Revista Penha | setembro 2021

jfpenhafranca

O que acontece, quem são as pessoas que marcam a Freguesia e ainda curiosidades sobre a Penha de França.
Uma revista editada pela Junta de Freguesia da Penha de França.

Dê nova vida a esta revista.

Coloque-a para reciclagem

no ecoponto azul.

Setembro 21

jf-penhafranca.pt

65

Junta de Freguesia da Penha de França

Sílvia Rizzo: 'Tive uma infância

muito feliz na Penha'

pág. 4-5

Abrem as inscrições das

atividades do Espaço Multiusos

pág. 11


Propriedade

Junta de Freguesia da

Penha de França

Diretora

Sofia Oliveira Dias

Subdiretor

Manuel dos Santos Ferreira

Coordenadora

Teresa Oliveira

Design e Grafismo

WL Partners

Fotografia

André Roma

Impressão

Soartes - Artes Gráficas, Lda

Tiragem

23.500 exemplares

Distribuição Gratuita

Depósito Legal 408969/16

SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA

Travessa do Calado 2

1170-070 Lisboa

Telefone: 218 160 720

Email: geral@jf-penhafranca.pt

Secretaria: 2.ª a 6.ª feira, das 9h às 18h

www.jf-penhafranca.pt

ww.facebook.com/

FreguesiaPenhadeFranca

www.instagram.com/jfpenhafranca

ESPAÇO MULTIUSOS

Avenida Coronel Eduardo Galhardo

(sob o viaduto da Avenida General

Roçadas)

Telefone: 218 100 390

Email: multiusos@jf-penhafranca.pt

Horário: 2.ª a 6.ª feira, das 9h às 21h30

Sábado, das 10h às 13h

Secretaria: 2.ª a 6.ª feira, das 9h às 18h

POLO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

Quinta do Lavrado, Avenida Marechal

Francisco da Costa Gomes

Telefone: 210 532 377

Email: desenvolvimento.social@jfpenhafranca.pt

Horário: 2.ª a 6.ª feira das 9h30 às

13h e das 14h às 17h30

Posto médico

Telefone: 218 144 291

Email: posto.medico@jf-penhafranca.pt

Horário: 2.ª a 6.ª feira, das 9h30 às

17h30

Posto de Enfermagem | 2.ª a 6.ª, das 9h

às 13h e das 14h às 17h

2


EDITORIAL

Sofia Oliveira Dias

Presidente da Junta de Freguesia da Penha de França

A essência da cidadania é a participação política.

É a capacidade de tomar decisões sobre os

destinos da comunidade, seja a nível nacional ou

local. De escolher as propostas com que mais nos

identificamos, as que consideramos melhor servir

as nossas populações.

Para tomar uma decisão informada é necessário

conhecer os projetos que apresentam os vários

candidatos, conhecer os seus programas e

as suas ambições. Isto é válido para todos os

processos eleitorais, cada um deles com as

suas responsabilidades e competências, todos

igualmente importantes e necessários para a

prossecução dos interesses nacionais: desde

o Presidente da República, a Assembleia da

República, os nossos representantes no Parlamento

Europeu e a escolha das autarquias locais – Câmara

Municipal, Assembleia Municipal e Assembleia de

Freguesia, sendo o primeiro nome da lista mais

votada designado presidente da Junta de Freguesia.

Estejam estes órgãos mais perto ou mais longe,

mais próximos ou mais afastados dos nossos

interesses, a nossa escolha tem impacto na

comunidade. E vale a pena recordar que por muito

que haja quem se sinta afastado dos projetos

políticos apresentados, há sempre algum com o

qual se tem maior afinidade. E que sempre que nos

demitimos de fazer escolhas, há quem escolha por

nós.

Informados, pesando os prós e os contras das

propostas que nos são apresentadas, decidimos.

Está prestes a começar a campanha eleitoral,

esse tempo de participar e falar, seguido do

tempo de decidir. Assim se cumpre a cidadania,

assim participamos no rumo a seguir pelos nossos

representantes políticos. O voto da comunidade

escolhe, cada voto individual conta.

Quero também aproveitar o último editorial deste

mandato para agradecer a todos e a todas que

residem, trabalham ou estudam na Penha de França

pela sua participação cívica ao longo destes quatro

anos. Muito obrigada!

