Revista Assunto de Mulher

sandrasimoes681

Nesta primeira edição de 2020 saudamos o mês de março por ser um mês de luta e reflexão para todas as mulheres. A revista vem com grandes novidades na categoria artesanato, culinária, educação,politica, artigos e a entrevista com a primeira dama da cidade de Praia Grande.




Email: revistaassuntodemulher@gmail.com

A S S U N T O S D E M U L H E R A S S U M E S E U

C O M P R O M I S S O C O M P R A I A G R A N D E

Na condição de mulher guerreira não poderia deixar passar em branco, o Dia

Internacional da Mulher, comemorado anualmente, em cerca de 100 países, sempre no dia 8

de março, desde 1975, quando foi instituído pelas Nações Unidas. É fundamental, para nós

mulheres que lutamos por melhores condições de vida para todas as mulheres,

independentemente de sua condição de vida.De minha parte, a experiência de residir e

vivenciar o dia a dia de Praia Grande, nesses 10 anos, me trouxe uma paixão indescritível,

pela cidade. Eu, que nasci e vivi grande parte de minha vida em Cubatão, onde dei meus

primeiros passos, como cidadã na educação, trabalho e na política, posso dizer, sem medo

de errar que

Praia Grande divide com Cubatão, boa parte de meu coração. Com tudo o que aprendi e

coloquei em prática, nesses anos todos, tomei uma decisão importante, que é fazer parte de

um projeto de transformação de Praia Grande, no maior Pólo residencial, turístico e geração

de empregos, de toda a Região, quiçá, em muito breve, de todo o Estado de São Paulo, e

porque não dizer do Brasil.

Meu primeiro desafio é apresentar meu instrumento de trabalho, a Revista Eletrônica

Assuntos de Mulher, um espaço para difundir as ações da mulher da região, seja em casa,

no local de trabalho, nas ações sociais, educação enfim, na sociedade como um

todo. O contato pode ser feito, pelo e-mail, in Box, whatsApp, Instagran, ou ainda, por

telefone. Vamos juntas, unidas buscar sempre, o melhor para o que já está bom.

Sandra Simões




Como chegamos até aqui

As mulheres formam a base dos educadores brasileiros há muitas décadas. Mas houve um tempo,

no início de nossa história colonial, em que elas eram sequer autorizadas a frequentar as escolas como

estudantes. A partir do século 18, as meninas foram ganhando permissão para frequentar as escolas

régias – específicas para o público feminino –, que já contavam com docentes mulheres. Abriu-se,

assim, um mercado de trabalho feminino: o magistério público. Mas a presença masculina na docência

ainda era grande.

Com o tempo e a abertura de novos cursos de formação superior exclusivos para homens, que

ofereciam remuneração mais elevada, as mulheres foram se tornando maioria na área. A docência se

instituiu como uma “porta de entrada” natural para aquelas que queriam seguir uma carreira. “Durante

o Império, a oportunidade para as mulheres de continuarem a estudar se dava pela Escola Normal”, diz

Ana. Eram os tempos em que “ser professora era bonito”, mas em que também se ouvia muito que

“lugar de mulher direita era em casa”.

Dá para mudar? Dá. Ana Claudia acredita que essa mudança começa ao agregar a comunidade

escolar, formando um movimento que tenha força institucional e venha de dentro das secretarias para

que as mulheres tenham as mesmas oportunidades em todas as instâncias. “A gente está subindo a

escada, mas subimos dois degraus e descemos um”, diz. “O que a gente precisa mesmo é avançar. A

pressão externa ajuda na cobrança dos direitos humanos, mas tem que partir daqui”. Não pode ser um

movimento isolado: “Tem muitas pessoas se juntando em coletivos, os coletivos das mulheres, das

mulheres negras, mães de filhos com deficiência. São pequenas ondas. A gente tem que formar uma

onda grande, o ‘vamos e vamos todas juntas’. É essa ideia de que sozinho a gente não tem muita força,

mas juntas nós vamos longe”.


Distribuição de Professores

por gênero na educação básica

fundamenta I ao ensino médio

1775.915

mulheres

447.126

homens

Fonte: INEP,dados do censo escolar 2017



Todos estes dados foram do ano de 2017,

pelo INEP, dados do censo escolar. Com todas estas

informações temos um cenário

nítido da discrepância que continua a mostrar a força

das mulheres em todas as

áreas profissionais do nosso pais. Mais infelizmente a

grande maioria em suas

regiões locais não se une para que possamos juntas

conquistaremos o nosso

espaço de direito na politica.


