13.12.2019 Views

Revista Pós-Venda Pesados 25

Na edição de aniversário da Revista Pós-Venda Pesados destaca-se o dossier de cartões frota e a reportagem do salão Equip Auto. A Ok Trucks, da Iveco e a frota da Costa Melo Transportes estão também em destaque. Tudo isto e muito mais na edição de dezembro 2019 / janeiro 2020 da Pós-Venda Pesados.

Na edição de aniversário da Revista Pós-Venda Pesados destaca-se o dossier de cartões frota e a reportagem do salão Equip Auto. A Ok Trucks, da Iveco e a frota da Costa Melo Transportes estão também em destaque. Tudo isto e muito mais na edição de dezembro 2019 / janeiro 2020 da Pós-Venda Pesados.

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

N.º25

DEZEMBRO 2019 / JANEIRO 2020

2€ PERIODICIDADE BIMESTRAL

www.posvenda.pt

f revistaposvenda

i company/revista-pós-venda

l RevistaPOSVENDA

EDIÇÃO DE

ANIVERSÁRIO

4 ANOS

PUBLICIDADE

Lubrificantes

e aditivos

alemães

PUBLICIDADE

Cartões

Frota

O controlo de custos para as frotas assume

crucial importância atualmente e os cartões

frota são uma ferramenta importante para

os reduzir

PERSONALIDADE

Não tendo qualquer ligação

ao setor dos pesados,

fomos saber como é que

o ambientalista Francisco

Ferreira olha para o futuro do

setor automóvel

MERCADO

A Diesel Technics

implementou um sistema que

garante a qualidade das peças

que comercializa nas marcas

DT Spare Parts

e SIEGEL Automotive

DESTAQUE

A profissionalização

do negócio de usados

transcende atualmente

a venda do próprio veículo,

como se prova pelo programa

OK Trucks da Iveco

PUB

+351 244 817 218

info@zfrost.pt

www.zfrost.pt


3

PROPRIETÁRIA E EDITORA

ORMP Pós-Venda Media, Lda

Estrada de Polima

Centro Industrial da Abóboda nº 1007

2º andar, Escritório I

2785-543 São Domingos de Rana

Nº Contribuinte: 513 634 398

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Paulo Homem

Anabela Machado

CAPITAL SOCIAL DA ORMP

Bettencourt & Mendes, Lda - 50%

Paulofimedia Unipessoal, Lda - 50%

CONTACTOS

Telefone: +351 218 068 949

Telemóvel: +351 939 995 128

E.mail: geral@posvenda.pt

www.posvenda.pt

f facebook.com/revistaposvenda

i linkedin.com/company/

revista-pós-venda

DIRETOR

Paulo Homem

paulo.homem@posvenda.pt

REDAÇÃO

Nádia Conceição

nadia.conceicao@posvenda.pt

COLABORADOR TÉCNICO

Jorge Pereira

DIRETORA COMERCIAL

Anabela Machado

anabela.machado@posvenda.pt

COMERCIAL

José Ferreira

jose.ferreira@posvenda.pt

ADMINISTRATIVA

Anabela Rodrigues

anabela.rodrigues@posvenda.pt

PAGINAÇÃO

Ricardo Santos

geral@posvenda.pt

SEDE DE REDAÇÃO

Estrada de Polima

Centro Industrial da Abóboda nº 1007

2º andar, Escritório I

2785-543 São Domingos de Rana

TIRAGEM

5.000 Exemplares

Nº REGISTO ERC

126723

DEPÓSITO LEGAL

403162/15

PERIODICIDADE

Bimestral

IMPRESSÃO

DPS – Digital Printing Solutions MLP, Quinta

do Grajal – Venda Seca, 2739-511 Agualva

Cacém – Tel: 214337000

PUBLICIDADE

ESTATUTO EDITORIAL

Disponível em www.posvenda.pt

Sumário

S

PÓS-VENDA PESADOS

N.º25

DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

www.posvenda.pt

6

Destaque

Iveco Usados.....................................................................................................................................................P.06

8

Notícias.............................................................................................................................................................P.08

14

Atualidade

Salão de Paris...................................................................................................................................................P.14

18

Mercado

Adir Viseu............................................................................................................................................................P.18

Travocar................................................................................................................................................................P.20

Diesel Technics.................................................................................................................................................P.22

24

Internacional

Meyle.....................................................................................................................................................................P.24

26

Oficina

Movitrucks..........................................................................................................................................................P.26

28

Frota

Costa Melo Transportes..............................................................................................................................P.28

30

Personalidade

Francisco Ferreira – Associação Zero.................................................................................................P.30

36

Dossier

Cartões Frota.....................................................................................................................................................P.36

46

Camiões / Autocarros

Novidades............................................................................................................................................................P.46

50

Técnica

Cesvimap.............................................................................................................................................................P.50

54

Formação

Car Academy 09..............................................................................................................................................P.54


4

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Editorial

E

PAULO HOMEM

DIRETOR

paulo.homem@posvenda.pt

Estranha-se...

depois entranha-se

A

revista PÓS-VENDA

PESADOS comemora nesta

edição os quatro anos de

publicações regulares. Tendo

como ponto de partida a revista

PÓS-VENDA, que é distribuída

para o setor que trabalha com veículos

ligeiros, entendemos, desde a primeira

hora, que não fazia qualquer sentido

comunicar temas sobre o pós-venda de

veículos pesados numa revista que era

exclusivamente distribuída para o setor

dos serviços, da reparação e manutenção

de veículos ligeiros.

Como qualquer novo projeto que se

inicia numa nova área da comunicação

especializada, a revista PÓS-VENDA

PESADOS é desde o primeiro número

a ÚNICA revista 100% focada no setor

profissional dos serviços, da reparação

e manutenção de veículos pesados,

sendo também a ÚNICA do setor com

distribuição dedicada e especifica para

este setor.

No quarto ano de edição, estamos felizes

com o que já conseguimos atingir, com

o apoio de muitas empresas, que editorial

ou comercialmente nos têm vindo

a ajudar na elaboração de uma publicação

que tem vindo a diversificar os seus

conteúdos para tudo o que é pós-venda

no setor dos pesados.

Mesmo assim, ainda nos falta percorrer

um enorme caminho com muitas

empresas deste setor, nomeadamente

alguns dos mais importantes grossistas

de peças e algumas marcas de pesados,

que já nos conhecem muito bem (pelo

menos a atestar pela quantidade de informação

que nos enviam), que sabem

exatamente o trabalho que fazemos e a

forma como distribuímos a nossa publicação,

mas que ainda não apostaram

comercialmente neste meio para se tornarem

mais visíveis no mercado para o

qual comercializam os seus produtos

(peças) e serviços, que são exatamente

as mesmas empresas para onde distribuímos

a nossa publicação.

É nesta relação WIN / WIN que queremos

continuar a apostar, isto é, a revista

PÓS-VENDA PESADOS quer continuar

a trabalhar com todas as empresas

que estão neste setor, mas quer também

que algumas dessas empresas nos vejam

como parceiro estratégico para anunciar

e divulgar os seus produtos e serviços e

partilhar a sua visão estratégica do negócio

através de conteúdos editoriais.

Se nos dois primeiros anos muitas empresas

deste setor “estranharam” a nossa

forma de comunicar, pois não existia

esse histórico no setor, atualmente essa

forma de comunicar “entranhou-se” no

mercado e nos seus profissionais, e todos

(ou quase todos) já sabem muito

bem os benefícios de comunicar os seus

produtos e serviços através da PÓS-

VENDA PESADOS. É precisamente por

isso que 2019 foi para a PÓS-VENDA

PESADOS o melhor dos últimos quatro

anos, num crescimento constante

ano após ano, mas achamos que o potencial

de mercado ainda está longe de

ser alcançado.

Quero desejar a todos um excelente 2020,

com muitos negócios e profissionalmente

com a PÓS-VENDA PESADOS a

seu lado.

Como qualquer novo

projeto que se inicia

numa nova área

da comunicação

especializada, a

revista PÓS-VENDA

PESADOS é desde

o primeiro número

a ÚNICA revista

100% focada no setor

profissional dos

serviços, da reparação

e manutenção de

veículos pesados


6

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Destaque

D

PESADOS

IVECO - OK TRUCKS

Crescer nos usados

O negócio da OK Trucks não se fica só pela venda de usados,

também transforma veículos e oferece serviços de acordo com

as necessidades dos clientes

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

A

OK Trucks, marca da Iveco

Portugal, que desde 2016 se

dedica à comercialização de

veículos usados, está a crescer.

Com previsão de abertura do

terceiro centro no primeiro trimestre de

2020, em Leiria, a OK Trucks, além de

uma oferta variada de veículos ligeiros e

pesados, conta com vários serviços adicionais

e adaptação às necessidades do cliente.

VIATURAS

Os veículos OK Trucks estão divididos

em três categorias: Premium, Comfort e

Basic, com base em critérios como o ano

de fabrico, a quilometragem e o grau de

recondicionamento. “Temos viaturas com

dois anos e com 30 anos, e algumas com

60 mil quilómetros e outras com 1 milhão.

Surgiu, por isso, a necessidade de as

categorizarmos: a categoria Basic, para as

viaturas com mais idade e mais quilómetros,

a categoria intermédia Comfort, e a

categoria Premium, para as viaturas com

menos de quatro anos e menor quilometragem.

O nível de serviços associados e

de preparação também varia consoante a

categoria em que o veículo se insere”, indica

Magno Mendes, Diretor Comercial

Usados da Iveco Portugal. A categoria

Premium está, essencialmente, direcionada

para empresas de média ou grande

dimensão, enquanto a gama Comfort se

destina a empresas de menor dimensão

e as viaturas da gama Basic “têm dois canais

de venda: o canal do comércio ou

empresas que estão a iniciar atividade”.

Os veículos em stock também se dividem

entre a gama ligeira, entre as 3 e as 7,5

toneladas, a gama média, com viaturas

entre as 7, 5 e as 19 toneladas, e a gama

pesada, que vai, atualmente, das 19 às 60


7

toneladas. “Temos viaturas multimarca,

em que algumas são retomas de negócio

de novos ou de usados, outras provém

das compras livres por parte do departamento

OK Trucks, e também temos

viaturas provenientes de buy-back, de

leasing operacional ou renting. As compras

livres são, no geral, viaturas que estão

noutros centros OK Trucks da Europa e

procuramo-las quando existe falta de stock

de alguma gama em Portugal”. A OK

Trucks já disponibiliza também serviços

de telemática, tais como a avaliação de

condução e de consumos. “Era algo que

não se fazia nos usados e atualmente já

temos possibilidade de fazer, porque as

viaturas mais recentes já possuem estes

equipamentos”.

RECONDICIONAMENTO

É feita uma limpeza interior e exterior

em todas as viaturas que chegam aos

centros OK Trucks. “A limpeza, interior

e exterior, é algo que consideramos essencial

para todas as viaturas. Na categoria

Comfort, fazemos sempre uma preparação

mecânica e, na categoria Premium, fazemos

a preparação mecânica e um recondicionamento

estético da viatura, com

uma grande atenção ao detalhe”, explica

António Lourenço, Diretor de Serviços

Técnicos Retalho da Iveco Portugal. “A

grande vantagem da Iveco é que oferecemos

garantias do fabricante. Oferecemos

o mesmo tipo de garantia de uma viatura

nova, que pode ir de um a três anos,

com a possibilidade de o cliente incluir

uma garantia total. Regra geral, nas viaturas

Premium temos feito campanhas

para incluir garantias de dois anos e nas

viaturas Comfort incluímos a garantia

de um ano, sendo que existe sempre a

possibilidade de o cliente contratar uma

extensão dessa garantia e atingir os três

anos, ou de fazer a garantia total com

coberturas adicionais”, explica António

Lourenço, que indica que o serviço de

recondicionamento tem evoluído positivamente.

“Temos vários pontos de verificação,

desde a parte mecânica: manutenções,

pequenas avarias ou prevenção, até

à parte estética. Toda a viatura é revista,

com alguns pontos-chave: o chassis, que

é revisto e repintado, assim como a cabine.

Isto aplica-se às categorias Premium e

Comfort. Na categoria Premium, a checklist

é mais completa que na Comfort. Os

técnicos estão atentos a qualquer situação

adicional para que seja corrigida, mesmo

que não esteja previsto naquela categoria”,

explica António Lourenço.

Depois da verificação mecânica e de recondicionamento

de chapa e pintura,

segue-se a revisão aos pneus. A parte final,

como a lavagem, fica dependente da

data prevista de entrega. Nos pneus, a OK

Trucks recorre a parceiros. “Temos parceiros

preferenciais que colocam os pneus

no estado necessário para a sua utilização.

Existem casos excecionais em que o

cliente tem contrato de pneus associado

e, portanto, é selecionada a marca desse

parceiro utilizada pelo cliente”, explica

António Lourenço.

ALTERAÇÕES

O departamento comercial da Ok Trucks

aconselha o cliente sobre qual o tipo de

viatura que se enquadra na sua atividade

e necessidades, “A Iveco é flexível para

realizar transformações aos veículos, caso

o cliente pretenda alterar a cor da viatura,

ou adaptá-la ao tipo de serviço que realiza:

caso precise de um kit hidráulico, por

exemplo, fazemos a instalação”, explica

Magno Mendes.

MANUTENÇÃO

Ao adquirir uma destas viaturas, o cliente

tem a possibilidade de incluir um contrato

de manutenção, que pode ir de um a três

anos. “Neste contrato, apenas a gestão de

pneus não está incluída. O cliente escolhe

uma oficina preferencial, mas pode

fazer a manutenção em qualquer ponto

da rede Iveco, em Portugal ou na Europa”,

explica António Lourenço, que adianta:

“Assistimos no pós-venda ao cliente aderir

cada vez mais a este tipo de planos de

manutenção aos contratos de manutenção

e reparação porque procura ter custos

estáveis e não ter preocupações adicionais

e manter a qualidade do serviço Iveco”.

O objetivo da OK Trucks é ser a marca

de referência no mercado de usados em

Portugal. “Este ano vamos faturar cerca

de 700 unidades. Já temos cerca de 100

para o próximo ano, e o nosso objetivo

é crescer 15% em 2020 e 15% em 2021,

para atingirmos o patamar das 1000 unidades

usadas vendidas por ano”, conclui

Magno Mendes.


8

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Notícias

N

30 ANOS FUCHS EM PORTUGAL

Qualidade como

estratégia

A Fuchs comemorou os 30 anos de presença oficial no mercado

português, nos quais sempre orientou a sua estratégia para a

qualidade dos seus produtos, tanto no setor auto, como na área

industrial

Apesar de já ser comercializada

há várias décadas em Portugal,

a marca Fuchs só está representada

oficialmente no mercado

português há 30 anos.

Desde 1989, tem vindo a oferecer ao

mercado português uma das gamas mais

alargadas de lubrificantes automóveis e industriais,

massas lubrificantes, fluidos de

tratamento de metais, lubrificantes para

aplicações especiais e serviços. É provavelmente

das empresas com a gama mais

completa de produto para todo o tipo de

aplicações, seja para automóvel, camião,

motos, máquinas diversas, sem esquecer

a componente industrial, que aliás, representa

cerca de 70% do negócio Fuchs, ficando

os restantes 30% para o setor auto.

Mais do que comemorar a data, que não

deixa de ser um marco importante, a

Fuchs pretendeu dar a conhecer algumas

importantes novidades na sua atividade.

Uma dessas novidades foi a renovação das

instalações, recentemente concluídas. Diz

a empresa, que a prioridade foi pensar no

bem-estar dos colaboradores da empresa,

mas também seguir as tendências em matéria

de eficiência energética. O edifício

foi renovado e a área administrativa foi

ampliada, tendo-se investido no revestimento

térmico e acústico, com um renovado

sistema de climatização central.

Com uma imagem muito mais moderna,

grande parte do complexo empresarial

da Fuchs em Portugal, é constituído

por diversos armazéns, unidos entre si,

com milhares de referências em stock,

que permite a empresa uma enorme capacidade

logística e de serviço, adaptada

à realidade da distribuição atual.

Na apresentação dos 30 anos da Fuchs em

Portugal, Paul Cezanne, diretor-geral da

Fuchs em Portugal referiu que a empresa

está apostada num reforço da sua atividade

ao nível do setor automóvel, em geral,

e do aftermarket, em particular. “Vimos

que existe uma excelente oportunidade de

crescer no aftermarket automóvel. Temos

sido pioneiros no lançamento de produtos

para o primeiro enchimento, que depois

lançamos regularmente para o setor

do aftermarket, que assim beneficiam da

qualidade dos nossos produtos”, afirma

diretor-geral da Fuchs em Portugal, reconhecendo

que “temos espaço para crescer

neste setor, até por via do alargado portfólio

de produtos que disponibilizamos

ao mercado português. Por isso, vamos

estar mais focados neste setor, com a criação

de uma divisão automóvel”.

Para reforçar a aposta da Fuchs no setor

automóvel em Portugal, a empresa criou

assim a tal divisão automóvel, que irá trabalhar

diretamente com os clientes de primeiro

enchimento (negócio OEM), mas

também assumir uma posição reforçada no

aftermarket automóvel. Esta divisão terá

como responsável André Castro Pinheiro,

profissional com um largo historial no setor

automóvel em Portugal.


10

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

N

NOTÍCIAS

ZF apresenta

Transmissão EcoLife 2

A

ZF apresentou a última geração do

seu comprovado sistema de transmissão

de automática para autocarros,

mantendo o princípio básico de uma

engrenagem planetária de seis estágios com

conversor de binário e retardador primário,

na segunda geração da transmissão EcoLife.

Inúmeras modificações técnicas otimizam

a nova versão da transmissão

powershift, permitindo

que os autocarros

urbanos e interurbanos se

movam suavemente com

um binário de entrada até

2.000 Nm, permitindo

passagens de caixa suaves.

Um conversor de binário

com um novo amortecedor de torção

permite mudanças de velocidades suaves e

rápidas. Também fornece a função “Start-

Stop” que permite poupar combustível. Há

também uma novidade dentro da caixa de

velocidades: a engrenagem planetária do

EcoLife 2 torna possível aumentar a relação

de transmissão total de 5.469 para 5.727,

necessária para aumentar a transmissão de

Global Parts dinamizou formação

Wabco em Leiria

A

Global Parts, juntamente com o seu

parceiro WABCO, proporcionou

esta semana dois dias de formação

nas suas recentes instalações de Leiria, aos

seus clientes oficinais.

O tema da formação foi a “Automatização

de Transmissões Manuais”, um sistema

WABCO para caixas ZF aplicadas na

MAN, IVECO e DAF.