Presidente

Sofia Oliveira Dias | PS

Segurança e Proteção Civil |

Recursos Humanos | Marca,

Comunicação e Informação |

Bem-Estar Animal | Atividades

Económicas | Habitação

sofia.dias@jf-penhafranca.pt

Secretário

Manuel Ferreira | PS

Subdirector da Revista Penha

manuel.ferreira@jf-penhafranca.pt

Tesoureiro

Manuel Duarte | PS

Finanças e Património

manuel.duarte@jf-penhafranca.pt

Vogais

Capitolina Marques | PS

Desenvolvimento Social | Saúde

capitolina.marques@jfpenhafranca.pt

Maycon Santos | PS

Administração Geral | Gestão

Territorial | Cidadania e Participação

maycon.santos@jf-penhafranca.pt

Sílvia Ferreira | PS

Educação e Juventude | Cultura

silvia.ferreira@jf-penhafranca.pt

João Valente | PS

Desporto | Associativismo |

Protocolo

joao.valente@jf-penhafranca.pt


A atriz Sílvia Rizzo cresceu

na Rua da Penha de França,

próximo de Sapadores. Nesta

entrevista recorda a sua

infância e adolescência, nos

anos 70 e 80. Um período de

liberdade e comunhão, de

dias passados a brincar na

rua, sem barreiras, e, hoje,

fonte de ótimas recordações.

‘Toda a gente brincava,

toda a gente se dava’

Quais sãos as primeiras memórias que tem

da Penha de França? Alguma coisa que a

tenha marcado? A infância que tive na Penha.

Foi maravilhosa, nós brincávamos com toda a

liberdade, o podermos estar na rua a brincar.

Melhor que isso é difícil. Havia muitas crianças

naquela altura, éramos muitos.

Havia muitas opções de brincadeiras? Sim,

muitas atividades que nós próprios inventávamos.

Tínhamos clubes, por exemplo o Clube dos Piratas,

havia chefes - normalmente os meus irmãos mais

velhos - e arranjávamos dinheiro para o clube. Uma

vez nós, os mais novos, roubámos dinheiro para

comprar as famosas pastilhas Pirata. Levámos uma

desanda dos chefes (risos).

E ao que mais brincavam? Às descidas nos

carrinhos de esferas, às corridas, todos os

jogos que se faziam antigamente nós fazíamos.

Estávamos sempre na rua, quase só íamos a casa

para comer ou para estudar. Também havia festas,

quase sempre lá em casa, os meus pais eram mais

modernos, mais ‘prá frentex’ e toda a gente gostava

de ir lá para casa.

‘Estávamos sempre na rua,

quase só íamos a casa para

comer ou para estudar’

Há sempre uma casa mais agregadora…Sim,

outras vezes era só para lanchar, outras vezes

lanchávamos na casa de amigos, ou seja, era

tudo uma família. Curiosamente, havia muita

diversidade, nas traseiras havia os chamados

‘retornados’ e criaram-se ali algumas barracas

e outras construções, havia um circo, via os

4


artistas a ensaiarem, a treinarem, havia muita

vida, muita vida.

Muita vida na rua? Sim, muita vida na rua. Dia e

noite não havia problema nenhum. Havia muitas

diferenças em termos sociais, mas não era assunto,

antes pelo contrário. Toda a gente brincava, toda a

gente estava junta, toda a gente se dava. Foi muito

libertador, aprendemos muito.

Lembra-se de alguma ocasião especial?

Tínhamos um dia no ano em que limpávamos

as ruas. Lembro-me bem de andar a esfregar

paredes, de vassoura na mão a tirar cartazes, havia

muitos cartazes nessa época. Andava tudo na rua

a limpar. Outra coisa importante era o comércio

local, era tudo muito familiar e uma zona de grande

comércio.

‘Tínhamos um dia no ano

em que limpávamos as

ruas’

Que lojas havia ali na Rua da Penha de França?

Sei que havia uma oficina de motas que a marcou.

Era no caminho para a Praça António Sardinha:

havia uma oficina de um campeão de motas,

Manuel de Almeida, e eles andavam por ali às

voltas. Nós ficávamos a assistir e acho que isso

também contribuiu para o meu interesse pelas

motas - acabei por tirar a carta há pouco tempo,

mas sempre gostei de andar de mota. Também

havia uma farmácia, um talho, uma retrosaria, uma

grande papelaria que tinha de tudo, um estofador

onde fazíamos os estofos para os carros de esferas.

Eram carrinhos de luxo… (risos) De luxo, à séria.

Tínhamos um mercado aberto, onde agora é o

Mercado de Sapadores. Tínhamos os chocolates da

Favorita. Era maravilhoso.

procura do meu pai, que escrevia muito e estava no

Café Império a escrever.

E o Sporting Clube da Penha? Teve importância

na sua formação? Foi lá que eu pela primeira vez

fiz teatro, tinha 11 anos. Dançávamos, porque havia

sempre música ao fim de semana, ia com os meus

irmãos, íamos muito para ali.

