Revista Cariocas - Junho / Julho 2020

dmc21assessoria

Ano II - nº 18. Rio de Janeiro

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA E DIRECIONADA

Junho / Juho 2020

REVISTA

Saúde, beleza & bem estar

revistacariocas.com.br

GASTRÔ

Cozinhando na

Quarentena

MODA

Rita Carreira:

Fashion e Pluz Size

BELEZA

Spa em casaw

DOC MARIZ

Um anarquismo

saudável

CRISTIANE

TORLONI

“SOU UMA PESSOA

QUE EXERCITA A SOLIDÃO”

CRÔNICA

Enfim sós!



EDITORIAL

Sai de casa ontem depois de um período enorme nesta quarentena

de COVID-19. Resolvi tomar um sol na orla de Copacabana,

quase em frente de casa e engrossar as fileiras da imunidade e

vitamina D, afinal o Prefeito liberou e mesmo preocupada, mantendo

as regras de segurança , aderi a ideia.

Peguei um taxi e pedi que ele fosse ao Posto 6 . Antes de desembarcar

me deparei com uma das cenas mais lindas destes

últimos tempos: areia limpa, céu azul e mar transparente numa

manhã iluminada de sol. Ninguém na faixa de areia ou na água

azul e a concha curvilínea como cenário para a princesinha do

mar. Fiquei emocionada com tanta beleza, aliás, que sempre esteve

aqui e me lembrou Jamil Miguel: “Copacabana ainda tem

seus encantos “, referindo-se a uma frase dita por Mia há mais de

trinta anos.

E é esta natureza belíssima que quero saudar, esta cideade maravilhosa

que com o isolamento social voltou a respirar, basta

vermos os golfinhos na Baía de Guanabara e as tartarugas na

Praia do Flamengo. Apesar deste vírus fatal a Natureza se regenera

sem a presença do homem. Que benção do Universo! Se

não fossem as dores, as mortes, a economia, a tristeza e solidão

de muitas pessoas diria que esta pandemia serviu para limpar o

planeta terra de muita coisa ruim, inclusive da presença maléfica

do ser humano com sua índole devastadora.

Mas precisamos voltar a nova normalidade e a Cariocas apresenta

mais uma edição, a 18ª, sendo a segunda on line( www.

revistacariocas.com.br).

Ainda convivendo com a Pandemia muitos assuntos vem à tona:

em gastronomia mostramos uma pauta sobre como as pessoas

aprenderam a cozinhar em casa, chefs falando de sua rotina e

dando dicas e até um bate bola gastronômico com Alex Bakalla,

o queridinho das socialites e artistas da Barra da Tijuca.

A Capa é Cristiane Torloni, uma Deusa, que revive em ‘Fina Estampa’,

na Globo, sua inesquecível vilã, Tereza Cristina. Ela fala

de isolamento, cultura e de como é reviver a novela dez anos

depois da primeira exibição.

Muitas outras histórias permeiam esta edição, recheada de Saúde

e beleza, Moda, Bem Estar, Negócios e entrevistas.

E pra hj desejo que esta frase de Dalai Lama seja um convite para

todos nós nos reinventarmos. “Em vez de esmorecer diante das

dificuldades, vamos superá-las resolutamente e levemos adiante

a nossa vida com ânimo e atitudes positivas”

Amor e Gratidão. Boa leitura!!!

Mirian Barbosa

sumario

CARIOCAS

06

36

Cozinhando na

quarentena

SPA em casa

13

CAPA

19

38

42

Malhação em

casa

Doc Mariz

Um Anarquismo

Saudável

Empreendedorismo

56 Moda

REVISTA

Cariocas

Saúde, beleza & bem estar

Direção Geral: DMC 21 Comunicação e Marketing

Editora: Mirian Carneiro Barbosa

Repórteres: Maria Amora e Sophia Carneiro

Colaboradores: Doc Mariz e todos os jornalistas e amigos da

redação DMC 21

Fotografia e Diagramação: DMC 21 Comunicação e Marketing e

Ananda Almeida

Distribuição on line

Telefones: 3258-4917 | 98137-9583 - Whatsapp: 98373-3147

E-mail: revistacariocas@gmail.com

Edição on line: www.revistacariocas.com.br


CARIOQUICES

Foto: Arquivo

Quatro looks, sucessos do Calypso e

sorteios: Joelma agitou 2° live show

Joelma abriu as portas de sua mansão em Alphaville, São

Paulo, para promover a segunda live show no Youtube na

semana passada. Pela transmissão ao vivo, a intérprete de

''Homem Perfeito'' relembrou os maiores sucessos da banda

Calypso, repetiu dança com vassoura, realizou sorteios

e trocou de figurino quatro vezes, sendo um deles bastante

comparado ao de Elsa, personagem o filme ''Frosen''. ''Que

princesa é essa?'', se divertiu usando modelo criado pelo

estilista Guido Vianna.

A nova apresentação de Joelma teve como objetivo arrecadar

fundos contra o novo coronavírus. Os telespectadores ainda

saíram premiados com um sorteio de um carro e o figurino de

cangaceira moderno e para lá de criativo. ''Quero agradecer a

todo mundo que colaborou, curtiu e ajudou de alguma forma.

Muito obrigada, do fundo do meu coração'', comentou a loira,

que garante não ter rivalidade com Anitta. A artista ainda

surpreendeu ao deixar em evidência a quantidade e os mais

variados estilos de bota que possui em seu acervo.

Joelma contou com a ajuda de alguns famosos para que

ajudassem na escolha do repertório

Foto: Arquivo

e ''Voando pro Pará'', foi a mais esco

lhida. Eliana, Lexa, Wanessa foram

alguns dos nomes. A filha de Zezé Di

Camargo pediu a música ''Acelerou''.

As ex-BBBs Rafa Kalimann, Ivy

Moraes, Marcela Mc Gowan e mais

também fizeram suas apostas pro

show.

Em sua primeira transmissão,

Joelma garantiu ter tomado todos

os cuidados de prevenção contra o

coronavírus e evitou a aglomeração

de pessoas em sua casa. ''Essa live

tem como objetivo levar amor pra

quem está em casa e tentar ajudar

um pouco tantas pessoas que

estão precisando de auxílio neste

momento. Vamos nos unir, porque

assim somos muito mais fortes'',

disse.

REVISTA CARIOCAS - 4

Ivete Sangalo comemora 48 anos

e se emociona com homenagens:

“Adoro aniversário”

Ivete Sangalo foi pega de surpresa ao completar 48 anos.

Na madrugada de quarta-feira, dia 27 de maio, a baiana não

segurou a emoção em nova live em seu perfil do Instagram.

A artista ganhou homenagens de fãs, amigos e família em

seu aniversário. „É muito maravilhoso receber esse amor de

vocês! Eu adoro fazer aniversário porque adoro viver, estar

viva, e reconhecer, todos os dias, as coisas maravilhosas

que recebo no meu dia a dia. As experiências, a vida que eu

tenho... quantas boas saídas Deus trouxe para minha vida,

em vários aspectos. Dentro dos ensinamentos dele, o que

parecia uma dor, ele sempre trouxe um caminho de alegria,

de reerguer as minhas forças. Eu fiquei muito emocionada

com tudo. Não esperava“, admitiu.

Ivete chorou com homenagem de fãs, amigos e famíliares

, a cantora agradeceu as mensagens e fez declaração

apaixonada ao marido: ‚Sou louca por Daniel. Ele é um cara

sensacional‘

Fernanda Gentil assume quadro

no ‘É de Casa’

Foto: Arquivo

Fernanda Gentil é a nova integrante do ‘É de Casa’

após a saída de Zeca Camargo da Globo. Segundo o

colunista Ricardo Feltrin, a movimentação indica, nos

bastidores, que o ‘Se Joga’ não vai voltar ao ar. A saída

de Zeca Camargo da Globo, após 24 anos ,vai provocar

mudanças na emissora carioca. A jornalista anunciou

que ganhará um quadro no “É de Casa”, que vinha

sendo conduzido por Zeca ao lado de Ana Furtado, Patricia

Poeta, André Marques e Cissa Guimarães .

A namorada de Priscila Montandon foi quem revelou

a novidade no site GShow. “Recebi um convite muito

legal, aceitei e quero repassar para vocês. A partir de

sábado (30) agora, a gente vai se encontrar no ‘É de

Casa’. Vou ter um tempinho para falar com vocês sobre

ajuda das mais diversas formas: distrair a criançada na

quarentena, como ajudar o idoso a falar com um neto,

a matar a saudade da filha...”, detalhou Fernanda. Por

conta do noticiário da pandemia, o “É de Casa” vem

entrando no ar às 6h50 - seu horário normal é 9h.


COMPORTAMENTO

Foto: Arquivo

ENFIM SÓS!

Por Martha Medeiros

E

la mora sozinha há muitos anos. Gosta,

pois leva a vida do jeito que quer, não

há ninguém em volta fiscalizando as manias.

Mas sente uma ponta de inveja de

lares ocupados por muita gente, famílias

numerosas. Preferiria ser mais requisitada, já que são

longos os momentos sem companhia. Já a ouvi reclamar

de passar um dia inteiro sem escutar a própria voz.

Até que veio o coronavírus e obrigou o isolamento de

todos. Deixou de ser uma escolha, e sim um ato compulsório.

E, para minha surpresa, ela não reclama mais,

está adorando os dias de leitura, introspecção e silêncio.

Mas se a rotina já era desse jeito, o que mudou?

É que agora não é só ela que está em casa, mas toda

a cidade. Ela já não é diferente da maioria dos amigos.

A solidão deixou de ser um problema apenas dela.

É um assunto que sempre me atraiu. Acredito que ter

uma relação cordial com a solidão é a saída para evitar

perturbações mentais. Quem encara a solidão como

uma terrível ameaça acaba comprometendo as experiências

afetivas. Os vínculos se tornam asfixiantes em

vez de naturais. As relações sociais tornam-se mais

obrigatórias do que espontâneas. É difícil aceitar que

as pessoas chegam, ficam e um dia vão embora de

nossas vidas. Essa dinâmica inevitável nos obriga a

passar por momentos de resguardo eventual ou prolongado,

o que conduz a um encontro profundo com a

gente mesmo. Para alguns, é assustador.

Não sou nenhuma ermitã e considero que ter amigos

é sagrado. Lamento pelos que se encarceram numa

existência sem vínculos – essa, sim, uma solidão corrosiva.

Bem diferente de quem pode se dar ao luxo de

passar temporadas sem contato, pois sabe que não

existe distância entre os que preservam laços vitalícios.

Muitas pessoas moram sós.

Quando a pandemia passar, voltarão a caminhar pelas

ruas, ir a bares, ao cinema, encontrarão pessoas

e continuarão sós, e não há vergonha nenhuma nisso.

Sei que conviver é fundamental, um hábito que até

ajuda a imunizar: ficamos mais saudáveis ao sermos

tocados, abraçados, beijados. Mas não precisamos ter

nossa vida testemunhada 24 horas por dia.

Sozinhos, agimos como anjos. Não mentimos, não

julgamos os outros, não agredimos ninguém. “Sozinha

não há céu que me rejeite” – verso de um poema que

escrevi 25 anos atrás, quando me parecia interessante

esse benefício da solidão: a de impedir que fôssemos

uns malas. Hoje se mente, se julga e se agride pelo

Twitter, pelo Facebook. Meu verso caducou. Então,

aproveitemos o cativeiro para valorizar as demais vantagens

da solidão: autoconhecimento, paz de espírito,

concentração, relaxamento. E, se conseguirmos ignorar

o celular (como há 25 anos, quando ele não existia),

a vantagem sublime de não sermos atazanados e de

não atazanar ninguém.

REVISTA CARIOCAS - 5


Eles tiveram que aprender

a cozinhar na quarentena...

Viver de delivery ou comida pronta pode não ser bom para a saúde, nem

para o bolso. Por isso, alguns leigos na cozinha preferiram se virar para

aprender a preparar suas próprias refeições no confinamento causado pelo

novo coronavírus.

GASTRONOMIA

Por Mirian Barbosa e Sophia Carneiro

Foto: Arquivo

“Quem sabe cozinhar está em vantagem

durante a quarentena. Em primeiro lugar,

porque garante uma alimentação saudável,

baseada em comida de verdade”, diz a

apresentadora Rita Lobo.

Ela é autora de livros sobre o tema e criadora

do site Panelinha, em que dá dicas para

quem quer se aproximar do fogão (veja,

mais abaixo, alguns dos conselhos).

A atriz e influenciadora Gabi Lopes, 25, já

sente a diferença. Ela é uma das famosas

que contraíram a Covid-19 e, com o tempo

livre no isolamento, decidiu aumentar seu

repertório na cozinha - até então, só sabia

fazer macarrão e tapioca recheada. A atriz

Gabi Lopes foi diagnosticada com coronavírus

e aprendeu a cozinhar durante o isolamento.

“Pensei: já estou grandinha, acho que está

na hora de saber fazer arroz. Então joguei no

Google: ‘Como fazer arroz?’”, conta.

Ela seguiu com as pesquisas e também

aprendeu a cozinhar feijão e proteínas. Com a

perda do olfato e do paladar, um dos sintomas

causados pelo coronavírus, Gabi contou com

a ajuda do namorado para avaliar os pratos.

“Serviu mais para me divertir e me soltar da

crença de que não sabia fazer do que para me

tornar, de fato, uma expert na cozinha.”

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 6


GASTRÔ

Foto: Arquivo

Panelas contra

ansiedade

A estudante Ludmila Carvalho, 18, assistiu

a vídeos no YouTube para aprender a fazer

pratos básicos. “Para os outros pararem

de falar que tudo que eu faço tem gosto de

plástico”, brinca, e está adorando brincar com

as panelinhas. “ Nunca poderia imaginar que

seria tão prazeroso! Aprendi a fazer diversos

tipos de massa e a cozinhar e temperar um

belo feijão. Nunca imaginei que teria prazer na

cozinha se não fosse comendo.

“Para quem já tem alguma prática, a

cozinha é um lugar de esvaziar a mente. Nos

concentramos no fogo - ou a comida queima

-, na faca - ou nos cortamos - e, com isso,

ficamos num estado quase meditativo. Vamos

nos blindando do caos externo”, explica Rita.

Marly e Antônio Mendes tem cinco ano0s de

casados e dividir a cozinha já era fato antes da

pandemia. Entretanto, agora o casal vem se especializando

e preparando pratos especialíssimos como

camarão na abóbora.

Foto: Arquivo

A advogada Marly Dukman Ferraz, 36,

também usou as panelas contra a ansiedade

deste período. De acordo com ela quando está

cozinhando esquece inclusive o celular e todos

seus problemas. Ela já tinha uma vaga noção

mas foi através do caderno de receitas da avó

que aflorou este lado que pouco exercia. “

Está sendo maravilhoso. Prefiro as receitinhas

mais fáceis, claro, e ainda pesquiso na internet

outreas. Uma experiência que, certamente,

levarei adiante fazendo cursos mais pra frente.

Foto: Arquivo

De acordo com Marly, 30, secretária executiva de

uma multionacional o convívio de ambos no isolamento

foi muito ajudado pela arte de cozinhar. “Estávamos

pedindo muita comida fora e dividíamo0s

a arrumação da casa pelas manhãs, pois nós dois

trabalhamos em casa neste período. Mas, depois

que iniciamos o ato de cozinhar diáriamente tudo se

transformou em horas de prazer. Uma delícia ver receitas

e torná-las realidade”.

Antônio(42), Professor de Matemática reforça o depoimento

da esposa e diz que cozinha é uma equação.

“Basta fazer exatamente de forma correta uma

receita testada que é sucesso imediato, mas as vezes

sai errado e temos que testar novamente com

mais atenção, nas doses certas. O importante é que,

além de uma terapia asjuda a controlar a ansiedade

nestes tempos difíceis”

REVISTA CARIOCAS - 7


GASTRÔ

Foto: Arquivo

Jantar preparado pelo casal que aprendeu a cozinhar

durante a quarentena — Foto: Arquivo pessoal

“Quem sabe cozinhar come melhor todos os dias, e

é bom ter isso como motivação.”

Prática na cozinha é aliada da saúde e ajuda a

controlar ansiedade na pandemia. ‘No tempo que

a pessoa levaria para ir e vir do trabalho, dá para

preparar refeição’, diz Rita Lobo, que abaixo, junto

com outros cozinheiros dicas nas redes sociais para

quem quer aprender a cozinhar — Foto:

Como começar?

Precisa de mais motivação? “Este não é um bom

momento para brincar com a saúde. Mas é uma excelente

oportunidade para aprender a cozinhar. Não

é dom, é aprendizado”, diz Rita.

“Com o tempo que a pessoa levaria para

ir e vir do trabalho, dá para preparar uma

bela refeição em casa.”

Então vamos a algumas dicas práticas:

• Aposte no básico: arroz, feijão, carne (para

quem come), legumes e verduras. Rita diz que o pê-

-efe tradicional dá show quando o assunto é alimentação

saudável

• Para a sobremesa, vá de frutinha. Não dá

trabalho e ainda deixa a refeição completa.

• Separe um tempo para organizar a cozinha.

