Revista Cariocas Outubro Novembro 2020

dmc21assessoria

REVISTA

Saúde, beleza & bem estar

revistacariocas.com.br

Ano II - nº 20. Rio de Janeiro

Outubro / Novembro 2020

JENNIFER

SETTI

“PODEMOS SER IDEALISTAS,

MAS TAMBÉM FALAR DE AMOR”

MARAVILHOSAS

BOLEIRAS

A ARTE BENEFICENTE DE

VIVI COHEN

VIOLÊNCIA &

FEMINICÍDIO

Entrevista com Odacy de Brito,

uma estudiosa das civilizações

COMPORTAMENTO

Liberados para Amar

MODA

Óculos de Sol das famosas

fazem ''trends'' na estação

GASTRÔ

Cardápios de primavera

REVISTA CARIOCAS - 1


REVISTA CARIOCAS - 2


EDITORIAL

sumario

CARIOCAS

10

CAPA

É Primavera, e nós amamos!!! Dias lindos, coloridos, muito sol e

céu azul iluminam a nossa cidade linda, mesmo em meio à Pandemia

, do uso de máscaras e afastamento social. Mas a estação

está ai e na flexibilização vale- com todos os protocolos e cuidados-

tentarmos ser mais felizes que na estação passada.

Nesta edição que abrange todo mês de outubro, os Restaurantes

mostram que estão se reinventando e trazem cardápios

novos que podem ser degustados nos estabelecimentos ou por

delivery. Muita novidade para quem não tem comorbidades, se

cuida, mas quer dar um rolézinho por aí.

Jenniffer Setti, a Jey, é nossa Capa. Reinventada, linda, mais

pop do que nunca, a atriz está se lançando em produções musicais

e a agenda lotada mostra que JEY não está de brincadeira.

Em reportagem a CARIOCAS ela conta seus planos e se diz apaixonada

pelo novo segmento.

Um tema muito importante foi abordado nessa edição: Violência

contra as mulheres. Em Entrevista com a pesquisadora

Odacy de Brito conseguimos entender o porquê de tanto sofrimento

feminino e quais os caminhos para as mulheres se fortalecerem

no combate deste crime.

Medicina, Saúde e Bem Estar traz reportagens maravilhosas

que vão da medicina ortomolecular , medicina do Esporte, combate

ao câncer à saúde mental. Tudo que nossas leitoras gostam

para se manterem atualizadas.

Primavera pede Moda e Beleza e nossas dicas estão muito bacanas.

Preste atenção nos toques de Sergior Marks, o cabelereiro

rei das mechas e das estrelas falando sobre cuidados com as madeixas

na nova estação.

E a moda dos pijamas que voltou com tudo? Você vai aderir?

E como diz Carlos Drummond de Andrade, no poema Diálogos

da Primavera, “...Escolhe o teu diálogo e tua melhor palavra ou o

teu melhor silêncio. Mesmo no silêncio e com o silêncio, dialogamos”.

Que fiquem estas sábias palavras como reflexão para os

meses que avançam, lembrando que dentro de momentos de

silêncio podemos encontrar o mais profundo conhecimento.

06

9

Gastronomia de

Primavera

39

Chef Rodrigo Hilbert

29

49

Alogamentos em

casa

Doc Mariz

Um Anarquismo

Saudável

Pele hidratada

na estação

54 Moda

Amor e Gratidão! Boa leitura.

Mirian Carneiro Barbosa

REVISTA

Cariocas

Saúde, beleza & bem estar

Direção Geral: DMC 21 Comunicação e Marketing

Editora: Mirian Carneiro Barbosa

Repórteres: Maria Amora e Sophia Carneiro

Colaboradores: Doc Mariz e todos os jornalistas e amigos da

redação DMC 21

Fotografia e Diagramação: DMC 21 Comunicação e Marketing e

Ananda Almeida

Distribuição on line

Telefones: 3258-4917 | 98137-9583 - Whatsapp: 98373-3147

E-mail: revistacariocas@gmail.com

Edição on line: www.revistacariocas.com.br

REVISTA CARIOCAS - 3


REVISTA CARIOCAS - 4


COMPORTAMENTO

MULHERES

Por Danusa Leão

Foto: Arquivo

“Quantas mentiras nos contaram; foram tantas, que

a gente bem cedo começa acreditar, ainda por cima,

se achar culpada por ser burra, incompetente e sem

condições de fazer da vida uma sucessão de vitórias e

felicidades.

Uma das mentiras: que nós, mulheres, podemos conciliar

perfeitamente as funções de mãe, esposa, companheira

e amante, e ainda por cima ter uma carreira profissional

brilhante. É muito simples: não podemos. Não podemos,

quando você se dedica de corpo e alma a seu filho

recém-nascido, que na hora certa de mamar, dorme e

que à noite, quando devia estar dormindo, chora com

fome; não podemos, quando você não consegue estar

bem sexy quando o marido chega, para cumprir um dos

papéis considerados obrigatórios na trajetória de uma

mulher moderna: a de amante…

Aliás, nem a de companheira; quem vai conseguir trocar

uma ideia sobre a poluição da Baía de Guanabara, se

saiu do trabalho e passou no supermercado rapidinho

para comprar uma massa e um molho já pronto para

resolver o jantar, e ainda por cima está deprimida porque

não teve tempo de fazer uma escova?

Mas as revistas femininas estão aí, querendo convencer

as mulheres – e os maridos – de que um peixinho com

ervas no forno, com uma batatinha cozida al dente,

acompanhado por uma salada e um vinhozinho branco

é facílimo de fazer – sem esquecer as flores e as velas

acesas, claro, e com isso o casamento continuar tendo

aquele toque de glamour fun-da-men-tal para que dure

por muitos e muitos anos.

Ah, quanta mentira!

Outra grande, diz respeito à mulher que trabalha; não a

que faz de conta que trabalha, mas a que trabalha mesmo.

No começo, ela até tenta se vestir no capricho, usar

sapato de salto e estar sempre maquiada; mas cedo se

vão as ilusões. Entre em qualquer local de trabalho pelas

4 da tarde e vai ver um bando de mulheres maltratadas,

com o cabelo horrendo, a cara lavada, e sem um pingo

do glamour – aquele – das executivas da Madison. Dizem

que o trabalho enobrece, o que pode até ser verdade.

Mas ele também envelhece, destrói e enruga a pele, e

quando se percebe, a guerra já está perdida. Não adianta:

uma mulher glamurosa e pronta a fazer todos os charmes

– aqueles que enlouquecem os homens – precisa,

fundamentalmente, de duas coisas: tempo e dinheiro.

Tempo para hidratar os cabelos, lembrar de tomar seus

37 radicais livres, tempo para ir à hidroginástica, para

ter uma massagista tailandesa e um acupunturista que

a relaxe; tempo para fazer musculação, alongamento,

comprar uma sandália nova para o verão, fazer as unhas,

depilação; e dinheiro para tudo isso e ainda para pagar

uma excelente empregada – o que também custa dinheiro.

É muito interessante a imagem da mulher que depois

do expediente vai ao toalete – um toalete cuja luz é

insuportavelmente branca e fria, retoca a maquiagem,

coloca os brincos, põe a meia preta que está na bolsa

desde de manhã e vai, alegremente, para uma happy

hour.

Aliás, se as empresas trocassem a iluminação de seus

elevadores e de seus banheiros por lâmpadas âmbar,

os índices de produtividade iriam ao infinito; não há

autoestima feminina que resista quando elas se olham

nos espelhos desses recintos.

Felizes são as mulheres que têm cinco minutos – só

cinco – para decidir a roupa que vão usar no trabalho; na

luta contra o relógio o uniforme termina sendo preto ou

bege, para que tudo combine sem que um só minuto seja

perdido.

Mas tem as outras, com filhos já crescidos: essas, quando

chegam em casa, têm que conversar com as crianças,

perguntar como foi o dia na escola, procurar entender por

que elas estão agressivas, por que o rendimento escolar

está baixo.

E ainda tem as outras que, com ou sem filhos, ainda

têm um namorado que apronta, e sem o qual elas acham

que não conseguem viver (segundo um conhecedor da

alma humana, só existem três coisas sem as quais não

se pode viver: ar, água e pão).

Convenhamos que é difícil ser uma mulher de verdade;

impossível, eu diria… Parabéns para quem consegue

fingir tudo isso….”

REVISTA CARIOCAS - 5


Foto: Arquivo

Primavera: flores, cores

e sabores!

Por Mirian Barbosa, Sophia Carneiro e Juliana Rangel (Estagiária)

GASTRONOMIA

Bares e restaurantes apostam em receitas

coloridas para comemorar estação

A Primavera é uma das épocas do ano mais esperadas pelas pessoas. Com a Pandemia e o isolamento

social, mesmo que na flexibilização, muitas pessoas priorizam ir às ruas tomar sol e ver as flores nascerem

e colorirem os jardins. Outras, mais receosas, investem na gastronomia que sempre traz novidades nos

cardápios, como é o caso dos restaurantes que focamos abaixo e seus acepipes.

O Rio de Janeiro, cidade ímpar por sua beleza natural, aposta no clima agradável da nova estação para

rechear os menus de variedades. Bacana lembrar que, em tempos de Pandemia, vale muito o delivery,

serviço oferecido por todos os restaurantes. Bom apetit e Viva a primavera!

BARTHODOMEU

O Barthodomeu, em Ipanema, oferece deliciosas opções como

a tábua de camarões e lulas ao vinho branco (R$ 89). Para

acompanhar, a dica é apostar nos drinks lindos e refrescantes

como o Barthô Fizz (R$ 30), elaborado com espumante,

vodka, licor de morango, frutas vermelhas e alecrim e o Gin

Tônica Especial Barthô (R$ 30), com gin, Curaçao Blue,

gengibre, tônica.

Foto: Divulgação

CHURRASQUEIRA RIO

Também em Ipanema, a Churrasqueira Rio, oferece o Ceviche

de peixe do dia com chips de batata doce (R$ 42), o camarão

à dorê (R$ 75) e o polvo na brasa, acompanhado de batatas

rústicas (R$ 125,90).

Foto: Divulgação

REVISTA CARIOCAS - 6


ATELIÊ DANDAN

GASTRÔ

O Ateliê Dandan, dark Kitchen, em São Conrado, oferece

a moquequinha de bacalhau com arroz basmati e panko

de castanha e coentro (R$ 50). Já para sobremesa, a

dica é apostar na colorida torta de chocolate branco com

morango e peras (R$ 190), elaborada sem lactose, sem

açúcar, sem leite e sem ovos. Os pedidos podem ser

feitos pelo Whatsapp (21) 99419-8141.

Foto: Divulgação

CONFEITARIA MANON

Na Confeitaria Manon, no Centro, a dica de primavera é pedir

de sobremesa o creme de papaia (R$ 15,90): mamão com

sorvete de creme batido e creme de cassis. A Casa tem um

extenso cardápio com muitas opções. Basta ligar e ver o que o

delivery oferece.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

LAGO SUL CHURRASCARIA

A Lago Sul Churrascaria, localizada no Quitandinha,

tradicional bairro de Petrópolis, oferece drinques que tem

tudo a ver com a estação e escoltam o seu tradicional

churrasco, como o Cocktail de frutas naturais (R$ 15,90)

com os sabores de morango, abacaxi com coco ou

maracujá e o drink Tropical Gin (R$ 31,90), elaborado

com suco de laranja, red bull sabor frutas tropicais e gin.

Foto: Divulgação

VILLA TOSCANA

No Villa Toscana, o risoto é carro-chefe da casa. O Ibérico

(R$59,90 na unidade Centro - Rio; com presunto jamón serrano,

queijo manchego e parmesão, faz sucesso. Uma boa opção

para os comensais amantes de risotos.

PÁRU INKAS

Foto: Divulgação

Outro restaurante que também aposta nas flores é o Páru Inkas,

em seu Tiradito Carioca (R$ 40). Versão do prato peruano,

este é feito com carpaccio de atum com mel de açaí e servido

com farofa crocante estilo Páru. Para finalizar, é decorado com

deliciosas flores.

REVISTA CARIOCAS - 7


GASTRÔ

Foto: Divulgação

GRUTA DE SANTO ANTÔNIO

No Gruta de Santo Antônio, em Ponta D’Areia, a sugestão

do chef Alexandre Henriques é a salada do mar (R$ 98),

preparada com mix de polvo, lula e camarão, temperado com

limão, pimenta do reino, coentro, tomate e cebola, comem

duas pessoas.

OLIMPO

No restaurante Olimpo, em Charitas, duas novidades do chef

Daniel Hollanda no cardápio de sobremesas. A Panna Cotta

(R$ 23) aromatizada com Cumaru, servida sobre calda de

frutas vermelhas e mini suspiros, e a sua releitura de Tiramisú

(R$ 24).

Foto: Divulgação

SERVIÇOS

Barthodomeu:

Endereço: Rua Maria Quitéria, 46 – Ipanema

Telefone: (21) 99707-8519

Horário de Funcionamento: segunda e terça,

das 11h30 às 16h. Quarta, quinta, sexta, sábado e

domingo, das 11h30 às 01h00.

Churrasqueira Rio

Endereço: Rua Vinicius De Morais, 130 - Ipanema -

RJ

Telefone: (21) 3689-1009.

Horário de Funcionamento: todos os dias, das

11h30 às 23h.

Ateliê Dandan:

Delivery pelo Whatsapp: 21 99419-8141.

Entregas: em São Conrado (taxa = R$ 10) e Zona Sul

e Barra da Tijuca (taxa = R$ 20).

Confeitaria Manon

Endereço: Rua do Ouvidor, 187 / 189 – Centro.

Telefone: (21) 2221-0245

Horário de Funcionamento: De segunda a

sexta, das 7h às 20h. Sábados das 8h às 15h.

www.confeitariamanon.com.br

Lago Sul Churrascaria

Endereço: Rua República da Argentina, 259 -

Quitandinha, Petrópolis.

Telefones: (24) 2237-3779 / (24) 2237-1947

Horário de Funcionamento: De segunda a

sábado das 11h30 às 23h. Domingos das 11h30 às

18h30.

Valores: Dias de semana - R$ 82,90, por pessoa;

fins de semana e feriados prolongados - R$ 91,90,

por pessoa (crianças até 4 anos não pagam; de 05 a

10 anos pagam 50%)

Instagram: @lagosulchurrascaria

Facebook: facebook.com/lagosulchurrascaria

www.lagosulchurrascaria.com.br

Villa Toscana

Endereço: Rua Álvaro Alvim, nº 21 A – Centro – Rio

de Janeiro.[

Tel: (21) 2533-9118 / (21) 2533-9166 / (21) 99678-

7375.

Horário de funcionamento: De segunda a

sexta-feira das 11h às 17h.

Páru Inkas Sushi Grill

Botafogo

Endereço: Rua Visconde de Caravelas, 113-

Botafogo

Tel: (21) 3283-4676

Horário de Funcionamento: Domingo e

Segunda-feira- das 11h30 às 18h / Terça a quintafeira-

das 11h30 às 16h/ 18:30h às 23h / Sexta e

sábado de 11h30 a 16h e de 18h30 até 00h.

Gruta de Santo Antonio

Endereço: Rua Silva Jardim, 148 - Ponta da Areia -

Niterói.

Tel: (21) 2621-5701/ 98889-1926.