Ministrada por Miguel Angel Serrano,

formador oficial WABCO, esta ação foi

dividida em duas partes, uma teórica onde

foram dados os fundamentos do tema e

outra prática, onde os formandos poderam

“trabalhar” numa caixa de velocidades

cedida pela WABCO e comprovar o seu

potência mecânica e, portanto, obter maior

eficiência. Os engenheiros da ZF conseguiram

reduzir ainda mais as perdas internas

de transmissão aplicando um revestimento

especial à embraiagem laminar. Outra

inovação no EcoLife 2 é o conceito de

refrigeração. O permutador de calor em aço

inoxidável, montado atrás da transmissão,

agora é de três canais, integrando o sistema

refrigeração da transmissão e eliminando a

necessidade para um recipiente adicional.

Outras vantagens do EcoLife 2 advêm

do sistema de controlo da

transmissão. O software

de controlo não é apenas

responsável por mudanças

de velocidades extremamente

rápidas, suaves e

confortáveis, mas também

equipa a nova geração de

transmissões de autocarros

urbanos com uma função de paragem

que contribui para a economia de combustível.

O EcoLife 2 estará disponível para

os clientes atuais da ZF no próximo ano,

após o qual será disponibilizado ao restante

mercado. Também está a ser desenvolvida

uma variante do EcoLife 2 para autocarros

de turismo, que cobre um intervalo de

binário entre 1.700 e 2.800 nm.

funcionamento.

“Foram dois dias de sala esgotada com

clientes e amigos que saíram das nossas

instalações seguramente mais preparados”,

refere Miguel Valentim, gerente da

Global Parts.

LIQUI MOLY eleita

melhor marca de

produtos químicos

As oficinas de veículos

pesados em Espanha, votaram

massivamente nos produtos

químicos da LIQUI MOLY, que

venceram na categoria de

qualidade e serviço dos prémios

da “Posventa Plural del Vehículo

Industrial 2019”.

Os profissionais de reparação de

veículos pesados preferem marcas

que respondam às elevadas

expectativas dos seus clientes e o

preço é um fator importante, mas

secundário. É uma das principais

conclusões do estudo “Marcas de

peças de reposição e maquinaria

mais valorizadas pelas oficinas de

Veículos Pesados”, levado a cabo

pelo The Hub Automotive Insights

após entrevistar 257 empresários

de oficinas de pesados, de um

total de 1773 que, de acordo com a

empresa, existem em Espanha.

O estudo serviu também de base

aos Prémios Qualidade e Serviço

da “Posventa Plural del Vehículo

Industrial 2019”, que elege as

marcas preferidas pelas oficinas

de pesados, em 65 categorias

de produtos diferentes. Foi na

categoria de qualidade e serviço

que a LIQUI MOLY acabou por

ganhou o seu prémio ao nível dos

produtos químicos, onde dispõe de

uma gama muito completa.

Num minuto...

As oficinas de veículos pesados

em Espanha, que votaram na Liqui

Moly na categoria de qualidade e

serviço, como melhor marca de

produtos químicos. O prémio foi

entregue na IFEMA, em Madrid.

A Vicauto, empresa que se

dedica à comercialização de

peças para o setor dos veículos

pesados, acaba de ver o

estatuto PME Líder renovado

por mais um ano.

Uma imagem renovada, mais

moderna e dinâmica, com o

objetivo de uniformizar as

suas oficinas e de melhorar a

comunicação com o cliente foi a

aposta da Carpneu.

Em Óbidos, os 48 agentes da

rede ContiService reuniramse

para a habitual convenção

anual, onde foram apresentados

os projetos para 2020 que têm

enfoque na componente digital.


11

ARP organiza

convenção em Peniche

em fevereiro

Será nos próximos dias 8 e 9 de

fevereiro de 2020, no MH Atlântico

em Peniche, que a ARP (Associação

Rodoviária de Transportadores

Pesados de Passageiros) vai realizar

a sua 14ª Convenção Nacional. A ARP

é uma associação empresarial que

abrange cerca de uma centena de

empresas de transporte de pesados de

passageiros, nacional e internacional,

que se dedicam essencialmente

ao Turismo, sendo por isso mesmo

algumas delas simultaneamente

Agências de Viagens. O referido

evento pretende ser um ponto de

encontro entre profissionais do sector,

permitindo assim, uma troca de

experiências e conhecimentos, sendo

igualmente um excelente veículo para

estabelecer um contacto direto com os

associados da ARP.

Nova máquina de

limpeza Hartridge

DPF200 Master

da Delphi

PUBLICIDADE

Mourauto celebra 40 anos e aposta

nos pesados

A

Mourauto celebrou os seus 40

anos de atividade, com clientes

e parceiros, no passado mês de

novembro, sendo que uma das novidades

apresentadas foi o alargamento

dos serviços no setor dos pesados nas

novas instalações. É nestas novas instalações,

mesmo ao lado das atuais em

Santa Maria da Feira (que continuam a

funcionar como oficina de automóveis

Bosch Car Service), passam a funcionar

as componentes técnicas, nomeadamente

a área diesel, os turbos e a mecânica

especializada ao nível dos motores e

caixas de velocidades. Neste evento,

Joana Moura, gerente da Mourauto,

anunciou que a empresa passou a integrar

o conceito AllTrucks, alargando

assim atividade à manutenção e reparação

de veículos pesados.

A Mourauto já era agente VDO, ao nível

dos tacógrafos, trabalhando por isso

com pesados há alguns anos, mas agora

passa também a disponibilizar serviços

técnicos para pesados e semirreboques,

integrando a rede europeia AllTrucks,

mantendo contudo, a sua longa e histórica

ligação à rede Bosch Car Service,

da qual foi pioneira.

Baseada na gama de equipamentos

de limpeza DPF, o modelo Hartridge

DPF200 Master fornece uma solução

de limpeza e diagnóstico rápido

e eficaz para filtros de veículos a

gasolina e a diesel. Com um novo

processo patenteado de limpeza por ar

seco, a máquina permite entregar o

veículo de forma rápida, o que

aumenta a produtividade e a

rentabilidade das oficinas.

“Na Europa, existem mais de 60

milhões de veículos ligeiros e

comerciais com filtros de partículas,

a necessidade de serviços de limpeza

de filtros está em ascensão. Isso

representa uma oportunidade de

negócio para as oficinas”, explica Lee

Jacobs, diretor de produtos técnicos e

estratégia global da Hartridge.

A rede oficinal de veículos

pesados Alltrucks e a ANTRAM

promoveram para os associados

desta entidade uma parceria,

facilitando o acesso destes às

oficinas da rede.


12

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

N

NOTÍCIAS

Texa apresenta ferramenta eTRUCK

A

Texa acaba de apresentar a ferramenta

de diagnóstico remoto

eTRUCK.

Esta ferramenta da TEXA permite às

Peças do Tâmega

inicia comercialização

de peças para furgões

A

Peças do Tâmega, grossista de peças

de pesados, com sede em Amarante

e loja em Vila Real, acaba de alargar

o seu portfólio de produtos, disponibilizando

peças para furgões e veículos de caixa

aberta. Seguindo uma certa tendência do

mercado, ao nível dos operadores de peças

para pesados, a Peças do Tâmega, introduziu

na sua gama de produtos um conjunto

Nova imagem para a AB Lubs

Com mais de 100 anos de experiência

no setor dos petróleos, a AB Lubs

comercializa e distribui

lubrificantes para todos os segmentos

de mercado, através da

marca própria AB Lubs. A novidade

é que aparece agora com

uma nova imagem no mercado.

Com o desenvolvimento

do mercado e crescimento do

próprio negócio Ab Lubs, tornou-se

necessário, segundo a

empresa, reformular a imagem dos seus

oficinas atingir um novo patamar no

diagnóstico dos veículos pesados, através

da possibilidade de monitorizar de forma

constante o status do veículo de forma

remota, gerir o serviço de uma forma

preditiva e executar funções de ajuste

que permitem ao mecânico restaurar as

condições ideais do veículo.

O eTRUCK pode ser configurado em

alguns minutos e é colocado na tomada

de diagnóstico do veículo, e funciona

como elemento de união entre o reparador

e o veículo, ajudando a aumentar

a fidelização dos clientes, através de um

serviço de assistência constante.

de peças destinados a furgões e veículos de

caixa aberta. Material de motor, material

elétrico, ferragens, chaparia diversa, travões

e suspensão são algunas das linhas de peças

para furgões agora comercializadas pela

Peças do Tâmega.

produtos de forma a ser reconhecida, destacando-nos

dos seus concorrentes.

“A nova imagem mantém na

base a nossa essência AB (Alves

Bandeira) e alavanca agora a

nossa origem europeia, através

da estrela, como selo de

qualidade, eficiência e maior

performance. Reformulamos

assim a nossa missão: tecnologia

europeia, performance global”,

refere Catarina Almeida,

gestora canal e marketing da AB Lubs.

Nova campanha de

gestão térmica do

motor da febi Truck

A gama de produtos febi Truck

não pára de crescer, dispondo a

marca de uma ampla gama de

componentes para regulação do

circuito de refrigeração.

Aquecimento e arrefecimento

em equilíbrio: esta é a descrição

ideal das tarefas desenvolvidas

atualmente pelos sistemas de

gestão térmica do motor. Com

uma ampla gama de componentes

para regulação do circuito de

refrigeração, a febi Truck oferece a

mais vasta gama na área de gestão

térmica do motor no aftermarket:

hélices das ventoinhas,

acoplamentos, radiadores, bombas

de água, termóstatos, tampões,

reservatórios do líquido de

refrigeração e tubos do radiador.

A febi aplica elevados níveis de

precisão na produção in-house de

peças para veículos pesados. Cerca

de 21 000 bombas de água para

veículos pesados são fabricadas

anualmente nas nossas máquinas

CNC.

A assinatura da campanha “A força

do arrefecimento” é apresentada

juntamente com um motor

congelado para ilustrar a ação dos

sistemas de gestão térmica por

um lado, e fazer a ligação com a

enorme gama de peças febi, por

outro. A febi irá mostrar a sua

competência na área de gestão

térmica do motor através de meios

tradicionais e digitais, assim como

materiais de ponto de venda e

literatura específica.

Num minuto...

A Ronal / Speedline Truck reuniu

um grupo de distribuidores de

todo o mundo, junto a Veneza,

para comemorar os 50 anos da

empresa, no qual marcou presença

a Domingos & Morgado.

Especialista em embraiagens para

o setor dos veículos pesados,

a Egro possui agora um novo

website, desenvolvido a pensar nos

profissionais do setor da mecânica,

em www.egro-clutch.com.

Depois da edição de 2020, que

se realizará de 17 a 19 de abril,

a Kikai só voltará a organizar o

salão Expomecânica em 2022,

tornando assim este salão num

evento bienal.

A rede Alltrucks Truck

& Trailer Service e o

Prometeon Tire Group

assinaram um acordo de

colaboração, que permitirá

aos mais de 700 oficinas


Aderentes Alltrucks

recebem formação

técnica

A Alltrucks realizou recentemente,

nas instalações centrais da HBC

na Batalha, uma ação de formação

para técnicos de diagnóstico.

Durante três dias foram abordados

os conceitos e as técnicas

de diagnóstico da Alltrucks

ligadas às marcas fundadoras,

nomeadamente o ESI Tronic

Bosch – diagnostico para veículos

industriais multimarca, Neo-

Orange – diagnóstico para sistemas

de travagem Knorr-Bremse e ZF

Testman – diagnóstico de sistemas

cadeia cinemática ZF.

A formação contou com o formador

da Alltrucks do departamento de

veículos industriais em Madrid,

Juan Sanchez e Mário Maio,

formador técnico da Bosch

Portugal.

As sessões teóricas com exercícios

práticos permitiu aos participantes

da rede – Ponte de Lima (Monte

Truck Service), Santa Maria

da Feira (Mourauto), Porto da

Carne – Guarda (A. Garcia), Sertã

(Carbus), Batalha (HBC oficina

de pesados), Carregado (Electro

Extra), Évora (Movitrucks) e

Olhão (Scangarv) – conhecer

as técnicas mais avançadas e

eficientes (processo Kompass) no

que refere a verificações, medições,

identificação e diagnóstico de

avarias em veículos industriais.

desta rede na Europa terem

acesso a produtos e serviços

exclusivos do fabricante de

pneus.

FAE com catálogo

exclusivo para

pesados

A

FAE agrupou todas as suas referências

de produtos para veículos

pesados num único catálogo. Ao

todo são 1.400 referências que cobrem mais

de 12.500 aplicações em veículos pesados.

Designado por CVi2, a FAE lançou um

catálogo de produtos, exclusivo para veículos

comerciais (camião, autocarro, furgões,

etc). Entre as referências que a FAE

agrupou neste novo catálogo encontramos,

entre outros produtos, sondas lambda,

sensores de pressão, sensores de árvore

de cames, sensores de rotação, sensores

de temperatura e interruptores diversos.

Encontramos ainda aplicações para quase

toda as marcas de veículos pesados, nomeadamente

para DAF, MAN, Mercedes,

Volvo, Scania, Steyr, Iveco, Neoplan, etc.

Todas as referências já estão disponíveis

no TecDoc, onde FAE é certificada como

fornecedor de dados “Classe A”, bem como

no catálogo on-line do wesite da empresa.

TECH comemora 80

anos com novidades

A

TECH, empresa que é propriedade

da Technical Rubber Company

(TRC), comemora 80 anos e está

investindo no futuro. Para isso reformulou

a sua imagem a diversos níveis, extensível

às embalagens e ao catálogo de produtos.

A experiência de utilização dos produtos

TECH também foi melhorada.

As novas embalagens foram criadas para as

linhas de produtos de serviço de pneus e

rodas da TECH. A embalagem atualizada

fornece uma aparência moderna e limpa e

uma identificação mais fácil do produto

para o técnico, o que acelera o processo de

reparação. A TECH também atualizou as

embalagens usadas para os seus produtos

químicos de reparação.

A Alta Roda representa em Portugal os

produtos TECH.

O Texaco Delo 400 XSP-SD –

SAE 5W-30, o óleo de motor

sintético para pesados da Texaco,

conta agora com aprovação da

Mercedes Benz, no cumprimento

da especificação 228.51.

MUDANÇA DE ÓLEO PREMIUM

O óleo é o sangue que corre nas veias do motor e num

camião ou autocarro, a última coisa que uma empresa

precisa é que esse sangue seja de baixa qualidade e cause

avarias ou imobilizações não programadas e caras. A

LIQUI MOLY tem uma ampla gama de óleos

de motor com aprovações das principais

marcas de camiões e autocarros, onde

destacamos um dos mais recentes 5W-30

para motores Euro6 e norma Volvo VDS

4.5. Mas tal como não gostamos de beber

vinho num copo sujo, também não devemos

deitar óleo novo num motor sujo. A solução

de Limpeza de Motor Pro-Line da LIQUI

MOLY (Ref. 2425), garante um motor livre

de impurezas, sedimentos ou lamas que

se formam com o normal funcionamento do motor. Todos

os resíduos solúveis e não solúveis no óleo soltam-se e

desaparecem na mudança de óleo com a utilização do

aditivo LIQUI MOLY. O motor livre de depósitos e sujidade

e o óleo novo LIQUI MOLY podem voltar a desempenhar o

seu rendimento original.

COMO USAR O ADITIVO

>> Adicionar o aditivo ao óleo usado com o motor

à temperatura normal de funcionamento, antes

da mudança de óleo.

>> Deixar o motor ao ralenti entre 10 e 15 minutos

>> Em seguida, mudar o óleo e o filtro

>> Para escolher o óleo correto basta usar o Guia de Óleos

LIQUI MOLY, disponível em www.liqui-moly.pt

TOP TEC TRUCK 4350 5W-30

Entre a vasta gama de óleos de motor para veículos

pesados da LIQUI MOLY, destacamos o Top Tec Truck

4350 (Ref. 3786), para a tecnologia Euro V e Euro VI

mais recente. Garante uma excelente proteção contra o

desgaste, assim como elevada estabilidade da película

lubrificante sob todas as condições de funcionamento.

A boa estabilidade frente ao

envelhecimento e resistência

ao cisalhamento permite

grandes intervalos de mudança

de óleo. A baixa viscosidade

permite uma redução notável

do consumo de combustível.

Preparado para os mais

recentes sistemas de póstratamento

de gases de escape e filtros de partículas. Este

óleo cumpre, entre outras, as aprovações ACEA E6, E7 e

E9 e também normas Mercedes, Renault Trucks, Scania,

Volvo, Cummins, Iveco ou MAN.

www.liqui-moly.pt


14

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Atualidade

EQUIP AUTO 2019

A

Frotas do futuro

O setor dos pesados não foi esquecido pelas grandes marcas

presentes no Equip Auto 2019, que apresentaram soluções para

aquilo que se vislumbra no futuro dos transportes

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

A

digitalização dos serviços e as

novidades adaptadas às novas

motorizações e equipamentos

para os veículos pesados

e comerciais ligeiros também

estiveram em destaque no Equip Auto,

num espaço onde um maior número de

visitantes, atividades e expositores apresentaram

produtos e serviços, maioritariamente

virados para o mercado francês,

onde também se fez notar a cada vez

maior presença de expositores e visitantes

de mercados como a China, Taiwan

e Turquia. As novidades de peças, equipamentos,

máquinas e serviços para pós-

-venda e manutenção para estes segmentos

foram muitas e variadas, num momento

em que os players tentam dar uma oferta

abrangente, que se adapte às necessidades

díspares de cada frota e negócio. A

conectividade entre veículos, oficinas e

gestores de frota, a eletrificação e a preocupação

crescente com o desperdício e o

meio ambiente deixaram no ar uma antevisão

dos desafios e novidades presentes

e futuras desta indústria.

Actia

EQUIPAMENTOS

A Actia apresentou os serviços que presta

ao cliente na área do diagnóstico multimarca,

com destaque para o novo equipamento

Actia Lance Multi-Diag GO. A

empresa expôs também os novos tablets

de alta performance.

Bosch

EQUIPAMENTOS

A Bosch apresentou a nova linha de lixamento

1958 Siapro da Sia Abrasives,

que pretende economizar até 20% no


15

processo de repintura e que permite que

os pintores realizem uma etapa do processo

a menos, em comparação com o

lixamento convencional.

Brembo

PEÇAS

A gama X Brembo, com as pastilhas Xtra,

discos perfurados Xtra e discos ranhurados

Max, esteve em destaque, num espaço

onde foi apresentada também a gama de

produtos de travagem, entre eles a nova

série de 300 kits de reparação de pinças

de travão e as novas referências de líquido

de travões comercializadas em embalagens

de metal de 5L e 20L, parte integrante

da linha de discos e pastilhas para

pesados da Brembo.

Delphi

PEÇAS

Além da formação técnica gratuita no seu

stand, a Delphi Technologies expôs a gama

de produtos projetados para reparações das

tecnologias mais recentes dos veículos, nomeadamente

a máquina de teste Hartridge

Excalibur GDi Master, o kit pass-thru DS-

Flash, e o DS-nano, uma ferramenta de

diagnósticos on-board.

