RCIA - ED. 128 - MARÇO 2016

tvcomercioeindustria

1


Novo complexo da São Francisco

Saúde oferece proteção 24 horas

aos beneficiários de Araraquara.

Responsável técnico: Dr. José Carlos Lucheti Barcelos CRM nº 81.223

ANS - Nº 30209-1

O Pronto-Atendimento construído pela São Francisco Saúde já

está à disposição dos beneficiários do plano e vem reforçar a rede

própria local, que já conta com uma clínica para consultas eletivas

em mais de 20 especialidades médicas. Em amplas instalações,

de quase 1.000m 2 de área e modernos equipamentos, o Pronto-

Atendimento oferece estrutura e equipe médica à disposição

24 horas por dia, inclusive finais de semana e feriados. O novo

prédio conta com salas de recepção, emergência, curativos,

procedimentos, imobilização gessada, observação masculina,

feminina e infantil, medicação, inalação, Raio-X, laboratório,

infraestrutura de suporte e consultórios médicos.

saúde

Unidade de Pronto-Atendimento de Araraquara:

Rua 9 de Julho, nº 5 - Centro (Via Expressa)

2

0800 777 90 70

saofrancisco.com.br


3


4


5


ÍNDICE

CAPA

Coxinhas Douradas de Bueno

RANKING

Triângulo, só um 12° lugar

SERVIÇO

ACIA implanta SCPC

EMPREENDIMENTO

Corredor comercial da 36

10 15 18 22

Quinze anos são passados; o pequeno

bar do Freitas foi transformado em

cartão postal da gastronomia brasileira,

graças ao empreendedorismo de Sônia

e Paulo Freitas.

A ARTESP avaliou a gestão das

concessionárias de rodovias

no Estado e a Triângulo do Sol,

mais familiar a nós por causa da

Washington Luís, não foi bem.

A Diretoria da Associação Comercial

anuncia parceria com a Boa Vista

para disponibilizar às empresas

associadas, informações cadastrais

dos consumidores no SCPC.

Em café da manhã, a Bild

Desenvolvimento Imobiliário anuncia

em Araraquara a construção do

Intercity Hotels, na Avenida 36, com

150 apartamentos.

Editorial

Orla Ferroviária

Inadimplência

Tocha Olímpica

09 | Jornalista Ivan Roberto Peroni

fala do avanço do desenvolvimento

econômico local e as dificuldades para

se administrar o município.

12 | A CEAGESP talvez tenha que

alterar seu sistema operacional quando

for implantado o Parque dos Trilhos, às

margens da Via Expressa.

26 | Números passados pelo

Sincomercio apontam que aumentou

em 13% a inadimplência em

Araraquara no passado.

48 | Atletas escolhidos para carregar

a tocha dos Jogos Olímpicos em julho,

descrevem antecipadamente a emoção

que estão sentindo.

Curso de Endodontia na Unesp Araraquara

O curso visa formar

Considerando a grande

cirurgiões-dentistas

evolução da Odontologia

especialistas e procura

quanto às pesquisas, aos

transmitir todas as situações

novos materiais e às novas

e enfermidades decorrentes

técnicas operatórias, o

desta especialidade

profissional tem necessidade

capacitando-os a realizarem

de buscar um curso

uma endodontia com

Especialidade que cuida do de aprimoramento da

segurança e eficiência. Cabe interior do dente

especialidade que escolheu,

ao curso, também, apresentar

procurando conhecer todas

e ensinar as diversas técnicas e aparelhos as variáveis patológicas de tratamento para se

de uso endodôntico oferecidos no mercado. tornar especialista na área.

Ajudar ao próximo

O Fundo Social de Solidariedade de

Araraquara recebeu em fevereiro, doações

de alimentos, água e roupas. O material

foi arrecadado durante os meses de janeiro

e fevereiro, inclusive no carnaval pelos

proprietários do Boteco Pé na Cova que

doaram 40 cestas básicas. A coordenadoria

da Defesa Civil também destinou ao órgão

1.683 litros de água mineral. “Agradecemos a

população de Araraquara, sempre sensível no

auxílio ao próximo”, disse Zi Barbieri, presidente

do Fundo.

Você já parou para pensar quanto vale a sua Marca?

Não perca tudo o que já foi investido na imagem de

sua empresa. Proteja-se!

Solicite uma pesquisa de marca gratuita:

0800 703 9009

www.vilage.com.br

6


TECNOLOGIA

Os drones nas lavouras

29

Automatização da agricultura

leva os produtores rurais a

utilizarem os drones para o

monitoramento. A região de

Araraquara não fica fora.

Ergonomia

54 | Como aplicar os conceitos no

seu dia a dia. Orientações vêm com

o apoio publicitário da Estilo Móveis

para Escritrório.

DESCOBERTA

Um tesouro no IEBA

56

Aparelhos como essa Máquina

Eletrostástica, datatos de 1920,

foram encontrados no porão do

IEBA por uma pesquisadora que

conseguiu recuperá-los.

Saúde

60 | Zika é o nome dela. Entrevista

com o médico Walter Figueiredo

avalia a chegada do Aedes e as

consequências na cidade.

DA REDAÇÃO

Sônia Maria Marques

E nós, à mercê da

Triângulo do Sol

Nesta edição estamos focando a posição nada agradável

que a Triângulo do Sol, concessionária de rodovias, uma delas a

Washington Luís, ocupa no momento, segundo a Artesp. Até agora

ela aparece em 12° lugar dentre as 19 que ganharam a concessão

no Estado de São Paulo, abastecidas com postos de pedágio. Quer

dizer, está abaixo da classificação mediana, péssimo para quem detém

uma das mais importantes rodovias do país e coloca essa mesma

rodovia apenas entre as nove melhores em termos de qualidade. No

contrapé da história a Triângulo do Sol, age politicamente, ao distribuir

para prefeituras da região de Araraquara e São Carlos, cerca de R$

23 milhões em repasses provenientes do ISS-QN, incidente sobre as

tarifas de pedágio. Se é imposto, logo é plenamente justo e também

dever. Só Araraquara abocanhou desta fatia R$ 3 milhões. Criada em

abril de 1998, a empresa diz ter investido até 2014 - R$ 25 bilhões. Ao

longo deste período também pesa sobre ela uma série de críticas pelo

seu atendimento insatisfatório, estado de conservação das rodovias

que administra e o privilégio de ter criado um dos pedágios mais caros

do Brasil na extensão da Washington Luís. A Triângulo em seu próprio

site se vangloria em estar localizada em uma região marcada pela

diversidade de atividades econômicas e com as melhores posições

nos quesitos riqueza, escolaridade e longevidade; ela administra 442

quilômetros de rodovias pelos quais são transportados boa parte da

produção sucroalcooleira, de laranja e derivados, grãos e têxtil do

interior do Estado de São Paulo. Bem ou mal vamos ter que suportá-la

até 18/07/2021 ficando sem alternativas no ir e vir na Washington

Luís. Mas, por pagar tanto imposto e investir tanto, imaginem o quanto

ela faturou...

Araraquara faz audiência pública

sobre concessão de gás canalizado

Em fevereiro aconteceu na Câmara

Municipal a audiência pública da

Gás Brasiliano, organizada pela

Agência Reguladora de Saneamento

e Energia do Estado de São Paulo

(Arsesp). O encontro teve o objetivo

de colher subsídios para a proposta

de celebração do quarto termo

aditivo ao Contrato de Concessão n°

CSPE/02/99, firmado entre o Estado

de São Paulo e a Gás Brasiliano

Distribuidora, que visa alterar as

metas mínimas da exploração de

serviços de distribuição de gás

canalizado e estabelecer extensões

das redes de gás canalizado,

atendendo aos municípios de

Macatuba, Igaraçu do Tietê, Barra

Bonita e Jaú. Participaram os

diretores da Arsesp, Marcos Barros

(Regulação Técnica e Fiscalização

dos Serviços de Energia), José

Bonifácio Amaral Filho (Regulação

Econômico-Financeira e de

Mercado) e Paulo Goes (Relações

institucionais). Com sede em

Araraquara, a Gás Brasiliano possui

em sua área de concessão

927,05 km de rede de

gás, distribuídas em 30

municípios, atendendo

cerca de 11 mil usuários

faturados. O evento foi

aberto pelo presidente da

Câmara, Elias Chediek.

Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni

Supervisora Editorial: Sônia Marques

Redação: Rafael Zocco

Diretor Comercial: Humberto Perez

Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Heloísa Nascimento

Design: Carolina Bacardi, Bete Campos, Mário Francisco Pedrolongo

Tiragem: 5 mil exemplares

Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131

A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região

* INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633

* COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE

Fone/Fax: (16) 3336 4433

Rua Tupi, 245 - Centro

Araraquara/SP - CEP: 14801-307

marzo@marzo.com.br

EDIÇÃO N°128 - MARÇO / 2016

Elias Chediek,

abriu o evento

7


8


EDITORIAL

Neste momento não dá para

tapar o sol com a peneira

Dentro de um cenário político e econômico estapafúrdio

(inacabado, malfeito, aquilo que desajeitadamente tenta um

pequeno voo e cai sem graça no chão) que estamos vivendo

no País, Araraquara até que tem conseguido atrair os bons

olhos dos investidores nacionais e internacionais. Ninguém

pode evidentemente tirar do atual prefeito Marcelo Barbieri

esta virtude, pois são ações que causarão impacto no futuro,

gerando arrecadações e empregos, base fundamental para

o desenvolvimento econômico de qualquer município. Ruas

e avenidas esburacadas, mato em exagero, também fazem

parte deste contexto administrativo e não há como tapar o sol

com a peneira e dizer não temos; aliás, não dá nem mesmo

para se contemporizar o quadro, quando aos olhos da população

saltam as imagens. O prefeito sabe disso e não ignora

que é preciso agir, porém, tudo ao seu tempo certo, pois só

um louco vai tapar buracos com as chuvas que estão caindo.

A vinda da Randon e depois da Hyundai Rotem, é um

exemplo recente que se alia a implantação do Intercity Hotels

Araraquara trazido pela Bild Desenvolvimento Imobiliário

e que erguirá na Avenida 36, um dos principais corredores

comerciais da cidade. Podemos dizer, seguramente, que com

esses investimentos - citamos apenas três - o município mantém

um equilíbrio sócio-econômico interessante em relação a

outras cidades e os recursos que se anunciam, a serem aplicados

para revitalização das nossas vias públicas - após a

passagem das chuvas - mostrarão que vivemos tempos diferentes

daqueles em que se era possível dizer todo dia “Araraquara,

a cidade mais limpa das três Américas”.

Frases assim escapuliram pelos vãos dos nossos dedos, tanto

quanto as famosas: “Vivemos no país do futebol”, “São Paulo,

a cidade que mais cresce no mundo”,

“Rio, Cidade Maravilhosa” ou a mais

novinha “Brasil, Pátria Educadora”, solta

pela Dilma, deixando transparecer

que essa seria a prioridade das prioridades.

Não podemos mais ter São

Deputado Roberto Massafera, Governador Geraldo Alckmin e

Marcelo Barbieri estarão na inauguração da Hyundai Rotem no dia

23 de março

Paulo como a “terra da garôa”, com tanta inundação.

Nos tempos em que Araraquara era a “cidade mais limpa

das três Américas”, o prefeito Rômulo Lupo não tinha tão

expressivo número de desafetos políticos dentro de uma comunidade

com 60 mil habitantes, quanto o prefeito Marcelo

Barbieri. A começar pela Câmara Municipal, onde vereadores

naqueles tempos não recebiam salários; eram só dois

partidos e havia coerência nas reivindicações que se voltavam

apenas para o bem-estar do município. Hoje não, as

desavenças extrapolam, o desrespeito acontece até mesmo

entre eles e é impossível dimensionar o desgaste do poder

Legislativo com reflexos no Executivo, pois ambos estão interligados

por uma série de interesses. Não é de hoje que as

ações políticas seguem na contramão: ao invés da união de

todas as forças para que a cidade se mantenha em destaque

e com Poder de obter mais benefícios e investimentos, o foco

se centraliza na disputa pelo Poder político, no mando sobre

todas as coisas. Isso às vezes desaponta as pessoas que acabam

cultuando duas frustrações: a dos que têm poder mas

não têm competência para exercer e a dos que têm competência

mas não têm poder.

Na verdade, ninguém pode contestar a vontade que certamente

o prefeito sempre teve de manter a cidade livre dos

matagais e também possibilitar a ela uma estrutura econômica

capaz de colocá-la em evidência no cenário nacional. Não

fez porque não teve como fazer e olha que ele tem interesse

nisso, como político. E se tivesse feito seria ele abençoado o

tempo todo. Mas não é bem assim. A desgraça econômica

neste país vem em efeito cascata pelas mãos de uma política

desastrosa e atingirá a próxima administração municipal; o

que precisamos é ter orgulho da cidade em que vivemos,

pois até nossas vidas passam por uma reconstrução diária.

9


REPORTAGEM DE CAPA

Paulo de Freitas

e Sônia Maria

Ao comemorar 15 anos, as Coxinhas Douradas

de Bueno mostram que não são apenas

deliciosas e sedutoras dentro da gastronomia

regional: elas se tornaram bem afetivas ao longo

do tempo e agora acabam de se transformar

em lembranças (souvenirs) para quem visita o

pequeno distrito de 2 mil habitantes, famoso

no país pelo empreendedorismo de Sônia Maria

e Paulo de Freitas.

A história do Bar e Mercearia Freitas se

assemelha à simplicidade de Bueno. Talvez tenha

sido esse jeito acaipirado é que deu às coxinhas,

o sabor de saudade, pois é impossível esquecêlas

num cenário de mesas e cadeiras à sombra

das árvores no meio da praça, convivendo com

um ambiente de paz e tranquilidade.

EU ESTIVE EM

As Coxinhas Douradas

simbolizam Bueno e a

gastronomia regional,

tendo sua imagem

em canecas, xícaras,

guardanapos e chaveiros

como uma doce lembrança

Coxinhas Douradas de Bueno

comemorando 15 anos de sucesso

Diariamente cerca de 2 mil pessoas

passam pelo único corredor comercial do

Distrito de Bueno de Andrada: Avenida Dr.

Nilo Rodrigues da Silva, uma mistura de

via pública com rodovia, na interligação

de Araraquara e Matão. Bem no meio

do trajeto entre as duas cidades, o Bar e

Mercearia Freitas se orgulha de produzir

as mais saborosas coxinhas do Brasil,

que ganharam fama pela sua crosta dourada

nas crônicas do escritor Ignácio de

Loyola Brandão, aproximando o lado caipira

da culinária regional ao desejo das

famílias se juntarem principalmente nos

fins de semana para uma viagem de volta

ao passado.

BUENO

Sônia Maria e Paulo de Freitas, a partir

de 2001 apostaram na revitalização

de um bar com mais de 50 anos e investiram

na produção de coxinhas seguindo

técnicas de manipulação. O sabor diferenciado

virou propaganda de boca em

boca e a casa se transformou em recanto

turístico.

10


O Bar e Mercearia Freitas hoje revitalizado e

abaixo com apenas duas portas (1978), quando

o estabelecimento era dirigido pelo pai de Paulo,

Júlio de Freitas

Av. Dr. Nilo Rodrigues da Silva, 670 | Bueno de Andrada

faleconosco@coxinhasdouradas.com.br | 3335-4176

Foi com esse perfil inovador que eles

transformaram Bueno de Andrada em

cartão postal e parada obrigatória para degustação

das coxinhas em vários sabores:

“Além da tradicional coxinha de frango, que

é a mais pedida, temos a de queijo e a de

carne e muitos outros sabores no cardápio.

Nossa equipe tem o cuidado em pesquisar

e criar novos sabores para agradar todos

os paladares, por isso, desenvolvemos coxinhas

especiais, como as sem glúten, que

são muito procuradas; as veganas e em breve,

teremos as coxinhas de massa integral.

Temos que oferecer o melhor e o que seja

mais saudável possível”, diz Sônia.

Além dessas coxinhas especiais, os

clientes e visitantes encontram no Bar e

Mercearia Freitas, a coxinha de nutella, que

é uma das últimas novidades, muito apreciada

por quem gosta de doces. Logo, também,

será lançada a coxinha de doce de

leite, que promete ser outra delícia.

Sônia lembra que hoje, a Coxinhas

Douradas possui diversos souvenirs para

aqueles que queiram levar uma lembrança,

como xícaras, cofrinhos em forma de

coxinha, chaveiros (miniatura de coxinha),

guardanapos, além da mascote, que é uma

coxinha, em miniatura, igual a que está localizada

na área de lazer, onde os visitantes

aproveitam para tirar fotos e passar horas

agradáveis.

O Bar e Mercearia Freitas, diante do intenso

movimento, agora também está aberto

ao público nas segundas-feiras, a partir

das 12h até 22h. Nos demais dias o horário

de atendimento, é das 8h30 às 22h, lembrando

que as Coxinhas Douradas de Bueno

aceitam cartões de crédito, que é mais

uma comodidade para seus clientes.

Quiosque e área de lazer para o público

Coxinhas de frango e brócolis, sem

glúten e sem lactose figuram no cardápio

das Coxinhas Douradas de Bueno

LINHA BUFFET COM

MINI-COXINHAS

“A linha Buffet mini-coxinhas

é para atender aniversários,

festas, além de encomendas.

É um projeto desenvolvido

com muito carinho, pois a

qualidade e o sabor são

indispensáveis”.

Um dos espaços do Bar e Mercearia Freitas

As tradicionais

coxinhas de frango

Coxibe com carne e queijo, uma das novidades

Coxinhas de bacalhau

11


ESTAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Exposição aberta

até 4 de abril

ORLA FERROVIÁRIA

O futuro da Ceagesp co

A armazenagem é uma das principais atividades da CEAGESP em

Araraquara desde 1973, quando foi criado o entreposto na orla

ferroviária; só no ano passado a companhia movimentou cerca

de 600 mil toneladas de grãos, vindas de várias partes do país.

Mais de 70 mil pessoas já viram o museu

em outras cidades

No Palacete das Rosas chega

um evento que reproduz o

conceito central do Museu da

Língua Portuguesa.

Depois de passar por sete cidades

entre 2013 e 2014, a Estação da Língua,

exposição itinerante do Museu da

Língua Portuguesa, da Secretaria da

Cultura do Estado de São Paulo, retomou

sua viagem em 2016, e já está em

Araraquara.

A mostra é parte das atividades

desenvolvidas pelo Museu, paralelamente

à sua reconstrução, e fazendo

jus à proposta que lhe deu origem: seu

acervo é a língua viva, falada por todos

os povos de lusófonos, nos seus mais

variados sotaques e evoluções.

Nos anos anteriores, a exposição itinerante

recebeu quase 70 mil visitantes

ao estacionar em Santos, Registro,

Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto,

São José do Rio Preto e São Bernardo.

Reproduzindo o conceito central do

Museu da Língua Portuguesa, a Estação

da Língua tem a interatividade e

a tecnologia como veículos para apresentar

o nosso idioma. A mostra vai até

o dia 2 de abril.

São mais de 300 metros quadrados

de área expositiva; a exposição montada

no Palacete das Rosas também recebe

programação paralela à Estação

da Língua, como oficinais e atividades

especiais.

