26.11.2021 Views

Edição de 22 de novembro de 2021

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

propmark.com.br

ANO 57 - Nº 2872 - 22 de Novembro de 2021 R$ 15,00

Tamanna Rumee/Unsplash

publicidade dá tom otimista

das marcas na Black friday

Apesar do cenário econômico adverso com inflação em alta, desemprego recorde,

salários defasados e preços em elevação, anunciantes demonstram confiança na

recuperação das vendas na Black friday. magalu, casas Bahia, ponto, Amazon,

Bradesco, Americanas e mercado livre, por exemplo, estão nos canais de mídia com

suas ofertas. Google e youtube recomendam uso dedeos para chamar a atenção.

Kantar vê crescimento de verbas neste mês de novembro. pág. 38

meRcAdO cOmemORA

RetORNO A cANNes

Brasileiros aprovam

a volta presencial do

festival. Luiz Fernando

Musa, CEO da Ogilvy,

afirma que isso é bom

para todos, não só

para Cannes. pág. 32

vivO iNveste em

pROjetOs cOm cAusA

A executiva Sabrina

Romero afirma que,

hoje, o principal

critério da marca é

encontrar territórios

para apoiar causas

relevantes. pág. 22

dReAm fActORy

cOmpletA 20 ANOs

Duda Magalhães lidera

a agência do Grupo

Dreamers, que confia

na retomada para

atuar em novos

segmentos do

entretenimento. pág. 26


editorial

Armando Ferrentini

aferrentini@editorareferencia.com.br

Corrida de obstáculos

receita publicitária investida pelos anunciantes do nosso mercado

A em 2021 no Brasil ainda não supera os patamares pré-pandemia.

Esta, felizmente, embora ainda não tenha terminado, segundo todos os

dados oficiais que diariamente tomamos conhecimento através da mídia,

já não mais atinge a população brasileira nas mesmas proporções

do passado recente.

Como exemplo disso, citamos a desistência da Globo em transmitir a

Fórmula-1, sempre uma propriedade de transmissão exclusiva da poderosa

emissora.

Não podemos negar que o fato surpreendeu a população brasileira,

que, até mesmo nos dias dos treinos e da própria prova, estranhou a ausência

da Globo este ano no seu casamento com a famosa competição.

Fica claro, porém, de acordo com dados divulgados pelas entidades

de classe da comunicação publicitária, que, ao contrário dos otimistas

de plantão, ainda não alcançamos o crescimento que o mercado experimentou

nos meses que antecederam o início da pandemia, ocasião

em que todo o mercado publicitário brasileiro comemorava que, muito

provavelmente, para a grande maioria dos seus players, 2020 seria fechado

como um dos melhores anos de todos os tempos.

Alguns agentes mais otimistas e baseados no crescimento que já ocorria

chegaram, não sem razão, a julgar que poderia ser inclusive o melhor

ano de todos até aqui.

A pandemia, com suas consequências terríveis sobre a população brasileira,

provocou uma retração geral do consumo e dos desejos de realizações

dessa figura mais importante que todas as demais, que é o

chamado consumidor.

Além de milhares de mortes em todo o país, a Covid-19 provocou o

afastamento da vida normal de milhões de outros consumidores atingidos

pela doença e impossibilitados de participar das atividades de

consumo de cada cidadão brasileiro, dentro das suas possibilidades, é

claro, mas sempre procurando consumir para si e para a sua família,

cumprindo o desejo felizmente da grande maioria do nosso povo de

sempre perseguir a melhoria das suas condições de vida, extensivas a

sua família.

Além de atingir as pessoas físicas, a tragédia acabou atingindo os meios de

comunicação, grandes auxiliares da divulgação publicitária e sem os quais

não seria o país que atingimos ser no ranking da publicidade mundial.

Não falamos aqui apenas do montante de verba até então investida

pelos anunciantes que atuam no mercado do nosso país, mas também

e principalmente da qualidade criativa da nossa publicidade e

do progresso alcançado pelos meios de divulgação, sofrendo este

último um grande abalo, que obrigou muitas empresas do setor a

refrear e/ou adiar seus investimentos na melhoria de cada meio de

comunicação.

Há, inclusive, quem afirme que a mudança verificada no formato do

sempre famoso Estadão deveu-se muito mais à pandemia, do que apenas

o desejo dos seus dirigentes de apresentar uma significativa diferença

em relação aos seus concorrentes mais diretos, além da melhoria

de qualidade gráfica e informativa jornalística, sempre presente e reconhecida

pelos seus leitores.

Outro gigante da nossa comunicação, que por isso mesmo sempre se

transformou em presença obrigatória das grandes campanhas de lançamento

ou manutenção publicitária, foi e está sendo a Rede Globo,

com transformações que podem até fazerem crescer os resultados obtidos

pela emissora, mas cujo objetivo principal não era este o mais importante

em tempos de paz.

Neste exemplo de tantos outros em particular, a Band desempenhou

de forma extremamente profissional o seu compromisso, mas

para os analistas que vão além do seu gosto pela corrida automobilística

restou também a sensação e, pela primeira vez nessa história,

da impossibilidade de a Globo prosseguir sem quebra com essa

transmissão.

Sinal dos tempos, que esperamos, como veículo de comunicação que

também somos e agravados em responsabilidade pelo fato de a grande

maioria dos nossos leitores pertencer de alguma forma ao imenso mercado

da comunicação publicitária, estarmos voltando (todos) ao que

éramos antes da amaldiçoada pandemia.

O mercado brasileiro tem uma capacidade de recuperação superior à

grande maioria dos demais países e é nisso que temos de acreditar.

***

Black Friday

Matéria de capa desta edição mostra as perspectivas do mercado para a

Black Friday 2021. Mesmo diante de um clima pouco convidativo, com

inflação galopante e falta de perspectiva de melhora do cenário econômico,

indústria e comércio (físico e online) mantêm o otimismo para a

recuperação das vendas.

Como indústria motivacional das demais indústrias, o marketing, com

sua principal ferramenta estratégica, a publicidade, não vende negativismo.

Ocupa seus espaços nos canais de mídia e de ações promocionais

para fomentar o consumo nas datas mais convidativas. O crescimento

de 2,3% no Dia das Crianças, em relação a outubro de 2020, é um

indicador de que a presença nos checkouts pode ser incrementada na

Brack Friday do dia 26 de novembro e ser prenúncio de um Natal mais

gordo para toda a cadeia produtiva do país.

***

Cannes Lions presencial

Após dois anos de evento adaptado por conta da pandemia, o Festival

de Cannes volta a ser presencial. O anúncio foi feito na semana

passada e o evento será realizado entre os dias 20 e 24 de junho

de 2022. O retorno à Riviera Francesa foi uma grata surpresa para a

maioria dos publicitários brasileiros consultados pelo PROPMARK,

que aprovaram a decisão da organização de optar por um modelo

híbrido. A programação remota será mantida a fim de ampliar o alcance

do conteúdo.

“O conteúdo disponibilizado digitalmente (nos últimos dois anos)

foi da qualidade de sempre, mas falta o networking, a troca de opiniões,

a vivência por todos os cinco sentidos que só a participação

presencial proporciona”, afirma Alexis Thuller Pagliarini, presidente-executivo

da Ampro.

4 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Índice

Anunciantes

mantêm otimismo

para Black Friday

Mesmo com o cenário econômico

adverso, marcas apostam na alta

das vendas na data promocional

e investem mais em publicidade

para alavancar o consumo.

cApA

38

rupixen/Unsplash

entrevistA

samsung eletronics

completa 52 anos

O VP de Relações Institucionais da

Samsung, Mario Laffitte, fala sobre a busca

diária da marca por inovação para enfrentar

um segmento tão concorrido. Ele também

comenta sobre os 52 anos de atuação da

Samsung Eletronics. pág. 46

Fotos: Divulgação

mercAdo

Atleta paralímpico

busca inclusão

O creator Fernando Fernandes afirma que

procura trabalhar com marcas inclusivas,

como Volkswagen e XP Investimentos, com

as quais tem parceria. Para ele, as empresas

precisam enxergar as minorias. pág. 44

mercAdo

YouGov expande

atuação no país

A empresa de data analytics

britânica busca escritório

físico em São Paulo para

puxar a expansão do

negócio na América

Latina, comenta

David Eastman,

novo diretor-geral da

YouGov para a

região. pág. 43

prêmios

d&Ad 2022 será

100% digital

Festival mantém julgamento e premiação

online, com cerimônia marcada para os dias

25 e 26 de maio. Há novas categorias e dois

brasileiros na presidência de júri: Diego

Machado (AKQA) em Experiential e Fabiano

Broki (Lobo) em Animação. pág. 36

editorial ................................................................4

conexões ...............................................................8

marcas ...................................................................9

curtas ..................................................................12

Quem Fez ............................................................14

inspiração ..........................................................16

We Love mKt ......................................................18

Beyond the Line ................................................20

opinião ................................................................22

Giro Brasil ...........................................................24

Agências .............................................................26

digital .................................................................30

cannes 2022 .......................................................32

prêmios ...............................................................36

mercado ..............................................................38

mídia ...................................................................45

entrevista ...........................................................46

propmArK Live .................................................48

supercenas .........................................................49

Última página ....................................................50

6 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


conexões

Post: Marisa: “De Mulher para Mulher

reflete trajetória consistente”

Tá linda!

Paula Martins de Oliveira

última Hora

LinkedIn:

Post: Skol faz pegadinha para revelar

‘amor escondido’ pela marca

PROPMARK ah, o nosso inconsciente!

Sempre fiel!

Fábio Andrade

dorinHo

Post: José Cirilo entra para o

conselho consultivo da HYPR

Parabéns, José Cirilo!

Sandra Martinelli

Instagram:

Post: Onde está Wally?: GUT

mostra que no QuintoAndar

Socorro, eu quero hahahaha!

Stephanie Farias

Post: Black Friday da Claro

une “gêmeos” Tiago Leifert e

Mariana Ximenes

Sacada que acompanha a

internet. Achei uma boa de se ver.

Junior Schenkel

Maravilhoso. Atento ao que é popular

e forte nas redes para potencializar a

campanha. Conteúdo colaborativo.

Jennifer Bomfim

PROMOÇÃO

Após 11 anos ocupando várias funções na estrutura da

R/GA, o executivo Fabiano Coura (na foto acima ao lado de

Marcio Oliveira, seu sucessor no Brasil) aceitou o desafio de

ser presidente da marca nas Américas. Coura deixa a posição

de SVP managing do escritório de São Paulo e se muda para o

head quarter da rede que tem a liderança do CEO global Sean

Lyons. Apenas o escritório de Nova York não estará sob a sua

responsabilidade. A R/GA São Paulo passará a ser exercida

por Marcio Oliveira, que até então respondia como VP

de atendimento e desenvolvimento de novos negócios.

A ideia é “ajudar a impulsionar inovação e tecnologia

para criarmos um futuro mais humano”, declara Coura.

thiRd-PaRty

Posicionada como facilitadora da conexão entre a indústria

e marketplaces, a iStoque assumiu o conceito Seu Market no

Place certo. A startup oferece agilidade para o full commerce,

com serviços especializados na estruturação inteligente de

operações logísticas. “Cada marca exige um olhar específico

e personalizado”, ressalta o CEO Aleandro Fortunat.

CENP

Caio Barsotti está de saída da posição de presidenteexecutivo

do Cenp (Conselho Executivo das Normas-

Padrão), após 12 anos. A decisão foi aprovada em assembleia

extraordinária realizada na última quinta-feira (18). O novo

modelo de governança prevê a separação entre as atividades

de presidência do conselho e presidência executiva, que

eram cargos unificados. Assim sendo, o cargo de presidenteexecutivo

será extinto. O presidente do Conselho será eleito

pelos representantes das entidades do mercado e exercerá

uma função pro bono. Um diretor-executivo será contratado.

8 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


mArcAs

QuintoAndar investe em promoção e

provoca consumidor a procurar Wally

Criada pela GUT São Paulo, campanha começa em Porto Alegre

e deve percorrer outras regiões do país até janeiro do ano que vem

personagem de Onde Está o Wally? está

presente na campanha do QuintoAn-

O

dar, assinada pela GUT São Paulo. Ele está

incumbido de visitar os imóveis da plataforma,

em busca da casa dos sonhos.

A “procura” começará em Porto Alegre

e deve percorrer outras regiões do país até

janeiro do ano que vem. Depois de seguir as

pistas nos imóveis, quem encontrar Wally

poderá se cadastrar no site e participar do

sorteio de um ano de aluguel grátis.

Semanalmente, a marca publicará conteúdos

e dicas em suas redes sociais para

que as pessoas possam encontrar o Wally.

“Queremos estimular as pessoas a terem

experiências na nossa plataforma, por meio

de ações inéditas”, diz João Chueiri, CMO

do QuintoAndar.

Wally procura casa dos sonhos em campanha promocional do QuintoAndar

Divulgação

Job: TVSBT2076-PG004-AN-OMCDB-2021-JR-PROPMARK-217x155mm -- Empresa: WMccann -- Arquivo: TVSBT2076-PG004-AN-OMCDB-2021-JR-PROPMARK-217x155mm_pag00

Registro: 201419 -- Data: 19:27:50 18/11/2021

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 9


marcas

Globo muda estrutura corporativa

e extingue diretoria de canais

Alterações no organograma do grupo de mídia passam a valer a partir de

fevereiro do ano que vem, quando Paulo Marinho assume a presidência

Como desdobramento da substituição

de Jorge Nóbrega por Paulo Marinho

na presidência da Globo, programada para

fevereiro do ano que vem, foi anunciada

a nova estrutura da empresa para 2022. A

diretoria de Canais da Globo, ocupada por

Paulo Marinho desde 2020, concentrando

todos os canais lineares e afiliadas, deixará

de existir. Erick Bretas, atual diretor de Produtos

e Serviços Digitais, área responsável

pela gestão do Globoplay, passará a liderar

também os Canais por Assinatura, Negócios

Internacionais, a Globo Filmes e a VIU Hub

(social media).

Já Amauri Soares, hoje à frente da TV

Globo, assume o comando também da

rede de afiliadas. Pedro Garcia, diretor de

Aquisição e Governança de Direitos, vai

incorporar a área de Ciclo de Vida de Conteúdos,

que cuida da circulação estratégica

dos conteúdos entre as diferentes

janelas e plataformas da empresa. Dessa

forma, passarão a responder a Paulo Ma-

Itaipava apresenta nova cerveja

100% malte em filme da Wmccann

O lançamento traz o conceito Itaipava 100% Malte. Tudo que você

sempre quis; campanha terá ainda desdobramentos no digital e OOH

Com narração do ator Cauã

Reymond, filme criado pela

WMcCann apresenta a nova

Itaipava 100% Malte, com estreia

no intervalo do Fantástico.

No estilo American Lager,

a cerveja tem uma coloração

amarelo ouro. O novo nome se

conecta com o conceito de Itaipava

de ser uma cerveja 100%

verão. O lançamento tem o

conceito Itaipava 100% Malte.

Tudo que você sempre quis. A

campanha destaca que uma

cerveja pode ser só mais uma,

ou ser como a Itaipava 100%

Malte: 100% marcante, 100%

malte, 100% saborosa e colhida

no sol do verão. A ação terá ainda

desdobramentos para digital

e OOH nas principais praças da

Paulo Marinho substituirá Jorge Nóbrega

Divulgação

Comercial com narração de Cauã Reymond estreia no intervalo do Fantástico

rinho e a compor o board dos Centros de

Resultado da Globo: Amauri Soares, liderando

a diretoria da TV Globo e Afiliadas;

Erick Bretas, à frente de Produtos Digitais

e Canais Pagos; e Manzar Feres, diretora

de Negócios Integrados em Publicidade.

Estarão ao lado de Ali Kamel, diretor de

Jornalismo: Ricardo Waddington, diretor

de Entretenimento; Renato Ribeiro, diretor

de Esportes; Raymundo Barros, diretor

de Estratégia e Tecnologia; e Pedro

Garcia, diretor de Aquisição e Governança

de Direitos, no núcleo de Operações

Core da Globo.

