BP 784 - MARÇO 2020

presbiteriana

Brasil

Presbiteriano

O Jornal Brasil Presbiteriano é órgão oficial

da Igreja Presbiteriana do Brasil

Ano 61 nº 784 – Março de 2020

Mackenzie: Luz nas Trevas

Semana de Orientação da APMT

No momento do trote dos estudantes, Chancelaria

e Capelania da Universidade Presbiteriana Mackenzie,

campus Higienópolis, agem com apoio e

evangelização. Página 7

Entre 3 e 7 de fevereiro, a APMT realizou a Semana de Orientação, indispensável na

preparação de novos obreiros transculturais. Páginas 10 e 11

64 anos de bênçãos Uma igreja que faz a diferença Vida devocional

em família

Organizada a 19 de fevereiro de 1956, a IP da Penha

completa 64 anos. Para celebrar, a igreja organizou culto

especial no dia 16 de fevereiro, com pregação do Rev.

Robinson Grangeiro Monteiro, Chanceler do Mackenzie.

Página 15

Com mais de 55 igrejas filhas e netas, a IP Unida de

São Paulo, SP, comemora 120 anos. Para celebrar, a

igreja preparou eventos especiais que tiveram início

em janeiro deste ano.

Página 14

Após cada salmo

e cada capítulo da

Escritura, a Bíblia

de Estudo Herança

Reformada apresenta

auxílios para a prática

devocional individual

ou familiar. Página 15


2

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

L

EDITORIAL

embro-me de me sentir

encurralado quando fiz

o Científico em minha adolescência.

Assíduo frequentador de

cultos domésticos e da escola

dominical desde o nascimento,

conhecia bastante

a Escritura, mas o confronto

a que fui submetido no

Colégio era algo inteiramente

novo para mim. Perguntas

novas e atrevidas me colocavam

na defesa, embora

não na dúvida. Abordagens

que não tinha visto na igreja

– fosse na escola dominical,

nos sermões dominicais

ou na Mocidade (não havia

ainda UPA).

Foi se desenvolvendo em

mim a firme convicção de

que os temas daqueles questionamentos

tinham de ser

trazidos para o programa

JORNAL BRASIL PRESBITERIANO

Faça sua assinatura e/ou presenteie seus familiares e amigos.

Nome

CPF

Igreja de que é membro

Endereço

Bairro

Cidade

Email

Mês inicial da assinatura

Formas de pagamento:

Grátis!

Uma assinatura para

pacotes de 10 ou mais

assinaturas.

Após efetuar o depósito, informá-lo pelo telefone (11) 3207-7099 ou email assinatura@cep.org.br

RG

Depósito bancário (anexar ao cupom o comprovante de depósito)

Banco do Brasil Banco Bradesco Banco Itaú

C/C 2093-1 C/C 80850-4 C/C 51880-3

Ag. 5853-X Ag. 0119-8 Ag. 0174

Cartão VISA Nº do cartão

Nome do titular

Pensando a fé

de ensino da igreja. Mais

do que saber as respostas,

deveríamos aprender a formular

perguntas. A firmeza

de nossa fé não depende

de termos todas as respostas

e abordar tais assuntos

não quer dizer que os vemos

como ameaça, mas pensamos

no desenvolvimento

dos que discipulamos.

Ouvem-se por aí perguntas

sobre temas que vão desde

o evolucionismo até – mais

recentemente – a infame

ideologia de gênero, mas

incluem a visão bíblica sobre

ecologia, etnias, envolvimento

cultural, político; sobre

ação social, distribuição de

recursos, convivência pluralista,

conceito contemporâneo

de tolerância, etc. Todos

esses assuntos nos interessam

porque, em harmonia

com a Cosmovisão cristã,

o cristianismo não é apenas

uma coisa religiosa, uma vez

que Deus é Soberano sobre

todas as esferas.

A Reforma do século 16 –

particularmente o calvinismo

– nasceu de olho no mundo à

sua volta com algo a dizer,

segundo a Escritura, a respeito

da realidade. Sua influência

foi notável na sociedade

como um todo. Daí o lema

da Genebra Reformada:

Post Tenebras, Lux. Luz

após as trevas. O resgate da

Escritura como Palavra de

Deus fez a diferença e ensejou

toda a diferença que a

Igreja Reformada fez.

Lamentável que os séculos

seguintes tenham visto

cristãos reformados distantes

da Reforma. Para muitos,

bastava afirmar as doutrinas

CEP

UF

Telefone

Quantidade de assinaturas

Validade

Código de segurança

certas. A fé ficou mumificada

como conteúdo para

o intelecto ou, na versão

“evangelical”, como uma

forma de religião (ou show

business), ou como assunto

para discussões nas redes

sociais, apenas.

A Igreja Reformada deve

continuar sempre se reformando,

não no sentido de

adotar novas bases, mas de

retornar às Escrituras – tal

como fez a Reforma do

século 16 – quando quer que

ocorra um afastamento. Por

exemplo, quando ignorar o

caldeirão em que está inserida

e os questionamentos à

sua volta.

Estaremos prontos para

dar uma resposta aos que nos

indagam sobre nossa esperança.

Temos de ensinar isso

aos nossos filhos.

Assinatura Anual – Envio mensal

• Individual (até 9 assinaturas):

R$ 27,00 cada assinatura.

Somente com depósito antecipado

ou cartão VISA.

• Coletiva (10 ou mais assinaturas):

R$ 24,00 cada assinatura.

Brasil

Presbiteriano

CUIDADOS PALIATIVOS

A Associação de Capelania na Saúde (ACS),

dirigida pela Capelã Hospitalar da IPB, Eleny

Vassão, elabora e oferece cursos especiais

para preparação de igrejas para o cuidado dos

que sofrem.

Página 12

O Jornal Brasil Presbiteriano é órgão oficial

da Igreja Presbiteriana do Brasil

Ano 58 nº 765 – Agosto de 2018

39ª Reunião Ordinária do Supremo Concílio

IP INDÍGENA NO AMAZONAS

Líderes de

igrejas indígenas

participam

de curso para

plantadores de

igrejas ministrado

em Manaus

pelos Revs.

Alcedir Sentalin

e Ronaldo

Lidório, autor do

livro Plantando

Igrejas da Editora

Cultura Cristã.

Página 6

A 39ª RO-SC

aconteceu entre

os dias 22 e 29

de julho de 2018

em Águas de

Lindoia (SP), estiveram

presentes

cerca de 1700

pessoas. A nova

Mesa do Supremo

Concílio da

IPB (2018 - 2022)

foi eleita durante

a reunião.

Páginas 10 e 11

MÃOS E CORAÇÃO

Treinamento voltado para capacitação ao

trabalho com crianças aconteceu em junho

em Cuiabá - MT, e contou com mais de

300 participantes de igrejas do Sínodo

Matogrossense.

LIBERDADE DE CONSCIÊNCIA – Qual o papel fundamental dos funcionários seculares: julgar crenças ou proteger a liberdade religiosa e seu livre exercício? Página 18

Página 17

Brasil

Presbiteriano

Ano 61, nº 784

Março de 2020

Rua Miguel Teles Júnior, 394

Cambuci, São Paulo – SP

CEP: 01540-040

Telefone:

(11) 3207-7099

E-mail: bp@ipb.org.br

assinatura@cep.org.br

Órgão Oficial da

www.ipb.org.br

Uma publicação do Conselho

de Educação Cristã e

Publicações

Conselho de Educação Cristã e

Publicações (CECEP)

Clodoaldo Waldemar Furlan (Presidente)

Domingos da Silva Dias (Vice-presidente)

José Romeu da Silva (Secretário)

Alexandre Henrique Moraes de Almeida

Anízio Alves Borges

Hermisten Maia Pereira da Costa

Misael Batista do Nascimento

Walcyr Gonçalves

Conselho Editorial do BP

Fevereiro 2020 a fevereiro 2022

Cláudio Marra (Presidente)

Anízio Alves Borges

Ciro Aimbiré Moraes Santos

Clodoaldo Waldemar Furlan

Hermisten Maia Pereira da Costa

Jailto Lima do Nascimento

Natsan Pinheiro Matias

EDITORA CULTURA CRISTÃ

Rua Miguel Teles Júnior, 394 – Cambuci

01540-040 – São Paulo – SP – Brasil

Fone (11) 3207-7099

www.editoraculturacrista.com.br

cep@cep.org.br

0800-0141963

Superintendente

Haveraldo Ferreira Vargas

Editor

Cláudio Antônio Batista Marra

Editores Assistentes

Eduardo Assis Gonçalves

Márcia Barbutti de Lima

Produtora

Mariana P. Anjos

Edição e textos

Gabriela Cesário

E-mail: bp@ipb.org.br

Diagramação

Aristides Neto

Impressão


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

3

TEOLOGIA E VIDA

O Senhor Altíssimo

U

Hermisten Costa

ma expressão usada

por vezes para se

referir a Deus é Altíssimo.

Deus está acima de todas

as coisas. Essa é uma

forma poética de dizer que

Deus é o Senhor soberano

sobre tudo. Ele não se confunde

com divindades tribais,

locais ou associadas

aos elementos da terra – tal

como, montanhas, fogo,

mares, etc. – criadas pela

imaginação humana.

Antes, ele é o Altíssimo

sobre todos os poderes e

sobre a criação, obras de

suas mãos. Ele antecede e

se distingue de sua criação.

Foi isso que assustou os

marinheiros diante do profeta

Jonas que se identificou

como alguém que teme

ao Senhor, criador de todas

as coisas: “Sou hebreu e

temo ao SENHOR, o Deus

do céu, que fez o mar e a

terra” (Jn 1.9; 1.16).

Nos salmos lemos: “Eu

[...] renderei graças ao

SENHOR, segundo a sua justiça,

e cantarei louvores ao

nome do SENHOR Altíssimo”

(Sl 7.17). “[...] o SENHOR

Altíssimo é tremendo, é o

grande rei de toda a terra”

(Sl 47.2).

Nos salmos 83 e 92

temos a combinação dos

nomes: SENHOR e Altíssimo,

enfatizando a sua realeza

sobre todas as coisas e

todos os deuses (Veja-se

Sl 97.9): “[...] reconhecerão

que só tu, cujo nome

é SENHOR, és o Altíssimo

sobre toda a terra” (Sl

83.18). “Tu, [...] SENHOR, és

o Altíssimo (alto, elevado)

eternamente” (Sl 92.8).

Na relação cultual com

Deus, é comum a ideia de

que o povo deve subir ao

templo. A questão não é

apenas topográfica, mas de

natureza essencial: Deus é

o Senhor altíssimo, perfeito

em toda a sua natureza

e relações; nós somos criaturas

dependentes de suas

misericórdias. Ele habita

o alto e o sublime. Davi

então ora: “A ti, SENHOR,

elevo a minha alma” (Sl

25.1).

Mesmo sabendo que as

armadilhas estão embaixo,

o salmista olha continuamente

para cima, porque

somente o Senhor o pode

livrar: “Os meus olhos se

elevam continuamente ao

SENHOR, pois ele me tirará

os pés do laço” (Sl 25.15).

O salmista tem certeza

de que o cuidado de Deus é

mais eficiente do que o seu

olhar fixo para as possíveis

armadilhas. De fato, a vida

cristã vai nos mostrando

aos poucos que Deus cuida

de nós muito além de nossa

percepção ou mesmo da

percepção dos perigos.

É uma tentação comum

racionalizar demais a nossa

vida, nos esquecendo de

que Deus cuida de nós

em todos os momentos e

circunstâncias. O nosso

Deus não nos é indiferente

e, também, não dorme

nem cochila (Sl 121.3-

4). O “turno” de Deus é

ininterrupto, de dia, de

noite e para sempre (Sl

121.5-6,8), ele cuida

integralmente de nós (Sl

121.5-7).

O Altíssimo é onipotente,

ainda que o ímpio não

creia. Até mesmo os servos

de Deus, em momento de

fraqueza diante de adversidades,

podem cair em um

ateísmo prático, negando o

seu poder.

Os arrogantes, em sua

visível e decantada prosperidade,

zombam de Deus.

Os fiéis, por sua vez, ainda

que por um momento, se

encantam com o sucesso

de seu caminho sem Deus.

Essa foi a experiência do

salmista ao se fascinar

com o visível progresso do

ímpio em meio à sua arrogância

e perceptível impunidade:

“[...] eu invejava os

arrogantes, ao ver a prosperidade

dos perversos. [...]