‘Foi no Sporting da

Penha que eu pela

primeira vez fiz teatro’

Tinham outras atividades? Tinham muitas

atividades, na altura o diretor era o Sr. Santos,

pai do Fernando Santos. Tinham atletismo, por

exemplo, ainda lá ganhei uma medalhinha. Adorava

correr, aliás nós passávamos a vida a correr!

Ainda mantém ligação ao Clube, através das

Marchas, foi madrinha duas vezes. Sim, o Paulo

Lemos convidou-me e como faz parte da minha

vida achei que fazia sentido. Tive todo o gosto em

participar, gostei imenso.

Que outros locais a marcaram? A piscina e a

biblioteca. Apesar de ter um pai que parecia um

google e de termos uma biblioteca em casa,

íamos muitas vezes buscar livros à biblioteca.

Também as escolas, andei na primária na Voz do

Operário, na Graça, e depois na Nuno Gonçalves

e na Luísa de Gusmão.

Quando era pequena tinha algum lugar secreto,

favorito? Tínhamos a árvore da Praça António

Sardinha. Aquela árvore é única, muito muito larga,

nós brincávamos muito naquela árvore. Trepávamos

e dava para esconder dois ou três miúdos lá em

cima (risos). Aquela árvore é incrível. Tive uma

infância muito feliz.

Tinha algum lugar especial para brincar? Eu fazia

uma coisa engraçada, impensável nestes dias.

Metia-me sozinha no autocarro ou elétrico, com

7/ 8 anos, fingia que estava a dormir para não

pagar, e ia dar voltas à cidade. Achava que era a

maior aventura.

E era. Conseguia voltar para casa? Sim, era

sempre o mesmo autocarro, já me conheciam. Ia à

5


808 24 24 24

SNS24.GOV.PT

App

Balcão

Consultas | teleconsultas (marcar | desmarcar | remarcar)

Teleconsultas (realizar)

Exames (consultar resultados)

Guia de tratamento (consultar)

Medicação crónica (renovar | consultar)

Avaliar e registar os sintomas provocados pela COVID-19

Informação de saúde

Aceder ao serviço de interpretação língua gestual portuguesa

Realizar chamada para o SNS 24 – 808 24 24 24

Pedir isenção de taxas moderadoras por insuficiência económica

Emissão de certificado digital Covid da UE

Morada

Posto Médico

Av. Marechal Francisco

da Costa Gomes Loja 13,

Qta do Lavrado

Horário

2.ª a 6.ª feira

9h30 às 13h00

e 14h00 às 17h30


'Desafio os alunos a

continuarem os estudos'

A Professora Belmira Ferreira dá aulas ao Ensino

Básico na escola Patrício Prazeres e é das

professoras que há mais tempo leciona na freguesia.

Há quantos anos é professora? Há 43 anos.

Comecei aos 17 aninhos, trabalhei em várias escolas

do país, dei aulas pela televisão e não gostei (risos).

A dada altura concorri à Escola Maria Pia, da Casa

Pia de Lisboa, e mais tarde acabei por vir para a

Escola Nuno Gonçalves, onde estive doze anos em

ensino especial já que tinha o curso para crianças

com deficiência auditiva. Já morava na freguesia,

mas quis vir ainda para mais perto de casa e

concorri à Patrício Prazeres, onde estou há 14 anos.

O ensino especial diferencia esta escola? Temos

uma Unidade de Ensino Estruturado para Autismo

e de Apoio Especializado à Multideficiência. Neste

ensino as crianças com multideficiência são

integradas em turmas do ensino regular, durante

umas horas, e as restantes estão na Unidade.

O que mudou ao longo dos anos em que vive e

trabalha na Penha? A freguesia tem melhorado,

têm feito obras que quando eu vim para aqui não

existiam. Quanto às escolas, a atenção e a postura

na aula modificaram-se completamente, os alunos

estão mais desatentos, mais aéreos. Há mais

ajudas, livros gratuitos, bibliotecas, computadores.

Outra grande diferença são as turmas com muitas

nacionalidades, com várias línguas, é um desafio

muito grande.

É mais fácil ensinar agora ou quando iniciou a

carreira? Mais difícil, é mais difícil cativar os alunos.

É um desafio. Mas desafio-os a continuar os estudos.

Se me dizem ‘ah, quero ser futebolista’ eu digo

‘isso não implica que não tires um curso superior,

és culto, sabes discutir, és entrevistado e sabes

falar bem ou queres nem saber falar direito?’. E não

é preciso ser superior, há cursos profissionais muito

bons. É bom que percebam isto desde pequeninos,

que as coisas não caem do céu.

