22.11.2019 Views

EMPREENDA REVISTA - Ed. 30 - DANIEL MARTINS - Nov/19

Revista de negócios focada no publico empreendedor.

Revista de negócios focada no publico empreendedor.

SHOW MORE
SHOW LESS
  • No tags were found...

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

04


07 05


06

SUMÁRIO

10

EMPREENDEDORAS SÃO

DESTAQUE NA COMUNIDADE

BRASILEIRA NO JAPÃO

18

SERÁ QUE EU SOU

EMPREENDEDOR?

22

5 FORMAS DE GARANTIR

O SUCESSO DE SEU FUNIL

DE VENDAS

36

GERAÇÃO ALPHA:

MANUAL DE INSTRUÇÕES

42

CONSUMO O QUE MUDOU?

O CONSUMIDOR

CONTEMPORÂNEO

E SUAS NECESSIDADES

46

GESTÃO EXPONENCIAL

28


07

EXPEDIENTE

EMPREENDA REVISTA

ANO III | EDIÇÃO 30 | Novembro 2019

www.empreendarevista.com.br

contato@empreendarevista.com.br

DIRETORA RESPONSÁVEL

Elaine Julião

elaine@empreendarevista.com.br

DEPARTAMENTO COMERCIAL

comercial@empreendarevista.com.br

PRODUÇÃO DE CONTEÚDO E

DESENVOLVIMENTO

Grupo Empreenda - Rua Cedral, 91 - Mauá

CNPJ: 10.378.146/0001-29

DEPTO. MARKETING

marketing@empreendarevista.com.br

REDAÇÃO

redacao@empreendarevista.com.br

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO

Carlos Celice | Designer Gráfico

carloscelice@gmail.com

FOTO CAPA

Sérgio Savastano

FOTO CONTRA CAPA

Cedidas pelo evento

ASSINATURA

www.empreendarevista.com.br/assinaturas

FALE CONOSCO

11 4546-7271

2020 BATE A NOSSA PORTA!

Novembro chega carregado de expectativas, tanto para os que estão cumprindo,

ou não, suas metas de 2019, como para os que estão se preparando

para fazer um 2020 ainda mais espetacular. Por aqui muitas novidades,

estivemos no Japão para participar de alguns eventos empreendedores, o

primeiro foi a Expo Talks 2ª. edição, que aconteceu dia 27 de outubro.

Levando nossa missão empreendedora pelo mundo, fizemos dois treinamentos

para compartilhar com os empreendedores da região de Aichi-ken,

nas cidades de Toyota (09.11) onde abordamos o assunto, comunicação, e

outro evento aconteceu na cidade de Nishio (17.11) onde falamos sobre a

importância de se construir uma mente empreendedora. Foram dois dias

de muito conteúdo, além de uma incrível troca de experiência.

Temos muito a aprender em um país de uma cultura tão forte, é fascinante,

no caderno empreendedores pelo mundo, você pode ter acesso a tudo

sobre nossa imersão por lá. Estamos vivendo uma mudança de era, a economia

está mudando, o jeito de comprar e a expectativa do consumidor

com relação ao produto ou serviço é focada na experiência a ser entregue

no ato da compra.

Um jovem empreendedor da cidade de Natal – RN, entendeu que compartilhando

oportunidade todos crescem, e vem transformando a vida de

muitos jovens empreendedores pelo Brasil. Daniel Martins, um empresário

multi negócios é nossa capa da trigésima edição. Entende o que trouxe esse

empreendedor tão longe e veja as novas oportunidades que estão surgindo

para ele em 2020.

Nessa edição você também vai acompanhar um especial Jornada da Transformação.

Esse especial traz o que de melhor aconteceu em dois grandes

eventos em São Paulo, que reuniu muitos bilionários no palco. As matérias

estão recheadas de insights para que você possa aplicar imediatamente em

seu negócio. Por aqui, queremos te ver no próximo nível.Para comemorar o

dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, lançado pela ONU – Organização

das Nações Unidas, preparamos alguns artigos para você se inspirar.

Quero te encontrar no topo, então

venha fazer parte dessa comunidade

de empreendedores, estamos

nos conectando mundialmente

para que cada vez mais possamos

entregar um conteúdo relevante e

aplicável a você que empreende e

que quer ter sucesso em seus negócios.

Acesse nosso portal, www.empreendarevista.com.br

e faça sua assinatura

da Empreenda Revista.

Queremos estar próximos de você,

por isso sugestões de pautas, eventos,

palestras, podem ser enviadas

para o nosso e-mail redacao@empreendarevista.com.br.

Nos acompanhe pelas redes

sociais ou pelo nosso aplicativo

EDITORIAL

A EMPREENDA REVISTA é uma publicação mensal.

A revista não se responsabiliza por conceitos e

opiniões emitidas em colunas assinadas e materiais

divulgados em anúncios publicitários.

@empreendarevista

/empreendarevista

@empreendarev

/empreenda-revista


08

COLUNA DO LEITOR

EDIÇÃO DE OUTUBRO DA EMPREENDA

É SUCESSO NAS REDES SOCIAIS


10

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO

EMPREENDEDORAS SÃO DESTAQUE

NA COMUNIDADE BRASILEIRA NO JAPÃO

PRISCILLA KAJIHARA E KARINE OKA, SÃO HOMENAGEADAS EM AICHI

EM 19 DE NOVEMBRO É COMEMORADO O DIA MUN-

DIAL DO EMPREENDEDORISMO FEMININO. A DATA

FOI LANÇADA PELA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES

UNIDAS (ONU) PARA VALORIZAR E INCENTIVAR AS

MULHERES EMPREENDEDORAS. LUGAR DE MULHER É

AONDE ELA QUISER.

Pensar em montar um negócio próprio é um daqueles

sonhos que quase todo mundo tem mas que dificilmente

se torna realidade por um motivo simples, mas crucial:

o medo de fracassar. Na verdade, o medo faz parte

do negócio, assim como todo tipo de negócio envolve

um risco associado a ele. Se fosse possível resumir em

poucas palavras, a maior barreira para o empreendedorismo

feminino é justamente o medo do fracasso.

No Japão, onde a cultura castiga severamente o fracasso,

mesmo com todos os indicadores econômicos favorecendo

a inovação e o empreendedorismo, o índice de

abertura de empresas é o mais baixo entre os países

ricos. Segundo pesquisa realizada pelo Ministério das

Relações Exteriores, há no Japão cerca de 1,5 mil brasileiros

empreendendo.

Muitos brasileiros, por medo de se aventurar em uma

cultura diferente ou até mesmo receio de não conseguir

uma comunicação clara com os japoneses, deixam de

expandir seus negócios. Segundo Rodrigo Uehara, CEO

do Instituto Flow In, conhecer a cultura e um pouco do

idioma faz com o empreendedor(a) se destaque, podendo

assim, começar a expandir seu negócio para além da

comunidade brasileira.

Para essa edição, temos a honra de trazer duas grandes

empreendedoras brasileiras que estão no Japão há

alguns anos e são cases de sucesso, ambas foram homenageadas

no último dia 16, no The Night Talk Show,

sob a direção do também empreendedor brasileiro, Leandro

Abe, na cidade de Komaki, em Aichi-ken.

PRISCILLA KAJIHARA

Priscilla Kajihara, natural de São Paulo, foi para o Japão

no fim de sua adolescência e trabalhou durante alguns

anos como operária na fábrica, ela própria se descreveu

como sendo uma pessoa muito fechada e não muito sociável.

Sua postura somada ao stress de trabalhar com

algo que não a satisfazia como profissional ocasionou

um câncer de mama.

Ela passou por momentos desafiadores, porém foi decisivo

para transformá-la na mulher que é hoje. Com o

câncer veio uma vontade enorme de empreender, ela

então traçou metas e objetivos, conquistado seu espaço

no mercado de designer de sobrancelhas e micropigmentação.

Apaixonada por artes, Priscilla viu nesse

segmento algo que pudesse reunir duas coisas que a

preenchem, beleza e arte. Seu primeiro impacto com

a micropigmentação foi através de uma foto vinda da

Europa de uma técnica chamada microblanding, técnica

que ela atualmente é especialista.


11

Muito dedicada, a empreendedora fez vários cursos

em diversas escolas renomadas, hoje curada do

câncer e conceituada como uma das maiores especialistas

de sua área, ela deseja passar seu conhecimento

para outras gerações, Priscilla se prepara

para lançar seu conhecimento, através de um curso

digital, para o mundo.

Sim, a empreendedora está rompendo a fronteira

do Japão para impactar muitas outras pessoas ao

redor do planeta.

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO

rem superados, mesmo assim, ela se tornou

referência no segmento de eventos para a

comunidade brasileira.

Por ser tão dedicada ao seu negócio, ela se

viu com um novo desafio, ao descobrir um

câncer raro na bexiga, com sua agenda lotada,

a empreendedora teve que aprender a

delegar para que pudesse se cuidar.

Hoje, Karine luta conta a doença e com um

sorriso no rosto, muita garra e determinação,

ela mostra para todos os empreendedores

que quando há amor no que faz, as

coisas conseguem ficar mais leve.

Como ela mesmo disse:

“CARRO QUEBRADO NÃO DÁ

CARONA, MINHA CAUSA É

PROPORCIONAR MOMENTOS

ALEGRES PARA TODOS”

KARINE OKA

Karine Oka, natural de Minas Gerais, mora no

Japão desde 1995. Antes de ser empreendedora,

Karine trabalhou durante cinco anos em

fábrica.

Em uma de suas visitas ao Brasil, ela conheceu

uma pessoa que atuava no segmento de

festas e na ocasião informou para Karine que

havia muita oportunidade na área, inclusive no

Japão.

Como uma empreendedora visionária, em

2001, Karine começa a atuar no segmento de

eventos e não parou mais. Como toda jornada

empreendedora, houve alguns desafios a se-

FOTOS BENEDITO SILVA


12

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO

EXPO TALKS 2019 SEGUNDA EDIÇÃO

BRASILEIROS PARTICIPARAM DA

EXPO TALKS EM INUYAMA, JAPÃO

A Expo Talks Japan reuniu aproximadamente mil pessoas

da comunidade brasileira, no domingo, (27/10),

na província de Aichi-ken, cidade de Inuyama.

Os temas empreendedorismo, autoconhecimento e

inspiração foram abordados pelos palestrantes, Chieko

Aoki, Marcos Rossi e Maurício Patrocínio que vieram

diretamente do Brasil para participar do evento.

James Mcsill participou da edição por videoconferência

e tratou do tema Storytelling. Além dos palestrantes

acima, o evento também contou com palestrantes

locais que representaram a comunidade brasileira

e abordaram temas importantes do cotidiano bem

como suas histórias de superação, Thiago Sano, Diego

Uchiyama, Augusto Aguiar e Nelson Saito, houve um

painel de jovens que contou com a presença de Victor

e Masayuki que apesar de pouca idade já acumulam

várias conquistas.

Elaine Juliao, CEO da Empreenda Revista esteve novamente

no palco da Expo Talks e entregou a todos os

presentes um ebook para ajudar os empreendedores

a formular seu plano de negócios para 2020. Segundo

a empreendedora, participar da Expo é um momento

de rever grandes amigos e fazer novas conexões.

As autoridades japonesas também marcaram presença

no evento. O Prefeito de Inuyama Sr. Yamada Takurou

e o Vice-Cônsul João Maurício de Melo, falaram da

importância que os brasileiros têm para a região e ambos

estavam felizes com o evento.

A Expo Talks Japan foi patrocinada pelas empresas, Investidores

Online, Da Fazenda, Aruko, Instituto Flow

In, J-Stock, Brazilian Lanches, NeoFest, Spoteed, todas

tiveram suas marcas expostas a centenas de pessoas

que passaram pelo local.

Muitas Empresas apoiaram a segunda edição, são

elas: Up Stage, Alo Shigoto, Tresure Home, Empreenda

Revista, The Amigos, Platano, Kowa, Spring, Kyodai,

playground, Guia JP, Konishi, Meu Carro JP, Agendologia,

Blue Works, Night Café, Portal MIE, Exotic Fashion,

OEK, Atec, Priscila Kajihara, MG Garage, Portal Japão,

Bell Mant, Mundial, Foods, Skina Brasil e Zen Urban.

Os organizadores do evento, Sergio Tinen e Eduardo

Tsuchida conseguiram proporcionar a comunidade

brasileira um dia de muito conteúdo empreendedor.

A próxima data do evento já foi divulgada e acontecerá

no dia 03 de maio de 2020 no Centro Cultural Iris

de Kariya - Aichi-Ken, os ingressos para a 3ª. edição já

estão disponíveis no site www.expotalks.org.


13

FOTOS KAZUO YAMAGUCHI | BENEDITO SILVA

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO


14

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO

Atualmente há uma grande comunidade de brasileiros

no Japão, quase 300 mil estão no país e aproximadamente

mil brasileiros empreendem. Para Elaine, poder

levar o que há de melhor sobre empreendedorismo no

Brasil e compartilhar com a comunidade é fantástico.

“É UMA GRANDE TROCA

DE EXPERIÊNCIAS, ESTOU

HONRADA EM PODER ESTAR

AQUI FOMENTANDO O

EMPREENDEDORISMO

QUE É MINHA CAUSA”

, afirma Elaine.

Para Uehara, essa parceria é uma forma de trazer o

que há de mais atual no assunto. “A EMPREENDA É

UMA REVISTA QUE ESTÁ INSERIDA NO ECOSSISTEMA EM-

PREENDEDOR DO BRASIL, ALÉM DE TER CONTATO COM

OS MAIORES NOMES NACIONAIS, QUEREMOS EM 2020

TRAZER GRANDES IMERSÕES PARA O JAPÃO”.

A dupla demostrou estar em grande sintonia, Elaine

trata da parte técnica do conteúdo e Uehara abrange

a parte comportamental, juntos entregam um alto

conteúdo de valor aos participantes.

O calendário da Empreenda no Japão foi intenso, com

quase um mês no país, eles participaram da Expo-

Talks, fizeram o Talk Empreenda para 70 empreendedores

locais além dos treinamentos, “DESCUBRA SEU

PERFIL EMPREENDEDOR E AUMENTE SEUS RESUL-

TADOS ATRAVÉS DA COMUNICAÇÃO” e “CONSTRUA

UMA MENTE EMPREENDEDORA”.

IMERSÃO

EMPREENDA

NO JAPÃO.

EMPREENDA REVISTA E INSTITUTO FLOW IN

REALIZAM TREINAMENTOS PARA EMPREENDE-

DORES BRASILEIROS NO ESTADO DE AICHI.

Os empreendedores, Elaine Julião e Rodrigo Uehara,

ambos CEO´s das empresas Empreenda Revista e Instituto

Flow In, realizaram no mês de novembro alguns

eventos em Aichi, para marcar o início da parceria entre

as duas empresas no Japão. Desde maio desse ano,

quando a Empreenda Revista foi até o país para lançar

a edição digital por assinatura aos brasileiros que residem

por lá, Elaine ficou encantada com o Japão e com

tanta lição aprendida, desde então não mediu esforços

e se uniu ao empreendedor local e também brasileiro,

Uehara, para que juntos pudessem fomentar o

empreendedorismo na região.

Em breve será divulgado o calendário 2020 para as

imersões, por hora a dupla informa que todos os participantes

poderão acompanhar on-line uma série de

conteúdos e dicas preparados para eles.

Patrocínio


15

FOTOS KAZUO YAMAGUCHI

EMPREENDEDORES

PELO MUNDO


16

GESTÃO E NEGÓCIOS

CONHEÇA 3 MÉTRICAS PARA ENTENDER

O MERCADO DO SEU E-COMMERCE

MÉTRICAS SÃO AS MELHORES AMIGAS DE QUALQUER

EMPREENDEDOR. Afinal, são elas que mostram como a

empresa está se desenvolvendo, se os resultados estão

perto de serem atingidos e ajudam a acompanhar a curva

de vendas. Além disso, as métricas são fundamentais

para entender o mercado em que a loja está inserida!

Por que é importante entender o mercado em que

se atua?

Saber mais sobre o cenário em que você está inserido é

fundamental para descobrir se as suas metas são possíveis

de serem atingidas. Pouco adianta projetar um aumento

de vendas em 50% se o mercado só vai crescer

20%, por exemplo. Isso só gera angústia e frustração na

equipe e nos empresários. O conhecimento de mercado

mantém a visão de futuro da empresa realista, sem deixar

de ser ambiciosa, é claro.

Quais são as principais métricas que podem ajudar?

Sabemos que é importante entender o mercado em que

se atua, mas como fazer isso? Há três métricas importantes

que são usadas para mensurar o tamanho do

mercado, fazer previsões e se planejar. São elas:

1. TAM

O que é? TAM vem da sigla de Total Available Market,

que pode ser traduzida como mercado total disponível.

Como é calculada? A TAM é calculada somando-se todas

as receitas de todas as empresas do mercado em questão.

Esse número — ou as informações para se chegar

neste número — pode ser encontrado em relatórios e

pesquisas de mercado.

PONTO FORTE DESTA MÉTRICA: TRAZ UMA VISÃO GERAL PARA

A EMPRESA TER UMA BOA COMPREENSÃO DO SEU MERCADO.

PONTO FRACO DESTA MÉTRICA: É UMA MÉTRICA PARA CO-

NHECIMENTO MUITO AMPLO E GENÉRICO. ESPECIALMENTE, PORQUE

LEVA EM CONTA DADOS DE UM MERCADO GLOBAL. COMO A EMPRESA

POSSUI CONCORRENTES E ATUAÇÃO NUMA REGIÃO OU PAÍS ESPECÍFICO,

NÃO PODERIA TOMAR CONTA DO MERCADO INTEIRO. É IMPORTANTE

CONSIDERAR ESSE ÍNDICE PARA TER UMA IDEIA DO MÁXIMO A QUE SE

PODERIA CHEGAR, MAS SABENDO QUE SE DEVE LEVAR EM CONTA QUE OS

CONCORRENTES VÃO PEGAR ALGUMAS FATIAS DESTE BOLO PARA ELES E

QUE É UMA VISÃO GEOGRAFICAMENTE MUITO AMPLA.

2. SAM

O que é? SAM vem de Serviceable Available Market, que

significa mercado atingível disponível.

Como é calculada? A SAM realiza o mesmo cálculo que

a TAM, mas leva em conta um país ou região de alcance

da sua empresa, ou seja, é a parte da TAM que pode ser

atingida pela sua empresa.

PONTO FORTE DESTA MÉTRICA: É MAIS ESPECÍFICA, POIS LEVA

EM CONTA APENAS A REGIÃO GEOGRÁFICA EM QUE A EMPRESA ATUA.

