REVISTA PÓS-VENDA 61

posvenda

PUBLICIDADE

N.º61

OUTUBRO 2020 - 2€

PERIODICIDADE MENSAL

www.posvenda.pt

f revistaposvenda

i company/revista-pos-venda

l RevistaPOSVENDA

EDIÇÃO

DE ANIVERSÁRIO

5 ANOS

Equipamentos

Conheça o que as principais

empresas que vendem

equipamentos oficinais fizeram

para apoiar as oficinas

nesta fase do Covid-19

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

ATUALIDADE

A contrafação de peças é

um problema que tende

a aumentar se não forem

tomadas medidas por parte

de todos os operadores do

pós-venda

AMBIENTE

Conheça os 14 desafios

da Gestão Ambiental no

contexto da pandemia de

Covid-19

PERSONALIDADE

Luís Vieira e Manuel

Monteiro explicam a

aquisição da B-Parts por

parte da PSA Aftermarket

e a importância das peças

reutilizadas no pós-venda

PUB


3

PROPRIETÁRIA E EDITORA

ORMP Pós-Venda Media, Lda

Estrada de Polima

Centro Industrial da Abóboda nº 1007

2º andar, Escritório I

2785-543 São Domingos de Rana

Nº Contribuinte: 513 634 398

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Paulo Homem

Anabela Machado

CAPITAL SOCIAL DA ORMP

Bettencourt & Mendes, Lda - 50%

Paulofimedia Unipessoal, Lda - 50%

CONTACTOS

Telefone: +351 218 068 949

Telemóvel: +351 939 995 128

E.mail: geral@posvenda.pt

www.posvenda.pt

f facebook.com/revistaposvenda

i linkedin.com/company/

revista-pós-venda

DIRETOR

Paulo Homem

paulo.homem@posvenda.pt

REDAÇÃO

Nádia Conceição

nadia.conceicao@posvenda.pt

COLABORADOR TÉCNICO

Jorge Pereira

DIRETORA COMERCIAL

Anabela Machado

anabela.machado@posvenda.pt

ADMINISTRATIVA

Anabela Rodrigues

anabela.rodrigues@posvenda.pt

FOTOGRAFIA

Micaela Neto

PAGINAÇÃO

Ricardo Santos

SEDE DE REDAÇÃO

Estrada de Polima

Centro Industrial da Abóboda nº 1007

2º andar, Escritório I

2785-543 São Domingos de Rana

TIRAGEM

10.000 Exemplares

ISSN

2183-6647

Nº REGISTO ERC

126724

DEPÓSITO LEGAL

399246/15

PERIODICIDADE

Mensal

IMPRESSÃO

DPS – Digital Printing Solutions MLP, Quinta

do Grajal – Venda Seca, 2739-511 Agualva

Cacém – Tel: 214337000

PUBLICIDADE

ESTATUTO EDITORIAL

Disponível em www.posvenda.pt

Sumário

S

N.º61

OUTUBRO 2020

www.posvenda.pt

4

EDITORIAL.....................................................................................................................................................P.4

6

DESTAQUE

DAT Ibérica.....................................................................................................................................................P.6

8

NOTÍCIAS........................................................................................................................................................P.8

18

ATUALIDADE

Contrafação nas peças............................................................................................................................P.18

24

ESPECIAL

O setor dos equipamentos oficinais em tempos de Covid-19............................................P.24

32

MERCADO

TTECH...............................................................................................................................................................P.32

Atelio Doc........................................................................................................................................................P.34

36

MERCADO INTERNACIONAL

NGK....................................................................................................................................................................P.36

38

OFICINA DO MÊS

TT Turbo...........................................................................................................................................................P.38

40

PERSONALIDADE

Luís Vieira e Manuel Monteiro, B-Parts.......................................................................................P.40

46

DOSSIER

No Paint...........................................................................................................................................................P.46

58

AMBIENTE

14 Desafios de Gestão Ambiental no Contexto Covid-19.....................................................P.58

62

TÉCNICA

Pintura de sensores de estacionamento.......................................................................................P.62

66

FORMAÇÃO

Entendendo a linguagem binária.......................................................................................................P.66


4

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Editorial

E

PAULO HOMEM

DIRETOR

paulo.homem@posvenda.pt

Cinco anos

com “valores”

Não é que o momento de pandemia

que todos temos vindo

a atravessar nos últimos meses

nos traga grandes motivos

para festejar, mas a verdade

é que se esses momentos existem temos

mesmo que os evocar, ainda por cima se

eles representam também uma parte importante

das nossas vidas profissionais.

O projeto PÓS-VENDA faz agora os seus

primeiros cinco anos de vida e bem podemos

dizer que os objetivos pelos quais

ele foi criado foram atingidos, ao mesmo

tempo que foram lançados novos desafios

e novos objetivos que esperamos obviamente

vir a atingir no futuro.

Poderia dizer que este projeto trouxe para

o setor uma “lufada de ar fresco” ou que

terá sido uma “pedrada no charco”, mas

na verdade foi bem mais do que estes

chavões podem transmitir. Foi, acima

de tudo, um projeto baseado em valores

humanos, nos quais acreditamos mesmo

muito e que atualmente, com esta época

de pandemia, vieram ainda mais ao de

cima e nos permitem diferenciar os nos-

Foi acima de tudo um

projeto baseado em

valores humanos, nos

quais acreditamos

mesmo muito e que

atualmente, com esta

época de pandemia,

vieram ainda mais ao

de cima

sos conteúdos e a nossa forma de estar

no mercado.

Nestes valores, incluímos o respeito por

todos aqueles que estão no nosso universo,

nomeadamente as milhares de empresas

e entidades com que nos relacionamos

profissionalmente todos os dias, semanas,

meses e anos.

Outros dos valores é a deontologia profissional

que um projeto de comunicação

deve ter. O nosso foco serão sempre os

conteúdos e o seu real interesse para o

setor a que se destinam. Continuamos a

achar que publicações com conteúdo relevante

serão cada vez mais importantes

para o mercado, mais lidos e melhor aceites

e, por isso, têm tendência a ser mais

apoiadas comercialmente pelo mercado.

Não podemos esquecer naturalmente

esses outros “valores”, nomeadamente

aqueles que nos permitem continuar com

este projeto e que muitas e muitas empresas

entendem que é um bom investimento,

através das plataformas da PÓS-

VENDA, publicitar as suas marcas e os

seus produtos.

Atualmente temos o melhor e mais agregado

conjunto de plataformas de comunicação

na área do pós-venda, com uma

cobertura de mercado que nenhuma outra

editora consegue abranger, que passam pelas

revistas em papel PÓS-VENDA, PÓS-

VENDA PESADOS, USADOS & PÓS-

VENDA e GUIA DO AFTERMARKET

(estas publicações estão disponíveis digitalmente),

pelo site www.posvenda.pt, pelas

redes sociais e pelas newsletters.

Terminando com o tema dos “valores”,

que eu acho que é a palavra que marca os

cinco anos deste projeto POS-VENDA,

o que podemos prometer é continuar a

ouvir o mercado, estar no terreno e acompanhar

a realidade do setor, pois só assim

se conseguem dinamizar conteúdos

relevantes para as nossas plataformas de

comunicação.


www.liqui-moly.pt

Uma marca de óleos para todas

as marcas de automóveis

A LIQUI MOLY tem óleos com aprovações de todos

os fabricantes automóveis mundiais.

Guia de óleos


6

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Destaque

GRUPO DAT

Orientação

para o pós-venda

D

Com dois anos de presença efetiva no mercado português,

através da DAT Ibérica, o Grupo DAT pretende agora

aproximar-se da pós-venda das redes de retalho e das

oficinas. Para tal, deu a conhecer novas soluções, assentes

na sua avançada solução de orçamentação

TEXTO PAULO HOMEM

SOFTWARE

Quando entrou no mercado

português, em 2018,

o Grupo DAT orientou o

seu foco para o mercado das

seguradoras, num trabalho

que tem vindo a ser desenvolvido por

Hugo Baptista, o Business Development

Manager do Grupo DAT em Portugal.

Mantendo o foco nesse setor, a verdade

é que, segundo o plano definido inicialmente,

o Grupo DAT pretende agora

orientar as suas soluções para o pós-venda

das redes de retalho e de distribuição

automóvel, mas também para as redes

oficinais mais estruturadas.

Segundo Hugo Baptista, vai ser promovida

uma campanha específica, com

preço muito competitivo para o mercado,

onde vão ser dinamizadas sobretudo

novas funcionalidades que estão associadas

ao “famoso” software de orçamentação

SilverDat3. “Neste momento, o

SilverDat3 já está 100% em português

e adaptado à forma de trabalhar em

Portugal, pelo que surgem agora desenvolvimentos

muito importantes”,

refere Hugo Baptista, explicando que

“é o caso da plataforma de otimização

de peças, que permitirá ter o catálogo

/ preçário de aftermarket carregado no

sistema, que faz a comparação com as

referências originais. Outro desenvolvimento

é a possibilidade de pesquisar

peças usadas, através de um parceiro espanhol,

que utiliza o software DAT para

catalogar as peças reutilizáveis”. Digase

que esta empresa espanhola dispõe

de mais de 10 milhões de referências

catalogadas em stock (provenientes de

mais de 200 centros de abate parceiros).

FAST TRACK

Uma das ferramentas que vão ser dinamizadas

também para este alvo de

clientes ligados ao setor das oficinas

(nomeadamente centros de colisão), é o

Fast Track. Trata-se de uma ferramenta

de cálculo rápido de danos, que através

de um diagrama de fácil perceção com

as principais peças de carroçaria exterior,

permite ao profissional (depois de

identificar os danos) ter um orçamento

em um ou dois minutos. Esta solução

pode ter um módulo em que é enviado

um link para um telemóvel para facilitar

a recolha das fotos do carro com os

danos, acelerando assim o processo de

orçamentação.


7

DAT Ibérica

Hugo Baptista

info@datiberica.com

www.datgroup.com/pt-pt/

“Trata-se de uma solução que está a ser

muito utilizada por rent-a-car e renting´s

e que está muito orientada para o

smart repair, que são provavelmente a

grande maioria das operações nas oficinas

de colisão”, refere Hugo Baptista.

Parametrização de danos conforme tipologia

de cliente, sistema intuitivo e

sem necessidade de formação técnica, e

o facto de estar disponível para tablet e

telemóvel, são algumas das caraterísticas

do Fast Track.

“Ainda como resposta à nova realidade

de trabalho, todos os módulos estão

disponíveis para funcionar em modo

Full-Remote, que permite enviar um

link para um telemóvel para efetuar a

recolha das fotos da viatura ou vídeo,

com integração imediata nos nossos sistemas,

de modo a permitir uma análise

à viatura a necessitar de reparação, via

telemóvel, sem contacto fisíco e sem

deslocações, originando um cálculo remoto”,

explica o mesmo responsável.

FAST MECHANICS

Outra ferramenta que está a ser dinamizada

é o Fast Mechanics, que permite

fazer o cálculo rápido de serviços e peças.

Esta solução é adaptável a pack´s

de serviço e a trabalhos de manutenção

que estão de alguma forma tipificados.

Cada cliente pode carregar nesta solução

os seus pack´s de serviços, definir

preçários personalizados e escolher o

lay-out, numa ferramenta que foi desenhada

para o pós-venda das redes de

retalho e de distribuição automóvel.

“Estas soluções são atalhos específicos

da nossa solução base, que permitem

orçamentar diversas operações de colisão

ou manutenção automóvel de uma

forma rápida e muito intuitiva”, explica

Hugo Baptista.

Para as grandes estruturas de pós-venda

ao nível da distribuição automóvel,

poderão recorrer ao Myclaim, que mais

não é do que uma plataforma de gestão

de processos totalmente personalizável e

que permite a integração com os DMS /

ERP de gestão. Com o Myclaim pode-se

criar, encaminhar, gerir, autorizar ordens

de reparação e gerir os sinistros e reclamações,

entre outras funcionalidades.

O que é o Grupo DAT

O Grupo DAT é a mais antiga (1931)

empresa de pesquisa automóvel a

operar em todo o mundo, com mais

de 550 trabalhadores. A empresa

está oficialmente presente em 22

países, sendo uma associação que é

representada e detida por reconhecidos

organismos ligados ao automóvel

na Alemanha: VDA (Associação

da Indústria Automóvel Alemã),

a VDIK (Associação Internacional

dos Fabricantes de Veículos) e a

Kraftfahrzeuggewerbe (Associação

Alemã de Comércio e Reparação

Automóvel), sendo que a GDV

(Associação de Seguradoras da

Alemanha) é membro do Conselho

Assessor do Grupo DAT.

Todos os principais representantes do

setor, nomeadamente as marcas de

automóveis (com a presença das mais

importantes), bem como importantes

entidades como a ADAC e a Dekra,

transportam o Grupo DAT para uma

posição de grande credibilidade dentro

do seu setor de atividade, até porque

estas entidades estão ativamente

representadas na DAT e decidem

conjuntamente sobre produtos,

inovação e eixos estratégicos.

A chegada do Grupo DAT a Portugal

deu-se em 2018, através da DAT

Ibérica (que desde o ano 2000 integra

este grupo), tendo como responsável

para o mercado português Hugo

Baptista.

O Grupo DAT é um fornecedor de

dados para o setor automóvel, que

disponibiliza informação técnica sobre

automóveis através de uma série de

soluções que vão buscar informação a

essa base de dados.

A solução mais conhecida é a

ferramenta de orçamentação

SilverDAT3, que permite o cálculo

das reparações de carroçaria, pintura,

mecânica, vidros e manutenção.


8

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Notícias

N

Tec4Car é o novo conceito oficinal

de rede da Create Business

Adicionalmente ao conceito

A Oficina e Auto Check

Center, a Create Business

lançou recentemente mais

uma rede oficinal chamada

Tec4Car.

O conceito Tec4Car é pensado para as

microempresas de mecânica automóvel,

com o objetivo que estas empresas acedam

a uma oferta alargada de produtos

e serviços e com isso acompanhem o

desenvolvimento do mercado e intervenham

em mais tipos de viaturas.

No entender da Create Business este conceito

é diferente dos outros já existentes

Romafe sócia

da DP Automotive 2020

A

Dipart continua a implementar

a sua estratégia de

desenvolvimento não só

em Espanha, mas também

em Portugal, que tem por

base, entre outras apostas a digitalização,

a unificação de sistemas de gestão

e a constituição de novas empresas, surgindo

neste aspecto duas novidades.

Em agosto a Dipart fundou a DP

Recambios del Automóvil 2020, S.L.,

nascida da aquisição da empresa do anno

mercado porque é dirigido para um

grupo muito específico de oficinas (microempresas),

preocupadas com o futuro

e à procura dos benefícios que um

conceito de reparação lhes proporciona.

Diz a Create Business em comunicado

que “estas oficinas vão ter uma marca

com uma forte presença nacional, que

lhes vai dar notoriedade”, e que ao mesmo

tempo “beneficiam do saber fazer e

do valor acrescentado que uma empresa

como a Create disponibiliza por meio

dos diferentes serviços, da logística impar,

e de numa oferta de produto cada

vez mais abrangente”.

tigo sócio Recambios Autosport, S.L.

na Corunha. A segunda novidade, é a

criação da DP Automotive 2020, S.L.

cujo objetivo é a incorporação de novas

empresas que agreguem valor e volume,

compartilhando objetivos e oferecendo

ao fornecedor um parceiro de futuro e

confiança. A DP Automotive 2020, S.L.

é uma empresa detida maioritariamente

pela Dipart, S.L. e já conta com um novo

sócio: a Sociedade Importadora Romafe,

S.A. localizada no Porto.


especialistas eM

inJEÇão diesel e TURBOS

NOVOS OU RECONTRUIDOS MATERIAL ORIGINAL

cada dia

mais perto

Espanha

+34 619 45 50 64

rafa.caro@avesa.es

Portugal

+351 912 088 130

bruno.andrade@avesa.es

www.avesa.es


10

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

N

NOTÍCIAS

Nova ampliação na gama de direção

e suspensão da SKF

A

SKF ampliou a sua mais recente

gama de peças de direção e suspensão,

com mais 590 referências.

A introdução, ainda bem recente desta

linha, mas já um sucesso,

segundo a marca, reforça a

posição da SKF no mercado

como um fornecedor

global e é fundamental

para o futuro em conjunto

com a rede de parceiros, mostrando

bem a capacidade da SKF de adaptação

às mudanças da tecnologia automóvel, e

Osram lança

equipamento UV para

purificação do ar

Nuno Garoupa novo responsável

da GiPA em Portugal

consequente alteração do seu negócio no

mercado de reposição auto.

Neste momento, a gama de direção e suspensão

SKF situa-se nas 2.892 referências

e até final de setembro a

marca conta ter, aproximadamente,

3.400, que

a tornará num fornecedor

ao nível dos especialistas

nesta gama atualmente

presentes no mercado, tendo em conta

também que esta gama se pauta pelos

elevados padrões e especificações OE.

A

Osram anunciou o lançamento do

Air Zing Mini, um novo equipamento

UV para purificação do ar

dentro dos veículos.

Este equipamento, que cabe nas saídas de

ar, remove os germes dentro dos veículos

para melhorar a qualidade do ar. Com luz

ultravioleta, o prático dispositivo pode

eliminar até 99,9 por cento dos vírus e bactérias.

A luz ultravioleta do Air Zing Mini

da Osram funciona em um comprimento

de onda de 360 a 370 nanómetros. O purificador

de ar também elimina alérgenos,

poluentes e odores transportados pelo ar.

O cabo USB incluído fornece energia para

o purificador de ar por meio de qualquer

tomada USB padrão. O ar é puxado para

dentro da unidade e passado por um filtro

de dióxido de titânio, onde é limpo por

uma série de diodos emissores de luz UV-

A. Uma reação fotocatalítica mata células

de vírus e bactérias antes que o ar purificado

seja expelido pela parte superior do

compartimento. O filtro pode ser limpo

com água da torneira, seco e reutilizado.

Não há perigo para os passageiros com a

radiação UV encapsulada.

O purificador de ar estará disponível a

partir de 19 de outubro de 2020 na Europa.

Liqui Moly entra

no WTCR

A Liqui Moly volta a marcar

presença em força no desporto

motorizado, desta feita no WTCR,

onde estará presente com a

Engstler Hyundai N Liqui Moly

Racing Team. É a primeira vez

que a Liqui Moly colabora com

uma equipa de fábrica no desporto

automóvel.

Há vários anos que a Liqui Moly e

a Engstler Team são parceiras nas

séries nacionais e internacionais

do Campeonato de Carros de

Turismo, TCR. Também no WTCR

a marca já teve presença, de

forma individual. Este ano, irá

disputar pela primeira vez toda

uma temporada de WTCR.

A colaboração entre a Hyundai e

a Liqui Moly manifesta-se, por um

lado, na presença bem visível nos

veículos e, por outro lado, no facto

de ambos os Hyundai i30 N TCR

usarem óleo Liqui Moly. O óleo é

o Synthoil Racetech GT1 10W-60,

um óleo totalmente sintético que

foi desenvolvido especialmente

para ser usado nas pistas de

corrida.

No entanto, a Liqui Moly não

apoia apenas a Engstler Hyundai

N Liqui Moly Racing Team, é

também parceira oficial do próprio

campeonato WTCR. Por isso, o

logótipo azul e vermelho não será

visto apenas no Hyundai i30 N

TCR, mas também nas pistas de

corrida.

A

GiPA nomeou Nuno Garoupa como

Business Development

Manager para Espanha

e Portugal, substituindo Pedro

Carvalho, e tendo como principal

missão a gestão e desenvolvimento

do mercado Português

e contribuir para o desenvolvimento

do negócio em Espanha.

Este profissional tem uma vasta experiência

no mercado automóvel e pós-

-venda, tanto em importadores

de marcas como no mercado

aftermarket, com diferentes responsabilidades

que fazem com

que seja a pessoa escolhida para

os novos objectivos e desafios

da GiPA.

Num minuto...

A CitNOW, através da sua plataforma,

gerou mais de 12 milhões de vídeos em

2019, muitos deles nas atividades de

pós-venda automóvel.

A Juntapeça, em Aljezur, passou a

integrar a rede de oficinas ibérica CGA

Car Service, passou a ser a primeira

oficina da rede no Algarve.

A Europ Assistance acaba de

apresentar ao mercado o iGO, uma

solução de assistência em viagem

criada a pensar especificamente nos

veículos elétricos.


11

Novo lubrificante “fuel

economy” da Eni

A Eni passou a ter disponível

na sua gama de produtos o ENI

I-SINT XEF SAE 0W-20, que é um

lubrificante com máxima economia

de combustível, com tecnologia

“top synthetic”.

Com a entrada em vigor das novas

especificações ACEA 2016, surge o

novo nível de performance ACEA

A5 que responde às condições de

trabalho mais exigentes, o que

permite alcançar um equilíbrio

perfeito entre economia de

combustível e proteção do motor.

Este nível é superado pelo novo

lubrificante ENI I-SINT XEF SAE

0W-20, lançado no mercado

para satisfazer os requisitos de

lubrificação da nova geração

de motores gasolina e diesel

de veículos ligeiros, otimizados

com os sistemas Stop&Start,

“down sizing”, injeção TGDI,… e

equipados com os dispositivos

mais avançados para o tratamento

dos gases de escape, incluindo

os filtros de partículas diesel e

gasolina (DPF e GPF).

Refira-se que o ENI I-SINT XEF

é um dos primeiros lubrificantes

multi-OEMs do mercado com

viscosidade 0W-20, capaz

de cumprir simultaneamente

as exigências de diferentes

especificações de fabricantes, tão

importantes como: Mercedes Benz

MB 229.71; BMW LL-17 FE+ (que

substitui a BMW LL-14 FE+); Opel

Vauxhall OV0401547 (substitui a

GM Dexos 2, Gen 2); Ford WSS-

M2C947-B1; Jaguar Land Rover

JLR 03.5006-16; Chrysler MS-12145

e FIAT 9.55535-GSX.

Cautex lança novas

referências para

o aftermarket

A

Cautex, fornecedora de peças de

borracha e metal para o aftermarket,

lançou 794 novas referências.

Nestas quase 800 referências, destaca-se a

inclusão de duas novas famílias de produto

para a Cautex: as válvulas EGR, com 43

referências, e os limpa para-brisa traseiros,

que entram no portfólio da marca com 33

BORG Automotive

adquire Turbo Motor

Inyeccion

A

empresa dinamarquesa BORG

Automotive acaba de adquirir a

empresa espanhola de turbocompressores

Turbo Motor Inyeccion S.L.,

adicionando a reconstrução de turbocompressores

ao seu portfólio de negócios.

Com a aquisição, a BORG Automotive

fortalece a sua presença nos mercados do

sul da Europa e consolida a sua posição

como produtor independente de peças

recosntruídas na Europa. A TMI optou

por ser adquirida pela BORG Automotive

devido à sua boa reputação, por forma a

Autozitânia aumenta

gama Valeo

A

Autozitânia acaba de proceder a

um alargamento no seu portfólio a

introduzir novas gamas de produto

na marca Valeo.

