15.10.2020 Views

Revista Pós-Venda Pesados 30

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

N.º<strong>30</strong><br />

OUTUBRO / NOVEMBRO 2020<br />

2€ PERIODICIDADE BIMESTRAL<br />

www.posvenda.pt<br />

f revistaposvenda<br />

i company/revista-pós-venda<br />

l <strong>Revista</strong>POSVENDA<br />

PUBLICIDADE<br />

Lubrificantes<br />

e aditivos<br />

alemães<br />

PUBLICIDADE<br />

DESTAQUE<br />

A Carglass lançou o serviço Mobile<br />

Trucks que permite a substituição<br />

do vidro e a calibração ADAS nas<br />

instalações da transportadora<br />

MERCADO<br />

A Auto Sueco apostou num serviço<br />

de limpeza de filtros de partículas que<br />

apresenta diversas vantagens para os<br />

seus clientes<br />

PERSONALIDADE<br />

Apesar de estar há mais anos na<br />

Recambios Barreiro, Paulo Castro fala<br />

dos 20 anos desta empresa de peças<br />

de camiões no nosso país<br />

Travagem<br />

São das peças de maior rotação no setor do pósvenda<br />

ligado aos pesados, com uma oferta para todas<br />

as necessidades e todas as bolsas


3<br />

PROPRIETÁRIA E EDITORA<br />

ORMP <strong>Pós</strong>-<strong>Venda</strong> Media, Lda<br />

Estrada de Polima<br />

Centro Industrial da Abóboda nº 1007<br />

2º andar, Escritório I<br />

2785-543 São Domingos de Rana<br />

Nº Contribuinte: 513 634 398<br />

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO<br />

Paulo Homem<br />

Anabela Machado<br />

CAPITAL SOCIAL DA ORMP<br />

Bettencourt & Mendes, Lda - 50%<br />

Paulofimedia Unipessoal, Lda - 50%<br />

CONTACTOS<br />

Telefone: +351 218 068 949<br />

Telemóvel: +351 939 995 128<br />

E.mail: geral@posvenda.pt<br />

www.posvenda.pt<br />

f facebook.com/revistaposvenda<br />

i linkedin.com/company/<br />

revista-pós-venda<br />

DIRETOR<br />

Paulo Homem<br />

paulo.homem@posvenda.pt<br />

REDAÇÃO<br />

Nádia Conceição<br />

nadia.conceicao@posvenda.pt<br />

COLABORADOR TÉCNICO<br />

Jorge Pereira<br />

DIRETORA COMERCIAL<br />

Anabela Machado<br />

anabela.machado@posvenda.pt<br />

ADMINISTRATIVA<br />

Anabela Rodrigues<br />

anabela.rodrigues@posvenda.pt<br />

PAGINAÇÃO<br />

Ricardo Santos<br />

geral@posvenda.pt<br />

SEDE DE REDAÇÃO<br />

Estrada de Polima<br />

Centro Industrial da Abóboda nº 1007<br />

2º andar, Escritório I<br />

2785-543 São Domingos de Rana<br />

TIRAGEM<br />

5.000 Exemplares<br />

Nº REGISTO ERC<br />

126723<br />

DEPÓSITO LEGAL<br />

403162/15<br />

PERIODICIDADE<br />

Bimestral<br />

IMPRESSÃO<br />

DPS – Digital Printing Solutions MLP, Quinta<br />

do Grajal – <strong>Venda</strong> Seca, 2739-511 Agualva<br />

Cacém – Tel: 214337000<br />

ESTATUTO EDITORIAL<br />

Disponível em www.posvenda.pt<br />

Sumário<br />

S<br />

PÓS-VENDA PESADOS<br />

N.º<strong>30</strong><br />

OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

www.posvenda.pt<br />

6<br />

Destaque<br />

Carglass Mobile Trucks...............................................................................................................................P.6<br />

8<br />

Notícias.............................................................................................................................................................P.8<br />

16<br />

Atualidade<br />

Deliberação IPQ / Tacógrafos..................................................................................................................P.16<br />

20<br />

Mercado<br />

Máquina de Limpeza de Filtros de Partículas..............................................................................P.20<br />

Tiresur....................................................................................................................................................................P.22<br />

24<br />

Oficina<br />

Transportes Figueiredo.................................................................................................................................P.24<br />

26<br />

Personalidade<br />

Paulo Castro – Recambios Barreiro.....................................................................................................P.26<br />

32<br />

Dossier<br />

Peças de travagem para pesados.........................................................................................................P.32<br />

40<br />

Camiões / Autocarros<br />

Novidades............................................................................................................................................................P.40<br />

46<br />

Técnica<br />

Sistemas Anti-poluição (Filtros de Partíiculas) – Parte II......................................................P.46<br />

Cesvimap - Especialização na reparação de veículos industriais.....................................P.48


4<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Editorial<br />

Serviços de<br />

proximidade<br />

E<br />

PAULO HOMEM<br />

DIRETOR<br />

paulo.homem@posvenda.pt<br />

Nesta edição da sua revista<br />

PÓS-VENDA PESADOS<br />

trazemos-lhe alguns exemplos<br />

do que significa verdadeiramente<br />

a palavra serviço,<br />

em diversas abordagens, de modo a<br />

que uma frota de pesados se possa concentrar<br />

acima de tudo naquilo que melhor<br />

sabe fazer, que é transportar mercadorias.<br />

Alguns desses serviços resultam de parcerias,<br />

algumas de longo prazo outras<br />

nem tanto, que podem ser rentáveis para<br />

qualquer dos parceiros, quando as mesmas<br />

trazem reais benefícios para ambos.<br />

São exemplos como estes que trazemos<br />

nesta edição (e que terá de ler para os<br />

descobrir) que deviam nortear o negócio<br />

de qualquer empresa que venda serviços<br />

técnicos ou peças para as frotas<br />

de pesados.<br />

Avaliar as necessidades de manutenção<br />

ou reparação de uma frota e propor-lhes<br />

serviços adaptados às suas reais necessidades<br />

são meio caminho para se poder<br />

diferenciar cada vez mais neste negócio.<br />

Obviamente que tudo acaba por se resumir<br />

à redução de custos de operação<br />

de uma frota, que é isso que qualquer<br />

gestor de uma frota procura, mas poder<br />

proporcionar-lhes serviços de valor<br />

acrescentado, pode não só reduzir-lhe a<br />

fatura no final do mês, como rentabilizar<br />

cada vez a operação do transportador.<br />

Outro assunto muito importante que<br />

trazemos nesta edição da PÓS-VENDA<br />

PESADOS tem a ver com a deliberação<br />

do Instituto Português da Qualidade, datada<br />

de 22 de dezembro de 2017, que<br />

refere que a partir de 2021 o controlo<br />

metrológico dos tacógrafos e taxímetros<br />

far-se-á através de organismos de verificação<br />

metrológica (OVM).<br />

Trata-se de um tema “quente”, pois as<br />

atuais empresas que fazem a aferição dos<br />

tacógrafos nos pesados para continuarem<br />

a proceder à verificação dos aparelhos de<br />

controlo metrológico, terão de passar<br />

por um processo de qualificação como<br />

entidade metrológica (OVM), que será<br />

longo e dispendioso. É uma situação que<br />

provocará grandes constrangimentos a<br />

estes operadores e, por consequência, às<br />

frotas de pesados.<br />

Neste artigo poderá ficar a conhecer a<br />

opinião de diversas entidades e organismos<br />

que reagiram a esta deliberação que<br />

ainda irá fazer correr muita tinta até final<br />

de 2020.<br />

Para finalizar, muita saúde para todos e<br />

não se esqueçam do distancimento social<br />

e de usarem a máscara sempre que<br />

seja obrigatório!!!<br />

Avaliar as necessidades<br />

de manutenção ou<br />

reparação de uma frota<br />

e propor-lhes serviços<br />

adaptados às suas reais<br />

necessidades são meio<br />

caminho para se poder<br />

diferenciar cada vez<br />

mais neste negócio


6<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Destaque<br />

D<br />

VIDRO<br />

CARGLASS MOBILE TRUCKS<br />

Serviço móvel<br />

para pesados<br />

A Carglass tem em funcionamento um serviço móvel<br />

de substituição e reparação de vidros em camiões.<br />

Após um ano de “afinação” do conceito, neste momento<br />

a Carglass já possui quatro carrinhas móveis, com o intuito<br />

de ter uma cobertura nacional<br />

TEXTO PAULO HOMEM<br />

Atendendo às necessidades das<br />

empresas transportadoras e ao<br />

aproveitamento da imobilização<br />

programada do veículo<br />

pesado em parque, a Carglass<br />

lançou em 2019 um serviço móvel de<br />

substituição e reparação de vidros em<br />

camiões. Ao longo deste ano o serviço<br />

foi sendo aperfeiçoado, quer do ponto<br />

de vista técnico, quer do ponto de vista<br />

operacional, pelo que esta foi a altura<br />

ideal, num momento em que este mesmo<br />

serviço já está mais maduro, para a sua<br />

divulgação.<br />

Apesar de tradicionalmente fazer o serviço<br />

de ligeiros em agências próprias há muitos<br />

anos, a verdade é que a Carglass também<br />

já fazia o serviço de pesados, embora a sua<br />

expressão fosse residual comparativamente<br />

ao serviço de ligeiros.<br />

Mesmo assim, Susana Moreira, na Carglass<br />

há 15 anos, nas suas funções comerciais


7<br />

tem vindo a trabalhar, nos últimos cinco<br />

anos, com mais proximidade o setor<br />

das empresas de transportes onde foram<br />

“identificadas algumas necessidades, nomeadamente<br />

a rapidez no serviço e que o<br />

mesmo deveria ser preferencialmente feito<br />

nas instalações dessas empresas, aproveitado<br />

as pausas dos veículos e facilitando<br />

a vida ao transportador que assim não<br />

tinha que fazer deslocar a viatura a uma<br />

agência, com todos os custos que isso<br />

acarreta para ele”, comenta.<br />

Por outro lado, a dificuldade em agendar<br />

o serviço de pesados nas agências onde<br />

poderia ser efetuado, articulando-o com<br />

o serviço de ligeiros, trazia também diversos<br />

constrangimentos que a Carglass<br />

resolveu com o lançamento do serviço<br />

móvel de pesados.<br />

Para ir de encontro às necessidades dos<br />

clientes, mas também porque a calibração<br />

do sistema ADAS nos pesados começou<br />

a ganhar cada vez mais importância, a<br />

Carglass dinamizou uma primeira equipa,<br />

afeta à agência de Aveiro, mas que<br />

rapidamente se tornou num projeto a<br />

nível nacional.<br />

Carglass<br />

Susana Moreira<br />

916 624 734<br />

susana.moreira@carglass.pt<br />

www.carglass.pt<br />

A primeira carrinha de assistência móvel<br />

foi para a estrada em maio de 2019,<br />

tendo existido a colaboração de algumas<br />

transportadoras que foram dando as<br />

seus sugestões para que o serviço móvel<br />

se fosse aperfeiçoando. “Depois de afinarmos<br />

o conceito durante os primeiros<br />

meses e verificarmos a sua rentabilidade,<br />

a nossa intenção era de o fazer crescer<br />

para todo o país, o que veio à acontecer<br />

de forma natural, continuando a articular<br />

o serviço móvel com o serviço de pesados<br />

nas agências onde isso é possível”, refere<br />

Susana Moreira.<br />

Para a Carglass, poder disponibilizar<br />

este serviço às transportadoras terão que<br />

existir condições mínimas (em termos<br />

de instalações) para o poder efetuar e<br />

que dependem também da natureza do<br />

serviço, isto é, se o mesmo for feito<br />

com calibração do sistema ADAS ou<br />

sem calibração. O serviço não pode ser<br />

efetuado em via pública (por lei), sendo<br />

que as condições mínimas são “um espaço<br />

coberto, plano e com níveis standard de<br />

iluminação, condições essenciais para<br />

os serviços em que repomos os parâmetros<br />

dos componentes eletrónicos do<br />

camião, (recalibração Adas)”, explica a<br />

responsável do projeto Mobile Trucks<br />

da Carglass, dizendo que “em muitos<br />

clientes de maior dimensão isso não é<br />

problema, pois têm instalações oficinais<br />

onde os nossos serviços podem ser realizados<br />

em ótimas condições”.<br />

Meios<br />

Atualmente o serviço Carglass Mobile<br />

Trucks tem cobertura nacional e é prestado<br />

através de 4 viaturas totalmente<br />

preparadas para o efeito.<br />

Cada carrinha tem todos os meios e equipamentos<br />

para efetuar o serviço móvel<br />

de substituição e reparação de vidros em<br />

camiões, mas também o serviço de calibração<br />

do sistema ADAS, funcionando<br />

como agências autónomas. Refira-se que<br />

o serviço Carglass Mobile Trucks, por<br />

norma, funciona de 3ª feira a Sábado,<br />

tendo uma duração média de serviço de<br />

substituição de cerca duas horas e do<br />

serviço de reparação de aproximadamente<br />

trinta minutos.<br />

Para dinamizar o Carglass Mobile Trucks<br />

foi criado um vídeo explicativo (disponível<br />

no canal youtube da Carglass<br />

Portugal) com todas as etapas do serviço<br />

prestado por estas carrinhas, estando a<br />

empresa a potenciar este serviço junto<br />

de mais empresas transportadoras ao<br />

nível nacional.<br />

Apostando a 100% no serviço a camiões,<br />

Susana Moreira conclui que o projeto<br />

Carglass Mobile Trucks é uma enorme<br />

mais-valia para as empresas transportadoras,<br />

sobretudo, por “lhes permitir agilizar<br />

o serviço reparação ou substituição do<br />

vidro do camião, quando este está parado<br />

nas instalações, com todas as vantagens<br />

que isso acarreta”.


