Revista Coamo edição Novembro de 2021

blzinfo

Revista Coamo edição Novembro de 2021

COAMO COMEMORA 51 ANOS EM CONSTANTE EVOLUÇÃO COM OS COOPERADOS

revista

www.coamo.com.br

novembro/2021 ano 47 edição 519

RÁDIO

Informativo Coamo

comemora 40 anos

CONVENÇÃO

Apresentadas as novas

embalagens da linha

alimentícia

CREDICOAMO LANÇA

NOVA IDENTIDADE VISUAL

Cooperativa de crédito comemora aniversário com lançamento da nova

identidade visual e slogan, e inauguração de três agências no Paraná


expediente

Órgão de divulgação da Coamo

ano 47 | edição 519 | novembro de 2021

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO COAMO

Ilivaldo Duarte de Campos, Wilson Bibiano Lima, Ana Paula Bento Pelissari Smith,

Antonio Marcio dos Santos, Ruthielle Borsuk da Silva, Raquel Sumie Eishima,

Aline Aristides Bazán e Kamilly Santana Cazotto.

Contato: (44) 3599-8129 - comunicacao@coamo.com.br

Jornalista responsável e Editor: Ilivaldo Duarte de Campos

Reportagens e fotos: Antonio Marcio dos Santos, Wilson Bibiano Lima, Ana

Paula Bento Pelissari Smith, Ruthielle Borsuk da Silva e Ilivaldo Duarte de Campos

Edição de fotografia: Antonio Marcio dos Santos e Wilson Bibiano Lima

Contato publicitário: Agromídia Desenvolvimento de Negócios Publicitários

Contato: (11) 5092-3305

Contato publicitário: Guerreiro Agromarketing Contato: (44) 3026-4457

Acompanhe a Coamo pelas redes sociais

É permitida a reprodução de matérias, desde que citada a fonte. Os artigos assinados ou cita-dos

não exprimem, necessariamente, a opinião da Revista Coamo.

COAMO AGROINDUSTRIAL COOPERATIVA

SEDE: Rua Fioravante João Ferri, 99 - Jardim Alvorada. CEP 87308-445. Campo Mourão - Paraná - Brasil. Telefone (44) 3599.8000 - Caixa Postal, 460 - www.coamo.com.br

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: Presidente: Engenheiro Agrônomo, José Aroldo Gallassini. MEMBROS VOGAIS: Claudio Francisco Bianchi Rizzatto, Ricardo Accioly Calderari,

Joaquim Peres Montans, Anselmo Coutinho Machado, Emilio Magne Guerreiro Júnior, Wilson Pereira de Godoy, Rogério de Mello Barth e Adriano Bartchechen.

CONSELHO FISCAL: Jonathan Henrique Welz Negri, Sidnei Hauenstein Fuchs e Igor Eduardo de Mello Schreiner (Membros Efetivos). Vander Carlos Furlanetto, Edilson Alberto Kohler

e Jorge Luiz Tonet (Membros Suplentes).

DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente Executivo: Airton Galinari. Diretor Administrativo e Financeiro: Antonio Sérgio Gabriel. Diretor Comercial: Rogério Trannin de Mello. Diretor

Industrial: Divaldo Corrêa. Diretor de Logística e Operações: Edenilson Carlos de Oliveira. Diretor de Suprimentos e Assistência Técnica: Aquiles de Oliveira Dias.

Extensão Territorial: 4,5 milhões de hectares. Capacidade Global de Armazenagem: 6,59 milhões de toneladas. Receita Global de 2020: R$ 20,003 bilhões. Tributos e

taxas gerados e recolhidos em 2020: R$ 466,95 milhões. Cooperados: mais de 30 mil. Municípios presentes: 73. Unidades: 111.

novembro/2021 revista

3


sumário

32

“Ser produtor é produzir mais com

menos e desenvolver as pessoas, para

que consigam evoluir e prosperar.”

ISSO É PRODUTOR.

ISSO É EVOLUÇÃO.

ISSO É STOLLER.

Gilson Provenssi

Campo Verde/MT - Jaciara/MT

Trabalho em família


Para saber mais e

prestigiar os produtores

protagonistas da

campanha, acesse:

Família Paschoal, de Cruzmaltina (PR), é exemplo de trabalho e união. Os irmãos Dorival

e Daniel receberam do pai a missão de continuar com a atividade agrícola, e agora estão

passando os trabalhos para os filhos Silvano (Dorival) e Maria Caroline e Lucas (Daniel)

4 revista

novembro/2021


índice

Entrevista

10

Claudio Filgueiras Pacheco Moreira, chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle

das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derop), do Banco Central, é o entrevistado do mês

Credicoamo

14

Em comemoração aos seus 32 anos, cooperativa de crédito lançou nova identidade visual e

inaugurou três novas agências no Paraná - em Iretama, Barbosa Ferraz e Cruzmaltina

28

Coamo 51 anos

Cooperativa chega aos 51 anos mais conectada, para acompanhar e realizar

processos de inovação que atendam às exigências dos cooperados em um

mundo moderno e veloz, melhorando a produtividade e renda das famílias

Informativo Coamo 40 anos

36

Programa de rádio da Coamo está completando 40 anos levando a mensagem da cooperativa aos

cooperados de forma rápida e ágil. Atualmente, são 32 emissoras, alcançando milhares de ouvintes

Convenção de vendas

A Coamo realizou a 1ª Convenção Virtual da linha alimentícia. Evento reuniu representantes de diversos

Estados do país. Durante o encontro, foram lançadas as novas embalagens dos produtos da cooperativa

Encontro de Núcleos

40

45

A Coamo e Credicoamo sediaram o Encontro de Núcleos Cooperativos, promovido pelo Sistema Ocepar.

Evento é realizado duas vezes ao ano para debater regionalmente assuntos de interesse do setor

novembro/2021 revista

5


ihara.com.br

USE O LEITOR DE QR CODE DO SEU CELULAR

ACESSE E COMPROVE A EFICIÊNCIA DE

ZEUS, O MAIS PODEROSO INSETICIDA

CONTRA OS PERCEVEJOS NA SOJA

ATENÇÃO

ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO

AMBIENTE; USO AGRÍCOLA; VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO;

CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO; INFORME-SE E REALIZE O MANEJO INTEGRADO DE

PRAGAS; DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E OS RESTOS DOS PRODUTOS;

LEIA ATENTAMENTE E SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA RECEITA;

E UTILIZE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.

Zeus


governança

Valores consolidam crescimento da Coamo e Credicoamo

O

mês de novembro é

especial para o nosso

cooperativismo, pois

no dia 17 comemoramos o aniversário

da Credicoamo e no

dia 28, da Coamo. Duas datas

em que cooperados, diretorias

e funcionários celebram juntos

a união e a força de um cooperativismo

de resultados em prol

do bem comum de milhares de

produtores rurais.

Há 51 anos, nasceu a

Coamo, no dia 28 de novembro

de 1970, e há 32 anos em 17

de novembro de 1989, surgiu

a Credicoamo. São duas cooperativas

de sucesso que ano

após ano registram resultados

positivos. Fruto de um trabalho

sério e focado, com participação

do quadro social, profissionalismo

dos funcionários, e

uma administração estratégica.

Os indicadores positivos, para

nosso orgulho e satisfação, são

reconhecidos pelos cooperados,

razão da existência das

duas cooperativas e representam

uma performance que coloca

a Coamo e a Credicoamo

em destaque entre as maiores e

melhores cooperativas em seus

segmentos.

Pelo ranking da revista

Exame – Maiores e Melhores

2021, a Coamo é a maior empresa

do Paraná e a 40ª maior do

Brasil. Isso é motivo de orgulho,

por isso, partilhamos esta conquista

com todos da família Coamo,

que somam mais de 140 mil

pessoas beneficiadas diretamente

pelo nosso cooperativismo.

Este ano lançamos uma

nova logomarca e utilizamos o

slogan “A vida é a gente que

transforma”, o qual está de acordo

com o que acreditamos e os

novos tempos em que vivemos.

A nova identidade e o slogan

traduzem os propósitos da nossa

cooperativa e os desafios de ir

mais além, crescer e prosperar, e

agregar valor à marca e produtos

da Coamo.

Seguindo a filosofia da

Coamo está a Credicoamo, a

cooperativa de crédito dos associados

da Coamo, desenvolvendo

um importante trabalho e

oferecendo diversos benefícios.

Desde a sua fundação, com 29

associados, a Credicoamo financia

as necessidades dos associados

por meio de soluções financeiras

sustentáveis.

Os cooperados da Coamo

e Credicoamo são os mesmos,

e são privilegiados por ter

ao seu lado um eficiente cooperativismo

de produção e de

crédito. Desta maneira, eles têm

uma caminhada de êxito, com

valores bem definidos, que consolidam

e impulsionam o crescimento

das suas atividades, resultando

no desenvolvimento e

na melhoria da produção com a

conquista de renda, qualidade

de vida e na felicidade de milhares

de pessoas que vivem o

cooperativismo no Paraná, Santa

Catarina e Mato Grosso do Sul.

"São duas cooperativas

de sucesso que ano após

ano registram resultados

positivos e expressiva

atuação dos seus

cooperados."

Parabéns cooperados e

funcionários pelos 51 anos da

Coamo e 32 anos da Credicoamo,

com a certeza de que, vencemos

muitos desafios, e juntos

estamos preparados para enfrentar

o presente e o futuro.

JOSÉ AROLDO GALLASSINI,

Presidente dos Conselhos de Administração Coamo e Credicoamo

novembro/2021 revista

7


gestão

Cooperativismo com desenvolvimento sustentável

Estamos comemorando os 51 anos da Coamo

com orgulho e felicidade. Fazemos parte de um

cooperativismo de sucesso, iniciado há 53 anos

na região de Campo Mourão, quando chegou o engenheiro

agrônomo José Aroldo Gallassini. Um jovem

visionário e empreendedor, que idealizou e trabalhou

para o surgimento de uma cooperativa que resolvesse

os problemas daqueles agricultores na época.

De ano em ano, foi promovido um trabalho

sério, focado, disciplinado e visionário, que foi

dando certo e hoje, passados mais de meio século,

temos o privilégio de pertencer a este movimento

que beneficia 30 mil associados, e se contar os dependentes

diretos, e os nossos funcionários, ultrapassam

140 mil pessoas em três Estados brasileiros.

Por isso é que acredito que devemos viver a

cooperação com intensidade, união e a força, uma vez

que, este modelo de cooperação propicia benefícios

para milhares e o desenvolvimento da agropecuária,

uma atividade essencial para o nosso país. Neste ano,

o segundo da Pandemia, foi ratificada a importância

do nosso setor, que produz alimentos para milhões de

pessoas, somente no Brasil. Não paramos nossa atividade,

que foi reconhecida como relevante. Se parássemos,

o país teria graves problemas com dificuldades

no abastecimento para alimentar o povo brasileiro.

A Coamo, por sua vez, de forma profissional,

realiza um trabalho de assistência levando conhecimento

e processos de gestão e inovação aos cooperados,

bem como, vem sendo importante agente

para a difusão de novas variedades e tecnologias,

que adotadas pelos produtores, de maneira sustentável,

são responsáveis pelo incremento da produção

e de grandes colheitas ao longo dos 51 anos da cooperativa

e atendem todas as exigências ambientais.

Também é importante destacar que, a presença

da cooperativa o ano todo junto aos seus

cooperados, resulta na eficiência e bons resultados.

Exemplo disso é a estrutura moderna e funcional

da Coamo, que possibilita o recebimento das safras

com agilidade e segurança em mais de 100 unidades

operacionais por meio de uma perfeita logística

"A presença da Coamo o ano todo

junto aos seus cooperados, resulta

na eficiência e bons resultados do

nosso cooperativismo."

no escoamento das produções de soja e milho para

a exportação.

Reitero que os associados da Coamo e da

Credicoamo têm vantagens na fidelidade ao cooperativismo

em suas cooperativas: eles encontram

tudo o que precisam em um único local, contam

com assistências técnica, administrativa e financeira,

têm insumos agrícolas e veterinários, entregam suas

safras em modernas unidades e recebem o pagamento

no ato, quando da fixação da sua produção e

contam com as sobras no final do ano.

