Revista Coamo edição Janeiro/Fevereiro de 2021

blzinfo

Revista Coamo edição Janeiro/Fevereiro de 2021

COAMO DISTRIBUÍ MAIS DE R$ 503 MILHÕES DE SOBRAS PARA OS COOPERADOS

www.coamo.com.br

JANEIRO/FEVEREIRO/2021 ANO 47 EDIÇÃO 510

LCA

Credicoamo lança

nova modalidade de

aplicação financeira

REUNIÃO DE CAMPO

Encontro leva informação

aos cooperados no

formato virtual

PARABÉNS COOPERADOS!

Com seu trabalho, união e participação vocês fizeram a

Coamo registrar o melhor ano da sua história de 50 anos


EXPEDIENTE

Órgão de divulgação da Coamo

Ano 47 | Edição 510 | Janeiro/Fevereiro de 2021

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO COAMO

Ilivaldo Duarte de Campos: iduarte@coamo.com.br,

Wilson Bibiano Lima: wblima@coamo.com.br

Ana Paula Bento Pelissari: anapelissari@coamo.com.br

Antonio Marcio dos Santos: amsantos@coamo.com.br

Milena Luiz Corrêa: mlcorrea@coamo.com.br

Raquel Sumie Eishima: raqueleishima@coamo.com.br

Aline Aristides Bazan: abazan@coamo.com.br

Lucas Otávio Pavão: lpavao@coamo.com.br

Contato: (44) 3599-8129 - comunicacao@coamo.com.br

Colaboração: Entrepostos, Gerências Angulares e Assessorias

Jornalista responsável e Editor: Ilivaldo Duarte de Campos

Reportagens e fotos: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima, Ana Paula

Bento Pelissari e Ilivaldo Duarte de Campos

Edição de fotografia: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima e

Lucas Otávio Pavão

Contato publicitário: Agromídia Desenvolvimento de Negócios Publicitários

Contato: (11) 5092-3305

Contato publicitário: Guerreiro Agromarketing Contato: (44) 3026-4457

É permitida a reprodução de matérias, desde que citada a fonte. Os artigos assinados ou citados

não exprimem, necessariamente, a opinião da Revista Coamo.

As fotos desta edição foram produzidas obedecendo os devidos protocolos de saúde.

Acompanhe a Coamo pelas redes sociais

COAMO AGROINDUSTRIAL COOPERATIVA

SEDE: Rua Fioravante João Ferri, 99 - Jardim Alvorada. CEP 87308-445. Campo Mourão - Paraná - Brasil. Telefone (44) 3599.8000 - Caixa Postal, 460 www.coamo.com.br

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Presidente: Engenheiro Agrônomo, José Aroldo Gallassini. MEMBROS VOGAIS: Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Ricardo Accioly Calderari,

Joaquim Peres Montans, Anselmo Coutinho Machado, Emilio Magne Guerreiro Júnior, Wilson Pereira de Godoy, Rogério de Mello Barth e Adriano Bartchechen.

CONSELHO FISCAL: Jonathan Henrique Welz Negri, Sidnei Hauenstein Fuchs e Igor Eduardo de Mello Schreiner (Membros Efetivos). Vander Carlos Furlanetto, Edilson Alberto

Kohler e Jorge Luiz Tonet (Membros Suplentes).

DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente Executivo: Airton Galinari. Diretor Administrativo e Financeiro: Antonio Sérgio Gabriel. Diretor Comercial: Rogério Trannin de Mello.

Diretor Industrial: Divaldo Corrêa. Diretor de Logística e Operações: Edenilson Carlos de Oliveira. Diretor de Suprimentos e Assistência Técnica: Aquiles de Oliveira Dias.

Extensão Territorial: 4,5 milhões de hectares. Capacidade Global de Armazenagem: 6,59 milhões de toneladas. Receita Global de 2020: R$ 20,003 bilhões.

Tributos e taxas gerados e recolhidos em 2020: R$ 466,95 milhões. Cooperados: 29.438. Municípios presentes: 71. Unidades: 111.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA

3


SUMÁRIO

44

Coamo antecipa R$ /// em sobras

?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

4 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


SUMÁRIO

Entrevista

10

Cássio Tormena, professor e pesquisador da UEM, afirma que um bom sistema de manejo propicia

estabilização da produção agrícola e financeira em uma propriedade rural. Confira a entrevista

Reunião de Campo

14

As tradicionais reuniões de campo realizadas pela diretoria passaram por mudança devido a

pandemia. Diferente dos encontros nas unidades da cooperativa, o evento foi no formato virtual

22

Assembleia Geral Ordinária

Os números do Exercício de 2020 foram aprovados pelos cooperados na 51ª Assembleia

Geral Ordinária (AGO), realizada no dia 11 de fevereiro, em Campo Mourão (PR). Devido

a pandemia ocasionada pelo coronavírus, a Assembleia foi no formato digital com a

participação de centenas de cooperados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul

Sobras

34

Os cooperados Coamo receberam um total de R$ 503,2 milhões em sobras referentes as movimentações

realizadas em 2020. Parte desse valor, pouco mais de R$ 139 milhões foi antecipados em dezembro

Credicoamo

47

A Credicoamo atingiu no início deste mês a marca histórica de R$ 4,005 bilhões de ativos administrados.

A cooperativa lançou também uma nova modalidade de aplicação financeira aos associados

Coamo Kids

50

A cooperativa lançou a revistinha Coamo KIDS. Uma forma divertida de interagir com os filhos de

associados, mostrando em histórias de quadrinhos criativas, o sistema e a filosofia cooperativista

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA

5


O superprecoce mais

completo do mercado

Produtividade

Sanidade

Precocidade

Qualidade de grãos

B2418VYHR

Agrisure Viptera® é marca registrada e utilizada sob licença da Syngenta Group Company. A tecnologia Agrisure® incorporada nessas sementes é comercializada sob licença

da Syngenta Crop Protection AG. YieldGard® e o logotipo YieldGard são marcas registradas utilizadas sob a licença da Monsanto Company. Tecnologia de proteção contra

insetos Herculex® I desenvolvida pela Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred. Herculex® e o logo HX são marcas registradas da Dow AgroSciences LLC. LibertyLink® e o

logotipo da gota de água são marcas da BASF. Roundup Ready TM é marca utilizada sob licença da Monsanto Company.

www.brevant.com.br | 0800 772 2492

®

, Marcas registradas da Dow AgroSciences, DuPont ou Pioneer e de suas

companhias afiliadas ou de seus respectivos proprietários. ©2020 CORTEVA


GOVERNANÇA

Melhor ano da história de 50 anos

Com satisfação e orgulho, apresentamos

aos cooperados dia

11 de fevereiro, os números

da Coamo do exercício 2020, durante

a histórica 51ª Assembleia Geral

Ordinária (AGO), promovida pela

primeira vez, no formato digital.

Os cooperados aprovaram

a prestação de contas, cujas demonstrações

registraram receita global de

R$ 20,003 bilhões, com crescimento

de 43,2% e uma sobra líquida no

montante de R$ 1,109 bilhão, 40,0%

maior do que o exercício 2019. Deste

valor, após a dedução estatutária,

foram destinados aos cooperados

um total de R$ 503,256 milhões,

dos quais R$ 139 milhões foram antecipados

em dezembro. De forma

tranquila e observando todos os

protocolos de saúde, os cooperados

receberam suas sobras a partir de 12

de fevereiro, de acordo com a sua

movimentação, sendo resultado da

sua participação na Coamo.

O resultado de 2020 deixa

todos da família Coamo felizes, e entrou

para a história da cooperativa

como o melhor de todos, desde a

sua fundação em 1970.

A Assembleia Geral no formato

digital foi bem organizada e

recebeu elogios de cooperados

e convidados parceiros, clientes e

fornecedores. O ambiente virtual

e a organização possibilitou a compreensão

fácil dos assuntos da ordem

do dia, dos conteúdos e vídeos

de gestão e demonstrações contábeis,

além da participação virtual

dos cooperados nos processos de

discussão e votação das matérias.

A Assembleia é o maior

evento anual da cooperativa e sucede

ao tradicional evento “Reunião

de Campo”, que teve êxito também

no formato digital e grande participação

do quadro social. A presença

dos cooperados na vida da Coamo

é seguramente um dos motivos determinantes

do seu sucesso, com

aceitação da filosofia de trabalho e

apresentação de forma transparente

e segura dos números e situação da

cooperativa.

A reestruturação implantada

pela Coamo em 2020 apresenta

bons resultados e contribui para o

seu crescimento com foco no trabalho

de agregação de valor às atividades

dos cooperados, e ser a melhor

opção para seu desenvolvimento,

sempre pautada na crença e prática

de valores, como ética, transparência

e honestidade de princípios; qualidade

e inovação sustentável; e responsabilidade,

segurança e solidez.

No melhor ano da nossa

história recebemos, em modernas

estruturas, a maior safra de todos os

tempos, resultado de altas produtividades

em todas as regiões da área

de ação da Coamo. Por sua vez, os

cooperados comercializaram em

2020 praticamente toda a sua produção,

em função dos bons preços

registrados e da mudança no seu

comportamento, haja vista estarem

mais capitalizados, atentos e conectados.

Para 2021, renovamos nossas

esperanças para que seja tão

bom como foi o ano passado com

produtividades altas e bons preços,

e que possamos ultrapassar este

momento grave da Covid-19, com a

chegada das vacinas para todos os

brasileiros.

Agradecemos a todos os

cooperados, funcionários, clientes,

"Para 2021, renovamos

nossas esperanças para

que seja tão bom como

foi o ano passado com

produtividades altas e

bons preços."

parceiros e fornecedores, pela união,

trabalho, apoio e relacionamento,

com a certeza de que continuaremos

fazendo a nossa parte para o desenvolvimento

sustentável da Coamo e

do seu quadro social.

JOSÉ AROLDO GALLASSINI,

Presidente dos Conselhos de Administração Coamo e Credicoamo

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA

7


8 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


GESTÃO

Sucesso com união e sintonia perfeita

A

Coamo existe para facilitar a vida dos cooperados

e oportunizar produtos e serviços, que sozinhos

não teriam disponível ou se tivessem, teriam grandes

dificuldades. Esta sintonia demonstrada no dia a dia

com uma relação de confiança e credibilidade, representa

a união perfeita para a realização dos objetivos sociais

e econômicos, buscando bons resultados para todos. O

nosso compromisso está definido nas nossas Diretrizes

Corporativas, para o cumprimento da missão de gerar

renda aos cooperados.

Os cooperados recebem diversos benefícios no

cotidiano como importante apoio e, assim, conseguem

desenvolver suas atividades, conquistar excelentes produtividades

em face do planejamento e gerenciamento nos

seus negócios, sendo empresários de sucesso.

Uma participação responsável e natural do quadro

social como a que vemos na Coamo é uma razão preponderante

para a excelência da cooperativa nesses seus 50 anos.

Trata-se de uma presença constante no abastecimento dos

insumos, de comprovada eficiência, com retirada na hora em

que ele precisa, e na quantidade e segurança necessárias; na

entrega da sua produção em unidades modernas e estruturadas

nos campos do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do

Sul, que facilitam todo o trabalho de descarga e escoamento

da safra e, também, o interesse nos eventos técnicos, educacionais

e sociais. Então, o resultado só pode ser sucesso.

Na vanguarda do seu segmento, de olho nas

oportunidades e no mercado, e pensando nos cooperados

é que a Coamo antecipou e lançou neste mês, os Planos

de Verão 2021/2022 e o de Inverno 2021, disponibilizando

excelentes condições de preços e a melhor relação de troca

da história. Um bom planejamento é necessário, pode

diminuir riscos, ganhar tempo e dinheiro, e propiciar a garantia

dos insumos no momento oportuno. A resposta dos

cooperados e aceitação dos Planos têm sido expressiva.

Eles entendem a visão da Coamo em oferecer esse benefício

para implantação com sucesso das próximas safras.

A Coamo é a “Casa do Cooperado” e o nosso

trabalho deve ser o de levar infraestrutura, conhecimento,

informação de mercado, tecnologias e o desenvolvimento

com segurança para produzir de forma sustentável.

Com a credibilidade e a participação e todos puxando

para o mesmo lado, e com uma administração profissionalizada,

a Coamo continuará sendo forte e sólida, oferecendo

aos seus cooperados os melhores serviços e produtos.

"A Coamo é a 'Casa do Cooperado'

e o nosso trabalho deve ser o de

levar infraestrutura, conhecimento,

informação de mercado, tecnologias e o

desenvolvimento, com segurança para

produzir de forma sustentável."

