RCIA - EDIÇÃO 169 - AGOSTO 2019

tvcomercioeindustria

1|


|2


3|


|4


5|


ÍNDICE

EDIÇÃO169 - AGOSTO/2019

CAPA

A tecnologia Hora Sol

LEMBRANÇA

Partida de Renato Haddad

GOTA DE LEITE

Recurso fisioterapêutico

ENSINO

Liceu Monteiro Lobato

10 8 15

31

43

Sérgio Hermínio Fausto e uma

linda história de trabalho que a

cidade admira e respeita

Conhecido como “Renatinho”,

o ex-presidente da ACIA e do

Araraquarense faleceu em julho

Objetivo da técnica é reproduzir

o ambiente do útero materno na

hora do banho do bebê

Escola inaugura Sala de Robótica

Educacional e se qualifica como

uma das melhores do interior

Indústria

08| Grupo do Ciesp Araraquara

pretende discutir a gestão de

resíduos sólidos

Sincomercio

18| Número de empresas varejistas

sofre redução em Araraquara,

diz pesquisa

Escola de Música

22| Restaurado, o piano que foi

do maestro Jose Tescari já está

disponível para aulas

Canasol

58| Ela mostra a qualidade do seu

trabalho e recebe premiação

em Catanduva

Criado o Dia do Taxista com fiscalização

Acertando as contas

No mês em que se criou o Dia do

Taxista, projeto do vereador Lucas

Grecco, já está incluso no Calendário

Oficial de Eventos no Município

chegando também a fiscalização do

IPEM (Instituto de Pesos e Medidas do

Estado de São Paulo) como presente

de aniversário. Com equipes de

fiscalização formadas por especialistas

e técnicos, o instituto realiza

procedimentos em todo o Estado de

São Paulo, em balanças, bombas de

combustíveis, taxímetros, radares,

produtos têxteis, brinquedos, entre

outros materiais. Os fiscais andaram

nos taxis para uma conferência entre

o taxímetro, o quilômetro rodado e

o preço. Um passeio de graça que

pode ter custado caro.

A Prefeitura Municipal reivindicou e a

Câmara Municipal aprovou a liberação

de uma verba no valor de R$ 90 mil

para a reforma do Teatro Municipal e do

Palacete das Rosas. Não é de hoje que

a antiga sede do Clube Araraquarense -

trocada com o Estádio Municipal dentro

da administração Edinho Silva - vem

necessitando de uma reforma, mostrando

um cenário lamentável pela sua estrutura

tão deplorável. Era hora mesmo da

reforma. Quanto ao Teatro Municipal, é

injetado novo valor para a continuidade

da obra.

|6


DA REDAÇÃO

AGRICULTOR

Festa em grande estilo

49

Missa Sertaneja mostrou que de

um lado está o trabalho e do

outro está a fé

MOTOCICLISMO

Velhos tempos, belos dias

64

Benê resgata a história e traz de

volta a emoção das corridas nos

anos 70

por: Sônia Maria Marques

Temporada aberta para levar famílias à

desgraça por conta da jogatina

Os tempos modernos parecem pactuar com novos costumes

e alguns vícios que se implantados por conta da falta de

clareza, poderão abrir em determinados casos, as portas do

inferno. Sob a chancela de que hoje os bares, restaurantes

e lanchonetes seguem a CNAE (Classificação Nacional de

Atividades Econômicas), que tem como objetivo categorizar

empresas, instituições públicas, organizações sem fins

lucrativos e até mesmo profissionais autônomos em códigos

de identificação, o vereador Zé Luiz (Zé Macaco) apresentou

e a Câmara Municipal aprovou, a instalação no município

de novos bares, lanchonetes e similares, bem como jogos de

todo e qualquer tipo.

Não há no projeto, a luz da lei para explicar se nestes “jogos

de todo e qualquer tipo” estão agregados jogo do bicho,

cassino, bacará, cara ou coroa e tantos outros que sendo

considerados jogos de azar, nos quais os que têm sorte são

os que ganham com o azar dos outros jogadores, devido à

diferença de probabilidades entre a sorte e o azar.

Carrapicho

62| Músico araraquarense recebe

singela homenagem no Centro

Internacional de Convenções

Cãoterapia instalada na Apae

Reunião realizada em

julho da vereadora

Juliana Damus com a

coordenadora técnica

e pedagógica da Apae

de Araraquara, Adriana

Biasiolo, a diretora Lígia

Celante e a coordenadora

da Secretaria Municipal

de Saúde, Joice Nogueira

Calera, parece ter

definido a implantação

na unidade, da Terapia

Assistida por Animais,

chamada Cãoterapia.

A vereadora se espelhou

no trabalho desenvolvido

pela Apae de Matão,

onde a terapia assistida

com cães trabalha o

As Grandes Bandas

70| Juraci de Paula Brandão conta

a história da Banda do 13°

Batalhão da Polícia Militar

desenvolvimento motor e

mental dos pacientes. Em

Araraquara, a entidade

será a primeira a receber

o projeto, que será

realizado em parceria com

voluntários e funcionários

da pasta de saúde.

Até então, só restava

definir os responsáveis

pelo acompanhamento

fisioterapêutico e

também psicológico, já

que a contratação do

adestrador está acertada.

Mas Adriana Biasiolo

assegurou que viabilizará

os profissionais para o

atendimento à respeitada

instituição.

E o vereador com o poder de convencimento sobre os outros

parlamentares, entende que isso vai proporcionar melhorias

na gestão tributária e conseguir controlar ações fraudulentas.

Além disso, o projeto vai possibilitar a entrada de vários

empreendimentos e a criação de novos empregos para a

cidade de Araraquara. Ficando claro que com este projeto,

não estaremos abrindo precedentes para riscos a alunos e

escolas ao seu redor. Pode gerar tudo isso, mas acima de

tudo, levar muitas famílias para a desgraça.

Portal RCIARARAQUARA.COM

Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni

Supervisora Editorial: Sônia Marques

Editor: Suze Timpani

Design: Bete Campos e Érica Menezes

PARA ANUNCIAR: (16) 3336 4433

Tiragem: 5 mil exemplares

Impressão: Gráfica Bolsoni - (16) 3303 5900

A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio

é distribuida gratuitamente em Araraquara e região

* COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE

Atendimento: (16) 3336 4433

Rua Tupi, 245 - Centro

Araraquara/SP - CEP: 14801-307

marzo@marzo.com.br

Juliana

Damus

tratando da

implantação

do projeto

na Apae

7|


|8


EDITORIAL

por: Ivan Roberto Peroni

O declínio do homem público faz ruir com ele,

a natureza que dá sentido às instituições

Queria ver alguém dizer ao prefeito Valdemar De Santi - “você tirou o seu da reta”? Da mesma forma

os prefeitos Rubens Cruz, Clodoaldo Medina ou até mesmo Roberto Massafera. Contudo, os tempos

e os hábitos são outros e ao ver o prefeito Edinho Silva estar exposto e disposto a ouvir que ele

estava tirando é claro o seu da reta - numa referência aos fatos tristes e assustadores do Jardim das

Hortênsias ocorridos em junho -, chegamos à conclusão que o perfil respeitado do homem público não

existe mais, resguardados evidentemente os limites.

Marcio William Servino, conselheiro

tutelar e membro do Conselho

Municipal de Políticas Sobre Drogas,

postou nas redes sociais no dia primeiro

de junho, um artigo que nos leva a

refletir sobre a importância do homem

público dentro da comunidade, desde

que suas ações sejam da mais plena

responsabilidade.

Não podemos e nem devemos ignorar o

que aconteceu no Jardim das Hortênsias

pois é em situações assim, que vemos

a que ponto chega a fragilidade do

homem público e o desconforto dos que

lá residem.

Servino além da clareza nas suas

palavras, mostra que domina o

assunto e fixa no homem público a

responsabilidade de zelar pela cidade

no seu todo. É nisso que vem a reflexão

do “tirando é claro o seu da reta e

pondo a culpa na conta dos dois

traficantes baleados, estando um morto

e outro em estado grave, ou seja, se os

dois morrerem o caso está resolvido”.

O tráfico e uso de drogas neste bairro

atinge a segunda e terceira geração

de uma mesma família, onde pai, filho

e neto usam e vendem drogas, diz o membro do Conselho Tutelar. Ora,

pelo jeito são mais de 30 anos, não são três semanas e nenhum homem

público teve interesse em resolver. Neste particular, é justo que se diga que

a ineficiência é também da própria Segurança Pública. A questão política

pesa pois não exige medidas que defendam os moradores de bem, dentro

do bairro.

É notório nos tempos atuais essa confusão de interesses, onde tudo que é

público é tomado como particular. Onde, na verdade, o combustível que

move os interesses políticos, pouco, ou, em quase nada, se aproximam

dos interesses coletivos. Enfim, é uma inversão e banalização total de

papéis. O homem público, seja ele, do alto ou do baixo escalão da

máquina pública, toma pra si aquilo que é de todos só em festinhas e

inaugurações. Quando é para enfrentar problemas como este - tira de

fato o seu da reta.

A forma com que as redes sociais têm tratado - presidentes, governadores,

prefeitos e todos aqueles que compõem a linhagem política -, mostra

que o homem público está em declínio. Os exemplos cotidianos expostos

pela mídia nos comprovam essa triste realidade das instituições públicas,

muitas vezes, marcadas pelo sucateamento, excesso de burocratização,

lentidão, ineficiência, além da já tão denunciada corrupção.

Por certo, essa resposta é de difícil compreensão. Até porque, precisamos

entender melhor no homem moderno, aquilo que separa seus interesses

particulares dos coletivos. Penso que nesse último ponto não existe

qualquer distinção entre tais interesses, sejam eles particulares ou públicos.

Enfim, o declínio do político faz ruir com ele, a natureza que dá sentido às

instituições públicas. Neste caso, interesse e medo resultam em submissão.

9|


|10

Sérgio folheando o livro

que conta a história da

Dimep e vendo com

orgulho ao lado da

esposa Eliana, como

a Hora Sol se tornou

uma referência em seu

segmento


MATÉRIA DE CAPA

DO RELÓGIO DE PONTO AO MUNDO NOVO DA TECNOLOGIA

Sérgio Hermínio Fausto e uma linda

história de trabalho na Hora Sol

Os laços profissionais da Hora Sol com a DIMEP, empresa pioneira e líder no mercado

de produtos para controle de acesso e registro de ponto, são bem mais amplos do que

possamos imaginar. A história de ambas é semelhante: pioneirismo, desafios e inovação

tecnológica pontuando um relacionamento comercial por mais de 50 anos.

Julho de 2019. Estão reunidos na

sede da Hora Sol em Araraquara os

clientes, colaboradores e amigos do

casal Eliana e Sérgio Hermínio Fausto,

proprietário da empresa que mantém

fortes vínculos comerciais com a

DIMEP. Um dos objetivos do encontro

é apresentar a todos, através de palestras,

a evolução tecnológica dos

equipamentos e as inovações deste

setor, com foco nas mudanças que

vêm acontecendo por conta da Reforma

Trabalhista e o e-Social, envolvendo

diretamente o setor de RH das

empresas.

De acordo com o diretor Sérgio

Hermínio Fausto, a Hora Sol sempre

esteve compromissada com a qualidade

e o atendimento destinado aos

seus clientes. “Aliamos estes fatores

aos processos de transformação que

normalmente ocorrem, para dar segurança

ao controle de acesso e registro

de ponto dos colaboradores”, disse

ele na abertura do evento.

O COMEÇO DE TUDO

A tradição da Hora Sol neste segmento

é formada por pioneirismo,

Fotos: Infinity Fotografia Araraquara

Equipe de colaboradores da Hora Sol durante a realização do evento, que se

transformou em momentos de reflexão sobre a trajetória percorrida pela empresa desde

1971, quando ela foi criada

ousadia e visão empresarial, fatores

que dignificam o trabalho de Sérgio

Hermínio Fausto em uma história que

começa a ser escrita em 1969, quando

um aluno torna-se concessionário

da DIMEP, fabricante de relógios de

ponto a partir de 1936.

Em 1969, Sérgio Fausto fez inscrição

no Instituto Brasileiro de Relojoaria,

uma das tantas atividades

do professor Dimas de Melo Pimenta,

que criou a escola. Sérgio

fez o curso por correspondência

e se diplomou

em março de 1971. Foi a

Sérgio Fausto e os

componentes da equipe

técnica da empresa:

Kelvem, Genivaldo,

Márcio, Felipe e Vagner

partir daí que passou a ser concessionário

da DIMEP.

Em 1972, Sérgio iniciou o primeiro

estágio em relógio de ponto na Tagus-

Dimep, em Pinheiros. O segundo estágio

foi no ano seguinte, já na DIMEP

no Alto de Pinheiros.

O empresário conta que naquele

tempo, seu veículo era uma lambreta,

com a qual viajava para toda região,

chegando a instalar algumas redes de

relógios nas rodoviárias de São José

do Rio Preto, Araçatuba e Guaraçai.

“O primeiro carro, um Fusca 1969,

foi comprado em 1974 e me deu

melhores condições para atender a

clientela”, comenta. Até o número de

telefone de contato, de apenas cinco

dígitos ainda está em suas lembranças:

2-4548.

CONTINUA NA PÁGINA SEGUINTE

11|


Psicóloga Fabiane Prado falou do Futuro do RH

Advogado Ricardo Monnazzi e a Reforma Trabalhista e o Impacto do e-Social

LEMBRANÇAS

A transformação da Hora Sol a

partir dos anos 70 foi sendo feita de

forma moderada e equilibrada, acompanhando

a tecnologia e implantando

sistemas de gestão que lhe garantissem

uma abrangência regional.

Em 1978, a empresa construiu seu

primeiro prédio - uma área total de

40m² - na Rua Barão do Rio Branco,

1441: “Ali permanecemos até 9 de

julho de 2009, ou seja 31 anos, data

em que mudamos para o atual prédio,

na avenida Jorge Haddad”, recorda

Sérgio Fausto.

No ano de 2000, a DIMEP estendeu

a área de atuação de Sérgio

Fausto, para que assumisse a região

de Ribeirão Preto. Neste ano, montou

outro escritório naquela cidade e

designou o filho Dimas Fausto para

gerenciar, com o nome de Comercial

Hora Sol Araraquara, hoje denominada

Dimastec. Os dados fazem parte

da publicação feita pela DIMEP em

2016 nas comemorações dos seus

80 anos de atividades.

Para o empresário, hoje as inovações

não devem ocorrer apenas

tecnicamente, tornando-se de extrema

importância o acompanhamento

organizacional das empresas; daí, a

realização de duas palestras com te-

Durante o workshop, Roberto e Ederson

mostram as inovações da DIMEP

mas ligados às mudanças que vêm

ocorrendo por conta das reformas trabalhistas.

Isso implica na reformulação

dos serviços praticados pela área

de recursos humanos das empresas.

AS PALESTRAS

O Futuro do RH, tema da palestra

ministrada por Fabiane Prado, diretora

Executiva da MAF Consultores

Associados e do Espacio Crescer,

alertou os empresários para os novos

moldes de administração de pessoal.

A palestrante, com enorme experiência

- mais de 20 anos no segmento de

RH, disse que o objetivo é sensibilizar

os profissionais envolvidos na gestão

de pessoas e que todos devem andar

juntos com a tecnologia: “Hoje o mundo

mudou, a tecnologia evoluiu muito,

as coisas estão mais rápidas, porém

fica o questionamento: o RH vai deixar

de existir, ele já não é mais importante?

Pelo contrário, o papel do RH

em todo esse processo de mudanças

nas organizações é fundamental”, comentou

Fabiane.

O advogado Ricardo Monazzi,

também palestrante, destacou a

importância da Hora Sol promover

o encontro visando apresentar aos

empresários dentro deste universo

novo que é a Reforma Trabalhista e

o e-Social, o ‘compliance trabalhista’

que é a necessidade de ter o produto

Hora Sol ajudando na forma correta

de anotar a jornada e passar com segurança

os dados ao e-Social. Tudo se

transforma num conjunto de informações

que significa agir de acordo com

uma regra, que é estar em “compliance”,

estar em conformidade com leis

e regulamentos externos e internos,

sinalizou o palestrante.

Fotos: Infinity Fotografia Araraquara

Empresário Sérgio Hermínio Fausto,

ressaltando a missão da Hora Sol em um

segmento tão importante na atualidade

SOLUÇÕES DE PONTO E ACESSO

Catraca com leitura

de código de barras

SERVIÇO

HORA SOL TECNOLOGIA

Avenida Jorge Haddad, 552

Vila Xavier - Araraquara

Contatos:

(16) 3322-5933 / 99711-1597

email: adm01@horasol.com

WWW.HORASOL.COM

Relógio

de ponto

da DIMEP

com a mais

avançada

tecnologia, faz

parte da lista

de produtos

da Hora Sol

Catraca de acesso

a cadeirante

|12


13|


|14


A foto marcada pelo tempo. Era de 1970,

saída da missa na Igreja Matriz

Renatinho jogou no Atlas, do saudoso

técnico Armando Clemente

HOMENAGEM

RENATO HADDAD

Uma história feita

por desafios

É impossível desvincular a imagem de Renato Haddad das

atividades que desenvolveu em nossa cidade: empreendedor,

ex-presidente do Clube Araraquarense, ex-presidente da

ACIA, secretário de Desenvolvimento Econômico, secretário

de Cultura, sempre com planos para fazer da sua terra

natal, uma cidade respeitada.

O basquete do Araraquarense em 1975

Campeonato Interno do Araraquarense

Um menino sonhador, sempre disse

a mãe Luiza Apparecida Spadoni

Haddad. Mais que isso, comentava o

irmão Jeferson: “Ele é muito ousado,

corajoso, arranja forças para lutar em

defesa de uma causa”. Ambos falavam

de Renatinho Haddad que num

certo dia, percorreu um hiato entre a

infância e o aniversário de 33 anos do

SOMZÃO, conceituada loja de som e

acessórios.