Integram ainda o board da empresa, nas

diretorias de Gestão Corporativa: Paulo Tonet,

responsável pelas Relações Institucionais;

Claudia Falcão, diretora de Recursos

Humanos; Manuel Falcão, à frente de Marca

e Comunicação; e Manuel Belmar, diretor

de Finanças, Jurídico e Infraestrutura,

que ficará responsável ainda pela articulação

da agenda ESG na empresa.

Divulgação

marca. Nas redes sociais, Cleo,

Cauã Reymond, John Drops e

a ‘banca digital’ são os influenciadores

que apresentam a novidade

ao público. “O brasileiro

tem optado pelas puro malte

em várias ocasiões de consumo,

tanto em bares como no

autosserviço. Ser uma cerveja

puro malte hoje é trazer para

mais perto do consumidor os

ingredientes principais da cerveja.

Nosso lançamento coloca

o desejo do nosso consumidor

no centro dos nossos esforços”,

diz Eliana Cassandre, head de

marketing do Grupo Petrópolis.

A FutureBrand assina a criação

da identidade visual, embalagens

(onde o dourado se destaca)

e posicionamento da marca.

10 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


curtas

COnCursO PrEmiA nEGóCiOs

PlutO tv EntrA nO YAHOO

GrEEnz GAnHA CliEntEs

Iniciativa é do Mídia Banco24Horas

As quatro melhores histórias de superação

nos negócios escolhidas pelo Mídia

Banco24Horas, plataforma de mídia digital

out of home (DOOH) da TecBan, serão

divulgadas nas mais de 2,4 mil telas da

empresa em todo o país juntamente com

os projetos de empreendedorismo vencedores.

O Concurso Cultural Empreendedor24Horas

busca ajudar os empreendedores

premiados a dar mais visibilidade aos

seus negócios. As inscrições se iniciaram

no dia 12 de novembro e ficarão abertas

por 30 dias. O prêmio é estimado em

R$ 164 mil, por vencedor, e será pago

por meio de veiculação de campanhas.

KAllAs instAlA túnEl dE lEd

Inventário ajudará a monetizar espaços

A plataforma de free ad-supported streaming

television Pluto TV terá o seu inventário

disponível nas plataformas Yahoo.

Integrante da ViacomCBS e presente em

24 países, a Pluto TV tem em torno de 50

canais ao vivo e conteúdo sob demanda de

produtores como Comedy Central, Paramount

Network, Nickelodeon, Nick Jr. e

Telefe, entre outros. A integração faz parte

do plano de monetizar os espaços comerciais

do streaming, oferecendo-os aos

anunciantes e agências que atuam

no ecossistema publicitário do Yahoo.

Gratuito para assinantes, o streaming

é suportado por publicidade.

mCHECOn tEm nOvOs sóCiOs

Fábio Meneghati, CEO da Greenz

Bluefit, VCI e InstaCarro são as novas

contas da Greenz, que será responsável

pelo planejamento, execução e estratégia

de comunicação e de negócio das marcas.

O escopo de atuação inclui estratégia, growth,

performance, mídia, criação e social.

metodologias proprietárias e ferramentas

alinhadas às metas de negócios serão

aplicadas para “cumprir com o objetivo de

crescimento dessas marcas em reputação

e market share”, comenta Fábio Meneghati,

CEO da Greenz. A conquista das contas

ocorreu por meio de processos de concorrência.

A expectativa é fechar 2021 com um

crescimento de mais de 50%.

OlivEr mOntA in-HOusE nA 3m

Inovação está no Aeroporto de Congonhas (SP)

Experiências interativas, visuais e sensoriais

é a promessa da Kallas Mídia OOH

para quem passar pelo túnel de led instalado

na área de desembarque do Aeroporto

de Congonhas, em São Paulo. Produzida

pela TheLED, a estrutura possui duas paredes,

testeira de 7,5 metros de largura e teto

com setas de sinalização. Considerado o

maior projeto da empresa em aeroportos, o

túnel coloca Congonhas como pioneiro na

América Latina a receber essa tecnologia,

integrada a outros lançamentos que serão

anunciados em breve com o objetivo de

proporcionar mais impacto nas áreas de

embarque e desembarque.

Novo time de sócios da empresa

A empresa de cenografia MChecon passa

a contar com um novo quadro de sócios.

Carolina Kordon (diretora comercial),

Mário Cavalcante (COO) e Edson Santos

(diretor de planejamento e compras), além

do controller Heitor Ideriha e do diretor

de criação Márcio Kimura, que acaba de

chegar à empresa, passam a ser sócios do

fundador Marcelo Checon, que permanece

como CEO. Rafael Mattos, que já conduzia

a área de marketing, também entrou na sociedade

para liderar uma frente de inovação.

Há cerca de dois meses, a companhia

integra a M&Co, holding de infraestrutura

e cenografia para eventos no Brasil.

Empresa quer fortalecer comunicação digital

El Colab Latam é o nome da in-house

criada pela Oliver América Latina para as

marcas da divisão de consumo da 3M na

região. A estrutura deve centralizar e agilizar

a produção de conteúdo com estratégia

alinhada globalmente para campanhas no

ambiente digital, fortalecendo a comunicação

nas redes sociais e o fluxo comercial

dos produtos da companhia. Dados e resultados

serão fornecidos para “qualificar

o conteúdo produzido e fornecer melhores

experiências de consumo aos nossos clientes”,

declara Brenda Flores, líder de marketing

center na divisão de consumo da

3M, que tem 75 anos de história no Brasil.

Diretor-presidente e jor na lis ta

res pon sá vel

Ar man do Fer ren ti ni

Editora-chefe: Kelly Dores

Editores: Neu sa Spau luc ci, Paulo

Macedo e Alê Oliveira (Fotografia)

Editores-assistentes: Janaina

Langsdorff e Jéssica Oliveira

Editor especial: Pedro Yves

Repórter: Carolina Vilela e Vinícius

Novaes

Revisor: José Carlos Boanerges

Edição de Arte: Adunias Bispo da Luz

Assistente de Arte: Lucas Boccatto

Departamento Comercial

Gerentes: Mel Floriano

mel@editorareferencia.com.br

Tel.: (11) 2065-0748

Monserrat Miró

monserrat@editorareferencia.com.br

Tel.: (11) 2065-0744

Diretor Executivo: Tiago A. Milani

Ferrentini

tamf@editorareferencia.com.br

Departamento de Assinaturas

Coordenadora: Regina Sumaya

regina-sumaya@editorareferencia.com.br

Assinaturas/Renovação/

Atendimento a assinantes

assinatura@editorareferencia.com.br

São Paulo (11) 2065-0738

Demais estados: 0800 704 4149

Site: propmark.com.br

Redação: Rua Fran çois Coty, 228

CEP 01524-030 – São Pau lo-SP

Tels: (11) 2065-0772 e 2065-0766

e- mail: re da cao@prop mark. com.br

O PrO PMar k é uma pu bli ca ção da Edi to ra re fe rên cia Ltda.

rua Fran çois Coty, 228 - São Pau lo - SP

CEP: 01524-030 Tel.: (11) 2065-0766

as ma té rias as si na das não re pre sen tam ne ces sa ria men te a

opi nião des te jor nal, po den do até mes mo ser con trá rias a ela.

IMPRESSO EM CASA

12 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


quEm fEz

Paulo Macedo paulo@propmark.com.br

SEGURANÇA

Fundada por Luigi Papaiz em 1953 e desde

2005 sob o controle do grupo sueco Assa

Abloy, marca se tornou sinônimo de itens de

segurança. Campanha Vai tranquilo, Vai de

Papaiz! enfatiza expertise de cadeados, fechaduras,

linha digital e dobradiças. Crossfit,

o primeiro filme, destaca o produto Urban como

ideal para motos e bicicletas.

RoSH DIGITAl

PAPAIZ

Título: Crossfit; ECD: Fábio Vianna; direção de cena:

Gustavo de Carvalho Pieroni; diretor de arte:

Lucas Prada; trilha sonora: Anderson de Araújo

Chames; atendimento: Juliana Danezzi; produtores

de elenco: Rafael de Lima Ribeiro (Tato) e Mariana

Beda; aprovação: Robson Donato.

Fotos: Divulgação

SURPRESA

Pedir comida por aplicativo ficou demodê

depois que a marca de eletrodomésticos

desenvolveu linha de airfryers com assessoria

da chef Rita Lobo. Ela vai pessoalmente

à casa de quem está habituado a receber

refeições em casa e estimula que com

os novos aparelhos vão ter a oportunidade

de apreciar uma comidinha mais saudável.

DPZ&T

electrolux

Título: Linha Electrolux por Rita Lobo; ECD: Fabio

Mozeli; criação: Rodrigo Nogueira e Pedro

Candelária; produtora: Boiler Filmes; diretor:

Dulcidio Caldeira; pós: Flow Effects; aprovação:

Cristina Duclos, Juliana Roschel, Belen Martinez,

Raquel Magalhães e Luana Rocha.

FUNCIONALIDADE

Para promover o lançamento do marketplace

NextShop, a ação Tatá Wernext Show traz de

volta a atriz para a comunicação da marca do

Bradesco. Ela apresenta as funcionalidades

do produto, entre as quais o cashbak instantâneo

de 10%. Nobru, Lucas Rangel e Didi

Wagner também marcam presença no casting

da campanha produzida pela Vetor Filmes.

R/GA São PAulo

next

Título: Novas Atrações; ECD: Giampietro Zanon;

criação: Thiago Monteiro, Romulo Caballero, Melissa

Vaz, Felipe Rezende, Felipe Bergallo e Kevin

Quintieri; diretores: Coutinho & Batti; aprovação:

Renato Ejnisman, Jeferson Ricardo Garcia Honorato,

Paulo Aguiar e Armando Areias.

14 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


inspiração

É preciso estar atento e forte!

Fotos: Arquivo Pessoal

“Fico imaginando o tanto de gente que se sentiu inspirada pela

força que a ciência e a medicina demonstraram nesses anos”

Rafael ToRRes

especial para o PRoPMaRK

Assim como (quase) todo mundo, a pandemia

me obrigou a passar os últimos

meses assustado e acuado em casa.

Fiz das telas do computador, TV e celular

minhas janelas para o mundo e muitas vezes

essas janelas drenavam a minha inspiração

por mostrarem um mundo perigoso, triste e

caótico.

O que era fonte de informação, virou obsessão

e precisei me afastar das notícias pra

manter a mente no lugar. A realidade nem

sempre é inspiradora e pode, inclusive, ser

o oposto disso.

Uma das coisas que me ajudaram muito

durante esse tempo (além de terapia, Netflix

e chocolate) foi tentar trabalhar meu olhar

para enxergar a realidade não só por suas

sombras, mas também por suas luzes.

Afinal, tudo tem dois lados (às vezes,

muito mais).

No meu caso, um desses momentos de

luz foi a chegada do meu segundo filho. Ver

um filho nascer nesses tempos foi como ver

aquelas flores que nascem milagrosamente

em rachaduras no meio do concreto, sabe?

Aquela grande área cinza é interrompida

por um toque de cor que rouba inteiramente

a cena.

Por falar em futuro, cientistas ao redor

desse mundo todo buscaram inspiração e

concentraram suas atenções na luta contra a

maior crise sanitária do século.

Lembro até hoje do alívio que senti quando

ouvi naqueles mesmos noticiários a

manchete de que conseguiram encontrar

uma fórmula capaz de nos livrar de tudo

isso. Fico imaginando o tanto de gente que

se sentiu inspirada pela força que a ciência e

a medicina demonstraram nesses anos. Eu,

com certeza, fui um deles. A vacina me trouxe

uma dose (duas, no meu caso) de esperança

e inspiração.

Em paralelo a tudo isso, é muito louco

pensar que milhares de atletas pelo planeta

também estavam confinados em suas casas

e treinavam como podiam para uma Olimpíada

que ninguém saberia se e quando aconteceria.

Ouvimos histórias tão impressionantes

quanto fascinantes de superação. E não é

que os Jogos Olímpicos aconteceram? E, já

que eu acordava cedo por causa do recém-

-chegado filhote, acabei acompanhando

bastante as competições e sempre me

emocionava com as conquistas e histórias

que via.

É por essas e outras que acredito que a

inspiração não é um dom exclusivamente

dos criativos, designers, arquitetos, redatores,

publicitários...

Claro que a inspiração é fundamental para

exercer o trabalho criativo: ter aquela sacada

genial, se alimentar de referências, cocriar

um projeto incrível e chegar em resultados

de encher os olhos. Mas não é só sobre isso.

No âmbito criativo, por exemplo, a inspiração

pode vir tanto de uma galeria de

arte quanto de uma placa vernacular de

mercado.

Pode vir tanto de um filme quanto de uma

cena que passou pela janela do carro. Pode

vir tanto de uma poesia quanto de uma expressão

que ouviu na fila do banco.

No âmbito pessoal, meus filhos nem imaginam

que todos os dias eles me inspiram a

ser um pai melhor.

Aqueles cientistas não fazem a menor

ideia de que me inspiraram a acreditar no

poder do trabalho coletivo pra resolver problemas

complexos.

Não conheço pessoalmente nenhum atleta

que disputou a Olimpíada no Japão, mas

me inspiraram a perseguir uma ideia, mesmo

quando os recursos não são os ideais.

Muito além das paredes das agências e

das telas dos nossos computadores, acredito

que a inspiração é um estado de atenção e

deslumbramento com as coisas que acontecem

ao nosso redor.

Afinal, a inspiração pode vir de diferentes

pessoas, formas e lugares. Como diriam

os sempre inspirados Gilberto Gil e Caetano

Veloso:

“Tudo é perigoso.

Tudo é divino maravilhoso.

(...) É preciso estar atento e forte”.

Rafael Torres é sócio-diretor de design

da Ana Couto

16 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


we

mkt

PHÚC LONG/Unsplash

Agropecuária

urbana

“O sertão vai virar mar,

o mar vai virar sertão”

Sá e Guarabira

Francisco alberto Madia de souza

Se as profecias, na música de 1977, “Sobradinho”,

de Sá e Guarabira, eram de que o

sertão iria virar mar, repetindo o Beato Antônio

Conselheiro, na vida e nos “Sertões

de Euclides da Cunha, 1902, a agropecuária

urbana começa a invadir São Paulo, e outras

grandes cidades em todo o mundo”.

E na semana passada, novembro de 2021,

especificamente na cidade de São Paulo, os

números apontam de forma insuspeita e

superlativa, nessa direção. A vacância nos

edifícios corporativos – também conhecidos

como “prédios de escritórios” – multiplicou-se

por três em 18 meses... E não

para de crescer. Quase 500 mil metros quadrados

a caminho de se converterem em

hortas verticais e fazendas verticais para a

produção de alimentos de toda a ordem.

Em 30 anos, 2050, parcela expressiva do

que os habitantes das grandes cidades do

mundo comerão será produzida nas esquinas

próximas. Isso mesmo. Parece um exagero

e é. Mas, em hipótese alguma, uma

impossibilidade. Já comentamos com vocês

sobre a urbanização da agropecuária.

De forma muito lenta, mas, acontecendo.

Mais especialmente na agricultura, mas, e

mais adiante, na pecuária, também.

Bois, galinhas e porcos produzidos no

prédio ao lado. Na agricultura, com mais e

novas fazendas urbanas. Na pecuária, com

a edição genética da bicharada.

Na cidade de São Paulo, algumas fazendas

urbanas já instaladas, produzindo,

vendendo e alcançando resultados surpreendentes.

Na pecuária, um pouco mais

adiante, e com todas as conquistas da edição

genética, repito. Diferentes espécies

animais produzidas em laboratórios urbanos.

A urbanização da agricultura começa

pelas denominadas “folhosas” – alface,

couve, rúcula, espinafre – e uma das pri-

meiras e mais emblemáticas referências é

uma fazenda de 56 metros quadrados, no

bairro de Pinheiros, cidade de São Paulo.

A fazenda Cubo. Realizou sua primeira colheita

no mês de junho de 2019. Nos primeiros

meses trabalhou exclusivamente com

duas folhosas, e hoje já conta com 13 cultivos

diferentes sendo seis tipos só de alface.

