*Junho/2020 Referência Industrial 219

jotacomunicacao

CERTIFICAÇÃO: - Produção das portas passa por processo rigoroso de controle de qualidade

SOLUÇÕES INTELIGENTES,

INOVAÇÃO E INTEGRIDADE

INDÚSTRIA FORTALECE O MERCADO DE

GERAÇÃO DE ENERGIA TÉRMICA


QUALIDADE

Nós trabalhamos

sempre na busca

pela excelência

Nós temos

flexibilidade

para atender às

demandas de

nossos clientes

FLEXIBILIDADE

PAIXÃO

Nós trabalhamos

com energia e

paixão


UMA BASE SÓLIDA DE VALORES É A GRANDE

VIRTUDE DA CONTINUIDADE E DESENVOLVIMENTO

CONFIANÇA

Nós temos a

confiança como

base dos nossos

relacionamentos

Nós respeitamos

as pessoas

RESPEITO

SUCESSO DO CLIENTE

Nós entendemos

que o sucesso do

cliente é o nosso

sucesso

55 49 3241 .0066 /Mendesmaquinas

www.mendesmaquinas.com.br


SUMÁRIO

INDUSTRIAL

48

2020

28

42

38

MADEIRA

ANUNCIANTES DA EDIÇÃO

Alca Máquinas 07

Contraco 53

Dallabona Máquinas 45

DRV Ferramentas 09

Eletro Izidoro 21

Engecass 15

H Bremer 11

Impacto Máquinas 19

Linck 05

Máquinas Águia 59

Máquinas Dudi 41

Mendes Máquinas 02

Mill Indústrias 23

Mill Indústrias 51

Mill Indústrias 60

MSM Química 13

Picoloto 37

Plantag 47

Prêmio REFERÊNCIA 27

Tecnovapor 55

Vantec 17

XH MAR Bethlehem 57

SUMÁRIO

06 Editorial

08 Cartas

10 Bastidores

12 Coluna Flavio C. Geraldo

14 Notas

20 Aplicação

22 Frases

24 Entrevista

28 Principal Energia para mudar

34 Infraestrutura

38 Marcenaria

42 Mercado

46 Madeira Tratada

48 Artigo

56 Agenda

58 Espaço Aberto

04

referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


TECNOLOGIA DE PONTA PARA SERRARIAS

Curitiba – PR - Brasil

: +55 41 3332 5442

@ : bkrick@bkrick.com.br

: www.bkrick.com.br

www.linck.com

Sucesso garantido com a nossa

competência e experiência

mais de 150 linhas de perfilagem em uso ao redor do mundo

serrarias com otimização de tábuas laterais e aumento de rendimento desde 1983

serrarias com corte em curva desde 1989

serrarias para corte de toras classificadas por dimensão e não classificadas

Inovação. Qualidade.

Economia.

MADE IN GERMANY


EDITORIAL

INDÚSTRIA

QUALIFICADA

NA CAPA

A Revista da Indústria da Madeira / The Magazine for the Forest Product

www.referenciaindustrial.com.br

CERTIFICAÇÃO: - Produção das portas passa por processo rigoroso de controle de qualidade

SOLUÇÕES INTELIGENTES,

INOVAÇÃO E INTEGRIDADE

INDÚSTRIA FORTALECE O MERCADO DE

GERAÇÃO DE ENERGIA TÉRMICA

E

m momentos de obstáculos, a indústria

brasileira precisa provar sua força e mostrar

que pode concorrer no mercado internacional.

Nesta edição da REFERÊNCIA

INDUSTRIAL, trazemos uma reportagem

sobre a certificação de portas de madeira exigida

pelas normas da Abnt, que qualificam os produtos

brasileiros entre os melhores do mundo. Além disso,

a entrevista do mês é com a economista Monica de

Bolle, que explica quais medidas governamentais

devem ser realizadas para amenizar os impactos

econômicos da pandemia do novo coronavírus nas

cadeias produtivas brasileiras. Além disso, o leitor

poderá acompanhar matérias exclusivas nas editorias

de Marcenaria, Mercado e Madeira Tratada, bem

como, novidades do setor. Tenha uma ótima leitura!

ESTAMPA A CAPA DESTA

EDIÇÃO MONTAGEM

ALUSIVA AOS PRODUTOS

FORNECIDOS PELA

XH MAR BETHLEHEM

EXPEDIENTE

ANO XXII - EDIÇÃO 219 - JUNHO 2020

Ano XXII • N°219 • Junho 2020

06

INDUSTRY

QUALIFICATION

I

n times of obstacles, Brazilian industry needs

to prove its strength and show that it can

compete in the international market. In this

issue of REFERÊNCIA Industrial, we have an

article on the certification of wood doors as

required by Abnt standards, which qualify

Brazilian products among the best in the world. Also,

this month’s interview is with economist Monica de

Bolle, who explains what government measures

should be taken to mitigate the economic impacts

of the new coronavirus pandemic on the Brazilian

production chains. Also, the reader will be able to

follow exclusive articles in the Woodworking, Market,

and Treated Wood Sections, as well as news from the

Sector. Pleasant reading!

referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020

Diretor Comercial / Commercial Director - Fábio Alexandre Machado

fabiomachado@revistareferencia.com.br

Diretor Executivo / Executive Director - Pedro Bartoski Jr.

bartoski@revistareferencia.com.br

Redação / Writing

Murilo Basso

jornalismo@revistareferencia.com.br

Colunista / Columnist

Flavio C. Geraldo

Paulo Pupo

Depto. de Criação / Graphic Design

Fabiana Tokarski e Fabiano Mendes / Supervisão

Crislaine Briatori Ferreira

criacao@revistareferencia.com.br

Depto. Comercial / Sales Departament - Gerson Penkal, Jéssika Ferreira,

Tainá Carolina Brandão

comercial@revistareferencia.com.br

fone: +55 (41) 3333-1023

Representante Comercial - Dash7 Comunicação - Joseane Cristina Knop

Tradução / Translation - John Wood Moore

Depto. de Assinaturas / Subscription

assinatura@revistareferencia.com.br

0800 600 2038

ASSINATURAS

0800 600 2038

Periodicidade Advertising

GARANTIDA GARANTEED

Veículo filiado a:

A Revista REFERÊNCIA - é uma publicação mensal e independente, dirigida aos produtores e

consumidores de bens e serviços em madeira, instituições de pesquisa, estudantes universitários, orgãos

governamentais, ONG’s, entidades de classe e demais públicos, direta e/ou indiretamente ligados ao

segmento madeireiro. A Revista REFERÊNCIA do Setor Industrial Madeireiro não se responsabiliza por

conceitos emitidos em matérias, artigos ou colunas assinadas, por entender serem estes materiais de

responsabilidade de seus autores. A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco

de dados, sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da Revista RE-

FERÊNCIA são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais,

exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA is a monthly and independent publication directed at the producers and

consumers of the good and services of the lumberz industry, research institutions, university students,

governmental agencies, NGO’s, class and other entities directly and/or indirectly linked to the forest based

segment. Revista REFERÊNCIA does not hold itself responsible for the concepts contained in the material,

articles or columns signed by others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The

use, reproduction, appropriation and databank storage under any form or means of the texts, photographs

and other intellectual property in each publication of Revista REFERÊNCIA is expressly prohibited without

the written authorization of the holders of the authorial rights.


SEU CLIENTE CONTA COM VOCÊ,

VOCÊ PODE CONTAR CONOSCO

alcamaquinas.com

PRODUTIVIDADE

E ECONOMIA

Já possui uma plaina moldureira

da ALCA MÁQUINAS?

Conheça nossa máquina e tenha

sempre um desempenho superior.

Plaina Moldureira 230 mm

com 06 eixos

Mod. Supreme

alcamaquinassc alca.maquinas (47) 3357-9258 (47) 3357-2666

Alca Comércio de Máquinas

comercial@alcamaquinas.com.br


EFFECTIVE MACHINES

ENHANCE BUSINESS

PANDEMIA - Apesar da crise, estudo aponta tendência de retorno do crescimento econômico

CARTAS

A Revista da Indústria da Madeira / The Magazine for the Forest Product

CARTAS

CAPA DA EDIÇÃO 218 DA

REVISTA REFERÊNCIA INDUSTRIAL, MÊS DE MAIO DE 2020

MADEIRA TRATADA

www.referenciaindustrial.com.br

Ano XXII • N°218 • Maio 2020

QUALITATIVE

RESULT

RESULTADO

QUALITATIVO

MÁQUINAS EFICAZES

POTENCIALIZAM NEGÓCIOS

Por Rodrigo Ávila -

Três Corações (MG)

MARCENARIA

Por Pedro Nogarolli -

Londrina (PR)

Excelente reportagem

sobre as estratégias

de fidelizar clientes em

marcenarias. Nós, desse

segmento, sabemos a

dificuldade de concorrer

com a produção em

grande escala. O

relacionamento com o

consumidor é essencial

neste processo.