Nascido em abril de 1961 num sobrado

da Rua 9 de Julho (atualmente

a Lojas Cem), Renato foi ter aos 19

anos o golpe mais violento da sua

vida: o pai Talel Feres Haddad, que

com idade avançada, lamentavelmente

desapareceu ao sair de casa numa

manhã. O carinho das irmãs Marlene,

Marly, Marisa, o amor da mãe Luiza

somados a presença diária de Jeferson,

aconselhando e ensinando, fizeram

o caçula Renato entender que

precisaria sempre usar sua garra para

sair vitorioso.

CONTINUA NAS PÁGINAS SEGUINTES

15|


Jefinho e o irmão Renato que tinham em Araraquara as

duas lojas do Somzão

O desempenho que teve dentro do comércio, levou Renatinho a ser

eleito presidente da Associação Comercial e Industrial de Araraquara

Da infância feliz, ele trazia boas recordações:

“Fiz o primeiro e segundo

anos no Carlos Baptista Magalhães;

em janeiro de 1970, minha família se

mudou para a rua 6 esquina da Dom

Pedro. Acho que morar ali mudou minha

vida, pois um mundo de opções

se abriu para mim”, contava. O terceiro

e quarto anos de grupo ele fez no

Antonio J. de Carvalho e, sendo o ano

da Copa do México (1970), começou

a jogar futebol na Praça Pedro de Toledo.

“Éramos os moleques do “Largo

da Câmara”, vidrados com a conquista

da Jules Rimet e só entrávamos na

classe quando a professora vinha nos

buscar, pois jogávamos futebol até o

último instante. Dali, da praça, partíamos

para todos os campinhos, jogando,

brincando e conhecendo a cidade.

Fui campeão dente de leite pelo Atlas,

do sempre querido Armando Clemente”,

dizia ele cheio de alegria.

Aos 18 anos, seu irmão Jeferson,

que exercia engenharia, voltando

para a cidade, montou o Somzão

Acessórios e levou Renato para trabalhar

com ele (eram duas lojas em

prédios próprios). Ao mesmo tempo

em que trabalhava, formou-se em

Direito em 1984, e três anos depois

casou-se com Léa com quem tem um

filho: Renato, também formando em

Direito.

SUAS OUTRAS ATIVIDADES

No Clube Araraquarense, Renato

Haddad teve importante atuação; tornou-se

conselheiro no início dos anos

1990 e, em 2003 foi eleito presidente

com 62% dos votos dos associados e

reeleito em 2005.

Um outro desafio estava por vir:

em 2010, foi eleito presidente da

ACIA, onde procurou realizar um trabalho

sério e compromissado para o

desenvolvimento das empresas da

cidade, ao lado dos diretores, conselheiros,

associados e funcionários.

“Implantamos algumas atividades

como o Clube de Benefícios, Banco

de Talentos, AdvocACIA, Universidade

ACIA, além de nos tornarmos Agente

de Registro de Certificação Digital.

Também trabalhamos para o retorno

da Serasa à entidade”, argumentava.

Renato lembrava de muitos amigos

que o ajudaram a vencer as

eleições na ACIA, entre eles, o ex

presidente Valter Merlos. O cargo de

presidente da entidade praticamente

alterou sua rotina de empreendedor,

pois além de estar diariamente no

Clube Araraquarense, fazia o mesmo

em relação à ACIA, praticamente todas

as tardes.

Foi durante sua gestão no Araraquarense,

que aconteceu uma das

mais importantes transações imobiliárias

da história de Araraquara:

a compra do Estádio Municipal. Ao

anexar o estádio ao clube, valorizou

sobremaneira o patrimônio do Araraquarense.

Na época foi uma atitude

corajosa de Renato Haddad, ressaltam

ainda hoje os associados.

Desde o ano passado, acometido

por uma doença degenerativa – Esclerose

Lateral Amiotrófica, a ELA, por

várias vezes foi levado ao Hospital

São Paulo, onde era acompanhado

por profissionais. No HSP, Renato

Talel Haddad faleceu no dia primeiro

de julho, entristecendo a nossa cidade

e deixando verdadeira legião de

amigos.

|16

Sua posse como presidente da ACIA

substituindo o amigo Valter Merlos, foi

motivo de uma grande festa no Clube

Araraquarense


17|


ARTIGO

Número de empresas varejistas

sofre redução em Araraquara

Estudo do Sincomercio Araraquara revela queda de 26,5% no número de estabelecimentos

no ano de 2018, em relação a 2017

O Núcleo de Economia do Sincomercio

Araraquara, em levantamento

elaborado a partir de dados do sistema

cadastral da entidade, divulga

a quinta edição do mapeamento do

comércio varejista. O estudo analisa

as variações ocorridas nos principais

corredores comerciais de Araraquara,

além de revisar o nível de concentração

do varejo pelas principais ruas e

avenidas da cidade.

Nesta edição, o universo analisado

é de 4.013 empresas do varejo,

sendo que em 2017 esse número

atingia 5.464. Após três anos de

abertura de novos empreendimentos,

com crescimento de 24,2% em 2015,

51,6% em 2016 e 4,5% em 2017, o

ano de 2018 foi o primeiro desta série

histórica a registrar redução no número

total de lojas em funcionamento.

A queda foi de 26,5% em relação a

2017.

Na crise econômica há um

declínio da atividade comercial. A

demanda por consumo diminui,

o que leva à diminuição da taxa

de lucro das empresas. Como

as empresas passam a lucrar

menos, muitas delas acabam

demitindo funcionários e isso

leva ao aumento de taxas de

desemprego. Com mais pessoas

desempregadas, a renda diminui,

o que leva a um menor consumo

das famílias, ou seja, menor

demanda. Cria-se então um ciclo

que tende a se reproduzir e se

intensificar. Para frear o ciclo,

é necessário adotar políticas

econômicas de estímulo à

economia e o sucesso – ou não –

dessas medidas, vai determinar a

intensidade e duração das crises.

Entre os anos de 2014 e 2017,

a própria crise econômica foi determinante

para a elevação no ritmo de

novos estabelecimentos comerciais,

uma vez que muitas pessoas que per-

Variação dos estabelecimentos por bairro e total – 2014 a 2018

Além do varejo, outros setores são atingidos na crise

econômica e acabam encerrando as atividades como

ocorreu com a Academia Life, em julho

deram seus empregos, encontraram

no empreendedorismo uma forma

de assegurar sua fonte de renda.

Porém, grande parte desses pequenos

empreendimentos não possuem

|18


o planejamento e o conhecimento

adequados para gestão do negócio.

Simbolizado pelo microempreendedor

individual, que representa cerca

de 21,5% dos lojistas da cidade, o

“empreendedorismo por necessidade”

foi o mais impactado, contribuindo

significantemente com o total das

1.450 lojas fechadas no período.

De outra parte, o próprio orçamento

reduzido desse tipo de empreendimento

não permite a sua instalação

na região central e acaba gerando

uma migração para bairros periféricos,

promovendo a expansão desses

corredores comerciais mais distantes

do centro. A despeito de todos os

bairros terem apresentado variação

negativa no período analisado, a região

central fechou mais empreendimentos

em relação a outras regiões.

Para exemplificar, enquanto no centro

houve queda de 26,2% no total de

lojas em funcionamento, a redução

na região da Av. Bento de Abreu e proximidades

foi de apenas 2%.

Apesar da descentralização que

vem sendo observada desde o início

deste mapeamento, em 2014,

ainda é expressiva a participação da

região central no comércio varejista,

responsável por aproximadamente

21,5% dos 4.013 estabelecimentos

ativos na cidade. Na comparação com

2017, essa participação se manteve

estável, entretanto, ela já foi maior,

chegando a representar 35% do varejo

araraquarense em 2014.

A preferência pelos corredores

centrais está associada, sobretudo,

à ótima infraestrutura já existente

na região, como também ao intenso

Embora seja

uma atividade

diferente do

varejo, ainda

que comercial,

é triste nos

depararmos

com situações

assim, levando

a empresa a

colocar o aviso

na porta que a

sua vida chegou

ao fim

A aposta no comércio localizado ainda visa garantir

aos bairros mais afastados, a possibilidade de suprir

as necessidades de compras na própria região, e

aos lojistas assegurarem sua rentabilidade.

fluxo de pessoas que circulam por

esses pontos, aumentando a exposição

das lojas, o contato com os

consumidores e as possibilidades de

venda. Contudo, os custos de locação

desses imóveis podem desfavorecer

a instalação de micro e pequenos

empreendimentos. A dificuldade de

estacionamento também tem representado

um entrave para as lojas, já

que os consumidores preferem locais

de mais fácil acesso, e também cada

vez mais optam pela praticidade e

economia de tempo, buscando locais

mais próximos de suas residências.

A descentralização dos empreendimentos

melhora, ainda, a distribuição

do fluxo comercial e a desobstrução

das principais vias da cidade.

Tal característica nos

mostra uma cidade

mais moderna, melhor

planejada e com maiores

facilidades ao consumidor.

A aposta no

comércio localizado

ainda visa garantir aos

moradores dos bairros mais afastados,

a possibilidade de suprirem suas

necessidades na própria região, e aos

lojistas, assegurarem sua rentabilidade.

Com isso ocorre uma descaracterização

do comércio central, estabelecendo

uma relação mais próxima

entre comerciante e consumidor, e

proporcionando uma fidelidade maior

entre os agentes econômicos.

O que ocorre em Araraquara é

uma tendência que se constata em

diversas cidades do Brasil. O consumidor

está cada vez mais exigente e

a concorrência cada vez maior, fazendo

com que o comerciante precise

utilizar toda sua capacidade para

manter-se no mercado. Dessa forma,

uma aproximação maior ao consumidor,

levando os produtos a locais mais

próximos dele, acaba por contemplar

as necessidades práticas do dia a dia.

O mais importante é lembrar que

todo empreendimento necessita cada

vez mais de planejamento e atenção

às tendências comportamentais do

seu consumidor. A alta mortalidade

dos empreendimentos comerciais em

Araraquara tem íntima relação com a

falta desses atributos. Em busca do

aprimoramento da competitividade

do comércio varejista local, o Sincomercio

Araraquara realizou durante

o primeiro semestre de 2019, o projeto

“Varejo Expert” com objetivo de

trazer mais especialização para os

empresários, gerando melhores oportunidades

e foco no desenvolvimento

econômico e comercial da região.

SERVIÇO

Sindicato do Comércio Varejista de

Araraquara (Sincomercio)

Avenida São Paulo, 660 • Centro

Contato: (16) 3334 7070

sincomercio@sincomercioararaquara.com.br

www.sincomercioararaquara.com.br

19|


No Sicoob Central Cecresp estão agregadas 110

cooperativas financeiras, uma delas o Sicoob da Barroso,

que cada vez mais capacita seus profissionais visando o

fortalecimento da instituição no Estado.

A primeira loja da cooperativa na Rua Toad, 31, em Rochdale

Renata e os brasileiros participantes do programa

CONHECIMENTO

Renata Orloski participa de Intercâmbio

Técnico da Confebras na Inglaterra

Ligada profissionalmente à história do Sicoob da Barroso,

Renata é a primeira representante do Estado de São Paulo

a participar do Intercâmbio Técnico da Confebras na

Inglaterra, lugar onde nasceu o cooperativismo.

As lideranças do sistema cooperativista

em nosso país tiveram em

maio, uma grande oportunidade de

aprendizado no exterior. Alguns profissionais

do setor participaram do

Programa de Intercâmbio Técnico da

Confebras (Confederação Brasileira

das Cooperativas de Crédito), na Inglaterra.

O curso realizado durante

oito dias no The Co-operative College,

instituição educacional britânica

que se dedica à promoção de valores,

ideais e princípios cooperativos, teve

a parceria da ABCUL, Associação de

Cooperativas de Crédito Britânicos

e do Rochdale Pioneers Museum,

que está alojado no edifício onde a

Rochdale Equitable Pioneers Society

começou a operar em 21 de dezembro

de 1844. O museu é considerado

o berço do moderno movimento

cooperativo. Ele está localizado em

Rochdale, Greater Manchester. Os

participantes passaram por um programa

de estudos em Manchester,

Liverpool e Londres.

A foto que mostra Renata, retrata

o museu em Rochdale (não é uma

reconstrução), mas a sala da primeira

cooperativa do mundo

ARARAQUARA NA HISTÓRIA

Renata Orloski, do Sicoob Araraquara

(agência da Avenida Barroso).

pela primeira vez participou do programa

da Confebras recebendo no

final sua certificação no The Co-operative

College, uma das mais importantes

cooperativa college da Inglaterra

com 100 anos de existência.

|20


21|


ESCOLA DE MÚSICA

Piano centenário retorna à

casa do Maestro José Tescari

Cria-se em Araraquara um dos mais arrojados programas

sociais visando dar formação musical às crianças. O

movimento nasce de uma ação conjunta entre os clubes

Rotary da cidade, empresários e músicos voluntários.

Também presentes ao ato, o entusiasta

do projeto Joel Aranha e José Eduardo

Delfino, neto do maestro Tescari, que se

emocionaram com o retorno do piano

centenário e a concretização do projeto

da Escola de Música “Maestro José

Tescari”. Ainda na foto, Valter Merlos, a

esposa Célia e os músicos participantes do

movimento.

vatório Dramático e Musical de Araraquara,

uma das primeiras escolas do

gênero do estado. Em 1943, fundou a

orquestra sinfônica de Araraquara e

em 1947 o quarteto de cordas.

A Escola de Música “Maestro José

Tescari” foi criada e é dirigida por um

grupo de amigos, com apoio dos clubes

de Rotary de Araraquara e músicos

voluntários da cidade. A inauguração

da Escola será em breve, mas

já foi montada uma primeira turma

para um curso de férias. Os cursos

são gratuitos e as inscrições já podem

ser feitas pelo celular 99292-2033,

com Marli. Um dos requisitos aos alunos

será a frequência escolar regular.

Os músicos e professores voluntários

da primeira turma da Escola, João

Portero e André do Pistão convidam

músicos interessados em participar

de forma voluntária no projeto. “A escola

está aberta aos amigos músicos

que queiram doar parte do seu tempo

e ministrar aulas na escola”, diz André

do Pistão.

VALTER MERLOS

Parte da história cultural de Araraquara

foi resgatada esta semana,

com o retorno do piano centenário

que pertenceu ao maestro José Tescari

à casa onde ele morou, localizada

à Rua Carlos Gomes, nº 1116, no

centro de Araraquara.

Totalmente restaurado por iniciativa

do neto de Tescari, o rotariano

José Eduardo Delfino, o piano foi cedido

agora para a Escola de Música

“Maestro José Tescari”, instalada na

casa onde o maestro viveu com família

e compôs muitas de suas músicas

nesse piano inglês Bentley.

José Tescari nasceu em Legnano,

Itália, em 5 de julho de 1882. Estudou

violino e harmonia com seu pai,

Domingos Tescari, que era professor

do conservatório de Gênova. Aos oito

anos de idade fez seu primeiro concerto,

tocando para o Rei Humberto I.

Em 1894 radicou-se no Brasil,

onde continuou seus estudos em Itu,

no colégio São Luis. Atuou e lecionou

nas cidades de Itu, Araraquara e Rio

de Janeiro, mudou-se para Araraquara,

onde fundou, em 1928, o Conser-

Inegável

o trabalho

realizado por

Tescari para

nossa cidade;

sua história

agora se

repete com a

dedicação do

empresário

Valter Merlos

Presente ao ato da entrega do

piano restaurado à escola, o empresário

Valter Merlos, representando o

Rotary Clube “Morada do Sol”, agradeceu

aos voluntários empenhados

no projeto. “Estamos vendo um sonho

realizado com o retorno do piano à

casa com esta finalidade tão especial

de poder proporcionar a jovens

que não têm condições financeiras, o

aprendizado de música”, disse.

É importante ressaltar que Merlos

é um dos maiores incentivadores deste

movimento em Araraquara, tendo

até mesmo disponibilizado o prédio

que foi residência do Maestro José

Tescari para instalação da escola.

|22


Raphael Moraes - gerente de operações

do Bob´s, Antonio Munhoz - Diretor de

operações, Alan Zacharias - proprietário,

Adriana Zacharias, Cristina Stenica -

Consultora de negócios, Alana e Adrielly.

SHOPPING JARAGUÁ

Conveniência, agilidade e personalização

de produtos marcam reabertura do Bob’s

Ponto de venda conta com estilo contemporâneo e experiência de consumo exclusiva.

Os moradores de Araraquara passam

a contar com um Bob’s reformado

e o conceito de uma marca extremamente

forte na área gastrônomica

do Shopping Jaraguá. Já em plena

atividade, o ponto de venda oferece

uma experiência de consumo única,

na qual os pedidos poderão ser feitos

diretamente no caixa ou em totens

de autoatendimento. Além disso, os

clientes poderão desfrutar de molho

à vontade – uma exclusividade do

Bob’s –, utilizar o refil de refrigerantes

e optar por sanduíches em tamanhos

P, M, G.

Outro diferencial único da rede é

a possibilidade de pedir um item do

sanduíche “no capricho”. O consumidor

pode escolher qualquer insumo

em dobro, exceto pão e carne, sem

custo adicional. A loja serve o cardápio

completo do Bob’s, com sanduíches,

batata-frita, milk-shakes, além

de toda a linha de sobremesas.

