07.03.2022 Views

Revista dos Pneus 66

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

ATUALIDADE 150º Aniversário Pirelli

TÉCNICA Anéis centrais dos cubos

A revista n.º 1

dos profissionais

revistadospneus.com

66

Março 2022

ANO IX | 5 euros

Periodicidade: Trimestral

Entrevista Luís Aniceto

administrador da S. José Pneus

Pneus OTR e Florestais

Mercados

peculiares


C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K


Editorial

DIRETOR

João Vieira

joao.vieira@apcomunicacao.com

DIRETOR COMERCIAL

Mário Carmo

mario.carmo@apcomunicacao.com

GESTOR DE CLIENTES

Paulo Franco

paulo.franco@apcomunicacao.com

WEBMASTER

António Valente

antonio.valente@apcomunicacao.com

A primeira

impressão

JOÃO VIEIRA, Diretor

ARTE

Hélio Falcão

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS

E CONTABILIDADE

financeiro@apcomunicacao.com

PERIODICIDADE

Trimestral

Assinaturas

assinaturas@apcomunicacao.com

© Copyright

Nos termos legais em vigor, é totalmente

interdita a utilização ou a reprodução desta

publicação, no seu todo ou em parte, sem a

autorização prévia e por escrito da Revista dos

Pneus

IMPRESSÃO

Lisgráfica - Impressão e Artes Gráficas, S.A.

Estrada Consiglieri Pedroso, 90

2730 - 053 Barcarena

Tel.: 214 345 400

TIRAGEM

5.000 exemplares

N.º de Registo na ERC: 125.367

Depósito Legal n.º: 201.608/03

Tiragem: 5.000 exemplares

EDIÇÃO

AP COMUNICAÇÃO

Proprietário/Editor

JOÃO VIEIRA

SEDE

BELA VISTA OFFICE

ESTRADA DE PAÇO DE ARCOS, 66

2735 - 336 CACÉM

TEL. +351 219 288 052

GPS 38º45’51.12”N - 9º18’22.61”W

CONSULTE O ESTATUTO EDITORIAL NO SITE:

WWW.REVISTA DOS PNEUS.COM

A

capacidade de uma oficina de

pneus gerar uma ótima experiência

para os seus clientes

será um elemento diferenciador

da sua competência, pelo

que é imprescindível gerir adequadamente

este aspeto. Isto obriga a analisar todas as

interações ou pontos de contacto do cliente

com a oficina, sendo um dos mais importantes

o momento em que acede às suas instalações,

porque a primeira impressão é que conta.

O primeiro requisito que o cliente tem sempre

quando chega às instalações da oficina

é estacionar o veículo num local adequado

até que seja atendido. Dispor de lugares de

estacionamento destinados e reservados para

utilização exclusiva dos clientes é apreciado,

especialmente se não for fácil encontrar onde

estacionar nas imediações. Estes lugares servirão,

além disso, para evitar que se acumulem

veículos na entrada da oficina, algo que pode

prejudicar bastante o seu funcionamento.

Depois, será necessário identificar a intervenção

a realizar, recolhendo todos os dados

necessários para a realização do orçamento,

além de verificar o funcionamento dos sistemas

do veículo e o seu estado geral. Para tal,

será necessário dispor de postos de receção

com os meios necessários para realizar essa

inspeção de uma forma ativa. Esta área de trabalho

deve contar com dimensões mínimas,

já que a revisão do veículo deve ser efetuada

em conjunto com o cliente. Pelo menos um

dos postos deve dispor de elevador, para ser

possível aceder facilmente à parte inferior

do veículo. Os elevadores de tesoura, devido

às suas características, são os mais adequados.

Também se deve dispor de meios que

permitam examinar e diagnosticar o estado

dos pneus, nomeadamente um medidor de

espessura do piso do pneu. A zona de atendimento

ao cliente deve encontrar-se o mais

perto possível da receção, na qual se anotam

todos os seus dados, se abordam os detalhes

da intervenção e se formalizam e entregam

ao cliente os documentos relativos ao serviço,

como o orçamento, o comprovativo do

depósito, o contrato de cessão do veículo de

cortesia ou a fatura.

Na área de atendimento ao cliente deve existir

uma zona ou sala de espera. Para fazer com

que esta espera seja o menos penosa possível,

pode dispor-se de uma televisão na qual se

reproduza um vídeo promocional da oficina,

revistas atualizadas, bem como máquinas de

bebidas e mobiliário adequado. Em algumas

oficinas existe uma zona de jogos infantis e,

inclusivamente, rede Wi-Fi aberta para os

clientes. A receção deve estar integrada na

oficina e possuir a comunicação adequada

com o resto das respetivas áreas, especialmente

a de produção. Se as características de

construção do edifício o permitirem, é recomendável

recorrer a divisórias parcialmente

vidradas entre estas áreas, para que os clientes

possam ter uma visão geral da oficina, mas,

simultaneamente, evitem a passagem para o

interior. A instalação de portas de passagem

de veículos de acionamento rápido é a melhor

opção para ligar a receção e a oficina.

Todos os meios citados devem ser sempre

mantidos em perfeitas condições. A experiência

da visita do cliente à oficina começa

quando abre a porta e entra e, em muitas ocasiões,

os pequenos detalhes têm uma grande

influência na sua avaliação da oficina. Por isso,

é imprescindível ter cuidado com aspetos

como a organização, a limpeza, a iluminação,

a temperatura e o bom funcionamento

de todos os meios dispostos na receção. ♦

www.revistadospneus.com | 03


Produto Mercadoestrela

Pneu de

referência

para SUV’s

A Pirelli apresentou a sua nova família de pneus

Scorpion, exclusivamente dedicada aos SUVs,

segmento que se deverá tornar o mais

popular a nível mundial. Está assim

completa a renovação de uma gama

especialista em SUVs, que conta com

mais de 35 anos de presença no mercado

Os novos pneus Scorpion foram

desenvolvidos especificamente

para responder às

principais características dos

SUVs modernos: características únicas de

condução, mecânica, dinâmica, peso superior

e um centro de gravidade mais elevado.

Estas características distinguem os SUVs dos

carros tradicionais e, portanto, exigem pneus

específicos e de alta qualidade. A gama Scorpion

é uma resposta a essas necessidades, ao

mesmo tempo que implementa muitas das

inovações tecnológicas introduzidas recentemente

pela Pirelli na sua família Cinturato,

com as devidas alterações e com a utilização

de tecnologias específicas para garantir uma

adaptação perfeita às características deste

tipo de veículos. O resultado é uma gama

com as mais modernas tecnologias, com

uma melhor capacidade de responder ao

desempenho dos veículos mais recentes:

incluindo aqueles com motores “verdes”.

A gama Scorpion conta com o maior número

de homologações para carros elétricos ou

híbridos plug-in do catálogo Pirelli, um processo

que começou com a geração anterior

e continua com os produtos mais recentes.

Estes pneus são identificados através da

marcação “Elect”, no flanco. Entre as tecnologias

de ponta oferecidas, encontram-se

também disponíveis uma série de extras

opcionais. A tecnologia Pirelli Noise Canceling

System (PNCS) ajuda a reduzir o ruído

transmitido para o habitáculo, enquanto as

tecnologias Run Flat e Seal Inside permitem

que os condutores continuem as suas viagens

mesmo perante um furo.

FOCADO NA SUSTENTABILIDADE

E SEGURANÇA

Uma das chaves para o desenvolvimento

da nova gama Scorpion foi a abordagem

‘Eco-Safety’ da Pirelli, que combina um

baixo impacto ambiental (graças à diminuição

da resistência ao rolamento, redu-

O novo Pirelli Scorpion apresenta um composto

e um padrão de banda de rodagem inspirado no seu

homólogo da gama Cinturato, com algumas peculiaridades,

para responder às características específicas dos SUVs

04 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pirelli Scorpion

ção do ruído e alta quilometragem) com

os melhores níveis de desempenho e segurança

possíveis (distâncias de travagem

mais curtas, maior aderência, melhor estabilidade

do veículo e menor risco de

aquaplanagem) graças à utilização de

materiais inovadores e à tecnologia avançada

de modelagem, utilizada durante o

processo de desenvolvimento.

O novo Scorpion também é mais eficiente

no que toca à redução do consumo de combustível

(ou consumo de bateria, no caso

dos carros elétricos). O novo pneu é também

mais silencioso e conta com uma maior vida

útil, em comparação com a geração anterior,

vantagens que contribuem para uma maior

sustentabilidade. Essas melhorias foram

alcançadas com a utilização de compostos

totalmente novos, e à renovação dos materiais

na carcaça, que permitem uma performance

mais duradoura.

No seguimento da abordagem Eco-Safety,

a estrutura do pneu foi reforçada para suportar

a dinâmica e o peso dos SUVs durante

manobras de emergência, como

mudanças bruscas de direção ou travagens

inesperadas, garantindo, assim, um maior

controlo. O novo Scorpion é também capaz

de lidar com cargas significativas através

dos pneus, garantindo uma distribuição

da pressão mais eficiente ao longo da área

de contacto, para permitir uma resposta

dinâmica, equilibrada e controlada. A nova

gama Scorpion tem como objetivo alcançar

mais de 400 homologações de equipamento

original, sendo que mais de 50%

destas deverão ser destinadas para os

veículos elétricos mais recentes.

A segurança foi também uma característica

fundamental durante o desenvolvimento

do novo Scorpion. Graças à rigidez da

banda de rodagem e ao design inovador

dos blocos e do composto, a travagem em

seco e em molhado foi melhorada em 7%,

em comparação com o anterior Scorpion

Verde. No que respeita à travagem em molhado,

todos os pneus Scorpion contam

com as classes de A ou B da escala da etiqueta

europeia de pneus.

COMPOSTO ENRIQUECIDO

O composto do novo Scorpion conta com

uma borracha sintética de nova geração,

capaz de oferecer uma combinação perfeita

de características: baixa resistência ao rolamento,

excelente desempenho de travagem

em molhado e um desgaste uniforme

durante toda a vida útil do produto. O

composto utilizado é o resultado do know-

-how técnico, que já havia sido aplicado

ao novo Cinturato P7,mas com uma maior

rigidez para responder às exigências específicas

dos SUVs. O composto foi enriquecido

com sílica, resinas específicas que

aumentam a aderência e polímeros feitos

à medida (elastômeros inovadores que

melhoram a interação com a própria sílica).

Materiais que são capazes se adaptar, dependendo

das temperaturas de operação.

Como resultado, este novo composto possui

uma forma de ‘inteligência mecânica’,

o que significa que o pneu pode variar o

seu comportamento de acordo com as

temperaturas e as condições, oferecendo

ao condutor uma janela de operação muito

ampla. O inovador composto do Scorpion

foi desenvolvido com recurso a um processo

patenteado pela Pirelli, derivado do

automobilismo, que potencia a uniformidade

dos componentes presentes no composto

e aumenta o desempenho do pneu

em diferentes superfícies, especialmente

em molhado, quando as condições de condução

se tornam críticas.

Este novo pneu de verão já está disponível

na Europa em 26 tamanhos, de 18 a 21 polegadas,

com mais de 48 homologações, das

quais, mais de 75% pertencem a veículos

elétricos. O novo Scorpion é também muito

silencioso, emitindo até 3dB a menos que o

pneu da geração anterior, de acordo com a

etiqueta europeia de pneus. ♦

PERFORMANCE CERTIFICADA PELA TÜV SÜD

Os pneus mais recentes da família Scorpion

estão entre os melhores do mercado, em

todos os tipos de condições de condução.

Os testes foram realizados pelo prestigiado

organismo de certificação alemão TÜV SÜD,

que concedeu ao novo pneu a cobiçada

Performance Mark. O Scorpion apresenta

um novo desenho de tipo assimétrico que,

graças à rigidez e ao formato otimizado

dos seus sulcos longitudinais e laterais,

permite uma melhor travagem em superfícies

secas e molhadas, em comparação

com o produto anterior. A área de contacto

mais uniforme da banda de rodagem do

novo pneu, alcançada graças à curvatura

particular do perfil, juntamente com a rigidez

da banda de rodagem e do composto,

garantem uma menor resistência ao rolamento

e um menor consumo de combustível

ou bateria. De facto, todas as opções

do Scorpion situam-se nas classes A ou B

da etiqueta europeia de pneus, no que à

resistência ao rolamento diz respeito.

Scorpion:

evolução contínua há mais de 35 anos

A

Pirelli

produziu o primeiro pneu

Scorpion, em 1986. Destinado ao

inovador Lamborghini LM002

off-roader, encomendado pelo governo da Arábia

Saudita, este pneu teve que lidar com todas as

exigências de potência, aceleração, velocidade

máxima e aderência à estrada deste incomum

4x4, tanto em asfalto como em estradas de areia

ou terra. O pneu foi equipado com ‘barbatanas’

laterais para melhorar o seu desempenho na

areia do deserto. O resultado foi uma excelente

tração e uma manobrabilidade superlativa. A

primeira geração do Scorpion foi também

equipada com uma cinta de aço de nylon de zero

graus, e de uma estrutura robusta e flexível para

minimizar as vibrações, melhorar a resistência

ao impacto e responder rapidamente a qualquer

manobra repentina.

Especialistas em 4x4, os pneus Scorpion são caracterizados,

há mais de 35 anos, por três atributos:

segurança, desempenho e resistência. Durante os

anos 2000, a gama foi atualizada com tecnologias

cada vez mais amigas do ambiente, seguindo os

exigentes requisitos dos principais fabricantes de

automóveis. O resultado foi uma oferta completa,

que incluiu o desenvolvimento de pneus Scorpion

para todos os tipos de terrenos. A marca Scorpion

é hoje sinónimo de alto desempenho em todas

as condições, inclusivamente na linha Moto e de

Ciclismo, com produtos feitos à medida, criados

para as aplicações especializadas de motocross

e de mountain bikes. ♦

www.revistadospneus.com | 05


Equipamento do mês

Fasep NoContact

Sem contacto com rodas

A Fasep disponibiliza um equipamento de alinhamento de rodas sem contacto.

Trata-se do NoContact, um robot que vem revolucionar a forma como as oficinas de

pneus podem alinhar as direções das viaturas

Em comparação com os alinhadores

de rodas normais, com o NoContact

não há necessidade de mover

veículos para trás e para a frente

para compensar as medições, nem de prender

grampos ou qualquer outro aparelho à

roda. A precisão é comparável aos alinhadores

de roda infravermelhos / CCD e muito

melhor do que a precisão 3D tradicional.

O objetivo principal do desenvolvimento

do NoContact foi reduzir o tempo necessário

para a verificação de alinhamento de

rodas, de forma que a oficina possa realizar

mais alinhamentos, sem sacrificar a qualidade

e o profissionalismo do serviço.

O NoContact é compatível com todos os

sistemas de elevação e não requer muito

espaço. A intervenção do operador é reduzida

ao mínimo e o trabalho é muito mais

rápido e eficaz, pois não há necessidade

de mover o veículo para frente e para trás

para compensar a medição. Os robots alcançam

automaticamente a posição certa

para a análise tridimensional do veículo e

todas as operações são facilmente geridas

no monitor e o programa de software é

muito simples.

Com o NoContact a oficina consegue realizar

um alinhamento de rodas perfeito em

quase metade do tempo. Isso economiza

tempo em trabalhos individuais e permite

um aumento do número de verificações

de alinhamento de rodas realizadas por ano.

Embora o custo inicial seja maior do que

com os alinhadores de rodas tradicionais.

Sem risco de quebra ou queda acidental

de grampos e sensores, a manutenção é

realmente reduzida ao mínimo. O sistema

tecnológico avançado faz o ajuste automático

da altura do veículo e o robot posiciona

automaticamente as câmaras. Um

ecrã tátil de 27 polegadas fornece todas

as indicações necessárias para o operador

executar facilmente o alinhamento das rodas.

Os dados técnicos são atualizados via

internet, sempre que um novo modelo de

veículo é lançado no mercado. ♦

Características

Técnicas:

• Monitor LCD 27”

• Sistema operacional WinXP / Win7

• Procedimento de alinhamento da

roda guiada com animações 3D

• Impressora a cores

• Interface USB

• Sistema de medição sem contato

• 4 câmaras infravermelhas

• Sistema de posicionamento

robotizado para câmaras

• Calhas de 4,5m para sistema de câmara

• Marcadores de reflexão passiva

a aplicar na parede do pneu

• Sistema de transmissão por cabo

• Cablagem integrada no carril

• Mesas giratórias resistentes (1000kg)

• Indústria 4.0 compatível

• Bloqueio do volante

• Bloqueio do pedal do travão

• Garantia On Site

06 | Revista dos Pneus | Março 2022


Destaque

Mercados

peculiares

Os pneus OTR e Florestais estão a tornar-se elementos cada vez

mais importantes, tanto por equiparem máquinas cada vez maiores,

imponentes e tecnológicas, como por serem o meio que transmite a potência

da máquina ao solo e a transforma em tração e estabilidade


Pneus OTR e Florestais

Antes de mais, convém esclarecer que não existe apenas

uma definição para os pneus OTR (Off the Road Tyres).

Há quem os apelide de pneus de engenharia civil; pneus

de obras públicas e pneus de minas. Em qualquer dos

casos, estaremos sempre a falar de OTR. Relativamente aos pneus

florestais destinados a máquinas que laboram na floresta, podemos

distinguir duas categorias: os pneus agroflorestais, utilizados na

agricultura e que também permitem algumas incursões na florestas,

e os pneus florestais digamos puros, a que recorrem as empresas

que atuam na área da silvicultura e que são obrigados pela natureza

das suas funções, a cortar árvores e a carregá-las em situações de

grande dificuldade, como seja por cima de pedras e troncos partidos.

Cada utilizador tem necessidades específicas que lhe são únicas,

às quais se acrescenta uma determinada maquinaria e condições

de utilização e solo. Todas estas informações e variáveis levam à

escolha de um pneu específico, que deve ser perfeito para o seu

destino, eficiente e eficaz.

EVOLUÇÃO DOS MATERIAIS

Os grandes fabricantes de máquinas OTR, bem como os de veículos

destinados à silvicultura ou mesmo ao trabalho agrícola, estão

claramente a rumar para um processo de mudança irreversível, que

se chama sustentabilidade, a única chave possível para o futuro na

sobrevivência do planeta e de quem nele vive.

Em termos de produtos, a evolução dos pneus OTR e Florestais visam

desenvolver tecnologias que permitam oferecer às frotas pneus

cada vez mais seguros, mais resistentes e eficientes, que garantam

que possam cobrir longas distâncias, reduzir o custo por quilómetro

e sejam capazes de fazer face a todo o tipo de condições meteorológicas,

bem como ser amigos do ambiente e contribuir para o

desenvolvimento de uma mobilidade sustentável.

Paralelamente ao desenvolvimento de novos produtos e tamanhos,

os fabricantes de pneus OTR e Florestais continuam a desenvolver

novos compostos resistentes a cortes e abrasão, além de misturas

ultrarresistentes ao calor, com capacidade para suportar grandes

cargas e, ao mesmo tempo, manter um ótimo TKPH, ou seja a razão

média entre o peso transportado pela máquina e os km/h. Esta é

sobretudo a mais recente evolução em termos de “materiais” de produção,

porque responde diretamente à necessidade dos utilizadores

de uma longa vida útil dos pneus, resistência e excelente retorno

do investimento. E isso é especialmente verdade em condições extremas

e locais de trabalho traiçoeiros, como aqueles onde operam

veículos de construção, estaleiros, minas e também no setor florestal.

Em tudo isto, a indústria de pneus opera através de grandes adaptações

ao nível da investigação, sendo o pneu um dos componentes

fundamentais para o desempenho dos veículos, em termos globais

de sustentabilidade ambiental e económica. Nesse sentido, os fabricantes

está a trabalhar no desenvolvimento de compostos ainda

mais eficientes, essenciais para o melhor desempenho do chamado

“pneu do futuro”, ou seja, nanomateriais ou nanocompósitos que

oferecem funcionalidades avançadas como estabilidade térmica ou

mecânica, estando também a realizar estudos de nanotecnologia e

experiências em fibras naturais, como nano-argila e nanocelulose.

Por falar em materiais, outro elemento que está a ser experimentado

é o grafeno, que proporciona maior resistência ao desgaste e

à perfuração, maior resistência à tração, além de melhor resistência

www.revistadospneus.com | 09


Reportagem Destaque

As vendas de pneus OTR e Florestais depende

da evolução da economia, do nível de investimento público

e privado e da variação dos preços dos minerais.

Todos estes fatores determinam o nível de atividade

ao rolamento e durabilidade excecional. O

grafeno confere uma força extraordinária e

uma excelente flexibilidade. Basta dizer que

este material é 200 vezes mais forte e 6 vezes

mais flexível que o aço. Considerado o material

mais fino e forte do mundo, possui uma

taxa de condutividade extraordinariamente

alta em termos de calor e eletricidade, o que

o torna um material ideal para aplicações

pesadas, como trabalhos de mineração.