A e s c o l h a d o d i a o i t o d e m a r ç o f o i v i n c u l a d a a e p i s ó d i o

d e p l o r á v e l , a c o n t e c i d o e m 1 8 5 7 . G r u p o d e 1 2 9 t e c e l ã s ,

f u n c i o n á r i a s d e f á b r i c a d e t e c i d o s d e N o v a I o r q u e , p a r a l i s a r a m

a s a t i v i d a d e s r e i v i n d i c a n d o o d i r e i t o a 1 0 h o r a s d e t r a b a l h o

d i á r i o à s e m e l h a n ç a d o s h o m e n s . E r a u s u a l p e r í o d o d e t r a b a l h o

d e a t é 1 6 h o r a s / d i a .

T o d a s f o r a m c o n f i n a d a s e q u e i m a d a s

d e n t r o d o e s t a b e l e c i m e n t o c o m o b e n e p l á c i t o d e p r o p r i e t á r i o s e

d e f o r ç a s p o l i c i a i s . A p a r t i r d e 1 9 1 0 a d a t a f o i l e m b r a d a c o m o

D i a I n t e r n a c i o n a l d a M u l h e r .

N o s é q u i t o d e s t a s m á r t i r e s , i n ú m e r a s m u l h e r e s v a l o r o s a s

l i d e r a r a m o u t r o . A l u t a p a r a a c o n q u i s t a d e t o d o s o s d i r e i t o s

d e v e c o n t i n u a r , p o i s m u i t o h á s e r c o n q u i s t a d o .

C e l e b r e m o s a d a t a a g u a r d a n d o d i r e i t o s s e m e l h a n t e s p a r a

t o d o s . E m u i t o m a i s :

u n i ã o e h a r m o n i a d o s s e x o s . C e l e b r e m o s , t a m b é m , a s n u m e r o s a s

m u l h e r e s a n ô n i m a s q u e d e d i c a m a e x i s t ê n c i a p a r a m i n o r a r o

s o f r i m e n t o d o p r ó x i m o , s e n t i n d o s e r e c o m p e n s a d a s c o m o

s o r r i s o d e a g r a d e c i m e n t o p e l o s e r v i ç o s p r e s t a d o s

A

d i r e t o r i a


DICAS DE

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

P A T R I C I A M A U R I C I O


por: Sandra Simões

RECUPERE A ROTINA ALIMENTAR DAS CRIANÇAS NA

VOLTA ÀS AULAS

O perigo dentro da lancheira

. Com o fim das férias escolares, a criançada

volta a rotina – com horários para acordar, dormir

e realizar as tarefas do dia a dia. Mas você sabe

como retomar a alimentação dos pequenos na

volta às aulas? “Os pais e a própria escola

possuem papel fundamental nesta missão. O

retorno deve acontecer de forma prazerosa para

a criança”, diz Patrícia mãe de três filhas.

Ela explica que a refeição mais importante é o

café da manhã. “Além de quebrar o jejum, é

fundamental para que a criança comece bem o dia,

se mantenha disposta e concentrada durante as

atividades que estão por vir”.Os grandes sucessos

das lancheiras dos alunos são as comidas

industrializadas:bolinhos,refrigerantes,salgadinhos

e bolos. Esses itens,

entretanto, podem trazer consequências ruins

para a saúde das crianças.

“ As consequências da ingestão de alimentos

ultra

processados por crianças é o desencadeamento

de doenças crônicas como:

obesidade, colesterol alto, diabetes, hipertensão,

anemia, dentre outras.

Isso ocorre, porque os alimentos

industrializados possuem grandes quantidades

decorantes, conservantes, gorduras, açúcares e

sódio que, consumidos diariamente

sem controle, podem levar as crianças ao. A

Patrícia também sugeriu um cardápio para a

lancheira dos pequenos. “A melhor opção é levar

algo de casa,

como sucos, iogurtes, frutas e sanduíches.

Quando a cantina for inevitável, os

pais devem orientar os filhos a escolherem as

opções mais saudáveis”, completa.


.