Motejam e falam maliciosamente;

da opressão falam

com altivez. Contra os céus

desandam a boca, e a sua

língua percorre a terra.

Por isso, o seu povo se

volta para eles e os tem por

fonte de que bebe a largos

sorvos. E diz: Como sabe

Deus? Acaso, há conhecimento

no Altíssimo? (Sl

73.3,8-11).

No salmo 97 temos um

convite a louvar o Senhor,

que é o Altíssimo sobre

“Ele é o Altíssimo

sobre todos os poderes

e sobre a criação,

obras de suas

mãos. Ele antecede

e se distingue de

sua criação”.

toda a criação e sobre todos

os deuses criados pelos

homens: “Reina o SENHOR.

Regozije-se a terra, alegrem-se

as muitas ilhas.

[...] Pois tu, SENHOR, és

o Altíssimo sobre toda a

terra; tu és sobremodo

elevado acima de todos os

deuses (Sl 97.1-9).

O Rev. Hermisten Maia Pereira

da Costa é pastor-auxiliar da 1ª

IP São Bernardo do Campo, São

Paulo, SP, ensina teologia no JMC,

é membro do CECEP, do Conselho

Editorial da Cultura Cristã e do Brasil

Presbiteriano.


4

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

TESTEMUNHO DA IGREJA

Igreja “O SENHOR está ali”

N

Djaik Neves

ão, não pretendo

fundar uma nova

denominação, só quero

demonstrar que, em sua

natureza e propósito, a

igreja deve ser o que reflete

a Palavra de Deus e este

título.

A ideia veio do último

versículo de Ezequiel.

Uma profecia nada fácil de

“digerir”, com uma enfática

mensagem da parte de

Deus, que é também uma

promessa. Por 32 vezes,

literalmente, Deus diz:

“E saberão que eu sou o

Senhor”. Especialmente

quanto aos demais povos,

Deus diz: “As nações saberão

que eu sou o Senhor que

santifico a Israel, quando o

meu santuário estiver para

sempre no meio deles”.

A conclusão do livro é um

eloquente chamado a refletirmos

na relação da igreja

com Deus e também em

seu testemunho ao mundo.

Logo após descrever em

detalhes o futuro templo

restaurado e os limites das

tribos de Israel, em uma

retomada da Terra Prometida,

o profeta encerra a

sua profecia dizendo que

“o nome da cidade, desde

aquele dia, será: O Senhor

está ali”.

A mensagem divina principal

através deste profeta

do exílio é que Deus se

daria a conhecer e manifestaria

a sua glória a todo

o mundo e isso aconteceria

através do seu próprio

povo, Israel (Igreja), ou,

mais precisamente, pela

presença de Deus em meio

ao seu povo, que tornaria

que a cidade ou o ajuntamento

do seu povo conhecido

como: “O SENHOR

está ali”.

A presença de Deus

em algum lugar ou com

alguém tem, pelo menos,

duas implicações de grande

alcance. A primeira implicação

é a da manifestação

da graça de Deus a favor

do lugar e das pessoas relacionadas

a ele. O pecado

comprometeu a relação do

homem com Deus e, espiritual,

moral e eticamente,

Deus está distante deste

mundo, visto que ele é luz

e não há nele treva alguma.

Isso significa que a presença

dele indica a sua graça.

A graça pode ser percebida

pelo próprio nome

pelo qual Deus se revela

no final de Ezequiel, como

quase em toda a Escritura,

YAHWEH, na maioria das

bíblias grafado em versalete

como aqui. Esse é o nome

que remete à aliança graciosa

de Deus com Abraão

(promessa) e Moisés (revelação

do nome da Aliança),

que vem ao encontro do

seu povo, providencia um

mediador, livra-os do pecado

e mal e passa a habitar

com eles.

A segunda implicação da

presença de Deus, ainda

mais evidente na expressão,

é justamente o testemunho

que a igreja dá dessa presença.

Já em Deuteronômio,

Moisés anima o povo

a guardar e cumprir a Lei

do Senhor, pois assim os

outros povos perceberiam

sua sabedoria superior e a

proximidade do seu Deus

(Dt 4.6-8).

Os primeiros discípulos

expressaram esse testemunho

da presença de Jesus

com eles de um modo inesquecível

quando, após a

ascensão do Mestre e derramamento

do Espírito,

foram perseguidos e presos,

mas os seus algozes

foram obrigados a reconhecer:

“estes homens estiveram

com Jesus” (At 4.13).

Em suas cartas, os apóstolos

Pedro e Paulo, também

deixam bem claro o

papel decisivo do testemunho

da igreja no plano de

Deus a fim de se tornar

conhecido e ser glorificado.

Pedro diz que o propósito

de Deus, ao fazer de pecadores

“raça eleita, nação

santa, povo de propriedade

exclusiva” dele, foi

torná-los anunciadores das

virtudes do próprio Deus

(1Pe 2.9). Escrevendo aos

efésios, Paulo também diz

que Deus pretendeu fazer

conhecida a este mundo a

sua “multiforme sabedoria”

através da igreja (Ef 3.10).

Mesmo que não mudemos

os nomes de nossas

igrejas, precisamos entender

que Deus planejou que

a sua Igreja fosse, neste

mundo, um testemunho da

sua natureza e de seu caráter,

além de uma retumbante

proclamação da graça

superabundante de Deus

em favor dos pecadores.

Rev. Djaik Souza Neves é

Presidente do Sínodo Centro-América

e do Presbitério de Várzea Grande,

esposo de Janeide, pai de Sofia e

João Marcos

NOTAS

Ação social em Salvador, BA

A IP de Cajazeiras (Salvador, BA) tem

abençoado muitas vidas através da distribuição

de peças de roupas.

A ação social começa nas redes sociais

da igreja, onde é solicitado que voluntários

doem roupas em bom estado e sem

uso, que posteriormente são lavadas e

passadas e disponibilizadas em um varal

às quartas feiras pela tarde (antes da reunião

de oração) em frente à igreja, onde

as senhoras da SAF se responsabilizam

pela entrega aos carentes da região.

Deus tem sustentado essa obra e a IP

de Cajazeiras vem recebendo um grande

número de peças de roupas de conhecidos

e desconhecidos.

Para mais informações, acompanhe

as redes sociais da IP de Cajazeiras

no Facebook e no Instagram (@

ipcajazeiras).

"O que devemos fazer

então?", perguntavam

as multidões. João

respondia: "Quem tem

duas túnicas dê uma a

quem não tem nenhuma;

e quem tem comida

faça o mesmo"

(Lc 3.10-11).

Igreja em festa

“[...] por mim se multiplicam

os teus dias, e anos de vida

se te acrescentarão” (Pv 9.11).

A IP de Castanhal, no Pará, juntamente

com a Sociedade Auxiliadora

Feminina (SAF), realizou no dia 07

de setembro de 2019 uma celebração

especial pelos 34 anos de vida do Rev.

André Parize.


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

5

GOTAS DE ESPERANÇA

A segunda vinda de Cristo, o pináculo da nossa esperança

A

Hernandes Dias Lopes

segunda vinda de

Cristo será o acontecimento

mais auspicioso

da História. Ele virá para

julgar as nações e reinar

com sua igreja pelos séculos

eternos. Ele virá para

colocar todos os inimigos

debaixo de seus pés

e entregar o reino ao seu

Deus e Pai (1Co 15.23).

Como será a sua vinda?

Que características têm o

seu glorioso retorno?

Em primeiro lugar, sua

vinda será pessoal (At 1.9-

11). O mesmo que subiu

entre nuvens é o que descerá

nas nuvens. Ele não

enviará um embaixador em

seu nome, descerá dos céus

com seu cortejo majestoso,

para consumar a História e

estabelecer os novos céus e

a nova terra.

Em segundo lugar, sua

vinda será visível (Ap 1.7).

A Escritura diz que todo

olho o verá, até mesmo

aqueles que o traspassaram.

A segunda vinda será

pública, notória e inegável.

Não será um acontecimento

subjetivo, nem restrito a

uma região específica do

mundo. Sua primeira vinda

foi despretensiosa, humilde

e longe dos holofotes,

mas a segunda vinda será

majestosa e vista por todos

os homens.

Em terceiro lugar, sua

vinda será audível (Mt

24.31). Ao ressoar a trombeta

de Deus e ouvida a

voz do arcanjo, ele descerá

dos céus (1Ts 4.16). Em

toda a terra se ouvirá essa

voz retumbante. Todos os

homens serão impactados

com o sonido dessa

trombeta. Com esse alarido,

num cortejo colossal,

o Filho de Deus rasgará as

nuvens e descerá do céu

com os anjos do seu poder.

Em quarto lugar, sua

vinda será repentina (Mt

24.27). O apóstolo Paulo

diz que será num momento

(um átomo de tempo), num

abrir e fechar de olhos que

ele virá (1Co 15.52). Será

como o relâmpago que

risca os céus, saindo célere

do Oriente e chegando até

o Ocidente. Nesse dia, se

ouvirá a voz do noivo. Não

haverá mais tempo para se

preparar. Os que tiverem

azeite em suas lâmpadas

entrarão com ele para as

bodas e os que estiverem

desprovidos, ficarão de

fora, em trevas eternas (Mt

25.1-13).

Em quinto lugar, a data

de sua vinda será inesperada

(Mt 24.43-44).

A vinda do Senhor será

como a do ladrão, inesperada.

O ladrão não manda

aviso para a família. Chega

quando menos se espera.

A segunda vinda de Cristo

será como nos dias de

Noé: as pessoas casavam

e davam-se em casamento,

compravam e vendiam, até

que veio o dilúvio e afogou

toda aquela geração, exceto

a família de Noé. Porque

não sabemos o dia nem a

hora, precisamos estar preparados

e vigiar.

Em sexto lugar, sua vinda

será inescapável (1Ts 5.3).

A segunda vinda de Cristo é

tão certa como uma mulher

grávida precisa dar à luz

seu bebê. Ninguém pode se

esconder. Ninguém pode

escapar. Ele virá em glória

para julgar vivos e mortos.

Aqueles que viveram

acobertando seus pecados

terão de encarar o reto Juiz.

Os que o rejeitaram como

Advogado, terão de comparecer

perante o tribunal

de Deus, para enfrentá-lo

como juiz.

Em sétimo lugar, sua

vinda será gloriosa (Mt

24.30). Ele virá para ressuscitar

os que dormem e

transformar os que estiverem

vivos. Ele virá em glória

para colocar todos os

inimigos debaixo dos seus

pés. Ele lançará no lago do

fogo o diabo, o anticristo,

o falso profeta, os ímpios

e a morte. Ele estabelecerá

o seu reino de glória

e reinará com sua igreja

pelos séculos eternos. Os

ímpios sofrerão penalidade

de eterna destruição,

mas os remidos entrarão

no gozo eterno e servirão

ao seu Senhor, na cidade

santa, onde não haverá

mais lágrimas, nem luto

nem dor. Que glória será

contemplarmos sua face

longe de qualquer vestígio

de pecado e maldição.

Como que na ponta dos

pés, aguardando sua chegada,

gritamos cheios de

expectativa:

Maranata, ora vem

Senhor Jesus!

O Rev. Hernandes Dias Lopes é

o Diretor Executivo de Luz para o

Caminho e colunista regular do Brasil

Presbiteriano.

NOTAS

Espiritualidade a favor da saúde

Um Grupo de Estudos em Espiritualidade

e Medicina Cardiovascular,

dentro da Sociedade Brasileira de Cardiologia,

incluiu a espiritualidade nas

consultas médicas. Isso porque já foi

comprovado que sentimentos como

gratidão, perdão, mágoas, ressentimentos

afetam a nossa saúde.

De acordo com o médico do Departamento

de Cardiologia da Rede Mater

Dei e do Hospital Belo Horizonte,

Dr. Augusto Vilela, os profissionais

de saúde perderam essa conexão

com o paciente. “Essa proximidade faz

com que o paciente tenha confiança

no médico e aceite o tratamento da

melhor forma possível. Além disso,

os sentimentos positivos fazem com

que a serotonina seja liberada no

organismo, causando bem-estar, tranquilidade,

melhorando aspectos como

o sono”, afirma.

Pesquisas revelam que níveis elevados

de espiritualidade e religiosidade

estão associados a menor prevalência

de tabagismo, menor consumo de

álcool, melhor adesão nutricional e

farmacológica no controle do colesterol

elevado, da hipertensão arterial, da

obesidade e do diabetes. “Consequentemente,

a saúde agradece”, ressalta

Dr. Augusto.

