fi191[online]

deptecnico

ACTUALIDADE SOCIAL MADEIRENSE

Nº191 Mensal • 15 Julho 2020

Concerto Comemorativo do Dia da Região

‘Até já, 2021!’

Festivais Verão Madeira

Entrevista

Paulo Barbosa

Evento

Vídeo ‘Madeira’

Fiesta!Sétima Arte

‘Zé Pedro Rock’N’ Roll’

Nº191 Mensal

15 Julho 2020 • €2,50


www.REVISTAFIESTA.pt

Revista fiesta

saber.fiesta.madeira

sabermadeira@yahoo.com

291 911 300


••

email:

fiestamadeira@yahoo.com

Propriedade:

O.L.C. Unipessoal Lda.

Sociedade por Quotas; Capital Social:

€500.000,00 Contribuinte: 509865720

Matriculado na Conservatória Registo

Comercial de Lisboa

Sede: Centro Comercial Sol Mar, Sala 303,

Av. Infante D. Henrique, nº71

9500 - 769 Ponta Delgada Açores

Sócio-Gerente com mais de 10% do capital:

Edgar R. de Aguiar

Sede do Editor

Edgar R. de Aguiar

Parque Empresarial Zona Oeste - PEZO

Lote 7, 9304-006 Câmara de Lobos

Director

Edgar Rodrigues de Aguiar

Redação

Dulcina Branco Miguens

Sumário

04 Falar de jazz na Madeira é falar

também de Funchal Jazz Festival, um

evento da Câmara do Funchal com

vinte anos de edições especialmente

marcadas pelos concertos dos

maiores nomes do jazz mundial na

cidade do Funchal. Paulo Barbosa,

diretor artístico do evento, levanta a

ponta do véu sobre o Funchal Jazz

Festival que se realizará no Parque de

Santa Catarina em julho do próximo

ano.

06 Retrospetiva Funchal Jazz

Festival

11 Summer Opening 2021

16 Recordar a Semana das Artes

21 Transmissão de Tarefas do

Rotary Clube do Funchal

27 “Olha por mim, sempre” com

Dolores Aveiro

30 Apresentação do vídeo

promocional ‘Madeira’

21 46

31 ‘Bairro em Movimento’ pela

Criamar

32 Nova carta de sabores no

Savoy Palace Hotel

33 Concerto comemorativo do Dia

da Região e das Comunidades

Madeirenses

35 Dia da Região nos jardins do

Monte Palace

37 Emissão filatélica inspirada no

Museu de Fotografia Vicente’s

38 ‘Orquestra Solidária’ no Bairro

da Nova Cidade

41 Fiesta!Aconteceu

Alberto João Jardim recebeu Medalha

de Mérito em 2018

42 Fiesta!LifeStyle

Birmânia

43 Fiesta!Sétima Arte

‘Zé Pedro Rock N’ Roll’

44 Fiesta!Décor

À volta da mesa

45 Cocktail Olim: ‘Navegar’

46 Momentos DDiArte...

‘A Máscara’

Secretária de Redação

Maria Camacho

Depart. Imagem

O Liberal

www.revistafiesta.pt

Design Gráfico

O Liberal

Departamento Comercial

O Liberal

Serviço de Assinaturas

Luísa Agrela

Estatuto Editorial

••

Administração, Redação,

Secretariado, Publicidade,

Composição e Impressão

Edifício ‘O Liberal’,

Parque Empresarial Zona Oeste

PEZO, Lote 7,

9304-006 Câmara de Lobos

Madeira / Portugal

Telefones: 291 911 300

Email: preimpressao@oliberal.pt

Depósito Legal nº 109138/97

Registo de Marca Nacional nº 376915

ISSN 0873-7290

Registado no Instituto da Comunicação

Social com o nº 124584

Membro da Associação da Imprensa

Não Diária - Sócio P-881

Fiesta!

Fiesta!

É uma revista mensal de informação

geral que dá, principalmente

através da imagem,

uma ampla cobertura

dos mais importantes e significativos

acontecimentos

regionais, com especial incidência

para os eventos

festivos, espetáculos e às

pessoas, não esquecendo temáticas

que, embora saindo

do âmbito regional, sejam

de interesse geral, nomeadamente

para os conterrâneos

espalhados pelo mundo;

Fiesta!

Fiesta!

É um projeto jornalístico e dirige-se

essencialmente aos

quadros médios e de topo,

gestores, empresários, professores,

estudantes, técnicos

superiores, profissionais

liberais, comerciantes, industriais,

marketing e recursos

humanos;

Identifica-se com os valores

da autonomia, da democracia

pluralista e solidária,

defendendo o pluralismo de

opinião, sem prejuízo de poder

assumir as suas próprias

posições;

Mais do que a mera descrição

dos factos, tenta descortinar

as razões por detrás dos

acontecimentos, antecipando

tendências, oportunidades

informativas;

Fiesta!

Fiesta!

Fiesta!

Pauta-se pelo princípio de

que os factos e as opiniões

devem ser claramente separadas:

os primeiros são intocáveis

e as segundas são livres;

Como iniciativa privada, tem

como objetivo o resultado,

pois só assim assegura a sua

independência editorial;

Através dos seus acionistas,

direção, jornalistas e fotógrafos,

rege-se, no exercício

da sua atividade, pelo cumprimento

rigoroso das normas

éticas e deontológicas

do jornalismo.

