*Março:2021 Referência Produtos de Madeira 58

jotacomunicacao

ESPECIAL

ENTREVISTA

Guilherme Corrêa Stamato

Construção • Arquitetura • Design • Marcenaria • Paisagismo • Decoração

Beleza e qualidade

Produção de madeira tratada atende com

excelência o mercado da construção

Eucalipto Turístico: o uso da madeira como protagonista


sincol_sa SincolSA (49) 3561-5000

www.sincol.com.br

Construção • Arquitetura • Design • Marcenaria • Paisagismo • Decoração

Editorial

ESPECIAL

ENTREVISTA

Guilherme Corrêa Stamato

A capa desta edição

traz reportagem Coleção sobre

a tecnologia Sincolors da CBI

Madeiras. Ambiente

localizado no Jardim das

Bromélias Condomínio,

na Península de Maraú -

Barra Grande (BA)

Foto: Venâncio Souza

A Revista Madeireira da Construção www.produtosdemadeira.com.br Ano XIII• N.58• Março 2021

Beleza e qualidade

Produção de madeira tratada atende com

excelência o mercado da construção

Eucalipto Turístico: o uso da madeira como protagonista

Ano XIII / Edição n.º 58 / Março 2021

04

EXPEDIENTE

JOTA EDITORA

Diretor comercial: Fábio Alexandre Machado

fabiomachado@revistareferencia.com.br

Diretor executivo: Pedro Bartoski Jr

bartoski@revistareferencia.com.br

Redação:

Luiz Kozak

jornalismo@produtosdemadeira.com.br

Projeto Gráfico: Fabiana Tokarski - Supervisão

Crislaine Briatori Ferreira

Gabriel Faria

criacao@revistareferencia.com.br

Redes Sociais: Larissa Araujo

Depto. Comercial: Gerson Penkal, Jéssika Ferreira,

Tainá Carolina Brandão

comercial@produtosdemadeira.com.br

Fone: +55 (41) 3333-1023

Representante Comercial:

Dash7 Comunicação - Joseane Cristina Knop

Depto. de Assinaturas:

Cristiane Baduy

assinatura@revistareferencia.com.br

Seja bem vindo, 2021!

O mercado de decoração e de móveis mostrou sua força durante

a pandemia. Com o olhar mais voltado para os seus próprios lares, os

consumidores deste segmento compraram mais e realizaram reformas,

com o intuito de deixar suas casas mais receptivas e confortáveis. Neste

cenário, trazemos ambientes únicos e que combinam em muito com

essa nova realidade. Na entrevista do mês, a PRODUTOS DE MADEIRA

conversa com o engenheiro civil da Stamade, Guilherme Corrêa Stamato,

sobre o mercado de madeira engenheirada no Brasil. Além disso, o

Leitor poderá conferir matérias nas editorias de Medida Certa, Urbanismo,

Showroom e muitas novidades do setor. Feliz 2021!

Revista PRODUTOS DE MADEIRA

Rua Maranhão, 502 - Água Verde - 80610-000

Curitiba (PR) - Brasil - Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

www.produtosdemadeira.com.br

assinatura@portalreferencia.com.br

Ligação gratuita: 0800 600 2038

Veículo filiado a:

A Revista Referência PRODUTOS DE MADEIRA é uma publicação bimestral e

independente, dirigida aos construtores, engenheiros, arquitetos, designers,

paisagistas, decoradores e consumidores de produtos de madeira para a construção.

A Revista não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos e colunas

assinadas, por entender serem estes materiais de responsabilidade de seus autores.

A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados, sob

qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da Revista

são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos

autorais, exceto para fins didáticos.


A MAIS MODERNA E SEGURA

USINA DE TRATAMENTO DE

MADEIRA DA AMÉRICA LATINA

Há mais de 30 anos investindo em

reflorestamento, produção,

tratamento e comercialização de

madeira de eucalipto. Somos a única

empresa no Brasil que possui o selo

de qualidade “Qualitrat Ouro”,

sempre buscando melhorar as

práticas do setor de

madeira tratada.

USINA - CAPELINHA-MG | Rod. BR 120, Km 116

(33) 3516-2615 | (33) 3516-2153 | (33) 99128-0550

ESCRITÓRIO CENTRAL - FRANCA-SP | Rua General Osório, 1870

(16) 3724-2526 (16) 98137-2467

www.cbimadeiras.com.br


Sumário

06

16

26 32 36 40

08....... CARTAS & OPINIÕES

10....... CURTAS & NOVIDADES

16 ....... SHOWROOM

26

40

.......

32.......

36.......

.......

ENTREVISTA

GUILHERME CORRÊA STAMATO

MEDIDA CERTA

CASA NÔMADE

URBANISMO

MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

PRINCIPAL

RECONHECIMENTO E TRADIÇÃO


46 50 54 58 62

07

46

.......

50.......

54

.......

DESIGN

NATUREZA E O BEM-ESTAR

MERCADO

CENÁRIO DA MADEIRA

DECORAÇÃO

APARTAMENTOS COMPACTOS

58

.......

62.......

AQUI TEM MADEIRA

LIGAÇÃO COM A NATUREZA

PROJETOS ESPECIAIS

EUCALIPTO TURÍSTICO

66....... AGENDA


Cartas

Foto: divulgação

Foto: Denilson Machado/Casacor

Foto: divulgação

08

Revista

Adoro ler e folhear cada

edição da Revista

PRODUTOS DE MADEIRA!

Natalia Bonamigo

Administradora

Quitandinha (PR)

Showroom

A sessão de Showroom é

sempre muito boa, traz

ideias de ambientes e

mostra como a madeira é

versátil na decoração de

interiores.

Luciana Miozzo

Arquiteta

São Paulo (SP)

Urbanismo

É de iniciativas como a da

cidade de Pingshan, que

se faz um urbanismo mais

consciente e amigo da

natureza. Parabéns pela

reportagem!

Diogo Marcondes

Empresário

Caçador (SC)


Curtas & Novidades

Requinte

e conforto

Amplamente difundidos nos lares dos EUA (Estados Unidos da

América), os decks de madeira têm cada vez mais caído no gosto de

consumidores e designers brasileiros. Suas características únicas,

como resistência e beleza, dão novas cores para o design de exteriores,

e servem para erguer belas estruturas que servem tanto como

espaço de descanso quanto para locais de reuniões entre amigos e

familiares. Mesas, cadeiras e até uma churrasqueira são bem-vindas

ao lado de decks externos. Os tipos de madeira mais utilizados para

a construção destas estruturas são: Ipê, Jatobá, Massaranduba,

Angelim e Itaúba. Mas não esqueça de cuidar bem dos decks, já que

eles são expostos às intempéries como chuva e os raios solares. A

cada seis meses, aplique uma camada de verniz naval para que mantenha

sua casa segura e bonita, sem contratempos.

Foto: divulgação

10

Foto: divulgação

Celular e a madeira

Neste mundo cada vez mais conectado, celulares e smartphones

deixaram de ser uma simples ferramenta e hoje são imprescindíveis na

vida dos brasileiros. Segundo recente levantamento do IBGE (Instituto

Brasileiro de Geografia e Estatística), 79,3% da população brasileira

com 10 anos ou mais de idade já possuem aparelhos celulares. A tendência

abre novos caminhos para o setor da madeira, como o de cases

para a proteção do gadget. Inúmeras empresas brasileiras do setor

tem investido em desenvolver novas capas para abocanhar este mercado.

A robustez e o design clássico da madeira têm mostrado que o

material é o parceiro perfeito para as novas tecnologias.

Cabideiro cacto

Onde há seca também há beleza, e foi de lá que o estúdio Mula

Preta se inspirou para criar o cabideiro Cacto. Além de tudo, a inspiração

maior do estúdio, o mestre Luiz Gonzaga, já dizia: Mandacaru

quando fulora na seca... Um acessório de design que intriga, entrega

robustez na sua forma e remonta de forma lúdica o cenário seco da

região nordeste. Sua estrutura em madeira dá robustez e charme à

peça, que pode se adequar aos mais variados ambientes. O Estúdio

Mula Preta atua há 9 anos no mercado, fundado por Felipe Bezerra e

André Gurgel em Natal (RN), quando decidiram se associar pela grande

afinidade na esfera criativa.

Foto: divulgação


Curtas & Novidades

FIMMA Brasil

Em 2021, a FIMMA Conexões e Negócios (Feira Internacional de

Fornecedores da Cadeia Produtiva Madeira e Móveis) promoverá

Rodadas de Negócios Internacionais de modo virtual. As conexões

entre os expositores brasileiros e compradores de diversos países

acontecerão de 3 a 14 de maio, com o objetivo de fomentar exportações

das indústrias expositoras em mercados com grande potencial

de negócios, por meio de contatos especialmente selecionados

para participar dessa iniciativa. Para o diretor Internacional da

FIMMA Brasil, Marcelo Haefliger, essa será mais uma inovação da

feira que segue firme em seu propósito de estimular novos negócios

por meio da aproximação de empresas com soluções para toda a cadeia produtiva de madeira e móveis. Em 2021, as Rodadas

de Negócios Internacionais completarão sua 11ª edição e seguirão com o apoio técnico do Orchestra Brasil, projeto de exportação

de empresas brasileiras fornecedoras da indústria moveleira gerido pelo SINDMÓVEIS (Sindicato das Indústrias do Mobiliário de

Bento Gonçalves) e da APEX-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Foto: divulgação

12

Foto: divulgação

Para-sol

Um dos mais conceituados designers brasileiros, Jader Almeida é fundador da

Sollos e, todos os anos, lança peças únicas e revolucionárias para o setor de decoração

nacional. Comandando com visão estratégica a materialização de seus projetos numa

linha complexa e extensa de mobiliário e objetos, Jader Almeida alia o mais avançado

sistema de fabricação serial moveleira com o tratamento requintado e insubstituível

do acabamento manual. Para sua nova linha outdoor, Jader traz o conceito do para-sol

Bird, que parte do princípio básico das folhas, que filtram a luz do sol e proporcionam

uma sombra suave. Os elementos que filtram a luz são conectados na estrutura, mas

se movem em diferentes ângulos, além de girar 360o (graus) no eixo perpendicular ao

chão. Para diferentes momentos do dia, uma suave sombra é proporcionada. Toda a

estrutura foi desenvolvida em alumínio e ripas em madeira de Cumaru.