Pregação Transformadora

Acontecerá em Sorocaba, SP, o treinamento

intensivo “Pregação Transformadora”

entre 4 e 7 de agosto de

2020.

Serão preletores os Revs. Hernandes

Dias Lopes, Jeremias Pereira,

Arival Dias Casimiro, Ronaldo Lidório

e Juliano Sócio.

Informações no site www.pregacaotransformadora.com.br.


6

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

FORÇAS DE INTEGRAÇÃO

UMPs de São Paulo se reúnem para culto especial no Mackenzie

N

Leonardo Bezerra

o dia 15.02, a Capela

do Mackenzie

(Higienópolis), recebeu o

tradicional culto de abertura,

que marca o início

da programação oficial das

UMPs das IP de Higienópolis,

Gileade e Unida. Cerca

de 40 jovens, das três igrejas,

se uniram para cultuar

a Deus e agradecer pelo

novo ano.

O período de cânticos foi

dirigido por um grupo de

músicos das igrejas participantes.

Em seguida, pregou

o Rev. Davi Helom, da IP

de Higienópolis, chamando

os jovens para uma vida de

compromisso e devoção a

Deus. Ele enfatizou (1Pe

2.2) a importância de desejarmos

a Palavra de Deus

como os bebês anseiam

pelo leite materno e nos

encorajou a viver uma vida

de dependência aos pés do

Senhor.

Integração e novas amizades em Cristo

Boa parte dos jovens na

faculdade está distante da

família. Dessa forma, foi

ressaltada na mensagem, a

necessidade de desenvolvermos

nossa espiritualidade,

independente de nossos

pais. Caminhar com Deus

por temê-lo e não por uma

Jovens presentes

obrigação ou religiosidade,

outrora estimulada por eles.

Ao fim do sermão, apresentamos

nossas igrejas e

suas respectivas programações,

estendendo o convite

a todos os presentes.

Após a oração final, veio

o lanche e a oportunidade

de fazer novos amigos e

estreitar as relações.

Foi uma noite agradável,

louvamos a Deus e nos

aproximamos de irmãos

queridos. Nossos laços de

amizade foram reforçados

e o Senhor nos usará em

nossas igrejas e fora delas.

Leonardo Bezerra é membro da IP de

Higienópolis.

IGREJA EM AÇÃO

IPB em apoio às vítimas das chuvas

O

início de 2020 veio

acompanhado de fortes

chuvas em diversos estados

brasileiros. Muitas famílias

perderam bens e entes queridos.

Em função da calamidade,

órgãos oficiais e

igrejas da IPB se colocaram

à disposição para ajudar as

vítimas das chuvas.

No perfil oficial da IPB

no Instagram (@ipboficial),

o Presb. Clineu Aparecido

Francisco, Presidente do

Conselho de Ação Social

da Igreja Presbiteriana do

Brasil (CAS/IPB), informou

que o órgão lançou uma

campanha para auxílio aos

atingidos em Minas Gerais,

Espírito Santo e Rio de

Janeiro, e devido à dificuldade

de envio de donativos,

receberam também doações

em espécie. Além disso, a

IPB segue em contato com

as Igrejas e Presbitérios

disponibilizando os recursos

a fim de suprirem suas

demandas emergenciais.

Mas a ação da IPB não

para por aí. Em São Paulo e

“[...] chorais com os que choram” (Rm 12.15).

no Rio de Janeiro, as igrejas,

Presbitérios e os Sínodos

se organizaram para ajudar

todos os atingidos com

doações de roupas, itens de

higiene pessoal e alimentos.

Em Minas Gerais, onde

a região metropolitana de

Belo Horizonte foi fortemente

atingida, o Presbitério

Oeste de BH recebeu

doação nas IPs do Independência,

do Bonsucesso, do

Flávio Marques e na 7ª IP

de Belo Horizonte; assim

como na 8ª e no SEBE Contagem,

uma entidade cristã

sem fins lucrativos que

há 48 anos atende pessoas

carentes na região de Contagem.

As forças de integração

da IPB, como a UMP da IP

de Flávio Marques (@ump.

fml) em Belo Horizonte e a

UMP da IP de Pancas (@

ump_pancas), organizaram

bazares e ações especiais

de apoio às vitimas, como a

#TodosPeloES.

Oremos pelas cidades,

pelas vítimas e nos comprometamos

em ajudar no que

for possível. Como informado,

muitas igrejas presbiterianas

dessas regiões já

estão engajadas no cuidado

dos que sofrem. Que façamos

também a diferença

naquilo que pudermos.

Conta para doações IPB

Ag. 4442-3

C/c 6000-3

Banco do Brasil

Igreja Presbiteriana do Brasil

Cnpj: 00.118.331/0001-20.


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

7

RECEPÇÃO SOLIDÁRIA

Mackenzie: luz nas trevas

No momento do trote dos estudantes,

Chancelaria e Capelania da instituição

agem com apoio e evangelização

A

cada início de semestre,

acontece o

trote dos calouros por iniciativa

dos estudantes veteranos,

resultando em uma

grande aglomeração de jovens,

além de pessoas de

vários lugares da cidade,

que aproveitam a ocasião

para encher as ruas e bares

do entorno da Universidade

Presbiteriana Mackenzie,

em Higienópolis.

Esse evento demonstra

claramente como o Mackenzie,

apesar de ser uma instituição

confessional cuja

associada vitalícia é a IPB,

precisa ser encarada como

um campo missionário,

cujos professores, colaboradores

e estudantes precisam

ouvir continuamente

o evangelho, exatamente

como é necessário em outras

universidades.

Apesar de não haver

qualquer patrocínio e incentivo

da instituição, que

há anos tem preferido enfatizar

o “recepção solidária”

com uma programação

mais saudável e segura para

os recém-chegados ao Mackenzie,

alguns milhares de

universitários promovem

sua festa de modo muito

semelhante a um verdadeiro

carnaval, regada a muita

bebida e outras substâncias

vendidas livremente em via

pública.

Nessa mais recente edição,

a Capelania decidiu

ir além da angústia de ver

essa juventude em um caminho

desvirtuado e resolveu

se fazer presente em

oração e ação evangelizadora,

sob a liderança do recém-empossado

Chanceler,

Rev. Robinson Grangeiro.

Os Capelães, apoiados

por alguns professores

cristãos do Mackenzie, estiveram

juntos a um grupo

de cerca de trinta alunos

cristãos, que já tem feito

evangelização de impacto

nos últimos anos durante

anuncio_BP_MW_anuncio_MW_BP 10/18/18 11:15 PM Page 1

Rev. Robinson, Chanceler da UPM, com capelães em oração; Equipe da Capelania

o trote, com o objetivo de

ajudar aos que desejavam

algum apoio em meio às

“brincadeiras” da noite.

Alguns desses participantes

estavam desidratados e

sob risco de coma alcóolico,

desorientados pelo uso

de substâncias e também

sob pressão da multidão

para participar de atos com

alto risco de violência física,

psicológica e sexual.

A atuação dos Capelães

precisou ser bastante objetiva

e ágil, porque qualquer

tipo de ação demandada

deveria ser executado ali

mesmo no momento, com

a distribuição de água, chamada

de atendimento médico

ou para que a família

do estudante viesse buscá

-lo, e principalmente, com

uma palavra evangelística,

sempre que possível acompanhada

de oração.

A ação pacífica, acolhedora

e proativa dos Capelães,

devidamente identificados

pela camiseta

vermelha do Mackenzie

Voluntário com a frase “Incentive

o bem!”, impressionou

os próprios estudantes,

bem como a comunidade

Mackenzista, produzindo

comentários com palavras

de apoio, encorajamento e

disposição para participação

futura de estudantes e

professores cristãos, tanto

do próprio Mackenzie,

como das igrejas da capital

paulista.

“Com essa ação, e outras

já em curso e planejadas

para acontecer nesse ano

do sesquicentenário do Mackenzie,

queremos enfatizar

que a Chancelaria e as

Capelanias têm como missão

acolher e cuidar de todos

com a verdade do evangelho,

revestida de atos

concretos de amor”, disse o

Rev. Robinson Grangeiro.

Nos próximos eventos,

a expectativa é que os jovens

cristãos de São Paulo

se integrem à iniciativa, de

modo que os estudantes do

Mackenzie percebam cada

vez mais, que “há caminhos

que parecem direitos,

mas o fim deles é a morte”,

e assim, conheçam Jesus

Cristo, como o único "caminho,

a verdade e a vida”.

Capelania Mackenzie e Rev.

Robison Grangeiro Monteiro,

Chanceler da UPM.

TERÇA

12h

Missão Mundo. Um panorama do que acontece na Igreja

Presbiteriana do Brasil e no mundo presbiteriano. Apresentação, rev.

Gilberto Barbosa. Um programa APECOM. Toda terça, 12h, ao vivo

na IPB3, a rádio com imagem no Youtube, Facebook, Portal IPB e

“on demand” também no Podomatic, iTunes, Spotify e no seu

agregador de RSS preferido. Não deixe de ver, ouvir e compartilhar.

rádioipb

A rádio com imagem

i p b . o r g . b r / i p b 3 • r a d i o i p b . c o m . b r / i p b 3 • y o u t u b e . c o m / i p b t v • f a c e b o o k . c o m / i p b . o r g . b r


8

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

REFLEXÃO

Entretenimento Moral

N

Samuel Vieira

o livro A Máfia dos

Mendigos, o pastor

Yago Martins aplica teorias

e análises acadêmicas

às observações e vivências

decorrentes do período

em que viveu disfarçado

entre os moradores de rua

da cidade de Fortaleza/

CE. Durante um ano, ele

se misturou aos sem-teto

procurando participar de

seus problemas, entender

seus motivos e perceber as

manipulações e ingerências

que existiam.

Sua proposta ousada o

levou a confirmar uma suspeita:

os pobres têm sido

usados como tema de congressos,

de entrevistas e

também ilustram sermões

religiosos, mas não são

realmente ajudados. Para

ele, a caridade aumenta a

miséria porque despotencializa

o ser humano e rouba-lhe

a dignidade.

Segundo a visão de Yago

Martins, os moradores de

rua não são pessoas que

sempre experimentaram

circunstâncias extremas

e que, por isso, teriam se

exilado. O que lhes falta,

de acordo com o pastor, é

encontrar quem verdadeiramente

os note. “Eles não

precisam de alguém que

lhes dê comida e os fotografe

para as redes sociais e

nem mesmo de ações públicas

e privadas realizadas de

cima para baixo, sem que

nunca lhes seja perguntado

quais são as suas reais

necessidades”, afirma.

Yago Martins apresenta

argumentos pesados e ousados

– e até mesmo polêmicos

– para explicar algumas

causas da alta incidência

de mendicância no Brasil.

Ele toma como base um

ponto de vista do qual poucos

partiram: o de alguém

que passou pela experiência

de viver nas ruas. Tal atitude

ele chama de atitude de

Entretenimento Moral.

Em entrevista à Jovem

Pan ele afirmou: "Existem

muitos motivos pelos quais

as pessoas vão parar na rua.

O nosso erro começa, talvez,

em tentarmos achar um

motivo único para alguém

estar na miséria. São indivíduos,

seres humanos, cada

um está lá por um motivo

particular, quer seja por desgraça

pessoal, uma tragédia

ou mesmo por exercício

de vontade, exercendo sua

vontade de viver na mendicância,

basicamente”.

Ele conta que descobriu

fatores nessa realidade que

o deixaram impressionado

sobre como a caridade sem

engajamento pode ser prejudicial

e até mesmo hipócrita.

"As [muitas] pessoas

que praticam a caridade não

querem engajamento, não

querem fazer uma diferença

real. A impressão que dá é

que, muitas vezes, o mendigo

é um instrumento de

entretenimento moral. Ou

seja, a ajuda concedida a

ele é só um jeito de as pessoas

se sentirem melhores.

Para ele, a cultura paternalista

ensina para o dependente

da caridade que ele

não é digno de conquistar

nada. São afirmações

com as quais você pode

não concordar e muito

menos aceitar as teses de

Yago Martins, mas vale a

pena analisar com seriedade

as conclusões a que ele

chegou para repensarmos

como podemos ser mais

efetivos, como podemos

ter os motivos corretos no

exercício de nossas ações

de misericórdia!

