe de baterias de 60AH a 105AH, 680 a 950 amperes,

respetivamente.

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 51


Notícias

empresas

pRODUTO

NOVA GAMA DE BATERIAS

YUASA | A KRAUTLI Portugal apresentou a nova

gama de baterias Yuasa YBX Cargo para veículos

comerciais pesados, composta por quatro novas

gamas. Com elas, a Yuasa disponibiliza uma das

ofertas mais abrangentes e com as mais altas

especificações do mercado. Com base na gama

automóvel YBX, a nova linha YBX Cargo da Yuasa

substitui as gamas Cargo anteriores da Yuasa (HD,

SHD, GM). As novas baterias cumprem todos os

parâmetros de qualidade dos principais fabricantes

de veículos pesados. A construção avançada e a

inovação fazem delas as baterias para veículos

pesados mais confiáveis que a Yuasa já produziu.

TUBOS PARA TURBOS

MetalCAUCho | Continua a crescer e a

aumentar a sua gama de produtos de forma

constante. O mais recente lançamento da empresa

espanhola é a nova família de tubos de óleo para

turbocompressores, apresentada no catálogo

geral de 2019 e que já está disponível em stock. Os

novos componentes podem ser aplicados em 16

marcas de automóveis (Audi, BMW, Citroën, Fiat,

Ford, Hyundai, Kia, Lancia, Mercedes-Benz, Opel,

Peugeot, Renault, Seat, Skoda, Suzuki e Volkswagen)

e são compatíveis com 291 modelos diferentes. A

empresa aposta nesta expansão introduzindo uma

família de produtos de alta rotatividade, essenciais

para o correto funcionamento do sistema de

sobrealimentação.

COMO USAR OS MEIOS DIGITAIS E SOCIAIS

A

publicidade “boca a boca” é poderosa. Nada supera uma

recomendação pessoal de um amigo de confiança. Um

programa de referência online para a sua oficina, pode ter um

efeito semelhante. Ofereça aos clientes um incentivo e pode encorajá-los

a espalhar a palavra sobre a sua oficina para pessoas que confiam neles

e que os ouvem.

Segundo analistas de dados globais Nielsen, as pessoas têm uma

probabilidade quatro vezes maior de efetuar uma compra quando essa

compra é recomendada por um amigo. Um programa de referência pode

gerar oportunidades de negócio para a oficina e premiar os clientes por

fazerem o trabalho de encontrar esses potenciais clientes para si. Além

disso, os potenciais cientes criados por um programa de referência têm

maior probabilidade de resultar em vendas, porque os seus clientes

partilham as notícias sobre a sua oficina com pessoas que eles sentem –

ou sabem – que podem estar interessadas.

Mas como é que pode criar um programa bem sucedido e fácil de gerir,

para uma oficina de reparação de automóveis, com resultados em tempo

real? De seguida, apresentamos um guia que pode seguir para usar as

redes digitais e sociais de modo a criar um programa de referência.

Crie uma oferta

Imagine que é um cliente. Pense no tipo de incentivo que seria do seu

interesse. Pense nos incentivos oferecidos pelas lojas e serviços que

utiliza que o levaram a fazer uma compra. Todos os clientes apreciam

um desconto. Portanto, um benefício óbvio é oferecer a um cliente

existente um vale de desconto na sua próxima visita se ele lhe indicar um

cliente. Quanto mais simples a oferta, melhor. O seu objetivo consiste

em facilitar o máximo possível a conquista de ofertas e o processo de

referência de novos clientes para a sua oficina.

Pode preferir oferecer um desconto em compras específicas para que

possa incentivar uma maior aceitação dos serviços oferecidos, em vez

de oferecer um desconto geral em qualquer fatura. Algumas ideias para

uma oferta mais específica seriam:

1. Mudança de óleo por metade do preço;

2. Mudança de óleo grátis por qualquer reparação que esteja acima de

determinado valor;

3. Rotação de pneus gratuita ou de custo reduzido com a compra de

outro serviço;

4. Desconto num serviço específico (por exemplo, €20 de desconto).

Torne a oferta fACIlmente pARTIlhável

Quantos menos obstáculos o seu cliente encontrar, melhor. Nem mesmo

CONSELHOS TRW

os clientes mais fiéis irão aceitar a sua oferta se se inscreverem no

seu programa de referência e descobrirem que há muitas etapas para

concluir. O processo de referência mais simples de todos consiste

na referência pós-compra. Segundo os criadores de programas de

referência Extole, os clientes têm 16 vezes mais probabilidade de

partilhar uma referência se houver uma chamada para ação nas

páginas pós-compra. A referência pós-compra pode assumir a forma

de um simples botão “Partilhar” na parte inferior de uma fatura

eletrónica, que permite ao cliente partilhar um vale de desconto com

um amigo.

Promova o seu programa de referência

Depois de criar uma oferta atraente para a sua oficina e torná-la

facilmente partilhável, terá de aproveitar ao máximo o trabalho que

realizou até agora, promovendo-a. Uma das melhores maneiras de

fazer isso é via email. Apresentemos alguns benefícios da referência

sugeridos que pode adaptar ou usar para pensar em como poderia

apresentar, descrever e promover o seu programa de referência.

“Indique um amigo e seja recompensado Na [introduza o nome da

sua oficina] agradecemos quaisquer referências ao nosso negócio. Foi,

por isso, que desenvolvemos um programa para premiar os clientes

que indicam a nossa oficina a amigos, familiares, vizinhos e colegas

de trabalho para fazerem reparação dos seus automóveis. Os clientes

da [introduza o nome da sua oficina] podem desfrutar dos seguintes

benefícios do nosso programa de referência:

Benefícios bronze:

se indicar a nossa oficina a uma pessoa, iremos recompensá-lo com uma

mudança de óleo gratuita.

Benefícios prata:

se indicar a nossa oficina a quatro pessoas no período de um ano, irá

receber mudanças de óleo grátis durante um ano.

Benefícios ouro:

se indicar a nossa oficina a oito pessoas no período de um ano, irá

receber mudanças de óleo grátis durante um ano e 10% de desconto em

reparações e serviços.

NOTA: Para saber mais sobre este tema, consulte o site

www.trwaftermarket.com/oficinasoriginais

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

52 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


NOVOS BANCOS LOC AND FOLD

Motormáquina | Desenvolvido para fácil instalação

e utilização, o novo Loc and Fold é um assento dobrável e

resistente, que oferece um bom nível de conforto e espaço para

as pernas. Quando não está a ser utilizado, pode ser fixo em

segurança na parte superior da cava da roda com um mínimo de

intrusão na área de carga. A abertura do assento, Loc and Fold

da Exmoor Trim, é simples e feita apenas com uma mão. Com o

acionamento de uma alavanca, é libertada a fixação na parte

traseira do banco.

BOBINAS DE CARGA MÚLTIPLA

Delphi | As novas bobinas de ignição de carga múltipla da

Delphi Technologies proporcionam tecnologia de equipamento

original com os benefícios do serviço de aftermarket

independente. Graças às novas bobinas de ignição da Delphi

Technologies para aplicações em Mercedes-Benz, as oficinas já

podem efetuar reparações de sistemas de ignição de qualidade

a preços competitivos para uma crescente frota de viaturas de

altas performances.

CORRENTES DE DISTRIBUIÇÃO

NTN-SNR | A empresa aumentou a sua oferta de correntes

de distribuição com o lançamento de 22 novos kits. Esta gama

destina-se aos veículos europeus e asiáticos mais populares,

cobrindo as aplicações mais comuns onde a substituição da

distribuição é necessária. Atualmente, o mercado é amplamente

dominado pela correia. No entanto, as previsões anunciam um

número crescente de veículos que serão equipados com corrente

de distribuição.

NOVO CATÁLOGO IEPARTS

Interescape | Apresentou o novo catálogo de peças

de reposição para o aftermarket, da sua marca ieparts. O

novo catálogo contém cerca de 1.400 produtos, universais

e específicos, desde peças para a montagem e reparação

a acessórios de manutenção. A gama completa da ieparts

é formada por mais de 40.000 peças para a montagem e

reparação de sistemas de escapes, integrando escapes,

catalisadores e filtros de partículas das melhores marcas do

aftermarket (Eberspaecher, Imasaf, Walker, AS e BM Catalysts).

