22.05.2021 Views

Limiar_ Grossi_ (2021)_

“Limiar” Notas sobre a natureza de Existir, Incursões, Objetivista. Grossi e Ambiente, 2020; “Limiar II” Segundos, Natureza, 20/21; “Limiar”, L2021, Existencialismo; “Limiar”, Convergência

“Limiar” Notas sobre a natureza de Existir, Incursões, Objetivista. Grossi e Ambiente, 2020; “Limiar II” Segundos, Natureza, 20/21; “Limiar”, L2021, Existencialismo; “Limiar”, Convergência

SHOW MORE
SHOW LESS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

1


Entre dois pontos a passagem é vista, dois

lados e um rio, a dualidade e você lá fora,

você dentro, todo o antes ou depois; os

pássaros avisaram no instante do canto, era

a certeza do movimento que daria já a

seguir;

Debaixo de uma árvore, de frente para um

lago, os seres se fazem ouvir pelo momento

da inspiração, sentem o ambiente e vão por

isso;

Eu sou um ser em desenvolvimento nessa

época durante o caminho das vidas, vivo

como parte do processo, foi assim que

aprendi as últimas vezes do Ser, um sonho

confirmou;

2


Ainda estamos no ciclo para atingir o

humano completo, vivemos em uma dessas

fases, hoje mesmo você percebe, lemos isso!

As vidas como formas de animais vão por se

mesclar na forma humana, a forma total do

estado humano como carne e osso.

A forma humana total algumas vezes se faz

ver aos que ainda estão nesse caminho não

só de milhares de anos, mas do infinito.

Então nesse ponto aprendemos o que fazer,

‘Tem que existir um ser perfeito, através das

vidas, todas elas até a forma chegar ao

ápice.’

Quando eu me ver no além e as memórias

forem outras, quando alguém enfim se ver

do outro lado e igualar a mente; quando

sonhar e ali estar no núcleo, no início ou

compreensão de tudo;

Sempre nos dois lados. Alguns sabem, e

fazem como se fosse normal, a mesma coisa

a vida que levam. Alguns sabem, pouca

gente, sabem desses dois lados, sempre duas

possibilidades;

3


Mas o que é preciso fazer para melhorar

nesta existência? Como eu consigo? Sou eu

meu melhor juiz? Deveria existir um juiz

além da consciência que não mente?

Neste planeta, tantas e tantas pessoas

nascem ou morrem por dia, às vezes mais, às

vezes menos; seu movimento inspirando e

expirando é duradouro. Por isso o instante, o

intervalo entre os estados, dia e noite, Sol e

Lua, entre os Yin & Yang, In & Out se

preferir; por isso o istmo, o estalo, é ali, é;

E nos interagimos em tudo. Depois de várias

vivências nas formas anteriores, aqui como

humano, diante da imensidão da Natureza

ao redor; justa é a visão, precisa a certeza,

clara a face;

Ver, ver, eu preciso ver! Ver e acreditar,

saber o que acontece comigo e com esse

mundo, e se estou no caminho certo, se é isso

mesmo ou ainda estou errando; eu quero

tantas respostas sendo o que sou, e que mais

eu vejo? Quero saber, vamos, quero ver!

4


E agradecer ao ambiente por proporcionar

tanta clareza e fluxo da mente, a postura e

respiração em dia;

No limiar também é sentida a discrepância –

como é sem sentido haver um mundo

suspenso em material que não for vindo da

Natureza! Hoje eu vi, realmente interagi

com mundo, vi como Deus é um nome para a

força de tudo!

Alguns seres estão há muito tempo na

cadeia, na roda das vivências; isso explica

quando nascem crianças tão sábias ou a

gente que é sempre velha e turrona. Façam

aquela pergunta, e se...? As pessoas se

enganam, e se prejudicam, vide seu tempo

que aqui é curto, devem logo se apressar e

entender, devem ver e sentir assim deixando

tudo para trás;

As coisas dependem da presença de cada

um, e acontecem. Você só precisa relaxar e

tudo vem, o silêncio também; claro e escuro,

olhos abertos para o que tocar e sentir, olhos

fechados dentro do nível que segue;

5


Existe para tanto o sono e estar acordado,

velho e curvado ou ativo e reto, nisso você

decide. Mas algo regula tudo, como quando

as doenças debilitam, as guerras extinguem,

a flor desabrocha e cai; algo mede até que a

empatia possa retornar, e haja abraços e

amor, as pessoas se veem melhor dessa

forma, realmente se encontram de novo!