Em 56 metros quadrados, uma sucessão de

paredes, estantes, calhas e painéis de led,

fornecendo luz para o cultivo.

Vem produzindo uma média de 800

quilos por mês, e a quase totalidade da

produção é vendida diretamente para os

moradores da vizinhança. Os que têm mais

curiosidade, quando da compra presencial,

podem através de uma janela conhecer todo

o sistema.

Além de manifestações como a da Cubo,

muitas outras vão se multiplicando. Alguns

restaurantes decidiram tornar-se autossuficientes

em algumas matérias-primas

e estão utilizando espaços disponíveis ou

“mortos” de sua instalações, incluindo tetos,

para a adoção e cultivo de hortas.

Claro, tudo ainda muito no início, mas,

com o esvaziamento das lajes corporativas

em todos os próximos anos, em decorrência

da mudança na forma de trabalho das

empresas, muitos edifícios comerciais de

hoje, até o final da década dos 2020, estarão

convertidos para FVUs – Fazendas

Verticias Urbanas. Os primeiros registros

manifestam-se em outras cidades de todo

o mundo, passando pelo Rio de Janeiro, e

ganhando maior adesão e consistência no

Japão, onde já existe um total de 200 fazendas

verticais.

É o admirável mundo novo revelando

suas mais emblemáticas e revolucionárias

manifestações. Em 100 anos as florestas do

mundo resgatarão os espaços perdidos para

bois, vacas e alface. E falaremos de outros

assuntos...

Francisco Alberto Madia de Souza

é consultor de marketing

famadia@madiamm.com.br

18 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


eyOnd the line

shen liu/Unsplash

Os megaeventos

estão de volta

Foi emocionante ver o público recorde de mais

de 180 mil lotando o autódromo de Interlagos

Alexis Thuller PAgliArini

Se alguém ainda tinha dúvida, ela se dissipou

totalmente no último dia 14/11,

com o GP de São Paulo de Fórmula 1, realizado

em Interlagos: os megaeventos estão

de volta! E não é uma volta qualquer.

Foi emocionante e alentador ver o público

recorde de mais de 180 mil lotando as

arquibancadas do autódromo de Interlagos

nos três dias de evento (treinos e prova).

Um público que, apesar de não ter um piloto

brasileiro para torcer, estava lá para vivenciar

um grande espetáculo.

Estava lá para uma experiência live mesmo,

ao vivo, explorando os cinco sentidos

de uma forma que só um megaevento como

este pode proporcionar.

O som em alto volume dos motores dos

carros no S do Senna, o calor das pessoas e

o astral quase catártico que o evento proporcionou

emocionaram a mim e àqueles

que atuam nesse mercado tão machucado

pelo longo período de limitação.

E o clima ajudou, com um belo dia de

sol e temperaturas amenas, como se não

quisesse estragar toda a festa. E o resultado

da prova também ajudou, tendo como

vencedor Lewis Hamilton, um fã declarado

do Brasil e do Senna, repetindo uma

volta de comemoração ao estilo do icônico

piloto brasileiro, carregando uma bandeira

do Brasil, que levou também para o pódio.

Mas nem tudo é emoção.

Por trás disso tudo está uma movimentação

de recursos e pessoas que mexem

com a economia. Um estudo da FGV-São

Paulo aponta que o GP deve ter movimentado

mais de R$ 800 milhões. De fato, a

cidade estava cheia de turistas, lotando

hotéis, restaurantes, bares, shoppings e espaços

de lazer. Estima-se uma geração de

8.500 postos de trabalho temporário em

decorrência do megaevento.

Conversando com meu anfitrião no Paddock,

Guilherme Bailão, head de brand

experience & sponsorship da Heineken,

detentora dos naming rights do GP e autora

de diversas ativações no evento, constatamos

uma movimentação de bastidores, que

anima o mercado.

Para dar conta das ações de ativação, a

Heineken contou com cinco agências de live

marketing e teve mais 15 fornecedores envolvidos.

A propriedade promocional é muito

importante para a Heineken, que mantém

envolvimento internacional com a F-1.

“Por meio deste patrocínio, conseguimos

também seguir fomentando assuntos de extrema

importância para a sociedade, como o

consumo responsável e a incompatibilidade

de bebidas alcoólicas e direção. Divulgamos

a mensagem e ativamos a nossa plataforma

When you drive, never drink”, disse Bailão.

Além da presença forte da marca no evento

e na comunicação atrelada ao GP, a Heineken

realizou uma ação paralela: um torneio

virtual (Player 00) no game Fórmula 1

2021, com três etapas espalhadas em pontos

da cidade, e a grande final acontecendo dentro

do Paddock.

São essas atividades e esses números

superlativos que todos estávamos ansiosos

em ter outra vez. E, graças à perspectiva

de domínio da pandemia, isso tudo

está de volta.

Ao presenciar o batalhão de temporários

e o tanto de profissionais envolvidos

nos bastidores do evento, que tinha

diversas outras marcas empenhadas em

proporcionar uma experiência ainda

mais impactante aos seus convidados, é

inevitável um sentimento de esperança

de um mercado de eventos voltando à sua

pujança de antes, gerando muitas oportunidades

de trabalho outra vez.

Não há mais dúvida de que, mesmo com

um panorama sombrio no campo sociopolítico-econômico,

2022 será um ano de redenção

para o mercado de eventos e de toda a cadeia

que gravita no seu entorno. Só na área dos

megaeventos musicais, Rock in Rio, Lollapalloza

e o novíssimo The Town prometem

movimentação recorde, com atrações de primeira

grandeza.

Na área de esportes, é bom ver o público

lotando os estádios de futebol outra

vez. Feiras e exposições já disputam

datas para viabilizar em 2022 seus eventos

de calendário, represados em 2020 e

2021. Definitivamente, os megaeventos

estão de volta.

Alexis Thuller Pagliarini é presidente-executivo da

Ampro (Associação de Marketing Promocional)

alexis@ampro.com.br

20 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


opinião

Antoine Dautry/Unsplash

patrocínios com causa,

muito além dos números

Sabrina romero

Qual é o objetivo de um patrocínio? Se

me fizessem essa pergunta há alguns

anos, eu daria uma resposta bem diferente

da atual. Por muito tempo, as grandes

empresas se associaram a eventos, campeonatos

esportivos, produções audiovisuais

e artísticas com o objetivo de se aproximar

de seu público-alvo e dar visibilidade para

sua marca. Mas essa mentalidade está mudando.

Cada vez mais, as empresas apoiam

causas, utilizando sua potência e alcance

para impulsionar projetos que tenham um

propósito. Isso porque os consumidores

estão cada vez mais atentos às ações apoiadas

pelas empresas. Querem que tenham

alma, que representem seus valores – e a

simples autopromoção não entrega significado.

Além disso, com o movimento

ESG e os debates sobre

responsabilidade social, as organizações

percebem que para

mudar o futuro precisam usar

seus recursos para transformar

o presente.

“aprendemos

a olhar

para outras

métricas e

valorizar o

resultado

no longo

prazo”

Antes, a Vivo investia em

ações associadas aos territórios

de atuação da marca,

olhando para grandes números

e audiência, com critérios

para fechar – ou não – em torno de custo

da iniciativa, perfil do público e potencial

de alcance. Agora, o principal critério é

encontrar dentro desses territórios oportunidades

de apoiar causas relevantes – e

observo outras empresas seguindo a mesma

direção. Por exemplo, a seleção brasileira

de futebol é o patrocínio mais antigo

da Vivo, apoiada desde 2005. A decisão recente

foi partir dessa experiência para dar

visibilidade às mulheres do esporte. Dessa

premissa nasceu a campanha 4%, realizada

durante os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Uma pesquisa realizada pela Unesco em

2018 apontou que apenas 4% da cobertura

esportiva mundial era destinada às

competições femininas. Nosso time teve

certeza de que aí estava uma causa a ser

abraçada. Materializamos essa proporção

desigual com um filme de 30 segundos que

destaca essa diferença ao mostrar apenas 2

segundos de imagens de jogos femininos.

Também desenvolvemos um bot no Twitter

que, quando marcado em um tweet

com a hashtag de um esporte específico,

gerava uma resposta com a sugestão de

notícia sobre a modalidade feminina. Firmamos,

ainda, uma parceria com a Nossa

Arena, em São Paulo, um espaço dedicado

à prática de esportes pelas mulheres. Nos

últimos anos, a Vivo já havia trabalhado

a questão da desigualdade de gênero em

outro território, o de games. O projeto My-

GameMyName foi criado em parceria com

a agência Africa e a ONG norte-americana

Wonder Women Tech para denunciar assédios

e opressões sofridos por mulheres

gamers durante partidas online. Gamers

homens foram convidados para

jogarem com nomes e avatares femininos

e não demorou para que

sofressem ameaças e comentários

machistas. A ONU Mulheres declarou

apoio global à campanha e

assumiu o papel de cobrar posicionamento

da indústria de games.

O fomento de iniciativas com

propósito talvez não alcance a

massa, mas gera mais engajamento

de públicos específicos, pautas

positivas e estreita o vínculo da marca

com o consumidor. Aprendemos a olhar

para outras métricas e valorizar o resultado

no longo prazo. Certamente, abraçar a

missão de focar em outros fundamentos

além dos grandes números seria mais difícil

(ou impossível) sem o apoio da liderança.

Mas felizmente, na Vivo, o propósito de

digitalizar para aproximar não fica apenas

no papel. Além disso, com um time diverso,

composto por pessoas de realidades e

vivências diferentes, o olhar para causas

sensíveis, que furam a bolha dos privilégios,

é mais natural. É uma tendência irreversível.

Enquanto houver diferenças de

representatividade e falta de espaço para

grupos minorizados, fará sentido usar o

alcance das marcas para promover conexão

e diversidade.

Sabrina Romero é gerente sênior de marketing

da Vivo

sabrina.paula@telefonica.com

22 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Giro Brasil

Divulgação

sempre alertas, melhor,

sempre ligados!

Renata Gusmão

Todo fim do ano é essa correria: Black

Friday, Cyber Monday e as compras de

Natal. São datas que deixam o varejo bastante

agitado, e não é para menos. Afinal,

se pensarmos o que vivenciamos nesses últimos

dois anos, toda essa movimentação

faz muito sentido. Andando de lado por

conta da pandemia e da inflação, a expectativa

é que as vendas do comércio varejista

finalmente batam recorde nessa virada

de 2021 para 2022, com a volta – ainda que

aos poucos – das atividades econômicas.

Passados esses 20 meses, o saldo que

fica é que tudo – e principalmente o varejo

– funcionará de forma híbrida, ou para usar

um termo mais hype, de forma ‘figital’, ou

seja: físico, digital e social rodando junto.

Os clientes vão estar em todos

os lugares, na rua, na chuva,

na fazenda, na casinha de

sapê, que vai estar conectada

na internet, que eles acessam

do celular, do tablet, do notebook

(e às vezes em mais de

um deles ao mesmo tempo!).

E aí, como é que fica a tal

jornada do consumidor? Onde começa,

onde termina, onde recomeça? Como é que

a gente vai criar uma comunicação para falar

com ela ou ele? A resposta é uma estratégia

‘always on’. Estarmos onde quer que o

cliente esteja. Lógico que tudo começa pelo

digital, mas a mídia tradicional também

tem um papel bem relevante (principalmente

a TV) e mesmo as analógicas, como

o velho e bom outdoor. No fundo, estar

“sempre ligado” tem a ver não apenas com

a integração das mídias, mas com a perenidade

da presença das marcas nessas diversas

plataformas. Só que isso custa caro. E é

aí que talvez as marcas regionais levem alguma

vantagem. Embora o e-commerce tenha

dado uma boa reduzida naquelas cenas

clássicas de Black Friday, de gente saindo

“a expectativa

é que as vendas

do comércio

varejista batam

recorde nessa

virada de ano”

com televisão, fogão e máquina de lavar (!)

na cabeça, a gente ainda vê muita correria,

desespero, empurra-empurra e funcionário

rezando dentro de loja nas reportagens veiculadas

na imprensa. Apenas para fazer um

contraponto, citamos o caso de uma grande

rede regional varejista de tecnologia e de

produtos das linhas branca e marrom. Ao

longo do ano, a briga é dura com os grandes,

mas, no fim do ano, há alguns diferenciais

importantes para os “locais”. A começar

pelos preços, que são bastante parecidos.

Além disso, por ter uma atuação limitada

geograficamente, a rede trabalha com prazo

de entrega menor do que a concorrência

de fora”. O próprio frete grátis, ou mais em

conta, também favorece na hora de passar o

cartão de crédito.

Até mesmo a voltagem dos produtos, por

exemplo, também influencia

na decisão. Muitas vezes, o

cliente acha a geladeira dos

sonhos num grande marketplace

nacional, mas não na

tensão elétrica da sua cidade.

Por último, e muito importante,

é o reconhecimento

da marca pelo consumidor.

Aqui, trata-se de uma rede

que seguidamente vence diferentes prêmios

de recall de marca. Já há uma relação

estabelecida com o consumidor.

Resumo da conversa: nosso desafio é

acompanhar de perto esse consumidor. O

comportamento dele – cada vez mais multiplataforma

– vai nos dar insights para

ações futuras. Vai demandar muita criatividade.

Não, não estamos falando apenas

da criação da campanha propriamente

dita, mas da criatividade no planejamento

e na execução do trabalho. Mesmo quem

trabalha com verbas mais polpudas tem

de ser assertivo. Do contrário, corremos o

risco de o concorrente fazer melhor. Enfim,

é como diz a canção: ‘É preciso estar

atento e forte”.

Renata Gusmão é sócia da agência Blackninja,

filiada ao Sinapro/PE

renatagusmao@bnbr.com.br

24 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


agências

Dream Factory dá show em 20 anos

de história no mercado brasileiro

Empresa do Grupo Dreamers espera crescer mais de 100% em

faturamento no próximo ano, guiada por dados e novos territórios

Janaina Langsdorff

Os principais eventos realizados

nos últimos 20 anos

têm a marca da Dream Factory.

Foi assim com Coca-Cola Vibezone,

em 2003, e Speed Experience,

dois anos depois. Na

Jornada Mundial da Juventude

lá estava a empresa do Grupo

Dreamers novamente em ação

nos preparativos do evento que

culminou com a vinda do papa

Francisco ao Brasil, em 2013.

Tem também o Fórum Mundial

da Água, em 2018; e o Santander

Preparadão, em 2020;

sem contar a Árvore de Natal

flutuante do Rio de Janeiro,

desde 1995; a Maratona do Rio

de Janeiro, desde 2008; e o

Carnaval de Rua de São Paulo,

desde 2015; além do Rio Montreux

Jazz Festival, a ArtRio e

o Rally dos Sertões - todos esses

desde 2019.

Acabam de entrar no portfólio

o encontro de criadores de

conteúdo digital VidCon, que

foi realizado pela primeira vez

no Brasil em 2022. A empresa

ainda vai produzir o Carnaval

de Rua do Rio de Janeiro

2022, junto à Ambev, por mais

um ano. O lineup ainda vem

com os 30 anos do Rally dos

Sertões e a edição especial Do

Oiapoque ao Chuí, em comemoração

aos 200 anos de independência

do Brasil. Há ainda

o ArtSampa, que ocorrerá em

março na Oca, no Parque do

Ibirapuera, em São Paulo.

Da Dream Experience, área

especializada em soluções customizadas,

vieram ações para

o lançamento das lojas físicas

do Magalu no Rio de Janeiro,

incluindo a reforma de ônibus

do BRT, evento no Cristo Redentor

e ações para a orla do

verão carioca.

A Dream Factory ainda opera

por meio das unidades Dream

Loc, responsável pelas operações

de logística e infraestrutura

dos eventos; e Go Dream,

plataforma de vendas de in-

Agência vai produzir o Carnaval de Rua do Rio de Janeiro 2022 junto à Ambev

Maratona do Rio de Janeiro é organizada pela Dream Factory desde 2008

gressos, bebidas e alimentos,

que atua em parceria com a

loyaltech de entretenimento

Easy Live, também integrante

do Grupo Dreamers, para a troca

de pontos por benefícios a

partir de um sistema de monetização

proprietário.