O portfólio que a Autozitânia disponibiliza

aos seus clientes foi alargado na marca

Valeo, em diversas gamas como Assistência

à Condução e Estacionamento, Acessórios

Elétricos, Sistema de Gestão de Motor,

Sistemas de Iluminação, Comutadores ou

Sistemas de Limpa-Pára-Brisas.

Esta medida aumenta em larga escala a

referências. Outro aspecto importante é a

apresentação de 23 novos kits de polia da

cambota com parafusos incluídos.

conseguir assim condições para um crescimento

contínuo. Espera-se que a aquisição

seja finalizada durante o quarto trimestre

de 2020. Após a aquisição, a BORG

Automotive empregará 1.500 pessoas e

terá unidades de produção na Polônia,

Inglaterra e Espanha, bem como escritórios

de vendas na Dinamarca e Bélgica.

A BORG Automotive vende os seus produtos

sob quatro marcas diferentes: a marca

internacional Lucas, bem como as marcas

próprias da empresa, Elstock, DRI e Re-Ex.

A TMI também é distribuidora certificada

de peças automóveis Lucas.

A TMI remanufatura 65.000 turbocompressores

por ano e atualmente tem capacidade

para produzir 140.000 unidades

por ano.

oferta disponível nesta reconhecida marca.

A Valeo é reconhecida pela sua inovação e

qualidade, sendo um dos principais fornecedores

de tecnologias de ponta automóvel

a nível global, estando presente em cerca

de 150 países.

A Motul disponibiliza para o mercado

o novo Motul Scooter, a mais ampla

linha de lubrificantes do mercado

para motas urbanas, que é composta

pela Scooter Power e Scooter Expert.

Empresa com mais de 30 anos, a

Ryme, agora numa nova fase da sua

vida, depois da aquisição por parte da

Worlwide, assume uma nova imagem

corporativa.

A Auto Furtado recebeu o Selo de

Estabelecimento Seguro ANECRA

Premium, que certifica que esta oficina

foi auditada e validada pela SGS.


N

PROBLEMA

Com o passar do tempo, o catalisador vai-se deteriorando,

o que aumenta os gases de escape na atmosfera e afeta o

comportamento do motor.

SOLUÇÃO

A LIQUI MOLY tem uma solução completa para veículos a

gasolina, com duas opções de utilização, garantindo um

funcionamento perfeito do catalisador, o que resulta em

emissões poluentes mais baixas.

O Catalytic System Cleaner (Ref. 8931) da LIQUI MOLY

protege o catalisador dos motores a gasolina contra

entupimento de fuligem e também limpa as válvulas e a

câmara de combustão. Este

aditivo não se adiciona ao

depósito de combustível.

Deverá ser aplicado com uma

bomba pulverizadora (Ref.

3316) através do sistema de

aspiração. Este é um processo

eficaz, com efeito imediato,

que tem que ser feito numa

oficina por um profissional.

Vantagens

>> Impede que o catalisador entupa

>> Garante uma combustão ótima

>> Limpa a secção de aspiração, as válvulas de admissão

e a câmara de combustão

>> Impede a corrosão no sistema de combustível

>> Ação rápida

>> Redução de consumo de combustível

Para uma utilização mais simples e com um efeito de 2000

km, a LIQUI MOLY tem o aditivo Catalytic-System Clean

(Ref. 7110). Adiciona-se diretamente ao depósito de

gasolina a qualquer momento,

impedindo que o catalisador

entupa devido à fuligem.

Ao mesmo tempo, limpa o

sistema de injeção e a câmara

de combustão. O melhorador

da combustão tem um efeito

direto, o que resulta na redução

imediata das emissões de

gases poluentes. Os motores

limpos consomem menos

combustível e reduzem as

emissões de CO2. O aditivo

foi testado para turbo e

catalisador.

NOTÍCIAS

Dica Ambiental by

Eco -Partner

Certificação do sistema de

gestão ambiental de uma

empresa

A certificação do sistema de gestão

ambiental de uma empresa consiste

no reconhecimento formal por

entidade acreditada para o efeito de

que o sistema está implementado e

cumpre os requisitos da norma ISO

14001.

A Norma ISO 14001 não

estabelece requisitos absolutos de

desempenho ambiental para além

do compromisso, estabelecido na

política, de ter em consideração a

legislação e regulamentos aplicáveis

e de melhoria contínua.

Quais as principais razões para

implementar um sistema de gestão

ambiental certificável segundo a

norma ISO 14001?

A

Veneporte, empresa portuguesa especializada

em componentes para

escapes de automóveis, em parceria

com a Faurecia, no âmbito do projecto

Easy2Fit, iniciou o fornecimento da sua

gama completa de produtos para a Distrigo

Parts Distribution. Neste sentido, todo o

portefólio de produtos Veneporte (catalisadores,

filtros de partículas, silenciosos e

acessórios) está a partir de agora, disponível

no novo conceito de distribuição de peças

premium de reposição do grupo PSA.

Com a Distrigo, o Grupo PSA segue o

conceito”one stop shop” de peças de after-

>> Garantir o cumprimento da

legislação ambiental aplicável à

empresa;

>> Satisfazer a preocupação com a

reputação ambiental;

>> Demonstrar a consciência

ambiental e social da empresa;

>> Obter uma mais valia em termos

de marketing;

>> Reduzir custos e aumentar a

produtividade;

>> Garantir a continuidade;

>> Implementar processos que

permitam a melhoria continua.

E quais os principais benefícios?

>> Reduzir ou controlar os custos de

gestão de resíduos;

>> Poupar no consumo de energia e

materiais;

>> Capacidade de monitorizar o

comportamento ambiental;

>> Garantir o cumprimento da

legislação;

>> Proteger o Ambiente.

Para mais informações consultenos,

temos uma equipa técnica

especializada à sua espera.

Eco-Partner, SA a Sua parceira no

Ambiente…

Veneporte fornece Distrigo em parceria

com a Faurecia

market multimarca, por forma a permitir

que os seus clientes consigam ter a melhor

oferta em peças originais PSA e da linha

Eurorepar (gama de peças multimarca do

grupo que já tinha a Veneporte como fornecedor

oficial).

Com este novo projeto, a marca pretende

assumir-se como referência no pósvenda

multimarca e a Veneporte reforçar o seu

posicionamento como fornecedor da PSA

aftermarket.

Refira-se que em Portugal fazem parte da

Distrigo Parts Distribution a PSA Retail,

a Gamobar Peças e a Sofrapa.

Vantagens

>> Protege o catalisador de entupimento com fuligem

>> Limpa o sistema de injeção e a câmara de combustão

>> Melhora a combustão do combustível

>> Efeito prolongado

>> Previne a corrosão no sistema de combustível

FICHAS TÉCNICAS E MODO DE UTILIZAÇÃO EM

www.liqui-moly.pt

INFORMAÇÕES

comercial.iberia@liqui-moly.com

Num minuto...

Numa altura em que comemora os

seus 40 anos de existência, a Garagem

HM abriu novas instalações em

Gondomar.

Desde o passado dia 1 de junho que

a empresa Leirifiltros iniciou a sua

atividade através da comercialização

de filtros para diferentes áreas de

negócio incluindo todo o tipo de

veículos.


RuiSilauto implementa

solução OfficeGest

O centro de abate automóvel e

peças usadas RuiSilauto, de Bidoeira

de Cima, instalou o OfficeGest

– Sistema de Desmantelamento

Automóvel e Peças Usadas,

desenvolvido pela Guisoft. Desta

forma a empresa pretende contribuir

para um aumento da reutilização de

componentes automóvel e minorar

impacto ambiental.

Considerando que é papel de todos

contribuir para uma utilização

mais eficiente dos recursos, a

RuiSilauto implementou uma

solução tecnológica que permite a

transformação digital de um sector

que, tradicionalmente, está muito

longe das novas tecnologias.

Como refere o Director Geral, Rui

Santos, “sentimos a necessidade de

ter uma solução que, rapidamente

permita identificar e catalogar

as peças automóveis incluindo,

referência de fábrica, foto única ou

viaturas compatíveis e disponibilizar

automaticamente nas várias

plataformas de compra e venda de

peças usadas incluindo redes sociais

e website próprio.”

Nuvipeças com novas

instalações

O retalhista de peças da região de

Vila Nova de Famalicão, Nuvipeças,

inaugurou recentemente as suas

novas instalações.

Situadas na Rua São Vicente, em

Vila Nova de Famalicão, mesmo em

frente ao Centro de Emprego, as

novas instalações da Nuvipeças são

um salto qualitativo e quantitativo

na atividade da empresa.

Com uma área de 400 m2 (o triplo

da que tinha anteriormente), as

novas instalações da Nuvipeças

apresentam um visual moderno

e outras condições para receber

os clientes, permitindo à empresa

“poder aumentar o stock e dessa

forma disponibilizar um outro nível

de serviço”, refere João Melo,

responsável da empresa.

Refira-se que a Nuvipeças foi

fundada em 1996, dando agora um

passo importante na afirmação no

setor das peças para automóveis em

Vila Nova de Famalicão e arredores.

Imaweb unifica nome

e negócio

Após a aquisição de empresas

especializadas em soluções digitais

para automóveis, o grupo

Imaweb-IDF, formado há um ano

e resultante da fusão de uma série de

empresas da mesma área, anuncia um

ponto de viragem estratégico na sua

história expandindo a sua força e o seu

portfólio de soluções.

Está agora a dar mais um passo em frente

ao combinar a sua oferta sob uma única

marca: Imaweb. O objetivo é capitalizar

a sua experiência, encarnar a plataforma

comum que foi capaz de criar e reforçar a

sua posição como líder europeu em soluções

digitais para a indústria automóvel.

Foi criada uma equipa de direção multifuncional

para facilitar os intercâmbios

e realizar projetos conjuntos sob

a marca Imaweb. As novas sinergias

e aquisições recentemente alcançadas

visam aumentar a força do Grupo através

da sua ação num perímetro geográfico

alargado, uma carteira de produtos mais

ampla (complementada por soluções

oferecidas pelas empresas que aderiram

recentemente ao Grupo) e uma maior

capacidade de inovação graças aos seus

150 desenvolvedores.

Com escritórios em Portugal, Espanha,

França, Holanda e Bélgica, assim como

parceiros em mais oito países, os produtos

Imaweb são distribuídos em 17

países europeus.

Impoeste implementa

360ºScan

na Auto3emes

A

Impoeste e a Auto3emes protocolaram

uma colaboração para

desenvolvimento e otimização do

negócio de reparação auto.

A colaboração entre a Impoeste e a

Auto3emes assenta na implementação

da solução 360º SCAN que consiste num

programa de auditoria, consultoria e assessoria

da produção e tem como base a

melhoria dos KPI rentabilidade e produtividade

a par da digitalização da oficina.

A nova colaboração formalizada por

Miguel Martins /Auto3emes e Luís Santos

(Impoeste), tendo-se iniciado a 1 de agosto

e pretende otimizar por fases todas

as diferentes especialidades das oficinas

Auto3emes especializadas em colisão.

Transparência

em vez de

lengalengas:

5 anos de

garantia.

Os profissionais das oficinas de

automóveis não precisam de

promessas vazias, mas sim de

qualidade na qual podem confiar.

Por isso, oferecemos aos parceiros

registados uma garantia de 5 anos

em todos os produtos do Power

Transmission Group para o Automotive

Aftermarket. Sem restrições.

www.continental-ep.com/5

5 ANOS DE

GARANTIA


14

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

N

NOTÍCIAS

Novas latas e tambores Champion

A

Champion Lubricants acaba de

anunciar a chegada das suas novas

latas e tambores Champion-World

RX.

Como parceiro oficial de lubrificantes

do Campeonato Mundial de Rallycross

da FIA, a Champion continua a extrair

os seus limites com esta nova rotulagem

de produto e liga a marca a uma das

competições de automobilismo mais

desafiantes do mundo.

“A introdução das novas latas e tambores

de marca conjunta marca um novo passo

Axalta desenvolve

parceria com a

Brabham Automotive

na nossa nova e emocionante colaboração

com a FIA World RX”, explica Thomas

Mees, gestor de marketing de marca

global da Champion. “Esta iniciativa terá

como objetivo fortalecer a promoção da

nossa parceria que acreditamos irá reforçar

significativamente o posicionamento

premium dos Lubrificantes Champion

e apoiar as nossas vendas no mercado”.

Nas próximas semanas, as atuais latas e

tambores de lubrificantes da Champion

irão gradualmente adotar o novo design

do Champion-World RX.

A

Axalta continua a atrair construtores

de relevo para o seu “portfólio”,

tendo agora sido escolhida para

ser o fornecedor de tintas exclusivo da

Brabham Automotive na Austrália.

A mais recente tecnologia de tintas à base

de água da Axalta da sua marca de tintas

premium, Standox, será aplicada em mais

de 70 veículos de luxo de edição limitada

das Series Celebration e Signature

fabricadas pela Brabham Automotive e

distribuídas em todo o mundo.

A Axalta e a Brabham Automotive colaborarão

durante o processo de design

para garantir que todos os veículos

cumprem os mais elevados padrões de

qualidade exigidos por ambas as empresas.

O esquema de cores da maioria

dos novos veículos combinará com os

utilizados nos históricos carros de F1

da Brabham, incluindo no BT19 e no

BT46B, conduzidos pelo famoso Niki

Lauda. Os clientes que pretendem um

acabamento único têm agora a oportunidade

de colaborar com a Axalta e a

Brabham Automotive na criação de um

design de cor especial. Todos os veículos

são feitos por medida, o que aumenta a

exclusividade para os seus clientes.

Delphi amplia gama

GDi para Kia e

Hyundai no

aftermarket

A Delphi Technologies

Aftermarket está a ampliar a sua

solução integral de injeção direta

de gasolina (GDi) para veículos

Hyundai e Kia.

No seu completo programa consta

de bombas e injetores instalados

como equipamento original

(OE) em mais de três milhões

de veículos coreanos. A Delphi

Technologies também apresenta

uma solução para o aftermarket

de uma tecnologia GDi pioneira:

o sistema de injeção Multec 14

(M14) com pressão de 350 bares,

agora que se começa a introduzir

no mercado da reparação

independente.

A sua solução integral de GDi já

consta de bombas, injetores, e

componentes instalados como

equipamento original em mais

de 3,9 milhões de veículos do

grupo PSA. Em conjunto com

esta oferta de produto de GDi,

a solução de aftermarket da

Delphi Technologies inclui

formação, equipamento de

ensaios e limpeza, suporte

técnico e informação de mercado.

Ao ampliar a sua oferta de

produto a mais de 3 milhões de

veículos da Hyundai e Kia, o

fabricante aumentará o total das

oportunidades de serviço premium

em mais de 75% para os seus

clientes de aftermarket.

Num minuto...

Desde o passado dia 1 de setembro de

2020 que Norbert Dohmen se tornou o

novo gerente da Caruso, o conhecido

marketplace do setor automóvel ao

nível dos dados e serviços.

A Berner acaba de adicionar ao seu

extenso portfólio de produtos as

toalhitas desinfetantes de superfícies

resistentes ao álcool.

Foi apresentado o novo site AvaliarCarro.

com, que é um novo avaliador de

veículos usados online. Esta ferramenta

permite saber o valor de uma viatura

usada em poucos segundos, facilitando o

processo de negociação e venda.


15

Gama de travagem Blue

Print cobre 98% em

ligeiros

A Blue Print oferece uma gama

completa de travagem com mais

de 3400 componentes de fricção,

com aplicação em veículos

asiáticos e europeus, que cobre

mais de 98% de veículos ligeiros e

LCVs mais populares nas estradas

europeias, para discos e pastilhas

de travão, lançados a partir do ano

2000.

A Blue Print acompanha, de forma

constante, o lançamento de novos

veículos no mercado, reforçando a

filosofia ‘Fast to Market’ através

da utilização de catálogos de

peças eletrónicos do fabricante

assegurando elevados níveis de

precisão.

Todos os componentes são

desenvolvidos e produzidos de

acordo com especificações OE

como uma solução de substituição

direta.

Nova linha de

produtos para veículos

elétricos da Fuchs

O

grupo

FUCHS ampliou o seu

portfólio de produtos com uma

linha específica para a mobilidade

elétrica.

A gama FUCHS BluEV engloba um

abrangente leque de produtos para veículos

elétricos e respetivos componentes.

A linha FUCHS BluEV inclui três categorias

de produtos:

– FUCHS BluEV DriveFluid com óleos

de engrenagem para veículos elétricos

e híbridos;

– FUCHS BluEV MotorGrease com

massas para motores elétricos;

– FUCHS BluEV ThermalFluid com

fluidos dielétricos de transferência de

calor para aplicações automóveis.

Desta forma, a FUCHS oferece uma

solução de 360 graus, eficiente e perfeitamente

integrada que engloba lubrificação,

gestão térmica e proteção

dos componentes a nível da mobilidade

elétrica.

PUBLICIDADE


16

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

N

NOTÍCIAS

Petronas apresenta quatro novas linhas

de lubrificantes Tutela

A

Petronas apresentou a nova gama de

produtos Petronas Tutela, composta

por fluidos lubrificantes destinados

à proteção de componentes de transmissão,

eixos e diferenciais, constituída

por quatro linhas de produto diferentes

(700, 500, 300 e 100) que se adaptam

tanto às modernas transmissões automáticas

com elevado número de relações

como às mais tradicionais.

A linha Petronas Tutela 700 é dirigida a

proprietários de veículos modernos com

caixa de velocidades manual ou automática,

que procuram um produto adequado

para as mais recentes transmissões

Carpriss apresenta

novo website

A

Carpriss, empresa especializada em

acessórios para automóveis, acaba

de apresentar o seu novo website.

Com um novo design, mais intuitivo,

prático e atrativo e com melhorias significativas

na navegabilidade, o novo site

www.carpriss.com, é o resultado do seu

compromisso em fornecer aos clientes o

melhor suporte e um claro compromisso

com as novas tecnologias, que graças ao

Sogefi lança nova máscara

protectora Purmask

Em colaboração com o Grupo

Alchimies e o Grupo Georges

Pernoud, a Sogefi desenvolveu uma

máscara ecológica e confortável: a Purmask.

Purmask é uma máscara semi-rígida reutilizável

que se adapta perfeitamente ao formato

do rosto graças a uma borda flexível;

também é equipado com dois cartuchos

laterais contendo meio filtrante.

A Purmask é aprovada de acordo com o

Num minuto...

A Norsider acaba de lançar o seu novo

website (https://autopecas.norsider.

pt/), no qual disponibiliza a informação

de forma detalhada, com fotografias e

preços de todos os produtos que tem

disponível.

compactas e com um grande número de

relações.

A linha Tutela 500, fabricada com lubrificantes

parcialmente sintéticos de alta

qualidade, é projetada para veículos de até

dez anos que, portanto, podem continuar

a operar a plena capacidade em termos de

desempenho, consumo e emissões, mesmo

com intervalos alargados de mudança.

O Tutela 300 e 100, concebidos com

óleos minerais premium, destinam-se

a utilizadores que pretendem manter a

eficiência em veículos com mais de 10

anos, para continuar a desfrutar de uma

condução tranquila e confortável.

design “responsive” permitem ao cliente

navegar a partir de qualquer dispositivo,

seja um computador, tablet ou smartphone.

Uma importante funcionalidade deste

site é a opção de poder realizar o “pedido

rápido via formulário”. Num simples

“copiar e colar”, você pode colar células

com referências e quantidades diretamente

de um arquivo Excel. Da mesma forma,

melhora substancialmente o processo de

carregamento de pedidos por meio de

arquivos CSV.

padrão de máscaras cirúrgicas (EN14683

Tipo II) pelo laboratório francês LNE

com uma eficiência de filtração superior

a 99% e um valor médio de queda de

pressão de 25,7 Pa / cm², uma garantia de

boa respirabilidade e limpeza microbiana

em de acordo com o padrão. Segundo a

Sogefi, este design é adequado para uso

profissional e pode ser reutilizada por pelo

menos 1 ano.

De modo a torná-los mais claros e,

por isso, mais fáceis de compreender,

a Spies Hecker atualizou o design dos

rótulos dos seus produtos.

O

OPINIÃO

O que diferencia uma

oficina de marca de uma

independente.

Tudo e nada (V)

Nas redes automóveis, principalmente

nas redes de reparadores autorizados

tudo se mede, tudo se inquire, tudo se

compara.

Os indicadores são dos mais diversos

tipos, desde a facturação passando

pelo número de horas compradas,

trabalhadas e vendidas, rácios

entre horas e a sua facturação e

facturação de peças, entre facturação

e produtividade, número de entradas

em oficina, rácios e custos de garantia,

etc, etc…

Os inquéritos sobre o número e tipo de

avarias por modelo, em valor absoluto e

em comparação com outros modelos de

outras marcas. Inquéritos de satisfação

e recomendação, também comparativos

com outras marcas. Inquéritos de

satisfação à rede e entre marcas, etc,

etc…

Todos estes indicadores servem para

orientação e estabelecimento de planos

de acção das marcas em relação aos

seus objectivos. Servem também para

eventuais purgas das redes, eliminando

quem não cumpre com os mínimos

estabelecidos. Claro que tem vantagens

e inconvenientes. Embora uma boa

parte dos RA não analisem a sua

totalidade, pois os meios necessários

para tal podem ser substanciais. No

entanto uma leitura atenta indica,

normalmente o estado real da empresa.

Passamos do oitenta para o oito quando

chegamos à rede de reparadores

independentes. Se alguns dos RI têm

indicadores que lhes permitem avaliar

a sua actividade de uma forma séria

e fidedigna, uma boa parte, pouco

mais tem que a facturação de oficina,

até porque o registo diário de horas

trabalhadas por Ordem de Reparação,

tão importante para a análise de

produtividade e taxa de ocupação, é

praticamente inexistente.

Quanto aos inquéritos já falámos em

artigos anteriores e são, também eles,

inexistentes.

PAULO QUARESMA

GTAVA.PT


MEYLE-HD:

Melhor do que as peças

originais …

* Pode encontrar as nossas condições de garantia em www.meyle.com/guarantee-certificate

... simplesmente mais duradouras!

Os nossos produtos MEYLE-HD são tecnicamente otimizados relativamente

às peças originais. A melhor conceção, assim como os materiais de alta

qualidade tornam-nos mais duradouros e fiáveis. Por isso, concedemos a

todas as peças MEYLE-HD 4 anos de garantia.* Isto é: MEYLE-HD - melhores

peças, maior durabilidade e clientes mais satisfeitos!

Segue-nos em

Mais informações em www.meyle.com/en/meyle-hd

OFFICIAL

DISTRIBUTION

PARTNER

LEIRIA

Rua das Fontainhas, nr. 77 | Andrinos – Ap 776 | 2416-905 Leiria |

T 244 830 070 | F 244 813 047

CASTELO BRANCO

Zona Industrial – Rua T, Lote 49 | 6001-997 Castelo Branco |

T 272 349 580 | F 272 349 589

Email geral@autodelta.pt

www.autodelta.pt


18

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Atualidade

MARCO BRUNO, CONVEY

A

O comprador ainda

não está habituado

a fazer os controlos

certos do produto

nas lojas online

A Convey é uma empresa de referência em serviços de

combate à contrafação na Internet, trabalhando com algumas

das mais conceituadas marcas do aftermatket internacional

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

MARCO BRUNO, CONVEY

A

falsificação de produtos é um

dos grandes problemas do aftermarket

automóvel e uma

realidade que tem vindo a

aumentar com o desenvolvimento

da Internet, que veio ampliar ainda

mais a possibilidade de criação de canais

de distribuição. Marco Bruno, da Convey,

agência de fiscalização sediada em Turim,

especializada em análise, monitorização e


COM O APOIO

19

Não confie

nos seus olhos.

