Revista Coamo Edição de Julho de 2020

blzinfo

Revista Coamo Edição de Julho de 2020.

REUNIÃO DE CAMPO VIRTUAL REÚNE MILHARES DE COOPERADOS

www.coamo.com.br

JULHO/2020 ANO 46 EDIÇÃO 504

COOPERATIVISMO

Série mostra mais

quatro histórias de

transformação

POUPANÇA FELIZ

Credicoamo lança

nova modalidade de

aplicação rural

Roseli Vonsowski, de Campo Mourão (PR)

PASSO FIRME

DA PECUÁRIA

Integrar a agricultura e a pecuária garante renda o ano inteiro. É uma

forma eficaz para evitar as incertezas e a vulnerabilidade do campo


C

Ficar

junto da

família

C

com

cafezinho

e esquenta

suas manhãs

coamo

de

Seus momentos felizes têm

sabor de Coamo. Um sabor

produzido por milhares de

Ficar

junto da

famílias do campo, com todo

carinho e cuidado, para você

Ficar

experimentar o que a vida tem

de mais gostoso.

família

junto da

família

Experimente

Alimentos

Coamo.

A pausa

deliciosa

para um lanc

coamo

Cozinhar

com a melhor

amiga

coamo

de

d

www.alimentoscoamo.com.br


EXPEDIENTE

Órgão de divulgação da Coamo

Ano 46 | Edição 504 | Julho de 2020

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO COAMO

Ilivaldo Duarte de Campos: iduarte@coamo.com.br

Wilson Bibiano Lima: wblima@coamo.com.br

Ana Paula Bento Pelissari: anapelissari@coamo.com.br

Antonio Marcio dos Santos: amsantos@coamo.com.br

Milena Luiz Corrêa: mlcorrea@coamo.com.br

Contato: (44) 3599-8129 - comunicacao@coamo.com.br

Jornalista responsável e Editor: Ilivaldo Duarte de Campos

Reportagens e fotos: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima,

Ana Paula Bento Pelissari e Ilivaldo Duarte de Campos

Edição de fotografia: Antonio Marcio dos Santos e Wilson Bibiano Lima

Colaboração: Gerências de Assistência Técnica; Organização e Gestão da Qualidade

e Entrepostos.

Contato publicitário: Agromídia Desenvolvimento de Negócios Publicitários Ltda

Contato: (11) 5092-3305

Contato publicitário: Guerreiro Agromarketing Contato: (44) 3026-4457

É permitida a reprodução de matérias, desde que citada a fonte. Os artigos assinados ou

citados não exprimem, necessariamente, a opinião da Revista Coamo.

Acompanhe a Coamo pelas redes sociais

COAMO AGROINDUSTRIAL COOPERATIVA

SEDE: Rua Fioravante João Ferri, 99 - Jardim Alvorada. CEP 87308-445. Campo Mourão - Paraná - Brasil. Telefone (44) 3599.8000 Fax (44) 3599.8001 - Caixa Postal, 460

www.coamo.com.br - coamo@coamo.com.br

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Presidente: Engenheiro Agrônomo, José Aroldo Gallassini. MEMBROS VOGAIS: Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Ricardo Accioly

Calderari, Joaquim Peres Montans, Anselmo Coutinho Machado, Emilio Magne Guerreiro Júnior, Wilson Pereira de Godoy, Rogério de Mello Barth e Adriano Bartchechen.

CONSELHO FISCAL: Ricieri Zanatta Neto, Diego Rogério Chitolina e Jonathan Henrique Welz Negri (Membros Efetivos). Eder Ricci, Clóvis Antonio Brunetta e Jorge Luiz

Tonet (Membros Suplentes).

DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente Executivo: Airton Galinari. Diretor Administrativo e Financeiro: Antonio Sérgio Gabriel. Diretor Comercial: Rogério Trannin de

Mello. Diretor Industrial: Divaldo Corrêa. Diretor de Logística e Operações: Edenilson Carlos de Oliveira. Diretor de Suprimentos e Assistência Técnica: Aquiles de

Oliveira Dias.

Extensão Territorial: 4,5 milhões de hectares. Capacidade Global de Armazenagem: 6,59 milhões de toneladas. Receita Global de 2019: R$ 13,97 bilhões.

Tributos e taxas gerados e recolhidos em 2019: R$ 382,32 milhões.

Julho/2020 REVISTA

3


SUMÁRIO

44

Coamo antecipa R$ /// em sobras

?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

4 REVISTA

Julho/2020


SUMÁRIO

Entrevista

10

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo, é o entrevistado do mês. Ele aborda sobre o planejamento

estratégico na Coamo e a implantação de vários projetos e benefícios aos cooperados

Vidas transformadas

Série de reportagens mostra a evolução dos cooperados e a vida transformada pelo cooperativismo.

Conheça a história de Mauri Virgilio de Campos, José Soares da Silva, Silvio Dias e Tadeu Voroniuk

16

24

Reunião de Campo virtual

Em tempos de pandemia é preciso se reinventar. Diferente do que vem acontecendo

nos 50 anos da Coamo, neste ano, a Reunião de Campo com a diretoria não foi

presencial, mas sim virtual, com a participação de milhares de cooperados

Especial pecuária

A Coamo incentiva a diversificação de atividade dos cooperados. Uma opção é a exploração da

área veterinária. Para aprimorar esse trabalho, a cooperativa está ampliando o atendimento técnico

Poupança Feliz

33

40

Credicoamo lançou a sua poupança rural, denominada de Poupança Feliz. É uma opção de

investimento de aplicação fácil e segura com o objetivo de ajudar o quadro social a poupar

História da Coamo em décadas

44

Em cinco décadas foram expressivos os resultados da Coamo e seus cooperados. A segunda década,

de 1981 a 1990, retrata a prática de um cooperativismo de resultados em prol de associados e familiares

Julho/2020 REVISTA

5


Soluções fungicidas BASF

para Trigo. Mais produtividade

e qualidade na sua lavoura.

FUNGICIDAS

Um dos grandes desafios de qualquer produtor de trigo é o manejo de doenças.

Afinal, a ferrugem-da-folha, a mancha-marrom a giberela e o oídio podem ser responsáveis

por grandes prejuízos na saúde da cultura e na produtividade. A BASF tem um portfólio

completo de fungicidas de alta performance, com produtos desenvolvidos para ajudar você

a manter seu cultivo muito mais protegido e atingir excelentes resultados a cada safra.

PRODUTOS:

Abacus ® HC Ativum ® Opera ® Ultra Brio ® Versatilis ®

0800 0192 500

BASF.AgroBrasil

BASF Agricultural Solutions

BASF.AgroBrasil

www.agro.basf.com.br

www.blogagro.basf.com.br

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

Este produto é perigoso à saúde humana, animal

e ao meio ambiente. Leia atentamente e siga

rigorosamente as instruções contidas no rótulo, na

bula e na receita. Utilize sempre os equipamentos

de proteção individual. Nunca permita a

utilização do produto por menores de idade.

CONSULTE SEMPRE UM

ENGENHEIRO-AGRÔNOMO.

VENDA SOB RECEITUÁRIO

AGRONÔMICO.

Uso exclusivamente agrícola. Aplique somente as doses recomendadas.

Descarte corretamente as embalagens e os restos de produtos. Incluir

outros métodos de controle do programa do Manejo Integrado de Pragas

(MIP) quando disponíveis e apropriados. Restrições temporárias no

Estado do Paraná para Opera ® Ultra para o alvo Puccinia graminisf. sp.

Triticie e Standak ® Top para o alvo Pythium spp. Registros MAPA:

Opera ® Ultra nº 9310, Ativum ® nº 11216, Abacus ® HC nº 9210,

Brio ® nº 09009 e Versatilis ® nº 01188593.


GOVERNANÇA

Reunião de campo histórica e os bons resultados

Diferente dos últimos 50

anos, a Reunião de Campo

do segundo semestre

teve que ser alterada por força

da prevenção ao Covid-19, sendo

promovida no formato virtual.

Os resultados foram positivos e

agradaram os cooperados, haja

vista o interesse, a manifestação

e a audiência dos milhares de associados

de todas as regiões da

nossa área de ação, pelo Canal da

Coamo no Youtube.

Apresentamos a situação

da agricultura nacional e mundial,

e dos serviços e trabalhos desenvolvidos

pela Coamo e Credicoamo.

Reforçamos, a missão da

Coamo de gerar renda aos cooperados

com crescimento sustentável

e a visão de ser a melhor opção

para o desenvolvimento deles.

Ao longo desses 50 anos,

constatei que a confiança do quadro

social na sua cooperativa é

determinante para a harmonia,

relacionamento e sucesso. Somos

felizes por contar com o apoio e

a confiança dos cooperados, por

isso, agradecemos todo o respaldo

que recebemos. Isso faz toda a

diferença.

A situação geral da Coamo

é muito boa. É um ano que

deve encerrar como o melhor da

história, em 50 anos, levando em

consideração a maior safra que já

recebemos e os melhores preços

dos produtos, que resultam na capitalização

dos produtores.

Neste ano atípico, outra

situação inusitada são os preços

altos e a mudança no comportamento

dos produtores na comercialização

das suas safras. Exemplo

é que até o dia 23 de julho,

da safra 2020/2021, já tinha sido

vendido 31,17 milhões de sacas

de soja, equivalente a 34,6% da

previsão. No caso do milho segunda

safra, que não tinha histórico

de venda antecipada, somente

da safra 2020, já foi vendido um

total de 11,7 milhões de sacas,

cerca de 27% da previsão total da

colheita. E da produção futura, safra

2021, já foi comercializado um

volume superior a seis milhões de

sacas, que corresponde a 14,8%.

Os cooperados estão

atentos as novidades e ao comportamento

do mercado, vendendo

em várias épocas, de forma

escalonada e em função do custo

de produção. Por sua vez, os contratos

têm sido boa alternativa

para promover a venda futura da

safra. É uma modalidade que vem

recebendo crescente adesão dos

cooperados.

A situação brasileira é

muito favorável no cenário mundial.

O plantio de soja no mundo

na safra 2019/2020 foi de 121,69

milhões de hectares e o Brasil

plantou 36,80 milhões. Para a safra

2020/2021, a previsão mundial

será de 126,93 milhões de hectares,

dos quais 38,30 milhões em

áreas brasileiras.

A produção mundial de

soja na safra 2019/2020 foi de

337,14 milhões de toneladas e a

liderança foi do Brasil com uma

"Os cooperados estão

atentos as novidades e

ao comportamento do

mercado, vendendo em

várias épocas, de forma

escalonada e em função

do custo de produção."

colheita de 126 milhões de toneladas

(37% do total), à frente

dos Estados Unidos que produziu

96,67 milhões de toneladas.

A previsão da safra 2020/2021

aponta para uma produção total

de soja no mundo de 362,52

milhões de toneladas, dos quais

131 milhões do Brasil e 112,54

milhões dos Estados Unidos.

JOSÉ AROLDO GALLASSINI,

Presidente dos Conselhos de Administração Coamo e Credicoamo

Julho/2020 REVISTA

7


8 REVISTA

Julho/2020


GESTÃO

O cooperado na Coamo não entra para ser

atendido, mas para ser acolhido

"O cooperado tem na Coamo e na

Credicoamo benefícios completos,

que ele não encontra em

nenhum outro lugar."

Uma cooperativa só existe e tem sentido na medida

em que seus cooperados participem dela,

cumpram seus deveres e exerçam seus direitos.

Assim, quanto maior o volume de negócios e operações,

que eles fizerem, mais fortes e seguros ficarão, e sua cooperativa

também. Então, o sucesso de uma cooperativa

tem relação direta com a atuação, o interesse e a movimentação

dos seus cooperados, verdadeiros donos da

cooperativa.

Este sentimento de pertencimento estamos verificando

de forma mais intensa neste ano em que a Coamo

completa o seu jubileu de ouro. Acreditamos ser este o caminho,

pois o nosso compromisso é manter esta filosofia

e política de trabalho voltada para atender os propósitos

dos cooperados mediante o fornecimento de um grande

volume de benefícios. Garantir que sejam atendidos plenamente

em suas necessidades como empreendedores

rurais e membros de um cooperativismo de sucesso.

Um dos pilares para a continuação do sucesso da

Coamo está na prática do 5º princípio do Cooperativismo

– “Educação, formação e informação”, que tem sido uma

das marcas da Coamo desde a sua fundação, dos ideais

e da filosofia implantadas pelo Dr. Aroldo. O foco é estar

próximo dos cooperados com uma comunicação clara e

transparente para o entendimento e comprometimento

do quadro social. Este foi o objetivo da primeira Reunião

de Campo virtual, realizada dia 2 de julho, motivada pelo

momento em que vivemos na prevenção ao coronavírus.

Na oportunidade, reiterei ao cooperado, da relevância

da sua participação ser cada vez maior na vida da

cooperativa, que é a extensão da sua família e propriedade.

A Coamo é a “Casa do Cooperado” e, por extensão,

também, a Credicoamo é a "Casa do cooperado”, pois

como membro ele é dono das duas cooperativas e sua

atuação deve ser organizada e responsável.

O cooperado tem na Coamo e na Credicoamo

benefícios completos, que ele não encontra em nenhum

outro lugar. Com as facilidades na aquisição de insumos,

entrega de produção, assistência técnica, crédito com financiamento

e custeio, enfim, da estrutura organizada em

119 unidades em nossa área de ação.

Isso não nasceu há 50 anos com os 79 agricultores

pioneiros, pois eles não tinham tudo isso. Foram

benefícios conquistados e modernizados ao longo dos

anos, resultado da visão e planejamento de uma administração

profissional e focada na missão da cooperativa, de

agregar renda às atividades dos cooperados.

Na Coamo e Credicoamo, o cooperado não entra

para ser atendido, mas para ser acolhido, e isso

é diferente de qualquer outro lugar. Isso é muito importante

e deve ser propagado e exaltado, haja vista a grande

harmonia, o forte relacionamento e o grau de satisfação

e valorização por parte dos cooperados.

Desta forma, ele tem tudo em um mesmo lugar

para, que uma vez atendidas as suas necessidades, possa

continuar plantando e colhendo altas produtividades,

com sustentabilidade e renda no agronegócio.

AIRTON GALINARI

Presidente Executivo da Coamo

Julho/2020 REVISTA

9


ENTREVISTA: AIRTON GALINARI

"A Coamo é a casa do cooperado, onde ele

tem tudo o que precisa em um único lugar"


O

planejamento estratégico

é bem-estruturado

na Coamo e

vem sendo responsável pela

implantação bem-sucedida de

vários projetos e benefícios.”