AF - publicidade _ Promo Compressores AC 2017.pdf 1 25/06/19 10:12

PUB

excelência’17


Notícias

empresas

Produto

NOVas LINHAS DE PRODUTO

Open Parts (OP) | A marca da EXO Automotive

inicia a temporada de verão de 2019 com duas novas

linhas. Os dois primeiros produtos, que serão lançados em

setembro, são os correias Multi-V e as molas a gás (Gas

Springs). As correias Multi-V pertencem ao novo grupo de

produtos de componente auxiliar. Feita de borracha EPDM,

a correia é coberta com fibras sintéticas de aramida, o que

a torna mais resistente a baixas e altas temperaturas, bem

como à prova de água e à prova de abrasão.

AÇÃO B-CONNECTED 2019!

Autozitânia | Em parceria com a Monroe, realiza a

ação B-Connected 2019!, que visita oficinas de norte a sul

do país com a sua pick-up recheada de novidades e ofertas.

A ação visa promover a parceria entre as duas empresas e

os conhecidos amortecedores Monroe, com distribuição de

merchandising alusivo à marca pelas suas promotoras nas

visitas a oficinas parceiras dos clientes Autozitânia.

CLARIOS

PRIMEIRA Bateria AGM DE CAMIÃO

A

Clarios

desenvolveu a nova bateria Varta Promotive AGM, com a tecnologia patenteada Power-

Frame, projetada para colmatar o crescente número de dispositivos eletrónicos no camião. A

bateria de camião AGM pode suportar seis vezes o número de ciclos em comparação com as

baterias padrão e tem a capacidade de operar em níveis de descarga próximos de 80%. Também garante

o funcionamento do micro-ondas e computadores, enquanto o motor está desligado, o que permite condições

de trabalho mais confortáveis para os motoristas de camião. A Civiparts testou as novas baterias

e os resultados foram muito satisfatórios, como referiu Fernando Mendes, chefe de veículos pesados da

Civiparts na Península Ibérica.

PUB


PUB

NOVAS REFERÊNCIAS LANÇADAS

febi truck | Oferece peças sobressalentes com qualidade equivalente

OE para todas as marcas comuns de veículos comerciais europeus, apostando,

constantemente, no desenvolvimento da gama. No primeiro semestre de 2019,

entre muitas outras referências, destacam-se sete peças novas que a febi Truck

disponibilizou ao mercado. Entre elas, encontram-se alternadores, reservatório

do líquido de refrigeração com tampas e sensores, bomba de água com juntas,

compressor do ar condicionado, válvula para travão de estacionamento, cárter

inferior com parafuso para descarga do óleo e retentor e bomba de óleo. Todas

as novas referências fazem parte de uma listagem de novos produtos que foram

disponibilizados já este ano. Algumas delas, têm informações técnicas e dicas de

montagem adicionais disponíveis no catálogo.

Nós damos uma mãozinha

C

M

Y

CM

MY

Não fazemos

manutenção automóvel,

mas fazemos a manutenção

da sua terminologia!

CY

CMY

K

NOVA LINHA MAXILM

luzdeairbag | A LuzDeAirbag é especialista em eletrónica automóvel,

estando sediada em Leiria. Atuando a nível nacional e internacional, está

focada na total satisfação dos seus parceiros, garantindo assistência técnica

especializada e personalizada. A linha MaxiIM é composta pelo Programador

XP400, pelo Autel MaxiIM IM508 e pelo topo de gama Autel MaxiIM IM608 +

PassThru J2534. A Autel MaxiIM IM608 combina funções avançadas de diagnóstico,

codificação e programação de módulos, PassThru J2534 e Programação de

Chaves. O equipamento vem equipado com o módulo de PassThru J2534, que

permite a utilização do software de fabricante, bem como o programador XP400,

que permite a leitura e escrita de unidades. O equipamento IMMO permite a

programação de chaves de forma fácil e intuitiva da grande maioria dos veículos

presentes no parque automóvel europeu. O programador XP400 é uma ferramenta

que permite a leitura e escrita de Eeprom, MCU e memórias flash. O mesmo pode

ser utilizado com o tablet IM508 ou IM608, bem como num PC Windows. O XP400

tem funções específicas para IMMO, como leitura e escrita de chaves (transponders,

chips), verificação de frequência.

TRADUÇÃO E DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

Criamos e traduzimos manuais técnicos à melhor

relação qualidade/preço do mercado. Temos

profissionais especializados em várias áreas da

indústria e uma tecnologia que nos permite criar

projetos à medida de cada cliente.

CONHEÇA O PROGRAMA PARCEIRO JABA

Através da identificação e alinhamento de todas

as traduções antigas do parceiro JABA, é criada

uma base de dados que permite detetar todas as

repetições em novos projetos e baixar consideravelmente

o valor final do documento, mantendo

a terminilogia e o estilo de comunicação já

existentes. Um programa criado a pensar em si!

Vila Nova de Gaia | Telf: 227 729 455/6/7/8 | Fax: 227 729 459

Mail: portugal@jaba-translations.pt | Web: jaba-translations.pt


ORGANIZAÇÃO

PARCERIA

FINALISTAS CONHECIDOS

NESTA EDIÇÃO, REVELAMOS OS PRIMEIROS QUATRO FINALISTAS DO CONCURSO MELHOR MECATRÓNICO 2019, QUE

MARCARÃO PRESENÇA, NA ATEC - ACADEMIA DE FORMAÇÃO, NOS DIAS 15 E 16 DE NOVEMBRO, PARA DISPUTAR A

DERRADEIRA ETAPA. A INICIATIVA DESTE ANO PROMETE SER A MELHOR E A MAIS DINÂMICA DE SEMPRE

ARMANDO COUTINHO

ALEXANDRE SANTOS

RADU HOLBAN

NELSON SOUSA

“RESOLVI PARTICIPAR

PARA TESTAR OS MEUS

CONHECIMENTOS”

“GANHEI A CATEGORIA

DE MECATRÓNICA NO

WORLDSKILLS PORTUGAL”

“SOUBE DA EXISTÊNCIA DO

CONCURSO ATRAVÉS DO

JORNAL DAS OFICINAS”

“A ÁREA DA REPARAÇÃO

AUTOMÓVEL ESTÁ CADA VEZ

MAIS COMPLICADA”

Armando Coutinho mostrou-se satisfeito com o

facto de ter sido selecionado. E não quis deixar de

partilhar o momento. Questionado sobre o que o

levou a concorrer, afirma: “Foi para testar o meu

nível de conhecimentos em relação à profissão e,

principalmente, por tratar-se de um desafio pessoal”.

Já no que diz respeito às expectativas em

relação ao concurso, refere: “A edição deste ano

penso que irá superar as anteriores, como vem

sendo hábito cada vez que se realiza uma nova. O

nível dos concorrentes tem vindo a aumentar

de edição para edição, pois preparam-se melhor

para a final, aumentando, assim, a dificuldade

das provas”. E como olha para a profissão de

mecatrónico automóvel? “É uma área sempre

em desenvolvimento. Temos de manter-nos

atualizados com os novos sistemas dos veículos.

Entrei na mecatrónica automóvel devido à paixão

que sempre nutri por esta indústria”.

Alexandre Santos não tem dúvidas sobre a

razão que o levou a participar: “No ano passado,

participei no WorldSkills Portugal na categoria

de mecatrónica automóvel. Ganhei. Desde então,

gosto de competições deste género. Para além de

pôr os meus conhecimentos à prova, é um excelente

complemento para a carreira de profissional

desta área”. E quanto às expectativas? “Espero

que as provas sejam duras e que as avarias sejam

daquelas que, na vida real, dão dores de cabeça a

sério e não são para qualquer um resolver. Espero,

especialmente, que as provas englobem também

avarias mecânicas”, salienta. Já a profissão de

mecatrónico automóvel, “por vezes, é um pouco

esquecida e olhada de lado, devido a muitas falhas

nas reparações, que podem ser causadas por

falta de profissionalismo. Reparações nas quais

a oficina, para poupar em material, cria futuros

gastos desnecessários ao cliente”, alerta.