Madeira na cabeça

Com vasta experiência no vestuário jovem e surfista, a Koa tem produzido

modernos e bonitos bonés com a aba de madeira, para auxiliar os esportistas

nas praias de todo o mundo. Esses acessórios são construídos com um

sistema laminado de madeira largamente testado pelas equipes de pesquisa

da empresa. O resultado é uma superfície estável com três camadas de verniz

de longarina marinha com um inibidor de UV que mantém sua elegância

por anos de exposição aos elementos. “Nossos chapéus e viseiras combinam

o artesanato do velho mundo, a bela madeira koa havaiana e uma sensação

de diversão para criar um boné exclusivo. Fabricamos os chapéus e viseiras

em uma variedade de cores sólidas e tecidos estampados”, explica Anna

Kahuawan, designer da Koa.

Foto: divulgação


Curtas & Novidades

Tecnologia

para os pequenos

A Linha Denver, projetada com linhas leves, possui design simples

e elegante, perfeita para levar o calor da madeira com um toque

de personalidade ao quartinho do bebê. As peças desta linha

são compactas, resistentes e funcionais, ideais para aumentar o

espaço de um quarto pequeno. Fabricada inteiramente em madeira

maciça reflorestada, com 2 anos de garantia. A empresa inovou ao desenvolver um sistema para facilitar a autonomia da criança.

Na fase em que o estrado está na posição mais baixa, a exemplo de alguns berços europeus, 5 ripas centrais de uma das grades

laterais podem ser retiradas para facilitar a liberdade da criança para entrar e sair com facilidade. Também é possível transformar o

berço em Mini Cama ou Mini Sofá através de kit de conversão que acompanha o produto.

Foto: divulgação

Mesa

inovadora

14

Foto: divulgação

O mais novo exemplo de mesa de centro inovadora é

a Mesa Bonete, recente lançamento da designer Monica

Cintra, que valoriza ainda mais a sala de estar ao manter as

características naturais e as imperfeições da madeira. Com

design único, a peça é feita em madeira de reaproveitamento

de Imbuia despigmentada, com bases de aço carbono na cor

latão. Para valorizar ainda mais os espaços, a designer levou

em conta o aspecto natural da madeira sem deixar de lado o

design e a funcionalidade. A criação de Cintra, uma das mais influentes e inovadoras mentes do design de móveis no Brasil e no mundo,

vai de encontro com a sua filosofia de produção desde a sua inserção no mercado, quando impactou o setor ao propor uma nova

tendência: transformar peças orgânicas em mobiliários sofisticados. “Eu mostrava para os clientes as madeiras encontradas, de várias

regiões do Brasil e com características próprias da nossa indústria florestal, mas eles não conseguiam imaginar o design bruto da natureza

na ambientação da casa”, explica a designer.

De olho na hora

Ao contrário do design do começo dos anos 2000, com forte

influência do metal e de tons mais cleans, este início de década tem

priorizado cores vivas e até mesmo peças com um toque vintage,

desde o mobiliário até peças de uso diário como roupas ou até mesmo

um relógio. Este é o caso das inovadoras peças do Ovi Watch,

empresa com origem na Letônia que tem conquistado os mercados

europeu e americano desde 2014. Os relógios da Ovi Watch possuem

um cursor que é muito semelhante a uma bússola. São peças

de pulso feitas à mão com madeira de nogueira, oferecendo uma

aparência muito estética em movimento. Cada relógio possui 42

mm (milímetros) de diâmetro, com um peso de 22g (gramas), leve

para carregar, mas imponente de se olhar.

Foto: divulgação


Showroom em Destaque

16

SERTÃO GREGO - NEY FILHO

A concepção do espaço, onde opera o restaurante Zoi, do Colosso Fortaleza (CE), foi baseada

em uma viagem astral para um mundo onde a Grécia e o sertão cearense formavam uma

só terra. Nessa mistura, a mitologia, a fauna, a flora e a arquitetura fazem uma combinação

inusitada e feliz. Um espaço perfeito para comer, beber e ser feliz. Os painéis são os pontos a

serem observados com mais atenção. Neles é possível ver toda concepção do ambiente.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

show room


SUÍTE DOS GÊMEOS - ANELLISE BLUHM, CAROL TIMBÓ E MIRNA ALBUQUERQUE

A Suíte dos Gêmeos é voltada para pais e crianças, tendo como palavras-chave segurança e autonomia.

Inspirado nos estudos de Montessori e Pickler, o ambiente atende crianças de até 7 anos e é dividido em três

áreas: a de descanso, com um miniberço que vira cama; o banheiro, convencional, mas com recursos para

crianças, como escadinha para a pia e móveis de livre acesso; e a de brincar, dedicada ao desenvolvimento,

com estante baixa para guardar brinquedos, espelho com apoio e canto da leitura e o mezanino.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

17

SALA DE CINEMA DA FAMÍLIA - LUARA CIARLINI E PEDRO PAULO ROLIM

O ambiente une tecnologia, sofisticação e conforto para diferentes propostas de uso. É um local para estar, se relacionar e

interagir, tendo a tecnologia como aliada para momentos de concentração em filmes ou em reuniões descontraídas. O projeto

associa a linha da sustentabilidade, destaque para o revestimento acústico feito de garrafas pet recicladas, equipamentos

elétricos eficientes, MDF de procedência conhecida, lâmpadas e fitas em LED, revestimentos vinílicos que substituem madeira,

porcelanato que substitui a extração de pedra natural e vegetação apropriada para ambientes internos e sombra.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/


Showroom em Destaque

COZINHA DONA BENTA - VINÍCIUS FERREIRA

A Cozinha Dona Benta é inspirada no resgate de elementos naturais, fazendo uma releitura das bancadas

de cozinhas tradicionais, com espaços integrados. A harmonia é essencial para receber convidados.

Os tons mais escuros e terrosos, unificados com estruturas metálicas, tornaram o espaço moderno e

arrojado, indo além da funcionalidade. Os detalhes remetem ao passado, às emoções vividas através dos

sentidos. Na identidade olfativa do ambiente, a baunilha desperta as memórias do bolo da vovó.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras/

18

MEU LUGAR NO MUNDO - CARLOS OTÁVIO ARQUITETURA & INTERIORES

Como um refúgio urbano, o loft é inspirado em um casal cosmopolita que vive entre dois países. O ambiente

simboliza o acolhimento e a afetividade do lar, unindo as necessidades do homem contemporâneo a

elementos naturais, como a pedra, a madeira, a palha e o metal, associando modernidade com regionalismo.

As peças de design se unem à arte cearense, com o diferencial do artesanato regional, que advém da palha

da Carnaúba, em equilíbrio com o mobiliário solto, criando um cenário tipicamente cearense.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


ELEMENTS PROFISSIONAL - BÁRBARA SALLES

O mundo contemporâneo inspirou a arquiteta estreante Bárbara Salles para criar o espaço 3 Elements - terra, água e

ar. Com um banheiro conceitual bem ousado e criativo, promete levar o público a um estado meditativo, com intuito

de acionar o consciente e trazê-lo para o momento atual. Ao adentrar no ambiente de 25m², o visitante se depara com

uma atmosfera lúdica, que tem como ponto central a arquitetura sinestésica, que estimula percepções por meio de

diversas sensações, elevando o bem-estar e contribuindo para o autoconhecimento.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

19

SUÍTE HARD ROCK HOTEL - ALEXANDRE MATOS

O espaço é uma apresentação da suíte do empreendimento. A arquitetura é pensada para encantar,

apresentando uma mistura da marca com o regionalismo, tornando cada espaço um ambiente único,

gerando uma experiência diferente a cada momento, com conforto, exclusividade e sofisticação.

Texturas e paleta de cores se destacam, além do design, em harmonia com a atmosfera do local,

tornando o ambiente familiar e propício para o desfrute dos equipamentos do hotel.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


Showroom em Destaque

20

RAÍZES - ADELINA FEITOSA E MANUELA CIDRÃO

Com o conceito de resgate das raízes cearenses, o espaço une arquitetura, paisagismo, sustentabilidade,

música e poesia. Uma moderna aldeia em estrutura metálica, coberta por uma sofisticada trama feita de

palha de carnaúba, pousa sob um espelho d’água. Os visitantes podem contemplar o jardim acomodados em

uma jangada cedida por uma colônia de pescadores. Almofadões e redes proporcionam uma experiência na

grande aldeia, ao som de pássaros do sertão. A aposta é o fortalecimento da memória afetiva local.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


CASA NINKASI - BAR DO AUSTIN - AFONSO TOMODA

O ambiente, que abriga o Bar do Austin, foi inspirado na deusa Ninkasi, deusa do álcool, criada para satisfazer o desejo e saciar o coração.

A construção sustentável tem como materiais aço, placas de dry wall, pedra e piso, dando um toque industrial ao projeto. A árvore da

casa compõe o ambiente suspenso, transmitindo a ideia de um bar flutuante. A iluminação intimista garante aconchego e a fachada

chama atenção pela estrutura em balanço. As janelas desconectadas atrás do bar, com vegetação enquadrada, garantem frescor.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

TERRAÇO AURORA PROFISSIONAL - BC ARQUITETURA

Inspirada pela poética contemporânea e minimalista que norteia o novo

morar, a dupla Bruno Carvalho e Camila Avelar assina o espaço de 130m²

(metros quadrados) que segue uma narrativa delicada. Definido como

uma experiência sensorial, o projeto esbanja design assinado, assim

como intervenções artísticas e um incrível pé direito de 7m (metros).