A afirmação é do presidente

Executivo da cooperativa, Airton

Galinari, que tomou posse

no cargo durante a Assembleia

Geral realizada em fevereiro,

consolidando o processo de

Governança Corporativa. Segundo

Galinari, que está na

Coamo há mais de 30 anos, os

cooperados contam com o suporte

da cooperativa o ano todo

e têm garantia e segurança para

o abastecimento dos seus insumos

e plantio das safras, com

modernas tecnologias.

Revista Coamo: Quando foi

iniciado o processo de reestruturação

organizacional da cooperativa?

Quais os papéis do

Conselho de Administração e da

Diretoria Executiva?

Airton Galinari: Este trabalho

iniciou em 2018. Fizemos a

reestruturação com uma visão

de áreas focada nos negócios,

o que resultou no desmembramento

de algumas gerências

angulares, criação de novas gerências

e novas áreas de administração.

Essa reestruturação

fez parte da implantação do Planejamento

Estratégico e propicia a

equipe de Administração, um posicionamento

abrangente de todas

as atividades inerentes a cada área.

A estrutura aprovada pelos associados

é resultado de uma preparação

de quatro anos e um passo importante

na profissionalização da Coamo,

haja vista, que o Conselho de

Administração eleito pelo quadro

social será responsável pela parte

estratégica da cooperativa. Nesta

estrutura de governança corporativa,

a Diretoria Executiva, por sua

vez, é composta por um presidente

e cinco diretores executivos, profissionais

pratas-da-casa com mais de

30, 40 anos de Coamo. Caberá a

Diretoria Executiva a gestão, subordinada

ao Conselho de Administração,

a função de operacionalização

das atividades organizacionais e tomadas

de decisões relacionadas ao

objetivo social conforme as diretrizes

do Conselho de Administração.

RC: O Dr. Aroldo foi reeleito presidente

do Conselho de Administração.

Qual será o papel dele nesta

nova etapa da Governança da Coamo?

Galinari: O Dr. Aroldo é uma referência,

contribuiu e irá contribuir

decisivamente, pela sua experiência

e competência para o desenvolvimento

e o sucesso da Coamo.

Como ele sempre diz, não fundou a

Coamo e a Credicoamo para uma

geração ou duas, mas para a vida

toda. Então, o segredo do sucesso

da Coamo é a sua credibilidade,

a confiança que ela tem junto aos

seus cooperados. Afinal, são 50

anos de trabalho e dedicação da

Coamo ao lado deles, dando suporte

e apoiando o seu progresso

para obter renda e qualidade

de vida deles e de seus familiares.

Com certeza, a frente do Conselho

de Administração, o Dr. Aroldo

cumprirá a função de proteger e

valorizar a cooperativa, bem como,

colaborar para o desenvolvimento

socioeconômico dos associados.

RC: Quais são as vantagens dos

cooperados na prática do cooperativismo?

Galinari: Sou cooperativista desde

1987, portanto, há 33 anos. É

bonito ver a força do cooperativismo

e o modelo de cooperação

que propicia muitos benefícios

aos cooperados em nossa atividade,

que é indispensável para o

"O Dr. Aroldo é

uma referência e

contribuiu muito, e

vai contribuir bastante

pela sua experiência e

competência."

10 REVISTA

Julho/2020


país. Entendo que os cooperados

da Coamo e da Credicoamo

têm uma grande vantagem na

prática do cooperativismo e da

fidelidade nas suas cooperativas.

No nosso caso, eles encontram

tudo o que precisam em um único

local, com assistência técnica,

fornecimento de insumos, peças,

produtos veterinários, entrega

da safra em modernas unidades,

com assistência financeira e a comercialização

da produção com

pagamento no ato. Aproveito

esta oportunidade para parabenizar

novamente os cooperados

pela participação de forma diferenciada

em nossas cooperativas,

pois quanto maior for a atuação

deles mais forte será a sua

cooperativa.

RC: Recentemente encerrou com

sucesso o Plano Safra da Coamo. A

que o senhor atribuiu o êxito deste

benefício?

Galinari: O planejamento estratégico

é bem-estruturado na Coamo

e vem sendo responsável pela implantação

bem-sucedida de vários

projetos e benefícios. Um deles é

o Plano Safra. Os cooperados têm

o suporte da Coamo para que tenham

a garantia e a segurança no

abastecimento dos seus insumos,

e com antecedência, decidirem o

que irão plantar na próxima safra

de verão. Tudo foi feito com planejamento.

O Plano Safra 2020/21

foi muito positivo e registrou a melhor

relação de troca da história da

Coamo. Só foi possível fornecer

este benefício aos cooperados

pelo trabalho eficiente das equipes

de várias áreas da cooperativa,

com o devido planejamento e

Engenheiro Químico, com MBA em Gestão Estratégica e Agronegócio. Foi admitido na Coamo

em 1987 na função de gerente da Destilaria de Álcool. Em seguida, exerceu a função de gerente

da Indústria do Terminal Portuário em Paranaguá e, em 2011, retornou a Campo Mourão sendo

promovido a superintendente Operacional, cujo cargo foi alterado para superintendente de Logística

e Operações. No dia 19 de fevereiro deste ano assumiu o cargo de presidente Executivo da Coamo.

Julho/2020 REVISTA 11


ENTREVISTA: AIRTON GALINARI

"A AGRICULTURA É UMA ATIVIDADE ESSENCIAL, E EM ÉPOCA DE PANDEMIA

NÃO DEVE PARAR PARA QUE HAJA ALIMENTOS PARA A NOSSA POPULAÇÃO."

escolha do momento certo para o

lançamento deste benefício. Durante

o período do plano houve

aumento expressivo do dólar, o

que teria um grande impacto no

preço dos insumos, principalmente

dos fertilizantes. Porém, trabalhamos

muito para que os preços

dos insumos contratados junto aos

fornecedores fossem mantidos,

evitando reajustes.

RC: Então, também no caso do

Plano Safra, quem participa do

cooperativismo, ganha sempre?

Galinari: Sem dúvida, quem ganha

sempre é quem faz parte,

participa e valoriza o cooperativismo.

Para fazer o Plano Safra

2020/2021, com tranquilidade, o

cooperado não precisou sair de

casa, e adquiriu, mediante uma

programação, tudo o que precisa

para implantar com tecnologias,

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

a próxima lavoura de verão. Tudo

em casa, em um mesmo local,

pois ele pode contratar o financiamento

junto a Credicoamo

para quitação dos insumos com

a garantia e segurança da sua

cooperativa de crédito.

"É bonito de ver a força

do cooperativismo e o

modelo de cooperação

que propicia muitos

benefícios aos

cooperados."

RC: Após garantir os insumos, os

cooperados só têm o trabalho de

plantar, colher e entregar a produção

na cooperativa?

Galinari: A cada safra, os cooperados

adquirem com antecedência

insumos de qualidade, lançam

sementes ao solo com o uso de

modernas tecnologias e buscam

colher melhores produtividades.

Após as colheitas, suas safras são

depositadas nos armazéns da

Coamo em 71 municípios do Paraná,

Santa Catarina e Mato Grosso

do Sul. Contamos com estrutura

privilegiada implantada ao longo

dos anos, resultado de grandes investimentos

para acomodar com

tranquilidade, segurança e eficiência,

a produção dos cooperados.

Este é um diferencial, pois eles

não precisam guardar sua produção

em suas propriedades, mas armazenar

na cooperativa. A estrutura

nos entrepostos é fundamental

para o sucesso das atividades dos

cooperados.

RC: Como foi a estratégia adotada

pela Coamo na prevenção ao coronavírus?

Galinari: Este é um ano atípico,

se de um lado tivemos uma safra

histórica, do outro, desde a última

semana do mês de fevereiro,

o país passou a sofrer com novo

Coronavírus, que ainda vem assustando

a população brasileira.

Nos ambientes da Coamo e da

Credicoamo, foram implantadas

medidas emergenciais no combate

à doença, definidas por um

Comitê de Prevenção criado em

março. Em consonância com o Ministério

da Saúde e autoridades

sanitárias divulgamos amplamente

orientações aos cooperados,

funcionários, familiares e comunidade,

por meio dos nossos canais

de comunicação, no sentido

de evitar aglomeração e circulação

de pessoas, e a necessidade

de higienização pessoal. Um dos

pontos a ser destacado foi a solicitação

aos cooperados para realizar

suas operações via canais de

12 REVISTA

Julho/2020


atendimento e fazer deslocamentos

somente em casos essenciais.

Também suspendemos todos os

cursos, treinamentos e atividades

presenciais para funcionários,

cooperados e familiares. Adotamos

regimes de redução de

tempo de horas trabalhadas sem

comprometer salários, sistema de

rodízio nas unidades e regime de

quarentena para grupos de risco.

Graças a Deus, todo este trabalho

foi feito e vem sendo realizado de

forma consciente e responsável.

Por isso, agradecemos os nossos

cooperados e funcionários e,

por extensão, também os nossos

familiares, pelo alto comprometimento

e engajamento na batalha

contra o coronavírus.

RC: Em tempo de pandemia, a

Coamo promoveu um atendimento

diferenciado aos cooperados?

Galinari: Na Coamo incentivamos

e obtivemos sucesso com o

uso dos nossos canais de comunicação,

que foram determinantes

para os cooperados realizarem

suas operações com segurança e

tranquilidade. Mas, destaco como

exemplo positivo e elogiável, o

fato do dia 1º de abril, quando

efetuamos o pagamento de mais

de sete mil contratos, todos liquidados

e de forma segura. Os

cooperados foram atendidos nos

entrepostos por nossos funcionários,

por meio dos nossos canais.

Essa operação resultou em uma

movimentação expressiva de R$

1,6 bilhões que foram depositados

em suas contas correntes,

sem oferecer riscos tanto para os

cooperados quanto para os funcionários.

RC: O senhor tem defendido desde

o início da Pandemia o valor da

Agricultura. Por quê?

Galinari: Agradecemos de maneira

especial aos nossos funcionários,

que cívica e bravamente,

permanecem desenvolvendo o

seu trabalho, para que não falte

alimentos para o Brasil e o mundo.

Defendemos desde o início que a

agricultura é uma atividade essencial,

considerada desta forma pelo

governo federal, entendendo que

"A relação dos cooperados

com a Coamo vai muito

além do aspecto negocial.

É um relacionamento

de confiança, com o

suporte no momento

certo com a solidez da sua

cooperativa."

a agricultura não deve parar, pois

se parar, não haverá alimentos

para a população. Por isso, cooperados

e cooperativa estão trabalhando

firmes e cumprindo a sua

missão, produzindo e distribuindo

alimentos para as mesas dos brasileiros

e de várias partes do mundo.

RC: Presidente é fácil resumir o

que é a Coamo?

Galinari: Realmente, o trabalho

da Coamo é muito grande e muito

forte, sendo uma cooperativa

de apenas 50 anos. É resultado

de um sonho e da realização inicial

de 79 agricultores, que teve

o Dr. Aroldo como idealizador, e

hoje são milhares, quase 30 mil,

dos quais 80% considerados mini

e pequenos produtores. Mas, para

nós, não existe pequeno ou grande,

mas cooperados, e todos têm

o seu valor e o nosso trabalho. A

Coamo é uma cooperativa administrada

de forma estruturada e

profissional, com valores e princípios

bem definidos. É inovadora e

vem fazendo um trabalho fantástico

em prol do desenvolvimento

dos seus cooperados.

RC: Qual o recado aos cooperados

neste ano em que a Coamo

está comemorando seu Jubileu de

Ouro.

Galinari: A história comprova que

a Coamo sempre foi mais além e

esteve à frente do seu tempo. Investiu

de forma expressiva nas

estruturas de recebimento das

unidades e sempre praticou um

cooperativismo de resultados ao

longo desses 50 anos, voltada

para o desenvolvimento. Então,

desejamos que os nossos cooperados

atuem cada vez mais, pois

em cada operação com a Coamo

e a Credicoamo, eles têm a certeza

de contar com toda a estrutura das

suas cooperativas, em uma relação

que vai muito além do aspecto

negocial. É um relacionamento de

confiança, com o suporte necessário

e no momento certo, de cooperativas

sólidas e fortes.

Julho/2020 REVISTA 13


ALIMENTOS COAMO

A vida tem sabor de Coamo!

A

nova campanha dos Ali e, mais uma vez, inovando. Intitulada

“Tem Sabor de Coamo”, os materiais relembram os melhores

momentos da vida, remetendo à mensagem de que os momentos

mais felizes têm sabor de Coamo, de produtos que têm origem

no campo. Esta campanha está sendo divulgada nas mídias sociais e,

também, em revistas de trade e rádios.

O diretor Comercial da Coamo, Rogério Trannin de Mello, explica

que os Alimentos Coamo tem origem no campo dos quase 30 mil

associados, que produzem com qualidade. “Os nossos produtos têm

procedência e alma. São sabores produzidos por milhares de famílias

do campo, com todo carinho e cuidado, para se experimentar o que a

vida tem de mais gostoso.”

Além do sabor, os Alimentos Coamo se destacam pelas diversas

certificações e sistemas implementados. “Com base em sua visão

e valores, a Coamo tem desenvolvido vários processos operacionais e

industriais que têm permeado importantes certificações”, explica o diretor

Industrial da Coamo, Divaldo Corrêa.

A linha de produtos alimentícios da Coamo é composta das

marcas Coamo, Primê, Anniela, Sollus e Dualis. Das indústrias da cooperativa

localizadas em Campo Mourão (PR) e Dourados (MS), saem óleo

de soja refinado, gorduras vegetais, margarinas, cafés, farinhas de trigo

e misturas para pães e bolos.

Novo pote de 1kg

para a Margarina

Coamo Família

Sucesso de vendas no Brasil,

a tradicional Margarina

Coamo Família chega neste

mês às gôndolas dos supermercados

em potes de 1kg. É a

mesma margarina com a mesma

qualidade e sabor conhecido por

milhares de consumidores. A novidade

é destinada a pequenos

confeiteiros, padarias, lanchonetes,

buffets, cash & carry, ou o

consumidor final que queira economia.

São as mesmas características

que conquistaram as mesas

brasileiras com uma relação custo

x benefício ainda melhor. A Margarina

Coamo Família tem sabor e

aroma amanteigados, cor amarela

perolada, permite espalhamento

ideal no pão, derrete na boca e

tem ótima textura e maciez.

14 REVISTA

Julho/2020


Há 50 anos

a Coamo

transforma vidas.

E aqui vamos

conhecer

algumas delas.