Radu Holban entendeu que, este ano, era

altura de participar no Melhor Mecatrónico: “Tive

conhecimento do concurso através deste jornal. Na

minha opinião, para haver evolução em qualquer

área, é fundamental que estejamos em contacto

com outros profissionais da área. Trocar ideais, conhecimentos

e métodos de trabalho”. Questionado

sobre as expectativas, não hesita na resposta:

“Espero um concurso bastante exigente a nível

técnico e de habilidade na execução das tarefas.

Também prevejo concorrência forte e motivada.

Desde a 1.ª fase deste ano, notei um questionário

mais exigente comparativamente com as edições

anteriores”. E faz uma análise sobre a atividade:

“Vejo a mecatrónica automóvel como uma

profissão em constante evolução, extremamente

complexa com o passar dos anos, com a integração

da tecnologia informática e num mundo cada vez

mais conectado em que vivemos”.

O que fez com que Nelson Sousa participasse na

quarta edição desta iniciativa ímpar no panorama

do aftermarket nacional “foi, sem dúvida, o

desafio de poder testar os meus conhecimentos

e poder competir com os melhores profissionais

da área da reparação automóvel em Portugal”,

revela. Para, de seguida, partilhar as suas

expectativas em relação ao concurso Melhor

Mecatrónico 2019: “Prevejo dificuldades na

Grande Final, porque, tal como ocorre no dia a dia

de uma oficina, somos, constantemente, postos à

prova. A área da reparação automóvel está cada

vez mais complicada”. Em relação à profissão de

mecatrónico automóvel, Nelson Sousa afirma:

“É uma profissão que abracei há cerca de 21anos

e que continua, diariamente, a colocar-me à

prova pelo desafio da constante evolução, quer

na tecnologia automóvel quer nos métodos de

reparação”.

56 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


NOVAS

DINAMOMÉTRICAS!

NOVAS

NOVAS

DINAMOMÉTRICAS!

Como marca inovadora há mais de 165 anos, a Bahco tem hoje, uma

DINAMOMÉTRICAS!

das mais extensas gamas de chaves dinamométricas do mercado,


Como marca inovadora há mais de 165 anos, a Bahco tem hoje, uma

Como

marca inovadora há mais de 165 anos, a Bahco tem hoje, uma

das mais extensas gamas de chaves dinamométricas do mercado,

das mais extensas gamas de chaves dinamométricas do mercado,


Como marca inovadora há mais de 165 anos, a Bahco tem hoje, uma




das mais extensas gamas de chaves dinamométricas do mercado,




DESCARREGUE

GRATUITAMENTE O SEU

DESCARREGUE

CATÁLOGO DE 104 PÁGINAS

GRATUITAMENTE EM BAHCO.COM O SEU

CATÁLOGO DE 104 PÁGINAS

EM BAHCO.COM

DESCARREGUE

GRATUITAMENTE O SEU

CATÁLOGO DE 104 PÁGINAS

EM BAHCO.COM


DESCARREGUE

GRATUITAMENTE O SEU

CATÁLOGO DE 104 PÁGINAS

EM BAHCO.COM

FOLLOW THE FISH! BAHCO.COM

FOLLOW THE FISH! BAHCO.COM

FOLLOW THE FISH! BAHCO.COM


ORGANIZAÇÃO

PARCERIA

FORTE ADESÃO

E ENTUSIASMO

NA PRIMEIRA FASE DO CONCURSO CHALLENGE OFICINAS 2019, A ADESÃO DAS EQUIPAS CONCORRENTES

SUPEROU AS MELHORES EXPECTATIVAS. MAIS DE 50 OFICINAS RESPONDERAM AO QUESTIONÁRIO, QUE

ESTEVE ONLINE ATÉ FINAL DE JULHO

A

edição deste ano da iniciativa

promete ser bastante animada.

A segunda fase, que consiste

no apuramento das seis oficinas

selecionadas, vai, agora, ter início.

Consultores da Polivalor irão visitar

as oficinas para avaliar a sua organização

e funcionamento, de modo a

eleger as três melhores, que serão as

finalistas. O concurso visa pôr à prova

as competências funcionais dos colaboradores

das oficinas em diferentes

situações. Mas para além da vertente

competitiva, esta iniciativa promove

a partilha de conhecimentos e experiências

entre todos os participantes,

dando uma visão estratégica diferente

sobre os modelos de gestão oficinal

que, atualmente, existem no mercado.

O Challenge Oficinas é um concurso

que permite a cada oficina tomar

consciência daquilo que vale em termos

de recursos humanos e enquanto

organização. Quem participa, adquire

uma visão mais alargada e estratégica,

compreende a interação entre

as diferentes áreas funcionais e fica

ciente das condicionantes do mercado

em que compete. O desempenho

neste concurso reflete, pois, o valor

da oficina no mercado do pós-venda.

Pretende-se, com esta ação, fomentar

entre as oficinas um espírito competitivo

são, o trabalho em equipa e a sua

criatividade, através da realização de

provas em diversas áreas relacionadas

com o pós-venda automóvel, nomeadamente

gestão oficinal, receção, peças,

marketing e técnica.

Desta forma, entusiasmam-se os colaboradores

para um desafio onde as

oficinas têm todo um caminho livre

para evoluir. Convidamos todos os interessados

a assistirem à Grande Final,

que se realizará nos dias 23 e 24

de novembro, no stand que o Jornal

das Oficinas terá no Salão MECÂNI-

CA 2019, na FIL. l

58 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


YES WE HAVE

Mais de 30.000 referências • 172 linhas de produto • gama Asiática, Europeia e Americana

NOVO ARMAZÉM

PARA UM TOTAL

DE 60.000 METRO

QUADRADOS

ESTAMOS

EXPANDINDO

A GAMA

EUROPEA

Novos Catalogos 2019

Confira nosso site:

www.japanpartsgroup.com


epintura


BASF (RE)INAUGURA REFINISHING COMPETENCE CENTER

INOVAR E REINVENTAR

TALVEZ NÃO ESTEJAMOS PERANTE UMA INAUGURAÇÃO, MAS UMA (RE)INAUGURAÇÃO. O REFINISHING

COMPETENCE CENTER (RCC) DA BASF, QUE DETÉM AS MARCAS PREMIUM R-M E GLASURIT, JÁ EXISTIA

DESDE 1983 MAS, ESTE ANO, A EMPRESA DECIDIU INVESTIR NUM CENTRO QUE FORMA CERCA

DE 2.000 PESSOAS POR ANO por Joana Calado

As instalações da BASF, em

Marchamalo (Guadalajara,

Espanha), foram palco,

no passado dia 18 de julho, de uma

emocionante inauguração, numa

ocasião assinalada com pompa e circunstância.

Para além da presença

da imprensa, de parceiros e de figuras

do Estado espanhol, destacou-se

Katja Scharpwinkel, vice-presidente

sénior ECR EMEA. As paredes amarelas

do antigo centro de formação

deram lugar a um renovado espaço

de excelência, preparado até ao mais

ínfimo pormenor, para receber todos

os parceiros portugueses e espanhóis.

Desta forma, a empresa continua

a garantir a máxima qualidade

na formação dos seus técnicos.

O renovado espaço está preparado

para continuar a formar 2.000 pessoas

por ano. Ou até, quem sabe,

mais ainda. Os formandos têm acesso

a materiais e ferramentas que lhes

vão permitir dominar todas as técnicas

de ajuste de cor em veículos e conhecer

as últimas inovações das duas

marcas premium da BASF: R-M e

Glasurit.

FORTE investimento

Katja Scharpwinkel, no seu discursou,

afirmou que “não podia estar

mais contente por estar presente”.

E aproveitou a oportunidade para

agradecer à equipa espanhola que está

por detrás deste projeto. Os intervenientes

na inauguração não pouparam

elogios à equipa espanhola e,

em particular, a uma pessoa: Rocio

Maldonado, technical manager ECR

iberia. Durante a visita às instalações,

o entusiasmo de Rocio Maldonado

era notório. E, de facto, a empresa

fez um grande investimento

nestas instalações: cerca de 2,5 milhões

de euros. O edifício permite ter

duas formações a decorrer em simultâneo,

uma vez que dispõe de duas

salas de formação, ou uma mais am-

pla, pois a parede que divide as duas

divisões é facilmente movida para

criar uma sala maior.