Qual o impacto que a CEAGESP sofrerá

com a implantação do projeto Parque

dos Trilhos nos próximos anos? A Companhia

de Entrepostos e Armazéns Gerais

do Estado de São Paulo (Ceagesp) ainda

não tem conhecimento oficial sobre a retirada

dos trilhos ou Projeto Parque dos

Trilhos. Em nota à RCI, a companhia explica

que as unidades armazenadoras,

na Vila Xavier e Graneleiro, próximo à Avenida

Expressa, poderão ser impactadas

com a retirada dos trilhos mas não nas

atividades atualmente desenvolvidas, já

que a maioria das operações de recepção

de produtos ocorre via rodoviária.

O assunto passou a fazer parte das

discussões entre o município e a Ceagesp

a partir do mês passado quando

aqui esteve o presidente da companhia,

Carlos Nabil Ghobril. Ele explicou que

veio a cidade para conhecer os imóveis

da CEAGESP, sendo este seu primeiro

contato com o município após a posse na

presidência da unidade, em novembro.

Embora o prédio esteja fora do espaço

negociado com a ALL, parte dos

12

Carlos Ghobril, presidente da Ceagesp

trilhos usada como fonte de embarque

dos produtos armazenados aos vagões

está dentro do parque. O desvio ferroviário

ainda está ativo usando a bitola larga

para transbordo de produtos destinados

à exportação pelo Porto de Santos, contudo

quase toda operação na atualidade

é realizada através de rodovias.

No ano passado a

Ceagesp armazenou 530

mil toneladas de soja


m o Parque dos Trilhos

O ARMAZÉM

A armazenagem é uma das principais

atividades desenvolvidas pela CEAGESP

em Araraquara desde 1973, quando foi

criado o entreposto. A companhia sabe

que a produção agrícola é a maior riqueza

do agricultor e oferece as melhores

condições de armazenamento para a safra.

A gestão da rede é de responsabilidade

do Departamento de Armazenagem

(DEPAR).

A CEAGESP possui a maior rede pública

de armazéns, silos (grandes depósitos,

em forma de cilíndro, para guardar

produtos agrícolas) e graneleiros (locais

que recebem ou abrigam mercadorias a

granel) do Estado de São Paulo e uma

das maiores do Brasil.

São 18 unidades próprias interligadas

à malha ferroviária, todas de fácil

acesso e instaladas próximas das áreas

de produção e escoamento. Contudo, o

O prédio da Ceagesp ao fundo na orla

ferroviária e as locomotivas fazendo manobra,

cenário que aos poucos vai desaparecer

transporte rodoviário ainda supera o ferroviário.

No ano passado passaram pelo entreposto

da CEAGESP, cerca de 530 mil

toneladas de soja, 1130 toneladas de

milho e 11 mil toneladas de sorgo, quinto

cereal mais produzido no mundo, antecedido

pelo trigo, o arroz, o milho e a

cevada. Também ficaram estocadas para

embarque cerca de 31 mil toneladas de

açúcar. Em relação a 2014, o armazenamento

de soja caiu e o de milho subiu.

Segundo a CEAGESP, o armazém

convencional em Araraquara tem capacidade

para armazenar 5,1 mil toneladas;

o silo horizontal, 20 mil toneladas;

o silo vertical, 5 mil toneladas e o graneleiro,

40 mil toneladas.

De acordo com o vereador Elias Chediek,

presidente da Câmara, o Parque

dos Trilhos pode funcionar independente

da CEAGESP, já que a operação ferroviá

ria diminuiu drasticamente. “O ideal,

com o tempo, é que ele seja transferido

para fora da área central e que suas instalações

atuais possam ser aproveitadas

pelo município. Há estudo preliminar de

novos acessos rodoviários ao local, tanto

pela atual quanto pela futura via expressa”,

diz ele.

O traçado hoje mantido pela CEAGESP deverá ser alterado, segundo Chediek

13


AVISO

SAT dá prazo

para empresas

Prazos se encerram em 2017

para postos de combustíveis;

intenção do Estado é erradicar

falhas de envio.

O Sistema de Autenticação e Transmissão

(SAT) foi implantado inicialmente

no Estado de São Paulo em meados

de 2015. Com o intuito de agilizar os

processos de envio de informações

para a Secretaria da Fazenda, o próprio

Estado criou um software que facilitou

a vida dos empresários e gerentes no

momento de registrar as vendas.

Com o SAT, a Redução Z, operação

que deve ser realizada no final do expediente

do comércio para transmitir as

vendas, será inutilizada juntamente com

a ECF (Emissores de Cupons Fiscais).

Desta maneira, o SAT contabiliza todas

as operações realizadas e transfere instantaneamente

os resultados para a SE-

FAZ, quando conectado à internet.

Os prazos para as adaptações se iniciaram

no dia primeiro de julho de 2015

para postos de combustíveis e agora

estão sendo exigidos também para outros

estabelecimentos comerciais.

Desde o dia primeiro de janeiro de

2016, além dos postos de combustíveis,

os hipermercados, supermercados,

minimercados, mercearias e armazéns

que utilizem ECF com mais de

cinco anos desde o primeiro lacre, também

devem se adequar.

Os comércios que se encaixarem

nas opções descritas e que faturem

mais de R$ 100 mil ao ano devem

adaptar-se ao novo formato. O primeiro

dia do ano de 2017 é o prazo final para

que todos os postos de combustíveis

encerrem de vez o uso do ECF.

Equipamento

SAT da DIMEP

Cupom modelo emitido pelo sistema SAT.

Esses cupons são emitidos pelo sistema SAT

com o quadro codificado abaixo, chamado

QR Code. O cliente pode fazer a leitura do

quadro com um aplicativo do celular e “ler”

o cupom na íntegra, saber quanto de imposto

pagou, além de legitimar o uso correto do

Cupom Fiscal, sendo impossível sonegar

impostos.

Com a instalação do SAT, um mesmo

equipamento pode ser utilizado por

vários PDVs, diferente do ECF.

A MOURA

A Moura Informática, há mais de

25 anos no mercado, está atualizada e

saiu na frente com o SAT. Todos os seus

softwares estão integrados com o novo

sistema. Além disso, a Moura também

comercializa os equipamentos, realizam

a instalação e fornecem treinamento

para os proprietários e colaboradores

responsáveis pela operação, com

suporte 7 dias por semana, até às 22h.

14


VAI MAL

Triângulo do Sol, apenas um 12° lugar no

ranking das concessionárias paulistas

Apesar de usufruir de um dos

trechos de pedágio mais caros

do país, a Triângulo do Sol não

ofereceu em 2014 (premiação

2015) aos seus clientes, serviço

de qualidade e sua posição no

ranking da Artesp está abaixo

da classificação intermediária.

Pedágio da Triângulo rendeu para o município

de Araraquara - mais de 3 milhões de reais

A Triângulo do Sol, concessionária

que administra a rodovia Washington

Luís, ocupou em 2015 o 12º lugar em

ranking com 19 administradoras de estradas

paulistas divulgado pela Agência

de Transporte do Estado de São Paulo

(Artesp). Além da via que corta Araraquara,

a Triângulo também controla trechos

das rodovias Brigadeiro Faria Lima

e da SP-333. Na Washington Luís que é

a SP 310, vai de São Carlos até Mirassol,

com cerca de 326 km.

O ranking, de acordo com a Artesp,

avaliou a gestão das concessionárias em

2014 e envolveu cinco categorias: segurança

rodoviária, melhorias nas rodovias,

qualidade dos serviços prestados aos

usuários, relacionamento com a sociedade

e opinião do usuário. Foi a primeira edição

do ranking com esse formato.

Para cada categoria, um sistema de

pontuação serviu para avaliar os serviços

prestados pelas concessionárias.

Técnicos da agência e do Instituto de

Pesquisas Tecnológicas (IPT) elaboraram

uma metodologia que leva em

conta 20 indicadores. Os dados foram

monitorados pelo Centro de Controle de

Informações da Artesp. A concessionária

que registrou o melhor desempenho

foi a Renovias, seguida pela Autoban e

a SPVias. Segundo a Artesp, o ranking

foi criado como forma de incentivar as

concessionárias a adotarem ações que

tornem as pistas mais seguras. A agência

também divulgou as melhores em

cada categoria. A Triângulo do Sol não

ficou entre as três primeiras em nenhuma

delas.

A Triângulo do Sol informou que

está verificando os dados referentes à

pontuação do prêmio da Artesp, visando

estabelecer, se for o caso, ações de

melhoria. Outras duas concessionárias

que administram rodovias que passam

pela região ficaram em posições melhores.

A Vianorte foi a sexta colocada e a

Tebe foi a nona.

OUTRA PESQUISA

No ano passado, a Confederação

Nacional dos Transportes (CNT) divulgou

um ranking com as melhores rodovias

do país. A Washington Luís, rodovia

pedagiada pela Triângulo do Sol, ficou

em 9º lugar, posição nada agradável

por ter um dos preços de pedágio mais

caros do país e com serviço que não

consegue ter notas que provem boa

qualidade.

Ranking da Artesp

15

ARARAQUARA RECEBEU 3

MILHÕES DA TRIÂNGULO

DO SOL

Na região de Araraquara, 16 prefeituras

foram beneficiadas com R$ 22,4

milhões em repasses provenientes do

Imposto Sobre Serviço de Qualquer

Natureza (ISS-QN), que incide sobre as

tarifas de pedágio, no ano de 2015. O

valor é superior ao arrecadado no ano

anterior, que foi de R$ 22,36 milhões.

A verba proveniente do ISS-QN sobre

os pedágios é significativa na composição

orçamentária das administrações

municipais, principalmente em pequenas

cidades. Entre os municípios da

região, São Carlos é que mais teve arrecadação

com o ISS dos pedágios recebendo

R$ 3,84 milhões, seguido de

Santa Rita do Passa Quatro (R$ 3,73 milhões)

e Araraquara (R$ 3,02 milhões).

Concessionárias Principais rodovias

1° - Renovias José André de Lima (de Campinas a Mococa); Ademar Pereira de Barros (de Mogi Guaçu a Águas da Prata)

2° - Autoban Bandeirantes e Anhanguera

3° - Spvias Castello Branco (de Tatuí a Santa Cruz do Rio Pardo) e Raposo Tavares (de Araçoiaba da Serra a Itapetininga)

4° - Autovias Anhanguera

5° - Rota das Bandeiras Dom Pedro 1°

6° - Vianorte na região, administra 54,9km da rodovia Armando de Salles Oliveira, de Sertãozinho a Bebedouro

7° - Centrovias Washington Luís (de São Carlos a Cordeirópolis)

8° - Ecopistas Ayrton Senna e Tamoios

9° - Tebe Rodovias José Della Vechia e Orlando Chesini Ometto (SP-323) de Taquaritinga a Pirangi com 44,10km;

Brigadeiro Faria Lima (SP-326) de Bebedouro a Barretos com 47,03km;

Comendador Pedro Monteleone (SP-351) de Bebedouro a Catanduva com 64,85km

10° - Intervias Anhanguera

11° - Ecovias Anchieta e Imigrantes

12° - Triângulo do Sol Rodovias Washington Luís (SP-310) de São Carlos a Mirassol com 226,50km;

Brigadeiro Faria Lima (SP-326) de Matão a Bebedouro com 86,27km;

Carlos Tonani, Nemésio Cadetti e Laurentino Macari (SP-333) de Sertãozinho a Borborema com 129,43km

13° - Viaoeste Castello Branco e Raposo Tavares

14° - Via Rondon Marechal Rondon

15° - Rodovias do Tietê Marechal Rondon

16° - Colinas Castello Branco

17° - Rodoanel Oeste Rodoanel trecho oeste

18° - Cart Raposo Tavares

19° - SPMar Rodoanel trecho sul


PÁSCOA EM ARARAQUARA

O comércio de

chocolates

Vendas em função da Páscoa

devem ter aumento em torno

de 10% até o final da terceira

semana de março.

FATOS E FOTOS

OS VILÕES SÃO SEMPRE OS MESMOS NOS SUPERMERCADOS

Alho, quase 30 reais o quilo

Em qualquer supermercado de Araraquara que

o consumidor entra, leva susto a esta altura

em que a Dilma não consegue mais deter

a inflação. De acordo com o IBGE, o Índice

de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a

medida oficial da inflação – deve apresentar

nova alta após fechamento de fevereiro,

superando a alta de 1,27% em janeiro, ante

0,96% e 1,24% registrados em dezembro e

no mesmo mês de 2015, respectivamente.

Os “vilões” da alta são sempre os mesmos:

alimentos e bebidas, com destaque para

os “horti-fruti” (cenoura, tomate, cebola e

batata), e o grupo transportes. No primeiro

caso, as causas são a depreciação do Real,

que encarece adubos e fertilizantes e eleva

a oferta de produtos agropecuários para

o exterior, além do clima chuvoso ou seco,

dependendo da região considerada. No caso

dos transportes, contribuem a elevação das

tarifas de ônibus, somados com os aumentos

de combustível e pedágios.

Cacau Show tem o Bendito Cacao em 2016

Apesar da crise, as lojas e os supermercados

que vendem chocolates não

estão desanimados para a Páscoa de

2016, a ser comemorada no dia 27 de

março. Em janeiro, muitos destes empresários

acompanharam a 27ª edição

do Salão de Páscoa, em São Paulo,

quando aconteceu o lançamento de

147 Ovos de Páscoa e outros produtos.

“Supermercados, armazéns, padarias

e lojas especializadas oferecerão nesta

páscoa uma grande variedade de

tipos de ovos de chocolate, preços e

sabores para todos os perfis de clientes”,

disse o presidente da ACIA, Renato

Haddad, ao comentar o assunto em

fevereiro.

A má notícia é que os ovos virão

com reajuste de preço, o que é perfeitamente

normal diante do reflexo

da atual crise econômica Brasileira.

“Este ano os ovos vão ter um reajuste

de preços, como em tudo no mercado.

Vai ter aumento porque o dólar aumentou,

o açúcar aumentou 30%, houve

aumento de mão-de-obra, aumento

de combustível e isso, evidentemente,

aumenta os custos logísticos, como

transporte e armazenamento. Então,

vai ter reajuste de preço sim”, explicou

o dirigente da ACIA.

ÁREA DE LAZER DO BAZANI

Está sendo remodelada a área de lazer que

tem o nome de Olivério Bazani Filho, no setor

III do Selmi Dei. Os serviços se concentram

nos vestiários com reparos nos pisos e

azulejos, vasos sanitários, revisão elétrica e

hidráulica e também no telhado. O aporte

nas melhorias atinge R$ 180 mil e contempla,

além da recuperação dos vestiários,

depredado por vândalos, a construção de

uma nova cancha coberta para bocha e

instalação de uma Academia ao Ar Livre.

16

SUBINDO

Venda de repelente

por causa da Zika

desembestou em

Araraquara, ainda

mais depois do

anúncio de que

uma gestante de

35 semanas da Vila

Xavier foi apresentada

como sendo o

primeiro caso positivo

da transmissão na

cidade. Os preços

do repelente variam

entre 5 e 60 reais

e o produto já

está em falta no

mercado. Farmácias

e supermercados não

vencem na reposição.

É DE FERNANDO PRESTES O NOVO DIRETOR DO DRADS

Maciel dos Santos Rocha, novo diretor

responsável pela Diretoria Regional de

Assistência e Desenvolvimento Social de

Araraquara (Drads), foi recepcionado pelo

prefeito Marcelo Barbieri, em fevereiro.

Maciel assumiu a função no final de 2015.

“Apesar das dificuldades que afetam os

municípios, mantemos umas das melhores

estruturas de desenvolvimento social”,

disse o prefeito ao mencionar a rede

composta por oito Cras, Creas, Centro Pop,

Centro Dia, Casa Transitória, entre outros

Programas e serviços sociais oferecidos em

Araraquara. O órgão está subordinado à

Secretaria Estadual de Desenvolvimento

Social e tem como atribuições, entre

outras, segundo o item I do Artigo 47 do

Decreto Nº 49.688, de 17 de julho de

2005 - orientar e

assistir municípios e

entidades sociais na

implementação e no

acompanhamento de

políticas e programas

de assistência e

desenvolvimento

social sob orientação

técnica dos Grupos

que compõem a

Coordenadoria.

Maciel da Rocha é

de Fernando Prestes

DESCENDO

Lei que pune quem

deixa carro sucateado

em via pública parece

que não está sendo

levada a sério. Na

Rua Carlos Gomes,

em frente a pista

de atletismo, tem

a carcaça de um

veículo abandonado

há meses. Ninguém

consegue resolver

o impasse e não é

preciso ir longe para

saber quem deixou lá.

E o momento - com

a proliferação da

dengue - indica bom

senso da fiscalização.

Maciel em

encontro

com Serra

e foi nomeado pelo governador Geraldo

Alckmin, sob o aval do secretário da pasta

Floriano Pesaro e, por sugestão do líder do

PSDB, Marco Vinholi.


FRASE

“Criamos um

departamento

específico para isso.

Vamos montar um

processo, investigar

fotos, fazer visitas

para poder cobrar

da Caixa Econômica

Federal e inibir as

irregularidades”.

Marcos Daniel,

secretário da Habitação

A frase dita pelo secretário de Habitação

tenta explicar que “a sua pasta intensificará

a fiscalização de irregularidades em casas

populares de programas habitacionais em

Araraquara”. Entre os problemas encontrados

estão a venda e o aluguel das casas, o

abandono do imóvel ou a cessão para um

conhecido ou membro da família. O problema

não é novo. Desde os tempos do Jardim

Martinez, Selmi Dei, Jardim Botânico e tantos

outros conjuntos habitacionais implantados

o “lero” é sempre o mesmo. É pagar prá ver,

ainda mais em ano de eleição.

DEFESA CIVIL NAS ESCOLAS

A Coordenadoria da Defesa Civil no Estado

de São Paulo fez 40 anos e para lá foi o

prefeito Marcelo Barbieri acompanhado

do coordenador regional da Defesa Civil,

Amarildo Callegari, e do coordenador

municipal, Edson Alves. Na ocasião, o

prefeito assinou o convênio para realização

do curso “Defesa Civil: A Aventura”, uma

ferramenta online destinada a alunos dos

ensinos fundamental, médio e Jovens e

Adultos da rede municipal com o objetivo de

desenvolver a capacidade de autodefesa dos

estudantes, por meio de ações de prevenção

e preparação voltadas à proteção e defesa

civil. O curso é composto por 10 módulos

e os estudantes em cada etapa, conhecem

situações e aprendem como lidar com elas.

A cada nova tarefa cumprida, outra fase se

inicia. Segundo o coordenador municipal da

Defesa Civil, Edson Alves, Araraquara é uma

das 23 cidades entre as 645 do Estado que

firmaram o convênio e o único município da

região central.

Edson Alves, Callegari, Marcelo Barbieri e

José Roberto Rodrigues durante o evento

17


SERVIÇO

ACIA implanta seu SCPC

Boa Vista em Araraquara

O presidente Renato Haddad

anunciou no final de fevereiro

a implantação do sistema

BoaVista SCPC na Associação

Comercial e Industrial de

Araraquara. A medida

passa a substituir a Serasa,

que fornecia informações

cadastrais dos consumidores

às empresas da cidade.

Um serviço bem mais amplo e que

se identifica com o perfil do nosso comércio,

a indústria e serviços. É assim

que o presidente Renato Haddad, da

Renato Haddad implantando o Serviço

Central de Proteção ao Crédito (SCPC)

na Associação Comercial

ACIA, explica a entrada da BoaVista

SCPC (Serviço Central de Proteção ao

Crédito) nos serviços disponibilizados

pela entidade aos seus associados e

às empresas que optarem pelo atendimento.