É mais fácil e prazeroso cozinhar em um espaço

funcional e bonito

• Na sua lista de compras, evite os ultraprocessados

e capriche nos alimentos versáteis e com

boa durabilidade: arroz, feijão, lentilha, grão-de-bico,

massas, farinhas de trigo, milho e mandioca, polvilhos

doce e azedo, ovos, azeite, especiarias, mel,

entre outros. Entre os queijos, prefira meia-cura e

parmesão, que duram mais

REVISTA CARIOCAS - 8

• Alguns vegetais também duram mais que

outros. É o caso, por exemplo, das batatas, chuchu,

inhame, repolho e acelga

• Use o congelador. Você pode cozinhar a

mais, separar em porções e congelar para comer

em dias mais preguiçosos. Também dá para congelar

vegetais frescos (salsão picado e cenoura ralada,

por exemplo) e frutas (que podem virar sorvetes)

• Não há um alimento ou nutriente que consiga

sozinho melhorar a imunidade para proteger contra

o coronavírus. Mas é importante estar bem alimentado.

Lembra do pê-efe? Ele é um ótimo aliado

nesse momento.

Nas redes sociais, Rita Lobo e outros cozinheiros

têm publicado receitas e dicas para quem quer cozinhar

na quarentena. Veja, abaixo, algumas páginas

que podem ajudar:

• Panelinha: Site de Rita tem várias receitas e

uma seção especial para quarentena

• Ana Maria Braga: Com o “Mais Você” fora do

ar, a apresentadora tem compartilhado receitas em

seu perfil

• Bela Gil: Apresentadora publica vídeos com

receitas que tem feito em casa com os filhos.

• Massimo Bottura: No projeto “Kitchen Quarantine”

(Cozinha em quarentena, em tradução livre),

o chef italiano, líder do famoso restaurante Osteria

Francescana, faz transmissões ao vivo para ensinar

receitas aos seguidores com a família

• Paolla Carosella: Chef tem vários vídeos com

receitas no Instagram

• Torrada Torrada: Site fez um compilado de receitas

para lanches da tarde, já que muitas pessoas

estão trabalhando de casa

• Cozinhando para 2 ou 1: Jornalista Luciana

Carpinelli já mostrava receitas para intolerantes à

lactose, mas agora tem falado também sobre alimentação

na quarentena

• Viver sem Trigo: Paula Maria Martins ensina

receitas saudáveis sem trigo

revistariogourmet.com.br


Stambul: uma tradição no coração

de Copacabana

Publieditorial

O restaurante Stambul, em Copacabana, é um dos

ícones da cidade no quesito de comida árabe. Ano

passado, o proprietário Fuad (que veio da cidade de

Safita e abriu a casa há mais de 50 anos), faleceu

deixando a administração com seu braço direito, Luiz

Gonçalves, que já estava à frente do local há 14 anos

e hoje divide a batuta com a viúva Dona Marta Bezine.

Localizado no coração de Copacabana, o Stambul é uma

das tradições mais gostosas do bairro e conquista sua

clientela com porções fartas e comida da melhor qualidade.

Em tempos de Pandemia, o restaurante continua

funcionando firme e forte das 12 às 22 horas diariamente

com entregas à domicílio para diversos bairros da zona

sul da cidade , chegando em casa quentinha e com

rapidez.

Foto: Divulagação

Foto: Divulgação

As opções são diversas. Sempre utilizando produtos

importados, no cardápio não poderia deixar de constar

o Cabrito com Arroz de lentilha (Cabrito assado, arroz

de lentilha e cebola frita) à R$120 e os Charutos de

Repolho, à R$18 - 6 unidades/ R$36 - 12 unidades

e Folha de Uva à R$17 – 6 unidades e R$34 – 12

unidades, ambos recheados com arroz e carne moída.

De acordo com Luiz, o Homus ( uma pasta feita com

grão de bico, tahine e temperos) é uma das pedidas

mais requisitadas junto com o Babaganouch (pasta de

berinjela assada, feita com tahine e limão)e as caftas que

levam carne moída e muitos temperos como hortelã.

Para quem gosta de comida árabe as esfirras e os

quibes não podem ficar de fora das encomendas, pois

são considerados uma das melhores iguarias da cidade.

Quando for fazer seu pedido procure saber quais pratos

servem duas e até 4 pessoas pois as porções são muito

generosas. Vale a pena se informar já que uma das

tradições do Stambul também é a fartura.


CHEF

Foto: Arquivo

Ele conta o que cozinha em casa na

quarentena e ensina receita

Longe da rotina intensa de gravações do Masterchef e

da correria dos bastidores do seu restaurante Président,

que durante o isolamento social está atendendo

apenas pelo sistema delivery, o chef Érick Jacquin tem

desenvolvido uma nova dinâmica em casa.

As horas durante o dia, antes mais distantes da esposa,

Rosângela Menezes, e dos gêmeos Antoine e Elise,

agora são divididas entre os afazeres com os filhos, a

organização da casa e, claro, por horas na cozinha. No

cardápio, seu famoso stake tartare dá lugar a um mix

de receitas brasileiras e francesas — principalmente

comfort foods, que trazem aquele „tompero“ bem familiar

aos tempos de quarentena.

Jacquin conversou com a gente sobre essa nova rotina

e sugeriu ao leitores de Nossa uma receita que costuma

fazer em casa.

O que você tem feito e cozinhado em casa

durante a quarentena?

aproveitando também para organizar os livros, arrumar

a área de serviço, as panelas da cozinha e a geladeira.

Gosto de cuidar da casa quando posso.

Qual dica você dá para ajudar quem está se

aventurando na cozinha neste período?

Acho que as pessoas podem aproveitar para conhecer

novos ingredientes, fazer receitas que nunca tentaram.

Ouvir o que os familiares gostam de comer e irem juntos

elaborar algo na cozinha. Quando preparamos um prato,

reunimos as pessoas que amamos num momento de

conversa, de sabores. A gastronomia une as pessoas

em torno da mesa.

Que receita você sugere para os leitores de

Nossa?

A sopa fria de frutas vermelhas com manga. Antes eu

fazia ela com pêssego, então também pode ser uma

opção se você quiser variar a manga.

Foto: Arquivo

Eu estou aproveitando que estou mais tempo em casa

durante o dia para ajudar a Rô a preparar a papinha dos

bebês, a cuidar deles e a organizar a casa. Eu e a Rô

comemos pratos simples. Fiz quiche esses dias, num

outro dia comemos feijoada e agora ela me pediu para

fazer um bom risoto. É bom aproveitar que estamos em

casa para cozinhar para a família o que eles gostam de

comer.

O que mais tem incluído nessa rotina?

Antes eu ficava pouco em casa durante o dia porque

estava gravando ou no restaurante. Então, estou

REVISTA CARIOCAS - 10


CHEF

Foto: Arquivo

Sopa fria de frutas vermelhas com

manga

A sopa fria de Erick Jacquin, na versão alternativa, com

pêssego

Rendimento: 5 porções

Ingredientes:

• lide água mineral

• 300g de açúcar

• 5 morangos

• 1 manga

• 150g de amoras

• 150g de framboesa

• 5 folhas de manjericão

• 5 folhas de hortelã

• 1 folha de capim limão

• 2 saches de chá de frutas vermelhas

• 1 picolé de morango

Modo de preparo:

1. Faça uma calda com a água e o açúcar

2. Após atingir a textura desejada adicione os chás e as

ervas para

infusionar 3. Resfrie na geladeira por no mínimo 5 horas

4. Limpe os morangos e corte em 4 partes 5. Tire a

casca da manga e corte a fruta em pedaços 6. Limpe

as framboesas e os mirtilos (caso não venham prépreparados)

7. Coe o chá com a ajuda de um chinoix 8.

Adicione as frutas ao chá 9. Mexa delicadamente para

extrair o máximo de sabor 10. Corte o picolé em 3 partes

11. Sirva em um prato fundo 12. Decore com folhas de

hortelã 13. Sirva imediatamente


A CARA DO RIO

ALEX BAKALLA DE QUARENTENA

Foto: Arquivo

Morador da Barra da Tijuca, adora esportes

e viajar. O teatro é outra paixão. A última peça

encenada foi ‘E foram felizes para sempre’, de

Aluísio Guimarães. No cinema foi produtor do

filme ‘Mariana’ e aproveita a quarentena para

produzir arte.

“Estou lendo roteiros, vendo dezenas de filmes,

fazendo lives e me mantendo atualizado com a

turma da resistência cultural, afinal tudo isso vai

passar. Voltaremos a uma nova normalidade,

mas continuaremos vivendo e produzindo”

Amante de uma boa gastronomia, Bakalla

sempre foi freqüentador das melhores casas

da cidade, mas nesta pandemia, em casa, no

isolamento, aderiu ao Spaguetti ao bacon feito na

hora na cozinha de casa. Gosta também de pizzas

no delivery. Como bom libriano, Alex Bakalla não

vê a hora de poder voltar a abraçar todos seus

muitos amigos, brindando com uma boa dose de

Gim Tônica.

Salute!!!

1 - Bebidinha detox

Suco de repolho

2 - Prato que te lembra a infância

Feijão verde com carne de sol

3 – Antes da Pandemia onde indicaria

para se tomar um café da manhã

caprichado?

Cafe do Alto, em Santa Tereza.

4-Hoje, em sua casa, o que compõe

sua primeira refeição?

Pão de milho , ovos ,queijo,pão ,mel ,aveia

,bolachas de coco e tapioca.

5 – Quando voltarmos ao convívio

social onde indicaria um almoço entre

amigos?

Churrascaria Fogo de chão

6_ E a sugestão para um jantar

romântico?

Giusepper Mar -Village MALL

7 – Delivery predileto

Pizza

8 - Boteco Bacana pra tomar chopp

quando a Pandemia acabar

Padaria da Olegário

9 - Fim de tarde à beira mar

Quiosque Joitor, na Barra

10 - Na cozinha de casa (o que gosta

de cozinhar)?

Adoro massas, a preferida é Spaguetti ao Bacon

11- Comidinhas necessárias em sua

despensa e geladeira

Goiabada ,Cuscus e bolacha de coco

12- Chef:

São tantos.... tanta gente boa. Prefiro não

comentar agora, vamos ver quem permanecerá

após a pandemia.

13-Uma loja de sucos

Bibi Sucos

14 - Aquela super padaria

La Bicycllete - Jardim Botânico

15 - Programa de Domingo em casa

Conversar com os amigos de outros estados

16- Para beber um bom vinho:

Gurume - Fashion Mall

17 - O melhor petisco

Pastel

18-Bebida predileta (alcoólica)

Gin Tônica

19 - Um restaurante que é a cara do

Rio:

Marius

20-Um hobby

Musculação

21- Um filme

Uma lição de Amor

22- E esta pandemia....como será a

nova realidade?

Vai passar. Uma hora voltaremos a nos

encontrarmos, sairemos deste completo

isolamento e voltaremos a freqüentar nossos

restaurantes e bares.

REVISTA CARIOCAS - 12


PERSONA

Cristiane Torloni

A Deusa do Egito voltou!

Na nova realidade de confinamento, Christiane assiste à novela, e também se dedica

às atividades físicas indoor, à leitura e aos projetos pessoais

Foto: Arquivo

T

ereza Cristina, a grande vilã

de Christiane Torloni em Fina

Estampa, está de volta. Assim

como Griselda, Crô e outros

personagens memoráveis. E de

uma maneira sem precedentes na história

da Globo. Isso porque a trama das 9 de

Aguinaldo Silva, exibida entre 2011 e 2012,

está sendo reprisada no horário nobre.

O avanço do novo coronavírus fez com

que a emissora suspendesse as gravações

de suas novelas e colocasse em prática um

plano emergencial: resgatar antigos folhetins

de sucesso da casa para ocupar sua grade

das 18h, 19h e 21h. „Essa novidade coloca

o artista diante de uma surpresa do destino

incrível“, observa Christiane Torloni, em

entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo,

por telefone, de sua casa, no Rio. A atriz tem

boas lembranças dessa época. Era uma

rotina intensa. „Eu tinha uma média de 70 a

100 cenas por semana, isso é um recorde.“

Na nova realidade de confinamento,

Christiane assiste à novela, e também se

dedica às atividades físicas indoor, à leitura e

aos projetos pessoais. Ela conta, orgulhosa,

que, antes de conversar com a reportagem,

estava envolvida com um texto em inglês,

após ter sido convidada para fazer parte

do The Science Panel for the Amazon. „É

um painel científico para a Amazônia. Junta

ciência com sociedade civil“, diz a atriz, de

63 anos, que integra a Fundação Amazônia

Sustentável e é diretora do documentário

Amazônia - O Despertar da Florestania. Aliás,

em tempos de pandemia, ela faz um alerta:

„Você acha que pararam o desmatamento

e as queimadas na Amazônia? Estamos na

quarentena, eles não estão. Você acha que

quem é do mal fica na quarentena?“

REVISTA CARIOCAS - 13


PERSONA

Na época em que Fina Estampa foi exibida, você estava

gravando intensamente e agora está em casa,

assistindo à novela. Como é vê-la como espectadora?

Antes de tudo, acho que essa é uma oportunidade

se não rara, única, porque, em 45 anos de

carreira, isso jamais aconteceu. Uma coisa é ter

uma novela sua reprisada no Vale a Pena Ver

de Novo, no Viva. São categorias diferentes. É

história o que está acontecendo, nunca foi feita

uma estratégia como essa, porque um momento

como esse nunca existiu. Fina Estampa foi uma

novela de muito sucesso, dentro de uma situação

do Brasil que era completamente diferente desta.

A primeira coisa que a gente vê nessa novela

é uma estética amorosa, solar, afetiva para um

lugar. O espectador está sendo apresentando

ao clássico folhetim Em uma semana, você vai

saber quem são seus afetos ou seus desafetos.

nunca. O único que pode fazer isso é o público.

A novela é um exercício de erro e acerto, você

vai percebendo onde você vai errando, onde

precisa ajustar, e ouvindo teus diretores, teu

autor. Vejo a Tereza Cristina como um grande

exercício de liberdade interpretativa. Ela e o Crô

(Marcelo Serrado) têm uma pequena afetação,

um pequeno tom que faz com que as pessoas

sensorialmente percebam que estamos

um pouco além da realidade do chamado

naturalismo. Então, transitar do ponto de vista

interpretativo entre o natural e esses momentos

em que os personagens são um pouco hiperrealistas,

isso é uma coisa muito precisa.

Foto: Arquivo

Foto: Arquivo

Como é chegar aos 45 anos de carreira

relembrando uma personagem tão

importante? Tem esse olhar para trás nesses

momentos de carreira?

E como é ver a personagem quase dez anos

depois?

Você tem que lutar com você mesmo para não

tentar criticar o personagem, sua performance...

Quer dizer, o personagem, não. Isso é uma

coisa que eu percebo já há muitos anos: não

faço julgamento de valor de personagem,

Fui criada de uma maneira muito espartana

no que diz respeito a essa questão da arte. Sou

filha de dois atores, Monah Delacy e Geraldo

Matheus. Olho minha carreira, e é um passo

depois do outro. Nunca fiz grandes planos. Fui

criada dentro de uma disciplina, dentro do teatro,

por isso que sou uma atriz de teatro há tantos

anos. Terminamos a 3.ª temporada do Master

Class no final do ano passado, com mais de 72

mil espectadores, e depois desse projeto outros

papéis muito lindos vieram, oportunidade de

trabalhar com Luiz Fernando (Carvalho) fazendo

Velho Chico. Autores novos com quem eu não

tinha trabalhado como Daniel Ortiz e Mário

Teixeira. E produzindo um filme que idealizei,

um documentário apresentando todo um lado

ativista de meio ambiente. Então, quando o

passado chega ao meu presente, me sinto

agraciada, porque de alguma maneira ele vem

dizer: continua, hein.

REVISTA CARIOCAS - 14


PERSONA

Foto: Arquivo

Por causa da pandemia, como está sendo

sua nova rotina?

Sou uma pessoa que exercita a solidão há

muitos anos, de alguma maneira. Apesar de eu

ser uma pessoa bastante social, cultivo a minha

companhia, os meus estudos, os meus projetos.

Meu filho é um homem adulto, tem o filho dele,

tem a vida dele. Meus pais não moram no Rio,

moram na serra. Tenho meus amigos, mas não é

todo dia, toda semana. As pessoas que conheço

são muito produtivas também nos seus afazeres.

O que me deixa muito angustiada é ter que ser

absolutamente obediente e não poder fazer

práticas físicas fora de casa. Faço isso a vida

inteira: ando, ando de bicicleta, corro na praia.

Mas não tem o que fazer, porque estamos lidando

com uma situação que é invisível. Percebo a

responsabilidade de tentar não arriscar, até em

nome dos meus pais, do meu filho, do meu neto.

Então, todas as práticas que eu costumava fazer

fora de casa, estou fazendo dentro de casa. E

fazendo uma coisa que sempre digo para as

pessoas que falam que odeiam fazer qualquer

tipo de ginástica. Pergunto: você gosta de

música? ‘Adoro’. Então, bota música e dança.

Dance na sua sala, solte seu corpo, porque o

coração precisa disso.

E como você está enfrentando este

momento?

Vou te falar uma coisa: só pessoas que

enfrentaram tragédias nas suas vidas sabem

como é um dia atrás do outro. Como a gente

está vivendo uma tragédia mundial, aconselho

as pessoas amorosamente a viverem um dia

de cada vez, e fazerem as coisas simples com

alguma alegria. As coisas básicas do seu dia, ao

se levantar, escovar os dentes como se fosse a

primeira vez ou a última na sua vida. Só as coisas

simples nos reconectam com a essência da vida.

Este é um momento em que a gente vai ter que

viver com muita simplicidade. Isso chama-se

altruísmo. A gente olhar que todos nós estamos

passando por este momento, por alguma razão

que talvez a gente nunca saiba. Estamos neste

REVISTA CARIOCAS - 15


PERSONA

momento no Brasil, todos batendo no mesmo

ritmo dos nossos corações.

