Revista Schalke 04 Brasil

centralschalkebr

A primeira edição da revista Schalke 04 Brasil, trazendo curiosidades, história, retrospecto do Schalke 04 na temporada 2019/20, informações sobre o fan clube e muito mais.

Seu novo resumo digital da temporada!

JULHO de 2020 - Edição 1


MAGAZINE ANUAL 2020

DIRETOR: Enrico Pierroti

EDITORES: Enrico Pierroti e Paulo Zhërus

REDAÇÃO: Enrico Pierroti, Juliana Trombini, Miguel

Bechler, Paulo Zhërus, Thales Dantas.

ILUSTRAÇÕES: Enrico Pierroti e Paulo Zhërus

CAPA: Gustavo Capello

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO: Paulo Zhërus

Edição: 01

Julho de 2020.


MAGAZINE ANUAL 2020

INTRODUÇÃO

p.4

HISTÓRIA p.5

Fundação

p.6

Origens

p.7

População

p.9

Schalker Kreisel

p.10

PRÉ-TEMPORADA

p.11

Amistosos

p.12

David Wagner

p.13

Transferências

p.14

Destaques da pré-temporada

p.15

TEMPORADA 2019/20

p.17

Temporada 2019

p.18

Período de pandemia

p.19

Temporada 2020

p.20

Tabela de classificação e jogos do time p.22

League of Legends

p.23

FINANCEIRO

p.25

Investimentos nos últimos anos

p.26

Investimentos para a temporada 19/20 p.27

Relatório KPMG

p.28

Bons investimentos

p.29

FÃ-CLUBE

p.31

Ações de engajamento

p.32

História do portal Schalke 04 Brasil p.33

Quem somos

p.34

TEMPORADA 20/21 – O QUE ESPERAR? p.35


Editorial

Quando a ideia da revista foi colocada ao

grupo durante uma chamada de negócios no

aplicativo do Google Meet, numa noite de

Sábado, a ideia e as possibilidades não

ficaram claras imediatamente, mas quando o

modelo foi apresentado, então todos nós

pudemos ter a dimensão de tudo o que

poderia ser feito e explorado.

A ideia é dar prosseguimento com a intenção

inicial do grupo que data de 2014, quando

tudo começou. Trata-se de fazer chegar mais

conteúdos ao fã torcedor do Schalke 04. Para

se ter ideia do tamanho que se tornou este

projeto, observe que foi suprimida a palavra

"brasileiro" no reporte da frase anterior ao fã

torcedor. Isso porque o projeto já buscou

meios de se apresentar também em outras

linguas. A via de fazê-lo é nova. Poder

estender nossos alcances mediante uma

revista que tem a ambição de ser anual,

sempre após o encerramento da temporada, é

uma forma de fazer o trabalho que

desenvolvemos mais profissionalizado.

Aumentar os canais de comunicação descreve:

estamos trabalhando. Mais do que isso,

podemos tornar nosso clube mais conhecido,

mais re-conhecido e mais compartilhado.

Este ano de 2020 foi cheio de novidades não

necessáriamente boas. O cenário foi atípico

por diversos motivos e a própria experiência

de se torcer para o Schalke teve seus

momentos diversos. Falaremos destes

momentos, descreveremos o cenário

internacional e as mudanças que a

adversidade pandêmica provocou nas formas

de interação com o esporte.

A expectativa com este trabalho é que mais

pessoas sejam alcançadas e passem a conhecer

um pouco mais o nosso amado clube e

também os motivos pelos quais o estimamos.

Para tanto, ao longo das seções nós

trataremos dos momentos vivídos pelo

Schalke, das curiosidades e da rica história,

desmistificando alguns fatos que nos são

atribuídos como uma forma de propaganda

negativa e caluniosa. Faremos isso

apresentando as qualidades que destacaram o

Schalke 04 principalmente na primeira

metade do século 20. Entre tanta história a

ser escrita e tantos fatos a serem e contados,

apresentaremos dados e traremos a interação

com torcedores brasileiros que há muito

tempo acompanham o clube. Convidamos

você, amante de futebol, a conhecer a

caminhada que a seguir passaremos a contar.

Obrigado!


Introdução

Olá torcedor azul-real, seja bem-vindo a revista destinada a

temporada 2019/2020 do Schalke 04. Nessa primeira edição,

abordaremos todos os acontecimentos da temporada que se encerrou

no dia 27 de junho de 2020, após a rodada final contra o Freiburg, no

Schwarzwald-Station.

Essa temporada certamente foi uma das temporadas mais atípicas da

história do clube. A paralisação do futebol na Alemanha, ainda no

início do mês de março, certamente não estava nos planos de nenhum

diretor, comissão técnica ou dos jogadores. Como será detalhado

posteriormente, o impacto causado pelo Covid-19 terá extrema

influência no futuro do clube.

Dentro de campo, o clube apresentou um futebol completamente

inconsistente. A primeira metade da temporada criou uma expectativa

que acabou não se concretizando na segunda metade da mesma,

principalmente após o reinício do futebol, em um momento onde a

situação do vírus já estava mais controlada na Alemanha.

Toda a equipe da Schalke 04 Brasil se empenhou na realização desse

projeto, esperamos que o mesmo possa ser útil e do agrado de todos

os torcedores de nossa comunidade brasileira de fãs. Aproveitem o

conteúdo e Auf Schalke!

4


HEINZ LUDEWIG

História


História do clube

A essência vigorosa da construção de um clube de futebol está em como o seu nome será

lembrado no futuro, construindo as propriedades do passado com atributos no presente.

Com o FC Schalke 04, isso não é diferente. São 116 anos de uma coletânea gloriosa, que

passa por sua fundação, origens, localização, títulos, campanhas inesquecíveis, jogadores

notáveis, treinadores, presidentes e, claro, nosso maior patrimônio passional: as

categorias de base.

Fundação

O clube foi fundado aos 4 dias do mês de

maio do ano de 1904, como Westfalia

Schalke, por um grupo de estudantes do

ensino médio da cidade; neste momento,

utilizava as cores vermelho e amarelo. O

time, de início, não conseguiu ingressar na

extinta Westdeutscher Spielverband

(Associação de Futebol da Alemanha) e

começou a jogar através de uma das

associações não oficiais do início do futebol

alemão. Em 1912, após anos de tentativas

fracassadas de fazer parte da liga oficial,

eles se fundiram com o clube de ginástica –

e também já extinto – Turnverein 1877

Schalke, fato que facilitou sua entrada na

tão desejada competição. Esse acordo

vigorou até 1915, quando o SV Westfalia

Schalke foi restabelecido como um clube

independente. A separação, porém, teve

vida curta e os dois se reuniram novamente

em 1919 como Turn-und Sportverein

Schalke 1877. A “nova equipe” ganhou suas

primeiras honras em 1923, sagrando-se

campeão da Schalke Kreisliga

(correspondente, atualmente, à 8ª divisão

alemã). Foi nessa época, também, que o

Schalke ganhou a alcunha de Die Knappen,

uma antiga palavra alemã designada a

mineiros que a recebiam por terem se

destacado em seus trabalhos nas

mineradoras de carvão da cidade.