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

21


Showroom em Destaque

ENTRE NOUS - ANA CÁCERES, FEDERICO MALLÉN, MARÍA

JOSÉ ALFARO E MARÍA JOSÉ PEÑA

Os elementos clássicos são reescritos com um olhar

contemporâneo, sem perder sua elegância essencial. Materiais

atemporais, como a madeira, são responsáveis pelo efeito,

assim como os tapetes artesanais e as mesas, feitas com

pedaços de tronco, obras de um artista paraguaio.

Foto: Negib Giha/Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

22

LOFT REFÚGIO PROFISSIONAL - CONSUELO JORGE

Um projeto único, onde o conforto e a natureza se encontram e o bem-estar

alinha-se ao design, proporcionando sensações únicas em um espaço elegante

e acolhedor. Essa é a proposta de Consuelo Jorge para o Loft Refúgio. Os 101m²

(metros quadrados) oferecem uma atmosfera sofisticada e calorosa.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


LOUNGE DO PUBLISHER - ROBERTO PAMPLONA JR.

Em homenagem aos 10 anos de atuação de Adriano Nogueira como editor e jornalista, à frente da

revista Tapis Rouge, o lounge foi criado para receber convidados e visitantes, com uma locação

diferente: o grande living é embaixo de frondosas árvores do local, com seus troncos sinuosos que

parecem esculturas. O piso ganha cobertura de tapetes persas, caucasianos, Kilim, nos mesmos tons.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

23

COZINHA DE ORIGEM - ANA VIRGINIA FURLANI

O ambiente é um resgate de todas as cozinhas que a arquiteta carrega na

memória, com elementos que fazem referência a essas lembranças. O mobiliário

de cozinha é à mostra, permitindo que o chef veja tudo que está disposto nas

prateleiras e estantes. No mobiliário solto, poucas porém marcantes peças.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


Showroom em Destaque

HOME OFFICE DA FAMÍLIA PROFISSIONAL - FERNANDA MOREIRA LIMA

Leveza e acolhimento são as palavras que definem o trabalho da arquiteta em sua primeira participação na

mostra. Um ambiente para fazer a transição entre as áreas social e íntima, e acomodar todos os membros

da família, em diferentes momentos, mas sempre de forma acolhedora, leve, alegre e luminosa.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras

24

OÁSIS TROPICAL - THIAGO BORGES

O contato com a natureza é o ponto-chave do ambiente, que

tem como elemento principal a piscina natural. Da tamareira

se destaca no jardim desenvolvido com plantas tropicais, assim

como o lounge, que pode ser utilizado para contemplar o local.

Foto: Casacor

Informações: https://casacor.abril.com.br/mostras


26

Entrevista


Guilherme Correa

Stamato

A vez da madeira

engenheirada

Fotos: ilustrativas

O

riunda de uma matriz regenerativa da cadeira florestal, a

madeira engenheirada vem ganhando espaço no mercado

da construção civil brasileira. Esse material permite

construções em larga escala com prazos reduzidos e sem desperdício

de recursos. Trata-se de um produto tecnológico obtido

a partir de matéria-prima ancestral, leve e de baixo impacto

ambiental, mas que não abre mão da resistência e precisão. Para

falar do panorama deste produto em âmbito nacional e mundial,

o especialista no assunto e engenheiro civil da Stamade - Projeto

e Consultoria em Madeira, Guilherme Corrêa Stamato, conversou

com a Produtos de Madeira e trouxe sua visão sobre as

oportunidades e os entraves deste ramo no país. Confira:

27


Entrevista

28

Como enxerga o atual panorama do

setor de madeira engenheirada no

Brasil?

O Brasil está começando a vislumbrar

uma crescente demanda de produtos

engenheirados de madeira, que

está se mostrando como tendência

mundial de alternativa para a construção

civil. Temos no Brasil diversas iniciativas

positivas de projetos de edifícios

a novas empresas surgindo com o propósito

de desenvolver produção, montagem

e comercialização de edificações

utilizando madeira engenheirada como

uma das principais soluções. Como

esse tipo de construção não é parte da

cultura recente dos brasileiros, existem

algumas barreiras a serem transpostas

nos próximos anos. A primeira é a técnica

e normativa, que já está bastante

avançada com a revisão de normas de

projeto de estruturas de madeira e de

normas para construção em wood frame

junto à ABNT (Associação Brasileira

de Normas Técnicas).

Em seguida devemos trabalhar as

barreiras de órgãos fiscalizadores e

financeiros, apresentando as soluções

técnicas de acordo com as normas e

comprovando a eficiência dessas soluções

segundo os critérios aprovados.

Cabe ressaltar que no Brasil já está

em vigor há alguns anos uma norma

para desempenho de edificações

residenciais, que se aplica a todas as

construções, ou seja, às construções

de alvenaria, de concreto, de madeira,

etc. Destaco que as construções em

wood frame, por exemplo, já comprovaram

que atendem esses critérios de

desempenho há alguns anos, como é o

caso da Tecverde, que tem seu DATec

(Documento de Avaliação Técnica) com

essas comprovações, o que a capacita

a buscar financiamentos para suas

construções em wood frame. Teremos,

por último, que trabalhar a barreira cultural,

com os consumidores finais, que

pelo que temos observado não é uma

barreira difícil, pois as vantagens do desempenho

dessas construções são evidentes.

Obviamente é necessário um

trabalho mais abrangente para divulgar

essas vantagens. Creio que teremos

também os mesmos percursos para

as construções mais verticais, para os

edifícios nos sistemas denominados de

madeira massiva, ou seja, os edifícios

de 10 a 20 andares com pilares e vigas

de MLC (Madeira Laminada Colada)

ou de LVL (Madeira Microlaminada) e

pisos e paredes de CLT (Madeira Laminada

Colada Cruzada), que ainda estão

sendo avaliados quanto ao desempenho,

mas que pela experiência do que

já foi desenvolvido em diversos países,

não terão dificuldades em atender ao

desempenho necessário.

Acredita que o setor pode se aproveitar

da recente onda sustentável

para tentar implantar mais iniciativas

com CLT na construção civil?

Pessoalmente acredito que esse

deveria ser o principal motivo para uma

migração dos sistemas construtivos

atuais para os que utilizam madeira

como matéria-prima. Temos conhecimento

do quanto a construção civil

convencional é poluente e emissora de

gases de efeito estufa. Ao mesmo tempo,

entendo que a melhor forma de dar

valor para a floresta é dar valor para

seus produtos. É significativo observar

que os países que mais se desenvolvem

no uso da madeira como solução

estrutural, também são os países mais

proeminentes na proteção ambiental,

tais como Canadá, Suécia, Finlândia,

Áustria, entre outros. Vejo no mercado


asileiro que as vantagens de sustentabilidade

não são precificadas, ou seja,

não se atribui valor a essas vantagens

que possam ser ponderadas ao compor

um orçamento de uma construção.

Sendo assim, hoje esse serve mais

como um critério de desempate do que

de valor. Porém, o que tenho observado

nessa onda de evolução recente do

uso da madeira é que outros benefícios

de usar a madeira com alta tecnologia

é que tem impulsionado seu uso, além

das questões de sustentabilidade.

Junto dessa onda de sustentabilidade,

existe também uma onda muito

grande de busca por eficiência do processo

produtivo, que para a construção

civil em geral é muito baixa. Buscando

reverter essa baixa produtividade, muitos

países e muitas empresas estão se

desenvolvendo no conceito de off Site

Construction, que significa aumentar as

atividades da construção fora do canteiro

de obra, dentro de um ambiente

de fábrica, com muito mais controle

de qualidade, livre das variações de intempéries

e com grande possibilidade

de automação dos processos. Nesse

conceito, os componentes precisam

apresentar características como boa

relação leveza e peso, trabalhabilidade,

precisão, entre outras. O concreto, por

exemplo, apesar de ser bastante versátil,

tem uma relação de peso/resistência

muito ruim se comparada com a madeira

e o aço. Assim, para o transporte e

içamento de peças estruturais, paredes

de concreto se tornam mais onerosas

que as de madeira. Nesse caminho,

também é importante destacar a grande

evolução tecnológica que o processamento

da madeira tem passado,

chegando a altos índices de precisão,

de velocidade e de qualidade. Tudo isso

fundamentado na aplicação de tecnologias

como softwares de projeto em 3D,

centros de usinagem automatizadas

por comando numérico, sistemas de

rastreamento de peças, entre outros,

que elevaram a madeira a um patamar

de produto de alta tecnologia agregada.

Essa tem sido a principal onda que

está impulsionando o uso de produtos

engenheirados de madeira em muitos

países.

Por que ainda não vemos muitas

iniciativas construtivas com madeira

engenheirada no país? Falta

incentivo ou tecnologia para o setor

brasileiro?

Culturalmente nosso país não olhava

para a madeira como um material

onde se poderia empregar tecnologia.

A visão geral é de uso da madeira como

um produto extrativista. Felizmente tivemos

bons exemplos por muitos anos,

produzindo madeira laminada colada

principalmente. Mas esses exemplos

foram muito pontuais e não foram capazes,

sozinhos, de mudar uma cultura.

O momento agora é outro, pois novas

empresas estão surgindo já com foco

na geração de negócios focados no uso

de madeira engenheirada.

Como a madeira não tinha essa

bagagem tecnológica e como o setor

madeireiro não apresenta uma organização

setorial focada na construção civil,

como é o caso do cimento e do aço,

também nunca houve ações em busca

de incentivo ao uso da madeira, ou incentivo

ao investimento em tecnologia

para o parque fabril, ou mesmo para o

desenvolvimento de novas tecnologias.

Alguns países como França, ou mesmo

o Chile, tem tido ações governamentais

para estimular o uso da madeira na

construção civil e consequentemente

aumentar o consumo de materiais que

sequestram carbono em substituição

aos que emitem. Outro ponto importante

a ser trabalhado no âmbito de

incentivo governamental refere-se à cadeia

produtiva da madeira, que é muito

mais pulverizada em pequenos produtores

do que aço e concreto, além de

estar presente em todas as regiões do

país, e não limitado à jazidas minerais

que não estão presentes em todo o

território nacional. Estímulos à setores

com essas características tendem a ser

mais eficientes, com resultados para

as economias locais mais abrangentes

e criando um círculo virtuoso mais

interessante do ponto de vista social,

econômico e ambiental.