O que é mais gratificante no seu trabalho?

As minhas crianças, que são os meus filhos. Às

vezes, pela rua ou atrás de um balcão, encontro

uma pessoa a sorrir. E perguntam-me ‘não me

conhece?’. É importante saber que ajudei a dar as

bases para esta pessoa construir uma vida. Guardo

uma cartinha em que um aluno do 9.º ano disse

que eu era a sua heroína, guardo as mensagens

que os alunos me vão escrevendo ao longo do

ano. E às vezes vou lê-las, é muito bom. Falta-me

pouco mais de um ano para me reformar, sinto que

preciso de tempo para mim, mas quando chegar a

altura vou chorar baba e ranho.

7


8


Verão Penha Sénior

A elevada percentagem de pessoas vacinadas

no país, a obrigatoriedade de os participantes

terem a vacinação completa e a disponibilização

de testes rápidos à Covid permitiu o regresso

do Verão Penha Sénior, como sempre no final de

agosto e setembro. São dias de convívio, com

um programa composto por manhãs de praia e

tardes com atividades lúdicas.

9



Inscrições atividades Espaço Multiusos

Abrem na próxima segunda-feira, dia 13, as

inscrições para as 17 atividades desportivas e

formativas do Espaço Multiusos.

As inscrições podem ser feitas presencialmente

no Espaço Multiusos ou online em www.jfpenhafranca.pt

e depois, na barra de menu,

Atendimento Online, seguindo as instruções.

Os horários das atividades podem ser consultados

nestas páginas ou no site da Junta de Freguesia,

onde pode encontrar também o preçário.

Recordamos que para frequentar as atividades

desportivas é necessário apresentar o

Certificado Digital COVID ou teste com

resultado negativo.

Atividades Desportivas

Atividades Formativas

11


GUIA PARA AS ELEIÇÕES

AUTÁRQUICAS 2021

26 SETEMBRO

12


ONDE VOU VOTAR?

Se não mudou de residência, vota na mesma escola das últimas

eleições. Para saber o número da secção de voto, por favor consulte a

tabela da respetiva escola.

Se mudou de residência, por favor consulte a página anterior.

Nota: como medida adicional de proteção em contexto de pandemia,

foi reduzido o número de eleitores em cada secção de voto.

Escola Básica Nuno Gonçalves

Escola Básica Arquiteto Victor Palla

DA 1.ª À 3.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Avenida General Roçadas, n.º 40

1.ª do eleitor AASMINA ao eleitor ANA RAQUEL D.

2.ª do eleitor ANA RAQUEL F. ao eleitor BIANCA

3.ª do eleitor BILGABINA ao eleitor DANIEL D.

DA 4.ª À 8.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Cruzamento Rua Francisco Pedro Curado com

Avenida General Roçadas (portão de entrada de veículos)

4.ª do eleitor DANIEL E. ao eleitor FERNANDO JOÃO

5.ª do eleitor FERNANDO JORGE ao eleitor ISA

6.ª do eleitor ISABEL ao eleitor JORGE LUIZ

7.ª do eleitor JORGE M. ao eleitor LUCIANO

8.ª do eleitor LUCIENE ao eleitor MARIA BRÍGIDA

DA 9.ª À 12.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Rua Eduardo Costa n.º 4.º C

9.ª do eleitor MARIA CÂNDIDA ao eleitor MARIA FLORENTINA

10.ª do eleitor MARIA FLORINDA ao eleitor MARIA TERESA F.

11.ª do eleitor MARIA TERESA G. ao eleitor ODENIR

12.ª do eleitor ODETE ao eleitor REGINA

13.ª E 14.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Cruzamento Rua Eduardo Costa com Rua

Francisco Pedro Curado (portão de entrada de veículos)

13.ª do eleitor REGINALDO ao eleitor SÍLVIO

14.ª do eleitor SIMÃO ao eleitor ZULMIRA

ER - do eleitor ALEXANDRE E. ao eleitor ZACARIAS

UE - do eleitor ALBERTO ao eleitor TYSSIANI

13


Escola Básica Patrício Prazeres

DA 15.ª À 19.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Rua Matilde Rosa Araújo

15.ª do eleitor ABDELKRIM ao eleitor ANTÓNIA

16.ª do eleitor ANTÓNIO ao eleitor CATARINA

17.ª do eleitor CÁTIA ao eleitor FERNANDO MANUEL

18.ª do eleitor FERNANDO MARTINS ao eleitor JOANA

RAQUEL

19.ª do eleitor JOANA RITA ao eleitor LAUDMIRA

DA 20.ª À 24.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Pavilhão, Rua Matilde Rosa Araújo

20.ª do eleitor LAURA ao eleitor MARIA CRISTINA F.