Horário de Funcionamento: Domingo a quarta e

feriados de 11h30 às 16h | Quinta a sábado de 11h30

às 22h.

OLIMPO

Endereço: Av. Quintino Bocaiúva, s/nº - Estação

Hidroviária de Charitas, 2º Piso – Charitas – RJ.

Tel: (21) 2711-0554.

Horário de Funcionamento: Segunda a sábado,

12h à 01h / Domingo: 12h às 19h.

REVISTA CARIOCAS - 8


REVISTA CARIOCAS - 9


CHEF

Na cozinha com Rodrigo Hilbert

Foto: Arquivo

Apresentador mostra sua paixão pela culinária e como tem sido conciliar trabalho

e família neste período de pandemia

Nem mesmo a pandemia foi capaz

de parar este homem! Rodrigo Hilbert,

hoje aos 40 anos de idade, ostenta

bom humor e simplicidade obtendo

sucesso em tudo que faz. Além de ser

um cara super família, o apresentador

faz questão de mostrar que mesmo em

período de pandemia, é possível utilizar

a criatividade para fugir do tédio, dando

vez à inovação.

Com sucesso absoluto, as novas

temporadas de seu programa

gastronômico

“Tempero de Família” no GNT, tem

sido campeão de audiência no canal

desde sua estréia em 2012. Em todas

as edições, Rodrigo faz questão de

mostrar ao seu público como é fácil

e gostoso preparar pratos simples e

caseiros utilizando alimentos frescos

– “Nunca gostei de sair para procurar

restaurantes. A comida mais fresca que

você pode encontrar é na sua casa,

você realmente sabe o alimento que

está consumindo, 100% de certeza”

– diz o catarinense, especialista em

“comfort food”. Seu estilo de “o homem

perfeito” ficou conhecido por todo o

Brasil, através de seus trabalhos na

TV, chegando a ser registrado em livro

(As Deliciosas Receitas do Tempero de

Família, Editora Globo, 2014).

Conhecido por sua generosidade e

carisma, Hilbert caiu nas graças do povo,

mesmo antes de se tornar apresentador.

Como ator, carrega em sua bagagem o

mérito de ter realizado dez novelas e

três filmes, até que seus dotes culinários

deixaram de ter na época em que

começou cozinhar, apenas Fernanda

Lima e os gêmeos como “cobaias” de

seus pratos. Hoje, com o nascimento de

sua caçula Maria Manoela e do casal

de gêmeos, Rodrigo e Fernanda Lima,

agitam as redes sociais, mostrando o

REVISTA CARIOCAS - 10


CHEF

quanto é importante o convívio familiar.

A seguir, o apresentador fala sobre seus

points preferidos no Estado natal, a rotina

em família e suas outras paixões, além da

culinária.

– Como se deu a evolução da carreira

de ator até chegar a um programa de

gastronomia?

Foto: Arquivo

Rodrigo – Tenho essa coisa inquieta,

né? Estava lá fazendo novela, tudo

certo, tranquilo, contratado pela Globo,

maravilhoso, estava em Fina Estampa e

tinham me chamado para outra novela.

Esse projeto aconteceu de surpresa.

Sempre cozinhei, desde moleque. Minha

mãe trabalhava fora e tinha que alimentar a

família. Chegava em casa da aula (Suzete

era professora e lecionava em três turnos),

preparava a comida, deixava pré-pronta.

No dia seguinte, eu ou meu irmão tínhamos

que finalizar a comida.

Como eu era mais novo e ele mandava em

mim, sobrava para mim. Aí aprendi muita

coisa. Em São Paulo eu cozinhava muito

para a galera. Quando eu e a Fernanda

ficamos juntos, também sempre cozinhei

para nós. Um dia eu estava fazendo uma

galinha ensopada com macarronada e

salada de batata, que é meu prato predileto

e até hoje tem isso todos os domingos

na casa da minha mãe, Fernanda tinha

chamado uma amiga dela para gravar, era

a diretora e produtora Gisele Matta.

Ela chegou lá em casa, a gente começou

a brincar, zoar, ela pegou uma escada,

amarrou uma câmera em cima e com

outra na mão andava atrás de mim, eu ali

fazendo almoço. Ela editou o vídeo, botou

música, ficou muito maneiro. A Gi mandou

para um amigo no GNT, o canal adorou e

foi assim que começou. Fizemos a primeira

temporada no Sul, ela foi a diretora. Aí

teve uma história trágica. Gisele estava

saindo aqui de casa um dia (em abril de

2013) e foi atropelada (estava de bicicleta)

na esquina e morreu. Foi o maior baque

na nossa vida, uma pessoa maravilhosa, e

nem chegou a ver o sucesso do programa.

Ela que me descobriu. Porque desde que

as crianças nasceram, a gente não tinha

empregada de noite, aos finais de semana,

e aí, como é que faz? Não gosto de sair,

então era tudo comigo, inventava pratos

e mais pratos. Eu mexo com a Fernanda

dizendo que ela voltou a comer muito bem

comigo, eu provoco, ela diz “você tá louco,

você acha que eu não comia?”, brincando.

Sem falar que ela era vegetariana até a

gravidez. Quando voltou a comer churrasco,

eu comemorei, “ô, que beleza”, era todo

final de semana.

– Você fala muito da qualidade de vida

das pessoas no interior. Isso se deve à

sua criação?

Rodrigo – Sim, acho que tem muito isso

em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul

mesmo. Pergunta para essas pessoas se

elas querem sair destes lugares e ir para

cidades grandes. Não, hoje as pessoas

querem ficar lá, manter a vida que têm. Cada

vez mais estou me interiorizando, cada vez

mais voltando para as minhas raízes, tenho

meu sitiozinho (em Teresópolis), minha

plantação, vivo na cidade grande porque,

óbvio, gosto, sou apaixonado pelo Rio de

Janeiro, meu escritório é aqui. Mas é muito

importante na vida de uma pessoa.

Agora no verão levei as crianças para a

casa da minha tia, em Ipuã, uma praia de

Laguna que fica do lado do Farol de Santa

Marta. Ficamos 15 dias ali, foi muito legal

para repor as energias. Olhava para meus

filhos correndo no chão de terra, brincando

até tarde da noite, sem eu estar preocupado,

sem ficar olhando, na rua de casa, com

outras crianças na praia, jogando bola

na estrada, os carros que vinham tinham

REVISTA CARIOCAS - 11


CHEF

Foto: Arquivo

É o exemplo da cidade que vive de lanche.

As pessoas saem da praia e passam ali

no açaí, a gente chama tudo aqui de açaí,

em cada esquina tem uma casa de sucos.

Isso você não tem muito aí no Rio Grande

do Sul, né?

– A que fatores você credita o sucesso

do programa?

que parar para eles continuarem jogando

bola. Nossa isso é impagável. E eu assim:

“vambora?”. E eles: “Não, pai, vamos ficar

mais um pouquinho”. De lá, fomos para

Atlântida/RS, já era mais movimentado,

mas eles curtiram muito. A vó deles (dona

Tereza, mãe de Fernanda) é um moleque,

adora brincar, comprou duas bicicletas,

andaram de um lado para outro. Essa coisa

de interior eles tiveram um certo contato

mesmo agora. Minha infância foi inteira

assim, como eles passaram essas duas

semanas.

– Como você equilibra o hábito dos

lanches e da alta gastronomia? Prefere

o meio termo?

Rodrigo – Minha forma de fazer é a

gastronomia mais tradicional, mas eu

gosto muito da alta gastronomia. Adoro

sentir sabores sem ter a cara do alimento.

Isso tem muito lá no Maní, o restaurante

da Fernanda (cuja chef é a gaúcha Helena

Rizzo, amiga de Fernanda). Vou te dar

exemplo de um prato: eles têm uma

feijoada lá que é um pratinho pequeno, são

umas esferas de feijão, você bota na boca

e sente o gosto de uma feijoada completa.

Meu Deus, como é que conseguem fazer

isso?

Sou fã dessas pessoas, porque não

consigo, não estudei para isso. Mas acho

lindo. Outra coisa é a urgência do dia a

dia. Como você vai se alimentar bem tendo

que acordar às 6h da manhã, mandar os

filhos para a escola, ir para o trabalho, não

voltar para casa, comer na rua, chegar em

casa de noite, fazer janta para os filhos,

dormir e no outro dia a mesma rotina? É

muito difícil, por isso que as pessoas vão

para o lanche, principalmente aqui no Rio.

Rodrigo – Não saberia fazer de outra

forma. Acho que é porque as pessoas se

identificam muito. Dizem “adoro quando

você lambe o dedo, adoro quando você

bota o dedo na comida, a tua mãe te

dando bronca…”. Muita gente voltou a não

ter medo de cozinhar. Porque cozinhar

virou um medo. A receita tem que ser tal,

a medida tem que ser tal… A cara dos

programas de culinária também mudou.

Jamie Oliver vem há anos fazendo isso.

Todo mundo meio que indo para o caminho

dele. Ontem ainda eu estava rindo que ele

coça a cabeça, quase tira uma catota do

nariz (risos). Me inspiro muito nele, e ele

inspirou muita gente. Até os programas

mais chiques estão mais largados. A Nigella

também faz a mesma coisa.

– Você falou da bronca da tua mãe.

Como é sua relação com ela?

Rodrigo – Nasci dois meses depois que

minha irmã faleceu (a primogênita da

família morreu aos 13 anos, de leucemia).

Meu pai sofreu muito com isso e se afastou

da família um pouco.

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 12


CHEF

em casa eu chamo alguém pra consertar,

tudo quem arruma sou eu acredite.

– Gosta de cozinhar muito, e obviamente

gosta também de comer muito?

Foto: Arquivo

Minha mãe me botou embaixo do braço e

aí foi meio “ninguém toca”. Virou uma leoa

na selva com um filho que ninguém iria tirar

dela de jeito nenhum. Me protegeu muito a

vida inteira, e eu sempre do lado dela.

Minha criação masculina é mais por parte

do meu avô, e a feminina pela minha mãe e

minha vó. E o que elas faziam? Cozinha o

tempo inteiro. Hoje minhas paixões derivam

disso. Meu avô (seu Aine, falecido em

2008, aos 86anos, ex-prefeito de Orleans

nos anos 70) era serralheiro e torneiro

mecânico, uma lenda na cidade, mestre na

arte de moldar ferros. É uma coisa muito

bruta e difícil, mas ele tinha a delicadeza de

mexer com ferro. Minha primeira profissão

foi soldador, aprendi aos 12 anos. Com 14

anos não queria sair de casa com meus

amigos para ficar com a minha mãe, porque

ela era minha protetora e eu não conseguia

deixá-la sozinha, tinha medo. Depois de

grande, né, fui fazer muita terapia para

poder resolver essas questões, hoje está

tudo certo (risos). Tenho uma oficina no

meu sítio, com solda e torno, faço várias

peças de ferro, brinco, monto, desmonto,

quebro, sou meio engenhosozinho. Nada

Rodrigo – Olha, sou apaixonado por vôlei

de praia e ciclismo. Há dois anos comecei

a participar de competições e tenho um

treinador. Vou fazer a Brasil Ride, a segunda

prova mais difícil do mundo. São sete dias

na Chapada Diamantina, 600 quilômetros.

Treino todos os dias, saio às 6h de casa,

faço meu treino na Mesa do Imperador,

vou até o Cristo, pedalo e chego a casa

8h30min, 9h, tomo café com a família.

Gasto muita energia com isso, então como

muito para me manter treinando. Isso é unir

o útil ao agradável. Para mim nunca é um

problema comer muito, é um pedido do meu

treinador. Opa, então deixa comigo (risos).

O problema é quando se canaliza isso da

ansiedade para o lado da comida. Todo

mundo é ansioso, não tem quem não seja.

Trato minha ansiedade com ciclismo, ioga,

esporte. Meu terapeuta diz que ansiedade

não faz mal a ninguém. Quem não tem

ansiedade é que tem problema. Mas tem

gente que quebra a ansiedade inteira em

cinco barras de chocolate, em três pratões

de comida ou come o dia inteiro, aí vem

um excesso que começa a fazer mal para

sua saúde. Se você não fizer nenhum tipo

de esporte você vai comer mais sempre.

Experimenta acordar amanhã e fazer um

exercício de manhã e ir almoçar. Vai ser

de uma forma bem diferente, com mais

consciência, comparado a você acordar e

não fazer nada.

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 13


CHEF

– Como é a rotina de vocês em família, agora

que ele cresceu?

Rodrigo – A gente mora sozinho, eu, Fernanda,

os dois gêmeos e agora a pequena Maria. Aí

no Sul é maravilhoso, porque se tem a família

sempre perto, né? Às vezes pensam “Nossa,

como eu queria a minha mãe morando aqui no

apartamento do lado, na esquina, minha vó,

minha tia, qualquer parente aqui perto. Tem que

sair? Deixa as crianças na casa de um parente.

No Sul tem muito isso, fui criado dessa forma. A

mãe tem que ir para algum lugar? Beleza, casa

da vó. Ah, tem que ir não sei onde? Beleza, casa

da tia. Aqui a gente não tem isso.

– Como você e a Fernanda se vêem no papel

de pais?

Rodrigo – Fernanda é maravilhosa como mãe.

Eu sou manteiga derretida, ela é mais séria,

segura a onda, mas muito amorosa. Eu tive uma

criação mais amolecida, minha mãe me protegeu

muito. O pai da Fê (Cleomar) era mais tipo “Ah, é?

Quer ir? Então vai, vai tomar porrada na cabeça,

vai, vai lá e faz isso aí”(risos). Ela me ajudou a

ser mais assim também. É uma mãe e mulher

maravilhosa, sou fã número 1, apaixonado,

não tenho nem o que falar dela. Esses dias me

pediram: “Fala aí da Fernanda”, e eu respondi:

“Vou falar o que aí, irmão, vou ficar falando da

minha mulher por aí? Eu, hein?” (risos). Costumo

agradecer muito a ela. Me deu um rumo na vida,

né? Foi um exemplo de vida para mim. Pago um

pau para ela impressionante, não vejo ninguém

no mercado tão dedicado como ela a tudo que

faz. Sou 10% do que ela é e já basta.

REVISTA CARIOCAS - 14


Jeniffer Setti, a Jey

em ritmo de Romantismo

Por Mirian Barbosa

PERSONA

Lançada no mercado musical simplesmente

como JEY, atriz, cantora e produtora confessa

que a dramaturgia e a música sempre a

encantaram.

Jeniffer Setti começou sua carreira artística

como atriz em 1999, interpretando e cantando em

Musicais teatrais. Na TV, estreou em 2013, pela

Rede Record, onde atuou em vários folhetins,

como “Dona Xepa”, “Milagres de Jesus”, mas

ficou conhecida ao interpretar Safira, nas duas

temporadas da novela “Os Dez Mandamentos”.

Na TV Globo atuou na série “A Segunda Dama”

e na novela “A dona do Pedaço”.

Em 2016 , a atriz abriu sua produtora de

áudio visual, onde começou a desenvolver seu

primeiro Projeto musical que conta com um EP

Completo e ficou conhecida carinhosamente

pelo codinome JEY. Dentro deste projeto suas

palavras de ordem são inovação, por isso

mistura vários ritmos em seus hits, sendo eles

pop com Rap, Reagaeton com Pop e Rap com

Funk, mas também ama cantar MPB.