8<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Notícias<br />

N<br />

ENI<br />

Eni reforça presença<br />

em Portugal<br />

Apesar da pandemia, 2020<br />

tem sido um ano de expansão<br />

da marca Eni em Portugal.<br />

São diversos os novos<br />

projetos que a empresa<br />

tem vindo a desenvolver,<br />

com destaque para o novo<br />

armazém de lubrificantes<br />

Mais do que falar de combustíveis<br />

ou lubrificantes, a<br />

Eni tem-se destacado pelos<br />

imensos projetos que<br />

tem vindo a desenvolver<br />

no setor da energia à escala global. Alguns<br />

deles também irão passar pelo nosso país.<br />

Ainda este ano a Eni fará a sua reentrada<br />

no negócio da comercialização dos combustíveis<br />

em Portugal, com a intenção<br />

de ter a sua própria rede de Estações de<br />

Serviço, assim como a venda a clientes<br />

diretos, tais como transportadores, obras<br />

públicas, indústria, aviação e marinha.<br />

Ao longo dos últimos anos, a Sintética<br />

tem feito grande parte do percurso da<br />

Eni em Portugal (apesar de outros negócios<br />

do grupo Eni, estarem também presentes<br />

no nosso país), nomeadamente ao<br />

nível da distribuição de lubrificantes e<br />

também venda de combustíveis especiais<br />

para a competição, onde aliás tem ganho<br />

um enorme prestígio.<br />

NOVO ARMAZÉM<br />

Nas novas instalações (com 14.000 m2),<br />

estão agora todos os serviços da empresa,<br />

incluindo um novo auditório totalmente<br />

adaptado à formação técnica, recorrendo<br />

a diversos meios digitais, que permite potenciar<br />

as áreas da formação certificada<br />

(pela DGERT).<br />

Também será instalado em breve, um<br />

laboratório de análises aos lubrificantes<br />

em serviço, com a acreditação ISO/IEC<br />

17025, que permitirá obter os resultados<br />

das análises em 48 horas, permitindo estas,<br />

identificar as causas das anomalias nos<br />

equipamentos. Este novo laboratório também<br />

irá fazer o controlo da matéria-prima<br />

e produto acabado, no investimento<br />

futuro de uma fábrica de lubrificantes<br />

para o setor alimentar (que será ao lado<br />

deste armazém).<br />

“Todos os negócios que a Eni pretende<br />

desenvolver, não poderão ser dissociados<br />

destes novos investimentos”, afirma José<br />

Nunes, Diretor Geral da Sintética, referindo<br />

que se for analisado unicamente o<br />

impacto direto nas vendas de lubrificantes<br />

da Eni, o crescimento anual previsto é de<br />

100 a 200 toneladas. Porém, afirma José<br />

Nunes, o objetivo a 5 anos, é que este aumento<br />

seja significativo “devido à maior<br />

presença da Eni em Portugal que permitirá<br />

alavancar a venda de lubrificantes,<br />

por via da sinergia com outros negócios”.<br />

Apostada em crescer no aftermarket em<br />

Portugal, a Eni também com o novo armazém<br />

melhorou a eficácia no seu negócio<br />

dos lubrificantes. “Um maior controlo<br />

sobre o stock e um ganho de tempo e<br />

de eficiência, são vantagens que se estão<br />

a refletir num melhor serviço aos clientes”,<br />

refere José Nunes.<br />

Refira-se que as novas instalações estão<br />

localizadas na Zona Industrial de Ovar.<br />

C<br />

M<br />

Y<br />

CM<br />

MY<br />

CY<br />

CMY<br />

K


10<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

N<br />

NOTÍCIAS<br />

DT Spare Parts comemora<br />

2.º aniversário da Premium Shop<br />

A<br />

Premium Shop da marca DT Spare<br />

Parts está a comemorar o segundo<br />

aniversário. Desde Agosto de 2018,<br />

a Premium Shop tem vindo a premiar os<br />

seus utilizadores pela sua fidelidade à marca.<br />

Nestes dois anos, a variedade de prémios<br />

tem sido continuamente ampliada, de<br />

modo a oferecer aos aderentes novos benefícios<br />

constantes. Recentemente, em<br />

torno de 500 novos vouchers de vários<br />

fornecedores foram disponibilizados para<br />

um total de quase 50 países. As promoções<br />

e sorteios regulares também geram grande<br />

interesse entre os utilizadores. Ao comprar<br />

os produtos da marca através de um dos<br />

seus parceiros, o cliente recebe códigos que<br />

estão impressos na etiqueta da embalagem<br />

do produto, que serão depois colocados<br />

Nova campanha febi Truck destaca<br />

competência na travagem<br />

Com uma cobertura superior a 97%<br />

dos veículos das principais marcas<br />

europeias de veículos pesados<br />

(“BIG 7”), a febi posiciona-se como um<br />

dos principais fornecedores de discos e<br />

pastilhas de travão para veículos pesados<br />

no aftermarket.<br />

Ao travar num cenário real, todos os centímetros<br />

contam. Isto explica o foco da<br />

campanha na qualidade: na seleção de materiais,<br />

todos os componentes de travagem<br />

cumprem os requisitos da OE. Além disso,<br />

os testes de qualidade seguem os padrões<br />

dos fabricantes de equipamento original.<br />

As pastilhas de travão febi têm um padrão<br />

listado na superfície de fricção, reduzindo<br />

o período de acamamento e garantindo<br />

um poder de travagem máximo logo desde<br />

o início.<br />

A qualidade de produto é reconhecida, não<br />

só pela utilização dos discos de travão em<br />

estrada, mas também em corridas oficiais<br />

de camiões. Steffi Halm, a única piloto<br />

Num minuto...<br />

online na Premium Shop, e que podem<br />

ser trocados por brindes. O cliente só tem<br />

de se registar e inserir o código em https://<br />

premiumshop.dt-spareparts.com, website<br />

que está atualmente disponível em 6 línguas.<br />

O cliente irá receber esse valor em<br />

pontos na sua conta. Quanto mais produtos<br />

adquirir, mais pontos irá receber. É possível<br />

visualizar o atual número de pontos obtidos<br />

a cada compra, que podem ser trocados<br />

por brindes. Basta selecionar o brinde<br />

pretendido e encomendar. Todas as pessoas<br />

físicas e jurídicas que adquiriram produtos<br />

da marca DT Spare Parts como cliente final<br />

para uso próprio (a partir de um parceiro<br />

de distribuição do Grupo Diesel Technic,<br />

por exemplo) e sejam maiores de 18 anos,<br />

são elegíveis para esta campanha.<br />

feminina das Corridas de Camiões FIA,<br />

assim como toda a equipa Schwabentruck,<br />

têm confiado nos discos de travão da febi<br />

há anos.<br />

Adicionalmente, a febi tem também inúmeros<br />

produtos para sistemas de disco e<br />

tambor de travão na sua gama: ajustadores<br />

de folga, árvores de cames do travão, calços<br />

de travão, jogos de reparação para bomba<br />

de disco de travão, e agora, cilindros de<br />

membrana dupla. A gama está em constante<br />

crescimento: em 2020, prevê-se a<br />

introdução de novas pastilhas e tambores<br />

de travão.<br />

Iveco disponibiliza<br />

ferramentas de<br />

telemática para<br />

gestão de frotas<br />

Para garantir um bom controlo do<br />

Custo Total de Propriedade (TCO)<br />

e ajudar a reduzir as despesas<br />

decorrentes de cada veículo, a<br />

Iveco disponibiliza a sua equipa<br />

de consultores especializados. O<br />

calculador TCO alojado no site da<br />

Iveco, permite que qualquer cliente<br />

esteja a par dos custos de cada<br />

veículo.<br />

A equipa de TCO da Iveco monitoriza<br />

cada unidade Iveco através do<br />

sistema de telemática, realizando<br />

uma análise do comportamento,<br />

das atividades realizadas e do<br />

estilo de condução graças ao DSE<br />

(Driving Style Evaluation). Além<br />

disso, oferece dicas que visam<br />

a melhorar a condução, fatores<br />

que influenciam diretamente o<br />

consumo de combustível e envia<br />

relatórios semanais detalhados e<br />

personalizados sobre a atividade<br />

da frota. São adicionadas também<br />

informações como: alerta de<br />

pressão dos pneus; estimativa<br />

total da economia de combustível<br />

da frota; impacto do motorista no<br />

consumo (DSE, ralenti, utilização<br />

do “Cruise Control”, etc.); alerta de<br />

mau funcionamento do veículo ou<br />

análise do consumo em cada troca<br />

de reboque, sem esquecer, ainda, os<br />

dados de condução segura de cada<br />

condutor.<br />

Benefício adicional da tecnologia<br />

Iveco, disponível através da<br />

MyIVECO Way Solutions, é a<br />

aplicação de gestão de frotas, com<br />

a qual o cliente poderá localizar o<br />

veículo, monitorizá-lo em tempo real,<br />

saber a rota seguida, gerir o consumo<br />

de combustível, comunicar com o<br />

condutor e fazer o download remoto<br />

das informações do tacógrafo, além<br />

de analisar diversos parâmetros do<br />

seu negócio.<br />

O Grupo FUCHS acaba<br />

de adquirir o negócio de<br />

lubrificantes da WELPONER<br />

SRL em Bolzano, Itália, que se<br />

realizou no passado dia 1 de<br />

outubro.<br />

A Krautli Portugal anuncia a<br />

introdução dos Localizadores<br />

GPS da PAJ, marca internacional<br />

de localizadores GPS.<br />

A S. José Logística de Pneus<br />

iniciou a comercialização de<br />

pneus Kormoran, com gamas<br />

alargadas para veículos<br />

comerciais, SUV e ligeiros.<br />

A Irizar e-mobility acaba de<br />

anunciar que Imanol Rego substitui<br />

Hector Olabegogeaskoetxea como<br />

Diretor Geral.


Viasat e Axodel<br />

assinam acordo de<br />

parceria internacional<br />

Marca VDO passa<br />

a ser Continental<br />

Com início em Setembro de 2020,<br />

todas as peças e equipamentos<br />

VDO passam a ser fornecidos nas<br />

novas embalagens Continental.<br />

A embalagem da Continental<br />

apresenta uma maior visibilidade e<br />

garante uma menor probabilidade<br />

de se sujar. Oferece ainda<br />

um rótulo de segurança com<br />

códigos MAPP que garante uma<br />

identificação única dos produtos<br />

originais Continental. Além<br />

disso, a tesa PrioSpot oferece<br />

proteção contra falsificações e<br />

identificação fiável de imitações.<br />

Cada embalagem tem também<br />

um selo de qualidade e um código<br />

QR na etiqueta do produto que ao<br />

ser lido, liga ao catálogo online da<br />

Continental.<br />

Os produtos envolvidos nesta<br />

alteração e que passam a ter a<br />

nova marca Continental são os<br />

seguintes: atuadores do motor;<br />

atuadores para fechos centrais<br />

de portas; sistemas de limpeza<br />

de vidros e de faróis, sistemas<br />

de combustível; sensores para<br />

painel de instrumentos, sistemas<br />

de controlo da pressão dos<br />

pneus (RDKS); sensores para<br />

gestão de motor; sistemas Diesel<br />

Common Rail; e equipamentos de<br />

serviço (TPMS Pro, TPMS Go e<br />

Autodiagnos Check).<br />

Desde setembro, todos os produtos<br />

podem ser encontrados no catálogo<br />

online TecDoc na Continental/VDO.<br />

A Firestone lançou o seu<br />

primeiro pneu all season para<br />

veículos comerciais ligeiros no<br />

mercado europeu, tendo o nome<br />

Vanhawk Multiseason.<br />

A<br />

Viasat Group S.p.A. e a Axodel, subsidiária<br />

comercial do grupo francês<br />

Kuantic, anunciaram um acordo de<br />

parceria que ampliará a gama de produtos<br />

e serviços de ambas as organizações,<br />

expandindo a sua oferta nos setores de<br />

acidentes / roubo e car sharing / setor de<br />

frotas. A parceria permitirá colaborar para<br />

a implementação da sua gama de produtos<br />

e serviços nos principais países europeus<br />

onde atuam, como: Itália, França, Espanha,<br />

Bélgica, Polónia, Portugal, Reino Unido<br />

e Alemanha.<br />

O acordo de colaboração entre as duas<br />

empresas maximiza a oferta no mercado,<br />

com o objetivo de agregar valor a um<br />

grande número de empresas na Europa:<br />

uma sinergia possível, graças às ofertas dos<br />

dois grupos que se complementam.<br />

Refira-se que em Portugal a Viasat Group<br />

está representado pela empresa TRACKiT<br />

Consulting.<br />

Motores hidráulicos<br />

FRM da Bezares agora<br />

disponíveis em SAE,<br />

DIN e BSP<br />

Os conhecidos motores FRM da<br />

Bezares, que a Póvoa Hidráulica comercializa,<br />

sempre provaram ser uma<br />

excelente escolha para altas performances em<br />

pequenas dimensões, similares às bombas<br />

FR. Agora estão disponíveis em SAE, DIN<br />

e BSP. Nas suas versões correntes tem incorporadas<br />

novos desenvolvimentos, assim com<br />

a direção de rotação, por ser bidirecional e<br />

oferecendo qualquer combinação possível,<br />

entre 4 tamanhos de 40 cc/ver. a 110 cc/ver..<br />

O mais recente desenvolvimento nesta família<br />

são estas novas versões SAE BZ13<br />

(FRM 40 e 60) SAE BB Z15 (FRM 80 e<br />

110), DIN Z8 e furos BSP para máxima<br />

compatibilidade.<br />

A Bridgestone efetuou o<br />

lançamento do seu primeiro<br />

pneu all season para o<br />

segmento de comerciais ligeiros,<br />

com a designação Duravis All<br />

Season.<br />

O Grupo DISA e o fundo de<br />

investimento Oxy Capital<br />

chegaram a acordo para a<br />

compra-venda da companhia<br />

energética PRIO em Portugal.<br />

SUBSTITUIR UM TURBO<br />

SEM RISCOS<br />

A substituição de um turbo é uma operação comum,<br />

mas que deve obedecer a um procedimento rigoroso<br />

para evitar riscos que podem levar a custos elevados.<br />

Toda a operação requer um procedimento profissional<br />

para garantir o bom funcionamento e a satisfação do<br />

cliente. A montagem de um turbo, além de ser uma<br />

operação delicada e que origina, por vezes, problemas<br />

à oficina, vai muito para além da própria montagem.<br />

Implica uma lavagem de motor obrigatória e mudança<br />

de óleo para garantir que todos os canais de lubrificação<br />

estão limpos para garantir um funcionamento perfeito<br />

do novo turbo.<br />

O aditivo Pro-Line Motorspulung (Ref. 2425),<br />

garante uma lavagem profunda do motor, libertando-o<br />

de todos os resíduos, partículas de sujidade sólidas<br />

e impurezas líquidas, ocasionados, muitas vezes,<br />

quando um turbo parte. Basta adicionar ao óleo usado,<br />

deixar o motor ao ralenti cerca de 10 minutos e está<br />

feita a limpeza interna do motor, dissolvendo todos os<br />

resíduos. Depois, basta retirar o óleo usado, colocar óleo<br />

novo (confirme o óleo correto no nosso Guia de Óleos em<br />

www.liqui-moly.pt) e filtro. Assim garante-se também<br />

lubrificação perfeita para o turbo. E quantas vezes uma<br />

falha no primeiro enchimento causa danos num turbo<br />

acabado de montar? O Aditivo de Montagem de<br />

Turbos (Ref. 20766) é obrigatório na montagem de<br />

qualquer turbo. Basta encher o orifício de entrada de<br />

óleo com o produto no primeiro enchimento de novos<br />

turbocompressores. Assim, após a montagem, o turbo<br />

fica protegido contra um funcionamento a seco e evita<br />

danos por falta de óleo na fase de rodagem. Aumenta<br />

a segurança de funcionamento, a qualidade do serviço<br />

na oficina e a necessidade de uma nova imobilização e<br />

custos associados.<br />

www.liqui-moly.pt


12<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

N<br />

NOTÍCIAS<br />

MF Pinto aumenta significativamente a<br />

capacidade de stock<br />

A<br />

MF Pinto inaugurou no passado<br />

dia 1 de agosto as “novas” instalações<br />

da Abrunheira, passando<br />

agora a contar com 2000 m2 numas<br />

instalações totalmente integradas.<br />

Com este passo a empresa de Sintra aumentou<br />

significativamente a capacidade<br />

de stockagem, ao mesmo tempo que<br />

inaugura uma nova área técnica com<br />

novos equipamentos, conferindo-lhe<br />

maior rapidez no tratamento de garantias<br />

e processamento de cores.<br />

Leirifiltros iniciou operações<br />

Desde o passado dia 1 de junho que<br />

a empresa Leirifiltros iniciou a sua<br />

atividade através da comercialização<br />

de filtros para diferentes áreas de negócio<br />

incluindo todo o tipo de veículos.<br />

A empresa é liderada por Cândido Silva,<br />

profissional com larga experiência no setor,<br />

que fundou agora a empresa Leirifiltros,<br />

Triangle mais presente no mercado<br />

de pneus para pesados<br />

Após o lançamento da gama Triangle,<br />

no passado mês de janeiro, distribuídos<br />

em exclusivo pela Tiresur em<br />

Portugal e Espanha, que o posicionamento<br />

da marca não tem parado de se fortalecer,<br />

crescendo exponencialmente a sua quota<br />

de mercado.<br />

Em poucos meses, a gama da Triangle em<br />

TBR já é valorizada pelas oficinas, como<br />

Nestas instalações trabalham 27 colaboradores<br />

qualificados, que segundo a MF<br />

Pinto, estão focados em servir melhor<br />

o cliente.<br />

dando continuidade à sua atividade na qual<br />

foi sócio de uma outra empresa do ramo,<br />

durante mais de 24 anos.<br />

A Leirifiltros irá trabalhar geograficamente<br />

toda a zona centro e sul de Portugal (de<br />

Coimbra para sul), estando a empresa situada<br />

junto a EN2 (Km17), no Alto Moinho<br />

de Vento (Vale Gracioso), Golpilheira.<br />

uma das mais completas do mercado, segundo<br />

informa a Tiresur. “Os especialistas<br />

em pneus, sentem-se confiantes e seguros<br />

ao montar pneus Triangle de camião,<br />

pela satisfação muito positiva que provoca<br />

nos clientes finais. Uma excelente relação<br />

Qualidade-Preço, que além disso, oferece<br />

uma ampla gama de aplicações e medidas”,<br />

refere a Tiresur em comunicado.<br />

Com jantes que vão desde 17,5’’ até 22,5’’,<br />

a gama da Triangle abarca todas as necessidades<br />

possíveis do transporte por camião:<br />

longo curso, regional, urbano e off road,<br />

direção, tração e reboque, Verão ou Inverno.<br />

Durabilidade e resistência, excelente quilometragem,<br />

segurança e conforto, são os<br />

aspetos mais trabalhados pela marca.<br />

Maxigear TS 7400<br />

da Olipes renova<br />

homologação ZF<br />

O lubrificante Fully Synthetic<br />

Maxigear TS 7400 renovou a<br />

homologação do fabricante<br />

de caixas de velocidades e<br />

transmissões ZF, na especificação<br />

ZF TE ML 02L e ZF TE ML 16K,<br />

para ser utilizado em veículos<br />

off-road, monovolumes, veículos<br />

comerciais, camiões de distribuição,<br />

camiões de longo curso e<br />

transporte pesado, autocarros de<br />

serviço urbano e autocarros de<br />

transporte de passageiros.<br />

O Maxigear TS 7400 superou<br />

amplamente os padrões de<br />

qualidade estabelecidos pelo<br />

fabricante alemão em aspetos<br />

tais como o conforto na condução,<br />

a fiabilidade, a segurança ou o<br />

rendimento, e é especialmente<br />

recomendado para as caixas<br />

de velocidades do tipo Ecomid,<br />

AS Tronic, Ecosplit (com ou<br />

sem intarder) e Ecolite, de<br />

veículos industriais DAF, MAN<br />

(transmissões Eaton e ZF), Renault<br />

V.I., Volvo e Iveco.<br />

Pela sua destacada fluidez a baixa<br />

temperatura, diminui os desgastes<br />

prematuros provocados pelos<br />

arranques a frio e a formação<br />

de depósitos, mantendo as<br />

engrenagens limpas.<br />

Num minuto...<br />

NextLap (https://nextlapprogram.com/)<br />

é um projeto<br />

da Valorpneu, Genan e Beta-i,<br />

que pretende revolucionar<br />

o mercado de pneus em fim<br />

de vida.<br />

A Ryme Automotive acaba de<br />

apresentar os seus catálogos<br />

de novidades de peças de<br />

reposição para veículos<br />

pesados e industriais e de<br />

iluminação profissional.<br />

O Texaco Delo 400 XSP-FA SAE<br />

5W-<strong>30</strong>, óleo de motor diesel<br />

sintético de alto desempenho para<br />

comerciais pesados, foi aprovado<br />

pela Volvo para uso nos veículos<br />

que exigem óleo VDS 5.<br />

A Galius (Renault Trucks) lançou<br />

uma campanha (até <strong>30</strong> de novembro)<br />

que coloca à disposição uma seleção<br />

de usados Renault Trucks, com<br />

oferta de mochila oficial da marca,<br />

da coleção We Are Heroes.