Tiragem

10.000 exemplares

[Nova Ortografia]

3


‘Tudo isto seria

inatingível sem

dois ingredientes

fundamentais: muita

adrenalina e uma

equipa que é difícil de

adjetivar, que faz da

própria organização

do festival uma

máquina humana que

mais bem oleada não

poderia estar’

Falar de jazz na Madeira é falar também de Funchal Jazz Festival,

um evento da Câmara do Funchal com vinte anos de edições

especialmente marcadas pelos concertos dos maiores nomes do

jazz mundial. A entrada de Paulo Barbosa para a direção artística

do evento, em 2014, garantiu o nível de excelência que o evento

apresenta desde a sua primeira edição. Natural de Lisboa, Paulo

Barbosa vive na Madeira há alguns anos. Licenciado em Biologia

pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de

Coimbra, em termos profissionais e para além da direção artística

do Funchal Jazz Festival, Paulo Barbosa é professor de Ciências

Naturais na Escola Básica e Secundária de Santa Cruz, diretor

do Curso Profissional de Instrumentista de Jazz, Coordenador do

Curso de Jazz e ainda professor de História do Jazz, História do Jazz

Contemporâneo e Audição Comentada, no Conservatório – Escola

das Artes Madeira. Este ano, devido à pandemia da Covid-19, o

Funchal Jazz Festival está a ser preparado para apresentar-se ao

público em julho do próximo ano.

• Dulcina Branco

• Fotos: Paulo Barbosa (cedida pelo entrevistado)

Paulo Barbosa

O que é que podemos avançar

sobre a próxima edição do Funchal

Jazz Festival?

- Tudo parece estar a encaminhar-

-se no sentido de manter na edição

de 2021 do festival os artistas

que haviam sido programados para

2020. No entanto, uma vez que

o processo de contratação não está

ainda formalmente finalizado,

mas também porque a programação

que tínhamos para 2020 nunca

chegou a ser anunciada - o cartaz ia

ser tornado público em meados de

março -, somos, por enquanto, forçados

a manter segredo. Uma programação

com todo o cuidado e

dedicação, diversificada e feita de

artistas internacionalmente reconhecidos

como fazendo parte da

chamada nata do jazz, é o que neste

momento podemos prometer.

É o diretor artístico do Funchal

Jazz Festival a partir de 2014.

Neste sentido, houve um momento,

um músico, um concerto que

o marcou mais e porquê?

- A pergunta não é fácil, mas a res-

4


posta ainda é mais difícil! Mas vamos

imaginar que encostava uma

pistola à minha cabeça e que eu tinha

mesmo de responder... E, aí,

responderia Charles Lloyd - um

mestre do jazz e do saxofone que,

do alto dos seus 79 anos (em 2017),

estava (e ainda está) a tocar melhor

do que nunca. E com uma banda

perfeita, à qual se juntou, para todo

concerto, o guitarrista Bill Frisell,

que, com o seu trio, havia sido

o responsável pelo concerto anterior.

Lloyd é dono e senhor de uma

música de elevada espiritualidade,

que não se explica mas que se sente

com uma intensidade e uma profundidade

absolutamente tocantes,

de arrepiar, de chorar e de rir

ao mesmo tempo. À saída do palco,

disse ao Sr. Lloyd que tinha acabado

de viver não apenas o melhor

concerto da minha vida, mas o melhor

momento da minha vida, excetuando

o nascimento dos meus

filhos. Lloyd respondeu-me que é

por isso e para isso que sobe a um

palco: para tentar fazer a vida das

pessoas melhor e mais bela. Logo

a seguir, entrámos no seu camarim

e, após algum tempo, ambos tínhamos

regressado à Terra.

Como é organizar um evento como

o Funchal Jazz? Que desafios

acarreta organizar um evento desta

envergadura?

- Diria que é, no seu todo, um desafio

muito grande. É um processo

que implica muita atenção ao detalhe:

na seleção e contratação dos

artistas, na componente técnica em

cima de palco - backline, áudio, luzes

e vídeo -, nas viagens, nos transfers,

na acomodação, nas refeições,

nos camarins e no backstage, nas

‘jam sessions’ do Scat e nas restantes

atividades paralelas, muitas delas

em articulação com o Conservatório,

no grafismo do festival e na

sua comunicação, na relação com

os sponsors, na segurança dos músicos

e do público, na higiene do

recinto... E em acolher os músicos

da forma mais hospitaleira e calorosa

possível. Enfim, é um manancial

de responsabilidades que é imperativo

otimizar, ter sob controlo e

nunca descurar. Acima de tudo, há

um princípio que impera: o de ter

sob controlo tudo o que seja possível

controlar previamente. É isso

que vai permitir que a equipa seja

‘A cultura

é um bem

precioso’

maximamente reativa a imprevistos

e a fatores não controláveis em

antecipação (mas não tão incontroláveis

como uma pandemia!) e encontrar

as soluções ideais no menor

espaço de tempo possível. Tudo isto

seria inatingível sem dois ingredientes

fundamentais: muita adrenalina

e uma equipa que é difícil

de adjetivar, que faz da própria organização

do festival uma máquina

humana que mais bem oleada não

poderia estar, num entendimento

e num apoio comuns e constantes,

sempre com uma de dedicação e

uma prontidão tão eficazes quanto

emocionantes. Esta equipa é o festival;

os artistas e a sua música são

o que, a cada ano, o festival tem para

apresentar ao público!.