JEY é versátil e acredita que o artista não

pode se limitar a cantar somente um ritmo, e

aposta na musicalidade do povo brasileiro. No

decorrer da pandemia ela não parou de produzir

e após o sucesso de “Como é que Vamos Fazer”,

a cantora lança sua primeira música romântica,

gerada nos meses de quarentena e lançada nas

plataformas em setembro.

“Esta música fala de uma mulher

empoderada, que sente necessidade de expor

os efeitos causados pelo isolamento social!

Certamente muitas mulheres vão se identificar

com esta letra que reflete um pouco dos

momentos de saudade e incerteza, reflexo deste

momento” conta a bela que está com a agenda

repleta de compromissos e agendas musicais

até o final do ano.

De acordo com JEY, a música vem

acompanhada de um Clipe e as ações nas

plataformas digitais, que traz diferentes

conteúdos em primeira mão e novidades quanto

a próxima música de trabalho para o verão, já

está sendo muito acessada tendo atingido 100

mil views só primeiro dia de lançamento.

REVISTA CARIOCAS - 15


PERSONA

Abaixo nossa versátil JEY conta um pouco

sobre este momento em sua vida e de sua paixão

pela família, a base de tudo.

O que mudou em sua carreira de

atriz quando resolveu apostar na de

cantora?

JEY- Na verdade não houve mudanças. Houve

um tempero a mais na minha carreira! A música

está muito interligada à dramaturgia. Eu sempre

amei a forma como os cantores contam suas

histórias nos clipes musicais! Existe um Show

de interpretação. Confesso que sempre fui muito

encantada pela Música, que nos faz pensar e

imaginar uma história.

Você ficou conhecida na TV como atriz,

como é sua relação com a música,

sempre cantou?

JEY- Eu fiz muitos trabalhos na televisão com

uma pegada Bíblica. Quando eu comecei a

mostrar um trabalho musical realmente foi uma

grande surpresa. Principalmente por não ser

nada ligado a religião, pelo contrário. Minhas

músicas tem uma bandeira muito forte pró

feminismo. Eu sempre tive uma ligação com a

música no teatro.. Fiz alguns musicais infantis. A

ideia do projeto sempre foi poder passar alguma

mensagem que fizesse o público pensar...

Principalmente nós mulheres.

Quais são as suas referências artísticas

na música?

JEY- Minhas referências musicais sempre foram

os cantores que expressam sua verdadeira

liberdade em suas letras.

Atualmente você está envolvida em

que projetos artísticos?

JEY- Eu estou com dois projetos para a televisão,

aguardando esse momento ruim passar, a

cultura está retomando aos poucos! Mas o foco

sempre será fazer os dois caminharem juntos.

Você mesma compõe suas músicas?

JEY- Na verdade eu quando não escrevo,

encomendo o assunto.

Essa música “O que eu Quero”, o meu querido

amigo Julian de Campos escreveu a partir de

uma ideia em conjunto. E eu vou adaptando a

melodia, dando a minha cara.

Do que fala a letra desta canção?

REVISTA CARIOCAS - 16

JEY- A letra fala sobre o Amor e Solidão. É um

trabalho diferente de todas as minhas letras.

Geralmente eu não mostro romantismo no meu

trabalho, mas o momento foi propício para criar

algo mais leve, que eu pudesse levar a idéia

de que você pode ser uma pessoa com forte

idealismo,mas também falar de amor.

Você tem trabalhado incessantemente

durante o isolamento social?

JEY-Sim tenho tocado vários projetos novos,

como lançamento de uma nova coleção de maiôs

com meu nome, e trabalhamos nesta música

nova durante a Quarentena!A minha Inspiração

e a do Julian de Campo veio da necessidade de


PERSONA

falar da Solidão e das oportunidades de sermos

felizes, que deixamos passar na nossa vida.

Como funciona o processo criativo na

composição das músicas?

JEY-Estou curtindo muito em escrever com uma

amiga, chamada Bárbara Dias. Ela é incrível e

me completa nas idéias. A gente liga o Zoom em

qualquer lugar e começa a criar.

Como é a sua personalidade em

relação ao trabalho, carreira ,

empreendendorismo?

JEY- Eu na verdade nunca fui de esperar o

emprego cair no meu colo. Sempre busquei

novos horizontes e criei as minhas próprias

oportunidades. Na dramaturgia a oportunidade

de um trabalho na TV não depende só de mim...

Depende de quem indica, depende se você

conhece alguém que te coloque, depende de

vários interesses como todos nós já sabemos.

Na música não deixa de ser diferente, mas para

mostrar meu trabalho depende exclusivamente

só de mim! Isso me fez investir nesse momento

mais na carreira musical, que é o meu lado

empreendedora.

Como é sua relação com a família?

JEY-Eu aprendi que precisamos de coisa lá

simples para vivermos bem. Que a Família é

a base de tudo e que precisamos dar valor ao

que realmente importa, que é a nossa saúde e a

nossa paz interior.

Quais são seus próximos projetos

artísticos, tem muita coisa em andamento?

JEY-Além dos projetos na televisão e os próximos

lançamentos musicais, que tenho mais dois até

o final do ano, quero criar conteúdo para os

novos canais de streaming.

FICHA TÉCNICA

FOTOS - PINO GOMES

(FOTO FLOR) - FABIANO BATAGLIN

PRODUÇÃO - MARCIA DORNELLES

REVISTA CARIOCAS - 17


SAÚDE E BEM ESTAR

Liberados

para amar

Por Laís Bertoche

Ilustração: Arquivo

Ah! O amor! Todos queremos amar e, principalmente,

sermos amados. Mas sabemos o que é o amor?

O amor é o divino poder de atração presente na criação

que harmoniza, vincula e une. O mundo físico se mantém

como o conhecemos pela força atrativa do amor, que une

cada partícula atômica, mantendo-as vinculadas e em

harmonia.

O amor está em tudo. Pode ser observado no cuidado

instintivo dos animais com seus filhotes e no sofrimento

que demonstram quando morre um de seus pares. Entre

os humanos, o amor se expressa de forma consciente e

responsável. Ou pelo menos assim deveria ser...

Num poema de Gibran Khalil Gibran, o Profeta afirma

que o amor nos conduz ao conhecimento de quem

somos, expondo os segredos de nossos corações e nos

convertendo no pão místico do banquete divino. Através

do amor, crescemos e podamos nossas imperfeições.

Por isso ele sugere que ao sentir o amor, ao invés de

dizer “Deus está no meu coração”, digamos “eu estou no

coração de Deus”.

AS VÁRIAS FORMAS DE AMAR

O amor não dá senão de si próprio e nada recebe senão

de si mesmo; não possui nem se deixa possuir. O amor

vai sendo cultivado, crescendo e se fortalecendo à medida

que avançamos no viver, nas muitas vidas da alma: nas

relações de par, na família, nas relações sociais, nas

comunidades religiosas, nos negócios, nas guerras...

Para além dos encontros casuais, os relacionamentos

trazem uma longa história de afeição, desejos, magoas

e ressentimentos. Alguns encontros duram pouco

tempo. Outros persistem e resistem há centenas, até

milhares de anos, viajando por muitas histórias, onde os

personagens desempenham papéis diversos, auxiliandose

mutuamente, aprimorando virtudes, aplainando arestas,

aprofundando afetos e desejos, desafetos e aversões.

Os laços do passado nos permitem reconhecer as

pessoas, dando-nos conta de simpatias e antipatias

instantâneas. Esses laços reforçam vínculos e tecem as

diversas relações que experimentamos: o amor entre

pais e filhos, o conjugal, o que vincula o empregador e

o empregado, a amizade e o amor entre o mestre e seu

discípulo...

O PRIMEIRO AMOR: PAIS E FILHOS

Aqui o amor se inicia com o fato de os pais darem a vida

e os filhos a receberem. Isso é o que há de mais valioso:

a oportunidade de viver. Ao receber a vida, o filho a aceita,

e faz de seus pais os únicos possíveis para ele. Por isso,

não importa quem eles sejam ou o que possam ter feito:

esta é a sua oportunidade de existir no mundo.

Qualquer outra coisa que necessite para manter sua vida

poderá ser dado por outra pessoa. Mas a vida, não: ela

vem exclusivamente por meio da mãe e do pai.

Bert Hellinger lembra que o amor floresce quando os

filhos valorizam a vida que obtiveram, quando aceitam os

pais como pais, do jeito que são.

PARA O AMOR CONJUGAL DAR CERTO

Quando pediram que falasse sobre o casamento, o

Profeta afirmou que o casal nasceu junto, e que devem

permanecer assim até o fim de seus dias e depois, na

memória silenciosa de Deus.

A certeza desse compromisso dá força para que os dois

prossigam juntos, superando as dificuldades das escolhas

e as inevitáveis frustrações. Mas o amor não deve ser uma

prisão. Há de ter espaço para que os ventos celestiais

posam dançar entre os dois.

E que cada um possa ter momentos de solidão. Que

dividam o pão, mas que não comam do mesmo pedaço,

conservando assim sua individualidade. Que estejam

juntos, mas não demasiadamente, pois um cipreste não

cresce à sombra do outro, lembra o Profeta.

Identificamos duas pessoas enamoradas quando sentem

uma atração incondicional mútua e se sentem dispostas

a sacrificar-se uma pela outra. O amor que se manifesta

REVISTA CARIOCAS - 18


SAÚDE E BEM ESTAR

numa constante consideração em favor da verdadeira

felicidade do outro acaba por converter-se em amor divino

e convida Deus a estar presente.

O LAÇO QUE UNE NO TRABALHO

O laço que une um empregador e o empregado se baseia

no benefício mutuo. Quanto mais dinheiro e amabilidade

ofereça o chefe, mais amor lhe será oferecido pelo

empregado; quanto mais valiosa for a contribuição deste,

maior será a consideração do empregador.

A AMIZADE É DIVINA

A amizade entre amigos é uma forma elevada de amor

humano, pois ninguém espera nada em troca. Trata-se de

uma escolha livre e certamente cultivada há muitas vidas.

Desejar que seu amigo progrida em todos os sentidos em

sua vida, inclusive espiritualmente, e experimentar um

sentimento de alegria genuíno com seu sucesso é o início

do desenvolvimento do amor divino. Este amor é cultivado

numa verdadeira amizade.

O AMOR MESTRE-DISCIPULO

Trata-se da expressão da amizade divina incondicional,

baseada no objetivo compartilhado e singular: o desejo de

amar a Deus acima de todas as coisas. O mestre está ali

para ajudar seu discípulo a encontrá-Lo.

IDENTIFICAÇÃO COM O PASSADO

Nas várias formas de expressar e sentir o amor, uma

identificação com memórias da família de origem ou de

vidas passadas pode produzir um emaranhamento afetivo

e um aprisionamento no passado, impedindo o fluxo

amoroso entre as pessoas.

Uma abordagem fenomenológica como a Terapia

Transgeracional visa a identificar, entender e liberar esses

bloqueios experimentados pelo casal, pela família, no

trabalho e entre os amigos, liberando as pessoas para

viverem o presente, comprometendo-se harmoniosamente

com o crescimento mutuo, num fluxo amoroso entre o dar

e receber.

Foto: Divulgação

Serviço:

Dra. Laís Bertoche – Psiquiatria.

Homeopatia. Constelação Familiar.

Terapia de Vida Passada

Av. N. S. de Copacabana 664 / Gr 706

Copacabana - Rio de Janeiro

Tels: 2257-2403 / 97681-6633

REVISTA CARIOCAS - 19


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

Eles aguentam o tranco na corrida e rodopiam na zumba.

Aprenda a tratar bem essas articulações!

1. Estalar não é um problema

Fique tranquila quando os “cracs-cracs” não

acompanharem dor – é um sinal comum de que alguns

tecidos entraram em contato. Já se houver incômodo,

procure um especialista – você precisa descobrir quais são

as causas (quase sempre dá para tratá-las!).

“A musculatura tem que estar forte e, principalmente,

em equilíbrio para reduzir a sobrecarga”, diz o ortopedista

Rene Abdalla, diretor do Instituto do Joelho do HCor, em

São Paulo.

2. Corrida está liberada

“Apesar de a pressão nos joelhos aumentar cerca de

oito vezes durante a prática, fortalecimento, alongamento

e aquecimento conseguem protegê-los e evitar a dor”,

garante o ortopedista Wilson Abou Rejaili, do Instituto do

Joelho, em São José do Rio Preto (SP). Não pule nenhuma

dessas etapas! “O tênis deve ser trocado a cada 500 km

de uso, quando o amortecimento se torna insuficiente”,

recomenda Rene.

3. Joelheiras não funcionam

São raros os casos em que elas são de fato recomendadas.

Na maioria das situações, o efeito é apenas psicológico.

“Joelheiras até podem piorar o retorno venoso e inibir a

contração muscular”, alerta o ortopedista José Ricardo

Pécora, diretor científico do Grupo do Joelho do Hospital das

Clínicas de São Paulo. Então, não compre um par com a

expectativa de se blindar, a não ser que receba indicação

médica.

4. É permitido agachar

Ao contrário do que todo mundo imagina, agachamentos,

afundos e avanços estão liberalíssimos – desde que

você seja orientada por um profissional a executar os

movimentos corretamente, claro. Flexionar mais de 90 ou

abusar da carga durante o exercício jamais, ok?

REVISTA CARIOCAS - 20

verdades sobre

seus joelhos e como

cuidar deles


MUNDO ANIMAL

Foto: Divulgação

Apaixonado por todos os animais desde criança, o

carioca Pedro Pastana, médico veterinário e sócio

da Clínica Animaleme, que funciona há 14 anos no

Bairro do Leme, inaugura nesta edição a Coluna

‘Fala Bicho’ onde traz informações diversas para

quem ama os animais. Se este é o seu caso, com

certeza, vai adorar.

Célula Tronco

Já existem tratamentos de ponta para animais assim como

para os humanos. A aplicação de células tronco tem resultado

em recuperações fantásticas nos casos de osteoartrose,

insuficiência renal e atopia uma alteração da pele em quadros

alérgicos. Agende uma avaliação em nossa clínica e saiba

mais informações.

Clínica 24hs

É muito importante o seu pet possuir umna clínica que

funcione 24 horas. No caso de emergências, inclusive

com internação, é essencial ter onde levar o animal. A

Animaleme oferece este serviço, inclusive com capacidade

para exames bioquímicos e hemogramas, o que facilitará

muito o diagnóstico.

Dor de ouvido

Muitos cães e gatos têm otite, que é a inflamação do

canal auditivo, conhecida também por dor de ouvido.

Ela pode ocorrer quando a região não é higienizada

corretamente ou quando permanece úmida após o

banho. No verão, que costuma ser mais quente e

úmido, as chances de inflamação aumentam. Os pets

demonstram dor coçando as orelhas com as patas

traseiras, sacudindo a cabeça ou mantendo-a inclinada

para o lado inflamado. Secreção e mau cheiro também

são comuns. Portanto, se você notar algum desses

sintomas, procure um veterinário.