Confie na OSRAM!

A OSRAM, líder em iluminação automóvel,

oferece produtos de qualidade

premium, fiáveis e fabricados

segundo todos os requisitos ECE,

que proporcionam melhor visibilidade

da estrada, integridade dos faróis

e dos componentes eletrónicos, pelo

que são alvo de pirataria.

repressão de falsificações online, explica

de que forma a empresa desenvolve ferramentas

para prestar às empresas serviços

de intervenção, com vista a defender os

direitos de propriedade intelectual dos

seus clientes.

Qual a tendência dos produtos contrafeitos

vendidos online?

A contrafação aumentou durante o período

de confinamento, porque as lojas

físicas estavam fechadas e por isso

os utilizadores habituaram-se a realizar

mais compras online. Aumentou, tanto

a compra de produtos originais, como de

contrafeitos. As pessoas foram forçadas a

comprar online, e, provavelmente, uma

parte delas continuará a fazê-lo. Numa

crise tradicional, o comércio online iria

diminuir. Mas esta crise é diferente, porque

algumas lojas físicas estão fechadas e

as lojas online estão a funcionar. E mesmo

estando abertas, as lojas físicas estão com

limitações para os clientes. E aí, há uma

clara vantagem para o online.

É mais difícil controlar o mercado online,

comparativamente ao físico? Ao

não ser possível verificar facilmente os

elementos de controlo das embalagens,

por exemplo.

O comprador ainda não está habituado a

fazer os controlos certos do produto nas

lojas online. E o mercado online obriga

a uma monitorização constante e mais

automatizada, que não se pode cingir

apenas a uma região. Temos de assinalar

os problemas que surgem, em qualquer

país, a todo o momento. Porque, se um

problema surge online, é fácil que se estenda

rapidamente a outro local. Fazemos

essa monitorização e temos ferramentas

que nos permitem ter um controlo do

mercado online. As empresas estão agora

a habituar-se a fazer esse controlo e a

manter-se atentas, como fazem com as

lojas físicas. As ferramentas são diferentes,

mas existem e é necessário utilizá-las, porque,

hoje em dia, se não estamos atentos

ao online, perdemos uma grande parte

daquilo que está a acontecer.

Que ferramentas utilizam?

A Convey adota uma abordagem holística

contra as infrações na Internet, e tem

como objetivo descobrir e analisar as

ameaças online existentes para marcas:

eliminar ofertas ilegais e vendas de produtos

falsificados em plataformas online

operadas por terceiros, ofertas falsificadas

das principais plataformas de comércio

eletrónico e mercados online e banir os

respetivos operadores e vendedores; fechar

sites desonestos e recuperar o controlo

de nomes de domínio abusivos usados e

registados por operadores terceirizados.

Pelas suas características, as falsificações

OSRAM não são muitas

vezes detetadas pelo olho experiente

do profissional e colocam a segurança

dos condutores e do veículo

em jogo.

Para as combater, a OSRAM lançou

o Programa Confiança OSRAM

(OSRAM Trust Program), uma ferramenta

de verificação online para

comprovar a autenticidade das suas

lâmpadas OSRAM de xénon e de

halogéneo em DUO BOX, as quais

dispõem de duas características de

segurança implementadas durante o

fabrico que as torna únicas.

Aceda ao site www.osram.pt/trust

ou digitalize o código QR do seu

produto e em dois simples e rápidos

passos verifique o seu produto.

O tutorial no Youtube da OSRAM

explica tudo.

Colabore, evitando falsificações.

Compre em fornecedores fiáveis e

procure sempre a etiqueta OSRAM

Trust nas embalagens de xénon

e nas DUO BOX das lâmpadas de

halogéneo!


20

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

A

CONVEY

Combate à contrafação

O fenómeno da contrafação tem

repercussões negativas no aftermarket

mundoal, não só no volume

de negócios das empresas que produzem

os originais, mas também na

concorrência desleal sofrida pelos

distribuidores oficiais e nos riscos

de segurança, que os compradores

muitas vezes desconhecem. São,

por isso, muitas as soluções que as

marcas têm encontrado para combater

de forma mais interventiva a

falsificação dos seus produtos. A

MS Motor Service quer promover

mais segurança contra a contrafação.

Para isso, as embalagens

originais da Kolbenschmidt, Pierburg

e TRW Engine Components contam

com seis medidas de segurança, disponíveis

no website www.ms-motorservice.com/pt/portal-da-oficina,

para verificação da autenticidade

de cada peça. No caso da Daimler,

uma das soluções encontradas para

combater este problema tem sido

a cooperação com as autoridades

competentes, para chegar às grandes

redes de falsificação e ao desmantelamento

das suas estruturas

de produção e distribuição. Outras

medidas tomadas pela empresa

incluem ainda procedimentos criminais

e ações de informação aos

seus clientes. Segundo a Daimler, a

maioria dos produtos contrafeitos

da sua gama são discos de travão,

jantes e para-brisas. Por sua vez, a

Mahle opta por uma estratégia de

cooperação, comunicando de forma

constante com outras empresas da

indústria, por forma a manter os

seus parceiros informados sobre

cópias ilegais e marcas ou patentes

falsificadas. A Gates está também

a tomar medidas para evitar a

venda de correias de distribuição

falsificadas, aplicando um código

alfanumérico único de 14 dígitos,

que pode ser introduzido no website

da Gates, http://gates.com/original,

para autenticação do produto. Em

alternativa, é possível digitalizar o

código QR. Foi ainda acrescentada

uma etiqueta tesa PrioSpot à série

de medidas contra a contrafação

dinamizadas pela emrpesa. Esta

etiqueta foi criada por forma a ser

difícil de falsificar, visto que inclui

diferentes elementos de segurança.

Quando uma marca decide trabalhar

connosco, porque percebe que existe um

problema com contrafação ou abuso de

marca registada numa parte específica do

mundo ou num marketplace, fazemos

um rastreio de toda a Internet, independentemente

do problema que chamou a

atenção da empresa. Fazemos um rastreio

de todos os marketplaces, motores de

busca, apps, websites, domínios, etc.,

e fornecemos essa análise, para mostrar

onde estão os principais problemas e as

principais vendas de produtos contrafeitos,

para medir a distribuição geográfica

da contrafação, em termos de produtos,

vendedores, localização, etc. Depois, reunimos

e mostramos ao cliente o que se

deve fazer e elaboramos um plano a longo

prazo para realizarmos a monitorização

diária em marketplaces específicos, com

ações específicas, dependendo da situação.

Os direitos de propriedade intelectual são

sempre o nosso ponto de partida: marcas

registadas, patentes, modelos de utilidade,

direitos de autor, etc. E, a partir daí,

fazemos o acompanhamento diário, com

uma equipa dedicada. Em poucos dias,

o problema está resolvido. Mas precisa

de ser um esforço contínuo, porque os

vendedores são muito dinâmicos, não

desistem facilmente, principalmente se

a marca for reconhecida. Mas temos ferramentas

para os dissuadir: a primeira

são os marketplaces, especificamente na

China, onde há regras muito específicas

de contrafação e repetição de infrações.

O vendedor é avisado uma vez, e, se

continua, recebe um segundo aviso e a

sua loja é banida por duas semanas, por

exemplo, dependendo do marketplace. Se

são apanhados a terceira vez, são banidos

para sempre. Vários vendedores na China

estão localizados em pequenas cidades

e, se não tiverem o canal online, não

conseguem vender. E por isso estas são

medidas importantes e eficazes. Podem

abrir outra loja, mas não é fácil, porque

pedem todo o feedback, histórico, têm de

começar de novo: falsificar a identificação,

registos da empresa, etc. Por outro lado,

se não houver uma intervenção, o vendedor

pode ficar online durante muitos

anos. Quando uma loja é eliminada e o

vendedor abre uma nova, estamos lá imediatamente

e a loja é fechada novamente.

E não se torna rentável continuar. O que

acontece é mudarem para outra marca.

Isto é frequente: selecionam um ramo

de atividade e as maiores marcas nesse

ramo e fazem a contrafação de todas. As

grandes empresas têm normalmente um

departamento encarregue de direitos de

propriedade intelectual. É importante

expandir esta ideia. Porque algumas empresas

não possuem um departamento

dedicado, por isso têm de ser guiadas. Por

vezes, descobrem um produto contrafeito

e depois reparam que é apenas a ponta


COM O APOIO

21

Mercado Português

Marco Bruno

CONVEY

“No comércio online é difícil focarmo-nos

numa região específica, só é

possível se nos focarmos em marketplaces

como o olx.pt, que está apenas

disponível para Portugal, por exemplo.

Há marketplaces que apenas vendem

em Portugal, mas outros não, como o

Amazon ou o Ebay, em que é frequente

as vendas entre países. E por isso é

difícil de quantificar a contrafação em

Portugal. Nas principais marcas com as

quais trabalhamos, temos encontrado,

aproximadamente, para cada uma,

cerca de 1 ou 2 milhões de receitas para

cada marca, mundialmente, em contrafação.

Provavelmente, no aftermarket,

veríamos milhares de milhões, se conseguíssemos

abranger todas as marcas”.

do icebergue. O nosso papel com estas

empresas é o de os guiar e explicar o que

acontece online, e que há produtos contrafeitos

em sítios que nunca pensariam

existir. Ainda há alguma falta de cultura

neste aspeto.

Para muitas empresas o mercado online

ainda é algo novo…

Sim. Não estão preparados e ainda é algo

novo. Algumas empresas têm uma visão

radical, mantém-se na era das lojas físicas

e não querem ter nada a ver com a nova

era. Mas é preciso interessarem-se pelo

que acontece online, pelo menos para

estarem a par daquilo que se passa.

Com que marcas trabalham?

No mercado automóvel, trabalhamos

principalmente com marcas italianas,

mas também com marcas alemãs, por

exemplo. No aftermarket, trabalhamos

com a UFI Filters, a Brembo e a BBS.

Qual o tipo de produtos mais contrafeitos

neste setor?

No aftermarket, são as peças vendidas ao

consumidor final, que este pode trocar

sozinho. Mas também as peças de des-

PUBLICIDADE

Líder mundial*

Em sistemas

Limpa-para-brisas

ESPECIALISTA EM LIMPA-PARA-BRISAS

VALEO SILENCIO

Melhore a sua segurança

graças a uma melhor visibilidade!*

*Quota de mercado mundial 2017 Equipamento Original de turismo, excluindo Veículos Industriais

**Fonte: Fraunhofer Institute IOSB estudo baseado em mais de +5500 provas reais em condução 50km/h

Para mais informações

www.valeoservice.pt


22

COM O APOIO

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

A

CONVEY

gaste, como lubrificantes, componentes

de travagem, filtros, pneus e jantes. A

contrafação é algo que se torna perigoso se

a peça vendida é essencial para a segurança

do veículo. E este é o caso das jantes e

da travagem, dois dos maiores mercados

para a contrafação.

Também acontece com os equipamentos

de diagnóstico?

Sim. Porque além da violação da marca

registada, nos equipamentos, também

o software pode ser contrafeito. Isto é

violação de direitos de autor. E, na China,

aparecem propostas do mesmo equipamento

com software vitalício, quando

a marca tem uma subscrição mensal ou

anual. Existe também contrafação do

software de comandos de chaves. Pode

ser protegido por direitos de autor ou

patenteado. Normalmente é copiada a

sequência para a duplicação do comando,

o que acontece também no diagnóstico.

O evoluir da tecnologia irá dificultar

a contrafação?

Hoje em dia, já temos meios para a controlar.

Mas é preciso esforço, porque pode

ser automatizado, mas não a 100%. É

preciso esforço tal como existe nas vendas

físicas: é preciso organizar ferramentas,

pessoas, e, se isso for feito, as empresas

terão sucesso. Estamos em Torino, Itália,

mas trabalhamos para todo o mundo e

podemos operar a partir de qualquer

localização, o que é uma vantagem em

relação ao mercado físico. Em todos os

países, há leis que protegem os direitos

de propriedade intelectual, e há leis

específicas em cada país para responsabilizar

os internet service providers,

ou seja, quem está entre o vendedor e

o comprador, como, por exemplo, os

marketplaces, ou a rede social. Estes não

são responsáveis pelas infrações, apenas

se forem notificados pela marca. E tem

de ser uma notificação consubstanciada.

Por isso, além de processar o vendedor,

se o produto não for retirado, a marca

pode também processar o internet service

provider. E por isso estes marketplaces

cooperam, porque é do seu interesse.

Temos uma boa cooperação com todos

os marketplaces, é uma relação que temos

construído ao longo dos anos. E estes

têm um importante papel. Reportamos

diariamente várias falsificações e infrações

e o processo é normalmente muito

fácil porque já nos conhecem e sabem

que quando reportamos um problema, é

porque verificámos corretamente e é uma

notificação consubstanciada, com provas,

certificados, etc. Baseamo-nos na lei, não

é algo que decidimos sem fundamento.

Que conselho daria às oficinas e casas

de peças para evitarem comprar este

tipo de produtos?

Que comprem nos canais oficiais: websites

oficiais ou outros canais oficiais

da marca. Se o fizerem, compram de

certeza um produto original e o preço

do produto é uma compensação para

o vendedor, que gastou dinheiro com a

pesquisa, produção, serviço, etc. Caso

não queiram comprar nos canais oficiais,

é importante fazerem muita pesquisa e,

caso o preço pareça demasiado bom para

ser verdade, provavelmente é. É importante

também verificar o vendedor, as

avaliações, e comparar o produto com o

original. O que fazemos, por exemplo,

é comparar os produtos, e as diferenças

por vezes são a posição de um autocolante

em apenas 1 milímetro, por exemplo, ou

a cor ou letras não serem tão definidas.

São pequenos detalhes que por vezes

são difíceis de encontrar. Por vezes, as

fotos também são falsas, estes vendedores

utilizam imagens de produtos originais.

Nesses casos, trata-se de uma violação

de direitos de autor e, quando acontece,

alegamos os direitos de autor, para retirar

a oferta do marketplace.

Como perceber que um

produto é falsificado:

> Preço drasticamente baixo;

> Material publicitário questionável;

> Falta de informação técnica;

> Anomalias na qualidade do produto;

> Discrepâncias na embalagem (design,

tamanho, impressão);

> Avaliações duvidosas de comerciantes

em plataformas online;

> Marca ou logotipo incorreto;

> Etiqueta de segurança incompleta

ou danificada;

> Defeitos no material do produto

ou mão de obra;

> Mercadoria vendida por fontes

online duvidosas.

ANFIA e Convey

O Projeto Piloto “Combate à contrafacção

online nas plataformas de

comércio electrónico B2B e B2C”

pela ANFIA e Convey começou em

2018. A fase preliminar do projeto

piloto envolveu uma pesquisa com

70 empresas de componentes auto

associadas à ANFIA, sobre a dimensão

da presença da marca em algumas

das principais plataformas de

comércio eletrónico B2B e B2C chinesas,

com mercado internacional.

Uma segunda pesquisa envolveu

100 membros do Grupo de

Componentes ANFIA e incidiu sobre

algumas das principais plataformas

de e-commerce B2C Ocidental, com

mercado outlet internacional. Estas

entidades pretendem salvaguardar a

segurança dos condutores e proteger

o setor da concorrência desleal.

Também em parceria com a Convey,

a UFI Filters está no combate à

venda de peças falsificadas nos

canais tradicionais e digitais. A UFI

Filters evitou, nos últimos dois anos,

um potencial volume de negócios

de 5 milhões de euros, proveniente

de mercadorias ilegais e delineou

uma estratégia preventiva, para

eliminar fontes de abastecimento

de produtos contrafeitos, impedindo

a sua distribuição, principalmente

anúncios comerciais, publicados em

plataformas de comércio eletrónico

turcas ou chinesas.


24

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

E

O SETOR DOS EQUIPAMENTOS OFICINAIS EM TEMPOS DE COVID-19

O SETOR DOS EQUIPAMENTOS OFICINAIS EM TEMPOS DE COVID-19

Distintas realidades

O setor das empresas que vendem equipamentos para as oficinas enfrentam, como todas

as que estão ligadas ao setor do pós-venda, momentos desafiantes. Fomos conhecer

algumas realidades, neste período de pandemia, e saber que apoio deram aos seus clientes

e que medidas tomaram

TEXTO PAULO HOMEM

Das mais de 15 empresas contatadas

para este trabalho, apenas

oito tiveram a coragem de

responder ao nosso pequeno

questionário, embora algumas

explicaram a razão de não estarem presentes,

o que naturalmente compreendemos,

aceitamos e respeitamos.

Todos sabemos que se atravessam momentos

muito complicados e que nem

todos estavam preparados para enfrentar

a dura realidade que passámos nos últimos

meses, não só em Portugal, mas no

mundo inteiro.

Quer isto dizer que o fosso entre as

empresas pode-se ter cavado um pouco

mais neste fase de pandemia, isto é, entre

aquelas que na realidade prestam um

verdadeiro serviço ao cliente face àquelas

que continuam apenas a despachar

equipamentos.

Certamente todas estarão no mercado

de forma legítima tentando fazer valer os

seus argumentos, porém a diferença está

entre aquelas que se adaptaram e as que

não se adaptaram a esta fase e, por isso,

poderão estar a passar por momentos de

maior dificuldade.

Todos sabemos que o setor dos equipamentos

oficinais em Portugal é muito

relacional. Basta ver, por exemplo, que

as empresas que vendem equipamentos

oficinais estão quase sempre (e quase

todas) presentes nos principais salões

setoriais que se realizam em Portugal.

Sem salões e com a enorme redução da

presença física nos clientes oficinais, durante

diversos meses, a forma de relacionamento

com as oficinas teve de mudar

obrigatoriamente.

Por isso, quem já tinha uma verdadeira

presença digital, quem já apostava num

apoio técnico ao cliente por via telefónica

ou por um meio digital, quem já tinha

uma forte dinâmica comercial e de marketing

e, no fundo, quem não baseava a sua

relação com o cliente exclusivamente no

presencial, por certo que conseguiu viver


mais desafogadamente nos últimos meses. M

O facto das oficinas (de automóveis, de

Y

colisão, de pneus, etc.) na sua generalidade

CM

se terem mantido em funcionamento,

contrariamente ao que aconteceu em MY

muitos outros setores de atividade, que

CY

tiveram que encerrar portas, foi também

um alento maior para todos os seus fornecedores

continuarem a sua atividade.

CMY

K

Porém, e apesar de as oficinas se manterem

abertas nos últimos meses, a verdade é

que as suas necessidades passaram a ser

outras, a diversos níveis. Por exemplo, as

empresas que comercializam equipamentos

oficinais que rapidamente apostaram

nos equipamentos de ozono, tiveram

vendas adicionais que nunca esperariam.

Algumas, destas empresas demoraram

muito a dar resposta e outras nem resposta

deram!!!

Também houve empresas neste setor que

apostaram na diversificação de produtos

e também na diversificação de clientes,

apostando noutros setores de atividade.

Nas páginas seguintes alguns responsáveis

das diversas empresas que vendem equipamentos

oficinais contam, sem medos e

sem receios, de que forma a pandemia lhes

afetou o negócio, tendo em conta a relação

que têm com as oficinas, e quais foram

as estratégias seguidas para o continuar

a dinamizar, como também para manter

a relação profissional com as oficinas.

Na verdade, como a pandemia também

pode ser vista como uma oportunidade,

neste caso para as oficinas, algumas

empresas partilharam connosco a sua

visão sobre isto, dando inclusivamente

testemunhos reais.

C


26

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

E

O SETOR DOS EQUIPAMENTOS OFICINAIS EM TEMPOS DE COVID-19

QUESTÕES

1 – De que forma a pandemia afetou o

vosso negócio ao nível dos equipamentos

oficinais (em função da vossa relação com

as oficinas)?

2 – Que medidas foram e estão a ser tomadas

para se potenciarem os vossos serviços

e as vendas, neste momento, às oficinas de

automóveis? Que apoio (e que tipo de apoio)

deram e estão a dar às oficinas?

3 – A pandemia poderá ser uma oportunidade

(ou não) para as oficinas se reequiparem

do ponto de vista tecnológico?

2 - Nós fomos de várias formas catalisados

com a pandemia. Vínhamos desde

a algum tempo a criar outras formas de

estar e de acompanhar os nossos clientes

e que a situação anormal, veio acelerar.

As novidades estão a ser preparadas e

penso que em 2021 já estarão todas

implantadas.

3 - Sim, sem dúvida a tecnologia é e será

sempre uma oportunidade de negócio,

independentemente da crise instalada.

As palavras Tecnologia, Investimento,

Melhoria de processos, Oportunidades,

Mais-valias, etc..., são ditas desde há

muito tempo e só os que realmente entendem

as utilizam e fazem com que

tenham sentido.

que existem apoios/financiamentos que

foram disponibilizados pelo Estado e

via entidades bancárias, que poderão

ser muito boas oportunidades para se

reequiparem e se colocarem numa posição

de vantagem no mercado oficinal.

INTERMACO

Pedro Santos

www.intermaco.pt

GONÇALTEAM

António Gonçalves

www.gteam.com.pt

1 - Fomos moderadamente afetados, no

mês de abril essencialmente. De resto os

negócios que tínhamos efetuados ou a

serem confirmados sofreram um ligeiro

atraso até ao mês de Junho, mas depois

fomos recuperando gradualmente.

Aproveito para agradecer aos nossos clientes

que se mantiveram connosco nesta

fase em que a resiliência é fundamental.

IBEREQUIPE

Alberto Rodrigues

www.iberequipe.com

1 – Na realidade e até ao momento não

notamos que a pandemia tenha afetado

de algum modo o nosso negócio.

Aliás, notámos até um incremento no

mesmo não só no mercado nacional

como também no mercado internacional

onde estamos inseridos.

2 – Temos mantido sempre um contacto

ativo com os clientes a apresentamos

sempre campanhas que podem ajudar e

facilitar os clientes a decidir fazer investimentos

em equipamentos de diagnóstico

automóvel, neste momento difícil em

que o mundo está.

3 – Na realidade a pandemia por si só

para algumas empresas será uma oportunidade

de negócio, no que diz respeito

às oficinas também poderá ser, uma vez

1 – A pandemia afetou o negócio das

oficinas de automóveis e a indústria em

geral, com mais intensidade durante o

segundo trimestre e também nós sofremos

com isso, porque temos a nossa ação

centrada nesses dois setores de atividade.

