07.12.2020 Views

Celulose_48Web

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Inovação 4.0: empresa lança programa de conexão com startups

Visão ampliada

Nova técnica para

obtenção de etanol 2G

Natural e eficaz

Plástico biodegradável

à base de celulose

Inovação constante

Soluções essenciais da engenharia

ajudam o crescimento da indústria

Continuous Innovation

Essential engineering solutions

help the industry grow

9 77235 9 467124 0 0 0 4 8


homann

Máquinas Industriais Ltda.

SEU PARCEIRO DE SOLUÇÕES

PARA PAPEL E CELULOSE

FABRICAÇÃO, REFORMA E RECUPERAÇÃO

DE PEÇAS E EQUIPAMENTOS PARA AS

INDÚSTRIAS DE PAPEL E CELULOSE,

E INDÚSTRIA EM GERAL


Nós da Homann Máquinas Industriais temos

orgulho de pertencer a uma empresa que se

destaca no setor de Papel e Celulose pela sua

qualidade e comprometimento com nossos cliente.

Conhecemos os processos e desafios deste setor,

já há 35 anos, e somos especialistas em reforma,

recuperação e fabricação de equipamentos que

vão desde o pátio de madeira até a rebobinadeira.

Estamos em localização privilegiada em

instalações próprias e modernas.

Trabalhamos com eficiência técnica e comercial,

entregando valor aos nossos clientes.

Entre os principais produtos e serviços a Homann

Máquinas Industriais conta com:

Peças e Equipamentos para Pátio de Madeira

Peças e Equipamentos para Preparo de Massa

Entre tantos outros. Do menor ao maior desafio,

consulte-nos!

(11) 2914.7685

homann@homann.com.br

www.homann.com.br


S U M Á R I O

40 Sustentabilidade

Em busca de uma solução

In search of a solution

20 Principal

Tradição aliada à inovação

Tradition combined with innovation

44 Economia

Celulose mais forte

Pulp on the rise

06

06 Sumário

08 Editorial

10 Cartas

12 Novidades

26 Avanços e tecnologia

Salvando vidas

Saving lives

30 Artigo

Sustentabilidade como fator de competitividade

para o setor brasileiro de celulose e papel

Sustainability as a competitive factor for the brazilian

pulp and paper sector

48 Inovação

De perto

Up close

54 Entrevista

Rui Sergio Ribas

58 Calendário


PMAC TM Análise de Manutenção Preventiva para Cerâmicas

DEWATER I NG

DEWATER I NG

Garante maior vida útil da cerâmica

Indica oportunidades para melhorias

Padrões consistentes e elevados de

qualidade da cerâmica

Resposta rápida na solução de problemas

Facilita o planejamento de manutenção e reparos

Relatório técnico indicando todas as ações a serem tomadas

Situação na Máquina:

Todos os elementos desaguadores em uma máquina de papel estão sujeitos ao desgaste dos elementos cerâmicos

causado por vários aditivos abrasivos presentes na massa de celulose e/ou pelo atrito gerado pelas telas de

formação.

Sem inspeções regulares, os seguintes problemas podem ocorrer:

• Alto consumo de energia causado pelas superfícies cerâmicas desgastadas

• Menor vida útil da tela, causada por cerâmicas danificadas

• Perda excessiva e menor qualidade do papel como resultado de um desaguamento deficiente

• Má formação do papel devido à geometria irregular das cerâmicas

• Perfil transversal irregular e uso ineficiente de matéria-prima

Extras

Aumento de eficiência de máquina

Maior vida útil da tela

Economia de energia

Redução de paradas de máquina

A ferramenta ideal da IBS Paper Performance Group para avaliação dos elementos de drenagem de máquina de

celulose e papel!

A duração de um PMAC depende do tamanho da máquina e das condições das cerâmicas e dos componentes.


E D I T O R I A L

REFERÊNCIA

Celulose & Papel

REFERÊNCIA Celulose & Papel

Um novo começo

Um ano repleto de desafios termina e, claro,

o setor de celulose e papel ajudou (e muito!) a

superá-los, afinal, estamos diante de uma indústria

extremamente organizada, responsável por

parte significativa para a composição da Balança

Comercial nacional. E as expectativas para 2021

são positivas! Por isso, em nossa última edição

de 2020, abordamos o case da MSE Engenharia,

no mercado desde 1979. Localizada no Paraná,

a empresa chama atenção por unir a tradição de

mais de 40 anos de atuação a modernas tecnologias

à disposição do consumidor. Além disso, falamos

sobre o sistema digital que agilizou a licença

de instalação de terminal de celulose no Porto

de Paranaguá e trazemos uma técnica inovadora

que permite ver processos no interior da célula

vegetal podendo favorecer obtenção de etanol

2G. Tenha uma excelente leitura e um feliz 2021!

A new beginning

A year full of challenges is coming to an end, and, of

course, the Pulp and Paper Sector has helped (and much!)

overcome these challenges. After all, we are faced with an

extremely organized industry, responsible for a significant

part of the Brazilian Trade Balance. And the expectations

for 2021 are positive! Thus, in our last issue of 2020, we

addressed the case of MSE Engenharia, in the market since

1979. Located in the State of Paraná, the Company draws

attention to combining the tradition of more than 40 years

in operation with making modern technologies available

to the client. As well, we report on the digital system that

has streamlined the installation license for a pulp terminal

in the Port of Paranaguá. We also present an innovative

technique that allows one to see processes inside the plant

cell that could favor obtaining 2G ethanol.

Pleasant reading and a happy 2021!

EXPEDIENTE

JOTA EDITORA

Diretor Comercial / Commercial Director: Fábio Alexandre Machado (fabiomachado@revistareferencia.com.br) • Diretor Executivo / Executive Director:

Pedro Bartoski Jr (bartoski@revistareferencia.com.br) • Redação / Writing: Murilo Basso - (jornalismo@revistareferencia.com.br) • Dep. de Criação

/ Graphic Design: Fabiana Tokarski - Supervisão, Crislaine Briatori Ferreira (criacao@revistareferencia.com.br) • Tradução / Translation: John Wood

Moore • Dep. Comercial / Sales Departament: Gerson Penkal, Jéssika Ferreira e Tainá Carolina Brandão (comercial@revistareferencia.com.br) •

Fone: +55 (41) 3333-1023 • Representante Comercial: Dash7 Comunicação - Joseane Cristina Knop • Depto. de Assinaturas: Cristiane Baduy,

Simone D’Ávila (assinatura@revistareferencia.com.br)

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação da JOTA EDITORA

Rua Maranhão, 502 Água Verde - Cep: 80610-000 - Curitiba (PR) - Brasil

Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

www.jotaeditora.com.br

ASSINATURAS

0800 600 2038

Publicações Técnicas da JOTA EDITORA

08

Veículo filiado a:

A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL é uma publicação trimestral

e independente, dirigida aos produtores e consumidores de bens e serviços

em celulose e papel, instituições de pesquisa, estudantes universitários, orgãos

governamentais, ONG’s, entidades de classe e demais públicos, direta e/ou

indiretamente ligados ao segmento. A Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL

não se responsabiliza por conceitos emitidos em matérias, artigos ou colunas

assinadas, por entender serem estes materiais de responsabilidade de seus autores.

A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados,

sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL são terminantemente proibidos sem

autorização escrita dos titulares dos direitos autorais, exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is a quarterly and an independent publication

directed at the producers and consumers of the good and services of the pulp and paper industry,

research institutions, university students, governmental agencies, NGO’s, class and other entities

directly and/or indirectly linked to the segment. Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL does not

hold itself responsible for the concepts contained in the material, articles or columns signed by

others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The use, reproduction,

appropriation and databank storage under any form or means of the texts, photographs and

other intellectual property in each publication of Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL is

expressly prohibited without the written authorization of the holders of the authorial rights.


A BIOMASSA APRESENTA NORMALMENTE

UM VALOR PRÓXIMO A 15% DE SÍLICA.

CONSEGUIMOS REDUZIR PARA 2% ESSA

QUANTIDADE APÓS O PENEIRAMENTO

COM O NOSSO SISTEMA, COM UMA

PERDA MÁXIMA DE BIOMASSA EM 10%.

www.recimac.com.br

EQUIPAMENTO INOVADOR COM

TECNOLOGIA ITALIANA PARA O

PENEIRAMENTO DE BIOMASSA

Sobras de processo Florestal

(Galhos, cascas);

Cavaco descartado do processo

Industrial (Celulose);

Palha residual de cultura agrícola

(Cana de açúcar-milho).

PENEIRA DE ESTRELAS DE BORRACHA (RME)

Equipamento 100% Nacional;

Granulometria 06/30 mm Ø;

Capacidade peneiramento Biomassa até 450 m³/h

(06 mm Ø).

Rua Arnoldo Schlemper, 156

Palhoça - Santa Catarina - BR

Fone: +55 48 3065-1618


0 0 0 4

C A R T A S

Novos desafios: Mercado se mostra promissor em 2021

Inovação

Potencial ilimitado

Microrganismos usados

Concessões no porto de

na produção de celulose

Santos impulsionam setor

A Revista da Indústria de Celulose e Papel www.celulosepapel.com.br

Ano XIII - n. 47 46 - 2020

Olhar particular

Tratamento de efluentes é

fundamental na nova economia

A Singular Look

Effluent treatment is crucial

in the new economy

9 77235 9 467100 7

Capa da Edição 47 da

Revista CELULOSE & PAPEL

Imagem: reprodução Imagem: reprodução

CASES

Por Jorge Teixeira – Teresina (PI)

Dois excelentes cases retratados na mesma edição: tanto a Tecnosan como

a Looking trazem exemplos que podem servir de inspiração para diversas

companhias do nosso setor!

CRESCIMENTO

Por Ana Smaniotto – Porto Alegre (RS)

Excelente saber que concessões de áreas de celulose no Porto de Santos

arrecadaram meio bilhão de reais. É apenas mais uma mostra da força

do nosso setor!

EVOLUÇÃO

Por Eloi Santana – Salvador (BA)

Interessante case da editora Positivo, ao propor uma gráfica inteligente que

abre inúmeras novas oportunidades para mercado de impressão. Que seja

um exemplo que possa ser reproduzido!

BATE-PAPO

Por Sofia Magnanin – Curitiba (PR)

Ótima conversa com o professor Jackson Bittencourt. Excelente

análise mostrando que o setor de celulose e papel seguirá como

protagonista na economia nacional. Parabéns para toda a equipe da

revista CELULOSE & PAPEL!

Imagem: reprodução Imagem: reprodução

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião é fundamental para a Revista REFERÊNCIA CELULOSE & PAPEL.

revistareferencia@revistareferencia.com.br

10


MATERIAIS DE

QUALIDADE

CLIENTE

SATISFEITO

PREÇOS

ACESSÍVEIS

INOX CONEXÕES é

uma empresa com grande

história e tradição, atuando

desde 1995 no segmento de

conexões, tubos, válvulas e acessórios

em aço inoxidável, aço carbono e ligas de

aço. Localizada em São Paulo, a Inox Conexões

tem como objetivo atender a toda e qualquer

necessidade de seus clientes nos mais diversos

segmentos: Indústria química, alimentícia, farmacêutica,

papel e celulose, óleo e gás. Para tanto, dispomos em nosso

portfólio e fabricação, a comercialização de flanges, conexões,

acessórios e projetos especiais em aço, bem como, a

distribuição de tubos, válvulas e acessórios industriais.

Composta por profissionais qualificados, corpo técnico

experiente e equipamentos de última geração,

trabalhamos visando a satisfação de nossos clientes

por manter excelência na qualidade e nos prazos de

entrega. Dispomos de um sistema de gestão

conforme norma ISO 9001. Também somos

qualificados no sistema CRC da

Petrobras.

(11) 2723 2020

www.inoxconexoes.com

vendas@inoxconexoes.com.br

R. Ijucapirama, 98

Jardim Santa Teresinha

São Paulo - SP


N O V I D A D E S

Terminais de

celulose

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio

de Freitas, assinou em novembro, em

Santos (SP), os contratos dos terminais

de celulose leiloados em agosto (STS14 e

STS14A) com a Eldorado Brasil Celulose

e a Bracell Celulose. Os terminais ficam

no Porto de Santos, no litoral paulista, e

renderam R$ 505 milhões em outorgas

ao Governo Federal por um contrato de

25 anos de duração. Os investimentos

previstos estão na casa dos R$ 420 milhões.

“Esses dois contratos são muito especiais. São frutos do primeiro leilão que fizemos após o início da pandemia.

O que estamos celebrando é a confiança no Brasil e temos que confiar e acreditar no nosso país”, disse

o ministro. Em 2018, o Porto de Santos bateu recorde de movimentação de cargas: foram 133,16 milhões de

t (toneladas), 2,5% acima do registrado no ano anterior. Já os desembarques atingiram também a maior movimentação

histórica, com 38,82 milhões de toneladas, crescimento de 6,9% em relação a 2017. Freitas também

exaltou o esforço do governo em conceder à iniciativa privada a ferrovia Ferrogrão, nova ferrovia que ligará

Sinop (MT) a Itaituba (PA), além da licitação de 22 aeroportos e outros investimentos no Porto de Santos.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Recuperação

Maior produtora de celulose de

eucalipto do mundo, a Suzano registrou

recuperação quanto ao resultado negativo

do terceiro trimestre. A performance

da empresa no período foi melhor do

que era previsto pelo mercado. De julho

a setembro, o prejuízo líquido registrado

pela companhia foi de R$ 1,16 bilhão

contra R$ 3,46 bilhões um ano antes e

R$ 2 bilhões no trimestre imediatamente

anterior. Já o resultado operacional

ajustado medido pelo lucro antes de

juros, impostos, depreciação e amortização, o chamado Ebitda, cresceu 58% na comparação anual, a R$ 3,78

bilhões. “Mesmo diante de um trimestre que historicamente apresenta demanda mais fraca e considerando

o cenário global adverso deste ano, continuamos a ser uma das poucas empresas do setor com capacidade

de gerar caixa, ganhar eficiência e reduzir alavancagem financeira”, afirmou o presidente da Suzano, Walter

Schalka, em comunicado à imprensa.