Recentemente, participou de lives

promovidas pelo WCTE (World Conference

on Timber Engineer) sobre

madeira engenheirada. Como foi a

recepção do público?

O público do WCTE já é um público

Guilherme Correa Stamato

Foto: divulgação

29


Entrevista

30

focado em pesquisas e desenvolvimento

das estruturas de madeira. Para

esse público, as novas tecnologias de

produtos engenheirados de madeira

representa um desenvolvimento científico

e evolução dos trabalhos que muitos

já estão acompanhando, ou mesmo

desenvolvendo. Mesmo assim, é muito

estimulante para todos que pesquisam

nessa área assistir palestras apresentando

aplicações grandiosas desse conhecimento

em edificações reais.

Qual é a importância de eventos

como esse para a disseminação

de informações sobre o tema no

Brasil?

Essa foi a primeira edição de lives do

WCTE, que deveria ter sido realizado

em agosto passado, desta vez no Chile,

mas devido à pandemia do Covid 19, a

edição presencial teve que ser adiada

para 2021. Como forma de preencher

essa data em que estava previsto o

evento presencial, criaram o evento virtual.

Já participei de 4 outras versões,

presenciais, e vejo que as lives perdem

a interação humana e de relacionamentos

presenciais, mas considero

que esse formato deveria ser adotado

para eventos mais frequentes, pois

proporcionam uma grande difusão de

conhecimento a custos muito baixos.

Esses eventos são muito importantes

para divulgar os avanços científicos e

tecnológicos, mas geralmente o público

desses evento já é representante

da comunidade que está envolvida nos

desenvolvimentos com a madeira.

Além desses, é muito importante

que as soluções tecnológicas com produtos

engenheirados de madeira sejam

apresentadas em eventos que tenham

como público o setor de construção

civil de forma geral, como congressos

de construção, feiras do setor de construção,

de incorporação e de venda

imobiliária, levando esse conhecimento

e dando credibilidade para as construções

tecnológicas com madeira.

O que o Brasil pode aprender com

outros países, como os da América

do Norte e Europa, que já possuem

larga experiência neste segmento?

Devido a falta de investimento no

setor de madeira para a construção

civil, o Brasil é historicamente um consumidor

de tecnologias para colheita,

desdobro e beneficiamento de madeira.

Certamente isso vai ocorrer também

com as tecnologias de produção de

produtos engenheirados. É interessante

observar aqui que no caso de MLC,

CLT e wood frame, os países europeus

estão na ponta de desenvolvimento

de tecnologias, bastante à frente da

América do Norte inclusive, e que re-

comendaria como referência na busca

por tecnologias para impulsionar o uso

da madeira na construção civil. Considerando

como benchmark países como

Alemanha, Áustria, Suíça, Suécia, Finlândia,

França, etc, o Brasil precisa dedicar

bastante energia para a qualidade

da madeira, desde a floresta e colheita,

até o controle de qualidade final, precisão

nas dimensões, e, principalmente,

investindo em tecnologia e modernizando

nosso parque industrial.

Quais são as vantagens da madeira

na construção de edifícios, quando

comparada com o método de alvenaria?

As novas tecnologias de produtos

engenheirados de madeira, com peças

de grandes dimensões e possibilidade

de usinagem com precisão milimétrica

permitem a industrialização da estrutura

e consequentemente um grande

ganho de produtividade na montagem

das estruturas. Como os projetos já são

feitos por softwares que usam a plataforma

BIM, a previsibilidade desse tipo

de construção é muito maior que as

de sistemas construtivos moldados no

canteiro, resultando em assertividade

muito maior nos custos e nos prazos.

Do ponto de vista de desempenho, a

madeira apresenta propriedades térmicas

e acústicas muito boas, por não ser


AS NOVAS TECNOLOGIAS

DE PRODUTOS

ENGENHEIRADOS DE

MADEIRA PERMITEM

A INDUSTRIALIZAÇÃO

DA ESTRUTURA E

CONSEQUENTEMENTE

UM GRANDE GANHO

DE PRODUTIVIDADE

NA MONTAGEM DAS

ESTRUTURAS

Dentro desse crescimento do setor

de madeira nos últimos anos, qual

é a importância da qualidade da

madeira tratada para o desenvolvimento

da cadeia?

O crescimento do uso da madeira

em estruturas só está acontecendo

devido à aplicação de inúmeras tecnoum

transmissor térmico ou sonoro. Um

ponto muito interessante na construção

com grandes elementos de pilares

e vigas de MLC e lajes e paredes de CLT

está no desempenho em situação de

incêndio, que tem se mostrado muito

superior ao concreto e ao aço, quando

dimensionado adequadamente. Isso

se dá devido a um comportamento

conhecido da madeira em incêndio,

onde a superfície exposta carboniza de

forma lenta, mas as regiões internas

se mantem com baixas temperaturas

e com alta resistência. Por último, um

conceito muito valioso que vem sendo

estudado é o de biofilia, que trata dos

benefícios para o ser humano em ter

contato com materiais naturais, como

a madeira, em suas edificações. Essas

vantagens podem se converter em

melhora na saúde e no bem-estar dos

usuários do edifício.

Quais são as expectativas do setor

para o crescimento da madeira

engenheirada no Brasil para os próximos

anos?

A forma de usar a madeira em estruturas

já começou a mudar no Brasil, já

são inúmeros exemplos de estruturas

concebidas e executadas com as novas

tecnologias, entre elas estão condomínios

de prédios de 4 pavimentos

montados com painéis pré-fabricados

de wood frame, escolas utilizando MLC,

edifícios de 3 pavimentos utilizando

MLC e CLT, novas indústrias sendo

implantadas, novas startup’s sendo

criadas com foco na construção de

edifícios em madeira, etc. Com esse

crescimento da demanda, acredito que

haverá uma nova onda de investimento

em fabricação de produtos engenheirados

de madeira, onde essa demanda

poderá direcionar também a silvicultura

para que a matéria-prima seja conduzida

para essa finalidade estrutural.

Considerando o rápido crescimento da

construção com madeira massiva pelo

mundo, criando uma expectativa de

demanda por produtos engenheirados

nunca visto, estimulando o surgimento

de inúmeras fábricas ao redor do

planeta, aliado a todo o potencial do

Brasil para a produção de madeira, pelo

seu clima, sua extensão e pela estágio

avançado da silvicultura brasileira,

atualmente com foco na produção de

celulose, papel e painéis, acredito que

o Brasil pode se tornar um dos grandes

fornecedores de produtos engenheirados

para o mundo nas próximas

décadas.

logias para garantir a competitividade,

a segurança e a durabilidade das construções.

São itens fundamentais para

norma de desempenho de edificações

para residências (NBR 15.575), segundo

a qual uma edificação residencial tem

que ter uma vida útil de projeto de 50

anos, independente do material de

que ela é feita. Isso torna essencial a

qualidade do tratamento da madeira

para garantir essa durabilidade. Devemos

ressaltar que vivemos em um país

de dimensões continentais, com uma

enorme biodiversidade e consequentemente

uma grande infinidade de espécies

de organismos xilófagos, cuja ação

é totalmente indesejável para as estruturas

de madeira. A publicação da NBR

16.143 em 2013 proporciona um embasamento

técnico para a especificação

dos tratamentos adequados para cada

categoria de uso. Porém, além da norma

de especificação, é necessário que

todos os procedimentos do tratamento

sejam aplicados corretamente para que

a madeira esteja efetivamente tratada

com a concentração correta dos ingredientes

ativos para proporcionar a

durabilidade pretendida. Desta forma,

a qualidade da madeira tratada é essencial

para garantir a confiabilidade do

sistema. Somente com qualidade em

todos os elos da cadeia é que podemos

garantir um crescimento sustentável

do uso de sistemas construtivos com

madeira engenheirada.

31


32

Medida Certa


Casa

nômade

ESTÚDIO DE DESIGN DE INTERIORES CRIA

ALTERNATIVA VERDE E MODERNA PARA HOME OFFICE,

TENDÊNCIA DURANTE A PANDEMIA

Fotos: divulgação

33

D

e acordo com estudo realizado

pela FIA (Fundação de Instituto

de Administração), 46%

das empresas adotaram o home office

como alternativa para continuar a produtividade

durante a pandemia. O isolamento

social, imposto desde março,

também deu asas às ideias dos profissionais

de decoração de interiores, que

viram no novo perfil dos consumidores

uma oportunidade de criar novas possibilidades

de morar e trabalhar. Mesmo

após o fim da pandemia, o home office

deve continuar a ser realidade para

muitos brasileiros.

De olho nessa tendência, que fez

o foco voltar para casa, as designers

de interiores Linda Cris Araújo e Linda

Martins, do Maraú Design Studio, projetaram

a Casa Nômade para a mostra

Janelas Casacor/Santa Catarina, em

Balneário Camboriú. “Fomos forçados

a viver intensamente a nossa casa e

acabamos descobrindo todos os cantinhos,

mudar detalhes e móveis que

não nos agradavam e imaginar novos

espaços. Mudamos a forma como consumimos,

como vivemos e como nos

relacionamos com o nosso lar”, filosofa

Cris Araújo.

Com 25m² (metros quadrados), a

Casa Nômade contempla um espaço

multifuncional de cozinha, living, estar

e escritório. A estante atende diferentes

demandas do morador com pia,

fogão, frigobar, forno e bar, além de

ser utilizada como decoração do ambiente.

A escrivaninha é móvel e pode

ser usada próxima à estante ou no

sofá. O mobiliário solto, que priorizou

materiais naturais, como a madeira, foi

pensado para ser prático e híbrido, ou


Medida Certa

seja, um mobiliário com múltiplas funções,

leve para ser movimentado e com

medidas que permitam a variação de

layout. O design biofílico se apresenta

nas plantas que trazem vida para dentro

de casa.

