Revista Santíssima Virgem - Edição 29

webpan

Revista Santíssima Virgem - Edição 29 - Maio de 2020
Uma publicação igreja Santíssima Virgem - Pascom e Padre Ranatinho
São Bernado do Campo - SP - Diocese de Santo André


OUTRAS ATIVIDADES PASTORAIS

TODA SEGUNDA-FEIRA

das 19h30 às 21h30 - Escola Popular de Teologia para leigos, turma 2º Ano -

sala 1.

das 19h30 às 21h30 - Terço dos Homens.

TODA 2ª SEGUNDA-FEIRA

das 19h às 21h - Reunião do Grupo de Apoio Alzheimer - Pastoral da Saúde.

TODA 3ª SEGUNDA-FEIRA

das 15h às 16h - Mães e Madrinhas Orantes pelos Sacerdotes.

TODA TERÇA-FEIRA

Grupo de Oração Santíssima Virgem (após a missa até as 22h)

20h30 - Encontro com dependentes químicos e seus familiares - Razão de

Viver.

das 19h30 às 21h30 - Escola Popular de Teologia para leigos turma 1º Ano -

Sala 1.

TODA QUARTA-FEIRA

das 14h às 16h30 - Grupo de Oração Imaculada Conceição.

das 14h às 17h - Grupo Arte com Alegria - Atividades de artesanato.

TODA QUINTA-FEIRA

das 19h às 22h - Ministério Infantil Jovens Sarados, Pré-Catequese com

crianças de até 5 anos durante a missa.

TODO SÁBADO

9h - Batizado.

das 17h às 19h30 - Formação de Pais e Padrinhos para o Batismo.

das 16h às 18h - CJC - Comunidade de Jovens com Cristo - Encontro do grupo

com louvor e pregação.

das 20h às 23h30 - Missão Jovens Sarados: Rosário, louvor, pregação, oração

e convivência.

TODO 1º e 3º SÁBADOS

das 15h às 16h - Visita a Enfermos - Apostolado da Oração.

TODO 2º SÁBADO

15h - Grupo CriarTe - perseverança das crianças e adolescentes.

TODO 2º e 4º SÁBADOS

das 8h às 12h - Atendimento e entrega de cestas básicas às famílias cadastradas

- Pastoral da Caridade – Grupo Franciscanos.

TERCEIRO SÁBADO

das 10h30 às 11h30 - Celebração da Palavra na Residência Primavera (Casa

de Idosos).

das 16h às 17h - Pastoral da Saúde Visita aos enfermos no Hospital São Bernardo

TODO DOMINGO

das 10h às 12h - Ministério Infantil Jovens Sarados Pré-Catequese com

crianças até 5 anos durante a missa

das 15h às 17h - Estudo bíblico com jovens e adultos surdos e formação de

intérpretes na linguagem de sinais.

HORÁRIOS DE MISSAS

MISSAS DOMINICAIS:

Sábado:

18h30 - Missa pelas famílias

Domingo:

07h - Missa

08h30 - Missa pelas crianças

09h - Missa celebrada na Capela do Cemitério da

Vila Euclides

10h30 - Missa pelos jovens (transmitida ao vivo

pela Santíssima TV - Youtube)

17h - Missa com interpretação de Libras (no 1º

domingo em Ação de Graças pelos Adoradores)

18h30 - Missa pelas famílias

SEGUNDA A SEXTA-FEIRA:

12h - Missa pelos trabalhadores (30 minutos)

19h30 - Missa diária (na 1ª sexta-feira do mês,

missa dedicada ao Sagrado Coração de Jesus)

TODA QUARTA-FEIRA:

19h30 - Missa pelas vocações (na última quartafeira

do mês, pela saúde)

TODA QUINTA-FEIRA:

19h30 - Missa por cura e libertação (transmitida ao

vivo pela Santíssima TV - Youtube)

1º e 4º SÁBADO:

8h - Missa pelas famílias assistidas pela Pastoral da

Caridade (Franciscanos)

TODO DIA 8 DE CADA MÊS (EM DIAS DE

SEMANA):

08h30, 12h e 19h30 - Missa em louvor à Nossa

Senhora

FUNCIONAMENTO DA IGREJA

Adoração ao Santíssimo Sacramento

Todos os dias: das 06h à 00h

Secretaria:

Av. Índico, 583, Jardim do Mar - SBC/SP

Fone: (11) 4330-4289

e-mails: ssvirgem@gmail.com /

santissima@diocesesa.org.br

Atendimento:

Segunda a Sexta

08h às 12h e das 14h às 18h

Sábado

08h30 às 11h e das 14h às 17h

Redes Sociais: Facebook, Instagram e Youtube:

paroquiasantissimavirgem

Twitter: ssmavirgem

EXPEDIENTE: Publicação Mensal da Paróquia Santíssima Virgem – DIREÇÃO: Padre Renato Souto. COORDENAÇÃO:

Udemia L. S. Carvalho. JORNALISTA RESPONSÁVEL: José Neves S. Filho (MTB 54.336). CONSELHO EDITORIAL:

Núcleo Revista - Pascom Santíssima. EDIÇÃO: Tom Lima. REVISÃO: Marta Guimarães. PROJETO GRÁFICO: DMS Editora

Comunicação Integrada. DIAGRAMAÇÃO: Rodrigo Caserta e Lisley Oliveira. FOTOS: Pascom Santíssima. CAPTA-

ÇÃO DE RECURSOS: Sônia Maria Catalani. TIRAGEM: 5.000 exemplares.