12


Compras

limitadas

Líder de

produção

Foto: divulgação

Em razão do avanço da segunda onda de

Covid-19 nos EUA (Estados Unidos da América),

várias redes de supermercados do país estão

limitando a compra de itens essenciais, incluindo

papel higiênico, toalhas de papel e lenços umedecidos.

O objetivo é evitar que os clientes façam

estoques dos produtos e deixem as lojas desabastecidas.

Foi observado fenômeno nesse sentido

durante a primeira onda da doença, no primeiro

semestre de 2020. Um estudo realizado com mil

consumidores pela empresa de pesquisa de mercado

Inmar Intelligence, na segunda quinzena

de outubro, apontou que 60% dos entrevistados

planejam estocar novamente esse tipo de produto

conforme o inverno no Hemisfério Norte se

aproxima. Os EUA já ultrapassaram os 11 milhões

de casos da doença e mais de 250 mil mortes em

decorrência da Covid-19. Em novembro, o número

de internações por coronavírus ultrapassou

70 mil, um recorde no país.

O município de João Pinheiro (MG) é o

maior produtor de carvão de eucalipto do Brasil,

de acordo com o ranking de 2019 produzido

pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

e Estatística). A cidade também apresentou o

maior valor de produção florestal do último

ano. Segundo o órgão, João Pinheiro cresceu

7,4% na produção de carvão de eucalipto em

comparação a 2018. Em 2019, o município

registrou 105,5 mil ha (hectares) plantados

da árvore, além de ter produzido R$ 263,7

milhões em cultivo florestal. Os dados foram

coletados na pesquisa da PEVS (Produção da

Extração Vegetal e da Silvicultura) de 2019,

que analisa 37 produtos do extrativismo vegetal

e sete da silvicultura em todas as cidades brasileiras.

O Estado de Minas Gerais segue com

o maior valor da produção da silvicultura, com

R$ 4,4 bilhões. A produção florestal do Estado

representa 28,3% do valor nacional. Minas é

também o maior produtor de carvão vegetal

no Brasil, uma vez que responde por 86,8% do

volume nacional.

Foto: divulgação

13


N O V I D A D E S

Crescimento

exponencial

Substituto do

plástico

Foto: divulgação

Em 10 anos, a exportação de madeira bruta

do Brasil foi de 10 mil para quase 1 milhão

de toneladas, um crescimento de 9.500%,

apontam dados da plataforma Comex Stat,

do Ministério da Economia. A receita, por

sua vez, registrou avanço de 2.055%, indo de

US$ 3,8 milhões para US$ 82,5 milhões. Para

o gerente da consultoria STCP Engenharia de

Projetos, Marcelo Wiecheteck, a desvalorização

do real em relação ao dólar fez a madeira

brasileira mais competitiva no mercado

internacional, assim como ocorre com outros

produtos nacionais, como a soja. “Estamos

mais competitivos e, se o valor da commodity

em dólar não cai, a tendência é que [o

exportador] tenha um ganho”, afirmou em

entrevista ao Canal Rural. O especialista diz

que enquanto a madeira destinada ao setor

de celulose é negociada entre R$ 30 e R$ 40

por metro cúbico, o produto que atende aos

padrões de exportação tem cotação acima de

R$ 100 para a mesma quantia.

Pesquisadores da UNESP (Universidade Estadual

Paulista) em Ilha Solteira (SP), desenvolveram um

produto inovador que poderá substituir o plástico em

embalagens alimentícias. O material é feito a partir

de resíduos industriais de celulose bacteriana, uma

matéria-prima sustentável. Desse resíduo os pesquisadores

conseguem extrair nanocristais de celulose

bacteriana e HPMC (hidroximetilpropilcelulose),

que já são utilizados, isoladamente, na fabricação de

filmes biodegradáveis. A celulose é o polímero mais

abundante do planeta. Além da celulose vegetal, mais

conhecida e utilizada na fabricação de papel, bactérias

e animais marinhos invertebrados também podem

produzir celulose como parte de seu processo de captação

de oxigênio. “Uma das limitações de filmes de

Hpmc e de outros biopolímeros é a baixa resistência

mecânica quando comparados aos tradicionais filmes

obtidos do petróleo. Além disso, esses filmes apresentam

altas taxas de permeabilidade a vapores de água,

o que acaba limitando um pouco sua aplicação. Com

a adição da celulose bacteriana conseguimos melhorar

essas propriedades”, afirma a pesquisadora Pâmela

Melo, da UNESP.

Foto: divulgação

14


N O V I D A D E S

A melhor do

agronegócio

Em cerimônia realizada de forma

online em novembro, a fabricante

de papéis Klabin foi eleita a “Melhor

do Agronegócio” na 47ª edição do

prêmio Melhores e Maiores, um dos

mais importantes reconhecimentos

de excelência empresarial no Brasil,

criado em 1974 pela revista Exame.

Fundada em 1899, a Klabin é uma

das companhias mais antigas do país e

a maior fabricante nacional de papéis

para embalagens. Em 2019, as vendas

da empresa atingiram quase US$ 2,6 bilhões. O plano da Klabin é investir até 2023 R$ 9,1 bilhões voltados à

ampliação do complexo industrial que a empresa mantém em Ortigueira (PR). O projeto, batizado de Puma II,

contará com duas máquinas para ampliar a capacidade produtiva de papel kraftliner, usado em embalagens,

para quase 1 milhão de t (toneladas) anuais. É também nesse complexo que será fabricado o kraftliner feito de

eucalipto, cuja patente já foi requerida pela Klabin.

Foto: divulgação/Klabin

Foto: divulgação

Denúncia

O MPPR (Ministério Público do Paraná) ajuizou

ação civil pública ambiental contra o município

de Campo Mourão e uma madeireira pelo

corte irregular de 3,5 mil araucárias, árvore símbolo

do Paraná, de mais de 30 anos. De acordo

com a ação, o município tinha autorização

para utilizar um imóvel público com o corte de

árvores, mas descumpriu as condições previstas

na permissão, suprimindo as espécies florestais

nativas, que deveriam ser mantidas e adensadas,

conforme plano de corte e recuperação da área

de reserva legal. A autorização previa o corte de árvores apenas se houvesse necessidade de uso público da área,

o que não foi comprovado pelo município. Não foi realizado o obrigatório EIA (Estudo de Impacto Ambiental) e

seu respectivo RIMA (Relatório de Impacto Ambiental) para compatibilizar a proteção ambiental da área degradada.

Além disso, as araucárias, espécie ameaçada de extinção, foram suprimidas por empresa que as arrematou

em leilão por um preço equivalente a menos de 20% do valor mínimo de mercado da madeira extraída, causando

prejuízo aos cofres públicos.

16


Montagem eletromecânica

www.flexmontagem.com.br

FABRICAÇÃO E MONTAGEM DE

TUBULAÇÕES DE INOX, AÇO CArBONO,

PEAD E ENTRE OUTRAS

MANUTENÇÃO DE CALDEIRAS, VASOS,

DIGESTORES, TROCADORES DE CALOR

E EVAPORADORES

REPINAGEM EM TUBO DE CALDEIRA

RECUPERAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO

DE TUBOS DO EVAPORADOR

MANUTENÇÃO DE DIGESTORES

CALDEIRARIA/FABRICAÇÃO DE SILOS,

ESTRUTURAS, PINTURA, JATEAMENTO

E REVESTIMENTO COM UHMW

MONTAGEM ELETROMECÂNICA

RETROFIT DE LIXADEIRAS E PREnSAS PARA

INDúSTRIAS De madeiras e aglomerados

MONTAGEM ELÉTRICA

E AUTOMAÇÃO

PROJETO E FABRICAÇÃO MECÂNICA

DE ESTÁTICOS E DINÂMICOS

INTERVENÇÕES DE AUTOMAÇÃO,

ELETROMECÂNICA E MECÂNICA

MUDANÇA DE LAYOUTS,

PARADAS E OBRAS

AUTOMAÇÃO E ELETROMECÂNICA

Rodovia BR 116, 20905

Pinheirinho | Curitiba - PR

(41) 3089-1365 | 3089-1465

comercial@flexmanutencao.com.br

EMPRESA

CERTIFICADA

ISO 9001/2015

CRC


N O V I D A D E S

Foto: divulgação

Desmatamento

Para o CFO da Suzano, Marcelo Bacci, o descaso

do governo brasileiro com o desmatamento

da Amazônia prejudica a imagem das empresas

do setor de papel e celulose. Foi o que afirmou

o especialista em entrevista recente ao portal

InfoMoney. “O que a gente tem dito sempre nas

conversas que a gente tem fora do Brasil com

clientes e com os investidores é que o problema

do Brasil nessa área é um problema de aplicação

da lei. Tem o desmatamento que é originado pela

questão climática, mas o desmatamento ilegal é

questão de polícia. Tem que aplicar a lei. Quem

não aplica é criminoso”, afirmou. Bacci reforçou a

responsabilidade ambiental e social da Suzano, no

sentido de que a empresa só trabalha com florestas

plantadas e não colhe árvores nativas para

fazer papel e celulose. A companhia, segundo ele,

tem uma série de certificações, uma exigência, inclusive,

dos clientes da Suzano. O CFO aproveitou

a oportunidade para comentar que as vendas de

papel estão no mesmo nível do que era visto há

um ano. “A pandemia agilizou o processo de digitalização

no mundo todo, o que contribui para a

queda no segmento de papel para impressão, mas

o setor de celulose cresce como um todo, com

demanda em alta nos demais segmentos”, disse.

Reforço da

sustentabilidade

Em novembro, a Eldorado Brasil Celulose deu um

importante passo a fim de reforçar seu compromisso

com o desenvolvimento sustentável. A empresa se

tornou signatária do Pacto Global da ONU (Organização

das Nações Unidas), iniciativa que tem como

objetivo incentivar e fomentar práticas empresariais

sustentáveis e justas ao redor do planeta. “A aceitação

da Eldorado no Pacto Global nos mostra que estamos

construindo o futuro da companhia com os direcionadores

corretos. A empresa nasceu para ser sustentável,

essa é uma de suas bases. Agora, teremos ainda

mais responsabilidade e esperamos ser exemplo para

que outras companhias também se tornem signatárias

do movimento”, comentou Aguinaldo Gomes Ramos

Filho, diretor-presidente da Eldorado Brasil. O Pacto

Global foi lançado em 2000 e conta, atualmente,

com 13 mil participantes de todo o mundo. A Eldorado

é responsável pela gestão de mais de 300 mil ha

(hectares), sendo mais de 200 mil dedicados ao cultivo

de eucalipto e o restante a áreas de conservação.

Foto: divulgação

18


São mais de 40 anos

produzindo e montando para

as maiores indústrias do país.

mse.com.br


P R I N C I P A L

TRADIÇÃO ALIADA

À INOVAÇÃO

Fotos: divulgação

20


HÁ QUATRO DÉCADAS

NO MERCADO, EMPRESA

SE DESTACA POR UNIR

RECONHECIMENTO DO SETOR

E NOVAS TECNOLOGIAS

Tradition combined

with innovation

WITH FOUR DECADES IN THE MARKET, THE

COMPANY STANDS OUT FOR BRINGING

TOGETHER INDUSTRY RECOGNITION WITH

NEW TECHNOLOGIES

Osegmento brasileiro de engenharia é

um dos mais respeitados do mundo.

Segundo dados do CONFEA/CREA

(Conselho Federal de Engenharia e

Agronomia), o país conta com 1,3

milhão de profissionais no ramo,

além de possuir mais de 200 mil empresas com regulamentação

para trabalhar no setor, um dos mais concorridos

da indústria nacional. Justamente por conta

dessa alta competitividade, destacar-se no mercado é

difícil e requer muito trabalho e dedicação.

As empresas que querem se inserir nesse mercado,

e serem de fato competitivas, devem apresentar

diferenciais que conquistem os clientes, garantindo

satisfação com o serviço e criando assim um vínculo

de fidelidade. Este é o caso da MSE Engenharia, no

T

he Brazilian Engineering Sector is one of the

most respected in the world. According to data

from the Federal Council of Engineering and

Agronomy/Regional Council of Engineering and

Agronomy (Confea/Crea), the Country has 1.3

million professionals in the field, besides having more than

200 thousand companies registered to work in the Sector,

one of the most competitive on the domestic industrial scene.

Precisely because of this high competitiveness, standing

out in the market is difficult and requires a lot of work and

dedication.

Companies that want to enter this market, and be indeed

competitive, must present differentials that earn customers,

ensuring satisfaction with the service and, thus, creating

a bond of loyalty. This is the case of MSE Engenharia,

operating since 1979. Located in the State of Paraná, the

21


mercado desde 1979. Localizada

no Paraná, a empresa chama

atenção por unir a tradição

de mais de 40 anos de atuação

a modernas tecnologias à disposição

do consumidor.

A empresa fornece soluções

de engenharia que atendem

aos mais exigentes clientes dos

setores de papel e celulose e de

outros segmentos industriais.

Com investimento contínuo na

formação de uma organização

sólida, tanto na estrutura física

quanto na capacitação de pessoal, a MSE Engenharia

possui área de 26,5 mil m² (metros quadrados) em

sua sede e mais de mil colaboradores, diretos e indiretos.

Entre esses colaboradores estão 85 engenheiros

multidisciplinares, que desenvolvem e executam os

projetos com maestria.

A equipe da MSE trabalha com softwares de projetos

baseados nas tecnologias BIM (Building Information

Modeling) e PDMS (Plant Design Management

System), ferramentas de elaboração e gerenciamento

de projetos executivos da planta que permitem a

compatibilização de todas as disciplinas envolvidas

em uma construção, sejam tubulações e equipamentos

industriais, sistemas de condicionamento de ar,

combate a incêndio, sistemas elétricos ou de automação.

