28.06.2021 Views

BDI-International Magazine -SUMMER 2021

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

SUMMER 2021 ISSUE

The Official Magazine of

Best Doctors Insurance

EN MEMORIA DE

GUILLERMO OTERO

(Página 25)

COVID-19 Y

DEMENCIA:

Una Combinación Letal

Sleep, Nutrition,

And Exercise –

A Foundation For

Good Mental Health

As Tendências

Fitness


CONTENTS

SUMMER 2021

FEATURES

05 Una Nota Del Editor : El Poder Del Perdón

- Whilly Bermudez

06 COVID-19: Long-Term Neurological Symptoms And Effects

On The Brain -Jacqueline Samaroo

10 8 hábitos diarios para mejorar la salud- Elianny Gutiérrez

14 Encare a pandemia sem desespero financeiro

- Gustavo Mancinelli

20 How Do Sleep, Nutrition, And Exercise Serve As A Foundation

For Good Mental Health? - Jacqueline Samaroo

23 Hospital Israelita Albert Einstein | Destaque de Provedor Preferido

24 COVID-19 y Demencia: Una Combinación Letal

- Alexandra Gratereaux

26 Coronavírus: entenda o que são mutações e como as vacinas

responderão a elas - Jstavo Mancinelli

30 7 claves para alcanzar la libertad financiera - Elianny Gutiérrez

34 Patients That Have Recovered From COVID-19 May Have Immunity

For At Least 8 Months - Jacqueline Samaroo

38 As tendências Fitness - Gustavo Mancinelli

42 Asegurando la Felicidad Terrenal | Testimonio Destacado

44 Vacuna contra el COVID 19: lo que debes saber - Elianny Gutiérrez

BestDoctorsInsurance.com

BDI International Magazine | Page 2

BestDoctorsInsurance.com | Page 3


EDITORIAL TEAM

EDITOR-IN-CHIEF

EDITOR-AT-LARGE

COPYRIGHT EDITOR

WHILLY BERMUDEZ

ALEXANDRA GRATEREAUX

OLGA PLAZA

GERARDO VÁZQUEZ

UNA NOTA

DELEDITOR

ART & DESIGN

CONTRIBUTORS

JERLYN CESPEDES

RAYMOND GARCIA

ELIANNY GUTIÉRREZ

GUSTAVO MANCINELLI

JACQUELINE SAMAROO

EL PODER DEL PERDÓN

“Perdonar es liberar un

prisionero y descubrir que

ese mismo prisionero eras tú.”

— Lewis B. Smedes

¡Llegó el verano! Con la llegada

de esta nueva estación, lo viejo va

quedando atrás y el comienzo de

lo nuevo debería recordarnos que

el perdón no borra el pasado, sino

que lo contempla con compasión.

Negarse perdonar mantiene vivos

sentimientos de dolor, ira y

culpabilidad lo cual decoloran

nuestra percepción de la vida. Para

perdonar, evite rumiar sobre haber

sido hecho daño. Más bien, confíe

en el poder del perdón para sanar

el dolor y las heridas. Al aferrarte al

dolor y el resentimiento, usted sufre,

porque la tristeza se intensifica para

mantener esas emociones vivas.

mismo independientemente del

papel que haya desempeñado.

Perdonar significa dejar ir el odio

en lugar de permitir que le carcoma.

Las emociones tóxicas y destructivas

tienen el potencial de activar ciertas

enfermedades. Usted debe cuidar

su propio bienestar sentimental,

especialmente ahora que estamos

sobreviviendo a una pandemia. Esta

es la razón por la que hemos

decidido enfocar esta edición al

verano, en el sueño, la nutrición y

el ejercicio, y en cómo la

implementación de estas ideas

sirve de base para la salud mental en

la era del COVID-19, en particular

para quienes padecen de

afecciones progresivas como la

demencia, analizada en más

detalle en nuestro artículo de

portada COVID-19 y la demencia:

Una combinación letal.

en más detalle este tema en nuestro

artículo 8 hábitos diarios para

mejorar la salud, donde compartimos

cómo la práctica de la meditación,

el seguir una dieta sana y un

régimen de ejercicio consistente

darán un aumento sólido a su

bienestar sentimental.

A fin de cuentas, el perdón no es para

el beneficio de la otra persona, sino

para el nuestro. A pesar de lo ilógico

que pueda parecer; es a través del

perdón incondicional y de un estado

de ánimo saludable que entregamos

al pasado toda maldad y entramos en

el presente.

La vida es corta y ser libre es la

felicidad eterna.

¡Le deseo una gran temporada

este verano!

TO ADVERTISE

Please contact:

WBermudez@BestDoctorsInsurance.com

T: 786.483.2048

A pesar de la percepción de que

perdonar significa olvidar, el

perdón es perdonarse a sí mismo

por el papel que desempeñó en la

cocreación de las circunstancias.

Esto no significa que haya

consentido a lo que ocurrió. Incluso

como víctima, se perdona a sí

Reconozco que es difícil perdonar a

un agresor por su maldad y que va en

contra de nuestro código moral. Sin

embargo, si lo considera desde una

perspectiva mayor, el perdón está

asociado con su propio bienestar

sentimental y no es simplemente

indultar a la otra persona. Analizamos

WHILLY BERMUDEZ

Editor jefe de redacción

BDI International Magazine | Page 4 BestDoctorsInsurance.com | Page 5


COVID-19:

Long-Term Neurological Symptoms

And Effects On The Brain

Jacqueline Samaroo

Over the past months, COVID-

19’s physical symptoms have

consistently received more

attention than have any neurological

symptoms. While the reasons for this

are understandable, it is definitely not

ideal.

The physical symptoms of COVID-19

are better known because they are

easier to spot and diagnose, both for

a medical professional and an average

person. Fever and shortness of breath

are much more recognizable than are,

for example, the symptoms of a stroke.

And recent studies suggest that the

virus’s neurological symptoms are

relatively common among individuals

with severe cases.

Although the Centers for Disease

Control and Prevention (CDC) has

published a lengthy list of COVID-

19’s physical symptoms, they also

warn about neurological symptoms,

including confusion and an inability

to wake up or stay awake.

Looking Back At China

Events in China—the virus’s epicenter—

showcase the prevalence of neurological

symptoms in COVID-19 patients. A

preprint of a study of hospitalized

COVID-19 patients in China found that

25% of them had central nervous system

diseases or symptoms. They suffered

not only from serious neurological

symptoms, like seizures, strokes, and

uncoordinated muscle movements,

but also often-overlooked neurological

symptoms, such as impaired

consciousness, dizziness, and headaches.

Another study that was published

in The BMJ focused on COVID-19

patients that died in 2019 in a Wuhan,

China hospital. The findings show that

22% of these patients were reported

to have experienced a “disorder of

consciousness.” Comparatively, only 1%

of the COVID-19 sufferers that recovered

during this period were reported to have

had a “disorder of consciousness.”

Learning From Italy’s Experience

By the spring of 2020, Italy had quickly

become Europe’s COVID-19 hotspot.

Many of Italy’s brightest minds resolved

to mitigate the virus’s spread and

understand its symptoms and lasting

effects.

On the eve of the summer of 2020, a new

study emerged from Italy. The results of

this study, published in the Radiological

Society of North America’s journal,

Radiology, show the most prevalent

COVID-19 neurological symptoms to be

stroke and altered mental status. It was

the first published COVID-19 study of

its kind, as well as a joint effort between

researchers at several Italian universities

BDI International Magazine | Page 6

BestDoctorsInsurance.com | Page 7


(e.g., the University of Sassari, the

University of Brescia, the University

of Cagliari) and the University of

Cincinnati in Ohio.

The researchers in the Radiology study

examined records of 725 patients that

were treated at three key locations in

Italy: the University of Sassari, the

University of Brescia, and

the University of Eastern Piedmont

in Novara. The records show that

15% of the patients were reported as

experiencing neurological symptoms

or disease. Of this group, 59% of

the patients experienced an “altered

mental state,” while 31% experienced

ischemic strokes. In this context,

altered mental state (or altered mental

status) actually encompasses several

notable neurological symptoms, such as

delirium, confusion, and coma.

The aforementioned altered mental

state and ischemic strokes were the two

most common neurological symptoms

in this study. Some less common, but

still notable, reported neurological

symptoms were headache (12%), seizures

(9%), and dizziness (4%). In addition

to this, there were apparent signs of

intracranial hemorrhaging in 6% of the

patients.

The Virus Could Be Damaging

Brain Blood Vessels

Fast forward to the start of

2021. Many scientists and

researchers are now shifting

gears to focus on the longterm

neurological effects

of the virus, particularly

in regards to the damage

it inflicts on the brain.

As of yet, numerous studies

have shown no signs of

SARS-CoV-2 in the brains

of people that are infected.

However, several scientists have

observed blood vessel damage in

the postmortem brains of individuals

that had tested positive for COVID-19.

An inflammatory response due to the

virus is thought to have caused this

blood vessel damage, and this has led to

the conclusion that the virus indirectly

attacks the brain.

Dr. Avindra Nath, senior author of

a study and clinical director of the

National Institute of Neurological

Disorders and Stroke (NINDS) at the

National Institutes of Health, stated

that they were initially not expecting to

see such blatant signs of inflammatory

damage:

“We were completely surprised.

Originally, we expected to see

damage that is caused by a

lack of oxygen. Instead, we saw

multifocal areas of damage

that are usually associated with

strokes and neuroinflammatory

diseases.”

Nevertheless, researchers are remain

unsure whether the virus had been

present in the brains at some point in

time. In fact, they are still weighing two

possibilities: the viral copy numbers

were below the level of detection, or the

virus was simply cleared by the time of

death.

Researchers are hesitant to rule out the

presence of the virus in the brain, at least

at some point. This is because like rabies

and mumps, SARS-CoV-2 is technically

a neurotropic virus and thus has the

ability to infect nerve cells.

BDI International Magazine | Page 8

BestDoctorsInsurance.com | Page 9


8 hábitos diarios

para mejorar la salud

Elianny Gutiérrez

Una de las principales

enseñanzas que nos dejó el año

anterior es lo importante que

es preservar la salud. Y no hay mejor

forma de hacerlo que implementando

hábitos diarios saludables. Porque

nunca es tarde para comenzar a

preocuparse por la salud propia y la

de toda la familia. Las pequeñas y

constantes acciones son las que hacen

la diferencia.