Café da manhã:

1) Leite com cereais +

frutas picadas + pão com queijo branco

2) Vitaminas de frutas

+ bolachas com requeijão

3) Iogurte + pão com

manteiga

Almoço ou jantar:

1) Bolinhos de carne

feitos em casa + jardineira de legumes + arroz integral + feijão + suco natural

ou frutas

2) Frango grelhado +

abóbora sauté ou quibebe + espinafre refogado batido + arroz + feijão + suco de

frutas

3) Peixe + purê de

batatas + arroz com brócolis + suco natural

4) Espaguete à

bolonhesa + salada de cenoura e vagem cozidas + suco de frutas

Agora é só escolher as

opções que mais se adequam ao paladar do seu filho e colocar a mão na massa.

Boa volta às aulas!


por Lula Terras

CERTIFICADAS AS 160 CIDADES

MELHORES AVALIADAS, POR ATUAÇÃO NO

MEIO AMBIENTE

Praia Grande, em 41º lugar

foi a melhor da Baixada Santista


Em solenidade realizada na última quinta-feira, dia 11, na Capital, 160 cidades foram certificadas com

o Selo Verde-Azul, dos municípios que cumpriram as 10 diretivas e mais 80 programas do Programa, que

é desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente. O

grande destaque foi a cidade de Botucatu, em 1º

lugar no ranking, com 92,53 pontos.

A melhor colocação, entre as cidades da Baixada Santista foi Praia Grande, em 41º lugar, com 65,37

pontos. Seguida e Bertioga, em 70º lugar, com 57,69 pontos; Santos, em 87º lugar, com 52,61 pontos;

Itanhaém, em 95º, com 51,15 pontos;e Guarujá, em 160º, com 40,03 pontos.

Como o programa abrange todos os municípios paulistas, na região, as demais colocações foram:

São Vicente, em 208º lugar, com 22,96 pontos; Cubatão,em 227º, com 19,4 pontos; Peruíbe, em 401º,

com 8,19 pontos; e, finalmente, Mongaguá, em 431º lugar, com 7,56 pontos.

Vale destacar que todos os municípios paulistas devem cumprir as 10 diretivas e mais de 80

programas do município verde e azul. São políticas públicas para resíduos sólidos, como plano municipal

de resíduos sólidos e a execução de tudo isso, vale ponto, e para qualificar os municípios, eles tem que

atingir no mínimo 40 pontos, e para certificar, tem que obter no final do ano, 80 pontos e cidades como

São Vicente, Cubatão, Peruíbe e Mongaguá deixaram a desejar.

O que mais chama a atenção é não estar entre as certificadas, Cubatão que, nas décadas de

60 e 70 viveu o drama de ser conhecida como o Vale da Morte, e a partir da década de 80, virar

o jogo e tero reconhecimento, pela ONU, como a Cidade Símbolo da Ecologia. Algo está muito

errado e que deve ser corrigido com urgência. Com a palavra as autoridades

políticas locais, judiciário, indústrias e, também a população, que deixaram a

situação chegar a esse ponto.


“AO LADO DE UM GRANDE

HOMEM… ESTÁ SEMPRE UMA

GRANDE MULHER!”


“ A política surgiu na minha vida por meio do meu marido, quando ele

assumiu o cargo de prefeito em 1993, criou a Secretaria de Ação Social e me

nomeou secretária da pasta. Ali, eu comecei a desenvolver projetos sociais

em relação à terceira idade, crianças e adolescentes. A nossa política sempre

foi de não dar o peixe às pessoas, mas sim ensinar a pescar”.

Maruca, presidente do Fundo Social de Solidariedade Praia Grande

Formada em Pedagogia e Direito, a Presidente do Fundo Social de

Solidariedade, Maria Del Carmen Padin Mourão, a Maruca, se destaca pelas

ações sociais realizadas em Praia Grande ao longo dos últimos 28 anos.

Entre eles, a implantação do Programa de Apoio ao Desempregado

(PAD),Programa de Integração e Cidadania (PIC), cursos profissionalizantes

e de

geração de renda, Programa Conviver, destinado à Melhor

Idade, Lar São Francisco de Assis, Casa da Criança e do Adolescente, Casa de

Estar (para moradores em situação de rua) e muitos outros.

“Depois a gente implantou uma política de inclusão social através dos PICs

(Programa de Integração e Cidadania), Cafes (Centro de Apoio à Família do

Educando), cursos de geração de renda onde as pessoas podem trabalhar e

adquirir sua renda com o seu próprio esforço”. Maruca é mãe de duas filhas

e tem três netas e um neto.

“Ao longo dos anos fui ajustando minha rotina, elencando prioridades.