2

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


PALAVRA DO PADRE

QUEM PODERIA IMAGINAR

QUE SERÍAMOS OBRIGADOS A

FREAR O RITMO DA VIDA?

Para nós cristãos, é a chance de fazer uma releitura da vida!

Oisolamento social, o distanciamento, a convivência

familiar, as ações de higiene, as preocupações

com a saúde física e mental, a fim de preservá-las,

tornaram-se assuntos do nosso cotidiano que nos

impele a uma efetiva mudança de atitudes.

Para nós cristãos, não é só uma crise causada pelo

Covid-19 na Saúde, mas sim, a chance de fazer uma

releitura da vida! Estamos sendo convidados a dar um

passo decisivo de maturidade na fé. Mas, o que significa

isso, meus amigos? Significa buscar o Senhor, não mais

a partir das nossas necessidades temporais e particulares,

mas sim, a partir da Vontade Dele. O profeta Isaías nos

fala: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o

enquanto está perto” (Is 55,6). Portanto, é buscar a Deus e

com Ele viver a intimidade de Pai e Filhos.

Unidos e reunidos em casa, somos a Igreja doméstica

que vem se fortalecendo diariamente. Famílias estão

orando e permanecendo juntas, as pessoas estão

realizando gestos concretos de caridade, participando da

comunhão espiritual, através dos meios de comunicação.

Diariamente as famílias participam da mesa da Palavra, ou

seja, podemos afirmar que a Igreja Doméstica foi elevada

no ranking de importâncias e de prioridades dos cristãos.

Mas, cremos que essa crise; que freou o ritmo frenético de

vida que colocava muitos irmãos na condição de invisíveis

e marginalizados sociais, e colocava, muitas vezes, as

nossas famílias em segundo plano; irá passar, e daí surgem

perguntas: Seremos finalmente seres humanos melhores?

Como manteremos a constância na vida espiritual?

A dedicação diária da oração causada pela quarentena

fez com que muitos descobrissem o papel da fé, e que

ela precisa ser alimentada para dar o real sentido à vida.

Quando tudo passar teremos que agir com sabedoria, para

continuar a experienciar os pequenos milagres que o amor

em família tem realizado diariamente e o mandamento do

amor continuará sendo acolhido em nossas vidas! “Amaivos

uns aos outros como eu vos tenho amado” (Jo 13:34).

Neste mês de maio, mês de Maria, Mãe do Divino

Amor, peçamos o dom de sermos perseverantes e atentos

ao que Deus tem desejado para cada um de nós!

Deus nos abençoe!

Padre Renato Souto

Paróquia Nossa Senhora de Fátima 3


IGREJA NO MUNDO

A IGREJA VALORIZA O

TRABALHO

Mais importante: trabalhar na obra do Senhor

Por Marcelo Artioli - Administrador

Dia 1º de maio, como todos sabem, comemora-se o

Dia do Trabalho, no Brasil e em vários países. Do

ponto de vista da Igreja, ela sempre valorizou e se

preocupa com o trabalho e com os trabalhadores.

Sempre o viu como de extrema importância, pois foi colocado

pelo próprio Deus como meio de redenção. A Igreja

também preocupando-se com as injustiças sociais, sempre

levantou esta bandeira, sem nunca permitir confrontos, luta

de classes e violência.

Não devemos considerar o trabalho como um fim, e

sim como um meio, como forma de sustento digno, sem

deixar sua parte social e afetiva em segundo plano, mas

equilibrado. “Existe um tempo certo para cada coisa:

Tempo de nascer, tempo de morrer; tempo de plantar,

tempo de colher” (Ecl 3,1-2). Exatamente por isso, não

devemos deixar ocorrer a inversão de valores, que coloca

o trabalho e o dinheiro acima da pessoa humana.

O professor Felipe Aquino, estudioso da História da

Igreja afirma que Deus, na criação, valoriza o homem,

dando-lhe inteligência e força, para que possa trabalhar e

construir, colocando a sua marca na criação de Deus. Além

disso, o trabalho leva o homem à redenção, ocupando-o

de modo digno e respeitoso. No segundo ponto, mostra a

relação direta do trabalho com a dignidade humana, pois

o trabalho é a medida da dignidade. “O desemprego é

uma grande chaga, já que o trabalho, é a chave da questão

social”, diz São João Paulo II.

O homem não pode ser escravo do trabalho, deixar que

ele ocupe todo o seu tempo, em detrimento da sua própria

vida e família. Há estudos que apontam que, no futuro, a

jornada de trabalho será tão reduzida que o homem terá

pelo menos duas atividades, uma para sua subsistência

e outra para sua realização pessoal. Eu acredito que

deveremos ter então, três atividades, sendo uma terceira,

e a mais importante, trabalhar na obra do Senhor, seja

nas pastorais da Igreja, seja fazendo o bem ao próximo.

Como já ouvimos muitas vezes: enquanto houver pessoas

passando fome, nas casas ou nas ruas, ainda temos muito

a fazer!

