Revista Newslab Edição 164

newslab.analytica

Revista Newslab Edição 164 - Março 2021

INFORME DE MERCADO

CROMOENDOSCOPIA

Hoje em dia há um grande avanço nas técnicas

de diagnóstico em Gastroenterologia. Entre elas

se destaca a Cromoendoscopia, uma técnica que

consiste na aplicação de corantes sobre a mucosa

digestiva para facilitar e melhorar a qualidade do

diagnóstico, sendo que a coloração da mucosa

também permite visualizá-la de forma mais

evidente, realçar as características das lesões já

detectadas, detectar mais rapidamente as lesões

anormais, já que os detalhes da sua superfície

sobressaem com a coloração, além de conferir

maior sensibilidade e especificidade no diagnóstico

de displasias, metaplasias ou carcinoma nos

vários segmentos do tubo digestivo.

A Renylab fabrica uma linha endoscópica de alta

Qualidade. Todos os corantes são registrados na

ANVISA e possuem Certificado de Boas Práticas de

Fabricação.

Corantes para Endoscopia

AZUL DE METILENO

Solução corante utilizada para realçar o epitélio

de Barret. O azul de metileno quando utilizado no

esófago, permite confirmar a presença de epitélio

intestinal especializado em pacientes com segmentos

curtos de mucosa colunar, levantar o mapa da

extensão e distribuição do epitélio de Barret, tornar

menos provável o diagnóstico do esófago de Barret,

quando o segmento de mucosa do esófago terminal

não se colore por essa metodologia e orientar

biopsias para zonas de maior risco de displasia e

adenocarcinoma.

ÍNDIGO CARMÍN

Solução corante utilizada em todo o tubo digestivo,

para destacar os contornos da mucosa, realçando

pólipos e pequenas lesões planas, preenchendo

pregas, criptas, erosões e ulceras. Pode ser

utilizado em múltiplas situações: para destacar o

caráter viloso da mucosa de Barret e identificar zonas

planas de displasia de alto grau ou carcinoma,

para destacar irregularidades da mucosa gástrica

correspondentes às áreas de metaplasia ou displasia

e no duodeno para destacar o aspecto atrófico

da mucosa. Deve ser utilizado na caracterização

pormenorizada de lesões macroscópicas e no estudo

de mucosas de alto risco neoplásico sem lesões

aparentes. Não há nenhum tipo de contraindicação

à sua utilização e não necessita de lavagem prévia

ou posterior à sua instilação.

TINTA DA CHINA

Solução corante utilizada usualmente em colonoscopia

para destacar os contornos da mucosa,

realçando pólipos e pequenas lesões planas e preenchendo

pregas, criptas, erosões e ulceras. É utilizado

para a demarcação de lesões pequenas e múltiplas

da mucosa como recurso pré operatório que facilita

o manuseio das mesmas. Não há nenhum tipo de

contraindicação à sua utilização e não necessita lavagem

prévia ou posterior à sua instilação.

LUGOL

Solução corante de particular interesse na detecção

precoce de adenocarcinoma epidermóide do esófago.

As zonas da mucosa que se tornam amareladas ou

rosadas após a instilação merecem particular atenção.

A instilação de Lugol é útil na detecção precoce

de carcinomas epidermóides na população considerada

de alto risco (indivíduos com carcinoma

de cabeça e colo, consumidores de álcool e tabaco

em grandes quantidades). Além disso, o Lugol

permite uma melhor definição das margens de

uma lesão conhecida, diagnosticar outros focos

lesionais na mucosa esofágica e avaliar a existência

de lesão residual após musectomia endoscópica.

Para alguns autores, a grande vantagem do

Lugol, não está no seu poder diagnóstico, mas

na sua capacidade de delimitar uma lesão. Outros

autores atribuem al Lugol uma capacidade

significativa de incrementar a sensibilidade de

detecção de displasia de alto grau ou carcinoma

(de 62% a 96%).

0 148

Revista NewsLab | Março 2021

More magazines by this user
Similar magazines