Há um ano foi implantada a nova estrutura organizacional,

com um novo modelo de governança, por meio de

um Conselho de Administração e uma diretoria Executiva,

com o objetivo de modernização da administração, além de

favorecer a sucessão e permitir tranquilidade e segurança

para que a Coamo continue com foco nos associados.

Neste contexto, com satisfação, assumi a presidência

da diretoria Executiva na Assembleia Geral Ordinária

de 2020. Agradeço em nome de todos os diretores, a confiança

e o apoio que recebemos neste primeiro ano, dos

cooperados, dos Conselhos de Administração e Fiscal, dos

funcionários que fazem um trabalho com grande profissionalismo

e competência, e principalmente do Dr. Aroldo,

presidente do Conselho de Administração, que nos brinda

diariamente com sua visão de futuro, compromisso com a

cooperativa e com os cooperados, repassando experiência

e conhecimento para a tomada de decisões e o crescimento

sustentável da Coamo.

AIRTON GALINARI

Presidente Executivo da Coamo

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA

9


ENTREVISTA: CASSIO TORMENA

“Maior desafio será entender e utilizar os conhecimentos

do manejo biológico do solo e das lavouras”

A

estrutura do solo comanda

vários processos importantes

para a fertilidade do

solo e para a produção agrícola.

Um bom manejo estabelece um

sistema de produção de melhor

qualidade.” A afirmação é do professor

e pesquisador da Universidade

Estadual de Maringá (UEM),

Cassio Antonio Tormena. Ele tem

experiência em agronomia, com

ênfase em física do solo, atuando

principalmente nas seguintes

áreas: manejo físico do solo, qualidade

física do solo, propriedades

físicas do solo, funções de pedotransferência,

plantio direto e compactação

do solo. Cassio é o entrevistado

do mês na Revista Coamo.


RC: A estrutura do solo é componente essencial

da fertilidade?

Cassio Antonio Tormena: A estrutura

do solo comanda vários processos importantes

para a fertilidade do solo e para a produção agrícola.

Um bom sistema de manejo estabelece um

sistema de produção de mais qualidade, como

solo mais poroso, promovendo maior infiltração,

mais disponibilidade de água e crescimento radicular

mais prolífico. Com isso, as raízes ficam

mais efetivas e exploram várias camadas e, consequentemente,

tem mais acesso à água e nutrientes

no perfil do solo. A estrutura influência

em todo o processo de produção, modulando as

propriedades físicas do solo favorecendo inúmeros

processos, destacando a oxigenação e a habilidade

de a raiz crescer. Temos uma agricultura

intensivamente mecanizada, com máquinas

Cassio Tormena, professor e pesquisador da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

que aumentaram de tamanho e de peso. A pressão

que elas aplicam sobre o solo altera a sua estrutura

por meio da compactação do solo. A compactação

impacta na porosidade e nas condições

para movimentação de água e ar no solo, com

reflexos no crescimento das raízes e das plantas.

Sem um sistema radicular bem desenvolvido

e saudável não é possível aproveitar todos os

nutrientes que aplicamos por meio das práticas

de correção e adubação. Vários são os processos

que levam a degradação do solo, como a compactação

e redução da matéria orgânica, e os

agricultores devem adotar práticas que possam

regenerar a estrutura e proporcionar condições

mais favoráveis para as suas lavouras. Se bem

manejado, o solo é capaz de se recuperar dos estresses

e manter a estrutura funcional. Sob boas

condições estruturais e com um bom programa

de manejo da fertilidade teremos lavouras mais

resilientes aos estresses que acontecem durante

o desenvolvimento delas e, principalmente, nas

fases mais importantes que determinarão a produtividade

final. O manejo da estrutura do solo

é sinônimo de agricultura moderna, que se es-

10 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


tabelece num conceito integral de fertilidade. A

genética trouxe materiais, cada vez mais produtivos,

mas que são altamente exigentes de um

solo com melhor qualidade. Com isso, o manejo

estrutural requer mais conhecimento e habilidade

dos produtores e dos técnicos em conduzir

ações que levam a manutenção e melhoria da

condição estrutural e física do solo.

RC: Qual o impacto e resultado da correta utilização

do manejo do solo?

Tormena: Um bom manejo do solo promove

condições físicas, químicas e biológicas adequadas

para as culturas e faz com que todo o potencial

genético para elevadas produtividades possa

ser, realmente, materializado. A tecnologia

proporcionou cultivares altamente produtivas e

isso foi uma revolução na agricultura. Por outro

lado, os materiais exigem solos de boa qualidade

para que todo esse potencial seja manifestado.

O ciclo das culturas estão, cada vez mais

curtos e as plantas demandam em pouco tempo

que o solo ofereça todas as condições para que

ela possa se desenvolver e executar todas as funções

para que tenhamos boas produtividades.

Um bom sistema de manejo reduz os riscos de

estresses, principalmente, do que chamamos

de estresses abióticos que são aqueles relacionados

ao clima e que afetam mais seriamente

a produtividade das culturas. As secas que acontecem

nas fases críticas das culturas podem ter

seus efeitos atenuados garantindo mais produtividade

às lavouras. Plantas que alcançam

mais produtividade depositam mais resíduos

na superfície do solo e mais raízes e matéria orgânica

no perfil do solo. Com isso, teremos um

solo funcionando melhor porque recebe todo o

aporte necessário para que tenha atividade biológica

compatível e processe a ciclagem de nutrientes

e a proteção da estrutura do solo. É preciso

ressaltar que um bom sistema de manejo

propicia a estabilização da produção agrícola, o

que permite também uma melhor estabilidade

financeira do empreendimento agrícola. Temos

os aspectos agronômicos, econômicos, financeiros

e os ambientais que podem ser impactados

positivamente pela correta utilização de um sistema

de manejo de solo sustentável.

"No Brasil,

especificamente no

Paraná, desenvolvemos

sistemas de produção

eficientes e capazes

de manter condições

do solo produtivo e

estruturado."

RC: Quais os aspectos a serem melhorados no

Manejo do solo?

Tormena: No Brasil, especificamente no Paraná,

desenvolvemos sistemas de produção eficientes

e capazes de manter condições do solo

produtivo e estruturado porque aprendemos

como é que se faz isso, como é que se faz o manejo

do solo. E obviamente que o aprendizado

não para. O manejo de solo exige aprimoramento

constante das práticas utilizadas. Alguns

aspectos importantes já utilizamos e estamos

aprendendo a cada dia. Temos que intensificar

a utilização de sistemas de produção mais diversificados

para que possamos desenvolver

condições de manter o solo coberto seja com

planta viva ou cobertura de resíduos. Sistemas

diversificados propiciam solos mais saudáveis e,

portanto, plantas mais saudáveis. O foco de melhoria

é olhar para a qualidade do solo, que chamamos

de saúde do solo. Só tem saúde quem é

vivo, então o solo é um ser vivo e a pergunta que

devemos fazer sobre os aspectos do manejo solo

a serem melhorados é como que estou tratando

esse ser vivo? O que eu estou oferecendo para

que o solo continue vivo e saudável? O foco é

manter o solo coberto e explorado com raízes

diversificadas. Uma questão básica de nutrição

de qualquer ser vivo é ter diversidade na composição

alimentar. É importante que tenhamos

diversidade de culturas inseridas no sistema de

produção. É um aprimoramento constante e,

logicamente, que deve estar atrelado com o monitoramento

das condições de fertilidade para

que a possamos repor aquilo que é exportado.

Os produtores têm que olhar com mais frequência

para a análise de solo. É preciso ter todos os

aspectos de fertilidade corrigidos e atendidos

e é importante que se tenha uma condição estrutural

mecânica e física adequada. O desafio é

aplicar mais conhecimento por metro quadrado

de solo. Esse conhecimento técnico é fundamental

para que haja sustentabilidade e que os sistemas

de produção consigam manter elevadas

produtividades.

RC: Quais conquistas tecnológicas marcaram

os últimos anos?

Tormena: Umas delas é o sistema de plantio

direto, umas das principais inovações e avanços

que resultou em diversas conquistas tecnológicas

para a agricultura nacional. Nós mudamos

o jeito de fazer agricultura e isso permitiu um

avanço enorme. Estamos vendo áreas de lavouras

aumentando, recordes de produtividade sendo

batidos e sempre com a utilização do sistema

de plantio direto. Isso transformou a agricultura

brasileira. O Brasil se destaca pela adoção do sistema

de plantio direto. Hoje, conseguimos fazer

duas culturas no ano. É possível, em algumas

situações, até três culturas no ano. Isso não seria

possível se não tivéssemos o sistema de plantio

direto. Com o plantio direto vieram máquinas

modernas e eficientes, e uma série de outras técnicas

fundamentais para que pudéssemos fazer

uma agricultura altamente produtiva. Além das

vantagens agronômicas e ambientais, na prática

nós tivemos uma redução de custo e uma otimização

do trabalho no campo. Outro componente

importante foi a genética. O melhoramento

genético trouxe uma revolução na agricultura,

tanto em termos de produtividade quanto de sa-

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 11


ENTREVISTA: CASSIO TORMENA

"O MANEJO DA ESTRUTURA DO SOLO É SINÔNIMO DE AGRICULTURA

MODERNA, QUE SE ESTABELECE NUM CONCEITO INTEGRAL DE FERTILIDADE."

nidade das lavouras. O ganho em produtividade

com os novos materiais e a adaptabilidade para

diferentes regiões do país foram fundamentais

para a agricultura e para a economia do país.

Outro componente importante do ponto de vista

tecnológico, foi quando conseguimos entender,

modernizar e profissionalizar a integração

lavoura-pecuária-floresta. É um sistema que traz

segurança e lucratividade, integrando todo o sistema

de produção. A agricultura é uma indústria

a céu aberto. Então, é preciso ter segurança e a

integração lavoura-pecuária-floresta é uma revolução

nesse sentido. Destaco, também, todas as

tecnologias que estão envolvidas no conceito de

agricultura de precisão. Temos uma revolução

constante e aprimoramento das tecnologias.

Ainda tem muita coisa para se aprender, para ser

materializada. Mas, já é algo que está transformando

o modo de gerir a agricultura. Outro ponto

relevante é a mecanização, que foi fundamental

para a modernização de todos os sistemas de

produção e para que agricultura chegasse no

nível atual. Sem a mecanização intensiva das atividades

de produção seria muito difícil fazermos

a agricultura de hoje. Uma questão fundamental

e que está em avanço, principalmente, no Brasil,

foi o quanto que evoluímos em relação ao uso

de microrganismos para fixação do nitrogênio

na produção de soja. A ciência e a participação

dos atores que trabalham na pesquisa e no seu

desenvolvimento foram fundamentais para que

tivéssemos algo que viabilizasse a cultura da

soja no ambiente tropical como o nosso, principalmente,

do ponto de vista de sua demanda de

nitrogênio.

e de outras atividades produtivas. O uso do

conhecimento para se obter um ambiente de

produção mais bem conduzido proporcionou

importantes melhorias, que se refletiram em

um ganho de produtividade. Estamos transformando

água, nutrientes e luz em biomassa de

grãos e de resíduos, em que parte é devolvido

(resíduos) para o solo. Produzindo mais grãos

teremos mais palha e mais raízes, ou seja,

entra em um processo que eu chamo de ciclo

virtuoso da riqueza, porque na medida em que

eu consigo melhores produtividades, também

consigo manter um solo mais produtivo. Tecnologia

é isso, é ter rentabilidade com capacidade

do seu negócio se manter com boa qualidade

para renovar a cada ciclo a sua esperança de

produzir mais e melhor.

RC: Qual a importância dos resultados do trabalho

da pesquisa?

Tormena: No sistema de produção atual,

onde se posiciona uma série de tecnologias, a

pesquisa é fundamental para desenvolver os

melhores métodos, os melhores protocolos para

"Tecnologia é ter

rentabilidade com

capacidade do seu

negócio se manter com

boa qualidade para

renovar a cada ciclo a sua

esperança de produzir

mais e melhor."

que aquela tecnologia seja mais eficiente. A

agricultura tem um componente regional muito

forte. Muitas tecnologias precisam ser desenvolvidas

e adaptadas para as condições regionais.

Nesse sentido, os resultados do trabalho de

RC: E como ajudaram na condução das lavouras

e manejo de solo?

Tormena: Todas as conquistas tecnológicas

melhoraram a gestão dos sistemas de produção,

permitindo melhor condução das lavouras

Cassio Tormena em treinamento do departamento Técnico da Coamo

12 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


pesquisa posicionarão aquela tecnologia para

um determinado ambiente. Para evoluirmos

para uma agricultura competitiva e produtiva,

é necessário uma pesquisa científica forte que

proporcione a capacidade de inovar e avançar.