Guernet

EQUIPAMENTOS

A Guernet apresentou um novo equipamento,

o Fixity, para incorporação em

carrinhas de assistência de pequeno porte:

Citroen Berlingo / Jumpy, Renault Kangoo,

Traffic, Peugeot/Partner Expert e outras,

para o serviço de montagem de pneus e

equilíbrio de rodas. Destina-se a pneus de

veículos ligeiros e pesados.

Japanparts

PEÇAS

As novas referências para ligeiros e pesados

sob as marcas Japanparts, Ashika e Japko,

com um total de 38 mil referências, entre

elas novas molas pneumáticas, amortecedores

controlados eletronicamente, novos

kits de suspensão completos, a gama de

portas de elevação de potência, além de

filtros para transmissões automáticas e

suportes de amortecedores, assim como

novidades na gama de travagem europeia,

em sensores ABS e válvulas EGR, foram

o foco da Japanparts durante o salão.

Kawe

PEÇAS

A Kawe, especialista em produtos de fricção

e embraiagem para ligeiros e pesados,

marcou presença no stand da Holland

House (iniciativa em que os participantes

têm a possibilidade de utilizar a rede dos

restantes parceiros). O Grupo Trustauto

comercializa em exclusivo as embraiagens

Kawe para o mercado português.

Continental

PNEUS

O grupo Continental levou ao evento a

linha compacta de escovas limpa para-

-brisas Aquactrl, as baterias Start-Stop

com tecnologia EFB ou AGM e as baterias

Starter. Foi apresentada neste evento

a Autodiagnos Check II, uma solução

Plug & Play que permite o controlo de

todas as principais funções da manutenção

de todos os fabricantes de veículos.

O ContiSense e o ContiAdapt, que permitem

a monitorização do pneu e a adaptação

às condições da estrada, estiveram

também em destaque.

Hella

EQUIPAMENTOS

A solução de gestão de frotas Macs Live,

uma monitorização contínua do veículo,

para antecipação de códigos de falha, avarias

e manutenção preditiva, esteve em destaque

neste espaço. Esta solução permite agrupar

diferentes tipos de informações, como geolocalização,

códigos de falha, desempenho

da bateria e nível de combustível.

Magneti Marelli

PEÇAS

A Magneti Marelli Aftermarket, com oferta

em produtos de carroçaria, eletrónica

e matéria elétrico para ligeiros e pesados,

apresentou as novas gamas de produto


16

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

A

EQUIP AUTO 2019

para o mercado francês, em válvulas EGR

e amortecedores.

Mann+Hummel

PEÇAS

Os produtos de filtragem Mann-Filter

para as novas motorizações estiveram em

destaque. Estes filtros pretendem reduzir

as partículas finas causadas pela travagem

em até 80% e são compatíveis com todos

veículos elétricos, híbridos, a gasolina

ou diesel.

Meyle

PEÇAS

No espaço da Meyle esteve em evidência

a substituição individual dos casquilhos

do braço de suspensão traseiro com ranhuras

dos modelos BMW 5, 6, 7 e X5

num carrinho de oficina móvel, os kits

de braços de suspensão Meyle-HD para

BMW e Mini, as bombas de água Meyle-

HD, o kit de reparação para rolamento

da roda Meyle- Original, as pastilhas de

travão Meyle-PD, o rolamento do motor

híbrido Meyle-HD, um grupo de produtos

de eletrónica e sensores para todo

o sistema de gases de escape, incluindo

o sensor de pressão diferencial Meyle-

Original e o sensor de temperatura dos

gases de escape Meyle Original.

NTN-SNR

PEÇAS

No stand da NTN-SNR foi possível aos

visitantes assistirem a demonstrações técnicas

de montagem de novos produtos e

terem uma experiência virtual para conhecer

a nova fábrica 4.0 da empresa.

Schaeffler

PEÇAS

A divisão Automotive Aftermarket da

Schaeffler apresentou as novas soluções de

reparação, entre elas os serviços de realidade

aumentada e o RepExpert, para veículos ligeiros

e pesados. Foi também apresentada

a nova linha de produtos e soluções LuK,

INA e FAG para transmissão, motor e chassi.

Sogefi

PEÇAS

Os visitantes do stand da Sogefi puderam

encontrar os novos catálogos para 2020,

com mais de 500 novas referências, para

todas as famílias de filtros para veículos

ligeiros e furgões, incluindo a nova gama

Cabin3Tech+, que anuncia a filtragem até

98,8% das partículas finas.

Texa

EQUIPAMENTOS

O foco da Texa foram os equipamentos

para calibração dos sistemas ADAS e

diagnóstico, tendo apresentado o Elight

ONE e ONE D, o Laser Examiner, o

RCCS 2.0, o RCCS 2.0 Kit CCD, a ferramenta

de diagnóstico remoto eTRU-

CK – que permite monitorizar o status

do veículo de forma remota, gerir o serviço

de uma forma preditiva e executar

funções de ajuste por parte do mecânico

–, para além da gama de equipamentos

A/C Konfort Série 700.

WAI

PEÇAS

A WAI, especialista nas gamas de produto

de motores de arranque, alternadores,

elevadores de janelas, limpa para-brisas,

cabos e bobinas de ignição, esteve presente

no salão para dar a conhecer todos estes

produtos, destinados a ligeiros e pesados.

ZF

PEÇAS

Na marca Sachs, as novas embraiagens e

amortecedores para pesados e ligeiros foram

o destaque, nomeadamente a Twin

Disc Clutch Pull-Type GMFZ 2/380. A

ZF teve também em destaque as novas

caixas de velocidades para veículos híbridos

e as suspensões Lemforder e o braço

de suspensão V-Link.


18

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Mercado

M

LUBRIFICANTES

AMADEU FERNANDES, ADIR VISEU (KROON OIL E VATOIL)

Novas

oportunidades

Trabalhando a Kroon Oil e a VatOIL, reconhecidas marcas

holandesas de lubrificantes, com extensos catálogos de produtos,

a ADIR Viseu procura agora importadores para os desenvolver

comercialmente, em parceria, no mercado português

TEXTO PAULO HOMEM

A

ADIR Viseu é uma empresa

com mais de quatro décadas

de existência que tem no seu

portfólio de produtos diversas

marcas de referência, como é

o caso da marca de lubrificantes especiais

e químicos Spaanjard. Do seu portfólio

constam ainda os lubrificantes Kroon Oil

e VatOIL (que pertence ao mesmo grupo),

com os quais tem vindo a fazer um trabalho

de angariação de parceiros importadores,

no setor automóvel em geral (ligeiros

e pesados) que as pretendam trabalhar no

mercado português. Amadeu Fernandes,

Country Manager destas marcas para o

mercado português, explica nesta edição

da PÓS-VENDA PESADOS, a estratégia

para estas marcas.

Qual é a estratégia da ADIR Viseu com

a Kroon Oil e a VatOIL, ao nível dos

lubrificantes, para veículos pesados em

Portugal, tendo em conta que ainda é

um mercado residual para a marca no

nosso país?

A ADIR-Viseu funciona como um entreposto

destas tradicionais marcas holandesas,

isto é, trata da importação, impostos

e legalidades associadas à importação,

stock de emergência, publicidade, gestão

comercial e técnica, bem como formação,

sendo um braço direto de apoio da fábrica

aos importadores e distribuidores das

nossas marcas.

De que forma pretende dinamizar o

negócio de lubrificantes para pesados?

A Kroon Oil e a VatOIL, pretendem encaixar-se

com o mercado através de importadores

gerais e/ou locais.

Quais as mais valias que um importador

tem em trabalhar uma marca como

a Kroon Oil?

Trata-se de uma empresa com 113 anos

de experiência no fabrico de lubrificantes


19

e químicos! É número um no aftermarket

na Holanda e na Bélgica, e possui gamas

completas de óleos, anticongelantes, massas,

lubrificantes especiais, sprays, aditivos,

pasta de montagem, anticorrosivos e químicos

para todas as necessidades do sector

automóvel de ligeiros, pesados, máquinas,

agrícola, moto e industrial. Num só fabricante

tem todas as gamas para todos sectores

com qualidade máxima.

Como define a qualidade dos produto

da Kroon Oil?

A Kroon Oil é propriedade do Grupo

Socaz e até 2007 estava no universo da

Shell, sendo o maior fabricante independente

de óleos da Europa-ocidental, o mais

antigo e com maior gama e aprovações. É

especialista número 1 em óleos e anticongelantes,

com qualidade igual à origem.

Por este facto, a Kroon Oil garante uma

qualidade superior e uma relação qualidade

preço muito difícil de superar.

Outro aspecto diferenciador é que a Kroon

Oil tem o melhor site para recomendação

de óleos e manutenções disponível no

mercado. Através do site www.kroon-oil.

com, a consulta é extremamente completa

e simples, oferece o conhecimento de

todos os pontos de lubrificação para além

dos óleos de motor e caixa, retardador, eixos,

hidráulicos, embraiagem, rolamentos,

sistema de refrigeração, travões, lubrificação

centralizada… em média mais de 15

diferentes pontos nos camiões, tractores

e máquinas pesadas. Esta consulta automática

por modelo e ano, tem em conta o

tipo de utilização da máquina através dos

aspectos de trabalho de cada componente

de forma individual e/ou conjunto, relaciona

o consumo médio de combustível,

a carga média transportada, o relevo geográfico,

o tipo de circulação e por fim, o

clima em que se insere. Ou seja, todos os

intervenientes externos ao condutor, fundamentais

para o melhor acompanhamento

e afinação das manutenções.

Que tipo de acompanhamento a Adir

Viseu / Kroon Oil faz com o importador

para dinamizar a marca em Portugal?

O negócio comercial de distribuição Kroon

Oil inclui um programa de apoio de vendas

co-financiado pela marca, formação técnica

e comercial, apoio na realização de feiras

e na publicidade nos principais meios.

Disponibilizamos ainda material de publicidade

para os clientes e acessórios de

oficina. Decoração dos espaços com a exposição

dos produtos nas oficinas/lojas,

expositores, bandeiras, paredes personalizadas,

reclames, folhetos personalizados,

catálogos, casacos da marca, bandeiras,

equipamentos, fatos de trabalho e equipamento

sofisticado, vídeos e spots publicidade,

mais de 100 artigos para apoio

à equipa de vendas Kroon Oil / VatOIL.

Fazemos ainda o acompanhamento comercial,

e temos o site de consulta e venda

aplicado pela Kroon Oil (com no base

TecDoc).

Os lubrificantes Kroon Oil são primeiro

enchimento em alguma marca de

pesados?

A fábrica enche para mais de 22 marcas,

algumas de equipamentos outras de lubrificantes.

Por razões de privacidade co-

mercial, não estou autorizado a divulgar.

Qual é a extensão da gama de lubrificantes

Kroon Oil para veículos pesados?

Dispomos de óleos de motor, caixa e direcção

para todo tipo de marcas, dos antigos

aos mais modernos, como também

a gama completa de anticongelantes homologados,

G11, G12, G13, G14, G15,

G16 e inclusive o G17, unicamente para

camiões, com o ADBLUE certificado.

Os lubrificantes Kroon Oil para pesados

cumprem todas as especificações

recomendadas pelas marcas de pesados?

Sim, é uma das preocupações da marca.

Temos todas as fichas técnicas e de segurança,

com toda a informação no site

Kroon Oil.

Quais são os pontos fortes dos lubrificantes

Kroon Oil neste mercado?

Novidade para uma estratégia comercial

nacional, gama, qualidade, informação,

merchandising, preço de fábrica e sustentado

por um antigo e forte grupo holandês.

A ADIR Viseu lançou no mercado recentemente

a VatOIL, uma marca do

Grupo da Kroon Oil. Qual o posicionamento

dessa marca?

Qualidade máxima, com menos gama por

sector a um preço mais competitivo. A

VatOIL tem 60 anos como marca.

A VatOIL será também comercializado

para o setor de pesados? Seguindo o

mesmo modelo da Kroon OIL?

Sim, a estratégia comercial será a mesma.


20

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

M

LUBRIFICANTES

TRAVOCAR

Imagem de marca

São mais de 5 décadas de relação comercial e profissional com

a Castrol. Há 35 anos com o nome de Travocar, este distribuidor

de lubrificantes Castrol profissionalizou o seu negócio que vai

além da relação comercial que tem com os seus clientes

TEXTO PAULO HOMEM

A

Travocar comercializa (quase)

exclusivamente lubrificantes

Castrol, já que por decisão

estratégia da BP esta marca

praticamente não tem produto

no setor dos lubrificantes. A empresa

de Águeda “veste” a camisola da

Castrol e está neste negócio com uma

forte ligação a esta marca.“Temos seguido

sempre todas as decisões da companhia,

mas não nos limitamos a isso, pois tudo

temos feito para não só cumprir os objetivos

como para ultrapassar muitas

desses mesmos objetivos”, começa por

dizer Telmo Simões, gerente da Travocar.

Esta foi precisamente uma das razões pela

qual, há cinco anos, a Travocar foi escolhida

como “embaixador” da Castrol em

Portugal, sendo uma das cinco empresas

portuguesas a ficarem com o exclusivo

da distribuição dos lubrificantes automóvel

para o mercado português. “Foi

um momento muito importante para

nós, onde tivemos que provar perante a

BP a nossa robustez financeira, a nossa

capacidade logística e técnica, bem como

um conjunto de parâmetros onde o nosso

histórico também teve algum peso”,

explica Telmo Simões, assumindo que

uma das boas características de trabalhar

com empresas com esta dimensão

é que “nunca estão quietos, pois querem

constantemente evoluir e dinamizar o

negócio, o que acaba também por ser

muito positivo para nós”.

Assumindo que a Travocar funciona

como uma “mini-Castrol”, Telmo Simões

Travocar

Telmo Simões / Sérgio Simões

234 622 945

travocar@travocar.com

www.travocar.com

explica que as valências que a sua empresa

possui, por via do trabalho que está a

realizar com a marca Castrol, a colocam

numa posição de destaque perante o

mercado e os seus clientes. Atualmente,

a Travocar tem capacidade de marketing,

tem capacidade técnica, tem capacidade

logística e tem ainda acesso a um conjunto

variado de informação (previsões,

vendas, negócio, etc), afirmando o gerente

da empresa que “perante o cliente

nós não somos apenas o último elo de

ligação com o mercado, mas somos já a

imagem da Castrol no mercado”.

Tendo em conta que o negócio dos

lubrificantes é cada vez mais técnico,

a Travocar possui uma equipa técnica

com dois profissionais exclusivos para o

setor auto, com formação específica da

Castrol (embora possa também recorrer

a técnicos da Castrol). “Temos acesso ao

laboratório da Castrol, de modo a fazer

o acompanhamento técnico sempre que

possa existir alguma questão a resolver

com o cliente. Nós vendemos produtos

técnicos e por isso temos que dar respostas

técnicas aos nossos clientes”, refere o

mesmo responsável.

Com um armazém de 1.200 m2, uma

boa parte dele dedicado aos lubrificantes

para o setor auto (ligeiros e pesados), a


21

Travocar aposta forte na sua capacidade

logística. “Hoje a logística é fundamental

neste negócio e consideramos que esse é

um nosso posso forte. Temos stock que

cobre 2 meses de atividade. Asseguramos,

por isso, que qualquer encomenda colocada

na Travocar até às 15 horas ela

é recebida nas instalações do cliente em

menos de 24 horas, tendo em conta

que dispomos de um enorme stock no

nosso armazém,”, explica Telmo Simões,

reforçando que a empresa possui meios

próprios para efetuar a distribuição para

clientes que estão mais próximos da

Travocar, recorrendo depois a operadores

logísticos para as restantes entregas.

A área comercial da empresa está munida

de modernas ferramentas tecnológicas de

suporte à venda e à encomenda, reforçando

o gerente da Travocar que “queremos

sempre proporcionar ao cliente a

melhor solução de lubrificação para as

suas necessidades e não apenas vender

por vender. A lógica é de parceria e de

continuidade na relação que queremos

manter com os nossos clientes”.

Aveiro, Coimbra e Leiria são as zonas de

influência direta da Travocar em matéria

de lubrificantes Castrol para o setor auto,

não trabalhando com revendedores, sendo

a empresa de Águeda a responsável

por visitar diretamente todos os clientes,

nomeadamente oficinas independentes

e frotas com oficinas.

Em 2018 a Travocar apostou fortemente

em formações técnicas para os seus

clientes (nas suas instalações, onde dispõe

de sala de formação própria), sendo

uma área em que a empresa continuou

a dinamizar em 2019 e que o irá fazer

no futuro, tanto mais que é uma formação

acreditada pelo ACT que conta

para o banco de horas de formação das

empresas. “A cada vez maior especificidade

técnica dos produtos, leva-nos a

apostar cada vez mais na formação aos

clientes. Por isso, vamos continuar a

investir na formação, até porque estão

constantemente a ser lançadas novidades

pela Castrol para o mercado”, refere

Telmo Simões.

Refira-se ainda que a Travocar trabalha,

para além do setor automóvel (que representa

40% das vendas da empresa e

que inclui a área dos lubrificantes para

ligeiros, pesados, máquinas industriais,

equipamentos agrícolas, massas, etc.), as

diversas áreas do setor industrial, sendo

dessa forma um especialista global em

lubrificação... e na Castrol!!!


22

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

M

PEÇAS

DIESEL TECHNIC QUALITY SYSTEM

Garantia de qualidade

O Diesel Technic Quality System pretende garantir a fiabilidade

e qualidade dos componentes que a Diesel Technic fornece

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

As estruturas e processos da

Diesel Technic são projetados

para atingir a fiabilidade, segurança

e qualidade das peças

para veículos pesados – das

marcas DT Spare Parts e Siegel Automotive

–, que comercializa. “As informações obtidas

através do conhecimento do mercado,

os muitos anos de experiência em gestão

de produtos e o know-how técnico no

desenvolvimento de produtos formam a

base para produtos de marca de qualidade

garantida e um pré-requisito para sermos

capazes de atuar com confiança, segurança

e sucesso no setor automóvel”, explica

Martin Ratón, General Manager da Diesel

Technic Iberia.

DIESEL TECHNIC QUALITY SYSTEM

A Diesel Technic possui padrões de qualidade

elevados, que cumpre através do

seu Sistema Técnico de Qualidade Diesel

(DTQS), que assegura a qualidade e a

otimização contínua dos produtos. O

DTQS consiste em quatro processos relacionados

entre si: desenvolvimento de

produtos, inspeção inicial de amostras,

inspeção da série e suporte pós-venda. O

desenvolvimento de produto está apoiado

pela experiência adquirida na indústria

automóvel, experiência em gestão de produto

e conhecimento técnico de desenvolvimento

de produto. A empresa colabora

apenas com fornecedores certificados de

acordo com os padrões internacionais da

indústria automóvel. O fornecedor produz

uma amostra inicial, que é inspecionada

em detalhe pela Diesel Technic, devendo

cumprir todos os requisitos e critérios

especificados, sendo depois dada aprovação

ao fornecedor para a produção em

série. “A produção em série é feita com os

processos mais modernos de produção e

inspeção. Para garantir, de forma consistente,

a qualidade na inspeção em série, são

realizadas verificações aleatórias em cada

lote, de acordo com as especificações dos

planos de teste e padrões do setor. Cada

item também é inspecionado visualmente

como parte do processo de receção de

mercadoria”.