O Rev. Samuel Vieira é pastor

presbiteriano e responsável pelo blog

revsamuca.blogspot.com

REFORMA ESPIRITUAL

2º Congresso de Avivamento e Reforma Espiritual

A urgente necessidade do avivamento

A

conteceu de 9 a 12

de fevereiro, na IP

Pinheiros em São Paulo, o 2º

Congresso de Avivamento e

Reforma Espiritual, com o

tema: A urgente necessidade

do avivamento.

Esse congresso é promovido

pela IP Pinheiros sob

a liderança do Rev. Arival

Dias Casimiro, pastor titular

da igreja, que como

disse na apresentação do

evento, acredita que “o avivamento

é a intervenção de

Deus no curso ordinário da

história da igreja. É Deus se

revelando ao seu povo, em

grande santidade e poder

irresistível. É a manifestação

poderosa de Deus

colocando o homem no seu

devido lugar”.

A igreja evangélica brasileira

precisa urgentemente

de um avivamento

e de uma grande reforma

espiritual. Por isso, a IP

de Pinheiros convidou

para palestrar no congresso

os Revs. Hernandes Dias

Lopes, Ronaldo Lidório,

Jeremias Pereira, Augustus

Nicodemus, Rosther

Guimarães, Paulo Júnior,

Young G. Ko e Min. Joshua

Chung, além do próprio

pastor da igreja, o Rev.

Arival.

Compareceram pastores,

líderes e membros de igrejas

de quase todo o território

nacional e de várias

denominações para aprender

mais sobre liderança e

avivamento.

O congresso incentivou

Pastores e líderes em oração

momentos de oração e os

presentes saíram com intensa

alegria.

A IP de Pinheiros já

começa a se preparar para

a 3ª edição do congresso

de avivamento. Para informações,

acompanhe as

redes sociais da igreja: @

ippinheiros, no Instagram,

e facebook.com.br/ippinheiros,

no Facebook.


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

9

C

FORÇAS DE INTEGRAÇÃO

Encontro Regional de Adolescentes Presbiterianos – ReUPA

om grande alegria compartilhamos

notícias

sobre os primeiros Encontros

Regionais da União

Presbiteriana de Adolescentes

(ReUPA) ocorridos

em 2020. Uma benção que

alcançou três regiões do

Brasil, reunindo aproximadamente

870 adolescentes e

líderes. O primeiro, ocorreu

no estado da Bahia, porém

o Nordeste brasileiro ainda

receberá mais um Encontro

Regional, totalizando dois.

A região Norte também

concentrará dois outros

Encontros ainda este ano.

A estratégia adotada adequa

as distâncias e logística

às possibilidades de participação.

Já nas outras três

regiões, realizaremos apenas

um Encontro Regional,

como foram os casos do

Centro-Oeste (23 a 26.01) e

do Sudeste (30.01 a 02.02).

ReUPA são eventos que

aliam a edificação na verdade

da Palavra de Deus

com a comunhão entre

adolescentes e líderes de

diferentes realidades regionais.

Evidência disso é a

condução dos cânticos.

Eles são conduzidos por

ReUPA Nordeste

ReUPA Centro-Oeste

adolescentes sob a direção

da Confederação Nacional

e instrução de líderes

músicos da IPB. As mensagens

preparadas seguiram

a temática baseada no

Livro de John Bunyan: O

Peregrino, e, pelas manhãs,

oficinas temáticas contextuais

também eram ministradas,

além de momentos

de reflexão em Pequenos

Grupos. Acreditamos que

o Espírito Santo age até

mesmo nas brincadeiras

propostas (tanto no período

da tarde, como a noite)

trazendo lições e alegrias,

nos proporcionando novas

e boas amizades. Essa base

ReUPA Sudeste

de trabalho tem nos ensinado

lições preciosas. Alguns

resultados são evidentes

e imediatos. Cremos que

outros serão colhidos no

tempo do Senhor.

Em todos esses 3 primeiros

ajuntamentos já realizados,

vimos a boa e poderosa

mão do Senhor conduzindo

cada momento. Vimos na

reação de nossos adolescentes

e líderes que eles

estavam felizes com tudo

que viveram naqueles dias.

Agradecemos a Deus por

essa grande oportunidade.

Estiveram conosco outras

Sociedades Internas da IPB.

A UMP esteve atuante, nossos

jovens foram ótimos

cooperadores nesse serviço

ao Senhor. A SAF, sempre

muito carinhosa, nos ajudando

de forma significativa

para o bom andamento

da programação. Mulheres

virtuosas servindo ao

Senhor. A UPH atuou cooperando

tanto na logística,

como em diferentes situações

de aconselhamento.

Homens fiéis incansáveis

na batalha.

Deixamos um convite

muito especial para aqueles

adolescentes e líderes que

ainda não puderam participar

conosco. Outros quatro

Encontros Regionais

irão acontecer em 2020:

o ReUPA Sul; o ReUPA

Nordeste (Maranhão);

o ReUPA Norte (Acre) e

o ReUPA Norte (Pará).

Acompanhem em nosso

site mais informações a

partir do último final de

semana de fevereiro: www.

upa.org.br. Fiquem também

ligados em nossas mídias

sociais – Facebook, Instagram:

@upaoficial. Sejam

bem vindos!

Equipe ReUPA é responsável

pela organização do evento


10

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

MISSÕES

A Semana de Orientação 2020, da APMT,

E

Emma Castro

ntre 3 e 7 de fevereiro,

a APMT realizou a

Semana de Orientação, que

acontece todos os anos, no

Lar Luterano, em Campinas,

São Paulo. Participaram

do encontro 51 adultos

– missionários, candidatos

e aspirantes – e 13 crianças

e adolescentes, que contaram

com atividades para

sua faixa etária.

O objetivo da SO é informar

aos futuros missionários

os procedimentos

logísticos e operacionais

Bate papo com as mulheres

que são realizados desde

a Base da APMT em São

Paulo. Isso inclui regimento

interno, vivência no campo,

documentações necessárias,

e os cuidados que cada

família ou indivíduo precisa

ter para poder se preparar

melhor, com o fim de

servir a Deus em contexto

transcultural.

Cada departamento da

Base – Recursos Humanos,

Comunicação e Treinamento

Missionário – compartilhou

as atividades que realiza

e o que espera de cada

missionário.

O Rev. Júlio Marcelo dos

Santos e sua esposa Celeste,

missionários na Austrália,

compartilharam suas experiências.

Celeste falou com

as mulheres sobre os cuidados

principais que o casal

precisa ter com os filhos.

Falou sobre algumas lutas

que passaram, principalmente

o choque cultural na

difícil etapa de adaptação.

Participar da SO é um dos

pré-requisitos para quem

deseja se tornar missionário

da APMT.

Emma Castro é missionária da APMT

CATEGORIAS DE MISSIONÁRIOS SEGUNDO

O REGIMENTO INTERNO DA APMT

a) Efetivos: São os missionários de carreira, nomeados

e sustentados integralmente pelos mantenedores e pela

APMT, em campos totalmente jurisdicionados pela APMT;

b) Conveniados: São os missionários da APMT, em parceria

com outras agências Instituições e igrejas conforme

o interesse da APMT, estabelecido através do “Contrato

de Parceria Institucional” e “Contrato de Responsabilidades”

previamente assinados por ambas as agências e

missionário.

c) Colaboradores: São missionários não vinculados à

APMT e profissionais liberais e outros, mas sob supervisão

desta, que se envolvem pessoalmente no campo por

um curto espaço de tempo, entre três meses e um ano,

podendo ser estendido por mais um ano.

d) Bi-vocacional: Aquele que exerce concomitantemente

a função de missionário e a sua função profissional, tendo

seu sustento proveniente de ofertas, ou seja, não proveniente

de sua atuação profissional;

e) Fazedor de tendas: Aquele que exerce o ministério

missionário transcultural e que, apesar disso, recebe remuneração

financeira proveniente de sua atuação profissional.

Podendo em caso excepcional, com a aprovação

da APMT, receber ofertas de igrejas e pessoas.

O candidato a missionário efetivo ou conveniado, deverá

cumprir os pré-requisitos gerais estabelecidos pela APMT.

Os missionários na Austrália, Júlio Marcelo e Celeste com os filhos dos candidatos

PRÉ-REQUISITOS DA APMT 2020

Contato:rh@apmt.org.br

Fone: (11) 3207-2139 / 3341-8339

(Atualização: Assembleia – Ata 50 – Doc.51 – 25/10/2018)

1) MISSIONÁRIO COLABORADOR

O candidato a missionário-colaborador necessita enviar para a

Diretoria ou Assembleia da APMT uma carta apresentando os

seguintes pontos:

I – O local de atuação

II – O trabalho que será desenvolvido

III – O período que pretende atuar


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

11

reuniu candidatos ao campo missionário

Juntamente com a carta, deve ser enviado o currículo

vitae e a carta de apresentação da Igreja ou presbitério.

No que se refere aos pré-requisitos, cabe ao missionário

colaborador:

1. Fazer a Semana de Orientação;

2. Fazer as seguintes disciplinas no CFM – Centro de

Formação Missiológica: Antropologia Cultural, Fenomenologia

da Religião, Comunicação Transcultural e

Contextualização, Vida e Caráter do Missionário.

2) MISSIONÁRIO BI-VOCACIONAL E FAZEDOR

DE TENDAS

Tanto o missionário Bi-vocacional quanto o Fazedor

de Tendas deverão cumprir os seguintes requisitos:

1) Encaminhamento do conselho da igreja indicando

claramente a vocação missionária e as atividades

ministeriais realizadas pelo aspirante na igreja local;

2) Laudo do perfil psicológico do aspirante e cônjuge

(quando houver) por um profissional indicado pela

APMT;

3) Entrevista do aspirante (candidato) e do cônjuge

(quando houver) com a Assembleia e/ou Diretoria da

APMT;

4) Elaboração de projeto missionário sob a orientação

da APMT;

5) Curso transcultural: CFM – Centro de Formação

Missiológica da APMT (Curso presencial);

6) Semana de Orientação;

7) Levantamento de sustento para o missionário bivocacional;

8) CTM – Centro de Treinamento Missionário (Conforme

resolução do SC – IPB (CE-96-168 – Doc.

CLXVIII).

3) MISSIONÁRIOS EFETIVOS:

Para que o candidato seja aceito, aprovado e enviado,

há os seguintes pré-requisitos:

a) Enviar Carta de Apresentação da Igreja ou do

Presbitério, em caso de pastores, informando ser

membro da IPB – Igreja Presbiteriana do Brasil e

recomendando-o para o envolvimento no trabalho

evangelístico e missionário transcultural;

b) Enviar Currículo Vitae (endereço completo, telefones,

e-mail, formação [com grade curricular] e, experiência

profissional e religiosa) juntamente com a

foto 3×4, sua e do cônjuge (se for casado); fotocópia

autenticada de seus documentos (Certidão de Nascimento

e/ou Casamento, RG, CPF ou CIC, Título

Eleitoral, Certificado de Reservista, Carteira Nacional

de Habilitação, Carteira de Ministro [no caso de pastores],

Passaporte, INSS, Imposto de Renda, Seguro

de Vida, Cartão Nacional de Saúde (SUS) etc.) e dos

familiares;

c) Enviar Laudo de Perfil Psicológico, seu, cônjuge e

dos filhos acima de 12 anos, através de um profissional

registrado e aprovado pela APMT. No laudo deverá

conter as seguintes informações: traços de personalidade,

levantamento de interesses, experiência

eclesiástica, experiência profissional e levantamento

de motivação para o trabalho missionário.

d) Fazer um check-up físico e odontológico seu e da

família (se houver). Enviar os laudos informando que

está em perfeitas condições para exercer o ministério

em campo transcultural.

e) Enviar Carta Testemunho contando sobre o chamado,

seu e do cônjuge (se for casado). Informar

caso esteja em parceria ou trabalhando com outra

agência missionária.

f) Cursar um Seminário ou Instituto Bíblico Presbiteriano.

Caso o candidato tenha cursado outro seminário

ou instituto bíblico, seu currículo será avaliado

para saber se é necessário complementação.

g) Fazer Curso Transcultural: CFM – Centro de Formação

Missiológica da APMT. Curso Modular presencial

conforme preceitua este regimento interno de um

ano. Informações: (11) 3207-2139 ou e-mail: cfm@

apmt.org.br

h) Cursar o CTM – Centro de Treinamento Missionário

no IBEL – Instituto Bíblico Eduardo Lane, em

Patrocínio – MG. (34) 3832-6411. O curso é uma exigência

do Supremo Concílio da IPB em cumprimento

à resolução do SC/IPB (CE-96-168 – Doc. CLXVIII).