Em 1924, o time de futebol separou-se dos

ginastas novamente, desta vez levando o

presidente do clube, Heinz Ludewig (1889-

1950), junto com eles. O nome Fußball-

Club Gelsenkirchen Schalke 04 foi

adotado e, de quebra, uma

mudança nas cores do clube

ocorreu: foi passado do vermelho e

amarelo para o azul e branco. A

troca de cores trouxe consigo uma nova

alcunha para o time, a de Die Königsblauen

(em inglês: The Royal Blues, ou Os Azuis

Reais). No ano seguinte, o clube tornouse

o time local dominante, com

base em um estilo de jogo que

utilizava passes curtos e precisos,

de homem a homem, para

movimentar a bola. Mais tarde, esse

sistema se tornou famoso com o

nome de Schalker Kreisel (em inglês,

algo semelhante a um pião, pela forma

como o time jogava). Em 1927, ele os levou

para a primeira divisão alemã, então

chamada de Gauliga Ruhr, fato que marcou

a consolidação da equipe como um

fidedigno clube de futebol.

6


Origens

Em 1875, a cidade de Gelsenkirchen recebeu a honraria titular de

cidade, com uma população de pouco mais de 11.000 habitantes.

A cidade, que antes pertencia à província de Bochum, existe desde

1865, entretanto, seu nome até a referida data era Landgemeinde

Gelsenkirchen, titulação que permaneceu até o então Rei da

Prússia, Wilhelm I, promulgar, em 29 de novembro de 1875, a

ordenação de Gelsenkirchen como cidade independente.

Schalke era o nome do distrito da classe

trabalhadora de Gelsenkirchen onde o clube nasceu.

Jogadores e fãs, na época, vieram desta área da cidade. É aqui

onde os mineiros e suas famílias moravam, trabalhavam e

desfrutavam do prazer de viver na região. Foi, também, onde o

primeiro estádio do Schalke – Glückauf-Kampfbahn – foi

construído, palco dos títulos conquistados pelo clube nas décadas

de 1920 e 1930.

Desde aqueles dias, tudo mudou. Graças à desindustrialização, o

distrito entrou em declínio acentuado e a próspera comunidade da

classe trabalhadora de antigamente passou a existir em parcela

mínima nos dias atuais. O clube mudou-se três quilômetros para o

norte - primeiro no Parkstadion e, mais recentemente, na nova e

brilhante Veltins-Arena.

7

Sendo um clube de raízes humildes e passionais, muitos

torcedores locais ficam desapontados em olhar para o clube e vêlo

se adaptar ao mundo globalizado, com estádios gigantescos e

públicos que admiram o esporte apenas por lazer e diversão. A

crítica deles refere-se ao fato de muitas pessoas naturais da cidade

acompanharem o clube sem sequer saber onde o mesmo foi

fundado, por quem, quando e como se estabeleceu como uma

entidade histórica no distrito e na cidade como um todo,

elementos considerados fundamentais para qualquer indivíduo

que deseje sentir a essência da instituição intitulada FC Schalke

04, tanto dentro quanto fora de campo. O desejo comum é de que

o simbolismo deixado pelos trabalhadores que criaram a equipe

jamais seja esquecido e/ou apagado da memória daqueles

torcedores que amam incondicionalmente o clube.


Antes da industrialização, a área de Gelsenkirchen pertencia a uma

região de poucos eventos, tendo apenas a agricultura e o artesanato

como atividades mantenedoras da cidade. Nos registros mais antigos

da região, as aldeias, comunidades agrícolas e fazendas são

mencionadas pela primeira vez por volta do ano 1000 pelo entorno,

tendo como algumas evidências significativas dos tempos préindustriais,

por exemplo, o Castelo Horst como testemunho do

Renascimento Weser e as Montanhas do Castelo no cinturão verde de

Buerschen.

No início do século XIX, a antiga estrutura territorial e social que havia

crescido desde a Idade Média foi fundamentalmente alterada após a

Revolução Francesa. Perante a reorganização do Congresso de Viena

(1814/15), a área da cidade atual de Gelsenkirchen agora pertencia

predominantemente à recém-formada província prussiana da Westfalia. Até

meados do século XIX, o perímetro continuava sendo uma área agrícola na

qual as pessoas viviam uma vida rural, sobretudo com uma agricultura de

subsistência. Além da área ribeirinha do Ruhr, toda a região que

compreendia à Westfalia era predominantemente rural-agrícola no início da

era contemporânea. Além disso, os mosteiros, mansões, igrejas e vilas

camponesas careciam de administração uniforme, no tocante ao processo de

industrialização da cidade.

Por volta de 1850, Gelsenkirchen mudou radicalmente: a mineração

do Ruhr atingiu a Emscherzone (Zona de influência do rio Emscher,

afluente do rio Reno), sobretudo a vila da igreja de Gelsenkirchen e

as comunidades vizinhas. Na última década do século XIX, na fase de

alta industrialização, a mineração alcançou as cordilheiras de Vestian

ao norte do Emscher (Vestischezone) e as partes do norte da cidade

de Gelsenkirchen - Buer e Horst, hoje. O processo de industrialização

transformou brutalmente as aldeias e vilas camponesas na cidade,

fato que possibilitou, às pessoas, começar a utilizar o termo "Oeste

Selvagem" da Prússia, quando se referiam às cidades em expansão na

Renânia e em Westfalia antes da Primeira Guerra Mundial, haja vista

a velocidade e intensidade de crescimento que estas regiões estavam

tendo. Na época, a cidade recebeu, também, o apelido de "Cidade dos

Mil Incêndios", pois toneladas de carvão eram incendiadas diversas

vezes por dia, devido à alta demanda que as fábricas locais exigiam

deste minério fundamental para o funcionamento da segunda

economia.

8


População

Em tempos de mudança estrutural, a cidade

teve que lutar com as mudanças

necessárias. Em 1958, possuía 386.874

habitantes. Atualmente, a população caiu

para abaixo de 260.000. A economia mudou

em um processo difícil de gestão econômica

e social da mudança estrutural perante a

globalização, que ainda não foi concluída.

Hoje ainda existem várias empresas

industriais importantes em Gelsenkirchen,

algumas das quais surgiram da indústria de

mineração. Atualmente, menos de 30% dos

funcionários de Gelsenkirchen que estão

sujeitos a contribuições para a seguridade

social trabalham no setor manufatureiro,

portanto, mais do que o dobro de

Gelsenkircheners (alcunha utilizada para os

habitantes da cidade) trabalha no setor de

serviços da segunda e terceira

economias. Além das instalações públicas,

previdência e administração sociais e

sistema educacional, que foram ampliados

desde a década de 1960, há muitos

empregos voltados para o comércio,

logística, pesquisa científica e,

principalmente, desenvolvimento

socioambiental da região.

Gelsenkirchen não é mais uma cidade

industrial, mas como uma cidade da era de

indústrias criada a partir de aldeias da

mesma, continuará sendo uma cidade tal

qual e terá que lidar com os problemas das

mudanças que o mundo sofre. Sendo assim,

a história da industrialização permanecerá

como parcela significativa de sua

identidade, mas suas propriedades não são

mais monoestruturadas e unicamente

dependentes da indústria, pois diversos

outros campos de desenvolvimento urbano e

rural surgiram, visando uma melhor

adaptação da cidade tanto ao mundo atual

quanto ao futuro.

9


DESTAQUE

Schalker Kreisel

A lenda do “rotatório” Schalke teve sua origem quando a

família Ballmann mudou-se para a Inglaterra logo após a

virada do século, junto com os dois filhos Friedrich

(conhecido como Fred) e Hans. Os garotos cresceram na

Grã-Bretanha, palco de onde o futebol nasceu, onde o

mesmo já fazia parte da alta cultura e era fortemente

baseado nos métodos esportivos escoceses.