ASSISTÊNCIA

Depois da compra, o cliente pode entrar

em contacto com o Suporte Pós-Venda,

que, além da garantia, auxilia os parceiros

de distribuição e clientes oficinais nas questões

técnicas. Um conjunto de instruções

de montagem ilustradas em vários idiomas,

sessões de formação e vídeos auxiliam os


23

mecânicos com a instalação e evitam erros

de montagem. A análise do problema e o

tratamento dos casos de garantia incluem,

se necessário, relatórios de teste detalhados.

“O serviço não termina depois de os produtos

serem comprados. Os clientes têm

o nosso suporte pós-venda: mais do que

uma simples garantia. Para dar suporte

aos nossos parceiros de distribuição e aos

seus clientes, o suporte pós-venda também

inclui cursos de formação com uma perspetiva

ampla, como a Partner Academy, a

Quality Network, rastreabilidade de lote,

questionários ao cliente, Partner Dialogue

e gestão de devoluções”, explica Martin

Ratón, que adianta: “A estrutura dos vários

processos pretende garantir a qualidade dos

produtos e oferecer fiabilidade aos parceiros

de distribuição e clientes das marcas

DT Spare Parts e SIEGEL Automotive”.

QUALIDADE

A gestão da qualidade também é certificada

de acordo com a norma DIN EN ISO

9001: 2015 e, além disso, implementa

Novos produtos

Sendo um fornecedor com uma

vasta gama de produtos, a Diesel

Technic economiza tempo e

dinheiro criando sinergias que

proporcionam uma vantagem

competitiva significativa. “O rápido

desenvolvimento de novos produtos

como alternativa às peças originais

é muito importante. Com base

nas análises das necessidades,

a gama de produtos aumenta

continuamente. Parte dos produtos

é desenvolvida pela Diesel Technic

e produzida nos seus fabricantes,

com licenças certificadas

da indústria internacional

para fornecedores do setor

automóvel. A gama de produtos

é complementada por produtos

de marca própria por fabricantes

de equipamentos originais (OE)”,

conclui Martin Ratón.

vários métodos de melhores práticas. A

interface entre a central de gestão de produto,

Engenharia & Desenvolvimento e

a gestão da qualidade é feita através do

sistema da qualidade (CAQ). “Todos os

produtos passam por testes, para que a

fiabilidade, segurança e qualidade dos

produtos estejam garantidas: garantia de

24 meses para produtos da marca DT

Spare Parts e de 12 meses para produtos

da marca SIEGEL Automotive. Através

de uma análise cuidadosa do defeito e, se

necessário, através de medidas de melhoria

rápida introduzidas, cada caso de garantia

pode até ser uma oportunidade para

melhoria do produto. Isso beneficia tanto

os parceiros de distribuição como os seus

clientes, além da Diesel Technic”. Além

dos testes de produto em laboratório, a

Diesel Technic realiza regularmente testes

de campo com frotas de teste de parceiros

especializados. “Esse feedback também é

continuamente incorporado à melhoria

sustentável da qualidade dos nossos produtos”,

explica.


24

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Internacional

MEYLE

Testadas

ao extremo

A Meyle utiliza o conhecimento obtido no desporto motorizado

para o desenvolvimento e melhoria das peças que comercializa

I

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

A

Meyle projeta, fabrica e comercializa

peças de qualidade

premium para o aftermarket.

Com três linhas de

produto - Meyle-Original,

Meyle-PD e Meyle-HD - a empresa disponibiliza

atualmente mais de 24 mil peças,

fabricadas nas suas

próprias instalações e

em parceiros selecionados,

para camiões e para

aplicações de autocarros

e reboques: peças de direção

e suspensão, componentes

de travagem,

sistemas de direção, embraiagens

e componentes

de transmissão, filtros,

peças de motor e

refrigeração, peças de

carroçaria, componentes

elétricos e sensores. A cooperar no desporto

automóvel, no ADAC GT Masters

e no Campeonato Europeu de Camiões

da FIA onde os engenheiros da Meyle

estão disponíveis como parceiros técnicos

e onde, além do equipamento técnico

Marc Erdmann

ENGENHEIRO DA MEYLE

do camião de corrida com peças Meyle,

a transferência de know-how entre os

engenheiros da Meyle e a equipa de automobilismo

é o foco principal. Através

da análise de desempenho das peças do

camião em condições extremas, a Meyle

utiliza o conhecimento destas provas para

desenvolver e melhorar

os seus produtos. Marc

Erdmann, engenheiro

da Meyle, explica a estratégia

e benefícios da

Meyle em realizar parcerias

no desporto automóvel.

Quais os principais

benefícios destas parcerias?

O feedback das corridas

fornece informações

para otimizar a gama de camiões Meyle e

as especificações das peças. Desde 2018,

as novas pastilhas de travão Meyle-PD

estão disponíveis no aftermarket pela primeira

vez como peças que foram completamente

reconstruídas através da coo-


25

peração com uma equipa de corrida. As

pastilhas apresentam uma mistura otimizada

de material de fricção de baixo

desgaste: com o auxílio de uma mistura

especial de fricção, testada em processos

de múltiplas etapas, o desempenho

e a distância de travagem podem ser

melhorados.

Qual a estratégia futura para esse tipo

de parcerias?

A nossa cooperação no desporto motorizado

é considerada extremamente valiosa

para o desenvolvimento e otimização

de peças, e é por isso que estamos

confiantes de que a Meyle Performance

irá continuar. As pastilhas e discos são

instalados e testados na pista. As pistas

são o local onde a tensão nas peças do

veículo é maior. Isso aplica-se principalmente

aos componentes de travagem,

que são submetidos a um grande

stress durante as corridas de camiões e,

portanto, são ideais como um local de

testes. Durante uma corrida, os camiões

travam com muita força, às vezes de 160

km/h para 40-50 km/h. Durante a travagem,

os travões podem atingir temperaturas

extremas em pouco tempo,

tornando indispensável o arrefecimento

da água dos discos. Para conseguir isso,

no entanto, os componentes devem ser

capazes de suportar enormes flutuações

de temperatura sem que as superfícies

sejam vitrificadas e a distância de travagem

seja afetada. Além disso, as peças

devem ter um desempenho fiável em

condições húmidas e secas. Além dos

componentes de travagem, as seguintes

peças Meyle são atualmente instaladas

no camião e, portanto, são regularmente

submetidas aos nossos testes: tensores de

correia, correias, apoios de motor, sensores

de roda e mangueiras de radiador

Meyle Original.

Que tipo de melhorias já foram feitas

com a experiência das corridas?

Todo o conhecimento adquirido pelos

engenheiros durante as corridas é incorporado

diretamente no desenvolvimento

técnico dos produtos. Nos últimos

anos, o portfólio de produtos Meyle já

beneficiou. As primeiras peças tecnicamente

aprimoradas já foram incorporadas

e estão disponíveis no portfólio

Meyle. Em 2014, os discos de travão

Meyle -Original, por exemplo, foram

otimizados em termos de composição

do material. Os discos ainda mais desenvolvidos

estão a ser instalados no camião

de corrida MAN da SL Trucksport 30 e

continuarão a ser utilizados nas pistas.

Desde 2018, as novas pastilhas de travão

Meyle-PD estão disponíveis no aftermarket

pela primeira vez como peças

completamente reconstruídas através da

cooperação com uma equipa de corrida.

As pastilhas apresentam uma mistura otimizada

de material de fricção de baixo

desgaste: com a ajuda de uma mistura

especial de fricção testada em processos

de várias etapas, o desempenho da travagem

pode ser aprimorado e a distância

de travagem reduzida. As pastilhas

de travão Meyle-PD travam camiões de

toneladas no menor tempo possível, de

forma estável e segura. As novas pastilhas

de travão foram fabricadas de acordo

com a norma ECE-R90 e são adaptadas

às enormes cargas nas corridas e às necessidades

diárias do tráfego rodoviário.

São fornecidas para substituição rápida e

económica, incluindo todos os materiais

de instalação. Com a ajuda do feedback

do piloto Sascha Lenz, os engenheiros

otimizaram os suportes de motor Meyle-

Original e adaptaram-nos para corresponderem

aos requisitos das corridas.


26

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Oficina

O

MOVIMOLA / MOVITRUCKS

Com história

para o futuro

Apesar de ser uma zona onde não existem, nem muitas

frotas, nem grandes frotas, a Movimola / Movitrucks é um

exemplo de como uma oficina de pesados em Évora se está

a preparar para o futuro

TEXTO PAULO HOMEM

A

Movimola é uma empresa,

de âmbito familiar, com mais

de 20 anos de existência. José

Fialho foi o fundador, mas

atualmente é o seu filho Paulo

Fialho que gere operacionalmente todo o

negócio, tendo Anabela Pessoa (também

familiar) como apoio na área contabilística,

e ainda a sua filha Marlene Fialho

como responsável de diversas áreas que vão

desde o atendimento ao cliente, passando

pelas peças, até ao marketing.

Tendo nascido no setor da serralharia e

na fabricação, transformação e aplicação

de molas de lamina, a Movimola é o

resultado de uma longa história de José

Fialho como profissional nesta área. Com

a evolução do trabalho desenvolvido, já

como Movimola, começa a sentir-se a

necessidade de evoluir os serviços para a

parte dos sistemas de suspensão e da travagem,

que estavam relacionadas com as

molas. A diversificação dos serviços e a

necessidade de desenvolver o negócio e

a empresa, contratou-se um mecânico de

pesados, que catapultou a Movimola para

outros serviços (sistemas hidráulicos, serviços

de torno, entre outros), tendo sido

desenvolvida também uma seção de peças.

“Apesar das dificuldades de trabalhar pesados

numa zona interior, temos vindo a

crescer, o que nos levou a contratar mais

mecânicos, apresentando uma grande

diversidade de serviços maioritariamente


27

focados no setor dos veículos pesados”,

conta a jovem Marlene Fialho, dizendo

que “atualmente somos 14 profissionais

e uma das nossas apostas tem sido na valorização

dos nossos recursos humanos”.

De modo a gerir melhor toda essa diversidade

de serviços, dentro do mesmo espaço

físico, foi decidido em 2018 criar a

Movitrucks, um novo projeto que terá o

seu grande desenvolvimento num futuro

a médio prazo, que passa pela construção

de novas instalações (em frente às atuais)

especificamente destinadas ao negócio

da manutenção e reparação de veículos

pesados. “A Movimola manter-se-á nas

atuais instalações, dedicando-se às molas,

serralharia e sistemas hidráulicos, e a

Movitrucks, que terá a responsabilidade

dos serviços técnicos a pesados, seguindo

a ideia de sermos objetivos, eficientes e

rápidos, o que nem sempre sucede agora

Movimola - Movitrucks

Marlene Fialho

Évora

266 744 028

movitrucks@gmail.com

www.movimola.pt

pela falta de espaço”, explica a responsável

da empresa.

A ideia de avançar já com a Movitrucks

surge também, entre outras razões, como

forma de estruturar e organizar o trabalho

de uma outra forma, sendo então que

aparece aqui o conceito Alltrucks. “Apesar

de só estar na empresa desde 2014, quero

que a mesma perdure por muitos anos e,

por isso, temos que nos preparar para o

futuro”, refere Marlene Fialho, explicando

que “as marcas que integram o conceito

Alltrucks, são já marcas com que trabalhamos

no nosso dia-a-dia, quer ao nível

dos sistemas, quer das peças”.

A integração neste conceito oficinal, que

aconteceu em junho deste ano, acabou

por ser natural, tanto mais que “aquilo

que nos aliciou foi o suporte e a assistência

técnica, mas também a componente

de formação técnica muito orientada

para a parte prática, que é também uma

das nossas necessidades”, afirma Marlene

Fialho, apontando ainda as ideias inovadoras,

como o cartão frota e outras, que a

Alltrucks tem para o desenvolvimento do

negócio oficinal dos seus associados, como

importantes para ter integrado esta rede.

“No fundo, uma oficina independente

multimarca como a nossa do setor dos

pesados, sente-se sempre um pouco desamparada

no acesso à informação e à formação,

pelo que integrar uma rede com

o projeto formativo que a Alltrucks tem,

é uma mais valia que temos que aproveitar”,

explica a responsável da Movimola /

Movitrucks, dizendo que “o acesso a esta

rede vem colmatar algumas das necessidades

que tínhamos, como também nos

permite a nossa imagem a nomes como

Bosch, Knorr-Bremse e ZF, o que trará

mais confiança aos clientes atuais e

futuros”.

Igualmente muito recente é também o

contrato de assistência técnica oficial dos

equipamentos da Jost, que permite à empresa

de Évora disponibilizar serviços oficiais

para os semirreboques equipados

com estes eixos. Para além do serviço para

camiões e semirreboques, a Movimola /

Movitrucks realiza também serviço para

máquinas industriais de maior dimensão,

como também efetua o serviço na estrada

das 8 às 20 horas.

“Passamos recentemente a fazer o serviço

de ar condicionado para pesados, como

poderemos vir a alargar o nosso leque de

serviços no futuro, embora alguns deles

estão dependentes das novas instalações,

já que atualmente isso não é possível”,

explica Marlene Fialho.

Em termos de política de peças, a

Movimola / Movitrucks dá muito valor

às marcas de qualidade que estão presentes

no primeiro equipamento, como forma

de garantir aos seus clientes que os seus

veículos não irão parar por via de uma

peça de menor qualidade.

Para terminar, a responsável da Movimola

/ Movitrucks, refere que “foi a altura certa

de darmos este salto, partilhando a nossa

visão com a visão que a Alltrucks tem

do futuro das oficinas. Acho que temos

todos a ganhar nesta parceria, incluindo

naturalmente os clientes que passam a

ter um serviço multimarca integral nesta

região”.


28

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Frota

F

COSTA MELO TRANSPORTES

Repensar

a manutenção

Numa altura de grandes transformações no mercado,

ao nível da venda de veículos pesados, nomeadamente nos

usados, a Costa Melo Transportes vai ter uma nova política

de manutenção e reparação da sua frota de veículos

TEXTO PAULO HOMEM

A

Costa Melo Transportes já existe

como empresa há mais de 52

anos. Durante muitos anos dedicou-se

ao transporte nacional

de pouca tonelagem, até que na

década de 80 começou a fazer a operação internacional,

nomeadamente para Espanha,

e mais concretamente a Andaluzia, onde

atualmente faz grande parte da sua operação

(embora também faça serviço noutras

zonas de Espanha).

Atualmente é José Dinis que está a frente

dos destinos da Costa Melo Transportes,

negócio de herança familiar a que deu continuidade,

estando focado atualmente no

transporte de derivados de madeira, mas

também outra tipologia de carga que transporta

dentro do espaço ibérico.

Dispondo de uma frota relativamente pequena,

com 20 conjuntos (camião + semirreboque),

a média de quilómetros por

carro ronda os 130.000 quilómetros (por

ano), pelo que superar os dois milhões de

quilómetros anuais é normal e exige cuidados

redobrados no momento de fazer a

manutenção do parque circulante.

Neste momento na frota da Costa Melo

Transportes estão presentes veículos pesados

da Iveco, Volvo, Scania e Man, sem

preponderância de nenhuma marca face

as restantes, mas a política de frota vai ser

alterada, pelo que nos próximos anos a opção

vai ser por trabalhar com apenas uma

marca. “A nossa ideia é passar para a mono

marca, porque em termos de manutenção,

reparação e pessoal técnico permite-nos unificar

a operação”, revela José Dinis, gerente

da Costa Melo Transportes, explicando

que o lançamento desta estratégia se deve

“à questão da redução dos custos de operação,

à formação, à redução do stock de

peças que estará concentrado numa única

marca, e à experiência que podemos recolher

da utilização do camião e que nos será

muito útil para os restantes”.

Neste momento a idade média da frota é

baixa, cerca de 3 anos, mas as últimas unidades

a serem adquiridas foram-no sem

contrato de manutenção porque “muitas

vezes conseguimos ser mais rápidos que as

oficinas de marca a resolver os problemas

que temos com os camiões, até porque

eles não têm, variadas vezes, capacidade

de resposta”, refere José Dinis. Dessa for-


29

ma a Costa Melo Transportes vai apostar na

manutenção própria, tendo em conta, por

um lado, que a frota não é muito grande

e, por outro, que o caminho a seguir será

precisamente em ter uma frota apenas de

uma marca.

“Atualmente todas as manutenções programadas

são ainda feitas nas marcas, normalmente

até os camiões terem 4 anos,

mas depois disso já somos nós a fazer, até

o veículo ser trocado por outro”, explica

o responsável da Costa Melo Transportes.

Porém, com o enorme problema que existe

no mercado para escoar os camiões usados,

José Dinis pensa que a idade média da

sua frota irá aumentar nos próximos anos,

pois os carros vão manter-se mais tempo a

circular. “Esta é também uma razão para

querermos apostar em ter manutenção própria,

sendo uma forma de nos prepararmos

para o aumento da vida útil dos camiões.

Por isso, iremos apostar preferencialmente

na manutenção preventiva, até porque o

nosso cliente, sobretudo em Espanha, não

espera pela carga”.

Dessa forma, a Costa Melo Transportes

quer apostar na formação técnica, bem

como investir em equipamentos e em pessoal

especializado, que permita à empresa

de Mangualde gerir de uma outra forma

a componente da manutenção da frota.

No atual espaço da Costa Melo Transportes,

será criado um espaço de cerca de 400 m2,

que permita a manutenção simultânea de

três veículos, num investimento que deverá

ver a luz do dia no próximo ano (2020).

PNEUS

A gestão dos pneus da frota é totalmente

efetuada pela Costa Melo Transportes, desde

a compra dos pneus até à sua montagem.

“Temos uma gestão integral ao nível dos

pneus”, refere José Dinis, explicando que

“sabemos que os pneus interferem muito na

performance do camião, pelo que a aposta

vai para a Michelin, ou para as marcas do

grupo Michelin, assim como para o recauchutado

Remix. Temos o apoio técnico da

marca, mas toda a operação de montagem,

controlo de pressões e gestão propriamente

dita é feita internamente”. O consumo

anual está entre os 250 e os 300 pneus, sendo

que a sua correta gestão, permite à Costa

Melo Transportes poupanças consideráveis,

evitando-se também problemas na estrada.

Quanto às mais de duas dezenas de semirreboques

que possui, a marca preferencial

é a Lecitrailer, porque antes tinha representante

na região, pelo que as próximas

unidades a adquirir seguiram o critério de

proximidade dos fornecedores. “A gestão

dos semirreboques não comporta grandes

desafios face, por exemplo, aos camiões”,

explica José Dinis.


