Jornal das Oficinas 172

apcomunicacao

sachsprovenperformers.pt

JOACHIM WAAGAARD CONTROLA

DRIFTS DE

850 CV

COM UMA

EMBRAIAGEM SACHS

jornaldasoficinas.com | JORNAL INDEPENDENTE DA MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS LIGEIROS E PESADOS | DIRETOR | João Vieira

SACHS_PC_10684-970_Joachin_Waaguard_Top_Banner_210x25mm_CMYK_201911_PT.indd 1 22/11/2019 12:18

172

C

Março 2020Y

PERIODICIDADE | MENSAL

ANO XV | 3 EUROS CM

PUB

OFICINAS NA INTERNET

PEGada

DIGital PÁG. 8

+

EM FOCO

COMPONENTES

DE TRAVAGEM

de 30 marcas em análise

europart

PÁG. 16

O “braço português” do grupo

alemão passou por um período

de mudança que o fortaleceu

entrevista

PÁG. 20

José Luis Bravo, da ASER

Aftermarket Automotive, revela

os planos que tem para Portugal

impactos laterais

PÁG. 56

A proteção dos ocupantes é

um fator essencial na conceção

das carroçarias. Saiba porquê

formação sata

PÁG. 60

A Acrilac recebeu, durante três

dias, uma formação da SATA, fruto

da relação próxima entre ambas

PUB

PUB

PUB

PUB

M

Logo ohne Slogan.pdf 1 19/12/19

MY

CY

CMY

K


ADPlus

Os filtros da TECNECO antibacterianos ADPlus são compostos por uma multi

camada de filtragem especial Fibra+Carvão Ativado+Fibra Anti micróbica com

três etapas de filtragem do habitáculo: 1 ° bloquear partículas poluentes; 2°

absorve gases e odores; 3° previne a formação de novas bactérias.

www.autosilva.pt


Editorial

DIRETOR

João Vieira

joao.vieira@apcomunicacao.com

EDITOR EXECUTIVO

Bruno Castanheira

bruno.castanheira@apcomunicacao.com

REDAÇÃO

Jorge Flores

jorge.flores@apcomunicacao.com

Joana Calado

joana.calado@apcomunicacao.com

DIRETOR COMERCIAL

Mário Carmo

mario.carmo@apcomunicacao.com

GESTOR DE CLIENTES

Paulo Franco

paulo.franco@apcomunicacao.com

WEBMASTER

António Valente

IMAGEM E MULTIMÉDIA

Catarina Gomes

ARTE

Hélio Falcão

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS

E CONTABILIDADE

financeiro@apcomunicacao.com

PERIODICIDADE

Mensal

ASSINATURAS

assinaturas@apcomunicacao.com

SEDE DA REDAÇÃO

Bela Vista Office, Sala 2.29, Estrada de Paço de Arcos,

66 - 66A, 2735 - 336 Cacém

Tel. +351 219 288 052

GPS 38º45’51.12”N - 9º18’22.61”W

© Copyright Nos termos legais em vigor, é totalmente

interdita a utilização ou a reprodução desta publicação,

no seu todo ou em parte, sem a autorização

prévia e por escrito do JORNAL DAS OFICINAS

IMPRESSÃO

Lisgráfica - Impressão e Artes Gráficas, S.A.

Estrada Consiglieri Pedroso, 90

2730 - 053 Barcarena Tel.: 214 345 400

N.º de Registo na ERC: 124.782

Depósito Legal n.º: 201.608/03

Tiragem – 10.000 exemplares

.es

Parceiro

em Espanha

www.apcomunicacao.com

EDIÇÃO

AP COMUNICAÇÃO

Propriedade/Editor João Vieira - Publicações

Unipessoal, Lda.

Contribuinte 510447953

Sede proprietário/editor Bela Vista Office, Sala

2.29, Estrada de Paço de Arcos, 66 - 66A, 2735 - 336

Cacém

Gerência João Vieira Publicações Unipessoal, Lda.

Principal acionista João Vieira (100%)

Fax +351 219 288 053

Email geral@apcomunicacao.com

Consulte o Estatuto Editorial no

site www.jornaldasoficinas.com

TECNOLOGIA

É “AMIGA” DO

AFTERMARKET

Recentemente, a SEAT revelou o novo Leon. Com nada menos do que seis diferentes motorizações,

as quais beneficiam das mais sofisticadas tecnologias, incluindo novos propulsores a gasolina (TSI)

e Diesel (TDI), gás natural comprimido (TGI), mild-hybrid (eTSI), híbrido plug-in (eHybrid) e

elétrico. Mas a SEAT não é o único fabricante a lançar modelos equipados com diversas motorizações,

existindo muitos outros a fazê-lo por força das novas regras europeias que limitam as emissões

de CO 2 a 95 g/km. De facto, os construtores veem-se “obrigados” a lançar diversos tipos de

motorizações “isentas” de CO 2 para compensar as emissões poluentes dos modelos a gasolina e Diesel que ainda

representam a grande fatia das suas vendas, evitando, assim, pagar multas astronómicas.

À primeira vista, o aparecimento de tantas tecnologias novas pode representar uma ameaça para as oficinas multimarca.

Mas se encararmos esta situação como uma nova oportunidade de negócio, a tecnologia pode ser um aliado

do aftermarket e acrescentar valor ao trabalho da oficina. Basta pensar na rentabilidade

acrescida que uma oficina pode ter ao alargar o âmbito dos seus serviços

a vários tipos de motorizações e tecnologias. Será um incremento no

valor da faturação, mas, também, uma forte motivação para os profissionais

que gostam de desafios e novas experiências.

O futuro é incerto, embora, a curto prazo, tudo indique que a

pressão social e administrativa sobre as emissões de carbono será

mantida, o que pode levar a um aumento substancial de veículos

movidos a energias alternativas, como o gás natural, o hidrogénio e

a eletricidade. Diferentes tecnologias coexistirão no mercado: o tradicional

motor de combustão (Diesel e gasolina) com hibridização,

eletrificação ou gaseificação, correspondendo às novas tecnologias de

propulsão atualmente utilizadas.

Por outro lado, devemos ter em mente que, devido à incerteza que

prevalece sobre os consumidores, o parque circulante continuará

a envelhecer com uma média atual superior a 12,6 anos, cenário

que também favorece o pós-venda automóvel. Se nos

próximos dois anos o parque circulante não for renovado

gradualmente, a única alternativa será trabalhar para obter

maior eficiência e eficácia, neutralizando, assim, a perda

hipotética de valor de mercado com redução de custos.

Todas estas mudanças afetarão, gradualmente, o mercado

da reparação. l

JOÃO VIEIRA | Diretor


FOLHA

DE SERVIÇO

IPSIS

VERBIS

PAULO SANTOS,

BRAND MANAGER DA DIVISÃO

DE VENDAS DA VALVOLINE

A ‘ORDEM PARA

MATAR AS

EMISSÕES DE CO 2 ’

FARÁ COM QUE AS

ATUAIS FORMAS

DE PROPULSÃO

DOS VEÍCULOS SE

ALTEREM

JOSÉ LUIS BRAVO,

DIRETOR-GERAL DA ASER

AFTERMARKET AUTOMOTIVE

FAZ PARTE DOS

PLANOS DA ASER

DESENVOLVER

O NEGÓCIO EM

PORTUGAL E ESTAR

CADA VEZ MAIS

PRÓXIMO DOS SEUS

PARCEIROS LUSOS

QUATRO MESAS REDONDAS

OJornal das Oficinas vai realizar, pelo quarto ano consecutivo, no Salão expoMECÂNICA, a iniciativa

Plateau TV, um evento cuja recetividade e interesse por parte dos visitantes da feira tem

aumentado de ano para ano. Para a edição de 2020, os painéis escolhidos para as quatro Mesas

Redondas que irão realizar-se nos dias 17 e 18 de abril vão abranger temas transversais a todo o setor do

pós-venda. No primeiro dia, os assuntos em debate versarão sobre “Formação de Mecatrónico Automóvel”

e “Repintura Automóvel”, enquanto no segundo dia serão debatidos assuntos ligados ao “Pós-venda

de Veículos Pesados” e “Equipamentos Oficinais”. Foi preocupação do Jornal das Oficinas escolher os

temas que permitam proporcionar aos empresários e profissionais do setor um conhecimento sobre as

novas realidades do pós-venda e o seu impacto no negócio das oficinas. Este ano, pretendemos ir mais

longe, proporcionando aos participantes a oportunidade de disporem de mais informação e ferramentas

inovadoras que lhes permitam ter maior preparação e ganhar confiança para enfrentar o futuro. É, pois,

com grande satisfação que convidamos todos os profissionais do pós-venda a partilharem connosco os diversos

temas em debate. Até porque o pós-venda automóvel só terá a ganhar com o sucesso deste evento.

SEMÁFORO

FLÁVIO MENINO, GESTOR

DO PROJETO DRIVE REPAIR

O NOSSO SETOR

FUNCIONA MUITO

ATRAVÉS DA

RECOMENDAÇÃO

E, ATUALMENTE,

QUEM NÃO A TEM, O

QUE FAZ? RECORRE

À INTERNET E

PROCURA PELA

OFICINA

BAIXA-CHIADO

Em junho, a Baixa-Chiado fechará

ao trânsito, prevendo-se, no entanto,

algumas exceções. A saber: moradores e

lojistas, transportes públicos e veículos

elétricos. Com esta medida, o edil

lisboeta acredita que retirará 40 mil

veículos desta zona da capital. O nosso

Semáforo Vermelho, de protesto, vai para

um projeto que não otimiza as redes de

transporte nem respeita uma larga franja

de pessoas que por lá vive ou trabalha. O

que é, de facto, uma pena.

BORIS JOHNSON

O governo britânico continua a vincar

distâncias. Boris Johnson foi mais longe

do que os ex-parceiros europeus nas

medidas contra os motores de combustão.

Em 2035, cinco anos antes de todos, o

primeiro-ministro proibirá a venda de

veículos novos a gasolina e a gasóleo. O

nosso Semáforo Laranja, de expectativa,

deixa a seguinte questão: não será esta

uma medida precipitada para um país que

ainda não mediu o pulso às consequências

do Brexit na sua economia?

ACAP

A associação apresentou cinco

propostas que justificam o nosso

Semáforo Verde, de aplauso: reposição

do programa de incentivos ao abate

de veículos em fim de vida; dedução

generalizada do IVA na gasolina para

empresas; reformulação das taxas da

Tributação Autónoma; criação de um

grupo de trabalho de fiscalidade para a

descarbonização; reabertura do processo

de harmonia fiscal sobre o automóvel na

UE. Tudo para acelerar o setor.

4 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


ECOFORCE.

FAZ UMA CONDUÇÃO SUSTENTÁVEL,

PENSA NO TEU FUTURO.

Um coração verde bate dentro dos automóveis mais evoluídos. O conceito

de mobilidade está em constante evolução: conte com a tecnologia FIAMM para

apoiar essa mudança. A nova gama de baterias ecoFORCE suporta as necessidades

energéticas dos automóveis mais modernos. Os sistemas Start&Stop e Brake Energy

presentes em automóveis micro-híbridos exigem um uso muito intenso da bateria:

A FIAMM tem a solução ideal para continuar a viajar com eficiência.

www.fiamm.com

www.polibaterias.com

geral@polibaterias.com


evento

3

EVENTOS PARA

PROFISSIONAIS

DO AFTERMARKET

O SALÃO EXPOMECÂNICA VAI REUNIR TRÊS EVENTOS ORGANIZADOS PELO JORNAL DAS OFICINAS,

TOTALMENTE DESTINADOS AOS PROFISSIONAIS DO AFTERMARKET. AS COMPETIÇÕES MELHOR MECATRÓNICO

E CHALLENGE OFICINAS, BEM COMO O PLATEAU TV, IRÃO ANIMAR (E INFORMAR) OS VISITANTES DURANTE OS

TRÊS DIAS DO CERTAME. CONVIDAMOS, POR ISSO, TODOS OS PROFISSIONAIS DO SETOR DA MANUTENÇÃO E

REPARAÇÃO AUTOMÓVEL A RESERVAREM OS DIAS 17, 18 E 19 DE ABRIL PARA VISITAREM OS ESPAÇOS ONDE

VÃO DECORRER ESTAS AÇÕES, SEM ESQUECER AS MESAS REDONDAS QUE VÃO TER LUGAR NO PLATEAU TV

6 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


MELHOR MECATRÓNICO 2020

A competição Melhor Mecatrónico, organizada pelo Jornal das Oficinas, em parceria com a ATEC e com o apoio da

expoMECÂNICA, comemora, este ano, a 5.ª edição, que será assinalada da melhor forma, envolvendo os vencedores

das anteriores. A Master Final, que, este ano, se realiza em pleno Salão expoMECÂNICA, nos dias 17, 18 e 19 abril, irá

proporcionar uma experiência única a todos os visitantes, que poderão ver ao vivo o desempenho dos finalistas.

8 Finalistas | 8 Jurados | 5 Veículos | 10 Horas de provas | 4 Módulos (Reparação de motor; Diagnóstico de motor; Diagnóstico de sistema elétrico;

Reparação de caixa de velocidades)

Organização: Jornal das Oficinas | Parceria: ATEC | Apoio: expoMECÂNICA

CHALLENGE OFICINAS 2020

Este ano, a competição Challenge Oficinas, organizada pelo Jornal das Oficinas, em parceria com a Polivalor e com o

apoio da expoMECÂNICA, vai ter uma Master Final disputada entre os vencedores das anteriores edições. Aproveitando a

realização da expoMECÂNICA, a Master Final vai decorrer no dia 18 de abril, num espaço próprio dentro do salão. Cada

equipa será constituída por um número mínimo de três elementos e um máximo de cinco.

3 Equipas finalistas | 3 Jurados | 8 Horas de prova | 6 Módulos (Serviços administrativos; Receção, Peças; Diagnóstico, Inspeção; Oficina)

Organização: Jornal das Oficinas | Parceria: POLIVALOR | Apoio: expoMECÂNICA

PLATEAU TV 2020

O Jornal das Oficinas organiza, pelo quarto ano consecutivo, com o apoio da expoMECÂNICA, a iniciativa Plateau TV. Para esta

edição, os painéis escolhidos para as quatro Mesas Redondas, que irão realizar-se nos dias 17 e 18 de abril, vão abranger temas

transversais a todo o setor. No primeiro dia, os temas em debate serão “Formação de Mecatrónico Automóvel” e “Repintura

Automóvel”. No segundo dia, serão debatidos assuntos ligados ao “Pós-venda de Veículos Pesados” e “Equipamentos Oficinais”.

4 Mesas Redondas | 16 Oradores convidados | 3 Moderadores | 4 Painéis sobre a atualidade do aftermarket (Mecatrónica; Repintura;

Pós-venda de Veículos Pesados; Equipamentos Oficinais)

Organização: Jornal das Oficinas | Apoio: expoMECÂNICA

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 7


destaque

OFICINAS NA INTERNET

PEGADA

DIGITAL

O MUNDO ATUAL ESTÁ GLOBALIZADO E

CONECTADO. A INTERNET FAZ PARTE DAS

NOSSAS VIDAS E, CADA VEZ MAIS, A PEGADA

DIGITAL QUE DEIXAMOS CONDICIONA O NOSSO

DIA A DIA. ESTE FENÓMENO ESTÁ PRESENTE

NA VERTENTE PESSOAL E PROFISSIONAL.

ENQUANTO INDIVÍDUOS E ENQUANTO EMPRESAS

por Joana Calado

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


Quantas vezes já escolhemos um restaurante

em detrimento de outro devido aos comentário

publicados em determinado site ou

aplicação? Com as oficinas, acontece o mesmo.

Páginas como a autosapo.pt ou o portaldoautomovel.pt

permitem aos seus utilizadores encontrar as

oficinas mais perto de si, saber que serviços executam,

solicitar orçamentos, fazer marcações e até

mesmo consultar pareceres deixados por outros

utilizadores.

importância de viver numa Aldeia global

A pegada digital começa a ser tão importante que

podemos compará-la ao ADN de uma marca na

web. De tal forma, que o mundo digital já influencia

o mundo real. Ou seja, uma marca com muitas

críticas desfavoráveis, sofrerá consequências no

seu dia a dia, uma vez que essas avaliações condicionam

a decisão dos futuros utilizadores sobre

os seus serviços ou produtos. Assim, é importante

que o cliente fique satisfeito, pois estamos perante

um “passa a palavra” de dimensão mundial.

Os comentários realizados por clientes também

transmitem muitos dados às oficinas, nomeadamente

em relação à satisfação do cliente. Podendo

ser utilizados como um pequeno inquérito de satisfação.

Uma vez mais, se pensarmos nos comentários

como um “passa a palavra”, estes tornam-se

tão importantes como um círculo onde pessoas

trocam ideias. Um cliente satisfeito na Internet

poderá, a priori, ajudar a atrair mais clientes.

Para além disso, oficinas com melhor avaliação são

mais prováveis de aparecer no topo dos resultados

de pesquisa, havendo, assim, um lugar de destaque.

Até porque nós, enquanto leitores, ao fazermos

uma leitura em “Z” dos sites, temos tendência

a clicar nos primeiros resultados de pesquisa, o que

originará mais cliques nas primeiras oficinas que

surgem.

Facilidade de comunicação

Estes sites surgem como um diretório de oficinas,

dando diversas informações sobre as mesmas.

Untitled-3.pdf 1 06/09/18 15:38

PUB


OFICINAS

NA INTERNET

COLOCAR UMA OFICINA NUM DIRETÓRIO PODERÁ SER TÃO SIMPLES

COMO PREENCHER UM FORMULÁRIO E aguardar A APROVaçÃO POR

Parte DA ENTIDADE RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SITE

Podemos compará-los com as páginas amarelas,

só que com muito mais informação. Enquanto os

“grandes livros amarelos” disponibilizavam números

de telefones (em alguns casos também a morada),

nestes diretórios conseguimos encontrar a

morada, sendo possível mesmo enviar essa informação

para o serviço de GPS, o telefone, o horário,

os serviços, solicitar um orçamento e ainda fazer a

marcação online.

As marcações são feitas de uma forma tão completa

que, em situações mais simples, como é o caso

da revisão, a oficina tem acesso a informações suficientes

para fornecer de imediato um orçamento

ao cliente, podendo até dispor logo de preços à medida

que o cliente solicita o serviço, como acontece

nos sites de algumas redes oficinais. Desta forma,

o cliente sabe exatamente o que o espera quando

chega à oficina.

Dar este tipo de informação ao cliente antecipadamente

é, também, uma forma de fidelizar e criar

confiança, uma vez que o preço praticado é, ainda,

um dos pontos decisivos para a escolha por parte

dos clientes. As redes oficinais têm vindo, também,

a adotar este procedimento, sendo que redes como

a RedService, a TOPCAR, a Midas e a Norauto,

entre outras, já permitem que os seus clientes solicitem

orçamentos online.

Uma forte presença online, seja através destes diretórios

ou de sites próprios, cria uma relação de

confiança com o cliente, além de facilitar a comunicação

entre os dois intervenientes, um fator

muito valorizado atualmente. Disponibilizar os

serviços que a oficina efetua também faz com que

o cliente não faça deslocações desnecessárias ao local

se, por alguma razão, a oficina não executar o

serviço que se procura, nomeadamente no caso de

um veículo elétrico, por exemplo.

Como gerar confiança no mundo digital?

Atualmente, passamos grande parte do dia a correr

de um lado para o outro. Como tal, procuramos

rapidez em tudo. E se o contacto com a oficina está

na “ponta dos dedos”, o cliente espera obter uma

rápida resposta quando contacta a oficina por estes

meios.

A maioria dos utilizadores ainda não confia a

100% no que vê na Internet, nomeadamente no

que diz respeito aos preços. Por isso, a relação de

confiança cresce se o cliente ao chegar à oficina for

confrontado com os mesmos valores que visualizou

no site ou que lhe foram fornecidos no orçamento.

Sabemos que a mecânica pode não ser uma

“ciência exata”, mas grandes discrepâncias de preço

poderão fazer com que o cliente perca a confiança

na oficina.

Outra forma de aumentar a confiança é a introdução,

quando se trata de site próprio, de alguns testemunhos

de clientes ou até mesmo permitir que

os próprios deixem um testemunho. No caso dos

diretórios, esta funcionalidade já está disponível,

pelo que os clientes devem ser incentivados a fazer

essa mesma avaliação. O utilizador tenderá a procurar

comentários de outros clientes para fundamentar

a sua decisão.

Quero aderir, como faço?

Chegámos ao ponto chave: como colocar a oficina

nestes diretórios? Ambos os sites disponibilizam

formulários de inscrição para que as oficinas

se possam inscrever. Estes formulários solicitam

dados como nome, número de identificação fiscal,

morada e site, entre outros. Após o preenchimento

e envio dos dados, será feita uma avaliação por

parte dos responsáveis de cada site.

Esta pré-adesão é realizada num espaço próprio

presente em cada uma das páginas. No caso do

portaldoautomovel.pt, a oficinia poderá ter algumas

vantagens caso seja associada da ANECRA,

10 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


uma vez que o site é propriedade desta associação.

Redes sociais: sim ou não?

Segundo um estudo da Marktest, os portugueses

passam, em média, 1 hora e 30 minutos por dia nas

redes sociais. O que quer dizer que a maioria dos

clientes das oficinas estão nas redes sociais durante

este tempo. Então, se as oficinas querem comunicar

eficazmente com os seus clientes em todos os

meios possíveis, as redes sociais são, também, uma

boa aposta.

Podemos considerar que estes são os canais menos

institucionais da comunicação de uma oficina.

Podem ser utilizados para mostrar o dia a dia da

oficina, fazer campanhas, promover concursos e,

também, deixar testemunhos de clientes.

Este pode ser um importante meio para aumentar,

por exemplo, a relação de confiança em relação aos

testemunhos de clientes. Poderá ser interessante

pedir aos clientes que, antes de saírem, deixem

gravar a sua opinião em vídeo. Claro que nem todos

irão aceitar, mas esta será uma boa forma de

mostrar a opinião de quem visitou a oficina.

Mostrar o dia a dia da oficina e criar concursos ou

divulgar campanhas, pode ser uma ótima forma de

criar tráfego nas redes sociais, fazendo com que,

mais uma vez, a página apareça no topo dos resultados

de pesquisa.

Serviço de comodidade

Pedir um orçamento a uma oficina através de um

computador ou de um smartphone, sem sair do escritório

ou do sofá, é um serviço de comodidade

para o cliente. Pensando na comodidade do cliente

e na sua falta de tempo, as oficinas podem oferecer

um serviço extra que poderá fazer a diferença na

hora de fidelizar quem as visita.

O autosapo.pt é um dos sites que oferece este serviço,

fazendo a recolha da viatura num local à escolha

do cliente e entregando-o após a intervenção

nesse mesmo local. Por outro lado, a Midas implementou

o seu serviço Midas 24h, que permite ao

cliente deixar ou retirar o seu veículo enquanto a

oficina ainda está fechada.

Para a realização destes serviços, é necessário que

as oficinas tenham uma comunicação eficaz e consigam

criar uma boa relação de confiança com o

cliente. Afinal de contas, é por causa dele e para ele

que os negócios existem. l

PUB

Peças Mitsubishi

Electric Automotive

100% genuínas

Peças elétricas Mitsubishi disponíveis

para o aftermarket independente.

Performance sem compromisso

Desenhadas, desenvolvidas e produzidas de acordo com os elevados

padrões de qualidade pelos quais a Mitsubishi Electric é reconhecida,

superando as expectativas dos fabricantes de automóveis e camiões.

Visite o nosso site para encontrar os Distribuidores Autorizados

existentes na sua área ou contacte-nos para obter mais informações.

Encontre um Distribuidor Autorizado e efetue uma encomenda ao visitar

www.aftermarket.mitsubishielectric.eu

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 11


OPINIÃO

PAULO SANTOS, BRAND MANAGER DA DIVISÃO DE VENDAS DA VALVOLINE

A PONTA DO ICEBERGUE

ESTA É A ANALOGIA QUE ME OCORRE PARA O ESTADO EM QUE A INDÚSTRIA AUTOMÓVEL SE ENCONTRA. É

NOTÓRIA UMA FORTE TRANSFORMAÇÃO TECNOLÓGICA E, SEGURAMENTE, QUE O FUTURO DO NOSSO SETOR

SOFRERÁ FORTES MUDANÇAS AO LONGO DESTA NOVA DÉCADA

Esta transformação afetará, de

forma transversal, todos os

operadores do mercado e, em

particular, o setor dos lubrificantes.

A “ordem para matar as emissões de

CO 2” fará com que as atuais formas

de propulsão se alterem e a possível

massificação de viaturas elétricas/

autónomas levará a uma redução

no consumo de lubrificantes neste

setor. A indústria dos lubrificantes

está a tentar minimizar os índices

poluentes dos motores térmicos,

com emissões de cinzas sulfatadas

cada vez mais contidas, intervalos

de manutenção mais alargados e

maior eficiência do ponto de vista do

consumo de combustível. Mas este

setor, por si só, não será suficiente

para que se possam atingir níveis de

CO 2 na ordem das 50 g/km a partir

de 2023 e travar a tendência do

setor para a eletrificação.

Esta propensão tem levado à

introdução de níveis de viscosidade

cada vez mais baixos (0W-20,

0W-16 - até se consideram 0W-8),

com níveis de desempenho muito

elevados, que garantem intervalos

de manutenção mais alargados,

os quais podem ascender aos

60.000 km nas viaturas ligeiras

e já superam os 120.000 km nos

veículos pesados. No entanto, a

ineficiência energética da tecnologia

térmica é elevada e ainda mais

ineficiente do ponto de vista das

emissões de CO 2, se comparada com

a tendência para a eletrificação.

Restará sempre para esta indústria a

lubrificação de alguns componentes

e acessórios, como caixas de

velocidade, caixas de transferência

e, também, as baterias, que

necessitarão de anticongelantes com

tecnologia de ponta por forma a

aumentar a sua duração e eficiência.

Tecnologia que ficará a cargo de

muito poucas marcas, fruto das

baixas quantidades envolvidas e

elevada exigência técnica associada.

Muitos continuam céticos em

relação aos avanços da tecnologia. E

uma grande maioria está descrente

quanto às soluções elétricas.

Mas será muito difícil travar esta

tendência. As forças são inúmeras e

vêm de diversas áreas, como é disso

exemplo o setor agrícola, fortemente

afetado pela instabilidade climática.

Para reforçar este ponto de vista,

recordo recentes conversas que

tive com o Eng.° Capoulas Santos,

anterior Ministro da Agricultura,

e com o Dr. José Fonseca, diretor

regional da Agricultura e Pescas

de Lisboa e Vale do Tejo, que me

referiam que o maior problema

que o setor primário atravessa é a

instabilidade climática, que afeta

todo o tipo de culturas a céu aberto,

algo que está em cima da mesa por

parte de todos os seus homólogos,

em todo o mundo.

Estas questões não fazem parte do

nosso dia a dia enquanto operadores

do setor terciário, mas não podemos

deixar de as levar em consideração.

Sem um setor primário funcional,

nada acontecerá a montante. l

A “ORDEM PARA MATAR AS EMISSÕES DE

CO 2 ” FARÁ COM QUE AS ATUAIS FORMAS DE

PROPULSÃO DOS VEÍCULOS SE ALTEREM


Observatório

CONCEITOS DE MOBILIDADE

PEÇAS PERSONALIZADAS

Um pequeno passo para um fabricante,

mas um grande salto

no combate à falsificação de

peças para automóveis. A Ford está a

utilizar a tecnologia de impressão 3D

para produzir porcas personalizadas.

E, como tal, impossíveis de reproduzir.

Recorde-se que as designadas

porcas de segurança (ou de bloqueio)

são, hoje, o método utilizado pelos

fabricantes para oferecer garantias

maiores no combate ao roubo das

jantes dos veículos. Mas a marca

norte-americana está ciente de que

esta solução não é eficaz. Ou não seja

frequente os ladrões lavarem tanto

as jantes como os pneus, deixando o

automóvel (quando deixam) assente

em tacos de madeira ou tijolos.

Tendo este problema em mente, em

parceria com a EOS, a Ford criou

umas porcas de segurança com

contornos baseados na voz do condutor.

Tal como a leitura da íris ou

uma impressão digital, a voz de um

indivíduo poderá ser utilizada como

forma de identificação biométrica

única e intransmissível. Para que tal

A FORD ESTÁ

A RECORRER À

TECNOLOGIA DE

IMPRESSÃO 3D PARA

PRODUZIR PORCAS

PERSONALIZADAS,

COM BASE NA VOZ DO

CONDUTOR. O OBJETIVO

É IMPOSSIBILITAR TANTO

A SUA CLONAGEM COMO

O PRÓPRIO ROUBO DAS

JANTES E PNEUS DOS

VEÍCULOS

por Jorge Flores

seja possível, os engenheiros da Ford

levaram a cabo uma série de testes

que passaram por gravar a voz do

condutor para, depois, recorrendo a

um software específico, converterem

esta onda sonora única num padrão

físico e imprimível. Com este padrão,

os responsáveis da Ford conseguiram,

posteriormente, transformá-lo

num círculo e utilizá-lo como desenho

para o formato da porca de

segurança e sua respetiva chave de

desbloqueio. Segundo a marca norte-

-americana, a sua clonagem ou cópia

será literalmente impossível.