Entretanto, o Mundo está a reagir

contra a pandemia. Como é que

setores que organizam eventos como

o Funchal Jazz têm de se organizar?

- Acho que ninguém terá ainda -

e, provavelmente, nunca ninguém

terá - a resposta desejada para esta

questão. Por lhes ser inerente o

ajuntamento de pessoas e públicos,

e em prol da proteção da saúde pública,

os eventos foram as primeiras

atividades a ter de parar; e são também

aquelas cujo regresso em força

será dos últimos a ser permitido.

Trata-se de uma imposição perfeitamente

compreensível, pois a proteção

da saúde dos espectadores,

das equipas, dos artistas e da população

em geral constitui a prioridade

máxima num momento tão assustador

quanto aquele que temos

vindo a viver. Mas a cultura é um

bem precioso sem o qual a vida não

é a mesma coisa. Ou, pelo menos,

sem a qual a vida não faz o mesmo

sentido. Diria mesmo que a cultura,

as artes e o entretenimento podem

não constituir bens essenciais

à sobrevivência, mas são absolutamente

fundamentais a um vida

preenchida e sadia, a uma vida que

vá para além da mera sobrevivência.

Nada pode, a meu ver, superar

nem substituir a importância da

cultura como factor de enriquecimento

do ser humano. E, se a população

como um todo está a sofrer

com a falta de uma cultura ao

vivo e praticada em espaços talhados

para colocar cara a cara artistas

e público, com bom som, bonitas

luzes e as palmas que expressam

a gratidão e o reconhecimento do

público e aquecem a alma do artista,

a situação é ainda mais complicada

para os artistas e para as

equipas que dão o seu melhor que

cada evento seja um sucesso (programadores,

produtores e técnicos

de som, luzes e palco, incluindo

esses “anjos”, injustamente pouco

reconhecidos no mundo do espectáculo,

que são os chamados “homens

do ferro”, sem os quais não se

ergueriam as estruturas fundamentais

a qualquer grande concerto

ou festival). É uma situação muito

complicada para todos estes intervenientes

na produção de eventos

culturais, mas a verdade é que a situação

não é melhor para os empresários

e funcionários da hotelaria,

da restauração e, salvo raras

exceções, do comércio e da atividade

económica em geral. Os apoios

ativados pelas autoridades governamentais

são muito bem vindos e

irão, seguramente, ajudar a minorar

o impacto colossal desta pandemia,

mas, com a não realização

de tantos eventos, receio que dificilmente

se possa ultrapassar por

completo os desafios e dificuldades

por ela impostos... Esta é uma

crise que deixará marcas indeléveis

no mundo do espetáculo. Mas falamos

de um mundo feito de pessoas

caracteristicamente motivadas,

dedicadas, empreendedoras

e motivadoras, que seguramente

se revelarão capazes de se reerguer

e voltar à carga com eventos ainda

mais refinados suscetíveis de serem

ainda mais apreciados pelo público,

um público que, depois desta

fase culturalmente tão empobrecida,

vai estar ainda mais sequioso de

eventos e de expressão artística, um

público que acredito que, por isso

mesmo, fará uma espécie de “readesão”

à vida cultural em grande

força. ••

5


Funchal Jazz Festival 2020 está reagendado para julho de 2021

Jazz do Mundo no Funchal

F

oi há há vinte anos que o

Funchal Jazz começou a

colocar a cidade do Funchal

no mapa dos eventos culturais

de qualidade internacional.

O primeiro Funchal Jazz organizou-se

no jardim da Quinta Magnólia,

uma iniciativa da Câmara

Municipal do Funchal que decorreu

entre os dias 13 e 15 de julho

de 2000, abrilhantado com

os concertos de bandas de jazz

e blues, sons de New Orleans e

swing com sotaque bossa e samba.

No concerto de abertura, o

trompetista Nicholas Payton e a

sua Big Band celebram o incontornável

Louis Armstrong. Estava

dado o pontapé de saída certeiro

já que ao longos dos anos,

o Funchal Jazz Festival apresentou

os mais prestigiados artistas e

grupos nacionais e internacionais

do mundo do jazz. No ano passado,

entre os dias 11 e 13 de julho,

o Parque de Santa Catarina

recebia seis concertos numa das

edições mais marcantes de sempre,

edição alinhada com o Plano

Municipal de Combate ao Plástico,

reduzindo a produção de resíduos

com a entrega de garrafas

reutilizáveis e cinzeiros em cortiça

no espaço dos concertos. Miguel

Silva Gouveia, presidente da

Câmara Municipal do Funchal -

a entidade responsável pela organização

do Funchal Jazz Festival,

explicava na altura aos jornalistas

que “este é um evento com

enorme reputação já que marca a

agenda cultural do Funchal desde

a primeira edição”. Os concertos

no palco montado no palco

de Santa Catarina são os grandes

destaques dos habituais três dias

de evento. Recordamos nas imagensa

a seguir, concertos e artistas

que passaram pelo Funchal

Jazz do ano passado e não só, nas

imagens que nos foram gentilmente

cedidas pela organização

do evento, da autoria de Renato

Nunes. ••

• Dulcina Branco • Fotos: Renato Nunes [Fotógrafo Funchal Jazz Festival]

6


7


8

Jazz do Mundo no Funchal


9


10

Jazz do Mundo no Funchal


Bispo, Deejay Telio, Plutonio, Slow J., Capicua, Piruka, Van Zee, entre outros...