21.ª do eleitor MARIA CRISTINA L. ao eleitor MARIA

LUÍSA COX.

22.ª do eleitor MARIA LUÍSA DA C. ao eleitor OCTÁVIO

23.ª do eleitor ODAIMIS ao eleitor RUI MIGUEL DE A.

24.ª RUI MIGUEL F. ao eleitor ZULMIRA

UE - do eleitor ALEXANDER ao eleitor YOURI

ER – do eleitor ALEXANDRA D. ao eleitor WILTON

14


Escola Secundária Artística António Arroio

DA 25.ª À 31.ª SECÇÃO DE VOTO

Entrada: Rua Coronel Ferreira do Amaral

25.ª do eleitor ABDELHAMID ao eleitor BENVINDA

26.ª do eleitor BERNARDINA ao eleitor FÁTIMA

27.ª do eleitor FAUSTO ao eleitor JOÃO MIGUEL

28.ª do eleitor JOÃO NUNO ao eleitor MARCOS

29.ª do eleitor MARGARIDA ao eleitor MARIA ODETE

30.ª do eleitor MARIA OLÍMPIA ao eleitor REGINA

31.ª do eleitor REJANE ao eleitor ZULMIRA

UE - do eleitor ADRIANA ao eleitor VIRGIL

ER - do eleitor CATHERINE ao eleitor PAULO

15


Tire as suas dúvidas

sobre as eleições para

as autarquias locais

Em que dia calham as eleições?

No dia 26 de setembro, um domingo.

Para o que vamos votar?

Estas eleições vão escolher os membros

das câmaras e assembleias municipais e das

assembleias de freguesia e, indiretamente,

o presidente da junta de freguesia, para os

próximos quatro anos.

Quem pode votar?

Na eleição para as autarquias locais, podem

votar os cidadãos e cidadãs maiores de

18 anos que se encontrem inscritos no

recenseamento eleitoral português:

- com nacionalidade portuguesa;

- com nacionalidade brasileira com estatuto

de igualdade de direitos políticos;

- nacionais dos Estados-Membros da União

Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica,

Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca,

Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia,

Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda,

Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta,

Países Baixos, Polónia, República Checa,

Roménia e Suécia);

- nacionais do Reino Unido com residência

em Portugal anterior ao Brexit;

- do Brasil (sem estatuto de igualdade) e

de Cabo Verde com residência legal em

Portugal há mais de dois anos;

- da Argentina, Chile, Colômbia, Islândia,

Noruega, Nova Zelândia, Peru, Uruguai

e Venezuela com residência legal em

Portugal há mais de três anos.

Onde vou votar?

Se não mudou de residência, vota na mesma

escola das últimas eleições. Consulte as

tabelas publicadas nas próximas páginas para

saber em que secção de voto.

De qualquer forma, pode obter esta

informação:

- em www.recenseamento.mai.gov.pt;

- por SMS para o n.º 3838 com a seguinte

mensagem: RE nº de BI ou CC

Data de Nascimento no formato

AAAAMMDD (exemplo escreva RE 12345678

19750910 e envie para o n.º 3838);

- pela Linha de Apoio ao Eleitor, n.º 808 206

206 (custo de chamada local);

- na Sede da Junta de Freguesia e Espaço

Multiusos (abertos no dia da eleição).

Entre que horas se pode votar?

Pode votar entre as 8h00 e as 20h00.

Que documentos são necessários?

O Cartão de Cidadão ou o Bilhete de

Identidade. Na sua falta, pode identificarse

por meio de documento que contenha

fotografia atualizada e que seja habitualmente

utilizado para identificação.

16


Transporte para as

secções de voto

Pode haver transportes organizados para os

locais de voto no dia da eleição?

Apenas em situações excecionais podem ser

organizados transportes públicos especiais

para assegurar o acesso dos eleitores aos

locais de funcionamento das assembleias e

secções de voto.

Consideram-se excecionais as situações em

que, nomeadamente:

Existam necessidades especiais motivadas por

dificuldades de locomoção dos eleitores.

Nestes casos é essencial assegurar que:

- A organização do transporte seja realizada

com absoluta imparcialidade e neutralidade;

- Os eleitores transportados não sejam

pressionados no sentido de votar em certo

sentido ou de se absterem de votar;

- Não seja realizada propaganda no

transporte;

- A existência do transporte seja de

conhecimento público de todos os eleitores

afetados pelas condições de exceção que

determinaram a organização do transporte;

- Seja permitido a qualquer eleitor a

utilização do transporte disponibilizado,

sem existência de qualquer seleção ou

triagem dos eleitores.