“Daqui para frente, o digital

estará sempre combinado ao

conteúdo ao vivo, entregando

experiências que se complementam”,

comenta Duda Magalhães,

presidente da Dream

Fotos: Divulgação

Factory, que espera crescer

mais de 100% em faturamento

no próximo ano. A agência ainda

terá o desafio de recompor

o time que foi impactado durante

a pandemia da Covid-19.

Nas dificuldades impostas

pela quarentena, o setor

se uniu em torno de soluções

criativas compartilhadas. A

expansão da rede de Drive In

para cinco capitais é um dos

exemplos. “Quando adaptamos

Sertões e ArtRio para

serem realizados em 2020, vimos

nossos produtos de outra

forma. Aprendemos a criar e

gerar novas experiências mesmo

em cenários adversos”,

acrescenta Duda.

A recuperação vem no embalo

de estratégias guiadas por

dados em consonância com as

regras estabelecidas pela Lei

Geral de Proteção de Dados

(LGDP). “O consumidor é muito

mais propenso a consentir o

uso de seus dados quando se

trata de sua paixão do que meramente

quando está em uma

ocasião comercial”, acredita

Magalhães. As informações

ajudam a entender preferências.

“Em momentos diferentes,

o consumidor pode gostar

de corrida de rua, gastronomia,

arte, off road, cerveja,

jazz e até de bloco de rua durante

o Carnaval”, exemplifica

Magalhães.

Desde 2012, a Dream Factory

busca compor um ecossistema

de experiências ao vivo capaz

de reproduzir o mosaico da cultura

brasileira, suportado por

verticais de dados, fidelidade,

logística, licenciamento de produtos

oficiais, operações de alimentos

e bebidas, e produção

de conteúdo.

Mas o presente para o aniversário

de 20 anos da agência vai

além. “Estamos investigando

deres temáticos em territórios

como sustentabilidade, games,

outros segmentos de música,

blockchain, São João, gastronomia

e cinema, entre outros”,

antecipa Magalhães.

O executivo ainda sinaliza

projetos de longo prazo no

campo do futebol, embasados

nas transformações previstas

na nova lei do mandante,

na lei Sociedade Anônima do

Futebol (SAF) e na provável

criação da liga do futebol brasileiro.

A meta é trazer experiências

de entretenimento e

contribuir para a evolução das

relações de patrocínio entre

liga, clube e marcas.

26 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


74% dos jovens

conectados jogam

games online.

Quer descobrir mais sobre como eles

pensam, compram, navegam na internet

e outras informações sobre o mundo

dos games, streaming e compras online?

Descubra com o novo TG.Net.

Um produto da família

Target Group Index.

Conheça mais:

Understand People Inspire Growth

kantaribopemedia.com

*Fonte: TG.Net 2021 Brasil – Jovens de 15 a 24 anos que acessaram internet nos últ. 30 dias


agências

Leo Burnett Tailor Made promove 3ª

edição do Enegrecendo a Propaganda

Evento será realizado nesta semana 100% online, no Instagram da

agência, e traz o tema Mercado Negro: Os Novos Donos da Narrativa

Leo Burnett Tailor Made

A realiza nesta semana (22,

23 e 24 de novembro) a terceira

edição do evento Enegrecendo

a Propaganda. Pela primeira

vez 100% online, o evento será

transmitido no Instagram da

agência e traz o tema Mercado

Negro: Os Novos Donos da Narrativa.

Participam do encontro

os profissionais Ary Nogueira,

sócio e diretor de criação da

Agência Gana; Joana Mendes,

presidente da Chapa Preta do

Clube de Criação; Kelly Castilho,

diretora de filmes e fundadora

da Confeitaria Filmes;

Vanessa Ferreira, diretora da

arte e fundadora da Preta Ilustra;

Levis Novaes, cofundador e

diretor de Estratégia da MOOC;

e Alberto Jr, cofundador do coletivo

Papo Pretx.

Ogilvy e Druid criam vacinação

dentro de game em ação para Pfizer

Objetivo da #VacinaInGame, que conta com um centro de vacinação

virtual contra o coronavírus, é incentivar os jovens a se vacinarem

Pzifer lançou a primeira

A vacinação in-game contra

a Covid-19, com o objetivo de

incentivar a geração Z a se vacinar.

Na ação virtual, #VacinaIn-

Game, em parceria com a Ogilvy

Brasil e a Druid, a Pfizer idealizou

um Centro de Vacinação

Virtual contra o coronavírus

dentro do servidor de GTA RP,

Cidade Alta, que permite que o

usuário mimetize os mesmos

elementos da vida real, como

trabalho e estudo.

“Com uma audiência diária

de mais de 6 milhões somados

de views em diversas plataformas,

nós temos o compromisso

de levar não apenas entretenimento,

mas conhecimento

Kelly Castilho, diretora de filmes e fundadora da Confeitaria Filmes, participa do encontro

Usuário consegue mimetizar os mesmos elementos da vida real

e conscientização para quem

assiste nossos creators e streamers

ou joga em nossa plataforma”,

comentou Paulo Benetti,

Fotos: Divulgação

CEO da Outplay, proprietária do

jogo. A ação faz parte da campanha

Vacina. Tomar para Retomar

e vai dar proteção extra

As discussões dos painéis

estarão focadas nos negócios

afrocentrados. Criado em 2018

por Jef Martins, diretor de comunicação

e impacto social da

Leo Burnett Tailor Made, o Enegrecendo

a Propaganda reúne

a indústria da comunicação

para discutir assuntos latentes

que impactam a ocupação dos

espaços por profissionais negros.

Em sua primeira edição,

realizada em maio de 2018, o

evento reuniu mais de 130 profissionais

na sede da agência

Tribal Worldwide. Em 2019, a

segunda edição reuniu cerca

de 200 profissionais na sede

da agência Y&R, hoje VMLY&R,

discutindo a ocupação de cargos

estratégicos por profissionais

negros.

aos personagens dos jogadores

que também estiverem vacinados

na vida real. Para tornar a

experiência mais real, a Pfizer

vai veicular também dentro do

jogo peças de mídia exterior

que divulgam a missão.

“Estamos orgulhosos em

desenvolver uma ação inédita

de saúde pública em parceria

com uma marca protagonista

no combate à pandemia como

a Pfizer. A ação Vacina In-Game

faz parte da campanha Vacina.

Tomar Para Retomar, trazendo

uma solução que dialoga

diretamente com a geração Z,

incentivando-os a reforçar sua

imunização”, ressaltou Félix

Del Valle, chief creative officer

da Ogilvy Brasil.

28 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Marcello Barbusci

Para toda boa criação

há uma referência.

We transforme your dream

Na

em

sua

in realidade a reality

impressão

on no paper. papel.

também.

Nós transformamos seu sonho

Nós We transformamos transforme your seu dream sonho

em in realidade a reality on no paper. papel.

“The “A qualidade quality do of paper papel e and o processo the printing de impressão process

são nossas are our prioridades priorities para for the a melhor best delivery.” entrega.”

Tiago Ferrentini - Executive Diretor executivo director

“The “A qualidade quality do of paper papel e and o processo the printing de impressão process

são nossas are our prioridades priorities para for the a melhor best delivery.” entrega.”

Tiago Ferrentini - Executive Diretor executivo director

Targeted Revistas Newspapers Jornais e Didatic Livros Catalogs Catálogos and e Paper Papel

segmentadas magazines Tablóides Tabloids Didáticos books yearbooks anuários recycled reciclado

Targeted Revistas

segmentadas magazines

Jornais We etransforme Didatic Livros Catalogs Catálogos your and e dream Paper Papel

Tablóides Tabloids Didáticos books yearbooks anuários recycled reciclado

in a reality on paper.

Newspapers

For Para For more maiores more information, informações call call us ligue us on on +55 para +55 11 11 2065 0766

ou envie or drop um or us drop e-mail an us email para an email orcamento@referenciagrafica.com.br

ca.com.br

Para For maiores more information, informações call ligue us on para +55 11 112065 0766

ou envie um or drop e-mail us para an email orcamento@referenciagrafica.com.br

Rua Rua François François Coty, Coty, 228 228 | Cambuci, | Cambuci, São Paulo São Paulo - SP | - Brazil SP

Rua François Coty, 228 | Cambuci, São Paulo - SP | Brazil | www.referenciagrafica.com.br

www.referenciagrafica.com.br

Rua Rua François François Coty, Coty, 228 228 | Cambuci, | Cambuci, São Paulo São Paulo - SP | - Brazil SP

www.referenciagrafica.com.br


digital

rawpixel/ Freepik

Estudo avalia como os algoritmos

influenciam o consumo dos jovens

Trabalho das pesquisadoras da ESPM e USP com universitários de

primeiro ano de diferentes cursos foi centrado na plataforma YouTube

pedro yves

pesquisa foi feita com jovens

do primeiro ano uni-

A

versitário. Apesar de as ações

algorítmicas presentes em plataformas

de tecnologia, como

o YouTube, serem processadas

dentro de caixas-pretas inacessíveis

aos usuários, as autoras

demonstram que isso não impede

que elas sejam pesquisadas.

As discussões e resultados

preliminares apontam que os

jovens se consideram conhecedores

de como as decisões

algorítmicas são processadas,

mas o grau de influência destes

processos na vida deles ainda é

bastante difuso.

Os dados preliminares se

referem às entrevistas com 81

jovens (realizadas entre 22 de

abril e 22 de maio de 2020), com

o seguinte perfil demográfico:

em sua maioria, de 17 a 20 anos

de idade (79,1%); predominância

de respondentes mulheres

(64,2%) e de escola particular

(53,8), mas com uma significativa

parcela de escola pública

(46,2%); matriculados em diferentes

cursos de graduação.

Para analisar o consumo midiático,

o estudo buscou compreender

o consumo dedeo

propiciado pelos algoritmos na

plataforma YouTube. Confor-

me dados da pesquisa Video

Viewers: como os brasileiros

estão consumindo vídeos, realizada

em 2018, o YouTube é a

principal plataforma de consumo

dedeo no Brasil. Segundo

o estudo, 44% dos entrevistados

usam o YouTube como

canal preferido para assistir a

deos online. Em seguida, vem

o Netflix, que tomou o lugar do

WhatsApp no comparativo com

2017.

O dispositivo pelo qual mais

assistem vídeos no YouTube é o

celular (76,5%). O grande acesso

à plataforma é para a pesquisa

de música (87,7%). Em segundo

lugar, os jovens buscam tutoriais

de “como fazer” (66,7%),

bem como procuram por vídeos

de humor (66,7%). Na quarta

posição, os que apresentam

temática no campo educacional

(59,13%).

Este último resultado pode

ter relação com o ensino remoto,

que se iniciou em larga escala

no país devido à pandemia de

Covid-19, em meados de março

de 2020. No geral, percebe-

-se uma propensão ao uso da

plataforma para o consumo de

novos conceitos e habilidades,

no sentido de ampliar o repertório

sobre determinado assunto

de interesse relacionado a

alguma atividade, produto ou

o estudo buscou

compreender

o consumo de

deo propiciado

pelos algoritmos

no youtube

segmento, e para o entretenimento,

como a música e vídeos

humorísticos. A busca por

um conteúdo específico ocorre,

principalmente, pela inserção

da palavra-chave de seu interesse

(90,1%); em segundo,

pela sugestão dada pelo próprio

YouTube (67,9%) e em seguida

pela indicação de redes sociais

(50,6%).

Os pesquisados se consideram

bastante aptos (97%) para

reconhecer os tipos de mensagem

nos vídeos e diferenciar

uma informação de um veículo

profissional de uma publicidade,

por exemplo, o que pode ser

embaralhado na recomendação

do algoritmo. Um pouco mais

da metade (57%) diz compreender

como funciona o algoritmo

do YouTube e como pode usá-

-lo em seu favor (69,2%), o que

demonstra uma certa familiaridade

com as funcionalidades

da plataforma para receber vídeos

que tenham a ver com o

seu perfil, o que acontece, ao

que se sabe (mas, talvez não

somente), por meio do uso de

like, deslike, assinatura de canais

e comentários.

Também apontam ter

competências para entender

(95,1%) por que determinados

deos foram recomendados

pelo YouTube, o que retrata um

uso da plataforma que vai ao

encontro dos seus interesses de

consumo.

Os apontamentos iniciais

desta sondagem quantitativa

apresentam certo domínio

dos jovens com relação ao impulsionamento

das ações algorítmicas

para seu consumo

midiático. Mais da metade demonstra

competência para usar

a plataforma a seu favor, no que

diz respeito às recomendações

automáticas, e sabe que seus

dados são coletados como estratégia

para que continuem

assistindo vídeos que tenham a

ver com suas preferências. Este

fato demonstra que os jovens

dominam certas funcionalidades

(likes, comentários etc.)

para que o algoritmo forneça

mais vídeos relacionados ao

seu perfil, pois compreendem

as regras da plataforma de um

ponto de vista técnico e operacional.

30 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


2ª EDIÇÃO DO PRÊMIO

MARCAS &

CONSUMIDORES

VENCEDORES:

PROFISSIONAL

DE MARKETING 2021

LUCIANA

BULAU

ESTRATÉGIA

NO PONTO DE VENDA

DANIELE

MOTTA

AÇÃO PROMOCIONAL

DO ANO

RENATA

ZITUNE

CIDADANIA

CESAR

NICOLAU

INOVAÇÃO

DISRUPTIVA

FRANK

PFLAUMER

PERDIGÃO

MAMBO IGUATEMI YPÊ NESTLÉ

JURADOS:


cannes 2022

Mercado aprova retorno presencial

à Riviera Francesa, após dois anos

Festival será realizado entre os dias 20 e 24 de junho de 2022; ideia é

realizá-lo de forma híbrida e ampliar o alcance da comunidade criativa

Neusa spaulucci *

Após dois anos de evento adaptado por

conta da pandemia, o Festival de Cannes

volta a ser presencial. O anúncio foi feito

na semana passada e o evento será realizado

entre os dias 20 e 24 de junho de 2022.

O retorno à Riviera Francesa foi uma grata

surpresa para a maioria dos profissionais

brasileiros, já que é nos corredores do Palais

que travam debates sobre tendências,

sobre Leões - merecidos ou não - e reveem

amigos, colegas e parceiros.

A organização de Cannes também anunciou

que pretende manter a programação

remota a fim de ampliar o alcance do conteúdo.

“Construir Cannes Lions como um

festival híbrido nos permitirá continuar a

alcançar nossa comunidade criativa expandida,

que recebemos por meio de nossas

iniciativas digitais nos últimos 18 meses. É

uma oportunidade de democratizar, inovar

e reinventar o festival para o futuro”, diz

Philip Thomas, CEO do Cannes Lions.

Para Simon Cook, diretor do festival, um

dos objetivos é construir um festival que

permita uma troca de experiência cada vez

mais efetiva. “O Cannes Lions proporcionará

oportunidades para a indústria global

abordar as questões mais urgentes que o

mundo está enfrentando hoje”, avalia.

Alexis Thuller Pagliarini, presidente-executivo

da Ampro, é um dos mais entusiastas

pelo retorno dos eventos ao vivo, sem deixar

de elogiar a atitude dos organizadores

de Cannes a cerca dos últimos anos. Segundo

ele, a experiência de um Cannes Lions

totalmente virtual foi satisfatória, mas bem

aquém daquela plena, presencial, que o

mercado estava acostumado. “O conteúdo

disponibilizado digitalmente foi da qualidade

de sempre, mas falta o networking, a

troca de opiniões, a vivência por todos os

cinco sentidos que só a participação presencial

proporciona”. Para Pagliarini, ir

para Cannes significa separar uma semana

para mergulhar nas tendências e na análise

dos cases vencedores, sem as distrações do

ambiente remoto. “Estou ansioso em voltar

a vivenciar por inteiro o Palais, a Croisette e

o ambiente criativo incomparável do Cannes

Lions Festival”, revela.