A empresa é detentora de duas marcas

premium, pelo que irá receber

formandos de ambas. Por isso,

o centro de formação está equipado

com materiais R-M e Glasurit. Rocio

Maldonado explicou que “é im-

portante passarmos a mensagem de

que não vemos a cor. Vemos a luz que

nela reflete. Por isso, todo o edifício

está equipado com lâmpadas correspondentes

à luz solar, para que o formando

possa perceber exatamente

qual será a cor do veículo quando este

sair para a rua”.

De acordo com o responsável, “a nossa

principal dificuldade seria o arrefecimento

das estufas. Na Alemanha,

trazem ar do exterior para fazer esse

arrefecimento. Mas nós estamos em

Madrid. Não podemos fazê-lo. Como

tal, investimos em grandes sistemas

que refrigeração”.

Apesar da necessidade de investir em

grandes sistemas de refrigeração, a

BASF não descurou a parte ambiental

e quis que os sistemas instalados

fossem os mais eficientes e menos

poluentes possível. Por isso, todo o

aquecimento das instalações é feito

através de vapor de água produzido

pela própria fábrica. l

OS FORMANDOS TÊM ACESSO A MATERIAIS E FERRAMENTAS QUE LHES

VÃO PERMITIR DOMINAR TODAS AS TÉCNICAS DE AJUSTE DE COR

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 61


Técnica

&Serviço

ZONAS DE CARROÇARIA

RÁPIDA

OPORTUNIDADE

DE NEGÓCIO

A CARROÇARIA EXPRESS

(OU RÁPIDA) NASCE DA

NECESSIDADE DE CRIAR UM

SERVIÇO ADICIONAL PRESTADO

PELA OFICINA AO CLIENTE,

DEDICADO À REPARAÇÃO DE

PEQUENOS TOQUES, IMPACTOS

E RISCOS

Tratam-se de intervenções nas quais a chapa

não apresenta grandes danos. Consequentemente,

o bate-chapa não tem de

realizar muitas operações e as intervenções

envolvem a utilização de pequenas quantidades

de massa e tinta. O principal objetivo da carroçaria

express é aumentar o volume de intervenções na

área da carroçaria, bem como captar novos clientes,

fidelizar os existentes, aumentar a produtividade e,

sobretudo, diferenciar a oficina da concorrência.

Mercado potencial

Atualmente, a oficina depara-se com os seguintes

cenários: queda da sinistralidade, reparações de

baixo custo e descida dos seguros contra todos os

riscos, o que implica o aumento progressivo dos

seguros contra terceiros e contra todos os riscos

com franquia. Fazendo uma leitura geral, vemos

que a situação para o cliente não é positiva. Por

todos estes indicadores, a oficina deve procurar

novas linhas de negócio. Para o efeito, uma boa

ideia é implementar o conceito de carroçaria express

(ou rápida). A maioria dos sinistros resulta

dos chamados “toques de cidade” ou “riscos de estacionamento”.

Concretamente, 65% dos veículos

são afetados por este tipo de sinistros, com riscos,

pequenos toques e picadelas na carroçaria exterior,

cuja reparação não costuma, normalmente, superar

os €300.

Na maioria dos casos, estes danos não são reparados

porque não estão cobertos pelo seguro, devido

ao tempo que o automóvel tem de permanecer na

oficina, porque são caros ou devido a outras circunstâncias.

Portanto, uma opção interessante

para a oficina pode ser a implementação de um

serviço de carroçaria express.

Características da reparação

Para a implementação deste sistema, é primordial

fixar preços fechados tendo em conta uma série de

parâmetros, tais como o número de peças afetadas

do veículo, a intensidade dos danos e a mão

de obra. Além do mais, é necessário determinar os

processos de reparação (risco, pequenos toques,

picadelas, lixamento, aplicação de massas, pintura)

e designar o técnico aplicador que vai realizar

as operações de carroçaria express.

Por outro lado, é importante a formação dos assessores

de serviço e rececionistas de área. Para que o

serviço funcione, é necessário aproveitar as entradas

de veículos desta zona através de uma receção

62 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Colaboração Centro ZARAGOZA

www.centro-zaragoza.com

ta. Portanto, a carroçaria rápida não

requer um investimento específico

importante e, se existirem objetivos

claros a alcançar (rapidez nas reparações,

preço razoável, mínimo de

incómodo para o cliente e qualidade

nos trabalhos), este serviço poderá

ser uma verdadeira oportunidade de

negócio para a oficina.

VantAGens evidentes

As vantagens proporcionadas pela

existência de uma zona equipada para

a realização de trabalhos de carroçaria

express são evidentes. A saber:

devem estar totalmente coordenados

e conhecer, em todos os momentos, a

carga de trabalho existente, para poderem

levar a cabo a reparação dentro do

prazo e com a qualidade exigida.

Já no que respeita ao equipamento

para colocar o serviço em funcionamento,

eis o que é necessário: zona

de preparação, infravermelhos, spotter,

pistolas, lixadoras, massas e tinativa,

bem como oferecer este serviço

express aos clientes que venham realizar

reparações e revisões de mecânica.

A rapidez e eficácia nas operações a

efetuar é essencial. E é recomendável

não superar as quatro horas na sua

realização. Além do mais, é fundamental

realizar ações promocionais e

de marketing para dar a conhecer os

novos serviços prestados na oficina.

Após os estudos realizados, é possível

obter um aumento de 20 a 30% na

eficiência do técnico aplicador.

Espaço e equipamentos

Para que o serviço de carroçaria express

funcione, o rececionista ou assessor de

serviço, bem como o técnico aplicador

responsável por realizar a reparação,

l Diminuição de custos em

automóveis de cortesia;

l Diminuição do tempo de ciclo;

l Vendas cruzadas na receção;

l Diferenciação da concorrência na

perspetiva de clientes e empresas;

l Maior satisfação do cliente;

l Menor necessidade de superfície

produtiva na oficina;

l Diminuição de processos no

trabalho total. l

PUB

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 63


NOTÍCIAS // A ÁREA MAIS COLORIDA DO AFTERMARKET

repintura

AXALTA INAUGUROU SALA DE EXPERIÊNCIA DE COR EM LONDRES

A

Axalta inaugurou a sua Sala de Experiência de

Cor situada em Building Centre, Londres. Arquitetos

e projetistas foram convidados a explorar

as inúmeras coleções de cores da Axalta, bem

como a correspondência entre a cor e os cinco sentidos.

Cada experiência sensorial proporcionou aos

convidados a oportunidade de associarem cada sentido,

gosto, tato, cheiro, visão ou audição a uma amostra

de cores da Axalta da sua preferência. Normalmente,

a cor é percecionada através de um sentido, a

visão, mas a Axalta quis demonstrar aos convidados

que essa não é a única forma de apreciar as cores.

64 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


RUPES

CARRINHO MULTIUSOS

O

KC28 é um carrinho multiuso para aspiradores profissionais, projetado para funcionar de

forma eficiente em combinação com o aspirador profissional Rupes Série S2. Esta estação

de trabalho móvel é compacta e manobrável, fornecendo uma solução prática e versátil

para o utilizador profissional, garantindo melhor movimento em torno do local de trabalho e ótimo

acesso a ferramentas, consumíveis e acessórios, graças aos vários espaços de armazenamento

disponíveis. A pega ergonómica e as rodas de borracha facilitam a movimentação do carrinho em

todas as superfícies, desde as mais lisas às mais ásperas, com o mínimo esforço possível.

INOVADOR SISTEMA XTREME

Standox | Desenvolveu o inovador sistema Xtreme para uma

repintura automóvel mais rápida e energeticamente mais eficiente.

Todos os Produtos da gama Xtreme são aplicados um após o outro,

numa linha sequencial única, uma vez que foram desenvolvidos para

trabalharem juntos. Para retirar o máximo proveito do sistema, a

Standox recomenda que todos os produtos da gama sejam utilizados

em conjunto, desde os toalhetes ao verniz. A rápida secagem dos

produtos permite que uma peça nova seja repintada em apenas 36

minutos. A utilização de alguns produtos Xtreme altera a sequência

de trabalho habitual. Por isso, os profissionais devem consultar as

respetivas fichas técnicas antes da sua aplicação.