FLORES & DECORAÇÕES

Casamentos e Festas

Bouquets e Decorações

Floricultura

Vasos, Flores Frescas e Arranjos

4123-6948 / 4122-1042 - Rua Pacífico, 90 - Jd. do Mar - SBC

4122-1408 / 4125-4141 - Pç. da Saudade s/n Box- 4 - Jd. do Mar - SBC

n-okumura@uol.com.br • www.okumuraflores.com.br

4

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


TOTUS TUUS MARIE

PRIMEIRO DOGMA: THEOTÓKOS,

MARIA MÃE DE DEUS

Ela é a “Mãe do Verbo encarnado, que é Deus

Por Tom Lima - Cristão Leigo

A

Igreja proclamou quatro dogmas marianos. Aos

tempos antigos pertencem os dogmas da Maternidade

Divina (Mãe de Deus) e da Virgindade Perpétua.

Estes dois dogmas, estreitamente ligados

entre si, estão inseparavelmente unidos à fé em Cristo. Nos

tempos recentes, foram definidos os dogmas da Imaculada

Conceição e da Assunção. Hoje abordaremos o dogma

Theotókos: Maria Mãe de Deus.

A contemplação do mistério do nascimento do Salvador

tem levado o povo cristão não só a dirigir-se à Virgem

Santa como a Mãe de Jesus, mas também a reconhecê-la

como Mãe de Deus. Essa verdade foi aprofundada e compreendida

como pertencente ao patrimônio da fé da Igreja,

já desde os primeiros séculos da era cristã, até ser solenemente

proclamada pelo Concílio de Éfeso no ano 431.

Na primeira comunidade cristã, enquanto cresce entre os

discípulos a consciência de que Jesus é o Filho de Deus,

resulta sempre mais claro que Maria é a Theotókos, a Mãe

de Deus.

Trata-se de um título que não aparece explicitamente

nos textos evangélicos, embora eles recordem “a Mãe de

Jesus” e afirmem que Ele é Deus (Jo 20, 28; cf. 5, 18; 10,

30.33). Em todo o caso, Maria é apresentada como Mãe

do Emanuel, que significa Deus conosco (Mt 1, 22-23).

Já no século III, como se deduz de um antigo testemunho

escrito, os cristãos do Egito dirigiam-se a Maria com esta

oração: “Sob a vossa proteção procuramos refúgio, santa

Mãe de Deus: não desprezeis as súplicas de nós, que estamos

na prova, e livrai-nos de todo o perigo, ó Virgem

gloriosa e bendita” (Liturgia das Horas).

O Concílio de Éfeso, no ano 431, afirmou a subsistência

da natureza divina e humana na única pessoa do Filho

e proclamou Maria Mãe de Deus. A expressão Theotókos

literalmente significa “aquela que gerou Deus”, à primeira

vista pode resultar surpreendente; suscita, com efeito, a

questão sobre como é possível que uma criatura humana

gere Deus. A resposta da fé da Igreja é clara; a maternidade

divina de Maria refere-se só à geração humana do Filho de

Deus e não, ao contrário, à sua geração divina.

O Filho de Deus foi desde sempre gerado por Deus Pai

e é-lhe consubstancial. Nesta geração eterna Maria não

desempenha, evidentemente, nenhum papel. O Filho de

Deus, porém, há dois mil anos, assumiu a nossa natureza

humana e foi então concebido e dado à luz por Maria.

Proclamando Maria “Mãe de Deus”, a Igreja quer, portanto,

afirmar que ela é a “Mãe do Verbo encarnado, que é

Deus”. Por isso, a sua maternidade não se refere a toda a

Trindade, mas unicamente à segunda pessoa, ao Filho que

ao encarnar-se, assumiu dela a natureza humana. A maternidade

é relação entre pessoa e pessoa: uma mãe não é mãe

apenas do corpo ou da criatura física saída do seu seio, mas

da pessoa que ela gera. Maria, portanto, tendo gerado segundo

a natureza humana, a pessoa de Jesus, que é pessoa

divina, é Mãe de Deus.

Paróquia Nossa Senhora de Fátima 5


MÃE, PRESENTE QUE DEUS

NOS MANDOU

Se a embalagem é perfeita, imagina o conteúdo

Por Ducarmo Paes - Escritora

Ao reconhecer o rosto da mãe, seu primeiro porta-

-retrato vivo, o filho não pode imaginar o esvaziamento

materno que receberá para o resto de

seus dias. Deus quis que a nossa vida tivesse início

dentro do ventre de uma mulher, embalagem mais que

perfeita para nos presentear e começar a sentir as irradiações

do verdadeiro amor. Quem é mãe sabe que cortar o

cordão umbilical na hora do nascimento representa apenas

uma separação anatômica, pois o amor, a partir daquele

momento, consolida o mais forte, indissolúvel e poderoso

dos nós: a maternidade.

Ser mãe, é como adquirir um passaporte sem destino

fixo. A cada momento uma parada, uma surpresa, um

riso, um choro, uma pergunta, uma confidência, uma birra,

um desafio, um sim, um não. É um cancelamento de

tudo que foi planejado, para planejar tudo de novo. Porém,

nem questionamos a forma de pagamento. Não pedimos

desconto nem parcelamento. A moeda universal para este

investimento tem um nome comum: amor.