Após a guerra, Fred e Hans Ballmann voltaram para a

Alemanha e juntaram-se aos jogadores de futebol do então

Turnverein 1877 Schalke, em 1919. Eles transmitiram seus

conhecimentos e experiências e ensinaram à equipe o

estilo de jogo dos escoceses, visando deixar o oponente

tonto com passes curtos, drible e finta. O então “pião

Schalker” nasceu.

A rotação típica funcionava da seguinte maneira: do

zagueiro esquerdo ao corredor intermediário, dali por

cima do zagueiro direito até o corredor direito. Em

seguida, ele encaminhava a bola para o meia-atacante

direito antes de voltar para o corredor médio. Assim, o

jogo foi comparado a uma máquina giratória ou a um

relógio. Todo jogador sabia o que fazer e esse era o

segredo do time. Raramente era visto o time jogando de

maneira diferente, isto é, “se o ataque não puder terminar

com êxito, volte e comece novamente”. O controle de bola

era a regra número um, mesmo muito antes do lema de

Johan Cruyff no FC Barcelona: “Desde que tenhamos a

bola, o adversário não pode marcar um gol”.

O giroscópio, no entanto, não se tratava apenas de passes

planos e corrida livre ativa. O drible também foi declarado

com um atributo fundamental, haja vista que os jogadores

tinham muito mais tempo e espaço do que hoje, pois a

falta de pressão do oponente facilita muito o jogo

combinado.

O pião do Schalke dominou o futebol na Alemanha de uma

maneira sem precedentes. Os irmãos Fred e Hans

Ballmann trouxeram o jogo com passes curtos para

Gelsenkirchen, onde Ernst Kuzorra e Fritz Szepan o

aperfeiçoaram. Com os componentes básicos do sistema de

jogo (passes curtos e planos, corrida livre ativa, finta e

drible inteligente), a frase de Ernst Kuzorra ficou

eternizada: “o pião girou e os títulos caíram”.

10


Pré-temporada


Pré-temporada

O Schalke teve seus 5 primeiros amistosos da pré-temporada ainda em território alemão e

todos como visitante. Contra o Oberhausen, vitória por 3x1, contra o Stadtauswahl

Bottrop por um elástico placar de 20x1, contra o Viktoria Köln, fomos derrotados por 4x2,

contra o Wattenscheid um empate por 2x2, e contra o Norwich(ING), em Lotte, uma

derrota por 2x1. Após essa sequência, a equipe viajou para a Holanda para enfrentar o

Twente, recém promovido para a 1ª divisão, onde empatou por 1-1.

Confira o mapa e os resultados da pré-temporada

12


Após vir de uma temporada ruim, o clube reformulou o elenco com algumas

contratações e vendas para uma mudança geral. Entre as mudanças, a chegada do

jovem técnico ex-Huddersfield(ING), David Wagner.

Após a saída de Domenico Tedesco durante

a temporada passada e com o lendário Huub

Stevens assumindo e comandando a equipe

de forma interina, o Schalke 04 apostou na

contratação do jovem treinador alemão

David Wagner. Ex-atleta do clube durante os

anos de 1995 a 1997, onde conquistou a

UEFA Cup e atuou em trinta e seis partidas,

com três gols marcados e duas assistências,

Wagner estava livre no mercado, após sua

saída do Huddersfield.

Ele iniciou a carreira como treinador em

2007, quando assumiu a equipe sub-19 do

Hoffenheim, por uma temporada. Na

seguinte, comandou a equipe sub-17 do

mesmo clube. Ficou dois anos fora do

mercado, até ser contratado pela equipe

secundária do grande rival, Borussia

Dortmund. Foram quatro temporadas no

clube, com 164 partidas, cinquenta e sete

vitórias, quarenta e sete empates e sessenta

derrotas. No período, ficou muito próximo

de Jürgen Kloop, pessoa a qual o considera

o Wagner como um de seus grandes amigos.

Deixou o Borussia Dortmund para assinar

com a equipe do Huddersfield, onde teve

seu melhor trabalho como treinador. Foi

fundamental para as boas campanhas na

EFL Championship, o que rendeu a tão

sonhada promoção para a Premier League.

Mantendo um bom trabalho, conseguiu se

manter na primeira divisão, o que

certamente era a expectativa da direção e

torcedores. Na segunda temporada na

Premier League, o desastre aconteceu.

Huddersfield último colocado do

campeonato, com apenas três vitórias, sete

empates e incríveis vinte e oito derrotas,

David Wagner não conseguiu permanecer no

cargo até o final da temporada.

Contratado como aposta pelo Schalke 04, o

início foi promissor. O clube finalizou a

primeira metade da temporada na quinta

posição, com grandes chances de conseguir

se classificar para a Champions League da

próxima temporada. Como todos sabemos,

após a vitória contra o Borussia M’gladbach

por dois a zero, o time entrou em sua pior

sequência negativa da história, com

questionáveis decisões do treinador, que por

muitas vezes, escalava mal a equipe titular

ou mesmo quando demorava para substituir,

ainda assim mexia de forma equivocada no

time. Mesmo com tamanha situação, David

Wagner não foi demitido durante a

temporada.

13


No mercado de tranferências para a temporada que seria iniciada, o Schalke foi

econômico nas contratações, mas não nas saídas. A ideia era de enxugar o lenco e

apenas compor setores carentes.

CHEGADAS

O turco Ozan Kabak foi contratado junto ao Stuttgart por €15M, após ser um dos únicos a

fazer uma boa temporada no time recém rebaixado.

Benito Raman foi buscado no Fortuna Düsseldorf, custou €6.5M aos cofres do azul-real e foi

um dos principais jogadores de 2018/19 no ataque do Fortuna.

Jonjoe Kenny foi contratado por empréstimo junto ao Everton(ING), onde não era o lateral

direito titular.

Jogadores da Knappenschmiede (base do Schalke) como Levent Mercan, Jonas Carls e

Görkem Can foram promovidos ao time profissional.

SAÍDAS

Breel Embolo foi vendido por €10M ao Borussia Mönchengladbach, após passar uma boa

parte da última temporada lesionado.

Benjamin Goller, que foi promovido da base e passou 1 ano no clube jogando pouquíssimas

partidas, foi contratado à custo zero pelo Werder Bremen.

Cedric Teuchert foi emprestado com uma taxa de transferência de 500 mil euros para o

Hannover, e também não teve bom desempenho na temporada anterior.

Bernard Tekpetey foi emprestado ao Fortuna Düsseldorf.

Sebastian Rudy foi emprestado ao Hoffenheim com taxa de transferência de 850 mil euros, e

na temporada anterior foi contratado por €13M. Um enorme prejuízo ao Schalke 04.

Hamza Mendyl foi emprestado ao Dijon(FRA) com uma taxa de transferência de 500 mil

euros.

Pablo Insua foi emprestado ao Huesca(ESP).

Yevhen Konoplyanka foi vendido para o Shakhtar Donetsk(UCR) por €1.5M, e passou 3

temporadas no clube azul-real.

Ralf Fährmann foi emprestado para o Norwich(ING) com taxa de transferência de €3M.

Haji Wright foi cedido ao VVV-Venlo(HOL) à custo zero.

