Newslab 155

newslab.analytica

A mídia oficial

do diagnóstico laboratorial

ISSN 0104838-4

R$ 25,00

9 770104 838007 0 0 1 5 5 >

R$ 25,00

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

Investimento que dá resultado

Acompanhando o crescimento da saúde no Brasil,

a norte-americana Beckman Coulter investe

US$ 15 milhões no país e apresenta lançamentos que

reduzem as possibilidades de erros nos diagnósticos do setor.


O melhor é aquele que se encaixa

no seu perfil de laboratório.

LINHA DE ANALISADORES YUMIZEN

Acesse e conheça: www.horiba.com/br/medical

Paixão, ciência e tecnologia estão em tudo que fazemos.


Inovar vai além de oferecer a melhor tecnologia.

É saber considerar diferentes necessidades,

diferentes formas de entregar resultados e

diferentes formas de agregar valor ao seu negócio.


evista

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

editorial

Chegamos à 155ª edição da Revista Newslab, cuidadosamente preparada trazendo a maior gama

de assuntos referentes ao setor de diagnóstico laboratorial. Com a expectativa do 53º Congresso da

SBPC/ML, onde distribuiremos esta Revista, e que ocorrerá de 24 a 27 de setembro, trazendo uma preciosíssima

programação técnico-científica. A nossa revista também traz um material bem abrangente.

Contamos, desta vez, com três artigos que abordam diferentes temas: o primeiro sobre a importância do

conhecimento e esclarecimento sobre o papilomavírus humano (HPV) na adolescência, especialmente

por conta da iniciação da vida sexual ativa precoce em muitos adolescentes; o segundo sobre as relações

das dislipidemias e o uso da terapêutica em indivíduos infectados pelo vírus HIV; e o terceiro sobre a

incidência de infecções no trato urinário em gestantes.

Além dos artigos científicos supracitados, seguimos com a seção de Gestão Laboratorial e Profissional

que discorre sobre soluções em gestão para pequenos e médios laboratórios clínicos. Temos como

Laboratório em Destaque o Bioma4me, apresentando um texto sobre a importância do sequenciamento

de microbioma para uma vida saudável. Na seção Minuto Laboratório falamos sobre a importância da

fase pré-analítica para o sucesso do diagnóstico. Na seção de Radar Científico, abordamos sobre a importância

do controle do resfriamento em criopreservação e sobre o impacto da análise de esfregaços

por metodologia digital. Somado a isso, seguimos com a seção Direito a Saúde, que expõe o tema da

problemática da judicialização na área da saúde. Seguimos, então, para a seção Lady News que fala

sobre os processos de gestão, especialmente sob a ótica feminina, e sobre as novidades de microscopia.

Por fim, nossa despojada e divertida coluna Analogias em Medicina, conta como foi a descrição da

doença de Paget.

Todo esse conteúdo, associado à uma importante agenda de eventos e as melhores inovações e soluções

do mercado de análises clínicas, reunindo as maiores empresas do ramo. Agradecemos à todos que

colaboraram com essa edição, e a todos os leitores.

Boa leitura a todos!

JOÃO GABRIEL DE ALMEIDA

Expediente

Realização: DEN Editora

Conselho Editorial: Sylvain Kernbaum | revista@newslab.com.br

Jornalista Responsável: João Gabriel | redação@newslab.com.br

Assinaturas: Daniela Faria 11 98357-9843 | assinatura@newslab.com.br

Comercial: João Domingues - 11 98357-9852 | comercial@newslab.com.br

Coordenação de Arte: HDesign - arte@hdesign.com.brr

Impressão: Vox Gráfica | Periodicidade: Bimestral

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

DEN Editora - Revista NewsLab - Av. Nove de Julho, 3.229 - Cj. 1110 - 01407-000 - São Paulo-SP

tel.: 11 3900-2390 - www.newslab.com.br - revista@newslab.com.br

CNPJ.: 23.057.401/0001-83 - Insc. Est.: 113.931.870.114 - ISSN 0104-8384

04

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


TRANSFUSION MEDICINE

Wadiana

S

Erytra Eflexis

M/L

L/XL

Erytra

TOTALMENTE AUTOMATIZADO

DG Station

DG Spin

XS

MANUAL

SEMI AUTOMÁTICO

XS

DG Therm

DG Therm

DG Station

DG Reader

DG Spin


evista

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

Normas de Publicação

para artigos e informes assinados

A Revista Newslab, em busca constante de novidades em divulgação científica, disponibiliza abaixo as normas para publicação de artigos, aos autores interessados.

Caso precise de informações adicionais, entre em contato com a redação.

Informações aos Autores

A Revista Newslab, em busca constante de novidades

em divulgação científica, disponibiliza abaixo

as normas para publicação de artigos, aos autores

interessados. Caso precise de informações adicionais,

entre em contato com a redação.

Informações aos autores

Bimestralmente, a Revista NewsLab publica

editoriais, artigos originais, revisões, casos educacionais,

resumos de teses etc. Os editores levarão em

consideração para publicação toda e qualquer contribuição

que possua correlação com as análises

clínicas, a patologia clínica e a hematologia.

Todas as contribuições serão revisadas e analisadas

pelos revisores. Os autores deverão informar

todo e qualquer conflito de interesse existente, em

particular aqueles de natureza financeira relativo a

companhias interessadas ou envolvidas em produtos

ou processos que estejam relacionados com a

contribuição e o manuscrito apresentado.

Acompanhando o artigo deve vir o termo de

compromisso assinado por todos os autores, atestando

a originalidade do artigo, bem como a participação

de todos os envolvidos.

Os manuscritos deverão ser escritos em português,

mas com Abstract detalhado em inglês. O Resumo

e o Abstract deverão conter as palavras-chave

e keywords, respectivamente.

As fotos e ilustrações devem preferencialmente

ser enviadas na forma original, para uma perfeita reprodução.

Se o autor preferir mandá-las por e-mail,

Contato

A sua opinião é muito importante para nós. Por isso, criamos

vários canais de comunicação para você, nosso leitor.

REDAÇÃO: Av. Nove de Julho, 3.229 - Cj. 1110 - 01407-000 - São Paulo-SP

TELEFONE: (11) 3900-2390

EMAIL: redacao@newslab.com.br.

Acesse nossa homepage: www.newslab.com.br

Siga-nos no twitter: @revista_newslab

pedimos que a resolução do escaneamento seja de

300 dpi’s, com extensão em TIF ou JPG.

Os manuscritos deverão estar digitados e enviados

por e-mail, ordenados em título, nome e

sobrenomes completos dos autores e nome da

instituição onde o estudo foi realizado. Além disso,

o nome do autor correspondente, com endereço

completo fone/fax e e-mail também deverão constar.

Seguidos por resumo, palavras-chave, abstract,

keywords, texto (Ex: Introdução, Materiais e Métodos,

Parte Experimental, Resultados e Discussão,

Conclusão) agradecimentos, referências bibliográficas,

tabelas e legendas.

As referências deverão constar no texto com o

sobrenome do devido autor, seguido pelo ano da

publicação, segundo norma ABNT 10520.

As identificações completas de cada referência

citadas no texto devem vir listadas no fim, com o

sobrenome do autor em primeiro lugar seguido pela

sigla do prenome. Ex.: sobrenome, siglas dos prenomes.

Título: subtítulo do artigo. Título do livro/periódico,

volume, fascículo, página inicial e ano.

Evite utilizar abstracts como referências. Referências

de contribuições ainda não publicadas deverão

ser mencionadas como “no prelo” ou “in press”.

Os trabalhos deverão ser enviados ao endereço:

Revista NewsLab

A/C: João Gabriel – redação

Av. Nove de Julho, 3.229 - Cj. 412

CEP 01407-000 - São Paulo-SP

Pelo e-mail: redacao@newslab.com.br

Ou em http://www.newslab.com.br/publique/

o que dá resultado

o o crescimento da saúde no Brasil,

cana Beckman Coulter investe

s no país e apresenta lançamentos que

ssibilidades de erros nos diagnósticos do setor.

Esta publicação é dirigida aos laboratórios, hemocentros e universidades de todo o país. Os artigos e informes assinados

são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da DEN Editora.

Filiado à:

06

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


TRANSFUSION MEDICINE


evista

Índice remissivo de anunciantes

ordem alfabética

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

Anunciante

pág

AdebLine 28-29

Aimara 75

Apparat Brasil 51 | 111

Beckman Coulter 01

Becton Dickinson 53 | 88 - 89

Bio Advance 25

Biodinâmica 99

BioSystems 133

Biotecno 151

Brazilian Journal Of Microbiolog 161

Celer Biotecnologia 95

Cellavision 27

Cepheid 117

Comercial 3Albe 143

Control Lab 115

DB Diagnósticos 164

Diagno 137

Diagnóstica Rio 79

Erba Diagnostics 17 | 119

Álvaro Apoio | Folder 82

FirstLab 101

Fujirebio 67

Gilson S.A. 141

GoldAnalisa 139

Greiner Bio-One Brasil 81 | 131

Grifols 5-7

GT Group (Biosul) 49

Hermes Pardini 63

Horiba 2-3 | 159

InVitro 121

IDS Immunologia 153

J. R. Ehlke 54-55

Anunciante

pág

Labrede 42 - 43

Labteste 87

Liga Sistemas 145

Livro Proced. Básicos 104

LumiraDx 71

Mayo Clinic 47

Médica Com Repr. LTDA 91

Mobius Life Science 93

Mbiolog 10-11

Molecular do Brasil 157

NeoLab 45

NewProv 129

Nihon Kohden do Brasil 65 | 102-103

PNCQ 127

Prime Cargo 162-163

Quest Diagnostics 35

Roche 39

São Marcos Laboratório 37

Sarstedt 14-15

Sebia 135

Serion 105 | 109

Seegene Brazil 13

Siemens 23 | 77

Snibe 149

Stramedical 73

Sysmex 125

TBS Binding Site 33

ThermoFisher 09

Union Lab 147

Veolia 106-107

Vida Biotecnologia 69

Vyttra 18-19

Conselho Editorial

Luiz Euribel Prestes Carneiro – Farmacêutico-Bioquímico, Depto. de Imunologia e de Pós-Graduação da Universidade do Oeste Paulista, Mestre e Doutor em Imunologia pela USP/SP | Prof. Dr. Carlos A. C. Sannazzaro

– Professor Doutor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP | Dr. Amadeo Saéz-Alquézar - Farmacêutico-Bioquímico | Prof. Dr. Antenor Henrique Pedrazzi – Prof. Titular e Vice-Diretor da Faculdade de Ciências

Farmacêuticas de Ribeirão Preto - USP | Prof. Dr. José Carlos Barbério – Professor Emérito da USP | Dr. Silvano Wendel – Banco de Sangue do Hospital Sírio-Libanês | Dr. Paulo C. Cardoso De Almeida – Doutor

em Patologia pela Faculdade de Medicina Da USP | Dr. Zan Mustacchi – Prof. Adjunto de Genética da Faculdade Objetivo/UNIP | Dr. José Pascoal Simonetti – Biomédico, Pesquisador Titular do Depto de Virologia do Instituto

Oswaldo Cruz - Fiocruz - RJ | Dr. Sérgio Cimerman – Médico-Assistente do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e Responsável Técnico pelo Laboratório Cimerman de Análises Clínicas | Dra. Suely Aparecida Corrêa Antonialli

– Farmacêutica-Bioquímica-Sanitarista, Mestre em Saúde Coletiva.

Colaboraram nesta Edição:

José de Souza Andrade-Filho, Tainá Cardoso dos Santos Pires, Rosalina Guedes, Ana Clara da Silva, Karla Valéria Santos de Campos, Izalina Carla Oliveira do Nascimento, José Eduardo

Batista Filho, Vanessa Danille Diniz da Silva, Gerusinete Bastos Santos, José Eduardo Batista, Guilherme Ribeiro Juliano, Aline Cristina Souza da Silva, Mariana Silva Oliveira, Lourimar

José de Morais, Camila Lourencini Cavellani, Vicente de Paula Antunes da Teixeira, Mara Lúcia da Fonseca Ferraz, Kairo Silveira, Patricia Fukuma , Ana Hasegawa, Marilene Scodeler,

Mauren Isfer Anghebem, Amanda Navarro D’Oliveira, Fábia Yves.

08

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Thermo

Thermo

Scientific

Scientific todos

todos

os

os

dias

dias

proporcionando

proporcionando

inovação

inovação e

produtividade

produtividade

com

com

confiança

confiança

no

no

seu

seu

laboratório

laboratório

Conheça as soluções e equipamentos que aprimoram a ciência em laboratórios

Conheça clínicos, de as pesquisa soluções e industrial. equipamentos que aprimoram a ciência em laboratórios

clínicos, de pesquisa e industrial.

Saiba mais em thermofisher.com/equipodelaboratorio

Saiba mais em thermofisher.com/equipodelaboratorio

For Research Use Only. Not for use in diagnostic procedures. © 2019 Thermo Fisher Scientifi c Inc. All rights reserved. All

trademarks are the property of Thermo Fisher Scientifi c and its subsidiaries unless otherwise specifi ed.

For Research Use Only. Not for use in diagnostic procedures. © 2019 Thermo Fisher Scientifi c Inc. All rights reserved. All

trademarks are the property of Thermo Fisher Scientifi c and its subsidiaries unless otherwise specifi ed.


010

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


evista

Í n d i c e

Ano 26 - Edição 155 - Ago/Set 2019

MATÉRIA

DE CAPA

Investimento que dá resultado

Acompanhando o crescimento da saúde no Brasil,

a norte-americana Beckman Coulter investe

US$ 15 milhões no país e apresenta lançamentos que

reduzem as possibilidades de erros nos diagnósticos do setor.

04 Editorial

16 Agenda

70 Laboratório em destaque

76 Radar Científico I

84 Radar Científico II

86 Radar Científico lll

90 Direito e Saúde

96 Informe Científico

98 Lady News

104 Minuto Laboratório

108 Informes de Mercado

128 Logística Laboratórial

160 Analogias em Medicina

56

ARTIGO 1

O PAPILOMAVÍRUS HUMANO

(HPV) E SUA ASSOCIAÇÃO COM O

CÂNCER DE COLO DE ÚTERO NA

ADOLESCÊNCIA

AUTORES:

JOICIANE JÉSSICA PANTOJA RAMOS;

MICHELE AMARAL DA SILVEIRA.

ARTIGO 2

VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA

ADQUIRIDA E AS DISLIPIDEMIAS PROVOCADAS EM

PACIENTES QUE UTILIZAM ANTIRETROVIRAIS

AUTORES:

LUCIA BUENO;

POLIANA VARGAS PORTO;

BRUNA GRASIELA BARBOSA;

MORGANA SCHMITT;

ANA CLAUDIA MACHADO SILVEIRA;

GEISIBEL ROBERTA DE VARGAS;

FABIANO COSTA OLIVEIRA;

GUSTAVO MULLER LARA;

ELOIR DUTRA LOURENÇO.

ARTIGO 3

INVESTIGAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE INFECÇÃO

DO TRATO URINÁRIO EM GESTANTES

ATENDIDAS NO LABORATÓRIO MUNICIPAL DE

ANÁLISES CLÍNICAS DO MUNICÍPIO DE SÃO

BENTO DO SUL/SC

AUTORES:

KARINA TOMELIN;

SHEILA KATY BARON;

DEISY ALINI RUTHESE;

DANIELA DELWING DE LIMA.

GESTÃO LABORATORIAL

E PROFISSIONAL

PROGRAMA NACIONAL PARA PROFISSIONALIZAÇÃO DA GESTÃO

LABORATORIAL - PROGELAB

LADY NEWS

NOVIDADES DO SCARPIN MICROSCÓPIO

20

30

40

64

98

012

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


digraf.com.br

Solução certa para

reduzir amostras

hemolisadas

PARE

S-Monovette ®

CONHEÇA NOSSAS

SOLUÇÕES NA

CBPC 2019

STAND 57

Rio de Janeiro

24 a 26 de setembro

+ Sistema rápido, fechado e seguro

+ Ideal para todos os perfis de pacientes

+ Minimiza taxas de hemólise e outros problemas

+ Reduz a repetição da coleta de sangue

Coleta humanizada e cuidado com o paciente

Redução de custos e tempo

Soluções e Sistemas para Medicina Diagnóstica: Automação, Consumíveis e Aplicações

SARSTEDT LTDA

Rodovia Marechal Rondon, Km 126

CEP 18540-000 - Porto Feliz - SP

014

www.sarstedt.com

Tel: +55 11 4152-2233

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


CICLO DE PALESTRAS

Seu parceiro mundial na Medicina e na Ciência

MAJOR JILL A. LEMIEUX - Hospital da Força Aérea dos Estados Unidos

Comandante de vôo do 88° Esquadrão de Operações Médicas e Emergência, da Base Wright Patterson Air

Force, Ohio, o qual lidera o maior e mais diverso esquadrão aéreo contendo 112 militares, civis e contratados.

O departamento de emergência promove atendimento de urgência e emergência para 22.000 pacientes por ano

e abriga estudantes de medicina, residentes, estudantes técnicos de fase II e III, e uma plataforma de treinamento

de prontidão para mais de 200 médicos.

Nativa de Massachusetts e graduada da escola Bartlett, está na Força Aérea desde novembro de 1994.

Em dezembro de 2000 transferiu-se para a Guarda Aérea Nacional. Lá ingressou na escola de enfermagem e

depois obteve a graduação como bacharel de enfermagem pela Universidade de Massachusetts. Comandou as

atividades como Segundo Tenente em janeiro de 2006. Major Lemieux ocupou diversos cargos incluindo líder e

gerente de enfermagem, instrutora de enfermagem de traumas no Defense Institute of Medical Operations,

instrutora ACLS (Advanced Cardiovascular Life Support) e comandante de vôo.

MICHAEL O´BRYAN, MD

Bacharel em Ciências Biológicas da Universidade de Kentucky (Lexington, KY) e especializado em

Obstetrícia e Ginecologia pela Universidade de Medicina da Holanda. Apaixonado na busca de

melhorias dos resultados dos pacientes. Dr. O’Bryan é autor, palestrante em qualidade de amostras

e mais recentemente como colaborador do Clinical Laboratory Standards Institute.

Dr. ALEXANDRE BELMONTE SIPHONE

Advogado e economista; pós-graduado em Direito Médico pela Universidade de Coimbra; possui MBA em Gestão

Empresarial pelo INPG; Mestre em Direito Empresarial pela UNIMES; Doutorando em direito internacional do trabalho

pelo ISPED - Instituto Sul Americano de Pesquisa e Desenvolvimento em pareceria com a Universidad Nacional de

Córdoba. Trabalhou durante 15 anos no setor de Recursos Humanos de empresas multinacionais e, em seguida,

especializou-se na carreira da advocacia trabalhista e na responsabilidade civil e criminal na atuação médica, onde

passou a defender o interesse de grupos empresariais dos mais diversos segmentos. Atualmente, é o sócio

responsável pelas áreas de direito médico e do trabalho no escritório.

PALESTRAS SARSTEDT

DATA: 25/09/2019

LOCAL: Sala A - Mezanino

CRONOGRAMA

09:15 | 10:00 Michael O´Bryan - Gestão de Sangue do Paciente

Conheça os diversos benefícios e vantagens que o sistema S-Monovette ®

poderá oferecer para a gestão de sangue do paciente

10:15 | 11:00

Major Jill Lemieux

Reduzindo Hemólises com o sistema de coleta de sangue S-Monovette ®

Entenda como o Centro Médico Wright Patterson da Força Aérea dos EUA -

uma das maiores bases aéreas dos Estados Unidos - reduziu drasticamente

as taxas de hemólises no processo de coleta de sangue

11:30 | 12:00

14:00 | 14:45

Dr. Alexandre Siphone - Como evitar o Passivo Trabalhista e a responsabilização

cível e criminal decorrente de Acidentes de Trabalho?

Michael O´Bryan - Gestão de Sangue do Paciente

Conheça os diversos benefícios e vantagens que o sistema S-Monovette ®

poderá oferecer para a gestão de sangue do paciente

digraf.com.br

CONHEÇA NOSSAS

SOLUÇÕES NA

CBPC 2019

STAND 57

Rio de Janeiro

24 a 26 de setembro

15:15 | 16:00

16:00 | 16:30

Major Jill Lemieux

Reduzindo Hemólises com o sistema de coleta de sangue S-Monovette ®

Entenda como o Centro Médico Wright Patterson da Força Aérea dos EUA -

uma das maiores bases aéreas dos Estados Unidos - reduziu drasticamente

as taxas de hemólises no processo de coleta de sangue

Dr. Alexandre Siphone - Como evitar o Passivo Trabalhista e a responsabilização

cível e criminal decorrente de Acidentes de Trabalho?

17:00 | 17:45 Michael O´Bryan - Os números não mentem!

Venha descobrir como o sistema de coleta de sangue S-Monovette ®

ajuda a reduzir os custos pré-analíticos!


agenda

agenda

XLIV Annual Congress of the Brazilian Society of Immunology /

XII ESCI – Extra Section of Clinical Immunology

Data: 29 de setembro a 2 de outubro - Local: Florianópolis/SC

Site: https://sbicongressos.com/immuno2019/

30º congresso de microbiologia

Data: 6 a 9 de outubro

Local: Centro Cultural e de exposições ruth cardoso – Maceio/AL

Site: https://sbmicrobiologia.org.br/30cbm2019/

48º Congresso Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

Data: 10 a 12 de outubro

Local: Centro de Eventos do Ceará – Fortaleza/CE

Site: https://congressocbr.com.br/

XVI Congresso Brasileiro de Cardiogeriatria

Data: 11 a 12 de outubro

Local: Hotel Pestana – São Paulo/SP

Site: http://departamentos.cardiol.br/decage/congresso2019/

XII Congresso Brasileiro de Bioética

Data: 15 a 18 de outubro

Local: PUC-Goiás - Goiânia/GO

Site: https://win.iweventos.com.br/evento/bioetica2019/home

XXII Congresso da Sociedade Brasileira de Diabetes

Data: 16 a 18 de outubro

Local: Centro de convenções de Natal – Natal/RN

Site: https://diabetes2019.com.br/

XVI Congresso Brasileiro de Transplantes

Data: 16 a 19 de outubro

Local: Royal Palm Hall – Campinas/SP

Site: http://congressoabto.org.br/2019/

XLIV Congresso da Sociedade Brasileira de Biofísica

Data: 17 a 20 de outubro

Local: Mendes Plaza Hotel – Santos/SP

Site:http://easyapp.ekmf.com.br/sites/sbbf2019/

XXI Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia

Data: 23 a 26 de outubro

Local: Rio de Janeiro/RJ

Site: https://www.semanaonco.com.br/radioterapia/

016

5º Simpósio Internacional de Cardiologia

Data: 25 a 26 de outubro

Local: Hotel Intercontinental – São Paulo/SP

Site: https://www.bp.org.br/educacao-e-pesquisa/eventos-cientificos/5-simposio-internacional-de-cardiologia/

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


ERBA Mannheim chega ao mercado brasileiro com nova subsidiária direta

Lançamento durante o 53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica no Rio de Janeiro

Londres, Reino Unido (22 de agosto de 2019) – Erba Mannheim fortalece sua presença no mercado ao abrir

sua mais nova subsidiária no Brasil, aproximando-se de seu objetivo de oferecer suas soluções em escala

global. O lançamento ocorrerá durante o 53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial.

Com sede em Nova Lima, Minas Gerais, a nova organização planeja ofertar ao mercado toda a sua gama

de soluções semi-automatizadas e automatizadas de química clínica, hematologia, hemostasia, imunoensaio,

urinálise, diabetes, cuidados intensivos e microbiologia.

“O Brasil é um mercado primordial e inserido em nossa visão estratégica de oferecer soluções dedicadas de

diagnóstico in vitro para mercados emergentes. Vemos que as necessidades dos pacientes e laboratórios

brasileiros caminham em direção à maior qualidade e tecnologia, muito alinhado ao perfil das soluções que

a Erba oferece” comentou Nikhil Vazirani, Diretor Executivo da Erba Mannheim. “Temos o compromisso de

ajudar a melhorar a vida de milhões de pessoas no Brasil, ao disponibilizarmos nossas tecnologias de forma

acessível à sua população.”

A Erba Diagnostics do Brasil apresentará a sua mais moderna linha de produtos no estande nº 113 ao longo

do 53º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica no Rio, entre os dias 24 e 27 de setembro, incluindo os

instrumentos de química clínica XL200 e XL640, líderes de vendas em escala global, juntamente com o mais

recente lançamento de automação em sedimentoscopia e leitores de tiras de urina LAURA XL, além de toda

uma gama de analisadores automáticos de hematologia e Coagulação.

ANÚNCIO

INVITATION

& CONVITE

“Estamos ansiosos para poder atender nossos clientes e apoiar nossos distribuidores e parceiros no Brasil”

afirmou Tarcisio Vilhena, diretor da Erba para o Brasil. “Temos uma equipe EXPLORE técnica especializada OUR FULLY pronta AUTOMATED

e

dedicada INVITATION para apoiar nossos clientes, bem como suporte de vendas e marketing. Desde o sistema semiautomático

mais simples até a impressionante sofisticação da nossa futura linha NEXUS, oferecemos as solu-

Erba Mannheim inicia

DESIGNED TO SIMPLIFY YOUR LAB

ções sua certas operação para cada tipo no de Brasil! laboratório.”

BOOTH 182-183

Visite MAY 28 a ERBA - 31, Brasil 2019 no 53ª Congresso Brasileiro de Patologia Clínica no Rio de Janeiro, Estande nº 113.

Saiba mais em: https://www.erbamannheim.com/

Erba Mannheim cordially invite you to visit us d

AMBASSADOR CITY HOTEL

________________________________________

PATTAYA, THAILAND

THE 6 TH CONGRESS OF THE ASIA ASSOC

Estande 113. 24 à 27 de Setembro de 2019

LABORATORY SCIENTISTS (AAMLS 2019)

Sobre Centro a do Erba Convenções Mannheim SulAmérica, Rio de Janeiro, Brasil.

Erba Mannheim é uma fornecedora de soluções de IVD (diagnóstico in vitro) CONFERENCE focada na melhoria OF MEDICAL dos resultados

Para de saber saúde mais em sobre países nossos em produtos desenvolvimento. e serviços, visite Originalmente fundada na (43 Índia RD por ACMTT) Suresh Vazirani e agora

www.erbamannheim.com

operações (e fábricas) na Europa Oriental e Ocidental, EUA, América Latina, Sudeste Asiático, Oriente

TECHNOLOG

Médio, Turquia e Rússia/CEI, a Erba fornece a hospitais e laboratórios uma gama completa de instrumentos

de Esperamos diagnóstico, por você!

To learn more about our products and services

reagentes e serviços de suporte em mais de 100 países.

www.erbamannheim.com

Erba Diagnostics Brazil

LAURA XL

ANALISADOR AUTOMATIZADO

PARA URINA

ECL We 760look forward ELITE to meeting 580 you there.

ANALISADOR AUTOMATIZADO

PARA TESTES DE COAGULAÇÃO

ANALISADOR AUTOMATIZADO

DE 5 PARTES PARA HEMATOLOGIA

ERBA DIAGNOSTICS BRAZIL

Av. Princesa Diana, 115, Sala 6, Alpha Ville,

Nova Lima, Minas Gerais 34000-000, Brasil

salesbrazil@erbamannheim.com • www.erbamannheim.com

ALTA PERFORMANCE

AUTOMAÇÃO ACESSÍVEL

LAURA XL

FULLY AUTOMATED

URINE ANALYSER

SISTEMA INTUITIVO

FÁCIL UTILIZAÇÃO

ECL760

FULLY AUTOMATED

COAGULATION ANALYSER

ACESSÍVEL, CONFIÁVEL

E EFETIVO.


AUTORES:

JOICIANE JÉSSICA PANTOJA RAMOS 1 ;

MICHELE AMARAL DA SILVEIRA 2 .

artigo 1

1Graduanda do curso de pós-graduação em Citopatologia Clínica com ênfase no trato genital feminino. Faculdade

Integrada Brasil Amazônia (FIBRA) - Belém (PA), Brasil.

2 Docente, Mestre em Genética e Biologia Molecular. Universidade Federal do Pará (UFPA) - Belém (PA), Brasil.

Correspondência: Joiciane Jéssica Pantoja Ramos - Pós-graduação em Citopatologia Clínica com ênfase no trato

genital femenino, Faculdade Integrada Brasil Amazônia (FIBRA), Rua do arsenal vila martins, n 178 - Cidade velha -

CEP: 66023-300 - Belém (PA), Brasil - Email: pantoja.joyce@gmail.com

O Papilomavírus Humano (HPV) e

sua associação com o Câncer de

Colo de Útero na Adolescência

imagem ilustrativa

RESUMO

O câncer do colo do útero é considerado a segunda neoplasia maligna do

mundo. O principal fator de risco para o desenvolvimento dessa patologia é

a infecção pelo papilomavírus humano (HPV). Objetivo: realizar um estudo,

sobre a relação do HPV com o câncer uterino em adolescentes, enfatizando

a importância do conhecimento sobre o tema. Métodos: Realizou-se revisão

da literatura que buscou artigos científicos publicados entre 2013 a 2017, nas

bases de dados eletrônicas: Scielo, Google Acadêmico, Scientia Medica, Pub-

Med, LILACS e DECS realizada em Março a Julho de 2017, utilizou-se os descritores:

neoplasias do colo do útero, papilomaviridae e adolescente. Resultados:

Selecionou-se 21 (vinte um) artigos, deste total, 20 (vinte) em português e 1

(um) em inglês versaram sobre a relação do HPV com o câncer sendo utilizados

por conter informações sobre o tema. Conclusão: Foi verificado na literatura

que a falta de conhecimento sobre o HPV na adolescência é algo preocupante,

pois demonstra que as informações não estão esclarecidas nas adolescentes

com a vida sexual precoce, pois estas possuem conceitos errôneos sobre o que

se trata o HPV, sendo de suma importância o diagnóstico e tratamento precoce

para a redução das possíveis sequelas.

Palavras-Chave: Neoplasias do colo do útero. Papillomaviridae. Adolescente

ABSTRACT

The Cervical Cancer is considered the second malignant neoplasm of the

world. The main risk factor for the development of this pathology is human papillomavirus

(HPV) infection. Objective: Realize a study about the relationship

between HPV and uterine cancer in adolescents, emphasizing the importance

of the knowledge of adolescents about the subject, proposing measures that

could improve the dissemination of this subject. Method: Realized a systematic,

that searched article from the year 2013 to 2017 consulting electronic databases:

Scielo, Google Academy, scientia medica, PubMed, LILACS and DECS

maded on may to july 2017 and teens Result: Twenty-one articles were selected

being 20 (twenty) in Portuguese and 1 (one) in English all of them about

the general context of the relationship between HPV and cancer being used

for containing information about the subject. Conclusion: It was showing on

databases that the lack of information about HPV in adolescence is a matter of

concern, because the informations about the theme is not clarified to adolescents

with an early sexual life, which have wrong concepts about what really

is HPV, being very important the early diagnosis and treatment, for chances to

reduce the sequels.

Keywords: Uterine Cervical Neoplasms. Papillomaviridae. Teens.

INTRODUÇÃO

O câncer do colo do útero é considerado a segunda neoplasia

maligna do mundo, é uma grande preocupação da saúde pública

por apresentar um número alto de óbitos, onde o principal fator de

risco para o desenvolvimento do câncer uterino é a infecção pelo

Papilomavírus Humano 1 .

Novos casos de câncer ocorrerão por ano no mundo cerca de 15

milhões a partir do ano de 2020, segundo a Organização Mundial de

Saúde, o Papilomavírus Humano (HPV) é o principal fator associado

com este câncer. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 95 %

dos casos ocorre devido a correlação do HPV com o mesmo 2 .

Estudos ressaltam que o contagio do HPV em meninas ocorre

020

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


com maior frequência, na adolescência ou

na fase dos 20 anos, o que torna maior a

transformação neoplásica no colo do útero

na presença do HPV existindo um risco futuro

de câncer 3 .

Existem mais de 200 tipos de HPV, sendo

classificados em baixo risco oncogênicos, os

de médio alto riscos e os que estão associados

ao câncer do colo do útero, os quais

estão relacionados ao 16 e 18 que são considerados

os mais agressivos4.

O contágio do HPV ocorre por meio de

relações sexual desprotegidas, podendo

causar lesões nas áreas genitais, no colo do

útero, no ânus e no pênis, ocorre também a

presença incomum desse vírus na pele ,laringe,

cordas vocais e esôfago, o tempo de

incubação do vírus pode variar de 2 meses

até 2 anos, onde o mesmo apesar de não

apresentar sintomas pode ser transmitido5.

É importante detectar precocemente

o câncer do colo do útero onde a principal

estratégica é a realização do exame citopatológico

ou papanicolau, este consiste na

coleta de células do colo do útero, células

da região ecto e endocervical, realizados em

mulheres sexualmente ativas6.

Considerando a alta prevalência do câncer

do colo do útero, onde é o segundo tipo

de câncer mais comum entre as mulheres,

sendo que a incidência ocorre mais entre a

faixa 16 a 20 anos onde abaixo de 20 anos

a ocorrência do HPV pode afetar cerca de

30 a 40 % dos casos, sendo considerada

uma doença passiva de ser prevenida

onde apesar de ser um assunto bastante

debatido ainda é considerado um problema

de saúde pública.

O presente trabalho teve como objetivo

realizar um levantamento bibliográfico

sobre o conhecimento das adolescentes

em relação ao papilomavírus humano

(HPV) e sua associação com o câncer de

colo de útero.

MATERIAL E MÉTODOS

A metodologia utilizada foi uma revisão

bibliográfica do tipo sistemática, retrospectiva,

quantitativa que buscou artigos

científicos publicados nos anos de 2013

até 2017, em bases de dados eletrônicas:

Scielo, Google Acadêmico, Scientia Medica,

PubMed, LILAC e DECS realizada no período

de Março a Julho de 2017. Os descritores

utilizados foram: neoplasias do colo do útero.

papillomaviridae e adolescente para a realização

geral do contexto aplicado ao tema.

Os critério utilizados para a avaliação criticas

do estudos estão apresentados no quadro 1:

(vide quadro 1)

Os artigos foram selecionados pelos seus

títulos, seguido de resumos, estes foram

avaliados de forma crítica, onde os que

atenderam os critérios previamente estabelecidos

foram selecionados e posteriormente

lidos na íntegra para fins de estudo. Após

a leitura dos selecionados, prosseguiu-se

com análise e organização das ideias para

a estrutura dos resultados, que foram apresentados

em um quadro, organizados em

ordem cronológica de publicação e descrevendo

os achados dos autores.

RESULTADOS

Foram encontrados 1.600 (mil e seiscentos)

resultados pesquisados, desse

total, 21 (vinte um) artigos fizeram parte

do resultado, sendo 20 (vinte) em português

e 1 (um) em inglês que se encaixavam

na composição do desenvolvimento

do estudo, como demonstra o fluxograma

1, levando-se em consideração a data

de publicação, título, resumo e posteriormente

a leitura completa dos mesmos

conforme explanado na metodologia do

presente artigo. (vide fluxograma 1)

Desse montante, 11 (onze) versaram

sobre o contexto geral sobre relação

do câncer do colo do útero com

HPV e 10 (dez) artigos sobre as características

gerais da doença, incluindo

epidemiologia, prevenção primária,

além de pontos relevantes para a

construção do resultado.

No quadro 1, estão apresentados os artigos

selecionados que versaram o contexto

geral sobre a relação do câncer do colo do

útero com HPV. (vide Quadro 1)

Posteriormente, foi realizada a

seleção de artigos que versaram sobre

características gerais da doença,

incluindo epidemiologia, prevenção

primária, além de pontos relevantes

para a construção do artigo, como demonstra

o Quadro 2.

DISCUSSÃO

As adolescentes nem sempre fazem o

uso de métodos contraceptivos segundo

Arruda e colaboradores3 (2013), método

esse que as protegem contra uma possível

infecção. Alguns estudos retratam que o

contágio pelo HPV ocorre na adolescência

ou por volta dos 20 anos, essa fase sexual

Quadro 1. Critérios estabelecidos para a inclusão e exclusão de artigos.

INCLUSÃO

Contextos relacionados ao tema.

Descritores neoplasia do colo do

útero, papilomaviridae,

adolescência, epidemiologia,

prevenção e tratamento.

Publicados em inglês ou português

Formato de artigo

EXCLUSÃO

Artigos que não apresentavam

disponibilidade nas bases de dados

pesquisadas na íntegra

Artigos que apresentavam informações

ultrapassadas

Artigos que não se encaixavam entre o ano

de 2013 a 2017

5

Os artigos foram selecionados pelos seus títulos, seguido de resumos, estes

foram avaliados de forma crítica, onde os que atenderam os critérios previamente

estabelecidos foram selecionados e posteriormente lidos na íntegra para fins de

021


Imagem Ilustrativa

AUTORES:

JOICIANE JÉSSICA PANTOJA RAMOS;

MICHELE AMARAL DA SILVEIRA.

6

artigo 1

publicação, título, resumo e posteriormente a leitura completa dos mesmos conforme

explanado na metodologia do presente artigo.

Fluxograma publicação, 1. Fluxograma título, resumo do quantitativo e posteriormente de artigos selecionados a leitura completa para obtenção dos de mesmos resultados. conforme

Total de

explanado na metodologia do presente artigos artigo.

encontrados

Fluxograma 1. Fluxograma do quantitativo de artigos selecionados para obtenção de resultados.

(n = 1.600)

Total de

artigos

encontrados

(n = 1.600)

Total de artigos

encontrados em

português

(n= 21)

Estudos

analisados com

base no título e

abstract (n= 21)

Estudos

analisados com

base no título e

abstract (n= 21)

Total de artigos

encontrados em

português

(n= 1)

Total de artigos

encontrados em

português

(n= 1)

Total de artigos

encontrados em

Fonte: Elaborado pelo autor, 2017

português

Desse (n= montante, 21) 11 (onze) versaram sobre o contexto geral sobre relação do

câncer do colo do útero com HPV e 10 (dez) artigos sobre as características gerais da

Fonte: Elaborado pelo autor, 2017

doença, incluindo epidemiologia, prevenção primária, além de pontos relevantes para

Desse montante, 11 (onze) versaram sobre o contexto geral sobre relação do

a construção do resultado.

câncer do colo do útero com HPV e 10 (dez) artigos sobre as características gerais da

No quadro 1, estão apresentados os artigos selecionados que versaram o

doença, incluindo epidemiologia, prevenção primária, além de pontos relevantes para

contexto geral sobre a relação do câncer do colo do útero com HPV.

a construção do resultado.

Quadro 1. Artigos selecionados versando sobre o tema correlação do câncer uterino com HPV.

No quadro 1, estão apresentados os artigos selecionados que versaram o

AUTORES

TÍTULO

contexto geral sobre a relação do câncer do colo do útero com HPV.

ARRUDA et al., (2013) 3 apresentam informações importantes a respeito do

Quadro 1. Artigos selecionados versando sobre o tema correlação do câncer uterino com HPV.

HPV onde eles afirmam que o inicio da atividade

AUTORES

TÍTULO

sexual influência no aumento do contagio do HPV,

ARRUDA et al., (2013) 3 apresentam informações importantes a respeito do

7

pois é nessa faixa etária que essas meninas não

HPV onde eles afirmam que o inicio da atividade

fazem uso de preservativos que é a principal medida

sexual influência no aumento do contagio do HPV,

de prevenção, onde quanto mais precoce o contagio

pois é nessa faixa etária que essas meninas não

maior é o risco de desenvolver o câncer de útero.

COSTA et al., (2013) 7

ARAÚJO et al., (2014) 8

PANOBIANO et al.,

(2013) 9

doença abordam em e seu não artigo sabem a complexidade como contrair, da ocorrência alguns

sentimentos do HPV, destacando como timidez, a preocupação constrangimentos em valorizar impedem os

essas sentidos meninas da prevenção de procurar dos um jovens, serviço de subjacente saúde para ao

fazer desencadeamento o rastreamento da vivência do câncer sexual. através do exame

papanicolau, decorrem sobre o que estudos pode levar que a confirmam diagnósticos a relação tardios

estabelecendo direta HPV de com fato o desenvolvimento um problema saúde, do câncer o que do

poderia colo do útero. ser resolvido na adolescência com uma

simples existem consulta pesquisas reduzindo que mostra o índice que de as mortalidade. adolescentes

possuem conceitos errôneos sobre o que se trata o

SANTOS et al., (2014) 10 contém informações a respeito da importância do

HPV de conceitos relacionados a ele como de que

diagnóstico precoce para o câncer do colo uterino

forma é contraída, pensamentos equivocados como

através do exame citopatológico, sendo importante na

que pode ser adquirida por transfusão sanguínea,

diminuição da mortalidade da doença.

seringas de agulhas ou por o simples convívio com

pacientes infectados, outras concepções é sobre o fato

SILVA et al., (2014) 4 obteve seu artigo selecionado, por apresentar

de que somente o homem.

informações acerca do tema a ser estudado, e por

possuir informações importantes, mulheres com idade

CARVALHO; ALMEIDA; de aborda 14 anos, a importância tem tido cada das vez adolescentes mais precoce saberem relação das

SCALDAFERRI (2014) 5 sexual informações desprotegida a respeito o que do aumenta HPV, pois o risco ele afirma do câncer que a

cervical, grande maioria o qual justifica delas que nunca a zona ouviram de transformação falar sobre ao a

epitélio cervical é mais proliferativa durante a puberdade

e adolescência, sendo principalmente susceptível a

alterações que podem ser transmitidas pelo HPV.

BARRUFI, (2015) 11

informa a respeito da população jovem em relação ao

8

6

iniciada precocemente influência no maior

risco de desenvolver transformações

neoplásicas no colo do útero. Miranda e

Gonçalves20 (2016), concorda que esta

doença acomete mulheres que iniciam

a sua vida sexual precocemente, onde as

adolescentes representam uma parte da

população vulnerável.

Estudos complementam que o câncer do

colo do útero é uma neoplasia que acomete

mais mulheres que iniciam a sua vida sexual

precocemente e que possui fatores de riscos

que estão associados ao desenvolvimento

do câncer, as adolescentes representam uma

parte da população que é altamente vulnerável

à medida que o inicio da sua vida sexual

as deixam mais vulneráveis a problemas

relacionados a nível reprodutivo sexual21.

Desde 2015, Segundo Baruffi12, o HPV

vem levando a óbito mais de meio milhões de

mulheres, sendo que a incidência ocorre mais

entre mulheres da faixa etária de 16 a 20 anos

de idade e em pacientes abaixo dos 20 anos

estima-se que as taxas de incidência de infecção

pelo HPV pode alcançar de 30 a 40% dos

casos. De acordo com o Ministério da Saúde

(MS) e Segundo Santana, Neves2, cerca de

95 % dos casos ocorre devido a correlação do

HPV com o mesmo. Entre as adolescentes, o

HPV é muito frequente, pois a falta de informação

sobre os fatores de risco acarretam o

problema de saúde, sendo que muitas vezes

essa doença manifesta-se de forma latente e

não existem aparecimentos de lesões, o que

acomete um mau prognóstico18 .

Segundo estudos relatados, evidenciam

que a sexualidade na idade precoce seguido

de práticas ou maus comportamentos, deixam-as

sobre risco de contaminação, os quais

estão relacionados à falta de informação

sobre os meios de conhecimentos, métodos

contraceptivos e baixos níveis de escolaridade

o que acarreta o aumento das DST´s18,19.

Os principais fatores de riscos para

o desenvolvimento do HPV são, o tabagismo,

a multiplicidade de parceiros

sexuais, o uso de contraceptivos

orais, múltiplos partos e confecção por

agentes infecciosos como o Vírus da

Imudeficiência Humana (HIV) e Chamydia

trachomatis além de aspectos

relacionados como subtipo, carga viral

e infecção múltipla4.

A infecção pelo HPV é o fator de risco que

estar diretamente relacionado ao desenvolvimento

do câncer do colo do útero cerca de

99 % dos casos, porém são vários os fatores

de riscos relacionados ao acometimento do

câncer do colo do útero, estes ao múltiplos

parceiros, relação precoce desprotegida, tabagismo,

etilismo, DIU e alimentação e relata

que as lesões precursoras do câncer do colo

do útero que apresentam o DNA do HPV,

16,18 e 45 estão mais suscetíveis a progredir

para o carcinoma in situ1.

A influência de concepções erradas sobre

o HPV e a falta de informação sobre o

mesmo, podem acarretar em um contágio

de grandes proporções, relata Panobiano9.

A grande maioria das adolescentes nunca

ouviram falar sobre o HPV, tornando um

problema a saúde pública segundo Carvalho,

Almeida, Scaldaferri5. De acordo com

Andrade e colaboradoes17 (2014), através

de estudos realizados com adolescentes,

esclarecem a análise do conhecimento delas

sobre o HPV, a maioria das adolescentes

entrevistadas, 52.5 % já ouviram falar

e 62,5% não tinham noção sobre a relação

do HPV com o câncer do colo do útero.

A classificação do HPV varia de acordo

com seu potencial de transformação

neoplásica, existem mais de 200 tipos

de vírus sendo que os 16 e 18 são

considerados os mais agressivos16. O

contágio do HPV é por transmissão direta

com o epitélio oral, vaginal ou anal,

indivíduos que fazem sexo desprotegi-

022

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Qualidade da hemostasia

Siemens Healthineers do

laboratório para o point of care

Tão pequeno, que pode estar no seu bolso

Tão preciso, que poderia estar no seu laboratório

Xprecia Stride Coagulation Analyzer – confiança para os profissionais da

saúde para as principais áreas de importância no teste de POC

Facilidade

Segurança

Eficiência

Precisão

siemens-healthineers.com/br


Imagem Ilustrativa

9

AUTORES:

JOICIANE JÉSSICA PANTOJA RAMOS;

MICHELE AMARAL DA SILVEIRA.

artigo 1

inicio da vida sexual onde vem ocorrendo cada vez

mais precoce, ocorre na maioria dos casos com

multiplicidade de parceiros e sem proteção e com isso

vem aumentando a exposição ao HPV que se não for

tratado precocemente leva a grandes consequências.

RODRIGUES et al., relatam em seu artigo a cobertura do exame

(2015) 12

papanicolau pelo Sistema Único de Sáude (SUS)

enfatizando que o exame é gratuito orientando os

pacientes a seguirem o protocolo exigido para a

realização do exame.

SILVA, (2015) 1

enriquece de informações a respeito do diagnóstico

precoce, assim como demostra o câncer do colo do

útero como uma grande preocupação da saúde

pública por apresentar um número alto de óbitos e o

apresentam os principais fatores de riscos associados

ao câncer uterino.

10

SANTANA; NEVES, apresenta informações acerca do diagnóstico encontra-

(2015) 2

dos nas adolescentes, o HPV é encontrados em 2.3 %

nessas meninas, ressaltando que as adolescentes na

Posteriormente, foi sua realizada primeira a relação seleção sexual de artigos nem sempre que utilizam versaram méto- sobre

características gerais da doença, dos contraceptivos incluindo epidemiologia, facilitando portando prevenção que ocorra primária, a além

de pontos relevantes para a contaminação construção do pelo artigo, HPV. como demonstra o Quadro 2.

Quadro 2. Relação de artigos selecionados para obtenção de informações gerais acerca da doença

AUTORES

TÍTULO

CRUZ; JARDIM, (2013) 13 apresenta informações sobre o método mais utilizado

para a detecção precoce do vírus HPV, o exame

citopatológico, simples que tem por finalidade

detectar alterações celulares da cérvice uterina.

DINIZ, (2013) 14

relata que a detecção precoce através do exame e

associada ao tratamento em seus estádios normais

tem um prognóstico e uma redução das taxas de

incidência do câncer invasor o que chega a 90 %

quando ocorre o rastreamento com boa qualidade o

que acarreta a modificação de incidência e

mortalidade causada pelo câncer do colo do útero.

FRANÇA et al., (2013) 15 decorre a respeito da via de transmissão do HPV,

relatando que em alguns casos a infecção decorrente

pode ser responsável pelo desenvolvimento de lesões

de alto grau de malignidade.

dos com parceiros contaminados, tem

maior probabilidade de contaminação,

em alguns casos a infecção decorrente

pode ser responsável pelo desenvolvimento

de lesões precursoras de alto

grau de malignidade, podendo evoluir

para neoplasias intraepiteliais e câncer

cervical5,15. Essa doença pode

manifestar-se nas formas clínicas, sub

clinicas e também na forma latente,

em mulheres a forma sub clínica é mais

prevalente, cerca de 90 % das infecções

regridem mais espontaneamente7.

O método mais utilizado para a detecção

precoce do vírus HPV é o exame citopatológico,

este consiste em um método

simples que tem como finalidade detectar

alterações celulares da cérvice uterina de

acordo com Cruz, Jardim13. Segundo Rodrigues

e colaboradores11 (2016), enfatizam

que o exame é gratuito, orientando os pacientes

a seguirem o protocolo exigido para

a realização do exame. A detecção precoce

associada ao tratamento em seus estádios

inicias tem um prognóstico e uma redução

das taxas de incidência do câncer invasor

o que chega a ser 90 % quando o rastreamento

apresenta boa cobertura e 80 % dos

casos é realizado dentro das normas de qualidade

onde modifica as taxas de incidência

e mortalidade que é causada pelo câncer de

útero14.