Um país que estava tão desalinhado, com

tantas polarizações políticas, você pode imaginar

que, por uma regência cósmica, estamos todos

no mesmo ritmo: todos os dias tomando café e

almoçando mais ou menos no mesmo horário,

lavando louça, varrendo a casa. As coisas

simples nos salvam. Para quem já tomou

grandes trancos, tsunamis existenciais, a gente

sabe que só isso nos leva para frente. Então,

vamos juntos.

Você passou por uma grande tragédia que

foi a perda de um filho...

E você se conecta com todas as outras pessoas

que também tiveram perdas e você percebe

que foi assim, porque isso é um bastão de

ensinamento que vai passando ancestralmente.

É muito difícil você passar uma vida inteira sem

ser tocado pela tragédia. E, quando ela acontece,

você olha também amorosamente para o mundo,

porque muitos braços e abraços vêm te confortar.

Então, neste momento, estamos fazendo isso

uns com os outros, nos consolando. Todos nós

perdemos uma coisa chamada liberdade, que

é um bem supremo e intangível. A gente está

vendo as pessoas cantando Parabéns Pra

Você a distância, batendo palmas, cantando na

janela. As pessoas estão fazendo coisas que

são grandes abraços. O dia de hoje vai acabar

já já. Just for a day. Um dia após o outro.

*Matéria reproduzida do Estado de São Paulo


SAÚDE E BEM ESTAR

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E NATURAL

NA COZINHA DE CASA

Foto: Arquivo

Nessa quarentena muitas pessoas realizaram

mudanças em seus hábitos alimentares,

muitas, inclusive, exagerando no consumo

de produtos calóricos e industrializados. De

acordo com a chef Andréa Ferreira devemos

ter disciplina mesmo no isolamento, tendo

uma alimentação equilibrada, bastante variada

e que nos forneça todos os nutrientes e

vitaminas de que o nosso organismo precisa

até para combater esse vírus .

“A alimentação equilibrada de nutrientes nos

ajuda na prevenção e até mesmo contribui

para a cura de diversas doenças e para

aumentar a imunidade para ajudar a combater

essa pandemia..Mesmo nessa quarentena

devemos ter uma boa alimentação e cuidados

com nosso corpo”.

Andrea lembra que o isolamento social trouxe

muitos desafios para a sociedade, pois todas

as famílias tiveram que se reinventar gerando

a necessidade de elaborarem as suas próprias

refeições nos seus próprios domicílios, se aliar

à cozinha e descobrir novos segredos que

nem mesmo você sabia fazer.

De acordo com a chef de cozinha, com esse

novo aprendizado de praticar a fazer pratos

deliciosos na cozinha você acaba deixando a

sua ansiedade e trás à tona um dom que você

nem imaginava que tinha, e a sua alegria de

descobrir esse dom é inesquecível. “Além

de ser uma boa oportunidade, inclusive de

experimentar receitas que já estavam há

tempos para serem testadas ou tinha medo

de fazer por não saber cozinhar. Cozinhar

distrai e deixa o seu momento cozinha mais

alegre” finaliza Andréia que abaixo dá umas

dicas importantes para se ter uma alimentação

saudável e natural.

REVISTA CARIOCAS - 17


SAÚDE E BEM ESTAR

1 – Não fique sem comer - O mais

importante é não passar longos períodos

sem comer. Fazer pequenos lanches entre as

grandes refeições é fundamental.

2 – Tenha horários para as refeições

- Comer de 3 em 3 horas, realizando de 5 a

6 refeições por dia, é a forma mais indicada

para manter o equilíbrio corporal e os níveis

de energia constantes.

3 – Aprecie as refeições - Apreciar

melhor o sabor, o cheiro, as cores e a textura

dos alimentos, diminuir a velocidade da

mastigação para que os nutrientes sejam

melhores digeridos.

4 – Dieta balanceada - Uma dieta livre

de toxinas ajuda, inclusive, no seu bem-estar ,

melhora o humor e mantém a energia em alta.

5 – Frutas e hortaliças - Consuma

sempre verduras, legumes e frutas. São

ótimas fontes de fibras, vitaminas e minerais.

6 – Consuma gorduras boas – A

ingestão de gorduras boas como castanhas,

chia, abacate, amêndoas, entre outros,

auxilia na diminuição da inflamação e age na

prevenção de doenças degenerativas.

7 – Consuma alimentos ricos em

fibras solúveis - A fibra solúvel pode

ajudar na perda de peso reduzindo o apetite.

Alimentos naturais ricos em fibra solúvel

incluem batata doce, feijão, frutas e vegetais.

8 – Beba água - Nosso corpo é constituído

de cerca de 60% a 70% de água no sangue,

músculos, pulmões e cérebro. Beber bastante

água é vital para a nossa saúde.

9 – Redução do açúcar - Existem

muitos alimentos que prejudicam a dieta,

porque neles existem açúcar e isso apresenta

muitos mais prejuízos do que benefícios a

saúde. O consumo de açúcar com frequência

causa picos e quedas repentinas de glicemia

no sangue e com isso aumentando a fome.

10 – Exercícios físicos – Fazer

exercício pelo menos três vezes na semana

vai além de se conseguir um corpo perfeito, é

essencial , pois libera a endorfina e dopamina

que são substâncias importantes para se ter

um dia a dia mais prazeroso e também para a

saúde mental e espiritual .

Foto: Divulgação

Andréa Ferreira – Chef de cozinha

Instagram: @chef_andreaferreira

Telefone: (21) 96495-9909

REVISTA CARIOCAS - 18


SAÚDE E BEM ESTAR

PESQUISA: 15 MINUTOS DE TREINO É O SUFICIENTE

PARA EMAGRECER E TONIFICAR OS MÚSCULOS

Foto: Arquivo

Por Maria Amora

Com o isolamento, a opção são as chamadas de videoconferências

para orientação durante os exercícios

Uma pesquisa divulgada no dia 22 de maio

pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

aponta que as mulheres foram mais afetadas

pela pandemia do Coronavírus. O resultado

pode ser explicado, entre outros fatores, pelo

excesso de trabalho que cabe a elas durante

o período, o que implica em dificuldades

maiores, também, para a execução de

atividades relacionadas ao emprego de forma

geral, em especial quando há home office.

Como então cuidar da saúde com tantas

responsabilidades e a falta de tempo?

Segundo a personal trainer Jheyke da Hora,

especializada no público feminino, quinze

minutos são suficientes para manter a

saúde em dia. “Esses treinos curtos de alta

intensidade se encaixam na realidade dessas

mulheres e promovem o emagrecimento e a

tonificação da massa muscular, além de trazer

mais qualidade de vida”, afirmou.

Com o isolamento, a opção são as chamadas

de videoconferência e vídeos para orientação

durante os exercícios. “Sem dúvida, as aulas

presenciais são importante, mas antes mesmo

da pandemia, às atividades online são o

melhor caminho para quem possui uma rotina

apertada”, disse a personal.

Dicas para iniciar as atividades

físicas em casa

1 - Busque a orientação de um profissional;

2 - Informe todas as suas limitações,

expectativas e possível problemas de saúde;

3 - Crie uma rotina com horários e dias

específicos para os treinos;

4 - Invista em uma alimentação saudável;

5 - Treinar em companhia de mais uma

pessoa pode ser um incentivo para quem se

sente desmotivada. Convide uma amiga para

realizar os treinos em parceria, lembrando que

a orientação de um profissional é fundamental.

REVISTA CARIOCAS - 19


PSICOLOGIA

Foto: Arquivo

Oito técnicas psicológicas para lidar com estresse

e ansiedade em tempos de isolamento social

Por Mirian Barbosa

De acordo com dados da OMS (Organização

Mundial de Saúde), 33% da população mundial

sofre de ansiedade no mundo. O Brasil

tem aparecido sempre entre os primeiros das

listas da organização. Em tempos de Pandemia e isolamento

social o estresse e a ansiedade vêm afetando

muito as pessoas e causando um desconforto enorme.

Antes da COVID 19, o país já apresentava 70% de sua

população ativa sofrendo com estresse, segundo pesquisa

feita pelo ISMA Brasil (International Stress Management

Association). Ainda conforme o levantamento,

69% dos casos foram fruto de situações profissionais.

O estresse e a ansiedade são considerados por muitos

especialistas como os males característicos do nosso

século. A vida moderna possui elementos que causam

e despertam sentimentos diversos como os medos irracionais

e ficamos sem ter como dominá-los.

Segundo a psicóloga clínica, Edyclaudia Gomes de

Sousa, Neuropsicóloga, especialista em Saúde Mental

e Atenção Psicossocial e mestranda em psicologia

criminal, fatores diversos podem nesta época estarem

causando ansiedade nas pessoas.

REVISTA CARIOCAS - 20

“Os sintomas típicos de quem sofre desses males, incluem

irritabilidade, cansaço frequente, falta de ar, insônia,

taquicardia” explica a psicóloga, que abaixo recomenda

algumas técnicas para quem anda com os

nervos à flor da pele lidar melhor com essa situação:

1. Esteja presente

Medite. Meditar é uma das maneiras de se fazer presente.

A prática de exercícios como fazer caminhadas,

ou até mesmo ter um hobby queocupe 100% da sua

atenção, foca você no momento e evita pensamentos

como “o que poderia ter sido e não foi” e as possibilidades

do futuro, coisas que costumam aumentar a ansiedade

e o estresse.

2. Saiba o poder da sua respiração

De acordo com a especialista, tanto o estresse quanto


PSICOLOGIA

a ansiedade são capazes de gerar respiração ofegante.

“Ao retomar o controle da sua respiração, é possível

acalmar a sua mente. Quando se sentir nervoso, respire

fundo algumas vezes e isso enviará ao seu cérebro

a mensagem que você está calmo, uma vez que pessoas

calmas respiram devagar”.

3. Tenha um olhar diferente em

relação aos seus problemas

Faça com que a pressão te ajude a fazer um trabalho

melhor, ao invés de expor suas inseguranças. Por

exemplo, uma reunião com um cliente – você pode

considerá-la uma situação estressante ou uma oportunidade

de impressionar alguém importante no seu trabalho.

É uma questão de ponto de vista.

4. Aceite aquilo que você não

pode mudar

“Certas coisas são o que são e não irão mudar apenas

porque você não as compreende ou não as aceita. Se

culpar ou martirizar ao lutar mentalmente contra elas,

só irá te deixar mais ansioso” explica Edyclaudia, lembrando

que é melhor aceitar o problema como ele é, e

não ficar pensando em como poderia ter sido diferente.

“Existem coisas que você não pode controlar, como por

exemplo, o que as pessoas irão te dizer, mas você tem

o poder de escolher como lidar com isso” orienta.

7. Durma bem

Uma boa noite de sono pode ser a solução para muitos

problemas do seu dia a dia, não sendo diferente com

ansiedade e estresse, que são causadores de insônia.

Reduza as distrações do quarto e as luzes, faça do

ambiente um santuário do sono e esvazie sua cabeça

antes de dormir.

8. Não seja vítima do perfeccionismo

“Se cobrar em nome da perfeição é absurdo e injusto

com você. É preciso entender que o caminho para o

sucesso não é uma linha reta, apesar de parecer assim

ao olharmos para pessoas bem sucedidas. Todo

mundo está sujeito a problemas e falhas, precisando

sempre recomeçar e você não está imune a isso” explica

a especialista reiterando que não devemos confundir

perfeccionismo com o desejo de dar sempre o seu

melhor.

“O perfeccionismo é uma cobrança irreal e muitas vezes

cruel que leva à depressão, vícios, ansiedade, além

de ter efeito paralisante – quando se deixa de fazer o

que quer por medo de que não seja perfeito” finaliza.

Foto: Divulgação

5. Ocupe a mente

A melhor forma para não deixar o ciclo de pensamentos

negativos seguir seu curso, é mantendo-se ocupado o

suficiente. Mantenha-se focado em tarefas que exijam

um alto nível de atenção, mas que também não sejam

muito monótonas.

6. Exercite-se

Se exercitar faz bem para a mente e para o corpo, além

de diminuir os níveis de estresse e ansiedade. Uma

caminhada de apenas 21 minutos já é suficiente para

sentir alguns benefícios ao seu organismo: mente mais

calma, foco e disposição.

Serviço:

Edyclaudia Gomes de Souza

Neuropsicóloga, especialista em Saúde Mental e

Atenção Psicossocial

Endereço: Praça Serzedelo Correia n° 15 / Sala 302–

Copacabana

Telefone: (21) 982008545

REVISTA CARIOCAS - 21


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Benefícios da drenagem linfática não são só

estéticos: conheça todos

Por Sophia Carneiro

Em tempos de pandemia, mesmo com alguns serviços básicos liberados e muitas pessoas voltando a

trabalhar, parte da população carioca opta por continuar em casa e se cuidar. E nada como ter saúde e um

corpo bem tratado e a drenagem linfática vêm para ajudar neste processo, pois, além de retirar as impurezas

e inchaços corporais, melhora todo sistema circulatório.

Diminuição da retenção de líquidos, inchaços

e até celulite: a drenagem linfática é um tipo

de massagem que consegue trabalhar toda

a linfa do corpo, removendo o excesso e

possibilitando até mesmo a melhora do sistema

circulatório. Isso sem contar que ajuda a reduzir

aquela gordurinha localizada. Por outro lado, a

drenagem linfática tem benefícios que vão além

da estética e contribuem para a manutenção da

saúde. De redução de edemas pós-operatórios

a diminuição de ansiedade e estresse.

De acordo com a fisioterapeuta funcional

pós graduada em medicina estética, Simone

de Oliveira, a massagem tem como função

aumentar o volume e a velocidade da linfa por

meio de manobras que imitam o bombeamento

fisiológico. “Tem influência na oxigenação dos

tecidos, favorecendo a absorção de nutrientes e

a eliminação de toxinas” explica a especialista,

que abaixo aponta os benefícios da técnica

também para a manutenção da saúde:

Diminuição de edemas

Tanto para gestantes, quanto para indivíduos

em situações de pós-trauma ou pós-operatório, a

drenagem linfática auxilia no combate ao inchaço,

especialmente em casos de comprometimento

da circulação sanguínea de retorno. O

procedimento alivia hematomas decorrentes de

distúrbios circulatórios e linfáticos.

Alívio dos sintomas da TPM

Este tipo de massagem também é eficiente no

REVISTA CARIOCAS - 22


SAÚDE E BEM ESTAR

período pré-menstrual, já que melhora sintomas

da TPM como irritabilidade, alterações de

humor, inchaço na região abdominal, inchaço

e até enxaqueca. “A drenagem ajuda a eliminar

a retenção de líquidos, atuando diretamente

nos edemas e aliviando estes sinais, graças a

seu efeito analgésico e relaxante muscular” diz

Simone.

Foto: Divulgação

Redução da ansiedade e estresse

“Os movimentos da drenagem também relaxam

o corpo, contribuindo para diminuir a ansiedade e

estresse. Proporciona relaxamento dos músculos

e bem-estar” esclarece a fisioterapeuta.

Detox no organismo

A drenagem faz uma desintoxicação do sistema

linfático, eliminado toxinas do organismo e

nutrindo os tecidos. “Os movimentos leves em

regiões específicas estimulam o sistema linfático

a pegar e descartar o “lixo celular” dos tecidos

do corpo, promovendo um detox natural” finaliza

Simone de Oliveira, que disponibiliza pacote com

10 sessões por R$850, podendo ser dividido

no cartão de crédito. Simone disponibiliza o

atendimento também na casa do cliente. A partir

de julho estará voltando a atender em seu espaço

no bairro de Laranjeiras.

SERVIÇOS:

Simone de Oliveira

Fisioterapeuta funcional pós graduada

em medicina estética.

Tel: (21) 995199595

REVISTA CARIOCAS - 23


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Obesidade está entre os grandes fatores de risco

para o agravamento da Covid-19

Por Mirian Barbosa

Estudos revelam que a inflamação causada pelo excesso de peso

contribui para a piora do quadro de infecção por coronavírus

Dois novos estudos, um realizado

na França e outro nos Estados

Unidos, revelam que a obesidade

é a condição crônica que mais

leva pessoas a serem hospitalizadas pelo

novo coronavírus (Sars-Cov-2). A inflamação

gerada pelo excesso de peso seria a grande

responsável pelas complicações nesses

indivíduos.

Até agora, ninguém havia investigado a

fundo a relação entre obesidade e Covid-19,

a doença causada pelo novo coronavírus.

Sabia-se apenas que boa parte dos

diabéticos e hipertensos infectados – turma

que é considerada grupo de risco – também é

obesa, já que essas condições têm uma forte

conexão.

Foi então que pesquisadores franceses, do

Instituto Lille Pasteur, decidiram dar o primeiro

passo. Eles examinaram 124 pessoas

internadas por conta do Sars-Cov-2 de 27 de

fevereiro a 5 de abril de 2020.

Os resultados mostraram que 47,6% eram

obesas (ou seja, apresentavam índice de

massa corporal, o IMC, maior que 30) e

28,2% tinham obesidade grave (IMC maior

que 35). Os cientistas notaram ainda que 85

pacientes (68,6% do total) utilizaram ventilação

mecânica, sendo que a proporção foi maior

entre os obesos graves (85,7%).

Conversamos com o endocrinologista

Danilo Mentrop, pós graduado em Harvard

em metabolismo esportivo, que respodeu as

questões mais preocupantes que relacionam

a obesidade à Covid-19.

1-Vários fatores aumentam o risco de

pessoas com obesidade diante do novo

coronavírus. Quais são eles?

Danilo Mentrop- A obesidade torna o corpo

inflamado, é um um tipo de inflamação crônica.