Se temos hoje uma agricultura altamente tecnificada

e produtiva, é fruto de muito esforço das

instituições de pesquisa e do trabalho incansável

dos pesquisadores para a geração de tecnologia

e inovação.

RC: Quais são os desafios para os próximos

anos?

Tormena: O principal desafio para os próximos

anos será de ampliar a nossa capacidade de

aplicação do conhecimento e das tecnologias na

agricultura. Teremos que aprimorar os processos

de digitalização na agricultura. Será importante

ter uma agricultura produtiva com custos reduzidos

e com menor impacto ambiental. Temos

que falar sempre do meio ambiente, porque é

uma tendência mundial de sermos cobrados

pelos impactos ambientais. No Brasil, desenvolvemos

uma agricultura altamente sustentável.

Se fala muito em tecnologia, mas nunca

podemos esquecer que produção agrícola é um

processo que envolve basicamente uma interação

solo, planta e ambiente. O desafio para a

classe agronômica e para os produtores é usar

tecnologia com conhecimento agronômico para

potencializar a produção de alimentos e proporcionar

segurança alimentar e financeira para o

produtor, além de segurança de proteção dos

recursos naturais é a base da nossa produção.

Na minha opinião, o nosso maior desafio será

entender e utilizar conhecimentos ligados ao

manejo biológico do solo e das lavouras, do que

revolucionar os processos que utilizamos para a

produção agrícola.

RC: Como observa a relação entre as tecnologias

e o seu uso pelos agricultores?

Tormena: A aplicação de uma determinada tecnologia

exige um aprendizado. Nesse ponto

temos que levar em consideração a necessidade

de a assistência técnica fazer esse papel. Algumas

tecnologias são rapidamente implementadas,

outras demoram um pouco mais de tempo

e esse processo é normal. Mas, uma assistência

técnica informada, treinada e atualizada é de

fundamental importância para que mais tecnologia

chegue e seja efetivamente utilizada na

propriedade rural. Os recursos tecnológicos que

temos hoje facilita o processo de implementação

e efetivação das tecnologias no campo.

RC: Como avalia a parceria com a Coamo?

Tormena: Excelente, a Coamo se tornou

uma referência na difusão de tecnologias para

a concretização de uma agricultura de alto nível

"A Fazenda

Experimental da

Coamo faz com que

a teoria chegue

na prática e isso é

de fundamental

importância para

fazermos mais com o

que temos."

tecnológico e de produtividade. Foram vários os

experimentos na Fazenda Experimental, onde

tive a oportunidade de desenvolver inúmeras

dissertações de mestrado e tese de doutorado,

e a oportunidade de publicar excelentes trabalhos

científicos no Brasil e no exterior com as

informações produzidas nas áreas da Fazenda

Experimental da Coamo. Destaco os projetos

de integração lavoura-pecuária (conduzido com

outros parceiros do Iapar, Embrapa e UFPR),

de rotação de culturas e mais recentemente

um trabalho de avaliação do impacto de longo

prazo de adubação e calagem na qualidade do

solo. Destaco também o apoio que tive para

testar e desenvolver na Fazenda Experimental

da Coamo, o método de avaliação visual da estrutura

do solo, o qual denominamos de VESS.

Desenvolvemos esta metodologia em conjunto

com pesquisadores da ESALQ e Universidade

Estadual de Ponta Grossa, com o objetivo de termos

uma metodologia muito fácil de avaliar a

qualidade do solo diretamente no campo, com

baixo custo. Quando tivemos oportunidade de

desenvolver isso aqui no Brasil, escolhemos a

estação experimental da Coamo pelo respaldo

técnico que oferece aos pesquisadores.

RC: Qual sua mensagem aos cooperados da

Coamo?

Tormena: Os cooperados são afortunados

por ter uma cooperativa com a seriedade, segurança

e qualidade da Coamo, que tem o compromisso

de sempre manter seus cooperados

atualizados, utilizando as melhores tecnologias

disponíveis que são testadas em sua Fazenda

Experimental. Mas é necessário um aprendizado

contínuo e dedicado, pois cada dia novos

conhecimentos são gerados. Agradeço a vocês

cooperados e nunca deixem de pensar que fazer

agricultura, ganhar dinheiro com agricultura é,

cada vez mais, fazer melhor e bem-feito. É utilizar

o máximo possível de conhecimento dentro

dos seus talhões e desenvolver junto com os

seus assistentes a habilidade de transformar

todo o conhecimento, toda a tecnologia disponível

em produção, em conservação do solo de sua

propriedade e dos recursos ambientais que são

um bem comum de todos nós brasileiros. Sempre

tenham em mente que é preciso proteger o

solo: solo bem cuidado é sinônimo de lavoura

mais produtiva e resiliente. É simples assim. A

melhoria do solo permite que todo o potencial

genético das sementes e das tecnologias aplicadas

seja efetivada.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 13


REUNIÃO DE CAMPO 1º SEMESTRE

Alcir José Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo, José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo, e Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

Informação virtual

Tradicionais reuniões de campo da diretoria foram

realizadas pelo canal da Coamo no YouTube

Aponte o leitor

de QR Code

do seu celular

na imagem ao

lado e assista

a Reunião de

Campo

As tradicionais reuniões de

campo realizadas pela diretoria

da Coamo passaram

por uma mudança devido a

pandemia. Diferente dos encontros

nas unidades da cooperativa,

pela segunda vez, o evento

foi realizado no formato virtual.

Em julho, a reunião já tinha ocorrido

virtualmente pelo canal da

Coamo no YouTube.

O presidente do Conselho

de Administração da Coamo,

José Aroldo Gallassini, recorda

que a reunião de campo é realizada

desde a fundação da cooperativa,

há 50 anos, mas que

precisou passar por essa mudança

em função da situação vivenciada

no Brasil. “Sempre percorremos

toda a área de ação da

cooperativa duas vezes no ano.

É um momento importante para

levarmos informação e ter esse

contato com o quadro social. Na

versão virtual apresentamos os

mesmos assuntos e o que muda

é a maneira de o cooperado participar.

Contudo, o objetivo de

levar a informação foi cumprido”,

comenta.

Além de Gallassini, participaram

da reunião os presidentes

Executivos, Airton Galinari, da

Coamo, e Alcir José Goldoni, da

Credicoamo, o gerente de Assistência

Técnica, Marcelo Sumiya,

e o Assessor de Cooperativismo,

José Ricardo Pedron Romani.

14 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Retrospectiva 2020

No Plano Safra 2020/2021, o governo estabeleceu

limite de R$ 3.000.000,00 por CPF. Não faltaram

recursos para custeio e investimento da safra.

Os juros foram 5,0% para o Pronamp, 6,0% aos demais

e 2,0% de Selic. A inflação foi de 4,52% e o PIB

de -4,41%. O dólar variou de R$ 4,005 a R$ 5,971.

“O agronegócio mostrou sua força e continuou

trabalhando para que não faltassem alimentos

durante a pandemia. Foi o agro também, que garantiu

que a balança comercial do Brasil se mantivesse

positiva”, destaca Gallassini.

Além disso, as crises política e econômica vividas

no Brasil em 2020, agravadas pela pandemia,

foram responsáveis pela busca por soluções coletivas.

“Por isso, o cooperativismo tende a ser um dos

grandes impulsionadores da economia”, frisa.

A previsão para 2021 é de inflação de

3,50%, PIB de 3,49%, Selic de 3,50% e dólar a R$ 5,00.

“A situação geral da Coamo é boa, com

Retrospectiva 2020

• Plano Safra 2020/2021

Governo limite R$ 3.000.000,00 por CPF

• Não faltou recursos para custeio e investimento

JUROS

2020/2021

5,0% (Pronamp)

6,0% (Demais)

2,0% (Selic)

INFLAÇÃO

2020 (IPCA)

4,52%

PIB

2020

-4,41%

(estimativa)

Fonte: Pesquisa Focus Banco Central do Brasil

DÓLAR

2020

variação:

R$ 4,005 (mín)

R$ 5,971 (máx)

a cooperativa bem capitalizada e o cooperado

também. Seria ruim se a Coamo estivesse bem

e o cooperado não. De modo geral, os cooperados

estão com boa situação. Podemos medir isso

pela inadimplência da Coamo que é baixa. Foi de

0,06% em 2020”, observa o presidente.

Recebimento da produção

A Coamo recebeu no ano passado um total

de 152.989.667 sacas de produtos agrícolas. Foram

90.952.216 de soja, 4.292.133 de milho verão,

47.349.138 de milho segunda safra, 9.945.855 de

trigo. Outros produtos, como aveia e café, somaram

450.325 sacas. “É uma grande safra. Poucas empresas

recebem esse montante”, assinala Gallassini.

Em relação aos preços no Paraná e Santa Catarina,

o menor valor pago pela soja em 2020 foi de

R$ 75,50 e o maior R$ 149,00. Para o milho, o menor

foi R$ 37,00 e maior R$ 72, 00. No trigo, menor foi R$

48,50 e maior R$ 77,00.

No Mato Grosso do Sul, a soja oscilou de

R$ 71,60 a R$ 145,30, milho de R$ 33,60 a R$ 69,10

e o trigo de R$ 48,50 a R$ 77,00. “Essa evolução

de preço foi, principalmente, em função do dólar.

Recebimento da Produção

Produto Sacas 2020

SOJA 90.952.216

MILHO (verão) 4.292.133

MILHO (2ª safra) 47.349.138

TRIGO 9.945.855

OUTROS (Aveia, Café e outros) 450.325

TOTAL 152.989.667

Janeiro/2021

Foi um ano diferente. Quem não precisou vender,

teve uma rentabilidade muito grande e quem vendeu

também fez uma boa média. Por isso dizemos

que o cooperado está bem capitalizado.”

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 15


REUNIÃO DE CAMPO 1º SEMESTRE

"Contratos são feitos

para serem cumpridos"

A modalidade de contratos

de venda antecipada cresceu nos

últimos anos. É uma das opções

oferecidas pela Coamo para que

os cooperados possam comercializar

as suas safras. José Aroldo Gallassini

comenta que a modalidade

é bem aceita pelo quadro social e

os volumes de comercialização por

meio de contratos antecipados são

altos. Para esta safra que está sendo

colhida, foram comercializados 36

milhões de sacas de soja.

O presidente da Coamo explica

que quando a Coamo lança a

campanha de insumo já é possível

fazer os contratos, já que o associado

terá o seu custo de produção.

“Quando lançamos a campanha,

no ano passado, o custo era de

R$ 35,00 a saca de soja para uma

produtividade média de 150 sacas

por alqueire. O contrato era para

R$ 89,00. Era um grande preço em

relação ao custo de produção. O limite

por cooperado era de 80 sacas

por alqueires, e alguns até insistiam

para que fosse 100 sacas. Ocorre

que o preço subiu de forma acelerada

e tem cooperado perguntando

se é obrigado cumprir com

o contrato e entregar a soja para a

Coamo. Para quem pensa assim, eu

recomendo: não deixe de cumprir

contrato”, assinala Gallassini.

Ele explica que quando o

cooperado faz o contrato, a Coamo

comercializa a soja com outras empresas

precisa entregar o produto

para cumprir o acordo. “Em função

José Aroldo Gallassini explica a importância de os cooperados cumprirem os contratos

da pandemia, da crise econômica, o

dólar disparou. O grande responsável

pelo aumento de preço da soja,

inicialmente, foi o dólar que chegou

perto de R$ 6,00. Ninguém esperava

por isso, não tinha como prever

um aumento tão grande no valor”,

afirma Gallassini.

O presidente ressalta que

o assunto é sério e merece atenção

dos cooperados. “Se a tentativa

de cancelar o contrato ocorrer,

poderá causar grandes problemas

e quem mais vai perder é o cooperado,

porque poderá ser executado

judicialmente. Pela lei e pelo

estatuto, ele [o cooperado] será excluído

do quadro social e perde

crédito. São uma série de prejuízos,

que não valem a pena. O cooperado

não vendeu tudo. Foram 36

milhões de uma previsão de 100

milhões de sacas, que é a previsão

de recebimento da Coamo. Então,

tem soja ainda para vender e fazer

uma boa média”, destaca.

"O cooperado

não vendeu

tudo. Foram 36

milhões de uma

previsão de 100

milhões de sacas,

que é a previsão

de recebimento

da Coamo. Então,

tem soja ainda

para vender e

fazer uma boa

média."