Foto: divulgação

Bela iniciativa dos parklets em Toronto. O

uso da madeira como principal material deixa

a construção sustentável e ainda gera uma

reocupação de pontos esquecidos da cidade.

Acredito que as cidades brasileiras devem se

espelhar neste exemplo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Foto: divulgação

ENTREVISTA

Por Raquel Giovanelli -

Porto Alegre (RS)

ECONOMIA

Por Márcio Saboia -

Santos (SP)

Muito esclarecedora a

entrevista com Pedro

Wongtschowski. Neste

momento de incertezas, a

união dos empresários em

todo o Brasil é essencial

para que a indústria

saia fortalecida deste

momento turbulento.

Parabéns pelo material.

Ótima reportagem sobre o estudo do Sistema

Fiep que mostra que o retorno do crescimento

econômico no Brasil deve começar a ser visto

em breve. É importante sermos otimistas em

momentos de crise!

08

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os

e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião é

fundamental para a Revista REFERÊNCIA INDUSTRIAL.

referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020

E-mails, críticas e sugestões podem ser enviados para redação ou siga:

revistareferencia@revistareferencia.com.br

CURTA NOSSA PÁGINA

Revista Referência Industrial

@referenciaindustrial


o mundo é das

expert

As serras estreitas EXPERT

são fabricadas em aço

de alta liga que geram maior

durabilidade, produtividade,

economia e cortes precisos


|


BASTIDORES

BASTIDORES

MOMENTO #TBT

NESTA EDIÇÃO, APROVEITAMOS PARA RELEMBRAR ALGUNS DOS

ÓTIMOS MOMENTOS VIVIDOS RECENTEMENTE. PEDRO BARTOSKI

JR., DIRETOR EXECUTIVO DA REVISTA INDUSTRIAL, JUNTO AO DIRETOR

DA INDUMEC, STEPHAN KOLLER.

Foto: REFERÊNCIA

AINDA DURANTE FEIRA REALIZADA ANO PASSADO EM CURITIBA

(PR), PEDRO BARTOSKI JR., DIRETOR EXECUTIVO DA REFERÊNCIA

INDUSTRIAL, FRANK BORDES, REPRESENTANTE COMERCIAL, FABIO

MACHADO, DIRETOR COMERCIAL DA REFERÊNCIA INDUSTRIAL E O

DIRETOR DA TREE FLORESTAL, MARCO TUOTO.

Foto: REFERÊNCIA

ALTA

CONFIANÇA EMPRESARIAL

Depois de registrar em abril o

menor nível em 19 anos, o Índice

de Confiança da Indústria de

maio pode começar a recuperar a

perda registrada anteriormente. A

prévia do indicador foi divulgada

após estudo da FGV (Fundação

Getúlio Vargas), que sinaliza avanço

de 2,4 pontos. De acordo com

a FGV, a leve alta da confiança em

maio é resultado de uma reavaliação

das expectativas dos empresários

para os próximos três e seis

meses. O Índice de Expectativas,

que avalia a confiança no futuro,

apresenta variação de 4,6 pontos,

o que seria uma devolução de

10% da perda que ocorreu em

abril. Para a prévia do mês de

maio, FGV consultou 790 pessoas.

BAIXA

ARRECADAÇÃO NACIONAL

Em meio à pandemia da Covid-19, a

arrecadação das receitas federais no

Brasil registrou queda de 28,95% em

abril, totalizando R$ 101,154 bilhões

(reais). A comparação é com o mesmo

mês de 2019, descontada a inflação.

Esse foi o menor valor para o mês

desde 2006, quando a arrecadação

totalizou R$ 94,505 bilhões. As informações

foram divulgadas pela Receita

Federal. As receitas administradas

pela Receita Federal, como impostos

e contribuições federais, chegaram

a R$ 93,332 bilhões, resultando em

queda real (descontada a inflação) de

28,79%. Já as receitas administradas

por outros órgãos, principalmente

royalties do petróleo, somaram R$

7,822 bilhões, com queda de 30,75%,

em relação a abril de 2019.

10 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


A natureza

agradece!

H.Bremer. Há mais de

70 anos gerando energia

térmica para o mundo,

com equipamentos de alto

padrão tecnológico.

• CALDEIRAS

• AQUECEDORES DE

FLUÍDO TÉRMICO

• EQUIPAMENTOS

INDUSTRIAIS

www.bremer.com.br

R. Lilly Bremer, 322 - Bairro Navegantes | Rio do Sul | Santa Catarina

Tel: (47) 3531-9000 | Fax: (47) 3525-1975 | bremer@bremer.com.br


COLUNA

O EMPURRÃOZINHO DO CUPIM

HOUVE UMA ÉPOCA EM QUE ERA SÓ FALAR DOS PREJUÍZOS CAUSADOS POR ESSES INSETOS E ROMANTIZAR

SOBRE SEUS HÁBITOS QUE A ATENÇÃO DA MÍDIA ESTAVA GARANTIDA

Flavio C. Geraldo

FG4 MAD - Consultoria em Madeira

Contato: flavio@fg4mad.com.br

O

período de isolamento social proporciona experiências

interessantes. Permite, por exemplo,

um espaço para reflexões. E assim, em

consulta a vários artigos e entrevistas publicados

nos últimos 30 anos, é possível constatar

que o cenário voltado aos assuntos relativos à utilização da

madeira tratada tem a sua dinâmica.

Parece ser uma constante a necessidade da autoafirmação

do setor em relação às vantagens competitivas da madeira

e também a necessidade de reafirmação da mesma

como sendo material de engenharia. Foram marcantes as

reportagens realizadas por grandes veículos de comunicação,

em especial durante toda a década de 1990, motivadas,

é certo, pelas provocações à mídia em geral, sugerindo

pautas relativas aos prejuízos causados pelos cupins.

Aliás, nesse período, foi possível constatar que o cupim

assumiu um papel relevante como um grande marqueteiro.

Era só falar dos prejuízos causados por esses insetos

e romantizar sobre seus hábitos que a atenção da mídia

estava garantida. É claro que o setor teve a percepção para

aproveitar ao máximo esse mote, utilizando como estratégia

complementar o direcionamento para a utilização da

madeira tratada em projetos construtivos e no setor da eletrificação,

ainda um importante segmento de mercado da

madeira tratada à época.

Como consequência desse conjunto de ações de comunicação,

representantes do setor começaram a ser convidados,

com frequência, para participar de eventos dos

setores industrial madeireiro, elétrico e da construção. Ao

mesmo tempo começam a pipocar mensagens e atitudes

em todos os setores produtivos e imagináveis ao redor do

mundo, sobre o tema da sustentabilidade. Chegou até a

virar moda, mas, de qualquer forma, ajudou muito. E foi aí

que nosso querido cupim começou a perder espaço como

principal marqueteiro do setor. O tema “Sustentabilidade”

tinha tudo a ver!

Foto: divulgação

As mensagens foram sendo naturalmente redirecionadas,

criaram-se novos bordões de comunicação, o que foi

fácil, pois, afinal, a utilização da madeira cultivada como

material construtivo estava em sintonia com todos os princípios

da sustentabilidade.

Começou a ganhar as mentes da nossa engenharia

e arquitetura alguns conceitos, lembrando que a fábrica

da madeira é a árvore, que no seu processo de produção

sequestra e aprisiona o dióxido de carbono da atmosfera

e de quebra ainda libera oxigênio puro – além de ser um

recurso natural renovável de ciclo curto, eternamente disponível

graças à tremenda evolução das técnicas de melhoramento

e plantios.

Hoje esses mantras são lembrados e repetidos nas salas

de aula de cursos de várias modalidades da engenharia e

arquitetura, além de palestras, veículos de comunicação, sites

e portais. Esses movimentos motivaram tremendamente

uma maior mobilização de entidades representativas do

setor em direção à elaboração de novos textos normativos

ou à revisão de textos já existentes.