“Estamos muito satisfeitos em

reabrir o Bob’s do Shopping Jaraguá e

apresentar ao consumidor os nossos

produtos e inovações tecnológicas. O

cliente terá uma experiência única,

afirma Marcelo Tristão, diretor de desenvolvimento

do Bob’s.

Os visitantes podem conhecer

ainda as novidades da rede, como a

campanha Dupla Bob’s, uma deliciosa

promoção de lanche com bebida

por R$ 14,90. Ela oferece três opções

de sanduíches com duas carnes: Big

Bob, Cheddar Duplo ou Double Barbecue.

Para acompanhar, o consumidor

pode escolher entre o milk-shake de

300 ml ou o refil de refrigerante.

Outro novo produto no cardápio

é o sanduíche Bob’s Tentador. Entre

seus ingredientes está o inédito pão

brioche, um suculento e exclusivo

hambúrguer de 160g e uma outra

novidade, a sobrecoxa de frango empanada

de 120g. Na linha de gelados,

o Bob’s combinou duas preferências

nacionais com o Milk-Shake, Twister e

Big Cascão de Negresco® com Leite

Moça®, uma parceria com a Nestlé.

A loja gera 12 empregos diretos

e 30 indiretos e está preparada para

atender cerca de 7 mil clientes por

mês. Atualmente, o estado de São

Paulo conta com 154 pontos de venda

do Bob’s, sendo dois em Araraquara.

A rede tem a expectativa de abrir

mais dez unidades no estado até o

final do ano.

Av. Alberto Benassi, 2270 •

Araraquara/SP

Diariamente, das 11h às 22h

23|


GILBERTO CHIERICE

Obrigado doutor,

pela esperança

Pacientes com câncer em

todo o país viram em

Gilberto Chierice uma luz

para a cura. Não deu.

Por mais de 25 anos, o cientista

Gilberto Chierice levou esperança e

cura a centenas de pacientes oncológicos.

Conhecido como uma pessoa

simples e de enorme coração, tinha

um trabalho definido como excepcional

e competente.

Em 2016, o cientista foi homenageado

pela SABSA - Sociedade Amigos

do Bairro de Santa Angelina, com

o diploma de Honra ao Mérito aos cidadãos

de vários setores que se destacaram,

sempre no ano anterior. O

professor aposentado da Universidade

de São Paulo (USP), e pesquisador

Gilberto Orivaldo Chierice, teve seus

Chierice na noite em

que foi homenageado

na SABSA, ao lado

de Osvaldo Tucci

Neto (escoteiros),

José Carlos Porsani

(vereador) e Antonio

Rodrigues dos Santos

Neves (escoteiros)

méritos reconhecidos, sendo ovacionado

pelos presentes; foi ele quem

desenvolveu a Fosfoetanolamina, a

substância que segundo o cientista,

poderia curar o câncer.

Chierice coordenou por mais de

20 anos os estudos com a Fosfoetanolamina

sintética, que simula a

substância presente no organismo

e sinaliza células cancerosas para a

remoção pelo sistema imunológico. “A

fosfo está aí, à disposição, para quem

quiser curar câncer, não precisam pagar

por isso, já pagaram o meu salário

para eu pesquisar, portanto a cura é

do povo”, ressaltava o especialista,

nos desafios que teve com os grandes

laboratórios.

O professor foi morador do Santa

Angelina, amigo de todos, simples,

simpático e solícito. A homenagem foi

um evento especial, com pessoas de

grande importância para a sociedade

e com a marca SABSA que valeu muito

para ele. Faleceu no dia 19 de julho,

sendo sepultado em São Carlos.

|24


25|


MERCADO

Saradafit no

comércio eletrônico

O sistema de estoque é controlado por softwares e

atualizado a cada venda

Há um ano instalada na Incubadora

de Empresas de Araraquara,

a Saradafit, de moda fitness, adere

neste mês ao comércio eletrônico, via

e-commerce, para vendas no varejo.

Com a nova ferramenta, os sócios

Antônio Piani Neto e Susana Ribeiro

projetam um crescimento de 30%

no faturamento global da empresa.

Atualmente, a Saradafit produz 400

peças por mês.

Segundo Antônio Piani, as vendas

online são seguras para os consumidores

e para os empresários. O

sistema de estoque é controlado por

softwares e atualizado a cada venda.

VARIEDADES

|26

Outros fatores positivos mencionados

por Piani são a comodidade

dos clientes para a escolha da variedade

de produtos no conforto do

lar, a flexibilidade de horários, promoções

especiais em combos, clube

de vantagens, novidades por email e

WhatssApp, e a tendência dos jovens

de comprarem pelo celular.

“Nós estamos acompanhando as

mudanças e os avanços do mercado

varejista, e o futuro é o comércio eletrônico

que abre as portas também

para as empresas de menor porte”,

afirma.

Susana Ribeiro e Antônio Piani Neto, sócios na Saradafit, aguardam

crescimento de 30% com o comércio eletrônico

Susana acrescenta que a qualidade

dos produtos é o principal foco

da empresa. “Nossos clientes são esportistas

de academias e praticantes

de yoga, crossfit, corridas, entre outros.

Por isso, confeccionamos peças

resistentes, com material sintético e

acabamento UV”.

Na visão do vice-prefeito e secretário

do Trabalho e do Desenvolvimento

Econômico, Damiano Neto,

a adesão da Saradafit às vendas

online vem ao encontro

das inovações na

Incubadora, com as

instalações de startup

de Tecnologia da

Informação e Comunicação.

“A Incubadora fornece

suporte e orienta

gestão em diversos

ramos da economia.

Também implantamos uma sala destinada

para novos empreendedores

da Tecnologia da Informação e Comunicação

desenvolverem projetos.

Acredito que haverá uma interação

produtiva entre os incubados, pois

todos necessitam de tecnologia para

evoluir”, observa Damiano.

EXPANSÃO

Susana Ribeiro

agora de olho nas vendas pela internet

Para o gerente executivo da Incubadora,

Lucas Campanha, a Saradafit

se consolida a cada dia na região e,

em breve, conquistará mais clientes

em outros estados do Brasil com as

vendas on-line.

As compras on-line estão à disposição

dos clientes no site www.

saradafit.com.br e mais informações

podem ser obtidas na sede da Incubadora

na Avenida Jorge Fernandes

Mattos, 311, no 8º Distrito Industrial.


27|


CÉLULAS SOLARES

Para onde vão

nossas pesquisas

Período de estágio na Colorado School of Mines, nos EUA,

foi determinante para a pesquisa que teve a supervisão do

Instituto de Química de Araraquara

|28

A pesquisadora Bruna Bregadiolli,

do Instituto de Química (IQ) da Unesp

de Araraquara, acaba de retornar de

seu período de estágio de pesquisa

no exterior financiado pela Fapesp,

onde desenvolveu novos materiais

funcionais baseados em carbono

para aplicação em células solares.

Tal aplicação é parte da linha de

pesquisa de interesse do Centro de

Desenvolvimento de Materiais Funcionais

da FAPESP na área de energia e

meio ambiente, ao qual a pesquisadora

também está vinculada.

Nesta pesquisa, realizada sob

supervisão da professora Maria Aparecida

Zaghete, do IQ da Unesp de

Araraquara, e integrantes do CDMF/

FAPESP, foram desenvolvidas diversas

técnicas para a produção de novos

materiais, com grupos ancoradores

orgânicos tais como trifenilaminas e

tiofenos ancorados a nanodiamantes

e a derivados de grafeno.

Esses novos materiais possuem

estrutura doador/aceitador quando

ligados covalentemente ao composto

derivado de carbono, dando origem

a um sistema conjugado que poderá

facilitar o transporte de cargas nos

novos compostos. Além disso, o ancoramento

de novos ligantes pode alterar

os níveis de energia dos materiais,

o que pode ser adequado de acordo

com sua aplicação.

No resumo de seu projeto de

pesquisa de pós-doutorado, Bruna

argumenta que a fim de atender a

crescente demanda energética das

últimas décadas, o uso de energias

renováveis, tais como as células fotovoltaicas,

tem se destacado como

forma promissora de energia limpa,

renovável e eficiente para redução

do uso de combustíveis fósseis, não

renováveis e poluentes.

Neste sentido, o Brasil, por sua localização

e extensão territorial, recebe

a energia solar de cerca de 1013

MWh por ano, o que corresponde a

aproximadamente 50.000 vezes o

seu consumo anual de eletricidade.

“Assim, o desenvolvimento de dispositivos

que convertam a luz solar

em energia elétrica utilizando novos

materiais, eficientes e de baixo custo,

Acima: Maria Aparecida Zaghete,

do Instituto de Química da Unesp

de Araraquara; À esquerda, a

pesquisadora Bruna Bregadiolli,

ao centro, com os outros

membros do Sellinger’s Group,

na Colorado School of Mines em

Golden, nos EUA

tem despertado o interesse na comunidade

científíca mundial”, destaca

o texto.

O estágio de pesquisa da pós-doc

da Unesp de Araraquara, possibilitou

o contato da pesquisadora com técnicas

avançadas de síntese e caracterização

de materiais orgânicos e a colaboração

do professor Alan Sellinger e

os membros de seu grupo, tanto para

a obtenção desses novos materiais,

como a futura aplicação em dispositivos.

Além disso, firma a parceria

do grupo de pesquisa do IQ-Unesp/

Araraquara com o grupo da Colorado

School of Mines.

O CDMF, dirigido pelo professor

da UFSCar, Elson Longo da Silva, é

um dos Centros de Pesquisa, Inovação

e Difusão (Cepids) apoiados pela

Fundação de Amparo à Pesquisa do

Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe

também investimento do Conselho

Nacional de Desenvolvimento Científico

e Tecnológico (CNPq), a partir

do Instituto Nacional de Ciência e

Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia

(INCTMN).


29|


|30


Acostumado com o útero

materno, o recém-nascido

tende a se sentir mais seguro

no banho de balde, que

reproduz um ambiente já

familiar e aconchegante.

RECURSO FISIOTERAPÊUTICO

Gôta de Leite utiliza banho

de balde em prematuros

Objetivo da técnica é reproduzir o ambiente do útero

materno na hora do banho para relaxar o recém-nascido

Acalmar e facilitar a adaptação

do recém-nascido ao novo ambiente,

reproduzindo no banho as mesmas

condições que ele tinha no útero da

mãe. Estes são alguns dos benefícios

do banho de balde, técnica que

a maternidade Gota de Leite - Fungota

adotou em 2014 na sua UTI Neonatal,

como um recurso fisioterapêutico no

auxílio do tratamento de prematuros.

A iniciativa de implantar a técnica

na maternidade foi da fisioterapeuta

Elaine Pereira Raniero, há cinco anos,

quando ela iniciou seu Doutorado

no Departamento de Puericultura

e Pediatria, Faculdade de Medicina

de Ribeirão Preto (USP), cujo tema

é “Ensaio clínico sobre aplicação de

hidroterapia em recém-nascido prétermo”.

Segundo ela, o banho de balde

pode ser indicado para recém-nascidos

da Unidade de Terapia Intensiva

(UTI) e Unidade de Cuidados Intermediários

(UCI) Neonatais. Muitas vezes,

são bebês ainda em incubadora, sem

capacidade de controle térmico, que

estão há muito tempo internados e

estressam com qualquer tipo de manipulação.

Pode ser indicado para

casos de prematuros que sofrem de

episódios de apneia (se esquecem de

respirar). Parabéns à Gota pela inovação

que vem praticando, pois com a

nova técnica, a criança se sente segura

e muito relaxada.

31|


ARTIGO

Ubiratan Reis

Entre a cruz trabalhista e a espada tributária

As empresas sofrem demais com as obrigações acessórias

trabalhistas e tributárias, cujos ônus são ainda maiores com

relação as micro e às pequenas empresas.

As mobilizações para que essas obrigações sejam extintas têm

se tornado mais abundantes e robustas, como instrumento

apto e eficaz para retomada do crescimento e desenvolvimento,

observa-se, por exemplo, o excesso de normas (leis, decretos,

portarias, etc) que diariamente são editadas sem o mínimo de

critério e que muitas das vezes não têm efeitos práticos. E mais,

a insegurança jurídica se apresenta como outro grave entrave

nos negócios.

Se é verdade que o risco do negócio deve ser atribuído àquele

que vê no mercado uma oportunidade de auferir riqueza, de

forma isonômica, se faz obrigatória a delimitação de suas

obrigações trabalhistas e tributárias, sejam elas as principais,

sejam as acessórias. O que se vê, muitas das vezes, em

especial ao micro e pequeno empresário, é o dilema recorrente

de conseguir atender o peso dos encargos que encarecem os

bens e serviços produzidos.

Deve-se registrar aqui, que o tema abordado não se refere

às obrigações principais (pagar salários, remunerações,

gratificações, etc aos funcionários e recolher tributos aos cofres

públicos), se eleva a discussão ao patamar superior, onde o

empreendedor potencializa e direciona suas energias em criar

empregos, gerar crescimento e desenvolvimento, cumprindo

sua função social. Segundo consta no portal do Senado, o

relatório aprovado pela comissão mista, que trata da Medida

Provisória 881/2019 (Liberdade Econômica), prevê a imunidade

burocrática para startups e extinção do eSocial.

Os negócios de baixo risco poderão ser (caso se concretize

sua aprovação) explorados por pessoas físicas e jurídicas,

dispensando-se os chamados atos de liberação como licenças,

autorizações, inscrições, registros ou alvarás, bem como,

poderão ser desenvolvidas em qualquer horário ou dia da

semana, desde que respeitem normas de direito de vizinhança,

não causem danos ao meio ambiente, não gerem poluição

sonora e não perturbem o sossego da população.

Entre críticas severas e elogios contumazes, a MP 881 é

considerada por alguns juristas como grande retrocesso dos

direitos sociais e por outros um necessário avanço do Brasil

para desenvolvimento econômico e social. Entre mortos e

feridos, preferimos fazer análise fática e ponderar sobre os

possíveis reflexos que tais medidas poderão surtir no mercado.

Até o momento deste artigo, a MP 881 tramita com projeções

de alterações nas relações de trabalho, como o fim da

obrigatoriedade das Comissões Internas de Prevenção de

Acidentes (Cipas), “exclusão” de aplicação das normas da CLT

aos funcionários que auferem salário acima de 30 salários

mínimos e trabalhos aos domingos e feriados sem que seja

necessária prévia autorização estatal.

Se muitos a consideram como uma “minirreforma trabalhista”,

fazendo alusão à Lei 13.467/2017, a crítica somente prospera

se analisarmos no campo jurídico, segundo o entendimento,

adotado pelo Supremo Tribunal Federal, de que o Congresso

Nacional não poderia inserir matérias de conteúdo temático

entranho ao objeto originário da medida provisória. De reformas

em reformas, outra na mira nacional é a tributária.

Apoiadas pela ineficiência do sistema tributário atual, as

propostas por um imposto único ganham força, especialmente

por agregar vários tributos vigentes, por exemplo o IPI, o IOF,

a CSLL, o PIS/Pasep, aCofins, o Salário-Educação, a Cide, o

ICMS e o ISS. A ideia de desburocratizar é essencial e força

propulsora para o êxito de sua aprovação, já que facilitaria o

cumprimento de obrigações acessórias, na hipótese de ser

instituído o Imposto sobre Operações de Bens e Serviços – IBS.

Ao micro e pequeno empresário fica a convicção de que, mais

dia, menos dia, sua importância ao desenvolvimento social

será efetivamente reconhecida e prestigiada, não sendo

mais necessária a escolha entre cumprir todas as obrigações

acessórias trabalhistas (cruz) ou escolher cumprir todas as

obrigações acessórias tributárias (espada).

Ubiratan Reis é advogado tributarista/econômico

e escreve para a Revista Comércio, Indústria e

Agronegócio (ubreis@gmail.com)

|32


33|


FATOS & FOTOS

DA REDAÇÃO

Araraquara e a sua sina

eleitoral no ano que vem

Segundo consta, o ex-prefeito Marcelo

Barbieri até estaria disposto a concorrer

novamente nas eleições do próximo ano,

porém - ainda esbarra em problemas

com a Justiça, por conta da compra

de lousas digitais feitas durante sua

administração pelo então secretário da

Educação, Nino Mengatti. A ação que

poderia torná-lo inelegível segue, mas

há o temor de uma condenação antes

das eleições. No mesmo fio da navalha

está o atual prefeito Edinho Silva que

vira e mexe volta aos noticiários pelo seu

envolvimento na Operação Lava Jato,

cruz que ele tem carregado por ter sido

o tesoureiro da campanha de Dilma.

Tanto MDB quanto o PT, nestes anos

em que ambos estiveram à frente

da vida política e administrativa da

cidade, deixaram de criar lideranças

e não há quem possa substituí-los

em uma campanha eleitoral já que

não conseguem transferir votos. Mas,

em linhas gerais, os demais partidos

também não sinalizaram com nenhuma

Marcelo Barbieri Edinho Silva

promessa e isso pode nos conduzir a

uma depressão política e exposição

de Araraquara ao fracasso político

na Assembleia Legislativa Estadual e

Câmara Federal.

Sem representatividade e afastada

dos corredores políticos dos grandes

centros, pois Roberto Massafera

(PSDB) não se reelegeu e Márcia Lia,

reeleita, só vem apagando ‘incêndios’

em meio a uma vida parlamentar

polêmica, Araraquara vive o drama

de não ter porta para bater e pedir

ajuda. Embora triste, é a realidade,

pois entre os vários tipos de políticos

existem aqueles que não gostam de ter

sombra, ainda que tenham a mesma

ideologia partidária. Cada um tem seu

próprio pensamento.

SUBINDO

O Sicoob da Avenida Barroso

ao assumir o controle do

Sicoob Coopara mostra aos

seus cooperados o que é ter

visão de futuro e principalmente

equilíbrio ao tomar suas decisões.