PONTO FRACO DESTA MÉTRICA: AINDA ASSIM, DEVE SER

ANALISADA COM CAUTELA. É IMPORTANTE LEMBRAR QUE, MESMO NA

SUA REGIÃO GEOGRÁFICA, A EMPRESA CONTINUA TENDO OS SEUS CON-

CORRENTES QUE TAMBÉM ESTÃO BATALHANDO POR UM ESPAÇO NO

MERCADO, ALÉM DE OUTROS FATORES.

3. SOM

O que é? SOM vem da sigla Serviceable Obtainable

Market, ou seja, mercado atingível acessível.

Como é calculada: da mesma forma da SAM, mas, além

de levar em conta o recorte geográfico, a empresa leva

também em conta o filtro de outras variáveis como concorrência,

canais de venda e tipo de cliente. Para chegar

a este número, além de informações externas, a empresa

precisa olhar para o seu próprio negócio e identificar

quais são as barreiras que possui e quais foram os resultados

atingidos nos anos anteriores.

PONTOS FORTES DESTA MÉTRICA: ENTREGA UM NÚMERO

MAIS REAL E PROVÁVEL PARA A EMPRESA. CONSIDERANDO BARREIRAS

GEOGRÁFICAS, DE CONCORRÊNCIA, DE PERFIL DE PÚBLICO E MUITO MAIS,

A EMPRESA TEM UMA NOÇÃO MAIS APURADA DE QUAL É O SEU PO-

TENCIAL DE NEGÓCIO. COM ESTA INFORMAÇÃO EM MÃOS, FICA FÁCIL

FOCAR NO SEU MERCADO-ALVO E CONSTRUIR METAS COMPATÍVEIS COM

A REALIDADE.

Agora que você já sabe tudo sobre TAM, SAM e SOM,

pode perceber que, além de olhar para o mercado,

para chegar a estes números, é necessária

uma análise interna sobre o próprio negócio.

Um dos pontos a serem considerados é

o perfil da sua persona. Quer saber mais?

Manda um direct no meu instagram @alfredocbs,

que irei passar vários insights.

Alfredo Soares

Head Global SMB da VTEX. É fundador

da Xtech Commerce, plataforma que

em três anos criou mais de 40 mil lojas

virtuais e transacionou mais de

500 milhões de reais.


17

GESTÃO E NEGÓCIOS


18

GESTÃO E NEGÓCIOS

SERÁ QUE EU SOU

EMPREENDEDOR?

Antes mesmo de responder, convido você a ler até

o final, aí sim você poderá participar de um simples

teste e definir a sua posição neste mundo do

empreendedorismo, ok?

O que é empreendedorismo?

Ao buscarmos no Google (afinal ninguém mais faz pesquisa

em Dicionário) encontramos algumas palavras

chaves que ajudam na definição, neste caso empreendedorismo

é:

• INICIATIVA • DISPOSIÇÃO • CAPACIDADE • IDEALIZAÇÃO

• COORDENAÇÃO • REALIZAÇÃO • IMPLEMENTAÇÃO

• INOVAÇÃO

EMPREENDER É FAZER ACONTECER

PROJETOS, SERVIÇOS E NEGÓCIOS.

Empreendedorismo em tempos de inovação pode ser

traduzido como ousar fazer diferente, fazer do seu jeito,

mas não significa necessariamente que o empreendedor

é alguém que prefere arriscar. O natural é que queremos

acertar, sentir segurança e realizar nossos planos

de negócios sem muitos riscos. Eu penso que para que

esse desejo se torne algo atingível é válido estarmos

entre pessoas com experiência, por isso gosto tanto de

iniciativas como mentorias, assim como participar de

eventos com mesas diferentes para troca de vivências

no mundo dos negócios. Pessoas inspirando pessoas,

em um futuro colaborativo na era do conhecimento é

o desafio de cada profissional que percebe que além

da sua competência, o sucesso vem acompanhado de

novas habilidades e responsabilidades como liderança,

gestão e inovação.

Partindo do desafio eu defino estes 3 pilares para o empreendedorismo

sustentável:

1. LIDERANÇA - O pilar da liderança fala inicialmente

da sua identidade como profissional, o que você faz e

como você entrega o seu serviço, produto, representando

o seu negócio. Na liderança entra a competência que

teoricamente estudamos para atuar. Pense no exemplo

do médico, que aplica o seu conhecimento, habilidade

e atitude na área da medicina. Liderar na sua área vai

muito além de ser excelente no que faz como médico,

envolve também:

• LIDERAR PESSOAS

(equipe, parceiros, sócios, fornecedores)

• LIDERAR MERCADO

(e novos mercados surgindo a cada dia)

• LIDERAR POSICIONAMENTO

(a identidade, o marketing, a linha de ação,

tudo está aqui)

Posicionar-se com clareza é fundamental. O poder de influência

e persuasão crescem à medida que você aprende

a se comunicar melhor.

2. GESTÃO - O pilar da gestão é a base de qualquer

projeto, aqui estão os processos ou fluxos de como o

“fazer acontecer” realmente acontece, ou seja, a implementação

das ações que transformam tarefas em negócios,

como por exemplo definir metas e indicadores

para o crescimento e controle de toda a operação. O

desafio é diário, você precisa conhecer seus recursos

para fazer a melhor gestão de cada um deles. Recursos

fundamentais de um empreendedor: tempo, dinheiro,

inteligência emocional e inteligência artificial. Se você

lida com esses 4 recursos diariamente aqui é a hora de

você rever como está sua dedicação na gestão de cada

um deles.


19

3. INOVAÇÃO - Inovação é uma característica que

todo empreendedor tem, significa a habilidade de ser

visionário. Inovar não é inventar um produto ou um serviço,

imaginando que ninguém fez anteriormente, seria

ótimo se todos nós pudéssemos fazer assim, mas inovar

está muito mais relacionado com o que você pode oferecer

de diferente do mesmo. Agora que você já leu até

aqui, muito provavelmente já saberá afirmar a sua posição

sobre empreendedorismo, mas independente de

sua profissão, cargo, status, momento da carreira, uma

coisa eu posso arriscar dizer sobre qualquer um de nós:

estamos prontos para fazer acontecer, quando estamos

prontos para aprender. Para fazer acontecer com mais

assertividade, deixo aqui para você (empreendedor ou

não) um passo a passo com mais chance de sucesso:

Equipe ou terceiros: quem irá servir os convidados, no

caso do negócio quem serão seus stakeholders?

Ficou mais fácil de fazer o plano de negócio? Espero que

sim, porque o próximo passo é colocar a mão na massa e

literalmente fazer acontecer.

3º PASSO = IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO:

CRIE UM CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO.

Aplique um método de acompanhamento e organização,

acompanhe seus indicadores de realização em cada

etapa.

4º PASSO = CONSTÂNCIA:

GESTÃO E NEGÓCIOS

1º PASSO = VISÃO:

PROCURE TER UMA VISÃO CLARA DO SEU

PROJETO.

Não precisa ser algo exato, porém fará toda diferença

ter clareza de como você quer ver acontecer. Usar um

modelo de mapa mental para o brainstorm pode ser

uma excelente ferramenta neste momento.

2º PASSO = PLANEJAMENTO DOS SEUS

RECURSOS: PLANEJAR É COLOCAR OS PONTOS

PRINCIPAIS EM PAUTA PARA AVALIAR A

IMPLEMENTAÇÃO.

Imagine organizar uma festa, neste caso usei a festa

como exemplo, mas a ferramenta de planejamento que

pode ser usada de forma rápida e instintiva é o modelo

5W2H.

Quem serão os convidados?

Seus clientes. Conheça seus clientes o máximo que puder.

O que estes convidados vão encontrar? Produtos e serviços,

algo diferente? Algo inovador?

Preocupe-se em deixar uma boa lembrança a seus convidados,

isso inclui pensar no “pós-venda”, o que pode

significar entregar algo a mais do que o seu serviço ou

produto e sim uma experiência.

Quando será a festa?

Toda meta (ou plano) precisa ter um prazo.

Onde será a festa?

A estrutura, o tamanho, a capacidade, tudo isso é considerado

neste item do planejamento.

Quanto estou disposto a gastar e investir?

Os recursos financeiros definem muitas ações, inclusive

a anterior.

Como será o convite da sua festa e qual o tema da festa,

você usará redes sociais?

Aqui estou provocando você sobre o tema marketing.

Não existe empreendedorismo de sucesso sem um bom

marketing.

O último tópico que quero abordar é a constância, tenha

continuidade nas suas ações, entenda o fato de seguir

diante das dificuldades (porque elas existirão), desenvolva

mais flexibilidade para ajustar as mudanças necessárias.

Se você se identificou com aproximadamente

80% do que escrevi sobre empreendedorismo, considerando

o seu dia a dia e suas competências profissionais,

neste caso, você poderá afirmar: “também sou um empreendedor”.

Caso você tenha ficado dentro da margem

dos 20%, mesmo assim sinta vontade de avançar neste

mundo, você já está no lugar certo.

Aqui na Revista Empreenda, você terá cada vez mais insights

para sua jornada empreendedora e desde já pode

contar comigo para apoiar nesta construção criativa.

EMPREENDER É OUSAR

FAZER DIFERENTE,

EMPREENDER É

APRENDER FAZENDO!

CHAI CARIONI atua como

Palestrante, Trainer Institucional

e mentora de negócios, apoiando

empreendedores para inovação

e melhoraria de gestão, com

visão estratégica para o empreendedor

desenvolver o Mindset

de Ceo com equilíbrio sem ser

um equilibrista.

Instagram: @chaicarioni_ e

site: www.chaicarioni.com.br


20

GESTÃO E NEGÓCIOS

GENTE FELIZ DÁ LUCRO! Parte II

No mês passado vimos como colaboradores felizes são

mais produtivos e consequentemente geram mais lucro.

Se você não leu esse artigo recomendo fortemente que

procure sua edição da Empreenda do mês passado e o

leia. Hoje vamos olhar para a “felicidade” sob a ótica

do cliente. Como o sentimento de felicidade incentiva as

pessoas a gastarem mais.

Talvez venha a sua mente o caso de pessoas que gastam

dinheiro para ficarem felizes ou pessoas impulsivas

que precisam estourar o limite do cartão de crédito para

se sentirem completas. No entanto estamos falando do

inverso: felicidade que gera a necessidade de compra e

não o contrário. Como a Disney, sempre ela, faz o uso

da felicidade para incentivar seus convidados a comprar

mais?

A resposta está na experiência. A Disney cria uma experiência

completa para que o convidado se sinta imerso

em um mundo completamente diferente, feliz e mágico.

Essa experiência libera um dos hormônios essenciais

para a sensação de felicidade, a dopamina. A dopamina

está atrelada a área do cérebro

responsável por prazer e recompensa.

Portanto quanto mais dopamina o

cérebro recebe mais ele quer. Quanto

mais “feliz” o cliente, mais feliz ele

quer ficar e mais imerso na experiência

ele quer estar. Neste

momento aparece a

lojinha, justamente

no final das atrações,

perto dos momentos

mais mágicos.

Pura neurociência!

Indo um pouco

mais além podemos

averiguar o

que acontece depois

da experiência. Geralmente

o cliente fica encantado

e se torna fiel a marca que a

proporcionou. É como um vício.

O cérebro sempre irá lembrar

do momento em que recebeu a

enxurrada de dopamina, e buscará novamente por momentos

semelhantes. O melhor lugar para buscar um

momento semelhante é, obviamente, no mesmo lugar

que a experiência aconteceu pela primeira vez. Isso se

prova por uma pesquisa do Instituto Millward Brown, de

2010, que atestou que em média 4% dos clientes, aqueles

fidelizados, são responsáveis por 36% do faturamento

de uma empresa.

Quanto paramos para analisar as operações dos parques

administrados pela Disney ao redor do mundo

percebemos que não é atoa cada detalhe, cada experiência

desenhada com extrema minúcia e a extensa

preocupação em cuidar do convidado. Temos a sensação

que sempre há um membro do elenco (funcionário

da Disney) disposto a fazer de tudo para tornar o

convidado feliz. Na prática existe uma busca incansável

por cada gota de dopamina que o organismo do cliente

pode produzir. A cadeia de ações fica clara: Experiência

gera felicidade, que gera fidelização, que gera lucro.

Quando juntamos esses dois pontos da felicidade, a

do colaborador e a do cliente chegamos a uma equação

quase completa, pois sempre a mais a aprender, do

que devemos aplicar no dia a dia de nossos negócios.

Primeiro zelar pela felicidade de nossos colaboradores,

que se tornarão cada vez mais produtivos e empenhados

em realizar com excelência seu trabalho. Em segundo

lugar desenhar com muito cuidado a experiência do

nosso cliente, que será atendido por esse funcionário

feliz, para que ele se torne um cliente fiel e passe a gastar

mais com seus produtos e serviços.

Cada dia que passa me surpreendo mais em

como um camundongo que nos ensinou tanto

na nossa infância, continua a nos ensinar em

nossa jornada empreendedora.

BRUNO GONÇALVES

Especialista em metodologia

Disney @uau.business


21

GESTÃO E NEGÓCIOS


22

VENDAS

5 FORMAS DE GARANTIR O SUCESSO

DE SEU FUNIL DE VENDAS

Não há dúvidas que o crescimento exponencial de qualquer

empresa, se dá ao fato de ter um processo de vendas

bem estruturado.

Para explicar melhor a importância de vendas, fazemos

sempre em nossos treinamentos de vendas a analogia

de uma flecha.

Imagine uma flecha, que estará dividida em três áreas:

ponta (vendas); corpo (operação) e as penas (gestão).

A PONTA - VENDAS

Não que seja a mais importante do negócio, mas se ela

não desempenhar seu papel com foco e força mesmo

que chegue ao alvo, não irá perfurar. Ações como prospecção

de novos clientes, gestão de carteira e estratégias

de canais devem ser constantemente “afiadas” para

gerar resultados cada vez melhores. A ponta da flecha

deve ser fabricada com um material resistente e ao mesmo

tempo resiliente, pois suportará os impactos que

sofrer danos. Assim também a área comercial de toda

empresa, deve estar preparada para os altos e baixos do

mercado enfrentando sazonalidades, cobranças e ritmo

acelerado para se manter competitiva.

O CORPO - OPERAÇÃO

Após “flechar o cliente” com sua oferta e trazê-lo para

“dentro de casa” é que a operação entra em ação executando

suas tarefas, a fim de que haja a entrega da mercadoria

ou serviço ofertado.

AS PENAS - GESTÃO

Tem a função de estabelecer parâmetros de crescimento

ao negócio e administrar seus recursos de forma inteligente.

Em uma empresa, a operação e gestão podem

até falhar por um período razoável, porém se a área de

vendas ficar sem resultados, não há o que fazer, ou seja,

não haverá recursos financeiros para os insumos da

operação e não há possibilidade de fazer gestão do que

não existe.

Pensando na importância das vendas, hoje quero compartilhar

5 dicas que usamos em nosso dia a dia da operação

comercial da Funil de Vendas (www.funildevendas.com.br).

Temos alguns mantras em nossa empresa

e um deles é: Liderança pelo exemplo pessoal é o melhor

guia da cultura. Fazemos o que falamos. Portanto,

tudo que está escrito aqui, é colocado à prova todos os

dias aqui dentro.

1. REVISÃO / SIMPLIFICAÇÃO

DO PROCESSO ATUAL

Para iniciar esta dica não poderia

deixar de lado uma pequena frase

que tem nos guiado em todos

estes anos na busca dos melhores

resultados: Se não for simples, não

funciona!

Ao simplificar o seu processo de vendas, você irá maximizar

o engajamento dos vendedores em cumprir

sempre o mesmo padrão. Desta forma será muito mais

fácil trabalhar com o olhar de gestão dos resultados. Obviamente

isto não se trata de “engessar” o processo e

fazer com que seus vendedores virem uma espécie de

“robôs”, que apenas seguem um padrão e não explorem

o lado criativo. Isto se trata de como no final de um ciclo,

seja no dia, semana ou mês, você consiga visualizar os

resultados ao ponto de estabelecer melhoria contínua.

Já pensou se tivesse mais de 5 vendedores e cada um fizesse

a venda seguindo um extinto próprio, sem etapas,

padronização, etc?


23

Se você se imaginou neste desafio, acredito que ele seja

sua realidade. Portanto, sente com seu time e crie um

processo simples, onde todos possam cumpri-lo com o

mínimo esforço necessário.

2. ESTRATÉGIAS DE CANAIS

DE VENDAS

Costumamos dizer que seus canais

de vendas podem te enriquecer

ou empobrece, sabe porque?

Já imaginou que o seu dinheiro

está sendo literalmente rasgado

ao se tratar da participação em um evento, anúncio de

revista, panfletagem, etc. Não estou dizendo que isto

não funciona, apenas que se não for medido, como saberá

se estão entregando leads qualificados? Ou quantos

leads estão sendo gerados? Ou qual foi o resultado

financeiro após este aporte de recursos?

4. ANALISAR PORQUE NÃO

HÁ AVANÇOS

Quantas vezes você já participou

de palestras motivacionais? Não

temos nada contra este tipo de trabalho,

mesmo porque há mercado

para tudo. Porém para nós, motivação

vem de resultados e resultados

devem ser medidos e geridos. Certamente

você já experimentou em algum momento da

vida uma palestra motivacional, seja de modo presencial

num auditório ou até mesmo online no conforto da

sua casa. Importa saber o que de fato você aprendeu

com o conteúdo, o que colocou em prática e o quanto

isso deu resultado em sua vida?

Aplicar estratégias para potencializar os resultados e levar

o time de vendas bater as metas, deve ser realizado

sob a ótica de indicadores. Caso contrário todo esforço

pode estar sendo investido em um ponto que não fará

diferença.

VENDAS

Neste caso, recomendamos que seja alinhado com seu

time de marketing as estratégias de canais de vendas

para atrair leads qualificados, com o menor custo possível

e de forma inteligente. Este é o combustível que

move a engrenagem de seu Funil de Vendas.

Aqui vale lembrar também que muitas empresas descartam

o pote de ouro que já está dentro de casa, ou

seja, sua própria base de clientes. É comum ver empresas

que desejam sempre novos clientes, até aí não

há nenhum mal, porém deixam de executar ações estratégicas

para evitar mais perdas de clientes ou para

recuperar clientes que não compram mais. Como “lição

de casa” gostaria de propor um simples desafio a você:

Você consegue levantar, ainda nesta semana, 10 clientes

que não compram mais, além de pensar e executar uma

ação de vendas para reativá-los?

3. HIGIENIZAR O FUNIL DE

VENDAS

Quanto tempo você perdeu naquela

oportunidade que só ficou “patinando”

e não avançou para uma reunião,

proposta ou fechamento?