Impressão 3D

De acordo ainda com as informações

disponíveis sobre esta criação

da Ford, porca e chave são desenhadas

como uma peça única para, mais

tarde, ser impressa em 3D. Sempre

nos mesmos materiais utilizados

nos componentes tradicionais. Por

outras palavras, composta em aço

inoxidável resistente a ácido e a corrosão.

“Para um automobilista, uma

das piores sensações é encontrar o

seu veículo assente em tacos de madeira

ou tijolos, sem as quatro rodas.

A substituição de algumas jantes de

liga leve pode representar uma despesa

de milhares de euros, mas estas

novas e inéditas porcas de segurança

manterão os ladrões à distância.

Reforçar a segurança contra roubo

de jantes e proporcionar mais personalização

de produto são duas provas

adicionais de que a impressão 3D é

uma verdadeira revolução na produção

automóvel”, explicou Raphael

Koch, engenheiro de Pesquisa de

Materiais e Processos Avançados da

Ford Europa. l

14 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


www.liqui-moly.pt

Uma marca de óleos para todas

as marcas de automóveis

A LIQUI MOLY tem óleos com aprovações de todos

os fabricantes automóveis mundias.

Guia de óleos


empresas

EUROPART PORTUGAL

NEGÓCIO

COM FUTURO


A CAMINHO DOS 22 ANOS DE EXISTÊNCIA, O “BRAÇO PORTUGUÊS” DO GRUPO EUROPART

ATRAVESSOU, EM 2019, UM PERÍODO DE MUDANÇA, MARCADO PELA REORGANIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A NÍVEL INTERNACIONAL (QUE LHE PERMITIU ESTAR NO EPICENTRO DAS DECISÕES), PELA EXPANSÃO

DA ÁREA DE INTERVENÇÃO NO NOSSO PAÍS E PELO REFORÇO DA VERTENTE DIGITAL DAS OPERAÇÕES.

MAS ESTA EMPRESA LÍDER EM PEÇAS SOBRESSALENTES PARA CAMIÕES, REBOQUES, VEÍCULOS

DE TRANSPORTE E AUTOCARROS NA EUROPA JÁ TEM O FUTURO DO SEU NEGÓCIO DEFINIDO.

ATÉ PORQUE, COMO REVELA HEITOR SANTOS, “A ESTRATÉGIA PASSA POR ‘SAIR DA CAIXA’

E PROCURAR NOVAS SOLUÇÕES” por Bruno Castanheira

Presente em Portugal desde 1998, a EURO-

PART conta, hoje, com cinco lojas (Carregado,

Porto, Venda do Pinheiro, Leiria e Évora),

uma divisão de autocarros (sem espaço físico) e

uma filial online (EWOS), assumindo, esta última,

cada vez maior expressão no negócio. Mas sobre ela

já lá iremos. A caminho dos 22 anos de existência,

o “braço português” do grupo alemão, que, desde

2007, conta com Heitor Santos aos comandos, tem

feito um percurso notável. Fruto das alterações efetuadas

em 2019 na loja do Carregado, o cargo de

diretor comercial foi extinto e passou a ser Heitor

Santos a estar em contacto permanente com as filiais.

Esta decisão fez com que a EUROPART Portugal

passasse a estar presente, em permanência, na

Margem Sul do Tejo, uma vez que, até então, chegava,

no limite, à zona do Ribatejo.

No plano internacional, o grupo está, agora, organizado

em quatro regiões: Alemanha, Sudoeste,

Leste e Escandinávia. Heitor Santos, até há pouco

tempo “apenas” administrador da EUROPART

Portugal, é, desde o ano passado, regional manager

da região Sudoeste, tendo sob sua alçada os mercados

português, espanhol, francês e italiano. Com

esta mudança, o “braço lusitano” do grupo passou a

estar presente no centro de decisões. O que acabou,

invariavelmente, por lhe trazer benefícios. “Além de

Portugal, fiquei com a responsabilidade direta sobre

Espanha e, dentro da reorganização geográfica do

grupo, França e Itália também estão sob a minha

alçada, ainda que nestes dois países o negócio (que

é 95% processado pela Alemanha) se desenrole em

moldes diferentes do que acontece em Portugal.

Esta alteração permitiu-me estar em contacto permanente

com o epicentro das decisões. Portugal, no

conjunto dos quatro países que supervisiono, é onde

o grupo tem o maior volume de negócios e o maior

número de pessoas”, sublinha Heitor Santos.

30 campanhas em 2020

Ao estar no centro de decisões, a EUROPART Portugal

beneficiou (e muito) das campanhas e ações

de marketing desenvolvidas na Alemanha. “No ano

passado, realizámos as primeiras iniciativas piloto,

que serviram, por exemplo, para testar traduções.

Lançámos, no outono, o primeiro catálogo impresso,

que foi muito bem aceite. Com a campanha realizada

no ano passado, ‘saímos da caixa’ sob vários

pontos de vista. Sobretudo, graças a uma seleção

de artigos que foi feita centralmente, com critérios

muito diferentes daqueles que utilizaríamos em

Portugal”, explica Heitor Santos. “Provavelmente,

iríamos sempre selecionar os habituais fast moovers

(pastilhas, discos, baterias, escovas...). Esta foi,

digamos, a grande lição que tivemos. A campanha

realizada em 2019 incidiu muito mais sobre equipamentos

oficinais (como, por exemplo, os associados

à montagem e desmontagem de pneus, de

elevação e de deteção de fugas)”, acrescenta. A EU-

ROPART Portugal constatou, com o desenrolar da

campanha, que alguns produtos que não se venderam

no período homólogo de 2018 (1 de setembro

a 15 de novembro) começaram a ser requisitados

por estarem incluídos no catálogo. Alguns registaram

números bastante interessantes e até já faziam

parte do portefólio da empresa, ainda que tivessem

sido apresentados de uma forma diferente e mais

completa. “Foi muito interessante. Podemos apontar

esse como um ponto de viragem promovido pela

casa-mãe, com preços adaptados ao nosso país. Foi

o primeiro catálogo saído da nova organização”, frisa

Heitor Santos.

Para 2020, a Alemanha já definiu um plano de

marketing para os chamados core countries (países

europeus mais importantes para o grupo em termos

de volume). “Teremos, ao longo deste ano, uma média

superior a duas campanhas por mês, o que irá

perfazer um total de 30. Destas, sete serão de competência

(que os alemães chamam de competence

brochure). Lançaremos, também, um novo catálogo

na primavera. Com estas novas ações, conseguimos

‘sair da caixa’ e dar atenção a artigos que são até

mais fáceis de vender do que outros. Tem sido um

início de ano árduo, mas as perspetivas são boas.

Até porque era uma ambição que nunca tínhamos

conseguido desenvolver. Ao mesmo tempo que é

lançado um catálogo impresso, é disponibilizado o

mesmo via online”, explica o responsável. “Em fevereiro,

tivemos campanhas da Vikan (limpeza exterior

de camiões e autocarros) e da Kunzer (iluminação

no local de trabalho). Em março, está em curso

uma campanha de iluminação e as Premium Parts

(equipamentos e acessórios para oficina)”, refere

Heitor Santos. Isto para além das campanhas semanais

Hero Deals. “Os clientes que trabalham com o

EWOS têm sempre acesso a promoções. Tem sido

positivo, uma vez que traz dinâmica à plataforma

digital, que se quer tudo menos estática”, sublinha

o responsável.

Digital ganha expressão

A “pegada” digital do negócio da EUROPART Portugal

está a aumentar. Em abril do ano passado, o

“braço lusitano” do grupo recebeu formação sobre a

versão 3.0 do EWOS, sistema online totalmente em

português. Um mês depois, em maio, foi facultado o

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 17


EUROPART

PORTUGAL

DE 1 DE JANEIRO A 7 DE FEVEREIRO DE 2020, O EWOS REUNIU, EM TERMOS

GERAIS, 6,4% DO VOLUME DE NEGÓCIOS DA EUROPART PORTUGAL. NA

PRIMAVERA, SERÁ LANÇADA UMA APP QUE AUMENTARÁ A “PEGADA” DIGITAL

acesso a um pequeno grupo de clientes.

Os resultados da aposta na filial

virtual falam por si. De 1 de janeiro a

7 de fevereiro de 2020, o EWOS reuniu,

em termos gerais, 6,4% do volume

de negócios da EUROPART Portugal,

tendo sido de 4% no Carregado

e de, imagine-se, 17% em Leiria, fruto,

é certo, de um incentivo maior que

foi dado nesta filial. A digitalização

do negócio é, por isso, uma evidência.

No período de 1 de janeiro a 7 de fevereiro

de 2020, foram processadas,

via EWOS, nada menos do que 475

encomendas. A filial online já permitiu

poupar inúmeras chamadas telefónicas

e reduzir a margem de erro

na identificação de peças. Além disso,

esta ferramenta digital integra uma

panóplia de funcionalidades. “Temos

potencial para chegar a um volume de

faturação de 15 ou 20% via EWOS no

final deste ano em Portugal, fruto da

visão de futuro que adotámos e da otimização

de processos que implementámos”,

preconiza Heitor Santos. Que

assegura que “o mercado português

é bastante propenso às novas tecnologias

e é cada vez mais digital”. E

sustenta: “Começámos a reparar que

os clientes que se fidelizam no EWOS

tornam-se nos maiores defensores

desta plataforma. Até porque ela

ganhou espaço nas oficinas, mesmo

junto daquelas que só fazem intervenções

em atrelados. A EUROPART

Portugal orgulha-se de oferecer esta

solução, que nenhum concorrente

tem. Ainda que tivéssemos chegado

tarde a ela dentro do grupo”.

E como o negócio da EUROPART

Portugal é cada vez mais digital, a

empresa lançará, na primavera deste

ano, uma app, que já está a ser

testada na Alemanha. “No negócio

dos pesados, não é fácil sermos criativos.

Mas a nossa estratégia é ‘sair

da caixa’. Procurar novas soluções e

olhar para o futuro. Temos todas as

capacidades humanas e a nível de

infraestruturas dos mercados além-

-fronteiras. Foi preciso darmos este

passo com o EWOS para evoluir.

2020 será um ano de colheita a nível

digital e de visibilidade em termos

de marketing. O arranque deste ano

aponta, aliás, nesse sentido. Estamos

otimistas. Formação, campanhas,

catálogos e informação técnica não

faltarão”, assegura Heitor Santos.

Sem esquecer a importância da marca

própria (Premium Parts), que,

em 2019, reuniu 29,8% das vendas

totais da empresa. “Portugal é o país

onde as Premium Parts apresentam

o maior volume da Europa dentro do

grupo. Ainda que o nosso forte sejam

os pesados, também temos artigos

para ligeiros no que diz respeito a

baterias, filtros e escovas. Na filial de

Évora, temos até um stock expressivo

para ligeiros devido à especificidade

EUROPART PORTUGAL

Southwest regional

manager Heitor Santos

Morada Quinta da Ferraguda,

Carambancha, Lote 8, Apartado

40, 2580 – 653 Carregado

Telefone 263 860 100

Site www.europart.net

da região. Ainda que a marca própria

disponha de 7.500 referências, hoje

temos um critério mais rigoroso na

seleção das suas linhas de produto”,

alerta o responsável.

E quanto ao futuro da EUROPART

Portugal? “Se estivermos apenas focados

em ter o melhor preço nos produtos

que mais vendemos, não faremos

a diferença. Temos de chegar

ao cliente com muitos artigos, sim,

mas com muitos serviços, com competência

para vendê-los e com assistência

pós-venda. É aqui que acreditamos

que está o nosso futuro. Em

2020, será este o caminho. Ir para

além de um disco de travão ou de

um filtro que todos os players têm.

No fundo, oferecermos mais do que

apenas peças, recuperando o nosso

anterior slogan. Este é um desafio

estratégico”, enfatiza Heitor Santos.

E conclui: “Se continuarmos na mesma

linha (bem sucedida até aqui, é

verdade) e a investir no mesmo, creio

que não estaremos em condições de

enfrentar, da melhor forma, a nova

década. Mesmo no aftermarket de

pesados, é preciso encontrar novas

ferramentas para encarar o futuro.

O modelo atual está bem, mas não

trará crescimento, podendo até provocar

uma redução nas vendas. É

também neste sentido que o EWOS

tem ganho tanta importância em

Portugal”. l

18 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


JOSÉ LUIS BRAVO, DIRETOR-GERAL DA ASER AFTERMARKET AUTOMOTIVE

PORTUGAL É

FUNDAMENTAL NA

ESTRATÉGIA DA ASER

CRIADA, EM 2016, NO PAÍS VIZINHO, FRUTO DA UNIÃO DE DOIS GRUPOS, A ASER AFTERMARKET

AUTOMOTIVE DISPONIBILIZA AOS SEUS PARCEIROS SERVIÇOS E PRODUTOS COM AS CONDIÇÕES

MAIS COMPETITIVAS DO MERCADO, DIFERENCIANDO-SE PELA FORMA COMO ENCARA O NEGÓCIO. NO

NOSSO PAÍS, EXISTEM, PARA JÁ, TRÊS SÓCIOS: HUMBERPEÇAS, SAMIPARTS E N PEÇAS. MAS HAVERÁ MAIS.

ATÉ PORQUE, COMO REVELA JOSÉ LUIS BRAVO, DIRETOR-GERAL DA CENTRAL DE SERVIÇOS, NESTA

ENTREVISTA, “PORTUGAL É FUNDAMENTAL NA ESTRATÉGIA DA ASER” por Bruno Castanheira


entrevista

Crescer em número de sócios (parceiros), aumentar

a cobertura geográfica, criar uma sociedade

financeira com capacidade para centralizar

compras, marcar presença com um stand

no Salão expoMECÂNICA, desenvolver uma rede

oficinal. São estes os objetivos que a ASER Aftermarket

Automotive definiu para os próximos dois

anos em Portugal. O Jornal das Oficinas aproveitou

a presença de José Luis Bravo, diretor-geral da

central de serviços, no nosso país para se inteirar

de todos os detalhes de um grupo que nasceu, em

Espanha, há mais de três anos e que já “seduziu”

Humberpeças, Samiparts e N Peças.

Como nasceu a ASER Aftermarket Automotive e o

que a diferencia no mercado?

A ASER nasceu em 2016, fruto da união de dois dos

grupos bastante experientes no mercado espanhol

(GECORUSA e AGERAUTO), com o objetivo de

fornecer soluções aos parceiros perante as novas exigências

de um mercado global, onde as especializações

tornam cada vez mais difícil encontrar espaço.

Enquanto a AGERAUTO trouxe a experiência de um

grupo “elétrico”, a GECORUSA transportou o know-

-how de um grupo “mecânico”. O resultado desta

união chama-se ASER Aftermaket Automotive, que

consiste num novo grupo que disponibiliza aos seus

parceiros todos os serviços e produtos com as condições

mais competitivas do mercado. Mas não oferecemos

apenas aos nossos parceiros acesso aos principais

fornecedores do setor nas melhores condições.

Como central de serviços que somos, proporcionamos

serviços que ajudam os nossos parceiros a gerir

melhor os seus negócios diariamente. E, como consequência,

podem oferecer esses produtos e serviços

também aos seus clientes. Um dos principais pilares

que está na base dos serviços que o grupo oferece aos

seus sócios (parceiros), é a formação. Oficinal, técnica

e de gestão. Tudo para que os nossos parceiros

possam oferecer o melhor atendimento e proceder à

reparação mais profissional possível junto dos clientes.

Isto além da formação que damos aos parceiros

e equipas, cujo objetivo é melhor prepará-los em todas

as áreas que compõem os seus negócios (gestão,

marketing, logística, comercial e vendas), de modo

a que enfrentem o futuro com sucesso. Esta vocação

de central de serviços sempre se regeu pelos valores

que defendemos (“Proximidade”; “Comunicação”;

“Inovação”; “Transparência”), que são os alicerces da

nossa forma de desenvolvermos a relação que temos

com todas as partes: fornecedores, sócios, concorrência,

associações e imprensa. O nosso claim (“Do

You ASER?”) resume, no fundo, tudo isso. Desde a

sua criação, com 30 sócios, que o projeto ASER tem

vindo a crescer. Atualmente, dispõe de 41 parceiros.

Três deles, estão em Portugal, facto que demonstra

bem que este projeto é atraente e diferente para novos

distribuidores. Este crescimento também gerou

novas necessidades dentro da ASER, onde, hoje, sete

pessoas estão encarregues, a partir da central, de dar

resposta a todos os requisitos dos parceiros e de desenvolver

novos serviços e procurar novas oportunidades

que os ajudem a gerir cada vez melhor os seus

negócios.

Quais considera terem sido os principais marcos

no percurso da central de serviços? Que balanço

faz das campanhas e ações até agora realizadas?

Desde a criação da ASER que procurámos sempre a

diferenciação. As nossas campanhas (“El Recambiazo

da ASER”; “Give Me Five by ASER”) são exemplos

claros da maneira muito própria de estarmos

no mercado. Campanhas que, pela primeira vez no

setor, concentram todos os fornecedores numa única

ação/mês, cujo objetivo é o sell out. Campanhas que

não procuram apenas a compra instantânea, mas

que se destinam a alcançar novos clientes e a materializarem-se

em compras frequentes. São ações que

apostam numa imagem e numa dinâmica que nada

têm a ver com o que foi feito até agora no setor, alcançando

resultados de vendas que, a cada ano, superam

os do anterior, conseguindo-o sem desvalorizar o

produto. Também nos diferenciamos pelo “Evento de

clientes” que realizamos, no qual, fugindo dos modelos

tradicionais, colocamos em contacto fornecedores

e melhores clientes, numa jornada onde trabalho

e lazer se combinam numa simbiose perfeita. Mas

também temos procurado dar valor e mais visibilidade

ao nosso setor para o exterior. Os dois “Congressos

de Aftermarket” que realizámos estabeleceram um

antes e um depois nesse sentido, com apresentações

ao mais alto nível que nos mostraram como “olhar

para o setor de outra perspetiva” ou como “conduzir

rumo à transformação digital». Em 2020, “As 12

Causas ASER” unem estes dois conceitos: diferenciação

e apoio ao setor. Acreditamos que temos uma

obrigação social enquanto distribuidores de peças de

reposição e queremos deixar a nossa marca de modo

a obtermos estradas mais seguras e a contribuir para

um meio ambiente menos poluído. E queremos fazê-lo

promovendo junto de sócios, oficinas e clientes

finais a manutenção responsável do veículo, sempre

com peças de reposição de qualidade.

A ASER Aftermarket Automotive dispõe, também,

de produtos de marca própria produzidos por

fabricantes de topo...

Correto. A ASER tem uma gama de produtos que

contempla consumíveis (baterias, escovas limpa

para-brisas, lâmpadas, líquido limpa-vidros, lubrificantes,

fluido de travões) para gerar maior fidelidade

ao grupo e à marca. A nossa estratégia de produto

não é ter uma gama vasta, mas de qualidade e

a preços competitivos. A nossa intenção é estar ao

lado dos fornecedores e parceiros que desenvolvem

as tecnologias do futuro e os veículos do amanhã.

Somos distribuidores de serviços. As peças de reposição

são apenas um deles. Acreditamos que, dentro

de 10 anos, 75% do negócio seja assegurado por

serviços, ficando apenas 25% para os componentes.

Hoje, é precisamente o inverso. Queremos estar

ao lado das marcas que irão liderar a inovação e o

futuro. Ou seja, é nossa intenção estar ao lado dos

fornecedores premium e de qualidade.

A ASER Aftermarket Automotive dispõe, à data

desta entrevista, de três sócios em Portugal. É

expectável que este número possa crescer? Que

vantagens têm as empresas lusas em aderir ao

vosso conceito?

Toda a atividade que desenvolvemos baseia-se numa

estratégia definida a médio prazo. Nesta estratégia,

Portugal é um objetivo principal. A chegada da

Humberpeças à ASER (mais tarde, vieram Samiparts

e N Peças), não foi uma situação pontual fruto de

uma casualidade. Foi o resultado de muito trabalho

e da nossa forma de atuar. Deveu-se a um trabalho

prévio que nos permitiu compreender o mercado

português e as necessidades dos parceiros portugueses,

bem como adaptar a nossa estratégia de modo

a fornecer soluções que suprimissem essas necessidades,

que não são iguais às do mercado espanhol.

Num mercado dominado por grandes distribuidores,

que, agora, também chegam às oficinas diretamente,

os fornecedores devem, também, disponibilizar soluções

de continuidade aos parceiros que trabalham diretamente

com as oficinas. Na ASER, atuamos para

que assim seja. Para Portugal, definimos um plano

de crescimento para os próximos dois anos. A nossa

intenção é aumentar o número de parceiros e ter

maior cobertura geográfica. Até final de 2021, queremos

ter seis ou sete sócios em Portugal. Que não se

pisem entre eles (geograficamente falando, claro) e

que tenham um volume de negócios mínimo de três

milhões de euros. Não procuramos lojas mais pequenas.

A não ser, evidentemente, que se trate de uma

região específica onde achemos que faça sentido. Em

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 21


JOSÉ LUIS BRAVO

AS CAMPANHAS “EL RECAMBIAZO DA ASER”, “GIVE ME FIVE BY ASER” E “AS

12 CAUSAS ASER” SÃO EXEMPLOS CLAROS DA MANEIRA MUITO PRÓPRIA DE

ESTARMOS NO MERCADO E DA FORMA COMO ENCARAMOS O NEGÓCIO

2019, a ASER registou um volume de

negócios em Portugal de 22,5 milhões

de euros no conjunto dos três parceiros.

O nosso objetivo é chegar a uma

faturação de 45 milhões no prazo de

dois anos. Falando em português e

sempre a uma só voz com os nossos

parceiros. Até porque a ideia passa por

oferecer aos parceiros uma estratégia e

plataforma comuns através da ASER,

apoiando-os no desenvolvimento dos

seus negócios. Queremos estarmos

próximos das necessidades das oficinas,

de modo a oferecer-lhes serviços

de valor acrescentado. A ASER é um

grupo com futuro. E estamos muito

focados no mercado português, que

é muito diferente do espanhol. Por

isso, adaptámos a nossa estratégia à

realidade lusa de modo a termos uma

cobertura nacional e um grupo de parceiros

unidos, para que estes possam

ter acesso a melhores produtos com

preços competitivos. No fundo, para

beneficiarem de tudo aquilo que a

ASER pode oferecer-lhes.

Que desafios se colocam à atividade

da ASER Aftermarket Automotive?

Na ASER, há muito que percebemos

que o setor está a mudar. Encaramos

os novos desafios como oportunidades

para os sócios. A perspetiva que temos

permite-nos compreender o mercado

e antecipar mudanças, de modo a

podermos preparar os sócios para que

possam enfrentar o futuro com garantias

de sucesso. Apostamos sempre em

fornecedores e parceiros com futuro,

que serão quem nos acompanharão

ao longo do caminho. Fugimos dos

produtos de fraca qualidade e de baixo

preço. Os veículos híbridos, elétricos

ou conectados terão elevada presença

nas estradas. Os parceiros de que

dispomos já estão a preparar-se para

tal e irão apresentar soluções para os

problemas que surgirão e que terão

grande relevância, como, por exemplo,

o controlo de dados do veículo.

E ao mesmo tempo que trabalhamos

com fornecedores que podem trazer

soluções para esses veículos novos,

continuamos a desenvolver a nossa

atividade no presente. Estamos cientes

de que, no futuro, os nossos parceiros

oferecerão serviços às oficinas que irão

muito para além dos produtos que,

hoje, comercializamos.

Qual foi o desempenho da ASER

Aftermarket Automotive em 2019

e que planos estão em curso para

2020?

A ASER teve, no ano de 2019, em temos

gerais, um desempenho muito

positivo, com um crescimento de 9%.

Tal deveu-se ao facto de estarmos a

alargar o nosso número de sócios e de

novas oportunidades de negócio, que

são canalizadas, precisamente, através

do grupo. No entanto, estes números

não refletem a realidade, porque, se

excluirmos o crescimento que se deveu

à contribuição dos novos parceiros que

estão a consolidar o seu valor dentro

da ASER, o crescimento foi apenas de

0,4%. 2019 foi, de facto, um ano difícil

para todo o setor. A idade do parque

automóvel circulante aumentou e as

operações de manutenção e reparação

de veículos diminuíram, pelo que o

volume de negócios caiu. Isto fez com

que alguns players tivessem de realizar

vendas com margens mais reduzidas,

algo que é contraproducente para o negócio.

Nós, no ano passado, conseguimos

manter-nos alinhados com 2018,

graças, também, à contribuição das

campanhas “El Recambiazo da ASER”

e “Give Me Five by ASER”. Alertámos

os nossos sócios para que não entrassem

em “guerras de preços”, que só

trazem perdas de rentabilidade. Aconselhámo-los,

antes, a reforçar as linhas

de produto onde é possível fazer a diferença

e recuperar a rentabilidade que

se perde noutras gamas. 2020 é o ano

das “12 Causas ASER”, ação que reflete

a aposta que fazemos na segurança e

no meio ambiente. Mantendo, obviamente,

as campanhas “El Recambiazo

da ASER” e “Give Me Five by ASER”,

que tão bons resultados trouxeram a

todas as partes envolvidas.

2020 será o ano da afirmação da

ASER em Portugal?

Sem dúvida. Será a primeira vez que

a ASER marcará presença num salão

nacional. E, logo, com um stand

de 120 m 2 na expoMECÂNICA. Faz

parte dos planos da ASER desenvolver

o seu negócio em Portugal e estar

cada vez mais próximo dos seus parceiros.

Tanto mais, que será criada, no

final do primeiro trimestre deste ano,

a ASER Portugal, estando ainda em

equação se será uma sucursal ou não.

Certo, é que surgirá com o figurino de

sociedade financeira, com capacidade

para centralizar compras. É nossa

intenção que as oficinas conheçam o

negócio dos sócios que temos. O Salão

expoMECÂNICA, que reúne debaixo

do mesmo teto distribuidores, retalhistas

e oficinas, é o palco ideal para

estarmos presentes com um espaço

físico, juntamente com os nossos três

parceiros: Humberpeças, Samiparts e

N Peças. Além disso, estamos a desenvolver

uma rede de oficinas em Portugal

adaptada às necessidades do mercado

luso. Ainda não tem nome, mas

será um conceito que terá uma imagem

exterior própria. Mas atenção:

os nossos parceiros já disponibilizam

às oficinas nacionais vários serviços

que integraremos, depois, como um

todo na rede oficinal que estamos a

desenvolver para Portugal. l

22 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


CONFIANÇA, QUALIDADE E PROFISSIONALISMO. DE ACORDO COM A MAIORIA

DOS CLIENTES DA BOLAS, SÃO ESTES OS VALORES QUE CARACTERIZAM A

EMPRESA DE ÉVORA, REPRESENTANTE DA MARCA DE FERRAMENTAS BETA


Reportagem

SEMINÁRIO NACIONAL DE REVENDEDORES BETA 2020

NOVIDADES EM DESFILE

A BOLAS REALIZOU, NO PASSADO DIA 15 DE FEVEREIRO, NO GRANDE HOTEL DE LUSO,

O SEMINÁRIO NACIONAL DE REVENDEDORES BETA 2020, NAQUELE QUE FOI UM REGRESSO AO LOCAL

DA PRIMEIRA EDIÇÃO. SOB O OLHAR ATENTO DE PARCEIROS, CLIENTES E AMIGOS, FORAM

APRESENTADAS AS NOVIDADES DA MARCA PARA O MERCADO DAS FERRAMENTAS PROFISSIONAIS.

O JORNAL DAS OFICINAS NÃO FALTOU À CHAMADA por Joana Calado

Com casa cheia, Rui Bolas abriu a sessão, começando

por agradecer a presença de todos

e realçando o facto de este ser o 7.° Seminário

Beta e aquele que mais representantes tinha

até ao momento. O administrador da empresa

eborense, perante o olhar atento de Aimo Alberti,

area sales manager da Beta para Portugal, aproveitou

a oportunidade para fazer um balanço do ano

transato e revelar as expectativas da marca para o

ano de 2020.

BalanÇo positivo

O ano passado terminou com balanço positivo

para a Bolas e para a Beta. Durante a sessão de

abertura, Rui Bolas, administrador da empresa de

Évora, realçou que “a satisfação dos clientes com a

marca Beta está nos 89%”. Já sobre os valores que

caracterizam a Bolas, os clientes foram unânimes

na escolha dos substantivos: confiança, qualidade

e profissionalismo. No que diz respeito ao volume

de vendas da Beta, a marca destaca-se, essencialmente,

pela venda de ferramentas manuais, que

reúnem 74% de share. Mas o grande campeão de

vendas é mesmo o carrinho de seis gavetas c245. E

no que toca ao volume de vendas? Rui Bolas afirmou

que, “desde 2013 até ao ano de 2019, a evolução

global de vendas esteve sempre em ascensão”.

Para 2020, as previsões também são positivas:

63% dos parceiros da Bolas preveem aumentar as

suas transações.