A cooperativa em Araraquara

expande suas atividades

garantindo à instituição o

fortalecimento necessário para

preparar novas investidas.

Parabéns à sua diretoria.

DESCENDO

Araraquara tem vivido nestes

últimos anos a deteriozação dos

seus bens públicos pela falta de

atenção dos seus administradores

que não fazem um planejamento

para sua manutenção. Uma

política de descaso com o Teatro

Municipal, Casa da Cultura e

tantos outros. O vereador Rafael

de Angeli agora denuncia o

estado do CER do Jardim lndaiá.

Lamentável o que ocorre com o

patrimônio público e em alguns

casos - gastos desnecessários.

|34


FRASE

Jair Bolsonaro

“Competência? É problema do deputado.

Se quiser botar uma prostituta no meu

gabinete, eu boto. Se quiser botar a minha

mãe, eu boto. É problema meu.”

Frase do presidente Jair Bolsonaro,

a respeito da proposta de Emenda

Constitucional que tornaria ilegal o

nepotismo nos três poderes.

Daae e o futuro

O Daae adquiriu 17 novas motocicletas

para utilização de servidores da autarquia

em atendimentos operacionais

O Daae, que perdeu ao longo

do tempo, por conta de uma

política desastrosa, seus principais

profissionais técnicos, pode estar

entrando em uma crise pela

ineficiência e desconhecimento de

quem a dirige. Donizete Simioni

é o seu superitendente e por mais

que se esforce não é do ramo;

tem seguido apenas as ordens

do prefeito Edinho, que tem mais

origem política que administrativa

ou técnica. O continuado problema

com o abastecimento, ora aqui, ora

acolá, atingindo vários bairros, mostra

claramente o futuro que nos aguarda

e olha que o departamento foi modelo

para inúmeras cidades brasileiras.

35|


HOMENAGEM

Fúlvio Accorinte

é nome de rua

Aposentado como militar,

‘seo’ Fúlvio como as pessoas

o chamavam, granjeava

amizades e buscava através

da prática do bem auxiliar

o próximo. Partiu, deixando

entre nós um enorme rastro

de saudade.

Em cerimônia realizada

na Prefeitura

Municipal, com a presença

do prefeito

Edinho Silva, foi assinada

lei que introduziu

em uma das ruas da

Seu trabalho sempre foi

muito reconhecido na

comunidade

cidade o nome de Fúlvio Accorinte,

uma justa homenagem para eternizar

sua passagem entre nós. O

projeto foi apresentado pela vereadora

Juliana Damus e aprovado pela

Câmara, que solidarizou-se pela sua

aprovação.

Reconhecidamente, Fúlvio com

mais de 90 anos de idade, tinha uma

vida plena com sua atividade - por

muitos anos trabalhou de alfaiate

de alta performance. Aposentado

como militar, o mesmo tinha um

trabalho também voltado à filantropia

com sua participação na APAE,

Vicentinos, entidades que prestam

serviços ao munícipio.

Fúlvio era militante político

com filiação partidária junto ao PP -

Progressista, por sinal o mais idoso

a participar de todas as reuniões e

compromissos de ordem partidária.

Inspiração para os jovens que também

viriam a participar da política,

mantinha enorme seriedade em

suas ações.

Fúlvio, um dos nossos convidados para o

café da manhã organizado pela Revista

Comércio, Indústria e Agronegócio em 2017

Por ocasião da assinatura do

documento na Prefeitura Municipal,

estiveram presentes a autora do

projeto e alguns vereadores, membros

de sua família e pessoas que

com ele formaram uma jornada de

trabalho em prol da cidade.

Sebastião Barbosa, amigo de

Fúlvio, ressalta a nobreza do trabalho

realizado pelo homenageado,

considerando-o merecedor do ato

pelas extraordinárias qualidades.

|36


37|


SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

Governo está

mudando as

normas

Governo moderniza normas

de segurança e saúde do

trabalho. Medidas vão

garantir a segurança do

trabalhador.

O governo Federal lançou no

final de julho no Palácio do Planalto,

um amplo processo de atualização

de regras que regulam o universo

trabalhista brasileiro. Foram anunciadas

a modernização das Normas

Regulamentadoras (NRs) de

Segurança e Saúde no Trabalho e

a consolidação e simplificação de

decretos trabalhistas. Nossas empresas

devem ficar atentas às mudanças

estabelecidas.

“A NR 1, por exemplo, a partir de

agora, os trabalhadores que forem

demitidos, no intervalo de 2 anos

poderão ser recontratados, desde

que seja na mesma condição laboral,

sem a necessidade que se faça

novo treinamento. Isso vai significar

uma economia de quase R$ 1 bilhão

por ano. Para o trabalhador, uma economia

de tempo para que ele possa

imediatamente ser admitido e voltar

ao mercado de trabalho”, disse o

A Associação Brasileira das Indústrias de

Calçados (Abicalçados) realizou estudo

comparativo entre os textos de 2010 e o

proposto este ano. A entidade estimou uma

economia de mais de R$ 450 milhões para

o setor calçadista com a atualização da

norma.

Secretário Especial da Previdência e

Trabalho do Ministério da Economia,

Rogério Marinho.

O Presidente Jair Bolsonaro disse

que “a revogação destas normas e

o aperfeiçoamento do programa são

muito bem-vindos, e isso sim pode

destravar nossa economia e nos

levar ao caminho da prosperidade”.

As medidas vão garantir a segurança

do trabalhador e regras mais claras e

racionais, são capazes de estimular

a economia e gerar mais empregos.

|38


39|


FISCALIZAÇÃO

Falta de fiscalização sufoca

comerciantes e consumidores

Quase impossível transitar pela Rua Nove de Julho por conta

do assédio de ambulantes clandestinos.

Várias são as cidades que têm protestado

contra o comércio clandestino

Quando a política desastrosa

impera, logo vem as consequências

com um peso e duas medidas.

Desta feita - falta de segurança e

fiscalização da Prefeitura Municipal

- afetam diretamente os comerciantes

estabelecidos no principal

corredor comercial de Araraquara, a

Nove de Julho.

Se antes o movimento clandestino

ocorria somente por ocasião

das festas de final de ano, agora

existe uma espécie de “liberou

geral” tornando as calçadas verdadeiro

mercadão a céu aberto, indo

da venda de óculos e goiabas aos

desodorantes e perfumes fabricados

em fundo de quintal.

Se a Prefeitura Municipal não faz

a fiscalização sobre os clandestinos,

mesmo sendo um órgão arrecadador

de impostos, ela forçosamente

tem que acionar algum setor responsável

para reprimir a compra

e venda de produtos falsificados,

contrabandeados e comercializados

- quando alimentos - sem critérios

de higiene.

Para o Dia dos Pais, perfumes e

óculos escuros falsificados ganham

espaço nas bancas, ao lado dos

CDs e DVDs, que são, segundo as

pesquisas, os produtos mais pirateados.

Neste caso, o que ocorre é o

‘desmando solidário’ instituído pela

onda do desemprego.

Combater o comércio clandestino

localizado tem sido tema de campanha

em cidades que sofrem os

mesmos problemas de Araraquara,

onde faz anos em que, apesar do

engajamento do Sincomercio, essa

atividade, ilegal, continua mantendo

concorrência desleal com o comércio

organizado.

Para alguns comerciantes estabelecidos

na Rua Nove de Julho,

maior corredor comercial da cidade,

para que o País possa se desenvolver,

tornar-se verdadeira potência

econômica, capaz de gerar empregos,

renda e qualidade de vida para

a população, é preciso que a legalidade

seja o único caminho possível.

|40


41|


Indústria de Pistões Rocatti criada em 1965, hoje é um símbolo de qualidade em seu segmento

INDÚSTRIA

Uso da tecnologia transformou a Rocatti

numa referência mundial em pistões

A empresa desenvolve seus próprios maquinários quando o mercado não disponibiliza.

Araraquara conta hoje com uma

empresa de grande porte e reconhecida

mundialmente. Com 54 anos de

muito trabalho, a Indústria de Pistões

Rocatti vem ao longo dos anos trabalhando

com alto conhecimento

tecnológico e grande performance.

Aprimorando-se no segmento

de peças injetadas em alumínio,

entrou na linha automotiva com um

produto inovador: o pistão injetado,

que é uma das patentes da empresa,

ressaltando que a Rocatti é a única

fabricante do produto no mundo,

detendo ainda, outras patentes.

A empresa usa as mais avançadas

tecnologias em termos de usinagem,

além do grande diferencial que é o

desenvolvimento e a construção do

próprio maquinário, quando o mercado

não disponibiliza.

A diretoria da empresa se orgulha

em dizer que a empresa desenvolveu

entre outras, uma máquina que custaria

mais de R$ 1 milhão de dólares,

saindo na frente inclusive de uma

empresa dos Estados Unidos, que

na época tentava o mesmo feito.

Pensando no bem-estar dos

funcionários, a Rocatti intensifica o

processo de robotização das linhas

de montagem e assim capacitando

o setor produtivo. Atualmente com

cerca de 70 colaboradores, a diretoria

acredita que o robô chega para

fazer o serviço pesado que é o que

desgasta o homem.

Com visão de sustentabilidade e

respeito ao meio ambiente, a empresa

capta água da chuva e faz seu próprio

tratamento na água utilizada

na produção, podendo assim reutilizá-la,

inclusive reduzindo custos.

Uma indústria moderna, arrojada

e com credibilidade no mercado

internacional, a Rocatti atende

hoje grandes montadoras e empresas

mundialmente conhecidas.

Estabelecendo assim, que qualidade

tem nome e se fixou na Morada do

Sol.

A Rocatti se orgulha em ser

uma empresa araraquarense, contribuindo

para o desenvolvimento

da cidade e parabeniza Araraquara

pelos seus 202 anos.

Av. Gil Martinez Perez, 25 • Vila

Melhado • Araraquara/SP

(16) 3311 4144

|42


A escola conta com laboratório próprio de robótica, onde os alunos se reúnem para fazer reuniões e treinamentos

ENSINO

Liceu Monteiro Lobato inaugura

sua Sala de Robótica Educacional

Será que todas as escolas já

incorporaram a tecnologia no dia

a dia da sala de aula? A pergunta

aparentemente pode ser interpretada

como vazia e logo se imagina que todas

sejam iguais. Mas, não é bem assim.

Nas escolas de hoje nos deparamos

com crianças que apresentam histórias

e experiências de vida mostradas nas

imagens da TV. A partir daí o que todas

elas têm em comum é o direito de

aprender com professores que oferecem

olhar individual e estão engajados em

ensinar. Daí a diferença entre escolas e

práticas de aprendizado.

Nestes 23 anos de atividades, o Liceu

Monteiro Lobato percorreu caminhos

que o levaram a compreender que

sempre a sala de aula terá que refletir

o mundo em que vivemos. Diversidade

cultural, comportamentos e hábitos

diferentes se integram ao que o século

21 tem nos oferecido como uma

mudança no mundo das brincadeiras

e no desenvolvimento da criatividade.

Meninos e meninas descobriram

possibilidades de diversão e de criação

acessíveis em telefones celulares,

tablets e computadores. Este é um

universo chamado Robótica.

E antes mesmo da Robótica ser uma

obrigatoriedade na grade curricular

das escolas, o Liceu Monteiro Lobato

já se antecipou e coloca neste segundo

semestre a inovação à disposição do

aprendizado, inaugurando sua Sala de

Robótica para levar a criança ao campo

da imaginação e daí, ela seguir rumo à

realidade do mundo que vivemos.

Percebe-se então que a Robótica na

escola é uma ação positiva para a sala

de aula, podendo se transformar não só

em uma ferramenta, porém uma prática

construída de forma coletiva, cuja

natureza interdisciplinar se configura na

articulação de diversos conteúdos em

uma mesma atividade. A robótica, de

fato, é isso.

Logo veremos que a robótica

educacional além de facilitar

a compreensão de conteúdos

curriculares, desenvolverá habilidades

essenciais para o futuro dos alunos.

O importante é ter em mente que a era

tecnológica vêm fazendo dessa uma

metodologia primordial, e ela precisa

fazer parte da rotina de qualquer jovem

estudante com o objetivo de estimular o

espírito investigativo do aluno, de forma

que ele encontre desafios e as devidas

soluções para os mesmos. Isso enaltece

o trabalho em equipe, o planejamento,

a cooperação, o diálogo, a pesquisa e a

tomada de decisões.

E o que torna a Robótica ainda mais

incrível, é o fato de representar um

aprendizado multidisciplinar envolvendo

Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes

e Matemática – metodologia integrada

e baseada em projetos, pautada

em formar cidadãos com diversos

conhecimentos.

43|


OS PRIMEIROS PASSOS

Crianças aprendem brincando

no Liceu Monteiro Lobato

Sabemos que durante

a primeira infância, a

criança age ativamente

em seu mundo, seleciona

informações, analisa,

relaciona e dá a elas novos

sentidos. Nessa idade é

fundamental o papel da

escola para que a criança

possa transformar a sua

realidade ao aprender a

respeito de si e das pessoas

na sua convivência.

Consciente e atuante nessa realidade,

a Escola Liceu Monteiro Lobato

oferece aos seus alunos da Educação

Infantil, um espaço privilegiado para

seu total desenvolvimento. Um lugar

especial onde as crianças possam

aprender sobre si, suas capacidades

e limitações, e do mundo que as

rodeiam. Têm no professor um mediador,

não só de conhecimento e

cultura, mas em afetos e interações

sociais.

O espaço físico da escola na Educação

Infantil foi cuidadosamente

preparado para proporcionar o desenvolvimento

da identidade pessoal

da criança, de sua sensação de segurança,

confiança e autonomia, além

das aprendizagens sociais, motoras,

tecnológicas e cognitivas.

Brinquedoteca, projeto moderno que une tecnologia aos recursos tradicionais

O trenzinho da

alegria faz ponto

de parada na

Estação

do Saber

As salas de aula da Educação Infantil

do Liceu dispõem de estrutura

lúdica, cultural e estética em suas

diferentes dimensões, incorporando

recursos pedagógicos tradicionais

como brinquedos, livros, revistas,

gibis, jogos, acessórios e objetos diversos.

Estão também disponíveis na escola

inúmeros ambientes especiais,

com grande destaque para a Brinquedoteca

na Educação Infantil, local totalmente

lúdico, colorido, amplo, com

muitos brinquedos, aconchegante,

seguro, que permite à criança brincar,

aventurar-se e descobrir o mundo

através dos recursos pedagógicos

da Lego-Education e da Lousa Digital,

estrategicamente incorporados ao

local para enriquecer as atividades

propostas.

Também é destaque na escola o

|44

O Liceu Monteiro Lobato há

23 anos inova o conceito de

ensino em Araraquara


Alunos do 1º ano do Ensino Fundamental no Liceu, eufóricos ao participarem de aula

na Sala de Robótica e Matemática. O uso de tablet, lousa e apostila digital é o grande

diferencial que coloca a escola entre as mais modernas do país.

enorme investimento feito em 2019

na instalação do novo Laboratório de

Robótica e Matemática, criado para

que todos os alunos possam vivenciar

experiências educativas das mais

avançadas do mundo atual.

O Liceu Monteiro Lobato atende

alunos em todos os níveis da educação

básica até o ensino fundamental

e médio. A partir de 2 anos

de idade as crianças já podem

ser matriculadas na

Educação Infantil.

A escola utiliza o Sistema

Didático Positivo, do

maior e mais completo

grupo educacional do país.

São mais de 3.400 escolas

no Brasil e no exterior.

Livros didáticos impressos

e digitais nas várias áreas do conhecimento,

além de amplas salas

de aula com lousa digital e utilização

de tablets individuais por aluno, são

apenas alguns dos diferenciais do

Liceu. Tudo isso aliado às modernas

técnicas de educação, com ênfase

nas múltiplas linguagens: oral, escrita,

emocional e artística.

Aprendizado lúdico é o diferencial

da escola, uma das melhores do país

Na Educação

Infantil todo

o programa

de ensino é

ministrado por

professoras

acompanhadas

de monitoras

Aula com o Sistema Didático Positivo, do

maior e mais completo grupo educacional

do país. São mais de 3.400 escolas no

Brasil e no exterior.

MATRÍCULAS PARA 2020

A escola está disponibilizando

100 novas vagas para 2020, com

condições muito especiais, no 1º

ano do Ensino Fundamental e na

Educação Infantil, para crianças

até 6 anos de idade.

Agende dia e hora e faça uma

visita para conhecer a escola.

CONVÊNIOS

O Liceu Monteiro Lobato mantém

convênios com diversas empresas

e instituições, garantindo assim

descontos nas mensalidades. Os

atuais convênios são: ACIA, APAS,

ADCE, Embraer, Nestlé, Heineken,

Let´s, Morada Transportes, Sicoob

Coopara, Rumo ALL, Viação

Cometa, S2it e Big Dutchman.

SERVIÇO

Liceu Monteiro Lobato

Rua Profª Adélia Izique, 420

(Próximo ao Tonin e ao Shopping

Jaraguá)

Saiba mais sobre o

Liceu acessando o QR code

em seu celular

Brincar é uma das

formas mais naturais

e divertidas de fazer

brotar o conhecimento.

Isto representa a felicidade

das crianças

45|


|46


47|


|48


INFORMATIVO

AGRO

N E G Ó C I O S

Edição: Agosto/2019

O BRILHANTISMO DE UMA FESTA

A fé no poder da Santa embala as

esperanças no Dia do Agricultor

Na zona rural, na roça, o homem sertanejo é religioso, é católico, é devoto de Nossa

Senhora, mas ele é tímido. Faz sua oração quietinho, não é de fazer muito alarde. Cada

vez mais os homens estão aderindo à religiosidade e se entregando ao amor de Deus e de

Nossa Senhora. A Missa Sertaneja, organizada pelo Sindicato Rural nas comemorações do

Dia do Agricultor foi uma prova disso.