BRIDGESTONE WORLD SOLAR CHALLENGE

Cromax | A Agoria Solar Team anunciou a sua entrada no Bridgestone World Solar Challenge 2019, num evento realizado em

Beringen, na Bélgica, a 3 de julho. O veículo, com a designação BluePoint, foi projetado e fabricado por alunos da Universidade de

Leuven, na Bélgica, e vai participar no duro desafio na Austrália, de 13 a 20 de outubro. A revelação do veículo, que foi pintado no

Centro de Formação Cromax, em Mechelen, na Bélgica, revelou uma nova cor: branco liso com duas sombras de azul, que foram

especialmente desenvolvidas pela Cromax a fim de corresponder às cores corporativas do principal patrocinador, a Agoria. As

fórmulas destas cores especiais estarão disponíveis na ChromaWeb. O Bridgestone World Solar Challenge 2019 assinalará o oitavo ano

consecutivo em que a Universidade de Leuven tem uma equipa a participar no evento. E a Cromax, o seu Silver Partner desde 2017,

trabalha com os alunos desde 2015.

LINHA ECO BALANCE REDUZ CO 2

Glasurit | No final de 2017, a Glasurit lançou a sua primeira

linha de produtos que ajuda a reduzir a utilização de matéria-prima

fóssil e emissões de CO 2. Após o primeiro ano no mercado, os

resultados demonstram que, no que diz respeito ao meio ambiente,

a Glasurit Eco Balance tem sido um completo sucesso. A nova linha

de produtos permitiu à Glasurit economizar 90,7 toneladas de CO 2

desde 2017. Como resultado, não só a Glasurit está a contribuir para

a proteção ambiental como, também, as oficinas, ao utilizar a nova

linha de produtos Eco Balance. A Glasurit Eco Balance é uma linha

de produtos de pintura certificada de acordo com a abordagem

“biomass balance”. Esta abordagem baseia-se na substituição de

parte dos recursos fósseis por recursos renováveis, como a bio nafta

ou biogás de resíduos orgânicos, desde o início do processo de

produção.

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 65


Notícias

repintura

OFICINA PINTAUTO NA MARGEM SUL

Glasurit | A Oficina Pintauto nasceu em 1999, fruto do

esforço e perseverança do seu gerente, Marco Nunes. Atualmente,

oferece, não só, serviços de chapa e pintura da marca Glasurit, como,

também, soluções de reparação integral dos veículos: mecânica,

eletricidade, pneus e alinhamento nos seus 2.000 m 2 de superfície,

dotados da última tecnologia em equipamento e uma equipa de

11 pessoas na oficina e dois elementos para a parte administrativa

e gestão de clientes. Atualmente, aos 41 anos, Marco Nunes é visto

pelos seus amigos do setor como uma referência, sendo a Pintauto

uma das empresas de maior prestígio na Margem Sul, tendo um

futuro brilhante à sua frente.

AXALTA

CERTIFICA PINTORES DA

VOLVO CAR PORTUGAL

Parceiro de longa data da Volvo Car Portugal na área de repintura automóvel, tanto no fornecimento

de soluções técnicas de pintura como na formação dos profissionais da sua rede

de concessionários, a Axalta realizou, em meados de junho, nas suas instalações, em Mem

Martins, uma ação de certificação dos pintores da rede Volvo. O processo de certificação é muito

abrangente e permite aos avaliadores da Axalta perceberem qual o estado de conhecimento que

as equipas de pintura têm. Para os cerca de 20 pintores presentes na certificação, foi uma oportunidade

de aferirem os seus conhecimentos, identificaram necessidades de formação ou treino

adicional e, consequentemente, evoluir tecnicamente na profissão.

MOONWALK: INOVAÇÃO COLORIDA

PPG | O MoonWalk é uma solução completa baseada numa

inovadora máquina de preparação de cores. Tem a vantagem de

reduzir o desperdício de produtos e maximizar a produtividade. Com

este sistema, a PPG quer entrar numa nova era e otimizar o consumo

de tinta, automatizando o processo de mistura. O grupo levou três

anos a desenvolver esta máquina para reduzir os tempos de mãode-obra

e poupar produto por meio da automação do processo de

mistura. O sistema tem um software incorporado chamado TouchMix

Express, os mais recentes programas de gestão de cores, como o

PaintManager XI da PPG, uma balança e uma impressora de etiquetas.

APOSTA Forte NOS acaBAMENTOS ORIGINAIS

Sinnek | A empresa apresentou o produto WA/6075 Underhood, uma resina especialmente projetada para interiores de veículos,

reproduzindo o acabamento original da fábrica para interiores numa única etapa. O produto simplifica a reparação por ter apenas um

passo para fazer o trabalho, em vez de ter de aplicar o produto base e depois a cor. Tudo sem sacrificar a qualidade do acabamento. É

aplicado diretamente na cataforese e faz parte do sistema básico da Série W6000 da Sinnek. Este novo produto oferece economia de

tempo e de material no processo de reparação. Comparado com o processo padrão com lixagem, o tempo total é reduzido em 43%.

Comparado com um processo com lixagem molhada ou húmida, é de 30%. Este lançamento encontra-se englobado na estratégia da

marca para se consolidar no mercado nacional e continuar com o seu forte crescimento internacional.

66 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Classificados

PBS.pdf 1 11/07/19 15:54

C

09mod_APMariaPia_betle_2016.pdf 1 17/07/19 11:55

M

Y

CM

MY

CY

CMY

ANÚNCIO PARA RECRUTAMENTO

Empresa no setor das baterias e acumuladores recruta

vendedor para zona de Lisboa e grande Lisboa.

Enviar CV: geral.pbs@net.vodafone.pt

K

AUTO PEÇAS MARIA PIA, LDA

“Com 25 anos de experiência”

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

HORÁRIO >2ª a 6ª Feira - 9h às 12h30 - 14h30 às18h30 >Sábado - 8h às 12h

Especializados nas marcas VW, SKODA, SEAT, AUDI e em peças para VW Carocha

Tel.: 213 964 690 | 213 964 837 | Fax: 213 971487

lanca_marques_.pdf Rua Freitas Gazul,13B 1 - C. 12/06/19 Ourique - 15:39 1350-148 Lisboa

autopecasmariapia@gmail.com

NOVOS Acessórios

para o SEU JEEP

. .

geral@41jeep.com 261 931 456 www.41jeep.com

Especialista em componentes elétronicos auto

www.lancaemarques.pt

Distribuidores de toda a gama Banner


Mundo

automóvel

MERCEDES-BENZ CLA

INTELIGÊNCIA

EMOCIONAL

DESIGN ELEGANTE. DESEMPENHO ÁGIL. EQUIPAMENTO COMPLETO.

POSTO DE CONDUÇÃO ERGONÓMICO. PRESTAÇÕES DE BOM NÍVEL.

QUALIDADE ELEVADA. HABITÁCULO FUNCIONAL. O NOVO CLA 180D

AUT. É O MAIS RECENTE EXEMPLO DA SEDUÇÃO COMPACTA QUE A

MERCEDES-BENZ LANÇOU, ASSUMINDO-SE COMO O MODELO MAIS

EMOCIONAL E INTELIGENTE DA SUA CLASSE por Bruno Castanheira

A

nova geração dos modelos compactos contribuiu,

significativamente, para o rejuvenescimento

e para a mudança de imagem

da Mercedes-Benz. O CLA, que se junta às Classe

A e B, desempenha um papel fundamental na

conquista e fidelização de clientes. No total, cerca

de 750 mil unidades da primeira geração do CLA

Coupé e CLA Shooting Brake contribuíram para o

sucesso deste modelo compacto. E se dúvidas houver

acerca disto, atente-se nos mais recentes números

de vendas: em 2018, este modelo contribuiu

com 1.875 unidades (849 coupés; 1.026 carrinhas)

para o volume total da Mercedes-Benz Portugal.

Nos primeiros seis meses deste ano, já foram vendidas

no nosso país 302 coupés e 230 carrinhas.

À venda desde o passado mês de maio, o novo CLA

afirma ser o veículo mais emocional da sua classe,

bem como o mais inteligente. Com o MBUX Interior

Assist, que reconhece os requisitos operacionais

dos gestos do condutor à realidade aumentada

para navegação e compreensão dos comandos

de voz indiretos, passando pelo Energizing Coach,

que fornece recomendações personalizadas de

preparação física, este modelo compacto oferece

um vasto conjunto de soluções inteligentes.