Essa compatibilização facilita e remove os chamados

clashes (interferências dos projetos de cada disciplina

que coincidem no mesmo espaço), gerando

confiabilidade na execução da obra. A confiabilidade

agregada aos projetos que recebem esta compatibilização

e planejamento de execução gera valor e traz

resultados a obra, tanto na redução dos dispêndios

financeiros quanto na redução dos prazos de execução.

Aliada às melhores práticas do PMI (Project

Management Institute), por meio do PMBok (Project

Management Body of Knowledge), a MSE aplica as

metodologias em todas as fases do projeto. A sinergia

entre planejamento estratégico, desenvolvimento de

projetos e metodologias práticas resulta em um rico e

completo material para a fase executiva. Realizado o

detalhamento e o planejamento de execução, a MSE

avança com a industrialização e pré-fabricação das

peças.

Company draws attention to combining the tradition of

more than 40 years in operation with modern technologies

available to the client.

The Company provides engineering solutions that serve

the most demanding clients in the Pulp and Paper Sector,

as well as other industrial segments. With continuous investment

in the formation of a solid organization, both in

the physical structure and in qualified personnel, MSE Engenharia

has an area of 26.5 thousand m² at its head office

and more than a thousand employees, direct and indirect.

Among these workers are 85 multidisciplinary engineers

who develop and execute the projects with mastery.

The MSE team works with project software based on

Building Information Modeling (BIM) and the Plant Design

Management System (PDMS) technologies, plant executive

project design, and management tools that allow for the

integration of all disciplines involved in construction, be it

industrial ducting and equipment, or air conditioning, fire-

-fighting, electrical, and automation systems.

This integration facilitates and removes the so-called

“clashes” (interferences between each discipline that coincide

in the same project space), generating reliability in the

job’s execution. Reliability adds to the projects that receive

this integration, where planning execution creates value and

brings results to the job, reducing both financial expenditures

and execution times. Together with the Project Management

Institute (PMI) best practices, through the Project

Management Body of Knowledge (PMBoK), MSE applies

these methodologies at all project stages.

The synergy between strategic planning, project development,

and practical methodologies results in a rich and

complete material for the executive phase. After detailing

and planning execution, MSE advances with the industrialization

and prefabrication of the parts.

22


PRÉ-FABRICAÇÃO E INDUSTRIALIZAÇÃO

É dentro do parque industrial da MSE que ocorre

a pré-fabricação e a industrialização de spools, pipe

racks recheados com tubulações, leitos e eletrocalhas,

podendo ser em aço inox ou carbono, PRFV, PEAD,

ferro fundido, entre outros. Em sua estrutura também

realiza a fabricação de sistemas de combate a incêndio,

skids de bombeamento, preparo de tubulações

com ranhuras, jateamento e pintura, em um sistema

semiautomático, que permite, assim, ganhos elevados

de produtividade e qualidade. A MSE tem uma divisão

específica, onde realiza a fabricação e montagem

de painéis elétricos de média e baixa tensão, CCMs,

painéis de proteção e de automação, com certificação

TTA (totalmente testado a arco).

O CEO da MSE, Rafael Spagnuolo, explica que a

empresa sempre buscou se antecipar às necessidades

do mercado ao desenvolver novas soluções para os

problemas existentes, gerando ainda mais valor para

os seus clientes. “Enquanto a construção civil avança,

antecipamos a fabricação e a pré-montagem de tudo

o que é possível, garantindo prazos de entrega reduzidos.

A industrialização e a padronização dos processos

garantem também a redução dos custos com

o aumento da qualidade e da segurança, atingindo o

compromisso de entrega MSE”, afirma.

PREFABRICATION AND INDUSTRIALIZATION

Within the MSE industrial park, the prefabrication and

industrialization of spools, racks “fitted” with ducts, electrical

panels, and ducts occur, manufactured in stainless or

carbon steel, FRP, HDPE, and cast iron, among others. In its

structure, the Company manufactures fire-fighting systems,

pumping skids, preparation of ducts with grooves, blasting,

and painting, in a semi-automatic system, which leads to

gains in productivity and quality. MSE has a specific division,

where it manufactures and assembles medium and low voltage

electrical, MCC, protection, and automation panels,

with TTA certification (arc flash tested).

23


ESTRUTURA COMPLETA

Esse processo de industrialização

que ocorre dentro da

MSE Engenharia só é possível

graças a uma estrutura sólida

e completa, com fábrica, área

de pré-montagens, máquinas

e frota própria de guindastes,

muncks, plataformas, empilhadeiras

e caminhões. É essa filosofia

estratégica da MSE que

tem levado também a resultados diferenciados no

âmbito de segurança do trabalho e meio ambiente.

Os projetos executivos detalhados, a industrialização

na sede de todas as disciplinas e o fortalecimento das

estruturas produtivas e de logística fazem com que a

mobilização em obra seja reduzida.

De acordo com Dener Sugayama, diretor industrial

da MSE, a empresa buscou entender as demandas

e anseios do consumidor a fim de trazer mais assertividade

e segurança aos serviços fornecidos pela

companhia paranaense. “Os clientes necessitam e

demandam projetos com reduzido tempo de execução,

excelente custo-benefício, segurança do trabalho,

cuidado com o meio ambiente, gestão apurada e

garantia de performance”, revela Sugayama.

A MSE Engenharia está presente em todo o Brasil,

executando obras, projetos e serviços, oferecendo

todo o seu know-how aplicado nas soluções de engenharia,

completa em todas as disciplinas e agrupadas

em um único fornecimento. Atendendo às demandas

do mercado por meio de contratação EPC, EPCM ou

Turn-key (chave na mão).

Rafael Spagnuolo, CEO of MSE, explains that the Company

has always sought to anticipate market needs by developing

new solutions to existing problems, generating even

more value for its clients. “As construction progresses, we

anticipate the manufacture and pre-assembly of everything

possible, ensuring reduced delivery times. Process industrialization

and standardization also ensure the reduction

of costs with increasing quality and safety, attaining the MSE

delivery commitment,” he says.

COMPLETE STRUCTURE

This industrialization process within MSE Engenharia

is only possible thanks to a stable and complete structure,

with factory, pre-assembly area, machinery, and a fleet

of cranes, crane mounted trucks, platforms, forklifts, and

trucks.

This strategic philosophy has also led MSE to achieve differentiated

results in environmental and work safety issues.

Detailed executive projects, industrialization at the head of

all disciplines, and the strengthening of production and logistics

structures had led to reduced on-site mobilization.

According to Dener Sugayama, Industrial Director of MSE,

EXPERIÊNCIA EM SOLUÇÕES DE

ENGENHARIA

Com profundo know-how, adquirido por meio do

atendimento aos mais diversos segmentos industriais,

a MSE Engenharia é uma empresa que se orgulha de,

hoje, ser completa em soluções para instalações nas

áreas de montagens industriais, elétrica e automação,

segurança contra incêndio e climatização industrial. A

companhia conta com equipes de projeto especializadas

em cada uma dessas áreas e times de fabricação e

montagens industriais, além de equipamentos de ponta.

Tais recursos credenciam e permitem que a empresa

atenda a projetos complexos e exigentes, com agilidade,

confiabilidade e segurança.

EXPERIENCE IN ENGINEERING SOLUTIONS

Through a profound knowledge acquired through meeting

the needs of the most diverse industrial segments, MSE

Engenharia is a company that, today, is proud to be complete

with solutions for installations in industrial, electrical, and automation

assembly, fire safety, and industrial air conditioning.

The Company has specialized design and manufacturing teams

in each area, industrial assemblies, and state-of-the-art

equipment. These features accredit and allow the Company

to be able to meet complex and demanding projects with

agility, reliability, and safety.

24


PORTAL DO CLIENTE E GESTÃO DE

SUPRIMENTOS

Levando mais agilidade e organização ao acesso às

informações da obra, a MSE criou um portal de relacionamento

entre obra e cliente. Trata-se de um canal

atualizado diariamente com relatórios, cronogramas e

outros documentos específicos relacionados à obra. É

uma forma fácil e rápida que a companhia encontrou

para se conectar com seus clientes.

Por meio de software específico, acessado pela obra

e por todos os envolvidos, todo o processo de gestão

de suprimentos é monitorado. Em uma obra padrão,

são mais de 5 mil itens diferentes de equipamentos,

materiais e consumíveis, gerenciados de ponta a ponta,

da especificação à entrega na obra, passando por toda

gestão de compras e logística até a aplicação no canteiro

de obras.

the Company seeks to understand the

client’s demands and anxieties to provide

more assertiveness and security

in the services offered by the State of

Paraná Company. “Clients need and

demand projects with reduced execution

time, excellent cost-benefit, work

safety, reduced environmental impact,

detailed management, and performance

assurance,” says Industrial Director

Sugayama. MSE Engenharia is

present throughout Brazil, executing

jobs, projects, and services, offering all

its know-how to engineering solutions,

complete in all disciplines, and grouped into a single supply.

Meeting market demands whether EPC, EPCM, or Turn-key.

CUSTOMER PORTAL AND SUPPLY MANAGEMENT

Providing more agility and organization to access job

information, MSE created a relationship portal between job

and client. It is a channel updated daily, with reports, timetables,

and other specific documents related to the job. It’s an

easy and fast way the Company has found to connect with

its clients.

Through specific software, accessible at the job-site and

all involved, the entire supply management process is monitored.

There are more than five thousand different items for

a standard job, including equipment, materials, and consumables,

managed end to end, from specification to delivery

on-site, including from purchasing and logistics management

to the use on the construction site.

SEGURANÇA

Além de toda a tecnologia oferecida pela MSE Engenharia,

o qualificado corpo de colaboradores da companhia

passa por periódicos treinamentos e capacitações

com foco em segurança, saúde e meio ambiente,

bem como quanto a boas práticas e procedimentos de

montagens e 5S, metodologia que tem como objetivo

mobilizar, motivar e conscientizar toda a empresa com

o foco à chamada “qualidade total”, por meio da organização

e da disciplina no local de trabalho. A empresa

exige que seus trabalhadores tenham pleno conhecimento

de diversas NRs (Normas Regulamentadoras),

como NR-18, NR-12, NR-10, NR-35, NR-06 e NR-05.

SECURITY

In addition to all the technology offered by MSE Engenharia,

the Company’s qualified body of employees goes

through periodic training and education focused on safety,

health, and environment, including good practices and assembly

procedures, and the 5S program. This methodology

aims to mobilize, motivate, and raise awareness throughout

the Company, focusing on the so-called “total quality”

through organization and discipline in the workplace. The

Company requires its workers to be thoroughly knowledgeable

of several Regulatory Standards (NRs), such as NR-18,

NR-12, NR-10, NR-35, NR-06, and NR-05.

25


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Salvando

vidas

Ainda que o principal uso da celulose seja comumente associado à

fabricação de papel, a matéria-prima apresenta um leque de infinitas

possibilidades, inclusive na área médica. Na Finlândia, pesquisadores

lançaram mão de bactérias para produzir objetos 3D elaborados da

nanocelulose. Esses materiais têm um enorme potencial para uso na

medicina, vez que podem atuar como suporte para a regeneração de

tecidos, inclusive no cérebro. Já um estudo conduzido a partir de uma parceria

entre especialistas canadenses e russos desenvolveu um material à base de gelatina

e celulose nanocristalina capaz de combater bactérias que são resistentes a antibióticos

e, assim, acelerar o processo de cicatrização de feridas. Confira:

Saving lives

A

lthough cellulose’s primary use is commonly associated with papermaking, the raw

material presents a range of infinite possibilities, including in the medical field. In

Finland, scientists used bacteria to produce elaborate 3D objects from nanocellulose.

These materials have enormous potential for medical use since they can support tissue

regeneration, including in the brain. A study conducted from a partnership between Canadian and

Russian experts developed a gelatin and nanocrystalline cellulose-based material capable of fighting

bacteria resistant to antibiotics and thus speed up the wound healing process.

Check out below:

26


Suporte médico

Uma equipe da Universidade Aalto, na Finlândia,

usou bactérias para produzir objetos tridimensionais

elaborados de partir da nanocelulose

(celulose nanoestruturada). Com a técnica, os pesquisadores

conseguem orientar o crescimento de

colônias bacterianas por meio do uso de superfícies

fortemente hidrofóbicas. Em química, a hidrofobicidade

é a propriedade física de uma molécula que

é aparentemente repelida por uma massa de água.

Os objetos apresentam enorme potencial para

uso médico, como suporte para a regeneração de

tecidos, por exemplo. O método também pode

ser usado para cultivar modelos realistas de órgãos

para treinar cirurgiões ou melhorar a precisão dos

testes in vitro. Ao contrário dos objetos fibrosos

feitos por meio dos métodos atuais de impressão

3D, a nova técnica permite que fibras com um diâmetro

mil vezes mais fino do que um fio de cabelo

humano sejam alinhadas em qualquer orientação,

mesmo entre camadas.

“É como ter bilhões de minúsculas impressoras

3D que cabem dentro de uma garrafa”, afirma

Luiz Greca, estudante de doutorado na instituição.

“Podemos pensar nas bactérias como microrrobôs

naturais que pegam os blocos de construção fornecidos

a eles e, com a entrada certa, criam formas e

estruturas complexas.”

Medical support

A team from Aalto University in Finland used bacteria

to produce three-dimensional objects made from

nanocellulose (nanostructured cellulose). With this

technique, scientists can orient the growth of bacterial

colonies through strongly hydrophobic surfaces. In

chemistry, hydrophobicity is the physical property of a

molecule that is apparently repelled by a water mass.

Objects have enormous potential for medical use,

as support for tissue regeneration, for example. The

method can also cultivate realistic models of organs

to train surgeons or improve the accuracy of in vitro

tests. Unlike fibrous objects made through current

3D printing methods, the new technique allows the

use of fibers with a diameter a thousand times thinner

than a human hair to be aligned in any orientation,

even between layers.

“It’s like having billions of tiny 3D printers that fit

inside a bottle,” says Luiz Greca, a doctoral student at

the institution. “We can think of the bacteria as natural

microrobots that take the building blocks provided

to them and, with the right input, create complex

shapes and structures.”

