23.02.2022 Views

BALCONISTA S/A - Edição 32

Está no ar a 32ª edição da revista Balconista S/A! Lançamos a primeira Balconista S/A de 2022 anunciando a boa nova da SK para as mídias sociais: a TV Mobility. Você também vai conhecer Angra Omena, a mulher que trocou o consultório pelo balcão de autopeças, além de conferir alguns dos principais carros a entrarem no mercado nacional. Na seção Placa Preta, temos conteúdo em dobro: a vibração de um apaixonante Ford Mustang Fasback 1967, reforçado com o peso do Scania Vabis 1970. Boa leitura!

Está no ar a 32ª edição da revista Balconista S/A!

Lançamos a primeira Balconista S/A de 2022 anunciando a boa nova da SK para as mídias sociais: a TV Mobility. Você também vai conhecer Angra Omena, a mulher que trocou o consultório pelo balcão de autopeças, além de conferir alguns dos principais carros a entrarem no mercado nacional. Na seção Placa Preta, temos
conteúdo em dobro: a vibração de um apaixonante Ford Mustang Fasback 1967, reforçado com o peso do Scania Vabis 1970.

Boa leitura!

SHOW MORE
SHOW LESS

Do you know the secret to free website traffic?

Use this trick to increase the number of new potential customers.

UM PROJETO DE:

5G E O SETOR

AUTOMOTIVO

O impacto da nova

tecnologia no trânsito e

na indústria.

DO CONSULTÓRIO

AO BALCÃO

A pandemia como divisor

de águas na vida de

Angra Omena.

PLACA PRETA

Ford Mustang e

Scania Vabis

1


2

3


DIRETOR DE PLANEJAMENTO:

FABIO LOMBARDI

DIRETOR DE CRIAÇÃO:

GABRIEL CRUZ

42 22

5G e o

setor

automotivo

Saiba como a nova

tecnologia poderá

impactar o trânsito

e a indústria.

DO CON-

SULTÓRIO AO

BALCÃO

Conheça Angra

Omena, que

abandonou a carreira

de dentista para tocar

uma autopeças em

Manaus.

CONSULTOR EDITORIAL:

CLAUDIO MILAN

DIRETOR DE ARTE:

PEDRO GUILHERME

EDITOR-CHEFE:

LUCAS CAETANO

JORNALISTAS:

FERNANDA ROSENDO

LUCAS CAETANO

MANUELA MONTEZ

RENAN NIEVOLA

STÉPHANY NUNES

EQUIPE DE ARTE:

ISABELA GOMES

EQUIPE SK:

CEO:

GERSON PRADO

DIRETOR DE VENDAS E

COMUNICAÇÃO CORPORATIVA:

FLÁVIO PORTELA

6

WIKIPEÇAS

FATOS

Válvula termostática:

informações

e cuidados

necessários.

4

9 20

PLACA

PRETA

Em dose dupla: Ford

Mustang 1967 e

Scania Vabis 1970.

8 OU 80

Diferenças entre

pastilhas de freio

metálicas e de

cerâmica.

28 30

TV

MOBILITY

Está no ar o novo

canal de mídia da SK.

POR DENTRO DO

MERCADO

Lançamentos de carros

previstos para 2022

40

E

BOATOS

O que é verdade e o

que é mito sobre as

rodas de liga leve.

GERENTE DE MARKETING :

FERNANDO OLIVEIRA NETO

5


WIKIPEÇAS

Um dos componentes mais importantes

do sistema de arrefecimento, a válvula SINAIS DE

termostática é responsável por

manter a temperatura do motor dentro DESGASTE

dos parâmetros especificados pelo

O alto consumo de combustível ou a luz da temperatura

fabricante do veículo, seja qual for a

acesa no painel são um dos principais – e visíveis – alertas

condição de uso.

que o motorista recebe. Nesses casos, o ideal é levar o

Desse modo, a peça bloqueia ou libera a

veículo imediatamente para uma oficina de sua confiança.

passagem do líquido de arrefecimento

Para preservar a válvula, a dica é sempre

para o radiador, exercendo também

Defeitos na válvula costumam remeter ao superaquecimento,

manter o fluido de refrigeração com o

um papel fundamental para reduzir a

de modo que o líquido circule apenas pelo motor, obstruindo

aditivo correto. Também vale reforçar

emissão de poluentes e o consumo de

a conexão do circuito do radiador, aumentando, assim, a

aquela velha dica: não deixe de levar seu

combustível. Isso porque ela mantém

temperatura. Mas também pode haver o contrário, ou seja,

a temperatura ideal de operação do

veículo para a manutenção preventiva.

motor, evitando o superaquecimento.

um excesso de refrigeração enquanto a válvula estiver

aberta ou se ela for retirada.

Você irá evitar dores de cabeça e gastos

desnecessários.