Vitamina C(LA)

Existem automóveis que seduzem em toda a sua

plenitude. O novo CLA é um deles. Concebido a

partir da plataforma que serve de base aos modelos

A, B, CLA SB e GLA, este coupé de quatro portas,

ainda que não seja, em nossa opinião, tão apelativo

quanto à carrinha, consegue ser deveras elegante,

sobretudo estando a carroçaria pintada de branco

sólido “Polar” (€250) e dispondo da linha AMG

(€3.700). O bom gosto evidenciado na elaboração

da grelha e dos grupos óticos merece, também, os

mais rasgados elogios. A combinação da prolongada

linha acima dos vidros, com as portas sem

moldura, confere ao CLA Coupé um inconfundível

carácter desportivo e sedutor. A secção dianteira

é atrativa e inclinada para a frente, como o nariz

de um tubarão, dispondo de um prolongado e esticado

capot, que inclui cúpulas. Os faróis planos,

juntamente com o capot de baixa altura e a grelha

do radiador com padrão diamante e estrela cen-

68 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


MERCEDES-BENZ CLA

O seletor Dynamic permite optar entre quatro

modos de condução, que alteram os parâmetros

da direção e do acelerador. O interior é apelativo

MOTOR

Tipo

4 cil. linha Diesel, transv., diant.

Cilindrada (cc) 1461

Diâmetro x curso (mm) 76,0 x 80,5

Taxa de compressão 15,1:1

Potência máxima (cv/rpm) 116/4000

Binário máximo (Nm/rpm) 260/1750-2500

Distribuição

2 v.e.c., 8 válvulas

Alimentação

injeção common rail

Sobrealimentação turbo VTG + intercooler

TRANSMISSÃO

Tração

dianteira com ESP

Caixa de velocidades automática de 7+ma

DIREÇÃO

Tipo

pinhão e cremalheira

Assistência

sim (elétrica)

Diâmetro de viragem (m) 11,1

TRAVÕES

Dianteiros (ø mm) discos ventilados (295)

Traseiros (ø mm) discos maciços (276)

ABS

sim, com EBD+BAS

O LIGEIRO RESTYLING DE QUE FOI ALVO TORNOU

O CLA VISUALMENTE MAIS PRÓXIMO DOS

RESTANTES COMPACTOS DA MERCEDES-BENZ

tral, criam a imagem desportiva deste

coupé. Os farolins traseiros, estreitos e

bipartidos, bem como a chapa de matrícula

alojada no para-choques, conferem

à zona posterior uma aparência

especialmente larga.

No interior, todos os elementos, como,

por exemplo, o volante, a consola central

ou os bancos, estão dispostos de

acordo com os temas de design high

tech e youthful avantgarde. Tal como

no Classe A, a arquitetura exclusiva do

habitáculo é moldada particularmente

em consonância com o design moderno

do tablier: os designers omitiram

completamente uma grelha acima do

tablier. Como resultado, a estrutura

principal deste, em forma de asa, estende-se

entre as portas dianteiras,

sem descontinuidade visual. O painel

de instrumentos, de ecrã amplo, é totalmente

independente. Já a secção

inferior, é visualmente separada da

estrutura principal do painel de instrumentos

através de um “fosso” e

aparenta flutuar em frente ao painel

de instrumentos. As saídas de ventilação,

com visual em forma de turbina,

são outros elementos diferenciadores.

Qualidade elevada, posto de condução

ergonómico, espaço de bom nível para

ocupantes e bagagem, equipamento

completo e inúmeros dispositivos de

segurança, completam os trunfos do

interior do novo CLA.

Física e química

Se há característica que este coupé tem

é uma atitude muito física, que desencadeia

uma elevada dose de química.

O novo CLA 180d Aut. seduz, também,

pelo desempenho dinâmico ágil,

preciso e reativo, primando pela envolvência.

Tudo o que faz, faz bem. E

à primeira. Durinho como um desportivo

de quatro portas deve ser, ou não

estivesse ele equipado com suspensão

de amortecimento firme, consegue, no

entanto, manter um nível de conforto

bastante razoável, mesmo com opcionais

jantes de 18”, montadas em pneus

Pirelli Cinturato P7, de medida 225/45

em ambos os eixos. A direção desportiva,

que a Mercedes-Benz define como

“Direct-Steer”, é acutilante, oferece

a assistência correta e comanda com

exatidão as inserções do eixo dianteiro

em curva. Rolamento da carroçaria é

coisa que quase não existe. E falta de

motricidade é uma situação desconhecida.

Tudo funciona bem neste coupé.

Equipado com motor Diesel de 1,5

litros com 116 cv, que traz acoplada

opcional caixa automática de dupla

embraiagem com sete velocidades

(7G-DCT), cumpre as normas Euro

6d-TEMP e faz uso de um sistema

start/stop particularmente bem afinado,

o CLA 180d Aut. oferece prestações

muito interessantes. Rápida

e suave, a caixa automática pode ser

operada através das patilhas colocadas

no volante. O que aumenta a

envolvência da condução e faz com

que tudo seja processado sem tirar as

mãos do volante. Os travões eficazes

e resistentes à fadiga, os quatro programas

de condução (“Individual”;

“Sport”, “Comfort”; “Eco”) e o controlo

de estabilidade, são outras características

que atestam o elevado estágio

de desenvolvimento do novo CLA. E,

depois, ainda existe o MBUX, porventura

a solução mais engenhosa

para aumentar o grau de envolvência

do novo CLA. O preço? Justo face a

tudo aquilo que é proposto. l

SUSPENSÕES

Dianteira

Traseira

Barra estabilizadora (diant./tras.)

McPherson

Multilink

sim/sim

PERFORMANCES ANUNCIADAS

Velocidade máxima (km/h) 205

0-100 km/h (s) 10,7

Cons. extra-urb./comb./urb. (l/100 km) 3,6/3,8/4,2

Emissões de CO 2 (g/km) 117

Nível de emissões

Euro 6d-TEMP

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Cx 0,24

Comp./largura/altura (mm) 4688/1830/1439

Distância entre eixos (mm) 2729

Vias frente/trás (mm) 1612/1602

Capacidade do depósito (l) 43

Capacidade da mala (l) 460

Peso (kg) 1490

Relação peso/potência (kg/cv) 12,84

Jantes de série

6 1/2Jx16”

Pneus de série

205/60 R16

Pneus de teste Pirelli Cinturato P7,

225/45 R18 91W

Mecânica

Pintura

Anticorrosão

GARANTIAS

2 anos

2 anos

Até 30 anos

ASSISTÊNCIA

1.ª revisão 1 ano ou 25 mil km

Custo 1.ª revisão (c/ IVA) €401,57

Intervalos

1 ano ou 25 mil km

PREÇO (s/ despesas) €40.074

Unidade testada €50.353

Imposto Único de Circulação (IUC) €128,96

70 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Mundo

Automóvel

EM ESTRADA

por Bruno Castanheira

KIA SPORTAGE 1.6 CRDI TX

CONCENTRADO DE VIRTUDES

Atraente, competente, económico, bem equipado. O novo Kia Sportage reúne uma série de virtudes

que vão ao encontro dos gostos dos adeptos dos SUV. Desde logo, pela garantia de sete

anos ou 150 mil km de que dispõe. Depois, pelo facto de estar a ser comercializado com uma

campanha de lançamento que oferece um desconto de nada menos do que... €8.000. Graças a ela, é

possível adquirir a versão 1.6 CRDi TX por pouco mais de €30.000. Se pensarmos no recheio de equipamento

e nos dispositivos de segurança instalados a bordo, este valor não deixa de ser apelativo. E

torna-se ainda mais olhando para o ar irresistível da carroçaria, onde salta à vista a elegante grelha

frontal e as jantes de 19”, assentando-lhe o vermelho muitíssimo bem. O interior propõe um posto

de condução correto, uma qualidade bastante convincente, um design funcional e um espaço de

bom nível para ocupantes e bagagem. Equipado com o motor 1.6 CRDi de 136 cv, que traz acoplada caixa manual de seis velocidades, associado

a tração dianteira e disponível com sistema start/stop, o novo Kia Sportage é deveras agradável de conduzir. A direção transmite feedback da

estrada, os travões são competentes e a suspensão mantém um bom nível de conforto, evitando excessivo rolamento da carroçaria em curva.

Já o comando manual da caixa de velocidades podia ser mais preciso. Ao invés, as acelerações e recuperações do motor Diesel, sem esquecer os

consumos comedidos, são outros trunfos deste SUV.