Pode existir ou repousar, pode ou não, você

sabe que lembra, era você;

Não era uma época de insetos, era de uma

grande proliferação natural de um lado;

estágio neste planeta ou castigo de outro?

Até reviver e ser humano?

Através da Luz eu me vejo na vida aquática,

nas areias, sinto o vento e estou no meio do

mato; na hora que os pássaros cantam

também pude ver todas as formas que

assumi, desde a imaterial até a célula em

outras eras, desde animal e homem, réptil

depois mamífero com seu amor latente. A

Luz é a reta forma, amor sem igual;

6


Segue na imersão do campo das ideias, na

sua vez. Dilui o ambiente, tuas decisões

intuem uns e outros, tudo se decide por si só;

Os mestres são a representação da forma

física completa, também reconhecíveis por

sua divina simetria, anatomia, a impressão

do senso comum; cada um em seu expoente

durante determinada época, classe, na forma

de ser vista. Essa que apenas pela mente

chega ao ápice, da mente vê; é porque ousou

pensar;

Você é um dos seres que buscam a forma,

harmonia das formas; mesmo que

debilitados ou disformes, caminham para se

endireitar via coluna, mãos para cima em

vitória; mente e corpo na perfeição das

proporções, o reto ser, verdadeiro Homem e

Mulher por onde a energia flui melhor; você

se vê e existe;

7


A forma reta de ser, o ideal e final percurso,

vazão. Quando o vento passa, quando os

pássaros cantam e a certeza vem, quando na

revelação matinal entende o Sol que te

acompanha, a clareza, eu sei!

Por isso, nesse estado contínuo, você agora

crê; como pode ir vivendo durante esse

tempo sem deixar registrado?

O nascimento, o grito, a dor, você está aqui.

Sua companhia ao redor mostra como é agir

nessa nova fase, viu como é apenas ainda

uma criança a ser ninada, viu a hora que

renasce?

É a escolha voluntária, espontânea após

tantas demonstrações, dois mundos,

diferentes estados, sim, existir físico ou

imaterial, o limite entre partes;

À frente a ponte e meditar. Isso é meditar,

impulsionar a mente, total força, tudo é a

mente; a posição pode ser a que for, una,

religando, mas é pensando;

8


Tudo é força, e com essa energia renovada

correndo nas veias, com a reconquista da

posição ereta, o reto ser, a forma humana

integral em seu equilíbrio acontece o divino;

O nascimento agora, o nascimento depois. O

nascimento pode ser de duas formas, de

trauma e o nascimento de reviver; para tais,

ou sofre ou entende, sempre a escolha de sim

ou não e a passagem entre elas;

Todas essas vidas, as encarnações, tudo é

feito pela mente, realizada nela, todas as

formas e maneiras de existir, as

possibilidades de experiências. É na mente

que passamos por todas as situações, todas

elas até a situação final, a Luz; quem

descobre isso tem meio caminho andado. É

na mente que entende e prevê infinitas

chances;

Dadas probabilidades coincidem e geram

mais nesse número longo, mas quantas?

Eu sou um ser nesse eixo, dentro dessa vida,

e posso ou não obter meu êxito;

9


Seria o limiar uma sensação para revermos o

outro lado da vida, breves momentos

seguindo o movimento, esperança acima? Há

um ponte em tudo? Posso ponderar;

Alguns sabem, e fazem como se fosse

normal, a mesma coisa a vida que levam.

Alguns sabem, pouca gente, e sabem bem

desses dois lados, sempre duas

possibilidades; alguns sabem que deveriam

habitar o outro lado que não o seu, que estão

fora do que deveriam, mas por que não

agem? Por que apenas observam outros

fazendo seu certo? O que sentem?

Você poderia ser qualquer pessoa em todas

as épocas possíveis, e ainda assim sobrariam

proporções, a mente que cria entende isso;

Nisso, o ser humano deve abandonar tudo

que for supérfluo e ficar apenas com a busca

espiritual, esse é o limiar, a consciência de

seu papel na sociedade, seu corpo e mente. A

fronteira é evitar se fartar no mundo

anterior, quer dizer, deslocar para depois o

inevitável;

10


Dois mundos, duas esferas, dois planos,

vivemos nesse limiar sempre que nos

questionamos sobre isso; enxergamos os dois

lados, a escolha, a divisão, o salto e a união.