Já Flavio Waiteman, CCO-fundador da

Tech and Soul, menciona que depois de

participar do Web Summit com 70 mil pessoas

juntas, “exatamente como era antes”,

deu a certeza para ele que o retorno em

junho de 2022 “vai ser sensacional”. “Ver

Assíduos frequentadores do Festival de Cannes, profissionais torcem para que evento seja ainda mais amplo em 2022

“Construir Cannes Lions

Como um festivaL híbrido

nos permitirá Continuar

a aLCançar nossa

Comunidade Criativa

expandida”

Philip Thomas: oportunidade para democratizar evento

Fotos: Alê Oliveira

e rever os amigos e a alma da criatividade

global vai fazer muito bem para a comunicação

como um todo”, analisa.

Assim como Pagliarini e Waiteman, Mario

D’Andrea, presidente da Abap (Associação

Brasileira de Agências de Publicidade),

afirma que será “ótimo ver que o principal

evento da publicidade mundial estará de

volta. “Seja presencial ou online, o Cannes

Lions sempre nos mostra o que de melhor

foi feito no último ano e, principalmente,

nos indica os caminhos e tendências que

serão trilhados pelo marketing e publicidade

mundiais. Nos aponta para o futuro

próximo - que com certeza será muito mais

saudável para nossa atividade e para nossa

sociedade como um todo”, argumenta.

Vinicius Stanzione, VP de criação da Leo

Burnett, fala que o retorno presencial a

Cannes representa muito para todos da indústria

criativa, pois é a celebração da criatividade

de alto nível, é a troca de energia

que motiva e engaja todos que gostam de

vivenciar e discutir boas ideias. “É uma notícia

maravilhosa que, além de tudo, indica

que o mundo está voltando à normalidade.

Para ele, o formato híbrido que será

adotado pela organização deixa o “festival

32 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


17ª Edição

25 - 28

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CRIATIVIDADE

100%

novembro 2021

CONFERÊNCIA

JANAINA BERNARDINO | Designer

SHARP TALK

ARZA STREETWEAR | Design de Moda

LIVE ART

KLEVS | Ilustrador

ARENA MUSICAL

ÀVUÀ | Duo

EXPOSIÇÃO

LUCIANO CIAN | Artista Visual

MINI OFICINAS POST-IT

GABRIEL PEREIRA | Origami

FESTIVAL DE ANIMAÇÃO

JOJI | Cantor

FEIRA POCKET

28 NOV 2021 | 10H as 17H

Venha resgatar sua criatividade

no Festival Internacional de

Criatividade Pixel Show!

Acesse pixelshow.co e garanta

seu ingresso para a conferência!

Outros conteúdos tem acesso gratuito.

Use o promocode PROPMARKPS21 e tenha

10% DE DESCONTO no seu ingresso para a conferência.

Siga nossas redes

pixelshow

feirapixelshow


cannes 2022

Fotos: Divulgação

“agora o festivaL voLta

usando a Criatividade

para CeLebrar a

própria Criatividade: o

presenCiaL Com o remoto”

Mario D’Andrea: será ótimo ver o festival de volta

mais democrático, mais acessível”. “Só isso

já merecia um Leão em Cannes”, brinca.

Segundo ele, poder participar de um festival

da importância que tem “é a vontade

de todo criativo”. “E, com essa nova opção

virtual, muita gente vai poder absorver a

energia de Cannes da cadeira de casa ou

do escritório”, afirma o criativo, acrescentando

que é certo que a Leo Burnett estará

representada em Cannes. “É uma data do

calendário que reservamos para escutar e

aprender com pessoas que estão fazendo o

melhor trabalho criativo do mundo. Isso faz

com que voltemos para nossa agência ainda

mais inspirados e motivados para fazer um

trabalho de ponta para nossos clientes”.

sob contRole

Sandra Martinelli, presidente-executiva

da ABA (Associação Brasileira de Anunciantes),

declara que sendo Cannes Lions

o maior fórum da criatividade mundial, o

retorno presencial para 2022 é motivo de

celebração para todos os profissionais do

marketing. “Primeiro, porque entendemos

que isso significa que estamos com a pandemia

mais controlada, vacinados e nos

sentindo mais protegidos para nos encontrarmos

fisicamente; segundo, porque frequento

o Festival Internacional de Criatividade

Cannes Lions há mais de uma década

Rodrigo Toledo: marco importante

e reconheço a força que é para nós, profissionais

da área, nos conectarmos pessoalmente

nesse fórum de inovação e criatividade

para acompanhar de perto os debates,

insights e tendências que pulsam na publicidade

global que, hoje, refletem muito as

demandas da sociedade, como as questões

de diversidade, inclusão e sustentabilidade”.

Além, claro, segundo ela, de “aplaudir

de perto os vitoriosos com Leões, como é

feito desde 1954”.

Sandra lembra ainda a importância do

festival para a ABA, já que traz para o Brasil

todos os anos, o ABA Cannes Insights,

com curadoria da GoAd, que reflete sobre

as tendências que surgiram no festival para

apoiar os anunciantes e ajudar as marcas

a evoluírem em suas campanhas e comunicações.

“Estar presencialmente de volta

ao Cannes Lions e participar dos eventos

paralelos e encontrar amigos é imensuravelmente

mais significativo”, diz, acrescentando:

“Esperamos ansiosos para ver, novamente,

de perto as próximas referências

globais em criatividade”.

Rodrigo Toledo, sócio-fundador da Dojo,

fala que encara o retorno presencial como

um marco importante. Para ele, 2022 deve

ser um ano com muitos eventos presenciais,

uma retomada do mercado. “Cannes é

mais do que um festival ou uma premiação,

é um espaço para relacionamentos, aprendizados

e também celebrações. Acredito

que vai ser uma edição bastante especial.

Devem eclodir muitas ações, muita criatividade”.

Sobre o modelo híbrido, Toledo

acredita que dará mais acesso. “Uma viagem

para a França não é tão acessível, mas

o digital coloca mais gente nessa conversa.

Cannes se torna possível e viável para mais

profissionais e empresas”.

Já Paulo Castro, sócio e CEO da Agência3,

revela que, durante décadas e décadas, o

mercado publicitário de todas as regiões

tinha lugar e data para se encontrar uma

vez por ano: o Palais de Cannes. “Agora o

festival volta usando a criatividade para

celebrar a própria criatividade: o presencial

com o remoto. Um formato híbrido que

acredito que deixará Cannes ainda mais

democrático e com certeza vai atingir um

público maior sem perder a qualidade do

grande e fundamental evento que é”, diz.

Luiz Fernando Musa, CEO da Ogilvy Brasil,

analisa que a volta do presencial é boa

como um todo, não apenas para Cannes.

“Seja dos eventos, esportes, encontros,

trabalho, quanto para a volta de tudo. As

Sandra Martinelli: retorno é motivo de celebração

pessoas são a essência do nosso negócio, e

é ótimo poder ter essas trocas de forma presencial”,

argumenta.

Ele acha que esse retorno será simbólico

também para reforçar o sentimento que

sempre existiu em Cannes, de ser e fazer

melhor. “E ainda de promover uma semana

boa de ‘revisão interna’ dos nossos próprios

compromissos e desafios profissionais”.

Para Musa, a questão do modelo híbrido

é uma realidade, principalmente para a

dinâmica de trabalho e também para eventos.

“É uma forma de trazer maior acesso,

e uma participação ainda mais ativa da indústria

como um todo”. Ele torce para que

o festival seja ainda mais amplo, que as “indústrias

e os profissionais possam sair de

acreditando ainda mais na força e beleza da

criatividade”.

Já Felipe Andrade, diretor-executivo de

criação da Cheil, fala que a volta do festival

é importante para toda indústria. “Não apenas

pela premiação, mas pela troca genuína

entre o mercado, novidades, workshop

e principalmente sobre a experiência da

maior premiação da indústria. Ter isso de

volta, aquece o momento em que estamos

vivendo. É claro que, com todo cuidado e

zelo, tenho certeza que será muito rico para

todos”, relembra o criativo.

*colaborou JaNaiNa laNgsdorff

Vinicius Stanzione: Cannes representa muito para todos

34 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


prêmios

Com novas categorias, D&AD 2022

terá julgamento e premiação online

Diego Machado vai liderar o júri de Experiential

Divulgação

“NÃO EXISTE LÁ MAIS ALI”, Gertrude Stein

Foi bom, foi ótimo, enquanto durou. Agora existe um novo mundo

em construção. A tecnologia disruptou, deu fim, ao mundo velho.

“O que nos trouxe até aqui não nos levará mais a canto algum.

REPOSICIONAR-SE OU MORRER”, JACK TROUT.

“Antes de colocar todos os novos e revolucionários gadgets nas

velhas molduras que carregamos em nossas cabeças, jogar a

moldura velha fora”, PETER DRUCKER.

Confie o reposicionamento de sua empresa, e a

travessia do VELHO para o NOVO a uma transportadora

de confiança. Há 41 anos preparando-se para este

momento único da história da humanidade.

Planejamento e Reposicionamento

Estratégicos Sob a Ótica do Mercado

www.madiamundomarketing.com.br I Fone: (11) 3231-3998/2339 I WhatsApp: (11) 98990-0346

Os brasileiros Diego Machado, da AKQA, e

Fabiano Broki, da Lobo, são presidentes de júri

60ª premiação do D&AD Awards

A terá mais de 40 categorias, entre

elas, novas áreas para refletir a mudança

do cenário criativo publicitário.

Entre os presidentes

de júri

anunciados estão

nomes como Tara

Ford, diretora de

criação da The

Monkeys, que liderará

a categoria

Digital; Trevor

Robinson OBE, diretor-executivo de

criação da Quiet Storm, à frente do

júri de Entretenimento; e Nils Leonard,

fundador do Uncommon Creative

Studio, conduzirá a seleção Writing for

Advertising.

Há dois brasileiros confirmados como

presidentes de júri: Diego Machado, global

chief creative

officer da AKQA,

que vai liderar

A premiAção terá

oito subcAtegoriAs

voltAdAs pArA

sAúde e bem-estAr

os trabalhos na

categoria Experiential;

e Fabiano

Broki, creative

director da Lobo,

em Animação.

A mudança da premiação vai abordar

temas fundamentais que permeiam as

indústrias criativas e vai garantir que os

prêmios continuem sendo referência no

setor publicitário. Por conta do aumento

do uso de realidade aumentada, virtual

e mista em 2021, o D&AD também inclui

categorias dedicadas a esse tipo de trabalho.

A premiação também terá oito subcategorias

voltadas para saúde e bem-

-estar.

A categoria Design Transformation foi

substituída pela Creative Transformation,

que vai abranger uma gama mais ampla e

inclusiva de resultados criativos das empresas

que se transformaram e aprimoraram

a experiência do cliente.

“Para refletir e representar a paisagem

em evolução no setor criativo, o D&AD introduziu

um novo enfoque em categorias

que reconhecem o trabalho daqueles que

se levantaram e encontraram soluções

para algumas das questões mais urgentes

do nosso tempo”, afirmou o diretor da

premiação, Donal Keenan.

As subcategorias Upstream Innovation

vão premiar aqueles que estão repensando

produtos e serviços na fase de projeto

para que se encaixem em um sistema circular,

seja desenvolvendo novos conceitos

e materiais, aplicando modelos de reutilização

ou encontrando outras maneiras

de fazer os componentes circularem.

De acordo com a organização do festival,

a cerimônia de premiação está marcada

para os dias 25 e 26 de maio de 2022 e

será digital para garantir a segurança tanto

dos júris quanto dos participantes. A premiação

será transmitida ao vivo.

O D&AD anunciou que as inscrições

serão abertas a partir de dezembro e vai

dar 40% de desconto em todas as inscrições

que forem recebidas até o dia 12 de

janeiro de 2022.

36 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


merCado

Cenário econômico não tira ânimo

dos anunciantes na Black Friday

Publicidade, segundo pesquisa da Kantar, cresce neste mês de novembro

e Google e YouTube atestam eficácia dedeos e live commerce na data

Divulgação

O craque Ronaldinho Gaúcho é uma das estrelas da campanha dono da Black Friday Toda para a marca Ponto (Via), com criação da VMLY&R e produção da Corazón Filmes

Paulo Macedo

Inflação galopante, preço dos combustíveis

nas alturas, salários defasados, desemprego

elevado e a falta de perspectiva

de melhora do cenário econômico comprometem

o bolso dos consumidores, situação

agravada com a pestilência da Covid, à qual

se credita esse caos nas finanças globais.

Mas, mesmo diante desse clima pouco

convidativo, indústria e comércio (físico e

online) mantêm o otimismo para a recuperação

das vendas. Como indústria motivacional

das demais indústrias, o marketing,

com sua principal ferramenta estratégica,

a publicidade, não vende negativismo.

Ocupa seus espaços nos canais de mídia

e de ações promocionais para fomentar

o consumo nas datas mais convidativas.

O crescimento de 2,3% no Dia das Crianças,

em relação a outubro de 2020, é um indicador

de que a presença nos checkouts pode

ser incrementada na Black Friday do dia

26 de novembro e ser prenúncio de um Natal

mais gordo para toda a cadeia produtiva

do país.

O incremento de negócios na data promocional

das Crianças não recuperou as

perdas e nem chegou ao patamar de 2019.

Segundo a Serasa, também não acompanhou

as vendas superiores nas datas

de Mães (6%), Namorados (13,7%) e Pais

(6,2%). A Black Friday, segundo a Serasa, é

a oportunidade para a cena se reconfigurar.

“O planejamento é fundamental para

que você tenha uma estratégia de vendas

bem definida e também para que o seu negócio

e a sua equipe estejam preparados

para a campanha. Junto com os produtos

que são seu carro-chefe, faça promoções e

boas ofertas com aqueles que já estão parados

há algum tempo. É preferível reduzir

um pouco o lucro, mas ganhar a venda, a

manter essas mercadorias paradas. Afinal,

estoque sem movimento traz prejuízos”,

explica o site da Serasa, lembrando ainda

que “o grande chamariz da Black Friday é

a variedade de descontos oferecidos pelas

lojas”, afirma.

Segundo pesquisa da Score Group e Hibou,

com amostragem de 1.450 pessoas,

a convicção é que há otimismo e preparo

“Essa é uma ExcElEntE

forma dE fugir dos

anúncios tradicionais E

consEguir tangibilizar os

rEsultados da Estratégia

dE markEting digital”

para a data. O estudo mostra que 29% não

compraram na Black Friday do ano passado.

Mas este ano 34% planejam gastar, 8%

não pretendem coçar o bolso e 45% estão

indecisos. “81% pretendem gastar com

itens para si mesmos, 35% querem destinar

o investimento para objetos da casa e

23% com os filhos. Os cinco segmentos em

destaque na análise da Score e Hibou são

eletrodomésticos (41%); eletrônicos (25%);

roupas e acessórios (19%); utilidades domésticas

(15%); e calçados (14%).

As grandes cadeias de varejo, como Casas

Bahia, Ponto, Americanas, Mercado Livre,

Amazon e Magalu, estão com campanhas

38 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Fotos: Divulgação

Adriana Favaro, da Kantar, analisa foco na publicidade Alessandra Gambuzzi, diretora do Google no YouTube Alexandre Carmona é sócio e diretor da Innova AATB

de publicidade em exibição nos veículos.

A 12ª edição da Black Friday no país mereceu

análise mercadológica da Kantar Ibope

Media com foco no e-commerce: AD to cart:

a publicidade na Black Friday. O instituto

avaliou que 10% dos investimentos em

mídia de 2020 foram concentrados pelos

anunciantes no mês de novembro. Incluindo

os primeiros 10 meses do ano passado,

a soma do segmento em compra de publicidade

foi de R$ 358 milhões. O volume na

Black Friday foi maior do que no Natal.

“Essa é uma Black Friday diferente porque

incorpora no dia a dia dos brasileiros

um novo hábito: o uso da tecnologia. Mais

da metade das pessoas (56%) afirmam que

passaram a adotar melhor a tecnologia.