Summer Opening 2021

Já tem oito anos de edições este

que é outro dos grandes festivais

de música que se realizam

no Funchal. A edição deste

ano era para se realizar nos dias

23, 24 e 25 de julho mas com a

evolução da pandemia do covid-19,

o evento foi inicialmente

adiado para os dias 10,11 e 12 de

setembro de 2020; com a recente

aprovação do decreto que proíbe

a realização de festivais em Portugal

até o dia 30 de setembro, a organização

decidiu adiar o festival

para julho de 2021 no lugar do

costume: o Parque de Santa Catarina.

O trabalho não tem parado

e a Puppetry Productions através

do seu porta-voz, Gonçalo Camacho,

tem vindo a anunciar as

confirmações do próximo evento.

Excecionalmente, a celebração

ocorrerá durante quatro dias,

em dois fins de semana, estando

já confirmados os nomes de Bispo,

Deejay Telio, Plutonio, Slow

J. Capicua, Piruka, Van Zee, entre

outros. Os passes de 3 dias já

adquiridos para 2020 são automaticamente

válidos para os quatro

dias em 2021, não sendo necessária

qualquer troca ou pagamento

adicional. Os bilhetes diários também

transitam automaticamente.

Os bilhetes estão à venda em summeropening.pt

e locais habituais.

“O Summer Opening surgiu em

2013 afirmando-se como um festival

urbano com ligações à natureza,

uma verdadeira festa de tributo

ao verão e às boas energias,

no cenário perfeito”, explica a organização

Puppetry Productions,

que num comunicado adianta

ainda que, “estamos a trabalhar

no sentido de garantir a remarcação

de todos os artistas já anunciados

para 2020. As confirmações

vão sendo anunciadas sendo

que, o cartaz será 100% lusófono,

não só porque a conjuntura

exige que se apoie o que é nosso,

mas sobretudo porque a qualidade

e criatividade impera nos artistas

portugueses. Como sempre,

os artistas madeirenses terão

lugar assegurado no alinhamento

do Summer Opening, nesta edição,

com particular destaque. A

nossa vontade de festejar um regresso

à normalidade é enorme e

estamos certos de que a celebração

será ainda mais intensa. Contamos

com o apoio de todos para

a maior edição de sempre. Todos

ao Parque!”. Apresentamos um

apanhado de imagens que marcaram

a edição do ano passado e

outras enviadas pela organização

que se reportam aos artistas que

participarão no próximo Summer

Opening. ••

• Dulcina Branco • Fotos: Alex Pinto [Fotógrafo Summer Opening]

11


12

Summer Opening 2021


13


14

Summer Opening 2021


15


Pandemia cancelou evento deste ano

Recordar

a Semana Regional das Artes

A

Semana Regional das Artes

foi outro dos eventos

que devido à pandemia,

foi também adiado. Trata-se de,

um evento do Governo Regional

da Madeira, através da Secretaria

Regional de Educação/Direção

Regional de Educação, Direção

de Serviços de Educação Artística

e Multimédia que há mais de

três décadas tem vindo a apostar

na educação pela e para a Arte,

no ensino genérico. Ao longo dos

anos, o evento tem envolvido milhares

de alunos das escolas da

RAM que realizam apresentações

do teatro à música e artes plásticas,

neste último, os trabalhos artísticos

que embelezam as placas

centrais da Avenida Arriaga e

que correm mundo nas fotografias

dos turistas. O auditório do

Jardim Municipal tem sido o palco

de abertura habitual do evento

com um espetáculo musical; outros

acontecem no Salão Nobre

da Assembleia Legislativa da Madeira,

onde já atuou a Orquestra

de bandolins da DSEAM, o auditório

do Jardim Municipal onde

já se apresentou o espetáculo da

Modalidade Artística de Cordofones

e de Modalidade Artística

de Instrumental e o concerto da

Orquestra de Cordas do CEPAM

no Palácio de S. Lourenço. ••

• Dulcina Branco • Fotos: D.R. [direitos reservados]

16


17


18

Recordar a Semana Regional das Artes


19


20

Recordar a Semana Regional das Artes


Edgar Aguiar sucede a João Paredes na presidência da organização

Transmissão de tarefas

Rotary Club Funchal

Respeitando as recomendações

da Saúde face à pandemia

da Covid-19, decorreu

no Meliã Madeira Mare Hotel, no

Funchal, a cerimónia de transmissão

de tarefas do Rotary Club do

Funchal. O Rotary Club do Funchal

passa a ser presidido por Edgar

Aguiar, que sucede a João Paredes

no cargo. O Rotary Club do Funchal

assinalou em 2018 os seus 85

anos com um jantar comemorativo

e com a presença do Presidente

da República, Marcelo Rebelo de

Sousa, que enalteceu o percurso

do Movimento Rotário em Portugal

e, particularmente na Madeira.