Mejora tu salud con estas 8 prácticas

diarias

Hay cambios sencillos que son

poderosos. Sobre todo, cuando se trata

de la salud. Crear una rutina diaria

saludable prepara al organismo para

afrontar los virus y bacterias que están

en el ambiente. Aunque son invisibles

ante nuestros ojos, allí están.

Haz de estas acciones, hábitos diarios

para proteger tu salud:

1- Sube más escaleras y

menos ascensor

Subir en ascensor es más

cómodo y rápido que subir

por las escaleras. Pero esto

BDI International Magazine | Page 10

1

último es más saludable. Haz la prueba.

Si tu jornada laboral no te permite hacer

ejercicios con tanta frecuencia, sube a

la oficina por las escaleras y no por el

ascensor.

Un mínimo de 30 minutos diarios

de actividad física beneficia la salud

cardiovascular y evita la muerte

prematura. Y subir y bajar escaleras es

una acción que podrías hacer todos los

días sin tener un equipamiento especial.

También puedes ir caminando al trabajo

o a clases, si no es tan amplia la distancia.

La idea es que la actividad física se

convierta en una tarea diaria.

2- Medita

2

La meditación es una

aliada para reducir el

estrés y la ansiedad. Así

como también favorece

la concentración y puede disminuir

dolores tan intensos como la migraña. Y

es que los beneficios de esta práctica se

extienden a todos los aspectos de la vida.

Si aún no has meditado, comienza a

hacerlo poco a poco. Sin presiones.

Puedes comenzar con 10 minutos al día

y subir el tiempo de dedicación a medida

que conoces más sobre esta disciplina y

te acostumbras a ella.

Medita en la mañana, en la tarde o en

la noche. No hay un horario especial.

Eso sí, es recomendable que busques

meditaciones guiadas o que te apoyes en

un profesional que pueda introducirte

a esta práctica. Así los beneficios serán

mayores.

3- Descansa lo que tu

3

cuerpo necesita

El descanso es uno de los

pilares básicos de una vida

saludable. Sin embargo, el

insomnio es uno de los trastornos del

sueño más comunes que hay.

Cuando no descansas lo suficiente, lo

que tu cuerpo necesita, no puedes llevar

a cabo tu jornada diaria con normalidad.

Porque el cansancio se hace presente y

tus niveles de energía están muy bajos.

Por lo que tendrás fatiga y agotamiento.

Plantéate una hora específica para irte

a la cama. Antes de hacerlo tómate un

refrescante baño que te ayude

a conciliar un mejor

sueño, escucha un poco de

música relajante, practica

alguna actividad física, lee

un libro…

Todas estas acciones

pueden ayudarte a vencer

el insomnio. Y así

conseguirás un buen

descanso nocturno.

También evita dormirte a altas horas de

la noche o madrugada.

4- Consume menos

4

alimentos procesados

Los alimentos procesados

son muy deliciosos. Pero

para conseguir que sean

tan sabrosos y duraderos, han atravesado

por varias fases de producción. En las

cuales se les agregan una gran cantidad

de grasas, azúcar, sal, entre otros

preservantes.

No se trata de que los elimines por

completo de tu dieta diaria de la noche a

la mañana. Sino que comiences a reducir

su consumo poco a poco y que los

sustituyas por alimentos naturales que

sí le aporten beneficios a tu organismo.

Algunos alimentos procesados que

podrías estar consumiendo con

frecuencia son papas fritas, refrescos,

embutidos, cereales azucarados, sopas

instantáneas y muchos más.

5- Lee

5

La lectura es más que

una alternativa para los

momentos de ocio. Leer

todos los días es un hábito

que beneficia al organismo en muchos

aspectos.

Por ejemplo: aumenta la agilidad mental,

disminuye el estrés, activa el sistema

visual, alimenta los conocimientos

profesionales, favorece las relaciones

sociales y mucho más.

BestDoctorsInsurance.com | Page 11


6- Toma mucha agua

Mucho se dice que el agua

es el líquido vital. Y así es.

El agua es imprescindible

para depurar el organismo

y eliminar las toxinas. A la vez que ayuda

a digerir las comidas. También favorece

todos los aspectos del cuerpo. Desde el

cabello hasta la piel.

Lo más recomendable es consumir entre

2 a 3 litros de agua al día por persona, así

lo sugiere la Organización Mundial de la

Salud (OMS). Acostúmbrate a hacerlo

al llevar contigo un envase de agua que

especifique esta cantidad de litros.

Lo ideal es repartir la ingesta de agua

durante todo el día. Es decir, tomar

pequeños sorbos hasta completar la

cantidad de litros en un día. No más de

lo recomendado.

BDI International Magazine | Page 12

6 7

7- Reduce el estrés

Los constantes episodios

de estrés están asociados

al desarrollo de

enfermedades silenciosas.

Sobre todo, cardiovasculares. Y es que

mantener una jornada estresante afecta

la salud física, mental y emocional. Sus

consecuencias son a largo plazo.

Para evitar el estrés, la meditación es

una gran aliada. Pues ayuda a canalizar

las emociones y a introducir al cuerpo

en un estado de relajación absoluta. Al

terminar una sesión de meditación el

organismo habrá liberado el estrés

8- Mantén una dieta sana

8

y equilibrada

Las dietas que le funcionan

a otras personas podrían

no funcionarte a ti. Por

el simple hecho de que tus necesidades

nutricionales son distintas a las de los

demás.

Por eso es que debes adoptar una

dieta sana y equilibrada según lo

que tu organismo necesita. Lo más

recomendable es que asistas con un

nutricionista. Este profesional se

encargará de crear una dieta sana

y equilibrada para ti, sin excesos ni

limitaciones.

Proteger a tu cuerpo con los componentes

necesarios reduce el riesgo de que

contraigas y desarrolles enfermedades

virales que están en el ambiente.

Las pequeñas acciones sí que hacen la

diferencia. Y más cuando se trata de tu

salud. Hoy es el mejor momento para

comenzar a preocuparte por tu salud.

Best Doctors y Seguros Atlas crean alianza comercial estratégica

para ofrecer una propuesta de servicios para Seguros de Gastos

Médicos Mayores Internacionales única en México.

Best Doctors es una aseguradora reconocida por su innovación y servicio de

excelencia. Esta alianza ofrece acceso a servicios de salud y tecnología médica

de la más alta calidad alrededor del mundo.

Seguros Atlas, aseguradora multilínea con 80 años de experiencia, y Best Doctors, empresa especialista en

el mercado de seguros de salud a nivel internacional con 32 años de experiencia en Latinoamérica, han

firmado una alianza para ofrecer al mercado mexicano acceso a Seguros de Gastos Médicos Mayores

Internacionales enfocados en brindar excelencia en servicio. Best Doctors pondrá a disposición del usuario

nacional la InterConsulta®, un servicio exclusivo que ofrece acceso a más de 53,000 especialistas de renombre

alrededor del mundo, en 450 especialidades y subespecialidades médicas.

La excelencia del servicio de Best Doctors se basa en un conocimiento médico profundo, un equipo de alta

calidad, servicio personalizado y liderazgo en iniciativas innovadoras que generan un valor agregado a la

cobertura médica. Best Doctors acompaña a los asegurados durante sus experiencias médicas, orientándolos

en la dirección correcta.

Además del amplio acceso a estos servicios, la alianza, que empezará a funcionar a partir del 15 de abril,

permitirá a sus clientes tener cobertura médica y atención de clase mundial, con integración clínica y

digital del modelo de servicio al cliente de última generación de Best Doctors.

Para más información, visite bd-atlas.com o segurosatlas.com.mx


Encare a pandemia sem

desespero financeiro

Gustavo Mancinelli

Os últimos meses têm sido um

grande desafio para todos

nós, sobretudo, no aspecto

humano, visto o poderoso vírus que

enfrentamos e que, por muito tempo,

foi efetivo em infectar e dizimar muitas

vidas.

Agora, com o surgimento de algumas

vacinas, ainda que devagar, parecemos

caminhar para uma luz. No entanto,

tudo indica que o isolamento será

necessário ainda por um bom tempo,

em todo o mundo. E, como muitos

de nós sabemos, com ele veio outro

desafio: a nossa vida financeira.

Comércios fechados, pouco

movimento, serviços dos mais

diversos interrompidos e muito

desemprego, em especial, em países

menos estruturados, como é o caso do

Brasil. Mas, felizmente, há muito que

podemos fazer para passarmos pelas

dificuldades e, que sabe, até mesmo

redescobrirmos as nossas carreiras em

outras vertentes.

“Se existe tanta crise é porque

deve ser um bom negócio.”

Jô Soares

Deste modo, listamos um compilado de

dicas trazidas por grandes especialistas

e cruciais para que você consiga

passar por este momento sem sustos e,

ainda, a depender da sua criatividade

e determinação, consiga também

redescobrir a sua vida profissional.

Dicas para vencer a crise financeira da

pandemia

O primeiro passo é ter calma. O

momento é difícil, mas o desespero não

colabora para que possamos despertar

o nosso melhor e encontrarmos as tão

desejadas soluções. Assim, primeiro,

cuide bem do seu estado emocional,

alimentação, sono e deixe a sua mente

e corpo prontos para colocar em prática

as nossas sugestões.

Conheça a sua realidade financeira

Você sabe, em média, quanto gasta com

as despesas básicas de sua casa, como

luz, água, gás e internet? Você sabe

qual é o custo fixo que tem na sua casa

mês a mês? Pode parecer algo básico,

mas muito de nós, sequer, temos a

ciência desses gastos. Pagamos tudo no

automático.

Outro aspecto importante aqui é

conseguir elencar os gastos que também

são fixos, mas não básicos. Alguns

exemplos são a TV por assinatura,

serviços de streaming, procedimentos

estéticos entre outros.

Fazer isso permite que você não apenas

faça a comparação do seu gasto com as

suas receitas e, assim, descubra qual o seu

débito mensal, como também permite

que você, desde já, identifique algumas

despesas que podem ser cortadas sem

tanto prejuízo social para você e para a

sua família.

Hora de cortar despesas

Feita a devida análise e se iterando

dos gastos que possui, é o momento

de eliminar as despesas supérfluas.