Em todos os casos os veículos utilizados não

devem ser conduzidos por titulares de cargos

de órgãos das autarquias locais.

Nestas eleições vai haver transporte

organizado para os locais de votos da Penha

de França?

Sim, haverá um transporte gratuito assegurado

pelos Bombeiros Voluntários do Beato e da

Penha de França destinado apenas às pessoas

com necessidades especiais motivadas por

dificuldades de locomoção.

Quem reunir estas condições deve fazer a sua

inscrição prévia através do telefone 969 709

875 ou email desenvolvimento.social@jfpenhafranca.pt

. Apesar de ser recomendado

que a inscrição seja feita com antecedência,

o transporte também pode ser pedido no dia

das eleições.

Votar é seguro?

Votar é tão seguro como ir às compras ou ao

café.

É fundamental que:

- use máscara;

- circule sempre que possível pela direita;

- mantenha a distância de segurança 2 metros

das outras pessoas enquanto aguarda para

votar;

- desinfete frequentemente as mãos;

É recomendado que use a sua própria caneta.

Como medida adicional de proteção, as

secções de voto foram desdobradas para

diminuir o número de eleitores por sala.

Foram ainda tomados cuidados de segurança

nas secções de voto para proteger quer

eleitores, quer a mesa de voto.

Para o esclarecimento de outras dúvidas,

nomeadamente sobre o voto antecipado,

acompanhado ou pessoas em confinamento

obrigatório, consulte:

https://www.cne.pt/content/

eleicoesautarquicas-2021

https://www.sg.mai.gov.pt/

AdministracaoEleitoral/EleicoesReferendos/

AutarquiasLocais/

17


Verão Penha Infância

Praia de manhã, e à tarde, parques,

brincadeira e aprendizagem. Foi assim o

Verão Penha Infância de 2021, destinado

às crianças dos 6 aos 10 anos.

18


Verão Penha Jovem

Uma semana cheia de atividades no

campo de férias Campo Jovem foi

o destino dos pré-adolescentes e

adolescentes dos 10 aos 17 anos que

participaram no Verão Penha Jovem.

19


A obstipação

A obstipação – também conhecida por prisão de

ventre – é um problema comum que afeta pessoas

de todas as idades, atingindo com maior frequência

mulheres e pessoas mais idosas.

Considera-se obstipação quando existe dificuldade

persistente em evacuar, se a evacuação obriga a

grande esforço ou se houve uma redução recente do

número de evacuações habitual.

Quais são os sintomas?

De um modo geral, as fezes são duras e fragmentadas,

existe uma sensação persistente de mal-estar

e desconforto no abdómen, com necessidade

frequente de recorrer a medicamentos ou clisteres

para ajudar a evacuação. Quando não é devidamente

tratada, pode levar ao aparecimento de hemorroidas,

fissuras anais, incontinência fecal ou impactação fecal

(acumulação de fezes secas e duras ao nível do reto).

Quais são as causas?

As causas mais comuns incluem:

• Alterações nos hábitos alimentares: menor ingestão

de líquidos, dieta pobre em fibras e/ou aumento da

ingestão de alimentos favoráveis à obstipação;

• Estilo de vida sedentário;

• Medicação: certos medicamentos (opioides, ferro,

anticolinérgicos, ...) podem levar a obstipação ou

agravar uma obstipação pré-existente;

• Certas doenças, como o Hipotiroidismo,

Diabetes ou Síndrome do intestino irritável, estão

frequentemente associadas a obstipação;

• Abuso de laxantes: este leva a desregulação

do trânsito intestinal, impedindo o intestino de

funcionar corretamente sem o auxílio destes

medicamentos.

Como podemos prevenir?

Existem várias medidas que podem ser utilizadas para

resolver ou aliviar uma obstipação:

1. Beber líquidos abundantemente;

2. Aumentar a ingestão de fibras: legumes (crus ou

cozidos), frutas com pele (ameixas, cerejas, uvas,

morangos, peras, maçãs, etc.), frutas sem pele (laranjas,

figos, kiwi), frutos secos, cereais integrais (pão, aveia,

arroz). As ameixas e os kiwis são as melhores frutas

laxantes;

3. Acrescentar um pouco de farelo de trigo à comida:

A quantidade de farelo a usar dependerá do grau de

obstipação. Iniciar com 1 colher de sopa de farelo de

trigo sobre a comida. Se a obstipação não melhorar,

aumentar a quantidade até um máximo de 4 colheres de

sopa por dia;

4. Educar o intestino: Tentar evacuar sempre à mesma

hora (depois do pequeno almoço pode ser mais fácil). A

postura mais adequada é sentado na sanita com os pés

elevados um palmo acima do chão (apoiados sobre um

caixote ou uma caixa de sapatos, por exemplo);

5. Fazer exercício físico com frequência (caminhar, andar

de bicicleta, nadar);

6. Não tomar laxantes ou clisteres frequentemente:

Se usados durante muito tempo, é necessário

aguardar alguns meses até o trânsito intestinal voltar à

normalidade;

7. Não tomar medicação sem a indicação do seu médico.

Quando devemos procurar o médico de família?