Padre Luiz Antenor Rosa Botelho recebe a imagem de Nossa Senhora Aparecida das mãos do presidente do Sindicato Rural,

Nicolau de Souza Feitas e da sua esposa Iracema. Momento de emoção no início da Missa Sertaneja.

49|


O BRILHANTISMO DE UMA FESTA

Dia do Agricultor foi marcado por

exposição, palestras e homenagens

Um dos momentos marcantes durante o evento,

foi a homenagem que o Sindicato Rural prestou

ao presidente do Sebrae SP e vice-presidente

da Federação da Agricultura do Estado de São

Paulo, Tirso de Salles Meirelles.

Aconteceram no dia 26 de julho no

Salão de Festas do Nosso Ninho, as

comemorações do Dia do Agricultor,

já em sua décima edição. “Quando

começamos, o objetivo era de proporcionar

ao agricultor, principalmente

pequenos e médios, a oportunidade

de se reunirem em um dia de reflexões,

debates, troca de informações e

viverem por algumas horas, momentos

de descontração”, diz o presidente

Nicolau de Souza Freitas, o criador

destas festividades juntamente com

os seus diretores.

Mas, passados dez anos, o Dia do

Agricultor tomou enormes proporções

e do seu programa passaram a fazer

parte outras iniciativas que serviram

para o fortalecimento do seu conteúdo,

sem contudo perder o seu principal

foco que é a interação da classe

produtora rural.

Presidente do Sindicato

Rural, Nicolau de Souza

Freitas e o presidente

do Sebrae SP, Tirso de

Salles Meirelles, durante

as comemorações do

Dia do Agricultor em

Araraquara

Durante o evento

realizado, o presidente

do sindicato

disse que é importante

destacar que

o agronegócio está

em constante crescimento

no Brasil e é de suma importância,

em especial para a economia

do país. Para se ter uma ideia, de

acordo com pesquisa recente divulgada

pelo Censo Agropecuário do IBGE

- Instituto Brasileiro de Geografia e

Estatística, a área destinada para

agricultura e pecuária no país cresceu

5% em 2018. Vale ainda ressaltar

que o IBGE prevê que a produção

agrícola aumente em 3,1% neste ano

de 2019.

Argumentou que embora seja este

o cenário de momento “nem tudo

são rosas no caminho do pequeno

procutor”. Para ele, as dificuldades

são imensas, ainda mais quando há

uma transição de política econômica:

“Temos perspectivas para grandes

progressos do agronegócio no país e

inclusive os dados mostram que é um

crescimento que presume constância”,

comentou o líder do agro na sua

mensagem aos produtores rurais.

O jornalista Tobias Ferraz

entrevista para o Canal

Rural, o presidente do

Sebrae SP e vice-presidente

da FAESP, Tirso Meirelles

|50


Homenageado com um cartão e a Comenda de Honra ao

Mérito do Agricultor criada pelo Sindicato Rural, Tirso Meirelles

teve seu trabalho reconhecido pelas entidades parceiras que

organizam a festa. “É evidente que a data é muito significativa

em minha vida, porém devo compartilhar essa conquista com

todos aqueles que trabalham com a agricultura e a pecuária”.

Da entrega também participou o gerente regional do Sebrae

em Araraquara, Luiz Andia Filho.

FAMÍLIA AGRO

Tirso Meirelles agradecendo a homenagem

Vice-prefeito Damiano Neto ao lado de Tobias Ferraz durante entrevista ao Canal Agro

A participação do Canal Rural trazendo

para Araraquara a Caravana

Família Nação Agro, valorizou em muito

o trabalho do Sindicato Rural e a

festa deste ano. Trata-se de projeto

que oferece uma oportunidade para

troca de experiências, atualização sobre

boas práticas e tendências para o

agronegócio paulista e discussão sobre

as principais demandas do setor.

O trabalho é coordenado pelo

jornalista Tobias Ferraz, pioneiro na

discussão e introdução das ferramentas

de sustentabilidade para a agricultura

e pecuária no Brasil; a busca

pelo conhecimento e valorização dos

procedimentos de menor impacto ambiental

sempre estiveram presentes

no trabalho do jornalista. Uma marca

em sua trajetória que proporcionou

reconhecimento de instituições públicas

e privadas, através da conquista

de prêmios e homenagens.

O programa, segundo Tirso Meirelles,

entrou no eixo e na vida do produtor

rural no Estado de São Paulo, passando

o conceito da extensão rural.

O dirigente destacou ao Canal Rural

que o “agricultor é o maior preservador

ambiental e não um desmatador

como dizem”. Lembrou ainda durante

o encontro, que o produtor rural enfrenta

no campo grandes desafios e

um deles é a insegurança, além das

condições climáticas: “É preciso que

se entenda as dificuldades que os

agricultores passam e por eles temos

que lutar”, concluiu.

51|


PALESTRAS

O Dia do Agricultor teve em sua programação, a participação

da Caravana Família Nação Agro que organizou duas palestras,

abordando temas importantes para os produtores da região,

como o uso de energia solar fotovoltaica e sucessão familiar.

Coronel Gilmar Ogawa, assessor Especial

da presidência da FAESP/SENAR, falou

sobre a Energia Fotovoltaica

Karla Scalçone Romanini, do Sebrae, ao

lado de Tobias Ferraz, discorrendo sobre a

Sucessão Familiar nos Negócios

EMPRESAS

PATROCINADORAS

UPL

Coopercitrus

Coplacana

Cimoagro

Agrotécnica Matão

Engefort

Racine Tratores (Case)

GRA (Massey Fergunson)

Colorado (John Deere)

Marka (New Holland)

Comper (Valtra)

Chevrolet

Fiat

Ford Báldico

Toyota

Banco do Brasil

Credicitrus

Bradesco

Faculdade Anhanguera

A Botânica Paisagismo

A todos os agradecimentos do

Sindicato Rural de Araraquara

AGÊNCIAS BANCÁRIAS APRESENTAM SERVIÇOS

Considerando ser uma excelente oportunidade para

apresentação dos seus serviços, Bradesco, Credicitrus e

Banco do Brasil ocuparam o espaço e cada qual mostrou

o que existe principalmente em sua linha de créditos.

Anualmente, o Sindicato Rural busca parcerias para oferecer

vantagens aos seus associados e aos produtores rurais de

uma forma geral.

Eduardo Kazuo Takayama e o

gerente regional do Bradesco,

Nilton Moraes

Karina Andriazi Cavazane, Credicitrus

Everton de Oliveira Sanchez

|52


HOMENAGEADOS

HOMENAGENS DO

SINDICATO RURAL DE

ARARAQUARA

HOMENAGEM - SEBRAE

Hilário Eleutério de Souza homenageado

pelo irmão Nicolau de Souza Freitas e o

sobrinho João Henrique de Souza Freitas

(coordenador regional do Senar)

Tirso de Salles Meirelles recebe a

homenagem das mãos do presidente do

Sindicato Rural, Nicolau de Souza Freitas e

do gerente regional do Sebrae, Luís Andia

HOMENAGEM - CANASOL

HOMENAGEM

PREFEITURA DE ARARAQUARA

O agricultor Gilmar Argiona homenageado

por Nicolau de Souza Freitas

HOMENAGEM

PREFEITURA DE ARARAQUARA

Dorival Bergamo homenageado pelos

diretores Tatiana Campos Leite e Nicolau de

Souza Freitas (diretor)

Damiano Barbiero Neto (vice-prefeito)

e Silvani Silva (coordenadora municipal

de Agricultura) homenageiam Neusa

Aparecida Miranda

HOMENAGENS

SECRETARIA DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Homenagem a Eduardo Henrique Marin

HOMENAGEM

PREFEITURA DE ARARAQUARA

Maria Fernanda do Prado mostra o cartão

entregue por Nestor Jamami

Marcelo Oyafuso e Nestor Jamami, diretor

do EDR Araraquara

Homenageado João Paulo Marques

53|


EXPOSITORES

Faculdade Anhanguera

Coopercitrus

Cimoagro

Marka

New Holland

Atri Fiat

Colorado

John Deere

Racine Tratores - Case

|54


Graciano

Chevrolet

Juscelino Rodrigues

é produtor rural no

Assentamento Monte

Alegre em Bueno de

Andrade e criou pastejo

rotativo em piquetes

Sebrae

Escritório Regional

de Araraquara

Elisabete Cristina

Rodrigues Peiró e

Nereide de Lima

Ornellas, do Sindicato

Rural de Araraquara,

participando da

Comissão Organizadora

do Dia do Agricultor

CURSOS

AGOSTO / 2019

• JOVEM AGRICULTOR DO FUTURO -

MÓDULO V

01 a 30/08 - Araraquara

Local: Araraquara

• TORNEIO DE BOCHA

03/08 - Américo Brasiliense

• PROLEITE - MANEJO DE ORDENHA E

QUALIDADE DO LEITE (MÓDULO XI)

04, 05, 06 e 16, 17, 18/08

Fazenda Baguassu

• JOVEM AGRICULTOR DO FUTURO -

MÓDULO V

05 a 30/08 - Motuca

• INCÊNDIO - PREVENÇÃO E

COMBATE NO CAMPO - TÉCNICAS

05 e 06/08 - Fazenda Maringá

• INCÊNDIO - PREVENÇÃO E

COMBATE NO CAMPO – TÉCNICAS

07 e 08/08 - Fazenda Maringá

• AGROTÓXICOS - USO CORRETO E

SEGURO - NR 31.8

12 a 14/08 - Fazenda Maringá

• AGROTÓXICOS - USO CORRETO E

SEGURO - NR 31.8

12 a 14/08 - Usina São Martinho

• OLERICULTURA ORGÂNICA -

CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS

(MÓDULO VI)

12 e 19/08 - Assentamento Monte Alegre

• FEIRA DO PRODUTOR RURAL -

COMERCIALIZAÇÃO (MÓDULO V)

14, 15 e 28, 29/08

Assentamento Monte Alegre

• SEGURANÇA EM MÁQUINAS E

IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS - NR 31.12

19 a 21/08 - Terral

• SEGURANÇA EM MÁQUINAS E

IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS - NR 31.12

19 a 21/08 - Usina São Martinho

• ARTESANATO EM BANANEIRA -

PAPEL - TÉCNICAS

19 a 23/08 - Assentamento Monte Alegre

• FACIRA

21 a 25/08 - Araraquara

• PROGRAMA PROMOVENDO A

SAÚDE NO CAMPO - DROGAS: USO E

DEPENDÊNCIA

24 e 25/08 - Assentamento Bela Vista

• AGROTÓXICOS - USO CORRETO E

SEGURO - NR 31.8

26 a 28/08 - Raízen

• PROCESSAMENTO ARTESANAL DE

CARNE DE AVES - TÉCNICAS - ITESP

27 a 29/08 - Assentamento Monte Alegre

• AGROTÓXICOS - USO CORRETO E

SEGURO - NR 31.8

29 a 31/08 - Usina São Martinho

Coordenador SENAR/SP Araraquara:

João Henrique de Souza Freitas

55|


CAPACITAÇÃO

Nova turma se integrará à Feira

do Produtor Rural em outubro

A partir de outubro novos feirantes estarão se juntando ao

grupo que foi preparado em 2017 e 2018

Produtora que já participa da feira em

Américo Brasiliense

drada e Bela Vista, proporcionando a

eles condições para comercialização

de alimentos saudáveis e com preços

justos para a população das cidades

envolvidas.

Segundo João Henrique de Souza

Freitas, coordenador regional do Senar

em Araraquara, as turmas já consolidadas

nos anos de 2017 e 2018

também possuem acompanhamento

das Comissões Gestoras.

Este processo possibilita

a conquista de

novos pontos de venda

aos grupos de produtores,

fortalecendo a geração

de renda.

Atualmente os grupos

que foram capacitados

através desta parceria possuem

os seguintes pontos de venda:

Telma agradece os organizadores desta ação pela oportunidade de se tornar feirante

Em busca de alternativas para

que pequenos agricultores possam

comercializar seus produtos, o Sindicato

Rural de Araraquara, Senar SP,

Fundação Itesp, Sebrae e Prefeituras

de Araraquara e Américo preparam

uma nova turma de feirantes. Este

grupo de parceiros já capacitou cerca

de 50 produtores dos assentamentos

Monte Alegre, Silvânia, Bueno de An-

Instrutor Celso Grecco

Camargo durante a

construção dos estandes

em julho

ARARAQUARA

Segundas-feiras - Jardim Santa Clara,

das 16h às 20h;

Terças-feiras - Valle Verde, das 16h

às 20h;

Sextas-feiras - Estacionamento do Estádio

da Ferroviária - das 16h às 20h.

AMÉRICO BRASILIENSE

Quartas-feiras - Jd Vista Alegre, das

16h às 20h

NOVA TURMA

Seguindo os trabalhos do Programa

Feira do Produtor, teve início no

dia 19 de junho o Módulo IV - Construção

do Estande de Bambu.

Para a construção dos estandes,

o instrutor Celso Grecco Camargo e o

auxiliar Leandro Natalino Ulian orientaram

os produtores em todas as etapas,

além de deixar tarefas que são

realizadas pelos produtores ao longo

das semanas. Este módulo teve fim

no dia primeiro de agosto, com a apresentação

dos estandes construídos.

Para Maria Clara Piai da Silva, da

Fundação Itesp, é motivo de orgulho

ver uma nova turma sendo preparada

e pronta para enfrentar desafios, tendo

porém uma renda familiar graças

a integração de todos dentro da sua

própria propriedade.

|56


57|


NOTÍCIAS

CANAS

L

EDIÇÃO AGOSTO | 2019

A REPRESENTATIVIDADE DA NOSSA CANASOL

Em Brasília, reunião da Câmara Setorial

discute assuntos do setor agronegócio

O presidente Luís Henrique Scabello de Oliveira participou de uma nova reunião ordinária

da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Açúcar e do Álcool, no Ministério da Agricultura

O presidente da Canasol, Luís

Henrique Scabello de Oliveira tomou

parte em Brasília da Reunião Ordinária

n° 44 da Câmara Setorial da

Cadeia Produtiva do Açúcar e Álcool

do Ministério da Agricultura e Pecuária,

no final de junho (27). A abertura

do encontro foi feita pelo presidente

Alexandre Andrade Lima. Luís Henrique

na oportunidade, ocupou a mesa

como representante da Feplana - Federação

dos Plantadores de Cana do

Brasil, onde ocupa o cargo de tesoureiro.

A reunião abordou temas como

‘Ações da Embrapa para o setor do

Agronegócio’ explanado pelo chefe

geral da entidade, Guy Capdeville;

‘Impactos da Lei Kandir para a cadeia

do açúcar’ exposto pelo coordenador

do núcleo econômico da CNA, Renato

Conchon; e ‘Transporte de Cana: Discussão

jurídica e soluções’ discorrido

pela gerente jurídica do SIAMIG, Carina

Ferreira.

O deputado federal e presidente

da Frente Parlamentar em Defesa do

Setor Sucroenergético, Arnaldo Jardim,

estava entre as lideranças setoriais

que participaram da reunião.

Para Luís Henrique, participar de

reuniões deste porte demonstra a

representatividade alcançada pelos

plantadores e fornecedores de cana

da região: “Hoje estamos diretamente

envolvidos por tudo aquilo que acontece

no setor e tomar parte mostra

quanto nossa atividade é reconhecida.

É sinal de que estamos no caminho

certo”, completa.

Luís Henrique na mesa diretiva dos trabalhos como membro da Feplana

CAPACITAÇÃO

Canasol ensina o processo

artesanal de carne de aves

A Canasol por meio do Senar e

Sindicato Rural de Araraquara, realizou

em junho o curso de Processamento

Artesanal de Carne de Aves,

em seu Espaço Gastrômico. O curso

foi ministrado pelo profissional Edson

José Leme de Godoy.

Os alunos tiveram início nas atividades

de desossa, conheceram e

apresenderam receitas de embutidos

e recheios desenvolvidos com frango

e legumes, além de processos de

tempero e higiene dos alimentos e

utensílios.

Godoy ressaltou durante os ensinamentos,

a importância da realização

dos cursos. “É uma oportunidade

para a pessoa que já trabalha com alimentação

ou então para quem quer

se iniciar nesse processo trabalhando

até mesmo em casa”, afirma.

|58


CONSAGRAÇÃO

Canasol recebe menção honrosa em Catanduva

Reconhecimento do Governo Estadual

pelo nosso trabalho foi o que

aconteceu durante a realização do

primeiro Seminário Regional de Protocolo

Agroambiental Etanol Mais

Verde. Durante o evento foi realizada

palestra sobre Gedave e Manejo

Integrado de Pragas (MIP). Também

houve a entrega de menções honrosas

para entidades que vêm se destacando

nas suas atividades.

A Canasol foi premiada por conta

das suas ações sobre o correto armazenamento

de defensivos agrícolas e

a destinação das embalagens vazias.

A nossa associação foi representada

pelos engenheiros agrônomos

Lautine A. Rios Antonelli e Guilherme

Lui de Paula Bueno. Parabéns aos

integrantes da nossa equipe de profissionais

pelo comprometimento com

a qualidade do trabalho realizado.

BRASÍLIA

Canasol nos 200

dias de um novo

governo

Luís Henrique durante reunião em Brasília

Carolina Matos, do Departamento de

Desenvolvimento Sustentável da Secretaria

da Agricultura com Lautine e Guilherme

CONSAGRAÇÃO

Que fazer com

a mandioca

Em mais uma parceria

entre Senar,

Canasol e Sindicato

Rural, foi ministrado

para associados Canasol

em julho o curso

de “Processamento Artesanal de

Mandioca”. No comando da cozinha

estava a instrutora Régia Aparecida

Carpanezze de Almeida e um grupo

de 20 alunos.