O diagnóstico precoce através do exame

citopatológico é de extrema importância

para a diminuição de mortalidade desta

doença. 10 É importante o conhecimento

dessas adolescentes sobre as medidas de

prevenção do câncer do colo do útero e a

infecção do HPV3,17.

O reconhecimento da importância do

HPV e das sequelas associadas a este vírus

emerge um novo desafio para a saúde pública,

onde tornar-se importante levar em

conta as formas de transmissão e de manifestações

ao decorrer da vida7.

CONCLUSÃO

A partir das informações obtidas das

bibliografias pesquisadas e relatadas no

presente estudo, conclui-se que a falta

de informação sobre o Papimolavírus

024

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Doença inflamatória intestinal (DII)

Sintomas Comuns,

Diagnóstico Difícil

Dor Abdominal e Cólicas

Sangue nas Fezes

Diarréia

Febre e Fadiga

*

*

*PPV = Valor Preditivo de Positivos

*NPV = Valor Preditivo de Negativos

Bio Advance

Diagnósticos

www.bioadvancediag.com.br

Rua.: Anísio de Abreu, 236 São Paulo, SP - Brasil

Tel.: 55 11 2621-7171

Email.: contato@bioadvancediag.com.br


Imagem Ilustrativa

AUTORES:

JOICIANE JÉSSICA PANTOJA RAMOS;

MICHELE AMARAL DA SILVEIRA.

artigo 1

humano (HPV) na adolescência é uma

preocupação para saúde pública, é preocupante

perceber que as informações não

estão esclarecidas na vida daqueles que

estão na fase inicial da atividade sexual

precoce onde essas adolescentes possuem

conceitos errôneos o HPV, sendo de suma

importância o diagnóstico precoce através

da triagem do exame citopatológico, onde

quanto mais cedo o tratamento específico

este irá reduzir possíveis sequelas na adolescente.

Sendo que a adoção de medidas

preventivas e esclarecimentos sobre o

tema em questão pode influenciar na redução

de taxas de infecção pelo vírus.

FIGUEIREDO et al.,

(2013) 16

apresentam informações a cerca do vírus, descoberta,

classificação taxonômica, tipos, mostrando que

existem mais de 200 tipos de vírus e estes

são classificados de acordo com seu

potencial de transformação neoplásica.

ANDRADE et al., (2014) 17 descrevem um estudo em que mostrou que a maioria

Almeida et al. (2014) 5

DANO et al., (2016) 18

ROCHA et al., (2016) 19

das adolescentes não tem noção sobre a relação do

HPV com câncer do colo do útero.

apresentam um estudo a respeito da transmissão e

manifestações clínicas da doença, sendo importante

o conhecimento das adolescentes sobre esses

aspectos.

relatam que a sexualidade na adolescência adotando

práticas ou maus comportamentos deixam-as sobre

risco de contaminação os quais estão relacionados a

falta de conhecimento sobre a doença.

abordam que entre as adolescentes o HPV é muito

frequente, a falta de informação sobre o mesmo

acarreta maior possibilidade de contrair a doença.

MIRANDA;

contém informações acerca do índice de infecção

GONCALVES (2016) 20 neoplásicas no mundo inteiro, nos países de

LUSTOSA et al., (2016) 21 desenvolvimento como Brasil e regiões mais pobres

da África, enfatizando que esta doença acomete

12

mulheres sexualmente ativas e que iniciam a sua vida

sexual precocemente, onde as adolescentes

representam uma parte da população.

REFERÊNCIAS

1. SILVA, Luana Carvalho da. Conhecimento e percepção

dos acadêmicos de enfermagem sobre a infecção

pelo papilomavírus humano (HPV), o câncer no colo do

útero e a vacina anti-HPV. 2015. 45 f. Dissertação (Mestrado)

- Curso de Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde,

Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

2. SANTANA USS, NEVES JB. Vacinação contra

o papilomavírus humano: na população das

adolescentes. Revista Enfermagem Integrada,

Ipatinga, v. 1, n. 8, p.1314-1324, jul. 2015. Unileste.

3. ARRUDA FS, OLIVEIRA FM, LIMA RE, PERES AL. Conhecimento e prática

na realização de Papanicolaou e infecção por HPV em adolescentes de escola

pública. Revista Paraense de Medicina, Belém, v. 27, n. 4, p.59-65, out. 2013.

4. SILVA DSM, SILVA AMN, BRITO LMO, GOMES SRL, NAS-

CIMENTO MDSB, CHEIN MBC. Rastreamento do câncer

do colo do útero no Estado do Maranhão, Brasil. Ciência &

Saúde Coletiva, Maranhão, v. 19, n. 4, p.1163-1170, abr. 2014.

5. ALMEIDA FL, BEIRAL JS, RIBEIRO KR, SHIMODA

E, SOUZA CHM. A vacina contra o vírus HPV para meninas:

um incentivo à vida sexual precoce? Linkscien-

11

ceplace, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p.49-71, 29 set. 2014.

6. CARVALHO AV, ALMEIDA OS, SCALDAFERRI MM.

Conhecimento das adolescentes do colégio José Marcos

Gusmão do município de Itapetinga – BA sobre o

HPV e a prevenção do câncer de colo uterino. Revista

Ensino & Pesquisa: Revista Multidisciplinar de Licenciatura

e Formação Docente, Bahia, v. 12, n. 1, p.77-100,

2014.7. COSTA LA. GOLDENBERG P. Papilomavírus

humano (HPV) entre jovens: um sinal de alerta. Saúde

e Sociedade, São Paulo, v. 22, n. 1, p.249-261, mar. 2013.

8. ARAÚJO MVA, PINHEIRO HHC, PINHEIRO JJV,

QUARESMA JAS, FUZII HT, MEDEIROS RC. Prevalência

do papilomavírus humano (HPV) em Belém,

Pará, Brasil, na cavidade oral de indivíduos sem lesões

clinicamente diagnosticáveis. Cadernos de Saúde Pública,

Rio de Janeiro, v. 30, n. 5, p.1115-1119, maio 2014.

9. PANOBIANCO MS, LIMA ADF, OLIVEIRA ISB, GOZZO

TO. O conhecimento sobre o HPV entre adolescentes estudantes

de graduação em enfermagem. Texto & Contexto -

Enfermagem, Florianópolis, v. 22, n. 1, p.201-207, mar. 2013.

10. SANTOS MA, AUDICKAS RC, COUTINHO SC,

SILVA J, SOUZA LG. A importância da prevenção

do câncer do colo uterino: em pauta o exame

de papanicolaou. Revista Científica de Enfermagem,

São Paulo, v. 4, n. 12, p.15-20, 10 dez. 2014.

11. RODRIGUES AF, SOUSA JA. Papilomavírus

humano: prevenção e diagnóstico. Revista

de Epidemiologia e Controle de Infecção, Santa

Cruz do Sul, v. 5, n. 4, p.197-202, 14 jan. 2016.

12. BARUFFI, LM. Estudo exploratório do conhecimento

das adolescentes sobre o Papiloma Vírus Humano

relacionado ao câncer de colo do útero. Revista Unilus

Ensino e Pesquisa, São Paulo, v. 12, n. 27, p.5-15, abr. 2015.

13. CRUZ DE, JARDIM DP. Adolescência e Papanicolau:

conhecimento e prática. Adolesc. Saúde,

Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p.34-42, abr. 2013.

14. DINIZ, Santos Aline. Assistência a saúde da mulher

na atenção primária: prevenção do câncer do colo do

útero. Rev. APS. Minas Gerais. jul/set; 16(3): 333-337. 2013

15. FRANÇA MCA, FRANÇA MCS, MORAES SDS.

Conhecimento de mulheres acerca do papilomavírus

humano e sua relação com o câncer de colo uterino.

Cogitare Enferm, Piauí, v. 18, n. 3, p.509-514, 2013.

16. FIGUEIRÊDO CBM, ALVES LDS, SILVA CCAR, SO-

ARES MFLR, LUZ CCM, FIGUEIRÊDO TG et al. Abordagem

terapêutica para o Papilomavírus humano (HPV).

Rev. Bras. Farm, Pernambuco, v. 94, n. 1, p.4-17, 2013.

17. ANDRADE VRM, RIBEIRO, JC, VARGAS FA. Conhecimento

e atitude das adolescentes sobre o exame de

Papanicolaou e papilomavírus humano. Adolescência

& Saúde, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p.69-75, abr. 2015.

18. DANNO CH, TAKEDA E, MAZZETTO FMC, TONHOM

SRF. Adolescente: compreendendo sua susceptibilidade

às lesões intraepiteliais cervicais. Adolesc.

Saúde,, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p.60-68, jul. 2016.

19. ROCHA EJF, PEIXOTO HMC, LOPES VC, SILVA VF,

ALVES CR, SILVA PLN. Integração do programa saúde

na escola por meio de ações de promoção e prevenção

durante o estágio curricular supervisionado de enfermagem:

relato de experiência. Revista da Universidade Vale

do Rio Verde, Três Corações, v. 14, n. 2, p.220-228, 2016.

20. MIRANDA AS, GONÇALVES LHT. Autocuidado

de mulheres amazônidas na prevenção e controle do

papiloma virus humano (HPV) – participação da(o)

enfermeira(o). Enferm. Foco, Belém, v. 7, n. 1, p.8-12, 2016.

21. LUSTOSA NHR, SANTOS RSD, RODRIGUES WS, CA-

VALCANTE IB, ROLIM LADMM. Conhecimento e atitudes

de adolescentes em relação à prevenção da infecção por

HPV e sua correlação com o câncer de colo do útero. Temas

em Saúde, João Pessoa, v. 16, n. 3, p.333-352, 2016.

026

DISCUSSÃO

As adolescentes nem sempre fazem o uso de métodos contraceptivos segundo

Arruda e colaboradores 3 (2013), método esse que as protegem contra uma possível

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Este é o próximo

grande acontecimento

em hematologia.

Apresentamos o CellaVision ® DC-1

Um novo analisador CellaVision que processa uma lâmina por vez, permitindo laboratórios

de pequeno porte implementarem as melhores práticas em morfologia digital para contagens

diferenciais em sangue periférico. Mesmo compacto, apresenta o mesmo conjunto de vantagens

na implementação operacional e clínica dos nossos analisadores maiores.

Saiba mais em www.cellavision.com/its-here

O CellaVision DC-1 não se encontra disponível em todos os mercados

MM-128-08 2019-03-18


028

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


029


AUTORES:

BUENO, LUCIA¹;

PORTO, POLIANA VARGAS1,

BARBOSA, BRUNA GRASIELA¹,

SCHMITT, MORGANA1;

SILVEIRA, ANA CLAUDIA MACHADO¹;

VARGAS, GEISIBEL ROBERTA DE¹;

OLIVEIRA, FABIANO COSTA1;

LARA, GUSTAVO MULLER²;

LOURENÇO, ELOIR DUTRA2.

artigo 2

imagem ilustrativa

¹ Acadêmicas do curso de Biomedicina da Universidade Feevale

² Professor da Universidade Feevale

Endereço: Universidade Feevale, Novo Hamburgo/ Rua Rolante n° 651, Sapiranga RS/

lucyabueno@gmail.com

Vírus da Imunodeficiência

Adquirida e as Dislipidemias Provocadas

em Pacientes que utilizam Antiretrovirais

Resumo

Objetivo: investigar as alterações dislipidêmicas causadas pelo uso dos

antirretrovirais e a importância do tratamento na vida do portador do HIV.

Métodos: Foi realizada uma pesquisa através da base de dados Scielo,

Pubmed, Medline e Google Acadêmico com ênfase nos últimos 10 anos,

relacionando alterações dislipidêmicas com o portador do HIV em uso de

antirretrovirais e seu perfil epidemiológico. Foram usados dados do boletim

epidemiológico do departamento de DST, AIDS/Hepatites do ministério da

Saúde. Resultados: Foram notificados no Brasil nos anos de 2007- a junho

2015, 93.260 casos de HIV, sendo que 19.374 casos foram na região Sul;

9.031 no Rio Grande do Sul. No ano de 2012 foram notificados 761 c casos

de infecção pelo HIV; em 2013 aumentou para 2.081 casos de HIV no RS.

Já em 2014 no RS notificaram 23.729 casos, os quais 16.317 eram do sexo

masculino. Porto Alegre apresentou maior taxa de detecção neste mesmo

ano com 92,4 casos/100.000 habitantes. Conclusão: Foi possível avaliar as

informações relacionadas aos dados de indivíduos infectados pelo vírus do

HIV; e as relações com as dislipidemias, as quais podem ocorrer com o uso

da terapêutica ou não; porém os antirretrovirais trazem como características

alterações nos perfis lipídicos dos portadores.

PALAVRAS-CHAVE: HIV/ AIDS, dislipidemias, antirretrovirais

Abstract

Objective: to investigate the dyslipidemic changes caused by the use of

antiretrovirals drugs and the importance of the treatment in the life of the HIV

carrier. Methods: A research was conducted through the data base of Scielo,

Pubmed, Medline and Google scholar emphasizing the last ten years, related

to the dyslipidemic changes with the HIV carrier in use of antiretrovirals drugs

and his epidemiological profile. Data from the epidemiological bulletin of

the STD department, SIDA/Hepatitis from the Ministry of Health were used.

Outcomes: It was observed that in Brazil from 2007 to June 2015, 93.260 HIV

cases were notified, and from this number, 19.374 cases were in the South area;

9.031 in Rio Grande do Sul. In 2012, 761 cases by HIV infection were notified;

In 2013 the number of cases increased to 2.081 in RS. In 2014, 23.729 cases

were notified in RS, which 16.317 were from the male gender. Porto Alegre

presented a higher detection rate in the same year with 92,4 cases/100.000

population. Conclusion: It was feasible to evaluate the information related to

the data from a person who is infected by HIV virus and the relations with

the dyslipidemias, which may occur because of the use of the therapy or not;

however the antiretrovirals drugs bring as characteristics changes in the lipid

profile of the carriers.

KEYWORDS: : HIV/SIDA, dyslipidemias,antiretrovirals

INTRODUÇÃO

A terapia antirretroviral combinada de alta atividade provocou uma

grande mudança na história da infecção pelo HIV, com drástica diminuição

da mortalidade e da ocorrência das infecções oportunistas, e o

aumento da sobre vida dos portadores(ALMEIDA; GIUDICI; JAIME, 2009).

No Brasil a queda da mortalidade por AIDS evidencia o atual caráter

crônico, e o controle da evolução da doença. Por outro lado, eventos

adversos associados à terapêutica vêm sendo descritos em pessoas

com HIV em uso de antirretrovirais, trazendo outras demandas nos

serviços responsáveis pelo cuidado integral a esses pacientes. Nes-

030

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


se cenário destacam-se as dislipidemias

como uma das características da síndrome

lipodistrófica do HIV, bem como alterações

glicêmicas e alterações morfológicas com

lipoatrofia e lipohipertrofia. A dislipidemia

associada à infecção pelo HIV caracteriza-se

por baixos níveis séricos de HDL colesterol

(HDL-c) e elevação do colesterol total (CT),

LDL - colesterol (LDL-c) e triglicerídeos (TGC),

constituindo perfil sabidamente aterogênico

(ALMEIDA, et al.,2009).

Estudos de observação revelam que a

incidência de alterações cardiovasculares

em pacientes infectados pelo HIV em uso de

antirretrovirais é maior do que a observada

na população em geral. A explicação para a

ocorrência de tais alterações lipídicas, envolvendo

a infecção em si pelo HIV está no tipo

de droga utilizada, e o esquema terapêutico

antirretroviral, e fatores de risco tradicionais,

como dieta rica em gorduras e sedentarismo.

Na população geral, um extenso corpo

de evidências comprova a relação entre o

consumo alimentar, alterações do perfil

lipídico e a ocorrência de doenças cardiovasculares.

A intervenção dietoterápica tem sido

recomendada para a prevenção e controle

primário da hipercolesterolêmica e da hipertrigliceridemia

nos pacientes infectados pelo

HIV em uso de antirretrovirais (ALMEIDA;

GIUDICI; JAIME, 2009).

O objetivo desse artigo é investigar as

alterações dislipidêmicas caracterizadas

pelo uso dos antirretrovirais associadas ao

HIV, à importância do tratamento e o significado

para a saúde do portador do vírus,

determinado a incidência do HIV e o perfil

epidemiológico no Rio Grande do Sul.

Microrganismos

Os microrganismos apesar de ser uma

minoria causadora de doenças infecciosas, o

conhecimento prático sobre eles mostram-

-se necessários, pois antigamente várias

mortes foram oriundas da infecção pelos

mesmos, epidemias devastadoras eram

inelutáveis, portanto com a invenção do microscópio,

os microrganismos tornaram-se

conhecidos, possibilitando a compreensão

da sua transmissão e os mecanismos das

quais ele precisa pra seu desenvolvimento

(TORTORA, et al., 2017).

Os vírus são estruturas pequenas, com

poder infeccioso, que é constituído por RNA

ou DNA em seu genoma e revestido por uma

membrana proteica chamada envelope que

protege esse material genético. Os vírus em

ambiente não possuem poder de replicação,

pois precisam de células vivas para que isso

ocorra. O tipo de ácido nucleico e de onde

provém seu genoma depende das características

de todos os vírus (JAWETZ, et al., 2014).

De um modo geral os vírus são caracterizados

como microrganismos obrigatórios,

pois necessitam de um hospedeiro para

fazer sua replicação. Quando ele entra na

célula, afeta a síntese das proteínas normais

e insere o material genético para replicar, resultando

em algum dano no organismo do

hospedeiro (ABBAS, et al., 2015).

As doenças são causadas quando um

vírus consegue ultrapassar as barreiras

celulares, desestruturando todo o sistema

imunológico causando uma resposta imune.

O tropismo que o vírus possui por certas

células alvo vai determinar o tipo de doença

e sua patogenicidade. Portanto, estes

microrganismos entram nas células de sua

preferência, onde expressam seus receptores

virais e a capacidade para sintetizá-las

(MURRAY, et al., 2014).

O vírus da Imunodeficiência Adquirida

(HIV) é restrito aos humanos, mas não é um

vírus que teve sua origem na espécie humana.

Acredita-se que sua origem, segundo

pesquisas, tenha relação com chipanzés que

habitam a África ocidental. Em geral sua replicação

segue o modelo parecido com a infecção

pela hepatite B, exceto pelo fato que

é transferido com menos efetividade. Mesmo

com o uso potente de antirretrovirais e a

redução da multiplicação dos vírus pelo uso

dos mesmos, uma vez infectado pelo vírus

será por toda a vida (WARREN, et al., 2016).

HIV no mundo

O vírus do HIV é responsável por causar

grande impacto epidemiológico na saúde

mundial, sendo um dos maiores desafios

para a saúde pública. A epidemia que antes

era vinculada à população masculina, homossexuais,

usuários de drogas injetáveis e

hemofílicos, a partir dos anos 1990, atingiu

o público feminino acarretando mudanças

no perfil epidemiológico (PADOIN et. al,

2015). Hoje é a quinta causa de morte entre

adultos e a principal causa de mortes entre

mulheres com idades entre 15 a 49 anos

(ROSABAL et. al, 2016).

Cerca de 7.000 pessoas são infectadas pelo

vírus diariamente no mundo, e a cada 20 segundos

morre uma pessoa com alguma doença

relacionada ao HIV, Este número crescente

de diagnósticos de HIV traz consequências

devastadoras a famílias, comunidades e países

nos alertando que esta é uma realidade bastante

preocupante (LAZAROTO et. al, 2007).

No Brasil a AIDS surge no momento de

mais intensidade por busca científica em

controlar a epidemia no mundo. Nessa fase

de descoberta observou que os antirretrovirais

iniciados na fase inicial da infecção

apresentam uma boa expectativa de vida

em relação ao não infectado; logo estudos

demonstraram uma queda superior a 90%

da transmissão do HIV em pessoas com HIV

em tratamento e anulação da replicação

total do vírus. Valendo-se desses princípios

os estudos indicam que o tratamento universal

dos indivíduos infectados pelo vírus

teria a chance de eliminar a transmissão de

novas infecções. Assim as nações Unidas

se motivaram a chamar os outros países

com o intuito de traçarem uma meta para

diagnosticar 90% das pessoas e tratar com

antirretrovirais 90% dos portadores do HIV

até 2020. Essa denominada meta 90-90-90

poderia levar ao fim da epidemia até 2030

(GRANGUEIRO, et. al, 2015).

Várias cidades do Brasil tiveram um

acréscimo de AIDS; 87% destes municípios

apresentando registros de pelo menos 1

caso somente no ano de 2008. No entanto

os casos permanecem centralizados nas

cidades com maior número de população

(MARTINS, et al., 2014)

031


Imagem Ilustrativa

AUTORES:

BUENO, LUCIA¹;

PORTO, POLIANA VARGAS1,

BARBOSA, BRUNA GRASIELA¹,

SCHMITT, MORGANA1;

SILVEIRA, ANA CLAUDIA MACHADO¹;

VARGAS, GEISIBEL ROBERTA DE¹;

OLIVEIRA, FABIANO COSTA1;

LARA, GUSTAVO MULLER²;

LOURENÇO, ELOIR DUTRA2.

artigo 2

HIV no Rio Grande do Sul

Atualmente à cerca 39,5 milhões de

indivíduos infectados pelo HIV no mundo.

Desde 1980 até junho de 2016, foram

notificados 842.710 casos de AIDS no país,

com média de 41,1 mil casos nos últimos 5

anos. Nos últimos 10 anos houve uma estabilização

do número de detecção de AIDS

no Brasil apresentando uma média de 20,7

casos para cada 100 mil habitantes (SVS –

Secretaria de Vigilância da Saúde).

Na região Sul houve uma leve queda de

30,1 casos / 100 mil habitantes em 2006 e

para 27,9 em 2015. O estado do Rio Grande

do Sul é o estado que apresenta o maior índice

de AIDS, 34,7 casos /100mil habitantes,

sendo Porto Alegre a cidade com maior índice

do país, com casos notificados de AIDS,

o valor corresponde ao dobro da taxa do estado

e quatro vezes a taxa nacional, são 74,0

casos / 100 mil habitantes (SVS – Secretaria

de Vigilância da Saúde).

Inicialmente estava associada somente

às pessoas jovens ou adultas jovens; hoje

há uma crescente taxa de idosos acima

de 60 anos diagnosticados com o vírus

do HIV (MARTINS, et. al, 2014). Com os as

descobertas da indústria farmacêutica os

idosos aumentaram sua vida sexual ativa,

tornado suscetível às infecções sexualmente

transmissíveis, dentre elas o vírus do HIV

(LAZZAROTTO, et. al, 2007).

A taxa de detecção do HIV nos estados

brasileiros nesses últimos 10 anos

sofreu uma elevação de mais ou menos

2%, porém no Rio Grande Do Sul e região

sudeste houve diminuição dos casos

(MARTINS, et. al, 2014).

Em um estudo realizado na cidade de

Cruz Alta no Rio Grande Do Sul, foi contextualizado

que esse município encontra-se

em 5°lugar em casos de AIDS, Os aspectos

mais relevantes incluem idade, escolaridade,

cor da pele, estado civil, número

de filhos, renda familiar entre outros. Foi

observado um aumento na disseminação

do vírus entre as mulheres por conta de

agressões psicológicas ou relações sexuais

ainda na adolescência, onde muitas destas

jovens se relacionam com parceiros mais

velhos o que exercem um poder sobre a

relação afetiva, ou mães com mais de 3

filhos (CECCON, et al., 2015).

Imunologia e o HIV

Em 1980 o HIV foi definido como um

patógeno humano e atribuído por infecções

oportunistas e alterações no sistema nervoso

central (SNC). Após sua entrada nas células

imunológicas, o vírus infecta as células

TCD4+ auxiliares, macrófagos e dendríticas

devido ao seu acentuado tropismo por este

tipo celular (ABBAS et al., 2015).

O vírus do HIV tem características moleculares

e biológicas específicas próprias

do seu grupo; É um retrovírus envelopado

contendo em suas partículas infecciosas

duas cópias de genoma RNA constituído por

bicamada lipídica da célula hospedeira, e codificam

enzimas logo após a infecção, indispensáveis

à multiplicação do vírus. Através

da transcriptase reversa, protease e integrase

o genoma viral é codificado em DNA na célula

infectada (MURPHY et al., 2014).

A contaminação do indivíduo pelo HIV

acontece porque partículas do vírus estão

no sangue, fluidos corporais, sêmen, seringas

com agulhas contaminadas, e também

pode ocorrer de forma direta da mãe para o

feto através da via transplacentária (ABBAS,

et al., 2015). As relações homossexuais e o

uso de drogas injetáveis eram classificados

como os mais suscetíveis a infecção pelo

vírus, portando nota-se que há outros perfis

de pessoas infectadas. Através das relações

heterossexuais percebe-se um número

elevado de mulheres contaminadas. Além

disso, muitos casos de crianças infectadas

têm ocorrido via transplacentária ou na

amamentação (VALENTE et al., 2005; AB-

BAS et al., 2015). Os idosos estão incluídos

em um novo perfil de portadores do HIV

(KRAEMER, et al., 2009).

A grande maioria das pessoas infectadas

pelo HIV evolui para AIDS (síndrome da

imunodeficiência adquirida) gradativamente

com o passar do tempo; raros indivíduos

não evoluem para a AIDS, mas a progressão

tem aumentado nos portadores do vírus

com idade acima dos 40 anos na época

da infecção: e os indivíduos que não forem

submetidos ao tratamento morrem de câncer

ou infecções oportunistas. Uma parcela

mínima de pessoas infectadas produz anticorpos

contra uma gama de proteínas do

HIV, e as células TCD4 permanecem; e inesperadamente

os níveis de vírus circulando

são baixos; Os estudos sobre estes ainda estão

em andamento (MURPHY, et al., 2014).

A utilização dos fármacos no intuito

de bloquear a replicação do vírus tem diminuído

a mortalidade e a gravidade da

infecção. A terapia antirretroviral altamente

ativa (HAART) inibem a protease e análogos

de nucleosídeos com uma larga eficácia

havendo uma diminuição significativa da

virulência (Murphy et al., 2014). Entretanto

os antirretrovirais (TARV) foram um marco

positivo nos indicadores de qualidade de

vida aos pacientes HIV/AIDS. No entanto os

níveis de toxicidade dos fármacos contribuíram

para um novo perfil metabólico nos

pacientes em uso do TARV (MURPHY, et al.,

2014; SILVA et al., 2014).

Segundo Silva (2014) a dislipidemia

atinge 70% dos pacientes infectados

pelo HIV que fazem uso da TARV e que

os eventos cardiovasculares nesses

pacientes são mais frequentes do que

032

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


O FUTURO DAS

ANÁLISES DE PROTEÍNAS ESPECIAIS

O Optilite ® é a mais moderna plataforma para quantificação de proteínas

especiais. De tamanho compacto, software intuitivo, a plataforma foi

desenvolvida para trazer simplicidade a processos analíticos complexos.

Melhora a eficiência Otimiza o fluxo de trabalho Segurança nos resultados

Gamopatias Monoclonais

Freelite ® (quantificação de cadeias leves e

livres) e Hevylite ® (quantificação de cadeias

leves/pesadas das imunoglubulinas)

Sistema Imune

IgA, IgM, IgG, IgD e IgE, Suclasses de IgG

e IgA, Sistema Complemento (CH50, C1

inativador, C1q, C2, C3c e C4)

Sistema nervoso central

Albumina, Freelite, Cistatina e

Imunoglobulinas no liquor.

Menu de testes

Nefrologia

Cistatina, Microalbumina e

Beta-2-Microglobulina, Transferrina

Proteínas Específicas

PCR, ASO, fator Reumatóide, Ferritina,

Transferrina, Pré-Albumina, Ceruloplasmina,

Haptoglobina, Alfa-1-Antitripisina,

Alfa-2-Glicoproteína Ácida, Lipoproteína(a),

entre outras.

Freelite ® é marca registrada da empresa The Binding Site Group, Birmingham, Reino Unido

Filial no Brasil:

DIAMEDICA - Uma empresa do grupo

The Binding Site

Rua: Gastão Vieira, n. 451

Pq: Santa Felicia

CEP: 13.562 - 410

São Carlos - SP, Brasil

Tel: +55 16 3415-2829

info@bindingsite.com.br

www.freelite.com.br


AUTORES:

BUENO, LUCIA¹;

PORTO, POLIANA VARGAS1,

BARBOSA, BRUNA GRASIELA¹,

SCHMITT, MORGANA1;

SILVEIRA, ANA CLAUDIA MACHADO¹;

A inserção do HIV em uma célula hospedeira ocorre quando uma VARGAS, GEISIBEL ROBERTA DE¹;

OLIVEIRA, FABIANO COSTA1;

glicoproteína do envelope gp120 do vírus é aderida no citoplasma celular, às células

LARA, GUSTAVO MULLER²;

TCD4 e aos correceptores de quimiocinas (CXCR4 e o CCR5) com função de LOURENÇO, ELOIR DUTRA2.

facilitar a entrada do vírus (ABBAS et al., 2015). Através da enzima viral protease as

partículas virais se integram para se replicarem. A enzima viral protease é inibida

pelas drogas disponíveis no tratamento (VALENTE, et al., 2005). O uso das drogas

tende aumentar o perfil lipídico do paciente infectado pelo HIV, mas a infecção por si

só, acarreta causas dislipidêmicas principalmente por baixar o HDL (SILVA, et al.,

2014).

Imagem Ilustrativa

artigo 2

034

Tabela 1: Drogas utilizadas na terapia do HIV

Classificação Função Fármacos

Inibidores da Inibe a infecção Abacavir, didanosina,

transcriptase reversa

e nucleosídios

Inibidores não

nucleosídeos da

transcriptase reversa

Inibidores da

protease (IP)

nas fases aguda, Estavudina, Lamivudina,

impossibilitando a zidovudina, e a

replicação do vírus. conbinaçãoLamivudina/zidovudina,

Tenovir

Age diretamente Efavirenz, Nevirapina e

na ação da enzima Etravirina

bloqueando a

multiplicação do vírus.

Age diretamente Atazanavir, Darunavir,

na enzima protease, fosamprenavir, lopinavir / ritonavir,

inibindo a produção de saquinavir, Nelfavir

cópias do RNA viral.

Inibidores de Impossibilita a Enfuvirtida

fusão

entrada do material

genético viral nas

células.

Inibidores da

integrase

(KRAEME et al., 2009)

Faz o bloqueio Raltegravir

da ação da enzima

integrase responsável

pela introdução do

DNA viral ao DNA

humano, assim

dificulta a multiplicação

das moléculas virais,

tornam-se incapaz de

infectar novas células.

na população em geral. Um dos efeitos

colaterais da TARV é a dislipidemia

onde há um aumento do colesterol sérico

e dos triglicerídeos. O HDL- colesterol

diminuído pode levar o paciente

à formação de lesões ateromatosas

(VALENTE, et al., 2005).

A dislipidemia é uma das principais causas ocasionadas pelos inibidores da

transcriptase reversa, portando nem sempre a lipodistrofia traz consequência, pois a

infecção viral do HIV causa alterações lipídicas principalmente quando os níveis de

HDL estiverem diminuídos (SILVA et al., 2014).

Dislipidemias associados

aos TARVs

O uso de antirretrovirais tem sido

eficaz nos últimos anos, pois há uma

diminuição significativa da replicação

viral e assim mantém os níveis imuno-

Os inibidores da protease usados no tratamento do HIV trouxeram como

efeito à alteração nos lipídios do portador do vírus; pois esses distúrbios metabólicos

causam a síndrome da hiperlipidemia, hiperglicemia e acúmulo de gordura corporal.

No entanto é de fundamental importância o exercício físico, e dietas no intuito da

eficácia no tratamento destes distúrbios (TERRY, 2006). O sedentarismo contribui

lógicos normais. Os fármacos utilizados

incluem inibidores de protease aumentando

a sobrevida do indivíduo infectado

pelo HIV (GUTIÉRREZ et al., 2008).

A inserção do HIV em uma célula hospedeira

ocorre quando uma glicoproteína

do envelope gp120 do vírus é aderida no

citoplasma celular, às células TCD4 e aos

correceptores de quimiocinas (CXCR4 e o

CCR5) com função de facilitar a entrada

do vírus (ABBAS et al., 2015). Através da

enzima viral protease as partículas virais

se integram para se replicarem. A enzima

viral protease é inibida pelas drogas disponíveis

no tratamento (VALENTE, et al.,

2005). O uso das drogas tende aumentar

o perfil lipídico do paciente infectado

pelo HIV, mas a infecção por si só, acarreta

causas dislipidêmicas principalmente

por baixar o HDL (SILVA, et al., 2014).

A dislipidemia é uma das principais

causas ocasionadas pelos inibidores da

transcriptase reversa, portando nem sempre

a lipodistrofia traz consequência, pois a

infecção viral do HIV causa alterações lipídicas

principalmente quando os níveis de HDL

estiverem diminuídos (SILVA et al., 2014).

Os inibidores da protease usados no

tratamento do HIV trouxeram como

efeito à alteração nos lipídios do portador

do vírus; pois esses distúrbios

metabólicos causam a síndrome da hiperlipidemia,

hiperglicemia e acúmulo

de gordura corporal. No entanto é de

fundamental importância o exercício

físico, e dietas no intuito da eficácia no

tratamento destes distúrbios (TERRY,

2006). O sedentarismo contribui para

alteração da gordura corporal, mas o

paciente em ativo exercício físico melhora

seu quadro clinico, pois há uma

redução dos níveis de triglicerídeos e

das dosagens de colesterol total; e eleva

os níveis de HDL (FARHI, et al., 2008).

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Somos a principal

empresa de serviços de

testes de diagnósticos do

mundo.

Somos motivados a fornecer as

informações, para ajudar a tomar

melhores decisões relacionadas com a

saúde.

A Quest Diagnostics se dedica a ajudar as pessoas a melhorar a sua

saúde e bem-estar através de impressões incomparáveis e

excelência clínica. Para os seus testes de laboratório, solicite a

Quest Diagnostics.

www.questdiagnostics.com.br

Estrada Tenente Marques, 1818 – Sala A06 & A07

Santana de Parnaiba, SP Cep: 06525-001

Tel: 11-2985-3371

079


Imagem Ilustrativa

AUTORES:

BUENO, LUCIA¹;

PORTO, POLIANA VARGAS1,

BARBOSA, BRUNA GRASIELA¹,

SCHMITT, MORGANA1;

SILVEIRA, ANA CLAUDIA MACHADO¹;

VARGAS, GEISIBEL ROBERTA DE¹;

OLIVEIRA, FABIANO COSTA1;

LARA, GUSTAVO MULLER²;

LOURENÇO, ELOIR DUTRA2.

artigo 2

Metodologia

Foi realizada uma revisão bibliográfica

nas bases de dados Scielo, Pubmed, Medline

e Google Acadêmico, com ênfase

nos últimos 10 anos, referente à relação

das alterações dislipidêmicas caracterizadas

pelo uso de antirretrovirais associados

ao HIV. Foram utilizados dados do

Boletim epidemiológico do departamento

de DST, Aids e Hepatites, do Ministério

da Saúde determinando a incidência do

HIV e seu perfil epidemiológico.

Número de casos descritos

de HIV e sua relação

dislipidêmica

O Sistema de Informação de Agravos de

Notificação (SINAN) notificou 93.260 casos

de HIV no Brasil, no ano de 2007 a junho de

2015, sendo 19.374 casos na Região Sul e

9.031especificamente no Rio Grande do Sul.

De 2007 a 2010 os casos de HIV tiveram

um crescimento que não excede 382

quadros de infecções, em 2012 foram

notificados 761 novas infecções pelo HIV,

porém no ano seguinte houve um aumento

considerável de 2.081 novos casos

registrados no Rio Grande do Sul.

A infecção pelo HIV entre homens e

mulheres nos anos de 2007 a 2015 apresentou

um total de 93.260 casos, entretanto

somente no ano de 2014 foram notificados

23.729 casos, sendo que 16.317 eram do

sexo masculino. .

No ano de 2014, o Rio Grande do Sul juntamente

com o Amazonas apresentaram

as maiores taxas de detecção de AIDS, com

38,3 e 39,2 casos para cada 100 mil habitantes

respectivamente. .

Porto Alegre apresentou a maior taxa de

detecção neste mesmo ano, com 92,4 casos

para cada 100 mil habitantes.

O perfil lipídico dos pacientes com HIV

apresenta-se alterado, tendo iniciado ou

não a terapia com antirretroviral. A forma

de tratamento para o HIV são os inibidores

de proteases, que estão associados às diversas

alterações metabólicas que ocorrem

no organismo de um paciente infectado por

HIV. As alterações metabólicas são hiperlipidemia,

disfunção endotelial, hiperglicemia

e obesidade central, sendo que a hiperlipidemia

é a alteração mais severa encontrada

nos pacientes que utilizam a terapia antirretroviral

(JÚNIOR, 2005).

As alterações nos níveis lipídicos são comuns

nos portadores do HIV independente

da terapia antirretroviral ou não, pois somente

o HIV pode causar alterações dislipidêmicas

em 50% dos casos, principalmente

nos casos em que o HDL se apresenta baixo

(SILVA, et. al, 2014).

CALZA e Cols. (2009) realizaram um

estudo no período de 1988 a 2000, com

212 portadores do HIV que recentemente

iniciaram o tratamento com inibidores da

protease. Após um ano de tratamento,

este medicamento causou um aumento

nos níveis lipídicos desses pacientes,

sendo que 38,2% apresentaram hipertrigliceridemia

e 25% hipercolesterolêmica

(KRAEMER, et al., 2009).

Um estudo Realizado com 79 pessoas

durante o período de janeiro de 2010 a

março de 2012 mostrou que 43% possuíam

colesterol elevado, sendo frequente

no sexo feminino com 46,7% dos casos. A

maioria dos pacientes possuía níveis de HDL

e LDL normais, com 76 e 93,7% dos casos

respectivamente. Os Níveis de triglicerídeos

estavam elevados em 63% sendo o sexo

masculino o mais frequente em 77,6% (SIL-

VA, et al., 2014).

Em outro estudo foram utilizados dados

de prontuários cadastrados até janeiro

de 2010, com um total de 113 pessoas

sendo 55 mulheres e 58 homens com

idade entre 20 a 67anos. As alterações

lipídicas foram comuns nos pacientes

com idades entre 26 a 45 anos, sendo 41

homens e 32 mulheres. O perfil lipídio de

76 pacientes (67,25%) tiveram alteração

antes do inicio do tratamento, no qual o

HDL baixo era o mais comum. Após o inicio

do tratamento 64,60% apresentaram

dislipidemias. O uso da terapia antirretroviral

agrava cerca de 70% as dislipidemias

nos pacientes (LANG, et al., 2012).

Em santa Maria no Rio Grande do

Sul foi realizado um estudo com 210

pacientes adultos de ambos os sexos

com idade superior ou igual à 20 anos

na data do mês de julho a dezembro

de 2011. Nesse estudo foram utilizadas

86 mulheres, nas quais 5 delas não

participaram, logo a amostra foi constituída

por 81 pacientes. Dentre estas

mulheres 77 sabiam por que deveriam

tomar os fármacos disponíveis ao

tratamento do HIV sendo que 41 delas

achavam fácil o tratamento e 57 delas

não sentiam qualquer efeito colateral

relacionado às TARV. Esse estudo indica

percepção que favorece o uso dos medicamentos

(PADOIN, et al., 2015).

Discussões:

Desde seu aparecimento nos anos 1980, a

AIDS, por seu caráter danoso, heterogêneo e

instável, configura-se como uma das maiores

preocupações em saúde pública em todo

o mundo. Apesar dos avanços no tratamento

trazidos pelo uso de terapias antirretrovirais,

a AIDS continua sendo a quinta causa de

mortalidade entre adultos e a primeira entre

mulheres jovens (SALDANHA; SILVA, 2016).

Após três décadas, a doença apresenta

características epidemiológicas e clínicas diferentes

daquelas inicialmente observadas.

Os avanços no diagnóstico e tratamento foram

significativos e o Brasil tem se destacado

no panorama internacional com a disponibilização

dos medicamentos pelo sistema

público de saúde (FERREIRA et al., 2012).

A dislipidemia associada à terapia antirretroviral

combinada (TARV) é caracterizada

pelo aumento nos níveis de VLDL, LDL,

lipoproteína e redução do HDL29. O mecanismo

responsável pela indução da dislipidemia

em portadores do HIV ainda não está

completamente elucidado. Ainda não está

estabelecido se a dislipidemia ocorre por

um efeito direto da TARV ou se é resultado

da interação entre diversos fatores, como o

tratamento antirretroviral, a predisposição

genética, fatores ambientais como dieta e

exercício físico ou outros fatores como a resposta

do hospedeiro à infecção pelo HIV33.

O presente estudo procurou avaliar, através

de estudos bibliográficos, a epidemiologia

do HIV no mundo, no Brasil e no estado

do Rio Grande do Sul, além de investigar as

alterações dislipidêmicas em portadores de

036

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


CONHEÇA NOSSO PACOTE

HORMÔNIOS

FSH

LH

INSUL

PTH

PROLA

ESTRA

PROGES

GLOHS

TESTO

TLC

FSH (HORMÔNIO FOLICULOESTIMULANTE)

LH (HORMÔNIO LUTEINIZANTE)

INSULINA BASAL

PTH (PARATORMÔNIO)

PROLACTINA

ESTRADIOL

PROGESTERONA

GLOBULINA TRANSPORT (HORMÔNIOS SEXUAIS)

TESTOSTERONA TOTAL

TESTOSTERONA LIVRE CALCULADA

Responsável Técnico: Dr. Cláudio M. M. Cerqueira - CRM: 6888

O São Marcos tem quase 80 anos de tradição e história de credibilidade em Minas Gerais. Com 76 unidades

nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte e São Paulo, oferece um portfólio amplo de serviços nas áreas

de Análises Clínicas, Anatomia Patológica e Citologia, Biologia Molecular, Genética, Diagnóstico por Imagem,

Medicina Nuclear e Vacinas.

O Grupo São Marcos é certificado por programas de qualidade que reconhecem sua equipe e sua área técnica:

Certificado ONA, Certificado PALC, Certificado SBim e ISO 2008.

Diferenciais que fazem o São Marcos Laboratório de Apoio crescer cada vez mais:

• Rapidez em toda cadeia produtiva

• Resultados com qualidade e precisão

• Atendimento diferenciado e próximo do cliente

• Suporte especializado e resolutivo

• Preços e condições altamente competitivos

• Logística certificada para transporte biológico

• Plataforma de educação a distância com conteúdo exclusivo

• Pacotes especiais exclusivos

(31)

2104.0133

saomarcoslaboratorio.com.br

saomarcoslaboratorio

Já estamos presentes em mais 16 estados, além de

Minas Gerais, atuando como parceiro fundamental para

o crescimento do negócio dos nossos clientes.


Imagem Ilustrativa

AUTORES:

BUENO, LUCIA¹;

PORTO, POLIANA VARGAS1,

BARBOSA, BRUNA GRASIELA¹,

SCHMITT, MORGANA1;

SILVEIRA, ANA CLAUDIA MACHADO¹;

VARGAS, GEISIBEL ROBERTA DE¹;

OLIVEIRA, FABIANO COSTA1;

LARA, GUSTAVO MULLER²;

LOURENÇO, ELOIR DUTRA2.

artigo 2

HIV associadas à terapia antirretroviral.

O número de casos de HIV cresce a cada

ano. Em 2012, cerca de 35,3 milhões de

pessoas possuíam HIV em todo o mundo.

De 2007 à junho de 2015, de 93.260 casos

de HIV no Brasil, 9.031 foram notificados

somente no Rio Grande do Sul, correspondendo

à 9,7%. Ainda no ano de 2014, o Rio

Grande do Sul teve uma das maiores taxas

de detecção de AIDS, apresentando em

torno de 38 casos para cada 100 mil habitantes.

Na capital, Porto Alegre, apresentou

a maior taxa, também em 2014, com 92,4

casos para cada 100 mil habitantes. Já na

cidade de Cruz Alta houve um número significativo

pontuando esse município em 5º

lugar na contaminação pelo vírus do HIV.

No Brasil foram declarados 11.896 óbitos

por AIDS. Porém, nos últimos 10 anos, houve

redução de 14% na taxa de mortalidade.

No mesmo período, na Região Sul, seguida

pela Região Norte e Região Sudeste, obtiveram

a maior taxa de detecção de casos

de AIDS. A utilização da terapia antirretroviral

(TARV) foi marcante no Brasil, a qual

resultou positivamente nos indicadores de

morbimortalidade e qualidade de vida dos

portadores de HIV/AIDS (SILVA et al., 2014).

De acordo com Montessori et al. (2004),

a dislipidemia atinge cerca de 70% dos pacientes

infectados pelo HIV que fazem uso

da TARV, e que, os eventos cardiovasculares

nesses pacientes é mais frequente do que na

população em geral.

Desse modo foi discutido que dentro

deste cenário os portadores de HIV de um

modo geral sofrem de alterações dislipidêmicas,

alterações estas que independem do

uso ou não dos antirretrovirais, porém as

pessoas em tratamento são os mais suscetíveis

a estas alterações.

CONCLUSÃO

De acordo com trabalhos já realizados e

conforme os dados obtidos através da presente

pesquisa pode-se perceber que a região

Sul continua sendo o local com um número

elevado de AIDS no país, sendo que Porto

Alegre é a cidade de maior número de casos

notificados, e Cruz Alta segue em 5º lugar.

Os pacientes do sexo masculino apresentam

maior prevalência das dislipidemias quando

comparados aos do sexo feminino. O tempo

de uso dos antirretrovirais está diretamente

associado às dislipidemias.

O papel dos antirretrovirais no tratamento

da AIDS é incontestável por aumentar a expectativa

de vida dos indivíduos, pois diminuem a

morbidade e a mortalidade dos mesmos. Faz-

-se necessário o acompanhamento laboratorial

frequente e a mudança de hábitos de vida para

amenizar os possíveis efeitos colaterais associados

às classes de antirretrovirais em uso.

Referencias bibliográficas

ABBAS A. k. Imunologia celular e molecular.

8ª. ed. Rio de Janeiro: Editora ELSEVIER, 2015,

p.451, cap. 21. ACHUTT, A. Epidemiologia das doenças

cardiovasculares (DCV): dados do Brasil.

Curso de reciclagem em Cardiologia da Sociedade

de cardiologia do RS/SBC, 2003. Rio Grande

Do Sul: Sociedade Brasileira de Cardiologia;

2003. Data de acesso: 18/06/ 2017. Disponível

em HTTP://www.cardiol.com.br ALMEIDA, L. B.;

GIUDICI. K. V.: JAIME. P. C. Consumo alimentar e

dislipidemia decorrente da terapia antirretroviral

combinada para infecção pelo HIV: uma revisão

sistemática. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia

& Metabologia, 2009. V. 53, n. 5, p. 519-527.

Data de acesso: 18/06/2017. Disponível em: http://

www.scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-

-27302009000500005&Ing=pt&nrm=iso&tlng=pt.

CECCON, R. F., MENEGHEL, S.N. HIV e violência

contra mulheres: estudo em município com

alta prevalência de Aids no sul do Brasil. Rev.

Panam.Salud Publica vol.37 n.4-5 Washington

Apr./Maio.2015.Data de acesso: 18/06/2017 Disponível

em www.scielosp.org. Departamento de

vigilância, prevenção e controle das IST, do HIV

/ AIDS e das Hepatites Virais. Acesso em 25 /05/

2017. www.aids.gov.br. Epidemiologia da AIDS

no Brasil. Ministério da saúde do Brasil/Secretaria

executiva/coordenação Nacional de DST

e AIDS. Data de acesso: 23/05/2017. Disponível

em: http://www.henriquecer,org.br/AIDS_brasil.

htm. FALCO M., OLIVEIRA, A. C., SILVEIRA, E. A.

Terapia Nutricional Nas Alteraçãoes metabólicas

em pessoas vivendo com HIV/AIDS. Rev. Saúde

pública, 2012. Data de acesso: 19/06/2017. Disponível

em www.scielo.br. FARHI, L., LIMA, D. B. C.

CUNHA, B. Dislipidemia em pacientes HIV/AIDS

em uso de antirretrovirais num hospital universitário.

Rio de Janeiro, Brasil. Jornal Brasileiro de

Patologia Médica. Lab. Vol.44 nº3, Rio de Janeiro

junho, 2008. Data de acesso: 19/06/2017. Disponível

em: Google acadêmico. FERREIRA, B. E. et

al. Qualidade de vida de portadores de HIV/AIDS

e sua relação com linfócitos CD4 +, carga viral e

tempo de diagnóstico. Quality of life of peolple

living with time of diagnosis. Revista brasileira

de epidemiologia, 2012. V. 15, n. 1, p. 75-84. Data

de acesso: 19/06/2017. Disponível em: www.

scielo.br. GRANGUEIRO, A.,CASTANHEIRA,

E.R.,NEMES,M.I.B. A re-emergência de AIDS

no Brassil: desafios e perspectivas para o enfrentamento.

Comunicação saúde e educação,

2015.19﴾52): 5-6. Data do acesso 17/06/2017, 22:58.

Disponível e Google acadêmico. GUTIERREZ, S.,

CUÑETTI M. D.,GUTIERREZ, G., GIMENEZ, V. ,

QUIAN, J., Dislipidemia Y lipodistrofia em NIÑOS

uruguayosuhi Positivos em tratamento antirretroviral.