O setor da construção necessitava, com urgência, de

parâmetros que pudessem orientar o uso e garantir a qualidade

de componentes de madeira tratada em seus projetos.

Começou a surgir então, no início dos anos 2000, um

texto contemplando um sistema de categorias de uso que

orientava o construtor sobre o tipo de madeira, sua condição

de uso e os processos e produtos de tratamento mais

adequados a cada situação: surgia assim em 2013, a Norma

Brasileira (NBR 16.143 – Preservação de Madeiras – Sistema

de Categorias de Uso).

Outras de igual importância foram surgindo como, por

exemplo, a NBR 16.201 (Cruzetas Roliças de Eucalipto Preservado

para Redes de Distribuição Elétrica), uma excelente

resposta ao setor elétrico nacional que buscava alternativas

ao uso de cruzetas de madeiras tropicais nativas.

E assim, algumas outras normas já existentes foram

passando por revisões, procurando uma adaptação de seus

textos aos momentos mais atuais. Ainda no início dos anos

2000, foi dado um passo decisivo em direção à busca da

qualidade e da legalidade na produção da madeira tratada.

Durante a realização de um encontro do setor, realizado

na Expointer em Esteio (RS) foi proposto um plano (Plano

de Disciplinamento de Mercado), que foi a base para o

desenvolvimento do Qualitrat, hoje um plano oficial de

autorregulamentação do setor, que garante a qualidade e

a legalidade da madeira tratada oferecida aos mercados

consumidores.

Bem, isolamento social tem dessas coisas, nos remete a

lembranças que permitem uma boa reflexão sobre a necessária

dinâmica do setor de proteção de madeiras no Brasil.

Aproveitando a oportunidade, nosso muito obrigado aos

cupins!

12 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


NOTAS

MEDIDA PROVISÓRIA

927

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) protocolou petição no

STF (Supremo Tribunal Federal) na qual solicita participar como amicus

curiae (parte interessada) de sete ações diretas de inconstitucionalidade

que tratam da MP (Medida Provisória) 927/2020. A CNI defende

a validade integral da MP 927, que estabeleceu mudanças pontuais e

temporárias na legislação trabalhista para o enfrentamento do estado

de calamidade pública e de emergência de saúde decorrente do novo

coronavírus. Na petição, a CNI pontua que a medida provisória trouxe

alternativas pontuais, temporárias e absolutamente razoáveis para

conferir a empregadores soluções a um cenário imprevisível e inédito.

A MP 927 criou condições específicas para o período de crise, com

medidas como o teletrabalho, antecipação de férias, aumento do período

da compensação do banco de horas, fiscalização trabalhista de

caráter orientador, entre outros pontos.

EMPRESAS

PARANAENSES

A crise causada pela pandemia do coronavírus ocasionou

uma perda de faturamento para 90,2% de micro e pequenos

negócios paranaenses, média maior que a nacional, de

88,7%. O prejuízo mensal médio para esses empresários foi

de 64,6%. Apenas 0,8% dos negócios apresentaram crescimento

do faturamento. É o que apontou uma pesquisa

realizada pelo Sebrae, com parceria da Fundação Getúlio

Vargas, que ouviu 10.384 MEI (Microempreendedores Individuais)

e donos de micro e pequenas empresas de todo o

País. No Paraná, foram ouvidos 681 empresários. Essa é a 3ª

edição de uma série iniciada pelo Sebrae no mês de março,

pouco depois do anúncio dos primeiros casos da doença

no território nacional. Por conta desses impactos, 43,5% dos

pequenos negócios do Estado tiveram que interromper suas

atividades temporariamente e 2,2% das empresas fecharam

as portas. Além disso, 44,8% dos negócios tiveram que modificar

sua maneira de atuar para continuar funcionando.

14 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020

Foto: divulgação

TRANSPORTE

DE CARGAS

As medidas restritivas para a população brasileira, que

incluíram o fechamento do comércio, a diminuição

da circulação das pessoas pelas cidades e as orientações

de trabalho à distância, fizeram com que muitas

empresas diminuíssem ou até mesmo parassem suas

atividades. E isso impactou a atividade transportadora

nacional, que corresponde a cerca de 65% de tudo o

que circula no país, e tem influência tanto no abastecimento

de cidades quanto na circulação de tudo o que

é produzido. Diante dessa crise, o setor vem sofrendo

grandes consequências de acordo com os dados colhidos

através das transportadoras. Após 4 semanas de

acompanhamento, o número em porcentagem total

chegou a 43,9% de queda no volume de cargas, sendo

que, para cargas fracionadas, aquelas que contêm

pequenos volumes, a queda chegou a 46,28%. Já para

cargas lotação, que ocupam toda a capacidade dos

veículos, a pesquisa demonstra diminuição de 41,84%,

revelando a desaceleração do comércio geral, indústria,

combustíveis e agronegócio.

Foto: divulgação Foto: divulgação


Foto: divulgação

NOTAS

MERCADO

FINANCEIRO

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia

brasileira este ano chegou a 5,89%. Essa foi a décima quinta

revisão seguida para a estimativa de recuo do PIB (Produto

Interno Bruto) – a soma de todos os bens e serviços produzidos

no país. No início do mês de maio, a previsão de queda

estava em 5,12%. A estimativa consta do boletim Focus, publicação

divulgada semanalmente pelo BC (Banco Central),

com a projeção para os principais indicadores econômicos.

A previsão para o crescimento do PIB em 2021 passou de

3,20% para 3,50% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%.

AUXÍLIO

ÀS EMPRESAS

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que

institui o programa de crédito para micro e pequenas

empresas, durante a crise do novo coronavírus.

Aprovada pelo Congresso Nacional, a lei oferece

uma linha de crédito no valor de até 30% do faturamento

anual da empresa do ano anterior, como

forma de enfrentar os impactos econômicos causados

pela Covid-19. Podem participar empresas com

faturamento anual de até R$ 4,8 milhões que se encaixam

nas definições de micro e pequena empresa.

O presidente Bolsonaro acatou as recomendações

do ministério da Economia e do Banco Central e

fez quatro vetos ao projeto de lei. Entre eles, vetou

a carência de 8 meses para começar a pagar o empréstimo.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

IMPACTOS

DA CRISE

A Movergs (Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do

Sul) tem unido forças a outras entidades nacionais com o intuito de buscar soluções

e ferramentas para amenizar os impactos causados pela crise da Covid-19

junto a seus associados e ao setor moveleiro. O presidente da Movergs, Rogério

Francio, lembra que o segmento de móveis gaúcho vinha fazendo sua lição de

casa, após ter sofrido uma intensa crise nos últimos 5 anos. “Estávamos nos preparando

para decolar em 2020, mas, lamentavelmente fomos surpreendidos por

esse vírus que assolou o mundo todo e foi muito crítico e severo ao setor moveleiro

brasileiro”, aponta. Em constante contato com o Ministério da Economia,

a Abimóvel, com total apoio da Movergs e demais instituições, comemora algumas

vitórias, entre elas: desconto da parcela patronal do Inss durante os próximos

três meses; postergação do recolhimento do Fgts por até 90 dias; aumento

da liquidez por meio da política monetária via redução da taxa de recolhimento

do compulsório e abertura de créditos orçamentários extraordinários.

16 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


NOTAS

QUEDA

NO FATURAMENTO

Com R$ 384 milhões de faturamento entre janeiro e março

deste ano, o pólo moveleiro de Bento Gonçalves (RS) apresentou

queda de 3,3% em relação ao mesmo período do

ano passado. A perda de faturamento no estado como um

todo não foi tão expressiva como no polo moveleiro, tendo

sido a queda de -1,38% no primeiro trimestre. Foram especialmente

os números de março que contribuíram para essa

queda verificada no primeiro trimestre, conforme os dados

da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul apurados

pela Inteligência Comercial do Sindmóveis Bento Gonçalves.

O desempenho era positivo antes do início da pandemia,

em março, quando se iniciou uma série negativa que deve

perdurar nos próximos meses. O desempenho do próximo

trimestre deverá ser ainda pior. Já existem estimativas de

consultorias e institutos econômicos de queda de mais de

5% no PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil em 2020, e de

16% na produção de bens duráveis.