Oferta vasta

A cargo de Davide Mira, responsável de produto

da Bolas, ficou a apresentação das diversas novidades

da marca Beta, que já está totalmente preparada

para a “revolução” elétrica dos veículos e para

equipar as oficinas em grande estilo. A Beta tem

carrinhos de ferramentas, armários, bancadas de

trabalho e mobiliário de oficina. Tudo totalmente

remodelado. No campo dos carrinhos de ferramentas,

a marca apresentou o novo C37, que irá

substituir o antecessor C33. Disponível com seis,

sete ou oito gavetas, conta com um novo posicionamento

dos furos para chaves de fendas no tabuleiro

superior e exibe ainda um novo design das

pegas. Os novos armários C54S e as bancadas de

trabalho C56B e C58B, assim como o novo sistema

modular de mobiliário de oficina C45, prometem

oferecer aos profissionais todo o espaço de arrumação

que estes necessitam.

Já no que diz respeito às ferramentas profissionais,

a Beta apresentou a chave combinada 42, com

novo design, a chave dinamométrica 665, o elevador

eletrohidráulico 3050, os apoios para motociclos,

a linha de ferramentas para o setor auto,

incluindo veículos elétricos e híbridos, e as chaves

de impacto 1928XM, juntamente com as retificadoras

1933.

O conforto é, também, o mote dos produtos Beta.

Por isso, a marca anunciou ainda a linha de calçado

feminino Flex Lady, com tamanhos que vão do

34 ao 42, bem como a linha de calçado 0-GRAVI-

TY, primando esta pela leveza, já que cada sapato

pesa apenas 460g. Ambas as linhas de calçado

apresentadas pela marca estão isentas de metal. l

Rui Bolas (foto de cima) fez o balanço de 2019. Já

Davide Mira, deu a conhecer as novidades da Beta

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 25


entrevista

FLÁVIO MENINO, GESTOR DO PROJETO DRIVE REPAIR

QUEREMOS OFICINAS COM

PERSPETIVAS DE FUTURO E COM

DESEJO DE EVOLUIR NESSE SENTIDO

COM SETE CASAS ADERENTES À DATA DESTA ENTREVISTA, O CONCEITO DRIVE REPAIR ESPERA CONTAR

COM 20 OFICINAS ATÉ FINAL DESTE ANO. FLÁVIO MENINO, GESTOR DO PROJETO, QUER PARCEIROS

AMBICIOSOS E DE OLHOS NO FUTURO. QUALIDADE DO SERVIÇO E COMUNICAÇÃO SÃO TRUNFOS por Jorge Flores

Anunciado no final do ano passado, o conceito

Drive Repair entrou em 2020 determinado

em ocupar o seu espaço no mercado

nacional. Em entrevista ao Jornal das Oficinas, Flávio

Menino, gestor do projeto, explica a filosofia que

norteia este novo conceito oficinal, onde a qualidade

do serviço e a comunicação são os pontos fortes.

Segundo o responsável, tudo foi analisado até ao

mais ínfimo pormenor, desde a imagem à própria

ambição que as oficinas aderentes deverão ter. O

objetivo primordial é dotá-las de armas para enfrentar

os múltiplos desafios dos tempos modernos.

O conceito Drive Repair assume-se como

inovador no mercado. Em que se distingue dos

concorrentes?

O conceito oficinal Drive Repair tem dois focos: a

qualidade de serviço e a comunicação. A qualidade

de serviço é essencial. O nosso principal objetivo é

que as nossas oficinas tenham uma qualidade de

serviço de excelência. A nossa missão é proporcionar

a melhor experiência a cada cliente que visite

a oficina, criando confiança através da prestação

de um serviço de topo. E, para isso, tentamos

transmitir três grandes valores às nossas oficinas:

excelência, segurança e confiança. Por outro lado,

temos, também, a comunicação offline e online. Na

comunicação digital, o nosso grande foco é conseguir

angariar novos clientes. O nosso setor funciona

muito através da recomendação e, atualmente,

quem não a tem, o que faz? Recorre à Internet e

procura pela oficina. Se ela não estiver lá, não existe.

Vamos centrar a nossa comunicação no online

para proporcionar às oficinas essa possibilidade de

angariar novos clientes no segmento digital.

trevista, já estamos a equipar sete com a imagem

Drive Repair.

Nesta entrevista, estamos presentes numa...

Exatamente. A Automecânica, no Cacém, é uma

das oficinas com quem tivemos o privilégio de estabelecer

esta parceria. Esperamos que seja proveitosa

para ambas as partes.

A imagem moderna, onde predomina o verde, é importante

para estreitar os laços de confiança e união

entre os membros? Qual o conceito associado?

É uma imagem moderna e apelativa. Toda a sua

construção foi estudada e criada para causar o máximo

de impacto possível. Também existem alguns

processos de neuromarketing que seguimos para

criá-la. Por exemplo, o verde é uma cor fria, que

transmite equilíbrio e transparência e que está ligada

à natureza e ao ecológico. Combina com as tendências

de futuro, muito ligadas ao ambiente. Esta

cor também foi selecionada depois de feita uma

análise e de termos verificado que não havia concorrência

direta com ela. A construção do logótipo

também sofreu um processo de neuromarketing.

Foi baseado na simbologia do conta-rotações, que

representa força, resistência, dinâmica e velocidade.

Colocámos o logótipo em perspetiva para causar

essa mesma sensação de dinâmica e movimento. O

próprio lettering, em itálico, serve para transmitir

isso. Toda a imagem foi criada nesse sentido. Por

fim, desenvolvemos, também, uma imagem em formato

circular para transmitir a conexão entre todos

os membros do conceito. A ligação entre todas as

oficinas e as sinergias que podem ser criadas entre

elas, graças a uma união que pretendemos que seja

forte e proveitosa para todos.

Que características deve uma oficina ter para

poder aderir ao conceito Drive Repair?

Característica essencial é o facto de a oficina que-

Tem algum número de oficinas em mente para

este primeiro ano? Quantas existem já?

Sim. Para este ano, temos um número previsto:

20 oficinas. No momento em que decorre esta enrer

melhorar a sua atividade e evoluir. Queremos

oficinas que tenham perspetivas de futuro e que

queiram evoluir nesse sentido. Sempre focados

na qualidade de serviço. É fator essencial. As oficinas

são todas selecionadas com base neste aspeto.

Existem, também, outros critérios, como a

imagem cuidada, por exemplo. A nossa colocação

de uma imagem moderna e apelativa é outro fator

decisivo, porque são oficinas que querem melhorar

e comunicar de forma mais evidente. Encaixam-se

nos valores que procuramos. É evidente que, depois,

existem outros critérios mais técnicos mas,

essencialmente, são estes os grandes fatores que

nos levam a decidir convidar as oficinas para fazerem

parte do nosso conceito.

De que forma poderá o conceito Drive Repair

apoiar as suas oficinas nos grandes desafios do

setor, atuais e futuros? Nomeadamente, perante

a revolução iminente dos veículos elétricos,

partilhados e autónomos?

Aproveito esta questão para explicar que o nosso

conceito tem quatro grandes mais-valias para

as empresas: o potencial aumento do número de

clientes e da sua tipologia, como, por exemplo, o

empresarial e o digital, o aumento da produtividade

na oficina, a diminuição de custos e, focando

agora na questão, o aumento do acesso à informação.

Ou seja, sabemos que, cada vez mais, as marcas

tentam restringir esse acesso e as oficinas têm

muita dificuldade em aceder a essa informação. O

que propomos é facultar o acesso a essa informação,

de modo a que as oficinas consigam melhorar

a sua produtividade. Para trabalharem mais e melhor,

para prestarem melhor qualidade de serviço

ao cliente. Nesse sentido, acompanhamos, também,

as tendências e damos formação contínua às

nossas oficinas, para que estas possam estar preparadas

para os desafios atuais e futuros, que são

enormes e que terão de ser enfrentados. l

26 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


O CONCEITO OFICINAL DRIVE REPAIR TEM DOIS FOCOS: QUALIDADE DE

SERVIÇO E COMUNICAÇÃO. PARA 2020, TEMOS PREVISTO UM NÚMERO DE

ADERENTES: 20. ATÉ AO MOMENTO DESTA ENTREVISTA, EXISTEM SETE


Oficina

do Mês

A OFICINA DO MÊS É PatroCINADA POR totaL ROC (RAPID OIL CHANGE)

AUTOBRITO

A MÉDIO PRAZO, FAREMOS

PartE DE UMA REDE OFICINAL

A AUTOBRITO É UMA OFICINA FAMILIAR LOCALIZADA EM TÁBUA E GERIDA PELOS IRMÃOS ANA E DAVID BRITO.

O NEGÓCIO COMEÇOU COM O PAI DE AMBOS, POR VOLTA DO ANO DE 1991, TRANSFORMANDO-SE, EM 2004,

NUMA OFICINA FOCADA NA ATUALIDADE por João Vieira

Localizada na Zona Industrial de Tábua há

cerca de três anos, a oficina Autobrito leva

16 anos a prestar bons serviços de mecânica

naquela zona do país. O Jornal da Oficinas foi

conversar com os irmãos Ana e David, sócios-gerentes

deste moderno espaço, com 1.500 m 2 , que

nos falaram das dificuldades em encontrar técnicos

especializados mas, também, do sucesso que

a empresa tem alcançado pela confiança e honestidade

que mantém com os clientes, maioritariamente

particulares, ainda que disponha de alguns

empresariais.

A passagem para as novas instalações deveu-se à

falta de espaço nas antigas, mas o principal objetivo

foi dar melhores condições de trabalho aos

colaboradores e clientes, uma das grandes preocupações

de quem “manda” nesta oficina. “Começámos

a receber veículos mais recentes e ficávamos

‘envergonhados’ com tão pouco que tínhamos para

oferecer. Por isso, pensámos que seria preferível

mudar para umas instalações melhores e maiores.

Foi um passo de gigante, do qual não estamos

nada arrependidos”, revelaram os sócios-gerentes.

Nestas instalações, modernas e bem apetrechadas,

existem nove elevadores, máquina de alinhamento

de direções, equipamento para montagem e desmontagem

de pneus e serviço de ar condicionado.

Mas o core business da Autobrito é a reparação

multimarca.

Formação obrigatória

No total, trabalham na Autobrito oito pessoas. Os

responsáveis falaram da dificuldade que tem sido

contratar pessoal especializado e técnico. Felizmente,

a empresa tem conseguido encontrar sem-

pre colaboradores profissionais, que são atualizados

com formações. Aliás, a Autobrito conta com

salas de formação que abrem portas a outras oficinas.

A formação é dada pela ARAN e pelo CEPRA,

mas a responsável queixou-se da repetição dos módulos

e da pouca evolução na formação que tem

vindo a sentir. Seria preciso maior autonomia da

ARAN e maior proatividade do CEPRA. E apesar

de já ter exposto o caso às duas entidades, continua

a ter a mesma opinião. Até porque, como referiram,

“a formação não deveria ser só para os técnicos

mas, também, para a parte de gestão, orçamentação

e receção de viaturas”.

Independentes... por enquanto

A Autobrito é uma oficina independente. Não pertence

a qualquer rede oficinal. Mas está nos seus

planos fazer parte de uma a médio prazo. Ana e

David destacaram a importância deste passo:

“Precisamos de estar associados, por toda a evolução

que os veículos estão a ter a nível das novas

AUTOBRITO

sócios-Gerentes Ana Brito e David Brito

Morada Parque Industrial de Tábua, Lote 12,

3420 - 316 Tábua

Telefone 235 413 185

Email geral@autobrito.pt

Site www.autobrito.pt

motorizações e telemática. Não podemos manter-

-nos sozinhos neste negócio, porque as portas vão

fechar-se cada vez mais. Estamos a adiar a adesão,

mas não o faremos por muito mais tempo”.

Outro dos segredos do sucesso da oficina tem a ver

com o principal fornecedor de peças da Autobrito,

que é cliente da Phaarmpeças. Já lá vão 15 anos. O

que os responsáveis mais valorizam nesta parceria

é o serviço eficiente e a relação pessoal. Até porque

a proximidade é muito importante quando é preciso

solucionar problemas de garantias e devoluções.

“Não queremos alguém que só nos venda peças.

Queremos alguém que nos atenda e nos resolva o

problema quando a peça está avariada. Queremos

que esse alguém nos dê atenção. E a Phaarmpeças

faz isso. Há uma ligação de longa data, de amizade

e confiança”, frisaram.

A prioridade da oficina são peças de marcas premium,

até porque são as que dão menos problemas.

Mas como a casa recebe clientes com veículos

mais antigos, precisa de equilibrar as coisas. “Não

podemos fazer orçamentos muito dispendiosos para

viaturas com mais de 20 anos. Não faz sentido e

os nossos clientes pensam que lhes estamos a ‘ir ao

bolso’. Acontece o mesmo com os pneus. A oficina

aconselha o cliente, propõe pneus de valores competitivos,

mas de marcas de confiança”, referiram

os sócios-gerentes Ana e David.

Felizmente, trabalho não tem faltado. “Nestes 16

anos, tivemos cerca de quatro mil clientes. Uns

voltam, outros não. Mas é assim com tudo. Por

dia, abrimos entre 12 a 15 folhas de obra e nunca

atendemos menos de 10 viaturas, o que, para uma

equipa de oito pessoas, é muito bom,” enfatizaram

os responsáveis. l

28 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


A IDEIA DE FAZER PARTE DE UMA REDE OFICINAL A MÉDIO PRAZO

TRARÁ AINDA MAIOR PROFISSIONALIZAÇÃO A UM NEGÓCIO QUE

TEM VINDO A EVIDENCIAR-SE NA ZONA CENTRO DO PAÍS


NOTÍCIAS // DINÂMICA DO SETOR ESCREVE-SE DE A A Z

Empresas

ACAP

BALANÇO DO SETOR AUTOMÓVEL EM 2019

A

ACAP (Associação Automóvel de Portugal) fez o balanço de 2019 no

que diz respeito ao desempenho do setor automóvel. Apesar da ligeira

quebra registada na venda de veículos novos face a 2018, os veículos

movidos a energias alternativas estiveram em franca aceleração e a produção

automóvel cresceu 17%. O peso do setor automóvel nas receitas fiscais do Estado

em 2019 manteve-se acima dos 20%. A produção automóvel em Portugal

registou um crescimento de 17% face a 2018. Em 2019, foram produzidos 346

mil veículos, número superior ao mercado automóvel nacional e que coloca

Portugal, definitivamente, no clube dos produtores de automóveis. Em 2019,

o mercado automóvel nacional registou uma ligeira quebra de 2% face a 2018.

Este decréscimo situou-se em 2% nos ligeiros de passageiros, em 2,1% nos

veículos comerciais ligeiros e em 1,2% nos veículos pesados.

Apesar da ligeira quebra geral, os veículos movidos a energias alternativas

registaram um crescimento significativo, passando os veículos elétricos a representar

3,1% do mercado. Assinala-se, assim, o enorme ganho de quota de

mercado registado pelos elétricos mas, também, pelos híbridos plug-in. No

que respeita às matrículas de automóveis importados usados, acentuou-se a

subida iniciada em 2014, sendo que os veículos a gasóleo lideraram as preferências

destas importações. De forma geral, o comércio, a manutenção e a

reparação de veículos e motociclos representam um volume de negócios de

21,8 mil milhões de euros, criam 102 mil empregos diretos e envolvem 31 mil

empresas, entre sociedades e registos em nome individual.

30 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


COMEMORA 30.º ANIVERSÁRIO

KRAUTLI Portugal | 2020 é um ano de comemoração para a KRAUTLI

Portugal, já que a empresa celebra 30 anos desde que iniciou a sua atividade no

nosso país. A KRAUTLI, fundada em 1931, começou a sua atividade em Portugal no

ano de 1990. Ao longo destas três décadas, a empresa tornou-se numa referência

no aftermarket no nosso país, destacando-se no top 20 dos distribuidores de peças.

Em comunicado enviado à nossa redação, a KRAUTLI Portugal afirma: “Chegámos

onde estamos hoje devido, principalmente, a dois fatores, que não podemos deixar

de destacar nesta ocasião. Por um lado, a paixão que temos pelo que fazemos e,

como indicador na nossa assinatura, Paixão pela Qualidade, pela qualidade premium

dos produtos e serviços que fornecemos. Por outro, os nossos parceiros, que sempre

cooperaram connosco como o objetivo comum de fazer mais e melhor, tornando

possível este êxito”.

APOIO AOS B.V. DE PAÇO DE ARCOS

LIQUI MOLY | A empresa alemã deu um forte apoio à Associação Humanitária de

Bombeiros Voluntários de Paço de Arcos, garantindo todos os lubrificantes, aditivos

e produtos de serviço para a manutenção dos veículos de emergência para o ano de

2020. Desta forma, fica solucionado um constrangimento forte de aquisição destes

produtos e os Bombeiros Voluntários de Paço de Arcos conseguirão prestar auxílio

às populações de forma mais tranquila no que diz respeito às viaturas. Além disso,

não só garantem os produtos necessários, como oferecem produtos premium de uma

marca de topo do setor, de forma a que os veículos dos bombeiros tenham os melhores

cuidados, menos problemas e uma vida útil mais longa. O Adjunto de Comando Sérgio

Duarte recebeu, da parte de Matthias Bleicher, diretor-geral da LIQUI MOLY Iberia,

uma vasta gama de produtos no Centro de Distribuição da empresa, na zona do Cacém.

NEOCOM

NOVA LOJA NO PORTO

Aempresa especialista na reconstrução de direções assistidas, transmissões e

juntas homocinéticas abriu uma nova loja no Porto, com o objetivo de oferecer

melhor serviço aos clientes da zona norte do país. Localizada na Rua

Central de Francos, 723 (telefone 226 155 072), a nova loja dispõe em stock todo

o portefólio de peças comercializadas pela Neocom, nomeadamente direções assistidas,

transmissões e juntas homocinéticas reconstruídas. Além destes produtos a

que os clientes já estão familiarizados, a empresa reforçou o stock de material original

com compressores de ar condicionado, pinças de travão, motores elétricos de

direção, caixas de direção elétricas e veios de transmissão longitudinais. A Neocom

é um dos principais players do mercado de distribuição de peças auto em Portugal.

Os responsáveis não querem perder essa postura e estatuto, mas respeitando sempre

os valores do mercado, enquanto reforçam os elos de ligação com os clientes

retalhistas e acompanham o desenvolvimento do setor para que possa estar sempre

na vanguarda do aftermarket.

GAMA DE PRODUTOS À MEDIDA DAS NECESSIDADES

AISIN | O Grupo AISIN tem a ambição de alcançar as zero emissões de CO 2

ao longo de todo o ciclo de vida

dos seus produtos até 2050, desde a produção até à utilização, passando pela eliminação de resíduos. O grupo

está, de resto, a trabalhar no sentido de aproveitar ao máximo este novo ecossistema e alcançar importantes

volumes de vendas de peças de reposição na Europa, fortalecendo a sua marca em todas as linhas (desde

consumíveis a produtos elétricos) e alcançando um crescimento através de uma ampla gama de produtos e

recursos rápidos de planeamento de produção. A AISIN é líder em desenvolvimento de componentes para

motores e chassis destinados aos fabricantes de equipamento original em todo o mundo. Reconhecidas

pela qualidade e fiabilidade, as embraiagens AISIN detêm a quota de mercado mais elevada junto das peças

fornecidas e fabricadas para a Toyota. No mês passado, a marca criou vários novos kits de embraiagem e bombas

de água para aplicações em veículos europeus. O desenvolvimento dessas 56 referências abrange mais de 3.000

aplicações de veículos e reforça a sua oferta perante as necessidades do mercado.

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 31


Notícias

Empresas

INVESTIMENTO NA FERRAMENTA

ONLINE METALBRAIN

Metalcaucho | O encontro anual de comerciais e

representantes nacionais da Metalcaucho, que decorreu no dia

6 de fevereiro, foi o momento escolhido pelo fabricante para

apresentar uma nova ferramenta que facilitará o trabalho da sua

equipa comercial e melhorará o atendimento ao cliente. Esse é o

duplo objetivo da MetalBrain, uma poderosa plataforma online

que tem capacidade de analisar, detalhadamente, as compras

de cada cliente, consultar o histórico de cobrança, as famílias de

produtos que trabalham mais ou menos e uma série de parâmetros

de modo a detetar as oportunidades de negócio, indo ao detalhe e

apresentando ofertas individualizadas com base nas necessidades

de cada cliente. A plataforma MetalBrain surge como resposta ao

aumento constante do catálogo da Metalcaucho, tanto em famílias

como em referências de peças, para um ambiente competitivo

ascendente e rumo ao crescimento de clientes.

OFERTA DE ÓLEO MOTUL

Leirilis | A empresa de Leiria lançou uma

nova máquina para mudança de óleo das caixas

automáticas: ATF Spin S-DRIVE 5000. Este

equipamento destaca-se, em relação às máquinas da

concorrência, pelos seguintes aspetos: duas bombas

de óleo; ecrã tátil; sistema de magnetização no filtro

de óleo; software para direções assistidas. Para o

lançamento da máquina, a Leirilis desenvolveu uma

campanha onde oferece €500 em óleo de transmissão

Motul à escolha do cliente.

FORMAÇÕES NA GUARDA

Car Academy | Apostando no desenvolvimento de

competências dos técnicos do interior do país, a Car Academy

levou as suas formações ao distrito da Guarda. A ação realizada

no passado dia 15 de fevereiro, subordinada ao tema “Filtros de

Partículas e AdBlue”, marcou o início das formações nesta região.

E, logo, registando uma forte adesão. A formação levada a cabo

pela Car Academy decorreu no Sabugal, mais concretamente nas

instalações da Revigal. Brevemente, a empresa especialista em

formação e consultoria anunciará a nova data para mais uma

ação a desenrolar nesta região do país.

PUB


80 ANOS E IMAGEM RENOVADA

ARAN | Os 80 anos da ARAN ficam marcados pelo lançamento de uma

nova imagem, que ilustra a postura da associação virada para o futuro.

“Precisamos de mostrar que queremos evoluir. Não esquecemos a nossa

história, riquíssima, no apoio aos associados e ao setor, mas tínhamos de

mostrar que estamos prontos a adaptar-nos para prepararmos o futuro”,

revela o presidente da ARAN, Rodrigo Ferreira da Silva. “Pretendemos

mostrar a mesma predisposição de sempre, mas num universo mais

tecnológico e ambientalmente mais sustentável como o atual”,

acrescenta o responsável da associação. Pedro Sanches, diretor criativo do

departamento de design da Opal, a agência de publicidade responsável

pelo desenvolvimento do novo logótipo da ARAN, explica que “a imagem

desenvolvida passa confiança e know-how da sua espessura e rigor, algo

que se ganha com experiência e sabedoria”.

ASSOCIAÇÃO

NACIONAL

DO RAMO

AUTOMÓVEL

BOSCH

REALIDADE AUMENTADA

NA FORMAÇÃO

A

Bosch Automotive Aftermarket já inclui a tecnologia de realidade aumentada nos seus

cursos de formação. O primeiro curso, focado em veículos híbridos e elétricos, foi

realizado nas instalações da empresa, em Madrid. As instalações dispõem de mais

de 1.200 m 2 de superfície para cursos de formação e contam com as mais recentes tecnologias

para preparar as oficinas. Em março do ano passado, durante a Motortec Automechanika

Madrid, a tecnologia de realidade aumentada da Bosch Automotive Aftermarket foi

premiada na “Galeria de Inovação”. O curso foi particularmente bem aceite entre todos os

participantes, que pertenciam a oficinas da rede Bosch Car Service. Durante a formação, os

participantes puderam ver as possibilidades que esta nova tecnologia oferece, ajudando-os no

dia a dia da sua atividade. Graças a esta excelente receção, os cursos com recurso a realidade

aumentada continuarão a fazer parte da oferta formativa da Bosch Automotive Aftermarket

às suas redes de oficinas.

NOVOS MEMBROS

RedService | A rede de oficinas continua a sua expansão,

contando, este ano, já com mais dois membros: AutoJerras em Alhos

Vedros (Moita) e LB Sport nas Pedreiras, Porto de Mós. O objetivo da rede

é continuar a crescer juntamente com os parceiros, criando uma estrutura

de confiança que disponibiliza os serviços e ferramentas procuradas pelos

clientes. Recorde-se que a RedService, rede da Leirilis, tem por base um

modelo de negócio caracterizado pelo empreendedorismo, competência

técnica, peças e serviços de alta qualidade, organização oficinal eficiente

e ferramentas de fidelização e angariação de clientes.

JP TOOLS

UNIÃO COM AUTO ACESSÓRIOS

FORMIGOSA

A

empresa anunciou que, no seguimento da premissa “Conduzimos a Inovação ao

seu Negócio”, bem como da estratégia de expansão do seu canal de revenda, estabeleceu

uma parceria na zona do Minho e Galiza com a Auto Acessórios Formigosa.

A empresa especialista em equipamentos e maquinaria oficinal encontrou na Auto

Acessórios Formigosa o parceiro ideal para levar a marca VOLT-E para o norte do país

e expandi-la além-fronteiras. Assim, a JP Tools dará todo o apoio comercial e técnico à

Auto Acessórios Formigosa, bem como a todas as empresas que se mostrarem interessadas

em estabelecer parcerias noutras áreas do país.

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 33


STANDARD OIL GROUP COMPANY

PASEO DE LA CASTELLANA, 95 PLANTA 16 - TORRE EUROPA 28046 MADRID SPAIN

0034 902 090 633 - 0034 917 026 787 - INFO@STANDARDOILGROUP.ES


Notícias

Empresas

RPL CLIMA

“DISTRIBUIDOR OFICIAL 2020”

A

empresa

especialista em climatização automóvel e frio de transporte recebeu,

uma vez mais, a nomeação de “Distribuidor Oficial 2020” em Portugal por

parte de grandes marcas, como Denso, Delphi, Sanden e Errecom. No ano em

que assinala 20 anos de atividade no mercado de peças para climatização automóvel,

a RPL Clima acompanhou, ao longo das últimas décadas, as diversas transformações

no setor. Com a ajuda de produtos de qualidade, a empresa liderada pela dupla Rui

Pedro e Rui Lopes continuará a alcançar novas e desafiadoras metas em Portugal, com

a sua conhecida abordagem profissional do mercado e visando uma satisfação sempre

crescente dos clientes. A gama própria RPL Quality e o “braço de exportação” RPL

Automotive Parts são mais-valias.

VOLUME DE NEGÓCIOS SUPERA TRÊS MILHÕES DE EUROS

X-Action | Fundada em Coimbra, no ano de 2009, a X-Action, que se dedica à importação e distribuição

de peças e acessórios para automóveis, apresentou, no dia 3 de fevereiro, os resultados referentes ao ano de

2019. A este propósito, o gerente da empresa, Filipe Teixeira, destacou: “Conseguimos, em 2019, ultrapassar a

marca histórica dos três milhões de euros através de vendas nas lojas físicas, mas, também, através da nossa

webshop (B2B), o que revela que a aposta que fizemos no mercado digital foi acertada”. A X-Action dispõe de

espaços físicos em Coimbra, Condeixa-a-Nova e Lousã, contando com mais de duas dezenas de colaboradores.

Na sessão de apresentação dos resultados, Filipe Teixeira salientou que, “neste momento, estamos a olhar para

novas oportunidades de expansão, seja pela representação de marcas internacionais, seja pela abertura de novos

espaços, por forma a apresentarmos aos clientes as melhores soluções e de modo a garantirmos uma resposta

ainda mais rápida”.

MINUTO VERDE VALORPNEU

ESTÁ PREPARADO para O DESAFIO?

DIVIRTA-SE E BOM JOGO!

Publireportagem

C

onheça o sistema de recolha e tratamento de pneus usados de forma descontraída e divertida. A Valorpneu

desafia-o a aceder ao endereço www.simtyre.pt e a fazer parte integrante deste sistema. Como? Através do novo

videojogo SimTyre, um projeto que recebeu uma menção honrosa na categoria Comunidade & Educação nos

Prémios Inov.Ação 2018. Da autoria de Paulo Ribeiro, este jogo pretende sensibilizar a população, em particular crianças e

jovens, para a problemática da gestão sustentável dos pneus usados. O desenvolvimento do projeto foi complementado com

a participação de alunos dos 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, resultante de uma parceria com o Agrupamento de Escolas de

Vouzela, que contribuíram para testar e aperfeiçoar o funcionamento do jogo, assim como com a colaboração de jovens

aficionados por jogo digitais.

Neste videojogo, o utilizador poderá perceber como é que funciona o sistema de recolha e tratamento dos pneus usados,

que, em Portugal, é gerido pela Valorpneu. Ao longo dos vários níveis, o jogador terá oportunidade de estar na posição de

um condutor que vai mudar os pneus do seu veículo, de um transportador que vai levar os pneus usados das oficinas para os

centros de receção ou até destes aos diversos valorizadores.

Ao longo do jogo, com a realização de várias recolhas e entregas de pneus usados, o utilizador pode ir amealhando moedas

virtuais que permitem ir adquirindo melhores viaturas de transporte. No SimTyre, são, também, apresentados vários factos e

curiosidades associados à atividade da Valorpneu e ao mundo dos pneus. Com os vários conhecimentos adquiridos, os jogadores

são convidados a responder a um quiz, que, por cada resposta correta, também permite amealhar moedas. Bom jogo!