É justamente a resposta inflamatória do corpo

contra o coronavírus que faz a gravidade da

doença.

2- O excesso de peso tem grande relação

com outras doenças metabólicas, como

diabetes tipo 2 e hipertensão arterial,

REVISTA CARIOCAS -24


SAÚDE E BEM ESTAR

ambas muito frequentes entre pacientes

com a forma mais grave de Covid-19.

Poderia falar sobre isso?

Covid eh uma doença em que não eh o

vírus e carga viral que matam. Mas a resposta

inflamatória do corpo contra o vírus. E

doenças que deixam o corpo inflamado, como

hipertensão, diabetes e obesidade fazer essa

resposta ser ainda maior.

3- É verdade que indivíduos obesos,

com um índice de massa corporal (IMC)

acima de 40 kg/m2, são mais vulneráveis

às complicações da gripe comum, além

de terem uma proteção diminuída contra o

vírus influenza, mesmo quando vacinados?

É verdade. Pelo menos motivo. Obesidade

deixa o corpo inflamado de forma crônica. E

isso diminui a imunidade. Com isso fica mais

propenso as usarias gripais.

4- Calcula-se que 5% dos pacientes

infectados pelo novo coronavírus vão

precisar de terapia intensiva (UTI), situação

que agrava o desafio do paciente com

obesidade grave. Como este paciente deve

ser tratado?

Paciente obeso que evolui com forma grave

da doença precisam de UTI e chegam até a

90% de índice de mortalidade. Forma mais

eficaz é entrar com os medicamentos na

forma mais início da doença. Antes da fase

inflamatória.

adultos e 100 milhões de crianças ao redor

do mundo, causando 4 milhões de mortes

por ano. No Brasil, já acomete um em

cada cinco habitantes, sendo que mais da

metade da população está acima do peso

normal.O senhor acredita que ela deva ser

tratada com muita rigorosidade em tempos

de COVID 19?

Acredito sim! Pois percebesse que o fator de

risco para gravidade da doença são doenças

onde a obesidade é o fator de base. Então

notamos que a pandemia do mundo não é só

o Covid. Mas sim a obesidade.

Foto: Divulgação

Serviços:

Dr. Danilo Mentrop

Endocrinologia / Metabologia do Esporte

Endereço: Rua Jornalista Ricardo

Marinho, 360, ]

grupo 129 – Parque das Rosas – Barra

da Tijuca

Tel: (21) 3844-8800

Instagram: @drdanilomentrop

www.drdanilomentrop.com.br

5- A obesidade atinge 600 milhões de


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Como os pacientes com câncer devem agir diante

do coronavírus

Por Mirian Barbosa

Considerados grupos de risco, precisam

primeiramente seguir algumas orientações

básicas para evitar o contágio da doença.

“Dentre as orientações essenciais estão as já

bastante conhecidas como procurar manter o

distanciamento social na medida do possível,

sair de casa sem necessidade, usar máscaras

caso tenha que sair às ruas, lavar muito bem

as mãos e os punhos e usar álcool em gel

sempre que possível. No entanto, além disto,

deve-se manter em mente que não se deve

interromper, de forma alguma, o tratamento

oncológico, tão necessário para o controle e

cura da doença” esclarece Jeane.

De acordo com a médica, foi necessário

mudar o fluxo nas clínicas e locais de

atendimento. “O câncer não pára e espera

o coronavírus passar. Desinformações que

circulam, dizendo que o indivíduo deve parar o

tratamento, preocupam muito os especialistas.

O paciente deve conversar com seu médico

e procurar se cuidar” diz a especialista, que

abaixo responde algumas perguntas sobre

Covid-19 e tratamentos oncológicos e lista

uma série de informações essenciais aos

pacientes, familiares e à população em geral

sobre o assunto.

Qual a recomendação de manter

o tratamento oncológico durante o

período? Há casos em que ele pode

ser suspenso?

A primeira medida é procurar se informar

bem com um especialista, e esclarecer se

pode ou não interromper o tratamento. Alguns

casos como exames, por exemplo, podem

ser prorrogados e, às vezes, não. Mas só

quem pode definir isso será o médico que

acompanha o paciente.

Qual a recomendação para as

pessoas que apresentarem sintomas

de câncer durante a pandemia?

Se a pessoa está com um sintoma, precisa

procurar um médico. Também é importante

não deixar de fazer os exames de rotina.

A gente sabe que a incidência de câncer

tem aumentado, assim como a queda da

mortalidade. A consequência está ligada ao

diagnóstico precoce das doenças. O ideal é

REVISTA CARIOCAS - 26


Foto: Arquivo

Essa pessoa não pode apresentar qualquer

sintoma respiratório ou febre

• Restrinja visitas hospitalares ao que for

estritamente necessário

A familiares e população de forma

geral

que a gente pudesse prevenir o câncer, mas

na falta da prevenção primária, o diagnóstico

precoce é a nossa maior arma de cura.

Os pacientes com câncer devem

tomar algum cuidado diferente dos

indicados para prevenção do novo

coronavírus?

Eu costumo dizer que o paciente oncológico

é muito educado. Porque, como o tratamento

da doença pode levar a imunossupressão, ele

já está acostumado com hábitos de higiene.

Então, neste período, os cuidados não mudam.

A gente fala para que o paciente tenha uma

vida normal, mas com as recomendações

necessárias.

Aos pacientes com câncer ou em

acompanhamento:

• Não interrompa seu tratamento

oncológico

• Caso haja suspeita de infecção, a

consulta deve ser priorizada e o paciente,

enquanto aguarda, precisa usar máscara

cirúrgica e ficar em ambiente arejado

• Se estiver na fase de seguimento,

contate sua equipe médica para avaliar se é

seguro adiar seus retornos para um período

com menor disseminação do coronavírus

• Evite contato com qualquer pessoa

que tenha sintomas gripais, que esteja em

investigação para possível infecção Covid-19,

ou que tenha chegado do exterior (com ou

sem sintomas gripais)

• Se apresentar quadros como, febre,

coriza, tosse seca, falta de ar, contate seu

médico

• Permaneça somente o tempo necessário

em ambiente de clínicas e hospitais. Dentro

do possível, evite contato físico direto, mesmo

com o seu médico e a equipe de saúde

• Só leve, no máximo, um acompanhante

para um centro de tratamento oncológico.

• Evite contato com o paciente caso você

apresente qualquer sintoma suspeito de

gripe. Também é importante não se aproximar

de terceiros com sintomas ou infecção

confirmada, para não haver risco de transmitir

o coronavírus ao indivíduo com câncer

• Para indivíduos assintomáticos, o uso de

máscara não é recomendado. Quando não

indicada, essa estratégia pode causar custos

desnecessários e criar uma falsa sensação de

segurança, que leva à negligência de outras

medidas preventivas essenciais, como lavar

as mãos

Cada um pode fazer sua parte e contribuir

para a redução na sobrecarga do nosso

sistema de saúde. Isso certamente vai ajudar

a atender adequadamente quem precisa de

cuidados médicos, seja por decorrência do

coronavírus ou por outras razões.

Jeane Juver

CRM 6632-63

Médica Anestesiologista, com área de Atuação em

Dor, Mestrado e Doutorado pela UFRJ, Palliative Care

Education and Pratice (PCEP) - Harvard Medical School,

Professora Adjunta da Faculdade de Medicina da UFF.

Foto: Divulgação

Serviços:

Jeane Juver

Av. Ayrton Senna Nº2600 - condomínio Link

Office 2 - Bl 4 - Sala 219 - Barra da Tijuca

(21) 97125-6173 / (21) 99642-2537

(21) 3117-1757 / (21) 2462-5054

REVISTA CARIOCAS - 27


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Divulgação

Covid-19 e diabetes: quais são os perigos?

Por Izidoro de Hiroki Flumignan

Endocrinologista, Sanitarista, Especialista em Diabetes

e Diretor do Instituto Flumignano de Medicina

As pessoas com diabetes e também

tenham covid-19 tem mais chances

de morrer do que as normais. Isto

ocorre por que o diabetes é uma

doença que causa hiperglicemia, que por sua

vez reduz a imunidade e favorece crescimento

dos vírus, fungos e bactérias.

Como sabemos, no vírus SARS-COV-2, que

causa o covid19, tem algumas características

que outros vírus não tem. Sua capacidade de

multiplicação dentro do organismo é muito mais

rápida do que a dos outros vírus e por isso o

nosso sistema imunitário tem dificuldades de

responder a infecção na mesma velocidade.

Já, nas pessoas que são saudáveis e tem boa

imunidade, a grande maioria, conseguem

vencer esse crescimento viral.

Porém todas as pessoas que tiverem qualquer

doença prévia, mas por ordem de importância,

doenças do coração, diabetes e obesidade

são mais susceptíveis as complicações que,

as vezes, podem culminar no óbito.

Portanto, especialmente para este grupo,

é muito relevante manter-se por mais tempo

em afastamento social, provavelmente, até

dezembro, e manter o bom tratamento destas

doenças.

O plano de redução gradativa do isolamento

social se faz necessário e pode causar um

repique de novos casos mas temos que

enfrentar, uma vez que os hospitais de

campanha já estão montados.

É certo que a pandemia somente termina

quando 80% das pessoas tiverem sido

infectadas, que funciona como se fosse uma

vacinação com vírus selvagem.Uma vez que

a pessoa tenha tido o covid19, consideramos,

ainda empiricamente, ou seja, sem provas

científicas, que essa pessoa não pega mais e

nem a transmite.

Porém não sabemos se essa imunidade é

permanente ou transitória, além do mais pode

aparecer o covid-20 através de uma mutação

viral, que ainda não se tem notícia de existir.

Especialmente para as pessoas com

diabetes, a ACD – Associação Carioca dos

Diabéticos e o Lions Clube do Rio de Janeiro,

solicitaram ao parlamentar Deputado Samuel

Malafaia, antes mesmo desta pandemia, que

se tornou ainda mais importante quando a

epidemia apareceu, uma lei, a semelhança de

que já existe em Nova Iorque, conhecida como

Notificação Compulsória da Hemoglobina

Glicada que obrigaria os laboratórios públicos

e privados comunicar para a SES -Secretaria

Estadual de Saúde os resultados anormais.

Desta forma, a Secretaria de Saúde teria um

grande cadastro que poderia localizar cada

pessoa com diabetes descontrolada e desta

forma protegê-las.

REVISTA CARIOCAS - 28


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Estamos muito contentes com a dedicação

do deputado as pessoas que sofrem de

diabetes, de importância máxima hoje em

dia, pois além de serem mais susceptíveis

ao óbito pelo covid19, também é considerada

uma pandemia global e considerada a doença

mais cara do mundo.

O Lions Clube e a ACD também estão

empenhados na regulamentação da profissão

de podologia para que sejam inseridos nos

cuidados multidisciplinares do pé diabético,

que é causa frequente de amputações e

invalidez que poderiam ser prevenidas com

os cuidados destes profissionais nas unidades

básicas de saúde.

DUAS PERGUNTAS PARA DR.

IZIDORO FLUMIGNAN

1-O senhor tem diabetes e recentemente

teve COVID-19. Como foi este processo, da

doença à cura?

Dr. Flumignan : Bem, meu diabetes é

muito bem controlado com os melhores

medicamentos e equipamentos do mundo,

além de fazer uma dieta natural e exercícios

diários. Ando muito de bicicleta, nem tenho

carro, que aliás, essa decisão melhorou muito

minha qualidade de vida. Quando peguei o

covid-19, no início de maio, fiquei 9 dias com

febre, me isolei no meu fechado, nem saia para

almoçar ou jantar na sala. Isto é relevante para

reduzir as chances de passar para a família e

deu certo, pois minha mãe, com 85 anos, não

pegou.

Depois de 6 dias com febre, me tratei somente

com paracetamol, não tive tosse ou dores, e no

final, já 3 dias sem qualquer sisintoma, me dei

como curado e voltei a trabalhar. Foi simples

assim. Eu reconheço que mesmo sendo

médico fiquei com um medinho de morrer. É

assim mesmo, os estresses que as notícias

trágicas desta doença abalam a todos nós.

Lembrem-se que em média 97% das pessoas

se recuperam, cerca de 10% precisam de

ajuda hospitalar e 3% morrem.

2-Como o paciente diabético pode

fortalecer sua imunidade?

Dr. Flumignan: Especialmente para as

pessoas com diabetes o bom controle da

glicemia é o mais relevante. Já o conselho

que serve para todas as pessoas é comer

alimentos naturais e na medida do possível,

crus.Sim, os alimentos crus, como as frutas e

legumes, bem higienizados, que tem bactérias

normais, quando ingeridos, estimulam nosso

sistema imunitário através da flora intestinal.

Portanto, os probióticos, que compostos

farmacêuticos naturais, com bacilos boas, são

favoráveis a nossa imunidade.

Já os alimentos industrializados, cozidos

e fritos não tem bactérias, o que reduz o a

estimulação do sistema imunitário, que acaba

por enfraquecê-lo. Não há remédios que

melhoram a imunidade. A vitamina C e o zinco,

por exemplo, não podem faltar no organismo,

mas seu excesso não protege em nada.

Enfim, não há remédios efetivos para

melhorar a imunidade das pessoas saudáveis.

A natureza continua sendo a mãe que nos

cuida.

Serviços:

Instituto Flumignano de Medicina

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 664

/ 704 – Galeria Menescal

(21) 2549-1155

REVISTA CARIOCAS - 29


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Depressão

idosos em

quarentena

Este momento pede uma atenção especial aos familiares de idosos e a cada

idoso em si. É hora de ficar atentos a sinais e sintomas que podem revelar que

uma depressão se faz presente.

A depressão já era um transtorno mental

frequente entre idosos, agora com a pandemia

do coronavírus, a tendência é que este número

se eleve. As incertezas frente ao futuro,

mudanças repentinas na rotina e a redução

do contato físico e social com familiares e

amigos podem ser fatores geradores de

uma sobrecarga emocional, que ultrapassa

a capacidade de enfrentamento de qualquer

indivíduo, independente da faixa etária.

De acordo Karina Araújo, Psicóloga

Clínica, Especialista em Terapia Cognitivo-

Comportamental integrada à Neurociência e

em Neuropsicologia é importante estar atento

as notícias e as novas informações que

estão surgindo a cada dia sobre o covid-19.

“Temos que compreender que o momento

exige cautela e seguir as recomendações da

Organização Mundial da Saúde (OMS). Os

idosos são mais vulneráveis ao acometimento

desta doença pois estão dentro do grupo de

risco (estando acima de 60 anos) por causa

de alterações no sistema imunológico naturais

da idade. Desta forma, necessitam de um

cuidado maior, assim como crianças, gestantes

e indivíduos que apresentem comorbidades

significativamente prejudiciais em contato com

este vírus (ex.: diabetes, hipertensão arterial,

asma, enfermidades hematológicas, doença

renal crônica, imunodepressão e obesidade)”.

Em entrevista a Revista Cariocas, Karina

Araújo, responde perguntas essenciais para

entendermos o processo de depressão em

idosos.

1-A depressão já era um transtorno

mental frequente entre idosos, agora com

a pandemia do coronavírus, a tendência é

que este número se eleve? Você acredita

que isso aconteça?Por quê?

Primeiramente é importante entender o que

é a depressão. O transtorno depressivo maior

é um transtorno de humor, caracterizado no

Manual Diagnóstico de Transtornos Mentais

em sua 5ª edição (DSM-V), por episódios

distintos de pelo menos duas semanas de

duração as quais há um humor depressivo ou

perda de interesse ou prazer em quase todas

as atividades e em quase todos os dias. Pode

ocorrer em apenas um único episódio, embora

seja recorrente na maioria dos casos.

Lembrando que um dos critérios para o

diagnóstico é que os sintomas causem

um sofrimento significativo ou prejuízo em

diversas áreas da vida do indivíduo, como no

funcionamento social, profissional, etc.

Para ser considerado um transtorno

mental, devem estar presentes sintomas

multidimensionais, se manifestando de

forma psicológica, comportamental, física

e sistêmica. Ainda existem outros critérios

diagnósticos para a confirmação de um quadro

clínico, por isso é importante o diagnóstico ser

realizado por um especialista.Antes do início

da pandemia o transtorno depressivo maior já

apresentava uma prevalência alta, o número de

pessoas com depressão aumentou 18% entre

2005 e 2015 (OMS, 2016). No Brasil indivíduos

com idades entre 60 e 64 anos são a faixa

etária com maior proporção de depressãode

acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia

e Estatística (IBGE), entre os 11,2 milhões de

brasileiros diagnosticados com esta doença,

e este índice vem aumentando com o passar

dos anos.

REVISTA CARIOCAS - 30


SAÚDE E BEM ESTAR

As inseguranças com o surgimento do

coronavírus e as diversas mudanças impostas

pelo isolamento social vêm provocando um

claro aumento no sofrimento psíquico da nossa

população. Pesquisas recentes demonstram

que os problemas de saúde mental estão

aumentando em escala preocupante desde

o início do isolamento social no Brasil. Os

casos de depressão quase dobraram e os de

ansiedade e estresse tiveram um aumento de

80%.

Dentre as causas mais relevantes para o

aumento da depressão está a idade mais

avançada. Isto porque a terceira idadeé uma

fase muito importante onde normalmente

conclui-se a trajetória profissional, perde-se

muitos amigos e pessoas queridas, os filhos

saem de casa e aumenta a possibilidade do

surgimento de problemas de saúde. Com

tantas perdas próximas é comum o surgimento

da depressão ao vivenciaremtantos

acontecimentos de uma só vez.