Rev. Méd. Urug. Vol. 22 n°3, Montevideo

set. 2006. Data de acesso: 23/03/2017. Disponível:

em www.scielo.br KRAMER, S. A., LAZZAROT-

TO, A. R., SPRINZ, E., MANFROI, W. C, Alterações

Metabólicas, Terapia antirretroviral e doença em

idosos portadores do HIV. Porto Alegre, RS, Brasil,

2009. Data de acesso: 19/06/2017. Disponível

em: www.scielo.br. LANG, M.; SANAGIOTTO, G.

G.; FERRAZ, L., PONZI. C. C.; LAN, M.T. Dislipidemias

e risco cardiovascular em pacientes HIV-

-positivos utilizando terapia antrretroviras, na

região Oeste de Santa Catarina. DST-Jbras.doenças

Sex.transm.2012;24 ﴾4): 246-249-ISSN: 0103-

4065-INSS on-line: 2. Data de acesso 16/062017.

Disponível em Google Acadêmico. LAZAROTO,

A. R., KRAEMER, A. S., HÄDRICH M., TONIN M.,

CAPUTO P., SPRINZ, E. O conhecimento Do HIV/

AIDS na terceira idade: estudo epidemiológico

no vale dos sinos, Rio Grande Do Sul, Brasil,

2007. Data do acesso 19/06/2017. Disponível em:

Google Acadêmico. MARTINS, T. A., KERR, L. R.

F. S., KENDALL C., MOTAM, R. M. S. Cenário epidemiológico

da infecção pelo HIV e AIDS no mundo.

Ver. Fisioter. sFun, 2014 jan-jun; 3 (1): 4-7. Data

do acesso: 19/05/207. Disponível em: Google Acadêmico.

MURPHY, K. Imunologia de Janeway 8ª.

Ed. Porto Alegre: Artmed, 2014, p. 543-544, cap.

13. MURRAY, P. R., ROSENTHAL, K. S., PFALLER,

M. A., MARTINS A. Microbiologia Médica. 7ª ed.

P 411. Rio de Janeiro: Editora: ELSEVIER, 2014.

PADOIN, S. M. M., ZUGUE, S.S.; ALDRIGHI, J.D.;

PRIMEIRA, M.R.; SANTOS, E.E.P.; PAULA, C.C.

Mulheres do Brasil em terapia antirretroviral:

Perfil e o cotidiano medicamentoso. Saúde vol.24

n°.1 Brasília Jan./ Mar.2015. . Data de acesso em

18/06/2017 Disponível em: www.scielo.br. RO-

SABAL, E. P., et. al.; Programa educativo para

favorecer la adherencia terapéutica en pacientes

con tratamiento antirretroviral. Revista Archivo

Médico de Camaguey, 2016, vol. 20 n° 2, p. 177-

187. Disponível em: www.scielo.br. SALDANHA.

A. W.; SILVA, J. 30 anos depois: Representações

Sociais acerca da AIDS e práticas sexuais

de residentes de cidades rurais. Rev. Esc. Enferm.

USP, 2016. V. 50, p. 74-80. Data do acesso:

19/06/207. Disponível em: www.scielo.br SILVA, I.

R. P, et. al. Dislipidemia e estado nutricional em

pacientes HIV positivo com Síndrome Lipodistrófica.

2014. Data do acesso 23/03/017. Disponível

em: Google Acadêmico. SOUZA, C. M., ROCHA,

J. SENNA, P. M. Microbiologia médica de Jawetz,

Melnick e Adelberg ∕ Geo. F. Brooks. AMGH. 26ª

Ed., p.407,415. Porto Alegre, 2014. TEIXEIRA, Jr

M.G., ISSA A., SOARES V. E. Dislipidemia Associada

à Terapia Antirretroviral em Pacientes com

AIDS. Revista da SOCERJ. Nov/Dez2005. Boletim

epidemiológico HIV / AIDS – 2016. Data de acesso:

23/06/2017. Disponível em Google Acadêmico

TERRY, L. HIV e Exercício. Revista da Sociedade

Brasileira De Cardiologia do Rio Grande do Sul,

ano xv n°9 set / out/ Nov / 2006. Data de acesso:

23/03/2017. Disponível em: www.sociedades.cardiol.br

TORTORA G. J., et.al. Microbiologia. 12ª

ed. p2- ARTEMED. Porto Alegre, 2017. VALENTE

A. M. M., et.al. Alterações metabólicas da Síndrome

Lipodistrófica do HIV. 2005. Data de acesso

em: 23/03/2017. Disponível em: www.scielo.br

WARREN L., DAIAN, D. S. de O.; FONSECA, F. G.

Microbiologia Médica e imunologia. 13ª ed. p. 367

- 369, Porto Alegre AMGH, 2016.

038

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


imagem ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

imagem ilustrativa

1 Acadêmicas do curso de Farmácia, Universidade da Região de Joinville, UNIVILLE

2 Bioquímica do Laboratório Municipal de Análises Clínicas do município de São Bento

do Sul/ SC

3 Professora Doutora do curso de Farmácia, Universidade da Região de Joinville,

UNIVILLE

artigo 3

Investigação da Incidência de

infecção do trato Urinário em Gestantes

atendidas no laboratório municipal de

análises clínicas do município de São Bento

do Sul/SC

Resumo

As infecções do trato urinário (ITU), conhecidas por afetarem homens e

mulheres em todas as faixas etárias, combinadas com as alterações anatômicas

e fisiológicas ocorridas durante a gestação tornam essa infecção mais

comum durante a gravidez. Sua frequência neste período varia de 5% a 10%,

em termos de patologia médica das gestantes, ficando atrás apenas da anemia.

Desde o desconforto causado a gestante pelas infecções sintomáticas

até os riscos aos quais o feto é exposto mesmo quando não se tem sintomas

de infecção, é de fundamental importância o diagnóstico laboratorial precoce

para que a ITU não se agrave. Por isso, este trabalho buscou avaliar a incidência

das infecções urinárias nos três trimestres de gestação, bem como os

principais patógenos responsáveis e a sensibilidade destes frente aos antibióticos

testados no Laboratório Municipal de Análises Clínicas de São Bento

do Sul/SC durante o período de março à julho de 2014. Foram analisadas 180

amostras de urina de pacientes gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde

e encaminhadas ao laboratório de Análises Clínicas Municipal de São Bento

do Sul, as quais foram separadas por trimestres de gestação. Os resultados

mostraram que 157 amostras obtiveram urocultura negativa (87,3%) e 23

(12,7%) apresentaram urocultura positiva, destas, 13,2% ocorreram no primeiro

trimestre, 14,3% no segundo e 10,7% no terceiro trimestre gestacional.

A bactéria isolada com mais frequência nas uroculturas das gestantes foi

Escherichia coli, seguida de Staphylococcus spp, Proteus mirabilis e Proteus

vulgaris. A Escherichia coli apresentou 100% de sensibilidade para Amoxicilina

com Ácido Clavulânico, Ceftazidima e Ceftriaxona. Frente a Cefalexina

93,3% das cepas foram sensíveis, um bom resultado já que as cefalosporinas,

principalmente a Cefalexina, são as drogas mais utilizadas no tratamento de

gestantes. As ITU ocorreram com mais frequência no segundo trimestre de

gravidez, porém, é de extrema importância o tratamento em qualquer idade

gestacional para evitar futuras complicações até o nascimento.

Palavras-chaves: Infecção urinária, gestantes, resistência microbiana,

complicações infecciosas na gravidez

Abstract

Urinary tract infections (UTI), known to affect men and women in all age

groups,combined with anatomical and physiological changes during gestation

became the most common infection during pregnancy. Its frequency in this

period varies from 5% to 10%, in terms of medical pathology of the pregnant

women, second only to anemia. Since the discomfort caused by the pregnant

symptomatic infections until the risks to which the fetus is exposed even when

there is no symptoms of infection is of fundamental importance early laboratory

diagnosis to prevent UTI from getting worse. Therefore, this study evaluated the

incidence of urinary tract infections in the three trimesters of pregnancy, as well

as major pathogens responsible and their sensitivity to antibiotics tested in the

Municipal Clinical Analysis Laboratory of São Bento do Sul / SC during the period

of March to July 2014. It was evaluated 180 urine samples of pregnant women

patients of the Public Health System and forwarded to the Clinical Laboratory

Municipal of São Bento do Sul, which were separated by trimesters of pregnancy.

The results showed that 157 samples have obtained negative urine culture

(87.3%) and 23 (12.7%) positive urine culture, 13.2% of these occurred in the first

trimester, 14.3% on the second and 10.7% in the third trimester gestational. The

most frequently isolated bacteria in urine cultures of pregnant was Escherichia

coli, followed by Staphylococcus spp, Proteus mirabilis and Proteus vulgaris. The

Escherichia coli showed 100% sensitivity to amoxicillin with clavulanic acid,

ceftazidime and ceftriaxone. Front Cephalexin 93.3% of the strains were sensitive,

a good result given that cephalosporins, mainly Cephalexin, are the most

commonly used drug for treating pregnant women. UTI occurred more frequently

on the second trimester of pregnancy, however, is of utmost importance, in any

gestational age, the treatment to avoid future complications until birth.

Keywords: Urinary tract infection, pregnant women, microbial

resistance, infectious complications in pregnancy.

040

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


INTRODUÇÃO

As infecções do trato urinário (ITU) podem

afetar toda a população, homens e mulheres

de todas as idades. Segundo Heilberg

e Schor (1) na vida adulta as mulheres são

mais acometidas, devido à atividade sexual,

gestação e menopausa, de forma que apresentam

pelo menos um episodio de ITU ao

longo da vida.

Segundo Silveira et al (2) as ITU são

definidas pela presença e multiplicação

de microorganismos, sendo os principais

agentes as bactérias gram negativas, que

causam agressão tecidual, podendo estar

presentes entre o cortéx renal e o meato

uretral. Os microorganismos podem chegar

até o trato urinário por diferentes vias, sendo

elas ascendente, hematogênica e linfática,

tendo como principal via de contaminação

a ascendente (2).

Estas infecções podem ser divididas em

quatro grupos: uretrites, síndrome uretral

aguda, cistites e pielonefrites. Além disso,

podem ser subdivididas em sintomáticas,

assintomáticas, agudas, recorrentes, crônicas,

complicadas e descomplicadas (3).

Quando o comprometimento causado

pela infecção é apenas do trato urinário

baixo especifica-se o diagnóstico de cistite,

quando houver comprometimento simultâneo

do trato urinário inferior e superior

denomina-se infecção urinária alta, chamada

de pielonefrite. Essas infecções podem

ser complicadas ou não complicadas, sendo

que as complicadas possuem um maior

risco de falha terapêutica (4). De acordo

com Lopes e Tavares (4) as alterações estruturais

ou funcionais do aparelho urinário

favorecem o desenvolvimento de infecções

complicadas.

Em pacientes com quadro de disúria,

polaciúria e urgência miccional, porém não

acompanhadas de urocultura positiva, serão

rotuladas síndrome uretral aguda e podem

resultar de infecções por número reduzido

de bactérias gram-negativas, infecção uretral

causada por Chlamydia trachomatis e

Neisseria gonorrhoeae ou ainda vaginites

agudas causadas por Herpesvirus ou Candida

albicans (5). De acordo com Srougi (5), as

manifestações irritativas de duração crônica

e que apresentarem uma urocultura também

negativa podem estar relacionadas à

doença infecciosa como uretrite, podendo

ser causadas por Neisseria, Chlamydia, Trichomonas

e Herpesvirus. Segundo Lopes

e Tavares (4) as cistites são consideradas as

infecções não complicadas e quando sintomáticas

caracterizam-se pela presença de

disúria, urgência miccional, polaciúria e dor

suprapúbica, enquanto as pielonefrites são

consideradas complicadas, em geral são resultantes

da ascensão de microorganismos

do trato urinário inferior, estão associadas

frequentemente a presença de cálculos renais.

Quando sintomáticas as pielonefrites

são habitualmente acompanhadas de febre,

calafrios e dor lombar. Podem estas serem

infecções agudas ou crônicas e sua origem

pode ser comunitária ou hospitalar.

As ITU podem atingir ambos os gêneros

e faixas etárias, sendo em mulheres a maior

prevalência. Segundo Heilberg e Schor (1) as

mulheres são acometidas até 20 vezes mais

do que os homens, devido à atividade sexual,

gestação e menopausa. A susceptibilidade

na mulher está relacionada à uretra mais

curta e a maior proximidade do ânus com

o vestíbulo vaginal e uretra. No homem o

maior comprimento uretral, o maior fluxo

urinário e o fator antibacteriano prostático

são considerados fatores protetores (1).

As incidências dessas infecções estão

aumentadas entre as gestantes, em resposta

as transformações anatômicas e

fisiológicas que ocorrem no trato urinário

durante a gestação, as quais são fatores que

contribuem para o desenvolvimento das

infecções urinárias sintomáticas. Mudanças

como a compressão extrínseca dos ureteres

e a diminuição da atividade peristáltica

provocadas pela progesterona ocasionam

dilatação progressiva das pelves renais e

ureteres. Esses fatores associados ao débito

urinário levam a estase urinária, que por sua

vez é favorecida pela diminuição do tônus

vesical com aumento da capacidade da

bexiga e seu esvaziamento não completo,

facilitando o refluxo vesico uretral e pielonefrites.

Além disso, o rim tem sua função

de concentrar a urina diminuída, reduzindo

sua atividade antibacteriana (6). De acordo

com os estudos de Pereira e Bordignon (7)

no período gestacional a urina possui uma

maior concentração em nutrientes e vitaminas,

o que favorece o meio de cultura mais

rico para o crescimento bacteriano.

Dentro do espectro bacteriano destaca-

-se a Escherichia coli como o uropatógeno

mais comum, sendo responsável por

aproximadamente 80% dos casos de

ITU, seguido de Klebsiella spp, Proteus

mirabilis e bactérias do gênero enterobacter.

Podendo também ser causadas por

bactérias gram positivas destacando-se

Staphylococcus saprofhyticus, Streptococcus

agalactiae e outros estafilococos não

produtores de coagulase (8).

Segundo Coelho e colaboradores (9) a

maioria das gestantes apresentam surtos

assintomáticos de infecção urinária que

eventualmente poderão evoluir para sintomáticos,

a prevalência de bacteriúria

assintomática é de até 10% na gestação

podendo ser observado do início até o

terceiro trimestre. Até 57% dessas bacteriúrias

não devidamente tratadas poderão

evoluir para uma infecção sintomática inclusive

para pielonefrite.

A ocorrência de pielonefrites no primeiro

trimestre é de aproximadamente 2% dos

casos, sendo que no segundo e no terceiro

trimestre a ocorrência é maior que 52% e

46% respectivamente (2).

Conforme literatura outras complicações

destacadas durante a gestação,

em gestantes não tratadas de ITU,

incluem a restrição de crescimento

intra-uterino, recémnascido de baixo

peso, trabalho de parto e parto prematuro,

ruptura prematura de mem-

041


PIONEIRISMO

QUE RESULTA

EM TRADIÇÃO

São 18 anos de investimentos constantes na

tecnologia dos serviços e na precisão dos

resultados, para que nossos clientes sejam

atendidos de maneira personalizada com

toda a qualidade e rapidez que eles precisam.

042

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


O que começou sendo referência em

atendimento diferenciado, se expandiu.

Hoje, o Lab Rede colhe os frutos por estar

sempre à frente no mercado brasileiro

de laboratórios de apoio, tendo sua

excelência reconhecida por inúmeros

certificados de qualidade:

“ “

Competência,

compromisso

e confiança

• Equipe altamente qualificada

e com expertise multidisciplinar

• O primeiro laboratório de apoio do

Brasil a conquistar ONA nível III de

excelência

• Investimento constante em processos

laboratoriais automatizados: agilidade

e tempo de liberação reduzido

• Logística eficiente: amostras

minuciosamente inspecionadas e

acondicionadas

• Monitoramento e controle da temperatura

durante o transporte das amostras

• Gestão de relacionamento diferenciada,

com suporte personalizado

• Programa de benefícios exclusivos

para clientes parceiros

Av. Raja Gabaglia, 182 • Gutierrez

Belo Horizonte • MG

(31) 2519.7500 • contato@labrede.com.br

www.labrede.com.br


Imagem Ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

artigo 3

ANTIBIOGRAMA

Foi testado também a sensibilidade e resistência

a antibióticos utilizando o método

de Kirby-Bauer, seguindo as recomendações

técnicas da CLSI (Clinical and Laborabranas

amnióticas e óbito perinatal,

além de hipertensão, pré-eclâmpsia,

anemia, coreoaminionite, endometrite

e sepsemia, em que os fatores

que levam a essas complicações estão

associados ao dobro da mortalidade

fetal (9). Por esse motivo é de suma

importância a realização do exame

de urina na rotina do pré-natal. O

exame parcial de urina é importante

para detectar a presença de bactérias,

leucócitos, hemácias, células e principalmente

microorganismos, os quais

estão relacionados com casos de ITU

(10), sendo utilizada a cultura como

padrão para fechar o diagnóstico. Considera-se

essa patologia uma das preocupações

adicionais aos profissionais

de saúde, pois é nesse período que o

arsenal terapêutico e as possibilidades

profiláticas são restritos. Segundo Pereira

e Bordignon (7), a prescrição de

antimicrobianos durante a gestação é

frequente, mesmo sabendo que quase

todos esses fármacos atravessam

a placenta podendo causar efeitos

adversos ao feto. Contudo há conhecimentos

suficientes para a prescrição

destes fármacos em limites seguros

utilizando-os depois de uma rigorosa

avaliação de risco e beneficio. Ressalta-se

como de extrema importância

o conhecimento do microorganismo

causador, sua característica epidemiológica

e sua susceptibilidade a antimicrobianos

para garantir a eficácia ao

tratamento e dificultar o surgimento

de resistência bacteriana.

Para tanto, este trabalho buscou avaliar

a incidência das infecções urinárias

nos três trimestres de gestação, bem

como os principais patógenos responsáveis

e a sensibilidade destes frente

aos antibióticos testados no Laboratório

Municipal de Análises Clínicas de São

Bento do Sul/SC durante o período de

março a julho de 2014.

MATERIAIS E MÉTODOS

AMOSTRA

Este estudo foi realizado no período de

março a julho de 2014, utilizando amostras

de urina de pacientes gestantes usuárias do

Sistema Único de Saúde, encaminhadas por

Unidades Básicas de Saúde, após consultas

médicas, e enviadas ao laboratório de Análises

Clínicas Municipal de São Bento do Sul.

O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética

em Pesquisa da Universidade da Região de

Joinville (Univille) sob o Parecer número

545.024 e o Termo de Consentimento Livre

e Esclarecido (TCLE) foi assinado pelo Laboratório

de Análises Clínicas.

Foram analisadas 180 amostras de

urina de pacientes gestantes separadas

por trimestres de gestação. As

amostras foram obtidas através da

coleta em frascos estéreis, os quais

foram fornecidos pelo laboratório, e as

gestantes foram orientadas a coletar a

primeira urina da manhã, realizando

a higiene perianal antes da coleta e a

desprezar o primeiro jato de urina, coletando

o jato intermediário da mesma.

No momento da entrega do material

ao laboratório as pacientes foram

questionadas se estavam utilizando ou

se fizeram uso de antibióticos.

UROCULTURA E PROVA DE

IDENTIFICAÇÃO

As amostras foram submetidas à cultura,

onde foi realizada a semeadura quantitativa

em placa de meio CLED. A semeadura

foi realizada através de uma estria

central na superfície do Ágar utilizando-se

alça de níquel-cromo calibrada de 1μL, seguindo

de um estriamento perpendicular

a estria inicial. As placas semeadas foram

colocadas em estufa (35ºC a 37ºC) onde

permaneceram por um período de 18 a

24 horas para posterior identificação. Foram

consideradas culturas positivas as que

apresentaram um crescimento de 100.000

UFC/ml ou superior a esse valor.

Nas placas consideradas positivas

foram realizadas as provas de

identificação através da coloração

de Gram e provas bioquímicas. Se

a bactéria fosse gram negativa e

apresentasse o meio CLED com coloração

amarela (fermentado) era

utilizado o kit para identificação de

Enterobactérias - Newprov, se apresentassem

o meio CLED com coloração

verde era realizada a prova da

oxidase para se fazer a distinção entre

enterobactérias e Pseudomonas

spp. Se as bactérias fossem identificadas

como cocos gram positivos

eram submetidas à prova da catalase.

As amostras contendo cocos

gram positivos e com prova da catalase

negativa foram encaminhadas

ao laboratório de Apoio para devida

identificação. Os cocos gram positivos

com resultado positivo na prova

da catalase (Staphylococcus spp.)

eram identificados no laboratório

municipal através da adição do disco

de Novobiocina no antibiograma.

EXAME PARCIAL DE URINA

Após a semeadura as amostras foram

submetidas ao exame parcial de urina

através de fitas reativas (Biopix) onde

foram analisados parâmetros como

densidade, pH, presença de leucócitos,

nitritos, proteínas, glicose, hemoglobina,

bilirrubina, corpos cetônicos e urobilinogênio.

Após foi realizada a leitura

do sedimento urinário em microscópio.

Alguns parâmetros do exame parcial de

urina servem para avaliar a ocorrência

de ITU, como nitrito positivo, leucocitúria

e bacteriúria.

044

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


045


Imagem Ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

artigo 3

tory Standards Institute) 2011. Foram colocados

discos de antibióticos em uma placa

de Ágar Mueller Hinton onde havia sido semeado

um inóculo das colônias isoladas em

meio CLED e incubados por um período de

18 - 24 horas em uma estufa (35ºC a 37ºC)

para leitura posterior realizada através da

medida do halo, assim foram classificados

em sensível, intermediário e resistente.

Os antibióticos utilizados foram:

Amoxicilina com Ácido Clavulânico

(30μg), Ampicilina com Sulbactam (20

μg), Cefalexina (30μg), Ceftazidima

(30μg),Cefotaxima (30μg), Ceftriaxona

(30μg), Ciprofloxacino (5μg), Norfloxacino

(10μg), Nitrofurantoína (300μg),

Sulfametoxazol com Trimetoprim

(25μg) fabricados pela Laborclin.

RESULTADOS

No presente estudo foram analisadas

amostras de 180 gestantes usuárias do

Sistema Único de Saúde coletadas no

período de março a julho de 2014, sendo

que estas amostras foram provenientes

dos três trimestres de gestação, deste

modo 68 amostras foram de gestantes

no primeiro trimestre de gestação e 56

amostras de gestantes no segundo e no

terceiro trimestre.

De acordo com a tabela 1, intitulada

“Faixa etária e Uroculturas de pacientes

gestantes usuárias do Sistema Único

de Saúde analisadas no laboratório de

Análises Clínicas Municipal de São Bento

do Sul/SC” do total de 180 amostras

analisadas, 157 amostras obtiveram

urocultura negativa e 23 (12,7%) uroculturas

positivas. Na faixa etária de 15-

20 anos 34,8% das gestantes tiveram

urocultura positiva, entre 21-30 anos

39,1% obtiveram resultado positivo,

para as mulheres com idade entre 31-

40 anos esse valor foi de 21,7% e nas

gestantes com mais de 40 anos 4,3%.

Conforme a tabela 2, a qual mostra a

distribuição das uroculturas positivas

por trimestre de gestação, os resultados

foram 9 (13,2%), 8 (14,3%) e 6 (10,7%)

uroculturas positivas respectivamente

para o primeiro, segundo e terceiro trimestre

gestacional.

Posteriormente avaliaram-se as

principais bactérias causadoras de infecção

do trato urinário nas pacientes

gestantes usuárias do SUS. De acordo

com a tabela 3, do total de 23 uroculturas

positivas, 15 amostras (65,2%)

apresentaram como resultado positivo

o patógeno Escherichia coli, 4 amostras

(17,39%) Staphylococcus spp, 3

amostras (13,04%) Proteus mirabilis

e 1 amostra (4,35%) Proteus vulgaris.

Conforme o gráfico 1 A no primeiro

trimestre de gestação o uropatógeno

predominante foi a Escherichia coli

com 66,7%, seguida de Staphylococcus

spp 22,2% e Proteus mirabilis 11,1%.

No gráfico 1 B podemos observar os

uropatógenos prevalentes no segundo

trimestre gestacional, sendo eles: Escherichia

coli 66,5%, Staphylococcus

spp 12,5%, Proteus mirabilis 12,5% e

Proteus vulgaris 12,5%. O terceiro trimestre

de gestação pode ser observado

no gráfico 1 C, sendo o uropatógeno

predominante a Escherichia coli 66,6%,

seguida pelo Staphylococcus spp 16,7%

e pelo Proteus mirabilis 16,7%. Por fim,

na tabela 4 podemos avaliar os perfis

de suscetibilidade das bactérias isoladas

nas uroculturas das gestantes frente aos

antibióticos testados. Conforme a tabela,

para o total de 15 amostras com o patógeno

Escherichia coli 100% apresentaram

sensibilidade a Amoxicilina + Ácido

Clavulânico, Ceftazidima e Ceftriaxona

e 93,3% apresentaram sensibilidade a

Ampicilina+Sulbactran, Cefalexina, Cefotaxima,

Ciprofloxacino, Norfloxaxino, Nitrofurantoína

e Sulfametaxazol + Trimetoprima.

Para o total de 4 amostras com

o patógeno Staphylococcus spp 100%

apresentaram sensibilidade a Amoxicilina

+ Ácido Clavulânico, Ampicilina

+ Sulbactam, Cefalexina, Cefotaxima,

Ceftriaxona, Ciprofloxacino, Norfloxacino

e Nitrofurantoína e 75% apresentaram

sensibilidade a Ceftazidima e Sulfametaxazol

+ Trimetoprima. Para o total de

3 amostras com o patógeno Proteus mirabilis

100% apresentaram sensibilidade

a Ampicilina + Sulbactam, Ceftazidima,

Ciprofloxacino e Norfloxacino; 66,6%

apresentaram sensibilidade a Amoxicilina

+ Ácido Clavulânico, Cefalexina, Cefotaxima,

Ceftriaxona e Sulfametaxazol

+ Trimetoprima e 100% apresentaram

resistência a Nitrofurantoína. Para o total

de 1 amostra com o patógeno Proteus

vulgaris 100% apresentaram sensibilidade

a Amoxicilina + Ácido Clavulânico,

Ampicilina + Sulbactran, Cefalexina,

Ceftazidima, Cefotaxima, Ceftriaxona,

Ciprofloxacino, Norfloxacino, Nitrofurantoína

e Sulfametaxazol + Trimetoprima.

DISCUSSÃO

A ITU representa uma das patologias

mais frequentes em toda população, perdendo

apenas para as infecções do trato

respiratório, tendo uma maior incidência

no sexo feminino (11). De acordo com

Duarte et al (6) o estudo das infecções do

trato urinário em gestantes tem adquirido

relevância diante de sua associação com

piores prognósticos maternos e perinatais.

Devido à maior incidência de ITU durante

o período gestacional este estudo buscou

investigar a incidência de ITU nos diferentes

trimestres de gestação em pacientes

gestantes usuárias do SUS cujas amostras

foram analisadas no laboratório de Aná-

046

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Exames complexos.

Respostas pessoais.

T +1-855-379-3115 E mclglobal@mayo.edu W mayocliniclabs.com

075


Imagem Ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

artigo 3

lises Clínicas Municipal de São Bento do

Sul/SC, bem como, quais os patógenos

responsáveis por essas infecções e sua

resposta frente aos antibióticos testados.

No presente estudo, das 180 uroculturas

analisadas 87,3% obtiveram resultado

negativo, o que difere do estudo de Duarte

e colaboradores (8) que analisou 136 uroculturas

e encontrou 36% negativas. Neste

contexto devemos ressaltar algumas intercorrências

pré-analíticas que podem afetar

o resultado das culturas, dentre elas a coleta

inadequada sem descartar o primeiro jato, a

ausência de higienização correta ou ainda o

armazenamento e processamento incorreto

da amostra. Além disso, durante a coleta de

dados para este estudo observou-se casos

em que foi solicitada coleta de nova amostra

para confirmação da urocultura, porém estas

gestantes não atenderam ao pedido do

laboratório, impossibilitando a identificação

do uropatógeno responsável pela ITU.

Neste estudo metade das gestantes

selecionadas (n=90) encontrava-se

na faixa etária de 21 a 30 anos, sendo

que a média de idade foi de 25,6 anos,

resultado concordante com o encontrado

por Coelho e colegas (9), cuja

média de idade das gestantes avaliadas

foi de 25,3 anos. Este mesmo

autor encontrou uma prevalência dos

casos de infecção no segundo trimestre

de gestação devido à compressão

vesical pelo útero favorecendo o refluxo

uretral durante a micção podendo

aumentar o risco de infecção urinária,

o que corrobora com os dados encontrados

neste estudo, cuja frequência

de casos neste trimestre foi de 14,3%,

seguida de 13,2% e 10,7% no primeiro

e terceiro trimestre, respectivamente.

Porém, no trabalho de Duarte e colaboradores

(6), a prevalência entre os

trimestres gestacionais foi equivalente.

Ainda sobre a relação entre prevalência

de ITU e idade gestacional Rosal

e colegas (12) discordam dos autores

já citados afirmando que a infecção

urinária é mais frequente até o terceiro

mês de gestação, pois nesse período

ocorrem modificações, aumentando

a susceptibilidade de adquirir essas

infecções, tais como aumento de vitaminas

e nutrientes na urina, dilatação

da pelve e do ureter, mudança

de posição da bexiga, que se torna

abdominal, aumento do tamanho dos

rins e da capacidade vesical e relaxamento

da musculatura da bexiga e do

ureter ocasionando um aumento no

número de micções. Observa-se que

o uropatógeno isolado na maioria das

amostras analisadas foi a Escherichia

coli, sendo esse resultado compatível

com a literatura, isso pode ser explicado

pela presença de adesinas nesses

microorganismos, o que permite a

adesão e invasão bacteriana nas células

do trato urinário. A Escherichia

coli apresenta 90% de fímbrias tipo I,

o que leva a ser o seu principal fator

de virulência, apresentam também as

fímbrias P, que se ligam a receptores

específicos no tecido do epitélio renal,

além de seu habitat natural ser o

intestino e que por sua proximidade

com a região geniturinária favorece

o acesso das enterobactérias às vias

urinárias (13).

Outros uropatógenos isolados nas

amostras em ordem de frequência

foram Staphylococcus spp, Proteus

mirabilis, Proteus vulgaris, compatível

com achados de outros autores, porém

a ordem de frequência varia de um estudo

para outro (6,14).

Em um estudo realizado por Rosal et al

(12), onde buscou identificar os principais

uropatógenos responsáveis por infecção

urinária na gestação e a susceptibilidade

destes aos antimicrobianos através das

publicações científicas,obtiveram como r

sultado em maior incidência a Escherichia

coli, presente em 82,3% das publicações, o

uropatógeno Proteus mirabilis apareceu em

três estudos e no grupo dos uropatógenos

Gram-positivos o Staphylococcus aureus

apareceu em um único estudo. De acordo

com Schenkel e colaboradores (14), ao realizar

um estudo com 481 uroculturas também

encontraram a Escherichia coli como

patógeno predominante, sendo isolada em

75,4% das culturas, seguida de Streptococcus

agalactiae (3,9%), Proteus mirabilis

(3,7%) e Klebsiella pneumoniae (3,3%). E

no período de 2000 a 2004 Koch et al (15)

também apresentou Escherichia coli como

a bactéria isolada com mais frequência em

957 uroculturas (66,2%), seguida por Proteus

mirabillis e Klebsiella sp. que tiveram

8,4% e 5,6% respectivamente. Segundo

Rosal e colegas (12), a prescrição incorreta

de antimicrobianos é influenciada por vários

fatores durante a gestação, entre eles

a falta de conhecimento dos profissionais,

fatores culturais, econômicos e toxicidade

de alguns fármacos. O uso indiscriminado e

abusivo desses antimicrobianos pode levar

à emergência e aumento da resistência microbiana.

O uso de antimicrobianos sempre

apresenta risco fetal, pois em geral esses

fármacos apresentam baixo peso molecular

facilitando sua difusão através da placenta,

expondo o feto aos possíveis efeitos tóxicos.

Devido a esse aspecto, o médico sempre

deve avaliar a relação risco benefício ao indi-

048

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Imagem Ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

artigo 3

car o uso desses fármacos para as gestantes.

As informações referentes à segurança e

eficácia do uso de antimicrobianos durante

a gestação ainda são poucas em virtude do

estudo da ação desses fármacos em fetos e

neonatos ser escasso. Por questões éticas e

legais os estudos clínicos e epidemiológicos

referentes à segurança de antimicrobianos

são realizados em mulheres não grávidas e

seus resultados expandidos para as grávidas

(16). O Ministério da Saúde publicou, no ano

de 2006, um manual orientando o uso de

antimicrobianos em infecções urinárias em

gestantes, sendo estes: cefalosporinas de 1ª

geração (cefalexina), penicilinas (amoxicilina

e ampicilina) e nitrofurantoína (17). Frente

aos 10 antibióticos testados neste trabalho

a maioria das bactérias isoladas demonstrou

boa sensibilidade. A Escherichia coli,

patógeno prevalente nas amostras analisadas

apresentou 100% de sensibilidade

para Amoxicilina com Ácido Clavulânico,

Ceftazidima e Ceftriaxona. Num estudo realizado

por Schenkel et al (14), a sensibilidade

da Escherichia coli diante das cefalosporinas

de terceira geração (Ceftazidima e Ceftriaxona)

foi de 98,3%, demonstrando que para

esta classe de antibióticos, a sensibilidade

dos dois trabalhos é bem semelhante. Já a

sensibilidade da Escherichia coli para a Cefalexina

descrita por estes autores foi menor

(71,8%) do que a frequência apresentada

no atual trabalho (93,3%). Dos outros três

microorganismos isolados, Staphylococcus

spp e Proteus vulgaris apresentaram boa

susceptibilidade frente às cefalosporinas,

porém, o Proteus mirabilis mostra-se menos

sensível aos antimicrobianos desta classe,

apenas 66,6% das cepas apresentaram

sensibilidade à Cefalexina, Cefotaxima e

Ceftriaxona. A susceptibilidade do Proteus

mirabilis neste estudo difere da sensibilidade

encontrada por Duarte et al (6), onde

100% das cepas pesquisadas eram sensíveis

às cefalosporinas testadas. Segundo Baumgarten

e colaboradores (18) as cefalosporinas

são seguras e bem toleradas durante

a gestação, sendo que a mais comumente

utilizada é a cefalexina. Os β-lactâmicos,

entre eles a ampicilina, estão entre os

mais antigos antimicrobianos utilizados

no tratamento das infecções bacterianas.

Porém penicilinas e cefalosporinas estão

associadas à alergia e reações anafiláticas.

O uso de β-lactâmicos para o tratamento

das infecções urinárias como as penicilinas

vem sendo praticado cada vez menos devido

ao constante aumento nos índices de

resistência ao patógeno Escherichia coli, que

é um dos principais agentes causadores das

infecções urinárias

(16). Contrariando a crescente resistência

às penicilinas, as cepas isoladas neste

trabalho demonstraram um bom perfil de

sensibilidade para a Amoxicilina com Ácido

Clavulânico e Ampicilina com Sulbactan,

principalmente o Staphylococcus spp e Proteus

vulgaris, seguidos da Escherichia coli e

do Proteus mirabilis, apenas 66,6% das cepas

deste último foram sensíveis à Amoxicilina

com Ácido Clavulânico. A sensibilidade

da Escherichia coli (93,3%) e do Proteus mirabilis

(100%) à Ampicilina foi maior do que

a encontrada por Santos e colaboradores

(13), cuja sensibilidade foi de 71,1% e 80%

respectivamente.

No que se refere ao uso de

Sulfametoxazol+Trimetoprima, medicamento

que não é indicado para

uso durante o primeiro trimestre de

gestação devido a sua capacidade de

interferir na formação do feto (19), a

Escherichia coli obteve sensibilidade

de 93,3% mostrando-se 30% mais

sensível do que as cepas isoladas

por Schenkel et al (14). O uropatógeno

com menor sensibilidade ao

Sulfametoxazol+Trimetoprima foi

Proteus mirabilis (66,6%), compatível

com o resultado de Pires et al (20), no

qual 62,4% das cepas eram sensíveis

ao antimicrobiano.

Segundo Baumgarten e colaboradores

(18) as sulfonamidas são contra

indicadas no terceiro trimestre de gestação

pelo risco de ocorrer kernicterus

no recém-nascido e de seus efeitos

no metabolismo do folato. Quanto às

fluoroquinolonas que são comumente

utilizadas em pacientes não gestantes,

em mulheres grávidas seu uso não é

indicado pelo risco de alterações nas

articulações dos recém-nascidos (18).

Mesmo não sendo indicado durante a

gestação o Ciprofloxacino e Norfloxacino,

pertencentes às fluoroquinolonas,

foram testados e se mostraram

eficazes contra as bactérias isoladas.

Das cepas de Escherichia coli 93,3%

são susceptíveis aos antimicrobianos e

das outras bactérias 100% das cepas

foram sensíveis. Esses resultados são

semelhantes ao encontrado por Duarte

et al (6), cuja sensibilidade das cepas

de Escherichia coli ao Ciprofloxacino e

ao Norfloxacino foram 97% e 98,5%

respectivamente e as outrasbactérias

mostraram 100% de sensibilidade a

estes antimicrobianos.

De acordo com a literatura a nitrofurantoína

é recomendada para o tratamento

deinfecções não complicadas

do trato urinário. Possui um baixo nível

de resistência aosuropatógenos e é

um agente terapêutico ideal e seguro

para uso na gestação, sualimitação,

porém está relacionada à baixa atividade

contra Proteus spp (18).Frente à

Nitrofurantoína, o Staphylococcus spp

050

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Imagem Ilustrativa

KARINA TOMELIN 1 , SHEILA KATY BARON 1 ,

DEISY ALINI RUTHESE 2

E DANIELA DELWING DE LIMA 3

artigo 3

e Proteus vulgaris demostraram100%

de sensibilidade, seguidos da Escherichia

coli com 93,3%, o que corrobora

com apesquisa de Pires et al (20),

que identificou 96,3% das cepas de

Escherichia colisensíveis a nitrofurantoína.

Todas as cepas de Proteus mirabilis

se mostraramresistentes a esse

antimicrobiano concordando com o

resultado encontrado por Duarte etal

(6), apesar do gênero Proteus spp. ser

menos suscetível à nitrofurantoína a

cepa deProteus vulgaris isolada neste

estudo mostrou-se sensível ao antimicrobiano,

esse fato pode estar relacionado

à formação de um véu no Ágar

Mueller Hinton causada pelascepas de

espécies de Proteus, este véu pode dificultar

a medição do halo de inibição

doantibiótico, o que pode gerar resultados

errôneos caso não seja escolhida

uma fonte deluz adequada para a leitura.Segundo

Pereira e Bordignon (7)

uma alternativa de tratamento seria

afosfomicina, que é um agente bactericida

e possui um amplo espectro de

ação, atingindomicrorganismos gram

positivos e gram negativos. Seu mecanismo

de ação ocorrebloqueando a

síntese de peptideoglicanos, além

de ser capaz de diminuir a aderência

dasbactérias ao urotélio. A fosfomicina

ainda pode ser administrada durante

a gestação, nãohavendo associação a

efeitos teratogênicos.

Mediante os resultados encontrados

observa-se a importância dos cuidadosdurante

a gestação a fim de evitar

o surgimento de ITU e consequentemente

aantibioticoterapia, pois tanto

um quanto outro podem oferecer riscos

ao feto.

AGRADECIMENTOS

Ao Laboratório Municipal de Análises

Clínicas de São Bento do Sul por

ceder os dados.

REFERÊNCIAS

1. Heilberg IP, Schor N. Abordagem

Diagnóstica e Terapêutica na

Infecção do Trato Urinário – ITU.

Rev Assoc Med Bras, 49 (1): 109-

16, 2003. 2. Silveira MSM, Veronesi

CL, Goulart LS. Infecção do Trato

Urinário em Gestantes: Análise da

Frequência de Casos de Saúde Jardim

Guanabara, Rondonópolis, MT.

118 ed. NewsLab, 116-120, 2013. 3.

Menin VT, Grazziotin NA. Infecções

do Trato Urinário Diagnosticadas no

Laboratório Universitário da URI –

Campos de Erechim/RS. RBAC, vol.

42 (4): 307- 310, 2010. 4. Lopes HV,

Tavares W. Diagnostico das Infecções

do Trato Urinário. Rev. Assoc.

Med. Bras., São Paulo; 2005, vol. 51,

nº6. 5. Srougi M. Infecção do Trato

Urinário. Rev. Med., São Paulo, 2005,

84 (3-4): 102. 6. Duarte G, Marcolin

AC, Gonçalves CV, Quintana SM, Berezowski

AT, Nogueira AA et al . Infecção

urinária na gravidez: análise

dos métodos para diagnóstico e do

tratamento. Rev. Bras. Ginecol. Obstet.

2002. 7. Pereira AC, Bordignon

JC. Infecção Urinaria em Gestantes:

Perfil de Sensibilidade dos Agentes

Etiológicos de Gestantes Atendidas

pelo SUS na Cidade de Palmas – PR.

RBAC, 96- 99, 2011. 8. Duarte G, Marcolin

AC, Quintana SM, Cavalli RC.

Infecção Urinária na Gravidez. Rev

Bras Ginecol Obstet; 30 (2): 93-100,

2008. 9. Coelho F, Sakae TM, Rojas

PFB. Prevalência de infecção do

trato urinário e bacteriúria em gestantes

da clínica ginecológica do

Ambulatório Materno Infantil de Tubarão-SC

no ano de 2005. Arquivos

Catarinenses de Medicina. Florianópolis,

2008. Vol. 37, no. 3. 10. Strasinger

SK. Uroanálise & Fluidos Biológicos.

3.ed. São Paulo: Premier,

1998. 11. Queiroz CA, Felício VPT.

Infecções Urinarias de Origem Bacteriana

em Pacientes Atendidos em

Laboratórios de Analises Clinicas

de Presidente Olegário – MG. 101 ed.

NewsLab, 106-110, 2010. 12. Rosal

CJG, Silva CA, Bezerra DS, Vasconcelos

GM, Passos XS, Monini JBM.

Infecção Urinaria em Gestantes e a

Suscetibilidade aos Antimicrobianos.123

ed. NewsLab,96- 102, 2014.

13. Santos TKP, Sanches IT, Pittner

E, Sanches HF. Identificação e perfil

antimicrobiano de bactérias isoladas

de urina de gestantes atendidas

na Irmandade da Santa Casa de

Misericórdia de Prudentópolis, Paraná.

Semina: Ciências Biológicas

e da Saúde, Londrina, v. 33, n. 2, p.

181-192, jul./dez. 2012. 14. Schenkel

DF, Dalle J, Antonello VS. Prevalência

de uropatógenos e sensibilidade

antimicrobiana em uroculturas

de gestantes do Sul do Brasil. Rev.

Bras. Ginecol. Obstet., Rio de Janeiro,

v. 36, n. 3, Mar. 2014. 15. Koch

CR, Ribeiro JC, Schnor OH, Zimmermann

BS, Müller FM, D' Agostin J,

Machado V, Zhang L. Resistência antimicrobiana

dos uropatógenos em

pacientes ambulatoriais, 2000-2004.

Revista da Sociedade Brasileira de

Medicina Tropical, Uberaba, v. 41,

n. 3, p. 277-281, maio/jun. 2008. 16.

Fiol FSD, Gerenutti M, Groppo FC.

Terapêutica Antimicrobiana durante

a Gestação. Moreira Jr. Editora,

111- 119, 2006. 17. Brasil. Ministério

da Saúde. Manual Técnico: Pré-natal

e Puerpério, Atenção Qualificada

e Humanizada. Brasília, 2006. 18.

Baumgarten MCS, Silva VG, Mastalir

FP, Klaus F, Azevedo PA. Infecção

Urinaria na Gestação: uma Revisão

da Literatura. UNOPAR Cient, Ciênc.

Biol Saúde, 333-342, 2011. 19. Czeizel

AE, Rockenbauer M, Sorensen

HT, Olsen J. The teratogenic risk of

trimethoprim-sulfonamides: a population

based case-control study. Reprod

Toxicol. 2001; 15: 637-646. 20.

Pires MCS, Frota KS, Martins Junior

PO, Correia AF, Cortez-Escalante JJ,

Silveira CA. Prevalência e susceptibilidade

bacterianas das infecções

comunitárias do trato urinário, em

Hospital Universitário de Brasília,

no período de 2001 a 2005. Revista

da Sociedade Brasileira de Medicina

Tropical, Uberaba, v. 40, n. 6, p. 643-

647, nov./dez. 2007.

052

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Importador e Distribuidor Master

J.R.Ehlke | PR, SC

Tel: (41) 3352.2144

BS 240 PRO

ANALISADOR DE BIOQUÍMICA

Grande capacidade de 50

(extensível até 100) posições para reagentes

e 50 (extensível até 100) posições para amostra.

• 240 testes fotométricos por hora constante,

até 400 testes/ hora com ISE (K, Na, Cl - opcional

• 24 horas de refrigeração para carrossel de reagente

• Cuvetas reutilizáveis com estação de lavagem automática

• Mixer independente

• Detecção de: coágulo, proteção contra colisão (vertical e horizontal), nível de líquido,

monitoração de inventário e pré-aquecimento do reagente.

Volume de reação com 100µL de reagente.

Revendedoras

Autorizadas:

020 054

SBD | RJ

Tel: (21) 2605.1174

Prómed | AM, PA

Revista NewsLab Tel: | Ago/Set Abr/Mai (96) 3224.2182

2019

(91) 3349.8634


As melhores SOLUÇÕES,

CUSTOS E TECNOLOGIAS

em diagnósticos para

LABORATÓRIOS DE

TODOS OS PORTES.

CL 1200I

IMUNOHORMÔNIO

Nova linha de equipamentos

Mindray para Imunologia com

• Capacidade: 180 amostras/hora;

Metodologia CLIA

• Volume de amostras:

(Quimioluminescência)

a partir de 10 microlitros;

• Carrossel com posição para 25 Reagentes;

• Capacidade de processar 60 amostras simultâneas ( 6 Rack´s de 10

posições);

• Carregamento contínuo de cubetas e substrato sem precisar parar o

equipamento;

• Suporta 176 cubetas por rodada. Cubetas prontas para uso sem provocar

congestionamento de cubetas;

• Reagentes com estabilidade on board de até 56 dias;

• Solução Wash Buffer pronta para uso de 10 Litros;

• Indicador luminoso para identificação de amostras, reagentes e substrato;

BC 5150

BS 360E

ANALISADOR DE BIOQUÍMICA

• 360 testes fotométricos por hora constante, até 540 testes/ hora com ISE

(K, Na, Cl) - opcional

• 24 horas de refrigeração para carrossel de reagente

• Cuvetas reutilizáveis com estação de lavagem automática

• Fotômetro com grade de difração

• Leitor de código de barras interno

• Pré e pós-diluição para amostra

Volume de reação com 100µL de reagente.

CAL 6000

ANALISADOR HEMATOLÓGICO

ANALISADOR HEMATOLÓGICO

BC-5150 foi desenvolvido sob medida para atender aos laboratórios

de diagnóstico que trabalham com resultados de 5 partes +

hemograma completo, com volume de

amostra diário relativamente baixo, com

restrição de espaço no laboratório e um

orçamento limitado.

• 220 hemogramas por hora e 120 lâminas por hora

• Diferencial de WBC em 5 partes, 25

parâmetros reportáveis e 4 parâmetros de

pesquisa, 3 histogramas e 3 gráficos de

dispersão

• Modo Sangue total, modo Sangue

total capilar e modo Pré-diluído

• Laser de três ângulos disperso +

Coloração química + Tecnologia

• Equipamentos podem trabalhar em conjunto ou

isolados dependendo da rotina

• As esteiras de carregamento dos analisadores são

bidirecionais (patente Mindray)

• O software labXpert é o padrão para o CAL 6000 e

gerencia todo o sistema com a possibilidade de auto

validação e análise de amostras com base em regras

predefinidas, além de possuir uma interface mais

de Citometria de fluxo.

O

compacto

intuitiva para validação manual.

da categoria!

Leader Diagnósticos

PB, PE e AL

Tel: (81) 3228.0115

DPL

BA, SE

Tel: (71) 3385.0393

Lab Log | RS

Tel: (51) 3023.4455

021 055


matéria Beckman de capa Coulter

Investimento que dá resultado

Brasil puxa crescimento do setor de Medicina Diagnóstica na América Latina

e atrai recursos de multinacional do segmento

Desde 2015, a norte-americana

Beckman Coulter, pioneira

em medicina laboratorial, análises

clínicas e biotecnologia, investiu

US$15 milhões em sua filial brasileira.

O otimismo, justificado pela

estabilidade ascendente do setor, já

se demonstra oportuno. Em 2018, a

empresa cresceu 17%, e a tendência

permanece positiva para 2019.

“Projetamos um crescimento de

cerca de 15% neste ano”, aponta

Marcos Philippsen, gerente geral da

Beckman Coulter Brasil.