Apesar da atividade ter abrandado bastante,

apenas alterámos o modo como

passámos a interagir dentro da empresa e

com os clientes, adotando todas as recomendações

da DGS e também algumas

criadas internamente para podermos

manter a atividade normal, dentro do

possível. Conseguimos fazê-lo e graças

à polivalência da equipa, estivemos todos

em atividade, sem cortes salariais e

sem recorrer ao layoff. Essa manutenção

da atividade foi a chave para manter

o contato com os clientes e assegurar

a retoma que conseguimos registar a

partir de julho. Não temos dúvidas que

o nosso esforço para estarmos disponíveis,

com ferramentas e equipamentos

em stock para suprir necessidades, nos

trouxe o reconhecimento por parte dos

clientes, porque conseguiram, também

eles, manter a atividade. Esse reconhecimento

serviu de “combustível” para a

nossa equipa.

2 - Não tomámos medidas especiais, porque,

até agora, não se afigurou necessário.


A nossa atividade comercial nunca parou,

porque demos muito ênfase ao contacto

via telefone e e-mail com os nossos

clientes. O nosso departamento técnico

está mais forte do que nunca e pronto

para continuar a apoiar tecnicamente

os clientes. Temos, como de costume,

algumas campanhas comerciais em vigor,

mas não entrámos na “onda Covid”.

Alguns equipamentos e produtos, de

higienização, que já comercializávamos,

sofreram um aumento exponencial nas

vendas neste período, mas essa terá sido

apenas uma das exceções.

3 – A pandemia, tal como outros períodos

de crise que já atravessámos, com

todas as alterações que exigiu, permitiu

às empresas “detetar” eventuais falhas nos

seus métodos e nos seus equipamentos

e obrigou os proprietários a agir, de

modo a atualizar a forma como levam

a cabo a sua atividade, tornando-a mais

rentável, mais segura, mais moderna e

mais sustentável. Estamos a passar por

uma dessas fases. Algumas empresas que

estão agora a conseguir passar esta fase

difícil, são as mesmas que, há alguns anos,

investiram em tempo de crise. Por isso, há

empresários a investir em equipamentos

de qualidade, para estarem mais fortes

e mais preparados para a retoma, que

todos desejamos que seja breve e para

o futuro, que todos queremos muito

mais tranquilo.

BOSCH

Rui Silva

www.boschaftermarket.com/pt

1 – Sabemos que a pandemia acabou

por afetar o negócio no geral em termos

da atividade da oficina e, consequente-


28

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

E

O SETOR DOS EQUIPAMENTOS OFICINAIS EM TEMPOS DE COVID-19

mente, poderá vir a afetar a venda dos

equipamentos oficinais. A compra dos

equipamentos exige uma capacidade de

investimento da oficina e se a oficina tiver

ficado mais afetada na sua atividade, é

natural que não tenha tanta disponibilidade

para investir. O que vemos para

já é que há alguns equipamentos de

venda sazonal, como o de ar condicionado,

cujas vendas foram afetadas. Mas,

por outro lado, há oficinas que estão a

aproveitar as nossas campanhas para

investir, comprando mais e de forma

mais rentável.

2 – No período de confinamento tivemos

sempre um contacto estreito com

os nossos distribuidores de peças para

mantermos os níveis de stock e de entrega

adequados. Reforçámos ainda a

proximidade às oficinas, nomeadamente

as que fazem parte dos nossos conceitos

oficinais. Aproveitamos para dar formação,

ouvir as necessidades e trabalhar

em conjunto com as oficinas para ir ao

encontro das suas necessidades. Além

disso, logo na retoma das atividades

lançámos um conjunto de medidas de

suporte às oficinas dos nossos conceitos,

como foi o caso de uma campanha de

angariação de clientes que contou com

uma forte presença nas rádios.

3 – Todas as crises são (também) uma

oportunidade e a pandemia não foge a

essa regra. O que estamos a ver no mercado

oficinal é uma maior preocupação

com o futuro, com a continuidade. As

oficinas procuraram parceiros como a

Bosch que consigam orientar a gestão

do negócio. Da nossa parte, mantivemos

os nossos cursos empresariais de

gestão oficinal e vimos um aumento da

procura por tópicos tecnológicos através

de formação online, muito amplas no

seu conteúdo: eletrónica, diagnóstico,

calibração de câmaras e sensores das

viaturas, entre outras. Além disso, houve

mais oficinas a usar o nosso call center,

a plataforma MyBosch Car Service. O

aumento da procura de oficinas para

adesão aos nossos conceitos oficinais

é, portanto, um reflexo da importância

do apoio que podemos oferecer a nível

da gestão, da formação, do know-how

e da tecnologia.

ALTARODA

Vitor Rocha

www.altaroda.pt

1 – O modelo de negócio tradicional,

ao qual estávamos habituados, alterou-se

significativamente. Tivemos a capacidade

de nos adaptar à nova realidade e digo-o

com orgulho e satisfação.

Embora o negócio de venda de equipamentos

tivesse decrescido 26,1%, conseguimos

manter o volume ao nível dos

consumíveis no que reporta a tudo o que

está ligado à roda, aliás este o principal

negócio da Altaroda.

O défice provocado pelo decréscimo na

venda de equipamentos foi compensado

pelo crescimento em mais de 500% ao

nível dos Equipamentos de Proteção

Individual. Esta nova área de negócio

permitiu-nos inclusive mantermo-nos alinhados

com os objetivos anuais traçados

ao nível do volume de negócio esperado.

2 – Por um lado, tivemos de reajustar

a abordagem comercial da equipa de

vendas, de forma a permitir o acompanhamento

dos clientes sem a nossa

presença física.

Desenvolvemos ferramentas ao nível do

online e CRM de forma a potenciar a

relação comercial com os nossos clientes e

inclusive promover a prospeção de novos

em novas áreas de negócio.

Com cliente tradicional, privilegiamos

a venda on-line, oferecendo inclusive

vantagens comerciais.

Desenvolvemos igualmente uma webshop

exclusiva para Equipamentos de

Proteção Individual, destinada não só

ao cliente tradicional da Altaroda, mas

também a profissionais de saúde, municípios,

instituições sociais, etc.

3 – Ao nível do equipamento tradicional,

as oficinas retraíram-se porque na

realidade não sabem se irão estar sujeitas

a novas restrições.

Apareceram, no entanto, novas áreas de

negócio relacionadas com a desinfeção

de viaturas e espaços, e aqui fizeram-se

investimentos interessantes.

No entanto, acredito que as oficinas

estejam na expectativa para ver como

o mercado irá reagir e principalmente

que medidas possam vir a ser impostas.

CETRUS

Edmundo Costa

www.cetrus.pt

1 – Durante o pico da pandemia, obviamente

sentiu-se uma retração do mercado

dos equipamentos, naturalmente as preocupações

dos empresários eram outras.

Após os meses de abril, maio, sentimos

que o mercado reagiu de uma forma

muito positiva. Quem tinha projetos

novos em cima da mesa, não teve dúvidas

em avançar. Penso que o sentimento foi

que mesmo que houvesse uma crise, seria

sempre temporária e os pressupostos que

estiveram na base das decisões não teriam

mudado tanto que os fizessem repensar.

2 – Durante este período, aproveitámos

para comunicar mais e melhor com os

nossos clientes. Desde informação técnica,

promoções, lançamentos de novos

produtos, etc. Entendemos que o período

de menor atividade presencial poderia

potenciar o desenvolvimento de ferramentas

online e nesse sentido estamos a

lançar o novo site da Cetrus. Os clientes

poderão ter mais informação dos nossos

produtos, comprar online e fazer pedidos

de assistência de forma centralizada e

mais assertiva.

3 – Penso que sim. De fato, se os empresários

entenderem que estamos num

período transitório e que o negócio vai

continuar, podem aproveitar este mo-


29

mento de menos atividade para “levantar”

um pouco a cabeça. Muitas vezes, o ritmo

de trabalho é de tal forma alto que não

permite levantar a cabeça e perceber

aquilo que está a fazer falta e perceber de

que forma se pode introduzir melhorias

no negócio. Muitas vezes, pode ser apenas

uma mudança de layout (serviço que a

Cetrus fornece), outras vezes será com a

melhoria das ferramentas/equipamentos

utilizados.

HÉLDER MÁQUINAS

Carolina Santos

www.heldermaquinas.pt

1 - A venda de um equipamento oficinal

pressupõe, geralmente, uma demonstração

inicial, a entrega nas instalações do cliente,

a formação dos usuários e a cobrança.

Com a pandemia tentamos ajustar-nos às

recomendações da DGS e usar também

do nosso bom-senso, avaliando caso a

caso a preponderância da presença física.

Sempre que é possível, usamos os meios

digitais e a assistência remota para auxiliar

o nosso cliente.

2 – Estamos a acompanhar as mesmas

medidas que as marcas que representamos:

ações promocionais e concessão de crédito.

Internamente temos capacitado a equipa

de vendas com novas ferramentas digitais

para o auxílio ao cliente remotamente.

Durante este período garantimos que a

formação contínua providenciada pelos

nossos fornecedores não fosse descurada,

tendo sido efetuadas várias formações

online.

3 – As crises são sempre uma oportunidade

para pessoas de espírito empreendedor.

Temos um cliente que aproveitou

a quebra de serviço durante o período de

confinamento para pensar na expansão

do seu negócio. Investigou, falou com

entidades, pediu propostas e irá passar a

ter não só serviços de reparação mecânica,

mas também, num pavilhão ao lado, um

novo serviço de pneus. Não sendo um

exemplo para todas as oficinas, é sem

dúvida uma inspiração.

PUBLICIDADE

Trabalhamos

para o servir 24h

todos os dias do ano

Novo

NEXEN TIRE EUROPE s.r.o. SOLARIS, 210 Avenue Jean Jaurès, 69007 Lyon, France

T +34 608030885 E-mail r.jimenez@nx-france.fr www.nexentire.com/es


30

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

E

O SETOR DOS EQUIPAMENTOS OFICINAIS EM TEMPOS DE COVID-19

MG EQUIPAMENTOS

José Mira

www.mgequipamentos.com

1 – Enquanto empresa fornecedora de

equipamentos e serviços para o mercado

oficinal e para o sector de inspeção automóvel,

sentimos naturalmente um forte

impacto da pandemia durante o período

de confinamento em que os centros de

inspeção estavam encerrados e as oficinas

lutavam desesperadamente para assegurar

algum serviço aos poucos clientes que os

solicitavam.

Com a reabertura dos centros de inspeção

e o consequente reflexo na reparação

oficinal, foi possível retomar níveis de

atividade que hoje podemos considerar

próximos da normalidade.

2 – As relações de parceria e de grande

proximidade que mantemos com muitos

clientes permitiram-nos acompanhar a

evolução destes tempos difíceis em que

foram partilhadas preocupações comuns.

Do ponto de vista técnico foram disponibilizadas

soluções de higienização

que permitiram às oficinas responder

aos novos requisitos que foram impostos.

Simultaneamente, preocupámo-nos em

esclarecer as dúvidas que surgiram relativamente

à recalendarização das inspeções

e, ultimamente, as questões relacionadas

com a nova classificação de deficiências

em vigor a partir de 1 de Novembro.

Em paralelo houve um reforço na aposta

digital e, na medida do possível, um apoio

financeiro a clientes que evidenciaram dificuldades

particulares durante este período.

Trata-se, afinal, de preservar o fator que

se assume como o suporte fundamental

da nossa atividade, a confiança, e desta

forma tentar combater a incerteza que

ameaça instalar-se novamente na nossa

sociedade.

Apoios de outra natureza estão naturalmente

fora das competências dos fornecedores

de equipamentos.

3 – Julgamos que a natural reação da

maioria dos empresários do sector é a

de preservarem o seu negócio sem correrem

riscos inerentes a grandes mudanças.

Nalguns casos, porém, a adversidade

obriga a parar para refletir, surgindo novas

ideias relativas à atividade que podem

determinar a utilização de novas ou mais

recentes tecnologias enquanto ferramentas

necessárias para pontos de viragem de

determinados negócios.


LIBERTE TODA A POTÊNCIA DO SEU MOTOR

COM A EQUIPA RENAULT DP WORLD F1 ®

O Grupo Renault e Castrol, ambas marcas líderes com tecnologias avançadas,

combinaram os seus conhecimentos para continuar a fornecer um melhor serviço aos clientes Renault.

Uma nova gama comum Renault Castrol será vendida aos condutores Renault que beneficiarão

da cooperação bem sucedida iniciada através da parceria com a Fórmula 1.

CASTROL EDGE 0W-40 R E CASTROL GTX 5W-30 RN17 AGORA DISPONÍVEIS.

Gestlub - Soc. Gestora de Lubrificantes, Lda / Lisboa / +351 263 855 550

Lubrialbi - Comércio de Lubrificantes, Lda. / Castelo Branco / +351 963 058 575

Martins & Couto, Lda. / Porto / +351 255 865 644

Travocar - Lubrificantes Lda. / Aveiro / www.travocar.com

Unilubes Lda. / Évora / +351 266 752 585

www.castrol.pt


32

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Mercado

M

TTECH

PEÇAS

Negócio de escala

A TTech é uma empresa que opera na área da tecnologia auto que

representa três marcas no nosso país, com destaque para a Tech

One, líder em diversos mercados no continente Americano e que

agora se quer expandir na Europa e, obviamente, em Portugal

TEXTO PAULO HOMEM

A

época de pandemia que atravessamos

acabou por atrasar um

pouco a estratégia de expansão

do negócio que a TTech tem

para o mercado português e espanhol.

Porém, nesta fase a TTech já está

a desenvolver o seu conceito e a procurar

parceiros que lhe permitam dinamizar os

produtos que representa.

A empresa está associada a um grande

consórcio internacional, com forte presença

na América do Sul, nomeadamente

no Brasil, que trabalha com 38 fábricas

a nível mundial (maioritariamente na

Ásia) e possuem quatro laboratórios de

desenvolvimento de produto em diversos

continentes. Toda a gama de produtos

que comercializa são primeiro estudados

e desenvolvimentos pela casa mãe, sendo

depois produzidos em escala numa dessas

fábricas, de acordo com o que foi definido

tecnicamente pela empresa para cada

produto. Para comprovar a qualidade do

produto que é comercializado, a empresa

trabalha em parceria com a SGS a nível

internacional, que certifica nas fábricas o

produto que é de facto construído. “Nós

não nos limitamos a comprar produtos e a

colocar-lhes um rótulo. Todo o nosso produto

é desenvolvido, por equipas de I&D,

de acordo com aquilo que queremos para

o produto, sendo posteriormente testado,


33

para que possamos controlar a sua qualidade”,

começa por explicar Paulo Martins,

responsável da TTech, dizendo que “o

grau de exigência colocado nos produtos

é muito elevado, sendo esse precisamente

um dos trunfos que temos face a outros

produtos concorrentes”.

TTech

Paulo Martins

234 090 358

paulo@ttech.pt

www.ttech.pt

MARCAS E PRODUTOS

“Todas as nossas marcas são de produtos

para o setor automóvel, dentro dos

segmentos dos acessórios e consumíveis

auto”, afirma Paulo Martins, responsável

da TTech, dizendo ainda que “apresentamos

no mercado as marcas Tech One,

Svart e Code”.

Num catálogo com milhares de referências,

nesta fase de lançamento a aposta incidirá

apenas em alguns produtos como os sensores

e as câmaras de estacionamento (premiados

no Brasil), mas também material

de som e infotainment, cabos, lâmpadas,

led´s, escovas, etc. “Vamos apostar muito

nos sensores de estacionamento e nas câmaras,

mas iremos dinamizar outros produtos

mais sazonais em função das épocas

do ano, como é o caso agora das lâmpadas

e das escovas”, refere Paulo Martins, explicando

que “a gama é muito vasta e iremos

lentamente introduzir mais produtos”.

A marca de combate será mesmo a Tech

One, que é no fundo a marca principal e

com a maior gama de produtos, enquanto

na marca Svart o foco serão os produtos

mais ligados ao som e imagem no

automóvel.

MERCADO

A TTech, como representante destas marcas

para Portugal, está neste momento a

dinamizar uma rede de revenda, com o

objetivo de as divulgar e implementar no

nosso mercado. “Nós estamos a procurar

parceiros / distribuidores em todo o país,

mas não muitos, pois não queremos canibalizar

a marca. Estamos em processo de

seleção”, revela Paulo Martins, dizendo

que a estratégia “é trabalhar com clientes

grossistas e casas especializadas em acessórios

e áudio que depois possam vender

às casas de peças e a outros operadores”.

Com uma perspetiva B2B do negócio, a

TTech vai por outro lado apostar na divulgação

da marca para o mercado, tendo uma

estratégia de comunicação direcionada aos

profissionais e ao público final, pois entende

Paulo Martins que “se a marca não for

falada e conhecida não terá procura. Nós

queremos que a marca tenha visibilidade

pois isso ajudará também no seu desenvolvimento.

Sabemos que os nossos produtos

pelo seu desenvolvimento e reconhecida

qualidade vendem-se por si só, no entanto

esta comunicação é imprescindível”.

A TTech está também a trabalhar já o mercado

espanhol, existindo contacto com

operadores de grande dimensão, numa

estratégia de desenvolvimento que não

passa apenas pelo mercado ibérico, mas

também por outros mercados europeus.

Toda a informação sobre a TTech está

disponível no site da empresa (ttech.pt),

existindo depois uma loja online onde se

poderão consultar os produtos com uma

área reservada para os clientes. “Trata-se de

um B2B onde os clientes podem fazer as

suas compras e saber preços, que é muito

rápida e de fácil consulta”, assegura o responsável

da TTech.

DIFERENCIAÇÃO

Tendo consciência de que o mercado está

saturado de acessórios auto, Paulo Martins

diz que não existe nem grande diversidade

nem novidade. A diferenciação dos produtos

que a TTech comercializa está “na

qualidade e quantidade dos seus laboratórios

bem como no desenvolvimento da

sua construção, que é feito por nós e está

muito acima da média. São produtos com

preços muito competitivos, pois a escala

em que são produzidos, de modo a servir

diversos mercados, permite-nos praticar

economias de escala” conclui Paulo

Martins.


34

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

M

TECNOLOGIA

ATELIO DOC

Nova plataforma

de dados chega ao

mercado português

O Atelio DOC é uma plataforma multimarcas, disponível

também em português, com o objetivo de ajudar ao máximo

os mecânicos e especialistas na manutenção e reparação

automóvel. Saiba o que esta plataforma traz de novo para

o mercado

TEXTO PAULO HOMEM

Qual é a amplitude dos dados técnicos

presentes no Atelio Doc? Qual o nível

de detalhe da informação técnica?

A tipologia dos dados presentes no Atelio

DOC são dados técnicos, tal como o

torque de aperto e os componentes, os

métodos de reparação, tal como a correia

de distribuição ou a desmontagem e

montagem da colaça, os esquemas elétricos,

a ajuda ao diagnóstico e, por fim, os

planos de manutenção e todos os tempos

de mão-de-obra. Existe vários níveis de

detalhes de dados, apesar desses dados

entrarem em pormenores normalmente,

mas também há veículos investigados pelas

equipas da redação técnica automóvel

contendo métodos de reparação ainda

com mais detalhes.

Até que ano se pode consultar informação

técnica sobre automóveis?

Colocamos informações de veículos com

mais de 40 anos, ou seja informações

abrangendo principalmente estes 30 últimos

anos da indústria automóvel.

Na era em que o domínio da

informação digital é crucial

para o desenvolvimento de

qualquer negócio oficinal, a

Atelio Doc surge no mercado

português com uma plataforma de dados

técnicos para automóveis. Para nos falar

desta plataforma e do seu desenvolvimento,

a Revista PÓS-VENDA falou com o

Product Manager do Atelio DOC, Thomas

Di Giusto.

Quem é a entidade que faz o desenvolvimento

do Atelio Doc?

O desenvolvimento da plataforma Atelio

DOC é garantido pela Infopro Digital

Automotive, em Paris, através de equipas

altamente especializadas. Todos os dados

(de origem do fabricante exclusivamente)

são regularmente atualizadas pelas equipas

de especialistas em automóveis, situadas

em França ou na Tunísia.

Em termos de dados técnicos atualizados,

pode-se consultar informação

de um carro que tenha acabado de ser

lançado no mercado?

A lógica da atualização dos dados é de

disponibilizar os dados relacionados com a

manutenção, uns meses depois do veículo

ser colocado no mercado, tal como o plano

de manutenção, os componentes e os

métodos de reparação associados ao plano

de manutenção, tal como a drenagem do

óleo e a desmontagem-montagem do filtro

do habitáculo. Evidentemente, em função

da escolha dos veículos, pode ser que haja

uma diferença na atualização dos dados

acerca dos veículos de alto desempenho.


35

Que tipo de informação têm para as

oficinas de pneus?

Os fabricantes de pneumáticos disponibilizam

muitos dados úteis à sua profissão:

os tamanhos das rodas e das jantes, ou

ainda a pressão de enchimento, a geometria

detalhada da suspensão (com o método de

cálculo), os torques de aperto e os métodos

de reparação dos trens dianteiros e traseiros

que podem ser necessários em caso de

reparações mais complexas.

Thomas Di Giusto, Product Manager Atelio DOC

O Atelio Doc permite fazer orçamentos

após a pesquisa da informação e aceder

às peças necessárias para a reparação /

manutenção?

Não, a Infopro Digital Automotive propõe

softwares específicos a essa funcionalidade

mas o Atelio DOC permite ajudar o

reparador com dados técnicos (tal como

os torques de aperto) e métodos para desmontar

as peças necessárias.

No entanto, o apoio documental estará

sempre disponível de modo a não deixar

os mecânicos sem qualquer informação.

De quantas marcas de automóveis têm

dados técnicos?

Atualmente, abrangemos 55 marcas de

automóveis.

Existem também informação técnica

sobre híbridos e sobretudo sobre veículos

elétricos?

É preciso saber que há métodos específicos

para esses tipos de automóveis que os veículos

a gasolina e a gasóleo não têm. Em

relação aos veículos elétricos, iniciamos um

processo de modo a inserir informações

específicas a esse tipo de veículos. Neste

momento, felizmente, o mercado da reparação

dos veículos híbridos não requer

muita informação, mas estaremos prontos

assim que a situação evoluir.

O Atelio Doc está disponível via web

(internet) ou é necessário instalar algum

software?

Apenas com um acesso online, não necessita

a instalação de um software.

Quais os principais destinatários do

Atelio Doc?

Os beneficiários do Atelio DOC são os

reparadores independentes, aqueles que

pertencem a uma rede, os fabricantes de

pneumáticos, de carroçarias e os especialistas

automóveis. Todos os operadores

da reparação automóvel podem utilizar

o Atelio DOC.

Para além de dados técnicos na mecânica,

o Atelio Doc possui também informação

para oficinas de colisão e pneus?

Sim, a parte da carroçaria está bem desenvolvida

com muitas informações sobre os

veículos de maior circulação na Europa;

em relação aos pneumáticos, colocamos

dados básicos, tal como as pressões e os

tamanhos associados ao veículo de pesquisa,

mas também a outros dados ainda

mais completos.

Que tipo de informação têm para as

oficinas de colisão?