Este trabalho comprometido e responsável,

alicerçado em valores bem definidos e conhecidos,

consolida o crescimento da Coamo, a participação

e satisfação dos cooperados, que são acolhidos nas

cooperativas e sabem que estão seguros, estão em

casa, coma certeza de garantia, segurança e solidez

de um cooperativismo de resultados.

AIRTON GALINARI

Presidente Executivo da Coamo

novembro/2021 revista

9


entrevista

CLAUDIO FILGUEIRAS PACHECO MOREIRA

Chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derop), do Banco Central do Brasil

"As cooperativas são indutoras de crescimento econômico

e melhoram o bem-estar das comunidades."

O

crescimento e o aumento

da renda de

cidades do interior

do país em áreas de atuação


de cooperativas ligadas ao

agronegócio comprovam

a importante contribuição

do cooperativismo no desenvolvimento

econômico

regional”. A afirmação é de

Claudio Filgueiras Pacheco

Moreira, chefe do Departamento

de Regulação, Supervisão

e Controle das Operações

do Crédito Rural e do

Proagro (Derop), do Banco

Central do Brasil. Filgueiras

é o entrevistado deste mês

na Revista Coamo. Segundo

ele, o Sistema Financeiro Nacional

(SFN) vem passando

por transformações intensas

nos últimos anos. Entre estas,

estão o surgimento das

startups financeiras, mais

conhecidas por fintechs,

que têm contribuído muito

na inovação; e o crescimento

do sistema cooperativista

de crédito.

Revista Coamo: Qual a missão da

sua área no Banco Central do Brasil?

Claudio Filgueiras Pacheco Moreira:

A missão do Departamento de

Regulação, Supervisão e Controle

das Operações do Crédito Rural e

do Proagro (Derop) é garantir que as

instituições financeiras apliquem de

forma regular e eficiente os recursos

do crédito rural e do Programa de

Garantia da Atividade Agropecuária

(Proagro), em linha com as diretrizes

da Política Agrícola e do Conselho

Monetário Nacional (CMN).

RC: Quais são os objetivos do Derop

no Bacen?

Claudio: Os objetivos são: assegurar

que os recursos do crédito rural

sejam efetivamente aplicados pelas

instituições financeiras nas atividades

previstas na regulamentação;

atuar para reduzir o custo do crédito

para o produtor rural, bem como,

o custo de observância das instituições

financeiras; e possibilitar que o

Proagro seja instrumento eficaz de

mitigação do risco de inadimplência

nas operações de crédito rural.

RC: Como analisa o cooperativismo

de crédito brasileiro?

Claudio: O Sistema Financeiro

Nacional (SFN) vem passando por

transformações intensas nos últimos

anos. Destaco dois pontos

dessa transformação: o surgimento

das startups financeiras, mais

conhecidas por fintechs, que têm

contribuído na inovação; e o crescimento

do sistema cooperativista de

crédito. Isso foi motivado pela modernização

das cooperativas, que

passaram a ser mais competitivas e,

como consequência, aumentaram

sua participação no market share

no SFN. Cabe ainda destacar que

o cooperativismo de crédito tem

contribuição relevante no desenvolvimento

econômico regional,

financiando micro e pequenas empresas,

e na inclusão financeira.

RC: A origem das cooperativas de

crédito foi para financiar as atividades

agrícolas e pecuárias. Como

avalia o desempenho nestas atividades?

Claudio: No Brasil, o cooperativismo

de crédito surgiu da união de

produtores rurais com dificuldade

em acessar recursos para financiar

seus empreendimentos, tendo se

expandido para outras atividades

10 revista

novembro/2021


urbanas. No âmbito do crédito rural,

a participação das cooperativas

de crédito nesse segmento passou

de 9,1% em 2015 para 14,8% em

2020. Acreditamos que ainda há

muito espaço para crescer, pois as

cooperativas de produção agropecuária

financiam acima de 90% de

suas necessidades de recursos fora

do sistema cooperativo de crédito.

Claudio Filgueiras Pacheco Moreira é contador e Mestre em Contabilidade Financeira – Derivativos,

pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Trabalha no Banco Central do Brasil (BC)

desde 1998, com passagens pela supervisão de bancos, financeiras, corretoras e distribuidoras,

administradoras de consórcios e cooperativas de crédito. Atuou no segmento de cooperativas

de crédito por mais de 10 anos e diretamente no crédito rural desde 2017, como chefe do

Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro

(Derop). Antes do BC, foi oficial da Marinha do Brasil (área financeira), formado pela Escola Naval.

RC: Qual o futuro do Proagro e dos

outros mecanismos de mitigação

de riscos nas atividades rurais?

Claudio: O Programa de Garantia

da Atividade Agropecuária (Proagro)

foi instituído em 1973 com

o objetivo principal de exonerar

o produtor rural de obrigações

financeiras relativas à operação

de crédito rural de custeio cuja

liquidação seja dificultada pela

ocorrência de fenômenos naturais

adversos, pragas e doenças que

atinjam rebanhos e plantações.

Atualmente, há dois programas de

governo para atender a mitigação

de riscos climáticos: o Proagro, que

é administrado pelo Banco Central

do Brasil (BCB), e o Programa de

Subvenção ao Prêmio do Seguro

Rural – PSR, que é administrado

pelo Ministério da Agricultura.

Essa sobreposição traz ineficiência

no gasto dos recursos da União.

O Proagro cumpriu importante

missão ao disponibilizar um instrumento

de mitigação de riscos

quando não havia oferta de seguro

rural por parte de seguradoras privadas.

Hoje, com esse mercado em

franca expansão, com várias seguradoras

privadas operando, o processo

natural seria a existência de

apenas um programa para atender

essa necessidade.

novembro/2021 revista 11


entrevista

"A DEMANDA POR ALIMENTOS NO MUNDO TODO AUMENTOU. COM ISSO,

CRESCEU, TAMBÉM, A NECESSIDADE POR RECURSOS DO CRÉDITO RURAL."

RC: O Brasil tem sido notícia no exterior

sobre a preservação ambiental.

Qual a visão do BCB em relação

a este tema e a importância da

sustentabilidade?

Claudio: O tema sustentabilidade

está na pauta de muitos bancos

centrais e reguladores em todo o

mundo, e na agenda estratégica

do BCB. Eventos climáticos, ambientais

e sociais adversos podem

ter impactos significativos na estabilidade

do sistema financeiro.

Por exemplo, a agropecuária, tanto

por ações de reflorestamento ou

recuperação de pastagens degradadas,

como pelo lado da conversão

do uso da terra para a agropecuária

sem práticas adequadas

de conservação e manejo, pode

tanto reduzir como aumentar as

emissões de gases de efeito estufa

(GEE), com efeitos relevantes sobre

o clima.

RC: Recentemente, o Banco Central

realizou consultas públicas

para edição de normativos sobre

sustentabilidade.

Claudio: Essas consultas resultaram

em normativos que tratam de

sustentabilidade: Gerenciamento

de riscos (Resoluções CMN nº

4.943 e nº 4.944); Políticas de responsabilidade

social, ambiental

e climática das instituições financeiras

(Resolução CMN nº 4.945);

Divulgação de informações (Resolução

BCB nº 139); e Impedimentos

sociais, ambientais e climáticos

(Resolução BCB nº 140). Esta última,

consolida em uma seção do

Manual de Crédito Rural (MCR),

os dispositivos legais e infralegais

que impõem restrições à concessão

de crédito rural. Essas restrições

serão automatizadas no âmbito

do Bureau de Crédito Rural

Sustentável, e funcionarão como

uma segunda linha de defesa para

as verificações que as instituições

financeiras já realizam. Além disso,

o projeto do Bureau de Crédito

Rural Sustentável prevê dar mais

transparência e eventuais incentivos

às operações de crédito rural

que possuam adicionalidades sociais,

ambientais e climáticas.

RC: O Banco Central tem feito vários

cruzamentos com os dados do

"O crescimento e o

aumento da renda de

cidades do interior

do país, estão ligadas

ao agronegócio

e comprovam a

importante contribuição

do cooperativismo

no desenvolvimento

econômico regional."

campo. Na sua visão, como podemos

passar para o mercado internacional

que, no Brasil, a contratação

do crédito rural segue a estrita

legalidade do ponto de vista ambiental?

Claudio: Um passo importante é

a implementação das verificações

automatizadas de sobreposição

com unidades de conservação,

áreas embargadas no bioma Amazônia,

terras indígenas, territórios

quilombolas (Resolução BCB nº

140). Essas verificações serão implementadas

gradualmente, e estarão

prontas até o início do próximo

ano agrícola. Outro passo

importante é demonstrar o cumprimento

do Código Florestal. O

12 revista

novembro/2021


processo de validação do Cadastro

Ambiental Rural (CAR) por parte

do Serviço Florestal Brasileiro

(SFB) está em andamento. Com

maior número de propriedades

com o CAR validado, torna-se mais

fácil demonstrar ao mercado internacional

a estrita legalidade do

crédito rural.

RC: Teremos recursos suficientes

para atender os produtores rurais?

Claudio: A demanda por alimentos

no mundo todo aumentou com

a pandemia. Com isso, cresceu a

demanda por recursos do crédito

rural. No ano agrícola vigente

(2021/2022) não faltam recursos

aos produtores rurais. As contratações,

apenas no período de julho/2021

a setembro/2021, foram

de R$96,9 bilhões em crédito rural,

com aumento de 37,5% em

relação ao mesmo período do ano

anterior. O principal destaque foi o

crescimento de 47,9% em operações

contratadas a taxas de juros

livremente pactuadas. No entanto,

as tradicionais fontes de recursos

direcionadas do crédito rural não

conseguirão prover os recursos

para atender ao ritmo acelerado de

crescimento do agronegócio brasileiro.

A Lei nº 13.986 modernizou os

títulos do agronegócio de forma a

estimular o financiamento da produção

com recursos do mercado

de capitais. Como consequência, já

se observa crescimento relevante

na emissão de CPR, LCA e CRA.

RC: Como analisa o volume de recursos

disponibilizado pelas cooperativas

de crédito aos associados

para o fomento das operações

rurais?

Claudio: O crédito rural disponibilizado

pelas cooperativas de crédito

saltou de R$34,5 bilhões no ano

agrícola 2019/20 para R$ 49,3 bilhões

em 2020/21, representando

um crescimento de 43%.

RC: As cooperativas impulsionam

o crescimento e o desenvolvimento

das comunidades onde atuam.

Como analisa esta situação em

relação ao desenvolvimento do

agronegócio?

Claudio: O crescimento e o aumento

da renda de cidades do interior

do país em áreas de atuação

de cooperativas ligadas ao agronegócio

comprovam a importante

contribuição do cooperativismo

no desenvolvimento econômico

regional.

RC: Como o senhor vê o desenvolvimento

das operações contratadas

por meio digital no crédito

rural?

Claudio: Várias instituições financeiras

já dispõem de aplicativos

para contratação de operações de

crédito rural totalmente digitais.

Seguindo a tendência de inovação,

e com a expansão da telefonia móvel

para a zona rural, essa forma de

contratação tende a crescer exponencialmente

nos próximos anos.

O projeto do Bureau de Crédito

Rural Sustentável prevê que um

tomador de crédito possa acessar

e compartilhar os dados de suas

operações com qualquer empresa

ou pessoa física. Isso permitirá

o crescimento da oferta de crédito

rural por fintechs e agtechs, bem

como o acompanhamento em

tempo real pelos produtores de

suas operações.

"Os dirigentes e

cooperados da Coamo

e da Credicoamo estão

aptos a conduzir o

desenvolvimento das

atividades cada vez mais

alinhados aos princípios

de sustentabilidade."

RC: Deixe sua mensagem para os

diretores e cooperados da Coamo

e da Credicoamo.