Na cor off white, o sofá se transforma

em cama. Em frente, o aparador em

mármore recebe uma lareira a álcool,

que não agride o meio ambiente e não

necessita de instalações, podendo ser

mudada de local conforme necessidade.

As paredes verdes revestidas por

painéis de madeira, que funcionam

como molduras feitas, contrastam com

os tons de cinza e cru do espaço e recebem

duas obras da artista e arquiteta

Camila Saavedra, conhecida influencer

com o perfil no instagram Arquitetura

em Destaque.

“Criamos um layout com móveis

soltos que serão mudados semanalmente

para mostrar como podemos ter

diferentes ambientes na casa. Temos

também o nosso boneco Oscar que

estará nesses diferentes cantinhos que

criamos”, explica Linda Martins.

Criado em 2016, o Maraú Design

Studio é fruto dos sonhos das irmãs e

sócias Linda Martins e Linda Cris Araújo,

que decidiram criar um novo espaço,

um estúdio de criação para desenvolver

projetos autorais e cheios de conceitos.

Desde sua abertura, o Maraú já projetou

6 ambientes na mostra Casacor e

conquistou vários prêmios nacionais e

internacionais.

A mostra Janelas já passou por

quatro shoppings de Santa Catarina,

entre eles o Balneário Shopping, Neumarkt

Shopping (Blumenau), Nações

Shopping (Criciúma) e pelo Continente

Shopping (Grande Florianópolis). E,

pela primeira vez, o elenco desta edição

especial e histórica contou com

nove escritórios convidados.

PREFEITO

COMEMOROU A

BOA RECEPÇÃO

DA OBRA, QUE

CONTOU COM

UMA PARCERIA

COM A INICIATIVA

PRIVADA, A

PARTIR DOS

TRABALHOS DE

UMA EMPRESA DE

PORTO ALEGRE

34


36

Urbanismo


Mobilidade

sustentável

Fotos: divulgação

37

MUNICÍPIO DO PARÁ INVESTIU NA REFORMA

DE PONTE PARA ECONOMIZAR RECURSOS E

INVESTIR EM ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS


Urbanismo

A

prefeitura da cidade de Chaves,

no interior do Pará, inaugurou

recentemente a nova

Ponte Grande, rebatizada de Travessia

Lazarino Sousa dos Santos, como parte

do projeto de revitalização da Vila Bacuri,

vilarejo localizado no entorno do

município. Sobre o Rio Bacuri, a edificação

foi totalmente reestruturada e teve

suas cabeceiras aterradas com cerca de

2 mil m³ (metros cúbicos) de terra.

A ponte, que antes possuía 185

metros de extensão, foi diminuída para

reduzir custos e facilitar a manutenção

do local. Para a construção, a prefei-

tura contou com a doação de 10 m³ de

madeira tratada de pinus, que também

deve ser utilizada em outras obras

públicas. Conjuntamente, foi entregue

também uma passarela de madeira,

para facilitar a travessia da região.

Segundo o prefeito Bira Barbosa,

as obras devem continuar até o fim

do mandato, em dezembro de 2020.

“Além da reestruturação e reforma da

Ponte Grande, os moradores também

foram beneficiados com a construção

de uma ponte nova de 25m (metros) e

com a recuperação de uma segunda,

próxima a duas escolas. Ao todo, são

AO TODO, SÃO

20 MIL METROS

LINEARES

DE PONTES

CONSTRUÍDAS NA

ZONA RURAL DO

MUNICÍPIO

38


O PINUS TRATADO

É UMA MADEIRA

QUE PASSA POR UM

TRATAMENTO PARA

TORNAR O PRODUTO

MAIS RESISTENTE

À ATAQUES DE

FUNGOS E INSETOS

39

cípio”, acrescentou Bira Barbosa.

A reforma, realizada pela Prefeitura

Municipal, por meio da Secretaria de

Infraestrutura, com recursos próprios e

com a doação de madeira pela SEMAS

(Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade

do Governo do Estado do

Pará), levou cerca de três meses para

ficar pronta.

Segundo André Ribeiro, pedreiro e

morador da vila há 50 anos, a reestruturação

deixou a ponte mais resistente

à ação do tempo, além de garantir o

deslocamento de nós, moradores, com

segurança.”

O professor Leonardo Ferreira,

de 44 anos, relembrou que a primeira

estrutura foi construída em 1952 e recebeu

diversas reformas no decorrer de

46 anos. “É uma nova ponte. Mudou

20 mil metros lineares de pontes construídas

na zona rural do município”,

ressalta o chefe do executivo.

O trapiche da vila também recebeu

obras de reforma e duas pontes

pequenas foram substituídas por aterramento

com colocação de manilhas

de cimento, para escoamento da água.

Tudo com a utilização da madeira,

material sustentável e renovável. A

matéria-prima teve custo zero ao município,

já que se tratou de uma doação à

prefeitura.

“Sabemos do constante debate sobre

as medidas sustentáveis no mundo

de hoje e a prefeitura de Chaves não

pensa diferente. Fomos conscientes

tanto financeiramente quanto no âmbito

da natureza. Essa madeira ajudará a

vida de muitas pessoas do nosso munitudo,

foi reestruturada e está segura,

garantindo o deslocamento dos moradores

da localidade”, afirma.

Para a professora Dalira Oana F.

dos Santos, diretora do Polo Sede Entorno,

“a nova ponte vai trazer para a

Vila uma nova evolução na infraestrutura

das obras na nossa vila. A primeira

fase da obra já está pronta. Que a próxima

gestão possa trazer o calçamento

com bloquetes, concluindo, assim, a

segunda fase da obra.”

O pinus tratado é uma madeira que

passa por um tratamento para tornar

o produto mais resistente a ataques de

fungos e insetos (cupim, brocas, carunchos).

Esta condição proporciona maior

resistência e durabilidade da madeira

também diante de condições naturais,

como exposição ao sol e à chuva.


Principal

Reconhecimento

e tradição

40

Foto: divulgação


PIONEIRA NO MERCADO DE

TRATAMENTO DE MADEIRA,

A CBI MADEIRAS, POSSUI UMA

DAS USINAS MAIS MODERNAS DA

AMÉRICA LATINA

A

CBI Madeiras é uma das mais

antigas e tradicionais Usinas de

Tratamento de Madeira do Brasil

e é considerada uma das usinas mais

modernas e seguras da América Latina.

É pioneira e grande responsável pela

criação, no sudeste de Minas Gerais, do

maior e mais próspero polo de madeira

tratada ou madeira para tratamento do

Brasil.

A criação deste polo madeireiro,

conhecido em todo o país como Madeira

de Capelinha, tem trazido para toda a

região um grande, sólido e sustentável

desenvolvimento, gerando empregos,

impostos, valores e oportunidades diretas

e indiretas para o setor.

A região de Capelinha, também

conhecida como Chapada de Minas,

possui grandes áreas de chapadas, com

altitudes em torno de mil metros, com

um clima muito ameno, boa insolação

e bons índices pluviométricos, ótimo

para a produção de eucaliptos de muitas

variedades e finalidades, e é o berço de

uma variedade muito especial para tratamento,

o Eucalipto Cloeziana.

A CBI Madeiras possui nesta região,

fazendas próprias de reflorestamento.

Os cuidados com as florestas destas fazendas,

iniciam-se no preparo das terras;

na escolha das melhores variedades; das

mudas especiais aos espaçamentos adequados;

dos tratos culturais à condução

das árvores, da seleção para as diversas

aplicações, até a colheita e secagem.

Enfim, estes cuidados envolvem todos

os processos, possibilitando, assim,

transferir à sua usina a melhor e mais

41


Principal

especial matéria-prima, para os passos

industriais seguintes.

Possui uma estrutura verticalizada,

que vai do plantio das mudas à entrega

do produto final a seus clientes. Para tanto,

possui frotas próprias de máquinas,

veículos, equipamentos, caminhões e

pessoal especializado, garantindo desta

forma segurança, qualidade e pontualidade

em todas as etapas.

A CBI Madeiras é filiada as principais

associações de preservação de madeira

do país.

Tem também um contrato que é mais

um dos autocontroles de qualidade em

todas as etapas, formalizado através da

importantíssima parceria com a Koppers,

maior empresa do planeta no fornecimento

de produtos para o tratamento de

madeira, sendo a única companhia que

possui este contrato com a Koppers, fora

dos EUA (Estados Unidos da América).

O Diretor geral da divisão brasileira

da Koppers, Luiz Eduardo Silva, explica

que, por se tratar de uma instituição

centenária, a Koppers é criteriosa na

escolha de parceiros.

“A CBI Madeiras tem uma característica

muito interessante e positiva: pela

filosofia de seu diretor, Paulo Maciel, eles

têm uma preocupação com a parte produtiva

e com a honestidade na relação

com o cliente. Na floresta, a CBI planta

a madeira corretamente, respeita os

processos de secagem e de preparação.

Conheço a empresa desde a década de

1990, então é natural que a Koppers

escolhesse a CBI para um contrato deste

formato. Além de tudo isso, a CBI é nosso

cartão de visita, quando queremos mostrar

o padrão de qualidade da Koppers”,

garante Luiz.

Mas a que se deve a excelência da CBI

Madeiras no mercado de tratamento? Segundo

Luiz, a resposta é simples, mas sua

execução é sofisticada: a moderna usina

A CBI POSSUI O

ATESTADO DO

SELO QUALITRAT

OURO, SENDO

A PRIMEIRA E

ÚNICA EMPRESA

BRASILEIRA A

POSSUIR TAL

HONRARIA

42

Foto: divulgação


de tratamento da CBI não é apenas atualizada

para os padrões brasileiros, mas

também é referência para o segmento

em todo o mundo.

“Nós auxiliamos a CBI nesse ambicioso

projeto, com sugestões, informações

e com visitas técnicas aos EUA. Além

disso, o local possui o primeiro sistema

de automação de usina de tratamento,

exclusividade da Koppers no mundo

todo”, explica.

Trata-se de um sistema integrado,

específico para usinas de preservação

de madeira, guiado por computador,

integrado a um laboratório de qualidade,

que avalia o trabalho técnico e atesta a

qualidade. A usina possui gestão compartilhada

da Koppers, com todo o apoio

técnico dado pela central da empresa

americana.