Durante muitos anos, a ACIA

manteve acordo com a Serasa, armazenando

em seus computadores dados

cadastrais de empresas e cidadãos,

e, informações negativas que indicam

dívidas vencidas e não pagas e os registros

de protesto de título, ações judiciais,

cheques sem fundos e outras

pesquisas provenientes de fontes públicas

e oficiais.

A MUDANÇA

Dentro de outra dinâmica, os mesmos

serviços estão sendo prestados

pela nova operadora já em março, explica

Renato Haddad. A base de dados

do SCPC contém mais de 350 milhões

de informações comerciais sobre consumidores

e registra 42 milhões de

transações de negócios por dia. A Boa

Vista SCPC fornece atualmente mais de

200 milhões de consultas por mês a

seus clientes e consumidores.

O gerente de Contas da Diretoria de

Rede da BoaVista, Everton Fiorelli, que

acompanha o processo de instalação,

lembra que dos serviços anunciados

apenas dois serão instalados até o final

de abril: informações de veículos e

informações de imóveis. Os demais já

estão à disposição do consumidor.

Everton Fiorelli, da Diretoria de Rede da Boa

Vista SCPC na implantação do sistema na

ACIA em Araraquara

Uma empresa deste porte, assegura

o presidente da ACIA, Renato Haddad,

fortalece os serviços disponibilizados

pela entidade. Para que se tenha uma

ideia, a BoaVista SCPC criada em 2010,

é resultado da união da Associação Comercial

de São Paulo, do fundo brasileiro

de investimentos TMG Capital, da

Equifax Inc., do Clube de Diretores Lojistas

do Rio de Janeiro, da Associação

Comercial do Paraná e da Câmara de

Dirigentes Lojistas de Porto Alegre. Isso

demonstra solidez no mercado, conclui.

Segundo Everton, a ACIA através

do SCPC, já oferece aos seus clientes,

atuais e futuros associados um ciclo de

negócios como prevenção a fraudes,

através da: Prospecção (novos clientes),

Análise (soluções que contribuem

para análise e concessão de crédito e

risco pelos clientes), Gestão de Carteira

(Ações para monitoramento dos riscos

e inadimplência da carteira de clientes

ativos das empresas) e Cobrança (produtos

desenvolvidos para contribuir

com a recuperação de créditos na carteira

de inadimplentes).

18

As empresas associadas

já neste mês de março

podem optar por este

novo serviço da ACIA; as

empresas que quiserem

ter acesso às informações

do banco cadastral SCPC

ACIA, devem entrar em

contato com a secretaria

da entidade na Rua São

Bento, 825.


FEIRA DO EMPREENDEDOR

Moura mostrou

sua tecnologia

Evento consolida os projetos

de expansão da empresa,

cada vez mais arrojados

em nosso País.

A software house Moura Informática,

de Araraquara, participou da 5ª edição

da Feira do Empreendedor, realizado

pelo Sebrae-SP. Foram quatro dias

de evento, com participação de público

recorde. Segundo a organização, eram

esperados ao menos 120 mil visitantes.

No sábado (20), dia da abertura,

105 mil inscritos antecipadamente.

Durante os quatro dias de Feira, a

estimativa de visitantes no stand da

Moura Informática foi de 5 mil pessoas.

A meta da empresa era captar 50

parceiros na região metropolitana de

São Paulo. O esforço da equipe deu resultado

e os objetivos foram superados.

A Moura

Informática irá

participar de mais

seis eventos, ao

menos, até o final

do ano, em todo o

território nacional.

Cerca de 70 pessoas se interessaram

pelos benefícios da Moura e tornaramse

parceiros.

Segundo o diretor da empresa, José

Natal Moura, é importante participar

de eventos deste porte. “Foram mais

de 100 mil pessoas presentes nos dias

da feira, muitos deles passaram pelo

nosso stand e se interessaram pelos

Edivaldo Cangassú, Gerente de Parcerias; Junior de Santi, Gerente

de Expansão; José Natal de Moura, Diretor Geral e Larissa Nunes,

Comercial, durante a feira em São Paulo

nossos produtos. Com certeza a nossa

meta foi alcançada”, reflete.

Ainda de acordo com o diretor, o

Sebrae foi impecável na organização.

“Nós acreditamos na força que o Sebrae

tem, pois o perfil dos visitantes

são os empreendedores e são eles que

queremos no nosso time”, completou

Moura.

19


Quando José Teodoro Nogueira e sua

esposa dona Vitalina deixaram Santa

Rita do Passa Quatro em 1927, estavam

cientes de que teriam enorme desafio em

Araraquara: montar a Companhia Paulista

de Lacticínios. Era um tempo em que o

leite vinha das fazendas e sítios, entregues

nas padarias da cidade ou nas casas dos

leiteiros, logo de madrugada. “Seo Felipe”

era um desses leiteiros que ia de porta em

porta vendendo aos litros, meios litros e

metades de meio litro, de acordo com as

posses de cada um. A higiene em todo o

processo, desde o produtor à distribuição

ambulante, não era a possível, daí, a

necessidade de ferver o leite. O canecão

ficava sobre a chapa esburacada no fogão

de lenha e de vez em quando, a mãe

gritava do quintal para o filho: “Fio óia o

leite pra não derramar”.

Se você tem histórias

para contar sobre o

comércio da cidade,

entre em contato

com nossa redação:

3336.4433.

Pesquisa: Roberto Dolfini

O “seo Nogueira” estava chegando de

Santa Rita para acabar com isso, pois o leite

era consumido sem nenhum tratamento e

o governo estava impondo regras com a

pasteurização, a partir de 1930. Assim, a

Companhia Paulista de Lacticínios receberia

o leite e o envasaria em litros apropriados,

fechados com tampinha de alumínio. A

Prédio da companhia em contrução em 1927

na Rua Antonio Prado, em frente a estação

industrialização e o desenvolvimento das

cidades propiciaram, por volta de 1920, o

surgimento desses processadores de leite.

Ainda durante bom tempo, o leite

beneficiado concorreria com leite in natura

trazido à cidade em carroças e vendidos

de porta em porta pelos produtores. Nos

anos 40 a pasteurização lenta foi substituída

pela rápida. “Seo Nogueira” estava feliz.

A redução considerável no tempo de

processamento aumentou a produtividade e

o lucro das empresas de laticínios.

A década de 60 traz a revolução das

embalagens descartáveis, os conhecidos

saquinhos de polietileno. A facilidade logística

e a redução de custos para os laticínios

fizeram com que os saquinhos plásticos

substituíssem as garrafas de vidro.

Só que o leite longa vida ou de caixinha,

acabou com os sonhos da companhia que

terminou fechando as portas.

20


21


CHEGADA DA BILD

Intercity Hotels vai mudar

cenário econômico da “36”

A Bild Desenvolvimento

Imobiliário na construção dos

empreendimentos previstos

para Araraquara, garante

gerar 1.700 empregos diretos

e indiretos, além de arrecadar

R$ 20 milhões em imposto

durante cinco anos.

O antigo espaço ocupado pela Fábrica

de Móveis Cideral por quase 50

anos na Avenida 36, se prepara para

ter um novo destino. Lá também funcionou

o Colégio Pablo Neruda durante

quase 10 anos. Na segunda quinzena

de fevereiro a Bild Desenvolvimento

Imobiliário, empresa de construção civil

com sólida atuação em Ribeirão Preto,

Franca e Bauru, após período de pesquisa

e desenvolvimento de produtos,

anunciou um projeto em Araraquara. O

primeiro deles será o empreendimento

hoteleiro no sistema de condo-hotel,

em parceria com a Intercity Hotels,

ocupando parte da área.

No setor de hospedagem, comentou

O Intercity Araraquara na Avenida 36 terá o hotel com 12 andares e150 apartamentos, além de oito lojas ao lado

o diretor da Bild em Araraquara, Marlon

Vitorino, a cidade apresenta uma das

maiores taxas de ocupação hoteleira.

E é neste cenário que a Bild Desenvolvimento

Imobiliário investe no ramo

hoteleiro de negócios, em parceria com

a Intercity Hotels. O empreendimento

será construído em local de fácil acesso,

próximo a pontos importantes da

cidade como UNIP, Rodovia Washington

Luís, Shopping Jaraguá e centro da

cidade. A previsão de entrega do novo

hotel é para 2019.

Com 16 anos de atuação,

a Intercity Hotels é hoje a

segunda rede hoteleira que

mais cresce no Brasil. A

empresa criada em 1999 no

Rio Grande do Sul, administra

31 hotéis nas cinco regiões

do Brasil e no Uruguai. A

partir de 2016, a Intercity

Hotels crescerá também com

hotéis de novos segmentos

de mercado, através de suas

duas novas marcas: hi! e

yoo2.

22

INTERCITY ARARAQUARA

O empreendimento, que contempla

150 apartamentos, terá a bandeira

Intercity e de respaldo a experiência

construtiva da Bild, que possui em seu

portfólio extensa linha de produtos de

alta qualidade, desde imóveis residenciais,

comerciais a hotéis. O empreendimento

será edificado no sistema de

condo-hotel, no qual as unidades hoteleiras

do condomínio são vendidas individualmente

para investidores e o hotel

funciona dentro de um pool.

Acesso ao Intercity pela Avenida 36


O Intercity Araraquara contempla

um hotel vertical (com 12 andares)

que traz no projeto alguns diferenciais,

como duas opções de suíte, praça de

acesso ao hotel com espelho d’água,

bar e restaurante com deck externo,

salas de reunião, fitness e um mall com

oito lojas. O projeto paisagístico é diferenciado

nas áreas comuns, proporcionando

equilíbrio entre os elementos de

setorização dos acessos.

“Buscamos trabalhar com um projeto

completo para que a renda do negócio

não seja oriunda somente das

diárias, mas também de outros serviços

oferecidos aos hóspedes, como

room service, aluguel de espaços para

reuniões e conferências, serviços de lavanderia,

entre outros. Esse é um diferencial

não só para a conveniência dos

hóspedes, mas também para a sustentabilidade

do negócio hoteleiro”, disse

Marlon Vitorino.

Segundo o diretor, a construção dos

empreendimentos da Bild em Araraquara

deve gerar cerca de 1.700 postos de

empregos diretos e indiretos. Já no setor

econômico, a construtora possibilitará a

arrecadação de cerca de R$ 20 milhões

em imposto. O plano estratégico da Bild

inclui ainda o fortalecimento no relacionamento

com imobiliárias parceiras, entre

elas Borsari, Chalu, HDZ, Mantovani,

Saba e Tedde Work.

Tiago Faraco, diretor da Bild, na

apresentação do empreendimento

Vice-Prefeito e Coordenador

de Mobilidade Urbana, Coca

Ferraz; Alexandre Gehlen,

diretor do Intercity Hotels;

Prefeito Marcelo Barbieri e

Marlon Vitorino, diretor da

Bild em Araraquara durante

o lançamento do projeto na

Avenida 36, um dos principais

corredores comerciais

da cidade

23


SERVIÇO

Agência Sicoob

Araraquara na Avenida

Barroso, 350

Walter Francisco Orloski, diretor

administrativo do Sicoob Araraquara

Sicoob inaugura agência

em Dobrada neste mês

Walter Francisco Orloski,

diretor administrativo do

Sicoob Araraquara, em artigo

especial para a RCI, analisa

o avanço do cooperativismo

financeiro e anuncia a

inauguração de mais uma

agência do Sicoob Araraquara.

Não há dúvida de que o ano de

2015 não foi bom para o Brasil. Encolhimento

do PIB, a perda do grau de

investimento devido ao rebaixamento

na nota de risco pelas agências internacionais,

Petrobras, empresa símbolo

do orgulho nacional totalmente desacreditada,

com suas ações comercializadas

nas bolsas a preços insignificantes,

mensalão, operação lava-jato,

fortunas ilegais em paraísos fiscais,

enfim, diante de tantos fatos negativos,

o cidadão de bem sente-se mal, impotente,

não lhe restando outra opção,

além da esperança da solução vir das

urnas na próxima eleição. No entanto,

existem setores em nosso país que vão

bem apesar de toda a bandalheira do

governo. Um deles é o agronegócio que

está fazendo muito sucesso apesar do

chamado custo Brasil que prejudica demais

este setor. Outro em franco crescimento

é o cooperativismo de crédito.

Os principais sistemas cooperativos do

país - Sicoob e Sicred, ainda não divulgaram

seus números consolidados de

2015, mas a expectativa é que houve

um crescimento significativo, semelhante

aos anos anteriores.

Diante de tantas previsões econômicas

pessimistas, qual será a razão

do crescimento vertiginoso do Cooperativismo

de crédito? No caso do

agronegócio, a explicação do sucesso

vem do aparelhamento do

campo e pelo aumento das

exportações atualmente impulsionadas

pela desvalorização

do real. Mas no caso do

cooperativismo de crédito,

como podemos explicar o seu

crescimento apesar do encolhimento

da economia? Será

por que não tem objetivo de

lucro? No caso dos bancos,

o lucro é fundamental para

manter as suas ações valorizadas

na bolsa de valores,

razão pela qual, seus clientes

24

são frequentemente aborrecidos com

produtos goela abaixo que nem sempre

estão precisando, sem falar das tarifas

a preços irracionais. No entanto, especialistas

afirmam que o sucesso das

cooperativas acontece pela forte representatividade

no legislativo (frente

parlamentar cooperativista), capaz de

evitar a interferência do governo e dos

políticos mal-intencionados que prejudicaram

muito o segmento num passado

recente. Claro que não podemos deixar

de considerar, o rígido sistema de fiscalização

do Banco Central do Brasil que

acaba contribuindo com a credibilidade

e segurança do segmento, tornando-o

cada vez mais significativo no contexto

do sistema financeiro nacional.

Provavelmente o sucesso das cooperativas

financeiras se dá por todas

essas razões e obviamente, pela excelência

do atendimento e dos produtos

oferecidos aos seus associados, a preços

muito mais competitivos principalmente

sem aquele cunho especulativo

que normalmente acontece no sistema

bancário comum.

Agência Sicoob Araraquara em Matão


Importante salientar que uma

instituição financeira convencional se

faz com dinheiro. O capital fala mais

alto. E o resultado todos conhecem.

Quem pode mais chora menos. Já no

caso do cooperativismo é feito por pessoas.

Pessoas como os diretores que

acreditam que podem fazer a diferença.

Pessoas como funcionários bem preparados,

remunerados adequadamente,

felizes por gostarem do que faz. E finalmente,

pessoas como os cooperados

que acreditam na ideia de que a união

faz a força. O resultado disso tudo?

Bem, o resultado são instituições financeiras

poderosas capazes de promover

o desenvolvimento social, econômico

e cultural de uma região, valorizando

muito a poupança de seus aplicadores

sem abrir mão da segurança. Pois, toda

cooperativa financeira conta com a proteção

do FGCOOP – Fundo Garantidor

de Crédito, administrado pelo Banco

Central do Brasil.

É assim que é o Sicoob da nossa

cidade. Uma cooperativa financeira

genuinamente araraquarense, que

sempre apresentou um crescimento

econômico constante apesar de todas

as adversidades impostas de nosso

país, e que no último dia 21 de novembro

completou 32 anos de prestação

de serviços a nossa comunidade. Uma

cooperativa que possui em seu portfólio

praticamente todos os produtos financeiros,

suficientes para atender as

necessidades dos cooperados neste

quesito, ou das empresas de todos os

tamanhos, sejam micro ou pequenas e

de grande porte, permitindo que todas

tenham acesso à expansão.

Atualmente o Sicoob de Araraquara

possui uma agência no centro da cidade,

um posto de atendimento nas dependências

da Fábrica Iesa, outra agência no

centro de Matão e neste mês de março,

será inaugurada uma agência de 240m²,

em Dobrada, o que demonstra o crescimento

da nossa cooperativa na região.

Tudo pronto para a inauguração em Dobrada em março

25


DIREITO

A jornada de trabalho do comerciário

A jornada de trabalho possui extensão

definida pela Constituição Federal,

que assegura como direito do trabalhador

a “duração do trabalho normal não

superior a oito horas diárias e quarenta

e quatro semanais, facultada a compensação

de horários e a redução da

jornada, mediante acordo ou convenção

coletiva de trabalho” (art. 7º, XIII).

Constata-se que a Constituição Federal

instituiu, em relação à

jornada de trabalho, teto

diário de 8 horas e limite

semanal de 44 horas, possibilitando

ao legislador ordinário

a fixação de outras

regras com observância da

norma constitucional.

Respeitando este parâmetro,

a legislação infraconstitucional

regulamenta

a jornada de trabalho, a exemplo da Lei

10.243, de 19/06/2001, que alterou

a Consolidação das Leis do Trabalho

(CLT), em seu artigo 58, para incluir dois

parágrafos: “§ 1° Não serão descontadas

nem computadas como jornada

extraordinária as variações de horário

no registro de ponto não excedentes

de cinco minutos, observado o limite

máximo de dez minutos diários.”; e “§

2° O tempo despendido pelo empregado

até o local de trabalho e para o seu

retorno, por qualquer meio de transporte,

não será computado na jornada de

trabalho, salvo quando, tratando-se de

local de difícil acesso ou não servido

por transporte público, o empregador

fornecer a condução.”

No caso do empregado do comércio

(comerciário), além da aplicabilidade

das regras gerais, tal como para as situações

acima citadas, a Lei 12.790,

de 14/03/2013, que regulamentou o

exercício desta profissão, estabeleceu

jornada de trabalho fixa: Art. 3° A jornada

normal de trabalho dos empregados

no comércio é de 8 (oito) horas diárias

e 44 (quarenta e quatro) semanais. A

mesma lei excetua o rigor de tal regra,

ao prever que: § 1o Somente mediante

convenção coletiva ou acordo coletivo

No caso dos comerciários, a

regra geral é a da jornada de

trabalho invariável de 8 horas

diárias, até o limite de 44

horas semanais, podendo ser

estipulada condição diversa,

mediante acordo ou convenção

coletiva...

26

de trabalho poderá ser alterada a jornada

normal de trabalho estabelecida no

caput deste artigo.

Então, no caso dos comerciários, a

regra geral é a da jornada de trabalho

invariável de 8 horas diárias, até o limite

de 44 horas semanais, podendo ser

estipulada condição diversa, mediante

acordo ou convenção coletiva (instrumento

normativo negociado e formulado

pelos sindicatos

representantes

de trabalhadores

e

de empresas

do comércio).

Em tal conjuntura,

a jornada

de trabalho

do comerciário

em patamar

menor que o fixado na Lei 12.790/13

dependerá de acordo ou convenção

coletiva, não se aplicando, neste caso,

as regras da CLT de contratação por

tempo parcial (part time) instituídas

pela Medida Provisória nº 2.164-41, de

24/08/2001, com previsão de jornada

de trabalho limitada a período não excedente

de 25 horas semanais.

Assim, a flexibilização da jornada

de trabalho, como previsto pela Lei

12.790/13, que abrange exclusivamente

os comerciários, será permitida

somente por norma coletiva negociada

entre os sindicatos.