Claudio: Parabenizo a Coamo, a

Credicoamo e seus dirigentes pela

destacada atuação nas regiões

onde atuam. Reforço a afirmação

em função do desenvolvimento

dos valores do cooperativismo,

em especial da ajuda mútua para

o crescimento regional, a elevação

equitativa da condição socioeconômica

dos cooperados, e a inclusão

financeira nas regiões em que

estão presentes. Tenho convicção

de que os dirigentes e os cooperados

da Coamo e da Credicoamo

estão aptos a conduzir o desenvolvimento

das atividades de forma

cada vez mais alinhada aos princípios

de sustentabilidade.

novembro/2021 revista 13


cooperativismo de crédito

A NOVA IDENTIDADE

VISUAL DA CREDICOAMO

COOPERATIVA COMPLETOU 32 ANOS COM INAUGURAÇÃO DE

TRÊS AGÊNCIAS NO PARANÁ, NOVA IDENTIDADE VISUAL E SLOGAN

14 revista

novembro/2021


O

crescimento expressivo

da Credicoamo traz novos

desafios em modernização

e eficiência operacional,

lançamentos de novos produtos

e opções de comunicação e canais

digitais para atender as necessidades

dos associados onde

quer que estejam. Após análises

deste cenário de crescimento e

fazendo parte de seu planejamento

estratégico com o propósito

de estar mais presente junto

aos seus associados, a logomarca

da Credicoamo foi alterada

para atender este processo de

evolução da cooperativa.

A nova identidade visual

da Credicoamo é moderna e

marcante, e demonstra a visão

do futuro. Sua forma levemente

arredondada, inclinada e orgânica,

demonstra que a cooperativa

está preparada para o crescimento,

com legibilidade para

fomentar o desenvolvimento do

associado, sua família e a sua região.

O verde escuro como cor

principal traz a seriedade, credibilidade

e solidez nos processos

operacionais e de gestão.

Contrasta com o verde claro,

presente no símbolo do cifrão e

na semente que pontua a letra

“i”. Juntos, os tons remetem ao

campo e ao agronegócio, com

respeito aos princípios cooperativistas

e à natureza, que são a

base dos negócios.

No processo de modernização

a Credicoamo buscou

também um novo slogan, para

coroar os propósitos de estar,

cada vez mais, presente dos associados

para fomentar o seu

desenvolvimento, bem-estar de

sua família e da sociedade onde

vive. “Buscamos um slogan (Junto

com você, sempre) que leve

ao associado, a mensagem que

a Credicoamo estará presente

onde ele estiver, seja na sua

casa, na lavoura, no escritório,

na praia, nas suas viagens, ou

seja, onde tiver comunicação

digital ele poderá contar com a

Credicoamo, a sua cooperativa

de crédito”, explica Alcir José

Goldoni, presidente Executivo

da Credicoamo.

Agências estão recebendo fachadas com a nova identidade visual

novembro/2021 revista 15


cooperativismo de crédito

O melhor para as atividades dos

associados e do bem-estar da sua família

Propósitos da Credicoamo se tornam realidade com a efetiva e atuante movimentação financeira dos associados em um relacionamento franco, produtivo e humanizado

Em 17 de novembro de

1989, 29 associados da

Coamo fundaram a Credicoamo.

Após 32 anos, são mais

de 22.400 associados que seguem

a trajetória marcada pelo

desenvolvimento econômico e

sustentável das regiões por onde

a Coamo e a Credicoamo atuam.

“São 32 anos que geraram

eficiente estrutura para

a Credicoamo continuar seu

crescimento com solidez e segurança

em suas operações, no

atendimento às necessidades

dos associados”, comemora José

Aroldo Gallassini, presidente do

Conselho de Administração, que

é idealizador e fundador da cooperativa.

Ele acrescenta que, “Com

visão estratégica, a Credicoamo

se consolida como o braço financeiro

e a Coamo como o braço

LINHA

DO

TEMPO

1989

Fundação da Credicoamo

Cooperativa de Crédito

– por 29 cooperados em 17 de

novembro, em Campo Mourão-PR

1990

Início das atividades

– em 01 de março

Governo Collor extingue BNCC

– Banco Nacional de Crédito Cooperativo

Compensação por meio do

convênio com o Banco do Brasil

– após cerca de 6 meses

2013

Compensação própria de

cheques utilizando o nº 010

16 revista

novembro/2021


Mais que uma concessão de financiamento, investimento ou uma operação de crédito, a Credicoamo tem um compromisso com o desenvolvimento do associado e de sua família

da produção. Então, temos uma

sinergia perfeita e completa para

o desenvolvimento e crescimento

do associado, da sua família e

da região”, assegura Gallassini.

Na comemoração dos

32 anos foi promovido evento

virtual onde foi materializada a

evolução da Credicoamo, com o

lançamento da nova identidade

visual da logomarca e do slogan,

os quais consolidam a evolução

dos tempos e a modernização

para o crescimento contínuo da

cooperativa.

Pertencer

“Queremos que a Credicoamo

seja percebida por todos

os associados pela sua representatividade

e desenvolvimento

que propicia na região onde

atua. As inaugurações das três

novas unidades mostram o crescimento

constante junto ao quadro

de cooperados da Coamo

para agregar renda aos associados”,

afirma Alcir José Goldoni,

presidente Executivo da Credicoamo.

Pilares

Goldoni explica que a

Credicoamo está estruturada em

2018

2019

2020

2021

Implantação das Diretrizes

Corporativas

Implantação dos serviços

através do internet banking e

mobile banking

AGE - Aprovação do sistema

de governança

Implantação do sistema de

governança

– segregação das funções:

Conselho de Administração

– Estratégico

Diretoria Executiva

– Gestão

LCA – Letra de Crédito do

Agronegócio

FCO – Fundo Constitucional do

Centro Oeste

Lançamento da Poupança Rural

Pix

novembro/2021 revista 17


TECNOLOGIA

QUE VEM DE DENTRO.

E simplifica as decisões do dia a dia.

Pra que complicar?

Simplifique com Brevant ® Sementes.

Implantar modernidade e tecnologia na sua

lavoura pode ser muito mais fácil. Com as soluções

Brevant ® Sementes, é possível dar um passo além

e obter resultados melhores a cada safra.

Aponte o

celular e

saiba

mais.

18 revista

novembro/2021

www.brevant.com.br | 0800 772 2492

® Marcas registradas da Corteva Agriscience e de suas companhias afiliadas. ©2021 Corteva.


cooperativismo de crédito

três pilares que norteiam a gestão da

cooperativa: econômico, ambiental e

social.” Esses pilares fazem a missão

da Credicoamo, que é agregar renda

aos associados por meio de soluções

financeiras sustentáveis. Por ser uma

cooperativa, o resultado obtido nas

operações financeiras é revertido aos

associados. Então, quanto mais o associado

movimentar, mais gerará resultado

para si mesmo.”

Estados de atuação:

MATO GROSSO DO SUL,

PARANÁ E SANTA CATARINA

Compromisso com o associado

Muito mais que uma concessão

de financiamento, investimento

ou uma operação de crédito, a Credicoamo

tem um compromisso com

o desenvolvimento do associado e

de sua família, de forma sustentável.

“Com visão no futuro, a Credicoamo

quer ser identificada, seja por meio

de uma folha de cheque, por uma

placa com seu nome, pelo cartão de

crédito ou por qualquer outra forma

que conste o seu nome, como uma

cooperativa de crédito que transmite

segurança e confiabilidade, e com

propósitos bem definidos, para o associado

se sentir protegido”, assegura

Alcir Goldoni.

08 agências

MS

38 agências

PR

03 agências

SC

Propósitos

O presidente Executivo afirma

que os propósitos da Credicoamo

só se tornarão realidade com a efetiva

e atuante movimentação financeira

dos associados e que a cooperativa

se sustenta com um relacionamento

franco, produtivo e humanizado.

“Trabalhamos diariamente para que o

associado e a sua família tenham saúde

financeira, física e emocional, com

o perfeito equilíbrio entre elas, para

que ele alcance seus objetivos.”

CREDICOAMO EM NÚMEROS

Agências: 49

Associados: 22.400

Funcionários: 336

Ativo Total:

(+ Termos de Cooperação)

R$ 4,31 bilhões

novembro/2021 revista 19


NOVO FUNGICIDA

BLAVITY ®

Controle eficiente da Ferrugem e

Mancha-alvo em uma só ferramenta.

Muita coisa preocupa o produtor de soja na escolha

de um fungicida: a praticidade no uso, a eficiência de controle,

a facilidade no manuseio e o espectro de ação. Já imaginou

a conveniência de reunir tudo isso em uma só ferramenta?

Conheça Blavity ® , uma solução BASF para ajudar você

no manejo de importantes doenças da soja com benefícios

em produtividade e com mais tranquilidade.

CONVENIÊNCIA É

SE PREOCUPAR MENOS

E PRODUZIR MAIS.

+

Controle

eficiente

da Ferrugem

e Mancha-alvo

+

Amplo espectro

+

Formulação

+

Facilidade

de controle

de doenças

moderna que

permite baixa

dosagem

de manuseio

e aplicação

A BASF está junto com você. Para o manejo eficiente do cultivo, consulte um RTV

ou seu canal de distribuição para saber mais sobre Blavity ® e nossa solução completa,

que há anos contribui para o sojicultor alcançar altas produtividades.

0800 0192 500

BASF.AgroBrasil

BASF Agricultural Solutions

BASF.AgroBrasilOficial

agriculture.basf.com/br/pt.html

blogagro.basf.com.br

BASF na Agricultura.

Juntos pelo seu Legado.

ATENÇÃO

ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE. USO AGRÍCOLA.

VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO. CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO. INFORME-SE E

REALIZE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E OS RESTOS DOS

PRODUTOS. LEIA ATENTAMENTE E SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA RECEITA. UTILIZE

OS EQUIPAMENTOS

20 revista DE PROTEÇÃO novembro/2021 INDIVIDUAL. REGISTRO MAPA: BLAVITY ® Nº 10820.


cooperativismo de crédito

Galeria de

fundadores da

Credicoamo

José Aroldo Gallassini Sérgio Luiz Panceri Ricardo Accioly Calderari Nelson Teodoro de Oliveira

Egildi Primo Mignoso Joaquim Peres Montans Bernardino Luiz Vian Erasmo Coutinho Machado Tarcisio Albertini

Joaldo Saran Agostinho Borsato Jorge Luiz Tonet João Teodoro de O. Sobrinho Ermindo Appelt

Martin Kaiser Ildefonso Cezar Ferri Benito Ildefonso Ferri Victor Alessi Moacir José Ferri

Olindo Monti Augusto Angelo Tonello Gustavo Taborda Milton Coutinho Machado Luiz Carlos Castro Vieira

Antonio Guerreiro Garcia Nativo David Corrent Danilo de Mello Edson Prado Beltrão Eloi José Michels

novembro/2021 revista 21


cooperativismo de crédito

Credicoamo inaugura agências no Paraná

Barbosa Ferraz: Satoru Hoshino (cooperado), José Aroldo Gallassini (presidente do Conselho de Administração da

Credicoamo), Alcir Goldoni (presidente Executivo da Credicoamo) e Lucinette Sanches (vice-prefeita do município)

Em comemoração aos 32

anos da Credicoamo, a

diretoria inaugurou três

agências. Os cooperados de Iretama,

Barbosa Ferraz e Cruzmaltina

passam a ter toda a estrutura

da cooperativa de crédito, que

traz diversos serviços, facilidades

e atendimento desburocratizado.

Agora são 49 agências no Paraná,

Santa Catarina e Mato Grosso

do Sul para atender os mais de

22 mil associados.

Com as novas agências

centenas de associados deixarão

de se deslocar para outros

municípios para realizar as operações

junto a Credicoamo. É

o caso de Paulo Dias Flores, de

Iretama (Centro-Oeste do Paraná),

que era associado em Roncador.

“Pela confiança que tenho

na Credicoamo, eu me deslocava

de município para realizar

minhas operações financeiras.

Mas, o tempo é precioso e ficava

muito corrido. Agora, com a

agência aqui, vou ter muito mais

praticidade.”

José Onofre dos Santos,

de Barbosa Ferraz (Centro-Oeste

do Paraná), é outro cooperado

que estava indo para outra cidade

para operar com a Credicoamo.

“Eu ia até Fênix para ser

atendido. Eu sempre pedia, que

tivesse uma agência aqui. Estou

muito contente”, comemora.

Rubens Elias Ferreira

também de Barbosa Ferraz, iniciou

sua história com a Credicoamo

em São João do Ivaí, depois

mudou a conta para Fênix

e, agora, tem sua cooperativa de

crédito em casa. “Tudo fica mais

fácil, pois trabalho muito com a

Credicoamo, desde as movimentações

bancárias do dia a dia, até

22 revista

novembro/2021


os financiamentos e seguros.”