No hora da explosão o piscar da luz nos faz

pulsar;

Existem dois mundos então, um sensitivo e

outro mental, o estado de sono demonstra a

dualidade desses lados da existência em sua

analogia todos os dias (...)

“Limiar” Notas sobre a natureza de Existir,

Incursões, Objetivista.

Grossi e Ambiente, 2020

11


Natureza feral, uma ronda. Algumas

pessoas ainda são animalescas, capazes de

engendrar, matar, roubar e ferir o próximo;

disso se distanciam os seres de empatia

elevada, suas atitudes pelo entendimento e

saber da própria existência. Vejam nisso

uma aproximação! Porque discutimos;

Época dos lagos, uma grande proliferação

natural; semanas de chuvas, anfíbios pelas

pistas, tudo ainda húmido; racionais ou não,

todos neste mundo. Como o pássaro que voa

acima destes pequenos atos e gestos,

também o exato momento dos seres

humanos em sua dispersa caminhada, a

postura e respiração acusando o instante.

Esta divisão demonstra o meio físico sendo

explorado em seu tempo, exista a mais;

Planeta, ou castigo, sofrer ou se fartar, para

muitos essas questões dividem – ao contrário

devemos nos alertar, como para a questão da

Origem ou do Núcleo;

12


A mente gera várias consciências de Eu,

muitas versões necessárias se for o caso, isso

é o que chamam de reencarnação, em tal

plano ou sociedade;

O Superior é tudo, e tudo está em todo lugar.

Em toda hora também o estado de Deus, o

maior grau na escala da evolução. Os antigos

sabiam disso, e seu primeiro intento e

revolução foi a adoração do Altíssimo;

Isso é o movimento de fé em prol do nível

Supremo; e entre tais, Tudo, Todos, o que

há, é igual, coisa única, uma certeza que

apenas ocorre em cada ser no dia que for

cabível, exato;

Toda Era que se basta em seu retrocesso

espiritual tão perto se junta aos montes de

situações encontradas, tudo relançado;

humanos contam, crônicas demonstram;

feito o erro, cai nele; ou foge ou cai;

13


Diante de mais um Grande Ano dentro deste

Universo que se apresenta, são os seres que

contestam, querem saber, tudo que a mente

consegue ver ou manipular;

O ilusório acaba. – Mas por que existir um

limiar? Seria a terceira opção?

O limiar é também quando assistimos o

verão, inverno, o nascer, pôr, a morte,

ressurreição, essa divisão, e como existem

divisões! E simpatia e antipatia, amor e ódio,

atração e repulsão, prazer e dor, átomos que

se atraem, músculos e sangue em chamas

como quando refletimos!

De olhos fechados, a mão apoiando o rosto

pelas pálpebras; a glândula é estimulada

pela visão, o pulsar dentro da vastidão da

mente. Na vista em seu outro estado

pássaros cantam a relva em manhã; como

não em tantas vezes? Lados;

14


Esse som acontecia ao mesmo tempo, outra

vez, outra forma; uma vez foi esse tóumm, a

nota mi, outra vez tudo se abala;

Você nasceu na vibração, a explosão de luz

te acordou; agora vê como aos poucos vai

sintonizando e igualando as ondas; calma e

pendular até sua equalização;

Já distanciados da raiva primitiva, aquela

que por tanto havia mergulhado o ser de

forma rasa, terrena, agora podem imaginar

sua contraparte, a perfeição genética da

humanidade, a mescla final entre corpo e

mente. Esse é o lado oposto do Universo, já

não mais um só verso?

A mente tem muito poder, tanto que um só

desejo se propaga sem que você nem mesmo

perceba, um pensamento direto e as coisas

acontecem; a mente cria o desejo, cria e

desmaterializa com tanta força que as

energias respondem, só querendo; a mente

sugere e lá está realizado o feito, qualquer

época, qualquer ocasião, a mente faz a

realidade uma hora ou outra;

15


Mas como eu vou entender o limite entre

isso? Primeiro eu teria que visualizar os

lados? Presta atenção que já durante a

divisão o objetivo vai ficando cada vez mais

claro.

“Limiar II” Segundos, Natureza, 20/21,

16


Um planeta de meditação deve aparecer, um

acordo, e com isso perceberá os infinitos

universos pensados, materializados para

cada situação da invenção, e com isso

também a pergunta “não seria mesmo a

evolução algo de competição? Qual o final?”