Em Araraquara, a Convenção Coletiva

de Horário 2015/2017, aplicável

às empresas e aos comerciários pertencentes,

respectivamente, à base do

SINCOMERCIO e do SINCOMERCIARIOS,

composta por esta cidade sede, além

de Américo Brasiliense, Boa Esperança

do Sul, Borborema, Gavião Peixoto,

Ibitinga, Itápolis, Motuca, Nova Europa,

Rincão, Santa Lúcia, Tabatinga, Trabiju

e seus respectivos Distritos; possui previsão

própria que possibilita a fixação

de jornada menor que a estabelecida

pela Lei 12.790/13:

“CLÁUSULA PRIMEIRA - HORÁRIO

DE TRABALHO: Fica autorizado o traba-

Dr. Iran Carlos Ribeiro

Advogado do Sincomercio Araraquara

lho dos comerciários, ressalvadas as

exceções previstas neste instrumento,

nas seguintes condições:... Parágrafo

Quarto: Atendido ao disposto no artigo

3° da Lei 12.790/13, a jornada normal

dos empregados comerciários será de

até 44 horas semanais, permitida a sua

distribuição durante a semana, respeitado

o limite mínimo de 36 horas semanais,

observadas as disposições na

legislação pertinente, nos instrumentos

coletivos firmados entre os sindicatos

convenentes, bem como as seguintes

condições: a) As disposições elencadas

no caput desta cláusula serão aplicadas

somente às contratações efetuadas

a partir de 1° de março de 2014,

prevalecendo as condições pactuadas

nos contratos firmados anteriormente a

essa data. b) Jornadas diversas das previstas

na presente Convenção Coletiva

de Trabalho, poderão ser estabelecidas

por Acordo Coletivo, mediante solicitação

da empresa interessada, nos termos

da cláusula “ACORDO COLETIVO”.”

Por fim, independentemente da categoria,

para conhecimento de direitos

e obrigações, trabalhadores e empresários

devem observar as leis trabalhistas,

de caráter geral e específico, como no

caso da referida Lei 12.790/13, e consultar

as convenções coletivas firmadas

pelos sindicatos que os representam.

Para maiores informações acesse www.

sincomercioararaquara.com.br.


Cartão de crédito empurra o consumidor para

a inadimplência

PESQUISA

Inadimplência cresceu 13%

na economia local em 2015

Segurar as contas já não é privilégio de muitos e o índice de

inadimplentes em Araraquara oferece um resultado assustador.

A inadimplência em Araraquara, medida

pelo número de inclusões de débitos

no SCPC (Serviço Central de Proteção

de Débito) avançou 32,7% no mês

de dezembro na comparação ao mesmo

mês de 2014. Foram 35.122 inclusões

de débitos não quitados, contra 26.470.

A informação foi dada no final de fevereiro

por Jaime Vasconcellos, do Núcleo de

Economia do Sincomercio Araraquara.

Segundo ele, no acumulado dos

doze meses de 2015, contra mesmo

período do ano anterior, há um avanço

de 13% da inadimplência local. São cerca

de 374 mil novos débitos registrados

no SCPC da cidade, contra 331 mil em

2014. A exclusões de débitos, ou seja,

aqueles presentes no sistema e que

foram pagos, também aumentaram:

+14,5%. Foram 338.050 débitos pagos

ano passado.

Depois de crescer 25% em 2014 (contra

o acumulado de 2013), a inadimplência

volta a crescer em Araraquara. Menos

acelerada, porém o avanço de 13% mostrou

que ainda havia espaço para que os

endividados na economia araraquarense

deixassem de honrar com seus débitos

MOVIMENTAÇÃO DE DÉBITOS DO SCPC ARARAQUARA

INCLUSÕES DE DÉBITOS

Fonte: FACESP/SCPC

Elaboração e cálculos: Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara

Dívidas crescem e os carrinhos encolhem nos supermercados

EXCLUSÕES DE DÉBITOS

Período 2014 2015 2014 2015

Janeiro 22.993 23.327 18.038 23.327

Fevereiro 24.701 29.142 20.892 18.616

Março 27.644 28.657 24.131 26.164

Abril 31.235 30.036 21.976 27.670

Maio 27.448 31.727 25.880 28.334

Junho 27.057 34.136 26.275 28.478

Julho 26.278 29.131 23.707 29.378

Agosto 35.917 31.129 26.762 23.230

Setembro 22.750 33.304 26.680 31.671

Outubro 29.571 35.014 24.846 24.973

Novembro 28.866 33.341 24.917 38.607

Dezembro 26.470 35.122 31.188 37.602

TOTAL 330.930 374.066 295.292 338.050

27

e, com isso, migrarem para o status de

inadimplentes em 2015.

Mais uma vez, diz Jaime, a combinação

de inflação elevada, juros altos, massa

salarial e emprego em queda, auxiliou

o avanço da inadimplência, principalmente

em relação aos anos anteriores.

Em suma, o aumento da

inadimplência se dá por um

desempenho conjuntural

corrosivo dos indicadores

determinantes da renda,

aliado ao diminuto planejamento

das famílias em seu

consumo, principalmente

aqueles que utilizam cartão

de crédito.

É importante salientar,

explica o economista, que o

avanço do número de débitos

não honrados afeta consumidor

e empresas. O primeiro,

pois com crédito restrito há baixa

no poder de compra e consequentemente

na qualidade de vida das famílias. Pela

esfera das empresas, quando um débito

feito não é honrado, há impacto no caixa

e a queda na receita de vendas afeta investimentos

futuros, novas contratações

e a própria subsistência dos estabelecimentos

e seus empregos.

Como as tais variáveis determinantes

do consumo e poder de pagamento das

famílias não deverão se alterar rapidamente,

veremos em 2016 ainda um aumento

da inadimplência. Mais arrefecido,

porém ainda avançando.

Jaime

Vasconcellos,

Coordenador

do Núcleo de

Economia do

Sincomercio

Araraquara


ELEIÇÕES NA FEPLANA E ORPLANA

Em busca

de votos

Presidentes Alexandre Lima,

da União Nordestina dos

Produtores de Cana (Unida) e

Paulo Leal, da Feplana, foram

recebidos no final de fevereiro

na Canasol.

As eleições na Feplana e Orplana

em março mobilizam os produtores

canavieiros em todo país, pois são as

mais importantes entidades do setor.

Em busca de apoio, os dois candidatos,

Alexandre Lima (Feplana) e Eduardo

Vasconcellos Romão (Orplana), foram

recepcionados na Canasol pelo seu

presidente Luís Henrique Scabello de

Oliveira e Nicolau de Souza Freitas (presidente

do Sindicato Rural). Os candidatos

estavam acompanhados do atual

presidente da Feplana, Paulo Leal.

Luís Henrique, presidente da Canasol, convidado oficialmente por Alexandre Lima, candidato a

presidente na Feplana para ocupar o cargo de secretário

Nicolau de Souza Freitas, presidente do Sindicato Rural de

Araraquara, acompanhará Luís Henrique Scabello de Oliveira

(Canasol) nas eleições da Feplana, dia 23, em Brasília.

Atualmente, Nicolau faz parte da Câmara Setorial

da Citricultura integrada ao Ministério da Agricultura

Eduardo Romão, atual

presidente da Associcana

em Jaú, concorre a

presidente da Orplana, dia

10 em Ribeirão Preto

28


AGRO

N E G Ó C I O S

INFORMATIVO

edição março | 2016

TECNOLOGIA NO CAMPO

Em Araraquara

o uso de drones

para maximizar

a produção

A Raízen que assumiu a Usina Zanin e a Usina Tamoio em Araraquara, é pioneira no uso de drones para controle da sua lavoura

Como a agricultura tem se

automatizado a cada minuto que

passa, apresentando tratores

conduzidos por GPS, colhedoras que

geram mapas de produtividade em

tempo real, sensores para aplicação

de N (Nitrogênio) e muitos outros

tipos de automação, os drones

ingressam no mercado para agregar

junto ao time da agricultura de

precisão, tendo como finalidade

minimizar custos

e maximizar a produção.

Engenheiro Eletrônico

Lúcio Jorge recebe a RCI

na Embrapa

Só que o uso de drones na lavoura

não é coisa nova: a Embrapa

Instrumentação, em São Carlos,

investe desde a década de 1990 no

desenvolvimento de novos sistemas

e aeronaves capazes de operar

com bom desempenho, mesmo

em condições de campo adversas.

Sob coordenação do engenheiro

eletrônico Lúcio André de Castro

Jorge, os projetos procuram ampliar

as possibilidades de adaptação

dos drones a operações agrícolas

diversas por meio do uso de câmeras

convencionais de alta definição,

sensores e câmeras termais e

multiespectrais, em geral, usadas

no monitoramento de lavouras, em

estimativas de volume de produção e

índice de doenças e pragas.

29

A RCI Agronegócio foi conversar

com Lúcio Jorge, na Embrapa

Instrumentação, para conhecer o

sistema inteligente e autônomo de

pulverização de agroquímicos com

drones.

SEGUE


Sob coordenação do

engenheiro eletrônico Lúcio

André de Castro Jorge,

os projetos procuram

ampliar as possibilidades

de adaptação dos drones

a operações agrícolas

diversas por meio do uso

de câmeras convencionais

de alta definição, sensores

e câmeras termais e

multiespectrais, em geral,

usadas no monitoramento

de lavouras, em estimativas

de volume de produção

e índice de doenças e

pragas.

Avanços recentes em áreas da tecnologia

da computação, associados ao

desenvolvimento de sistemas globais

de navegação e geoprocessamento, estão

ampliando as perspectivas de uso

dos veículos aéreos não tripulados, os

drones, na agricultura.

Relativamente baratas e fáceis de

usar, essas aeronaves, equipadas com

sensores e recursos de imagem cada

vez mais eficientes e precisos, podem

auxiliar agricultores a aumentar a produtividade

e reduzir danos em lavouras

por meio de levantamentos de dados

que permitem detectar pragas e estimar

o índice de crescimento das plantas,

para citar alguns exemplos. Diante

das possibilidades de uso dessas aeronaves,

os cientistas da computação

Bruno Squizato Faiçal, Heitor Freitas e

o professor Jó Ueyama, do Instituto de

Sistema orquestrado: troca de informações

entre sistemas embarcados no drone…

…e sensores instalados em solo…

Ciências Matemáticas e de Computação

da Universidade de São Paulo (USP) de

São Carlos, desenvolveram um sistema

inteligente e autônomo de pulverização

de agroquímicos com drones.

O uso de agroquímicos é essencial

na agricultura de larga escala. Esses

defensivos químicos, em geral, são

pulverizados manualmente sobre as

lavouras ou com o auxílio de tratores.

Mesmo quando usam algum tipo de

30

proteção, como máscaras, os trabalhadores

rurais ficam expostos ao produto,

que pode provocar sérios problemas de

saúde como câncer e efeitos adversos

ao sistema nervoso central e periférico.

O Brasil é um dos o maiores consumidores

de agrotóxicos do mundo. A

venda no país cresceu substancialmente

nos últimos anos, saltando de US$ 2

bilhões em 2001 para mais de US$ 8,5

bilhões em 2011, segundo um relatório

do Instituto Nacional do Câncer (Inca)

sobre os riscos para a saúde humana

do uso de agrotóxicos. Controlar a

quantidade de agroquímicos aplicados

nas lavouras, por sua vez, é muito difícil.

A pulverização quase sempre está

sujeita a fatores meteorológicos, como

a velocidade e direção do vento, que

podem comprometer sua aplicação na

área de cultivo, espalhando-o por áreas

vizinhas.

… permite pulverização precisa e segura,

com técnicos monitorando todo processo


Pesquisador Lúcio Jorge acompanha o trabalho desenvolvido no campo

O sistema desenvolvido pelos pesquisadores

em São Carlos prevê o uso

orquestrado de um drone de asas rotativas,

na forma de hélices, e uma rede

de sensores sem fio instalada ao redor

da área de cultivo. Baseia-se em um

sistema de inteligência artificial capaz

de ajustar a rota da aeronave de acordo

com condições meteorológicas específicas.

Segundo eles, isso se dá por

Semelhante a um mini-helicóptero, o drone

criado em São Carlos ajuda na detecção de

doenças que afetam os frutos

Produtores rurais de Araraquara começam a se mobilizar para

implantar sistema de monitoramento da lavoura com os drones

meio do cruzamento de dados gerados

pelo dronecom obtidos em tempo real

pelos sensores instalados às margens

da área a ser pulverizada. “Primeiro, o

drone faz alguns voos de treinamento

em diferentes alturas e condições meteorológicas

para conhecer o padrão de

deposição de seu sistema de pulverização

e a influência causada pelas condições

meteorológicas”, explica Faiçal.

“Essas informações são armazenadas

para que mais tarde sejam usadas para

construir um modelo de conhecimento

que permita ao drone, tomar decisões

durante a pulverização em condições

31

meteorológicas semelhantes às anteriores

ou inéditas.”

Ao se aproximar dos sensores instalados

ao redor da área pulverizada,

o drone verifica se as informações por

ele geradas conferem com as obtidas

em tempo real pelos equipamentos no

solo. Com base no cruzamento dessas

informações, o sistema é capaz de regular

a liberação do produto químico

sobre a lavoura. A ideia é que a aeronave

e demais sensores funcionem de

modo autônomo, com uma estação de

controle e um técnico para monitorar o

andamento do processo.

As coordenadas registradas no sistema

de navegação do drone, em concordância

com os cálculos cruzados entre

a aeronave e os sensores, determinam

a potência de uma bomba que regula

a quantidade de agroquímico liberado.

Quanto maior for a potência, mais produto

é liberado. Segundo os pesquisadores,

isso favorece uma pulverização

mais segura e precisa,

capaz de melhorar a cobertura

da aplicação e a

qualidade do processo de

cultivo, garantindo maior

aproveitamento dessas

substâncias pelas plantas

com menos prejuízo

ao ambiente.

O protótipo mostrouse

eficaz ao liberar quantidades

controladas de

agroquímicos em áreas

predeterminadas, levando-se

em conta aspectos

meteorológicos e as rotas

calculadas pelo seu sistema de GPS.

“Nosso sistema poderá garantir uma

aplicação específica e inteligente, com

menos desperdício e menor contato do

agricultor com o agrotóxico”, comenta

Faiçal. Outra vantagem, segundo ele,

é que esse mesmo sistema pode ser

adaptado e instalado em outros veículos

usados em terra, como tratores, por

exemplo, se conectando com sensores

espalhados na lavoura.

Texto: Rodrigo de Oliveira Andrade

- Pesquisa FAPESP


NOS CANAVIAIS E LARANJAIS

A chegada dos drones nos campos

de Araraquara e Gavião Peixoto

Em 2014, o Grupo Raízen

(Usina Zanin e Usina Tamoio)

decidiu investir no uso de

drones para identificar e sanar

problemas nas lavouras. Logo

a moda também chegou aos

laranjais no município de

Gavião Peixoto

Nos últimos 15 anos, agricultores

de vários países começaram a ver nos

drones uma oportunidade para aplicar

no campo conceitos da chamada agricultura

de precisão, baseada no uso de

instrumentos e recursos da tecnologia

da informação para implementar melhorias

na produção agrícola.

A vantagem dos drones sobre outros

sistemas de monitoramento, comenta

Lúcio André de Castro Jorge,

que é articulador da Embrapa Instrumentação

em São Carlos, é que eles

podem fazer sobrevoos semanais, a

baixo custo, durante todo o período

de produção. A Embrapa, segundo ele,

investe desde a década de 1990 no

desenvolvimento de novos sistemas

e aeronaves capazes de operar com

bom desempenho, mesmo em condições

de campo adversas.

A novidade da vez é que ele também

consegue monitorar ou tocar o gado, sozinho

ou auxiliando um peão tradicional

GAVIÃO PEIXOTO

Como fonte de orientação aos seus

associados, o Sindicato Rural de Araraquara

buscou informações com a

Embrapa para mostrar o sucesso dos

aparelhos no acompanhamento e desempenho

das lavouras. Em Gavião

Peixoto, município próximo a Araraquara,

por exemplo, pesquisadores testam

novos componentes em drones semelhantes

a um mini-helicóptero, com hélice

de 2,80 metros (m) de diâmetro.

Diz o pesquisador que os drones

fazem sobrevoos periódicos em plantações

de laranja para a detecção do

greening, doença que afeta o amadurecimento

dos frutos, deixando as folhas

das plantas amareladas, e costuma ser

identificada apenas em estágio avançado.

Mais flexíveis e precisos durante a

pulverização, sem uso de sensores e de

forma manual, também em culturas de

arroz, soja e trigo, os drones da Embrapa

integram um conjunto mais amplo de

pesquisas voltado ao desenvolvimento

de softwares e sistemas embarcados

de captura de imagens adequados a várias

aplicações agrícolas, de pequenas a

grandes propriedades.

32

CONTATOS:

Monitorando a cultura

da cana ou da laranja na

região de Araraquara,

os drones conseguem

dar uma visão aérea da

lavoura, apresentando

informações

diferenciadas que,

somadas às informações

de campo, exibem um

relatório completo e

seguro

Os sistemas hoje desenvolvidos

pelo grupo de Lúcio Jorge têm possibilitado

identificar falhas no plantio,

estimar o índice de crescimento das

plantas e detectar diferentes níveis de

estresse nutricional e anomalias causadas

por ferrugem, estresse hídrico,

fungos e pragas, por meio de câmeras

multi e hiperespectrais, capazes de obter

simultaneamente imagens em alta

resolução espacial, espectral – com várias

faixas de comprimento de onda eletromagnética

na formação da fotografia

– e de infravermelho. Outras, ainda em

desenvolvimento, poderão ajudar na

dispersão de sementes de eucalipto e

liberação de inimigos naturais de algumas

pragas para controle biológico.

Lúcio Jorge diz que - a Embrapa está

à disposição para esclarecimentos sobre

os benefícios que o novo sistema

de monitoramento pode prestar aos

produtores rurais em nossa região.

Embrapa Instrumentação

lucio.jorge@embrapa.br

Fones: (16) 2107-2845 (16)2107-2800


NEGÓCIOS NO CAMPO

Nova fase do

Turismo Rural

Em fevereiro o Sindicato

Rural e o Senar reuniram

os produtores rurais do

município para apresentar,

desta feita, com o Sebrae, a

forma de realização do projeto

Turismo Rural, em sua sexta

edição.

O Turismo Rural se transforma em atração para quem deseja passar um dia no campo

O turismo rural é uma atividade promissora

e surge como uma alternativa

de agregar valor aos produtos provenientes

de uma atividade agropecuária.

Com visão ao longo prazo, o SENAR, em

parceria com o Sindicato Rural, vem capacitando

e apoiando grande número

de produtores rurais nos últimos seis

anos. Para o consultor do Sebrae, Luiz

Felipe Cavallari, um trabalho apresentado

com muito cuidado serve para preservar

sempre as tradições regionais,

sejam elas religiosas, gastronômicas,

ecológicas dentre outros.

Presente no encontro em que o Sindicato

Rural e o SENAR apresentaram

a proposta para o Turismo Rural de

2016, Luiz Felipe disse que o “objetivo

principal durante o programa de turismo

Rural, é agregar valor aos produtos

e serviços da atividade rural, além disso,

incentivar os produtores a terem um

olhar holístico de sua atividade e compreenderem

que há possibilidade de

desenvolver novos empreendimentos,

principalmente com os recursos que

existe no meio e identificando as habilidades

e vocações do produtor rural e

sua família.

O presidente Nicolau de Souza Freitas,

presidente do Sindicato Rural, afirma

que neste ano, afim de somar forças

e aperfeiçoar a cadeia produtiva do

Turismo Rural, e fortalecê-lo na região

centro paulista, foram criadas algumas

parcerias públicas e privadas para auxiliar

os produtores. Há uma perspectiva

de desenvolver um projeto de forma

integrada que possa estabelecer ações

que ajudem o produtor a produzir de

forma adequada e com eficiência, legalização

da atividade, controle financeiro

e administrativo, acesso a novos

Mário Porto (Senar), Ângela Nigro (instrutora)

e Nicolau de Souza Freitas (presidente do

Sindicato Rural), no último curso

33

Em fevereiro

no auditório

do Sindicato

Rural, a

instrutora

Ângela Nigro

(Senar) se

reuniu com

os produtores

interessados

no Turismo

Rural de 2016

mercados e visitas técnicas para outras

regiões em que o turismo rural é a principal

fonte de renda da propriedade,

comentou o dirigente.