Evidentemente, neste ponto, cada um

saberá o que tem de gasto desnecessário.

Opte, inicialmente, por cortar boa parte

daquilo que não é básico.

Deste modo, se ao passar dos meses

perceber que voltou ao azul nas contas

mensais, será possível readquirir alguns

dos mimos que possuía. Um ponto

positivo do isolamento social que

vivemos é que as despesas de saídas com

amigos, bares, restaurantes já se tornam

inviáveis pelo momento, e devem aliviar

a sua folha.

BDI International Magazine | Page 14 BestDoctorsInsurance.com | Page 15


Renegocie suas contas

Outra medida que não deve ser

negligenciada é a renegociação de

algumas de suas despesas. Talvez, um

dos grandes vilões momentaneamente

seja o aluguel. No entanto, é possível

entrar em contato com o seu locador

e tentar algum tipo de desconto neste

momento. Afinal, para ele também é

melhor ganhar um pouco menos por

um tempo e, ainda assim, manter uma

renda do que simplesmente correr o

risco de ficar com o imóvel parado e sem

essa entrada financeira.

Note que qualquer quantia de desconto

é bem-vinda. Afinal, você já terá cortado

contas que, muitas vezes, não chegam,

sequer, a cem reais, como alguns pacotes

de TV por assinatura ou streaming. Não

subestime pequenas economias.

Defina limites

É importante destacar que as contas

acima não são, infelizmente, as únicas

da maioria dos lares. Há outras coisas

menos previsíveis, como mercado,

farmácia, entre outros. No entanto,

para muitas delas, é possível definir um

limite.

Faça uma análise, por exemplo, das

compras que fez no mercado nos últimos

meses. Confira os itens que, de fato, são

aproveitados e os que ficam por meses

na despensa. Substitua, sempre que

possível, marcas mais caras por outras

de qualidade, mas menos conhecidas.

Crie, assim, um valor limite para a

sua compra mensal. Observe que, este

valor, precisa estar de acordo com o que

você tem de “sobra” após eliminar os

seus gastos desnecessários e renegociar

algumas outras despesas.

Aproveite os benefícios do governo

para o momento de crise

É verdade que, quando comparado a

países de primeiro mundo, o Brasil

ainda não cede um pacote de medidas

e de benefícios que seja capaz de prover

tudo aquilo que a população necessita

neste momento. No entanto, isso não

significa que não haja nada oferecido.

Fique atento aos benefícios e programas

de isenções e descontos ofertados pelos

governos municipal, estadual e federal.

Alguns exemplos atuais são:

• Auxílio emergencial

• Adiantamento do 13º salário

• Merenda em casa

De acordo com a região em que você

vive, ainda é possível que a sua cidade

ou estado ofereça outras possibilidades.

Estar atualizado e informado pode

garantir algumas receitas extras para

este momento e serem essenciais para

passar pela crise sem grandes perdas.

Mas, a grande questão que assola boa

parte das famílias vai além: muitos

empregos foram cortados e muitas

pessoas, agora, não possuem, sequer,

uma renda para se sustentarem.

Evidentemente, este cenário é muito

delicado, mas, felizmente, existem coisas

que podem ser feitas.

“O difícil não é simplesmente

ganhar dinheiro, difícil é ganhálo

fazendo algo que valha a pena

dedicar a vida.”

Carlos Ruiz Zafón

Sugestões para ganhar a sua renda

extra na pandemia

Talvez, antes de qualquer outra coisa,

este seja o momento que você precisará

ter, acima de tudo, coragem. Afinal,

todos sabemos que se não fizermos nada

de diferente, os resultados serão sempre

os mesmos.

Ganhar dinheiro nunca foi tarefa fácil,

em um primeiro momento, ainda mais

difícil num momento tão peculiar como

o que vivemos. Mas, lembre-se de que

isso se aplica a todos e, portanto, as

novas demandas e oportunidades que

surgiram com o nosso novo modelo de

vida estão aí para serem exploradas por

quem quiser. Por que não você?

Aposte no delivery

Tem aquela receita de família de alguma

iguaria? A cozinha e o delivery se

tornaram um dos mercados que mais

cresceram neste momento que não

podemos (ou, pelo menos, não devemos)

sair por aí nas ruas.

Uma receita especial e bem-feita, uma

boa apresentação, divulgação nas suas

próprias redes sociais e um serviço de

motoboy – que pode ser terceirizado,

claro – é tudo o que você precisa para

conquistar essa renda.

Mesmo que, por algum momento, o

seu alcance ainda seja limitado ao seu

bairro, parentes, amigos e colegas,

neste momento, qualquer renda é bemvinda.

E, claro, se o seu produto for uma

delícia, pode nascer um negócio novo

em sua vida, mesmo para o período póspandemia.

Use e abuse da internet

A grande rede não está aí apenas por

diversão. Há muitas formas de ganhar

dinheiro nela e várias, inclusive, em

moedas estrangeiras como o dólar, que

vale muito mais do que o real. Há uma

boa chance de que você tenha alguma

habilidade que possa ser comercializada

por lá. Alguns dos destaques são:

• Web Designer → crie páginas para

pequenas empresas e negócios;

• Edição de fotos → o número de

BDI International Magazine | Page 16

BestDoctorsInsurance.com | Page 17


com elas, mas poucas vezes pensamos em

utilizá-las de forma lucrativa. Imagine

anunciar, por exemplo, o restaurante

do seu bairro no seu Instagram com

dezenas de milhares de seguidores. De

repente, fazer uma parceira com o local e

trocar a publicidade por alguns almoços

entregue na sua residência.

Ainda é possível, claro, fazer propaganda

das suas habilidades, sejam quais forem.

O mais importante é ter a proatividade,

procurar locais e empreendimentos que

possam se interessar pelo seu veículo e,

quem sabe, fechar parcerias.

Marketplaces

Esses sites são dedicados a conectar

pessoas e empresas que vendem um

produto ou serviço com potenciais

interessados. Por que não vender as

suas habilidades ou produtos por aqui?

Normalmente, os cadastros são gratuitos

e o alcance é muito alto, quando falamos

das principais delas.

dinâmico, dentro da plataforma, por

vagas que são oferecidas a todo momento

(em alguns casos, literalmente, a cada

minuto). Candidatar-se, fazer a sua oferta

e demonstrar o porquê o empregador

deve chamá-lo para aquela tarefa e

efetuar o trabalho com qualidade.

O pagamento será depositado em sua

conta da plataforma e, posteriormente,

pode ser transferido para a sua conta

bancária. Normalmente, como

mencionamos, a moeda oficial dessas

plataformas é o dólar e, uma vez

transferido para a sua conta bancária

brasileira, será convertido para o real,

com uma cotação que atualmente

ultrapassa cinco reais para um dólar. Ou

seja, ótima maneira de criar, até mesmo,

uma nova carreira.

Algumas opções famosas são:

• Upwork

• Workana

• PeoplePerHour

blogs, redes sociais e outros que

demandam conteúdo de imagens

editadas diariamente estourou e

profissionais do ramo têm uma boa

chance de aumentar a sua receita;

• Edição de vídeos → a receita é a

mesma das fotos. Outra ótima (e

lucrativa) maneira de ganhar um

bom dinheiro na crise;

• Ensine um idioma ou matéria →

a maioria de nós não é professor

e, talvez, nem seja um perito em

algum idioma ou matéria escolar.

No entanto, muitas pessoas estão

buscando reforço em áreas básicas

do conhecimento que, talvez, você

domine muito bem. E, se for um

especialista em alguma matéria ou

idioma, seguramente, a sua receita

será ainda maior;

• Serviços de reparos ou manutenção

→ a internet também é uma ótima

forma de anunciar a sua capacidade

de pequenos reparos e manutenção

em diversos aparelhos ou o que for.

Por exemplo, se você sabe consertar

computadores, celulares, ou quase

qualquer outra coisa, não importa!

Anuncie e pegue novos bicos para

uma renda maior;

Agora, você deve estar se perguntando

como, exatamente, você pode anunciar

as suas habilidades na internet. Ou,

melhor ainda, onde, certo? A verdade é

que você tem algumas opções. Vamos

conferir algumas delas.

Onde anunciar as suas habilidades e

serviços durante a pandemia

Internet, claro.

Agora, seremos mais específicos.

Existem uma série de recursos que você

pode aproveitar, desde uma rede social

que tenha com bastante seguidores,

um marketplace de grande alcance ou,

ainda, plataforma de empregos online.

Vamos conhecer melhor cada uma

dessas alternativas.

Redes Sociais

Todos já somos bastante familiarizados

Alguns exemplos são:

• Mercado Livre

• OLX

• Enjoei

Plataformas de emprego online

Possivelmente, as plataformas de

emprego online sejam a sua melhor

aposta caso a sua ideia seja a de vender

algum tipo de serviço especializado,

como edição de fotos, por exemplo. Essas

são plataformas em que você se registra,

insere títulos, experiências, exemplos do

que você é capaz e, assim, monta o seu

perfil profissional.

Depois, basta buscar em um mercado

Sem dúvidas, com essas medidas

seguidas com afinco e somadas

às suas próprias, você terá um

momento de pandemia muito mais

ameno financeiramente e, com

alguma sorte e dedicação, talvez,

um redirecionamento da sua vida

profissional para algo muito melhor,

mais lucrativo e agradável.

BDI International Magazine | Page 18

BestDoctorsInsurance.com | Page 19


How Do Sleep, Nutrition, And

Exercise Serve As A Foundation

For Good Mental Health?

Jacqueline Samaroo

For a long time, it has been

understood that three pillars of

wellness—sleep, nutrition, and

exercise—are essential for maintaining

good physical health. However, in

recent years, several milestone studies

have legitimized the idea that these

three pillars are also the basis for good

mental health.

How Do Diet And Nutrition Affect Mental

Health?

Nutrition, as compared to the two

wellness pillars of sleep and exercise,

has less of an impact on mental health.

Nevertheless, its effects are significant.

In fact, the effect that nutrition can have

on a person’s overall mental health is so

important that it has, in recent years, led

to a rise in the popularity of nutritional

psychiatry. This fledgling area of

research is primarily focused on the

role nutrition plays in the development

of mental health problems and their

subsequent treatment.