Foto: divulgação

27


A V A N Ç O S E T E C N O L O G I A

Em busca da cura

Em parceria, pesquisadores da Universidade de

Toronto, no Canadá, e da Universidade Estadual

de São Petersburgo de Tecnologia da Informação,

Mecânica e Ótica, na Rússia, desenvolveram material

à base de gelatina e celulose nanocristalina que pode

combater bactérias resistentes a antibióticos e acelerar

o processo de cicatrização de feridas. No futuro, o

material poderá ser usado na produção de curativos à

base de gel.

“Um curativo deve possuir qualidades antibacterianas

para, no mínimo, não causar uma infecção.

Existe agora uma tendência global de redução do uso

de produtos antibacterianos convencionais devido às

bactérias que desenvolvem resistência aos antibióticos.

Sugerimos uma forma alternativa de lidar com

esse problema” diz a pesquisadora russa Elena Koshel.

Cada uso de antibióticos faz com que as bactérias

sobreviventes desenvolvam uma resistência a

esses medicamentos, característica que passa a seus

descendentes, resultando em super bactérias, que podem

ser uma fonte de sérias complicações de saúde.

Por isso, pesquisadores de todo o mundo estão procurando

novas maneiras de combater infecções sem

o uso de antibióticos.

A base do material desenvolvido pelos pesquisadores

consiste na celulose nanocristalina modificada

e na gelatina. A utilização desses produtos

permite a criação de uma

camada que protege a ferida

ao mesmo tempo em que

proporciona condições

favoráveis à cicatrização

natural. Além

disso, a textura úmida

e macia do gel

garante que a troca

do curativo não

cause mais danos à

ferida.

In search of a cure

In partnership, scientists from the University of Toronto

in Canada and the St. Petersburg State University of Information

Technology, Mechanics, and Optics in Russia have

developed a gelatin and nanocrystalline cellulose-based

material that can fight antibiotic-resistant bacteria and accelerate

the wound healing process. In the future, the material

may be used in the production of gel-based dressings.

“A dressing should have antibacterial qualities to at

least not cause an infection. There is now a global trend of

reducing the use of conventional antibacterial products due

to bacteria that have developed antibiotic resistance. We

suggest an alternative way to deal with this problem,” says

Russian Scientist Elena Koshel.

Each use of antibiotics causes the surviving bacteria to

develop resistance to the drugs. This characteristic passes to

their descendants, resulting in super bacteria, which can be

a source of severe health complications. That is why scientists

worldwide are looking for new ways to fight infections

without the use of antibiotics.

The basis of the material developed by the scientists

consists of modified nanocrystalline cellulose and gelatin.

The use of these products allows for creating a layer that

protects the wound while providing favorable natural healing

conditions. Also, the gel’s wet and soft texture ensures

that changing the dressing does not cause further damage to

the wound.

Foto: divulgação

28


A R T I G O

SUSTENTABILIDADE

COMO FATOR DE

COMPETITIVIDADE PARA

O SETOR BRASILEIRO DE

CELULOSE E PAPEL

Fotos: divulgação

30


Por ABTCP (Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel)

By the Brazilian Pulp and Paper Technical Association (ABTCP)

Osetor brasileiro de produção e comercialização

de celulose e papel

tem se constituído em um dos

principais e bem-sucedidos segmentos

do agronegócio nacional.

Trata-se de um setor com ampla

gama de atividades, que se inicia na produção de

florestas plantadas de Eucalyptus e/ou Pinus para

obtenção da principal de suas matérias-primas, as

árvores, continuando pelas suas modernas fábricas

de celulose de mercado e de papéis, culminando

com a comercialização de seus produtos no Brasil

e em grande parte do planeta, graças ao seu foco

exportador.

Em termos históricos, pode-se dizer que grande

parte de suas conquistas são recentes, pois a fabricação

comercial de celulose e papel no Brasil passou

a ocorrer há pouco mais de um século. Já o modelo

exportador tem pouco mais de 40 anos, tendo iniciado

em meados dos anos 1970. Em 2019, o setor

produziu cerca de 20 milhões de t (toneladas) de

celulose e 10,5 milhões de t de papel. Desses totais,

foram exportadas quase 15 milhões de t de celulose

de mercado e 2,2 milhões de t de papel.

Alguns fatores foram determinantes para esse

crescimento: em 1966, foi criado pelo Governo

Federal o PIFFR (Programa de Incentivos Fiscais

ao Florestamento e Reflorestamento), que perdurou

por 20 anos; em 1974, foi lançado o 1º PNPC

(Programa Nacional de Papel e Celulose), que tinha

como meta estimular a produção de celulose e

papel com foco na exportação. Em 1974, ano de

lançamento do 1º PNPC, o Brasil produzia cerca de

1,29 milhão de t de celulose e 1,85 milhão de t de

papéis. Em 2019, 45 anos depois, a produção de

celulose corresponde a 15,5 vezes mais (6,3% ao

ano no período) e a de papel 5,7 vezes (3,95% ao

ano no período). Ambos os produtos abastecem os

mercados nacionais e se exportam excedentes.

As florestas plantadas passaram a se constituir

nos alicerces desses processos de industrialização e

comercialização de produtos florestais para o Brasil

e para o mundo. Principalmente porque a silvicultura

brasileira conseguiria tornar essas florestas plantadas

em líderes mundiais em produtividade florestal.

SUSTAINABILITY AS A

COMPETITIVE FACTOR

FOR THE BRAZILIAN PULP

AND PAPER SECTOR

T

he Brazilian Pulp and Paper Production

and Marketing Sector has been one of the

leading and successful segments of Brazilian

agribusiness. It is a sector with a wide

range of activities, which begins with the production

of planted Eucalyptus and/or Pine forests to obtain

the primary raw material, trees, for modern market

pulp and paper mills, culminating with the commercialization

of its products in Brazil and much of the

planet, thanks to its export focus.

In historical terms, it can be said that many of its

achievements are recent since the commercial manufacture

of pulp and paper in Brazil began just over

a century ago. The export model is just over 40 years

old, having started in the mid-1970s. In 2019, the

Sector produced about 20 million tons of pulp and

10.5 million tons of paper. Of these totals, almost 15

million tons of market pulp and 2.2 million tons of

paper were exported.

Some factors were determinant for this growth:

in 1966, the Program for Tax Incentives to Forestry

and Reforestation (Piffr) was created by the Federal

Government, which lasted for 20 years; in 1974,

the 1st National Pulp and Paper Program (Pnpc) was

launched, to stimulate pulp and paper products with

a focus on exports. In 1974, the year the 1st Pnpc

was launched, Brazil produced about 1.29 million

tons of pulp and 1.85 million tons of paper. In 2019,

45 years later, pulp production corresponded to

15.5 times more (a 6.3% increase per year in the

period) and paper production 5.7 times (a 3.95%

increase per year in the period). Both products

supply domestic markets, and surplus production is

exported.

Planted forests began to be implemented in

Brazil due to the industrialization and commercialization

of forest products in Brazil and the world,

31


A R T I G O

Paralelamente ao crescimento do setor, também se

desenvolveram as pesquisas científicas e tecnológicas

nas florestas e nas tecnologias industriais, o que

tem ocorrido com a instalação ou modernização de

centros de pesquisas públicos e privados para atendimento

às necessidades do setor.

Talvez o mais eficiente dos fatores para rupturas

na forma de gestão do setor brasileiro de base

florestal plantada tenham sido os resultados da

Earth Summit de 1992 – Conferência Mundial das

Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento,

aqui no Brasil conhecida como Rio-92 ou

Eco-92. Dessa conferência resultaram dois importantes

aceleradores: o fortalecimento do conceito

de Desenvolvimento Sustentável e a importante

“Declaração das Florestas”. Como consequências

dessas propostas surgiram e se estabeleceram rápida

e globalmente os sistemas de certificação florestal de

bom manejo e logo depois de cadeia de custódia e

as normas de qualidade e socioambientais da ISO

(International Organization for Standardization), séries

ISO 9.000 e 14.000 e da OHSAS (Occupational

Health & Safety Assessment Series) 18 mil. O setor

brasileiro de celulose e papel abraçou rapidamente

mainly because Brazil became a world leader in forest

productivity. Parallel to the growth of the Sector,

scientific and technological research has also been

developed in forestry and industrial technologies,

which has occurred with the installation or modernization

of public and private research centers to meet

Sector needs.

Perhaps the most significant factor for the changes

in the management of the Brazilian Planted Forest-based

Sector were the results of the 1992 Earth

Summit – United Nations World Conference on Environment

and Development, here in Brazil known

as Rio-92 or Eco-92. This Conference resulted in two

essential accelerators: strengthening of the Sustainable

Development concept and the “Declaration of

Forests”. As a consequence of these proposals, forest

certification systems of good management emerge

and were established rapidly and globally. Soon after,

the chain of custody and the quality and socio-environmental

standards of International Organization

for Standardization (ISO), the ISO 9,000 and 14,000

series, and Occupational Health & Safety Assessment

(OHSAS), the 18,000 Series. The Brazilian Pulp

and Paper Sector quickly embraced these systems as

32


esses sistemas como forma de conquistar credibilidade

e visibilidade de suas ações positivas em temas

socioambientais. A vantagem escondida desses

sistemas, só descoberta ao serem utilizados, é de

que a gestão empresarial fica muito mais comprometida

e participativa, graças aos desafios que esses

sistemas incutem e motivam nas pessoas. Também

as auditorias de terceira parte agregam mais visibilidade,

confiabilidade e credibilidade aos desempenhos

empresariais. Ao final do milênio passado,

praticamente todas as empresas do setor de celulose

e papel que exportam produtos já tinham obtido ou

estavam trabalhando para obter esses certificados ou

selos ambientais.

Ao início dos anos 2000, o setor brasileiro de

celulose e papel teve uma nova época de expansão,

mas já dispondo de engenharia e de equipamentos

com desempenhos muito mais ecoeficientes, com

menores impactos ambientais, principalmente pela

redução substancial de geração de poluentes, de

reciclagem dos mesmos e de reduções de consumos

específicos de insumos (água, energia, madeira) e

aumento de rendimentos.

O conceito de sustentabilidade se tornou global,

sendo que se passou a acreditar que a sustentabilidade

é uma rota de busca sem fim, pois ela sempre

precisa estar sendo aperfeiçoada conforme a ciência

for evoluindo e mostrando outras realidades comprovadas

sobre a natureza e sobre o ser humano no

planeta.

No setor industrial de base florestal, a sustentabilidade

tem sido visualizada sob quatro vertentes:

• Sustentabilidade da própria empresa e de

seus negócios, através de seus desempenhos, eficácias

e competitividade.

• Sustentabilidade da capacidade produtiva

de suas áreas florestais plantadas.

• Sustentabilidade do ambiente regional,

englobando as florestas plantadas, as bacias hidrográficas

e as matas nativas nas áreas de influência do

empreendimento.

• Sustentabilidade das pessoas que trabalham

e interagem direta ou indiretamente com os empreendimentos

florestais e industriais, incluindo as comunidades

e populações tradicionais circunvizinhas.

Com base nessas realidades apresentadas, é

importante conhecer algumas peculiaridades desse

setor nos aspectos florestais, industriais e mercadolóa

way to gain credibility and visibility of its positive

actions in socio-environmental issues. The “hidden

advantage” of these systems, only discovered after

being used, is that business management became

much more committed and participatory, thanks to

the challenges these systems instill and motivate in

people. Third-party audits also add more visibility,

reliability, and credibility to business performance. By

the end of the last millennium, virtually all pulp and

paper companies exporting products had already

obtained or were working to obtain these environmental

certifications or seals.

At the beginning of the 2000s, the Brazilian Pulp

and Paper Sector entered a new expansion era. Engineering

and equipment had become much more

efficient, leading to lower environmental impacts,

mainly due to the substantial reduction of pollutant

generation, pollutant recycling, and reductions in

specific consumption of consumables (water, energy,

timber, etc.) with increased yields.

The concept of Sustainability has become global.

It had come to be believed that Sustainability is a

route of endless search because it always needs to

be perfected as science evolves and other proven

realities continue to be discovered about nature’s

and the human being’s relationship with the planet.

In the Forest-based Industrial Sector, Sustainability

is seen under four aspects:

• Sustainability of the company itself and its

business, through its performance, effectiveness, and

competitiveness.

• Sustainability of the productive capacity of its

planted forest areas.

• Sustainability of the regional environment, encompassing

planted forests, river basins, and native

forests in the enterprise’s areas of influence.

• Sustainability of people who work and interact

directly or indirectly with forestry and industrial enterprises,

including the traditional communities and

surrounding populations.

Based on these above realities, it is important to

know some peculiarities of this Sector in the forest,

industrial, and marketing aspects, which are:

1. Planted and cultivated forests are the foundations

of the Forest-based Sector in the face of the

exceptional productivity rates achieved, considered

world benchmarks. National average values in

2018 reported by the Brazilian Tree Industry (IBÁ):

33


A R T I G O

gicos, que são:

1. As florestas plantadas e cultivadas constituem-

-se nos alicerces do setor de base florestal frente

aos excepcionais ritmos de produtividade atingidos,

considerados referências mundiais. Valores médios

nacionais em 2018 relatados pela IBÁ (Indústria Brasileira

de Árvores): Eucalyptus (36m³/ha ano) e Pinus

(30m³/ha ano) - metros cúbicos por hectare ao ano

2. As florestas produzidas pelo setor de celulose

e papel são estruturadas e planejadas para atendimento

a um manejo florestal responsável e certificado

por terceiras partes. Elas são instaladas em

um esquema de mosaico ecoflorestal, onde áreas

de plantações de árvores para fins industriais se

mesclam com áreas de florestas nativas preservadas.