30

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Personalidade

P


31

É inevitável

a transição para

os veículos

elétricos

FRANCISCO FERREIRA

PRESIDENTE DA ZERO – ASSOCIAÇÃO SISTEMA TERRESTRE SUSTENTÁVEL

Francisco Ferreira, Presidente da ZERO, acredita num

futuro com mais elétricos, menos emissões poluentes

e sem desperdício.

ENTREVISTA NÁDIA CONCEIÇÃO FOTOS MICAELA NETO

Fundada em 2015, a ZERO

– Associação Sistema

Terrestre Sustentável, assume

o compromisso de

defender e intervir nas

questões ambientais em

Portugal, e o mercado automóvel

é uma das áreas

onde mais atua. Francisco Ferreira,

Presidente da associação para o triénio

2019-2021, revela à Pós-Venda Pesados

o que tem sido feito neste setor e quais as

principais preocupações da ZERO para

o futuro dos transportes.

O que é a Associação ZERO?

A ZERO é uma organização não-governamental

onde o grande objetivo é

o foco nos aspetos do desenvolvimento

sustentável em todas as suas vertentes, e

não apenas no ambiente, ou seja, é garantir

que a nossa análise dos problemas

e aquilo que reivindicamos se enquadre

na defesa dos princípios da melhoria da

qualidade de vida em termos de ambiente,

mas integrando também questões

sociais e económicas, bem como a boa

governança. Procuramos ter uma visão

equilibrada e de futuro em relação a todos

os problemas e a nossa preocupação

é garantir que a nossa qualidade de vida

melhora, sem prejuízo para o ambiente

e que garantimos às próximas gerações

um futuro melhor.

No setor automóvel, quais os temas

que a ZERO mais tem defendido do

ponto de vista ambiental?

A ZERO é membro da Federação

Europeia dos Transportes e Ambiente,


32

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

P

PERSONALIDADE

com a qual coordenamos muitas ações,

focando-nos em várias vertentes do automóvel.

A primeira tem que ver com

o facto de os transportes, em Portugal e

como um todo, pesarem cerca de ¼ do

total das emissões com gases com efeito

de estufa, que causam as alterações climáticas.

E o transporte rodoviário representa

a maior percentagem. A segunda

tem a ver com o querermos assegurar a

mobilidade de todos os cidadãos, o que

passa por olhar numa lógica de mobilidade

sustentável para o transporte coletivo,

individual, para os veículos partilhados,

para a mobilidade suave – as bicicletas,

trotinetes, etc. Procuramos ter uma visão

integrada daquilo que cada vez mais se

fala: a mobilidade como um serviço. E

esse serviço deve ser providenciado tendo

em conta as implicações ambientais

que temos, ao utilizar determinados tipos

de mobilidade, e aqui, o automóvel

é uma peça importante. Porque, para

além das alterações climáticas, um veículo

traduz-se num elevado consumo de

recursos, onde é preciso garantir que, no

final de vida, todos os materiais são bem

encaminhados, por forma a minimizar

os seus custos iniciais para o ambiente.

Na operação, o automóvel é uma fonte

de vários poluentes do ar, para além

dos gases com efeito de estufa e, por

isso, estamos muito atentos às necessidades

de garantir que a qualidade do ar

se mantém abaixo dos valores limite que

o ruído associado também, ou seja, que

a proteção da saúde e do ambiente, que

a construção e utilização do automóvel

encaixe na nossa sociedade da forma

mais sustentável possível. E, portanto,

estamos atentos a tudo o que é o ciclo

do automóvel, da produção, passando

pelo uso, os combustíveis utilizados, os

veículos elétricos, a partilha, nos serviços

de mobilidade partilhada, etc. O automóvel

é um dos temas aos quais damos

mais atenção na nossa atividade.

A tendência é

começarmos a falar

de áreas urbanas

sem emissões

A ZERO defende a penalização dos

veículos a combustão. Considera que

o fim do diesel é uma tendência?

Um carro a gasóleo emite, regra geral, o

dobro de óxidos de azoto de um carro

a gasolina, num veículo equivalente. E,

por exemplo, no caso de Lisboa, o problema

é que, em algumas zonas da cidade

se ultrapassam os valores limite de

óxidos de azoto. O protocolo anterior

para avaliar as emissões, nomeadamente

de CO2, o NEDC, foi substituído

pelo WLTP, que está mais próximo da

realidade, mas a ideia é que se utilizem

as real-time emissions, ou seja, não em

banco de ensaios mas em condução real.

Há várias vertentes: uma é as cidades

conseguirem garantir os valores limite.

O diesel, mesmo com as novas tecnologias,

consegue reduzir as emissões, mas

não o suficiente. Depois existe o problema

das partículas, que estaria resolvido

se todos cumprissem com a utilização

do filtro de partículas. E o problema

do ruído também é algo que se coloca,

porque os veículos a diesel são mais barulhentos.

E, por isso, a tendência é começarmos

a falar de áreas urbanas sem

emissões, não apenas zonas de emissões

reduzidas, mas zonas de zero emissões,

onde só existem elétricos. Os veículos

mais importantes para serem elétricos

são os transportes públicos, todos os

que circulam muito. E essa deverá ser a

prioridade. Estamos convencidos que os

objetivos da UE, que põe as 95 gramas

de CO2 para 2021, que quer ser neutro

em carbono em 2050, depois vamos ter

a meta de redução entre 2021 e 2025,

por isso vamos ter a vida para os veículos

a combustão cada vez mais complicada.

Diz-se que o veículo elétrico polui mais

que um veículo a combustão, desde o

início da produção até ao final do ciclo

de vida. Qual a sua opinião?

A Federação Europeia dos Transportes e

Ambiente, através de um estudo que foi

adjudicado a uma equipa de investigação

inglesa, mostra que não é assim. E, se em

alguns países, o ganho neste momento

pode não ser grande, porque a produção


33

de eletricidade ainda depende muito do

carvão, e, por isso, não é relevante em

termos de CO2. Mas a poluição que é

feita, está a ser lançada longe da cidade,

numa fábrica, e não na cidade, como é

o caso de um veículo a combustão. A

bateria do carro é a sua primeira vida,

mas depois tem uma segunda, uma terceira,

etc. Os veículos elétricos perdem

na construção, em relação a um veículo

a combustão, mas durante a operação,

a sua pegada é muito melhor do que a

de um veículo a combustão, principalmente

se tivermos eletricidade de fontes

renováveis. E aí compensa, de longe, essa

perda inicial. Vamos ter veículos elétricos,

sejam a hidrogénio, ou a baterias, que

vão ter um peso cada vez maior. Prevê-se

que o custo desses veículos venha a ser

igual aos dos veículos a combustão em

2022 ou 2023. E com a autonomias bem

superiores do que as que temos agora.

As infraestruturas não são um problema

limitador?

Obviamente que temos de resolver o problema

das infraestruturas, que começa a

ser cada vez maior. Neste momento, uma

empresa comprar um veículo elétrico, é

um bom negócio, com os incentivos que

estão em vigor, é a melhor escolha ambiental

e económica. Desde que tenham

onde os carregar. Mas daqui a uns anos,

o veículo elétrico vai ser um veículo de

massas. Daqui a uns anos vai começar

a pesar em termos de vendas. É uma

tendência crescente e em Portugal não

está a dar resposta. Na combustão, vou

ter sempre emissões de óxido de azoto,

emissões de partículas. Podemos não ter

emissões de dióxido de carbono, mas vamos

ter sempre emissões de outros gases

e, portanto, num país que está a explodir

em termos de eletricidade de fontes renováveis.

É inevitável a transição para os

veículos elétricos, por razões climáticas e

por razões de qualidade do ar.

Qual a posição da ZERO face a remoção

dos filtros de partículas e catalisadores

dos veículos a diesel?

Pedimos recentemente uma reunião

ao Ministro das Infraestruturas e da

Habitação e pretendemos uma conversa

mais técnica com o IMT. Queremos

envolver o Ministério e o IMT nesta

discussão porque a questão dos filtros

de partículas é absolutamente crucial.

Estarmos a classificar zonas de emissão

reduzidas em que só se quer que lá passem

veículos mais recentes, como acontece

em Lisboa, mas depois alguns desses

mais recentes, não terem filtro de partículas,

todo o esforço que se faz é em vão.

Através de melhorias nas Inspeções

Automóvel?

É absolutamente vital que exista nova

legislação nos centros de inspeção e instrumentação

que permita avaliar se existe

ou não filtro de partículas no veículo.

Pode recorrer-se àquilo que já é utilizado,

o opacímetro, e, portanto, ter um nível

de exigência muito baixo, ou então utilizar

outros equipamentos que permitem

aferir ainda com maior rigor, se o

veículo tem ou não instalado o filtro de

partículas. Para a ZERO, esta é uma luta

fundamental para atingirmos os objetivos

europeus de redução de emissões.

O que pensa a ZERO da venda indiscriminada

de lubrificantes auto nos

hipermercados?

Esse é um grande problema. Temos um

trabalho já de há alguns anos, uma das

áreas que seguimos é a área dos resíduos

urbanos e especiais. E, na parte dos resíduos

especiais, temos um protocolo com

a ECOLUB, a entidade responsável pela

recolha e tratamento dos óleos lubrificantes

usados em Portugal, para acompanharmos

esses problemas, denúncias,

situações como, por exemplo, a dos veículos

em fim de vida, que deveriam ser

desmantelados apropriadamente, e isto é

algo bastante dramático em Portugal. O

veículo tem os óleos, tem gases florados

que estão no sistema de ar condicionado,

tem resíduos perigosos associados às

pastilhas de travão, etc., portanto, é uma

quantidade de resíduos ainda muito expressiva,

para os quais existe tratamento

adequado. E é preciso garantir que esse

tratamento é feito.

As oficinas geram grandes quantidades

destes resíduos, mas nem sempre são

bem encaminhados…

A Inspeção-Geral da Agricultura, do

Mar, do Ambiente e do Ordenamento

do Território tem feito um bom trabalho


34

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

P

PERSONALIDADE

Perfil

Licenciado em Engenharia do Ambiente

pela FCT-NOVA, Mestre pela

Virginia Tech, nos EUA, Doutorado

pela Universidade Nova de Lisboa

e desde sempre um entusiasta das

questões ligadas ao ambiente e à

sustentabilidade, Francisco Ferreira

é professor no Departamento de

Ciências e Engenharia do Ambiente da

Faculdade de Ciências e Tecnologia da

Universidade Nova de Lisboa (FCT-

NOVA) e a sua área de investigação é

a qualidade do ar. Paralelamente, foi

Presidente da Quercus, de 1996 a 2001,

e Vice-Presidente, entre 2007 e 2011.

Foi membro do Conselho Nacional

da Água e do Conselho Nacional

de Ambiente e Desenvolvimento

Sustentável. É, atualmente, Presidente

da ZERO.

a esse nível. Numa oficina, se tudo funcionar

da forma como deveria, todos os

aspetos do tratamento dos resíduos estão

devidamente acautelados. Ou seja,

nas oficinas, de marca e independente,

os resíduos estão identificados. Mas há,

realmente, muitas oficinas em que não

existe essa estrutura, que tem custos, mas

que é fundamental garantir. Há responsabilidade,

por parte de quem coloca um

veículo no mercado, de recolher depois

os seus diferentes componentes. Nos

pneus, temos a Valorpneu, nas baterias

temos também recolhas que são feitas,

nos gases florados também, etc. Se o sistema

funcionasse bem, era garantido que

o impacto ambiental seria muito menor.

E, em muitos casos, há materiais que se

podem aproveitar.

Como analisa a ZERO o trabalho desenvolvido

pelas entidades gestoras

de resíduos?

Temos vindo a acompanhar o trabalho

destas entidades, como o da Valorpneu.

Em muitos casos, sentimos que há soluções

que gostaríamos que fossem melhor

implementadas. Por exemplo, o encaminhamento

de pneus para incineração:

queremos garantir que só vão para incineração

os pneus que realmente não têm

a possibilidade de ser extraída a borracha

para ser depois transformada em piso, ou

para outros aproveitamentos. Por vezes,

não há a noção da quantidade de materiais

diferentes que um automóvel tem,

desde têxteis a componentes de carbono,

são materiais que depois se tornam

resíduos perigosos.

Falta ainda alguma

sensibilização

e envolvimento

pela positiva nas

oficinas

Não existe essa noção por parte das

oficinas?

Falta ainda alguma sensibilização e envolvimento

pela positiva nas oficinas. Se

houver perfeita noção do impacto que

determinadas negligências acabam por

ter, se calhar as oficinas não se importariam

de suportar mais alguns custos para

lidar com estas questões ambientais. A

penalização existe, as inspeções devem ser

feitas, mas, acima de tudo, nestas questões

têm de haver uma dupla ação. Por

um lado, o envolvimento, e, por outro,

a fiscalização.

Quais as propostas da ZERO para este

setor?

Uma das coisas que para nós é fundamental

é o Estado continuar, pelo menos durante

um ou dois anos, com os incentivos

aos veículos elétricos. Há uma fase em

que se deve criar economias de escala e

dar seguimento à solução, mas depois não

se pode continuar a financiar. Achamos

que, neste momento, não devem existir

quotas. Não se deve limitar a veículos,

o Estado deve fazer um esforço para garantir

que todas as compras de veículos

elétricos têm esses incentivos. Depois,

há a diferença entre empresas e particulares,

e essa diferença faz sentido, porque

as empresas têm hipótese de beneficiar

bastante com estas aquisições. Depois,

em relação aos biocombustíveis, achamos

que sempre foram muito complicados,

para nós é fundamental que não

tenham óleo de palma. É uma campanha

à escala mundial, porque o óleo de palma

sustentável deve, no máximo, ir para alimentação.

E o que acontece na Europa

é que o óleo de palma é mais utilizado

no biocombustível do que na alimentação.

Em alguns biocombustíveis, feitas

as contas, não se beneficia assim tanto.

E, portanto, o nosso objetivo é tentar

apostar numa mobilidade elétrica.

E o que mudaria a ZERO em relação

às oficinas?

Na ZERO, defendemos que é muito

importante existir um trabalho das associações

ligadas às oficinas e ao setor automóvel,

no sentido de garantir, até por

questões de mercado, que todos cumprem

as mesmas obrigações. Porque, como é

evidente, se temos duas oficinas concorrentes,

e uma cumpre e outra não, uma

terá custos que a outra não terá. Há que

fazer esse esforço. A Inspeção-Geral da

Agricultura, do Mar, do Ambiente e do

Ordenamento do Território deveria também

atuar mais nesta área, mas os meios

são limitados e há cada vez mais oficinas.

E as oficinas têm de começar também a

adaptar-se à mobilidade elétrica. O que

notamos, em alguns casos, mesmo nas

próprias marcas, é que, como ainda não

têm economia de escala, por vezes o veículo

tem de ir realizar a reparação ou manutenção

noutro país. Ou seja, mesmo

para além dos outros problemas, nesta

parte da mobilidade elétrica, ainda não

se está a dar a resposta que se deveria. E

é algo que também é preciso corrigir.


f facebook.com/revistaposvenda

i linkdin.com/company/revista-pós-venda


36

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Dossier

D

CARTÕES FROTA

Custos controlados

Os cartões frota não param de acumular benefícios, focando-se

cada vez mais no conforto e controlo de custos para as frotas

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

As vantagens oferecidas pelos

vários cartões frota disponibilizados

pelas gasolineiras são

cada vez mais e têm vindo a

acompanhar a evolução tecnológica

dos veículos e as necessidades do

negócio das frotas. Sendo o combustível

um dos principais aspetos aos quais o

gestor de frotas tem de estar atento, a

utilização destes cartões frota tornou-se

algo essencial, pelos descontos e controlo

de custos operacionais que proporcionam,

mas também pelos vários benefícios que

oferecem, tais como as várias modalidades

de pagamento, a faturação eletrónica,

assistência técnica, plataformas online

– onde é possível consultar transações

e definir limites –, extensas redes de

abastecimento e postos com Adblue. A

PÓS-VENDA PESADOS voltou a sondar

este setor de atividade, em constante

evolução e em que as empresas se tentam

diferenciar, não só por este tipo de serviços

associados, mas também através da criação

de cartões adaptados a todas as dimensões

de frota e negócio.


37

Questões

1 - Qual a vossa oferta ao nível de

cartões frota e quantos clientes têm,

em Portugal, ao nível de cartões frota?

2 - Qual o tipo de serviços mais valorizados

pelo cliente ao nível de cartões

frota?

3 - Que serviços vos diferenciam da

concorrência, ao nível de cartões frota?

4 - Que novos serviços serão adicionados,

a curto prazo, ao vosso cartão frota?

5 - Que outros fatores poderão influenciar

a vossa oferta em cartões frota

no futuro?

AS24 – Total

Nuno Cruz

ncruz@as24.com

214 467 920

www.as24.com

1 – O Cartão AS 24 e o Cartão AS 24/

Eurotrafic. O primeiro serve a Rede AS

24 24 (900 postos de abastecimento em

mais de 28 países da Europa, situados na

proximidade dos eixos rodoviários mais

frequentados ou nas principais plataformas

logísticas na Europa) e o segundo na Rede

AS 24 e na Rede de Parceria, com cerca de

15 mil postos adicionais. Dispomos de um

parque alargado de clientes, de pequena a

grande dimensão.

2 – Vigilância sobre as transações diárias.

A possibilidade de receção de alertas que

ultrapassem os limites estabelecidos pelo

cliente. A disponibilidade de Adblue em

quase 90% da Rede AS 24.

3 – A fiabilidade das transações, o seu

acompanhamento em tempo real e a possibilidade

de parametrizar alertas e restrições

nas transações, cartão a cartão.

4 – Serviço de parking em toda a Europa,

serviços de assistência e multas, localização

de reboques a todo o instante (FindIT),

interseção temporal da informação portagens/transação

de combustível.

5 – A disponibilidade de produtos alternativos

e/ou complementares representa

um grande desafio para o futuro. Um

acompanhamento técnico e humano cada

vez mais necessário, sobretudo no acompanhamento

das transações de portagens.

Repsol

António Martins Victor

213 578 956

www.repsol.pt

1 – O cartão Solred é um cartão frota destinado

a profissionais e de âmbito ibérico.

É aceite na maior rede ibérica de Estações

de Serviço. A Repsol tem também o cartão

Solred/DKV que é o maior cartão europeu

de combustíveis e de serviços ligados à

mobilidade.

2 – Os clientes valorizam muito a segurança

das transações que um cartão frota oferece.

A Repsol investe muito nos elementos de

segurança e lançou recentemente um novo

Sistema de Meios de Pagamento onde os

parâmetros de segurança foram altamente

reforçados. Além disso, os clientes também

dão muita importância ao número de

pontos de aceitação do cartão e nisso a

Repsol é líder a nível ibérico, com cerca

de 4000 postos de combustível.