Outro cooperado que

está comemorando a novidade

é Cícero Vieira da Silva Neto, de

Cruzmaltina. “A expectativa de

que viesse uma agência para cá

era grande. O nosso município

estava precisando. Os benefícios

são muitos e, agora, fica tudo em

casa, temos a Coamo e a Credicoamo.”

Daniele Mattos Schier

é gerente em Iretama (Centro-

-Oeste do Paraná). Ela está há 12

anos na cooperativa de crédito e

revela que os cooperados valorizam

o sistema da Credicoamo.

“Trabalho desde 1999 no sistema

financeiro e quando cheguei na

Credicoamo me encantei. É tudo

muito mais humano e familiar.

Com essa nova agência me sinto

desafiada positivamente, e tenho

certeza de que será muito bom.”

Esse crescimento está

alinhado à demanda do próprio

associado, conforme, ressalta

o presidente Executivo da Credicoamo,

Alcir José Goldoni.

“Como parte das festividades

dos 32 anos inauguramos essas

três agências. Esse crescimento

que tivemos foi expressivo e nos

exigiu um ajuste mais urgente

do que o previsto. Nesse ano,

até outubro admitimos 1855

associados e isso demanda estrutura

de gestão e agência. Em

um curto espaço de tempo tivemos

que nos adaptar para que o

cooperado sinta a segurança da

Credicoamo com atendimento

de qualidade e estrutura para

ele realizar suas operações e se

sentir apoiado na sua cooperativa

de crédito.”

Cruzmaltina: Natal Casavechia (prefeito), Alcir Goldoni (presidente Executivo da Credicoamo), José Aroldo

Gallassini (presidente do Conselho de Administração da Credicoamo) e Daniel Paschoal (cooperado)

Iretama: Agnaldo Flores (cooperado) José Aroldo Gallassini (presidente do Conselho de Administração da

Credicoamo), Alcir Goldoni (presidente Executivo da Credicoamo) e Dilmar Peri (diretor de Negócios da Credicoamo)

novembro/2021 revista 23


Isaria fumosorosea 1296

Mantenha a cigarrinha-do-milho

do lado de fora da porteira

IDEAL PARA MANEJO

INTEGRADO DE PRAGAS (MIP)

INDICADO PARA MANEJO

DE RESISTÊNCIA

DE INSETOS-PRAGA

A INSETICIDAS QUÍMICOS

PRESERVA OS INIMIGOS

NATURAIS DAS PRAGAS

Octane® é um bioinseticida com eficiência agronômica comprovada

no controle da cigarrinha-do-milho (Dalbulus maidis).

SAIBA MAIS SOBRE O

SISTEMA INTEGRADO

KOPPERT

24 revista

Registro no MAPA: 30.917

ATENÇÃO: SIGA RIGOROSAMENTE AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E RECEITA. UTILIZE SEMPRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. NUNCA PERMITA

A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO POR MENORES DE IDADE. FAÇA O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS. DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E RESTOS DE PRODUTOS. USO

EXCLUSIVAMENTE AGRÍCOLA.

CONSULTE SEMPRE UM ENGENHEIRO AGRÔNOMO.

VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO.

novembro/2021

koppert.com.br


cooperativismo de crédito

Cuidando da saúde financeira

O

evento online em comemoração aos 32

anos da Credicoamo e lançamento da nova

identidade visual da cooperativa de crédito

contou, também, com uma palestra com o tema

“Educação financeira para um mundo melhor”, proferida

por Aline Soaper. Ela é treinadora e empresária

há mais de 20 anos, educadora financeira, palestrante

e escritora.

“É gratificante falar de um assunto tão importante

para a vida das pessoas e vermos instituições,

como a Credicoamo, interessadas em apresentar o

tema para os seus associados. Se cada família, cada

cooperado estiver saudável financeiramente, toda a

comunidade estará também”, observa Aline.

Ela explica que a educação financeira está

relacionada a tudo na vida das pessoas, desde o

momento que um bebê nasce até quando a família

planeja o futuro em relação ao dinheiro. “A criança

começa usando os recursos, por meio dos pais.

Depois, assume a administração. Por esse motivo,

precisamos estar atentos ao exemplo que estamos

passando.”

De acordo com ela, liberdade financeira

representa o poder de escolher o que fazer com o

dinheiro. “Quando não sabemos para onde vai o

nosso dinheiro, não estamos tendo poder de escolha”,

diz. Aline revela que para alcançar a liberdade

financeira é necessário se atentar a quatro pilares:

gerar, cuidar, proteger e multiplicar o dinheiro. “Primeiramente,

é importante ressaltar que não ganhamos

dinheiro. Todos nós geramos nosso dinheiro.

Se geramos e não cuidamos, ele vai embora. Os

recursos financeiros são gerados por meio de muito

esforço e o mesmo esforço deve ser empregado

para administrá-los.”

Outro ponto destacado pela educadora financeira

é a necessidade de proteger o dinheiro.

“Um ponto que já vem sendo realizado pelos associados

da Credicoamo é a participação em seguros,

seja de máquinas ou da produção. Não estamos livres

de qualquer problema que possa acontecer e

a educação financeira também é sobre saber proteger

esse dinheiro”, assinala.

O quarto ponto é sobre multiplicar o dinheiro.

“Assim como uma semente que se coloca no solo,

o dinheiro precisa ser multiplicado. Como estamos

falando em cooperativa de crédito, as aplicações

são importantes, já que a instituição precisa desse

dinheiro para outros empréstimos e financiamentos,

e assim, o dinheiro será multiplicado e todos terão a

oportunidade de crescer e se fortalecer financeiramente”,

considera Aline.

Aline Soaper diz que a educação financeira está relacionada a tudo na vida das pessoas

Aponte o leitor de QR Code do celular na imagem ao lado

e assista o evento on-line da Credicoamo.

O vídeo também pode ser acessado pela página da

Coamo no YouTube.

novembro/2021 revista 25


26 revista

novembro/2021


parceria

Credicoamo firma parceria

com Uniprime do Brasil

Cooperativa de crédito busca oferecer os melhores

produtos e serviços financeiros aos associados

A

Credicoamo busca oferecer os melhores

produtos e serviços financeiros aos associados.

Por isso, firmou mais uma parceria.

A novidade é o convênio Credicoamo e Uniprime

do Brasil. Uma comitiva esteve no dia 29 de outubro,

na sede da cooperativa, em Campo Mourão,

para assinar o contrato de intercooperação na utilização

em comum de um cartão de crédito e débito,

da bandeira MasterdCard, apontado como

um dos melhores cartões do Brasil.

O presidente do Conselho de Administração

da Uniprime do Brasil, Álvaro Jabur, avalia

que essa parceria trará uma série de benefícios

aos cooperados da Credicoamo. “Nosso cartão é

bastante completo, oferece vantagens em milhagens,

salas vips nos aeroportos, descontos, entre

outras já conhecidas no mercado.”

José Aroldo Gallassini, presidente dos

Conselhos de Administração da Coamo e Credicoamo,

entende a intercooperação como um

fator para o desenvolvimento do cooperativismo.

“Por meio da Uniprime, conseguimos realizar

esse convênio, e esperamos que seja uma parceria

de sucesso. A Uniprime tem uma área um pouco

diferente da nossa, mas tenho certeza de que,

assim como os associados deles, nossos cooperados

ficarão felizes com essa oportunidade.”

Para Jabur, intercooperar com a Credicoamo

e Coamo é um motivo de satisfação,

visto que são cooperativas símbolo do Paraná.

“Quando vislumbramos a possibilidade de

compartilhar um produto em comum, estamos

fazendo o bem para a cooperativa. Quem ganha

são os cooperados.”

Representantes da Uniprime do Brasil e da Credicoamo

na sede da cooperativa em Campo Mourão (PR)

Álvaro Jabur, presidente do Conselho de Administração da Uniprime do

Brasil, e José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de Administração

da Coamo e Credicoamo, assinam documentos que firmam a parceria

novembro/2021 revista 27


????????

Coamo está completando 51 anos em constante

evolução com os cooperados. Aplicativo Coamo é

uma das inovações da cooperativa

COAMO 51 ANOS

COM INOVAÇÃO, COOPERATIVA MELHORA A

PRODUTIVIDADE E RENDA DOS COOPERADOS

O

cenário atual apresenta

uma velocidade grande

em muitos segmentos.

O da agropecuária é um deles.

Somente na área da Coamo, nos

Estados do Paraná, Santa Catarina

e Mato Grosso do Sul, movimenta

milhares de produtores.

Neste panorama é significativo

o grau de interesse dos cooperados,

que, por sua vez, têm

aumentado sua participação na

cooperativa, seja na entrega da

produção, na aquisição de insumos,

como também em eventos

técnicos. “Estamos juntos com

os nossos cooperados, por isso,

buscamos com a nossa equipe

técnica e parceiros, a capacitação

e o aprimoramento do quadro

social por meio de atualização

28 revista

novembro/2021


cooperativismo

em cursos, palestras e eventos,

dentro de uma política de desenvolvimento

voltada para atender

suas exigências e interesses, em

continuar inovando para crescer

em suas atividades”, explica

Aquiles Dias, diretor de Suprimentos

e Assistência Técnica da

Coamo.

Assim, pelo planejamento

estratégico e apoio aos cooperados,

a Coamo trabalha para

a melhoria da produção e renda

deles. “Com a atuação direta e

eficaz dos nossos profissionais

de assistência técnica juntamente

com os da pesquisa oficial, temos

contribuído nesses 51 anos

da Coamo, para o desenvolvimento

eficaz e a conquista de

bons resultados, por meio do incremento

das produtividades e a

utilização de tecnologias modernas

nas propriedades rurais dos

cooperados”, comemora Airton

Galinari, presidente Executivo da

Coamo.

A Coamo chega aos 51

anos mais conectada para acompanhar

e realizar processos de

inovação que atendam às exigências

dos cooperados em um

mundo moderno e veloz. “O

processo de inovação faz parte

da cultura e da estratégia da

cooperativa que, com sua estrutura,

aliada à participação dos

cooperados com suas ideias, e

o planejamento estratégico, tem

resultado no desenvolvimento

de diversos programas que estão

entregando soluções aos associados.

Desta forma, aumenta-

-se a eficiência das ações, pois

colocamos a inovação como algo

contínuo”, afirma o gerente de

Tecnologia da Informação, Ailton

de Almeida Queiróz.

Exemplo deste processo

de inovação foi o lançamento

este ano do Aplicativo Coamo

que, melhorou a interação do

cooperado com a cooperativa.

O Aplicativo Coamo foi lançado

com alguns produtos, é interativo

e dinâmico e estará sempre

em processo de atualização, para

levar ao cooperado mais benefícios

por meio de suas diversas

funcionalidades. Tudo na palma

da mão, em qualquer lugar que

ele esteja, desde que tenha internet”,

explica José Aparecido Bernardo,

gerente Administrativo da

Coamo.

COAMO EM NÚMEROS

Ano de fundação: 1970

Fundadores: 79

Número de cooperados: mais de 30 mil

Funcionários:

8,5 mil

Faturamento em 2020: R$ 20,003 bilhões

Unidades: 114

Municípios presentes: 73 (PR-SC-MS)

novembro/2021 revista 29


cooperativismo

Escritos na história da cooperação

Casal de Tupãssi revela crescimento que teve após se associar à Coamo

Casal Ana e Leonel Spengler, de Tupãssi (PR), guardam jornais e revistas Coamo como fonte de inspiração do cooperativismo vivenciado diariamente na propriedade

Cooperar é transformador.

Se para os mais novos

essa frase faz sentido,

imagine para os mais velhos que

tiveram que desbravar diversas

áreas do país e iniciar na agricultura

sem tecnologia ou o apoio

de uma cooperativa. Em Tupãssi

(Oeste do Paraná) o casal Ana e

Leonel Spengler passou por essa

situação. Quando vieram de Lageado,

no Rio Grande do Sul, em

1965, tiveram um árduo trabalho.

Seu Leonel lembra que

outros conhecidos da família,

que vieram antes para o Paraná,

intermediaram a vinda dele e de

sua família. “No Rio Grande do

Sul era muito difícil para plantar.