O setor brasileiro de base florestal plantada possui

atualmente cerca de 7,8 milhões de ha (hectares)

de florestas plantadas e ao mesmo tempo cuida e

protege permanentemente de cerca de 5,6 milhões

de ha de áreas de conservação e preservação de

recursos naturais. Ou seja, para cada ha de floresta

plantada para uso industrial se conserva 0,7 ha de

recursos naturais regionais. As áreas preservadas se

constituem em patrimônio natural protegido para as

gerações futuras nos biomas brasileiros onde o setor

atua (Mata Atlântica, Cerrado e Amazônia), sendo

que isso acontece como APP (Áreas de Preservação

Permanente), de RL (Reservas Legais) e de RPPN

(Reservas Privadas de Patrimônio Natural). A proteção

da biodiversidade e dos recursos hídricos são

prioridades em todas as fases dos projetos florestais

e de suas interfaces industriais.

3. O suprimento das fábricas de celulose é

realizado por meio de florestas próprias certificadas

ou de produtores rurais fomentados ou terceiros. As

empresas incentivam a certificação florestal também

de seus fornecedores de madeiras.

4. O setor de base florestal plantada no Brasil

é um setor com grandes escalas de produção, mas

são grandes também os benefícios gerados. O setor

representa 7% do PIB industrial brasileiro, está presente

em mais de 20 Estados e mais de mil municípios

estão em zonas de influência da indústria de

base florestal, prioritariamente no interior do Brasil,

Eucalyptus (36 m³ha-¹yr-¹) and Pine (30 m³ha-¹yr-¹)

2. The forests implemented by the Pulp and

Paper Sector are structured and planned to meet

responsible forest management certified by third

parties. They are installed in an eco-forestry mosaic

scheme, where tree plantation areas for industrial

purposes are intermingled with areas of preserved

native forests. Currently, the Brazilian Planted

Forest-based Sector has about 7.8 million hectares

of planted forests, and at the same time, permanently

cares for and protects approximately 5.6

million hectares of conservation and preservation

areas of natural resources. For each hectare of forest

planted for industrial use, 0.7 hectares of regional

natural resources are conserved. The preserved areas

constitute a protected natural heritage for future

generations in the Brazilian biomes where the Sector

operates (Atlantic Forest, Cerrado, and Amazon),

and this happens as Permanent Preservation Areas

(APP), Legal Reserves (RL), and Private Natural Heritage

Reserves (Rppn). The protection of biodiversity

and water resources is a priority for all forest projects

and industrial interfaces.

3. The timber supply for pulp mills is carried out

through owned certified forests, outsourced partnerships,

or third parties. Companies also encourage

forest certification from their timber suppliers.

4. The Planted Forest-based Sector in Brazil is a

sector with large production scales, but the benefits

generated are also great. The Sector represents

7% of the Brazilian Industrial GDP. It is present in

more than 20 states and more than one thousand

municipalities in areas of influence of the forest-based

activity, primarily in Brazil’s interior, away from

large centers. Thus, it contributes to the significant

improvement of quality of life, measured through the

Human Development Index (HDI) in these municipalities.

This Sector generates 3.8 million jobs, direct

and indirect, and an income effect. This cooperates

not only for the generation of direct jobs but also for

creating and strengthening thousands of companies

that operate and interface with the Forestry Sector.

Some driving forces contributed to the changes

in the relationships and postures of the Pulp and Paper

Sector regarding the theme of Sustainability. This

can be noticed from the following considerations

about the current behavior of sectoral governance in

search of its competitiveness based on sustainability:

34


afastados dos grandes centros. Dessa forma, também

colabora para a melhoria significativa da qualidade

de vida, medida por meio do IDH (Índice de Desenvolvimento

Humano) nesses municípios. Esse setor

gera 3,8 milhões de empregos, diretos, indiretos e

de efeito renda. Essa dimensão coopera não apenas

para a geração de empregos diretos, mas também

para a criação e fortalecimento de milhares de

empresas que atuam e fazem interface com o setor

florestal.

Algumas forças motrizes colaboraram para as alterações

das relações e posturas do setor de celulose

e papel com a temática da sustentabilidade. Isso

pode ser notado a partir das seguintes considerações

sobre o comportamento atual de governança setorial

em busca de sua competitividade alicerçada pela

sustentabilidade:

1. O setor de celulose e papel passou a reconhecer

que problemas localizados de algumas empresas

e de gestão do meio ambiente de grande parte delas

no passado acabaram por deteriorar a sua imagem e

as suas relações com algumas comunidades. Foi um

ponto vital de busca de melhoria contínua em todas

as empresas, principalmente pelas empresas certificadas

em suas florestas e fábricas.

2. De atitudes reativas e reclamativas do passado

(anos 1970 a 1980) o setor assumiu uma proatividade

disruptiva buscando sistemas de gestão novos

através das certificações (anos 1990), para finalmente

adquirir uma compromissada prática de busca da

sustentabilidade (anos 2000).

3. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento

têm acontecido tanto nas áreas florestais

como industriais, por meio de projetos das empresas

do setor, centros de pesquisa próprios ou consorciados,

de universidades e fornecedores de tecnologia

e engenharia. Os avanços conseguidos permitiram a

introdução no setor de florestas plantadas e fábricas

de última geração tecnológica. Tecnologia, estado

da arte e modernização tecnológica no campo e nas

fábricas são vitais para empresas como as de celulose

e papel que dependem de escala de produção

e custos baixos de produção. Atualmente, qualquer

nova linha de produção de um novo projeto ou de

modernização de uma fábrica existente só é aprova-

1. The Pulp and Paper Sector has come to recognize

that, in the past, localized problems of some

companies and their environmental management

have deteriorated their image and relationships with

some communities. It became vital to search for

continuous improvement by all companies, mainly

through certifying their forests and factories.

2. From reactive and complaining attitudes of the

past (years 1970 to 1980), the Sector assumed disruptive

proactivity seeking new management systems

through certifications (1990s), to finally acquiring a

practice committed to the pursuit of Sustainability

(2000s).

3. Investments in Research and Development

have been made in both the forestry and industrial

areas through projects by companies in the Sector,

their own or consortium research, universities, and

technology and engineering suppliers. The advances

made allowed for the introduction of state-of-the-art

technologies in the Planted Forest Sector and its factories.

Technology, state of the art, and technological

modernization in the field and factories are vital for

companies, such as pulp and paper producers that

depend on production scale and low production

costs. Any new production line of a new project or

modernization of an existing plant is currently only

approved if the best available technologies (BAT) are

deployed.

4. The practices of eco-efficiency and operational

continuity associated with responsible management

and technological modernization are useful to the

O setor de celulose

e papel está consciente

que muitos de seus

produtos estarão

em processo de

envelhecimento e

desaparecimento

35


A R T I G O

da se houver implantação das melhores tecnologias

disponíveis – BAT (Best Available Technologies).

4. As práticas de ecoeficiência e de continuidade

operacional associadas à gestão responsável

e à modernização tecnológica não são úteis apenas

ao meio ambiente, mas também representam

resultados econômicos para as empresas, por meio

da redução de desperdícios e tempos perdidos de

operação, retrabalhos etc. O meio ambiente, que

no passado era considerado como um custo a mais,

passou a fazer parte das estratégias empresariais

para tornar o negócio mais eficiente, durável, com

menos poluentes, melhores eficiências e resultados,

inclusive socioeconômicos.

5. As certificações florestais e de sistemas de

gestão socioambientais fortaleceram o pilar social

no setor, humanizando suas ações dentro e fora das

empresas. Comunicação, transparência e diálogo

com as partes interessadas passaram a fazer parte

dos sistemas gerenciais das empresas, inclusive ao

longo das linhas de comando empresariais.

6. O diálogo com as partes interessadas, que em

tempos passados era até mesmo temido, passou a

ser praticado em Fóruns de Diálogo Florestal, em

eventos de interesse público, e principalmente nas

audiências públicas para análises, debates, sugestões

e validações de Estudos de Impacto Ambiental de

novos projetos.

7. A governança das empresas foi gradualmente

incluindo os fatores de bem-estar social, saúde, segurança,

educação, cultura e felicidade das pessoas

em suas metas. Diversas empresas do setor têm sido

relacionadas com destaque em premiações do tipo

melhores empresas para se trabalhar no País. Outro

aspecto relevante dentro da governança atual é a

disposição das empresas em compartilhar as riquezas

e as disponibilidades do empreendimento com

as comunidades. Isso acontece por intermédio de

projetos educativos, culturais, de parcerias com os

produtores rurais (fomento florestal, agricultores

agroecológicos, pecuaristas e apicultores), com os

fornecedores locais (compras regionais de insumos

gerais, madeira, combustíveis etc.). Esses projetos

O mundo se transforma

a cada momento, novas

demandas surgem, novos

produtos são criados,

enquanto outras tecnologias,

produtos e costumes irão

sendo destruídos

environment and lead to improved economic results

for companies, through the reduction of waste and

lost operating times, rework, etc. In the past, the environmental

considerations were considered an extra

cost, but later became part of business strategies

to make the business more efficient, durable, with

fewer pollutants, and better efficiencies and results,

including socioeconomic.

5. Forest certification and social and environmental

management systems have strengthened the

social pillar in the Sector, humanizing their actions

inside and outside companies. Communication,

transparency, and dialogue with stakeholders became

part of company management systems, including

business command lines.

6. Dialogue with stakeholders, even feared in

times past, began to be practiced in Forest Dialogue

Forums, in public interest events, and especially in

public hearings for analysis, debates, suggestions,

and validations of Environmental Impact Studies for

new projects.

7. Gradually, Corporate Governance began to

include social welfare, health, safety, education, cultural,

and human happiness factors to achieve their

goals. Several companies in the Sector have been

listed prominently in awards such as “best companies

to work for in the Country”. Another relevant

aspect within current governance is the company

becoming willing to share its wealth and availability

with the communities. This is being done through

educational, cultural projects, partnerships with rural

producers (forest promotion, agroecological farmers,

livestock farmers, and beekeepers), and local sup-

36


desenvolvidos com as comunidades transferem

importante parcela dos recursos financeiros da empresa

para as comunidades que estão inseridas nas

áreas de influência da empresa. Trata-se não apenas

de um processo de compartilhamento, mas de

ganha-ganha para as empresas e a sociedade.

8. As empresas do setor de celulose e papel

passaram a apresentar em seus planos estratégicos

diversos compromissos socioambientais que são

tornados públicos para a sociedade. Isso dentro de

maior transparência e diálogo. Dentre esses compromissos

se incluem também compromissos na esfera

da Sustentabilidade Global, como: Pegada Hídrica

(uso de água nas florestas e nas fábricas); Pegada de

Carbono (reduções na utilização de carbono fóssil

e produção e consumo de biomassa renovável),

Incentivo à Reciclagem e Uso Consciente do Papel,

Combate ao Desmatamento, Mitigação dos Efeitos

Climáticos, Combate à Pobreza, etc.

pliers (regional purchases of general consumables,

timber, fuel, etc.). These projects developed with

the communities transfer a significant portion of the

company’s financial resources to the communities

that are inserted in the company’s areas of influence.

It is not only a sharing process but a win-win for

businesses and society.

8. Companies in the Pulp and Paper Sector began

to prepare and make public their strategic plans

to include several socio-environmental commitments

for society. This within greater transparency and dialogue.

These commitments also included obligations

in the sphere of Global Sustainability, such as Water

Footprint (water use in forests and factories); Carbon

Footprint (reductions in the use of fossil carbon and

production and consumption of renewable biomass);

Incentives to Recycling and Conscious Use

of Paper; Combating Deforestation; Mitigation of

Climate Effects; Combating Poverty, etc.

9. The search for Sustainability has become a

37


A R T I G O

9. A busca da sustentabilidade passou a ser atividade

vital e consolidada por todos nas empresas líderes

do setor de celulose e papel, sendo buscada por

ações e políticas em todas as áreas que compõem o

complexo empresarial (florestas, fábricas, portos, setores

administrativos etc.) e nas suas interfaces externas

(comunidades, fornecedores, empresas terceirizadas,

produtores rurais, etc.).

O mundo se transforma a cada momento, novas

demandas surgem, novos produtos são criados,

enquanto outras tecnologias, produtos e costumes

irão sendo destruídos. As mudanças são as grandes

promotoras de evoluções tanto no sentido de criação

como de destruição. O setor de celulose e papel está

consciente que muitos de seus produtos estarão em

processo de envelhecimento e desaparecimento.

Isso motiva as pessoas do setor a buscarem constantemente

novas plataformas de produtos, serviços e

negócios. É o que está acontecendo exatamente há

cerca de uma década, quando todo o setor celulósico-papeleiro,

no Brasil e no mundo, está buscando o

desenvolvimento de outros produtos a partir da biomassa

florestal e agrícola, que sejam úteis e desejados

pela sociedade. Através do conceito de biorrefinarias

integradas às fábricas de celulose e papel, o setor tem

buscado desenvolver produtos com base nos componentes

químicos da biomassa florestal, como derivados

de ligninas, de hemiceluloses, da própria celulose

e dos extrativos da madeira e resíduos florestais. A

bioeconomia é um caminho novo que as empresas

vital activity. It is being consolidated by all leading

companies in the Pulp and Paper Sector, whereby

actions and policies are being sought in all areas that

make up the business complex (forests, factories,

ports, administrative sectors, etc.) and in its external

interfaces (communities, suppliers, outsourced

companies, rural producers, etc.).

The world transforms itself every second, and

new demands arise, new products are created, while

other technologies, products, and customs will be

destroyed. Changes are the great promoters of evolutions

both in the sense of creation and destruction.

The Pulp and Paper Sector is aware that many of its

products will be in the process of aging and disappearing.

This motivates people in the industry to continually

seek new platforms for products, services, and

businesses. This is exactly what has been happening

for about a decade, when the entire Pulp and Paper

Sector in Brazil, and the world, is seeking to develop

other products from forest and agricultural biomass,

which are useful and desired by society. Through the

concept of biorefineries integrated to pulp and paper

mills, the Sector has sought to develop products

based on forest biome’s chemical components, such

as lignin derivatives, hemicelluloses, pulp itself, wood

extractives, and forest residues. The bioeconomy

is a new path that pulp and paper companies are

beginning to follow.