ÁLVULA

Por fim, jamais retire a válvula sem

trocar a carcaça de plástico presa ao

motor – onde geralmente a peça fica

acoplada. Caso contrário, o plástico estará

suscetível a ressecar e trincar em função

das alterações térmicas.

ERMOSTÁTICA

SISTEMA DE

ARREFECIMENTO

Além da válvula termostática, o conjunto conta com os

seguintes itens: bomba d’água; sensor de temperatura;

reservatório; radiador; aditivo, e ventoinha. O sistema

recebe esse nome devido à função de manter a

temperatura ideal do motor, que não consegue controlar

o próprio calor por si só.

CUIDADOS

NECESSÁRIOS

Além disso, ele é fundamental para aumentar o ponto de

ebulição da água – que, assim, passa a ferver acima dos

100 ºC, evitando a corrosão do motor.

WIKIPEÇAS7

6

1 27


PLACA

PRETA

FORD MUSTANG FASTBACK 1967

SCANIA VABIS 1970

Em dose dupla, a pão de ló

A seção Placa Preta não poderia começar

2022 em melhor estilo: com um

dos clássicos mais desejados pelos

colecionadores somado a um reforço

de peso. Isso sem contar a surpresa

que os próximos meses devem reservar,

como você verá até o fim desta

matéria.

Valter Fernandes, 65 anos, nos brinda

não apenas com o carro Ford Mustang

Fastback 1967, dono de uma apaixonante

cor vermelha, como também

apresenta o caminhão Scania Vabis

1970, que reluz a vibração da sua tonalidade

laranja.

Empresário no ramo de transportes

desde 1986, Valter absorveu do pai o

conhecimento pelos carros e a mecânica

automotiva. Este pai, por vários

anos dono de oficina, passou a contar

com a ajuda do filho em 1962, no

que podemos chamar, literalmente, de

uma paixão desde criança.

8

9


FORD MUSTANG

Valter tem o Mustang há 26 anos,

e, ao que consta, é o segundo

dono do veículo. Seu Fastback é

100% original, com motor V8 302

5 litros injetado, 40 cavalos, caixa

Tremec 5, diferencial Fomoco blocante,

balanceiro roletado e freio

a disco nas quatro rodas.

DUREX VOLTOU!

Feita para durar.

O interesse em adquirir o icônico

modelo da Ford se arrastou por

muito tempo, estimulado por um

exemplo na própria família.

“Meu irmão mais velho tinha um

Mustang 1966 2+2 preto, mas

vendeu para comprar a primeira

casa para morar. E como eu tinha

só 16 anos na época, não havia

possibilidade de comprar”, conta.

Mas a ideia persistia e seguia

amadurecendo; bastava atingir

a fase adulta e esperar alguma

oportunidade – quesito este um

pouco mais complicado, dada a

raridade do produto no Brasil.

Também por isso, dificilmente há

exemplares disponíveis.

“Eu conhecia o dono e tentei

comprar o carro por algumas vezes,

até que em dado momento

ele resolveu vender. Naquele

período eu tinha uma Dodge 100

1971, e consegui vendê-la rápido

para comprar o Mustang. Agora,

está aí comigo, tratado a pão

de ló, e vai ficar para a família. É

inegociável”, relata Valter.

TRADIÇÃO

Quase 90 anos de história, a

primeira marca de bateria no Brasil.

MAIOR GARANTIA

DO MERCADO

24 meses para a linha Premium e

18 meses para a linha Classic.

DURABILIDADE

EXTRA

Design moderno que garante

mais durabilidade.

Tecnologia avançada com os

mais altos padrões de qualidade

e desempenho.

Livre de manutenção

10

11


SCANIA VABIS

Não que o Mustang já não represente um peso considerável

às nossas páginas, mas quando o acréscimo de carga é algo,

nesse caso, literal, o reforço é muito bem-vindo. Importante

nome da linha pesada, o Scania Vabis é outra atração na

garagem de Valter.

“Eu usava o Scania para viajar transportando macarrão

quando trabalhava na Adria (empresa de alimentos). E foi

ele quem marcou o início da minha transportadora.”

Raro atualmente e 100% original, o caminhão possui motor

6 cilindros, câmbio de 5 marcas, diferencial com duas coroas,

além de oferecer bastante força, apesar da baixa velocidade.

A exemplo do Mustang, o Vabis destina-se a exposições e

passeios, demandando os mesmos cuidados do automóvel:

“uma volta por semana para funcionar freio, motor e movimentar

o equipamento”, diz Valter.

Desde a compra do Mustang,

Valter fez duas reformas no

veículo, para fins de manutenção.

Em relação aos cuidados

cotidianos e aos locais onde o

automóvel circula, ele explica:

“Costumamos levá-lo a passeios

ou encontros no interior.