Aqui também foi, pois quando

chegamos era tudo mato e tivemos

que ir abrindo as áreas. A

agricultura era manual e plantávamos

feijão, milho e trigo. O

trigo, inclusive eu trouxe do meu

Estado e fiz a primeira colheita

do cereal em Tupãssi”, lembra.

O cooperado ainda revela

que na época, antes da chegada

da Coamo, o milho não tinha

comércio, era utilizado apenas

para alimentar a criação da propriedade.

A renda vinha da venda

do feijão. “A cooperativa chegou

e mudou completamente

a nossa forma de trabalhar. Por

meio da assistência técnica tivemos

acesso às tecnologias que

aumentaram a nossa produtividade

e abriram mercados para o

que produzíamos.”

Se tem uma pessoa contente

com o cooperativismo, sem

dúvidas é o Seu Leonel. Além de

comemorar o crescimento da sua

30 revista

novembro/2021


Cooperado Leonel Spengler evoluiu na agricultura com o apoio e parceria da Coamo

família, se alegra com a prosperidade

dos outros agricultores.

“Em toda a área de ação da Coamo

a gente vê os cooperados

da Coamo crescendo, inovando

e adquirindo novas máquinas

e tecnologias. É satisfatório ver

essa evolução.”

Além disso, como um

bom cooperativista, seu Leonel,

não abre mão dos momentos de

integração. Com 78 anos, o favorito

dele é a Copa Coamo. “Participei

desde a primeira edição

até a última, antes da pandemia.

Agora, machuquei meu joelho,

mas de alguma forma pretendo

participar da próxima, mesmo

que não for em campo.”

Sempre ao lado do marido

está a dona Ana, que fala

orgulhosa das conquistas que a

família teve graças a agricultura

e ao cooperativismo. “Tivemos

cinco filhos, um faleceu. Os outros

quatro se casaram e têm sua

vida encaminhada”, afirma. Ela

também é professora aposentada,

e por muitos anos fez o que

mais ama na vida: ensinar. “Além

de termos prosperado aqui em

Tupãssi, fiz parte da educação de

diversas pessoas.”

Ela também destaca a

evolução que a cooperativa trouxe

ao município. “Depois que a

Coamo chegou, o agricultor passou

a deitar na cama e dormir

tranquilo, pois sabia que iria vender

e receber pelo seu trabalho.

Isso não tem preço”, revela.

O cooperativismo emociona

e encanta a Dona Ana.

Tanto que ao saber da entrevista

para a Revista Coamo, como

uma boa professora, tratou de

escrever um texto relatando o

que era a cooperativa e o que representa

a história do idealizador

e fundador José Aroldo Gallassini.

“Existiu um homem que sonhou

em fazer uma cooperativa

e como ele achou que seu sonho

era muito grande quis compartilhar

e convidou outras pessoas

para fundar a Coamo. O doutor

Aroldo foi um homem que saiu

do nada, estudou e levou adiante

seu sonho. Ele é um exemplo

para o mundo e, principalmente,

para a juventude. É um espelho

que deve ser seguido por vários

séculos.”

Dona Ana gosta tanto de

ler e estudar que guarda todas

as edições do Jornal e da Revista

Coamo que recebeu. Além de

ter os livros dos 40 e 50 anos da

Coamo. “Fico honrada e orgulhosa

por ter ganhado esses livros,

guardo com muito carinho. Eu

leio e releio todo esse conteúdo.

Gosto de ver as histórias das conquistas

de outras pessoas”, conta

Ana Spengler que agora pode

ler a história de sua família na Revista

Coamo.

Cooperado Leonel Spengler com o engenheiro

agrônomo Guilherme Thomazini

novembro/2021 revista 31


cooperativismo

Crescimento pautado

no cooperativismo

Cooperado em São Pedro do Iguaçu (PR), Ademir Maltauro, diz que os

valores pautados pelo sistema ajudam a família a seguir o melhor caminho

O

cooperativismo é, numa

explicação bem simplista

e cheia de significado,

a colaboração entre pessoas com

interesses em comum. Quando

elas se juntam, conseguem vantagens

que dificilmente conquistariam

sozinhas. Para algumas

pessoas, é uma filosofia de vida

que busca transformar o mundo

em um lugar mais justo, igualitário,

equilibrado e com melhores

oportunidades.

Ademir Maltauro, cooperado

em São Pedro do Iguaçu,

no Oeste do Paraná, enxerga o

cooperativismo como um sistema

que visa agregar valor, principalmente

à família. “Os mesmos

valores que você tem em casa,

você tem na cooperativa. O que

é certo, é certo. É um sistema

justo, que existe para equilibrar,

e vejo que, no caso da Coamo, a

diretoria procura o melhor que

existe para repassar aos cooperados.

A cooperativa enxerga um

Ademir Maltauro, cooperado em São Pedro do Iguaçu

(PR), enxerga o cooperativismo como um sistema que

visa agregar valor, principalmente à família

32 revista

novembro/2021


todo, não apenas a parte financeira.”

Desde 1995, Maltauro é cooperado da Coamo. Foi

um dos primeiros a se associar ao quadro social, quando a

cooperativa chegou na região. Ele conta que a Coamo deu

oportunidades aos agricultores. Além disso, acreditou nos

produtores rurais e, por isso, evoluiu junto com os cooperados.

Segundo Maltauro, a evolução dele foi notória. “A gente

sabia fazer do nosso jeito. Quando a Coamo chegou, trouxe

assistência e inovação, o que melhorou nossa produtividade

e renda. No começo, não tinha nem uma chave de fenda.

Agora, já tenho até maquinário próprio, fruto de muito trabalho

e dedicação.”

Na tecnologia, o cooperado usa o que há de melhor.

“A assistência técnica orienta o que é melhor para a propriedade,

e utilizamos o melhor para ter os melhores resultados,

dentro da nossa capacidade, como pequeno produtor. Se

nós vamos bem aqui no campo, a cooperativa vai bem.”

Para ele, a assistência técnica é excelente e os agrônomos

o atendem da melhor maneira possível. “Eles se preocupam

com cada agricultor de maneira ímpar, e, com conhecimento,

dão orientações acerca de cada cultura. Nosso

papel é unir a teoria deles, com a nossa experiência, e ter um

resultado melhor para todos.”

Ademir trabalha ao lado da esposa Ivanete Maltauro.

Ela é o braço direito do cooperado, que se orgulha em dizer

que ela faz toda a parte tecnológica da propriedade. “Ela

me ajuda muito, principalmente na parte de tecnologia. Ela é

quem vê mercado, previsão do tempo, dólar, se o vento está

bom para as aplicações dos defensivos agrícolas. Se precisar,

ela busca óleo diesel, e faz de tudo por aqui.”

Ivanete conta que faz toda a parte administrativa da

propriedade. “Eu ajudo na organização das notas, colocar os

papeis em ordem, faço vendas pelo aplicativo, vejo mercado

no computador, confiro a cotação. Só chegamos aonde estamos

porque sempre estivemos um ao lado do outro.”

Para o engenheiro agrônomo Carlos Alberto Della

Riva, da Coamo em São Pedro do Iguaçu, a parceria entre

Coamo e Maltauro é muito forte. De acordo com ele, o cooperado

abraçou a cooperativa desde que chegou na região,

a defende perante a comunidade, vê os valores e os segue.

“Maltauro é verdadeiramente cooperativista. Ele está sempre

aberto a tecnologia, a coisas novas, em busca de rentabilidade.

O cooperado vem em uma crescente de produtividade

nos últimos anos, e agora está investindo em agricultura de

precisão, que vai agregar ainda mais. Sempre em busca do

melhor para a propriedade dele”, conclui Della Riva.

Ademir e a esposa Ivanete acompanharam a evolução

Engenheiro agrônomo Carlos Alberto Della Riva diz que adoção

de tecnologias vêm influenciando os bons resultados das safras

novembro/2021 revista 33


pecuária

Eficiência na pecuária

em espaço reduzido

Cooperado desenvolve a atividade leiteira de forma rentável

em uma pequena área na Vila Rural em Luiziana (PR)

Saber lidar com as etapas

do trabalho no campo, independentemente

da atividade

exercida, além de ter o

controle sobre a propriedade

na busca por eficiência produtiva,

é sempre um desafio para o

produtor rural. No meio rural a

meta é otimizar o funcionamento

do negócio e expandir os lucros.

E uma ferramenta no auxílio da

gestão é o manejo aliado à tecnologia.

Instrumentos que maximizam

o lucro.

O cooperado Pedro Martins

de Oliveira, de Luiziana (Centro-Oeste

do Paraná), desenvolve

a pecuária em uma pequena

área. Ele consegue otimizar todo

o trabalho e tem uma boa renda

para manter a família em um misto

de meio rural com urbano, já

que a propriedade fica a poucos

metros da cidade. Ele é exemplo

de que numa pequena área é

possível ter bons resultados com

a atividade leiteira. Em um espa-

34 revista

novembro/2021


Cooperado Pedro Martins de Oliveira e o veterinário Fabiano Camargo

Alimentação de qualidade é um dos pilares para a produção de leite

ço reduzido, cria os animais em

confinamento e o retorno tem

sido satisfatório.

O cooperado está na

atividade desde 2007, quando

recebeu um convite do sogro

para deixar a profissão de açougueiro,

que exerceria em um supermercado

em Campo Mourão,

e ajudar na atividade leiteira. Em

2009, o sogro vendeu a propriedade

e logo em seguida Oliveira

comprou um lote na Vila Rural.

Até então, ele nunca havia trabalhado

com o leite, mas gostou da

atividade e a tornou a fonte de

renda para a família.

Cada lote da Vila Rural

tem 5.400 metros e o cooperado

trabalha com quase um alqueire,

já que arrenda áreas de

vizinhos para plantar milho utilizado

na produção da silagem.

Na propriedade são produzidos

uma média de 150 litros de leite

por dia. Atualmente, o local abriga

43 animais, sendo dez vacas

em lactação. Os animais ficam

confinados e recebem alimentação

no coxo.

“É uma atividade que

conseguimos agregar uma boa

renda. Todo o trabalho é desenvolvido

em parceria com

a Coamo, que nos fornece os

insumos necessários e assistência

veterinária. Nosso espaço

é pequeno e não tem como

crescer mais em área. Por isso,

estamos sempre investindo e

aperfeiçoando a atividade, utilizando

uma boa tecnologia visando

o aumento da produção

de leite e ao mesmo tempo redução

de custos.”

O médico veterinário, Fabiano

Camargo, da Coamo em

Luiziana, ressalta que os resultados

alcançados pelo cooperado

são fruto da otimização e manejo

aplicados no processo de produção

da propriedade. “Mesmo em

uma área pequena, o cooperado

tem fosso, ordenhadeira semi canalizada,

e arrendando as áreas

de vizinhos planta o milho para

silagem conseguindo comida

de sobra para os animais. É um

exemplo de planejamento forrageiro

estratégico e alta eficiência

em pequena área. Hoje são cerca

de 40 animais, mas já teve época

de contar com 70 animais na

mesma área.”

O veterinário destaca

que o cooperado segue os três

passos básicos da atividade leiteira

- alimentação, genética e

sanidade dos animais -, proporcionando

assim, um leite com

boa qualidade. “É um trabalho

eficiente. Há uma preocupação

em todo o processo, seguindo

todos os protocolos e recomendações

técnicas.”

novembro/2021 revista 35


ádio

40 anos

de Informativo

Coamo no rádio

Wilson Bibiano, Ana Paula Pelissari e Ruthielle Borsuk são os responsáveis por levar diariamente o programa Informativo Coamo a milhares de ouvintes

Desde o início da trajetória

da Coamo, a cooperativa

teve a visão de estar mais

perto do cooperado. Em 1974,

foi criado o Informativo Coamo

impresso, que em seguida se

transformou no Jornal Coamo,

e hoje, Revista Coamo. No início

da década de 1980, a diretoria

decidiu levar o Informativo para

um dos meios de comunicação

que mais aproximava as pessoas:

o rádio.