Motor 4 cil. linha Diesel, transv., diant. Cilindrada (cc) 1591 Potência máxima (cv/rpm) 136/4000

Binário máximo (Nm/rpm) 320/2000-2500 Velocidade máxima (km/h) 180 0-100 km/h (s) 11,2

Consumo comb. (l/100 km) 4,9 Emissões de CO 2 (g/km) 129 Preço €30.790 IUC €158,92

JEEP COMPASS NIGHT EAGLE 1.6 MULTIJET II

TRILHO DA EXCLUSIVIDADE

A

propriedade

pode ter mudado de mãos, encontrando-se, agora, na posse dos

italianos do Grupo FCA, mas o Compass conserva muitos genes que tornaram a

Jeep numa das marcas mais emblemáticas sempre que se pensa em veículos com

aptidões fora de estrada. Sem esconder o seu conceito de SUV, este modelo, na versão Night

Eagle, equipada com motor 1.6 MultiJet II de 120 cv, caixa manual de seis velocidades e tração

dianteira, consegue espalhar charme e oferecer exclusividade. A começar pelo preço: €42.788.

No entanto, a campanha de desconto (€4.500) é um argumento de peso para quem estiver a

ponderar este modelo. Na versão ensaiada, a pintura bicolor (carroçaria branco “Solid”; tejadilho

preto), disponível por €1.400, confere ao Compass um ar irresistível, combinando na perfeição

com as jantes de 18” escuras. Contudo, a característica grelha da Jeep é, porventura, o elemento estilístico mais marcante. No interior, gostámos da

qualidade geral, do espaço disponível para ocupantes e bagagem, do nível de equipamento bem apetrechado, dos inúmeros dispositivos de segurança

e do posto de condução correto. Eficaz e com reações honestas, o Compass não transmite grande envolvência de condução. O motor é mais audível do

que seria desejável, mas, pior do que isso, é mesmo a direção não transmitir grande feedback da estrada e o comando da caixa não ser mais preciso. As

prestações do motor Diesel até nem são más, tal como os consumos. Seja como for, o Compass passa no teste.

Motor 4 cil. linha Diesel, transv., diant. Cilindrada (cc) 1598 Potência máxima (cv/rpm) 120/3750 Binário máximo (Nm/rpm) 320/1750

Velocidade máxima (km/h) 185 0-100 km/h (s) 11,0 Consumo comb. (l/100 km) 4,4 Emissões de CO 2 (g/km) 128

Preço €42.788 IUC €158,92

72 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


tecnologia

HONDA E

REVOLUCIONAR

O CONCEITO

CORRIA O ANO DE 1967 QUANDO A HONDA LANÇOU NO MERCADO O N360, UM AUTOMÓVEL DE DIMENSÕES

REDUZIDAS, COM TRAÇÃO DIANTEIRA E MOTOR À FRENTE, QUE FEZ SUCESSO NA ÉPOCA. CINQUENTA E DOIS

ANOS DEPOIS, A MARCA JAPONESA REEDITA O MODELO MAS NUMA VERSÃO ELÉTRICA, QUE ASSINALA UM

PONTO DE VIRAGEM NA SUA HISTÓRIA por Ricardo Carvalho

Chama-se Honda e mas a

imagem remete-nos para

o pequeno N360 (que,

depois, teve outras variantes

até chegar ao

N600, que se diferenciava pelo motor).

Nestas páginas, revelamos-lhe o

novo citadino da marca japonesa, que

promete alterar o paradigma do mercado.

Será uma revolução porque este

e é o primeiro automóvel totalmente

elétrico da Honda e estreia uma plataforma

cujo desenvolvimento teve

em linha de conta os ambientes urbanos

nos quais o novo modelo se vai

movimentar.

A nova ofensiva elétrica do construtor

nipónico está em marcha. A marca

fixou como objetivo transformar-

-se numa referência a nível europeu

no que diz respeito à mobilidade elétrica

e sustentável. Em conjunto com

o seu novo híbrido, chegado, recentemente,

ao mercado (CR-V Hybrid), a

nova aposta da Honda incide num

veículo elétrico, cuja conceção é simples

e muito clara.

Plataforma específica

Este é o primeiro modelo da Honda

desenvolvido sobre uma plataforma

específica para veículos elétricos. Permitiu

uma aposta idónea nesta tecnologia,

tendo em conta a motorização

que propulsiona o conjunto. Terá 150

cv de potência e um binário acima dos

300 Nm, embora não se conheçam as

74 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


HONDA E URBAN DRIVING EXPERIENCE

Chassis responsivo

O chassis de elevada resistência,

com suspensão independente,

tem o objetivo de proporcionar

uma dinâmica direta e precisa

Carga rápida

Esta funcionalidade permite

recarregar 80% da bateria

em 30 minutos

Tração traseira

O motor elétrico aciona

as rodas traseiras,

reforçando a precisão

da direção

Tomada de carga

A tomada de carga inclui

um LED que indica o estado

de carregamento

Distribuição de peso

A distribuição de peso (50:50 entre

a frente e a traseira) e o baixo

centro de gravidade melhoram a

estabilidade do veículo

Poder compacto

A bateria de iões de lítio,

de elevada capacidade

(35,5 kWh), é refrigerada

a água para maximizar a

eficiência e minimizar o

tamanho

prestações anunciadas. O objetivo passa

por conseguir uma excelente dinâmica

de condução, especialmente em

zonas urbanas. Ainda que o pequeno e

deva circular mais de metade da sua

vida útil dentro da cidade, não é por

isso que a marca não se esforçou por

conceber um automóvel capaz de oferecer

uma experiência de condução

gratificante e uma elevada capacidade

de resposta.

A bateria está posicionada debaixo do

piso e centrada entre os eixos, colocação

que permite uma distribuição de

peso de 50:50 e obter um centro de

gravidade baixo. Desta forma, conseguem-se

maior manobrabilidade e

estabilidade superior. Contudo, aten-

dendo ao facto de ser um veículo

compacto de segmento B, com menos

de quatro metros (3.895 mm), 1.750

mm de largura e 1.495 mm de altura,

é de esperar que exiba alguns “tiques”

de desportivo, mesmo atendendo ao

esperado peso elevado proveniente da

bateria.

Outras das particularidades deste

novo modelo, é o facto de o motor

produzir um binário elevado, que é

transmitido ao eixo traseiro, o que,

segundo a marca, permite uma direção

mais precisa, inclusivamente durante

acelerações mais bruscas. No

que diz respeito ao aprumo do chassis,

a suspensão independente às quatro

rodas é outro fator determinante.

Os componentes da suspensão são de

alumínio forjado, o que ajuda a reduzir

o peso do veículo. Os “overhang”

curtos asseguram elevada agilidade, o

que também vai acabar por facilitar as

manobras em espaços apertados.

Single Pedal Control

A bateria de iões de lítio tem uma capacidade

de 35,5 kWh e é refrigerada

a água. A autonomia anunciada será

superior a 200 km e a bateria pode

ser recarregada através de uma ligação

CA de tipo 2 ou de um carregador

rápido DC do tipo CCS2. Num posto

de carga rápido, a bateria pode ser recarregada

80% em cerca de 30 minutos.

A tomada de carga está integrada

no capot e conta com um indicador de

LED, de modo a dar ao utilizador conhecimento

acerca do seu estado.