Perda de Pelo: Conheça as

causas mais comuns

Um dos temores estéticos que vemos com maior freqüência é

alopecia, ou seja, cabelos caindo em homens e mulheres. E com

nossos animais também não é diferente. Saiba quais são as 5 causas

mais comuns da perda de pelo nos cachorros:

1. Calos ou úlceras - O que habitualmente conhece-se como calos são,

na realidade, úlceras por decúbito, aquelas que são produzidas por uma

pressão na pele que impede que a sangue chegue à determinadas

áreas. Quando não chega suficiente fluxo sanguíneo a pele pode

morrer, o que causa a formação de úlceras.

2. A síndrome de Cushing causa a perda de pelo no cachorro - Também

conhecida como hiperadrenocorticismo, pode se desenvolver por

tumor na hipófise e tumor na cortical da glândula adrenal e acontece

quando o organismo produz demasiada cortisona. Isso geralmente

ocorre pela aparição de um pequeno tumor na hipófise. Entre os

sintomas desta doença, podemos identificar que o cão fará mais xixi

e beberá mais água, aumentando o apetite, a pele fica mais fina, o

abdômen inflamado, prostração, o animal também fica ofegante e

apresenta debilidade muscular. Também podem sofrer esta síndrome

aqueles animais que foram tratados com cortisona por um período

longo de tempo.

3. A genética pode acarretar em perda de pelo no cachorro - Como

acontece com os seres humanos, há cães que estão geneticamente

predispostos a perder mais pelo que outros dentro da mesma raça.

Contudo, também há raças que têm uma maior tendência a sofrer este

problema de alopecia canina, como o Dobermann Pinscher, o Teckel,

o Chihuahua, ou o Whippet. A falta de pelo pode ser encontrada em

muitas partes do corpo, como nas costas, no dorso, na coxa, na parte

baixa do pescoço ou nas orelhas.

4. As infecções parasitárias também são responsáveis pela perda de

pelo - Em certas ocasiões, as infecções produzidas por parasitas são

inevitáveis, embora em outros casos devem-se à falta de cuidados. É

necessário prevenir de maneira adequada para evitar que os piolhos,

as pulgas, ou os carrapatos cheguem até nosso animal de estimação.

Também temos que lutar contra a sarna. Assim devemos adotar todas

as precauções para evitar que nosso animal tenha qualquer destes

problemas que são muito incômodos para nosso amigo fiel.

5. As alergias - Embora nós tenhamos deixado para o último ponto, não

é uma causa de menor importância. De fato, é uma das mais comuns e

que, além disso, provocam um grande sofrimento ao animal. Devemos

ter em conta que a perda de pelo no cão é um dos principais sintomas

das alergias caninas, o que nos dará a pista para tomar outro tipo de

medidas, orientadas sempre por um profissional da saúde animal.

REVISTA CARIOCAS - 21


SAÚDE E BEM ESTAR

HENRIQUE PASSOS, O MÉDICO DAS ESTRELAS

Responsável por atender famosas e socialites e moldar corpos, médico carioca faz

sucesso na Barra da Tijuca

Por Mirian Barbosa

Foto: Arquivo

Quem chega ao Vogue Square, na Barra da

Tijuca, no Rio de Janeiro, logo se depara com

um endereço grifado e repleto de profissionais

de ponta, principalmente na área médica. No

quarto andar, uma fila de mulheres aguarda

Henrique Passos, um homem alegre, atlético,

perto dos 40 anos, conhecido como o

‘queridinho” das famosas, socialites, atrizes e

empresárias.

A fama se deu pelo endocrinologista carioca,

especialista em Medicina Ortomolecular,

implementar a colocação do Chip da Beleza,

um implante hormonal muito conhecido

e comentado, que chama a atenção das

mulheres por ter resultados excelentes quanto

ao término dos incômodos da menstruação,

cólicas, enxaquecas, intolerância , TPM, entre

outros.

De acordo com o médico, o motivo está nos

efeitos altamente positivos que estão atrelados

ao uso do implante hormonal.

“Entre os efeitos que mais se destacam na

colocação do chip, pode-se dizer que ele auxilia

na eliminação da celulite, atua fortemente na

perda de peso e definição de músculos, e

para completar, aumenta o líbido”, explica,

dizendo que estes fatores tem-se mostrado

um atrativo.

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 22


SAÚDE E BEM ESTAR

Mas, aos poucos, as grifadas que freqüentam

seu consultório passaram a entender também,

que para colocar o tão desejado chip da beleza,

Henrique tem que fazer uma série de exames,

ver se existe indicação e, principalmente,

tratar as causas de algumas doenças ou

insuficiências vitamínicas através da

Medicina Ortomolecular, sua menina dos

olhos e grande especialidade.

“A Medicina Ortomolecular trata a saúde

de uma maneira global, preventiva e natural.

Importante destacar que a metabologia

dos tratamentos ortomoleculares atuam no

conjunto de mecanismos químicos que o

organismo necessita para uma formação

saudável, em acompanhamento com outros

diversos tratamentos como o emagrecimento

e na performance humana, por exemplo”

reintera Passos, lembrando que a medicina

ortomolecular não coloca a saúde em risco,

tratando o organismo de uma maneira global,

preventiva e natural.

A pergunta que não quer calar: você já reparou

que os grandes artistas, atores e cantores,

aparecem de repente mais magros de uma

hora pra outra? Milagre? Não, responde

Henrique Passos. “Esses cuidados são de

responsabilidade de médicos especializados

em emagrecimento, mudando o corpo

completamente. Muitos buscam pra aumentar

a qualidade de vida, ter mais disposição ou

um corpo mais atraente” diz.

Esculpindo Corpos

Foto: Arquivo

Responsável por esculpir o corpo de pessoas

famosas como a jornalista e atriz Carol

Nakamura e a bailarina e influencer digital,

Ju Siffuro, entre outras, Henrique acredita na

mudança no estilo de vida, comendo bem

e sem ficar preso à inibidor de apetite. “Se

alimentar da maneira correta, dormir bem,

evitar bebida alcoólica e praticar exercício físico

são as melhores ferramentas pra conquistar o

corpo ideal.” diz o endocrinologista, que explica

abaixo como é a consulta e o processo de

emagrecimento e o início do desenvolvimento

da performance humana, que é única para

cada paciente e não possui fórmula mágica.

“Através da análise de bioimpedância, analiso

todo corpo, como um scanner: peso, líquido,

músculo e gordura. Em seguida, levanto

dados, como alimentação, qualidade do sono,

estresse, doenças genéticas e outros fatores

que influenciam a rotina diária da pessoa. Após

esta análise, solicito os exames laboratoriais

para identificar através do sangue, hormônios,

vitaminas e minerais a verdadeira condição de

saúde do paciente.

Em outras palavras, são feitos os exames e o

retorno ao consultório, para que seja prescrita

a alimentação direcionada e medicamentos

fitoterápicos para tratar carências ou excessos

, muitas vezes causados por inflamações

globais (principalmente devido a gordura) e

que provocam doenças ” pontua o médico.

Voltando ao Chip da Beleza - Entenda

a Microincisão

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 23


SAÚDE E BEM ESTAR

O chip é como se fosse uma cápsula de

silicone que tem entre 3 a 5 cm e a sua

colocação é rápida e simples. Com anestesia

local, acontece uma microincisão na região da

nádega e ele é implantado.

Por que Chip da Beleza? Qual a origem

desse procedimento? Há relatos de efeitos

colaterais?

“O implante de gestrinona passou a ser

chamado de Chip da beleza por conta de

ganhos estéticos que ocasionam a redução

da gordura corporal e favorecem o ganho de

massa magra. Sobre os efeito colaterais, o que

pode ocorrer é certo aumento da oleosidade

da pele o surgimento de acne”, conta.

Uma informação muito bacana é que

existem casos em que o Chip é recomendado

principalmente em tratamentos hormonais. É

importante ressaltar que o uso de implantes

hormonais só deve ser feito com o devido

acompanhamento médico.

Perguntado se ao optar por um tratamento

aconselha a implantação do chip da beleza,

ou outros convencionais para emagrecimento,

Henrique Passos responde que muitos

pacientes o procuram com esta dúvida.” Cada

organismo reage de uma maneira, bem como,

o melhor tratamento depende de muitos

fatores, financeiros, tempo de dedicação,

organização de agenda.

Além disso, eu e minha equipe criamos alguns

critérios para ajudar aos nossos pacientes

nesse processo de evolução e conquista do

corpo ideal. A consulta será preponderante na

escolha dos tratamentos” finaliza.

Serviços:

Dr. Henrique Passos- Ortomolecular e

Medicina Preventiva

Endereço: Av. das Américas, 8585 – sls

478/479- Barra da Tijuca, Rio de Janeiro

Marcação de consultas pelo WhatsApp:

(21) 97560-2886

Site:www.drhenriquepassos.com.br /

Instagram: @drhenriquepassos

REVISTA CARIOCAS - 22

REVISTA CARIOCAS - 24


PSICOLOGIA

Foto: Arquivo

5 hábitos indispensáveis para manter a saúde

física e mental

Por Sophia Carneiro

Não precisa ser nenhuma especialista para

perceber que, atualmente, vivemos um caos

mundial na saúde. E quando nos referimos

à saúde, não se trata apenas da física, mas,

principalmente, da mental.

Em uma rápida busca no Google é possível

ver que a depressão é definida como doença

do século, enquanto outras enfermidades

retornam às manchetes e tantas outras

“novas” doenças ganham destaque, como a

síndrome de Burnout, caracterizada por um

estado de esgotamento físico e mental ligado

diretamente à atividade profissional.

Em um mundo que exige cada vez mais de

cada um de nós, como manter a saúde em

dia? A psicóloga clínica e neuropsicóloga,

especialista em saúde mental, Edyclaudia

Gomes de Souza responde essa e outras

perguntas sobre a saúde da mente e,

também, trás várias dicas essenciais de serem

praticadas no dia a dia, confira:

Você é seu principal recurso?

A resposta para essa pergunta está

diretamente atrelada ao estilo de vida individual.

A chave é: quanto do seu tempo você dedica

para você mesmo? Nós sabemos que é difícil

arranjar um tempinho para si em meio à rotina

caótica, a demanda exaustiva de trabalho e

às cobranças sociais. Mas reflita conosco: se

você não cuidar de você, quem vai cuidar?

“Não existe fórmula mágica e o cordão

umbilical já foi cortado há muito tempo. Pense

que se você “falhar” consigo mesmo, nada

mais será importante e seus objetivos de

vida ficarão cada vez mais distantes” diz a

especialista.

Pensando nisso, listamos alguns meios viáveis

para que possamos alcançar o tão sonhado

equilíbrio a fim de manter nossa saúde física

e mental em dia. Afinal, nosso corpo reflete

nossa mente e vice-versa. Essa conexão é

tão forte que muitos médicos reforçam o laço

de que todas as doenças apresentam um viés

psicossomático. Em outras palavras: a causa

pode ser emocional.

Mas como atingir o equilíbrio entre corpo

e mente para, realmente, ter uma vida mais

saudável? “A solução mais apropriada é

incorporar, na rotina, alguns hábitos diários, a

serem implementados em diversos momentos

do dia, que irão impactar diretamente na

qualidade de vida” diz Edyclaudia Gomes de

Souza que abaixo indica 5 hábitos que poderão

fazer a diferença na vida das pessoas.

REVISTA CARIOCAS - 25


PSICOLOGIA

1. Levante-se da cadeira! De acordo com Edyclaudia, tentar incorporar

caminhadas na rotina é uma forma ótima de

exercitar-se. “ Ir ou voltar andando do trabalho

depende da distância, já é uma atitude e tanto!

Caminhadas reduzem a pressão arterial,

aumentam o nível de oxigenação no cérebro

e não exigem tanto das articulações”.

Um estudo estadunidense, publicado

na revista Neuroscience, afirmou que os

exercícios fazem com que o corpo produza

uma substância que promove o nascimento

de novos neurônios. Isso quer dizer que

praticar atividades físicas também melhora

nossa capacidade cognitiva, principalmente, a

memória!

3. Atente-se à postura!

Foto: Arquivo

Foto: Arquivo

“Você trabalha grudado na tela do

computador? Tente levantar da cadeira mais

vezes durante o dia! Entre uma demanda e

outra, levante-se para esticar as pernas. Inclua

na sua rotina de escritório um momento de

alongamento, seus braços, pernas, pescoço e

mãos agradecerão! Quando ficamos sentados

por muito tempo nosso metabolismo se altera.

Isso tem influência em fatores como colesterol

e pressão arterial que são indicadores de

doenças cardiovasculares, obesidade e outros

problemas crônicos” explica a psicóloga

lembrando que a Sociedade Americana de

Câncer reforça que não é apenas a falta

de atividade física que encurta a vida, mas

também a imensa quantidade de tempo que

passamos sentados!

2. Mexa-se!

Foto: Arquivo

Além de levantar e se mexer é preciso estar

consciente de que sua postura tem tudo a

ver com sua qualidade de vida. Acontece que

a postura tem impacto muito particular no

funcionamento do nosso corpo.

“Assim como uma postura errada pode

ocasionar dor nas costas e doenças como

lordose e escoliose, a postura correta libera

endorfina, trazendo a sensação de serenidade

e autoconfiança. Isto é, sua postura está

diretamente ligada ao seu emocional.A

postura correta é ereta, com ombros para trás

e cabeça erguida. Quando sentados, o peso

do corpo deve recair sobre a zona inferior da

pélvis” relata a neuropsicóloga.

4. Alimente-se melhor!

REVISTA CARIOCAS - 26

Pouco adianta querer mudar de hábitos e

promover uma qualidade de vida melhor se

você continua se alimentado mal.


PSICOLOGIA

Por alimentar-se mal aumenta-se o consumo

de alimentos com gorduras saturadas,

açúcares e sódio, além de não ter horários

certos para comer.

“Nosso corpo é uma máquina, a melhor já

criada, e precisa ter uma rotina de cuidados

para funcionar bem. Mas não precisa se

assustar: é muito fácil incluir um cardápio mais

saudável no seu dia a dia. O que você come

reflete no seu corpo e tem influência direta na

sua resistência e longevidade”.

Tentem incluir oleaginosas nas suas

refeições (castanhas, amêndoas, pistache,

nozes e avelãs), elas reduzem, por exemplo,

cerca de 30% dos problemas cardíacos. Em

contrapartida, fast-food em excesso é gatilho

para doenças como hipertensão, infartos e até

mesmo derrames.

Por fim, Edyclaudia Gomes de Souza chama

atenção para a qualidade do sono. “ Dormir

bem é a chave para ter um bom dia. Além de

ser o segredo para a longevidade”.

Se você seguir as dicas anteriores, uma

boa noite de sono será consequência dos

seus hábitos! Segundo os pesquisadores da

American Academy of Sleep o ideal diário são

7 horas e meia de sono para recarregar as

energias e descansar o corpo. A má qualidade

do sono está diretamente ligada a prejuízos

relacionados à saúde.

Foto: Divulgação

Foto: Arquivo

5. Durma bem!

Foto: Arquivo

Serviço:

Edyclaudia Gomes de Souza

Neuropsicóloga, especialista em Saúde Mental e

Atenção Psicossocial

Endereço: Praça Serzedelo Correia n° 15 / Sala 302–

Copacabana

Telefone: (21) 982008545

REVISTA CARIOCAS - 27


SAÚDE E BEM ESTAR

OMS PEDE QUE FILHOS E NETOS LIGUEM SEMPRE

PARA PAIS E AVÓS CONFINADOS

Por Sophia Carneiro

Foto: Arquivo

Bem sabemos que os idosos são o grupo mais

vulnerável ao coronavírus. É necessário que

eles estejam isolados fisicamente, tendo

contato com o mínimo de pessoas possível,

confinados em seus lares, para evitar que

sejam infectados pelo vídeo.