• Se não melhorou apesar de seguir as medidas

recomendadas anteriormente.

• Se além de obstipação tem dores abdominais

intensas, vómitos ou febre.

• Se está a perder peso e não sabe a causa.

• Se observar sangue nas fezes.

• Se se trata de lactentes, crianças ou grávidas.

Artigo escrito pela Dra. Inês Sintra

Médica Interna de Medicina Geral e Familiar

USF Oriente

Telefone: 218 10 10 10

Avenida Afonso III, Lote 16

20


4 anos na defesa dos animais

Convém olhar para trás e ver todo o trabalho

que já realizámos. Neste Mandato estreitámos

relações e alargámos horizontes, apostámos na

sensibilização e na informação, e criámos novos

laços em prol da Defesa e do Bem-Estar dos

animais da Freguesia, e não só.

Reunimos com as Freguesias de Ajuda, Alvalade,

Areeiro, Arroios e Beato, com as Câmaras

Municipais da Amadora, Oeiras, Odivelas, e com

a Provedoria do Animal de Almada de forma a

trocar experiências, ideias e a criar parcerias

para ações conjuntas.

Reunimos com os agentes da PSP, da 5.ª Divisão

da PSP, adstritos à área do bem-estar animal.

Com a União de Freguesias de Coimbra, que quis

seguir o nosso exemplo pioneiro e criou uma

Comissão de Bem-estar Animal, reunimos em

março passado.

Trabalhámos em estreita colaboração com a

Provedoria do Animal de Lisboa, e com a Senhora

Provedora, Dra. Marisa Quaresma dos Reis, a

quem agradecemos profundamente.

Celebrámos o Dia do Animal em colaboração com

várias Associações de proteção animal, na Praça

Paiva Couceiro. Colocámos, junto ao Mercado de

Sapadores, um placard com os Direitos do Animal.

Criámos a ‘Esquadrão Miau’, de forma a identificar

e apoiar as colónias de gatos da Freguesia.

Através dos nossos textos nesta Revista

Penha fomos informando e sensibilizando os

nossos concidadãos. Embora haja ainda muito

caminho a trilhar, é notória a mudança de

comportamentos para o respeito dos animais.

A Penha de França continuará a trabalhar para

ser sempre um Exemplo para outras Freguesia,

Concelhos e Distritos do País, contribuindo

para as boas práticas e a promoção do Bemestar

Animal.

21


Imaginas um veículo

amigo do ambiente?

No dia 22 deste mês de setembro celebra-se o Dia Europeu sem Carros. Os carros não vão desaparecer

por magia da tua rua neste dia, mas o objetivo é sensibilizar as pessoas para a necessidade de reduzir

os carros nas nossas cidades. Não seria incrível ter uma cidade com ar mais limpo, menos barulho e

todo o espaço que os carros ocupam para brincar? Mas... se não tivéssemos carros, que outro veículo

mais amigo do ambiente e das nossas ruas é que podíamos usar? Ajudas-nos com este desafio?

Desenha o teu próprio veículo amigo do ambiente como tu quiseres! Quantas rodas tem? Anda no

chão ou no ar? O que é que o faz andar? Como se conduz? Dá largas à imaginação!

E já agora! Dissemos que os carros não desaparecem de um dia para outro por magia, mas nos sábados

deste mês, junto ao Mercado de Sapadores, é isso mesmo que vai acontecer! Uma rua só para ti, sem

carros, onde podes brincar à vontade!

22


23


ssembleia

de Freguesia Penha de França

A Assembleia de Freguesia é o

Forum dos Cidadãos da Penha de

França, quer porque aqui que se

reúnem os seus representantes

eleitos em cada ciclo eleitoral,

quer porque os Cidadãos podem

intervir diretamente nas Sessões.

Aliás, é pela palavra dos Cidadãos

que se iniciam os trabalhos de

cada Sessão.

A Assembleia de Freguesia da

Penha de França eleita para

o mandato de 2017/ 2021

foi composta por dezanove

Membros, em representação

do PS, do PSD, do PCP, do

BE, do CDS/PP e do PAN.