14


Nem todas as contratações para a temporada mostraram pra que

vieram naquela época, mas o clube teve gratas surpresas. O

Schalke apresentava um estilo de jogo ofensivo, organizado e

bem diferente do que foi na segunda metade da temporada, e

além disso, houveram boas atuações individuais. Durante o

período, os atletas que mais se destacaram no time

foram: Guido Burgstaller, com sete gols marcados,

Ahmed Kutucu, com quatro gols marcados, Rabbi

Matondo e Steven Skrzybski, ambos com 3 gols

marcados, Nassim Boujellab e Fabian Reese, ambos

com dois gols marcados, além de Amine Harit,

Benito Raman, Bastian Oczipka e Mark Uth, todos

estes tendo anotado um gol durante a prétemporada..

Após passar por uma temporada fraca, esse era

um começo promissor. Na semana seguinte, o Schalke 04 já faria

sua estreia na DFB-Pokal.

Em nove partidas disputadas na pré-temporada, o clube obteve

um desempenho total de quatro vitórias, dois empates e três

derrotas, anotando trinta e seis gols (média de quatro marcados

por amistoso) e sofrendo quinze (média de 1.67 sofridos),

finalizando, assim, com um aproveitamento de quarenta e

quatro por cento nos jogos realizados antes do início oficial da

temporada.

15


Confira algumas fotos da

pré-temporada

16


Temporada 19/20


Temporada 2019/20

Temporada – 2019

A primeira partida oficial do clube nessa

temporada ocorreu na 1ª eliminatória da

Copa da Alemanha, onde o clube venceu,

fora de casa, o SV Drochtersen da 4ª divisão

alemã, pelo placar de cinco a zero. Steven

Skrzybski, Guido Burgstaller, Daniel

Caligiuri, Levent Mercan e novamente Guido

Burgstaller, marcaram os primeiros gols da

temporada. Com isso, o Schalke 04 avançou

sem maiores dificuldades, para a próxima

fase da competição.

Após isso, começamos a primeira sequência

de partidas na Bundesliga. A estreia na

competição ocorreu contra o Borussia

Mönchengladbach, fora de casa. A partida

foi pouco movimentada e por isso, nenhuma

das equipes conseguiu abrir o placar. Na

segunda partida, fizemos nossa estreia na

Veltins Arena e enfrentamos um adversário

duríssimo, o atual octacampeão Bayern de

Munique. A partida envolveu diversas

polêmicas de arbitragem, principalmente em

duas ocasiões, onde pênaltis claríssimos não

foram marcados para a equipe da casa. No

final da partida, o clube saiu derrotado pelo

placar de três a zero.

Mesmo com o primeiro revés da temporada,

David Wagner alterou a equipe e

conseguiu uma excelente sequência

de vitórias. Foram doze pontos de

doze disputados, com direito a goleada

pelo placar de cinco a um contra o

Paderborn, fora de casa. Duas belas vitórias

contra o Hertha Berlim (três a zero, na

Veltins Arena) e contra o RB Leipzig (três a

um, fora de casa), além de uma vitória por

dois a um sobre o Mainz 05, em casa.

A cada partida, a equipe demonstrava um

melhor desempenho. Infelizmente, a alegria

dos torcedores do clube durou pouco. Após

um empate sem graça em um a um, contra o

FC Köln, em plena Veltins Arena, o clube foi

derrotado pelo Hoffenheim por dois a zero,

na PreZero Arena. A última partida dessa

sequência de jogos da Bundesliga, foi o

Revierderby, simplesmente o maior clássico

da Alemanha. Com o estádio lotado e toda a

torcida a favor, o Schalke 04 lutou, mas

infelizmente, não conseguiu abrir o placar

contra o Borussia Dortmund. O primeiro

derby da temporada, terminara no zero a

zero.

Copa da Alemanha. Pela segunda

eliminatória da competição, o Schalke 04

visitou a SchücoArena, estádio do Arminia

Bielefeld. Mesmo com a oscilação de

desempenho durante a partida, vencemos

pelo placar de três a dois. Os gols foram

marcados por Alessandro Schöpf e em duas

oportunidades, Benito Raman.

18


Após mais uma

classificação na Copa da

Alemanha, o clube

disputou uma dura

sequência de partidas pela

Bundesliga. Motivados por

essa classificação,

vencemos o Augsburg, fora

de casa, também pelo

placar de três a dois. Por

displicência da equipe,

acabamos empatando por

três a três, em casa, contra

o Fortuna Düsseldorf, essa

partida foi marcada pelo

hat-trick de Rouwen

Hennings. Voltamos a

vencer, dessa vez fora de

casa, batemos o Werder

Bremen por dois a um,

além de vencermos

também, na Veltins Arena,

o estreante na primeira

divisão, Union Berlim, por

dois a um.

No mês de dezembro,

tivemos quatro partidas

complicadas para a equipe.

No jogo contra o Bayer

Leverkusen, fora de casa,

perdemos por dois a um.

Vencemos a sensação da

temporada 2018/2019,

Eintracht Frankfurt, em

casa, por dois a um. E

ainda, empatamos as duas

partidas seguintes: um a

um, fora de casa, contra o

Wolfsburg e dois a dois,

em casa, contra o Freiburg.

Assim foi encerrada a

primeira metade do

campeonato nacional,

nessa altura, o clube

esteva na 5ª colocação.

19

PANDEMIA

Embora a família de vírus “CoV” já seja conhecida há cerca de 6 décadas pela comunidade

sanitária, a pandemia causada pela disseminação do novo coronavírus foi decretada pela

Organização Mundial de Saúde (OMS) no início do mês de Março. Isso devido a facilidade com

que este novo vírus tem de proliferação, o que fez com que 196 nações registrassem

contaminações pelo Covid-19. Embora uma taxa de fatalidade baixa se comparada a outras crises

sanitárias causadas por esse grupo de vírus que ocorreram na primeira década deste século,

medidas sérias tiveram de ser adotadas com a finalidade de contingenciar a proliferação e assim o

colapso dos sistemas de saúde dos países.

Devido as medidas de contingenciamento do vírus como uso de máscaras, géis para assepsia e

isolamento social, órgãos, empresas e instituições tiveram que se adaptar às novas normas de

saúde, o que impactou diretamente nas formas de produção e entrega de produtos. No futebol

não foi diferente. Alguns campeonatos foram paralisados e outros acabaram sendo encerrados

precocemente. A Bundesliga foi um dos campeonatos que retornou. A retomada se deu após uma

pausa de pouco mais de 2 meses. Ainda assim, medidas de contingenciamento tiveram forte

impacto no desempenho econômico dos clubes e mesmo no desempenho dos atletas. Os jogos que

faltavam para o encerramento do campeonato não tiveram público e os clubes tiveram que lidar

com os pedidos de ressarcimento dos ingressos vendidos de forma antecipada.


Temporada – 2020

Após uma pausa de inverno movimentada

nos bastidores, o Schalke iniciou o returno

do campeonato com dois novos reforços,

Michael Gregoritsch e Jean-Clair Todibo,

ambos vindo por empréstimo de Augsburg e

Barcelona, respectivamente. Logo de cara,

vencemos o Borussia Mönchengladbach por

2-0 em Gelsenkirchen, com gols de Serdar e

do, até então, estreante Gregoritsch. Foi o

início de um fim.

Perdendo para o Bayern de Munique por 5-0

na Allianz-Arena e empatando em 0-0 com o

Hertha também fora de casa, o clube viu no

jogo contra o mesmo Hertha, 5 dias depois,

pela Pokal, sua última vitória, até então, no

ano de 2020. Vencendo o time da capital por

3-2, na prorrogação e de virada, a vaga para

as quartas-de-final simbolizou o fim

quantitativo de resultados relevantes para a

equipe, que amargurou, desde tal data até o

fim do campeonato alemão, em junho, sua

pior sequência sem vitórias em jogos oficiais

na história.