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 35


Notícias

Empresas

6.º ENCONTRO DA MARCA toptUL

Qucaan | A empresa que representa a marca Toptul em regime de exclusividade em

Portugal, realizou, no passado dia 8 de fevereiro, na cidade de Águeda, o 6.º Encontro de

Distribuidores Oficiais Toptul. O já emblemático evento da marca contou com a presença

dos mais prestigiados membros da rede de distribuição oficial da Toptul e definiu as

linhas estruturais, assim como os objetivos estratégicos para o ano de 2020. Sustentado

num espírito de confraternização e proximidade, a equipa Toptul Portugal apresentou

as principais medidas aplicadas a fim de aumentar a capacidade de resposta junto da

rede de distribuição e, consequentemente, do cliente final afeto à Toptul. No evento, foi

apresentado o mais recente catálogo da marca Toptul, este ano mais completo, uma vez

que contou com um incremento de 400 novas referências.

NÚMERO DE PAÍSES DUPLICOU FacE A 2019

expomecânica | O Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto, a acontecer em abril próximo (17 a

19), na EXPONOR - Feira Internacional do Porto, será o maior e mais internacional de sempre. O evento conta

atingir máximos no número de expositores, área ocupada, países representados e operadores económicos

internacionais presentes. A campanha da expoMECÂNICA prossegue e ultrapassou, entretanto, várias metas

definidas. Um dos indicadores mais expressivos é mesmo a participação estrangeira. Naquele que já se

posiciona como o ano mais internacional de sempre, o número de países representados mais do que duplicou

(para nove), comparativamente com a edição passada (2019). A organização (Kikai Eventos) estima que a

planta da feira feche nos 300 expositores.

NelsonTripa_II.pdf 1 18/02/20 10:24

PUB

Sistema de aquecimento

Ar Condicionado

Circuitos de

refrigeração de óleo

Refrigeração do motor

Refrigeração de admissão

do ar

Compressor

Turbina

Radiador de

Aquecimento

SOLUÇÕES EM A/C AUTO

E REFRIGERAÇÃO DE TRANSPORTE

Esquema de refrigeração e climatização >

Válvula de control

de aquecimento

Control do climatizador

GARANTIA MOTOR MOBIL 1 JÁ FOI LANÇADA

Lubrigrupo | Especificamente projetado para ajudar na conquista de pequenos

e médios concessionários, bem como promover a retenção de clientes junto das oficinas

Mobil 1, a Garantia do Motor Mobil 1 estende a proteção do motor por mais cinco anos

ou 160.000 km extra. Este programa destina-se a automóveis que estão dentro da

garantia ou para aqueles que, estando fora dela, se encontram no seu primeiro serviço

pós-venda. O veículo não precisa de ter utilizado Mobil 1 desde novo, mas o motor deve

estar em boas condições e ter sido adequadamente mantido até àquele momento com

peças originais e/ou aprovadas pelo fabricante. A Garantia do Motor Mobil 1, que cobre

tanto o lubrificante como as principais peças do motor lubrificadas pelo mesmo, foi

lançada pela Lubrigrupo.

Depósito

expansor

Radiador

Interruptor

de Pressão

Intercooler

Filtro

desidratante

Evaporador

Válvula de expanção

Válvula de carga

Condensador

Ventilador

Refrigerador de

óleo auxiliar

Refrigerador de

óleo para mudança

automática

Filtro de

óleo

Refrigerador

de óleo

para filtro

Termostato

Rua Fernando Vicente - Armazém 15 - 2560-677 Torres Vedras

Telefone: +351 261 335 050 - E-mail: geral@nelsontripa.pt

Coordenadas GPS - Latitude 39º5'42.83"N - Longitude 9º15'7,74"W


novidades

profi sional

após-venda

serviços

.com

Ibérica


produto

É O PRIMEIRO FILTRO DE COMBUSTÍVEL

DA TECNECO QUE CONTA COM UM

CARTUCHO DE FILTRAGEM SOLDADO,

PELA TECNOLOGIA ULTRASSOM, NUM

RECIPIENTE ABS UTILIZADO PARA

RETER ÁGUA SEPARADA DO DIESEL

2

1

3

5

4


TECNECO ECO GS2089E

TECNOLOGIA

ultRASSOM

REPRESENTADA EM PORTUGAL PELA AUTO SILVA ACESSÓRIOS, S.A, A MARCA ITALIANA

TECNECO CONTA NA SUA OFERTA COM O FILTRO ECO GS2089E, DESTINADO AOS MOTORES

DIESEL DA RENAULT, QUE RECORRE A TECNOLOGIA ULTRASSOM

por

Jorge Flores

A

Auto Silva Acessórios, S.A. continua a apostar forte na

sua gama de filtros de combustível Tecneco. Desta feita,

adicionou ao stock o modelo eco GS2089E, produzido,

especialmente, para os novos Renault equipados com os motores

Diesel 1.5, 1.6 e 1.7 dCi. Trata-se do primeiro filtro de combustível

que conta com um cartucho de filtragem soldado, pela tecnologia

ultrassom, num recipiente ABS utilizado para reter água

separada do Diesel. Tudo isto graças a um processo de filtragem

bastante inovador do Tecneco eco GS2089E.

Neste sentido, as partículas poluentes, com menos de 15 mícrones,

são removidas ao Diesel “sujo” quando este passa pelo primeiro

processo de filtragem, através de um filtro multicamadas

com plissagem Chevon. No segundo processo de filtragem, o

Diesel passa por um tubo interno, de malha sintética repelente

a água, que filtra as partículas poluentes menores do que cinco

mícrones (como pó de metal). O Tecneco eco GS2089E é composto

por um reservatório de sedimentação de água, um tubo

interno de malha repelente a água que filtra poluentes até cinco

mícrones, um filtro de camadas com plissagem Chevon, uma

junta Viton com resistência até 200°C e uma válvula para purgar

água com o-rings Viton.

Qualidade italiana

A Tecneco é uma marca italiana de filtros que contempla, no seu

portefólio, filtros de ar, de óleo, de combustível, de habitáculo e de

transmissão, cobrindo veículos de passageiros, comerciais, agrícolas

e industriais.O seu core business é o aftermarket automóvel,

setor que representa perto de 70% da sua produção. Refira-se

que o fabricante colocou, recentemente, o seu catálogo online, de

consulta intuitiva e simples, de modo a desenvolver todo o seu potencial

de negócio e a facilitar aos clientes o acesso à informação.

Em Portugal, a Tecneco é representada, em exclusivo, pela Auto

Silva Acessórios, S.A., empresa que, ao fim de mais de quatro décadas

de atividade, continua a dar cartas no comércio de peças e

acessórios para automóveis, com especial foco nos produtos de

motor e de desgaste. A empresa conta ainda com um portal que

permite fazer encomendas B2B, cruzando peças pelo TecDoc e

pesquisas por matrículas, entre outras funcionalidades. l

1 Reservatório de sedimentação da água 2 Tubo interno de malha repelente a água que filtra partículas até 5 microns 3 Filtro de camadas

com plissagem Chevon 4 Junta Viton com resistência até 200ºC 5 Válvula para purgar água com O-rings Viton

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 39


empresa

OXYCEDET

COMBATE À FRICÇÃO

NUMA PEQUENA VILA DO CENTRO DO PAÍS NASCEU, HÁ CINCO ANOS, A OXYCEDET. COM UMA GÉNESE

INTEIRAMENTE FAMILIAR, É LIDERADA POR JOÃO PAULINO, ACOMPANHADO PELA ESPOSA E PELO FILHO.

O JORNAL DAS OFICINAS FOI VISITAR ESTA PECULIAR EMPRESA RIBATEJANA por Joana Calado

Especialista em produtos lubrificantes, a Oxycedet

é uma empresa recente, mas com muita

experiência. O seu fundador e gerente, João

Paulino, conta com mais de 15 anos de know-how

no setor, tendo passado por grandes empresas até

decidir dar o “salto” e começar o seu próprio negócio.

Criando uma marca inteiramente portuguesa,

que já começa a expandir-se além-fronteiras, estando

presente em mais quatro países e contando

com cerca de 10 distribuidores diretos.

Aposta na qualidade

As instalações da Oxycedet passam despercebidas

na pequena vila do Sardoal. João Paulino justifica

esta discrição: “Não apostamos muito na publicidade.

Preferimos apostar na qualidade e em servir

bem os nossos clientes para, assim, fidelizá-los”.

Apesar de a empresa não ter produção própria, o

fundador revela que “poderá ser um projeto futuro.

Todos os produtos são fabricados de acordo com as

especificações da marca. Esta é uma das premissas

mais importantes para a Oxycedet. Não queremos

ter muitos produtos. Queremos que os que temos

sejam mesmo bons”, realça João Paulino.

A política da empresa faz com que aposte apenas

na venda a profissionais, não sendo possível a um

cliente particular comprar esta marca. “Eu protejo

os meus distribuidores. Eles têm de ter a confiança

de que eu não vou vender a um particular ao

mesmo preço que lhes vendo”, assegura o gerente

ao Jornal das Oficinas. Num futuro não muito

longínquo, a Oxycedet pretende “viajar” para as

ilhas, onde já faz alguns negócios, e aumentar a

sua presença internacional, expandindo-se além

dos quatro mercados onde já se encontra. Para já, a

empresa ribatejana começa a apostar mais na área

digital, estando, neste momento, a realizar diversas

melhorias no seu site e nas redes sociais.

OXYCEDET

Gerente João Paulino

Telemóvel 968 980 645

Email geral.oxycedet@gmail.com

site www.oxycedet.com

Do Diesel às bicicletas

Apesar do curto tempo de vida, o portefólio de produtos

da Oxycedet é já vasto. Destaca-se o produto

de tratamento para gasóleo, campeão de vendas,

que, como refere o fundador e gerente, “trata-se de

um produto bastante completo, não havendo muitos

no mercado que o igualem”. A empresa conta, também,

com diversos produtos de tratamento antifricção

com cerâmica e PTFE. Além disso, a Oxycedet

disponibiliza ainda vários artigos de limpeza para as

oficinas, que prometem ajudá-las na higienização de

travões, peças e até dos próprios funcionários.

Na categoria de sprays, podem ser encontrados

desbloqueantes multiusos, películas lubrificantes,

lubrificantes, dielétricos até 32.000 V, descarbonizantes

e massa de cobre. Todos estes produtos têm

uma componente antifricção. Atuando não só na

área automóvel mas, também, em setores tão distintos

como a náutica, onde apresenta lubrificantes

para pesca e massa náutica de Grau II, e as bicicletas,

dispondo de vários produtos para que os ciclistas

possam pedalar sem fricção. A Oxycedet, com

o seu vasto portefólio, afirma reduzir em cerca de

90% a fricção existente em vários setores, primando

sempre pela qualidade. l


entrevista

MARCO OLIVEIRA, RESPONSÁVEL DE TRANSPORTE

INTERNACIONAL DA CEPSA PORTUGUESA

OS NOSSOS PRODUTOS E

SERVIÇOS ACRESCENTAM

VALOR AOS PROFISSIONAIS

A CEPSA FOI A ÚNICA PETROLÍFERA A MARCAR PRESENÇA NA XIV CONVENÇÃO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO

RODOVIÁRIA DE TRANSPORTADORES PESADOS DE PASSAGEIROS (ARP), QUE SE REALIZOU, NOS DIAS

8 E 9 DE FEVEREIRO, NO HOTEL MH ATLÂNTICO, EM ATOUGUIA DA BALEIA, PENICHE. MARCO OLIVEIRA,

RESPONSÁVEL DE TRANSPORTE INTERNACIONAL DA CEPSA PORTUGUESA, NUMA ENTREVISTA CONCEDIDA

AO JORNAL DAS OFICINAS, FALA SOBRE A PARCERIA QUE A COMPANHIA TEM COM A ASSOCIAÇÃO E SOBRE

AS SOLUÇÕES APRESENTADAS NO EVENTO, REALÇANDO, EM TODOS OS MOMENTOS, A SEGUINTE FRASE: “OS

NOSSOS PRODUTOS E SERVIÇOS ACRESCENTAM VALOR AOS PROFISSIONAIS” por Bruno Castanheira

Alinhada com o tema deste ano, “Alta performance

nos transportes”, a Cepsa fez-se

representar através de um stand e com a

apresentação quer das portagens eletrónicas Dual

e Trio, quer dos cartões StarRessa. Em destaque na

XIV Convenção Nacional da ARP, esteve a solução

DUAL, para pagamento de portagens em Portugal,

Espanha e França, bem como o dispositivo Trio,

para pagamento de portagens em Portugal, Espanha,

França, Itália, Áustria e Polónia. Mas houve

mais: cartões StarRessa e StarRessa Eurotrafic,

para pagamento de gasóleo na Península Ibérica

e no resto da Europa, que permitem ainda descontos

em combustível, assistência na estrada e ajuda

na gestão, através de faturação eletrónica. Marco

Oliveira, responsável de Transporte Internacional

da Cepsa Portuguesa, numa entrevista concedida

ao Jornal das Oficinas, fala sobre a parceria que a

companhia tem com a associação e sobre as soluções

apresentadas no evento.

Como nasceu a parceria entre a Cepsa e a ARP?

Em que consiste?

A Cepsa Portuguesa será, provavelmente, um dos

parceiros mais antigos da Associação Rodoviária

de Transportadores Pesados de Passageiros (ARP).

Esta parceria nasceu da crença comum de que

acrescentaria valor aos associados da ARP. A re-

lação entre a Cepsa Portuguesa e a ARP consiste

em providenciar um leque de serviços a todos os

associados da ARP, bem como descontos em combustível

e aparelhos para portagens para toda a

Europa. Somos parceiros da ARP porque acreditamos

na importância estratégica de chegar aos seus

associados, com a oferta de serviços e produtos

diferenciados que acrescentam valor às suas atividades

diárias. O transporte pesado de passageiros

tem um impacto significativo no volume de vendas

da companhia.

Que balanço faz a Cepsa da XIV Convenção

Nacional da Associação Rodoviária de

Transportadores Pesados de Passageiros (ARP)?

O rescaldo, tal como nas últimas participações em

eventos da ARP, é extremamente positivo, já que a

Cepsa cumpriu os objetivos a que se propôs: estar

próxima dos players centrais de um mercado muito

particular e apresentar as portagens eletrónicas

DUAL e Trio, bem como os cartões StarRessa.

Uma vez mais, fomos a única petrolífera a marcar

presença na Convenção da ARP, estando alinhados

com o tema deste ano “Alta performance nos

transportes”. Usamos o palco dado pela parceria

para reforçar a nossa aposta no setor profissional,

oferecendo uma gama de produtos e serviços completa.

Qual foi a recetividade à apresentação das portagens

eletrónicas DUAL e Trio, bem como dos cartões

StarRessa?

Tal como em ocasiões anteriores, nas quais apresentámos

os produtos com o conceito StarRessa,

a recetividade foi grande e muito positiva. Acreditamos

nos nossos produtos e serviços e sabemos

que as suas características acrescentam valor aos

profissionais. São serviços em que a Cepsa fez uma

grande aposta e que facilitam o dia o dia dos clientes

profissionais.

Em que consiste, no fundo, o conceito StarRessa

e quais as suas mais-valias?

StarRessa é a marca da Cepsa para o cliente profissional,

tem uma variedade de serviços para quem

utiliza o veículo como ferramenta de trabalho. Os

produtos e serviços StarRessa destinam-se a solucionar

qualquer necessidade dos nossos clientes no

dia a dia, nas suas rotas nacionais e internacionais,

dispõe de um leque de serviços de assistência em

viagem, seguros, pagamento de multas e recuperação

do IVA internacional.

Quais as diferenças e vantagens entre os cartões

StarRessa e StarRessa Eurotrafic?

O cartão StarRessa é um meio de pagamento especialmente

pensado para os profissionais do trans-

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 43


Nós damos uma mãozinha

Não fazemos

manutenção automóvel,

mas fazemos a manutenção

da sua terminologia!

TRADUÇÃO E DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA

Criamos e traduzimos manuais técnicos à melhor

relação qualidade/preço do mercado. Temos

profissionais especializados em várias áreas

da indústria e uma tecnologia que nos permite

criar projetos à medida de cada cliente.

CONHEÇA O PROGRAMA PARCEIRO JABA

Através da identificação e alinhamento de todas

as traduções antigas do parceiro JABA, é criada

uma base de dados que permite detetar todas

as repetições em novos projetos e baixar

consideravelmente o valor final do documento,

mantendo a terminilogia e o estilo

de comunicação já existentes. Um programa

criado a pensar em si!

PUB

porte, uma vez que reúne todos os produtos e serviços que um cliente

profissional pode necessitar. Tudo isto a partir da qualidade e vocação

de serviço que a Cepsa oferece a todos os clientes. Tem como vantagens o

desconto em combustível, assistência na estrada 24 horas por dia, serviço

de localização GPS e gestão de frotas, devolução do IVA internacional,

ajuda na gestão através de faturação eletrónica e acesso a seguros. Permite

ainda fazer o pagamento de combustível, portagens, serviços numa

vasta rede de oficinas, lavagem automática e concessionários oficiais ou

rotas para transporte de cargas em ferries e taxas rodoviárias. Já o cartão

StarRessa Eurotrafic, é o meio de pagamento perfeito para os profissionais

do transporte que viajam para o estrangeiro.

Possibilita descontos em combustíveis, pagamento em postos de abastecimentos

da Cepsa, pagamentos em portagens e nas oficinas de veículos

comerciais, faturação detalhada online e assistência na estrada. É válido

em 18 países europeus e em Marrocos, incluindo as redes de portagens.

E quanto às soluções DUAL e Trio? Consistem em métodos de

pagamento de portagens? Como funcionam e quais as diferenças

entre eles?

Sim, são dois métodos de pagamento de portagens, que se distinguem

pelos países onde podem ser utilizados. O DUAL pode ser utilizado para

pagamento de portagens em Portugal, Espanha e França. O Trio, para

pagamento de portagens em Portugal, Espanha, França, Itália, Áustria e

Polónia. Funcionam como um sistema de portagem eletrónica. O DUAL

permite transitar pelas estradas de Espanha, Portugal e França sem necessidade

de parar. Basta colocar o dispositivo DUAL (Tis-PL + VIA T)

no para-brisas. Além de eliminar a necessidade de parar nas portagens,

o DUAL permite controlar os consumos através do site e descarregar os

dados das transações para incorporá-los, diretamente, no seu programa

de gestão, receber mensalmente uma fatura válida para a recuperação

do IVA internacional com os detalhes cronológicos de todos os trajetos

efetuados e ainda beneficiar de descontos nas autoestradas de Espanha,

França e Portugal. O Trio permite transitar pelas estradas de Espanha,

Portugal, França, Áustria, Polónia, Itália e no túnel de Liefkenshoeck

(Bélgica), além de todas as vantagens atrás descritas.

Sabendo-se que o transporte de passageiros é um setor que assume

cada vez maior importância, como olha a Cepsa para ele e qual a sua

estratégia?

A estratégia da Cepsa é apostar no setor de transporte de passageiros,

uma vez que significa um volume importante de vendas para a nossa

companhia. Todos os anos, temos vindo a notar um aumento importante

de vendas no setor do transporte de passageiros. Por esse motivo, a

Cepsa quer estar sempre presente nos eventos da ARP, que são grandes

montras para apresentar os nossos produtos e serviços aos profissionais

do setor. l

Vila Nova de Gaia | Telf: 227 729 455/6/7/8 | Fax: 227 729 459

Mail: portugal@jaba-translations.pt | Web: jaba-translations.pt


TODOS

OS CAMINHOS VÃO

DAR AO PLATEAU TV

SEJA

PATROCINADOR

MAIS INFORMAÇÕES

EM

17|18|19 Abril 2020

expoMECÂNICA - PORTO

plateautv.pt

3 DIAS

COM INFORMAÇÃO DE QUALIDADE


Mundo

Produto

Automóvel

HELLA GUTMANN MEGA MACS 77

FM EQUIPAMENTOS

APRESENTA toPO DE GAMA

A FM EQUIPAMENTOS, DISTRIBUIDOR DAS SOLUÇÕES DE DIAGNÓSTICO DA HELLA GUTMANN,

APRESENTOU, NAS INSTALAÇÕES DA AUTO ESPÍRITO SANTO, EM SINTRA, O MAIS RECENTE MODELO

DA MARCA: MEGA MACS 77

por

João Vieira

Este novo topo de gama caracteriza-se

pela elevada rapidez de

processamento da informação,

adaptando-se, por isso, à necessidade

que as oficinas têm, hoje, de fazer

diagnósticos rápidos, com o conceito

de reparações em tempo real. O novo

MEGA MACS 77 vem substituir o antigo

topo de gama MEGA MACS 66.

A nível de hardware, o ecrã tátil full

HD cresceu 30%, ou seja, ficou com

15,6”. O processador é três vezes mais

rápido, dispondo de sistema operativo

Linux 32 Bit. Em termos de capacidade

de memória, cresceu quatro

vezes em relação ao MEGA MACS

66. A própria bateria do equipamento

tem, agora, três vezes mais capacidade,

permitindo uma autonomia de

quatro horas. Dispõe de um cabo de

interface USB para VCI, uma base de

carga e utiliza um sistema modular

onde pode ser aplicado um ou dois osciloscópios

com dois canais cada um.

O software também muda, tendo este

sido desenvolvido, especificamente,

para o MEGA MACS 77. Inclui uma

barra de acessos totalmente configurável,

onde apenas com um clique é

possível aceder a todo o sistema de

informação. De um lado, está o bloco

de diagnóstico. Do outro, toda a

informação disponível para a reparação

do veículo, desde esquemas

elétricos, distribuição e apertos, entre

outras. Foi integrada uma barra

de pesquisa rápida, onde é possível

inserir o número de um componente

do veículo para, rapidamente, o

sistema ir buscar toda a informação

disponível.

Vantagens evidentes

O novo MEGA MACS 77 da Hella

Gutmann anuncia ser muito intuitivo

de trabalhar, pois não há necessidade

de sair de uma página para

entrar noutra. A informação está

sempre toda disponível. Na parte do

osciloscópio, as medições guiadas

são introduzidas nos componentes

selecionados e, a partir daí, o equipamento

informa, passo a passo, os testes

que têm de ser feitos e se está em

condições ou não. Integra, também,

na própria base do osciloscópio, o

data pin. Tudo na mesma página,

onde se pode verificar o que chega à

unidade de comando para, então, fazer

a medição. Fica tudo muito mais

MEGA MACS 77

EM RESUMO

l Ecrã tátil full HD extra grande (15,6”)

l Conceito de reparações em tempo real

l Técnica de medição precisa com

instruções passo a passo e comparação

automática de valor nominal/real

(dados Pino a Pino)

l Ler e eliminar códigos de erro de todas

as unidades de comando

l Apresentação de até 16 parâmetros

do veículo em simultâneo

l Ajudas de reparação em tempo real

específicas para os respetivos veículos

e baseadas em códigos de erro

l Codificações, configurações básicas

e reposições do serviço

l Cabo de interface USB para VCI

compacto e, num só local, fica reunida

toda a informação necessária para

ajudar na reparação.

Em relação à interface de diagnóstico,

pode ser via Bluetooth mas,

também, se pode fazer a ligação por

cabo caso o Bluetooth falhe ou seja

necessário trabalhar com PassThru.

A atualização do equipamento é feita

online. Sempre que sai uma nova

informação, aparece mensagem no

ecrã a dizer que está uma nova atualização

disponível. Basta entrar nas

configurações e atualizar. O equipamento

é totalmente compatível com

o PassThru, podendo-se, sempre que

necessário, ir através desta plataforma

buscar os dados do veículo e

efetuar o diagnóstico, codificação ou

algum trabalho específico.

De referir ainda que o MEGA MACS

77 permite o arquivo de todas as operações

realizadas. O técnico apenas

tem de introduzir a matrícula do

veículo e os quilómetros. Todos os

dados são registados para consulta

futura numa próxima visita à oficina.

O serviço e o suporte abrangentes

complementam as funções de diagnóstico

dos MEGA MACS. l

46 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


MASTER

SEJA

PATROCINADOR

MAIS INFORMAÇÕES

EM

FINAL

2020

17|18|19 Abril 2020

expoMECÂNICA - PORTO

melhormecatronico.pt

3 DIAS

DE COMPETIÇÃO AO VIVO


NOTÍCIAS // PEÇAS E EQUIPAMENTOS À MEDIDA DE CADA NEGÓCIO

Produto

BOMBAS DE ÁGUA ELÉTRICAS BOSCH

QUALIDADE ATÉ AO MAIS ÍNFIMO PORMENOR

Enquanto fabricante líder mundial de tecnologia

para o setor automóvel, a Bosch é sinónimo

de elevados níveis de qualidade e fiabilidade,

apostando no desenvolvimento contínuo e na

inovação dos seus componentes. Entre eles, estão

as bombas de água, consideradas um componente

fundamental para o bom funcionamento do sistema

que regula a temperatura com a qual o motor

deve funcionar. São elas as responsáveis pela circulação

do líquido de refrigeração através do bloco

do motor, do radiador e da cabeça do cilindro, para

citarmos alguns exemplos. A Bosch comercializa

dois tipos de bombas de água: mecânicas e elétricas.

As primeiras, são acionadas, diretamente, pelo

motor. Por seu turno, as bombas elétricas consistem

num sistema de refrigeração auxiliar que se utiliza,

principalmente, nos motores de combustão com sistema

start&stop - além da bomba mecânica - para

garantir o arrefecimento do motor elétrico e do

inversor em viaturas elétricas/híbridas e para outras

funcionalidades de gestão de temperatura.

48 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


NOVO BANCO DE ALINHAMENTO UNOLINER

PCC | A empresa holandesa, UnoLiner, representada em Portugal, em regime de

exclusividade, pela PCC, detém décadas de experiência no desenvolvimento e fabrico

de equipamentos para o setor da reparação automóvel. O mais recente equipamento

UnoLiner, um banco de alinhamento de chassis, foi apresentado em novembro no SEMA

Show, em Las Vegas. O novo CRS3600 Compact apresenta como principal característica

o design revolucionário, que, aliado às suas dimensões compactas, representa uma

mais-valia para as oficinas especializadas em colisão automóvel. O utilizador do UnoLiner

CRS3600 pode usufruir, assim, de solução dinâmica, funcional e versátil, aliada sempre ao

máximo desempenho. Apesar do seu desenho compacto e leve, anuncia uma capacidade

de elevação de 3.000 kg, tendo um comprimento de 3,6 metros. Já a altura do banco na

posição mais baixa, é de apenas 100 mm, sendo este um elemento fundamental para

facilitar a colocação de qualquer veículo.

“NOVIDADES AGRÍCOLAS” NA FIMA

MANN-FILTERs | A empresa não podia faltar à 41.ª edição da mais importante

Feira Internacional de Máquinas Agrícolas – FIMA, que se realizou de 25 a 29 fevereiro.

“Participar em cada edição desta feira relevante para o setor agrícola e para a cidade

de Saragoça, onde se encontra a sede do nosso grupo em Espanha, é muito importante

para nós. Mais ainda este ano, com as novas tecnologias, a inovação e a sustentabilidade

a terem um papel de destaque, tratando-se de áreas para as quais muito temos

contribuído”, deu conta fonte da empresa em comunicado. A MANN-FILTER marcou

presença na FIMA 2020 com referências inovadoras que visam reduzir o risco de avaria

da maquinaria agrícola, otimizar o tempo de trabalho dos agricultores, ajudar a reduzir

o impacto ambiental e fornecer soluções eficazes e resistentes, sempre adaptadas às

situações mais extremas de utilização. Entre as novidades que a marca apresentou este

ano em Saragoça, estão o filtro de óleo blindado Wavelock e o filtro de partículas de

travagem. Ambos se destinam a ajudar o agricultor no seu dia a dia, reduzindo o risco de

avarias e aumentando a eficiência e a vida útil das máquinas agrícolas.

PUB


Notícias

Produto

AMORTECEDORES PARA EUROPEUS E NORTE -AMERICANOS

Kavo Parts | O especialista holandês em peças de reposição para veículos asiáticos fez saber que ampliou a sua

gama de amortecedores para veículos europeus e norte-americanos. Aposta estranha tratando-se de um especialista

asiático? Na verdade, não. Se dúvidas houver, atente-se nas palavras de Peter Bloemberg, diretor de vendas e marketing

da KAVO: “Começámos com amortecedores para veículos asiáticos, em 2019. E foi um enorme sucesso, pois havia elevada

procura por estes componentes de elevada qualidade, que exibia preços mais competitivos”. E prosseguiu: “Conseguimos

colmatar essa lacuna no momento certo. Os nossos clientes perceberam que podiam melhorar a sua margem com os

nossos amortecedores e começaram a solicitar-nos amortecedores com o mesmo nível de qualidade/preço para veículos

europeus e norte-americanos. Neste momento, estão disponíveis mais de 600 referências diretamente, todas com a

garantia standard de três anos da Kavo Parts”.