The aspects related to the pursuit of sustainability

will undoubtedly present new challenges and

O setor de base

florestal plantada no

Brasil é um setor com

grandes escalas de

produção, mas são

grandes também os

benefícios gerados

38


do setor de celulose e papel estão começando a

trilhar.

Os aspectos relacionados à busca de sustentabilidade

encontrarão certamente novos desafios, em

novas rotas tecnológicas. As pessoas do setor sabem

disso e sabem também que as escolhas podem ser

pelo lado do acerto ou do erro. Por essa razão, o setor

desenvolve suas pessoas no sentido de manter alta

a bandeira da sustentabilidade, algo que parece que

está definitivamente consolidado, mas com o que não

se pode descuidar.

Para encerrar esse texto, nada melhor do que

refletir sobre o recente pronunciamento da engenheira

florestal Luciana Maria Papp, presidente do

conselho diretor do FSC Brasil, em recente evento

virtual Live FSC (Forest Stewardship Council) no dia

09.09.2020: Responsabilidade Socioambiental na

Produção Florestal – Um exemplo a seguir: “Nenhum

setor tem a experiência e a tradicionalidade de tanto

tempo trabalhando em prol da sustentabilidade como

o setor de florestas plantadas no Brasil.”

new technological routes. People in the industry

know this and also know that the choices can be

on the side of hit or miss. For this reason, the Sector

educates its people in order to keep the flag of

sustainability high, something that seems to be being

consolidated but that cannot be neglected.

To conclude this text, nothing better than to

reflect on the recent pronouncement of Forest

Engineer Luciana Maria Papp, President of the Board

of Directors of FSC Brazil, in a recent virtual Forest

Stewardship Council (FSC) live event, on September

9, 2020, Social and Environmental Responsibility in

Forest Production – An example to follow: “No sector

has the experience and traditionality of so much

time working for Sustainability as the Planted Forest

Sector in Brazil.”

39


S U S T E N T A B I L I D A D E

EM BUSCA DE

UMA SOLUÇÃO

Fotos: divulgação

ESTUDANTES DE UNIVERSIDADE NA CALIFÓRNIA QUEREM

CRIAR PLÁSTICO BIODEGRADÁVEL À BASE DE CELULOSE

VOLTADO A PRODUTORES DE MORANGO

40


Todos os anos, um grupo de alunos de graduação

da Universidade da Califórnia em

Santa Cruz, nos EUA (Estados Unidos da

América), forma uma equipe de pesquisa

para participar de uma competição anual

de máquinas geneticamente modificadas,

a iGEM (sigla em inglês para International Genetically

Engineered Machine). Escolhe-se um projeto

de biologia sintética que, espera-se, dê conta de

provocar uma mudança positiva no mundo.

Em 2019, a equipe do iGEM trabalhou na criação

de uma vacina termoestável para a doença de

Newcastle, também conhecida como pseudo peste

aviária, um vírus comum e altamente infeccioso que

se espalha entre galinhas e pode afetar drasticamente

o fornecimento de alimentos em regiões remotas.

Os pesquisadores deram duro nesse projeto

ambicioso, que acabou exigindo mais trabalho de

laboratório do que a equipe poderia concluir em

nove meses.

O grupo deste ano, então, decidiu retomar o

estudo de onde seus antecessores haviam parado. O

time se reuniu em janeiro, liderado pelos estudantes

de engenharia Melody Azimi e Sophia Sneddon,

orientados pelo professor adjunto de engenharia

biomolecular David Bernick. Mas aí chegou a pandemia

do coronavírus.

Como todas as aulas presenciais do campus

foram suspensas em meados de março e a pequena

sala de biossegurança que os estudantes eram

obrigados a usar para analisar o vírus de Newcastle

não permitia o distanciamento social, o time rapidamente

escolheu outro projeto, mais viável de

ser realizado durante a pandemia e que faria tão

bem ao planeta quanto o anterior: a criação de um

plástico biodegradável à base de celulose voltado a

produtores de morango.

Isso porque a Califórnia, onde está localizada a

universidade, é responsável por 88% da produção

de morangos nos EUA, e essa é uma cultura que

demanda uma quantidade alta de plástico.

Ocorre que os plásticos comuns de polietileno

se decompõem em microplásticos, prejudiciais ao

meio ambiente. Um plástico à base de celulose, por

sua vez, decompõe-se em monômeros de glicose,

que os micróbios do solo usam como nutrientes. Assim,

os agricultores poderiam, simplesmente, lavar o

plástico no solo ao fim da estação de cultivo e evitar

In search of

a solution

CALIFORNIA UNIVERSITY STUDENTS

WANT TO CREATE A BIODEGRADABLE

CELLULOSE-BASED PLASTIC SHEET FOR

USE BY STRAWBERRY GROWERS

E

ach year, a group of undergraduate students

from the University of California, Santa Cruz,

form a study team to participate in an International

Genetically Engineered Machine

Foundation (iGEM) annual competition. A

synthetic biology project is chosen expected to lead to

a positive change in the world.

In 2019, the University of California, Santa Cruz iGEM

team created a thermostable vaccine for Newcastle

disease, also known as pseudo avian plague. This

common and highly infectious virus spreads among

chickens and can dramatically affect the food supply

in remote regions. The students worked on this ambitious

project, but ended up requiring more laboratory

work than the team could complete in nine months.

This year’s group then decided to take up the study

where their predecessors had left off. The team met

in January, led by engineering students Melody Azimi

and Sophia Sneddon, with orientation from David

Bernick, Associate Professor of Biomolecular Engineering.

But then came the coronavirus pandemic.

As all classroom classes on campus were suspended in

mid-March, and the small biosecurity room that students

were required to use to analyze the Newcastle

virus did not allow social distancing, the team quickly

chose another project, more feasible to be carried out

during the pandemic and that would achieve equal

good for the planet as the previous project: the creation

of a biodegradable cellulose-based plastic sheet

for use by strawberry growers.

That’s because California, where the University is

located, accounts for 88% of strawberry production in

the United States, and this is a crop that uses a large

amount of plastic.

It happens that common polyethylene plastics decompose

into microplastics, harmful to the environment.

Cellulose-based plastic, in turn, decomposes into glu

41


S U S T E N T A B I L I D A D E

que o produto fosse destinado a aterros.

Enquanto esteve fora do laboratório no início

da pandemia, no primeiro semestre, a equipe se

dedicou a pesquisar o novo projeto e compreender

o que era indispensável para os agricultores em uma

camada de plástico. Os pesquisadores conversaram

com especialistas em fumigação, patologias de morangos

e, claro, em plástico.

Na jornada, conheceram Mark Bolda, consultor

de uma fazenda de morangos e cana na região de

Santa Cruz. Ele está trabalhando em um projeto

envolvendo vários estados que busca mostrar a

produtores alternativas biodegradáveis aos plásticos

tradicionais e disse a equipe que assim que eles

tivessem um protótipo, poderia testá-lo.

DESAFIOS

Assim que os pesquisadores voltaram ao laboratório,

respeitando medidas de distanciamento

social e realizando testes quinzenais, colocaram a

mão na massa. Agora, correm contra o tempo para

completar a tarefa de descristalizar a celulose, a fim

de torná-la flexível o suficiente para adicionar um

agente plastificante a ela.

Várias interrupções tornaram a empreitada mais

difícil ainda. Vários meses após o início da pancose

monomers, which soil microbes use as

nutrients. Thus, farmers could simply “wash” the

plastic as it lay on the soil at the end of the growing

season and prevent the product from being destined

to landfill.

While outside the lab at the beginning of the pandemic

in the first term, the team devoted themselves

to researching the new project and understanding

what was indispensable in a plastic cover for growers.

The students talked to experts in fumigation, strawberry

pathologies, and, of course, plastics.

During the study, they encountered Mark Bolda, a

strawberry and sugarcane farm consultant in the Santa

Cruz Region. He is working on a project involving

various steps that seek to show producers where biodegradable

alternatives to traditional plastics can be

used. He told the students that he would test it once

they had a prototype.

CHALLENGES

As soon as the students returned to the laboratory,

respecting social distancing measures and performing

fortnightly virus tests, they settled down to work.

Now, they worked against the clock to complete the

task of decrystallizing the cellulose to make it flexible

enough to add a plasticizing agent to it.

Durante a

realização da

pesquisa, estudantes

de engenharia

enfrentaram

dificuldades como

a necessidade de

distanciamento

social e até a

infecção de um

membro da equipe

por Covid-19

42


demia, todo o grupo foi colocado em quarentena

depois que um dos integrantes testou positivo para o

novo coronavírus. Felizmente, o pesquisador era assintomático

e os procedimentos rígidos de segurança

impediram o restante da equipe de ser infectado.

Mesmo assim, tiveram que ficar fora do laboratório

por duas semanas. Tão logo retornaram e o campus

precisou ser evacuado por uma semana devido aos

grandes incêndios florestais que atingiram a Califórnia

nos últimos meses.

Durante essas interrupções, a equipe conseguiu,

ao menos, reunir-se para concluir a parte do trabalho

que poderia ser realizada de forma remota. “O

principal aprendizado deste ano foi sobre como lidar

com o lado emocional de gerenciar um projeto.

Não é fácil, mas acho que esse ano me fez crescer

muito”, afirma a pesquisadora Sophia Sneddon.

Normalmente, nesta época do ano, a equipe

estaria se preparando para viajar à etapa presencial

do iGEM. Devido à pandemia, porém, a competição

será totalmente virtual. A equipe está ansiosa para

apresentar seu trabalho. É óbvio que a vontade é de

vencer, mas os pesquisadores dizem que, independentemente

do resultado, a experiência de crescimento

proporcionada pela experiência, durante um

ano tão difícil para todos, foi o principal ganho.

“Definitivamente, presenciamos o lado ruim

de 2020, mas superamos isso e trabalhamos muito

em relação ao nosso produto. Tem sido inspirador

ver a equipe trabalhar de forma tão árdua”, finaliza

Sophia.

Several interruptions made the work even more

difficult. Several months after the pandemic onset, the

entire group was quarantined after one of the members

tested positive for the novel coronavirus. Fortunately,

the student was asymptomatic, and strict safety

procedures prevented the rest of the team from being

infected. Still, they had to stay out of the lab for two

weeks. As well, as soon as they returned, the campus

had to be evacuated for a week due to the massive

wildfires that have hit California in recent months.

During these interruptions, the team was able to

meet at least to complete the part of the work that

could be done remotely. “The main learning experience

this year was about dealing with the emotional side

of managing a project. It’s not easy, but I think this

year has made me grow a lot,” says student Sophia

Sneddon.

Usually, at this time of the year, the team would

be preparing to travel to present the iGEM project

face-to-face. However, due to the pandemic, the

presentation for the competition will be totally virtual.

The team is eager to present its work. Of course, the

will is to win, but the students say that regardless of

the outcome, the growing experience from the study

was the main benefit gained during such a difficult

year for everyone.

“We definitely saw the downside of 2020, but we

overcame that and worked very hard on our product.

It’s been inspiring to see the team working so hard,”

Sophia concludes.

43


E C O N O M I A

CELULOSE

MAIS FORTE

SISTEMA DIGITAL AGILIZOU LICENÇA DE

INSTALAÇÃO DE TERMINAL DE CELULOSE NO

PORTO DE PARANAGUÁ

Fotos: divulgação

44


Aconstrução do terminal para movimentação

de celulose e papel da Klabin

no Porto de Paranaguá, no litoral

paranaense, recebeu recentemente

a Licença de Instalação, emitida pelo

IAT (Instituto Água e Terra), vinculado

à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do

Turismo do Paraná. O documento que permite o

início das obras foi liberado em cerca de 40 dias

em função da modernização do sistema.

O processo transitou pela plataforma SGA, uma

solução informatizada que agiliza a tramitação. Os

processos deixaram de ser físicos e a espera dos

usuários diminuiu cerca de 60%.

O secretário do Desenvolvimento Sustentável

e do Turismo, Márcio Nunes, afirma que a determinação

do Governo do Estado é que os órgãos

ambientais promovam o desenvolvimento sustentável,

com proteção às riquezas naturais do Paraná.

Segundo ele, é possível fazer isso e de forma ágil.

“Por isso, nossos sistemas para emissão de licenciamento

foram modernizados e os técnicos hoje

trabalham para atender essa demanda do Estado”,

afirma.

A previsão da Klabin é iniciar as obras do

novo terminal em janeiro de 2021. Em relação às

operações portuárias, a empresa espera que elas

ocorram a partir do primeiro semestre de 2022. O

diretor de Planejamento Operacional, Logística e

Suprimentos da companhia, Sandro Ávila, afirma

que com as liberações já obtidas e o ambiente positivo

de evolução do processo foi possível planejar

o início das obras.

Ele reforça o alinhamento e o compromisso da

Klabin com o desenvolvimento de Paranaguá e do

estado do Paraná como um todo. “Estamos muito

felizes com o recebimento da licença de instalação;

esse é um passo muito importante e demonstra

que todo o processo apresenta consistência

e a viabilidade necessária para sua realização”,

afirmou Ávila.

O executivo destaca também a agilidade e o

empenho do Instituto Água e Terra na condução

do parecer, especialmente nesse momento tão restritivo.

O diretor afirma que a empresa está empenhada

em alcançar as últimas etapas do processo

ainda em 2020.

Pulp on the rise

DIGITAL SYSTEM EXPEDITES LICENSE FOR

THE INSTALLATION OF A PULP TERMINAL

IN THE PORT OF PARANAGUÁ

T

he construction of the Klabin pulp and

paper handling terminal in the Port of Paranaguá,

on the coast of Paraná, recently

received its Installation License, issued by

the Water and Earth Institute (IAT), linked to the State

of Paraná Secretary of Sustainable Development and

Tourism. The document that allows the start of the

work on the terminal was issued in about 40 days due

to the system’s modernization.

The process used the SGA platform, an automated

solution that expedites processing. Processes are no

longer physical, and the waiting time for users has

decreased by about 60%.