Já Mário Porto, coordenador do SE-

NAR em Araraquara, destacou que essas

ações têm previsão de duração de

três anos e o principal objetivo é realmente

desenvolver o turismo rural na

nossa região e que a renda seja uma

das principais atividades da propriedade.

Segundo ele, a união de todos neste

momento é importante para o fortalecimento

do projeto.

MARÇO/2016

CURSOS

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS COM

PULVERIZADOR COSTAL MANUAL

07/03/2016 até 09/03/2016

• APLICAÇÃO DE AGROTÓXICOS COM

TURBO PULVERIZADOR

01/03/2016 até 03/03/2016

• OLERICULTURA ORGÂNICA - SENSIBILIZAÇÃO

02/03/2016 até 02/03/2016

• TURISMO RURAL - OPORTUNIDADES DE

EMPREENDIMENTOS (MÓDULO I)

07/03/2016 até 15/03/2016

10/03/2016 até 17/03/2016

REALIZAÇÕES:

Coordenador SENAR/SP Araraquara:

Mário Roberto Porto


DESCOBRINDO ARARAQUARA

Fim das abelhas no município e

também do mel, é preocupante

Laerte dos Santos Freire é um

desses matutos do campo que

aprendeu a conviver com as

abelhas e delas ganhar o mel,

fortalecendo um concorrido

mercado na cidade e região.

Mas desde 2006 ele tem

notado que as colônias de

abelhas estão desaparecendo.

Laerte Berto, uma

convivência com as

abelhas e o comércio do

mel em nossa cidade

Quando as abelhas pegam o néctar, também

carregam o pólen das flores presos nas

pernas, ajudando na polinização

Laerte deixa as caixas em matas, canaviais e

laranjais até as abelhas criarem suas colmeias.

A cada 20 dias faz uma visita ao local.

Nem bem amanheceu e lá vai ele:

Laerte Berto, 72 anos, com seus apetrechos

para retirar o mel das caixas

que deixou em um parque de eucaliptos

entre Araraquara e Ibaté. Ele convive

com o mundo das abelhas desde

2001, com ajuda do amigo “Nezião”,

meleiro no bairro do Carmo. “Ele estava

com problemas de saúde, me orientou,

vendeu suas caixas e investi na

coleta do mel”, explica Laerte em sua

casa, proximidades do Centralizado da

Prefeitura.

Para Laerte foi uma boa pois sua

mulher Maria Ramos Berto já vendia

ovos nas feiras da cidade, há mais ou

menos 30 anos. Ele que também havia

trabalhado como motorista de caminhão

por um bom tempo, se sentiu

empolgado em ter as abelhas como

companheiras e ainda ganhar dinheiro.

Para ser um grande meleiro nestes

15 anos, Laerte diz ter sido picado por

milhares de abelhas: “Em nenhum momento

pensei em parar”, diz taxativo.

Pelo contrário, quando sinto dores nas

pernas, Laerte por afinidade e confiança

nas abelhas, coloca algumas delas

no local dolorido e com as picadas fica

bom. Uma prática antiga que dá resultado

por causa do efeito do veneno delas,

arremata.

Cinco anos depois de investir na

apicultura, Laerte conta que já sabia

que dois terços dos alimentos que nós

ingerimos são cultivados com a ajuda

das abelhas. Na busca de pólen, sua

refeição, esses insetos polinizam plantações

de frutas, legumes e grãos. Em

tempos em que a escassez mundial de

comida é pauta das autoridades no assunto

- como a recomendação da ONU

para consumir mais insetos - a perspectiva

de ficar sem a ajuda desses seres

no abastecimento alimentar seria alarmante.

E é o que está acontecendo.

Dentro da sua simplicidade, porém,

experiente no assunto, ele sabe que as

abelhas colhem e transportam o pólen

para suas colmeias onde lhes serve de

alimento. Sem pólen, diz ele, as plantas,

as árvores e as flores não poderiam

existir, uma vez que dependem do pólen

para a reprodução.

De fato, o pólen é o melhor alimento

34


natural, considerado o alimento mais

perfeito da natureza e o hormônio mais

completo, altamentente nutritivo, tendo

os nutrientes necessários para se gozar

de uma perfeita saúde.

O ACOMPANHAMENTO

Em 2006, Laerte já começou a notar

que suas colônias de abelhas estavam

desaparecendo. Ele investigou

e comprovou o fenômeno. Inverno e o

tempo seco por falta de chuvas impedem

a florada e com isso se dá o sumiço

delas. Tanto é verdade, que no ano

passado ele conseguiu apenas um litro

de mel.

Com o início das chuvas em dezembro

já são 6 tambores de 200 litros de

mel, quase um recorde e que poderão

lhe dar R$ 18 mil, já que cada tambor

está sendo vendido às farmácias e laboratórios

por até R$ 3 mil.

Para o meleiro este é um momento

de preocupação pois há índices assustadores

sobre o desaparecimento

das abelhas: há regiões onde o sumiço

atinge até 53% de suas colônias. Com

o desaparecimento delas as culturas

O trabalho do meleiro Laerte na mata para

abertura das caixas

35

também sofrem. A escassez de polinizadores

já afeta alguns cultivos. Em

2013, a queda na produção elevou o

preço das amêndoas nos Estados Unidos

em 43% em relação ao ano anterior,

segundo informações do jornal The

Telegraph. Pelo mesmo motivo, o quilo

da oleaginosa na Espanha, outro produto,

chegou a quase 8 euros - o mais

alto desde 2005. Na França, as vítimas

foram as cerejas, que passaram a ser

cultivadas na Austrália, menos afetada

pela falta de abelhas. No Brasil, segundo

especialistas, a redução de insetos

afetou a plantação de maçãs, embora

as perdas não tenham sido quantificadas.

“Se o problema continuar, o modelo

atual de fazendas vai se tornar insustentável.

O custo de produção vai subir

para o produtor e para o consumidor

final, de modo que diversos fazendeiros

podem acabar deixando a atividade”,

afirma o físico brasileiro Paulo de Souza,

estudioso do tema na Organização

Nacional de Pesquisa Científica e Industrial

da Austrália.

Estudo duplo-cego mostra que o

pólen das abelhas é extremamente

efetivo no que diz respeito não apenas

o crescimento dos tecidos prostáticos,

mas também em relação à redução das

dores, inflamação e risco de um câncer

de próstata, sem que haja algum efeito

colateral.

A caixa com os tabuleiros

Finalmente o meleiro retira o mel produzido

pelas abelhas


NOTÍCIAS

CANAS

L

EDIÇÃO MARÇO | 2016

Editor: Jairo Falvo

A busca pela excelência

Canasol inicia programa

voltado ao aprimoramento

dos trabalhos na entidade

Saber ouvir, fazer uma crítica ou

conduzir uma conversa são algumas

das habilidades necessárias para

uma adequada relação interpessoal.

Em uma organização, elas tornam o

ambiente mais harmonioso, produtivo

e capaz de proporcionar bem-estar a

todos os envolvidos. Com o intuito de

alcançar tais propósitos, a Canasol iniciou

em fevereiro o programa desenvolvido

pelo administrador de empresas e

consultor Braulio Polo Braga, autor do

livro “Seja um empreendedor de sua

vida”.

“A ideia é que essa iniciativa conduza

ao caminho da excelência na prestação

de nossos serviços”, ressalta o

presidente Luís Henrique Scabello de

Oliveira. De acordo com ele, essa é a

primeira vez que a entidade realiza o

programa, que será voltado tanto aos

funcionários como aos diretores. “Consideramos

necessário trabalhar a motivação

e desenvolver habilidades de

liderança, que ajudarão também a melhorar

o trabalho em equipe”, aponta o

presidente.

O programa teve início no dia cinco

de fevereiro, no Anfiteatro da Canasol,

por meio de treinamento que

abordou técnicas de liderança e

empreendedorismo. “Não importa

o tamanho da caminhada, ela tem

que ter o primeiro passo, que começou

com esse evento e espero que

chegue ao nosso objetivo, que é a

excelência”, reiterou Luís Henrique.

Braga classifica essa primeira

etapa dos trabalhos como “vivência”.

“O intuito é buscar o autoconhecimento

e, desta forma, aprimorar as relações

interpessoais”, explica. Durante o treinamento,

ele demostrou a importância

de elevarmos palavras boas como fé,

amor, esperança, perdão e solidariedade,

além de buscarmos atender aos

cinco desejos do ser humano, que são:

ser amado, ser elogiado, ser reconhecido,

ser livre e ser útil.

Consultor Braulio Braga durante palestra na Canasol

Presidente Luís Henrique e o palestrante Braulio Braga

ESTADO DE ESPÍRITO

De acordo com o consultor, 50% de

nossa comunicação pessoal é influenciada

pela imagem corporal, ou seja,

nossa fisionomia e gestos. “Diante disso,

é necessário possuir uma postura

adequada e olhar com carinho para

nosso estado de espírito”, explica. “As

pessoas muito sérias afastam os interlocutores

e, por outro lado, somos

contagiados pelas pessoas

que estão com um sorriso no

rosto”, conclui.

A palestra de Braga foi

muito elogiada pelos participantes

do encontro na Canasol,

entidade que procura se

aprimorar cada vez mais para

a consolidação do seu atendimento

na prestação de serviços

aos seus associados.

“Vivência”, a primeira

fase do programa

destinado aos

colaboradores da

Canasol, buscando

o autoconhecimento

para aprimorar as

relações interpessoais

36


LEGALIZAÇÃO

Canasol, sempre preocupada

com o meio ambiente

A CANASOL cadastrou

aproximadamente 3.800

hectares de vegetação, o que

equivale a mais de 5.300

campos de futebol

Área de

preservação

permanente em

propriedade de

associado da

Canasol

res de vegetação, o que equivale a mais

de 5.300 campos de futebol. O técnico

florestal Guilherme Lui de Paula Bueno,

responsável pelos assuntos ambientais

da Canasol, diz que é maciça a adesão

dos associados ao Cadastro Ambiental

Rural (CAR), instituído pelo governo e

desenvolvido por estados e municípios.

“Hoje é notória a preocupação de

todos em preservar os ativosambien-

Desde o início das novas exigências

ambientais, a Canasol realizou o cadastro

de aproximadamente 3.800 hectatais

que existem nas propriedades rurais,

como os fragmentos de vegetação

nativa, os cursos d’agua, nascentes e

lagos”, afirma.

Após o CAR, criado com o propósito

de demonstrar o que cada proprietário

possui de ativos ou passivos ambientais

em suas terras, o governo estadual publicou

recentemente, decreto que institui

o Programa de Regularização Ambiental

(PRA), que irá corrigir problemas

observados nas propriedades.

“Agora os associados aguardam ansiosos

que o programa seja instituído

e o sistema de acesso liberado para

poderem dar continuidade à regularização

ambiental de suas propriedades”,

relata Guilherme.

De acordo com ele, a Canasol está

atenta às novas exigências e irá orientar

seus associados para que as cumpram

adequadamente. “Vale ressaltar

que para aderir ao PRA e ficar de acordo

com as legislações vigentes, o prérequisito

primordial é estar com o CAR

confeccionado, cujo prazo se encerra

no próximo dia 5 de maio”, observa.

37


38


Manutenção

CUIDADOS COM OS PNEUS

SAIBA QUANDO FAZER ALINHAMENTO

E BALANCEAMENTO, ALÉM DE

CONHECER O MOMENTO IDEAL

PARA A TROCA DO PRODUTO.

Qual é o pneu mais adequado para

o meu tipo de veículo?

É o que atende as especificações estabelecidas

pelo fabricante do veículo.

Consulte o manual do proprietário.

Qual é a calibragem correta do pneu

e com que periodicidade devo fazê-la?

A calibragem correta é dada pelo

manual do proprietário.

As verificações de pressão, que devem

incluir o pneu de reserva, devem

ser feitas uma vez por semana. A pressão

dos pneus deve ser checada quando

os pneus estiverem frios – ou seja,

após terem rodado no máximo 3 km.

Quando fazer o alinhamento?

A cada 5.000 km e a cada troca de

pneus; quando os pneus estiverem apresentando

desgaste excessivo na área do

ombro; desgaste da banda de rodagem

do pneu em forma de “escama”; trepidação

das rodas dianteiras; vibração do

carro; volante duro; o carro tende para

os lados quando o motorista larga o volante;

o carro desvia e puxa para o lado

quando os freios são acionados.

Quando fazer o balanceamento?

A cada 5.000 km; a cada troca de

pneus; por ocasião do rodízio; ao primeiro

sinal de vibração ou desgaste irregular

da banda de rodagem; após ter

efetuado reparo no pneu ou na câmara

de ar.

Quando devo trocar os pneus?

Os pneus têm indicadores de desgaste.

Eles são indicados por um triângulo

ou pela expressão TWI. Mas em

caso de dúvida, procure uma autorizada

do fabricante.

Troque também o pneu quando seus

sulcos tiverem profundidade menor do

que 1,6mm. Além de perigosos, pneus

nessa situação são considerados irregulares

pelo Contran e seu veículo pode

ser apreendido.

39


LANÇAMENTO

Chegou a pick-up

Toro na Atri Fiat

Lançamento da nova pickup

da Fiat estava cercado de

mistérios. Já na praça, ela

mostra beleza, qualidade

e desempenho fantásticos.

A Fiat Chrysler do Brasil colocou no

mercado brasileiro o segundo mode-

lo fabricado em sua unidade fabril de

Goiana, Estado de Pernambuco: a Fiat

Toro, pick-up média lançada na segunda

quinzena de fevereiro em Araraquara,

na concessionária Atri Fiat. Mostrada

nestas imagens em sua versão top de

linha, a Volcano, equipada com motor

2.0 Turbo Diesel de 170 cavalos associado

com transmissão automática de 9

marchas. Aproveite para fazer um teste

drive nesta pick-up que vem com aspecto

mais agressivo, com luzes indicadoras

de direção em formato diferenciado.

Segundo Leone Matta, gerente da Atri em

Araraquara, o aspecto geral da Toro revela traços

dinâmicos e harmônicos circundando todo o carro,

conferindo-lhe musculatura e, ao mesmo tempo,

leveza. Curvilínea e com luzes horizontais, a

traseira traz ao Fiat Toro um ar contemporâneo,

urbano e até mesmo fashion.

40


PARA MUITA ÁGUA

PISOS DRENANTES

UMA ALTERNATIVA INTELIGENTE E EFICAZ

PARA ACABAR COM AQUELAS POÇAS OU

MESMO GRANDE QUANTIDADE DE ÁGUA

NAS ÁREAS INTERNAS

Os pisos drenantes têm se tornado

uma eficaz alternativa em sustentabilidade

para projetos que tenham

área externa. Além de deixar o ambiente

bonito, os pisos drenantes têm

a importante função de escoar a água

para o solo.

Essa função em si já apresenta algumas

vantagens ambientais. Uma

vez que esses revestimentos absorvem

a água da chuva e a retornam para

o solo, acabam colaborando com o

ciclo da água na natureza e evitam

possíveis enchentes.

Esses pavimentos conseguem

manter a água em sua base-reservatório

por um tempo, reduzindo a velocidade

com que ela escoa para as

Fonte: https://www.bimbon.com.br/aprenda/guia-completo-do-piso-drenante/

galerias subterrâneas. É por isso que

não faz sentido aplicá-los diretamente

sobre o concreto ou outro piso com

baixa permeabilidade.

O material pode ser fabricado

com os mais diversos componentes:

cimento, pedras, fibras coco, aditivos

e plastificantes. A matéria-prima reaproveitada

é outro fator que ajuda na

minimização dos impactos ambientais

no processo de produção.

Os pisos drenantes são ideais para

beiras de piscinas, calçadas e outros

espaços que estejam em contato com

água. Pela sua textura áspera, eles

também têm qualidade antiderrapante,

o que aumenta a segurança de

calçadas em torno de piscinas.

Para assentamento das peças recomenda-se

o nivelamento ou a compactação

do terreno. O solo deve ser

coberto com uma camada de brita

grossa, outra de brita fina e uma de

banco de areia que vai diretamente

sob a placa.

A colocação do material deve ser

feita de forma que as peças fiquem

travadas. Recomenda-se também o

plantio de grama nas áreas vazadas,

assim como acontece no piso intertravado.

Os fabricantes do material têm

investido bastante em tecnologia e

colocado no mercado modelos de diversas

cores e dimensões. Paginações

criativas também são possíveis com

esse tipo de piso. Alterne as placas do

material com fileiras de pedras e materiais

semelhantes.

41


RÚSTICOS

TRAZ O ACONCHEGO NA DECORAÇÃO

A ARQUITETURA COM ESTILO

RÚSTICO SIGNIFICA TER UM AR

DE CAMPO, ONDE O AMBIENTE

E OS ITENS QUE COMPÕEM SÃO

MAIS SIMPLES. E PARA ADAPTAR

ISSO AO ESPAÇO, A MANEIRA MAIS

INTERESSANTE É ATRAVÉS DOS

MATERIAIS QUE APRESENTAM UM

AR MAIS NATURAL E SEM MUITOS

DETALHES.

O material mais utilizado para trazer

esse ar campestre é a madeira. Esse

você pode abusar muito, seja ele em

móveis ou pisos. O interessante nesse

caso é deixar a parede lisa com

uma pintura neutra e os móveis em

tons terrosos: marrom, bege, fendi

e pérola. Para quem quer a parede

destacada no ambiente, pode revestir

com tijolo ou pedras que combinam

muito com pisos em tons claros.

Os itens decorativos como cortinas

finas, plantas, vasos em cerâmica

são sempre bem vindos nesse tipo

de decór o que leva a sensação

que a natureza está dentro do

ambiente. Os móveis em madeira

bruta aquecem e criam pontos

interessantes para um espaço

simples ou minimalista. Veja em lojas

específicas para esses móveis, pois é

importante ter um bom acabamento

e design, mesmo que ele seja

simples.

Apesar de ser um estilo que requer

muita informação, tome cuidado

para não colocar muitas cores e

objetos misturados. O objetivo é

transmitir um espírito acolhedor,

natural, sem esquecer a simplicidade.

Fonte: http://www.decorfacil.com/decoracao-rustica/

42


REAPROVEITAMENTO

DECORAR COM PALLETS

REUTILIZAR MATERIAIS ESTÁ CADA VEZ MAIS COMUM NO RAMO DA

ARQUITETURA, POR ISSO OS PALLETS GANHAM UM ESPAÇO NO MERCADO

DA DECORAÇÃO.

O diferencial é que ele pode ser

trabalhado por qualquer pessoa, não

precisando ser um profissional na

marcenaria.

É possível transformar o pallet em

itens diversos para o cômodo da

casa, seja na sala como um centro

de mesa, no quarto como base de

uma cama, na cozinha como painel,

na área externa como sofá e entre

Fonte: http://www.decorfacil.com/exemplos-de-decoracao-com-pallets/

outros objetos.

Há varias maneiras de acabamento

para você executar. Se quiser algo

rústico, deixe a madeira com a cor

natural ou cores cruas, se preferir

um móvel moderno, o ideal é

envernizá-lo ou colocar vidro para

dar durabilidade e proteção. Para

quem possui um espaço descolado,

experimente pintá-los com cores

vibrantes e colocar rodinhas para dar

flexibilidade no móvel.