Foto: divulgação

RECOMENDAÇÕES

À INDÚSTRIA

Com o objetivo de auxiliar a indústria neste momento

de pandemia, a Abimóvel promoveu um manual de

prevenção ao Covid-19 para entrada e saída de casa,

bem como um protocolo para prevenir quando se mora

com pessoas do grupo de risco. “Somos o 6º produtor

mundial de móveis, a 8ª cadeia produtiva que mais

emprega no país, com parques fabris e tecnologia de

ponta, exportamos para mais de 120 mercados e temos

atributos fantásticos como a agilidade, alta produtividade,

design e as madeiras e matérias primas brasileiras.

Reiteramos que o essencial é cuidar-se, cuidar da sua

família. O nosso maior patrimônio são as vidas das nossas

equipes, colaboradores e suas famílias. Elas estarão

sempre em primeiro lugar. Siga os cuidados que você

encontra neste relatório e juntos vamos vencer este

momento difícil”, afirmou a instituição em nota oficial

Foto: divulgação

FEIRA

CANCELADA

A edição de 2020 da IWT (International Woodworking Fair),

feira internacional de carpintaria inicialmente prevista para o

fim de agosto, em Atlanta, nos EUA (Estados Unidos da América),

foi cancelada devido à pandemia do coronavírus. Trata-

-se do maior e mais antigo evento de carpintaria da América

do Norte. Segundo os organizadores, estudos sobre os dados

de propagação do vírus aliados às restrições de viagens e

regulações impostas pelo governo local demonstraram ser impossível

realizar o encontro sem colocar em risco a segurança

e a saúde dos expositores, visitantes e da comunidade em geral.

“Essa realidade inevitável está no centro da difícil decisão

de cancelar o evento deste ano”, afirma a organização da IWT.

A próxima edição da feira deve ser realizada em 2022.

Foto: divulgação

18 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


www.impactomaquinas.com.br

SERRA FITA

VERTICAL

OPCIONAIS:

Scanner para ajuste da bitola automático,

aumentando a precisão de corte e

aproveitamento da tora.

Centrador de Blocos

MODELOS IMP-SRV-700 | IMP-SRV-900

Painel elétrico completo

Sensores de segurança

Opções com volantes de 700 e 900mm

Sistema de tensionamento hidropneumático

Alta produção, sistema contínuo de alimentação

Inversor de frequência para controle de avanço

Sistema de ajuste do transportador de corrente

Recebe toras de até 500 mm, realiza os

cortes laterais formando um bloco ou

semi-bloco retirando as costaneiras

automaticamente, é transportado por uma

esteira de correntes, sistema hidropneumático

para tensionamento das serras, guias das

serras com acionamento elétrico, saída de

costaneiras com discos laterais

Rua das Cerejeiras, 261 - Lages-SC Fone: (49) 3021 2885 (49) 9 9816 6956 contato@impactomaquinas.com.br


APLICAÇÃO

MADEIRA

DE VALOR

Foto: divulgação

Peça requisitada na moda, a madeira tem cada vez

mais enterrado a fama de ultrapassada e abraçado

as tendências rústicas e retrôs. Inserida na moda

masculina, ela é sinônimo de requinte e bom gosto.

Neste cenário, a Purpleheart, empresa americana fornecedora

de madeira para relógios, lançou em 2020

sua moderna linha de carteiras masculinas à base de

madeira. Com um design minimalista e artesanal,

as peças são compostas por madeira compensada

de bétula do Báltico, revestidas com vários tipos de

madeira exótica e doméstica. O acabamento é desenhado

a partir de um corte a laser e selado com óleo

de linhaça e cera de abelha. Isso proporciona um acabamento

suave e sedoso e semi-fosco. Como trata-se

de uma peça única e artesanal, a carteira é feita sob

encomenda e pode ser customizada de acordo com

o gosto do consumidor. A fabricação leva de 3 a 5

dias, após a confirmação da compra.

TOQUES

REFINADOS

Feita pelo marceneiro e designer Alexander

Precsilav, esta pia de madeira é construída a

partir do choupo de madeira Bird Eye Maple

sólida e de prancha única. A peça é envernizada

e passou por todos os processos para

impermeabilização. “Nossos móveis são fabricados

com os mais altos padrões, com os

melhores vernizes e madeiras do mercado.

Cada equipamento passa por 10 estágios de

gravação, lacagem e polimento, para fornecer

qualidade de classe mundial”, afirma Precsilav,

em seu site oficial. A pia foi concebida para

ser uma das protagonistas em cozinhas com

toques refinados e com estilo vintage americano,

baseado no estilo de cabanas americanas

da década de 1960.

Foto: divulgação

20 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


www.eletroizidoro.com.br

Soluções em Eletricidade

motores elétricos - hélices industriais

A Eletro Izidoro atua no segmento de motores elétricos e

hélices industriais. Há mais de 20 anos atendendo clientes

em todo Brasil com produtos de qualidade, garantia e

pontualidade na entrega.

Área de atuação no setor industrial:

- MADEIREIRA

- LAMINADORAS

- AGROINDÚSTRIA

- ALIMENTÍCIA

- CELULOSE

- METALÚRGICA

- MINERAÇÃO

- NAVAL

compra, venda e troca de motores elétricos novos ou usados

Motores WEG W22 PLUS, nas potências de 30, 50 e 75 cv garantimos o melhor preço do mercardo

fabricamos hélices de acordo com a necessidade do cliente

Hélice para estufas de madeira

Hélice para tunel de secagem

Hélice para secadores de lâminas

Rotores para exaustores Hélices para mineração e silos Hélices para resfriadores

ATENDEMOS TODO BRASIL • TRABALHAMOS COM FABRICAÇÃO, REFORMA E BALANCEAMENTO

(49) 3241-2537 (47) 99638-5298 www.eletroizidoro.com.br

Rod. BR 470 - KM 250 | Distrito Industrial | Curitibanos | SC


FRASES

“ESTÁVAMOS PREVENDO UM ANO MELHOR EM 2020, EM QUE REALMENTE

A GENTE PUDESSE FAZER UM PLANEJAMENTO E TALVEZ ATÉ VOLTAR A

TER INVESTIMENTO NA INDÚSTRIA. CLARO, NINGUÉM AQUI E NO MUNDO

ESPERAVA A SITUAÇÃO COM QUE NOS DEPARAMOS, EM RELAÇÃO A ESSA CRISE

DO CORONAVÍRUS. E ISSO JOGA A INDÚSTRIA A UMA SITUAÇÃO DE RETRAÇÃO

POR CAUSA DA PROTEÇÃO DA SAÚDE. PRIMEIRO, O ISOLAMENTO DA GRANDE

MAIORIA, E AGORA A VOLTA DA ATIVIDADE ECONÔMICA, MAS DE FORMA

MUITO GRADUAL. A EXPECTATIVA PARA O ANO, EM MEIO À INCERTEZA QUE

VIVEMOS, É DE QUE TEREMOS DE TRANSFORMAR NOSSOS CUSTOS E OTIMIZAR

OS PRODUTOS, POR QUE O MERCADO NÃO SERÁ O MESMO”

CARLOS VALTER MARTINS PEDRO, PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DAS

INDÚSTRIAS DO PARANÁ, SOBRE OS IMPACTOS DA PANDEMIA

“O

MOMENTO

DE SALVAR

AS EMPRESAS

É AGORA. SE

ESPERAR ATÉ

CHEGAREM A UM

ESTÁGIO TERMINAL,

SERÁ SEM VOLTA.

ISSO VAI DESENCADEAR

O AGRAVAMENTO DA

SITUAÇÃO, COM MAIS

DESEMPREGO, DIMINUIÇÃO

DE IMPOSTOS PAGOS.