SERVIÇOS E ASSISTÊNCIA

O que faz a diferença, além do produto,

são também os serviços e assistência que

os especialistas em pneus podem oferecer

aos clientes, garantindo-lhes serviços pós-

-venda altamente especializados que ajudam

a maximizar o retorno do investimento.

Não apenas pós-venda e acompanhamento,

um serviço de excelência começa a partir

do aconselhamento pré-compra.

Na verdade, escolher o pneu certo não é

assim tão simples. Encontrar a solução mais

eficiente e adequada para atividades e operações

específicas requer competências específicas

e aprofundadas.

Por este motivo, aconselha-se os utilizadores

a contarem com profissionais altamente

especializados e a contactá-los para visitas e

acompanhamentos regulares que lhes permitam

avaliar o desempenho dos pneus e

poder intervir, se necessário.

São precisamente estes profissionais que

apoiam o utilizador na escolha, assistência

e manutenção. O seu papel é fundamental

porque ajudam o utilizador a escolher o

pneu perfeito para esse tipo de trabalho, e

isso é mais essencial do que nunca, dada a

contínua expansão de gamas, compostos,

tamanhos e tecnologias de produtos. Os

usuários têm a possibilidade de escolher

entre uma gama muito ampla de produtos

e é justo que disponham das ferramentas

certas para avaliar cada produto em detalhe

e, consequentemente, fazer a escolha certa.

E depois há manutenção. Os pneus para aplicações

OTR e florestais realizam operações

realmente difíceis, em terrenos difíceis, nas

condições mais extremas. As tensões a que

são submetidos todos os dias, juntamente

com o peso das máquinas e a carga, põem-

-nos à prova. Por isso, além de escolher o

produto certo dependendo da máquina,

aplicação e condições de uso, é fundamental

monitorizar e fazer a manutenção desses

pneus. A pressão adequada e o controlo

constante são a chave para um ciclo de

vida prolongado do produto.

ESCOLHA CERTA

Seguramente há expectativas elevadas por

parte dos operadores em termos de eficiên-

cia, qualidade e fiabilidade dos produtos. É

fundamental que escolham o pneu certo que

garanta um bom retorno do investimento.

Existem dois tipos de clientes, aqueles que

trabalham com a compra inicial de investimento

e neste caso o fator preço é o determinante

enquanto a qualidade fica em segundo

plano. E aqueles que procuram reduzir custos

de operação através da aquisição de produtos

Premium que oferecem mais horas de

trabalho, robustez e tecnologia para que a

operação não pare. Mais do que as características,

é importante que, ao escolher o

pneu para a empresa, os clientes procurem

referências sobre a marca que os fabrica, e

neste caso além de tecnologia e qualidade, é

preciso haver um compromisso em oferecer

o menor custo total da operação e também a

responsabilidade ambiental por trás do seu

processo de fabrico e destino final.

Uma das características mais apreciada pelos

clientes de pneus OTR e Florestais é a durabilidade.

Uma vez que a medição dos pneus

OTR e Florestais é feita em horas, tendencialmente

os clientes procuram o pneu que lhes

dá garantias de trabalho por mais tempo. É

claro que a este fator nunca deixam de associar

o custo do produto. Contudo, uma maior

durabilidade também lhes permite reduzir

custos noutras áreas associadas à troca de

pneus. Não envolve, obviamente, a mesma

10 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pneus OTR e Florestais

pneu for, mais rentável e ecológico será a

sua prestação.

CAPACIDADE DE RECAUCHUTAGEM

É VALORIZADA

Uma vez que os pneus OTR e Florestais

estão, muitas vezes sujeito às mais difíceis

condições de trabalho, nem sempre é viável

o recurso à recauchutagem neste segmento,

mas quando a mesma é possível, é uma

hipótese que os clientes valorizam. Pneus

que estejam aptos a serem recauchutados

podem contribuir para um menor custo total

da operação, isso quer dizer que a duração

ou vida adicional do produto tornará a frota

mais competitiva. Hoje em dia, o cliente

pensa na rentabilidade do produto, tendo

em conta o número de horas de utilização

e a sua qualidade estrutural de modo a ter

o mínimo de tempo de paragem do equipamento/máquina.

Ao comprar um produto de qualidade, o

oferecidos por um produto novo e por um

produto recauchutado devem ser devidamente

ponderados e avaliados.

O FUTURO DOS PNEUS OTR E FLORESTAIS

Os pneus OTR e Florestais no futuro tenderão

a ser fabricados com matérias-primas

mais sustentáveis e com uma forte componente

de inovação. Devem ser capazes de

responder às necessidades completas dos

seus utilizadores e serão capazes de assumir

esse papel, graças à utilização de materiais

cada vez mais inovadores e ecológicos, e por

possibilitarem uma conexão constante com

a máquina em que estão montados, permitindo

um controlo e monitorização exaustivos.

Assim como os veículos e equipamentos

do segmento, os pneus não ficaram de fora

do processo de modernização dos últimos

anos, e cada vez mais possuem diferentes

tecnologias embutidas e/ou atreladas para

que suportem as diversas condições de uso.

A procura de pneus OTR e Florestais não só mudou do ponto

de vista do produto, cada vez mais tecnológico e em sintonia

com as máquinas que equipa, como aumentou em

termos de serviço

logística, mudar pneus OTR ou Florestais ou

mudar pneus ligeiros ou de camião. A resistência

é outra característica fundamental

que determina as escolhas dos operadores:

a substituição de um pneu devido a danos

e outros problemas não só exige um novo

investimento, mas também tem impacto na

produtividade. Mas, além disso, há outros

fatores a considerar, como a segurança e o

conforto derivados do produto: é importante

que cada operador se sinta à vontade na

realização das atividades laborais.

Também é fundamental que os pneus para

aplicações OTR sejam altamente tecnológicos,

a fim de garantir baixo consumo de

combustível e oferecer tração e estabilidade,

além de garantir resistência contra possíveis

danos. No entanto, não falamos apenas da

qualidade e características do produto, mas

também dos serviços e assistência que o

fabricante pode oferecer aos operadores,

garantindo-lhes serviços pós-venda altamente

especializados que ajudam a maximizar

o retorno do investimento.

Resumindo, tem de haver equilíbrio entre

um pneu que seja suficientemente resistente

e durável e que tenha uma pegada ecológica

o mais baixa possível. Nesse sentido,

os fabricantes procuram desenvolver, essencialmente

em matéria de compostos, as

melhores misturas de borracha na procura

deste equilíbrio ótimo. Tudo isto está diretamente

relacionado com os diferentes tipos

de utilização dos pneus, portanto, quanto

mais adequado ao trabalho que efetua o

cliente aumenta a sua rentabilidade, em

termos de número de horas de trabalho, minimização

de tempos e paragem, e a recauchutabilidade

da carcaça permite aumentar

o ciclo de vida do produto, aumentando

a rentabilidade do cliente e maximizando

o aproveitamento de recursos em termos

ambientais. É também um fator de decisão

em clientes informados e que fazem uma

boa gestão dos seus veículos/equipamentos.

A possibilidade de recauchutagem de

produtos OTR e Florestais é por isso um fator

a ter em conta. No entanto, os benefícios

O pneu do futuro certamente será um

reflexo da evolução que temos visto em

termos de tendências, com cada dia mais

automações e facilidades que resultem em

rentabilidade e performance ao utilizador.

Os pneus do futuro continuarão cada vez

mais relacionados com a sustentabilidade

e a digitalização, duas megatendências que

serão levadas cada vez mais longe e cada vez

mais integradas entre si, ganhando preciosos

minutos e metros. O futuro do setor estará

nos detalhes talvez invisíveis para a maioria,

mas que farão uma grande diferença. u


Reportagem Destaque

Oferta de mercado

As novidades das marcas

Cada utilizador tem necessidades específicas que lhe são únicas, às quais se acrescenta uma

determinada maquinaria, condições de utilização e solo. Todas estas informações e variáveis ​levam à

escolha de um pneu específico, que deve ser perfeito para o seu destino, eficiente e eficaz

BKT

BKT

A gama de pneus BKT é muito ampla e por

isso os parceiros e especialistas da BKT estão

sempre prontos a aconselhar os utilizadores

tanto na fase de compra como na pós-venda.

O Grupo possui uma das maiores carteiras

de produtos do mercado, com mais de 3.200

pneus, porque cada utilizador é importante,

assim como as suas necessidades.

Para o setor OTR, a BKT oferece mais de

trezentos produtos diferentes. E entre

todos destaca-se a Earthmax, uma linha

de pneus radiais lançada em 2008 especialmente

projetados para favorecer uma

melhor distribuição de cargas no solo de

camiões basculantes, pás carregadoras de

rodas, tratores, motoniveladoras e alguns

veículos polivalentes. Todos estes modelos

possuem a estrutura em aço All Steel o

que confere maior resistência à carcaça e,

portanto, a agressões como perfurações e

penetração de corpos estranhos e uma melhor

distribuição de cargas no solo. Estas são

características particularmente importantes

quando se depara com obstáculos no solo

que podem expor os pneus a sérios riscos

de furos ou danos na carcaça. Num lançamento

recente, destacaríamos o segmento

de minas, com o produto BKT 35/65R33 Earthmax

SR41 E4, um pneu desenvolvido para

aumentar a produtividade e o tempo de vida

útil, graças à elevada capacidade de carga e

resistência ao corte e desgaste. O BKT Earthmax

SR41 E4 é o pneu ideal para Dumpers

Mineiros em operações de transporte de

curtas a médias distâncias (1000-5000m),

em minas subterrâneas.

No que diz respeito ao setor florestal, a BKT

oferece quatro linhas de produtos destinadas

a diferentes máquinas e equipamentos:

das abatedoras florestais aos recoletores,

das máquinas de carregamento de madeira

às de extração de troncos e veículos para o

transporte. São os FORESTECH, FS 216, F 240

e TR 678, que têm em comum a resistência,

que é uma longa vida útil do produto e que

por sua vez se traduz em menor número de

substituições e tempo de inatividade com

vantagens ambientais e económicas. FORES-

TECH é ideal para as máquinas de encaminhamento,

ou de autocarregamento, que

operam nas situações mais difíceis. Dotado

de tração elevada, elemento fundamental

para trabalhar nas florestas, possui um talão

extremamente robusto e área de pegada

reforçada para resistir aos furos.

BRIDGESTONE

Bridgestone

Os pneus OTR da Bridgestone proporcionam

a máxima robustez nas operações mais difíceis,

suportando todas as atividades mineiras,

de construção, industriais e portuárias.

A marca disponibiliza uma gama premium

de pneus comerciais e industriais para todos

os tipos de terrenos e veículos. Desde pneus

de mineração a céu aberto que garante

uma melhoria da produtividade em todos

os tipos de terreno, passando por pneus

de mineração subterrânea com excecional

resistência ao corte, tração e estabilidade,

além de pneus para pedreiras e construção

que apresentam tração superior, conforto e

desempenho de longa duração, bem como

pneus para operações industriais e portuárias,

concebidos para cargas pesadas e uma

variedade de aplicações.

Em termos de produtos, a evolução visa desenvolver

tecnologias que permitam oferecer

às frotas pneus cada vez mais seguros,

mais resistentes e eficientes, que garantam

12 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pneus OTR e Florestais

que possam cobrir longas distâncias, reduzir

o custo por quilómetro e sejam capazes de

fazer face a todo o tipo de condições meteorológicas,

bem como ser amigos do ambiente

e contribuir para o desenvolvimento

de uma mobilidade sustentável. Quanto à

evolução no domínio das soluções, a digitalização

centrada na análise de dados e a

sua aplicação na tomada de decisões será

vital. Poder oferecer um serviço de gestão

de frota baseado nas mais recentes tecnologias,

garantindo sempre o melhor custo por

quilómetro e uma atenção personalizada.

CONTINENTAL

Continental

No segmento de pneus OTR a Continental

tem o foco nas aplicações de pedreiras e

minas. Já a gama Florestal não faz parte do

seu portfólio, sendo disponibilizados apenas

produtos para o segmento Agrícola. A gama

de pneumáticos OTR compreende os produtos

para minas tal como o DumperMaster e

ScoopMaster. Já para pedreiras, o modelo EM

Master E3-L3 e E4-L4, com maior utilização

em dumper articulados e pás carregadoras,

enquanto no equipamento Dumper rígido

oferece o produto DumperMaster E-4.

A mais recente novidade é o DumperMaster

E-4, que oferece maior resistência a cortes

e reforço no talão para altas temperaturas

e maior durabilidade da carcaça. As unidades

de produção dos pneus OTR têm recebido

diferentes e constantes aportes de

investimentos nos últimos anos por parte

da Continental, com foco na ampliação e

melhoria do processo de fabrico.

Novos equipamentos com tecnologia de

ponta, materiais que visam a sustentabilidade

e qualidade final são as principais

evoluções da marca. Um exemplo disso é

a tecnologia V.Ply, que permite a construção

de paredes laterais mais espessas, o que

significa paredes laterais mais fortes, com

menos inclinação, maior proteção contra

danos, com uma vida útil mais longa e custo

menor. A Continental continua a investir no

segmento OTR e certamente terá novos produtos

e tecnologias em breve.

Dispnal

Entre o portfolio de marcas disponibilizado

pela Dispnal destaca-se no segmento OTR

a marca Westlake da qual é representante,

comercializando ainda pneus OTR das marcas

Galaxy, Petlas e Leao. No segmento de

pneus Florestais, comercializa a marca Trelleborg.

Atualmente está a trabalhar com

uma gama já bastante alargada de pneus

OTR que vão desde pneus para máquinas

de pá-carregadora, niveladoras, dumper

rígido, dumper articulado, gruas móveis,

pneus portuários, minas, cilindros e pneus

maciços para empilhadores. No segmento

florestal tem também uma gama bastante

completa de pneus que abrangem todo o

tipo de maquinaria e ainda reboques florestais.

No segmento OTR e Florestal, dentro

daquilo que é a variedade e complexidade

de pisos e compostos associados a diferentes

tipos de utilização, destacam-se, sobretudo,

as tecnologias anti-cortante (cut resistant),

DISPNAL

anti-aquecimento (heat resistant) e exaustivo

(comprehensive), que permite aos pneus

das marcas representadas terem um desempenho

de padrões elevados, associados a

uma durabilidade igualmente excelente. Os

maiores desenvolvimentos que tem vindo

a registar nestes segmentos, têm que ver,

sobretudo, com o lançamento de novos pisos,

que são cada vez mais variados, sendo

cada piso e composto de borracha associado

a uma utilização específica. Quer isto dizer

que, dentro da mesma medida de pneu e

para a mesma máquina, poderão ser utilizados

diferentes pisos, conforme o tipo de

terreno e as condições em que será aplicada

a máquina ao trabalho.

MICHELIN

Michelin

A Michelin dispõe do CrossGrip, um pneu All

Season para retro-escavadoras, pás carregadoras,

telescópicas e tratores de pequena e

média potência, concebido para uma utilização

polivalente, em estrada como no campo,

soma um total de 12 referências, disponíveis

tanto enquanto equipamento original como

de substituição. A gama Michelin Cross-

Grip responde à forte procura do mercado

e destina-se a equipar tratores cuja atividade

principal é a manutenção de estradas,

tanto para as autoridades locais como para

as empresas agrícolas e de manutenção. Esta

gama, particularmente adequada para os

trabalhos da maquinaria destinada à retirada

de neve, admite pregos e foi concebida para

cumprir com os requisitos das mais difíceis

condições invernais.

Dentro da gama de pneus para utilização

agroindustrial, os pneus CrossGrip fazem

Cada aplicação requer um pneu específico,

um produto estudado ao pormenor para oferecer

o máximo de desempenho e melhorar a produtividade

de um pneu, diminuindo o número paragens e aumentando

a vida útil de cada pneu

www.revistadospneus.com | 13


Destaque

parte da oferta Compact Line, que inclui

soluções para veículos compactos e suas

diversas utilizações. Oferecem uma elevada

capacidade de carga, e o seu composto de

borracha especial permite uma utilização

polivalente durante todo o ano. A escultura

não direcional da banda de rolamento assegura

uma excelente precisão durante as

manobras, tanto para a frente como para

trás. Os seus tacos altos proporcionam-lhe

uma elevada tração. Os ombros, de desenho

assimétrico, contribuem para melhorar a

aderência e a estabilidade sobre superfícies

inconsistentes, em que manter uma

boa tração é imperativo para a segurança.

Com 196 tacos na banda de rolamento, os

pneus Michelin CrossGrip também melhoram

o conforto, ao reduzir a vibração. Contam,

ainda, com um reforço especial para

proporcionar uma excelente resistência

à perfuração. A profundidade do piso foi

cuidadosamente otimizada para uma maior

proteção do solo. Mais recentemente lançou

o Michelin X AGEV, o primeiro pneu

especificamente concebido para satisfazer

os requisitos dos veículos autónomos de

manutenção portuária em termos de rendimento,

fiabilidade, produtividade e segurança.

De igual modo, é a primeira vez que

um pneu para veículos portuários recebe

a identificação “EV”, o que indica que a sua

baixa resistência ao rolamento contribui

para aumentar a autonomia das baterias

dos veículos elétricos e para a redução das

emissões.

Pneurama

A Pneurama no segmento de OTR comercializa

em exclusividade os Lassa Tyre e no

segmento Florestal comercializa as marcas

do Grupo Trelleborg. A gama de OTR da

marca Lassa é toda em diagonal e as suas

principais características são a resistência e

longa vida do pneu (característica da marca

Lassa). Os pneus OTR da Lassa são reforçado

para resistir a impactos usuais da utilização

destas máquinas. Nesta gama foi desenvolvido

um piso não direcional que providencia

ótima tração em sentido de marcha à frente

e marcha atrás. A gama cobre todas as necessidades

do mercado, desde pedreiras a

PNEURAMA

minas subterrâneas e para movimentação

portuária. Uma gama pensada para enfrentar

os desafios dos terrenos mais difíceis, com

lama e rochas de pedreiras, incluindo neve

e gelo. Disponível com vários tamanhos e

versões capazes de se deslocar nos terrenos

mais difíceis, como os que estão presentes

em grandes estaleiros, pedreiras e minas.

Para os terrenos mais traiçoeiros, a Lassa

dispõe de modelos ideais para camiões

basculantes em pedreiras e transporte de

curta distância em minas com cargas pesadas.

O composto especial do piso oferece

resistência a qualquer tipo de corte e é

ideal para operações de carregamento ou

nivelamento. A ampla nervura central com

terminais lineares torna o pneu adequado

para aplicações de rodagem livre, garantindo

excelente desempenho em condições molhadas

e secas fora de estrada.

Recauchutagem 31

A Recauchutagem 31 é produtora de pneus

recauchutados, pelo que recauchuta todo o

RECAUCHUTAGEM 31

tipo de pneus OTR e Florestais das diversas

marcas existentes no mercado. Na gama de

pneus OTR produz 2 tipos de produtos, em

pré-moldado ou em autoclave com desenho

aberto. Em ambos os sistemas pode recauchutar

pneus desde a jante 24” até à jante

49” (inclusive) num total de 30 dimensões.

Na gama de pneus florestais produz sete

dimensões no piso F1 em jantes 25”, 26” e 34”.

Esta gama permite uma excelente utilização

nas condições mais exigentes.

Ambas as gamas de produto permitem adequar

o pneu às necessidades do cliente e

permitem uma elevada rentabilidade em

termos de horas de utilização e resistência.

Nestas gamas, o piso mais recente é o F1,

em florestais e industriais, que permite uma

elevada tração e resistência nas condições

de utilização mais exigentes. Nos pneus recauchutados

pela Recauchutagem 31 tem

havido uma procura incessante de materiais

com elevada resistência ao corte e à abrasão

que permitam uma elevada rentabilidade

na utilização.

Em termos de equipamentos adquiriu há

alguns anos, uma máquina MGT, que faz

a raspagem do pneu, a aplicação de piso e

termina com a abertura de piso em desenho

aberto de acordo com as necessidades

específicas do cliente e a sua utilização. A

Recauchutagem 31 faz diariamente, em muitos

destes pneus, tanto florestais como OTR,

reparações, de menor a maior dimensão,

feitas por técnicos altamente especializados,

tendo em conta que ao longo da sua

vida, os mesmos são sujeitos a condições

de utilização extrema. A Recauchutagem 31

vende os seus produtos a revendedores, e estes,

por sua vez, fazem o acompanhamento

direto aos clientes/utilizadores, bem como

a gestão de soluções das diversas frotas de

equipamentos, tendo em conta o tipo de

utilização e o número de equipamentos.

Tiresur

A Tiresur comercializa pneus OTR da marca

Triangle, que é o 4º maior fabricante mundial

de pneus OTR. A solução que apresenta é,

sem sombra de dúvidas, diferenciadora no

mercado. A Tiresur assume-se como um fornecedor

muito destacado neste segmento.