Ao todo, foram seis empates e nove

derrotas na Bundesliga, além da eliminação

para o Bayern de Munique na Pokal, com

uma também derrota, por um a zero, em

casa, sendo elas para: Bayern (cinco a zero

fora de casa), Hertha Berlim (zero a zero

fora de casa), Paderborn (um a um em

casa), Mainz (zero a zero fora de casa),

Leipzig (cinco a zero em casa), Köln (três a

zero fora de casa) e Hoffenheim (um a um

em casa), todas estas realizadas antes da

paralisação mundial dos esportes, em função

da pandemia de COVID-19.

Após nove semanas de quarentena,

isolamento e distanciamento social, o

governo alemão autorizou o retorno dos

jogos de futebol no país, sendo a Bundesliga

a principal beneficiada no processo. Logo de

cara, a primeira partida a ser realizada para

dar início à vigésima-sexta rodada da

competição foi escolhida a dedo: o

Revierderby. Simplesmente, Borussia

Dortmund e Schalke 04 fariam, no Signal-

Iduna Park, um jogo que cessaria o anseio

dos amantes do futebol ao redor do globo,

pois seria a primeira partida oficial de uma

liga do TOP-5 europeu (Inglaterra, Espanha,

Itália, Alemanha e França). Para o torcedor

azul-real, a volta foi um pesadelo. Jogando

de forma limitada e com pouca capacidade

de reação, o clube foi massacrado pelo rival,

fora de casa, perdendo por quatro a zero e

instalando um ponto de interrogação na

mente dos torcedores, que temeram o

destino do clube no “pós-pandemia”.

O que pode se transformar em um choque

de ânimo e realidade foi, no fim das contas,

o início de uma tragédia sem precedentes.

Em sete rodadas pós-clássico, o time

empatou dois jogos e perdeu outro seis,

sendo eles, respectivamente: três a zero para

o Augsburg, em casa; dois a um para o

Fortuna Düsseldorf, fora de casa; um a zero

para o Werder Bremen, em casa; um a um

com o Union Berlin, fora de casa; um a um

20


com o Bayer Leverkusen, em casa; dois a um

para o Eintracht Frankfurt, fora de casa;

quatro a um para o Wolfsburg, em casa e, na

partida final, um acachapante quatro a zero

diante do Freiburg, fora de casa. Esta

última, ficou marcada pelos diversos

protestos realizados por cerca de 1.250

torcedores ao redor da Veltins-Arena, no

horário do jogo. Dentre as reclamações,

destacaram-se as seguintes: falta de

estrutura esportiva do clube, reformulação

iminente, má administração de Clemens

Tönnies (presidente do Schalke) e

permanência do treinador David Wagner no

comando técnico da equipe, dada a

dificuldade em repetir o futebol apresentado

na primeira metade da temporada.

Contudo, a pausa diante da crise do

Coronavírus fez com que o time passasse a

sensação de ter desaprendido a jogar

futebol. Equipe mal escalada, chutões para

frente o tempo todo, falta de utilização ativa

dos jogadores de meio-campo e,

principalmente, lesões dos jogadores de

destaque do time, como Sané, Kabak,

Mascarell, Serdar, Harit e Raman,

corroboraram para o descenso veloz e

gradual da equipe, tanto no futebol

apresentado quanto na tabela. Um fato que

exemplifica tal feito é este último, onde

saímos do sexto lugar no pré-pandemia para

o décimo-primeiro lugar no pós-pandemia,

somando apenas dois pontos – de vinte e

sete possíveis – em nove partidas.

Com tais resultados, o clube alcançou a

terrível marca de maior sequência sem

vitórias na história na Bundesliga,

contemplando 16 jogos sem saber o que é

vencer no campeonato nacional (17

somando as demais competições) e

superando a antiga marca, que era de 12

partidas sem um triunfo, que ocorrera na

temporada 1992/93 (marcada pela

utilização de muitos jogadores jovens, foi a

época em que o atleta mais velho do elenco

tinha apenas 29 anos, tendo o mais novo 19

e, como média de idade, a marca chegara a

24,5 anos).

Entretanto, como diriam alguns, nem tudo é

ruim. O que o torcedor pôde tirar de

proveitoso diante disso tudo? A utilização

repentina e agradável dos jogadores de base

do clube na reta final do campeonato,

devido às muitas lesões que os atletas do

time profissional no retorno após um

demasiado tempo de paralisação. Timo

Becker, Malick Thiaw, Levent Mercan, Jonas

Hoffmann e, principalmente, Can Bozdogan

protagonizaram momentos que podem lhes

render uma vaga na equipe profissional na

temporada seguinte, haja a vista a

necessidade e desejo da diretoria em realizar

uma reformulação no elenco, visando

aprimorar a qualidade técnica da equipe e

administrar, de maneira eficiente, o

remanejo das contas do clube que, assim

como todo o mundo, sofreu muitas

consequências com o impacto da pandemia.

21


TABELA DE CLASSIFICAÇÃO

22


Em maio de 2016, o Schalke 04 foi

o quarto clube de futebol no

mundo a criar um departamento de

Esports e também um time de

League of Legends, ficando atrás

apenas do Besiktas, Santos e Remo.

Para entender melhor como funciona, o League of

Legends é um jogo de estilo MOBA, multiplayer

online battle arena, em outras palavras, um jogo

competitivo online que dois grupos se enfrentam

num mapa para ver quem consegue destruir a base

adversária. Os dois principais no cenário

competitivo hoje são o próprio LoL e também DotA

2. No League of Legends, cada equipe é formada

por cinco jogadores que possuem funções distintas e

posições específicas dentro do mapa, além de vários

campeões mais voltados para determinada rota de

acordo com suas habilidades. Em sua ordem, são o

topo (top) que fica na rota superior, o caçador

(jungler) que caminha pela selva e ajuda os demais

jogadores, o meio (mid) que fica na rota

intermediária, o atirador/carregador (ADC ou AD

Carry) e o suporte, ambos ficam na rota inferior,

também chamada de botlane ou apenas bot. Cada

rota possui três torres que precisam ser destruídas

até chegar a base adversária e destruir o Nexus. O

time que conseguir isso primeiro vence. Porém há

diversas estratégias para conseguir superar o

adversário e monstros na selva, como Dragões

Elementais, Arautos e Barão de Na’Shor, criaturas

que dão vantagens ao time que conseguir abatê-lo.

O jogo envolve também habilidade, pois é

necessário ter conhecimento de cada campeão para

usá-lo com da melhor forma possível em diversas

situações.

A competição Europeia é chamada

de LEC: League of Legends

European Championship. É

importante ressaltar que

anteriormente era conhecida como

EU LCS e em 2019 alterou o

formato e também as regras. Ela é

formada por duas partes chamadas

Split Spring e Split Summer. Ao

todo, são dez equipes que

participam do torneio. A primeira é

importante para o MSI, que é uma

espécie de pequeno mundial, onde

apenas os campeões de cada

torneio regional participam. Já o

segundo Split tem uma importância

maior, pois leva mais times para o

Mundial, que é a principal

competição de LoL. Atualmente, o

principal objetivo do Schalke é

chegar até a terceira posição para

garantir uma vaga deste torneio.