Ter mãe, é a certeza de uma viagem com total segurança:

um porto para desembarcar, um aeroporto para aterrizar,

enfim, um chão seguro para pôr os pés. Ter mãe é

não ter medo do escuro, não ter vergonha de chorar, é falar

sabendo que ela vai ouvir, é saber que ela tem asas para

proteger, agasalhar e ensinar a voar. É a certeza que sempre

tem alguém rezando por você. Ter mãe, é como olhar

para uma linda caixa colorida, onde vamos desamarrando

a fita com cuidado e imaginando: Quem mandou este

presente? Qual será o conteúdo? E ao abrir, a mais linda

surpresa: Mãe, um presente de Deus para nós!

A QUEM DEVEMOS

ESCUTAR

Absorver apenas o que remete à voz de Deus

Por Sandra Pícolo - Professora

SEGUNDA O FILÓSOFO Alexandre Costa (2013,

p.82) “o corpo colhe, a interpretação escolhe”. Isto

significa que a ação de ouvir é involuntária e inevitável;

entretanto o modo como se ouve é particular e equivale à

interpretação. Em outras palavras, ouvir remete ao sentido

da audição, é aquilo que o ouvido capta; já o verbo escutar

corresponde ao ato de ouvir com atenção. Diante disto, em

tempo de tantas falas a quem devemos escutar?

Conviver com o contraditório é um exercício que

devemos sempre fazer, pois é um sinal de respeito

com o seu próximo. Contudo é preciso compreender as

motivações alheias. O clima de polarização e de tantas

falas compromete o nosso testemunho e enfraquece

nossa capacidade de cooperar na missão de Deus no

mundo. Discursos diferentes revelam pontos de vista que

evidenciam o livre arbítrio dado ao ser humano. Embora

haja a liberdade de expressão, - antes de julgar e criticar

estes posicionamentos - devemos, de forma sensata,

respeitar, refletir sobre as opiniões, buscar conhecimento

sobre os temas e absorver apenas o que remete à voz

de Deus, pois sabemos que - ao decidir o que escutar

- devemos estar cientes das consequências que isso

acarreta. Deus nos deu o poder da decisão. Por isso, um

dos princípios mais importantes para se chegar a ela: é

buscar a orientação divina por meio da oração.

Fonte:

https://www.familia.com.br/aceitar-respeitar-e-celebrar-as-diferencas/

https://vocesa.abril.com.br/carreira/saiba-lidar-com-opinioes-diferentes/

www.revistas.usp.br › revistadatulha › article - ouvir e escutar

6

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


ENTREVISTA COM DOM PEDRO

CARLOS CIPOLLINI

O Papel das Comunicações Sociais na Igreja: Continuar sempre levando a Boa Nova com amor e

criatividade

Por Udemia Carvalho - Advogada

nos fale de nós mesmos e da beleza que nos habita; uma

narração que saiba olhar o mundo e os acontecimentos com

ternura, conte a nossa participação num tecido vivo, revele

o entrançado dos fios pelos quais estamos ligados uns aos

outros”, nos diz Francisco. Diante disso, gostaríamos de ter

a fala pastoral do nosso bispo Dom Pedro para o período

tão delicado que estamos vivendo, em que a comunicação

se tornou imprescindível para o nosso fazer história.

Oprogresso nos alcançou, a globalização está presente

e trouxe ao ser humano coisas boas e ruins, a proposta

é destacar o lado positivo das Comunicações

Sociais, que ao longo da história evoluiu e se tornou

acessível, companheira e influenciadora das nossas famílias.

A Introdução da Carta do Santo Padre, o Papa Francisco

para o 54º Dia Mundial das Comunicações Sociais, nos

inspira a acreditar e a lutar pela Comunicação que faz história,

que pode e deve auxiliar na construção da vida, da leitura

real dos fatos.“Desejo dedicar a Mensagem deste ano

ao tema da narração, pois, para não nos perdermos, penso

que precisamos respirar a verdade das histórias boas: histórias

que edifiquem, e não as que destruam; histórias que

ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos

juntos. Na confusão das vozes e mensagens que nos

rodeiam, temos necessidade de uma narração humana, que

Pascom - Fomos surpreendidos com o isolamento social

e a comunicação, pelas redes sociais e plataformas digitais,

passaram a ser meios importantíssimos para a evangelização.

Como o senhor avalia o desempenho das nossas

comunidades?

Dom Pedro - Todas estão se esforçando para que estejamos

unidos, já que não é possível estarmos reunidos.

Graças a Deus há muita criatividade, o que é bom.

Pascom - O senhor acredita que o aumento do convívio

familiar diante do que vem sendo demonstrado nas redes

sociais, servirá para fortalecer a igreja doméstica, após a

pandemia?

Dom Pedro - Creio que sim. É uma oportunidade a ser

aproveitada. Rezar em família é sempre um convite que a

Palavra de Deus faz!

Pascom - O Papa Francisco nos fala que “em cada

grande história, entra em jogo a nossa história”. Nós, católicos

como podemos construir, atuar com competência em

nossa própria história de fé?

Dom Pedro - Nossa atuação e ação dependem sempre

do que temos no nosso interior, no nosso coração, do quanto

estamos abertos à Palavra de Deus, a nos convertermos a

ela e passar a agir de acordo com seus apelos.

Pascom - Somos corresponsáveis pelo anúncio da Boa

Nova, somos a Igreja que diariamente comunga Cristo.

Como testemunhar, manter-se saudoso e desejoso dessa

comunhão e assim transformar o nosso entorno?

Dom Pedro - Não há receitas prontas, mas eu diria que

é preciso abrir-se à ação do Espírito Santo em nossa vida.