Não adianta somente ter um Funil de

Vendas cheio! Ele deve estar cheio de

boas oportunidades. Você deve ser frio neste momento

e abrir mão da falsa realidade que é ter o seu funil lotado

de prospects. Esta visão só irá te atrapalhar, pois

o manterá preso sempre nas mesmas oportunidades e

não te deixará avançar nas demais. Mantenha em seu

Funil de Vendas somente o que é recente (de acordo

com seu ciclo de vendas) ou que estão realmente avançando

para um fechamento a curto prazo.

Uma dica campeã que executamos por aqui é: Pergunte

a cada vendedor quais são as 10 oportunidades que eles

querem fechar negócio na semana, quinzena ou mês.

Estas deverão ser evidência em seu funil.

As taxas de conversões internas do Funil de Vendas traduzem

justamente onde é necessário aplicar conhecimento.

Imagine que seu time esteja perdendo muitas

oportunidades entre Contato > Visita. Neste caso é viável

analisar se o lead prospectado está dentro do perfil

ideal, ou se os canais de vendas estão trazendo qualquer

oportunidade, sem a mínima pré-qualificação necessária,

ou simplesmente o script de abordagem deve

ser melhorado para despertar mais interesse do possível

cliente em avançar para uma visita.

5. EXECUTE CONSISTENTE-

MENTE A GESTÃO

Nunca pare de medir e gerir seus

resultados, somente assim sua

empresa irá evoluir. Se você for

um gestor comercial, seu papel

é liderar a equipe para que eles

possam bater a meta. Não adianta

simplesmente passar o desafio, virar

as constas e achar que o time te entregará o melhor

resultado. Se fosse deste jeito, times de futebol campeões

não precisariam de técnicos.

COBRE AS AÇÕES DO DIA A DIA COMO: NÚME-

RO DE PROSPECÇÕES, NÚMERO DE LIGAÇÕES,

VISITAS AGENDADAS, VISITAS REALIZADAS,

ETC.

SOMENTE DESTA FORMA VOCÊ BATERÁ

META TODO DIA!

POIS SE META É O EFEITO, DEVEMOS NOS

FOCAR NAS CAUSAS, OU SEJA, EM CADA ETA-

PA DE SEU FUNIL DE VENDAS.

THIAGO PIRINELLI

Sócio Fundador

do Funil de Vendas


24

VENDAS

SCALE-UPS: COMO TORNAR-SE UMA.

É comum o questionamento de pessoas ligadas a empresas

convencionais, sobre como podem escalar seus

negócios ou até mesmo, se podem ser classificadas enquanto

startup, caso realizem alguma mudança.

Uma Startup se trata de um grupo de pessoas que se

juntam para resolver uma dor, criando um negócio que

pode lucrar com tal ideia, sendo repetíveis e escaláveis

com base tecnológicas, tendo uma grande taxa de mortalidade

por operar em constante risco, durando em

média 5 anos.

Por operar em risco constante, uma Startup pode alcançar

níveis exponenciais altíssimos em um curto espaço

de tempo e cair em desuso na mesma velocidade, em

alguns casos até sendo extinta do mercado.

Por sua vez, uma scale-up pode alcançar altos níveis

mas levará mais tempo para que isso ocorra em relação

a uma startup, sendo que aproximadamente 90%

dessas empresas atuam no mercado a mais de 5 anos,

tendo em média 14 anos de trabalho contínuo devido ao

modelo de negócios que a mesma possui, com base em

conhecimento e experiência, podendo ou não possuir

bases tecnológicas.

O conceito de “SCALE-UP” surgiu após revisões na literatura

acadêmica na área, sendo um termo recente, que

se remete a empresas que mantem o crescimento em

seu faturamento de no mínimo 20 % ao ano, mantendo

tal crescimento por um longo período e sendo escalável.

Engana-se quem acredita que tal conceito é uma determinante

na história de uma empresa, pois tal nível é

apenas uma fase do processo de crescimento dela, que

faz com que ela adentre um ambiente de mudanças e se

depare constantemente com a inovação.

Um importante detalhe em tal tipo de empresa, que

muito se assemelha a uma Startup é a política de retribuição

que faz com que os líderes retribuam o que recebem

da empresa em relação a conhecimento, dando

mentorias por exemplo, contribuindo de certo modo

para o crescimento exponencial dela.

Como em todo tipo de empresa, existem vantagens e

desvantagens, o fato da mesma ser dinâmica por exemplo

é um ponto que faz com que ela se mantenha de

maneira firme no mercado atual envolto a incertezas

e mudanças contínuas, tendo como pontos positivos

maior produtividade, desenvolvendo a região economicamente,

superando crises, crescendo de maneira continua

e por ter base em conteúdo e experiência, produzindo

conhecimento constante.

Tendo como pontos delicados os prejuízos por ter investimentos

de alto volume, tendo que reposicionar e

cuidar da imagem de maneira constante e tendo risco

de falência, o que pode acontecer com qualquer outra

empresa, por isso a necessidade de ser gerida com conhecimento

e bases sólidas.

Outra dúvida constante é se uma empresa tradicional

pode se tornar uma scale-up e sim, uma empresa considerada

normal pode se tornar uma scale-up buscando

por conteúdo que é tido como base no desenvolvimento

de tal conceito, onde a validação deve ser constante

e as estratégias devem ser pensadas de acordo com o

mercado.

O modelo, reforça a necessidade da constante busca

pelo conhecimento quando almejamos o crescimento

de nossos negócios, buscando uma vertente com base

em estudos e dados, fazendo com que a margem de erros

sequenciais diminua e aconteçam crescimentos exponenciais

no faturamento da empresa.

Em relação a capital humano, a scale-up considera tanto

quanto as startups a necessidade de valorizar tal capital,

uma vez que deve ser considerado o mais relevante em

todas as empresas, sendo a mola propulsora do crescimento

dela.

Atualmente no Brasil, existem mais de 20 mil scale-ups

e de acordo com o site da Endeavor: são 0,5% do total

de empresas do país responsáveis por quase 70% dos

novos empregos gerados, contratando em média 31,3

funcionários por ano, sendo a média das empresas normais

de 0,34%.

Vale destacar que tal grupo, não é composto apenas por

grandes empresas e sim, pequenas e médias empresas,

em torno de 92% delas, considerando as particularidades

que devem ser consideras para que se encaixe em

tal perfil.

Algumas ficam em cidades não tão grandes, com menos

de 500 mil habitantes, contribuindo para o crescimento

econômico da região em que inicia suas operações.

As scale-ups carregam consigo a receita do sucesso: capital

humano e conteúdo, detalhes atrelados a experiência,

tida como “FERMENTO” para que tais empresas

cresçam e se consolidem no mercado atual.

FERNANDO SEABRA,

especialista em negócios, inovação

e startups; é Líder do GRI - Grupo de

Relacionamento com Investidores

do DEMPI e Acelera FIESP. Mentor no

Programa Reality Show de Startups

da TV brasileira.


25

COMPORTAMENTO

CINCO LIÇÕES QUE APRENDI EM DUBAI

UMA CIDADE ONDE A PALAVRA IMPOS-

SÍVEL NÃO FAZ PARTE DO DICIONÁRIO

Já viajei por mais de 16 países ministrando palestras motivacionais

e sobre vendas, por quase todos os continentes.

Da Guatemala à Londres, do Uruguai a Canadá, em

todos que passei aprendi bastante e pude me deparar

com culturas, comidas e comportamentos diferentes.

Mas nenhum superou o impacto que tive após passar

uma semana nos Emirados Árabes Unidos.

Trago aqui cinco lições que aprendi em Dubai que podemos

aplicar em vendas, negócios, liderança e empreendedorismo:

1-DESENVOLVIMENTO - Você vê prédios, construções

e obras por todos os lados. Dubai se tornou a cidade

que mais se desenvolveu nos últimos 30 anos, passando

de uma pequena vila de pescadores de pérolas

e mercadores a um dos principais destinos de turismo

e negócios do mundo. A cidade atrai investimentos de

todo o mundo porque criou um ambiente propício com

medidas políticas, econômicas e urbanísticas voltadas

para acelerar o crescimento. Uma vez que no deserto os

recursos são limitados, inclusive, por não poder continuar

contando com tantas reservas de petróleo como Abu

Dhabi, restou a Dubai atrair negócios e turismo. Só para

você ter uma ideia, o litro de água mineral é mais caro

que o litro de gasolina. Eles importam água, pois a água

das torneiras é proveniente de usinas de dessalinização

de água do mar, e portanto não potável. Eles também

investem muito em reutilização da água nas construções

privadas e públicas.

2- LIDERANÇA - Mohammed bin Rashid Al Maktoum,

ou simplesmente, Sheik Maktoum é o governante de

Dubai, primeiro-ministro e vice-presidente dos Emirados

Árabes. Sua visão empreendedora e liderança firme

materializou sua visão de uma grande centro turístico e

financeiro mundial quando todos viam apenas deserto.

Liderou construções como a palmeira Jumeirah (bairro

construído sobre uma das ilhas artificiais construídas sobre

o Golfo Pérsico), hotel Burj Al Arab (único 7 estrelas

do mundo), Burj Khalifa (maior arranha céu do mundo),

Dubai Mall (maior shopping center do mundo que tem

uma pista de esqui e neve artificial), revitalizou o centro

antigo (Creek Dubai), ampliando as ruas de comércios de

ouro e especiarias (Souki), investiu em condomínios de

luxo, portos modernos…

3- FOCO - Após focar no turismo e colocar Dubai como

um dos principais destinos do turismo mundial, agora

o foco está no turismo de negócios. Próximo ano, Dubai

será sede da EXPO 2020, um dos mais importantes

eventos mundiais, feira internacional que reúne diversos

setores da economia e destinada a discutir temas

como negócios, tecnologia, urbanismo, sustentabilidade,

ciências, cultura, gastronomia e economia.

4- SOLUÇÃO - Todos são desafiados a resolver e superar

problemas e limitações. Tem pouca praia, cria várias

ilhas artificiais ampliando a costa. 90% da população

é imigrante? Torna o inglês a segunda língua e coloca

todas as placas de sinalização também em inglês. Não

tem água? Desaliniza o mar. Não tem petróleo a longo

prazo? Constrói hotéis de luxo para atrair turistas. Faz

40 graus na sombra? Coloca ar condicionado até nos

pontos dos ônibus. Ah! E os problemas sociais? Existe

emprego lá para quem deseja trabalhar. Não existe visto

de residência permanente para imigrantes. Você tem

um visto de trabalho. Se perde o emprego, tem um mês

para conseguir outro. Caso contrário, não pode ficar no

país.

5- EXTRAORDINÁRIO - Dubai é a cidade do EXTRA-

ORDINÁRIO e do impossível. O Sheik Maktoum sempre

afirma: “A PALAVRA IMPOSSÍVEL NÃO DEVE FAZER PARTE

DO DICIONÁRIO DE UM LÍDER. NÃO IMPORTA TÃO GRANDE

SEJA OS DESAFIOS. UMA FÉ INABALÁVEL E DETERMINAÇÃO

IMPARÁVEL SUPERARÁ TODOS ELES”. Assim, todos se inspiram

a entregar o maior, melhor, mais rápido ou algo

que supere as expectativas.

Afinal, estão na cidade do superlativo! Dubai é definitivamente

a cidade do EXTRAORDINÁRIO!

#SEJAEXTRAORDINÁRIO

Marcos Sousa é conferencista internacional,

palestrante, escritor e especialista em vendas, motivação,

comportamento e Programação NeuroLinguística

(PNL). Diretor da Superação Treinamentos e

Consultoria. Graduado em Engenharia Elétrica pela

UFPb e MBA em marketing pela FGV. Trainer e Master

em PNL. Referência internacional no mercado de segurança,

tendo ministrado palestras em 12 países em

4 continentes. Considerado também uma referência

em NeuroVendas, já realizou mais de 1000 palestras e

treinou mais de 50.000 pessoas nos últimos 15 anos.

@palestrantemarcossousa www.marcossousa.com.br


26

FINANÇAS

QUAL É O TREINO CERTO PARA EVOLUIR

NO MERCADO FINANCEIRO?

Mais do que apenas treinar, para conseguir evoluir no

mercado financeiro é preciso adaptar-se a um treino

certo, aquele que te tira da cama todas as manhãs e te

coloca em jogo para vencer. Treinar significa praticar.

Se fosse no futebol ou outro esporte, seriam 8h diárias

de preparação naquela atividade. Eu mesma para correr,

me preparo. Nunca teria corrido uma maratona,

sem os primeiros quilômetros diários.

Não é como jogar uma pelada com os amigos

uma vez por semana, uma horinha qualquer.

O mercado financeiro exige pessoas preparadas. Exige

traders preparados. Os destreinados não evoluem de

fato. Acabam por cansar antes da largada. Não tem fôlego

para aguentar a volatilidade do mercado. Não tem

peito para seguir uma estratégia até o final.

Sem treino, o operador do mercado, está sempre em

um beco sem saída. Por vezes acreditando que pode até

funcionar, mas sem nunca alcançar nada palpável ou

rentável.

TREINO CERTO TEM OBJETIVO CERTO

O trader que acredita que cumpriu seu papel só porque

ficou quatro horas operando diante da tela, mesmo sem

realizar operações de sucesso, não treinou. Se tivesse

realmente treinado ficaria menos tempo, com dinheiro

no final, ainda que pouco.

Em treino não existe desculpa nem mentira. Treinar por

treinar não evolui o trader. É preciso ter treino certo com

objetivo, não para cumprir carga horária. Porque, afinal

a carga horária do trader é ele mesmo quem estabelece.

Penso que é preciso uma metodologia para que o treino

certo se realize e encaminhe o trader para uma conquista

satisfatória.

TRADER NÃO PENSE EM ABANDONAR O TREINO

Acredito que para evoluir tanto no mercado financeiro

como na vida, não existe milagre: tem que se dedicar.

Começar a academia e parar de frequentar, iniciar um

curso e largar no meio. São exemplos de iniciativas sem

planejamento ou disciplina.

Treino é pura disciplina. O trader, mesmo nos piores

dias, quando se sente cansado ou com problemas externos,

se tem disciplina, cumpre sua tarefa, dedica-se as

horas esperadas ao simulador ou à leitura de mercado.

Não se deixa intimidar pelo vai e vem da vida, nem do

mercado. Uma metodologia com começo, meio e fim é

necessária para que o trader possa observar seus próprios

avanços.

Há muitas formas de garantir alta performance e ganhos

acima da média, desde que o trader tenha foco e vontade

de aprender sempre. Mercado financeiro não é sorte

e sei bem disso. Por isso, bato na tecla da consistência

do trader. Do ganhar um pouquinho por dia, mas todos

os dias. De tomar conhecimento das ferramentas como

um todo, sendo capaz de usá-las de olhos fechados. Do

estar por dentro das últimas notícias e ao mesmo tempo

entender os porquês da curva do mercado.

MÉTODOS DE TREINAMENTO

Melhorar a performance a cada dia. Esse deve ser ao

meu ver, o objetivo do futuro trader, porque afinal, todo

desenvolvimento é um processo. Por isso, os estudos e

cursos voltados para essa realidade, devem ser portas

e janelas abertas para o mercado financeiro que preparem

o interessado para absorver todos os âmbitos do

daytrade.

Para entender o movimento do mercado o trader preci-


27

sa treinar para destacar pontos de suporte ou resistência.

O que significa? Nesses pontos específicos é onde o

mercado trava. O preço vai se movimentando até que

em determinado momento breca. Reconhecer esse movimento

é uma estratégia fundamental para o sucesso

do trade. Um segundo ponto importantíssimo para o

desenvolvimento do trader é a velocidade do mercado.

A velocidade é a base da movimentação do preço, mostra

em que ponto todos os traders estão consumindo a

liquides que o mercado está oferecendo. Esse olhar sobre

a velocidade é fundamental em qualquer estratégia,

pois assim é possível não perder o timing para vender

ou comprar.

Esses dois argumentos, suporte ou resistencia e velocidade

de mercado, são um prato cheio para o treinamento

do trader e devem ter foco exclusivo. Os padrões

desses dois argumentos servirão de base para todas as

estratégias de mercado.

É preciso focar em uma estratégia e treiná-la por semanas.

É necessário praticar, saber até onde pode chegar,

desafiando a si mesmo.

Acho muito importante lembrar que o treino certo é

aquele que complementa todos os quesitos, ou seja, não

são somente as horas que o trader está no simulador e

sim todo o tempo que passou observando o mercado,

lendo, anotando, criando um histórico de operações.

O treino certo existe

e depende apenas da

vontade e dedicação

do trader ao mercado.

Pode apostar.

FINANÇAS

APRENDA A GANHAR MAIS E MELHOR

Sempre bato em uma tecla fundamental: aprender a ganhar.

Pode ser um ponto por dia no dólar. Ou alguns

centavos no mercado de ações. Mas o que parece pouco

no início, está formando um mindset de quem sabe

ganhar. E ganhar pouco antes de querer ganhar muito é

uma disciplina fundamental.

Jamais acredite se alguém alguma vez aconselhar o click

aleatório como estratégia. Isso não existe.

CAROL PAIFFER

Sócia fundadora ATOM -

Especialista em Mercado

Financeiro


28

MATÉRIA DE CAPA

DANIEL MARTINS, COM APENAS 28

ANOS DE IDADE É REFERÊNCIA PARA

JOVENS EMPREENDEDORES EM TODO

O BRASIL.

Atualmente quem vê Daniel Martins nas redes

sociais, não imagina o quanto esse jovem empreendedor

já fracassou no passado para finalmente construir

sua história de sucesso. Inclusive essa trajetória está

longe de terminar. Mesmo podendo ter uma vida tranquila

e viver de rendimentos, Daniel é ávido por novos

projetos e têm tido um propósito muito maior nos últimos

dois anos, quer deixar um legado para as próximas

gerações, para isso utiliza as redes sociais de forma

descontraída e com uma linguagem voltada para os

mais jovens, onde permeia conteúdos que vão desde

gestão empresarial, marketing e estratégia de negócios

e o seu dia-a-dia entre trabalho e lazer que inclui voltas

em uma Porsche. São posts que muitas vezes chamam

atenção da garotada e é encarado como “ostentação”

por alguns seguidores, ele desmente e nos disse que o

objetivo principal é compartilhar com jovens empreendedores

motivação para “IR EM BUSCA DE SEUS

PRÓPRIOS SONHOS E OBJETIVOS”.