As principais marcas que o Schalke

conseguiu alcançar foram a final

contra a Fnatic no Split Summer de

2018 e a quarta colocação no Split

Summer de 2019. Em ambos os

casos, a equipe alemã ficou a uma

vaga de distância do tão sonhado

mundial.

23


O Schalke Esports, assim como os demais times

que participam do LEC, possui uma Gaming

House em Berlin, cidade onde o estúdio da

Riot Games está localizado, na região de

Adlershof. Diferente de várias gaming house ao

redor do mundo, os jogadores do Schalke não

moram no mesmo local de trabalho, inclusive

durante as competições, tática mais adotada

dentro do Esports. O ambiente possui salas de

treinamento do time principal e também da

base, conhecido como Schalke Evolution e

também como Academy, academia para

exercícios físicos, de mídia sociais e também de

convivência, onde relaxam e também estudam

as jogadas.

Odoamne

Nacionalidade: Romênia

Posição: Topo

Na equipe desde: 2018

Lurox

Nacionalidade: Alemanha

Posição: Caçador

Na equipe desde: 2020

Nossa Equipe

Neon

Nacionalidade: Eslováquia

Posição: Atirador (reserva)

Na equipe desde: 2020

Dreams

Nacionalidade: Coreia do Sul

Posição: Suporte

Na equipe desde: 2019

Gilius

Nacionalidade: Turquia

Posição: Caçador (reserva)

Na equipe desde: 2019

Abbedagge

Nacionalidade: Alemanha

Posição: Meio

Na equipe desde: 2018

Innaxe

Nacionalidade: Bulgária

Posição: Atirador

Na equipe desde: 2019

Nukes

Nacionalidade: Estônia

Posição: Suporte(reserva)

Na equipe desde: 2019

Dylan Falco

Nacionalidade: Canadá

Posição: Treinador

Na equipe desde: 2019

No LEC 2020, o Schalke deixou a desejar em diversos jogos. Era esperado que a equipe voltasse

mais forte neste ano e que conseguisse alcançar as primeiras posições, porém no Split Spring,

terminou apenas na oitava colocação. No atual Split, o Summer, novamente o Schalke possui

dificuldades, mas ainda há a esperança de se recuperarem a tempo do mundial.

24


Financeiro


Financeiro

A o longo dos anos, principalmente no

século XXI, o Schalke 04 vem tratando de

questões importantes na área financeira da

equipe. Muito disso, por conta da construção

da Veltins Arena, onde foi o primeiro

clube a construir uma arena

moderna de futebol, sem utilizar

um único centavo de dinheiro

público. Isso foi possível, graças a um

grande empréstimo realizado junto a um

banco alemão, cujo contrato previa que o

clube pagaria, o valor que tomou

emprestado, em parcelas de longo prazo. O

estádio foi inaugurado ainda em agosto de

2001, porém, a última parcela paga ao

banco, ocorreu apenas em julho de 2019. Ao

todo, €191 milhões foram utilizados para o

desenvolvimento da arena, mas o

empréstimo solicitado ao banco foi de €123

milhões. Ao longo dos anos, outros

investimentos foram realizados na Arena,

como o aumento da capacidade de 60.204

para os atuais 62.271 lugares.

Devido a essa dívida de longo prazo, o clube

teve de abrir mão, em alguns momentos, de

realizar maiores investimentos na equipe de

futebol. Muito foi indagado nas redes sociais

sobre como o clube crescia sua receita ao

longo dos anos, chegando a figurar entre os

quinze principais clubes europeus e, no

entanto, não realizava grandes

investimentos em contratações de jogadores

para reforçar o elenco.

Isso pode e deve ser explicado por alguns

motivos. O primeiro deles é de que o

aumento na receita não significa,

necessariamente, que o lucro da equipe

aumentou. Ao longo das temporadas,

ocorreram outros investimentos realizados

pelo clube, que por consequência,

aumentaram os gastos. Os maiores

investimentos realizados em

contratações pelo clube, não deram

o retorno esperado. O atacante Breel

Embolo, por exemplo, que já não está mais

no clube, é a maior contratação da história

do clube. Poderia citar outros jogadores

contratados a peso de ouro e que não deram

o retorno desejado, como os meio-campistas

Nabil Bentaleb e Sebastian Rudy ou o

atacante Yevgen Konoplyanka.

No período recente, devido a adversidades

relacionadas a administração do clube,

perdemos a oportunidade de negociar

diversos jogadores valiosos, buscando

aumentar a receita do clube e conseguir

meios para reforçar o elenco. Podemos citar

rapidamente, alguns nomes conhecidos dos

torcedores, como Leon Goretzka, Max

Meyer, Alexander Nübel, Sead Kolasinac e

Joel Matip.

26


Para a temporada 2019/2020, foi investido um

valor total de €26 milhões em contratações. O

jovem zagueiro Ozan Kabak custou €15 milhões, o

atacante Benito Raman custou €6.5 milhões, o

empréstimo do zagueiro Jean-Clair Todibo custou

€1.50 milhões ao clube, além da opção de compra

no valor de €25 milhões a qual não foi acionada

pelo Schalke 04. O empréstimo do atacante

Michael Gregoritsch custou €500 mil. O clube

ainda acionou a cláusula de re-compra do

atacante Bernard Tekpetey, no valor de €2.5

milhões, porém, o atleta foi emprestado ao

Fortuna Düsseldorf, como parte da negociação de

Benito Raman.

O atacante Breel Embolo, que foi contratado em

2016 por incríveis €26.5 milhões, foi vendido ao

Borussia Mönchengladbach por “apenas” €10

milhões. Yevgen Konoplyanka foi vendido por €1.5

milhões ao Shakhtar Donetsk. O goleiro Ralf

Fährmann foi emprestado ao Norwich City pelo

valor de €1.5 milhões. Além disso, o clube

arrecadou cerca de mais €4.5 milhões com

empréstimos de outros jogadores. No total, €17.65

milhões foram arrecadados com a negociação de

atletas.

Com a pandemia causada pela Covid-19, a

arrecadação de bilheteria e direitos de transmissão

das partidas do clube diminuíram de forma

drástica. Tal situação levou o ex-CFO do clube,

Peter Peters, a declarar que o clube corria risco de

insolvência. Com o retorno da Bundesliga, essa

situação pode ser controlada pela equipe

financeira do clube.

Para a próxima temporada, o clube precisará

negociar jogadores para ter condições de investir

na janela de verão europeia. Com o impacto

causado nos valores de mercado dos jogadores,

será necessário um excelente jogo de cintura, por

parte da direção do clube, para vender os atletas

do clube pelo melhor preço possível e investir da

melhor maneira, em jogadores que possam

agregar a equipe na próxima temporada.

27


Relatório KPMG

No mês de maio de 2020, a empresa KPMG publicou seu

relatório anual, o KPMG the European Elite 2020, sobre as

finanças dos principais clubes europeus. Na edição dessa

temporada, que foi finalizada antes dos primeiros

impactos do coronavírus, o Schalke 04 caiu para a 15ª

posição no ranking, mesmo com um crescimento de seis

porcento no período. Isso pode ser explicado, devido ao

fantástico crescimento da equipe italiana Internazionale

de Milão, a qual alcançou um crescimento de quarenta e

dois porcento.

Além do crescimento de seis porcento desde a temporada

2018/19, o documento destaca o crescimento, no valor de

mercado do clube, na casa dos trinta porcento desde o ano

de 2016. Em termos financeiros, o Schalke 04 trabalhava

com uma média de incremento de cinquenta milhões de

euros por ano.