Para alcançar esses números,

a empresa passou por uma extensa

renovação, ampliou sua estrutura

física, melhorou processos e direcionou

boa parte de seus investimentos

para o capital humano. “A previsão

é que os colaboradores recebam

mais de mil horas de treinamento

e qualificação só este ano”, afirma

Philippsen.

056

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Saúde segue em alta

A saúde é um dos poucos setores

no Brasil que segue em crescimento

há anos, independentemente

das incertezas e turbulências político-econômicas.

A Medicina Diagnóstica

é um destaque à parte. Segundo

a revista “Forbes”, em 2017 foram

realizados 2 bilhões de exames laboratoriais

e de imagem, 817 milhões

na rede privada, gerando uma receita

bruta de R$ 35,4 bilhões. O Brasil

é o exemplo mais notável de uma

região que cresce como um todo –

calcula-se que só o mercado de análises

clínicas na América Latina tenha

movimentado mais de 14 bilhões de

dólares, o equivalente a 55 bilhões

de reais, de acordo com a empresa

de consultoria Grand View Research.

Com mais investimentos e

demanda dos consumidores, sobe

também a necessidade de resultados

rápidos, confiáveis e processos que

melhorem o fluxo de trabalho. Com

uma expertise única no mercado, a

Beckman Coulter oferece soluções

que elevam o nível das análises

laboratoriais e geram economia de

recursos.

Mercado pede inovação

Além do investimento no treinamento

da equipe e da qualificação

e retenção de talentos, novos lançamentos

justificam o otimismo da

empresa. “Em 2019, a Beckman Coulter

traz ao Brasil quatro soluções para

laboratórios de todos os portes, que

incluem maquinários mais modernos

e novos exames laboratoriais”. Eles

estão alinhados à busca constante

pela redução de custos, do tempo

gasto com tarefas manuais do índice

de erros, pontos cruciais em uma área

cada vez mais concorrida e em que a

precisão dos resultados é decisiva.

Nos últimos anos, a indústria

buscou atender a essa demanda e a

automação no laboratório chegou a

um novo patamar. A Beckman Coulter

incorporou essas inovações para

criar novos equipamentos, conectáveis

à sistemas já utilizados nas

instituições e com novas tecnologias

que identificam e resolvem erros

pré-analíticos, facilitam o workflow,

processam amostras prioritárias e

reduzem significativamente possibilidades

de erros.

Nosso comprometimento

Oferecemos uma combinação

única de pessoas, processos e

soluções projetadas para ajudar

os laboratórios clínicos e as redes

de saúde a elevar seu desempenho

e promover melhor atendimento

ao paciente.

Acelerar o

cuidado com um

menu de ensaios

que importa

Trazer o benefício

da automação

para todos

Fornecer mais

insights por meio

da informática

clínica

Desbloquear o

valor oculto através

de parcerias de

desempenho

Para saber mais, acesse: https://www.beckmancoulter.com/en/about-beckman-coulter

057


Beckman Coulter

matéria de capa

O diagnóstico precoce

de 1% dos casos de

sepse no Brasil pode

salvar 2.300 pacientes*.

É por isso que a

Beckman Coulter criou

o exclusivo ESId.

Confira a seguir como esta

inovação colabora com

a jornada do paciente.

2.

Amostra de sangue

Uma amostra de

sangue é analisada no

DxH 900, equipamento

que caracteriza as

células em seu

estado quase nativo.

* Fonte: Instituto Latino Americano

de Sepse – ILAS

1.

Para quem o exame é indicado?

Pacientes que chegam ao

departamento de emergência

com suspeita de infecção.

** Crouser et. al. Monocyte Distribution Width, A Novel Indicator

of Sepsis-2 and Sepsis-3 in High Risk Emergency Department

Patients. Crit Care Med. 2019 Aug; 47(8): 1018–1025

058

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


3.

Risco de sepse

Quando há risco

de sepse, o agente

infeccioso entra

na circulação e os

glóbulos brancos

do sangue passam

a lutar contra ele.

4.

Monócitos alterados

Os monócitos são algumas

das primeiras células a

apresentar alterações.

6.

5.

Tempo de espera

Análise do exame

Com uma tecnologia exclusiva, o DxH 900 consegue

não apenas contar os monócitos, mas determinar

seu tamanho e distribuição no sangue.

Os resultados ficam prontos em minutos,

diminuindo o tempo de início de tratamento.

68%

100%

7.

Resultados

Estudo** sugere que 68% dos

pacientes com sepse podem

potencialmente se beneficiar do ESId.

dos pacientes com

sepse identificados

com o ESId.

1h34min para o

tratamento com

antibióticos.

dos pacientes com sepse

identificados pelos

protocolos disponíveis.

4h43min para o

tratamento

com antibióticos.

059


matéria Beckman de capa Coulter

Conheça os lançamentos

Beckman Coulter

Menos processos manuais, mais eficiência e segurança na análise

de exames essenciais para o diagnóstico do paciente

DxH 900 + SMS II

Trata-se da nova geração da

linha DxH de analisadores hematológicos,

que permitem a caracterização

das células em seu estado

quase nativo. Através da tecnologia

VCS 360, DataFusion e do Princípio

Coulter aprimorado, é possível fornecer

uma caracterização de alta

resolução sem alterar a morfologia

celular. O equipamento realiza

contagem tripla e fornece dados

precisos sobre volume e padrões

morfológicos das partículas, fornecendo

excelentes resultados. Inclui

ainda o novo e exclusivo parâmetro

Indicador Precoce de Sepse (ESId).

Ele é um biomarcador hematológico

de primeira classe aprovado pela

FDA e Anvisa, que é relatado como

parte de um CBC de rotina com teste

diferencial para adultos que entram

pelo departamento de emergência.

Medindo mudanças na morfologia

dos monócitos – células do sistema

imune que atuam na linha de frente

no combate à infecções, o parâmetro

fornece informações valiosas e acionáveis

para os médicos. Juntamente

com outras descobertas laboratoriais

e informações clínicas, um resultado

positivo do Indicador Precoce de

Sepse alerta os clínicos para uma

maior probabilidade de sepse. Saber

mais cedo sobre o risco da doença

auxilia na tomada de decisão clínica

quando o tempo é essencial.

DxH 900 – número de registro ANVISA 10033120993

SMS II – número de registro ANVISA 10033120994

060

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Sistema de bioquímica

clínica DxC 700 AU

Ideal para laboratórios e hospitais

de médio e grande porte, o analisador

é totalmente automatizado e

pode realizar até 800 testes fotométricos

por hora (ou 1.200 com ISE). Tem

capacidade para analisar de uma vez

até 150 amostras de diferentes fluidos

com rapidez e precisão, com a possibilidade

de priorizar testes urgentes

e substituir peças em menos de um

minuto. Possui uma interface amigável

e intuitiva, que permite a criação

de um menu personalizado de acordo

com as necessidades de cada usuário.

Sua operação é compatível com diversos

sistemas de automação.

Além dos testes PCR ultrassensível e Lactato que auxiliam no diagnóstico

de sepse, teremos em breve disponível no Brasil o teste de Hemoglobina

glicada (HbA1c) sem necessidade de qualquer necessidade de preparo.

* HbA1c e PCT em processo de registro na ANVISA.

DxC 700 AU -

número de registro

ANVISA 10033120973

TAT rápido e consistente. “Estamos

ansiosos pelo lançamento do teste

de Procalcitonina (PCT) para os equipamentos

DxI 800 e Access 2, completando

assim o portfólio Beckman

Coulter para sepse em nossas plataformas”,

afirma Philippsen.

DxI 800 - número de

registro ANVISA 10033120403

Sistema de Imunoensaio DxI 800 Access

• O sistema proporciona até três horas

de walkaway.

• Os reagentes líquidos, prontos para

uso com códigos de barras podem

ser carregados no sistema de forma

rápida e fácil. Armazena 50 packs de

reagentes com vedação automática,

o que oferece a flexibilidade de con-

figurar o menu do sistema de forma

a atender à necessidade de análise

exclusivas.

• Os operadores podem carregar até

quatro packs de reagentes de uma vez,

sem tocar o console do equipamento.

• Todo pack de reagentes é líquido e

pronto para uso.

• Os reagentes são armazenados em

um refrigerador integrado, preservando

sua estabilidade até as datas de

validade declaradas.

• Os packs de reagentes são compatíveis

com o sistema de imunoensaio

Access 2.

061


matéria Beckman de capa Coulter

DxM MicroScan WalkAway

Uma solução completa para

análises microbiológicas que ajuda a

combater de maneira mais assertiva a

resistência antimicrobiana. Para deter

infecções hospitalares, um problema

recorrente no Brasil, é preciso identificar

corretamente os agentes patógenos

o mais rápido possível. Além

de possuir ferramentas que auxiliam

na manutenção e informações dos

resultados obtidos, o DxM está vinculado

a um software simples, amigável

e completo - o LabPro, que possui a

funcionalidade de emissão de relatórios

de epidemiologia a nível de

incidência bacteriana, incidência por

fármacos, MIC 90 e a possibilidade

DxM MicroScan WalkAway - número de registro ANVISA 10033120997

de emissão de relatórios totalmente

configuráveis e exportáveis (Excel).

O DxM possui um banco de dados de

centenas de micro-organismos causadores

de doenças - incluindo as de

difícil diagnóstico e crescimento lento

- graças ao sistema MicroScan, com

mais de 40 anos de experiência em

testes de sensibilidade aos antimicrobianos

e de detecção rápida de patógenos,

assim como seus mecanismos

de resistência. Sua tecnologia única

auxilia na redução de custos, promovendo

tratamentos eficazes, saúde

financeira ao hospital/laboratório e a

qualidade de vida ao paciente.

062

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


gestão laboratorial

Programa Nacional para

Profissionalização da Gestão

Laboratorial - PROGELAB

Por Humberto Façanha*

Gestão econômica aplicada para laboratórios clínicos. Este artigo (seção) apresenta o PROGELAB. Os seguintes itens

mostrarão de forma individual, entretanto, sintética, todos os sete produtos (softwares) componente do Programa.

1) A IMPORTÂNCIA DOS PEQUE-

NOS E MÉDIOS LABORATÓRIOS

CLÍNICOS: o PROGELAB somente é

importante pela suma importância dos

laboratórios. Não obstante ignorarmos

o seu número exato no Brasil, podemos

considerar de uma forma aproximada que

é grande o contingente de pessoas que

trabalham nos pequenos e médios laboratórios,

os quais sabidamente são os que

geram o maior número de empregos do

setor no País (Entre empregados e familiares,

estimamos um universo de 400.000

pessoas). Ainda, a grande capilaridade

dos serviços de recepção e coleta, permite

atender uma enorme população disseminada

em grandes extensões territoriais,

que sem os pequenos e médios laboratórios,

certamente enfrentariam dificuldades

quase intransponíveis para receberem

atenção básica em saúde (Estimamos

mais de 600.000 pessoas diariamente).

Finalmente, segundo a literatura médica,

“70% das decisões tomadas pelos profissionais

de saúde, estão baseadas nos

resultados dos exames laboratoriais, os

quais fornecem informações que podem

ser utilizadas para fins de diagnóstico e

prognóstico, prevenção, grau de risco para

determinadas doenças, definição de tratamentos

e até mesmo, em alguns casos,

evitar os que podem ser desnecessários”.

Portanto, ajudar na sobrevivência destas

pequenas e médias empresas é fundamental

para a saúde pública.

2) A NECESSIDADE DO PROGELAB:

O setor de saúde no Brasil está vivendo o

impacto de quatro revoluções, cujas mudanças

provocadas deverão ser radicais

e irreversíveis, transformando completamente

o negócio, a forma de atuação e as

perspectivas para todos no setor. São elas:

tecnológica; econômica; socioeconômica

e demográfica. Nos laboratórios clínicos, o

impacto pode ser sintetizado, no mínimo,

pelos seguintes cenários:

•Exigência maior pelos testes laboratoriais

remotos (point of care). Idem

para a biologia molecular ou genética;

•Crescente exigência para serviços

e dispositivos de monitoramento

residencial. Foco em telemetria, dispositivos,

artefatos, sensores e outros

equipamentos acoplados aos smartphones

e voltados a personalização

dos serviços de cuidado pessoal;

•Interpolaridade crescente entre os

smartphones e as tecnologias vestíveis;

•As relações entre os diversos atores

do “cluster da saúde” serão realizadas

de forma cada vez mais remotas;

•A crescente conscientização da

saúde pessoal deverá criar um perfil

de sociedade, com novas exigências

e orientações dogmáticas em saúde;

•As soluções tecnológicas irão exigir

grande capacidade para lidar com

enorme volume de dados aliada à

velocidade de processamento, na área

da saúde. Isto deverá proporcionar

transformar rapidamente registros

clínicos em informação para a tomada

de decisão em favor dos pacientes;

•Os laboratórios clínicos deverão sair da

sede física para chegar junto aos pacientes,

médicos, fornecedores e pagadores

dos serviços (convênios...), através da

conectividade eletrônica;

•Deverá haver demanda crescente

pelos serviços de análises clínicas. Ainda,

necessidade crescente de reduzir o prazo

de entrega dos exames (menor tempo de

resposta), necessidade crescente do diagnóstico

precoce de doenças bem como

crescimento de subespecializações dentro

das especialidades clínicas;

•Novos “entrantes” na área de auxílio ao

diagnóstico médico: equipamentos que

utilizam pequenos volumes de amostra

(uma gota...) para realizar centenas de

exames, laboratórios portáteis, exames

remotos e junto aos pacientes;

•União entre os serviços de diagnósticos

por imagem com os laboratórios clínicos,

junções, fusões, aquisições buscando

soluções ecologicamente corretas;

•Deverá haver demanda crescente para

testes preventivos e de fatores de risco,

particularmente nas áreas de oncologia,

endocrinologia e ginecologia. Idem para

testes de toxicologia/abuso de drogas;

•Pressão maior sobre os laboratórios

hospitalares para recolher, interpretar e

fornecer informações para os médicos

e outros profissionais de saúde com a

finalidade de monitorar a condição do

paciente e de sua saúde em geral, visando

reduzir o tempo de estadia;

•É esperado um aumento no número

de laboratórios clínicos, em

particular no setor independente,

O

tot

ho

064

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Tomioka, Japan

Inovações para uma confiança superior

A tecnologia chamada “DynaHelix Flow” alinha perfeitamente as células WBC, RBC e PLT

para uma contagem de alta impedância com precisão usando um fluxo hidrodinâmico

focado antes de passar pela abertura. Somado a isso, o” DynaHelix Flow” previne

TECNOLOGIA DE PONTA

expressivamente a precisão e confiabilidade das contagens.

PRESENTE EM MAIS DE 120 PAÍSES

totalmente contra o risco de a mesma célula ser contada duas vezes (retorno) usando o

exclusivo “DynaHelix Flow stream”. Esse avançado sistema recém desenvolvido melhora

ANALISADOR HEMATOLÓGICO AUTOMATIZADO

Transformando as possibilidade

das soluções em IVD

Plataforma

MEK-9100K

hematológica completa:

SMART COLOR RACKS INDICADOR DE LED DYNASCATTER LASER

- Até 90 amostras por hora | - 33 parâmetros | - Processamento de pequenas amostras | - Modo de análise STAT/manual

HL7 permite transferência de informação bidirecional

- Carga contínua via sistema até 70 tubos | - Homegeneização de tubo embutida | - Estação integrada com tela de toque

sem interrupção laboratory information systems.

- Diferenciação dos neutrófilos em SEG# % e contagem de bastonetes # e %.

O indicador de estado do Celltac G é

Cada tubo é coletado do rack colorido

Os modos STAT e Pré

localizado no painel frontal e mostra

e suavemente homogeneizado por

podem analisar microtais

como amostras pe

DIAGNÓSTICO IN VITRO claramente | CARDIOLOGIA os diferentes | NEUROLOGIA estados | de MONITORIZAÇÃO um DE braço PACIENTES homogeneizador | RESSUSCITAÇÃO interno. O

operação do analisador. Por exemplo, o

carregamento automático contribui

coletadas do lobo auri

NIHON KOHDEN CORPORATION

1-31-4 Nishiochiai, Shinjuku-ku, Tokyo 161-8560 - Japan

Phone + 81 (3) 5996-8036 | Fax +81 (3) 5996-8100

A tecnologia ótica ”DynaScatter Laser” analisa e diferencia as células WBC em seu estado

“quase-nativo” com muita precisão. O inovador sistema de detecção de espalhamento de

laser de 3 ângulosr provê uma melhor detecção de WBC realizando uma medição precisa

de luz espalhada. Obtendo a informação do tamanho do WBC de um sensor chamado

“FSS”, as informações de estrutura e complexidade das partículas do núcleo são coletadas

por um sensor chamado “FLS” e a informação da granularidade interna e da lobularidade

são obtidas através de um sensor chamado “SDS”. Essa informação gráfica 3D é calculada

então por um algoritmo exclusivo da Nihon Kohden.

“Smart ColoRac Match” definitivamente maximiza a produtividade do seu

laboratório proporcionando resultados mais rápidos e precisos.

Soluções para simplificar o seu trabalho diário

sistema “inserir e esquecer” de acesso randômico e

almente automatizado atinge até 90 testes por

ra, apenas inserindo os racks no carregador.

O sistema “Smart ColoRac Match” ajuda a localizer rapidamente amostras

clinicamente alteradas e também tubos cujo código de barras não pôde ser lido

usando um exclusiva codificação através de racks coloridos que são

associados ao programa gerenciador de dados do Celltac G . Isso aumenta

muito a eficiência do laboratório sem investimento extra, sem aumento de

espaço e sem a necessidade de treinamento extra para o operador. O sistema

O sistema “Smart ColoRac Match” ajuda a localizer rapidamente amostras

clinicamente alteradas e também tubos cujo código de barras não pôde ser lido

usando um exclusiva codificação através de racks coloridos que são

associados ao programa gerenciador de dados do Celltac G . Isso aumenta

muito a eficiência do laboratório sem investimento extra, sem aumento de

espaço e sem a necessidade de treinamento extra para o operador. O sistema

“Smart ColoRac Match” definitivamente maximiza a produtividade do seu

laboratório proporcionando resultados mais rápidos e precisos.

• P: Existem amostras positivas

• E: Erro de contagem

• B: Erro de leitura do código de barras

• P: Existem amostras positivas

• E: Erro de contagem

• B: Erro de leitura do código de barras

O sistema de troca de dados baseado no protocolo

estado para a cor vermelha.

do fluxo de trabalho.

NIHON KOHDEN DO BRASIL LTDA.

Até 90 amostras por hora

33 parâmetros

Capacidade de processamento de pequena

Carga contínua de amostras via sistema de

até 7 racks com 10 tubos

Inovações para Modo de uma análise STAT/manual confianç

Laser scatter + citometria de fluxo

Homegeneização de racks embutida

Sistema “Smart ColoRac Match”

A tecnologia chamada “DynaHelix Flow”

Estação integrada com tela de toque

para uma contagem de alta impedância

Gerenciamento focado antes de reagentes de passar pela e controles abertura. po S

de barras totalmente contra o risco de a mesma cé

DYNAHELIX FLOW

Indicador de estado Homogeneização de tubos Modo STAT

operador pode rapidamente reconhecer a

necessidade de troca de reagente apenas

olhando a mudança do indicador de

para um resultado de amostra muito

mais rápido, para uma tomada de

decisão clínica e melhora a eficiência

exclusivo “DynaHelix Flow stream”. Esse

expressivamente a precisão e confiabilid

Inovações pa

A tecnologia ótica ”DynaScatter Laser” a

“quase-nativo” com muita precisão. O ino

laser de 3 ângulosr provê uma melhor de

de luz espalhada. Obtendo a informação

“FSS”, as informações de estrutura e com

por um sensor chamado “FLS” e a inform

são obtidas através de um sensor chama

então por um algoritmo exclusivo da Nih

Rua Diadema, 89. 1º Andar, conjuntos 11 a 17 - Mauá - São Caetano do Sul-SP

Tel.: +55 11 3044-1700 | Fax +55 11 3044-0463

Revista NewsLab | Jun/Jul 2019

087

www.nihonkohden.com

dedinho. O Celltac G p

soluções baseadas na

necessidades dos labo

Soluções para simplificar o se


gestão laboratorial

continuando a influenciar a indústria

e colocando pressão nos laboratórios,

num esforço para reduzir os custos.

Deverá haver uma contínua pressão

descendente de preços; no entanto, o

mercado vai ser compensado por um

aumento no volume;

•Entrada no mercado de “players”

como o Google com altos investimentos

em pesquisas etc.

Todos estes cenários previstos para

o mundo dos negócios que envolvem

os laboratórios, chegam em um momento

no qual estas organizações

ainda não conseguiram, de uma forma

geral, enfrentar com a necessária

resolutividade a primeira disrupção.

Esta é sintetizada pela precipitação

generalizada dos preços dos exames,

ocorrida de forma simultânea com a

inflação dos custos, principalmente

os controlados pelo Governo. A primeira

disrupção levou os laboratórios

clínicos, enfaticamente os pequenos

e médios, a um problema quase que

unânime, materializado pela queda

significativa da competitividade empresarial

e o consequente incremento

no risco de insolvência. As causas fundamentais

podem ser resumidas na alta

capacidade instalada (produção industrial

de exames) frente à real demanda da população

e a socialização da medicina (planos

de saúde, seguros), que praticamente

levou à extinção dos clientes particulares.

Ainda, colaboraram para a primeira disrupção,

causas secundárias, tais como:

globalização da economia, aporte do

capital internacional, Código de Defesa do

Consumidor – CDC, requisitos crescentes

de qualidade pelos órgãos fiscalizadores,

incentivo à cultura das demandas judiciais

(trabalhistas e cíveis) etc.

Os gestores dos pequenos e médios

laboratórios estão enfrentando

grandes dificuldades para vencer os

desafios da primeira disrupção e, já se

defrontam com a segunda! Pelo exposto,

fica claro que atualmente não

basta simplesmente se formar e abrir

um novo laboratório. Não existe mais

espaço para a aventura, para o amadorismo

na gestão destes negócios.

Há sim, a imperiosa necessidade de

gestões profissionais nos laboratórios.

Se não formos competitivos, não sobreviveremos

como empreendedores!

É neste contexto que se insere a proposta

do PROGRAMA NACIONAL PARA

A PROFISSIONALIZAÇÃO DA GESTÃO

LABORATORIAL – PROGELAB. Trata-se

de um projeto pragmático para ajudar

os gestores dos pequenos e médios

laboratórios do Brasil a enfrentarem

este grande desafio presente e futuro,

não só da sobrevivência, mas de tornar

suas organizações competitivas e

rentáveis. Os donos destas organizações

normalmente não dispõem de

recursos para contratar gestores profissionais,

restando a alternativa deles

se profissionalizarem. Trata-se de

uma saída para salvar este importante

segmento da economia, mais ainda,

pode-se dizer, da sociedade brasileira.

3) VISÃO, MISSÃO E OBJETIVOS

3.1-VISÃO

O Programa Nacional para a Profissionalização

da Gestão Laboratorial –

PROGELAB tem como visão aumentar

a competitividade e reduzir o risco de

insolvência dos laboratórios clínicos

do País, proporcionando a manutenção

dos empregos e uma justa remuneração

aos seus acionistas.

3.2-MISSÃO

O Programa Nacional para a Profissionalização

da Gestão Laboratorial –

PROGELAB tem como missão oferecer

aos gestores dos laboratórios clínicos

do País, capacitação administrativa e

gestão aplicada, através de eficientes

sistemas de controles e auxílio à decisão,

com custos acessíveis, ferramentas

basilares para a correta tomada de

decisões inteligentes, fundamentadas

em comparações competitivas de âmbito

nacional, influenciando de forma

incisiva no incremento da lucratividade

destes laboratórios, reduzindo

o risco de insolvência e aumentando

sua competitividade.

3.3-OBJETIVOS

O Programa Nacional para a Profissionalização

da Gestão Laboratorial –

PROGELAB tem os seguintes objetivos:

1. Promoção de eventos para capacitação

em gestão dos administradores

de pequenos e médios laboratórios

do País.

2. Socialização de sistemas de gestão

e apoio à decisão para o mais amplo

conjunto de laboratórios do País.

3. Promoção de um sistema de

comparação de desempenho, ou seja,

resultados de gestão administrativa,

entre os laboratórios participantes do

programa, assegurando a mais absoluta

confidencialidade das informações.

4. Prover aos gestores dos pequenos

e médios laboratórios, uma ferramenta

de auxílio às decisões administrativas,

proporcionando o devido controle dos

processos organizacionais.

5. Formação de um banco de dados,

base das informações gerenciais

de todo o sistema.

6. Contribuir para a melhoria contínua

dos processos de gestão administrativa

pelo amplo acesso às informações

do banco de dados.

7. Implantar um sistema de indicadores

padronizados em nível nacional.

8. Estimular e capacitar os administradores

dos pequenos e médios laboratórios

para a utilização dos indicadores

padronizados, como ferramenta gerencial

e criar referenciais adequados visando

à execução de análises comparativas.

9. Socializar entre os participantes

do programa, as experiências bem-

066

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


gestão laboratorial

-sucedidas, através de seminários periódicos,

para disseminar as melhores

práticas gerenciais.

10. Estimular a pesquisa científica

e produzir novos conhecimentos pela

análise dos dados gerados pelo PRO-

GELAB, desenvolvendo a especialidade

das análises clínicas no propósito

de acompanhar as necessidades da

população para receber uma atenção

primária de saúde com qualidade.

4) MODELO DE OPERAÇÃO DO PRO-

GRAMA

Tendo sempre presente proporcionar

o mais amplo e democrático acesso ao

PROGELAB, estruturamos o seguinte modelo

de operação:

1. Como operador do programa

a empresa Unidos Consultoria

e Treinamento LTDA. A razão

desta proposição é a notória especialização

na área de gestão profissional

de laboratórios, sendo a única

fornecedora de sistemas de gestão

e apoio à decisão com processos de

benchmarking de âmbito nacional.

Não basta proporcionar programas de

qualidade e produtividade, mensurar

resultados de processos organizacionais

através de indicadores e metas.

Isto é a condição mínima necessária,

mas não suficiente. É preciso comparar

com a concorrência, estabelecer

valores referenciais para os indicadores

dos processos administrativos

dos laboratórios. A Unidos Consultoria

e Treinamento pode atender tal

exigência, com exclusividade, através

de sete sistemas inéditos no mercado.

São eles: 1) Programa de Proficiência

em Gestão Laboratorial (PPGL)

– Desempenho da organização. 2) Programa

de Proficiência em Gestão

Laboratorial (PPGL) – Desempenho

da produção. 3) Avaliação de laboratórios

– Valuation. 4) Sistema de

Apoio à Decisão Rápida e Inteligente

– S.A.D.R.I. 5) Sistema de

benchmarking – Relatório de gestão.

6) Terceirização rentável de exames

– Apoio inteligente. 7) Sistema

de Gestão Custo Certo – SGCC.

2. A operação do PROGELAB deve

ocorrer em dois momentos distintos. Um

por meio da capacitação dos gestores,

através de minicursos, cursos, seminários

e palestras, presenciais e/ou à distância.

O objetivo é transmitir os fundamentos

teóricos, método de implantação e análise

dos resultados dos sistemas de gestão,

através de um todo harmônico, constituindo

a capacitação (referencial teórico

e prático) mínima necessária para exercer

uma gestão profissional em laboratórios

clínicos. O segundo momento ocorre na

gestão aplicada, onde a Unidos Consultoria

e Treinamento disponibiliza com

custos acessíveis, para os interessados, os

seus inéditos sistemas de gestão e apoio à

decisão. Desta forma, o PROGELAB pode

proporcionar um meio de gestão

profissional aos pequenos e médios

laboratórios, com custo acessível e

para profissionais cuja formação é essencialmente

técnica. A acessibilidade

aos produtos é possível pelas alternativas

proporcionadas: implantação presencial

ou à distância (via web) e aquisição ou

aluguel dos programas (softwares). Nós,

da consultoria, vemos no PROGELAB,

mais uma oportunidade de cumprir nossa

parte na missão de ajudar os pequenos e

médios laboratórios a sobreviverem com

dignidade e o justo retorno financeiro aos

que empreendem, investem, trabalham,

correm riscos e ajudam milhões de pessoas

no País.

Estes pequenos negócios pertencem a

um dos poucos segmentos que não ganham

nenhum subsídio do governo, entretanto,

são de suma importância para a saúde da

população e, hoje enfrentando grandes dificuldades,

lutando para sobreviver num contexto

muito adverso, necessitam de ajuda.

Esta pode vir através de um aporte de gestão

profissional via PROGELAB!

Esperando termos contribuído para os

negócios na área das análises clínicas, nos

despedimos até a próxima edição da revista

NewsLab, onde iremos apresentar os produtos

do PROGELAB.

*Humberto Façanha da Costa Filho

Professor e engenheiro, atualmente é diretor da Unidos Consultoria e Treinamento

e do Laboratório Unidos de Passo Fundo/RS, professor do Centro de Ensino e

Pesquisa em Análises Clínicas (CEPAC) da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas

(SBAC) e professor do Instituto Cenecista de Ensino Superior de Santo Ângelo

(IESA), curso de Pós-Graduação em Análises Clínicas.

CONTATO: 51-99841-5153 | humberto@unidosconsultoria.com.br

068

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Laboratório em Destaque

Bioma4me: sequenciamento do

microbioma e o caminho para uma

vida saudável

O microbioma é o conjunto de microrganismos

(bactérias, vírus, fungos

e arqueas) que habitam em cada um

de nós. Estão em todas as partes do

nosso corpo como pele, narinas, boca,

genitais e principalmente intestino.

Para cada célula do que chamamos de

“meu corpo” existem nove células que

não são expressão do nosso DNA. Neste

sentido, somos apenas 10% humanos.

Os outros 90% são células de mais de

2.000 espécies diferentes de bactérias

que colonizam nosso corpo. Assim,

cada pessoa é um “superorganismo”,

uma coletividade de espécies vivendo

lado a lado, em profunda interação. Cada

pessoa está longe de abrigar um mesmo

conjunto de micróbios. Pelo contrário,

pouquíssimos grupos de bactérias são

comuns a todo mundo. Cada um de

nós contem comunidades de microrganismos

tão singulares quanto nossas

impressões digitais. É bem provável que

os genes do nosso microbioma tenham

maior influência sobre a nossa saúde do

que os nossos próprios genes. Algumas

bactérias desempenham papel benéfico

sobre a nossa saúde, como o equilíbrio

do sistema auto-imune, enquanto outras

estão associadas a diversos problemas

como obesidade, diabetes tipo 2,

refluxo, câncer de cólon, gastrite, artrite,

doenças auto-imunes, ansiedade, depressão,

dentre outros.

A boa notícia é que ao contrário do

nosso genoma (que não podemos alterar)

o perfil genético do nosso microbioma

pode ser modulado para desfrutarmos

uma vida mais saudável. Este é

o propósito da Bioma4me.

O sequenciamento genético de microbiota

realizado na Bioma4me identifica a

diversidade bacteriana que habita nosso

corpo, bem como sua abundância. O resultado

do sequenciamento é um mapa

que identifica a presença e a participação

relativa de diversos filos, gêneros, classes e

espécies de bactérias, que de acordo com

os mais recentes estudos científicos, estão

fortemente correlacionadas com diversas

condições de saúde ou doença.

O relatório produzido pela Bioma-

4me traz um primeiro nível de interpretação

clínica. Para construir um

microbioma adequado, a partir do mapeamento

realizado e visando o efeito

070

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


adáblios

AGILIDADE NA TOMADA DE DECISÃO

DOS DIAGNÓSTICOS

Precisão • Rapidez • Eficiência

A LumiraDx oferece ao mercado diagnóstico inovação no segmento de

Point of Care e Testes Rápidos.

Disponibilizamos soluções com resultados de qualidade nas áreas de Gasometria,

Eletrólitos e Metabólitos, Bioquímica, Hematologia, Uroanálise, Perfil Lipídico,

Hemoglobina Glicada, Testes Rápidos, Marcadores Cardíacos e outros parâmetros.

Point of Care proporciona inúmeras vantagens:

• Rápida tomada de decisão

• Redução do Tempo de Resposta – TAT*

• Redução no tempo de internação

• Menor proporção de erros pré e pós analíticos

• Volume baixo de amostras

• Precisão e exatidão compatíveis aos

métodos convencionais

• Redução de gastos com calibração

e controles de qualidade

• Autonomia energética

• Equipamentos portáteis

• Utilização simples e rápida

• Eficiência operacional

(*) TAT – Turnaround time

Os produtos anunciados estão registrados na ANVISA.

Discovering. Inspiring. Transforming.

Tel.: 55 11 5185-8181– faleconosco@lumiradx.com.br


Laboratório em Destaque

desejado, é extremamente importante

a discussão dos resultados do sequenciamento

junto à profissionais especializados

da área de saúde. Já é sabido

que os resultados de sequenciamento

de microbiota intestinal possuem 1)

valor prognóstico, por predizer o estado

de saúde do paciente se ele não for tratado;

2) valor diagnóstico, por auxiliar

nos casos de diagnóstico diferencial em

doenças intestinais; e, principalmente,

3) valor preditivo de resposta a tratamento

com probióticos e prebióticos.

Após a realização do sequenciamento

de microbiota intestinal na Bioma-

4me além do auxílio prognóstico e

diagnóstico, o profissional de saúde

daquele paciente poderá desenhar

o probiótico específico para aquele

paciente. Ou seja, aquele conjunto de

abordagem (probiótico + prebióticos)

ao qual ele de fato irá responder.

A Bioma4me oferece a possibilidade

de sequenciamento de 5 diferentes

microbiomas: oral, nasal, genital, dermatológico

e intestinal. O microbioma

intestinal abriga mais de 70% dos microrganismos

do nosso corpo, e é o que

possui maior relação com diversos aspectos

da nossa saúde física e mental.

Sendo assim, a Bioma4me é a empresa

pioneira na prestação de serviços

de sequenciamento de microbioma

humano no Brasil e na interpretação

de seus resultados clínicos. A empresa

acredita em uma medicina personalizada,

auxiliada por diagnósticos genéticos

do microbioma de cada indivíduo,

oferecidos a custo acessível, com grande

precisão e no menor prazo possível.

Como é o processo da compra até o resultado?

O procedimento de coleta das amostras é feito pelo próprio paciente, prezando pelo

máximo conforto do mesmo. Nosso material é organizado com instruções claras e objetivas,

buscando certificar que a adequação da coleta seja mantida.

Assim, após adquirir o sequenciamento através de nosso site, em poucos dias, você receberá

um kit com todo o material necessário para a realização da coleta.

Todo o material é etiquetado e possui as instruções para que a coleta adequada de cada

material. Após seguir todos os procedimentos para a coleta e embalagem de cada material,

os materiais são colocados dentro de uma caixa que possui um código de identificação.

072

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


073


Laboratório em Destaque

Este código, próprio de cada paciente,

é inserido pelo mesmo em

seu perfil pessoal no site Bioma4me.

Esse passo garante que essa amostra

será associada unicamente a você e

controla a vida útil da amostra.

Após esse procedimento de coleta

e registro, as amostras são colocadas

nos correios, usando um envelope

plástico fornecido no próprio kit. Não

se preocupe: o envio já está pago!

Assim, após recebermos iremos dar

início à todas as análises e em um

prazo de 50 dias a partir da data de

recebimento da amostra em nosso

laboratório o seu sequenciamento

estará disponível.

Nós produzimos um relatório, buscando

respaldo na própria literatura

científica, com uma equipe extremamente

qualificada, para construir

uma interpretação clínica em um

primeiro nível. Entretanto, para que

o mapeamento realizado tenha um

efeito desejado, é imprescindível que

a análise do resultado seja realizada

junto à profissionais especializados

da área da saúde.

Rafael Malagoli, biólogo, doutor

em Patologia Geral e realizou pós-

-doutorado Alemanha na área de

identificação e caracterização de

células tumorais circulantes. Atualmente,

é pesquisador nível 2 do

CNPq, assessor científico e pesquisador

FAPESP e CNPq e diretor executivo

da Bioma4me.

Sobre a Bioma4me:

Hoje, a Bioma4me é a maior empresa de sequenciamento de microbioma do Brasil. Os exames podem

ser comprados pelo próprio paciente pelo site da empresa (www.bioma4me.com.br) mediante

encaminhamento médico ou do profissional de saúde, ou em clínicas e laboratórios conveniados.

Para se tornar uma clínica ou laboratório conveniado e vender o sequenciamento de microbiota da

Bioma4me basta entrar em contato com a empresa através do telefone (11) 3834-0134.

074

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Radar Científico I

076

Avaliação de Desempenho do

Ensaio Atellica IM Troponina I de

Alta Sensibilidade

Payne R, Zhang H, Halik L, Conklin J, Valdivia B, Chase A, DiPasquale C, Lu F, Balderson J, Gorman R, Lei J, Mindicino H,

Conarpe C, Anostario M, Plouffe B, Freeman J. Siemens Healthcare Diagnostics Inc., Tarrytown, NY, EUA.

Abstract

Introdução

As diretrizes de 2015 da Sociedade

Europeia de Cardiologia propuseram algoritmos

para a rápida inclusão/exclusão

do Infarto Agudo do Miocárdio (IAM)

em pacientes e para o gerenciamento de

IAMSEST. Ensaios de troponina I de alta

sensibilidade (TnIH) medem, mais precisamente,

mudanças nas concentrações

de TnIH em dosagens sanguíneas seriadas,

fornecendo dados úteis para apoiar

na identificação de elevações agudas versus

elevações crônicas de TnIH e com desempenho

aceitável de inclusão/exclusão

dentro de 1 a 3 horas de admissão.

Esse estudo avaliou o desempenho do

Ensaio de Troponina I de Alta Sensibilidade

(TNIH) da Siemens Healthineers*

desenvolvido para uso no Analisador de

Imunoensaios (IM) Atellica®. O ensaio é

um imunoensaio do tipo sanduíche de

captura dupla utilizando partículas látex

magnéticas, um éster de acridina próprio

para detecção quimioluminescente e três

anticorpos monoclonais

Métodos

As avaliações de limite de branco (LoB)

e limite de detecção (LoD) utilizaram três

lotes de reagentes em dois Analisadores

Atellica IM com ambas matrizes de soro e

heparina de lítio (LiHep) e foram processadas

de acordo com o CLSI EP-17A2.

Estudos do LoD foram realizados totalizando

60 replicatas para cada uma das 10

amostras de soro e das 10 amostras LiHep

por lote e por analisador. O estudo de

comparação entre o ensaio TnIH Atellica®

IM e o ensaio TnIH ADVIA Centaur® foram

executados de acordo com as recomendações

CLSI EP12-A2 com n=144 amostras

de pacientes de IAM, abrangendo o intervalo

de resultados reportáveis. Os valores

de corte do percentil 99 foram estabelecidos

utilizando uma população bem caracterizada

de indivíduos aparentemente

saudáveis (n=2007), em ambas as matrizes

LiHep e soro. A correlação clínica dos

níveis de TnIH do ensaio Atellica IM TnIH

acima do percentil 99 para o diagnóstico

de IAM foi avaliada em toda a população

do departamento de emergência (DE),

em ambas as matrizes de amostra.

Resultados

O LoB foi de 0,50 ng/L (pg/mL) entre

dois Analisadores Atellica IM e três lotes

de reagente. Determino -se o LoD de 1,60

ng/L (pg/ mL).

A concentração de TnIH no CV Total 20%

(LoQ) teve um valor de 2,50 ng/L (pg/mL).

Da população normal, 75% das amostras

de soro e 66% das amostras LiHep apresentaram

valores maiores que do LoD. A repetibilidade

observada do ensaio no Analisador

Atellica IM variou de 4,0 a 5,4% CV, e

a precisão intralaboratorial variou de 5,2 a

7,0% CV entre 9 e 20 ng/L (pg/mL). Acima

de 20 ng/L (pg/mL), a repetibilidade no

Analisador Atellica IM variou de 0,9a 3,2%

CV, e a precisão intralaboratorial variou de

1,9 a 5,2% CV. A repetibilidade e a precisão

intralaboratorial no pool (feminino e masculino)

do percentil 99 (45,2 ng/L, pg/mL)

foi de 2,8% e 3,7% CV, respectivamente. O

percentil 99 observado para mulheres foi

de 34 ng/L (pg/mL) e para homens de 53

ng/L (pg/ mL). A comparação de métodos

entre o Ensaio Atellica IM TnIH e o ADVIA

Centaur TNIH produziram slopes de 1,01 a

1,04 entre os três lotes de reagente. A sensibilidade

e a especificidade clínica em gêneros

agrupados para 1, 2, 3 e 6 horas pós

admissão na emergência foi de 84,3% a

94,7% e 86,9% a 91,1%, respectivamente.

Conclusão

O ensaio Atellica IM TnIH possui um CV

total de 10% em uma concentração de

TnIH 10 vezes menor que o percentil 99.

Esse novo ensaio TnIH permite o estabelecimento

dos cutoffs do percentil 99 específicos

do sexo e demonstra utilidade clínica

aceitável em todos os indivíduos do DE com

sinais e sintomas sugestivos de síndrome

coronariana aguda. Os critérios IFCC para

um teste de troponina de alta sensibilidade

foram satisfeitos.¹

* A disponibilidade pode variar de

acordo com o país e está sujeita a

requisitos regulatórios.Entre em

contato com seu representante

local para saber mais sobre a

disponibilidade.

Introdução

Em 2015, a Sociedade Europeia de Cardiologia

publicou diretrizes que propõem

algoritmos para inclusão/exclusão mais

rápida de Infarto Agudo do Miocárdio

(IAM) em pacientes admitidos no setor

de atendimento agudo e para o gerenciamento

de pacientes com infarto agudo do

miocárdio sem elevação do segmento-ST

(IAMSEST). Medidas seriadas com ensaios

de troponina I de alta sensibilidade

(TnIH) irão medir, com maior precisão,

mudanças nas concentrações de TnIH,

permitindo a diferenciação de elevações

agudas e crônicas de TnIH e permitindo

alegações aceitáveis de inclusão/exclusão

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Tempo é vida

Apenas um deles está com Infarto Agudo do Miocárdio (IAM)

Tome a decisão segura no tempo certo

Ensaio de Troponina I de Alta Sensibilidade

siemens-healthineers.com/br


Radar Científico I

dentro de 1 a 3 horas.2 O Ensaio Atellica

IM High-Sensitivity Troponin I (TnIH) é

um imunoensaio diagnóstico in vitro para

a determinação quantitativa de TnIH na

heparina de lítio (LiHep), plasma ou soro

(sem EDTA). O objetivo principal desse estudo

foi demonstrar o desempenho analítico

do Ensaio TnIH no Analisador Atellica

IM da Siemens Healthineers.

Princípios do Procedimento

O Ensaio Atellica IM TnIH utiliza a mesma

formulação de reagente que o ensaio

ADVIA Centaur TNIH. O Ensaio TnIH é um

imunoensaio do tipo sanduíche de captura

dupla. O reagente de detecção é um

anticorpo Fab de ovelha ligado covalentemente

ao conjugado trisulfopropil éster de

acridina-BSA. A amostra é incubada com

uma captura magnética de fase sólida e os

reagentes de detecção são subsequentemente

lavados e tratados com reagentes

ácidos e básicos para iniciar a quimioluminescência.

As unidades leves relativas são

proporcionais a concentração de TnIH. O

tempo para o primeiro resultado é de 9,8

minutos.

Métodos

Repetibilidade (intracorrida) e

precisão total (intralaboratório) -

(CLSI EP05-A3)

O estudo experimental envolveu três

lotes de reagente, um lote de calibrador

por lote de reagente, dois Analisadores

Atellica IM, calibração a cada 14 dias, 20

dias de testes, 2 corridas por dia de teste,

mínimo de 2 horas entre medidas e medidas

em duplicata.

Os tipos de amostras incluíram quatro

pools de soro controle e amostras de soro

e plasma LiHep de concentrações altas e

baixas. As alíquotas preparadas foram

descongeladas diariamente.

Limite do Branco e Limite de

Detecção (CLSI EP17-A2)

Os testes de limite do branco (LoB) e limite

de detecção (LoD) foram conduzidos

com três lotes de reagente TnIH, de acordo

com a diretriz CLSI EP17-A2: Evaluation of

Detection Capability for Clinical Laboratory

Measurement Procedures; Approved

Guideline- Second Edition. Para o LoB,

duas amostras de branco LiHep e duas de

soro (total de quatro) foram processadas

com três lotes de reagente TnIH por 3 dias

(não consecutivos) e com dois Analisadores

Atellica IM. Cada dia, 10 replicatas

foram realizadas para cada amostra para

um total de 240 medidas de LoB por lote

de reagente. O LoB no percentil 95 para

todos os valores (ordenado do maior para

o menor) foi determinado utilizando uma

abordagem não paramétrica.

Além disso, foram processadas 13

amostras baixas de soro e plasma LiHep

com todos os três lotes de reagente de

verificação de TnIH para 20 dias (2 corridas

por dia e 2 replicatas por corrida), em

dois analisadores para um total de 2080

medidas por lote para calcular o LoD. LoD

é considerado a maior determinação da

combinação individual do lote de reagente

e do analisador.

Sensibilidade funcional (limite

de quantificação) (CLSI EP17-A2 e

CLSI EP05-A3)

• O limite de quantificação (LoQ) para

os ensaios TnI é definido como a sensibilidade

funcional, a dose de TnIH com um

CV 20%, e a maior concentração determinada

a partir da combição individual

do lote de reagente e do analisador.

• Três lotes de reagente (1, 2, 3) e dois

Analisadores Atellica.

• Tipos de amostra: seis pools de plasma

LiHep de baixa concentração de TnIH,

sete pools de soro de baixa concentração

de TnIH e quatro pools de soro de controle.

Cada dia de teste, uma nova alíquota

para cada amostra foi descongelada.

• Para cada lote de reagente, a precisão

intralaboratorial de 20 dias para cada

amostra, expressada como CV%, foi traçada

contra a concentração média de cada

amostra. Os dados foram ajustados usando

uma função de potência para fornecer

um perfil de precisão.

Intervalo de Referência (Percentil

99 de uma população saudável

normal) - (CLSI EP28-A3c)

Aproximadamente 2000 indivíduos

saudáveis foram inscritos prospectivamente

e com consentimento informado.

A população incluiu doadores de sangue

ou pacientes de unidade primária de

atendimento com uma razão pretendida

entre homens e mulheres de 1:1. O estudo

envolveu:

• Quatro pools de soro de controle

• Um Analisador Atellica IM

• Amostras plasma LiHep e soro coletados

de cada indivíduo

• Análise não-paramétrica

Desempenho Clínico

• Amostras plasma LiHep e soro (baseline

e quatro outros pontos de tempo) foram

prospectivamente coletadas de indivíduos

sendo admitidos no departamento

de emergência (DE) com sinais e sintomas

sugestivos de síndrome coronariana aguda,

sob consentimento informado.

• 29 sites de coleta nos EUA entregaram

amostras congeladas para um laboratório

central, onde eles foram classificados

e enviados em lotes para os três sites

qualificados para teste clínico, sendo um

deles um laboratório interno Siemens Healthineers.

Um lote do reagente do Ensaio

Atellica IM TnIH foi utilizado.

• A exatidão diagnóstica foi definida

como a concordância clínica entre

o ponto de cutoff do percentil 99,

previamente, estabelecido utilizando

a população de indivíduos aparentemente

saudáveis e a presença ou

ausência de um diagnóstico de IAM

em cada um dos pontos de tempo.

Análises estatísticas: Sistema SAS

para Windows (ver. 9.3).

078

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


HDESIGN

“A sua Excelência é o nosso Negócio”

Analisador Bioquímico

- Modelo A15 – Marca Biosystems

Analisador Bioquímico totalmente automatizado de

acesso contínuo e randômico, com sistema de leitura

fotométrica direta; capacidade de processamento de no

mínimo 150 testes/hora; sistema aberto; tubos primários

e pediátricos; mínimo de 70 amostras e 30 reagentes por

rotina; sistema de detecção de nível; programação de volume

de reativos e amostras; impressão automática de resultados;

Analisador Bioquímico Automatizado

- Modelo BA-400 – Marca Biosystems (Com módulo Ise)

Analisador automatizado de acesso contínuo e randômico, princípio de

espectrofotometria e turbidimetria, com capacidade de realização de no mínimo 720

testes/hora incluindo módulo ISE, sendo mínimo de 400 para análises de provas de

química clinica e proteínas específicas, e mínimo de 320 testes/hora para dosagem

de Na+, K+, Cl- e Li+ , por metodologia de íons seletivos. Equipamento composto

de: sistema de refrigeração por alimentação elétrica independente para reagentes

com temperatura entre 5°C e 8° C ou até 35° C abaixo da temperatura ambiente, com

autonomia de 88 posições para reagentes com leitor de código de barras interno e

135 posições para amostras, controles e calibradores adequados para tubos

primários e pediátricos, sendo 90 deles com leitor de código de barras; Sistema

óptico com tecnologia LED monocromática como fonte de luz, para 8 diferentes

comprimentos de ondas de trabalho; Sistema eletrônico de barramento CAN

(Controller Área Network) para aumento de robustez e simplificação de manutenção

e redução dos tempos de inatividade; Software com interface gráfica intuitiva para

monitoramento em tempo real da sessão de trabalho e de controle de qualidade com

regras de Westgard, diagramas de Youden e Levey-Jennings, gerenciamento de

banco de dados e histórico de resultados.