The indirect influences a person’s diet

has on their mental health is also being

studied. In particular, researchers are

trying to quantify the relationship that

poor nutrition has with the other two

pillars of wellness, especially sleep.

The effects of caffeine and alcohol—two of

the most widely consumed psychoactive

drugs—on a person’s sleep quality are

major research topics in mental health.

As a stimulant, caffeine works to prevent

sleep and, if consumed close to bedtime,

can affect both quantity and quality of

sleep. Although alcohol is a depressant

and has the effect of making a person

feel sleepy, it keeps the mind out of the

deeper states of sleep. This drastically

affects sleep quality.

What Effect Does Exercise Have On

Mental Health?

Over the years, several studies have

helped reveal the connection between

regular exercise and general mental

health. More specifically, exercise has

been found to be an effective treatment

for mild to moderate depression.

One often-referenced study was

published in The Lancet in 2018. It looked

at 1.2 million people in the United States

to see if there was a link between exercise

and mental health. The summary of the

findings states that “people who exercise

report having 1.5 fewer days of poor

mental health a month,” as compared

to their peers that did not exercise. The

study also presents a strong conclusion

that going to the gym, participating in

team sports, cycling, and aerobics are

the physical activities associated with

the greatest benefits to personal mental

health.

In order to experience the

aforementioned benefits at a noticeable

and consistent level, it is recommended

that individuals exercise for at least

20 to 30 minutes a day, three days a

week. However, several current, indepth

studies suggest that the optimal

frequency is four to five times a week.

The previously mentioned study in The

Lancet also examined whether small,

infrequent amounts of exercise have

any mental health benefits. The study’s

initial findings consistently show that

some exercise is better than none when

it comes to improving mental health.

However, those researchers took a closer

BDI International Magazine | Page 20

BestDoctorsInsurance.com | Page 21


DESTAQUE DE PROVEDOR PREFERIDO

look at individuals that participate in

extreme amounts of exercise, and their

findings show a negative effect on mental

health. People who regularly exercised

for more than three hours a day were, on

average, associated with worse mental

health than people who did not exercise

at all. That being said, the authors of

the study bookended these findings

by concluding that extreme amounts

of exercise may be a sign of obsessive

characteristics, placing these people at

a far greater risk of poor mental health.

“Previously, people have believed

that the more exercise you do, the

better your mental health, but our

study suggests that this is not the

case. Doing exercise more than 23

times a month, or exercising for

longer than 90-minute sessions

is associated with worse mental

health.”

Dr. Adam Chekroud, Assistant

Professor of Psychiatry at Yale

University and Chief Scientist at

Spring Health, USA

Is Sleep The Most Important Pillar Of

Wellness For Mental Health?

In regards to mental health, sleep is

the most influential wellness pillar of

the three. In fact, researchers at the

University of California, Berkeley

conducted a study that found that “a

sleepless night can trigger up to a 30%

rise in anxiety levels.”

A more in-depth analysis of the

relationship between sleep and mental

health also supports the notion that sleep

quality has a greater positive mental

health impact than sleep quantity.

On the surface, this seems to contradict

the long-standing, popular idea that

getting eight hours of sleep a night is

more important than sleep quality.

Researchers found, however, that sleep

quantity still has a noticeable impact

on mental health. More specifically,

both too little and too much sleep

closely correlate to greater depressive

symptoms. In UC Berkeley study, too

little sleep was referenced as “less than

eight hours,” while too much sleep was

referenced as “more than 12 hours.”

In regards to sleep quality, the study

also found that NREM (non-rapid eye

movement) sleep was the most effective

at decreasing anxiety, among other

things.

“We have identified a new

function of deep sleep, one that

decreases anxiety overnight by

reorganizing connections in the

brain. Deep sleep seems to be

a natural anxiolytic (anxiety

inhibitor), so long as we get it each

and every night.”

Matthew Walker, Professor of

Neuroscience and Psychology,

University of California, Berkeley

HOSPITAL OCUPA TOPO DA CLASSIFICAÇÃO PELA SÉTIMA VEZ CONSECUTIVA

Pela sétima vez consecutiva o Einstein foi considerado pela revista América Economia Intelligence o melhor

hospital da América Latina. A classificação de 2015 traz a avaliação de 43 hospitais e clínicas da região, s

elecionados entre 200 participantes, e considera aspectos de segurança e dignidade do paciente, capital

humano, capacidade de atendimento, eficiência, prestígio e gerenciamento do conhecimento.

O hospital alcançou o máximo de pontos (100) em quatro desses itens: segurança e dignidade do paciente,

capacidade de atendimento, prestígio e gerenciamento do conhecimento. Capital humano recebeu 99,54

pontos e eficiência, 90,48. O índice geral de qualidade foi de 98,93 pontos ante 87,31 do segundo colocado.

Chamou a atenção, segundo a revista, o desempenho do Einstein no gerenciamento do

conhecimento. Foram 707 artigos IIC (Instituto por Informação Cientifica) reconhecidos

no período, 2013-2014, sendo que o segundo colocado teve 145.

Diferenciais

Por outro lado, o Einstein é verdadeiramente comunitário, no sentido

de que a comunidade judaica participa efetivamente da sua vida.

É uma instituição sem fins lucrativos, o que faz com que o seu objetivo não seja a maximização de

resultados financeiros e, sim, o compromisso com a qualidade e a segurança da assistência do paciente.

O que faz o Einstein ser referência de excelência mesmo fora do Brasil é o fato de não ser somente um

hospital, mas sim um sistema integrado de saúde. Faz não só a assistência, mas toda a cadeia

de serviços de saúde: promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. E vai além: tem

um suporte qualificado para essas atividades, por meio das áreas de ensino e de pesquisa.

Para mais informação sobre o Hospital Albert Einstein, por favor, visite: www.einstein.br/en/Pages/Home.aspx

BDI International Magazine | Page 22


COVID-19 y Demencia:

Una Combinación Letal

Debido a una combinación de “varios cambios patológicos”, las incidencias

de morbilidad y mortalidad del Coronavirus son más altas en los pacientes

que sufren de demencia y alzhéimer.

Translation in

ENGLISH

Tradução em

PORTUGUÊS

Alexandra Gratereaux

Ha surgido nueva evidencia

científica que describe cómo

la enfermedad de Alzheimer

(EA) es la principal “comorbilidad del

COVID-19”, según una revista médica

publicada por los Institutos Nacionales de

la Salud (NIH) – una división supervisada

por el Departamento de Salud y Servicios

Humanos de EE. UU.

El resumen, redactado por profesores de

medicina de la Universidad de Pensilvania

y de la Universidad Northwestern de

Chicago, Illinois, describe cómo las

incidencias de morbilidad y mortalidad

son considerablemente más altas en los

pacientes que padecen la enfermedad de

Alzheimer, debido a una combinación de

“varios cambios patológicos”, además de

otras condiciones como “la diabetes [y]

alteraciones al estilo de vida”.

“También destacamos la influencia de

COVID-19 en la función cognitiva, y

proponemos rutas posibles de invasión

viral en el cerebro y mecanismos

potenciales subyacentes al deterioro

cognitivo inducido por COVID-19”,

indica un extracto de la revista médica.

“Se ha informado de que COVID-19 causa

varios síntomas neurológicos, incluso

el deterioro cognitivo que puede acabar

resultando en EA”, continúa el extracto.

Otros síntomas incluyen “la inflamación

inducida por COVID-19, la hospitalización

y delirio a largo plazo, y el síndrome post-

COVID-19”.

Semejante al NIH, la Asociación de

Alzheimer ha estado investigando el riesgo,

la disparidad y los resultados del COVID-19

y la demencia. Las observaciones -una

colección de 61,9 millones de registros

médicos estadounidenses- se publicaron

en un estudio que se realizó durante las

primeras fases de la pandemia en agosto

de 2020.

La investigación fue enfocada en cinco

diferentes tipos de demencia. En las

pruebas de COVID-19, estos candidatos

dieron positivo y tenían entre 18 y

65 años.

Según el informe, los pacientes con

demencia vascular son los que más riesgo

corren si contraen COVID-19, porque

“la barrera hematoencefálica (BHE) está

dañada, esto permite que ciertas bacterias

y virus accedan al cerebro con mayor

facilidad”. Además, si se produce un

fallo orgánico y se detecta hipoxemia, los

resultados pueden ser mortales causando

edema y fallo cerebral.

Tras la demencia vascular se encuentran

la demencia presenil, la enfermedad

de Alzheimer, la demencia senil y la

demencia postraumática. El estudio

también enfatiza que los negros corren un

riesgo más alto que los blancos, ya que “los

riesgos de mortalidad y hospitalización a

los 6 meses en pacientes con demencia y

COVID-19 fueron del 20,99% y el 59,26%,

respectivamente”, duplicando el riesgo.

Los hallazgos de otros tipos de demencia

inusuales, como la demencia por cuerpos de

Lewy (DCL), la demencia frontotemporal

y la demencia mixta, no se incluyeron en el

estudio debido a la falta de información y

al “ tamaño insuficiente de las pruebas de

los casos de COVID-19”

Alexandra Gratereaux es la especialista de marketing de

Best Doctors Insurance. Ella es una periodista innovadora

y creativa, y una profesional del marketing y relaciones

públicas de la ciudad de Nueva York. Alexandra ha sido una

reportera de noticias cubriendo una variedad de temas y

asuntos para empresas como ABC News, Fox News, Fox News

Latino, Crain’s NY la revista de economía, iHeartRadio, y

United Press International. Ha entrevistado a cientos de

superestrellas como Jennifer López, John Leguizamo y Andy

García, por nombrar algunos. La trayectoria profesional

de Alexandra comenzó en su ciudad natal, Miami Beach

(Florida), donde trabajó en el Miami Herald cubriendo las

noticias locales. También fue escritora en el Miami Sunpost,

donde fue la reportera más joven contratada para entrevistar

a famosos de alto nivel. Ella vive en Miami Beach, Florida,

y disfruta de intereses como viajar, escribir y planificar

eventos especiales.

Fuente:

1. https://bit.ly/3fwc34U

2. https://bit.ly/3u9tiy5

3. https://bit.ly/341TksI

EN MEMORIA DE GUILLERMO OTERO

& GUILLERMO OTERO SR.