16 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Comercialização, oportunidade de bons negócios

Trigo

Oferta e demanda Brasil

Soja

Em milhões de toneladas

(Estimativa)

Safra 2019/2020 (1) Safra 2020/2021 (2)

Estoque Inicial 0,23 0,76

+ Produção 6,23 6,30

+ Importação 6,80 6,70

Disponibilidades 13,26 13,76

- Consumo 11,80 12,2

- Exportação 0,70 0,60

Estoque Final 0,76 0,96

Fonte: (1) CONAB – JAN/21 e (2) USDA –JAN/21

A pressão de colheita da safra da América do

Sul com grandes estoques de passagem dos EUA foi

ofuscada pela pandemia que causou desvalorização

cambial e, também, pelo apetite chinês por soja para

suprir a necessidade do rebanho de suínos que se

recompôs após a peste suína africana. No segundo

semestre ainda teve como componentes altista a

liquidez dos fundos que investiram em commodities

agrícolas e a seca durante o plantio da soja sulamericana.

Não menos importante foram os auxílios

emergenciais dados por vários países, que fizeram

com que aumentasse o poder de compra dos

consumidores e, consequentemente, a demanda.

Para o primeiro semestre, baixos estoques de

passagem nos EUA, fundos com grandes posições

compradas em commodities agrícolas, percentual

da safra brasileira a ser colhida já comercializada

em níveis recordes (55%), produtores capitalizados

e forte demanda chinesa, devem manter os preços

em níveis historicamente altos. Já no segundo

semestre, com a entrada da safra norte americana, e

recomposição e seus estoques, a situação de preço

deve ser mais baixa.

Pontos que merecem atenção e podem

pressionar os preços para baixo: valorização do

real frente ao dólar, demanda chinesa por carne

importada menor, podem derrubar a demanda da

indústria global de carnes e, consequentemente,

Em milhões de toneladas

Milho

Oferta e demanda Brasil

Safra 2019/2020

(previsão)

Safra 2020/2021

Estoque Inicial 10,19 10,85

+ Produção 102,52 102,31

+ Importação 1,30 1,00

Disponibilidades 114,01 114,16

- Consumo 68,66 71,83

- Exportação 34,5 35,00

Estoque Final 10,85 7,33

Fonte: CONAB - JAN/21

Soja

Oferta e demanda Brasil

Em milhões de toneladas Safra 2019/2020 Safra 2020/2021

Estoque Inicial 4,30* 1,00

+ Produção 128,00 132,60

+ Importação 1,00 0,80

Disponibilidades 133,30 134,40

- Uso Doméstico 49,30 50,20

- Exportação 83,00 83,00

Estoque Final 1,00 1,20

Fonte: ABIOVE – jan/21 *Estimativa Coamo

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 17


REUNIÃO DE CAMPO 1º SEMESTRE

reduzir a demanda de soja para ração, e o fim do

auxílio emergencial pode derrubar o poder de

compra dos consumidores e a demanda.

pode impor dificuldades financeiras aos produtores.

Valorização do real pode baixar os preços do milho.

Já para o segundo semestre, em se tendo

uma segunda safra com produtividades normais, os

preços devem baixar para a paridade de exportação.

Forte liquidez de dólares pode valorizar o real, mas

o contrabalanço virá do aumento em dólares do

milho, como tem ocorrido neste início de ano.

Milho

O primeiro semestre foi marcado pela alta

em função da quebra da safra de verão (Rio Grande

do Sul com quebra de 41% frente a 2019), forte

desvalorização cambial e mercado nacional de carnes

com forte demanda. Apesar de uma boa segunda

safra de milho, além dos fatores altistas do primeiro

semestre, houve aumento nos preços em dólar, seja

pela demanda chinesa de seu setor de carnes que

se recuperou da peste suína africana (PSA) ou pela

injeção de estímulo fiscal americano com a impressão

de dólar. Tanto mercado interno quanto exportação

foram fortes demandantes pelo milho brasileiro, o

que fez o milho atingir preços recordes.

O aperto na oferta no Brasil continuará dando

suporte aos preços no primeiro semestre até a entrada

da safra de inverno, o que fará o preço do milho ficar

mais próximo da paridade de importação do que de

exportação e tendo agora como suporte adicional a

seca no RS e SC afetando a safra verão. A possibilidade

de importação de milho (por hora dos EUA, porque

Argentina está restringindo oferta para controlar

inflação).

Pontos de atenção: setor de carnes já sente

desaceleração da demanda da China e há risco de

desaquecimento da demanda interna por carnes

em função do fim do auxílio emergencial, o que

Trigo

A quebra na safra 2019 de trigo fez com que

aumentasse a necessidade de importação no primeiro

semestre de 2020. Porém, com baixa disponibilidade

da Argentina e desvalorização cambial, o Brasil zerou

a TEC para importação de trigo fora do Mercosul. A

colheita da safra no segundo semestre não baixou

os preços como se era esperado em função dos

aumentos no trigo internacional e continuação da

desvalorização do real. O aumento nos preços só não

foi maior porque moinhos não conseguiram repassar

os valores ao consumidor final e, portanto, seguem

reticentes em compras alongadas.

O preço do trigo deve permanecer firme até

a entrada da nova safra, acompanhando a paridade

de importação. A colheita da nova safra tende a

pressionar os preços ainda mais abaixo da paridade

de importação. Com a safra Argentina menor, o

Brasil deverá substitui-la por outras fontes, já que

o governo zerou a TEC para 450 mil toneladas até

novembro de 2021 e pode renová-la.

18 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


A casa do cooperado

Airton Galinari está há

um ano à frente da diretoria Executiva

da Coamo. Ele assumiu o

cargo de diretor executivo após

mudança no modelo de governança

da cooperativa, aprovado

na Assembleia Geral em 2020.

Ele agradece em nome

dos diretores e funcionários o

apoio neste primeiro ano da gestão

e reconhece a contribuição

diária de José Aroldo Gallassini

com sua experiência e carisma

junto ao quadro social. “Agradeço,

principalmente, ao quadro

social, nossos cooperados, pela

sua participação na Coamo, que

é a sua cooperativa.”

Galinari diz que o compromisso

da diretoria Executiva

é com a missão da Coamo e as

diretrizes do Conselho de Administração.

“Todas as ações são

exclusivamente preparadas para

entregar o melhor resultado ao

cooperado. Uma cooperativa

forte reverterá, cada vez mais, os

resultados para seus associados.”

O presidente Executivo

lembra que a Coamo oferece

algo inédito no mundo para

seus cooperados que são: assistência

técnica de ponta, produtos

e serviços de qualidade e

no momento certo, instalações

operacionais modernas, acesso

a mercados que sozinhos seria

impossível, comercialização dinâmica

e versátil, logística eficiente,

crédito e, principalmente,

segurança. “O cooperado

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

negocia dentro da sua cooperativa

há 50 anos, portanto sabe

que pode confiar. A Coamo é a

extensão da sua casa, onde ele

é acolhido por pessoas que o

respeitam e o tratam como ele

merece. Além disso distribui as

sobras. Isso numa empresa mercantilista

normalmente iria para

sua matriz, que muitas a sede

nem é no Brasil. Aqui não, esse

resultado volta para o cooperado

e para a sua região, levando

progresso e desenvolvimento.”

Credicoamo, braço financeiro dos cooperados

A mudança no modelo

de governança, também, ocorreu

na Credicoamo. Alcir José

Goldoni assumiu a presidência

Executiva da cooperativa de

crédito dos cooperados da Coamo.

“Quero agradecer a equipe

de funcionários e diretores que

tem ajudado na missão de transformar

a cooperativa de crédito

dos associados da Coamo, a

Credicoamo, na melhor opção

financeira para os cooperados”,

salienta. “Agradecer, também, o

presidente do Conselho de Administração,

José Aroldo Gallassini,

que tem nos ajudado com

sua experiência e conhecimento

no dia a dia”, acrescenta.

Goldoni destaca que o

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 19


REUNIÃO DE CAMPO 1º SEMESTRE

trabalho da Credicoamo é com

foco no cooperado, atendendo as

necessidades para que ele possa

desenvolver da melhor maneira

possível as atividades agrícolas.

“O quadro social acredita nesse

modelo de gestão e participa ativamente

na sua cooperativa. Tivemos

um ano com expressivo crescimento,

mesmo com algumas restrições

devido a pandemia. Os cooperados

entenderam que tudo o que

foi feito foi para o bem deles.”

Alcir José Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo

O cooperativismo, segundo

Goldoni, é um dos melhores

sistemas de distribuição de

renda, desenvolvimento e crescimento

de uma região. “Sentimos

que nessa pandemia o setor

cooperativista, e no nosso caso o

agropecuário e de crédito, trouxe

importantes benefícios aos cooperados.

Se a história mostra que

as cooperativas surgiram em cima

de uma necessidade, podemos

concluir que a cooperativa é a filha

da necessidade e a mãe das soluções.

Nós, tanto Coamo quanto

Credicoamo, temos o foco voltado

para suprir as necessidades do

cooperado”, observa Goldoni.

Ele acrescenta que gerando

renda para os associados,

a região que ele está inserido se

desenvolve e melhora o bem-estar

da família e ao redor. “É um

trabalho em conjunto e a somatória

dos serviços e benefícios da

Credicoamo e da Coamo proporcionam

resultados e crescimento

aos cooperados. Assim, a soma

das atividades, das ações diárias

fez com que chegássemos ao final

do ano com um diferencial

muito grande.”

Momento técnico: custo de produção e reestruturação veterinária

O gerente de Assistência

Técnica da Coamo, Marcelo

Sumiya, repassou na reunião o

custo de produção das principais

culturas cultivadas pelos cooperados.

O objetivo é que os agricultores

possam ter referência e

tomar a melhor decisão.

Sumiya apresentou, também,

uma nova reestruturação

na área veterinária para ampliar

o atendimento aos cooperados.

Para isso será contratado mais

nove médicos veterinários e 15

técnicos agrícolas, para atuarem

como assistentes técnicos aos

veterinários. A reestruturação

está em andamento nas unidades

de Altamira do Paraná, Campo

Mourão, Manoel Ribas, Palmital

e Roncador. No final de 2021,

a expectativa é que a área terá

49 profissionais, sendo 34 médicos

veterinários e 15 técnicos

agrícolas.

A área técnica da Coamo

conta atualmente com 272 engenheiros

agrônomos em campo e

dois técnicos agrícolas, atuando

na parte agronômica. A coope-

20 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


ativa tem um total de 307 profissionais

focados na assistência técnica

e veterinária nas unidades.

Somando toda a gerência, Fazenda

Experimental e reflorestamento

são 321 profissionais atentos a

parte agrícola e pecuária.

Marcelo Sumiya, gerente de Assistência Técnica da Coamo

A cigarrinha do milho

foi outro assunto apresentado

pelo gerente de Assistência

Técnica. O assunto, já abordado

em reuniões e dias de

campo, preocupa porque é um

vetor e que transmite doenças

e isso tem uma dificuldade ainda

maior de controle. “Estamos

presenciando um aumento desse

inseto na área de ação da

Coamo. Nosso trabalho é para

encontrar a melhor maneira de

manejo para essa praga, seja na

cultura de verão ou de segunda

safra. Essa preocupação já

vem de longo tempo. No final

de 2018 identificamos a praga

em algumas lavouras de verão,

e em 2019, abordamos pela

primeira vez o assunto em um

encontro de cooperados na Fazenda

Experimental.”

Cooperativismo em pauta com programas de desenvolvimento

O assessor de Cooperativismo,

José Ricardo Pedron Romani,

falou sobre os benefícios da

Coamo aos associados. Ele destacou

a importância da participação

na cooperativa e apresentou as

ações desenvolvidas com os programas

Coamo + Cooperativismo.

“Entre as ações está a Reunião

de Campo, que tem o objetivo

de ser o elo de comunicação

entre a Coamo e o cooperado.

Outra ação são os Comitês Educativos.

Já temos 50 instalados ou

em processo de instalação, e o

nosso objetivo é todos os entrepostos

terem o seu comitê.”

O Jovem Líder Coope-

rativista formou a 24ª turma em

2020. Devido a pandemia, o

programa foi realizado na modalidade

EAD. “Já estamos organizando

a 25ª turma para 2021

José Ricardo Pedron Romani, assessor de Cooperativismo da Coamo

que deve ser no formato híbrido,

parte virtual e presencial.” Outros

programas são: Coamo + Gestão,

Coamo + Mulher, Coamo + Tecnologia

e o Coamo + Social.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 21


ASSEMBLEIA

Coamo registra receita

global de R$ 20 bilhões

Valor representa um crescimento de 43,2% em relação ao ano anterior. Foi o melhor

resultado dos 50 anos da cooperativa, celebrado em novembro do ano passado

A

Coamo Agroindustrial

Cooperativa registrou

em 2020 receita global

de R$ 20,003 bilhões. O valor

representa um crescimento de

43,2% em relação ao ano anterior.