O tamanho encontrado no mercado

é de 1,00m x 1,20m, mas basta

a criatividade para montar de sua

maneira. Os pallets requerem certo

cuidado, pois a madeira precisa ser

resistente para suportar o peso e o

modo como irá utilizar.

43


Produto

TINTA EMBORRACHADA

O QUE É TINTA

EMBORRACHADA?

TINTA EMBORRACHADA É UMA

TINTA ACRÍLICA ELÁSTICA

DE ALTA PERFORMANCE,

RESISTÊNCIA E DURABILIDADE,

QUE É INDICADA PARA

PINTURA DE PAREDES

INTERNAS E EXTERNAS:

Onde podemos pintar

com tinta emborrachada?

• Fachadas de casas

• Muros e edículas

• Concreto, reboco ou gesso

• Pintura virgem de parede

• Pintura de prédios

• E outras superfícies

O interessante da tinta

emborrachada é que a mesma

cria uma película elástica

impermeabilizante que cobre

pequenas trincas e fissuras,

acompanhando a movimentação e

acomodação de prédios e casas.

A tinta emborrachada é uma ótima

proteção impermeabilizante para

pintar fachadas de casas e prédios.

Embalagens

• 900 ml

• 3,600 litros de tinta

• 18 litros de tinta

Compre tintas de boa qualidade

como por exemplo: tinta

emborrachada; pois se você

pintar a parte externa da sua casa

com tinta de péssima qualidade,

depois de 2 ou três meses a tinta

estará manchada, desbotada e

descascando.

44


VIDROS

OS TIPOS MAIS

USADOS NAS

JANELAS

RESIDENCIAIS

AS JANELAS AVANÇARAM MUITO

TECNOLOGICAMENTE NOS

ÚLTIMO CEM ANOS. MUITOS

PROPRIETÁRIOS DE CASAS NÃO

PERCEBEM QUE EXISTE UMA

GRANDE VARIEDADE DE VIDROS

USADOS NAS JANELAS QUE PODEM

AJUDAR A EFICIÊNCIA DA CASA

QUANDO SE TRATA DE ENERGIA.

PARA OS PROPRIETÁRIOS, TER

CONHECIMENTO DOS TIPOS

DE VIDRO PODE ECONOMIZAR

DINHEIRO E AJUDAR A PROJETAR

JANELAS ESTETICAMENTE

AGRADÁVEIS.

Vidro temperado

O vidro temperado é utilizado na

grande maioria das casas modernas.

Esse tipo de vidro é criado usando

vidro derretido e colocando-o sobre o

estanho, o que o faz ficar perfeitamente

plano e remove a distorção presente

nos vidros comuns. O vidro temperado

também é benéfico, pois pode

ser cortado e modelado usando

ferramentas feitas para o corte do vidro.

Vidros termoacústicos

O vidro termoacústico é criado a partir

do vidro temperado, mas com uma

nova característica. Ao fabricar o vidro

temperado com um fino revestimento

químico sintético em um dos lados,

o vidro termoacústico é criado. O

produto químico reduz a quantidade

de energia de um lado, deixando o

calor e ar fresco dentro da casa. O

revestimento normalmente possui

uma coloração, dando ao vidro uma

aparência mais escura.

Vidro que é autolimpante

Algumas casas novas também

possuem um vidro autolimpante. Esse

tipo de vidro é feito pelo uso do vidro

temperado; no entanto, é fabricado

com um produto químico chamado

de ‘’fotocatalítico’’, colocado em um

lado do vidro. O revestimento permite

que os raios do sol quebrem materiais

orgânicos como a poeira da superfície

da janela, e raramente é necessário

limpá-los.

Fonte: http://www.ehow.com.br/quais-tipos-vidro-usados-nas-janelas-casas-lista

45


RICARDO SIMÕES

A euforia toma conta dele

permanentemente. Talvez

seja essa disposição que o

tenha levado a ser um atleta

comprometido com medalhas

e troféus, defendendo a cidade

que o considera um dos

mais ilustres filhos no campo

esportivo. Ricardo Simões é

uma das raridades na natação

de Araraquara, conseguindo

fazer dela, parte da sua

própria vida. Também foi a

natação que o incentivou a ser

professor de educação física e

a conviver com a comunidade.

Sempre recordista e campeão

Houve-se o tempo em que a Ferroviária

não tinha apenas o futebol como carro-chefe

promocional da cidade e do estado de São

Paulo; ela também pôde se orgulhar de outra

modalidade que colheu bons frutos. Não

que o atletismo não tenha sido importante.

Claro que foi. Mas a natação foi um marco

até mesmo para o Complexo Aquático que

ainda está presente na Fonte Luminosa.

Um daqueles pupilos que tinha Paulo

Sampaio e Antônio Carlos Orselli como

mentores, é Ricardo Simões. Quando ainda

praticava natação apenas por diversão

nos clubes da época, o garoto de apenas

15 anos foi convidado a integrar a equipe

de natação da Ferroviária através do “seo

Olavo da Farmácia”, seu primeiro treinador.

“Treinando com essas pessoas, mais

Marco Batelli, Fausto Mariottini, Gama Ângelo

e Silvio Pierobon, logo de cara o meu

desempenho dentro da piscina foi melhorando

e comecei a participar de competições

na cidade, até mesmo de Jogos Regionais,

como foi o caso em 1961, no meu

primeiro ano na Ferroviária”.

Porém, foi em 1965, nos Jogos Abertos,

realizado em Santos, que Ricardo Simões

conseguiria um feito inédito para um atleta

da natação do interior paulista. “Naquela

competição fui o primeiro nadador do interior

a fazer a marca abaixo de 1 minuto, que

era do nadador olímpico Manoel dos Santos.

Cravei 58s01. Isso na época causou um

grande alvoroço (risos)”. Ricardo Simões estava

consagrado.

Com a boa estrutura que o complexo

46

Hoje, Simões possui o bar Cazuza’s, homenageando a Ferroviária

Segunda Travessia

do Clube Náutico

em 1966, uma das

mais importantes

competições do

interior paulista.

Saturnino e

Ricardo Simões

empatam e ficam

com o primeiro

lugar

oferecia, Ricardo permaneceu na Ferroviária

por quatro anos. Ele nunca se esquece

da rotina de treinamentos. Os nadadores

que estudavam chegavam às 6h da manhã

com a piscina sendo liberada para treinamentos;

nela os atletas ficavam até às 8h,

quando tinham que ir para a escola. A rotina

dentro da água continuava no período

da tarde.

“A diretoria da Ferroviária nos dava tudo.

Além de ceder o espaço para treinamento,

nos davam alimentação, hospedagem e o

transporte quando o time de futebol não

usava o ônibus, para viajarmos. Às vezes

íamos até de trem nas cidades próximas.

Juntando todas as categorias, desde o infantil

ao adulto, eram cerca de 60 pessoas”.

Dos fatos curiosos, Simões recorda a

primeira ida para os Jogos Abertos realizado

em Marília em 1961. Acompanhado

de Trevisan e Pierobon, os três calouros

da natação da cidade tiveram os seus

corpos pintados de azul, o que fazia parte

do “trote” da época. “Quando chegamos

para treinar, o fiscal não deixou a gente

entrar na piscina, dizendo que estávamos

“doentes”. Para tirar aquela tinta do corpo

só com esponja de aço e sapólio (risos)”.

Sempre provocador, o nadador não

deixava de falar na orelha do adversário

antes de pular para a piscina. “Eu sempre

me poupava nos qualificatórios para chegar

bem na final da prova. Certa vez um


Joel Hurche Pedro, Maurício Jácomo,

Maurício Sereti, Ricardo Simões e Antônio

Carlos Orselli nos Jogos Abertos

Ricardo Simões recebe

prêmio das mãos de Orselli

por tempo feito abaixo de

1 minuto nos Jogos Abertos

realizados em Santos em

1965; a conquista levou

o atleta a ser reconhecido

como um dos melhores do

país na sua categoria

nadador estava “se matando” para conseguir

os tempos e começou a se achar

melhor que os outros. Quando chegou na

final, falei pra ele “vou encher sua boca

de água pra você não falar mais nada”. Na

final nadei tranquilamente e conquistei a

medalha. Eu jogava sujo (risos)”.

A marca obtida nos Jogos Abertos de

Santos fez com que Simões chegasse até

à equipe de natação do Corinthians em

São Paulo, onde permaneceu por um ano.

Depois regressou a Araraquara, fazendo

parte de diversos clubes, um deles a

própria Ferroviária, porém, foi por pouco

tempo.

Hoje Simões é proprietário do bar

Cazuza’s, onde faz uma homenagem pelo

que o clube lhe proporcionou: grandes

alegrias. Nos seus planos está voltar a

nadar só que agora com alguns veteranos

da natação da cidade. “Sinto muita falta

daquela época; era um laço de amizade

criado dentro da equipe. Se não fossem

aquelas amizades, não teria esses amigos

que tenho até hoje perto de mim”.

A equipe de natação da Ferroviária continuou

até 2007 disputando competições.

Após a municipalização do patrimônio do

clube, o Complexo Aquático da Fonte Luminosa,

um dos melhores do Brasil nos anos

50/60, foi reformado e entregue à população

em 2008. Desde então, o espaço

pode ser usado tanto para treinamento das

equipes de competição, bem como projetos

sociais, ou abrigar grandes competições.

Quanto à natação atual, ela é vinculada à

FAP (Federação Aquática Paulista), através

da Fundesport.

47


ORGULHO

Eles vão carregar

pelas ruas de Ara

Araraquara é uma das 300 cidades brasileiras

convidadas para integrar o circuito básico do

Revezamento da Tocha Rio 2016 e terá a honra de

receber um dos símbolos que marcam a disputa

das Olimpíadas. Alguns atletas e esportistas foram

selecionados para fazer parte deste ato emblemático.

Medalhista dos Jogos Parapan-Americano,

o nadador Alex Palhares Viana

Tradicionalmente, a Chama Olímpica

é acesa na cidade de Olímpia, na

Grécia – berço dos Jogos Olímpicos –

e é trazida até a capital do País-Sede.

Daí, a Chama segue transportada em

uma tocha, conduzida em revezamento

para várias cidades, incluindo as capitais

de todos os estados brasileiros. Em

Araraquara, os atletas escolhidos já começam

a se aquecer para correr pelas

ruas da cidade.

A araraquarense Roseli do Carmo,

ex-jogadora de basquete, medalhista nas

Olímpiadas de Atlanta em 1996

O jogador Pio, ex-Ferroviária, Palmeiras e

Santa Cruz, homenageado em carregar a

tocha olímpica. Em 2016 ele comemora

50 anos pela conquista do título de acesso

da Ferroviária à Especial em 1966.

48

A ex-jogadora de

basquete e medalhista

nos Jogos Olímpicos de

Atlanta 1996, Roseli do

Carmo, não esconde a

ansiedade em correr

pelas ruas de Araraquara carregando o

símbolo olímpico.

“Fico muito feliz pela passagem da

tocha por Araraquara e também por ter

sido lembrada. Queria que todas as minhas

companheiras participassem. Por

enquanto apenas a Adriana correrá por

Americana e Janeth por São Paulo. Vai

ser uma alegria e emoção representálas

aqui, em minha terra”.

Outro filho de Araraquara, que também

está ansioso pelo grande momento

é o ex-jogador da Ferroviária, Palmeiras

e Santa Cruz, Osmar Alberto Volpe,

o Pio. “Para mim é gratificante. Estar

relacionado entre 12 mil pessoas que

correrão com a tocha desde a Grécia,

é uma honra muito grande e agradeço

estar entre estes ilustres atletas. Isso

mostra o quanto o esporte foi importante

em minha vida e simplesmente se

confirma de que ele, o esporte, é uma

linguagem universal”.

O medalhista de prata no último

Jogos Parapan-Americano, o nadador

Alex Palhares Viana, não cansa de dizer

aos familiares e amigos que isso é a realização

de um sonho e que queria realmente

participar logo depois que Araraquara

foi uma das escolhidas como rota da

tocha olímpica.

“Fiquei muito animado com o convite.

Isso [a tocha] é um símbolo dos jogos,

que marca o seu início. Era um sonho,

mas era algo que eu não esperava

que fosse acontecer. Não tem como

esconder essa euforia”.

O atleta ressalta a importância de

estar no meio dos ícones das várias

modalidades esportivas que representam

a cidade. “Vou às competições e

faço os meus resultados, mas na verdade

não esperava estar no meio de

tanta gente conhecida. Posso dizer

que isso vale como uma medalha para

mim”.

Outro medalhista do Parapan também

estará presente nas ruas de Araraquara.

O ciclista Lauro Chaman se diz

feliz com o convite feito pela prefeitura.


a Tocha Olímpica

raquara em julho

O ciclista e medalhista do Parapan, o

araraquarense Lauro Chaman, estará

presente nas ruas da sua terra natal

“Corro desde 2008 pela seleção brasileira

e 2010 por Santos. E ser lembrado

para carregar a tocha olímpica em minha

cidade me deixou muito feliz. Vou

correr quatro provas nas Paraolimpiadas

do Rio. Espero, pelo menos, trazer

uma medalha para coroar todo este

reconhecimento”, conta o atleta.

Outra grande figura simbólica

não só de Araraquara,

como da São Silvestre, também

desfilará com o maior

símbolo olímpico. José Alberto

Mattos Marques não poderá

carregar a famosa faixa “Pela

Fé Araraquara”, mas com certeza

Beto ficará contente em

substituí-la pela tocha.

“Ter o maratonista carregando

uma tocha isso mostra

realmente o símbolo do

esporte olímpico, sendo esta

a primeira modalidade dentro

das Olimpíadas desde a Grécia

antiga. Estou aguardando

com grande ansiedade este

momento. É uma emoção muito

grande quando você passa

com a faixa carregando o nome da cidade

e as pessoas reverenciam isso. Vai

ser o maior troféu da minha vida”.

Beto Pela Fé carrega em seu pensamento

o “Lema Olímpico, criado por

Barão Pierre de Coubertin. “O lema

“mais rápido, mais alto, mais forte” é

que representa para mim o momento

de poder segurar a tocha olímpica em

Araraquara”.

O mais veterano dentre os escolhidos

e com mais de 900 medalhas

conquistadas ao longo da carreira, Antônio

Carlos Orselli, realizará algo que

jamais pensou em fazer um dia: carregar

a tocha olímpica em sua cidade.

“Eu sempre sonhei em participar de

uma olímpiada. Mesmo que indiretamente,

estou muito feliz de participar

com revezamento da tocha, ainda mais

Antônio Carlos Orselli, um dos mais

importantes atletas que Araraquara teve

em sua história, com mais de 900 medalhas

conquistadas

49

O maratonista José Alberto Mattos Marques, o Beto Pela

Fé, diz que será o maior troféu da sua vida

correndo em Araraquara”, conta o nadador,

que quer disputar o Mundial da

categoria veterano da natação.

A CHEGADA

O Fogo Olímpico chegará a Brasília

em maio, iniciando o percurso de 30

mil quilômetros. Seguirá pelas regiões

Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e

Sudeste. No total, a tocha será recebida

em 300 cidades, mas o comboio poderá

ser visto passando por outros 200

municípios. Em Araraquara passará no

dia 18 de julho

O Brasil realizará pela primeira vez

na sua história uma edição dos Jogos

Olímpicos e Paraolímpicos. Precedendo

a esse grande evento esportivo, com a

participação de cerca de 4.350 atletas

de 178 países, ocorre o Revezamento

da Tocha Olímpica.

Fotos: André de Souza


O pesquisador Gilberto Chierice, durante

alguns minutos, foi aplaudido de pé pelos

participantes da assembleia da SABSA.

ações voluntárias que fazem as comunidades

em que vivem e atuam, cada

vez melhores, tanto nos serviços que

prestam à população, quanto no próprio

ambiente de trabalho. Cada setor

indica alguém que, por sua atuação em

2015, e ao longo de sua carreira, reuniu

méritos para ser homenageado”.

CURA DO CÂNCER

Público fica em pé para

aplaudir Gilberto Chierice

Encontro na SABSA entrou

para a história da instituição

considerada uma das mais

atuantes na cidade, sendo

marcado pelo reconhecimento

às pessoas que têm se

destacado na comunidade e

também pela emoção.

No dia 26 de fevereiro a SABSA promoveu

em sua sede social, Assembleia

Geral Extraordinária Festiva para cumprir

dois objetivos. Um deles, homenagear

os melhores alunos das escolas

públicas instaladas no bairro. O outro

objetivo foi prestar homenagens especiais

a personagens que contribuem

para a qualidade de vida do bairro, ou

ainda, são destaques na sociedade; e,

finalmente dar posse ao Conselho Deliberativo

para o biênio 2016-2017. José

Carlos Porsani, presidente da Diretoria

Executiva, comandou as solenidades

marcadas por fortes emoções.

Porsani destacou a importância da

festa para a entidade, pois congrega

profissionais liberais, esportistas, empresários.

O Santa Angelina é um dos

bairros mais populosos de Araraquara

e seu início se deu por volta dos anos

60, até então atrelado à continuidade

do São Geraldo.

Porsani na abertura da assembleia que

reelegeu seu irmão Joel na presidência do

Conselho da Sabsa

As assembleias gerais extraordinárias

festivas da SABSA, há muitos anos

se tornaram o melhor momento para

que fossem homenageados, disse Porsani

na abertura, “aqueles profissionais

que além da qualificação pessoal, da

formação escolar em todos os níveis,

se tornam exemplos

de dedicação, de

espírito de servir, de

Os homenageados

Osvaldo Tucci Neto

(Escoteiros Morada do

Sol) e Gilberto Chierice

(Químico), com o

presidente da SABSA,

José Carlos Porsani e

Antônio Carlos

50

ESTUDANTES

A SABSA é a única entidade de Araraquara

que homenageia os melhores

alunos das escolas do bairro. Isto vem

acontecendo há dezenas de anos e os

resultados têm sido importantes na

vida pessoal e profissional de muitos

dos que foram destacados pelo valor,

pelo mérito dos seus esforços, nos estudos,

na vida escolar.

No final de fevereiro, mais uma vez,

as homenagens foram realizadas aos

alunos indicados como os Melhores de

2015, por suas escolas.

HOMENAGEADOS

• Centro de Educação e Recreação

“Cyro Guedes Ramos”: Ana Luiza Cybis

Cazal (Pré-Escola);

• Escola Municipal “José Roberto Pádua

de Camargo”: Paulo Henrique Martins

(5° ano);

• Escola Estadual “João Batista de Oliveira”:

Juliana de Souza Campos (9°

ano)

SABSA: Elwis Gustavo de Souza Mello e

Luana Yukari Yamada Tamura

Entre as personalidades de Araraquara

foram homenageados os policiais:

Cabo Edwar Martins Schravinato


(Ambiental), Cabo Flávio Henrique Ribeiro

(Militar), Cabo André Luiz Rampazo

(Rodoviária), 2° Sargento Cristiano

Joveliano, Ademir Aparecido Tímpani

(Guarda Municipal), Osvaldo Tucci Neto

(Grupo de Escoteiros Morada do Sol),

Jorge Donizetti Fernandes e Maria Alice

Ramalho Fernandes (Voluntários), Leonardo

André Mendes e Douglas Onça

(técnico e coordenador respectivamente

do Futebol Feminino da Ferroviária),

Luiz Gonzaga Corrêa (ortopedista), Gilberto

Orivaldo Chierice (Químico) e Bruno

Faglioni Rossi (Músico).