“O Movimento Rotário arrancou

em Portugal, no clube a que eu

pertenço - o Rotary Club de Lisboa

-, em 1926, numa altura imediatamente

antes de uma mudança

de regime que viria a ocorrer e

que se constitucionalizaria precisamente

em 1933. É o ano do plebiscito

à Constituição de 1933”, explicando

ainda quem é que constituía

os clubes rotários: profissionais liberais,

porque eram independentes

do Estado: advogados, médicos,

gestores e, excecionalmente, quadros

do setor privado empresarial.

Foi por esses motivos que o governante

assinalou que “ter nascido

aqui, em 1933, um Clube Rotário,

significa que é pioneiro, é percursor,

é extraordinário no quadro

do que era a sociedade portuguesa,

a sociedade madeirense daquele

tempo”. ••

• Dulcina Branco • Fotos: Cícero Castro

21


22

Transmissão de tarefas

Rotary Club Funchal


23


24

Transmissão de tarefas

Rotary Club Funchal


25


Baía do Funchal foi palco do evento da Associação de Canoagem da Madeira

Grande Prémio Cidade Funchal

A

Associação Regional de Canoagem

da Madeira realizou

em julho, na baía do

Funchal, o Grande Prémio Cidade

Funchal. Com um total de sete

regatas, esta prova contou com a

presença de canoístas masculinos

e femininos Iniciados, Infantis, Cadetes,

Juniores, Seniores Masculinos

e Femininos. David Fernandes,

canoista do Clube Naval do

Funchal, venceu na categoria K1

Seniores. A nível coletivo, o Centro

Treino Mar destacou-se com

1.406 pontos, seguido da Associação

Náutica de Câmara de Lobos

e do Clube Naval da Calheta, com

1054 e 889 pontos respetivamente.

Devido à pandemia e cumprimento

das recomendações da Saúde,

não foi realizada a cerimónia habitual

de entrega de troféus. ••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente enviadas por

Associação de Canoagem da Madeira

26


Dolores Aveiro protagoniza campanha MultiOticas

‘Olha por mim, sempre’

A

Escola da Ladeira, no Funchal

recebeu em janeiro

deste ano, a campanha

‘Olha por mim, sempre’, da MultiOticas,

marca que tem como

embaixadora a mãe de Cristiano

Ronaldo, Dolores Aveiro. No âmbito

da iniciativa, foram realizados

rastreios visuais e sensibilizado para

a importância da saúde visual

em idade escolar. Os optometristas

rastrearam 157 crianças. Esta

ação de sensibilização contou ainda

a presença do Diretor Regional

da Educação, Marco Gomes. Recorde-se

que, Dolores Aveiro é o

atual rosto da MultiOpticas, protagonizando

as campanhas da

marca este ano. Rui Borges, CEO

da MultiOpticas, disse na ocasião

que “as ações de Responsabilidade

Social são muito importantes

pois fazem parte dos nossos valores,

iniciativas que realizamos ao

longo de todo o ano. Esta iniciartiva

foi um 2 em 1, ou seja, mais

um rastreio a apoiar as crianças

que são o nosso futuro e tudo o

que possamos fazer por elas é bem

feito e desta vez temos a possibilidade

de ter connosco a D. Dolores

Aveiro”. A marca reforça a sua ligação

aos portugueses em que assenta

a assinatura da marca, ‘Olha

por mim, sempre’ com a parceria

com Dolores Aveiro, que se destaca

pela sua história de vida. Sob o

mote ‘Mãe de Portugal’, a primeira

campanha com Dolores Aveiro

está na televisão, na rádio e no digital.

“A MultiOpticas recebeu-

-me de braços abertos. Estou muito

feliz com o reconhecimento

como Mãe que Olha por todos.

O que mais gosto de fazer”, afirmou,

por sua vez, Dolores Aveiro.

A MultiOpticas tem mais de

200 lojas em Portugal e faz parte

do grupo GrandVision, detentora

também da GrandOptical e Solaris

em Portugal, e mais de 7000 lojas

em todo o mundo. ••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente cedidas por Flávia Almeida

27


28

‘Olha por mim, sempre’


29


Apresentação do vídeo decorreu no Jardim do Museu das Cruzes

Vídeo promocional ‘Madeira’

O

jardim do Museu das

Cruzes recebeu a apresentação

do vídeo “Madeira”,

que exalta as qualidades e

belezas da Madeira. Com as presenças

do presidente do Governo

Regional, Miguel Albuquerque,

e do Secretário Regional do

Turismo, Eduardo de Jesus, a iniciativa

coordenada pela Direção

Regional de Cultura tem letra e

música de Vítor Sardinha, vozes

de Alexandra Barbosa, Lourenço

Nadir, Marília Andrade, Marina

Trindade, Mónica Ascensão,

Sarah Borges, Sofia Almeida, Sofia

Relva, Tiago Sena Silva, Vânia

Fernandes e Vasco Freitas, arranjos

de Paulo Ferraz Studio,

som de Deltasom e vídeo/imagem/realização

de Eduardo Costa

Produções. O vídeo está disponível

nas plataformas digitais do

Governo Regional. ••

• Dulcina Branco • Fotos: D.R. [direitos reservados]

30


Criamar apoia criação de mural no Campo de Futebol Professor Luís Pereira

( São Gonçalo)

‘Bairro em Movimento’

A

Criamar – Associação de

Solidariedade Social para o

Desenvolvimento e Apoio

a Crianças e Jovens, em parceria

com a Junta de Freguesia de São

Gonçalo e com o apoio da Agência

da Madeira da “União de Créditos

Imobiliários” associaram-se

para criar um mural no Campo

de Futebol Professor Luís Pereira.