AS EMPRESAS PRECISAM

DE CAPITAL DE GIRO E

FINANCIAMENTO, MAS HÁ

MUITA DIFICULDADE. PODE, SIM,

TER EMPRESAS QUE NÃO VÃO

SOBREVIVER”

ROBSON BRAGA

DE ANDRADE,

PRESIDENTE DA CNI

(CONFEDERAÇÃO

BRASILEIRA DA

INDÚSTRIA), SOBRE

MEDIDAS PARA

PRESERVAR A

OPERAÇÃO DAS

EMPRESAS ANTES

QUE ELAS FECHEM

AS PORTAS

22 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020

“TODOS TÊM A GANHAR COM A VOLTA RESPONSÁVEL AO

SERVIÇO. O QUE EU DIGO AOS SENHORES GOVERNADORES,

RESPEITOSAMENTE, OS SENHORES QUE DECIDEM, EU APENAS

ESTOU MANDANDO BILHÕES AOS SENHORES, O ESTADO QUE

TIVER UM PLANO DE ABERTURA RADICAL, OBRIGANDO A

MÁSCARA, SEM MULTA, NO CONVENCIMENTO, VAI SER UM

GOVERNADOR RECONHECIDO, PORQUE A ANSIEDADE POR

PARTE DA POPULAÇÃO ESTÁ ENORME. ESTAMOS TORNANDO OS

POBRES MISERÁVEIS”

JAIR BOLSONARO, PRESIDENTE DO BRASIL, SOBRE A RETOMADA DAS ATIVIDADES NO PAÍS

Foto: divulgação

“AS EMPRESAS PERDEM O FATURAMENTO,

PERDEM LIQUIDEZ, E PASSAM A LANÇAR MÃO

DO SEU DIREITO CREDITÓRIO EFETUANDO

AS COMPENSAÇÕES TRIBUTÁRIAS. ESSES

DIREITOS FORAM ADQUIRIDOS NO

PASSADO, AS EMPRESAS TÊM ISSO NA SUA

CONTABILIDADE E PODEM UTILIZAR NO

MOMENTO EM QUE FOR OPORTUNO. COM O

ADVENTO DAS MEDIDAS DE ISOLAMENTO

SOCIAL, QUEDA NA ATIVIDADE ECONÔMICA,

NOS FATURAMENTOS, AS EMPRESAS

PASSARAM A UTILIZAR MAIS O RECURSO DAS

COMPENSAÇÕES”

CLAUDEMIR MALAQUIAS, CHEFE DO CENTRO

DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS DA

RECEITA FEDERAL, SOBRE O CRESCIMENTO DAS

COMPENSAÇÕES TRIBUTÁRIAS DURANTE A PANDEMIA


ENTREVISTA

REDUZIR

OS IMPACTOS

REDUCE

THE IMPACTS

C

om as incertezas geradas pela pandemia do novo coronavírus,

a indústria brasileira precisará ser protegida

a médio prazo. Além disso, negócios, empregos e a

renda básica da população também serão impactados

após o fim dessa crise. Um governo ciente de seu

papel e com olhar atento à economia nacional é o que defende

Monica de Bolle, professora e economista, diante dos atuais e

iminentes efeitos do Covid-19 sobre a economia brasileira. Pesquisadora-sênior

do Peterson Institute for International Economics

e diretora do Programa de Estudos Latino-Americanos da

Johns Hopkins University (EUA), de Bolle, defende a tese de que

a crise atual não tem precedentes e será pior que o crash de 1929

da bolsa americana. Confira:

ENTREVISTA

W

ith the uncertainties generated by the pandemic

of the noval coronavirus, Brazilian industry will

need to be protected in the medium term. Also,

businesses, jobs, and the basic income of the

population will be impacted after the end of this

crisis. A government aware of its role and with a close eye on the

national economy is what Monica de Bolle, Professor and Economist,

defends, given the current and imminent effects of Covid-19 on the

Brazilian economy. Senior Fellow at the Peterson Institute for International

Economics and Director of the Latin American Studies Program

at Johns Hopkins University (USA), de Bolle defends the thesis that

the current crisis is unprecedented and will be worse than the 1929

crash of the U.S. stock exchange. Check out below:

MONICA DE BOLLE

FORMAÇÃO PROFISSIONAL: ECONOMISTA, PELA LONDON

SCHOOL OF ECONOMICS

CARGO: PESQUISADORA-SÊNIOR DO PETERSON INSTITUTE

FOR INTERNATIONAL ECONOMICS E DIRETORA DO

PROGRAMA DE ESTUDOS LATINO AMERICANOS DA JOHNS

HOPKINS UNIVERSITY

Foto: divulgação

PROFESSIONAL EDUCATION: PHD. IN ECONOMICS, LONDON

SCHOOL OF ECONOMICS

FUNCTION: SENIOR FELLOW AT THE PETERSON INSTITUTE FOR

INTERNATIONAL ECONOMICS AND DIRECTOR OF LATIN AMERICAN

STUDIES AT JOHNS HOPKINS UNIVERSITY

24 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS ECONÔMI-

CAS DA PANDEMIA?

A parada súbita tem um impacto forte na economia.

Alguns setores sofrem mais, mas todos sentem

os efeitos. Criou-se um vácuo entre empresas e consumidores,

em toda a economia.

COMO O GOVERNO PODE REDUZIR OS IM-

PACTOS?

A função do governo é suprir o vácuo e fazer o

papel, de certa forma, de sustentação da economia.

Os países ocidentais demoraram para entendê-la,

vendo-a como passageira. Para entender a duração, é

preciso compreender a doença e a trajetória do vírus.

A saída virá pela ciência, por uma vacina, por exemplo.

Portanto, será uma crise longeva. É certo que

outros vírus virão, mais ou menos graves. Há décadas

epidemiologistas desenham quadros de pandemias

globais.

ATÉ MARÇO, 79% DAS INDÚSTRIAS BRASILEI-

RAS SOFRERAM REDUÇÃO DE PEDIDOS E 41%

INTERROMPERAM A PRODUÇÃO. O QUE É PRE-

CISO FAZER?

Não tem como o governo não intervir. Uma interrupção

de mais de 40% na produção industrial é uma

situação absolutamente dramática, que leva à falta de

suprimento. O governo precisa agir. Há várias formas,

como dar mais acesso a capital de giro, auxiliar em

folha de pagamento, entre outras ações. O governo

tem que atuar para preservar o parque industrial nacional.

Senão vai acabar tudo.

QUE MEDIDAS CONCRETAS PODERIAM SER

TOMADAS?

Nos EUA (Estados Unidos da América), no Reino

Unido e na Europa há auxílios não só dos bancos

centrais, mas também do tesouro. No caso brasileiro,

a gente conta com algo que outros países não têm

(como nos EUA), que são os bancos públicos. Nós

temos o potencial de usá-los para ajudar a indústria,

como prover novas linhas de crédito e, eventualmente,

até oferecer um pouco de subsídio para aliviar dívidas.

Mas falta uma coordenação entre o Ministério

da Economia, o Banco Central e os bancos públicos.

Tem muita coisa que o Brasil pode fazer e tem capacidade

para isso. Para evitar demissões, é necessário

pagar uma parte da folha de salários, como fazem o

Reino Unido e a Alemanha com a condição de não

demitir.

COMO REDUZIR O CUSTO BRASIL NO PÓS-

-CRISE?

Serão necessárias muitas reformas. A reforma tributária,

evidentemente, ficou urgente nesse cenário.

Eu tenho defendido a inversão da pirâmide tributária

brasileira – que hoje onera excessivamente consumo

WHAT ARE THE ECONOMIC CONSEQUENCES

OF THE PANDEMIC?

The sudden shutdown has a substantial impact

on the economy. Some sectors suffer the most, but

everyone feels the effects. A vacuum has been created

between businesses and consumers throughout the

economy.

HOW CAN THE GOVERNMENT REDUCE THE

IMPACTS?

The Government’s role is to fill the vacuum and, in a

way, play the role of supporting the economy. Western

countries were slow to understand this, seeing their

role as an observer. To understand the duration, it is

necessary to understand the disease and the trajectory

of the virus. The way out will come from science, by a

vaccine, for example. However, it’s going to be a lengthy

crisis. It is certain that other viruses will come, more

or less severe. For decades epidemiologists have been

designing pictures of global pandemics.

BY MARCH, 79% OF BRAZILIAN INDUSTRIES

HAD REDUCED ORDERS, AND 41% DISCONTI-

NUED PRODUCTION. WHAT NEEDS TO BE DONE?

There is no way the Government can’t intervene.

An interruption of more than 40% in industrial production

is an extremely dramatic situation, which leads to

a lack of supply. The Government needs to act. There

are several ways, such as giving more access to working

capital and assisting in making payroll, among other

actions. The Government has to act to preserve the

national industrial park. Otherwise, it is soon going to

be all over.

WHAT CONCRETE STEPS COULD BE TAKEN?

In the United States, the United Kingdom, and

Europe, there is aid not only from central banks but

also from the treasury. In the Brazilian case, we have

something that other countries do not have (such as

the United States doesn’t have), which is public banks.