O jornalista e diretor

da RCI, Ivan Roberto

Peroni, com o doutor

Gilberto Chierice que

se fez acompanhar

na homenagem, pelo

sobrinho Alberto Bose

Gilberto com a sobrinha Catarina e a esposa Natalina

DESTAQUE

Na festiva noite da SAB-

SA, o destaque ficou com

o professor Gilberto Chierice,

graduado em Bacharelado

e Licenciatura em

Química pela Faculdade

de Filosofia Ciências

e Letras de Araraquara

(1969), mestrado em Química

(Físico-Química) pela

USP (1973) e doutorado

em Química (Química Analítica-USP

1979).

Químico aposentado há anos, ele

sempre buscou fazer com que as suas

pesquisas fossem transformadas em

um medicamento para a cura do câncer

e hoje a fosfoetanolamina sintética

(imita uma substância presente no organismo

e sinaliza células cancerosas

para a remoção pelo sistema imunológico),

foi desenvolvida na USP em São

Carlos, por ele.

51


SEU NOME ESTÁ NA RUA

EUGÊNIO ALBIERO

52

TEXTO: SAMUEL BRASIL BUENO

Ele teve tempo de fazer amigos

e receber o carinho da cidade

Em Araraquara, o “seo

Albiero” , com dignidade e

respeito, conquistou amizades

e fez da sua profissão de

alfaiate uma fonte de recursos

para formação dos filhos; cada

qual seguiu seu caminho, mas

souberam honrar a educação

dispensada pelos pais. A

imagem do querido Eugênio

ainda hoje é preservada com

carinho, fruto do seu trabalho

e comportamento pessoal.

Eugênio Albiero, figura marcante que fez

de Araraquara sua terra natal, tornando

seus amigos em verdadeiros irmãos. Ele

aos 80 anos.

Eugênio e Luiza na época do seu

casamento em 1923

No crepúsculo do século XIX, há

cento e dezessete anos, a 22 de fevereiro

de 1899, nascia em Capivari, em

nosso Estado, o menino Eugênio, filho

dos imigrantes italianos Enrico Albiero e

Seraphina Campacci.

Eugênio quer dizer bem nascido, bem

dotado, nobre, cheio de luz; e esses atributos

iriam se evidenciando ao longo da

vida de Eugênio Albiero, marcada por sua

inteligência brilhante, determinação, força,

coragem e personalidade.

Passou a infância em Capivari, onde

fez seus primeiros estudos. Aos 18 anos

de idade, motivado pelo desejo de vencer

na vida, Eugênio resolve deixar suas origens,

escolhendo Araraquara para fixar

residência e atingir seus propósitos. Aqui

chegando, emprega-se na conceituada alfaiataria

do Bruno Ópice, onde se dedicaria

à arte de bem vestir cavalheiros.

A 14 de junho de 1923, casa-se com

a araraquarense Luiza Santa Barbieri, filha

dos imigrantes italianos José Barbieri

e Anunciata Tucci.

Eugênio trabalha com afinco, consegue

confeccionar um paletó em poucas

horas, porém não se sentia realizado:

queria aperfeiçoar, conhecer a fundo sua

arte. Assim, com muito sacrifício, junta dinheiro

e parte com sua mulher para São

Paulo, onde permaneceria cerca de dois

anos se capacitando no seu ofício, na célebre

Alfaiataria Carnicelli. Com o diploma

e o conhecimento em mãos, volta à terra

eleita e retoma sua carreira.

Nascem seus três filhos araraquarenses:

Maria Luiza, Maria Aparecida e José

Henrique.

A alfaiataria de Eugênio se torna

cada dia mais famosa. Ele vestiu políticos,

profissionais liberais, empresários,

fazendeiros do Estado todo. Ficava orgulhoso

quando seus clientes contavam

como seus ternos eram elogiados

até no exterior. Sua loja, localizada na

Rua Nove de Julho, nº 436, entre Avenidas

Brasil e São Paulo, era fascinante:

os linhos irlandeses, as casemiras inglesas,

os botões de madrepérola, os paletós

e coletes expostos nos manequins,

os figurinos, a saleta de provas...

Seus filhos cresceram, casaram e

formaram uma bonita família. Maria

Luiza casou-se com Mário Vargas da

Silva; Maria Aparecida casou-se com

Carlos Armando Fortes Vaz; e José Henrique,

casado com Maria Gertrudes

Salvajoli. Sua descendência se completa

até os nossos dias com 6 netos e 5

bisnetos.

Eugênio foi agraciado com a longevidade;

teve tempo para fazer amigos e

receber o carinho da comunidade. Lúcido

e inteligente até o último suspiro,

costumava dizer: “Quando ela chegar

(referindo-se à morte), não terei medo e

direi: Estou pronto!”


Ele faleceu no dia 24 de maio de

1990, aos 91 anos de idade. Não deixou

bens materiais, não se preocupava muito

com isso, preferindo investir na educação

de seus filhos e no bem-estar e

qualidade de vida de sua família.

Seu nome está na rua através da

Lei Municipal nº 4.881, de 28 de agosto

de 1997, promulgada pelo prefeito

Waldemar De Santi, que denomina

Avenida Eugênio Albiero, a via pública

até então conhecida como Rua “02” do

Loteamento Jardim Adalberto Frederico

de Oliveira Roxo II, com início na Rua

“1” do mesmo loteamento e término

na divisa de propriedade de Virginio

Boldrin.

Maria Luiza, José Henrique e Maria

Aparecida, os três filhos de Eugênio

Família Albiero reunida: filhos, netos e bisnetos de Eugênio e Luiza (foto de 1997),

durante a comemoração do centenário da chegada da família Barbieri em Araraquara

Rua Eugênio Albiero, no Adalbeto Roxo II

53


Ergonomia

Como aplicar os conceitos

no seu dia a dia de trabalho

É POSSÍVEL TRABALHAR COM MAIOR SEGURANÇA

E CONFORTO ADOTANDO-SE AS SEGUINTES

DICAS ERGONÔMICAS:

A ergonomia tem como objetivo

específico proporcionar a melhor

adaptação entre as pessoas e seu

ambiente de trabalho, adequando os

recursos (equipamentos, ferramentas

e materiais) ao trabalhador.

Durante o processo da escolha

dos equipamentos, é necessário

a aplicação dos conceitos para a

preservação da integridade física

do trabalhador. Desconsiderar os

requisitos permite influenciar também

consideravelmente a produtividade

das tarefas diárias.

Para que a ergonomia no escritório

seja aplicada de maneira correta, é

necessário que o seu fornecedor de

mesas, bancadas e cadeiras sejam

detentores do conhecimento para

suprir as necessidades de acordo

com o limite territorial no espaço do

ambiente de trabalho. Os hábitos

saudáveis aliados ao mobiliário

corporativo adequado, estabelece

a perfeita escolha e principalmente

atende os itens estabelecidos

pela Norma Regulamentadora do

Trabalho NR 17 – Ergonomia.

A POSTURA:

• Evite deixar o pescoço inclinado

para frente ao olhar para o monitor,

mantenha a cabeça sempre

alinhada;

• As costas devem estar sempre bem

apoiadas no encosto da cadeira;

• Os pés devem estar sempre

apoiados no chão ou em suporte

próprio quando a altura não

ultrapassar 1,65m;

• Deve-se sentar em local

apropriado evitando posições que

o deixem de costas para janelas ou

outras fontes de luz que possam

causar reflexos.

• As mãos devem estar sempre

alinhadas ao antebraço e os ombros

devem se manter relaxados;

54


• É muito importante incluir na rotina

diária a realização de alongamentos

antes da jornada de trabalho e

pausas de pelo menos 5 minutos por

hora a cada hora de trabalho.

POSIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE

TRABALHO E ACESSÓRIOS

• Evite deixar luminárias mal

posicionadas, com deficiência

de luminosidade, pois é comum

encontrar excesso ou déficit da

quantidade de luz, promovendo

impactos como dores nos olhos

e de cabeça;

• Cuidado com teclados e mouses

fora de posição ou longe de alcance,

lembre-se de que todo material

de utilização frequente deve estar

ao alcance das mãos. Este erro

geralmente acontece quando a mesa

não permite a boa aproximação do

corpo e principalmente por ocupação

inadequada dos espaços em cima

ou embaixo das mesas, limitando os

movimentos dos membros superiores

e inferiores;

Extensão dos dedos e punhos

(abrir a palma da mão)

Abdução e rotação externa

da coxa (cruzar a perna)

Flexão dos dedos

(fechar a mão)

Abdução e flexão

da coxa (glúteo)

• O monitor deve ser colocado

na altura dos olhos e na distância

aproximada de um braço através de

um apoio com sistema de regulagens

de elevação.

Rotação do tronco e pescoço

(para ambos os lados)

Flexão dorsal do pé

(gémeos e solear)

Flexão da perna e extensão

da coxa (quadricídetes)

Flexão do tronco

(lombar)

Já deu aquela

alongadinha

esperta enquanto

trabalha?

55


Diferente do mercúrio, o

Barômetro Aneroide é menos

preciso, porém é portátil.

As cápsulas aneroides são

frequentemente usadas em

barógrafos, instrumentos

que gravam continuamente

mudanças de pressão

DESCOBERTA

O tesouro científico

encontrado no IEBA

Cerca de 200 equipamentos de física foram encontrados

por um grupo de pesquisadores na Escola Estadual Bento de

Abreu. Para o antigo IEBA, isso representa um tesouro científico

localizado tantos anos depois, já que os aparelhos pertenciam

ao Araraquara College no início do século XX.

A Escola Estadual Bento de Abreu –

EEBA, tradicional instituição de ensino

da rede pública estadual de Araraquara,

teve origem como “Araraquara College”,

inaugurado em fevereiro de 1914.

Fechado durante o período de 1918 e

1919, o estabelecimento de ensino foi

reaberto em 1920, com o nome “Escola

Mackenzie de Araraquara”, denominação

mantida até 1926, quando de

sua municipalização, passando a ser

“Ginásio Municipal Mackenzie de Araraquara”,

até 1932.

Neste, a escola foi transformada

pelo governo do Estado, no primeiro

ginásio oficial da cidade, instalado definitivamente

em fevereiro de 1934.

Em quase cem anos de presença na

cidade, ofereceu, em épocas diversas,

diferentes níveis de escolarização, recebendo

várias gerações de alunos de

Araraquara e região. Já em 1959 passou

a ocupar o prédio onde funciona

atualmente na Rua Padre Duarte, entre

as avenidas Professor Jorge Corrêa e

Augusto Cezar.

Neste cenário é que se apresenta

uma das alunas da época, Maria Cristina

Zancul, que lembra o antigo laboratório

de física e das aulas que tinha

na época. Já como pesquisadora e professora

de Letras da Unesp, foi Cristina

quem tirou estes instrumentos do

esquecimento, pois estavam eles adormecidos

em um porão da escola.

“Quando a gente limpou, organizou

A Máquina Eletrostática é um dispositivo que

produz eletricidade estática, ou seja, através

do atrito

e entrou em contato com outras instituições

que têm material semelhante,

como o Museu de Astronomia do Rio de

Janeiro, descobrimos possuir um verdadeiro

tesouro”.

Os equipamentos têm origem da

França, como a fabricante Les Fils

D’émile Deyrolle e Max Kohl Chemnitz.

Outros foram fabricados aqui no Brasil,

pelas indústrias Franz Sturm, de São

Paulo e Meister & Irmãos, do Rio de Janeiro.

A caçada aos materiais começou

em 2006. No ano seguinte, o grupo se

reuniu para testar os instrumentos para

ver as condições que se encontravam.

Outras etapas foram em frente, como

o descobrimento de diversos livros de

anotações, contendo o nome e a sua

função. Alguns estavam relacionados

O Araraquara College aberto

em fevereiro de 1914, depois

Escola Mackenzie (1920), em

seguida Ginásio Mackenzie

(1926); foi a Faculdade de

Filosofia, Ciências e Letras, a

partir de 1960 e hoje é a Casa

da Cultura, na Rua São Bento

(inicialmente Rua Ignácio

Baptista), em 1871; em 1877,

Rua do Commércio e em 1891

Rua 3

Quase 100 anos depois, os aparelhos foram

encontrados no porão do IEBA, inaugurado

em 1959

56


na lista, mas o objeto não se encontrava

com o restante.

“Como não temos registro, gostaríamos

que, se alguém tivesse cadernos

ou lembranças de aulas com o uso desses

equipamentos, que entrasse em

contato conosco. Nós queremos compreender

um pouco a história do ensino

de física no Brasil. Entender o passado

vai ajudar nos ajudar a pensar estratégias

para o presente e futuro”.

O fato fez com que a professora lançasse

o livro “O ginásio da Morada do

Sol: História e Memória da Escola Estadual

Bento de Abreu de Araraquara”,

contando detalhes dos instrumentos

(balanças, barômetros, galvanômetros,

prismas, giroscópios, telégrafos e um

modelo de máquina a vapor, e a bela

vida de um estabelecimento de ensino.

foto: arquivo pessoal

A professora e pesquisadora Maria Cristina de Senzi Zancul entre os professores José Dionísio

Gomes de Azevedo e Antônio Carlos Moreira (já falecido) que colaboraram na realização da

pesquisa

A Balança de Pratos Iguais possui dois pratos

suspensos por cutelos. Um dos pratos serve

para colocar objetos de massa conhecida

e padronizada. O outro prato sustenta um

objeto a ser estudado

Esta é uma

Máquina

Pneumática.

Para acioná-la

é preciso passar

um fluxo ou

pressão do ar

Esta com prato apoiados recebe o nome

de Balança de Roberval, feita por Gilles

Personne Roberval em 1669

57


COLUNA

ESPORTE É AVENTURA

Neste mês de março, Araraquara

receberá a melhor e mais moderna

Assessoria Esportiva da Região,

que surgiu da parceria da Clínica

ABSOLUTE FIT de Araraquara e da

TITAN SPORTS TRAINING de São

Carlos. Com essa união de forças,

nossa cidade terá um novo conceito

na prática esportiva.

Conheçam um pouco mais dos

dois profissionais idealizadores da

“Absolute Titan Assessoria Esportiva”:

Carlinhos Tavares:

- Graduado em Educação Física

- Pós-Graduado em Ciência do Treinamento

Desportivo – UNICAMP

- Proprietário da Clínica Absolute Fit

- Coordenador, Treinador e Avaliador

Físico da Clínica Absolute Fit

- Diretor e Treinador Pro do Ultrassom

de Avaliação Física BodyMetrix

no Brasil

- Criador do Sistema de Treinamento

Exclusivo “Pride 7”

- Atleta de Natação e Triathlon

Raphael Menezes:

- Graduado em Educação Física

- Pós-Graduado em Fisiologia do

Exercício – Ufscar

- Coordenador e Treinador da Titan

Sports Training

- Treinador de Triathlon

- Atleta Profissional de Triathlon,

integrante da 1º Equipe SESI de

Triathlon Profissional

- Integrante de uma equipe americana

de Triathlon, tendo competido

em diversas provas nacionais

e internacionais

Carlinhos Tavares

Absolute Fit | 16 3114.8664

Peaks (treinos individualizados na

palma de sua mão)

- Treinos de Corrida e Triathlon

- Treinos Online para todo o Brasil

- Total estrutura com café da manhã

nos principais eventos esportivos

da região

- Participação em eventos Internacionais

- Teinos de Corrida com Orientação

profissional nos seguintes dias

e horários:

Segundas e Quartas, das 18h30 às

20h

Terças e Quintas, das 6h45 às 8h15

Sábados, das 8h às 9h30

- Planos Especiais de Lançamento

Nossos treinamentos são elaborados

de maneira individualizada

para que você alcance seus objetivos

de forma segura e eficiente.

Entre em contato conosco! Estamos

esperando por você!

DIFERENCIAIS DA

ASSESSORIA:

- Avaliação Física de última geração

com ULTRASSOM BODY-

METRIX (visualize sua gordura e

massa muscular na tela do computador)

- Planilhas de Treino através do

Aplicativo Americano Training

58


59


SAÚDE

Zika

É o nome dela

Walter Figueiredo recebendo

a RCI em sua sala na Uniara

Desde novembro de 2015,

4.000 bebês nasceram com

microcefalia no Brasil, país

que normalmente apresenta

150 casos dessa má-formação

em cada ano. Assombroso

aumento de 13 mil por cento.

Rapidamente culpa-se a zika

vírus transmitido pelo Aedes

Aegypti, espécie dominante

no mundo dos mosquitos.

Em sua sala na Uniara onde também

ministra aulas de Medicina, voltadas

para a Pediatria, o médico Walter

Figueiredo recebeu a reportagem da

RCI. O assunto não poderia ser outro

senão a chegada da Zika, vírus que

pode a causar a microcefalia. Araraquara

é uma das cidades brasileiras atacadas

pelo causador da doença, estando

assim em sinal de alerta.

A “nova” doença, que vem sendo

mais alarmante que a própria dengue,

tem deixado o brasileiro, principalmente

as mulheres, com medo e

sem esperança de uma melhora no

cenário da saúde.

No começo de fevereiro, houve, em

Araraquara, o primeiro caso confirmado

da zika vírus em uma mulher grávida, residente

no bairro Altos da Vila Xavier e

que estava no oitavo mês de gestação.

Mas, além da zika e dengue, quais

outras doenças transmissíveis que o

mosquito Aedes aegypti pode causar

transtornos ao ser humano durante

esta época do ano? A pergunta foi feita

ao professor do curso de medicina

da Uniara e diretor do SESA (Serviço

Especial de Saúde de Araraquara),

Walter Figueiredo, que explicou: “A

Chikungunya pode ser transmitida

também pelo aedes, assim como a febre

amarela, porém, apenas em mata

alta, através do mosquito Haemagogus”,

destaca o médico.

Durante a epidemia, Figueiredo

também alerta sobre uma possível

transmissão da febre amarela através

do aedes. “Se o mosquito picar

uma pessoa que acabou

contraindo a febre amarela,

ele também pode transmitir

o vírus na urbanização”.

O drama

na gravidez

Diferentemente da dengue,

a febre Chikungunya

pode afetar diversas pessoas,

independente do sexo

ou idade. As dores nas articulações,

presente em 70 a 100% dos

casos, segundo informou o Ministério

da Saúde, é mais intensa e afeta principalmente

pés e mãos, além disso,

em pessoas com doenças crônicas.

“Os casos ainda existem em Araraquara,

porém a população que havia

adquirido a doença anteriormente,

praticamente está imune ao vírus”,

relata o especialista.

COMBATE

O Ministério da Saúde tem orientado

não é de hoje, para o uso de três

tipos de repelentes que conseguem

combater o Aedes, que são: icaridina,

IR3535 (etil butilacetilaminopropionato)

e DEET (dietiltoluamida).

Há diversas fórmulas que contêm

um desses ingredientes, que podem

ser utilizadas com ressalvas. As grávidas,

por exemplo, requerem aval do

obstetra e, se optarem pelo DEET, a

concentração da substância deve ser

de 10% a 50%.

60


O terror

pode estar

perto de nós

ZIKA

A causa da microcefalia em recémnascidos,

é um transtorno neurológico

pelo qual os bebês afetados nascem

com a cabeça menor. À medida que

a criança cresce, seu rosto continua

crescendo, mas o crânio não e a criança

fica com um rosto desproporcional,

com um rosto longo e a testa afundada.

A microcefalia nestes casos, causados

pela zika vírus, se desenvolve durante

a gravidez e pode ainda se associar

com algum grau de atraso mental e

problemas na visão, ainda que em 15%

dos casos, a criança tem uma inteligência

normal. Uma vez detectada, a microcefalia

não tem cura e atualmente

não é possível corrigi-la.