BDI International Magazine | Page 24

BestDoctorsInsurance.com | Page 25


Coronavírus:

entenda o que são mutações e como

as vacinas responderão a elas

Gustavo Mancinelli

O

ano passou, mas, infelizmente,

ainda que tenham ocorrido

alguns progressos na busca

por uma imunização, o Coronavírus

continua nos assolando, em escala

mundial. Recentemente, para nos

deixar mais apreensivos com a

pandemia e com todos os efeitos

colaterais gerados a partir dela,

agora, fala-se de muitas novas cepas –

mutações no código genético do vírus.

Estariam eles mais fortes? Talvez,

imunes a vacina que com tanto custo

começa a surgir? Muitas dúvidas

surgem na cabeça de todos nós e,

como deve ser, a informação é uma

das armas mais poderosas que temos.

Então, vamos entender um pouco mais

do vírus, das suas novas variantes e

como as vacinas atuais podem (ou não)

neutralizá-lo.

O que é o Coronavírus?

O assunto é conhecido, mas muitos de nós

ainda têm dúvidas. O Coronavírus é um

vírus que causa a doença popularmente

conhecida como COVID-19, que ataca,

entre outras coisas, o sistema respiratório

e, em seus casos mais graves, pode levar

a óbito.

Assim como quaisquer outros vírus que

conhecemos, o Coronavírus é capaz de

se adaptar ao ambiente, às condições

naturais, aos hospedeiros e, assim,

por diante. A cada adaptação, ou seja,

pequenas mudanças no código genético

previamente identificado do vírus, nasce

uma cepa dele.

O que representa uma nova cepa do

vírus?

As novas cepas possuem pequenas

diferenças no vírus que visam dar

ao mesmo maior longevidade e

adaptabilidade. No entanto, em alguns

casos, essas adaptações podem ser

maléficas ao vírus e extingui-los. Assim,

nem toda mutação é, necessariamente,

ruim para os seres humanos.

No entanto, em outros casos – como

é o da cepa identificada recentemente

no Brasil, a B.1.1.7 – essas adaptações

o tornarão, segundo alguns estudos

já divulgados, fizeram dele mais

transmissível. Assim, este é, sem

dúvidas, um ponto que o torna ainda

mais perigoso. E, infelizmente, não para

por aí.

Quantas cepas do Coronavírus já

foram identificadas?

Atualmente, segundo o geneticista suíço

Balloux, não estamos distantes de 20 mil

variações. Mais uma vez, isso não quer

dizer que ele se tornou, necessariamente,

mais letal ou transmissível, visto

que nem todas ofereceram aspectos

relevantes que o fizessem mais perigoso

para os seres humanos.

A fim de se ter uma referência, o vírus

da gripe comum, para a qual, no Brasil,

temos a vacina integrada ao calendário

nacional de vacinações, também passa

por uma série de mutações a todo tempo,

de forma que novas cepas do mesmo

também nascem frequentemente.

Isso faz com que as nossas dúvidas acerca

da vacina e de sua eficácia borbulhem

em nossas cabeças. Mas, na verdade,

as coisas não são tão confusas como

parecem. Agora que já investigamos

como o vírus funciona e o que são essas

famigeradas variantes, vamos entender

um pouco mais sobre as vacinas, de

modo que possamos relacioná-las com

o vírus.

O que são vacinas?

De acordo com a definição do Ministério

da Saúde, a definição de vacina é:

“As vacinas são substâncias

biológicas, preparadas a partir

dos microorganismos causadores

das doenças (bactérias ou vírus),

modificados laboratorialmente,

de forma a perderem a sua

potência de provocar doença.”

Em outras palavras, trata-se de

manipular o vírus e torná-lo incapaz de

causar a enfermidade que ele causava

nos seres humanos. Assim, quando esse

vírus enfraquecido é ministrado em

nosso corpo, a reação cria anticorpos e,

agora, mesmo que o vírus normal seja

contraído, o nosso organismo já está

pronto para ele, de forma que as chances

de não termos sintomas ou, no mínimo,

de tê-los de forma extremamente amena

são grandes.

As vacinas resolvem o problema para

sempre?

Esta pergunta deve ser respondida em

duas vertentes: a eficácia e a validade.

Esses são dois aspectos essenciais que

precisam estar sempre em mente, visto

que, conforme explicamos, o vírus pode

se modificar e, mesmo vacinados, ainda

podemos contrair um determinado

vírus.

Eficácia

Talvez, o fator que esteja mais em

destaque atualmente, visto que algumas

vacinas contra a COVID-19 já estão

aprovadas e utilizadas em alguns países.

O grande ponto de dúvida de muitas

pessoas gira, exatamente, em torno da

eficácia, já que algumas delas, como a

CoronaVac, apresentaram resultados

pouco superiores a 50% de imunização.

Então, vale a pena?

Sim. A conta para entendermos é bem

simples e se divide em duas etapas. Para

ilustrar, imagine o caso a seguir.

Uma população de 100 indivíduos vive

em uma área onde uma das variantes do

vírus X acaba de chegar. Agora, imagine

que o vírus possui uma taxa de contágio

de 5%. Deste modo, é lógico afirmar

que teremos cerca de cinco pessoas

infectadas nesta população.

Agora, digamos que esse vírus leva a

óbito cerca de 20% dos infectados. Dos

nossos cinco contaminados, quatro

sobreviveriam, com uma vítima fatal.

Ou seja, em resumo, no nosso grupo de

100 indivíduos, teríamos uma morte.

Vamos supor, agora, que uma vacina

apresente a eficácia de 50%. Isso quer

dizer que, em vez dos cinco indivíduos

contaminados, teríamos apenas metade,

ou seja, dois ou três. E, ainda por cima,

possivelmente não teríamos óbitos,

visto que a eficácia não se trata apenas

da contaminação, mas também da alta

efetividade no combate dos casos mais

graves.

Assim, como podemos ver em nosso

BDI International Magazine | Page 26 BestDoctorsInsurance.com | Page 27


exemplo, mesmo uma vacina com uma

eficácia que, a princípio, pode não encher

os nossos olhos, é extremamente útil no

salvamento de muitas vidas.

Agora, vamos falar da validade.

Validade

O outro fator é a validade. Uma vacina,

normalmente, torna o indivíduo imune

a uma determinada por um prazo

determinado ou, em alguns casos, para

a vida toda, em uma ou mais doses. No

entanto, a validade pode ser diferente

com o passar do tempo.

Ocorre que, em alguns casos, a depender

do número de variações que o vírus tem

em seu RNA, a vacina, após um período

de tempo, pode já não ser suficiente para

controlá-lo. Isto é o que, normalmente,

acontece com a vacina da gripe comum.

Após um certo período de anos, ela é

reajustada de forma a mantê-la eficaz.

Portanto, muito provavelmente,

teremos o Coronavírus como endêmico

– ou seja, presente no nosso mundo

– e, a cada certo espaço de tempo,

precisaremos de uma reformulação na

vacina para conseguirmos manter a

nossa imunidade. A boa notícia é que

esses ajustes são muito mais fáceis de

serem feitos do que a criação de uma

nova vacina.

Um ponto importante de tocarmos,

porém, é que isso não significa que, a

cada nova variante de um vírus, seja

necessária uma nova vacina, como

veremos a seguir.

Afinal, as vacinas desenvolvidas para

o Coronavírus são capazes de nos

imunizar mesmo contra as variantes

recentemente descobertas?

A ciência ainda não tem como garantir

que as vacinas apresentarão resultados

satisfatórios contra todas as mutações

atuais e, evidentemente, que ainda

serão descobertas do vírus. No entanto,

é relevante ressaltarmos que isso

tampouco quer dizer que ela não terá.

Segundo a infectologista Regina Valim,

da Universidade Federal de Santa

Catarina, em entrevista para o portal

Brasil de Fato, o que se sucede é:

“As vacinas são feitas de

componentes virais. O que

chegou de relato é que a mutação

foi na spike do vírus, a spike

são tipo ‘agulhaszinhas’ que

são componentes no vírus.

Então, as variações ficam fora

dos componentes presentes na

vacina. Por isso se faz essa alusão.

Realmente parece que não haverá

impacto para a vacina mas precisa

ser melhor estudado realmente.”

Portanto, a esperança é de que, por

algum tempo, as vacinas sejam sim

eficazes contra as mutações que já

identificamos, mas ainda carece de

comprovação científica por estudos

mais aprofundadas. No momento, é

apenas uma opinião da comunidade

especializada tendo em vista uma

análise prévia.

Deste modo, independentemente, de

tratamentos e vacinas desenvolvidos até

o momento, alguns cuidados já indicados

tanto pela Organização Mundia da Saúde

como por tantos outros órgãos nacionais

e internacionais de saúde são vitais para

frearmos o avanço do Coronavírus.

“Não existe cura melhor do que

a prevenção.” Sandro Kretus

(escritor brasileiro)

Os cuidados que ainda devemos tomar

no combate à pandemia da COVID-19

Para alguns, essas medidas já estão

bastante assimiladas, mas, para outros,

podem ainda não estar completamente

claras. Além disso, é comum do ser

humano, depois de um primeiro

momento de apreensão, relaxar e acabar,

por vezes, cometendo erros que podem

ser fatais.

Deste modo, não custa relembrarmos o

que você pode (e deve!) fazer para evitar

os riscos:

• Evite ambientes lotados e

aglomerações de todos os tipos;

• Utilize máscara sempre que for

necessário sair de casa;

• Higienize a sua mão, roupas e

eventuais sacolas ou itens que

trouxer de outros ambientes para

dentro da sua casa;

• Caso tenha que sair da

sua casa, respeite uma

distância mínima de um

metro de todas as outras

pessoas. Sempre que tossir

ou espirrar, cubra o nariz

e a boca com o seu braço

(mesmo de máscara) para

diminuir, ainda mais, o

alcance do vírus (caso

esteja infectado);

Num momento tão delicado

e frente a um inimigo

invisível tão poderoso, que

já contagiou milhões de

pessoas no mundo todo,

é cedo para baixarmos a

nossa guarda. Tomar as

medidas de segurança e ser

consciente, com informação

e atitudes, mantêm as

pessoas que você ama em

segurança.

BDI International Magazine | Page 28 BestDoctorsInsurance.com | Page 29


7

claves para alcanzar

la libertad financiera

Jacqueline Samaroo

Alcanzar la libertad financiera

ha pasado de ser una utopía a

una realidad. Todos tenemos

la capacidad de crear suficientes

fuentes de ingresos como para que el

dinero deje de ser una preocupación.