ESTRUTURA

Engenheira responsável pelo controle

de qualidade da CBI Madeiras,

Tamarah Lauar Rocha, conta que a usina

possui dois laboratórios completos e altamente

modernos. “No laboratório de

análises mecânicas, são realizadas todas

as análises referentes à resistência do

material. Nesse espaço, somos capazes

de realizar análises como resistência à

flexão, torção, torque nos parafusos,

análise dimensional, entre outras. Já

no nosso laboratório de análises físico-

-químicas, um dos mais modernos do

setor, realizamos todas as análises pré e

43

Foto: divulgação Foto: divulgação

pós tratamento. Essas análises são fundamentais

para a qualidade do produto

final, como: umidade laboratorial, densidade

do material, retenção, penetração,

concentração da solução, entre outras.

Ter essas estruturas na nossa empresa

nos permite dar maior segurança para o

cliente, garantindo qualidade e durabilidade”,

revela.

Foto: divulgação

SELO QUALITRAT OURO

Outro diferencial da CBI é que possui

o atestado do selo Qualitrat Ouro, sendo

a primeira e única empresa brasileira a

possuir tal honraria. O Selo Qualitrat é um

programa de autorregulamentação da

ABPM (Associação Brasileira de Preser-


Principal

vadores de Madeira), monitorado pelo

IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas)

e pelo Instituto Totum, que garante

qualidade e legalidade ao consumidor

da madeira tratada. A CBI hoje é referência

no mercado, por oferecer novas

soluções, excelência em qualidade,

segurança e bom atendimento. “O selo

Qualitrat funciona como uma ISO para

o nosso setor. Ele representa para o

mercado quais são os fornecedores que

se comprometem com boas práticas. Por

ser Ouro, somos auditados anualmente,

recebendo em nossa fábrica auditores

especializados, muitas vezes do próprio

IPT, que analisam toda documentação

necessária e as práticas envolvidas nos

processos. Para o setor de engenharia

da empresa, é uma validação de todo o

processo de controle e qualidade, continuamente

aplicados em todos os nossos

produtos”, acrescenta Tamarah.

Foto: Venâncio Souza

44

Foto: Venâncio Souza Foto: Venâncio Souza

A CBI MADEIRAS

É FILIADA ÀS

PRINCIPAIS

ASSOCIAÇÕES DE

PRESERVAÇÃO DE

MADEIRA DO PAÍS

OUTROS DIFERENCIAIS

O diretor comercial da CBI Madeiras,

Ângelo Dario de Aguiar Andrade, analisa

que a empresa possui uma gestão e

produção verticalizadas, o que consegue

propiciar ao mercado produtos

inovadores, sustentáveis e com preços

bastante competitivos. “A CBI Madeiras

mantém suas próprias fazendas, que são

exclusivas para o atendimento de nossos

clientes. Desde a produção, passando

pela logística, tratamentos, vendas, financiamentos

até a entrega aos nossos

revendedores e consumidores finais.


Foto: divulgação

45

Foto: divulgação Foto: divulgação

Tal processo consiste na condução por

parte da empresa de toda a cadeia de

produção, trazendo economia e melhor

aproveitamento em cada uma das

etapas, o que proporciona um produto

final confiável e competitivo”, destaca

Ângelo.

Entretanto, mesmo a liderança de

mercado não acomoda a diretoria da

CBI Madeiras. Para os próximos anos, a

empresa visa expandir suas operações,

sempre com olhar atento às demandas

do cliente e à excelência de atendimento,

maquinário e de produtos. “Tornamo-nos

referência pelo respeito ao consumidor,

aliado a grandes investimentos em

uma usina de tratamento de madeira

totalmente automatizada e de última

geração, com uma equipe treinada e

comprometida, com florestas com material

genético de ponta, equipamentos

novos, ferramentas de gestão eficientes,

manutenção constante de autos controles

e de auditorias contínuas”, finaliza

o diretor comercial da CBI Madeiras,

Ângelo Dario de Aguiar Andrade.


Design

Natureza

e o bem-estar

Fotos: Edgar Cesar

46

NADA MAIS PROPÍCIO PARA UM SPA

QUE UMA ESTRUTURA ACONCHEGANTE,

QUE USA E ABUSA DA MADEIRA COMO

PROTAGONISTA NA DECORAÇÃO


47


Design

48

A

vida urbana e os horários agitados

na rotina podem ser muito

prejudiciais para a saúde daqueles

que ainda não se acostumaram

com a correria da vida moderna. Para

esses indivíduos, locais de contemplação

e descanso são muito bem-vindos

nos finais de semana e em momentos

de desligamento do dia a dia no trabalho.

A busca por tais ambientes têm

crescido exponencialmente nos últimos

anos, por isso o mercado de SPAs e

centros de reabilitação é promissor

para a próxima década. Ao invés de

frequentar clubes, academias ou locais

específicos, a tendência na arquitetura

e na decoração é ter o próprio SPA ou

área de relaxamento em casa.

Focados no bem-estar e na recuperação

da energia, os SPAs são ambientes

que proporcionam tranquilidade,

logo na escolha de cores prevalecem

os tons neutros tanto para as paredes

como para os revestimentos.

Entre os materiais mais presentes

em espaços para relaxamento, está a

madeira que – apesar de não ser a escolha

mais comum na hora de decorar

uma área que pode ser molhada, pode

ser usada para dar um toque natural e

de aconchego ao cômodo.

Um bom exemplo disso é o ambiente

denominado: Pausa; concebido pelo

estúdio Angela Castilho - Arquitetura

de Interiores, com sede em Brasília

(DF), mas com atuação em todo o

Brasil. Pausa, é um espaço dedicado ao

auto-encontro, ao respiro, ao descanso,

a pausa.

O projeto de Angela Castilho e Alex

Rodrigues, apresenta o estilo Wabi-

-Sabi, que busca o encontro com o essencial,

respeita as imperfeições e engrandece

detalhes da natureza. Entre

os elementos, materiais naturais como

pedras na parede, biribas no teto (finos

galhos de eucaliptos e de gravetos do

cerrado), e madeira antiga de descarte.

Destaque para os banquinhos em

madeira feitos por Zulmar Candieiro,

desenhados como uma escultura pelo

artista que é deficiente visual.

Em sua estrutura, grandes peças de

madeira mostram que a natureza é o

alicerce de qualquer vida equilibrada.

A dupla de arquitetos ainda propõe,

de acordo com o gosto do cliente, que

sejam introduzidas no local plantas,

que projetem a ideia de um refúgio,

afastado da vida moderna e caótica.

Samambaias, trepadeiras, capim-limão,

eucalipto são opções para compor a

decoração e otimizar o ar. Por fim, a

dica crucial é dispor toalhas, sabonetes,

sais e outros itens de higiene pessoal

organizados para que estejam sempre

à mão e facilitando o momento de relaxamento

do morador.

EM SUA

ESTRUTURA,

GRANDES PEÇAS

DE MADEIRA

MOSTRAM QUE

A NATUREZA É

O ALICERCE DE

QUALQUER VIDA

EQUILIBRADA


SAMAMBAIAS,

TREPADEIRAS, CAPIM-

LIMÃO, EUCALIPTO SÃO

OPÇÕES PARA COMPOR

A DECORAÇÃO E

OTIMIZAR O AR

49

A arquiteta Angela Castilho, começou

a trabalhar na área tão logo iniciou

a faculdade de Arquitetura no Rio de

Janeiro. Com seu escritório consolidado

em Brasília, atua como arquiteta se

entregando ao desafio de captar dos

clientes os seus desejos e transformá-

-los em realidade. Também desenvolve

projetos como designer de interiores.

Alex Rodrigues cursa Engenharia e

após diversos anos atuando na área de

Arquitetura, adquiriu base de conhecimento

como autodidata, com uma

grande bagagem. Atualmente, os dois

são sócios e parceiros no escritório.


Mercado

Cenário da

madeira

Fotos: divulgação

50

FATORES EXTERNOS E INTERNOS, COMO A

PANDEMIA E O AUMENTO DE CHUVAS, TEM

GERADO PROBLEMAS NO ABASTECIMENTO DE

MADEIRA NO BRASIL - E SEU PREÇO TEM SUBIDO


U

m ano após o surgimento da

pandemia da Covid-19 no Brasil,

o setor madeireiro, assim

como outros segmentos industriais, começa

a sofrer com a falta de oferta de

matéria-prima para diversos setores de

sua cadeia. Uma nova cultura de home

office e de olhar para o próprio lar,

fizeram com que consumidores investissem

na reforma e na modernização

de suas casas - e utilizaram a madeira

como protagonista neste movimento,

seja na compra de móveis, pisos ou de

peças brutas que serviram como instrumento

para o Do It Yourself (faça você

mesmo) de novos e amadores marceneiros

em seus refúgios caseiros.

É o que acredita o CEO da TWBrazil,

Leonardo Puppi. Em entrevista à PRO-

DUTOS DE MADEIRA, ele revelou que

o setor tem sofrido com o aumento

da demanda por madeira e, por consequência,

com os preços mais salgados

de toras de pinus e eucalipto, por

exemplo.

51


Mercado

“Infelizmente é uma reação em cadeia.

Houve um incremento nos preços

da matéria-prima florestal sem precedentes.

Aliado a isso, o preço dos insumos

na indústria madeireira também

cresceram muito além dos índices de

inflação. Aço e produtos químicos, de

origem mineral, como o cobre, cromo e

arsênio, tiveram um reajuste de quase

50% num período de um ano. E impactam

diretamente na indústria de preservação

da madeira”, explica Puppi.

Ele ressalta, inclusive, que outros

fatores, que independem da vontade

do produtor, também têm influenciado

no aumento do preço da madeira. “Felizmente,

durante a pandemia, houve

pouco fechamento de indústrias madeireiras

por contaminação dos trabalhadores.

Mas houve alguns. Além disso,

o que tem ocorrido nos últimos meses

é o excesso de chuvas, que tem dificultado

a extração de toras nas florestas.