3 – A parte tecnológica tem uma grande

importância, mas a Repsol valoriza muito

as pessoas e o atendimento muito próximo

do cliente. Qualquer cliente Solred frota

tem uma ligação de contacto personalizada

e direta com a Repsol através de um Gestor

de Conta que acompanha diariamente o

cliente.

4 – Fruto do lançamento do novo Sistema

de Meios de Pagamento em abril deste

ano, a Repsol deu um salto enorme a nível

tecnológico, permitindo ir acrescentando

valências ao cartão que possam ir ao

encontro das necessidades dos clientes.

O objetivo da Repsol é fazer um cartão

“à medida” de cada cliente. A tecnologia

fornece possibilidades quase infinitas neste

campo, que pretendemos explorar para

melhor servir os nossos clientes.

5 – No futuro próximo, será o desaparecimento

dos cartões físicos. A Repsol

possui já uma APP de pagamentos. Embora

atualmente ainda não seja utilizada para o

Solred, mas apenas para cartões bancários,

evoluirá depois desta fase de implementação

para servir também clientes profissionais,

tanto a nível nacional como a nível

europeu. Esse será um passo crucial na

modernização do Solred e da relação com

os seus clientes, que permitirá processos

mais simples, rápidos e seguros.

Q8

Filipe Barros

geral@grupovapo.com

253 408 480

www.grupovapo.com

1 – O Cartão Frota Q8 permite o abastecimento

a crédito com desconto aplicado

sobre o Preço de Referência Q8 praticado

na semana em curso e tem como objetivo

beneficiar e facilitar os abastecimentos aos


38

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

D

CARTÕES FROTA

seus clientes empresariais. O nosso cartão

tem ainda a vantagem de ser faturação

eletrónica onde todos os abastecimentos

chegam ao cliente numa única fatura e

ainda o facto de cada veículo ter o seu

respetivo cartão com código de segurança,

revelando-se uma mais valia na segurança

e comodidade dos nossos clientes.

2 – Acreditamos que a comodidade e praticidade

de não terem que pagar a dinheiro

a cada ida aos postos e também o facto de

poderem saber, a qualquer altura, quanto é

que já consumiram, se revelam mais valias

para o cliente. A transparência no envio

dos preços de referência a cada início de

semana também é valorizada.

3 – A rapidez na prestação de serviços é

um fator de diferenciação face à concorrência.

Um cliente que esteja com algum

problema num cartão da sua frota é rapidamente

ajudado, quer a solução passe por

tratar alguma questão informaticamente

ou mesmo, se necessário, pela emissão de

um novo cartão de substituição.

4 – Pretendemos tornar mais fácil a vida

dos nossos clientes, tornando o Cartão

Frota cada vez mais acessível, através de

uma aplicação móvel. Pretendemos que,

a qualquer hora e em qualquer lugar, os

nossos clientes tenham a possibilidade de

aceder às faturas eletrónicas, plafond disponível

e mesmo um Cartão Frota virtual.

5 – Uma vez introduzida no mercado

a aplicação móvel, e dada a facilidade e

praticidade da mesma para os nossos clientes,

este será um fator decisivo para atrair

novos clientes frota. Nos dias que correm,

são poucas as pessoas que não utilizam

telemóvel e que não usufruem das potencialidades

do mesmo, sendo que seria uma

mais-valia podermos permitir aos nossos

clientes um abastecimento mais cómodo

e independente de cartões.

BP

Jorge Gonçalves

Jorge.goncalves@bp.com

www.bpplus.com

1 – A BP tem o cartão BP Plus para os

abastecimentos em Portugal e o cartão BP

+Aral para os abastecimentos em Portugal e

na Europa. Em Portugal temos disponível

perto de 480 postos e em toda a Europa

temos mais de 18 mil postos de abastecimento

para servir as necessidades das

empresas de transporte que operam nas

rotas internacionais. O cartão BP Plus está

direcionado para o mercado nacional e tem

como alvo todas as empresas de transporte

e logística, empresas de serviços com frotas

mistas ou só de ligeiros passageiros, o

setor corporativo com frotas de ligeiros e

serviços de rent-a-car e leasing e com uma

participação no mercado que é transversal

às grandes empresas e às PME. O cartão

BP+ARAL é direcionado para as empresas

de transporte que operam em Portugal e

nas rotas internacionais e veio permitir aos

clientes que abastecem internacionalmente

uma rápida identificação com toda a rede

Europeia de Postos BP e da aliança Routex.

O nosso cartão internacional BP + Aral já

hoje como uma plataforma fundamental

para o desenvolvimento de mais valias para

os transportes internacionais, integrando

vários serviços, como portagens, parking,

seguros e apoio na manutenção em rota.

Na área dos cartões de frota, trabalhamos

com um espectro alargado de empresas

e atividades, desde PME a empresas de

grandes dimensões. Dentro deste espectro,

o tipo de ofertas disponibilizado pela BP

está orientado para empresas com frotas

de veículos ligeiros/comerciais ligeiros e/

ou pesados, empresas de leasing e aluguer

operacional e empresas profissionais

de transporte de mercadorias ou de passageiros.

Temos uma forte penetração

no setor profissional dos transportes de

mercadoria e de passageiros, onde temos

uma larga experiência e tradição, uma vez

que a BP foi uma das primeiras empresas

em Portugal a lançar a oferta de cartões

para este segmento. O outro segmento

de grande prioridade para a BP é o setor

das frotas mistas e de veículos ligeiros de

empresas dos vários setores de atividade

no nosso tecido empresarial. Este setor

de frotas continua a manter um ritmo

de crescimento atrativo e a nossa oferta

de serviços e produtos está muito bem

orientada para captar as oportunidades

de expansão. Atualmente temos mais de

7500 empresas como clientes dos nossos

cartões de frota e temos vindo a ter taxas

de crescimento acumuladas superiores a

7% ao ano.

3 – Temos uma oferta de rede e serviços

cada vez mais completa. A rede tem perto

de 480 postos, os sistemas têm uma forte

estabilidade e apresentam ferramentas

online muito eficazes e temos vindo a

mostrar uma competitividade comercial

muito ajustada ao que o mercado tem

solicitado. A BP apresenta a melhor oferta

para frotas que circulam fora de Portugal

com a aceitação do cartão em mais de 18

mil postos na Europa e com a oferta da

BP Tollbox para pagamento de portagens

com um único identificador eletrónico nos

países por onde mais circulam as empresas

de transporte nacionais. O cartão BP Plus

distingue-se dos seus concorrentes pela sua

cobertura de rede de postos em Portugal

e Europa, pela tecnologia inovadora dos

combustíveis BP, pela gestão e controlo de

custos operacionais da frota, pela possibilidade

de obter crédito para pagamento de

combustível e outros produtos nas lojas

BP e pelos serviços de suporte em viagem

(On Road Services) que oferece a todos os

gestores de frotas. Os serviços On-line BP

Plus permitem, por exemplo, aos gestores

de frota pedir, ativar ou cancelar cartões,

bem como lançar alertas para proteção

de potenciais fraudes. A definição antecipada

do tipo de produtos e serviços

que cada um dos seus condutores pode

adquirir com os seus respetivos cartões,

selecionando previamente o local, dias e

horas das transações, são outras das opções

disponíveis. Estas funcionalidades geram

benefícios no controlo da frota, uma vez

que os utilizadores do cartão podem aceder

às transações de cada um dos cartões BP

Plus, praticamente desde que as mesmas

são efetuadas. Para além disso, através da

informação disponível sobre os quilómetros

percorridos, os gestores podem saber

o consumo exato de cada um dos seus

veículos, de forma a garantir uma gestão

mais rigorosa do custo com o combustível.

Recentemente passámos a disponibilizar o

PIN online, que permite ao gestor de frota

fazer a gestão do PIN de cada cartão através

do sistema online (OLS). Esta funcionalidade

permite que em caso de perda do

PIN, o gestor de frota pode rapidamente

atribuir um novo PIN e desbloquear os

abastecimentos. O BP FleetReporter, outras

das mais-valias associadas a este cartão, permite

aos gestores acederem de uma forma

integrada a relatórios interativos e de fácil

interpretação, com informação de toda a

sua frota, através dos quais podem otimizar


39

processos e poupar em áreas significativas

da sua operação, nomeadamente ao nível

dos custos administrativos, integração

de sistemas, economia de combustível e

gestão da eficiência da frota. Controlo e

Segurança: transações on-line, código PIN

e de condutor. O controlo de transações

em tempo real, também oferece maior

segurança, porque permite o cancelamento

de um cartão, praticamente após ter sido

informado da sua perda, assim como dar

acessos a novos utilizadores ou cancelar

outros existentes. Mas ainda há mais no

campo da segurança da utilização do BP

Plus. Ao definir o tipo de produtos ou

lugares e as horas autorizadas, é possível

solicitar que o sistema alerte o gestor de

frota por SMS ou por email sempre que

se verifique uma tentativa de utilização

indevida dos seus cartões. Serviços On-

Line: pedido, ativação e cancelamento de

cartões, alertas para proteção de potenciais

fraudes. Através dos serviços On-line BP

Plus os gestores de frota podem definir

antecipadamente que tipo de produtos e

serviços pode adquirir cada um dos seus

condutores com os seus respetivos cartões,

selecionando previamente o local, dias e

horas das transações. Estas funcionalidades

geram benefícios no controlo da frota,

uma vez que os utilizadores do cartão

podem aceder às transações de cada um

dos cartões BP Plus, praticamente desde

que as mesmas são efetuadas. A nível de

tecnologia inovadora a BP, com mais de

100 anos de experiência, é líder na inovação

tecnológica dos seus combustíveis.

O lançamento no mercado Português

dos combustíveis Ultimate com Active

Technology demonstram o quanto a BP

lidera esta agenda da qualidade e avanço

tecnológico dos combustíveis, com benefícios

reais para os condutores.

4 / 5 – Os cartões BP Plus oferecem cada

vez mais uma melhor experiência no domínio

das plataformas online e nos serviços

agregados ao cartão. Neste campo,

lançámos no final de 2018 a nova oferta

de portagens, a BP Tollbox que permite

às empresas de transporte a utilização de

um único aparelho de portagens em vários

países de Europa. No que respeita à

evolução dos nossos produtos e serviços

ao nível da gestão de frotas, consideramos

que a mesma tem sido muito positiva. A

expansão das frotas de veículos ligeiros das

empresas de serviços a nível nacional foi

um dos fatores decisivos para a expansão

do negócio de cartões de frota ao qual a

BP, com uma rede de postos muito forte

e um conjunto de serviços de gestão do

cartão BP Plus, conseguiu dar resposta de

uma forma sustentada e com crescimento

sucessivos. Em 2019 vamos reforçar a

nova oferta no serviço de portagens EETS

com o lançamento do Serviço Avançado

dentro da BP Tollbox e que vai responder

às necessidades das empresas de transporte

de integrar a telemetria com a informação

que os cartões de frota disponibilizam. Em

Portugal já dispomos do Serviço Básico e

este ano vamos então lançar os serviços

avançados. Estamos também a trabalhar

no lançamento da nossa oferta para veículos

movidos a LNG e preparar a oferta para

os veículos elétricos através do serviço BP

Fuel&Charge. Em paralelo e dentro dos

valores de responsabilidade ambiental que

a BP tem em prática, estamos também

a preparar o lançamento do BP Target

Neutral, que vai ajudar as empresas a fazer

o offset das emissões de carbono. Para além

destes pontos, destaco ainda a continuação

da expansão da rede de Postos BP em

Portugal que é uma forte prioridade da

BP Portugal.

Luso IVA

Christine Almeida

christine.almeida@lusoiva.pt

214 861 705

www.c2a-card.com/pt-pt

1 – Os cartões C2A Flex respondem às

necessidades de todas as frotas e cuja sede

se encontre em qualquer outro lugar na

Europa. Trata-se da primeira solução de

pagamento completa, que permite ter um

controlo das despesas assumidas, reduzir

o orçamento e poupar tempo. Com a

solução C2A, o cliente cria o seu cartão à

medida e escolhe o tipo de despesas que

pretende autorizar aos seus funcionários

(combustível, hotel, restaurante, etc.). A

solução C2A permite às empresas aceder

a um combustível com preço competitivo

por conferir a possibilidade de abastecer em

todas as estações de serviço europeias. O

cartão inclui igualmente um conjunto de

ofertas de serviços móveis que permitem

geolocalizar-se, encontrar uma estação

de serviço próxima e de ser guiado até à

mesma via GPS. O serviço relação cliente,

disponível 24H/24 7D/7, responde a todas

as questões dos nossos clientes em língua

portuguesa. O cartão C2A, que se apoia

na rede MasterCard, pode ser utilizado

em toda a Europa.

2 – A C2A propõe um cartão único, que

permite às empresas otimizar os seus custos,

nomeadamente em combustível, e simplificar

em conjunto a gestão das suas notas

de despesas, proporcionando um controlo

transparente e eficiente das despesas: Um

cartão único para todas as despesas profissionais:

deixam de ter de multiplicar os

meios de pagamentos pois todas as despesas

profissionais podem ser pagas com o cartão

C2A; Configurável em tempo real e online:

com o seu banco online e a sua plataforma

de gestão de cartões, a solução responde à

necessidade de reatividade e de flexibilidade

dos seus clientes num mundo em que a

velocidade de reação e a capacidade de

adaptação são frequentemente fatores de

sucesso decisivos; Conferindo um acesso

a uma rede de parceiros com faturação :

cartão económico pois propõe o acesso a

combustível de baixo preço e descontos

em certas estações de serviço, bem como

uma fatura mensal digitalizada permitindo

recuperar o IVA; uma solução completa

das despesas de mobilidade que inclui

uma aplicação MyC2A Check permitindo

consultar o saldo, encontrar a estação

mais barata e deixar-se orientar até ela.

Benefícios da solução C2A para o gestor de

frota: o controlo dos orçamentos: redução

dos custos de deslocação e pagamento do

combustível mais barato; Controlo em

tempo real das despesas dos colaboradores

e controlo dos orçamentos; simplificação

da recuperação do IVA e das taxas com

uma fatura mensal; benefícios da solução

C2A para os utilizadores/colaboradores :

eficiência; pagamento de todas as despesas

profissionais em todo o lado e com um

único cartão; desaparecimento de adiantamento

de fundos pessoais, utilização do


40

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

D

CARTÕES FROTA

cartão C2A para todas as despesas profissionais

previamente autorizadas; poupança

de tempo no terreno com MyC2A Check.

3 – O cartão C2A é a primeira e única

solução de pagamento integral especializada

no setor B to B. A principal inovação e a

diferença da solução C2A reside no seu

caráter único, que combina as vantagens

de cartões de combustível e de cartões

bancários num único suporte: o cartão C2A

apoia-se na rede de aceitação Mastercard,

entre os quais seleciona apenas os tipos

de despesas profissionais escolhidas pelos

seus clientes. Uma outra inovação C2A :

o banco online e a plataforma de gestão

de cartões. Esta plataforma permite aos

clientes: aceder às suas contas, descarregar

os seus documentos, consultar o preço

do dia no gasóleo no seu trajeto, gerir as

opções dos cartões em tempo real, gerir as

matrículas dos veículos, gerir as despesas e

notas de despesas, rede de parceiros com

faturação: C2A é o único cartão bancário

que propõe o acesso a uma rede de parceiros

com emissão de uma fatura. Trabalhamos

diariamente no âmbito da conexão dos

parceiros ao nosso sistema informático

e monético, C2A é a única solução de

pagamento que inclui um leque completo

de serviços móveis para os profissionais tais

como a aplicação MyC2A Check. Assim,

a aplicação móvel MyC2A Check permite

aos utilizadores de cartões a consulta do

seu saldo, localizar a estação parceira mais

próxima e gerir as notas de despesas com

o software Inpensa. Este último permite

gerir não só as despesas realizadas com o

cartão C2A como também todas as despesas

efetuadas com um outro meio de

pagamento ou em numerário.

4 – O cartão C2A continua a desenvolver

a sua rede de parceiros com faturação. Em

breve, iremos propor aos nossos clientes a

possibilidade de reservar serviços hoteleiros

por toda a Europa via uma plataforma

única, permitindo obter uma única fatura.

5 – A alteração energética e a transição para

frotas inteiramente ou em parte elétrica,

tais como outros temas de atualidade, continuam

a ser acompanhados pela C2A com

especial atenção. Assim, a recente parceria

da C2A com a empresa MobilyGreen tem

como objetivo apoiar todos os seus clientes

em transição para uma frota mais «verde».

MobilyGreen propõe uma gama de soluções

à medida correspondendo aos projetos

de mobilidade elétrica das empresas com

a possibilidade de aceder a mais de 60 mil

pontos de carga em França, na Alemanha,

Países Baixos, Suíça, etc. Outras parcerias,

em função das problemáticas dos nossos

clientes, serão desenvolvidas com intuito

de propor uma solução única e sempre

de atualidade.

Alves Bandeira

José Fialho

alvesbandeira@a-bandeira.pt

231 244 200

www.alvesbandeira.pt

1 / 2 – A Alves Bandeira apresenta um

portfolio de cartões frota composto por

soluções ajustadas e direcionadas às necessidades

específicas de cada cliente. De

acordo com os requisitos de gestão de frota

desejados, rotas habituais e métodos de

pagamento, a Alves Bandeira oferece as

seguintes soluções otimizadas para o mercado

nacional: o cartão AB Frota combina

uma componente de crédito e desconto

a um conjunto alargado de serviços. O

acesso à informação de gestão detalhada

dos consumos de combustíveis é realizado

através da área de cliente do nosso site,

permitindo a manipulação da informação

e a gestão dos consumos. Outra das opções

disponível para o mercado nacional é o

cartão AB Vantagem Empresas, dirigido

a empresas que tenham preferência pelo

pagamento a pronto, usufruindo de um

desconto imediato e com o mesmo nível

de serviço do cartão AB Frota. A Alves

Bandeira apresenta ainda uma solução para

clientes com necessidades de abastecimento

fora de Portugal, através de parcerias com

a Repsol para Espanha e também AS24,

disponibilizando o acesso a uma rede de

12 mil postos de abastecimento por toda a

Europa. A solução internacional comporta

ainda um conjunto de serviços adicionais,

como o pagamento de portagens, recuperação

de IVA e do imposto do gasóleo

profissional. Neste momento, somando

os três segmentos, temos cerca de 6500

clientes e mais de 200 mil cartões ativos.

O nosso cliente consegue, através do

Portal de Gestão On-line, consegue atuar

em quatro vertentes: controlo de gestão;

gestão de movimentos; gestão de cartões

e, por último, gestão de utilizadores. No

que diz respeito à vertente de controlo

de gestão, o cliente consegue consultar

o seu plafond, o consumo de cada cartão

e seus consumos médios e, ainda, todo o

detalhe das transações (hora e data, posto,

quantidade abastecida, produto matrícula

e recibo). Na área de gestão de movimentos,

é possível consultar os movimentos

faturados e por faturar, extratos valores

em aberto, os movimentos provisórios e

preços dos combustíveis. Através da gestão

de cartões, o cliente consegue definir

e controlar o plafond de cada cartão por

transação, dia, semana ou mês. Além disso,

pode solicitar, bloquear ou cancelar cartões,

bem como consultar todo o seu histórico.