Invocar o Espírito Santo para que Ele infunda em nós sua

força e seu amor.

Pascom - Em comemoração ao 54º Dia Mundial das

Comunicações Sociais, qual palavra o senhor deixa para

as pascons paroquiais, para a Pascom Santíssima Virgem?

Dom Pedro - Que continuem sempre levando a Boa

Nova com amor e criatividade, sempre na verdade. Que

Deus abençoe a todos e faça crescer em cada um a fé verdadeira

que é a certeza daquilo que esperamos.

Paróquia Nossa Senhora de Fátima

7


TÍTULOS, APARIÇÕES

E DEVOÇÕES A

VIRGEM MARIA

“Eu sou a Imaculada Conceição, a Senhora do Rosário”

Por Tom Lima - Cristão Leigo

8

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


PARTE 1 - INTRODUÇÃO

É inegável que a devoção à Virgem Maria esteja estendida

pelo mundo inteiro. Assim o revelam suas inumeráveis

invocações e os abundantes testemunhos sobre sua mediação

a favor daqueles que a invocam com grande fervor. O

impacto gerado pela Mãe de Deus na Fé dos cristãos, por

séculos, é tão grande que a figura da Santíssima Virgem

Maria é destacada como “a Mulher mais poderosa do Mundo”.

Os títulos são menções de honra dadas à Virgem Maria,

Mãe de Jesus. São inúmeros títulos e invocações dadas

a Ela pelo mundo inteiro, mais de mil nomes conhecidos.

Os títulos, em grande parte são oriundos das práticas de

devoção e piedade popular e das doutrinas marianas aceitas

pela Igreja e existem pela Tradição da Igreja, desde os primeiros

séculos. Estes títulos podem ser divididos em: doutrinas,

aparições, devoções sobre a sua vida, sacramentais e

ícones milagrosos.

DOUTRINAS

As doutrinas são os quatro dogmas (regras de fé incontestáveis)

reconhecidos e declarados pela Santa Igreja: 1) O

ser Mãe de Deus, 2) ter mantida a Virgindade Perpétua, 3)

ter tido uma Imaculada Conceição e 4) sua gloriosa Assunção

ao Céu em corpo e alma. Dos dogmas, vários títulos lhe

foram dados, muitos correlacionados pelo nome do local de

algumas de suas aparições.

APARIÇÕES

As Aparições Marianas são os títulos dados em vista

dos locais onde a Virgem Maria apareceu. O nome do local

segue logo após o título conferido, como por exemplo Nossa

Senhora de Fátima.

DEVOÇÕES

As Devoções são baseadas na vida da Virgem Maria,

como: As Sete Dores e as Sete Alegrias, de onde

advém títulos como: Mãe Dolorosa, Nossa Senhora

das Dores, Nossa Senhora das Lágrimas, entre outros.

PARTE 2 - OS TÍTULOS DE NOSSA

SENHORA

Além dos 4 dogmas, das 5 aparições mais conhecidas,

de Nossa Senhora Aparecida, são também muito conhecidos

estes títulos de Nossa Senhora: da Candelária, do Caravaggio,

do Perpétuo Socorro, do Carmo e das Dores, além

de tantos outros. Para a Igreja, os principais títulos de Nossa

Senhora reconhecidos pela Igreja constam da Ladainha

de Nossa Senhora. Dentre eles, estes: Rainha assunta ao

Céu, Santa Mãe de Deus, Santa Virgem das virgens, Mãe de

Jesus Cristo, Mãe da divina graça, Mãe puríssima, Mãe castíssima,

Mãe Imaculada, Mãe do Criador, Mãe do Salvador,

Virgem poderosa, Virgem fiel, Rosa mística, Arca da aliança,

Porta do Céu, Estrela da manhã, Saúde dos enfermos,

Refúgio dos pecadores, Consoladora dos aflitos, Auxílio

dos cristãos, Rainha dos Anjos, Rainha dos Patriarcas, Rainha

dos Profetas, Rainha dos Apóstolos, Rainha dos Mártires,

Rainha dos Confessores, Rainha das Virgens, Rainha

de todos os santos, Rainha concebida sem pecado original,

Rainha do sacratíssimo Rosário, Rainha da Paz.

PARTE 3 - AS APARIÇÕES MARIA-

NAS

Dentro do fenômeno mariano, o que mais chama a atenção

são suas aparições. Mais de 2 mil foram registradas em

todo o mundo, segundo o website The MiracleHunter, que

reúne os relatos, histórias, testemunhos e frequência de milagres,

entre eles as aparições marianas, que se registraram

ao longo dos séculos. O certo é que diante destes acontecimentos

a Igreja Católica sempre foi muito prudente e de todas

as aparições marianas, o Vaticano somente reconheceu

16 e 28 contam com a aprovação dos Bispos locais que é a

primeira e principal autoridade para julgar a autenticidade

de uma aparição mariana. No Brasil temos Nossa Senhora

Aparecida, mas não foi uma aparição “in persona”, como

sabemos. Sobre Medjugorje, na Bósnia e Herzegovina, a

Igreja se mantém prudente. São relatadas mais de 2 mil

aparições de Nossa Senhora. Esta é a distribuição das 77

aparições mais conhecidas encaminhadas a Santa Sé;

SACRAMENTAIS

Os Sacramentais estão relacionados a consagração de

Maria, como: o Escapulário do Carmo, a Medalha Milagrosa

e o Santo Rosário. A partir destes sacramentais (objetos

abençoados que se carregam junto ao corpo), advém títulos

como: Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora da Medalha

Milagrosa, Nossa Senhora do Rosário, entre outros.