Levey Jennings e sistema de interfaceamento.

Analisador Bioquímico automatizado

– Modelo BA-200 – Marca Biosystems

Analisador bioquímico totalmente automatizado de acesso contínuo e randômico com capacidade p/ 200 testes/hora

com linha de base dinâmica com tecnologia de smart led, Sistema de refrigeração por alimentação elétrica independente para

reagente com temperatura variável entre 6 a 11°c ou ate 21°c abaixo da temperatura ambiente, 88 posições para amostras

intuitiva para monitoramento em tempo real da cessão de trabalho e de controle de qualidade com regras de westgard,

diagramas de youden e levey-jennings, gerenciamento de banco de dados e histórico de resultados.

Analisador hematológico

– Modelo HA3 – Marca Biosystems

HA3 Biosystems: Analisador hematológico com tecnologia

garantindo baixíssimo consumo de reagentes e

amostras, 22 parâmetros, 3 histogramas, 60 testes/hora, tubo

aberto e fechado, compacto, touch screen, alta capacidade de

armazenamento de resultados.

Coagulômetro semiautomático

– Modelo Coax – Marca Biosystems

Coagulômetro semiautomático, com 1, 2 ou 4 canais, para

dosagens de PT, APTT, FIB e TT. Além disso o COAX (2 e 4 canais),

oferece parâmetros que são detectados por métodos turbimétricos

e cromogênicos, como fatores de coagulação, antitrombina III,

proteína C ou D Dimer.

Distribuidor Autorizado:

Rua Luis Zancheta, 56 Parte – Riachuelo – Rio de Janeiro – Cep: 20970-120

Telefax (21) 2580-3357 email: vendas@diagnosticario.com.br Site: www.diagnosticario.com.br


A sensibilidade funcional (LoQ) estimada foi obtida

utilizandotrês lotes de reagentes analisados em dois Analisadores

Atellica IM determinado como a maior concen-

Repetibilidade

Interensaio

Tabela 1. Repetibilidade e precisão total

O LoB para o Ensaio Atellica IM TnIH foi estabelecido como

TnIH Média (intracorrida) (precisão total)

Lote de # # amostras

sendo Tabela 0,50 2. LoB ng/L e (pg/mL) LoD e o LoD como 1,60 ng/L

LoB

(pg/mL).

LoD

Ensaio Atellica IM TnIH

Reagente Analisadores

Tabela 1. Repetibilidade (ng/L, e

SD

precisão total

LoB; LoD (ng/L, pg/mL) (ng/L, pg/mL)

SD

Tabela 2. LoB e LoD Ensaio Atellica IM TnIH

pg/mL) (ng/L, Repetibilidade %CV (ng/L, Interensaio %CV

1 2 240; 160 0,45 1,53

Ensaio Atellica IM TnIH

TnIH Média (intracorrida) (precisão total)

Lote de # # amostras

pg/mL)

pg/mL)

Ensaio Atellica IM TnIH LoB

LoD

Repetibilidade

Interensaio

2 2 240; 160 0,44 1,34

Reagente Analisadores LoB; LoD (ng/L, pg/mL) (ng/L, pg/mL)

(ng/L, TnIH Média Lote SD 1(intracorrida)

SD (precisão total)

Lote de # # amostras LoB

LoD

3 2 240; 160 0,43 1,13

Reagente

pg/mL) (ng/L, %CV (ng/L, %CV

1 Analisadores 2 LoB; 240; LoD160 (ng/L, pg/mL) 0,45 (ng/L, pg/mL)

(ng/L,

1,53

SD

SD

Pool de Soro 1 9,56

pg/mL)

0,52 5,5 0,63 6,6

pg/mL) (ng/L, %CV pg/mL) (ng/L, %CV

1

2

2

2

240;

240;

160

160

0,45

0,44

1,53

1,34

Soro 20,48 0,61pg/mL)

3,0 0,90 pg/mL) 4,4 A sensibilidade

2 2

funcional

240; 160

(LoQ) estimada

0,44

foi obtida

1,34utilizando

Lote 1

3 2 240; 160 0,43 1,13

Pool de Plasma

Lote 1

três lotes de reagentes analisados em dois Analisadores Atellica

3 2 240; 160 0,43 1,13

Pool de Soro 1 27,87 9,56 0,78 0,52 2,8 5,5 0,93 0,63 6,6 3,4 IM determinado como a maior concentração de TnIH da

Pool de Soro 1 9,56 0,52 5,5 0,63 6,6

Soro 20,48 0,61 3,0 0,90 4,4

sensibilidade funcional (LoQ) estimada foi obtida utilizando

Pool White de Soro Paper 2 | Avaliação 39,18 de Desempenho 1,09 do Ensaio 2,8 Atellica 1,34IM Troponin 3,4 combinação individual do lote de reagente e instrumento com

Soro 20,48 0,61 3,0 0,90 4,4 I de Alta A sensibilidade Sensibilidade funcional (LoQ) estimada foi obtida utilizando

três lotes de reagentes analisados em dois Analisadores Atellica

Pool Pool de de Soro Plasma 3 147,59 27,87 2,41 0,78 1,6 2,8 3,58 0,93 2,4 três um lotes CV interlaboratorial de reagentes analisados ≤20%. em O dois Ensaio Analisadores Atellica IM Atellica TnIH possui

Pool de Plasma

3,4

27,87 0,78 2,8 0,93 3,4 IM IM

umdeterminado determinado

LoQ 2,50 como como

ng/L a maior (pg/mL).

a maior concentração concentração

Uma curva TnIH de

de

precisão

TnIH da da

composta

Pool de Soro 4 1626,99 29,82 1,8 36,24 2,2

Pool Resultados

de Soro 2 39,18 1,09 2,8 1,34 3,4

tração de TnIH da combinação do lote deindividual reagente e do instrumento lote de reagente

e instrumento com ≤20%. um CV O Ensaio interlaboratorial Atellica IM TnIH ≤20%. possui

com

Pool de Soro 2 39,18 1,09 2,8 1,34 3,4 combinação é demonstrada individual na Figura do lote 1. de reagente e instrumento com

Pool de Plasma

Pool

Tabela

de Soro

1.

3Repetibilidade 147,59

e precisão

2,41

total

1,6 3,58 Pool de Soro 15820,68 3 147,59 230,652,41 1,5 1,6 315,27 3,58 2,0 2,4 um CV interlaboratorial ≤20%. O Ensaio Atellica IM TnIH possui

O LoB para o Ensaio Atellica IM TnIH foi estabelecido como

Resultados

um LoQ de de 2,50 ng/L (pg/mL). Uma Uma curva curva de precisão de precisão composta composta

Pool de Pool Soro de 4 Soro 41626,99 1626,99 29,82 29,82 1,8 1,8 36,24 2,2

sendo

O Tabela Ensaio

0,50 ng/L

3. Atellica Sensibilidade

(pg/mL)

IM TnIH

e o

possui

LoD

funcional

como

um

1,60

LoQ

ng/L 2,50

(pg/mL).

ng/L (pg/mL).

Soro 21513,76 302,52 1,4 404,69 1,9 é demonstrada na na Figura 1. 1.

Pool Tabela de Pool Plasma 1. Repetibilidade de Plasma e precisão total

15820,68 15820,68 230,65 230,65 1,5 1,5 315,27 315,27 2,0 Uma curva de precisão composta Ensaio Atellica é demonstrada IM TnIH na Figura 1.

Tabela 2. LoB e LoD

Lote 2

Ensaio Atellica IM TnIH

Tabela 3. 3. Sensibilidade funcional funcional Analisador 1 Analisador 2

Soro 21513,76 302,52 1,4 404,69 1,9

Ensaio Atellica IM TnIH

Pool Soro de Soro 1 21513,76 9,54 302,52

Repetibilidade

0,48 1,4 5,0 404,69

Interensaio 0,71 1,97,5

Ensaio Atellica IM TnIH

TnIH Média (intracorrida) (precisão total)

Lote de Reagente # # amostras CV Ensaio % Atellica IM TnIH

TnIH

Lote 2

LoB

LoD

Lote 2

Analisador

Reagente Analisadores LoB; LoD (ng/L, 1

(ng/L, Analisador

pg/mL) Analisador

pg/mL) (ng/L, 1 pg/mL) Analisador

(ng/L, 2

Soro 18,90 0,57 3,0 1,02 5,4

pg/mL)

2

Pool de Soro 1 (ng/L, 9,54 SD 0,48 5,0 SD 0,71 7,5

Pool Pool de de Plasma Soro 1 9,54 0,48 5,0 0,71 7,5

pg/mL) (ng/L, %CV (ng/L, %CV

1 Reagente 2 CV 240; % 20 TnIH

160 0,45 2,50 TnIH

1,53 2,25

Soro 27,50 18,90 0,77 0,57 2,8 3,0 1,38 1,02 5,0 5,4

Reagente 1

CV % (ng/L, pg/mL) TnIH (ng/L, pg/mL) TnIH

Soro 18,90 pg/mL) 0,57 3,0 pg/mL) 1,02 5,4 2 2 240; 10 160 (ng/L, 0,44 4,86 pg/mL) 1,34(ng/L, 5,43 pg/mL)

Pool de Plasma

20 2,50 2,25

Pool de Soro 2 39,10 27,50 Lote 0,921

0,77 2,4 2,8 1,52 1,38 3,9 5,0 3 1

Pool de Plasma

2 240; 160 0,43 1,13

10 20

4,86 2,50 2,13

5,43 2,25 2,38

27,50 0,77 2,8 1,38 5,0

12

Pool Pool de Soro de Pool Soro 3 de 1Soro 2 147,37 9,56 39,10 0,52 2,56 0,92 5,51,7 2,4 0,634,39 1,52 6,6 3,0 3,9

20 10 2,13 4,86 4,56 2,38 5,43 5,37

Pool Pool Soro de de Soro Soro 4 2 1610,40 20,48 39,10 28,61 0,61 0,92 3,0 1,8 2,4 0,90 50,95 1,52 4,4 3,2 A sensibilidade 2

Pool de Soro 3 147,37 2,56 1,7 4,39 3,9 3,0

funcional (LoQ) estimada foi obtida utilizando

10 20 20 4,56 2,13 2,33 5,37 2,38 2,18

três lotes de reagentes analisados em dois Analisadores Atellica

Pool de Plasma

2

Pool Pool de de Plasma Pool Soro de 3 Soro 4 147,37 1610,40 2,56 28,61 1,71,8 4,39 50,95 3,0 3,2

3

15822,86 27,87 200,07 0,78 2,81,3 0,93 395,37 3,4 2,5 IM determinado como a maior 20 10 10concentração 2,33 4,56 de 4,64 TnIH da 2,18 5,37 4,63

Pool de Pool Soro de 4 Plasma

3

1610,40

Pool de Soro 2 39,18

15822,86 28,61

1,09

200,07 1,8

2,8

1,3 50,95

1,34

395,37 3,2

3,4

2,5 combinação individual do 10lote 20 de reagente 4,64 e instrumento 2,33 com 4,63 2,18

Soro Pool de Plasma 21392,14 411,79 1,9 534,59 2,5

Pool de Soro 3 147,59 2,41 1,6 3,58 2,4 um CV interlaboratorial

3

≤20%.

10

O Ensaio Atellica

4,64

IM TnIH possui

Soro 15822,86 21392,14 200,07 411,79 1,31,9 395,37 534,59 2,5

4,63

um LoQ de 2,50 ng/L (pg/mL). Uma curva de precisão composta

Pool de Soro 4 1626,99

Lote

29,82

3

Lote 3

1,8 36,24 2,2

25

Pool Soro 21392,14 411,79 1,9 534,59 2,5 é demonstrada na Figura 1.

Pool de Soro de Plasma 1 9,78 0,42 4,3 0,65 6,6

25

Pool de Soro 115820,689,78 230,650,42 1,5 4,3 315,27 0,65 2,0 6,6

2,50 ng/L com CV 20%

Lote 3

2,50 ng/L com CV 20%

Soro Soro 20,89 20,89 0,55 0,55 2,6 2,6 1,03 1,03 4,9 4,9 Tabela 20 3. 25 20Sensibilidade funcional

20 20

Pool Pool Soro

de de Plasma Soro 1 21513,76 9,78 302,52 0,42 1,4,3 404,69 0,65 1,9 6,6

Pool de Plasma

28,67 0,69 2,4 1,26 2,50 ng/L Ensaio com Atellica CV 20% IM TnIH

28,67 0,69 2,4 1,26 4,4

Soro 20,89 Lote 0,55 2 2,6 1,03 4,9

15 20

Analisador 1 Analisador 2

20

Pool Pool Pool de de Soro de Pool Plasma Soro 2de 1 Soro 239,42 9,54 39,42 1,06 0,481,06 2,7 5,0 2,7 0,71 1,60 1,60 7,5

4,0

4.86

28,67 0,69 2,4 1,26 4,4

4.86 ng/L ng/L com com CV 10%

Reagente 10

CV 10%

CV % TnIH

TnIH

15

Pool Soro de Soro Pool 3de Soro 148,67 3 148,67

18,90 3,19 3,19

0,57 3,0 2,1 2,1

1,02 4,94 4,94

5,43,3

3,3

10

10

10

(ng/L, pg/mL) (ng/L, pg/mL)

Pool

Pool de Pool Soro de 2 Soro 4 39,421618,23 1,0622,54 2,71,4 1,60 52,52 4,0 3,2

Pool de Soro de Plasma 4 1618,23 22,54 1,4 52,52 3,2

5

4.8620 ng/L com CV 10% 2,50 2,25

Pool de Soro 3 148,67

27,50

3,19

0,77 2,8

2,1

1,38

4,94

5,0

3,3

1105

Pool de Plasma

Pool de Plasma

15947,22 236,74 1,5 421,06 2,6

10 10 4,86 5,43

15947,22 236,74 1,5 421,06 2,6

0

Pool Pool de de Soro 42 1618,23 39,10 22,54 0,92 2,4 1,4 1,52 52,52 3,93,2

50

20 2,13 2,38

Soro 21629,95 313,38 1,4 552,87 2,6

0 10 20 30 40

2

Soro Pool Pool de de Plasma Soro 3 21629,95 147,37 2,56 1,7 4,39 3,0

10 4,56 5,37

15947,22 313,38 236,74 1,4 1,5 552,87 421,06 2,6

0 Troponina 10 I (ng/L, 20 pg/mL) 30 40

2,6

Pool de Soro 4 1610,40 28,61 1,8 50,95 3,2

0

Troponina I (ng/L, pg/mL)

20 2,33 2,18

Soro Pool de Plasma 21629,95 313,38 1,4 552,87 2,6

3

Figura 1. 0 Dados de 10 20 30 40

15822,86 200,07 1,3 395,37 2,5

10

precisão do ensaio

4,64

Atellica IM TnIH:

4,63

dois Troponina I (ng/L, pg/mL)

Figura Analidadores 1. Dados Atellica de precisão IM, três do lotes ensaio de reagente, Atellica 20 IM TnIH:

Soro 21392,14 411,79 1,9 534,59 2,5 dias, 40 corridas. n = 4320 medidas; 480 medidas a cada

dois Analidadores Atellica IM, três lotes de reagente, 20

nove amostras.

Lote 3

Figura 1. Dados de precisão do ensaio Atellica IM TnIH:

25

dias, 40 corridas. n = 4320 medidas; 480 medidas a cada

Pool de Soro 1 9,78 0,42 4,3 0,65 6,6 Os dois nove valores Analidadores amostras. determinados Atellica do percentil IM, três 99 lotes para de amostras reagente, de 20 plasma

2,50 ng/L com CV 20%

Soro 20,89 0,55 2,6 1,03 4,9

20 dias, 40 corridas. n = 4320 medidas; 480 medidas a cada

20

nove

LiHep

amostras.

e amostras de soro (feminino, masculino e combinado)

Pool de Plasma

28,67 0,69 2,4 1,26 4,4

Os valores são 15 demonstrados determinados do percentil na 99 para tabela amostras 4. de plasma O percentil 99th foi determinado

LiHep e amostras de soro (feminino, masculino e combinado) são

Pool de Soro 2 39,42 1,06 2,7 1,60 4,0

demonstrados em 45,20 na tabela ng/L O percentil 99th foi determinado em

4.86 ng/L (pg/mL). com CV 10%

45,2010

ng/L (pg/mL).

Pool de Soro 3 148,67 3,19 2,1 4,94 3,3

10

Table 4. Intervalo de referência (percentil 99 de uma população aparentemente saudável)

Pool de Soro 4 1618,23 22,54 1,4 52,52 3,2

Os valores determinados do percentil 99 para amostras de plasma

5

LiHep Soro

4

LiHep e amostras de soro (feminino, masculino e combinado) são

Pool de Plasma

Grupo N Percentil 99

90% CI

N Percentile 99

90% CI

nho do Ensaio Atellica IM Troponin I de Alta Sensibilidade

demonstrados na tabela 4. O percentil 99th foi determinado

15947,22 236,74 1,5 421,06 2,6

(ng/L, pg/mL) (ng/L, em pg/mL)

(ng/L, pg/mL) (ng/L, pg/mL)

45,20 ng/L (pg/mL).

Combinado 0

2007 45,20 (33,21, 64,30) 2001 45,43 (35,47, 63,63)

Masculino 1000 53,48 (38,73, 80,22) 994 53,53 (33,77, 78,03)

4 Soro 21629,95 313,38 1,4 552,87 2,6

Table 4. Intervalo 0 de referência (percentil 10 99 de uma população 20 aparentemente 30 saudável) 40

Feminino 1007 34,11 (27,36, 66,23) 1007 38,64 (28,58, 72,36)

Troponina LiHep I (ng/L, pg/mL)

Soro

Grupo N Percentil 99

90% CI

N Percentile 99

90% CI

4

O estudo de referência foi desenvolvido com (ng/L, um pg/mL) lote de (ng/L, pg/mL)

(ng/L, pg/mL)

O LoB para o Ensaio Atellica IM TnIH foi estabelecido como

reagente. LoD para esse lote foi determinado em 1,27 ng/L

O estudo de referência foi desenvolvido com um lote de reagente.

Analidadores valores O maiores LoD que para o LoD Atellica coletivo esse (1,60 lote IM, ng/L, foi três pg/ determinado lotes reagente, em 1,27 20 ng/L (pg/

(pg/mL). Figura De 2007 1. Dados indivíduos aparentemente de precisão saudáveis, do ensaio 75% Atellica IM TnIH:

e o LoD 1,60 ng/L de amostras de soro e 66% de amostras de plasma LiHep

sendo 0,50 ng/L (pg/mL) e o LoD como 1,60 ng/L (pg/mL).

possuem dois

total

mL).

Tabela 2. LoB e LoD

dias, 40 corridas. n = 4320 medidas; 480 medidas a cada

O

Tabela mL). estudo de referência foi desenvolvido com um lote de

5. Estatísticas De para 2007 tipos indivíduos de amostras LiHep e aparentemente soro.

saudáveis, 75% de

a IM TnIH

nove reagente. amostras.

O LoD para esse lote foi determinado em 1,27 ng/L

Ensaio Atellica IM TnIH

(pg/mL). De 2007 indivíduos aparentemente LiHepsaudáveis, 75%

Soro

ibilidade

Interensaio

amostras de soro e 66% de amostras de plasma LiHep possuem

corrida) (precisão total)

)

1

Radar Científico I

%CV

SD

(ng/L,

pg/mL)

%CV

5,5 0,63 6,6

3,0 0,90 4,4

2,8 0,93 3,4

2,8 1,34 3,4

1,6 3,58 2,4

1,8 36,24 2,2

080

5 1,5 315,27 2,0

Resultados

Lote de

Reagente

#

Analisadores

# amostras

LoB; LoD

LoB

(ng/L, pg/mL)

LoD

(ng/L, pg/mL)

1 2 240; 160 0,45 1,53

2 2 240; 160 0,44 1,34

3 2 240; 160 0,43 1,13

4

A sensibilidade funcional (LoQ) estimada foi obtida utilizando

três lotes de reagentes analisados em dois Analisadores Atellica

IM determinado como a maior concentração de TnIH da

combinação individual do lote de reagente e instrumento com

um CV interlaboratorial ≤20%. O Ensaio Atellica IM TnIH possui

um LoQ de 2,50 ng/L (pg/mL). Uma curva de precisão composta

é demonstrada na Figura 1.

CV (%)

CV (%)

CV (%)

Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade | White Paper

Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade | White Paper

(ng/L, pg/mL)

Combinado 2007 45,20 (33,21, 64,30) 2001 45,43 (35,47, 63,63)

Masculino 1000 53,48 (38,73, 80,22) 994 53,53 (33,77, 78,03)

Feminino 1007 34,11 (27,36, 66,23) 1007 38,64 (28,58, 72,36)

de amostras de soro e 66% Masculino de amostras de plasma LiHep Feminino Masculino Feminino

possuem valores que Percentil o LoD 99 coletivo (1,60 ng/L, Percentil pg/ 99

Percentil 99

Percentil 99

mL). valores maiores 53,5 ng/L que (pg/mL) o LoD coletivo 34,1 ng/L (pg/mL) (1,60 ng/L, 53,5 pg/ ng/L (pg/mL) mL).

38,6 ng/L (pg/mL)

Tabela Faixa Etária 5. Estatísticas (Anos) TnIH para média os tipos (ng/L) de amostras SD (ng/L) LiHep TnIH média e soro. (ng/L) SD (ng/L) TnIH média (ng/L) SD (ng/L) TnIH média (ng/L) SD (ng/L)

≥22 a


AS MELHORES SOLUÇÕES

EM TECNOLOGIA E PRODUTIVIDADE

BENEFÍCIO

CUSTO

7

NA MEDIDA EXATA PARA O SEU ESPAÇO

Visite a Greiner Bio-One

no 53º CBPC/ML e confira!

De 24 a 26/9, no Centro de Convenções

SulAmérica, no Rio de Janeiro. Estande 41.

Greiner Bio-One Brasil | Avenida Affonso Pansan, 1967 | CEP 13473-620 | Americana | SP

Tel: +55 (19) 3468-9600 | Fax: +55 (19) 3468-3601 | E-mail: info@br.gbo.com

www.gbo.com/preanalytics


Só o Alvaro tem.

A Acreditação do Colégio Americano de

Patologistas envolve rigorosos processos

e vistorias periódicas para garantir a

adequação do laboratório a um padrão de

qualidade internacional.

Também participamos do Programa de

Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC)

da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica,

reconhecido pela ANS (Agência Nacional de

Saúde) e pela ISQUA (International Society

for Quality in Healthcare).

E o que você ganha com isso?

A garantia de que entregamos laudos ainda

mais precisos, ágeis e seguros pra você.

CAP Number: 6950201 | AU-ID: 119713 | Dasa Laboratory – Barueri, SP, Brazil

082

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


White Paper | Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade

Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade | White Paper

Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade | White Paper

Desempenho Desempenho Clínico Clínico

Tabela 6. Informação demográfica para a população global de

emergência incluída na análise do ensaio Atellica IM TnIH.

N = 2409 Idade Média (Anos) Faixa Etária (Anos)

56,96 23-93

Sexo n %

Feminino 1046 43,4

Masculino 1363 56,6

Raça n %

Caucasiana 1350 56,0

Negra 958 39,9

Asiática 22 0,9

Havaiana 3 0,1

Índios Americanos 16 0,7

Diversas 20 0,8

Outros 40 1,7

Os status clínico dos indivíduos foram avaliados e estabelecidos,

por meio de um painel de cardiologistas e clínicos de emergência,

baseados na Diretriz do Consenso da Quarta Definição Universal de

Infarto do Miocárdio. 3

Para fins de decisão e estabelecimento de um diagnóstico de

IAM padrão ouro, os resultados de TnIH do hospital local foram

utilizados. Os tomadores de decisão não tiveram acesso aos resultados

dos testes investigacionais de troponina da Siemens e para o

Os status clínico dos indivíduos foram avaliados e estabelecidos,

por meio de um painel de cardiologistas e clínicos de

emergência, baseados na Diretriz do Consenso da Quarta

Definição Universal de Infarto do Miocárdio. 3

Tabela 8. Concordância clínica do Ensaio Atellica IM TnIH foram calculadas utilizando o percentil 99 para o sexo masculino, de

Tabela 8. Concordância clínica do Ensaio Atellica IM TnIH foram calculadas utilizando o percentil 99 para o sexo masculino, de

Para 53,48 fins ng/L (pg/mL) de para decisão amostras LiHep e estabelecimento e 53,53 ng/L (pg/mL) para amostras de soro um diagnóstico de

53,48 ng/L (pg/mL) para amostras LiHep e 53,53 ng/L (pg/mL) para amostras de soro

Sensibilidade Especificidade VPP VPN

Sensibilidade Especificidade VPP VPN

IAM padrão ouro, os resultados de TnIH do hospital local

foram utilizados. Os tomadores de decisão não tiveram acesso

LiHep

aos LiHep resultados dos testes investigacionais de troponina da

Siemens e para o diagnóstico final do hospital local.

Até Soro cinco coletas de sangue foram obtidas dos indivíduos e

Soro

cada uma delas incluiu um tubo de coleta de soro e de

LiHep. Todas as amostras coletadas foram testadas e os

Tabela 9. Concordância clínica do Ensaio Atellica IM TnIH foram calculadas utilizando o percentil 99, para ambos os sexos, de

resultados foram comparados com o cutoff do percentil 99

45,20 Tabela ng/L 9. Concordância (pg/mL) clínica do Ensaio Atellica IM TnIH foram calculadas utilizando o percentil 99, para ambos os sexos, de

45,20 ng/L (pg/mL)

para avaliar se a

Sensibilidade

interpretação

Especificidade

do teste

VPP

individual foi

VPN

Sensibilidade Especificidade VPP VPN

positiva ou negativa. As interpretações do teste foram

então LiHep comparadas com o diagnóstico do indivíduo para

LiHep

avaliar a sensibilidade, especificidade, valor preditivo

positivo (VPP) e valor preditivo negativo (VPN).

Soro

Soro

Finalmente, os dados foram agrupados baseando-se nos

intervalos de tempo nos quais as amostras de sangue foram

coletadas. Esse agrupamento foi realizado utilizando-se

Conclusão

Referências:

diferentes Conclusão definições de intervalo de tempo, 1. Referências: Apple FS, et al. como Clin Chem. 2012;58:54-61. demonstrado

Conclusão

2. 1. Apple Roffi M, FS, et et al. al. Eur Clin Heart Chem. J. 2016;37:267-315.

2012;58:54-61.

Atellica IM TnIH demonstrou:

nas O Ensaio Tabelas Atellica 7-9. IM TnIH demonstrou:

3.

2.

Thygesen

Roffi M, et

K,

al.

et al.

Eur

Circulation.

Heart J. 2016;37:267-315.

O Ensaio Atellica IM TnIH demonstrou:

2012;126:2020-35.

de 0,50 ng/L (pg/mL), LoD de 1,60 ng/L (pg/mL), e

3. Thygesen K, et al. Circulation. 2012;126:2020-35.

• LoB LoQ de 0,50 de 2,50 ng/L 0,50 (pg/mL), (pg/mL). ng/L LoD de (pg/mL), 1,60 ng/L (pg/mL), LoD e de 1,60 ng/L (pg/mL), e LoQ de

A sensibilidade LoQ de 2,50 ng/L e a especificidade clínica nos pools de amostras

• Demonstrou acurácia e precisão para uso na detecção de

baixas concentrações de TnIH.

de 2,50 • Demonstrou

LiHep/soro ng/L acurácia (pg/mL). e precisão para uso na detecção de

baixas concentrações de na TnIH. admissão e 1, 2, 3 e 6 horas após a admissão no

O percentil 99 é de 45,20 ng/mL (pg/mL). De 2007 indivíduos

DE, • Demonstrou aparentemente O percentil 99 é

foi 84,3% saudáveis, de 45,20 ng/mL

a acurácia 94,7% 75% das (pg/mL). amostras e De 2007

eprecisão 86,9% de soro indivíduos e para 66% a 91,1%, uso na respectivamente detecção de (Tabela

das aparentemente amostras LiHep saudáveis, apresentaram 75% das valores amostras maiores de soro que e 66% o

9). LoD das amostras (1,60 ng/L, LiHep pg/mL). apresentaram valores maiores que o

Tipo de Amostra Tempo da Coleta N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC

Tipo de Amostra Tempo da Coleta N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC

Basal 193 81,9 75,8–86,7 1100 91,1 89,3–92,6 256 61,7 55,6–67,5 1037 96,6 95,3–97,6

1 Basal (≥0,75 a 1,5) 163 193 81,9 89 83,2–92,9 75,8–86,7 1036 1100 91,1 89,1–92,6 89,3–92,6 238 256 60,9 61,7 54,6–66,9 55,6–67,5 1037 961 96,6 98,1 95,3–97,6 97,1–98,8

21 (≥0,75 (≥1,5 a a 2,5) 1,5) 163 95 88,4 89 80,4–93,4 83,2–92,9 1036 607 89,8 91 87,1–92,0 89,1–92,6 146 238 60,9 57,5 49,4–65,3 54,6–66,9 556 961 98,1 96,5–98,9 97,1–98,8

32 (≥1,5 (≥2,5 a 2,5) 3,5) 95 77 90,9 88,4 80,4–93,4 82,4–95,5 364 607 89,8 91,2 87,9–93,7 87,1–92,0 146 102 68,6 57,5 49,4–65,3 59,1–76,8 339 556 97,9 98 96,5–98,9 95,8–99,0

63 (≥2,5 (≥3,5 a 3,5) 9) 159 77 90,9 93,1 88,0–96,1 82,4–95,5 364 652 86,8 91,2 84,0–89,2 87,9–93,7 234 102 63,2 68,6 56,9–69,2 59,1–76,8 339 577 98,1 97,9 96,6–98,9 95,8–99,0

16 6 (≥3,5 (≥9 a 24) 9) 159 147 91,2 93,1 88,0–96,1 85,5–94,8 652 525 86,8 87,4 84,3–90,0 84,0–89,2 234 200 63,2 67 56,9–69,2 60,2–73,1 472 577 98,1 97,2 96,6–98,9 95,3–98,4

Basal 16 (≥9 a 24) 147 193 91,2 82,9 85,5–94,8 77,0–87,6 1124 525 87,4 91,2 84,3–90,0 89,4–92,7 200 259 61,8 67 60,2–73,1 55,7–67,5 1058 472 96,9 97,2 95,3–98,4 95,7–97,8

1 Basal (≥0,75 a 1,5) 164 193 87,2 82,9 81,2–91,5 77,0–87,6 1051 1124 91,2 91,2 89,4–92,8 89,4–92,7 235 259 60,9 61,8 54,5–66,9 55,7–67,5 1058 980 97,9 96,9 96,7–98,6 95,7–97,8

21 (≥0,75 (≥1,5 a a 2,5) 1,5) 164 94 87,2 79,0–92,5 81,2–91,5 1051 617 89,8 91,2 89,4–92,8 87,1–91,9 235 145 60,9 56,6 48,4–64,3 54,5–66,9 566 980 97,9 96,3–98,8 96,7–98,6

32 (≥2,5 (≥1,5 a 2,5) 3,5) 94 75 90,7 87,2 82,0–95,4 79,0–92,5 358 617 89,8 91,3 88,0– 87,1–91,9 93,8 145 99 56,6 68,7 48,4–64,3 59,0– 77,0 566 334 97,9 96,3–98,8 95,7–99,0

63 (≥2,5 (≥3,5 a 3,5) 9) 158 75 90,7 93 82,0–95,4 88,0–96,1 648 358 91,3 87,8 88,0– 85,1–90,1 93,8 226 99 68,7 65 59,0– 58,6–71,0 77,0 580 334 98,1 97,9 96,6–98,9 95,7–99,0

16 6 (≥3,5 (≥9 a 24) 9) 149 158 89,9 93 88,0–96,1 84,1–93,8 648 535 87,8 87,9 84,8–90,4 85,1–90,1 226 199 67,3 65 60,5–73,5 58,6–71,0 580 485 96,9 98,1 96,6–98,9 95,0–98,1

16 (≥9 a 24) 149 89,9 84,1–93,8 535 87,9 84,8–90,4 199 67,3 60,5–73,5 485 96,9 95,0–98,1

Tipo de Amostra Tempo da Coleta N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC N % 95% IC

Tipo de Amostra Tempo Baseline da Coleta 299 N 84,3 % 79,7–88,0 95% IC 2003 N 90,8 % 89,4–92,0 95% IC 437 N 57,7 % 53,0–62,2 95% IC 1865 N 97,5 % 96,7–98,1 95% IC

1 Baseline (≥0,75 a 1,5) 255 299 90,6 84,3 86,4–93,6 79,7–88,0 2003 1871 90,8 89,4–92,0 403 437 57,3 57,7 53,0–62,2 52,4–62,1 1723 1865 98,6 97,5 96,7–98,1 97,9–99,1

21 (≥0,75 (≥1,5 a a 2,5) 1,5) 138 255 90,6 92,8 86,4–93,6 87,2–96,0 1042 1871 89,8 90,8 89,4–92,0 87,8–91,5 234 403 54,7 57,3 48,3–61,0 52,4–62,1 1723 946 98,9 98,6 98,1–99,4 97,9–99,1

32 (≥1,5 (≥2,5 a 2,5) 3,5) 138 118 92,8 93,2 87,2–96,0 87,2–96,5 1042 682 89,8 90 87,8–91,5 87,6–92,1 234 178 54,7 61,8 48,3–61,0 54,5–68,6 946 622 98,9 98,7 98,1–99,4 97,5–99,3

63 (≥2,5 (≥3,5 a 3,5) 9) 251 118 93,2 94 90,4–96,3 87,2–96,5 1120 682 86,9 90 84,8–88,7 87,6–92,1 383 178 61,8 61,6 54,5–68,6 56,7–66,4 622 988 98,7 98,5 97,5–99,3 97,5–99,1

16 6 (≥3,5 (≥9 to a 24) 9) 251 224 92,4 94 90,4–96,3 88,2–95,2 1120 885 86,9 86,6 84,8–88,7 84,1–88,6 383 326 63,5 61,6 58,1–68,5 56,7–66,4 783 988 97,8 98,5 96,6–98,6 97,5–99,1

Baseline 16 (≥9 to 24) 294 224 84,7 92,4 80,1–88,4 88,2–95,2 2035 885 86,6 91 89,7–92,2 84,1–88,6 432 326 57,6 63,5 52,9–62,2 58,1–68,5 1897 783 97,6 97,8 96,6–98,6 96,8–98,2

1 Baseline (≥0,75 a 1,5) 252 294 88,1 84,7 83,5–91,5 80,1–88,4 1881 2035 91,1 89,8–92,3 89,7–92,2 389 432 57,6 57,1 52,9–62,2 52,1–61,9 1897 1744 98,3 97,6 96,8–98,2 97,6–98,8

21 (≥0,75 (≥1.5 a a 2.5) 1,5) 252 134 91,8 88,1 85,9–95,4 83,5–91,5 1048 1881 91,1 90 89,8–92,3 88,0–91,7 389 228 53,9 57,1 47,5–60,3 52,1–61,9 1744 954 98,8 98,3 97,6–98,8 97,9–99,4

32 (≥1.5 (≥2.5 a 2.5) 3.5) 134 113 91,8 92 85,9–95,4 85,6–95,8 1048 680 90,4 88,0–92,4 88,0–91,7 228 169 53,9 61,5 54,0–68,5 47,5–60,3 954 624 98,8 98,6 97,9–99,4 97,3–99,2

63 (≥2.5 (≥3.5 a 3.5) 9) 245 113 94,7 92 85,6–95,8 91,1–96,9 1124 680 90,4 87,7 88,0–92,4 85,7–89,5 370 169 62,7 61,5 54,0–68,5 57,7–67,5 999 624 98,6 98,7 97,8–99,2 97,3–99,2

16 6 (≥3.5 (≥9 a 24) 9) 225 245 91,6 94,7 87,2–94,5 91,1–96,9 1124 895 87,4 87,7 85,0–89,4 85,7–89,5 319 370 64,6 62,7 59,2–69,6 57,7–67,5 801 999 97,6 98,7 96,3–98,5 97,8–99,2

16 (≥9 a 24) 225 91,6 87,2–94,5 895 87,4 85,0–89,4 319 64,6 59,2–69,6 801 97,6 96,3–98,5

Tabela 7. Concordância Clínica do Ensaio Atellica IM TnIH para amostras • especificidade, O estudo de de indivíduos concordância VPP e VPN demonstrou clínica do sensibilidade, sexo desempenho feminino, calculadas utilizando o cutoff

do percentil 99 específico do sexo de 34,11 ng/L (pg/mL) para LiHep e especificidade, 38,64 VPP ng/L e VPN demonstrou (pg/mL) desempenho

aceitável para uso como auxílio no diagnóstico para da IAM. amostras de

diagnóstico final do hospital local.

aceitável para uso como auxílio no diagnóstico da IAM.

soro

Até cinco coletas de sangue foram obtidas dos indivíduos e cada

Sensibilidade Especificidade VPP VPN

uma delas incluiu um tubo de coleta de soro e de LiHep. Todas as

Tipo de Amostra Tempo da Coleta N % 95% CI N % 95% CI N % 95% CI N % 95% CI

White Paper | Avaliação de Desempenho do Ensaio Atellica IM Troponina I de Alta Sensibilidade

amostras Basalcoletadas foram 106 testadas 87,7 e os resultados 80,1–92,7 foram 903 comparados

com 1 (≥0,75 o cutoff a 1,5) do percentil 92 9990,2 para avaliar 82,4–94,8 se a interpretação 835 91,5 do • 89,4–93,2 O estudo de 154 concordância 53,9 clínica 46,0–61,6 de sensibilidade, 773 especificidade,

98,8 97,8–99,4

ADVIA Centaur (0,5, 1,60, 2,50, e 47,34 ng/L, pg/mL, respectivamente).

91,4 89,4–93,0 171 54,4 46,9–61,7 838 98,4 97,4–99,1

Desempenho Clínico2 (≥1.5 a 2.5) 43 97,7 87,9–99,6 435 91,7 88,8–94,0 78 53,8 42,9–64,5 400 99,8 98,6–100,0

LiHep teste individual foi positiva ou Para negativa. fins de decisão As e estabelecimento interpretações de um diagnóstico do teste de VPP e VPN demonstrou desempenho aceitável para uso como auxílio

Tabela 6. Informação demográfica para a população global de IAM padrão ouro, os resultados de TnIH do hospital local

3 (≥2.5 a 3.5) 41 95,1 83,9–98,7 318 87,7 83,7–90,9 78 50 39,2–60,8 281 99,3 97,4–99,8

emergência incluída na análise do ensaio Atellica IM TnIH.

foram então comparadas com o diagnóstico do indivíduo para avaliar

a 16 sensibilidade, (≥9 a 24) especificidade, 77 93,5 valor preditivo 85,7–97,2positivo 360 (VPP) 86,1 e

no diagnóstico da IAM.

foram utilizados. Os tomadores de decisão não tiveram acesso

aos resultados dos testes investigacionais de troponina da

N = 2409 6 Idade (≥3.5 Média (Anos) a 9) Faixa Etária (Anos) 92 94,6 87,9–97,7 468 88,2 85,0–90,9 142 61,3 53,1–68,9 418 98,8 97,2–99,5

Siemens e para o diagnóstico final do hospital local.

Referências:

56,96 23-93

Sexo n %

Até cinco coletas de sangue foram obtidas dos indivíduos e 82,2–89,3 122 1. Apple 59 FS, 50,1–67,3 et al. Clin Chem. 315 2012;58:54-61.

98,4 96,3- 99,3

Feminino 1046 43,4

cada uma delas incluiu um tubo de coleta de soro e de

2. Roffi M, et al. Eur Heart J. 2016;37:267-315.

Masculino valor Basal preditivo 1363 negativo 56,6 (VPN). 101 LiHep. 86,1 Todas as amostras 78,1–91,6 coletadas foram 911 testadas e 91,7 os 89,7–93,3 163 53,4 45,7–60,9 849 98,4 97,3–99,0

resultados foram comparados com o cutoff do percentil 99

3. Thygesen K, et al. Circulation. 2012;126:2020-35.

Raça

Finalmente, 1 (≥0.75 n a 1.5) %

os dados 88 foram agrupados 88,6 80,3–93,7 baseando-se 830 nos intervalos

de 22 tempo nos quais 0,9 as amostras avaliar a sensibilidade, de sangue especificidade, foram valor coletadas.

preditivo

para avaliar se a interpretação teste individual 91,7 foi 89,6–93,4 147 Atellica 53,1 e todas 45,0–60,9 as marcas associadas 771 98,7 são marcas 97,6–99,3

Caucasiana 1350 56,0

positiva ou negativa. As interpretações do teste foram

Negra 2 (≥1.5 958 a 2.5) 39,9 40 então comparadas 95 com 83,5–98,6 o diagnóstico do 431 indivíduo para 92,3 89,4–94,5 registradas 71 53,5 da Siemens 42,0–64,6 Healthcare 400 Diagnostics 99,5 98,2–99,9 Inc.,

Asiática Soro

3 (≥2.5 a 3.5) 38 positivo 94,7 (VPP) e valor 82,7–98,5 preditivo negativo (VPN). 322 88,8 84,9–91,8 72

ou de

50

suas afiliadas.

38,7–61,3

Todas

288

as outras

99,3

marcas

97,5–99,8

e

Havaiana 3 0,1

Índios Americanos 16 0,7

Esse

6

agrupamento

(≥3.5 a 9)

foi realizado

87 Finalmente, utilizando-se

95,4os dados 88,8–98,2 foram agrupados diferentes baseando-se 476

definições

marcas registradas são de propriedade de seus

Diversas 20 0,8

nos 89,1 86,0–91,6 135 61,5 53,1–69,3 428 99,1 97,6–99,6

Outros 40 1,7

intervalos tempo nos quais as amostras de sangue foram

respectivos donos.

de intervalo 16 (≥9 a de 24) tempo, como 76 coletadas. demonstrado 93,4 Esse agrupamento 85,5–97,2 nas foi Tabelas realizado utilizando-se 360 7-9. 88,6 84,9–91,5 A disponibilidade 112 63,4 do produto 54,2–71,7 pode variar 324 de acordo 98,5 com 96,4–99,3 o

Os status clínico dos indivíduos foram avaliados e estabelecidos, diferentes definições de intervalo de tempo, como demonstrado

por meio de um painel de cardiologistas e clínicos de

país e está sujeita aos requisitos regulatórios. Entre em

VPP: Valor Preditivo A sensibilidade Positivo; VPN: Valor a especificidade Preditivo Negativo. clínica nos pools de amostras de

nas Tabelas 7-9.

emergência, baseados na Diretriz do Consenso da Quarta

A sensibilidade e a especificidade clínica nos pools de amostras

contato com seu representante local para saber mais

Definição Universal de Infarto do Miocárdio. 3

de LiHep/soro na admissão e 1, 2, 3 e 6 horas após a admissão no

sobre a disponibilidade.

LiHep/soro na admissão e 1, 2, 3 e 6 horas após a admissão no DE,

DE, foi 84,3% a 94,7% e 86,9% a 91,1%, respectivamente (Tabela

9).

foi 84,3% a 94,7% e 86,9% a 91,1%, respectivamente (Tabela 9).

Tabela 7. Concordância Clínica do Ensaio Atellica IM TnIH para amostras de indivíduos do sexo feminino, calculadas utilizando o cutoff

do percentil 99 específico do sexo de 34,11 ng/L (pg/mL) para LiHep e 38,64 ng/L (pg/mL) para amostras de soro

Sensibilidade Especificidade VPP VPN

% 95% % 95% Tipo de Amostra Tempo da Coleta N CI N CI N % 95% CI N % 95% CI

Basal 106 87,7 80,1–92,7 903 91,4 89,4–93,0 171 54,4 46,9–61,7 838 98,4 97,4–99,1

1 (≥0,75 a 1,5) 92 90,2 82,4–94,8 835 91,5 89,4–93,2 154 53,9 46,0–61,6 773 98,8 97,8–99,4

2 (≥1.5 a 2.5) 43 97,7 87,9–99,6 435 91,7 88,8–94,0 78 53,8 42,9–64,5 400 99,8 98,6–100,0

LiHep

3 (≥2.5 a 3.5) 41 95,1 83,9–98,7 318 87,7 83,7–90,9 78 50 39,2–60,8 281 99,3 97,4–99,8

6 (≥3.5 a 9) 92 94,6 87,9–97,7 468 88,2 85,0–90,9 142 61,3 53,1–68,9 418 98,8 97,2–99,5

16 (≥9 a 24) 77 93,5 85,7–97,2 360 86,1 82,2–89,3 122 59 50,1–67,3 315 98,4 96,3- 99,3

Basal 101 86,1 78,1–91,6 911 91,7 89,7–93,3 163 53,4 45,7–60,9 849 98,4 97,3–99,0

1 (≥0.75 a 1.5) 88 88,6 80,3–93,7 830 91,7 89,6–93,4 147 53,1 45,0–60,9 771 98,7 97,6–99,3

2 (≥1.5 a 2.5) 40 95 83,5–98,6 431 92,3 89,4–94,5 71 53,5 42,0–64,6 400 99,5 98,2–99,9

Soro

3 (≥2.5 a 3.5) 38 94,7 82,7–98,5 322 88,8 84,9–91,8 72 50 38,7–61,3 288 99,3 97,5–99,8

6 (≥3.5 a 9) 87 95,4 88,8–98,2 476 89,1 86,0–91,6 135 61,5 53,1–69,3 428 99,1 97,6–99,6

16 (≥9 a 24) 76 93,4 85,5–97,2 360 88,6 84,9–91,5 112 63,4 54,2–71,7 324 98,5 96,4–99,3

baixas

LoD (1,60

concentrações

ng/L, pg/mL).

de TnIH.

Os valores do LoB, LoD, LoQ, e percentil 99 para o Ensaio

TnIH Os valores do Analisador LoB, Atellica LoD, LoQ, IM e são percentil comparáveis 99 para àqueles o Ensaio

• O percentil 99 é de 45,20 ng/mL (pg/mL).

do

De 2007 indivíduos aparentemente

saudáveis, 75% das amostras de soro e 66% das amostras

ensaio TnIH do TNIH Analisador sistema Atellica ADVIA IM Centaur são comparáveis (0,5, 1,60, àqueles 2,50, e do

47,34 ensaio ng/L, TNIHpg/mL, do sistema respectivamente).

ADVIA Centaur (0,5, 1,60, 2,50, e

• O 47,34 estudo ng/L, de pg/mL, concordância respectivamente).

clínica de sensibilidade,

LiHep apresentaram valores maiores que o LoD (1,60 ng/L, pg/mL).

• Os valores do LoB, LoD, LoQ, e percentil 99 para o Ensaio TnIH do Analisador

Atellica IM são comparáveis àqueles do ensaio TNIH do sistema

Siemens Healthcare Diagnósticos LTDA

Av. Mutinga, 3800

4º e 5º andares – Pirituba

05110-902 – São Paulo – SP

CAS 0800 55 4838

www.siemens-healthineers.com/br

7

7

Radar Científico I

VPP: Valor Preditivo Positivo; VPN: Valor Preditivo Negativo.

6

083


Radar Científico ll

A importância do controle da

taxa de resfriamento em

criopreservação

A resposta é que a temperatura a que

as células congeladas são armazenadas

pode ter efeitos importantes sobre o

seu tempo de vida. Tipicamente, quanto

mais baixa a temperatura, maior

será o período de armazenamento

viável. Por exemplo, enquanto muitas

amostras podem ser armazenadas

a -70 ° C durante meses ou mesmo

anos, as reações químicas responsáveis

pela deterioração celular não são

completamente interrompidas a esta

temperatura, pois observa-se mesmo

que pouca, porém existente, migração

de componentes celulares que podem

reagir quimicamente.

As amostras a temperaturas inferiores

a “transição vítrea da água” ou

-130C , onde se diz que o tempo biológico

está parado, podem ser armazenadas

durante milênios (Karow 1981,

Mazur 1984).

Algumas definições:

Criobiologia é o estudo dos efeitos

de temperaturas ultra baixas em sistemas

biológicos, tais como células ou

organismos.

A criopreservação proporciona uma

fonte contínua de tecidos e células vivos

geneticamente estáveis para uma variedade

de fins, incluindo pesquisa e processos

biomédicos.

Um princípio básico de criobiologia

é que a extensão do dano por congelamento

depende da quantidade de

água livre no sistema e a capacidade de

que a água tem para cristalizar durante

o congelamento. A água é o principal

componente de todas as células vivas e

tem de estar presente para que reações

químicas ocorram dentro de uma célula.

Durante o congelamento, a maioria

das mudanças de água para gelo, e

metabolismo celular cessam.

É possível congelar muitos tipos de

células isoladas e agregados celulares

pequenos, no entanto, a obtenção de resultados

reprodutíveis para tecidos mais

complexos, tais como válvulas cardíacas,

tecido com estruturas obtidos através de

engenharia celular, ou tipos de células

mais sensíveis, requer uma compreensão

das principais variáveis envolvidas

no método de criopreservação

A formação de gelo inicia-se no ambiente

extracelular, resultando em um

aumento da concentração de sal visto

que a água é removida para formar o

gelo. Esta formação de gelo resulta em

um desequilíbrio osmótico e por consequência

na desidratação celular.