Para Daniel, o jovem empreendedor é o futuro da nação

e nada tem sentido se ele não puder impactar vidas,

transformar pessoas, desenvolver líderes e protagonistas

de suas próprias histórias. Nordestino e vindo

de uma família humilde, ele morou na menor casa de

uma pequena vila do bairro de Alecrim, em Natal – Rio

Grande do Norte, onde dormia em uma rede na sala da

casa, que a noite se transformava em seu quarto. Quando

criança tomava banho em balde feito com latas de

leite, porque o chuveiro da casa não funcionava. Essa e

muitas outras histórias podem ser encontradas em seu

perfil do Instagram, onde compartilha textos motivacionais

onde relata que “AS COISAS NÃO FORAM

TÃO FÁCEIS” para ele. Aos 17 anos de idade, entrou

em uma livraria e encontrou o livro “Os segredos da

Mente Milionária” de T. Harv Eker. Para Daniel Martins,

a história dele começou ali, quando após a leitura disse

aos seus pais que ficaria milionário, recebeu duras críticas,

mesmo assim não desistiu. Sempre acreditou que

seus sonhos um dia se tornariam realidade.

Nessa trajetória em busca de se tornar milionário, Daniel

Martins empreendeu em vários negócios diferentes,

quando criança vendia fogos de artifício com supervisão

dos pais em época de festas juninas, algo bem tradicional

no Nordeste. Armava uma banquinha em frente de

casa feita com caixotes de madeira e papelão e fazia a

festa da garotada da rua. Durante o início da sua jornada,

na adolescência, vendeu relógios paraguaios, picolé,

salgados e até produtos importados da china, em uma

época que o acesso a sites do tipo não era tão fácil como

hoje.

Ele realmente fez de tudo um pouco. Aos 19, decidiu ajudar

o pai que atuava como corretor de imóveis, mas que

não vendia a mais de um ano, resultado? Em menos de 2

meses já havia ganho mais de 50 mil reais de comissões

e ainda foi sorteado com um carro zero em um sorteio

anual entre os melhores corretores da imobiliária. Ele

garante que utilizou técnicas da “lei da atração” que

havia visto no documentário “O Segredo” de Rhonda

Byrne para ganhar o carro e que isso teria feito toda a

diferença.

Em paralelo ao trabalho na imobiliária, atuou com vendas

em uma empresa de marketing de rede de perfumes

com sede no Rio de Janeiro, onde mesmo aos 19 anos,

gravava vídeos para divulgar os produtos que vendia; e

de negócio em negócio foi se desenvolvendo e buscando

voos cada vez mais altos. Entre esses voos, muitas

quedas aconteceram e nem sempre todos os dias foram

de glória, alguns dias foram de muita luta.

Como ele mesmo costuma dizer

“RESPEITA MINHA HISTÓRIA! AQUI É EM-

PREENDEDORISMO RAIZ. QUEBREI MUITO

A CARA, INVESTI EM NEGÓCIOS ERRADOS,

COMETI ERROS, MAS GRAÇAS A DEUS CO-

METI ESSES ERROS O MAIS RÁPIDO POS-

SÍVEL. ERRANDO RÁPIDO, EU DESCOBRIA

MANEIRAS DE NÃO SE FAZER, MANEIRAS

QUE NÃO DAVAM CERTO, PELO MENOS

EU NÃO COMETERIA O MESMO ERRO

DUAS VEZES. NO FINAL DAS CONTAS AIN-

DA ESTOU APRENDENDO, VEZ OU OUTRA

MESMO COM TODA ESSA HISTÓRIA DE

VIDA, EU ERRO AQUI OU ACOLÁ, E ISSO

NO FINAL DAS CONTAS É BOM. O SEGRE-

DO É ACERTAR MAIS DO QUE ERRAMOS E

NO FINAL DAS CONTAS TERMINAR COM

UM SALDO POSITIVO.”


29

MATÉRIA DE CAPA


ABAIXE O

VOLUME DE FORA,

AUMENTE O

VOLUME DE

DENTRO.


Daniel Martins


30

FOTO REPRODUÇÃO

MATÉRIA DE CAPA


31

EMPRESÁRIO MULTI-NEGÓCIOS

Daniel Martins, tem como uma das suas principais

características a persistência, segundo ele essa qualidade

é encontrada em todas as pessoas de sucesso.

O jovem é investidor em vários segmentos, com base

variada ele tem uma visão ampla para os negócios.

Além de um grande investidor, ele ajuda as pessoas

que estão começando sua jornada empreendedora a

terem mais conhecimento para atingir o sucesso. Ele

mesmo se coloca como um eterno aprendiz e participa

de muitos eventos para que consiga aprimorar seus

conhecimentos. “MEU PAPEL É AJUDAR O MAIOR NÚ-

MERO DE PESSOAS QUE EU PUDER A TRANSFORMAREM

SUAS VIDAS E ALCANÇAREM A LIBERDADE FINANCEIRA.

PARA TER DINHEIRO NÃO PRECISA FALTAR AMOR, FAMÍ-

LIA OU NADA DO TIPO”.

MATÉRIA DE CAPA

Para Daniel Martins, seu maior bem é a família, Daniel

é casado com Ana Paula e tem três filhos. Muitos são

os negócios de Daniel Martins, um dos mais conhecidos

e no qual ele carrega um apelido como o “GORDI-

NHO DO CAMARÃO”, é justamente a Carcinicultura.

O empreendedor após muitos fracassos, conseguiu

se refazer e comprou uma fazenda de camarões em

estufa, sim, em Rio Grande do Norte, Daniel Martins

começou um negócio altamente lucrativo dentro do

agronegócio e de riscos bem menores que a criação

de bovinos, por exemplo.

EQUIT CROWDFUNDING

Para falarmos sobre Equit Crowdfunding, vamos entender

alguns termos.

• EQUIT - é o termo entendido como capital. Ao investir

em equity, uma quantia é aplicada a uma empresa em

troca de ganhos proporcionais aos dela.

• CROWDFUNDING - é o termo utilizado para a modalidade

de financiamento na qual várias pessoas podem levantar

dinheiro para uma determinada causa ou projeto.

Equit Crowdfunding é um investimento coletivo onde

várias pessoas podem levantar dinheiro para uma

causa ou projeto, no Brasil, desde 2017 essa modalidade

de investimento pe regulamentada pela CVM –

Comissão de Valores Mobiliários. Daniel Martins, é um

empreendedor visionário e que tem como propósito

ajudar as pessoas a alcançarem seu próximo nível.

Ele entendeu que a economia compartilhada é uma

realidade e que o compartilhamento de seu negócio

ajudaria muitas pessoas a empreender além de que

todos cresceriam juntos. Isso é exatamente o que o

jovem empreendedor faz hoje. Unindo investidores e

boas ideias a fim de que todos possam ganhar juntos.

Segundo Daniel Martins, os investidores têm obtido

um rendimento acima de 2% ao mês e os empreendedores

têm tornado realidade seus projetos e estão

lucrando muito mais. O empreendedor já teve dois

grandes projetos em Equit Crowdfunding nas fazendas

de camarões em estufa, proporcionou a vários sócios

cotistas realizarem seus sonhos.


32

MATÉRIA DE CAPA

O Cooperativismo sem sombra de dúvidas é um modelo

de sucesso que permite a junção de pessoas e recursos

para tornar sonhos em projetos e projetos em realidade.

Agora, Daniel Martins foi convidado a presidir a

Coompará – Cooperativa mista de mineradores, agricultores

e comerciantes do Pará.

A cooperativa tem como objetivo principal a distribuição

de renda fruto de todos os negócios desenvolvidos por

ela.

“A COOMPARÁ NASCEU COM ESSE PROPÓSITO: O

DE RESGATAR OS TEMPOS DOURADOS DA MINERA-

ÇÃO NO BRASIL. TEMPOS ESTES DOS NOSSOS PAIS,

NOSSOS AVÓS E ATÉ MESMO ALGUNS DE NÓS,

ONDE O METAL AMARELO EM MEIO ÀS NOSSAS

MÃOS SUJAS DE TERRA, NOS FEZ SORRIR, CHORAR,

GANHAR AMIGOS E ATÉ MESMO PERDER ALGUNS

DELES. TEMPO EM QUE EXPLORAR NOSSA PRÓPRIA

TERRA ERA NOSSO DIREITO, LEVÁVAMOS NÃO SÓ O

SUSTENTO PARA CASA, COMO A PROSPERIDADE A

TODOS. MAS INFELIZMENTE NOSSO PATRIMÔNIO

FOI NOS TIRADO A FORÇA, PELOS GRINGOS QUE

CHEGARAM AO BRASIL COM OS BOLSOS CHEIO

DE DINHEIRO. É CHEGADO A HORA DE RECUPERAR

NÃO SÓ AS NOSSAS TERRAS, NÃO SÓ O NOSSO TRA-

BALHO, MAS DE NÓS GARIMPEIROS E FILHOS DES-

TA TERRA, RECUPERARMOS A HONRA DOS NOSSOS

PAIS E RECONSTRUIRMOS UMA NOVA

HISTÓRIA. MUITOS DE NÓS PERDE-

MOS A PRIMEIRA OPORTUNIDADE,

TALVEZ PELA INGENUIDADE DE

ACREDITAR QUE NUNCA

NOS SERIA TOMA-

DO O NOS-

SO OURO

O

U

ATÉ MESMO O DINHEIRO TENHA SUBIDO A CABE-

ÇA. A VERDADE É QUE AGORA NÃO IMPORTA. ESTA-

MOS TODOS JUNTOS NOVAMENTE EM PROL DE UM

NOVO IDEAL, DE UM NOVO PROPÓSITO.

A COOMPARÁ É A SEGUNDA OPORTUNIDADE. A

SEGUNDA CHANCE. A VOLTA POR CIMA! ONDE

NÓS UNIDOS DE FORÇA, GARRA, CORAGEM E ES-

TRATÉGIA FINANCEIRA RECUPERAREMOS O QUE

NOS FOI TOMADO. É CHEGADO UM NOVO TEMPO

DOURADO. ONDE MESMO OS QUE NÃO SUJAREM

AS MÃOS DE TERRA, PODERÃO CONTRIBUIR COM

ESSE LEGADO QUE ESTÁ SENDO CONSTRUÍDO. O

NOSSO CHÃO SERÁ MOLHADO POR NOSSAS LÁGRI-

MAS NOVAMENTE, MAS SERÁ UM CHORO NÃO DE

DERROTA, MAS DE COMEMORAÇÃO POR TERMOS

ALCANÇADO O SUCESSO, E DESTA VEZ TODOS NÓS

JUNTOS.” – Daniel Martins, Presidente Coompará

Texto extraído do site comompara.com.br.

Menina dos olhos da Cooperativa, a ESMERALDA JUA-

ZEIRO, avaliada em 350 milhões de dólares, foi adquirida

por 130 milhões de reais, onde esse valor é pago

proveniente da adesão de cotas dos cooperados. A

conta é a seguinte: A cada R$ 1.000,00, a quantia de R$

333,33 é destinada a pagar parte dos 130 milhões de reais

da Esmeralda. Basicamente o risco do investimento

dos R$ 1.000,00 da associação da cooperativa é zero, se

a Esmeralda Juazeiro for vendida por 30% do que ela

está avaliada. Os R$ 666,00 restantes da cota, vai para

o caixa da cooperativa para gerar outros negócios,

será investido na mineração, cultivos agrícolas entre

outros. Todo o cooperado tem participação

dos lucros de todos os projetos apoiados pela

Coompará.

TRAJETÓRIA EMPREENDEDORA

Uma dica, se você sabe vender, você jamais

ficará pobre. Assim Daniel define sua trajetória

até aqui. Para ele é isso que faz com que

muitas pessoas não consigam sair da primeira

fase de seu negócio e nunca se tornarão milionárias.

Na primeira fase o empreendedor

começa um negócio pela falta de um emprego,

como renda extra ou até do desejo de

liberdade de não ter mais chefe. Enfrentará

inúmeras dificuldades até conseguir se

estabilizar e ganhar dinheiro, nessa fase

ele descobre que que virou escravo do

seu negócio.

Aí vem a fase 2, onde o empreendedor

sai da operação e entra na estratégia,

expandindo assim o seu negócio, ele

cresce em unidades, tamanho ou se torna

uma franquia. Nessa fase o empreendedor

começa a ganhar dinheiro de

verdade e nem sempre sabe o que fazer

com esse dinheiro. Investir para crescer

cada vez mais? Porém, quando o negócio

não consegue absorver nenhum


33

investimento, é chegada a hora de investir em outros

negócios ou produtos financeiros. A partir daí o empreendedor

começa a criar múltiplas fontes de renda e ativos

financeiros, ao ponto que o seu negócio principal já

não é mais o maior em resultado no total da sua renda.

Isso lhe traz paz, tranquilidade financeira e liberdade de

tempo. Ele então, começa a pensar em soluções que a

maioria não vê e aí nascem negócios bilionários.

A terceira fase é justamente a compra e venda de empresas,

o sonho do famoso unicórnio. Essa não é uma

receita de bolo, alguns empreendedores saltam etapas,

cada um tem uma velocidade diferente em cada fase.

Mas se você entender esse caminho das pedras, você vai

perceber que não tem nada demais começar de baixo.

MATÉRIA DE CAPA

“O DIAMANTE NADA MAIS É DO QUE UM CAR-

VÃO QUE SOFREU PRESSÃO POR MILHÕES DE

ANOS. NA VIDA SOMOS COMO O CARVÃO.

SE A GENTE NÃO TIVER PRESSÃO, NUNCA

BRILHAREMOS! PORTANTO NÃO RECLAME DAS

DIFICULDADES QUE ESTÁ PASSANDO AGORA,

POIS É JUSTAMENTE A FORÇA QUE ESTÁ

TE TRANSFORMANDO EM UM GRANDE

DIAMANTE!”

• MOVER PESSOAS

Daniel Martins, desde muito cedo tinha um sonho de

ser palestrante, ele achava o máximo aqueles caras

subirem no palco e levarem as pessoas ao êxtase total

apenas com palavras bem colocadas. Ao longo dos últimos

10 anos, ele participou de inúmeras palestras e

à medida que frequentava as palestras, principalmente

de cunho financeiro, mas ele percebia que estava sendo

enganado.

“NÃO SÃO TODOS, MAS GRANDE PARTE DOS

“PALESTRANTES” QUE ENSINAM SOBRE COMO

GANHAR DINHEIRO SEJA LÁ COM O QUE FOR,

NA VERDADE NÃO FICARAM RICOS DA MA-

NEIRA QUE ELES ENSINAM. A MAIOR FONTE

DE RENDA DE GRANDES “GURUS” VEM DAS

VENDAS DE CURSOS ONLINE, TREINAMENTOS,

LIVROS E PALESTRAS. E AÍ ESSE MERCADO VI-

ROU UMA PROSTITUIÇÃO TOTAL, UM MONTE

DE MARMANJO ESPERTO VIU A BRECHA PARA

GANHAR DINHEIRO ENSINANDO ALGO QUE

NUNCA FUNCIONOU NEM PRA ELES”.

No meio de tanto dinheiro gasto em conteúdo desse

tipo, ele conseguiu filtrar os 5% que realmente interessou

e que de fato eram bons, ele aplicou em seus negócios

e prosperou. Segundo Daniel Martins, todos os

dias têm alguma fórmula mágica aparecendo, um novo

guru surgindo e mais gente sendo enganada comprando

algum curso que não vai servir pra nada. Com tudo

isso que ele vê acontecer, seu sonho de ensinar pessoas

foi ficando para trás, uma vez que ele não se imaginava

sendo comparado a esses profissionais.

Para tentar ir em busca de seu sonho ele se expos e

mostrou seus resultados financeiros. Mesmo acarretando

vários outros custos, como segurança armada, carros

blindados, rotinas diferenciadas.

“Um dia sonhei em ganhar mais de R$ 10.000,00 por

mês e se esse é por exemplo um sonho que talvez você

já tenha tido, deixe eu lhe dizer que é completamente

possível. Somente no ano passado eu gerei mais de R$ 1

milhão de reais todos os meses. Totalizando uma receita

líquida de R$ 12.157.232,00 somente no ano passado.

Ninguém fica milionário da noite para o dia! Foram

anos de experiências boas e não tão boas. Foram negócios

que prosperaram e outros que deram completamente

errado. Então eu tenho conhecimento o suficiente

para lhe guiar nessa longa jornada. Eu tive muitos

problemas, passei por um caminho tortuoso e cheio de

armadilhas, algumas inclusive eu caí nelas. Então imagine

encurtar toda essa curva de aprendizado que você

enfrentaria apenas seguindo as dicas e sacadas que eu

vou te passar”.

• SOBRE IMPACTAR PESSOAS

Impactar pessoas é por exemplo, saber que ele vende

camarão, mas na verdade entrega experiência

e momentos inesquecíveis à mesa com pessoas

especiais. O salário do empreendedor é

o lucro e ele só vem quando o é possível

impactar de maneira positiva os outros

lá fora. Quanto mais pessoas

o empreendedor impacta positivamente,

mais dinheiro ele

ganha.

FOTO REPRODUÇÃO


34

MATÉRIA DE CAPA

“SONHOS CRIAM DINHEIRO E

DINHEIRO REALIZAM SONHOS,

ENCONTRE UMA FORMA DE AJUDAR

AS PESSOAS, A TORNAR ALGO MAIS

CÔMODO OU MELHOR E VOCÊ VAI NÃO SÓ

GANHAR DINHEIRO, MAS VAI GANHAR FÃS”

Daniel Martins

As dificuldades preparam as pessoas para algo muito

maior do que está por vir, Daniel teve muitos momentos

que achou que para ele tudo era mais difícil, sentiu-se

angustiado na luta pelo seu sonho, porém entendeu

que com mantendo a calma e paciência, vivendo a experiência

do que dava errado, ele estava construindo mais

um capítulo de sua vida.

• IMPORTANCIA DE DEIXAR ESCRITO

Escrever suas metas no papel, tem um significado muito

forte, Daniel Martins explica que tudo o que está escrito

tem mais validade. É importante assumir um compromisso

para que você possa alcançá-lo.

Hoje o empreendedor sabe que o jogo começa a ficar

mais interessante quando você percebe que não trabalha

mais pelo dinheiro, que o dinheiro passou a ser só

mais um termômetro do sucesso e o grande negócio é

deixar o seu nome na história. Mas como ele poderia

deixar seu nome na história? Ele se questionou muito

sobre isso, o que ele poderia deixar de legado para o

mundo? E chegou à conclusão de que ele pode não mudar

a história do mundo, mas pode mudar a história de

muitas pessoas e por consequência o mundo vai lhes

parecer muito melhor.

“MEU PAPEL AQUI É SIMPLES, EVITAR QUE OUTROS

EMPREENDEDORES DEMOREM TANTO TEMPO

QUANTO EU DEMOREI PRA ALCANÇAR A LIBERDA-

DE FINANCEIRA”.

