RCIA - ED. 130 - MAIO 2016

tvcomercioeindustria

NOSSAS VEREADORAS

POLÍTICA

Na história de

Araraquara já foram

eleitas: Deodata do

Amaral, Olinda Othon

Montanari, Vera Botta,

Helenita Turci, Márcia

Lia, Edna Martins,

Juliana Damus,

Gabriela Palombo

e Geani Trevisoli

O adeus da primeira vereadora

na história da cidade: 1956

Por suas convicções políticas,

Olinda Othon Montanari teve

sua candidatura impugnada

em três vezes. Na época, o

prefeito era Rômulo Lupo e o

presidente da Câmara, Pedro

Marão, que virou deputado.

Faleceu no dia 26 de abril, em Araraquara,

aos 93 anos de idade, a professora

Olinda Othon Montanari, a primeira

mulher vereadora de Araraquara.

Seu sepultamento foi realizado no mesmo

dia no Cemitério São Bento.

Natural de Pitangueiras (SP), em 16

de julho de 1922 em Araraquara, foi

eleita suplente de vereadora pelo PTN

(Partido Trabalhista Nacional) para a 3ª

Legislatura em 1956-1960.

Araraquara nunca teve uma prefeita,

mas Olinda foi a primeira mulher a

Olinda,

em 2002

Foto: Revista Crônica

representar o povo no exercício da vereança

no município entre as poucas

eleitas para o cargo até os dias atuais.

Ela ingressou na vida política com a

organização da Associação Feminina,

movimento baseado na Federação das

Mulheres do Estado de São Paulo, cujo

objetivo era combater a carestia e fazer

vigilância sobre o preço dos produtos,

além de reivindicar melhorias para os

bairros da cidade. Olinda se destacou

nesse movimento e registrada no

PTN, enfrentou recorrentes tentativas

de impugnação de sua candidatura à

vereadora por ser considerada comunista.

Teve seu nome registrado no Departamento

de Ordem Política e Social

(Dops), órgão do governo que tinha o

objetivo de controlar e reprimir movimentos

políticos e sociais contrários ao

regime militar.

Mais tarde participou da fundação

do PMDB (Partido do Movimento Democrático

Brasileiro) em Araraquara

e engajou-se no movimento pelas “Diretas

Já”. Também participou da fundação

do PPS (Partido Popular Socialista)

no município e, posteriormente,

filiou-se ao PC do B (Partido Comunista

do Brasil).

16

Pedro Marão deu posse

a Olinda em 1956, após

decisão da Justiça, por

causa do envolvimento

em movimentos sociais

More magazines by this user
Similar magazines