Novos tempos

Enraizados na

cooperação

As três gerações da família Campos

Cooperativismo vem norteando

a família Campos, em Pitanga

(Centro do Paraná). O pai Mauri

trabalha com o filho Virginio e o

neto Everaldo

No sítio Santo Reis, em

Pitanga (Centro do Paraná), o

cooperativismo está enraizado

nos laços da família desde a

década de 80. Há três gerações, é

a filosofia que norteia os passos

da família Campos. O pai Mauri

Virgilio de Campos, trabalha com

o filho Virginio e o neto Everaldo.

“Meus filhos e netos estão dando

continuidade ao trabalho que

iniciei. Daqui a pouco chegam os

bisnetos que também receberão os

mesmos ensinamentos de trabalho

em família, com muita cooperação.

Já tenho uma bisneta de 16

anos, que logo poderá começar a

participar”, comemora seu Mauri.

O cooperado lembra que antes

de se associar a Coamo, sofreu

na atividade. “Eu entregava numa

empresa que um dia, simplesmente

sumiu. Eu perdi muito. Eu era

associado da Coamo há pouco

tempo, e não conhecia de fato o

trabalho da cooperativa, foi quando

eu decidi trabalhar 100% com

a Coamo. Então, mergulhei no

cooperativismo, passei a participar

de todas as reuniões e eventos

técnicos. Me envolvi totalmente

e hoje agradeço por ter a Coamo,

pois a cooperativa chegou para nos

ajudar e apoiar”, lembra Mauri.

Mauri Virgilio de Campos com o filho Virginio de Campos e o neto Everaldo


Tivemos um crescimento incrível com a Coamo. Com

honestidade e pensando no bem de todos, o progresso é

consequência. Nos emocionamos em ver a cooperativa

chegar aos 50 anos.

Seu Mauri ficou tão satisfeito

com os resultados que obteve

junto à Coamo que fez questão de

contar para todo mundo que valia

a pena se associar. “Fui chamando

outros agricultores para se

associarem também. Em um ano,

a cooperativa dobrou o número

de associados, pois cada um que

se associava, chamava outros.

Foi um crescimento incrível, e que

nunca mais parou. Sem dúvidas,

porque quando se trabalha com

honestidade e pensando no

bem de todos, o crescimento

é consequência. Ver a Coamo

chegar aos 50 anos nos emociona.

É um trabalho de família.”

Um dos filhos do seu Mauri,

Virginio de Campos, também

é associado da Coamo desde a

década de 80. “Nós começamos

fracos e com o apoio da Coamo

conseguimos crescer. Tínhamos

apenas 10 alqueires, hoje são 100.

A Coamo é nossa base sólida.

Sem contar, que depois veio a

Credicoamo, que nos trouxe ainda

mais benefícios e segurança para

trabalhar.”

Daqui para frente Virginio acredita

que tem espaço para crescer

ainda mais. “Sabemos que quando

se é associado da Coamo, o

desenvolvimento não para. Por

isso, já repassei a importância do

cooperativismo para meu filho

Everaldo e quero que meus netos

e bisnetos tenham essa mesma

consciência.”

Everaldo de Campos, filho e neto

de cooperativista, não poderia

escolher outro caminho. Ele é a

terceira geração, e já associado

há 10 anos. “É gratificante saber

que foi o cooperativismo que

trouxe todo esse crescimento

para a minha família. Temos

que agradecer a Coamo pelo

que temos. Sei que para a

minha geração está tudo mais

fácil, mas na época do meu

avô não era bem assim, e foi o

cooperativismo que impulsionou

todo esse crescimento, criando

raízes e solidez para o nosso

desenvolvimento.”


Vidas transformadas

Evolução

em terras

paranaenses

A transformação de José Soares da Silva

O pernambucano

José Soares da

Silva encontrou no

cooperativismo a

oportunidade que

precisava para mudar

de vida. Ele chegou

a trabalhar como

servente de pedreiro

na construção do

Parque Industrial da

cooperativa e hoje é

cooperado em Cândido

de Abreu

A história do cooperado José

Soares da Silva, de Cândido

de Abreu (Centro-Norte do

Paraná), se confunde com a

de muitos nordestinos que

migraram para o Sul do Brasil

em busca de desenvolvimento

e progresso. Ele chegou ao

Paraná no início da década de

1970 vindo de Pernambuco,

quando resolveu se aventurar

a convite de um parente. Logo

de cara conheceu a Coamo,

num período que trabalhou

como servente de pedreiro

na construção de silos da

cooperativa e nas primeiras

instalações do parque industrial

em Campo Mourão, em 1975.

Nesta época ele morava no

município de Engenheiro Beltrão

(Centro-Oeste do Paraná). Em

1997 o cooperado se mudou

para a comunidade Rio do Tigre,

no interior do município de

Cândido de Abreu, onde reside

até hoje.

No início da década de 1980,

já com seu primeiro pedaço de

terra, se associou à Coamo, de

onde nunca mais se desligou.

“Sou feliz de ser cooperado

José Soares da Silva com o filho Luiz Fernando


Sou feliz de ser cooperado da

Coamo porque estamos dentro

de uma cooperativa muito

organizada. Sé tenho a agradecer.

da Coamo porque estamos

dentro de uma cooperativa

muito organizada. Só tenho

a agradecer”, declara o

produtor. “Na Coamo tem

tudo para gente”, completa

ele, que trabalha em parceria

com dois filhos, também

associados. “Todos estamos

satisfeitos, trabalhamos

juntos no mesmo sistema da

cooperativa, nos ajudando”,

diz.

Há 28 anos inserido no

sistema cooperativista,

seu José, conhecido

popularmente na região como

Arnaldo, afirma que assim

como a Coamo conseguiu

crescer na atividade. “Sou

muito bem amparado pela

Coamo e, também, pela

Credicoamo, onde me associei

mais tarde, estou muito

contente”, garante.

Nos 135 alqueires cultivados

pela família, a soja é a

principal cultura do verão e,

no inverno, o trigo e o milho

safrinha são os protagonistas.

“Entregamos tudo na Coamo.

Não vendemos nenhuma saca

para ninguém. Se estamos

felizes com a cooperativa

porque entregar fora?

Somos 100% Coamo, não

é 99 não, é 100% mesmo”,

reafirma seu Arnaldo,

valorizando a cooperativa

e o sistema cooperativista.

“Cooperativismo é a melhor

filosofia do mundo. Somos

uma grande família muito

unida. Sempre digo aos meus

filhos que temos de dar muito

valor à cooperativa. Somos

muito bem amparados, não há

do que reclamar. Queremos

que a Coamo cresça muito

mais porque assim vamos

crescer juntos”, prevê.


Evolução no cooperativismo

Crescimento

amparado no

cooperativismo

O trabalho da família Dias

Parceria com a Coamo

foi parte importante

no desenvolvimento

da família que viu no

cooperativismo, um

grande aliado para o

desenvolvimento

Cada vida que a Coamo

transforma faz parte da sua

história. É com esse intuito que

a cooperativa trabalha com as

famílias, dando oportunidades

para que as pessoas possam

evoluir juntas no cooperativismo.

A família Dias, de Jardim Alegre, e

cooperadas na unidade da Coamo

em Ivaiporã (Centro-Norte do

Paraná), vivenciam essa parceria

há algumas décadas. Seu Silvio é

o patriarca da família e segundo

cooperado mais antigo da Coamo

em Ivaiporã. A história dele com a

cooperativa iniciou em 1981.

A família reside no sítio Santo

Antonio, no Bairro dos Pereira,

onde é pioneira. A transformação

é nítida quando se faz uma

comparação de como era e como

está no momento. De acordo

com seu Silvio, a área de plantio

saltou de 29 para 300 alqueires.

“Essa evolução é graças ao nosso

trabalho e, também, a parceria

que sempre tivemos com a

Coamo. Trabalhamos em família,

Silvio é um dos primeiros cooperados da Coamo em Ivaiporã


e crescemos juntos, todos unidos”, salienta. As

atividades agrícolas desenvolvidas na propriedade

são realizadas em parceria com os filhos e netos.

Conforme o cooperado, a Coamo propiciou uma

grande revolução e transformação para várias

famílias na região de Ivaiporã. “A cooperativa trouxe

crédito, assistência técnica e segurança. A Coamo

contribuiu no crescimento e desenvolvimento da

região”, salienta. Na visão dele, a transformação

da família é mérito do trabalho da família, que

não mediu esforços para alcançar o sucesso.

“No início da Coamo aqui na região, a gente via

que muitos agricultores tinham receio, medo do

cooperativismo. Mas, assim que a cooperativa foi

evoluindo, mostrando sua seriedade, os produtores

rurais passaram a aderir e se fortaleceram juntos.”

Silvio Vieira Dias é um dos filhos e responsável pela

administração da propriedade. Função recebida

do pai ainda jovem, logo que decidiu trabalhar na

propriedade. Ele conta que se espelha nos pais para

dar continuidade à atividade agrícola. “Eles sempre

pregaram a união e honestidade. São valores que

somados ao cooperativismo e parceria com a

Coamo levaram a chegar onde estamos hoje.”

De acordo com ele, assim como a Coamo, que

sempre foi muito bem administrada e tem a

honestidade como princípio, a família deles

também honra os compromissos assumidos e

trabalha com seriedade. “Vemos isso na Coamo

e fazemos questão de seguir o exemplo. É um

trabalho que vem dando certo. O cooperativismo

tem o objetivo de unir as pessoas em prol

de um bem comum. Temos a Coamo como

parceira e sabemos que quando precisarmos de

apoio teremos. Assim como, fazemos questão

de apoiar a cooperativa, sem fugir da nossa

responsabilidade”, assinala Silvio.

Essa evolução é graças ao nosso trabalho e,

também, a parceria que sempre tivemos com a

Coamo. Trabalhamos em família, e crescemos

juntos, todos unidos.


Igualdade no cooperativismo

Testemunha

do progresso

Crescimento sustentado pelo trabalho dos Voroniuk

Defensor da política

de trabalho da

Coamo, cooperado

enaltece a gestão

adotada pela diretoria,

especialmente na

figura do idealizador,

José Aroldo Gallassini

Dos 50 anos de atividades da

Coamo, que serão completados

em 28 de novembro próximo, 45

foram vividos em parceria com

o cooperado Tadeu Voroniuk,

um tradicional agricultor e

pecuarista da região de Roncador

(Centro-Oeste do Paraná), que se

associou à Coamo em 1975. Ele é

testemunha do desenvolvimento

da agropecuária regional, da

cooperativa e de si próprio,

nessas quatro décadas e meia

de crescimento, sustentado

por um ótimo trabalho realizado

em conjunto, mediado pelo

cooperativismo. “Isso se dá

muito pela filosofia de trabalho

da Coamo. Porque para ela todos

são iguais, independentemente

do tamanho. Não importa se

você tem uma ou mil cabeças

de gado, dez ou cem alqueires

de terra. O preço dos insumos

ou a entrega do produto tem o

mesmo valor para todos. Isso é

cooperativismo, é o correto a se

fazer”, elogia Tadeu.

Defensor da política de trabalho

da Coamo, o cooperado enaltece

a gestão adotada pela diretoria,

especialmente na figura no

idealizador, José Aroldo Gallassini.

“Sou fã dele, um admirador do

Tadeu com o filho Tadeu Voroniuk Júnior


Tudo foi conquistado com muito

trabalho, com honestidade e pés

no chão. A Coamo nos ensinou

muito nesse sentido e rege tudo

isso como uma grande orquestra.

trabalho desenvolvido por ele.

Nos passa muita confiança e

credibilidade”, destaca.

Nesses 45 anos de parceria,

seu Tadeu enxerga a Coamo

como uma mola propulsora do

crescimento dos associados.

“Tudo foi conquistado com muito

trabalho, com honestidade e pés

no chão. A Coamo nos ensinou

muito nesse sentido e rege tudo

isso como uma grande orquestra”,

compara o cooperado, que iniciou

na agricultura com 40 alqueires

de cultivo. Passado um período

migrou para a pecuária, onde

permaneceu por longos anos até

resolver voltar para a agricultura.

Hoje desempenha as duas

atividades com muito sucesso.

Cultiva cerca de 240 alqueires

de lavoura e, em outra área

semelhante, cria gado de corte,

com apoio do filho Tadeu Voroniuk

Junior, veterinário por formação.

“Graças a Deus, a tecnologia e

serviços oferecidos pela Coamo,

estamos melhorando nossos

resultados a cada ano”, agradece.

Braço direito nas atividades

e na vida do seu Tadeu, o

também cooperado e filho

Junior, carrega com orgulho o

mesmo nome do pai, além de

seguir os mesmos passos no

trabalho. Ligado à agricultura

e, sobretudo a pecuária, pela

formação veterinária, Junior é

outro que valoriza a parceria com

a Coamo. “A tecnologia oferecida

pela Coamo e o trabalho da

cooperativa agregam ao nosso

desenvolvimento no campo. A

cooperativa para nós tem sido

fundamental, porque alavanca

a atividade do início até o fim. A

cada ano que passa melhora ainda

mais”, comenta.

Conforme o agropecuarista,

a cooperativa completa 50

anos crescendo junto com os

cooperados e contribuindo para

o desenvolvimento das regiões

onde está presente. “Aqui em

Roncador ela investe e ajuda a

cidade a se desenvolver. Gera

empregos, renda e contribuiu para

o crescimento do município. É

uma grande engrenagem, isso é

cooperativismo”, finaliza.


REUNIÃO DE CAMPO

José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de Administração da Coamo e da Credicoamo, com o presidentes Executivos Alcir Goldoni (Credicoamo) e Airton Galinari (Coamo)

Coamo realiza Reunião

de Campo virtual

Em tempos de pandemia é

preciso se reinventar. Diferente

do que vem acontecendo

nos 50 anos da Coamo,

neste ano, a Reunião de Campo

com a diretoria não foi presencial,

mas sim virtual, pelo canal

da cooperativa no YouTube. A

live foi no dia 02 de julho, com a

participação de milhares de pessoas

do Paraná, Santa Catarina e

Mato Grosso do Sul.

O presidente dos Conselhos

de Administração da Coamo

e da Credicoamo, José Aroldo

Gallassini, coordenou a reunião,

que teve a participação dos presidentes

Executivos da Coamo,

Airton Galinari, e da Credicoamo,

Alcir José Goldoni, do gerente

de Assistência Técnica, Marcelo

Sumiya, e do assessor de Cooperativismo,

José Ricardo Pedron

Romani.

Tradicionalmente, a diretoria

da Coamo percorre duas

vezes no ano todas as unidades

da cooperativa para levar importantes

informações aos cooperados.

As do primeiro semestre

deste ano foram realizadas normalmente

no final de janeiro e

início de fevereiro.