Daniel Martins não tinha ninguém para o acompanhar

em seu início de jornada empreendedora, não tinha

uma pessoa que o orientava no que NÃO FAZER, talvez

se ele tivesse tido orientação, teria errado menos e provavelmente

chegado aos resultados que tem hoje na

metade do tempo que levou para alcançar.

“EU POSSO TE DIZER QUE SE EU TIVESSE TIDO UM

MENTOR QUE TIVESSE ME PASSADO EXPERIÊNCIA

E AJUSTADO A MINHA MENTE, PARA PENSAR EXA-

TAMENTE COMO PENSA UM EMPRESÁRIO DE SU-

CESSO, EU TERIA CHEGADO AO RESULTADO QUE

EU TENHO HOJE EM MUITO MENOS TEMPO”.

• MAL DO SÉCULO

Daniel Martins nos contou que esse mal impede as pessoas

de alcançarem o seu sonho. Normalmente as pessoas

que buscam o sucesso possuem uma mentalidade

muito ativa, mesmo que ela trabalhe o tempo todo, ela

vai chegar em casa e vai se dedicar ao seu negócio, desenvolvendo

ou criando seu projeto de vida. O entretenimento

é uma forma de muitos tirarem o foco do seu

negócio.

Se você quer ter sucesso, deixe o entretenimento de

lado e foque em se desenvolver. Quanto mais você se

desenvolve, quanto mais você se diferencia da maioria,

mais você se torna escasso, mais valor você tem. Buscar

conhecimento, crescendo sua mentalidade empreendedora,

se desenvolvendo como empreendedor, quebrando

crenças limitantes, faz com que você seja próspero.

“MUITOS ME PERGUNTAM QUAL O PREÇO DO SU-

CESSO E ESSA É A RESPOSTA: ABDICAR DE PRA-

ZERES MOMENTÂNEOS EM TROCA DE FAZER

AMANHÃ COM MUITO MAIS LIBERDADE. O QUE

DETERMINA SEU FUTURO SÃO AS DECISÕES QUE

VOCÊ TOMA HOJE. VOCÊ VAI GASTAR SEU DINHEI-

RO ESSE FINAL DE SEMANA NA BALADA OU NUM

LIVRO NOVO? VAI ASSISTIR NETFLIX OU UM VÍDEO

SOBRE MARKETING E VENDAS NO YOUTUBE? VAI

PAGAR AQUELA PALESTRA CARA OU VAI COMPRAR

O IPHONE NOVO? VOCÊ DECIDE SE VAI TRABALHAR

ATÉ MAIS TARDE, OU VAI FICAR ASSISTINDO TELE-

VISÃO. TUDO É VOCÊ QUE DECIDE. E É HOJE, AGO-

RA, JÁ”.

• PRÓXIMOS PASSOS

Com toda essa bagagem, mesmo sendo tão jovem, Daniel

Martins impressiona com resultados tão expressivos.

Por ter o empreendedorismo como sua paixão, ele

quer capacitar e ensinar outros a trilharem um caminho

de sucesso com seus próprios negócios.

“NÃO IMPORTA O MOTIVO DO PORQUÊ VOCÊ QUER

EMPREENDER OU DECIDIU EMPREENDER, OS RE-

CEIOS, MEDOS E AS DIFICULDADES EU CONHEÇO

MUITO BEM”.

O empreendedor irá se dedicar a seus alunos, sua missão

é ser mentor de negócios. Por ter convicção de seu

projeto, Daniel Martins deixa aqui seus próximos passos:

1. Construir a maior cooperativa do Brasil com distribuição

de renda e resultados para todos os envolvidos.

Sigam no instagram @coompara

2. Lançar em breve a Starter Education, escola online

de negócios e empreendedorismo.

Sigam no instagram @startereducation

3. Elevar seus negócios na Carcinicultura para o nível

internacional e ajudar muitos produtores nacionais.

Sigam no instagram @mercadocamarao

FOTO REPRODUÇÃO


19

MATÉRIA DE CAPA


36

EDUCAÇÃO

GERAÇÃO ALPHA: MANUAL DE INSTRUÇÕES

A GERAÇÃO QUE NÃO SABE O QUE É

INTERNET DISCADA

Eles já nasceram com wi-fi, conta no Instagram, imersos

no ambiente digital. Para eles, livros não têm páginas e

telefones não têm teclas. São os 100% nativos digitais. A

Geração Alpha é como são chamadas as crianças nascidas

a partir de 2010. Uma geração que não sabe o que

é internet discada, nunca viu um disquete e não quer

ouvir apenas as músicas que cabem em um CD. Como

lidar com esses indivíduos, que já nasceram em uma realidade

que é diferente daquela em que fomos criados

e enxergam o mundo através de uma tela, ou várias?

Ainda não há grandes definições sobre o perfil dessa geração,

uma vez que seus componentes ainda nem atingiram

os dez anos de idade. No entanto, baseado nas

tendências que vêm se apresentando, é possível traçar

linhas que servem como guia na análise dessa parcela

da sociedade.

Primeiro, há que se ter em mente que o fato de a Geração

Alpha ser inteiramente digital traz consigo uma série

de características inatas a eles. O ambiente digital é volátil,

ágil, multitarefa, personalizado. Todo esse cenário

se reflete não só na formação dos Alphas, mas na maneira

como eles interagem com o mundo e consomem

“coisas” – conteúdo, produtos, etc. A conexão perene à

internet dá a eles certo nível de independência e adaptabilidade,

uma vez que o smartphone ou tablet em suas

mãos lhes dá acesso a uma infinidade de informações.

Essa imersão constante no ambiente digital traz também

a necessidade de mais acompanhamento por parte

dos pais. A intensidade de uso e a possível exposição a

conteúdos indevidos são fatores a que se atentar. Muitos

pais, hoje, ainda acham que deixar uma criança com

um smartphone ou tablet é uma maneira de mantê-la

“sob controle” ou distraída, enquanto o responsável

pode fazer outras atividades. Grave erro.

Quando falamos em educação, o ensino para os Alphas

requer o uso da tecnologia e práticas didáticas inovadoras,

a fim de cativar-lhes e mostrar-lhes a importân-

cia de passar boa parte do dia dentro de uma sala de

aula – ao passo que eles podem, facilmente, adquirir

conhecimento por meio dos gadgets que utilizam em

casa. Por estarem acostumados a uma realidade digital

personalizada, como criar uma experiência acadêmica

que atenda suas necessidades? Ainda há muito o que se

desenvolver em tecnologias educacionais para tornar o

dia a dia escolar da Geração Alpha mais atrativo.

A situação se torna ainda mais desafiadora ao pensar

no mercado de trabalho em que os Alphas estarão inseridos.

Profissões desaparecendo, outras surgindo, um

futuro cada vez mais digital e tecnológico. Como educar

essa geração para um mercado em constante mudança?

Vou além: como eles vão interagir com essa realidade?

Mais do que pensar nas exigências do mercado, parece-

-me que as exigências dos Alphas e suas formas de ver o

mundo é que vão definir os rumos da economia.

Ainda é cedo para se definir traços certos da Geração

Alpha, até porque são pessoas bem diferentes em diversos

aspectos das gerações anteriores. Eles são naturalmente

mais inteligentes, pois são bombardeados, desde

o nascimento, por uma infinidade de informação. Lidar

com estes que são o futuro do nosso planeta pode parecer

uma tarefa, a princípio, complicada, mas, pensando

logo de já, acompanhando seu desenvolvimento e investindo

em pesquisa e desenvolvimento de soluções, cria-

-se um caminho para que os Alphas cresçam em uma

realidade que lhes sirva em diversos aspectos.

ELES SÃO O FUTURO, MAS O

MUNDO TEM QUE COMEÇAR

A SER PREPARADO PARA

ELES DESDE AGORA.

Janguiê Diniz

Mestre e Doutor em Direito

Fundador e Presidente do Conselho

de Administração do Grupo Ser

Educacional.


37

EDUCAÇÃO

CULTURA ORGANIZACIONAL NO

MUNDO EMPRESARIAL

UMA CULTURA POSITIVA AUMENTA SIGNIFICATIVA-

MENTE SEUS RESULTADOS

A cultura organizacional é a junção dos hábitos, crenças,

valores e comportamentos compartilhados em um

ambiente de trabalho, é a maneira na qual a empresa

conduz os seus negócios. Quando positiva, é capaz de

fazer a empresa se destacar entre outras do segmento,

e passa a ser valoriza pelos colaboradores e clientes.

Não é só o dinheiro que motiva os colaboradores quando

o assunto é trabalho. É importante uma organização

saudável, um ambiente de trabalho alinhado com os valores

pessoais é muito mais fácil produzir e se manter

engajado.

A cultura interna é uma identidade, ela precisa ser bem

clara para que todos entendam os benefícios agregados

já que ela é responsável por unir e aperfeiçoar os processos.

A meu ver, temos a missão de ajudar o nosso

time a buscar auto realização e qualidade de vida.

Gosto de pessoas que se envolvem verdadeiramente

com o que faz e sente parte de algo maior do que um

emprego, esse é o sonho de qualquer líder, acredite.

No GRUPO PROJETO, temos reuniões semanais e mensais,

e nessas reuniões tratamos sempre sobre os principais

desafios do dia a dia. Temos sempre uma avaliação

de ambos os lados, para que possamos crescer sempre

juntos. Optamos por fazer dessa maneira porque conseguimos

enxergar os pontos fracos e as estratégias de

melhoria, para que a nossa cultura esteja sempre alinhada

a nossa essência.

Uma dica do que da certo conosco, é que sempre mantemos

a transparência em relação para onde devemos

ir, se o percurso final mudou ou se há uma nova rota. Ou

seja, estão sempre atualizados do que está acontecendo,

a informação deve estar sempre disponível e acessível

para que o time tenha uma direção a ser seguida.

Mostre qual a missão da empresa, e como eles estão

colaborando para chegar até lá.

O que faz as pessoas buscarem oportunidades em outros

lugares é a competitividade negativa, o clima pesado

e chefes que não são líderes. As pessoas não deveriam

trabalhar para uma empresa dotada de valores

que não condizem com os seus. Essa escolha será decisiva

para atingir ou reduzir o grau de satisfação que elas

tanto almejam.

Se os membros da sua equipe não possuem as ferra-

mentas certas ou treinamento, eles não poderão se

sentir capazes ou confiantes sobre as tarefas que você

atribuiu para eles fazerem. Se eles precisarem de treinamento,

um computador novo ou um smartphone, faça

acontecer, você também será recompensado.

Quando algo dá certo, até mesmo uma coisa pequena,

certifique-se de que sua equipe saiba que você aprecia

seus esforços. Elogios públicos são baratos e em alguns

casos, tão eficazes quanto dinheiro. Ou faça uma ação

de recompensa como um fim de semana de 3 dias.

Vocês já fazem ou já pensaram em incluir o Pet Day na

rotina corporativa? É um dia escolhido para colaboradores

possam levar seus animais para o trabalho e todos

podem curtir a companhia dos bichinhos, eles oferecem

momentos de recreação aos seus donos.

Estudos comprovam que o programa aumenta a motivação,

gerando mais interatividade entre as pessoas e

melhorando o clima organizacional.

Ah, é muito importante incentivar os colaboradores a

terem um estilo de vida mais saudável através de ações

como turmas de ginástica laboral e aulas de dança, caso

tenha um espaço, pense nisso.

Monte uma sala de descanso, a existência dessa sala

dentro da própria empresa é um diferencial tão grande

que se transforma em benefício. Alguns minutos de descanso

no horário de almoço faz muito bem para saúde.

E você não vai gastar muito, invistam em sofás, almofadas

e um local estratégico.

Mas calma, criar uma cultura organizacional não é só

ter brinquedos, games e cervejas, não que seja uma má

idéia, mas processos devem ser estruturados. Temos

em nossas mãos a chance de fazer um ambiente mais

igualitário, valorize as pessoas como seres humanos e

não como recursos.

Acompanhe as minhas redes sociais e fique por dentro

das novidades @tatyluncah ou acesse https://tatyaneluncah.com.br/.

@tatyluncah

@grupoprojeto

Tatyane Luncah

Fundadora e CEO da

Agência Grupo Projeto.


38

DIREITO

ENTENDA A IMPORTÂNCIA DO LICENCIA-

MENTO AMBIENTAL PARA SEU NEGÓCIO

O tema sustentabilidade é cada vez mais crescente nos

dias atuais, sendo um fator de relevância sobretudo

para as empresas.

Sabemos que a atividade humana, principalmente a industrial,

já provocou danos profundos à natureza, se

nada for feito irá impactar profundamente as futuras

gerações. Para se ter uma ideia da gravidade e urgência

da preocupação com o meio ambiente no dia 29 de

julho desse ano, pouco mais da metade do ano, foi considerado

o dia da sobrecarga da terra (Earth Overshoot

Day) , isso significa que consumimos mais recursos naturais

do que o planeta pode regenerar em um período

de 12 meses 1 .

O objetivo do licenciamento ambiental, portanto, é agir

preventivamente a fim de conciliar a realização de todas

as atividades industriais/empresariais com a preservação

do meio ambiente, garantindo assim um meio ambiente

ecologicamente equilibrado para as presentes e

futuras gerações. Dessa forma o poder público, através

de órgãos ambientais, autoriza e acompanha a implantação

e a operação de atividades, que utilizam recursos

naturais ou que sejam consideradas efetiva ou potencialmente

poluidoras.

Os empreendimentos listados na Resolução CONAMA 2

237 de 1997, são obrigados por lei, a obter o licenciamento

ambiental junto ao órgão competente, desde as

etapas iniciais de seu planejamento e instalação até a

sua efetiva operação. A licença ambiental tem um prazo

de validade pré-definido de acordo com o ramo de atividade

do empreendimento. Na maioria dos processos

de emissão das licenças, o órgão ambiental exige uma

série de condições e restrições técnicas que devem ser

rigorosamente cumpridas pela empresa em sua gestão

ambiental, o que é chamada de condicionantes ambientais.

Todos os custos envolvidos nas diversas etapas do

licenciamento são de responsabilidade da empresa. O

processo de licenciamento ambiental é constituído basicamente

de três tipos de licenças, as quais sintetizamos

abaixo:

Licença Prévia – LP: É a primeira etapa do licenciamento,

em que o órgão licenciador avalia a localização e a

concepção do empreendimento, atestando a sua viabilidade

ambiental e estabelecendo os requisitos básicos

para as próximas fases.

Licença de Instalação – LI: Uma vez detalhado o projeto

inicial e definidas as medidas de proteção ambiental,

deve ser requerida a Licença de Instalação (LI), cuja

concessão autoriza o início da construção do empreendimento

e a instalação dos equipamentos.

Licença de Operação – LO: A Licença de Operação

autoriza o funcionamento do empreendimento. Essa

deve ser requerida quando a empresa estiver edificada

e após a verificação da eficácia das medidas de controle

ambiental estabelecidas nas condicionantes das licenças

anteriores.

Um outro ponto importante é que sempre que a empresa

modificar ou implantar algo novo em seu empreendimento

será necessário um novo licenciamento junto ao

órgão competente. Importante ressaltar que em caso

de encerramento da atividade da empresa, também é

necessária a emissão de uma licença de descomissionamento,

pois o órgão ambiental precisa se certificar de

que a empresa não irá deixar nenhum passivo ambiental,

como por exemplo: solo contaminado, ou descarte

de resíduos de forma irregular. A empresa que atuar

sem a licença ambiental pode responder nas esferas

cível, administrativa e criminal, podendo seu representante

legal sofrer pena de prisão decorrente de danos/

crimes ambientais (Lei nº 9.605/98 / Lei 6.938/81)

As empresas com problemas no licenciamento ambiental

também terão dificuldade em obter incentivos governamentais

e financiamentos em geral, como BNDES. O

empreendedor não deve enxergar o licenciamento com

mera obrigação legal e sim encarar que ao adotar práticas

ambientalmente corretas, além de mostrar comprometimento

com um futuro mais sustentável, pode

ainda atribuir uma ótima imagem para

sua empresa.

1

https://www.wwf.org.br/overshootday.cfm

2

Conselho Nacional de Meio Ambiente

CAMILA MEDEIROS

Advogada da Mulher

Especialista em Empoderamento

Feminino


39

A IMPORTÂNCIA DOS CONTRATOS

DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA

EMPREENDEDORES ARQUITETOS E

DESIGNERS DE INTERIORES

Ainda que exista resistência sobre a importância da utilização

dos contratos de prestação de serviços para os

empreendedores da área de arquitetura e design de interiores

ao fecharem seus negócios, é merecido explicitar

tamanhos riscos para tornar essencial o uso.

Um contrato de prestação de serviços, que é o principal

documento para que o profissional comprove os itens

contratados, expressa a vontade das partes. O acordo

deve conter cláusulas sobre direitos, obrigações, que

ensejam a responsabilização das partes, possíveis modificações

do projeto, serviços e despesas inclusas ou

não no preço, prazos, etapas, valores, penalidades, modalidades

de rescisão contratual, proteção aos direitos

autorais, ao direito de sigilo e direito de imagem, entre

outros.

Em especial, o profissional Arquiteto ou Design possui

um imenso leque de possibilidades de serviços e, sendo

assim, caso ocorra algum impasse judicial, a existência

de um contrato ajustado, com estipulações definidas,

permitirá uma decisão com maior agilidade e clareza.

Mas, fato é, que se o contrato for claro, objetivo, com

linguagem acessível, de acordo com a lei e normas aplicáveis,

sendo elaborado por um profissional competente,

resultará no instrumento que retrate a real vontade

das partes, assim muito dificilmente surgirão eventuais

dúvidas que resultarão em processos judiciais.

Algumas dicas merecem ser observadas em qualquer

negócio na área do Arquiteto e Design Empreendedor:

Primeiro se envia uma proposta comercial, que deverá

vir assinada com um aceite, para posteriormente ser

elaborado um contrato de prestação de serviços, que

será bem mais completo e esclarecedor do que a proposta

comercial.

No contrato, que identificará as partes, descreverá o escopo,

objeto do trabalho, a descrição dos serviços, por

exemplo, o caso do estudo de viabilidade, anteprojeto,

projeto legal, projeto executivo (plantas, cortes, fachadas,

especificações e memoriais), acompanhamento da

obra, formas de desenho, número de propostas e modificações

possíveis, penalidades contratuais ao cliente,

o número de revisões do projeto, principalmente nas

etapas preliminares.

No caso de obra, explicitar no contrato se a fiscalização

está incluída no preço, indicar as despesas e custos não

incluídos no valor, mas que, caso necessário, deverão

ser arcados pelo cliente (por exemplo, taxas dos órgãos

públicos e reguladores competentes, impressões, plotagens

e cópias, deslocamento dentro e fora da cidade,

diárias de viagem, hospedagem, alimentação etc).