No dia a dia, deixo na garagem

aqui da empresa, guardado e

coberto. Ligamos uma vez por

semana para dar uma volta e

manter o funcionamento dos

freios, da suspensão, e não

apenas do motor. É preciso cuidar

também do sistema hidráulico,

tudo direitinho.”

Além disso, ao longo da história

de sua relíquia Valter já levou

17 noivas – filhas de amigos

- à igreja para casar.

12

13


Leia o QR Code e

baixe o catálogo

Schaeffler

Novo Catálogo Eletrônico:

simples e completo

A Schaeffler preparou mais uma novidade para o mercado de reparação automotiva,

o seu novo catálogo eletrônico na versão mobile e desktop.

Com um formato simples e mecanismo de busca inteligente, o novo catálogo possibilita

o acesso ao portfólio completo das marcas LuK, INA e FAG. Faça o download e encontre

a solução de manutenção adequada para cada veículo.

0800 011 10 29 | 15 99798.6385

sac.br@schaeffler.com

www.schaeffler.com.br

/SchaefflerBrasil

/Company/Schaeffler

repxpert.com.br

Faça revisões em seu

veículo regularmente.

14

15


A OFICINA E O PROJETO

DE OUTRO CLÁSSICO

O fundo do pátio da transportadora abriga

uma oficina onde Valter faz todos os reparos

dos seus veículos.

Entre os itens que compõem o ambiente,

chama atenção um torno Imor de 1 metro e

meio entre pontos, comprado em 1957 pelo

pai de Valter, justamente no ano de nascimento

do filho.

“Foi nessa máquina que eu e meus irmãos

aprendemos a trabalhar desde pequeno;

por isso, mantenho-o até hoje. Ele nos ajudou

muito.”

Além disso, há um lugar especial para pendurar

as placas dos veículos que foram reformados

na oficina, incluindo o Mustang

e o Vabis.

Tivemos, por fim, a oportunidade de esbarrar

com outro clássico em plena construção,

suspenso bem à porta da oficina.

Valter está montando um Ford GT40 1967

– aquele mesmo do filme Ford vs Ferrari,

estrelado por Matt Damon e Christian Bale.

A tendência é que o carro fique pronto em

março, quando, evidentemente, será submetido

ao emplacamento na cor preta.

“Já mandamos todo o material dele para

zincagem, para garantir proteção. E agora

vou para seguir a montagem”, planeja.

16

17


18

19


OU

Presente nos veículos em escala industrial desde a década de 1950, o

sistema de freios a disco representou uma maior segurança ao processo de

frenagem. Na maioria da frota, o conjunto é utilizado nas rodas dianteiras.

Entre seus componentes estão as pastilhas de freio, cuja função é diminuir

a rotação das rodas e reduzir a velocidade da máquina, enquanto seu

desgaste ocorre de forma proporcional ao uso do freio. Existem quatro

tipos delas, com destaque para as metálicas e as de cerâmica. Vamos,

então, comparar esses dois modelos, mostrando seus principais prós e

contras, para que você veja qual é o mais indicado ao seu veículo.

Maior suavidade

e precisão

Indicadas para automóveis

de alto desempenho

P

A

S

T

I

L

H

A

S

Boa relação

custo-benefício

Emite ruídos conforme

o desgaste

Não absorvem

água da chuva

Mais resistente

e durável

P

A

S

T

I

L

H

A

S

M

E

T

A

L

I

C

A

S


Indicada para veículos

pesados

Manutenção acessível

Compostas de latão, ferro ou alumínio, as pastilhas metálicas são

recomendadas para veículos mais pesados. Suas principais vantagens

correspondem ao custo-benefício na relação entre preço, durabilidade e

acessibilidade à manutenção. Mas, devido ao peso, a peça tem dificuldade

em controlar o consumo de combustível, além de apresentar ruídos conforme

o desgaste - o que, no entanto, ajuda a identificar a hora certa de trocá-la.

Construídas com fibras de cerâmica, enchimentos não ferrosos e

agentes de ligação, essas pastilhas se destacam pela ótima dissipação

do calor, o que garante alta performance, durabilidade e segurança.

Nesses quesitos, trata-se das melhores do mercado. Porém, até por

ser indicada para automóveis de alto desempenho, a peça é muito mais

cara, além de não ser compatível com qualquer modelo de veículo.

D

E

C

E

R

A

M

I

C

A

>

20

21


DO CONSULTÓRIO

ÀS AUTOPEÇAS

Como o setor automotivo revolucionou a vida de Angra, uma balconista realizada.

Sobre esse receio de se tornar

balconista, Angra recorda a dedicação

e as pesquisas, especialmente

para manter as redes sociais

ativas; afinal, fazer postagens

das peças requer conhecer suas

informações.

Isso não significava abrir mão da

carreira para a qual se formou na

universidade. No entanto, retomar

aquele caminho era uma questão

complicada devido à circulação do

coronavírus em níveis alarmantes.