13<br />

Tudo se partilha na<br />

economia moderna,<br />

até os panos MEWA<br />

O conceito de partilha é para a<br />

MEWA muito antigo e faz parte<br />

do seu modelo de negócio, neste<br />

caso aplicado aos panos para<br />

profissionais.<br />

Bens têxteis para fábricas e<br />

oficinas também podem ser<br />

partilhados. A empresa alemã<br />

MEWA, líder mundial em<br />

gestão têxtil, mostra como a<br />

sustentabilidade e o moderno<br />

conceito do sharing podem ser<br />

facilmente colocados em prática.<br />

A MEWA oferece um sistema<br />

completo de reutilização, com<br />

serviço integrado, que inclui a<br />

entrega de panos de limpeza<br />

industriais a fábricas e oficinas,<br />

a recolha após utilização e a<br />

lavagem ecológica. O pano da<br />

MEWA pode ser lavado até 50<br />

vezes.<br />

Rodi Motor Services<br />

by Covipneus inaugura nova imagem<br />

Após o processo de integração,<br />

a histórica empresa Covipneus<br />

une-se ao Grupo Rodi Motor<br />

Services, líder no mercado ibérico e<br />

apresenta a imagem atualizada das três<br />

oficinas que passam a operar sob o nome<br />

de Rodi Motor Services by Covipneus.<br />

As oficinas estão equipadas com as<br />

últimas tecnologias e máquinas para<br />

proporcionar um serviço adaptado a<br />

todos os tipos de veículos. As espaçosas<br />

instalações e os armazéns de grande<br />

capacidade garantem a disponibilidade<br />

de quase todas as peças.<br />

Scania Ibérica integra<br />

novos membros na direção<br />

A<br />

Scania Ibérica anunciou a integração<br />

de Ignacio Cortezón e Alberto<br />

Linares nos quadros da empresa.<br />

Ignacio Cortezón assumiu a Direção<br />

Comercial de Autocarros e Motores da<br />

As três oficinas continuarão com a mesma<br />

equipa de profissionais especializados<br />

nas diferentes áreas.<br />

Scania Ibérica a 1 de outubro. Por sua<br />

vez, Alberto Linares assume, a partir<br />

de 1 de novembro de 2020, a direção<br />

de Pré-venda de Camiões e Autocarros<br />

na empresa.<br />

PUBLICIDADE


14<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

N<br />

NOTÍCIAS<br />

Localizador de lâmpadas OSRAM agora em<br />

português<br />

Agora tornou-se mais fácil consultar<br />

o localizador de lâmpadas<br />

OSRAM, não só porque passou a<br />

estar disponível em português, mas também<br />

porque apresenta um novo design<br />

o que torna mais fácil a sua consulta.<br />

O localizador de lâmpadas automóvel<br />

OSRAM permite que encontre rápida e<br />

facilmente as lâmpadas automóvel certas<br />

para o seu carro, camião, autocarro ou<br />

motociclo. Basta selecionar o tipo de<br />

veículo e escolher a aplicação e a tecnologia<br />

requeridas. A grande novidade<br />

é que agora está disponível em língua<br />

portuguesa!<br />

Veja aqui o novo localizador de lâmpadas<br />

OSRAM: www.osram.pt/localizador-<br />

-de-lampadas<br />

Valeo desenvolve sistema de esterilização<br />

UV para autocarros<br />

A<br />

Valeo desenvolveu um sistema de<br />

esterilização de ar para o compartimento<br />

de passageiros de<br />

autocarros.<br />

Segundo a Valeo, uma vez ativado, este<br />

sistema elimina, numa única passagem<br />

do fluxo de ar, mais de 95% dos vírus,<br />

incluindo Covid-19, assim como qualquer<br />

bactéria ou mofo em suspensão.<br />

O módulo desenhado pela Valeo funciona<br />

permanentemente nas viagens com<br />

passageiros a bordo, qualquer que seja<br />

a fonte de infecção, dentro ou fora do<br />

veículo.<br />

O dispositivo Valeo vem como uma caixa<br />

Maxam lança novo<br />

pneu para veículos de<br />

mineração<br />

A<br />

Maxam apresentou o novo pneu para<br />

mineração a céu aberto<br />

MS453 53 / 80R63. Para<br />

camiões de transporte que exigem<br />

pneus de mineração grandes<br />

de 63 ”, o MS453 utiliza<br />

uma construção de revestimento<br />

aprimorada com tecnologia de<br />

composição avançada.<br />

Com um design de piso robusto<br />

e agressivo, que permite a máxima vida útil<br />

separada ou é diretamente integrado no<br />

sistema de ar condicionado do veículo.<br />

Utiliza tecnologia de luz ultravioleta,<br />

semelhante às usadas em instalações médicas<br />

e hospitais. Os raios ultravioleta<br />

funcionam como bactericidas e germicidas<br />

e podem matar micróbios, como<br />

vírus ou patógenos. Os raios impedem<br />

a propagação desses micróbios e podem<br />

ser usados como alternativa a outros métodos<br />

de desinfecção, sem a necessidade<br />

de produtos químicos.<br />

A Valeo também está a trabalhar para<br />

trazer esta tecnologia para automóveis<br />

de passageiros.<br />

do pneu para aplicações de mineração, o<br />

MS453 foi construído para resistir até mesmo<br />

aos desafios mais severos em estradas<br />

de transporte. A Maxam reforçou a parede<br />

lateral do MS453 aprimorando as correias<br />

da banda de rodagem e a construção do talão<br />

para fornecer proteção e desempenho<br />

máximos. O MS453<br />

apresenta uma profundidade de<br />

banda de rodagem profunda<br />

para prolongar a vida útil do<br />

pneu. Também contém um<br />

piso inferior resistente ao calor<br />

para reduzir o calor acumulado,<br />

aumentando o TKPH / TMPH<br />

do pneu.<br />

BorgWarner conclui<br />

aquisição da Delphi<br />

Technologies<br />

A BorgWarner anunciou que concluiu<br />

a aquisição da Delphi Technologies.<br />

A expectativa da empresa é que<br />

a combinação da BorgWarner e<br />

Delphi Technologies fortaleça em<br />

capacidade e escala os produtos da<br />

BorgWarner.<br />

Ao unir a BorgWarner e a Delphi<br />

Technologies, a empresa pretende:<br />

- Fortalecer em capacidade e<br />

escala dos produtos eletrónicos<br />

e eletrónicos de potência da<br />

BorgWarner, criando um líder em<br />

sistemas de propulsão eletrificados<br />

que a BorgWarner acredita estar<br />

bem posicionada para aproveitar as<br />

vantagens da futura migração de<br />

propulsão.<br />

- Aprimorar os negócios da<br />

BorgWarner quanto a veículos<br />

de combustão, comerciais e<br />

aftermarket. A variedade de produtos<br />

de propulsão de combustão da<br />

Delphi Technologies complementa o<br />

portifólio inovador da BorgWarner,<br />

que se concentra em tecnologias<br />

limpas para aumentar a eficiência<br />

e o desempenho dos veículos à<br />

combustão modernos.<br />

Os clientes globais do Mercado de<br />

reposição continuarão a se beneficiar<br />

de um amplo portefólio de peças,<br />

serviços, ferramentas de diagnóstico<br />

e equipamentos de testes com<br />

qualidade OE BorgWarner e Delphi<br />

Technologies.<br />

Num minuto...<br />

A Volta Trucks, startup<br />

escandinava de veículos<br />

totalmente elétricos, anunciou a<br />

sua aliança com a Bridgestone<br />

como o fornecedor oficial de<br />

pneus. O<br />

Num negócio de valor superior<br />

a 10,5 milhões de euros, a<br />

DPD Portugal renovou a frota<br />

operacional com 276 viaturas<br />

Peugeot Boxer.<br />

A gama Marangoni é agora<br />

enriquecida com um novo<br />

produto, estreia no mercado<br />

europeu, o Ringtread<br />

Blackline ICE202 que tem um<br />

novo design 3PMSF.<br />

A Jungheinrich Portugal<br />

lançou o novo serviço “In-<br />

Night Delivery”, que se<br />

destina à entrega de peças na<br />

madrugada do dia seguinte à<br />

encomenda.


16<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Atualidade<br />

A<br />

TACÓGRAFOS<br />

Novas regras<br />

para o Controlo<br />

Metrológico<br />

As empresas que fazem a<br />

Verificação Metrológica Legal<br />

de Tacógrafos contestam as<br />

adaptações dispendiosas<br />

e demoradas a que as novas<br />

regras impostas pelo IPQ<br />

as vão obrigar a partir de<br />

2021.<br />

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO<br />

O<br />

Instituto Português de<br />

Qualidade informou por escrito,<br />

no passado mês de setembro<br />

de 2020, a cerca de<br />

200 empresas nacionais que se<br />

dedicam à instalação, reparação e verificação<br />

de aparelhos metrológicos (tacógrafos<br />

e taxímetros), que, a partir de 2021, para<br />

continuarem a proceder à verificação dos<br />

aparelhos de controlo metrológico, terão<br />

de passar por um processo de qualificação<br />

como Organismo de Verificação


17<br />

Metrológica (OVM). Este processo é, segundo<br />

as empresas que operam neste setor,<br />

bastante complexo e dispendioso, exigindo<br />

várias adaptações de âmbito técnico.<br />

ARAN<br />

Em defesa das cerca de 200 empresas que<br />

operam no setor, a ARAN contestou a<br />

deliberação emanada pelo IPQ, por oferecer<br />

dúvidas sobre a sua conformidade<br />

com a legislação europeia, e enviou um<br />

comunicado ao Governo a reclamar a<br />

revogação imediata desta deliberação:<br />

“Com base numa deliberação do IPQ,<br />

I.P, datada de 22 de dezembro de 2017,<br />

a partir de 2021 o controlo metrológico<br />

dos tacógrafos e taxímetros far-se-á através<br />

de organismos de verificação metrológica<br />

(OVM), deixando, por isso, de se pode-<br />

João Baptista<br />

Lusilectra<br />

“A Lusilectra, S.A., na qualidade de<br />

distribuidor nacional da Stoneridge,<br />

um dos principais fabricantes e<br />

fornecedores de tacógrafos para<br />

primeiro equipamento e após<br />

comunicação enviada pelo IPQ<br />

aos Instaladores e Reparadores de<br />

Tacógrafos (IR) sobre a reavaliação<br />

de qualificação, solicitou por carta<br />

conjuntamente com a Krautli,<br />

distribuidor nacional da Continental<br />

VDO, com a maior brevidade<br />

clarificação dos seguintes pontos:<br />

1. Esclarecimento sobre quais os<br />

procedimentos e ações que serão da<br />

responsabilidade de realizar e cumprir<br />

pelos IR.<br />

2. Esclarecimento sobre quais os<br />

procedimentos e ações que serão da<br />

responsabilidade de realizar e cumprir<br />

pelos Organismos de Verificação<br />

Metrológica (OVM). i.e., onde termina<br />

o trabalho de um IR e se inicia o<br />

trabalho de um OVM?<br />

3. Esclarecimentos sobre a<br />

qualificação de IR bem como de OVM,<br />

tendo em conta a Deliberação Nº<br />

1134/2017 – ponto 1 – alínea g).<br />

Só após clarificação dos pontos<br />

acima, é que podemos tomar uma<br />

decisão e aconselhar a nossa rede<br />

de agentes. De uma coisa estamos<br />

certos, com a criação de mais uma<br />

entidade, a operação de instalação /<br />

calibração / verificação ficará mais<br />

morosa e mais dispendiosa para o<br />

utilizador final porque terá de ir a dois<br />

estabelecimentos para completar a<br />

operação, além de que tecnicamente<br />

a solução não é viável e contraria a<br />

regulamentação europeia”.<br />

António Costa<br />

Krautli Portugal<br />

“A Krautli Portugal juntamente<br />

com a Lusilectra representantes<br />

dos dois maiores fabricantes de<br />

tacógrafos digitais já efetuaram as<br />

devidas diligências junto ao Instituto<br />

Português da Qualidade, instituto que<br />

regula e delega estas funções nos<br />

respetivos reparadores Instaladores<br />

previamente auditados e qualificados,<br />

por enquanto não obtivemos quaisquer<br />

esclarecimentos adicionais que<br />

permitam transmitir uma resposta<br />

assertiva sobre este tema pertinente<br />

e premente. Como tal não podemos<br />

indicar de forma clara quais os efeitos<br />

que terão nas empresas de aferição<br />

de tacógrafos, transportadoras e<br />

consumidores finais. No entanto e<br />

relativamente à deliberação indicada<br />

a mesma aparentemente deverá levar<br />

a um aumento de custos diretos para<br />

os transportadores, além de uma<br />

reorganização de serviços pela maior<br />

necessidade de tempo e deslocações<br />

adicionais para a realização deste<br />

controlo, esses custos adicionais irão<br />

obviamente refletir-se no consumidor<br />

final”.<br />

Luísa Silva<br />

Brito & Silva<br />

“É já a partir de 01/Jan/2021 que<br />

podemos ter um problema de<br />

segurança rodoviária e caso a<br />

distribuição pare podemos ter mesmo<br />

um problema de segurança e/ou<br />

saúde pública – isto se nenhuma<br />

alteração for feita à entrada em vigor<br />

da Deliberação 1134 de 22/12/2017 por<br />

parte do IPQ! Esta será uma grande<br />

preocupação para todas as empresas<br />

de transportes de mercadorias e<br />

passageiros, que estejam obrigados<br />

ao uso de tacógrafo ou taxímetro. (…)<br />

Não obstante os inúmeros pedidos<br />

de esclarecimentos ao IPQA - onde<br />

começa e acaba cada uma das


18<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

A<br />

TACÓGRAFOS<br />

competências /procedimentos quer<br />

dos atuais Instaladores e Reparadores<br />

(R.I.) quer destes novos O.V.M. a<br />

qualificar, todavia sem respostas<br />

esclarecedoras. Uma certeza,<br />

todos os atuais Instaladores e/<br />

ou Reparadores de tacógrafos têm,<br />

formalmente comunicada pelo IPQ, é<br />

que a nossa qualificação RI termina<br />

no dia 31/12/2020! Assim sendo, até<br />

31/12/2020, não haverá problema<br />

em efetuar o controlo metrológico<br />

legal dos tacógrafos e taxímetros,<br />

pois existe uma rede de RI qualificada<br />

em número suficiente, com cobertura<br />

nacional, que sempre a assegurou.<br />

Contudo, a partir de dia 01 janeiro de<br />

2021 ninguém sabe muito bem como<br />

sequer se poderá efetuar. Sabemos<br />

apenas que o controlo metrológico<br />

terá obrigatoriamente de ser efetuado<br />

por OVM acreditado pelo IPAC<br />

(acreditação esta que leva mais de<br />

um ano a atingir) que ninguém sabe<br />

quantos OVM teremos e qual a sua<br />

distribuição. Foram bastante louváveis<br />

as várias ações levadas a cabo pelo<br />

IPQ, nos últimos anos, em disciplinar<br />

a rede de RI, reforçando o rigor e<br />

fiabilidade das operações metrológicas<br />

legais nos tacógrafos, nomeadamente<br />

com a publicação no seu site das<br />

entidades qualificadas, a introdução<br />

das etiquetas INCM, a obrigação do<br />

uso de programa informático para as<br />

fichas de selagem. Esta Deliberação<br />

1134, a implementar nos moldes<br />

e prazos estipulados, por ter sido<br />

omitida por 2 anos e 9 meses a todos<br />

os visados e intervenientes, pela<br />

falta de esclarecimentos, reiterada<br />

do IPQ, às duvidas e questões<br />

de como se vai operacionalizar e<br />

implementar no terreno até 31 de<br />

Dezembro, deixa muito a desejar.<br />

Nomeadamente no que diz respeito<br />

ao sentido de responsabilidade em<br />

matéria de Segurança Rodoviária.<br />

À medida da caducidade das<br />

Verificações Periódicas dos tacógrafos<br />

e taxímetros, estas viaturas, ou<br />

param, ou sujeitam-se à multa, ou<br />

vão a Espanha “selar”, porque em<br />

Portugal não haverá solução viável<br />

em tempo útil. Acresce que vivemos<br />

num quadro de pandemia. As perdas<br />

são ainda incontabilizáveis, os efeitos<br />

devastadores, e, nesta circunstância,<br />

a tutela decide levar avante visando<br />

um setor da economia absolutamente<br />

essencial que, de margens já<br />

muito esmagadas, irá acarretar<br />

uma duplicação de custos, um<br />

acréscimo de tempo indeterminável,<br />

para realizar uma tarefa em trinta<br />

anos cumprida pelos RI, todos os<br />

anos auditados pelo o IPQ, sendo<br />

ou não qualificados para tal por<br />

mais um ano. Em confinamento, a<br />

distribuição assegurou o transporte<br />

dos bens essenciais todos os dias,<br />

as oficinas e os RI de tacógrafos<br />

continuaram a dar-lhes o suporte<br />

para que a segurança rodoviária fosse<br />

assegurada, será que em janeiro de<br />

2021, o conseguirá?”