Márcio Nunes, State of Paraná Secretary of

Sustainable Development and Tourism, says that the

State Government has determined that environmental

agencies promote sustainable development to protect

the State’s natural riches. According to him, it is possible

to do this and in an agile way. “That’s why our

licensing systems have been modernized, and today,

technicians work to meet this demand of the State,”

he said.

Klabin is expected to begin construction of the

new terminal in January 2021. The Company expects

port operations to commence in the first half of 2022.

Sandro Ávila, Director of Operational Planning, Logistics,

and Supply for the Company, states that with the

releases already obtained and the positive environment

of process evolution, it was possible to plan the

start of the work on the terminal.

It reinforces Klabin’s alignment and commitment

to the development of Paranaguá and the State of

Paraná as a whole. “We are pleased to receive the Installation

License; this is a significant step and demonstrates

that the whole process presents consistency

and the necessary feasibility for its realization,” stated

Director Ávila.

The executive also highlights IAT’s agility and commitment

to grant the license, especially at this very

restrictive time. The Director states that the Company

45


E C O N O M I A

RESPONSABILIDADE

A gerente de Licenciamento Ambiental do IAT,

Ivonete Chaves, explica que o processo seguiu

todas as exigências estabelecidas na Resolução

número 237/97 do CONAMA (Conselho Nacional

do Meio Ambiente), na Resolução número

107/2020 do Conselho Estadual do Meio Ambiente

e na Resolução Sema número 7/2017, do Estado

do Paraná.

“Todo o processo para a emissão da Licença

de Instalação, assim como o da Licença Prévia

já emitida, foi baseado nos planos da empresa e

analisado pelo IAT”, disse. “A empresa atendeu a

todas as normas técnicas ambientais estabelecidas

a nível estadual, nacional e internacional, dando

segurança ao órgão para a emissão do licenciamento”,

completou.

Na Licença Prévia, a Klabin apontou os impactos

ambientais da obra e as medidas mitigadoras

deles. A próxima fase, após a conclusão das obras,

consiste na emissão da Licença de Operação para

o início das atividades do empreendimento. A empresa

está autorizada a realizar o armazenamento

e atividades auxiliares de transporte de cargas em

geral, especialmente celulose, papel e madeira.

is committed to completing the last stages of the

process in 2020.

RESPONSIBILITY

Ivonete Chaves, Environmental Licensing Manager

for IAT, explains that the process followed all the requirements

established by the National Council of the

Environment (Conama) Resolution Number 237/97,

the State Council of the Environment, Resolution

Number 107/2020, and the State of Paraná Secretary

of the Environment (SEMA) Resolution Number

7/2017.

“The entire process for issuing the Installation

License, as well as that of the Prior License already

issued, was based on Company plans and analyzed by

IAT,” she said. “The Company met all environmental

technical standards established at the State, national

and international level, giving assurance to the agency

in issuing the license,” she added.

For the Prior License, Klabin pointed out the

environmental impacts of the construction and the

mitigating measures. After completing the work, the

next phase consists of the issuance of the Operating

License for the beginning of the terminal activities.

The Company is authorized to carry out the storage

46


INVESTIMENTOS

A Klabin é a maior produtora e exportadora de

papéis para embalagens do Brasil. Ao todo, o investimento

no Porto de Paranaguá está na casa dos R$

130 milhões e vai gerar 180 empregos no pico das

obras de construção do terminal. Para a operação,

a previsão é de que o empreendimento resulte em

cerca de 200 novos postos de trabalho diretos e

indiretos.

O contrato de exploração de área no porto

paranaense é de 25 anos, com possibilidade de

prorrogação. A capacidade de movimentação do

terminal é de 1 milhão de t (toneladas) por ano,

entre celulose e papel. A empresa está autorizada a

exercer as seguintes atividades: instalação de duas

unidades de apoio, oficina de manutenção, abastecimento

de empilhadeiras (Pit Stop) e duas linhas

ferroviárias internas para descarga de vagões.

O investimento proporciona a verticalização

total da operação da companhia. O novo armazém

trará eficiência operacional de longo prazo e

permite posicionar a carga desde a fábrica diretamente

ao terminal marítimo/portuário, com acesso

ferroviário. O Porto de Paranaguá, no ponto de

vista da empresa, é um dos mais importantes do

Brasil e a principal rota de escoamento de produção

da Klabin.

and auxiliary activities of transporting cargo in general,

mostly pulp, paper, and timber.

INVESTMENTS

Klabin is the largest producer and exporter of

packaging paper in Brazil. In all, the investment to

be made in the Port of Paranaguá is expected to be

around R$ 130 million, generating 180 jobs at the

peak of the terminal construction work. For operations,

the project is likely to result in about 200 new

direct and indirect jobs.

The concession for the port area in the State of

Paraná is for 25 years, with the possibility of extension.

The handling capacity of the terminal is 1 million tons

per year, between pulp and paper. The Company is

authorized to carry out the following activities: installation

of two support units, maintenance workshop,

forklift fuel supply (Pit Stop), and two internal railway

lines for unloading wagons.

The investment provides total verticalization of

the Company’s operations. The new warehouse will

bring long-term operational efficiency and position

the cargo from the factory directly to the maritime/

port terminal, using rail access. The Port of Paranaguá,

from the Company’s point of view, is one of the most

important in Brazil and Klabin’s main production flow

route.

Com Agência Estadual de Notícias

47


I N O V A Ç Ã O

DE PERTO

TÉCNICA QUE PERMITE VER PROCESSOS NO INTERIOR DA

CÉLULA VEGETAL PODE FAVORECER OBTENÇÃO DE ETANOL 2G

Fotos: divulgação

Up close

A TECHNIQUE THAT ALLOWS ONE TO SEE

THE PROCESSES INSIDE THE PLANT CELL

THAT CAN FAVOR OBTAINING 2G ETHANOL

48


49


I N O V A Ç Ã O

Um dos principais desafios para a produção

em larga escala do etanol de

segunda geração, chamado de etanol

2G – feito a partir do bagaço da cana

– é encontrar formas mais fáceis de

remover a lignina da matéria-prima.

Essa molécula que compõe a parede celular das

plantas, conferindo resistência mecânica e proteção

contra patógenos, também dificulta a obtenção da

celulose. Criar variedades geneticamente modificadas,

nas quais as enzimas responsáveis pela síntese

de lignina encontram-se “desligadas”, tem sido uma

das possibilidades estudadas. Teme-se, no entanto,

que o resultado sejam plantas mais frágeis e suscetíveis

a fenômenos como o embolismo, que é a

formação de bolhas de ar nas células.

Para entender como a parede celular que sofreu

modificação genética se comporta, um grupo de

cientistas obteve imagens tridimensionais com alta

resolução de fragmentos de Arabidopsis thaliana –

espécie de planta comumente usada como modelo

em estudos de melhoramento – por meio de raios

X (tomografia computadorizada de raios X criopticográficos).

Trata-se de uma técnica de imagem que

pode revelar a estrutura hierárquica tridimensional

de biomateriais em grandes campos de visão. As

imagens em 3D permitem esmiuçar os processos

que ocorrem no interior das células e simular qual

deve ser a espessura da parede celular em relação

à parte interior da célula (lúmen), para que a planta

não colapse.

O trabalho recebeu apoio da FAPESP (Fundação

de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) por

meio de um Auxílio à Pesquisa Jovens Pesquisadores

e de uma bolsa no exterior.

Os cientistas compararam porções nanométricas

dos pecíolos de uma variedade selvagem de Arabidopsis

thaliana e uma variedade modificada gene-

Remover a lignina do

bagaço da cana é um

dos principais desafios

encontrados na produção

do etanol 2G

O

ne of the main challenges for large-

-scale production of second-generation

ethanol (2G ethanol), made

from sugarcane bagasse, is to find

easier ways to remove lignin from

the raw material. This molecule that makes up the

cell wall of plants, conferring mechanical resistance

and protection against pathogens, also makes it

challenging to obtain cellulose. Creating genetically

modified varieties in which the enzymes responsible

for lignin synthesis are “turned off” has been one of

the possibilities studied. However, it is feared that

the result will be very fragile plants, susceptible to

embolism, i.e. the formation of air bubbles in the

cells.

To understand how a cell wall that underwent

genetic modification behaves, a group of scientists

obtained high-resolution three-dimensional images

of Arabidopsis thaliana fragments – a plant species

commonly used as a breeding study model – using

X-rays (cryptographic X-ray computed tomography).

It is an imaging technique that can reveal the three-

-dimensional hierarchical structure of biomaterials

in large fields of view. The 3D images allow the

study of the processes that occur inside the cells and

simulation of the cell wall thickness in relation to the

inner part of the cell (lumen) so that the plant does

not collapse.

The work received support from the State of São

Paulo Research Support Foundation (Fapesp) through

a Young Scientist Research Grant, and a grant for

work abroad.

Scientists compared nanometric portions of

petioles from a wild variety of Arabidopsis thaliana

and a genetically modified variety (the mutant C4H).

The petiole, a segment of the leaf that attaches it to

the stem or branch, is considered a tissue rich in cell

types, which allows the analysis of as many cells as

possible.

“What we did was look at different cell types in

the wild variety – knowing that some have walls richer

in lignin, such as fibers, for example – to be able

to compare them with those in the mutant variety.

We made an estimate of the amount of lignin, based

on the thickness of the cell wall”, explains Biologist

Carla Cristina Polo, a scientist at the National Synchrotron

Light Laboratory (Lnls), which is part of the

National Center for Research in Energy and Materials

50


ticamente (o mutante C4H). O pecíolo, segmento

da folha que a prende ao ramo, é considerado um

tecido rico em tipos celulares, o que permite a análise

da maior quantidade possível de diferentes tipos

de células.

“O que fizemos foi olhar para diferentes tipos celulares

na variedade selvagem – sabendo que alguns

têm paredes mais ricas em lignina, como as fibras,

por exemplo – para poder comparar com a variedade

mutante. Fizemos uma estimativa da quantidade

de lignina baseada na espessura da parede celular”,

explica a bióloga Carla Cristina Polo, pesquisadora

do LNLS (Laboratório Nacional de Luz Síncrotron),

que integra o CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa

em Energia e Materiais), com sede em Campinas

(SP).

O cultivo e a preparação das amostras foram feitos

no Departamento de Biologia Vegetal do Instituto

de Biologia da UNICAMP (Universidade Estadual

de Campinas), em colaboração com os pesquisadores

Paulo Mazzafera e Luciano Pereira. As medições

foram realizadas na Suíça.

“Até a publicação do nosso trabalho, não havia

nada no nível de resolução ao qual chegamos.

As imagens 3D nos permitem estudar processos

metabólicos fundamentais das amostras ou, ainda,

doenças que tenham sido descritas funcionalmente,

mas não estruturalmente”, diz Carla.

CUIDADOS COM A AMOSTRAGEM

Um dos grandes desafios foi garantir a integridade

das amostras vegetais sob a ação dos raios X. Os

(Cnpem), based in Campinas, in the interior of São

Paulo.

The sample cultivation and preparation were

carried out in the Department of Plant Biology at the

Institute of Biology of the State University of Campinas

(Unicamp), in collaboration with scientists Paulo

Mazzafera and Luciano Pereira. Measurements were

performed in Switzerland.

“Until the publication of our work, there was

nothing at the level of resolution at which we

arrived. 3D images allowed us to study fundamental

metabolic processes of samples, or even diseases,

that have been described functionally but not structurally,”

says Biologist Polo.

SAMPLING CARE

One of the significant challenges was to ensure

plant sample integrity under the action of X-rays. The

scientists prepared the samples as if they were going

to carry out electron microscopy: they were subjected

to a dehydration process, followed by infusion

in ethanol and the addition of agents (to blush the

cell wall, for example), and later infused with a resin

compatible with the plants.

“This ensures that there is no water inside the

cell. Living cells have a lot of water, which is a big

problem for the X-ray technique. By removing the

water, we drastically reduce the effect of damage

by exposure, and we can make longer and higher

resolution measurements,” says Biologist Polo.

Thus, the group carried out sample chemical

preparation, and measurements were made at cryo-

51


I N O V A Ç Ã O

cientistas prepararam as amostras como se fossem

fazer uma microscopia eletrônica: elas foram submetidas

a um processo de desidratação, seguido de

infusão em etanol e do acréscimo de agentes (para

corar a parede celular, por exemplo), e posteriormente

embebidas em uma resina compatível com

plantas.

“Isso garante que não haja água dentro da célula.

Células vivas têm muita água, o que é um grande

problema para a técnica de raios X. Ao retirar a

água, reduzimos drasticamente o efeito do dano

pela exposição e conseguimos fazer medidas mais

longas e de mais alta resolução”, afirma a bióloga.

Assim, o grupo fez a preparação química das

amostras, mas as medições foram realizadas em

temperaturas criogênicas (-180 graus celsius). A

equipe trabalhou com uma amostra de cada variedade

e conseguiu medir por 18 horas.

Diferentes modalidades de experimentos visando

a obtenção de imagem de alta resolução por meio

de raios X estarão disponíveis nas linhas de luz Cateretê,

Mogno, Carnaúba e Imbuia, sendo construídas

na fase inicial do Sirius. A Cateretê, especificamente,

está sendo otimizada para realizar imagem por

genic temperatures (-180 degrees Celsius). The team

worked with a sample of each variety and was able

to carry out the measurements for 18 hours.

Different modalities of experiments aimed at

obtaining high-resolution images by X-ray will be

available in the Cateretê, Mahogany, Carnaúba, and

Imbuia beamlines, being built into the initial phase

of the Sirius operation. Cateretê, specifically, is being

optimized to perform coherent X-ray diffraction

imaging (CDI) and X-ray photon correlation spectroscopy

(Xpcs).

SUGARCANE

Biologist Polo states that the methodology developed

for Arabidopsis thaliana could be applied to

other plants, such as sugarcane.