Por fim, a gestão de utilizadores permite

definir as permissões de consulta, alterar

palavras-chaves e gerir os perfis de utilizadores.

A economia realizada com cada

cartão depende de inúmeros fatores como

o consumo anual, número de viaturas,

plafond de crédito disponível, controlo

e segurança das transações, entre outros.

Com base nestes fatores que apresentamos

uma proposta adequada às necessidades de

cada cliente, o que significa que o nível de

poupança também é variável. Podíamos

olhar apenas para o desconto concedido e

estimarmos a poupança anual dos nossos

clientes, mas no nosso entender o nível

de poupança não se mede apenas pelo

desconto, mas pela soma dos fatores já

referenciados que permitem criar relações

de confiança, duradouras e win-win entre

a Alves Bandeira e os seus clientes.

3 – Destaca-se o fato da Alves Bandeira


42

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

D

CARTÕES FROTA

hoje, através de uma parceria única em

Portugal com a Repsol, conseguir oferecer

aos seus clientes uma rede com mais de 600

postos só em território nacional. Por fim,

um fator completamente diferenciador e

único, é a nossa Linha de Apoio. Fiéis à

nossa política de proximidade ao cliente

e entrega de um serviço de excelência,

possuímos uma linha de apoio interna, que

funciona 7 dias por semana, durante o ano

inteiro. De segunda a sexta-feira funciona

entre as 07h00 e 23h00, sendo que ao

fim-de-semana e feriados o horário é das

09h00 às 18h00. Além da linha de apoio

e portal de gestão online, destaco ainda

o fato de termos uma equipa comercial

dedicada e especializada, que nos diferencia

da concorrência e nos permite estar todos

os dias próximo do cliente e responder

rapidamente a qualquer necessidade.

4 / 5 – Com um olhar no futuro, estamos

atualmente a terminar alguns desenvolvimentos

tecnológicos que permitirão ao

cliente ter uma autonomia total na gestão

e distribuição do plafond por conta-cartão

e/ou por produtos e serviços. O lançamento

de um cartão para o segmento dos elétricos

acabará por surgir de forma natural, assim

que o mercado o exija. Em termos de

conceito, no segmento frota, nada muda.

Estamos preparados para oferecer soluções

adequadas às necessidades dos clientes.

Estamos também a analisar alternativas

para substituir o cartão físico. Não sabemos

se será obrigatoriamente uma APP, mas

estamos analisar alternativas, por meio da

tecnologia, que tragam benefícios para o

nosso cliente e que não comprometam a

segurança das transações.

Galp

Luís Filipe Flores

galp@galp.com

217 242 500

www.galp.com

1 / 4 – A Galp conta neste momento com

cerca de 7 mil clientes ativos nos segmentos

Frota Corporate e Professional (cartões de

crédito), aos quais correspondem cerca de

350 mil cartões emitidos no território continental.

No segmento de cartões Business

(cartão de desconto) para pequenas e médias

empresas, contamos com cerca de 30

mil clientes, que agregam cerca de 700 mil

cartões ativos. No total, temos, assim, mais

de um milhão de cartões de fidelização

emitidos. A fiabilidade na prestação do

serviço e a cobertura geográfica são dois

fatores determinantes na escolha de um

cartão frota. No entanto, representando

a mobilidade um item tão importante na

estrutura de custos de muitas empresas,

os cartões frota são cada vez mais uma

verdadeira ferramenta de gestão que – além

de permitir o acesso a descontos, que no

conjunto dos doze meses de 2018, permitiu

poupanças de cerca de 30 milhões

de euros às empresas clientes – permite

identificar e corrigir de imediato qualquer

situação anómala. Na Galp, o relevo da

nossa posição de mercado confere-nos uma

responsabilidade adicional que abraçamos

com o maior entusiasmo: contribuir para

a adoção de modelos de mobilidade mais

sustentáveis por parte das empresas na

gestão das suas frotas, nomeadamente

disponibilizando as ferramentas para a sua

eletrificação, bem como para a introdução

de conceitos como o das frotas partilhadas.

Estes serviços contam com o suporte da

Flow, uma empresa nascida no universo do

CEiiA, que foi responsável pelo lançamento

da plataforma Mobi.e, que gere todo o

sistema de mobilidade elétrica nacional,

pela plataforma de mobilidade e transportes

públicos do Concelho de Cascais

– a MobiCascais – e por diversas redes de

meios partilhados que mudaram a forma

como hoje vemos a mobilidade urbana.

Esse tipo de ferramentas já se encontra

disponível para as frotas auto, integrada

na oferta Galp. Em termos concretos,

para além do fornecimento de energia

para a mobilidade, a Galp disponibiliza

também um sistema integrado de gestão

para a mobilidade elétrica – veículos

elétricos, pontos de carregamento, utilizadores,

consumos com configurações à

medida do perfil de cada cliente, assim

como a instalação, manutenção e operação

de pontos de carregamento (simples

ou rápidos). A Galp quer ser parceira das

empresas portuguesas neste processo de

transformação em que todos estamos a

dar os primeiros passos, e onde, por isso

mesmo, tudo é possível se puxarmos uns

pelos outros. Outro movimento inevitável

é o da digitalização. A Galp dispõe desde

2016 da aplicação Galp EvoDriver, que

hoje tem mais de 180 mil utilizadores

registados. A aplicação funciona como

ferramenta de ligação entre o offline e o

online, pois permite a digitalização dos

cartões de desconto Galp, sejam eles Galp+

ou Galp Frota Business, criando assim

gémeos digitais. Desta forma, os clientes

não necessitam de trazer os cupões ou

cartões na carteira para acederem a todos

os benefícios.

5 – A oferta Galp já se encontra capacitada

para disponibilizar serviços como a

eletrificação de frotas, as frotas partilhadas e

conceitos como o Mobility as a Service e o

Software as a Service. Assim, a nossa oferta

encontra-se apetrechada das ferramentas

para massificar aquelas que são hoje vistas

como as grandes tendências da mobilidade

do futuro. O que prevemos que vá mudar,

mais depressa do que podemos imaginar,

é a abertura e a aceitação deste tipo de

serviços por parte das empresas e dos seus

colaboradores.

Prio

Ricardo Santos

info@prioenergy.com

234 092 786

www.prio.pt

1 – A Prio lançou a sua oferta para o

segmento frotas em 2012 com o cartão

PRIO Rede+, hoje com cobertura nacional,

cada vez mais abrangente e pensado para

responder às necessidades de qualquer

frota empresarial, seja pequena, média ou

grande. Oferecemos comodidade, segurança

no pagamento, controlo de custos

e combustíveis de elevada qualidade. De


43

seguida lançámos o cartão PRIO Truck

dirigido a empresas que se dedicam ao

transporte de mercadorias ou passageiros,

apostando mais recentemente no Prio Fleet,

uma oferta que se destina essencialmente

a pequenas empresas, com crédito simplificado,

desconto competitivo e segurança

nas transações. Por fim, a estes acresce o

cartão Prio Electric, destinado a veículos

elétricos, um segmento de mercado com

necessidades muito diferentes. No total,

temos já cerca de 5000 clientes ativos nas

várias modalidades e cartão, número que

muito nos orgulha.

2 – O cliente Prio valoriza, além dos preços

competitivos, a flexibilidade comercial e a

capacidade de percebermos as necessidades

particulares de cada cliente, adaptarmo-

-nos às mesmas e prestar-lhes o melhor

serviço possível. No final do dia é isto que

nos diferencia da nossa concorrência. A

possibilidade de gestão online das frotas

através do MyPRIO, é percecionada como

sinónimo de transparência, eficiência e

segurança logo, muito valorizado pelo

gestor de frota.

3 – A Prio compete num mercado com

excelentes concorrentes, empresas com

décadas de história e presença em Portugal.

Cabe-nos a nós enquanto empresa 100%

Nacional continuar a diferenciar-nos pela

competitividade, serviço prestado e tecnologia

útil às necessidades dos clientes.

4 – Estamos muito entusiasmados com

o ano de 2020. Iremos dar um salto tecnológico

enorme, sendo que o iremos

comunicar em primeira mão aos nossos

clientes. Para já podemos adiantar que

lançámos o ECO Diesel, um combustível

completamente diferenciador, resultado de

vários anos de investigação e desenvolvimento

de combustíveis. Compatível com

os motores a diesel, o ECO Diesel permite

às frotas reduzirem a sua pegada de carbono

sem necessidade de aquisição de novos

veículos nem conversão dos existentes. O

ECO Diesel está já elegível para o Gasóleo

Profissional, podendo assim usufruir do

reembolso parcial do Imposto sobre os

Produtos Petrolíferos (ISP) através dos

cartões PRIO.

5 – A Prio acompanhará sempre as tendências

do mercado e as suas necessidades.

Estamos atentos às questões da transição

energética e à descarbonização da economia.

FCSI

Marina Santos / João Barciela

info@fcsicard.com

262 830 020

www.fcsicard.com

1 – A FCSI possui cartões próprios (CCP e

EDC) e é distribuidor autorizado dos cartões

BP (a nível nacional), DKV (Nacional

e Internacional) e ESSO (Internacional).

Rede nacional: mais de 1000 postos de

combustível nas redes BP, Repsol, Prio.

Rede Internacional: mais de 40.000 postos

em 23 países Europeus nas redes Cepsa,

Valcarce, FuelTruck, Texaco, Avia, Q8,

Esso, Repsol, etc. Os nossos cartões têm

PUBLICIDADE

ofertas variadas ao nível de: Uso nacional

ou internacional; Tipo de produto

selecionado (Gasóleo, Gasolina, GPL,

AdBlue, Lubrificantes); Serviços associados

(pagamento de portagens, tratamento e

recuperação de IVA, etc.). No entanto

todos os nossos cartões têm uma oferta

comum associada que é a possibilidade de

usufruir do desconto de gasóleo profissional

(nas condições previstas pela lei) tanto em

Portugal como em Espanha, permitindo

também a recuperação do IVA internacional

bem como outros impostos em vários

países Europeus.

2 – Facilidade e simplificação: um único

cartão para abastecer ao mesmo preço em

qualquer posto em Portugal continental,

sem necessidade de acumular talões. Uma

única fatura para todos os abastecimentos.

Pagamento a crédito, sem necessida-


44

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

D

CARTÕES FROTA

de de adiantar dinheiro aos motoristas.

Segurança: Código PIN único e intransmissível.

Equipa de profissionais dedicados

à gestão de clientes. Esta equipa faz o

acompanhamento, esclarecimento de dúvidas

e aconselhamento constante durante

a relação comercial com os nossos clientes.

Serviços valor acrescentado: Recuperação

do IVA e outros impostos nas transações

na Europa e Pagamento de portagens são

essenciais para uma empresa que necessite

de se movimentar no país ou Europa.

3 – Dispomos de várias soluções de cartões

de combustível, que se adequam a todos os

tipos de empresas qualquer que seja a sua

tipologia, dimensão ou tamanho e tipo da

frota. Todos os nossos clientes têm acesso

a ferramentas informáticas para auxiliar

na gestão da frota, como a plataforma

Velocity (gestão de conta online) ou e-Route

(localizador de postos de combustível).

Dispomos também de uma solução própria

de Telemática/Geolocalização – Kinesis –

que permite aos nossos clientes algo único

no mercado em Portugal: a integração

dos dados do cartão de combustível com

os dados de localização do seu veículo. É

também uma mais valia, a nossa equipa de

profissionais dedicados à gestão de clientes.

Esta equipa faz o acompanhamento, esclarecimento

de dúvidas e aconselhamento

constante durante a relação comercial com

os nossos clientes.

4 – O Radius Group é marcadamente

reconhecido pelas soluções inovadoras

ao nível de gestão de frota e produtos

associados para a frota, pelo que já tem

a solução de carregamento para elétricos

em funcionamento em alguns países e

brevemente também a terá em Portugal.

5 – O desenvolvimento da rede estendendo-se

a novas parcerias ou incremento das

existentes. O desenvolvimento da ligação

entre Telemática e Cartões de Combustível.

Que influência terá o

desenvolvimento da

telemática nos pesados na

evolução dos cartões frota?

Nuno Cruz

AS24

“A simbiose da telemática e dos cartões

frota será uma obrigação futura”.

Victor Martins

REPSOL

“A Repsol já oferece aos seus clientes

o sistema Telemat, que permite o

abastecimento em muitos postos

sem uso de cartão e também sem

intervenção humana a nível dos

pagamentos. É um sistema destinado a

pesados, mas também temos soluções

para ligeiros profissionais. Por outro

lado, o sistema de gestão de frota que

disponibilizamos, suportado no portal

Solred Directo, permite já em alguns

casos e vai permitir em mais, no futuro,

uma interconexão com os sistemas dos

clientes, alguns deles telemáticos, com

vista à diminuição dos custos, melhoria

da gestão e do controle e respetiva

redução do trabalho administrativo”.

Filipe Barros

Q8

“A possibilidade que a telemática

proporciona de gerir a frota em tempo

real, revela uma enorme eficácia

na redução de riscos e custos. No

futuro, a utilização do cartão frota

complementada com a telemática

apresentará um amplo leque de

ferramentas, aumentando ainda mais a

eficiência da frota de cada empresa”.

Christine Almeida

LUSO IVA

“Mais do que uma tendência proposta

pelos construtores de pesos pesados, o

desenvolvimento da telemática permite

otimizar a manutenção do parque e

visa a reduzir o custo de mobilidade.

Agora conectado, o camião beneficia da

telemática para trocar cada vez mais

informação com servidores web de

tratamento e análise. Os dados que envia

dizem respeito à sua geolocalização ou

os tempos de atividade do condutor, mas

incluem também dados de consumo

de combustível. A plataforma C2A

permite incluir a utilização destes dados

fazendo o cruzamento com o custo

do combustível e obter assim uma

cartografia global do custo da mobilidade

do parque dos veículos. C2A continua a

acompanhar de perto essas evoluções e

não deixa de propor respostas adaptadas

aos seus clientes”.

Luís Filipe Flores

GALP

“O setor dos transportes há muito

que aposta na eficiência energética

e na redução de consumos através

da alteração de comportamentos,

de melhor planeamento de rotas, de

veículos mais eficientes, mas também

de telemática de apoio à decisão. O

desenvolvimento desta última e o

aumento do grau de conhecimento das

variáveis no transporte de pesados

(veículo, condutor, carga e rota) em

cada momento permitirá aumentar o

nível de customização da oferta de

produtos e serviços a cada um dos

nossos clientes ou abrir a possibilidade

de novas valências dos cartões frota

permitindo-os não serem apenas cartões

de combustível, mas cada vez mais

uma porta de entrada ao universo Galp

em toda a sua valência e portfólio de

produtos e serviços”.

Ricardo Santos

PRIO

“Todas as soluções que permitam

aumentar a segurança das transações

são relevantes no amadurecimento do

cartão. Já existem diversas empresas

a operar no mercado Português com

serviços muito interessantes, aliás os

próprios fabricantes de veículos pesados

têm evoluído bastante nesta área”.

Marina Santos / João Barciela

FCSI

“O alerta do uso indevido do cartão,

possível através da ligação entre

geolocalização e os dados de transação

dos cartões é um desenvolvimento

importante no sentido da redução da

fraude e aumento da segurança nos

abastecimentos”.


46

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Mercado

Camiões, Autocarros e VCL

M

IVECO, FPT Industrial

e Nikola Corporation

apresentam Nikola TRE

A

Iveco, a FPT Industrial e a Nikola

apresentaram o Nikola TRE, o

primeiro veículo resultante da joint

venture entre a CNH Industrial e a Nikola.

Este veículo baseia-se no Iveco S-WAY e

integra a tecnologia elétrica da Nikola e

sistemas de informação e entretenimento

de última geração. A integração do design

Nikola no IVECO S-WAY foi realizada

em conjunto pela Nikola e Italdesign

na sua sede em Moncalieri (Turim).

Novos modelos

MAN Truck & Bus

apresentados

no Busworld

A

MAN Truck & Bus apresentou

novos modelos durante a feira

Busworld. As estreias incluem o

Lion’s City 19, o Lion’s Intercity com um

motor D15 e os eTGE Combi e TGE

City. Foi apresentada uma versão de 12

metros do Lion’s City E totalmente elétrico,

com 35 lugares sentados. O e-bus

completa esta nova geração de autocarros

urbanos – também disponível com a diesel,

gás natural e híbrido. A transmissão

totalmente elétrica pode produzir entre


47

Fiat Professional lança versão 2020 do Talento

A

versão de 2020 do Talento traz

novos motores de 2 litros EcoJet,

Euro6d-Temp, que se caracteriza

pela redução de consumo de combustível

até 11%. Disponível em três níveis

de potência (120 cv e 320 Nm, 145 cv

e 350 Nm e 170 cv e 380 Nm) e binário

máximo disponível às 1500 rpm, o motor

dispõe de turbocompressor de geometria

variável. Graças ao controlo eletrónico, o

novo turbocompressor consegue adaptar

a respetiva dinâmica de fluidos à velocidade

do motor e ao estilo de condução,

de modo a fornecer sempre a sobrealimentação

certa. O motor dispõe de tecnologia

de Redução Catalítica Seletiva

(SCR), que diminui as emissões de óxido

de nitrogénio através da injeção de uma

solução de AdBlue nos gases de escape.

O interior foi projetado para oferecer

mais conforto e ergonomia. Esta versão

do Talento oferece duas alternativas de

comprimento, duas de altura e duas de

distância entre eixos, oferecendo volume

de carga entre 5,2 e 8,6 metros cúbicos,

peso bruto entre 2,80 e 3,05 toneladas

e capacidade de carga que pode chegar

a 1266 quilogramas.

PUBLICIDADE

Gerrit Marx, President Commercial and

Specialty Vehicles, afirmou: “O Iveco

S-WAY é a base do Nikola TRE e marca

o início de uma nova jornada rumo ao

transporte com zero emissões, fornecendo

a plataforma para introduzirmos recursos

disruptivos que mudarão o setor de

transporte”.

160 kW e um máximo de 270 kW. Com

até 53 lugares, o MAN Lion’s Intercity

foi apresentado pela primeira vez com

um novo motor D1556 LOH – o veículo

em exibição terá 360 hp (265 kW). O

motor de 9 litros – disponível para o

Lion’s Intercity juntamente com o D08

– vem com níveis de potência de 280,

330 e 360 hp. Os visitantes encontraram

ainda o Lion’s Coach C, com 13 metros

de comprimento e 48 lugares, elevador

e dois lugares para cadeiras de rodas.

O veículo é equipado com um motor

D2676 LOH de 470 hp (346 kW),

com um binário máximo de 2.400 Nm.