Contudo, é necessário que esses idosos não se sintam

sozinhos e abandonados. Hoje em dia, por meio da

tecnologia, podemos falar constantemente com nossos

idosos, levando-lhes o nosso carinho, amor e respeito.

Hans Klunge, médico, responsável pela OMS em mais

de cinquenta países — que vão da Europa Ocidental à

Eurásia, Rússia e Israel —, disse que as famílias devem

ajudar as pessoas idosas a entender as informações

sobre o coronavírus para poderem se manter saudáveis.

“Quero passar uma mensagem para os mais jovens,

manter os avós em segurança significa que eles não

podem visitá-los pessoalmente, mas ligar para eles,

conversar com eles todos os dias para que não se sintam

sozinhos. Distância física não significa isolamento social”,

disse o chefe do escritório da OMS na Europa, Hans

Klunge.

Ademais, quando o confinamento estrito ou parcial foi

imposto na maioria dos países da região, a OMS pediu

a todos os afetados – embora com ênfase especial nos

idosos – que prestem atenção à sua nutrição, façam

atividades físicas e fiquem longe tabaco e álcool.

“Mesmo dentro de casa, você pode ser fisicamente ativo.

Se estamos sentados, trabalhando ou assistindo televisão,

vamos nos levantar pelo menos a cada hora, estabelecer

uma rotina diária com objetivos, como fazer 30 minutos

de exercício”, disse um especialista da a organização.

As aultas virtuais de exercícios também são uma opção,

mas, se alguém não souber acessá-las, ouvir música e

dançar também é uma boa alternativa, defendeu.

O especialista da OMS Manfred Huber enfatizou que

manter uma conexão social é essencial para as pessoas,

principalmente se elas moram sozinhas.

“Você precisa motivá-los e ajudá-los a encontrar uma

atividade que os interesse, que os diverte, para que

eles mantenham sua saúde física e mental. Também

deve haver uma rotina regular de sono e evitar assistir a

notícias o dia todo”, recomendou.

REVISTA CARIOCAS - 28


SAÚDE E BEM ESTAR

ALONGAMENTOS EM CASA: EXERCÍCIOS

FÁCEIS DE REPRODUZIR

Por Maria Amora

Manter o corpo alongado é essencial para uma boa qualidade de vida. Principalmente em períodos

de isolamento para alguns e flexibilização para outros, em que muitos estão se adaptando ao modelo

de home office, fazer alongamentos em casa evita dores musculares e nos tendões. Além de manter

a postura no computador, esse esforço diminui desconfortos de quem está trabalhando de casa sem

a estrutura ideal.

Vale a pena reservar um horário, todos os dias, para praticar os alongamentos. Coloque um lembrete

no celular para não esquecer e assegure a constância para garantir a efetividade dos exercícios.

Separamos para você alongamentos fáceis para fazer em casa. Confira!

1. Alcançando os pés

Foto: Arquivo

Você provavelmente já conhece esse alongamento, e

por que não aproveitar o tempo em casa para colocálo

em prática? Ele pode ser feito tanto em pé quanto

sentado, e é bem simples de ser replicado. Deixe as

pernas esticadas e tente alcançar os pés sem dobrálas,

e mantenha a posição por 30 segundos. Depois,

volte lentamente, sentindo a coluna se “desenrolando”.

Ao fazer alongamento em casa, comece pelos

movimentos básicos.

Existem diversas variações desse exercício que valem

a sua atenção. Uma delas também é bem simples: sente

no chão, dobre uma perna e estique a outra. Apoie uma

das mãos no joelho da perna estendida e tente tocar os

pés com a outra.

2. Alongamento do tronco

Para aliviar dores de ficar muito tempo sentado, alongar

o tronco é importante. Uma boa posição é a de

alongamento lateral. Muito feito na prática de yoga, ele

pode ser replicado por pessoas de todas as idades,

incluindo gestantes.

Ele também é bem simples de executar. Sente-se,

de preferência em um colchonete ou tapete de yoga,

com as pernas cruzadas. Apoie a mão direita no chão,

estique a esquerda e incline o tronco, alongando a

lateral do torso. Repita o processo para o outro lado.

Esse alongamento também pode ser feito por gestantes.

Existem variações desse exercício, como praticá-lo em

pé.Outro alongamento do tronco, ideal principalmente

para quem está trabalhando em casa, é feito sentado.

Basta girar tronco para o lado, se apoiando na cadeira,

e repetir na outra direção

Foto: Arquivo

REVISTA CARIOCAS - 29


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Arquivo

3. Postura da criança

Quem sofre com dores na lombar deve incluir em

sua rotina de alongamentos em casa exercícios que

estimulem essa região. Uma boa escolha é a postura

da criança, ou balasana, mais uma sugestão que vem

da yoga.

Fique de joelhos em cima do tapete ou colchonete e

confira se consegue sentar em cima deles. Caso não

consiga, coloque uma almofada entre os pés e o quadril.

Em seguida, expire o ar enquanto flexiona o tronco e

leve as mãos a frente, mantendo-se sentado nos joelhos.

Caminhe com as mãos até onde conseguir, sentindo o

corpo alongando. Mantenha a postura por um minuto.

A postura de criança é um dos alongamentos em casa

mais fáceis de replicar.

4. Alongamento de punhos e mãos

Foto: Arquivo

Quem trabalha no computador nunca deve esquecer

de alongar os punhos e as mãos, correndo riscos como

de lesão por esforço repetitivo (LER), assim como quem

possui tendinite na região.

O alongamento para punhos consiste em esticar um

braço, com a palma da mão para fora, e puxá-la para

trás com a outra. Mantenha por 30 segundos e repita

no outro braço. Depois disso, altere o alongamento

para colocar a mão virada para dentro, puxando com

a outra.O alongamento de pulso é essencial para

manter a saúde dos tendões utilizados ao trabalhar no

computador.

Foto: Arquivo

5. Alongamento de ombros

Quem já praticou algum esporte ou frequentou uma

academia sabe que o alongamento de ombros mais

famoso consiste em levantar os braços dobrados e puxar

um cotovelo, mantendo a postura por 30 segundos e

repetindo o processo no outro. Fazer esse alongamento

em casa é fácil: não precisa nem levantar da cadeira!

Outro exercício recomendado é estender um braço e

puxá-lo contra o corpo, também muito feito em esportes

e nas academias. Mantenha a posição por 30 segundos

antes de trocar de braço. Realizar alongamentos em

casa todos os dias pode melhorar a sua qualidade de

vida, diminuindo dores causadas por uma mudança de

rotina abrupta.

REVISTA CARIOCAS - 30


ENTREVISTA

VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Por Mirian Barbosa

“Todo avanço nesta área requer mudanças na estrutura da educação, onde os valores da

dignidade sejam espelhados como questão de Estado, desde a mais tenra idade.”

Foto: Divulgação

quer que estejamos, seja nas margens dos Rios

São Francisco, Amazonas, Negro, Solimões, ou

dos Lagos Suíços.

Na área literária, é biógrafa de ‘Dona Zica da

Estação Primeira de Mangueira’ e autora de

‘Defendendo o Meu Padrinho Padre Cícero - O

Santo do Povo Brasileiro’. Na jurídica possui títulos

como ‘Filhos da Justiça’, ‘Aprendendo o Tribunal

do Júri em 20 horas aulas’, ‘ Cadê a Justiça?’ ,

‘Omissão Nunca Mais’(com a participação de

Miguel Arraes, Alcione, Gilberto Gil, Ruth Escobar

e outros nomes da política, música , literatura e

cultura) entre outros.

Caminhando para os sessenta anos, esta

pernambucana de nascimento e cidadã do mundo

por opção, escolheu o Rio de Janeiro para passar

alguns meses desta pandemia, finalizando vários

projetos e iniciando outros como um livro que irá

homenagear a cultura carioca. Em trânsito por

cidades como São Paulo (onde mantém residência

fixa), Brasília e Amazonas ela conversou com

a Revista Cariocas sobre algumas questões

pertinentes ao universo feminino, deixando claro

sua posição de que sempre será tempo para as

mulheres avançarem, independente da formação

profissional. “ Vamos buscar o autoconhecimento”.

RC- A violência contra a mulher em tempos de

pandemia aumentou. As denúncias triplicaram

com o confinamento da COVID-19. Em sua

opinião como podemos continuar avançando

na luta contra esse horror?

Escritora, advogada e pesquisadora,

Odacy de Brito Silva, é uma estudiosa

das configurações culturais e sociais do

Brasil. Seu olhar sempre apaixonado

pelos roteiros que a vida lhe expõe

a fizeram uma observadora do comportamento

humano, onde com orgulho confessa ser aluna da

obra admirável de Simone de Beauvoir , escritora,

filósofa, intelectual, ativista e professora.

Integrante do movimento existencialista rejeita o

termo feminista e se define defensora da aplicação

efetiva da Constituição Federal. “Simples assim!”.

Com atuação e exito em centenas de júris no

país, principalmente no Estado de São Paulo, ela

se destaca por ser uma mulher denfensora dos

direitos humanos, que respira cultura afirmando

que só ela nos faz integrados com o mundo, onde

Odacy de Brito- A violência contra a mulher é

histórica e em pleno século XXI não foi vencida, em

nenhum lugar do mundo, não apenas considerando

o Brasil, espelhando-se infelizmente como herança

cultural; Retomando ao Brasil, é de fácil visão

suas raízes na sociedade escravocrata, como

reflexo de atuações múltiplas instaladas na sua

geografia, constituindo-se de cenário, onde as

mulheres fazem-se , atingidas tanto pela violência

física, quanto pela violência psicológica e danos

efetivamente irreparáveis;

Esse ambiente de violência sem medo de

errar, naturalmente tenderia aumentar diante do

isolamento necessário à redução da disseminação

do novo coronavírus, notadamente pelos problemas

sociais graves, previamente existentes, informado

pela própria ONU. O aumento de fato nos últimos

REVISTA CARIOCAS - 31


ENTREVISTA

Foto: Divulgação

É verdade que a questão não está na

especificidade de lei, para homem ou para

mulher, na medida em que a violência contra

a mulher assume raízes profundas que estão

situadas ao longo da história, sendo, portanto

de complexa desconstrução, senão pelas vias

da educação e consciência mundial, pois no

caráter mais permanente a violência contra a

mulher deflagra-se no Mundo;

No que diz respeito ao Brasil, a década de

80 em especial, considerando o advento da

Constituição Federal de 1988, que passou a

garantir igualdade de todos, desponta-se como

tempo de visível mobilização de mulheres em

razão da violência secularmente instituída;

Da igualdade assegurada na Lei Maior do país,

é este o conceito e definição da Constituição

da República, como instrumento de garantia

de direitos. E daí? – Em muito pouco tempo

estava instituída a classe de exceção, por meio

das Delegacias de Defesa das Mulheres, mais

adiante em agosto de 2006, a Lei 11.340,

chamada de Maria da Penha, foi aprovada,

disciplinando medidas protetivas, criando

estratégias para repressão, exatamente para

inibir a violência doméstica e familiar contra a

mulher.

No meu estado Pernambuco, no mesmo ano,

as estatísticas falaram por si, 291 mulheres

foram mortas em Pernambuco e, em apenas

cinco dias; Todo avanço nesta área requer

mudanças na estrutura da educação, onde os

valores da dignidade sejam espelhados como

questão de Estado, desde a mais tenra idade.

meses da violência doméstica, já triplicou em

países que aderiram o distanciamento social.

RC- Em 2006, entrou em vigor no Brasil a

Lei Maria da Penha, que criou mecanismos

de proteção e defesa para coibir o problema,

inclusive com normas estipulando as diversas

formas de violência . Como à senhora vê a

aplicação desta Lei no país?

Odacy de Brito- Não é de hoje que a violência

contra a mulher se faz estampada e cada

vez mais disseminada no mundo. No ano de

2018, em evento na sede da ONU, declarou

em Nova Iorque, o seu secretário-geral António

Guterres “que o mundo só vai se orgulhar de ser

“justo e igualitário quando as mulheres puderem

viver livres do medo e da insegurança cotidiana”;

Essa violência é histórica e assume de há muito

condição de inequívoca pandemia, e isso no

contexto do Mundo Global, restando visível na

atualidade contemporânea diante do papel

exercido, principalmente pela mídia social;

“Sou a favor do reconhecimento

igualitário, o mundo sempre

conviveu com mulheres corajosas.

Essa participação potencializada

na Magistratura está também na

Medicina, nos quartéis;”

RC- Por meio de articulação da Secretaria

Nacional de Políticas para as Mulheres

(SNPM), o Ministério da Mulher, da Família

e dos Direitos Humanos (MMFDH) aderiu à

campanha “Sinal vermelho contra a violência

doméstica”. A iniciativa criada em parceria

com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

e a Associação dos Magistrados Brasileiros

(AMB) teve o objetivo de combater a violência

doméstica e familiar contra a mulher por

meio da denúncia. Como a senhora vê esta

campanha, que incentiva a denúncia por meio

do X desenhado nas mãos principalmente

aos balconistas das farmácias?

REVISTA CARIOCAS - 32


ENTREVISTA

Odacy de Brito- Sinceramente absolutamente

superficial, não sinaliza como decorrência de um

sistema de comunicação e integração social, já

que em pleno século XXI muitas são as lesões,

os indicadores medidos por institutos como

IPEA, dentre outros evidenciam a necessidade

de consolidação da formação básica, qual seja,

a dignidade como status de desenvolvimento

humano.

Foto: Divulgação

RC- Um dos temas que vem sendo muito

discutido no país é o aborto. A senhora é a

favor?

Odacy de Brito- Este é um assunto antigo,

autorizado por lei em situações excepcionais,

uma delas a gravidez resultante de estupro, são

os chamados Abortamento eletivo previsto em

lei. Essa situação diz respeito aos abortamentos

solicitados em caso de estupro, risco de

vida para a mulher ou feto anencéfalo (que

não apresenta total ou parcialmente a calota

craniana e o cérebro). Diferentes técnicas podem

ser utilizadas, como uso de medicamentos,

curetagem. Nesse contexto, apesar do aborto

ser provocado, não se configura um crime; Sou

favorável, por convicção própria !

RC- Estamos em ano eleitoral. O número

de mulheres à frente das nominatas cresceu

muito. Como a senhora vê a mulher na política

como gestora?

Odacy de Brito- Sempre fui adepta da

igualdade constitucional, sou contra cota de

participação feminina, o maior reflexo da

participação da mulher está implementação de

programas permanentes, jamais às vésperas

das eleições, não sendo o caso das 3 políticas

citadas, posto inequivocamente despontaremse

como reconhecidas lideranças no cenário

político nacional;

RC-Aumentou o número de mulheres no

poder judiciário na última década. Esta é

mais uma conquista feminina alcançada?

