*Agosto/2019 - Referência Industrial 210

jota.2016

NOTAS

ECONOMIA

TURBINADA

Os percalços e crises internas do governo Jair Bolsonaro

emperraram o crescimento econômico do país em 2019.

Por esse motivo, a equipe econômica capitaneada por

Paulo Guedes irá lançar nas próximas semanas uma série

de medidas que prometem turbinar a economia para os

próximos anos. O primeiro passo é a liberação do dinheiro

do Fgts, mas o ministro já prometeu outros planos para

até o primeiro semestre de 2020. Guedes já adiantou que

o Banco Central vê espaço para liberar um total de R$ 100

bilhões em compulsórios. Ao fazer isso, a autoridade monetária

abre caminho para que os bancos concedam mais

empréstimos para pessoas e empresas.

Foto: divulgação

MADEIRA

ACREANA

Bons ventos estão soprando a favor da indústria madeireira

durante a Expoacre 2019. Isso porque o empresário

francês Fabrice Jaquier, acreditando no novo momento

que a economia do Estado vive, fechou a compra

de 150 containers de madeira certificada ao longo

de um ano. O volume dessa transação vai injetar na

economia local cerca de R$ 20 milhões. Toda esta madeira

tem a Europa como destino, sobretudo, a França.

A matéria-prima é altamente cobiçada pela construção

civil e indústria moveleira europeia. Jaquier explica que

está há quatro meses no Acre negociando a compra de

madeira e se certificando que todo o processo obedece

aos padrões estabelecidos pela legislação brasileira.

“O Acre tem madeira de excelente qualidade e toda a

Europa conhece e tem o desejo de ampliar esse mercado.

E acredito que isso vai ser muito bom para a economia

local porque vai gerar muitos empregos e que tem

tudo para crescer ainda mais”, enfatizou.

Foto: divulgação

MERCOSUL/UE

A Abimóvel (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário),

entidade que representa o setor moveleiro nacional,

analisou o impacto do acordo assinado recentemente entre

o Mercosul e a União Europeia. Ao avaliar o histórico das exportações

brasileiras de móveis prontos e colchões para os

países do bloco europeu, a presidente da Abimóvel, Maristela

C. Longhi, ressalta que, diante da queda da participação relativa

destes países sobre as exportações em geral, que era de

26% em 2016, e que foi reduzida a 20% em 2018, o acordo traz

perspectivas bastante positivas ao setor. “É bastante oportuna

a assinatura do acordo de livre comércio do Mercosul

com a União Europeia no sentido de fomentar as exportações

brasileiras para a região, trazendo-a para patamares de crescimento

semelhantes à media registrada pelo Brasil, levando

em consideração as exportações dos demais países da União

Europeia”, acrescenta a presidente da Abimóvel.

Foto: divulgação

18 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2019

More magazines by this user
Similar magazines