O intuito era passar a

mensagem da cooperativa aos

cooperados de forma rápida e

ágil. O programa de rádio Informativo

Coamo começou com

duas emissoras em Campo Mourão

(Centro-Oeste do Paraná)

e depois para as regiões de Pitanga

(Centro do Paraná) e Mangueirinha

(Sudoeste do Paraná).

Hoje, já são 32 emissoras na rede

de rádios, alcançando milhares

de ouvintes, de Xanxerê (SC), até

Bandeirantes (MS), ultrapassando

mil quilômetros de distância.

Ao longo dos anos, o Informativo

Coamo acompanhou

a evolução da cooperativa e foi

se modernizando, com a criação

de novos quadros, vinhetas

36 revista

novembro/2021


e melhorando sempre a qualidade,

com o foco em bem informar

cooperados, familiares e

a comunidade. Com a chegada

da internet, os ouvintes acompanham

o programa, também, por

meio dos sites da Coamo e das

próprias emissoras. Desta maneira,

podem ouvir o programa

na hora que quiserem e de onde

estiverem.

Mais de dez mil programas

já foram levados ao ar e

veiculados pela rede de rádios,

com o desafio de se comunicar

com uma "multidão invisível",

e informar o cooperado para

tomada de decisão por meio

de entrevistas, dicas, cotação

agrícola, calendário de plantio,

entre outros. Foram diversos os

temas abordados, centenas de

entrevistados, com o objetivo de

consolidar o trabalho da Coamo

para agregar valor à produção

dos cooperados.

Programa Informativo Coamo

começou no início da década de

1980

Atualmente são 32 emissoras,

alcançando milhares de ouvintes,

de Xanxerê (SC), até Bandeirantes

(MS), ultrapassando mil

quilômetros de distância

Mais de dez mil programas já

foram levados ao ar

Uma história contada

há 15 anos

Ouvir o Informativo Coamo acompanhado do chimarrão e da esposa Maria Teresinha faz parte

da rotina de todas as manhãs na casa do cooperado José Carlos Malaquias, em Bragantina (PR)

Nos 40 anos de Informativo,

foram milhares de histórias

contadas. Muitos ensinamentos,

informações e dicas aos ouvintes.

Assim foi com José Carlos Malaquias,

cooperado em Bragantina,

no Oeste do Paraná, que teve sua

história contada em 2006 pelo

programa. Na ocasião, o cooperado

contou que, aproveitando

as oportunidades, passou de

empregado em diversos sítios a

dono de suas próprias terras.

Na região do Rio Alívio,

Malaquias teve sua primeira

oportunidade, ao iniciar a sua

trajetória como funcionário de

uma propriedade local. Durante

dez anos, foi o responsável pelas

atividades da área. Até que, com

a mudança do patrão para Mato

Grosso, José Malaquias, arrendou

a propriedade. Com o rendimento

do trabalho, foi adquirindo

os talhões do sítio. Hoje ele é

dono das terras e comemora as

conquistas.

Esse foi um trecho da história

contada por ele, no rádio, há

15 anos. Hoje, Malaquias parabeniza

a Coamo pelo programa,

que ouve todos os dias ao lado

da esposa, Maria Teresinha. O

casal acorda cedo, prepara o chimarrão,

e se senta na varanda da

casa, do lado do rádio, para ouvir

as notícias da Coamo. “Sempre

estamos em audiência para nos

mantermos informados. São notícias

e histórias que servem para

novembro/2021 revista 37


ádio

HÁ 40 ANOS, PROGRAMA INFORMATIVO COAMO LEVA A MENSAGEM

DA COOPERATIVA AOS COOPERADOS DE FORMA RÁPIDA E ÁGIL

todos os produtores. Todos os dias ouvimos coisas

novas, e isso é muito bom para nós”, afirma.

Para a esposa, Maria Teresinha, as histórias

contadas no Informativo Coamo são enriquecedoras.

“Todos os dias ouvimos uma pessoa diferente

contando sua história, e sempre pegamos como

exemplo. Também gostamos de ouvir as dicas e os

preços dos produtos agrícolas. Quando o meu esposo

precisa sair mais cedo, já deixa avisado para eu

ouvir e repassar para ele”, conta Maria.

De acordo com Malaquias, as informações do

programa são de grande valia para tomar decisões na

lavoura. Ele é cooperado desde que a Coamo chegou

em Bragantina, e tem uma forte parceria com a cooperativa.

“Estava começando a minha vida, deixei de trabalhar

como funcionário e virei dono da minha terra. A

Coamo chegou na hora certa, pois me ajudou a crescer.

A assistência técnica me apoiou, e com meu trabalho,

cheguei aonde estou”, agradece o cooperado.

José Malaquias contou sua história no rádio pela primeira vez em 2006

A magia do rádio com parceria de sucesso

Ouvinte e parceira do Informativo

Coamo há mais de 15

anos, é a radialista e empreendedora

Helena Miura da Costa, diretora

da Rádio Vale Verde de Jesuítas

no Oeste do Paraná. “Para

falar dessa parceira entre a Coamo

e a nossa rádio, eu lembro da

forte presença do meu esposo

José Costa (fundador da rádio

Vale Verde - em memória). Era

um sonho dele. Ele fazia rádio

com tanta seriedade que queria

veicular uma programação para

que as famílias pudessem ouvir

e, também, queria levar a palavra

de Deus para os lares. Nesse sentido,

a Coamo com toda essa credibilidade

e responsabilidade,

estava sintonizada com nossos

princípios.”

A professora Helena é

apaixonada pela radiodifusão,

assim como era o seu marido. “A

magia do rádio existe. Um bom

exemplo, foi quando recentemente

passamos por um forte

temporal e nossa veiculação foi

interrompida por alguns dias.

Nossos ouvintes tinham acesso

à programação pelo site e redes

sociais. Mas, quando voltamos ao

ar, eles manifestaram muita alegria.

É diferente você ouvir uma

música pelo rádio, saber que tem

um locutor ali, que você não está

sozinho.”

A rádio Vale Verde veicula

o Informativo Coamo todas

as manhãs de segunda-feira a

sábado às 6h45min, pela frequência

96.5 MHz. “O estúdio 1

fica em Jesuítas e o 2 em Assis

Chateaubriand, temos também

um escritório em Toledo, mas o

38 revista

novembro/2021


sinal entra em mais de 100 municípios,

opera com uma potência

de 50.000 watts”, revela.

O aniversário do Informativo

Coamo também é motivo

de comemoração para a dona

Helena. “É uma alegria para a

Vale Verde ter na programação

o Informativo Coamo, soma para

nós e para o nosso ouvinte. O

Informativo Coamo é um programa

que vem evoluindo sempre. É

gostoso de ouvir e traz informações

importantes.”

Para a família

Para o assessor de Comunicação

da Coamo, Ilivaldo

Duarte, o rádio é um veículo de

comunicação que conta histórias,

informa e educa milhares

de pessoas. "O Informativo Coamo

é um programa que alcança

a família cooperativista e um

grande número de ouvintes das

comunidades onde a cooperativa

está presente. O rádio tem

uma grande força e penetração,

e com a chegada dos aplicativos,

da internet, é possível sintonizar

uma das 32 emissoras ou,

até mesmo, o site da cooperativa

para ouvir o programa de 15

minutos com informações de interesse

dos cooperados", afirma

Ilivaldo.

Segundo ele, o rádio

proporciona que produtores de

Mato Grosso do Sul possam ouvir

e aprender com produtores

do Oeste de Santa Catarina, ou

vice-versa, por exemplo. "Fazemos

um programa com visão

global sem perder o foco local",

explica Ilivaldo Duarte.

Helena Miura da Costa, diretora da Rádio Vale Verde, é ouvinte e parceira do Informativo Coamo há mais de 15 anos

Ligação

José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de Administração da Coamo

e da Credicoamo, destaca a importância do rádio para informar os cooperados

A cada novo plano de fornecimento

de insumos, por exemplo,

ou um projeto em benefício

dos cooperados, o rádio é um veículo

relevante que é utilizado para

que a notícia chegue rapidamente

aos cooperados. "Entre os valores

da Coamo estão a transparência

e o relacionamento com os cooperados.

Nesses 40 anos usamos

o rádio para informá-los sobre a

situação da cooperativa, da agricultura

e do próprio cooperativismo,

e das reuniões de campo com

grande participação da família

cooperativista. É uma ligação direta

pelas ondas do rádio", assegura

José Aroldo Gallassini, presidente

dos Conselhos de Administração

da Coamo e da Credicoamo.

novembro/2021 revista 39


coamo alimentos

Convenção apresenta novas

embalagens da linha alimentícia

A

Coamo realizou no dia 12 de novembro, a

1ª Convenção Virtual da linha alimentícia. O

evento foi ao vivo e reuniu 150 representantes

internos e externos de diversos Estados do país.

Durante o encontro, a diretoria conversou com os

participantes e lançou as novas embalagens dos

produtos da cooperativa. Além disso, a equipe de

marketing apresentou os resultados das campanhas

realizadas em redes sociais.

Um dos destaques do evento foi a explicação

da mudança da comunicação visual da Coamo.

“Foram reforçados os conceitos de marca e embalagem.

Apresentamos a campanha de comunicação

e marketing que inicia em fevereiro de 2022, em

diversos canais de mídia. A partir de agora, dentro

do processo de unificação de uma só marca, os con-

Equipe interna acompanhou a transmissão na sede da cooperativa

40 revista

novembro/2021


sumidores irão perceber, ver e ouvir o slogan

´Coamo. Alimentos que transformam vidas´,

dentro de uma nova fase para divulgação da

nossa alimentícia”, informa o gerente Comercial

de Alimentos, Wagner Schneider.

Segundo o presidente Executivo da

Coamo, Airton Galinari, essa é uma área que

está no DNA da cooperativa. “Está na nossa missão

gerar renda aos cooperados. Neste sentido,

os produtos alimentícios participam agregando

valor e essa composição de valores repassamos

ao produtor rural, melhorando preços, condições

e mantendo estabilidade de mercado. O

conjunto da verticalização e industrialização de

alimentos tem esse foco.”

Se fosse uma empresa, a área de produtos

industrializados da Coamo estaria entre as

200 maiores do país. “Com três bilhões de reais

de faturamento é um grande negócio da cooperativa

e, consequentemente, para o cooperado.

Por isso, é necessário ter essa proximidade

com a força de vendas, com os representantes

comerciais e funcionários internos e externos.

Anualmente expomos as políticas para o próximo

ano e temos essa interação, fundamental

para o nosso trabalho”, explica Galinari.

O diretor Comercial da Coamo, Rogério

Trannin de Mello, diz que a área de alimentos

tem expandido. “Sempre almejamos abrir novos

mercados, pois isso traz mais oportunidades de

comercialização para os cooperados. À medida

que a Coamo investiu em novas fábricas, fomos

atrás de mercados e novos clientes e apresentar

nossos produtos. Crescemos muito em Estados

que já atuávamos. Nos surpreendeu conseguirmos

ir para o Nordeste do Brasil e até mesmo

para outros países da América do Sul. Nossos

produtos foram até para o Caribe.”

Trannin enaltece ainda o trabalho

dos representantes comerciais. “São milhões

de consumidores do nosso óleo de soja, por

exemplo. Precisamos de uma equipe de vendas

capacitada e, por isso, valorizamos o trabalho

deles e os mantemos informados e alinhados

sobre as estratégias para conquistarmos

esses objetivos.”

José Aroldo Gallassini, presidente do Conselho de Administração da Coamo

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo

Rogério Trannin de Mello, diretor Comercial da Coamo

Wagner Schneider, gerente Comercial de Alimentos

novembro/2021 revista 41


parceria

Chef Taico na Coamo

Influencer esteve na cooperativa e elogiou a qualidade dos produtos

Chef Taico com o presidente Executivo da Coamo, Airton Galinari. Na visita, ele mostrou a placa que recebeu do YouTube, por ter um milhão de seguidores inscritos em seu canal

A

Coamo por meio da sua

linha alimentícia firmou

parcerias com influencers

para a produção de receitas. Um

deles é o Chef Taico, conhecido

não só no mundo digital como

também no televisivo. Ele esteve

na Coamo recentemente para

conhecer a fornecedora dos produtos

que hoje fazem parte do

seu dia a dia. Durante a visita,

Taico, passou na área Comercial

da cooperativa, onde cumprimentou

toda a equipe da força

de vendas. Ele também esteve

com o presidente Executivo da

Coamo, Airton Galinari.