Se trata de trabajar el dinero de forma

inteligente.

La libertad financiera ya no es un

sueño. Ahora se ha convertido en una

necesidad. Y cualquier persona que se

lo proponga puede conseguirlo. Porque

no se trata de suerte, sino de mover el

dinero con estrategia para acceder al

estilo de vida que se desea.

¿Qué es la libertad financiera?

La libertad financiera, también conocida

como independencia financiera, consiste

en tener la capacidad de cubrir todas las

necesidades y gastos mensuales sin que

esto suponga estar atado a un trabajo. Se

trata de riqueza en tiempo, más no en

dinero.

Una persona con libertad financiera

vive el estilo de vida que quiere. No

trabaja por dinero, porque ha sabido

crear fuentes de ingresos pasivos que

ponen dinero mensual en su bolsillo. Lo

suficiente como para cubrir todos sus

gastos.

Tener libertad financiera es aprender a

mover el dinero de manera inteligente.

Conseguir que este trabaje para

uno mismo y no al revés. No solo

las personalidades reconocidas o

millonarios de cuna pueden alcanzar

este nivel de vida.

Toda persona que se proponga ahora

mismo a alcanzar la libertad financiera,

puede lograrlo si aprende a administrar

su dinero y se establece metas financieras.

7 claves para alcanzar la libertad

financiera

Crear ingresos que permitan aminorar

la dependencia a un trabajo para vivir la

vida deseada, no es algo que se consiga

de la noche a la mañana. Se necesita de

esfuerzo, dedicación y perseverancia

para lograrlo. Pero sí es posible.

Estas son las claves que te ayudarán a

conseguir la independencia financiera:

Determina cuánto dinero

1necesitas

Para comenzar a construir

la independencia financiera

es necesario que definas

cuánto dinero necesitas para

mantener el estilo de vida

que deseas. Pues este será tu punto de

partida. Esta cifra te acompañará hasta

que tus ingresos sean mayores que tus

egresos.

Lo primero que debes hacer es escribir

en un papel cuáles son todos tus gastos

mensuales con su respectiva cantidad.

Estos gastos serán los que definirán

cuánto flujo de dinero necesitas generar

al mes para cubrirlos.

Sé totalmente sincero con la lista

de tus gastos. Eso sí, tampoco seas

tan ambicioso. Ten en cuenta que la

independencia se trata de ser libre para

decidir en qué invertir tu tiempo. No ser

rico de la noche a la mañana.

Invierte lo que ahorras

2Mantener el dinero estático

no te ayudará a conseguir la

independencia financiera.

Por el contrario, tienes que

mover tus ahorros al punto

de que puedan generarte

un rendimiento que te permita dejar

de trabajar y empezar a vivir de tus

inversiones.

La industria de bienes raíces es una de

las más competitivas para invertir. Si

compras, por ejemplo, una vivienda para

su posterior alquiler, al mes te generará

BDI International Magazine | Page 30

BestDoctorsInsurance.com | Page 31


una cantidad de dinero específica que

podría ayudarte a cubrir tus gastos.

También puedes invertir en el

mercado financiero, negocios privados,

franquicias, materias primas, etc.

Liquida tus deudas cuanto

3antes

Saldar tus deudas a la

brevedad posible te permitirá

enfocar tu dinero a producir

más dinero. Así que haz una

lista con todas las deudas que

tienes en este momento. Y comienza a

pagarlas conforme te lo permitan tus

ingresos actuales.

Hay dos formas de pagar una deuda:

pagando las más pequeñas primero

o deshacerse de las más grandes

como punto de partida. En cualquier

modalidad que escojas verás cómo al

saldar una deuda te quitas un gran peso

de encima.

Aléjate de las tarjetas de crédito y las

deudas innecesarias. Para alcanzar la

libertad financiera debes comenzar a

gestionar tu dinero de forma inteligente.

Así que empieza a analizar en qué

se va tu dinero mes a mes. Y haz las

modificaciones necesarias.

Genera ingresos pasivos

Si tienes habilidades

específicas, ¡monetízalas!

Puedes crear cursos que

pongan dinero en tus bolsillos

cada mes. Las formaciones

grabadas no demandan de

tu presencia para generar dinero. Las

grabas una vez y las vendes muchas

veces. Esto es ingreso pasivo.

4 5

Un ingreso pasivo es aquel que se

genera de forma automática. Es decir,

una vez puesto en marcha comenzará a

producirte ganancias sin que tengas que

dedicarles más tiempo y recursos que los

iniciales.

Los cursos online, el marketing de

afiliados, los anuncios, entre otros, son

algunos ejemplos de ingresos pasivos

que puedes comenzar a generar en el

espacio digital.

Invierte en ti mismo

Aprender a invertir el dinero

de forma inteligente no se

da por sí solo. Tienes que

adquirir los conocimientos

básicos que te permitan mover

tu dinero para producir más

dinero. Así que invierte en ti mismo, en

adquirir nuevas habilidades.

Hay muchos libros, como Padre Rico,

Padre Pobre (de Robert Kiyosaki), que te

enseñan sobre finanzas personales. Este

libro explica cómo puedes abandonar

el círculo vicioso de trabajar muy duro

toda tu vida para otros, y comenzar a

trabajar para ti.

La mejor inversión que puedes hacer

es en educación para ti. No dejes de

aprender.

Cuidado con los gastos

6hormigas

Los gastos hormigas son

pequeños consumos diarios

que piensas que no afectan

tus finanzas. Sin embargo,

si los sumas todos te darás

cuenta que son un valor importante.

Por ejemplo: los cafés diarios, los

cigarrillos, el pastel para la media tarde,

etc. Vigila tus gastos para identificar y

erradicar los egresos hormigas.

Sé constante

7La libertad financiera no es

una meta que se consigue de la

noche a la mañana. Requiere

de trabajo arduo, constancia

y paciencia. Pero, sobre

todo, de mucha prudencia e

inteligencia al momento de invertir tu

dinero.

El tiempo que vas a demorar en ser libre

financieramente solo depende de ti. No

hay una regla universal que especifique

cuánto vas a tardar en llegar a este

objetivo. Si hoy te lo has propuesto,

comienza a trabajar por ello de manera

disciplinada.

Tener independencia a nivel financiero

te permitirá vivir la vida que tanto

sueñas, sin depender de un trabajo con

un horario agotante.

BDI International Magazine | Page 32

BestDoctorsInsurance.com | Page 33


Patients That Have Recovered From

COVID-19 May Have Immunity For At

Least Eight Months

Jacqueline Samaroo

After the onset of the COVID-19

pandemic, countless scientists

and researchers worldwide

began investigating the question of

post-infection immunity. Having postinfection

immunity to a SARS-CoV-2

infection would limit the spread of

the virus and, consequently, lessen the

pandemic’s overall impact.

A study published at the dawn of this

year strongly suggests that survivors of

a SARS-CoV-2 infection could indeed

retain the immune memory necessary

to prevent severe reinfection. Although

this immunity is not permanent,

research suggests that it could last for

at least eight months, which could be

long enough.

More countries are approving the use

of COVID-19 vaccines in an effort

to stem the pandemic. However,

the aforementioned post-infection

immunity is still important because it

is likely that vaccine’s protection may

last around the same amount of time.

The Response Of The Adaptive Immune

System

In the human body, the immune system

is largely responsible for detecting and

responding to pathogens and protecting

the body from disease. The immune

system is divided into two subsystems,

the innate immune system and the more

specialized adaptive immune system.

The way the adaptive immune system

interacts with COVID-19 (in essence,

the SARS-CoV-2 virus) caught the

attention of researchers at the La Jolla

Institute for Immunology in La Jolla,

California. This study, led by Professors

Shane Crotty and Alessandro Sette and

published in the journal Science, focused

on the four branches of the adaptive

immune system in individuals that had

recovered from COVID-19. Specifically,

the scientists measured the levels of

antibodies, two types of T cells, and

memory B cells that had been targeted

towards the virus.

Professors Crotty and Sette said this

about the study:

“As far as we know, this is the

largest study ever for any acute

infection that has measured

all four of those components

of immune memory. Our data

suggest that the immune response

is there—and it stays.”

They found that between 5 and 8 months

after the emergence of symptoms,

approximately 95% of infected

individuals still had immune memory

for the infection in at least three of their

adaptive immune systems’ branches.

Global Diversity Leads To Different

Results

Although the aforementioned La

Jolla Institute study is the largest of its

kind, similar investigations should be

considered.

In one relatively in-depth study, the

Imperial College London came to the

provisional conclusion that “antibody

response to the virus that causes

COVID-19 wanes over time,” showing a

drastic drop-off in a population after the

first wave of infection.

According to Professor Paul Elliot, a

study author and the director of the

Imperial College London program,

researchers are noticing a reduction in

the number of people that test positive

for antibodies. Nevertheless, they are still

BDI International Magazine | Page 34

BestDoctorsInsurance.com | Page 35


InterConsultation®

unclear about what level of immunity

these antibodies provide.

“Our study shows that over

time there is a reduction in the

proportion of people testing

positive for antibodies. Testing

positive for antibodies does

not mean you are immune to

COVID-19. It remains unclear

what level of immunity antibodies

provide, or for how long this

immunity lasts.”

This same study also showed that the

downward trend in positive antibody

tests was not limited to one specific age

group or part of the country. That being

said, the greatest reduction in positive

antibody tests was found in people

aged 75 and above. This lends credence

to the longstanding theory that age is

a key factor in the validity of antibody

response.

A welcome surprise the study uncovered

was that a specific group of people—

health workers—initially showed no

downward trend in positive antibody

tests. The authors have cautiously

suggested that this could indicate

that higher initial exposure, or simply

repeated exposure, to the virus was the

underlying cause.

Having said that, the limited and

inconclusive nature of these findings

does not support an intentional spread of

the virus to accelerate “herd immunity.”

In a contrast to the Imperial College

London findings, a group of researchers

at the University of Arizona College

of Medicine in Tucson reported that

individuals were producing antibodies 5

to 7 months after having COVID-19.