Além de estarem mais familiarizadas com o

online elas estão usando mais e mais meios:

48% das pessoas intensificaram o consumo

de mídia em, pelo menos, quatro meios

neste período de pandemia. Ou seja, consumidores

ainda mais conectados que estão,

agora, acostumados a comprar online.

Acredito que as marcas devem se comunicar

em canais que têm alto grau de alcance

e podem ser explorados por diversos segmentos.

Com o consumidor de mídia cada

vez mais multiconectado e as campanhas

explorando novos formatos em diferentes

meios e plataformas, compreender o

cliente onde quer que ele esteja, e quando

e onde cada mensagem da marca é vista,

Alexis Pagliarini, presidente da Ampro, vê oportunidades

“EstE ano vimos o quanto

o vídEo é importantE na

jornada dE compra. EssE

índicE é dE 66% no brasil.

os anúncios na busca com

vídEo inspiram mais”

realmente se torna ainda mais relevante”,

esclarece Adriana Favaro, diretora de desenvolvimento

de negócios da Kantar.

“A publicidade deve estar atenta ao novo

perfil de compras do consumidor. Com o

alto crescimento do e-commerce, vieram a

comparação de preços na internet, a comunicação

clara e transparente sobre ofertas e

promoções, frete grátis e um SAC efetivo.

Além, é claro, de existir uma grande interação

entre os ambientes digitais e físicos”,

reforça Alexandre Carmona, sócio e diretor

da Innova AATB.

deoS

Para o Google, que vem estudando desde

o início de 2021 as tendências dos shoppers

nesse período marcado pela pandemia, a

Black Friday é uma oportunidade para a

retomada de negócios. Mas, como explica

a executiva Gleidys Salvanha, o otimismo

deve vir acompanhado de certa dose de

cautela.

“Como não temos bola de cristal, o melhor

é se preparar com informações”, resume

Gleidys. “Este ano vimos o quanto o

deo é importante na jornada de compra.

Esse índice é de 66% no Brasil. Os anúncios

na busca com vídeo inspiram mais”, ela

acrescenta. O Google apresentou pesquisa

no evento Black Friday Connections, que

exibe a preferência dos shoppers: vestuário

(62%), celulares (40%), livros e papelaria

(38%) e calçados (33%).

O YouTube reforça a tese da eficácia da

comunicação com imagens em movimento.

A plataforma explica que o Why Video, de

outubro de 2021, aponta que 76% dos brasileiros

dizem que o conteúdo que assistem

no YouTube os ajuda a decidir o que comprar.

Em parceria com a Americanas, que

veicula campanha da WMcCann com as

influencers Jojo Todynho e Juliette Freire,

fez live commerce, uma mistura de entretenimento

com publicidade. “Nos últimos

dois anos, o YouTube vem comandando

o Show da Black Friday junto com a Americanas

e fazendo do live commerce um

sucesso comercial”, enfatiza a executiva

Alessandra Gambuzzi, diretora de projetos

de conteúdo do Google no YouTube. “Essa

é uma excelente forma de fugir dos anúncios

tradicionais e conseguir tangibilizar

os resultados da estratégia de marketing

digital imediatamente e ter um retorno

instantâneo do impacto gerado no público-

-alvo da campanha. Temos certeza que a

edição de 2021 será um sucesso ainda mais

estrondoso do que as duas anteriores”, ela

acrescenta.

É a terceira vez que YouTube e Americanas

se unem na Black Friday: “Unimos

os dois maiores eventos do varejo, conhecidos

internacionalmente, para uma única

comunicação. Nosso objetivo é ser cada

vez mais relevante no dia a dia dos clientes

e garantir sempre a melhor experiência de

compra para os consumidores. Com várias

ofertas exclusivas, promoções e muito entretenimento,

vamos fazer o Maior Show de

Ofertas e também a maior Black Friday da

história da Americanas”, afirma Vitor Monte,

head de marketing da Americanas.

“Nos últimos dez anos, a data se consolidou

como ótima oportunidade para que os

Bruno Campos de Oliveira é CMO da Adsplay

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 39


merCado

Fotos: Divulgação

Claudio Lima, CEO da Druid, vê queda na ‘black fraude’ Elson Menezes, diretor da unidade de retail da Cheil Brasil Daniel Freixo é VP para a América Latina da Seedtag

consumidores comprem eletrodomésticos,

eletrônicos e muito mais. E agora as vendas

online ganham ainda mais protagonismo,

já que 88% dos brasileiros fazem compras

virtualmente. Também é importante perceber

que, neste momento em que nos preparamos,

enfim, para o cenário pós-Covid, a

tendência é que as pessoas busquem itens

de desejo e não só de necessidade. Para as

agências de publicidade, essas semanas que

antecedem à Black Friday são especialmente

importantes, já que colocamos na rua

algumas de nossas principais campanhas.

Temos estratégias importantes desenvolvidas

junto aos clientes. Ponto lançou a campanha

O Dono da Black Toda e Casas Bahia

volta com o hino oficial da data. Nespresso

entra com a Gifting Friday durante todo o

mês de novembro. E Vivo tem estratégias

diferenciadas de mídia no período”, relata

Fernando Taralli, CEO da VMLY&R.

Aliás, a VMLY&R teve de se desdobrar

para a campanha de Casas Bahia devido ao

óbito de Marília Mendonça. Com Ponto, a

estrela é o craque Ronaldinho Gaúcho. Mas,

Ilca Sierra, chief of experience marketing

office da Via, que controla a Bahia e Ponto,

vê a Black Friday deste ano como um termômetro

para a retomada.

“Vemos os próximos meses com bastante

otimismo. A publicidade deve trabalhar

para conectar a marca ao consumidor. Isso

exige criatividade para engajar o cliente, é

preciso falar a linguagem dele, estar onde

ele está. É preciso oferecer diferenciais

para o consumidor, incluindo bons preços,

disponibilidade de produtos, condições de

pagamento atraentes, entrega rápida e boa

experiência de compra, seja no e-commerce

ou na loja física”, pondera Ilca.

“aquilo quE é

ofErtado Em uma pEça

publicitária, sE não

honrado, configura

prática abusiva”

lam o fornecedor de produtos e serviços.

Isso quer dizer que aquilo que é ofertado

em uma peça publicitária, se não honrado,

configura prática abusiva. Em datas como

a Black Friday, esse ponto se torna ainda

mais sensível, isso porque muitos fornecedores

aproveitam da ocasião para oferecer

condições mais vantajosas ao seu público.

Essas ofertas devem ser obrigatoriamente

seguidas pelo mesmo. Outro ponto importante

diz respeito aos ‘pormenores’ das

ofertas. É bem comum uma condição vantajosa

estar condicionada a uma outra condição.

Por exemplo: abono do frete desde

que a compra atinja determinado valor, ou

desconto condicionado a um valor mínimo

de compra. Essas condições precisam estar

claras, sob pena de induzir o consumidor

a erro. Tal prática - a de condicionar -, por

si só, não configura prática abusiva, desde

que ofertada de forma clara e transparente.

Caso não ocorra desta forma, podemos

estar diante de uma propaganda enganosa.

Isso ocorre, também, quando as condições

oferecidas são por tempo limitado, prática

comum em contratações de serviços contínuos.

Os fornecedores possuem o que chamamos

de dever de informação, devendo

estas condições estarem claras no momento

da veiculação da publicidade”.

“A participação de órgãos reguladores e

entidades de comparação de preços no período

que precede os dias promocionais também

fortalece a confiança do consumidor.

Hoje podemos afirmar que tem um modelo

nacional próprio, diferente do conceito de

origem do mercado norte-americano, e se

tornou uma data promocional de extrema

relevância”, diz Elson Menezes, diretor da

unidade de retail da Cheil Brasil.

“Há alguns anos, com as ‘black fraudes’,

tínhamos muito mais problemas, mas acho

que hoje isso já está muito melhor e os varejistas

e anunciantes realmente trazem

e preparam ofertas que realmente valem

a pena. Mas, como sempre, é importante

pesquisar”, completa Claudio Lima, sócio e

CEO da Druid.

“Nos primeiros anos, a Black Friday foi

quase uma lenda urbana no Brasil, sendo

nomeada pelos consumidores com expressões

como ‘black fraude’ e ‘Tudo pela Metade

do Dobro’. Com isso, as marcas senti-

eNGaNoSa

A jurista Marcela Cavallo, especialista

em direito do consumidor da Zilveti Advogados,

chama a atenção para a propaganda

enganosa. “As marcas precisam ter

em mente que, de acordo com o Código de

Defesa do Consumidor, as ofertas vincu-

A Americanas fez lançamento da Black Friday em ação na mídia com a vencedora do BBB e influencer Juliette Freire

40 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Fotos: Divulgação

Gleidys Salvanha, do Google, destaca eficácia dos vídeos Fernando Taralli, da VMLY&R: campanhas para a Via A executiva Thais Sampaio é gerente de mídia da Jüssi

ram a necessidade de serem transparentes

com o público e de se programarem para

ofertas realmente agressivas. Hoje, esse

tipo de preocupação dos usuários é menor,

mas é preciso saber que os consumidores

estão atentos e pesquisando cada vez mais.

Desta forma, as marcas que não trabalharem

com descontos que realmente impactem

no bolso do consumidor para o gatilho

da compra, tendem a ficar para trás”, contemporiza

Thais Sampaio, gerente de mídia

da Jüssi.

oNLINe

No ano passado, nas palavras de Daniel

Freixo, VP para a América Latina da Seedtag:

“A Black Friday e a Cyber Sunday movimentaram

R$ 7,72 bilhões, com base nos dados

da pesquisa Neotrust/Compre&Confie, empresa

de inteligência de mercado focada em

e-commerce, em parceria com a Elo. “Os

números representam um crescimento do

e-commerce de 27,66% em relação à mesma

data de 2019. Para 2021, o cenário não

deve ser diferente”, afirma.

A expectativa de Tiago Cardoso, diretor-

-geral para América Latina da Criteo, a Black

Friday deste ano, devido ao avanço da

vacinação, traz um consumidor mais confiante

no comércio físico. Sua empresa fez

pesquisa global com nove mil entrevistados

que aponta que 39% encontraram produtos

nos canais online e 33% diretamente nas

lojas tradicionais. O segredo? Cardoso responde:

“Focar em campanhas de marketing

digital integradas que envolvam todos os

canais online e offline. Hoje, vemos vários

canais que estão ajudando profissionais de

“as marcas dEvEm sE

comunicar Em canais

quE têm alto grau

dE alcancE E podEm

sEr Explorados por

divErsos sEgmEntos”

marketing a alcançar e converter clientes,

como retail media, vídeos e retargeting”.

No entendimento de Luiz Lima, sales

manager da CleverTap, os impactos da crise

sanitária ainda estão no foco. A empresa,

expert em mobile app analytics, uniu especialistas

em parceria com a RankMyAPP e a

Adjust, para identificar temores. Mas, como

a Black Friday é aguardada pelos consumidores,

as marcas começaram a se articular

com antecedência. Por esta razão, Lima

está otimista, mas faz uma ressalva. “Muitas

marcas são prejudicadas porque investem

mais em promoções e ofertas do que na

efetividade da jornada do cliente pelo site,

apps mobile etc., isto é, sistemas que não

suportam a quantidade de usuários ativos,

falhas técnicas que dificultam a conclusão

das compras etc. Por isso, uma ação que

não deve ficar de lado é o investimento de

boas tecnologias para o bom funcionamento

do customer experience.”

CoNCorrÊNCIa

Para a Ampro (Associação de Marketing

Jojo Todynho, vencedora do reality a Fazenda, também deu tiro na campanha da WMcCann para as lojas Americanas

Promocional), como explica o presidente

Alex Pagliarini, a Black Friday prioriza as

vendas individuais, por isso não concorre e

nem antecede o Natal, uma data com visão

mais familiar e emocional.

“O live marketing, principalmente os

setores de promoções e trade marketing,

devem estar preparados para atender à

demanda de serviços de ativação, criando

temas alternativos e merchandising de

impacto para potencializar vendas. Como

forma de se diferenciar da concorrência, é

importante fazer abordagens criativas diferenciadas

para fugir da mesmice. Muitos já

vêm usando derivações para ampliar o efeito

da data. Black Week, Black Month, por

exemplo. As reduções devem ser verdadeiras”,

sugere Pagliarini.

“Considerando que descontos e promoções

são a tônica da Black Friday, criatividade

e diferenciação podem ser a chave para

que as marcas se destaquem neste período

de altíssima competitividade. Inovar nos

formatos, na linguagem ou na utilização

de celebridades e influenciadores pode ser

bom caminho para uma experiência diferenciada,

que pode trazer maior encantamento

e destaque para uma marca neste

período. Mas é importante destacar que

não se constrói uma Black Friday de sucesso,

o consumidor precisa conhecer a sua

marca, estar familiarizado com ela, e dessa

forma fazer parte do repertório de consideração

no dia D. E tentar alcançar isso no

último momento apenas com uma oferta

agressiva, onde muitos players estarão com

discursos similares, é bastante arriscado. E,

além de tudo, é preciso mensurar o sucesso

de cada ação, atribuir resultados considerando

a contribuição de cada canal dentro

do esperado para o período”, propõe Thiago

Fernandes, diretor-executivo de canais e

audiência da iD\TBWA.

A Black Friday é próxima do recebimento

da primeira parcela do 13º salário. Stenio

Souza, CEO da Smollan iTrade e presidente

do comitê de trade marketing da Ampro,

também ressalta a abertura das lojas de

shoppings e de rua e a consolidação do comércio

online. “O volume de vendas sempre

é assustador, mas as integrações entre

online e físico devem ser muito maiores.

No físico, estamos percebendo uma grande

demanda de merchandising pela indústria

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 41


merCado

Fotos: Divulgação

Luiz Lima é sales manager da CleverTap, de mobile mídia

Tiago Cardoso, diretor-geral na América Latina da Criteo

Stenio Souza, CEO da Smollan iTrade e comitê da Ampro

de eletroeletrônicos e aparelhos domésticos

em lojas que não recebem atendimento

normalmente. Ou seja, além das lojas que já

fazem parte dos roteiros de merchandising

normal, estão expandindo em até 100% sua

cobertura para garantir que os consumidores

encontrem suas lojas tematizadas e com

o nível de informações e treinamento adequado

para conquistar o shopper. E no online,

os projetos de promotores virtuais, que

atendem remotamente os consumidores

dentro do PDV estão expandindo e ganhando

força – principalmente no momento de

busca de eficiência e aumento de cobertura”,

elenca Souza.

A jornada do consumidor mudou com a

implantação da metodologia Costumer Experience.

“Esse modelo tornou-se referência

dentro do cliente e não existe mais espaço

para retornar ao físico em loja. Ou seja,

a comunicação e a mídia devem entender

que as jornadas dos consumidores são muito

diferentes, e a necessidade de mostrar

que as campanhas se comunicam em todos

os pontos de contato nunca foi tão importante.

O merchandising em loja deve conversar

com as mídias sociais, e as platafor-

“Estamos pErcEbEndo

uma grandE dEmanda

dE mErchandising

pEla indústria dE

ElEtroElEtrônicos E

aparElhos domésticos”

Campanha desenvolvida pela agência Publicis Brasil ativa projetos para empresas e clientes pessoa física do banco

mas de e-commerce devem ter os mesmos

apelos, pois a empresa é vista como um

todo e não há espaço para ruídos específicos

por canal de atendimento”, prossegue

Souza, da Smollan e Ampro.

A platafoma de e-commerce Mercado

Livre tem a Hora Black, sempre às 13h. A

pesquisa Mercado Ads, sua unidade dedicada

à publicidade, aponta que “a intenção

de compra na plataforma online na Black

Friday cresceu 18 pontos percentuais em

relação a 2020”. No ano passado, a empresa

teve crescimento de 120%, com 50 milhões

de visitas e quase 50 mil buscas por minuto

em um único dia.