Os pneus OTR e Florestais representam um investimento

para o cliente. No momento de escolher o produto

mais indicado, é muito importante avaliar o seu custo

por hora, pois o que importa nesses setores é o desempenho

que se vai obter e a durabilidade do produto

14 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pneus OTR e Florestais

Ao adquirir pneus OTR, o comprador quer assegurar-se

de estar a adquirir a melhor relação qualidade/preço

possível, o pneu certo para o serviço que necessita, e que

lhe possa garantir uma boa performance da sua máquina

TIRESUR

Para o segmento agro-florestal comercializa

os pneus MRL, marca bem estabelecida no

mercado e com produção na India. A Triangle

fabrica uma das gamas mais alargadas de

pneus OTR, que vão desde jante 24” até às

medidas “Jumbo” de jante 63”, e que cobrem

todos os tipos de máquinas e serviços: compactadoras,

niveladoras, pás carregadoras,

dumpers (rígidos e articulados), gruas móveis,

operação portuária e minas. A Triangle

tem neste momento em fase final de teste

de performance vários produtos, que virão

melhorar o leque de oferta atual, com modelos

que irão substituir os existentes. Estes

produtos serão evoluções à oferta que hoje

já possui, com melhorias quer em termos

de capacidade de carga, quer de resistência

ao aquecimento permitindo uma melhoria

no TKPH. Irão ainda ser lançados novos

compostos para os pneus de gruas móveis.

O principal foco de desenvolvimento nos

pneus OTR da Triangle, está relacionado

com a melhoria da estrutura da carcaça.

Uma melhoria da resistência e da durabilidade

das carcaças OTR da Triangle, irá trazer

melhorias significativas à performance dos

pneus. Estas novas carcaças serão aplicadas

tanto em modelos que já existem, como nos

novos modelos que se encontram em fase de

teste e que terão uma performance superior.

A Triangle tem como objetivo solidificar a

sua posição como 4ª fabricante mundial

de pneus OTR. A Tiresur garante aos seus

clientes um apoio pós-venda total, contando

com o suporte do próprio fabricante, o que

transmite a toda a cadeia de consumo (desde

nós, Tiresur, aos usuários finais) uma confiança

total no produto.

Com a marca Triangle, a Tiresur está apostada

em aumentar as vendas, apostando forte

nos desenvolvimentos que a marca está a

preparar. Por um lado, em produtos que já

existem, melhorando a sua performance,

e, por outro lado, com novos produtos que

irão introduzir no mercado, e que darão mais

oportunidades de enriquecer a oferta que

este distribuidor já hoje tem disponível.

Trelleborg

A gama OTR da Trelleborg é composta, principalmente,

pelos produtos das gamas EMR

e Brawler. A gama EMR foi projetada para

melhorar a produtividade nas aplicações de

construção mais exigentes, proporcionando

grandes níveis de controlo e uma aderência

perfeita em diferentes condições de operação:

terra, rocha, areia ou gravilha. Graças

à sua proteção contra danos externos e a

sua maior durabilidade, o utilizador poderá

confiar neste pneu para os trabalhos mais

exigentes.

As rodas Brawler foram homologadas para

uma ampla variedade de fabricantes de maquinaria,

graças ao excelente desempenho

oferecido em locais de construção e de demolição,

gestão de resíduos e exploração de

minas subterrâneas. As aberturas elípticas

proporcionam uma condução confortável

e ajudam a reduzir a fadiga da máquina e

do seu operador.

Os produtos Brawler passam por testes rigorosos

para garantir o máximo desempenho

mesmo em condições de trabalho com cargas

pesadas. A construção sólida dos produtos

Brawler, assim como o composto durável

e resistente a cortes, eliminam o tempo de

inatividade causado por furos e danos. No

início de 2021, a Trelleborg expandiu, com a

adição de novas medidas, a gama de pneus

radiais EMR para movimentação de terras

em aplicações de construção em condições

severas. Os novos tamanhos dos pneus para

as gamas EMR 1042 e EMR 1051 oferecem

uma maior produtividade, mais conforto

durante a operação e uma maior vida útil

dos pneus. Uma das inovações técnicas das

rodas Brawler da Trelleborg são as aberturas

elípticas que proporcionam uma condução

confortável e ajudam a reduzir a fadiga da

máquina e do operador. u

TRELLEBORG

www.revistadospneus.com | 15


Destaque

Análise de mercado

Mercado estável e maduro

O mercado de pneus OTR e Florestais é um mercado estável e maduro, tendo em conta que não têm

existido grandes obras públicas. No caso dos florestais o mercado tem crescido nos últimos anos,

pelo aparecimento de novos operadores e pela modernização dos equipamentos existentes

O

mercado de pneus tem crescido

de acordo com o volume de

veículos e equipamentos que

são comercializados nos diferentes

segmentos. Apesar deste crescimento,

a oferta tem sido afetada nos últimos anos

pela pandemia e a diminuição no investimento

em grandes obras. À semelhança do

que se tem verificado com o mercado de

pneus em geral, a evolução tem sido um

pouco mais tímida do que o ritmo esperado,

fruto da situação particular em que estamos

mergulhados, num período que já vai longo.

A indústria de pneus foi duramente atingida

pela crise sanitária, onde o mercado sofreu

uma grande retração. No entanto, embora os

pneus OTR e Florestais não tenham sido afetados

pela falta de mobilidade, os fabricantes

foram obrigados a tomar medidas rigorosas

e imediatas, tais como a cessação da atividade

industrial, dando sempre prioridade à

saúde e segurança dos seus empregados, o

que levou a uma queda do mercado. O setor

continua a viver sob forte tensão, marcada

pelo aumento dos preços da matéria-prima,

como resultado tanto da escassez de borracha

natural e sintética, como do aumento

dos custos de transporte (mais de 100%).

FALTA DE GRANDES OBRAS

CONDICIONA MERCADO

O mercado OTR está a ser condicionado pela

inexistência de grandes obras. O mercado

dos florestais é um sector em crescimento

pelo facto de sermos um país com uma

grande mancha florestal e grande produtor

de celulose. Como já foi referido anteriormente,

o mercado está a viver uma situação

atípica, uma vez que a pandemia de Covid-19

e a falta de disponibilidade de produto estão

a afetar as vendas. Ao mesmo tempo, haverá

que ter em conta o investimento a realizar

em obras públicas.

CRESCIMENTO ESPERADO

O crescimento esperado para este mercado

nos próximos anos situa-se entre os 2 e os

5%, embora estes números sejam altamente

condicionados pelos investimentos a realizar

em obras públicas. É um segmento

volátil que, para além da incerteza devida

à Covid-19, depende da evolução da economia,

do nível de investimento público e

privado e da variação dos preços dos minerais.

Todos estes fatores determinam o

nível de atividade e, portanto, o nível de

consumo de pneus. As vendas tendem a

acompanhar a economia e investimentos

que influenciem nos segmentos. Neste

sentido, os investimentos previstos no

PRR delineado para Portugal poderão dar

um ânimo substancial a este mercado, nomeadamente

no segmento OTR. Espera-se

que o desenvolvimento da economia, se

registe de uma forma positiva e que possa

contribuir positivamente para um aumento

nos valores comercializados. De qualquer

forma, considerando que é uma área muito

dependente de outros sectores, como obras

públicas, importações e exportações a oscilação

destes sectores estará sempre ligado

ao comportamento do mercado nas compras

e vendas dos pneus deste segmento.

Outro fator que pode provocar aumentos

ou retrações no consumo, são as exportações

deste tipo de produto, que ainda são

em número razoável.

Depois de 2 anos de crise, os operadores

acreditam que haverá condições para este

ano poder ser um ano positivo e haver uma

expansão deste mercado. Tanto mais, que as

previsões económicas apontam para uma

recuperação do PIB de aproximadamente

3% para 2022, o que tem um forte impacto

na economia portuguesa. u

O setor continua a viver sob forte tensão,

marcada pelo aumento dos preços da matéria-prima,

como resultado tanto da escassez de borracha natural

e sintética, como do aumento dos custos de transporte

16 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pneus OTR e Florestais

Gestão de pneus OTR e Florestais

Competências específicas

e aprofundadas

Os pneus para aplicações OTR e Florestais realizam operações realmente difíceis, em terrenos

difíceis, nas condições mais extremas. As tensões a que são submetidos todos os dias, juntamente

com o peso das máquinas e a carga, põem-nos à prova. Por isso, além de escolher o produto certo

dependendo da máquina, aplicação e condições de uso, é fundamental monitorizar e fazer a

manutenção desses pneus

O

que faz a diferença, além do produto,

são também os serviços e

assistência que os especialistas

em pneus podem oferecer aos

clientes, garantindo-lhes serviços pós-venda

altamente especializados que ajudam a maximizar

o retorno do investimento. Não é

apenas o pós-venda e acompanhamento

que fazem a diferença. Um serviço de excelência

começa a partir do aconselhamento

pré-compra. Na verdade, escolher o pneu

certo não é assim tão simples. Encontrar

a solução mais eficiente e adequada para

atividades e operações específicas requer

competências específicas e aprofundadas.

A BKT aconselha os utilizadores a contarem

com profissionais altamente especializados

e a contactá-los para visitas e acompanhamentos

regulares que lhes permitam avaliar

o desempenho dos pneus e poder intervir,

se necessário. Para responder às necessidades

deste mercado, a BKT aposta em

dois elementos vencedores: por um lado,

o desenvolvimento de uma gama cada vez

mais completa que vai ao encontro das

necessidades de todos. Por outro lado, o

desenvolvimento e melhoria dos serviços,

pré e pós-venda, diretamente através da

equipa BKT Field Engineering e através do

seu parceiro distribuidor em Portugal, a S.

José Pneus. São precisamente estas figuras

altamente profissionais que apoiam o utilizador

na escolha, assistência e manutenção.

O seu papel é fundamental porque ajudam

o utilizador a escolher o pneu perfeito para

esse tipo de trabalho, e isso é mais essencial

do que nunca, dada a contínua expansão de

gamas, compostos, tamanhos e tecnologias

de produtos. Os usuários têm a possibilidade

de escolher entre uma gama muito ampla

de produtos e é justo que disponham das

ferramentas certas para avaliar cada produto

em detalhe e, consequentemente, fazer a

escolha certa. Dada a importância do serviço,

a BKT ampliou a equipa de Field Engineering

Escolher o pneu certo não é assim tão simples.

Encontrar a solução mais eficiente e adequada

para atividades e operações específicas requer

competências específicas e aprofundadas


Destaque

Cada utilizador deve ser capaz de gerir

a sua própria frota, mas trabalhando em sinergia

com especialistas em pneus para um controlo preciso,

constante e eficaz do seu desempenho

com especialistas em todos os segmentos

em que a empresa atua e em todo o mundo.

O Grupo também introduziu uma pessoa de

contacto, específica para Portugal. A equipa

de Field Engineering é fundamental porque

se encarrega de recolher relatórios e testemunhos

de utilizadores de BKT, testando

a condição dos pneus e relatando tudo ao

centro de investigação e desenvolvimento

da BKT na Índia. A ampliação desta equipa é

um projeto que a BKT tenciona prosseguir.

A Bridgestone dispõe do iTrack como solução

de gestão de pneus para o mercado

de veículos ligados à Engenharia Civil (OTR).

Falamos de um sistema abrangente de monitorização

da pressão dos pneus (TPMS)

especialmente projetado para pneus ligados

à indústria mineira. Além da monitorização

da temperatura e pressão dos pneus, a plataforma

de gestão de pneus iTrack fornece

delimitação geográfica personalizável, alertas

de velocidade e muito mais para ajudar

os clientes da indústria mineira a otimizar

as suas operações para aumentar a produtividade

e o lucro. A resposta dos clientes

à plataforma de gestão de pneus tem sido

muito positiva. Devemos também destacar

a WEBFLEET Solutions. Um sistema de

gestão inovador que fornece informações

de localização de veículos em tempo real,

comunica diretamente com os condutores,

ajuda a melhorar o comportamento de

condução, poupa combustível e liga-se a

um ecossistema completo de soluções de

terceiros. Este sistema reforça a proposta

de valor da Bridgestone de se tornar o melhor

parceiro para as frotas, ajudando-as a

tirar o máximo partido dos seus pneus e

oferecendo-lhes um pacote completo de

serviços para poupar custos, especialmente

em tempos difíceis como estes.

Como marca líder no desenvolvimento de

tecnologias, a Continental tem investido

muito em oferecer tecnologias de gestão e

monitorização dos pneus, e assim permitir

que eles sejam cada vez mais seguros, duráveis

e eficientes. O ContiConnect, Conti-

PressureCheck e ContiLogger são algumas

das soluções, que além da medição TPMS,

possibilitam estudos por telemetria. A oferta

de soluções da Continental é composta pelas

seguintes ferramentas:

ContiLogger - Uma ferramenta inovadora

que usa dados baseados em GPS para determinar

o tempo de inatividade, distância,

velocidade, forças laterais, curvas e inclinação

da estrada. As informações podem então

ser usadas para uma análise aprofundada

das aplicações OTR, possibilitando encontrar

maneiras eficazes de melhorar os custos de

operação para o cliente, aumentar a vida útil

do pneu e por fim a produtividade.

ContiPressureCheck - A monitorização de

todos os pneus do veículo ocorre em tempo

real através de um ecrã instalado no interior

da cabine do motorista, e garante que

a pressão e a temperatura dos pneus sejam

monitorizadas pelo próprio motorista do

veículo, durante o serviço.

ContiConnect - Uma plataforma digital, que

permite monitorizar remotamente a pressão

e a temperatura dos pneus em tempo real

e, em caso de alertas urgentes, notificar a

pessoa responsável pela manutenção do

veículo. Ao fazê-lo, evita paragens relacionadas

com os pneus e gera valor ao aumentar

o tempo de atividade do veículo.

Mais do que apenas comercializar os pneus,

a Continental conta com uma equipa altamente

qualificada para apoiar os seus clientes.

Isso reflete-se em acompanhamento

técnico, onde os pneus são analisados

18 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pneus OTR e Florestais

com frequência para que se extraia a maior

performance de cada um, seja através do

trabalho manual ou das soluções digitais

existentes. Além disso, possui uma rede

credenciada pronta para oferecer diversos

serviços de manutenção, e desta forma garantir

que a operação não pare.

A Dispnal dispõe de várias ferramentas que

ajudam na procura da melhor solução para

o negócio dos seus clientes. Numa primeira

fase, tem vindo a dinamizar a sua plataforma

on-line para que esta tenha o máximo de

informação possível acerca dos pneus disponíveis

e também tem vindo a apostar

na disponibilização das fichas técnicas dos

pneus aos seus clientes, à qual se segue um

acompanhamento personalizado por parte

da força de vendas no sentido de auxiliar

na escolha do melhor produto para o efeito

pretendido. Toda a componente que envolve

tecnologias, está um pouco mais direcionada

para a própria máquina em si e para

os fabricantes das mesmas, que em alguns

casos já possuem tecnologia de medição de

monitorizar e melhorar a produtividade de

um pneu, a BKT desenvolveu uma solução

inovadora denominada Spotech, que consiste

num dispositivo plug and play de

monitorização dos ciclos de trabalho das

máquinas e respetivos esforços aplicados

nos pneus, cujos dados obtidos e depois

de analisados, permitem melhorar o rendimento

das máquinas e dos pneus OTR. A

BKT dispõe de um Engenheiro no terreno,

responsável por Portugal, Espanha e França,

que garante o acompanhamento de todos

os clientes.

A Trelleborg dispõe de uma estrutura comercial

dedicada, em Portugal, que presta

assistência e assessoria a todos os clientes e

utilizadores. Além disso, a rede de parceiros

autorizados oferece serviços de montagem

e desmontagem, bem como informações

sobre os produtos da marca. Projetado para

aplicações portuárias e na construção, o

Trelleborg TPMS é um sistema integrado

na nuvem que coloca em comunicação os

sensores dos pneus, um ponto de acesso

sobre a vida útil esperada dos pneus, etc.

É muito importante usufruir de uma assessoria

sobre o produto antes da compra, de

modo a escolher o produto mais indicado.

Uma vez equipado nas máquinas, essa assessoria

continua com uma monitorização

constante, até que chegue o momento de

ajudar o cliente a tomar a melhor decisão,

no momento da substituição. O serviço de

vendas e pós-venda é um dos principais

pilares da Trelleborg.

OUTSOURCING OU INSOURCING?

Qual a melhor solução para uma gestão eficiente

dos pneus OTR e Florestais: Outsourcing

ou insourcing? É uma questão complexa

que pode ter uma resposta ambígua. O mais

importante para uma boa gestão dos pneus

é, em primeiro lugar, utilizar um produto

de qualidade, através de uma marca com

experiência e conhecimento no segmento.

Depois disso, possuir sistemas e recursos

qualificados e formados no assunto para

que a gestão ocorra de maneira efetiva.

Só desta forma é que será possível obter

A procura de pneus OTR e Florestais não só mudou

do ponto de vista do produto, cada vez mais tecnológico

e em sintonia com as máquinas que equipa, como aumentou

em termos de serviço

pressão, temperatura e horas de trabalho.

Nesse sentido, a Dispnal tenta estar a par

das mais recentes novidades neste ramo

para assim poder também conjugar essas

valências com as mais recentes tecnologias

associadas aos pneus. Nesta fase, pretende

sobretudo efetuar um acompanhamento

personalizado dos clientes através da medição

dos tempos de trabalho de cada pneu,

do registo de eventuais anomalias no seu

funcionamento, bem como o registo dos

comportamentos de cada pneu em diferentes

tipos de utilização. Isso permite-lhe

desde logo ter um conhecimento mais aprofundado

dos produtos, o que permitirá, no

futuro, um melhor aconselhamento aos seus

clientes.

Principalmente em OTR, área em que na BKT

está atualmente em grande foco, em conjunto

com um técnico da fábrica, a S. José

Pneus está disponível para apoiar os seus

clientes na visita a pedreiras e outro tipo de

solicitações, para que se possa aconselhar o

melhor pneu para a melhor aplicação e monitorizar

os pneus aplicados da marca, para

que seja possível tirar o maior rendimento e

produtividade de cada pneu aplicado. Para

central na máquina e uma plataforma online

para monitorizar todas as operações

das frotas dos nossos clientes, contribuindo,

deste modo, para evitar acidentes. Os representantes

de vendas da Trelleborg realizam

um seguimento dos produtos vendidos, controlando

as pressões, realizando estudos

uma vantagem competitiva, independentemente

de ser outsourcing ou insourcing.

A necessidade de procurar uma solução de

gestão dos pneus OTR e Florestais fora da

empresa estará diretamente relacionada

com o volume de trabalho da própria empresa,

à semelhança do que se regista noutros

segmentos de pneu. De todo modo, o

que se torna vital para a escolha sustentável

das empresas é existir um conhecimento

aprofundado das ferramentas com que trabalham

para poderem escolher o produto

que mais se adequa às suas necessidades.

Cada utilizador deve ser capaz de gerir a

sua própria frota, mas trabalhando em sinergia

com especialistas em pneus para um

controlo preciso, constante e eficaz de seu

desempenho. Nenhuma pergunta é errada

se colocada a tempo, e uma intervenção

corretiva oportuna pode realmente salvar

a situação. Se o cliente quiser fazer a gestão

dos pneus por sua conta, deverá investir

em maquinaria e pessoal especializado, de

modo a ser capaz de realizar as diferentes

manutenções necessárias. Só após a avaliação

dos custos desses investimentos será

possível tomar a decisão mais adequada

e economicamente mais interessante. u

www.revistadospneus.com | 19


Apresentação

O melhor

de sempre!


Continental apresenta novo SportContact 7

A Continental apresentou no Autódromo

Internacional do Algarve o seu mais recente pneu:

o novo SportContact 7. Trata-se, segundo

os responsáveis da marca, do melhor pneu jamais

construído pela Continental. A Revista dos Pneus

esteve presente e comprovou em pista o excelente

desempenho deste pneu, que estabelece um novo

padrão de rendimento desportivo de alto nível

A

Continental preparou a apresentação

do novo SportContact 7

durante cerca de um ano, envolvendo

uma equipa de dez

pessoas internas e muitos colaboradores

externos, desde agências de comunicação e

imagem a todo o staff de técnicos, instrutores

e pilotos que acompanharam jornalistas

e clientes nos diversos testes realizados no

Autódromo do Algarve. O evento denominado

“Leaving the Zone”, prolongou-se

durante duas semanas e levou até a pista

do autódromo de Portimão mais de uma

centena de jornalistas e distribuidores, que

puderam testar as capacidades do novo

pneu da Continental.

Dando continuidade à história de sucesso da

gama SportContact, a Continental lançou o

SportContact 7, que agora ascende ao topo

da sua classe pela sua elevada performance,

tendo superado o antecessor, obtendo melhores

resultados tanto em piso molhado

como em piso seco. O SportContact 7 é um

pneu que reúne as tecnologias mais inovadoras

da Continental, e o resultado de

muitos anos de estudo e desenvolvimento

de novos compostos, onde se destaca o composto

de borracha BlackChili, que foi precisamente

adaptado ao desenho da banda

de rodagem. Este composto combina na

perfeição com o design muito rígido e de

baixo perfil do pneu e não só permite um

excelente manuseamento, como também

aumenta significativamente a quilometragem.