Existe a parte da carroçaria ligeira, ou

seja todos os elementos destacáveis (tal

como os pára-choques, o capot, etc) e

a parte da carroçaria pesada, ou seja todos

os elementos soldados e colados (tal

como o pavimento, as longarinas, a parte

inferior da carroçaria...) mas além disso,

temos também o controlo da bancada do

veículo através de 5 fornecedores de dados

diferentes. Os métodos de reparação e os

tempos de mão-de-obra são acessíveis na

plataforma para todas essas informações

de peças sobressalentes.

Como funciona o serviço de apoio documental?

O serviço de apoio documental é uma

preciosa ajuda para o mecânico para

não deixá-lo sem qualquer informação.

Imaginemos o caso sobre um veículo de

alto desempenho e que tenhamos de recorrer

à desmontagem e montagem do

tanque de combustível de um Range Rover

Evoque 2020 porque o cliente colocou

gasolina em vez de gasóleo. Solicitando

simplesmente o módulo permanentemente

disponível através o Atelio DOC, o respetivo

método ser-lhe-á enviado o mais

brevemente possível na caixa de correio

eletrónico.

Como se pode aceder ao Atelier Doc?

É paga uma licença anual ou mensal?

A licença pode ter uma validade de 12 ou

24 meses e ser paga mensalmente. Após

a assinatura do contrato, o utilizador irá

receber o seu login por e-mail para poder

consultar os dados logo de imediato.

Como é que as oficinas portuguesas, podem

adquirir o Atelio Doc em Portugal?

Para quem pretender adquirir o Atelio

DOC em Portugal, encontrará todas as

informações necessárias através da página

web https://www.ateliodoc.pt/, ou

contacte o nosso distribuidor exclusivo

Infortrónica.


36

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Internacional

I

NGK SPARK PLUGS EUROPE

Ignição precisa

Reconhecido fabricante de velas de ignição, a NGK Spark

Plugs Europe tem vindo a afirmar-se também como referência

no mercado de velas de incandescência e sensores

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

Criada em 1936, a NGK Spark

Plugs Europe disponibiliza

produtos sob as marcas NGK,

com velas de ignição, velas de

incandescência, bobinas de ignição,

cabos, tubos de velas de ignição, e

NTK, com sensores de oxigénio, sensores

de temperatura e outros componentes

eletrónicos, tanto para fabricantes de equipamento

OE como para o aftermarket.

A marca tem sido reconhecida, principalmente,

como fabricante de velas de

ignição. “Nos últimos anos, temos dado

ênfase em explicar e demonstrar que também

somos um dos principais fabricantes

de velas de incandescência e sensores e,

após o sucesso alcançado nos últimos

anos, queremos agora consolidar a nossa

liderança como fabricante e fornecedor

especialista da gama de velas de incandescência

e sensores”, explica Carlos García,

Senior Manager Marketing & Operations,

Aftermarket Iberia da NGK Spark Plugs

Europe, que adianta: “Somos fornecedores

de uma gama de produtos de alta

qualidade com pedigree de Equipamento

Original. O nosso objetivo é oferecer às

oficinas a melhor qualidade e os melhores

produtos do mercado, para que os mecânicos

sintam tranquilidade e segurança

no momento de realizar reparações ou

manutenções nos veículos. Hoje em dia, a


37

NGK | NTK detém um reconhecimento

muito importante na mente do profissional

de reparação e continuamos a trabalhar

para que isso se mantenha”.

PORTUGAL

Com presença consolidada em Portugal,

com quotas de mercado que em algumas

famílias de produto ultrapassam os 65%,

a empresa acredita que pode ainda fazer

melhor. “Temos uma rede de distribuição

consolidada em Portugal, que cobre

na perfeição todas as necessidades atuais

do mercado. Os nossos clientes-alvo em

Portugal são os grandes distribuidores. O

mercado Português tem sido tradicionalmente

gerido por grandes distribuidores

e, com este estilo de gestão logística, em

que a disponibilidade deve ser garantida

pela distribuição, respondemos a todas as

encomendas a partir do nosso armazém

central em Duisburg, na Alemanha, preparado

para envio de material em grande

escala”, explica Carlos García. A marca

apoia de forma constante os seus distribuidores

no nosso país. “Tanto a NGK

como a NTK são marcas que oferecem um

portfólio muito específico e especializado.

Por isso, contamos com uma equipa técnica

própria que se encarrega de formar os

distribuidores e oficinas. Fazêmo-lo como

parte do nosso compromisso constante

com a formação. Colocamos também à

disposição do mercado uma plataforma

gratuita com conteúdos técnicos, que

inclui vídeos, catálogos e dicas, no website

www.tekniwiki.com”, acrescenta.

PUBLICIDADE

Novos produtos

Carlos García

SENIOR MANAGER MARKETING &

OPERATIONS AFTERMARKET IBERIA, NGK

SPARK PLUG EUROPE

Velas de ignição: “Lançámos, o

ano passado, as velas de ignição,

com uma nova tecnologia, que

combina uma ponta extremamente

fina de Iridium no elétrodo central

e um elétrodo terra com bordas

cónicas com um chip de platina

quadrado (tecnologia SPE -

Elétrodo quadrado de platina)

soldado a laser, o que aumenta

significativamente a resistência

às vibrações. Enquanto o uso

de metais preciosos torna os

elétrodos mais resistentes ao

desgaste, o design SPE melhora

a acessibilidade da mistura

e, portanto, a fiabilidade da

ignição. Só nos últimos 12 meses,

incorporámos mais de 70 novas

referências de velas no nosso

portfolio de produtos”.

Velas de incandescência: “São

uma linha fundamental para o

sucesso do mercado de ignição

NGK. Desde o final de 2016 que

podemos afirmar que também

somos líderes nesta família de

produto”.

Rentabilidade

para as oficinas

“As oficinas confiam nos produtos

NGK e NTK porque sabem que

são a garantia de uma reparação

ou manutenção perfeita. Todos

sabemos o que acontece quando

utilizamos produtos de origem ou

qualidade duvidosa: a longo prazo,

podem causar insatisfação ao

utilizador final, com a consequente

perda de credibilidade, negócios,

horas adicionais de trabalho em

garantia, etc., o que causa perdas

de rentabilidade e o possível

encerramento do negócio”.

FUTURO

Carlos García adianta que, para a NGK,

a recuperação do negócio depois da pandemia

de Covid-19 tem sido muito mais

rápida do que o esperado. “Mas devemos

analisar estes dados com cautela, pois

ainda não temos uma visão clara do que

acontecerá nos próximos meses. A NGK |

NTK sempre demonstrou ter uma grande

capacidade de inovar e identificar oportunidades.

Estamos cientes de que o mercado

está a mudar e estamos preparados para

responder a isso”, conclui.


38

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Oficina

O

TT TURBO

Pela via

da formação

A TTTurbo é muito mais que uma mera oficina de automóveis,

que começou a sua atividade a trabalhar para outras oficinas.

Atualmente, integra diversos conceitos oficinais e desenvolve um

interessante projeto de formação para os seus parceiros

TEXTO PAULO HOMEM

Licenciado em engenharia mecânica,

Luís Lobo fundou a TT

Turbo há 10 anos, fruto de uma

oportunidade de negócio que,

contrariamente ao que é habitual

neste setor, não decorre de uma empresa

familiar.

“Foi tudo criado de raiz, não tinha sequer

uma chave de fendas”, começa por dizer

Luís Lobo, explicando que “fruto da minha

formação, entendi que existia espaço

para mais um player na nossa região que

se dedicasse à reparação de turbos e de

sistemas de injeção”.

Após a formação técnica necessária e a

aquisição de equipamentos específicos

para o desenvolvimento desta atividade, e

com instalações construídas para o efeito,

Luís Lobo inicia o projeto TT Turbo que

“não era uma oficina, mas sim o desenvolvimento

de um conceito de reparação

de turbos e bombas injetoras, sendo por

isso um nicho de mercado, muito focado

nos profissionais”.

Com a evolução do mercado, nomeadamente

com o pedido dos clientes para que

a desmontagem dos componentes pudesse

ser feita também no local, Luís Lobo decidiu

avançar para um conceito oficinal (que

não estava inicialmente previsto), sendo

obrigado a mudar de umas instalações de

300 m2 para um espaço muito maior, na

Zona Industrial de Vila Real, passando a

integrar a rede Bosch Car Service, sendo

também um Bosch Diesel Center.

“Fazemos o multimarca na reparação diesel,

cumprindo todas as especificações

da Denso, Delphi, Siemens em banco

de ensaio, mas temos uma especialização

em Bosch, com um laboratório equipado

com todos os meios para fazermos o diesel

Bosch de A a Z”, refere Luís Lobo.

Já mais recentemente, em 2019, a TT

Turbo fez uma nova parceria, desta feita

com a Iveco, passando a ser reparador

oficial e peças desta marca para toda a


39

região do nordeste transmontano, quer na

área de ligeiros, quer de pesados.

“Passou a ser um conceito totalmente

novo para nós, sendo um projeto ligado

a uma marca, muito focado em veículos

de trabalho e por isso muito desafiante”,

revela o responsável da TT Turbo, dizendo

ainda que “foi uma oportunidade que

nos foi proposta e que revela também a

forma profissional como temos vindo a

trabalhar e que acaba por ser reconhecida

pelo mercado”.

No entender de Luís Lobo não existe

qualquer incompatibilidade em trabalhar

um conceito multimarcas, como o Bosch

Car Service e um conceito de marca, como

a Iveco, acima de tudo “pela natureza

desta marca estar muito bem tipificada e

identificada como uma marca frotista que

possui acima de tudo veículos de trabalho

com características próprias, em que o

pós-venda assume uma importância muito

grande”. Por outro lado, assume o mesmo

responsável, que sendo veículos de trabalho

a exigência do processo e a organização

oficinal acabam por sair muito favorecidas

por trabalhar uma marca como a Iveco.

FORMAÇÃO

Um dos projetos diferenciadores da

TTTurbo

Luís Lobo

Vila Real

259 321 176

geral@ttturbo.pt

www.facebook.com/ttturbo

TTTurbo chama-se Zaffre. Trata-se de

uma empresa que visa a transmissão de

conhecimento técnico para os clientes profissionais

da própria TTturbo. “Sentimos

que existiam dificuldades em passar informação

técnica aos nossos clientes, isto é,

reparávamos os turbos e os sistemas diesel,

mas depois os clientes tinham dificuldades

técnicas na sua instalação”, revela Luís

Lobo.

Porém, este projeto de formação foi-se

desenvolvendo para muitas outras áreas

de formação e não apenas aquelas que

estavam dentro do âmbito da TTTurbo.

Foram feitas parcerias com empresas que

comercializam máquinas de diagnóstico,

como foram efetuadas outras formações,

por exemplo, de caixas de velocidades

automáticas e já em veículos híbridos e,

sobretudo, nos elétricos. “Entendo que

quanto mais formação técnica tiverem os

nossos parceiros mas poderão crescer e nós

também”, afirma o mesmo responsável,

que diz que este tipo de formação é muito

valorizada pelos clientes.

Existe um calendário de formação ao qual

os profissionais podem aceder e escolher

as ações em que querem marcar presença,

embora também da parte da Zaffre exista

o aconselhamento aos clientes de quais as

formações que lhe podem ser mais úteis,

em função da sua tipologia de serviços.

“Apostamos muito nesta área da formação,

que julgamos que é muitíssimo importante

para nós e para os nossos clientes”, diz

Luís Lobo, francamente entusiasmado

com este projeto.

Muito atento à realidade do setor em que

se insere, Luís Lobo entende que o negócio

oficinal irá passar cada vez menos pela peça

e cada vez mais pela mão-de-obra. “Hoje

em dia, o cliente tem acesso ao preço da

peça e à própria peça, mas depois não

tem o resto, já que não tem ferramentas,

conhecimento técnico, etc., e isso temos

nós que dar. Entendo, por isso, que o

negócio oficinal não é a peça, mas sim

o conhecimento e a mão-de-obra, e nós

temos vindo a preparar-nos para isso”

conclui o mesmo responsável.

PUBLICIDADE


40

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Personalidade

P

A B-Parts é a

única solução que

existe na Europa

de e-commerce de

peças reutilizadas

LUÍS VIEIRA E MANUEL MONTEIRO

DIRETORES-GERAIS DA B-PARTS

A recente notícia que a PSA Aftermarket tinha assumido uma

posição maioritária na B-Parts, fez com que os holofotes recaíssem

sobre esta empresa portuguesa, que gere a única plataforma de

e-commerce de peças reutilizáveis na Europa

ENTREVISTA PAULO HOMEM

A

economia

circular

associada

ao negócio

das peças

reutilizáveis

está a ganhar

peso de

dia para dia.

São vários

os exemplos

disso mesmo,

mas aquele que aqui trazemos tem já uma

importante história para contar, até porque

o projeto inicial está a concretizar-se

na prática. A certeza de que o difícil e

complexo (do ponto de vista tecnológico)

caminho escolhido pela B-Parts está

na direção certa acabou por ser recentemente

anunciado, através de um simples

comunicado emitido pela PSA, ou melhor,

pela PSA Aftermarket. Neste podia

ler-se que, de forma a dar continuidade à

sua estratégia ao nível das peças usadas,

a PSA Aftermarket adquiriu a empresa

e a plataforma de e-commerce (comércio

eletrónico) B-Parts.com, passando a

deter uma participação maioritária no

capital da empresa portuguesa.

Nada melhor para perceber o que é a

B-Parts, qual o futuro do negócio das

peças reutilizáveis e a dimensão estratégica

da sua aquisição por parte de um

dos maiores gigantes da indústria automóvel,

do que falar precisamente com

os seus Diretores-Gerais, Luís Vieira e

Manuel Monteiro.

Se tivessem que explicar o que era hoje

a B-Parts, como é que a podiam definir?

Luís Vieira: Diretamente a um novo

cliente, começaria por dizer a que a

B-Parts é um retalhista de peças reutilizáveis.

Mais especificamente, a B-Parts é

a única solução que existe na Europa de

e-commerce de peças reutilizadas. Todos

os restantes sites que vendem peças reutilizadas

ou usadas, que existem em Portugal

ou noutros países da Europa, são classificados

de anúncios ou são marketplaces. A

B-Parts é a única que se apresenta como

o vendedor das peças e por isso é que temos

a definição de e-commerce, apesar de

termos em backoffice uma base de agregação

tradicional como um Marketplace,

a verdade é que a B-Parts é o fornecedor

da peça reutilizada para o cliente.


41

Manuel Monteiro: Nós queremos ser

o melhor cliente de muitos dos nossos

fornecedores, em alguns temos quotas

de 20 a 25%, e somos o fornecedor

do nosso cliente, seja profissional ou

particular.

O e-commerce é a melhor solução

para o cliente?

LV: Sendo a B-Parts a faturar, a assumir

o processo logístico e a trabalhar as garantias,

acabamos por ter um risco associado.

Somos defensores do modelo

de e-commerce tal como o temos hoje,

tendo, por isso, a possibilidade de agregar

informação, pois somos uma empresa

de retalho assente em tecnologia,

mas permite-nos controlar o processo e

trabalhar o pricing, o que é muito importante

face a um marketplace.

Outra vantagem muito importante é que

representamos para os nossos clientes a

solução em matéria de peças reutilizadas,

possibilitando-lhes falar com um

único interlocutor, com todas as vantagens

associadas a isso.

Todos sabem qual a nossa política de

pagamentos, como funcionam as garantias,

as devoluções, etc., o que se tornaria

difícil para uma oficina gerir se,

em vez de um, tivesse 40 ou 50 fornecedores

de peças reutilizadas, cada um

com a sua forma de trabalhar.

A oficina passa a ter assim um interlocutor

único, mas para os vossos

fornecedores também tem vantagens?

MM: Atualmente, um bom centro de

abate, seja nosso fornecedor ou não,

consegue ter uma taxa de resposta de

7%, enquanto a B-Parts tem uma taxa

de resposta que está nos 40%, subindo

para valores acima de 60% se falarmos

das peças de colisão. Isto é excelente,

tendo em conta a diversidade da procura

que temos.

O conceito base pela qual foi criada

a B-Parts ainda se mantém nos dias

de hoje?

LV: Sim, mantém-se exatamente igual.

MM: Temos um documento de 2014,

que serviu de base à criação da B-Parts,

que é fiel ao momento que vivemos hoje

na B-Parts em muitos dos parâmetros

analisados.

Mas o modelo de negócio foi evoluindo

face à experiência adquirida?

MM: Logicamente que fomos afinando

o modelo, pois existem uma série de

situações que são críticas para o nosso

negócio, como por exemplo, a logística.

Temos 80 fornecedores na Europa,

60 dos quais trabalham com a B-Parts

diariamente e estamos a fornecer peças

para 16 países diferentes. Só a estrutura

para coordenar esta logística de forma

integrada é brutal!

Depois, cada fornecedor tem o seu modelo

de preço diferente. Nós temos que

harmonizar tudo, trabalhar os preços,

torná-los eficientes, fazer com que sirvam

o nosso fornecedor, sejam competitivos

para o cliente e ainda fique uma margem

para reinvestir no nosso negócio. Como

em tudo na vida, também tivemos sorte,

mas também tivemos parcerias que nos

permitiram escalar o negócio, como era

nossa estratégia.

LV: Todos foram importantes neste processo.

Por exemplo, alguns fornecedores

abriram-nos as portas e explicaram-

-nos como funciona o mercado, o que

nos permitiu evoluir mais rapidamente.


42

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

P

PERSONALIDADE

Por outro lado, não quisemos ter muitos

parceiros, mas trabalhar com aqueles

que queriam crescer com a B-Parts e

com os quais poderíamos ter um bom

volume e que estavam dentro dos critérios

que tínhamos definido. Só desta

forma podemos controlar a qualidade e

os processos.

MM: Um dado interessante é que o nosso

crescimento não foi feito através da

integração de mais fornecedores mas, no

crescimento que tivemos o ano passado

em cada um dos fornecedores anuais.

A informação, com dados e métricas,

que damos aos nossos fornecedores, em

relação à atividade que temos com cada

um deles, é muito valorizada pelos nossos

fornecedores. E isso foi também uma

mais valia que trouxemos à atividade deles,

que nos passaram a ver como parceiros

e não só como clientes.

Têm cada vez mais a certeza que as

peças reutilizáveis têm um futuro assegurado

no negócio das peças auto

(aftermarket)?

MM: Poderia haver dúvidas no passado,

mas agora é que não existem mesmo dúvidas

disso. Consideramos a peça reutilizável

um vetor fundamental na reparação

automóvel. Agora com este passo que a

PSA deu em relação à B-Parts, que pode

parecer contra natura, na realidade verifica-se

que não é. Por exemplo, a Toyota

identifica as peças para reutilização que

monta na origem nos seus carros, não

sendo aliás o único fabricante que o faz.

LV: Os construtores sabem que têm de

melhorar a sua pegada ambiental. Por

isso, quando olhamos para os motores,

peças de chapa e para a eletrónica, não

se compreende porque razão não podem

ser reutilizadas. Aliás, potencialmente

as peças de eletrónica são o produto de

futuro nas peças reutilizadas. Por outro

lado, as peças reutilizadas são boas para

o utilizador, para o reparador, para as seguradoras,

como para outras entidades.

Acham que falta uma mesa associativa

das peças reutilizadas, por exemplo, no

seio de alguma associação?

MM: Não existe de facto nenhuma associação

que represente as peças reutilizadas.

Este setor ainda é visto como o

parente pobre. Mas isso vai mudar.

Quem vende peças novas no aftermarket

olha para as peças reutilizáveis

com desconfiança. O que lhes têm a

dizer nesta altura?

MM: Eu estive muitos anos no setor do

aftermarket e não só, e por isso tenho conhecimento

do que se passa. Atualmente,

para um operador do aftermarket, o negócio

está muito maduro e esmagado. Se

existem oportunidades neste setor, uma

delas será seguramente o setor das peças

reutilizadas.

É um setor que em parte ainda está desorganizado,

mas que tem tido uma aceleração

brutal na sua organização. Tratase

de um setor que já resolve muitos

problemas da reparação, sendo também

um setor que emprega muita gente e que

movimenta muito dinheiro.

Hoje em dia, pode-se definir qualidade

numa peça reutilizável?

LV: Depende. Para muitas peças a inspeção

visual é suficiente para se chegar

à conclusão da sua qualidade, nomeadamente

na colisão. Para outras, como

as peças eletrónicas, muitos centros de

abate já fazem diagnóstico eletrónico ao

carro e comprovam a qualidade da mesma.

Noutras peças, como os elevadores

dos vidros, um teste prático confirma o

seu funcionamento, assim como acontece

com uma caixa de velocidades ou um

motor. Noutras peças não é fácil comprovar

a sua qualidade.

De qualquer maneira, existe a questão

das garantias...

MM: Nós damos garantias de 3 meses,

6 meses ou um ano, conforme as peças.

Mas, na realidade, somos cada vez mais

permissivos em relação às garantias, mas

estamos ainda a aprender. É um setor em

que ainda existe muito vigarice e fraude,

o que nos obriga a ter algum cuidado

com esta questão.

Como é que trabalham as garantias?

LV: Em primeiro lugar, nós temos um

contrato de fornecimento com todos

os nossos fornecedores. Neste contrato

existem regras que têm de ser cumpridas

em termos de garantias, mas os problemas

obviamente que podem acontecer.

Nesse caso acionamos a garantia, fornecendo

uma peça equivalente ao mesmo

nível de preço ou devolvemos o valor da

encomenda. Todos temos a consciência

que estamos a falar de peças reutilizadas.


43

MM: A poupança média de uma peça

reutilizada face a uma nova é na ordem

dos 75% e, por isso, todos temos que

fazer um esforço para fornecer a peça.

Quando o cliente se apercebe que para

além de lhe fornecermos a peça, temos

um serviço logístico e de pós-venda com

resposta, grande parte do ruído que pode

existir desaparece.

As peças reutilizáveis serão sempre uma

solução mais económica para as oficinas?

MM: Não. Muitas vezes o que acontece

é que são a única solução que existe!

LV: Nós trabalhamos peças reutilizadas

numa faixa etária dos veículos que vai dos

3 aos 12 anos. Muitas vezes a vantagem

face ao aftermarket é que estamos a vender

um produto original. Nem sempre

somos a solução mais barata neste casos,

mas quando falamos de peças originais,

sobretudo para carros com mais idade, é

garantido que somos muito mais baratos.

A plataforma B-Parts tornou-se também

numa plataforma de identificação

de peças para os operadores de peças

reutilizadas com que trabalham?

MM: Sem dúvida nenhuma. A B-Parts

tornou-se também numa plataforma em

que os preços estão às claras e, como tal,

acabam por definir os preços de referência

do mercado.

Contribuíram também para a organização

do negócio de peças usadas desses

operadores?

MM: Sim, para bem dos fornecedores

que entraram connosco neste projeto.

Temos a sorte

de estar com o

modelo de negócio

certo na altura

certa de mercado.

Logo ao início, em janeiro de 2015, vocês

restringiram o número de centros

de abate com que trabalhavam (apenas

10). Atualmente a vossa fonte de abastecimento

não são apenas operadores

em Portugal. Como é que evoluiu esta

situação?