We have the potential to use them to help industry, to

UMA INTERRUPÇÃO DE MAIS

DE 40% NA PRODUÇÃO

INDUSTRIAL É UMA SITUAÇÃO

ABSOLUTAMENTE DRAMÁTICA, QUE

LEVA À FALTA DE SUPRIMENTO

JUNHO 2020 25


26 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


Patrocinadores:

SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS

www

revistareferencia.com.br

/referenciamadeira

comercial@revistareferencia.com.br


PRINCIPAL

ENERGIA

PARA

Fotos: divulgação

MUDAR

PROJETOS ÚNICOS E

SOLUÇÕES COMPLETAS

PARA SUPRIR AS

NECESSIDADES E

EXPECTATIVAS DO

SEU NEGÓCIO

28 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


ENERGIE ZU ÄNDERN:

ENERGIA PARA MUDAR.

ESSE É O PROPÓSITO DA

XH MAR BETHLEHEM

E

quipamentos fabricados com o objetivo de

gerar produtividade, eficiência e segurança

em todos os processos industriais. Assim é a

produção da XH MAR BETHLEHEM, localizada

em Laurentino, na região catarinense do

Alto Vale do Itajaí, que tem em seu catálogo

eficientes máquinas de pequeno e médio porte para

geração de energia térmica. Proximidade e qualidade

de atendimento, respeito aos prazos, agilidade e satisfação

do cliente também são priorizados pela empresa.

O diretor administrativo da XH MAR, Estêvan Klock

Chiarelli explica que o grande diferencial da companhia

é garantir que o equipamento atenda perfeitamente

às necessidades e expectativas do cliente. Caso seja

necessário, são realizadas, inclusive, adaptações que

fujam do padrão. “Cada projeto desenvolvido por nós

é único. Ouvimos o cliente, entendemos suas necessidades

e, a partir disso, fabricamos equipamentos

completos para garantir a entrega de uma solução

confiável e eficiente”, afirma.

JUNHO 2020 29


30 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


JUNHO 2020 31


32 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


JUNHO 2020 33


INFRAESTRUTURA

LUTA

POR ENERGIA

Fotos: divulgação

34 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


SETOR INDUSTRIAL PLEITEIA TARIFAS MENORES

PARA RECUPERAR PROTAGONISMO

JUNHO 2020 35


INFRAESTRUTURA

O

presidente da Abit (Associação Brasileira

da Indústria Têxtil e de Confecção),

Fernando Pimentel, fez um apelo ao

governo e a Aneel (Agência Nacional de

Energia Elétrica), para reduzir o custo da

energia elétrica do setor industrial, durante o período

de pandemia. Ele defendeu que o pagamento seja

sobre a energia consumida, e não sobre a demanda

contratada, com possibilidade de compensações

após a crise.

“Estamos tendo desligamento de energia de

fábricas e nada aconteceu que pudesse atenuar a

situação das empresas consumidoras de energia. As

empresas estão tendo que pagar uma demanda que

não tiveram que consumir sob o risco de ter a energia

desligada”, pontuou Fernando Pimentel, que também

integra a diretoria da CNI (Confederação Nacional

da Indústria).

Pimentel destacou ainda que somente as empresas

que compram no mercado livre de energia estão

conseguindo negociar, mas lembrou que a grande

maioria está refém das distribuidoras, que, segundo

ele, não estão se mostrando dispostas a negociar.

“A energia vem sendo um custo muito crítico para a

indústria. Dentro desse contexto, há um desespero

enorme. Esta é a verdade do mundo real, daquela

indústria que está sem demanda ou com pouca demanda

durante a pandemia”, defende.

Segundo o presidente da Abit, o setor industrial

precisa, com urgência, que o setor público adote

medidas para atenuar o peso da energia sobre os

segmentos para, assim, atravessar a crise e retomar

a produção. “Ninguém quer dinheiro jogado de helicóptero.

Mas precisamos de fôlego para religar o

processo produtivo. O setor não quer favor, quer respirar

para atravessar o deserto”, afirmou.

Para Fernando Pimentel, a inovação será um dos

fatores essenciais para empresas sobreviverem e preservarem

empregos. Segundo ele, muitas indústrias

anteciparam planejamentos que tinham o horizonte

de três anos e implementaram soluções inovadoras

em três meses. “É hora de ousar em propostas. É um

momento oportuno de avançarmos com proposições

ousadas, já que uma crise como essa, com grandes

perdas, também nos traz boas lições”, frisou.

REDUÇÃO DE ENCARGOS

O presidente da Abrace, Paulo Pedrosa, alertou

que, antes mesmo da pandemia do novo coronavírus,

a normalidade do país era de energia barata e conta

cara, em razão de impostos, encargos e distorções.

Pedrosa defendeu a redução ou a extinção de encar-

36 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


www.picoloto.ind.br

GUILHOTINA

ROTATIVA

SÉRIE GR

• Rolo de corte revestido com PU de alta

densidade e grande rigidez otimizando o corte

em bitolas finas e aumentando a vida útil do

revestimento

• Rolo de corte com regulagem de altura

• Conjunto de polias pressoras

na entrada com cilindros

pneumáticos

• Acionamento do porta facas

via servo motor com precisão

de posicionamento

• Operação e controle de corte

via Painel IHM touch screen

•Qualidade com alta tecnologia

Velocidade de cortes

de até 180m/min

(49) 3567-0818

Av. Fahdo Thomé, 2010

Bom Jesus, Caçador - SC


MARCENARIA

38 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


HORA DE

MODERNIZAR

COM OS POSSÍVEIS IMPACTOS DA PANDEMIA, PEQUENOS NEGÓCIOS

DEVERÃO BUSCAR MODERNIZAÇÃO PARA CONTINUAR COMPETITIVOS

Fotos: divulgação

JUNHO 2020 39


MARCENARIA

S

e, em condições normais, já não era fácil competir

com as gigantes empresas de produção

de móveis em grande escala, o momento vivido

pela indústria durante e após a pandemia

do novo coronavírus será um dos maiores desafios

para as marcenarias brasileiras nos próximos anos.

Para vencer a crise e se diferenciar no mercado, os

pequenos e médios negócios deverão buscar na modernização

de tarefas e operações o segredo para continuarem

vivos no mercado. Uma das primeiras etapas para

conseguir esse objetivo é eliminar o máximo de gargalos

e desperdícios de produção em sua oficina.

Segundo o marceneiro Leandro Nilsen, proprietário

da Nielsen Móveis Planejados, a falta de assertividade

em encontrar possíveis perdas de recursos ainda é um

dos grandes desafios para aqueles que estão iniciando

no ramo da marcenaria.

“Acredito que não há nada mais perigoso para uma

empresa do que efetuar gastos desnecessários quase

que diariamente, e não falo somente de dinheiro. Esses

desperdícios acontecem desde a hora de planejar o

projeto, a inexperiência em realizar orçamentos, a perda

de matéria-prima na hora do corte ou até mesmo o desperdício

na movimentação de peças pode acarretar”,

explica o empresário.

Nielsen também relata que, em média, 30% do valor

de um projeto de marcenaria vai pelo ralo, devido a problemas

que estão ou não ao alcance do empresário. “Se

essa é a questão, não adianta vender mais, querer fazer

mais caixa, se existe um buraco no caixa que consome

um valor considerável”, analisa.

Outro ponto que deve ser considerado na hora de

revisar os processos de sua marcenaria é o prazo de

entrega dos móveis. Leandro Nielsen afirma que esse

é o próximo passo, após detectar gargalos produtivos.

“Diminuir o tempo de entrega de um móvel só é possível

por meio da sistematização do que é feito dentro da

marcenaria. Trocando em miúdos, o profissional deverá

realizar apenas o que é necessário, de forma ordenada,

para que no final o tempo da produção seja significativamente

mais curto”, acrescenta.

O terceiro passo dessa mini revolução em seu negó-

EM MÉDIA, 30% DO

VALOR DE UM PROJETO

DE MARCENARIA É DESPERDIÇADO

DEVIDO A PROBLEMAS QUE ESTÃO

AO ALCANCE DO EMPRESÁRIO

40 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


GUILHOTINA ROTATIVA

PARA LÂMINAS

Para capas acima de 600mm velocidade

de corte de até 200m/min

Para defeitos de até 100mm velocidade

de corte até 60m/min

A EXPERIÊNCIA E

QUALIDADE QUE ATENDE

A SUA NECESSIDADE

(49) 3244-2535

www.maqdudi.com

- Sistema de corte por servo motor;

- Rotor porta facas com 04 facas;

- Conjunto de polias preensoras da

entrada para estiramento da lâmina;

- Sistema eletrônico de controle do servo

motor da mais alta tecnologia;

- Sistema de monitoramento de velocidade

e comprimento da capa por encoder;

- Melhor aproveitamento de capa

cortando retalhos de até 90mm.