Os participantes conheceram através

da cartilha Senar, todas as receitas

que têm como base a mandioca:

nhoque, bolo, sorvete, sonho, sequilhos,

pães e biscoito entre outras guloseimas

preparadas pelos alunos.

Um almoço foi servido a todos os

Juliana Augusto Cardoso, Coordenadora do

CDRS - Coordenadoria do Desenvolvimento

Rural e Sustentável e Guilherme

A salada com a casca branca da

mandioca imitando o palmito

alunos como finalização de curso,

onde os presentes puderam saborear

tudo que aprenderam durante os dois

dias.

Através de seus cursos, o Senar

abre caminhos oferecendo capacitação

para que alunos possam buscar

uma nova fonte de renda, além de

agregar sabor à vida.

O presidente da Canasol Araraquara,

Luís Henrique Scabello de Oliveira, em

Brasília, representando a Feplana na

reunião do Conselho das Entidades do

Setor Agropecuário e Conselho do Agro

da Confederação Nacional da Agricultura

– CNA. Dentro da pauta, o senador Irajá

Abreu fez uma apresentação sobre o PL

2963/2019, que trata do investimento

estrangeiro na compra e arrendamento

de terras no Brasil.

Os diretores da Feplana estiveram

ainda no Ministério de Minas e Energia

para a reunião que versou sobre o abastecimento

de combustíveis, demais derivados

de petróleo e biocombustíveis. Lá

também foram discutidas diretrizes para

a promoção da livre concorrência no

abastecimento de combustíveis, demais

derivados de petróleo e biocombustíveis

no país, inclusive a venda direta do etanol

das usinas para os postos de combustíveis.

Em seguida, os participantes do encontro

se dirigiram ao Palácio do Planalto

para a cerimônia de assinatura do Decreto

de Regulamentação do “Selo Arte”,

com a presença da Ministra da Agricultura

Tereza Cristina e do Presidente Jair

Bolsonaro. Luís Henrique acompanhou o

evento que marcou os primeiros 200 dias

de governo.

Com o Selo Arte, segundo o diretor da

Feplana, será possível a venda de produtos

de origem animal da agricultura familiar

como queijos, mel e embutidos em

todo o território nacional. Atualmente, a

comercialização desses produtos é limitada

ao município ou estado em que são

feitos e inspecionados.

59|


Centerlab Araraquara (foto à esquerda) e

Usina construída para atender a Pamiro

Agropecuária S/A (foto à direita)

ENERGIA RENOVÁVEL

Nexti Engenharia oferece tecnologia em

geração de energia solar fotovoltaica

Alto custo da energia no Brasil faz com que produtores rurais invistam em geração de energia.

O elevado custo da energia e os

constantes reajustes nas tarifas, faz

com que o empresário busque por

soluções como energia solar fotovoltaica.

A tecnologia, que transforma

radiação solar em energia elétrica,

pode ser instalada para uso residencial,

comercial, industrial e cresce a

passos largos no agronegócio.

Para o produtor rural, a instalação

de usina própria fotovoltaica, proporciona

redução no custo mensal com a

energia elétrica, preserva o investidor

dos futuros reajustes nas tarifas e

também traz apelo ecológico para

Diretor e engenheiro da Nexti, Marco Quatrochi

seu negócio.

Araraquara e região já contam

com uma empresa que é referência

no setor, a Nexti Engenharia que

atende a industrias e o agronegócio.

As linhas de crédito e subsídios

ao produtor rural têm facilitado muito

a construção de usinas para atender

aos consumos com irrigação,

refrigeração, armazenamento e processamento

dos produtos rurais.

Segundo o diretor da Nexti, o Engº

Marco Quatrochi, “na geração distribuída,

há possibilidade de geração

em usina remota e utilização dos créditos

conforme participação na cota

societária, desde que os consumidores

estejam na mesma área

de concessão da concessionária

de energia. Esta modalidade tem

chamado a atenção de grandes

consumidores, como redes de

lojas que podem fazer uso deste

benefício sem a necessidade

de instalações no local de consumo”.

A Nexti, atendendo às novas

demandas do setor, acaba de

construir uma usina para a Pamiro

Agropecuária S/A para atender o

consumo de energia com o processo

de irrigação da fazenda em Itajobi/

SP e também reduziu os custos

energéticos da Centerlab Ambiental,

conceituado laboratório de análises

em Araraquara.

A empresa estará participando

e expondo toda sua tecnologia na

Fenasucro & Agrocana de 20 a 23 de

agosto, na cidade de Sertãozinho/SP.

Energia Limpa, renovável e sustentável,

agregando valor ao seu

negócio.

(16) 98211 1899

www.nextiengenharia.com.br

Rua Dr. Walter Medeiros Mauro,

766 • Vila Harmonia

|60


61|


Há talentos que propagam o

nome da nossa cidade e que

vivem praticamente no anonimato.

São também integrantes de uma

geração que vive não apenas

para sua realização interior,

mas colocando a arte acima das

vaidades, assumindo o papel

de predestinados a servirem o

próximo. Assim é Carrapicho Rangel

HOMENAGEM

Nas Cordas do Meu

Bandolim encanta e faz

história em Araraquara

Espetáculo da Pointé Cia de Dança homenageou o músico Carrapicho

Rangel em uma noite cheia de emoção no Centro Internacional de

Convenções.

Nunca o ditado popular “quem

sorri para a vida pinta na alma suspiros

de paz, enche oceanos de alegrias

e entende a melodia da existência”

fez tanto sentido quanto na noite da

quarta-feira (17/07), em Araraquara.

Entre lágrimas, sorrisos e um rio

de emoções, as alunas da Pointé Cia

de Dança passaram pelo pelo palco

do Centro Internacional de Convenções

para prestar uma homenagem

ao músico araraquarense Carrapicho

Rangel, através do espetáculo “Nas

Cordas do Meu Bandolim”.

Com momentos de extrema delicadeza

embalados pelo contagiante

clima de samba e carnaval, as alunas

de 5 a 17 anos, vestidas com figurinos

exclusivos, contaram a vida do

instrumentista com coreografias de

ballet, dança contemporânea e jazz,

todas ensaiadas com muito carinho

sob a supervisão das professoras Érica

Duarte e Carol Deléo. A montagem

ainda contou com três participações

especiais: Orquestra Jovem de Matão,

Grupo Avançado de Sapateado

do Sesi e a cantora Adriana Gennari.

Vale pontuar que a Pointé Cia de

Dança beneficia, gratuitamente, cer-

|62


ca de 80 crianças. O projeto sociocultural

integra o portfólio de ações

do Núcleo de Artes Clássicas – NAC,

cujo polo está localizado no bairro do

Carmo.

“Primeiramente quero agradecer

a Deus por me permitir viver esse

momento tão especial. Muito obrigado

ao NAC - Núcleo de Artes Clássicas

por proporcionar tanta emoção

numa noite só. Fiquei emocionado

do começo ao fim. Quero agradecer

também ao público e principalmente

às crianças que atuaram lindamente.

Foi demais”, agradeceu Carrapicho

ao fim do espetáculo.

Para o gestor do projeto, Geraldo

Souza, “Nas Cordas do Meu Bandolim”

é um divisor de águas para o NAC,

tornando-se referência. Para ele, o sucesso

do espetáculo é consequência

do envolvimento de todos: equipe,

pais, familiares, responsáveis, patrocinadores,

crianças e homenageado.

“Sabemos que nossa responsabilidade

cresce ainda mais. Porém

estamos preparados para os próximos

desafios. Inclusive, queremos

dar sequência a essa ideia e sempre

homenagear algum artista de Araraquara

em nossos espetáculos”, garante

Souza.

SEQUÊNCIA

Em 2018/2019, a Pointé Cia de

Dança contou com a importante parceria

do Governo do Estado de São

Paulo, Secretaria de Cultura e Economia

Criativa através do Programa de

Ação Cultural – ProACICMS, o apoio

do Núcleo de Artes Clássicas e da

Prefeitura Municipal de Araraquara e

os patrocínios das empresas: Grupo

Morada Logística, Jabú Engenharia

Elétrica e Hidrara.

“Estamos em um pequeno recesso,

porém voltamos na primeira

semana de agosto. O NAC reabre

suas portas para novos alunos não

apenas para a Pointé Cia de Dança,

como também para o Orquestra Escola,

outro projeto de nossa grade.

Para mais informações, entrem em

contato conosco: (16) 3014-1287”,

convida Geraldo Souza.

Um espetáculo inesquecível

63|


Texto: Benedito

Salvador Carlos,

o Benê, com a

colaboração de

Deives Meciano

A. Tedeschi (Nego), Otto e Salerno. Ao fundo Luiz Latorre.

VELHOS TEMPOS, BELOS DIAS

Um período de

muita felicidade

Falo de um tempo de

felicidade plena, de sonhos,

de conquistas e a felicidade

dos anos dourados. Retrato

de um período lúdico

que se misturavam coisas

simples como jogar biroca

com bolinha de gude e ao

mesmo tempo, a tentativa

de desenvolver uma ignição

eletrônica.

Benê

Foi um período de muita felicidade,

uma época de revoluções. Parece

que tudo aconteceu no fim dos anos

60 e início de 1970. Das corridas de

Lambretas, das Motonetas para as

Italianas, em especial a icônica motocicleta

Ducati de quatro tempos até

as japonesas de dois tempos foi um

salto muito rápido, desenvolvimentista

e muito grande. A Fábrica da Yamaha

contribuiu mundialmente com

a produção em série de seus protótipos

de corrida maravilhosamente e

prenunciou a chegada destes tempos

modernos. Mais que isso, possibilitou

com a igualdade das máquinas, o surgimento

de pilotos locais competirem

com grandes ases do motociclismo

mundial.

Aqui em Araraquara não foi diferente

e Eduardo Luzia, Victorinho

Barbugli, Evaldo Salerno, Ediwilmo

Queiroz, Olympio Bernardes Ferreira

Neto e José da Penha Moreira começaram

a ter boas experiências com

as famosas Yamaha’s TD1, TD2, TR1,

TR2, TR3 e finalmente com as TZ’s.

Dessa maneira, vivenciar o Autódromo

de Interlagos com as companhias

de Adú Celso, Kent Anderson,

Johnny Cecotto, Salvatore Amato, Valter

“Tucano” Bardi, Gualtiero e Paolo

Tagnochi, Denisio Casarini, Edmar

Ferreira, Carlos “Jacaré” Pavam, Eugenio

Handa, Zezo Ponticelli, Ubiratan

Rios, Sidnei Sigliano, Milton “Cigano”

Adib e Ramom Macaya virou uma prazerosa

rotina.

Em paralelo a este movimento de

sucesso maravilhoso, nesta época

aqui em Araraquara havia também

uma luta incessante em, aproveitando

deste progresso, apropriar estas

novas tecnologias, “das motocicletas

de fábrica” para as pequenas 50cc,

categoria que o Moto Clube se portava

como líder Estadual e por conseguinte

Nacional. Evaldo Salerno,

Penha, Neto, Pinho, Celso “Baiano”

Faito, Bianchini, Zé e Diogo Faito, Zé

“Duvilio” Roberto Tedeschi, Dinho

Dall’ Acqua, Neca Passalacqua, Theodoro

Jacob, além de correr, ainda procuravam

se reinventar tecnicamente.

Por incrível que possa parecer, havia

em Araraquara somente duas oficinas

estabelecidas de motocicletas,

a do Nego “Tedeschi” e do “Penha”

e confesso a existência cultivada de

uma pequena e saudável rixa entre as

“turmas”. Era notório que quem fosse

melhor aqui em “casa”, muito provavelmente

isso traduziria em vitórias

Brasil afora, de modo que, se você

pertencia a uma, estava de “briguinha”

com a outra, o que não impedia,

nas competições, a formação de um

único e poderoso “Team”. Salerno,

Neto e Eduardo Luzia, pilotos super

talentosos, brilharam nas duas.

Dario Pires, Tom Pucinelli, Adol-

|64


A. Tedeschi (Nego). Zundapp 100cc

campeões brasileiros.

pho Tedeschi Neto, Penha, Zé e Celso

“Baiano” Faito, Augusto Speleta e

Enio Franchica, eram incansáveis em

desenvolver chassi, motor, combustão

e eletrônica. No meio disso tudo,

havia nos finais de semana ensolarados

de verão as memoráveis gincanas

em prol de atividades sociais e filantrópicas,

realizadas na praça Pedro

de Toledo, na Av. Bento de Abreu e

ainda nos Clubes Araraquarense e

22 de Agosto, com a participação

das escuderias 108, Trabuzana e “Os

Preocupados”. Participavam também,

os amigos Zinho Cefaly, Zé Tavares,

Breffe, Paulinho Cyborg, Roberto e

Reinaldo Tamer, Jair Galeane, Junior

Roldão, Luiz Carlos “Fotógrafo” de

Oliveira, Wilson “Bigato” Barbugli,

Waltinho “Peponi” Logatti, Paulo e

Penha (José da Penha Moreira) Kawazaki 500cc

- 3 cilindros

José Antonio Pecin, que tornavam as

tardes de domingo ainda mais inesquecíveis.

Como um sopro dessa felicidade,

registro aqui um evento que foi inesquecível

nestes anos dourados: A pista

ou campo, como queiram de “Biroca”

para se jogar bolinha de gude que

existia no quintal da oficina do Nego

“Adolpho Tedeschi Neto”, na Rua Carlos

Gomes (6) com a Avenida 38, criada

para disputarmos um campeonato

interno. (Piloto que é Piloto disputa

até partida de bolinha de gude rsrsrs...).

O campo como tudo que Tedeschi

fazia, era “exageradamente belo”.

Como manda a tradição desenhada

em “L”, piso de chão batido e terra

absolutamente perfeita, com planos

e declives simulando um Autódromo,

Penha (José da Penha Moreira), ao fundo

Dinho, E. Luzia e Marli.

com suas nuances, dificuldades e

encantamentos e medidas iguais em

todas as suas cavidades. Ali naquele

quintal, além de todas essas pessoas

já citadas, Dr. Eduardo Silva da Aermacchi,

Isaac, Marcos e Beto Placco,

os irmãos Silva da Fábrica de Móveis

Cideral, Paulo Afonso e Felipe Giansante,

Miguel e Ivan Ciomino, Julião

da Sorveteria Spummel, Batistine e

Botan, das Jawas, Peninha e Roberto

Fiscarelli, Valter e Carlinhos Merlos,

dentre outros, que de uma maneira

ou outra, jogando ou assistindo, torcendo

ou apenas se divertindo, foram

protagonistas de um período só de

glamour.

Velhos Tempos, Belos Dias

65|


Uma nova história está sendo escrita por Douglas Onça no futebol araraquarense

ESCOLINHA DE FUTEBOL

DOUGLAS ONÇA

Ao mestre, sempre

com muito carinho

A Associação Desportiva da Polícia Militar, conhecida como

Grêmio ADPM, está comemorando um ano de existência da

sua escolinha de futebol coordenada por Douglas Onça.

No comando dos mais de 120

atletas mirins está Douglas Onça, que

carrega na bagagem uma história de

glórias em sua carreira profissional.

Onça já dirigiu categorias de base

da Ferroviária e sagrou-se campeão

paulista 2013, Copa do Brasil 2014

e Brasileiro em 2014. Como coordenador

técnico das Guerreiras Grenás,

foi campeão da Copa Libertadores da

América Feminino realizado em Medelín,

Colômbia, em 2015.

Voluntário neste projeto, Douglas

levou consigo outro nome forte no

esporte araraquarense: José Carlos

Rosa, ex-atleta profissional do futebol

com atuação em vários clubes e que

atualmente trabalha com a equipe

Sub 17 Feminina da Ferroviária.

A presidente da associação, Ceres

da Silva Franco, diz que era um sonho

tanto dela como dos associados fazer

uma escolinha, mas não tinham condições;

“De repente essa alma boa

caiu na minha mão, fiz a proposta a

Onça para se voluntariar e encarar

conosco esse projeto, ele aceitou e

hoje já estamos fazendo um ano de

escolinha”. Ceres diz também que a

preocupação era levar para o projeto

uma parte social, onde atendesse

também quem não é associado. Estipulou

então um número de vagas

para atendê-los, porém esses alunos

como os associados, têm que se enquadrar

com presença, escolaridade,

boletins e boas notas, caso contrário

não participam dos torneios. Para a

dirigente, essa escolinha mudou a

cara do bairro e trouxe as famílias de

volta ao clube. Devido a história de

Douglas e Rosa, garotos de bairros

distantes têm frequentado as aulas.

CONTINUA NAS PÁGINAS SEGUINTES

Algumas das crianças que fazem parte da escolinha

|66


67|


Ceres da Silva Franco, presidente do antigo

Grêmio da Polícia Militar

Onça conta que foi assistir a um

jogo de seu filho na quadra do clube

e percebeu que o espaço estava sem

atividade, afinal a associação tem

três campos, um local onde poderia

desenvolver atividades também sociais,

isso o fez atender ao chamado

de Ceres.

Douglas diz ainda que a maioria

das crianças do bairro sentia falta

de uma escolinha, “Araraquara é um

celeiro de craques, sempre revelou

grandes atletas e hoje temos inclusive

projeto para expansão, temos

vários amigos que também querem

participar e isso vai virar uma bola de

neve, sempre voltado para o social”.

As crianças envolvidas no projeto são

de 8 a 12 anos, mas há também os

de 14 anos que participam. Douglas

acha importante que eles cresçam

nesse ambiente, que entendam como

tudo funciona, passando também a

eles a importância de se trabalhar

em equipe, “o futebol é um esporte

coletivo e cada um tem a sua importância

- aqui eles aprendem a fazer

várias funções.”