“A estratégia da companhia vem ao encontro

dos dados do levantamento do Mercado

Ads, que mostrou que em 2020, cerca

de 40% dos consumidores relataram que já

começaram as buscas dois meses antes do

início do período de ofertas. Além disso,

o estudo revelou que, para quase metade

dos entrevistados (42%), uma boa relação

de preço e qualidade é fundamental para

finalizar a compra. Já 56% declararam que

acabaram mudando de produto ou marca

ao longo da busca na Black Friday, em 2020,

comportamento que deve se repetir neste

ano”, diz Fernando Yunes, vice-presidente

sênior da empresa no Brasil. “Envio rápido

e maior sortimento fizeram com que o

Mercado Livre registrasse aumento acima

do esperado. Para este ano, embora o consumidor

já tenha acesso a lojas físicas, a

expectativa é de ainda mais visitas e transações,

levando em consideração que seguimos

melhorando nossos mix de produtos,

as entregas estão cada vez mais rápidas e o

consumidor tomou gosto pela comodidade

de comprar pelo computador ou celular e

receber na porta de sua casa”, prossegue

Yunes.

Não importa o segmento: financeiro, tecnologia,

varejo, farmacológico, mídia ou

e-commerce. A Black Friday se incorporou

ao discurso das marcas, produtos e serviços.

O Bradesco, por exemplo, está com a

ação Bank Friday, no ar há mais de um mês,

para dar suporte a clientes pessoa física e

jurídica, cuja campanha tem a assinatura

da Publicis Brasil. “Criamos uma campanha

com um nome-proprietário alusivo à data,

que nos diferencia dentro do segmento financeiro,

garantindo maior lembrança e visibilidade

da marca”, frisa Márcio Parizotto,

diretor de marketing do Bradesco.

A programática está no foco da efetividade

de mídia. “Ganha cada vez mais espaço

porque ela consegue segmentar targets específicos.

Com isso, é possível segmentar

pessoas em determinado local que estão

pensando em comprar algum produto”, finaliza

Bruno Campos de Oliveira, CMO da

Adsplay.

42 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


mercAdo

YouGov abrirá sede no Brasil para

expandir atuação na América Latina

Escritório em São Paulo deve ajudar a empresa de data analytics a

atrair clientes com monitoramento diário sobre hábitos de consumo

Janaina Langsdorff

empresa de data analytics

A britânica YouGov busca

escritório físico em São Paulo

para puxar a expansão do

negócio na América Latina.

Presente em 70 países e com

17 milhões de pessoas pesquisadas,

a empresa rastreia diariamente

mais de 500 marcas

em 18 setores. Nos Estados

Unidos, alcança 58 categorias

e mais de 2,5 mil marcas. “Aspiramos

ter proporções semelhantes

no Brasil nos próximos

três a cinco anos”, prevê

David Eastman, novo diretor-

-geral e comercial da YouGov

para a América Latina.

A expectativa é começar

pelas áreas de saúde, varejo,

turismo e esporte, que foram

fortemente afetadas pela pandemia

da Covid-19. Uma das

soluções mais promissoras é o

Plan and Track, sistema analítico

single source, que permite

manusear data points, construir

targets, orientar estratégias

e investimentos, e monitorar

resultados. A YouGov

monitora insights por meio de

16 indicadores de performance,

incluindo awareness, consideração,

intenção de compra,

buzz e satisfação, entre outros

parâmetros colhidos diariamente

há mais de dez anos a

fim de garantir uma imagem

evolutiva sobre o comportamento

dos consumidores.

As redes multinacionais de

agências presentes no Brasil já

são clientes da YouGov para o

produto padronizado de rastreamento

diário de marca, o

BrandIndex. Por meio de uma

joint-venture com a Nielsen no

Brasil e no México, a YouGov

tem colaboradores locais e infraestrutura

fixa em ambos os

mercados.

Mas com a nova sede em

São Paulo, que funcionará em

formato híbrido de trabalho, a

empresa pretende atrair mais

clientes. “Estamos em processo

YouGov rastreia comportamento de consumo por meio de 16 indicadores de performance captados diariamente há mais de dez anos

de avaliação das necessidades

existentes no Brasil, onde

lacunas, e quais produtos e serviços

atenderão melhor a essas

necessidades”, conta Eastman.

Gerentes de painel, pesquisadores,

analistas de dados, representantes

comerciais, suporte

de atendimento ao cliente

e equipe de suporte administrativo

estão no plano

de expansão.

Eastman está otimista

com a retomada do mercado.

“Estamos preparados

porque monitoramos

as percepções

dos consumidores no

Brasil, todos os dias,

desde 2011”, justifica.

Egressa das pesquisas

políticas, a You-

David Eastman, novo diretor

geral e comercial da YouGov

para a América Latina

Wirestock/Freepik

YouGov está

presente em 70

países e possui 17

milhões de pessoas

pesquisadas

Gov - de Government - previu

a vitória do Partido Trabalhista

nas eleições gerais de 2001 no

Reino Unido. A relevância de

pesquisas baseadas na internet

se consolida com o projeto

YouGov-Cambridge Globalism.

Em parceria com o Guardian e o

Bennett Institute for Public Policy

da Cambridge University, a

YouGov produz o maior estudo

anual feito nos últimos três

anos em 23 países sobre temas

globais como pandemia, democracia,

política e meio ambiente,

entre outros.

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 43


mercado

“Foco é trabalhar

com marcas

inclusivas”

Divulgação

Fernando Fernandes é atleta paralímpico,

apresentador e creator. Mostra-se uma

potência e fonte de inspiração para pessoas

com ou sem algum tipo de deficiência, seja

nos esportes, no estilo de vida, na carreira, como

empreendedor ou pela sua história de vida. Como

atleta tem trajetória consolidada e também ótima

relação com o mercado publicitário. Trabalha

para importantes marcas, como Volkswagen e

XP Investimentos, que possibilitam a ele realizar

diversos projetos. Atleta desde a infância,

foi jogador de futebol profissional, boxeador

amador e modelo internacional, estrelando

campanhas como Dolce & Gabbana. Participou

do Big Brother Brasil 2 (2002) e em 2009 sofreu

um acidente automobilístico, que o deixou

paraplégico. Ingressou no mundo paralímpico e foi

tetracampeão mundial, tricampeão panamericano,

tetracampeão sul-americano e tetracampeão

brasileiro de paracanoagem. Nesta entrevista,

ele fala da relação com anunciantes e o quanto

batalha para incentivar outras pessoas na mesma

condição que a dele.

Fernando Fernandes: “Quero ajudar a abrir caminhos”

Neusa spaulucci

relação

No início da minha carreira,

fui modelo e atuei com marcas

internacionais como Dolce &

Gabbana, entre outras, e desde

cedo entendi a importância de

manter uma boa relação com

esse mercado, até antes de surgir

o “influenciador” e, mais

que isso, estar associado a empresas

e marcas nas quais acredito

e confio.

antes do acidente

De fato eu já tinha essa experiência

em trabalhar com

marcas, mas com certeza muita

coisa mudou hoje em dia. Não

somente pela visibilidade que

conquistei com tudo que me

propus a fazer no esporte, mas

com a contribuição que pude

oferecer aos meus parceiros comerciais,

como a diversidade,

por exemplo.

Foco

Meu foco hoje é também trabalhar

com marcas que, além

de fazer parte da minha vida,

são inclusivas, responsáveis socialmente

com o meio ambiente,

que acreditam nas mesmas

coisas que eu.

campanhas

Atualmente mantenho uma

relação e parceria com empresas

como Volkswagen, XP Investimentos,

Rexona, Australian

Gold e algumas outras com

que realizo trabalhos pontuais.

Elas me possibilitam realizar

projetos incríveis e juntos geramos

valor um para o outro, é

uma mão de via dupla.

representatividade

Como disse, muitos locais

e marcas já entenderam que

precisam evoluir e apostar na

diversidade. Mas em muitos

lugares vejo a minoria, que não

“DesDe ceDo

entenDi a

importância De

manter uma boa

relação com

esse mercaDo”

é tão minoria assim, sendo esquecida

e ignorada.

luta

A sociedade e as marcas

precisam passar a enxergar

essas pessoas, senão, com

certeza, vão perder espaço no

mercado. A minha luta é exatamente

essa, fazer com que

essa parcela da sociedade seja

vista, esteja em campanhas

importantes, que tenham o

mesmo acesso à informação,

a locais, à cultura, à moda e

a todas as outras coisas que

todas as pessoas têm normalmente.

inspiração

É a minha missão, o que eu

busco não só com o meu trabalho,

mas com a minha vida!

Eu quero dar voz a essas pessoas,

quero poder ajudá-las a se

enxergarem como potências,

que podem alcançar e conquistar

tudo que quiserem. Quero

ajudar a abrir caminhos para

pessoas com algum tipo de

deficiência e mostrar que o

esporte salva, que no esporte

muitos podem se encontrar e

ser livres.

44 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


Mídia

Sinergy e HMídia recuperam Muro

da Mauá com arte e publicidade

Espaço revitalizado será marco para a celebração dos 250 anos de Porto

Alegre em março de 2022; experiência começa com ações para o Natal

Fotos: Reprodução e Divulgação

Mosaico desenvolvido pela Sinergy e HMídia detalha como será a exploração comercial e artística do novo Muro da Mauá, usado para conter as enchentes do Rio Guaíba

paulo macedo

Áreas antes degradadas e

sem olhar do poder público

foram revitalizadas por meio

das lentes da arte. E da publicidade.

Wynwood, em Miami,

é um bom exemplo dessa disrupção,

assim como o Porto

Maravilha, no Rio de Janeiro.

Agora é a vez de Porto Alegre,

que celebra seus 250 anos em

26 de março de 2022. Um dos

marcos para a celebração da capital

gaúcha será a recuperação

do Muro da Mauá, uma área de

um quilômetro de extensão para

contenção das enchentes do

Rio Guaíba, na região portuária

de Porto Alegre.

A repaginação do espaço terá

a condução da empresa de OOH

Sinergy, como explica o sócio

e diretor Eduardo Ferreira, que

conta com a parceria estratégica

da HMídia, do empresário João

Pedro Silveira, na execução.

Nas palavras de Ferreira, a arte

e a publicidade vão dar o tom

da revitalização. “Comparável

ao Puerto Madero, de Buenos

Aires. É o OOH com conteúdo,

toque estético e lindo, para

celebrar o aniversário da cida-

Os executivos João Pedro Silveira e Eduardo Ferreira venceram a concorrência

de”, ele justifica.

O projeto desenvolvido pela

Sinergy e HMídia foi o eleito

na concorrência feita pela Prefeitura

de Porto Alegre para a

exploração do espaço por quatro

anos. O critério foi técnico,

mas principalmente criativo.

A repaginação vai marcar o reencontro

da população com as

margens do Guaíba.

“Esse local é um ícone. A

arte, a arquitetura e a publi-

cidade vão dar sustentação,

como já vimos em outros países

e também no Brasil. Todo o

percurso do muro vai contar a

história por meio desse mural

multimídia, o maior da América

Latina. Das 12 cotas, 10 já

estão vendidas, uma delas para

a Renner. O público vai acessar

tudo, inclusive músicas no

Spotfy, através de QR Code.

As marcas vão explorar backlights

e a história nos frontlights.

“Será o point maiS

inStagramável

do BraSil. Com a

prévia do natal

deSte ano vamoS

Comprovar iSSo”

Também teremos abrigos de

ônibus com telas digitais de

LED”, detalha Ferreira. “Será

o point mais instagramável do

Brasil. Com a prévia de Natal

deste ano vamos comprovar

isso”, acrescenta.

O ciclo de mudanças dos

conteúdos do mural será quadrimestral.

A fase que antecede

a data vai narrar a história da

cidade e seus primeiros imigrantes.

A partir de março o

foco contempla personalidades

como Lupiscínio Rodrigues,

Mario Quintana e Kleiton e Kledir,

por exemplo. “É um muro

mutante. A cidade precisava

desse investimento. Há 80 anos

a cidade teve enchente histórica

e esse muro foi criado para

conter o volume excedente de

água do rio. Agora é arte”, finaliza

Ferreira.

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 45


entrevista

Mario Laffitte

vice-presidente de Relações Institucionais da Samsung

América Latina

as pessoas sairão

Mais tecnoLógicas

deste período

A

Samsung Electronics completou neste mês de novembro 52

anos de atuação e, no Brasil, está presente há 34 anos. Para

marcar a data, a empresa investiu na Samsung Week 2021,

semana inteira de ofertas, que valeu para todo o portfólio

da companhia. Agora, espera a Black Friday no fim deste mês para

lembrar novamente dos seus mais de 50 anos. Nesta entrevista,

Mario Laffitte, vice-presidente de Relações Institucionais da Samsung

América Latina, fala da busca diária por inovação para enfrentar um

segmento tão concorrido. O posicionamento global Do What You Can’t,

segundo Laffitte, traduz o propósito de ajudar as pessoas a realizarem

o que parece impossível, “mostrando a capacidade do ser humano de

superar barreiras”. Ele revela ainda como a marca enfrentou e deve

enfrentar os desafios que ainda deverão vir, por conta da pandemia.

“Esta nova realidade terá reflexos nas duas pontas: no comportamento

do consumidor e nas diretrizes da indústria”. Veja a seguir os principais

trechos desta entrevista.

Neusa spaulucci

Entre altos e baixos da economia brasileira, como

está a Samsung no país?

A Samsung conta com uma operação robusta

construída ao longo dos mais de 30

anos de história da companhia no Brasil, com

duas fábricas, em Manaus (AM) e Campinas

(SP), e centros de Pesquisa e Desenvolvimento

(P&D), também nas duas cidades. Em um

período desafiador como o de 2020 e 2021,

essa estrutura contribuiu ainda mais para a

Samsung manter a vanguarda em inovação,

ao seguir disponibilizando aos consumidores

brasileiros o melhor portfólio de produtos em

diferentes categorias, como smartphones, tablets

e notebooks, por exemplo.

Quais linhas você destacaria?

Podemos destacar a linha de smartphones,

como o Galaxy S21 5G, Galaxy S21 + 5G e Galaxy

S21 Ultra 5G, além da nova geração dos

smartphones dobráveis, Galaxy Z Fold3 5G e

Galaxy Z Flip3 5G, que estão remodelando a

categoria de dispositivos móveis e abrindo

possibilidades infinitas para mais flexibilidade,

funcionalidade e diversão. Nos notebooks,

temos o Galaxy Book Pro e o Galaxy Book Pro

360, que reúnem desempenho de um computador

com o DNA móvel de um smartphone

Samsung Galaxy.

E na área de Consumer Electronics?

Na área de Consumer Electronics, alguns

destaques principais, a começar pelas linhas

de televisores Neo QLED, que trouxeram pela

primeira vez a avançada tecnologia de pontos

quânticos e o painel de Mini LED para entregar

100% do volume de cor e brilho, além de

uma verdadeira revolução no contraste. Outro

destaque é o televisor The Frame, da linha

Lifestyle, que transforma o aparelho em uma

obra de arte, que pode ser personalizada com

molduras customizáveis, além de uma galeria

de obras de arte que podem ser selecionadas

para ilustrar a tela, mesmo desligada. Por fim,

o Smart Monitor, aparelho híbrido entre TV e

monitor, contempla quem precisa trabalhar,

estudar ou se divertir na mesma tela.

No segmento de eletrodomésticos a Samsung destacaria

quais linhas?

Entre os eletrodomésticos e produtos para

o lar, as geladeiras FamilyHub e os modelos de

ar-condicionado WindFree – pensados tanto

para facilitar o dia a dia quanto para ajudar o

consumidor na questão do consumo de energia

– foram os destaques da Samsung.

A divisão de eletrônicos é muito competitiva. Nestes

52 anos de atuação, quais são os principais pilares

que mantêm a marca como uma das preferidas

do consumidor?

Nossa busca por inovação é diária. Não à

toa, somos reconhecidos mundialmente por

promover revoluções tecnológicas com extremo

impacto na vida das pessoas. O posicionamento

global da Samsung Do What You Can’t

traduz nosso propósito de ajudar as pessoas a

realizarem o que parece impossível, mostrando

a capacidade do ser humano de superar

barreiras. Assim como a educação é uma ferramenta

de empoderamento em nossa visão

global de Cidadania Corporativa Together for

Tomorrow! Enabling People, capacitando futuras

gerações para que atinjam seu potencial

máximo, gerando mudanças sociais positivas.