JUNHO 2020 41


MERCADO

CERTIFICAÇÃO

DE QUALIDADE

Fotos: divulgação

42 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


PARA GARANTIR PADRONIZAÇÃO

E ATENDIMENTO ÀS NORMAS

TÉCNICAS, PRODUÇÃO DE PORTAS

PASSA POR UM PROCESSO

RIGOROSO DE CONTROLE

JUNHO 2020 43


MERCADO

C

ertificar a porta de madeira começa com

um trabalho interno de organização da

fábrica. São requisitos exigidos pela norma

Abnt NBR 15930, que trata das portas de

madeira para edificações. Assim, antes

mesmo dos produtos serem testados em laboratórios,

as empresas certificadas e participantes do PSQ-PME

(Programa Setorial da Qualidade de Portas de Madeira

para Edificações), submetem o sistema de gestão da

qualidade das indústrias a uma série de critérios técnicos,

que são verificados por meio de auditorias.

Por meio do sistema, a empresa precisa manter um

controle de todos os documentos necessários para a fabricação

do produto, comprovando sua validade e aplicabilidade.

Esses documentos devem estar atualizados,

disponíveis na última revisão aprovada; e controlados,

evitando o uso de documentos obsoletos. Além do controle

de documentos, a empresa deve manter um registro

dos controles e testes que influenciam a qualidade

do produto.

Outra medida necessária para validar o sistema de

gestão passa pelo treinamento dos profissionais que

fabricam a porta. Assim, cada fabricante determina as

competências necessárias da equipe para execução das

tarefas internas e oferece treinamento específico, garantindo

a qualidade do produto.

QUALIDADE DESDE A ORIGEM

Para assegurar a qualidade do produto certificado,

a empresa deve manter um controle para a aquisição

das matérias-primas e insumos que serão usados no

processo de fabricação. Por meio de uma verificação

desses produtos, o fabricante avalia no lote recebido,

por exemplo, qualidade, características e dimensões dos

materiais e as propriedades físicas e químicas dos insumos

utilizados. Somente após todos os critérios técnicos

serem atendidos, o produto é liberado para ser utilizado

no processo de produção da porta de madeira.

Com o objetivo de assegurar que somente materiais

que atendem aos requisitos de qualidade sejam utilizados

no processo de fabricação da porta de madeira, e

facilitar a análise de eventuais falhas ou reclamações por

parte dos clientes, todos os produtos certificados são

rastreados. Assim, é possível traçar e investigar o processo

do produto desde a sua origem até a expedição.

A verificação do produto é feita durante e após a

fabricação, garantindo que as características exigidas

estão sendo atendidas. Com isso, portas de madeira

fora da especificação são corrigidas e apenas liberadas

quando atender aos requisitos exigidos. Na eventual

ocorrência de alguma falha, a organização e o controle

de todo o processo facilitam a correção. Por meio do

procedimento de ação corretiva é possível investigar e

44 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


FORÇA

além

QUE VAI

No período de 20/05/20 a 30/08/20

você adquire aqui na Dallabona Máquinas,

produtos de qualidade com excelentes

oportunidades de negociação. Entre em

contato conosco. Vamos buscar soluções!

Nós estamos sempre na busca da excelência

em nossos produtos. Converse com nossa

equipe para saber mais!

47 3382.1188 47 99200.1188

www.dallabona.com.br

JUNHO 2020 45


MADEIRA TRATADA

REFORMA

SUSTENTÁVEL

Fotos: divulgação

TORRES (RS) DECIDIU

INVESTIR NA REFORMA DE

SEUS CARTÕES-POSTAIS

MAIS FAMOSOS E USOU

A MADEIRA COMO

PROTAGONISTA

C

om objetivo de fortalecer ainda mais o mercado

de turismo, a prefeitura do município

de Torres, localizado no extremo norte do

litoral do Rio Grande do Sul, iniciou seu

plano de revitalização de seus mais famosos

pontos turísticos.

No primeiro semestre de 2020, foi a vez do pórtico

do principal cartão-postal da cidade, o Parque Estadual

da Guarita, obra reivindicada por moradores e visitantes

há alguns anos. O evento de inauguração contou com a

presença do prefeito Carlos Souza, de inúmeros vereadores

e também de empresários e moradores da região,

que comemoraram a iniciativa.

“Era um pedido da sociedade de Torres há algum

tempo. Além de ser uma região muito visitada por suas

praias e belezas naturais, nós precisávamos de uma

reforma no Parque da Guarita, que atrai muitos turistas

e também faz com que os comércios próximos tenham

grande arrecadação”, afirmou a presidente do Sindicato

dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, Ivone Ferraz.

Com investimento de R$ 152.737,00, oriundo de recursos

próprios do Parque da Guarita, a obra do pórtico

foi licitada por meio de um pregão eletrônico. A execução

foi realizada pela equipe técnica da Secretaria de

Planejamento e Participação Cidadã.

46 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


JORDAN NATURELINE

PROTEÇÃO ECOLOGICAMENTE CORRETA

PARA MADEIRAS E MEIO AMBIENTE

NATURELINE o meio ambiente agradece!

Primeiro protetivo para madeira de exteriores e interiores que protege

as superfícies de madeira e o meio ambiente.

Sistema base d’água, sem emissões de poluentes nem solventes

Puramente mineral

Não inflamável e resistente a lixiviação

Proteção contra a ação de pestes para animais e plantas

Compatível para contato com animais e solo

Produtos e soluções para madeira

JORDAN Lacke – uma marca de PLANTAG Coatings GmbH

www.plantag.de

Plantag do Brasil Ltda

Tel 041 3679 1478

JUNHO 2020 47


ARTIGO

GRIDSHELL EM MADEIRA:

ASPECTOS TEÓRICOS E

CONSTRUTIVOS

Fotos: divulgação

JULIO CESAR MOLINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA ITAPEVA

CARLITO CALIL NETO

REWOOD - SOLUÇÕES ESTRUTURAIS EM MADEIRA LAMINADA COLADA

ANDERSON DIEGO DA FÉ

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA ITAPEVA

ULYSSES MARTINS FREITAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA ITAPEVA

48 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


JUNHO 2020 49


ARTIGO

RESUMO

s gridshells são estruturas leves, que

Apermitem a obtenção de grandes vãos

livres, além de uma ampla variedade

de formas arquitetônicas. No entanto,

no Brasil, não existem registros da

construção desse tipo de estrutura (em

caráter permanente) nem muitas informações bibliográficas

sobre o seu comportamento estrutural.

Neste manuscrito, são apresentados os principais

aspectos teóricos, como também os detalhes de

projeto e de construção de uma gridshell, construída

em madeira, em escala real.

Os custos de construção também foram relacionados

neste caso. Na confecção da estrutura

utilizou-se uma configuração de malha quadrangular

plana, formada por ripas duplas de madeira de

Lyptus (Classe D40), unidas ortogonalmente entre

si por parafusos com diâmetro de 6,35 mm (milímetros).

A malha plana (com dimensões totais de

9m x 9m [metros]) foi deformada até a obtenção

da forma curva desejada e, posteriormente, travada

por contraventamentos diagonais.

A bagagem de conhecimento adquirida como

resultado dessa aplicação prática levou a um

aperfeiçoamento significativo da ideia de projeto

inicial, relacionada ao controle da forma da estrutura

durante as fases de montagem e à otimização

das estratégias executivas. As recomendações de

construção aqui apresentadas enriquecerão a literatura

nacional sobre o assunto tendo-se em vista

a carência de textos dessa natureza.

INTRODUÇÃO

Gridshells são estruturas tridimensionais, não

planas, que se assemelham às cúpulas geodésicas,

mas que permitem maior liberdade de curvatura

de forma geral. Permitem formas cilíndricas, elípticas,

hiperbólicas, entre outras (Ghiyasinasab;

Lehoux; Ménard, 2017) e, sobretudo, a cobertura

de grandes áreas sem a necessidade de apoios intermediários,

tirando maior proveito do comportamento

estrutural tridimensional para atingir metas

arquitetônicas. Quando a forma geométrica curva

da gridshell é obtida por meio do envergamento

dos seus elementos retilíneos, tem-se uma classificação

referente ao processo construtivo denominada

“pós-formada”. Se a forma curva da gridshell

é obtida a partir do uso de peças pré-fabricadas, a

estrutura é classificada como “pré-formada” (Caffarello;

Mascia; Basaglia, 2016).