Odacy de Brito- Sou a favor do reconhecimento

igualitário, o mundo sempre conviveu

com mulheres corajosas. Essa participação

potencializada na Magistratura está na também

na Medicina, nos quartéis;

Destaco Marie Curie, uma química e física

polonesa, como sendo a primeira mulher a

receber um Prêmio Nobel em 1903 (física), e

recebeu novamente o prêmio em 1911 (química),

ambos por seu trabalho sobre radiação, sendo

a primeira pessoa e única mulher a ser laureada

duas vezes e continua;

Chiquinha Gonzaga, e sua luta segue presente

nos dias atuais, diante efetiva proteção dos

direitos autorais, na sua forma mais ampla,

temos artistas maravilhosas como Marília, Bibi

Ferreira, Cecília Meirelles, Rachel de Queirós,

Nélida Piñón, é tanta gente, de Tia Ciata,

Bethânia, Gal, Alcione, Cora.

RC-A senhora é feminista?

Odacy de Brito- Sou aluna da obra de Simone

de Beauvoir, escritora, filósofa, intelectual,

ativista e professora. Integrante do movimento

existencialista, simplesmente sou existencialista,

não feminista, sou defensora da aplicação

efetiva da Constituição Federal.

RC-Uma questão muito importante no

universo feminino é o abandono familiar.

Poderia discorrer sobre o assunto?

Odacy de Brito- É sobre esta família que

recai o ônus de indenizar o filho pelo dano

moral causado em virtude do abandono familiar,

ou seja, quando um dos componentes desta

entidade, inadmitindo-se hipótese para omissão

e abandono dos pais para com os filhos e

filhos para com os pais, o chamado afeto

reverso;

RC-A senhora escreveu um livro sobre uma

mulher muito forte e gestora, Dona Zica da

Mangueira, um ícone carioca. Ela representa

a luta feminina contra o preconceito e a

superação?

Odacy de Brito- Uma mulher à frente de

seu tempo, e da própria superação;

RC-Qual recado que a senhora gostaria de

deixar para as leitoras da Revista Cariocas?

Odacy de Brito- É sempre tempo de avançar,

independente de formação profissional, o

autoconhecimento, sempre desponta-se como

excelente oportunidade para se buscar.

REVISTA CARIOCAS - 33


SAÚDE E BEM ESTAR

Foto: Divulgação

SOPHIA STARLING SE RENDE A TRATAMENTO COM MÉDICO DO

ESPORTE PARA MELHORAR PERFORMANCE CORPORAL

Por Mirian Barbosa

Aos 25 anos, 1,69 cm e pesando 59 kg , a

atriz e modelo Sophia Starling é sinônimo

de beleza e determinação, além de fazer

parte de uma nova geração de atores

que tem despontado para o sucesso devido ao

reconhecido talento.

Sempre muito focada na busca de um equilíbrio

físico e mental, a bela mantém uma vida saudável

através da alimentação equilibrada e exercícios que

pratica desde a adolescência. “Sempre gostei muito

de me exercitar e romper meus limites” confessa.

Esta semana Sophia esteve no consultório do médico

especialista em Medicina Esportiva, Ronny Cipriano, em

Ipanema, Rio de Janeiro.

Cipriano é um dos mais badalados médicos com

foco em atividade física na cidade, sendo Membro do

American College of Sports Medicine , nos Estados

Unidos e tendo sido médico do departamento de futebol

do Clube de Regatas Vasco da Gama.

Tornou-se referência dentro do esporte por atender

atletas profissionais e amadores além de pessoas que

buscam saúde e bem-estar através de tratamentos

especializados no desempenho corporal. Muito

conhecido por diversas personalidades, Ronny carrega

em sua bagagem uma vasta experiência de resultados

e competências em seus pacientes com a melhora do

metabolismo, perda de peso, modulação hormonal e

qualidade de vida.

O objetivo de Sophia Starling ao procurar a ajuda de

Ronny Cipriano foi ter auxílio e direcionamento para

otimizar suas ações quanto ao alcançar seus objetivos

físicos e bem estar. “Eu estava sem rumo aqui no Rio

e precisava obter um ponto de referência, alguém

que esclarecesse minhas dúvidas e direcionasse

um tratamento específico para eu alcançar melhor

desempenho, tanto no que diz respeito as atividades

físicas como na alimentação. As vezes sinto que

posso estar “treinando errado” de acordo com os meus

objetivos, e creio que a medicina do esporte pode corrigir

isso, e me ajudar muito” relata Sofia que passou por um

exame de bioimpedância para analisar seu percentual

Foto: Divulgação

REVISTA CARIOCAS - 34


PING PONG COM SOPHIA STARLING

1-Quem te olha percebe um corpo lindo e

escultural. O que você busca na Medicina do

Esporte?

Foto: Divulgação

Sofia- Saúde e e melhorar performance corporal.

Para mim cuidar da saúde do corpo não é

apenas ter uma bela estética, mas também

focar na parte interna e no tratamento ideal que

me traga força e longevidade.

de gordura, massa muscular, peso, altura etc...

As consultas de Ronny Cipriano avaliam o paciente

como um todo buscando analisar a composição corporal

de acordo com o modelo de vida da pessoa. “Sofia,

por exemplo, é atriz, possui grande gasto energético;

conversamos longamente para analisar possíveis

doenças pregressas (já existentes), ajustes metabólicos

e ajustes hormonais. Seu exame de bioimpedância

mostrou uma discrepância entre a massa magra e

a massa de gordura, o que não mostra no IMC, visto

que esse é normal. Vamos corrigir todos estes índices”

explicou o médico lembrando que a medicina da

atividade física é de suma importância para a aquisição

de saúde já que vai otimizar resultados e ajudá-la a

alcançar resultados excelentes na composição corporal.

Perguntado sobre o plano mo0ntado para atender

Sofia Starling, Cipriano informou que à principio será

intensificado o treino em prol da otimização da massa

magra. Existe prazo pré determinado para ela alcançar

o corpo ideal? “Trabalharemos com prazos curtos 30-60

dias, de acordo com os papéis que a mesma representará

na dramaturgia” esclareceu.

Fotos: Divulgação

“Seu exame de bioimpedância

mostrou que precisamos ajustar

alguns índices. Vamos corrigir”

(Ronny Cipriano)

2-Você faz exercícios ou pratica esporte há

muitos anos?

Sofia- Sim, muitos anos! Sempre fui daquelas

crianças hiperativas que querem fazer mil

atividades complementares, sabe, ? (rs...)Fiz de

tudo na infância, ballet, acrobacia aérea, dança

do ventre, jazz, saltos ornamentais, ginástica

olímpica, natação... Mas com consistência,

segui nas modalidades de dança! Comecei a

fazer musculação aos 13 anos, (lá se vão 12

anos ) e na adolescência me apaixonei por

yoga e muaythai. Por isso sinto que meu corpo

é tão “acostumado” e precisa sempre de novos

estímulos.

3- Como é sua alimentação e a rotina de

atividades físicas?

Sofia- Sigo uma constante busca por equilíbrio

na alimentação. Nunca tive problema com a

qualidade dos alimentos, desde criança fui

acostumada a comer todos os legumes e

verduras possíveis, e sempre gostei muito.

E quanto aos alimentos não saudáveis, não

gosto de álcool (salvo a exceção de vinho tinto

raramente), nunca gostei de refrigerante (desde

criança), e açúcar de um modo geral me cai

PÉSSIMO, a não ser que em quantidades muito

pequenas.

Mas luto constantemente contra a compulsão

alimentar, o excesso da quantidade de comida é

o meu “ponto fraco”, acho que por praticar muito

exercício, sinto minha fome sendo “infinita” e acabo

ingerindo uma quantidade muito além da minha

necessidade! Treino quase todos os dias, hoje em dia

musculação apenas focada em membros inferiores

duas vezes na semana, sendo uma delas o treino

de eletroestimulação muscular, Os outros dias eu

alterno entre corrida, yoga, muaythai, transport e

bike.

4- Você é vaidosa?

Sofia- Em alguns sentidos, sim.

REVISTA CARIOCAS - 35


SAÚDE E BEM ESTAR

Gosto demais de sentir que estou na minha melhor

versão, amo me olhar no espelho e me achar

linda. Mas busco me olhar e enxergar a beleza na

minha naturalidade, ou seja, na manifestação mais

fiel à minha essência. Por isso eu adoro a ideia

de “ressaltar as qualidades”. Mas não curto muito

maquiagem, por exemplo. E ao me vestir, gosto de

simplicidade. Menos é mais, e amo estar confortável

acima de tudo. Sempre tive um estilo de me vestir

predominantemente “hiponga”, contando que sou

muito eclética e cada dia estou num estilo diferente.

Mas me considero vaidosa “despida” digamos. Não

na produção, roupa, make, acessórios, mas sim nos

cuidados com corpo, rosto, pele, cabelos etc.

5-Qual é o seu limite da vaidade?

Sofia- Essa pergunta é relativa, polêmica e rende um

longo debate rsrs. Mas em minha opinião, o limite é

resumidamente o bom senso. É nunca estar acima

de valores mais importantes como bem estar e paz de

espírito, por exemplo. Acredito que pra tudo na vida,

o limite é a dosagem. Nada em excesso é e é bom,

assim como em escassez também não é... O limite

da vaidade é individual e relativo, mas prescinde

uma escuta do próprio ser sobre o que realmente

faz o seu coração vibrar de felicidade. E eu acredito

que artifícios que contribuam com a elevação da

autoestima, respeitando a saúde e particularidade

de cada um, podem sim trazer felicidade ao coração

de uma pessoa, é um contento.

6-Que tipo de tratamento foi desenvolvido para

vc por Dr. Ronny Cipriano?

Sofia- Doutor Ronny é maravilhosa e me auxiliou com

suplementos naturais (como ômegas, lactobacilos,

glutamina... ) e direcionou os meus treinos, ( em que

dias devo treinar quais grupamentos musculares e

por quanto tempo).

7- Para você o corpo ideal é...

Sofia- O corpo que você se sinta bem dentro. O corpo

que você ame e admire acima de qualquer padrão.

O corpo que VOCÊ ache lindo e perfeito dentro das

suas próprias concepções de beleza, e não das que

lhe foram impostas. O meu corpo, por exemplo, amo

quando ele está magro, me sinto mais disposta e

enérgica, porém necessito dos meus músculos bem

trabalhados até para evitar lesões que podem ser

ocasionadas pelos esportes que gosto de praticar.

8- Como enfrentou a pandemia e como está

sendo a flexibilização?

Sofia- O inicio da pandemia foi muito punk por aqui,

acredito que para todos. Fiquei bastante depressiva

e descrente do sentido da vida. Logo depois as

coisas foram se encaminhando e melhorou essa

Foto: Arquivo

sensação. A partir de maio comecei a me sentir

melhor e recuperar a produtividade perdida. Quanto

à flexibilização, tem muitas pessoas conscientes

e cuidadosas, assim como temos muito o oposto

também, né? Reforço que todo cuidado do mundo

é pouco, mas o novo normal está se saindo muito

bem. Retomei muitas atividades adotando muitas

medidas de segurança que no inicio foi mais difícil a

adaptação, depois virou hábito.

9- Quais são os planos imediatos de trabalho?

Sofia- Atualmente sigo investindo no áudio visual

dentro do esquema do “novo normal”. A próxima

produção artística presencial que faço parte retorna

apenas em janeiro. Enquanto isso, alguns trabalhos

como modelo e com as mídias sociais seguram a

onda financeira, ao passo que projetos artísticos

estão sendo elaborados.

Serviços:

Clinica Ronny Cipriano Esporte e Metabolismo

Telefone: (21) 3039-4239 / (21) 99922-8040

Site: www.ronnycipriano.com.br

Endereços:

Av das Américas, 8585 | salas 478/479 - Barra da Tijuca

Rua Visconde de Pirajá 550 sala 1906 - Ipanema

Instagram: @ronnycipriano

REVISTA CARIOCAS - 36


MEDICINA & CORONAVIRUS

Coronavírus: Pandemia provoca diminuição

no tratamento de outras doenças

Por Mirian Barbosa

Foto: Arquivo

Durante pandemia e mesmo na flexibilização, a demanda por atendimento clínico de doenças como

câncer tiveram queda. A busca por serviços oncológicos diminuiu até 70% na rede hospitalar brasileira.

Outros serviços de saúde não ligados a doenças infecciosas, como a Covid-19, caíram 50%

O sentimento de pânico e o medo de se expor

ao coronavírus estão fazendo com que algumas

pessoas deixem de dar a devida atenção a problemas

que demandam cuidados sérios, como câncer ou

doenças crônicas. A Confederação Nacional de

Saúde (CNSaúde) e médicos especialistas alertam

sobre a questão.

Segundo o secretário executivo da instituição, Bruno

Sobral, enquanto hospitais que tratam doenças

infectocontagiosas, como a Covid-19, estão cheios, a

demanda por leitos clínicos em outras especialidades

teve queda de 50% no Brasil. “Tem serviços, como

na área de oncologia, em que a procura caiu 70%.

Por outro lado, as unidades de terapia intensiva

(UTIs) estão cheias.”. Esta semana, a confederação

iniciou uma campanha para alertar as pessoas

sobre a importância de manter a continuidade dos

tratamentos.

A médica Jeane Juver, anestesiologista e

especialista em Medicina da Dor e Paliativa

explica que algumas cirurgias são adiadas com

razão, mas outras precisam ser feitas. “As pessoas

têm medo de procurar o serviço de saúde, mas

recomendamos conversar com os médicos”,

aconselha. “Cirurgias eletivas têm indicação para

que não sejam feitas. O que preocupa são terapias

como oncologia, toda a parte de acompanhamento

de pacientes crônicos e hemodiálise. Tanto

procedimentos, quanto consultas e exames são

fundamentais que sejam mantidos”, alerta Jeane

Juver.

Nos hospitais, acumulam-se resultados de

biópsias nas estantes, ao mesmo tempo em

que muitos adiam tratamentos que deveriam

iniciar imediatamente, como quimioterapia. Ainda

de acordo com Jeane, que atende em vários

hospitais da cidade, pacientes com suspeita

de tumor decidiram não seguir com o processo

de investigação, neste momento. Outros, com

diagnóstico estabelecido e indicação para início

de tratamento imediato, optaram por aguardar até

40 dias para começar, a contragosto da equipe

médica.

“A maioria dos casos envolvem tumores de

mama, transplante de medula e procedimentos

gastrointestinais, como colonoscopia. “Eles

evitam ir ao hospital, com medo de se expor ao

coronavírus. Coincide que a faixa etária de maior

incidência oncológica é em uma população de

idade mais avançada, a mesma que é mais

vulnerável às formas graves da Covid-19”,

pondera. “Meu conselho é: converse com seu

médico, porque cada caso deve ser avaliado de

maneira individualizada. Alguns tipos de tumores

permitem aguardar tratamento, mas outros,

de urgência, podem evoluir para metástase ou

comprometimento de determinado órgão”, alerta.

A professora aposentada, Luíza de Marilac,

moradora da Ilha do Governador, descobriu um

câncer de pulmão há três anos. A princípio pensou,

devido as dores nas costas, ser um problema

ortopédico mas uma tomografia seguida de biópsia

REVISTA CARIOCAS - 37


MEDICINA & CORONAVIRUS

diagnosticou a doença. Luíza iniciou o tratamento

inicialmente com a quimioterapia oral e depois com a

venosa.