19<br />

rem fazer nos moldes atuais, nas referidas<br />

empresas, cujos custos para operar já são<br />

bastante elevados. No entanto, muitas das<br />

empresas que procedem à verificação dos<br />

aparelhos de controlo correm o sério risco<br />

de ficar de fora das contas do IPQ, I.P.,<br />

mesmo que cumpram todos os requisitos<br />

exigíveis, pois apenas obterão a qualificação<br />

como Organismos de Verificação<br />

Metrológica as entidades necessárias e que<br />

se justifiquem para a cobertura nacional de<br />

controlo metrológico. A impossibilidade<br />

de as empresas continuarem a verificar os<br />

instrumentos de medição terá, por consequência<br />

direta e necessária, a redução<br />

do respetivo volume de negócios, a perda<br />

de investimentos (muitos deles recentes),<br />

a dispensa de trabalhadores e até poderá<br />

ditar eventuais encerramentos. O facto da<br />

deliberação apenas agora vir ao conhecimento<br />

das empresas da referida área de<br />

atividade, faz com as mesmas tenham um<br />

lapso temporal muito reduzido para se<br />

adaptarem e apresentarem a candidatura<br />

para a qualificação como OVM, bem como<br />

para obterem liquidez para um investimento<br />

de tão elevada monta”.<br />

IMPACTO<br />

Uma das atuais entidades qualificadas<br />

para instalação, reparação e verificação de<br />

tacógrafos e taxímetros contactada pela<br />

PÓS-VENDA PESADOS e que pediu<br />

anonimato, indica que: “esta deliberação<br />

vai ter um efeito negativo, tanto para nós<br />

entidades como para os usuários destes<br />

equipamentos, (empresas de transporte).<br />

Visto que a rede nacional técnica ficará<br />

reduzida, pois não acreditamos que todos<br />

tenham condições de, num curto espaço<br />

de tempo, ficarem preparados para estas<br />

novas exigências. O impacto maior, sem<br />

dúvida, será o tempo que os veículos<br />

estarão parados entre as calibrações que<br />

serão feitas numa entidade Reparador/<br />

instalador (RI) e a verificação do mesmo<br />

nas entidades que serão organismos<br />

de verificação metrológica (OVM). Em<br />

veículos de uso profissional é completamente<br />

descabido este espaço de tempo,<br />

que hoje não existe derivado as nossas<br />

entidades estarem aptas tanto em formação<br />

qualificada e mesmo cumprindo à risca o<br />

procedimento estabelecido pelo próprio<br />

IPQ. Para as empresas de transportes ainda<br />

causará efeitos económico-financeiros mais<br />

elevados, pois tanto o serviço nas entidades<br />

aumentará em valor, bem como o tempo<br />

de paragem dos veículos aumentará, logo<br />

não estarão a faturar e ainda o custo do<br />

combustível que será gasto entre os dois<br />

tipos de entidades (RI) e (OVM)”.<br />

PUBLICIDADE


20<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

M<br />

??<br />

Mercado<br />

M<br />

AUTO SUECO PORTUGAL<br />

Serviço adicional<br />

A Auto Sueco dinamizou nas suas instalações pós-venda<br />

em São João da Talha um novo serviço de limpeza de filtros<br />

de partículas para veículos pesados. Desta forma a empresa<br />

garante mais rapidez no serviço e menos custos para os<br />

clientes<br />

TEXTO PAULO HOMEM<br />

Tendo como alvo inicial os clientes<br />

de pós-venda que usam camiões<br />

da marca Volvo, a Auto<br />

Sueco investiu num novo equipamento<br />

oficinal para efetuar o<br />

serviço de limpeza de filtros de partículas.<br />

O serviço de limpeza de filtros de partículas<br />

tem vindo a crescer, pois são cada vez<br />

mais os camiões que usam esta tecnologia,<br />

mas os custos inerentes à substituição deste<br />

componente são muito elevados, pelo<br />

que foram estudadas novas opções que,<br />

por um lado, possam garantir a qualidade<br />

do filtro de partículas depois de limpo<br />

e, por outro, se torne uma solução mais<br />

económica para os clientes.<br />

Tradicionalmente os problemas com os<br />

filtros de partículas dos camiões eram resolvidos<br />

através da substituição por um<br />

filtro recondicionado (pela própria mar-


21<br />

ca), ficando a Auto Sueco com o filtro<br />

usado que era reenviado para a marca<br />

para limpeza.<br />

Agora, com o novo equipamento, o cliente<br />

da Auto Sueco tem mais uma opção,<br />

que é a limpeza do filtro efetuada nas<br />

instalações da empresa em São João da<br />

Talha, através deste moderno equipamento.<br />

Mesmo optando por esta opção<br />

o cliente não perde a garantia da marca,<br />

isto é, trata-se de uma garantia exatamente<br />

igual à que a marca dá por um<br />

componente recondicionado. Com este<br />

equipamento os filtros de partículas usados<br />

são testados e reparados, garantindo<br />

a marca que este cmponente volta a poder<br />

ser utilizado no camião exatamente<br />

como se fosse um componente original.<br />

SERVIÇO<br />

O serviço de recondicionamento, efetuado<br />

nas instalações da Auto Sueco em São<br />

João da Talha, inclui o filtro de partículas<br />

diesel (usado), que é limpo segundo os<br />

procedimentos da marca, onde para além<br />

da limpeza são incluídas novas braçadeiras<br />

de aperto e anel de vedação, sendo<br />

depois instalado novamente no veículo<br />

tal e qual como uma peça original Volvo.<br />

Em termos de processo, o filtro é sujeito<br />

a uma inspeção visual onde é verificado<br />

o estado do mesmo (existindo uma tabela<br />

de defeitos visuais que podem indicar<br />

que o filtro não pode ser limpo), sendo<br />

depois testado (para se saber o nível de<br />

obstrução do mesmo). Até esta fase, os<br />

filtros podem ser prontamente excluídos<br />

se não cumprirem os parâmetros de<br />

obstrução ou mesmo pela simples análise<br />

visual, que pode indicar que o filtro não<br />

está em condições para ser limpo.<br />

A seguir é colocado dentro do equipamento<br />

(certificado pela própria Volvo)<br />

onde é utilizada injeção de ar comprimido<br />

(com elevada pressão) durante um<br />

período de tempo especifico (que pode<br />

variar em função do tipo de filtro). Se<br />

neste processo o filtro não estiver limpo<br />

a 100% o mesmo pode ser submetido a<br />

temperaturas elevadas num forno durante<br />

12 horas (a cerca de 600 graus), o que irá<br />

facilitar de novo o processo de limpeza<br />

por injeção de ar.<br />

No final de toda esta operação, que poderá<br />

demorar cerca de 25 a <strong>30</strong> minutos<br />

(se não for ao forno), o filtro de partículas<br />

é novamente testado para comprovar<br />

os valores de pressão que permitem então<br />

verificar a efetiva limpeza deste componente,<br />

que depois será montado novamente<br />

no camião.<br />

Todos os filtros de partículas testados são<br />

registados (juntamente com o número de<br />

série do mesmo), onde constam os valores<br />

de pressão inicial e final (retirados no<br />

momento do teste de pressão), podendo<br />

os mesmos ser novamente reciclados até<br />

um limite de três vezes. Diga-se que os<br />

filtros danificados são inutilizados.<br />

MERCADO<br />

Com este equipamento a Auto Sueco explica<br />

que são diversas as vantagens para<br />

os clientes. Uma dessas vantagens é a<br />

redução do impacto ecológico, aqui do<br />

ponto de vista meramente ambiental.<br />

Quando aplicado no camião este filtro<br />

de partículas limpo restitui as condições<br />

de funcionamento de um filtro original,<br />

o que se traduz em melhor eficiência de<br />

combustível e numa redução de possíveis<br />

avarias em tudo o que rodeia o motor.<br />

Por outro lado, a limpeza do filtro de partículas<br />

é a solução mais económica para<br />

o cliente (apenas é debitada a limpeza, o<br />

que significa cerca de 50% menos que<br />

um filtro de partículas recondicionado),<br />

como também reduz os tempos de espera<br />

do veículo em oficina, sem esquecer que<br />

a garantia é exatamente a mesma.<br />

Apesar deste equipamento estar em São<br />

João da Talha, o serviço está disponível<br />

em toda a rede Volvo Trucks a nível nacional<br />

e para todos os clientes que usem<br />

camiões Volvo, estando a empresa a equacionar<br />

a hipótese de alargar este serviço<br />

ao mercado em geral.


22<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

M<br />

PNEUS<br />

ARMANDO LIMA, DIRETOR-GERAL DA TIRESUR<br />

O novo armazém<br />

vai triplicar a nossa<br />

capacidade de<br />

pneus de camião<br />

Apesar da pandemia, a Tiresur mantém o seu crescimento<br />

sustentado, focado em marcas próprias, de qualidade e com<br />

abrangência de gama<br />

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO<br />

Armando Lima, diretor-geral<br />

da Tiresur, analisa a evolução<br />

do negócio da empresa, que<br />

culmina com a inauguração<br />

do novo armazém, em resposta<br />

ao crescimento da atividade de pneus para<br />

pesados e à necessidade de prestação de uma<br />

melhor qualidade de serviço ao cliente.<br />

Como define e posiciona atualmente a<br />

Tiresur Portugal no mercado?<br />

A Tiresur é uma empresa portuguesa e<br />

independente, apesar de fazer parte de uma<br />

holding. A decisão da compra é nossa, ajustada<br />

à necessidade do mercado português.<br />

Temos autonomia em termos operacionais,<br />

focados no nosso mercado.<br />

A empresa tem ganho uma posição importante<br />

no mercado. Quais as razões<br />

para isso?<br />

Os três principais valores da empresa são:<br />

Qualidade, Fiabilidade e Continuidade. A<br />

qualidade pelas marcas que representamos,<br />

pois temos um portfólio de marcas próprias<br />

muito forte e com qualidade, que estão<br />

no mercado há muitos anos, e também<br />

representamos marcas premium. A GT<br />

Radial já se vendia há mais de 20 anos<br />

em Portugal. A Ovation é comercializada<br />

há nove anos em Portugal. A adição da<br />

Triangle, mais recentemente, aconteceu<br />

no sentido de trabalharmos e darmos uma<br />

outra visibilidade à marca. Aliado a isto,<br />

temos a fiabilidade dos produtos. Temos<br />

também uma equipa muito estável e com<br />

grande experiência neste setor. Há ainda<br />

outros aspetos, como o atendimento<br />

personalizado ao cliente, através da nossa<br />

equipa de vendas.<br />

Em 2019 anunciaram que tinham uma<br />

oferta 360º…<br />

Exatamente. Na Tiresur vivíamos muito<br />

do pneu ligeiro e das marcas próprias. E<br />

houve um momento em que começámos<br />

a comunicar que disponibilizamos uma<br />

oferta global, para todas as necessidades<br />

do mercado, desde pneus de motociclos<br />

a engenharia. Esta oferta ficou concluída<br />

no ano passado, com os pneus ATR da<br />

Triangle. E isto foi um grande salto, a nossa<br />

carteira de clientes ativa quase duplicou.<br />

A Tiresur assenta a sua estratégia em<br />

marcas menos conhecidas. Como avalia<br />

a evolução desses produtos?<br />

A base do nosso negócio sempre foram<br />

as marcas próprias. As marcas premium<br />

representam menos de <strong>30</strong>% da nossa faturação.<br />

Temos um conjunto de marcas<br />

muito abrangente em que 70% a 75%<br />

do nosso negócio está baseado, como<br />

a Ovation, Triangle, MRL, etc. Temos<br />

ainda marcas específicas, por exemplo,<br />

para a rede Center´s Auto. Este aspeto<br />

permite-nos ter um tipo de rentabilidade<br />

diferente de outros operadores que<br />

dependem mais das marcas premium. O<br />

premium é um mercado muito saturado,<br />

agressivo e competitivo. As margens não<br />

têm nada que ver com as que conseguimos<br />

em marcas próprias. As nossas marcas<br />

nunca foram só preço. A GT Radial, por<br />

exemplo, é um produto que posicionamos<br />

como marca Quality; a Ovation é uma<br />

marca chinesa, super budget. A Ovation<br />

é a marca super budget mais cara do<br />

mercado, porque é fiável, e tem também<br />

elementos de marketing. A Triangle tem<br />

um portfólio muito completo: ligeiros,<br />

pesados e engenharia. Era a marca que<br />

nos fazia falta para fecharmos o ciclo da<br />

oferta 360º. Temos ainda a Uniroyal,<br />

para pesados. Apesar de ser uma marca<br />

quality, posicionamo-la quase como marca<br />

premium porque tem qualidade e pelo<br />

trabalho que fazemos com a marca. Em<br />

agrícola temos a MRL, que aposta muito<br />

na ampliação de gama. Começámos com<br />

a MRL em 2018 e em 2020, e, apesar da<br />

crise pandémica, crescemos 70%.<br />

A Tiresur nunca se focou em preço?<br />

Focamo-nos nas nossas marcas próprias,<br />

mas não forçosamente em preço. E daí tem<br />

vindo o grande crescimento da empresa.<br />

O cliente, ao trabalhar com uma marca<br />

nossa, tem rentabilidade, trabalha com


proteção geográfica e produtos fiáveis.<br />

Em 2013 mudaram de instalações e<br />

vão mudar novamente este ano. Isto<br />

demonstra a evolução do negócio?<br />

Sim, acontece pelo crescimento da nossa<br />

atividade. Especialmente devido aos produtos<br />

agrícolas e de engenharia, que nos fazem<br />

ter necessidade de mais espaço. Além disso,<br />

precisamos de melhores condições para melhorarmos<br />

o nosso nível de serviço. O novo<br />

armazém vai triplicar a nossa capacidade<br />

de pneus de camião e vai também mais do<br />

que duplicar a capacidade agrícola, para<br />

além de aumentar também a capacidade<br />

de pneus de engenharia. Vamos arrancar<br />

com 5000m2 mas já está aprovado outro<br />

projeto de 2500m2.<br />

Qual a importância da rede Center´s<br />

Auto para a Tiresur?<br />

Em termos de faturação, representa 31%.<br />

Estamos a falar de 35 associados, com<br />

43 oficinas. Não estamos focados no número<br />

de oficinas, aquilo que queremos é<br />

ter parceiros que representem as marcas<br />

da melhor forma. Pretendemos também<br />

uma rede que não tenha apenas oficinas<br />

de pneus de ligeiros, e, por isso, também<br />

procurámos crescer com entidades que<br />

trabalhassem produtos de camião, engenharia<br />

e agrícola. E temos na rede operadores<br />

muito importantes nestes segmentos. Além<br />

da rede Center´s Auto, temos o Triangle<br />

Club, já com 14 membros. É um conceito<br />

de embandeiramento, com condições<br />

especiais para a marca Triangle. São dois<br />

conceitos que permitem aos clientes ver<br />

além do preço e perceber que há vantagens<br />

de trabalhar uma marca específica.<br />

Que efeitos teve a pandemia no setor<br />

dos pneus?<br />

Segundo dados do mercado de reposição<br />

de pneus na Europa, o segundo trimestre<br />

de 2020 caiu 31% em ligeiros, 23% em<br />

camião, 4% em agrícola e 26% em motociclos.<br />

O acumulado do primeiro semestre<br />

não é muto diferente: 22% de quebra em<br />

ligeiros, 14% em camião, 9% em agrícola<br />

e 23% em motociclos. Ou seja, na Europa,<br />

em pneus ligeiros, venderam-se menos 23<br />

milhões de pneus em seis meses. Isto é<br />

transversal à maioria dos países, inclusivamente<br />

em Portugal. Mas em junho e julho<br />

já se notou uma recuperação interessante.<br />

Em 2019, segundo a Euro Pool, foram<br />

vendidos cerca de 3 milhões de pneus em<br />

Portugal. Talvez no final de 2021 possamos<br />

falar de valores semelhantes a 2019, mas é<br />

difícil fazer previsões. Mas penso que isto<br />

vai gerar oportunidades no aftermarket,<br />

porque a tendência do cliente para aguentar<br />

mais tempo o veículo é algo notório.


24<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Oficina<br />

O<br />

TRANSPORTES FIGUEIREDO<br />

Estratégia<br />

de manutenção<br />

bem definida<br />

A Transportes Figueiredo dispõe, na sua sede em Santiago de<br />

Riba-Ul (Oliveira de Azeméis), de um enorme parque afeto à<br />

reparação e manutenção da sua frota de camiões e semirreboques.<br />

Fomos conhecer a política seguida nesta área por este reconhecido<br />

transportador nacional e internacional<br />

TEXTO PAULO HOMEM<br />

Com aproximadamente 200<br />

viaturas pesadas na sua frota<br />

e quase <strong>30</strong>0 semirreboques<br />

(uma diferença que se deve à<br />

subcontratação de serviços), a<br />

Transportes Figueiredo tem a sua operação<br />

histórica e estrategicamente assente na<br />

marca Volvo (80% da frota), embora opere<br />

também com Renault, MAN e Mercedes.<br />

“Trabalhar com outras marcas é uma forma<br />

de poder testar e comparar os serviços<br />

que a nossa principal marca nos fornece<br />

em relação às outras e partir daí encontrar<br />

termos de comparação para afinarmos a<br />

nossa estratégia de manutenção” começa<br />

por referir José Mário Mendes, responsável<br />

de manutenção da Transportes Figueiredo<br />

há mais de uma década.<br />

O renting já esteve mais presente na<br />

Transportes Figueiredo, atualmente são


25<br />

cada vez mais veículos em Leasing como<br />

também se tem vindo a optar por manter<br />

em frota alguns dos veículos que terminam<br />

precisamente o contrato de renting.<br />

Apesar de a empresa ter oficina própria,<br />

José Mário Mendes refere que são residuais<br />

as intervenções em tratores, ao contrário<br />

do que sucede com os semirreboques,<br />

onde a reparação e manutenção é quase<br />

totalmente assumida pela Transportes<br />

Figueiredo.<br />

“Todos os nossos veículos são assistidos<br />

pela marca na sua maioria, ou por parceiros<br />

locais, neste caso, oficinas independentes<br />

multimarca de pesados com<br />

as quais temos parcerias”, refere o mesmo<br />

responsável.<br />

Contudo, a parceria da Transportes<br />

Figueiredo com a Volvo assume um grande<br />

protagonismo, já que dentro das instalações<br />

oficinais da transportadora existe<br />

um espaço exclusivamente dedicado à<br />

Volvo onde trabalham em permanência<br />

dois técnicos da Auto Sueco / Volvo. A<br />

principal responsabilidade destes técnicos<br />

é a manutenção preventiva dos veículos,<br />

evitando sempre que possível que<br />

os veículos se desloquem para as oficinas<br />

da marca. “Estes técnicos podem também<br />

fazer reparação, desde que isso não<br />

implique uma imobilização prolongada<br />

do veículo”, refere José Mário Mendes,<br />

que diz que esta estratégia acaba por ter a<br />

ver com a afetação de recursos humanos,<br />

neste caso de motoristas, que assim não<br />

perdem horas a levar os veículos à marca<br />

para efetuar a manutenção. Logicamente<br />

que os veículos em renting e em Leasing<br />

das outras marcas, têm os seus contratos<br />

de manutenção, sendo as operações de<br />

manutenção feitas nos concessionários<br />

da marca.<br />

Terminado o período do renting e do leasing,<br />

no caso dos veículos Volvo é feito<br />

um novo contrato de manutenção, continuando<br />

essa manutenção a ser feita pelos<br />

mesmos técnicos, porém, em qualquer das<br />

marcas de pesados que dispõe (incluindo<br />

a Volvo), em que seja necessário algo mais<br />

que uma mera manutenção, a Transportes<br />

Figueiredo recorre normalmente a oficinas<br />

independentes locais. “Temos aqui alguma<br />

flexibilidade para gerir esta situação,<br />

onde entre os diversos fatores em equação<br />

um dos mais importantes é a proximidade<br />

destas oficinas. São oficinas que<br />

nos garantem também serviços na área<br />

elétrica, tacógrafos e ainda na vertente<br />

da colisão”, explica José Mário Mendes.<br />

Esta estratégia da Transportes Figueiredo,<br />

que em tempos chegou a ter ela própria<br />

serviços de manutenção e reparação dos<br />

veículos, tem muito a ver com a própria<br />

evolução tecnológica dos camiões, que é<br />

cada vez maior, obrigando a fortes investimentos<br />

em formação, equipamentos,<br />

etc. “O nosso core business não é fazer<br />

reparações, mais sim transportar mercadorias.<br />

Foi por isso que apostámos em<br />

ter parceiros, que nos permitissem baixar<br />

custos e manter o nosso nível de serviço”,<br />

refere o responsável de manutenção da<br />

Transportes Figueiredo.<br />

Nos semirreboques, onde possui diversas<br />

marcas, a Transportes Figueiredo tem internalizado<br />

o serviço de reparação e manutenção.<br />

Não é um serviço tão técnico, pelo<br />

que a aposta é realizá-lo dentro de portas.<br />

Outra particularidade da Transportes<br />

Figueiredo é que a empresa não tem secção<br />

de peças própria, mas contratou com<br />

a Motorbus esse fornecimento, tendo esta<br />

empresa um armazém de peças avançado<br />

(sobretudo para os semirreboques) nas<br />

instalações da transportadora. “A nossa<br />

política foi não ter peças, nem stock nem<br />

pessoas dedicadas a essa área, contratando<br />

com a Motorbus esse serviço que tem um<br />

profissional nas nossas instalações permanentemente<br />

e nos garante todo esse serviço”,<br />

revela o responsável de manutenção<br />

da empresa de Oliveira de Azeméis.<br />

Onde a Transportes Figueiredo mais simplifica<br />

o processo de gestão da manutenção<br />

é ao nível dos pneus. Há muitos anos que<br />

a Transportes Figueiredo tem um contrato<br />

com a Michelin (com pagamento ao<br />

quilómetro), tendo a empresa optado por<br />

esta estratégia “no sentido de dar a gestão<br />

do pneu a quem é verdadeiramente especialista<br />

na área”, diz José Mário Mendes.<br />

Dessa forma, um parceiro Michelin está<br />

diariamente presente nas instalações da<br />

Transportes Figueiredo, para verificar<br />

pressões, profundidades e efetuar trocas<br />

e mudanças de pneus sejam eles novos<br />

ou recauchutados, segundo determinadas<br />

regras previamente definidas entre a<br />

Michelin e a transportadora (por exemplo,<br />

um veículo não pode passar três meses<br />

sem ser visto).<br />

Todos os tratores e semirreboques da<br />

Transportes Figueiredo não utilizam pneu<br />

suplente, sendo toda a assistência na estrada<br />

(em Portugal e no estrangeiro) garantida<br />

pela Michelin.<br />

Ao nível dos vidros, a Transportes<br />

Figueiredo também desenvolveu uma<br />

parceria com a Carglass, sendo que este<br />

operador efetua atualmente os serviços<br />

de substituição de vidro e calibração do<br />

ADAS nas instalações da própria transportadora.<br />

Para terminar, José Mário Mendes, explica<br />

que estas opções tomadas em relação<br />

à política de manutenção e reparação da<br />

frota se devem também “à enorme dificuldade<br />

de contratar técnicos especializados<br />

no mercado. É um dos grandes problemas<br />

do setor da reparação”.<br />

Refira-se que a idade média da frota da<br />

Transportes Figueiredo é de cerca de 4<br />

anos, a maioria dos veículos fazem transporte<br />

internacional e que a quilometragem<br />

média anual por carro está compreendida<br />

entre os 100.000 e o os 120.000 quilómetros<br />

ano.