A madeira consiste em uma excelente opção

de material para a construção das gridshells (Kuns;

Prauchner, 2015). Dentre as vantagens da madeira

para esse tipo de estrutura está a leveza (peso

próprio entre 70 N/m 2 e 20 N/m 2 (Mesnil, 2013).

Dentre as espécies de madeiras brasileiras com

potencial para a construção das gridshells estão as

madeiras de reflorestamento como os pínus e os

eucaliptos.

A maioria das gridshells construídas até o

momento em outros países basicamente utiliza

madeiras do tipo coníferas. No caso das gridshells,

tem-se basicamente uma estrutura reticulada

50 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


JUNHO 2020 51


52 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


ESTUFAS PARA TRATAMENTO FITOSSANITÁRIO HT

Tratamento para pallet

estufa para secagem

e tratamento

Estufas de

tratamento a Gás

Estufas contêiner

Unidade

Móvel

equipamentos

atendem

NIMF 15

Fone: (47) 3562-0016

Rua Rui Barbosa, 260, Centro

Taió - Santa Catarina

www.contraco.com.br

vendas@contraco.com.br

JUNHO 2020 53


54 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


23

• Engenharia de Aplicação

• MANUTENÇÃO DE Válvulas Industriais

• Calibração de

Válvulas de Segurança

Quem achar que a segurança custa caro,

que experimente um acidente

(41) 3245-0833 (41) 3239-6400

(41) 98527-8204



JUNHO 2020 55


AGENDA

AGENDA

2020/2021

SETEMBRO

17 A 20

FERIA FORESTAL ARGENTINA

LOCAL: POSADAS (ARGENTINA)

WWW.FERIAFORESTAL.COM.AR/

OUTUBRO

3 A 6

FEDEMA - FERIA

INTERNACIONAL DEL MUEBLE

Y LA MADERA

LOCAL: HANNOVER (ALEMANHA)

WWW.ZOW.DE/ZOW/INDEX.PHP

SETEMBRO

15 A 18

FEIRA INTERNACIONAL

DE TECNOLOGIA E

PROCESSOS PARA

A INDÚSTRIA DE

EMBALAGENS2019

LOCAL: SÃO PAULO (SP)

WWW.ABIMAQ.ORG.BR/

DEZEMBRO

3 A 6

FLORESTAS UAI – ENCONTRO DA

INDÚSTRIA FLORESTAL DE MINAS GERAIS

CAIRO WOODSHOW

LOCAL: CAIRO (EGITO)

WWW.CAIROWOODSHOW.COM/

4 A 5 DE NOVEMBRO DE 2020

BELO HORIZONTE

WWW.MALINOVSKI.COM.BR/EVENTOS/

MARÇO

24 A 26

2021

EVENTO FOCADO NO SETOR FLORESTAL MINEIRO. O OBJETIVO É APRESENTAR

TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DA REGIÃO, COM O MAIOR PLANTIO DE EUCALIPTO

DO BRASIL, PARA FORTALECER E POTENCIALIZAR A CADEIA PRODUTIVA DA

MADEIRA NO ESTADO DE MINAS GERAIS ATRAVÉS DE INFORMAÇÃO E NETWORK

QUALIFICADO.

LIGNUM BRASIL 2021

LOCAL: PINHAIS (PARANÁ)

LIGNUMLATINAMERICA.COM/

JUNHO

8 A 11

2021

JULHO

5 A 8

2021

SETEMBRO

26 A 29

2021

FESQUA

LOCAL: SÃO PAULO

WWW.FESQUA.COM.BR/

EXPOLUX

LOCAL: SÃO PAULO (SP)

WWW.EXPOLUX.COM.BR/PT-BR.HTML

WOODMEX AND ASFI

LOCAL: BIRMINGHAM (INGLATERRA)

WWW.WEXHIBITION.CO.UK/

56 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


ESPAÇO ABERTO

A HIPÓTESE

DAS TRÊS CRISES

Ao colocar as pessoas em isolamento social,

a pandemia do coronavírus gerou uma

crise múltipla: parou parte do sistema produtivo,

fábricas e lojas fecharam, estabelecimentos

de serviços pessoais deixaram

de atender, o desemprego aumentou, e milhões de

profissionais autônomos perderam sua renda. O estrago

econômico nacional foi grande, a perda financeira das

famílias foi expressiva e os efeitos psicológicos do isolamento

e do empobrecimento econômico está aí, visível

para todos. Esta crise, porque ela ainda não acabou,

acendeu um debate novo sobre a previsão de crises

futuras.

A pergunta principal é: há alguma crise em formação

que não estamos vendo e que pode explodir em algum

momento do futuro? A pergunta pode parecer um pouco

ingênua, pois crises fazem parte da vida econômica,

social e política, logo, outras crises virão certamente.

Mas, a questão não é essa, e sim tentar ler a realidade

mundial e, por meio de informações e estudos, captar

sinais que ajudem a prever determinada crise de uma

ou outra natureza. Para entrar no debate, penso em três

crises possíveis.

A primeira, por óbvio, é a crise econômica pós-coronavírus.

Que o produto mundial vai cair é algo que todos

sabemos. Se o produto cai e a população aumenta,

o produto por habitante – que é a versão real da renda

per capita – declina, em uns países mais e em outros,

menos. Nem a taxa de redução da renda por habitante

será igual em todos os lugares nem o empobrecimento

terá o mesmo significado. Uma coisa é a queda de 20%

na renda per capita da Dinamarca, que hoje está em

US$ 61 mil por ano, outra coisa é essa mesma queda no

Brasil, cuja renda anual por habitante não chegou aos

US$ 11 mil.

A segunda crise, e essa é mais estrutural, é o aumento

do número de pessoas desocupadas. É a crise do

desemprego, que pode criar aquilo que o escritor Yuval

Harari (1976-) chamou de uma “enorme classe sem utilidade”.

Além do desemprego causado pelos efeitos da

pandemia do coronavírus, o mundo caminha para outro

tipo de desemprego com o qual ainda não sabe como

lidar. Trata-se do seguinte: nas revoluções tecnológicas

do passado, as máquinas competiam com o ser humano

em habilidades físicas, mas agora, na quarta revolução

POR

JOSÉ PIO MARTINS

ECONOMISTA,

E REITOR DA

UNIVERSIDADE

POSITIVO

tecnológica, as máquinas e os robôs vão competir com

o ser humano em habilidades cognitivas, e milhões de

pessoas perderão seu emprego.

A terceira crise, se houver, fará parte das grandes

catástrofes financeiras. Será a crise dos derivativos. Em

2008-2009 o mundo viu explodir uma grave crise financeira,

cujos efeitos foram devastadores. Essa crise não

explodiu do nada em 2008. Suas causas foram plantadas

e desenvolvidas durante pelo menos os 20 anos anteriores.

Porém, praticamente ninguém não a previu. Uns

poucos especialistas tentaram alertar sobre a formação

da onda que estava vindo em nossa direção. Mas não

foram ouvidos.

Atualmente, há uma onda em formação que pode

terminar em uma crise financeira de grandes proporções.

Trata-se das operações de derivativos (contratos

futuros mercantis e financeiros, derivativos de commodities,

ações, títulos de crédito, juros, câmbio, moedas

etc.). Segundo algumas estimativas, o total de operações

com derivativos chega a ser igual ao valor do produto

bruto mundial, que é de US$ 135 trilhões, multiplicado

por seis.

Derivativos são instrumentos financeiros de proteção

e especulação que ajudam a incentivar a economia mundial

e dar liquidez a ativos representados por bens, direitos

ou obrigações. Não são operações maléficas nem

ilegais. O problema dos derivativos é que são soluções

novas, cujas regras ainda não foram testadas suficientemente.

Isso pode representar a maior bolha financeira

da história.

Se essas crises vão ocorrer ou não, é difícil saber.

Mas há sinais que merecem ser observados e estudados,

pois eles podem representar elos de uma rede que vai

estourar lá na frente, com todos seus efeitos danosos.

Foto: divulgação

58 referenciaindustrial.com.br JUNHO 2020


as máquinas mais robustas

do setor madeireiro!

50 anos

Máquinas

Águia

linha completa

de serrarias

São José dos Pinhais

Av. Rui Barbosa, 3880 – Afonso Pena

São José dos Pinhais – PR

(41) 3382-3100 www.maquinasaguia.com.br

More magazines by this user
Similar magazines