Sob o tema ‘Bairro em Movimento’,

a iniciativa visa a inclusão

pelas artes plásticas e deverá

estar concluida no final do mês

de agosto. A construção do mural

conta com a participação da população

do bairro. Crianças e alguns

adultos começaram a dar forma

ao mural o qual os interessados

poderão acompanhar o seu desenvolvimento

através do facebook

da Criamar. A Associação Criamar

está presente no Bairro Social

de São Gonçalo desde 2014, tendo

um dos seus polos de atividades

– Escola do Conhecimento/

Biblioteca Comendador Manuel

Pestana, aberto desde 2017, onde

se desenvolvem atividades diárias

nas áreas de cidadania, botânica,

desporto, artes plásticas, literatura

e estudo acompanhado; neste

espaço está sediada a “Biblioteca

Comendador Manuel Pestana” –

uma das maiores bibliotecas comunitárias

da Madeira. ••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente cedidas por João Pedro [direção Criamar]

31


Apresentação dos novos sabores do restaurante do Savoy Palace

Nova carta Galáxia Skyfood

D

ecorreu no restaurante

Galáxia Skyfood a apresentação

da sua nova carta

inspirada nos produtos locais e

preparados com técnicas de cozinha

de todo o mundo. Dos snacks

às sobremesas, a carta tem a assinatura

da dupla de chefs Carlos

Gonçalves e Francisco Silva, Pedro

Campas e Fábio Camacho.

Clientes do hotel e público em

geral são convidados a usufruir da

magnífica composição de sabores

que o restaurante do Savoy Palace

apresenta. Esta iniciativa sucede

a outra também na área gastronómica

e que aconteceu em

março deste ano, numa altura em

que se procura retomar a atividade

em tempo de pandemia da covid-19.

Com todas as precauções

e adotando os necessários procedimentos

de segurança, ao Savoy

Palace ninguém retira o reconhecimento

que conquistou no início

deste ano, quando foi distinguido

na categoria de melhor “Luxury

Hotel” nos PubliturisTrade Awards,

ou a Chave de Ouro nos Prémios

‘Boa Cama Boa Mesa 2020’,

o reconhecido guia que identifica

o que de melhor há em Portugal

na área da restauração e hotelaria.

O Savoy Palace, com 352 quartos,

seis piscinas, oito restaurantes e

bares e uma sala de conferências

com capacidade até 1400 pessoas,

é a mais recente unidade hoteleira

do Grupo Savoy Signature no

Funchal. ••

• Dulcina Branco • Fotos: D.R. [direitos reservados]

32


Orquestra Clássica da Madeira e com músicos madeirenses

Concerto do Dia da Região

N

um formato diferente,

tendo em conta a pandemia

da Covid-19, decorreu

junto ao edifício da Assembleia

Legislativa Regional da

Madeira, no dia 1 de Julho, o

Concerto do Dia da Região. Uma

iniciativa da Assembleia Legislativa

da Madeira apresentada pela

Orquestra Clássica da Madeira

que, no palco montado ao ar livre,

teve a participação de 60 músicos

liderados pelo maestro Francisco

Loreto. O espectáculo foi transmitido

em directo pela RTP-Madeira

e nele brilharam também as vozes

de Miguel Pires, Vânia Fernandes,

Cristina Barbosa, Elisa Silva,

Diana Duarte e Tiago Silva, a que

se juntou a participação especial

de Pedro Marques na guitarra portuguesa.

••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente cedidas por Presidência do Governo

Regional [departamento vídeo e fotografia, Márcio Gouveia]

33


34

Concerto do Dia da Região


Magníficos jardins abertos ao público

Dia da Região

no Jardim Monte Palace

O

Jardim Monte Palace Madeira

celebrou o Dia da

Região abrindo gratuitamente

aos visitantes os seus espaços

até ao dia 6 de Julho. Tendo

em consideração o sucesso do ano

anterior, em que o espaço registou

mais de cinco mil visitas, este

ano foi alargado o período de visita

por forma a serem respeitadas

as regras de distanciamento. O Palácio

e os seus jardins românticos,

recantos internacionais, de que

são exemplo os jardins de inspiração

Oriental, o lago central com

a queda de água, fontes e esculturas,

o jardim Monte Palace Madeira

é um espaço mundialmente

conhecido e reconhecido. Vale

bem a pena percorrer os magníficos

espaços ajardinados e seus espaços

museológicos, deste local

que se situa na freguesia do Monte,

no Funchal. ••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente cedidas pela direção do