De igual modo, definirá as obrigações do contratante e

contratado, prazos de execução, formas de pagamento,

descumprimento e rescisão, o foro que é a região que

será resolvida o possível litígio judicial também é importante.

Recomenda inserir no contrato disposição sobre indicações

de fornecedores indicados para o cliente, eximindo

da responsabilidade por eles. Importante destacar no

pagamento sobre o que está incluso, sobre fiscalização

da obra, taxas e impostos, emolumentos e custos administrativos,

sondagens, levantamentos planialtimétricos

e análises do solo, cópias heliográficas, xerográficas e

fotografias, maquetes, perspectivas e plantas de comercialização,

eventuais alterações introduzidas pelo cliente,

projetos complementares, deslocamento, diárias.

O contrato deve ser assinado pelas partes, além de duas

testemunhas, em pelo menos duas vias, para que cada

parte envolvida tenha a sua via. O registro cartorial é

recomendável, para validação jurídica do contrato de

prestação de serviços, com força de título executivo extrajudicial.

Entretanto, há a modalidade de contrato eletrônico, que

através de uma plataforma de assinatura eletrônica na

nuvem, será gerado um documento, um upload, que as

partes envolvidas serão adicionadas, sendo inseridas as

marcações para a realização das assinaturas. Torna-se,

assim um auxílio, por meio da tecnologia para fechar

contratos com maior rapidez, em que muitas empresas

brasileiras e multinacionais já adotaram esse recurso.

As assinaturas eletrônicas acompanham a tendência

mundial de informatização nos processos corporativos,

sendo permitidas por lei, trazendo aos documentos

uma segurança e eficiência através da criptografia.

Por fim, reitero a importância da contratação de um

advogado qualificado para a elaboração ou análise

de contratos de prestação de serviços de arquitetura

e design de interiores, minimizando os

prejuízos e riscos financeiros/contratuais, bem

como, demonstrando excelência e diferencial

no mercado competitivo.

GABRIELA BARRETO, Advogada, Palestrante

e Coautora do Livro

“Mulheres que Empreendem e

Transformam” .

gabriela.lima.barreto@hotmail.com

@gabrielabarretoadv

DIREITO


40

MARKETING DIGITAL

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

E MARKETING DIGITAL:

DEVEMOS TEMER OS AVANÇOS DA TECNOLOGIA?

Diferente do que muitos já profetizaram – e até tinham

medo –, a inteligência artificial, se utilizada a

nosso favor, pode facilitar e/ou automatizar boa parte

dos atuais jobs de Marketing Digital e áreas correlatas.

A cada dia surgem novos softwares e aplicativos prontos

para revolucionar a indústria, e estar antenado e

pronto para aprendê-los é crucial para se manter no

mercado e ter um bom desempenho nas plataformas

digitais.

Você pode até não se considerar um profissional de

exatas, ou um conhecedor de códigos como Python e

Java Script, mas, atualmente, trabalhar com Marketing

Digital é trabalhar, muitas vezes, com ferramentas de

IA – como o Machine Learning –, que desvendam códigos,

enviam e-mails em blocos de uma única vez, formatam

landing pages e a todo o momento deixam o

trabalho menos manual e mais ágil.

tas vezes a IA é um sistema que automatiza serviços

e o faz de maneira mais rápida que um ser humano,

como o robô Laura, que diagnostica sepse muito mais

rápido que médicos humanos nos hospitais, auxiliando

assim os profissionais de medicina, porém sem os

desqualificar no restante dos afazeres hospitalares.

Assim, como na medicina, atualmente, é possível encontrar

IAs por todos os campos do conhecimento, e

no Marketing Digital ela pode auxiliar, por exemplo,

na hora de mensurar os resultados, o que deixará o

trabalho com menos erros, visto que ela será mada exclusivamente para uma tarefa

prograespecífica.

Enquanto elas estão trabalhando, os resultados podem

ser acompanhados e otimizados constantemente,

pois está tudo sendo gerado pela máquina e salvo

em alguma plataforma.

Mas, talvez você esteja se perguntando: o que é Inteligência

Artificial e por que você deveria se importar

com ela? Bom, de maneira simples, inteligência artificial

é um jeito de fazer máquinas reproduzirem um

comportamento humano... a inteligência humana.

Não necessariamente essas máquinas serão reproduções

exatas do que somos com braços e pernas. Mui-

BELEZA, JÁ FICOU CLARO QUE AS IAS

PODEM SER BENÉFICAS E AJUDAR NA

OTIMIZAÇÃO DO TRABALHO, MAS

ONDE EXATAMENTE APLICÁ-LAS NO

MARKETING DIGITAL?


41

O segredo é ter bons profissionais criativos que saibam

utilizar a tecnologia à favor da empresa. Pois de

nada vai adiantar ter um chat bot em perfeito funcionamento,

se os comandos, que lhe foram dados, e as

respostas empregadas são pouco entendíveis, de fato,

ao consumidor, que é quem precisa captar todas essas

mensagens sofisticadas. Resolver e entregar o produto/serviço

para consumidor final e agregar mais leads

sempre será o foco principal, seja com tecnologia de

ponta ou estratégias do marketing clássico.

Tendo isso em mente, um bom lugar para agregar as

funcionalidades de IA está logo no início do funil de

vendas. Para atrair potenciais conversões, você pode

utilizar ferramentas que preveem e analisam o comportamento

do consumidor nas redes e plataformas

digitais, é como mapear os passos que o usuário deixa

na rede e utilizar essas informações para entregar

a ele um conteúdo segmentado para o seu perfil, em

outras palavras com a IA você consegue, muito mais

rápido, saber do que seu consumidor precisa ou tem

interesse.

Ao chamar atenção para o seu conteúdo é hora de levar

o consumidor para suas redes, afinal, já existem

aplicativos que gerenciam as redes sociais para que

você consiga manter todas atualizadas conforme a

linguagem de cada uma, principalmente o Instagram,

principal fonte de vendas do momento.

Se você utilizou as ferramentas do jeito correto para

aprender sobre seu público, por que não utilizar mídia

paga? É comum ver empresas utilizando os anúncios

das redes sociais sem aperfeiçoar a busca da ferramenta,

infelizmente quando isso acontece você pode

perder tempo e dinheiro, já que aquele conteúdo não

está sendo segmentado para o público correto. Com

a IA você segmenta as pessoas de acordo com o que

quer oferecer naquele momento, otimizando horários,

valores, região e tudo o que for relevante para o

seu produto.

Independente de como você utilizar a tecnologia, é importante

lembrar que um sistema sempre fará aquilo

que foi programado para fazer, então não há o que

temer, ele não fará todo o trabalho para você, pois é

necessário alguém para dizer ao programa o que precisa

ser feito, ou irá roubar sua fonte de renda, apenas

utilize-o a seu favor para potencializar seu tempo com

outros afazeres e, consequentemente, aumentar sua

lucratividade e estar à frente dos concorrentes.

MARKETING DIGITAL

Diego Carmona

Fundador da Leadlovers


42

DESIGN E INOVAÇÃO

CONSUMO O

QUE MUDOU?

O CONSUMIDOR

CONTEMPORÂNEO

E SUAS NECESSIDADES

Criar e desenvolver uma experiência marcante e relevante

para o cliente é uma das inúmeras possibilidades

do marketing e design na produção de bens de consumo

ou serviços, e responsáveis por interpretar e definir

melhor qual é o seu público, entender o que ele valoriza

ou necessita e definir promessas de utilidade ou afetivas

que os atraia.

“O marketing tem como propósito conhecer

e entender o cliente de tal forma que

lhe permita ajustar o produto ou serviço

as suas necessidades, para que realize o

ato da compra” Oscar Malfitano Cayuela

“O design tem como propósito conhecer e

entender o usuário de tal forma que lhe

permita utilizar com conveniência o produto

e serviço em todos os momentos e

situações de contato, para que essas atividades

entreguem experiências satisfatórias

referente a expectativa gerada”

Marcos Batista

Analisando as novas tendências de consumo com a amiga

e professora de neuromarketing Fátima Jinnyat, e sua

evolução ao longo do tempo e partindo do marketing 1.0

que era centrado no produto, passando pelo marketing

2.0, centrado no cliente, evoluindo para o marketing 3.0,

centrado no valor e experiência e finalmente chegando

no marketing 4.0 consequência da revolução digital, focado

na experiência e conexão continua com usuário,

hoje o consumidor não pode ser encarado como um

sujeito passivo, pois está imerso em uma sociedade disruptiva,

caracterizada por desafios sociais, econômicos,

políticos e ambientais. As profundas mudanças dessa

era, impulsionadas pelo avanço tecnológico, influenciaram

significativamente os hábitos e consequentemente,

o perfil do consumidor, transformando-o em um sujeito

bem informado, opinativo e que tem a sua disposição

um amplo leque de serviços e produtos muito parecidos

tanto nas características quanto na oferta de benefícios.

Estamos vivenciando uma mudança de era onde as empresas

precisam gerar mais significados ao que produzem

e alinhados a economia da reputação.

“O mundo já está cheio de ideias, produtos

e serviços, mas qual tem significado

para você? Empresas com propósito começam

a propor que se pense primeiro

na diferença que os novos produtos e serviços

farão na vida das pessoas.”

As startups entenderam muito bem essa nova era e o

novo momento do consumidor, desenham seus negócios

a partir do problema e não do produto, em todo

seu processo de validação privilegiam o verbo e não o

substantivo e buscam atender uma necessidade não

atendida e problemas não resolvidos, saindo do confronto

com as empresas que ainda proporcionam mais

do mesmo.

Nessa evolução de consumo marcado por algumas

transformações aparece um novo protagonista de mercado:

o consumidor autor, que integrado ao mundo das

mídias digitais torna-se cada vez mais espectador-autor,

inovador em sua essência. As classes emergentes no

mundo todo, compartilham os mesmos problemas, necessidades

e aspirações em um mundo globalizado e ao

mesmo tempo “glocalizado”, e em contraponto ao utilitarismo

das relações humanas na atual sociedade de

consumo, uma parte relevante dessas classes começam

a manifestar suas aspirações em direção a uma transformação

da sociedade, de uma economia da escassez,

da desigualdade, do esgotamento dos recursos, para

uma economia do acesso, da abundância, criativa, com

predominância dos valores culturais, sociais, simbólicos

e da reputação.

Vivemos um dilema existencial, dividido entre atender


43

as estratégias da empresa, pragmática e focadas em resultados,

ou investir em desvendar o novo mindset deste

novo consumidor.

Os mais atentos a essa transformação de mercado chegaram

à conclusão de que precisamos acessar o coração

e a mente do consumidor, entendendo que o seu

público é formado por uma massa de seres, antes de

tudo, humanos. Esse novo perfil quer ter resolvidas

suas necessidades e atendidos os seus anseios, buscando

satisfação funcional, emocional e até espiritual nas

marcas, produtos e serviços que elegem como os de sua

preferência.

Com base nessas mudanças aparecem os conceitos de

marketing 4.0 e design de experiências que se conectam

a disciplinas como o neuromarketing, design thinking de

serviços, storytelling, entre tantas outras, por acreditar

que suas premissas principais oferecem valores, respostas

e renovam a esperança para as pessoas que vivem os

desafios desta era de transformação. Para Philip Kotler,

3 grandes forças moldam a paisagem dos negócios hoje:

a era da participação, a era do paradoxo da globalização

e a era da sociedade criativa, ou seja, revolucionaram a

maneira como as pessoas procuram por informações,

produtos e serviços.

As redes sociais se tornaram os novos canais de comunicação

em massa, com vídeos viralizados e surgimento

dos influenciadores digitais, personalidades que

influenciam comportamentos e impulsionam marcas,

produtos e serviços. Em tudo que você precisa tem uma

ferramenta digital para te ajudar e é nesses serviços de

consumo de massa que a mudança se fez sentir mais

presente e mais transformadora, gerando novos modelos

de negócios.

Observando melhor a profundidade dessas mudanças

e transformações, teremos condições de entender melhor

as oportunidades que surgem na fusão do marketing

e design com a neurociência.

e o ser humano cliente”, considerando que os dois são

pessoas que interpretam a realidade a partir de suas

próprias experiências. Resumindo podemos considerar

que o neuromarketing é um método de investigação do

comportamento do consumidor a partir do que ele sente

e não a partir do que revela ou pensa. Na interpretação

do que as pessoas anseiam, precisam, querem e

desejam, organizações focam em conquistar a mente,

coração e espírito de seus consumidores, que estão sim

cada vez mais conscientes em relação aos problemas

sociais e ambientais e com certeza essas questões interferem

na decisão pela escolha de uma marca. Portanto

organizações que pretendem ser reconhecidas e

relevantes a essas mudanças, precisam compartilhar do

mesmo sonho dos consumidores, e ser a diferença no

meio em que estão posicionadas. Esses valores e ações

devem ser incorporadas ao DNA com muita autenticidade

e transparência.

“Quando uma empresa opta por trilhar

o caminho da inovação, precisa investir

também na construção de uma cultura

onde os profissionais se questionem sobre

o que já fazem bem e o que podem

fazer melhor ” Fátima Jinnyat

Empresas bem-sucedidas não começam seu planejamento

pelo retorno financeiro, mas sim pela realização

do seu propósito e da sua missão, e o retorno positivo

será, então, resultado de suas ações. Dessa forma, a inserção

de uma cultura realmente eficaz deve ser baseada

em valores.

DESIGN E INOVAÇÃO

CABEÇA, CORAÇÃO E ESPÍRITO JUNTOS.

Para Antonio Damásio especialista em emoções, desmistificou

em suas pesquisas o mito da razão poder

sobrepor à emoção na tomada de decisão e na capacidade

de fazer escolhas. É falsa a ideia de que agir com

a cabeça fria significa calar os sentimentos e emoções.

A ausência de emoção e sentimentos, na verdade, destrói

a racionalidade ao invés de melhorar o processo de

decisão.

Se nossos consumidores são sistemas vivos e dinâmicos,

mutantes e influenciáveis dentro de uma sociedade

em transformação, nada mais inovador que repensar

o marketing, aliando-o à neurociência para desvendar

em profundidade a real motivação para as decisões de

consumo

“O neuromarketing é a chave para abrir o

que chamamos de lógica de consumo, os

pensamentos, sentimentos, e os desejos

subconscientes que impulsionam as decisões

que tomamos em todos os dias de

nossas vidas.” Martim Lindstrom

Em outras palavras, “o neuromarketing estuda o processo

de comunicação entre o ser humano vendedor

Esse artigo foi escrito a partir de várias reflexões

em um bate papo super gostoso com a minha amiga

e especialista em Neuromarketing Fátima Jinnyat.

Marcos Batista

Apresentador Inova360 da News,

Palestrante, Professor, Consultor e

Empreendedor | Inovação | Design |

Empreendedorismo | Startup


44

DICA EMPREENDA


45

EMPREENDEDORISMO

FEMININO:

3 CASES DE SUCESSO

PARA VOCÊ SE INSPIRAR

CASE DE SUCESSO

Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino,

a data foi lançada pela Organização

das Nações Unidas (ONU) para valorizar e

incentivar as mulheres empreendedoras.

Atualmente, o Brasil conta com 24 milhões de mulheres

empreendedoras, de acordo com dados da Rede Mulher

Empreendedora – RME, elas estão divididas entre empreendedoras

estabelecidas (10 milhões) e iniciantes (14

milhões).

Do grupo de 10 milhões, cerca de 44% são donas de

empresas de micro e pequeno porte, com faturamento

anual entre R$ 48 mil até R$ 3 milhões, e 56% de microempreendedores

com faturamento anual de até R$ 48

mil. As dificuldades ainda são muitas, porém as mulheres

veem conquistando seu espaço.

Em homenagem ao dia mundial do empreendedorismo

feminino, trouxemos 3 histórias de mulheres empreendedoras

para você se inspirar.

SABRINA NUNES

CEO DA FRANCISCA JOIAS

Nascida em Itinga, Sabrina se

tornou empreendedora cedo, começou

vendendo picolés na zona

rural da cidade, mas sem muitas

oportunidades na região a empreendedora

recebeu uma proposta

de trabalho em um canavial em

Maracaju (MS).

“O tempo que fiquei cortando cana foi difícil. Mas era o

que eu tinha para fazer. Lá mesmo eu fiz contatos para

conseguir me recolocar.” relembra, Sabrina Nunes.

Após sete anos, já formada em Serviço Social, e trabalhando

como secretária, Sabrina conseguiu uma bolsa

para estudar engenharia no Rio de Janeiro. Já no RJ, em

janeiro de 2012, resolveu fazer alguma atividade extra

para complementar a renda. “Comprei R$ 50 em matéria-prima,

no centro do Rio de Janeiro, fiz bijuterias

e comecei a vender meus produtos pela internet”, diz.

Em agosto, decidiu criar uma loja virtual própria para a

Francisca Joias. O e-commerce já ultrapassou a casa dos

R$ 6 milhões em faturamento, conta com mais de 4 mil

modelos e vende cerca de 12 mil peças por mês.

TÂNIA GOMES LUZ

VICE-PRESIDENTE DA ABSTAR-

TUPS

Tânia Gomes começou sua trajetória

empreendendo, fundou

um e-commerce de nicho que foi

super conceituado na época, a

33e34, loja que só vendia dois números

de sapatos. Após conseguir

muitos investidores e alcançar seu

objetivo com a marca, a empreendedora resolveu mudar

de carreira. Anos depois, Tânia resolveu fundar a

Girl Boss, consultoria para pequenos, médios e grandes

negócios. Atualmente, Tânia é vice-presidente da ABStartups

e faz palestras pelo Brasil falando sobre empreendedorismo

e empoderamento feminino.

“O histórico de desigualdade de gênero também influencia

na confiança das mulheres ao apresentarem

seus negócios para investidores, por exemplo. Não

acredito que a gente precise dessa segregação, mas estamos

em um momento de investimento no Brasil que

precisamos mais de apoio.”, avalia Tânia.

LUZIA COSTA

FUNDADORA SÓBRANCELHAS

Durante a infância, Luzia Costa

adorava brincar de fazer as unhas

e as sobrancelhas das colegas. Na

adolescência, aprendeu sozinha

como realizar esses procedimentos,

transformando a brincadeira

em coisa séria. Luzia começou a

empreender de fato depois de se

casar, em 1999. Enquanto seu marido trabalhava como

servidor público, ela teve uma série de negócios que não

deram muito certo. Entre eles, uma pizzaria que a deixou

cheia de dívidas.

Em tempos difíceis, a empreendedora chegou a vender

pirulitos e conservas de tomates secos para sobreviver.

De volta a Taubaté, em 2009, a empreendedora começou

a atender em domicílio.