A reunião virtual foi transmitida

ao vivo da sede da Coamo,

em Campo Mourão, pelo

Youtube. De acordo com Galinari,

conhecimento e informação

sempre foram os pilares do

cooperativismo de resultado que

24 REVISTA

Julho/2020


Gallassini: "O sistema cooperativista dá certo porque é transparente e comandado

de forma honesta, sempre pensando na parte financeira e, também, na social."

a Coamo pratica em sua história.

“Durante os 50 anos da Coamo,

milhares de reuniões de campo

foram realizadas sempre de forma

presencial, porque o Dr. Aroldo

sempre considerou essencial

esse contato direto da diretoria

da cooperativa com os seus cooperados.

Contudo, devido a pandemia,

tivemos que nos adequar.

Entendemos que esta maneira

é a mais adequada no momento,

para que possamos manter

a nossa tradição com segurança

para todos”, diz.

Gallassini destaca a importância

de manter os cooperados

informados sobre a Coamo e

o cenário agrícola e econômico

brasileiro e mundial. “Fazemos

questão desse contato direto,

entre a diretoria e o quadro social

da Coamo e Credicoamo,

cumprindo assim a missão de gerar

renda de forma sustentável,

seguindo a visão de ser sempre

a melhor opção para os cooperados,

parceiros e colaboradores.

O sistema cooperativista dá certo

porque é transparente e comandado

de forma honesta, sempre

pensando na parte financeira e,

também, na social”, assinala.

Conforme Gallassini,

mesmo realizada de uma forma

diferente, a reunião cumpriu o

objetivo de informar e apoiar no

planejamento da comercialização

e do plantio das próximas

safras. “São dados importantes.

Assuntos relacionados à comercialização,

por exemplo, ajudam

na tomada de decisão. Também

apresentamos os custos de produção

para que os cooperados

possam comercializar a produção

da melhor maneira possível.”

Para Goldoni, o momento

exige cuidado e mudança de

hábitos, mas sem deixar de lado

o compromisso que a cooperativa

tem com os seus cooperados.

“Já é uma tradição essas

reuniões. Este ano, foi em um

formato diferente, mas sem perder

a sua essência de informar e

orientar o cooperado sobre os

serviços e benefícios oferecidos

pela Credicoamo. As duas cooperativas

[Coamo e Credicoamo]

trabalham de forma integrada

visando o melhor para o quadro

social”, destaca.

Galinari: "Conhecimento e informação sempre foram os pilares do cooperativismo

de resultado que a Coamo pratica e praticou em toda sua história"

Julho/2020 REVISTA 25


REUNIÃO DE CAMPO

Assuntos de interesse dos cooperados

Na reunião virtual foi apresentada a situação

geral da Coamo, da Credicoamo e da Via Sollus Corretora

de Seguros, além de dados econômicos do Brasil

e uma análise do Plano Safra do Governo. Números relacionados

ao recebimento da safra e comercialização

dos principais produtos da Coamo – soja, milho e trigo,

também foram abordados.

Conforme Gallassini, a Coamo deverá fechar

o melhor ano da sua história. Ele recorda que a safra

de verão recebida em todas as unidades foi recorde

e comercializada por bons preços pelos cooperados.

“Podemos dizer que a agropecuária está vivendo um

momento diferente do resto do país. Recebemos um

total de 90,7 milhões de sacas de soja e 4,2 milhões

de sacas de milho verão. Temos uma previsão de 42

milhões de sacas de milho segunda safra e 9,2 milhões

de sacas de trigo. Se a safra de inverno se confirmar,

somando a outros produtos como café e aveia, a Coamo

deve fechar o ano com um recebimento de 146,5

milhões de sacas de produtos.”

A pandemia está influenciando diretamente a

economia do Brasil. De acordo com os dados apresentados

na reunião, o país deve fechar 2020 com inflação

de 1,63% e taxa Selic de 2%. Conforme Gallassini,

esses números não são ruins para a economia. Porém,

por outro lado, o Produto Interno Bruto (PIB) será negativo,

com previsão de fechar em - 6,54%. “A recuperação

da economia brasileira será lenta e isso acarreta

várias situações, como o desemprego, por exemplo.”

Já um fator positivo para o agronegócio é a alta do dólar

que oscilou entre R$ 4,00 e R$ 5,97. “Para nós, que

exportamos, essa é uma vantagem. Vimos a soja chegar

a R$ 100,00 e o motivo é a alta do dólar”, explica.

INFLAÇÃO

1,63%

(projeção 2020)

Situação do Brasil

TAXA SELIC

2,00%

(projeção 2020)

PIB

-6,54%

(projeção 2020)

DÓLAR 2020

R$ 4,00 (mín.)

R$ 5,97 (máx.)

De 01/01/2020

até 29/06/2020

Atualização: 29/06/2020

Fontes: Pesquisa FOCUS – Banco Central do Brasil e Broadcast Agência Estado

Gallassini ressalta que a situação geral da

Coamo e da Credicoamo é positiva. “Poderíamos

ficar reclamando devido a pandemia que já matou

milhares de pessoas pelo Brasil. Isso é muito triste

e grave. Porém, quando começou tudo isso, estávamos

em plena colheita de verão e o governo permitiu

que continuássemos trabalhando, pois fazemos

parte de um setor essencial. Temos o melhor ano de

todos os tempos da Coamo. A agropecuária é que

tem ajudado a segurar a economia brasileira.”

Plano Safra 2020/2021

Recursos 2019/2020 (R$) 2020/2021 (R$)

222,74

bilhões

236,30

bilhões

Crédito Rural

Custeio 169,33 bilhões Custeio 179,38 bilhões

Seguro Rural / Subvenção

Apoio à Comercialização

Fonte: MAPA

Investimento 53,41 bilhões Investimento 56,92 bilhões

1,30 bilhão

2,37 bilhões

Comercialização

Durante a reunião, foram apresentados os

principais dados sobre as três principais culturas

recebidas pela Coamo: trigo, milho e soja. Conforme

Gallassini, o trigo tem grande importância

não só na parte comercial, mas também para o

sistema de produção, por meio da rotação de cul-

Recebimento da Produção

Produto Sacas 2019/2020

Soja 90.760.000

Milho (verão) 4.292.100

Milho (2ª safra)

Trigo

Aveia, Café e outros

42.000.000 (previsão)

9.200.000 (previsão)

300.000 (previsão)

TOTAL 146.552.100

Fonte: Coamo

Em milhões Maio/2020

26 REVISTA

Julho/2020


turas. Porém, a atividade perdeu espaço nos últimos

anos. “Precisamos aumentar a produção

para, pelo menos, atender o mercado interno.

O Brasil consome 12,98 milhões de toneladas

de trigo e a produção é 5,43 milhões de toneladas.

Para suprir a necessidade, é preciso importar

trigo e nem sempre o mercado favorece.

O aumento de área por parte dos cooperados

é uma decisão de cada um, mas temos espaço

para crescer e opções de variedades produtivas

e com qualidade. “

O milho é o cereal mais produzido no

mundo e no Brasil o mercado está com bons

preços. “Os cooperados aproveitaram o bom

momento e esperamos que continue assim. O

milho, também, traz vantagens para o sistema

de produção e vem aumentando a rentabilidade

dos agricultores. O cereal é o principal

produto na fabricação de ração, e a Coamo

aprovou uma fábrica que se encontra em estudo

de viabilidade econômica. Também estamos

estudando uma indústria de etanol de

milho.” Em relação a comercialização da segunda

safra de milho, Gallassini revela que os

cooperados já venderam mais de 11 milhões

de sacas da safra 2020 e 6,0 milhões da safra

2021, respectivamente, 27 e 15% da previsão

de recebimento, que é de 42 milhões de sacas.

“Estamos vendo uma mudança de hábito dos

cooperados que estão vendo o milho em qualquer

época do ano. O momento é bom, com

bons resultados financeiros.”

A soja é o principal produto de exportação

e o Brasil o maior produtor, com uma

produção de 131 milhões de toneladas. A produção

dos Estados Unidos é de 112,26 milhões

de toneladas. É um produto que tem mercado

o ano todo e os cooperados são orientados

para que façam a comercialização em diversas

vezes, levando em conta o custo de produção.

“Quem vende de forma escalonada, deixa de

ser especulador e tem um resultado melhor.

Na média, ganha mais quem vende em função

do custo.” Ele revela que 31,% da safra 2020/21

já foi comercializada de forma antecipada.

Em milhões de toneladas

Em milhões de toneladas

Soja

Oferta e demanda Brasil

Em milhões de toneladas Safra 2019/2020(1) Safra 2020/2021(2)

Estoque Inicial 1,37 1,35

+ Produção 120,33 131,00

+ Importação 0,15 0,15

Disponibilidades 121,85 132,50

- Uso Doméstico 44,50 45,00

- Exportação 76,00 83,00

Estoque Final 1,35 4,50

Milho

Oferta e demanda Brasil

Fonte: (1) CONAB – Maio/2020; (2) USDA – Maio/2020

Safra 2019/2020

Trigo

Oferta e demanda Brasil

Safra 2019/2020

(previsão)

Safra 2020/2021

Estoque Inicial 10,93 11,15

+ Produção 102,34 106

+ Importação 0,90 2

Disponibilidades 114,17 119,15

- Consumo 68,52 68

- Exportação 34,5 38

Estoque Final 11,15 13,15

Fonte: CONAB - Maio/2020

(previsão)

Safra 2020/2021

Estoque Inicial 0,80 0,25

+ Produção 5,15 5,43

+ Importação 7,20 7,30

Disponibilidades 13,15 12,98

- Consumo 12,50 12,51

- Exportação 0,40 0,30

Estoque Final 0,25 0,17

Contrato de venda

Fonte: CONAB – Maio/2020

SAFRA COMERCIALIZAÇÃO até 29/06/2020

SOJA 2020/2021 VENDIDO

28.588.788 sacas

(31,8% da previsão)

SOJA

À FIXAR (safras

anteriores)

13 milhões de sacas

MILHO 2ª SAFRA -2020 VENDIDO

10.417.915 sacas

MILHO 2ª SAFRA - 2021 VENDIDO

5.000.000 sacas

Fonte: Coamo

Julho/2020 REVISTA 27


REUNIÃO DE CAMPO

Assistência técnica, instrumento para evolução

O gerente de assistência

Técnica, Marcelo Sumiya, apresentou

assuntos relacionados ao

plano safra do governo, custo de

produção do milho, trigo e soja

e programas para os associados

como por exemplo, Gestor Rural

e Fideliza.

De acordo com ele, o Fideliza

tem como objetivo valorizar

a participação do cooperado

na Coamo e, desde 2018, já foram

gerados mais de 66,22 milhões

de pontos. “Podemos considerar

que são R$ 66 milhões. Os pontos

podem ser trocados por produtos

que vão desde Uniport até

pequenos acessórios e, também,

para contratar o serviço com agricultura

de precisão”, assinala.

Marcelo Sumiya, gerente de Assistência Técnica

Cooperativismo

reformulado

A assessoria de Cooperativismo

da Coamo está sendo

reformulada com o objetivo de

ser o elo de comunicação entre

cooperados e diretoria, transmitindo

os princípios cooperativistas

por meio da educação,

formação e informação. O engenheiro

agrônomo José Ricardo

Pontos podem ser trocados por vários produtos

Agricultura de precisão

também está no Fideliza

José Ricardo Pedron Romani, assessor de Cooperativismo

28 REVISTA

Julho/2020


Pedron Romani, assumiu recentemente a assessoria.

Ele comenta que devido a pandemia, vários eventos

direcionados aos cooperados e seus familiares

foram cancelados, mas assim que a situação se normalizar,

novidades serão anunciadas e implantadas.

Entre os programas da Assessoria de Cooperativismo

estão: Comitê Educativo, Reuniões de

Campo, Jovens Líderes Cooperativas, Coamo +

Negócios, Coamo + Tecnologia, Coamo + Mulher

(cursos e treinamentos de gestão) e Coamo + Social

(Promoção social, mulher atual, mulheres do campo,

Copa Coamo).

Credicoamo, braço financeiro

LINHAS DE CRÉDITO

Goldoni: “É importante que o cooperado saiba os

benefícios da Credicoamo e participe das cooperativas."

A Credicoamo é uma cooperativa que oferece serviço de

crédito para os cooperados da Coamo. Sua missão é agregar renda

aos cooperados por meio de soluções financeiras sustentáveis.

Conforme o presidente Executivo da Credicoamo, Alcir Goldoni, “é

importante que o cooperado saiba quais são os produtos oferecidos

para que participe, cada vez mais, da sua cooperativa.”

CRÉDITO RURAL

• Custeio agrícola – soja, milho, trigo e feijão,

com participação superior a 85% dos projetos

da Assistência Técnica Coamo

• Financiamento de Correção de Solos, Barracões,

Máquinas e Implementos Agrícolas e

Máquinas Usadas

• Estocagem (safra atual)

EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

• Empréstimos CCB – Capital de Giro

• Crédito Fundiário (complementar as necessidades)

• Credi-Energia Solar

• Moradia Feliz – rural e urbano

• Financiamento de caminhões e veículos novos

e usados

APLICAÇÕES FINANCEIRAS de renda fixa

com rentabilidade pela variação do CDI:

• CrediFlex – com liquidez e resgate automático

• CrediCap – com liquidez e resgate no vencimento

ou por solicitação

José Aroldo Gallassini também falou sobre a Via Sollus. De acordo

com Gallassini, a corretora de seguros dos cooperados da Coamo e

da Credicoamo presta um importante serviço para os cooperados.

CARTÃO MÚLTIPLO CREDICOAMO

• Nacional e Internacional

• Débito e Crédito

Julho/2020 REVISTA 29


30 REVISTA

Julho/2020


REUNIÃO DE CAMPO

Cooperados aprovam

Reunião de Campo virtual

A Reunião de Campo virtual foi prestigiada

por milhares de cooperados. Eles aprovaram

a inovação e a preocupação da diretoria

em manter o encontro, mesmo em um formato

diferente. O cooperado Ivan Luiz Neunfeld,

de Toledo (Oeste do Paraná), deu uma pausa

na manutenção dos maquinários para assistir

a reunião. “Foi uma reunião muito boa. São

dados interessantes de custos de produção e

da comercialização. Quanto mais informação

melhor, ainda mais em um ano atípico como

este.”

Lucas e o pai, Paulo Pereira de Carvalho,

de Mamborê, ambos cooperados, ressaltam

a importância de acompanhar os números

da cooperativa e dos estoques brasileiro e

mundial das principais culturas. “É uma reunião

sempre muito esperada. Parabenizo a Coamo

pela reunião virtual nesse momento delicado

que vivemos.” O cooperado Paulo Fiorese, de

São Domingos (Oeste de Santa Catarina), também

gostou do novo formato das reuniões de

campo. “Por mim pode continuar”, frisa.