O crescimento acelerado significa que os impactos do

coronavírus serão tão grandes quanto. Segundo a

pesquisa, a paralisação do futebol e sua retomada sem a

presença do público, causará um impacto de 26,5% nas

finanças do clube. Com a recente fala do ex-CFO do clube

(anteriormente citada), Peter Peters, o qual alegou que o

clube corria risco de insolvência, podemos imaginar que

esse impacto, na prática, se tornou ainda maior.

28


Bons Investimentos

Nos últimos anos, o Schalke 04

conseguiu realizar boas

contratações de jogadores que

agregaram a equipe profissional

e nas categorias de base. Na

atual temporada, podemos

destacar a contratação do

jovem zagueiro Ozan Kabak, o

qual mostrou extrema

qualidade técnica e física para o

clube ter pago “apenas” €12

milhões. Benito Raman foi

outra excelente aposta da

diretoria, mesmo com um início

complicado e divergência entre

os clubes sobre o valor oficial

do negócio, Raman se mostrou

importante para a equipe nessa

temporada, custou €6.5

milhões. A contratação sem

custos de Markus Schubert

também deve ser destacada.

Atual goleiro da seleção alemã

sub-21 e da equipe préolímpica,

Schubert será um dos

principais goleiros de seu país

nos próximos anos. Todos os

atletas citados chegaram no

início da temporada.

Já na temporada 2018/19, três

contratações merecem os

melhores elogios possíveis.

Omar Mascarell foi contratado

em definitivo, ao Real Madrid,

por €10 milhões. Suat Serdar,

artilheiro do clube na

temporada e recém convocado

para a seleção da Alemanha,

custou €10.5 milhões. O

experiente zagueiro senegalês

Salif Sané, entre os três citados,

recebe o título de “barganha”

da temporada, tendo custado

apenas €7 milhões. Nessa

mesma temporada, o clube

apostou em Rabbi Matondo (€9

milhões) e Hamza Mendyl (€6

milhões), jovens jogadores que

ainda não se firmaram na

equipe, mas que possuem

considerável potencial. Mark

Uth foi uma das contratações

que mais criaram expectativas

ao torcedor, principalmente por

ter assinado sem custos com o

atleta, mas até o momento,

essas expectativas não foram

correspondidas.

29

A venda de Thilo Kehrer ao Paris Saint-Germain, por mais que

tenha significado uma perda técnica ao time, foi muito bem

executada, gerando €37 milhões aos cofres do clube.


A temporada 2017/18 não foi das melhores

no âmbito das contratações de jogadores.

Por mais que foram gastos €49.3 milhões,

podemos apenas destacar as contratações do

marroquino Amine Harit, pela barganha de

€8 milhões e do experiente lateral esquerdo

Bastian Oczipka, pelo valor de €4 milhões.

O clube ainda realizou uma aposta

interessante no atacante alemão Cedric

Teuchert, na época jogador da seleção

alemã sub-21, pagando apenas €1 milhão,

mas como Matondo e Mendyl, até o

momento não provou sua capacidade. O

principal acontecimento dessa temporada

foram a saída de atletas que não

demonstraram qualidades ao vestir a camisa

do clube, como o Choupo-Moting, Sidney

Sam e Dennis Aogo.

O clube consegue negociar a contratação de

bons jogadores e apostas com o pouco

dinheiro que utiliza. Será necessário apenas,

que o novo diretor financeiro do clube, em

parceria com o diretor esportivo, consigam

valorizar os jogadores ligados ao clube e

conseguir, cada vez mais, altos valores nas

negociações de venda dos atletas. Além é

claro, de impedir que os jogadores com

potencial de venda deixem o clube ao

término de seus contratos.

30


Fã-clube


Fã-clube

Temos procurado inovar, agregar valores e

arte nos trabalhos que realizamos. E temos

sido felizes em várias das tentativas de

interação com o torcedor em diveros

aspectos. Acreditamos que existem váriadas

formas de praticar essa interação.

Recentemente finalizamos uma votação nas

redes sociais que chamou o torcedor a

participar conosco da votação para eleger o

melhor elenco da história do clube. A ação

foi um sucesso, com o total de 10.371 votos

em votações semanais, que se iniciaram em

6 de Abril e terminaram em 4 de Julho. O

jogador que recebeu mais votos foi o

Höwedes com um total de 351 votos

computados.

A contabilização dos votos se deu através do

Instagram e do Twitter do Schalke 04 Brasil

exclusivamente.

Confira como ficou o time histórico:

Além disso, podemos nos gabar de nessa

temporada termos coberto todos os jogos do

clube e o torcedor pôde acompanhar através

de nossas redes todos os resultados e

acontecimentos da partida de forma

instantânea.

A primeira ação de engajamento que

praticamos foram os jogos realizados nos

stories do Instagram, onde era possível

tentar adivinhar qual jogador estava

presente na imagem pixelada, na série

"Descubra o Jogador".

Realizamos também, diversas enquetes para

adequar a preferência de conteúdo de

nossos seguidores a ser publicada nas redes

sociais.

Recentemente, lançamos outro game, dessa

vez, para adivinhar a nacionalidade e o local

de nascimento dos nossos atletas, além do

lançamento do mapa de torcedores do clube

em território brasileiro, que será atualizado

de forma mensal.

Para a próxima temporada, preparamos

diversas novas atividades interativas, para

unirmos ainda mais a nossa comunidade.

32


Todo esse conteúdo só pode ser realizado devido a excelente equipe que

possuímos na Schalke 04 Brasil. Esse projeto teve início em setembro de

2014, quando mesclamos duas páginas, já existentes, sobre o clube no

Facebook. Com a formação de uma equipe e com o mesmo propósito,

conseguimos criar uma comunidade brasileira de torcedores do Schalke 04.

Hoje, quase seis anos depois do início desse projeto, sentimos que mesmo

com muito trabalho já realizado, ainda possuímos um mar de conteúdos a

serem explorados e apresentados aos torcedores. Há cerca de um ano, nosso

foco está concentrado em buscar a melhor qualidade possível em nossas

publicações, empenhando-se sempre em nos profissionalizarmos nas

ferramentas que utilizamos e em constante pesquisa por novos meios de

compartilhar conteúdos sobre o clube.

Atualmente, a equipe é formada por sete integrantes, sendo eles: Enrico

Olaia, Thales Dantas, Paulo Keno, Miguel Bechler, Gustavo Capello, Juliana

Trombini e Filipe Ferreira. Cada um possui uma função específica na

construção e manutenção do portal, desde cobertura das partidas até a

criação dos mais trabalhosos especiais que frequentemente publicamos.

Aos fãs mais antigos, que nos acompanhavam pelo Facebook, nossa saída

dessa rede social foi extremamente benéfica e necessária para o crescimento

do público de torcedores em nosso Instagram e Twitter. Se você ainda não

nos acompanha nessas redes sociais, tenho certeza que você deixou de

receber muitos conteúdos de altíssima qualidade. Então, não perca tempo e

não deixe de nos acompanhar: Instagram - @s04_br e Twitter:

@FCSchalke04BR.

Gostaria de agradecer a todo o carinho e suporte que recebemos nessa

temporada e desde o início do portal. Nosso foco sempre foi alcançar um

público cada vez maior, com o objetivo de conseguirmos novos torcedores e

desenvolver a imagem do Schalke 04 no Brasil. Do fundo de nossos corações,

obrigado por tudo. A temporada não foi das melhores, mas tenho certeza que

seguiremos cada vez mais fortes. Auf Schalke!