Somando todas as suas

redes sociais – YouTube, facebook

e Instagram -, Taico conta

com mais de um milhão e meio

de seguidores. Além de ter um

programa na televisão aberta,

pelo SBT, com o nome de “Lembranças

com Água na Boca”,

que vai ao ar em todo o Paraná,

aos sábados às 10h (no interior)

e aos domingos às 9h30min (na

capital).

Durante a visita, ele mostrou

a placa que recebeu do You-

Tube, por ter um milhão de seguidores

inscritos em seu canal.

42 revista

novembro/2021


Taico esteve no parque industrial da Coamo, onde pode ver a qualidade dos processos industriais da cooperativa

Uma conquista que fez questão

de comemorar com a Coamo. “O

Chef Taico fala diretamente com

o nosso público, por isso, essa

marca é muito importante para

nós. Ele veio comemorar com

a gente e isso nos deixa muito

satisfeitos por ter essa parceria”,

afirma o gerente Comercial de

Alimentos, Wagner Schneider.

Taico também esteve

no parque industrial da Coamo,

onde pode ver a qualidade dos

processos industriais da cooperativa.

“Ele pode ver e comprovar

como é o processo e a tecnologia

dos produtos da cooperativa.

As vezes parece um produto

simples, mas por trás dele, existe

muito investimento e qualidade”,

explica o gerente Industrial de

Alimentos, Wellignton Brianezi

Cavazzani.

Para o influencer, o que

faz a diferença na Coamo é a

padronização. Por isso, ele valoriza

os produtos da cooperativa,

que tem origem e rastreabilidade.

Um diferencial, que inclusive,

permitiu que ele se desenvolvesse

na área de panificação.

“Eu não gostava de mexer com

confeitaria e padaria, por causa,

da instabilidade. Eu passava

uma receita de pão e ela não

Chef Taico conheceu o envase de óleo de soja refinado da Coamo

ficava boa em um outro momento.

A Coamo tem qualidade

desde a escolha da semente

que o agricultor planta. Isso

garante padronização, o que é

fundamental na gastronomia.

Só se padroniza por meio da

matéria-prima. Nesse ponto, os

produtos da Coamo são muito

eficientes e tem muita qualidade”,

revela Taico.

A visita às indústrias da

Coamo surpreendeu o Chef

Taico. “Fiquei encantado. Tudo

moderno e extremamente limpo.

Toda a estrutura do moinho

de trigo é suíça, país reconhecido

mundialmente no segmento.

Veio para cá o que é de melhor.

Com relação, ao óleo de soja, é

possível ver um produto claro e

leve, e isso para quem cozinha

dá um ponto de fumaça mais

elevado. Uma qualidade visível

em todas as plantas industriais.

São produtos que garantem um

excelente resultado final.”

novembro/2021 revista 43


44 revista

novembro/2021


cooperativismo

Coamo e Credicoamo sediam Encontro

de Núcleos Cooperativos Ocepar

José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de Administração da Coamo e Credicoamo,

Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo, e Alcir Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo

A

Coamo recebeu no dia 10 de novembro, na

modalidade virtual, o Encontro dos Núcleos

Cooperativos Norte/Noroeste, promovido

pelo Sistema Ocepar. O evento é promovido duas

vezes ao ano, com o intuito de debater regionalmente

assuntos de interesse do setor, por meio de propostas

de projetos e temas macro sobre economia,

agronegócio e tendências que impactam os negócios

cooperativos.

Aberto pelo presidente do Sistema Ocepar,

José Roberto Ricken, o evento abordou o processo de

concessão das rodovias paranaenses; o detalhamento

dos projetos do PRC200+, o novo planejamento

estratégico do cooperativismo paranaense; teve uma

palestra sobre as estratégicas de desenvolvimento no

cenário global, com o professor e reitor da Euro American

Business School, Pedro Martins; e a apresentação

dos resultados da pesquisa de imagem e posicionamento

das marcas das cooperativas do Estado

em 2021, pelo diretor do Grupo Datacenso, Cláudio

Shimoyama. Os dirigentes das cooperativas anfitriãs,

José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de

Administração da Coamo e Credicoamo, Airton Galinari,

presidente Executivo da Coamo, e Alcir Goldoni,

presidente Executivo da Credicoamo, falaram sobre a

atuação e a importância das cooperativas.

Ao abordar a pesquisa de imagem e posicionamento

do cooperativismo e suas marcas no

mercado paranaense, o diretor do Datacenso, Cláudio

Shimoyama, detalhou as etapas da realização

levantamento, público-alvo, e as conclusões do estudo,

que tem como escopo sugerir estratégias a

serem adotadas visando à divulgação dos produtos

e marcas das cooperativas, ressaltando qualidade e

credibilidade, com o intuito de ampliar a participação

e se firmar no mercado consumidor.

novembro/2021 revista 45


#NovosTempos #NovasSoluções

ADAPTABILIDADE

PRECISÃO

EFICIÊNCIA

RESULTADOS

Uma máquina desenhada

para atender, em cada detalhe,

as necessidades do produtor.

MERIDIA 200

3 corpos articulados entre si

e range de 25 graus que se adaptam

perfeitamente às condições de solo

e relevo da sua lavoura.

Disponibilidade de trabalho elevada,

excelente desempenho do fluxo de

palha e tecnologia de ponta para

garantir a mais alta qualidade nas

operações de plantio.

2dcb.com.br

Use o QR Code

e descubra a

Meridia 200.


econhecimento

Presidente do Sistema Ocepar é homenageado

com a Medalha do Mérito, pelo Crea-PR

O

presidente do Sistema

Ocepar, José Roberto

Ricken, foi homenageado

com a Medalha do Mérito

2020, concedida pelo Conselho

Regional de Engenharia e

Agronomia do Paraná (Crea-PR).

A cerimônia ocorreu no dia 10

de novembro, em Foz do Iguaçu,

quando a entidade premiou

profissionais e empresas em reconhecimento

pelos relevantes

serviços prestados à sociedade

e ao Sistema Confea/Crea. Os

homenageados foram indicados

pelas Câmaras Especializadas

e aprovados pela Comissão do

Mérito e pelo Plenário do Conselho

para receber a Medalha

do Mérito (para profissionais), a

Menção Honrosa (organizações)

e a inscrição no Livro do Mérito

José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar

Ricken foi homenageado com a Medalha do Mérito 2020, concedida pelo Crea-PR

do Crea-PR (profissionais in memoriam).

Devido à pandemia, o

evento deste ano contemplou as

homenagens referentes aos anos

de 2020 e 2021.

Ricken é graduado em

Engenharia Agronômica pela

Universidade Federal do Paraná

e mestre executivo em Gestão

Empresarial pela Fundação Getúlio

Vargas. Iniciou seu trabalho

em 1980 como responsável técnico

pela produção de sementes

na Cooperativa Agropecuária

Vale do Piquiri, em Palotina (PR),

hoje C.Vale. Teve passagens pela

Acarpa/Emater-PR, Organização

das Cooperativas Brasileiras

(OCB) e Departamento de Cooperativismo

e Associativismo Rural

(Denacoop), do Ministério da

Agricultura. Foi superintendente

do Sistema Ocepar antes de assumir

o cargo de presidente da

entidade, onde cumpre seu segundo

mandato até 2023.

O presidente do Crea-

-PR, Ricardo Rocha, em nome dos

chanceleres presentes, agradeceu

“às Comissões que tiveram

este trabalho árduo de análise e

escolha, muitas vezes são excelentes

profissionais indicados e

é preciso escolher um entre cada

categoria por modalidade, além

das empresas, que são referências

para nós. Fico feliz também

em ver a diversidade de homenageados,

empresas bastante reconhecidas,

instituições e ensino.

Aproveito a oportunidade para

parabenizar todos os funcionários

por realizar esse desafio dos

eventos que iniciam neste momento”,

destacou.

Fonte: Assessoria de Comunicação Sistema Ocepar

novembro/2021 revista 47


Férias em segurança

Em suas férias, proteja sua

família e seus bens, esteja

seguro por meio de um

bom planejamento das atividades

relacionadas a este período

de descanso com a sua família.

Este planejamento inicia

com a escolha do destino que

será visitado, posteriormente

deve-se considerar as atividades

que serão realizadas, e em seguida

poderá analisar e contratar os

seguros para proteger seus bens

e as pessoas que são importantes

para você.

A Via Sollus Corretora de

Seguros na busca da tranquilidade

apresenta alguns seguros que

poderão lhe ajudar a tornar este

momento especial e tranquilo,

evitando dores de cabeça desnecessárias

durante as viagens

de férias, e garantindo que você

e sua família consigam aproveitar

48 revista

novembro/2021


via sollus

Contrate seu seguro com a

Via Sollus nas agências da

Credicoamo e unidades da Coamo

ao máximo e não se preocupando

com os imprevistos.

Seguro Auto

O seguro Auto tem como

principal objetivo proteger o seu

veículo, de situações em que haja

prejuízos por acidentes, incêndios,

roubo ou furto, bem como

assegurar a vida e bens de terceiros.

Além das coberturas especiais

e assistências que visam

trazer mais tranquilidade e comodidade

para os acionamentos em

caso de sinistros e assistência.

Seguro Carta Verde

O seguro Carta Verde cobre

prejuízos ocasionados pelo

dono do veículo ou pelo condutor

para terceiros enquanto

transita nos países do Mercosul

(Argentina, Paraguai e Uruguai),

podendo ser danos materiais,

danos corporais e/ou morte. Este

seguro é exigido nas fronteiras,

podendo o veículo ser impedido

de circular no país de destino

sem a sua apresentação. Lembrando

que este seguro pode

ser contratado juntamente com

as coberturas convencionais

do seguro auto, ou também ser

contratada de forma individual

para um prazo específico em que

ocorrerá a viagem aos países do

Mercosul.

Seguro Viagem

O seguro-viagem garante

ao segurado indenização no

caso da ocorrência de acidentes

pessoais (cobertura de morte e

invalidez permanente por acidente),

e reembolso de despesas

médicas e hospitalares durante

período da viagem.

Seguro para Equipamentos Portáteis

Este seguro ampara

equipamentos eletrônicos, que

podem ser smartphones, tablets,

câmeras fotográficas, notebooks,

dentro outros, contra danos físicos

ou subtração com vestígios

do bem, onde haja o prejuízo

comprovado ao segurado.

Seguro Residencial

O seguro residencial é

um produto destinado para a

proteção de residências individuais,

condomínios fechados ou

apartamentos. Podendo ser contratado

com cobertura do prédio,

do conteúdo do imóvel ou

dos dois.

Além das coberturas básicas

para o imóvel e seu conteúdo,

o segurado poderá contratar

um pacote de serviços, o que

torna o seguro muito útil para as

assistências do dia a dia.

Seguro de Vida

Seguro de vida é um produto

que assegura o pagamento

de um valor para os beneficiários

caso o segurado faleça por

morte natural ou acidental, ou ao

próprio segurado em caso de Invalidez

permanente.

Cabe lembrar que há

possibilidade de contratação

de coberturas especiais para

pagamento de indenizações

em casos específicos, como

por exemplo, o pagamento

antecipado de uma indenização

em caso de diagnóstico de

doenças graves.

novembro/2021 revista 49


informe técnico

Potenciais desafios fitossanitários para a safra de soja

A

safra de soja 2021/22 está iniciando no Brasil. Atualmente,

a área plantada é de aproximadamente 38

milhões de hectares, com potencial para atingir 40

milhões de hectares. Expansão puxada pelos preços favoráveis

da commodity e alta na demanda global por alimentos.

Vários são os desafios que os produtores rurais

enfrentam. Alguns são conhecidos, como o capim-amargoso

e a buva, principais plantas daninhas dos Estados

do Sul do Brasil, além da ferrugem-asiática, doença com

o maior potencial de dano se não manejada pelos programas

de fungicidas. Pensando em pragas, os desafios são

com o controle de percevejos e suas diversas espécies ao

longo do ciclo do cultivo.