PASSADO E PRESENTE

Estas crianças não tiveram a

oportunidade de ver Douglas Onça

em campo vestindo a camisa 10 da

Associação Ferroviária de Esportes,

mas os avós e os pais com certeza

contam sobre a memorável vitória

na Taça de Ouro quando a Ferroviária

venceu o Grêmio 3 a 1 dentro do Olímpico,

naquela tarde do dia 30 de abril

de 1983, valendo pela terceira fase

do Campeonato Brasileiro de 1983.

Fizeram os gols: Bonamigo, pelo Grêmio,

e Bozó, e Casemiro (contra), da

Ferroviária, mas o gol mais bonito foi

do menino da Vila Xavier; quase do

meio de campo, o goleiro Remi (reserva

de Mazaropi) tomou um golaço

por cobertura da fera, Douglas Onça.

Hoje esta fera além de ensinar

os segredos dos fundamentos, táticas

e técnicas aplicadas no futebol,

Douglas se preocupa com a formação

do caráter do homem usando os

ensinamentos cristãos às crianças,

priorizando os valores éticos e morais

através do futebol. Ele leva em conta

como inspiração aquilo que Olivério

Bazani Filho um dia lhe concedeu

como ensinamento.

As crianças que tiverem interesse

podem se dirigir até a ADPM e fazer

uma aula experimental com os mitos

do esporte; se gostarem já se inscrevem

para as aulas que acontecem

as terças, quintas e sábados. Onça e

Ceres conseguiram com alguns par-

ceiros uniformes mais em conta: “As

crianças adoraram a nova roupagem

e já são conhecidos no bairro como

os azuizinhos do Grêmio”, assegura

a presidente Ceres Franco.

Para o vereador Edio Lopes, que

tem seu filho de 12 anos participando

da escolinha, o projeto é excelente, as

crianças vêm com vontade, tirando

muitas crianças da rua e dando vazão

ao sonho de se transformarem em

grandes craques. “Aqui, além do futebol

eles aprendem a coletividade, o

diálogo, a parceria. Nem todos serão

grandes jogadores, mas com certeza

serão grandes pessoas”- afirmou o

pai Edio Lopes.

O esporte de uma forma mais

ampla, ao longo tempo tem transformado

vidas, mudando perspectivas

e levando jovens a novos caminhos.

Sorte também deles que no Grêmio

podem contar com a ajuda de pessoas

especiais como Douglas Onça,

respeitado e querido por todas essas

crianças que terão certamente um futuro

brilhante.

O vereador Edio Lopes ao lado do filho após

mais uma aula prática na escolinha

|68


Unidade da Anhanguera em Araraquara, localizada na Via Expressa

GRADUAÇÃO

Anhanguera de Araraquara oferece

novos cursos de Agronomia e Nutrição

A Unidade conta ainda com mais 40 opções de cursos nas modalidades semipresenciais e à distância.

A Anhanguera de Araraquara

anuncia dois novos cursos de graduação

com o início das aulas previsto

ainda para este semestre. Oferecidos

na modalidade semipresencial,

os cursos de Agronomia e Nutrição

estão alinhados com as demandas

do mercado de trabalho e com os requisitos

profissionais de cada área.

Com duração de cinco anos, o

curso de Agronomia apresenta ampla

formação na área e é focado no

desenvolvimento de habilidades capazes

de melhorar a produtividade

agrícola e agropecuária. “Além do

conteúdo previsto em sala de aula,

o curso reúne atividades extracurriculares

como aulas práticas nos laboratórios,

que capacitam os alunos

por meio de experiências similares

às vivenciadas na profissão”, explica

o diretor da unidade de Araraquara,

Kal Louis.

Para quem prefere a área de nutrição,

a unidade oferece curso específico

com quatro anos de duração e que

habilita o profissional para atuar em

diferentes áreas. Os profissionais podem

atuar na promoção dos cuidados

com a saúde através da alimentação.

Por meio do diagnóstico nutricional, o

nutricionista pode prescrever dietas,

controlar a qualidade dos alimentos

em restaurantes, indústrias, hospitais,

academias e cozinhas profissionais,

além de avaliar e desenvolver

produtos para a alimentação humana.

OUTRAS OPÇÕES

Além dos novos cursos, a Anhanguera

de Araraquara que tem corpo

docente formado por mestres e doutores,

oferece mais de 40 cursos

de graduação como Administração,

Serviço Social, Recursos Humanos,

Enfermagem, Educação Física e Engenharias

Elétrica, Mecânica e Civil.

SOBRE A ANHANGUERA

Fundada em 1994, a Anhanguera

vem transformando a vida de mais

de um milhão de alunos, oferecendo

educação de qualidade e conteúdo

compatível com o mercado de trabalho

em seus cursos de graduação,

pós-graduação, extensão e ensino

técnico, presencial ou à distância,

com presença em todos os estados

brasileiros. Em 2014, a Anhanguera

passou a integrar a Kroton, uma

companhia brasileira, com 50 anos

de tradição, e uma das principais organizações

educacionais do mundo,

que proporciona ensino de qualidade

desde o ensino básico até a educação

continuada.

Laboratório de Engenharia

Laboratório da área da saúde

(16) 2108 4270

www.vestibulares.br

Via Expessa, 2599

69|


Banda do 13° Batalhão da Polícia Militar no aniversário de Araraquara em 1964

... Pra ver a banda passar,

cantando coisas de amor

A Banda do 13° Batalhão

da Polícia Militar é um dos

maiores orgulhos da nossa

cidade, em todos os tempos

A BRM, Banda Regimental de Música

do 13º Batalhão de Polícia Militar

do Interior do Estado de São Paulo,

sediado em Araraquara, foi criada

em 1963, época em que a denominação

da corporação ainda era Força

Pública. O comandante era o Ten. Cel.

Adérito Augusto Ramos e o seu subcomandante,

Major Domício da Silveira.

Este último desempenhou importante

papel na criação da banda.

Como todas as BRMs, ela foi formada,

mantida e integrada ao CM - Corpo

Musical (sediado na capital paulista

fundado em 1857), com a missão de

participar em honras militares, solenidades

cívicas e apresentações em

geral. Para dirigir a banda, o então 1º

Sargento Músico Antônio de Antônio

Sobrinho foi transferido da BRM de

Bauru para a recém criada BRM de

Araraquara e iniciou os trabalhos para

conseguir transferências de músicos

tanto do Corpo Musical como de outras

bandas dos demais batalhões

do interior. Ainda vieram integrar à

banda, recrutas formados na Escola

de Recrutas do batalhão, em 1963 e

1964 e que já eram músicos. Dessa

maneira, o primeiro Mestre Regente

da banda, agora Sub Tenente Sobrinho,

conseguiu completar o efetivo

que em 64, tinha em cada naipe de

instrumentos os seguintes músicos:

PISTONS: 3º Sgt. Amir Spínola, 3º

Sgt. Nivaldo Dal Ri, Sd. Gilberto Antônio

Lopes, Cb. Ariovaldo Spínola e

Sd. Alcebíades Spínola Filho. PALHE-

TAS: Clarinetas - 2º Sgt. Valença, 3º

Sgt. Maia, 2º Sgt. Petrarca, Sd. Omir

Sebastião Rodrigues, Sd. José Maria

e Sd. Pedro Carmelo. Requinta - Sd.

Bento Luiz Nogueira. Saxofones Tenor–2°

Sgt. Afonso Ruiz Chacon, Sd.

Maurício. TROMBONES: Sd. Domingos

Brandino, Sd. João Rosim Filho e

Sd. Vicente Balbino Filho. BOMBAR-

DINOS: Sd. Délio de Souza Oliveira e

Sd. Pedro Pollis. SAX DE HARMONIA:

Sd. Melchesedec de Mello Coelho, Sd.

Série

Bandas e

Grupos Musicais

da Cidade

Texto

Juraci Brandão

de Paula

Ivo da Silva, Sd. Eleutério

Martins e Sd. José

Pedroso. BAIXOS TUBA:

Sd. Mena, Sd. Dorival

de Souza e Sd. Juraci

Brandão de Paula. BA-

TERIA: Caixas - Sd. Luiz

Gonzaga da Silva e Sd.

Arnaldo Delboni. Bombo

- Sd. Antônio Ramos.

Pratos - Sd. Renato Dias

do Prado e Sd. José Demerval

Cordeiro.

Nos anos que se seguiram, nosso

repertório se tornou grande e diversificado,

passando por várias músicas

eruditas, valsas vienenses, marchas e

dobrados, hinos pátrios, além de músicas

populares de diversos ritmos,

como chorinhos, maxixes, sambas,

boleros, tangos e valsas. O aprimoramento

técnico e entrosamento desses

músicos e de outros que foram

incorporados, chegou a ponto de

gerar comunicação até pelo simples

olhar. O efetivo também aumentou de

tal forma, que foi possível em 1965

montar também uma orquestra e um

septeto para bailes.

Logo conseguimos destaque entre

as bandas da Polícia Militar. Nos concursos

anuais, promovido pelo Corpo

Musical, obtínhamos sempre ótima

classificação, permanecendo entre as

primeiras colocadas.

CONTINUA NAS PÁGINAS SEGUINTES

Fotos abaixo: Baile dos Coloreds no

antigo Teatro Municipal, com as 10 Mais

Elegantes de 1965, animação Amir

Spíndola e Sua Orquestra. Trata-se do

último baile da história do teatro.

|70


71|


A CRISE

Para isso, além da qualidade musical

e empenho do Mestre Regente

e dos músicos, contávamos também

com o importante apoio dos Comandantes

que consideravam a banda o

“cartão de visitas do Batalhão”, uma

espécie de Relações Públicas. Neste

período que engloba os anos 60

e 70, era comum os ensaios serem

frequentados por músicos, compositores

e simpatizantes. As retretas aos

domingos, amplamente divulgadas,

tinham sempre grande número de

apreciadores. Foram anos áureos.

Com a extinção do quadro de músicos,

as bandas de todas as unidades

da Polícia Militar entraram em crise e

perderam muito espaço. Com o efetivo

reduzido, dividem suas atividades

com o policiamento de rua. Em Araraquara,

no 13º BPM/I, atualmente

sob o comando do Ten. Cel. Adalberto

José Ferreira, a banda que é dirigida

pelo 1º Sgt. Luis Fabiano Ribeiro

conta como número insuficiente de

apenas 10 músicos.

RELAÇÕES PÚBLICAS

Em 1971, Araraquara sediou o “Torneio

de Consolação” do VI Campeonato

Mundial Feminino de Basquetebol.

As seis equipes que não se classificaram

para o turno final, vieram a nossa

cidade para disputar do 8º ao 13°

lugares, na classificação final entre todas

as seleções que desembarcaram

no Brasil e que também disputavam

concomitantemente em São Paulo.

Então, aqui estavam as seleções dos

O 147° aniversário da cidade (22/08/1963), a banda descendo a Rua 9 de Julho

Estados Unidos, Austrália, Canadá,

Argentina, Equador e Madagascar.

O torneio organizado pela Federação

Internacional de Basquetebol e Confederação

Brasileira de Basquetebol

foi disputado no recém inaugurado,

Ginásio de Esportes Castelo Branco

– Gigantão, de 22 a 27 de maio. Nessa

circunstância, coube à Banda do

13º BPM/I, executar antes dos jogos,

o hino nacional das equipes. Tínhamos

todas as partituras, exceção feita

à Madagascar, devido a sua recente

independência da França em 1960.

Então o Mestre Regente, Subten. Sobrinho,

escalou os músicos 3º Sgt.

Etevaldo Barbosa Adorno, Cb. Pedro-

Pollis e eu (3º Sgt. Juraci Brandão de

Paula), para conseguirmos o hino.

Fomos então ao Hotel Uirapuru, na

avenida Portugal, onde estava hospedada

a delegação malgaxe e com o

meu inglês de principiante descobrimos

que eles também não tinham as

partituras. Entretanto um deles sabia

tocar piano, o que nos ajudou muito.

Fomos todos até a Rádio Cultura, ainda

na Av. Espanha, e o membro da

comitiva malgaxe tocou a melodia do

hino no piano cedido pela emissora.

Ouvimos, escrevemos a parte e de

Amir Spínola e Sua

Orquestra em 1965 na

Nipo Brasileira: Zaga,

Marcos, Nivaldo Dal-Ri,

Amir Spínola (Mizinho),

Ariovaldo Spínola (Tio

Vado), Délio Souza

Oliveira, Pedrão,

Jura, Antônio Ramos,

Arnaldo Delboni,

Tocantis, Biroca,

Bidinho, José Maria e

Bento Luiz Nogueira

volta ao quartel fizemos a distribuição

de vozes, baixo e harmonia.

Deu certo e ainda naquela mesma

noite tocamos o hino antes do jogo da

equipe de Madagascar. Então, durante

o torneio, as atletas e toda a delegação

malgaxe puderam ouvir pela

primeiríssima vez o hino do seu país

em terras estrangeiras, coisa que, segundo

eles, não aconteceu em outras

cidades onde jogaram.

Ficaram todos muito emocionados

e agradecidos. Estabelecemos então

um laço de amizade e durante a semana

que estiveram em Araraquara,

era comum a presença dos alegres

e simpáticos membros da delegação

de Madagascar nos nossos ensaios.

Chegavam no Corpo da Guarda do

Quartel e nem se identificavam mais.

Entravam e iam direto para a sala da

BRM. Já eram considerados da casa.

BENEVOLÊNCIA

Fomos tocar na cidade de Jales, e

lá, o 1º Sgt. Hernani encontrou numa

praça, uma jovem chorando desesperada.

A garota havia sido colocada

para fora de casa porque seus

pais não aceitavam sua condição de

solteira grávida. O Sgt. Hernani não

teve dúvidas. Trouxe a jovem para a

sua casa em Araraquara, arcando

com todas as despesas dos exames

pré-natal e alimentação. Ao mesmo

tempo negociava com a família, o seu

retorno. Após o parto, os pais, agora

também avós, vieram buscara filha e

a criança. Poucos na banda ficaram

sabendo. Não é fácil ver coisas como

essa . . .

CONTINUA NAS PÁGINAS SEGUINTES

|72


73|


TEM GATO, OU MELHOR,

SABÃO NA TUBA

Era aniversário de Ribeirão Bonito.

Pela manhã tocamos no desfile,

guardamos os instrumentos num armazém

típico de secos & molhados

e fomos almoçar. À tarde, no Estádio

Municipal, durante uma apresentação

do canil do Batalhão, fizemos

o fundo musical, como de costume.

Em seguida houve jogo de futebol. À

noite fizemos uma retreta na praça

e retornamos para Araraquara. Logo

percebi que a sonoridade do meu

instrumento não era a mesma, mas

acabei me acostumando. Um ou dois

meses depois, estávamos nos preparando

para o desfile de 22 de agosto,

aniversário de Araraquara. Então tirei

a campana, os pistos e molas do instrumento,

para limpeza, lubrificação

e posterior polimento. Enchi suas curvas

de água, chacoalhava bastante

e jogava a água fora. Na segunda

vez que repeti o processo, notei que

a agua saiu com alguma espuma.

Nas vezes seguintes aumentava a

espuma, até que saiu uma barra de

sabão de cinza caseiro. Algum amigo

da onça gozador colocou aquele sabão

no meu instrumento lá naquele

armazém em Ribeirão Bonito. É claro

que não abri a boca.

TALHERES, COPOS & CIA

Conjunto Sete

Bossas: João Tocantis,

Demercil de Souza

Oliveira (Biroca),

Alcebíades Spínola

Filho (Bidinho), Luiz

Gonzaga da Silva

(Zaga), Pedro Pollis

(Zarur), Marcos e

Juraci Brandão de

Paula, na Nipo em

1965 Sgt. Juraci Brandão de Paula e o Cb.

Antônio Joaquim Filho, na sala de ensaio

da BRM

1965. Havíamos terminado um

baile na Nipo, com o Amir Spínola e

Sua Orquestra. Era o primeiro baile da

orquestra e também o primeiro baile

da gestão do Mario Takeshi Takatsui

(Mário Fuji), o mais jovem presidente

da Nipo, eleito com 19 anos de idade.

Fim de baile, no palco só estávamos

o Pedrão (baixo) e eu (guitarra),

acabando de guardar os respectivos

instrumentos e aparelhos. Os demais

músicos já estavam saindo do clube,

quando um entre eles gritou: “Pedrão,

por favor pegue o estojo do tenor que

ficou no palco”. Quando o Pedrão tentou

levantar o estojo, intencionalmente

destravado, ele se abriu e espalhou

pelo palco copos, talheres e outros

Um reencontro na sede do Batalhão 56 anos

depois: Ten. Pollis, Ten. Gonzaga, Sgt. Juraci

(nosso redator), Ten. Melchisedec e 1° Sgt.

Ribeiro (atual regente da banda)

bichos ferozes. O garçom que estava

próximo ao palco não disse uma

palavra. Mas nem precisava. Bastou

seu olhar de espanto e reprovação.

O Pedrão e eu muito envergonhados,

não sabíamos onde enfiar a cara. Só

me lembro dele com cara de tacho

repetindo seguidamente: “Esse estojo

não é meu... esse estojo não é meu”.

E o pessoal da orquestra se matando

de rir na frente do clube. Para eles,

uma tremenda festa. Para nós, baita

fria. Durma com um barulho desse...

Essas experiências vividas foram

contadas pelo amigo Ten. Pedro Polis

e eu, na sua casa, e não faltaram os

petiscos e bebidas servidos pela sua

gentil esposa Geni.