Diante do cenário, o Conselho

Federal de Odontologia decidiu

interromper a atuação presencial

dos dentistas, salvo emergências.

A Avenida Governador José Lindoso,

também conhecida pela

população local como Avenida

das Torres, é uma via arterial

da cidade de Manaus, capital

do Amazonas. Naquele logradouro

nasceu a AM Auto Peças,

loja idealizada por Anderson

Matos de Albuquerque (34),

onde trabalha com sua esposa

Angra Lucas Omena (27), nossa

entrevistada.

O comércio de autopeças no

município era escasso antes

da pandemia de Covid-19. Na

época, Angra havia acabado de

concluir a faculdade de odontologia,

e dava seus primeiros

passos na profissão. Entretanto,

o sonho do marido sempre

foi abrir a própria loja de componentes

veiculares para atingir

um público que não encontrava

o serviço tão facilmente.

O desejo surgiu após atuar

como mecânico por 15 anos.


Com a pandemia não era viável retornar

para a minha profissão, mas até o

momento eu estou me sentindo muito

mais realizada hoje, trabalhando junto

com meu esposo. Eu gosto de atender o

público e lidar com pessoas. A vida me

trouxe para cá, e hoje nós vivemos de

peças, e não de dente.


22

23



No dia a dia da loja, Angra revelou

passar por várias situações inusitadas.

Em uma delas, recentemente,

dois motoristas que colidiram seus

veículos chegaram na AM Auto Peças

extremamente bem humorados, brincando

com a episódio e conversando

em tom de coleguismo.

O MACHISMO NA PROFISSÃO

Mesmo em um mercado ainda dominado

pelos homens, Angra revelou nunca

ter sofrido preconceito direto; mas,

quando atende o telefone da loja, é

comum que a pessoa do outro lado da

solicite a ela que chame um vendedor

homem.

“Já chegaram no balcão também pedindo

para eu chamar o vendedor. Eu

digo ‘pois não, sou a vendedora’. Em

seguida o cliente comenta: ‘É? Então

vamos ver se você sabe mesmo’.”

“Foi um atendimento super tranquilo.

Foi interessante demais essa

situação entre os dois. Normalmente,

as pessoas ficam chateadas

umas com as outras em casos de acidente.

Mas eles não. Eu servi café e

eles estavam super amigos”, relata.

Bom atendimento é tudo

Apesar desses questionamentos desdenhosos,

a balconista diz contornar

bem a situação. Isso porque, segundo

ela, após passar a devida segurança

de que entende do assunto, o cliente

muda de postura e passa a respeitar o

atendimento.

Angra também ressaltou que é difícil

mulheres buscarem a loja presencialmente,

optando por tirarem suas dúvidas

pelo canal do Whatsapp. Porém,

quando vão ao balcão, sentem-se bem

mais confortáveis ao serem atendidas

por uma pessoa do mesmo gênero.


Pelo Whatsapp a gente busca

dar ainda mais atenção,

principalmente para as mulheres

que não costumam entender

tanto de autopeças. Uma vez,

uma cliente perguntou se havia

na loja o para-choque do Gol, e eu

confirmei que tínhamos dianteiro

e traseiro. Ela me perguntou: ‘mas

o que é dianteiro?’. Nesses casos,

um homem teria muito menos

paciência para explicar”, lembra.

24

25


NO BALCÃO, REALIZADA

necessariamente ser realizada na profissão.

Sou realizada hoje com o que fazemos.”

Hoje, os olhos de Angra não brilham mais

quando o assunto é retornar à profissão de

Para os clientes, ficam a confiança e a quali-

dentista. Seu foco é fazer a AM Auto Peças

dade de atendimento, já que o intuito é solu-

BOM ATENDIMENTO

É TUDO

então tentamos fazer o cliente

se sentir à vontade”.

crescer e torná-la conhecida em toda a região

Norte.

cionar o problema deles, e não garantir vendas

a todo custo.

Atualmente, os antigos colegas

dentistas de Angra tiram dúvidas

com ela a respeito de componentes

veiculares. O mesmo ocorre

INSPIRANDO

A CONCORRÊNCIA

A AM Auto Peças se popularizou

“Um dia vamos chegar no nível das maiores

redes. Eu sonho em expandir, sonho bem

alto. Não pretendo voltar para a odontologia.