Atualmente vivemos um aumento da

expectativa de vida em consequência da

tecnologia e dos tratamentos avançados para

as doenças comuns na terceira idade, por isso

precisamos aprender a identificar e cuidar de

transtornos comuns nessa fase. É importante

para minimizar os efeitos do isolamento social

na população idosa, por serem um grupo de

alto risco e mais passíveis a ter complicações

com o covid-19.

2- O isolamento vai ser afrouxado nas

próximas semanas e um novo normal

vai se estabelecer, entretanto médicos e

sanitaristas continuam pedindo que os

idosos fiquem em casa. Acredita que eles

serão os últimos a saírem de casa? E como

ficará a cabeça deles vendo todos na rua

menos eles? A tendência é aumentar os

casos de depressão?

É importante estar atento as notícias e as

novas informações que estão surgindo a cada

dia sobre o covid-19. Temos que compreender

que o momento exige cautela e seguir as

recomendações da Organização Mundial da

Saúde (OMS). Os idosos são mais vulneráveis

ao acometimento desta doençapois estão

dentro do grupo de risco (estando acima de

60 anos) por causa de alterações no sistema

imunológico naturais da idade. Desta forma,

necessitam de um cuidado maior, assim

como crianças, gestantes e indivíduos que

apresentem comorbidades significativamente

prejudiciais em contato com este vírus

(ex.: diabetes, hipertensão arterial, asma,

enfermidades hematológicas, doença renal

crônica, imunodepressão e obesidade).

Com as incertezas, o isolamento social e

o estresse da pandemia, podemos exibir

sim,maiores índices de casos de depressão

e suicídio, principalmente pela desesperança

e falta de contato social. O que nos mostra

a gravidade da situação, temos que ter uma

atenção e um cuidado maior com o idoso.

3-Você está direto no atendimento online.

Tem funcionado bem? Vão continuar

com esta modalidade mesmo depois da

abertura do isolamento?

O atendimento psicológico on-line já era

permitido e regulamentado pelo Conselho

Federal de Psicologia (CFP) antes da

pandemia. Com a impossibilidade de sair de

casa todos meus atendimentos atuais estão

ocorrendo via on-line para o cuidado com a

saúde dos meus pacientes, até podermos ter

uma redução na taxa de covid-19 em nosso

país. Eu já realizava atendimentos nesta

modalidade com meus pacientes, permaneço

oferecendo este serviço e continuarei após o

isolamento social.

Hoje em dia as ferramentas de comunicação

à distânciasão criptografadas e apresentam a

segurançanecessária para fazer o atendimento

psicológico on-line com ética e qualidade.

Alguns dos objetivos desta modalidade de

atendimento que posso analisar são: poder

ajudar um público mais diverso que não

apresenta a possibilidade de se deslocar para

o atendimento presencial,não interromper o

tratamento em situações de impossibilidade de

sair nas ruas, como pandemias (situação atual),

poder realizar atendimentos emergenciais

e oferecer atendimentos em outros estados.

Observo muitos benefícios no atendimento

on-line para os pacientes, como comodidade

e conforto, acessibilidade, otimização de

tempo e flexibilidade de horário. E tudo com

a mesma ética e cuidado dos atendimentos

presenciais.A acessibilidade facilita muito o

atendimento em casos de depressão, em que

seja complicado ao paciente se deslocar até o

consultório.

A terapia on-line vem apresentando

resultados muito positivos nos tratamentos de

ansiedade, depressão, pânico, estresse póstraumático,

transtornos alimentares, dentre

outros transtornos. De acordo com uma

pesquisa recente do Instituto de Psicologia

da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

(Uerj), sobre o comportamento dos brasileiros

durante o isolamento social, foi sinalizado

que quem recorreu à psicoterapia na internet

apresentou índices melhores de estresse,

ansiedade e depressão.

Desta forma recomendo que a terapia não

REVISTA CARIOCAS - 31


SAÚDE E BEM ESTAR

seja interrompida e que confira se o profissional

que lhe atende está cadastrado na plataforma

e-psi do Conselho Federal de Psicologia.

4-Qual a diferença entre a tristeza e

depressão?

Tristeza é uma emoção primária,

completamente normal e saudável, que

todos nós a vivenciamos em diversos

momentos da vida, em resposta a estímulos

desfavoráveis do ambiente. É uma reação

vital, normal e adaptativa, quepossui vários

níveis de intensidade,desde um estado de

desapontamento até a angústia. Pode ser

desencadeada por diversos acontecimentos,

como umdesapontamento amoroso, traumas,

descontentamento pessoal/profissional,

problemas financeirosou algum outro tipo de

conflito interior.Esta emoção é característica

de situações de perda.

Porém é preciso ficar atento, pois como

qualquer emoção, em sua forma saudável deve

aparecer de forma passageira, apresentando

uma duração limitada e melhora com o tempo.

Caso essa emoção se prolongue por muito

tempo, significa que o quadro pode estar se

agravando para uma depressão.

Já a depressão pode surgir após uma perda

ou situação desagradável, mas comumente

não está associada a um evento que a

justifique. Pode durar meses, anos, ou até a

vida inteira. Além de poder ocorrer presença

de suicídio e ideações suicidas. Na depressão,

a intensidade da tristeza e a duração do

episódio de depressão são desproporcionais

a magnitude do estímulo.Durante a tristeza, as

pessoas mantêm a capacidade de se alegrar

em situações positivas ou notícias favoráveis.

Já na depressão, mesmo acontecimentos de

cunho positivo são percebidos com um viés

negativo.

5- Quais sinais devem ser notados que

um idoso está em depressão e como ela

pode se manifestar?

Como comentei anteriormente, a depressão

é uma das doenças mentais que mais atinge

os idosos, e desta forma é importante estar

atento para um diagnóstico precoce. Um

cuidado muito importante que deve ser

tomado é para não se banalizar os sintomas

da depressão na terceira idade, que muitas

vezes são confundidos com o envelhecimento

“normal”, não tendo a atenção que merece.

Toda mudança de comportamento e

dificuldade para realizar qualquer tarefa deve

ser tratada com atenção, pois envelhecer não

é doença. A depressão em idosos também

REVISTA CARIOCAS - 32

pode ser confundida com outras patologias

(ex: demências), por isso é extremamente

importante que qualquer suspeita que a família

tenha leve para profissionais especializados

analisarem, como geriatra, psiquiatra e

psicólogo. Pois somente com o diagnóstico

correto é possível fazer o tratamento de forma

apropriada.

A depressão, em qualquer fase da

vida, pode prejudicar muito a qualidade de

vida do paciente. Em idosos, isso tende a se

intensificar, na medida que a recuperação

de qualquer problema se torna mais lenta. A

doença pode interferir em diversos aspectos

como comentei anteriormente.

Os sinais e sintomas são individuais assim

como as consequências, o prejuízo pode ser

muito leve, de forma que muitos daqueles

que interagem com o individuo afetado não

percebem, ou pode se estender até a total

incapacidade, de modo que a pessoa deprimida

é incapaz de dar atenção às necessidades

básicas de cuidado consigo mesma ou fica

muda ou catatônica.

O idoso pode apresentar queixas físicas,

como fadiga, fraqueza, sensação de peso em

uma parte do corpo, tonturas, palpitações,

disfunção gastrointestinal, falta de ar, mudanças

no padrão do sono e apetite, cefaleia, dores

articulares e lombalgia.A família deve observar

se existe alteração no comportamento, como

na forma como o idoso se apresenta, se está

comendo menos, mais quieto e isolado, menos

ativo ou mais apático.

Na depressão a memória, concentração,

tomada de decisão e capacidade de adquirir

novos conhecimentos se apresentam

diminuídos. Esses sintomas na terceira idade,

podem ser confundidos com demência. Essa

apresentação da doença acaba dificultando

o diagnóstico e a adesão ao tratamento.A

consequência mais grave da depressão é o

risco de suicídio, haja visto que pensamentos

contínuos de morte e ideação suicida sem

um plano específico podem estar presentes.

Dados apontam que os idosos chegam a

tentar suicídio até sete vezes mais do que o

adulto jovem.

Outros sinais e sintomas observáveis na

maior parte do dia e quase todos os dias

são: humor deprimido;acentuada diminuição

do interesse ou prazer em todas ou quase

todas atividades;perda ou ganho significativo

de peso sem estar fazendo dieta; redução

ou aumento do apetite;insônia ou hipersonia;

agitação ou retardo psicomotor;fadiga ou

perda de energia; e sentimentos de inutilidade,

culpa excessiva ou inapropriada.

6-Como tratar quando estes sinais se


SAÚDE E BEM ESTAR

evidenciarem? Cuidadores e familiares

devem ficar atentos?Qual o conselho que

você daria para parentes que possuem um

idoso com depressão em casa?

O tratamento mais eficaz engloba os

sintomas, qualidade de vida e aceitação da

intervenção terapêutica, unindo a combinação

da farmacologia com a psicoterapia. A

Terapia Cognitivo-Comportamental tem sido

a abordagem psicoterápica mais estudada

na depressão, com poderosa eficácia no

tratamento, particularmente em relação aos

resultados de longo prazo.

Esta abordagem terapêutica utiliza uma série

de técnicas cognitivas e comportamentais,

sendo uma terapia breve e estruturada,

orientada para a solução de problemas, que

envolve a colaboração ativa entre o paciente e o

terapeuta para atingir objetivos estabelecidos.

Cuidadores e familiares devem ter atenção

para não infantilizar o idoso, ocasionando

uma diminuição da autoestima. É necessário

ficar atento ao surgimento de mudanças

comportamentais, como já comentei. Com

o isolamento social pode ser desafiador o

cuidado com o idoso portador de depressão,

seguem algumas sugestões para familiares e

cuidadores praticarem em casa:

- Se houver animais de estimação em casa,

incentive a aproximação.

- Não impulsionea produtividade excessiva

todos os dias. Estamos vivendo atualmente

uma pandemia e não um concurso de

produtividade.

- Converse e pergunte sobre histórias

antigas, para ajudar a manter emoções

positivas e reforçar a importância na vida de

seus próximos.

- Estimule a buscapor trabalhos manuais,

assim como passar mais tempo em conjunto

coma família.Isso vai ajudar no autocuidado

do idoso, possibilitandoa redução da tensão,

estresse e pensamentos disfuncionais.

Algumas dicas de atividades que podem ser

prazerosas são: jogos de tabuleiro,terapia,

banho de banheira, cozinhar, ler, ouvir músicas,

cuidar das plantas, bordar, dançar e assistir

filmes e programas em família.

- Reforce a importância do isolamento social.

- Incentive e caso seja necessário, auxilie a

criação de uma organização semanal de acordo

com as necessidades do idoso, lembrando não

só das obrigações, mas também do descanso

e atividades de lazer. Uma rotina, com horários

demarcadoscontribuipara regular nosso

relógio biológico e enaltece nossobem-estar.

Não esqueça do ajustedos horários de sono.

No caso de idosos que estão trabalhando

em suas residências, isso é necessário para

distinguir as horas de trabalho das outras

atividades.

- Caso esteja longe, as videoconferências,

ligações e mensagens são boas alternativas

para auxiliarna melhora do humore no

sentimento de solidão.

Neste momento é importante trocar a

autocrítica pela autogratificação, e não ficar

tão preocupado em ignorar os pensamentos

e sentimentos ruins, e sim tentar se permitir

entender o que você sente e pensa, se

compreender e assim aprender a lidar com

esses sentimentos, evoluir e crescer com mais

um aprendizado.

Karina Araújo

CRP: 05/47696

Psicóloga Clínica em Terapia Cognitivo-

Comportamental integrada a Neurociência e

Especialista em Neuropsicologia

Atualmente trabalha como palestrante,

professora e colaboradora de cursos de Pós-

Graduação e Formação em Terapia Cognitivo-

Comportamental do CPAF-RJ, é diretora do

Núcleo de Psicologia e Neuropsicologia do

Instituto Flumignano de Medicina (IFM-RJ) e

realiza atendimento clínico privado para todas

as idades no IFM, assim como atendimentos

on-line.

Foto: Divulgação

Serviços:

Karina Araújo

Endereço: Av. Nossa Senhora de

Copacabana, 664 / 704 – Galeria

Menescal

Tel: (21)2549-1155 / (21) 2548-0472 /

(21) 9 8228-4933

REVISTA CARIOCAS - 33


EM FOCO

Por Mirian Barbosa

Pandemia de coronavírus mudou o dia a dia dos brasileiros.

Consultor jurídico fala sobre os principais direitos do consumidor que devem

continuar a ser respeitados

O Código de Defesa do Consumidor (CDC),

que neste ano completa 30 anos, é uma

arma poderosa do consumidor brasileiro,

inclusive em uma época de pandemia como

ocorre neste momento em todo o mundo. Ele

é um conjunto de regras abrangentes que

trata das relações de consumo em todas as

esferas: civil, definindo as responsabilidades

e os mecanismos para a reparação de

danos causados; administrativa, definindo os

mecanismos para o poder público atuar nas

relações de consumo; e penal, estabelecendo

tipos de crimes e as punições para os mesmos.

Neste período de pandemia, muitas das

relações de consumo foram afetadas

profundamente. Lojas físicas foram fechadas

em todo o país, produtos não foram entregues

e o relacionamento entre as pessoas físicas e

jurídicas mudaram. Em outra esfera, serviços

já contratados foram interrompidos e aqueles

que estavam previstos não serão mais

realizados. O que fazer neste momento?

De acordo com o Professor de Direito

Constitucional e Consultor jurídico, Marcos

Vicene, do Rio de Janeiro, em muito casos,

neste período de exceção, o Idec defende

que os prazos já estabelecidos para trocas

de produtos, consertos dentro da garantia ou

revisões obrigatórias - como nos casos de

veículos - podem ser prorrogados por conta

da pandemia. “Desta forma, o Código de

Direito do Consumidor empodera o mesmo

em relação a trocas de produtos, prazos de

garantia, direito à informação, padrões de

conduta e penalidades”

Veja abaixo as informações mais comuns dos

consumidores sobre seus direitos em tempos

de pandemia com a consultoria do Professor

Marcos Vicente:

1-Se for registrado abuso de preço

de itens de consumo, o que fazer?

Prof. Marcos Vicente- A fixação de preços

em regra é mera liberalidade do fornecedor,

entretanto, em casos como o enfrentado

REVISTA CARIOCAS - 34


EM FOCO

atualmente não se pode aceitar o aumento

indiscriminado do preço. Como houve notícia

de que os preços de itens como álcool em

gel e máscaras cirúrgicas têm variado muito

por causa da alta procura, é possível que o

consumidor, ao se deparar com um preço

muito elevado, faça uma denúncia ao Procon

de seu Estado ou município. O fornecedor

não pode elevar o preço dos produtos para se

aproveitar da situação de calamidade e auferir

maiores vantagens e lucros em razão disso.

Podemos considerar que esse tipo de prática

é abusiva, conforme artigo 39, V do Código

de Defesa do Consumidor (CDC). Além disso,

pelo Código Civil também entendemos que tal

prática configura lesão, conforme artigo 157:

“Ocorre a lesão quando uma pessoa, sob

premente necessidade, ou por inexperiência,

se obriga a prestação manifestamente

desproporcional ao valor da prestação oposta”.

Nesse caso é possível a revisão do valor.

Algumas dicas são importantes para

identificar e demonstrar que a prática de

elevação do preço representa uma situação de

oportunismo do fornecedor: a) comparar com

preços anteriores praticados pela empresa,

especialmente por meio de recibos e notas

fiscais anteriores; b) comparar com preços

praticados pelos concorrentes; c) verificar se

há muita oferta desse produto pelo mercado.

Os órgãos de defesa do consumidor têm

condições de avaliar na prática cada caso

concreto, pela autoridade que possuem de

exigir dos fornecedores a apresentação de

documentos como notas fiscais de compra,

livros contábeis, etc.

2- O que fazer diante de propaganda

enganosa de produtos?

É muito importante que o consumidor

tenha informação adequada e correta neste

momento. Evitar alardes ou desqualificações

em propagandas é fundamental. Em casos

mais graves pode ser acionado o Procon, que

possui poder de polícia para inclusive propor

contrapropaganda. É importante também

frisar que campanhas abusivas podem ser

enquadradas como crime também pelo CDC,

conforme artigo 67. Os consumidores precisam

ficar muito atentos e redobrar seu senso crítico

ao ver divulgações sobre produtos ou receitas

milagrosas que curam ou previnem a doença.

Ao receber tais divulgações evite compartilhar

se não tiver plena certeza da veracidade da

informação. Muitas propagandas enganosas

podem surgir em momentos assim.

Foto: Arquivo

3- No caso de cancelamento de

eventos como shows, cinemas,

teatros, serviços de viagens, quais

são os meus direitos?

A partir da Medida Provisória 948, de 8 de

abril de 2020, o consumidor apenas terá direito

de exigir a devolução dos valores pagos se

não for dada pela empresa a possibilidade de

remarcação, disponibilização de crédito para

ser utilizado no prazo de 12 meses ou outro

acordo não for pactuado com o consumidor.

Se a opção adotada for a remarcação,

deverá observar os critérios de sazonalidade

(ou seja o período contratado) e o prazo de 12

meses começará a contar a partir do fim da

decretação de estado de calamidade pública.

A medida vale meios de hospedagem em

geral, agências de turismo, transportadoras

turísticas, locadoras de veículos, cinemas,

teatros, plataformas online de vendas de

ingresso, organizadores de eventos, parques

temáticos, parques aquáticos, acampamentos,

restaurantes, bares, centros de convenções,

exposições e casas de espetáculos.