O resultado é um pneu de elevado

desempenho capaz de maximizar a tração,

manobrabilidade, controlo e desempenho

geral do veículo. Representa, sem dúvida, um

novo padrão no desempenho desportivo de

alta performance, já que oferece o melhor

rendimento na sua classe em piso seco e

molhado. Além disso, as excelentes capacidades

do pneu em piso molhado e seco são

acompanhadas de níveis de quilometragem

mais elevados do que o seu antecessor, o

SportContact 6. A questão do piso molhado

foi uma das principais preocupações ao

longo do desenvolvimento do SportContact

6. Face ao seu antecessor que já tinha

credenciais bastante sólidas, o SportContact

7 deu um salto qualitativo quando falamos

em travagem em piso molhado, melhorou

os níveis de desgaste, conseguindo ainda

uma evolução em setores tão importantes

como curvar em piso molhado, desempenho

e travagem no seco.

Com o design do piso assimétrico adaptativo,

o novo SportContact 7 consegue ajustar-se

a estradas secas e molhadas. Isto mantém as

suas características de condução a um nível

constantemente elevado e seguro, mesmo

a velocidades mais elevadas. Isto é possível

graças ao design profissional: durante a condução

em linha reta, a “pegada do pneu”

termina no ponto de maior drenagem de

água no piso para proporcionar uma excelente

aderência durante as travagens, acelerações

e curvas em estrada molhada. Em

curvas realizadas em asfalto seco, a “pegada”

desloca-se para o ombro exterior do pneu,

que foi concebido para transmitir o máximo

de força e permitir manobras estáveis. Para

proporcionar maior estabilidade, os novos

“elementos de bloqueio” atuam no ombro

exterior permitindo apenas um movimento

limitado do piso e oferecendo, assim, uma

elevada estabilidade na condução.

PROVAS EM PISTA

Para avaliar as anunciadas características

deste pneu de alta perfomance, a Continental

preparou uma série de provas no

Autódromo Internacional do Algarve, que

foi escolhido devido ao seu traçado muito

técnico e difícil, onde jornalistas e clientes

tiveram oportunidade de testar em pista as

capacidades do SportContact 7. Os testes

em pista tiveram como objetivo comparar o

desempenho do novo SportContact 7 com

o antecessor SportContact 6, que já tinha

www.revistadospneus.com | 21


Apresentação

Durante o desenvolvimento, a Continental valorizou

a melhoria de todos os critérios de desempenho

a fim de combinar o máximo prazer de condução

com a máxima segurança e sustentabilidade no campo

dos pneus UUHP (Ultra-Ultra High Performance)

muito bons resultados, tanto em manuseamento

a seco, como em travagem em piso

molhado. Para a prova de manuseamento

em piso seco, conduzimos um Hunday I30 N

com 275 cv. A versão equipada com os novos

SportContact 7 superou todos os testes realizados,

desde as manobras de mudanças de

trajetória, entrada e saída de curvas e ainda

comportamento em reta a alta velocidade.

O veículo manteve-se sempre muito seguro

em todas as trajetórias, mesmo nas curvas

mais abertas feitas em máxima velocidade.

A prova teve por objetivo demonstrar a estabilidade

do SportContact 7 quer em reta,

quer em curva e também em aceleração e

travagem. Segurando o volante com as duas

mãos e em plena aceleração, superamos o

teste de estabilidade em reta, seguindo-se

algumas manobras em slalom para testar

os reais desafios na condução. Durante este

prova tivemos de manter o controlo do veículo

em todos os momentos, mantendo

sempre a estabilidade, principalmente em

curva. Foi necessária uma atenção redobrada

para manter a estabilidade do veículo ao

entrar e sair das curvas a alta velocidade,

com os SportContact 7 a desempenharem

bem a sua vocação de pneus desportivos,

mas sempre com margem de segurança, o

que oferece muita confiança ao condutor.

Nas provas de travagem em molhado, realizadas

com modelos VW GTI, a distância

de travagem foi também melhorada. A 85

Km/h conseguimos parar o modelo equipado

com pneus SportContact 7, em menos

3 metros do que com o modelo equipado

com SportContact 6.

SPORTCONTACT 7 VS. SPORTCONTACT 6

Se olharmos para as diferenças do seu antecessor,

os testes internos da Continental

forneceram valores impressionantes. A vida

útil aumenta em 17%, a quilometragem aumenta

em 10%, as distâncias de travagem

em piso molhado são reduzidas em 8%, e

o novo SportContact é também 6% melhor

quanto à travagem a seco. O manuseamento

e a aderência, tanto em condições húmidas

como secas, também beneficiam dos últimos

avanços (teste com pneus 245/30 R 20).

Durante o desenvolvimento, a Continental

valorizou a melhoria de todos os critérios

de desempenho a fim de combinar o máximo

prazer de condução com a máxima

segurança e sustentabilidade no campo dos

pneus UUHP (Ultra-Ultra High Performance).

Com o SportContact 7, a Continental tem

agora um novo pneu de alta performance

adequado para veículos desportivos, estando

disponível um total de 42 artigos

nas dimensões entre as 19 a 23 polegadas,

com a gama de produtos a ser ampliada ao

longo do ano. O modelo foi desenvolvido para

veículos ligeiros com atributos desportivos

e supercarros. A gama de marcas é ampla,

incluindo o Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio,

bem como a série RS da Audi e a série sport M

da BMW. Os automóveis compactos incluem

o Ford Focus III RS e o Mini Cooper S Clubman.

Estão também disponíveis dimensões para

o Porsche 4 S GT, vários veículos da AMG,

Lamborghini e McLaren.

O novo SportContact 7 é a nova geração

de um popular pneu desportivo de verão,

muito experimentado e testado. Desde o seu

lançamento, há seis anos, ele conquistou o

primeiro lugar em vários testes de revistas

e recebeu as mais altas recomendações. Os

principais fabricantes europeus de veículos

equipam de origem com pneus da família

SportContact. Juntamente com os dois

outros modelos atuais de pneus de verão,

a Continental cobre quase 95 por cento da

procura no mercado com os modelos disponíveis.

Isto significa que a marca é capaz de

fornecer pneus para quase todos os veículos

ligeiros na Europa.

OBJETIVOS AMBICIOSOS

O SportContact 7 é o resultado da combinação

da experiência com a inovação

para poder satisfazer as necessidades dos

consumidores. É um pneu que leva o desempenho

desportivo a um nível superior,

permitindo manter o controlo e extrair o

máximo desempenho dos veículos que os

utilizam. Marca certamente um “antes e

depois” na sua gama e demonstra do que

a tecnologia da Continental é capaz. Relativamente

aos objetivos para o mercado, a

Continental procura conquistar o segmento

de mercado de clientes que procuram um

desempenho puramente desportivo, com

emoção, mas em segurança. Os distribuidores

e retalhistas, por sua vez, passam a

dispor de um produto revolucionário, capaz

de marcar a diferença, podendo agora oferecer

aos clientes que procuram performance

desportiva um produto de ponta que lhes

vai permitir encontrar as emoções que procuram

na condução até ao limite máximo,

tanto em aderência e estabilidade, como

em precisão.

De referir ainda que o SportContact 7 é o

primeiro produto no segmento de pneus de

alto desempenho feitos sob medida para

cada segmento automóvel, sendo que as

suas especificações são adaptadas a cada

classe de veículo. Nesse sentido, foram

desenvolvidas novas tecnologias, que são

aplicadas consoante o tamanho do pneu,

para que a experiência de condução típica

da família SportContact seja mantida em

todos os automóveis. u

22 | Revista dos Pneus | Março 2022


Continental

O SportContact 7 é um pneu que se destaca

pelo seu comportamento desportivo, tem as melhores

prestações de manobrabilidade e controlo tanto

em curva como em reta a altas velocidades e uma

grande aderência em piso molhado


Mercado Empresa

Reforço no segmento Quality

Compra racional

A casa que, desde 2004, comercializa a marca Semperit para veículos pesados,

assinou um acordo com a Continental Pneus Portugal para o relançamento

da gama de ligeiros da Semperit, reforçando assim o seu portefólio no segmento

Quality. O evento decorreu nas instalações da S. José Pneus, em Cantanhede,

e a Revista dos Pneus marcou presença

24 | Revista dos Pneus | Março 2022


S. José Pneus relança Semperit ligeiros em Portugal

A

parceria de quase vinte anos entre

a Continental – grupo que

integra a marca Semperit – e a

S. José Pneus está agora ainda

mais sólida com a assinatura deste acordo

que trará de volta ao mercado português

os produtos dedicados aos veículos ligeiros.

Durante o evento, que teve lugar na sede da

S. José Pneus, em Cantanhede, o administrador

José Aniceto, reconheceu a importância

que a Semperit tem tido na evolução da

empresa, tendo mesmo contribuído para

o rumo que a S. José Pneus tomou, ao enveredar

pelo negócio da importação e distribuição

multimarca de pneus depois de

cerca de quatro décadas ligada apenas à

recauchutagem e comercialização de pneus:

“A Semperit é uma marca muito importante

na nossa empresa. Aos poucos, começámos

a ver as dificuldades que algumas casas

de pneus tinham em ser abastecidas de

algumas medidas, de algumas marcas, e

percebemos que eventualmente a distribuição

poderia ser um caminho. Portanto,

a Semperit é responsável por tudo isto ter

crescido até este ponto”, conta, reiterando

que “é uma marca que nos é querida, pelo

que temos que agradecer à Continental

por nos ter confiado a distribuição a nível

nacional”, congratula-se. A S. José Pneus

era um de sete distribuidores em Portugal

e neste momento é o único distribuidor a

nível nacional.

Atualmente, a S. José Pneus é uma das principais

empresas de distribuição de pneus

da Península Ibérica e José Aniceto não

esconde a emoção de ver reforçado este

crescimento ano após ano. “Muitos de vocês

que estão aqui presentes acompanharam o

nosso crescimento, lembram-se de quantos

funcionários eram e quantos são agora…

isto tomou uma proporção que nem nós

imaginávamos que tivesse!”, exclama. No

entender do responsável, “em boa hora a

Continental nos deu a Semperit, em 2004,

porque nos permitiu chegar cá”.

JUNTAR O ÚTIL AO AGRADÁVEL

Assegurando agora a presença no mercado

com a Semperit no segmento dos ligeiros,

a S. José Pneus reforça o portefólio Quality,

uma área onde o administrador da empresa

admite que “poderíamos ter alguma lacuna”.

Com cerca de 200 mil pneus em stock e,

provavelmente, mais alguns milhares a caminho

na sequência deste acordo, é preciso

mais espaço e mais armazenamento. A este

propósito, José Aniceto recorda que “há seis

anos, quando iniciámos o projeto deste

mega edifício, para mim era o culminar da

minha vida nos pneus, sentia-me realizado”,

no entanto, admite que os horizontes se têm

vindo a alargar e avança que vão “aumentar

as instalações em cinco mil metros, é impressionante!

Ficamos com mais de 30 mil metros

de armazenamento entre as nossas antigas

instalações e estas”. Isto permitirá continuar a

ter uma das ofertas mais diferenciadoras do

mercado, fiéis ao lema “o pneu que procura,

a S. José Pneus tem”.

Da parte do fabricante, Pedro Teixeira,

diretor-geral da Continental Pneus Portugal,

não poderia estar mais satisfeito com o

desafio lançado à S. José Pneus. “A Semperit

tem uma gama muito ampla, moderna e

competitiva. Acreditamos que o segmento

Quality tem muitas oportunidades que podem

ser exploradas e para nós foi juntar

o útil ao agradável”, revela. O responsável

da Continental em Portugal esclarece que

quando foi tomada a decisão de relançar a

marca nos ligeiros, “ficou muito claro que o

parceiro que queríamos connosco era a S.

José Pneus, que já nos deu a mão em 2004

– e continua a fazê-lo na área de pesados

– e achámos que era natural lançar-lhes de

novo este desafio. Temos a certeza de que,

tal como nós, vai achá-lo competitivo e ser

mais uma marca a criar valor dentro do seu

portefólio. Da nossa parte agradecemos a

confiança em nós e numa das nossas marcas”,

salientou.

SEMPER IT: «SEMPRE EM EVOLUÇÃO»

De origem austríaca, a Semperit pertence

ao grupo Continental e em 2022 celebra

116 anos de existência. O nome vem do

latim «semper it», que significa «sempre

em evolução», algo que a marca pretende

garantir, desafiando-se constantemente

para responder às necessidades dos consumidores,

sem perder de vista as raízes,

motivo pelo qual continua a ser produzida

exclusivamente na Europa. Nuno Rebelo, o

diretor de comunicação da Continental, passou

em revista a história da marca, nascida

em 1906, e que em 1927

iniciou a produção de

pneus para camiões. Nos

anos 60, começou a desenvolver

e a produzir o pneu radial, tendo

integrado o Grupo Continental em 1985.

Destaque para o lançamento do primeiro

pneu Allseason da Semperit em 2020, e para

o lançamento, um ano depois, da terceira

geração do pneu Speed Life.

O responsável de comunicação relevou “a

importância do investimento que a Continental

tem feito no relançamento desta

marca nos últimos anos, não só com a linha

de Allseason – o Allseason Grip – trazendo

um portefólio mais alargado do que os

pneus de verão, e que é uma tendência do

mercado, mas também com o lançamento

do Speed Life 3, um pneu de performance

e de prestações mais elevadas”. Este caminho

culmina com o relançamento da marca

no mercado de ligeiros com o parceiro S.

José Pneus, que já comercializa a marca no

segmento de pesados.

A Semperit conta com duas linhas de pneus

de verão, a Comfort Life e a Speed Life, sendo

a primeira mais direcionada para o conforto

e para a redução de ruído, com um rolamento

mais silencioso, e a segunda com

uma maior apetência desportiva. Além do

Allseason Grip, a Semperit conta com dois

pneus dedicados aos veículos comerciais,

um de verão e outro de outono. Nuno Rebelo

explica que com “o Comfort Life e o

Allseason Grip temos desde as jantes 13’’ às

jantes de 18’’. Já o Speed Life 2 vai de 16’’ a

19’’ e no Speed Life 3 temos uma gama mais

alargada, que também nos permite chegar

a um segmento de jante superior de 21”.

SPEED LIFE 3: UMA COMPRA RACIONAL

Este é atualmente o produto em destaque

da Semperit, que busca incorporar o melhor

das duas realidades dos pneus já referidos,

juntando o caráter mais desportivo de alta

prestação do Speed Life 2 a um maior nível

de quilometragem. Nuno Rebelo aproveitou

para explicar que, exceção feita à Continental,

no grupo, a Semperit “é a nossa marca

mais premiada em termos de testes, algo

que no centro da europa é extremamente

valorizado pelos consumidores, os testes

independentes das revistas da especiali-

Com um desempenho sólido há 116 anos,

a Semperit é um garante de qualidade durante todo

o ano, em qualquer região, nas situações mais difíceis

e nas condições mais exigentes

www.revistadospneus.com | 25


Apresentação

A Semperit é uma marca do Grupo Continental,

de origem austríaca, que em 2022 completa 116 anos

de existência. Semperit vem do latim “semper it”,

que significa “Sempre em evolução”

dade”. Nestes comparativos, o Speed Life,

lançado em 2021, já ganhou dois prémios

internacionais: da Auto Bild e da ADAC, assim

como em Portugal, também foi, no ano

passado, “eleito pela DECO como a escolha

inteligente”.

Neste reposicionamento da marca Semperit,

o responsável afirma que estão a “focá-la

num segmento jovem, numa audiência que

vai dos 18 aos 34/36 anos, indivíduos ou

casais jovens, que ainda estão na fase de

se divertirem na vida, ligados ao desporto,

e que estão interessados numa compra racional.

O principal motivo é ser uma compra

feita com atenção ao custo/benefício”.

O novo Speed Life 3 tem duas versões, com

quatro e com três sulcos, em função da

largura do piso: “O que tentamos foi juntar

as principais valias que tínhamos do

Comfort Life e do Speed Life 2, mantendo

os três grandes critérios de base – a manobrabilidade,

a segurança o desempenho em

molhado. Ao fazermos este alargamento

da gama do Speed Life, também conseguimos

chegar a um número superior de

viaturas que não conseguíamos alcançar

com a gama antiga”, esclarece, referindo-

-se ao segmento SUV, que considera ser “a

tendência do mercado”.

Quanto às tecnologias utilizadas, a Semperit

tão só pegou no que já existia, “e juntámos,

para tentar ter um pneu de alta prestação

com elevada quilometragem, sem descurar a

eficiência energética”. O desenho dos sulcos

e dos blocos centrais foi feito para ter um

bom desempenho em piso molhado, com

as lamelas centrais criadas para dar boa

manobrabilidade essencialmente em piso

molhado e, depois, muitas outras lamelas

para garantir uma boa distribuição da pressão

dos pneus, “para tentar que ele também

consiga alcançar uma quilometragem superior.

Se formos comparar o Speed Life 3

com o seu antecessor, o que nós vemos é

que a principal evolução se prende com a

quilometragem”, diz.

Este produto conta ainda com dois indicadores

no piso, um de performance e outro

de alinhamento. No primeiro, que está num

dos sulcos, é possível encontrar «DRY+» e

«WET+», o que significa que quando o pneu

está novo, terá o seu máximo desempenho

seja em piso molhado, seja em piso seco. Já

QUADRO I // GAMA DE PNEUS SEMPERIT

De origem Austríaca, a Semperit continua a ser produzida exclusivamente na

Europa. Em 2021 lançou a 3ª geração do Semperit SPEED-LIFE 3, que combina

os melhores atributos do COMFORT-LIFE 2 e SPEED-LIFE 2. Como resultado,

o SPEED-LIFE 3 tem um desempenho melhorado em manobrabilidade,

condução em pavimento molhado, mantendo ao mesmo tempo um foco

na eficiência energética e caraterísticas de quilometragem otimizadas.

Turismo e SUV

13”

Van e Comerciais

13”

14”

14”

QUADRO II // BENEFÍCIOS E CARACTERÍSTICAS

DO SEMPERIT SPEED-LIFE 3

Performance em

pavimento molhado

Benefício

l Condução segura,

graças à melhoria de

dispersão da água

15”

15”

Características

l Sulcos circunferenciais

mais largos

l Maior número de lamelas

l Blocos centrais com

geometria otimizada

16”

Van-Allseason

16”

17”

Van-Life 2

17”

Comfort-Life 2

Allseason-Grip

Manobrabilidade

Benefício

l Manobrabilidade

precisa em estradas

secas

18”

18”

Características

l Lamelas nos blocos centrais

que proporcionam menor

deformação nas curvas

l Ombros fechados com

lamelas laterais otimizadas

Speed-Life 2

19”

19”

20”

20”

Speed-Life 3

21”

21”

Elevada

quilometragem

Benefício

l Desgaste reduzido para

maior quilometragem

Características

l Lamelas nos blocos centrais

que ajudam a equilibrar

a distribuição da pressão

do contacto do pneu com

o solo

26 | Revista dos Pneus | Março 2022


S. José Pneus

O novo composto do piso do Semperit SPEED-LIFE 3

foi desenvolvido para responder à necessidade

de elevada quilometragem e manter a eficiência

energética dos produtos antecessores.

QUADRO III // COMPARAÇÃO DE PERFORMANCE

ENTRE SPEED-LIFE 2 E SPEED-LIFE 3

Resistência ao Rolamento

100%

Ruído

102%

Travagem no pavimento molhado

103%

Quilometragem

110%

Travagem no pavimento seco

98%

Aquaplaning

95%

Manobrabilidade

103%

QUADRO III // TECNOLOGIAS DIFERENCIAIS DO PISO

Tecnologia Semperit Care

l Os indicadores SPI e SAI estão

localizados em três zonas do pneu

com margem de 120°nas três

posições e aparecem sempre com

uma marca no ombro do pneu.

l sto torna os indicadores visíveis

de qualquer ângulo.