Mas isso faz parte do negócio em

determinadas épocas e o setor já está

acostumado com isso”, acrescenta.

O CEO da TWBrazil também salienta

que o preço defasado das florestas de

pinus mais antigas também gerou um

desbalanceamento do mercado brasileiro.

“Aliado a isso, com a indústria

da construção civil no Brasil arrefecida

nos últimos anos, a tora mais grossa

destinada às serrarias não estava tão

demandada. Mas com a previsão de

aquecimento da economia, por motivações

políticas e de saúde pública, aliada

à publicação da “ABNT NBR 16936

– Edificações em light wood frame”, o

preço da tora grossa de Pinus voltou a

ser atrativo. Os investimentos florestais

em Pinus tendem a ter uma valorização

muito grande nas próximas décadas”,

projeta Puppi.

Por outro lado, Juliano Vieira de

Araújo, presidente da ABIMCI (Associa-

52


53

ção Brasileira da Indústria de Madeira

Processada Mecanicamente), não concorda

que os preços de produtos de

madeira subiram durante a pandemia.

Ele afirma que o mercado está estável

e que apenas houve uma readequação

de preços em toda a cadeia produtiva.

“O mercado madeireiro está estável e a

expectativa é de que, ao longo do 2021,

o viés de recuperação e consolidação

do consumo, aliado ao aumento da

confiança do consumidor, permaneça.

A maioria dos produtos de madeira é

de commodities e o mercado é auto regulável

na demanda x preços. É notória

a consolidação das exportações brasileiras

nos últimos anos, fato que se

reforçou em 2020 com o crescimento

importante dos volumes embarcados

pelo Brasil, além da recuperação da

demanda no mercado interno”, explica

Araújo.

Sobre a possível falta de madeira

no mercado, o presidente da ABIMCI

admite que o crescimento do segmento

de base florestal poderia ter sido

maior na última década. “Se olharmos

para os últimos 10 anos, o crescimento

da base florestal plantada foi muito

pequeno em relação às potencialidades

existentes. Certamente poderá crescer

muito nos próximos anos. A consolidação

de políticas públicas e uma maior

participação e investimentos por parte

do setor produtivo serão fatores decisivos

para esse avanço”, acrescenta.

O empresário Marcos Flores, diretor

geral da Terra Sol - Madeiras Ecológicas,

também destaca os problemas

metereológicos com que o setor sofreu

em 2020, além dos atrasos gerados

pela pandemia. “Na nossa região, por

exemplo, choveu por três semanas sem

parar e tivemos também um ciclone

que destruiu muitas florestas de pinus.

Aliado a isso, a alta demanda de matéria-prima

também fez com que o preço

aumentasse muito. No nosso caso, que

trabalhamos com madeira pinus, o preço

médio subiu de R$ 400 para cerca

de R$ 650. É uma grande diferença”,

completa.

“O QUE TEM

OCORRIDO NOS

ÚLTIMOS MESES

É O EXCESSO DE

CHUVAS, QUE

TEM DIFICULTADO

A EXTRAÇÃO

DE TORAS NAS

FLORESTAS”

Marcos Flores, diretor da

Terra Sol Madeiras Ecológicas


Decoração

Apartamentos

compactos

Fotos: divulgação

54

ARQUITETA DE APARTAMENTOS

DECORADOS APRESENTA SOLUÇÕES

CRIATIVAS COM MOBILIÁRIO SOB MEDIDA


A

pandemia causada pela Covid-19

acentuou a maneira que

os brasileiros se relacionam

com sua casa, seja em busca de mais

conforto, praticidade no dia a dia ou

formas de ocupação do espaço. Por

isso, mais do que nunca, o significado

de morar bem não está relacionado ao

tamanho do imóvel, mas às inúmeras

possibilidades que podem ser aplicadas

para trazer a sensação de bem-estar. É

o caso dos apartamentos compactos,

que, cada vez mais, chamam atenção

daqueles que pretendem adquirir um

imóvel com preço mais acessível, já que

a metragem privativa é menor, mas

que não abrem mão do conforto e da

praticidade.

A arquiteta dos apartamentos decorados

da construtora Yticon, Cristina

Cardoso, ressalta que a utilização do

imóvel compacto pode ser ainda mais

surpreendente quando há planejamento.

“Em posse da planta de layout

do apartamento, é possível fazer uma

leitura e indicação do tamanho ideal e

da disposição dos móveis, objetos de

decoração e eletrodomésticos dentro

do orçamento e perfil do morador”,

salienta Cristina.

MÓVEIS SOB MEDIDA

No apartamento decorado do Solar

das Laranjeiras, primeiro empreendimento

da Yticon na cidade de Maringá

(PR), foram aplicadas técnicas como

a utilização de vidros e de móveis planejados,

integrados à disposição da

planta. Segundo Cristina, móveis feitos

sob medida ajudam neste processo,

pois vão possibilitar que o espaço seja

aproveitado ao máximo. “Avaliamos

55


Decoração

sempre o custo x benefício e intenções

futuras do morador, como o desejo de

ter filhos ou trabalhar em casa. Também

consideramos o fato da reutilização

de alguns móveis. Se eles devem

ou não ser usados no novo apartamento.

Porém, para um melhor resultado, é

preciso ser racional e não emocional”,

explica. Além disso, no planejamento

são consideradas o máximo de funções

possíveis aos móveis, tornando-os multifuncionais,

como sofás camas, camas

com gaveteiros, pufes com baú, mesinhas

móveis, portas de correr, entre

outros.

Os apartamentos do Solar das Laranjeiras

possuem 45 m² (metros quadrados)

de área privativa e a arquiteta

explica que os tipos de materiais, bem

como os móveis foram pensados de

forma a não dividirem o ambiente. Foram

escolhidos mobiliários únicos que

56

MÓVEIS FEITOS SOB

MEDIDA AJUDAM

E POSSIBILITAM

QUE O ESPAÇO SEJA

APROVEITADO AO

MÁXIMO


ocupassem toda a extensão da parede

e dessem maior sensação de fluidez

entre os cômodos. “Na sala de estar,

adotamos apenas um sofá maior, em

vez de duas poltronas, para aproveitarmos

todo o espaço sem interrupção”,

explica.

MULTIFUNCIONALIDADE

Já nos quartos, a arquiteta salienta

que preferiu obter mais funções ao

espaço, que vão além de um dormitório.

“No quarto infantil, criamos um

ambiente lúdico e relaxante, onde as

crianças podem brincar, descansar e

estudar.”

A utilização de uma beliche não

convencional possibilitou a colocação

de um closet menor, bem como gavetas

para roupas e prateleiras para brinquedos

embaixo de uma das camas.

Um simples cordão de luz de LED deu

ainda mais charme para o cômodo. “Essas

são ideias que podem ser ampliadas

ou adaptadas de acordo com a necessidade

do morador”, detalha Cristina.

Todas as soluções apresentadas

no apartamento decorado visam, principalmente,

a harmonia e a utilização

adequada do espaço dos ambientes,

com a multifuncionalidade do mobiliário.

No entanto, ela ainda lembra

que medidas mais simples e pontuais

ajudam, e muito, na composição do

apartamento. “Algumas aplicações de

materiais reflexivos, como vidros, espelhos

e pontos de iluminação, podem

transformar completamente o espaço,

pela amplitude visual que causam.

Lembrando que determinados tipos de

pintura (até mesmo artística), texturas

e cores criam ilusões de ótica e dão a

sensação de maior amplitude quando

bem realizadas. Já utensílios domésticos

e caixas organizadoras podem

fazer parte da decoração utilitária”,

exemplifica a arquiteta.

TODAS AS SOLUÇÕES

APRESENTADAS

NO APARTAMENTO

DECORADO VISAM

A HARMONIA E A

UTILIZAÇÃO ADEQUADA

DO ESPAÇO DOS

AMBIENTES, COM A

MULTIFUNCIONALIDADE

DO MOBILIÁRIO


Aqui tem Madeira

58

Ligação com

a natureza

Fotos: divulgação


CONSTRUÇÃO, QUE GIRA EM TORNO DE UMA ESCADA

DE MADEIRA, TRAZ OUSADIA E LINHAS MODERNAS

PARA REGIÃO PERIFÉRICA DE SÃO PAULO

A

construção de escadas de

madeira em casas com dois

pavimentos não é novidade.

Mas essa tradicional ferramenta para

unir dois andares tem se desenvolvido

conjuntamente com as evoluções da

tecnologia. As escadas de madeira

podem apresentar um aspecto próprio

em cada projeto, graças não apenas

às diferentes disposições que podem

ocupar no ambiente, mas também à variação

de cores e texturas proporcionadas

pelas diferentes espécies e cortes

das peças e às diferentes maneiras de

arranjo de degraus.

Um bom exemplo desta adoção

está localizado no bairro Alto da Boa

Vista, na metrópole de São Paulo, longe

do centro da cidade e com seus 535m²

(metros quadrados). Com a calmaria da

região, a construção e a natureza entram

em simbiose tanto entre as áreas

internas quanto nos ambientes externos

da edificação.

O programa de necessidades,

segundo os donos do terreno, era

uma casa que comportasse dois filhos

pequenos, que contemplasse espaços

integrados, incluindo piscina, sauna e

varanda de lazer, além de espaço para

brincar, um atelier e sala de televisão

59


Aqui tem Madeira

60

que poderia funcionar esporadicamente

como quarto de hóspedes, mais reservados.

A cliente – que havia morado

em Nova York – trazia no repertório

o desejo de um visual mais industrial,

sem perder a conexão com o natural

do entorno e com eixos visuais amplos

e marcados, razão pela qual procurou

o Estúdio.

O terreno era desafiador, sendo

bem comprido e com declive de 2m

(metros), tendo como partido arquitetônico

adotado a integração com o jardim

do entorno, sendo o ponto de partida

a adoção de um telhado inclinado

face noroeste, permitindo entrada de

luz nos quartos, banheiros, espaço de

brincar e área social, e que no restante

A CONSTRUÇÃO GIRA

EM TORNO DE UMA

IMPONENTE ESCADA DE

MADEIRA, QUE UNE OS

DOIS PAVIMENTOS


do dia não tivesse incidência direta de

sol nestes ambientes.