Jardim Monte Palace Madeira

35


36

Dia da Região

no Jardim Monte Palace


Emissão filatélica já está disponível

Dedicada

ao Museu Atelier Vicente’s

A

empresa CTT lançou uma

emissão filatélica dedicada

ao Museu Fotográfico da

Madeira - Atelier Vicente’s. São

três selos para envio nacional, Europa

e resto do mundo; inclui ainda

um bloco filatélico com um

selo no valor de 2,50€. O Túlio

Coelho Atelier Design assinou o

design dos selos. Vicente Gomes

da Silva (1827-1906) iniciou a sua

actividade como retratista no ano

de 1853 na cidade do Funchal onde

criou o “Atelier Fotográfico”

numa obra hoje reconhecida a nível

mundial e que o Museu Fotográfico

da Madeira preserva e

mostra aos visitantes. ••

• Dulcina Branco • Fotos: D.R. (direitos reservados)

37


Concerto decorreu no final do mês de maio no Bairro da Nova Cidade

‘Orquestra Solidária’

A

IHM – Investimentos Habitacionais

da Madeira, em

colaboração com a Câmara

Municipal de Câmara de Lobos

organizaram no final do mês

de maio no Bairro da Nova Cidade

(Câmara de Lobos), o evento

‘Orquestra Solidária’ que foi interpretado

por músicos da ANSA/

Orquestra Clássica da Madeira.

O concerto, de trinta minutos, teve

como palco o exterior do complexo

habitacional e visou proporcionar

um momento musical

simbólico de descontração e confraternização

entre os vários moradores

daquele bairro social, bem

como enaltecer o sentido cívico

e de responsabilidade social demonstrado

pelos moradores no período

da cerca sanitária que visou

controlar um surto de covid-19 no

local. Os moradores assistiram ao

concerto nas varandas das respetivas

habitações de forma a manter

as medidas de distanciamento

e proteção obrigatórias, prevenindo-se

deste modo aglomerados de

pessoas, sendo esta a condição primordial

para a realização do evento.

O concerto foi interpretado pelos

músicos Peter Víg, trompa,

Rúben Silva, na trompa, Mário

Pinto, trompete, Rui Vidal, trompete,

Luís Rodrigues, trombone,

Pedro Pinto, trombone, Fabien

Serge, tuba, Duarte Santos, tímpanos

e Jorge Garcia, percussão. ••

• Dulcina Branco • Fotos: gentilmente enviadas por Márcio Serrado

38


39


40

‘Orquestra Solidária’


Fiesta! Aconteceu

Alberto João Jardim

Medalha de Mérito

A4 de junho de 2018, o ex-presidente do Governo Regional da

Madeira, Alberto João Jardim, recebeu na Assembleia Legislativa

Regional da Madeira a Medalha de Mérito. A imposição

do mais alto galardão da Região Autónoma da Madeira - a Medalha de

Mérito, da competência exclusiva da Assembleia Legislativa da Madeira,

aconteceu numa sessão solene em que marcaram presença cerca de

500 convidados. A proposta da atribuição da Medalha de Mérito ao ex-

-presidente do Governo Regional foi aprovada por maioria na ALR. A

10 de junho de 2014, Dia de Portugal, ao cumprir 13310 dias de poder

desde que assumira a presidência do Governo Regional, a 17 de março

de 1976, Alberto João Jardim tornou-se no político português com

mais tempo no governo desde 1910, ultrapassando António Oliveira Salazar.

Alberto João foi presidente do Governo Regional da Madeira entre

1978 e 2015, altura em que Miguel Albuquerque o substituiu. O

ex-presidente do Governo regional nasceu em 1943, é licenciado em

Direito pela Universidade de Coimbra e foi, entre outros cargos, professor,

jornalista, dirigente cooperativo, cofundador do PPD e presidente,

entre 1987 e 1996, da Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas

da União Europeia. Recebeu várias condecorações e distinções

pela sua vida política. ••

• Dulcina Branco

• Fonte: Departamento de Imagem

da Presidência do Governo Regional da Madeira.

41


Fiesta! Lifestyle

Birmânia

Voltei à Birmânia. Este que continua para mim a ser, no seu todo,

o país mais bonito que conheço em todo o mundo. E o mundo

aqui entenda-se um universo de 90 países onde já tive oportunidade

de estar. Foto: Momento de pausa em que as mulheres se reúnem

enquanto os homens descarregam os carros que chegam carregados de

abundância. Depois tudo se repetirá: o bater, o separar o trigo do joio,

o varrer, o empilhar, o encestar, o espalhar, o secar, o semear, o colher.

Numa azáfama constante, repetitiva e tão longe dos nossos olhares. ••

• Texto & Fotos: António Cruz, autor e viajante

42


Fiesta! Sé7ima Arte

‘Zé Pedro Rock’N’ Roll’

D

epois do lançamento, em 2019, no Festival Doclisboa, onde recebeu

o prémio do público, o documentário realizado por Diogo

Varela Silva chegou às salas de cinema em julho deste ano,

2020. Combinando imagens de arquivo pessoais e da banda com entrevistas

a familiares e amigos próximos, o documentário “Zé Pedro Rock

‘n’ Roll” é simultaneamente uma homenagem e uma viagem íntima à

vida e ao mundo do carismático músico que faleceu em 2017. Zé Pedro

é, para muitos, a maior figura do rock ‘n’ roll português. Foi o grande

impulsionador do género musical em Portugal, não só enquanto guitarrista

fundador de uma das mais aclamadas bandas nacionais de sempre,

mas também através da divulgação do rock nos papéis de crítico de música,

de radialista e de dono do Johnny Guitar, mítico clube lisboeta e

sala de concertos, onde muitas bandas deram os seus primeiros passos.