MM: Atualmente, temos muitas propostas

de outros operadores para se associarem

à B-Parts, mas a nossa estratégia de

geografia de compras, comporta apenas

mais dois ou três operadores nacionais,

tudo o resto é no estrangeiro. Temos um

gestor de fornecedores, que avalia constantemente

os fornecedores, sabendo se

tem a gama correta, se tem a profundidade

de gama, se tem propensão para o

e-commerce, etc.

Depois avaliamos se um novo fornecedor

não irá roubar espaço a algum dos

que já trabalham connosco, pois temos

a preocupação de fazer crescer a penetração

que temos junto de cada fornecedor

atual, de modo a gerir também a expetativa

de cada um deles.

Agora são 12 fornecedores em Portugal,

mas crescemos muito em Espanha e já

temos outros fornecedores na Alemanha,

Lituânia e Holanda. Estamos neste momento

a estudar mais dois mercados de

compra na Europa.

Para quantos países é que vendem as

vossas peças reutilizadas através da plataforma

www.b-parts.com?

LV: Neste momento, já são 65 os países

para onde vendemos as peças através da

nossa plataforma. Tem vindo a crescer

todos os anos.

O que está pensado para o futuro em

termos de desenvolvimento de negócio,

do ponto de vista geográfico?

MM: O que está planeado é que a Europa

seja o nosso mercado de eleição e onde

queremos continuar a crescer. Contudo,

entendemos que o nosso modelo de negócio

é replicável para outras regiões, o

que obrigará a procurar novos fornecedores,

mas é esse o caminho que queremos

seguir.

Disseram um dia que o vosso maior

concorrente era o IVA. Ainda é assim?

LV: Claro que é. Não o conheço, mas

continua a ser o maior concorrente...

de longe! Fora de brincadeiras, isto é

uma aberração completa, em Portugal

o automóvel paga muitos impostos, até

quando está no processo de desmantelamento.

Depois quando se vai vender as

peças reutilizadas tem novamente 23%

de IVA. Isto é claramente um convite à

clandestinidade.

Em julho anunciaram que tinham sido

adquiridos pela PSA Aftermarket. O que

isto representa para a B-Parts?

MM: No fundo representa o certificar

do trabalho desenvolvimento pela nossa

equipa e pelos nossos fornecedores.

É, sem duvida nenhuma, uma vitória

para os nossos fornecedores. Depois, é

também uma enorme responsabilidade

para a B-Parts.

Temos o terrível hábito de querer superar

as expetativas que têm sobre nós.

Logicamente que a PSA tem também

enorme expetativas sobre o nosso negócio.

Por isso, acreditamos muito que

iremos superar fortemente essas expetativas

que a PSA tem sobre a operação da

B-Parts. Porquê? Porque temos a sorte de

estar com o modelo de negócio certo na

altura certa de mercado.

O que vos pode trazer esta integração

no grupo PSA?

LV: Vai trazer reconhecimento no mercado,

mas vai trazer algo que para nós é

o mais importante, que é, um enorme

potencial de crescimento da empresa.

Isso é muito importante para os nossos

colaboradores, como para os nossos fornecedores

que passam a ter novas expetativas

de aumentar volumes e dessa forma

também melhorarem stock´s e melhorarem

processos.

Em termos de mercado, só o grupo PSA

gere milhares de oficinas na Europa, mais

a rede Eurorepair, o que nos dará uma

forte presença no cliente profissional,

sobretudo fora de Portugal.

Trata-se de mais um passo rumo à estratégia

de internacionalização que

sempre tiveram?

MM: Claramente que sim. Fora de

Portugal, temos uma boa presença no

B2C, pelo que desta forma poderemos

vir a crescer muito no cliente B2B, que

sempre foi a nossa intenção.

A nossa decisão de entrar no grupo PSA

teve essencialmente a ver com o nosso

projeto de futuro.

Houve também uma excelente empatia

com o projeto que nos foi apresentado

pela PSA, que casava perfeitamente com


44

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

P

PERSONALIDADE

as nossas expetativas, que nos permite melhorar

muito numa série de processos e

de modelos. Temos vindo a crescer todos.

Quais serão os reflexos imediatos desta

integração na PSA Aftermarket?

LV: Ter associado um construtor como o

grupo PSA traz logicamente um selo de

confiança e de qualidade ao negócio da

B-Parts. Em termos de plataforma e de

negócio, nada se irá alterar com esta integração,

vamos continuar com o mesmo

modelo e comercialização de peças para

todo o tipo de carros.

MM: Curiosamente, esta integração teve

mais impacto no estrangeiro do que teve

em Portugal.

Que sinergias poderão advir desta ligação

com a PSA em Portugal, tendo

em conta até o projeto de peças lançado

nos últimos anos no nosso país?

MM: O que será dinamizado para

Portugal será igual para todos os mercados.

Haverá desenvolvimentos a fazer

para integrarmos as plataformas da PSA,

ao mesmo tempo que mantemos os desenvolvimentos

no nosso canal tradicional

B-Parts.

Em 2018 começaram a trabalhar o canal

B2C. Que reflexos houve dessa decisão?

MM: A nossa plataforma sempre esteve

aberta tanto a clientes particulares como

a profissionais.

O que acontecia é que tínhamos orientado

apenas o nossa plataforma para profissionais,

o tal negócio B2B. Ao comunicarmos

com o canal B2C em Portugal,

muito associado ao “do it yourself”, tivemos

de facto um incremento brutal das

nossas vendas.

Quanto é que representam cada um

desses canais?

Em Portugal

o canal

profissional

representa 70%

LV: Em Portugal, o canal profissional

representa 70%, mas, se olharmos para

as nossas vendas globais, essa percentagem

desce para 55%. As nossas expetativas,

tirando agora a componente PSA,

era que o particular iria crescer muito,

embora o profissional vá também continuar

a crescer.

Existem novos projetos para desenvolver

associados à plataforma B-parts?

MM: Temos, de facto, muitas ideias e

projetos para desenvolver que podem

dar origem a outros modelos de negócio

complementares ao nosso. O que pretendemos

agora não é isso, mas sim desenvolver

ainda uma série de outros projetos

dentro do negócio B-Parts e da própria

operação, que nos garantam mais dimensão

e estrutura para depois partirmos para

essas outras áreas.

Atualmente são sete categorias de produto

que comercializam (airbags, colisão,

elétrica/eletrónica, iluminação,

interior, motor / transmissão e suspensão).

Haverá mais produtos reutilizáveis

no automóvel que se possam vender e

que de momento não vendem?

MM: Haverá mais peças reutilizáveis a

comercializar, mas sempre dentro destas

categorias. O que pode vir a acontecer

é que se deixe de trabalhar uma ou outra

categoria, pela sua menor expressão.

Começamos a B-Parts com 25 tipos de

peças diferentes e atualmente temos mais

de 300, para um total de 3.000.000 peças

na plataforma.

A B-Parts não vende material recondicionado?

LV: Não. A nossa plataforma apenas comercializa

peças reutilizáveis.

Como funciona o serviço pós-venda?

LV: O serviço pós-venda gere as garantias,

em segundo lugar são as devoluções

e o terceiro são as incompatibilidades.

Existem sempre muitas situações críticas,

por exemplo, na identificação da peça,

em que depois nós damos todo o suporte

para resolver o problema. Por curiosidade,

devo dizer que são muito poucos

os problemas com as garantias que temos

de resolver no que diz respeito a motores

e caixas de velocidades.

Um detalhe importante que temos com

o pós-venda é que ele só é feito por escrito,

utilizando diversas ferramentas que se

agregam entre si, o que nos permite dar

sempre resposta ao cliente e ter o controlo

sobre as reclamações, garantias e devoluções

muito maior.

Quantas peças são transacionados por

dia no site www.b-parts.com?

MM: São vendidas mais de 200 peças

por dia e temos mais de um milhão de

consultas por mês ao nosso site. Temos

já uma taxa de conversão muito interessante,

mas este volume de consultas reflete

a visibilidade que temos no mercado.

Como olham para o futuro desenvolvimento

do vosso negócio?

LV: Assumidamente queremos ser líderes.


46

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Dossier

D

NO-PAINT

Processo

mais eficiente

Os produtos no-paint, muitas vezes descurados, contribuem

para dar uma maior rentabilidade e agilizar o processo

de repintura nas oficinas

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO

O

mercado de produtos no-paint

é competitivo e variado no leque

de produtos e materiais

cuja utilização tem um impacto

substancial na rentabilidade

das oficinas de repintura. “A repintura

automóvel é uma área extremamente

técnica e complexa, que exige imenso dos

profissionais, dos produtos e dos respetivos

players que actuam neste mercado”, refere

Mário Rui Ferreira, da Gravity Paint.

No caso dos equipamentos e ferramentas,

André Lemos, da Ixell, indica que este é

um mercado com uma exigência de qualidade

muito forte, “sendo um tipo de

produto que se aplica diretamente a cada

tecnologia de tinta específica. Por isso, é

um mercado em que, para entrar num

novo cliente, é necessário entrar com toda

a gama de tintas e trabalhar com o cliente

a 100%. No mercado de materiais mais

pequenos, de apoio à pintura automóvel,

é onde se verifica maior competitividade

e onde existe mais variedade de produtos

em preço e qualidade. Estes dois mercados

estão em constante modernização

e alteração, tanto no tipo de produtos

como na sua eficiência e capacidade de

multifunções”. Este é um mercado que

tem crescido de forma contínua em termos

de número de produtos usados nos

processos, “mas também é certo que os

fabricantes deste tipo de produtos precisam

de se adaptar a um mercado que está

em contínua evolução e em que o consumo

global depende do número de reparações

globais, e, portanto, flutua com

a ocupação das oficinas de colisão”, refere

Juan Sacchetti, da EMM. Por sua vez,

José David, da Impoeste, acrescenta que,

nos últimos anos, “temos visto o aparecimento

constante de marcas e produtos


47

que concorrem entre eles, mas, infelizmente,

divergem simplesmente no fator

preço, em detrimento da qualidade. Esta

realidade tem vindo a criar divergências

no uso e importância que os no-paint têm

no processo de reparação, potencializando

o custo da mesma pela falta de conhecimento

de usabilidade e de qualidade de

alguns produtos. A redução dos custos dos

produtos existentes nunca está associada

à manutenção da qualidade dos mesmos,

e isso, na maioria das vezes, prejudica as

oficinas, penalizando-as ao nível da eficiência

e rentabilidade”. Este responsável

acrescenta ainda que se nota o aparecimento

gradual de alternativas “num mercado

que não cresce e que, pelo contrário, tem

tendência a manter ou reduzir”.

FUTURO

Segundo Nelson Simões, da Carsistema,

uma das ameaças do setor de produtos

no-paint é a disseminação de operadores,

“num mercado que encolhe por diversos

fatores, determinando margens esmaga-

das. No mercado no-paint, esta realidade

é evidente, dado ser mais fácil obter estes

produtos para vender. A tinta está circunscrita

a muito menos fabricantes mundiais, o

que torna a sua obtenção mais complicada

para operadores de menor dimensão”. Por

sua vez, Rafael Dias, da Indasa, indica que

algumas das oportunidades deste mercado

são a qualidade dos produtos apresentados,

a assistência técnica e a formação, as smart

repair e a renovação de óticas, enquanto

as principais ameaças são a falta de profissionais

na área da repintura automóvel,

assim como a maior substituição de peças

em vez da sua reparação. Quanto ao futuro

deste setor, António Sousa, da Mozeltintas,

refere que os clientes têm procurado estar

mais atentos aos produtos que tragam rentabilidade,

ao invés do preço mais baixo.

“O maior custo numa oficina é a mão de

obra, este é o custo que tem que ser rentabilizado.

Poderá ser uma boa oportunidade

de muitos clientes mudarem os seus

sistemas de trabalho, para serem mais eficazes

e eficientes”. De acordo com Vasco

Pereira da Silva, Acrilac, as oportunidades

deste setor passam por: “apesar de serem

produtos no-paint, os clientes necessitarem

de apoio técnico e formação para tirarem

o máximo rendimento dos atributos dos

produtos, assim como a promoção junto

das oficinas de sistemas/processos mais

eficazes e mais eficientes; acordos de consumo

de produtos em regime de exclusividade”

e também a legislação do setor. Por

outro lado, indica que as ameaças são: “a

concorrência extremamente elevada, tanto

nacional como internacional, que provoca

uma grande pressão sobre os preços

e margens, tornando o negócio menos

rentável e menos interessante; o mercado

em retração, consequência da pandemia

e dos baixos níveis de confiança; a venda

via internet por parte de distribuidores

estrangeiros; os acordos de consumo de

produtos em regime de exclusividade e a

legislação do setor, extremamente legislado

e oficinas com inúmeras obrigações que

incrementam significativamente os custos

operacionais”.

PUBLICIDADE


48

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

D

NO-PAINT

QUESTÕES

1 - Que marcas próprias ou exclusivas

comercializam para o mercado da

repintura (excepto tintas) e a que

tipo de produtos se referem?

2 - Que outras marcas de produtos

“no-paint” comercializam?

3 - Quais as mais recentes novidades

lançadas (ou que irão apresentar) ao

nível dos produtos “no-paint”?

secagem UV junto com uma linha de

betumes UV. A tecnologia de cura UV é

cada vez mais utilizada em vários mercados

de processamento de tintas. A tecnologia

permite que se trabalhe mais rápido e de

modo mais eficiente, enquanto se reduz o

tempo de cura entre as etapas do processo.

A lâmpada para cura rápida Colad pode

ser utilizada para curar massas, tintas,

primers e enchimentos com UV tanto em

áreas pequenas quanto grandes.

sprays técnicos (verniz, bases, aparelho,

texturados, selantes); preparação pintura

(copos, filtros); higiene e segurança pessoal

(máscaras, fatos pintura, luvas, óculos,

sapatos de segurança, pasta lava mãos,

sprays desinfetantes, gel desinfetante);

e toda uma miríade de outros produtos,

que permitem a uma oficina fazer o

“one stop shopping” à Carsistema. Além

da marca própria Car Repair System, a

Carsistema comercializa em exclusivo

para Portugal a marca Mirka Abrasivos,

Devilbiss Pistolas de Pintura, Concept

Chemicals Cosmética automóvel, Innotec

Sprays técnicos, Rosauto Máquinas Lavar

Pistolas.

FLIXODUR COATINGS

Miguel Fernandes

www.flixodur.pt

3 - Das diversas novidades apresentadas

recentemente, destacam-se as novas

máquinas de lixar 3000 e 5000 da Car

Repair System; a pistola de pintura para

Verniz DV1 Clear da Devilbiss; a nova

linha polimentos e ceras de acabamento

Car Repair System; o kit efeito cromo

car repair system; a cola universal para

reparação de plásticos Car Repair System.

1 - Temos a marca própria Flixodur

Coatings e somos representantes oficiais

da Akemi.

COLAD / HAMACH /

RONINTOOLS

EMM

Juan Vicente Goya Sacchetti

www.emm.com

1 - A EMM é fabricante de no-paint há

mais de 40 anos. As nossas marcas são:

Colad: produtos criados para reduzir os

tempos e custos no processo de produção.

A qualidade, segurança, produtividade e

meio ambiente são as nossas pautas de

trabalho para desenvolver produtos descartáveis

específicos para cada processo;

Hamach: soluções completas e eficazes

para os quartos de mistura e extração de

poeiras provenientes da lixagem. Projetos

à medida de cada cliente, desenvolvidos

pelos nossos engenheiros. Segurança,

qualidade, sustentabilidade e meio ambiente

são parte integral de cada projeto;

Ronintools: ferramentas manuais para

realizar trabalhos de montagem e desmontagem

na oficina de colisão. Uma

ferramenta adequada para cada trabalho

e com garantia vitalícia.

3 - Nos últimos 3 anos, a EMM apresentou

mais de 40 produtos inovadores, como

os Colad Turbomix PaintSaver, Colad

Snap LId System, HamachHR1400, a

fita de isolar Orange, etc. Durante este

ano, a EMM vai lançar a lâmpada de

2 - Também comercializamos produtos

da Sata e da Anest Iwata.

3 - Neste momento, não há nada projetado.

No entanto, estamos sempre atentos

às necessidades dos nossos clientes.

CAR REPAIR SYSTEM

Carsistema

Nelson Simões

www.carsistema.pt

1 / 2 - A Carsistema comercializa uma

gama completa de produtos para a repintura

automóvel, sob a marca própria Car

Repair System. Esta marca própria, registada

para todo o mundo, é suportada por

uma gama completa de produtos para a

repintura automóvel: betumes, aparelhos,

vernizes, catalisadores e diluentes; sistema

completo de abrasivos; massas de polir e

polishes; isolamento e mascaragem (papel,

plástico, fitas adesivas); equipamentos de

lixagem e polimento; pistolas de pintura;

INDASA

Rafael Dias

www.indasa-abrasives.com

1 - Apenas comercializamos a nossa marca

própria Rhyno, com um vasto leque de

produtos: Rhyno – linha de abrasivos;

Ultravent – Sistema avançado de lixagem

sem pó; A series / E series – insígnias para

as ferramentas; Autogloss – Polimento e

TEX Pol – Selantes, adesivos e betumes.

3 - A Fita de mascarar MTE Red: performance

de alta temperatura, resistente

até 100º, adesão máxima garantida,

acabamento uniforme, não deixa

resíduos, cor inovadora. Também o

Autogloss Compound Plus (Polimento):

Reformulação da linha Autogloss.

Formulação amiga do ambiente, pasta

Compound Plus, processo de um só

passo, rápido poder de corte, minimiza

a acumulação de calor, menos marcas e

hologramas, uso a seco e brilho profundo.

O Autogloss High-Gloss Plus: ação

Micro abrasiva, brilho efetivo, restaura a

cor primitiva, superfície sempre húmida

e de fácil limpeza. E ainda as esponjas de


50

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

D

NO-PAINT

dupla face: lixagem a seco e a húmido,

diferenciação de grão pela cor, flexibilidade

e adaptabilidade aos contornos da

superfície e rentabilidade, devido ao baixo

empapamento.

IXELL

André Lemos

pt.ixell.com/pt

1 - A Ixell tem no seu portfólio produtos

divididos em oito grupos: preparação

de fundos, onde podemos encontrar

todo o material de subcamadas, quer

de reparação-substituição, impressão ou

multifunções; mastiques e todo o material

de aplicação associado; estanqueidade,

insonorização e colagem; lixagem e isolamento,

onde podemos encontrar, não só

todo o material de aplicação, como fitas,

lixas, como também o equipamento de

suporte e aplicação, como aspiradores,

móveis de suporte ou lixadouras; chapa e

soldadura, onde, mais uma vez, a Ixell tem

na sua gama todo o material de aplicação

e também o equipamento necessário,

ferramentas ou máquinas; quickrepair,

onde existem várias opções de conjuntos

para reparações mais pequenas; vidraçaria,

tendo todos os materiais e equipamentos

necessários à reparação dos para-brisas

e outro material associado de apoio à

atividade; material de apoio à atividade

e ao pintor. Neste grupo, estão incluídos

todos os equipamentos e material ligado à

repintura automóvel, como máquinas de

tintas, acessórios, computadores de pintura,

espectrofotómetros, mesas, balanças,

iluminação ou infravermelhos. Ainda

neste grupo, temos material de apoio ao

pintor, como pistolas, equipamentos de

limpeza, pequeno material de pintura,

filtração de cabina, material de carroçaria

e equipamento de proteção do utilizador.

2 - São comercializadas marcas como a

Sata e a Devilbiss, no caso de pistolas de

pintura, ou a 3M em material de apoio

à pintura. Tanto estas marcas referidas e

outras marcas que temos no leque comercializado

pela Ixell.

3 - As mais recentes novidades são os

computadores de pintura, com novidades

em termos de eficiência, conectividade

e rapidez e o espectrofotómetro, com

O valor de

produtos

no-paint usados

numa reparação

individual tem

vindo a subir

Juan Sacchetti, EMM

uma eficácia bastante melhorada. Todos

os produtos e equipamentos vão sendo

atualizados, para uma gama atual e eficaz

face ao mercado de repintura.

TEROSON / LOCTITE

Henkel

Juan Manuel Martín

www.reparacion-vehiculos.es

1 - A Loctite, mas sobretudo a Teroson.

3 - A nova pistola pneumática Teroson

Powerline II e a nova gama de adesivos

universais híbridos Loctite.

MAXI / EMM / COLAD /

HAMACH / RONINTOOLS

Impoeste

José David

www.impoeste.pt

1 - A Impoeste comercializa a marca

Maxi, que compreende os principais

produtos no-paint em utilização nas

oficinas: lixas, papéis de isolamento,

limpeza, fitas, copos, etc. A Impoeste

também representa a EMM, fabricante

holandês de no-paints. As marcas são:

Colad: produtos criados para reduzir os

tempos e custo no processo de produção.

A qualidade, segurança, produtividade

e meio ambiente são as suas prioridades

de trabalho para desenvolver produtos

descartáveis específicos para cada processo;

Hamach: soluções completas e

eficazes para paintboxes e extração de

poeiras provenientes da lixagem. Projetos

à medida de cada cliente, desenvolvidos

pelos seus engenheiros. Segurança,

qualidade, sustentabilidade e meio ambiente

são parte integral de cada projeto;

Ronintools: ferramentas manuais para

realizar trabalhos de montagem e desmontagem

na oficina de colisão. Uma

ferramenta adequada para cada trabalho

e com garantia vitalícia.

2 - A Impoeste representa ainda a Auto

Glym, produtos de limpeza e de embelezamento

automóvel, os kits e produtos

Auto Glym permitem que os utilizadores

alcancem o melhor acabamento, oferecendo

excelente durabilidade e aplicação

rápida e fácil; os adesivos, mástiques,

selantes e insonorizadores para automóveis

da Vaber, uma das primeiras marcas

a reduzir nos seus produtos, todos os

componentes potencialmente nocivos

à saúde, que equipa clientes como a

FCA, Automobili Lamborghini, Pagani

Automobili, Pininfarina, Maserati,

Grupo Ansaldo Breda, Hitachi, Alstom

Caf entre outros; 3M com uma gama

vastíssima de produtos; Comercializamos

em exclusivo os equipamentos/consumíveis

da Walcom. A marca Walcom

tem como oferta para os nossos clientes

pistolas de pinturas diferenciadoras, exibindo

as suas jóias da coroa, a Genesi

Carbonio 360, com o seu corpo em fibra

de carbono, e restantes componentes

em aço inoxidável, é a pistola mais leve

do mercado, assim como a nova Slim

Kombat, com corpo exclusivo em fibra

de Kevlar.

3 - As novidades são principalmente o

lançamento dos copos Maxi Cup e as novas

fitas de mascarar Maxitape PRO que

se destaca da atual Maxitape Standard

pela sua capacidade de resistência ao

calor, sendo esta evolução de 90º. Ao

longo dos últimos 3 anos a EMM apresentou

mais de 40 produtos novos e

inovadores como os Colad Turbomix

PaintSaver, Colad Snap LId System,

HamachHR1400, tendo sido flexível

nestes últimos meses com a oferta de

produtos inovadores para garantir a proteção

pessoal e coletivos dos seus utilizadores

no que diz respeito à era Covid-19.


