RCIA - EDIÇÃO 169 - AGOSTO 2019

tvcomercioeindustria

CÉLULAS SOLARES

Para onde vão

nossas pesquisas

Período de estágio na Colorado School of Mines, nos EUA,

foi determinante para a pesquisa que teve a supervisão do

Instituto de Química de Araraquara

|28

A pesquisadora Bruna Bregadiolli,

do Instituto de Química (IQ) da Unesp

de Araraquara, acaba de retornar de

seu período de estágio de pesquisa

no exterior financiado pela Fapesp,

onde desenvolveu novos materiais

funcionais baseados em carbono

para aplicação em células solares.

Tal aplicação é parte da linha de

pesquisa de interesse do Centro de

Desenvolvimento de Materiais Funcionais

da FAPESP na área de energia e

meio ambiente, ao qual a pesquisadora

também está vinculada.

Nesta pesquisa, realizada sob

supervisão da professora Maria Aparecida

Zaghete, do IQ da Unesp de

Araraquara, e integrantes do CDMF/

FAPESP, foram desenvolvidas diversas

técnicas para a produção de novos

materiais, com grupos ancoradores

orgânicos tais como trifenilaminas e

tiofenos ancorados a nanodiamantes

e a derivados de grafeno.

Esses novos materiais possuem

estrutura doador/aceitador quando

ligados covalentemente ao composto

derivado de carbono, dando origem

a um sistema conjugado que poderá

facilitar o transporte de cargas nos

novos compostos. Além disso, o ancoramento

de novos ligantes pode alterar

os níveis de energia dos materiais,

o que pode ser adequado de acordo

com sua aplicação.

No resumo de seu projeto de

pesquisa de pós-doutorado, Bruna

argumenta que a fim de atender a

crescente demanda energética das

últimas décadas, o uso de energias

renováveis, tais como as células fotovoltaicas,

tem se destacado como

forma promissora de energia limpa,

renovável e eficiente para redução

do uso de combustíveis fósseis, não

renováveis e poluentes.

Neste sentido, o Brasil, por sua localização

e extensão territorial, recebe

a energia solar de cerca de 1013

MWh por ano, o que corresponde a

aproximadamente 50.000 vezes o

seu consumo anual de eletricidade.

“Assim, o desenvolvimento de dispositivos

que convertam a luz solar

em energia elétrica utilizando novos

materiais, eficientes e de baixo custo,

Acima: Maria Aparecida Zaghete,

do Instituto de Química da Unesp

de Araraquara; À esquerda, a

pesquisadora Bruna Bregadiolli,

ao centro, com os outros

membros do Sellinger’s Group,

na Colorado School of Mines em

Golden, nos EUA

tem despertado o interesse na comunidade

científíca mundial”, destaca

o texto.

O estágio de pesquisa da pós-doc

da Unesp de Araraquara, possibilitou

o contato da pesquisadora com técnicas

avançadas de síntese e caracterização

de materiais orgânicos e a colaboração

do professor Alan Sellinger e

os membros de seu grupo, tanto para

a obtenção desses novos materiais,

como a futura aplicação em dispositivos.

Além disso, firma a parceria

do grupo de pesquisa do IQ-Unesp/

Araraquara com o grupo da Colorado

School of Mines.

O CDMF, dirigido pelo professor

da UFSCar, Elson Longo da Silva, é

um dos Centros de Pesquisa, Inovação

e Difusão (Cepids) apoiados pela

Fundação de Amparo à Pesquisa do

Estado de São Paulo (Fapesp), e recebe

também investimento do Conselho

Nacional de Desenvolvimento Científico

e Tecnológico (CNPq), a partir

do Instituto Nacional de Ciência e

Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia

(INCTMN).

More magazines by this user
Similar magazines