Não vou dizer que é simples conciliar tantos papéis em meio aos

compromissos e funções, mas definindo as prioridades eu consigo me

organizar”.





de dicas

artesanato


Ideias de Artesanato para

Estojo Escolar de Tecido

Artesã Dalva Moura

Após ver estas Algumas ideias de artesanato para estojo escolar de tecido você vai querer

fazer um correndo, mesmo que não esteja indo para a escola. Há modelos lindos e você pode usar

estes estojos escolares para guardar maquiagens, seus produtos de artesanatos ou até bijoux.

Você pode usar várias técnicas artesanato em seus estojos de tecido, como patchwork,

bordados diversos e até aplicações de elementos em alto-relevo. Se você tem retalhos de

tecido em casa pode juntar todos e criar o seu estojo escolar mais básico, com modelo reto

e simples e com zíper ou velcro para fechar. Ou ainda você pode criar enfeites com

retalhos de tecido e aplicar por cima do estojo, costurando ou bordando este detalhe.

Se você quiser personalizar o seu estojo escolar, escreva um nome. Vale recortar

letras em um tecido diferente do tecido usado no estojo e bordar, costurar ou colar estas

letras no estojo. Você também pode fazer um bordado à mão em seu estojo com o nome

pretendido.

Atualmente há lindos monogramos para bordados que você pode aplicar neste tipo

de artesanato.




Vamos conhecer melhor,

nossa cidade.

por: Lula Terras

Desde, o desmembramento de São Vicente, em 19 de janeiro de 1967, Praia Grande só

vem comprovando sua vocação para o desenvolvimento. Sua área territorial é de 145

quilômetros quadrados, dos quais, 22,5 quilômetros são de praias, seu maior atrativo

turístico e, consequentemente, econômico, através dos inúmeros empreendimentos

imobiliários, crescimento constante do comércio, inclusive com a aposta neste setor, de

grandes empresas varejistas, que geram centenas de empregos diretos e indiretos.

Existe uma projeção, recentemente divulgada pelo prefeito Aberto Mourão, que está em

seu quinto mandato à frente do Executivo, que, em 2024, a população de Praia Grande deve

chegar a 430 mil habitantes. Esse dado pode ser encarado, como essencial para que a classe

política da cidade esteja comprometida em deixar Praia Grande, preparada para novos

desafios, que certamente, virão.

Para se ter uma idéia sua população fixa está estimada, em 319.146 habitantes fixos, dos

quais, 48,1% do total são do sexo masculino, e 52,0% feminino, seguindo a mesma

proporcionalidade no quadro eleitoral, que tem a responsabilidade de decidir os rumos

políticos e administrativos da cidade, através das eleições políticas.

Um dado comum entre Praia Grande e as demais cidades litorâneas, é que o número de

habitantes, praticamente, dobra nas temporadas e finais de semana, o que contribui, e muito

na circulação de dinheiro no comércio local, o que possibilita a geração de novos empregos,

principalmente no setor de comércio.

Dado interessante é que Praia Grande foi eleita pelo Ministério do Turismo, como a 4ª

Cidade que mais recebe turistas no país, durante a temporada de verão. Perde apenas para

São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis. Chegou a receber, em altas temporadas, cerca de

1,86 milhão de turistas. Recebeu ainda o título de “a cidade que mais cresce no Brasil”.


por: Sandra Simões

Marca registrada o seu sorriso que

conquista a

todos que conhecem a Fátima

Nascimento.

Desenvolvendo há vários anos projetos

sociais dentro da comunidade no Jardim

Real em Praia Grande. Onde

conhece muito bem todos os problemas

enfrentado pelo bairro nos últimos 30 anos.

Sempre disposta a ajudar o próximo sem

medir esforços para a sua comunidade no

que for preciso.

Fátima do churrasquinho como é

conhecida em toda cidade viu o

desenvolvimento do seu

bairro durante décadas e se orgulha de

fazer parte da evolução que ocorreu

nestes anos. Fazer parte desta historia me

traz uma alegria e satisfação já que

não foi fácil desde que cheguei com minha

família na época com cinco anos de

idade todos de Itabuna Bahia. Hoje aos

cinquenta e cinco anos a cabeleireira

não para com seus serviços a comunidade

local continuando a ajudar a todos por

onde passa e agradece a cidade onde vive

com sua família.



More magazines by this user
Similar magazines