José Pedro Amaro dos Santos Reis, mais conhecido como Zé Pedro, nasceu

em Lisboa a 14 de setembro de 1956. A relação com a música vinha

desde novo, por influência do pai. No verão de 1977, numa viagem de

comboio pela Europa, Zé Pedro foi a um festival punk no sul de França,

decisivo para a formação pessoal e para o que queria fazer de futuro, como

contou no filme. De regresso a Lisboa, mergulhado na estética punk

rock, formou os Xutos & Pontapés, cujo primeiro concerto aconteceu a

13 de janeiro de 1979, nos Alunos de Apolo, em Lisboa. No documentário

são ainda recordados os problemas de saúde, derivados dos excessos

com a droga e o álcool, o transplante de fígado e a vida de palco. Colecionador

de música, a par da vida nos Xutos & Pontapés, Zé Pedro desdobrou-se

noutros projetos, com programas de rádio, a gerência e curadoria

do Johnny Guitar, e os grupos Cavacos, Palma’s Gang, Maduros e

Ladrões do Tempo. ••

• Dulcina Branco

• Fonte/Fotos: cartaz mag.sapo.pt, DocLisboa 2019, DN, internet e Wikipédia.

43


Fiesta! Décor

À volta da mesa

N

os últimos meses, o mundo

foi levado a resguardar-

-se e as nossas casas passaram

a ser, ainda mais, o nosso

porto seguro. Lugar de descanso

e relaxamento, os momentos de

convívio à volta da mesa assumiram

ainda mais importância.

Para transformar os momentos

de refeição em horas de convívio

num ambiente ainda mais bonito

e acolhedor, o primeiro passo é escolher

a mesa ideal – retangular,

redonda, quadrada, oval ou até

mesmo triangular.

Em vários tamanhos, estáticas

ou dobráveis, as matérias-primas

adaptam-se a todos os estilos decorativos

– carvalho, madeira clara

ou escura, mármore, nogueira

e até em metal ou vidro, para estilos

de inspiração mais industrial.

Por fim, escolher as cadeiras que

devem ser, acima de tudo, confortáveis.

Aposte na tendência e misture

duas ou três de cada modelo

para uma sala super trendy. Dos

modelos mais rústicos e campestres,

ou com linhas mais retas e

modernas, a escolha é sua. ••

• Dulcina Branco

• Fonte & Fotos: Tânia Tadeu [taniatadeu@taylor365.pt]

Dora Sousa [dorasousa@redoute.pt]

44


Cocktail

Navegar

Criei este cocktail em jeito

de homenagem aos nossos

antepassados que, navegando

em águas desconhecidas,

enfrentaram as adversidades

e deram ao Mundo novos mundos

- os descobridores portugueses

descobriram dois terços do

planeta Terra. Assim é a nossa

existência, tecida de encontros e

desencontros, dificuldades e desafios,

tempestades e bonanças

mas com persistência e vontade

de vencer, conseguimos ultrapassar

os “cabos das tormentas” da

vida. ••

• Produção: Fernando Olim

• Foto: Fernando Olim

Composição

• 50 ml de Kirsh

• 30 ml Licor Blue Curaçau

• 30 ml Espumante

• Limonada

q.b.

Preparação

Preparado em copo alto com pé.

Adicionar cubos de gelo.

Decoração

Casca de melancia trabalhada em

forma de gondola com vela de pepino.

Folhas de hortelã com cerejas.

Raminhos de segurelha e flor de orquídea

vermelha.

categoria

Drink refrescante.

Long Drink.

2020 CUPÃO DE ASSINATURA

Nova Assinatura Renovação Assinatura

Nome

Empresa

Morada

Código Postal

Localidade

Concelho Contribuinte Nº

Data de nascimento

Telem.

Fax

Telefone

E-mail

Assinatura Data / /

SIM, quero assinar e escolho as seguintes modalidades:

Cheque

à ordem de ‘’O Liberal Comunicações, Lda’’

Pago por transferência Bancária/Multibanco

MPG NIB nº 0036.0130.99100037568.29

“O Liberal”

Parque Emp.da Zona Oeste, Lote 7, Socorridos,

9304-006 Câmara de Lobos • Madeira / Portugal

291 911 300

fiestamadeira@yahoo.com • sabermadeira@yahoo.com

assinaturas@tribunadamadeira.pt

www.revistafiesta.pt

Revista fiesta

PREÇOS ESPECIAIS!

TABELA DE ASSINATURA - 1 ANO

MADEIRA € 24,00

EUROPA € 48,00

RESTO DO MUNDO € 111,00

* desconto sobre os valores da capa.

Os valores indicados incluem os portes do correio e I.V.A. à taxa em vigor

45


Momentos

“A Máscara”

Fotografia realizada pelos DDiArte com alunos da Escola de Dança do Funchal.

46


Jornalismo com independência

– todas as 6ª feira nas bancas –

CONTACTO

LUÍSA AGRELA

PEZO - Socorridos - Lote 7 - 9304-006 Câmara de Lobos

291 911 300

assinaturas@tribunadamadeira.pt

www.tribunadamadeira.pt

www.facebook.com/semanariotribunamadeira


viva o funchal

Capital de confiança

More magazines by this user
Similar magazines