Negócios Janeiro 2019

online.magazines

4 | JORNAL DE NEGÓCIOS

Lanchinhos saudáveis

A partir de demandas pessoais e do mercado, empresas

Marta Moraes criou a Qpod

a partir de uma necessidade

pessoal e hoje busca investidor

Gisele Tamamar

Saem os salgadinhos industrializados,

as frituras e as

bolachas recheadas e entram

em cena as frutas, os bolinhos de

cacau e os chips de legumes. Com

o crescente interesse dos consumidores

por uma alimentação mais

saudável, o mercado de snacks – ou

“lanchinhos” – ganhou diversidade

e desperta o interesse de empreendedores

em busca de um negócio

com potencial.

Pipoca de semente de flor de

lótus, grão de bico com chocolate

e chips de batata doce liofilizada

fazem parte da linha de produtos

da Qpod, empresa criada pela empreendedora

Marta Moraes a partir

de uma necessidade pessoal. “Eu

era a louca da marmita e levava

frango com batata doce para todos

os lugares”, lembra.

Foi em uma feira do setor que ela

conheceu o processo de liofilização,

técnica que congela os alimentos e

remove todo o líquido, mantendo

os nutrientes – a mesma tecnologia

utilizada na comida dos astronautas.

O que começou com uma ideia

para resolver o problema de transporte

e conservação da marmita virou

um negócio. Seis meses depois

de conhecer a tecnologia, Marta

começou a criar os produtos, fazer

testes de sabor e lançou a marca

Qpod. “Comecei batendo de porta

em porta nas lojas. Hoje, consegui

entrar em grandes redes e ter visibilidade,

mas ainda sou pequena.

Crescemos muito no boca a boca

e com degustações”, conta. Atualmente,

a empreendedora está em

busca de investidores para sustentar

uma expansão.

Na avaliação da consultora do

Sebrae-SP Simone Haduo, o crescimento

do mercado de snacks saudáveis

é motivado pela busca de

alternativas de alimentação mais

práticas, mais rápidas, mais saudáveis

e que gerem conveniência.

Para quem está de olho no mercado,

a consultora destaca o segmento

de grab and go, ou seja, o “pegue e

leve”, como um nicho de alto valor,

não só para investir exclusivamente

na produção de snacks, mas também

como uma oportunidade para

restaurantes, padarias, cafeterias,

que podem inovar com a implantação

desses produtos. “É importante

criar uma experiência de consumo

positiva, sensorial e adequada dentro

do negócio. Não será apenas embalar

o que já se vende. Ter cuidado

na elaboração e como oferecer o

More magazines by this user
Similar magazines