Posso pedir a suspensão da cobrança das

mensalidades da academia de ginástica?

Sim, nesses casos há direito de cancelamento

do contrato sem multa, e por isso sugerimos

às academias que suspendam a cobrança

de mensalidades pelo período em que

estiverem fechada para evitar ações judiciais

e reclamações nos órgãos de defesa do

consumidor. As academias que insistirem

na cobrança poderão ser demandadas

pelos consumidores para reembolso dos

valores que foram cobrados após pedido de

cancelamento ou suspensão de pagamentos

pelo consumidor.

Se for desejo do consumidor, ainda pode ser

negociado com a academia que o período

REVISTA CARIOCAS - 35


EM FOCO

em que estiver fechada seja acrescentado

sem cobrança ao fim do contrato previamente

acordado.

Escolas, cursos de idiomas e escolas

particulares devem devolver o dinheiro?

A princípio, os mesmos direitos que

permitem o cancelamento de viagens pelos

consumidores e o direito de suspender

pagamentos da mensalidade de academias,

podem ser aplicados a outros serviços.

Entretanto, a natureza de alguns serviços

permite o costume de reposição de aulas,

supressão de férias escolares, etc. Por isso,

não há motivos, por exemplo, que justifiquem

de forma geral a devolução de valores

correspondentes a mensalidades escolares,

ou de cursos anuais, que são pautados na

sequência de aulas, ou na continuidade do

serviço durante o período letivo, especialmente

quando é viável a reposição de aulas. Porém,

com o comprometimento da continuidade

das aulas, as instituições de ensino precisam

elevar os esforços de realização de atividades

pedagógicas e de aprendizagem à distância,

por meio de aulas remotas ou outras

metodologias de ensino à distância. Por isso,

são legítimos os pedidos de suspensão de

cobrança de mensalidades, especialmente

nos casos de total paralisação das atividades,

ou quando nenhuma alternativa for viabilizada

para sua continuação. As instituições de

ensino também precisam dar especial

atenção com ofertas de descontos no valor de

mensalidades para as pessoas atingidas pela

crise econômica gerada pela pandemia.

Casos específicos de cursos que ficarão

prejudicados pela suspensão de aulas, em

razão da fase e curto período do curso, e por

impossibilidade de continuação pelo aluno

em períodos posteriores, podem significar na

prática o direito de cancelamento do curso

pelo consumidor, sem pagamento de multas,

ou com recebimento de valores previamente

adiantados.

4-Estou enfrentando problemas

com a minha internet. A operadora

pode cobrar para enviar um

técnico?

O acesso aos serviços de telecomunicações,

incluindo acesso à internet e à telefonia fixa

e móvel, é considerado um serviço essencial.

Para reclamar o consumidor deve primeiro

contatar operadora, fazer a reclamação,

anotar o número de protocolo, e aguardar

a resolução do problema. Se não der certo,

pode reclamar na Anatel (1331) ou no site da

plataforma consumidor.gov.

Se existe falha na prestação do serviço, o

consumidor não pode ser cobrado de nenhum

valor para a realização de uma visita de um

técnico, ainda que seja culpa exclusiva do

consumidor ou de terceiro.

Vale lembrar que a Resolução 574 da

Anatel, determina, em seu artigo 21, que a

prestadora deve garantir a disponibilidade

mensal do serviço de 99%, e no mínimo 95%,

com velocidade média de 80% do contratado

e mínima de 40%. Se não for obedecido

poderá alegar descumprimento de oferta pela

operadora.

Além disso, recentemente o Decreto

nº 10.282/2020 define que serviço de

telecomunicações passa a ser considerado

como essencial, e dessa forma não podem

ser interrompidos no momento da crise

pandêmica.

5-Se meu aparelho apresentar

problemas durante a pandemia,

como faço para garantir meus

direitos?

Normalmente o consumidor que adquiriu um

aparelho celular ou eletrodoméstico possui

direito a pedir o conserto com base no artigo

18 do Código de Defesa do Consumidor, caso

ele apresente algum problema de fabricação.

Em regra o prazo para reclamar é de 90 dias

para produtos duráveis conforme disposto no

artigo 26, II do CDC.

No entanto, um questionamento possível é

para os casos em que a assistência técnica

não esteja funcionando. Nessa situação a

recomendação é que o consumidor faça

uma reclamação formal pelos canais oficiais

de relacionamento buscando número de

protocolo (caso exista) ou confirmação de

leitura para e-mail, pois a partir do momento

que houver essa manifestação considera-se

que o prazo de 90 dias é interrompido, ou

seja, não deve ser contado.Isso garante que

após a pandemia os direitos do consumidor

em relação a reparo e trocas seja mantido.

6-Tive problemas com uma

compra e não posso trocar. Vou

perder a garantia?

Estamos passando por uma situação atípica

em que é recomendado por autoridades não

sair de casa. Aliado a isso comércios ficarão

suspensos durante períodos indeterminados

em várias cidades. Então entende-se que não

é legítimo exigir que o consumidor compareça

REVISTA CARIOCAS - 36


EM FOCO

ao lugar para exercer o direito de troca de

produtos com vício. Nesse caso, recomendase

que o consumidor encaminhe comunicação

por escrito (e-mail com confirmação)

apontando o interesse em trocar o produto

e questionando os procedimentos e novos

prazos da empresa para fazer a troca.

Foto: Arquivo

7-Comprei online e quero devolver.

Terei prorrogação para não ter

que ir ao Correio agora?

Lembramos que não podem ser exigidas

medidas impossíveis ou que vão contra a

saúde e segurança do consumidor. Isso seria

totalmente desproporcional e feriria a boa fé

que deve permear as relações de consumo.

No caso, se a pessoa quiser se arrepender

dentro do prazo de sete dias, previsto no artigo

49 do CDC, deverá questionar a empresa

sobre os procedimentos e recomendamos

que manifeste esse interesse dentro do

prazo por e-mail, por exemplo, para que seja

garantido o direito. A princípio não há garantia

de prorrogação apesar das cláusulas terem

que ser flexíveis nesse período entendendo

que o consumidor é a parte mais vulnerável.

Serviços:

Professor Marcos Vicente

Comunicação e Gestão Jurídica

Telefone: (21) 964033300

Instagram: @prof.marcosvicente

Youtube: Professor Marcos Vicente

com Vivência e Verdade

VOCÊ JÁ PENSOU EM

TRABALHAR COM OURO?

A Pandemia que envolveu o Planeta Terra com

o CoronaVírus ainda não nos dá nenhuma perspectiva

de como e quando será o futuro em termos

econômicos. Uma grande crise financeira

promete se instalar nos quatro cantos do Mundo,

mas quem partir para investimentos sólidos

- com certeza – alcançará ganhos em potencial.

Você já pensou em trabalhar com Ouro certificado

e ter um rendimento em Euros?

A metodologia é baseada em marketing de relacionamento

, vitoriosa há mais de cinqüenta

anos não só na Europa mas em todo mundo.

Não perca esta oportunidade. Entre em contato

através do whatsapp (21) 98080-8081 e tenha

acesso online à todas as informações que

poderão mudar sua vida desde já.

REVISTA CARIOCAS - 37


COLUNA DO DOC

Coluna do

Doc Mariz

Foto: Arquivo

Um Anarquismo Saudável

Doc Mariz não é humano. Ele veio do Planeta Vulcan.

E como todo bom Vulcano, ele acredita na honestidade,

no bom caráter, na boa índole, na capacidade

da pessoa aprender a ser educado e a

praticar o que aprendeu.

Ele também acredita que o poder corrompe os

indivíduos e é contra qualquer forma de governo

que não seja a conscientização através dos próprios

atos, uma espécie de “anarquismo saudável”,

como diriam os terráqueos.

Doc Mariz escreve livros de contos bem humorados

na língua portuguesa, pois poucos seres conseguiriam

ler na sua língua natal.

Atualmente, Doc está na sua quinta vida terrestre,

algo como 370 anos e continua escrevendo suas

estórias. A partir desta edição é colunista fixo da

Revista Cariocas.

Se você tem uma boa estória para contar, envie

uma internet terrestre para ele: docmariz@globo.

com

Conheçam um pouco deste irreverente personagem.

Doc Mariz é verdade que você além de médico

é escritor?

R: Sou médico alergista há 40 anos e escritor amador

há 20 anos. Tenho oito livros de humor e três infantis

publicados. Quando me formei em uma turma de 200

médicos, só dois foram se especializar em alergologia.

Nos últimos anos nenhum médico recém formado na

minha universidade quis ser alergista. Sou um “dinossauro”.

Sobre o que você escreve nos seus livros de

humor?

Meu nome é Antonio José Mariz da Veiga. Criei o personagem

“Doc Mariz”, meu alter ego, que assume ser

um crítico da sociedade, um observador atento aos

costumes, uma pessoa que pode ser distraída ao mesmo

tempo que é atenta. Sou fruto de uma sociedade

machista nascido e criado em Ipanema. Tenho três irmãos

homens e na família quase não existem mulheres.

Deus me deu duas filhas no primeiro casamento

para entender o mundo feminino.

Nos seus livros você debocha muito das mulheres,

é isso?

As mulheres não sabem o poder que tem. Criei uma

estrinha para elas: “Deus fez o homem do barro. Aperta

aqui, aperta ali, tira costela, põe costela, hummm... não

ficou bom! Mas esse foi meu primeiro ser humano. Vai

assim mesmo cheio de erros. Um rascunho! O próximo

será perfeito!” E depois Deus fez a mulher. Animal perfeito:

sangra três dias e não morre. Dá a luz sua cria e

depois alimenta no próprio seio. Perfeito! Mas as mulheres

não entenderam isso e tornaram-se neuróticas.

Explique melhor!

Se você entrar em um shopping center verá que a

cada dez lojas pelo menos nove são para mulheres.

Certa vez entrei dentro de uma sapataria para comprar

um tênis. Ao meu redor só existiam mulheres. E conversando

sobre o oitavo ou nono sapato preto da coleção

de dezenas de sapatos pretos que elas tinham. Eu

só tenho um par de sapato preto. Não preciso de mais

nenhum. Acho isso uma competição entre elas. Uma

forma de neurose.

E o seu próximo livro?

Certa vez escrevi um romance médico-policial-erótico

sobre um ginecologista tarado que fazia sexo com as

REVISTA CARIOCAS - 38


clientes nos fundos do consultório. Fez um sucesso

enorme. Estou escrevendo uma continuação, agora

sobre orgasmo. Você sabia que nenhum outro animal

do planeta tem orgasmo? E o orgasmo feminino tem

tipos diferentes? Costumo brincar perguntando: como

é o seu orgasmo? Gemendo? Revirando os olhinhos?

Ou gritando feito uma louca? Ou será que durante o

sexo você fica olhando o teto e perguntando se já não

está na hora de pintar as paredes? Aguarde!

E a sua decisão de sair do Rio de Janeiro?

Morei 50 anos em Ipanema e Copacabana. Enchi. Engarrafamento.

Assaltos. Violência. Alto custo. Adotei

uma criança de meses e resolvi dar a ele uma infância

melhor. Fui para o interior do Rio de Janeiro e depois

para Juiz de Fora. A segunda Cidade Maravilhosa.

Quando quero curtir uma praia, pego o caro e em três

horas chego ao hotel em Copacabana. Já acordei de

madrugada, em Juiz de Fora, sentindo o cheiro da maresia.

Saudade pura de uma época que jamais voltará.

E como você encara esse Corona Vírus?

De tempos em tempos há uma mutação nos vírus. Esse

agora é mais perigoso devido a rapidez que atinge os

pulmões. A Gripe Espanhola nos anos 1910/1920 matou

milhões de habitantes no planeta. Talvez agora os

governos acordem para dar mais dinheiro para pesquisas

e fabricar mais vacinas. Precisamos reavaliar

a nossa alimentação. Rever a correria do dia-a-dia.

O estresse. Estou morando no interior há dez anos.

Tenho minha horta. Caminho diariamente. Viajo uma

ou duas vezes ao ano para fazer turismo. Acordo com

os passarinhos na minha janela. Tenho consciência de

que fiz a minha escolha certa ao sair de uma cidade

grande, mas sou carioca. Adoro um chope gelado, um

galetinho, um ovo rosa de botequim, conversar com o

guarda noturno. Sinto falta disso nessa pandemia. Vai

passar.

Crônica

Foto: Arquivo

Modismos

- Bom dia! Aqui é a loja que vende modismos?

- Sim. O que o senhor deseja?

- Dois quilos de “demanda reprimida”.

- “Tem, mas acabou!”

- Então, meio quilo de “gerúndio”.

- “É o que mais sai”. “Vou embrulhando”. E o que mais?

- O senhor tem “matriciamento?”

- Só acompanhado de “capilaridade”.

- Entendi, senão perde o “foco”.

- “Vou fazendo”. Algo mais?

- Cinco calças de jeans rasgadas.

- “Vou anotando”. O senhor está “querendo estar ficando”

na moda?

- Por isso estou aqui, na loja de modismos. As calças

são horríveis, os gerúndios são piores ainda, mas vou

“tentando mantendo o foco”.

- Estamos na promoção do “sextou”. Quer duzentas

gramas? “Vamos associando com catupiri”.

- Imagina! Sushi com catupiri. Quibe com catupiri. Coxinha

de galinha com catupiri. Empada de camarão com

catupiri. E agora “distanciamento social com catupiri”.

“Vamos aproveitando” a “lacração” do “crush”.

- “Tem, mas acabou”. Assim o senhor vai “indo perdendo

o foco”. O senhor sabe, é a “demanda reprimida”.

Vai “trollar” comigo?

- Uma “hashtag tbt?” Por enquanto só uma “capilaridade

do matriciamento”.

- “Vai levando as calças rasgadas?”

- São as que mais vendem? Vai embrulhando.

- O senhor vai saindo da minha loja “show de bola”.

- “Gratidão”. E no domingo, o senhor “vai indo a algum

churras?”

- Vai “dependendo da demanda...”

- “Reprimida?”

- Não! Com catupiri. Fica com Deus!

- “Oh My God”.

Doc Mariz

REVISTA CARIOCAS - 39


NEGÓCIOS

Foto: Arquivo

Home office definitivo? Para 74% das

empresas no Brasil, a resposta é sim

Por Maria Amora

Pesquisa da Cushman & Wakefield aponta

que, para 85% dos executivos, a experiência

do trabalho remoto tem mais pontos

positivos do que negativos

Depois de semanas trabalhando em casa, 73,8%

das empresas pretendem instituir o home office

como prática definitiva no Brasil após a pandemia

do novo coronavírus. Essa é a conclusão de um estudo

realizado pela consultoria Cushman & Wakefield

– e obtido pela revista EXAME com exclusividade

– que ouviu 122 executivos de multinacionais

que atuam no país.

O curioso é que antes do isolamento social 42,6%

das empresas nunca tinham adotado a prática e, em

23,8% das companhias, o home office não passava

de uma possibilidade em análise.

O intuito em autorizar o home office mesmo após a

pandemia se explica pela avaliação favorável à prática.

Para 25,4% dos entrevistados, a experiência

do trabalho remoto é totalmente positiva, enquanto

para 59% há mais pontos positivos do que negativos.

Apenas 2,5% dos executivos ouvidos disseram

que a experiência é totalmente negativa e outros

13,1% afirmaram que há mais pontos negativos do

que positivos.

Essa mudança no mercado de trabalho pode ter

implicações diretas no mercado imobiliário. Segundo

29,5% dos executivos, a empresa deve reduzir

o espaço físico no futuro por conta do sucesso do

home office, enquanto outros 15,6% apontaram que

a diminuição deve ocorrer por questões econômicas

relacionadas à pandemia.

Nos dois casos, a redução deve ser de 10% a 30%

do total de metros quadrados. Por sua vez, 35,2%

dos entrevistados disseram que ainda não é possível

definir se vão mudar algo nos escritórios, e somente

19,7% cravaram que não haverá redução de

espaço físico no futuro.

Home office: antes do isolamento social 42,6% das

empresas nunca tinham adotado a prática

O novo cenário, no entanto, não deve impactar o

valor dos aluguéis. Ao menos, no curto prazo. Isso

porque os contratos têm duração média de três

REVISTA CARIOCAS - 40


NEGÓCIOS

Foto: Arquivo

anos, e a pressão pontual nos preços não costuma

levar a renegociações.

“Só agora estamos recuperando o patamar de preço

da época pré-crise de 2014, e os lançamentos

recentes estão com valor de metro quadrado mais

alto nas regiões mais privilegiadas”, afirma Jadson

Andrade, gerente de pesquisa de mercados da

Cushman & Wakefield. “Mas se a crise se aprofundar,

podemos ver devolução de espaços a partir do

ano que vem.” Hoje, a vacância de lajes corporativas

de alto padrão na cidade de São Paulo está na

faixa de 16%, enquanto na cidade do Rio de Janeiro

é de 33,9%.

A pesquisa da Cushman & Wakefield também quis

saber se houve impacto da quarentena em projetos

de locação ou de reforma em novos escritórios.

Segundo 12,3% dos entrevistados, houve interrupção

nos planos devido à adoção da política de home

office, enquanto 17,2% disseram que a paralisação

se deu por outros motivos.

Na outra ponta, 14,8% dos tomadores de decisão

garantiram que não houve interrupção e que o plano

de locação e/ou obra se mantém. A maioria, no entanto,

disse que não houve qualquer impacto, pois

não havia plano em curso.


EMPREENDEDORISMO

Mulheres que investem em novos negócios

são maioria entre empreendedores

Por Mirian Barbosa

Foto: Arquivo

Nos últimos 20 anos a participação das mulheres

na vida econômica brasileira aumentou consideravelmente.