Ela fazia sobrancelhas, limpeza de pele e depilação com

linha, que na época era uma novidade. O sucesso foi

tanto que Luzia começou a dar algumas aulas particulares

dessas técnicas e, logo, adquiriu um espaço que se

tornou uma espécie de escola de estética. Foi assim que,

em dezembro de 2013, surgiu a Sóbrancelhas, uma rede

de franquias que oferece serviços voltados para design

de sobrancelha.


46

STARTUP

GESTÃO

EXPONENCIAL

Gestão exponencial é um estilo de administração revolucionário

que gera resultados 10x superiores para a

empresa e o ecossistema de negócios em que ela se insere.

A obsessão deste modelo de gestão é solucionar

as dores dos clientes, de maneira rentável e escalável,

através do emprego de tecnologias disruptivas que são

potencializadas pela interação assertiva e inteligente entre

homem e máquina.

Organizações exponenciais entenderam que a antiga

lógica do mercado de que quanto maior a força de

trabalho de uma empresa, mais ela produzia, caiu por

terra com o advento da tecnologia, que alterou o comportamento

do consumidor, eliminou processos manuais

e automatizou tarefas repetitivas. Ser maior e ter

mais funcionários se tornou uma barreira, reduzindo a

velocidade das operações. Se o negócio gira em torno

de informação, e não há barreiras devido a tamanho ou

burocracia, a velocidade de operação e de crescimento

pode ser muito mais rápida, possibilitando o emprego

do modelo de gestão exponencial.

Neste modelo de gestão, não se busca retornos de escala

crescentes, comuns à era da revolução industrial, mas

sim retornos de escala exponenciais, obtidos através da

alavancagem de efeitos de rede, que ocorrem quando

o valor de um produto ou serviço é maior quando mais

pessoas utilizam aquele serviço. Bons exemplos disso

são o Whatsapp, Facebook e Linkedin, pois quanto

mais pessoas estão nestas redes, maior valor é gerado

para os seus usuários. Gestores exponenciais, devem,

10 CARACTERÍSTICAS DE UMA GESTÃO EXPONENCIAL:

O propósito deve

ser inspirador

Tem que ser

claro, conhecido

e incorporado

por todos. É o

eixo central da

organização. A

sua compreensão

potencializa a

paixão da equipe

pela empresa.

A qualidade das

pessoas é o seu

ativo mais importante,

porém é

a sua interação

eficiente com

máquinas e sistemas

que ditarão o

sucesso no futuro

do negócio.

O erro deve ser

permitido e encorajado,

porém

a sua repetição

é inaceitável. A

organização deve

aprender mais

com os erros dos

outros do que

com seus próprios

erros.

Produtos e serviços

devem ser

criados exclusivamente

para

solucionar uma

dor do cliente

já mapeada. A

organização deve

focar no cliente,

mas não pode se

esquecer de entregar

resultado.

Nenhum produto

ou serviço está

100% pronto.

Tudo o que se faz

é versão Beta, e a

iteração constate

com os clientes é

o que possibilita

melhorar continuamente

os

produtos.


47

portanto, criar produtos e serviços disruptivos e não soluções

que apresentem apenas um benefício incremental.

Mas quantas empresas, que não tem modelo

de start-up, conseguem crescer de maneira exponencial?

Poucas, correto?

Essa dificuldade é resultado direto do mindset das pessoas,

e do próprio desenho de processos e sistemas

encontrados nestas empresas. Nós não fomos educados

e moldados para realizar associações exponenciais,

mas sim lineares. As pequenas e médias empresas locais

não estão preparadas para a revolução em curso,

que ocorre num ambiente “VUCA”, termo cunhado por

Warren Bennis e Burt Nanus, para designar o ambiente

de negócios de volatilidade, incerteza, complexidade e

ambiguidade.

Nós, empresários brasileiros, temos que pensar e agir

diferente. Precisamos dominar o novo modelo, já utilizado

por empresas globais como Uber, AirBnB e Apple.

Temos que detectar as tecnologias exponenciais, e abraçar

as mudanças. A liderança deve ser atualizada, estimulando

a discussão sobre mudanças ocorridas na vida

das pessoas e nos negócios após a entrada de start-ups

que seguem modelo de gestão exponencial, como Rappi,

Ifood, Gympass, Nubank e Lime, entre outros.

Crie um grupo separado para analisar potenciais mudanças

no seu mercado e como você pode ser um dos

agentes da mudança. Organize o histórico de informações

de seus clientes, e tente criar produtos e serviços

que solucionem melhor as dores de um dos nichos que

você atua.

SEJA RÁPIDO!

Teste o MVP o quanto antes. Seu produto teste

não precisa estar finalizado, mas precisa sanar

a dor do seu cliente. Encontre erros, fale com

seu público alvo, e promova melhorias rapidamente.

Teste novamente, e repita o processo até

estar seguro que o produto pode ser escalado.

Somente agora, após colher bons resultados, o

resto da organização pode ser envolvido. Desta

maneira você blinda eventuais forças contrárias

ao risco e a criatividade, e abre caminho para

tornar sua gestão um modelo exponencial.

RICARDO MELLO é economista da USP e

MBA de Kellogg. Atuou 10 anos em estratégia

pela Bain e pela Mckinsey. Em 2012, ele

criou uma indústria de artigos de festa e

descartáveis, a Bellocopo. Ricardo é um empreendedor

serial, e de lá pra cá, criou outras

7 empresas, nos ramos de distribuição, importação,

varejo e marketing digital. Recentemente,

ele criou o CEO Mentoring Club,

sua escola de gestão e negócios. Além disso,

Ricardo é um viciado em viajar. Ele conhece

136 países e deve zerar o mundo nos próximos

4 anos.

STARTUP

Ao desenhar

um modelo de

negócios, considere

ganhos e

sinergias obtidas

pelo ecossistema

da indústria em

que se insere.

Parte do valor de

negócios exponenciais

é obtido

no ecossistema.

Time de crescimento

é crucial

para promover

expansão rápido.

Desenho e

sistematização

dos processos

também. Vendas,

marketing, satisfação

do cliente e

pós-vendas devem

andar juntos.

Reflita sobre

a aplicação de

conceitos de

outras indústrias

e segmentos no

negócio. A arte de

conectar pontos

que não parecem

conectáveis costuma

ser chave

para criar inovações.

A gestão tem

que ser feita com

base em números

e indicadores.

Achismo é para

amadores. Profissionais

são metódicos

e analistas,

e usam a regra

80/20 sempre.

O planejamento

é feito através de

OKRs discutidos

trimestralmente e

revistos continuamente.

Metas são

conhecidas por

toda a organização.

Indicadores

devem ser facilmente

mensuráveis.


48

CONTABILIDADE

COM POUCO ESPAÇO PARA

ERROS, A PRESSÃO POR

RESULTADOS E A NECESSI-

DADE DE IMPLANTAR A

CULTURA DA INOVAÇÃO,

COMO FICA O EXECUTIVO

NESSE PROCESSO?

Inovação: essa é a palavra da vez, que tem norteado

ações, projetos e iniciativas de empresas em todo o Brasil.

Afinal, em mercados cada vez mais tecnológicos e

competitivos, ela deixou de ser um luxo para se tornar

uma necessidade para os empresários e empreendedores

e, até mesmo, um fator decisivo para a própria sobrevivência

dos negócios.

Um estudo da empresa Accenture realizado em 2018

com 148 executivos da América Latina mostrou que,

para 60% deles, seus negócios podem desaparecer se

não forem feitos investimentos em novas tecnologias e

inovação. Já a Confederação Nacional da Indústria apontou

que, para 31% dos empresários, o grau de inovação

da indústria deverá ser alto ou muito alto nos próximos

cinco anos, especialmente por necessidade.

Em meio a essa necessidade, as companhias enfrentam

um cenário de crescente instabilidade, decorrente de fatores

políticos e econômicos que impedem a retomada

do crescimento e a realização de novos investimentos

estrangeiros. Com pouco espaço para erros, a pressão

por resultados e a necessidade de implantar a cultura

da inovação, como fica o executivo nesse processo?

Neste momento crucial, muitos executivos passam a se

sentir inseguros. Eles sabem da importância dos projetos

inovadores, mas também entendem que há riscos,

especialmente com grandes quantias financeiras envolvidas

no processo. Mas, com alguns cuidados essenciais,

é possível se proteger dessas dificuldades e investir com

segurança.

Primeiramente, ele precisa estar bem assessorado e

preparado para conseguir colocar em prática o que planeja.

O executivo deve envolver uma equipe capaz de

se engajar no projeto e de buscar um objetivo comum

além de conquistar o respaldo da diretoria. Com uma

equipe alinhada, é preciso estabelecer prazos e metas

para que a gestão de projetos aconteça de maneira ágil

e eficiente. Nesse sentido, é essencial realizar uma gestão

de projetos com controle de metas, reports e acompanhamento

dos trabalhos realizados. É isso que impedirá

os desvios de rumo nos objetivos iniciais.

E, claro, contar com as ferramentas e tecnologias certas

para impulsionar o negócio de maneira ágil também

possibilita reduzir as incertezas e validar uma determinada

solução. Para isso, pode ser muito válido contar

com produtos e serviços complementares de parceiros

que detêm a experiência para suportar a execução deste

desafio, afinal isso implica em pessoas e mudanças.

Afinal, hoje a economia é feita de forma colaborativa.

Nenhuma empresa consegue evoluir sozinha. Por falar

evolução, é necessário tratá-la como um projeto. Modelos

como os de startups são fonte de referência para

produzir de maneira ágil possibilitando ajustes necessários

ao longo do trajeto de modo a assegurar o cumprimento

dos objetivos, alavancando mudanças. A dinâmica

do mercado atual é constante, então não dá para

ficar travado pelo medo de errar ou perder muito tempo

com longos e exaustivos planejamentos.

É possível mudar com segurança? Sem dúvida! Com

bons parceiros é possível neutralizar as incertezas e ter

mais propriedade para decidir por reagir optando em

investir em inovação e alcançando resultados efetivos.


49


SUMÁRIO

04

PELA PRIMEIRA VEZ O BRASIL

REÚNE 4 BILIONÁRIOS NO 12

MESMO PALCO

SUMMIT DE EMPREENDEDORISMO

- INSTITUTO ÊXITO

EDITORIAL

EMPREENDEDORES EM BUSCA DE TRANSFORMAÇÃO

EXPONENCIAL

Uma realidade cada vez mais comum no setor de empreendedorismo

é a realização de eventos que proporcionam

contato direto entre colegas de profissão, clientes,

parceiros, mentorados e alunos.

Para muitos empreendedores, os eventos são um momento

para fazer networking, para outros é um momento

para aprender com os palestrantes. Independente

do que você precisa no momento, os eventos cada vez

mais conectam pessoas que estão engajadas a buscar

sua transformação.

Nessa edição, trazemos dois grandes eventos que aconteceram

em São Paulo, no mês de novembro, e que

geraram impacto em seus telespectadores. O Instituo

Êxito, presidido pelo empresário Janguiê Diniz, realizou

seu primeiro evento, o Summit Facing the Giants, onde

trouxe para o palco grandes empreendedores nacionais

que falaram para centenas de pessoas sobre como é

empreender.

com os cursos e treinamentos oferecidos.

Nas próximas páginas, você vai poder “mergulhar” comigo

nessa jornada da transformação, espero que você

possa aprender um pouco om cada evento e que essa

leitura te auxilie a alcançar seu próximo nível.

Boa leitura!

@empreendarevista

/empreendarevista

@empreendarev

/empreenda-revista

Em se tratando de alta performance, o evento Nitro 10X,

levou seus participantes a um grande estado de euforia.

Além de grandes nomes nacionais e internacionais, o Nitro

10X reuniu mais de 5 mil pessoas em busca de uma

transformação exponencial que auxiliam na criação de

vínculos pessoais e desenvolvem a relação das pessoas


04

EVENTO

PELA PRIMEIRA VEZ O BRASIL REÚNE

4 BILIONÁRIOS NO MESMO PALCO

BRASILEIRO TRAZ PARA O PAÍS O

MAIOR MOVIMENTO EXPONENCIAL

DO MUNDO 10X E REÚNE 5 MIL

PESSOAS EM SÃO PAULO

Por: Elaine Julião, Gabriela Barreto, Claudia Cristina e Thayane Matos

mo para driblar a crise. A maioria abre negócios nas

áreas de comércio e serviços. Uma pesquisa também

do (GEM) colocou o Brasil no segundo lugar entre os

países que obteve maior crescimento no empreendedorismo

entre as 49 nações pesquisadas. Diante deste

cenário, o Nitro 10X nasce com a proposta de promover

conteúdo e contribuir para o crescimento exponencial

dessas iniciativas e, consequentemente, das

vendas e crescimento. Para conseguir crescer 10 vezes

sem perder a qualidade de vida, o fundador do Nitro

10X ensina algumas dicas para priorizar suas ações.

Inspirado no oxido nitroso usado nos motores de automóveis

com objetivo de aumentar a potência e o

desempenho da máquina. A nova tendência cool do

empreendedorismo brasileiro é aumentar a performance

dos empresários em todas as áreas da vida,

multiplicar o objetivo e esforço por 10 vezes e, se não

alcançar, ainda assim estará na frente.

Com esse propósito o CEO da DTS GROUP Full Live

Marketing, Pyero Tavollazi, fundou o movimento Nitro

10X no Brasil e trouxe palestrantes internacionais e

cases de sucesso nacionais que conseguiram turbinar

10 vezes mais a carreira. Durante 3 dias de imersão no

Expo Center Norte, com 10 horas diárias ininterruptas,

todas as palestras e treinamentos foram realizados

com intuito de transformar as crenças e o mindset

dos brasileiros.

Para o jovem empresário paulista, o movimento Nitro

10X significa concentrar as prioridades do seu dia a dia

e realizar essas prioridades com um nível de energia

10 vezes maior que se faz naturalmente. No Brasil,

aproximadamente 52 milhões de brasileiros possuem

um negócio próprio, de acordo com pesquisa realizada

pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), em

2019. No entanto, uma em cada quatro empresas fecha

antes de completar 2 anos no mercado, segundo

o Sebrae.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

mostrou que a taxa de desemprego no Brasil ficou

em 12,4% no primeiro trimestre deste ano. Parte das

pessoas está buscando soluções de empreendedoris-

CLASSIFIQUE AS PRIORIDADES EM:

A – AUTO IMPACTO – aquelas que vão me ajudar a realizar

o meu sonho

B – COISAS URGENTES – aquelas que são prioridades

dos outros e não suas

C – ACORDAR CEDO – para resolver até as 10 horas da

manhã as ações importantes e definir o meu dia.

D – DELEGÁVEIS – o que você não precisa ser feito por

você

E – ELIMINÁVEIS – o que não vai gerar nenhum valor

para você

“USANDO ESSA REGRA

CONQUISTEI O CRESCIMENTO

10 VEZES MAIS DA MINHA

EMPRESA E MAIS TEMPO

PARA MIM”, enfatiza Tavollazi.

Pyero Tavolazzi


05

EVENTO

Luiza Trajano / Pyero Tavolazzi

Com convidados de todo o Brasil, além de Dubai, Angola,

Londres, Orlando e Miami, o Nitro 10X marcou

seu primeiro dia, com o empoderamento feminino.

Luiza Trajano, dona da rede Magazine Luiza, discutiu

poder, empatia, a forma de tratar seus funcionários

e clientes.

“LÍDER É AQUELE QUE LEVA AS

PESSOAS MAIS LONGE”, ela defende.

Além de ser empresária, Luiza está à frente do Grupo

Mulheres do Brasil, onde 35 mulheres já estão reunidas

para colocar o medo para fora, de acordo com

as próprias palavras dela. Carol Paiffer também se

apresentou no palco do Nitro 10x. Ela, que é a maior

referência financeira feminina do Brasil, defendeu a

educação econômica dos brasileiros. Desmistificou a

bolsa de valores e mostrou que existem mais brasileiros

na cadeia (0,30%) do que na bolsa (0,29%).

Mas não só as mulheres tomaram o palco. Bruno Nardon,

cofundador da Rappi, também palestrou e defendeu

a gestão das startups e afirmou que o empreendedor

precisa olhar para o produto que está criando

e se ele resolve o problema do cliente que o está procurando.

“QUEM NÃO MUDA NÃO GERENCIA”,

disse Nardon, argumentando que todo empresário

deve estar disposto a sair da zona de conforto.

Carol Paiffer


06

EVENTO

Carlos Wizard entrou em seguida para animar a plateia

e dizer que devemos ter uma visão positiva do

mundo. “TODOS PODEM SER UM MILIONÁRIO”, ele

afirma, “BASTA TER DESEJO, TRANSFORMAR O DESEJO

EM UM NEGÓCIO CAPAZ DE ATINGIR O MERCADO EM

LARGA ESCALA E SEGUIR AS NORMAS DA PROSPERI-

DADE QUE ESTÃO NOS MEUS LIVROS”. Wizard afirmou

que no Brasil 30 pessoas se tornam milionárias por

dia, o que animou a plateia.

Carlos Wizard / Pyero Tavolazzi

Carlos Wizard

Pedro Superti abriu o segundo dia de evento e deu a ideia de que temos que “ADAPTAR O QUE É ÚTIL,

defen-

REJEITAR O QUE É INÚTIL E ADICIONAR O QUE É ESPE-

CIFICAMENTE SEU”, frase de Bruce Lee. Superti também

explicou que, para ter uma marca que atinja os

clientes, é necessário ter um nome fácil de escrever,

fácil de lembrar e ter um sentimento bom atribuído

a ela.

Pedro Superti

Paulo Vieira foi aplaudido de pé ao subir no palco. Ele,

que é fundador da maior instituição de Coaching do

mundo, a Febracis, afirmou que “SE ALGUÉM PÔDE RE-

ALIZAR ALGO, VOCÊ TAMBÉM PODE”. Vieira também

mostrou que os empreendedores não conseguem

lucrar se querem fazer apenas algo que gostam, eles

precisam aprender a gerir e delegar.

“ALGO TEM QUE MUDAR, E ESSE ALGO

ESTÁ DENTRO DE VOCÊ”.

Paulo Vieira repetiu diversas vezes que é necessário

que reconheçamos as próprias limitações. “A única

coisa que sei é onde estou e onde quero chegar”, disse

ele. O palestrante também defendeu dois tópicas

que precisam se tornar obsessões: lucro e entrega extraordinária.

Dentro do segundo entram a questão de

impactar o cliente, mudar a vida dele se apaixonar por

ele para que você faça o melhor para quem compra

seu produto ou serviço. Ele finaliza com a frase:

“O QUE VOCÊ QUER SER

A PARTIR DE HOJE?”