ÍCONES MILAGROSOS

Os Ícones Milagrosos estão relacionados a pinturas ou

imagens aos quais são atribuídos milhares de milagres,

como: a Imagem de Nossa Senhora Aparecida e o tecido

com a figura de Nossa Senhora de Guadalupe, entre outros.

Entre as 16 aparições marianas que contam com reconhecimento

da Santa Sé, estas certamente são as mais conhecidas

no mundo inteiro:

Paróquia Nossa Senhora de Fátima

9


1531 - NOSSA SENHORA DE GUADALUPE - MÉXI-

CO

Em 1531, a Virgem Santíssima apareceu na colina de

Tepeyac, perto da capital, a um índio de nome Juan Diego

(canonizado pelo Papa João Paulo II em 2002) ela lhe pediu

que fosse ao bispo e pedisse que, naquele lugar, fosse construído

um santuário. Para comprovar a veracidade do pedido,

fez surgir a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe,

pintada prodigiosamente no manto do humilde indígena.

Era o dia 12 de dezembro de 1531.

1830 - NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS E DA

MEDALHA MILAGROSA - FRANÇA

Em 1830, no dia 27 de novembro, deu-se a aparição à

Santa Catarina Labouré, em Paris. Nessa ocasião, a Mãe de

Jesus mostrou o modelo da medalha que ela desejava fosse

cunhada como sinal de grandes graças que ela obteria junto

de seu Divino Filho. AMedalha traz inúmeras mensagens:

sobre a Imaculada Conceição de Maria; as mãos abertas da

Medianeira de todas as graças; a cruz de Cristo sacrificado

pelos homens; Maria, ao pé da cruz, representada pelo

M de seu nome; o coração de Jesus e de Maria e; as doze

estrelas que lembram a mulher do Apocalipse, as tribos de

Israel e os apóstolos.

1846 - VIRGEM DE LA SALETTE OU NOSSA

SENHORA DA SALETTE - FRANÇA

Nossa Senhora confiou uma mensagem aos videntes

Maximino Giraud e Mélanie Calvat, em sua aparição em

La Salette, na França, em 19 de setembro de 1846. No

início da aparição, ambos viram a Santíssima Virgem sentada

sobre uma enorme pedra. Ela tinha o rosto entre as

mãos e chorava amargamente. A Virgem Maria explicou

que chorava pelos pecados da humanidade e que deveríamos

rezar para que o braço de seu Filho Jesus não pesasse

sobre a Terra. Mélanie descreveu o pranto de Nossa

Senhora: “A Santíssima Virgem chorava quase o tempo

todo enquanto falava. Suas lágrimas corriam lentamente

até os seus joelhos e desapareciam com as faíscas de luz,

longe de diminuir seu ar de majestade, pareciam embelezá-la

e torná-la mais bela e a mais amorosa das mães”.

1858 - NOSSA SENHORA DE LOURDES - FRANÇA

Esta é uma das invocações marianas das aparições a

Bernadette Soubirous (hoje santa), numa gruta de Lourdes,

na França, em 1858. A Virgem apareceu na gruta Massabielle,

a uma jovem chamada Marie-Bernard Soubirous

em 11 de fevereiro daquele ano. Bernadette, camponesa de

14 anos, deixou, por escrito, um relato da aparição. Ela foi

com duas meninas às margens do Rio Gave buscar lenha.

Ouviu um barulho e olhou para a gruta. Viu, então, uma

Senhora vestida de branco com uma faixa azul celeste na

cintura; rosas de ouro nos pés e um rosário que trazia com

ela. A Senhora pediu para construir, ali, uma capela. Havia

uma fonte onde Bernadette se lavava e rezava pela conversão

dos pecadores. A Senhora não dizia quem era, apenas

sorria. Finalmente, disse que era a Imaculada Conceição,

confirmando o dogma proclamado 4 anos antes, em 1854.

1917 - NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - PORTUGAL

Estas foram as aparições a três pastorinhos na Cova

da Iria, Fátima, em Portugal. A primeira aparição da Virgem

Maria ocorreu no dia 13 de maio de 1917 e o fenômeno

repetiu-se durante seis meses seguidos. Maria

identificou-se como “A Senhora do Rosário”. Sua mensagem

foi, na verdade, um insistente pedido de oração do

Santo Rosário. Trouxe sinais de esperança e de advertência

quanto aos perigos para a humanidade e para os fiéis

da Igreja. Falou também da grande perseguição da Igreja,

do Santo Padre e dos riscos das almas que caem no

inferno. Ela apareceu segurando o Seu Imaculado Coração

e disse: “Deus quer difundir no mundo a devoção ao

meu Imaculado Coração. Dos três pastorinhos, Francisco

e Jacinta morreram anos depois, mas Irmã Lúcia viveu

ainda 88 anos e morreu em 13 de fevereiro de 2005.