8 mm

Profundidade do piso WET+ e DRY+

são completamente visíveis

SPI – Indicador

de Performance Semperit

SAI –Indicador

de Alinhamento Semperit

1

2

3 mm

Quando a profundidade do piso

desce para 3 mm, o símbolo WET+

muda para WET- indicando menos

desempenho em condições molhadas

1,9 mm

O símbolo DRY+ muda para DRYquando

o limite de desgaste do piso quase

atinge a profundidade de piso mínimo

legal. É urgente a substituição do pneu

1 // O desalinhamento da jante resultará

no desgaste irregular dos pneus e reduzirá

consideravelmente a vida útil

2 // Marcação correta da jante

www.revistadospneus.com | 27


Apresentação

S. José Pneus

Em 2021 o Speed-Life 3 recebeu duas distinções

em testes independentes realizados por duas

revistas alemãs do setor automóvel - Auto Bild e ADAC –

tendo recebido as classificações “Exemplar” e “Altamente

Recomendado”, respetivamente

quando o pneu se gasta e chega aos 3 mm,

o «WET+» passa a «WET-», indicando que

este continua na sua performance máxima

em seco, mas já não está no seu melhor no

piso molhado. Quando chega a 1,9 mm,

tanto o «WET» como o «DRY» passam para

«-», indicando que se aproxima a altura de

trocar o pneu. O segundo indicador é o de

alinhamento, que permitem ver se os dois

ombros estão a gastar à mesma proporção,

pois caso não estejam, é sinal de que há um

problema no alinhamento que o utilizador

deve corrigir. Em termos de etiqueta, o Semperit

Speed Life 3 tem rótulo B na aderência

e rótulo C na eficiência energética.

Na S. José Pneus, será Miguel Melo, o coordenador

comercial que estará à frente do

projeto ligado à Semperit, e José Aniceto, o

administrador da empresa, não tem dúvidas

de que “com o espírito jovem que ele tem,

vai conseguir levar o projeto para a frente.

Não é fácil, porque apesar de a marca ser

antiga, entra de novo no mercado. Com o

trabalho de todos, apoiado pela Continental,

acho que vamos conseguir. Estamos

cá nós, a família da S. José Pneus, para o

fazer!”, conclui. u

QUADRO V // PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

DO SEMPERIT SPEED-LIFE 3

O novo Semperit SPEED-LIFE 3 oferece quilometragem excecional e melhor

desempenho na manobrabilidade e aderência em pavimento molhado.

Benefícios ao cliente

Performance em

pavimento molhado

Controlo

de Condução

Quilometragem

elevada

Rotulagem EU

C/E 1

Eficiência energética

dispersão de água

melhorada

Manobrabilidade precisa em

estradas secas e molhadas

Desgaste reduzido

para uma maior vida útil

B

Aderência em

piso molhado

(1)

Alta quota com C

Ruído

Segmento Largura Perfil Jante

Ligeiros/

SUV (Verão)

165-295 30-65 15”-21

28 | Revista dos Pneus | Março 2022


Challenge_Oficinas_2022.pdf 1 28/02/2022 23:47

Organização

Parceria

C

A COMPETIÇÃO DO ANO

PARA EQUIPAS OFICINAIS!

M

Y

Siga-nos nas redes sociais

CM

MY

CY

CMY

K

Inscreva a sua oficina em www.challengeoficinas.pt

PARTICIPE NA COMPETIÇÃO

E TALVEZ A SUA OFICINA SEJA UMA DAS TRÊS SELECIONADAS

PARA A GRANDE FINAL A 18 JUNHO 2022

Patrocinadores 2022

Apoio

www.revistadospneus.com | 29


Entrevista Mercado


Luís Aniceto, administrador da S. José Pneus

A S. José

Pneus está

em constante

evolução

Por ocasião do relançamento da marca Semperit

em Portugal, a Revista dos Pneus conversou

com Luís Aniceto, administrador da S. José Pneus,

a empresa que pôs mãos à obra e tenciona agora

recolocar a marca onde esta já esteve um dia, no

imaginário de qualidade e fiabilidade dos portugueses

Fundada em 1966, a José Aniceto

& Irmão, Lda, iniciou ‐se dedicada

à atividade de recauchutagem e

comercialização de pneus, com a

designação comercial de Recauchutagem

S. José, assumindo como primeiro lema:

“Confiança absoluta”. Na entrada do novo

milénio, a gestão apostou na abertura de

uma nova vertente no negócio de pneus em

Portugal, com a importação e distribuição

multimarca de pneus novos, desbravando

novas perspetivas de mercado. Neste novo

projeto, foi adotada a designação comercial

de S. José ‐ Logística de Pneus, empresa que

se viria a tornar no maior distribuidor nacional

de pneus da atualidade.

Com venda exclusiva a profissionais, a gama

vai desde os pneus de jardim, até aos de Engenharia

Civil, passando pelos ligeiros, 4x4,

comerciais, pesados, agrícolas, manutenção,

industrial MPT, golfe, câmaras de ar e recauchutagem.

A empresa funciona também

como importador exclusivo das marcas BKT,

GoodRide e Powertrac, distribuindo ainda

as principais marcas premium do mercado,

desde a Michelin, passando pela Continental,

Pirelli, Goodyear ou Bridgestone, entre

outras. Com 55 sólidos anos de atividade, a

empresa já definiu o seu espaço no mercado

e continua a marcar forte presença em diversas

atividades extra pneus, como nos contou

Luís Aniceto, o administrador da empresa.

A diversidade da oferta é um dos lemas e

também um dos grandes argumentos da S.

José Pneus, para quem os pneus de turismo

são uma das bases de sustentação.

“É um negócio onde temos investido, diversificando

a quantidade de medidas, tipos

A S. José Pneus é uma das principais empresas

de distribuição de pneus da Península Ibérica,

assumindo como característica diferenciadora

ter a oferta mais diversificada do mercado

www.revistadospneus.com | 31


Entrevista

A estratégia da S. José Pneus assente na melhoria

contínua, com foco na satisfação do cliente, numa gama de

pneus muito diversificada, no investimento e reforço

do stock, foi bem entendida pelo mercado

e de marcas com que trabalhamos. Havia

uma lacuna na nossa gama de distribuição,

pois seria importante estarmos com todas

as marcas premium e havia também necessidade

de ter uma marca própria em Quality.

E uma vez que já temos tanto a GoodRide

com a Kormoran, ambas com caráter de

maior exclusividade no segmento Budget,

a Semperit encaixava perfeitamente neste

espaço, até porque é o reviver de uma marca

que esteve em Portugal até 2018”, remata

Luís Aniceto.

A marca foi sempre bem vista no tempo

em que se manteve em comercialização,

principalmente no setor dos pesados. “Era

perfeitamente compatível e tinha a ver com

a nossa história, aliás, fazia todo o sentido

ficarmos com a distribuição da Semperit”,

garantiu o mesmo responsável. O desafio foi

aceite, contudo, a empresa está consciente

de que não vai ser tarefa fácil revitalizar uma

marca que já não estava no mercado há alguns

anos e de cujo nome já muita gente

nem se lembrava. “Mas era assim como que

um... casamento perfeito, por isso avançamos”,

afirma.

NOVAS INSTALAÇÕES A FICAR APERTADAS

Há apenas dois anos, a S. José inaugurou as

novas instalações com 20.000 m2, porém,

devido ao crescimento exponencial do negócio,

já está a ser preparada a construção

de um novo armazém com 5.000 m2 para

poder ter mais pneus em stock e que, provavelmente,

ficará cheio em menos de nada.

“Estamos neste espaço há apenas dois anos.

Não sabíamos que ia haver uma pandemia,

com tudo o que isso representou nas cadeias

de abastecimento, foi preciso aumentar os

níveis de stock, para poder ter oferta e passarmos

a ser o garante da entrega ao cliente.

Perante uma realidade diferente há que ter

formas de atuação diferentes e a partir daí

foi necessário aumentar os níveis de stock.

Isso criou imensa pressão sobre o espaço

de armazém, que rapidamente ficou exíguo,

e obrigou ‐nos a a usar as áreas dos

antigos armazéns. O aumento é imperativo,

mesmo que o espaço fique de imediato ocupado

no dia a seguir a ser inaugurado. Mas

ainda bem, porque é sinal de que o mercado

reagiu muito bem a todas as adversidades

dos últimos dois anos”, garantiu o mesmo

responsável.

Em 2020 e 2021, segundo Luís Aniceto, a

S. José Pneus apresentou um “crescimento

muitíssimo bom”, aumentando em todas as

vertentes do negócio, quer seja em pneus

de turismo e nos pesados, ou a nível do

agro ‐industrial, “tanto em Portugal como

em Espanha”.

Logisticamente falando, a empresa está a

implementar o WMS (Warehouse Management

System), mas a ideia é “começar um

projeto inovador, desenvolver um Sorter de

separação e confirmação de mercadoria para

os clientes verificarem se o pneu certo vai

ser entregue ao cliente correto. Trata ‐se de

um sistema de Sorter desenvolvido por nós,

que já está em fase de implementação. Um

Sorter que vai fazer um up ‐grade no nível de

sofisticação de todo o sistema. O objetivo

da empresa é caminhar fortemente para a

digitalização, e este é mais um passo, com

o WMS, com o Sorter e todo o sistema de

picking e a filosofia do armazém que está

em constante mudança e evolução”, remata

Luís Aniceto.

Trata ‐se de um sistema de logística interna,

desenvolvido em paralelo com o sistema

externo para que o cliente possa fazer o tracking

do percurso do pneu. “Os pedidos dos

clientes são todos feitos pela plataforma,

permitindo automatizar o sistema e aumentar

a velocidade entre a encomenda do pneu

e a chegada ao picking para execução da

mesma”, garante.

INOVAÇÃO E APOIO

Em 2021, a empresa comemorou 55 anos

de atividade, o que, de acordo com Luís Aniceto,

é “muito tempo de vida”, mas a empresa

mantém o “o espírito de inovação, jovem e

a pensar no ambiente”, pelo que criou “não

uma mas duas unidades de produção de

energia fotovoltaica. Nas instalações da recauchutagem,

as mais antigas, os pneus são

ainda mais verdes porque são produzidos

e recauchutados com energia fotovoltaica”,

afirma o administrador da S. José Pneus.

Mas há muito mais. No ano passado realizaram

uma Bolsa de Mérito que vai ser

repetida:

“A empresa tem tido desde sempre uma

preocupação social. Mudamos o que nos

rodeia e tentamos dinamizar a nossa região,

que é tradicionalmente agrícola, e assim

ajudar jovens com grandes qualificações a

ingressar no ensino superior logo no início

do projeto. Este é um projeto a que só têm

acesso os jovens da categoria A e B do IRS,

com mais carências. No ano passado, também

desenvolvemos este projeto para os

nossos funcionários, que vão poder usufruir

32 | Revista dos Pneus | Março 2022


Luís Aniceto

diretamente, ao invés da bolsa externa, que

funciona por concurso. Além disso, temos

vindo a apoiar muitas instituições, patrocinamos

um banco de leite, para mães

carenciadas, temos apoiado a Associação

Acreditar, ligada às doenças oncológicas e

damos alguns valores aos alunos da obra do

Padre Gil, que é uma obra do concelho de

Mira, que apoia jovens carenciados. Isto a

par de outras ações locais e pontuais. Estamos

ligados à BKT, que patrocina a La Liga

e que agora apoia o campeonato europeu

de basket. Patrocinamos a equipa de todas

as camadas jovens do Marialvas, de Cantanhede,

com fatos de treino da S. José/BKT. É

importante apoiar esta gente à nossa volta

e sentimo ‐nos orgulhosos por isso”, conta,

recordando que esta é uma vertente que

“nos foi transmitida pelos nossos pais, que

sempre tiveram esta preocupação, e que nós

queremos fazê ‐lo, sempre que pudermos”.

Quando questionado sobre o aumento do

preço das matérias primas, Luís Aniceto

assegura que estão a “tentar colmatar as

dificuldades do mercado, preenchendo

as necessidades do cliente. Temos vindo a

superar as dificuldades da cadeia de abastecimento,

substituindo as próprias marcas,

o que tem sido um fator de evolução da

nossa empresa”.

O responsável entende que “as marcas tiveram

necessidade de se apoiar no distribuidor,

porque é ele que tem capacidade para

fazer previsão de médio e longo prazo, que

permita ter pneus para entrega”.

O administrador da S. José Pneus lamenta

que os custos das matérias primas se tenham

que repercutir nos preços dos produtos,

pois “é impossível controlar situações que

derivam do mercado. Não podemos fazer

nada, o mercado dita as regras. Chega a

um ponto em que para nós também é demasiado

e atinge valores impressionantes.

Quando pensava que isto iria estabilizar,

deparamo ‐nos com outro aumento brutal,

nomeadamente para o utilizador.

O poder de compra não aumentou para

fazer face à inflação e é natural que haja

uma deslocalização do mercado da gama,

fazendo com que alguma parte do Premium

se desloque para o Quality. E é aqui que a

Semperit pode ter uma oportunidade boa.

O poder de compra define o que se pode

ou não fazer”, diz.

SUCESSO DENTRO E FORA DE PORTUGAL

Para além de todas as marcas que comercializam,

há uma que se destaca pela especificidade

e pelo sucesso. A BKT, destinada a

veículos agrícolas e industriais, tem crescido

devido a vários fatores, se bem que a sua

importância é repartida entre a disponibilidade

na existência de stock e a qualidade

do pneu, em que ombreiam com a melhor

marca, em utilização e rendimentos. “Neste

caso, é o mercado a escolher a marca, o utilizador

chega para mudar os pneus e diz a

marca que quer, neste caso a BKT, porque a

fiabilidade do produto tem sido excelente.

Estamos a desenvolver um trabalho, a nível

de engenharia civil, onde queremos

demonstrar que a qualidade também vai

acontecer no pneu OTR e sabemos que

estes vão alcançar um nível de qualidade

muito elevada.”

Mas a S. José Pneus não é um sucesso só

em Portugal. O mercado espanhol é de extrema

importância e foi esta empresa um

dos garantes de existir stock de produtos do

outro lado da fronteira. “É um mercado muito

mais exigente, porque tem uma agricultura

muito mais intensiva e o fator primordial é a

qualidade do pneu e, nesse aspeto, estamos

muito bem reputados em Espanha”, refere.

“A BKT tem uma notoriedade de produto

mais elevada do que aqui. O feedback é

excelente e o crescimento tem sido muito

bom. Para Espanha, funcionamos, a partir

daqui, como um armazém central e temos

distribuidores regionais para fazer a logística

de entrega, o que é muito importante.

Temos sete distribuidores que trabalham

em exclusivo connosco e com a BKT”, diz.

O responsável esclarece que têm seguido à

risca o lema «crescemos juntos», entre a BKT,

a S. José Pneus, e os distribuidores, tendo

o ano de “2021 sido um ano excelente de

vendas”. Para 2022, o prognóstico não é tão

positivo, uma vez que, na área agrícola, a

seca que enfrentamos atualmente é também

um fator muito influente (de forma negativa)

no mercado.

Sobre a disponibilidade para estabelecer

acordos e parcerias com novas marcas, Luís

Aniceto salienta que “mais importante do

que ter a marca é poder oferecer uma continuidade

de fornecimento dessa marca. Isto

é apanágio da S. José Pneus, não interessa

anunciar uma marca e depois não ter pro‐

S. José Pneus

lança 2ª edição

da Bolsa de Mérito

A

S. José Pneus vai realizar a 2ªedição

da Bolsa de Mérito S. José

Pneus com o apoio da Direção

do Agrupamento de Escolas Lima ‐de‐Faria

e da Câmara Municipal de Cantanhede com

o objetivo de premiar alunos carenciados

que quisessem prosseguir os seus estudos

para o Ensino Superior. A S. José Pneus

pretende, com a 2ª edição desta bolsa

de mérito, continuar a apoiar jovens

beneficiários do escalão A ou B, que

frequentem o Agrupamento de Escolas

Lima ‐de‐Faria, residam no concelho

de Cantanhede e que ingressem no Ensino

Superior. A Bolsa de Mérito S. José Pneus irá

premiar os três melhores alunos, de acordo

com os critérios referidos anteriormente,

com bolsas no valor total de 2.250€.

Na certeza de que o caminho para

a evolução do país passa pela maior

qualificação dos seus jovens, a S. José Pneus

procura dar oportunidades para que todos

possam chegar mais além, fruto do seu

trabalho e dedicação. Este apoio fará

certamente a diferença no seu percurso.

S. JOSÉ PNEUS

2ª EDIÇÃO 2021/2022

ESTÁS NO 12º ANO

E QUERES GANHAR UMA BOLSA

PARA ENTRARES NO ENSINO SUPERIOR?

INFORMA-TE JUNTO DO TEU PROFESSOR DOS

REQUISITOS PARA TE CANDIDATARES.

A S. JOSÉ PNEUS TEM

3 BOLSAS PARA OFERECER!

Uma iniciativa José Aniceto & Irmão

Para 2022 estão previstos vários investimentos,

sendo o mais relevante a ampliação do armazém

que, apesar da sua dimensão e construção bem recente,

tem sido exíguo para suportar a expansão da empresa

www.revistadospneus.com | 33


Entrevista

Luís Aniceto

duto para oferecer continuamente. É isso

que pretendemos, garantir a continuidade.

Está a acontecer o mesmo com a Kormoran,

onde ficámos como distribuidor em Portugal,

em que temos oferta permanente para

podermos satisfazer as necessidades do

cliente. Quem estabelece parcerias com a

S. José Pneus, sabe que pode contar connosco

e que vai ficar com garantia de que

tem continuidade de fornecimento”, refere.

“A ideia é manter os pneus com um bom

mercado ao nível da distribuição. Cada vez

mais há a necessidade de os distribuidores

estarem presentes e considero que o mercado

lhes pode agradecer o facto de estes

terem garantido a existência contínua de

pneus e de terem amortecido, especialmente

na altura do início da pandemia,

as grandes disrupções de fornecimento”,

argumenta, acreditando que o trabalho dos

especialistas de pneus não tenderá a acabar.

“Ainda que, eventualmente, seja necessário

que as oficinas de pneus criem alguns

serviços extra como complemento, para

a sustentabilidade da empresa, o melhor

será dedicarem ‐se àquilo que melhor fazem:

vender e montar pneus. Em Portugal,

em termos de pneus, ainda se confia

muito no retalhista de pneus, porque as

grandes cadeias fazem um trabalho pouco

personalizado e, normalmente, utilizam

mão de obra pouco qualificada, o que

não dá confiança ao utilizador. As casas

de pneus especialistas vão continuar, mas,

naturalmente, têm de fazer adaptações e

criar serviços de apoio, porque faz parte

da evolução”, afirma.

VENDAS ONLINE

No que diz respeito às vendas online, “já se

dizia, há mais de uma década, nos encontros

organizados pela Revista dos Pneus,

que dentro de 15 anos estas seriam mais

de metade do mercado. Fazendo as contas

agora, como é que está? Foi assim tanto?

A grande futurologia que se fez, não se

concretizou. Naturalmente, que vai haver

um aumento, mas passo a passo, porque,

no fundo, essas cadeias que fazem entrega

direta não dão garantia de produto, e a nível

de reclamações, se houver uma necessidade,

tanto de serviço como de produto, é muito

mais difícil. Podem até crescer para o dobro,

mas continua a ser um valor que vale o que

vale... em Portugal eu penso que a evolução

foi mínima” considera.

Quanto ao futuro, Luís Aniceto não mostra

grande preocupação, apesar de “gostar de

pensar a longo prazo”. Entende que se irão

sempre vender pneus “desde que sejam

de borracha”, sejam para carros elétricos, a

combustão ou a hidrogénio”, afirma.

Para 2022, as perspetivas são de crescimento,

para a S. José Pneus, que perceciona

que “tudo são fatores de crescimento”,

mesmo que a empresa não assente “o

crescimento na Semperit, mas sim no

todo. Firmamos o nosso crescimento na

continuação de um bom nível de stock, na

boa qualidade de serviço e de uma relação

de cliente que inspire confiança e garanta

que é com a S. José Pneus que querem

trabalhar, porque o lema continua a ser: a

S. José Pneus tem”, conclui. u

Quem estabelece parcerias com a S. José Pneus,

sabe que pode contar com todo o apoio da empresa

e que vai ficar com garantia de que tem continuidade

de fornecimento

34 | Revista dos Pneus | Março 2022


SABE O QUE ESTÁ NA BASE

DE UM FUTURO MAIS

SUSTENTÁVEL?

A BORRACHA RECICLADA.

A reutilização dos pneus usados está na base do piso de parques infantis,

do isolamento de estúdios de som, dos relvados sintéticos e do pavimento

de estradas.

Saiba mais em valorpneu.pt


Entrevista Mercado

Crescer

para

melhorar,

melhorar

para

crescer!

36 | Revista dos Pneus | Março 2022


Francisco (Paco) García, diretor geral internacional da Tiresur Portugal

Desde o estabelecimento com sede física no país em 2013, Portugal tem sido um

pilar fundamental na estratégia de crescimento da Tiresur. As novas instalações

recentemente inauguradas pretendem ser um reflexo desta relação e constituir uma

base ainda mais sólida para o compromisso da empresa com o mercado português

Francisco (Paco) García, 45 anos, diretor

geral internacional da Tiresur,

é licenciado en Ciências Políticas

e Executive MBA pela ESIC e tem

14 anos de experiência profissional no setor

dos pneus. Em Portugal está intimamente

ligado ao mercado desde 2013, ano em que

abriu em Lisboa a sede nacional da empresa.

Em entrevista à Revista dos Pneus, explica

o objetivo do investimento nas novas instalações

e a estratégia de crescimento que

planeou para o nosso país.