61


VIDA SOCIAL por Maribel Santos

Carnaval 2016 no Clube Araraquarense

Diversão garantida, muito samba, marchinhas e muita gente bonita marcou o

carnaval dos araraquarenses nos clubes e espaços alternativos, que ofereceram

várias opções para quem preferiu passar os dias de folia na cidade.

A querida

Claudinha Fucci

Aline Calaes Moreira

e Sérgio Gibelli

Alder Bedran e

Débora Catuta

O querido casal Fábio e Silvia Lorena

Família Monteiro reunida

aproveitando as noites de carnaval:

Ana, Lara e Adriano

Mariza Lanz com muito

samba no pé fez bonito no

bloco Apesar de Você

62


Carnaval 2016 no Clube Araraquarense

Edval, José Luiz e Edélcio

CarnArmazém 2016

O casal Munhoz César e Josy com Maria

Agnes Montoro

Maria de Lourdes Peiró e Antonieta

de Castro

Em mais uma edição,

o CarnArmazém reuniu

tradicionais frequentadores

que prestigiam há vários anos,

um dos eventos mais bacanas

da cidade. A animação ficou

por conta do grupo Flor de

Abóbora, que caprichou

mais uma vez, oferecendo

um repertório recheado de

sucessos. Você não foi?

Confira aqui no VIP!

Larissa e Luiz Fernando

Silvio José Segnini e Maria

Fernanda Canato

Ivo Eduardo Moroni e Andréia

Montandon

63


Ainda do CarnArmazém 2016

Valquíria Barbosa, Antônio Viruel, Nilo

Milagres Filho e Nilce Pimenta

Marcelo Eduardo Lopes e

Maria Lopes

José Luís Cutrale e Júlio César

Carneiro

Larissa Ramalho e Francisco Bonavina

da Rosa

Renato Segnini e Telma Elita

O casal Zbeidi Olga Leite e Jorge Hage

64


Carnaval & Rock - Tributo ao Queen

O Sesc Araraquara ofereceu para os fãs do rock, um carnaval

alternativo, com várias bandas cover. Quem foi conferir, pode

apreciar apresentações de qualidade

Juliana Randazzo,

Isabela Santos

Corrêa, Leila

Santos, Renata

Roveri e Ricardo

Alexandre

Silvia Gibran, Inael

Teixeira e o casal

Manguer Emerson

e Vilma

No Rotary

No Arte 220

No Bazuah

Guilherme Ferreira

com a namorada Larissa

Valila que se formou

em Administração de

Empresas. A festa estava

animadíssima, e a

formanda feliz por mais

uma etapa concluída

O presidente do Rotary Club Araraquara Fábio Luiz

Alcedo com os novos companheiros Lucas Guerreiro

e Marcos Destefani e o padrinho Heber Pereira

Com o objetivo de divulgar a arte em nossa

cidade, estiveram reunidos no Arte 220, vários

artistas plásticos. Batendo um papo após a

reunião, Joel Venceslau, Jaqueline Franco,

e a proprietária do espaço, Euzania Andrade

65


8 de março Dia Internacional da Mulher

Queridas leitoras, para homenageá-las nesta

data especial, escolhi um texto de Audrey

Hepburn, que além de bonito é extremamente

sábio. Parabéns a todas vocês, e que recebam o

carinho e o respeito merecidos.

Segredos de beleza por Audrey Hepburn

Um dia, em uma entrevista o jornalista lhe pediu que revelasse

seus “segredos” para estar linda, isto é o que a renomada e

talentosa atriz respondeu.

Para ter lábios atraentes, pronuncie palavras de bondade.

Para ter bonitos olhos, veja o que as pessoas têm de belo nelas.

Para manter-se magra, compartilhe sua comida com os que

passam fome.

Para ter um cabelo bonito, faça que uma criança o acaricie a

cada dia.

Para ter uma boa postura, caminhe sabendo que nunca está

sozinha.

Você faz coisas, mas as pessoas também precisam que as

consertem que as corrijam que as mime que as reaviva que as

salve e nunca as despreze.

Pense: se um dia necessitar de uma mão segura, encontrará

uma no final de cada braço. Ao envelhecer perceberá que tem

duas mãos, uma para ajudar a si mesma, outra para ajudar o

necessitado.

A beleza de uma mulher não está em sua roupa, em seu rosto

ou na maneira de arrumar seu cabelo: a beleza de uma mulher

se vê em seus olhos, porque é a porta aberta de seu coração, o

lugar onde está seu amor.

A beleza de uma mulher não está em sua maquiagem, mas na

verdadeira beleza de sua alma; é a ternura que dá o amor, a

paixão que expressa.

A beleza de uma mulher se desenvolve com o passar dos anos.

66


A novidade já

está na praça

Juliana Fanti e Juliana Bloes,

no showroom da Atri Fiat

em Araraquara, durante

apresentação do lançamento

da picape Fiat Toro. Aproveite

para fazer um teste drive e

conhecer as vantages em

possuir uma bela picape.

Encontro inesquecível de

dois grandes profissionais

Luiz Gonzaga Corrêa, um dos mais brilhantes

ortopedistas de Araraquara, abraça o professor

e doutor Gilberto Chierice, o criador das

capsulas de fosfoetanolamina para combater

o câncer. Uma oportunidade rara para que

profissionais de talento possam trocar ideias

sobre o avanço da medicina.

Heloísa Nascimento esteve nas

Coxinhas Douradas de Bueno,

acompanhada da sua mãe Rita

67


ANIVERSÁRIOS

A diretoria da ACIA cumprimenta todos os aniversariantes

DATA NOME EMPRESA DATA NOME EMPRESA

MARÇO/2016

01/03

01/03

01/03

01/03

01/03

01/03

01/03

02/03

02/03

02/03

03/03

03/03

03/03

03/03

03/03

03/03

03/03

03/03

04/03

04/03

04/03

04/03

04/03

05/03

06/03

06/03

07/03

07/03

07/03

07/03

07/03

08/03

08/03

08/03

09/03

09/03

10/03

11/03

11/03

11/03

12/03

12/03

12/03

12/03

12/03

12/03

13/03

13/03

13/03

14/03

14/03

15/03

15/03

Tomás Basílio Júnior

Rubens Marin

Mary Silvia Delboni Salvanhini

Silvino Vallandro

Mônica Zaher

Francisco César Belenelli

Ageu Alves Siqueira

Judith Mildred Balcom Simões

Antônio Vicente Marques da Silva

Fabiano José de Carvalho

Márcia Levada Peres

Tereza Alice Vaz Barbieri

Silvio Luiz Silveira

Jayr Gonçalves da Silva Junior

Maria Luisa Cerezo Castro

José Enoque Ferreira Neto

Gina Marcia Ciomino Souza

Paulo Henrique Sávio

Danglares Duarte

Luciano A. Brondino

João Luiz Ferreira

Lucilene Milani Bezerra

Luciana Barbieri Boralli Rossi

Eva dos Santos Lusnick

Edson Luis Cassaut

Sérgio de Oliveira

Carlos César Stucchi Ferreira

Antônio Carlos de Freitas

Santo Petroni

Dorival Rodrigues

Evelen Aparecida Luchesi

Antônio A. Dias do Nascimento

Carlos Alberto Dahab

Celso Romão

Francisco Logatti Filho

Fátima Ap. Fogaça Larocca

Roberto Carlos B. de Almeida

Cleonice F. da Rosa Pereira

José Geraldo Prandi

Roberta H. Biasotti de Moura

Sebastião Gouveia de Oliveira

Andreza Ramos da Silva

Pedro Paulo Ferrenha

Ana Luiza Vieira

Fábio Costa Morvillo

Valdemir Batosto

Antônio Carlos Braga Júnior

Marcelo Deidvits

Flávio Flório Corvello

Celia M. Chicareli Vieira Coelho

José Carlos Corrêa

Dagmar Abadia Bisinotto Ribeiro

Joel Roberto Aranha

Empório do Jeans.com

Cardans Pegaso

Barra & Cia - Restaura Jeans

Estrela do Sul

COC Araraquara / Objetivo Araraquara

Merca Frios

Brasil Veículos

R. Simões Produções Vídeo e Foto

Refrigeração Marques

Protecni Equipamentos

Mercofer Comércio

Condomínio Edifício Domingos Barbieri

Dinatec

Monar

Marisol Comércio de Ferros e Metais

Central Cópias

Mimosa - GMP

Sávio Madeiras

Transportadora Duarte

Eletrônica Celibron

Detroit

Imagem Luminosos

Massas Dom Lucciano

Bazar Maça de Ouro

Tabajaras Peças e Acessórios

Unifer

Juliana Noivas e Modas

Kanto do Sol Moda Praia

Sanel Auto Mecânica

Gráfica Esperança

Luchesi

Nascimento Materiais para Construção

Kibelanche

Oxiara

Logatti

Bar das Pedras

Ideal Elevadores

Oxi

OHMS Eletrificação

Minas Queijos

Mercadinho e Comércio de Gás Gouveia

Marrie Modas

Nenê & Vidroara

Marcenaria de Conti

Biagio

Zirascar - Auto Mecânica

Drogaria São José

Lavanderia Requinte

Supermercado Cristal

Serralheria Marcel

JCC Enrolamentos

Impar Arquitetura Empório Bizzinotto

Joel Roberto Aranha

15/03

16/03

16/03

16/03

16/03

16/03

16/03

17/03

17/03

17/03

18/03

20/03

20/03

20/03

21/03

21/03

21/03

21/03

21/03

22/03

22/03

22/03

23/03

23/03

23/03

24/03

24/03

25/03

25/03

25/03

25/03

26/03

26/03

26/03

26/03

26/03

26/03

26/03

26/03

27/03

27/03

27/03

28/03

28/03

28/03

28/03

29/03

29/03

29/03

29/03

30/03

30/03

31/03

Eduardo Antonialli Del´Acqua

Adail Corrêa da Silva Filho

Gislaine do Carmo R. Dudalski

André Marcos Boalin

Gabriel A. Giansante Caramuru

Ana Carla Brassaroto

Marcelo de Freitas

José Luiz Alves Pinto

João Aureliano Marques da Silva.

Marcos Sérgio M. César Júnior

Andressa Amaral

Antônio Benite

Joel Vieira Coelho

Marco Antônio F. de Freitas

Roberto Aiello Fonari

Marcus Fabiano Bernardes

Jorge Aparecido Marin

Paulo Henrique Jaciani Petroni

Maria do Carmo Caldeira Ruffino

Álvaro Cordeiro Mendes Dias

Luis Carlos Velludo

Ana Maria Pincetta

Paulo Roberto Batista de Souza

Valdir Marques

Rejane Mello de Ângelo

Luiz Antônio Carvalho

Angelita Ferreira Pires

Luiz Marcelo Dudalski

Wagner José Baptista

Elza Roth Julianetti

Luis Matheus Speretta

Maria Luisa Castro Cerezo

Jesus Carlos Luchini Garcia

Walter Domingos de Prince

Francisco Rossi Filho

Luis Eduardo Carrascossi

Antônio Bernabé Padilha

Assad Sabbag Júnior

Marly Diniz Guerra

José Carlos Francisco Arruda

Luis Antônio da Silva

Roberto Mateus Vieira

Fernando S. Rocha Nascimento

Andiara Daguano Moura

Haydee Zeze Curti Brambila

Cristiano C. P. Sant’anna

Santina Catarina Zebine Sigolo

Ismael Andreghetti

Cristina Fátima Pereira Martineli

Victória Trovatti Micelli

Robson Alves dos Santos/Gerente

Dalva Aparecida Gardini Mendes

Silvia Aparecida Campezan Arroni

Coplast

Casa do Tricô de Araraquara

Wab - Soluções em Des. Web e Sistemas

Aliança

Caramuru Construções

Arte Tintas

Federal Invest

Vilacopos

Elétrica Santa Terezinha

Center Cimento

Amaral E. Tita

Auto Posto Primavera

Serralheria Marcel

Auto Eletro 7 de Setembro

Escritório Araraquara

Tecnoágua

Cardans Pegaso

Sanel Auto Mecânica

Padaria Azul

GMD Esportes

Escritório Araraquara

Farmácia A Therapêutica

Teruel

Branamerico

Odontocorpus

LG

Grampir

Wab - Soluções em Des. Web e Sistemas

Wagner Auto Peças

Metais & Cia

Aragraf

Marisol Comércio de Ferros e Metais

Cherokee

Princar

Francine Joias

Chefor Auto Peças

Mayli Modas

Saneletric

Têxtil Abril

Escritório de Despachos Nova Era

Aragraf

Casa do Arroz

Safebox

Águia Frios

Casa de Carnes Brambila

Móveis Rickman

Estevan Representações Comerciais

Hidrauseg

Vira Volta

Funerária Micelli

Vale a Pena

Carnes Ana Teresa

Arroni Construções

Estamos colaborando

na construção de uma

grande cidade

68

IESACRED

Cooperativa de Crédito


VITRINE

Na belíssima Chácara

da Família Cuniyochi,

no Tropical, André do

Piston e Zezinho Cipó

animaram a festa da

ACIA e aproveitaram

para comemorar 20

anos de parceria com o

festeiro Nelson, uma das

personalidades da cidade.

Orlando Bonifácio Martins e sua esposa

Edna comemoraram no dia 10 de

fevereiro - 48 anos de casamento. Uma

data significativa para este casal que tem

participação efetiva em nossa sociedade.

Ele é diretor regional da JUCESP e

sócio-proprietário do Escritório Visão de

Contabilidade. O casal tem os filhos:

Anamaria, Fernanda, Eduardo e Isabela.

O publicitário Lineu Carlos

de Assis já definiu que

entrará de corpo e alma

na política em 2016,

sendo por enquanto um

pré-candidato a vereador

pelo PSDB. Presente na

vida da cidade, tem sido

um dos mais críticos ao PT.

Lucelena Carvalho e sua

permanente confissão de

paixão pelos animais

Muito bom lembrar de gente que sempre

contribuiu com o esporte da cidade e

ainda continua atuando em uma das

mais importantes modalidades que é o

tênis. Professor Sérgio Bochecha, Luiz do

Carmo Ramos e Carlos Martins Rakoff, a

quem homenageamos pelas conquistas

maravilhosas defendendo Araraquara

Alegria de Marinho de Oste, hoje

residindo em Santa Catarina

Ligia e Jorge Lorenzetti brindaram o

carnaval em Monte Verde, Minas

69


Luís Carlos

Data-símbolo: 13 de março

Já devo ter confidenciado numa

crônica qualquer que já votei no Lula

quando ele foi candidato contra o Collor

em 1989; não somente eu, mas

também minha mulher e até mesmo

minha mãe que tinha então 77 anos,

democraticamente contrariando a opinião

de todo o restante da família que

votou no playboy caçador de marajás,

pois acreditávamos naquele sindicalista,

ex-siderúrgico, migrante nordestino

com suas atraentes ideias de

igualdade social e em suas promessas

de dar melhores oportunidades para a

vida da população de baixa renda, caso

viesse a ser eleito. Muito depois, eleito,

até conseguiu em parte, pois manteve

o plano de estabilidade econômica do

Plano Real, de 1994 de seu antecessor,

Fernando Henrique Cardoso.

Splende, a mãe, nele votou, principalmente

porque não podia renegar suas

origens revolucionárias, pois era neta e

filha de anarquistas vindos do norte da

Itália, do Vale do Rio Pó, em fins do século

19. Jornalista, professora primária

em escola rural, escrevia crônicas no jornal

do pai, lia muito, mais ainda quando

solteira; depois atenta, acompanhava,

junto com meu pai e com os filhos, a

política nacional, ora pelas leituras em

voz alta que ele fazia dos editoriais do

Júlio de Mesquita Filho do Estadão, ora

assistindo aos debates pela TV na época

do Pinga Fogo, em que participava,

entre outros, o grande tribuno Carlos

Lacerda e, mais recentemente, quando

do retorno à redemocratização do País

pelas eleições diretas presidenciais, inexistentes

por 21 anos.

Já eu e a Sonia, ambos assalariados,

funcionários públicos — ela professora

primária e eu delegado de Polícia

— bem antes, formado em Ciências

Sociais pela Faculdade de Filosofia

Ciências e Letras da cidade (uma temeridade

naquela época) — porque

BEDRAN

Sociólogo e articulista da Revista

Comércio & Indústria de Araraquara

também acreditávamos num socialismo

democrático, onde não deveria haver

tanta desigualdade social e econômica,

onde o rico não deveria continuar mais

a ser tão rico como era e nem o pobre

tão pobre como era. A mãe morreu em

2014, em 12 de março, aos 101 anos

e, já há algum tempo, pela inevitável senilidade,

estava completamente alheia

sobre o que se passava na vida política

do País. Ainda bem, porque senão ela

teria ficado muito triste com isso tudo

que está ocorrendo aqui, pelo menos

nos últimos cinco anos.

E nós, desde há muito, nos decepcionamos

com ele, com o “cara”, com

sua sucessora, com seu partido (todos

objeto de investigações), mas ainda

conservamos e prezamos as ideias de

igualdade, talvez utópicas, de um futuro

promissor para o Brasil, para as

“E nós, desde há muito, nos decepcionamos

com ele, com o “cara”, com sua sucessora,

com seu partido (todos objeto de investigações),

mas ainda conservamos e prezamos as ideias

de igualdade...”

novas gerações e, por isso mesmo,

não podemos concordar com a atual

conjuntura política por que passamos;

e não somente por isso, mas também

pela crise econômica e com a falta de

ética de muitos políticos, mancomunados

com grandes empresários milionários

venais que têm dominado o

noticiário político-policial, mais policial

do que político e com o tsunami de

corrupção que nos tem levado à mais

completa indignação e até desalento.

Mas por que todo esse desabafo, a

relembrar tudo isso? É que no dia 13

deste mês, a oposição ao governo, cidadãos

até sem partido algum, famílias,

jovens e idosos programaram

uma grande passeata pelas ruas das

70

cidades, em todo o País, em favor do

impeachment da presidente, para

demonstrarem seu repúdio ao estado

de coisas a que chegou a Nação e a

sua decepção contra aqueles que falsamente

se arvoraram em defensores

do povo, mas o que pretendiam mesmo

era manterem-se no poder eternamente,

usufruindo de suas benesses

e estendidas a seus familiares, em ‘boquinhas’

imensas.

Se o impeachment, esse instrumento

legal previsto na Constituição, que

não é ‘golpe’ algum como a situação

diz, vai ou não vingar; se haverá ou não

outras consequências políticas mais ou

menos relevantes; se a passeata ocorrer

mesmo ou até outras;

enfim, se haverá ou não

uma maior conscientização

popular, tudo isso não será

tão pertinente, porque, afinal,

a luta pela sobrevivência

continuará para todos e

não se esperam milagres a

curto prazo. Muito pelo contrário, pois

preveem-se dias difíceis com essa alta

inflação, mesmo porque nossas instituições

permanecem bem sólidas, a

preservar a Constituição, a cargo dos

poderes constituídos, principalmente

pela manutenção da ordem, sob a responsabilidade

das disciplinadas Forças

Armadas.

Por isso não poderia, particularmente,

ignorar essa data-símbolo deste

mês, que permanecerá, tanto quanto

possível em minha memória: um dia

após a morte daquela que acompanhou

de perto a história dos acontecimentos

políticos nacionais por quase um século

e que nos legou, pelo seu idealismo, a

esperança de um mundo melhor.


71


72

More magazines by this user
Similar magazines