Desta forma é possível mitigar os efeitos

potencialmente prejudiciais da desidratação

e formação de gelo através de:

• Manutenção de temperaturas de armazenagem

adequadas

• Controlando a taxa de reaquecimento

Todos estes eventos interagem para

influenciar o resultado da criopreservação,

sendo que a maior taxa de sobrevivência

celular é atingida através da optimização

da série de variáveis inter-relacionadas

dentre as quais destacamos abaixo a importância

da taxa de resfriamento durante

o processo de congelamento

A importância da taxa de resfriamento

Taxa de resfriamento é conhecida por

ter uma influência mais significativa sobre

a sobrevivência da célula. Controlar a

taxa de congelamento antes de armazenamento

a longo prazo maximiza a

viabilidade de uma ampla variedade de

células, onde é possível destacar a sua

importância para as seguintes aplicações

• AIDS Research

• Medula óssea - Tratamento de câncer

• Banco de sangue - HLA, as células

vermelhas

• Pesquisa em Câncer - Células Tumorais

• Engenharia genética

• HLA - Transplante (linfócitos) de órgãos

• FIV - (Embrião, Esperma) infertilidade

humana

• Microbiologia - vírus, bactérias,

cultura celular

• Farmacêuticas - Culturas

• Células de plantas - Células vegetais,

sementes

• Repositórios - Cultura de Células

•Banco de tecidos

-pele

084

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


-osso

-válvulas cardíacas

-córneas

Uma das principais razões para a utilização de um

equipamento com taxa de congelamento controlada ao

invés de simplesmente utilizar um sistema ou equipamento

que congele a amostra porém sem controle sobre

as variáveis de temperatura é devido a que o sistema com

taxa de congelamento pode compensar a temperatura

durante a preparação da amostra, o que é denominado de

LHF, ou calor latente de fusão. Esta compensação durante

o processo de congelamento possibilita o aumento da

taxa de viabilidade celular pós – criopreservação

LHF é a energia de calor latente que pode gerar picos durante

o processo de congelamento de uma amostra

O objetivo de um congelador com taxa controlada

Um congelador de taxa controlada (CRF) é um dispositivo

de preparação de amostra projetado para levar amostras de

CONCLUSÃO

Uma importante conclusão geral que surgiu de estudos

de criopreservação é que diferentes tipos de

células têm requisitos diferentes para uma melhor

preservação. A partir das considerações descritas, pode

-se dizer que criopreservação de longo prazo de células

depende de procedimentos definidos e condições ótimas

para um considerável número de variáveis inter-

-relacionadas, no qual dentre estas variáveis a taxa de

congelamento, quando bem controlada, desempenha

papel importante para o sucesso no armazenamento e

viabilidade celular.

um estado líquido para um estado congelado ou vitrificado

por meio de um processo dinâmico de aquecimento e resfriamento

da câmara.

• Densidade da amostra

• Viscosidade da amostra

• pH

• Solubilidade do gás

• Movimento molecular cinético

• Taxas fisiológicas (mitocôndrias ATP)

Quanto mais complexa a amostra, maior o impacto que

pode ocorrer na formação de gelo intracelular.

Temperaturas de transição e aplicações

Daniel Freitas

Especialista de produtos América do Sul

Thermo Fisher Scientific

Email: produtosdelaboratorio@thermofisher.com

085


RESUMO DA AVALIAÇÃO DO PRODUTO:

IMPACTO DA IMPLEMENTAÇÃO DO CELLAVISION DC-1

EM UMA REDE DE LABORATÓRIOS AFILIADOS

INTRODUÇÃO:

A recente introdução do analisador CellaVision DC-1 possibilita que

laboratórios com pequenos volumes de amostra implementem a

mesma metodologia digital usada por laboratórios maiores para realizar

contagens diferenciais de células sanguíneas.

O CellaVision DC-1, como todos os analisadores CellaVision, emprega

uma combinação de análise de microscopia de alta resolução, imagens

digitais e análise baseada em inteligência artificial para identificar a

mono camada, localizar células individuais, capturar imagens de elevada

qualidade de células e fornecer uma pré-classificação das células

para uma confortável revisão em tela por parte do analista clínico.

e de conclusão, com especial atenção ao tempo inicial de avaliação

emHigh River até a avaliação final em Calgary.

Após a análise dos esfregaços usando a metodologia digital do

CellaVision, os mesmos esfregaços foram analisados pelos analistas de

High River, usando protocolos normais e microscopia manual seguida

do transporte dos esfregaços para Calgary, para revisão por um

patologista.

RESULTADOS:

Os resultados da avaliação demonstram claramente que podem

ser alcançadas eficiências de fluxo de trabalho consideráveis ao

implementar o CellaVision DC-1 em uma rede de laboratórios afiliados.

Tempo de revisão de amostras reduzido em 50%

A avaliação comparou o tempo necessário para rever um conjunto

de esfregaços de sangue usando a metodologia digital do CellaVision

com a revisão do mesmo conjunto de esfregaços usando microscopia

manual. A metodologia digital do CellaVision demonstrou um tempo de

revisão inferior ao da microscopia tradicional (média de 1,92 vs. 4,05

minutos).

FIGURA 1: COMPARAÇÃO DOS TEMPOS DE REVISÃO DE AMOSTRAS

MM-140-08 2019-03-18

O CellaVision uniu-se recentemente aos Serviços Laboratoriais de

Calgary (CLS) para realizar uma avaliação de campo do produto com a

finalidade de avaliar a utilidade e o impacto do CellaVision DC-1 em uma

rede de laboratórios afiliados.

O CLS é um laboratório de diagnóstico médico de referência que serve

uma vasta área do sul de Alberta, no Canadá. Em uma organização

composta de mais de 15 laboratórios em locais geograficamente

dispersos, o laboratório de alta demanda de Calgary serve como

laboratório de referência central para os laboratórios menores, tais

como o laboratório de teste escolhido na cidade de High River. Em High

River, a eficiência do fluxo de trabalho e a velocidade do serviço para

os técnicos teve um impacto negativo pela necessidade de transportar

todos os casos de difícil diagnóstico para o laboratório de referência,

em Calgary, o que resultou em prazos (TAT) prolongados.

OBJETIVO:

O objetivo do estudo foi avaliar a utilidade e o impacto do CellaVision

DC-1 quando implementado em uma rede de laboratórios afiliados,

com foco em dois indicadores de desempenho importantes:

1. tempo de revisão;

2. prazos de execução, para esfregaços enviados para Calgary.

METODOLOGIA:

Para estabelecer uma referência para comparação, o CLS realizou

uma revisão retrospetiva dos esfregaços de sangue periférico de

High River registrados entre Março e Junho de 2017 à partir do

momento da recepção das amostras.

Durante a avaliação, foram processadas 21 amostras usando

o CellaVision DC-1. Em seguida, as pré-classificações geradas

foram revistas por analistas clínicos de High River com o apoio dos

patologistas de Calgary.

Para cada etapa do processo foram registrados o tempo de recepção

Metodologia do CellaVision

Microscopia manual

Melhoria de 94% nos prazos de execução (TAT) dos esfregaços

enviados para Calgary

A avaliação demonstrou claramente a melhoria nos prazos de execução

dos esfregaços que têm que ser enviados para o laboratório central, em

Calgary, para revisão por um patologista (média de 1 hora e 22 minutos

de fluxo de trabalho assistido pelo CellaVision vs. média 24 horas e 6

minutos de referência).

FIGURA 2: COMPARAÇÃO DOS PRAZOS DE EXECUÇÃO DOS ESFREGAÇOS

ENVIADOS PARA CALGARY

Fluxo de trabalho assistido

pelo CellaVision

Fluxo de trabalho de referência

0 1 2 3 4 Minutos

0 6 12 18 24 Horas

COMENTÁRIO:

A avaliação in-situ demonstrou efetivamente que podem ser alcançadas

eficiências de fluxo de trabalho consideráveis ao implementar

o CellaVision DC-1 em uma rede de laboratórios afiliados.

A tecnologia do CellaVision ajuda os analistas clínicos a agilizarem a

avaliação morfológica, permitindo simultaneamente a colaboração

com colegas, supervisores e patologistas externos. Em uma rede de

laboratórios, a adaptação de uma metodologia digital pode ajudar

a poupar tempo considerável ao remover eficazmente a principal

causa dos prazos de execução prolongados (o transporte rodoviário

necessário para enviar os casos difíceis para revisão por patologistas

externos).

Para obter mais informações sobre a avaliação deste produto, contate a CellaVision através do endereço de email marketing@cellavision.com


087


Surpreenda seu paciente com um

Radar Científico

Escalpe BD Vacutainer ®

UltraTouch Push Button

bd.com

088

© 2018 BD. BD and the BD Logo are trademarks of Becton, Dickinson and Company.

BD Vacutainer UltraTouch Push Button Blood Collection Set - Registro ANVISA/MS: 10033430523

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


cuidado especial na coleta de sangue.

Tecnologia Push Button

Dispositivo de segurança

com retração automática

da agulha direto da

veia do paciente

Tecnologia

PentaPoint

Agulha com bisel

pentafacetado,

diminui a sensação

de dor

Tecnologia RightGauge

Parede ultra fina que permite o uso de calibres

menores para facilitar o acesso venoso difícil,

sem comprometer a qualidade da amostra

23G

Cânula de parede fina

com bisel trifacetado

25G

BD Vacutainer®

UltraTouch Push Button

25G

Cânula de parede fina

com bisel trifacetado

089


Direito e Saúde

Judicialização na área da Saúde

“ No período de 2008 a 2017, as ações judiciais em primeira instância, relacionadas ao direito à saúde, teve um crescimento de

mencionam os NATs e 0,51% citam a Conitec e seus respecti

130%.”

clínicos e diretrizes terapêuticas, já considerando as variações reg

Por Patrícia Fukuma*

A procura pelo Judiciário objetivando

o fornecimento de medicamentos, insumos,

materiais, órteses, próteses, meios

auxiliares de diagnóstico e vagas para

internação em hospitais públicos e privados,

entre outros tratamentos de saúde,

tornou-se nos últimos anos um recurso

muito utilizado pela população brasileira

para a possibilidade de materialização do

direito à saúde, garantido na Constituição

Federal como um direito social e vinculado

ao direito fundamental à vida, mediante

o ajuizamento de ações judiciais dirigidas

aos entes públicos (saúde pública) e empresas

de planos de saúde (saúde suplementar

ao dever do Estado ).

O fenômeno da judicialização na área

da saúde surgiu diante da insuficiência e

ineficiência das ações e serviços de promoção,

proteção e recuperação de saúde pelos

sistemas de saúde existentes no Brasil: o

público, composto pelo Sistema Único de

Saúde (SUS), e o privado, de caráter suplementar,

constituído pelos planos de saúde e

profissionais autônomos.

O tema tem sido profundamente debatido

entre juristas, sociólogos, economistas entes

públicos (União, Estados, Distrito Federal e

Municípios), órgãos reguladores (ANVISA e

ANS), operadoras de planos de saúde e profissionais

da área da saúde, tendo em vista o

grande impacto político, econômico, social e

moral da judicialização da saúde.

Nessa linha, o Conselho Nacional de Justiça

– CNJ recentemente divulgou o estudo

denominado “Judicialização da Saúde no

Brasil: Perfil das demandas, causas e pro-

postas de soluções” (2019) desenvolvido

pelo Instituto de Ensino e Pesquisa – Insper,

com o objetivo de compreender a amplitude

e complexidade da judicialização

da saúde para assim estabelecer políticas

judiciais que orientem a solução racional

dos conflitos na área da saúde.

De acordo com a pesquisa realizada

pelo Insper, no período de 2008 a 2017,

o número de ações judiciais em primeira

instância, relacionadas ao direito à saúde,

teve um crescimento de 130%, ao passo

que o número total de ações judiciais

envolvendo outros assuntos aumentou

50%. Identificou-se que “Plano de saúde”,

“Seguro” e “Saúde” são os assuntos mais

debatidos nas ações judiciais de primeira e

segunda instância, sendo “Plano de saúde”

e “Seguro” discussões envolvendo a Saúde

Suplementar e “Saúde” questões relacionadas

à Saúde Pública, seguindo-se dos

assuntos “Fornecimento de Medicamentos”

e Tratamento médico-hospitalar .

Ao analisar as decisões judiciais em

primeira e segunda instâncias, a pesquisa

constatou que os magistrados pouco se

socorrem dos órgãos que fornecem parâmetros

técnicos para auxiliá-los nas soluções

dos casos concretos, como o Núcleo

de Apoio Técnico do Poder Judiciário - NAT

criado por orientação do Conselho Nacional

de Justiça - CNJ e Comissão Nacional de Incorporação

de Tecnologias ao SUS - Conitec

e Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas,

responsáveis por indicar ao Ministério da

Saúde quais tecnologias e práticas devem

ser incorporadas ao SUS, indicando que

Para uma melhor compreensão sobre a judicialização na área da s

ser examinada à luz da saúde pública e saúde suplementar, u

sistema de saúde público e privado possuem característic

regulações distintas, de modo que, em sua grande maioria, os p

judiciais diferem entre si.

090

Revista NewsLab | Ago/Set 2019

Ao analisar as decisões judiciais em primeira e segunda instânc

constatou que os magistrados pouco se socorrem dos órgãos


Direito e Saúde

0,29% das decisões judiciais mencionam

os NATs e 0,51% citam a Conitec e seus

respectivos protocolos clínicos e diretrizes

terapêuticas, já considerando as variações

regionais do país.

Para uma melhor compreensão sobre a

judicialização na área da saúde, esta deve

ser examinada à luz da saúde pública e

saúde suplementar, uma vez que o sistema

de saúde público e privado possuem características

próprias e regulações distintas,

de modo que, em sua grande maioria, os

pleitos nas ações judiciais diferem entre si.

JUDICIALIZAÇÃO DA

SAÚDE PÚBLICA

O Sistema Único de Saúde – SUS – é

constituído por uma rede regionalizada e

hierárquica de ações e serviços de saúde,

garantindo acesso integral, universal e gratuito

para toda a população do país, prestados

pela União, Estados, Distrito Federal

e os Municípios por meio da formulação e

execução de políticas públicas de saúde, na

forma da Lei nº 8.080/90.

O SUS compreende a atenção primária e

de média e alta complexidades, os serviços

de urgência e emergência, serviços hospitalares,

ações e serviços das vigilâncias epidemiológica,

sanitária e ambiental e assistência

terapêutica integral, inclusive farmacêutica.

As políticas públicas determinadas pelo

SUS são estabelecidas de maneira ascendente

e integrada entre os entes federativos

e devem servir como indutoras para as

políticas da iniciativa privada, consideradas

as características das regiões de saúde,

os mapas de saúde e o perfil epidemiológico

da população .

É fato que os gastos com a judicialização

da saúde são crescentes e expressivos no

Brasil, tendo o Tribunal de Contas da União

publicado, em 2017, a auditoria realizada

“com o objetivo de identificar o perfil, o

volume e o impacto das ações judiciais na

área da saúde”. Tal auditoria apurou que

os valores despendidos pelo Ministério da

Saúde no cumprimento das determinações

judiciais cresceram mais de quatorze

vezes no período de 2008 a 2015, passando

de 70 milhões de reais para mais de 1

bilhão de reais, levando em consideração

apenas os gastos contabilizados na aquisição

de medicamentos e insumos.

Nesse aspecto, no rol de fornecimento

dos medicamentos que mais causam impacto

no orçamento público estão os medicamentos

de alto custo não incorporados

no SUS, medicamentos sem registro na AN-

VISA e de uso off label, especialmente para

o tratamento de doenças crônicas, como

câncer, hepatites, diabetes e doenças raras.

Como forma de mitigar os efeitos negativos

da judicialização no sistema público

saúde e as políticas e finanças públicas em

decorrência do fornecimento de medicamentos

de alto custo para doenças raras

pelos entes públicos, o Estado deve avaliar

sob o enfoque custo-efetividade a incorporação

de novas terapias na lista do SUS.

Recentemente o Supremo Tribunal Federal

julgou 02 (dois) casos extremamente

relevantes envolvendo o tema, a saber,

Recursos Extraordinários (RE) nºs 855.178

e 657.718, e que refletem em milhares de

ações judiciais até então suspensas aguardando

os desfechos destes casos.

Nos autos do RE nº 855.178, o STF firmou

o entendimento sobre a responsabilidade

solidária dos entes federados em

matéria de saúde, tais como, fornecimento

de medicamentos e o custeio de tratamento

médico adequado aos necessitados e

“diante dos critérios constitucionais de

descentralização e hierarquização, compete

à autoridade judicial direcionar o cumprimento

conforme as regras de repartição de

competências e determinar o ressarcimento

a quem suportou o ônus financeiro”.

Já no RE nº 657.718 o STF fixou a tese

de que o Estado não pode ser obrigado a

fornecer medicamentos experimentais

e sem registro na ANVISA. Ainda restou

decidido que é possível, excepcionalmente,

“a concessão judicial de medicamento

sem registro sanitário, em caso de mora

irrazoável da ANVISA em apreciar o pedido

(prazo superior ao previsto na Lei nº

13.411/2016), quando preenchidos três

requisitos: (i) a existência de pedido de

registro do medicamento no Brasil (salvo

no caso de medicamentos órfãos para doenças

raras e ultrarraras); (ii) a existência de

registro do medicamento em renomadas

agências de regulação no exterior; e (iii) a

inexistência de substituto terapêutico com

registro no Brasil”.

Ainda, importante destacar que, no

dia 23/10/2019, o STF julgará o Recurso

Extraordinário nº 566.471, processo

em que se discute se é dever do Estado

fornecer medicamento de alto custo à

portador de doença grave.

Afora do entendimento individual de

cada um sobre a judicialização da saúde,

não há como negar que o fenômeno representa

a efetivação do direito à saúde ao

cidadão e, por outro lado, ocasiona desequilíbrio

nas contas públicas e a realocação

de recursos escassos em uma sociedade

complexa, prejudicando o sistema público

e acesso da população à saúde, além da judicialização

apresentar-se como expressão

de implantação de políticas públicas, de

competência do Poder Executivo.

Desse modo, é de extrema importância

traçar o perfil e volumes das demandas

judiciais, como instrumento para avaliação

do impacto orçamentário da judicialização

na área da saúde, bem como avaliar quais

medidas estão sendo tomadas para aperfeiçoar

a atuação do Poder Judiciário nos

processos relativos ao direito à saúde. Bem

como, é importante analisar quais ações

o Ministério da Saúde tem realizado para

conhecer e mitigar os efeitos negativos da

judicialização da saúde e avaliar a distribuição

de recursos escassos em uma sociedade

complexa, determinando o que é prioritário

e quem deve ser o foco dessas prioridades.

092

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


093


Direito e Saúde

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE SUPLE-

MENTAR

Entende-se por saúde suplementar como

“o sistema privado de assistência à saúde

das operadoras de planos de saúde e prestadores

de serviços aos beneficiários, sob a

regulação da Agência Nacional de Saúde

Suplementar (ANS)” , regulada principalmente

pelas Leis nº 9.656/98 e 9.961/00.

Muito se discute sobre a judicialização

na saúde pública, mas não se pode deixar

de considerar que o trabalho divulgado

pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

indicou a alta incidência de demandas judiciais

que tratam dos temas como “Plano

de Saúde” e “Seguro”, as quais afetam

direta ou indiretamente as relações contratuais

de cerca de 50 milhões de beneficiários

de planos de saúde, operadoras

e prestadores de serviços de assistência

à saúde, demonstrando a relevância da

judicialização na esfera privada.

O documento apontou que no setor privado

as questões mais recorrentes se referem

às dietas, insumos ou materiais, leitos

e procedimentos, destacando que o tema

de maior expressão é o que envolve órteses

e próteses, mencionados em mais de 108

mil decisões de tutela antecipada em uma

amostra de 188 mil.

Por sua vez, a Agência Nacional de Saúde

(ANS) divulgou estudo denominado

“Judicialização na Saúde Suplementar –

Pesquisa realizada no âmbito do programa

parceiros da cidadania” , tendo constatado

que dentre os temas mais judicializados

estão: cobertura, cláusulas contratuais

irregulares ou abusivas e reajustes dos planos

de saúde. O estudo também aponta

que o judiciário tem cultura disseminada

de considerar princípios aplicáveis ao SUS

à Saúde Suplementar, especialmente

quanto à garantia universal de acesso à

saúde, utilizando-se do Código de Defesa

do Consumidor e em alguns casos decidindo

de forma distinta das normas reguladoras

instituídas pela ANS.

Não se pode deixar de lembrar

que a ANS, criada por meio da Lei

nº 9.961/00, autarquia sob regime

especial, vinculada ao Ministério da

Saúde, tem por finalidade “promover

a defesa do interesse público na

assistência suplementar à saúde,

regulando as operadoras setoriais,

inclusive quanto às suas relações

com prestadores e consumidores,

contribuindo, assim, para o desenvolvimento

das ações de saúde no

país”, estabelecendo normas e diretrizes

que devem ser seguidas pelos

cidadãos e empresas privadas, visando

a sustentabilidade do setor

e o acesso à saúde.

*Patrícia Fukuma

A ponderação do direito à saúde do

consumidor e o interesse econômico

das operadoras, além da questão da

transferência das obrigações do Estado

à iniciativa privada no setor da saúde

suplementar, são problemas que os

integrantes do Poder Judiciário se deparam

em seu dia a dia, de modo que

seus atos devem estar pautados na

busca da harmonização na proteção do

consumidor e garantia da sustentabilidade

da saúde suplementar do Brasil.

CONCLUSÃO

O presente artigo não tem a pretensão

de esgotar o tema, mas sim de

despertar o interesse do leitor para a

problemática que envolve a judicialização

na área da saúde, dada a sua

amplitude, complexidade e consequências

para a sociedade. Também

não deixa de destacar o quanto a

judicialização afeta entes públicos

no âmbito das políticas de saúde

pública e gestão orçamentária, saúde

suplementar (impactando a oferta

de serviços de assistência à saúde e

as operadoras de planos de saúde),

demonstrando ser este um constante

desafio para toda a cadeia na busca

por soluções e proposição de medidas

concretas para equacionar todos

os direitos envolvidos.

É sócia e fundadora do escritório Fukuma Advogados,

escritório altamente especializado na área regulatóriasanitária.

Com agradecimento à colaboração de Flavia Antonanzas.

094

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Informe Científico

A síndrome do X-Frágil

A síndrome do X-Frágil é a forma mais frequente de deficiência intelectual herdada.

A síndrome do X-Frágil (SFX) é uma

condição genética que acomete cerca de

1 a cada 4.000 meninos e 1 a cada 6.000

meninas. O mecanismo etiológico da SFX

é a expansão dos nucleotídeos CGG no

primeiro éxon do gene FMR1, que se localiza

no cromossomo X, acarretando na

ausência da proteína FMRP.

Na maioria da população, o número de

repetições CGG encontra-se entre 6 a 55.

Entretanto, quando ocorre a amplificação

e o número de repetições ultrapassa de

200 (mutação completa), o indivíduo

manifesta o quadro clínico da SFX. Já os

indivíduos que estão entre 55 e 200 repetições

são chamados de portadores da

pré-mutação, podendo não apresentar

sintomas completos, mas, mesmo assim,

correm o risco de passar a condição genética

aos descendentes.

Mais frequentes em homens do

que em mulheres, os sintomas também

podem variar na diferença de

sexo. Segundo a ONG Eu Digo X,

indivíduos do sexo masculino são

mais afetados pela doença do que as

mulheres. Entres eles estão sintomas

como comprometimento intelectual,

atraso na fala, fala repetitiva, ecolalia,

hiperatividade, estereotipias, impulsividade,

dificuldade de socializar,

entre outros. Além de sinais visíveis

como orelhas grandes e em forma de

abano, articulações mais flexíveis que

o normal, face alongada e mandíbula

proeminente. As meninas, apesar de

apresentarem sintomas parecidos,

possuem sinais menos aparentes e refletem

basicamente a dificuldade na

aprendizagem, ansiedade, impulsividade,

dificuldades nas relações sociais

e fobias. Segundo o Dr. Roberto Herai,

geneticista e pesquisador da ONG,

essa diferença de sintomas se dá pelo

fato da síndrome ser causada por uma

mutação genética no cromossomo X.

“Homens que apresentam a mutação

possuem maior gravidade nos sintomas;

enquanto que as mulheres, por

terem dois cromossomos X, sendo

um deles não mutado, apresentam

sintomas mais leves”, explica o médico.

Algumas características da SXF se

sobrepõem as identificadas no Transtorno

do Espectro do Autismo (TEA).

Em decorrência desta sobreposição,

o teste do X-Frágil é indicado a todas

as crianças com comportamentos

autísticos. “Há uma grande sobreposição

de sintomas entre as condições,

096

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


suportar o preconceito de todos aqueles que não sabem

ou não conseguem conviver com uma criança especial.

Apesar das dificuldades, conseguimos adequar a rotina

para estimular ao máximo sua capacidade de aprendizagem

e desempenho, proporcionando uma qualidade de

vida melhor ao Jorge. Hoje meu filho é um adolescente

saudável e feliz dentro do seu universo de possibilidades

e limitações”, comenta a mãe.

Para as famílias acometidas pela mutação genética, o

ideal é o acompanhamento e o aconselhamento médico,

já que hoje há diferentes alternativas que podem ser

consideradas no momento do planejamento familiar. Para

as pessoas já diagnosticadas, o Dr. Herai indica um tratamento

específico que leve em consideração a melhora no

aprendizado, o desenvolvimento da fala e o uso de medicação

para controlar a hiperatividade e a falta de atenção.

O DB Molecular disponibiliza o exame para detecção da

SXF e apoia a causa juntamente com o Instituto Liko Kaesemodel,

que desenvolve o projeto Eu Digo X, para auxílio

do diagnóstico, prevenção e tratamento da doença.

sendo um desafio para os profissionais, até para os mais

preparados. Ainda há muito para ser feito: faltam políticas

públicas que eduquem a população para que se entenda

melhor o que são essas condições e de que forma elas podem

ser diagnosticadas e tratadas para melhorar a qualidade

de vida das pessoas acometidas e de seus familiares”,

complementa o Dr. Herai.

Sabrina Mugiatti enfrenta esses desafios com seu filho

Jorge, de 15 anos, que inicialmente foi diagnosticado

com autismo. “O momento do diagnóstico da SXF foi

difícil, ninguém está preparado para saber que seu filho

viverá para sempre com uma deficiência que não tem

cura. A primeira sensação foi de tristeza, revolta e muito

desespero. Não sabíamos como procurar ajuda e nem

como seria o futuro do nosso filho. Depois vem a dor de

Referência Bibliográfica

http://genoma.ib.usp.br/pt-br/servicos/consultas-e-testes-geneticos/doencas-atendidas/sindrome-do-cromossomo-x-fragil

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK1384/

http://psiqweb.net/index.php/infancia-e-adolescencia/sindrome-do-x-fragil/

https://www.eudigox.com.br/

DB Molecular | Diagnósticos do Brasil

Rua Cardoso de Almeida, 1460. Perdizes.

São Paulo. SP. 05013-001

Fone: +55 11 3868-9800

https://dbmolecular.com.br

097


lady news

Novidades do Scarpin Microscópio

Bianca Calasans Silva Pimentel Franco.

Em junho do presente ano foi realizado

o 470 Congresso Brasileiro

de Análises Clínicas (CBAC), evento

promovido pela Sociedade Brasileira

de Análises Clínicas (SBAC), e a Organização

Feminina de Análises Clínicas

(OFAC) esteve presente com todas as

suas integrantes. Momento único,

pois a interação que, anteriormente,

apenas era lógica, através de mídias

sociais, passou a ser mais humanizada,

uma vez que nos conhecemos

pessoalmente e pudemos nos relacionar

fisicamente, transmitindo sentimentos

pelo diálogo, pelo toque e

pelo olhar. Nada mais feminino!

Entretanto, a ida ao congresso não

foi apenas para interação pessoal,

o que, de fato, é imprescindível!

Mas, ao contrário, a nossa presença

ressaltou ainda mais a nossa

capacidade de gestão, liderança e,

especialmente, a potencialidade na

produção científica.

Além de exercer efetivamente a

gestão através das intensas negociações

e trocas de experiências com

vários colegas de distintas realidades,

o 470 CBAC propiciou um momento

de exaltar a participação das ofacanas

na ciência, um dos princípios basilares

desse grupo tão plural de gestoras. E

foi extremamente positiva a participação

sob este aspecto.

Durante todo o evento, algumas

integrantes apresentaram painéis e

palestras sobre diversos temas na

área afim. E, mediante prévio convite

da mediadora Dra Marbenha Linko,

eu e as ofacanas Dra. Taís Pozza e

Dra. Mônica Amaral participamos

de uma mesa redonda, a qual tinha

como tema central a gestão corporativa

empreendedora ética e transparente

sob o prisma feminino e como

ela se adequaria frente ao laboratório

do futuro.

Em uma breve síntese, passa-se a

relatar a dinâmica empregada por nós

para discussão do tema proposto. Dra. Taís

evidenciou a importância de uma gestão

focada no empreendedorismo, baseada

na humanização, e o quão a sensibilidade

e a criatividade feminina salienta a

exploração estratégica de novas soluções

e oportunidades, sem desviar do caráter

cooperativo direcionado, inovador, sustentável,

técnico, objetivo e rentável.

Por sua vez, Dra. Mônica salientou

o laboratório do futuro, a convergência

entre os mundos físico e

virtual, e como as novas tecnologias

robóticas podem ser inseridas em

nossos serviços sem desprivilegiar o

ser humano com suas competências

sensoriais e emotivas e sua capacidade

técnica laboral. Exaltou que a

tecnologia futurística impõe uma

maior produtividade e tem o condão

de minimizar os erros e, consequentemente,

custos, já que a automação

tem proporcionado uma inteligência

lógica integrativa e eficaz.

E, por fim, evidenciando a versatilidade

da mulher visionária e

ciente de sua responsabilidade civil

enquanto gestora corporativa, participei

da mesa redonda salientando a

importância da implantação do programa

de compliance em empresas,

direcionando o entendimento para

laboratórios de análises clínicas,

sejam eles do segmento privado ou

mesmo público.

Em minha exposição, ressaltei a

imprescindibilidade de seguir normas

internas e externas, a fim de

098

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


HDESIGN

Produtos e Serviços para

Laboratórios Ltda

Empresa certificada pela ANVISA com Boas Práticas de Armazenamento e

Distribuição de Produtos para Saúde

Tecnologia, Otimização e Confiabilidade.

solução modular Cobas 8000

A cobas analyser series cobas 8000 foi projetada para laboratórios com alta

carga de trabalho, e pode cobrir uma faixa de produção de 3 a 15 milhões de testes

por ano. As combinações desses módulos oferecem mais de 19 configurações com

muitas escolhas para adaptar soluções a necessidades laboratoriais específicas.

Analisadores Hematológicos Automatizados

Sysmex Série-XN

Alta performance, capacidade de expansão e possibilidade de reportar

parâmetros clínicos avançados. O novo design permite que os laboratórios

criem a configuração perfeita para suas necessidades de evolução. A série-XN torna

desnecessário adquirir analisadores que necessitam de muito espaço físico e de um

investimento excessivo para obter alta performance.

sistema Cobas b 123 gasometria

Analisador rápido portátil de múltiplos parâmetros que fornece muitos dos

resultados vitais para tomada de decisões emergenciais. A partir de uma gota de

sangue, o sistema avalia o estado de oxigenação, de ácido/base assim como fornece

informações sobre eletrólitos e metabólitos, glicose e lactato dentro de 2 minutos.

sistema Cobas H 232 para POC

Determinação rápida e fácil de marcadores cardíacos no sangue

como a troponina T, a CK-MB, a mioglobina, o D-dímero, e o

NT-proBNP para dar suporte a decisões sobre diagnóstico e

tratamento de DCV no local.

analisador cobas T 411

Indicado para laboratório de baixa a média rotina. Máxima eficiência e flexibilidade,

possui recursos inovadores, como a leitura de código de barras automatizada

e integrada para amostras e reagentes. Com o carregamento contínuo de reagentes,

amostras e cuvetes, o analisador cobas T 411 garante a máxima produtividade e

fluxo de trabalho.

Distribuidor Autorizado

Biodinamica Produtos e Serviços para Laboratórios Ltda.

Tel.: 21 3578-0800 | Fax 21 3578-0803 | vendas@biodinamica-ltda.com.br

Rua Carlos Costa, 10 - Riachuelo - Rio de Janeiro-RJ

www.biodinamica-ltda.com.br


lady news

fiscalizar possíveis irregularidades,

dirimir, erradicar possíveis desvios

antiéticos, com o fito de efetivar uma

gestão transparente e íntegra, baseada

na legalidade, na moralidade,

na honestidade e na probidade.

Ainda destaquei que a implantação

da política de compliance não

é algo utópico e inalcançável, independentemente

do porte da empresa.

Ao contrário, é bem mais fácil do

que se imagina e os resultados são

extremamente positivos, uma vez

que transmite ao cliente a responsabilidade

civil com os interesses

sociais, bem como sobreleva os valores

culturais e morais empregados

pelo estabelecimento, pois evidencia

o código de postura e oferece a

publicidade necessária da conduta

dos gestores atentos aos anseios da

sociedade e dos colaboradores participantes

do processo.

Há que se entender que, nos dias

atuais, tal premissa, embora pareça

tão simplória e evidente, é sobremaneira

relevante, já que transmite

a ideia de uma gestão voltada para

o combate à corrupção e às mazelas

que tanto infringem nossa sociedade

em tempos contemporâneos. Enfim,

compliance é, traduzindo objetivamente,

a materialização da ética

e a personificação da moralidade,

alicerçada pelos princípios da legalidade

e da honestidade.

Com essa temática, vislumbrou-se

um horizonte promissor e empreendedor

no ramo das análises clínicas na

promoção do cuidado, obviamente,

com a participação efetiva da mulher

em cargos de liderança e gestão.

Destarte, aproveitando a participação

feminina de sucesso em nosso

segmento profissional e destacando

a questão da prevenção – o que

transmite a ideia de constante vigilância

e um olhar apurado acerca da

gestão em saúde para este público

alvo, a OFAC enaltece as ações durante

o mês de outubro em alusão

ao diagnóstico precoce e ao combate

aos cânceres de mama e colo do útero,

quando, mundialmente, celebra-

-se a promoção da saúde da mulher

através da conscientização sobre a

doença, com o intuito de propagar

o alerta preliminar e permitir que a

mulher empodere-se frente ao cuidado

de sua própria saúde.

E as gestoras da OFAC sabem muito

bem estimular tais ações, pois,

com o bico do nosso Scarpin Microscópio

– que, em outubro, passa a

ser rosa - chutamos o preconceito, e

com a base do salto evidenciamos a

inserção da ciência médica sob a ótica

feminina na saúde da população.

Bianca Calasans Silva Pimentel Franco

Bióloga e Biomédica (UNIT) e Bacharel em Direito (UESPI).

Especialista em Análises Clínicas (UNIT), em Gestão em Saúde (UESPI), em Saúde da Família

(UFPI) e pós-graduanda em Direito Público (FCP).

0100

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


PESSOAS QUE TRABALHAM INCANSAVELMENTE

Nosso time de Distribuidores Exclusivos

ENZIPHARMA

www.aclabor.com.br

GO

www.blisterlab.com.br

SP Interior

www.enzipharma.com.br

RJ

www.centerlabsp.com.br

MG|ES

www.labinga.com.br

MS*|PR

www.diagfarma.com.br

PB|PE|RN

www.invitro.com.br

AC|AM|RO

NIHON KOHDEN CORPORATION

1-31-4 Nishiochiai, Shinjuku-ku, Tokyo 161-8560 - Japan

Phone + 81 (3) 5996-8036 | Fax +81 (3) 5996-8100


D I A G N Ó S T I C A S

D I A G N Ó S T I C A S

D I A

PARA FAZER A DIFERENÇA TODOS OS DIAS

Tomioka, Japan

www.farmac.com.br

SE|AL

www.sillab.com.br

SC|PR*

www.medtest.com.br

BA

EAS

EASYSOLUÇÕES

D I A G N Ó S T I C A S

www.excellab.com.br

Tel.:11 4105-5354 / 11 2082-1402

SP

Capital, Vale do Paraíba,

Jundiaí / Região e Litoral Norte

www.centerlabsp.com.br

SP

Pantone Cool Gray 10 CVC

Pantone 368 CVC

C: 0 M: 0 Y: 0 K: 72

C: 65 M: 0 Y: 100 K: 0

ABC, R: 119 G: Capital, 119 B: 114

Litoral Sul,

R: 91 G: 191 B: 33

Campinas e Região

www.cetepa.com.br

PA

comercial@

easysolucoesdiagnosticas.com.br

EASYSOLUÇÕES

MS|MT

EASYSOLUÇÕES

* Para demais Regiões contate: fabio.jesus@nkbr.com.br

NIHON KOHDEN DO BRASIL LTDA.

Rua Diadema, 89. 1º Andar, conjuntos 11 a 17 - Mauá - São Caetano do Sul-SP

Tel.: +55 11 3044-1700 | Fax +55 11 3044-0463 - www.nihonkohden.com


Minuto Laboratório

‘O temido tubo de

tampa azul’

Por Fábia*

“Coletou abaixo da marca, coletou

acima da marca – nova coleta”.

Esta frase já deve ter sido ouvida por

todos ou pela maioria que já trabalhou

ou trabalha com coleta de sangue. E

a primeira coisa que vem a mente de

quem está no setor é: “Mas será que

precisa mesmo”? Ou, “não acredito que

faça tanta diferença assim” e por aí vão

os mais diversos questionamentos.

Insatisfação para o profissional, que

precisará puncionar de novo – manobra

que nem sempre é simples – principalmente

quando se tratam de pacientes

oncológicos, crianças, idosos e aqueles

que fazem uso de anticoagulante. E

reclamação do paciente – que muitas

vezes, não quer ser “furado” novamente.

E, Sim! Faz uma enorme diferença, e

vamos além: segundo estudos já realizados,

não apenas o volume inadequado

interfere em um resultado, como a

ordem correta dos tubos e o TEMPO de

centrifugação – que deve ser no mínimo

de 15 minutos e de preferência em

centrífugas refrigeradas – para maior

estabilidade da amostra.

Os tubos com Citrato de Sódio – nome

do conservante do tubo de tampa azul

– cor preconizada mundialmente – servem

para inúmeros testes laboratoriais e

em sua maioria, utiliza-se o plasma da

Fábia *

* Biomédica, especializada em Auditoria,

com mais de 20 anos na área Laboratorial.

Atualmente é consultora e auditora da

Empresa Suzimara & Sarahyba Consultoria

e Treinamentos LTDA.

amostra para realização dos ensaios.

Triagem também é uma fase pré-

-analítica de suma importância. Não

queira “ganhar tempo” diminuindo o

tempo de centrifugação – além de

contribuir para o analista liberar um resultado

errado, prejudicará o paciente.

Uma forma simples e eficiente de

averiguarmos a fidelidade do tempo

em que a amostra foi centrifugada é:

dosar no plasma, a contagem de plaquetas.

Uma amostra adequada deve

conter abaixo de 10.000 plaquetas.

E acredite, o pré-analítico é fundamental

para o sucesso do diagnóstico. Não

subestime seu papel na coleta ou triagem.

4ª edição do livro:

Procedimentos Básicos em

Microbiologia Clínica

Edição amplamente revisada

Novos capítulos:

Pesquisa e cultura de fungos;

Coleta de Amostras Biológicas

para diferentes exames.

LANÇAMENTO: Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial

Rio de Janeiro, de 24 a 27 de setembro 2019.

0104

Revista NewsLab | Ago/Set 2019

Informações para compra: www.sarvier.com.br


0105


lady news


informe de mercado

Informes de Mercado

Esta seção é um espaço publicitário dedicado

para a divulgação e ou explanação dos produtos e

lançamentos do setor.

Área exclusiva para colaboradores anunciantes.

Diagnóstica Rio trabalhando pela excelência dos clientes

A Diagnóstica Rio Produtos e Serviços

Médicos Hospitalares Ltda, fundada

em 2006, atua em todo o estado

do Rio de janeiro, comercializando

equipamentos e insumos em geral nas

áreas laboratorial, médico-hospitalar e

veterinária, bem como presta serviços

inerentes a tais distribuições, oferecendo

locações e comodatos de equipamentos.

Conta com equipes próprias

de assistência técnica, assessoria

científica, logística e corpo de vendas.

Sustentada por quatro importantes

pilares: qualidade, variedade, preço justo

e agilidade, nossa empresa busca a excelência

no atendimento aos seus clientes,

sempre procurando novas parcerias com

os maiores e melhores fabricantes de

produtos nacionais e importados, tendo

como principal parceiro a empresa espanhola

Biosystems. A junção das melhores

marcas aliadas a uma equipe de

profissionais capacitados, permite que a

Diagnóstica Rio desenvolva soluções que

atendam a todas as demandas, gerando

ganhos de eficiência e redução custos

para seus clientes.

Aprovada pela ANVISA com o CER-

TIFICADO DE BOAS PRÁTICAS DE AR-

MAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE

PRODUTOS PARA SAÚDE – CBPF, desde

2013, adota as melhores práticas de

armazenamento, onde possui salas climatizadas,

câmara fria equipada com

sistema de controle e monitoramento

à distância SITRAD, monitoramento

das entregas, veículos próprios e tudo

mais que é necessário para garantir

que seus clientes recebam os produtos

dentro das condições de uso estabelecidas

pelos fabricantes e normas da

vigilância sanitária.

Por ser uma empresa cumpridora

das normas e sempre focar nas necessidades

dos clientes é registrada nos

principais conselhos de classe: CRBIO,

CRF, COREN, CREA e CFT, que regulamentam

às áreas de atuação onde a

Diagnostica Rio presta seus serviços.

Nosso portifólio inclui equipamentos

e reativos de bioquímica, coagulação,

hematologia e urianálise, linhas

de hemoculturas, soros para identificação

microbiana, meios de cultura,

testes rápidos para doenças autoimunes,

infecciosas e alérgicas, de urianálise,

de esterilização, de materiais da

linha médica hospitalar e laboratorial:

seringas, agulhas, tubos de coleta, tubos

de ensaio e todos os equipamentos

acessórios necessários para o funcionamento

dos laboratórios: microscópios,

contador de células, centrifugas,

pipeta e outros.

São 13 anos de atuação no mercado,

onde os resultados deste trabalho são

evidentes, e, graças a muita seriedade

e dedicação, sempre visando oferecer

cada vez mais produtos e serviços objetivando

a excelência, temos conquistado

um espaço crescente no mercado.

DIAGNÓSTICA RIO PROD. SERV. MÉDICOS

HOSPITALARES LTDA.

(21) 2580-3357

vendas@diagnosticario.com.br

www.diagnosticario.com.br

0108

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Biodinamica, 32 anos de dedicação ao mercado de

diagnóstico in vitro

A Biodinamica atua em todo o estado

do Rio de Janeiro vendendo produtos e

soluções para todos os tipos e tamanhos

de laboratórios. Nossa equipe tem o objetivo

de atender necessidades dos clientes

e transformar nossa visão da empresa em

realidade. Nossa visão é “Ser reconhecida

pelo mercado como uma empresa de

ponta na comercialização de produtos

para saúde e na prestação de serviços técnicos

específicos”.

Neste longo caminho a empresa tem

investido em parcerias com marcas sólidas

e na excelência dos atendimentos técnico

e científico. Nossa principal parceria é com

a ROCHE onde distribuímos todos os tipos

de soluções, desde glicemia hospitalar,

passando por todas as áreas do laboratório,

tais como, bioquímica, imunologia,

hematologia, gasometria, coagulação,

eletrólitos, urianálise, soluções em Point

of Care para emergências, soluções para

veterinárias, consultoria laboratorial e soluções

de TI para laboratório.

Nosso pessoal comercial, técnico e científico

é treinado para assessorar os clientes

a definirem soluções para todos os tipos

de desafios, desde a montagem inicial do

laboratório, como para planejar a expansão

e liberação de modo interfaceado das rotinas.

A parceria que mantemos com nossos

clientes e nossa dedicação a estes, é o que

tem feito nossa história de sucesso. Quando

houver um problema, nos consulte, talvez

nós possamos ajudar a encontrar a solução

ideal para o seu Laboratório.

Produtos e Serviços para

Laboratórios Ltda

Biodinâmica Prod. e Serv. p/ Lab. Ltda.

Rua Carlos Costa , nº 10 B.Riachuelo

(21) 3578-0800

vendas@biodinamica-ltda.com.br

www.biodinamica-ltda.com.br


informe de mercado

0110

Recirculação ou armazenamento estático?

As bactérias desenvolvem-se em água

pura e formam biofilmes nas superfícies em

contacto com a água, a menos que sejam

tomadas medidas de prevenção. São utilizados

sub-mícrons 0,2 ou ultrafiltros para

remover bactérias, mas se a água que os

alimenta se encontrar muito contaminada

o armazenamento é necessário na maioria dos sistemas

de purificação de água após fases de purificação iniciais

com bactérias o filtro enfrentará um desafio

relativamente lentas, tais como a destilação ou a osmose

muito

inversa.

elevado

a água purificada

resultante

pode ser

da

armazenada

acumulação

de várias

de

formas:

bactérias e detritos com riscos elevados de

Opção 1

crescimento Num reservatório e ou até depósito de contaminação, flexível para utilização bem após

como troca iónica, libertação radiação de UV detritos e filtração. na água.

O controlo dos níveis bacterianos antes

Opção 1

dos

Armazenamento

filtros é alcançado

estático

através da Áreas recirculação

e da utilização de radiação ultravioleta. É

para

oclusão de ar

essencial um plano cuidadoso para A alcançar água não

Zona

o controlo adequado. A recirculação é abordada

nesta Nota tecnológica; a aplicação de

estática estagnação

UV no controlo bacteriano é abordada na

Alimentação do

purificador

Nota tecnológica 17 “Utilização da luz UV

Ponto de

no controlo bacteriano”.

distribuição

Recirculação comparada com armazenamento

estático

o armazenamento é necessário na maioria

dos sistemas de purificação de água após

fases de purificação iniciais relativamente

lentas, tais como a destilação ou a osmose

inversa. a água purificada pode ser armazenada

de várias formas:

Opção 1

Num reservatório ou depósito flexível

para utilização após passagem simples, através

de uma combinação de resinas de troca

iónica, radiação UV e filtração

flui para a área

resultando em

Recirculação ou

armazenamento estático?

As bactérias desenvolvem-se em água pura e formam biofilmes nas superfícies em contacto com a

água, a menos que sejam tomadas medidas de prevenção. Alimentação São utilizados sub-mícrons 0,2 ou ultrafiltros

do purificador

para remover bactérias, mas se a água que os alimenta se encontrar muito contaminada A água recircula com bactérias

Bomba de ininterruptamente

o filtro enfrentará um desafio muito elevado resultante da acumulação recirculação de bactérias quando e não detritos existe com

solicitação

riscos elevados de crescimento e até de contaminação, bem como libertação de detritos na água.

O controlo dos níveis bacterianos antes dos filtros é alcançado através da recirculação e da utilização de

radiação ultravioleta. É essencial um plano cuidadoso para alcançar o controlo adequado. A recirculação

é abordada nesta Nota tecnológica; a aplicação de UV no controlo A recirculação bacteriano da é água abordada num sistema na Nota de

tecnológica 17 “Utilização da luz UV no controlo bacteriano”.

Recirculação comparada com armazenamento estático

o armazenamento é necessário na maioria dos sistemas

de purificação de água após fases de purificação iniciais

relativamente lentas, tais como a destilação ou a osmose

inversa. a água purificada pode ser armazenada de várias

formas:

Opção 1

Recirculação ou

armazenamento estático?

As bactérias desenvolvem-se em água pura e formam biofilmes nas superfícies em contacto com a

água, a menos que sejam tomadas medidas de prevenção. São utilizados sub-mícrons 0,2 ou ultrafiltros

para remover bactérias, mas se a água que os alimenta se encontrar muito contaminada com bactérias

o filtro enfrentará um desafio muito elevado resultante da acumulação de bactérias e detritos com

riscos elevados de crescimento e até de contaminação, bem como libertação de detritos na água.

O controlo dos níveis bacterianos antes dos filtros é alcançado através da recirculação e da utilização de

radiação ultravioleta. É essencial um plano cuidadoso para alcançar o controlo adequado. A recirculação

é abordada nesta Nota tecnológica; a aplicação de UV no controlo bacteriano é abordada na Nota

tecnológica 17 “Utilização da luz UV no controlo bacteriano”.

Num reservatório ou depósito flexível para utilização após

passagem simples, através de uma combinação de resinas de

troca iónica, radiação UV e filtração.

Opção 1

Armazenamento estático

Alimentação do

purificador

Recirculação comparada com armazenamento estático

passagem simples, através de uma combinação de resinas de

Zona

estática

Áreas para

oclusão de ar

A água não

flui para a área

resultando em

estagnação

Ponto de

distribuição

Opção 2

Num reservatório com recirculação

periódica através de uma combinação

de resinas de troca iónica, radiação UV e

filtração. A opção 1 não fornece controlo

ou remoção e não é recomendada para

Opção 2

aplicações em que os níveis bacterianos

Num reservatório com recirculação periódica através de

uma combinação resinas de troca iónica, radiação

necessitem de ser controlados. a opção 2

UV e filtração.

a é opção a melhor 1 não fornece escolha controlo para ou remoção baixos e não níveis é de

recomendada para aplicações em que os níveis bacterianos

necessitem contaminação de ser controlados. no reservatório a opção 2 é a melhor e purificação

final anterior à utilização. ambas as

escolha

para baixos níveis de contaminação no reservatório e

purificação final anterior à utilização. ambas as opções

são comparadas abaixo.

opções são comparadas abaixo.