26<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Personalidade<br />

P<br />

A bandeira<br />

da empresa<br />

é mesmo<br />

o serviço<br />

PAULO CASTRO<br />

DIRETOR COMERCIAL RECAMBIOS BARREIRO PORTUGAL<br />

Faz 20 anos que a Recambios Barreiro chegou a<br />

Portugal, reforçando dessa forma a forte presença ibérica<br />

que esta empresa tem nas peças para veículos pesados.<br />

Atualmente é uma das maiores empresas desta área,<br />

jogando em todos os tabuleiros do mercado<br />

Peças de qualidade para<br />

camiões e semirreboques,<br />

redes oficinais, equipamentos<br />

de diagnóstico,<br />

quatro armazéns, call-<br />

-center, formação técnica<br />

e plataforma B2B são<br />

alguns diversos os meios<br />

que a Recambios Barreiro disponibiliza<br />

aos seus clientes. A empresa joga por isso<br />

em todos os “tabuleiros” para potenciar o<br />

seu serviço junto dos clientes, numa altura<br />

em que está a atravessar os 20 anos de presença<br />

em Portugal. Por todas estas razões<br />

a revista PÓS-VENDA PESADOS entrevistou<br />

Paulo Castro, Diretor Comercial<br />

da Recambios Barreiro Portugal.<br />

Como é que hoje caracteriza a<br />

Recambios Barreiro?<br />

Existem três vertentes que para a<br />

Recambios Barreiro são muito importantes:<br />

o serviço, a disponibilidade de stock<br />

e o profissionalismo da nossa equipa.<br />

Sempre que o cliente nos contata, quer<br />

no balcão, quer por telefone, ele sabe<br />

que em 99,9% das vezes a Recambios<br />

Barreiro vai disponibilizar a peça. Se não<br />

disponibiliza na hora, em menos de 24<br />

horas conseguimos ter a peça. Basta dizer<br />

que para além dos quatro armazéns<br />

em Portugal temos mais 11 em Espanha.<br />

ENTREVISTA PAULO HOMEM<br />

O facto de a Recambios Barreiro ter<br />

uma forte posição em Espanha, de que<br />

forma isso se reflete na atividade em<br />

Portugal?<br />

É uma enorme mais valia, pois não é seguramente<br />

pela falta de disponibilidade<br />

de produto que o cliente não é fornecido.<br />

Não digo que a vertente do preço não<br />

seja muito importante no atual contexto<br />

de mercado, pois algumas vezes vende-se<br />

mais o preço que o produto. Mas, na verdade,<br />

onde fazemos a diferença é mesmo<br />

no serviço, na disponibilidade de stock e<br />

no profissionalismo da nossa equipa e isso<br />

tem tudo a ver com esta forte posição que<br />

temos em Portugal e no mercado ibérico.<br />

Diria que a bandeira da Recambios<br />

Barreiro é mesmo o serviço.<br />

Queria também acrescentar que a qualidade<br />

do nosso produto é também muito<br />

boa, embora atualmente o acesso aos<br />

fornecedores esteja aberto a todos neste<br />

mercado.<br />

Quanto ao serviço, acho importante referir<br />

que temos diariamente, durante todo<br />

o dia, 17 carrinhas de entrega de peças.<br />

O ADN da Recambios Barreiro está<br />

também presente no mercado português?<br />

Claramente que sim. É isso que estamos<br />

a passar continuamente à nossa equipa e<br />

por isso é que digo que a nossa equipa<br />

tem sido muito importante no desenvolvimento<br />

da empresa em Portugal. Todos<br />

eles estão envolvidos com o ADN da<br />

Recambios Barreiro e isso é muito importante.<br />

Se tivesse que escolher, quais são os<br />

momentos marcantes destes 20 anos<br />

da Recambios Barreiro em Portugal?<br />

Quando abrimos a Recambios Barreiro,


27


28<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

P<br />

PERSONALIDADE<br />

não tínhamos experiência do setor das<br />

peças de pesados. As nossas instalações<br />

iniciais eram em Santa Maria da Feira,<br />

mas 90% do nosso negócio era a norte<br />

da Ponte da Arrábida. Assim, em 2003<br />

decidimos mudar para a zona onde ainda<br />

hoje temos a sede em Portugal (em Leça<br />

da Palmeira) e, essa decisão, foi importantíssima<br />

no desenvolvimento da empresa<br />

e do seu negócio, pois passávamos<br />

a estar muito mais próximos dos nossos<br />

clientes. Nesta fase houve claramente um<br />

antes e um depois. O segundo momento<br />

com impacto no nosso negócio foi a<br />

abertura em Albergaria-a-Velha, no ano<br />

de 2010, pois mais uma vez nos aproximamos<br />

muito dos nossos clientes e das<br />

suas necessidades. Contudo, existe um<br />

fator, que para mim é fulcral em todos os<br />

momentos destes 20 anos, que é a equipa<br />

da Recambios Barreiro, que sempre<br />

vestiu a camisola pela empresa. É muito<br />

importante a empresa ter uma grande<br />

estrutura, ter muita disponibilidade de<br />

stock, mas o mais importante é a nossa<br />

equipa que esteve sempre connosco nos<br />

bons e nos maus momentos.<br />

A Recambios Barreiro pertence à<br />

Groupauto. De que forma isso é potenciador<br />

para o vosso negócio?<br />

Em primeiro lugar, o facto de termos 15<br />

armazéns na Península Ibérica permite-<br />

-nos ter um peso junto dos fornecedores<br />

e isso também se reflete no negócio<br />

que temos em Portugal. Por outro lado,<br />

a Recambios Barreiro está envolvida na<br />

Groupauto há mais de <strong>30</strong> anos o que não<br />

deixa de ter o seu peso no negócio que<br />

desenvolvemos em Portugal ao nível da<br />

disponibilidade de stock, no produto e<br />

também nos preços.<br />

A que se deve, no seu entender, o crescimento<br />

que a Recambios Barreiro tem<br />

registado na sua atividade em Portugal?<br />

Eu diria que o cliente tem aqui uma posição<br />

central neste crescimento. Sabemos<br />

que hoje em dia a questão da fidelidade<br />

do cliente é muito relativa. Felizmente<br />

que mantemos clientes há 20 anos, mas<br />

atualmente não existe nenhum player<br />

A nossa aposta são<br />

as marcas premium<br />

que possa dizer que tem tudo aquilo que<br />

o cliente quer. Por outro lado, o cliente<br />

nem precisa de sair da oficina, existindo<br />

no mercado uma enorme oferta. Também<br />

gostava de dizer que no mercado existe<br />

uma concorrência também ela muito<br />

profissional, que está há muitos anos no<br />

setor e que tem as suas armas.<br />

Como tem evoluído a política de produto<br />

e marcas dentro da Recambios<br />

Barreiro em Portugal?<br />

A nossa aposta são as marcas premium.<br />

Temos total confiança no trabalho que a<br />

Recambios Barreiro desenvolve centralmente<br />

ao nível das compras o que nos<br />

permite oferecer produtos e marcas de<br />

qualidade aos nossos clientes. Porém,<br />

temos também trabalhado a nossa marca<br />

própria, a AXCAR, que temos vindo<br />

a desenvolver nos últimos anos. É uma<br />

marca de qualidade, fabricada por fabricantes<br />

de primeiro equipamento, que<br />

está disponível em pastilhas de travão,<br />

discos de travão, anticongelantes e baterias.<br />

É uma marca muito representativa,<br />

por exemplo, 95% dos discos de travão<br />

que vendemos são AXCAR.<br />

Esperam desenvolver esta marca para<br />

mais linhas de produto?<br />

Estamos a trabalhar nesse sentido na<br />

Recambios Barreiro, mas não sei quando<br />

poderão existir novidades. Temos,<br />

contudo, uma certeza, qualquer que seja<br />

o novo produto que iremos lançar com a<br />

marca AXCAR, será produzido por fabricantes<br />

de primeiro equipamento.


29<br />

Estão a desenvolver o negócio de peças<br />

para furgões de maior dimensão?<br />

Somos quase a 100% um operador de<br />

peças para veículos pesados. Temos o<br />

foco neste tipo de peças apesar de já fornecermos<br />

algumas peças de maior rotação<br />

para essa tipologia de veículos, pois<br />

alguns clientes para além das frotas de<br />

pesados têm também frotas de furgões.<br />

Mas, repito, não é uma área em que tenhamos<br />

o nosso foco, mas isso não quer<br />

dizer que não olhemos no futuro para ela<br />

com mais atenção.<br />

Para além das peças para camiões, a<br />

Recambios Barreiro trabalha também as<br />

peças para autocarros e semirreboques?<br />

Para o setor dos autocarros, trabalhamos<br />

a embraiagem, a suspensão, a travagem e<br />

a refrigeração, que muitas vezes é compatível<br />

com o setor dos camiões. Como é<br />

uma área que exige especialização e onde<br />

já existem operadores muito fortes e com<br />

alto nível de especialização, é um setor<br />

que tem pouca expressão na Recambios<br />

Barreiro de Portugal. No caso dos semirreboques,<br />

trabalhamos todas as marcas,<br />

sendo uma área que tem bastante peso<br />

no nosso negócio. Somos também representantes<br />

da BPW e temos uma rede de<br />

oficinas BPW, com sete aderentes, que<br />

presta todo o serviço oficial da marca.<br />

Muitos operadores têm vindo a apostar<br />

na abertura de diversas filiais, tal<br />

como vocês têm vindo a fazer, embora<br />

se registe o fecho da filial de Viseu<br />

aberta em 2018...<br />

Para nós isso não é assunto tabu.<br />

Fisicamente deixámos de estar presentes<br />

em Viseu passando essa operação a ser<br />

coordenada por Albergaria, onde investimos<br />

na logística e num aumento bastante<br />

significativo de disponibilidade de stock.<br />

Atualmente, estamos a fazer duas entregas<br />

diárias nos clientes da região de Viseu.<br />

Mantivemos os mesmos recursos: o nosso<br />

técnico comercial e o atendimento<br />

comercial pelo call center. A verdade é<br />

que mesmo saindo de Viseu, mantemos<br />

os mesmos níveis de serviço nos clientes<br />

daquela região e isso permitiu-nos manter<br />

o mesmo nível de vendas que tínhamos<br />

antes. Não existam dúvidas que vamos<br />

continuar a fazer um excelente trabalho<br />

na região de Viseu.<br />

Querem ter presença em Lisboa?<br />

O balcão de Leiria já trabalha toda a zona<br />

sul de Portugal. No entanto, estamos sempre<br />

atentos a novas oportunidades de negócio,<br />

quer sejam em Lisboa, ou em outras<br />

áreas geográficas. No contexto atual,<br />

estamos mais focados em potenciar as<br />

nossas unidades de negócio já existentes.<br />

O call-center acaba por ser muito importante<br />

na vossa atividade?<br />

Nós fomos pioneiros em Portugal em ter<br />

um call-center no setor de peças para pesados.<br />

Atualmente temos um call center<br />

que dá apoio aos nossos técnicos comerciais<br />

e outro de atendimento ao cliente.<br />

Desta forma conseguimos ter um atendimento<br />

muito mais profissional, separando<br />

a venda telefónica da venda ao balcão,<br />

sendo assim muito mais eficientes e rápidos<br />

no atendimento ao cliente.<br />

Nos últimos anos começaram a ser dinamizados<br />

diversos conceitos oficinais,<br />

tendo a Recambios Barreiro apresentado<br />

a Intertrucks em Portugal em 2017.<br />

Como está a decorrer esse projeto?<br />

É um projeto que está a decorrer de “vento<br />

em popa”. Neste momento temos 13<br />

oficinas integradas neste projeto que dão<br />

cobertura aos principais distritos onde<br />

existem frotas de camiões. O desenvolvimento<br />

deste projeto, que superou as<br />

nossas expetativas, obrigou a criar um<br />

novo posto na empresa, com um profissional<br />

que se encarrega, entre outras coisas,<br />

com o desenvolvimento da rede. Até<br />

final de 2021, era excelente termos mais<br />

6 ou 7 oficinas.<br />

Quais são os pilares deste projeto<br />

Intertrucks?<br />

A rede de oficinas Intertrucks assenta<br />

sobretudo em três pilares: formação, informação<br />

e assistência técnica. Mais do<br />

que nunca, sentimos a necessidade de dar<br />

formação aos nossos clientes, caso con-


<strong>30</strong><br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

P<br />

PERSONALIDADE<br />

trário entramos numa espiral que pode<br />

ser perigosa para o nosso negócio. Temos<br />

problemas com as reclamações e as devoluções<br />

que na maioria das vezes tem a ver<br />

com a falta de formação técnica.<br />

Esta rede tem, por exemplo, um call-center<br />

em que o cliente pode pedir todo o<br />

tipo de informações técnicas e aceder a um<br />

enorme conjunto de informação que lhe<br />

é cada vez mais essencial. Na Recambios<br />

Barreiro, temos também um departamento<br />

técnico, onde damos muito formação<br />

técnica, não só para quem está na rede<br />

Intertrucks, mas também para todos os<br />

restantes clientes.<br />

Para além das peças, a Recambios<br />

Barreiro está também presente nos<br />

equipamentos oficinais?<br />

Sim. O responsável que trata da coordenação<br />

de rede dinamiza também a parte<br />

dos equipamentos, sobretudo ao nível dos<br />

equipamentos de diagnóstico. Neste momento<br />

trabalhamos com a Jaltest, Delphi e<br />

Bosch, existindo aqui um grande trabalho<br />

a fazer junto dos clientes. Achamos que<br />

não se pode estar hoje no negócio da reparação<br />

de pesados sem máquina de diagnóstico,<br />

mas infelizmente isso acontece,<br />

como existem operadores com máquina<br />

de diagnóstico que não a usam. Como<br />

disse, temos que apostar cada vez mais<br />

na formação técnica dos nossos clientes,<br />

pois é esse o caminho que todos temos<br />

que seguir.<br />

Porque razão no seu entender se continua<br />

a investir tanto no negócio de<br />

peças para pesados?<br />

Estamos focados em<br />

potenciar as nossas<br />

unidades de negócio<br />

Efetivamente nos últimos anos, temos<br />

assistido a um forte investimento, mas<br />

na minha ótica penso que vai haver um<br />

abrandamento. Os clientes não têm aumentado,<br />

pelo contrário. Além disso vivemos<br />

numa conjuntura económica muito<br />

complicada, que não sabemos quando terá<br />

um término. Atualmente o mercado de<br />

aftermarket de pesados já está muito bem<br />

preenchido com empresas com elevado<br />

grau de profissionalismo, com muitos anos<br />

no setor e bem situadas geograficamente.<br />

A venda de peças de pesados através de<br />

plataformas B2B pode ser um elemento<br />

diferenciador?<br />

Posso afirmar com segurança que a<br />

Recambios Barreiro foi pioneira no lançamento<br />

de uma plataforma B2B na área<br />

dos pesados, já em 2017. Na nossa plataforma<br />

“Armin”, o cliente tem acesso<br />

a especificações técnicas, identificação<br />

de peças por chassi, toda a informação<br />

OE, com o cruzamento das referências,<br />

acesso ao stock dos nossos 15 armazéns<br />

e a possibilidade de efetuar o seu pedido<br />

diretamente online. A verdade é que<br />

atualmente temos apenas três clientes<br />

que usam esta plataforma!!! Pode ser um<br />

negócio de futuro, mas não vejo que nas<br />

peças de camiões a realidade seja essa,<br />

pelo menos em Portugal. Colocámos o<br />

“Armin” à disposição de um vasto leque<br />

de clientes, incluindo a nossa rede de oficinas<br />

Intertrucks, mas vemos alguma resistência<br />

para a usarem, apesar de ser uma<br />

excelente plataforma muito acessível e interativa.<br />

A verdade é que continuamos a<br />

dinamizar essa plataforma para os clientes,<br />

pois achamos que seria um beneficio<br />

para nós e para os clientes, mas existe um<br />

longo caminho a percorrer.<br />

Que investimentos estão previstos na<br />

vossa atividade a curto e médio prazo?<br />

Vamos lançar uma novidade no próximo<br />

ano ao nível do digital, que poderá melhorar<br />

muito a nossa rapidez de serviço,<br />

que é uma área em que já estamos muito<br />

bem posicionados. Mas a seu tempo<br />

falaremos dessa novidade.<br />

Como vê o futuro da Recambios<br />

Barreiro em Portugal?<br />

Em ano de celebrarmos 20 anos, com o<br />

trabalho fantástico, dedicação e apoio da<br />

nossa sede em Espanha, não tenho a mínima<br />

dúvida que muitos mais 20 virão,<br />

fortalecendo e vincando muito mais a<br />

nossa presença em Portugal. Trabalhamos<br />

todos em consonância e todos sabemos<br />

para onde vamos e qual o caminho a<br />

percorrer.