Nestes quatro anos, os seus

Membros cumpriram o Desígnio

Constitucional de ser o Órgão

Deliberativo da Freguesia, o

Órgão que fiscaliza e acompanha

o trabalho da Junta.

Neste mandato, a Assembleia

de Freguesia reuniu em

17 Sessões Ordinárias e 10

Sessões Extraordinárias. No

seu âmbito foram constituídas

e funcionaram sete Comissões

Permanentes: de Líderes

de Bancada; de Desporto e

Associativismo; de Educação,

Cultura e Juventude; de

Urbanismo, Gestão Territorial e

Sustentabilidade; de Habitação e

de Acompanhamento das Obras

em Edifícios Municipais; de

Desenvolvimento Social e Saúde;

e de Finanças e Património).

As Comissões Permanentes

foram em maior número que

no anterior mandato, alargando

o seu âmbito a mais áreas

importantes para a Freguesia.

Durante estes quatro anos

foram dados mais passos na

proximidade com os Cidadãos,

tendo todas as Sessões da

Assembleia de Freguesia passado

a ser transmitidas em direto

no canal YouTube da Junta de

Freguesia, ficando arquivadas e

podendo ser consultadas.

Outro passo na proximidade e

inclusão, foi a transmissão das

Reuniões em Língua Gestual

Portuguesa.

Foram anos de trabalho, de

intenso debate e de respeito

pelas diferenças, com a

Assembleia de Freguesia UNIDA

no propósito comum de fazer o

melhor pelos Cidadãos e pelas

Cidadãs da Freguesia.

Um Muito Obrigado a todos

os Cidadãos e Cidadãs que

participaram na Sessões da

Assembleia de Freguesia.

Maria Luísa Vicente Mendes

Presidente da Assembleia de

Freguesia

24


ssembleia

de Freguesia Penha de França

MANDATO 2017/2021

Assembleia de

Freguesia

Luísa Vicente Mendes

Nuno Carvalho

António Neira Nunes

José Ferreira

Fátima Travancinha

Luiza Valente

Fátima Duarte Paulo Pais

Dina Monte Afonso Costa

Maria de Lourdes

Borges

Jorge Neves Daniel Oliveira

Anabela Vogado Carlos Tibúrcio

Rui Seixas

Fernando Esteves

Pedro Cardoso

Conceição Sobrinho

Junta de

Freguesia

Sofia Oliveira Dias

Manuel dos Santos

Ferreira

Manuel de Oliveira

Duarte

Capitolina Marques

Maycon Santos

Silvia Ferreira

João Valente Pires

25


Tempo de decomposição dos materiais

Restos de fruta

entre 2 semanas

e 2 meses

Papel de escrita

6 meses

Latas de alumínio

80 a 200 anos

Garrafa e

copo de plástico

450 anos

Pneus

2000 anos

Vidro

mais de

1000000 anos

Como reduzir a produção de resíduos?

Usar materiais

biodegradáveis

Reciclar a roupa

(pode usar os contentores

espalhados pela freguesia)

Levar sacos para

as compras

Não comprar mais do

que realmente precisa

Reciclar o papel e as

embalagens de plástico,

metal e vidro

Usar sacos reutilizáveis

para as compras

26


Não, não é para o ecoponto!

Entre as principais vantagens de reciclar estão a

diminuição dos resíduos que vão para aterros ou

para queima e a redução das matérias-primas

necessárias para fazer novos materiais.

Mas para que o processo seja eficaz é preciso

seguir regras que garantam a sua eficácia. Se não o

fizermos, podemos contribuir para inutilizar e enviar

para o 'lixo' materiais que podiam ser reciclados.

Copos, pratos, louça de vidro, lâmpadas ou vidros de janelas

não devem ser colocados no ecoponto verde, porque não são

feitos de materiais recicláveis. Deposite-os no contentor

dos resíduos indiferenciados.

O destino de tachos, baldes, canetas, réguas, talheres de

plástico, brinquedos, cd ou outros produtos em plástico

ou metal que não sejam embalagens é a reutilização

ou o contentor dos resíduos indiferenciados. O de

eletrodomésticos em plástico ou metal é o Eletrão.

Tudo o que é papel sujo ou absorvente não é para o ecoponto

azul, mas antes para o contentor indiferenciado. São exemplos as

caixas de pizza ou de batatas fritas, fraldas e lenços de assoar. O

mesmo se deve fazer com o papel plastificado.

Sempre que tiver dúvidas sobre reciclagem, pode tirá-las em

www.wasteapp.pt , uma plataforma da Quercus que ajuda a

perceber onde devem ser colocados os resíduos. Pode também

instalar a aplicação Waste App, compatível todos os smartphones.

27


More magazines by this user
Similar magazines