Existem ainda outros desafios que merecem

atenção, para antecipar dificuldades em relação ao manejo

e controle ao longo da safra de soja que inicia, sendo

estes: O caruru (Amaranthus hybridus) resistente ao glifosato

e herbicidas ALS; Uma “nova” espécie de lagarta-falsa-medideira

(Rachiplusia nu) que tem sido relatada pela

falta de controle em cenário de soja com genética para

controle de lagartas; A mancha-alvo (Corynespora cassiicola)

que é uma doença emergente nas últimas safras e

que tem apresentado dificuldade de ser manejada por algumas

das carboxamidas e estrobilurinas atualmente no

mercado.

Caruru

(Amaranthus hybridus)

“Nova” falsa-medideira

(Rachiplusia nu)

Mancha-alvo

(Corynespora cassiicola)

Todos têm alternativas de manejo e controle. Se

utilizados de maneira correta entregam o controle esperado

e, também, além das informações a seguir, poderão

ser discutidas com o engenheiro agrônomo responsável

técnico.

Caruru: resistente ao glifosato e ALS

A ocorrência de Amaranthus hybridus com resistência

múltipla aos herbicidas glifosato e aos inibidores de

ALS na região Sul do Brasil, vem causando grande impacto

para os produtores. É uma planta anual, herbácea, com

caule ereto, que apresenta variabilidade de cores, desde

o verde até o vermelho-púrpura. Tem grande capacidade

de competição por água, luz e nutrientes e apresenta crescimento

rápido. A identificação no campo dessa espécie

pode ser difícil devido à similaridade entre as espécies

dentro do gênero Amaranthus.

No mundo, já foram relatados 32 casos de resistência

distribuídos em onze países. Estes casos foram reportados

a cinco diferentes modos de ação: Inibidores da

ALS, EPSPS, PROTOX, fotossistema II e mimetizadores de

auxinas. No Brasil, o primeiro relato de A. hybridus resistente

foi em 2018, sendo um caso de resistência múltipla a

glifosato e clorimuron, identificado no município de Pelotas,

no Rio Grande do Sul.

Desde o primeiro relato, o número de áreas com

falhas de controle de caruru a glifosato e inibidores de

ALS, vêm crescendo, principalmente nos Estados do Rio

Grande do Sul e Paraná. A dispersão rápida de caruru resistente

preocupa produtores e pesquisadores, que buscam

maneiras eficientes de controle para evitar prejuízos.

A dinâmica do fluxo de emergência dessa planta

daninha é um fator que dificulta o controle, tornando o

uso de herbicidas pré-emergentes indispensáveis no manejo

eficiente de A. hybridus. A adoção de herbicidas pré-

-emergentes permite a rotação de diferentes mecanismos

de ação, diminui o banco de sementes e reduz a matocompetição

inicial, permitindo que a cultura se desenvolva

no limpo.

O manejo químico adequado de caruru resistente

inclui as seguintes práticas: dessecação eficiente da área

(manejo pré-semeadura), uso de herbicidas pré-emergentes

e aplicação de herbicidas em pós-emergência da

cultura. Mas, além do manejo químico, outras práticas são

fundamentais para o controle do caruru, como: rotação de

culturas, semeadura no limpo, uso de sementes certificadas,

evitar pousio, rotacionar modo de ação dos herbicidas

aplicados, plantar na época correta, eliminar escapes

de plantas daninhas, realizar a limpeza de maquinário e

50 revista

novembro/2021


fazer o uso correto das tecnologias de aplicação, visando

a máxima eficiência dos produtos.

Rachiplusia nu: uma “nova” falsa-medideira

As lagartas que causam a desfolha de plantas

de soja, já são velhas conhecidas. Porém, uma descoberta

recente verificou a ocorrência de uma “nova” espécie

de falsa-medideira, chamada Rachiplusia nu, a qual ataca

plantas de soja Bt (que possui a tecnologia Cry1Ac).

No estudo que verificou essa ocorrência da lagarta

Rachiplusia nu, foram coletadas lagartas de cultivos

de soja Bt que estavam apresentando escapes de controle

nos Estados de Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

O primeiro passo foi determinar se as lagartas eram

da espécie Rachiplusia nu, pois visualmente essa espécie

pode ser confundida com as lagartas da espécie Chrysodeixis

includens. Estudos moleculares feitos na estação da

Syngenta em Uberlândia/MG, confirmaram que as lagartas

eram da espécie Rachiplusia nu, e que as plantas de

soja em que as lagartas estavam sobrevivendo eram Bt,

ou seja, expressavam a proteína Cry1Ac. Os pesquisadores

observaram ainda, que nos testes em laboratório, ao

fornecerem folhas de soja Bt para essas lagartas, elas também

se alimentaram e sobreviveram.

As cultivares de soja Bt possuem diferentes tecnologias,

sendo o Cry1Ac uma delas. Devemos ressaltar que

esse relato é sobre lagartas Rachiplusia nu ocorrendo em

soja Bt com a tecnologia Cry1Ac. Já lagartas da espécie

Chrysodeixis includens são controladas pela tecnologia

Cry1Ac na cultura da soja.

Historicamente, a ocorrência da espécie Rachiplusia

nu era limitada nos Estados do Sul do Brasil e na Argentina.

O controle dessas lagartas da espécie Rachiplusia

nu nos Estados brasileiros em que foram detectadas,

é também necessário para evitar a dispersão para outras

regiões. Considerando que cerca de 80% da área de soja

no Brasil é cultivada com soja Bt, este novo relato representa

um alerta para que medidas adicionais de monitoramento

e controle sejam implementadas na safra 21/22.

É importante utilizar diversas táticas de controle dentro do

MIP, como o uso de inseticidas de alta eficácia, a fim de se

manter o alto teto produtivo das lavouras.

A última safra de soja foi marcada por déficit

hídrico e atraso de plantio nas principais regiões produtoras,

principalmente no cerrado brasileiro. Este cenário

propiciou atraso nas aplicações, maior ocorrência de manchas

foliares como Septoriose e Cercosporiose e aumento

da pressão de macha-alvo com destaque nos Estados do

Sudeste, além do avanço em novas áreas do Paraná.

A mancha-alvo, causada pelo fungo Corynespora

cassiicola é uma das principais doenças da cultura da soja.

Os sintomas típicos da doença incluem lesões iniciais com

pontuações pardas e halo amarelado, evoluindo para grandes

manchas circulares, de coloração castanho-clara a castanho-escura

e, em casos mais severos, a desfolha prematura.

A Corynespora cassiicola vem se destacando safra

após safra. Isso se deve ao aumento do uso de cultivares

suscetíveis, pela perda de resistência das cultivares devido

à maior presença do patógeno no campo, agravada

pelo plantio sucessivo da soja com culturas que também

são atacadas pelo fungo e pela capacidade de sobreviver

em resíduos culturais e sementes infectadas. Os danos

ocasionados pela doença podem representar perdas de

até 40% da produtividade da soja.

Além das boas práticas agrícolas já conhecidas, o

controle químico é a principal ferramenta no controle da mancha-alvo.

Contudo, o uso intensivo de fungicidas que contenham

um mesmo ingrediente ativo ou pertençam ao mesmo

modo de ação, gera alta pressão de seleção sobre as populações

de fungos, promovendo a multiplicação daqueles indivíduos

menos sensíveis, resultando na evolução da resistência.

Segundo o Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas,

as mutações mais observadas no campo são a

G143A, que conferem forte resistência a Estrobilurinas (Picoxistrobina,

Trifloxistrobina, Azoxistrobina, Piraclostrobina).

No caso das Carboxamidas (Fluxapiroxade e Bixafen)

a redução de sensibilidade é causada pelas mutações B-

-H278Y e C-N75S, que vêm sendo monitoradas anualmente,

desde a identificação na safra 2018.

Diante deste cenário, é imperativo que o manejo

deste patógeno ocorra sempre de forma preventiva e ao

longo de todo o ciclo da cultura. Em relação às aplicações de

fungicidas, realizar a associação de diferentes modos de ação

como, por exemplo, o protioconazole e utilizar fungicidas multissítios

(chlorothalonil e mancozebe) em combinação com os

fungicidas principais. Tais práticas controlam a doença e evitam

a propagação de populações menos sensíveis.

Mancha-alvo: cenário e manejo

Rodolfo Schiochet, Ricardo Desjardins Antunes,

Leandro Valerim e Eduardo Ozório

Syngenta Proteção de Cultivos Ltda.

novembro/2021 revista 51


visitas

Fatos & Fotos

As diretorias da Coamo e da Credicoamo receberam recentemente visitas de diretores

dos bancos Bradesco (foto acima) e Itaú (foto abaixo). O objetivo das visitas institucionais

foi fortalecer as parcerias para planejamento das atividades nos próximos ano.

52 revista

novembro/2021


Dirigentes das cooperativas gaúchas

Coopermil e Cotrirosa, de Santa Rosa,

Cotripal, de Panambi, e Copatrigo, de

São Luiz Gonzaga. Eles visitaram a Coamo

para conhecer experiências na área

de industrialização da soja visando a implantação

futura de indústria.

Visita de rotarianos do Distrito 4630.

Elói Bonkoski (futuro governador

2022/2023), Joel Severino (governador

2020/2021) e Wilson Pereira de Godoy

(governador 2021/2022), recepcionados

por José Aroldo Gallassini, um dos

fundadores do Rotary Clube de Campo

Mourão, um dos mais antigos do Distrito.

Recentemente, a Coamo recebeu homenagens das empresas Spraytec (foto a esquerda) e

da Bayer (foto a direita) pelas parcerias de sucesso ao longo das últimas décadas.

novembro/2021 revista 53


eceita

Confira o

deo da

receita:

Sonho

de Padaria

Ingredientes

Massa:

3 xícaras chá

4 colheres sopa

1/2 colher chá

1 envelope

1 unidade

1 xícara chá

3 colheres sopa

Farinha de Trigo Coamo Tradicional

Açúcar

Sal

Fermento biológico seco

Gema

Leite morno

Margarina Coamo Cremosa

Modo de preparo

Recheio:

1 caixa

1 unidade

300 ml

2 colheres sopa

1 colher sopa

1 colher chá

1 caixa

Em uma tigela, coloque os ingredientes da massa: Farinha de Trigo Coamo

Tradicional, açúcar e sal. Abra um buraco no meio e adicione fermento, gemas,

Margarina Coamo Cremosa e leite morno. Misture tudo e, quando ficar pesado,

coloque em uma superfície reta e sove por 20 minutos ou até que a massa fique

lisa e elástica. Coloque em uma tigela, cubra com um pano e deixe crescer em

local bem quentinho por 40 minutos ou até dobrar de tamanho.

Enquanto isso, vamos fazer o creme: leve ao fogo uma panela com leite

condensado, leite, Margarina Coamo Cremosa, farinha e gema. Vá mexendo e

cozinhe até ficar bem cremoso. Adicione a essência, desligue o fogo, coloque

o creme de leite e misture bem. Deixe o creme coberto por um plástico para

esfriar. Assim que sua massa crescer, pegue pedaços da massa e modele uma

bolinha. Coloque em uma forma e deixe crescer por 30 minutos. Frite em Óleo

de Soja Coamo quente até ficar bem dourado, espere esfriar, recheie com o

creme e polvilhe um pouco de açúcar de confeiteiro (pode ser açúcar refinado).

Pronto, é só aproveitar!

Acesse os nossos canais:

/coamoalimentos @coamoalimentos /coamoalimentos

Leite condensado

Gema

Leite

Farinha de Trigo Coamo Tradicional

Margarina Coamo Cremosa

Essência de baunilha

Creme de leite

AF01 COI002421L An Receita Sonho Padaria Coamo 210x280mm.indd 1 09/11/21 10:49

54 revista

novembro/2021


Comemoramos nossos

51 anos cheios de transformação,

melhorando a cada dia a vida de

muitas famílias.

Ao longo dos anos, estivemos ao lado dos cooperados,

fornecendo todo o suporte necessário para o seu negócio.

Mais que um atendimento, oferecemos acolhimento.

É assim, com amizade e confiança, que a nossa parceira

colhe os frutos. Conquistamos resultados históricos e

seguimos nos transformando e evoluindo para celebrar

novas vitórias no futuro.

Parabéns aos nossos cooperados, parceiros, clientes e

consumidores.

A vida é a gente que transforma.

More magazines by this user
Similar magazines