Quando veio o isolamento social a professora já estava

marcada para fazer sua sessão de quimioterapia e não

adiou. “Sou uma mulher corajosa e forte. Fui orientada

por meu médico que não parasse o tratamento e

mesmo na quarentena sai para me vacinar e fazer

a quimio” explica, lembrando que é essencial não

abandonar e continuar com as medicações e exames

sempre que necessário.

“O que aprendi até agora é que o mais importante é

buscar o equilíbrio físico e mental. Sou uma mulher

alegre aos 72 anos, faço academia aqui no meu

prédio, sou alto astral e só sinto falta de ter minha

independência, estar com os amigos, andar de ônibus,

por exemplo” conta sorrindo e animada.

Ela faz questão de deixar registrado que as pessoas

com comorbidades como ela devem permanecer ainda

em casa e tomar muito cuidado com o vírus que está por

aí, mas devem manter cuidados básicos como banho

de sol, otimismo, seguir à risca as ordens médicas e

nunca parar de lutar: “ Temos que fazer nossa parte a

cada dia. Cada dia é um degrau, é um dia de gratidão

que estamos vivendo e vencendo” finaliza.

Cuidados

Mas só quem pode definir isso será o médico que

acompanha o paciente.

Qual a recomendação para as pessoas que

apresentarem sintomas de câncer durante a

pandemia?

Se a pessoa está com um sintoma, precisa procurar

um médico. Também é importante não deixar de fazer

os exames de rotina. A gente sabe que a incidência

de câncer tem aumentado, assim como a queda da

mortalidade. A consequência está ligada ao diagnóstico

precoce das doenças. O ideal é que a gente pudesse

prevenir o câncer, mas na falta da prevenção primária,

o diagnóstico precoce é a nossa maior arma de cura.

Os pacientes com câncer devem tomar algum

cuidado diferente dos indicados para prevenção

do novo coronavírus?

Eu costumo dizer que o paciente oncológico é muito

educado. Porque, como o tratamento da doença pode

levar a imunossupressão, ele já está acostumado com

hábitos de higiene. Então, neste período, os cuidados

não mudam. A gente fala para que o paciente tenha

uma vida normal, mas com as recomendações

necessárias.

Qual a recomendação de manter o tratamento

oncológico durante o período? Há casos em que

ele pode ser suspenso?

A primeira medida é procurar se informar bem com um

especialista, e esclarecer se pode ou não abandonar o

tratamento. Alguns casos como exames, por exemplo,

podem ser prorrogados e, às vezes, não. Mas só

quem pode definir isso será o médico que acompanha

o paciente.

Foto: Divulgação

A continuidade do tratamento é vital em casos de

pacientes que precisam de quimioterapia e para

aqueles que sentem muitas dores.Abaixo Jeane Juver

responde três questões para esclarecer dúvidas de

pacientes e leitores.

Qual a recomendação de manter o tratamento

oncológico durante o período? Há casos em que

ele pode ser suspenso?

A primeira medida é procurar se informar bem com um

especialista, e esclarecer se pode ou não abandonar

o tratamento. Alguns casos como exames, por

exemplo, podem ser prorrogados e, às vezes, não.

Serviços:

Clínica de Medicina Paliativa e da Dor Jeane Juver

Local: Av. Ayrton Senna N° 2600- condomínio Link Offive 2-

BI 4- sala 219- Barra da Tijuca WhatsApp: (21) 97125-6173 /

(21) 99642-2537

Local: Av. Maestro Paulo e Silva n° 350/211 – Jardim Carioca-

Ilha do Governador

Telefone: (21) 3117-1757 / (21) 2462-5054

REVISTA CARIOCAS - 38


Coluna do

Doc Mariz

Um Anarquismo Saudável

Foto: Arquivo

Doc Mariz não é humano. Ele veio do Planeta Vulcan.

E como todo bom Vulcano, ele acredita na honestidade,

no bom caráter, na boa índole, na capacidade

da pessoa aprender a ser educado e a praticar o que

aprendeu.

Ele também acredita que o poder corrompe os indivíduos

e é contra qualquer forma de governo que não

seja a conscientização através dos próprios atos, uma

espécie de “anarquismo saudável”, como diriam os terráqueos.

Doc Mariz escreve livros de contos bem humorados na

língua portuguesa, pois poucos seres conseguiriam ler

na sua língua natal.

Atualmente, Doc está na sua quinta vida terrestre, algo

como 370 anos e continua escrevendo suas estórias. A

partir desta edição é colunista fixo da Revista Cariocas.

Se você tem uma boa estória para contar, envie uma

internet terrestre para ele: docmariz@globo.com

Crônica

Por Doc Mariz

Casa Grande e Sem Sala

“Minas Gerais é o estado mais religioso do país. Do

modo que os motoristas dirigem é um tal de: Valha-me

Deus! Jesus Amado! Minha Nossa Senhora!”

Seu Carlinhos, dono da vendinha, daquela minúscula

cidade no interior mineiro, já estava no quinto

casamento. Sujeito respeitável na cidade, apesar do

currículo pouco cristão, presidente do coral municipal,

ex-vereador mais votado na cidade, padrinho de

dezenas de crianças, mulherengo semiprofissional e

fofoqueiro mor. Seus casamentos acabavam quando

as fofoqueiras de plantão denunciavam suas puladas

de cerca. Cidade pequena, a fofoca corre rápido e a

esposa da vez não suportava e tornava-se ex-esposa.

Mas não havia quem não passasse na sua vendinha

para uma prosa, uma cachacinha, uma pitada no fumo

de fundo de quintal, um docinho de abóbora e uma

fofoquinha.

A especialidade das especialidades do seu Carlinhos

era conversar e colocar apelidos. Colocava apelidos em

todo mundo que passasse na sua vendinha. Ninguém

escapava.

- Bom dia Dona Margarida!

- Olha qui, seu Carlim! Scutei dizê que o sinhô anda me

chamano de “jardim botânico”! Qui istória é essa, sô!?

- Fofoca do povo, Dona Margarida. Fofoca do povo que

não tem o que fazer!

- Ah bom! Pois si fô pur conta da minha “poupança”

grande o sinhô vai si vê com o Antunes.

- E quem é esse tal de Antunes, Dona Margarida?

- Minha “peixeira”! Meu facão di capá porco! Inté mais,

seu Carlim!

Não havia na cidade quem não ganhasse apelido!

Se andasse curvado para frente era “vento a favor”.

Se andasse curvado para trás era “vento contra”.

Problema na perna curta era “ponto e vírgula”. Velho

metido a garotão com cabelo pintado de preto era “Fred

Flinstone”. Velho tarado era “promoção do Viagra”.

Velho feliz andando de mãos dadas com uma novinha

era “corno sorridente”. Moça baixinha e atrevida era

“formiga de óculos”. Moça bonita e brava era “onça

pintada”. Mulher negra e brava era “pantera no cio”.

Homem negro e careca era “lâmpada queimada”.

Gordo que falava demais era “kombi sem freio”. Moça

gostosuda com calça apertada era “capô de fusca”.

Velha faladeira na janela da própria casa era “Matraca

Trica”. Velha que andava devagar e usando bengala

era “Tartaruga Touchê”. Homem pinguço era “pudim de

cachaça”.

- Seu Carlim, vortei aqui pra pedi discurpa pro sinhô!

- O que foi agora, Dona Margarida? O que foi que eu

fiz?

- O sinhô num fez nada, mas eu que fiz.

- Fez o quê, Dona Margarida?

- Coloquei apelido nu sinhô: “mosca de padaria”. Voa,

voa, voa e não come nada! Hahaha! Inté mais, seu

Carlim. Fofoqueiro da boca grande!

REVISTA CARIOCAS - 39


EMPREENDEDORISMO

Foto: Divulgação

MARAVILHOSAS BOLEIRAS

O empreendedorismo e a arte de Vivi Cohen

Por Mirian Barbosa e Juliana Rangel (Estagiária)

A psicóloga Vivi Cohen, decidiu se reinventar

durante a pandemia da Covid-19. A carioca,

conhecida pela sociedade da Barra da Tijuca

como uma mulher empenhada em causas

sociais, passou a colocar em prática uma paixão

antiga: o artesanato, uma habilidade herdada de

família, mas que foi aprimorada no renomado

‘Istituto Europeo di Design’, na Itália. “Estudei

design por sempre ter tido muita atração pelas

artes plásticas e trabalhos manuais” diz.

Desta forma, nasceu a ‘Maravilhosas Boleiras’

, tornando o hobby em uma atividade rentável e

com sensibilidade, talento e muitas técnicas, as

boleiras decoradas de Vivi, rapidamente fizeram

sucesso e hoje já estão sendo enviadas até para

fora do país. Parte dos lucros pela venda dos

produtos vai para a ONG carioca, One By One.

Vivi conta que o desejo de ajudar as pessoas

(doando parte da renda), sua expertise em

trabalhos manuais e a vontade de decorar a sua

casa( e a das muitas amigas)foi o combustível

necessário para a escolha do produto a ser

vendido, as boleiras. “O que era um simples

utensílio de cozinha passou a ser muito mais,

um produto que por si só já garante uma

linda e decorada mesa de refeições” diz a

empreendedora.

Ao explicar o nome ‘Maravilhosas Boleiras’,

Vivi Cohen, que também é administradora

de empresas, afirma que “eu dei esse nome

simplesmente porque eu as acho maravilhosas,

já que eram boleiras que eu idealizava, nunca

vi igual, então depois que eu consegui criar, eu

achei tão maravilhoso, que o nome só podia ser

esse.”

Apesar de ser uma obra de arte requintada,

a artista usa materiais simples na confecção

do objeto decorativo, como assegura: “são

guardanapos, tecidos, alguns pintados a mão,

puxadores importados da China, entre outros

lindos e diferentes.

REVISTA CARIOCAS - 40


EMPREENDEDORISMO

Um de seus próximos projetos é investir em

produtos para o lavabo. “Penso na venda de kits

como frascos para sabonetes líquidos, sprays,

toalhas etc...

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O que é a ONG One By One?

E quantos por cento são revertidos

para ela?

Foto: Divulgação

One by One é uma ONG, cujo o foco são

crianças que necessitam de cadeiras de rodas,

essas crianças são comprometidas física e

neurologicamente, por não conseguirem se

movimentar. “A ONG compra cadeiras de rodas

para essas crianças e, também assiste todas as

famílias, que são centenas. Eu não tenho um

percentual, eu quando vendo as boleiras acumulo

e dou um bom dinheiro, uma expressiva quantia

para ONG e ela compra as cadeiras de rodas.

Serviço:

MaravilhosaS Boleiras

Encomendas: Whatsapp: (21) 99178-1982

Preços sob consulta

REVISTA CARIOCAS - 41


COMPORTAMENTO HUMANO

5PERGUNTAS SOBRE NOVOS

COMPORTAMENTOS HUMANOS PÓS PANDEMIA

Por

Mirian Barbosa

Professor Lúcio Lage, Doutorando em Saúde

Mental pelo IPUB/UFRJ (Instituto de Psiquiatria

da Universidade Federal do Rio de Janeiro)

e pesquisador colaborador do Laboratório

DELETE- Detox e uso consciente de tecnologias,

especialista em novos comportamentos

humanos responde cinco perguntas pertinentes

à nova flexibilização da Pandemia no Rio de

Janeiro e Brasil.

Foto: Divulgação

1-Desde o feriado da Independência,

incluindo este final de semana solar, as

praias, bares, parques e shoppings no Rio de

Janeiro e outras capitais estiveram lotados.

Como o senhor vê esta flexibilização?

Prof. Lúcio Lage: Sem nenhuma surpresa. Já

havíamos sinalizado no nosso livro “A vida após

o novo coronavírus: novos comportamentos”,

lançado em 30/06/20 (www.barralivros.com), que

as reações das pessoas ao isolamento social

dependia da cultura dos povos, das nações e/ou

das regiões.

A cultura brasileira, em média, é da praia, do

futebol, da escola de samba e do churrasco e

tudo isto envolve aglomeração. Por seis meses

nosso cérebro ouviu: “vai passar”, “fique em casa

que passa logo”, “é temporário” e se manteve

em “modo provisório”. Com a flexibilização,

somada a angustia do exílio domiciliar, o cérebro

volta as condições de antes do isolamento

e as pessoas tentam retirar o peso da falta

de disciplina e experiência em situações de

limitações de mobilidade. Os disciplinados

orientais, principalmente os japoneses não estão

procedendo assim.

2-O senhor acredita que a flexibilização deva

ser contida no aspecto dos bares e praias?

Prof. Lúcio Lage: Contida talvez não seja um

bom termo para expressar a ação necessária.

São necessárias ações de revisão dos protocolos

e das liberações considerando as características

culturais de cada país ou região. No caso

brasileiro é preciso cautela, mesmo com uma

perspectiva positiva de redução da presença do

vírus, lembrando que isto não é uma certeza mas

sim perspectiva. Considerando o que se vou nos

últimos dias, é preciso sim discutir rapidamente

formas de minimizar as aglomerações.

3-Qual a solução para conter e esclarecer

as pessoas de que a pandemia ainda está

presente?

REVISTA CARIOCAS - 42


COMPORTAMENTO HUMANO

Prof. Lúcio Lage: Informação segura e

convincente de que qualquer liberação tem

que ser gradativa e ampliada a partir de

avaliações seguras de possibilidades. Um

exemplo interessante é a liberação parcial e

controlada que esta sendo feita em eventos

esportivos na Europa. No caso brasileiro o

poder de convencimento terá que ser maior

pela cultura indisciplinada e expansiva dos

brasileiros.

4-Em sua opinião a evolução das vacinas

em fase de testes terão efeito positiva já

em 2021?

Prof. Lúcio Lage: Como meu campo de

pesquisa é Comportamento Humano eu não

posso opinar sobre a eficácia das vacinas em

produção embora todos saibamos do poder

preventivo delas, se forem produzidas de

forma segura, responsável e lícita. Talvez nem

os infectologistas e demais cientistas que se

envolvem com este tema possam garantir um

prazo até pq outras variáveis estão em jogo

como comercialização, recursos financeiros,

decisões governamentais e interesses

internacionais. O tema “vacina” não pertence

exclusivamente ao campo da Saúde.

5-Os novos comportamentos póscoronavírus

indicavam em algumas de suas

pesquisas que as pessoas continuariam a

se expor tanto a contrair o vírus?

Prof. Lúcio Lage:Conforme a resposta da

pergunta 1, sim. As culturas mais expansivas

e menos experientes com limitações como

nos mostra a historia brasileira teriam mesmo

mais dificuldades de se manterem reclusas.

Os europeus, muito experientes por outras

pandemias, epidemias, endemias, e guerras

e conflitos territoriais, já estavam mais

acostumados culturalmente ao isolamento por

isto já se previa que teriam mais adequação

às regras protetivas.

Sobre Lúcio Lage

Engenheiro, pós-graduação em Administração

Pública (EBAP/FGV), em Tecnologia Educacional

(U.Católica de Petrópolis), em Gestão do

Conhecimento e Inteligência Empresarial

(PUC - Paraná) , Mestrado em Administração

(UNIEURO), Doutorando em Saúde Mental

(IPUB/UFRJ), linha de pesquisa Dependência

Digital. Pesquisador do Laboratório Delete -

Uso Consciente de Tecnologi@s (IPUB/UFRJ)

. Professor de cursos de MBA de 2000 a 2010.