Eloir Antonio Bavaresco, de Cantagalo

(Centro-Sul do Paraná), ressalta que a reunião

de campo esclarece e atualiza o cooperado.

“A Coamo nos mantém informada sobre a sua

situação e, também, da agricultura de forma

geral.”

A família Brunetta, de Mamborê (Centro-Oeste

do Paraná), acredita que a pandemia

antecipou uma realidade que será vivenciada

no futuro. “A Coamo acompanhou essa

aceleração e trouxe essa nova realidade para

os cooperados. Sem prejuízo da informação

atualizada e da tradicional reunião de campo

para todos em todos os cantos”, diz a cooperada

Giovana, que assistiu a reunião na cidade,

enquanto os pais Alcides e Vanice, estavam na

fazenda.

Paulo Fiorese e a

esposa Marta, de São

Domingos (SC)

Ivan Luiz Neunfeld,

de Toledo (PR)

Paulo Pereira de Carvalho

com o filho Lucas, de Mamborê

Família Brunetta, de Mamborê (PR)

Dimas Del Conte,

de Faxinal PR)

Eloir Antonio Bavaresco,

de Cantagalo

Julho/2020 REVISTA 31


32 REVISTA

Julho/2020


ESPECIAL PECUÁRIA

Pecuária em

desenvolvimento

A

diversificação agropecuária é uma forma

de trabalhar que pode fazer a diferença no

bolso do produtor rural. Independentemente

do tamanho da propriedade, é uma forma eficaz

para evitar as incertezas e a vulnerabilidade que o

homem do campo está exposto devido ao clima,

mercado, pragas e doenças. Por esta razão, mesmo

sendo uma cooperativa de commodities a Coamo

incentiva e presta assistência técnica nessa área para

todo o quadro social.

A Coamo conta com farmácias veterinárias

espalhadas por toda a área de ação no Paraná, Santa

Catarina e Mato Grosso do Sul. Segundo o diretor de

Suprimentos e Assistência Técnica da Coamo, Aquiles

de Oliveira Dias, o objetivo da cooperativa é oferecer

o melhor atendimento em todos os segmentos

da produção agropecuária. “Nossos associados são

mais focados na agricultura, e nesse sentido desenvolvemos

uma assistência técnica com bastante qualidade.

Na veterinária, aprimoramos ano a ano, pois

é uma importante atividade dos nossos cooperados.

Por isso, estamos realizando melhorias nessa área.”

Dias observa que o objetivo é contar com

mais médicos veterinários em toda a cooperativa.

“Queremos oferecer mais profissionais para auxiliar

o atendimento das farmácias veterinárias e no campo

junto aos cooperados, para desenvolver as atividades

da pecuária.”

Segundo o diretor, a pecuária é uma forma

de incrementar a renda do agricultor, por meio da

diversificação. Ele destaca, neste sentido, que a Fazenda

Experimental da Coamo, conta com diversos

ensaios de pesquisa. "Temos em nosso laboratório

a céu aberto, um ensaio juntamente com a Universidade

Federal do Paraná (UFPR), por exemplo, onde

estudamos a integração lavoura e pecuária. Esse ensaio

que já tem mais de 20 anos, é o experimento brasileiro

que tem mais dados sobre este assunto. Temos

Julho/2020 REVISTA

33


ESPECIAL PECUÁRIA

"PECUÁRIA É UMA FORMA DE INCREMENTAR A RENDA DO AGRICULTOR, POR

MEIO DA DIVERSIFICAÇÃO. COAMO ESTÁ AMPLIANDO ATENDIMENTO À ATIVIDADE."

catalogados os dados de produtividade

de todos esses anos.”

Com todo acervo da

Fazenda Experimental, Aquiles

Dias, ressalta que a Coamo tem

condições de oferecer aos associados

a assistência necessária

para que ele implante corretamente

a pecuária. “É uma importante

diversificação para o nosso

cooperado. É usar a propriedade

de uma forma eficiente, com

toda a sua potencialidade, para

obter a maior produtividade e

resultado possível com o desen-

volvimento da agropecuária.”

Com tamanha evolução

na agricultura e pecuária, o diretor

reforça que é possível agregar

ainda mais. “Na pecuária,

tanto de corte quanto de leite,

podemos agregar ainda mais

para nossos cooperados. Tem

um grande espaço entre o que

existe de tecnologia desenvolvida

pela pesquisa e pelas universidades

e aquilo que é usado no

dia a dia. Queremos que o produtor

produza mais por área e

com um custo menor.”

Assistência técnica padronizada

Aquiles de Oliveira Dias, diretor de Suprimentos e

Assistência Técnica da Coamo

O trabalho técnico da

Coamo está respaldado em um

planejamento para que, os associados

ligados à atividade

agropecuária, tenham a mesma

qualidade da assistência técnica

agronômica. Segundo o gerente

de Assistência Técnica da Coamo,

Marcelo Sumiya, a reestru-

turação da área veterinária tem

como objetivo otimizar os recursos

e fazer com que o cooperado

tenha alternativas para obter o

máximo de rentabilidade na propriedade.

Sumiya esclarece que o

associado da Coamo tem a vantagem

de ter a integração da

Marcelo Sumiya, gerente de Assistência Técnica

assistência veterinária com agronômica.

“A melhor forma para o

produtor rural evoluir é integrando

as duas áreas. O agrônomo,

por exemplo, entra com o trabalho

de recuperação de pastagem

e o veterinário faz as indicações

34 REVISTA

Julho/2020


da melhor cobertura para otimizar

o rebanho. É essa interação

que buscamos, com um trabalho

diferenciado.”

Dessa forma, a estabilidade

da produção fica garantida.

“Durante todo o ano, o produtor

rural consegue obter renda. A

pecuária é uma atividade segura.

Quando realizada com técnica,

permite que atividades simples

que não exigem tanto investimento,

façam a diferença”, alerta

o gerente.

Sumiya acrescenta que

esse trabalho exige constante

estudo e análise da Coamo, para

oferecer o melhor serviço ao cooperado.

“Precisamos conhecer as

características de cada região

da área de ação da cooperativa

e, para isso, temos vários experimentos

na Fazenda Experimental,

que divulgamos nos eventos

técnicos.”

Farmácias veterinárias no PR, SC e MS

Para dar respaldo e facilitar o trabalho agropecuário, a

Coamo conta com farmácias veterinárias distribuídas em toda a

área de atuação da cooperativa, totalizando 70 lojas. De acordo

com o chefe do departamento de Fornecimento Insumos Veterinários,

Vinicius Dziubate de Andrade, nas unidades o cooperado

encontra todos os insumos necessários para sua atividade. “Contamos

com toda a linha de frascaria, vermífugos, vacinas, antibióticos,

anti-inflamatórios, suplementos minerais, proteinado suplementado

para gado de leite e gado de corte, ovinos, suínos e

equinos. Temos uma gama grande de rações e concentrados para

bovinos de leite e corte, suínos, peixes e, inclusive, rações pets.”

Outro segmento de produtos, conforme Vinicius, são os

equipamentos veterinários. “Nas lojas temos barracão, ordenhadeira,

troncos e balanças para quem trabalha com gado de corte,

enfim, é uma área onde a Coamo atua 100% para o pecuarista.

Além disso, temos sementes de pastagens forrageiras e herbicidas

de pastagens, e toda a linha de botas e botinas. Tudo que é útil

para o dia a dia do cooperado.”

Andrade reforça ainda que antes de qualquer produto ser

comercializado, é realizada uma avaliação e análise de qualidade.

“A eficiência desses produtos é testada. Verificamos se existe um

trabalho científico que o respalda. É sempre feito um estudo antes

de entrar qualquer produto dentro da Coamo. A partir do momento

que esse produto passa a ser fornecido pela cooperativa é sinal

de que foi aprovado não só pelo nosso parceiro, como também

pela nossa equipe técnica.”

Plano Veterinário

A Coamo lançou o tradicional

Plano da farmácia Veterinária.

Todos os produtos de farmácia

veterinária se encontram

com prazos de pagamentos e

descontos especiais. Faça seu

planejamento, procure uma

das unidades da Coamo. Não

fique de fora.

Coamo conta com lojas veterinárias em toda a área de ação no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Julho/2020 REVISTA

35


ESPECIAL PECUÁRIA

Veterinários em campo

A Coamo conta com veterinários distribuídos

regionalmente, os quais atuam na assistência

técnica às diversas atividades dos cooperados. Há

produtores que possuem atividades complementares,

como a de bovino de corte, de leite, e outros

com piscicultura e suinocultura. Mas, há também

aqueles cooperados que tem na pecuária a

atividade principal. Segundo o médico veterinário

da Coamo de Campo Mourão, Hérico Alexandre

Rossetto, a equipe técnica está apta para atender

todas as áreas que a veterinária abrange. “O foco

está em respaldar o cooperado tecnicamente para

ele sempre verticalizar, com o melhor custo benefício,

adotando as mais modernas tecnologias.”

Um exemplo de atuação do médico veterinário,

que se intensifica nesta época do ano,

é a assistência técnica para produção de silagem

de milho de planta inteira ou grão úmido. Para a

correta produção dessas formas de silagens, há

a necessidade de avaliar-se o ponto correto do

milho, a regulagem da ensiladeira para uma trituração

correta da planta de milho. Obtendo, assim,

o tamanho de partícula correta, para favorecer a

compactação da massa que está sendo ensilada e,

por fim, uma correta vedação de massa ensilada,

com total eliminação do ar. “Em junho utilizamos o

pastoreio dos animais em cima das pastagens de

aveia, azevém, centeio, dentre outras, como a brachiaria

ruziziensis. São tarefas que fazem parte da

atuação do médico veterinário”, explica.

Segundo Rossetto, a assistência técnica na

Coamo pode ser realizada de duas formas. “Existe

a assistência normal, que todo associado tem no

entreposto em que está vinculado e tem, também,

a assistência do Grupo de Atendimento Veterinário

(GAVE), onde é possível ter um atendimento particularizado.

Neste caso, temos grupos com cerca

de 15 associados que pagam uma mensalidade,

para ter um veterinário fixo com visitas agendadas.

Porém, as recomendações nos dois atendimentos

são sempre com a mesma qualidade técnica.”

Hérico Alexandre Rossetto, médico veterinário da Coamo em Campo Mourão

Agropecuária rentável

Josiane Mezaroba é associada da Coamo em

Pitanga (Centro do Paraná). Ela faz parte do Grupo de

Atendimento Veterinário (GAVE). “A atividade mudou

muito depois que eu passei para o grupo. Com a assistência

tivemos uma economia significativa, ajustamos o

manejo, intensificamos a prevenção de doenças. Temos

informações sobre todas as novas tecnologias do mercado,

acompanhamento na reprodução dos animais, dentre

outros suportes técnicos.”

Em 30 alqueires, a produtora rural busca explorar

Família Mezaroba, de Pitanga (PR)

36 REVISTA

Julho/2020


ao máximo a área da propriedade. No inverno, tem gado

de leite, gado em semi-confinamento, produção de grãos,

milho para silagem e ração. No verão, soja e uma área de

pastagem, que no inverno é destinada para a aveia, alimentação

das vacas e bezerros. “A cobertura para soja me

salva no verão, porque eu corto a aveia e forneço no cocho

para os animais. Hoje, tenho 40 vacas em lactação, 15

novilhas e 40 animais para corte”, avalia a cooperada que

está no grupo há cerca de um ano e diz que percebeu uma

mudança de 100% na propriedade.

O médico veterinário da Coamo em Pitanga, Celio

Eduardo Sargentin Pereira, diz que o trabalho de assistência

técnica começa com uma avaliação geral da propriedade.

“Primeiro é realizado um mapeamento da área e um

levantamento histórico de produtividade. Analisamos com

o cooperado quais os objetivos de curto, médio e longo

prazo. São identificadas, também, as principais dificuldades

e possíveis soluções. Temos que avaliar a infraestrutura

da propriedade para saber o que tem disponível e, em

sequência, aperfeiçoar a mão de obra.”

Com simples mudanças no dia a dia já se obtém

ganhos significativos, segundo Pereira. “Muitas vezes, melhorando

o manejo já simplificamos muito. Além disso, a assistência

técnica fará o acompanhamento e auxílio nutricional,

com relação a volumosos, concentrados, mineirais, uso

de tamponantes e aditivos, vitaminas, pré-secadas, fontes

de fibras, e até mesmo os resíduos de confinamentos.”

Além desse trabalho, os veterinários da Coamo

dão suporte para o melhoramento genético. “Trabalhamos

com a inseminação artificial, analisando os índices produtivos

da propriedade inteira, os animais em produção, a

porcentagem de natalidade e mortalidade, retenções de

placenta. Com esses índices realizamos um protocolo de

avaliação de desempenho, para maximizar o resultado por

cada categoria”, ressalta o médico veterinário.

Cooperada Josiane Mezaroba analisa com veterinário da Coamo, Celio Pereira, a alimentação dos animais

Amor pela

agropecuária

A família Vonsowski tem

em seu DNA a união e o amor pela

agropecuária e o cooperativismo.

Tudo começou em 1959 quando

o casal Otávio e Juraci chegaram

em Campo Mourão e compraram

uma propriedade chamada Venda

Água Branca, em Peabiru (Centro-

-Oeste do Paraná), para comercializar

na região alimentos e outros

produtos. Ali foi o início do trabalho

como produtores rurais, pois

no mesmo lugar está localizada

uma das propriedades da família.

Inclusive, o antigo local das vendas,

hoje é o escritório da fazenda.

O casal Vonsowski passou

o legado aos seis filhos que atualmente

administram os negócios

da família. Segundo uma das filhas,

Roseli, o pai não está mais presente,

mas tudo que ele acreditou e

iniciou está enraizado nas terras

da Fazenda Venda Água Branca.

“Meus pais eram muito trabalhadores.

Estamos dando sequência

ao que iniciaram e sempre será feito

da maneira que meu pai vinha

fazendo.”

A cooperada Roseli revela

que na propriedade é desenvolvida

a agricultura e gado de corte.

“Na parte da pecuária temos um

plantel com cerca de 1500 cabeças

para cria e recria, entre vacas

criadeiras, novilhos e bois. Nosso

gado é todo para corte, tem cruzamento

genético e fazemos inseminação

artificial. Fazemos silagem o

ano todo, seguindo o planejamen-

Julho/2020 REVISTA 37


38 REVISTA

Julho/2020


ESPECIAL PECUÁRIA

"FAMÍLIA VONSOWSKI, DE CAMPO MOURÃO, TEM EM SEU DNA A

UNIÃO E O AMOR PELA AGROPECUÁRIA E O COOPERATIVISMO."