TRATAUTO É A MAIS RECENTE PARCERIA

RedeInnov | Especialista no desenvolvimento e comercialização de

produtos químicos de elevada qualidade para todo o tipo de motores, seja

de automóveis, camiões, motos ou barcos, a TRATAUTO passou a integrar

o leque de marcas da RedeInnov. A TRATAUTO dispõe de diversas soluções

tecnológicas para tratamento dos diferentes circuitos de todo o tipo de

veículos, nomeadamente refrigeração, combustão, lubrificação e ainda

limpeza interior e exterior. A missão da TRATAUTO passa por oferecer

produtos de qualidade valorizada no setor, sem descurar a preocupação

ecológica na elaboração dos mesmos. A introdução desta marca na

RedeInnov vem completar e fortalecer os produtos comercializados pela

rede, permitindo aos membros RedeInnov disponibilizar e responder às

necessidades dos seus clientes com produtos de qualidade premium.

jornal das oficinas 2020aaa.pdf 1 21/02/2020 15:12

PUB

O Pneu que Procura, a S.José tem!

A gama mais diversificada do mercado

sjosepneus.com

Venda a Profissionais


SISTEMAS DE EMBRAIAGEM AUTOMATIZADOS

ZF Aftermarket | Apesar de não serem adotadas como solução convencional em

toda a indústria automóvel, algumas marcas de automóveis instalaram diversos sistemas

de transmissão manual automatizada (ASG ou AMT). O exemplo mais proeminente é o

smart. Aqui, o especialista em embraiagens ZF Aftermarket, que tem no seu programa

peças substituição da sua marca Sachs para muitos veículos com ASG, fornece dicas para

uma substituição bem sucedida da embraiagem. Em geral, as embraiagens automatizadas

são estáveis e menos propensas a erros. Uma vez que o engate é realizado por um atuador

controlado eletronicamente, os erros do condutor são irrelevantes. A condução a uma

velocidade demasiado baixa também é evitada pela mudança automática da velocidade. No

entanto, até mesmo as embraiagens automatizadas se desgastam em determinada altura

ou ocorrem efeitos secundários, tais como a separação incompleta. A correta instalação da

peça de substituição é decisiva para o conforto de condução e a vida útil, porque a atuação

eletrónica funciona de acordo com parâmetros fixos.

RECENTE REPRESENTAÇÃO DA CENTROCOR

Mastercool | A referência mundial em ar condicionado automóvel chegou a

Portugal pelas mãos da Centrocor, empresa que se dedica ao comércio de tintas, máquinas e

ferramentas, estando especialmente direcionada para o ramo automóvel e indústria ligeira.

A Mastercool é uma empresa que fornece equipamentos, ferramentas e acessórios para ar

condicionado automóvel há mais de 35 anos. Evidenciando um dos maiores crescimentos

do setor, o nome Mastercool é, segundo a própria, sinónimo de “Qualidade de Nível

Mundial”, bem como de design único e inovador. O principal objetivo da Mastercool, a mais

recente representação da Centrocor, passa por impulsionar a inovação de novos produtos e

tecnologias, de modo a facilitar o dia a dia dos técnicos de ar condicionado.

PUB

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 51


Notícias

Produto

PRODUTOS MUD UK E EXMOOR TRIM

Motormáquina | Através do fornecedor BEARMACH, a Motormáquina

inclui na sua oferta artigos da marca MUD UK. No caso da Exmoor Trim, outra

marca de origem inglesa, está vocacionada igualmente para veículos Land Rover.

Quem pretender renovar o Defender em 2020 com a armação de capota projetada

e construída pela Safety Devices, para proporcionar tranquilidade e proteção

enquanto desfruta do veículo com capota de lona, tem na marca Exmoor Trim uma

excelente opção. As capotas do tipo XS, lona e Stayfast foram projetadas para se

ajustarem ao conjunto de tubos. Mais: a capota XS foi projetada para se adaptar à

nova armação reforçada da Safety Devices para o Defender 90. A armação substitui

os tubos originais da Land Rover e inclui todos os aros, abraçadeiras e suportes

inferiores da carroçaria, incluindo as fixações dos cintos de segurança dianteiros e

traseiros.

AUTO DELTA

FERRAMENTAS BAHCO

A

empresa de Leiria orgulha-se de trabalhar com os mais conceituados fabricantes

de cada setor do aftermarket. Exemplos não faltam. Mas o mais recente é

a entrada da Bahco no portefólio da Auto Delta, que vem, assim, preencher

uma lacuna existente. Fundada em 1886 e, logo, com uma história ímpar, a Bahco é,

consensualmente, considerada um dos principais fabricantes de ferramentas a nível

mundial e com especial foco no setor automóvel. Nos produtos Bahco, os mecânicos

podem encontrar a resposta certa para enfrentarem os maiores desafios no que toca

à reparação automóvel, seja na parte elétrica, reparação de carroçarias, ferramentas

para mecânica ou mesmo em sistemas de gestão de baterias e equipamento oficinal. A

Auto Delta alarga, com a Bahco, o seu portefólio de marcas.

DIESEL TECHNIC GROUP

ALTERNADORES EM DESTAQUE

De acordo com o Diesel Technic Group, o alternador gera de início uma corrente

alternada, que deve ser convertida em corrente contínua de forma a poder ser armazenada

como energia elétrica. Os cascos dos alternadores são construídos em

aço magnetizável de elevada qualidade e concebidos deixando um espaço estreito entre

o rotor e o estator para obter o máximo rendimento. O rotor é equilibrado de modo a

proporcionar funcionamento silencioso e a evitar o desgaste dos rolamentos esféricos.

Já os reguladores de tensão, estão equipados com escovas de carbono de qualidade, que

garantem funcionamento duradouro e evitam problemas. O material do retificador, por

seu turno, é altamente resistente ao calor, uma vez que o isolamento está preparado para

lidar com temperaturas de até 240°C. A retificação da corrente alternada por meio de

díodos retificadores à prova de picos de tensão garante o funcionamento a longo prazo,

incluindo operações com potência máxima e grandes flutuações de tensão no sistema

elétrico do veículo. Os alternadores da marca DT Spare Parts, do Diesel Technic Group,

recorrem a rolamentos europeus e japoneses de elevada qualidade, que lhes garantem

um ciclo de vida longo.

52 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


Classificados

09mod_APMariaPia_vw_2016.pdf 2 17/07/19 11:55

AUTO PEÇAS MARIA PIA, LDA

“Com 25 anos de experiência”

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

HORÁRIO >2ª a 6ª Feira - 9h às 12h30 - 14h30 às18h30 >Sábado - 8h às 12h

24 MESES GARANTÍA(KM ILIMITADOS), LOGÍSTICA GRÁTIS,

SEGURO DE MÃO DE OBRA EM GARANTIA, SUPORTE TÉCNICO GRÁTIS

Especializados nas marcas VW, SKODA, SEAT, AUDI e em peças para VW Carocha

Tel.: 213 964 690 | 213 964 837 | Fax: 213 971487

Rua Freitas Gazul,13B - C. Ourique - 1350-148 Lisboa

autopecasmariapia@gmail.com


Passo a Passo

Colaboração Centro ZARAGOZA

www.centro-zaragoza.com

1

Preparar as ferramentas

necessárias juntamente

com o conjunto de

extração

EXTRAÇÃO DE INJETORES

PARA A EXTRAÇÃO DE INJETORES ESTÁ, ATUALMENTE, DISPONÍVEL NO MERCADO UMA FERRAMENTA

PRÁTICA. CHAMA-SE CONJUNTO DE EXTRAÇÃO DE INJETORES DIESEL E PERMITE REALIZAR ESTA

OPERAÇÃO DE FORMA EFICAZ

Nos motores Diesel, especialmente nos atuais que estão equipados com sistemas de injeção common rail, depois de um período prolongado de utilização do

automóvel, os injetores de alimentação de combustível tendem a reduzir a sua estanquidade em relação à câmara de compressão, conseguida através do fecho

da anilha de selagem. Gera-se uma camada de carvão que adere à carcaça dos injetores, formando uma espessura sólida entre a carcaça do injetor e a cabeça do

motor, o que requer a extração dos referidos injetores para se proceder à sua limpeza.

2

5 8

9

Utilizar um aditivo de limpeza de

carvão para favorecer a posterior

extração dos injetores, pulverizando

sobre a base de fixação dos injetores

Desmontar a bobina eletromagnética

superior do injetor

Colocar o adaptador correspondente

do conjunto no injetor

Aparafusar o martelo e golpear para

desbloquear o injetor da sua fixação

e extraí-lo da mesma

3 6 10

Limpar a zona de trabalho para a

desmontagem dos componentes dos

injetores

4 7

Desmontar o corpo interior do injetor

com a chave Allen do conjunto

Desligar o tubo de alimentação,

retorno e fixação de cada injetor

Ter extremo cuidado com os

componentes internos desmontados

do injetor para a sua correta

montagem posterior

Uma vez libertados os injetores, pode proceder-se à limpeza da conduta e da

base da cabeça do motor para a posterior montagem dos injetores limpos com

a anilha de selagem nova

54 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


MASTER

SEJA

PATROCINADOR

MAIS INFORMAÇÕES

EM

FINAL

2020

17|18|19 Abril 2020

expoMECÂNICA - PORTO

challengeoficinas.pt

O MAIOR DESAFIO

DO ANO PARA EQUIPAS OFICINAIS


Técnica

&Serviço

IMPACTOS LATERAIS

COMPORTAMENTO

DOS AÇOS ESPECIAIS

A PROTEÇÃO DOS OCUPANTES É UM FATOR ESSENCIAL NA CONCEÇÃO DAS CARROÇARIAS. UM DOS IMPACTOS

MAIS PERIGOSOS PARA A INTEGRIDADE DOS PASSAGEIROS É O QUE OCORRE NAS LATERAIS. NESTE ARTIGO,

EXPLICAMOS-LHE O COMPORTAMENTO QUE TÊM OS AÇOS ESPECIAIS PERANTE TAIS IMPACTOS

Os fabricantes de automóveis

estão a introduzir medidas de

segurança passiva e ativa para

aumentar a proteção perante uma colisão

lateral. Em geral, com recurso a

reforços de aço de ultraelevado limite

elástico nos flancos. Aumentam,

consideravelmente, a sua resistência

perante deformações laterais. São

aços cuja principal característica é o

seu elevado limite elástico, a partir de

800 MPA. Quatro vezes mais do que

os convencionais. De entre eles, o de

maior rigidez é o aço ao boro (limite

elástico superior a 1200 MPA). O nível

de proteção lateral nas carroçarias

através da utilização deste tipo de aços

é muito variável entre os fabricantes.

Podemos encontrar desde a proteção

mais simples, que compreende o pilar

B e o montante dianteiro do tejadilho,

até uma proteção mais completa, com

reforços em toda a lateral do veículo

(pilares A e B, montante do tejadilho,

estribo e, inclusivamente, pilar C).

Nos testes efetuados pelo Euro NCAP,

é analisado o comportamento do veículo

perante impactos laterais, entre

outros parâmetros, por meio de dois

crash tests: um impacto lateral contra

uma barreira móvel, a 50 km/h; outro

contra um poste, a 32 km/h, classificando,

através de uma avaliação por

pontos, o nível de proteção dos ocupantes

para cabeça, tórax ou cintura.

Danos na carroçaria

Quando um veículo com este tipo de

proteção lateral sofre um acidente e

deve ser reparado, a combinação de

peças de ultraelevado limite elástico

e de aço convencional muda radicalmente

a forma como ocorrem as deformações,

bem como a transmissão

de esforços entre peças de diferente

material através das travessas. Assim,

podem chegar a deformar-se

peças afastadas da zona do impacto,

como o piso e o túnel. Além disso, o

elevado limite elástico que estas peças

apresentam implica que não sejam

conformáveis a frio, ou seja, não são

reparáveis, pelo que a única possibilidade

é a sua substituição.

De igual modo, são muito sensíveis à

aplicação de calor, o qual provoca a

perda das suas qualidades mecânicas.

Por isso, não pode ser utilizada soldadura

MAG.

A presença de peças de ultraelevado

limite elástico nas laterais do veículo

implica que, quando este sofre um

impacto lateral, a deformação seja

absorvida, em grande parte, por este

56 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


Colaboração Centro CESVIMAP

www.cesvimap.com

material, tentando reduzir a intromissão

e a deformação para o interior

do veículo. A deformação que

este tipo de peças costuma apresentar

é mínima. Nas adjacentes, de aço

convencional, com limites de elasticidade

inferiores, o impacto costuma

provocar grandes deformações em

forma de pregas e rugas (especialmente

nas zonas de união com as peças

de ultraelevado limite elástico).

Ao reparar-se este tipo de carroçarias,

é muito importante conhecer

exatamente as peças que são desta

classe de aços, visto que condicionam

todo o processo.

Para isso, pode recorrer-se à informação

do fabricante, que indica cada

um dos materiais de cada peça. Também

existem outras fontes de informação,

que a seguir apresentamos.

Folhas de resgate

Assinalam a localização de todos os

elementos pirotécnicos dos sistemas

de airbag e pré-tensores, baterias e

depósito de combustível, entre outros.

Assim como as zonas da lateral

Diferentes níveis de proteção lateral em carroçarias através de aços de ultraelevado limite elástico (Audi Q5 e Volvo V40)

da carroçaria protegidas com aços de

elevado limite elástico.

Audatex

Nos desenhos 3D mostram-se, através

de cores, as características dos materiais

das peças. Nas metálicas, faz-se

distinção entre as de aço e de alumínio.

Nas de aço, também se diferencia o limite

elástico, dando uma cor rosada

nos casos de elevado limite.

Tipos de danos

Os veículos com este tipo de peças (o

reforço do pilar B é a mais característica)

apresentam uma tipologia de

danos definida pela rigidez. Analisemos

em detalhe.

1. O reforço do pilar B não costuma

apresentar grandes deformações nem

deslocações. Apenas pontuais, mantendo

muito bem a sua geometria,

embora as peças adjacentes e internas,

essas sim, se deformem fortemente. A

reparação resulta sempre numa substituição,

visto que há que ter acesso

às peças interiores e, quando se desmontam,

ocorrem danos importantes

ao retirar os pontos de soldadura por

resistência. Este facto torna-as irrecuperáveis.

2. As maiores deformações apresentam-se

na zona do estribo, dentro e

fora. Dependendo do tipo de proteção

PUB

VICAUTO

PEÇAS PARA VIATURAS PESADAS, LDA.

Mantemos o seu negócio em movimento!

16

Marcas TOP

Gama Top

Equipamento Top

Fabricantes Top

Fornecedor Top

Centralidade Top


IMPACTOS

LATERAIS

Lateral de carroçaria com reforço de pilar B e sem ele

Exterior e interior da zona de união entre pilar B e estribo

Substituição do pilar B através de abertura de acesso ou

desmontagem do tejadilho

Travessas de piso de habitáculo

rado. Mas se o estribo estiver completamente

deformado, principalmente

porque não dispõe de reforço

de ultraelevado limite elástico, tal

implicará a sua substituição parcial.

A substituição do piso do habitáculo

em secção parcial apenas é permitida

por alguns fabricantes. Noutros casos,

mudar o piso completo acarreta

custos desproporcionados. Também

lateral, alguns veículos com o reforço

do estribo em aço de ultraelevado limite

elástico podem apresentar grandes

deformações. Inclusivamente,

alcançar até o piso de habitáculo. Na

reparação, o estribo e o reforço deste,

até chegar ao piso, são sempre substituídos.

Em veículos com proteção do

estribo, o piso pode apresentar deformações

economicamente reparáveis,

embora o estribo seja substituído.

3. O tejadilho não costuma apresentar

alterações, visto que o impacto ocorre,

geralmente, contra a frente de outro

veículo, pelo que a deformação está

centrada na zona baixa das portas e

no estribo. Mas o tejadilho pode ser

um grande problema se os reforços do

pilar B se introduzirem por baixo. No

caso de ser necessária a substituição,

terá de ser desmontado e ser instalado

um tejadilho novo. Para evitar este

aumento dos custos de reparação, há

fabricantes que permitem realizar

uma abertura no montante do tejadilho

para se poder aceder ao reforço

do pilar sem ter de tocar no tejadilho.

Poucos fabricantes permitem cortar

o reforço do pilar B em secção, ligando

uma secção nova através de uma

união que utiliza um reforço interno

entre as duas partes a unir.

4. O piso do habitáculo também é

afetado por danos significativos.

Neste caso, há que optar entre reparar

ou substituir. Uma decisão

complicada caso não se desmonte o

veículo para verificar o seu estado.

O estado do estribo pode fornecer

informações a esse respeito. Se não

perdeu a sua linearidade, é muito

provável que o piso possa ser repahá

que ter em conta a presença de

travessas do piso do habitáculo em

aço de ultraelevado limite elástico.

Pela sua rigidez, tendem a transmitir

os esforços do impacto, desalinhando

o túnel do habitáculo, o que implica

operações de estiramento.

Processo de reparação

A reparação começa com o estiramento

em bancada para devolver ao pilar B

a sua posição original. É a forma apropriada

de atuar, visto que estas peças

são as que provocam a maior parte

dos danos nas adjacentes, com limites

elásticos inferiores. O facto de se proceder

ao seu estiramento em bancada

para as levar à sua posição, não indica

que sejam mantidas, mas sim que

se utilizam para diminuir o nível dos

danos nas peças mais próximas.

Em seguida, desmontam-se todas as

peças não reparáveis devido à extensão

dos seus danos: estribos, laterais

e reforços das laterais, entre outras.

Quanto às peças de ultraelevado limite

elástico, na maioria dos casos

devem ser retiradas para permitir o

acesso às restantes peças do interior.

No trabalho com peças de ultraelevado

limite elástico, existem algumas

considerações:

Substituição do piso do habitáculo em secção parcial

Estiramento em bancada do pilar B l

1. Uma peça de ultraelevado limite

elástico, uma vez desmontada, deve

ser substituída por uma nova. As desmontagens,

principalmente a eliminação

do ponteado, provocam danos

irrecuperáveis.

2. São peças que devem ser substituídas

integralmente. Não é aconselhável

executar secções parciais pelo

facto de não haver um procedimento

de união de qualidade que garanta

um comportamento mecânico similar

ao de uma peça sem secções. Este

tipo de materiais é muito sensível às

elevadas temperaturas, perdendo as

suas características mecânicas. Eis os

métodos de união mais utilizados:

A. Soldadura por pontos de resistência

com correntes superiores a 14.000

A e pressões em pinça de 500 daN.

B. Soldadura de tampão em olhais

através de soldadura MIG Brazing

(CuSi3).

Em resumo, as peças produzidas com

aços de ultraelevado limite elástico

modificaram os procedimentos de trabalho

em oficina, pelo que é essencial a

formação dos bate-chapas e a atualização

dos equipamentos (de corte, eliminação

do ponteado, soldadura por

pontos ou soldadura MIG Brazing). l

58 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


epintura


FORMAÇÃO SATA

CONHECIMENTO

É TUDO

A ACRILAC RECEBEU, DURANTE TRÊS DIAS, UMA FORMAÇÃO DA SATA. A NOVA GERAÇÃO

DE PISTOLAS DE PINTURA FOI A PRINCIPAL NOVIDADE DA AÇÃO, QUE REUNIU PERTO

DE 50 PROFISSIONAIS NO CENTRO TÉCNICO DA EMPRESA, NA MALVEIRA por Jorge Flores

portador”. Na sua opinião, “a informação é fundamental

para esta atividade e o facto de conseguir

juntar os parceiros e poder explicar-lhes alguns

aspetos técnicos e potenciais problemas, é vital.

Ensinamos as especificações dos produtos e as

melhores opções no modo de utilização. Alguns

desses detalhes mais ninguém sabe”, acrescentou

o formador.

Já Vasco Silva, mostrou-se satisfeito com o resultado

da ação. “Foram três dias consecutivos de formação,

com grupos distintos, cada um deles constituído,

em média, por 15 pessoas, entre clientes

de revenda e oficinas (pintores de automóveis). O

balanço foi muito positivo. Sempre com a temática

da SATA, mostrámos os seus produtos e a história

da empresa. Foi dado particular destaque a uma

nova e revolucionária geração de pistolas de pintura,

a jet X 5500 HVLP”, explicou o diretor comercial.

e que não queira passar a trabalhar com ela”.

Segundo o responsável, a relação entre a empresa e

o fabricante é “histórica”. E concretizou: “A Acrilac

já tem cerca de 42 anos no mercado português. E

a SATA foi uma das nossas primeiras importações.

E aqui estamos até aos dias de hoje. Vamos crescendo,

conjuntamente, como empresas. E ao nível

dos produtos, continuamos a ser o seu importador.

Ao longo dos anos, a parceria tem-se justificado. É

uma parceria forte entre as duas empresas e assim

queremos continuar. Trabalhamos para isso”.

Com mais de quatro décadas de existência, a Acrilac

é, nas palavras de Vasco Silva, uma espécie de

“dinossauro” do setor. “Somos uma empresa especializada

em produtos para repintura automóvel,

mas, também, trabalhamos as áreas da indústria e

da construção civil”, adiantou. “A nível de repintura,

somos um fornecedor global. Vendemos desde

equipamento pesado (cabines de pintura) a ligeiro

“A ACRILAC JÁ TEM CERCA DE 42 ANOS NO MERCADO PORTUGUÊS. E A SATA

FOI UMA Das NOSSAS PRIMEIRAS IMPORTaçÕES. E AQUI ESTAMOS ATÉ AOS

DIAS DE HOJE”, DESTACA vasCO SILVA, DIRETOR COMERCIAL DA EMPRESA

Informação e conhecimento. Seja qual for a atividade,

não haverá outra forma de alcançar o

desejado sucesso. Ciente disso, a SATA levou a

cabo, durante três dias, uma formação no Centro

Técnico da Acrilac, na Malveira. Uma ação conduzida

pelo técnico formador internacional da SATA,

Oleksandr Fedorschuk - contando com a presença

de Mário Duarte e de Vasco Silva, diretor-geral e

diretor comercial da Acrilac, respetivamente - que

permitiu a perto de 50 profissionais da repintura,

nos dias 19, 20 e 21 de fevereiro, ficarem a conhecer

um pouco mais da longa história do fabricante

germânico, bem como de todas as novidades da

marca em termos de gama de produtos.

O Jornal das Oficinas assistiu ao último dos três

dias desta formação, que respeitou (sempre) a seguinte

ordem de trabalhos: arranque, pela manhã,

com a apresentação das origens da SATA, passando,

de seguida, aos detalhes da tecnologia do ar comprimido

e, posteriormente, à explicação dos vários

produtos do fabricante, terminando o primeiro período

com a aplicação da base bicamada. Depois do

intervalo para almoço, seguiu-se a aplicação do verniz

e a apresentação prática de produtos SATA, culminando

com a limpeza e manutenção de pistolas.

Evitar problemas

Para Oleksandr Fedorschuk, estes “foram dias

muito importantes para a SATA e para o seu im-

Nova geração de pistolas

“A nova geração de pistolas jet X 5500 HVLP tem

um valor acrescentado muito grande em relação

às anteriores, que já eram excelentes produtos”,

garantiu Vasco Silva. E explicou: “Além do design

e da performance, esta pistola tem uma versatilidade

enorme. Não sou pintor, mas sei que todos

os clientes que, aqui, têm vindo e a experimentam,

têm testemunhado essa qualidade. Não há

nenhum que não pinte com a jet X 5500 HVLP

(lixadoras e pistolas, entre outros). Esse tipo de

material, tintas e não tintas. Ou seja, tudo o que

são acessórios e consumíveis de pintura. Temos várias

importações, representações e o portefólio de

produtos é uma das nossas mais-valias. Contamos

com uma rede de revenda a nível nacional, Continente

e Ilhas. E, depois, dispomos de uma zona

direta para vender uma das marcas de tintas que

representamos para repintura automóvel: a Standox”,

concluiu Vasco Silva. l

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 61


A IMPLEMENTAÇÃO DE UM NOVO PROGRAMA DE GESTÃO OFICINAL

NA ÁREA DA REPINTURA AUTOMÓVEL, REALIZADO PELA ASB, TEVE

IMPACTO POSITIVO NA RENTABILIDADE DA AUTO VASCO DA GAMA

62 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


empresa

AUTO VASCO DA GAMA

ANTECIPAR

A MUDANÇA

A AUTO VASCO DA GAMA LEVA JÁ 37 ANOS NO ATIVO. COM A MUDANÇA DE INSTALAÇÕES PARA A

LOCALIDADE DO CHINICATO, MUNICÍPIO DE LAGOS, NO ALGARVE, A EMPRESA GANHOU UM NOVO FÔLEGO

E ENCONTRA-SE MELHOR PREPARADA PARA ENFRENTAR OS DESAFIOS DO FUTURO por João Vieira

Quando David Gonçalves criou, em 1983, a

Auto Vasco da Gama, tendo na chapa e pintura

a sua atividade principal, a realidade

era bem diferente de hoje. “Um carro novo que fosse

utilizado nas localidades junto ao mar, no final

de um ano já tinha a chapa com ferrugem. Hoje, a

chapa é tratada e dura a vida dos veículos”, revela

o gerente da empresa algarvia, para exemplificar o

quanto a área da chapa e pintura mudou nos últimos

anos. Atualmente, a Auto Vasco da Gama é

uma oficina multimarca, membro da rede Rino e

agente Renault. Ricardo Gonçalves, filho do fundador,

é o grande impulsionador das alterações

introduzidas na oficina, as quais passam por novos

processos de trabalho e pela diversificação de serviços.

“A mudança para as novas instalações foi o

grande desafio que tivemos de enfrentar. Mas, agora,

que já está tudo a funcionar, queremos oferecer

um serviço de excelência aos clientes”, refere Ricardo

Gonçalves. Para tal, faz questão de trabalhar

com os melhores fornecedores, como é o caso da

ASB (Álvaro de Sousa Borrego), que o tem apoiado

na implementação de novos processos de gestão na

área da repintura, onde a oficina é uma referência.

Para Álvaro de Sousa, gerente da ASB, a Auto Vasco

da Gama é um exemplo de boas práticas e de

antevisão das tendências do setor. “Conseguimos

pôr em prática todas as ferramentas de gestão de

que dispomos, as quais ajudam, efetivamente, a

aumentar a rentabilidade e a produtividade da oficina.

Quer a administração quer os funcionários

da Auto Vasco da Gama, aproveitam bem os nossos

conhecimentos, assim como nós aproveitamos

bem aquilo que esta empresa nos transmite com

a sua sabedoria. É óbvio que o nosso crescimento

como distribuidores também parte destes clientes,

que são os nossos professores e nos ajudam a evoluir

como empresa. Este intercâmbio de conhecimento

é muito importante para ambas as partes.

Só assim conseguimos crescer e evoluir para prestar

um melhor serviço ao cliente final, que é isso

que nos interessa”, assegura o gerente da ASB. “Os

nossos técnicos Fernando Costa, Diogo Palmeira e

António Cardoso na área dos consumíveis e produtos

não tintas, desenvolveram, ao longo de vários

meses, um trabalho de formação, no sentido de

minimizar os tempos dos processos da repintura

automóvel. Os resultados não podiam ser melhores”,

acrescenta Álvaro de Sousa.

Digitalização incrementa produtividade

Relativamente aos novos métodos de trabalho implementados

na Auto Vasco da Gama, a grande

novidade foi a digitalização dos processos, conforme

explica Sérgio Rodrigues, responsável comercial

da Spies Hecker: “O programa de gestão instalado,

que é, também, o nosso programa de cor,

permite obter vários indicadores de performance, a

fim de analisarmos o custo por peça e por obra ou

o maior fornecedor de trabalho. Para além disso, a

integração com o programa de faturação da oficina

facilita todo o processo contabilístico, com claros

benefícios para a rentabilidade e produtividade do

negócio”. Graças à implementação destes processos,

é agora possível rastrear, facilmente, as tarefas

e o desempenho das pessoas que compõem a equipa,

o que significa melhor e maior controlo sobre

os trabalhos e a organização da oficina.

Segundo explica Sérgio Rodrigues, “as oficinas

devem esforçar-se por proporcionar um serviço

que constitua uma experiência e que prime pela

AUTO VASCO DA GAMA

Gerente Ricardo Gonçalves

Sede Loteamento Industrial do Chinicato,

Lote 3, 8600 - 306 Chinicato

Telefone 282 762 439

Email geral@autovascodagama.pt

Site www.autovascodagama.com

diferença, desde a primeira interação até à última

intervenção no serviço prestado. A tecnologia tem

um claro impacto nas ferramentas e no funcionamento

das oficinas. Visto que o cliente se torna

cada vez mais digital, os negócios deverão adaptar-se

à era digital, incorporando novos elementos

tecnológicos para criar experiências diferenciadoras

e utilizando elementos que nunca antes haviam

sido utilizados”.

Aposta ganha

Para além das novas instalações, localizadas na

Zona Industrial do Chinicato, a Auto Vasco da

Gama dispõe, também, de um stand Renault e serviços

rápidos multimarca, localizados no centro de

Lagos. Entre as duas oficinas, recebe uma média

diária de 20 viaturas, que são assistidas por uma

equipa constituída por duas dezenas de colaboradores,

a maioria especializados nas áreas de chapa,

pintura e mecatrónica.