Paulo Vieira


07

GRANT CARDONE

Grant Cardone é dono de uma fortuna de US$ 350 milhões

construída completamente no mercado imobiliário,

mas antes dos jatos particulares, carros e casas

de luxo, ele era um desempregado viciado em drogas

e sem autoestima. É, portanto, extraordinário que

poucos anos depois de deixar a reabilitação, ele se

tornou um milionário. Cardone é um exemplo vivo de

que qualquer um poderia buscar o sucesso, independentemente

de seus antecedentes ou circunstâncias.

Recebido com muitos aplausos e muitos gritos pelos

participantes do evento, explicou que um dos primeiros

passos a ser seguido é o de não se importar com

o que os outros dizem. “SE VOCÊ SE IMPORTA COM O

QUE PENSAM, VOCÊ NÃO TERÁ O QUE QUER”.

Cardone contou que mesmo com tantos problemas,

sempre manteve sua mente focada e tinha a certeza

de que um dia seria um sucesso, e assim o fez. Ele

mostrou uma regra de três tópicos para conseguir

criar renda:

1. CONSEGUIR DINHEIRO

2. MANTER O DINHEIRO

3. INVESTIR

Para o palestrante, o Brasil precisa crescer 10X mais

para sair da crise. “Crescimento da economia e das empresas

não depende somente do governo e sim do aumento

da produtividade, com mais gestão, o brasileiro

precisa sair do sofá. Tenham 10 vezes mais ações para

alcançar sonhos 10 vezes maiores”, gritou o america-

no ao mencionar que poucas pessoas estão no limite

máximo de suas forças e capacidades. Muitas simplesmente

não fazem nada e culpam a política e a mia.

Segundo Cardone, a receita do fracasso é simples, EU

econo-

NÃO TE CONHEÇO, E EU TE ESQUECI. É necessário chamar

atenção e deixar uma marca. “A ÚNICA PESSOA

QUE VAI TE CRITICAR É A QUE ESTÁ FAZENDO MENOS

QUE VOCÊ”, , afirmou.

Grant Cardone é CEO de sete empresas de capital fechado

e autor do livro “THE 10X RULE”, aqui no Brasil

a publicação foi traduzida pelo empresário Pyero Tavolazzi

que teve a inciativa de disponibilizar a publicação

aos brasileiros.

“NÃO SEREI LEMBRADO POR CAUSA DO

DINHEIRO QUE GANHEI, MAS SIM, POR QUANTAS

PESSOAS EU AJUDEI. ESTOU TRABALHANDO EM

COMO SEREI LEMBRADO EM 2100.”

EVENTO


08

EVENTO

AARON ROSS

O americano Aaron Ross, um engenheiro formado em

Stanford, pai de 12 filhos, esteve no palco no Nitro 10X

e deixou claro que o trabalho é importante sim, mas

a família é muito mais, para ele é possível trabalhar

duro e fica com seus filhos, é necessário desacelerar.

Autor de um dos livros de negócios mais vendidos no

mundo, promove uma forma de vender baseadas em

alguns pilares que levam em conta a real necessidade

do cliente.

Ross começou um negócio e conseguiu milhares de

dólares, mas fracassou. Segundo ele foi muito dolorido

e de daquele dia em diante resolveu aprender tudo

o que podia sobre vendas, como ganhar dinheiro e expandir

os negócios.

No Nitro 10X, Ross falou que, para atingir o cliente, é

necessário usar a linguagem própria e que a paciência

é um elemento essencial, “AS COISAS NÃO ACONTE-

CEM DE UM DIA PARA O OUTRO. É NECESSÁRIO MELHO-

RAR UM POUCO TODOS OS DIAS”.


09

A EMPREENDA teve acesso ao autor e fez algumas

perguntas sobre como os pequenos empreendedores

podem aplicar suas técnicas sobre produto escalável.

ER - No livro Receita Previsível é abordado sobre os

dois tipos de vendedores, os que abrem as portas e

os que fecham, mas sempre com o foco em um produto

escalável, de uma empresa maior. Como aplicar

a um pequeno empreendedor que inicia os negócios

agora?

AR - O mais importante é que os novos empreendedores

entendam que vender é uma habilidade, que precisa ser

desenvolvida, que nas primeiras vendas, você vai vender

um produto ou uma ideia, você vai sofrer, então você precisa

aprender como abraçar as vendas online, e os novos

empreendedores não querem entender, não querem fazer

o seu marketing de nada, tem um “nojinho” assim,

mas os melhores vendedores do mundo, como a Madre

Teresa, Elon Mask, são pessoas de visão que conseguiram

inspirar outras pessoas, é isso que os novos empreendedores

precisam perceber que a venda é sobre inspirar os

outros, eles precisam saber fazer para poderem vencer.

ER - Hoje sua meta é trabalhar 15 h por semana, sempre

no Coworking, sem levar carregador do computador,

como atrair essa mentalidade consciente de

produtividade alta, dentro dessa mentalidade do

empreendedor, inovador que está iniciando a sua

carreira?

AR - Anos de prática, e perceber também que ao longo

dos anos os relacionamentos não são os mesmos, se eu

tivesse uma marca há anos tudo seria mais fácil, levou

anos mesmo, 10 anos de prática, é bem difícil trabalhar

mesmo, minha mente quer sempre fazer e vender mais

coisas, então é bem difícil, também é bom ter parceiros

e sócios, uma terceira coisa é ter uma especialidade, você

tem que ser muito, muito bom mesmo e ser reconhecido

por essa especialidade.

ER - Qual o conselho você daria para esse jovem empreendedor,

que tem esse entusiasmo que acredita

numa ideia, mas que precisa de uma execução guiada,

para não passar 15, 10 anos errando?

AR - Não tem atalho, desculpe, mas eu diria que estamos

cheios de histórias de sucesso ao nosso redor, para

muitos empreendedores leva muitos, muitos anos, para

aqueles cheios de ideias e buscam transformá-las em sonhos,

para ganhar dinheiro com elas e torná-la sustentável,

muitas vezes levam de 5 a 10 anos para muitas

empresas, mas você tem que seguir adiante, as vezes é

fácil, mas normalmente é sofrido, é desafiador, tem muito

aprendizado, mas não tem atalho, você tem que ir lá

e fazer, se tiver um mentor, melhor, porque quanto mais

rápido você conseguir aprender, significa que você vai

querer ter resultados mais rápidos.

Ross deixou claro que vendedores não prosperam por

dois motivos:

ELES NÃO GOSTAM DO QUE FAZEM

E NÃO SÃO BONS, E SALIENTOU

QUE TODO PROBLEMA É UMA

OPORTUNIDADE E QUE A FAMÍLIA NÃO

É UM OBSTÁCULO PARA O SUCESSO.

EVENTO


10

A MENTE POR

TRAS DO NITRO 10X

EVENTO

CEO da DTS GROUP, Pyero Tavolazzi, é um empresário

de sucesso no segmento de eventos, sua agência

é responsável pela realização de mais de 340 eventos

produzidos e quase 1 milhão de pessoas impactadas,

esses eventos são realizados no Brasil e nos Estados

Unidos. O empresário se qualifica como um cara simples,

humilde e muito ambicioso, que busca sempre

estar no topo. Empreende há 6 anos e possui 3 empresas,

sendo a DTS GROUP uma holding especializada

em geração de resultado para evento, produção e

criação de grandes eventos ao vivo, todos com ênfase

em desenvolvimento humano e convenções.

Em 2018, Tavolazzi, adquiriu a BH Films, uma produtora

de vídeos que atende o mercado corporativo, na

parte de séries, vídeos institucionais, infoprodutos,

cursos online, congressos e seminários. A One Global,

uma empresa de licenciamento, com mais de 50

produtos licenciados, também faz parte da holding.

A DTS GROUP realiza eventos que possa ajudam outras

pessoas a ficarem ricas e viverem do que amam,

para o empresário, “a excelência está dentro de você”

e ele próprio é fruto dessa determinação interna, Tavolazzi

teve uma infância bem desafiadora, e conseguiu

transformar seu sonho em realidade, agora ele

faz algo coletivo, ajudando pessoas a realizarem seus

sonhos, fizemos uma entrevista com o jovem empresário

que cresceu exponencialmente nos últimos anos

e está mudando a realidade de muitos a sua volta.


11

ER - Quem é o Pyero Tavolazzi?

PT - Um jovem empreendedor, apaixonado por todos os

seres humanos, com uma fé inabalável que nada nem ninguém

me paralisa e nem me desestrutura. Sou apaixonado

por Jesus, pois quando estive em São Paulo sozinho, e achava

que não iria suportar os desafios, não tinha dinheiro, estratégia,

amigos, era em Cristo que eu buscava segurar nas

mãos.

Sou um cara amigo, acordo muito cedo, cuido da saúde,

tenho uma ambição grande, não me conformo com o que

já conquistei, busco cada vez mais realizar grandes obras,

acredito que todo ser humano necessita ter uma vida abundante

em todas as áreas da vida, e sempre busco por isso.

Tenho no coração um desejo de poder contribuir e ajudar

pessoas não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro, com a

questão da inteligência espiritual, acredito que seja o maior

mal do Século XXI, as pessoas estão com as mentes conturbadas,

cheias de impaciência e não suportam a pressão internamente

da sociedade.

ER - O que o motivou a empreender?

PT - Era um garoto muito pobre, morava na zona norte de

São Paulo, em um bairro de periferia e até os sete anos de

idade tive pouco contato e momentos com o meu pai, ele

teve depressão e num quarto, sem trabalhar, sem produtividade.

Minha família vivia de cestas básicas e doações dos

meus avós.

Em minha adolescência eu me comparava com os colegas,

gerando assim um desconforto e revolta interna muito

grande, assim que completei dezoito anos fui para São Paulo

sozinho, meu objetivo era mudar a vida dos meus pais.

Morei de favor, trabalhei de segurança, entreguei jornal na

madrugada, vendi flores, cantei, promovi eventos, até que

consegui um estágio em uma agência. Após alguns anos,

consegui um salário incrível, mas ainda não tinha cumprido

meu objetivo. Sai da agência e resolvi empreender. Mesmo

com muitos desafios, e mesmo escutando de pessoas que

eu não iria conseguir, eu fiz e seis meses após abrir minha

agência, fechei meu primeiro contrato que de lucro me rendeu

R$ 600 mil reais. Assim começo minha trajetória, trabalhei

duro e consegui trazer meus pais para São Paulo, hoje

proporciono a eles uma vida boa.

ER - Quais os maiores desafios enfrentados em sua trajetória

empreendedora?

PT - Falta de relacionamento, networking, quando eu saí da

empresa que trabalhava acreditei que uma pessoa iria me

ajudar, mas jogaram um balde de água fria na minha cabeça,

tive que aprender tudo sozinho, acertando e errando

dia após dia. Descobri um nicho, me destaquei, me aprofundei

nele e me tronei especialista. Posicionei minha empresa,

essa é uma dica que deixo, quando estiver em um

mercado muito competitivo, amplo, escolha o nicho e se

torne a maior referência, especialista nesse nicho, encontre

uma maneira e uma solução de gerar tanto valor aos

seus clientes desse nicho, a tal ponto que você não precise

mais vender, é o que acontece com a minha empresa hoje,

os clientes procuram pela empresa para gerar resultado e

experiência ao cliente.

ER - Qual o grande diferencial do evento NITRO 10X?

PT - O grande diferencial do NITRO 10X frente aos outros

eventos de Empreendedorismo no Brasil é conteúdo, o foco

é crescimento exponencial, nenhum outro evento no Brasil

tem esse foco de 10x, fazendo o espectador crescer até 10x

num curto espaço de tempo, todas as pessoas que subiram

no palco do Nitro 10x, são pessoas que conquistaram 10x

mais, são pessoas que realmente trouxeram um conteúdo

10x melhor, que fazem você crescer 10x mais em qualquer

área da sua vida, o evento foi marcado no Brasil, por ser o

primeiro evento no País com a metodologia dos EUA, Next

10, onde no palco só foi aceito empresários com a cultura de

crescer 10x mais, com crescimento exponencial.

ER - O que virá de inovador no mercado para o NITRO

10X 2020?

PT - Primeiro o compromisso de trazer ao Brasil os maiores

empresários e treinadores do mundo e de preferência, alguém

que ainda não tenha tido a oportunidade de vir até

nosso País. Vamos tornar o NITRO 10X 2020 , 10 vezes melhor

que o de 2019, com a meta de dobrar a quantidade de

pessoas, bem como o conteúdo de empresários de até 10x

melhores, não tem como abordar a teoria 10x MAIS e não

aplicar no evento ao vivo 10x MAIS, estamos em negociação

com 03 grandes empresários extraordinários do exterior

que nunca vieram ao Brasil, será muito mais impactante

que esse ano, um compromisso meu para a sociedade.

ER - Para finalizar nossa entrevista deixe uma dica para

nossos leitores.

PT - Para chegar no topo e permanecer de uma maneira

feliz, satisfeita e continuar crescendo, é preciso ter inteligência

espiritual, antes de empreender, antes de fechar

qualquer negócio, antes de buscar lucro, é preciso cuidar

da alma, porque ao alimentar a sua alma você vai ganhar

resiliência, fé inabalável, caráter, benignidade, transparência,

além da paz. Tendo essas virtudes, tudo o que fizer se

torna mais leve. Lembre que não tem como buscar o sucesso

e crescer de maneira avassaladora, permanecendo lá e ser

feliz, com paz de espírito e tranquilidade sem antes ter inteligência

espiritual.

ALIMENTE A SUA ALMA TODOS OS DIAS, AS PESSOAS

SÓ ESTÃO INTERESSADAS EM QUEM VOCÊ É, NÃO NO

QUE VOCÊ TEM, GERE BENEFÍCIOS PARA ELAS ATRAVÉS

DE CONEXÕES. VOCÊ PODE TER MUITO DINHEIRO, SER

MUITO PODEROSOS, MAS NUNCA ESQUEÇA DE QUE

PAZ, AMOR, ALEGRIA E TRANSPARÊNCIA, SÃO VIRTU-

DES QUE TE FAZEM PERMANECER NO SUCESSO.

EVENTO


12

Nos dias, 8, 9 e 10 de novembro, aconteceu

a primeira edição do Summit Êxito de

Empreendedorismo, no São Paulo Expo.

Durante os três dias de evento passaram pelo Summit

uma média de 3 mil pessoas para acompanhar

palestras e lições de vida dos maiores nomes do Empreendedorismo

no brasil, como Marc Twawil, Head

da Tawil comunicação; José Roberto Marques, presidente

do Instituto Brasileiro de Coaching; Janguiê Diniz,

fundador do grupo Ser educacional e presidente

do Instituto Êxito de Empreendedorismo; João Appolinário,

fundador e CEO da Polishop; Ricardo Bellino,

ex-sócio de Donald Trump; Geraldo Rufino, fundador

da JR Diesel; Thiago Nigro, fundador do canal do You-

tube Primo Rico; Fábio Coelho, presidente do Google;

Carol Paiffer, CEO da Atom, entre outros grandes empreendedores.

Um dos palestrantes do evento, João Apolinário - fundador

e CEO da Polishop - ressaltou na ocasião o quanto

gosta de estar com uma plateia cheia de empreendedores.

“EU GOSTO MUITO DE ESTAR

COM PESSOAS QUE ESTÃO

CONECTADAS COM O MEU DIA A

DIA, CONECTADAS COM O QUE EU

GOSTO DE FAZER E CONECTADAS

COM AQUILO QUE EU MAIS

ADMIRO QUE SEJA A

VOCAÇÃO E A VONTADE

DE APRENDER”.


13

Janguiê Diniz em sua palestra transmitiu a mensagem

que todos podem transformar seus sonhos em realidade.

“A MENSAGEM QUE EU

GOSTO DE DEIXAR É QUE,

TODO MUNDO TEM QUE

SONHAR, SONHAR MUITO,

SONHAR GRANDE, SONHAR

SONHOS IMPOSSÍVEIS.

MAS NÃO BASTA SONHAR,

TEM QUE TRANSFORMAR ESSE

SONHO EM UM PROJETO DE VIDA,

TRAÇAR METAS E COM MUITA

DISCIPLINA E DEDICAÇÃO,

LUTAR MUITO PARA TORNAR

O SONHO REALIDADE”, frisou.

Um dos nomes que também passou pelo palco do

Summit foi Gustavo Caetano, fundador e presidente

da Sambatech, conversou com o público sobre pensar

simples.

“SOBRE PENSAR SIMPLES

AS PESSOAS TENDEM A

ACHAR QUE FAZER ALGO

INOVADOR TEM QUE SER

COMPLEXO E A MINHA

BANDEIRA É QUE TEMOS

QUE SIMPLIFICAR AS

COISAS”, reforçou.


14

O Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito ainda

contou com mentorias feitas pelos próprios palestrantes.

O presidente do Instituto Êxito, Janguiê Diniz

já garantiu que uma nova edição acontecerá em 2020.

“NO ANO QUE VEM, EM OUTUBRO DE 2020, TERE-

MOS O SEGUNDO SUMMIT ÊXITO DE EMPREENDE-

DORISMO PARA MUITO MAIS DE 5000 PESSOAS.

TEREMOS MAIS HISTÓRIAS DE INCENTIVOS DOS

NOSSOS SÓCIOS COM O OBJETIVO DE IMPACTAR

A VIDA DAS PESSOAS, CONTANDO COMO CONS-

TRUIR E COMO PASSAR PELO CAMINHO ÁRDUO

DO EMPREENDEDORISMO E CHEGAR AO TOPO”.

O Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing

the Giants, maior evento sobre empreendedorismo,

criatividade e inovação do Brasil aconteceu dentro

do Welcome Tomorrow – evento que reúne startups e

grandes empresas de inovação e tecnologia e que é

referência em mobilidade na América Latina. Durante

os dias de evento, o público acompanhou talks de

palestrantes, com grandes nomes do empreendedorismo

nacional.

CASE DE SUCESSO

05

A programação do Summit de Empreendedorismo Instituto

Êxito – Facing the Giants ainda contou com palestras

de profissionais renomados em diversas áreas

como: Leandro Marcondes, fundador da Experiência

de Sucesso; Lilian Primo Albuquerque, executiva de

desenvolvimento; João Kepler, partner da Bossa Nova

investimentos e um dos maiores investidores anjo

do Brasil; Bruno Pinheiro, especialista em marketing

digital, fundador e CEO da Be Academy; Edgar Ueda,

empresário do setor imobiliário, autor de best-seller

˜Kintsugi - o poder de dar a volta por cima˜; Nina Silva,

executiva de TI, sócia fundadora do movimento

Black Money, entre outros grandes nomes do empreendedorismo

no Brasil.


15

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!