Seguindo o conceito introduzido por

outras marcas, como a Nissan, com o

seu e-pedal, a Honda estreia aqui a

possibilidade de utilização de um único

pedal – o do acelerador – para controlar

o veículo numa grande parte da sua

utilização em cidade, graças ao forte

efeito de regeneração da energia decorrente

das desacelerações. No léxico da

Honda, esta função responde pelo

nome de Single Pedal Control. A este

propósito, é de esperar modos diferentes

de efeitos de regeneração, bem

como um modo mais desportivo para

aproveitamento total dos 150 cv. l

RETROVISORES COM CÂMARAS: UMA ESTREIA

O novo modelo compacto 100% elétrico da marca japonesa é o primeiro do seu segmento a prescindir dos espelhos

retrovisores convencionais. No lugar destes, surgem duas pequenas câmaras montadas em cima de dois pequenos

suportes nas duas portas. A Honda refere, aliás, que estas câmaras têm dois modos de funcionamento: visão normal

e visão alargada. Em qualquer dos casos, este sistema permite reduzir os ângulos mortos característicos dos espelhos

retrovisores tradicionais. No modo de visualização normal, este efeito reduz-se em 10%, enquanto no modo de

visão alargada o mesmo efeito é reduzido em 50%. Prescindir dos espelhos retrovisores convencionais implica uma

melhoria de 3,8% a nível aerodinâmico, permitindo, assim, reduzir o consumo energético.

www.jornaldasoficinas.com Agosto I 2019 75


Mundo

AUTOMóvel

NOTÍCIAS por Bruno Castanheira

PORSCHE TAYCAN

ESTEVE NA FINAL DA FÓRMULA E

Como parte da Grande Final do Campeonato de Fórmula E da ABB

FIA, em Nova York, o Taycan, desportivo 100% elétrico da Porsche,

que será apresentado no próximo mês de setembro, mostrou todas

as suas credenciais ao completar várias voltas em circuito.

“Na Fórmula E, a recuperação desempenha um papel importante

na estratégia de corrida. Num veículo de produção, a recuperação

inteligente de energia pode possibilitar a obtenção de benefícios

significativos em termos de autonomia”, frisou Neel Jani, piloto

que conduziu o novo modelo em Nova York (EUA). Depois de China

e Grã-Bretanha, foi a terceira aparição deste protótipo em três

continentes, no espaço de três semanas, os mercados considerados

mais importantes para o Taycan. Com início de comercialização

previsto para o final deste ano, o Porsche Taycan, desportivo de

quatro portas, já tem mais de 20 mil clientes.

FORD LANÇA FOCUS ST

PARA MENTES INQUIETAS

o

novo Focus ST, desenvolvido mediante a supervisão da Ford Performance, promete emoções

fortes. A nova arquitetura “C2” foi melhorada com configurações exclusivas na suspensão,

travagem e motores, de forma a proporcionar ao novo Focus ST a experiência de condução

mais reativa e ágil de sempre. A aplicação de um diferencial autoblocante eletrónico (eLSD) neste

modelo de tração dianteira, uma estreia na marca, visa melhorar, significativamente, o comportamento

em curva e a estabilidade direcional da versão com motor a gasolina. Para deslocar o novo Focus ST,

a Ford elegeu duas motorizações: 2.3 EcoBoost a gasolina de 280 cv; 2.0 EcoBlue Diesel de 190 cv. E

dois tipos de transmissão: manual de seis velocidades; automática de sete relações.

TOYOTA AYGO

VIDA MAIS COLORIDA

A

Toyota é a primeira marca automóvel a adotar o alfabeto das cores para daltónicos, ColorADD,

que as representa através de símbolos. Combinando-os, é possível representar todas

as cores que existem. Desenvolvida pela CAETSU para a Toyota Caetano Portugal, a campanha

“A cor é para todos” pretende, assim, tornar a vida mais colorida. O código ColorADD passa, a

partir de agora, a ser aplicado ao modelo mais colorido da Toyota: o AYGO. “A Toyota é a primeira

marca automóvel a utilizar o código universal das cores. A partir de agora, connosco, todos sabem que

cores estão a escolher. Incluindo os 500 mil portugueses que sofrem de daltonismo”, referiu Bruno

Galante, coordenador de marketing e publicidade da Toyota Caetano Portugal.

SEAT INICIOU PRODUÇÃO

DE NOVA CAIXA DE VELOCIDADES

A SEAT Componentes, um dos três centros de produção da empresa,

juntamente com Martorell e Barcelona, começou a produzir a nova

caixa de velocidades de seis velocidades (MQ281) do Grupo Volkswagen,

que será utilizada pelas marcas SEAT, Volkswagen, Audi e Škoda.

A capacidade máxima de produção chegará às 450 mil unidades por

ano. O fabrico da nova caixa de velocidades nesta unidade resulta do

reconhecimento do Grupo Volkswagen no trabalho realizado pela

SEAT Componentes nos últimos anos para melhorar a eficiência e

aumentar a produtividade. Implantada em El Prat de Llobregat, a

fábrica tem um elevado nível de integração e fabrica todas as peças

em alumínio, bem como engrenagens e veios. Para tal, conta com

unidades de fundição, maquinação de precisão, montagem e banco

de ensaios. Em 2018, produziu 700 mil caixas de velocidade do

modelo MQ200 e exportou 56% da sua produção.

76 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


Mundo

Automóvel

USO PROFISSIONAL IVECO STRALIS S-WAY

EVOLUÇÃO CONSIDERÁVEL

A IVECO APRESENTOU O SEU NOVO VEÍCULO PESADO DE LONGO CURSO NUM AMBIENTE PROPÍCIO. AS

MUDANÇAS SÃO VARIADAS E A GRANDE APOSTA DA MARCA É NA CONECTIVIDADE, SEM ESQUECER O

CONFORTO E O BEM-ESTAR DO MOTORISTA por Ricardo Carvalho

O

novo Iveco Stralis S-Way reúne

todos os avanços tecnológicos

já introduzidos em

gerações anteriores do modelo. Mas

adiciona-lhes uma cabina totalmente

redesenhada e atribui grande protagonismo

à conectividade para dar

resposta às necessidades de condutor

e transportador. Os responsáveis da

marca aprimoraram o desenho e otimizaram

a aerodinâmica (melhoria

de 12%), conseguindo uma redução

de 4% no consumo de combustível.

Cada detalhe do exterior da cabina

foi estudado atentamente para minimizar

a resistência ao ar. O novo teto

está perfeitamente integrado na parte

dianteira do veículo e dispõe de uma

superfície plana, que minimiza a resistência.

Já a grelha dianteira é nova, tal como

os faróis e os para-choques, com

defletores integrados. Os próprios

guarda-lamas foram redesenhados e

contribuem para otimizar o fluxo de

ar. No interior, o novo Iveco Stralis

S-Way oferece um espaço de armazenamento

amplo e bem organizado,

uma ergonomia muito boa e ainda

uma zona de descanso cómoda e funcional.

Para garantir uma posição de

condução ideal, a base do banco, ajustável,

foi reduzida de modo a aumentar

tanto a espessura do banco como

o espaço, proporcionando a todos os

condutores um posição confortável

e uma visibilidade ótima. O volante,

multifunções, com base plana, deixa

espaço suficiente para se adaptar a

condutores de todas as estaturas, contando

com 22 botões para integrar todas

as funcionalidades, inclusivamente

os sistemas de condução assistida,

ao alcance da mão.

Mundo de soluções

O tablier do novo Iveco Stralis S-Way

foi redesenhado, tal como a consola

central, em nome da eficiência, graças

à nova disposição e ao aumento

do número de funções. Com ecrã tátil

capacitivo de 7”, acede-se a um novo

sistema de infoentretenimento de

última geração. O tejadilho, por seu

turno, foi redesenhado e tanto o túnel

inferior como toda a zona de arrumações

superior foi remodelada, proporcionando

uma altura cómoda de 2,15

m dentro da cabina. Os espaços de arrumação

no interior da cabina foram

reposicionados e surgem mais ergonómicos

e com novas volumetrias.

A Iveco fez um estudo exaustivo do

sistema de iluminação interior para

melhorar o conforto visual em todas

as condições, oferecendo a melhor

qualidade e luminosidade onde e

quando for preciso. Existem novas

lâmpadas de LED no teto, com intensidade

regulável, que asseguram uma

iluminação de fundo. A cama inferior

é de uma só peça e inclui um colchão

com 14 cm de espessura com dois níveis

de conforto. Para a cama superior,

são propostas duas soluções para

satisfazer outras necessidades.

Por fim, resta referir o novo sistema

de ar condicionado e os dispositivos

integrados de refrigeração e aquecimento

de parque, que garantem um

clima ideal dentro da cabina em todas

as condições meteorológicas durante

a condução. Quanto a motorizações,

o novo Iveco Stralis S-Way poderá ser

requisitado com motores de 9,11 e 13

litros, com potências de 330 a 570

cv, existindo, também, propulsores a

gás natural de 9 e 13 litros, com 270

a 460 cv. l

78 Agosto I 2019 www.jornaldasoficinas.com


OMaior

Evento

do AFTERMARKET em PORTUGAL

13SETEMBRO2019

More magazines by this user
Similar magazines