“Realizamos a integração lavoura

e pecuária, rotação de culturas,

plantamos soja em áreas de pastagem

degradada e, depois voltamos

reformando a pastagem.

Percebemos que onde fazemos a

rotação, a pastagem tem melhorando

significativamente, entregando

uma produtividade melhor

na pecuária”, revela Castoldi.

Roseli Vonsowski, cooperada em Campo Mourão (PR)

to recomendado pelo veterinário

da Coamo.”

Segundo a associada, a

família integra o Grupo de Atendimento

Veterinário (GAVE) e

todo o trabalho é desenvolvido

com a assistência técnica da

Coamo. “Trabalhamos 100% com

a Coamo, com o apoio de um

agrônomo e um médico veterinário.

Na pecuária, o agrônomo

nos assiste para a correção do

solo, escolha das sementes para

o plantio de pasto. Temos que

desenvolver com o apoio das

duas áreas, e isso a Coamo nos

proporciona com muita qualidade”,

explica Roseli.

Tudo o que precisa a

cooperada diz que encontra na

cooperativa. “Compro todos os

proteinados, sal mineral, enfim,

tudo o que é necessário. Usamos

resíduos de soja, milho e triticale

para fazer a ração do gado que

está em confinamento e, depois,

quando vai para cria e recria. A

Coamo é muito importante para

nossa família. Meu pai foi um dos

primeiros cooperados. Deu certo

com ele, está dando com nós

filhos e os netos já se preparam

para dar continuidade.”

Roseli destaca que além

da assistência técnica, a Coamo

tem o diferencial de realizar

eventos técnicos. “A cooperativa

nos traz por meio de dias de campos,

palestras e outros eventos

técnicos, as mais modernas tecnologias

do mercado e o contato

com pesquisadores de diversos

órgãos de pesquisa. Tudo que

aplicamos em nossa propriedade,

aprendemos com a Coamo.

Eu e meus irmãos participamos

de tudo que é oferecido. Isso é

fundamental, e vemos mais resultados

agindo dessa forma. Estamos

felizes com os resultados”,

comemora.

Quem assiste a Fazenda

da família Vonsowski, é o médico

veterinário, Hérico Alexandre

Rosseto, e o engenheiro agrônomo,

Otavio da Silva Castoldi.

Otávio Vonsowski (em memória) foi pioneiro na

região e defensor do cooperativismo e da Coamo

Julho/2020 REVISTA 39


INVESTIMENTO PLANEJADO

Credicoamo lança Poupança Feliz

Alcir Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo, e José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração

Na busca constante em

gerar benefícios aos

associados, a Credicoamo

Crédito Rural Cooperativa

lançou dia 6 de julho a sua

popança rural, denominada de

Credicoamo Poupança Feliz. É

uma opção de investimento de

aplicação fácil e segura com

o objetivo de ajudar o quadro

social a poupar ou conquistar

futuros desejos. A Credicoamo

está preparada para o futuro

e proporciona segurança, co-

José Luiz Conrado, diretor de Controladoria, Alcir José Goldoni, presidente Executivo, José Aroldo Gallassini,

presidente do Conselho de Administração, e Dilmar Antonio Peri diretor de Negócios da Credicoamo

modidade e rentabilidade nas

aplicações dos associados, com

taxas diferenciadas e apoio profissional

especializado.

Segundo Alcir José Goldoni,

presidente Executivo da

Credicoamo, essa era uma demanda

antiga da cooperativa de

crédito junto ao Banco Central.

“É uma cultura do povo brasileiro

fazer economia na famosa ‘caderneta

de poupança’, e a Credicoamo

lança esse produto para

oferecer ao associado e, principalmente,

por ser uma poupança

rural, onde os recursos são destinados

ao financiamento das atividades

dos associados.”

No caso da Credicoamo,

essa poupança tem alguns

diferenciais, conforme destaca

Goldoni. “Existe a opção do associado

destinar sua aplicação

a um desejo futuro, como por

exemplo, guardar dinheiro para

a formatura de um filho, comprar

uma máquina, economizar

para as férias, viagem com a família,

etc.”

A regulamentação e

remuneração das poupanças –

imobiliária e rural – são do Banco

Central do Brasil, portanto,

todas têm o mesmo rendimento,

porém o associado sabe que na

Credicoamo, o atendimento é

especial, conforme Goldoni. “Temos

acolhimento de atendimento,

e no final do ano, o associado

recebe outros benefícios dentro

do balanço da cooperativa. Na

Credicoamo Poupança Feliz, o

associado pode aplicar, agendar

e resgatar a qualquer tempo por

meio dos canais digitais. É de

fácil contratação, têm múltiplas

contas, depósito programado e

resgate com liquidez diária.”

O presidente do Conselho

de Administração da Credicoamo,

José Aroldo Gallassini,

lembra que a Credicoamo tem

como missão o bom atendimento

do associado. “Prestamos um

grande serviço ao quadro social

40 REVISTA

Julho/2020


e, agora, com a Poupança Feliz,

fica mais completo. Como nas

demais poupanças não incide

imposto de renda e o hábito de

poupar dinheiro devemos adquirir

cada vez mais. Demos o

nome de Poupança Feliz, pois

sempre que sobra um ‘dinheirinho’

a gente fica feliz, porque

estamos guardando dinheiro

para o futuro e bem estar da família”,

ressalta Gallassini.

Felicidade em poupar para a família

O casal Rafael Rafaeli Pereira e Dayane de

Moraes Spilka Pereira, de Mamborê (Centro-Oeste

do Paraná), pensando no futuro dos filhos, Rafaela

de seis anos e Heitor de quatro anos, abriram a Poupança

Feliz. “Resolvemos fazer a poupança, porque

quando as crianças forem maiores, terão uma reserva

para iniciar uma faculdade, fazer um investimento,

adquirir uma casa ou mesmo um veículo.”

O associado destaca ainda que como é agricultor,

é interessante também aplicar pois os recursos

são destinados ao financiamento rural. “Não tínhamos

poupança para as crianças, como gostamos

muito de trabalhar com a Credicoamo, assim que

soubemos da Poupança Feliz, imediatamente decidimos

aplicar. Outra grande facilidade para nós é

que podemos deixar programados aportes mensais

na poupança.”

Em Mangueirinha (Sudoeste do Paraná), a

primeira associada a fazer a poupança feliz foi Jaci

Rafael Rafaeli Pereira e Dayane de Moraes Spilka Pereira, de Mamborê

Carlos Gabriel da Conceição Patrício, de Goioerê

Simone Aparecida de Almeida. “Sonhos crescem

junto com confiança em um futuro melhor. Cooperativismo

e confiança crescem juntos. Acredito que

a Poupança Feliz é mais um serviço da Credicoamo

que nos permitirá realizar sonhos. Confio na Credicoamo,

estou muito feliz com a novidade.”

Segundo o cooperado Carlos Gabriel da

Conceição Patrício, de Goioerê (Centro-Oeste do

Paraná), a Poupança Feliz é uma conquista muito

importante, tanto para cooperativa quanto para

nós cooperados.

“Apesar de possuirmos

outras

modalidades de

investimentos, a

poupança conta

com diversos diferenciais,

como por

exemplo, a opção

de desejos, que é

bastante útil para

o planejamento financeiro

do futuro

das minhas filhas.”

Jaci de Almeida, de Mangueirinha

Julho/2020 REVISTA 41


2dcb.com.br

Carlos Henrique Braz

Brasil

“Vejo um futuro de sucesso

na agricultura, onde eu consiga

alinhar produtividade e

sustentabilidade, colhendo

bons frutos na vida

e na lavoura”.

#EuFaçoOFuturo

Servir. Esse é o

nosso propósito.

Trabalhamos para que a agricultura

não pare de crescer e o agricultor

possa fazer o seu trabalho com

tranquilidade e eficiência.

Assim, cada um faz o seu melhor

e juntos vamos construir um

mundo melhor.

jacto.com

42 REVISTA

Julho/2020


VIA SOLLUS

FAÇA SEGURO DE VIDA

e viva sem preocupações

No corre-corre do dia a

dia nem sempre damos

atenção ao valor da

nossa vida. Realizamos investimentos

para adquirir uma casa,

um carro, imóveis, entre muitos

bens e, normalmente fazemos

também, a contratação de um

seguro para garantir a proteção.

Esses bens geralmente são

considerados de grande valia e

importantes não só para o segurado,

como para seus familiares.

Mas e o valor da nossa vida?

Quando pensamos nela?

Para você dar valor a sua

vida, você pode contar com o

apoio da Via Sollus Corretora de

Seguros que tem condições favoráveis

para sua proteção e de

sua família.

O Seguro de Vida é uma

garantia financeira para, por

exemplo, em caso de acidentes,

não deixar desamparado quem

você tanto ama em situação adversa,

mas dar tranquilidade no

aspecto financeiro. “Mas esse seguro

deve fazer parte da cultura

de cada um e precisa estar no orçamento

da família, pois ninguém

está imune à acidentes ou adversidades”,

explica Sidinei Luchetti

Martioli, gerente da Via Sollus.

Mas quanto custa um Seguro de Vida?

Muito pouco, quando

comparamos com outras despesas

diárias ou quando pensarmos

que teremos proteção

em decorrência de acidentes e,

ainda, caso aconteça algo inesperado,

que a nossa família terá

uma indenização a receber para,

ao menos, respirar e retomar sua

vida, seus negócios. O Seguro

de Vida é a certeza de que a família

do segurado terá o apoio

financeiro para se restabelecer.

Martioli lembra da mensagem

do presidente do Conselho

de Administração da Coamo

e da Credicoamo, José Aroldo

Gallassini, quanto a cultura e

prática do seguro. “O doutor

Aroldo sempre defendeu a necessidade

de contratarmos seguro

para o nosso bem e dos

nossos familiares, então é uma

questão cultural, pois fazemos

seguro de casa, carro, máquinas

e de vida, entre outros, para não

usar.” Desta maneira, aspectos

como tranquilidade, proteção,

custo-benefício e segurança financeira

devem ser considerados

para decidir pela contratação

de um seguro que beneficie

a si mesmo e seus familiares,

além dos seus diversos bens.

Com a Via Sollus você tem a certeza

de que a família segurada terá o

apoio para viver de forma tranquila.

No site www.viasollus.com.br

você tem informações importantes

para sua tomada de decisão e adesão

a um seguro de vida.

Julho/2020 REVISTA 43


Cinco décadas de histórias, conquistas e transformações

Segunda década – 1981 a 1990

A

Revista Coamo continua a série sobre

a evolução e transformação da Coamo

em cinco décadas. E nesta edição,

o registro da segunda década entre os anos

de 1981 e 1990, com alguns fatos e fotos,

retratando a prática de um cooperativismo

de resultados para satisfação de milhares

de produtores associados e de seus familiares.

Os resultados obtidos pela Coamo

foram expressivos ao longo de suas cinco

décadas.

1981

FARMÁCIA VETERINÁRIA: Em março, o Jornal Coamo destaca o

início do funcionamento da farmácia veterinária da cooperativa que

estava instalada junto a loja de peças em Campo Mourão.

INFORMATIVO COAMO: A informação e transparência aos cooperados

sempre foi objetivo da diretoria da cooperativa. E um dos canais

para chegar ao quadro social era o rádio, por meio do programa

Informativo Coamo apresentado nas manhãs de segunda a sábado,

inicialmente pelas rádios Colméia e Humaitá, em Campo Mourão, e

depois ampliado para várias regiões da área de ação.

INDÚSTRIA DE ÓLEO DE SOJA: Começou a funcionar, em setembro,

a Indústria de Óleo de Soja, em Campo Mourão, na rodovia BR

487 – Campo Mourão/Iretama. A fábrica renderia benefícios adicionais

para os cooperados e com ela foi colocada em operação projeto

de verticalização industrial, transformando grãos em óleo e farelo de

soja, que passava a agregar valor aos produtos comercializados. A

capacidade de processamento era de cerca de 600 toneladas por dia.

CONTROLE DE PULGÕES: Numa iniciativa pioneira, Coamo desenvolve

ensaios biológicos visando o controle de pulgões do trigo.

44 REVISTA Julho/2020


1982

CONSTRUÇÃO DA DESTILARIA: Dentro do planejamento estratégico,

Coamo inicia implantação da sua segunda indústria: Destilaria

de Álcool.

CONTROLE BIOLÓGICO: “Coamo pesquisa controle biológico de pragas”,

foi um dos assuntos da capa do Jornal Coamo abril/maio. As experiências

com os insetos foram realizadas na Fazenda Experimental da

Coamo. A vantagem deste método era a redução de 50% dos defensivos

químicos e propicia a diminuição do custo de produção.

VISITA DO PRESIDENTE: No início de novembro, Campo Mourão recebeu

a visita do presidente da República João Batista de Oliveira Figueiredo.

Na oportunidade, lideranças da Coamo apresentaram reivindicações

como recursos para financiamentos para custeio agrícola, tendo em vista

notícias da retirada de subsídios à agricultura, com mudanças nas taxas

dos encargos financeiros do Crédito Rural. Medida que deixou produtores

preocupados por ser prejudicial ao setor agrícola.

1984

INVESTIMENTO E EXPANSÃO: Inauguradas lojas de peças em

Fênix (foto) e Juranda, e entrou em funcionamento o entreposto da

Coamo em Corumbataí do Sul.

SAFRA DE VERÃO: Dos 2 milhões e 200 mil hectares de soja na

safra 1983/84 no Paraná, cerca de 400 mil hectares foram plantados

na área da Coamo, equivalente a 18% da área paranaense.

CHEGADA A SC: No dia 10 de agosto, a Coamo “fincou os pés” em

Santa Catarina, com a incorporação da Cooperal - Cooperativa de

Abelardo Luz. A incorporação foi comemorada pelos agricultores e

realizada com satisfação e euforia em duas assembleias com aprovação

unânime dos associados. E 60 dias após, os catarinenses já contavam

com uma loja de peças da cooperativa para ampliar o leque

dos benefícios.

1983

LOJA DE PEÇAS EM PITANGA: Coamo inaugurou loja de peças em

Pitanga, na região Centro do Paraná, no dia 1º de março. “O interesse

da Coamo é equipar cada vez mais os entrepostos e no caso de Pitanga,

para atender produtores de milho e agora com a expansão das

lavouras de soja”, afirmou o presidente José Aroldo Gallassini.