A nova oficina dispõe de uma cabina de pintura

e quatro áreas de preparação, estando prevista a

instalação de uma nova cabina apenas para pintura

de peças. A nível de mecânica, está em fase

de preparação uma zona dedicada à manutenção

e reparação de veículos elétricos. Para tal, Ricardo

Gonçalves já adquiriu as ferramentas necessárias e

fez um curso de formação específico para veículos

elétricos. Futuramente, outros colaboradores irão

ter a formação necessária para poderem reparar

esta tipologia de veículos, uma vez que, mesmo

para os serviços de repintura, essas viaturas têm

de ser preparadas, desativando a corrente de alta

tensão e isolando a área de trabalho.

A aposta nestes novos serviços foi acolhida com

agrado por parte dos clientes. “Estas etapas implicam

muita interação com o cliente e o recurso à

tecnologia provocou um efeito positivo na simplificação

dos processos, melhorando a experiência.

O aproveitamento dos recursos digitais revela-se

fundamental, contribuindo para transformar dados

desagregados e desestruturados em informação

de valor”, conclui Ricardo Gonçalves. l

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 63


Repintura

R-M BEST PAINTER CONTEST 2020

COMPETIÇÃO IBÉRICA

QUATRO BRAVOS “GUERREIROS” RUMARAM A GUADALAJARA, ESPANHA, PARA, NAS INSTALAÇÕES DO

REFINISH COMPETENCE CENTER DA BASF, MOSTRAREM O QUE VALEM ENQUANTO PINTORES. A FINAL

PORTUGUESA REALIZOU-SE NO DIA 12 DE FEVEREIRO E FOI REPLETA DE EMOÇÕES por Joana Calado

O

tiro de partida foi dado cedo. Ao longo de

todo o dia, os ansiosos concorrentes realizaram

as provas sob o olhar atento de um

júri composto por portugueses e espanhóis. Todos

os profissionais tinham como objetivo tornar-se

no melhor pintor português. Mas só um poderia

alcançar este título. O tema central deste ano foi

“Impulsionar soluções digitais e eco eficientes”,

que combina aspetos de processos rápidos e soluções

digitais com a noção de sustentabilidade. O

concurso realiza-se em 16 países e conta com os

pintores mais talentosos com idades até 35 anos.

O setor da repintura tem vindo a apresentar dificuldades

no que diz respeito à mão de obra profissional.

Existem cada vez menos interessados

nesta profissão. Por isso, a R-M, marca premium

da BASF, considera necessário realizar este tipo de

iniciativas de forma a cativar os mais jovens. A realidade

mostra-nos que o setor tem sofrido muitas

alterações. E empresas como a BASF estão a realizar

todos os esforços para provar que esta é uma

profissão mais tecnológica, mais atrativa e com

muito para oferecer aos profissionais que por ela

enveredem. Os próprios processos de aplicação são

cada vez mais especializados, as inovações de produtos

são, de dia para dia, mais eficientes e existem

maiores soluções digitais.

Pintores prestam provas

A concorrer ao título de Melhor Pintor Português

da R-M estavam António Filipe, da oficina Cardan,

Fabrice Gaspar, da Auto Mecânica Gaspar

& Filhos, Rui Flores, da BL Motor, e Kevin Alexandre,

da Auto Careca. Os finalistas realizaram,

ao longo de todo o dia, provas de repintura onde

deveriam aplicar tintar recorrendo à linha ONYX

HD, fazendo com que a mesmo coincidisse com

a cor original, provas de daltonismo, danos na

pintura e montagem de pistolas. Os concorrentes

eram avaliados não só pela qualidade do seu trabalho,

mas, também, pelo tempo que demoravam

e pelos recursos que utilizavam.

As provas foram avaliadas por um júri composto

por Rocío Maldonado, technical manager ECR Iberia

da BASF, Sebastián Maroto, national head trainer

Iberia da BASF, Sergio de Pedro, national head

trainer Iberia da BASF, Vítor Santos, head of field

technicians Portugal da BASF, Juan Carlos Lozano,

CV sales manager da BASF, Jesús García, academy

trainee da BASF, Héctor Amado, representante da

Sagola, Antonio Menaches, representante da Iwata,

Carlos Herrera, representante de DeVilbiss, e José

Ojeda, representante da Cabinas Fam.

O melhor está em Leiria

O título de Melhor Pintor Português da R-M acabou

por ir para Leiria, mais concretamente para

Kevin Alexandre, da Auto Careca, que, apesar da

renhida competição, acabou por se destacar dos

restantes. Kevin Alexandre não conteve a felicidade

de levar para casa o prémio de melhor pintor

português, deixando a promessa de que tudo fará

para vencer a final internacional da competição. O

que, a acontecer, torná-lo no “Melhor Pintor R-M

2020” a nível mundial. O vencedor da final nacional

vai, agora, preparar-se para a derradeira etapa

do evento, que se realizará, de 22 a 24 setembro,

em França. l

64 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


O TÍTULO DE MELHOR PINTOR PORTUGUÊS DA R-M FOI PARA LEIRIA. KEVIN

ALEXANDRE, DA AUTO CARECA (TERCEIRO A CONTAR DA ESQUERDA) IRÁ

DISPUTAR, EM FRANÇA, A FINAL INTERNACIONAL DO CONCURSO


NOTÍCIAS // A ÁREA MAIS COLORIDA DO AFTERMARKET

repintura

AKZONOBEL

VOLta A PINTAR FÓRMULA 1 DA MCLAREN RACING

O

bólide de Fórmula 1 da McLaren Racing foi revelado antes do início da

nova temporada, com a AkzoNobel a fornecer novamente a tecnologia

de revestimentos de elevada tecnologia para o elegante MCL35. Com um

novo visual e design para a temporada de 2020, todas as peças pintadas do monolugar

de corrida, tal como os meios de transporte, garagem e acessórios da

equipa, apresentam os produtos de elevado desempenho da AkzoNobel. Nesta

temporada, o bólide também usa blindagem térmica fornecida pelo setor de

revestimentos protetores da empresa. O Intertherm 50, da linha de produtos

Internacional, foi aplicado a componentes críticos que rodeiam o motor e os

escapes para ajudá-los a suportar temperaturas de até 540˚C.

66 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


AXALTA DOA €50.000

CAUSAS AMBIENTAIS

Os colaboradores da Axalta na Europa, Médio Oriente e África angariaram

€50.000 em 2019, que revertem a favor de cinco organizações na região, para

apoiar causas de gestão ambiental ou STEM (Ciência, Tecnologia e Matemática).

A iniciativa Axalta em movimento foi realizada em setembro de 2019 e desafiou

os colaboradores da região EMEA a dar o máximo de passos possível num período de

24 horas, quer em casa quer no local de trabalho. As autoridades locais promoveram

o trabalho de equipa e aumentaram a contagem de passos. Após a conclusão do primeiro

desafio anual, cinco países da região EMEA (Europa, Médio Oriente e África)

foram selecionados, aleatoriamente, para doar, cada um, €10.000 e voluntariar tempo

a uma organização nomeada pelos colaboradores.

MATERIAIS PARA BATERIAS DE ELÉTRICOS

BASF | Como parte do plano de investimentos para apoiar a cadeia de valor

de veículos elétricos na Europa, a BASF anunciou um novo local de produção de

materiais para baterias, em Schwarzheide, na Alemanha. A fábrica, de última

geração, produzirá materiais de cátodo ativo (CAM) com uma capacidade inicial

que permitirá fornecer cerca de 400 mil veículos elétricos completos por ano,

com materiais para bateria da BASF. Os inovadores materiais catódicos da BASF

aumentam o desempenho das baterias, promovendo o sucesso da mobilidade

“amiga do meio ambiente”. O projeto modular e a infraestrutura da fábrica de

Schwarzheide permitem um rápido aumento na produção, fazendo com que a

BASF dê resposta à crescente procura dos clientes europeus por veículos elétricos.

A nova unidade usará precursores (PCAM) da base da BASF, anteriormente

anunciada em Harjavalta, na Finlândia. O início das operações das duas fábricas

está previsto para 2022. A BASF será o primeiro fornecedor de material catódico

ativo com capacidade de produção na Ásia, EUA e Europa.

SPRAYMAX/PETER KWASNY

FORMAÇÃO TÉCNICA

Distribuidor para Portugal da SprayMax/Peter Kwasny, a Robbialac, com a sua

equipa técnica e comercial de repintura automóvel, participou, no passado

mês de fevereiro, numa formação técnica da responsabilidade de Daniel Westerholm,

formador da marca na Europa. Os sprays são cada vez mais úteis e comuns,

tendo um peso significativo no conjunto de produtos non paint consumidos pelas

oficinas, pelo que é sempre importante aprofundar o conhecimento nesta área, também

cada vez mais competitiva. A Spray Max apresenta os sistemas de pintura 1K e

2K profissionais particularmente úteis para repintura automóvel, no que à manutenção

e reparação de pequenos danos diz respeito, sendo uma das principais marcas

de sprays.

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 67


EM FOCO COMPONENTES DE TRAVAGEM

SEM SINAIS

DE DESGASTE

COMPETITIVO E REPLETO DE MARCAS DE QUALIDADE EQUIPARÁVEL AOS PRODUTOS DE

PRIMEIRO EQUIPAMENTO, O MERCADO DOS COMPONENTES DE TRAVAGEM, EM PORTUGAL,

CONTINUA A NÃO ACUSAR SINAIS DE DESGASTE. O JORNAL DAS OFICINAS FOI AUSCULTAR

VÁRIOS PLAYERS por Jorge Flores

68 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


O

mercado dos componentes de travagem é bastante

amadurecido e desenvolvido, onde se

assiste ao investimento e progresso por parte

de diversos players. Identificam-se marcas que

trabalham bastante bem esta gama e que, obviamente,

têm vindo a contribuir para a sua evolução, introduzindo

melhorias e cooperando na construção de um

mercado mais maduro”, começa por explicar Joaquim Candeias,

responsável em Portugal do bilstein group. “Ainda

assim, apesar da clara evolução”, acrescenta: “É um mercado

que continua a apresentar inúmeras oportunidades de

melhoria. O comércio onde os componentes de travagem

se movimentam introduz, constantemente, espaço e momentos

passíveis de mudança, sendo este um dos principais

motivos pelos quais vivemos, hoje, numa era de maturidade

e evolução contínua”. O responsável do bilstein group em

Portugal dá conta que “é através do reconhecimento destas

oportunidades que as nossas marcas estão, agora, com a

máxima força para amadurecer e aprimorar, ainda mais, o

mercado de travagem”.

Na opinião de Joaquim Candeias, as oficinas têm em mente

vários critérios no momento da escolha dos componentes

de travagem. “Em primeiro lugar, dão especial relevância

ao posicionamento e notoriedade da marca, aspetos intimamente

relacionados com a confiança que a mesma transmite.

Ou seja, quanto mais conhecida e mencionada for a

marca, maior confiança ela transmite, pelo que existem

sempre duas ou três marcas que se encontram no topo da

mente dos mecânicos como as que transmitem maior segurança”,

refere. “Obviamente, que esta construção abstrata

ideia que cada mecânico tem acerca de determinada marca,

advém, em grande escala, das experiências passadas que já

viveu com a mesma. Outro dos elementos a que os mecânicos

dão especial atenção é à qualidade do produto, na medida

em que a decisão do mecânico vai afetar o desempenho

do veículo, a confiança do seu cliente perante a oficina e,

mais importante, a segurança de condutor e passageiros”,

adianta.

Por tudo isto, “a responsabilidade é elevada e os mecânicos

dão extrema importância às marcas que equilibram muito

bem fatores como a capacidade de fabrico, a vida útil prolongada,

a eficácia da mesma e o ruído reduzido. Adicionalmente,

os mecânicos procuram componentes de travagem

com ausência de silvo, ou seja, o elemento de fricção com

compromisso entre durabilidade e sem ruído ao travar. Os

mecânicos estão conscientes da importância da sua missão

como sendo, muitas vezes, decisores na escolha de componentes

de travagem, pelo que tem sido dada uma importância,

cada vez maior, a componentes que apresentem uma

qualidade elevada. Por norma, as marcas que cumprem

com estes elementos são os alvos das principais escolhas

dos profissionais da área”, garante Joaquim Candeias.

te restrito”, afirma. “Pelo lado positivo”, frisa, “nota-se um

crescente reconhecimento, por parte das oficinas, sobre a

importância da qualidade deste tipo de componentes”. Segundo

a mesma fonte, “as oficinas portuguesas, na sua generalidade,

são conhecedoras da realidade de produtos de

travagem. Exigem a qualidade e o desempenho que possam

facultar ao seu cliente a mesma segurança que o veículo tinha

quando era novo. Essa deverá ser a essência principal

que guia as oficinas nas suas escolhas”. Pela natureza do setor,

a DRiV vê com bons olhos o futuro. “Embora estejam

a surgir no mercado veículos com diferentes tipologias de

motorização, todos vão tendo como denominador comum

a necessidade de travar de forma confortável e segura. Sem

dúvida que o futuro continuará a exigir desenvolvimentos

tecnológicos neste capítulo, tanto a nível de eficácia e segurança,

como a nível ambiental”, dá conta.

Para a Hella Pagid, trata-se de “um mercado muito competitivo,

em que a relação preço/qualidade é um fator crítico

na hora de decidir pela marca com que trabalhar. As premium

estão, cada vez mais, competitivas e a ‘tirar’ espaço

às intermédias de aftermarket, polarizando a oferta entre

premium e low cost”, afirma. Prós e contras do mercado?

“As ameaças estão ligadas à alteração progressiva do parque

para soluções de veículos elétricos e híbridos. Estes

são veículos com um consumo, substancialmente, inferior

de sistemas de travagem e, consequentemente, começarão

a determinar um decréscimo progressivo na procura. Mas

creio que ainda temos alguns anos de crescimento antes de

chegar ao ponto de inflexão”, sublinha a Hella Pagid, ciente

de que o fator “qualidade” continua a ser o mais importante.

Mercado competitivo

A Magneti Marelli, por seu turno, descreve o pós-venda de

componentes de travagem como um mercado “muito amplo

e competitivo”. E sustenta: “Existe uma enorme quantidade

de empresas a oferecer produtos ao mercado de distribuição

que praticam preços muito agressivos e apresentam

uma grande qualidade de serviço logístico para permitir o

mínimo nível de stock”. No caso da Magneti Marelli, “sabemos

que temos de satisfazer as necessidades atuais do nosso

mercado, pelo que realizámos uma grande inversão para

a introdução desses artigos. Trata-se de um mercado que

exige uma qualidade muito alta a preço muito competitivo.

Felizmente, em Portugal, a marca Magneti Marelli goza de

grande reconhecimento e posicionamento em matéria de

qualidade. A nossa marca garante a qualidade do primeiro

equipamento e, isso, é entendido pelo mercado”, reforça a

marca italiana.

Já a Motrio, pela voz do seu responsável, Paulo Santos,

concorda com a ideia de que estamos perante um mercado

“com muita oferta, dispondo de todo o tipo de produtos, de

qualidade e preço variados. Desde as marcas que, na sua

variante, têm produtos similares ou iguais aos de primeira

montagem até às que não têm qualquer aproximação

ao que os construtores de automóveis determinam no respetivo

caderno de encargos”. Paulo Santos vai mais longe:

“É, aqui, que deve entrar a responsabilidade das marcas,

procurando elucidar e informar. Bem como a consciência

do consumidor, que deverá saber optar pelo que é melhor e

Reconhecimento crescente

Por sua vez, a DRiV acredita que o mercado nacional tem

sido “fustigado por inúmeras ofertas de marcas de travagem”.

E considera importante “entender que o número de

fabricantes que estuda, exaustivamente, investe e desenvolve

materiais para equipamento original é extremamen-

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 69


em Foco Componentes de travagem

mais adaptado às suas necessidades

e exigências”.

Evolução em marcha

Segundo o responsável da Motrio,

“os avanços tecnológicos na área

da segurança automóvel são muito

rápidos e carregados de inovação e

exigência”. Por isso, “a grande capacidade

de adaptação e a rapidez de

reação exigidas são, por um lado, um

desafio e, por outro, um obstáculo

cuja transposição não está ao alcance

de todos, levando a que se criem, naturalmente,

patamares de qualidade

e nível de oferta que, por si só, constituirão

a base de uma seleção natural”,

explica ao Jornal das Oficinas.

Para Paulo Santos, nos últimos anos,

“verificou-se uma crescente exigência

por parte dos consumidores, o que

levou a que as oficinas de reparação

acompanhassem a tendência”, afirma.

“A relação entre o fornecedor de

serviços e o cliente tem de pautar-se

pela confiança. Mas a responsabilidade

recai quase na totalidade sobre

o reparador, levando a que este prefira

sempre trabalhar com produtos

que garantam excelente qualidade

final”, acrescenta ainda Paulo Santos.

A TRW afina pelo mesmo diapasão.

“O mercado da travagem, em Portugal,

“é muito competitivo, com muitas

marcas. Esta competitividade

tem levado a que existam apenas dois

segmentos. As marcas de baixo posicionamento,

que competem através

do preço, e as marcas premium, que,

dada a pressão do mercado, têm vindo

a ajustar, gradualmente, a sua estrutura

de preços, de forma a reduzir

a diferença para as restantes marcas

do mercado”, explica. No entender da

TRW, a principal ameaça deste mercado

“é a falta de conhecimentos por

parte de alguns mecânicos na montagem

e substituição dos sistemas de

travagem”. E concretiza: “A evolução

dos próprios sistemas de travagem

trouxe novos desafios na montagem,

como, por exemplo, pastilhas com posição

de montagem, maior importância

das tolerâncias dos discos, maior

cuidado com o sistema hidráulico da

travagem no geral. Na TRW, promovemos

ações de formação junto das

oficinas que trabalham com os nossos

distribuidores, de forma a ajudá-las a

enfrentar estes novos desafios”, assegura

a mesma fonte.

De resto, “uma das oportunidades no

mercado de travagem é o alargamento

das normas europeias ECE R90

aos discos de travão, que vem ajudar

a assegurar que todos os produtos

comercializados na União Europeia

tenham um desempenho semelhante

ao original, o que vem regular mais a

oferta que existe no nosso mercado,

tornando todos os produtos equiparáveis”,

preconiza a TRW, que antevê

um futuro positivo para este mercado.

“O sistema de travagem continuará

a ter um papel crucial nos veículos

do futuro, independentemente

da tecnologia que possam vir a adotar

(elétricos, híbridos ou movidos a

hidrogénio). Como tal, haverá sempre

mercado para estes componentes

de desgaste, mesmo que tenham

associadas novas funcionalidades,

como a travagem regenerativa”, conclui

a marca da ZF Aftermarket. l

70 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


PASTILHAS DE TRAVÃO

ELECTRIC BLUE DA TRW

PARA

VEÍCULOS

ELÉTRICOS E

HÍBRIDOS

Quando o mundo inteiro exige inovação,

a ZF Aftermarket tem a solução.

As nossas pastilhas de travão Electric Blue são uma solução de travagem

nova e sustentável para veículos elétricos e híbridos. Reduzem o ruído, as vibrações,

a poeira e as emissões.

Permitem-lhe melhorar o nível de serviço da sua oficina, para os veículos elétricos

e híbridos, ao adicionar a mudança de pastilhas de travão à sua oferta de serviços

de manutenção.

trwaftermarket.com/pt/electric-blue

Parte da ZF Aftermarket, cada peça TRW é concebida para superar desafios, tal como os colaboradores

dedicados de todo o mundo que as fazem chegar até si. Apoiados por uma rede global de especialistas

no mercado de pós-venda, os produtos TRW ditam os padrões da segurança e da qualidade.


em Foco Componentes de TRAVAGEM

AISIN

“Uma gama completa de pastilhas, maxilas e discos, com uma cobertura

quase total do parque automóvel asiático, assegurada por três marcas de

referência que a Japopeças tem neste segmento: AISIN, FBK e ASHIKA”. Eis

como a empresa de São João da Madeira, representante da AISIN, define

a sua posição no segmento da travagem. A grande novidade prende-se

com o “alargamento da oferta da Japopeças para veículos europeus, que

assume, paulatinamente, maior representatividade através da excelente

oferta já existente das marcas AISIN e ASHIKA”. Destaque merece, também,

a introdução de novas referências da FBK para modelos mais recentes

GAMA COMPLETA DE PASTILHAS,

MAXILAS E DISCOS, COM UMA

COBERTURA QUASE TOTAL DO

PARQUE ASIÁTICO, ASSEGURADA POR

TRÊS MARCAS DE REFERÊNCIA DA

JAPOPEÇAS: AISIN, FBK E ASHIKA

dos fabricantes asiáticos, na linha do cariz de especialista nestes veículos

protagonizado pela marca FBK e, em igual proporção, pela Japopeças. “Na

mesma medida da imagem global que temos do mercado, a expectativa

de vendas em Portugal é estacionária, aplicando-se ao segmento da

travagem em particular. Designamos de objetivo zero a manutenção

do atual volume de negócios neste segmento”, refere a Japopeças. “A

excelente oferta assegurada pelas três marcas que propomos dá-nos

confiança para o objetivo para o qual trabalhamos diariamente: fazer mais

e melhor”, conclui.

www.japopecas.pt | www.fbk.my | www.be.aisin-europe.com

www.ashika.it | www.tecalliance.net

ICER

A ICER Brakes considera a sua gama de produtos de travagem uma

componente fundamental para a segurança dos automóveis. E vai mais

longe: “Os condutores devem prestar muita atenção aos produtos que têm

instalados nos seus veículos”, sublinha fonte da empresa espanhola. No

início de 2019, a ICER Brakes lançou um programa especial para veículos

elétricos, tendo, inclusivamente, conquistado um prémio de inovação com

o mesmo. A marca dá especial atenção aos seus distribuidores e oficinas,

procurando sempre estar “próxima dos clientes”, prestando-lhes toda a

formação necessária. As perspetivas em termos de vendas nacionais, neste

segmento do negócio dos componentes de travagem, são otimistas. “Em

2020, esperamos aumentar a nossa participação no mercado. Por um lado,

apoiando os distribuidores históricos da ICER Brakes. Por outro, ajudando

novos clientes a crescer connosco”, afirma a mesma fonte, que acredita

que a “consolidação” do mercado continuará. “Teremos menos players

e, portanto, todas as empresas que desejam permanecer no mercado

precisam de melhorar e trabalhar arduamente”.

www.icerbrakes.com

A ICER CONSIDERA A SUA

GAMA DE TRAVAGEM UMA

COMPONENTE FUNDAMENTAL

PARA A SEGURANÇA. E

ALERTA OS CONDUTORES

PARA PRESTAREM MUITA

ATENÇÃO AOS PRODUTOS

QUE COLOCAM NOS VEÍCULOS

72 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


A Ferodo® é uma marca registada da Federal-Mogul LLC – uma empresa DRiV – ou de uma ou mais subsidiárias em um ou mais países.

PORQUE NA VIDA APARECEM SURPRESAS

PORQUE NA VIDA APARECEM SURPRESAS

ESCOLHA O PODER DO DESEMPENHO

PORQUE PORQUENA NAVIDA APARECEM SURPRESAS

ESCOLHA ESCOLHA O PODER PODER DO DO DESEMPENHO

DESEMPENHO

ESCOLHA O PODER DO DESEMPENHO

www.ferodo.pt

www.ferodo.pt

www.ferodo.pt

www.ferodo.pt

Descubra o poder da comprovada tecnologia OE com as pastilhas de travão Ferodo®

ECO-FRICTION® e aceda por completo a um excecional desempenho, a uma distância de

travagem fantástica e a uma dedicação à segurança e ao meio ambiente. Agora, pode

manter o controlo, mesmo nas mais extremas situações!

Descubra o poderda da comprovada tecnologia OE comas pastilhasde travão Ferodo®

Saiba mais

Descubra

sobre este oECO-FRICTION® poder Descubra avanço

da

tecnológico ocomprovada poder e aceda comprovada de travagem

por tecnologia completo tecnologia em: aOE www.ferodo.pt

umcom excecional OEas com pastilhas desempenho, pastilhas travão de atravão umaFerodo®

distância de de

ECO-FRICTION® travagem e aceda fantástica por e eaceda completo a umapor dedicação completo a um àexcecional segurança a um excecional edesempenho, ao ao meio desempenho, ambiente. a uma a Agora, uma distância pode de de

manter travagem o controlo, fantástica mesmo e a uma nas mais dedicação extremas à segurança situações! e ao meio ambiente. Agora, pode

travagem fantástica e a uma dedicação à segurança e ao meio ambiente. Agora, pode

manter o controlo, mesmo nas mais extremas situações!

manter o controlo, Saiba maismesmo sobre este nas avanço mais extremas tecnológicosituações!

de de travagem em: www.ferodo.pt

Saiba mais sobre este avanço tecnológico de travagem em: www.ferodo.pt

Saiba mais sobre este avanço tecnológico de travagem em: www.ferodo.pt

A Ferodo® é uma marca registada da Federal-Mogul LLC – uma empresa DRiV – ou de uma ou mais subsidiárias em um ou mais países.

A

Ferodo®

Ferodo® é

uma

uma

marca

marca

registada

registada

da

da

Federal-Mogul

Federal-Mogul

LLC

LLC –

uma

uma

empresa

empresa

DRiV

DRiV –

ou

ou

de

de

uma

uma

ou

ou

mais

mais

subsidiárias

subsidiárias

em

em

um

um

ou

ou

mais

mais

países.

países.

A Ferodo® é uma marca registada da Federal-Mogul LLC – uma empresa DRiV – ou de uma ou mais subsidiárias em um ou mais países.


em Foco Componentes de travagem

OPEN PARTS

EM 2020, A OPEN PARTS ESPERA

CONTINUAR A TENDÊNCIA POSITIVA

DE 2019, INTRODUZINDO NOVAS

LINHAS DE PRODUTO E AUMENTANDO

A SUA PRESENÇA NO MERCADO

portUGUÊS

A gama da marca italiana Open Parts, da Exo Automotive, abrange mais

de 96% do parque europeu, cobrindo 95% dos veículos portugueses

em circulação. Entre as principais novidades da marca na área dos

componentes de travagem, destaque, durante 2019, para as novas

quatro linhas de produtos, que se juntaram às 34 já disponíveis no seu

portefólio. As novas aquisições passaram por molas a gás, kit de suporte

de suspensão, correias Poly-V e termóstatos. “Antes do final de 2019,

também lançámos o super-kit de distribuição com bomba de água. A

próxima introdução planeada será o kit de rolamentos de roda e, para

componentes de travagem, o kit de calços de travão. Todas estas novidades

serão expostas na expoMECÂNICA 2020, em abril”, referem os responsáveis

da Open Parts (OP). “2019 foi um ano de grandes melhorias nas vendas

internacionais para a Open Parts. Em 2020, esperamos continuar essa

tendência positiva, introduzindo novas linhas de produto e aumentando

a nossa presença no mercado português. Um dos projetos para 2020 é

expandir a rede Open2Stores em Portugal”.

www.exoautomotive.eu

MEYLE

A gama de travagem da MEYLE contempla discos e pastilhas. Mas não

só. “Também nos orgulhamos de apresentar uma linha de produto

especialmente desenvolvida: MEYLE-PD”, revela fonte do fabricante de

Hamburgo. “Os travões não são todos iguais. A sensação de travagem, a

resposta do motor e o coeficiente de atrito são cruciais para uma condução

desportiva e orientada para o desempenho. É aqui que entra a MEYLE-PD.

Os discos e calços de travões MEYLE-PD são componentes com ótimo

desempenho, que estabelecem novos padrões em termos de durabilidade,

conforto, ótica e facilidade de instalação, evidentemente certificados pelo

ECE”. De forma a apoiar tanto distribuidores como oficinas a tornarem-se

“Driver´s best friends”, a MEYLE disponibiliza bastante informação e

know-how. Exemplos? “Sessões práticas um pouco por todo o mundo

proporcionadas pelos nossos especialistas técnicos, vídeos demonstrativos

com instruções passo a passo no canal MEYLETV, no YouTube, bem como

no nosso Instagram e Facebook, sem esquecer ainda os manuais de

instruções existentes em cada caixa MEYLE e as dicas no site www.meyle.

com”, assegura o o fabricante.

www.meyle.com/en/service-centre/download-centre/brakecomponents

| www.meyle.com/en/passenger-cars/brakes/ |

www.meyle.com/en/passenger-cars/brakes/meyle-pd-brakepads/

A LINHA MEYLE-PD É,

especIFICAMENTE,

desenvoLVIDA PARA

travagem, CONTEMPLANDO

DISCOS E PASTILHAS.

AFINAL DE CONTAS, QUEM É O

“DRIVER’S BEST FRIEND”?

74 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


O OBJETIVO DA MOTAQUIP

É CONTINUAR O BOM

TRABALHO QUE TEM

FEITO, DIRECIONANDO O

CLIENTE (OFICINA) PARA OS

PRODUTOS ADEQUADOS ÀS

SUAS NECESSIDADES

MOTAQUIP

A MOTAQUIP oferece componentes hidráulicos “com a mesma tolerância

e critérios de performance do que o Equipamento Original, em conjuntos

completos com materiais premium, resultando em produtos seguros

e fiáveis mesmo em condições extremas”, explica a marca. Do seu

portefólio, constam produtos como “tambores e maxilas fabricadas com

especificações dimensionais e materiais precisos, forjados com ferro

fundido com grafite lamelar para resistirem a fissuras térmicas”. A gama

também inclui “tambores com rolamentos internos, garantindo, assim,

uma aplicação perfeita à primeira e um rolamento integrado mais simples

e mais rápido de aplicar na oficina”, explicam os responsáveis da empresa.