Esse foi o melhor resultado

dos 50 anos da cooperativa, celebrado

em novembro do ano

14,80

13,97

20,003

22 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


1,109

bilhão

800,38

milhões

792,43

milhões

Assembleia foi no dia 11 de fevereiro, no formato digital

Gallassini: "Agradecemos a todos que contribuíram para o desempenho alcançado"

passado. A sobra líquida atingiu o montante de

R$ 1,109 bilhão, um incremento de 40,0% em relação

ao Exercício de 2019. Os cooperados receberam

R$ 503 milhões de sobras, conforme a sua

movimentação em 2020 na cooperativa.

Os números do Exercício de 2020 foram

aprovados pelos cooperados na 51ª Assembleia Geral

Ordinária (AGO), realizada no dia 11 de fevereiro.

Devido a pandemia ocasionada pelo coronavírus, a

Assembleia foi no formato digital com a participação

de centenas de cooperados do Paraná, Santa

Catarina e Mato Grosso do Sul.

O foco da Coamo é agregar valor às atividades

dos associados, com o compromisso de ser a

melhor opção de seu desenvolvimento, a realização

profissional dos funcionários, os melhores produtos

aos clientes e negócios aos parceiros. “Assim, é com

satisfação que podemos afirmar ser este o melhor

ano da história da Coamo, seja no recebimento e industrialização

dos produtos, ou nos aspectos econômicos

e financeiros”, diz José Aroldo Gallassini, presidente

do Conselho de Administração da Coamo.

De acordo com ele, em 2020, a Coamo recebeu

a maior safra de todos os tempos. “Os preços

elevados motivaram os associados a comercializarem

praticamente todo o volume entregue. Registramos,

também, uma grande demanda pelos bens de fornecimento”,

diz. Ele acrescenta que a grande safra foi

reflexo de altas produtividades em todas as regiões

da área de ação. “Tivemos um comportamento diferente

dos associados, Mais atentos e conectados ao

mercado, eles analisaram seus custos de produção e

aproveitaram o bom momento da comercialização e,

consequentemente, 80% da soja colhida em 2020 foi

comercializada até o mês de abril.”

A Coamo recebeu em suas 111 unidades,

localizadas estrategicamente no Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul, o montante recorde de

9,276 milhões de toneladas, o que representa 3,6%

da produção brasileira de grãos. “O ano foi desafiador

e a Coamo demonstrou toda a sua capacidade

de logística e utilização da sua estrutura de armazenagem,

com capacidade estática de 6,822 milhões

de toneladas”, diz Gallassini.

ÍNDICES – O EBITDA (Sobra antes de juros,

impostos, depreciação e amortização), alcançou o

montante de R$ 1,876 bilhão. O Patrimônio Líquido

atingiu o montante de R$ 6,226 bilhões, representando

um crescimento de 12,0% em relação ao ano

anterior. Os principais índices foram: liquidez corrente

2,07; liquidez geral 1,48; margem de garantia

203,26% e o grau de endividamento 49,20%. A Coa-

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 23


ASSEMBLEIA

mo gerou e recolheu o montante

de R$ 466,958 milhões em impostos,

taxas e contribuições sociais.

“Agradecemos a todos

que contribuíram para o

desempenho alcançado, em

especial aos associados pela

confiança e apoio, ao comprometimento

e profissionalismo

dos funcionários, e aos clientes,

fornecedores, instituições

financeiras e demais entidades

pela colaboração e parceria”,

diz Gallassini.

Para ver o filme com os

resultados da Coamo,

aponte o leitor de QR

Code do seu celular na

imagem ao lado.

Ricardo Accioly Calderari, secretário do Conselho de Administração da Coamo, José

Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo, e Claudio

Francisco Bianchi Rizzatto, vice-presidente do Conselho de Administração da Coamo

CONSELHO FISCAL: Jonathan Henrique Welz Negri, Sidnei Hauenstein Fuchs

e Igor Eduardo de Mello Schreiner (Efetivos). Vander Carlos Furlanetto, Edilson

Alberto Kohler e Jorge Luiz Tonet (Suplentes)

Mercado com

preços históricos

No início do ano de 2020

a cotação da soja esteve em queda

na Bolsa de Chicago, motivada

pelos elevados estoques

americanos. Porém, a recomposição

acelerada do plantel de suínos

da China que fora dizimado

pela “peste suína”, e como não

havia excedente exportável no

Brasil, a Bolsa reagiu e, combinado

com a valorização cambial

do dólar, o preço da soja atingiu

níveis inimagináveis no Brasil.

O milho e o trigo percorreram

a mesma trajetória da soja,

com a China importando milho.

Aliada a grande demanda por alimentos

no mercado interno, tendo

em vista o auxílio emergencial

liberado pelo governo federal e a

mudança de hábito do brasileiro

motivado pelo Covid-19, os preços

desses produtos estiveram

em níveis excelentes.

24 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Vista aérea do complexo

industrial em Dourados (MS)

Produção verticalizada

As indústrias de Processamento

de Soja da Coamo em

Campo Mourão, Dourados e Paranaguá

processaram 2,489 milhões

de toneladas de soja, representando

um aumento de 55,3%,

em relação ao ano anterior.

As Refinarias de Óleo de

Soja envasaram este ano 14,154

milhões de caixas de óleo PET,

representando um aumento de

82,5% em relação ao ano anterior.

Essas indústrias produziram ainda

89,398 mil toneladas de óleo refinado,

destinados a produção de

gorduras a granel e envasada, óleo

refinado a granel e margarinas,

representando um aumento de

13,0% em relação ao ano anterior.

A hidrogenação e indústria

de margarinas, produziram 39,566

mil toneladas de gorduras e 27,467

mil toneladas de margarinas.

A Torrefação e Moagem

de Café, produziu 3,229 mil toneladas

de café torrado e moído.

Os Moinhos de Trigo de Campo

Mourão e Mamborê produziram

212,833 mil toneladas de farinhas

e farelo de trigo e foram

produzidas 3,169 mil toneladas

de fios na fiação de algodão.

Linha de produtos alimentícios da

Coamo é composta por margarinas,

creme vegetal, óleo de soja, cafés,

farinhas de trigo e gordura vegetal

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 25


ASSEMBLEIA

Alimentos Coamo com crescimento expressivo

Os Alimentos Coamo

tiveram seu melhor

ano. O aumento da renda

provocado pelo auxílio

emergencial trouxe uma

grande demanda por alimentos,

permitindo que a

comercialização de nossos

produtos destinados ao

consumidor final, fossem

realizadas de forma altamente

satisfatória.

Óleo de Soja refinado é um dos produtos industrializados pela Coamo com grande aceitação pelos consumidores

Dos cooperados para o mundo

As exportações da Coamo foram para os

continentes europeu, americano e asiático num

total de 19 países. Os embarques foram realizados

pelo Porto de Paranaguá (PR), em um Terminal

Portuário próprio e pelo Porto de São Francisco

do Sul (SC). Em 2020 o volume exportado

pela Coamo foi de 4,604 milhões de toneladas

de produtos, com um faturamento de US$ 1,524

bilhão e um crescimento de 2,0% em relação ao

ano anterior.

2,08

1,49

1,52

Em 2020 o volume

exportado pela Coamo

foi de 4,604 milhões de

toneladas de produtos

26 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Recebimento e

Logística

A Coamo recebeu em suas 111 unidades,

localizadas estrategicamente Paraná,

Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, o montante

recorde de 9,276 milhões de toneladas,

o que representa 3,6% da produção brasileira

de grãos. O ano foi desafiador e a Coamo demonstrou

toda a sua capacidade de logística

e utilização da sua estrutura de armazenagem,

com capacidade estática de 6,822 milhões de

toneladas.

Na área de logística, foram implantadas

diversas soluções e projetos visando o aprimoramento

dos processos de armazenagem e

movimentação de mercadorias. Já foram implantadas

a verticalização dos armazéns de

insumos em 20 Unidades; instalação de duas

torres de armazenagem de peças, proporcionando

ganho de espaço e produtividade.

Em relação ao aprimoramento de processos,

foi implantada a ferramenta de Tecnologia

da Informação (TI) para gerenciamento

de estoques e de armazéns. Para que toda essa

logística funcione adequadamente foi criada a

“Academia de Logística Coamo” com o objetivo

de desenvolvimento profissional dos colaboradores.

Coamo conta com 111 unidades de recebimento no PR, SC e MS

Unidades modernas com estruturas eficientes para receber a produção

9,27

7,20

7,48

Logística garante facilidade aos cooperados

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 27


ASSEMBLEIA

Investimentos constantes

Em 2020 os investimentos

totalizaram R$ 414,804

milhões, com destaque para:

Terminal Portuário II em Paranaguá,

unidade de recebimento

de produtos no Distrito de Macaúba

em Dourados (MS), laboratório

de sementes em Campo

Mourão, Data Center Nível 3,

verticalização dos armazéns de

insumos, ampliação da capacidade

de armazenagem das

unidades; melhorias no fluxo

de recebimento de produtos

agrícola e industrial, tombadores,

escritórios administrativos e

operacionais, áreas para reflorestamento,

entre outros.

671,47

565,17

414,80

Obras em andamento no Terminal Portuário da Coamo em Paranaguá (PR)

Assistência técnica e bens de fornecimento

Foi ampliado o quadro de

profissionais das áreas de engenharia

agronômica e medicina veterinária.

Atualmente, são 307 profissionais,

treinados constantemente, para proporcionar

aos associados excelentes

resultados nas suas propriedades,

verticalizando a produção das lavouras

e, consequentemente, evoluindo

no campo.

Fazenda Experimental da Coamo é um

laboratório a céu aberto para a pesquisa

28 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Cooperados sabem que na Coamo terão os insumos na hora que precisar, seja para plantar ou fazer os tratos culturais

nas lavouras. Marcia Ferri, de Campo Mourão (PR), sente-se segura em contar com esse benefício da Coamo

Os associados têm

sempre as melhores condições

para implementar suas culturas

com insumos de alta tecnologia,

com qualidade comprovada

na Fazenda Experimental

da cooperativa e, a cada ano, é

registrado aumento de produtividade.

A receita dessa unidade

de negócio que engloba

insumos agrícolas, produtos

veterinários, máquinas e peças

agrícolas, atingiu o montante

de R$ 5,145 bilhões.

Cuidados com o meio ambiente

O desenvolvimento

dos cultivos agrícolas é realizado

pelos associados mediante

orientações e utilização

das tecnologias adequadas e

recomendadas para cada finalidade,

utilizando produtos e

serviços, observando o impacto

no meio ambiente e segurança

ocupacional. Os produtos recomendados

pela assistência

técnica agronômica são previamente

testados na Fazenda

Experimental e devidamente

aprovados pelos órgãos oficiais.

O Programa Coamo de

recolhimento e destinação de

embalagens vazias de defensivos

agrícolas, recolheu em

2020, em seus 48 postos de

recebimento próprios e mais

associação em diversos postos

de coletas, um total de 3,261

milhões de embalagens.

A Coamo possui 5,445 mil

hectares de reflorestamento para

atender suas necessidades, na geração

de energia térmica para as

indústrias e unidades.

No mercado externo, a

Coamo figura entre as principais

empresas exportadoras do país, e

Coamo possui 5,445 mil hectares de reflorestamento

para atender suas necessidades, na geração de

energia térmica para as indústrias e unidades

para atender as exigências desse

mercado, possui certificações

que atestam a qualidade dos

produtos exportados, bem como

sua rastreabilidade que consolida

todas as etapas do processo

produtivo, do fornecimento de

insumos até o recebimento dos

produtos.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA

29


ASSEMBLEIA

Associados , razão de ser da cooperativa

Um dos motivos do sucesso

da Coamo e do seu cooperativismo

de resultados está no relacionamento

e desenvolvimento

com seus associados. Para melhor

entrosamento entre o quadro

social, o Conselho de Administração

e a Diretoria Executiva, foram

instituídos 50 Comitês Educativos

nos Entrepostos reunindo mais

de 1.000 associados.

O Programa de Jovens Líderes

formou sua 24ª Turma com

38 associados com ênfase em administração

e gerenciamento.

Foram promovidos eventos

de treinamentos e palestras on-

-line para os associados, aplicáveis

na condução de suas propriedades,

além dos programas de cooperativismo

e administração rural para esposas

e filhas de associados.