“The greatest difficulty in this experiment was to

work with tissues because there are several experimental

restrictions that make it difficult to work with

very large tissue fragments, whether of animal or vegetable

origin. Our samples had to be a maximum of

50 microns. Thus, we focused on selecting tools and

methods that would allow us to extract very small

tissue fragments. We learned how to do this with

52


difração de raios X coerente (CDI) e espectroscopia

de correlação de fótons por raios X (Xpcs).

CANA-DE-AÇÚCAR

A pesquisadora Carla Cristina Polo afirma que

a metodologia desenvolvida para a Arabidopsis

thaliana pode ser aplicada a outras plantas, como a

cana-de-açúcar.

“A grande dificuldade desse experimento foi

trabalhar com tecidos, pois há uma série de restrições

experimentais que dificultam o trabalho com

fragmentos de tecido muito grandes, sejam eles de

origem animal ou vegetal. Nossas amostras tinham

no máximo 50 microns. Assim, focamos em selecionar

ferramentas e métodos que nos permitissem

extrair fragmentos de tecido muito pequenos.

Aprendemos a fazer isso com a Arabidopsis e agora

se pode aplicar a técnica a outros tipos de planta

como, por exemplo, a cana.”

O grupo já tem, inclusive, um artigo preparado

com foco no bagaço de cana.

“Nesse caso, a metodologia é um pouco diferente,

pois, em vez de olhar para a modificação

genética, estamos tratando da parte química. Nos

experimentos, submetemos o bagaço a tratamentos

químicos ou físicos e analisamos as diferenças entre

eles. Realizamos tanto análises morfológicas quanto

simulações de porosidade e de fluxo, ou seja, de parâmetros

que podem ser importantes para melhorar

o processo de purificação ou obtenção da celulose”,

finaliza.

A metodologia

desenvolvida também pode

ser aplicada a outras plantas,

como a cana-de-açúcar

Arabidopsis, and now we can apply the technique to

other types of plants, such as sugarcane.”

The group already has an article prepared with a

focus on sugarcane bagasse.

“In this case, the methodology is a little different

because instead of looking at genetic modification,

we are dealing with the chemical part. In the

experiments, we subjected the bagasse to chemical

or physical treatments and analyzed the differences

between them. We perform both morphological

and porosity analyses and flow simulations, that is,

parameters that can be important to improve the

process of purification or to obtain cellulose,” the

Biologist concludes.

Com Karina Ninni e With Karina

Ninni, da Agência FAPESP

53


E N T R E V I S T A

Papel e

inovação

Paper and innovation

Foto: divulgação

Sergio Ribas

CEO da Irani Papel e Embalagem

CEO, Irani Papel e Embalagem

Com o objetivo de desenvolver novas soluções

em produtos, serviços e processos,

a Irani, indústria nacional de papel para

embalagens e embalagens de papelão

ondulado, lançou recentemente o Irani

Labs, iniciativa de conexão com startups.

Em entrevista para a Celulose e Papel, o CEO da Irani,

Sergio Ribas, comenta mais sobre o projeto e fala da

importância de companhias tradicionais do segmento

se envolverem com startups e jovens empresas. “É

muito positivo para a indústria de papel e celulose

estar em contato frequente com propostas alinhadas ao

compromisso da sustentabilidade, construindo bases

de novos negócios e criando alternativas para negócios

futuros”, afirma Ribas, que completa dizendo que o

setor é bastante atrativo para novas companhias, visto

que conseguiu se fortalecer mesmo em meio à crise

causada pela pandemia de Covid-19.

T

o develop new solutions in products,

services, and processes, Irani, a domestic

paper producer for packaging and

corrugated cardboard, recently launched

the Irani Labs Program, an initiative connected

to startups. In an interview with Celulose e

Papel, Sergio Ribas, CEO of Irani, provides more

details on the project and talks about the importance

of traditional companies in the Sector getting

involved with startups and young companies.

“It is very positive for the Pulp and Paper Sector to

be in frequent contact with proposals aligned with

the commitment to sustainability, building new

business bases, and creating alternatives for future

businesses,” says Ribas. He adds that the Sector

is desirable to new companies, as it has managed

to develop even amid the crisis caused by the

Covid-19 pandemic.

54


Celulose: Como surgiu a ideia para o Irani

Labs?

Sergio: A cultura da inovação e o relacionamento

com o ecossistema de inovação

aberta estão presentes no DNA da Irani, que

possui uma interação crescente com startups,

universidades, centros de inovação, parques

tecnológicos e incubadoras de empresas. O

Irani Labs surgiu com a intenção de fortalecer

e estimular, ainda mais, estas iniciativas

que agreguem em soluções, incrementando

nossos resultados.

Celulose: Quais são os objetivos do programa?

Sergio: O programa Irani Labs foi criado com

o objetivo de conectar a Irani com startups

para buscar soluções inovadoras e tecnológicas

no mercado, contribuindo para que a

companhia continue sua jornada de inovação,

valor que está presente em nosso dia a dia, já

que buscamos excelência em nossos produtos,

serviços, processos e gestão.

Celulose: As startups vencedoras vão atuar

diretamente com a empresa?

Sergio: Ao final do programa, serão anunciadas

três startups vencedoras, que poderão

se tornar nossas parceiras de negócio com

um processo facilitado de contratação pela

empresa (Fast Track), além de aporte financeiro

para o desenvolvimento da POC (Prova de

Conceito), com a oportunidade de testar as

soluções e tecnologias propostas na infraestrutura

industrial da Irani.

Celulose: Em que medida startups e jovens

empresas podem ajudar a fomentar a indústria

da celulose no Brasil?

Sergio: O relacionamento com startups e

jovens empresas é sempre visto com bons

olhos, pois promove um elemento fundamental

em organizações que buscam estar

entre as melhores do setor. Nesta perspectiva,

é muito positivo para a indústria de papel e

Celulose: How did the idea come about for

the Irani Labs Program?

Sergio: The culture of innovation and the

relationship with the open innovation ecosystem

are present in Irani’s DNA, which includes

a growing interaction with startups, universities,

innovation centers, technology parks, and

business incubators. Irani Labs came about to

strengthen and stimulate these initiatives further

to add solutions and improve our results.

Celulose: What are the objectives of the

Program?

Sergio: The Irani Labs Program was created with

the purpose of connecting Irani with startups

to seek innovative and technological solutions

in the market, which would contribute to the

Company continuing its journey of innovation.

This is a value present in our daily lives as we

seek excellence in our products, services, processes,

and management.

Celulose: Will the winning startups act directly

with the Company?

Sergio: At the end of the Program, three

winning startups solutions will be announced,

which could become our business partners

with a process facilitated for contracting by the

Company (Fast Track). We can also contribute

financially to the development of Proof of

Concept (POC), with the opportunity to test the

proposed solutions and technologies in Irani’s

industrial infrastructure.

Programa Irani Labs

foi criado com o objetivo

de conectar a empresa a

startups para buscar soluções

inovadoras e tecnológicas no

mercado

55


E N T R E V I S T A

celulose estar em contato frequente com propostas

alinhadas ao compromisso da sustentabilidade,

construindo bases de novos negócios

e criando alternativas para negócios futuros.

Celulose: O setor de papel e celulose é um

segmento atrativo para startups no Brasil?

Por quê?

Sergio: Sem dúvidas. Nosso setor faz parte de

uma cadeia essencial que se fortaleceu ainda

mais neste ano considerado atípico, devido às

restrições que a pandemia trouxe. O segmento

de papel e celulose não parou e conseguiu

adequar as atividades ao aumento expressivo

na demanda – o que demonstrou como nós,

como setor, temos empresas com alta capacidade

de adaptação e abertas à inovação.

Somos um setor tradicional, mas com muitas

oportunidades de inovação, bem posicionado

no pilar da sustentabilidade, com amplo campo

de atuação para produtos e serviços que

representam uma verdadeira economia circular,

como o papel reciclado. Dessa maneira,

o segmento se torna muito atrativo para as

startups, que encontram empresas engajadas

e dispostas em inovar em suas iniciativas.

Celulose: A inovação é imprescindível para

qualquer empresa hoje. Que inovações

recentes destacaria no setor de papel e

celulose?

Sergio: Entre as principais inovações recentes,

posso destacar o Contador de Chapas de

Papelão Ondulado Eagle, desenvolvido no

Celulose: To what extent can startups and

young companies help foster the pulp industry

in Brazil?

Sergio: The relationship with startups and

young companies has always been well regarded

as it promotes a fundamental element in

organizations that seek to be among the best

in the Sector. In this perspective, it is very

positive for the Pulp and Paper Sector to be in

frequent contact with proposals aligned with

the commitment of sustainability, building new

business bases, and creating alternatives for

future business.

Celulose: Is the Pulp and Paper Sector in

Brazil an attractive segment for startups? And

why?

Sergio: No doubt about it. Our Sector is part

of an essential chain that has strengthened

even when this year can be considered atypical

due to the pandemic restrictions. The Pulp and

Paper Sector did not slow down. It was able

to adapt its activities to the significant increase

in demand, which demonstrated how we, as

a sector, have companies with extraordinary

adaptability and open to innovation. We are a

traditional sector, but with many opportunities

for innovation, well-positioned in the pillar of

sustainability, with a broad field of activity for

products and services representing a genuinely

circular economy, e.g. recycled paper. As such,

the segment becomes very attractive for startups,

who find companies engaged and willing

to innovate their initiatives.

Setor de celulose faz parte de uma cadeia essencial que

se fortaleceu ainda mais neste ano considerado atípico

56


Brasil pela Irani em parceria com a startup

Smart Vision. Com alta precisão, velocidade e

tecnologia de ponta, o equipamento otimiza

a contagem do material em até sete segundos,

permitindo maior agilidade no processo

de contagem das chapas. Já no monitoramento

das áreas florestais, desenvolvemos

em parceria com a empresa Eagle Track um

software que monitora velocidade, operação

da colheita, máquinas das estradas e informações

de telemetria. A solução trouxe um

sistema de tecnologia que permite a gestão

em tempo real de frotas de caminhões e

máquinas florestais. Além de maior controle

sobre a operação, também tivemos ganho

de produtividade ao analisar aspectos como

ociosidade das máquinas, rotas e revisão de

processos. Outra inovação relevante dentro

do setor está o desenvolvimento de um equipamento

e metodologia capaz de mensurar

a qualidade do vinco em chapas de papelão

ondulado. Criado pela Irani em parceria com

a Universidade do Oeste de Santa Catarina, o

dispositivo, que conta com uma metodologia

inédita, apresenta um novo procedimento

de teste no controle de qualidade, por meio

do fornecimento de um padrão que define a

pressão ideal para a formação do vinco para

diferentes tipos de caixas. A tecnologia é hoje

utilizada em nossa unidade de Campina da

Alegria (SC), focada em soluções de embalagens.

Celulose: Innovation is essential for any company

today. What recent innovations would

you highlight in the Pulp and Paper Sector?

Sergio: Among the main recent innovations, I

can highlight the Eagle Corrugated Cardboard

Sheet Counter, developed in Brazil by Irani in

partnership with the startup Smart Vision. With

high accuracy and speed, and state-of-the-art

technology, the equipment optimizes material

counting by up to seven seconds, allowing for

greater agility in the sheet counting process.

In the monitoring of forest areas, we developed,

in partnership with Eagle Track, a software that

monitors speed, harvest operation, road machines,

and telemetry information. The solution

created a technology system that allows for the

real-time management of truck fleets and forest

machinery. In addition to greater control over

the operation, we also had a productivity gain

by analyzing aspects such as machine idleness,

routes, and process revision. Another relevant

innovation within the Sector is the development

of equipment and a methodology capable of

measuring crease quality in corrugated cardboard

sheets. Created by Irani in partnership with

the Western State of Santa Catarina University,

the device, which has an unprecedented

methodology, presents a new quality control

testing procedure by providing a standard that

defines the ideal pressure for forming the crease

for different types of corrugated cardboard

boxes. The technology is currently used in our

Campina da Alegria (SC) unit that is focused on

packaging solutions.

O relacionamento com startups é sempre visto

com bons olhos, pois ajuda a fomentar a inovação nas

empresas do ramo de papel e celulose

57


C A L E N D Á R I O

MARÇO 2021

XVII EBRAMEM

Data: 8 a 10

Local: Florianópolis (SC)

Informações: www.ebramem2020.com.br

SETEMBRO 2021

WOODMEX AND ASFI

Data: 26 a 29

Local: Birmingham (Inglaterra)

Informações: www.wexhibition.co.uk/

ABRIL 2021

PAPERCON

Data: 25 a 28

Local: Atlanta (EUA)

Informações: www.papercon.org

NOVEMBRO 2021

EXPOCORMA

Data: 3 a 5

Local: Santiago (Chile)

Informações: www.expocorma.cl/

JUNHO 2021

FESQUA

Data: 08 a 11

Local: São Paulo

Informações: www.fesqua.com.br/

AGRITEK UZBEKISTAN

Data: 09 a 11

Local: Tashkent (Uzbequistão)

Informações: http://agroexpouzbekistan.com/en

FEVEREIRO 2022

SAUDI PRINT & PACK

Data: 22 a 24

Local: Jeddah (Arábia Saudita)

Informações: www.recexpo.com/events/

saudi-print-and-pack/

ASSINE AS PRINCIPAIS

REVISTAS DO SETOR

E FIQUE POR DENTRO

DAS NOVIDADES!

INFORMAÇÃO!

A ALMA DO NEGÓCIO!

www.portalreferencia.com.br

FLORESTAL

CELULOSE

PRODUTOS

MADEIRA

BIOMAIS

LIGUE AGORA PARA NOSSA

CENTRAL DE ATENDIMENTO

0800 600 2038

Pagamento nos Cartões de Crédito em até 3X sem juros


Desejamos um feliz natal

e um próspero ano novo

Neste ano atípico, repleto de

superações, agradecemos a

parceria e confiança em nós

depositada. Que 2021 seja um

ano repleto de alegrias e

novas realizações.

(19) 3936.7800

www.looking.com.br

looking@looking.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!