51

Um exemplo é o Conjunto Proteção

Higiénica Interior lançado nos últimos

meses, assim como o kit higiénico de

interiores. Prevê se também o lançamento

da nova “Lâmpada de cura UV” Uma

tecnologia que permite um serviço mais

rápido e de modo mais eficiente, enquanto

reduz rigorosamente o tempo de cura

entre as etapas do processo. A “Lâmpada

de cura UV” Colad, pode ser utilizada

para curar betumes, tintas, primários

e aparelhos de enchimentos com UV

tanto em áreas pequenas como maiores.

VISION REFINISH

Centrocor

Agostinho Matos

www.centrocor.pt

1 - A Centrocor possui a marca própria

Vision Refinish. Possuímos um vasto

leque de artigos, como abrasivos, desengordurantes,

diluentes, papel de limpeza

e fita de mascarar, são alguns dos artigos

presentes na marca.

2 - Somos distribuidores das marcas

3M, Indasa, Mirka, Kovax e Car Repair

System.

3 - O lançamento da versão 2.0 dos Copos

PPS e o disco Hookit de esponja abrasiva

flexível da 3M foram algumas das novidades

que apresentamos aos nossos clientes.

Esta nova versão de copos veio dar um

novo passo no que toca à evolução e à

inovação dos copos de pintura, permitindo

uma maior produtividade na pintura. O

disco de esponja abrasiva flexível consiste

num disco com uma espuma macia que

se adapta a superfícies irregulares e que

pode ser usada confortavelmente à mão,

garantido um acabamento de excelência.

CHAMALEON / CARTEC

Atwoo

Armindo Oliveira

www.atwoo.lda (brevemente online)

1 - As nossas marcas exclusivas são a

Cartec, marca dedicada à limpeza, proteção

e polimento para repintura. Sendo

um dos maiores fornecedores de produtos

profissionais, a organização comercializa

polish, champôs, desengordurantes, a

gama refinish (sistema completo de produtos

para polimento), a gama Ceramic

Guard (revestimento com a dureza do

diamante = carbono puro que faculta

uma proteção extraordinária com eficácia

à prova de água e repelente de sujidade

na pintura automóvel.) ceras, polidora,

PUBLICIDADE


52

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

D

NO-PAINT

limpa motores, entre outros; Q1 – destaca-se

pela sua gama de produtos de

isolamento a pensar nos profissionais

de repintura automóvel. Na sua gama,

é possível encontrar: filme com fita de

mascarar, fita de mascara até 110ºC, filme

de proteção, papel de mascarar e as fitas

de segurança; Chamaleon – produtos

de reparação de carroçaria (vernizes,

primários, catalisadores, betumes, desengordurantes,

entre tantos outros); Keyon,

marca que detém uma vasta experiência

e conhecimento no que respeita aos mercados

de indústria abrasiva.

2 – A Petec.

3 – Produtos a lançar no durante o mês

de outubro/início de novembro: Fita

de Alta Performance até 110ºC - Q1

Fita de Alta Performance especialmente

desenvolvida para trabalhos mais críticos.

Devido a um tratamento especial, oferece

excelente resistência à humidade, tintas à

base de água e solvente; Papel de mascarar

Premium 32gr/m2 (produto lançado

recentemente): Papel 100% virgem, fino

e firme, especialmente tratado. Excelente

resistência a tintas e vernizes, como os

poliuretanos, acrílicos e aquosos, o que

ajuda a reduzir o trabalho causado pelo

escorrimento da tinta. Fácil de manusear

para ajudar a melhorar a produtividade.

3M / FESTOOL

3M

Emanuel Tavares

www.3m.com.pt/reparacaoautomovel

1 - A 3M dispõe de um amplo portfólio.

Começando no processo de reparação de

chapa, as máquinas de banda, o sistema

Roloc e os respetivos abrasivos Cubitron

II que permitem uma reparação mais

rápida, mais pequena e menos profunda,

são alguns dos produtos diferenciadores

nesta área. No processo de lixagem,

a 3M disponibiliza um variado leque

de soluções, os abrasivos Cubitron II

e os abrasivos flexíveis de espuma que

se destacam pela rapidez, durabilidade

e acabamento que proporcionam. No

processo de mascaramento, realçamos

o plástico de mascaramento Premium

O recurso à

compra via

mercados

paralelos é

uma realidade

muito presente

hoje em dia,

rompendo

exclusividades

e esmagando

margens

Nelson Simões, Carsistema

Anti-humidade com tratamento especial,

a fita 233+, o Dirt-Trap para proteção de

cabines que permitem maior eficácia e

evitar repetições. Processo de preparação

de pintura, PPS serie 2.0, recentemente

reinventado é o nosso sistema de preparação

de pintura com copos descartáveis

de última geração que oferecem o melhor

rendimento para misturar/medir, filtrar,

pintar em qualquer direção (360°) e

permite armazenar os restos de pintura.

No processo de polimento, os discos

Trizact, Polimento de 1 Passo, esponjas

de dupla face. Por fim, a gama de

produtos de Proteção Pessoal (EPIs). A

proteção, segurança e o conforto de cada

operário em cada atividade é extremamente

importante e a 3M disponibiliza

uma vasta gama de soluções de proteção

respiratória, auditiva, facial, ocular, soldadura,

etc.

2 - A 3M disponibiliza, em exclusivo,

uma sofisticada gama de equipamentos

Festool. A combinação das soluções abrasivas

3M com os equipamentos elétricos

ou pneumáticos Festool oferece uma solução

completa, que permite um trabalho

mais limpo, rápido e eficaz.

3 - Ampliámos recentemente a nossa

gama de abrasivos 3M Cubitron II. Agora

disponível em mais grãos. O “segredo”

está na revolucionária tecnologia de grão

cerâmico de alta precisão. À medida que

o grão de forma triangular se desgasta,

Alguns dos novos

produtos “no-paint”

são de aplicação mais

técnica. Que meios

disponibilizam às

oficinas em termos

formação técnica?

Juan Sacchetti

EMM

“A EMM, em colaboração com

os seus distribuidores, organiza

demonstrações de cada produto,

em feiras e visitando as oficinas

com demonstradores que

apresentam o produto e realizam

o processo junto do cliente”.

Miguel Fernandes

FLIXODUR

“Damos formação técnica”.

Nelson Simões

CARSISTEMA

“A Carsistema disponibiliza em

permanência uma equipa de

cinco técnicos que, diariamente,

estão presentes em distribuidores

e oficinas para demonstração

e explicação das melhores

técnicas de aplicação da gama

comercializada. Para além

desta oferta, a Carsistema SA,

possui um centro de treino

equipado, que mais não é que

uma réplica de uma oficina

de repintura automóvel, onde

faculta, formação especializada

sobre qualquer tema que nos

seja solicitado. Há ainda cursos

predefinidos, sobre as diversas

fases de trabalho da repintura

automóvel”.

Rafael Dias

INDASA

“Temos um centro de treino em

Aveiro, a Indasa Academy. Um

espaço amplo, equipado com

a mais moderna tecnologia.

Temos também três viaturas

de apoio técnico, totalmente

equipadas para o território

nacional; “On Site Training” -

Acompanhamento técnico e

formação; guia de processo

para veículos - Indasa Process

to Profit; desenvolvimento de

processos “Ad-Hoc” adaptados às

necessidades das oficinas.


53

vai-se fraturando continuamente, de

modo a formar pontas e arestas afiadas,

têm um desgaste uniforme, rapidez de

corte e proporciona uma vida útil super

longa. Estimamos que aproximadamente

30% do tempo de um pintor é dedicado

ao processo de lixagem, com a gama de

abrasivos Cubitron II aliada a um processo

uniforme recomendado pela 3M, seja

garantida uma rentabilidade e benefício

para a oficina; novos discos de Abrasivos

Flexíveis de Esponja 3M. São compostos

por uma espuma macia que se adapta a

superfícies irregulares. Graças a centenas

de orifícios perfurados a laser, garantem

um ambiente de trabalho limpo e livre

de pó. Destacam-se não apenas pelo seu

grande rendimento, mas também pela

sua durabilidade. Com design flexível,

oferecem versatilidade, ao poderem ser

utilizados à máquina ou à mão, a seco

ou a húmido; novo Polimento de 1 Passo

3M Perfect-It. Foi desenvolvido para utilização

com as Esponjas de Acabamento

de 1 Passo 3M Perfect-It. Esta fórmula

permite um corte rápido e em simultâneo

um acabamento perfeito de alto brilho

em num só passo. Este novo polimento

permite reduzir os tempos de polimento

e evitar possíveis repetições; 3M Protetor

Contra Líquidos Autoadesivo. É um

material para proteger superfícies temporariamente

dos efeitos prejudiciais

dos líquidos, óleos e solventes ao mesmo

tempo que retém a sujidade, tanto no interior

como exterior mantendo assim um

local de trabalho limpo e seguro. O seu

suporte adesivo mantém-no firmemente

no local aplicado, mas de fácil remoção

quando necessário. Também resistente a

impactos ligeiros e com a particularidade

de adaptar-se aos diferentes formatos de

superfícies. Em breve serão oficializadas

mais novidades.

CAARQ / KENSAY

Autoflex

Felismino Pinto

www.autoflex.pt

1 - As marcas comercializadas pela

Autoflex de consumíveis, equipamentos

e químicos são: marcas próprias –

CaarQ e Kensay; as principais marcas

representadas (em regime de distribuição

não exclusiva) são: Indasa, 3M, Festool,

Sata, Spray Max, Racing, Auto-K, Belton,

Starchem e Sika.

2 - O Grupo está a preparar para breve

o lançamento de uma série de acessórios

de limpeza profunda para preparação

de superfícies pintadas (discos, panos e

luvas), no sentido de criar condições para

a obtenção de melhores resultados nas

operações de polimento. Estes produtos

removem facilmente os resíduos e sujidades

mais difíceis nas superfícies pintadas

que não permitem a sua remoção através

da limpeza convencional, produzindo um

melhor e mais espelhado acabamento.

3 - Cursos de formação específicos no

Centro de Formação “Autoflex” em Fiães

e demonstrações “on-job” em clientes realizadas

pelos nossos Assistentes Técnicos

especializados.

PUBLICIDADE


54

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

D

NO-PAINT

FTEK

Mozeltintas

António Sousa

www.mozeltintas.com

1 - Trabalhamos com a marca exclusiva

FTEK nos produtos de papel de isolar,

fita, sistema de polimento de óticas.

2 - As pistolas de Pintura Iwata, os equipamentos

Festool e os abrasivos e polimentos

Norton, 3M, Farecla.

3 - A novidade mais recente é a comercialização

da Farecla, na qual destacamos o

sistema de polimento com a massa G360.

ASB

Álvaro de Sousa Borrego

Álvaro de Sousa

www.asborrego.pt

1 - Temos vindo a desenvolver a nossa

marca própria ASB, com linha de produtos

consumíveis para a oficina. Mais

recentemente, em resposta à pandemia,

apostámos na criação de produtos destinados

à higienização e segurança dos espaços

físicos e de proteção pessoal.

2 - A 3M, Festool, Sata, Iwata e Rupes.

3 - A novidade mais recente é o projeto

“ASB on the road”. A nossa aposta neste

serviço sobre rodas prende-se com a crescente

procura de formação direcionada

à formação e às questões mais técnicas

com as quais as oficinas se deparam todos

os dias. Com este novo serviço estamos

aptos a responder localmente e de uma

forma mais célere às necessidades dos

nossos clientes.

Os fabricantes

de non-paints

precisam de

se adaptar

continuamente

a um mercado

que está

em contínua

evolução

José David, Impoeste

ACRILMIX / PIRMO

Acrilac

Vasco Pereira da Silva

www.acrilac.com

1 - Entre diversas marcas, a Acrilac comercializa

para o mercado da repintura

as marcas próprias Acrilmix e Pirmo. A

Acrilmix é composta por: betume de poliester,

primários, vernizes, desengordurantes,

endurecedores, diluentes e sprays. A Pirmo

é composta por: betume de polyester, betume

fibra de vidro, tinta texturada para

plásticos, resina, papel de isolar, plástico de

isolar, fita de isolar, cordões de espuma, papel

de limpeza, sprays, sistema de copos de

multiuso (RCS), suportes e cavaletes, entre

outros produtos. Para além das 2 marcas

próprias, comercializamos diversas marcas

em exclusivo para o mercado português.

2 - Comercializamos produtos “no-paint”

de diversas marcas: Dinitrol: betumes de

polyester, betume fibra de vidro, betume

para plásticos, ceras, anti-gravilha,

mastiques de poliuretano, produtos para

a colagem de pára-brisas, sprays para a

pintura de plásticos, sprays técnicos, etc.;

Betacolor: primários, vernizes, anti-gravi-

André Lemos

IXELL

“A Ixell tem técnicos a cobrir toda

a zona geográfica de Portugal

no que diz respeito a formação e

apoio dos nossos clientes”.

José David

IMPOESTE

“A Impoeste e a EMM em

estreita colaboração com os seus

distribuidores organiza formações

e demonstrações de cada

produto. A presença da EMM

em feiras é também assinalável.

As oficinas são visitadas pelos

técnicos que apresentam

o produto e realizam a

demonstração do processo junto

do cliente. Todos os produtos

aquando do seu lançamento, têm

por base um objetivo e uma visão

de otimizarem processos e tornar

de forma eficiente o trabalho

para os quais foram concebidos.

Como em tudo o que nos rodeia,

o lançamento de novos produtos

é aceite por uma minoria na sua

primeira abordagem, tornandoos

mais aceites com o seu ciclo

de vida e adoção. É na fase

de introdução que a EMM e a

Impoeste pretendem estar na

divulgação dos novos produtos,

visionando assim uma maior

potencialidade de comercialização

no estado de maturidade dos

mesmos”.

Agostinho Matos

CENTROCOR

“Os produtos “no-paint” têm

uma grande importância na

rentabilidade das oficinas,

motivo pelo qual os gestores e

profissionais deveriam ter em

atenção a aplicação dos mesmos.

De forma a retirarem a máxima

rentabilidade dos produtos, é

fundamental que a aposta na

formação dos profissionais, seja

feita através de demonstrações

e aplicações realizadas por

técnicos especializados. Para isso,

contamos com vários assistentes

técnicos que nos permitem estar

próximos das oficinas, a divulgar

e a formar os profissionais de

pintura”.


56

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

D

NO-PAINT

lha, desengordurantes, endurecedores, e

diluentes; Sia Abrasives -> Sistemas de lixagem,

sistemas de polimento, produtos para

a chapa, e equipamento ligeiro (lixadoras

elétricas, lixadoras pneumáticas, etc); Sata:

pistolas de pintura profissionais, sistema

de copos multiuso (Sata RPS), proteção

respiratória, tecnologia de filtragem, e

acessórios; 3M: Abrasivos, produtos para

a chapa, sistemas de mascara, sistemas de

preparação de pintura (3M PPS), sistemas

de polimento e de acabamento, adesivos,

vedantes, revestimentos, proteção pessoal,

e acessórios; Festool: sistemas de lixagem,

sistemas de polimento, e equipamento

ligeiro (lixadoras, aspiradores, polidoras,

serras, aparafusadoras, fresadoras, orladoras,

plainas, acessórios, etc); Moldex:

Proteção profissional respiratória e auditiva;

Volz: Filtros de teto, de chão e pré-filtros

para cabinas de pintura; p-protect:luvas

de proteção; Briel: telas de limpeza; Entre

outros produtos.

3 - Destacamos o lançamento em Setembro

no mercado mundial da Edição Especial

Exclusiva 2020 da pistola SATAjet X 5500

Bionic. É fabricado um n.º limitado de

pistolas a nível mundial. A pistola SATAjet

X 5500 Bionic está disponível nas versões

standard e digital, e nas tecnologias RP

e HVLP.

ZAPHIRO

Rafael Gallego

zaphirogroup.com/pt

1 - Sob a marca própria Zaphiro, comercializamos

mais de 300 produtos fundamentais

para a máxima produtividade e

rentbilidade: abrasivos, fita adesiva, fitas

especiais, Zaphiro Paint System, máscaras,

preparação de acessórios de pintura,

preparação de superfícies e veículos, ar

comprimido, proteção do trabalho, selantes,

sprays, tintas e solventes de proteção,

produtos de polimento, lixas e lâmpadas,

ferramentas, limpeza e manutenção.

2 - Distribuímos todas as marcas do

fabricante Hedson Technologies: IRT,

Herkules e Drester, com sistemas de curado,

elevación y limpieza de alta calidad .

A Zaphiro é ainda distribuidor oficial e

exclusivo para Espanha e Portugal da Mix

Armindo Oliveira

ATWOO

“Na Atwoo, dispomos de um

técnico formador que apoia em

todo o tipo de esclarecimento e

formação dos nossos clientes”.

Emanuel Tavares

3M

“Não diríamos que são de

aplicação mais técnica, mas é

importante que o cliente conheça

os detalhes de cada produto

ou processo para que consiga

os maiores benefícios. Em

termos de formação, a 3M em

Portugal dispõe de uma rede de

demonstradores com um grande

conhecimento técnico, equipados

com as melhores soluções 3M,

capazes de atender a qualquer

consulta e que trabalham em

colaboração com as oficinas

para lhes ajudar a otimizar os

processos; contamos também

com um Centro de Treino Móvel

totalmente equipado; cursos para

Gerentes/Direção Pós-Venda. Em

colaboração com a Cesvimap e GP

Automotive, formação sobre como

maximizar a rentabilidade de uma

oficina de chapa e pintura. Todos

os meses recebemos no nosso

Centro de Inovação 3M clientes de

Portugal e Espanha; cursos para

pintores, que se realizam todos

os meses no Centro de Inovação

3M; auditorias de oficinas e

ferramentas de controlo de KPIs.

Dirigida pelos nossos Engenheiros

e orientada para analisar os

processos de trabalho da oficina

nos anexos de pintura; Webinarios.

Diferentes formações de produtos

e processos em que o cliente pode

assistir e participar online”.

Felismino Pinto

AUTOFLEX

“Cursos de formação específicos

no Centro de Formação Autoflex

em Fiães e demonstrações onjob

em clientes realizadas pelos

nossos Assistentes Técnicos

especializados”.

António Sousa

MOZELTINTAS

“Desde do início do ano, a

empresa dispõe de um centro

de formação próprio, bem como

departamento técnico. Este

serviço ajuda-nos a estar mais

próximos dos clientes e das

suas necessidades, para isso

temos organizado algumas

formações específicas, bem como

demonstrações de sistemas

de trabalho adaptados a cada

cliente, ajudando as oficinas a ser

mais rentáveis e eficientes”.

Álvaro Sousa,

ÁLVARO DE SOUSA BORREGO

“Atualmente, a nossa equipa

técnica conta com três

profissionais certificados que

se deslocam diariamente para

ministrar formação on job e

prestar assistência técnica.

Há 1 ano lançámos a nossa

1.ª unidade ASB on the road,

entretanto já lançámos a 2.ª e

não vamos ficar por aqui! Através

das unidades ASB on the road

conseguimos levar a formação

à casa do cliente, permitindo

que a formação seja aplicada

directamente sobre as questões

reais do dia-a-dia da oficina.

Mesmo nesta fase de Covid-19

as nossas unidades continuam

a chegar aos nossos clientes,

cumprindo todas as medidas de

distanciamento e prevenção”.

Vasco Pereira da Silva

ACRILACc

“A Acrilac dispõe de diversos

meios disponibilizados às oficinas

para formação técnica. Numa

1.ª linha os nossos comerciais

também têm conhecimentos

técnicos. Em complemento,

temos um técnico para formação

e para apoio técnico aos clientes

e à nossa Equipa Comercial.

Dispomos de um Centro Técnico

completamente equipado para

efetuar pinturas de automóveis.

A formação / apoio aos clientes

poderá ser efetuada no nosso


57

Centro Técnico ou no local do

cliente. Adicionalmente, e sempre

que necessário, também temos

o apoio dos técnicos das marcas

que representamos”.

Rafael Gallego

ZAPHIRO

“Antes da pandemia, a empresa

apoiou a sua rede de distribuição

através de cursos técnicos de

manuseamento das ferramentas

e equipamentos do seu catálogo,

dada por especialistas do

Departamento Técnico Zaphiro

que se deslocaram fisicamente

a cada empresa. A Zaphiro

possui um centro de formação

próprio em Madrid, onde a equipa

forma os técnicos da sua rede

de distribuição e onde também

recebe a visita de pintores que

recebem formação em reparação

de plásticos. rectificação de

defeito e Smart Repair. Nesta

fase, em que é difícil o contacto

presencial, a Zaphiro melhorou o

seu canal no YouTube, com quase

50 tutoriais disponíveis, para

continuar a formar pintores”.

Mário Rui Ferreira

GRAVITY PAINT

“A GravityPaint aposta e investe

na formação interna dos seus

colaboradores, de forma a estarem

o mais habilitados possível para

aconselhar, esclarecer e ajudar

nas solicitações dos nossos

clientes; organizando eventos

com demonstrações de produtos

e equipamentos; também

fazendo visitas às oficinas com

os técnicos das principais marcas

com que trabalhamos e fazemos

por esclarecer as dúvidas e

questões que surgem no diaa-dia.

E acreditamos ser este o

posicionamento certo, para que os

nossos clientes nos considerem

como um verdadeiro parceiro de

negócio, podendo confiar na nossa

equipa, nos nossos produtos e nos

nossos serviços”.

Uma correta

utilização dos

produtos nopaint

permite

que a oficina

seja mais

produtiva,

alcançando

melhores

resultados finais

e em tempos de

trabalho bem

mais reduzidos

Felismino Pinto, Autoflex

Plast, que possui uma linha de produtos

especializada na reparação de peças plásticas

e que conta com colas de alta qualidade

(poliuretano e epóxi), além de grampos

e acessórios. A Zaphiro também vende

lâmpadas Philips Match Line MDLS e

PHJ20 LED e projetores para verificação

de cor, respetivamente.

3 - Este ano houve novidades importantes.

Na área de abrasivos, destacamos os

discos Silver Estrella 34 mm e os novos

discos Silverfine Zaphiro. Foi adicionada

também ao catálogo uma nova interface

de lixa 300/7 mm e um Kit com guia para

lixar a pó. Este último consiste em uma

ferramenta de aplicação e duas cargas de

30 gramas de pó na cor preta, embora

as taxas adicionais estejam disponíveis

separadamente em preto e laranja. Por

outro lado, o novo buzo Airmaster também

está incorporado no catálogo. O kit

de restauração de faróis com polímero

líquido, o spray anti-pedra preto, o kit

de proteção de cerâmica com protetores e

selantes de cerâmica, a bandeja triangular

magnetizada para cabines, as novas espátulas

de borracha ou a lâmina removedora

de cerâmica também foram adicionados

este ano ao catálogo. Somam-se ao catálogo

vários produtos já apresentados ao

mercado, como o filme de mascarar CDC

Red e uma linha completa de produtos

para instalações de ar comprimido.