Cada vez mais elas buscam empreender

na busca por uma atividade rentável que possa ser

construída de forma autônoma e independente.

Relatório divulgado recentemente pelo Serviço de

Apoio às Micro e Pequenas Empresas, do SEBRAE

–RJ, aponta que em 2019 a proporção de mulheres

empreendedoras, que são “chefes de domicílio” ,

passou de 38% para 45%.

“A cada ano vemos uma mudança social e cultural

nesse mercado, com papel de destaque para as

mulheres”, ressalta a CEO da Redesign Consultoria,

Daniele Soares, mãe da Maju e do Theo, uma

mulher apaixonada por inovação com a certeza de

‘ Ser melhor Fazendo o outro melhor’. Em entrevista

ela nos conta porque o mercado feminino cresce

tanto, fala sobre a força das mulheres e dá dicas de

negócios em expansão.

1- Atualmente, o público feminino é mais

expressivo do que o masculino, quando

o assunto é a abertura de novos empreendimentos?

Daniele Soares- Sim, conforme indicam algumas

pesquisas, as mulheres são maioria na abertura

de novos negócios nos últimos anos. Fico feliz

com estes dados e com a percepção que em nosso

dia a dia no mercado as coisas estão mudando e

podemos perceber esta presença das mulheres de

forma mais expressiva, não só a frente de negócios,

mas em cargos de liderança e tomadas de decisão

relevantes.

2- Porque isso acontece? Seria a necessidade

de adquirir independência financeira?

REVISTA CARIOCAS - 42


EMPREENDEDORISMO

Acho que temos alguns fatores que influenciam

e um dos principais é que nós mulheres estamos

conseguindo mostrar a força que temos e a cada

dia mais, valorizamos nossas habilidades que culturalmente

por muitos anos não eram reconhecidas.

Hoje, queremos independência financeira, mas,

além disto, queremos nos sentir respeitadas e realizadas

com o que fazemos e com o impacto que

geramos no mundo.

3- Como consultora e empreendedora

quais os negócios voltados para as mulheres

você vê em expansão?

Acho que nós mulheres temos espaço no universo

dos negócios de forma geral, não apenas em negócios

voltados para o público feminino. Durante muitos

anos alguns ramos tinham um preconceito com

a presença feminina. E ainda hoje, em algumas negociações,

há sim, este preconceito e até homens

que preferem tratar de negócios com homens. Acredite!

, em 2020 e ainda passamos por isto. Eu já

escutei coisas do tipo: mas, você mãe de dois filhos

consegue dar conta de estar a frente de uma empresa?

...rss lamentável neh?! então, estou falando

isto para que nós mulheres tenhamos certeza que

nosso lugar é onde a gente quiser. E já ouvi, por

exemplo, homens falando: ah! se minha mulher quiser

empreender tem que ser algo como moda, comida,

maquiagem... Porque tem que ser neste ramo?

A gente tem o direito de trabalhar e empreender no

ramo que nos realiza e nos faz Feliz. Não importa

se é construção civil, tecnologia, um bar ou futebol.

O Brasil é um país cheio de gente criativa, cheio de

necessidades e carente de muitos serviços e produtos.

Então, tem espaço para todos empreenderem.

A dica é pensar cada vez mais em ter a tecnologia

e o universo digital como aliados independente do

segmento de atuação.

este compromisso. Dar crédito a um trabalho legal,

apoiar, elogiar, colaborar, criar, todos nós juntos podemos

fazer melhor.

5- Mulheres são mais ágeis do que os

homens?

Huuuumm...rsrs aqui em casa quando quero implicar

com meu marido sempre falo isto e ainda brinco

que a gente faz mais coisas ao mesmo tempo...ri

sos. Mas acho que a maioria de nós é mais analítica

e prática mesmo, e isto são duas belas habilidades

pensando no futuro. Historicamente, por questões

das mulheres terem que se adaptar a várias jornadas

com trabalho, filhos, casa, família, carreira, casamento

e muitas responsabilidades nestas diversas

frentes, acho que fomos tentando otimizar tudo

para poder “dar conta” e a sensação de ter que “ter

agilidade” talvez venha disto.

As mulheres não tem que seguir o padrão de casar,

ter filhos e várias jornadas isso não é sobre sucesso.

Hoje já vejo muitas de nós com uma consciência

linda de que não precisamos ser essas super

heroínas que tem que dar conta de tudo. Acho que

fomos absorvendo muita coisa e entendemos que

não precisamos e não merecemos estar exaustas, e

saber disto é uma paz não é mesmo? Lembrar isso

é um dos meus exercícios diários.

Foto: Arquivo

4- Acredita que o aumento de cursos sobre

educação financeira voltados exclusivamente

para este público tenha contribuído

com o avanço deste segmento?

Sim. Acredito que o acesso a informação de uma

forma geral nos últimos anos também tenha contribuído

muito. Acho que os movimentos de empoderamento

feminino também contribuíram e encorajaram

muitas mulheres que não tem este apoio

em suas famílias ou lares. E como falo sempre para

o meu time, todos nós temos a capacidade de inspirar

as pessoas que estão ao nosso redor todos

os dias a serem pessoas melhores. E devemos ter

REVISTA CARIOCAS - 43


EMPREENDEDORISMO

6- Falta muito para as mulheres se equipararem

aos homens no mercado de

trabalho?

Juro que eu queria ter esta resposta. Mas é complicado,

ainda temos sim muita diferença em alguns

segmentos, preconceitos, diferença em remuneração,

em reconhecimento, tomada de decisão e até

participação em alguns cargos. Mas vejo um grande

esforço em algumas empresas com estes assuntos

e com a busca para melhorar combatendo estas diferenças.

Torço para que cada um, realmente faça

sua parte e principalmente os homens caminhem

juntos combatendo qualquer tipo de distinção.

7- Como você vê o empreendedorismo

feminino nestes tempos de pandemia?

Sim. E acho que empreender é ter atitude. O nosso

país tem muita oportunidade, apesar de ser um

cenário de caos para qualquer empreendedor. O

Brasil precisa de pessoas com atitude para resolver

os milhões de problemas que temos. Então, as minhas

dicas para quem quer empreender: focar nas

pessoas e em solução. Qual o problema que o seu

produto ou serviço irá resolver agregando valor na

vida de alguém? Tenha a tecnologia sempre como

grande aliada para inovar e conter custos de forma

inteligente. Não tenha vergonha de ser pequeno ou

começar pequeno, tem muita empresa pequena impactando

mais pessoas do que grandes elefantes

estagnados no mercado. Agilidade é uma palavra

fundamental em mundo extremamente dinâmico.

Trabalhe com pessoas que tenham sinergia de propósito

e que tenham senso de pertencimento. Sonhe

grande, sonhe junto e sempre valorize cada um

que faz parte da história. E se você for uma empreendedora,

não tenha medo de impor limites e ditar

as regras sempre que precisar.

Um cenário complexo demais. Pense que existem

muitas mulheres que empreendem e que tem uma

rotina de 12, 14h, 16h de trabalho por dia, muitas

são mães e muitas vezes a única renda da casa.

Com a pandemia, tivemos que mudar nossas rotinas

e a operação de nossas empresas. Claro que

ninguém previa isto, por exemplo, aqui na empresa

migramos de maneira fácil e rápida nossa operação

para home Office , pois já trabalhávamos com

máquinas , reuniões remotas, sistemas e dados em

nuvem o que nos facilitou para imediatamente mantermos

nosso time a distância trabalhando.

Mas, somos uma empresa de serviço que , por

exemplo, não depende de uma produção de produtos

e sabemos que não tem como ser assim para

todos os negócios. Então, além de termos nossos

faturamentos reduzidos, nós tivemos que administrar

as rotinas de trabalho, crianças, escola e casa

de uma única vez. Tenho visto muitos depoimentos

de mulheres exaustas com tudo isto, e sinceramente

se sentindo muito mais cansadas.Ainda há hoje

no Brasil um problema crítico para a maioria das

empreendedoras que não estavam preparadas para

enfrentar esta crise, a dificuldade de acesso à crédito

para seus negócios, que dificultam ainda mais

as coisas.

Foto:Divulgação

8- Acredita que mesmo com a crise econômica

que se instalará no Brasil a saída

pode ser empreender? Alguma dica para

quem quer apostar neste ramo.

Serviços:

Redesign Consultoria de Transformação

Daniele Soares

Tel: (21) 31737659 / (21) 992181401

@rededesignconsultoria

REVISTA CARIOCAS - 44



BELEZA

SERGIO MARKS

De Londres para o Rio num vôo

sem escala

Por Mirian Barbosa

Foto: Arquivo

Após viver 20 anos em Londres e ter se especializado

em diversas técnicas de colorometria pela Europa, Sérgio

Marks está de volta ao Brasil. Em tempos de Pandemia,

seu salão com mais de 300 metros quadrados, em

Laranjeiras, está fechado. Prejuízos à parte, Sérgio

encara com bom humor (um de seus pontos fortes) e

resignação este momentoi complicado por que passa o

planeta.

Num bate papo informal o ‘Rei da tesouras e das loiras’

conversou conosco e falou de seu retorno ao Brasil, da

pandemia e das tendências internacionais que permeiam

o mercado de beleza, da descontração da mulher carioca

e de seus planos de investimento no país.

O que tem a dizer sobre esta Pandemia? Tá

sendo muito difícil para você encarar o isolamento

e o salão fechado?

Muito difícil e triste ver tantas mortes e um vírus

completamente desconhecido por cientistas e

pesquisadores. Não sabemos, na verdade, onde esta

pandemia vai dar até a vacina ser assertiva. Acredito que

um novo mundo está sendo implantado no planeta e que

nossas questões de higiene serão permanentemente

avaliadas. Desejo que o homem, assim como o planeta,

se renove e que conquistemos mais solidariedade e

amor ao próximo. A Natureza nos ensina a cada dia

como podemos fazer mal ao planeta terra. Ela está ai, se

regenerando, águas limpas, fauna belíssima retornando

ao habitat natural....um luxo. Algo de bom temos que

tirar disso tudo.

O salão fechado é preocupante. Muitas perdas e

planos alterados. Tenho funcionários, me preocupo com

a economia do país. Estamos no aguardo do próximo

mês.

Uma das saídas são as promoções?

Sim, para não perder contato com nosso público e

acarinhas nossas clientes criamos o #belezasolidária,

uma campanha de amor e solidariedade. As clientes

adquirem antecipadamente um voucher para usarem

até setembro e ganham 50% de bônus. Super presente

né? Estão adorando.

REVISTA CARIOCAS - 46


BELEZA

Como é estar de volta ao Brasil depois de tantos

anos em Londres?

It’s a beautiful! Cheguei há um tempo e escolhi o Rio

de Janeiro, apesar de São Paulo concentrar os grandes

eventos e ser mais cosmopolita, pela qualidade de vida.

Associar a beleza desta cidade à maneira de viver é

excepcional. O Rio é solar. Acordo as 6 h e depois de

muito isolamento resolvi voltar a correr na praia e as 10

h já estava no salão. Agora despacho de casa. Mas a

descontração do carioca me encanta.

Porque Londres é considerada umas das capitais

da moda em estilo de cabelo no mundo?

Porque é uma cidade de vanguarda. Quando fui

para lá o meu intuito era estudar e desenvolver minha

metodologia, pois já tinha meu salão em Florianópolis.

Fui embora do Brasil aos 29 anos e foi na Inglaterra

que conheci Tony&Gui , Sassoog, Llougueras que são

academias conhecidas internacionalmente.

Estas marcas são retrô apesar de muito modernas e não

trabalham com linhas simétricas, que são muito usadas

no Brasil. A marca destas empresas são assimétricas,

com cortes e cronogramas de cores muito exóticos. Na

Inglaterra existe uma mistura de cores e ousadia não

vista por aqui. Aliás, Milão, Paris, Nova Iorque, também

possuem uma tendência de inovação que pode ser vista

nas

temporadas dos desfiles. Mas Londres sempre foi

muito além. Você vai ver as orientais, por exemplo, com

cabelos loiros, brancos, azuis, verdes. Elas usam muita

cor. Esta tendência já está chegando a comunidade

oriental de São Paulo.

Como será o inverno neste novo mundo em

questão de cores nos cabelos?

Mesmo com a pandemia as indústrias internacionais

não param. Para o inverno 2020 seguiremos mantendo

nas colorações e mechas o esfumaçado natural com

pontas mais claras. Os dourados vão vir com tudo junto

aos loiros de tons diversos. E os acobreados também

serão tendência e para as mais ousadas as mechas

cobres em diversos tons.

E as morenas ?

A mulher morena poderá escolher de acordo com

a definição de sua personalidade. Muitas podem se

manter naturais, mas as que conseguirem ousar e jogar

um pouco de cor, devem apostar que ficarão incríveis.

Um acobreado, o marrom, caramelo e o dourado que

são as cores de tons mais praia, são minhas sugestões.

REVISTA CARIOCAS - 47


BELEZA

Como você descreve a mulher carioca? Ela é

menos fashionista que as paulistas?

Eu não diria que ela é menos fashionista, entretanto

pelo Rio ser uma cidade praiana, a carioca é mais a

vontade em seu estilo. Os cabelos e as roupas são mais

descontraídos. A paulista é aquele padrão impecável:

faz escova duas vezes por semana e está sempre com

a cor em dia. Usam o loiro muito branco e fazem uma

linha shopping, já que a cidade não tem praia. Em si o

Rio permite que ela seja assim. Este é o charme desta

cidade, o jeito carioca de ser que nenhum outro lugar do

mundo possui.

Em termos de beleza como é a mulher carioca?

Dizem que elas querem sempre ter cabelos

longos...

(Risos!) É verdade. A carioca ama um cabelo comprido

e muitas recorrem ao megahair. Quando profissionais

que vivem na Europa chegam ao Brasil, vêem que existe

uma tendência grande de não aderir aos cortes curtos

por aqui. Isto está mudando,mas a carioca, quer cabelos

longos ou na altura dos ombros.

Eu acho a mulher carioca muito atualizada. Ela segue

as tendências próprias. Por exemplo, eu sou especialista

em loiras porque é uma pegada que eu gosto, trabalhar

muito com cores, e a carioca ama mechas, aquelas que

trazem as pontas mais claras. Ela aderiu esta tendência,

essa moda praia, mechas californianas. Isso traz uma

assinatura de personalidade à mulher. Você vai a um

evento e vê a carioca de jeans e tênis, muito livre,

ousada, sem aquela formalidade. A carioca está de

parabéns pelo visual. Elas são lindas e elegantes em

seu jeito de ser.

Quando tudo passar quais são seus planos

para a marca Sergior Marks?

Eu estou muito empolgado com as novas parcerias

que estão surgindo para agregarem nossa marca. Um

programa de TV ou na internet será inaugurado em

2021 e pretende dar muita visibilidade as marcas e

aos profissionais do ramo de beleza. Estarei também

montando uma academia de cursos que será parte

da especialização para todas as pessoas que querem

aprofundar o conhecimento em áreas de mechas e

colorações. A academia será especifica para isso. Nós

trabalhamos hoje com uma linha de todos os Plex ,que

são proteínas e queratinas que dão uma mega estrutura

as mechas. Conseguimos obter loiros fantásticos,

maravilhosos sem agredir os fios. Um trabalho Express,

muito rápido.

Para o ano que vem,estaremos inaugurando uma

filial na Zona Sul e estamos estudando propostas de

franquearmos nossa marca. O novo espaço será uma

Maison de quase mil metros quadrados com mobiliário

italiano, bem retrô e muito chique. Ainda não posso dar

detalhes,mas será uma proposta de beleza para ser

acessível a todas as pessoas e terá um SPA , além de

um espaço só para mechas.

Foto: Divulgação

Uma referência de Mulher Brasileira...

Minha referência em mulher loira e brasileira é a Gisele,

ela ainda é a maior (risos!), a musa de todas as loiras.

Gisele Bündchen não vale...

Ok. Então vamos lá! (pensando...) Temos a Vera Fischer

que é fabulosa, a Bruna Lombardi e a Maitê Proença.

Essas são minhas queridíssimas, loiras maravilhosas.

Cito também a Angélica que sempre manteve aquele

loiro impecável. São pessoas que estão em evidência

e representam bem as loiras brasileiras. Mas, meu voto

vai para a Bruna que sempre manteve aquele cabelão

super claro com o cacheado natural, bem a cara do

Rio, a cara do Brasil. Uma linda mulher com 63 anos,

que tem a felicidade como lema de vida. Aplausos para

Bruna Lombardi!

REVISTA CARIOCAS - 48

Serviço:

Sergio Marks Hair e Estética

Rua das Laranjeiras 29- Laranjeiras Mall

Telefone: 22429602/ 22256116/991946679


PRODUTOS

8 PRODUTOS PRA SALVAR A SUA BELEZA

DURANTE A PANDEMIA

A

massagem capilar no lavatório, o acabamento perfeito da manicure, até o cappuccino cremoso enquanto

aguardamos o atendimento… nada substituiu a experiência do salão de beleza! Porém, neste momento,

precisamos ser criativos para reinventar a nossa rotina, incluindo os cuidados de beleza, que podem ser

bons aliados para nos ajudar a manter o Corpo e a Mente sãos.

Muito além de álcool em gel e máscaras descartáveis

Em tempos de quarentena as farmácias são pontos coringa: possuem um catálogo diverso de cosméticos, muitas

permanecem abertas por 24h com entrega delivery e sempre tem uma perto de você!

Listamos 8 produtos para salvar a sua beleza durante o isolamento e fáceis de serem encontrados nas farmácias.

