Revista Newslab Edição 164

newslab.analytica

Revista Newslab Edição 164 - Março 2021

Dessa forma, ainda que a compatibilidade

para o sistema ABO e Rh (em

especial o antígeno D) seja crucial na

prevenção de tais reações hemolíticas,

torna- se necessário que outros antígenos

do sistema Rh sejam compatibilizados,

especialmente C, c, E, assim como

os principais antígenos dos sistemas

Kell. Isso evidencia a necessidade de

que ocorra um manejo adequado para

a determinação correta do grupo sanguíneo

na rotina da hemoterapia, não

apenas para prevenir resultados mal

sucedidos devido a transfusões incompatíveis,

mas também para otimizar um

melhor uso das unidades de hemocomponentes

que portem fenótipos menos

frequentes, uma vez que a frequência

dos grupos sanguíneos varia conforme

rea etnicidade da população (32, 33) .

ABO

Segundo Henry (34) , Landsteiner mostrou

que o fenômeno de hemaglutinação

ocorreu quando os antígenos

presentes na superfície das hemácias

foram ligados pelos anticorpos contidos

no soro. Assim, denominou como antígenos

A e B e enfatizou que, de acordo

com o antígeno expresso na hemácia, o

sangue pertencia ao grupo sanguíneo

A ou ao grupo sanguíneo B. Já o grupo

que não apresentasse reação de aglutinação,

pertencia ao grupo sanguíneo

O (palavra alemã “Ohne”, que significa

“sem”). No ano de 1902, seus colaboradores

von Decastello e Sturli descobriram

e descreveram o grupo AB, que foi

então adicionado ao sistema ABO. Por

apresentar expressão tanto de antígenos

do grupo A quanto do grupo B, este

foi descrito como raro. (27, 35, 36) .

O sistema de grupo sanguíneo

ABO é resultante de um traço genético

determinado por genes que

ocupam o lócus ABO no cromossomo

9. Os antígenos expressos nas

hemácias desse sistema (denominados

A, B e H) são moléculas

complexas de carboidratos localizadas

na superfície celular dos eritrócitos,

sendo composto também,

por dois anticorpos plasmáticos

(anti-A e anti-B) que aparecem

após o nascimento (30, 37) .

Este grupo sanguíneo é atualmente

considerado o mais

importante sistema de grupos

sanguíneos na medicina transfusional,

pois em virtude da alta

imunogenicidade de seus antígenos,

a incompatibilidade com

este sistema é a causa mais comum

de morte pós transfusão.

A reação imunológica transfusional

ABO é inerente de anticorpos

formados intrinsicamente

pelo indivíduo contra seus

grupos não compatíveis. Diferentemente

do fator Rh, cuja

formação dos mesmos depende

de prévia sensibilização. (27, 28, 38) .

Rh

Segundo Levine e Stetson (39, 40) ,

o primeiro registro de reação hemolítica

transfusional ocorreu no

ano de 1939, na cidade de Nova

Iorque, quando uma gestante, ao

dar entrada em um hospital local

apresentando hipotensão arterial

e traços de albuminúria, teve seu

quadro agravado após algumas

semanas, no qual resultou em

forte hemorragia e um parto com

óbito fetal. Ao analisar o feto, foi

identificado que ele se encontrava

com aspecto macerado, pesando

apenas 595 g, o que não era compatível

com o estado avançado da

gestação, que naquele momento

já havia completado 33 semanas

(8 meses). Após a retirada da

placenta e o sangramento devidamente

controlado, a puérpera

então, que era portadora do grupo

O, necessitou receber sangue

de seu marido, portador do mesmo

grupo sanguíneo, vindo ainda

assim, a apresentar uma reação

transfusional descrita como grave,

por haver comprometimento

renal, sendo necessário a adoção

de medidas terapêuticas como

diatermia renal e repetidas transfusões

de doadores profissionais

compatíveis, selecionados através

da Transfusion Betterment Association

of New York. Ainda que se

tenha realizado mais de 6 transfusões

consecutivas, por se tratarem

de doadores totalmente compatíveis

ao seu tipo sanguíneo,

a puérpera não apresentou mais

nenhuma intercorrência, o que

resultou em sua total recuperação

após algumas semanas (34, 41, 42) .

Em 1940, Landsteiner e Wiener (34)

produziram, por imunização com hemácias

de Macacus rhesus, um soro

contendo anticorpos que aglutinavam

com cerca de 85% das hemácias

humanas testadas. O anticorpo identificado

foi denominado de fator Rh

BANCOS DE SANGUE

Revista NewsLab | Março 2021

0 81

More magazines by this user
Similar magazines