DIESEL OU GÁS?<br />

JÁ NÃO PRECISA<br />

DE ESCOLHER.<br />

A gama IVECO S-WAY é a sua escolha, qualquer que seja a sua missão. Escolha ter uma nova<br />

cabina e um conforto premium em condução. Desfrute da total conectividade a bordo e de mais<br />

serviços úteis. Escolha emitir menos 95% de PM e menos 90% de NO 2<br />

com metano, e menos<br />

95% de CO 2<br />

com biometano. E viajar até 1600 km com um único depósito, acompanhado do<br />

melhor TCO da indústria.<br />

NÃO NECESSITA MAIS DE ESCOLHER, A IVECO OFERECE TODAS AS SOLUÇÕES.<br />

DRIVE THE NEW WAY.


32<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Dossier<br />

D<br />

PEÇAS DE TRAVAGEM PARA PESADOS<br />

Travagem<br />

mais eficiente<br />

Os componentes de travagem estão cada vez mais desenvolvidos<br />

tecnologicamente, com vista a aumentar a sua vida útil, melhorar a<br />

eficácia de travagem e reduzir custos para as frotas<br />

TEXTO NÁDIA CONCEIÇÃO<br />

O<br />

sistema de travões é um dos<br />

elementos que sofrem maior<br />

desgaste num veículo pesado.<br />

As marcas colocam, por isso,<br />

ao dispor dos seus clientes, os<br />

mais recentes desenvolvimentos em termos<br />

de tecnologia, por forma a reduzir<br />

o desgaste, combinando desempenho,<br />

eficácia de travagem, durabilidade e relação<br />

qualidade/preço. A redução do consumo<br />

de combustível e das emissões de CO2<br />

são também preocupações das frotas e<br />

por isso são também características que as<br />

empresas procuram ao adquirir este tipo


33<br />

Questões<br />

1 - Qual foi a mais recente novidade<br />

de produto introduzida ao nível de<br />

peças travagem para veículos pesados<br />

(discos, pastilhas, etc.)?<br />

2 - Qual o mais recente desenvolvimento<br />

tecnológico ao nível das peças<br />

de travagem (discos, pastilhas, etc.)?<br />

BREMSKERL<br />

Marein<br />

1 / 2 - A Bremskerl, um dos fabricantes<br />

líder na Alemanha de pastilhas e calços<br />

de travão, com mais de 90 anos e experiência<br />

no desenvolvimento e fabrico,<br />

oferece uma vasta gama de calços e<br />

pastilhas para travões de tambores e de<br />

PUBLICIDADE<br />

VICAUTO<br />

PEÇAS PARA VIATURAS PESADAS, LDA.<br />

16 ‘ 19<br />

Mantemos o seu negócio em movimento!<br />

Marcas Top<br />

de componentes. O tempo de inatividade<br />

dos veículos é outra das grandes preocupações<br />

das frotas e, por isso, a aposta das<br />

marcas é também, além da gama alargada<br />

de componentes, a de disponibilizar todos<br />

os acessórios e kits de instalação necessários<br />

para um serviço cada vez mais rápido<br />

de manutenção e reparação dos veículos.<br />

Este é um setor onde os desenvolvimentos<br />

tecnológicos mais recentes incluem,<br />

por exemplo, a colocação de sensores nos<br />

componentes de travagem, para antecipar e<br />

reduzir o risco de avarias, reduzindo tempos<br />

de paragem. A PÓS-VENDA PESADOS<br />

traz-lhe, nas próximas páginas, estas e<br />

outras novidades e desenvolvimentos das<br />

marcas ao nível das peças de travagem para<br />

este tipo de veículos.<br />

Gama Top<br />

Equipamento Top<br />

Fabricantes Top<br />

Centralidade Top<br />

Fornecedor<br />

Top


34<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

D<br />

PEÇAS DE TRAVAGEM PARA PESADOS<br />

disco. Tem produção em vários locais,<br />

tanto na Alemanha, como também na<br />

Índia e nos Estados Unidos da América,<br />

para poder competir com as necessidades<br />

crescentes do mercado internacional.<br />

Fazem parte da sua gama de produtos<br />

as pastilhas e os calços para a indústria,<br />

comboios e viaturas comerciais,<br />

ou seja camiões, atrelados e autocarros.<br />

O programa dos veículos comerciais<br />

é composto por calços e as pastilhas<br />

para autocarros, camiões e atrelados.<br />

Para atender às exigências das diferentes<br />

aplicações, adaptámos os revestimentos<br />

individualmente. Assim pretendemos<br />

alcançar um resultado ideal entre a capacidade<br />

de travagem, o desgaste e a<br />

economia. A relação preço / desempenho<br />

está em primeiro lugar na Bremskerl.<br />

Todos os nossos calços e pastilhas têm a<br />

certificação ECE 90R. Dada a experiência<br />

de longos anos no equipamento de<br />

origem conhecem-se as condições para<br />

uma parceria bem-sucedida. Alguns<br />

fabricantes de renome no equipamento<br />

de origem são fornecidos pela Bremskerl.<br />

Todas as pastilhas de travão de discos<br />

têm a camada “Green Coating”, para<br />

manter desde a primeira travagem o<br />

efeito de fricção ótimo. Atualmente a<br />

Bremskerl está a desenvolver um material<br />

completamente novo para pastilhas de<br />

travões de disco, dando assim mais um<br />

passo no sentido de melhorar e otimizar<br />

a sua gama.<br />

DT SPARE PARTS<br />

Diesel Technic<br />

Martin Ratón<br />

www.dieseltechnic.com<br />

1 - A publicação do nosso novo catálogo<br />

de produtos adequados para as últimas<br />

séries FL6, FL e FE de camiões Volvo<br />

considerou o desenvolvimento e a inclusão<br />

na nossa linha de várias novas<br />

peças da família de travagem.<br />

2 - No desenvolvimento de discos de<br />

travagem da marca DT Spare Parts adequados<br />

para as últimas séries Volvo FL6,<br />

FL e FE, foram usadas ligas especiais<br />

que contribuem para aumentar a resistência<br />

ao desgaste e reduzir a formação<br />

de fissuras. As suas dimensões exatas<br />

de encaixe garantem a fácil montagem<br />

dos discos de travão no cubo da roda. O<br />

acabamento superficial ideal, compatível<br />

com as pastilhas de travão, garante alta<br />

eficácia de travagem e o menor desgaste<br />

possível em ambos os componentes.<br />

Além disso, cada disco de travão DT é<br />

verificado para garantir o equilíbrio das<br />

forças centrífugas.<br />

TMD FRICTION<br />

Textar<br />

Vítor Maia<br />

textar.com<br />

1 - A mais recente novidade de produto<br />

introduzida pela TMD Friction foi em<br />

pastilhas de travão para veículos pesados<br />

com a introdução de placas de suporte<br />

leves com pinos. No caso dos veículos<br />

comerciais as pastilhas de travão estão<br />

sujeitas a exigências e cargas extremas.<br />

Aqui é decisivo o acamamento seguro do<br />

material de fricção na placa de suporte<br />

da pastilha. Por esse motivo, a TMD<br />

Friction utiliza processos de acamamento<br />

mecânico inovadores e de alto rendimento<br />

no fabrico de pastilhas para travões<br />

de disco para veículos comerciais. Em<br />

função do tipo de aplicação e da carga<br />

térmica, as placas de suporte podem ser:<br />

placa de aço com pinos de latão, placa de<br />

ferro fundido com pinos de latão, placa<br />

de ferro fundido com pinos fundidos<br />

(placa de fundição integral), placa de aço<br />

com metal expandido, também denominado<br />

“weld mesh” ou placa leve com<br />

pinos. As vantagens: a placa leve com<br />

pinos garante o acamamento contínuo<br />

da massa de revestimento de fricção na<br />

placa de suporte da pastilha, mesmo com<br />

cargas térmicas extremas, bem como<br />

um peso inferior. E consequentemente<br />

a máxima segurança e conforto.<br />

2 - Revolução na tecnologia de pastilhas<br />

de travões para veículos comerciais:<br />

tanto no equipamento original como no<br />

mercado de peças sobressalentes – uma<br />

elevada percentagem de veículos comerciais<br />

em todo o mundo está equipada<br />

com pastilhas Textar, a marca de excelência<br />

da TMD Friction. A base para este<br />

sucesso cria por um lado um programa<br />

adaptado aos vários veículos e travões,<br />

assim como um forte foco no tema da<br />

pesquisa e desenvolvimento. Agora a<br />

Textar apresenta, como primeira marca<br />

no mercado de peças sobresselentes, mais<br />

uma Inovação – as pastilhas leves para<br />

veículos comerciais desenvolvidas no<br />

âmbito do programa “TMD Friction<br />

Lightweight Technology”; Argumentos<br />

sólidos para a construção leve: O desafio<br />

do tráfego rodoviário pesado é a<br />

massa. Esta tem de ser acelerada com<br />

elevado consumo de energia e travada<br />

o mais rapidamente possível em caso de<br />

emergência. Isto significa por um lado<br />

um elevado consumo de combustível<br />

e por outro lado um elevado desgaste<br />

das pastilhas. Qualquer redução de<br />

peso representa aqui uma poupança de<br />

custos e simultaneamente a proteção do<br />

ambiente. Porém, uma pastilha é um<br />

componente relativamente pequeno,<br />

oferecendo pouco espaço para a implementação<br />

técnica. Ainda assim foi<br />

possível aos nossos engenheiros reduzir o<br />

peso sem alterar a geometria da pastilha<br />

e sem comprometer a capacidade das<br />

pastilhas. A troca de pastilhas padrão<br />

utilizadas até agora pelas pastilhas leves<br />

inovadoras da Textar é assim possível<br />

sem qualquer problema; poupança facilitada:<br />

a base desta inovação assenta<br />

numa placa de suporte de pastilha mais<br />

fina e leve fabricada no âmbito do programa<br />

da “TMD Friction Lightweight<br />

Technology”. A menor espessura da<br />

placa de suporte é compensada por uma


36<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

D<br />

PEÇAS DE TRAVAGEM PARA PESADOS<br />

camada intermédia, que apresenta um<br />

peso específico mais leve do que o do aço,<br />

apresentando a mesma durabilidade e<br />

capacidade de carga da placa. Além disso<br />

reduz-se o desgaste do sistema travão/<br />

eixo graças à redução do peso. Com base<br />

numa combinação de camião e reboque<br />

de 6 eixos é possível poupar até 7,5 kg<br />

de peso. Isto reduz o consumo de combustível<br />

e a emissão de CO2, é possível<br />

gerar lucro através de carga adicional.<br />

Estes sistemas são depois auxiliados por<br />

cilindros de travão de mola e sistemas<br />

ABS pneumáticos, que trazem cada vez<br />

maior eficiência à travagem de veículos<br />

pesados.<br />

FERODO / JURID / BERAL<br />

Federal Mogul<br />

www.federalmogul.com/pt-PT<br />

TRW<br />

ZF Aftermarket<br />

(TRW Automotive Portugal)<br />

Carlos Gomes<br />

www.trwaftermarket.com<br />

1 - Na área de veículos pesados, a TRW<br />

tem estado focada no desenvolvimento<br />

da sua gama de discos de travão, estando<br />

a alargar a sua gama e respetivamente<br />

a cobertura do parque europeu. Foi<br />

tomada a decisão interna de ainda não<br />

lançar esta gama em Portugal até termos<br />

o nível de cobertura do parque europeu<br />

que corresponda aos padrões a que habituámos<br />

os nossos clientes. Acreditamos,<br />

no entanto, que conseguiremos atingi-lo<br />

em breve, e assim disponibilizar também<br />

esta importante gama para o mercado<br />

português.<br />

2 - A transformação a que assistimos no<br />

mercado de ligeiros está igualmente a<br />

acontecer no mercado de veículos pesados,<br />

em que os veículos são cada vez<br />

mais autónomos, elétricos e conectados.<br />

Assim sendo, já existem no mercado<br />

sistemas de travagem eletrónicos que,<br />

para além de melhorarem o tempo de<br />

resposta na travagem, reduzindo as distâncias<br />

de travagem, permite também<br />

recuperar a energia produzida pela travagem<br />

nos veículos elétricos ou híbridos.<br />

REMSA / ROAD HOUSE<br />

Eurofren<br />

Jorge Hernández<br />

roadhouse.es<br />

1 – Como todos os anos, existem vários<br />

modelos de pastilhas e discos V.I. que<br />

adicionamos ao nosso catálogo. Nas<br />

pastilhas, incorporámos um modelo para<br />

aplicações Scania, modelo P, G, R, série<br />

T, equipado com pinças Knorr SB / SN7;<br />

também incluímos um novo modelo para<br />

aplicações Renault V.I. e modelos Volvo,<br />

D-Series 12 P210, Midlum 240.16 e<br />

FLII 240-12, para pinça Wabco Maxx<br />

19; As últimas pastilhas incorporadas foram<br />

para o eixo Schmitz, sistema Knorr<br />

ST7-4<strong>30</strong>. Quanto aos discos de travão<br />

V.I., temos como novidade 6 modelos,<br />

para Mercedes Actros MP4 e MP5,<br />

Nissan Atleon, Renault Magnum, eixo<br />

Schmitz H37S4 e BPW 9008, 9009,<br />

1008, 10010 ECO Max e 9010 ECO<br />

Plus. Atualmente, estamos a trabalhar na<br />

incorporação de pelo menos 5 referências<br />

de pastilhas e 8 referências de discos.<br />

2 - Devido à grande procura de pastilhas<br />

para veículos pesados, a FMG-Eurofren<br />

Systems fez um investimento significativo<br />

numa nova prensa robótica, o que<br />

permitiu ampliar a capacidade de produção<br />

de pastilhas para pesados em 12%.<br />

1 / 2 - O grupo DRiV disponibiliza no<br />

mercado nacional, para o segmento de<br />

veículos pesados, três conceituadas marcas<br />

de primeiro equipamento: Ferodo,<br />

Jurid e Beral. Entre estas marcas premium,<br />

desenvolvem-se soluções inovadoras<br />

de travagem tanto para pequenos<br />

veículos como para veículos de grande<br />

porte e industriais, passando mesmo pela<br />

alta competição. Estas marcas premium<br />

de travões são líderes globais tanto em<br />

equipamentos originais como no mercado<br />

de reposição. As marcas têm-se destacado<br />

por várias décadas como líderes<br />

em inovação técnica. Hoje, são sinónimo<br />

de excelência e de um compromisso<br />

contínuo no desenvolvimento de soluções<br />

de travagem para o futuro. Como<br />

resultado, tornaram-se naturalmente a<br />

escolha preferida no fornecimento do<br />

equipamento original. Uma dedicação<br />

séria à pesquisa e inovação, engenharia<br />

zelosa e testes extremamente meticulosos<br />

aos produtos, feitos em laboratórios próprios<br />

e em instalações de teste, garantem<br />

a segurança e fiabilidade máxima. Parte<br />

da organização global DRiV, trabalhamos<br />

com tecnologias Premium e OES:<br />

ProTec S, novo sistema de retenção torna<br />

o processo de substituição das pastilhas<br />

mais rápido e seguro, apresentando uma<br />

conexão soldada direta entre a mola e a<br />

placa traseira; Metlock, um sistema de<br />

colagem para uma resistência superior<br />

ao cisalhamento; Greencoating, que<br />

permite elevados valores iniciais de atrito<br />

desde a primeira vez que os travões são<br />

usados.