Ten. Cel. Adalberto José Ferreira e a

esposa Ana Lúcia Vancetto Ferreira, ele

comandante do 13° BPM/I

|74


APOIO:

Por Sérgio Sanchez

Ray Charles

UMA “AURA” DE GENIALIDADE

cantando em grupos gospel, no final

dos anos 40. A princípio influenciado

por Nat King Cole, trocou o gospel por

baladas profanas e, após assinar com

a Atlantic Records em 1952, enveredou

pelo R&B, quando o rock & roll estourou

com Elvis Presley em 1955, e cantores

negros como Chuck Berry e Little

Richard.

ASTRO REVERENCIADO

NO POP AMERICANO

Sempre ligado ao soul, jazz e baladas

lindíssimas como “Cry Me a River”,

“Georgia On My Mind”, “Sweet Memories”,

e “I Can’t Stop Loving You”, de

1962. Músicas que fizeram sucesso no

mundo todo.

Ray Charles Robinson (nascido em

Albany, 23 de setembro de 1930 – Los

Angeles) foi um pianista norte-americano,

pioneiro e cantor de música soul,

blues, jazz que ajudou a definir o seu

formato ainda no fim dos anos 50, além

de um inovador intérprete de R&B.

Quando vemos a performance de

Ray Charles com aquela voz belíssima

junto com seu piano, não se consegue

definir, nem tentar traduzir nada. Emoção

e genialidade apenas sente-se e

observa.

Uma história contada através da dor,

esperança e vontade de vencer. Este é

Ray Charles, um dos maiores artistas

que o mundo teve o privilégio de conhecer

e se emocionar com suas canções.

A PERDA DA VISÃO

Ray Charles não nasceu cego. Ele

ficou totalmente cego aos sete anos

de idade. Charles nunca soube exatamente

porque perdeu a visão, apesar

de existirem fontes que sugerem que

sua cegueira era devido a glaucoma,

enquanto outras fontes sugerem que

Ray começou a perder a sua visão

devido a uma infecção provocada por

água com sabão nos seus olhos, que

foi deixado sem tratamento.

TROCA O GOSPEL POR

BALADAS PROFANAS

Órfão na adolescência, Ray Charles

iniciou a sua carreira tocando piano e

SUCESSO

Apesar de envolvimentos com drogas

e alguns casamentos desfeitos,

conseguiu manter sua carreira sempre

no topo do sucesso, reverenciado por

artistas como; Stevie Wonder, BB King,

Winton Marsalis e Natalie Cole, colecionou

8 prêmios Grammy, melhor álbum

e gravação do ano.

Faleceu aos 73 anos de idade, às

11h35 do dia 10 de junho de 2004 em

sua casa de Beverly Hills, onde estava

com seus familiares, vítima de uma

doença no fígado.

Uma história

contada

através da dor,

esperança e

vontade de

vencer.

Este é Ray

Charles

75|


|76


77|


Super MULHER

EMPREENDEDORA

VIP

VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Cristiane Santolino é uma das

novas integrantes do grupo Super

Mulheres Empreendedoras. Seu

trabalho é transformar sonhos em

festa. Seu Buffet Infantil Espaço JC

Festas atende também o público

adulto que não abre mão de festejar

o aniversário com amigos

e familiares.

@espacojcfestas

@buffetinfantilespacojc

Araraquara, aqui o Sol é nosso rei!

Olá querido leitor! O mês de agosto é muito significativo

para todos nós araraquarenses, por conta da comemoração

dos 202 anos da nossa querida e amada cidade,

que ocorre no próximo dia 22. Aproveite a oportunidade e

comemore a data prestigiando a agenda especial que estará

disponível o mês todo. Shows, espetáculos teatrais, desfile

comemorativo e muitas outras opções bacanas para toda

família. A arte é um dos caminhos que agrega conhecimento

e abre um leque de possibilidades, para que todos

tenham acesso à cultura e informação. Prestigie! Deixo o

meu afetuoso abraço para todos os papais e em especial

para os meus leitores pelo Dia dos Pais, que é comemorado

no dia 11. Namastê!

Feliz por estar gerando seu segundo

bebê, Daniela Cristina Correia

Janine não poderia ter outra

profissão. Formada em Pedagogia é

proprietária da Escola da Tia Dani,

que oferece educação infantil para

crianças desde os primeiros meses

de vida. Trabalha com o método

Dom Bosco, pioneiro em materiais

didáticos com atividades lúdicas.

@escoladatiadani

Formada em arquitetura e urbanismo

pela UNESP de Bauru em 2006, Marcela

Braga Costa sempre incluiu o paisagismo

em seu trabalho e por esse motivo, em

2017 fez especialização na área. Em

dezembro de 2018 inaugurou a Quinttal

Paisagismo em Boa Esperança, loja

especializada em jardinagem. Realiza

projetos personalizados de paisagismo e

execução do jardim.

@quinttal.paisagismo

Marisol Fente Damas é uma mulher

de negócios. Seu empreendimento é

um e-commerce na área de turismo.

A Alianza Tour, sua agência de

viagens, oferece várias sugestões de

pacotes nacionais e internacionais,

além de um atendimento

personalizado e preços diferenciados.

Saiba mais pelas redes sociais:

alianza_tour

@alianzatourara

|78


SEU NOVO JEITO DE COMPRAR

Cashback World em Araraquara

Um ótimo negócio para você e sua empresa

Você quer obter benefícios

enquanto faz compras? Então

conheça todas as novidades

que esta marca pode oferecer.

Texto: Maribel Santos

Os empresários e sócios Lucas

Henrique da Silva, de Américo Brasiliense,

Thiago Coelho, de Portugal e

o novo empreendedor Vinicius Lopes

Campos, de Américo Brasiliense, trouxeram

para Araraquara uma novidade

e uma ótima oportunidade de negócio,

a Cashback World. A ideia de trazer a

Cashback World para Araraquara surgiu

após uma viagem para Portugal em

abril deste ano. O jovem empresário

de vinte e cinco anos, Lucas Henrique

da Silva conheceu em Lisboa, o empresário

Tiago Coelho e através dele

tomou conhecimento do negócio,

nascendo assim a parceria, Cashback

World Araraquara. Você sabe o que é

Cashback? Cashback ou dinheiro de

volta é adotado por empresas que funcionam

como intermediárias entre o

consumidor e lojas dos mais variados

setores. A cada compra, o consumidor

pode receber até 5% do valor, além de

ganhar “Shopping Points”, que podem

ser resgatados em ofertas na forma de

bens ou serviços específicos. Basta se

cadastrar no sistema Cashback World

e começar a fazer compras. O valor

em dinheiro acumulado pelo cliente

Os empresários Vinicius Lopes Campos, Tiago Coelho e Lucas Henrique da Silva

vai direto para sua conta corrente e

ele fará uso da forma que desejar e

o montante varia de acordo com o

preço dos produtos e a porcentagem

de cashback oferecida pela loja, pode

ficar entre 1% e 50% do valor total da

compra. A Cashback World pertence

à holding myWorld e se define como

uma comunidade de compras internacional,

multicanal e multissetorial.

São 13 milhões de consumidores ao

redor do mundo e esperam alcançar

1 bilhão até 2030. Em escala global,

mais de 120 mil empresas já integraram

a Cashback World em seus

negócios, incluindo 32 grandes cooperações

esportivas e clubes europeus

de futebol, enquanto no Brasil,

o número de parceiras cresce à razão

de 100 companhias por mês. Para as

pequenas e médias empresas (PMEs),

a plataforma oferece uma oportunidade

de negócio por meio do programa

Cashback Solutions. “Toda vez que um

lojista ‘emprestar’ um cliente a outras

empresas da Cashback World, ele recebe

um prêmio de até 1% de bônus

de marketing pela recomendação.

Foto: Arquivo pessoal

Edifício Victória Business

Av. Rodrigo Fernando Grillo, 207

Sala 1610 - 16° Andar

Jardim dos Manacas, Araraquara

16 99730.8784

Lucas Henrique da Silva

lucashqssilva

Lucas Henrique

Tiago Coelho

@tiagocoelho88

Vinicius Lopes Campos

vinicius_lopes_c

Vinicius Lopes

79|


Pookids apresenta nova

coleção Primavera/Verão 2020

com muitas novidades!

Fotos: Jonas Bezerra

Equipe Pookids

|80


81|


VITRINE

VITRINE

DA REDAÇÃO

JOÃO CARLOS

O NOVO BOB’S

Alana, Adrilly, Alan,

Adriana e Bruno - Família

Zacharias, proprietária do

Bob´s do Jaraguá

João Henrique de Souza

Freitas, coordenador

regional do Senar,

aproveitou as férias de

julho e desembarcou

em Santiago, Chile.

Entre as visitas,

um belo centro de

vendas e a paisagem

proporcionada pela

Cordilheira dos Andes.

ANIVERSÁRIOS

Agosto|2019

A diretoria do SINCOMERCIO cumprimenta todos os aniversariantes

DATA

NOME

EMPRESA

DATA

NOME

EMPRESA

01/08

02/08

02/08

03/08

05/08

06/08

07/08

08/08

09/08

09/08

10/08

10/08

11/08

11/08

12/08

12/08

14/08

15/08

Luigi de Patto

José Reginaldo de Souza

Paulo Guilherme Pires

José Henrique S. Teixeira

Antônio C. da Silva

Elias Martiniano do Carmo

Thamiris Cristina Rossi

José Roberto Carlos

Antônio Estrella

Celso Luis Betarelo

Lourenço Legal Toqueiro

Vinicius Reame Maximo

Luiz Belotti

Sandra Heloísa Costa Pilon

Gilberto Manduca

Paulo Abilio Lazaro

Edgar Santa Rosa Esteves

Maria Helena M. Simões

De Patto Assessoria Empresarial

Escritório Contábil Dynâmico

Alfa HP Tecnologia

Furlan & Furlan

Letícia Folheados

Art Musical

Charutaria Paratodos

Gráfica Benê

Drogaria Santa Terezinha

Escritório Luci de Contabilidade

Cesta Básica União

Team Maximo Fight

Mercúrio Equip. p/ Escritório

Jopasa

G. G. M. Serralheria e Tornearia

Power Escapamentos

Agrometa

Drª Maria Helena

15/08

15/08

15/08

20/08

20/08

21/08

22/08

23/08

24/08

24/08

24/08

25/08

26/08

27/08

28/08

30/08

Paulo Henrique P. Bonavina

Pedro Henrique Costa

Priscila Ventura Lorenzetti

Aluisio Zocal

Renato Alves Oliveira

Henrique Duran M. de Jesus

Katia R. G. Marcondes

Silvana Cacheta Malara

Alberto Z. Neves

Denilson Altemari

Iago Rodrigues

Luciano Galvão Cruz

Egydio Argenti Filho

Henrique Rodrigues Barbosa

Oswaldo Irineu Giglio

Evandro Pacheco Lustosa

Esc. Aracontas de Contabilidade

Passarinho Hortifruti

Lorenzetti Movelaria

Zocal

Aramix

Parque Arpoador

Beija Flor Tintas

Aramotors Comércio de Veículos

Alfa HP Tecnologia

Esc. de Contabilidade Harmonia

Grupo Sinergia

Super Antenas e Alarmes

Egydio Motors

Alfa HP Tecnologia

Aramix

Agrotécnica

|82


HORA SOL

TECNOLOGIA

O casal Eliana-Sérgio Hermínio Fausto, proprietário da Hora

Sol, promove encontro festivo para clientes, colaboradores e

amigos da empresa, organizando palestras e coquetel para

comemorar a maravilhosa trajetória de 48 anos de atividades.

Fotos: Infinity Fotografia Araraquara

Carla, Juliana e Eliete

Fabiane, Roberto, Renata, Juliana, Sérgio Hermínio Fausto,

Aristides e Marcela

Eduardo Monnazzi, Juliana, Ricardo

Monnazzi e José Luiz Monnazzi

Aldo, Jéssica e Michelle

Eduardo Monnazzi,

Sérgio e José Luiz

Monnazzi

Ederson e Alex

Sérgio, Eliana,

Danielly, Fabiane,

Juliana e Roberto

Ederson, Aldo e Jéssica

Emerson, Sérgio e Beatriz

Flávia e Robson

83|


A Scutti comercializa

equipamentos e utensílios para

cozinha industrial, comercial e

residencial

Cristiane Menezes, Delgene Araújo Silva, Marielle

Scutti e Aleksander Cristian Scutti, da Scutti

NOITE ITALIANA DO REDENÇÃO

ACONTECIMENTO INESQUECÍVEL

Edelcio Margonar, Renata e o

marido Donizete Orlando

Giovani Peroni e Salvador

Spotto

Jorge Lorenzetti, presidente do Lar

Escola Redenção com a mão na

massa durante a festa italiana

VISITA AO RCIARARAQUARA

Suze Timpani

Gui Venturini e Lidiane

Cavaglieri

Toninho Junquetti, Padre Alfeu

(São José) e Ivan Roberto

Peroni, em nossa redação

|84


85|


Luís Carlos

BEDRAN

Sociólogo e cronista da Revista Comércio,

Indústria e Agronegócio de Araraquara

Dia dos pais

Morei durante muitos anos numa

casa que ficava bem próxima do cemitério.

No começo achei meio esquisito

ficar perto dos enterrados, apesar de

não ser supersticioso. Depois, com o

tempo, não só me acostumei, como

até mesmo gostei, muito embora

ainda não tivesse nenhum parente

lá sepultado para relembrá-lo saudosamente

de vez em quando. Alguns

amigos sim.

É que ali era, ainda é e continua a

ser um lugar tão tranquilo, tão silencioso,

tão sossegado, que quando ia

trabalhar no centro da cidade, preocupado

em enfrentar os inevitáveis

problemas que surgiriam, cortava caminho

pela necrópole.

E naqueles minutos dos 200m, ao

reparar nos túmulos, nas inscrições e

nos nomes dos falecidos, gente conhecida,

não havia como não deixar

de refletir sobre quão frágil é a existência

e a condição humana. As vaidades,

as riquezas sumiram. Então as preocupações

que entendia importantes,

desapareciam como por encanto e aí

tudo ficava mais fácil. Pois não há nada

como a morte para encarar com mais

leveza a vida.

O que me faz recordar a resposta

jocosa do escritor Mark Twain quando

lhe pediram se pudesse colaborar

numa subscrição para levantar fundos

para a construção dos muros de um

cemitério de uma pequena cidade

do interior do Mississipi: — “Para que,

se os vivos não querem lá entrar e os

mortos não conseguem sair?”.

Mas o que tem a ver tudo isso, se

neste dia 11 de agosto de 2019 não

é o dia dos finados e sim dos pais?

É que nesse dia eu ficava a observar

o intenso movimento, até alegre do

campo-santo, que enchia de gente

para recordá-los com muita saudade,

seus familiares encontravam-se e o

papo corria solto.

Não moro mais ali perto e hoje

meus pais lá estão enterrados. Não

faço questão de ir lá para relembrálos,

não por nada, mas é que procuro

seguir um conselho paterno: que

não se importaria absolutamente de

receber visitas depois de morto e sim

durante sua vida. E isso, quando podia,

procurei fazer, como fiz, até o dia final.

Pois é isso que tento transmitir aos

meus filhos e às pessoas amigas que

me leem agora e que ainda desfrutam

da companhia de seu pais. Que

tentem conviver ao máximo possível

com eles, sejam também seus amigos.

Aproveitem o instante, conversem

bastante, festejem o momento, “carpe

diem”, enquanto podem.

Se seus pais são idosos, não se

esqueçam que um dia qualquer eles

faltarão; às vezes, quanto menos se

espera. Não deixem para depois esse

convívio amoroso, porque poderá ser

tarde demais. E aí pode ser que venha

o arrependimento. “Puxa vida, não esperava

que isso pudesse acontecer”;

“parecia tão bem”; “deveria ter conversado

mais com ele”. De um modo

geral, dentro do comum, dentro da

sequência do tempo, da possibilidade

de ainda terem os pais, porque nem

sempre as pessoas têm essa felicidade.

E é aqui que registro minha solidariedade

àqueles que nunca conheceram

seus pais, ou os que pouco ou

nada tiveram a presença paterna para

receberem apoio ou um conforto para

suportarem a vida. Como é triste não

tê-los juntos. Quantas pessoas não

foram criadas pelas mães, ou pelos

avós, ou pelos parentes mais chegados,

substituindo os pais; quantas não

ficaram órfãs cedo, criadas num orfanato

público.

Traumas difíceis de serem superados,

carências afetivas, tristezas infindas

que, para elas, essa data nada

significa. Até mesmo revoltam-se com

isso. A figura paterna, seja ela qual for,

e que nem precisaria ser o pai biológico,

é fundamental para a formação

de uma criança. A pessoa mais velha,

que substitui o pai, pode muitas vezes

educar melhor a criança do que

aquele que deveria ter essa obrigação.

Na literatura é que se percebe bem

a carência da figura do pai ou então

daquele que foi um verdadeiro terror

para o filho ou filha, como a opressão

que sofreu Kafka quando desabafou

em sua “Carta ao pai”. Sem falar nos

abusos sexuais que perduram toda a

vida e que revoltam a sociedade.

Apesar de tudo, das agruras pelos

quais as pessoas passam, dos complexos

que todos nós eventualmente

possamos ter com a figura paterna e

tentar conseguir superá-los, vamos

comemorar essa efeméride com júbilo

e alegria aqueles que podem,

independentemente dos mimos que

estes poderiam receber e até de ser

considerado como um dia comercial.

O que não deixa de ser extremamente

válido. Mas o presente não

substitui o amor e o carinho. Estes não

podem ser comprados.

|86


87|


cadernos

personalizados

FOLDERS &

CATALOGOS

|88

More magazines by this user
Similar magazines