Eu sonhava em me tornar dentista, mas não

“Costumamos não dizer para o cliente voltar

sempre porque, geralmente, isso significa

que ele bateu o carro. Mas digo, se ele precisar,

para lembrar da gente”, finaliza.

dentro da família e no círculo de

depressa na cidade, e, hoje, ex-

amigos, onde o casal é sempre

istem duas empresas concor-

procurado para a compra de au-

rentes próximas ao local. Po-

topeças. Mas a entrevistada não

demos dizer que esses negócios

deixa de criticar alguns fatores

surgiram inspirados pela jornada

que considera pertinente.

de Angra e Anderson. De acordo

com o marido, nada se cria; tudo

“Infelizmente, a gente tem aqui

se copia e evolui.

em Manaus uma cultura de péssimo

atendimento. Parece que

“Nossa loja explodiu muito rápi-

estamos fazendo um favor quan-

do. No início, havia somente um

do precisamos de um serviço ou

concorrente que trabalhava com

queremos comprar algo. Mas um

carros de luxo. Hoje existem

dos pontos em que mais recebe-

várias autopeças, e até lugares

mos elogio é o atendimento de

que mexiam com sucata automo-

qualidade do nosso balcão. Pre-

tiva passaram a se denominar

zamos pela simpatia, respeito

autopeças. Nós revolucionamos o

e disposição. Querendo ou não,

mercado local”, orgulha-se Angra.

bater o carro é um transtorno,

26

27


É A GRANDE NOVIDADE

DOS CANAIS SK PARA 2022

Anúncio foi feito durante evento que reuniu lideranças do mercado de reposição.

De olho nas constantes

atualizações do universo da

comunicação, a SK anunciou

seu novo projeto para mídias

digitais: a TV Mobility.

O canal reforçará a

importância de mecânicos,

balconistas de autopeças e

amantes de motocicletas,

destacando o que de melhor

acontece no mercado da

reposição automotiva – e das

duas rodas.

O lançamento oficial ocorreu

em dezembro passado durante

a Convenção Gerencial da

SK Automotive, no Hotel

Sheraton, em Santos (SP). No

evento, estiveram presentes

representantes das principais

empresas do setor e parceiras

da SK, que fizeram um balanço

de 2021 e revelaram as

expectativas para este ano.

Assista ao vídeo para conferir

nossa reportagem completa.

Está no ar a TV Mobility!

Clique na

imagem ao

lado e assista

o vídeo do

evento

28

29


OR DENTRODO MERCADO

30

31


ORD MAVERICK

Divulgação: Ford

A Ford apresenta a picape concorrente da Fiat Touro que chega importada

do México em sua versão topo de linha Lariat FX4.

A Maverick tem dimensões maiores do que a Toro e menores que a Ranger

(para usar um exemplo da própria Ford). Além disso, ela é produzida sobre

a plataforma C2, já encontrada em carros como o Bronco Sport e o Ford

Focus. Econômica, a picape híbrida faz até 18km por litro, segundo testes

de consumidores dos EUA.

Seu conjunto mecânico se assemelha ao do SUV médio e conta com motor

2.0 turbo Ecoboost de 240 cv, tração 4x4 e câmbio automático de 8

marchas. O custo médio, por sua vez, gira em torno dos R$ 250 mil.

32

33


A primeira grande reestilização de um dos automóveis mais baratos em solo

nacional é uma das grandes promessas de carros para 2022.

Com o objetivo de manter as boas vendas, o subcompacto tem seu motor

1.0 SCe recalibrado, além de contar com controles de estabilidade e tração,

os quais não são obrigatórios até 2024. O motor de 3 cilindros ganha um

comando variável de válvulas - algo já visto no Sandero e no Logan.

Agora as novidades do design: na dianteira, os faróis principais são mais finos,

enquanto os auxiliares ficam mais abaixo, como no C4 Cactus da Citroën e na

Fiat Toro.

O Kwid reestilizado chega ao mercado custando a partir de R$ 59.890.

ENAULT KWID

34

Divulgação: Renault 35


REAT WALL POER

Divulgação: Great Wall

Oficialmente dando partida em sua produção no Brasil, a chinesa Great

Wall vem também como uma grande promessa para meados de 2022. A

montadora pretende iniciar com uma série de SUVs compactos e médios,

além da linha Poer (de picapes médias).

Mirando o mercado hoje dominado pela Chevrolet S10 e Toyota Hilux, a Great

Wall terá como diferencial seu custo benefício. Já a capacidade de carga da

picape chinesa poderá atingir uma tonelada, abrangendo equipamentos de

auxílio ao motorista em um espaço de 5,41m de comprimento.

A linha Poer conta com dois motores 2.0 turbo - um a gasolina, e outro a

diesel. Ambos possuem tração 4x4 e câmbio automático de oito marchas. Os

valores da picape, por sua vez, devem variar entre R$110 mil e R$140 mil.

36

37


Divulgação: Fiat

IAT FASTBACK

Com base no carro-conceito apresentado no Salão de São Paulo em 2018, a Fiat

aposta no esperado SUV-cupê da marca como opção entre compactos e médios

para este ano.