A Tiresur inaugurou recentemente novas

instalações em Portugal. Qual o objetivo

deste investimento?

A Tiresur tem uma clara estratégia de crescimento

para o mercado português e também

para o internacional. Neste sentido, urgia

aumentar a capacidade de armazenamento

para termos um mix mais alargado e profundo,

ou seja, mais marcas, mais gama

e mais produto em todos os segmentos:

premium, quality e budget. Para além do

elevado stock de pneus de turismo, comerciais

e 4x4, hoje temos muito produto

camião, agrícola, e industrial o que nos

permite oferecer aos nossos clientes mais

soluções, melhor serviço e melhor preço. As

novas instalações contemplam 25.000 m 2 de

terreno, onde 5.000 m 2 são armazém e 800

m 2 são escritórios. Está ainda previsto um

aumento de 2.500 m 2 de armazém no breve

espaço de tempo para responder ainda com

maior eficácia às exigências do mercado.

O que destaca de mais inovador no novo

armazém a nível do espaço de armazenagem,

entrada e saída de produtos e

segurança das instalações?

Este armazém foi concebido com o maior

rigor técnico e com muita sensibilidade

arquitetónica, de forma a preservar toda

a envolvente. Devido ao facto de termos

dez enormes armazéns a nível global, permitiu

ganhar muita experiência ao nível de

layout e encontrar a capacidade ótima de

armazenagem e de todo o fluxo de cargas

e descargas. Dispomos de sete cais, o que

nos permite uma elevada capacidade de

gestão de produto. Temos toda a tecnologia

de ponta nestas instalações, proporcionando

assim maior eficiência e maior conforto para

as pessoas que aqui trabalham.

Qual a capacidade de armazenagem das

novas instalações e qual o vosso stock

médio de pneus?

Atualmente o Grupo Tiresur tem um stock

aproximado de 700.000 pneus, sendo que

em Portugal é de 90.000 pneus. Com a implementação

da 2ª fase da construção, teremos

uma capacidade para 130.000 pneus.

E que mais valias e vantagens trouxeram

as novas instalações para a Tiresur Portugal

e também para os seus clientes?

As novas instalações permitem à Tiresur

Portugal ampliar a sua gama de produtos

e oferecer melhor serviço e melhor preço.

Temos uma maior capacidade em marcas

premium que é um segmento que estamos

a desenvolver com muita intensidade

e apostar de forma consolidada em TBR, OTR

e AGR. Os nossos clientes são o foco principal

de todos os esforços que possamos fazer.

Queremos aumentar consecutivamente os

índices de satisfação e, com efeito, ter os

maiores níveis de fidelização.

Como é constituída atualmente a Tiresur

Portugal a nível de recursos humanos e

instalações?

Os recurso humanos da Tiresur estão alicerçados

por uma estrutura organizacional

funcional, onde se repartem as diferentes

áreas e os respetivos departamentos. Para

cada departamento existe um responsável

com estreita ligação com o diretor geral. As

instalações permitem um maior conforto e

melhor dinâmica nas tarefas diárias, devido

ao facto de trabalharmos em ambiente open

space e de forma mais próxima. Dispomos

ainda de inúmeras salas de reuniões e de

formação totalmente equipadas com a melhor

tecnologia, zona social, cantina, etc.

Que fatores mais importantes destaca

no funcionamento da Tiresur Portugal?

Na Tiresur temos um objetivo claro - a satisfação

de todos os participantes na nossa

cadeia de valor. Neste sentido, e como

resultado do grande trabalho que temos

vindo a fazer a nível mundial, temos a

oportunidade de continuar a melhorar. As

instalações que estamos agora a abrir são

um exemplo claro desta melhoria contínua.

Instalações modernas onde podemos continuar

com o nosso compromisso de uma

distribuição mais moderna e mais próxima

que satisfaça as necessidades dos nossos

clientes, compreendendo e assimilando as

mudanças contínuas que ocorrem no nosso

setor, um dos mais dinâmicos do mercado,

que enfrenta novos desafios todos os dias.

Nomeou recentemente um novo responsável

para liderar o projeto no nosso país.

Que objetivos pretende atingir com este

reforço da equipa?

Para liderar o projeto temos a presença e

o conhecimento de José Moura Neto, um

grande profissional com experiência no

setor e grande conhecimento do mercado

e dos seus principais intervenientes que,

trabalhando em conjunto com a grande

equipa que constitui a família Tiresur Portugal

e Tiresur Espanha, dará continuidade

ao trabalho que temos vindo a desenvolver

com vista a estes novos desafios que

enfrentamos, enquadrados numa maior

qualidade de serviço ao cliente, melhorias

nas ferramentas tecnológicas que nos permitem

estar ainda mais próximos deles, e

melhorias contínuas nos processos de trabalho.

Todos estes novos desenvolvimentos

fazem parte do novo conceito de trabalho

da Tiresur como multinacional que procura

melhorar como um todo como base nestas

novas relações comerciais, fomentando-as,

procurando novas alianças e avanços significativos

em projetos tão importantes como

a rede Center´s Auto, o Triangle Club, e a

grande relação que temos com os nossos

fabricantes e fornecedores.

Não só o novo armazém que acabamos de

inaugurar, mas todo o complexo de mais de

25.000 m2 é concebido seguindo estas premissas,

e nas sucessivas fases de expansão,

iremos configurar um centro logístico de

primeira classe, com stock permanente de

uma carteira cuidadosamente selecionada,

tanto em qualidade das marcas oferecidas

como em profundidade, que oferece a melhor

disponibilidade da gama completa de

produtos, desde duas rodas até à engenharia

civil, e que é já uma referência na distribuição

nacional e continuará a sê-lo nos próximos

anos à medida que as novas fases do projeto

forem sendo implementadas.

Só nesta primeira fase, duplicámos a nossa

capacidade de armazenagem. Temos 7 cais

de carga e descarga e abrimos 800 m2 de

www.revistadospneus.com | 37


Reportagem

Entrevista

Vítor Magano, diretor de vendas Tiresur (à esquerda); Francisco (Paco) García,

diretor geral internacional Tiresur (centro) e José Moura Neto, diretor geral

Portugal Tiresur (direita)

As novas instalações contemplam 25.000 m 2 de terreno,

onde 5.000 m 2 são armazém e 800 m 2 são escritórios.

Mas está previsto um aumento de 2.500 m 2 de armazém

num breve espaço de tempo

escritórios equipados com a mais recente

tecnologia, com salas de formação, de onde

proporcionaremos aos nossos clientes as

apresentações de produtos, salas de reuniões,

uma cantina e uma área de descanso

para o pessoal. A localização é outro ponto

forte, pois proporciona maior proximidade e

permite aumentar os níveis de serviço com

os nossos clientes.

Como é constituída a oferta atual da Tiresur

Portugal?

A Tiresur apresenta-se no mercado como

uma empresa com solução 360º. Ou seja,

tentamos encontrar o ponto ótimo ao nível

das melhores marcas, do melhor stock, do

melhor preço, do melhor serviço, da melhor

relação, fidelização e satisfação com os nossos

clientes. Temos a responsabilidade de

oferecer ao mercado as melhores opções em

premium, quality e budget. Para tal, trabalhamos

de forma muito vincada com os nossos

fornecedores garantindo assim uma relação

de continuidade e de desenvolvimento de

produto, gama e serviço.

São distribuidores exclusivos das marcas

GT Radial, Triangle e Ovation. Qual a importância

destas marcas para o negócio

global da empresa?

Estas são marcas estratégicas no portfólio da

Tiresur. São marcas históricas no mercado,

marcadas pelo permanente desenvolvimento

de produto, pela inovação tecnológica,

pela qualidade, profundidade de gama,

continuidade e disponibilidade de produto.

A exclusividade com estas marcas é o sinal

mais evidente do compromisso que temos

em comum. Desenvolvimento das mesmas

em função das exigências e satisfação permanente

dos nossos clientes.

O que diferencia o conceito de negócio

da Tiresur Portugal comparativamente a

outros distribuidores de pneus presentes

no mercado?

Somos uma empresa distinta em vários aspetos.

Assumimo-nos como uma empresa

360º, apresentando as melhores soluções

no mercado, com um nível alto de serviço,

com um posicionamento de preço muito

competitivo, com o fator proximidade muito

marcante e com quotas de satisfação que

nos orgulham. Esta diferenciação é fruto

de uma dedicação 100% focada no nosso

cliente, nas suas exigências e, naturalmente,

no empenho e dedicação que este tem com

a Tiresur Portugal.

Quais são os segmentos de pneus que

têm vindo a registar maior crescimento?

Desde a nossa entrada no mercado em

Portugal (2013), temos crescido de forma

muito sustentada em todos os segmentos.

Em ligeiros de passageiros, comercial e 4x4

temos vindo a desenvolver um trabalho

muito interessante em todas as marcas que

representamos, tanto exclusivas no posicionamento

budget e quality, como no geral

das premium. Em segmentos como camião

podemos dizer que estamos a um ritmo de

enorme destaque. Em camião temos um

portfólio muito alargado com as soluções

em Ovation, Triangle e Austone na condição

mais competitiva, seguida pela exclusividade,

garantia e reconhecimento da marca

Uniroyal (pneus com selo Continental) e logo

depois com todas as marcas premium para

fechar o ciclo de soluções para o cliente.

Em produtos agrícolas trabalhamos com a

marca MRL - produto exclusivo Tiresur. Esta

é uma marca de referência internacional,

com uma relação qualidade vs. preço ímpar,

tem uma gama muito alargada e é produção

“made in India”.Por último, mas não menos

importante, temos o segmento de pneus

de engenharia com a marca Triangle. Neste

segmento apresentamos uma solução de

qualidade superior ao mercado. A marca

dispõe de alta tecnologia no produto, profundidade

de gama, nota 10 em análises de

performance e é provavelmente a melhor

solução do mercado.

Como define o conceito “Fornecedor

360º”?

Os pneus que vendemos por ano estão assentes

no conceito que lançou as bases do

modelo empresarial da Tiresur – Fornecedor

360º. Com uma oferta completa, que inclui

qualquer tipo de pneu em qualquer segmento,

motocicleta e scooter, carro de passageiros,

carrinha, 4x4, SUV, camião, agricultura

e engenharia civil, e que também abrange os

3 grupos de marcas no mercado, premium,

quality e budget, a carteira Tiresur está

pronta para satisfazer a procura de todos

os nossos clientes, quaisquer que sejam as

suas necessidades. Acreditamos no conceito

de 360° na sua definição máxima também

em termos de prazos e encorajamos acordos

que considerem o melhor desenvolvimento

dos nossos clientes e fornecedores a médio

e longo prazo. Assim, as nossas marcas exclusivas

de importação Gt Radial, Ovation,

Triangle e Austone, MRL e GTK para o segmento

agrícola, tornaram-se referências no

38 | Revista dos Pneus | Março 2022


Francisco (Paco) García

país pela qualidade, pelo seu excelente nível

de preços e pela disponibilidade contínua

que é uma garantia para os nossos clientes

de satisfação e desenvolvimento a médio e

longo prazo. O resultado desta visão, também

partilhada com os nossos fornecedores,

são as adições contínuas à carteira de

modelos, tamanhos e segmentos, sempre

com a garantia que a Tiresur oferece. O desenvolvimento

do reconhecimento da marca

que realizamos com grandes campanhas de

marketing e comunicação exclusivamente

para os nossos clientes é outro valor acrescentado

para o modelo Tiresur. No segmento

premium, trabalhamos de mãos dadas com

todos os fabricantes para garantir a melhor

disponibilidade e um bom nível de preços,

trabalhando também grandes acordos de

desenvolvimento, como é o caso da Uniroyal

Está previsto o lançamento de novas marcas,

serviços ou projetos inovadores na

área dos pneus?

Sim. Temos a marca Giti (fabricante da GT

Radial) a entrar no mercado muito em breve.

Este é um acordo de exclusividade para PCR

(turismo, SUV/4×4 e comercial) em Portugal

e Espanha e TBR (camião) para Espanha.

Com esta aliança, tanto o fabricante como o

distribuidor têm como objetivo impulsionar

fortemente o crescimento das suas marcas

em todos os países assumindo-se como uma

das melhores opções dentro do segmento

Quality. Existem ainda outros projetos que,

no seu momento serão comunicados.

Que balanço faz do desempenho da rede

Center’s Auto?

O ano 2022 chega com importantes novidades

no nosso projeto de desenvolvimento

em Portugal. Para além do referido armazém,

ferramentas tecnológicas e recursos

materiais e humanos, serão lançados novos

modelos, segmentos e marcas, que serão comunicados

de acordo com o timing de cada

um deles. Estamos realmente entusiasmados

com o projeto para este novo ano que está

agora a começar e que significará um novo

impulso a todos os níveis de negócios. No

seguimento dos grandes resultados obtidos

em 2021 na nossa rede de associados

Center’s Auto, apesar da atual crise do Covid-19

que marcou grande parte da atividade

económica, o ano 2022 é apresentado com

novos produtos, ferramentas e eventos importantes,

que darão continuidade ao nosso

projeto comum nas melhores condições de

competitividade e serviço.

E qual o ponto de situação do programa

de Fidelização Exclusivo Center’s Auto?

Quais as vantagens deste programa para

as oficinas aderentes?

A rede Center’s Auto é um projeto que desenvolvemos

há alguns anos e que aporta

muito valor ao associado, quer pela via da

rentabilidade de negócio, quer pela via da

visibilidade e competitividade que este ganha

ao fazer parte deste grupo, que é uma

família. Os Center’s Auto têm condições comerciais

privilegiadas, acompanhamento

estreito da evolução do seu negócio com

a Tiresur, imagem corporativa interior e exterior,

programas de formação avançados,

formações técnicas e comportamentais para

os gerentes e colaboradores, programas de

pontos pelas compras que fazem, que podem

ser trocados por produtos diversos, web

B2B, web corporativa Center’s Auto, ações

comerciais e de marketing gerais e personalizadas,

rappeis por objetivos, viagens de

incentivos, entre muitas outras coisas.

Quantos membros tem atualmente a rede

Center’s Auto?

A rede Center’s Auto tem 140 associados a

nível ibérico. Em Portugal atualmente temos

38 centros aderentes.

Considera que as redes organizadas de

retalhistas independentes de pneus têm

futuro?

As redes organizadas de retalhistas independestes

têm presente e futuro. Existem

já diversas redes neste modelo de negócio e

estou certo de que aumentarão os retalhistas

com associação a uma rede. Existe ainda uma

percentagem considerável de oficinas que

não estão ligadas a nenhum projeto, mas, de

forma geral, estas têm mais vantagens em

estar associadas a uma rede do que competirem

de forma independente. O mercado

proporciona oportunidades a ambas as

partes (redes e oficinas independentes),

mas quando se trabalha um projeto sério

de forma intensiva (como é o caso da rede

Center’s Auto) o conjunto dos dois dá, regra

geral, melhor resultado porque existem

esforços conjuntos, apoios, orientação para

o mercado, conhecimento e ferramentas

que sozinhos seria mais complicado obter.

Estão a ser afetados pelo aumento do

preço dos contentores e pela falta de

matéria prima?

Os efeitos da pandemia global na atividade

económica são bem conhecidos de todos

e, a este respeito, a Tiresur é igualmente

afetada por todos eles. Conhecendo estas

circunstâncias desde o início da pandemia,

temos trabalhado intensamente para minimizar

o impacto de todos estes fatores

tanto na disponibilidade dos bens como

no preço dos produtos. Podemos dizer de

forma clara que estamos a conseguir manter

os nossos elevados padrões de qualidade e

disponibilidade e que o nosso modelo de

trabalho assentado na proximidade e orientação

para a satisfação dos nossos clientes,

reflete-se na confiança que depositam em

nós e no número crescente de clientes que

trabalham com a Tiresur como seu principal

fornecedor de pneus.

E de que forma a pandemia de Covid-19

tem condicionado a atividade da Tiresur

Portugal?

A Tiresur sempre soube adaptar-se à pandemia

de Covid-19. Contudo, as implicações

da pandemia, que condicionou as pessoas

na sua mobilidade, sem puderem sair de

casa, naturalmente tem impacto tanto na

gestão das operações do negócio como no

próprio consumo real (sell out) no setor dos

pneus. Ainda assim, em 2021 superamos o

ano 2020. Não estamos ainda ao nível de

2019, mas lá chegaremos e ultrapassaremos

com toda a certeza.

Que objetivos se propõe atingir este 2022

e quais as expetativas de negócio?

2021 foi um ano marcado principalmente

pela pandemia e pela mudança de localização

das nossas instalações. Neste sentido,

e tendo em conta o acima exposto, estamos

satisfeitos com o ano que terminou

e muito entusiasmados com o momento

que se avizinha. Já consolidado nas novas

instalações e com os novos projetos que

vamos empreender, estamos convencidos

de que em 2022 vamos ter o apoio de todos

os nossos clientes e que a magnífica equipa

que constitui a família Tiresur, com a ajuda

de José Moura Neto, será uma referência

na distribuição de pneus em Portugal. u

Atualmente o Grupo Tiresur tem um stock aproximado

de 700.000 pneus, sendo que em Portugal é de 90.000 pneus.

Com a implementação da 2ª fase da construção, terá uma

capacidade para 130.000 pneus

www.revistadospneus.com | 39


Reportagem Entrevista

Luís A Francisco (Paco) García

O mercado dos pneus necessita de todos

os intervenientes a operar de forma séria e coesa

O

mercado do setor dos pneus em

Portugal é muito competitivo tanto na

distribuição como no retalho. Esta é

uma característica comum em todo o país.

Existem dificuldades na eficiência das

operações da distribuição em muito devido ao

impacto do aumento do custo das matérias

primas e dos transportes, especialmente

marítimos. Contudo, apesar das condições

competitivas não serem as mais favoráveis,

continuam a existir oportunidades em alguns

segmentos e a Tiresur estará atenta e tomará

as melhores decisões para aumentar a sua

penetração no mercado.

Em Portugal e na Europa, a redução das

margens está a dificultar o negócio das

casas de pneus. Que solução para resolver

este problema?

O problema das margens não é novo. Com mais

ou menos crise, sempre houve problemas de

margem em muitas empresas. Este facto

deve-se sobretudo à falta de vantagens

competitivas e à inexistência de diferenciação

de algumas oficinas na zona onde operam. O

fator preço é uma variável determinante em

qualquer negócio, e neste não é exceção,

todavia, é necessário proporcionar valor

acrescentado no serviço de uma forma geral, da

pré-venda à pós-venda. Só assim possibilita

relativizar o preço e aumentar a procura pela

excelência do serviço prestado.

Os grandes construtores de pneus estão a

aumentar as suas redes de oficinas

(Michelin com Euromaster, Goodyear com a

Vulco, Continental com ContiService, etc.) e

a desenvolver grandes plataformas de

vendas online ao cliente final. Como se

podem defender os pequenos e médios

distribuidores e as próprias oficinas

independentes dos grandes construtores de

pneus?

O mercado dos pneus necessita de todos os

intervenientes (fabricantes, distribuidores e

retalhistas) a operar de forma séria e coesa.

Todos estes elementos da cadeia de distribuição

têm uma importância significativa na forma

como acrescentam valor em cada estádio da

cadeia.

Esta crise pandémica veio afirmar o quão

importantes são todos. Houve um trabalho

extraordinário e uma colaboração sem igual na

forma como todos desempenharam o seu papel.

Acredito que as relações comerciais saem

muito reforçadas com esta pandemia.

O facto dos fabricantes terem redes de

oficinas e plataformas de venda online ao

cliente final não significa um corte relacional

ou uma forma de se afirmarem sozinhos ao

mercado, muito pelo contrário. Por um lado,

haverá sempre a necessidade da prestação de

serviço e aí haverá recurso ao retalho que

pode ser oficinas próprias ou não. Por outro

lado, a grande maioria das redes de oficinas

apresentam uma solução multimarca, logo

existe lugar para todos.

É positivo que os fabricantes tenham uma

estratégia de comunicação pull – direta ao

consumidor final. Isso é enriquecedor para o

engagement com a marca e consequentemente

ser fator de motivação para a compra.

Acredita que as vendas online e os grandes

portais de comércio de pneus vão mudar o

negócio dos pneumáticos?

Acredito que possa crescer mas não terá o

impacto que tem noutros setores, devido ao

facto de este ser um produto que requer

sempre um serviço. Ao longo dos últimos anos,

o que se tem constatado é que existe uma

elevada procura de informação de produto via

online, mas a transação é dominantemente

offline, ou seja, nas oficinas.

Considera que as casas de pneus têm de

diversificar os seus serviços para se

desenvolverem, ou devem manter-se

especialistas apenas em pneus?

Estou certo de que, salvo rara exceção, as

ditas casas de pneus devem diversificar o seu

negócio. De uma forma geral, se fizermos uma

análise das casas 100% pneus de há 10 anos

para cá, verificamos que a representação de

pneus no negócio é substancialmente inferior.