PARTE 4 - AS FORMAS DE DEVO-

ÇÃO A MARIA

A Igreja Católica adora somente a Deus uno e trino (Pai,

Filho e Espírito Santo), prestando-lhe o culto de “latria”

(adoração). Aos santos presta-se o culto de veneração simples

denominado de “dulia” (veneração), fundado no dogma

da comunhão dos santos. Maria pode ser venerada com

o culto de “hiperdulia” (alta veneração). Hiperdulia é um

termo teológico que significa a honra e o culto de veneração

especial permitidos à Maria. Assim, pode-se realizar

este culto por meio da Liturgia, de forma comunitária, mas

não se trata de um culto de adoração (latria), mas uma veneração

(hiperdulia). Os católicos não adoram Maria, adoram

somente a Deus. Os cultos de veneração a Mãe de Deus são

feitos, em maior intensidade, pela piedade popular, de forma

privada, com orações devocionais, nas comemorações

dos títulos e festas de Nossa Senhora.

Neste campo da piedade popular, destacam-se as diversas

devoções feitas à Virgem Maria, como por exemplo, as

orações da Ave Maria, do Magnificat, do Santo Rosário,

do Angelus, a Infinitas Graças vos Damos, a Salve Rainha.

Também há a oração do Lembrai-vos, a meditação das Sete

Alegrias e das Sete Dores, da Coroa das Lágrimas, a devoção

ao Imaculado Coração de Maria, o uso do Escapulário

do Carmo que é um sacramental, a festa da Coroação de

Maria, a peregrinação aos lugares onde Maria apareceu, as

procissões nas festas e tantas outras.

Fontes:

https://www.veritatis.com.br/aparicoes-de-nossa-senhora-reconhecidas-pela-igreja/

https://cleofas.com.br/aparicoes-marianas/

https://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora

www.miraclehunter.com

10


O PROFISSIONAL DA SAÚDE

NESTA PANDEMIA

São como anjos que acompanham os pacientes

Por Elisabete Carvalho - Assistente Administrativa

N

o cenário atual, nada mais justo do que destacar

os profissionais da saúde, principalmente os que

estão na linha de frente, arriscando as suas vidas

e comprometendo o seu bem estar no combate ao

Covid-19, o corona-vírus que ataca o sistema respiratório.

São como anjos que acompanham os pacientes ao longo

do seu tratamento e que estreitam seus laços de cuidados e

empatia. Cumprindo à risca a regra do amor: “Viu, sentiu

compaixão e cuidou dele”. (Lc 10,33-34)

No dia 12 de maio celebramos o Dia Mundial da Enfermagem.

Nesta edição vamos conhecer um pouco sobre

a enfermeira PatriciaTeixeira Cardoso Santos Defendi,

esposa e mãe, que com a sua família, participa da nossa

paróquia há muitos anos.

Formada Enfermeira desde 2007 pela UNIABC, trabalha

numa unidade de ESF (Estratégia de Saúde da Família)

na Fundação ABC. Escolheu a profissão por amar a área da

saúde e pelo amor em cuidar do próximo. Entre as atividades

da sua rotina, o que lhe dá mais prazer e orgulho é sentir

quando o paciente valoriza o seu trabalho e que, seguindo

as suas recomendações vai evoluindo no seu tratamento.

Perguntada sobre seu maior temor diante do Covid-19,

ela diz que é grande a sua preocupação, por ser uma doença

nova e ainda sem uma medicação eficaz e nem vacina, por

isso, as mortes são muitas vezes inevitáveis. Outro fato preocupante

é que foram estabelecidos uma quarentena e um

isolamento social, porém nem sempre tem sido cumprido

por diversas razões. Essas medidas são necessárias para

que o vírus não ataque um grande número de pessoas ao

mesmo tempo, causando o caos sistema de saúde.

Apesar da enfermagem, ser tão necessária e estar em

alta nesse momento, Patricia diz que infelizmente, ainda

está longe de uma valorização real, tanto pela formação

quanto pelos salários.

Trabalha-se

muito, doa-se muito

e mesmo assim, o

reconhecimento não

é o esperado. Nestes

tempos, ela vislumbra

um aprendizado

maior, no sentido de

que haja a percepção

de que somos iguais

e que devemos amar

mais nosso próximo,

pois, sozinhos não

somos ninguém.

Aos pacientes,

pede que comecem

a enxergar melhor

o trabalho da enfermagem.

Que tenham

um olhar mais aberto,

com amor, respeito

e valorização,

assim como olhamos para eles. Que confiem nos profissionais,

porque quem escolhe esta profissão, o faz para cuidar

e ajudar na cura ou ainda, para lhes dar força num momento

difícil em suas vidas. Que tenham amor à vida e se cuidem

mais!

AJUDE-NOS A

EVANGELIZAR

Entre em contato pelo telefone

(1 1) 4330-4289 ou pelo e-mail

santissima@diocesesa.org.br,

para obter informações e

torne-se um colaborador. Nós,

da Revista Santíssima,

recomendamos os produtos e

serviços de nossos colaboradores.

Paróquia Nossa Senhora de Fátima

11


CAMINHOS SAGRADOS

SANTUÁRIO DE SANTA RITA

DE CÁSSIA NA ITÁLIA

Conhecida como a “Santa das causas impossíveis”

Por Marta Guimarães - Agente de Viagens

OSantuário de Santa Rita de Cássia é uma das metas

mais procuradas pelos peregrinos brasileiros e

do mundo inteiro. Principalmente durante o mês de

maio, época em que se comemora o seu dia. O lugar é muito

bonito e está imerso no meio de uma natureza selvagem e

exuberante, onde podemos respirar um ar de paz e serenidade

numa atmosfera espiritual muito envolvente. O Santuário

encontra-se na pequena cidade de Cássia, na província de

Perugia, região da Umbria, na Itália. Santa Rita é conhecida

como a “santa das causas impossíveis”, ou seja, aquelas sem

esperança e que por sua intercessão, tantas vezes milagrosamente

foram resolvidas.