Opção 2

Armazenamento com recirculação periódica

Retorno para

repurificação

Opção 2

Num reservatório com recirculação periódica através de

uma combinação de resinas de troca iónica, radiação

UV e filtração.

armazenamento de água purificada tem

dois propósitos. a água em movimento

tende a interferir com o estabelecimento

e crescimento de biofilmes, que actuam

como núcleos para o crescimento bacte-

a opção 1 não fornece controlo ou remoção e não é

recomendada para aplicações em que os níveis bacterianos

necessitem riano. a de passagem ser controlados. repetida a opção de 2 água é a melhor através escolha

para baixos níveis de contaminação no reservatório e

de uma câmara UV e de um meio de pu-

purificação final anterior à utilização. ambas as opções

são comparadas abaixo.

Opção 2

Armazenamento com recirculação periódica

Retorno para

repurificação

Alimentação

do purificador

Bomba de

recirculação

Filtro de ventilação

composto para

remoção de

contaminantes

atmosféricos

A água flui

constantemente –

não existem áreas

estáticas

Ponto de

distribuição

rificação remove as bactérias e outras impurezas

de forma contínua, minimizando a

acumulação. em contraste, a água estática

em reservatórios ou em dead-legs (secções

estagnadas) é sempre considerada

Filtro de ventilação

como uma fonte altamente composto indesejável para de

remoção de

contaminação bacteriana, contaminantes como recomendado

em clSi, iSPe, USP, A água eP. flui a recirculação

atmosféricos

constantemente –

pode produzir melhoramentos não existem áreas drásticos

estáticas

nos níveis de contaminação bacteriana,

Ponto de

distribuição

conforme ilustrado abaixo. a água purifi-

A água recircula

ininterruptamente

quando não existe

solicitação

cada foi armazenada em dois reservatórios

esterilizados de 25 litros equipados com

filtros de protecção. em ambos os casos, foi

distribuído 1 litro de água por minuto por

hora, o correspondente a dois volumes de

reservatório por dia. os reservatórios foram

higienizados periodicamente. Num dos reservatórios

não foi efectuada recirculação e

foram recolhidas amostras de forma asséptica.

a água que se encontrava no segundo

sistema foi recirculada ininterruptamente

através de uma resina de troca iónica e

de uma câmara UV. as amostras foram

recolhidas de dois pontos: do reservatório

e depois da câmara UV. os resultados são

ilustrados abaixo. como esperado, os níveis

bacterianos no reservatório estático foram

muito elevados, aumentando de 4 para

mais de 1000 UFc/ml. os níveis no reservatório

onde ocorreu a recirculação apresentaram

uma média de 2,1 UFc/ml, realçando

a carga mais baixa em qualquer filtro final.

os melhores resultados foram obtidos a

partir de amostras recolhidas após as tecnologias

de purificação, tipicamente 0,1

UFc/ml ou menos.

a recirculação da água num sistema de armazenamento de água purificada tem dois propósitos. a água em movimento tende

a interferir com o estabelecimento e crescimento de biofilmes, que actuam como núcleos para o crescimento bacteriano.

a passagem repetida de água através de uma câmara UV e de um meio de purificação remove as bactérias e outras impurezas

de forma contínua, minimizando a acumulação. em contraste, a água estática em reservatórios ou em dead-legs (secções

estagnadas) é sempre considerada como uma fonte altamente indesejável de contaminação bacteriana, como recomendado

em clSi, iSPe, USP, eP.

a recirculação pode produzir melhoramentos drásticos nos níveis de contaminação bacteriana, conforme ilustrado abaixo.

a água purificada foi armazenada em dois reservatórios esterilizados de 25 litros equipados com filtros de protecção. em

ambos os casos, foi distribuído 1 litro de água por minuto por hora, o correspondente a dois volumes de reservatório por dia.

os reservatórios foram higienizados periodicamente. Num dos reservatórios não foi efectuada recirculação e foram recolhidas

amostras de forma asséptica. a água que se encontrava no segundo sistema foi recirculada ininterruptamente através de uma

resina de troca iónica e de uma câmara UV. as amostras foram recolhidas de dois pontos: do reservatório e depois da câmara

UV. os resultados são ilustrados abaixo. como esperado, os níveis bacterianos no reservatório estático foram muito elevados,

aumentando de 4 para mais de 1000 UFc/ml. os níveis no reservatório onde ocorreu a recirculação apresentaram uma

média de 2,1 UFc/ml, realçando a carga mais baixa em qualquer filtro final. os melhores resultados foram obtidos a partir de

amostras recolhidas após as tecnologias de purificação, tipicamente 0,1 UFc/ml ou menos.

contagem total viável

*Contagem total viável

Reservatório estático Reservatório de recirculação

torneira de distribuição de recirculação

Para mais informações:

www.veoliawatertech.com/latam

watertech.marcom.latam@veolia.com

Dias

Para mais informações:

www.veoliawatertech.com/latam

watertech.marcom.latam@veolia.com

Revista NewsLab | Ago/Set 2019

Reservatório estático

Reservatório de recirculação

torneira de distribuição de recirculação


Fujirebio estará presente no 53º Congresso Brasileiro

de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

A Fujirebio estará presente no 53º

CBPC/ML (Congresso Brasileiro de Patologia

Clínica/Medicina Laboratorial) no

Centro de Convenções Sul américa no Rio

de Janeiro entre os dias 24 a 27 de setembro

de 2019 no estande # 69. A feira estará

em sua 53ª edição, contará com diversos

expositores e uma grande programação

científica. Será imperdível para todos os

profissionais da área da saúde.

A Fujirebio, ao longo dos anos, foi

moldada pela integração bem-sucedida

com experientes empresas no ramo de

diagnóstico in vitro, como a Centocor em

1998, a CanAg Diagnostics em 2006 e a

Innogenetics em 2010.

Hoje, a Fujirebio inclui escritórios nos

Estados Unidos, Europa, América Latina

e Ásia, bem como uma vasta rede de distribuição

internacional.

A linha de produtos da Fujirebio possui

soluções avançadas de testes laboratoriais

clínicos totalmente automatizados.

Além disso, inclui biomarcadores novos e

de rotina. Eles cobrem uma variedade de

diagnósticos, como as doenças infecciosas,

oncologia, testes genéticos, tireoide,

fertilidade, tipagem de tecido, neurodegeneração

e metabolismo ósseo.

Envie um e-mail para brazil@fujirebio.com

e agende uma reunião com representantes

da empresa durante o evento.

Fujirebio

Telefone: (11) 2176-2070

brazil@fujirebio.com

www.fujirebio.com

0111


informe de mercado

FirstLab apresenta um novo conceito na

fabricação de coletores

A proposta da FirstLab é fornecer

produtos para laboratórios dedicados

à área de análises clínicas com responsabilidade

e sustentabilidade. A

nossa linha de produção usa de forma

consciente toda a matéria-

-prima, como por exemplo, a utilização

da menor quantidade de plástico

necessária na produção sem perder a

resistência e a qualidade.

“Fizemos um estudo de mercado e

percebemos uma oportunidade para

nos diferenciarmos oferecendo um

produto com um novo conceito em

sua produção”, explica Laura Santos,

da FirstLab. Os coletores são fabricados

em polipropileno, material

resiliente que deixa o produto mais

maleável minimizando o risco de

rachaduras, inclusive nas tampas. O

sistema de vedação tipo rosca

facilita o transporte e evita qualquer

tipo de perda da amostra. Além disso,

para facilitar a coleta de amostra do

paciente, principalmente o feminino,

num trabalho conjunto entre as equipes

de desenvolvimento de produtos

e assessoria científica, foi elaborado

um coletor de 50 mL com a boca

mais larga, do mesmo tamanho da

boca do coletor de 80 mL.

E o nosso compromisso vai além,

os produtos de fabricação própria

passam por 4 etapas de inspeção

até a entrega final: inspeção física

(vedação, rebarbas e empenamento

de tampa); inspeção de quantidade

por pacote (peso e unidades); inspeção

da integridade do produto final e

inspeção dos dados técnicos. E todos

os produtos estéreis passam pelo processo

de radiação ionizante.

Saiba mais sobre os produtos FirstLab ::

www.firstlab.ind.br

atendimento@firstlab.ind.br | 0800 710 0888

0112

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Publieditorial

O Laboratório São Marcos construiu, ao longo da sua

trajetória, uma história de quase 80 anos

baseada em valores e princípios sólidos.

Nessas oito décadas, o São Marcos

se tornou sinônimo de tradição

e credibilidade em Minas Gerais,

sendo hoje uma das referências

no Mercado de Medicina

Preventiva e Diagnóstica.

A experiência acumulada com

o tempo e a busca constante

pela evolução, contribuíram para

a nossa expansão, fazendo nascer assim o

Grupo São Marcos. Atualmente, possuímos 76

unidades nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte

e de São Paulo. Além da atuação em Análises Clínicas,

oferecemos serviços de Anatomia Patológica e

Citologia, Biologia Molecular, Genética, Diagnóstico por

Imagem, Medicina Nuclear e Vacinas.

O São Marcos Laboratório de Apoio é parte fundamental

desse crescimento. Atuando diretamente em mais 16

estados brasileiros, além de Minas Gerais, contribuímos

efetivamente com o desenvolvimento do negócio

de mais de 600 clientes.

A capacidade da nossa área produtiva é de 3 milhões de

exames por mês. Por meio de uma tecnologia avançada,

utilizando sistemas automação total, com esteiras

de alta performance, desde 2015, oferecendo resultados

laboratoriais com precisão e agilidade.

Nosso sistema oferece aos laboratórios apoiados, não

só geração de etiqueta primária, como rápida integração,

seja via WebService ou XML (upload de dados no

nosso portal).

Somos reconhecidos pela qualidade de nossa equipe e

de nossa Área Técnica por meio dos certificados: ONA;

PALC; SBIm e ISO 2008.

Oferecemos aos clientes diversos canais de comunicação

com a nossa Assessoria Científica, sempre pronta

para oferecer o suporte necessário.

São Marcos Laboratório de Apoio, parceria total

com seu negócio!

Diferenciais que impulsionam o crescimento do São

Marcos Laboratório de Apoio:

• Rapidez em toda cadeia produtiva

• Resultados com qualidade e precisão

• Atendimento diferenciado e próximo do cliente

• Suporte especializado e resolutivo

• Preços e condições altamente competitivos

• Logística certificada para transporte biológico

• Plataforma de educação a distância com conteúdo

exclusivo

• Pacotes especiais exclusivos

Fale com a gente! Para mais informações,

consulte um de nossos representantes pelo telefone:

(31) 2104-0133

saomarcoslaboratorio.com.br

saomarcoslaboratorio


informe de mercado

Médica Comércio - Há 15 anos contribuindo para o

segmento de diagnóstico clínico

logística rápida e eficiente para armazenamento

e transporte de produtos, com

®

arcadores cardíacos mLabs

equipe administrativa e comercial de alto

omarcadores cardíacos no mLabs diagnóstico ® do infarto agudo nível do e miocárdio

técnicos e assessores científicos

capacitados, conquistando assim, respeito

iomarcadores cardíacos no diagnóstico do infarto agudo do miocárdio

e credibilidade junto aos clientes e ao mercado

de diagnóstico clínico.

A MÉDICA LTDA acredita na importância

de procurar sempre os melhores

diagnóstico precoce do Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) e o imediato início do

Hoje, estamos diante de um grande

tamento diagnóstico são precoce essenciais do desafio: Infarto para proporcionar reduzir Agudo do a ao mortalidade Miocárdio mercado de (IAM) e

padrões

morbidade e o imediato de atendimento

dos início pacientes

e do se compromete

em oferecer dos pacientes uma ampla gama

ratamento ometidos. são essenciais

diagnóstico

para reduzir

clínico soluções

a mortalidade

inovadoras

de maneira mais rápida e eficiente

e morbidade

cometidos.

de instrumentos para diagnósticos em

análise dos marcadores contribuindo cardíacos com (Troponina excelência I, na CK-MB resposta

cardíacos aos e pacientes. na (Troponina estratificação I, CK-MB de risco e Mioglobina), de hormônios, pacientes uroanálise, é de admitidos extremo gasometria, na

e hematologia, Mioglobina), bioquímica, é de extremo imunologia,

lor análise no diagnóstico dos marcadores diferencial

Por isso, há 15 anos a MÉDICA LTDA

alor ergência no diagnóstico com dor torácica. diferencial e na estratificação de risco de eletrólitos, pacientes point admitidos of care na e diagnóstico

através da detecção do material

comercializa produtos e equipamentos de

mergência com dor torácica.

alta qualidade para o diagnóstico laboratorial.

Distribuidora exclusiva dos produ-

ao longo dos anos focamos em satis-

importante observar a típica elevação e queda dos padrões dos genético. marcadores Com a expertise de necrose adquirida

rdíaca importante juntamente observar com a típica

tos

achados elevação

Roche nos

clínicos e queda

estados

consistentes dos padrões

de Pernambuco,

de dos Síndrome marcadores Coronária de necrose Aguda

fazer nossos clientes com produtos e

CA).

ardíaca juntamente com achados clínicos consistentes de Síndrome Coronária Aguda

Alagoas e Paraíba, dispõe de estrutura serviços diferenciados, em valorizar

SCA).

pidez e precisão no diagnóstico do infarto agudo do miocárdio, avaliação de dispneia

apidez e precisão no diagnóstico do infarto agudo do miocárdio, avaliação de dispneia

or torácica através da quantificação dos marcadores cardíacos utilizando o analisador

dor torácica através da quantificação dos marcadores cardíacos utilizando o analisador

ltiparâmetros mLabs ® .

ultiparâmetros mLabs ® .

Múltiplo de amplitude referência superior

Múltiplo de amplitude referência superior

nossos colaboradores através do seu

desenvolvimento profissional e em

promover a solidez e sustentabilidade

da nossa organização.

A MÉDICA LTDA possui as certificações

necessárias para garantir a qualidade

de seus produtos e serviços o que

garantiu seu crescimento tanto no setor

público como no privado, se posicionando

com destaque no segmento de

diagnóstico clínico, sendo considerada

empresa sólida e inovadora.

Rua Francisco Silveira 99

Galpão 99c, Bairro Afogados,

Recife-PE - CEP 50.770-020

81 3221-8277

www.medica-ne.com.br

Marcadores cardíacos mLabs® - Biomarcadores

cardíacos no diagnóstico do infarto agudo do miocárdio

Padrão temporal de liberação

Padrão temporal de liberação

Horas após o início do IAM

Marcador cardíaco Aumento inicial Pico Retorno - Valor - Valor basal basal

Mioglobina 2-3h 6-9h 18-36h

CK-MB 3-8h 10-24h 3-4 3-4 dias dias

Troponina 4-6h 10-24h 10-24h 7 dias 7 dias ou ou mais mais

ara

Para

maiores

maiores

informações,

informações,

entre

entre em

em

contato

contato

através

através

do

do

e-mail

e-mail

faleconosco@lumiradx.com

faleconosco@lumiradx.com

ou (11) 5185- 0114 8181.

(11) 5185- 8181.

AGILIDADE NA TOMADA DE DECIS

DOS DIAGNÓSTICOS

O diagnóstico precoce do Infarto Agudo do Miocárdio

(IAM) e o imediato início do tratamento são essenciais para

reduzir a mortalidade e morbidade dos pacientes acometidos.

A análise dos marcadores cardíacos (Troponina I, CK-MB e

Mioglobina),

Point

é

of

de

Care

extremo

e Testes

valor

Rápidos.

no diagnóstico diferencial e

na estratificação de risco de pacientes admitidos na emergência

com dor torácica.

É importante Point of observar Care proporciona a típica elevação inúmeras vantagens: e queda dos padrões

dos marcadores • Rápida de tomada necrose de decisão cardíaca juntamente com achados

• Redução do Tempo de Resposta – TAT*

clínicos consistentes • Redução no de tempo Síndrome de internação Coronária Aguda (SCA).

• Menor proporção de erros pré e pós analíticos

Rapidez e precisão no diagnóstico do infarto agudo do

• Volume baixo de amostras

miocárdio, • Precisão avaliação e exatidão de dispneia compatíveis e dor aos torácica através da

métodos convencionais

quantificação dos marcadores cardíacos utilizando o analisador

multiparâmetros mLabs®.

Precisão • Rapidez • Eficiência

A LumiraDx oferece ao mercado diagnóstico inovação no segmento de

Disponibilizamos soluções com resultados de qualidade nas áreas de Gasomet

Eletrólitos e Metabólitos, Bioquímica, Hematologia, Uroanálise, Perfil Lipídico,

Hemoglobina Glicada, Testes Rápidos, Marcadores Cardíacos e outros parâme

Discovering. Inspiring. Transforming.

Tel.: 55 11 5185-8181– faleconosco@lumiradx.com.br

Para maiores informações,

entre em contato através do e-mail :

faleconosco@lumiradx.com ou (11) 5185- 8181.

Revista NewsLab | Ago/Set 2019

• Redução de gastos com calib

e controles de qualidade

• Autonomia energética

• Equipamentos portáteis

• Utilização simples e rápida

• Eficiência operacional

(*) TAT – Turnaround time


A Controllab é licenciada para o fornecimento

de cepas de referência autenticadas

NCTC*, essenciais no controle de qualidade

dos exames.

Inscreva-se no Programa CEPAS CONTROLE

e tenha mais tempo para dedicar-se à análise

dos exames.

Ao participar, o laboratório deixa de realizar

os repiques na rotina, recebe os inóculos

acompanhados de certificados e atende aos

requisitos para a implementação de diversas

recomendações normativas, incluindo CLSI,

BrCAST - EUCAST, AFNOR, FDA, ISOs, Farmacopeias,

entre outras.

Cepas de origem NCTC liofilizadas. Acompanhadas

de certificado de análise contendo as características

do microrganismo.

com identificação exclusiva para o seu laboratório

CEPA CONTROLE - Cepas, em sua

maioria de 1ª geração, certificadas e

acompanhadas de repiques para a

manutenção das rotinas automatizadas

e manuais.

Autenticidade

Confiabilidade

Rastreabilidade

Controles disponíveis para introdução imedia ta na rotina.

Saiba mais em controllab.com

*NCTC é uma marca registrada da Secretaria de Estado de Saúde e Assistência Social do Reino Unido e licenciada para a Controllab por meio da

Public Health England, uma de suas agências executivas.


informe de mercado

Dynascatter Laser - Maior precisão na contagem

diferencial de leucócitos

Tecnologia patenteada

O inovador sistema de detecção da

dispersão laser em 3 ângulos fornece

uma melhor detecção de células WBC

usando medidas precisas de dispersão

de luz. A partir de um sensor de detecção

de pequeno ângulo dianteiro

(FSS), no qual se obtém informações

sobre o tamanho do leucócito em

análise. Um segundo sensor de grande

ângulo dianteiro (FLS), no qual se

obtém informações sobre a estrutura

celular e complexidade de partículas

de nucleocromatina, e finalmente a

partir de um sensor de ângulo lateral

(SDS), obtemos informações de granularidade

interna e globularidade. Esta

informação gráfica 3D é calculada por

um algoritmo de software exclusivo

da Nihon Kohden.

Sem processamento

químico de WBC

O reagente de classificação de leucócitos

patenteado pela Nihon Kohden

provoca a hemólise seletiva das hemácias,

deixando os leucócitos intactos.

O núcleo, os grânulos e a celularidade

são preservados em seu estado original.

As células não são alteradas por

coloração, retração ou lise diferencial,

desta forma não há distorção dos resultados

da medição. O Celltac Es

pode obter informações morfológicas

a partir de núcleos e grânulos de WBC

de forma natural e realizar contagens

diferenciais (5 diff) mais precisas.

Medição em um único canal

O Celltac Es mede cada célula em

um único citômetro de fluxo. Isso elimina

erros de medição usando vários

métodos de canal.

Fonte: Nihon Kohden Corporation - Japan

NIHON KOHDEN

Rua Diadema, 89 1° andar CJ11 a 17

Bairro Mauá – São Caetano do sul/SP

CEP 09580-670, Brasil

Contato: +55 11 3044-1700

FAX: + 55 11 3044-0463

fabio.jesus@nkbr.com.br

0116

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


1 Plataforma

Plataforma 28

28 Testes

Testes ~2,000

~2,000 Resultados/Dia

Resultados/Dia *^ *^

*^

Infecções

Associadas Infecções

Associadas

aos

Cuidados aos

de de Cuidados

Saúde

de Saúde

Saúde da da

Saúde da

Mulher

Mulher

Oncologia

Oncologia e

Genética Genética

Xpert ® ® MRSA NxG

Doenças

Xpert ® MRSA NxG

® SA Doenças

Xpert ® SA Nasal Complete Infecciosas

Xpert ® SA Nasal Complete Infecciosas

Críticas

Xpert ® ® MRSA/SA BC

Críticas

Xpert ® MRSA/SA BC

Xpert ® ® MRSA/SA SSTI

Xpert ® MRSA/SA SSTI

Xpert ® ® C. C. difficile BT BT

Xpert ® C. difficile BT

Xpert ® ® vanA/vanB

Xpert ® vanA/vanB

Virologia

Virologia

Xpert ® ® Carba-R

Xpert ® Carba-R

Xpert ® ® Norovirus

Xpert ® Norovirus

Xpert

Xpert ® ® CT/NG

® CT/NG

Xpert

Xpert ® ® CT CT

® CT

Xpert

Xpert ® ® TV TV ® TV

Xpert

Xpert ® ® HPV ® HPV

Xpert

Xpert ® ® GBS ® GBS

Xpert

Xpert ® ® ® Breast

Breast Cancer

Cancer STRAT4

STRAT4

Xpert

Xpert ® ® ® Bladder

Bladder Cancer

Cancer Detection

Detection

Xpert Xpert ® ® ® Bladder Bladder Cancer Cancer Monitor

Xpert Xpert ® ® ® BCR-ABL Ultra

Xpert ® ® FII FII FII & FV FV FV

Xpert ® ® Xpress Strep A

Xpert ® Xpress Strep A

Xpert ® ® Xpress Flu/RSV

Xpert ® Xpress Flu/RSV

Xpert ® ® MTB/RIF Ultra

Xpert ® MTB/RIF Ultra

Xpert ® ® EV EV

Xpert ® EV

Xpert ® ® Ebola

Xpert ® Ebola

Xpert ® ® HCV VL VL Fingerstick

Xpert ® HCV VL Fingerstick

Xpert ® ® HCV Viral Load

Xpert ® HCV Viral Load

Xpert ® Xpert ® HBV Viral Load

® HBV Viral Load

Xpert

Xpert ® ® HIV-1 Qual

® HIV-1 Qual

Xpert

Xpert ® ® ® HIV-1

HIV-1 Viral

Viral Load

Load

* *

Análise * Análise interna interna Cepheid Cepheid do do GeneXpert Infinity-80 usando usando ensaios ensaios mistos mistos durante durante um um período período de de tempo tempo de de 24 24 horas horas

Análise interna Cepheid do GeneXpert Infinity-80 usando ensaios mistos durante um período de tempo de 24 horas

^ ^

^Chernesky MA MA et et al. al. Comparação dos dos ® ®

instrumentos

®

cobas cobas 4800, 4800, MA et al. Comparação dos instrumentos cobas 4800, m2000, m2000,

m2000, Viper Viper

Viper XTR XTR

XTR e Infinity e Infinity

Infinity 80 80

80 emparelhamentos

emparelhamentos automáticos

automáticos durante

durante o o processamento

processamento

de de amostras amostras

de amostras de de urina urina

de urina para para

para o o diagnóstico

o diagnóstico de de

de Chlamydia

Chlamydia trachomatis

trachomatise e Neisseria Neisseria gonorrhoeae.

gonorrhoeae. Doença

Doença sex. sex.

sex. trans. trans.

trans. 2017 2017

2017 Mar;44(3):161-165.

Mar;44(3):161-165.

Para Para Para mais mais mais informações informações entre entre entre em em em contato: contato: info-la@cepheid.com

info-la@cepheid.com

043


informe de mercado

cobas pro ® integrated solutions

A Roche tem a satisfação de comunicar o

lançamento do mais novo membro da família

da Área de Soro: o cobas c 503 analytical

unit. O novo e inteligente conceito de manutenção

auto-operacional executa automaticamente

as tarefas de manutenção em

segundo plano e reduz a carga manual diária

para zero na unidade analítica cobas c 503 e

para apenas cinco minutos quando considerada

a unidade analítica cobas e 801. O cobas®

pro integrated solutions foi desenhado com

foco na melhoria e otimização da operacionalização,

reduzindo ao máximo as tarefas de

manutenção, potencializando sua produção

em até 1.000 testes/hora e com o conceito

sustentável do cobas c pack green.

Excelente desempenho, simples de usar

e projetado com perfeição. Fornecendo

diferenciais para estabelecer novos padrões

em confiabilidade, manutenção e

eficiência. Além do mais, com o cobas®

pro integrated solutions, os laboratórios

poderão aumentar sua capacidade com

unidades analíticas rápidas, roteamento

de amostra inteligente e tempo de processamento

de ensaios curto e previsível.

Permita que seus médicos ajam com mais

rapidez, com os melhores testes de rotina

STAT em 9 minutos e de rotina de imunoquímica

em 18 minutos.

* Todas as Informações do instrumento

foram extraídas do manual do produto

Todos os reagentes e instrumentos

comercializados no Brasil estão

devidamente registrados, para obter a

relação dos números de registro ligue para

0800 77 20 295

Roche Diagnóstica Brasil Ltda. Av.

Engenheiro Billings, 1729 - prédio 38 www.

roche.com.br– Brasil © 2019 Roche

MC-BR-00572- – Agosto/2019

Roche Diagnóstica Brasil Ltda. Av.

Engenheiro Billings, 1729 - prédio 38

www.roche.com.br– Brasil © 2019

Roche

MC-BR-00572- – Agosto/2019

0118

Mobius lança kit para detecção do

Vírus John Cunningham

O vírus John Cunningham (JCV)

pertence à família do poliomavírus

humano e foi identificado pela primeira

vez em 1965. Este vírus foi batizado

com os dois primeiros nomes do paciente

diagnosticado com uma doença

causada pelo vírus, a leucoencefalopatia

multifocal progressiva (LEMP).

Estima-se que cerca de 80% da população

tenha este vírus, geralmente sendo

infectado na infância de forma assintomática,

provavelmente por vias respiratórias.

Em um sistema imunológico sadio

o JCV não oferece grandes riscos.

Contudo, indivíduos com o sistema

imunológico comprometido como

portadores de HIV, transplantados ou

quem faz tratamento com imunossupressores

tem chances de reativar o

vírus e levar a LEMP.

Portadores de esclerose múltipla

normalmente utilizam como forma

de tratamento uma droga chamada

de natalizumabe. Seu uso crônico, por

mais de dois anos, está associado ao

desenvolvimento de LEMP, principalmente

em pacientes com JCV positivo.

Diagnóstico molecular

A Mobius Life Science lançou recentemente

o Kit XGen Master JCV

faz a detecção e quantificação do DNA

viral do vírus John Cunnigham por PCR

em tempo real com uma amostra de

sangue, plasma, líquido cefalorraquidiano

ou urina. Nessa técnica não é

necessária a realização de biópsia do

tumor, um procedimento mais invasivo

e de maior risco para o paciente.

Além disso, o resultado é rápido: o

processamento do teste leva apenas 2

horas e meia.

Registro ANVISA: 80502070080

Mobius Life Science

www.mobiuslife.com.br

comercial@mobiuslife.com.br |

0800-7101850

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


GTgroup - Tecnologia, inovação, segurança & confiança

Após dez anos de atuação no mercado

de diagnóstico, é tempo de nos

reinventarmos. Apresentamos a nova

marca, o novo slogan; mas algo que

não mudou é a nossa veia inovadora e

a busca por oferecer ao mercado novas

soluções e recursos, com tecnologia

de ponta, para mantermos o lugar de

referência no segmento laboratorial.

E apesar de estarmos caminhando

para o fim do ano, ainda temos novidades

para contar. Nos próximos

meses lançaremos uma nova linha de

equipamentos de Bioquímica e Hematologia;

são aparelhos mais modernos,

com recursos e funcionalidades

para trazer ainda mais eficiência e

agilidade à rotina dos laboratórios de

nossos clientes e parceiros. Além dos

equipamentos pré-analíticos, e semi-

-automação para Coagulação e Urianálise

que já se tornaram sucesso em

vendas e recordistas em satisfação de

nossos clientes.

Se ainda não é um cliente, salientamos

que estamos constantemente

abertos à novas parcerias e oportunidades

de negócio, e deixamos o

convite para que venha nos conhecer

mais de perto.

Central de Vendas: (31) 3589-5000

vendas@gtgroup.net.br

Whatsapp: (31) 98786-6021

Rua Mucuri, 255 - Floresta

Belo Horizonte / MG

INVITATION

INVITATION

Erba Mannheim inicia

Erba sua operação Mannheim no inicia Brasil!

sua operação no Brasil!

BOOTH 182-183

MAY BOOTH 28 182-183 - 31, 2019

MAY 28 - 31, 2019

Temos o prazer de nos apresentar a você, e expor

Temos nossa mais o prazer recente de nos gama apresentar de produtos, a você, no e 53º expor Congresso

AMBASSADOR nossa Brasileiro mais de CITY recente Patologia HOTEL gama Clínica de produtos, e Medicina no 53º Laboratorial. Congresso

AMBASSADOR PATTAYA, Brasileiro THAILAND de CITY Patologia HOTEL Clínica e Medicina Laboratorial.

PATTAYA, Estande THAILAND 113. 24 à 27 de Setembro de 2019

Estande Centro do Convenções 113. 24 SulAmérica, à 27 de Setembro Rio de Janeiro, de Brasil. 2019

Centro do Convenções SulAmérica, Rio de Janeiro, Brasil.

Para saber mais sobre nossos produtos e serviços, visite

Para www.erbamannheim.com

saber mais sobre nossos produtos e serviços, visite

www.erbamannheim.com

Esperamos por você!

Esperamos por você!

ANÚNCIO

ANÚNCIO

INVITATION

& INVITATION CONVITE

CONVITE

Erba Diagnostics Brazil

Erba Diagnostics Brazil

LAURA XL

ANALISADOR AUTOMATIZADO

LAURA PARA URINA XL

ANALISADOR AUTOMATIZADO

PARA URINA

ECL 760

ECL 760

ANALISADOR AUTOMATIZADO

PARA TESTES DE COAGULAÇÃO

ANALISADOR AUTOMATIZADO

PARA TESTES DE COAGULAÇÃO

ELITE 580

ANALISADOR AUTOMATIZADO

ELITE DE 5 PARTES 580 PARA HEMATOLOGIA

ANALISADOR AUTOMATIZADO

DE 5 PARTES PARA HEMATOLOGIA

ERBA DIAGNOSTICS BRAZIL

ERBA DIAGNOSTICS BRAZIL

Av. Princesa Diana, 115, Sala 6, Alpha Ville,

Nova Lima, Minas Gerais 34000-000, Brasil

Av. Princesa Diana, 115, Sala 6, Alpha Ville,

salesbrazil@erbamannheim.com • www.erbamannheim.com

Nova Lima, Minas Gerais 34000-000, Brasil

ALTA PERFORMANCE

SISTEMA INTUITIVO

ACESSÍVEL, CONFIÁVEL

AUTOMAÇÃO ACESSÍVEL

FÁCIL UTILIZAÇÃO

E EFETIVO.

ALTA PERFORMANCE SISTEMA INTUITIVO ACESSÍVEL, CONFIÁVEL


informe de mercado

A importância da dosagem do D-Dimer.

A importância da dosagem do D-Dimer.

O D-Dímero é um produto de degradação específico da fibrina (FDP). Ocorre quando um coágulo de sangue

é degradado pelo fibrinogênio. Portanto, indica a possível presença de coágulos sanguíneos

potencialmente perigosos organismo.

O teste de D-Dímero é usado como uma ajuda no diagnóstico de tromboembolismo venoso, uma doença

disseminada mundialmente e a terceira doença depois de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral.

O D-Dímero é um produto de degradação

específico da fibrina (FDP). Ocorre quando

um coágulo de sangue é degradado pelo

fibrinogênio. Portanto, indica a possível presença

de coágulos sanguíneos potencialmente

perigosos organismo.

O teste de D-Dímero é usado como uma

ajuda no diagnóstico de tromboembolismo

venoso, uma doença disseminada mundialmente

e a terceira doença depois de ataque

cardíaco e acidente vascular cerebral.

Os principais tipos de VTE são a trombose

venosa profunda (DVP) e embolismo pulmonar

(EP). Em combinação com uma avaliação

clínica é recomendado como primeiro teste

no gerenciamento de pacientes com suspeita

de tromboembolismo venoso.

Existem 3 diferentes métodos para a

detecção de D-Dímero. O kit HemoStat D-

-Dimer da In Vitro/Human é um imunoensaio

aprimorado de micropartículas pra a

determinação quantitativa de D-Dímero. Utiliza

um anticorpo monoclonal que reage especificamente

com o D-Dímero, e não com

outros produtos de degradação da fibrina.

Os principais tipos de VTE são a trombose venosa profunda (DVP) e embolismo pulmonar (EP). Em

combinação com uma avaliação clínica é recomendado como primeiro teste no gerenciamento de

pacientes com suspeita de tromboembolismo venoso.

Existem 3 diferentes métodos para a detecção de D-Dímero. O kit HemoStat D-Dimer da In Vitro/Human é

um imunoensaio aprimorado de micropartículas pra a ser determinação usado em quantitativa combinação de D-Dímero. com Utiliza um um

anticorpo monoclonal que reage especificamente com o D-Dímero, e não com outros produtos de

degradação da fibrina.

teste de baixa probabilidade para a

O teste é simples porque é fácil de ser usado. É rápido por fornecer o resultado em 3 minutos. Possui

excelente custo benefício se comparado com testes de imagem.

É seguro. Testes provaram que o kit HemoStat D-Dimer da In Vitro/Human tem um alto valor preditivo

negativo (VPN) de 99%, acompanhado de alta sensibilidade. Nestas condições o teste cumpre

Um resultado positivo de D-Dímero pode

perfeitamente com as diretrizes CLS H59-A , e é recomendado para ser usado em combinação com um

teste de baixa probabilidade para a exclusão de DVP e indicar EP. VTE, mas outras causas potenciais

Um resultado negativo de D-Dímero praticamente descarta trombose.

Um resultado positivo de D-Dímero pode indicar VTE, mas outras causas potenciais (ex. gravidez) ainda são

possíveis.

Abaixo do Cut-off

Sem tratamento

EP/DVP improvável

(paciente de baixo risco

EP/DVP improvável

(paciente de baixo risco

Acima do Cut-off

Determinar a probabilidade de

EP / DVP

O teste é simples porque é fácil de ser

usado. É rápido por fornecer o resultado em

3 minutos. Possui excelente custo benefício

se comparado com testes de imagem.

É seguro. Testes provaram que o kit

HemoStat D-Dimer da In Vitro/Human

tem um alto valor preditivo negativo

(VPN) de 99%, acompanhado de alta

sensibilidade. Nestas condições o teste

cumpre perfeitamente com as diretrizes

CLS H59-A , e é recomendado para

exclusão de DVP e EP.

Um resultado negativo de D-Dímero praticamente

descarta trombose.

(ex. gravidez) ainda são possíveis.

EP/DVP provável

(paciente de alto risco

Imagem: Ultrassonografia, Raio X – Venografia (DVP) ou

Tomografia computadorizada (EP)

Saiba mais em www.invitro.com.br Saiba mais em: www.invitro.com.br

0120

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


HUMASRATE 24PT

Sedimentação

com velocidade

e precisão

O procedimento no HumaSRate 24PT contempla as três da fases da sedimentação,

sendo uma leitura realizada a cada dez segundos, o que confere mais precisão e alta

correlação com Westergren.

Taxa de Sedimentação Eritrocitária

A sedimentação eritrocitária no HumaSRate 24 PT ocorre em três fases:

- Fase 1 Agregação: A agregação de eritrócitos é um aglomerado reversível de

glóbulos vermelhos.

- Fase 2 Sedimentação: Eritrócitos se agregam de maneira especial para formar

um rouleaux e descem para o fundo do tubo.

- Fase 3 Acomodação: As formações de rouleaux se reúnem na parte inferior.

Medição Real da Sedimentação

- Resultados precisos com sedimentação em curva única;

- Registro contínuo a cada 10 segundos;

- Uma curva ESR oferece mais informação do que apenas uma leitura

ESR após 20 minutos;

- Até três etiquetas no tubo EDTA não afeta a leitura;

- Níveis de sedimentação pouco precisos são corrigidos;

- Erros por manchas de sangue na parede do tubo são

eliminados pelo algoritmo da curva de sedimentação.

31 3654-6366 • invitro.com.br

Cuidando do futuro, juntos.


informe de mercado

0122

ESTEIRA DE INTEGRAÇÃO EM LABORATÓRIO DE APOIO

Com ESTEIRA visão empreendedora DE INTEGRAÇÃO e foco no atendimento EM ao LABORATÓRIO cliente, o Lab Rede® implantou DE APOIO modelo de

esteira de integração. ESTEIRA Os resultados DE INTEGRAÇÃO mostram o impacto EM LABORATÓRIO positivo desta mudança DE APOIO no processo de

Com visão empreendedora e foco no atendimento ao cliente, o Lab Rede® implantou modelo de

esteira de integração. Com visão automação, empreendedora com aumento

Os resultados e foco mostram no atendimento da produtividade

o impacto ao cliente, e

positivo o redução Lab desta Rede® do

mudança implantou TAT.

no modelo processo de de

esteira de integração. Os resultados mostram o impacto positivo desta

automação, com aumento da produtividade e redução Um mudança cenário do TAT. comparativo no processo de incluindo

um dos diferentes ESTEIRA ESTEIRA

modelos DE DE automação,

de

INTEGRAÇÃO com aumento

mesmo perfil EM da EM produtividade

de LABORATÓRIO e redução do TAT.

exames os setores DE

de automação, APOIO

manual

processos

A decisão de A optar e implementar ControlLab® com laboratórios de Um cenário comparativo incluindo

um Com dos visão Com

diferentes

visão

Com decisão visão empreendedora automação empreendedora optar e implementar

modelos e e (quantitativo), foco

e foco ControlLab®

mesmo no atendimento

no atendimento bem com laboratórios

perfil de

ao

ao como cliente,

cliente,

ao cliente, a de

o

o

Lab

Lab

o e Um

Rede®

Rede® cenário

Lab quarteirizado Rede® implantou comparativo implantou

modelo incluindo mostra de

de o

laboratorial modelo de deve um esteira dos

esteira considerar diferentes integração. modelos integração. o Os evolução resultados de mesmo mostram

Os resultados TAT perfil o impacto

mostram (turnaround

de exames positivo desta

o impacto crescimento os setores mudança de automação, no

processos de automação

positivo global, processo manual

desta mantendo de manual

esteira processos integração. de Os resultados mostram o

bem

impacto positivo desta mudança no processo

mostra mudança

no processo estratégico automação, deve considerar da time) com (quantitativo),

de

o

posicionamento

laboratorial o com para aumento o aumento exame da TSH. produtividade bem como e a redução e quarteirizado

da produtividade automação TAT. mostra o

laboratorial deve automação, considerar com

evolução o aumento evolução do

da do TAT

produtividade TAT (turnaround e redução crescimento do e TAT. redução global,

em torno

global, do mantendo TAT. de 90%,

mantendo

empresa, sua A decisão posicionamento forma de de optar atuação, e estratégico implementar Observou-se da ControlLab® time) para um o exame crescimento com laboratórios TSH. em de como automação Um cenário se segue em comparativo torno na tabela de incluindo 90%, abaixo.

posicionamento estratégico da time) para o exame TSH.

automação em torno de 90%,

análise A decisão

um

empresa, A decisão do empresa, de

dos

optar

sua de optar volume diferentes sua e implementar

forma modelos

forma e implementar atuação,

de atuação, um exames de

ControlLab®

mesmo Observou-se de 37,8% com

perfil um laboratórios desde crescimento 2012, exames

de em Um como os setores

cenário segue de

comparativo na automação, tabela abaixo. incluindo

manual

um dos diferentes modelos de perfil Observou-se mesmo de exames perfil um (quantitativo), crescimento de exames bem em os como Um setores cenário segue de comparativo automação, na tabela incluindo manual abaixo. os

processamento, processos análise a viabilidade

do de volume automação mantendo de (quantitativo), exames um de 37,8% percentual bem desde como 2012, de a e quarteirizado mostra o

análise dos diferentes processos do modelos volume de processos exames de 37,8% desde 2012,

econômica laboratorial processamento, de

e outros critérios. deve automação considerar a viabilidade como

automação o (quantitativo), evolução

a mantendo evolução

em torno do

do um bem TAT

TAT percentual (turnaround

de 90%. (turnaround como de a setores e crescimento quarteirizado de automação,

global,

manual mostra mantendo

e quarteirizado

crescimento automação mostra em global, o crescimento torno mantendo de 90%, global,

o

processamento, automação laboratorial laboratorial posicionamento econômica deve a deve e viabilidade

outros considerar estratégico critérios. o o time) da mantendo evolução para time) automação o exame para do um o em TSH. exame TAT percentual torno (turnaround

TSH. de 90%. de

O Lab Rede® decidiu pela A produtividade, exames /

econômica posicionamento posicionamento empresa, e O outros estratégico

Lab sua critérios. Rede® estratégico forma da empresa,

decidiu atuação, da pela automação Observou-se time) Observou-se A para produtividade, em o um exame torno crescimento um TSH. crescimento de 90%. exames

em exa-emes

/

mantendo automação como se segue automação em na torno tabela em abaixo. de torno 90%, de

implementação da “esteira de

O sua forma empresa, Lab de análise implementação

Rede® atuação, sua forma análise decidiu do do volume da atuação, “esteira colaborador

pela de de

A Observou-se produtividade, exames colaborador e um 37,8% crescimento e benchmarking

exames desde 2012, em / como se segue na tabela abaixo.

transporte” devido à garantia de

implementação análise processamento,

transporte”

do

de processamento, a viabilidade “esteira volume

devido

a

à

viabilidade

garantia variaram

econômica

e outros critérios. devido à a garantia viabilidade critérios.

de de

de

de

colaborador exames mantendo

variaram

37,8%

de

desde

de 9.097 de

37,8% e um

9.097

2012, mantendo

benchmarking

percentual desde

(Mínimo 2012,

2483,

um 90%, como segue na tabela abaixo.

de

um fluxo automatizado um fluxo automatizado com Média com percentual Média 3701 de automação 3701 e Máximo e Máximo em torno 5636) 5636) de 90%. em em

transporte” processamento, econômica e outros

de variaram mantendo automação

de 9.097 um em torno

(Mínimo percentual de 90%.

2483, de O TAT de liberação do TSH evoluiu

possibilidade de integrar

de liberação do TSH evoluiu

possibilidade de integrar 2012 para 15.125 em 2019

um

econômica O Lab

O Lab fluxo Rede® automatizado

e outros Rede® critérios. decidiu pela A produtividade, 2012 para

decidiu pela implemen-

Média

automação A produtividade, exames 15.125 /

3701

em

e Máximo

torno de exames colaborador

A e benchmarking colaborador produtividade, 4079, Média variaram e benchmarking

exames 5914 de 9.097 e /

em 2019

5636)

90%. / de 4:06:03 dias para 00:15:51

metodologias e compartilhar (Mínimo 4079, Média 5914 em e de 4:06:03 dias para 00:15:51

metodologias O Lab implementação Rede® e compartilhar decidiu da “esteira pela (Mínimo de

horas. O TAT de liberação do TSH evoluiu

possibilidade analisadores,

tação “esteira de transporte” de integrar otimizando

devido à 2012 a Máximo para 15.125 8379). A em distribuição 2019 horas.

analisadores, implementação transporte”

produtividade. otimizando da devido “esteira A automação

à garantia a de Máximo (Mínimo de

dos colaborador variaram

escalonada 2483, 8379). Média de

nos e 9.097 A 3701 anos benchmarking

distribuição

(Mínimo e pré Máximo e

2483,

pós de 4:06:03 dias para 00:15:51

metodologias e compartilhar (Mínimo 4079, Média 5914 e

produtividade. garantia transporte” de

um processos fluxo

fluxo

A devido automação automatizado analíticos automatizado

à garantia dos com laboratoriais de

com

escalonada 5636) variaram em

Média implementação 2012 de

3701

nos para 9.097 15.125

e Máximo

anos da (Mínimo esteira em pré 2019

5636)

e seguem 2483, (Mí-enimo

4079,

pós horas. O TAT de liberação do TSH evoluiu

analisadores, possibilidade otimizando a Máximo 8379). A distribuição

processos possibilidade um analíticos fluxo de

pressupõe

integrar automatizado laboratoriais

metodologias

a redução de

com e

de integrar vários 2012 para 15.125 em 2019

implementação Média 3701 e da Máximo esteira 5636) seguem em

produtividade. metodologias A automação e compartilhar

no gráfico

dos escalonada (Mínimo

Média

abaixo:

nos 4079,

5914 e Máximo

anos Média

8379). de

pré e pós O

O

TAT

TAT 4:06:03

de

de

liberação

liberação dias para

do

do

TSH

TSH 00:15:51

evoluiu

evoluiu

pressupõe

processos compartilhar possibilidade recursos,

a

analíticos redução de maximizando

laboratoriais

otimizando de vários integrar a

5914 e

a no 2012

implementação

gráfico para abaixo: 15.125 em 2019 horas.

analisadores, otimizando A a distribuição Máximo escalonada 8379). da esteira nos A anos distribuição seguem pré e de de 4:06:03 4:06:03 dias dias para 00:15:51 para 00:15:51 horas.

segurança e a produção.

recursos,

metodologias

pressupõe produtividade. a A maximizando

e compartilhar

automação redução dos de processos

analíticos e processos a laboratoriais Congresso produção. analíticos Brasileiro

vários

a

(Mínimo 4079, Média 5914 e

produtividade. Este estudo, A automação apresentado dos pós

analisadores, otimizando a

no gráfico implementação escalonada

abaixo:

nos da esteira anos pré seguem e pós horas.