O programa foi distribuído em dois

blocos unidos pelo telhado inclinado e

com o pé-direito duplo na união entre

eles. No bloco da frente, o térreo destina-se

as áreas de serviço e atelier (sendo

a parte social da casa toda voltada

para fundo e laterais do terreno), e no

superior o quarto de brincar. No bloco

dos fundos, o térreo engloba a área

de estar e varanda, e no superior os

quartos e escritório. A conexão entre

os blocos na parte de cima é através de

uma passarela que permite contemplar

o pé-direito duplo dos blocos integrados

e um visual com grandes caixilhos

de piso a teto de ambos os lados.

E A MADEIRA?

Os caixilhos, as tubulações e estruturas

aparentes reforçam o visual industrial

e estilo explorado pelo Estúdio,

tendo a madeira - utilizada tanto no

forro quanto em elementos pontuais

como portas, piso, escada e corrimão -

o papel de contribuir para o aconchego

dos ambientes.

O uso de peças garimpadas como

as luminárias da sala de jantar com

pé-direito duplo e os montantes da

escada e guarda-corpo, além do aconchego

também trazem a delicadeza e

estímulo de um olhar mais detalhado

ao local, contrapondo com as grandes

dimensões e amplitude dos espaços.

A casa é um projeto que nasceu para

se integrar com o entorno e consigo

mesma, explorando a atmosfera voltada

para a natureza, que é umas das

grandes características deste bairro

paulistano.

JORDAN NATURELINE

PROTEÇÃO ECOLOGICAMENTE CORRETA

PARA MADEIRAS E MEIO AMBIENTE

NATURELINE o meio ambiente agradece!

Primeiro protetivo para madeira de exteriores e interiores que protege

as superfícies de madeira e o meio ambiente.

Sistema base d’água, sem emissões de poluentes nem solventes

Puramente mineral

Não inflamável e resistente a lixiviação

Proteção contra a ação de pestes para animais e plantas

Compatível para contato com animais e solo

Produtos e soluções para madeira

JORDAN Lacke – uma marca de PLANTAG Coatings GmbH

www.plantag.de

Plantag do Brasil Ltda

Tel 041 3679 1478


Projetos Especiais

62

Eucalipto

turístico

Fotos: divulgação


MUNICÍPIO DO INTERIOR GAÚCHO DECIDE

INVESTIR NA REFORMA DE SEUS CARTÕES-

POSTAIS MAIS FAMOSOS - E USOU A

MADEIRA COMO DESTAQUE

C

om objetivo de fortalecer ainda

mais o mercado de turismo,

a prefeitura do município de

Torres, localizado no extremo norte

do litoral do Rio Grande do Sul, iniciou

seu plano de revitalização de seus mais

famosos pontos turísticos.

No primeiro semestre de 2020, foi

a vez do pórtico do principal cartão-

-postal da cidade, o Parque Estadual

da Guarita, obra reivindicada por moradores

e visitantes há alguns anos. O

evento de inauguração contou com

a presença do prefeito Carlos Souza,

de inúmeros vereadores e também de

empresários e moradores da região,

que comemoraram a iniciativa. “Era

um pedido da sociedade de Torres há

algum tempo. Além de ser uma região

muito visitada por suas praias e belezas

naturais, nós precisávamos de uma reforma

no Parque da Guarita, que atrai

muitos turistas e também faz com que

os comércios próximos tenham grande

arrecadação”, afirmou a presidente do

sindicato dos hotéis, restaurantes, bares

e similares, Ivone Ferraz.

Com investimento de R$ 152.737,00,

oriundo de recursos próprios do Parque

da Guarita, a obra do pórtico foi

63


Projetos Especiais

64

licitada por meio de um pregão eletrônico.

A execução foi realizada pela

equipe técnica da Secretaria de Planejamento

e Participação Cidadã.

CARACTERÍSTICAS

Para as fundações, e equipe de

obras da prefeitura de Torres utilizou

22 estacas de concreto armado, 14

blocos de concreto, além de vigas de

fundação, alvenaria, supraestrutura

e instalações hidrossanitárias. Foram

executados dois banheiros, um com

acessibilidade, aberto ao público, e um

para os colaboradores, além de uma

copa para os servidores. Foi realizada

uma nova Instalação elétrica e de lógica

para a edificação.

A estrutura da madeira foi realizada

com madeira roliça tratada de eucalipto

com dimensões chegando a 12m

(metros) de comprimento. O telhado

foi executado com aproximadamente

220m² (metros quadrados) de telhas de

barro tipo portuguesa. Foram retirados

o forro existente, aparelhos sanitários

e demolição de piso e contra pisos e

executados novos contra pisos, piso de

madeira e revestimento das paredes.

Foi realizado novo passeio público

adequado às pessoas portadoras de

necessidade especiais. Foram aplicadas

esquadrias de madeira, e serviços de

pintura e limpeza da obra.

O prefeito Carlos Souza comemorou

a boa recepção da obra, que contou

com uma parceria com a iniciativa

privada, a partir dos trabalhos de uma

empresa de Porto Alegre. “Necessitávamos

dessa reforma do parque, e a

reconstrução do pórtico é a primeira

etapa. Em breve, outras melhorias vão

PREFEITO

COMEMOROU A

BOA RECEPÇÃO

DA OBRA, QUE

CONTOU COM

UMA PARCERIA

COM A INICIATIVA

PRIVADA, A

PARTIR DOS

TRABALHOS DE

UMA EMPRESA DE

PORTO ALEGRE


65

ocorrer, como mais ajardinamentos e,

se tudo correr dentro da expectativa,

instalaremos luminárias com LED em

toda a extensão da ciclovia”, explicou o

prefeito Carlos Souza.

“Em boa parte da construção, escolhemos

o uso da madeira - mais especificamente

de toras de madeira de eucalipto

- para deixar a revitalização ainda

mais sustentável. Temos inserido essa

metodologia no setor de obras de prefeitura

e os resultados têm sido positivos

não somente para o meio ambiente,

mas também para a economia de

recursos, já que a madeira é resistente

e mais barata, quando comparada com

outros materiais”, completou.

A ESTRUTURA

DA MADEIRA

FOI REALIZADA

COM MADEIRA

ROLIÇA TRATADA

DE EUCALIPTO

COM DIMENSÕES

CHEGANDO A

12 METROS DE

COMPRIMENTO


Maio 2021

Agenda

MY WOOD HOME ONLINE

Data: 19 a 21

Local: Online

Informações: https://mywoodhome.com.br/

My Wood Home é um projeto inédito na América Latina, que visa fomentar e capacitar

profissionais da cadeia produtiva da madeira e da construção neste promissor e tecnológico

sistema, a fim de consolidá-lo no Brasil. O projeto apresentará os três sistemas principais

de uso da madeira na construção sustentável: o sistema wood frame; madeira de tronco

de eucalipto; madeira engenheirada. O evento será divido em duas vertentes, workshop e

congresso, ambos online.

Junho 2021

WORKSPACE EXPO

Data: 22 a 24

Local: Paris (França)

Informações: www.workspace-expo.com

Em 3 anos, a Workspace Expo tornou-se a principal exposição anual na Europa para o design,

mobiliário e layout dos espaços de trabalho. A oferta apresentada está se expandindo a

cada ano, porque novas marcas e players do mercado se juntam a uma base de expositores

em constante expansão. Em 2019, mais de 235 marcas estiveram presentes, incluindo 85

internacionais. Para esta nova edição (2021), o show será ainda mais repleto de expositores.

Workspace Expo é mais do que nunca o lugar para perpetuar e desenvolver o seu negócio.

Seja você uma empresa associada ou uma startup, francesa ou estrangeira, a Workspace

Expo é um acelerador essencial para sua atividade.

FORMOBILE 2021

Data: 22 a 25

Local: São Paulo (SP)

Informações: www.formobile.com.br/pt/home.html

66

A FORMÓBILE (Feira Internacional da Indústria de Móveis e Madeira) é um evento consagrado

e referência, destinado aos profissionais e empresas do setor moveleiro de toda as

partes do mundo e de toda a cadeia: do pequeno marceneiro ao grande industrial.

Setembro 2021

MOVELPAR 2021

Data: 20 a 23

Local: Arapongas (PR)

Informações: https://movelpar.com.br/

A MOVELPAR (Feira Nacional de Móveis, Eletro e Decoração) ganha novo conceito e novo

posicionamento. Além do redesenho da marca a Feira também amplia os segmentos expositivos

e terá, além do mobiliário, espaços para os segmentos de eletro e de decoração.

Essa mudança vai além do foco nos negócios.

Novembro 2021

LIGNUM BRASIL

Data: 10 a 12

Local: Pinhais (Paraná)

Informações: https://lignumlatinamerica.com/

A 4ª Lignum Latin America é uma feira direcionada as empresas da América Latina ligadas

à cadeia produtiva da madeira. Nela os profissionais do segmento industrial madeireiro e

florestal encontram novidades, tecnologia e soluções produtivas para a transformação,

beneficiamento, preservação, energia, biomassa, uso da madeira e manejo florestal.

Março 2022

FIMMA BRASIL E MOVELSUL 2022

Data: 14 a 17

Local: Bento Gonçalves (RS)

Informações: https://fimma.com.br/ e https://www.movelsul.com.br/

As duas principais feiras do setor moveleiro no Brasil – FIMMA e MOVELSUL – estão unindo

forças e terão suas próximas edições no mesmo período e integrando toda cadeia de

madeira e móveis, de 14 a 17 de março de 2022, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves

(RS). A decisão inédita na história das feiras responde ao momento de excepcionalidade e

oferece uma nova data alinhada ao calendário mundial de eventos do setor.


Coleção

Sincolors

sincol_sa SincolSA (49) 3561-5000

www.sincol.com.br

More magazines by this user
Similar magazines