O CTM é promovido pelo SC-IPB e visa à Plantação

de Igrejas. Normalmente, ocorre no mês de dezembro

(são 20 dias).

i) Carta de intenção que contenha a pretensão ministerial,

quanto à atividade e campo de atuação. Após a

análise da Diretoria e/ou Assembleia, o candidato irá

adotar o Modelo de Elaboração de Projeto aprovado

pela APMT. Solicite-nos e lhe enviaremos o modelo

via e-mail ou correio, após a entrevista com a liderança.

A política dos projetos missionários será em conformidade

com o planejamento global da APMT. Ao

apresentar a carta de intenção, a APMT, em conjunto

com o candidato, irá adequá-la ao projeto já definido.

j) Participar da Semana de Orientação (SO): encontro

de aproximadamente 5 dias nos arredores de São

Paulo – geralmente no final de Janeiro ou início de

Fevereiro – que visa a informar o candidato sobre:

Estatuto, Regimento Interno, Filosofia Missionária da

IPB, Contrato Missionário e orientação sobre o relacionamento

com a Base.

k) Levantar o Recurso Financeiro necessário tanto

para o Sustento Pessoal, como para a realização

do Projeto Missionário. Este item só será possível

após a entrevista com a Diretoria e/ou Assembleia

da APMT, onde serão definidos o campo e o valor

do sustento geral. Nesta ocasião você terá em mãos

uma carta de autorização para fazer, junto às igrejas,

o levantamento dos recursos.

l) Realizar estágio transcultural, coordenado e/ou supervisionado

pela APMT.

m) Que a saída para o campo fica condicionada ao

aprendizado do inglês no nível de proficiência definido

pela escola ou um teste de proficiência determinado

pela APMT.

n) Será pré-requisito para o envio à escola de Inglês

na África do Sul a assinatura de um termo de responsabilidade

quanto à frequência às aulas de inglês e

submissão à liderança da Base África-Austral.

No que se refere às cônjuges de missionários: Exigirse-á

os seguintes pré-requisitos:

1) Laudo do perfil Psicológico;

2) Laudo do check-up médico (saúde) e odontológico;

3) Participar da Semana de Orientação (SO);

4) Fazer as seguintes disciplinas no CFM: Introdução

à Missiologia; Vida e Caráter do Missionário; Comunicação

Transcultural e Contextualização;

5) CTM;

6) Participar do Estágio Transcultural supervisionado

pela APMT;

7) Entrevista com Mesa Diretora e/ou Assembleia;

8) Assinatura de contrato.


12

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

NO BRASIL E NO MUNDO

Aconteceu em março

11 de março – Dia da Educação Cristã

1493 – Cristóvão Colombo volta de sua primeira

viagem à América. No dia 4 de março

de 1493, o navegador chega em Lisboa onde

é recebido pelo rei de Portugal e conta ter descoberto

um novo "arquipélago das Índias", a

qual chamou de Índias Ocidentais.

1500 – A frota de Pedro Álvarez Cabral deixa

Portugal para a viagem que incluiria o distraído

descobrimento do Brasil.

1535 – Fundada oficialmente a cidade de Olinda,

em Pernambuco.

1549 – Em 29 de março de 1549, Thomé de

Souza fundou a cidade da Salvador, uma das

mais antigas do Brasil. Criada para ser a capital

da colônia, permaneceu assim até 1763.

1557 – Aconteceu no dia 10 de março o primeiro

culto protestante no Brasil em uma pequena

colônia fundada pelos franceses na baía de

Guanabara. O culto de Ações de Graça ocorreu

em decorrência da chegada de dois navios

com pastores e colonos reformados no país.

1627 – Espanha e França assinam tratado

para combater o protestantismo.

1862 – O dinheiro em papel-moeda é pela primeira

vez emitido pelo governo dos Estados

Unidos.

1894 – Começa a construção de Belo

Horizonte.

1937 – O primeiro banco de sangue é inaugurado

no Hospital de Chicago.

1964 – O presidente João Goulart é derrubado

pela Revolução civil-militar.

1991 – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai

assinam o Tratado de Assunção, dando início

ao Mercosul.

1992 – Eleitores brancos aprovam em um referendo

o fim do aparteide na África do Sul.

2001 – Nasce a bezerra Vitória, o primeiro animal

clonado brasileiro.

REFLEXÃO

Coragem e compaixão

Cristãos que fizeram e fazem diferença

“[...] o que tenho visto te

contarei” (Jó 15.17).

D

Antônio Cabrera

urante a nossa vida temos

a oportunidade de conhecer

pessoas diferenciadas.

Por vezes, não lembramos

dos esforços geniais desses indivíduos

excepcionais.

Em dezembro de 1944, começava

a Batalha do Bulge, ou

Batalha das Ardenas.

O confronto foi uma grande

contraofensiva alemã.

Como foi uma operação planejada

em segredo, o Exército

Alemão enganou a inteligência

dos Aliados, que foram incapazes

de antecipar a ofensiva

gigantesca em termos de movimentação

de tropas alemãs.

Os americanos lutaram com

840 mil soldados, sofrendo 89

mil baixas, incluindo 19 mil

homens mortos, o que fez desse

episódio a mais sangrenta

batalha da Segunda Guerra

Mundial.

Nesse cenário, o sargento

Roddie Edmonds e seus homens

foram capturados pelos

alemães.

No primeiro dia eles foram

forçados a assistir os guardas

nazistas matarem brutalmente

um jovem soldado russo com

ataques de cães – um sério aviso

para quem tentasse desobedecer

às ordens.

Todos entenderam – não haveria

piedade.

Nesse momento, os alemães

anunciaram pelos alto-falantes

que, na manhã seguinte, apenas

os prisioneiros judeus deveriam

fazer fila para serem contados.

Entre os prisioneiros americanos

havia vários soldados

judeus, que então tiveram a certeza

de que estavam marcados

para morrer.

É aqui que quero contar o que

vi e ouvi de Chris Edmonds, filho

de Roddie.

Ao ouvir o anúncio, o sargento

Edmonds tomou uma decisão

imediata.

“Não faremos isto.” E na fria

manhã do dia marcado, todos

os 1.275 prisioneiros de guerra

americanos – judeus e não judeus

– sob o seu comando, estavam

perfilados no pátio congelado

do campo, aguardando inspeção

com os dentes batendo.

Os guardas alemães não podiam

acreditar no que viam.

Vários prisioneiros testemunharam

o olhar lívido do comandante

enquanto ele gritava

no rosto de Roddie:

"Vocês não podem ser todos

judeus!"

Sem vacilar, o sargento Roddie,

de 26 anos, olhou calmamente

para o oficial nazista enfurecido

e respondeu:

"Somos todos judeus aqui."

Descontrolado, o nazista

pegou sua pistola e a pressionou

firmemente na cabeça de

Roddie.

"Você ordenará que os judeus

dêem um passo à frente, ou eu

matarei você agora."

O tempo parou.

Olhando nos olhos de seu

inimigo, Roddie respondeu

calmamente:

"Major, você pode atirar em

mim, mas terá que matar todos

nós. Porque sabemos quem

você é, e você será acusado de

crimes de guerra quando vencermos

esta guerra. E você

pagará."

Todos esperaram, congelados,

enquanto o comandante

alemão, tremendo de raiva – e

medo – abaixou a arma e se

afastou.

Todos os 1.275 prisioneiros

americanos retornaram ilesos

ao quartel.

A guerra terminou, todos foram

libertados e Roddie nunca

comentou sobre aquele episódio

fatídico.

Somente em 2013 Chris descobriu

o heroísmo silencioso de

seu pai.

Em 2015 Roddie foi reconhecido

por Yad Vashem como um

dos justos gentios entre as nações

e o primeiro soldado americano

a receber essa designação,

além de uma homenagem

pelo presidente Obama.

Quando perguntei a Chris o

que tinha levado o seu pai a esse

ato de coragem, ele me disse

que Roddie salvou judeus porque

sabia que um judeu, Jesus

Cristo, o salvou.

É um extraordinário senso

de responsabilidade com seus

semelhantes.

Hoje, Chris é um pastor,

que como o pai, também salva

pessoas.

Ambos, pai e filho são vigorosos

sermões de vida que impactam

a todos.

Muito mais, são cristãos que

fizeram e fazem diferença.

O Dr. Antônio Cabrera Mano Filho é

presbítero da IP de São José do Rio Preto

(SP).


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

13

N

IGREJA PERSEGUIDA

Cristão desiste de guerrilha para pregar evangelho

o início do século

20, os primeiros

esforços missionários protestantes

para evangelizar a

Colômbia foram barrados

pela Igreja Católica, estabelecida

desde os tempos da

colônia espanhola. A solução

foi levar o nome de

Jesus até as montanhas. Os

mesmos locais que serviam

como abrigo para os paramilitares,

eram solo fértil

para conversão de centenas

de pessoas. Porém, a

miséria e a desintegração

familiar estavam também

no local como consequência

dos conflitos armados.

Nesse contexto, nasceu

Enrique Machado. Desde

pequeno, ele precisava conviver

com os gritos da avó

materna, que era surda e responsável

pelo garoto, após

o divórcio dos pais. Além

de não ter o que comer,

o menino achava que não

era querido em casa e por

isso também sentia fome de

afeto. Para sair da pobreza,

pensou em ser um rebelde

armado.

Enquanto ia amadurecendo

a ideia, Machado acompanhava

a avó aos cultos.

“Quando íamos à igreja ela

me dizia: ‘Escuta o que o

pastor está ensinando, e

quando voltarmos para

casa, repita para mim’. No

momento que aprendi a ler,

minha avó conseguiu uma

Bíblia e pedia que eu lesse

para ela. Pensei que fosse

um exercício de leitura,

mas tornou-se um discipulado”,

lembra. O menino

fazia muitas perguntas a

Deus e na leitura da palavra,

todas elas eram respondidas.

Além disso, a avó era

mulher de oração: “Eu me

lembro que combinava com

meus amigos de ir no dia

seguinte para a guerrilha,

mas parecia que, coincidentemente,

minha avó orava:

‘Senhor, guarde o meu

filho. Não permita que ele

pegue em uma arma, mas

que o sirva’”. A prece da

idosa penetrava no coração

do neto e punha temor nele.

"Prefiro ser viúva de um

pastor, a ser mulher de

um covarde.”

Aos 19 anos, Machado

rendeu-se a Jesus e decidiu

não entrar para os grupos

armados. Com 21 anos, ele

pastoreou a primeira igreja

e aos 24, se casou. A situação

era precária e a única

Enrique Machado durante exposição da Palavra

coisa que podia oferecer à

esposa era caminhar junto

na missão. Quando foi cuidar

de outra igreja no maior

centro de paramilitares do

país, o pastor restaurou o

culto aos domingos, contrariando

uma ordem de

um líder rebelde. Foi por

esse motivo que ele recebeu

a primeira ameaça de

morte. Ao contar o ocorrido

à esposa, ouviu a resposta:

“Eu prefiro ser viúva de um

pastor, do que mulher de um

homem covarde”. O casal

orou e decidiu permanecer

no local. Com a diretriz de

Deus para amar quem o

ameaçava, o pastor sempre

tinha em mente a seguinte

frase como mensagem de

Deus: “A arma que desarma

é o amor”.

Amor é a arma que

desarma

Machado descobriu a

data de aniversário do que

o ameaçava, um poderoso

líder paramilitar, e resolveu

colocar o amor em

ação. Gastou o salário de

um mês contratando músicos

para fazer uma serenata

e escreveu três cartas para

o inimigo. A primeira redigiu

como se fosse o pai do

aniversariante, a segunda

como um irmão e a terceira

como um filho. Para entrar

no acampamento, reuniuse

ao médico do local às

3h da madrugada. Quando

os músicos começaram a

tocar, o oficial acendeu a

luz e o pastor iniciou a leitura

das cartas. Os resultados

da ousadia de Machado

foram as lágrimas nos

olhos do homem e o nascimento

de uma amizade.

Essa coragem veio de ter

obedecido a voz de Deus

que o mandou apenas amar

o guerrilheiro.