Máximo 8379). A distribuição

segurança

recursos, maximizando pressupõe laboratoriais de Análises

produtividade. A automação a no gráfico implementação abaixo: da esteira seguem

dos escalonada nos anos pré e pós

Este

segurança redução estudo, pressupõe Clínicas

de vários e a produção.

recursos, apresentado 2019, a redução avaliou o

maximizando no de impacto vários na no gráfico abaixo:

processos recursos, produtividade analíticos maximizando laboratoriais da instalação a implementação da esteira seguem

Congresso

Este a segurança pressupõe estudo,

Brasileiro e a produção. a apresentado redução

de Análises

segurança pioneira e de a produção. um tipo de de vários no esteira de no gráfico abaixo:

Clínicas Congresso Este recursos, estudo, 2019, Brasileiro avaliou apresentado maximizando o impacto de no Congresso

Brasileiro segurança 2019, Congresso de

Análises na

Este automação, estudo, através apresentado de análise a no de

Desta forma, o laboratório

produtividade Clínicas dados avaliou Análises e a da produção. em Brasileiro o Clínicas

uma instalação impacto série

2019, de na Análises histórica.

aumentou a eficiência em

pioneira produtividade avaliou Este o

de

impacto

Clínicas estudo, um Foram tipo

na

2019, da produtividade

de apresentado avaliou esteira instalação o impacto de analisados

produtividade e tempo de

da no

automação, pioneira Congresso

instalação pioneira de produtividade através comparativamente

um Brasileiro

de tipo de

um de análise

tipo esteira de da o

Análises de instalação número de

Desta liberação de forma, resultados o através laboratório da

de esteira

de automação, através série avaliou de

de

Na tabela a seguir, a série histórica

dados automação, Clínicas em pioneira

exames

uma 2019,

e

um

parque

através de histórica. tipo

tecnológico aumentou

de análise o impacto de esteira de na de

no

melhoria do processo de

e o comparativo da produtividade Desta Desta forma, forma, a o laboratório eficiência o laboratório aumentou

de benchmarking a eficiência em em toda produtividade

a série

em

ano de 2012 e após a instalação da

automação laboratorial. A análise

Foram dados

produtividade automação, através em em uma uma série série

da analisados

produtividade

histórica. histórica.

instalação de análise de com dados de benchmarking Desta forma,

aumentou a e o laboratório

eficiência tempo em de

esteira FlexLab® em 09/09/2013,

Foram

comparativamente pioneira dados de um em

Foram

o tipo uma

número de série esteira histórica.

analisados comparativamente

analisados de de obtidos pelo programa aumentou a eficiência em

versus mão de obra setor de

e liberação histórica de resultados e tempo através da de

exames automação,

Foram

o número Na tabela a seguir, a série histórica

comparativamente e parque através tecnológico análise

analisados

o número no de

melhoria Desta produtividade

tempo de do liberação indicador

forma, e

de

do tempo

de resultados da

indicadores da ControlLab®.

processo laboratório de

automação. Desde 2012 foram

ControlLab® situa o setor de

através de

comparativamente o número da

ano de exames e parque tecnológico no ano e de

Na o Na comparativo tabela a seguir,

tabela a seguir, da a produtividade

série histórica através

série exames de dados 2012 e parque e em após uma a tecnológico instalação série histórica. da

Na tabela a seguir, a série histórica

aumentou

liberação da de melhoria resultados laboratorial. a eficiência

através processo da de

incorporadas 5 plataformas

automação como um outlier. A

Ou

análise em

exames e parque tecnológico de

esteira de 2012 Foram e após a instalação da analisados esteira com no e

melhoria do processo de

o comparativo e dados o comparativo de da produtividade da benchmarking

da produtividade com automação

ano de FlexLab® 2012 e após em a 09/09/2013,

de

produtividade

laboratorial.

instalação da

benchmarking

e em

tempo

A análise

toda A a análise série

de

de

analíticas na esteira, sendo todas

seja, o Lab Rede® lidera o quesito

ano de 2012 e após a instalação automação laboratorial. A análise

versus esteira FlexLab® comparativamente da série Abbott

mão FlexLab® em de 09/09/2013, o

obra em do 09/09/2013,

versus número - Architect®,

setor mão de obtidos dados

de com com de dados benchmarking dados pelo de de obtidos benchmarking

programa pelo benchmarking liberação produtividade de resultados em por toda a colaborador

série através histórica

da

esteira FlexLab® em 09/09/2013, Na tabela a seguir, a série histórica histórica de benchmarking do em em indicador toda toda a série

totalizando 9 equipamentos em

a série da

exames e parque tecnológico no

automação. versus de obra do mão setor Desde obra automação. 2012 do setor foram Desde indicadores obtidos

obtidos da pelo ControlLab®. pelo melhoria do processo de

versus mão de obra setor de

programa indicadores da ControlLab®. programa

programa do

entre

indicador

os pares,

da ControlLab®

laboratórios

situa o

2019. Os resultados de foram e o comparativo da produtividade ControlLab® realizando histórica do acima do situa indicador de indicador o 250.000 setor da de da

ano de 2012 e após a instalação da indicadores da ControlLab®. setor automação laboratorial. A análise

incorporadas automação. 2012 foram automação. incorporadas Desde 5 plataformas

2012 5 Desde 2012 foram indicadores da ControlLab®.

foram com dados de benchmarking automação ControlLab® de automação

ControlLab® como situa como

situa um o setor um outlier.

submetidos à análise de

exames/mês.

o outlier. de

setor Ou

esteira FlexLab® em 09/09/2013,

de benchmarking em toda a série de

incorporadas benchmarking 5 através plataformas do

Ou automação seja, o como Rede® um lidera outlier. o quesito Ou

analíticas incorporadas na na esteira, sendo 5 sendo plataformas

todas todas série obtidos pelo programa seja, automação Lab Rede® como lidera um outlier. quesito

versus mão de obra do setor de

histórica do indicador da Ou

analíticas indicador na esteira, de produtividade sendo todas da

seja, o Lab Rede® lidera o quesito

da analíticas Abbott série automação. - Architect®, Abbott na esteira, Desde totalizando - sendo Architect®, 2012 9 todas equipamentos

incorporadas série em totalizando 9 Abbott 2019. equipamentos Os resultados 5 - 9 Architect®,

equipamentos plataformas foram em em

indicadores da ControlLab®.

produtividade Assessoria por Médica colabora-dor Lab Rede® entre

foram

produtividade ControlLab® seja, o Rede® situa por lidera o setor colaborador

pares,

da série Abbott - Architect®,

produtividade por colaborador

laboratórios

o quesito de

os

totalizando da automação produtividade entre os como pares, 31. realizando

um

2519-7500

por laboratórios outlier. acima

colaborador

realizando

Ou

2019. totalizando submetidos analíticas Os 2019. à análise 9 resultados na equipamentos esteira, Os de benchmarking

resultados sendo foram em todas foram

seja,

de

entre o

250.000 www.labrede.com.br

Lab Rede® os acima exames/mês.

pares, lidera de laboratórios

o 250.000 quesito

submetidos 2019. através da série Os indicador

submetidos à resultados Abbott de análise produtividade - à Architect®, foram análise de

produtividade

da

de

realizando exames/mês. acima por de colaborador

exames/mês. entre os pares, laboratórios

250.000

benchmarking submetidos totalizando benchmarking

ControlLab® com laboratórios à 9 através equipamentos análise

através

de mesmo do de em do

indicador benchmarking 2019. indicador

de Os produtividade resultados de produtividade

através da foram da

realizando Assessoria

do

acima Médica

Médica de Lab

Lab 250.000 Rede®

Rede®

indicador

submetidos

de produtividade

à análise

da

de

exames/mês. Assessoria Assessoria 31. Médica 2519-7500

Lab Rede®

benchmarking através do

www.labrede.com.br 31. 25149-7500 2519-7500

indicador de produtividade da

Assessoria www.labrede.com.br

Médica WWw.labrede.com.br

31. Lab 2519-7500 Rede®

www.labrede.com.br

31. 2519-7500

Revista NewsLab | Ago/Set 2019

www.labrede.com.br

A decisão de optar e implementar ControlLab® com laboratórios de

Esteira Integração em Laboratório Apoio


Tecnologia e agilidade

em sua rotina de

testes quantitativos

WF 500

Leitor Fluorescente

Testes Rápidos Quanti

PCT

D-Dimer

cTnl

hs-CRP+CRP

HbA1c

Resultados Rápidos e Quantitativos com

alta Sensibilidade e Especicidade

A Linha Imuno-Rápido Quanti traz um novo conceito de testes para o laboratório clínico,

unindo a rapidez e praticidade dos testes rápidos com a sensibilidade dos testes uorescentes.

Através de uma moderna metodologia, os testes rápidos uorescentes da Wama Diagnóstica

são capazes de quanticar parâmetros importantes da rotina laboratorial e hospitalar em

poucos minutos. A leitura realizada unicamente pelo equipamento produz um registro de teste

e exclui qualquer subjetividade de interpretação, tornando os resultados seguros e conáveis.

Memória para armazenar 10.000 resultados.

Placas-teste especícas para cada parâmetro e vinculadas ao cartão SD correspondente.

Possibilidade de uso em local sem energia elétrica utilizando bateria de lítio-ion (acessório).

Armazenamento de curvas para cada lote.

Sistema Android com tela colorida e touch screen.

Impressora interna.

Conexões: 2 USBs, rede e leitor de códigos de barras.

Garantia de 1 ano contra defeitos de fabricação.

Registros no Ministério da Saúde (MS).

Assessoria técnica e cientíca para todo o Brasil.

Testes Quantitativos:

Dímero-D

Hemoglobina Glicada

Microalbuminúria

PCR Ultrassensível

Procalcitonina

Troponina I

Apresentações: 10, 20, 25, 30, 40, 50 e 80 testes

Breve:

CK-MB

hCG

NT-proBNP

T3

T4

TSH

tPSA

Vitamina D

Rev.: 06/2019

+ Tel: 55 16 3377.9977

SAC: 0800 772 9977

wamadiagnostica.com.br

atendimento@wamadiagnostica.com.br

facebook.com/wamadiagnostica

linkedin.com/wamadiagnostica

instagram.com/wamadiagnostica

Rua Aldo Germano Klein, 100 - CEAT, São Carlos/SP – Brasil

Constante Evolução


informe de mercado

Os testes rápidos MEDTESTE

Os testes rápidos MEDTESTE

» São testes baseados principalmente em imunocromatografa

INFORME em DE MERCADO tiras reagentes de fluxo lateral, sem o uso de um

equipamento adicional.

Os » testes Fornecem rápidos MEDTESTE resultados em menos de 30 min.

» São

ANTICORPOS

testes baseados principalmente

(Ac) ou IMUNOGLOBULINAS

em imunocromatografa em tiras

(Ig)

reagentes de fluxo

lateral, sem o uso de um equipamento adicional.

» Fornecem Células resultados de defesa em menos do de organismo.

30 min.

ANTÍGENOS (Ag)

ANTICORPOS (Ac) ou IMUNOGLOBULINAS (Ig)

Células Substância de defesa do que organismo. ao entrar em um organismo se liga a anticor-

ANTÍGENOS (Ag)

pos iniciando uma resposta imune (vírus, bactéria, fungo, etc.)

Substância que ao entrar em um organismo se liga a anticorpos iniciando uma resposta imune

(vírus, bactéria, fungo, etc.)

PODEM SER

» Qualitativos – POSITIVO ou NEGATIVO

» Semiquantitativos – FAIXAS DE MEDIÇÃO ou INTERVALO

DE VALORES

» Quantitativos – Fornece VALORES

PODEM SER UTILIZADOS COMO

» Triagem (Outros testes/exames são realizados para o

diagnóstico definitivo)

» Diagnóstico (O resultado confirma ou exclui a doença

em investigação)

DE AMOSTRAS BIOLÓGICAS

TIPOS DE AMOSTRAS BIOLÓGICAS

» ser utilizados como triagem e diagnóstico de doenças.

» Podem ser utilizados como triagem e diagnóstico

de doenças.

Os Testes Rápidos e a Reação Antígeno Anticorpo no Organismo Humano

Os Testes Rápidos e a Reação Antígeno Anticorpo

no Organismo Humano

0124

PODEM DETECTAR

» Antígenos (são utilizados anticorpos na área do teste)

PODEM DETECTAR

» Anticorpos PODEM (são DETECTAR

utilizados antígenos na área do teste)

» Antígenos (são utilizados anticorpos na área do teste)

» Antígenos (são utilizados anticorpos na área do teste)

» Anticorpos (são utilizados antígenos na área do teste)

» Anticorpos (são utilizados antígenos na área do teste)

PODEM SER

» Qualitativos – POSITIVO ou NEGATIVO

PODEM SER

» Semiquantitativos – FAIXAS DE MEDIÇÃO ou INTERVALO DE VALORES

» Qualitativos – POSITIVO ou NEGATIVO

» Quantitativos – Fornece VALORES

» Semiquantitativos – FAIXAS DE MEDIÇÃO ou INTERVALO DE VALORES

» Quantitativos – Fornece VALORES

Obs.: O MedTeste PSA pode ser utilizado como seguimento de pacientes e o MedTeste Sífilis

para início de tratamento.

Obs.: O MedTeste PSA pode ser utilizado como seguimento de pacientes e o MedTeste Sífilis

para início de tratamento.

Distribuidor Exclusivo PR e SC.

41 3146-0802

Distribuidor Exclusivo PR e SC.

www.neolabimport.com.br

41 3146-0802

www.neolabimport.com.br

Distribuidor Exclusivo PR e SC.

41 3146-0802

www.neolabimport.com.br

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


informe de mercado

PNCQ conquista a Acreditação ABNT NBR ISO 17034:2017

como Produtor de Material de Referência Certificado

O PNCQ conquista, através da Coordenação

Geral de Acreditação do

INMETRO (Cgcre), a Acreditação como

Produtor de Materiais de Referência

Certificados, de acordo com a norma

ABNT NBR ISO 17034:2017.

O MRC PNCQ é um Material de Referência

acompanhado por um certificado,

com valores de propriedade e

incertezas definidas, utilizado em todos

os estágios de medição, inclusive

para a validação de métodos analíticos

como também na calibração de um

sistema de medição. Este MRC é um

calibrador de origem humana estabilizado

e liofilizado de concentrações

e pureza conhecidos. Os padrões de

medição com valores certificados foram

determinados usando padrões

rastreáveis internacionalmente. O MRC

é envasado e liofilizado em frasco âmbar

em volume de 2mL.

Estão disponíveis os seguintes MRC

de Bioquímica: Ácido Úrico, Cálcio,

Cloro, Colesterol, Creatinina, Glicose,

Magnésio, Potássio, Sódio, Triglicerídeos

e Ureia.

A demanda por novos materiais de

referência de maior qualidade está

crescendo, tanto como consequência

da melhoria da precisão dos equipamentos

de medição, quanto pela

exigência de dados mais exatos e confiáveis

na área de procedimentos analíticos

nos processos de Acreditação

dos Laboratórios Clínicos e validações

das reações de diagnósticos in vitro.

Novos parâmetros estão em fase de

caracterização para ampliar o escopo

do MRC do PNCQ na atividade de análises

laboratoriais.

Um Produtor de Material de Referência,

precisa demonstrar a sua

competência técnica e científica para

assegurar a qualidade apropriada na

produção de um MRC. O PNCQ é o pioneiro

na produção de um MRC nesse

segmento da Química Clinica.

O PNCQ foi avaliado por uma equipe

de especialistas da Coordenação Geral

de Acreditação do Inmetro (Cgcre),

que outorgaram ao PNCQ a competência

na operação de Produção de Material

de Referência.

Informações pelo e-mail pncq@pncq.

org.br ou pelo telefone (21) 2569-6867.

Seegene Allplex Respiratory Panel Assays

Detecção e identificação de 26 patógenos do trato

respiratório utilizando PCR em tempo real multiplex one-step

Com sede na Coreia e presente em

mais de 60 países, a Seegene chega

oficialmente ao Brasil, trazendo tecnologia

e produtos inovadores, como

o Allplex Respiratory Panel Assays.

Composto por 4 diferentes painéis

esse ensaio detecta e identifica múltiplos

alvos patogênicos em uma única reação.

Baseado na exclusiva tecnologia MuDT

da Seegene, informa valores individuais

de Ct de múltiplos patógenos em um

único canal. Sua cobertura inclui 16 vírus,

3 subtipos de Gripe A e 7 bactérias.

Em conjunto com a plataforma automatizada

da Seegene, oferece resultados

mais rápidos e precisos que qualquer outro

produto. Precisão e rapidez que possibilitam

aos profissionais uma melhor

escolha do tratamento.

A plataforma All in One da Seegene

executa uma ampla gama de testes

de diagnóstico molecular, otimizando

o fluxo de trabalho, com eficiência e

redução de custos para o laboratório.

O software Seegene Viewer, interligável

ao sistema LIS do laboratório faz a

análise de dados automatizada, entregando

um relatório personalizado e de

fácil leitura.

Saiba mais sobre a Seegene e conheça toda

a gama de produtos licenciados pela ANVISA:

www.seegenebrazil.com.br.

0126

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


logistíca laboratorial

ACQUAPLUS

ACQUAPLUS

CAIXA COM 10 TESTES

CAIXA (REESTRUTURAÇÃO COM 10 TESTES DA EMBALAGEM)

(REESTRUTURAÇÃO DA EMBALAGEM)

O Grupo Prime Cargo sempre atento e acreditando no

mercado nacional e internacional realiza frequentemente

massivos investimentos em suas instalações e filiais.

Contando com estrutura de em todas as etapas de transporte, distribuição

e armazenamento.

Rapidez

7000mts² em

e

Barueri

precisão

- SP, e filiais

no

em

controle

pontos estratégicos por todo território

nacional, e sendo precisão eles da totalmente Água. no controle nessa Consulta Pública vieram para

As alterações e novidades abordadas

Rapidez microbiológico

adequados ao segmento médico- harmonizar os requerimentos sanitários

microbiológico -laboratório-hospitalar, o da Grupo Água. Prime da Anvisa com aqueles definidos nas

Cargo disponibiliza aos seus clientes diversas diretrizes internacionais.

um novo conceito em transporte e Portanto, agora mais do que nunca,

armazenagem, que segue em conformidade

com as boas práticas exigidas doras, precisam realizar processo de

os gestores das empresas embarca-

pelas diretrizes.

Qualificação de Fornecedores de forma

a garantir a integridade do produto

Dispondo de áreas técnicas, laboratórios

para manutenção de equipamentos farmacêutico de ponta a ponta.

e espaço para treinamento de equipes, Em fevereiro de 2019, a Agência Nacional

de Vigilância Sanitária, inclusive,

a PRIME inova mais uma vez no atendimento

e velocidade nos processos, promoveu o Diálogo Setorial, justamente

para apresentar as alterações na CP

claro, tudo isso possuindo todas as certificações

e adequações necessárias. 343/2017, além de ouvir as considerações

e preocupações dos empresários,

O investimento em pessoal é constante

com treinamentos e atualizações especialistas e técnicos do setor.

FINALIDADE

de equipamentos e materiais, isso faz

FINALIDADE

Kit para controle microbiológico

Foram

da água

enviadas

(testes

445 contribuições

de

com que além de atender os prazos,

presença/ausência de coliformes totais

pelos participantes,

de fecais).

que receberam a

Kit seja para feito com controle qualidade microbiológico e segurança. versão da prévia água da publicação, (testes bem de como

presença/ausência O que é a CP 343/2017?

A detecção dos coliformes de coliformes totais é totais as

baseada

alterações de fecais). na

do texto

hidrólise

inicial com

de

todas

A CP 343/2017 da Agência Nacional


as sugestões e comentários recebidos.

A Vigilância Sanitária se refere às boas

vez detecção que mais dos coliformes de 98% das totais cepas é baseada Com

de

o

coliformes

texto na consolidado, hidrólise totais de a norma


práticas de armazenagem e transporte

e que tem o mais intuito de promover 98% das maior

possuem a enzima galactosidade,

reduziu

que

a

degrada

quantidade

aquele

de artigos de

vez substrato.

cepas 127 de para coliformes 90. totais

possuem controle da a cadeia enzima produtiva, galactosidade, garantindo

a qualidade dos medicamentos

que degrada aquele

substrato. A adição de uma substância indutora do operon lac ampli-


A bilidade

do teste.

adição de uma substância indutora do operon lac ampli-


bilidade


do teste.

lactosideo)

- e pela prova do indol. O crescimento de


lactosideo)

- e pela prova do indol. Avenida Piraíba, O crescimento 296 parte A / Centro Comercial de Jubran –


Barueri – Sp / CEP: 06460-121


0800 591 4110 / (11) 4280 9110

comercial@primecargo.com.br

www.primecargo.com.br

DIFER

DIFER Detecta

coli, com

Detecta

coli, uso de comv


uso de v

0128

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


newprov.com.br

A NEWPROV POSSUI UMA LINHA COMPLETA DE

A NEWPROV PLACAS POSSUI PRONTAS UMA LINHA PARA USO. COMPLETA DE

PLACAS PRONTAS PARA USO.

As melhores matérias primas, processos automazados e

As uma melhores equipe técnica matérias à disposição. primas, processos automazados e

uma equipe técnica à disposição.

ENCIAL

ENCIAL

Contate nossos canais de vendas e suporte e solicite nosso

Contate catálogo nossos de placas canais de meios de vendas cromogênicos e suporte e tradicionais.

solicite nosso

catálogo de placas de meios cromogênicos e tradicionais.

Nosso compromisso é de oferecer a melhor qualidade a

Nosso um preço compromisso justo. é de oferecer a melhor qualidade a

um preço justo.

Newprov – De Microbiologistas para Microbiologistas

Newprov – De Microbiologistas para Microbiologistas

simultaneamente coliformes totais e Escherichia

resultados em até 24 horas.

simultaneamente

coliformes totais e Escherichia

idraria. resultados em até 24 horas.


idraria.

NEW

PRODUTOS PARA LABORATÓRIO

NEW

PRODUTOS PARA LABORATÓRIO


informe de mercado

AV400: um aparelho único, diversas possibilidades

Projetado para facilitar a localização de veias, o visualizador Greiner Bio-One AV400 pode

ser utilizado em inúmeros procedimentos – da coleta de sangue ao tratamento estético!

A punção venosa é um dos procedimentos

médicos invasivos mais

comuns. A dificuldade em encontrar

a veia apropriada pode frustrar muitos

profissionais da saúde, que não

querem causar desconforto e estresse

adicionais ao paciente, além do tempo

prolongado em demasiadas tentativas.

Felizmente, existe uma solução

para aliviar a frustração, o estresse

e o desconforto, o Greiner Bio-One

AV400, um scanner vascular que projeta

a vasculatura do paciente na superfície

da pele. Um aparelho versátil

e diferenciado pela sua tecnologia de

última geração, que oferece diversos

benefícios aos médicos, enfermeiros,

flebotomistas e pacientes.

O scanner vascular Greiner Bio-One

AV400 utiliza luz infravermelha, que

através da absorção da hemoglobina,

detecta veias subcutâneas e projeta-as

com a máxima definição na superfície

da pele em tempo real. O modo

inverso destaca ainda mais as veias

pequenas, que podem ser visualizadas

tanto escurecidas como iluminadas.

Intuitivo para o usuário, o dispositivo

faz a projeção a partir de qualquer

ângulo que seja posicionado, de 10 a

45 centímetros acima da pele, e assim,

possibilita avaliar e definir o melhor

acesso em menos de um minuto, sendo

que localiza veias com até 10 mm

de profundidade.

Eficaz e prático para quaisquer procedimentos

em que a visualização das veias

é necessária, o AV400 pode ser utilizado

desde a coleta de sangue, infusão de

quimioterápicos e contraste em pacientes

oncológicos até em tratamentos faciais

de dermatologia, estética ou mesmo vasculares.

Com o dispositivo, o profissional

consegue conferir visualmente a permeabilidade

da veia, a fim de evitar válvulas e

bifurcações, sendo também muito importante

em cirurgias e procedimentos estéticos

onde as veias precisam ser evitadas.

O design ergonômico facilita sua

higienização, podendo ser ensacado

para o uso isolado. Não requer calibração,

manutenção de rotina ou preventiva,

pois está permanentemente

alinhado. Não precisa estar conectado

a uma tomada elétrica por ser alimentado

pela bateria interna de longa duração

e aprovado para operação contínua,

sendo que sua recarga é rápida

quando não estiver em uso. Portátil e

leve, pesa apenas 277 gramas, é pequeno

o suficiente para ser transportado

nos bolsos de jalecos e uniformes

tradicionais. Converte-se facilmente

no modo “mãos livres“ com o uso de

suportes opcionais móveis ou fixos,

para um único profissional conseguir

realizar o procedimento.

Para saber mais, entre em contato:

info@br.gbo.com.

Painel de genes direcionados a RAS/RAF

resistência a terapias de câncer específicas

0130

Painel de genes direcionados a RAS/RAF

O painel ampliado de RAS/RAF da Mayo Clinic aplica o sequenciamento direcionado de próxima

geração para avaliar mutações somáticas com utilidade clínica no interior dos genes BRAF, HRAS, NAS

e KRAS. O uso mais frequente do exame se dá em pacientes com carcinoma colorretal metastático, com

o intuito de determinar se os pacientes são candidatos à terapia anti-EGFR. Os pacientes com outros

tipos de tumores, como câncer de pulmão, também poderão ser favorecidos.

Exame em destaque

• RAS/RAF Targeted Gene Panel by Next-Generation Sequencing, Tumor (ID da Mayo: RASFP)

Útil para

• Identificação de tumores que possam responder a terapias direcionadas por meio da avaliação

simultânea de vários genes alvo

• Identificação de mutações que possam ajudar a determinar o prognóstico de pacientes com

tumores sólidos

• Identificação de mutações específicas dentro de genes sabidamente relacionados à resposta ou

O painel ampliado de RAS/RAF da

Mayo Clinic aplica o sequenciamento direcionado

de próxima geração para avaliar

mutações somáticas com utilidade clínica

no interior dos genes BRAF, HRAS, NAS e

KRAS. O uso mais frequente do exame se

dá em pacientes com carcinoma colorretal

metastático, com o intuito de determinar

se os pacientes são candidatos à terapia

anti-EGFR. Os pacientes com outros tipos

de tumores, como câncer de pulmão, também

poderão ser favorecidos.

Exame em destaque

• RAS/RAF Targeted Gene Panel by Next-

-Generation Sequencing, Tumor (ID da

Mayo: RASFP)

Útil para

• Identificação de tumores que possam responder

a terapias direcionadas por meio da

avaliação simultânea de vários genes alvo

• Identificação de mutações que possam

ajudar a determinar o prognóstico de pacientes

com tumores sólidos

• Identificação de mutações específicas

dentro de genes sabidamente relacionados

à resposta ou resistência a terapias de

câncer específicas

Requisitos da amostra

• Preferencial: bloco de tecido – enviar um

bloco de tecido fixado em formalina e embebido

em parafina.

• Aceitável: lâmina de tecido – enviar

uma lâmina corada com hematoxilina e

eosina e 10 lâminas não coradas e não

cozidas com seções espessas de 5 micra

do tecido tumoral.

• Aceitável: lâmina citológica (esfregaços

diretos ou ThinPrep) – enviar 1 ou 2 lâminas

(coradas e cobertas) com o mínimo de

5.000 células nucleadas no total.

Para obter mais informações

• mayocliniclabs.com

• mclglobal@mayo.edu

• +1 855-379-3115

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


your power for health

VISITE-NOS NA 53° CBPC/ML!

De 24 a 26/9, no Centro de Convenções

SulAmérica, no Rio de Janeiro. Estande 41.

Greiner Bio-One AV400

Um aparelho único. Diversas possibilidades.

O AV400 é um scanner vascular que ajuda o profissional a

localizar o melhor acesso venoso para punção, projeta as

veias periféricas na pele em tempo real e com o máximo de

definição.

Foco automático, sem necessidade de ajustes

Visualização perfeita em qualquer ângulo

Fácil de usar, leve e portátil

Encaixado em suporte móvel ou fixo, as mãos ficam

livres para realizar o procedimento

O Greiner Bio-One AV400 foi projetado para facilitar a arte

de encontrar e avaliar a veia adequada em conjunto com a

ciência do mapeamento de veias em tempo real.

Greiner Bio-One Brasil | Avenida Affonso Pansan, 1967 | CEP 13473-620 | Americana | SP

Tel: +55 (19) 3468-9600 | Fax: +55 (19) 3468-3601 | E-mail: info@br.gbo.com

0131

www.gbo.com/preanalytics


informe de mercado

Acreditação Progamas Prevecal da BIOSYSTEMS

Fornecedor de programas

de intercomparação acreditado

segundo a norma ISO/IEC 17043:2010

De acordo com a ISO/IEC

17043:2010

A BioSystems S.A., conforme sua política

de melhoria contínua da qualidade, tem o

prazer de anunciar a recente acreditação

de acordo com a ISO/IEC 17043:2010

“Requisitos gerais para ensaios de proficiência”

dos programas PREVECAL BIOQUÍMICA

e PREVECAL BIOQUÍMICA HUMANO.

A obtenção dessa acreditação, a primeira

no âmbito espanhol, ocorreu no dia 26

de abril através da Entidad Nacional

de Acreditación (ENAC) da Espanha.

A ENAC faz parte de uma infraestrutura

global de acreditação que opera por meio

de duas organizações, a International

Laboratory Accreditation Cooperation

(ILAC) e o International

Accreditation Forum (IAF), que se

apoiam em organizações regionais (América,

Ásia-Pacífico etc.).

No Brasil, o órgão acreditador é a

Coordenação Geral de Acreditação (CG-

CRE), um membro signatário da ILAC.

Portanto, a acreditação dos programas

PREVECAL realizada pela ENAC também

é endossada pela CGCRE.

Nessas organizações, foram estabelecidos

acordos internacionais com base no

reconhecimento mútuo de certificados e

relatórios emitidos pelas instituições acreditadas,

a fim de facilitar a concretização

do objetivo final: um relatório ou certificado

emitido com a acreditação da ENAC será

reconhecido pelos demais signatários do

mundo todo.

A acreditação dos programas PREVECAL

destaca a maior exigência técnica do programa,

além de melhorias significativas nos

benefícios recebidos pelos usuários, dentre

os quais destacamos:

• estatísticas robustas (ISO 13528:2015)

• eliminação de valores discrepantes segundo

o protocolo padronizado da IUPAC

• especificações baseadas na variabilidade biológica

• escore z

• avaliação final com base no erro total cometido

• assessoria técnica sobre o desempenho

obtido

O programa PREVECAL está ao mesmo

nível de outras instituições organizadoras

de programas de intercomparação, com a

vantagem de uma grande internacionalidade

de participantes, o que permite obter

uma comparação mundial que a maioria

dos programas nacionais não pode oferecer.

Essa conquista e o esforço contínuo na

obtenção de novas acreditações para o

restante dos programas PREVECAL nos permitem

ser referência como um programa

externo acreditado internacionalmente para

os laboratórios de análises clínicas no Brasil.

Contato:

www.biosystems.es

biosystems@biosystems.es

0132

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


Máxima

fl exibilidade

Random Access Analyzer

• Analisador de química clínica de bancada

com função STAT com ISE opcional.

• 200 testes/h reais inclusive para reações birreativas.

• Tecnologia LED SMART.

• 88 posições de reagentes e amostras

com flexibilidade máxima.

• Sistema compacto com manutenção reduzida.

Distribuição em todo o país

Fabricado por: BioSystems S.A.

Costa Brava 30, 08030 Barcelona (Spain) Tel. (+34) 93 311 00 00

biosystems@biosystems.es | www.biosystems.es


informe de mercado

Acesso remoto aos analisadores CellaVision:

Telepatologia acessível a todos

Muitos profissionais de laboratório que

trabalham na área da hematologia já conhecem

ou trabalham com a tecnologia

CellaVision para a realização da contagem

diferencial automatizada de leucócitos. O

equipamento faz a leitura das lâminas e fornece

ao analista uma pré-classificação dos

leucócitos, bem como a pré-caracterização

dos eritrócitos através da análise morfológica

conduzida por inteligência artificial.

Nos últimos quinze anos a morfologia

celular digital tem se tornado uma realidade

na maioria dos laboratórios de grande volume

de amostras. Nestas instituições, é muito

comum o acesso remoto aos analisadores

CellaVision, onde um ou mais analistas acessam

de forma remota as imagens das células

dos pacientes que tiveram suas amostras

selecionadas para a contagem diferencial.

Este acesso remoto permite que colaboradores

trabalhem remotamente, analisando

amostras processadas em outro local, por

exemplo, em um laboratório satélite, um

hospital afastado dos grandes centros ou

outro laboratório afiliado.

Os benefícios da tecnologia CellaVision,

antes disponível apenas para laboratórios

de grande volume de amostras, agora estará

disponível para laboratórios de todos

os portes. Durante a edição deste ano do

AACC, maior evento de análises clínicas

do mundo, a CellaVision apresentou um

novo equipamento de pequeno porte, o

DC-1 - ideal para laboratórios com pequeno

volume de amostras. O novo modelo processa

uma lâmina por vez e possui todas as

funcionalidades dos equipamentos Cella-

Vision maiores. Desta forma, laboratórios

pequenos também poderão contar com os

recursos CellaVision, o que inclui o acesso remoto,

permitindo a colaboração de analistas

localizados em outros centros diagnósticos.

Especialistas em morfologia poderão opinar

ou até mesmo assinar casos processados

em laboratórios afastados. A telepatologia

aumenta a precisão dos exames e a atuação

dos especialistas em morfologia celular. É

notável a redução do tempo de entrega dos

resultados (TAT), o incremento da acurácia

diagnóstica e da produtividade e, sobretudo,

da consistência, uma vez que o processo de

contagem diferencial se torna padronizado.

Saiba mais em www.cellavision.com

Contato: Wagner Miyaura - Market Support

Manager, South America

wagner.miyaura@cellavision.com

0134

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


informe de mercado

KIT ESPERMOTESTE - VIDA Biotecnologia

A VIDA Biotecnologia se destaca

como uma das mais eficientes empresas

brasileiras fabricantes de reagentes para

diagnóstico clínico. E já a alguns anos, a

empresa comercializa mais um produto de

fabricação própria, o Kit de Espermoteste.

O produto tem como finalidade realizar

o espermograma, exame utilizado

para a avaliação da qualidade e capacidade

de produção do espermatozoide,

indicando assim, a sua capacidade ou

não de fecundação e a saúde de todo

sistema reprodutivo masculino.

O teste se divide em exames macroscópicos,

microscópicos e bioquímicos.

O kit de Espermoteste da VIDA

Biotecnologia, é uma ótima forma de

padronização do exame nos laboratórios

clínicos e de fertilidade.

A VIDA Biotecnologia se destaca no

mercado de ciências da vida, se fazendo

presente nas maiores clínicas de

fertilidade do Brasil.

Para mais informações, entre em contato

com sua Central de Atendimento (31) 3466-3351

ou através do site www.vidabiotecnologia.com.br.

0136

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


informe de mercado

Plataforma point of care SelexOn certeza de

resultados precisos

Menu de testes registrados na ANVISA:

BNP

CK-MB

Hs-CRP

D-Dímero

Troponina

Trio Cardíaco

TSH

T4 Total

Com cerca de 8 anos atuando no mercado

Mundial e com pouco mais de 2

meses no mercado Brasileiro o sistema

Point of Care SelexOn da Bio Advance

vem demonstrando que veio para ficar.

Quando comparado com outros sistemas

existentes no mercado, fornece

resultados mais precisos, alinhados com

praticidade e rapidez.

Diferente de outros sistemas, o

SelexOn permite ao usuário realizar

múltiplos marcadores simultaneamente, e

com leitura entre eles de apenas 10 segundos.

Também tem sua determinação em

apenas um único passo, não requerendo

qualquer diluente de amostra, e a utilização

de amostra é de sangue total – EDTA.

Vale ainda destacar outros diferenciais

do SelexOn:

- Os kits não necessitam de refrigeração:

permitindo ao usuário maior flexibilidade e

economia no processamento da amostra.

- Tela touch screen capacitiva: o que

permite trabalhar com as informações de

vários toques ao mesmo tempo. A precisão

dessa tela pode chegar a 100% e é

de alta durabilidade.

- RFID: sistema de reconhecimento

que integra os dados do produto ao

equipamento e com apenas um único registro

inicial é possível utilizar todo o kit

sem necessidade de nova identificação.

- Cassete teste rastreáveis: sistema

inteligente que permite rastreabilidade

do analito, lote e validade durante as

análises, tornando todo o processo de

execução do teste seguro.

- Software de interface: sistema próprio

para interface de dados, modo simples

e direto no PC do usuário.

Bio Advance

Tel.: (11) 3445-5418

contato@bioadvancediag.com.br

www.bioadvancediag.com.br

0138

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


informe de mercado

Pipetagem exata e precisa de plasma, Sangue total e

outro líquidos problemáticos

Líquidos mais viscosos que a água como

glicerol ou que contenham proteínas ou

células em suspensão quando em contato

com a ponteira formam espuma fazendo

com que seja difícil uma pipetagem precisa.

Nas pipetas comuns, de deslocamento

de ar, uma bolha de ar separa o líquido do

interior da ponteira do pistão da pipeta. Essa

bolha de ar, como todo gás, interage com o

líquido pipetado de acordo com suas características

como densidade, viscosidade, volatilidade

e presença de surfactantes e isso pode

gerar uma redução do volume pipetado.

A MICROMAN®E é uma pipeta de deslocamento

positivo, e o líquido não entra

em contato com o corpo da pipeta, pois

a amostra é aspirada e dispensada por

uma ponteira capilar. Essa ponteira pos-

sui um pistão interno que elimina a bolsa

de ar formada nas pipetas comuns, sendo

assim, as propriedades do líquido não

influenciam o volume de líquido aspirado

e dispensado.

Líquidos viscosos são aspirados e dispensados

lentamente, isso faz com que certo

volume residual permaneça na ponteira

reduzindo o volume de líquido dispensado

influenciando a exatidão da pipetagem.

Essa nova versão da MICROMAN®E tem

design que se acomoda melhor na mão, um

botão de pipetagem maior e necessita de mínima

força de pipetagem (apenas 26N). Além

disso, com o display de volume na parte frontal

propicia melhor visibilidade do volume

a ser pipetado e o sistema QuickSnap para

perfeita fixação da ponteira capilar na pipeta.

As ponteiras com pistão capilar interno

melhoram muito a precisão da

pipetagem e eliminam a contaminação

cruzada entre amostras.

Estão disponíveis 6 modelos de

MICROMAN®E para volumes de pipetagem

de 1-1000 µl e suas respectivas

ponteiras capilares.

Para mais informações:

https://www.gilson.com/system-microman-e.html

Os produtos Gilson podem ser

adquiridos nos distribuidores oficiais:

Bioresearch - www.bioresearch.com.br

- (11)3872-6669

Sinapse - www.sinapsebiotecnologia.com.br -

(11) 2605-5655

Pensabio - www.pensabio.com.br -

(11) 3868-6500

0140

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


0141


informe de mercado

Plataforma Optilite da Binding Site é sucesso nos

grandes laboratórios e destaque nos eventos da área clínica

O FUTURO DAS

Como principal lançamento no Brasil em

ANÁLISES DE PROTEÍNAS ESPECIAIS

2018, a Binding Site do Brasil disponibilizou

O Optilite ® é a mais moderna plataforma para quantificação de proteínas

especiais. De tamanho

para seus

compacto,

clientes

software

o

intuitivo,

Optilite®,

a plataforma

sua mais

foi

nova

desenvolvida para trazer simplicidade a processos analíticos complexos.

plataforma para automação laboratorial.

Trata-se Menu de um testes analisador projetado para

Gamopatias Monoclonais

Nefrologia

Freelite simplificar o processo analítico de proteínas

® (quantificação de cadeias leves e Cistatina, Microalbumina e

livres) e Hevylite ® (quantificação de cadeias Beta-2-Microglobulina, Transferrina

leves/pesadas das imunoglubulinas)

plasmáticas, fazendo Proteínas Específicas com que o fluxo de

Sistema Imune

PCR, ASO, fator Reumatóide, Ferritina,

IgA, IgM, IgG, IgD e IgE, Suclasses de IgG Transferrina, Pré-Albumina, Ceruloplasmina,

e IgA, Sistema Complemento trabalho (CH50, C1 seja otimizado. Haptoglobina, Alfa-1-Antitripisina, Através do carregamento

contínuo de amostras e reagentes, e

inativador, C1q, C2, C3c e C4)

Alfa-2-Glicoproteína Ácida, Lipoproteína(a),

entre outras.

Sistema nervoso central

Albumina, Freelite, Cistatina e

Imunoglobulinas no liquor.

completa rastreabilidade de reagentes, controles

e calibradores por código de barras, o

® é marca registrada da empresa The Binding Site Group, Birmingham, Reino Unido

Freelite

Filial no Brasil:

DIAMEDICA - Uma empresa do grupo

The Binding Site

Rua: Gastão Vieira, n. 451

Pq: Santa Felicia Optilite® Tel: +55 16 3415-2829 é a solução ideal para laboratórios

CEP: 13.562 - 410

info@bindingsite.com.br

São Carlos - SP, Brasil

www.freelite.com.br

que buscam eficiência e segurança para

seus processos.

No último mês de junho a empresa

participou de dois importantes eventos

da área clínica: o 46 Congresso Brasileiro

de Análises Clínicas (CBAC) em Belo Horizonte

com a exposição do Optilite® e

materiais específicos sobre nos produtos; e

no II Encontro de Gamopatias Monoclonais

em São Paulo. Durante o CBAC, nos dias 16

a 19 de junho na cidade de Belo Horizonte,

os visitantes do stand tiveram a oportunidade

de conhecer o Optilite®, assim como

participar de uma explicação guiada pelos

assessores científicos da empresa, e conhecer

todo o menu de produtos que pode

ser realizado pelo analisador.

Melhora a eficiência Otimiza o fluxo de trabalho Segurança nos resultados

0142

Já no II Encontro de Gamopatias Monoclonais

em São Paulo no período de

28-29 de junho, a empresa participou juntamente

com os médicos hematologistas

da Associação Brasileira de Hematologia e

Hemoterapia (ABHH) e do Grupo Brasileiro

de Mieloma Múltiplo (GBRAM) com apoio

da Clínica Mayo dos Estados Unidos. Estiveram

presentes médicos, farmacêuticos,

biomédicos e outros profissionais da área

da saúde totalizando mais ou menos 240

participantes. A Binding Site disponibilizou

materiais contemplando a utilidade

clínica do Freelite, Hevylite e outros testes

que fazem parte do painel diagnóstico

e do monitoramento dos pacientes com

Mieloma e outras enfermidades relacionadas.

Além disso os especialistas da empresa

discutiram a interpretação do Freelite e

sua utilidade na prática clínica diária.

A empresa comercializa um menu

produtos para a área de proteínas plasmáticas,

sendo mundialmente reconhecida

pelo desenvolvimento, produção e

comercialização de kits para dosagens

de biomarcadores utilizados da área de

Onco-Hematologia, como o Freelite®

(dosagem de Cadeias Leves e Livres

(CLLs) Kappa (κ) e Lambda (λ) em soro)

e o Hevylite® (dosagem dos isotipos entre

as cadeias leves e pesadas das imunoglobulinas-

IgG, IgM e IgA).

No Brasil, o menu de produtos ofertado

é bastante amplo. Além do Freelite®

e Hevylite® como já comentado, destacam-se

outros testes para:

Imunodeficiência: IgA, IgM, IgG, IgD

e IgE, Suclasses de IgG e IgA, Sistema

do Complemento (CH50, C1 inativador,

C1q, C2, C3c e C4).

› Sistema nervoso central: Albumina,

Freelite e Imunoglobulinas no líquor.

› Nefrologia: Cistatina, Microalbumina

e Beta-2-Microglobulina.

› Proteínas Específicas: PCR, ASO, Fator

Reumatóide, Ferritina, Transferrina, Pré-

-Albumina, Ceruloplasmina, Haptoglobina,

Alfa-1-Antitripisina, Alfa-2-Glicoproteína

Ácida, Lipoproteína(a), entre outros.

Como já mencionado, atualmente o

Optilite já está na rotina de grandes laboratórios

como no grupo Diagnósticos

da América (DASA), Grupo Fleury Medicina

e Saúde, Diagnósticos do Brasil

(DB) e em etapa final de validação em

diversos outros hospitais e laboratórios

de renome. “Já são 8 Optilites instalados

até o momento. Nossos parceiros tem se

preocupado em utilizar o que há de mais

moderno e seguro para o resultado clínico

dos pacientes”, comenta Fúlvio Facco,

diretor geral da empresa.

Quanto ao Freelite®, é importante relembrar

que a incorporação do exame no

ROL de procedimentos e eventos em saúde

da Agência Nacional de Saúde (ANS),

está em vigor desde janeiro de 2018.

Desde então, todos os planos de saúde

são obrigados a cobrir os custos desse

exame. O código utilizado para os pedidos

do exame é: 4.03.24.26-5 – Quantificação

de cadeias kappa/lambda leves

livres, dosagem, sangue.

www.bindingsite.com.br

www.freelite.com.br • info@bindingsite.com.br

Revista NewsLab | Ago/Set 2019


As Vantagens Analíticas da Imunofixação Automatizada –

SEBIA

aplausos e as demais honrarias. As medalhas

O teste agora de imunofixação são do coração é muito dos solicitado

pelos médicos por conhecimento para a tipificação e de das todas imu-

jovens,

sedentos

nós noglobulinas, mulheres principalmente que compomos para a apoio OFAC. ao

Empreendedor, diagnóstico pacientes justo, sonhador com doenças e preocu-

tais

como mieloma múltiplo, amiloidose, macroglobulinemia

de Waldestrom, ou para

monitorar os pacientes que já foram diagnosticados

e estão em tratamento.

Existe um fluxograma para detectar e

monitorar as doenças que produzem as

proteínas monoclonais, também conhecidas

como paraproteínas ou ainda proteínas

M, que tem como o teste de triagem a eletroforese

de proteínas.

Todas as vezes que se detecta uma

proteína M no teste de eletroforese, esta

proteína tem que ser caracterizada por imunofixação.

As imunoglobulinas têm uma

pado com todos à sua volta: é assim que Fica a lição de que, dinamismo,

o porção definimos. cadeia Dr. pesada Abol ainda que pode possui ser uma IgG, aprendizado, da diminui a subjetividade conhecimento da interpretação. e troca

disposição IgA, IgM, IgD em ou aprender IgE, e as uma cadeias nova leves, tecnologia

podem e com ser Kappa a maravilhosa ou Lambda. atitude em nos sinônimo vez mais de utilizada muita pelos sabedoria laboratórios, e expe-

que vão A além Imunotipagem da idade, que tem na realidade sido cada é

ceder Esta uma tipificação palestra é virtual. importante pois pode, riência. exatamente E a emoção por promover ainda automação conta.

a partir daí, dar a direção para o diagnóstico Obrigada e por. Em Dr. muitos Abol casos, Correa. ser mais elucidativa

do que os testes realizados em

além disso, a Imunofixação é utilizada para

o estadiamento da doença.

gel de agarose.

O teste de Imunofixação é uma técnica

semiautomática, realizada em gel de

agarose, onde se tem a migração eletroforética,

Taís a aplicação Machado manual de anti- Pozza Fucks

-imunoglobulinas Farmacêutica Bioquímica, específicas e Diretora ao final, a da OFAC com especialização em gestão

interpretação

em Saúde e

visual

Estética

dos resultados.

A Sebia tem uma solução totalmente

automatizada para este teste, a Imunotipagem.

É uma técnica realizada nos equipamentos

Minicap e Capillarys, que minimiza

consideravelmente as etapas manuais e ain-

+ 55 11 3849 0148 - www.sebia.com

R. Barão do Triunfo, 612 - Cj. 406 - Brooklin Paulista

- S.Paulo / SP - CEP 04602 002

0143


informe de mercado


0145047


informe de mercado

Unionlab 30 Anos

Roberley Polycarpo e Francisco Nogueira em recente participação

no AACC Califórnia 2019.

Newslab : Como a Unionlab foi idealizada?

Há trinta e três anos eu, Roberley, e

Francisco nos conhecemos trabalhando no

mesmo grupo empresarial. Eu, formado

em administração de empresas e direito,

vindo do mercado financeiro, Francisco,

biomédico do segmento de vendas editoriais.

Pensando em empreender começamos

atendendo inicialmente indústrias,

como Vale do Rio Doce, Aracruz Celulose,

Siderúrgica de Tubarão (hoje ArcelorMittal)

e o polo de indústrias em Ilhéus; tendo

como foco a demanda de seus laboratórios

de controle de qualidade, fornecendo basicamente

equipamentos de instrumentação

analítica e reagentes.

Newslab: Como foi o inicio?

Como todo início, a situação não era das

melhores, mas isto nos forçou desenvolver:

“perseverança, resistência e resiliência (acreditar

e prosseguir na busca do objetivo) e o

rígido controle de gastos”. Assim começou

a Unionlab. Aos poucos, o setor de laboratórios

clínicos foi tomando espaço dentro

da incipiente empresa, mas o faturamento

começava ficar prejudicado, pois a atuação

da empresa se limitava ao fornecimento de

equipamentos básicos.

Newslab : Faça uma breve retrospectiva

Naquela época o segmento de equipamentos

de maior valor agregado para os

laboratórios, como contadores semiautomáticos

de células, equipamentos semiautomáticos

de bioquímica, analisadores de

gases e íons, eram dominados por equipamento

de marcas já mundialmente consolidadas

e entravam nos laboratórios através

de vendas institucionais.

O estado do Espírito Santo era pouco conhecido,

e os importadores das marcas consolidadas

o enxergava, como uma extensão

do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Então nós

(Eu e Francisco) percebemos uma possibilidade.

Não podendo ser distribuidores

das marcas estrangeiras já estabelecidas,

a Unionlab inicia um processo de parcerias

com empresas tendo com premissa irredutíveis

a qualidade dos produtos e efetivo suporte

técnico e científico no Espírito Santo.

Seguindo a premissa de prestar eficiente

e resolutivos suportes técnico e científico,

começa a ser estruturado aquele que hoje

é umas das principais ferramenta de vendas

da empresa – o departamento de assistência

técnica e assessoria científica - contratando

engenheiro, técnicos e farmacêuticos

bioquímicos, sempre não medindo esforços

financeiros para sua atualização tecnológica

quer seja em treinamento e/ou participações

em congressos.

Com a estratégia de profissionalização

e montagem do departamento técnico, a

Unionlab começa a ter a personalidade do

que é hoje. Atraindo parcerias para as linhas

de bioquímica e hematologia (onde fomos

campeões de venda), automação de hemoculturas

e microbiologia, analisadores de

gases e íons, ampliando as possibilidades da

empresa nos clientes privados e também no

setor público, porque em paralelo continuávamos

a comercializar a linha de equipamentos

de suporte, tais como microscópios,

câmaras de conservação, centrífugas e outros,

nos tornando assim, o parceiro preferencial

para montagem dos laboratórios das

maiores universidades do Espírito Santo.

Por prestar um serviço de excelência

aos laboratórios e alguns deles estarem

instalados dentro de hospitais, a Unionlab,

começa a fazer parcerias também para a

venda de equipamentos hospitalares e

materiais para procedimentos médicos,

levando a excelência de seu pós-venda

também para esta área, tornando-se um

dos principais fornecedores do mercado

de equipamentos para centrais de esterilização,

centro cirúrgicos, unidades de tratamento

intensivo e procedimentos médicos

invasivos como endoscopia e cateterismo,

sendo admitidos para o setor de suporte

técnico para a área hospitalar, Engenheiro

Clínico (pioneira no Brasil neste sentido),

enfermeiros e fisioterapeutas.

Mantendo a premissa de foco no cliente

e severo controle financeiro atravessamos

estes 30 anos, enfrentamos muitas dificuldades,

pois não é fácil empreender no

Brasil. Contamos hoje com uma família

de 58 colaboradores, muitos deles do

início de nossa fundação. É para nós uma

grande satisfação, mas também uma

grande responsabilidade, manter a saúde

financeira da empresa de forma a conser-

0146

Revista NewsLab | Ago/Set 2019