E o som acontecia ao mesmo tempo, outra

vez, outra forma de você que nasceu na

vibração, a explosão de luz te acordou; agora

vê como aos poucos vai sintonizando e

igualando as ondas por entre o zênite e

nadir, calma e pendular até sua equalização

e marco;

Algumas pessoas ainda são apenas carne, se

portam como tal, às vezes sem saber o

porquê de tanta raiva, irritação, apenas

querendo bater, afastar outros animais

<como eu!>> de perto! Mas neste planeta

não estamos todos corrigindo falhas?

Seguindo a perfeição genética da

humanidade, a mescla final?

17


Retrocesso espiritual, deterioração, ou um

planeta de meditação, todos diante de mais

um Grande Ano; outras versões, sentidos

que alertam as similaridades, mudou,

mudou!

Quando <<e só quando tudo!> todos, o

planeta todo, quando for tudo sacudido e não

importar governo, não fazer mais sentido

haver dinheiro, raça, gênero ou uma

catástrofe mundial, aí atravessou. E por que

ajudar não vira moda, ser altruísta não

chega com um gatilho? Um contrário para

essas certezas pode ser questionar, quem

sabe, daqui para frente;

A mente reta consegue, não consegue é o

deturpado ser, não chega, incompleta é sua

humanidade. – A mente reta consegue,

deturpada não;

São milhares de anos, todos os dias os seres

humanos tentando algo diferente em seu dia

a dia, um tipo de jogada, uma dança, uma

música ou obra; será sempre o oposto da

primeira tentativa – daí aquelas coisas

18


inimagináveis em outras épocas serem

questionadas em sua origem, como quem ou

quando fez o que devia. Já imaginou quantas

civilizações habitaram o mesmo planeta? Os

mesmos problemas e soluções? O som vem

junto;

A mesma explosão que gera um sol, estrela

ou planeta é a explosão que demonstra um

núcleo, a luz em si, como uma ponte entre lá

e cá.

Vejam os seres de luz, são como o núcleo em

explosão, sua claridade é nítida, e como

humanos podem expressar; núcleo e seres de

luz vêm desse outro lado, tanta pureza, o

oposto de nosso universo escuro e pesado de

matéria táctil.

O Divino, Deus, é a emanação de luz e

energia que vem e realiza por entre a

escuridão, é o outro lado que apenas

vislumbramos através da fé, da iluminação

interior, da intuição. Dois opostos, a clareza

e o universo denso; ainda que pareça, é justo

interpretar como competição?

19


Em uma grande e infinita troca, a eterna

interação entre partes, luminosidade e treva,

e isso acontece a todo tempo, agora, depois,

antes de você nascer; os dois pontos e seu

istmo, intervalo esse a mensurar no piscar

de olhos – está tudo na cabeça;

O reto ser e sua postura recebida pela mente

rege todo o mental, decisões ilustram; o

coração, irradiante em emoções de vida e

morte e os sexos, instintivamente atraídos

uns pelos outros em sua lide natural, razão

comprovada pela afinidade com a terra e os

elementos densos. O coração pulsa, núcleos e

explosões fazem o mesmo, estrelas fazem;

tudo isso você vê e se emociona, tudo o

mesmo; estrelas e nós humanos,

manifestações;

Observamos os primeiros seres humanos,

também em suas vidas eles se moviam de

acordo com o ambiente! Não esqueçam esse

paralelo, é tão simples como o instinto de

beber um bom copo d'água; anda e se iguala;

20


Afinal, ninguém vive só de morte, de

fatalismos ou canseiras; se você está aqui

encarnado e lendo, olha, você tem a hora e a

vez de viver, de aprender. Cada um é um

universo, igual dizem! cada um uma

centelha dentro de um espaço maior, tanto

material quanto imaterial, diriam vários

deles, mas a premissa é a mesma, dentro e

fora, expirar e inspirar, repouso ou agitação,

tudo quer explorar, desde um bom dia, boa

noite;

O céu, povoado de estrelas, sóis longínquos

de tantos e tantos mundos criados e

desfeitos, o Universo em intensa expansão

desde o início do Tempo observável e do não.