Segundo a mesma fonte, o objetivo da MOTAQUIP, neste mercado, é

“continuar a executar o bom trabalho que temos feito até aos dias de

hoje, direcionando o cliente (oficina) para os produtos adequados às suas

necessidades, de acordo com os parâmetros recomendados/reconhecidos

pelo fabricante e que são superados pelos artigos da marca”.

www.motaquip.com

KAVO PARTS

COM 2.400 REFERÊNCIAS EM DISCOS

E PASTILHAS, A KAVO PARTS COBRE

O PARQUE AUTOMÓVEL ASIÁTICO,

NÃO TENDO DÚVIDAS ACERCA DA

QUALIDADE DOS SEUS PRODUTOS

A Kavo Parts dispõe de uma ampla variedade de componentes de

travagem. “A nossa linha total consiste em pastilhas e discos, sensores

de ABS, cabos e tubos, cilindros de travão mestre e cilindros de travão de

roda. Com 2.400 referências em discos e pastilhas de travão, cobrimos o

parque automóvel asiático”, sustenta fonte oficial da empresa holandesa

KAVO, que não tem dúvidas acerca da qualidade dos seus produtos.

“Todos os discos de travão de que dispomos têm revestimento. São

cinco vezes mais resistentes à corrosão, têm maior vida útil e uma

aparência melhor. Tudo vantagens para os condutores. Para oficinas,

os nossos discos asseguram economia de tempo e eficiência, pois não

existe mais uma camada de óleo que precise de ser removida (como no

caso dos discos tradicionais)”, explica a mesma fonte. Em Portugal, a

Kavo Parts tem registado um crescimento constante há vários anos. “A

crescente procura a nível global por produtos de qualidade a preços mais

competitivos, também é percetível em Portugal”, sublinha a KAVO.

www.kavoparts.com

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 75


KLAXCAR caetano parts.pdf 2 27/09/2019 16:33:41

KLAXCAR

A segurança é a prioridade da Salvador Caetano no mercado dos

componentes de travagem. “Os requisitos de qualidade são verificados,

continuamente, em toda a linha de produção. Todos os produtos Klaxcar

passam por um rigoroso processo de inspeção e estão em conformidade

com os regulamentos aplicáveis. A qualidade certificada, as distâncias

de travagem reduzidas, o ótimo desempenho e as verificações rigorosas,

tornam o foco da Klaxcar na oferta de qualidade, equivalente à original,

a um preço muito competitivo”, diz fonte oficial. A Caetano Parts

disponibiliza “ferramentas técnicas, sejam desenvolvidas por nós ou

pelos fabricantes, de forma a suportar a atividade dos nossos parceiros”,

acrescenta. “Caminharemos sempre em direção à digitalização de todas

as ferramentas de suporte técnico e não técnico. No caso da formação de

produto, continuaremos a apostar em ações presenciais, em complemento

aos conteúdos digitais”, sublinha a mesma fonte, que se mostra “otimista”

em relação ao futuro. “Com a confiança recebida dos nossos parceiros,

esperamos continuar a crescer e a desenvolver o negócio, muito próximos

do mercado”, conclui.

www.caetanoparts.pt

SEGURANÇA É A PRIORIDADE

DA SALVADOR CAETANO.

TODOS OS PRODUTOS

KLAXCAR PASSAM POR UM

RIGOROSO PROCESSO DE

INSPEÇÃO E CUMPREM OS

REGULAMENTOS APLICÁVEIS

MOTRIO

A gama de travagem da Motrio destaca-se pela qualidade elevada e muito

semelhante às peças originais. A marca “tem vindo a crescer em qualidade

e notoriedade, também fruto da exigência dos clientes, que têm apostado

em crescer connosco”, explica fonte oficial. O crescimento da marca, seja

em volume de negócios, seja na quantidade de clientes que têm vindo a

celebrar parcerias com a Motrio, contribuem para o alargamento da gama,

que, atualmente, dispõe de peças sobressalentes para a quase totalidade

dos automóveis que circulam na Europa. Uma menção especial para os

modelos Renault e Dacia com cinco ou mais anos de idade, para quem a

cobertura é de 100%”. De acordo com a mesma fonte, “é aos distribuidores

A MOTRIO TEM VINDO A CRESCER

EM QUALIDADE E NOTORIEDADE,

FRUTO, TAMBÉM, DA EXIGÊNCIA DOS

CLIENTES, QUE TÊM APOSTADO EM

CRESCER COM A MARCA

Renault que cabe a responsabilidade da capilaridade na distribuição da

Motrio nas respetivas zonas de atuação. Estão disponíveis ferramentas

como o catálogo online, que, além da identificação das peças e respetivos

preços, disponibiliza, também, informação técnica e de métodos de

trabalho. É igualmente importante referir a comunicação e/ou publicidade

nas diversas vertentes”, acrescenta.

www.motrio.com/pt-pt/

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 77


em Foco Componentes de travagem

TEXTAR

As principais características da gama de produtos da Textar são o seu

“elevado padrão de qualidade a preços razoáveis, bem como uma

cobertura do parque circulante de 99% em europeus e 98% em asiáticos”,

refere a empresa. O número total de referências disponíveis em termos de

discos é de 2.000. Pastilhas são 1.700, distribuídas por três marcas para

cobertura de vários segmentos do mercado: premium, low cost, B2B e B2C.

“As mais recentes novidades de produtos da TMD Friction chegam pela

marca Textar. A nível de discos, o PRO+ distingue-se dos demais pelo seu

revestimento com uma percentagem de carbono mais elevada do que o

disco regular, maquinação de torno precisa com as mesmas tolerâncias do

OE para um encaixe perfeito, moldes especiais no processo de fabricação

que provocam uma homogeneidade extrema na face de fricção, bem

como canais internos da ventilação que forçam o ar, conferindo maior

capacidade de arrefecimento ao disco e, consequentemente, maior

capacidade de travagem”. As expectativas de vendas, em Portugal, para

2020, serão a manutenção do volume alcançado em 2019. Esta será a

expectativa mais sensata, pois somos líderes incontestáveis de mercado,

quer em ligeiros quer em pesados”, conclui a empresa.

www.textar.com | www.mintex.com | www.brakebook.com

O NÚMERO totaL DE

REFERÊNCIAS DISPONÍVEIS

EM DISCOS É DE 2.000.

pastILHAS SÃO 1.700,

DISTRIBUÍDAS POR TRÊS

marcas PARA COBERTURA

DE VÁRIOS SEGMENTOS DO

mercado: PREMIUM, LOW

COST, B2B E B2C

TRW

AS MAIS RECENTES NOVIDADES DA

TRW, ao NÍVEL DAS PASTILHAS DE

travÃO, FORAM as ELECTRIC BLUE,

desenvoLVIDAS, ESPECIFICAMENTE,

para VEÍCULOS ELÉTRICOS E

HÍBRIDOS

A divisão aftermarket da ZF está envolvida, desde muito cedo, no

desenvolvimento da tecnologia automóvel do futuro, o que permite a

criação de soluções novas e inovadoras para produtos no mercado de

pós-venda. “Fomos pioneiros no lançamento dos discos pintados de preto

no aftermarket, que facilitavam na montagem e preveniam a corrosão.

Passando, depois, pela introdução do Cotec, que melhora o desempenho

das pastilhas nas primeiras travagens. Chegando ao recente lançamento

da primeira pastilha de travão do mercado de pós-venda para veículos

elétricos e híbridos: as pastilhas de travão TRW Electric Blue”, explica fonte

da empresa. As mais recentes novidades da TRW, ao nível das pastilhas

de travão, foram as Electric Blue, desenvolvidas, especificamente, para

veículos elétricos e híbridos, além dos discos de travão para Tesla Model

S. “Atualmente o programa TRW Electric Blue oferece uma cobertura de

92% para veículos híbridos e de 97% para veículos elétricos na Europa,

incluindo os populares veículos das marcas Tesla e Nissan”, acrescenta a

TRW. Neste segmento, a expectativa, em 2020, é de “voltarmos a crescer”,

à semelhança do que “temos feito nos anos anteriores, suportado pelo

bom trabalho realizado pelos nossos distribuidores”, assegura a ZF

Aftermarket.

www.trwaftermarket.com/pt |

www.aftermarket.zf.com/ib/pt/portal-da-zf-aftermarket

www.aftermarket.zf.com/ib/pt/portal-da-zf-aftermarket/

informacoes-tecnicas

78 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


ALEA

A ALEA PODE SER

ENCONTRADA NA

NEWONEDRIVE (DE LIGEIROS)

E NA CIVIPARTS (PESADOS),

AMBAS EMPRESAS DO

GRUPO NORS

A ALEA assume-se como a solução para todos os clientes do aftermarket

que procuram peças com a melhor relação preço/qualidade do mercado

português. Segundo os responsáveis, os clientes podem encontrar as peças

ALEA na Newonedrive (segmento de ligeiros) e na Civiparts (segmento

de pesados), ambas empresas do Grupo NORS. “Começámos com 12

referências de discos e 40 referências de pastilhas para as principais

marcas de veículos ligeiros no mercado português. Em veículos pesados,

introduzimos, recentemente, novas referências em discos e pastilhas,

que totalizam já um total de 46 e 24 disponíveis, respetivamente, para as

principais marcas de veículos pesados em Portugal. Nos ligeiros e pesados,

temos uma cobertura de gama de cerca de 40% e 90%, respetivamente.

Note-se que, nos pesados, esta gama de produtos foi introduzida há

vários anos”, sublinha a empresa. Criada e desenvolvida pelos próprios

responsáveis, “é normal que tenhamos um ‘carinho’ especial pela marca e

pelos seus clientes”, afirmam.

www.civiparts.com | www.onedrive.pt

ATE

A Ate é um fornecedor de sistemas de travagem que disponibiliza aos

clientes, espalhados pelo mundo, todas as peças provenientes de uma

única fonte. “Há mais de 100 anos que a nossa marca premium Ate

apresenta componentes de elevada qualidade, como peças de desgaste

para travões, peças hidráulicas, sensores de ABS, ferramentas especiais

e equipamentos de teste”, revela a empresa. “Os nossos componentes

Ate têm qualidade OE comparável. Hoje, a Ate cobre mais de 96% de

todos os veículos no mercado europeu e pretendemos subir para 97% no

futuro próximo”, revela. Por sua vez, a marca Galfer “é uma linha adicional

de pastilhas e discos de elevada qualidade a preços justos”, acrescenta

a empresa. Novidades? “Ampliámos a nossa linha de discos Ate para os

Mercedes-Benz Classes C e E, tornando-nos num dos poucos fornecedores

que podem oferecer uma ampla gama de discos de travagem de uma

e duas peças. As oficinas independentes, portanto, têm um produto

económico comparável à marca premium para ainda mais veículos. Outra

novidade, prende-se com os modelos de cerâmica com baixo teor de

poeira”, conclui.

www.continental-aftermarket.com

www.ate-brakes.com/catalogues/online-catalogues

https://web.tecalliance.net/continental/pt/home

HÁ MAIS DE 100 ANOS QUE A

MARCA PREMIUM ATE APRESENTA

COMPONENTES DE ELEVADA

QUALIDADE A CLIENTES

ESPALHADOS PELO MUNDO

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 79


em Foco Componentes de travagem

LPR

A LPR É UMA MARCA QUE FAZ

parte DO vasto PORTEFÓLIO DA

AUTOZITÂNIA NO SEGMENTO DOS

COMPONENTES DE TRAVAGEM

A Autozitânia tem uma ampla gama de componentes de travagem, com

uma abrangência do parque automóvel nacional muito alta e das mais

completas do mercado. A marca LPR é uma delas. “Disponibilizamos

componentes dos principais fabricantes de travagem OEM, com vários

fabricantes que equipam o primeiro equipamento, pois focamo-nos nos

componentes de travagem dos segmentos premium e quality”, refere

fonte da empresa. Destaque, em 2019, para “a introdução dos discos de

travão TEXTAR e da gama Xtra da Brembo, assim como uma atualização

de toda a gama de pastilhas da marca Brembo”. A Autozitânia mantém

uma relação muito próxima com as oficinas suas clientes. “Focamo-nos,

essencialmente, em formação e em comunicações de boas práticas, de

forma a transmitir o máximo de informação importante para a correta

aplicação dos componentes de travagem, reduzindo ao máximo as dúvidas

e os problemas futuros”. As expectativas no mercado nacional, em 2020,

são de “continuação do crescimento sustentado de vendas, algo que temos

vindo a verificar nos últimos anos”, afirma.

www.lpr.it/

BILSTEIN GROUP

“Qualidade Consistente. Travagem Total!” Esta é a assinatura da gama do

bilstein group neste segmento. “A vasta gama de travagem das marcas do

bilstein group é composta por diversos componentes afetos à segurança

de veículos ligeiros e pesados. O amplo leque varia de pastilhas e discos a

tubos e cilindros do travão de roda”, explica a empresa que comercializa

pastilhas e discos nas três marcas do grupo: febi, SWAG e Blue Print.

“Algo que nos distingue é a forma como as novas peças começam a fazer

parte do nosso ADN. O bilstein group receciona as amostras das peças e,

depois de criar um registo da amostra, é verificado o cumprimento dos

requisitos documentados. Posteriormente, são revistos dados adicionais

e, por fim, é levada a cabo uma inspeção física e comparação. Após esta

fase de análise, é criado um relatório de inspeção da amostra. A partir

daqui, podem ser equacionadas duas possibilidades: se a amostra for

rejeitada por não ter cumprido todos os passos descritos, dá-se lugar a

um novo desenvolvimento. Caso a mesma seja aprovada, necessita de

duas aprovações de modo a ser incluída na gama. Foram criados padrões

relativos ao produto de modo a que os nossos fornecedores tenham

conhecimento das expectativas que temos, garantindo consistência e

qualidade por parte de todos os fornecedores. Adicionalmente, foram

elaborados templates de desenhos técnicos para assegurar que a

informação crítica está devidamente documentada para cada referência.

O processo de introduzir um novo parceiro de desenvolvimento dura um

período mínimo de dois anos”, explica Joaquim Candeias.

www.partsfinder.bilsteingroup.com

“QUALIDADE CONSISTENTE.

travagem totaL!”. É ESTA

A assINATURA DA GAMA DO

BILSTEIN GROUP (marcas

FEBI, SWag E BLUE PRINT)

NESTE SEGMENTO

80 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


A CREATE, QUE DISPÕE

DA MARCA INDIEPARTS,

DESCREVE A SUA GAMA

DE TRAVAGEM COMO

“ABRANGENTE”, DOTADA DE

“EXCELENTE QUALIDADE”

E COM “GARANTIA CREATE

BUSINESS”

INDIEPARTS

A Create, que dispõe da marca Indieparts, descreve a sua gama de

componentes de travagem como “abrangente”, dotada de uma “excelente

qualidade” e com “garantia Create Business”. A mais recente novidade foi

o lançamento de uma gama de discos e pastilhas. Em relação aos seus

parceiros, fonte da Create não esconde o apoio prestado: na criação de

material promocional e na estratégia de divulgação da marca IP, além

do acompanhamento individual aos comerciais, através da realização de

workshops e fichas técnicas. Por sua vez, o apoio dado às oficinas, passa,

por exemplo, pela sua própria divulgação, por intermédio da criação

de material promocional, tanto online como offline, por campanhas

promocionais com brindes e anda pelo fornecimento de expositores. Para

a Create, as expectativas de vendas em Portugal, para 2020, “são bastante

elevadas”. Os responsáveis da empresa acreditam em “fazer um bom

número nesta linha de produto”. Fonte da empresa admite que o mercado

nacional é “bastante complexo e competitivo”, mas composto por “clientes

cada vez mais informados e atentos às especificações”.

www.maisvalor.pt

DELPHI

A DELPHI DEFENDE QUE SÓ

CUMPRINDO AS ESPECIFICAÇÕES

OE SE PODE ASSEGURAR QUE OS

COMPONENTES DE TRAVAGEM

OFERECEM OS MAIS ELEVADOS

NÍVEIS DE POTÊNCIA E CONTROLO

Todos os discos e pastilhas da Delphi Technologies são projetados e

fabricados para refletir o OE. “Cada uma das nossas pastilhas, por exemplo,

faz uso de uma tecnologia especial de camada inferior de OE, que

absorve ruído, reduz a transferência de calor e aumenta a resistência ao

cisalhamento. Nem todos os nossos concorrentes têm estes standards”,

revela a empresa. “E os nossos discos são fabricados utilizando uma

variedade de diferentes peças fundidas e/ou configurações, novamente

conforme o equipamento original. Portanto, se o componente OE for feito

de elevado teor de carbono e estiver revestido... é nosso. Se for ventilado

para melhorar a capacidade de arrefecimento... também é nosso. Só

cumprindo as especificações OE é que podemos garantir que os nossos

componentes de travagem oferecem os mais elevados níveis de potência

e controlo de travagem”. No ano passado, a Delphi lançou mais de 100

componentes de travagem no mercado ibérico, com foco nos produtos de

primeiro equipamento. Além disso, introduziu uma nova linha de pastilhas

de travão direcionais e adicionou uma gama de discos de carbono.

www.delphiautoparts.com

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 81


em Foco Componentes de TRAVAGEM

DRIV

A gama de travagem da DRiV (Federal-Mogul Motorparts) caracteriza-se

pelas próprias marcas ícones que comercializa. “As marcas FERODO e

JURID estão, desde sempre, ligadas ao Equipamento Original. A FERODO

é a marca mais antiga que existe em travagem, cuja origem do nome

assenta no acrónimo do inventor deste tipo de materiais: Herbert Frood.

A gama caracteriza-se por tecnologias e formulações desenvolvidas de

forma exclusiva ou equivalente ao Equipamento Original”, explica fonte

da empresa. “Comercializamos as marcas premium FERODO e JURID para o

segmento de veículos ligeiros (passageiros e comerciais). Para o segmento

de veículos pesados, o grupo dispõe das marcas FERODO, JURID e BERAL,

todas com um pedigree invejável de homologações em equipamentos

originais”, acrescenta. Para fazer face a um mercado “competitivo”, o

grupo “disponibiliza ainda uma gama de pastilhas e discos de travão mais

económica, sob a marca CHAMPION, com um número de formulações

OE mais restrito, é certo, mas sem nunca comprometer a segurança e o

desempenho da travagem”.

www.ferodo.pt | www.championautoparts.pt | www.jurid.com

www.drivparts.com/en-eu | www.drivparts.com/en-eu/

garagegurus.html

A HELLA PAGID TEM VINDO

A CRESCER EM NOTORIEDADE

FRUTO DA PRESENÇA NO PRIMEIRO

EQUIPAMENTO DE MARCAS

DE AUTOMÓVEIS DE PRESTÍGIO

A GAMA DE TRAVAGEM DA

DRIV (FEDERAL-MOGUL

MOTORPARTS) INTEGRA AS

MARCAS FERODO, JURID E

BERAL, TODAS LIGADAS AO

EQUIPAMENTO ORIGINAL.

AS DUAS PRIMEIRAS PARA

LIGEIROS, A ÚLTIMA PARA

PESADOS

HELLA PAGID

A HELLA PAGID dispõe de uma gama completa de sistemas de travagem,

incluindo hidráulica e cabos, posicionando-se a um nível de qualidade de

primeiro equipamento a um preço competitivo. “Na competição, temos

uma penetração e notoriedade destacada, onde somos a marca de eleição

nas provas de Le Mans e DTM. Em termos de novidades no mercado dos

componentes de travagem, destacamos o lançamento dos discos de

elevado teor de carbono e, também, dos discos de dois componentes

(combinam alumínio e aço)”, conta fonte da empresa. O apoio dado aos

distribuidores e oficinas é crucial. “Temos todo o suporte de pós-venda

que a HELLA fornece ao mercado e com um excelente reconhecimento

por todos os nossos parceiros”, afirma. Por tudo isto, as expectativas

de vendas para o mercado nacional, em 2020, apontam no sentido de

“continuar a crescer em quota de mercado, fruto da notoriedade que nos

vai trazendo o primeiro equipamento, nomeadamente tendo sido a nossa

marca selecionada para equipar, de origem, marcas de prestígio, como, por

exemplo, Porsche, Audi e Jaguar”, conclui.

www.hella.com/hella-pt/pt

82 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


COMLINE

A COMLINE DESTINA-SE,

EXCLUSIVAMENTE, AO

AFTERMARKET. OS SEUS

COMPONENTES DE TRAVAGEM

OFERECEM UMA ALTERNATIVA

DE QUALIDADE A PREÇOS MAIS

COMPETITIVOS FACE AO OE

A gama de pastilhas, discos e pinças de travão da marca Comline reflete a

promessa da empresa britânica: oferecer fiabilidade e qualidade constantes

com uma boa relação preço/equipamento em todas as linhas. A Comline é

uma marca exclusivamente destinada ao aftermarket e os seus componentes

de travagem visam oferecer ao pós-venda uma alternativa de qualidade a

preços mais competitivos face às marcas presentes no equipamento original.

Os componentes de travagem da Comline dispõem de características

que melhoram a sua performance. Mais de 500 das suas referências mais

populares integram soluções OE. No início deste ano, a marca lançou uma

nova gama de pinças, que vem complementar as linhas de pastilhas e discos

já existentes. Com provas dadas na área da travagem, a Comline espera,

contudo, que o ano de 2020 não seja de abrandamento em toda a Europa.

Bem pelo contrário. As expectativas são, por isso, otimistas.

www.comline.uk.com

METELLI

“Em conformidade com a tradição do Grupo Metelli, também a linha

de componentes de travagem é caracterizada pelo elevado nível de

qualidade, o que a torna na solução perfeita para todos os condutores

sensíveis ao desempenho”, conta fonte da empresa. “Além disso, a nossa

abrangência é outro ponto chave que diferencia, substancialmente, as

nossas marcas no mercado”, reforça. A implementação do composto HybriX

para pastilhas de travão é uma das principais novidades da empresa neste

mercado. “Este revolucionário composto, isento de cobre, é o resultado

final de um longo processo de inovação, que permite diferenciar as nossas

pastilhas de travão no mercado e estarmos perfeitamente alinhados

com as mais recentes regulamentações ambientais presentes no mundo.

O composto garante um ótimo desempenho, não apenas em veículos

com motorizações ‘tradicionais’, mas, também, nos mais recentes com

motores elétricos e híbridos”, acrescenta. Atualmente, a gama de pastilhas

para aplicações híbridas e elétricas contém cerca de 140 referências,

abrangendo 96 modelos diferentes, dos quais 1,5 milhões no mercado

europeu e 2,3 milhões no parque automóvel dos EUA.

www.metellispa.it

A IMPLEMENTAÇÃO DO

REVOLUCIONÁRIO COMPOSTO

HYBRIX (ISENTO DE COBRE) PARA

PASTILHAS DE TRAVÃO É UMA DAS

PRINCIPAIS NOVIDADES DA METELLI

NO MERCADO

MAGNETI MARELLI

AS GAMAS DA MAGNETI

MARELLI NESTA ÁREA FORAM

LANÇADAS PARA RESPONDER

ÀS NECESSIDADES DA REDE

DE OFICINAS CHECKSTAR

As gamas de componentes de travagem da empresa foram lançadas como

forma de responder às necessidades da rede de oficinas Magneti Marelli

Checkstar, visando, segundo fonte oficial, “oferecer produtos de grande

rotatividade nos negócios, sempre com as melhores garantias de qualidade

e competitividade”. Da mesma forma, “também oferecemos maior cobertura

à distribuição que trabalha com nossa rede de oficinas e a distribui a outros

clientes, expandindo a oferta de catálogo de componentes sob a marca Magneti

Marelli”, acrescenta fonte da empresa. Parceira do TecDoc, a marca presta todas

as informações aos seus distribuidores e oficinas, além da que disponibiliza no

site, onde o cliente pode encontrar ferramentas para consultoria dos produtos

e todos os detalhes, imagens e especificações sobre as várias referências em

catálogo. A empresa está a apostar fortemente na sua rede de oficinas Magneti

Marelli Checkstar. “Há um tempo, fizemos um grande investimento nesse

tipo de produto e, juntamente com nosso parceiro e distribuidor de rede em

Portugal, temos grandes expectativas de crescimento”, diz.

www.magnetimarelli-aftermarket.pt

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 83


em Foco Componentes de travagem

BOSCH

A Bosch dispensa apresentações no mercado dos componentes de

travagem. São muitas as décadas de experiência nesta área, desenvolvendo

sistemas de controlo de travagem: ABS, ESP, servofreios, discos e

revestimentos de travão. Os seus padrões uniformes garantem a mesma

qualidade em todas as fábricas do mundo, seja na Alemanha, nos EUA,

na China, no México ou em qualquer outro país. Exemplo desta garantia

de qualidade são os iDisc, que ajudam a reduzir o problema das emissões

de partículas nas cidades. Trata-se de um disco de travão, lançado há dois

anos, que gera até 90% menos pó de travagem. O revestimento de metal

do iDisc reduz o desgaste dos travões e aumenta a segurança operacional.

Refira-se que a Bosch controla a qualidade dos seus produtos através de

testes regulares, incluindo estudos padronizados de pulverização de sal e

cisalhamento. Segundo fonte oficial, os “resultados dos testes dos produtos

Bosch excedem, consideravelmente, os requisitos. Além disso, as taxas

de falha das pastilhas de travão, em relação ao descolamento induzido por

corrosão, chegam a menos de uma ppm (parte por milhão).

OS IDISC DA BOSCH AJUDAM

A REDUZIR O PROBLEMA DAS

EMISSÕES DE PARTÍCULAS

nas CIDADES. LANÇADO HÁ

DOIS ANOS, ESTES DISCOS

GERAM atÉ 90% MENOS PÓ

DE TRAVAGEM

www.bosch.pt

O PROGRAMA DA ZIMMERMANN,

NO SEGMENTO DAS PASTILHAS,

É COMPOSTO POR MAIS DE 1.000

REFERÊNCIAS, garantINDO, ASSIM,

A COBERTURA DE GRANDE PARTE DA

FROTA atUAL (LIGEIROS E PESADOS)

ZIMMERMANN

O programa da Zimmermann, no segmento das pastilhas de travão,

é composto por mais de 1.000 referências, garantindo, assim, a

cobertura de grande parte da frota de veículos atual, tanto ligeiros como

pesados. Segundo fonte da empresa, “cada veículo tem as suas próprias

características e exigências”. Como tal, “várias misturas de matérias-primas

são a base para a melhor qualidade, confiança e segurança”, acrescenta.

Entre as suas vantagens no mercado, a Zimmermann realça, entre outras,

a “grande cobertura do programa, com mais de 1.000 referências, a

elevada capacidade de stock (120 mil peças), a qualidade OE, a vida útil

longa dos produtos e a sua ótima proteção contra a corrosão”. A gama de

discos de travão é, igualmente, completa e “constantemente desenvolvida

em conformidade com o inventário atual de veículos”. Deste modo, a

Zimmermann mantém sempre uma gama inovadora de produtos para o

aftermarket”, explica a mesma fonte, destacando como principal novidade,

neste campo, a nova linha de pinças de travão.

www.otto-zimmermann.de/de/service/faq.html

84 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


BREMBO

ENTRE AS PRINCIPAIS

NOVIDADES DA BREMBO,

ENCONTRA-SE A GAMA

“X RANGE”, COM OS

DISCOS MAX E XTRA, UMA

SINERGIA PERFEITA ENTRE

PERFORMANCE, CONFORTO

E DURABILIDADE

“Tecnologia, inovação e estilo”. São estes as principais virtudes com

que a Brembo, líder de mercado há mais de 50 anos, classifica os

seus componentes de travagem. “O alto nível de tecnologia e a vasta

experiência da empresa em produzir sistemas para os principais

fabricantes de automóveis, combinados com o controlo completo do

processo de produção, permitem à Brembo fornecer a maior e mais

confiável gama de peças de reposição, cobrindo mais de 96% dos veículos

no mercado”, garante fonte oficial da empresa. Entre as principais

novidades da Brembo, encontra-se a gama “X Range”, com os discos Max e

Xtra, uma sinergia perfeita entre performance, conforto e durabilidade. As

pastilhas de travão Xtra são a “solução ideal para os amantes da condução

desportiva”, afirma a Brembo. Novidade é ainda o disco Brembo co-cast,

destinado ao mercado premium, uma solução inovadora competente para

combinar ligeireza com resistência.

www.bremboparts.com

FMG

A FMG é um fabricante de materiais de fricção que prima por disponibilizar

uma gama completa, capaz de cobrir 99% das gamas de componentes de

travagem para pesados. “A última novidade que introduzimos no mercado

foram as pastilhas, alterando o suporte de metal, para ganhar maior

resistência ao cisalhamento (força necessária para separar o material

de atrito do suporte de metal), excedendo, amplamente, os padrões

estabelecidos no regulamento R-90”, revela fonte da FMG, que contempla

as marcas Road House, Remsa e Woking. O fabricante presta um forte

apoio aos seus distribuidores e oficinas parceiras. Em dois patamares. “Por

um lado, a nível técnico, com suporte do departamento de Investigação

& Desenvolvimento e de um técnico especializado para resolver qualquer

problema que possa surgir. Por outro, também apoiamos através do

departamento de marketing, de maneira dupla, ajustando os preços para

serem o mais competitivos possível e por intermédio de promoções para

ajudá-los a vender ao cliente final”, sustenta a mesma fonte da FMG. Em

2020, o fabricante pretende “consolidar” o que conseguiu conquistar nos

últimos anos.

www.roadhouse.es | www.remsa.es | www.wokingbrakes.com/es

A FMG FABRICA MATERIAIS

DE FRICÇÃO QUE EXCEDEM,

AMPLAMENTE, OS PADRÕES

DO REGULAMENTO R-90,

CONTEMPLANDO NO SEU

PORTEFÓLIO AS MARCAS ROAD

HOUSE, REMSA E WOKING

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 85


Mundo

automóvel

JEEP RENEGADE S 1.3 TURBO

REBELDE

COM CauSA


IRREVERENTE, REBELDE, SAUDOSISTA. COM A NOVA SÉRIE ESPECIAL

S, O RENOVADO RENEGADE, O PRIMEIRO SUV DA MARCA A SER

FABRICADO EM ITÁLIA, ESTÁ MAIS ATRAENTE DO QUE NUNCA. AO

DESIGN APELATIVO, JUNTA-SE UM NÍVEL DE EQUIPAMENTO RECHEADO,

UMA PANÓPLIA DE DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA E UM MOTOR

1.3 TURBO A GASOLINA COM 150 CV, QUE TRAZ ACOPLADA CAIXA

AUTOMÁTICA DE DUPLA EMBRAIAGEM COM SEIS VELOCIDADES. SEM

EXTRAS NEM DESPESAS, ESTE JEEP, QUE PAGA CLASSE 1 COM VIA

VERDE, CUSTA €32.184. O PREÇO DA DIFERENÇA por Bruno Castanheira

Exceção feita à versão Trailhawk, que dispõe

de sistema Selec-Terrain (modos “Auto”;

“Snow”; “Sand”; “Mud”; “Rock”), assistência

em descidas e caixa automática de nove velocidades,

o renovado Jeep Renegade assume na nova

série especial S a sua faceta mais rebelde. Baseada

no nível de equipamento topo de gama, Limited,

a nova variante aqui em análise confere uma imagem

mais desportiva ao primeiro SUV da Jeep a

ser fabricado em Itália, que dispõe de uma gama

de motores desenvolvida para assegurar máxima

poupança de combustível e performances elevadas

em qualquer tipo de terreno, além, claro está, de

um estilo genuíno, naquela que é uma moderna

interpretação do icónico design da marca norte-americana.