Nessa época, os conflitos

na Colômbia ficaram

conhecidos mundialmente,

e o fundador da missão

Portas Abertas, o Irmão

André, foi até o país. Lá,

conheceu o trabalho do

pastor Machado. Então, o

líder colombiano recebeu

acompanhamento, ajuda

para terminar os estudos

e ganhou uma moto para

percorrer mais quilômetros

levando as boas-novas

de Cristo. O Irmão André

visitou o acampamento dos

paramilitares para compartilhar

o testemunho dele

e fazer uma proposta de

desarmamento. Em 2006,

o convite se concretizou

porque 26 mil combatentes

entregaram as armas e

receberam o mesmo número

de Bíblias.

Hoje, Enrique Machado

coordena o trabalho da

Portas Abertas na Colômbia

para firmar os cristãos

perseguidos na fé em

Jesus. Em visita ao Brasil,

ele viajou por São Paulo

e Araçatuba entre 18 de

janeiro e 2 de fevereiro.

Na ocasião, compartilhou

o testemunho em 18 igrejas

e impactou mais de 3.400

pessoas com as histórias de

irmãos e irmãs que vivem

nas montanhas e enfrentam

as consequências da

guerrilha no único país da

América Latina que está na

Lista Mundial da Perseguição

2020, ocupando a 41ª

posição.

Assessoria Portas Abertas


14

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

CELEBRAÇÃO

Uma igreja que faz a diferença

A

Rosther Lopes

shbell Green Simonton

chegou ao Brasil dia

12.08.1859 e uma de suas

primeiras realizações foi a

fundação do Seminário no

Rio. Um dos seus primeiros

alunos foi o jovem português

Modesto Carvalhosa,

que no dia 26 de agosto

de 1900, juntamente com

o Rev. Zacarias de Miranda,

celebrou a organização

da IP Unida de São Paulo,

fusão da 2ªIP de São Paulo

com a IP Filadélfia.

O primeiro pastor efetivo

da Unida foi aluno de

Simonton. Essa preciosa

igreja local, que em 26 de

agosto de 2020 completará

120 anos de organização,

está diretamente ligada aos

primórdios de nossa amada

denominação.

Alguns fatos marcantes da

IPB estão relacionados com

a IP Unida: a reunião do

Sínodo na qual os independentes

nos deixaram, aconteceu

na Unida; o Código

de Disciplina da IPB foi

promulgado na Unida; a

reunião da Aliança Reformada

Mundial, em 1959 foi

apoiada em São Paulo pelo

pastor da IP Unida. Três de

seus pastores estiveram na

liderança da IPB: Matatias

Gomes dos Santos, Miguel

Rizzo Júnior e José Borges

dos Santos Júnior. O pastor

que pregou na organização

da Assembleia Geral da IPB

foi o Rev. Modesto Carvalhosa,

pastor da IP Unida.

O Rev. Borges pregador no

centenário da IPB, com a

presença do Presidente da

República, no templo da IP

do Rio. O Seminário Presbiteriano

de Belo Horizonte

tem o nome de Denoel

Nicodemos Eller, amado

pastor de nossa Igreja.

A Unida tem mais de 55

igrejas filhas e netas, e muitos

pastores foram formados

por ela. Algumas de

nossas igrejas filhas são as

IPs de Vila Mariana, Pinheiros,

Brás, Lapa, Alphaville,

Casa Verde, Limão, Santo

André, Filadélfia em São

Caetano, Juquiá, Vila Bonilha,

Cambuí, Ebenézer,

Tatuapé. E, ainda que não

esteja na IPB, uma igreja

com um dos mais belos

templos presbiterianos da

capital paulista, Jardim das

Oliveiras, foi originada a

partir da IP Unida de São

Paulo.

A Casa Editora Presbiteriana

teve seu início aqui

na Rua Helvétia, nas instalações

da Unida, sendo

construída e mantida uma

relação de proximidade. A

Junta de Missões da IPB

teve suas origens nas instalações

desta amada Igreja.

Alguns dos primeiros

programas de rádio com

a pregação do evangelho

com alcance nacional, também

foram apoiados pela

IP Unida. Um dos maiores

líderes do movimento de

Escola Dominical na história

brasileira, Presb. Eliézer

dos Santos Saraiva, liderou

em 1924 uma classe histórica

com 40 crianças dos cortiços

da vizinhança de nossa

Igreja e alterou a situação

dessa região.

Somos gratos ao Senhor

pelo papel dessa Igreja na

história do presbiterianismo

brasileiro, na história da

cidade de São Paulo e por

muitos que conheceram a

Cristo aqui.

Para as celebrações deste

ano, convidamos distintos

pregadores da IPB. A abertura

das festividades se deu

no domingo 26 de janeiro,

com pregação pelo Rev.

Roberto Brasileiro, Presidente

do SC, em nosso culto

matutino. Em parceria com

a Editora Cultura Cristã e

a SBB, lançamos uma bela

Bíblia Comemorativa do

120º aniversário da igreja,

com uma excelente introdução

histórica escrita pelo

historiador da IPB, Rev. Dr.

Alderi Souza de Matos, a

quem somos gratos.

Não obstante, em momento

de celebração, não podemos

olhar somente para o

nosso belo passado, mas

Rev. Rosther, grande coral e líderes da IP Unida

Membros da IP Unida reunidos

entender que Deus nos

chama a sermos relevantes

no presente, para termos um

abençoado futuro. Nesse

último tempo, o Senhor

nos tem chamado como IP

Unida de São Paulo para

um tempo de revitalização,

um tempo de Reforma.

Esse é um momento

no qual devemos voltar ao

primeiro amor, ter fome de

ouvir pregação bíblica, estudar

a Palavra, para anunciar

que só em Jesus há salvação

para o pecador. Se

queremos conhecer a Deus,

devemos ser uma igreja de

oração, para que ele abra

o nosso entendimento para

entender as Santas Escrituras

e assimilar o evangelho

em nossos corações.

Que o Senhor nos encha

de amor pelas almas, para

alcançarmos aqueles pelos

quais Cristo morreu! Estamos

engajados com a nossa

vocação de anunciar o evangelho,

plantar igrejas, investir

no trabalho missionário

em nossa cidade, no Brasil

e no mundo.

Pedimos ao Senhor que

continue a fazer da Unida

uma igreja amorosa, acolhedora,

que abraça os que

chegam e cuida dos que

aqui estão. Somos uma

igreja histórica, que deseja

ser uma bênção neste lugar

e neste tempo em que o

Senhor nos chama a servir.

Que o Senhor mantenha

a IP Unida de São Paulo

como uma igreja bíblica,

unida e relevante.

Que o Senhor nos permita

ser uma Igreja que faz a

diferença!

O Rev. Rosther Guimarães Lopes é

pastor da IP Unida de São Paulo, SP.


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

15

CELEBRAÇÃO

O

rganizada a 19 de fevereiro

de 1956, a IP da

Penha completa 64 anos. A

celebração ocorreu dia 16

de fevereiro, com pregação

pelo Rev. Robinson Grangeiro

Monteiro, Chanceler

do Mackenzie.

Naquela data, um grupo

de crentes começou a se reunir

aos domingos em Escola

Dominical, na casa do Sr.

Luís Gonçalves Ribeiro, e

ali se reuniram de fevereiro

a dezembro de 1947.

Em 1948, os cultos passaram

a acontecer na casa

de Josias Navarro Jr. e, em

1949, na casa de Angélica

de Oliveira e de Rids

Xavier de Castilho. Por

causa de dificuldades de

local, houve uma interrupção

em 1950, sendo os trabalhos

retomados em 11 de

64 anos de bênçãos

maio de 1951, sob a liderança

do Rev. Alfred Stein,

da IP do Brás.

Deus havia concedido

uma grande benção, que foi

a aquisição do atual terreno,

indicado ao pastor por

nossa irmã Lúcia Bigarelli

Patriani. No terreno havia

uma pequena casa, onde a

congregação se reuniu até

sua organização como Igreja,

no dia 19 de fevereiro

de 1956, em reunião presidida

pelo Rev. Boanerges

Ribeiro. Na ocasião, foram

eleitos os primeiros presbíteros,

os irmãos: Gerson

de Moura Müzel, Alfeu

Patriani, Joaquim Gonzaga,

Henrique Vasconcelos

e José Vasconcelos Jr. O

primeiro rol de membros

foi formado já no dia de

sua organização, com 255

membros maiores e 72

menores, sendo então um

total de 327 membros.

Deus havia operado um

avivamento naquela congregação

que em cinco anos

cresceu tanto. A alegria e

o fervor eram marcas da

Igreja, que já contava com

sociedades internas, como a

SAF organizada desde 1951

e também o Coral João Calvino,

formado em 1954.

Ao longo dos anos, foram

muitas sementes lançadas

e muitos bons frutos colhidos.

Novas igrejas foram

plantadas como as IPs Vila

Buenos Aires, Jardim Campos,

Jardim Cumbica, Jardim

Acácio, Jardim Castelo,

Tatuapé, Jardim Marina

e Monte Sinai. Ministros

do evangelho foram gerados

entre nós, missionários

Igreja lotada para celebrar 64 anos de bênçãos

enviados, nações tocadas

pela palavra de Deus

e tantas pessoas entre nós

foram salvas, restauradas e

treinadas para o serviço e

engrandecimento do reino

dos céus.

Hoje somos cerca de 600

membros e Deus nos tem

dado a alegria de contar

com irmãos comprometidos,

talentosos e dotados

pelo Espírito Santo, cujo

exercício dos dons tem edificado

a igreja. E ela segue

em paz, crescendo em

número e sendo edificada

no temor do Senhor.

Louvado seja Deus pelos

anos de história passados

até aqui, pelos anos que

temos pela frente. Esperamos

que grandes coisas

estão por vir e que obras

maiores vão acontecer na

IP Penha.

VIDA DEVOCIONAL EM FAMÍLIA

Recursos devocionais da Bíblia de Estudo Herança Reformada

Pensamentos para a devoção pessoal/em família

Leia o salmo 9

1. É importante lembrar

que Deus tem nosso destino

eterno em suas mãos.

Ele julgará toda a humanidade

com justiça. Mesmo

antes do dia do juízo, a

morte leva as pessoas deste

mundo. Se conhecermos

o Senhor e o buscarmos,

ele não nos abandonará.

Contudo, se o deixarmos

de lado e nos esquecermos

dele, ele nos lançará no

inferno. Thomas Manton

disse: “Assim como eles

lançam Deus para fora de

sua mente e de suas afeições,

assim Deus os lançará

fora de sua presença”.

Você está preparado para a

morte? Por quê?

2. Cristo refletiu os pensamentos

desse salmo

quando disse: “Não temais

os que matam o corpo e

não podem matar a alma;

temei, antes, aquele que

pode fazer perecer no

inferno tanto a alma como

o corpo” (Mt 10.28). As

maiores pessoas neste

mundo são apenas pessoas.

A vida de Cristo foi

a personificação desse

princípio, pois ele encarou

inimigos poderosos e

violentos com ousadia e

determinação oriundas de

temor do Senhor. Enquanto

esperamos a volta de Cristo,

como podemos segui-lo

nesse caminho?

Após cada salmo e cada

capítulo da Escritura, a

Bíblia de Estudo Herança

Reformada apresenta auxílios

para a prática devocional

individual ou familiar. Você

poderá encontrá-la em www.

editoraculturacrista.com.br


16

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

PROJETO SARA

Sou feliz com Jesus

“Ainda que eu ande pelo vale da

sombra da morte, não temerei mal

nenhum, porque tu estás comigo; o teu

bordão e o teu cajado me consolam.”

(Sl 23.4)

O

hino “Aflição e paz”,

nº 108 do hinário Novo

Cântico, foi escrito por

Horatio Gates Spafford

(1828–1888), um advogado

de Chicago. Casado com

Anna Spafford, tinham um

filho e quatro filhas.

Em 1870, seu filho de apenas

4 anos morreu devido a

uma febre muito forte. Em

1871, ocorreu em Chicago

um dos maiores incêndios

dos EUA. Horatio teve

enorme prejuízo.

Em 1873, Horatio e sua

esposa decidiram acompanhar

na Europa o amigo

Dwight L. Moody, em sua

Cruzada Evangelística.

Um compromisso de última

hora, porém, o impediu

de embarcar com sua esposa

e filhas. Na madrugada

de 22.11.1873, o navio se

chocou com uma embarcação

inglesa e afundou

em cerca de doze minutos.