A Basílica de Santa Rita de Cássia foi construída com as

ofertas de benfeitores, a partir de 1937, num projeto em estilo

moderno que a Beata Madre Fasce quis de todo coração

realizar, para acolher os devotos na cidade de Santa Rita. A

cidade de Cássia é pequena e pode-se iniciar sua visita pela

Basílica, facilmente reconhecível graças à sua fachada com

baixos-relevos em mármore travertino. O edifício de culto

foi concluído em 1943 e seu interior é decorado com cores

vivas e vibrantes. O momento mais emocionante para os

devotos é aproximar-se de uma grade de ferro batido para

contemplar a capela onde se encontra a urna com o corpo

incorrupto de Santa Rita.

Depois da Basílica, os peregrinos podem dirigir-se até o

Mosteiro onde a santa, junto com outras freiras de clausura,

viveu por 40 anos. Após essas visitas muitos peregrinos também

costumam chegar até o vilarejo Roccaporena, cidade

natal da santa, cerca de 6 km de distância, onde aconteceu o

milagre das “rosas e dos figos”.

Cássia, local irradiado de luz, está ligada à santa freira

Agostiniana, Santa Rita de Cássia, que levou uma vida de

santidade, de caridade, de piedade e de penitência. Por isso,

essa visita certamente é motivo de muita emoção e confirmação

da fé para tantos peregrinos.

12

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


SAÚDE

O MELHOR EXEMPLO: 5

PASSOS VIRTUOSOS!

Abrir o Coração, ouvir a Palavra, receber a Eucaristia e sair para Anunciar

Por Alex Souza - Professor Especialista em Longevidade - Membro da Sociedade Brasileira de Personal Trainers - Mentor da Liga da

Longevidade - Mentor do Grupo Exercício e Fé

Será que você é um bom exemplo? Você é realmente

uma pessoa de fé? Sua saúde está em dia? Uma pessoa

não nasce para ser exclusiva nas amizades, é exclusiva

apenas com Deus. O próprio Senhor criou o ser humano

para formar laços afetivos aqui na Terra e cultivar o amor

pelo próximo. Ninguém é uma ilha. É preciso do outro (1) . O

amor pelo próximo, a formação de laços afetivos e o conhecimento

de si são as chaves para ser um grande exemplo e

para percorrer essa trajetória.

Seguindo essa filosofia, alguns passos precisarão ser

dados: O primeiro passo em questão é o desenvolvimento

pessoal, que é quando o foco está voltado para própria

pessoa. Ou seja, ela deve ser formada por bons hábitos (2) ,

pela compreensão do amor consigo mesma e pela paz. O

segundo passo é respeitar e compreender as diferenças

culturais (3) . É se colocar no lugar do outro e saber que existe

uma história diferente a ser contada. Entender as formas

de respeito e as credenciais da integridade perante outros

costumes, tradições e ritos são essenciais. O terceiro passo

é lembrar que o ser humano é uma criatura de escolhas (4) .

Isso significa que uma pessoa tem que tomar decisões o

tempo todo e necessita de sabedoria e conhecimento para

isso, além de muito silêncio e reflexão para ser coerente e

equilibrado.

O quarto passo se pauta na fé, que é guiada e iluminada

pelo Espírito Santo e reconhece a salvação, a plenitude

e a verdade (5) . Ela está baseada na arte de acreditar além

de tudo, e ao acreditar, as possibilidades acontecem. O

AJUDE-NOS A

EVANGELIZAR

Entre em contato pelo telefone (1 1) 4330-4289 ou pelo e-mail

santissima@diocesesa.org.br, para obter informações e

torne-se um colaborador. Nós, da Revista Santíssima,

recomendamos os produtos e serviços de nossos colaboradores.

quinto e último passo se refere aos pilares da saúde, que é

simplesmente um reconhecimento ao direito de todo ser, e

uma responsabilidade da sociedade em garantir cuidados

básicos (6) .

Cinco passos virtuosos, cinco direcionamentos para te

ajudar a ser um grande exemplo de pessoa e de ser humano!

Referências

1. ROSSI, M. Philia: derrote a depressão, o medo e outros problemas aplicando o Philia no

seu dia a dia. Principium, 2015.

2. MANDINO, O. O maior vendedor do mundo. Record, 2008.

3. COEN, M. A sabedoria da transformação: reflexões e experiências. Planeta, 2014.

4. CHAPMAN, G. As 5 linguagens do amor. Mundo Cristão, 2013.

5. PAULO II, J. Carta Encíclica Sobre as Relações Entre Fé e Razão. Edipucrs, 1999.

6. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Renewing the health-for-all strategy: elaboration

of a policy for equity, solidarity and health. Geneva, 1995.

Paróquia Nossa Senhora de Fátima

13


14

Paróquia Nossa Senhora de Fátima


Paróquia Nossa Senhora de Fátima

15


More magazines by this user
Similar magazines