33


Fundador da página, Enrico é o líder, responsável por definir e organizar

as atividades do grupo. Graduando em Economia e grande conhecedor

da história do Schalke, é quem cria e edita as imagens das redes sociais e

desenvolve conteúdo escrito para os canais Schalke 04 Brasil.

Passou a fazer parte do projeto e agregou conhecimentos à organização e

desenvolvimento de conteúdos. Hoje, estudante de Psicologia, auxilia

também em relação a identificação de oportunidades e conhecimento do

público alvo e é grande conhecedor da história do clube.

Um dos responsáveis pelo sucesso do grupo nas redes sociais, Miguel

publica e programa postagens, cobre os jogos do clube e promove

interação com o público e com o fã-clube.

Domina os recursos do Photoshop, cria e edita imagens para ilustração

de posts, além de desenvolver conteúdos próprios voltados para o fãclube,

como capas personalizadas para jogos de vídeogame, que são

disponibilizados entre os torcedores do clube.

Formada em relações internacionais e Jornalismo, é responsável por

diversificar o conteúdo da fan page. Juliana é grande conhecedora do

futebol alemão e também é responsável por cobrir e escrever matérias

sobre o time de LOL do Schalke.

Somou a produção multimídia na chamada para os jogos do clube e

auxilia na produção de conteúdo escrito no site oficial. É desenvolvedor

de projetos e contribui para a estratégia de alcance do fã-clube somando

recursos como webdesign e edição vetorial.

Filipe é o mais novo membro do grupo e se somou aos demais enquanto

redador e tradutor. Grande conhecedor da lingua alemã e portuguesa e

da história do Schalke, é torcedor desde que o clube esteve disputando a

Bundesliga 2.

O Schalke 04 Brasil ainda conta com a assessoria de Luiz

e Valentina, que orientam as ações, agregam ideias e

aconselham o grupo com relação às ações do portal.


Temporada 20/21


Temporada 2020/2021

O Schalke 04 já planeja a próxima

temporada, o que inclui uma grande

mudança no campo esportivo. Todas os

setores do campo sofreram mudanças, em

vista dos enormes problemas financeiros do

clube, o elenco não deve ter mais de 25

jogadores. No momento, esse é o exato

número de atletas profissionais pertencentes

ao atual elenco. Além disso, há dez

jogadores emprestados, nove dos quais, com

exceção de Bernard Tekpetey (Düsseldorf,

emprestado até 30 de junho de 2021),

retornarão ao FC Schalke 04 a partir de 1º

de julho.

Com exceção do goleiro Ralf Fährmann, não

há mais nenhum jogador com que o clube

planeje utilizar para a nova temporada.

Mark Uth, que foi emprestado na segunda

metade da temporada, apresentou bom

futebol no FC Köln e poderia retornar para

ajudar o clube na condição atual, mas o

atacante prefere ficar em sua cidade natal. O

Colônia também está muito interessado em

manter Uth em sua equipe. "Gostaríamos

muito de contar com ele. Ele também

gostaria de ficar conosco”, disse

recentemente o técnico Markus Gisdol,

sobre o atacante. O grande obstáculo para

Colônia é o valor da opção de compra de

dez milhões de euros estipulada no contrato

atual.

O plano original do Schalke 04, de começar

a nova temporada com Markus Schubert e

Ralf Fährmann não deve ocorrer. Isso

porque Schubert ainda não conseguiu

provar sua qualidade na Bundesliga,

enquanto não temos certeza se Fährmann

ainda a possui. O clube está buscando novos

candidatos ao gol da equipe, sendo um deles

o espanhol Sergio Rico, que está emprestado

do Sevilla FC ao Paris Saint-Germain.

No sistema defensivo, os jogadores

emprestados ao clube, Jean-Clair Todibo e

Jonjoe Kenny, não serão mantidos por

razões financeiras. No caso de Todibo, o

clube já deixou a opção de compra expirar.

Benjamin Stambouli está muito valorizado,

mas se ele não aceitar diminuir seu salário

atual, o francês deixará o Schalke 04 no

final da temporada. Em contrapartida, Timo

Becker acena para a renovação de um

contrato profissional.

Sobre o meio de campo, há um caso

semelhante a Stambouli, o Schalke 04

gostaria de manter Daniel Caligiuri, mas a

situação financeira causa obstáculos. Aos 32

anos, o alemão entrou na parte final de sua

carreira, o que pode significar que sua saída

está mais próxima do que uma renovação

contratual. Até o presente momento,

Caligiuri ainda não anunciou seu destino

oficialmente, por mais que a mídia alemã já

tenha cravado seu acerto com a equipe do

Augsburg. No geral, o meio-de-campo do

clube é o setor mais ocupado, em

comparação com outras partes da equipe,

desde que jogadores como Omar Mascarell,

Amine Harit, Can Bozdogan e Suat Serdar

permaneçam livres de lesões.

36


O baixo desempenho da equipe

preocupa. A direção está decepcionada

com o atual de desempenho de

Alessandro Schöpf, que até o momento,

não marcou e nem assistiu para gol

nessa Bundesliga.

O setor ofensivo teve o pior

desempenho da equipe na temporada.

O diretor esportivo Jochen Schneider e

o planejador de equipe Michael

Reschke têm uma necessidade urgente

de ação, porque a falta de gols dos

atacantes não corresponde as

expectativas do clube.

Um atacante perigoso é urgentemente

necessário. O emprestado Michael

Gregoritsch desapontou e retornará ao

Augsburg, enquanto Cedric Teuchert,

que está emprestado, provavelmente

chegará a um acordo para que ele possa

ficar no Hannover 96. O retorno de

Steven Skrzybski de Düsseldorf

depende em grande parte de a Fortuna

permancer na Bundesliga. O Schalke 04

precisa urgentemente de um atacante

talentoso, que garanta uma boa

quantidade de gols. Apesar do esforço

exemplar, Guido Burgstaller não parece

mais capaz de fazer isso. Ahmed Kutucu

passou a maior parte da temporada em

dificuldades com o técnico David

Wagner. Com a crise provocada pelo

coronavírus, o clube terá que agir com

maestria para garantir um atacante

suficiente pelo menor preço possível.

37

Esta revista é uma produção independente, sem fins

lucrativos e de responsabilidade de seus idealizadores.

Uma produção exclusiva de Schalke 04 Brasil.

De fãs torcedores para fãs torcedores.


Encerramos esta edição com um cálido e fraternal

abraço a todos aqueles que como nós da equipe

Schalke 04 Brasil, presenciaram distintos momentos

do clube nesta temporada insólita, mas que, assim

como nós, se reerguem em novas esperanças,

conscientes de que bons passos foram dados no

passado e grandiosos passos também serão repetidos

em um futuro promissor que se avizinha.

Continue nos acompanhando através das mídias sociais. É você

que constrói um portal forte que nos permite trabalhar e trazer o

Schalke 04 para mais próximo dos antigos e novos fãs.

Obrigado!

Clique nas imagens abaixo para ser direcionado para nossas redes

sociais e compartilhe nossa revista com seus amigos.

Acesso ao Site e ao Blog

38


Agradecemos por ter

adquirido nossa revista e

esperamos que tenha

gostado. Por favor, se

utilize dos nossos canais

para nos enviar o seu

feedback.

Obrigado!

Equipe Schalke 04 Brasil