OPTE PELO PRÉ-PAGAMENTO!<br />

Com as nossas soluções de pagamento NEGOROAD SAT e o cartão<br />

C2A, obtenha identificadores de portagens para toda a sua frota<br />

continuando a beneficiar das nossas vantagens habituais.<br />

Negoroad<br />

Exclusivo para veículos<br />

pesados<br />

Pague todas as portagens europeias com<br />

um único dispositivo<br />

Obtenha até 13% de descontos<br />

nas redes de auto-estradas*<br />

Aproveite as últimas tecnologias de GPS a<br />

bordo<br />

Reserve as suas viagens<br />

nos túneis<br />

Organize as suas viagens nos túneis Fréjus<br />

e Mont Blanc<br />

Beneficie assim de um preço de assinante<br />

e de descontos!<br />

Cartão C2A<br />

Pague o seu combustível a um preço<br />

competitivo, ótimize os seus<br />

orçamentos e administre os seus<br />

cartões em tempo real.<br />

Beneficie de uma única fatura para as suas<br />

transações de portagens<br />

Pré-pagamento online através de<br />

MyNegometal ou transferência bancária<br />

Sem necessidade de constituir<br />

garantias bancárias<br />

IVA e Impostos especiais:<br />

10 dias* para obter o seu reembolso<br />

Reembolso para países membros da UE*<br />

Escolha a antecipação para a recuperação<br />

da TICPE (França), do Gasóleo Profisional<br />

(Espanha), de Droit d’accise spécial (Bélgica)<br />

e do Vračilo trošarine (Eslovénia)<br />

Um único cartão para pagar todo o tipo de<br />

despesas profissionais<br />

Rede de parceiros com faturação e<br />

descontos atrativos<br />

Banco online e configuração de cartões<br />

em tempo real<br />

Assistência 24/24<br />

Não se solicita garantia bancária<br />

Reembolso do gasóleo profissional<br />

agilizado<br />

Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, 247<br />

Edifício São José • Escritório 407/408 •<br />

2750-326 CASCAIS<br />

Tel : +351 21 486 17 05<br />

Fax : +351 21 486 88 39<br />

contact.lusoiva@negometal.com<br />

www.negometal.com


38<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

D<br />

PEÇAS DE TRAVAGEM PARA PESADOS<br />

Qual a cobertura do parque circulante das marcas que representam<br />

em termos de peças de travagem para pesados?<br />

Diesel Technic<br />

TMD Friction<br />

ZF Aftermarket<br />

Eurofren<br />

Federal Mogul<br />

Vicauto<br />

Martin Ratón<br />

Vítor Maia<br />

Carlos Gomes<br />

Jorge Hernández<br />

Ricardo Almeida<br />

“Cobertura para aproximadamente 80% a 90% do parque de veículos pesados”<br />

“Independentemente do tipo de veículo, camiões, autocarros ou semirreboques, temos<br />

soluções de travões para 99% de todos os veículos comerciais da Europa”<br />

“Na área de pesados, as pastilhas de travão são o produto que apresenta melhor<br />

cobertura do parque, encontrando-se nos 91%”.<br />

“Atualmente temos uma cobertura de mais de 99% do parque europeu.”<br />

Ferodo: pastilhas + de 92%, calços + de 89%, discos + de 88% e avisadores + 90%;<br />

Beral: pastilhas 91%, calços 90% discos 87% avisadores 90%;<br />

Jurid: pastilhas 91%, calços 89% discos 86% avisadores 86%.<br />

“A cobertura é de quase 100% no que diz respeito a pastilhas e calços de travão para<br />

veículos ligeiros de mercadorias, camiões, reboques e autocarros. Em relação a discos<br />

de travão, a ICER não comercializa”.<br />

Global Parts<br />

Ferdinand<br />

Bilstein<br />

Miguel Valentim<br />

Filipa Pereira<br />

“A cobertura é total para as marcas europeias de camiões, Mercedes, Volvo, Scania,<br />

DAF, MAN, RVI, Iveco e atrelados, BPW, Shmitz, ROR, etc.”<br />

“A febi Truck apresenta uma variedade considerável no que diz respeito aos<br />

componentes deste grupo de produtos. Falamos, não só de discos e pastilhas de travão,<br />

mas também de kits de reparação da pinça de travão, calços de travão, tambores de<br />

travão, cilindros do diafragma, árvore de cames do travão, ajustador de folgas, entre<br />

muitas outras. A febi Truck apresenta uma ampla gama de travagem com mais de<br />

1100 componentes, apresentando uma cobertura de 97% do parque circulante a nível<br />

mundial”.<br />

mais recentes são ao nível da sensorização<br />

dos componentes que compõem<br />

o sistema pneumático de travagem. A<br />

colocação de sensores em praticamente<br />

todos os componentes, permite identificar<br />

e corrigir falhas de forma muito mais<br />

célere minimizando os riscos de avarias.<br />

ICER / Ferodo / Jurid / Valeo<br />

Vicauto<br />

Ricardo Almeida<br />

www.vicauto.pt<br />

1 / 2 - O posicionamento da marca<br />

ICER, que comercializamos, é o de<br />

um fabricante reconhecido pelos nossos<br />

clientes pela excelência dos produtos<br />

que fabrica, com uma boa relação<br />

preço/qualidade. As novidades que a<br />

ICER apresentou foram quase todas<br />

relacionadas com novos produtos para<br />

veículos ligeiros. Para além da ICER,<br />

comercializamos também do grupo<br />

DRiV, a Ferodo e Jurid e com a Valeo<br />

completamos a nossa cobertura em material<br />

de travagem.<br />

EconX<br />

Global Parts<br />

Miguel Valentim<br />

www.sgp-globalparts.pt<br />

1 - A mais recente novidade foram os<br />

Calipers de Travão EconX da Knorr-<br />

Bremse. São calipers renovados de fábrica,<br />

com a qualidade reconhecida do<br />

maior fabricante de sistemas de travão de<br />

disco do mundo, a Knorr-Bremse, a um<br />

preço muito competitivo. Os travões são<br />

o sistema de segurança mais importante<br />

em qualquer veículo e com esta solução<br />

não há necessidade de correr os riscos<br />

de uma reparação deficiente.<br />

2 - Nos pesados, os desenvolvimentos<br />

Ferdinand Bilstein<br />

febi Truck<br />

Filipa Pereira<br />

http://bilsteingroup.com<br />

1 - No início do mês de setembro<br />

lançámos a campanha de marketing de<br />

Travagem, com foco em toda a gama<br />

para veículos pesados, com variados<br />

destaques em meios de comunicação,<br />

onde incluímos também alguma infor-


39<br />

mação técnica relevante para clientes<br />

e profissionais do setor. Qualidade<br />

Consistente. Travagem Total! – esta<br />

foi a novidade em febi Truck para este<br />

ano e representa, não só a assinatura<br />

desta campanha, mas sobretudo a promessa<br />

de qualidade que oferecemos aos<br />

nossos clientes, sobretudo num grupo<br />

de produto tão relevante para a segurança<br />

na estrada. Com o lançamento<br />

desta campanha, foram desvendadas<br />

algumas particularidades desta vasta<br />

gama e acreditamos que muitos clientes<br />

ganham acesso a uma gama revista e<br />

melhorada para que as necessidades<br />

de segurança sejam sempre satisfeitas.<br />

2 - À semelhança de outros grupos<br />

de produto, este é um onde surgem<br />

novidades constantes, não só devido ao<br />

natural e sistemático alargamento da<br />

gama, mas também através dos inputs<br />

que nos chegam através das corridas<br />

de veículos pesados, onde a febi Truck<br />

se encontra envolvida há largos anos.<br />

Alguns dos mais conceituados pilotos<br />

de corrida, incluindo a Steffi Halm<br />

da equipa Schwabentruck, confiam<br />

nos discos de travão da febi. Mais relevante<br />

do que introduzir referências<br />

ou lançar novidades, importante referir<br />

também que nos focamos continuamente<br />

no aumento das aplicações e<br />

também em melhorias consecutivas<br />

no que diz respeito ao controlo de<br />

qualidade. Desta forma, os desenvolvimentos<br />

tecnológicos tentam sempre<br />

satisfazer as necessidades e falhas do<br />

mercado apostando e denotando sempre<br />

uma redobrada atenção às questões<br />

da segurança rodoviária. Os produtos<br />

são submetidos a testes de qualidade<br />

rigorosos e exigentes antes de fazerem<br />

parte da gama febi. A escolha dos artigos<br />

para a gama de pastilhas e discos<br />

de travão é baseada na qualidade do<br />

componente OE. Várias ferramentas<br />

são utilizadas nos nossos laboratórios<br />

avançados de testes de amostras. Todas<br />

as dimensões, dureza, rugosidade, especificação<br />

do material, e outros níveis<br />

de medição são considerados durante<br />

os testes. Desgaste, desempenho e vida<br />

útil são aspetos fulcrais na promessa de<br />

qualidade. A peça apenas é integrada na<br />

gama febi quando todos os requisitos<br />

são cumpridos.<br />

PUBLICIDADE


40<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Mercado<br />

Camiões, Autocarros e VCL<br />

M<br />

Irizar e-Mobility fabrica autocarros<br />

elétricos para Estrasburgo<br />

A<br />

Estrasburgo Eurometropole encomendou<br />

49 autocarros Irizar 100%<br />

elétricos com emissões zero e 12<br />

metros. Os veículos terão três portas, 23<br />

lugares e duas áreas para cadeiras de rodas.<br />

Os autocarros são carregados durante a<br />

noite por carregamento lento. Os veículos<br />

contarão com AVA. As baterias instaladas<br />

nos veículos são desenvolvidas e fabricadas<br />

na Irizar e-Mobility. A eletrónica e comunicações<br />

e seus principais componentes e<br />

sistemas são também desenvolvidos pelo<br />

Novo camião híbrido<br />

da Scania com 60 km<br />

de autonomia elétrica<br />

A<br />

Scania apresentou um novo camião<br />

híbrido Plug-in, com uma autonomia<br />

elétrica de até 60 km. O<br />

camião está equipado com um conector<br />

de carregamento CCS para carregamento<br />

a partir da rede elétrica. Com o carregamento<br />

de 95 kW CC, as três baterias<br />

serão carregadas a 80% em cerca de 35<br />

minutos. O camião também pode ser carregado<br />

através da regeneração da energia


41<br />

Scania lança camião 100% elétrico<br />

com autonomia de 250 km<br />

A<br />

Scania está a lançar o seu primeiro<br />

camião totalmente elétrico. Com<br />

uma autonomia de até 250 km,<br />

está disponível com a opção de cinco, para<br />

um total de 165 kWh, ou nove baterias,<br />

totalizando <strong>30</strong>0 kWh de capacidade instalada.<br />

Com cinco baterias, a autonomia<br />

é de 1<strong>30</strong> km. O novo motor elétrico debita<br />

uma potência contínua de 2<strong>30</strong> kW<br />

ou aproximadamente 310 cv. O motor<br />

tem duas transmissões para permitir uma<br />

potência elevada através de um intervalo<br />

No ano passado, a Fuso eCanter,<br />

veículo totalmente elétrico da<br />

Daimler, visitou vários países para<br />

promover a entrega urbana totalmente elétrica:<br />

China, Indonésia, Índia, Austrália,<br />

Nova Zelândia e África do Sul. Empresas<br />

como a AB InBev (África do Sul) e os<br />

Correios da Austrália (Austrália) puderam<br />

experimentar o veículo como parmais<br />

amplo de velocidades, melhorando<br />

assim o conforto. Os camiões elétricos da<br />

Scania estão equipados com um conector<br />

CCS para recarga desde a rede elétrica. O<br />

camião também é recarregado através dos<br />

travões regenerativos. O camião elétrico<br />

da Scania está disponível com as cabinas<br />

das séries L e P, ambas projetadas para<br />

operações urbanas. A cabina da série L<br />

com piso rebaixado, em particular, foi<br />

concebida especificamente para as condições<br />

de circulação nas cidades.<br />

Grupo Irizar. A previsão é que os primeiros<br />

veículos sejam entregues até ao final deste<br />

ano. Os veículos elétricos com emissões<br />

zero da Irizar serão usados em cidades<br />

como Amiens, Bayonne, Aix-en-Provence,<br />

Marselha e Le Havre; em breve, eles também<br />

estarão pelas ruas de Orleans.<br />

FUSO eCanter promove entregas urbanas<br />

totalmente elétricas<br />

de travagem. Com as novas baterias de<br />

maior densidade energética – cada uma<br />

das três baterias tem uma capacidade<br />

instalada de <strong>30</strong> kWh, num total de 90<br />

kWh – o camião pode percorrer até 60 km<br />

em modo totalmente elétrico. Além disso,<br />

pode efetuar um carregamento adicional<br />

enquanto está estacionado. Este camião<br />

está disponível com as cabinas das séries<br />

L e P, projetadas para operações urbanas.<br />

Além do motor elétrico de 115 kW– localizado<br />

entre o motor e a transmissão – o<br />

camião híbrido está equipado com um<br />

motor diesel de 9 litros de 280–360 cv.<br />

te das suas operações de entrega urbana.<br />

Durante esta jornada mundial, a Fuso<br />

eCanter recebeu feedback positivo de<br />

distribuidores locais e clientes. As empresas<br />

de logística reconheceram a Fuso<br />

eCanter por fornecer uma resposta potencial<br />

às suas necessidades de soluções<br />

de mobilidade ecológica e sustentáveis<br />

para as suas frotas.


42<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

M<br />

CAMIÕES, AUTOCARROS E VCL<br />

Opel continua eletrificação da gama<br />

Com um plano de eletrificação,<br />

a Opel anunciou que até final<br />

de 2021 toda a linha de veículos<br />

comerciais terá versões com motorização<br />

elétrica. Uma das novidades será<br />

o Movano. Em setembro, o CEO da<br />

Opel Michael Lohscheller anunciou<br />

que o fabricante alemão lançará uma<br />

versão do furgão Movano com motorização<br />

elétrica já em 2021. Em 2021<br />

também chegará aos concessionários a<br />

versão eletrificada do Opel Combo. E<br />

o novo Opel Vívaro-e começará a ser<br />

entregue aos primeiros clientes ainda<br />

este ano. O Opel Corsa-e a bateria e<br />

o híbrido ‘plug-in’ Opel Grandland<br />

X Hybrid chegaram ao mercado no<br />

primeiro trimestre de 2020. O monovolume<br />

para a família Opel Zafira-e<br />

seguir-se-á em breve com uma versão<br />

totalmente elétrica a bateria. E o Opel<br />

Mokka também estará disponível com<br />

uma variante elétrica a bateria logo<br />

desde o lançamento. Versões eletrificadas<br />

do Opel Combo Life e de um Opel<br />

Astra completamente novo surgirão no<br />

próximo ano. O anúncio do Movano<br />

elétrico fixa uma nova etapa na ofensiva<br />

da Opel na mobilidade elétrica e na<br />

redução de emissões de CO2.<br />

CaetanoBus entrega autocarros elétricos<br />

em Frankfurt<br />

Peugeot apresenta<br />

novo e-Boxer<br />

Como complemento do novo Peugeot<br />

e-Expert, a Peugeot apresentou<br />

o novo e-Boxer, a versão 100%<br />

elétrica do comercial Boxer. Assente<br />

no seu sucesso comercial ao longo<br />

das múltiplas gerações, com mais<br />

de 1.250.000 veículos produzidos e<br />

comercializados em 110 países desde<br />

o seu lançamento em 1994, a gama<br />

Peugeot Boxer disponibiliza, a partir<br />

de agora, uma nova proposta para<br />

o segmento dos furgões elétricos:<br />

o Peugeot e-Boxer, variante que se<br />

compõe de: 2 níveis de autonomia<br />

com um máximo de 340 km no ciclo<br />

WLTP (em processo de homologação);<br />

2 capacidades de bateria com 37<br />

kWh e 70 kWh; 4 comprimentos e<br />

3 alturas; Uma carga útil máxima de<br />

1.890 kg (dependendo das versões);<br />

Um volume de carga idêntico ao da<br />

versão térmica, até um máximo de 17<br />

m3. Sem renunciar às prestações úteis,<br />

à modularidade ou às transformações<br />

específicas para os clientes<br />

profissionais, o novo Peugeot e-Boxer<br />

permite ainda aceder aos centros<br />

urbanos sem quaisquer restrições. O<br />

modelo preserva todas as qualidades<br />

originais do Peugeot Boxer, agora com<br />

zero emissões.<br />

Toyota e Hino<br />

desenvolvem camião<br />

elétrico a hidrogénio<br />

A<br />

empresa de transportes públicos<br />

de Frankfurt In-der-City-Bus<br />

GmbH (ICB), encomendou dois<br />

autocarros elétricos Caetano, na versão<br />

de 12 metros, com 3 portas, capacidade<br />

de 34 lugares sentados e piso low-floor,<br />

para serem entregues até ao final do<br />

ano. Estas vão ser as primeiras unidades<br />

do modelo e.City Gold na Alemanha.<br />

O autocarro elétrico e.City Gold está<br />

equipado com um pack de baterias de<br />

349 kWh, o que irá permitir uma autonomia<br />

superior a 200 quilómetros. Estes<br />

autocarros estão a ser desenvolvidos<br />

com o intuito de cumprir com todos<br />

os requisitos exigidos pela Autoridade<br />

de Transportes Públicos de Frankfurt.<br />

Este autocarro faz parte do portfolio de<br />

veículos zero emissões da CaetanoBus<br />

para a mobilidade urbana.<br />

A Toyota Motor North America<br />

(TMNA) e a Hino USA concordaram<br />

em desenvolver, em conjunto, um<br />

camião elétrico a pilha de combustível<br />

(hidrogénio) (FCET) Classe 8 para o<br />

mercado norte-americano. O camião<br />

irá aproveitar o recém-desenvolvido<br />

chassis da série Hino XL com a<br />

comprovada tecnologia de pilha de<br />

combustível da Toyota, para oferecer<br />

capacidade excecional de transporte<br />

com zero emissões. Esta colaboração<br />

consolida o esforço existente para<br />

desenvolver um FCET de 25 toneladas<br />

para o mercado japonês, anunciado no<br />

início deste ano. A chegada do primeiro<br />

veículo de demonstração está prevista<br />

para o primeiro semestre de 2021. O<br />

lançamento do Toyota Mirai em 2014<br />

e o desenvolvimento de veículos a<br />

pilha de combustível a hidrogénio zero<br />

emissões é parte integrante do Desafio<br />

Ambiental Toyota 2050.


44<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

M<br />

CAMIÕES, AUTOCARROS E VCL<br />

Scania volta a vencer prémio “Green Truck”<br />

A<br />

Scania voltou a vencer, pela 4.ª<br />

vez consecutiva, o prémio alemão<br />

“Green Truck”, um teste comparativo<br />

no qual o mais baixo consumo<br />

de combustível é o foco central. Para o<br />

prémio de 2020, um GTW de 40 toneladas<br />

e +500 hp foi estipulado para uma<br />

pista de teste de 360 km de Munique. A<br />

Scania, desta vez com um R 540, e com<br />

um consumo médio de 25,14 litros/100<br />

km e uma velocidade média 80,42 km/h, a<br />

Scania apresenta quatro novos motores V8<br />

A<br />

Scania pretende oferecer economia<br />

de combustível de até 6% com o<br />

lançamento de quatro novos motores<br />

V8. As poupanças de combustível são<br />

resultado da afinação e desenvolvimento<br />

da Scania, envolvendo tecnologias de vanguarda<br />

no desenvolvimento de motores<br />

de combustão interna, como a fricção<br />

interna reduzida, relação de compressão<br />

mais elevadas, sistemas de pós-tratamento<br />

melhorados e um novo sistema de gestão<br />

de motor (EMS). O EMS (Sistema de<br />

Gestão do Motor) interage com o AMS<br />

Scania provou, mais uma vez, ser o camião<br />

mais eficiente em termos de combustível<br />

na batalha pelo cobiçado “Green Truck”.<br />

A vitória de 2020 foi a quinta vitória da<br />

Scania desde que o prémio anual foi criado<br />

em 2013. O “Green Truck” é organizado<br />

por duas revistas comerciais Alemãs,<br />

a Trucker e a VerkehrsRundschau. Os<br />

testes são monitorizados rigorosamente e<br />

ocorrem em estradas públicas a norte de<br />

Munique durante uma semana.<br />

(Sistema de Gestão <strong>Pós</strong>-Tratamento). São<br />

ambos altamente críticos para cumprir os<br />

regulamentos Euro 6 atuais e vindouros<br />

relativamente a Nox e a partículas. A Scania<br />

adicionou uma nova solução onde o líquido<br />

AdBlue é injetado duas vezes. Com a<br />

dosagem extra, a evaporação do AdBlue é<br />

melhorada durante ciclos de carga baixos,<br />

uma vez que a temperatura é superior<br />

próxima do coletor de saída. Com a dosagem<br />

extra, a estratégia pós-tratamento é<br />

melhorada e também contribui para uma<br />

melhor eficiência de combustível.<br />

Paccar fornece<br />

soluções de<br />

carregamento<br />

elétrico de camiões<br />

A Paccar anunciou a parceria<br />

com a Faith Technologies e<br />

a Schneider Electric para o<br />

fornecimento de soluções de<br />

infraestrutura de carregamento<br />

para clientes que compram<br />

camiões elétricos Kenworth<br />

e Peterbilt. A Kenworth<br />

e a Peterbilt começaram<br />

recentemente a receber pedidos<br />

de clientes para o modelo de<br />

produção Kenworth K270E e os<br />

camiões elétricos com bateria<br />

Peterbilt Modelo 220EV, com<br />

modelos de produção adicionais<br />

a serem introduzidos nos<br />

próximos meses. O programa de<br />

testes de campo de emissões<br />

zero da Paccar, com clientes<br />

a operar mais de 60 camiões<br />

de teste Kenworth, Peterbilt e<br />

DAF, proporcionarão experiência<br />

do mundo real para aprimorar<br />

lançamentos futuros. Os clientes<br />

Kenworth e Peterbilt poderão<br />

encomendar carregadores<br />

elétricos da Paccar Parts. A<br />

Paccar Financial fornecerá<br />

opções de financiamento para<br />

infra-estrutura e sistemas de<br />

cobrança. A PacLease irá agrupar<br />

o custo dos sistemas de cobrança<br />

nas ofertas de aluguer de serviço<br />

completo aos clientes.