Orientador acadêmico. Escritor dos livros ''Gestão

de Mudanças na teoria e na prática'' (2014),

''Mudanças Organizacionais no Brasil'' (2015),

''Dependência Digital'' (2017) e ''Convivendo

bem com a Dependência Digital'' (2018). Coorganizador

e co-autor do livro “Novos Humanos

2030: Como será a humanidade em 2030

convivendo com as tecnologias digitais?”(2019).

Último Lançamento: A vida após o novo

coronavírus: Novos Comportamentos – Ed.

Barra Livros(30/junho/2020).

A obra‘ A VIDA APÓS O NOVO CORONAVÍRUS:

NOVOS COMPORTAMENTOS’, vem gerando

comentários e interessantes discussões por

parte de especialistas em comportamento

humano e saúde mental. O Professor Lúcio

Lage está sendo convidado para palestras e

encontros onde o tema não poderia ser mais

pertinente ao momento atual.

@professorluciolage

Serviços:

Professor Lúcio Lage

Instagram: @professorluciolage

Assessoria de imprensa: DMC21

Comunicação e Marketing

Contatos: (21) 32584917/ (21) 981097176

LIGUE 180

REVISTA CARIOCAS - 43


REVISTA CARIOCAS - 44


beleza

carioca

Vitamina C tropical

A vitamina C é o ativo favorito das brasileiras

que buscam proteger a pele de radicais livres

e aumentar a luminosidade. Pensando nisso,

a francesa Avène criou o aqua-sérum A-

Oxitive (R$ 200), com tecnologia que impede

a oxidação da fórmula, tornando o ingrediente

mais estável, e não deixa o rosto nada oleoso.

Make 3 em 1

Livre de parabenos, conservantes artificiais e

ingredientes animais, a fórmula do novo Lip

and Cheek (R$ 68), da Simple Organic, é feita

com cera de carnaúba e está disponível em

três cores diferentes: pêssego, cereja e corde-rosa,

para ser usada nos olhos, maçãs e

lábios.

Alegria, alegria

Inspirado nas mulheres que vivem em

Olinda (e são exuberantes também fora do

Carnaval), a L’Occitane Au Brésil lança

o perfume Olinda de Viver (R$ 119), floral

frutado que combina óleo essencial de

gerânio com saída de lichia, tangerina e

pera. A linha ainda tem hidratante corporal

levíssimo e sabonete.

Listras para os labios

Lábios ombré, que combinam diferentes

tonalidades de lápis e batom, saem

das passarelas para a vida real sem

complicação: a Smashbox lança por

aqui os batons Triple Tone (R$ 149), que

reproduzem o efeito dégradé com apenas

um produto. Com cores neutras e vibrantes,

agrada básicas e ousadas.

A vez dos amadeirados

O Essencial Oud (R$ 190), perfume de

amadeirado intenso, é o novo lançamento

da Natura e chega para agradar às fãs

de essências de alma masculina. Oud é

o nome da árvore que produz uma das

madeiras mais caras do mundo, conhecida

como “ouro líquido” e famosa em regiões

como Índia e Sudeste Asiático. Notas de

pimenta rosa, preta, damasco e ameixa

negra completam a composição.

REVISTA CARIOCAS - 45


BELEZA

10

Foto:

Siga os

mandamentos

da pele linda na

primavera

Por Maria Amora

A primavera chegou e com ela dias mais quentes.

Atravessar a nova estação com a pele linda é um

grande desafio. Primeiro, o sol (que todo mundo

adora e nem pensa em desprezar), depois o cloro

e o sal do mar completam uma receita que tem tudo

para terminar em ressecamento, linhas de expressão

carregadas e, entre as descuidadas, envelhecimento

antes da hora. Mas não precisa ser assim.

Tomando as precauções certas, dá para exibir

um bronzeado sem sofrer o resto do ano de

arrependimento. A dermatologista Tatiana Yumi, que

possui clínica em Copacabana, Rio de Janeiro, dá

as dicas para evitar manchas, manter a hidratação e

limpar a pele para ficar saudável durante a estação.

1 Lave o rosto com um sabonete adequado para seu

tipo de pele (oleosa, mista, seca) e aplique um creme

hidratante ou sérum, de preferência recomendado

por um dermatologista. Antioxidantes, como vitamina

C, resveratrol, entre outros, são uma ótima pedida

para a estação.

2 “Aplique protetor solar cerca de 20 a 30 minutos

antes da exposição ao sol e reaplique a cada 3

horas. Existem ótimos protetores com toque seco e

até uma cor de base que ajuda a reforçar a proteção

e deixam a pele com aspecto mais uniforme” diz a

dermatologista.

3 Evitar fazer depilação na véspera da exposição

ao sol. Ela deve ser feita com, no mínimo, 48 horas

de antecedência. Pode fazer depilação a laser? Sim.

Mas evite o sol nos dias anteriores e logo após a

sessão. Se estiver bronzeada, não é recomendado

fazer a laser.

4 Depois de um dia de praia ou piscina, tome um

banho de água morna, mas evite água muito quente,

para não ressecar a pele e aplique um hidratante

após o banho. Uma pele bem hidratada mantém o

bronzeado por mais tempo.

5 Pode fazer laser ou peeling na primavera? Pode

sim! “Evite apenas tratamentos com laser abrasivos

Arquivo

ativos, que inflamam muito a pele e peelings mais

profundos. Hoje em dia existem lasers mais suaves

que tratam a textura da pele, poros e manchas, que

não são agressivos e podem ser feitos em qualquer

estação do ano” esclarece Tatiana Yumi.

6 Faça esfoliação da pele com sabonete,

principalmente no rosto, pelo menos uma vez por

semana. Assim você evita os indesejáveis cravinhos

no nariz e mantém os poros fechados.

7 Tire a maquiagem todos os dias antes de ir dormir.

8 Coma alimentos que contêm carotenoides, como

cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, pois

estes alimentos protegem do câncer e deixam a pele

bronzeada por mais tempo.

9 Segundo Tatiana Yumi deve-se evitar a exposição

ao sol entre as 10 e as 16 horas para prevenir

queimaduras solares, que causam envelhecimento e

o câncer de pele.

10 Protetor solar de cabelo? Sim! Deve ser usado

durante todo ano, principalmente quando for para a

praia e piscina. “O sol resseca e também queima os

fios. O protetor solar ajuda a manter a saúde e a cor

dos cabelos” finaliza a especialista.

Foto: Divulgação

Serviços:

Clínica Dermatológica Dra. Tatiana

Yumi

Copacabana: Av. N. S. de

Copacabana, 647 - Sala 913

Telefone: 3686-6836 / 99792-4734

www.tatianayumi.com.br

Instagram e

Facebook:dratatianayumi

REVISTA CARIOCAS - 46


BELEZA

MANTENHA SEU CABELO SAUDÁVEL:

7 DICAS PARA ARRASAR NA PRIMAVERA

Nessa época do ano, onde as pessoas costumam ficar mais expostas ao Sol, os cabelos acabam

sofrendo um pouquinho mais, por isso, para manter um cabelo saudável e bonito é preciso se atentar

aos cuidados diários. O Hair Style e Mago das Mechas Sérgior Marks, traz além de novidades, 7 dicas

essenciais que farão toda a diferença na hora de se preocupar com as madeixas.

Fotos: Arquivo

Cuidados essenciais:

1. Se você for dar um passeio, curtir uma

piscina/ praia, ou qualquer atividade onde

você vai ficar muito tempo exposta ao sol,

procure proteger os cabelos com chapéu,

com cremes que tenham proteção solar.

2. Antes de entrar na piscina ou

mar, aplique um creme de pentear,

principalmente nas pontas.

3. As lavagens devem ser mais frequentes

também, é importante lavar os cabelos no

mínimo 3 vezes na semana, pois o suor do

couro cabeludo, pode facilitar o aparecimento

de caspa.

Ao sair do mar, ou piscina, vamos enxaguar

bem os cabelos.

4. Muita gente não curte shampoo

anti resíduos, mas acho super válido,

principalmente após piscina, pois ele

ajudará a remover o cloro que ficou nos

cabelos, mas é importante fazer uma boa

hidratação depois para que os fios não

ressequem.

Foto: Divulgação

5. Beba bastante água, ela irá ajudar na

hidratação do seu corpo, pele e cabelos.

6. Se possível, deixe os fios secarem

sempre naturalmente nessa estação, o

cabelo já sofre com as altas temperaturas do

sol, vamos poupar ele então, mas se não for

possível, não deixe de usar um produto com

proteção térmica.

7. Por último, mas não menos importantes

hidratações regulares.

Serviço:

Sergio Marks Hair e Estética

Rua das Laranjeiras 29 / sala 204 e 205 - Laranjeiras Mall

Telefone: 22429602/ 22256116/991946679

REVISTA CARIOCAS - 47


tendências

MODA

Por Mirian Barbosa e Jéssica Marques (Estagiária)

Famosas aderem à moda trend dos anos 70 e marcam

presença com óculos e acessórios estilosos

Os anos 70 estão retornando à moda agora em 2020. Depois do tie-dye, é a vez de marcar

presença nos óculos. O estilo ‘trend’ como é conhecido, voltou com tudo e tem sido marca

registrada entre as celebrites e famosas como Marina Ruy Barbosa, Carolina Ferraz e

Sophia Abrahão, entre outras.

Os óculos de lentes mais claras ou em tons de marrom têm sido o queridinho de todas elas,

mostrando que estilo e glamour são atemporais.

Legenda: Carolina Ferraz, Marina Ruy Barbosa e Sophia Abrahão. Fonte: redes sociais

Os acessórios se transformaram em

grandes destaques nos visuais das

famosas. O da Sophia é uma mistura

de décadas, tendo toque de 1960 com a

armação tipo gatinho.

Marina Ruy Barbosa exibiu look todo com

a cara dos anos 70 e incrementou os

óculos com corrente dourada.

REVISTA CARIOCAS - 48


ESTILO NO OLHAR

#ficaadica1: Correntes de óculos

muito coloridas e trabalhadas chamam

bastante atenção. Para evitar excessos,

deixe que sejam as protagonistas, com

o restante mais neutro e discreto.

#ficaadica2: Lembre-se que opções

de metal podem reter calor e acabar

incomodando a pele após muita

exposição ao sol.

Carolina Ferraz seguiu a proposta com

lentes em degradê.

#ficaadica3: Óculos grandes e/ou

de destaque são para quem não tem

vergonha de ser notado.

#ficaadica4: Como os modelos são bem

chamativos, combine-os com peças

mais neutras para evitar excessos.

Sophia Abrahão exibiu óculos de sol

que mistura tendências dos anos 60 e

70.

#ficaadica5: Na hora de comprar

óculos, preste atenção na proporção.

Peças muito grandes em rostos

pequenos podem acabar escondendo

a expressão facial.

#ficaadica6: Se você tem rosto redondo,

prefira lentes mais quadradas. Rostos

quadrados caem melhor com os

modelos arredondados. O rosto oval,

por sua vez, é mais democrático, porque

tende a combinar com peças variadas.

REVISTA CARIOCAS - 49


MODA

Hickmann aposta em bermuda-pantalona em

nova coleção

A

poderosa Ana Hickmann é sinônima de

beleza, elegância e estilo. Além de ter seu

nome impresso em bolsas, óculos, sapatos,

produtos de beleza, roupas e muito mais,

acabe de fechar mais uma parceria, dessa vez, com

a estilista Luiza Fazzolli de quem Ana era cliente

há tempos. Para sua nova coleção vem apostando

no tema “Elementos da Natureza”. Onde a collab

entre a marca e a estilista tem entre as mais de 20

referências de modelagem, com várias tendências do

momento, incluindo flores, cores quentes como rosa,

e as mais clarinhas, como candy colors, uma chamou

a atenção, por trazer uma tendência que estará em

alta na próxima estação: a bermuda-pantalona.

Confira as dicas que a famosa sugere para arrasar

estilo nesta primareva:

Foto: Arquivo

Foto: Arquivo

#ficaadica1: A bermuda de várias modelagens tem

ensaiado a entrada no mundo fashion, junto com

peças de alfaiataria, incluindo as ciclistas usadas

com blazers.

#ficaadica2: A bermuda inspirada na pantacourts é

ideal para trabalhar, para ficar em casa, para home

office, para passeios, quando as saídas forem

realmente seguras.

#ficaadica3: Aliás, peças mais curtas, que não

arrastem no chão, estão entre as tendências póspandemia,

para não ter risco de contaminar a peça e

levar vírus e para bactérias para casa.

#ficaadica4: O bacana das duas peças é a possiblidade

de usar cada uma separadamente, criando looks

diferentes, dependendo dos complementos.

#ficaadica5: As chamadas candy colors estão entre

as apostas das próximas temporadas, para trazer

tranquilidade e paz aos looks.

REVISTA CARIOCAS - 50


MODA

Estilo e elegância:

Famosas no Emmy 2020 criam tendências de moda

Fotos: Arquivo

Não é a atoa que a noite do Emmy é uma das mais esperadas por todos os famosos e

telespectadores que acompanham a premiação. Ninguém, em seus maiores delírios fashion,

podia imaginar que os looks para uma premiação poderiam contar com pijama. Sim, a peça

já esteve entre as tendências, mas com acessórios sofisticados, tecidos chiques etc., etc.,

etc. Neste ano com a pandemia o Emmy 2020, que premia as melhores séries para a TV e

serviços de streaming, acompanhado de casa pelas famosas teve a roupa de dormir entre

os looks, assim como pretinho básico, de Jennifer Aniston, terninhos e roupas de grife. Nas

redes sociais, algumas das famosas também fizeram campanha para que os americanos não

se abstenham de votar nas próximas eleições presidenciais, em novembro. Confira os looks

e se inspire, até com os pijamas, afinal ficar em casa não é para os fracos, como pensam

alguns. Afinal, a pandemia não acabou

REVISTA CARIOCAS - 51


MODA

A atriz Rachel Brosnahan , que concorreu

como Melhor Atriz de série de Comédia, por

“Marvelous Mrs. Maisel”, usou ao lado de

seu companheiro Jason Ralph, pijamas com

estampas de papoulas, que também servirão

para a causa democrática incentivando os

votos. As peças serão doadas para leilão

com a intenção de arrecadar fundos para

o projeto “When We All Vote”(“Quando

Todos Nós Votamos”), campanha apoiada

também por Michelle Obama, pedindo para

que as pessoas votem, já que por conta da

pandemia, pode ter abstenção recorde.

Foto: Arquivo

A companheira de Jennifer no “The Morning

Show”, Reese Withespoon, também usou

um pretinho básico para aparecer nas

redes, em foto num jardim com uma taça

de espumante nas mãos. Ok, o vestido é

basiquinho, mas leva a assinatura de Louis

Vuitton.

Foto: Arquivo

Foto: Arquivo

Laura Linney concorreu como Melhor

Atriz em série de drama, pelo seu papel

em “Ozark”, e apostou no ativismo político

com seu look. Na foto, usou terninho

com a palavra “Vote”, incentivando as

pessoas a votarem nas próximas eleições

presidenciais americanas, em novembro,

já que o voto não é obrigatório nos Estados

Unidos. O conjunto é assinado por Christian

Siriano.

REVISTA CARIOCAS - 52


REVISTA CARIOCAS - 53


REVISTA CARIOCAS - 54

More magazines by this user
Similar magazines