FINIXA

Gravity Paint

1 - A GravityPaint é o importador exclusivo

da marca Finixa para Portugal,que

dispõe de uma das mais completas e

fiáveis ofertas de produtos “no-paint”

do mercado. Isto porque, o profissional

tem ao seu dispor: produtos de limpeza

interior e exterior,produtos de mascaramento/isolamento,de

polimento, betumes,

lixas, sprays técnicos, polidoras e

lixadeiras eléctricas e pneumáticas, cavaletes

para peças, produtos de protecção

pessoal (máscaras, fatos, luvas, óculos,sapatos),máquinas

de lavar pistolas (sistema

solvente e sistema aquoso), produtos para

as cabines de pintura (filtros para o tecto

e chão, protecção das paredes, limpeza

das grelhas), produtos para reparação

de plásticos (colas, telas de reforço, aderentes),

blocos de lixagem manual, um

kit para recondicionamento de estofos

e interiores em couro e plástico, copos

para diluição,etc.

2 - Comercializamos também as seguintes

marcas:Festool (Lixadeiras,

Aspiradores, Lixas, Polidoras,

Aparafusadores); Sia Abrasives (Lixas);

Anest Iwata (Pistolas Pintura,Filtros

de Ar,Compressores);Scholl Concepts

(Polimento, Detail e Car Care); Flex

(Polidoras, Lixadeiras, Aspiradores);

SaicoZero (Cabines de Pintura, Áreas

de Preparação, Laboratórios/Paint Box);

Base (Sapatos de Segurança, Meias e

Luvas); Rupes (Lixadeiras, Aspiradores,

Polidoras); DeWalt (Rectificadoras,

Aparafusadores, Secadores de Ar Quente)

3 - Nos últimos meses apresentámos várias

novidades no mercado, dando especial

destaque a: SharpWhite - Novo sistema

de lixagem da Finixa; Betume,Verniz

e Lampâdas UV - Novos produtos Finixa

com tecnologia UV para pequenas/rápidas

reparações; Polidora Rotativa e

Excêntrica a Bateria, e Lixadeira Eléctrica

150mm - Novos Equipamentos Flex.


58

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Ambiente

A

14 Desafios

de Gestão Ambiental

no Contexto Covid-19

Otimista e confiante por natureza e em contacto diário com os nossos

Clientes e Parceiros de negócio, faz para mim sentido partilhar

este conhecimento e esta reflexão com destaque no Covid-19 e nos

desafios ambientais deste contexto, despertando individualmente

a perceção da oportunidade para a melhoria do desempenho das

empresas neste quadro

TEXTO ELISA GASPAR, NATUREZA VERDE


59

Poderá ser o momento de rever o Sistema

de Gestão Ambiental, ISO 14001, traduzindo,

a título de exemplo, os riscos e

oportunidades que o contexto Covid-19

reflete na organização ambiental.

Ambiental –

atualmente, a modalidade

e-learning está em franca

expansão, e facilmente se

2.Formação

encontram comunicados

e distribuídos conteúdos de ensino e

aprendizagem em ambiente online e

gratuitos. É importante melhorar continuamente

as competências ambientais

a vários níveis na estrutura da empresa

e onde habitualmente identificamos e

trabalhamos 3 grupos: gestão de topo,

responsáveis de processos e colaboradores

operacionais. Na vertente da pesquisa

de informação consultem as fontes oficiais,

fidedignas, explorem a legislação

e procurem o aconselhamento técnico

isento. A Natureza Verde desenvolverá

um ciclo de webinars multiplicado em

vários descritores ambientais relevantes

para as organizações.

Espelho – é recomendável

compartilhar conhecimento,

criando sistemas redundantes

que contemplem

3.Equipas

informação, rotinas, prazos

legais e procedimentos, de forma a que

a gestão ambiental seja assegurada em

contínuo. Equacionem que as equipas

espelho são possíveis de construir recorrendo

à contratação de serviços externos

com consultores à distância.

Ambiental à

Distância – o período de

emergência coincidiu com o

período anual mais intenso

4.Consultoria

no que respeita aos reportes

legais ambientais, no qual, com sucesso e à

Importa focar no futuro e traçar os

desafios que se colocam, preparando

uma nova realidade de gestão e antecipando

as estratégias a adotar no

círculo profissional.

Num período de desconfinamento com

a esperada reabertura faseada da economia,

muitos dos colaboradores dos

Departamentos Técnicos Ambientais vão

permanecer ainda em teletrabalho com

a produção/serviços em funcionamento

com maior ou menor volume de trabalho,

o que lança desafios à dinâmica ambiental

das empresas dentro da sua especificidade

e dos profissionais que atuam neste setor.

Obriga-nos ao renovar do compromisso

com os projetos, à dedicação, à reinvenção

e à inovação nas nossas funções e

desempenho.

A lista resumida de 14 sugestões de trabalho

constitui um ponto de partida para

que possa ser individualmente transformada

numa poderosa ferramenta neste

processo de recomeço.

e Matrizes

Ambientais – este tempo é

oportuno para repensar matrizes

de registo e apuramento

1.Indicadores

de informação, analisar dados,

bem como indicadores e metas relevantes

às operações. Equacionem explorar os

programas de contabilidade da empresa

para processamento automático de dados.

PUBLICIDADE

A modernização

de uma marca

lendária

PROSPER POPULARITY | TEL. +351 961 357 578

info@prosperpopularity.pt | www.prosperpopularity.pt


60

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

A

AMBIENTE

distância, em múltiplas videoconferências,

se conseguiu efetuar um trabalho notável.

Mostra-se assim que, com a necessária

adaptação, é possível repensar as atividades

recorrentes de consultoria externa

com vista ao regular funcionamento.

Físico e Digital – repensar

e reformular o modelo

de arquivo dos documentos

ambientais assegurando a

5.Arquivo

componente física e digital,

em replicação, com as cópias de segurança

recomendadas. Devem considerar a organização

temática por descritor ambiental

e a ordem cronológica para o arquivo.

6.

Avaliação do Processo

Produtivo/Serviço – repensar

processos com vista ao

mapeamento, à otimização

de sistemas tornando os

processos mais eficientes, à avaliação de

conformidade legal ambiental, redução

de consumos, redução de desperdícios e

otimização de custos.

7.

Separação de Resíduos – deve ser

promovido um reforço interno

para a correta separação de materiais,

dado existirem, atualmente

e temporariamente, potenciais

constrangimentos na triagem manual a

ser desempenhada pelos Operadores de

Gestão de Resíduos.

8.

Novos Resíduos – com a

reativação das unidades poderão

surgir novos resíduos,

que identificamos a título de

exemplo, máscaras, luvas e

embalagens de soluções desinfetantes.

Consideramos que, em contexto de produção,

devem ser providenciados meios de

acondicionamento corretos, baldes com

tampa e pedal. Adicionalmente devem

ser colocados sacos para garantir o seu

fecho e troca na garantia das condições

de segurança. A classificação e respetivo

encaminhamento a tratamento, recomendamos

que seja efetuada de acordo com a

legislação em vigor, para os EPI’s LER 15

02 03, para as embalagens referidas LER

15 01 10*. A gestão inadequada destes

resíduos pode causar efeitos imprevisíveis

na saúde humana e no meio ambiente,

sendo por isso uma equação vital.

9.

Parques de Resíduos – podem

ser repensadas as áreas e os

meios de acondicionamento,

reajustadas as necessidades,

a renovação dos dísticos de

identificação, a recolocação ou construção

de bacias de retenção, bem como a

promoção de atividades de limpeza e

reorganização profunda.

10.

Acondicionamento de

Resíduos – recomenda-se,

como boa prática

de segurança dos

operadores envolvidos

na recolha que, os níveis de enchimento

dos meios sejam cuidadosamente respeitados

e, sempre que possível, os resíduos

sejam acondicionados em vasilhame provido

de saco de plástico, de forma a evitar

o contacto direto com os mesmos.

11.

Registo de Produtores/

Fluxos Específicos – o

enquadramento na plataforma

SILiAmb deverá

ser mantido em constante

atualização de forma a evidenciar, ao

momento, a realidade de operação da

organização. Existem eventuais atualizações

necessárias decorrentes desta fase

que introduziu uma alteração significativa

no negócio das empresas. Podem, por

exemplo, estar a importar novos produtos,

a produzir novos produtos, a cancelar con-


61

tratos de importação, a mudar mercados

entre particular e profissional, entre outras

variáveis a ter em consideração dado que,

naturalmente, épocas de crise são épocas

de transformação dos negócios.

12.

Emissões Atmosféricas

– será prudente antecipar

o habitual

agendamento das

campanhas de monitorização

das emissões gasosas de fontes

fixas de acordo com o calendário em

vigor na organização. Os períodos de

inatividade e incerteza decorrentes da

pandemia vão adensar a concorrência pela

disponibilidade de datas para marcação

dos serviços.

13.

Manutenção Preventiva

e Corretiva – recorrentemente,

em visitas

técnicas, encontramos

derrames acidentais

que, caso as empresas estejam a operar

com menor intensidade, podem alocar

os colaboradores aos processos de manutenção

com um maior detalhe e cuidado.

14.

Marketing Verde – no

paralelo de tranquilidade

que o momento

nos proporcionou,

podem ser recuperados

alguns conceitos de comunicação

de desempenho ambientalmente diferenciado

seja internamente ou com o

exterior. É exemplo o Cálculo da Pegada

Ecológica para explorar a sustentabilidade

de produtos e serviços, organizações ou

setores industriais. A sustentabilidade

alcançou um lugar de destaque no mundo

corporativo, refletindo a maior consciência

dos cidadãos com o meio ambiente.

Mais do que uma palavra em voga, este

conceito reforça o quanto as empresas

estão comprometidas em contribuir na

redução dos impactos negativos da ação

humana.

Ao longo do meu percurso profissional

sempre alimentei a ousadia de valorizar os

relacionamentos de confiança em relações

de proximidade com o Cliente. Na impossibilidade

de o fazer neste momento,

encontro-vos nestes pequenos apontamentos

técnicos para que continuemos a

trabalhar de braços dados com os desafios

atuais que se impõem.

Até Já, com Saúde!

PUBLICIDADE

Sistemas de travagem Bosch,

a oferecer segurança todos os dias

As nossas inovações em travagem têm

garantido a segurança nas estradas há

mais de 90 anos. E continuaremos a

dedicar-nos, com paixão, a melhorar ainda

mais a segurança na condução. Para isso,

beneficiamos de décadas de experiência e

amplo conhecimento de sistemas. Para si,

isto significa que pode confiar plenamente

nos nossos produtos.

Junte-se a nós para celebrar o 25º

aniversário da Bosch ESP.

boschaftermarket.pt

25 anos

Programa Eletrónico de Estabilidade

1995-2020


62

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Técnica

T

2.ª PARTE

PINTURA DE SENSORES

DE ESTACIONAMENTO

Reconhecimento

do perímetro

As operações de estacionamento são mais fáceis atualmente

graças a pequenos sensores que medem a distância em relação

a veículos estacionados, colunas ou paredes, minimizando os

danos que possam ocorrer durante estas manobras. Em Carroçaria,

Substituição de para-choques com sensores de estacionamento,

aprendemos a instalá-los. Vejamos agora como se pintam estes

sensores

TEXTO ANDRÉS JIMÉNEZ GARCÍA

Os sensores de estacionamento

costumam estar situados nos

para-choques dianteiros e traseiros,

nas grelhas frontais ou

nas molduras e nos spoilers

inferiores dos para-choques.

TIPOS DE SENSORES

DE ESTACIONAMENTO

Existem dois tipos de sensores: os que

funcionam por ultrassons e os que detetam

os obstáculos através de ondas

eletromagnéticas.

Por ultrassons: facilmente reconhecíveis,

são aqueles pequenos círculos

1.

embutidos nos para-choques, grelhas ou

molduras dos nossos veículos. Surgem

pintados na cor da carroçaria, ou são de

cor cinzento antracite ou preto. Existem

pelo menos quatro por veículo, podendo

ser mais, distribuídos pela parte inferior

dianteira ou traseira.

Funcionam através de ondas de ultrassons

(não detetadas pelo ouvido humano), que

determinam a distância aos objetos através

da medição de ecos. Ou seja, emitem

ondas que fazem ricochete nos obstáculos

e, mediante um recetor, tratam os sinais

recebidos para calcular a distância a que

se encontram.

Por esta razão, quanto mais sensores um

veículo tiver instalados, mais segura será a

manobra de estacionamento, ao ser maior


63

a precisão das ondas recebidas.

Este tipo de sensores tem um raio de

ação que oscila entre 130º e 160º de

varrimento horizontal e entre 50º e 60º,

em varrimento vertical.

Eletromagnéticos: os sensores com

2. deteção eletromagnética ou radar

encontram-se apenas na parte interior

dos para-choques. Trata-se de uma tira

metálica colada ao seu interior, e portanto,

não se veem nem se pintam.

O seu princípio de funcionamento baseia-

-se numa deteção contínua das alterações

do campo eletromagnético provocadas

pelos objetos sólidos.

MATERIAL DE FABRICO

DOS SENSORES

Os sensores de estacionamento são constituídos

por diferentes partes. O conjunto

principal é produzido em material plástico

(também pode incluir uma fina lâmina

de alumínio, logo por baixo da pintura).

Para a sua repintura é importante saber

a natureza do círculo exterior que define

o sensor, a parte visível, que é a que se

vai pintar. O resto ficará oculto na parte

interior da peça.

FORNECIMENTO

DOS SENSORES NOVOS

Dependendo dos fabricantes de automóveis

ou dos fornecedores de peças de

substituição, os sensores são fornecidos

de duas formas distintas:

Cor final aplicada (carroçaria ou preto)

1. Os sensores deste tipo não serão pintados.

Caso sofram danos serão substituídos.

>> Têm a cor da carroçaria, seja lisa,

metalizada ou perolada.

>> As partes que não coincidam com a

tonalidade do automóvel podem ser de

cor preto mate, brilhante ou cinzento

antracite.

Com primário-aparelho

2. Como se se tratasse de uma peça

de plástico, fornece-se com primário,

de forma que o pintor, após uma leve

matificação, tem de preparar e aplicar a

cor pretendida.

PARTICULARIDADES DO PROCESSO

DE PINTURA

Os sensores pintam-se sempre desmontados

das peças onde estão integrados, sejam

para-choques, grelhas ou molduras. Caso

contrário, ocorrerão graves problemas que

trataremos mais adiante.

São repintados, principalmente, os sensores

que vêm montados de origem no

veículo. Também aos novos que tenham

de ser colocados, fornecidos como peças

de substituição, será necessário dar-lhes

a sua cor correspondente. E apenas se

pintarão os sensores que tenham sofrido

pequenos riscos ou raspadelas superficiais,

com cor e verniz (nunca pinturas

de fundo, como massas ou aparelhos).

Caso tenham sofrido grandes danos será

necessário substituí-los por uns novos.

É fundamental a espessura da pintura

aplicada. A soma das camadas de cor

e verniz não deve superar uma espessura

máxima, aproximada, entre 150 e

180 mícrones. Para termos uma ideia

das possíveis pinturas que permitem a

referida espessura, a primeira é a que o

sensor apresenta de origem, e somamos


64

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

T

PINTURA DE SENSORES DE ESTACIONAMENTO

à mesma mais duas pinturas, aplicando

exclusivamente cor e verniz.

Em caso algum serão aplicadas pinturas

de fundo como massas, primários

pigmentados 1K ou 2K, ou aparelhos.

Estas camadas de pintura aumentariam

consideravelmente a espessura da pintura,

originando possíveis erros no funcionamento

dos sensores.

PROBLEMÁTICA

Já comentámos a necessidade de desmontar

o sensor para a sua correta pintura.

Isto deve-se ao facto de uma pequena

borracha, de cor branca, preta ou transparente,

circundar a parte que é possível

pintar. Esta borracha ajuda ao ajuste total,

fechando a estreita folga que se cria entre

a superfície do sensor e a da peça onde

é colocado (para-choques, grelha, etc.).

A borracha, com o sensor montado na

peça principal, não se poderá mascarar e

também não se deverá pintar. Portanto,

uma pintura correta exige a desmontagem

dos sensores da sua localização.

Caso se pintem montados no veículo, as

borrachas, consequentemente, também

serão pintadas. Para além do defeito estético

poderão originar problemas de

funcionamento: as camadas de pintura

aplicadas criariam uma película que

“soldaria” a borracha ao sensor, pelo que

não seria possível a emissão do eco e o

correspondente ricochete do mesmo.

PROCESSO CORRETO DE PINTURA

Vamos explicar os passos para um processo

correto de pintura dos sensores de

estacionamento.

A primeira coisa que devemos fazer é

desmontar as peças em que se encontram

e realizar as seguintes operações:

Limpar e desengordurar os sensores

1. para eliminar qualquer resíduo de

óleo, alcatrão, mosquitos, etc., que possa

estar presente.

Lixar ou matificar a zona danificada,

2. a sua face visível, que é a que receberá

a pintura.

Limpar, desengordurar e colocar

3. os sensores num suporte para a sua

pintura.

Mascarar as pequenas zonas dos sensores

que não devem ser pintadas,

4.

como as partes interiores e elétricas.

Pintar os sensores com a mistura preparada

para pintar os para-choques, as

5.

grelhas, etc., sem encher as mãos de tinta.

Com a mesma mistura de verniz,

6. terminar de envernizar os sensores

para finalizar o processo.

Após a secagem, são desmontados do suporte

e retira-se o mascaramento, ficando

os sensores prontos para a sua montagem

nas diferentes peças onde são instalados.

Em resumo, a pintura dos sensores de

estacionamento é perfeitamente possível,

tendo em conta e respeitando as peculiaridades

comentadas. E é indiferente

o local onde estejam instalados: grelhas,

para-choques, molduras, spoiler, etc.

A CESVIMAP realizou diversos testes

com diferentes sensores, aplicando mais

de 200 mícrones, e o funcionamento

dos mesmos continua a ser ótimo. Não

aconselhamos repintar os sensores mais

de duas vezes, visto que com uma espessura

elevada, o aspeto estético começa a

ser grosseiro e sobrecarregado de tinta.

Pode eliminar-se parte desses mícrones

aplicados, para reduzir a espessura e melhorar

o aspeto estético, e então, voltar

a pintá-los.

Todos os acabamentos disponíveis nos

veículos, monocamada, bicamada sólidos,

metalizados, perolados, tricamada e,

inclusivamente, acabamentos bicamada

pretos e cinzentos antracite ou vernizes

mate, podem ser replicados nos sensores

de estacionamento.

Previamente à pintura dos sensores, será

necessário desmontá-los das peças em

que estejam instalados.

Para a pintura destas peças, utiliza-se

apenas a tinta e o verniz preparados para

o embelezamento das peças principais em

que se instalam os sensores.


PESAMATRANS

Transportes - Logistíca

Especializada na

distribuição de

peças e acessórios auto

anos

2008 - 2018

939 133 911 / 12 pesamatrans@gmail.com

RUA MUNICIPAL, 135 B - 3030-078 CARAPINHEIRA DA SERRA

Entregas e recolhas

BI-DIÁRIAS

COIMBRA

PORTUGAL


66

WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO 2020

Formação

F

N.º 2

Entendendo a

linguagem binária

Compreender a forma como as

unidades de comando eletrónicas

interpretam as mensagens

que enviam e recebem, é vital

para a interpretação dos temas

que iremos abordar nos próximos

artigos. Por isso, deixamos-lhe este mês

uma abordagem (superficial) à forma de

comunicação entre módulos: a linguagem

binária.

COMO FUNCIONA

A LINGUAGEM BINÁRIA?

Certamente já ouviu falar que os computadores

comunicam entre si por linguagem

binária, ou seja, 0 e 1. Da mesma

forma, as dezenas de “computadores”

existentes nos automóveis atuais utilizam

este princípio para interpretar informações

e executar ações.

Os computadores digitais trabalham

internamente com dois níveis de tensão,

pelo que o seu sistema de numeração

natural é o sistema binário. Em computação,

chama-se um dígito binário (0

ou 1) de bit, que vem do termo inglês

Binary Digit. Um agrupamento de 8 bits

corresponde a um byte (Binary Term).

1 bit = 1 unidade binária (0 ou 1)

1 byte = 8 bits

1 kilobyte = 1.024 bytes

1 gigabyte = 1.000.000.000 bytes

O processador de um computador é

formado por milhares de blocos lógicos

complexos, formados por portas lógicas

básicas, e o funcionamento destas está

sustentado por um pressuposto fundamental

à eletrónica digital, que determina

que um circuito opere apenas com dois

níveis de tensão bem definidos. Num circuito

digital TTL (Transístor-Transístor

Logic ou Lógica Transístor-Transístor,

que é uma classe de circuitos digitais

construídos com transístores de junção

bipolar (BJT), os dois níveis de tensão

standard são 0V e 5V. Ao projetar um

sistema digital, ao invés de trabalhar

com níveis de tensão, trabalha-se com

níveis lógicos, então, no caso do circuito

TTL, 0V será representado por “0” e 5V

será representado por “1”, e os níveis

de tensão entre eles serão ignorados, ou

seja, adotar-se-á uma faixa até a qual será

considerado nível lógico zero, e a partir

dela, nível lógico 1. Neste caso, de 0V

a 2,5V temos “0”, e a partir daí até 5V

temos “1”. Mais à frente falaremos nos

estados lógicos associados a cada um dos

protocolos multiplexados utilizados nos

automóveis.

O sistema binário é base para a álgebra

booliana, que permite fazer operações

lógicas e aritméticas usando apenas dois

dígitos ou dois estados (sim ou não,

verdadeiro ou falso, tudo ou nada, ligado

ou desligado, 1 ou 0). Toda a eletrónica

digital e computação estão baseadas nesse

sistema binário e na lógica de Boole,

que permite representar por circuitos

eletrónicos digitais (portas lógicas) os

números, caracteres, realizar operações

lógicas e aritméticas. Os programas de

computadores são codificados sob forma

binária e armazenados nos suportes

media (memórias, discos, etc.) sob esse

formato.


A sua ferramenta de trabalho

Produzido pela revista Pós-Venda

2020/21

Faça JÁ a SUA

RESERVA para a

edição de 2020 e esteja

presente no Diretório

de todos os contactos

do mercado nacional

NOVAS CONDIÇÕES

Nome+Telefone+Site

EMPRESA

Telf.: 210 000 000

www.empresa.pt

GRÁTIS

Informação completa

EMPRESA

Rua da Empresa

2685-583

Telf.: 210 000 000

Fax.: 210 000 000

email@empresa.pt

www.empresa.pt

100€

Para mais informações

Anabela Machado

anabela.machado@posvenda.pt

Tel. 96 538 09 09

www.posvenda.pt


LIBERTE

TODO O

Transfira a nossa

aplicação de pesquisa

de lubrificantes.

Durante desafios extremos, desempenho

e potência confiáveis são essenciais para

proporcionar sucesso.

Os lubrificantes Champion maximizam a potência

do motor, permitindo que ultrapasse os seus limites

e acelere para um desempenho vencedor.

OFFICIAL LUBRICANT PARTNER

Liberte todo o potencial.

www.championlubes.com

More magazines by this user