A Coamo encerrou o ano

com 29.438 associados, que utilizaram

a estrutura da cooperativa

para atendimento das suas

necessidades, desde o plantio à

comercialização das safras, além

de outros benefícios. Durante o

ano a cooperativa devolveu R$

10,208 milhões de Capital Social

para os associados que completaram

mais de 65 anos de idade.

Carlos Ribeiro de Macedo, de Campo Mourão e Augusto Bonamin, de Araruna, estão entre os cooperados que completaram

mais de 65 anos de idade e receberam Capital Social da Coamo em 2020. No total, foram devolvidos R$ 10,208 milhões

Funcionários participativos

A Coamo encerrou o ano

com 8.095 funcionários efetivos,

com um aumento de 157 funcionários

em relação ao ano anterior,

dos quais 785 foram promovidos

internamente e utilizou uma média

mensal de 1.410 temporários

e terceirizados. Foram realizados

698 treinamentos de capacitação,

que devido a pandemia do

covid-19, em sua grande maioria

foram por EAD – Ensino a Distância,

com 31.816 participantes,

sendo que parte desses eventos

tiveram apoio do Serviço Nacio-

nal de Aprendizagem do Cooperativismo

– Sescoop/PR.

O Programa Tempo de

Casa homenageou um total de

409 funcionários que completaram

10, 20, 30 e 40 anos na Coamo,

sendo uma forma de valorizar

os funcionários.

Programa Tempo de Casa homenageou 409 funcionários que completaram 10, 20, 30 e 40 anos na Coamo

30 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Presença nas comunidades

A Coamo participou do

Dia “C” de Cooperar, com eventos

virtuais e ações sociais. Por

meio de iniciativas voluntárias

dos funcionários, com o objetivo

de arrecadações e doações de

alimentos, materiais de higiene

e limpeza, entre outros, mais de

100 mil pessoas foram beneficiadas

nas comunidades onde a

cooperativa atua, fazendo parte

das atividades do Programa de

Qualidade “5S”.

Utilizando-se da Lei de

Incentivos Fiscais, a Coamo destinou

recursos no montante de

R$ 762 mil para o Fundo dos

Direitos da Criança e do Adolescente

e para o Fundo do Idoso e

outros de caráter cultural, artístico

e esportivo.

Com o programa municipal

de apoio aos projetos esportivos

de Campo Mourão, com

destinação de parte do IPTU, a

Coamo investiu em contrapartida

nos projetos Tênis de Mesa,

Xadrez e Futsal.

Em um ato de solidariedade

com as vítimas da pandemia

do Covid-19, foram feitas

doações de recursos financeiros

e equipamentos à diversas entidades

sociais e públicas da área

de ação da cooperativa.

Em um ano atípico, sem

a presença de público para evitar

aglomeração, a Coamo promoveu

de forma virtual o Natal de

Luzes 2020, tradicional evento

de final de ano que encanta milhares

de pessoas.

Por meio de iniciativas voluntárias dos funcionários, com o objetivo de arrecadações e doações de alimentos,

materiais de higiene e limpeza, entre outros, mais de 100 mil pessoas foram beneficiadas nas comunidades

onde a cooperativa atua, fazendo parte das atividades do Programa de Qualidade “5S”

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 31


PACOTE TECNOLÓGICO PARA

ALTAS PRODUTIVIDADES

Potencialize a sua produção já nas

primeiras fases da cultura.

Tractus Kit + Imantic é o pacote tecnológico

para a sua dessecação. Nutrição equilibrada,

aliada ao que há de MAIS COMPLETO

em Tecnologia de Aplicação.

FALE CONOSCO

32 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


GOVERNANÇA

Um ano da nova estrutura organizacional

Airton Galinari, presidente Executivo, e José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração

O ano de 2020 foi marcado

por mudanças, com a

aprovação em Assembleia de

Associados da nova estrutura

organizacional da Coamo e reforma

do estatuto social, com

um novo modelo de governança,

constituída por um Conselho

de Administração, que define as

estratégias a serem adotadas,

e uma diretoria Executiva com

a responsabilidade de executar

as referidas estratégias. Essa

mudança teve como objetivo a

modernização da administração,

favorecendo a sucessão e permitindo

tranquilidade e segurança

para que a cooperativa continue

com foco nos associados.

O ano foi marcado por situações

atípicas. Teve uma grande

safra, reflexo de altas produtividades

em todas as regiões da

área de ação, com um diferente

comportamento dos associados,

mais atentos e conectados ao

mercado, analisando seus custos

de produção e aproveitando o

bom momento da comercialização,

e consequentemente, 80%

da soja colhida em 2020 foi comercializada

até o mês de abril.

Alinhada com as recomendações

da Organização Mundial

da Saúde e do Ministério da

Saúde, a Coamo adotou medidas

emergenciais na prevenção do

coronavírus, para garantir a saúde

dos funcionários, associados,

parceiros e familiares, incluindo

trabalho em home office, adoção

de turnos com a redução dos

horários de trabalho para limitar

a circulação dos profissionais, higienização

dos locais de trabalho,

uso de máscaras e álcool gel e

acompanhamento médico entre

outras medidas de controle.

Em 28 de novembro de

2020, a Coamo comemorou o

Jubileu de Ouro e devido a pandemia,

a celebração foi de forma

reservada homenageando fundadores

e respeitando os protocolos

sanitários.

DIRETORES EXECUTIVOS DA COAMO

Antonio Sérgio Gabriel,

diretor Administrativo e Financeiro

Aquiles de Oliveira Dias, diretor de

Suprimentos e Assistência Técnica

Divaldo Corrêa,

diretor Industrial

Edenilson Carlos Oliveira,

diretor de Logística e Operações

Rogério Trannin de Mello,

diretor Comercial

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 33


PARTICIPAÇÃO

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo, José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo, com o cooperado Gilberto Guadagnin Júnior e família

Sobras distribuídas

somam R$ 503 milhões

Valor é devolvido conforme a movimentação de cada

cooperado na entrega da produção e aquisição de insumos

34 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Os mais de 29,4 mil cooperados Coamo receberam

um total de R$ 503,2 milhões em sobras

referentes as movimentações realizadas

em 2020. Parte desse valor, pouco mais de R$ 139

milhões foram antecipados em dezembro. O restante

foi pago no dia 12 de fevereiro, um dia após a aprovação

da distribuição em Assembleia Geral Ordinária.

O dinheiro das sobras é um benefício aguardado

pelo quadro social e premia a participação e movimentação

durante o ano junto à cooperativa.

O valor é distribuído conforme a movimentação

de cada cooperado na aquisição de insumos

e entrega da produção. Foram devolvidos R$ 2,55

para a soja, R$ 0,80 para o milho, R$ 1,10 para o trigo,

R$ 0,70 para a aveia, R$ 4,00 para o café e R$

4,00 para os insumos. O dinheiro extra contempla

cooperados, familiares e movimenta o comércio nas

regiões que a Coamo está presente.

Gilberto Guadagnin Júnior, cooperado em

Luiziana (Centro-Oeste do Paraná), diz que as sobras

demonstram o esforço dos associados e da Coamo

que tem sempre o foco no crescimento. “É uma satisfação

poder contar com este dinheiro extra. É mérito

do nosso trabalho e dedicação de toda a equipe da

Coamo. A cooperativa proporciona segurança para

todos nós”, diz. Gilberto está na terceira geração de

cooperados e faz parte de uma família que está desde

a fundação da Coamo.

Ele ressalta que o dinheiro das sobras sempre

chega em boa hora. “Os agricultores esperam

por esse momento. É um período que estamos na

fase de colher as lavouras de verão e plantar a segunda

safra. O dinheiro ajuda nas despesas com as

Elmir Bevilaqua, de Ipuaçu (SC), comenta que é sempre bom receber as sobras

Agostinho Francisco Ludwig, de Maracaju (MS), diz que, mais uma vez, a Coamo

apresentou números que corresponderam às expectativas dos associados

operações no campo”, assinala e recorda que o dinheiro

antecipado em dezembro foi utilizado com o

lazer e bem estar da família.

Elmir Bevilaqua, de Ipuaçu (Oeste de Santa

Catarina), comenta que é sempre bom receber as

sobras. “É o resultado do trabalho de um ano inteiro

junto com a cooperativa. A Coamo sempre devolve

esse dinheiro e deixa os cooperados satisfeitos por

integrar uma cooperativa séria e que valoriza a participação

dos agricultores. Temos as nossas dificuldades

no dia a dia, mas fechar o ano com um resultado

desse nos dá ânimo para continuar produzindo,

cada vez mais.”

Agostinho Francisco Ludwig, de Maracaju

(Sudoeste do Mato Grosso do Sul), diz que mais uma

vez, a Coamo apresentou números que corresponderam

às expectativas de todos os associados. “A diretoria,

cooperados e funcionários estão de parabéns.

Foi um ano de aprendizado e muito bom para o agronegócio.

São números que evidenciam o trabalho e

confirmam que a Coamo está no caminho certo.”

Ele destaca que as sobras trouxeram mais

alegria para os produtores associados à Coamo.

“Além de alegrar, deu mais otimismo para continuarmos

trabalhando com a agricultura. Esse dinheiro

extra, é inserido na economia dos municípios

que têm entreposto da Coamo, dá um folego

a mais na economia regional. É o agronegócio colaborando

com o crescimento e mostra que estamos

fazendo a nossa parte e contribuindo para o

sucesso do nosso país”, diz.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 35


PERFORMANCE QUE

SÓ O MAIS RESPEITADO

LÍDER EM NUTRIÇÃO

DE SAFRAS DO MUNDO

PODE OFERECER.

3,4

sc/ha*

RESULTADOS COMPROVADOS.

SE É MOSAIC FERTILIZANTES,

FAZ TODA A DIFERENÇA:

MAIS DE 10 ANOS DE

PESQUISA E VALIDAÇÃO

QUALIDADE

FÍSICA

MAIOR EFICIÊNCIA

OPERACIONAL

SAIBA MAIS EM WWW.MICROESSENTIALS.COM.BR

/NUTRICAODESAFRAS

/NUTRISAFRAS

CONHEÇA OS OUTROS

PRODUTOS DE PERFORMANCE

DA MOSAIC FERTILIZANTES

36 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021

*MÉDIA DE INCREMENTO DE PRODUTIVIDADE NA CULTURA DA SOJA OBTIDA COM A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO MICROESSENTIALS® NO BRASIL, NOS ÚLTIMOS TRÊS ANOS (17/18/19).


OPINIÃO

Coamo é transformadora de vidas”

José Roberto Ricken,

presidente do Sistema Ocepar

Minha "

saudação especial à

Coamo, aos seus cooperados,

lideranças, conselheiros,

diretores, ao presidente do Conselho

de Administração Gallassini e ao presidente

Executivo Galinari, que está

à frente deste novo modelo de gestão

da Coamo. Quero parabenizá-los

pela Assembleia Geral no dia 11 de

fevereiro, que foi muito bem organizada

e em um momento diferente. Ao

invés de fazemos grandes reuniões,

as assembleias estão sendo virtuais,

mas com toda a tranquilidade e bem

organizadas, onde se permite que o

cooperado possa votar à distância. É

um modelo que vai permanecer no

futuro, porque temos muitos cooperados

que têm oportunidade para

participar da Assembleia.

A Coamo nesse ano teve

um resultado excepcional, foram R$

20 bilhões de faturamento, mais de

R$ 1 bilhão de resultado para os cooperados

na forma de sobras, mais de

R$ 450 milhões de investimentos e

uma geração de quase meio bilhão

de impostos. Então, a Coamo é realmente

um exemplo de cooperativa e

principalmente, iniciando as bodas

de ouro, pois ela fez 50 anos em novembro

de 2020, e a Ocepar fará 50

anos em abril deste ano.

Mas, o que é a Coamo hoje?

A Coamo é a maior empresa paranaense,

maior que a Copel e a Renault.

Temos orgulho de dizer que é

a maior empresa do Paraná, a maior

cooperativa do Brasil e da América

Latina. É um exemplo de cooperativa

profissional, bem organizada e agora

com esse modelo implantado de

gestão onde se segrega o comando

com os cooperados. Mas, a gestão

é profissional, feita por profissionais

responsáveis. O doutor Aroldo

é o responsável pelo comando da

cooperativa Coamo, pioneira nesse

processo de governança e o Airton

Galinari, pelo processo de gestão.

Para mim, o que é a Coamo?

É uma transformadora de vidas e de

resultados. Quero dar um testemunho.