Anna Spafford informou

seu esposo: “Salva sozi-

Bilhete de Anna para seu esposo Horatio: “Salva sozinha”.

nha”. Horatio foi encontrá

-la imediatamente e, quando

passou perto do local

onde perdera as filhas,

começou a escrever o hino

cujas primeiras palavras

em português dizem: “Se

paz a mais doce me deres

gozar, se dor a mais forte

sofrer. Oh! Seja o que for,

tu me fazer saber, que feliz

com Jesus sempre sou”.

Nossos lares devem ser

conduzidos na perspectiva

da paz de Cristo, que

ultrapassa o nosso entendimento.

Diante dos desafios,

somos chamados a ter paz,

alegria por passarmos por

provações e perseverança

até a volta de nosso Senhor.

Que oremos e declaremos

nosso amor a Deus,

que nunca nos deixa só,

e ilumina os olhos do

nosso coração, para sabermos

qual é a esperança do

nosso chamamento, qual a

riqueza da glória da nossa

herança e qual a suprema

grandeza do seu poder para

conosco, os que cremos,

segundo a eficácia da força

do seu poder (Ef 1).

Fonte da Imagem: http://

wwwbastiaosena.blogspot.

com/2012/10/historia-do-hino-soufeliz-398-do.html

CAMINHADA CRISTÃ

Quão grande é o nosso Deus!

“Eu sei que o Senhor é grande; o nosso Deus está acima de todos os deuses.” Salmos 135.5

F

Zuleika Schiavinato

eliz o homem que pode

afirmar: “Eu sei que o

Senhor é grande!”

O testemunho na primeira

pessoa revela coisas preciosas

demais. Muito mais do

que ter ouvido falar da grandeza

de Deus, aquele que

afirma que “sabe” que ele é

grande, já experimentou de

Deus.

A Bíblia nos diz que o

Senhor se deixa encontrar

por aqueles que o buscam

de todo coração (Jr 29.13).

Feliz o homem que o procura

e o reconhece em seus

caminhos, pois conhecerá

experimentalmente, quem é

o Senhor!

É feliz quem pode afirmar

que sabe que Deus é grande

porque depositou sua confiança

no Soberano e único

Senhor e não buscou falsos

deuses. Disse o Eterno: “Eu,

e somente eu, sou o Senhor;

não há outro deus além de

mim”(Is 45.5).

É feliz quem, ao perscrutar

o próprio coração, o encontra

escondido em Deus.

Ele saberá que o sol é para

todos, mas a sombra do

Onipotente é só para quem

decidiu habitar no esconderijo

do Altíssimo.

Os atributos revelados de

Deus, por graça, são acessíveis

aos que o buscarem

com inteireza de coração.

Que grandiosa maravilha

é, então, conhecer a Deus e

o seu poder, seu amor, sua

misericórdia.

Minha oração hoje por

mim e por você é que possamos

viver na prática o que

a Palavra nos diz em Colossenses

3.3: “[...] a vossa

vida está oculta juntamente

com Cristo, em Deus”.

Com Cristo, unidos a ele e

em Deus, no descanso dele,

saberemos e anunciaremos

em coro de glórias: “Quão

grande é o nosso Deus!” Ao

Soberano e Excelso Senhor,

a honra, a glória e o louvor!

Amém.

Maria Zuleika Schiavinato, esposa,

mãe, avó e autora, é membro da IP de

Pinheiros, em São Paulo.


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

17

NO BRASIL E NO MUNDO

IV Encontro Fraternidade sem Fronteiras aborda

a realidade de aldeias africanas

O

Giovana Pércio e

Fládima Christofari

IV Encontro Fraternidade

Sem Fronteiras

acontece de 17 a 19 de abril,

no Pavilhão de Exposições

do Anhembi, em São Paulo/

SP, e trará ao Brasil coordenadores

e acolhidos dos

projetos da Organização em

Moçambique, Madagascar,

Malawi e Senegal. Os países

africanos serão representados

por Prince Kalolo,

Felly Zihal, Mark Seraphin

e Cesaltina Muchanga, que

estiveram presentes na última

edição e trazem a realidade

e a mudança que houve

nos centros de acolhimentos

mantidos por meio de doações

mensais.

A quarta edição do evento,

promovido pela Organização

Humanitária Fraternidade

Sem Fronteiras (FSF),

enfatiza a importância de

“Agir Agora!”, tema escolhido

para as reflexões, e reúne

coordenadores dos dez

projetos que atuam para incentivar

os presentes a agir.

O fundador e presidente

da ONG, Wagner Moura

Gomes, explica a importância

dessa representação nos

Encontros da FSF: “O intuito

da presença de cada um

deles é trazer de forma vivencial

os impactos da Fraternidade

Sem Fronteiras

nessas comunidades, nesses

países. Além de trazer toda a

Africanos no IV Encontro da FSF

riqueza cultural, nos fazem

refletir sobre a combinação

de valores africanos com

os valores da Organização.

Tudo isso enriquece muito o

nosso Encontro”, finalizou.

Senegal

No Senegal, o orfanato

Chemin du Futur (Caminho

para o Futuro), oferece

uma rotina de escola

e cuidados com a saúde,

além de música, esporte e

capacitação para o trabalho.

Mark Seraphin, professor

de português e coordenador

do Projeto em Dakar, é

confirmado no evento pelo

segundo ano consecutivo e

revela suas expectativas em

relação à última edição. “No

III Encontro eu vi de perto

que ainda existem pessoas

boas no mundo e prontas

para ajudar. Além do amor,

alegria e empenho de cada

um dos voluntários. Então

fico feliz de poder mostrar

a eles como esse trabalho

muda a vida de pessoas, de

verdade”, relatou.

Madagascar

O Projeto Ação Madagascar

tem quatro polos de

trabalho que acolhem aproximadamente

três mil pessoas

e oferecem alimentação,

água limpa e cuidados

com a higiene. Mais de 350

crianças foram inseridas

na escola e 100 casas foram

construídas na Cidade

da Fraternidade até agora.

Prince Kalolo e Felly Zihal,

acolhidos pela FSF há dois

anos no Malawi, trabalham

hoje na administração do

centro e auxiliam na coordenação

pedagógica. “Fazer

parte da FSF significa muito

pra mim, estar cercado desse

círculo de amor me dá

“A quarta edição

do evento, promovido

pela Organização

Humanitária

Fraternidade

Sem Fronteiras

(FSF), enfatiza a

importância de

‘Agir Agora!’”.

forças para levantar e agir.

Foi isso que me deu a identidade

de ser humano, desde

o começo acreditaram em

mim”, finalizou Prince.

Malawi

No Malawi, contamos

com o Projeto Nação Ubuntu

para mudar as histórias e

oferecer a crianças, jovens e

toda a população de refugiados

e malawianos em situação

de vulnerabilidade um

novo modelo de vida – uma

nova oportunidade. E desta

realidade surgiu o ideal motivador

da Fraternidade Sem

Fronteiras, o ideal Ubuntu

– filosofia africana de partilha

e comunidade: “Eu sou

porque nós somos”, que

será representada no painel

“Valores que transformam

o mundo”, com a presença

dos líderes ubuntu Prince

Kalolo e Felly Azihal.

Moçambique

O Acolher Moçambique é

o primeiro Projeto da FSF,

tem 34 polos de trabalho e

acolhe mais de 10 mil crianças

das aldeias moçambicanas

que viviam na extrema

miséria, a maioria delas órfãs

de pais vítimas do vírus

HIV. Em ambiente de incentivo

à vivência fraterna,

recebem alimentação, cuidados

com a saúde, orientação

à higiene, e participam

de atividades pedagógicas,

recreativas e culturais. Eles

serão representados no IV

Encontro por Cesaltina Muchanga,

coordenadora pedagógica

de um dos centros, e

Florência Dzimba, uma das

jovens acolhidas que alcançou

o ensino superior.

Sobre a Fraternidade

sem Fronteiras – A FSF

é uma organização humanitária

não-governamental,

com sede em Campo Grande

(MS) e atuação brasileira

e internacional. A instituição

possui 45 polos de

trabalho, mantém centros

de acolhimento, oferece

alimentação, saúde, formação

profissionalizante,

educação, cultivo sustentável,

construção de casas

e ainda, abraça projetos de

crianças com microcefalia

e doença rara.

Giovana Pércio e Fládima

Christofari integram a assessoria de

imprensa nacional da FSF


18

Brasil

Presbiteriano

Março de 2020

FALECIMENTOS

Sra. Nelly Bolliger Lane

E

Alderi Souza de Matos

la era mais conhecida

como a viúva do presbítero

Dr. Eduardo Lane,

mas teve o seu próprio valor

e deu apreciáveis contribuições

pessoais à causa

de Cristo no Brasil. Dona

Nelly faleceu na sua residência

em Barão Geraldo,

Campinas, perto da meianoite

do dia 18 de dezembro

de 2019, aos 88 anos.

Três de seus oito filhos

estavam ao seu lado com

suas famílias; os demais

também estavam presentes

por ligação telefônica

de vídeo. Pouco antes foi

lido o belo texto de Isaías

40.25-31. Nelly vinha sofrendo

há anos de fibrose

pulmonar, possivelmente

resultante da radioterapia

de um câncer de mama em

1975. Seus últimos anos

foram de muitos padecimentos.

Ela nasceu na capital

paulista no dia 2 de maio

de 1931. Era filha de Paulo

Guilherme Bolliger, de

origem suíça, e Ana Luíza

Nogueira de Souza Bolliger.

Em 12 de dezembro de

1953, aos 22 anos, casouse

com o acadêmico de

medicina Eduardo Lane,

que se formou logo depois.

A cerimônia foi realizada

nas novas dependências

do Seminário de Campinas

na Avenida Brasil e teve

como oficiantes os Revs.

Américo J. Ribeiro, José

Borges dos Santos Júnior

e Edward Epes Lane. Este

último, o pai do noivo, era

filho do Rev. Edward Lane,

o pioneiro da Igreja Presbiteriana

do Sul dos Estados

Unidos (PCUS) no Brasil.

Os recém-casados passaram

um ano e meio em

Atlanta, na Geórgia, onde

Eduardo fez sua residência

médica. Retornando ao

Brasil, moraram em São

Paulo e em Rio Claro. Em

meados de 1962, passaram

a residir definitivamente

em Campinas. No ano anterior,

Nelly havia traduzido

o livro Seu Lar Hoje e

Amanhã, de S. H. Askew,

para estudo nas reuniões

das Sociedades de Senhoras.

Em 1978, o casal começou

a dar assistência a

uma congregação da Igreja

do Jardim Guanabara em

Barão Geraldo e poucos

anos depois fixaram residência

nesse aprazível subúrbio.

A Igreja de Barão

Geraldo foi organizada

em 1982. O Dr. Eduardo

faleceu em 28 de junho de

2002.

Nelly cursou biblioteconomia

e trabalhou por

algum tempo no Instituto

Agronômico de Campinas,

ao lado do esposo. Depois

passou a dedicar-se ao lar

em tempo integral, mas

nunca deixou de lado a

paixão pelos livros. Estava

sempre rodeada por eles.

Fez trabalhos voluntários

no Seminário Presbiteriano

do Sul e foi uma das

integrantes da Sociedade

A

FALECIMENTOS

Amigas do Seminário, que

auxiliava os estudantes em

suas necessidades básicas.

Sempre foi muito altruísta

e atenciosa com as

pessoas. Nos seus últimos

dias, recebeu em casa dois

agentes do combate à dengue.

Apesar da fraqueza e

limitações, preocupou-se

em orar por eles e entregar

o devocionário Cada Dia.

Os dois rapazes saíram

dali emocionados e pouco

depois trouxeram toda

a equipe para conhecê-la.

Mais uma vez ela conversou

e orou com eles.

Nelly teve oito filhos,

quatro homens e quatro

mulheres: Eduardo, Paulo,

Margaret, Anelisa, Mary,

Sara, William e Marcus,

nascidos entre 1955 e 1970.

Deixou 16 netos e 36 bisnetos.

Logo que ela faleceu,

seu filho mais conhecido, o

pastor e professor William

Lacy Lane (Billy) escreveu

para os amigos um texto

intitulado O Silêncio: “As

palavras não chegavam

mais aos lábios. O fôlego

ainda restante se ocupava

com órgãos mais vitais. O

aperto das mãos dizia que

ela ainda estava presente e

queria companhia. O olhar

vago comunicava que as

coisas mais importantes

não eram as distrações

desta realidade física. Aos

poucos o aperto se atenua,

as mãos se esfriam. Sinal

de que a nossa companhia

não era mais sentida e já se

substituía por outra, que o

fôlego que a mantinha era

ofuscado por outro sopro,

do Espírito da vida eterna.