Também possui caixa de 12 velocidades

MAN TipMatic Coach. Por sua vez, o

Tourliner L deu aos visitantes um vislumbre

do mundo Neoplan.


48

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

M

CAMIÕES, AUTOCARROS E VCL

Iveco apresenta oficialmente novo S-Way

A

Iveco apresentou oficialmente

o novo camião S-Way, durante

o Congresso da ANTRAM, no

passado mês de novembro. Este é um

camião onde a telemática assume um

papel fundamental. Segundo a Iveco,

o S-Way transformou-se num camião

100% conectado com suporte proactivo

e preditivo. Através do “control room”

este camião está sempre conectado, o que

permite que de forma preditiva antecipar

Irizar ie bus com

novidades

tecnológicas

A

nova geração do Irizar ie bus, autocarro

100% elétrico e de emissões

zero, foi apresentada durante a feira

CaetanoBus apresenta

Toyota H2.CITY GOLD

A

CaetanoBus apresentou recentemente

o novo Toyota H2.CITY GOLD.

Com uma autonomia de 400km e

o sistema de pilha de combustível Toyota

de 60kW, o novo autocarro a hidrogénio

vai estar disponível no mercado Europeu

no próximo ano. O H2.City Gold tem

uma autonomia para 400kms com um só

carregamento. Graças ao rápido tempo de

carregamento, em menos de 9 minutos, e

à elevada autonomia do veículo, as operações

nas cidades não estão comprometidas.

Também se destaca pelo motor elétrico

eventuais problemas técnicos. Com habitabilidade,

ergonomia e comodidade melhoradas,

o novo S-Way foi desenvolvido

para um custo de utilização mais baixo.

A presença deste camião no Congresso

da ANTRAM foi também aproveitada

para a assinatura de um contrato de fornecimento

à empresa de Transporte JLS

(de Viseu), que adquiriu a primeira frota

de veículos Iveco S-Way que irá rodar

em Portugal.

Busworld e está disponível em 10, 12,

15 e 18 metros. Neste novo autocarro, o

espaço foi otimizado e as baterias são mais

eficientes, combinadas com um sistema

de regeneração de travagem, que reduz

os consumos e aumenta a autonomia.

Em ambientes urbanos, a autonomia

é de aproximadamente 250 km. Pode

realizar-se a carga lenta do veículo em 3

horas e também está disponível a opção

de carregamento rápido por pantógrafo.

A potência da carga pode variar de 50

kW a 600 kW. Esta nova geração pode

ser homologada na classe 2. Está também

equipado com um novo design, interior

e exterior.

com uma potência de 180kW. Disponível

com 10.7m ou 12m, nas versões LHD e

RHD, possui os tanques de hidrogénio no

tejadilho. O H2.City Gold está ainda equipado

com sensores de fuga de hidrogénio e

sensores de colisão. Os primeiros veículos

serão entregues em 2020.

Nissan lança novo

furgão compacto

NV250

A Nissan acaba de lançar no

mercado nacional a nova gama para

o segmento de Veículos Comerciais

Ligeiros: o novo furgão compacto

NV250. Com características de

segurança e fiabilidade melhoradas

graças às tecnologias da Mobilidade

Inteligente da Nissan e uma garantia

de 5 anos/160.000 km, os clientes

podem escolher entre várias

configurações interiores e 3 níveis de

potência de motor, dois comprimentos

de carroçaria e uma gama alargada

de conversões. A Nissan NV250 está

disponível nas versões de Furgão de 2

e de 3 lugares, com carga útil de 800kg

e dois comprimentos de carroçaria,

capacidades de transporte de carga

aperfeiçoadas; em conformidade com

a norma Euro6D-Temp e uma vasta

gama de conversões: painéis em

madeira na área de carga, acesso para

cadeiras de rodas e extras opcionais,

tais como unidades de refrigeração

a bordo; várias tecnologias de

Mobilidade Inteligente da Nissan a

bordo, incluindo o Arranque Assistido

em Subidas e a Aderência Melhorada;

garantia de série de cinco anos/160.000

km da Nissan.

Opel lança versão

elétrica do Vívaro

em 2020

A Opel irá lançar, em 2020, uma

versão elétrica do Vívaro, com duas

versões de baterias. O novo Opel

Vívaro-e oferecerá à escolha uma

bateria de 50 kWh de capacidade,

capaz de garantir autonomia até 200

quilómetros, ou uma de 75 kWh, para

autonomia até 300 km (nova norma

WLTP). O Opel Vívaro-e assenta

na versátil plataforma EMP2 do

grupo, que permite recorrer tanto a

motorizações convencionais como

a sistemas de propulsão elétrica. O

Vívaro-e alarga a oferta de veículos

comerciais particularmente eficientes

da Opel. O próximo comercial

elétrico da marca alemã será o Opel

Combo-e, cujo lançamento está

agendado para 2021. “Em 2024,

todos os modelos da Opel estarão

‘eletrificados’», revela o CEO da Opel,

Michael Lohscheller.


50

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Técnica

T

AUTOCARROS, PINTURA DE GRANDES SUPERFÍCIES

Pintar em grande

Proteger contra a corrosão, proporcionar aderência entre

camadas e conferir a dureza e o acabamento estético ideais

são as marcas de identidade da pintura automóvel. Caso nos

refiramos à pintura para autocarros, deverá ser ainda mais

resistente e flexível, visto que estes veículos passam muitas

horas a circular pelas ruas e estradas, expostos a condições

climatéricas adversas

TEXTO ANDRÉS JIMÉNEZ GARCÍA

O

autocarro urbano é um veículo

de transporte urbano, pelo

que não dispõe de compartimentos

de carga e permite

passageiros em pé, ao passo

que o autocarro interurbano tem compartimentos

de carga, é mais volumoso, caso

seja de longo curso não tem lugares em pé.

Em função do seu percurso, os autocarros

podem ter uma segunda classificação, surgindo

então os miniautocarros, autocarros

articulados, autocarros de dois andares,

autocarros de longo curso…

No que diz respeito ao acabamento estético

final, estes veículos partilham processos

de pintura, apesar das suas diferenças.

No entanto, os dois processos são totalmente

compatíveis. Dependendo das

peculiaridades de cada peça, poderão

fundir-se num processo misto, onde se

aplique aparelho e se lixem as zonas soldadas

na reparação, e se termine com um

processo húmido sobre húmido, sobre

toda a peça.

As peças condicionam o processo de

pintura

Iremos centrar-nos nas peças exteriores

destes veículos, em concreto nas zonas

médias e baixas, visto que é principalmente

aqui que se localizam os danos,

assim como nos para-choques dianteiros

e traseiros.

PROCESSOS DE PINTURA

Basicamente, são utilizadas duas técnicas

de pintura, que dependem do trabalho que

é realizado durante a preparação de fundos:

processo de aparelho húmido sobre

húmido e processo com aparelho lixado.

>> O processo húmido sobre húmido

é o mias rápido e rentável, visto que na

sua aplicação minimizam-se e omitem-se

determinadas operações. Não é preciso

secar nem lixar o aparelho ou o primário

epóxi, mas sim, após ser respeitado o tempo

indicado na ficha técnica, proceder-se

à aplicação das tintas de acabamento.

>> O processo de aparelho lixável reproduz

as mesmas fases de trabalho que as

executadas nas reparações de camiões,

carrinhas e ligeiros, sem apresentar diferenças

notórias na sua realização.

Peças mais pintadas (zonas médias/baixas)

Conforme as peças a pintar sejam novas

ou reparadas, o tamanho dos danos e o

tipo de suporte (aço, alumínio ou plástico),

poderão ser estabelecidos diferentes

processos de pintura:

>> Em peças ou painéis danificados e

reparados, onde é necessária a aplicação de

massa de poliéster, aplica-se um aparelho

com bastante espessura e corpo, para,

posteriormente, ser lixado e nivelarem-se

as superfícies a pintar.

>> Quando as peças ou painéis são novos,

ou apenas apresentam pequenas mossas ou

riscos, poderá ser aplicado um processo

húmido sobre húmido, ou misto, para

sua posterior pintura.

Processo de pintura com aparelho lixável


51

Peça reparada metálica

ou termoplástica

Peça nova metálica

amovível sem aplicação

de primário (H-H)

Peça nova metálica

soldada sem aplicação

de primário (misto)

Peça nova de plástico

com aplicação de primário

Limpeza

e desengorduramento

Realiza-se em todos os processos para eliminar resíduos de sujidade, pó de lixamento, etc.

Lixamento de bordos

Em peças reparadas pelo

bate-chapa

Não se lixam os bordos

Pequeno lixamento nos

pontos de soldadura

Não se lixam os bordos

Matificação da chapa ou

do plástico em peça nova

Não se realiza

Com grão P220

Com grão P220

Matificação com P-400

Aplicação de massa

Lixamento da massa

Mascaramento

Passivação da chapa

Aplicação de primário

Aplicação de aparelho

Lixamento do aparelho

Aplicação do acabamento

A massa é aplicada pelo

pintor, com espátulas de

grandes dimensões

Com grão P100 -180, será

executado pelo pintor

Dois mascaramentos

(fundos-acabamentos)

das zonas que não devem

receber aparelho ou tinta

Não é necessário

Evitar a corrosão e ganhar

aderência

Aparelho lixável em zonas

reparadas, com bico 1,8

Nivelar as superfícies para

a sua pintura

Não se aplica massa

Não há lixamento de

massas

Um único mascaramento

serve para fundos e

acabamentos

Para evitar a corrosão

Reforçar a passivação e

ganhar aderência

Aparelho específico para

H/H, com bico 1,4 - 1,6

Em processo H/H não se

lixa o aparelho

Pequena aplicação de

massa nos pontos de

soldadura

Pequeno lixamento da

massa em pontos de

soldadura

Dois mascaramentos

(fundos-acabamentos)

das zonas que não devem

receber aparelho ou tinta

Para evitar a corrosão

Reforçar a passivação e

ganhar aderência

Aparelho lixável nos

pontos de soldadura e

depois processo misto

Realiza-se um ligeiro

lixamento do aparelho

Não se aplica massa

Não há lixamento de

massas

Não há mascaramento

Não existe corrosão

Não é preciso, ou um

retoque pontual

Não se aplica aparelho

Matificação do primário

Esta operação é comum em todos os processos de pintura. Acabamentos monocamada, bicamada, tricamada, etc.

PARTICULARIDADES DAS PEÇAS SO-

BRESSELENTES

O fornecimento ou a obtenção das peças

sobresselentes de carroçaria para os autocarros

é bastante diferente em relação às

formas de fornecimento relativas a outro

tipo de veículos.

>> Nas peças metálicas, (alumínio ou aço)

não existe a cataforese, ao contrário das

peças dos automóveis, que efetivamente

apresentam esta proteção anticorrosiva.

Quanto aos autocarros existem duas formas

de fornecimento:

1. Peças moldadas ou estampadas, como

portas, tampas de compartimentos de

carga ou cavas das rodas, que o próprio

fabricante ou o fabricante da carroçaria

pode fornecer à oficina em chapa viva ou

com um primário epóxi ou fosfatante.

2. Para substituir os painéis tensionados,

a oficina procurará chapas de aço ou alumínio

de diferentes dimensões, que serão

cortadas e adaptadas às partes danificadas

do veículo.

Substituição e pintura de um painel tensionado

>> Em peças de plástico há maior semelhança

com o que acontece com os

automóveis. As peças são fornecidas já

com o primário aplicado. Cantos de para-

-choques, para-choques completos, grelhas

dianteiras ou painéis traseiros, spoilers,

etc., apenas se deverão desengordurar,

matificar para abrir o poro e deverá ser

aplicada a cor de acabamento.

PROCURA E PREPARAÇÃO DA COR

Nestes veículos, encontraremos quase

sempre mais do que uma cor e, portanto,

o pintor terá maior dificuldade na procura

e formulação das cores. Por isso deverá

fazer uso da informação que o fabricante

da carroçaria, o frotista, ou a empresa de

transportes tenha destas cores, visto que,

muitas vezes, foram concebidas exclusi-


52

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

T

CESVIMAP

Peças exteriores pintadas mais habituais em autocarros

Portas (condutor,

passageiros central

ou dianteira)

Portas ou tampas para

outras utilizações

(baterias, compartimento

de ferramentas, etc.)

Portas de compartimentos

de carga

vamente para eles, e utilizadas durante o

fabrico do autocarro.

Caso não se disponha dessa informação,

deverão ser utilizadas as cartas ou variantes

de cor, e atualmente, aproveitar a precisão

dos espetrofotómetros, para a localização

das referidas cores.

PROCESSOS DE PINTURA ESPECIAIS

As frotas de autocarros costumam ter cores

adicionais, com designs personalizados e

únicos, que se podem conseguir mediante

diferentes processos de trabalho:

>> Franjamentos. Estes designs, à base de

franjas mais ou menos largas, de diferentes

cores, com distintas formas, costumam

fazer-se com tinta, utilizando conversores

de tinta monocamada em bicamada, para

realizar mascaramentos muito rápidos e

para pintar com agilidade.

Técnica do franjeado

Spoilers traseiros

e dianteiros

Painéis tensionados das

laterais

Painel traseiro

atualidade verifica-se a substituição pelos

vinis.

Técnica da decoração

Cavas das rodas

Frente ou grelha (chapa/

plástico)

Porta traseira do motor

>> Aplicações de vinil. Hoje em dia é a

técnica mais utilizada. Os vinis podem

ser “calandrados” para reproduzir logótipos,

números de telefone ou nomes de

empresas, ou “de fundição”, tratados com

calor, para decorar grandes superfícies com

fotos, paisagens, etc., criando assim um

grande anúncio móvel.

Estas técnicas de personalização costumam

ser realizadas de duas formas:

1. Os franjamentos e degradações costumam

ser realizados nas mesmas oficinas

onde foram concebidos, e aplicados no

local de fabrico, visto que é onde estão

disponíveis os padrões e as cores utilizadas

na pintura.

2. As decorações e, agora sobretudo, as

aplicações de vinil, costumam ser realizadas

por empresas especializadas do

setor, com grande domínio das técnicas

de design, colocação e colagem dos vinis.

Os autocarros não podem permanecer

muito tempo parados, pelo que as reparações

de pintura deverão ser realizadas

do modo mais produtivo possível, permitindo

a máxima proteção e qualidade

da reparação.

A máxima rentabilidade consegue-se

realizando processos de pintura húmido

sobre húmido ou mistos, quando necessário,

minimizando assim trabalhos de

mascaramento e lixamento, visto que são

laboriosos e exigem tempo.

Os acabamentos monocamada constituem

a maioria neste tipo de veículos, mas,

pouco a pouco, e sobretudo nos autocarros

interurbanos, encontraremos acabamentos

bicamada e, inclusivamente, tricamada.

>> Degradações. Esta técnica realiza-se

sobretudo nos autocarros, onde se vai

misturando e esbatendo uma cor na outra,

sem um corte nítido ou uma franja

marcada, integrando as cores mediante a

sua degradação. Os degradados podem-se

realizar de forma horizontal ou vertical

sobre as superfícies do veículo.

>> Decorações. Antigamente costumavam

realizar-se com tinta, utilizando

modelos ou adesivos moldados, mas na

Técnica da degradação

Para saber mais:

Área de Pintura da CESVIMAP pintura@

cesvimap.com

Pintura de automóveis. CESVIMAP,

2009

www.cesvimap.com

www.revistacesvimap.com

@cesvimap


54

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT DEZEMBRO 2019/JANEIRO 2020

Formação

F

N.º 9

GESTÃO OFICINAL BY CAR ACADEMY

Gestão da produção III

Cálculo do custo

de mão de obra

Este mês concluímos o capítulo Dias de trabalho por ano (DTA) -

sobre Gestão da Produção numa Determinar o número de dias úteis num

oficina, com a definição e cálculo determinado período a calcular (normalmente

um ano civil).

do custo de mão de obra.

Como já referi anteriormente, Média da Taxa de Utilização (MUt) e

este valor é quase sempre negligenciado Média da Eficiência Produtiva (MEP) - Já

por parte dos gestores, em grande parte faladas no artigo anterior.

devido ao desconhecimento da sua forma Média dos Descontos Concedidos a

de cálculo. Como veremos mais à frente, os Clientes (MD) - Determinação da média

tópicos sobre indicadores de gestão oficinal (em %) do desconto comercial atribuído

que falámos anteriormente têm um fator a clientes particulares e empresas.

determinante nesta tarefa aparentemente O custo real do valor de mão de obra

complexa.

(designado por Taxa de Carga - TC), por

Determinar o custo real de um bem intangível,

como é o caso dos serviços, pode ser,

hora, é dado pela expressão seguinte:

à partida, uma tarefa árdua, sobretudo se

o “trabalho de casa” não fôr devidamente

executado. Este trabalho passa essencialmente

por conhecer as seguintes variáveis TC=

C

NEP*HTD*DTA*Mut*MEP*(1-MD)

da equação:

Custos Diretos (CD) - São todos os custos

facilmente identificáveis com a produção

do serviço. Neste caso, teremos os custos Este é o valor que custa à organização

de mão de obra, impostos e seguros relacionados

com os colaboradores. obtenção da sua margem, importa agora

produzir uma hora de mão de obra. Para

Custos Indiretos (CI) - Não podem ser que a gestão de topo determine o lucro

facilmente identificáveis com a realização expectável para o período em análise, calculando

desta forma o valor a faturar, por

deste ou daquele serviço. São exemplos

o custo do espaço (renda, água, luz, etc), hora, ao cliente.

veículos, manutenção e publicidade, custos

de consumíveis, juros de empréstimos

bancários, entre outros.

C+Lucros previstos

Efetivos Produtivos (EP) - Há que determinar

a quantidade efetiva de produtivos

TC=

NEP*HTD*DTA*Mut*MEP*(1-MD)

que se pretende englobar neste cálculo.

Importa aqui diferenciar quais os que são

produtivos a 100% (que devem “vender”

oitos horas diárias), daqueles que zação quer a eficiência produtiva podem

Importa referir que, quer a taxa de utili-

por acumulação de funções é expectável ser bastante flutuantes no período em

uma produção abaixo deste tempo (por análise, pelo que a utilização do seu valor

exemplo, chefes de oficina, técnicos afetos médio deve ser o mais próximo possível

exclusivamente a diagnóstico ou estagiários da realidade. Pequenas oscilações nestas

são alguns exemplos).

variáveis podem fazer a diferença entre

Horas de Trabalho por dia (HTD) - ganhar ou perder dinheiro por cada hora

Normalmente oito horas diárias. de mão de obra vendida.


Mais performance

Menor consumo de combustível

XTL

®

TECHNOLOGY

TITAN CARGO MAXX com Tecnologia XTL ® para

veículos comerciais pesados - reduz significamente

o consumo de combustível durante todo o intervalo

de mudança do óleo, aumenta a performance a

baixas temperaturas, e garante excelente proteção

dos motores e equipamentos.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!