Minha família é associada da

Coamo na região de Manoel Ribas e

a ligação é muito grande. Meus pais

vieram de Santa Catarina nos anos

50 e se estabeleceram ali, não tinha

nada no município, metade era mata

e a outra era samambaial e pinheiros,

e não se plantava nada. Depois

a gente plantava milho, feijão, criava

suínos para vender a outros, cerealistas,

frigoríficos, enfim, o resultado da

nossa atividade não ficava conosco,

mas para outras pessoas que a gente

comercializava.

Mas, o que aconteceu com

a entrada da Coamo no município foi

que ela começou a apoiar os produtores.

Com modernização, as terras

que eram ácidas foram corrigidas, foi

feito conservação de solos, houve assistência

técnica e uma estruturação

para atender as necessidades dos

produtores E hoje eles falam com

muito orgulho: somos referência em

produtividades de milho e soja. Eles

estão em uma região que produz

boa parte das sementes da Coamo,

que transformou tudo e fez com que

os produtores tivessem uma grande

oportunidade de se desenvolver.

Eu pergunto, se esse mais

de R$ 1 bilhão de resultados ficasse

com vocês cooperados e se não fosse

a cooperativa, para onde iria provavelmente

esse dinheiro? Iria para

uma outra região ou para uma outra

empresa. A grande diferença de uma

cooperativa é que ela gera desenvolvimento

e esse recurso é aplicado na

região aonde os cooperados estão

e você pode investir na sua atividade

de forma tranquila com apoio da

cooperativa.

A Coamo cumpre os contratos

e isso é fundamental. A gente

viu na Assembleia o doutor Aroldo

explicando os contratos, como eles

ocorrem. O cooperado tem opção

na Coamo de fixar quando e como

ele quiser, e a cooperativa cumpre os

contratos feitos na comercialização,

porque se isso não acontecer, nós

teremos um descrédito internacional,

porque no momento em que a

cooperativa fixa no mercado ela tem

que cumprir os contratos.

Quero desejar a cada um

de vocês uma ótima safra, começamos

preocupados com a falta de

chuva, depois normalizou, então devemos

ter uma excelente safra. Desejo

sucesso a todos os cooperados,

prestigiem a sua cooperativa que

apoia e tem esta forma de promover

o desenvolvimento."

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 37


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Balanço

Patrimonial

Ativo Total

R$ 12,255 bilhões

Ativo Circulante

R$ 8,646 bilhões

Ativo Não Circulante

R$ 3,609 bilhões

ATIVO CIRCULANTE

Contempla os direitos de curto prazo (com vencimento em até um ano), compostos por: caixa, bancos, créditos a receber, tributos a compensar, estoques e outros.

ATIVO NÃO CIRCULANTE

Contempla os direitos de longo prazo (com vencimento superior a um ano), compostos por: aplicações financeiras, créditos a receber, tributos a recuperar, depósitos judiciais, bens destinados

à venda e outros créditos. Contempla, também, os investimentos em entrepostos, indústrias, unidades de beneficiamento de sementes, caminhões, veículos, máquinas e outros.

38 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Passivo e Patrimônio Líquido Total

R$ 12,255 bilhões

Passivo Circulante

R$ 4,184 bilhões

Passivo Não Circulante

R$ 1,845 bilhão

Patrimônio Líquido

R$ 6,226 bilhões

PASSIVO CIRCULANTE

As obrigações de curto prazo (com vencimento em até um ano), são provenientes de débitos com associados, fornecedores, governo e instituições financeiras.

PASSIVO NÃO CIRCULANTE

As obrigações de longo prazo (com vencimento superior a um ano), são provenientes de obrigações sociais e tributárias, instituições financeiras e outros.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

O Patrimônio Líquido da Coamo é composto pelo Capital social integralizado, Reserva legal, Reserva de assistência técnica, educacional e social, Reserva de desenvolvimentos, Reserva

de incentivos fiscais, Reserva para cobertura de riscos e auto seguro, Reserva para manutenção do capital de giro próprio e Ajuste de avaliação patrimonial.

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 39


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Demonstrações de Sobras ou Perdas

40 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Indicadores Contábeis

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 41


ENCONTRO DE VERÃO

José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo, destaca a importância do evento para gerar mais conhecimento aos cooperados

Conhecimento com mais tecnologia

Encontro de Verão da Fazenda Experimental foi no formato virtual, reunindo

técnicos e pesquisadores para tratar de assuntos relacionados à agricultura

A

Coamo realizou no dia 22

de janeiro o tradicional

encontro de cooperados

na Fazenda Experimental. Assim

como ocorreu na edição de inverno,

a de verão, também, foi no

formato virtual. O evento reuniu

técnicos da cooperativa e pesquisadores

para tratar de diversos

assuntos relacionados com a

agricultura. O encontro está disponível

no canal da Coamo no

YouTube.

O presidente do Conselho

de Administração da Coamo,

José Aroldo Gallassini, destaca a

importância do evento para gerar

mais conhecimento aos cooperados.

“A Fazenda Experimental foi

criada para ser uma estação de

experimento de novos produtos

que chegam no mercado. É um

trabalho que tem uma grande

importância para que possamos

recomendar e orientar os cooperados

com qualidade e precisão,

sobre o uso de novos produtos e

a implementação de novas tecnologias.”

O presidente Executivo

da Coamo, Airton Galinari, recorda

que a cooperativa completou

50 anos em 2020 e a Fazenda Experimental

45 anos. “Isso mostra

que desde o início a cooperativa

tem como foco levar e aprimorar

as melhores técnicas, sistemas e

tecnologias disponíveis. A Fazenda

Experimental é um laboratório

a céu aberto, responsável por

disseminar conhecimento para

os seus cooperados”, assinala.

De acordo com o diretor

de Suprimentos e Assistência

Técnica da Coamo, Aquiles de

Oliveira Dias, mesmo diante de

toda a situação sanitária causada

pela pandemia do Coronavírus, a

Coamo fez questão de realizar o

encontro. “O formato virtual foi a

maneira encontrada para que possamos

compartilhar as novidades

do segmento com nossos cooperados

e equipe técnica”, frisa.

Ele lembra que o objetivo

da Fazenda Experimental é aprimorar

as tecnologias para que

os cooperados possam ter o melhor

resultado possível de forma

rentável e sustentável. “A ativida-

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 43


HERBICIDA

Finale ®

UM PASSO

À FRENTE NA

PRÉ-COLHEITA

DA SOJA

O momento ideal para a

dessecação pré-colheita da

soja, para o professor Leandro,

é um fator determinante na

produtividade. “Este é um assunto

que merece atenção especial,

e no qual o Finale ® é o parceiro

ideal para a aplicação.” Conheça

abaixo os seus benefícios:

LEANDRO PAIOLA ALBRECHT

Doutor em Agronomia,

Professor e Pesquisador

Antecipação da

colheita da soja

Controle de

escapes de

plantas daninhas

Uniformização

da lavoura

Antecipação da

semeadura do milho

safrinha

0800 0192 500

BASF.AgroBrasil

BASF Agricultural Solutions

BASF.AgroBrasilOficial

agriculture.basf.com/br/pt.html

blogagro.basf.com.br

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

ATENÇÃO

ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE. USO AGRÍCOLA.

VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO. CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO. INCLUIR OUTROS

MÉTODOS DE CONTROLE DENTRO DO PROGRAMA DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS (MIP) QUANDO

DISPONÍVEIS E APROPRIADOS. LEIA ATENTAMENTE E SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA

RECEITA. UTILIZE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. RESTRIÇÃO TEMPORÁRIA NO ESTADO DO

PARANÁ PARA O ALVO PHYTOPHTHORA INFESTANS NA CULTURA DO TOMATE. REGISTRO MAPA: FINALE Nº 000691.


ENCONTRO DE VERÃO

DEVIDO A PANDEMIA, TRADICIONAL ENCONTRO NA FAZENDA EXPERIMENTAL

FOI REALIZADO NO FORMATO VIRTUAL, PELO CANAL DA COAMO NO YOUTUBE

de agrícola é bastante dinâmica

e sempre tem seus desafios. A

equipe técnica da Coamo está

atenta aos assuntos relacionados

ao sistema de produção buscando

a melhor maneira de resolver

as possíveis situações que possam

preocupar o cooperado”, diz.

Segundo o gerente de

Assistência Técnica da Coamo,

Marcelo Sumiya, a informação

não pode parar, porém é preciso

respeitar os protocolos e continuar

evitando aglomerações.

Ele recorda que a primeira experiência

digital do Encontro de

Cooperados foi em julho, com o

evento de inverno, e a aceitação

foi positiva. “Os entrepostos da

Coamo também passaram a realizar

os dias de campo virtuais,

ajustando os temas e o formato,

com boa participação dos cooperados”,

destaca.

TEMAS APRESENTADOS

Trabalhos de pesquisa

em andamento na Fazenda

Experimental

Coamo

João Carlos Bonani –

Coamo

Desafios no Manejo de

Amaranthus hybridus

resistente a herbicidas

Julio Cesar Lunardelli

Trevisan - Coamo

Fernando Adegas –

Embrapa Soja

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

Aquiles Dias, diretor de Suprimentos

e Assistência Técnica da Coamo

O vídeo por ser visto no canal da Coamo no YouTube.

youtube.com/CoamoCooperativa

Aponte o leitor de QR Code do

seu celular na imagem ao lado.

Buva resistente a

herbicidas: Cenário

atual e estratégia de

controle

Marcos Vinicios Garbiate

Coamo

Fernando Adegas –

Embrapa Soja

Robinson Osipe –

UENP

Confira na próxima edição reportagem completa sobre

os temas apresentados no Encontro de Verão da Fazenda

Experimental Coamo em fevereiro deste ano.

Como preparar a

planta de soja frente a

condição de estresse

Geraldo Chavarria –

UPF

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 45


#NovosTemposNovasSoluções

UMA JORNADA

PELAS LAVOURAS

DE SUCESSO.

Em 2021 vamos pegar a estrada para visitar

fazendas de norte a sul do país. São muitas

cidades e pessoas que trazem histórias

verdadeiras, aquelas que fazem a diferença

para a gente acreditar e continuar

seguindo em frente.

2dcb.com.br

Vem com a Jacto nessa viagem

única e emocionante.

jacto.com


COOPERATIVA DE CRÉDITO

Credicoamo atinge marca

histórica R$ 4 bilhões de ativos

Credicoamo é uma instituição financeira dinâmica, atuante e focada

em oferecer o melhor para que o associado possa se desenvolver

A

Credicoamo atingiu no

início deste mês a marca

histórica de R$ 4,005

bilhões de ativos administrados.

Número demonstra a participação

ativa dos associados que

confiam na sua cooperativa de

crédito e que foi originada pelos

cooperados da Coamo.

Olhando para o futuro e

para a perpetuidade, há um ano,

foi implantado um novo modelo

de governança na Credicoamo,

para propiciar uma administração

mais focada e direcionada

para as necessidades dos seus

mais de 20,9 mil associados

atendidos por 46 agências no

Paraná, Santa Catarina e Mato

Grosso do Sul.

O presidente Executivo

da Credicoamo, Alcir José Goldoni,

diz que chegar à marca de

R$ 4 bilhões de ativos administrados

é gratificante e mostra que a

cooperativa está no caminho certo.

“O associado está, cada vez

mais, participando da sua cooperativa

crédito, transformando

a Credicoamo no seu domicílio

financeiro. A expressividade desses

R$ 4 bilhões demonstra o

grau de pertencimento do associado

com sua cooperativa.”

De acordo com ele, são

poucas as empresas, ou cooperativas,

que tem um ativo administrado

nesse montante. “Dá

para contar nos dedos das mãos

as empresas do segmento, tanto

cooperativa de crédito quanto

cooperativa de produção, com

ativo superior aos R$ 4 bilhões.

A Credicoamo tem uma expressividade

muito grande no cenário

estadual e nacional em operações

de crédito rural”, assinala

Goldoni.

Alcir José Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo

Entre as 426 instituições

financeiras – bancos e

cooperativas de crédito – a Credicoamo

passou de 16º para 14º

em valor, e de 10º para 9º em número

de operações contratadas.

A expressividade é ainda maior

quando analisada só o segmento

de cooperativas de crédito, onde

a Credicoamo é a 2ª, de acordo

com o ranking de 2020 divulgado

pelo Banco Central.

Nesses 31 anos de existência,

a Credicoamo se transformou

numa cooperativa reconhecida

no cenário nacional devido

a sua atuação, participação e

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 47


COOPERATIVA DE CRÉDITO

COOPERATIVA É RECONHECIDA NO CENÁRIO NACIONAL DEVIDO A SUA

ATUAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SEGURANÇA PROPORCIONADAS AOS ASSOCIADOS

segurança proporcionadas aos

associados. “Estamos nos preparando

para chegar logo nos R$ 5

bilhões de ativos”, frisa.