Sirene Xavier de Lima:

uma vida dedicada ao Senhor

irmã Sirene Xavier de Lima faleceu dia 19 de dezembro

de 2019, aos 85 anos, uma das fundadoras

da IP de Éden, São João de Meriti, RJ.

Sirene participou de todas as sociedades da IP de Éden,

fiel ao seu Senhor. Casou-se com Salvador José de Lima

e tiveram 6 filhos – hoje líderes nas igrejas de que fazem

parte – e 10 netos. Não são poucos os que receberam

seus ensinamentos, na IPB e em outras denominações.

Fernanda Domiciano é assistente-administrativo da IP de Éden.

Assim partiu a nossa mãe.

Serena, em paz. Isso nos

tranquiliza e sossega o nosso

espírito. Somos também

confortados pelo Espírito e

o calor fraternal de todos

vocês”.

O Rev. Alderi Souza de Matos é o

historiador da IPB.

“O Senhor o

deu, o Senhor o

levou; bendito

seja o nome do

Senhor”

(Jó 1.21b).


Brasil

Março de 2020 Presbiteriano

19

FALECIMENTOS

Presbítero Emérito Nell Dias Paiva

“Os que confiam no SENHOR são

como o monte de Sião, que não se

abala, firme para sempre” (SL 125.1).

N

ell Dias Paiva (07.04.

1937–28.12.2019)

nasceu em Lavras, MG e

aos 14 anos mudou-se para

Belo Horizonte. Lá casou-se

com Eunice Barreto Santiago

(06.01.1960) e o casal

teve os filhos Maria Luiza,

Miriam, Magda e Daniel.

Funcionário do Banco

do Brasil desde 1962, foi

transferido para Brasília

em 1973. Seu comportamento

era de um homem

de Deus.

Nell Dias Paiva foi ordenado

presbítero no dia

20.10.1974 e cumpriu oito

mandatos de cinco anos

como presbítero regente.

No dia 22 de abril de 2015,

a Assembleia da IPN decidiu

conceder-lhe o título de

Presbítero Emérito.

Exerceu várias funções

na IPN (1973–2019), como

professor da EBD, líder

no Ministério de Encontro

de Casais com Cristo, um

dos fundadores do CEM

e do Projeto Missionários

Voluntários da IPN, presbítero

conselheiro do Coral,

vice-presidente e secretário

do Conselho da IPN, presidente

do Comitê de Evangelismo

e Missões (CEM),

Superintendente da EBD,

por várias vezes representante

da IPN junto ao Presbitério,

entre outras. Como

professor da EBD, sua especialidade

era ensinar o

Antigo Testamento.

Apoiava os demais trabalhos

da igreja, especialmente

as reuniões de oração.

Amava os pastores e

por várias ocasiões conduziu

o processo de sucessão

pastoral na IPN.

Colaborou na implantação

do Colégio Mackenzie em

Brasília e, em 1996, ano da

sua inauguração, assumiu

a gerência administrativa.

Foi o primeiro funcionário a

desempenhar essa função e

ao longo de oito anos consolidou

o colégio na capital

federal.

Dr. Nell foi um exemplo

de servo e bênção na vida

de muitos. Serviu ao Senhor

com muita alegria. Produziu

frutos a mãos cheias, levando

pessoas a conhecerem a

Jesus como único e suficiente

Salvador e Senhor. E tal

qual Enoque, Dr. Nell andou

com Deus.

O Conselho da IPN expressa

sua gratidão ao Senhor

pela vida do Presbítero

Nell Dias Paiva, servo amado

que o próprio Deus escolheu,

capacitou e agora chamou

para residir eternamente

nas moradas celestiais.

O texto original foi elaborado

pela Comissão Memorial IP Nacional,

em consulta aos familiares

do Presb. Nell e adaptado pelo

Brasil Presbiteriano.

O

Rev. Valdevino bacharelou-se

em Teologia

pelo SPS, Campinas,

em 1979 e foi ordenado

pelo Presbitério de Ceres

no dia 8 de janeiro de 1980.

Em Goiás, pastoreou as

igrejas de Porangatu, Formoso

e as congregações de

Vila Operária (em Porangatu),

Santa Tereza e Minaçu.

Transferiu-para o Presbitério

de Anápolis, cidade em

que pastoreou a 4ª Igreja.

Em 1989, veio para o Presb.

Araraquara (PARQ), pastoreando

a IP de Barretos por

sete anos. De 1996 até 2012

pastoreou a IP Filadélfia de

Araraquara (a segunda igreja

da cidade). Em dois anos

(2011 e 2012) foi auxiliado

pelo Rev. Melquisedeque

da Costa Queiroz de Castro.

Jubilou-se por causa

da enfermidade, mas continuou

frequentando a Igreja

Filadélfia, auxiliando nas

pregações, aulas da escola

dominical, ministração da

Valdevino Pugas dos Santos

Santa Ceia e batismos. Era

bacharel em Pedagogia,

especializou-se em Teoria

Psicanalítica, fez Mestrado

em Evangelização pelo

Seminário Sul Americano

de Londrina, PR. Foi presidente

do Sínodo Oeste de

São Paulo, secretário executivo

do PARQ por vários

mandatos, membro da Juret

(SPS) por indicação do

PARQ. Em 2017 e 2018, a

pedido do PARQ, prestou

relevantes serviços na presidência

do Conselho e nos

atos pastorais junto à IP de

Monte Alto, SP. Aposentouse

pelo INSS em 2011, por

invalidez, com complicações

cardíacas, diabéticas

e hipertensão, que por fim

o levaram a óbito dia 25

de janeiro. Deixa a esposa,

Ana Maria de Oliveira Santos,

três filhos – Rev. Fábio

Pugas dos Santos, Fabiane

e Leilane – além de nora,

genros e netos.

Cecília Accorsi

Este é o meu

consolo no meu

sofrimento:

A tua promessa

dá-me vida.

Salmos 119:50


20

Boa Leitura

Graça e Agrado – Elizabeth Charles

Gomes

R$ 22,00

Brasil

Presbiteriano

Entretenimento e reflexão

O Brasil Presbiteriano não necessariamente endossa as mensagens dos filmes

aqui apresentados, mas os sugere para discussão e avaliação à luz da Escritura.

Março de 2020

“Quero ver minhas irmãs prosseguindo

no conhecimento de Deus

porque assim cumpriremos o propósito

pelo qual fomos criadas (para

glorificá-lo e ter prazer nele para

sempre)”. É com esse propósito que

Elizabeth Charles Gomes, formada

em Educação Cristã, escreve Graça

e Agrado: Lições sobre a mulher na

Carta aos Gálatas.

Contra o machismo que aparece

disfarçado de “fidelidade à palavra

de Deus” e contra movimentos extremamente

radicais em vigência

atualmente, a autora busca aplicar os

conceitos apresentados na epístola

escrita por Paulo à nossa vida atual,

pois continuamos enfrentando as

mesmas questões dos gálatas.

A Elizabeth, que trabalha ao lado

de seu marido como conselheira e

palestrante em “O Refúgio”, milita

pelo Evangelho e incentiva as mulheres

usarem a cabeça junto com

o coração, para que tenham excelência

em todas as áreas da vida e

glorifiquem ao Senhor em tudo. Vale

a leitura!

Uma igreja complicada – Augustus

Nicodemus

R$ 54,00

Escrito por Augustus Nicodemus,

PhD e pastor presbiteriano, o livro

Uma igreja complicada é um comentário

prático sobre os primeiros quatro

capítulos da primeira carta do apóstolo

Paulo aos Coríntios.

Augustus trabalha apenas os capítulos

desse livro que falam sobre o

apostolado de Paulo, com o intuito de

levar o leitor a conhecer as causas e

os remédios bíblicos para a crise de

liderança que domina o mundo e o

meio evangélico atualmente.

O livro que a natureza do ministério

cristão e a unidade da igreja

segundo Cristo, apresenta uma linguagem

clara, prática e atual. Assim

como os outros livros já publicados

pelo pastor na Cultura Cristã, como

A Bíblia e seus intérpretes, A Bíblia e

sua família, Batalha espiritual, Mantendo

a igreja pura, O culto espiritual,

entre outros.

Ao Deus de toda a glória – Euza

Lidório

R$ 54,00

Ao Deus de toda a glória é escrito

por Euza Lidório, que ao lado de seu

marido, o Rev. Gedeon José Lidório

(1932–1993), serviu por 36 anos na

plantação e cuidado de várias IPBs.

Este livro expressa a bondade do

Senhor na vida de uma família cristã,

mais especificamente da família Lidório,

a chegada do Evangelho no interior

de Minas Gerais e a peregrinação

da família mineira no trabalho de

plantação e cuidado de igrejas. Os

relatos apresentados visam servir de

encorajamento para que possamos

servir a Cristo e guarda a fé.

Jojo Rabbit

(2020)

O longa ganhador do Oscar de

melhor roteiro adaptado possui

uma narrativa da Segunda Guerra

Mundial um tanto quanto peculiar,

o motivo: é a partir do ponto de

vista das crianças alemãs!

Jojo Rabbit nos apresenta

Jojo, um garoto alemão solitário

que descobre que sua mãe (vivida

por Scarlett Johansson), está

escondendo uma garota judia no

sótão da casa deles. Além disso,

o amigo imaginário de Jojo é Adolf

Hitler, que o ajuda a enfrentar

seu nacionalismo cego enquanto a

Guerra prossegue.

Trazendo ainda mais um ar

ousado e diferenciado, o filme

conta com altas doses de humor

para tratar de um tema histórico

tão delicado. O elenco conta com

muitas crianças bem preparadas

para traduzir a temática de maneira

leve, cômica e sem deixar de

ser comovente.

Vale ressaltar que mesmo

sendo um filme protagonizado por

crianças, não deixe de conferir

classificação etária. Jojo Rabbit

ainda está em cartaz em alguns

cinemas do Brasil.

Adoráveis Mulheres

(2020)

Adoráveis Mulheres é a mais

nova adaptação do livro do romance

clássico da escritora Louisa

May Alcott, onde somos apresentados

a histórias das irmãs March,

quatro jovens talentosas e com

sonhos distintos, que estão determinadas

a viverem conforme suas

próprias regras.

Diferente das outras seis adaptações

para o cinema do clássico,

neste filme podemos notar uma

construção de narrativa que une

presente e passado, tendo como

temática principal os anos seguintes

à Guerra de Secessão, quando

Jo March e suas irmãs voltam para

casa quando Beth, a irmã caçula,

desenvolve uma doença devastadora

que muda para sempre a

vida dela.

O longa nos oferece falas e

cenas interessantes para analisarmos

a luz da Palavra e entender

como podemos nos portar ante as

dificuldades. Além disso, é um belo

entretenimento com ótimas atuações,

direção excelente e figurinos

encantadores. Verifique a classificação

etária antes de assistir (até

o fechamento dessa edição, ainda

disponível em alguns cinemas do

Brasil).

A menina e o leão

(2019)

A menina e o leão, disponível na

plataforma de streaming do Netflix,

nos conta a história de Mia, a filha

mais velha de uma família de cuidadores

de animais que se muda

de Londres para a África do Sul.

Com saudades dos amigos ingleses,

a protagonista encontra no

recém-nascido leão-branco, apelidado

de Charlie, uma maneira de

suprir esse sentimento nostálgico

de seus amigos e país natal.

Com o passar do tempo, a

jovem cria com um vínculo especial

com o animal, tornando-se

praticamente inseparáveis. Até

que anos depois, o bicho é ameaçado

e Mia parte com ele em uma

jornada para devolvê-lo à selva.

Com belas imagens, o filme é

puro entretenimento para família,

abordando de maneira leve temas

como relações familiares e como

os pais têm importante função nas

vidas e personalidades dos filhos,

e ainda serve como uma espécie

de denúncia contra as práticas

de caça (legalizadas), que leva

à morte centenas de animais por

anos no solo sul-africano.

Sobre esses e outros títulos acesse

www.editoraculturacrista.com.br

ou www.facebook.com/editoraculturacrista

ou ligue 0800-0141963

Curta nossa página no facebook e receba notícias do que está sendo realizado pela IPB.

www.facebook.com/jornal.brasilpresbiteriano

More magazines by this user
Similar magazines