O modelo terá cerca de 4,30m de comprimento, com design baseado no Fiat

Cronos. Na linha crossovers, o Fastback estará uma posição acima do Pulse e

segue uma estratégia semelhante à da Honda HR-V.

Assim como na Toro e no Jeep Compass, o motor será 1.3 turbo flex de 185/180

cv, e, diferentemente do conceito exposto em 2018, suas linhas finais terão a

frente do Pulse. Já o preço deve oscilar entre R$ 120 mil e R$ 170 mil.

38

39


FATOS E

BOATOS

RODAS DE LIGA

LEVE

Quando falamos em estética automotiva, as rodas de

liga leve figuram entre os principais aspectos. São

tipos fundidos, ou seja, seu material é aquecido até se

transformar em líquido e ser despejado em um molde,

ampliando a criatividade para se obter diversos formatos.

Elas custam pelo menos o dobro dos modelos tradicionais

(de aço), além de outras especificidades. Portanto, é

importante conhecê-las para fazer a escolha certa. Confira

o que é fato e o que é boato.

F A T O S

REDUZEM O

CONSUMO DE

COMBUSTÍVEL

Como o próprio nome sugere, as

rodas de liga leve diminuem o

peso do veículo. Elas costumam

ser 15% mais leves em relação às

de aço, podendo chegar a 50% em

modelos maiores usados em carros

superesportivos ou bólidos de

competição. E mais leveza significa

redução no consumo de combustível,

fator cada vez mais precioso em

tempos de preço nas alturas.

SE O DANO FOR GRANDE, NÃO BASTA RESTAURAR

A reforma resolve pequenos arranhões ou pequenas trincas; mas se a roda amassou, quebrou ou soltou um pedaço,

não vale a pena restaurar. Motivo: ao soldar o equipamento, não dá para saber se ficou alguma falha interna no

local. Só é possível detectar tais problemas com aparelhos mais avançados, como um raio X. Desse modo, é preciso

buscar uma empresa especializada, ou então trocar as rodas.

B O A T O S

MELHORAM O DESEMPENHO

DE QUALQUER CARRO

Se um carro foi fabricado com rodas de aço, trocálas

pelas de liga leve não fará com que ele acelere e

pare mais rapidamente. Isso porque poucos modelos

trazem a liga leve em sua origem - o que, de fato,

reduz bastante seu peso durante o tráfego. Assim, o

aproveitamento total desse tipo se dá em carros de

maior custo, esportivos ou de corrida. Já em automóveis

convencionais, não dá para perceber a melhora.

SÃO MAIS RESISTENTES EM

TODOS OS ASPECTOS

Embora as rodas de aço possuam calotas que riscam

com mais facilidade, as de liga leve são suscetíveis

a danos superficiais mais visíveis. Por exemplo, se

ambas ralarem na parede, a primeira sofrerá um arranhão,

enquanto a segunda terá cicatrizes mais profundas.

Já em relação aos impactos de forma geral, a

resistência de ambos os tipos é semelhante.

40

41


5G E O SETOR

AUTOMOTIVO

Como a tecnologia poderá impactar o trânsito e a indústria

Uma revolução tecnológica

está prestes a desabrochar com

a nova geração de internet – a

quinta, por isso o nome 5G -

que promete transformar ainda

mais a vida das pessoas através

de algo muito além de um

novo aumento na velocidade

de conexão. Mas vale destacar

que esse aumento não é mero

detalhe: a velocidade pode ser

até 100 vezes mais rápida em

relação à do 4G.

Uma nova geração de internet

significa novas possibilidades;

fique por dentro das mudanças

que estão a caminho.

Em termos gerais, as redes

móveis operam através de radiofrequência

transmitidas a

partir de estações-base, que

oferecem cobertura a diferentes

áreas geográficas, denominadas

“células”. Assim,

o número de usuários por

quilômetro quadrado foi aumentando

com o passar do

tempo, de modo que agora, com

o 5G, será possível alcançar

mais de um milhão de conexões

numa mesma célula (hoje, esse

número está na casa dos 100

mil).

A nova geração fará uso de um

espectro de onda superior em

comparação às redes anteriores,

embora seu funcionamento

se dê por meio da adaptação

das antenas já existentes, usando

as principais frequências

entre 600 MHz e 42 GHz.

42

43


A EVOLUÇÃO DOS ‘GS’

O 5G também representa a essência do conceito chamado Internet

das Coisas (IoT), atribuído à capacidade de interconexão entre

diversos dispositivos para além de computadores e celulares.

44

45


Internet das coisas (IoT)

Tecnologia referente à conexão

de itens utilizados no

dia a dia com a rede mundial

de computadores. Por exemplo,

cada vez mais temos

visto eletrodomésticos, meios

de transporte, até mesmo

roupas, além de muitos

outros objetos cujas informações

estão interligadas a

celulares, smartphones etc.