É um facto que o mercado está mais repartido,

sobretudo com a entrada das redes de

grandes superfícies, mas também porque

houve uma necessidade de diversificar, de

fazer upselling e crosseling.

No seu entender, quais são as grandes

alterações, regras e iniciativas que devem

ser levadas a cabo para garantir a

sustentabilidade dos retalhistas de pneus?

Como referido anteriormente, a disponibilidade

de gama e produto, a diversificação de negócio,

a excelência do serviço, a aposta numa relação

de proximidade com os clientes e a definição de

estratégias competitivas são chave para o

desenvolvimento sustentável dos retalhistas.

Que novos modelos de negócio podem surgir

no comércio de pneus?

Sendo este um setor maduro, estável, funcional

e com alta percentagem de estruturas

empresariais familiares em Portugal, não

prevejo modelos de negócio disruptivos nos

pneus. Existirão sempre ajustes, mas passarão

pelo modelo atual offline e online por definição.

Qual a sua visão de futuro a médio e longo

prazo do comércio de pneus em Portugal?

Não vejo muitas alterações a médio e longo

prazo no comércio de pneus em Portugal, pelos

motivos referidos anteriormente. Por outro lado,

espero que possamos desenvolver ainda mais

as boas dinâmicas entre elementos da cadeia

de distribuição e que possamos proporcionar

valor nas transações que fazemos com os

nossos clientes.

O fator preço é uma variável determinante em qualquer

negócio, e neste não é exceção, todavia, é necessário

proporcionar valor acrescentado no serviço de uma forma

geral, da pré-venda à pós-venda

40 | Revista dos Pneus | Março 2022


www.dispnal.es

+34 910 603 478 / 672 329 314

@ dispnaliberia@dispnal.es

toyo_revistadospneus_comfort2022.pdf 1 25/02/2022 15:28:15

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

UM NÍVEL MAIS ELEVADO

DE SEGURANÇA E DESEMPENHO

DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO

www.dispnal.pt

+351 255 617 480

@ callcenter@dispnal.pt


Entrevista Mercado

Somos a rede

mais homogénea

do mercado

No ano de celebração do 10º aniversário em Portugal, a Euromaster apresenta-se como

um projeto maduro e consolidado, com mais de 80 centros de serviços espalhados

pelo país, responsáveis pela venda de mais de 400.000 pneus de ligeiros,

mais de 34.000 pneus de pesados e uma faturação de 66 milhões de euros


Vítor Soares, diretor geral da Euromaster

O

pneu será sempre um produto

muito importante na Euromaster,

e sabendo que a rede tem

como origem o pneu, nunca

irá descuidar o seu tratamento. Contudo,

hoje em dia todos os centros de serviços

Euromaster oferecem um serviço completo

que inclui mecânica e diagnóstico, estando

já habilitados a dar assistência a veículos

elétricos e híbridos. Em entrevista à Revista

dos Pneus, Vítor Soares, diretor geral da

Euromaster, faz um balanço dos dez anos

de atividade da rede e analisa o futuro do

mercado de pneus no nosso país.

O que diferencia a Euromaster

da concorrência?

O grande fator diferenciador do funcionamento

dos centros de serviços Euromaster

é a diversidade de oferta. Viemos de uma

génese de casas de pneus mas que agora

tem um catálogo de ofertas muito amplo.

Também a qualidade do nosso serviço melhorou,

e hoje temos franquiados muito

empreendedores, que rapidamente acompanham

o mercado e prestam um serviço

de qualidade. E é uma rede de comportamento

uniforme em termos de qualidade

de serviço. Apoiamo-nos igualmente no Net

Promoter Score (NPS), o qual nos mostra o

nível de satisfação do cliente, sendo que

terminámos o ano passado com um nível

superior a 81. A rede pretende ser o mais

ampla possível em torno do veículo, com

um serviço profissional, de qualidade e

confiança com os clientes. Fundamentalmente

a diferença assenta na amplitude

e na qualidade da nossa oferta, prestada

com o máximo profissionalismo na rede

mais homogénea do mercado. Os nossos

procedimentos, métodos de trabalho e o

rigor da nossa formação são a essência desta

diferenciação relativamente à concorrência.

Como funciona o vosso conceito de rede?

Estão abertos à entrada de mais oficinas?

A rede Euromaster é uma rede composta por

um conjunto de empresas que estão ligadas

à Euromaster por um contrato de franquia.

A Euromaster tem como ambição ser a rede

de referência no setor automóvel em Portu-

gal, não em número de centros mas sim com

a rede mais profissional e sempre mantendo

o nosso compromisso “ Profissionalismo-

-Honestidade-Apoio ao Cliente” . O objetivo

principal é ter cobertura a nível nacional e

ter um centro Euromaster perto dos nossos

clientes, neste sentido temos ainda espaço

para crescer em número de centros. E sim,

estamos abertos a novas entradas de empresas

que estejam interessadas em pertencer à

“família” Euromaster. É uma ambição de 2022,

aumentarmos a nossa cobertura geográfica.

Quantas oficinas dispõem atualmente?

Atualmente a rede Euromaster conta com

mais de 80 centros de serviço dando assim

uma cobertura geográfica importante, mas

que ainda é insuficiente para as necessidades

dos nossos clientes.

Quais os critérios para uma oficina

poder entrar na Euromaster?

Face ao crescimento da rede Euromaster, em

primeiro lugar a sua localização. Necessitamos

de empreendedores para o setor da manutenção

automóvel, assim dizendo os candidatos

têm de estar focalizados para abranger todas

as necessidades de manutenção dos veículos

em todos os campos, pneus, mecânica

e com uma oferta para os nossos clientes

multi-serviços, multiproduto e multimarca.

Que serviços são prestados

pelas oficinas Euromaster?

A rede Euromaster é caracterizada pela

oferta “one stop shopping” no ramo automóvel.

Com a alteração do contexto de vida

e da relação que hoje existe dos condutores

com o veículo, é necessário estar preparado

para oferecer todos os serviços em volta do

mesmo, assim a grande maioria dos centros

Euromaster estão preparados para realizarem

todas as necessidades de manutenção

aos veículos e para todo os tipos de veículos.

Os pneus ainda representam

a maior percentagem de faturação

nas oficinas Euromaster?

Na Euromaster a repartição de faturação

pneus/mecânica é variável, tendo em conta

a zona em que os centros estão inseridos

(rural, urbano..), nos meios urbanos a percentagem

de facturação em mecânica é

bastante mais elevada, sendo em muitos

casos igual aos pneus. Para o nosso modelo

de negocio aquilo que preconizamos na Euromaster

é que a repartição de facturação

em média de todos os centros deveria ser

de 65% pneus 35% mecânica rápida.

Têm facilidade em reparar carros

mais recentes, designadamente

veículos híbridos e elétricos?

A Euromaster nos últimos anos está a preparar

os seus centros de serviço para atender

a todos os clientes, qualquer que sejam os

seus veículos. Neste sentido em 2021 foram

realizadas formações para formar os técnicos

e prepará-los para o futuro dos novos

veículos híbridos e elétricos, mas não só,

estamos também a construir parcerias com

especialistas no campo da formação para

poder dar resposta a todas as dificuldades do

dia a dia de todos os elementos que fazem

parte da rede Euromaster.

Que formação é dada aos funcionários das

oficinas para se manterem atualizados

com as novas tecnologias automóvel?

Desde a entrada de uma empresa na rede

Euromaster a formação é uma das principais

missões de toda a nossa estrutura, começando

pela formação dada pelos nossos

Consultores de Franquia e pelo Responsável

de Desenvolvimento da Oferta, sobretudo

no próprio centro aos colaboradores que

fazem parte da equipa. Ou com empresas

específicas para subministrar formações

adequadas ao sector e às necessidades das

nossas empresas. Esta formação abrange

varias áreas, designadamente: Regras de segurança

essenciais salva vidas; Comercial;

Métodos de trabalho; Formação técnica,

pneus, mecânica; Gestão de um ponto de

venda; Recurso Humanos; e atualmente a

formação para os novos veículos

Tem sido fácil encontrar bons técnicos

para trabalhar nas oficinas?

No contexto atual, a principal dificuldade

dos centros de serviço é o recrutamento

de novos técnicos e por vezes de manter

A rede Euromaster é caracterizada pela oferta “one

stop shopping” no ramo automóvel. A grande maioria

dos centros estão preparados para realizarem todas as

necessidades de manutenção, para todo o tipo de veículos

www.revistadospneus.com | 43


Entrevista

os que já estão na sua equipa. Penso que

é hoje uma dificuldade transversal a todas

as atividades, mas no nosso sector ainda

é mais forte.

Têm tido dificuldade de

abastecimento de pneus e peças

junto dos vossos fornecedores?

Todos os setores estão a sofrer esta situação

de falta de produto, derivado da crise da pandemia,

e os nossos centros têm sentido esta

dificuldade que apareceu nos últimos meses,

que é uma dificuldade acrescida à gestão

das atividades diárias e do agendamento do

trabalho e que leva a alguma insatisfação

dos clientes, mas sendo um fator externo

à Euromaster.

O aumento de preço dos pneus

e peças é uma realidade.

Que impacto está a ter junto dos

vossos clientes e das próprias oficinas?

A inflação nos preços das peças, pneus, consumíveis

e outros é hoje um dos grandes

obstáculos ao crescimento da rentabilidade

das empresas, em dois sentidos: Primeiro a

dificuldade de repercutir este aumento aos

clientes; Segundo, os clientes em virtude

desta inflação decidem não realizar toda a

prevenção que os veículos necessitam ou

mesmo a adiar a manutenção.

Que tipo de cliente visita as oficinas

Euromaster? Têm mais clientes

particulares ou de empresas?

Os clientes Euromaster dividem-se em clientes

particulares (B2C) e clientes profissionais

empresas (B2B). Muitos dos clientes são os

tradicionais clientes da zona de influência

da oficina Euromaster e outros são clientes

que através dos contratos nacionais da rede,

são encaminhados pela divisão de gestão

de frotas da Euromaster, fazendo assim que

esta divisão aumente o tráfego dos nossos

centros. Esta operação é uma mais valia de

estar integrado na rede Euromaster.

E no que toca às novas tecnologias, que

importância têm elas para a Euromaster

e o que está a ser feito neste domínio?

Muitas oficinas ainda não possuem uma

estratégia de digitalização, no entanto a

digitalização das suas atividades deverá

Benefícios

e vantagens para

oficinas aderentes

A

rede Euromaster é uma das maiores

redes de manutenção de veículos

a nível Europeu e pertencente

ao principal Grupo mundial do setor dos

pneus, a Michelin. Ao fazer parte desta família,

as oficinas pertencentes à rede Euromaster

têm como retorno:

l Aumento de tráfego

l Aumento de faturação

l Aumento de serviços pneus

l Aumento de serviço mecânica

l Novas parcerias com cliente e fornecedores

l Central de referenciamento (Acordos Grupo)

l Empresas do sector que são fornecedores

da Euromaster com vantagens

competitivas em termos de compra.

l Novas Ferramentas – Plataforma

autorizações, WEB, Redes Sociais

l Novas Oportunidades – Veículos

elétricos/ híbridos

l Formação

l Ofertas exclusivas Euromaster

l Master Garantia (garantia que pode ser

utilizada para qualquer marca de pneus

que seja adquirida na Euromaster)

l Master Segur (seguro para danos

de pneus para veículos Pesados)

l Master Care (Programa de gestão

de pneus para frotas profissionais)

l Ajudar o Centro a aumentar a sua

rentabilidade através do apoio contínuo

do Consultor de Franquia e do Responsável

de Desenvolvimento da Oferta

l Implementação do conceito

e das metodologias Euromaster.

l Implementação do saber

fazer da Euromaster.

l Seguimento e apoio ao

desenvolvimento dos resultados

ser um fator de sucesso. A digitalização do

pós-venda automóvel poderá ser a chave

para se diferenciarem dos seus concorrentes.

É importante conseguirem construir relações

e fidelizar os clientes. O Email, Chat e Redes

Sociais são os meios privilegiados de comunicação

das empresas. Incentivar os seus

clientes a comunicarem por canais digitais

poderá trazer bons resultados como primeiro

passo na digitalização de processos.

É possível fazer agendamento

das revisões no vosso site?

Uma das ofertas da Euromaster a todos os

seus clientes é colocar a disposição meios

digitais de agendamento de serviços. Todos

os centros Euromaster dispõem de uma

agenda eletrónica (E_Calendar) para que

os seus clientes façam o agendamento das

suas visitas à oficina.

Que ações de marketing e publicidade

têm desenvolvido para promover

as oficinas junto do consumidor final?

Sendo uma rede de pneus e manutenção

automóvel, temos uma calendarização anual

de promoções em pneus e em serviços de

manutenção. Estas ações são comunicadas

tanto em formato offline com elementos promocionais

para o cliente que já está na oficina,

como em formato online. No online existe

uma variedade enorme de possibilidades e

portanto queremos não só chegar ao cliente

que já nos acompanha, mas queremos captar

novos clientes. Assim, apostamos na comunicação

das promoções no nosso site e redes

sociais, fazemos campanhas de otimização

geolocalizadas ou passatempos. Algumas

das ações que desenvolvemos para promover

as oficinas junto do consumidor final estão

relacionadas com parcerias com empresas

organizadoras de eventos, de prevenção

rodoviária ou de segurança infantil, onde

acabamos por reforçar a nossa comunicação

e chegar a diferentes tipos de consumidor.

Como está a Euromaster

a reagir à pandemia?

Este período levou-nos a apresentar outros

serviços aos nossos clientes como por exemplo

a higienização dos veículos com ozono,

a recolha e entrega de veículos, assim como

o serviço de Master ITV (Inspeção técnica

Euromaster é uma rede de comportamento uniforme

em termos de qualidade de serviço. Apoia-se

no Net Promoter Score (NPS), o qual mostra o nível

de satisfação do cliente, sendo que terminou o ano

passado com um nível superior a 81

44 | Revista dos Pneus | Março 2022


Vítor Soares

Desempenho acima das expetativas


Apesar de dois longos anos de crise acelerou a diversificação de ofertas dentro dos

devido à pandemia, a Euromaster nossos centros (mecânica, pneus,

em Portugal cresceu em número telemática,…) esta diversificação ajudou

de centros de serviços (2020 vs 2021 mais muito à recuperação da rentabilidade das

16%). Em relação ao desempenho da rede nossas empresas. Para 2022 quero deixar

Euromaster podemos dizer que o saldo é uma mensagem de esperança e de confiança,

bastante positivo na recuperação da atividade, tendo em conta que é um sector importante

tendo muitos dos nossos centros recuperado o na vida de toda a sociedade e imprescindível

nível de 2019, e alguns estiveram por cima para a mobilidade de pessoas e bens. Neste

dos resultados de 2019. Um só senão, os período o que melhor se adaptar aos novos

centros que estão inseridos nos grandes conceitos que esta crise trouxe, será o que

meios urbanos de Lisboa e Porto, são os que sobreviverá. Devemos estar atentos a todas as

têm mais dificuldade em recuperar a sua novas tendências que surjam no nosso

atividade e a rentabilidade de antes da crise. caminho, sobretudo devido à transformação

A Euromaster neste dois últimos anos

no comportamento dos consumidores.”

Para onde caminham

as redes oficinais no futuro?


Em termos de número de redes, não

sei se serão muitas mais a

aparecer. Mas a tendência é as

oficinas integrarem redes, para encontrarem as

sinergias necessárias para estarem dentro do

mercado. Hoje em dia, é preciso termos

ferramentas para trabalhar neste mercado

competitivo e sobretudo ter conhecimento

técnico. Ou somos já de uma certa dimensão e

conseguimos estar fora de uma rede, ou então

o melhor que temos a fazer é integrar uma rede

que se enquadre nos nossos objetivos. Isto

ajuda a rede a ter cobertura e à oficina ter

acesso a todas as ferramentas e a clientes que

de outra forma não teria. Creio que as oficinas

independentes não vão deixar de existir, mas

vão diminuir em número. Acredito que as redes

que seguirem o passo que a Euromaster está a

seguir, em termos de oferta multiproduto e

multimarca, irão ter sucesso. O automóvel já

não é um bem de luxo. O paradigma mudou e

os clientes também. As marcas para terem

acesso ao mercado, têm de ter uma oferta mais

ampla, que lhes permita aceder a um mercado

ao qual estavam limitadas. Hoje em dia a

tendência são oficinas multimarca, que irão ser

associados às principais redes que existem no

mercado nacional.”

de Veículos) que representa numa grande

parte dos casos, um momento de algum

receio pela possibilidade de reprovação ou

de alguma anomalia que possa ser detetada.

Nesse sentido preparamos o serviço Master

ITV, para que o cliente não tenha que se

preocupar mais e realizamos um diagnóstico

Pré-ITV, para nos certificarmos de que

o veículo está apto para passar na inspeção,

e levamos o carro à inspeção.

Que ensinamentos trouxe

a pandemia para a vossa organização?

O que mudou no funcionamento

da Euromaster?

A pandemia trouxe muitos ensinamentos

para o futuro, como os hábitos de higiene

adotados, que tiveram de ser modificados

para que o trabalho fosse realizado em segurança

e garantir também a segurança dos

nossos clientes e funcionários relativamente

ao atendimento nos centros. A pandemia

obrigou-nos a tomar decisões rapidamente,

reinventando novas formas de lidar com os

clientes, não só na receção e entrega de veículos,

como na sua higienização e noutras

ofertas de serviços lançadas tendo em conta

o contexto vivido. Houve um aumento nas

marcações on-line pois os clientes estão mais

conscientes e têm maior necessidade de se

sentirem “seguros” e como forma de prevenção

estão a voltar-se cada vez mais para o

e-commerce, e compras on-line evitando

desta forma sair de casa.

Quais as principais dificuldades que

a Euromaster sente no mercado?

A Euromaster sofre as mesmas dificuldades

das empresas deste setor, maduro e muito

competitivo. É necessário estar sempre atento

aos comportamentos do mercado e antecipar

as ofertas às necessidades dos clientes.

Devemos ser capazes de fidelizar os nossos

clientes pela experiência vivida em cada visita

aos nossos centros e que os nossos clientes

sejam os principais promotores da qualidade

da Euromaster em todos os sentidos: Profissionalismo,

Oferta e Honestidade.

Que desafios se colocam ao futuro

da Euromaster?

O futuro da rede Euromaster estará sempre

ligado ao cliente, que é a nossa razão de

ser, assegurando a sua mobilidade de forma

segura e mais fácil. Nos últimos cinco anos

o sector automóvel mudou mais que nos

últimos cinquenta anos, e analisando o ritmo

que levamos nos últimos dois anos a aceleração

no campo da mudança será cada vez

mais rápido. Neste prisma o negócio deverá

caminhar paralelamente com a evolução

do sector. u

www.revistadospneus.com | 45


Entrevista Mercado

O contacto

interpessoal é

essencial neste

negócio

Depois de ter sido cancelada em 2020 por conta da pandemia, a feira

THE TIRE COLOGNE, dedicada ao segmento dos pneus em geral, regressa

já em maio, precisamente a Colónia, na Alemanha, onde aconteceu pela primeira

vez em 2018. Para saber como estão as expetativas em relação à edição

que se avizinha, a Revista dos Pneus entrevistou o diretor do evento,

Ingo Riedeberger, que nos explicou como vai decorrer esta edição

É

a maior feira dedicada ao negócio

dos pneus na Europa. Chama-se

THE TIRE COLOGNE e tem como

alvo fabricantes e revendedores

de pneus, prestadores de serviços automóveis,

oficinas e todas as empresas envolvidas

na indústria automotiva e dos pneus. O

evento é organizado pela Koelnmesse e pelo

patrocinador da indústria, Bundesverband

Reifenhandel & Vulkaniseur-Handwerk eV

(BRV / Associação Alemã de Revendedores

de Pneus e Vulcanização) e pretende ser um

sucesso, mesmo com o espectro da pandemia

da Covid-19 ainda a pairar, pois todos

esperam uma feira em cheio, repleta de sucessos

e de visitantes e expositores, onde se

devem efetivar muitos negócios.

A feira irá decorrer em Colónia, na Alemanha,

entre 24 a 26 de maio, e aguarda-se

que seja um momento desafiante para um

negócio que nunca parou e que continua

em constante movimento e crescimento.

Para saber o que podemos esperar da mais

importante feira do setor, a Revista dos

Pneus esteve à conversa com Ingo Riedeberger,

diretor do THE TIRE COLOGNE, que

nos confessou as suas expetativas, receios,

ansiedades e aquilo que espera que seja

um enorme sucesso internacional apesar

do contexto em que se vai realizar.

Está confiante que o THE TIRE

COLOGNE 2022 consiga ter muitos

expositores e público, apesar do

contexto pandémico que ainda se vive

na Europa?