Tudo pulsa, toda essa energia! Humanos que

somos, parte dessa cadeia de passado,

presente e futuro, de nascimentos, mortes,

ignorância e entendimento, de tudo que

possamos imaginar e o inimaginável, tudo

isso e mais nos atrai enquanto

mentalizamos, voltamos ao momento zero,

saímos para além dele;

21


(...) as palavras mudam porém o contexto

segue, dia após dia aprendemos alguma

parcela do que precisamos e todo esse

progresso interior se faz valer;

compreendemos simpatia e antipatia, amor,

ódio, atração e repulsão, prazer e dor,

sentimos de tudo um pouco e nossos átomos

se atraem, os apostos metabolizados e

convertidos na novidade; isso é natural,

ninguém é estranho dentro dos estágios da

Vida, do que viemos seguramente

voltaremos; significa que o aperfeiçoamento

das nossas próprias virtudes é válido, ter

saúde e se superar compensa; quem não

quer ser melhor? A famosa melhor versão de

você, sua autorreforma; mente e corpo se

entendem quando há vontade;

Mas vocês vão se perguntar, como eu me

curo? Se todos os dias eu bebo água e nada

de excepcional me acontece! Bom, diríamos

que você deve beber um pouco mais então,

nutrir de uma melhor forma o corpo sem se

deixar atrair pelo excesso; e ir ao mar mais

vezes, limpar de forma segura o corpo e

mente de todas essas energias

desnecessárias e negativas. Por isso a água!

Olhe com gratidão para ela, há tanto neste

22


planeta quanto em todo o Universo, até nos

corpos viajantes do Cosmo. Somos parcelas

disso que estamos, enxerga você também o

seu reflexo no mais puro e revitalizador dos

líquidos, este que se faz motor e molde da

vida!

A competição está em todo lugar, nas

pessoas, no Cosmo, tanto que se apresenta

inerente à vida, em tudo; ela mostra os

corpos buscando seu espaço e como é chegar

ao mais elevado grau enquanto seres. Mas a

quê isso, por que não então cooperar e

chegarmos ao mesmo tempo? Cooperar duela

com autoconhecimento? Lembra qualquer

tipo de jogo, essa sobrevivência a todo custo;

seria isso uma batalha ou via para algo?

Mas um jogo? No que estamos inseridos? A

existência nos quer lutadores? For ou não,

demoramos e esperamos, e há um resultado

quando levantamos essas questões.

A diferenciação é a terceira opção, o talvez, a

nova invenção, a criatividade, algo que se

expande. O saber dessas bases sim e não

gera a dúvida do ‘e se’ – e se eu sair do meu

estado atual? E se eu corrigir aquele defeito

23


ou atitude que no meu íntimo me incomoda?

Você sabe que tem pelo menos um, talvez se

tentar de novo, inventar, alguma coisa

diferente pode acontecer; inconcebível é se

afastar do constantemente movimento da

Natureza;

“Limiar”, L2021, Existencialismo

24


A visão tapada, a negatividade, raiva, medo,

incertezas, nisso o animal domina o

intelecto, põe em cheque nosso controle; e

daí como fica a razão, seu discernimento?

Por que não meditar, pensar consigo mesmo

antes de agir? Corpo limpo, água, daqui para

frente sempre fazer de outra forma;

(...) uma ou outra realidade diferente a

partir dessa ou a nova percepção; possíveis

versões, cada uma com uma probabilidade

diferente, cada qual experimentada por uma

versão diferente de você, ou a mesma versão

em um sem número de vezes...? Nessa visão

poderíamos citar a convergência, a total

equação do que existe após a ruptura de

tantos limites.

Um momento antes, tudo era de um jeito;

um piscar de olhos e toda a realidade havia

mudado! Fecho os olhos e lá está um outro

mundo diferente do anterior, com as coisas

se comportando de outra maneira (...) Um

olhar em uma fração de segundo, a leitura e

percepção daquele instante único e

pertencente aos outros, e todos são únicos

ainda que em estados distintos, sim;

25


As emoções! A certeza de que logo tudo fica

bem se pensarmos positivo, é o que acontece

quando por exemplo chegamos e preferimos

um sorriso, sugerimos, temos uma atitude

boa, damos um conselho legal para alguém,

ou quando falamos e atraímos a paz para o

ambiente. Veja só, chega para alguém com

uma solução também, uma direção melhor, é

mais fácil as coisas darem certo;

Linhas, luzes, lições, estão constantemente

acontecendo na miríade de estados de

existência simultâneos até a colisão, a

unificação, a convergência!

Todos esses aspectos, vivemos a

convergência dessas e tantas mais situações,

vidas, a síntese para tudo ocorrer, a

fundição, o que somos ao mesmo tempo no

Todo

“Limiar”, Convergência

26


27

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!