BENEFICIAMENTO DE ALGODÃO: Roncador ganha moderna Unidade

de Beneficiamento de Algodão com capacidade para receber

10 mil arrobas de algodão por dia. Investimento beneficiou produtores,

maioria pequenos cotonicultores que não dispunham de recursos

para transportar sua produção, permitindo que eles recebessem

preço justo, sem que fossem prejudicados pelos atravessadores.

FAZENDA EXPERIMENTAL: Em outubro, a Coamo instala em sua

Fazenda Experimental em parceria com a Embrapa o Laboratório de

Entomologia, que foi o primeiro do Brasil na iniciativa privada, para

a produção artificial do inseticida biológico (baculovirus anticarsia)

para o controle de lagartas na soja.

Julho/2020 REVISTA

45


ADMINISTRAÇÃO CENTRAL: Planejando o crescimento futuro e a

necessidade de dar suporte as atividades das unidades, em 1984,

então com 14 anos de existência, a cooperativa inaugurou sua primeira

etapa da conclusão do prédio da administração central com

três pavimentos. Uma estrutura moderna facilitaria o desenvolvimento

das operações para o funcionamento eficaz da cooperativa

em diversas áreas. A segunda etapa foi encerrada no final da década

de 1990 resultando na organização atual que recebe os trabalhos

das cooperativas Coamo e Credicoamo, além da Via Sollus Corretora

de Seguros.

1985

LUTA PELA REGIÃO: Estrada Boiadeira: a luta pelo asfalto” foi capa

do Jornal Coamo, em edição que mostrava a esperança dos agricultores

pla pavimentação asfáltica que consolidaria Campo Mourão

como o maior entrocamento rodoviário do Sul do Brasil e uma importante

via escoadora de produção.

DESTILARIA: Em 8 de agosto entra em operação a Destilaria de Álcool

da Coamo. Muitos cooperados passaram a cultivar a cana, como

opção agrícola, além da geração de empregos em vários Municípios,

e significando na época, um marco definitivo no desenvolvimento

industrial de Campo Mourão.

1986

REUNIÃO DE CAMPO: Aproximadamente cinco mil cooperados

compareceram na Reunião de Campo do primeiro semestre promovida

em 25 cidades da área de ação da Coamo. Estas reuniões propiciam

condições para um diálogo mais próximo como quadro associativo,

com a participação direta do presidente José Aroldo Gallassini.

FIAÇÃO DE ALGODÃO: Em 25 de julho foi inaugurada a Fiação de

Algodão da Coamo com a presença do governador do Paraná, João

Elísio Ferraz de Campos. A unidade completava um ciclo inicial na

industrialização da cooperativa iniciada com a Indústria de Óleo e a

Destilaria de Álcool.

RECEBIMENTO DE TRIGO: Coamo registrou na época seu maior

recebimento de trigo na história, em 1986 com a colheita de

5.425.200 toneladas. Cultura passou a ser fonte de recursos financeiros

para os produtores.

46 REVISTA Julho/2020


A GRANJA DO ANO: Coamo recebeu troféu "A Granja do Ano", pela

primeira vez, como destaque no setor Cooperativista, numa promoção

da Revista A Granja.

MEIO AMBIENTE: Em novembro, o Parque Industrial da Coamo

passa a funcionar com energia elétrica gerada pela queima do bagaço

de cana, oriundo da Destilaria de Álcool. A iniciativa possibilitou

a autossuficiência na geração elétrica para o funcionamento das indústrias.

1987

CREDICOAMO: Fundada, em 17 de novembro, a Cooperativa de

Crédito Rural Coamo Ltda. (Credicoamo), para dar apoio financeiro e

crédito rural aos cooperados.

ENCONTRO DE COOPERADOS: Coamo promoveu o 1º Encontro de

Cooperados na sua Fazenda Experimental em Campo Mourão.

1990

OCEPAR: O presidente da Coamo José Aroldo Gallassini foi eleito

vice-presidente da Ocepar – Sindicato e Organização das Cooperativas

do Estado do Paraná.

PIVO CENTRAL: Instalação de um moderno sistema de irrigação

(pivô central) na Fazenda Experimental da Coamo.

1988

COOPERATIVISMO: Coamo participa em Brasília do X Congresso

Brasileiro de Cooperativismo.

RECORDE: Coamo bate pela segunda vez consecutiva o recorde nacional

de recebimento de trigo.

RECONHECIMENTO: “Empresa-Modelo”, foi o título concedido pela

Copel à Coamo no sistema de integração e conservação de energia

no Paraná.

Cooperados Idelfonso

Ferri, Egildo Mignoso

e Sérgio Panceri, na

inauguração em Campina

do Amoral

1989

INVESTIMENTO: Em março a diretoria se fez presente nas unidades

de Campina do Amoral e Quinta do Sol para inaugurar dois modernos

entrepostos e em Manoel Ribas, o funcionamento da loja de

peças e insumos.

PARANAGUÁ: A Coamo adquire Indústria de Óleo de Soja e um Terminal

Portuário em Paranaguá.

TÍTULOS DE CIDA-

DANIA: Presidente da

Coamo, José Aroldo Gallassini

recebe o título

de Cidadão Honorário

de Campo Mourão e do

Paraná, respectivamente

nos meses de abril e

maio, em Campo Mourão

e em Curitiba.

AMPLIAÇÃO DE ARÉA:

A década de 1980 foi

consolidada com o funcionamento

da estrutura

da cooperativa em várias

regiões, em Palmital, Altamira do Paraná, Cândido de Abreu, Luiziana,

Corumbataí do Sul, Araruna, Quinta do Sol, São João do Ivaí, Manoel

Ribas, Boa Ventura de São Roque e Honório Serpa, no Paraná, e

de Ipuaçu, em Santa Catarina.

Julho/2020 REVISTA

47


SEGUNDA SAFRA

Milho com bons resultados

Marcos Vinicius com o pai Milton Pereira Vieira, cooperados em Fênix (PR), estão tendo bons resultados com o milho

Mesmo com a irregularidade

climática na fase

de implantação e, depois,

no desenvolvimento das

lavouras, que prejudicou um melhor

rendimento, a segunda safra

de milho está rendendo bons e

bem-vindos frutos para os cooperados.

O aquecimento do

mercado está sendo o principal

responsável por este resultado

positivo e motivou o produtor a

vender a produção antes mesmo

de colher o produto no campo.

Em Fênix (Centro-Oeste

do Paraná), o cooperado Milton

Pereira Vieira está na fase final

de colheita. De acordo com ele,

a produção, mesmo com as adversidades

climáticas, deve ser

parecida com a safra passada.

“Ainda estamos colhendo, mas

se ficar menor, não fugirá muito

do que colhemos no ano passado.

O lado bom, são os preços

que tem resultado em uma melhor

rentabilidade”, destaca.

Ele ressalta que a falta

de chuva prejudicou o plantio do

cereal e a germinação da lavoura.

Contudo, o desenvolvimento

foi normal mesmo com pouca

água. “Tivemos chuvas escalonadas,

mas que ajudaram o milho

a ter um bom desenvolvimento”,

frisa o cooperado, que obteve

produtividades de 250 até pouco

mais de 300 sacas.

Milton plantou 125 alqueires

com milho e conta que investiu

um pouco mais neste ano,

principalmente em adubação, o

que ajudou a segurar a falta de

umidade. “Historicamente, temos

um bom resultado com o milho.

Desenvolvemos a atividade em

parceria com a Coamo que ofe-

Conforme o engenheiro agrônomo,

Ulysses Marcellos Rocha Netto, da Coamo

em Fênix, o milho é a cultura mais

cultivada na segunda safra, com cerca

de 95% da área de plantio no município

48 REVISTA

Julho/2020


Mesmo com as adversidades climáticas, irmãos Natalino e Natanael, estão tendo bom resultado em Quinta do Sol (PR)

rece toda a condição para evoluirmos”,

conta Viera que também

tem como parceiro na atividade o

filho Marcos Vinicius.

Conforme o engenheiro

agrônomo, Ulysses Marcellos Rocha

Netto, da Coamo em Fênix,

o milho é a cultura mais cultivada

na segunda safra, com cerca

de 95% da área de plantio no

município, tem grande importância

econômica e para o sistema

de produção. Ele conta que os

cooperados utilizam boas tecnologias

e buscam se aperfeiçoar

a cada nova safra. “Temos cooperados

tecnificados, que usam

boa correção de solo, cuidam

dos tratos culturais e buscam reduzir

cada vez mais”, salienta.

Na Fazenda Bom Jesus

da família Ferri, em Quinta do

Sol, o milho segunda safra cobre

100% da área de 600 alqueires. A

colheita começou em meados de

julho. A estiagem que afetou o

cereal durante o ciclo, derrubou

a produtividade em quase 20%.

Apesar disso, os irmãos Natalino

e Natanael, acreditam que ainda

é possível obter um resultado razoável.

“Tivemos quase 40 dias

sem chuva e a chuva que veio foi

bem abaixo da média.”

Natalino Ferri, porém,

destaca que apesar da agricultura

estar refém do clima, quando se

adota um bom manejo, é possível

equilibrar os resultados. “Se não

tem uma boa adubação e investimento

em tecnologias, a perda

diante de uma estiagem tão longa

quanto essa que passamos,

poderia ser ainda maior”, alerta.

Para o cooperado, outro

aspecto que deve ser levado em

consideração nesta safra, é o preço.

“Esse ano pode-se dizer que

conseguimos equilibrar, pois apesar

da queda na produção, o preço

está melhor que no ano passado.”

Para os irmãos além dos

aspectos técnicos e mercadológicos

mencionados, o agricultor

precisa fazer o que gosta. “Estamos

com a colheita a todo vapor,

começamos cedo e não temos

hora para terminar. Quando se

faz o que ama, sempre está contente

e feliz.”

Conforme o engenheiro

agrônomo, Diego Ronchi, da

Coamo em Quinta do Sol, em

comparação com a safra passada,

foi possível manter um resultado

positivo mesmo com a

estiagem. “Aqui em Quinta do

Sol, não só a família Ferri, mas os

da Coamo sempre investem num

manejo tecnológico. Esse é um

diferencial, que permite o bom

retorno que estamos vendo.”

Na Fazenda Bom Jesus da

família Ferri, em Quinta

do Sol, o milho segunda

safra cobre 100% da área

de 600 alqueires

Julho/2020 REVISTA 49


SAFRA DE INVERNO

Sadir Triches, de Laguna Carapã (MS), cultiva trigo

desde o início da década de 1973. Para ele, a cultura

é importante economicamente e para o sistema

Trigo como opção de inverno no MS

Assim como em boa parte

das regiões produtoras

do Paraná e Santa Catarina,

onde a Coamo está presente,

o trigo tem sido uma alternativa

de inverno, também, para os

produtores do Sudoeste do Mato

Grosso do Sul. É o caso do cooperado

Sadir Triches, de Laguna Carapã,

que cultiva o cereal desde

o início da década de 1973. Para

ele, a cultura é importante não

só do ponto de vista econômico,

mas principalmente, para o sistema

de produção, uma vez que

ajuda na reciclagem do solo e na

contenção de pragas e doenças.

Triches lembra que a tradição

em se cultivar trigo vem de

família e está presente desde a

mudança do pai de Santa Catarina

para o Mato Grosso do Sul.

“Na época, plantávamos arroz,

soja e trigo. Estou mantendo a

tradição de ser triticultor. Além

de todos os benefícios para o

sistema e ajudar na parte econômica,

o trigo tem a sua beleza”,

diz. Ele acrescenta que novas variedades

mais adaptadas para a

região surgiram nos últimos anos

melhorando a produtividade e a

qualidade do cereal.

No verão toda a área do

Clima na região Sudoeste do Mato Grosso do Sul favorece o desenvolvimento do trigo

50 REVISTA

Julho/2020


cooperado é destinada para a

soja e na segunda safra dividida

entre milho e trigo. Essa rotação

já é realizada há alguns

anos e os benefícios, segundo

Triches, são grandes. “Na área

de trigo, temos uma economia

com dessecação e adubação

para o plantio da soja. Também

vemos um aumento em

produtividade de 3 a 5% na

soja plantada sobre a palhada

de trigo.”

O clima na região Sudoeste

do Mato Grosso do Sul,

segundo o cooperado, favorece

o desenvolvimento do trigo.

“Temos algumas variações

de temperatura e a preocupação

com a geada que em anos

anteriores já causaram problemas.

Contudo, de maneira

geral, o clima favorece”. O trigo

na propriedade de Triches

é semeado no mês de abril e

início de maio. “Fazemos um

plantio escalonado para tentar

fugir de eventuais problemas

climáticos. Isso vem dando

certo nas últimas safras.”

O engenheiro agrônomo

Rafael Ribeiro de Melo,

da Coamo em Laguna Carapã,

ressalta que os cooperados estão

investindo no trigo como

opção para a segunda safra. “É

uma cultura que traz rentabilidade

e, também, faz bem para

o sistema. O plantio de trigo é

realizado de forma consciente,

rotacionando com o milho

safrinha. Os cooperados seguem

as recomendações técnicas

e buscam uma melhor

viabilidade com a cultura e o

retorno tem sido bom.”

Cooperados retomam plantio

de trigo em Itaporã

André Secretti é um dos cooperados que optou pelo trigo em Itaporã (MS)

O trigo já foi uma cultura

bastante cultivada em Itaporã

(Sudoeste do Mato Grosso

do Sul). Por falta de incentivos

e tecnologias que viabilizem o

seu cultivo, o cereal perdeu espaço

e deixou de ser opção na

segunda safra. Contudo, com a

chegada da Coamo no município,

em janeiro de 2018, o trigo

voltou a ser assunto entre os

agricultores e novas áreas estão

sendo cultivadas.

André Secretti é um

dos cooperados que está

apostando na cultura. De acordo

com ele, é uma opção para

quebrar o ciclo de soja e milho

safrinha. “O milho tem seus

benefícios na segunda safra e

o trigo entra para rotacionar as

culturas. É uma opção a mais

que temos e esperamos um

bom resultado economicamente

e para o sistema”, diz.

O engenheiro Agrônomo,

Elvison Alves da Cruz, da

Coamo de Itaporã, comenta

que a cooperativa vem incentivando

o cultivo de trigo em

função dos benefícios proporcionados

pela cultura. De acordo

com ele, o clima na região

favorece o desenvolvimento

das lavouras e faz com que o

cereal tenha boa produtividade

e qualidade. “É uma opção

a mais para os associados que

querem diversificar e buscam

melhorar o sistema produtivo e

a renda na propriedade”.