Goldoni destaca que a

Credicoamo é uma instituição financeira

dinâmica, atuante e focada

em oferecer o melhor para

que o associado possa se desenvolver.

“A cooperativa conta com

um portfólio variado de produtos

financeiros e de serviços. Com a

movimentação integral do associado,

no final de cada exercício,

temos um crescimento da Credicoamo

e mais resultado para nosso

quadro social.”

A Credicoamo foi constituída

para agregar valor às

atividades do associado. Todo

o crescimento da Credicoamo

repercute diretamente no crescimento

do associado, da sua

família e da sociedade, que está

inserido. A participação ativa e integral

dos associados representa

Credicoamo conta com mais de 20,9 mil associados atendidos por 46 agências no PR, SC e MS

menor custo e mais rentabilidade

para todos os associados.

O plano estratégico, com

base nas diretrizes da governança,

está preparando a Credicoamo

para que possa dar continuidade

no seu crescimento com

solidez e de forma sustentável.

“Dentro desse processo, estamos

desenvolvendo ações para crescer

e estar, cada vez mais, perto

dos nossos associados. Com os

canais digitais buscamos reduzir

a locomoção e o distanciamento

do associado com sua cooperativa.

Também faz parte da estratégia,

a abertura de novas agências

nos entrepostos da Coamo.

A razão da cooperativa é atender

o associado, olhar para as

suas necessidades e focar em

produtos que atendam suas necessidades.

Isso faz com que todos

ganhem. Ganha a Credicoamo,

o associado e a sociedade”,

destaca Goldoni.

Credicoamo lança nova modalidade

de aplicação financeira aos associados

A

Credicoamo está disponibilizando

mais uma

opção de aplicação financeira

para os seus associados.

Trata-se da Letra de Crédito do

Agronegócio – LCA Credicoamo,

uma modalidade que tem como

diferencial a facilidade e praticidade

na aplicação, e a garantia

da Credicoamo, e com o DNA do

agronegócio. A novidade já está

à disposição dos associados em

todas as agências.

As características e as

vantagens do LCA Credicoamo

48 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


são: título de renda fixa; aplicação

com a garantia do Fundo

Garantidor Cooperativo - FG-

Coop; rentabilidade com base

no percentual do CDI e isenção

do imposto de renda sobre os

rendimentos para pessoas físicas.

“Destaca-se que os recursos

aplicados em LCA Credicoamo

devem ser destinados aos financiamentos

do agronegócio. É o

agronegócio se auto financiando”,

comenta o presidente Executivo

da Credicoamo, Alcir José

Goldoni.

A LCA Credicoamo, inicialmente,

terá os prazos de 180

e 300 dias, com ou sem liquidez.

“Por definição de lei, a LCA tem

o prazo mínimo de 90 dias, com

carência e sem resgate, e prazo

máximo de 720 dias. A LCA

Credicoamo está sendo lançada

com prazo de 180 e 300 dias

com liquidez após os 90 dias e

no prazo de 300 dias sem liquidez”,

diz Goldoni. Ele explica que

as aplicações com liquidez têm

uma rentabilidade um pouco

menor do que a sem liquidez.

“Isso se justifica por que após os

90 dias teremos que provisionar

recursos para os possíveis saques,

enquanto para o resgate

só no seu vencimento as condições

de mercado permitem uma

maior rentabilidade”, acrescenta.

As aplicações podem ser

realizadas por meio do Internet

Banking, App da Credicoamo ou

diretamente nas agências. Goldoni

ressalta que por se tratar

de um título novo, e caso o associado

ainda não conheça essa

modalidade, é interessante que

ele procure uma agência da Credicoamo

para tirar suas dúvidas.

“É importante ressaltar que uma

vez aplicada, a LCA só pode ser

resgatada de acordo com as características

da modalidade. Não

existe resgate antecipado, salvo

se ela tem liquidez e após os 90

dias da contratação,” assinala.

Em todas as agências da

Credicoamo há cartazes, banners

e folders da nova aplicação

financeira. A simbologia adotada

para a LCA Credicoamo é um

DNA. “É o DNA do agronegócio.

O campo gerando recursos para

LCA é uma nova modalidade de aplicação financeira; benefício aos associados

financiar o campo. Isso faz com

que todos os recursos aplicados

fiquem na própria região e se

revertam em mais financiamentos

e benefícios aos associados.

Além de ser uma modalidade

de aplicação financeira segura e

rentável, permite a Credicoamo

disponibilizar mais recursos para

financiar as atividades dos associados

agregando valor as suas

atividades, melhorias no bem

estar da família e da sociedade

onde vive. Cada vez mais queremos

ser o domicílio financeiro do

associado”, frisa Goldoni

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 49


MÍDIA INFANTIL

Coamo lança revistinha

Pensando em preparar a

Coamo para as próximas

gerações, apresentando

para as crianças de forma lúdica

e com linguagem específica e

atrativa os princípios da filosofia

cooperativista, a cooperativa

lançou a revistinha Coamo Kids.

Uma forma divertida de interagir

com os filhos de associados,

mostrando em histórias de quadrinhos

criativas, o fascinante

sistema cooperativista, pelo qual

seus pais se desenvolvem na atividade

agrícola.

Com periodicidade trimestral,

a revistinha vai contar

em cada edição como funciona

uma cooperativa e o ato de

cooperar, por meio de diálogos

descontraídos e relatos de uma

turminha especial, formada por

seis personagens infantis criados

com base nas características de

cooperados e funcionários, e no

dia a dia da cooperativa. Em busca

da realização de seus sonhos

eles se aventuram no mundo

José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo,

com algumas crianças presentes no dia do lançamento da revistinha Coamo Kids

Equipe da assessoria de Cooperativismo da Coamo

Lançamento da revistinha Coamo Kids

50 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Integração Cooperativista

Clauber dos Santos Sousa e Nara Silveira são os responsáveis

pelos desenhos e enredo da revistinha Coamo Kids

Palavra dos criadores

O design gráfico Clauber dos Santos

Sousa é o responsável pelas ilustrações da Coamo

Kids. "Um projeto deste, quando está sendo

criado, nos permite revisitar a infância enquanto

trabalhamos. Talvez por isso, ao traçar cada expressão

dos personagens, sorrimos com eles."

De acordo com ele, o resultado não poderia

ser diferente. "Um material gostoso de consumir,

com uma linguagem divertida, brincadeiras

simples que envolvem as crianças e a família,

ensinando o valor de cooperar. Como criadores,

é muito gratificante ver traços, linhas, riscos e rabiscos

no papel, ganhar vida no imaginário das

crianças. Que Lili, Dinho, Lari, Gael, Martin e Pirata

possam crescer juntos com toda a criançada da

Coamo", destaca Souza.

A educadora, Nara Liane Ávila Prieto Silveira,

é a responsável pelo enredo da Coamo Kids. Ela

diz que fazer uma revista infantil ou infanto-juvenil

é um desafio, por ser um público exigente e pela

responsabilidade da proposta. "São muitos cuidados

envolvidos. É preciso dialogar com as propostas

pedagógicas, pois as famílias precisam estar

tranquilas com aquilo que ofertamos."

Ela diz que a preocupação da Coamo com

cada detalhe, fez das reuniões de trabalho um momento

de cocriação importante, sendo levado para

cada diálogo, cada traço trabalhado na construção.

"Nossa expectativa é que o público goste tanto da

Coamo Kids, quanto nós amamos fazer esta criação."

Na opinião do assessor de Cooperativismo da

Coamo, José Ricardo Pedron Romani, a revistinha será

uma importante ferramenta de integração da garotada.

“Traz muita informação e ajuda a envolver este público

infantil. As crianças gostaram muito, gerou bastante

interesse e, com certeza, vai criar muita expectativa a

cada edição”, diz.

Para o presidente do Conselho de Administração

da Coamo, José Aroldo Gallassini, a revistinha será

um instrumento importante para fortalecer a filosofia

cooperativista. “É uma forma de contar um pouco sobre

tudo que fazemos na Coamo e o quanto é importante

o cooperativismo. Por meio dessa revista vamos

gerar mais curiosidade nas crianças sobre o trabalho

que desenvolvemos”, observa Gallassini.

Dulce Santiago, esposa de cooperado, entende

que a revistinha será um elo entre as crianças e a

cooperativa. “A Coamo sempre nos surpreende, colocando

a família em primeiro lugar. Essa revista será uma

ligação importante entre a cooperativa e as crianças,

valorizando ainda mais essa convivência. É um projeto

interessante que nos deixa emocionados porque traz

não só o cooperado para a cooperativa, mas também a

esposa e filhos.”

Família Santiago comemorou a chegada da revistinha

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 51


MÍDIA INFANTIL

Conheça a

turminha

Lili é a líder da turminha, e a principal personagem.

Mora no sítio, é estudiosa, gosta de ser

a primeira da classe e têm objetivo de ser agrônoma

e cooperada da Coamo como seus pais. É

competitiva, curiosa, explosiva e não gosta de ser

contrariada.

Dinho é morador da cidade e sonha

trabalhar na Coamo com o seu pai, que já é funcionário.

Adora fazer cálculos, gosta de jogos de

estratégia e odeia tirar notas mais baixas que a Lili.

Competitivo, é organizado, estratégico, sensato

e racional. Ficou com nota 10 em matemática em

todos os bimestres do ano letivo anterior.

Também morador na cidade, Gael quer

ser jogador de futebol quando crescer. Gosta de

ver jogo na televisão, não curte acordar cedo e

adora conversar, contar histórias e fazer amigos.

De personalidade cativante foi campeão de torcida

na Copa Coamo em que seu pai foi goleador

da competição.

A youtuber da turma Lari é irmã do Gael.

Quer ter muitos seguidores em seu canal. Ama

cantar e desenhar e assistir desenhos. Não gosta

filmes de terror. Tem personalidade criativa,

sempre pensando em maneiras de se expressar

artisticamente.

Martin é outro que mora no campo e

quer ser fazendeiro como os pais. Muito brincalhão,

gosta de contar histórias, criar brincadeiras

e pregar peça nos amigos. Foge quando tem de

arrumar o quarto. É o mais bagunceiro da sala e

ficou de castigo porque colocou um sapo na bolsa

da diretora.

O cãozinho Pirata completa a trupe. É o

companheiro inseparável de Martin, e faz a alegria

de toda a turminha. Mascote de estimação

de todos, gosta de rastrear, farejar e correr com

Martin. E lógico, não curte tomar banho. É brincalhão

e muito bagunceiro. Chegou no sítio ainda

¬filhote e logo apegou-se com Martin. Foi amor à

primeira vista.

52 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021


Lançamento em Bragantina (PR)

Vila Nova (PR)

Crianças motivadas

Entrega em Peabiru

Janeiro/Fevereiro/2021 REVISTA 53


RECEITA

Pizza de

tabuleiro

INGREDIENTES

Massa

1 envelope de fermento biológico seco

1 e ½ xícara (chá) de água

4 colheres (sopa) de GORDURA VEGETAL

COAMO em temperatura ambiente

2 colheres (chá) de sal

4 xícaras (chá) de FARINHA DE TRIGO

COAMO PIZZA

2 pizzas grandes

Cobertura

6 tomates maduros

1 pitada de sal

1 pitada de orégano

300 g de muçarela fatiada

Folhas de manjericão fresco

6 azeitonas pretas

MODO DE PREPARO

Massa

Dissolva o fermento na água. Junte a gordura e o sal. Aos

poucos, adicione a farinha e sove até obter uma massa lisa.

Cubra com filme plástico e reserve até dobrar o volume.

Divida a massa em duas partes. Com um rolo ou com as

mãos, abra as massas formando dois retângulos (30x35 cm)

e coloque-as sobre as costas de duas assadeiras. Espalhe

o molho e leve ao forno, preaquecido, na temperatura alta

(200 ºC), por cerca de 20 minutos ou até que a parte de baixo

esteja ligeiramente dourada. Retire do forno, cubra com a

muçarela e volte ao forno até dourar. Retire do forno, polvilhe

orégano, manjericão e decore com as azeitonas.

Cobertura

Amasse os tomates com um garfo ou bata no liquidificador

rapidamente deixando o molho pedaçudo. Tempere com sal

e orégano.

Dica

Se preferir uma pizza bem fina e crocante, divida a massa em

três partes.

www.alimentoscoamo.com.br

/alimentoscoamo

54 REVISTA

Janeiro/Fevereiro/2021

AF01 COI001120I An Receita Pizza de Tabuleiro 175x225 cm.indd 1 20/03/20 09:15

More magazines by this user
Similar magazines