Imagem saudosista

Não há volta a dar. A opção por um Jeep, mesmo

que a racionalidade impere, tem sempre uma elevada

carga emocional. Afinal, o caso não é para

menos. Fundada, em 1943, no estado norte-americano

do Ohio, a Jeep deu origem à palavra “jipe”

que se começou a utilizar para definir os veículos

ligeiros com aptidões fora de estrada. No entanto,

durante algum tempo, Jeep só havia mesmo um.

Mas a oferta foi crescendo e adaptando-se às necessidades.

Por isso, a gama dos nossos dias contempla

os modelos Renegade, Compass, Cherokee

e Wrangler. Mas independentemente do figurino

e da volumetria, a Jeep tem conseguido manter

a mística que a celebrizou, sendo, hoje, o seu design

menos rústico e a sua postura mais burguesa.

No caso específico deste Renegade (pintado

de opcional vermelho “Colorado”, o que obriga ao

dispêndio de €550), a nova série especial S exibe

aplicações em cinzento “Granite Crystal” na grelha

frontal e no emblema da Jeep, tal como nos letterings

Renegade e S. As barras no tejadilho são específicas

desta versão, tal como as exclusivas jantes

de 19” com cinco raios duplos, também em cinzento

“Granite Crystal”. A arrojada imagem desta nova

série especial realça ainda mais o estilo moderno

do Model Year 2019 do Renegade, que surge, agora,

com novo design da frente, graças à nova faixa

que apresenta a grelha Jeep de sete entradas com

silhueta cortada e retocada. Entre os principais

elementos deste SUV, estão, também, os novos

faróis dianteiros premium com luzes diurnas, de

máximos, de médios e de nevoeiro totalmente em

LED.

O Renegade também foi alvo de diversas melhorias

no habitáculo. Oferecendo um espaço de bom

nível para ocupantes e bagagem, um posto de condução

correto e uma qualidade de construção francamente

convincente, a nova série especial S seduz

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 87


JEEP RENEGADE

O vermelho “Colorado” da carroçaria (€550) e os vidros traseiros escurecidos (€200) são dois extras que elevam o

apelo. Já as jantes de 19” e as aplicações em cinzento “Granite Crystal”, são específicas da nova série especial S

NÃO HÁ VOLTA A DAR. A OPÇÃO POR UM JEEP,

MESMO QUE A RACIONALIDADE IMPERE, TEM

SEMPRE UMA ELEVADA CARGA EMOCIONAL

pelos bancos premium com novas

costuras cor de tungsténio, pelo volante

forrado a pele com costuras

pretas e pelos avançados conteúdos

tecnológicos de utilização intuitiva,

onde se inclui o sistema Uconnect de

quarta geração de 8,4” Nav, que integra

Apple CarPlay e que é compatível

com Android Auto. Entre outros

conteúdos exclusivos propostos de

série, estão os sensores de estacionamento

dianteiros e traseiros bem

como o ar condicionado automático

de duas zonas.

Condução lendária

Segundo a Jeep, o mais recente Renegade

é, também, uma referência

em termos de segurança. Tudo para

garantir uma proteção máxima e um

elevado conforto de condução. Por

isso, a nova série especial S inclui, de

série, cruise control adaptativo, alerta

de colisão frontal plus com travagem

de emergência ativa, alerta de

desvio de faixa plus (de série em toda

a gama Renegade) e assistência inteligente

à velocidade com reconhecimento

de sinais de trânsito (TSR).

Este último dispositivo consegue

interpretar a sinalização vertical,

incluindo limites de velocidade com

e sem restrições, notificando o condutor

através de um alerta que pode

ser visualizado no painel de instrumentos.

Em associação ao sistema

de assistência inteligente à velocidade

(que pode ser operado, confortavelmente,

através de comandos no

volante), a velocidade do Renegade

pode ser definida para os limites previamente

identificados pelo TSR.

A nova série especial S recorre aos

préstimos do motor a gasolina 1.3

Turbo, de quatro cilindros, que, na

unidade aqui em análise, apresenta

uma potência de 150 cv e um binário

de 270 Nm, trazendo acoplada caixa

automática de dupla embraiagem

com seis velocidades (DDCT - Dual

Dry Clutch Transmission ou Transmissão

de Dupla Embraiagem a

Seco). Com prestações bastantes interessantes

e consumos comedidos,

a condução do Renegade faz lembrar

a de um todo-o-terreno “puro

e duro”. Não que seja desconfortável

nem difícil de manobrar, longe disso,

mas porque o amortecimento algo

vago da suspensão, a falta de maior

feedback da direção e a atuação nem

sempre célere da caixa assim o permitem.

Mas a condução lendária que

este Jeep proporciona deve-se ao seu

espírito saudosista, que nos faz recuar

aos tempos em que os veículos

todo-o-terreno eram, de facto, isso

mesmo. Hoje, naquela que é uma

interpretação moderna de tempos

idos, a definição da marca norte-americana

não deixa margem para

dúvidas: “A série especial S é uma

agradável expressão da atitude urbana

e desportiva do Renegade, ao

mesmo tempo que preserva todas as

lendárias capacidades da Jeep”. E a

verdade é que este SUV tem o condão

de seduzir quem o conduz. Para

mais, dispondo a unidade aqui em

análise de €3.900 de extras. A saber:

teto de abrir “MySky” (€1.500); estofos

em pele preta com inserções em

cinzento (€1.150); pintura vermelho

“Colorado” (€550); regulação elétrica

dos bancos dianteiros em oito vias

(€500); vidros traseiros escurecidos

(€200). l

MOTOR

Tipo

4 cil. linha, transv., diant.

Cilindrada (cc) 1332

Diâmetro x curso (mm)

70,0x86,5

Taxa de compressão 10,5:1

Potência máxima (cv/rpm) 150/5500

Binário máximo (Nm/rpm) 270/1850

Distribuição

2 v.e.c., 16 válvulas

Alimentação injeção direta de gasolina

Sobrealimentação

turbo + intercooler

TRANSMISSÃO

Tração

dianteira com ESC

Caixa de velocidades auto. dupla embraiagem

de 6+ma

DIREÇÃO

Tipo

pinhão e cremalheira

Assistência

sim (elétrica)

Diâmetro de viragem (m) 11,0

TRAVÕES

Dianteiros (ø mm) discos ventilados (305)

Traseiros (ø mm) discos maciços (278)

ABS

sim, com EBD+BAS

SUSPENSÕES

Dianteira

McPherson

Traseira

McPherson

Barra estabilizadora (diant./tras.) sim/sim

PERFORMANCES ANUNCIADAS

Velocidade máxima (km/h) 196

0-100 km/h (s) 9,4

Consumo comb. (l/100 km)

6,7 (WLTP)

Emissões de CO 2 (g/km)

151 (WLTP)

Nível de emissões Euro 6

DIMENSÕES, PESO E CAPACIDADES

Comp./larg./alt. (mm) 4236/1805/1667

Distância entre eixos (mm) 2570

Vias frente/trás (mm) 1541/1541

Altura ao solo (mm) 175

Capacidade do depósito (l) 48

Capacidade da mala (l) 351-1297

Peso (kg) 1395

Relação peso/potência (kg/cv) 9,3

Jantes de série

7 1/2Jx19”

Pneus de série 235/45R19

Pneus testado Bridgestone Dueler H/P Sport,

235/45R19 95V

GARANTIAS

Mecânica

2 anos

Pintura

2 anos

Anticorrosão

7 anos chapa;

2 anos partes não visíveis carroçaria

ASSISTÊNCIA

1.ª revisão 15.000 km

Custo 1.ª revisão (c/ IVA) €188,56

Intervalos

15.000 km

PREÇO (sem despesas) €32.184

Unidade testada €34.405 (preço de campanha)

Imposto Único de Circulação (IUC) €158,92

88 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


É uma empresa PME do Aftermarket?

Então esta revista é para si!

Contacte-nos e reserve já o seu anúncio


Mundo

Automóvel

NOTÍCIAS por Bruno Castanheira

JAGUAR LAND ROVER

MOBILIDADE DO FUTURO

A

Jaguar Land Rover revelou o novo e ousado concept Project Vector como parte do seu

compromisso “Destination Zero”, dando a conhecer a visão que tem sobre a mobilidade

urbana autónoma, elétrica e online. A missão “Destination Zero” da Jaguar Land Rover

consiste num projeto que ambiciona a criação de uma sociedade mais segura, mais saudável e

com um meio ambiente mais limpo. A partir de um processo de inovação incessante, a marca

britânica luta por um futuro com zero emissões, zero acidentes e zero congestionamentos de

trânsito, através dos seus produtos e serviços, mas, também, das suas instalações. Como nova

etapa desta viagem, o conceito Project Vector vai revelar um veículo elétrico avançado, flexível e

multifuncional, que está pronto para ter “autonomia própria”. Com apenas quatro metros de

comprimentos, este concept foi projetado para a cidade, com as suas baterias e unidades de tração

a estarem colocadas numa superfície plana de modo a possibilitar vários tipos de utilizações. O

espaço interior revolucionário permite várias configurações dos bancos para utilização particular,

partilhada e até mesmo comercial, como serviços de entrega de última hora. O conceito Project

Vector foi criado com o objetivo de aumentar a qualidade de vida urbana no futuro.

CUPRA

NOVIDADES NA CUPRA GARAGE

C

oincidindo com o seu segundo aniversário, a CUPRA mostrou a sua nova casa, a CUPRA

Garage, localizada ao lado da própria sede corporativa da SEAT. Durante o evento de

inauguração, pela primeira vez à escala global, a marca apresentou a gama do primeiro

CUPRA Leon, incluindo novos automóveis de competição (o totalmente elétrico CUPRA e-Racer

e o CUPRA Leon Competición), dando provas que está a iniciar a sua caminhada rumo à eletrificação

com o seu primeiro modelo híbrido. Este ano, considerado essencial para a marca, a CUPRA

pretende demonstrar as suas capacidades ao mercado, alargando a gama de produtos e expandindo-a

internacionalmente. Além do sucesso do CUPRA Ateca, a marca vai reforçar a sua oferta, no

último trimestre deste ano, com o primeiro CUPRA Leon, nas versões de cinco portas (hatchback)

e carrinha (Sportstourer). Isto além do CUPRA Formentor, o primeiro modelo desenhado, especificamente,

para a marca. Além de abrir as portas da sua nova sede, um edifício de 2.400 m 2 eco

eficiente, cujo design evoca uma boxe, a marca está a remodelar a sua fábrica de competição:

CUPRA Racing Factory.

ŠKODA KAMIQ

JÁ ESTÁ EM PORTUGAL

A Škoda adicionou um terceiro modelo ao seu portefólio SUV

destinado ao mercado europeu. O Kamiq assinala a estreia da marca

checa no segmento dos crossover. Com sistemas de assistência e de

infoentretenimento de última geração, espaço generoso e inúmeras

soluções “Simply Clever”, está disponível, numa primeira fase, com

uma oferta repartida entre um motor a gasolina de três cilindros

(1.0 TSI com 95 ou 116 cv) e um bloco de quatro cilindros Diesel

(1.6 TDI com 116 cv). Ambos com injeção direta, turbocompressor,

sistema de recuperação de energia em travagem e sistema start/

stop. Os motores podem trazer acopladas caixas manuais de

cinco ou seis velocidades, além de uma automática (DSG) de sete

relações. Com uma altura ao solo superior em 39 mm face ao

Scala, o Kamiq pode, em opção, ser equipado com Sport Chassis

Control. Já o Driving Mode Select, permite definir os parâmetros e

o comportamento. Durante a fase de lançamento, o Kamiq 1.0 TSI

Ambition de 95 cv, a versão de entrada, é proposto por €19.990

(incluindo pintura metalizada, mas sem despesas), valor que

ascenderá, depois, a €21.680.

NOVO MACAN SOUL

ALMA PORSCHE EM FORMATO SUV

A Porsche Ibérica lançou o Macan Soul, uma nova versão limitada

deste SUV compacto, que recorre aos préstimos do motor de

2,0 litros com 245 cv (traz acoplada caixa automática de dupla

embraiagem PDK) e inclui um extenso equipamento de série,

tornando este modelo de entrada na gama da marca ainda mais

exclusivo. O Macan Soul, além do alargado equipamento de série,

proporciona ao cliente uma importante vantagem comercial, já

que a aquisição dos opcionais em separado tem um custo bastante

mais elevado do que aquele que é apresentado nesta versão.

No exterior, destaca-se o teto panorâmico, as saídas de escape

desportivas em preto, as jantes Sport Classic de 21”, os faróis de

LED, a porta da bagageira com abertura elétrica e o ParkAssist com

câmara de marcha-atrás. Já o habitáculo, diferencia-se pelos bancos

em pele com memória e aquecimento, ligação Apple CarPlay com

reconhecimento por voz Siri, climatização automática de três zonas,

aviso de saída de faixa, sistema de som Plus, pacote de iluminação

Confort e Porsche Comunication Management (PCM) com ecrã tátil

de 10,9”. No capítulo mecânico, o Macan Soul conta com suspensão

pneumática dotada de Porsche Active Suspension Management

(PASM). Em Portugal, este SUV está disponível por €91.911.

90 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


Mundo

Automóvel

EM ESTRADA

por Jorge Flores

AUDI A4 2.0 TDI S TRONIC AVANT

EQUILÍBRIO GERMÂNICO

Eis a versão 35 TDI (2,0 litros de 163 cv), equipada com o designado sistema mild hybrid de 12 Volt.

Trata-se de um sistema que faz uso de um motor de arranque que desempenha, em simultâneo,

as funções de gerador e é suportado por uma bateria de iões de lítio. Esta tecnologia permite

desligar, temporariamente o motor durante a condução, de forma totalmente automática e praticamente

impercetível ao condutor, reduzindo, desta forma, o consumo de combustível. A carrinha

conta com uma transmissão S tronic de sete velocidades e assume-se como uma solução equilibrada

e à medida dos fãs da Audi A4 Avant. Não lhe falta nenhum dos predicados fundamentais: atração

visual, conforto, espaçoso, energia (8,2 segundos para cumprir o arranque dos 0 aos 100 km/h)

e poupado (4,1 l/100 km de gasóleo em regime combinado). Em termos estéticos, sublinhe-se a

presença de uma grelha mais larga, novos para-choques, faróis reconfigurados e com tecnologia LED. Por dentro, destaque para a versão mais

recente do sistema de infoentretenimento MMI com ecrã tátil de 10,1”, estando disponíveis, em opção, três tipos de painel de instrumentos. No

que ao desempenho dinâmico diz respeito, a habitual precisão e envolvência da Audi. O preço reflete tudo isto.

Motor 4 cil. linha Diesel, transv., diant. Cilindrada (cc) 1968 Potência máxima (cv/rpm) 163/4200

Binário máximo (Nm/rpm) 320/1750-2500 Velocidade máxima (km/h) 223 0-100 km/h (s) 8,2

Consumo combinado (l/100 km) 4,1 Emissões de CO 2 (g/km) 109 Preço €47.200 IUC €197,69

FORD FOCUS 1.0 ECOBOOST ST LINE

TPC EXEMPLAR

Poucas vezes um familiar compacto terá feito um trabalho de casa de forma tão exemplar.

O Ford Focus 1.0 EcoBoost é um modelo que respirou fundo e centrou a sua atenção

no essencial. Na carroçaria de cinco portas, exibe umas linhas desportivas - ou não se

tratasse da versão ST Line – e nada fica a dever em matéria de conforto no interior. Os bancos,

parcialmente forrados a couro, são, também eles, de cunho desportivo e a posição de condução é

quase perfeita, embora o volante tenha demasiados instrumentos para uma utilização intuitiva.

Mas debaixo do capot está a sua maior virtude. Na estrada, custa a acreditar que se trate de um

pequeno motor de três cilindros. Com 125 cv de potência e 170 Nm de binário, constante entre as

1400 e as 4400 rpm, esta versão do Focus ganha um “poder de fogo” surpreendente com overboost,

onde consegue registar um binário máximo de 200 Nm. Basta ver que cumpre o arranque dos 0 aos 100 km/h em 10 segundos e alcança uma velocidade

máxima de 200 km/h. Isto embora, nestes regimes, seja impossível conseguir os consumos médios de 4,3 l/100 km, o que é uma pena. A versão ensaiada

custa (sem despesas) €24.384 e contempla um equipamento de série expressivo. Entre os opcionais, traz pintura metalizada Plus “Desert Island Blue”,

carregador de telefone sem fios e sistema de navegação Premium com B&O Play. A elevada qualidade de construção, o desempenho dinâmico reativo e

a presença de inúmeros dispositivos de segurança, são outros predicados deste familiar compacto.

Motor 3 cil. linha, transv., diant. Cilindrada (cc) 999 Potência máxima (cv/rpm) 125/6000 Binário máximo (Nm/rpm) 170*/1400-4400

Velocidade máxima (km/h) 200 0-100 km/h (s) 10,0 Consumo combinado (l/100 km) 4,3 (WLTP) Emissões de CO 2 (g/km) 129 (WLTP)

Preço €24.384 IUC €124,38

*200 Nm com overboost

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 91


tecnologia

SISTEMA DE VISIBILIDADE LATERAL PARA PESADOS

VER atRAVÉS DA CABINA

AS MARCAS DE VEÍCULOS PESADOS, PARA ALÉM DA PREOCUPAÇÃO COM AS EMISSÕES

POLUENTES, NÃO PODEM DESCURAR A SEGURANÇA. DAF E MERCEDES-BENZ VÃO DISPONIBILIZAR,

NA SUA LISTA DE ACESSÓRIOS PARA VEÍCULOS MAIS ANTIGOS, SISTEMAS QUE PERMITEM

PERCEBER SE EXISTEM PEÕES, CICLISTAS OU MOTOCICLISTAS NOS ÂNGULOS MORTOS DOS CAMIÕES.

NESTAS PÁGINAS, REVELAMOS-LHE COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA por Ricardo Carvalho

Que soluções serão as mais eficazes

no combate aos acidentes

rodoviários que envolvem

veículos pesados? Cada marca tem a

sua visão sobre o tema. Mas o curioso

é que em todas é muito semelhante,

até porque os sistemas de segurança

e de assistência à condução disponibilizados

são vários e todos muito

parecidos. Têm nomes diferentes em

cada um dos fabricantes de veículos,

mas a sua finalidade é praticamente

idêntica.

O camião continua a ser o “ator”

principal do transporte rodoviário

de mercadorias, pois permite que

tudo o que é economia na Europa se

encontre em constante movimento.

Era quase impossível imaginar o que

seria a sociedade sem o camião. Desde

que não existam quaisquer anomalias,

está tudo bem. O problema é

quando um camião se envolve num

acidente de viação. Em último caso,

o veículo comercial transforma-se

num “navio” capaz de provocar sofrimento

humano e custos consequentes,

não apenas financeiros mas,

92 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com


também, morais. Os construtores de

veículos pesados têm vindo a investir

vários milhões de euros por ano em

pesquisa e desenvolvimento de sistemas

de assistência e dispositivos de

segurança, que dão ainda mais apoio

aos motoristas no seu dia a dia e que

melhoram, consideravelmente, a segurança

de todos os utilizadores da

estrada.

Segurança a toda a prova

A Mercedes-Benz e a DAF anunciaram

que vão passar a comercializar

como acessório um sistema que

permite detetar a presença de peões,

ciclistas ou motociclistas nos ângulos

mortos dos camiões, ajudando a

evitar acidentes urbanos (e não só),

principalmente em cruzamentos ou

intersecções, quando o motorista

não consegue ver se existe alguém do

outro lado do veículo. Na Mercedes-

-Benz, este sistema chama-se Side

Assist e está disponível no mercado

desde 2016. No caso da DAF, recebe

a designação de City Turn Assist.

Ambos os dispositivos alertam os

motoristas com sinais visuais e sonoros

para a presença de alguém nos

ângulos mortos das respetivas cabinas.

Os sistemas de monitorização não

emitem apenas sinais a velocidades

mais reduzidas durante a condução

urbana. Também detetam outros

utilizadores da estrada (outros veículos).

Consistem em dispositivos

que utilizam tecnologia de radar

para assegurar a ótima deteção do

objeto, mesmo em condições de visibilidade

reduzida. No caso da DAF,

o City Turn Assist dispõe, do lado do

passageiro, de uma única unidade de

radar de curto alcance, que é montado

no guarda-lamas traseiro ou perto

deste, sendo produzido com material

robusto para operar sob condições

mais difíceis. Os avisos são mostrados

por um ecrã de LED estrategicamente

posicionado no pilar A do

lado do condutor. Quando o indicador

de mudança de direção é ativado,

caso exista algum veículo ou peão no

ângulo morto ou noutro que não seja

visível, são criados alertas sonoros

para colocar o motorista de sobreaviso.

O sistema para instalação posterior

é completo e inclui a unidade de

radar, o ecrã e as cablagens.

Alertas visuais e sonoros

No caso do Mercedes-Benz Side

Assist, a forma de funcionamento é

muito idêntica. Atua de forma progressiva,

ou seja, caso detete peões

na zona de monitorização lateral do

veículo pesado, é emitido um alerta

visual para o motorista. Na coluna

ao lado do lugar do passageiro, existe

um triângulo amarelo de LED que

se acende. Se o perigo for iminente,

o alerta passa a ser, também, sonoro

e o LED passa a vermelho. Este assistente

entra em ação nas situações

em que postes, semáforos ou outros

objetos possam interferir na manobra

de desvio de direção. No caso do

novo Actros, cujas câmaras substituem

os retrovisores, o alerta é dado

nos ecrãs verticais posicionados no

pilar A da cabina. Sensores e radares

ajudam a aumentar a segurança em

ambiente urbano e evitam um tipo

de acidente que é cada vez mais comum

e que mata várias pessoas em

todo o mundo.

Quem conduz recebe, constantemente,

o melhor apoio e feedback dos

sistemas utilizados. Todavia, as intervenções

do motorista são soberanas,

tal como a lei obriga. Por isso, os

sistemas são de grande utilidade,

mas podem ser desligados, ficando,

neste caso, a consciência do motorista

em cheque na hora de conduzir. l

www.jornaldasoficinas.com Março I 2020 93


Mundo

Automóvel

USO PROFISSIONAL MAN TG

GERAÇÃO CONECTADA

A MAN MOSTROU A SUA NOVA GERAÇÃO DE CAMIÕES TG, QUE INCLUI OS MODELOS TGL, TGM, TGS E TGX,

TODOS REFORMULADOS POR FORA E POR DENTRO. O NOVO TG TRADUZ A EVOLUÇÃO DE UM CONSTRUTOR

QUE SE TRANSFORMA EM FORNECEDOR DE SOLUÇÕES DE TRANSPORTE INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS

por

Ricardo Carvalho

No processo de desenvolvimento

da nova gama de camiões TG,

da qual o TGX assume o papel

de topo de gama, a MAN levou em

consideração a figura do condutor

como protagonista principal. O novo

veículo viu serem reformulados os padrões

em matéria de conforto, ergonomia,

utilização intensiva, ligação a

dispositivos móveis e aplicações digitais.

Não menos importante, o espaço

da cabina, que também evoluiu consideravelmente.

Para começar, a marca

alemã desenvolveu novos bancos,

que são o resultado de centenas de

inquéritos a condutores e milhares de

quilómetros percorridos. O seu desenho,

exclusivo, fomenta uma posição

ergonómica automática assim que o

condutor ocupa o seu lugar ao volante.

Facto só possível graças aos diferentes

graus de firmeza da espuma e

ao contorno específico dos próprios

bancos. Em opção, a MAN disponibiliza

um sistema de climatização para

os bancos que aquece ou arrefece as

superfícies de contacto do assento e

do encosto.

Consola em dois níveis

O renovado tablier conta com uma

consola que se distribui por dois níveis,

permitindo acesso e leitura fáceis.

Todos os elementos de comando

necessários durante a viagem estão ao

alcance do condutor. O velocímetro

e o conta-rotações surgem num ecrã

digital de 12,3”, que faz de painel de

instrumentos. Entre os dois, encontra-se

um espaço que transmite informação

sobre os sistemas de assistência

ao condutor a partir da representação

tridimensional do veículo. O sistema

multimédia também é novo. Assim,

ao centro, na consola, é visível um

segundo ecrã tátil a cores também de

12,3”, que é comandado a partir de um

joystick (opcional em alguns modelos)

chamado MAN Smart Select, permitindo

uma utilização rápida e intuitiva

do sistema de infoentretenimento.

O comando da caixa de velocidades

TipMatic foi redesenhado e reposicionado,

surgindo, agora, como um

comutador na coluna de direção. Este

novo modelo conta ainda com vários

sistemas de assistência à condução.

Redução de consumos

A família de motores Euro 6d, apresentada

em 2019, encaixa na perfeição

nos novos camiões MAN. A

interação perfeita entre os propulsores

e todos os outros componentes

da cadeia cinemática e do software

(também este desenvolvido de raiz),

fazem com que seja possível anunciar

reduções de consumos que rondam os

8%. Para que esta redução de consumos

seja possível, muito contribuem

as melhorias na aerodinâmica, reforçadas

pela presença de três linhas na

lateral da cabina. Através de algumas

aplicações digitais (MAN Perform e

MAN Connected CoDriver Training),

o construtor oferece possibilidades de

formação para conseguir um estilo de

condução ainda mais eficiente.

No capítulo das motorizações, a MAN

introduziu algumas novidades no

motor D26, que passa a pesar menos

70 kg. Está disponível com potências

de 430, 450, 470 e 510 cv. Para maiores

exigências, a marca conta com o

motor D38 de 540, 580 e 640 cv. O

motor D15 de 9,0 litros, desenvolvido

de raiz e apresentado em 2019, oferece

potências de 330, 360 e 400 cv.

As opções mais ligeiras, TGL e TGM,

vão ainda contar com o motor D08

(redesenhado em 2018) em versões

de quatro e seis cilindros. As potências

variam entre 160 e 320 cv.

MAN Efficient Cruise

O novo TG estreia, também, o Efficient

Cruise que completa os componentes

perfeitamente coordenados da

cadeia cinemática. O sistema de assistência

baseado no GPS, disponível

para as gamas TGX e TGS, é uma ampliação

do cruise control adaptativo

(ACC) e do regulador de velocidade

(FGR). Determina, continuadamente,

a posição e a direção do camião e

combina esta informação com os dados

do mapa da estrada armazenado

e do percurso planeado no sistema de

navegação. O sistema reconhece a topografia

do traçado e calcula a velocidade

ótima, adaptando a estratégia de

troca de relações de caixa. Esta nova

geração de camiões vai conviver com a

gama atual até final de 2020. l

94 Março I 2020 www.jornaldasoficinas.com

More magazines by this user
Similar magazines