O agrônomo revela

que estão sendo cultivados cerca

de 550 hectares nesta safra e

que pelo interesse dos cooperados

a área deverá aumentar

consideravelmente no próximo

ano. “Vemos essa nova tendência

para Itaporã. Temos variedades

que se desenvolvem muito

bem na região. Acreditamos

que o trigo retomará o espaço

que acabou perdendo nos últimos

anos”, comenta Cruz.

Julho/2020 REVISTA 51


RECORDE BRASILEIRO

Cooperado da Coamo é campeão brasileiro

de produtividade de soja 2019/2020

O

agricultor Laércio Dalla Vecchia,

cooperado da Coamo em Mangueirinha

(Sudoeste do Paraná) é

campeão brasileiro do Desafio Cesb (Comitê

Estratégico Soja Brasil) de máxima produtividade

de soja da safra 2019/2020. Ele

colheu 118,8 sacas de soja por hectare, em

uma área de sequeiro. Anteriormente, ele

havia conquistado a melhor produtividade

em âmbito Estadual e também na Região

Sul do Brasil. “Estou muito feliz, é muito bom

ser campeão e atribuo isso à alguns fatores,

como um trabalho feito com sustentabilidade,

com uma assistência técnica comprometida

pelos profissionais da Coamo, Emater

e Embrapa e, principalmente, pelo monitoramento.

Acredito que é preciso fazer um

básico bem feito”, comemora o agricultor

mangueirense.

O engenheiro agrônomo da Coamo,

José Ricardo Pedron Romani, atual assessor

de Cooperativismo da cooperativa,

que anteriormente assistiu Láercio Dalla Vechia

nas últimas seis safras, enaltece o perfil

e a atuação do produtor campeão brasileiro.

“O Laércio é um produtor diferenciado, que

faz tudo muito bem feito, e neste contexto,

ele cuida muito bem do solo, faz rotação

de culturas e realiza boas práticas agrícolas

com um monitoramento de qualidade.”

O cooperado Láercio Dalla Vechia é

filho de família tradicional em Mangueirinha, e

se associou na Coamo há 20 anos. “O cooperativismo

que a gente tem com a Coamo é fundamental

para o nosso sucesso, graças a união,

parceria e muito trabalho”, afirma o cooperado

que fez parte de uma das turmas do Programa

Coamo de Jovens Líderes Cooperativistas.

Laércio Dalla Vecchia, cooperado da Coamo em Mangueirinha (Sudoeste do Paraná) é

campeão brasileiro do Desafio Cesb. Trabalho com a assistência técnica ajudou no desafio

Na mídia

A vitória de Laércio também ganhou repercussão nacional nos meios de comunicação

e nas redes sociais. Inclusive o comentarista do Canal Rural Alexandre

Garcia, valorizou o caso de Laércio. Para ele, o agricultor é um grande exemplo

de como o Brasil tem potencial de aliar expansão de produção da soja sem prejudicar

o meio ambiente. “Foi um dia glorioso. Fiquei emocionado em participar

da revelação dos campeões de produtividade do Brasil, mas eu vou destacar o

campeão máximo. Ele mostrou sim que é possível alcançar uma produtividade

superior a 114% da média nacional, e que temos capacidade para dobrar a produção.

Claro, isso tudo respeitando o meio ambiente. Laércio é um grande herói

do campo”, afirmou o comentarista.

Julho/2020 REVISTA 53


Simplificar o seu dia a dia

está na nossa essência.

Brevant Sementes é a escolha certa

para a sua Safrinha.

GENÉTICA

O maior banco genético

do mercado.

TECNOLOGIA

O que há de mais moderno em biotecnologia

com PowerCore® Ultra e Leptra®.

TRATAMENTO DE SEMENTES INDUSTRIAL

Proteção desde o início

com Dermacor® e Poncho®.

A Brevant Sementes soma genética, tecnologia e proteção para trazer mais rendimento

para sua lavoura. Um portfolio versátil com diversas soluções que simplificam o seu dia

a dia no campo.

POWERCORE ® é uma tecnologia desenvolvida pela Dow AgroSciences e Monsanto. POWERCORE ® é uma marca da Monsanto LLC. Agrisure Viptera ® é marca registrada e utilizada sob licença

da Syngenta Group Company. A tecnologia Agrisure ® incorporada nessas sementes é comercializada sob licença da Syngenta Crop Protection AG. YieldGard ® e o logotipo YieldGard são marcas

registradas utilizadas sob a licença da Monsanto Company. Tecnologia de proteção contra insetos Herculex ® I desenvolvida pela Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred. Herculex ® e o logo HX

são marcas registradas da Dow AgroSciences LLC. LibertyLink ® e o logotipo da gota de água são marcas da BASF. Roundup Ready TM é marca utilizada sob licença da Monsanto Company.

Poncho ® é marca registrada da BASF. Atenção: defensivos agrícolas são perigosos à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual

e não permita o contato de menores de idade com defensivos agrícolas. Em caso de dúvidas, contate um engenheiro agrônomo.

54 REVISTA

Julho/2020

www.brevant.com.br | 0800 772 2492

®

, Marcas registradas da Dow AgroSciences, DuPont ou Pioneer e de suas

companhias afiliadas ou de seus respectivos proprietários. ©2020 CORTEVA


COOPERATIVISMO

Dia C da Coamo e da Credicoamo contou com diversas ações sociais em toda a área da cooperativa

DIA DE COOPERAR

com eventos virtuais e ações sociais

A

semana do cooperativismo

é sempre motivo

de celebração em todo

o mundo. Celebrado no primeiro

sábado do mês de julho, o

Dia Internacional do Cooperativismo,

é comemorado durante

toda a semana que antecede a

data. Neste ano, Coamo, Unimed

e Credicoamo realizaram

o evento “Cooperar para transformar”

com lives para toda a

comunidade. Foi a intercooperação

provando o quanto a

força da cooperação é capaz de

transformar vidas.

As lives foram realizadas

em três dias. A primeira, abordou

o tema “Cooperação que transforma

vidas”, com o presidente

do Conselho de Administração

da Coamo, José Aroldo Gallassini

e o presidente da Unimed Campo

Mourão, Eloy Okabayashi Fuzii.

No segundo dia, foi “Saúde

física e emocional em tempos de

pandemia”, com três profissionais

da saúde: Alex Ferreira, psicólo-

go da Unimed; Karen Geovani,

nutricionista da Unimed e Carlos

Eduardo Rosa Mildemberger,

médico do Trabalho da Coamo.

A última live foi com o presidente

Executivo da Credicoamo, Alcir

José Goldoni e o gerente Financeiro

da Coamo, Joel Makohin.

Eles falaram sobre “Finanças pessoais

e orçamento familiar”.

A chefe do departamento

de Desenvolvimento de Gestores,

Ana Claudia Periçaro, enfatiza

a importância de celebrar

o cooperativismo. “Preparamos

um evento para toda a família,

com temas que dizem respeito

a realidade e vida de todos. Foi

uma live aberta, para celebrar

com toda a comunidade a força

da cooperação já que não podemos

nos reunir devido a pandemia.

As tecnologias têm sido

aliadas neste momento.”

Os vídeos das lives podem ser

acessados no canal da Coamo no

Youtube/coamocooperativa

Ações nas unidades

Além dos encontros virtuais,

o Dia C da Coamo e da Credicoamo

contou com diversas

ações sociais. Em toda a área

de ação no Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul,

os funcionários se reuniram

em uma campanha solidária

de arrecadação de donativos

como roupas, alimentos, materiais

de limpeza e higiene pessoal.

“Mesmo em um cenário

de dificuldades e incertezas,

mais uma vez ficou evidente o

espírito de solidariedade dos

nossos funcionários, que com

empenho e dedicação fizeram

suas doações beneficiando

diversas famílias e entidades”,

avalia o gerente de Recursos

Humanos da Coamo, Antonio

Cesar Marini.

Julho/2020 REVISTA 55


SOLUÇÕES FMC PARA UM MANEJO

MAIS EFICAZ DE PERCEVEJOS.

Controle imediato, resultado que você vê na hora.

Alta eficácia no controle de percevejos

adultos, evitando a proliferação da praga.

Ação redobrada, controlando os percevejos

por caminhamento e contato.

Maior proteção com controle em todo o ciclo

da praga (ovos, ninfas e adultos).

Alta performance e residualidade,

contribuindo para um manejo eficiente.

FMC SOJA

Com o Domínio Percevejo,

você tem a flexibilidade de

usar o inseticida certo na

hora certa. Um programa de

manejo para quem busca

alta performance no controle

de percevejos, podendo

escolher a ferramenta mais

adequada para cada fase da

cultura e da praga.

Controle de percevejos e outros

insetos, otimizando o manejo de pragas.

www.fmcagricola.com.br

ATENÇÃO

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO. VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.

Este produto é perigoso à saúde humana, animal e ao meio ambiente. Leia atentamente e siga rigorosamente as instruções contidas no rótulo, na bula e na receita.

Siga as 56 recomendações REVISTA de controle e restrições Julho/2020

estaduais para os alvos descritos na bula de cada produto. Utilize sempre os equipamentos de proteção individual.

Nunca permita a utilização do produto por menores de idade. Faça o Manejo Integrado de Pragas. Descarte corretamente as embalagens e os restos de produtos.

Uso exclusivamente agrícola. Copyright. Maio 2020 FMC. Todos os direitos reservados.


COOPERATIVISMO

Finanças pessoais e orçamento familiar

O

impacto da pandemia do Coronavírus

não está relacionado somente à

saúde. Diante do cenário econômico

instável, especialistas alertam para a importância

de controlar os gastos durante o

período de isolamento. “Finanças pessoais

e orçamento familiar”, foi tema de uma das

lives promovidas pela Coamo, Credicoamo

e Unimed Campo Mourão em comemoração

ao Dia C de Cooperar, celebrado no

dia 04 de julho. O assunto foi apresentado

pelo presidente Executivo da Credicoamo,

Alcir José Goldoni, e pelo gerente Financeiro

da Coamo, Joel Makohin.

Para algumas pessoas é fácil planejar

as finanças e acompanhar o orçamento

familiar, enquanto, para outras, o tema

ainda é complexo. “O orçamento familiar é

um instrumento que permite uma gestão

de gastos coerentes com as receitas. Isso traz

mais tranquilidade para planejar o futuro. A

educação financeira é um tema recorrente

e deve ser debatido sempre, não só em

tempos de pandemia”, afirma Goldoni.

De acordo com ele, planejar as

finanças pessoais e o orçamento familiar é

um desafio para muitos brasileiros e para

facilitar o trabalho, atualmente, existem vários

Alcir Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo

aplicativos e ferramentas que auxiliam para

que a gestão seja realizada de uma forma mais

tranquila. “As pessoas precisam dedicar um

tempo para decidirem o que fazer com a renda

mensal. É necessário ter um retrato da situação

financeira, com as receitas e despesas. Diante

disso é possível ter uma visão realista de como

estão as finanças da família”, observa Goldoni.

Benefícios de um orçamento organizado

São vários os benefícios para as famílias

que organizam e planejam as finanças.

Goldoni cita que o mais importante é saber

o quanto está gastando e se as despesas

são compatíveis com a receita. Ele diz que

o orçamento familiar é um grande desafio.

“Saber a realidade e entender as finanças é

um passo importante”, frisa, acrescentando

que o cartão de crédito deve ser um aliado e

não um motivador para gastos, principalmente

os de impulso e sem necessidade. “Toda

compra e todo gasto devem ser analisados.

Se não souber usar, o cartão é um problema.”

Estudos indicam que 50% da receita de

uma família deve ser para as despesas básicas,

30% para o lazer e bem-estar e 20%

destinado a eventualidades e poupança.

Elencar as prioridades

Controle e disciplina. Essas são

palavras chaves para um bom orçamento

familiar e finanças pessoais. Segundo

o gerente financeiro da Coamo, Joel

Makohin, para quem tem um salário fixo

a tarefa pode ser considerada um pouco

mais fácil, já que se sabe a receita do

mês. Porém, para aqueles que não são

assalariados, é preciso mais disciplina. “É

importante que esses profissionais não

misturem o orçamento familiar com o da

atividade que desenvolvem.”

Conforme Makohin, cada pessoa

Joel Makohin, gerente Financeiro da Coamo

tem um perfil de gastos, necessidades

e hábitos alimentares. Ele diz que fazer

anotações simples dos gastos em uma

caderneta, ajuda no controle e na disciplina.

“Para aqueles que têm mais facilidade com

a tecnologia, existem vários aplicativos que

ajudam no controle das despesas. O primeiro

passo é anotar o gasto de cada membro

da família, desde os pequenos até os maiores.

Mesmo sendo pequenos valores, a sua

somatória é que define a ação do que fazer

com o orçamento. Essa é uma prevenção

contra endividamento e, também, permite

que a família possa poupar.”

Para acessar o vídeo, aproxime o celular

com leitor QR Code na imagem

Julho/2020 REVISTA 57


RECEITA

Tortinha

de maçã

INGREDIENTES

6 tortinhas pequenas

2 colheres (sopa) de MARGARINA

COAMO FAMÍLIA

6 colheres (sopa) de açúcar

4 colheres (sopa) de água

1 pitada de sal

1 e ½ xícara (chá) de FARINHA DE TRIGO

COAMO TRADICIONAL (aproximadamente)

2 maçãs cortadas em lâminas

2 ovos

½ xícara (chá) de leite

Canela em pó

MODO DE PREPARO

Misture a margarina com 2 colheres do açúcar, a

água e o sal. Adicione farinha aos poucos, até soltar

das mãos. Unte as forminhas e forre com esta massa.

Distribua um pouco da maçã misturada com 1 colher

de açúcar. Reserve. Bata os ovos com 2 colheres

do açúcar e o leite. Espalhe este creme sobre cada

tortinha e leve ao forno moderado até dourar e firmar

o creme. Retire do forno e polvilhe com o açúcar

restante misturado com canela.

www.alimentoscoamo.com.br

/alimentoscoamo

AF01 COI001120J Tortinha de Maca 175x225 cm.indd 1 23/03/20 15:22

58 REVISTA

Julho/2020


O HOMEM DO

CAMPO É

UM FORTE!

O homem do campo é um forte!

É forte, por que acredita, tem vocação e amor à sua

terra, sendo um apaixonado pelo que faz. É forte,

porque faz a sua parte e cumpre a sua missão.

Por isso e muito mais, com orgulho, tiramos o

chapéu para o homem do campo, que produz

alimentos e ajuda o Brasil a crescer.

28 DE JULHO.

DIA DO AGRICULTOR.

Para acessar o vídeo em

homenagem ao agricultor

aproxime o celular com

leitor QR Code na imagem

More magazines by this user
Similar magazines