1.Creme para as mãos NIVEA Q10

As mãos são as que mais estão sofrendo:

o excesso de água, sabonete e álcool gel

as deixam ressecadas e sensíveis. Nivea

Q10 mantém as mãos hidratadas durante

todo o dia, além de possuir uma textura

leve de fácil absorção.

2.Cera Nutritiva Granado

É preciso habilidade para realizar a

própria manicure, mas não se desespere!

Neste momento, o mais importante não é

esmaltar, e sim manter a saúde das unhas.

3. Base Risqué Technology

Unhas hidratadas! Que tal uma camada de

base para deixá-las mais bonitas? “A linha

de bases Technology é incrível. Algumas

auxiliam no nivelamento e fortalecimento”,

elogia a manicure Lilika, e completa: “todos

os itens são hipoalergênicos, o que é muito

importante numa base, porque é o produto

que tem maior contato com a pele”.

4. LipIce Cube

Lip Balm é básico em qualquer estação,

principalmente agora no outono. Queridinho

do momento, o Lip Ice hidrata, suaviza,

protege, regenera, dá brilho e deixa uma

sensação gostosa nos lábios.

5. Fisiogel

Os hidratantes Fisiogel são perfeitos

para uso diário e diferentes tipos de pele,

principalmente aquelas com restrições

como alergias, sensibilidade e vermelhidão.

Possuem rápida absorção e podem ser

usados sob a maquiagem

6. Folhinhas depilatórias Veet

Passam-se alguns dias de isolamento e

pronto: os pelos indesejáveis começam

aparecer! As folhas depilatórias podem

socorrer.

8. Máscara de Cílios Maybelline

7. Loção Balm Barba & Face Barba’s Skala A máscara de cílios é essencial para a

autoestima. Uma leve camada basta para

E os homens? Na quarentena a grande

proporcionar destaque ao olhar. A Colossal

vilã é a barba. Alguns preferem fazê-la,

Volum Maybelline garante preenchimento

outros precisam mantê-la cultivada até

e resiste ao calor e à umidade, porém é

reencontrar o seu barbeiro. O Balm Skala

removida facilmente com água morna.

vai ajudar aos dois perfis: hidrata e amacia

Isso mesmo, você pode dispensar o

barba e face, também pode ser usado como

demaquilante!

loção pós-barba.

REVISTA CARIOCAS - 49


beleza

carioca

SPA EM CASA

Foto: Arquivo

ISOLAMENTO SOCIAL FAZ COM QUE AS PESSOAS VOLTEM A

CUIDAR DA SAÚDE COM PRODUTOS QUE TEM EM CASA

Por Paula Soares Ramagem

Com o isolamento social e o lockdown, o

comércio está fechado e as compras online tem

prazos de entrega muito longos. Mas a vida e

os cuidados com a saúde não podem parar. A

solução foi voltar ao passado, quando pepinos e

máscaras de abacate eram utilizados para manter

a pele macia. Pensando nisso, e pensando na

necessidade em manter a saúde e a autoestima,

o bem estar, a cirurgiã dentista Danielly Moura,

uma das referências em harmonização facial no

Rio de Janeiro pensou no „SPA EM CASA“.

Para driblar as dificuldades de sair durante o

isolamento social provocado pela pandemia,

Danielly montou algumas receitas práticas para

cuidar da saúde da pele, manter a imunidade e

também a autoestima, com máscaras caseiras,

receitas para hidratação e tonificação para todos

os tipos de pele. „É aquele momento todo seu

durante o dia, depois dos afazeres, do home

Office para você cuidar de si mesma“, afirma

Danielly.

Máscaras

.Para combater a oleosidade, esta máscara

feita com grãos integrais é ideal:

1. Misture: 01 gema de ovo + 01 colher (sopa)

de mel + 01 colher (sopa) de azeite de oliva + 1/2

xícara de aveia;

2. Aplique sobre o rosto e deixe agir de 15 a 20

minutos;

3. Em seguida, lave o rosto com água morna.

.Em pele com oleosidade normal, isto é, sem

significativa manifestação de cravos e espinhas:

1. Misture: 03 colheres (sopa) de iogurte + 01

colher (sopa) de aveia;

2. Aplique e deixe agir por 15 minutos;

3. Enxágue com água morna.

.Já esta receita é indicada para quem tem

manchas de sol. Ela visa iluminar e acalmar a

pele:

1. Misture: 02 colheres (sopa) de mel + 1/2

xícara de mamão papaia amassado;

2. Aplique uniformemente sobre o rosto,

deixando por 15 minutos.

3. Por fim, enxague com água morna.

REVISTA CARIOCAS - 50


BELEZA

Fotos: Arquivo

Hidratação

Logo após a limpeza, hidrate a pele. Assim como

na limpeza, cada tipo de pele se dá melhor com

um tratamento especifico.Esta hidratação para

pele seca é feita em duas etapas, que podem

ser feitas em dias alternados:

1ª Etapa

1. Misture: 1/2 abacate amassado + 01 colher

(sopa) de mel;

2. Aplique a máscara sobre todo o rosto e deixe

agir por 20 minutos;

3. Lave o rosto com água morna

2ª Etapa

1. Misture: 01 pote (200ml) de iogurte natural +

01 gema de ovo + 01 colher (chá) de mel;

2. Aplique a máscara sobre o rosto e deixe agir

por 20 minutos;

3. Retire com água morna.

.A pele normal pode ser hidratada com esta

máscara:

1. Misture: 01 colher (sopa) de aveia + 01 pote

(200ml) de iogurte natural integral;

2. Aplique sobre o rosto, deixando agir por 20

minutos;

3. Enxague com água fria.

Esfoliante para todos os

tipos de pele

Ingredientes

– 2 colheres (sopa) de açúcar refinado

– 1 colher (sopa) de mel

Misture os ingredientes em um pote e passe a

pasta no rosto, massageando com movimentos

circulares. O bom deste esfoliante é que ele

também pode ser usado nos lábios. E é gostoso.

A esfoliação é importante para remover as células

mortas e deixar a pele pronta para receber

máscaras de tratamento.

Danielly Moura também dá conselhos e

consultoria online pelo Instagram instagram.

com/dradaniellymoura

Foto: Divulgação

A dica a seguir é para pele oleosa:

1. Corte 01 pepino em rodelas bem finas;

2. Espalhe sobre todo o rosto e deixe por 20

minutos;

3. Retire e lave o rosto com água morna.

Tonificação

Tonificar a pele evita que, a longo prazo, ela

pareça flácida e desvitalizada. O ideal é que seja

tonificada 1 ou 2 vezes ao dia, após a limpeza e

a hidratação.

1. Misture: 02 colher (sopa) de vinagre de maçã

+ 08 colheres (sopa) de água;

2. Aplique sobre o rosto e deixe agir por 10

minutos;

3. Não se preocupe: o cheiro do vinagre

desaparecerá em poucos minutos

Serviços:

Dra. Danielly Moura

Cirurgiã Dentista e referência em

harmonização e estética facial

Contatos: 21- 98116-6668

Instagram: @dradaniellymoura

REVISTA CARIOCAS - 51


BELEZA

Foto: Arquivo

Por que as varizes são mais

comuns em mulheres?

Por Mirian Barbosa

Você sabia que as varizes, aquelas veias que

acabam ficando deformadas e visíveis a olho nu

e que causam inchaço e dores, normalmente

nos membros inferiores (pernas e pés), são mais

comuns entre as mulheres? A médica Maialu

Rodrigues, que atua na área de Angiologia e é

especialista em varizes, explica que os culpados

são os hormônios e, além disso, aponta alguns

detalhes sobre essa condição.

Afinal, por que as mulheres?

Como na osteoporose e em outros problemas

majoritariamente associados a mulheres, os

hormônios são responsáveis pela predominância

feminina das varizes. “São mais comuns devido à

ação dos hormônios femininos. O ciclo menstrual,

a reposição hormonal (para evitar a gravidez, uso

de hormônios como tratamento, hipotireoidismo,

entre outros) e a própria gravidez, são fatores de

risco”, explica Maialu.

Mulheres mais atentas que

os homens

Apesar da ocorrência das varizes ser maior

entre as mulheres, o tratamento da doença

com os homens não tem diferença clínica. O

que acontece, entretanto, segundo a cirurgiã, é

uma maior atenção por parte das mulheres nos

vasinhos dilatados: “Como elas depilam bem

mais os membros inferiores, as varizes são mais

observadas. Na prática, como as mulheres são

mais atentas ao seu aparecimento, são mais

exigentes para um melhor resultado estético”,

afirma a médica.

Varizes mais comuns na

gravidez

A gravidez é um momento delicado na vida de

toda mulher, logo, requer cuidados. E um deles

REVISTA CARIOCAS - 52


BELEZA

é justamente com as varizes, já que são mais

comuns neste período tão especial. “Pela maior

quantidade de hormônios circulantes neste

período, a ocorrência de varizes é mais frequente.

O sobrepeso, o sedentarismo, novas gestações

(multiparidade) e o não uso de meias elásticas,

são fatores de risco que acabam fortalecendo

a presença da doença neste período”, explica

Maialu Rodrigues.

Ainda segundo a médica, o ideal é que as

varizes sejam tratadas antes mesmo da gravidez

com o intuito de evitar tromboses, flebite e uma

doença grave: “O tromboembolismo pulmonar

pode ser evitado. É uma doença grave e que,

infelizmente, pode ser fatal”, diz a especialista..

Para evitar as complicações, ela sugere que

durante a gravidez se utilize meias elásticas sob

orientação de um especialista (um angiologista

ou um cirurgião vascular), que se combata o

sedentarismo e que se evite ficar muito tempo em

pé ou sentado “parado”. “Com estas medidas, a

ocorrência das complicações tromboembólicas

decorrentes das varizes nos membros inferiores

serão minimizadas e bem menos prevalentes”,

conclui.

Abaixo, Maialu Rodrigues responde as questões

mais pertinentes ao assunto:

4- Quanto custa o

tratamento?

Vai depender da pessoa e do numero de

sessões. Após a consulta de avaliação, indicamos

o tratamento adequado.

O valor das sessões varia conforme o local de

atendimento. A duração é de 20 minutos por

sessão e a médica atende em seu consultório na

Barra (R$300 reais a sessão, sendo uma sessão

em cada perna) e em Copacabana (R$200 reais

a sessão, sendo duas sessões em cada perna).

Na Alba Saúde, 100 reais nas Unidades de

Botafogo, Norte Shopping, Madureira e Carioca

Shopping).

Foto: Divulgação

1-Como são os tratamentos

que vc faz para as varizes?

Escleroterapia de mivrovarizes (vasinhos)

e cirurgia nas varizes de pequeno, médio e

grosso calibre. Além do tratamento clínico com

flebotônicos e meias elásticas de compressão

graduada.

2-Quando vc indica a

cirurgia?

Quando há varizes que não podem ser

tratadas com escleroterapia e tambám, quando

há insuficiência das veias safenas, que podem

aumentar a sintomatologia: dor em peso,

cansaço e edema (inchaço) nas pernas.

3-Como é o teleatendimento

e quanto custa a consulta?

Impossível avaliar varizes por telemedicina. Só

realizo telemedicina para outros problemas. Para

as varizes, vazinhos etc...tem que ser presencial.

SERVIÇO:

Dra. Maialu Rodrigues

Telefone e WhatsApp: (21)993713475

agendavasculardramaialu@gmail.com

instagram: @dramaialurodriguesangiologia

REVISTA CARIOCAS - 53


MODA

NO ARMÁRIO

com Evelyn Montesano

Por Sophia Carneiro

Foto: Arquivo

A

atriz Evelyn Montesano desde criança

queria ser repórter, sempre muito

comunicativa, nascida em Niterói, não

demorou muito para descobrir que seria

artista. Aos dezesseis anos já estava formada

em artes cênicas, atuando em várias peças de

teatro, e aos 24 anos formada em cinema pela

cinema pela UFF . Além de diretora e atriz Evelyn

Montesano também faz dublagem e é formada

em locução e apresentação, para Rádio e TV, pelo

Senac Rio e o mais importante para nossa coluna,

adora moda.

Em tempos de Pandemia, Evelyn nos deixou,

literalmente, entrar em seu armário e escolheu

três produções para fotografar em sua casa . A

atriz conta que moda para ela é uma forma de

expressão, de mostrar ao mundo um pouco da sua

personalidade ou de passar uma idéia de como

você quer ser visto em uma determinada situação

ou momento. “Através da moda, do que você veste,

as pessoas fazem uma primeira leitura sobre você.

É uma forma de se comunicar com o outro sem dizer

nenhuma palavra. Você entra em um ambiente, a

pessoa olha para você e sem você precisar falar

nada, só pelas suas roupas, você já passa uma

mensagem para quem te viu. Por isso a moda é

uma ferramenta que devemos aprender a usar a

nosso favor” diz a atriz afirmando que a moda é

importante tanto na minha vida pessoal quanto na

profissional. “ Na pessoal ela é relevante porque

serve para eu mostrar o meu estado de espírito em

um determinado dia ou ocasião. Já na minha vida

profissional, enquanto atriz, a moda serve para

me ajudar muito na criação dos personagens. No

momento que leio uma sinopse de um filme ou de

uma novela já fico logo pensando em como essa

personagem se comporta e se veste. Quando vou

fazer uma prova de roupa e coloco o figurino da

personagem isso me ajuda muito a interiorizar

a personalidade dela. O figurino colabora muito

nesse processo de criação”.

VESTIDO ZARA

BLAZER FOLIC

SAPATO DOLCE E GABANA

BOLSA CAROLINA HERRERA

ÓCULOS ACERVO PESSOAL


MODA

Foto: Arquivo

CALÇA JEANS FOREVER 21

BLAZER SHOPPING 126

BLUSA DE GOLA ALTA - DECATHLON

BOLSA LOUIS VUITTON

BOTA JIMMY´S COLLECTION

Foto: Arquivo

PIJAMA DA MONTHAL HOMEWEAR

Créditos

Assessoria de Imprensa: Márcia

Dornelles

(21) 9 9984.6020

(21) 9 9984.6012

Acesse: www.mdproducoes.com

@marcia_dornelles


MODA

RITA CARREIRA

FASHION, TOP E PLUS SIZE

Por Maria Amora

Os seguidores vibraram com a postagem: „Obrigada

por colocar beleza no nossa Insta“; „Linda, perfeita e

sensata“; „Toda gostosa! Perfeita, mana“; „Uma explosão

de inspiração e beleza“; e „Meu Deus! Maravilhosa“

foram alguns dos elogios que a moça recebeu.

Descoberta num evento de moda plus size há uma

década, Rita conta que não trabalhava muito no início

de sua trajetória no mundo da moda. Foi vendedora

e corretora de seguros para se sustentar. Pensou em

desistir em alguns momentos e chegou a desabafar

nas redes sociais sobre as dificuldades que enfrentava.

Mas recebeu de seus seguidores a força necessária

para continuar. “As meninas mandaram mensagens

poderosas, perguntando o que seria delas se eu

largasse tudo, quem iria representá-las. E hoje estou

aqui ocupando um lugar que antes não era para mim.

Fotos: Arquivo

Foto: Arquivo

Rita Carreira, de 25 anos, virou sensação das passarelas

nacionais no final do ano passado , quando desfilou

para marcas como Cavalera e Handred na São Paulo

Fashion Week. Tida como modelo plus size, ela, que

veste manequim 48, vem usando sua voz desde então

para defender a diversidade no mundo da moda. Nas

redes sociais, a top paulista fala sobre autoestima e

aceitação.

Esta semana, por exemplo, compartilhou com seus

milhares de seguidores um clique em que apareceu

nua, acompanhando de um pequeno texto empoderador

„Essas dobrinhas nas costas sempre me incomodaram,

mas eu nunca deixei de fazer nada por causa delas.

Quando falamos de aceitação, autoestima e amor

próprio é sobre isso, é você se amar do jeitinho que

você é!”.

REVISTA CARIOCAS - 56


MODA

Foto: Arquivo

'Jamais ficaria seca como a

Gisele Bündchen'

Foto: Arquivo

Descoberta num evento de moda plus size há uma

década, Rita conta que não trabalhava muito no início

de sua trajetória no mundo da moda. Foi vendedora

e corretora de seguros para se sustentar. Pensou em

desistir em alguns momentos e chegou a desabafar

nas redes sociais sobre as dificuldades que enfrentava.

Mas recebeu de seus seguidores a força necessária

para continuar. “As meninas mandaram mensagens

poderosas, perguntando o que seria delas se eu

largasse tudo, quem iria representá-las. E hoje estou

aqui ocupando um lugar que antes não era para mim.

Orgulhosa de suas curvas, ela acrescenta: “Nunca tive

questões com meu corpo. Quando comecei, há uma

década, usava 42 e era magra perto das outras meninas

plus size. Engordei para entrar nessa categoria, pois

jamais ficaria seca como a Gisele Bündchen. E não

fiz sacrifícios para atingir esse ideal. Gosto mesmo de

comer. Não faço dietas, graças a Deus”.

Consciente de sua posição no mundo, a modelo quer ser

um espelho para mulheres como ela. “Tudo que faço não

é apenas por mim. Eu trouxe mais gente comigo. Abri

essa porta, agora é só elas entrarem.” Parte do casting

da agência Ford, a paulista acredita que o mercado

está mais preparado para receber manequins plus.

“Hoje existe diversidade. As marcas estão percebendo

que todos somos iguais e queremos nos enxergar na

passarela ou na campanha.”

REVISTA CARIOCAS - 57




More magazines by this user
Similar magazines