46<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

Técnica<br />

T<br />

2.ª PARTE<br />

Sistemas<br />

antipoluição em<br />

veículos pesados<br />

O catalisador, filtro de partículas e o sistema de redução<br />

catalítica seletiva SCR (AdBlue) tornam-se obrigatórios em<br />

todos os modelos de veículos pesados com a introdução<br />

da Norma Euro 6. Com eles vieram novos desafios para a<br />

manutenção dos pesados<br />

TEXTO JORGE PEREIRA<br />

PORQUE NÃO SE DEVEM ELIMINAR<br />

OS SISTEMAS<br />

ANTIPOLUIÇÃO<br />

Embora nos últimos anos se tenha assistido<br />

ao crescimento de oficinas que<br />

oferecem nos seus serviços a possibilidade<br />

de eliminar o filtro de partículas e sistema<br />

AdBlue, tal não deve ser executado por<br />

3 razões:<br />

>> Razões legais;<br />

>> Razões de responsabilidade social;<br />

>> Razões de ordem técnica do veículo.<br />

RAZÕES LEGAIS<br />

Os dispositivos antipoluição estão instalados<br />

no veículo para que ele cumpra<br />

os requisitos ambientais legais de acordo<br />

com a legislação em vigor (Europeia e<br />

Nacional), segundo a sua ficha de homologação<br />

no IMTT. Com a eliminação<br />

do filtro de partículas e sistema AdBlue


47<br />

este requisito legal deixa de ser respeitado<br />

sendo como tal passível de sanção.<br />

Em Portugal, os veículos equipados de<br />

filtro de partículas gozam de uma redução<br />

fiscal face aos não portadores desse<br />

dispositivo. Com a eliminação dos dispositivos<br />

antipoluição, a condição para esse<br />

benefício deixa de estar presente sendo<br />

como tal passível de sanção fiscal.<br />

Em Espanha desde 01/05/2018 que as<br />

inspeções periódicas obrigatórias contemplam<br />

a verificação da existência e funcionamento<br />

dos dispositivos antipoluição,<br />

quer por via de diagnóstico eletrónico,<br />

quer por deteção física do miolo do filtro<br />

por via de sensor ultrassons. Em breve<br />

esta medida poderá ser aplicada também<br />

ao nosso país.<br />

RAZÕES DE RESPONSABILIDADE<br />

SOCIAL<br />

É dever de todos os cidadãos respeitar a<br />

legislação em vigor, tanto mais conhecendo-se<br />

as implicações a nível social<br />

e ambiental provocadas pela poluição<br />

atmosférica. Como já referido a poluição<br />

atmosférica é um fator de risco elevado<br />

para a saúde humana, pois potencia o aparecimento<br />

de diversas formas de cancro,<br />

doenças cardíacas e doenças respiratórias.<br />

Na Europa estima-se que a poluição atmosférica<br />

cause cerca de meio milhão de<br />

mortes por ano.<br />

O impacto da poluição atmosférica no<br />

desequilíbrio dos ecossistemas naturais<br />

também é largamente conhecido.<br />

O eliminar dos dispositivos antipoluição<br />

é, à luz da imagem social da atual onde<br />

cada vez mais há consciência ecológica<br />

e respeito pelos seus valores, um ato antissocial<br />

e de irresponsabilidade social.<br />

Atualmente as empresas têm objetivos<br />

ambientais claros através do cumprimento<br />

da norma ISO 14000, que tem como<br />

foco a proteção ao meio ambiente e a<br />

prevenção da poluição, equilibrando-a<br />

com as necessidades socioeconómicas do<br />

mundo atual. Tal não é de modo nenhum<br />

compatível com uma frota de camiões<br />

adulterados a nível de<br />

RAZÕES DE ORDEM TÉCNICA DO<br />

VEÍCULO<br />

Atualmente o motor e seus componentes<br />

são desenhados e otimizados no seu rendimento<br />

térmico tendo em conta o seu<br />

funcionamento com o filtro de partículas<br />

e sistema Adblue. A sua eliminação ou<br />

anulação é origem de fatores de perda de<br />

condições de funcionamento em regime<br />

otimizado com consequentes posteriores<br />

repercussões na fiabilidade.<br />

A eliminação do sistema de redução catalítica<br />

seletiva (AdBlue) leva a uma alteração<br />

de condições térmicas no sistema de escape<br />

(passa a funcionar a uma temperatura<br />

mais elevada) que podem ter repercussões<br />

na mecânica e na segurança da viatura,<br />

tendo as suas consequências um custo<br />

material e humano muito superior ao<br />

custo do AdBlue.<br />

O QUE FAZER PARA EVITAR PROBLE-<br />

MAS COM O FILTRO DE PARTÍCULAS<br />

Existem pequenas ‘dicas’ de fácil cumprimento<br />

que podem resolver muitos dos<br />

prolemas ligados ao filtro de partículas:<br />

- Evitar o uso do veículo exclusivamente<br />

em condições de condução urbana, deslocações<br />

curtas e ‘pára-arranca’;<br />

- Use o óleo motor indicado no manual da<br />

viatura, que deverá ser um óleo com baixo<br />

teor de cinzas, fósforo e enxofre (SAPS);<br />

>> Cumpra o plano de manutenção proposto<br />

pelo fabricante da viatura e os seus<br />

intervalos de manutenção;<br />

>> A duração de uma regeneração estacionária<br />

pode ser maior que a duração de uma<br />

pausa entre dois períodos de condução. É<br />

melhor o motorista iniciá-la no início de<br />

uma paragem prolongada. Com o motor<br />

quente, não haverá fase de aquecimento e<br />

o consumo excessivo será menor.<br />

O QUE FAZER PARA EVITAR PRO-<br />

BLEMAS COM O SISTEMA ADBLUE<br />

Garanta que utiliza AdBlue de qualidade<br />

comprovada, sem contaminação ou<br />

impurezas.<br />

A pureza é essencial para a AdBlue fazer<br />

o seu melhor trabalho, tornando-a vulnerável<br />

à contaminação. Contaminantes<br />

podem facilmente entrar no fluido através<br />

da área da tampa do tanque, o que pode<br />

levar a danos.<br />

Sujidade e poeira podem facilmente entrar<br />

no tanque a partir da área da tampa de<br />

enchimento se não for completamente<br />

limpo antes do enchimento do fluido.<br />

É importante armazenar o AdBlue em recipientes<br />

próprios. Não use recipientes que<br />

tenham sido usados para outros materiais<br />

ou fluidos – mesmo que tenham passado<br />

por uma limpeza completa. AdBlue é<br />

muito sensível à contaminação.<br />

Um indicador de que o seu AdBlue pode<br />

estar contaminado é um aumento no<br />

consumo do AdBlue, um defeito seletivo<br />

do sistema de redução catalítica (SCR),<br />

ou simplesmente, o motor desligar-se. A<br />

concentração ideal do AdBlue à base de<br />

ureia é de 32,5 a 37%. Esses problemas<br />

podem ocorrer se essa proporção estiver<br />

fora, indicando uma contaminação. Para<br />

testar e monitorar a pureza do seu AdBlue,<br />

use um refratómetro digital.


48<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

T<br />

CESVIMAP<br />

ESPECIALIZAÇÃO NA REPARAÇÃO DE VEÍCULOS INDUSTRIAIS<br />

Aos seus postos<br />

A especialização na reparação de veículos industriais exige que o técnico de oficina disponha<br />

de uma bagagem de conhecimentos específicos, que complementem uma adequada expertise<br />

alcançada com a própria prática do trabalho diário no seu posto. É necessário eliminar a ideia de<br />

que a competência adequada para a reparação de veículos industriais, quer se trate de camiões<br />

ou também de outros meios para transporte de passageiros, apenas se consegue com o passar<br />

dos anos, com a acumulação de experiência<br />

TEXTO JORGE GARRANDÉS ASPRÓN<br />

A<br />

experiência é uma qualidade,<br />

e muito importante em<br />

muitas ocasiões, mas não é<br />

apenas a acumulação de anos<br />

de trabalho que é imprescindível<br />

para se ser um bom profissional na<br />

reparação de camiões, visto que uma<br />

formação adequada e progressiva que<br />

complemente a prática obtida na oficina<br />

é a melhor forma de o conseguir.<br />

Neste artigo incidimos nos perfis profissionais<br />

mais representativos numa oficina<br />

de reparação de veículos industriais, mais<br />

orientados para a parte operacional do<br />

que para a de gestão e administrativa<br />

de um ambiente em que convivam fundamentalmente<br />

as áreas de carroçaria,<br />

pintura e mecânica.<br />

RESPONSÁVEIS DE ÁREA<br />

Os bate-chapas, pintores e mecânicos<br />

partilham uma formação comum quanto<br />

à gestão de recursos humanos e materiais,<br />

de aplicação em veículos sinistrados ou<br />

para operações de manutenção e reparação.<br />

Os profissionais deverão contar com<br />

as capacidades e os dados precisos para<br />

realizar uma adequada estimativa dos<br />

tempos e/ou avaliação dos danos nos<br />

veículos, assim como com suficientes<br />

dotes de comunicação e negociação para<br />

negociar e lidar diretamente com clientes<br />

e peritos.<br />

Um complemento ideal para este perfil<br />

implica estar atualizado sobre novidades<br />

técnicas relativas aos veículos e às suas<br />

tecnologias, como por exemplo, veículos<br />

elétricos/híbridos, novos equipamentos,<br />

calibragens, etc.<br />

BATE-CHAPAS<br />

Dentro da qualificação de bate-chapas<br />

de oficina de veículos industriais, diferenciamos<br />

o técnico especialista em<br />

reparações não estruturais e o técnico<br />

especializado nas reparações e controlos<br />

dimensionais das estruturas dos veículos.<br />

Ambos os especialistas devem dispor<br />

de uma formação essencial em alguns<br />

aspetos, tais como técnicas de reparação<br />

e substituição de elementos de aço, alumínio<br />

e plásticos, assim como também de<br />

uma base sólida para executar operações<br />

nos veículos com utilização de todo o


tipo de máquinas de soldadura e sobre<br />

diferentes materiais (MIG, MAG, pontos<br />

de resistência, etc.).<br />

O especialista em reparações não estruturais<br />

também deverá ser conhecedor das<br />

técnicas necessárias para realizar reparações<br />

de elevada intensidade em cabinas<br />

de camiões e em elementos de grandes<br />

dimensões em autocarros. Disporá, de<br />

igual modo, de qualificação relativa à<br />

reparação e substituição de vidros do<br />

para-brisas.<br />

O perfil profissional do bate-chapas<br />

especializado no controlo e reparação<br />

estrutural de veículos deve contar com<br />

a técnica e formação necessárias para<br />

verificar e medir espacialmente qualquer<br />

tipo de carroçaria autoportante montada<br />

sobre um veículo e para proceder depois<br />

à sua reparação.<br />

A medição espacial em 3D de qualquer<br />

que seja a estrutura independente sobre<br />

a qual se monte, quer se trate do chassis<br />

de um veículo 4WD, de uma carrinha,<br />

camião, reboque ou autocarro, deve ser<br />

conhecida em profundidade, assim como<br />

as técnicas mais adequadas para a sua<br />

posterior reparação. Trata-se, habitualmente,<br />

de uma operação delicada, que<br />

requer um elevado número de horas de<br />

dedicação.<br />

Para se conseguir uma competência que<br />

permita ao técnico bate-chapas lidar com<br />

qualquer tipo de reparação existente


50<br />

PÓS-VENDA PESADOS WWW.POSVENDA.PT OUTUBRO/NOVEMBRO 2020<br />

T<br />

CESVIMAP<br />

PERFIL PROFESIONAL<br />

Responsável de área<br />

Chapeiro<br />

Chapeiro<br />

Pintor<br />

ÁREA<br />

Carroçaria Pintura Mecânica<br />

Carroçaria<br />

Carroçaria (bancadas)<br />

Pintura<br />

COMPLEMENTOS DE FORMAÇÃO<br />

Técnicos da área Gestão de RR HH<br />

Logística da oficina Rentabilidade da área<br />

Valorozação de danos em veículos<br />

Segurança VE/VH<br />

Técnicas de reparação/substituição Aço/<br />

alumínio/plásticos soldadura<br />

Reparação de cabinas Rep./substituição<br />

de vidros de VI<br />

Técnicas reparação/substituição Aço/<br />

alumínio/plásticos Soldadura<br />

Reparação de cabinas Rep./subs. de<br />

vidros VI<br />

Medição/reparação estruturas<br />

Colorometria<br />

Derramados<br />

Pinturas parciais<br />

Eliminação de defeitos de pintura<br />

Pintura de frotas<br />

Franjeado<br />

Mecánico<br />

Mecânica/electricidade<br />

Conhecimento produto<br />

Electricidade/electrónica<br />

Diagnóstico/manutençãoo<br />

Alinhamento<br />

Sistemas de segurança<br />

ADAS/Calibração<br />

Pneumática/hidráulica<br />

Segurança VE/VH<br />

numa estrutura independente, este deve<br />

ter formação básica em física vetorial, que<br />

associará à correta utilização de bancadas<br />

de estiramento e prensas hidráulicas,<br />

fixas e móveis.<br />

PINTOR<br />

Os trabalhos de pintura numa oficina de<br />

camiões ou autocarros exigem conhecimentos<br />

relativos a colorimetria, técnicas<br />

de esbatimento, pinturas parciais, assim<br />

como deteção e eliminação de defeitos de<br />

pintura em qualquer tipo de elemento,<br />

e para todas as classes de materiais: aço,<br />

alumínio ou plásticos (termoplásticos e<br />

termoestáveis).<br />

A especificidade na área industrial resulta<br />

da aprendizagem para tratar grandes<br />

superfícies, da decoração e franjado de<br />

veículos de frotas, da uniformização<br />

das enormes peças das carroçarias e da<br />

realização destas operações no menor<br />

espaço de tempo possível e com a máxima<br />

economia de materiais.<br />

MECÂNICO<br />

A parte de mecânica do profissional de<br />

oficina de veículos industriais implica<br />

competências básicas sobre mecânica,<br />

eletricidade e eletrónica, diagnóstico<br />

de avarias, manutenção, geometria da<br />

direção e alinhamento, assim como todos<br />

aqueles conhecimentos relativos a<br />

airbags, calibragens de sistemas e equipamento<br />

eletromecânico de produtos de<br />

última geração.<br />

A formação adequada para trabalhar<br />

com veículos industriais passa por uma<br />

intensificação da formação sobre pneumática<br />

e hidráulica, tanto do ponto de<br />

vista do diagnóstico como de reparação<br />

de sistemas e elementos, aplicáveis ao<br />

próprio camião e a todas as adaptações<br />

e carroçarias que se montem sobre um<br />

FP Dual na CESVIMAP<br />

Durante 2019, a CESVIMAP<br />

realizou uma experiência piloto<br />

de formação, com a participação<br />

de três alunos da FP DUAL<br />

nas atividades de investigação<br />

da área de Veículos Industriais,<br />

realizando atividades em camiões<br />

e autocarros. Este período foi<br />

concluído na AVANZA-Transporte<br />

público de Ávila.<br />

veículo chassis-cabina ou num semirreboque.<br />

As novas tecnologias dos veículos híbridos<br />

e elétricos também se encontram nas<br />

oficinas de veículos industriais, sobretudo<br />

nas que estão relacionadas com a reparação<br />

de autocarros urbanos. Isso exige que<br />

o mecânico se atualize, por exemplo, em<br />

tudo o que diz respeito à manutenção<br />

da segurança durante a reparação deste<br />

tipo de veículos.<br />

Torna-se difícil encontrar um perfil<br />

“puro” daqueles que foram descritos<br />

anteriormente, sobretudo numa oficina<br />

de pequena ou média dimensão, visto<br />

que, muitas vezes, uma única pessoa deve<br />

realizar tarefas comuns a diferentes perfis<br />

profissionais, o que dificulta ainda mais<br />

a sua função e, sem dúvida, vai resultar<br />

não só numa redução da qualidade da<br />

reparação final, mas também na diminuição<br />

da rentabilidade de qualquer<br />

área da oficina.<br />

De qualquer modo, a formação do pessoal<br />

de oficina, seja qual for a dimensão<br />

da mesma e na medida do possível,<br />

constitui um valor e um estímulo para<br />

o próprio profissional, visto que efetuará<br />

o seu trabalho com maior segurança e<br />

motivação, e isso resultará na melhoria<br />

do negócio e na satisfação do cliente.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!