A IoT é o grande diferencial

do 5g em relação às gerações

anteriores.

O 5G no setor automotivo

Em coletiva de imprensa no

fim do ano passado, o presidente

da Associação Nacional

dos Fabricantes de Veículos

Automotores (Anfavea),

Luiz Carlos Moraes, ressaltou

o poder de transformação

que acompanhará o 5G na indústria

automotiva.

“É uma grande transformação.

Vamos começar pelas

nossas fábricas, nossos

fornecedores. Isso é muito

importante para melhorar a

eficiência da indústria. Com

certeza é um caminho sem

volta; o 5G vai trazer uma

outra dimensão, e o setor

automotivo vai liderar esse

movimento.”

De todo o valor que o 5G deverá

gerar à economia mundial, aproximadamente

20% está atrelado ao

setor automotivo; afinal, não é só

de montadoras que a área vive. Peguemos

um exemplo de infraestrutura

rodoviária, na qual as futuras

obras serão incentivadas a instalar,

concomitantemente, energia e fibra

ótica, impactando diretamente os

setores de armazenagem, comércio,

transporte e logística.

Dentro dos veículos, a promessa é de

uma forte reformulação que engloba

reconhecimento facial do motorista

e outros dados a se interligarem com

as informações do trânsito ao redor,

reduzindo o risco de acidentes.

Marcelo Zuffo, engenheiro eletricista

e professor do Departamento de

Engenharia de Sistemas Eletrônicos

da Universidade de São Paulo (USP),

menciona a questão técnica por trás

da projeção:

“Na norma de 5G existe todo um

capítulo reservado a isso; por exemplo,

como o veículo vai dialogar com

a infraestrutura urbana (tecnologia

V2I), com um semáforo, com a via,

como uma placa de ‘Pare’ vai ser uma

placa inteligente etc.”

Zuffo também destaca que, pela primeira

vez desde a versão 1G, uma

tecnologia vem sendo aplicada sem

que esteja totalmente pronta. Não à

toa, o cronograma de implantação de

veículos autônomos foi atrasado em

função disso, pois chegou-se à conclusão

que, antes, é necessário um

amadurecimento da tecnologia V2X

(vehicle-to-everything – veículo para

tudo, em português):

“Algumas normas do

5g estão indefinidas, e

uma grande promessa

no campo da Internet

das Coisas é justamente

essa peculiaridade do

5g em permitir a ligação

‘machine to machine’

(máquina com máquina).

Além da V2X, esperamos

muito das tecnologias

V2H (veículo para

humanos), V2I (veículo

para infraestrutura)

e V2V (veículo para

veículo). São vários ‘Vs’

para alguma coisa.”

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

46

47


Resposta à falta de semicondutores

A partir das novas tecnologias, Luiz

Carlos Moraes prevê que o número

de chips semicondutores em cada

veículo poderá até dobrar. Esse fator

ganha ainda mais relevância após

a crise de abastecimento que assolou

o setor automotivo a ponto de

causar sucessivas paralisações nas

fábricas, principalmente devido à

falta de semicondutores.

Você sabia que o COXIM é um

isolador de vibrações?

Sinais para um futuro próximo

Desde 2016, a Scania estuda e experimenta,

a nível global, as possibilidades

dos 5G em seus veículos.

De acordo com Felipe Angelini, responsável

por Soluções Conectadas

da montadora, um dos potenciais

meios de implementação é a condução

em comboio (Platooning).

“Pelo fato do 5G possuir baixa latência

de tráfego dos dados, o Platooning

permite que o veículo que está

à frente compartilhe informações

em tempo real de aceleração, frenagem

e direção aos outros veículos

que estão sincronizados atrás. Essa

função permite que mais cargas sejam

transportadas de maneira mais

segura e eficiente, pois a distância

entre os veículos pode ser diminuída,

aproveitando melhor a aerodinâmica

do primeiro veículo, além de economizar

combustível, aumentar a efi-

missão de dados em poucos segundos,

poderá permitir atualizações

remotas nos veículos, algo que a

própria Scania já fez. Nesse sentido,

a tendência do 5G, segundo ele, é

potencializar a segurança no trânsito:

Os COXINS também têm a função

de isolar qualquer tipo de vibração

ocasionada por fatores externos,

impedindo que as trepidações

sejam refletidas na carroceria.

Essas vibrações ocorrem de acordo

com os impactos que o veículo

sofre por conta das trepidações,

como passar por buracos, ruas

desniveladas, lombadas, etc.

50853C

(GM)

FAÇA REVISÕES EM SEU VEÍCULO REGULARMENTE.

ciência do transporte e adicionar ainda

mais segurança com tecnologias

que suportam o motorista”, explica.