Como a Samsung acredita que chegou a esse nível

de reconhecimento?

O reconhecimento dos consumidores é fruto

de muito trabalho, dedicação, inovação e

investimentos em P&D. Tudo isso nos permite

entregar produtos de tecnologia de ponta com

qualidade superior e alta confiabilidade. Com

esse objetivo, seguimos na liderança no mercado

global de TVs há mais de 15 anos, produto

que é sinônimo de Samsung.

No Brasil, quantas lojas tem a rede?

Vale destacar também a nossa presença no

Brasil. Contamos com uma rede com mais de

340 lojas e quiosques da marca, distribuídas

em mais da metade dos shoppings brasileiros

e cobrindo todo o território nacional. A

Samsung também está presente com nossos

Centros de Serviços, em mais de 250 cidades,

que vai muito além do tradicional modelo de

assistência técnica.

Durante uma pandemia a área de eletrônicos sofreu

muito com a queda nas vendas?

O momento segue desafiador e tem proporcionado

uma série de aprendizados e

oportunidades. Como reflexo no mercado,

“O mOmentO segue

desafiadOr e tem

prOpOrciOnadO

uma série de

aprendizadOs e

OpOrtunidades”

46 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


“O

pOsiciOnamentO

glObal da

samsung dO What

YOu can’t traduz

nOssO prOpósitO”

percebemos consumidores ainda mais exigentes,

buscando dispositivos que estejam

diretamente conectados às suas necessidades

diárias, pessoal e profissionalmente.

Qual a sua avaliação hoje do mercado?

Ao analisarmos o cenário, reforçamos a necessidade

de criar, cada vez mais, um “ecossistema

tecnológico”, envolvendo diferentes

produtos e serviços do nosso amplo portfólio.

Mesmo no período de pandemia, a preferência

dos consumidores pela marca Samsung

em todas as nossas áreas de atuação segue

acontecendo. Nesse período, continuamos

cada vez mais próximos a eles, atentos aos

feedbacks e necessidades, para apoiá-los de

diferentes maneiras.

Quais os principais aprendizados que este período

trouxe para a marca?

Em meio a tantas dúvidas sobre as transformações

que este momento desencadeará,

nós, aqui na Samsung, temos partilhado de

uma única certeza: as pessoas sairão mais tecnológicas

deste período, e as empresas, ainda

mais humanizadas.

Divulgação

Quais serão os reflexos desta nova realidade?

Esta nova realidade terá reflexos nas duas

pontas: no comportamento do consumidor —

que passará a buscar, cada vez mais, produtos

diretamente conectados às suas diferentes

necessidades diárias, como a integração entre

produtividade, lazer e criatividade — e nas

diretrizes da indústria, cujo principal objetivo

será identificar, de maneira ainda mais assertiva,

como determinado conjunto de recursos

pode ser útil na rotina dos consumidores.

Além da Semana Samsung, a empresa pretende

ter outro tipo de comemoração pelo aniversário

de 52 anos?

Com a Samsung Week, compartilhamos

com nossos clientes as comemorações dos

52 anos da Samsung Electronics no mundo,

com uma semana repleta de ofertas. Esta data

especial também serve de preparação para a

Black Friday, que será realizada no fim deste

mês de novembro.

Quais as estratégias da Samsung para o próximo

ano?

Trabalhamos todos os dias para seguirmos

na vanguarda da inovação em 2022 e trazer

muitas novidades aos nossos clientes, com

smartphones, notebooks, tablets, TVs, aparelhos

de ar-condicionado, lavadoras e centenas

de outros produtos, nas mais variadas

categorias. O conceito de Connected Living (ou

casa conectada) também segue presente nas

estratégias, inclusive por meio do aplicativo

SmartThings, que permite o controle e a conexão

entre os produtos da marca.

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 47


PRoPMARk LIVE

“Não fiz cursos.

Aprendi fazendo

e vendo tutorial”

Divulgação

Raphael Vicente tem 21 anos, sete produzindo

conteúdo para a internet. Hoje no casting da

Play9, ele começou a gravar vídeos aos 14

anos no Vine, passou por outras redes, mas

foi no TikTok que bombou e tem hoje 2,3 milhões de

seguidores, além de 349 mil no Instagram e 140 mil

no Twitter. Morador do Complexo da Maré, no Rio de

Janeiro, ele se define como o “esnobado pelo Oscar

que faz vídeos com a família” e recria situações

cotidianas. Seus vídeos bem elaborados, com roteiros,

edição e trilha sonora, conquistaram personalidades

e investimentos de marcas como Spotify, Rayovac,

Nokia, HBO Max, Elo, Rexona e iFood. A seguir,

ele fala sobre internet, redes sociais, suas origens,

família, publicidade, representatividade e rotina.

Raphael Vicente: “Cobro-me muito para não encher meu feed de publi”

Jéssica Oliveira

14 ANos

Comecei no Vine, que nem

existe mais, e fui mudando.

Sempre quero fazer várias coisas

e quando não me acho em

uma, vou para outra. Ano passado

entrei no TikTok, foi quando

as pessoas conheceram meu

trabalho e passei a viver do que

faço. Não fiz curso. Aprendi fazendo

e vendo tutorial. Quanto

mais você criar, mais experiência

terá. Mas não bombei sozinho,

bombei com minha família.

Recriamos aquele meme

do vídeo do caixão. Hoje se eu

postar vídeo sem eles, acho que

as pessoas dão unfollow.

oRIGENs E soNHo

Moro no Complexo da Maré

desde que me entendo por gente.

A minha casa nova será aqui

dentro também. Tenho o sonho

de que, com os meus vídeos, as

pessoas vejam a nossa realidade.

Uma pessoa que não mora

aqui não sabe como é, tem uma

visão totalmente diferente. Não

faria sentido eu ter esse sonho

de vida e não viver aqui. Eu

amo as pessoas daqui. Quero

mudar a realidade que eu vivi,

colocar a minha cor, a favela em

tudo que eu faço.

EXPERIÊNCIA CoM REDEs

Aprendi que tudo passa.

Sempre penso se o que estou

vivendo agora é um momento

ou se vai durar. Por exemplo,

passei para dança na UFRJ, mas

veio a pandemia, voltou em

EAD, mas eu já estava vivendo

dedeo. Decidi trancar para

viver isso, a faculdade posso fazer

em outro momento. Penso

nisso porque a internet muda

sempre. As pessoas mudam, os

temas, as plataformas... Se você

não se adaptar, fica para trás.

DEPoIs DAs PUBLIs

A primeira grande foi pra

Rexona. Faz só um ano. Minha

vida mudou. Consegui comprar

minha casa, coisa que eu jamais

imaginaria. E consegui alcançar

a meta que tinha há muito tempo,

que era ajudar minha família.

Trabalhava como estagiário

na Caixa, ganhava pouquinho e

não conseguia nem me ajudar.

Consegui ajudar não só minha

avó, mas minha família toda, e

me manter. Sou grato todos os

dias porque estou numa das fases

mais felizes da minha vida.

PARTICIPAÇÃo DA FAMÍLIA

Quando chega o briefing geralmente

vem escrito vídeo

para ‘Rapha e família’, mas às

“Minha vida

Mudou. Consegui

CoMprar Minha

Casa, Coisa

que eu jaMais

iMaginaria”

vezes, se não vem, eu escolho

colocar eles. Eles são tranquilos

e bem soltos para gravar. Algumas

marcas falam que gostam

de mim porque sou “família”.

A metade não é meu parente

de sangue. As pessoas podem

falar que não estão acostumadas

a ver uma família sem pai e

mãe, mas estão sim, porque no

Brasil o que mais tem é família

que não tem o pai, a mãe, ou os

dois. Gosto de quando chegam

mensagens falando que lembram

da avó ou da dinda.

EsTRUTURA

A Play9 me oferece ajuda

com roteiro e gravação se eu

pedir, mas ainda não consigo.

Eu me envolvo muito, gosto de

fazer para não perder a minha

essência. E equipamentos eu

uso meu celular mesmo, tenho

minhas luzes desde quando fazia

deos para o YouTube. Uso

tudo que eu tenho em casa.

VoLUME DE PUBLICIDADE

Eu me cobro muito para não

encher meu feed de publi. Os

deos às vezes acumulam porque

os prazos batem. Quando

isso acontece, eu fico mal porque

não consigo fazer os meus

deos. Tento criar uma narrativa

para deixar as publis de uma

forma que a pessoa só vê que é

publi pela hashtag.

RECoNHECIMENTo

Ainda não acostumei. Nunca

ia imaginar que a Netflix, com

aquele vídeo da Nete Felix, ia

me colocar como capa deles. Eu

crio, gravo e coloco no ar. Não

sei o que vai acontecer. Outro

exemplo foi o vídeo da vacinação.

Queria que bombasse, por

ser sobre conscientização, mas

não esperava que fosse atingir

tanta gente. Apareci na Globo a

semana inteira.

INsPIRAÇÃo

Gosto muito de me inspirar

em filmes, seja para temas

ou ângulos de câmera. E pego

muito tema aqui de casa. Se eu

sentar com eles em 5 minutos

escrevo 20 roteiros. São coisas

que toda a família fala.

48 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


supercenas

Paulo Macedo paulo@propmark.com.br

Fotos: Divulgação

Paulista de Santa Cruz do Rio Pardo, Stefânia Lorenzetti está no quarto episódio de Churrasqueiros, que vem sendo reprisado no Space, mas também pode ser visto no YouTube

BRASA

Após os episódios Palmeiras x Corinthians, Batalha do Casal (carne

suína) e Combate equipe TNT Sports (churrasquinho), o canal Space

colocou na sua grade a quarta etapa da série Churrasqueiros. O desafio

de Rafael Marzullo e Estefânia Lorenzetti foi a preparação de

um churrasco apenas com frutos do mar e peixe. Eles aguçaram o

paladar do chef paranaense e apresentador Rick Bolzani, que sempre

escolhe um dos dois participantes para um duelo particular na

cozinha. A estreia da atração foi em outubro. Neste sábado (20), o

desafio foi a criação de um churras vegetariano com Clayton e Pretona.

A atração é semanal, mas tem agenda de reprises e todos os

episódios do reality estão disponíveis no canal do YouTube do Space.

Stefânia, que é paulista de Santa Cruz do Rio Pardo, conhecida

como Velho Oeste, exibiu suas qualidades no comando dos espetos

e grelhas com a experiência adquirida com churrasco no estilo

norte-americano. “Meu amor pelo American BBQ começou pra

valer depois de fazer um curso com um dos maiores pitmasters do

Brasil. Depois disso não parei nunca mais, defumando em cursos e

eventos”, ela justifica.

O rapper Emicida faz o show de abertura da Feira Preta neste sábado (20) em Sampa

FEIRA

Com agenda robusta até o dia 12 de dezembro, começou no sábado

(20) a Feira Preta 2021, criada há 20 anos por Adriana Barbosa.

O rapper Emicida fez o show de abertura.

Rodolfo Campitelli e seu filho, Pássaro Preto, Nilsinho e André Gelfi (sócio da Betsson)

ACESSO

Responsável pelo atendimento à Betsson e do game BetssonFC, a

Bold deu sorte para o Ibis, agora de volta à elite do futebol pernambucano

ao vencer o Petrolina. O CEO Rodolfo Campitelli levou seu

filhote ao estádio. Pássaro Preto (mascote do Íbis), Nilsinho (social

media) e André Gelfi (sócio da Betsson) fizeram o receptivo.

jornal propmark - 22 de novembro de 2021 49


última página

Vita Marija Murenaite/Unsplash

lisboa e

as pessoas

Flávio Waiteman

digital é ferramenta. O que realmente

importa são as pessoas, as pesso-

“O

as e as pessoas”. A fala é de Marcelo Rebello

de Souza, no discurso do encerramento do

Web Summit 2021.

Muitas vezes aquilo que não é dito indica

mais tendências do que a pauta principal

do evento. Neste Web Summit em Lisboa,

agora em novembro, não se discutiu muito

ou quase nada sobre carros voadores, óculos

de realidade virtual, impressoras 3D ou

alguma empresa unicórnio.

70 mil pessoas de alto nível

técnico e de múltiplos talentos

estiveram juntas para um

certo “freio de arrumação”. O

mundo da tecnologia e inovação

está amadurecendo, antes

que fiquemos sem mundo para

inovar. Não tem unicórnio se

não tiver gente. De que adianta

apps revolucionários se não há

sanidade mental para usá-los.

E de que adianta tanta tecnologia

para um futuro melhor, sem um futuro

para o mundo? Na verdade, o mundo não

acaba, nós que podemos acabar enquanto o

mundo se refaz.

Talvez esse pensamento que não se disse,

claramente, mas que percebi como subconsciente

do evento, seja fruto de 15 meses

do pesadelo da Covid. No Web Summit,

nas palestras e pitches, se falou muito sobre

responsabilidade com as pessoas, respeito

ao ritmo de trabalho remoto ou híbrido e o

inescapável ESG. Em uma palestra na grande

arena, tentaram arrancar da responsável

pela Magic Leap, empresa que nunca abandonou

o desenvolvimento de óculos de realidade

virtual, quando a tecnologia estaria

no nosso dia a dia: alguns anos, talvez.

Quase ninguém acredita mais em cortinas

de fumaça de PR e o ponto é: o que vamos

“o mundo da

tecnologia e

inovação está

amadurecendo,

antes que

fiquemos sem

mundo para

inovar”

fazer para realmente melhorar a vida que

levamos, a degradação de nossos sistemas

políticos e o mundo real que vivemos?

Parece que os garotos daquelas garagens

que criam coisas incríveis e poderosas estão

saindo da adolescência e entendendo

que possuem algumas responsabilidades.

Vi apresentações de algumas startups

de tecnologia sobre saúde; sobre como podemos

aproveitar os recursos que já existem

e muitas empresas com foco em soluções

para problemas reais. Algumas delas

não terão escala e não serão

vendidas por milhões de reais.

Mas estão lá resolvendo problemas.

Em comunicação, ficou clara

a intenção de sair da era das

commodities. Existem milhares

de empresas desenvolvendo

tecnologias de inteligência

artificial semelhantes entre

si. E existem outras milhares

que copiam essas inovações

e oferecem o mesmo serviço

mais barato e cada vez mais automatizado.

Como ser mais valioso? Como ser útil?

Como ser visto e considerado? Como se

comunicar com menos robôs e de maneira

mais humana? Ouvi palavras como consistência,

longo prazo, maratona e não 100

metros. Olha só!

Depois de três dias de assuntos não ditos

e de perceber nas entrelinhas esse novo foco,

assisto ao discurso final do presidente de Portugal

no Web Summit que, emocionado, disse

a frase que abre esse texto. Saio da grande

arena como tantos ali saíram, com bastante

combustível para um ano que vem aí repleto

de desafios. O Uber me deixa no Cais do Sodré

na baixa lisboeta. Embarco no comboio

para Cascais e, com o ritmo do vagão e um

pôr do sol de outono, os pensamentos vão

passando também. Desliguei o celular.

Flavio Waiteman é CCO-fundador da Tech and

Soul

flavio.waiteman@techandsoul.com.br

50 22 de novembro de 2021 - jornal propmark


PROPMARK DIGITAL

OU IMPRESSO. QUEM

ASSINA SABE TUDO

O QUE ACONTECE NO

MERCADO. ESCOLHA

O SEU PACOTE.

AQUI A INFORMAÇÃO NÃO FICA DE QUARENTENA.

MENSAL SÓ DIGITAL: R$ 28,00 – MENSAL DIGITAL E IMPRESSO: R$ 38,00 – ANUAL SÓ DIGITAL: R$ 250,00

ANUAL DIGITAL + IMPRESSO: R$ 400,00, SENDO QUE OS COMBOS ANUAIS PODEM SER PARCELADOS EM ATÉ 6X SEM JUROS.

ASSINATURAS@PROPMARK.COM.BR - (11) 2065.0738

56 ANOS. DE VIDA.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!