Tempering Long-Term Expectations

It has long been accepted that permanent,

or significantly long-term, immunity

is unlikely. Yet researchers from all

corners of the world are still trying to

fully understand the adaptive immune

system’s interaction with COVID-19

to better approximate immunity to the

virus.

As of now, general estimates seem to be

hovering at less than a year’s time, with

reports ranging from 5 to 8 or more

months. By and large, the primary factor

causing the variance in study findings is

believed to be human diversity. Inherent

differences in immune memories means

that it is likely that not everyone that

has recovered from COVID-19 will

experience a long period of immunity.

Gain Peace of Mind with a Second Opinion!

CONTACT

A single phone

call connects

you with one of

our physicians

committed to

give you support

throughout the

whole process.

3 EASY STEPS!

INVESTIGATION

Our team selects the

most qualified expert

from an exclusive

database of over

53,000 world renowned

specialists to give you

an appropriate

diagnosis and

treatment for your

medical condition.

RESULTS

When you receive

the final report, you

and your treating

physician will

decide what the

best next steps for

your treatment are.

BDI International Magazine | Page 36

BestDoctorsInsurance.com | Page 37


As tendências

Fitness

Gustavo Mancinelli

O

mundo fitness, de alimentação

adequada, exercícios regrados

e estilo de vida saudável não

param de ganhar espaço nos hábitos

das pessoas. Academias, personal

trainers, lojas de produtos orgânica e,

principalmente, uma série de conteúdo

online acerca do tema viraram algo

rotineiro de se ver por aí.

Se você é uma das pessoas que busca

uma vida com mais saúde, ou, ainda,

que deseja ter o corpo dos sonhos, o

Colégio Americano de Medicina do

Esporte – ACSM – divulgou uma lista

de tendências deste mundo para o ano

em que estamos.

A novidade é que, normalmente, este

conteúdo nunca levava em conta a

América do Sul e, portanto, o Brasil.

Agora, uma lista específica para o nosso

continente foi criada, respeitando

as culturas e costumes locais. A lista

possui 20 itens. No entanto, nós

abordaremos os principais, de forma

destrinchada, com sugestões para que

você comece a sua mudança agora

mesmo.

Nada melhor do que saber o que há de

mais eficiente na hora de eleger o seu

treinamento e a sua alimentação para

mergulhar neste novo estilo de vida.

Mas, já adiantamos: nunca dispense

consultas a profissionais, como

médicos e nutricionistas, para elaborar

a melhor forma como você deve agir na

busca de uma vida melhor.

“Quer você acredite que consiga

fazer uma coisa ou não, você está

certo.” Henry Ford

As principais tendências fitness

segundo a ACSM

A equação exercícios, alimentação e

descanso parece ser já bem conhecida

por todos que buscam uma vida

saudável. Mas, a cada dia, descobrimos

novas pequenas variantes e itens a serem

incorporados dentro destas categorias,

de modo a otimizar ainda mais os

resultados, preferencialmente, com

menos esforços.

Assim, fique de olho e eleja quais serão as

suas apostas para ter seu corpo saudável

e em forma.

Exercícios para perda de peso ou

emagrecimento

Como já era de se esperar, a perda de

peso é um dos objetivos mais buscados

por aqueles que querem uma reeducação

alimentar ou iniciar alguma tipo de

exercício físico. Normalmente, está

atrelada à boa forma física.

Existe uma série de exercícios, séries,

frequências que você pode adotar no

seu dia a dia para alcançar o corpo dos

seus sonhos. Listamos, abaixo, algumas

opções bastante simples para iniciar a

sua caminhada.

Segundo o integrante do corpo docente

do Conselho Regional de Educação

Física da 1ª Região, no Rio de Janeiro,

Flávio Leal, todos os exercícios devem

respeitar alguns preceitos, como o

modo circuito, intercalando exercícios e

pausas, respeitar um tempo de estímulo

de 40 segundos para o corpo, uma

recuperação de 20 segundos a cada

atividade, além, mais uma vez, de terem

acompanhamentos dos devidos

profissionais.

Abaixo, algumas sugestões

que podem ser feitas em

casa:

1. Swing kettlebell

Com o corpo em posição ereta,

utilize dois pesos com alças

(caso não os tenha, pode ser feito

com garrafas térmicas com alças,

cheias d’água) de modo a levantá-los

até a linha dos ombros e voltar à linha

da cintura. O cuidado a ser tomado fica

por conta de onde concentrar a força:

o tronco e o abdômen devem ser os

responsáveis maiores pelo esforço, em

detrimento dos braços.

2. Escalador

Em posição de prancha – deitado

de barriga para baixo, com o corpo

sustentado pelos braços e pernas, sem

encostar no chão – alterne movimentos

com as pernas, de forma a dobrá-las,

uma por vez, e elevar o joelho à frente.

3. Passada à frente

Com os pés paralelos, projetar uma

perna à frente, formando um ângulo de

90º, e afundar o corpo ereto, explorando

o movimento da perna de trás. É

preciso alternar as pernas. O tempo de

sustentação de cada passada deve variar

de acordo com o seu atual preparo físico.

Treinamento personalizado

Embora sejamos todos da mesma

espécie, é notório que nossos corpos

e organismos possuem características

únicas, o que faz com que cada

procedimento, a incluir exercícios e

alimentos, sejam mais ou menos efetivos

de acordo com o indivíduo.

Assim, buscar um profissional para um

treinamento otimizado exclusivamente

para o seu corpo é a melhor forma

de gastar menos tempo e esforços e

ter resultados mais rápidos. Além de

contribuir para o objetivo em si, isso

também o motivará para continuar na

sua caminhada, visto que verá frutos

mais rapidamente.

Treinamento funcional

Este modelo de treino consiste em puxar,

empurrar, estabilizar, levantar, agachar,

arremessar, correr ou saltar para fazer

do corpo uma ferramenta que produza

movimentos mais eficientes, melhorando

a performance e prevenindo lesões, em

um processo de aprendizado, desafio

e evolução constante, de acordo com o

professor Luciano D’Elia, fundador do

CORE 360.

O intuito é fortalecer a musculatura

base, reaprender movimentos que são

frequentemente repetidos em nosso

dia a dia de forma a estruturar os

músculos envolvidos para prevenir

danos. Numa segunda etapa, pode-se

focar em movimentos específicos que

sejam relacionados a uma profissão

ou atividade específica em foco do

praticante, como um jogador de futebol,

por exemplo.

Algumas sugestões são:

1. Abdominal supra

Com o corpo deitado de barriga

para cima, joelhos flexionados em 90

graus e pés totalmente apoiados no

chão, flexione o tronco a frente em,

aproximadamente 30°, levando as mãos

em direção aos joelhos. Estabilizar o

final do movimento e conduzir a fase

excêntrica do movimento, retornando

até apoiar todo o dorso de volta ao solo.

2. Exercício matinal

Em pé, com os pés afastados e joelhos

levemente flexionados, utilizar uma

barra na altura do trapézio (pode-se

utilizar um cabo de vassoura), com o

peito para frente e cotovelos abertos e

alinhados. Mova os quadris para trás,

enquanto o tronco flexiona a frente sem

perder o alinhamento da coluna. Desça

até sentir uma tensão forte dos músculos

extensores dos quadris. Estabilize-se na

posição final e inicie a volta, trazendo os

quadris a frente.

3. Flexão de braço

Deite-se de barriga para baixo, mãos na

altura e na largura dos ombros, palmas

tocando o chão, pernas estendidas e

unidas, pontas dos pés tocando o chão.

Contraia os glúteos e abdômen, inspire e

suba os braços, elevando o corpo. Expire

enquanto desce lentamente.

HIIT - Treinamento intervalado de

alta intensidade

Os treinamentos intervalados de alta

intensidade consistem em atividades

que demandam muito do nosso corpo,

executadas à perfeição, por poucos

minutos (geralmente, entre 10 e trinta),

intervaladas por pausa ou, ainda,

atividades em modo mais brando, como

bicicleta ou pular cordas.

Alguns exemplos são:

1. Polichinelo

A atividade deve ser feita com intensidade,

em movimentos perfeitos, com cada

série durando, aproximadamente, trinta

segundos, seguidos por outros trinta

de descanso ou pular cordas (de forma

branda, relaxante).

2. Abdominal crunch

Deitado e com o corpo apoiado, levante

as duas pernas até formar um ângulo

de 90 graus. Agora, basta fazer o

BDI International Magazine | Page 38

BestDoctorsInsurance.com | Page 39


movimento de abdominal, mantendo a

posição e de forma intensa. Novamente,

o tempo deve ser de trinta segundos por

série, intervalados por uma atividade

leve ou descanso.

3. Agachamento

Posição ereta, joelhos levemente

separados, mãos na cabeça. Abaixe o

seu corpo até que os glúteos se alinham

aos joelhos e volte, com intensidade,

sentindo todo o movimento. As sessões

devem ter durações e intervalos iguais as

já listadas.

Core Training

Core é o nome dado para o grupo

muscular que fica ao redor do centro

de gravidade do ser humano, ou seja, a

região do abdômen, em volta do umbigo.

Por isso, essa região inclui os músculos

abdominais, lombares, da pelve e

quadril. Esses 29 pares de músculos

são responsáveis por dar sustentação e

estabilidade para todo restante do corpo.

Assim, o Core Training compreende

exercícios e posições orientados para

fortalecer os músculos do core, garantir

que se tornem mais estáveis e definidos.

Abaixo, algumas possibilidades para

você experimentar:

1. Abdominal oblíquo

Com o corpo apoiado na posição de

pedalar, mãos na cabeça, puxe a perna

direita e esquerda de maneira alternada,

contando como uma repetição. Realizar

quinze repetições, recuperar trinta

segundos, realizar mais duas vezes (3

séries de 15 repetições com 30 segundos

de recuperação).

2. Abdominal tesoura

Com as costas e as mãos apoiadas no

chão, levante uma perna por vez, de

maneira alternada, sem deixar que

a perna que ficou estendida encoste

no chão para repousar. Três séries de

doze repetições, intervalados por trinta

segundos de descanso entre elas.

3. Nado ou Swimming

Deitado com os braços estendidos, sem

arquear os glúteos, com o rosto voltado

para o solo, inspire e levante o braço

direito e a perna esquerda, expire e os

retorne à posição inicial. Faça o mesmo

com o outro par de membros, de forma

a simular a posição de nado. Três séries

de dez repetições, com os descansos de

trinta segundos.