Quanto a possíveis falhas de fabricação,

Angelini salienta que a qualidade

de conexão superior, com maior

estabilidade e alta taxa de trans-

“O 5G irá permitir que veículos transmitam

informações extremamente

detalhadas entre si, possibilitando

aumentar ainda mais a segurança da

operação. Um veículo comercial – especialmente

o caminhão e o ônibus,

por serem altos - acabam limitando a

visibilidade de outros motoristas

Pensou Coxim, Pensou

Freudenberg-Corteco

48

08000.194.111

11 95033.8809

Visite a Corteco:

Corteco Brasil

49


que estão atrás deles. Quando essa

Futuramente, por exemplo, câmeras in-

Projeto na USP

Commander – e a Fiat Toro, a inicia-

comunicação entre veículos se tor-

ternas poderão fazer o reconhecimento

Atentos ao percurso da tecnologia,

tiva conta com o auxílio da Tim e da

nar uma realidade, o veículo à frente

facial do motorista para dar partida no

Marcelo Zuffo e a USP estão conduz-

Accenture.

poderá transmitir informações sobre

motor. Além disso, com base no plane-

indo no momento um projeto total-

obstáculos que estão por vir, ou até

jamento de rotas via GPS, será possível

mente em consonância com o tema.

A rede opera com duas antenas na

mesmo dados de frenagem em tem-

restringir o limite de velocidade e até

O professor explica:

faixa de 3,5 GHz, obtidas com li-

po real para quem está atrás, evitando

colisões, por exemplo.”

Por fim, Angelini vislumbra como se

daria a implantação da tecnologia 5G

a curto prazo:

“Existem basicamente

três pontos de atenção

na implementação de

veículos autônomos:

Tecnologia,

Infraestrutura e

Legislação. Com a

tecnologia disponível,

o que vemos no curto

prazo é a possibilidade

de implementação dos

autônomos em operações

controladas, como

mineração, transporte de

contêineres em docas,

operações cíclicas e em

ambientes confinados.”

comunicar-se com a casa do condutor.

O plano, segundo Isabel Faria, gerente

de Comunicação da GM, “é expandir a

tecnologia para outros modelos, incluindo

veículos conectados da empresa

já em circulação, que também se beneficiarão

da possibilidade de maior

transmissão de dados.”

REDUÇÃO

DOS RECALLS

Várias vezes, você já deve ter lido

notícias de montadoras que precisaram

fazer um recall - tradução do

inglês “chamar de volta – de um certo

número de carros. Isto é, determinar

que os consumidores que compraram

tais modelos comparecessem a concessionárias

ou oficinas autorizadas

da marca para trocar ou realizar

“É um projeto de

semáforos 5G, com o

intuito de que as pessoas

– ou aplicativos – possam

conversar com eles no

futuro; semáforos com

grau de autonomia em

relação a controle central.

Então, se uma mulher

grávida estiver a caminho

do hospital para dar à

luz, ou se uma pessoa

estiver sendo socorrida

em uma ambulância, o

semáforo se adaptaria

a essas circunstâncias.

Instalamos dois

semáforos nos arredores

do nosso Hospital

Universitário, justamente

para testar a aproximação

de ambulâncias”, revela

Zuffo.”

cença experimental na Agência Nacional

de Telecomunicações (Anatel).

Inicialmente, os testes se baseiam

na instalação de emblemas nos automóveis

por meio de câmeras para

averiguar se os símbolos correspondem

ao veículo correto, haja vista

que os quatro modelos citados se

multiplicam em mais de 100 versões.

A iminência do 5G também motivou

a General Motors (GM) a desenvolver

uma plataforma de sotware de ponta a

ponta, chamada Ultifi. Com ela, baseando-se

nas funcionalidades de um celular,

os condutores conseguirão fazer atualizações,

escolher aplicativos e optar

pelos recursos mais recentes.

reparos em peças com problemas de

fábrica.

Agora imagine se todos os veículos

defeituosos tivessem acesso ao 5G.

Caso eles precisassem de uma reprogramação

no módulo de controle do

motor, por exemplo, o serviço poderia

ocorrer à distância, em função da

própria configuração do sistema.

Stellantis e a primeira fábrica

automotiva 5G

Em outubro do ano passado, a Stellantis

- detentora da Fiat e da Jeep -

implantou um projeto piloto com tecnologia

5G na produção de veículos.

Desenvolvido na fábrica de Goiana

(PE), onde são fabricados os modelos

da Jeep - Renegade, Compass e

50

51


APRESENTADO POR:

COM APOIO DE:

52

53


DMH-A4480BT

Mirroring for Android

Viva a experiência da ampla conectividade com o melhor custo benefício!

ESPELHE SEU SMARTPHONE

ANDROID COM MIRRORING for

ANDROID VIA USB

*Imagem ilustrativa. A conexão para espelhamento de smartphones Android é realizada via cabo USB,

através do app Autolink.

@pioneerdobrasil | www.pioneer.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!