Outras tendências da ACSM

Há ainda outros pontos que foram

mencionados pela entidade e que você

pode buscar agregar na sua vida. Não

se esqueça, porém, de apostar em uma

alimentação balanceada e em um

repouso de qualidade, com duração e

condições adequadas.

Os outros trendings são:

• Promoção do estilo de vida saudável

• Exercício físico para pessoas idosas

• Contratação de profissionais

certificados

• Treinamento personalizado em

pequenos grupos: group personal

training

• Treinamento/consultoria online

• Treinamento específico para esportes

• Treinamento em circuito

• Atividades ao ar livre/outdoor

• Mensuração dos resultados:

avaliação física

• Aplicativos fitness para smartphones

• Estúdios fitness tipo boutique

• Crianças e exercício físico

• Academias low-cost

• Treinamento com pesos livres

• Coaching de saúde e bem-estar

A nossa conclusão

Uma vida saudável e longeva, com

corpo escultural, está, sem dúvidas,

no imaginário de todos os brasileiros.

Alcançar esse objetivo pode não ser

a coisa mais simples, mas está longe

de ser impossível e requer, apenas,

determinação e foco.

Atualmente, em especial no cenário

pandêmico em que vivemos, muitas

atividades relacionadas ao mundo fitness

foram adaptadas de modo que você faça

em casa. Além disso, é possível contar

com aplicativos, tutoriais e profissionais

por videochamada para auxiliar os seus

treinos.

O último componente, mas não menos

importante, é a visita constante a

médicos, nutricionistas e profissionais

de educação física para que você não só

execute aquilo que é melhor para o seu

corpo, mas também mantenha um olho

na sua saúde, com os complementos

necessários.

BDI International Magazine | Page 40

BestDoctorsInsurance.com | Page 41


Video disponible en

Asegurando la Felicidad Terrenal

¡No te lo pierdas! En Best Doctors Insurance sabemos que, en la vida,

las cosas pueden cambiar de un momento a otro.

Por eso, siempre estamos trabajando para apoyar a nuestros

asegurados durante los momentos más difíciles.

A continuación, el caso de los asegurados

Thayen Valbuena y José Vicente Faria.

En Best Doctors Insurance,

nuestro objetivo de brindar

los mejores beneficio

enfocándonos en

el cuidado de nuestros

asegurados para ofrecerles

la mejor cobertura en el

mercado. Además de ofrecer

la certeza de acceso a los

mejores proveedores médicos

el Caribe, a partir del 1 de junio (1) ,

el plan Medical Care LATAM+

expande su cobertura alrededor

del mundo, excluyendo solamente

Brasil, Canadá y los Estados Unidos,

para nuevos negocios y renovaciones

de pólizas individuales (2) . Las pólizas de

grupos corporativos son evaluadas al

momento de su renovación. Si tienes

una pregunta, comunícate con nosotros

al +1 305.269.2521 o por correo electrónico

a BDService@bestdoctorsinsurance.com.

BDI International Magazine | Page 42

BestDoctorsInsurance.com | Page 43


Vacuna contra el COVID-19:

lo que debes saber

Elianny Gutiérrez

El COVID es un brote que se

originó en China a finales del

2019. En cuestión de semanas

ya estaba esparcido a nivel mundial,

dando paso a una pandemia que cobró

la vida de muchas personas. Y todavía

en el año 2021 seguimos afrontando

sus efectos.

Después de muchos estudios, la

primera vacuna contra el COVID 19

ha sido aprobada por la Organización

Mundial de la Salud (OMS) y ya se ha

comenzado a aplicar. Hoy es conocida

como la mayor campaña de vacunación

mundial.

Sin embargo, esta vacuna ha sembrado

zozobra en las personas.

Todo lo que debes saber sobre la

vacuna Pfizer/BioNTech

La vacuna es una herramienta habitual

y común que permite luchar contra

los virus. Gracias a ella ha sido posible

erradicar enfermedades como la viruela.

Pero en el caso del coronavirus hay una

diferencia: estamos luchando contra un

virus con una mortalidad entre el uno y

el dos por ciento. Por eso, su cura no ha

sido fácil.

Aquí las dudas más frecuentes:

¿Cuándo se comenzó a usar la Pfizer/

BioNTech?

El 21 de diciembre de 2020 fue cuando

la Agencia Europea del Medicamento

(EMA) dio luz verde a la vacuna contra

el COVID 19, denominada Pfizer/

BioNTech. Sin embargo, a principios de

mes ya se había comenzado a aplicar en

el Reino Unido.

No fue hasta el 31 de diciembre de

2020, que la Organización Mundial de

la Salud (OMS) incluyó la vacuna de

ARNm COVID-19 de Pfizer - BioNTech

(BNT162b2) para “uso de emergencia”,

convirtiéndose en la primera en recibir

la validación de la OMS.

El recurso “uso de emergencia” está

contemplado en la legislación europea (y

otras naciones) para luchar contra una

necesidad médica que no ha podido ser

cubierta. Como es el caso del COVID

19. Y su aprobación se produce cuando

el beneficio supera el riesgo.

¿Quién es compatible con esta vacuna?

La aplicación de la vacuna Pfizer-

BioNTech se recomienda solo a personas

con una edad igual o superior a 16 años.

¿Quién no debería aplicarse esta

vacuna?

• Una persona que ha tenido una

reacción alérgica grave o inmediata

a alguno de los ingredientes de la

vacuna.

• Una persona que ha tenido una

reacción alérgica grave o inmediata

tras recibir la primera dosis de la

vacuna (no debe recibir la segunda).

• Una persona alérgica al

polietilenglicol o al polisorbato.

¿Qué es una reacción alérgica

inmediata?

Es un episodio que se manifiesta 4

horas después de haber sido vacunado.

Está acompañado de síntomas como

insuficiencia respiratoria, hinchazón

y urticaria. Así la reacción no haya

sido grave, solo un especialista médico

puede determinar si es conveniente o no

aplicarse la vacuna de Pfizer-BioNTech.

¿Cuáles son los efectos secundarios

que genera la vacuna?

La vacuna de Pfizer-BioNTech es una

inyección en el músculo de la parte

superior del brazo. Tras aplicarse se puede

experimentar dolor, enrojecimiento e

hinchazón en esta área del cuerpo. Pero

también es posible sufrir cansancio,

dolor de cabeza y escalofríos.

Estos efectos suelen surgir uno o dos

días después de aplicarse la vacuna y

desaparecen en un par de días.

¿Qué hacer después de recibir la

vacuna?

Es recomendable permanecer en el

centro de vacunación por un lapso de

30 minutos posterior a la aplicación

de la inyección. Ya que las reacciones

alérgicas, de llegar a producirse, lo harán

en los primeros minutos de recibir la

BDI International Magazine | Page 44 BestDoctorsInsurance.com | Page 45


administración de la vacuna.

Luego de ir a casa no se sugiere la

realización de actividad física intensa u

otras tareas que pudiesen estimular el

aumento del aporte sanguíneo en el área

de punción.

¿Es segura?

Las vacunas que son aprobadas por

la Organización Mundial de la Salud

(OMS) han sido sometidas a varios

ensayos y pruebas con el fin de certificar

su seguridad y efectividad. Aunque

las vacunas contra el coronavirus se

están desarrollando de manera veloz,

dada la emergencia sanitaria, solo son

aprobadas si cumplen con las normas

reglamentarias.

En los ensayos clínicos se corroboró que

la mayoría de los efectos secundarios

fueron de leves a moderados. Esta

vacuna fue probada en más de

18.000 personas, quienes recibieron

el principio activo. Todas estuvieron

bajo vigilancia para medir los efectos

secundarios que pudiesen presentar.

Además, cada país posee organismos

que supervisan la eficacia y seguridad

de una vacuna antes de aprobar su

aplicación generalizada.

¿Es efectiva?

La vacuna de Pfizer-BioNTech presentó

una efectividad del 95% en la prevención

de casos de COVID 19 confirmados

en laboratorios y aplicados a personas

que no tenían evidencia de infecciones

previas, según los resultados de los

ensayos clínicos.

¿Quién tendrá acceso a esta vacuna?

A través del plan COVAX se pretende

proporcionar cerca de dos mil millones

de dosis de la vacuna Pfizer-BioNTech.

Lo que debería ser suficiente para

proteger a las personas que tienen más

riesgos de desarrollar enfermedades

graves, a adultos mayores, a trabajadores

de la atención a la salud y a asistentes

sociales.

Es poco probable que haya dosis

disponibles para un uso más

generalizado. Por lo que se recomienda,

al resto de la población, seguir las

medidas preventivas.

¿Una mujer embarazada puede recibir

la vacuna?

Como ocurre con todos los

medicamentos nuevos, las vacunas no se

han probado en mujeres embarazadas.

Por lo tanto, es necesario que el médico

valore la administración de la misma,

considerando el estado de salud y el

historial de la embarazada.

¿Qué pasa si después de aplicarme la

vacuna descubrí que estoy embarazada?

La vacuna no contiene el virus vivo.

Es decir, este no se multiplica en

el organismo. Por lo que no puede

ocasionar la infección COVID 19 en el

bebé. De cualquier modo, notifícalo al

médico que te atiende para que lo tenga

presente.

¿Es posible contagiarse cuando recién

se ha recibido la vacuna?

Si has estado en contacto con una

persona positiva y te encuentras en

período de incubación de la enfermedad

al momento de que se te administró la

vacuna, sí puedes desarrollar el COVID

19. A consecuencia del contacto con el

caso positivo.

Fuente del contenido:

Centro Nacional de Vacunación y

Enfermedades Respiratorias (NCIRD),

División de Enfermedades Virales. Y

UNICEF.

BDI International Magazine | Page 46 BestDoctorsInsurance.com | Page 47


¡LO LOGRAMOS DE NUEVO!

¡Felicidades a todos los empleados de Best Doctors

Insurance que han hecho esto posible una vez más!

Best Places to Work ® es una autoridad global en culturas corporativas

de alto rendimiento en el lugar de trabajo. Estamos orgullosos de ser parte

de este selecto grupo, que nos motiva a continuar mejorando

la vida de nuestros empleados y sus familias.

BestDoctorsInsurance.com | Page 49

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!