Estamos ansiosos que chegue maio e a feira

que vai finalmente acontecer em Colónia,

depois da estreia em 2018. Os preparativos

estão numa fase avançada, estamos a cumprir

todos os prazos, já temos várias empresas

inscritas e mal podemos esperar pelo

dia de abrir as portas. A própria indústria

e, acima de tudo o nosso parceiro, a German

Tyre and Vulcanising Trade Association

BRV, tal como as associações internacionais

do setor, estão ansiosas e na expetativa de

se voltarem a encontrar pessoalmente no

evento. É muito importante haver interação

entre as pessoas e networking

Como vai ser o acesso dos visitantes à

edição 2022 da feira? Vai haver um

número limite de pessoas dentro de

cada pavilhão?

De momento ainda não conseguimos responder

a essa questão. O número máximo

de visitantes por dia no espaço do evento,

incluindo os próprios expositores, os fornecedores

e os representantes da imprensa,

vai depender das restrições que estiverem

em vigor nessa data e dos requisitos das

autoridades de saúde alemãs. Mas os pavilhões

do THE TIRE COLOGNE são amplos,

têm corredores largos e espaço suficiente

para que todos os participantes da feira

mantenham a distância e se movimentem

com segurança, podendo desfrutar de toda

a experiência do salão.

Como vai ser garantida a segurança

sanitária de expositores e visitantes da

feira?

Com o nosso conceito B-SAFE4Business, estamos

muito bem preparados. Os corredores

da feira estão posicionados de forma a que

todos os participantes se sintam seguros: os

corredores são muito largos, permitindo a

distância de um metro e meio. O acesso ao

recinto da exposição só é possível mediante

o cumprimento das regras 3-G (vacinados,

recuperados ou testados) e com um bilhete

digital que é reservado na bilheteira

do THE TIRE COLOGNE. Medidas de higiene

46 | Revista dos Pneus | Março 2022


Ingo Riedeberger, diretor do THE TIRE COLOGNE

O Salão THE TIRE COLOGNE, sendo o principal evento

da indústria do setor dos pneus, será a primeira experiência

de salão depois de dois anos de ausência. Agora os

participantes poderão partilhar informações, trocar ideias

e fazer negócios de forma abrangente e em contacto direto

www.revistadospneus.com | 47


Entrevista

Espera-se a presença de 300 empresas e marcas de mais

de 30 países. Inúmeros players de renome internacional já

confirmaram a sua participação, designadamente a Michelin,

Continental, Hankook, Pirelli, Falken e Nexen, bem como

as grandes referências mundiais do mercado das jantes

permanentes, como limpeza e desinfeção

contínuas, por ex. de instalações sanitárias,

ou regras claras também na área de restauração

da feira, vão ser asseguradas. Isto inclui

ainda a obrigatoriedade de utilizar máscara

nos espaços fechados, corredores e stands.

Quais os principais fabricantes de pneus

que já confirmaram a sua presença?

Para além da Michelin, a Continental, a

Hankook, a Pirelli, a Falken, a Nexen, vários

outros fabricantes já confirmaram a sua

presença.

Quais serão os pontos fortes desta

edição 2022 e quais as principais

novidades e inovações que os

visitantes vão poder apreciar?

A sustentabilidade será o tema central do

THE TIRE COLOGNE, ideia base que se vai

refletir no programa da feira, como por

exemplo no evento especial “Boulevard

of Sustainability”. O foco estará no ciclo de

vida sustentável do pneu. Mas os temas da

digitalização, reciclagem e gestão de frotas

também desempenham um papel importante

este ano.

Qual é área total do espaço de exibição

e o número total de expositores

na edição deste ano?

Esperamos um total de 300 empresas provenientes

de mais de 30 países no THE TIRE

COLOGNE 2022, empresas essas que vão

apresentar os seus produtos, novidades e

serviços num espaço de cerca de 40 mil m 2 .

Qual a percentagem de expositores

estrangeiros na feira?

O THE TIRE COLOGNE é uma feira muito internacional,

assim sendo, cerca de 50% das

empresas participantes vêm do exterior. Até

agora temos o registo de duas empresas

portuguesas – a Alves Bandeira Tyres SA e

a Recauchutagem Nortenha, S.A.

Quais os países que têm revelado

maior interesse em marcar presença e

que retorno poderá ter a sua

participação nesta feira?

Os países com mais empresas inscritas no

evento são a China, Itália, India, Taiwan,

Grã-Bretanha, Países Baixos e Polónia. Todas

as empresas que participam neste evento

pretendem trocar ideias e informações e,

claro, fazer negócio. Acima de tudo, é este o

conceito principal e a grande vantagem de

estarem numa feira: reunir oferta e procura

num só momento e num só lugar. É isso

que tem faltado em todos os setores nos

últimos meses e certamente vai garantir o

renascimento de muitos negócios a partir

de maio. O THE TIRE COLOGNE é o evento

mais importante para o setor dos pneus e

para o mercado da reposição. Por isso, todos

os fabricantes mundiais querem participar.

Quais são as expetativas no que diz

respeito ao número total de visitantes?

Para já ainda é difícil avançar com previsões,

até porque ninguém adivinha

como estará a situação pandémica em

48 | Revista dos Pneus | Março 2022


Ingo Riedeberger

cada país dentro de dois ou três meses.

Na estreia em 2018, registamos mais de

16 mil visitantes. Mas agora, e por causa

das condições atuais e da densidade de

eventos que vão acontecer nesta fase, não

esperamos tanta gente.

Por que é que é importante para

os profissionais da indústria dos

pneus visitarem esta feira?

Que valor acrescentado pode trazer

este evento para os profissionais

e respetivas empresas?

O THE TIRE COLOGNE TTC é o principal

ponto de encontro da indústria para a

oferta e procura no segmento dos pneus.

A feira oferece uma visão abrangente da

gama global de fabricantes de pneus e

jantes a nível mundial, com os fabricantes

mais importantes e as empresas mais

relevantes para o setor da recauchutagem.

Após a pausa relacionada com a pandemia,

o evento assume grande importância,

principalmente para expositores nacionais

nada substitui o encontro físico entre

pessoas e empresas.

Em 2022 vão acontecer diversas

feiras de aftermarket na Europa.

Acredita ser viável acontecerem tantas

eventos deste género no mesmo ano?

No decurso da pandemia, muitas feiras

abandonaram as suas datas habituais - incluindo

a Autopromotec, que na verdade

é sempre realizada em anos ímpares. Isto

não se aplica expressamente ao THE TYRE

COLOGNE! Não mudamos as nossas datas.

O THE TIRE COLOGNE esteve e vai manter

o seu ritmo anterior, ou seja, o evento sempre

será realizado em Colónia entre maio e

junho nos anos pares. Esta data de início de

verão é firmemente reconhecida na indústria

internacional de pneus e jantes há anos, estreitamente

alinhada com as necessidades

da indústria e foi adotada como tal com a

mudança para Colónia em 2018, a pedido

expresso da própria indústria. Esperamos

que a situação acalme de novo após 2022

e que todas as feiras relevantes regressem

à sua data original.

Está confiante no futuro das feiras

de aftermarket? Como poderão

ser este tipo de eventos no futuro?

Vão continuar num formato híbrido

ou apenas presencial?

Sim, com toda a certeza, as feiras são e continuarão

a ser um dos mais importantes

instrumentos de marketing do mundo. A

experiência pessoal, a experiência tátil dos

produtos, a troca de ideias entre pessoas,

ou seja, a base fundamental para negócios

sustentáveis, continuam a ser a grande vantagem

da feira física e presencial. No meio,

haverá a transição suave para o networking,

certamente presencial, mas também na

web. Os componentes digitais oferecem

um claro valor acrescentado na preparação

e acompanhamento. Nesse sentido, já estamos

entre os dois mundos, mas o digital

sempre será sempre um complemento à

feira presencial. u

O tema principal do THE TIRE COLOGNE será

a Sustentabilidade. No TIRE Stage serão debatidos

temas fulcrais e relevantes para indústria dos pneus,

como a Gestão de Frotas, Reciclagem e Digitalização.

Todas as sessões serão transmitidas em direto através

da app do Salão

e internacionais e ainda para os visitantes

profissionais, para se informarem, cultivarem

relações comerciais e dinamizarem

negócios.

Ao mesmo tempo, também oferecemos

a todos os expositores e visitantes um

valor adicional em termos do digital. Por

exemplo, o conteúdo do TIRE Stage será

transmitido ao vivo e todas as intervenções

também serão disponibilizadas como

VDO - Video On Demand para além do

período da feira. Assim, os visitantes não

vão perder pitada, podendo ainda assistir

ao que quiserem depois do evento. Digitalmente,

também apoiamos o networking

e os contactos entre expositores e visitantes,

especialmente porque este é um

dos principais objetivos da participação

e visita à feira. A app THE TIRE COLOGNE

está disponível para expositores e visitantes

com esse objetivo. Os responsáveis

pelas empresas podem ser encontradas,

contactadas e podem ser feitas marcações

diretamente. Isto é a melhor prova que

www.revistadospneus.com | 49


Auto Guedelha

CRESCER COM A FALKEN

A Auto Guedelha, fundada em 2014 por Luís Miguel Guedelha,

tem conseguido crescer todos os anos, especialmente desde que mudou

para as atuais instalações, na Zona Industrial de Portalegre. A marca

Falken foi a primeira a ser comercializada e mantém-se como número 1

Luís Miguel Guedelha tem um

percurso de mais de três décadas

ligado ao mundo dos pneus. Começou

a sua atividade numa oficina de

pneus onde se especializou no alinhamento

de direções. “Durante vinte anos o principal

serviço que desempenhei nessa oficina foi

ligado ao alinhamento de direções, tendo-

-me especializado neste serviço, e os clientes

reconhecem o meu trabalho”, refere.

Devido a um acidente de trabalho, saiu da

empresa onde trabalhava e tomou a decisão

de montar um negócio só seu, surgindo

assim em 2014 a Auto Guedelha. Com a mudança

em 2019 para as atuais instalações,

Luís Miguel Guedelha passou a contar com

a colaboração do filho na parte dos pneus,

e do genro na parte da mecânica. “A oficina

está dividida em duas áreas, uma dedicada

aos pneus e outra à mecânica. São espaços

independentes, mas que se complementam,

pois existe sinergias entre os dois serviços. Os

clientes trazem os carros para a manutenção

e reparação, e muitas vezes montam também

pneus e o inverso também funciona”,

esclarece o responsável.

Com cerca de 900 m 2 de área, a oficina dispõe

de vários elevadores e máquinas de montar

pneus e equilibrar rodas, estando a aguardar

a instalação de uma nova máquina de

alinhamento 3D, totalmente automática e

com novas funcionalidades. “Vou adquirir

a nova máquina de alinhar direções 3 D da

Hofmman com controlo remoto, câmaras

com auto posicionamento e auto calibração.

É uma marca que conheço bem e gosto de

trabalhar com ela”, afirma Luís Guedelha.

REAÇÃO POSITIVA À PANDEMIA

Apesar de ter baixado um pouco a atividade

no início da pandemia, devido aos períodos

de confinamentos e à redução de clientes,

quando o mercado começou a abrir o negócio

recuperou, e os resultados nunca mais baixaram.

“O segredo para os bons resultados

das vendas baseiam-se na honestidade e na

qualidade dos produtos. Desde que iniciei a

atividade quis ser diferente dos outros que

trabalham com marcas já muito conhecidas

e por isso resolvi apostar na Falken, que já

conhecia bem”, conta Luís Guedelha.

A marca Falken passou assim a ser a marca de

referência da Auto Guedelha, que faz parte

da extensa rede de oficinas AB Partner desenvolvida

pela AB Tyres, e com mais de 200

parceiros em Portugal. Atualmente, toda a

fachada da oficina está decorada com as

cores e logotipo da Falken, o mesmo acontecendo

no interior. A marca propõe pneus

de alta gama que satisfazem plenamente as

50 | Revista dos Pneus | Março 2022


Publireportagem

FALKEN TRAZ

CLIENTES À OFICINA

O cliente já não procura só preço, mas também

quer qualidade, e a Falken é o melhor compromisso

qualidade/preço. Muitos clientes vão à Auto

Guedelha pela marca, porque pesquisam e sabem

que é o retalhista autorizado da Falken na zona

de Portalegre. “São as vendas mais fáceis, pois

não preciso de convencer o cliente porque ele já

vem com essa ideia”, refere Luís Guedelha.

Para este responsável, a Falken só tem trazido

vantagens para a oficina, pois durante todos

estes anos que a comercializa, nunca teve uma

reclamação. Por outro lado, o relacionamento com

a AB Tyres, tem sido exemplar desde o primeiro dia.

“Ainda funcionamos à maneira antiga.

O que fica combinado nas nossas reuniões é

cumprido e honramos a nossa palavra”.

Relativamente ao desempenho dos pneus Falken,

Luís Guedelha destaca a sua boa aderência,

o silêncio de rolamento e o desgaste uniforme

do piso. Utilizo pneus Falken no meu carro e

conheço bem os seus atributos. É um pneu que

nos dá muita confiança, pois não temos reclamações

dos clientes. Tenho transmitido aos clientes as mais

valias da marca quer a nível de qualidade quer a

nível de preço, pois oferece um bom compromisso

entre estes dois fatores, e os clientes ficam

satisfeitos e voltam para montar novamente pneus

Falken nas suas viaturas”, afirma Luís Guedelha.

AUTO GUEDELHA

Gerente Luís Miguel Guedelha

Morada Rua Mestre João Serra, 1

Zona Industrial,7300-061

Portalegre

Telefone 245 201 025

Telemóvel 919 055 533

Email autoguedelha@gmail.com

exigências das modernas viaturas, sendo

desenvolvidos para oferecer ao consumidor

uma excelente relação qualidade/preço.

De forma a divulgar o nome da oficina e os

serviços que presta, Luís Guedelha anuncia

na Rádio Portalegre e está presenta nas redes

sociais, embora o principal divulgador dos

bons serviços que a oficina presta, sejam

os clientes, que aconselham aos amigos.

“Tenho muitos clientes que vêm de longe

aconselhados por amigos que já nos conhecem

há muitos anos”, afirma.

A maioria dos clientes são particulares, mas

também tem algumas entidades, como a

GNR, o Hospital de Portalegre e os Bombeiros

de várias localidades. Luís Guedelha

também dá assistência em campo aos tratores

agrícolas. Relativamente aos pneus para

pesados, só monta esporadicamente, pois

a especialidade são os pneus para ligeiros.

Apesar da pandemia já estar a aliviar, Luís

Guedelha tem a preocupação de arejar as

viaturas quando chegam e desinfetar o interior

antes de iniciar o serviço.

FALKEN É A MARCA DE REFERÊNCIA

“O cliente que monta pneus Falken na sua

viatura fica normalmente satisfeito, e a

tendência tem sido escolher novamente a

marca quando precisa de trocar pneus. O

facto da Falken equipar de origem diversos

modelos de automóveis é muito importante

para a notoriedade da marca, pois confere-

-lhe credibilidade. A presença da marca em

desportos motorizados é igualmente importante,

já que existe um leque de clientes que

associa a marca à competição automóvel”,

comenta Luís Guedelha.

Com uma média de 1.000 pneus em stock

permanente, Luís Guedelha sabe a impor-

tância de ter sempre o pneu disponível. “Na

nossa zona, os clientes ainda não têm o hábito

de fazer marcações. Vêm à oficina para

montar pneus e querem o serviço feito na

hora. Não estão dispostos a esperar. Muitos

vêm de longe e querem regressar com pneus

novos. Esta situação causa constrangimentos

ao funcionamento da oficina, pois acontecem

congestionamentos quando aparecem

vários clientes ao mesmo tempo. Mas temos

de ser eficazes e dar uma resposta quase

imediata, montando os pneus que o cliente

pretende. Tenho por isso de manter um bom

stock de pneus, que embora represente um

investimento avultado, traz muitas vantagens

à oficina”, afirma o responsável.

No ano passado Luis Guedelha montou cerca

de 4.500 pneus e este ano espera conseguir

ultrapassar esse número, principalmente

com pneus da marca Falken. u

www.revistadospneus.com | 51


Efeméride

Paixão, inovação

e tecnologia

Este ano celebra-se o 150º aniversário da Pirelli, uma empresa que dia

após dia se renova e cresce graças aos seus mais de 30.000 empregados

e a um ADN para sempre feito de paixão, inovação e tecnologia

52 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pirelli comemora 150 anos

A

história da Pirelli tem início em 28

de janeiro de 1872 por Giovanni

Battista Pirelli, que com apenas

23 anos aposta em algo absolutamente

novo: a borracha. No início, a empresa

produzia isoladores para telégrafos e

cabos que ligavam os pontos mais distantes

da recém-nascida Itália. Cresce rapidamente

em todo o mundo e produz objetos de uso

quotidiano (desde toucas de natação a brinquedos

e casacos de chuva) e pneus para

carroças e bicicletas, em resposta a essas

primeiras formas de mobilidade. Focada na

inovação desde o seu nascimento, a empresa

oferece produtos que também se tornaram

símbolos de progresso do país. O moderno

arranha-céus da Pirelli (o Pirellone) era um

símbolo de Milão e permaneceu a sede da

empresa até à década de 1960, antes de

esta se mudar para uma área no norte da

cidade, conhecida como Bicocca, hoje um

verdadeiro campus corporativo. Mas até a

Pirelli encontrou obstáculos: as fusões fracassadas,

na década de 1990, com a Dunlop

e a Continental, e o plano de integração de

redes e conteúdo em telecomunicações, perseguido

pela Telecom Italia e interrompido

por interferências externas. Crises que foram

superadas recomeçando do core business,

o que leva a empresa a focar-se exclusivamente

na venda de pneus.

INTERNACIONALIZAÇÃO

A Pirelli sempre teve uma visão e postura

internacionais. E foi nesse sentido que a

história continuou. Nascida em Milão, rapidamente

se tornou uma multinacional, a

ponto de ser considerada inglesa, no Reino

Unido, brasileira, no Brasil, americana, nos

EUA... Uma vocação já evidente nas viagens

do fundador e depois nas deslocações dos

seus filhos, Alberto e Piero. A sua identidade

é a de uma multinacional com sólidas raízes

italianas, com foco em relações industriais de

liderança, atenção ao bem-estar e formação.

Através das suas fábricas, a Pirelli criou raízes

em muitos países (hoje são 12, no total) construindo

fábricas cheias de luz, seguras e sustentáveis.

Lugares acolhedores para pessoas

que trabalham com paixão e para a indústria

4.0 com simuladores, inteligência artificial e

robôs como o MIRS, inventado pela própria

Pirelli. Em resumo, hoje existem18 belas e

eficientes fábricas construídas de acordo

com o modelo Settimo Torinese, projetado e

construído pelo arquiteto Renzo Piano, que

conseguiu aliar funcionalidade com beleza,

competitividade e sustentabilidade.

CULTURA, COMUNICAÇÃO E IMAGEM

Ao longo da sua história, a Pirelli sempre

esteve em diálogo com artistas e intelectuais

de modo a manter um olhar atento sobre

a sociedade, a sua evolução e mudança de

hábitos. Fez e continua a fazê-lo através

de linguagens e instrumentos inovadores,

como a “Rivista Pirelli”, Calendário Pirelli, Pirelli

HangarBicocca, publicações e exposições

da Fondazione Pirelli, produtos da Pirelli

Design, revista World, e com os volumes

do seu Relatório Anual, enriquecidos com

contribuições de artistas e escritores. A viagem

pela história cultural da Pirelli começa

com o icónico logotipo da Pirelli, nascido

em Nova York, no início do século 20, com

aquele longo P, que se estende como se fosse

borracha. Uma empresa que experimenta

novas linguagens, produz pneus, entrevista

escritores, filósofos e poetas, e coloca Carl

Lewis de salto alto, acompanhando com o

inesquecível slogan “O poder não é nada

sem controlo”. Uma empresa inovadora e

comunicativa, com capacidade de renovação

e de conservar a memória e o diálogo entre a

indústria e a arte contemporânea, desporto,

fotografia e música. A Pirelli comprova de

forma evidente, que quando se está envolvido

na indústria com paixão também se

está a produzir cultura.

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO, PRODUTO

A história revela uma empresa que se move

sempre com os olhos postos no futuro. “Olhe

para dentro para entender”, para descobrir

A Pirelli sempre teve uma visão e postura internacionais.

Nascida em Milão, rapidamente se tornou uma multinacional,

a ponto de ser considerada inglesa, no Reino Unido,

brasileira, no Brasil, e americana, nos EUA

www.revistadospneus.com | 53


Reportagem Efeméride

Uma empresa inovadora e comunicativa, com capacidade

de renovação e de conservar a memória e o diálogo

entre a indústria e a arte contemporânea, desporto,

fotografia e música

novas soluções, como costumava dizer o

Sr. Emanueli, que assinou muitas das 6.700

patentes registadas pela Pirelli, ao longo dos

seus 150 anos. Esta lição do Sr. Emanueli

é hoje reinterpretada pelas mais de 2.000

pessoas que trabalham no departamento

de Pesquisa e Desenvolvimento, setor de

fundamental importância para a empresa.

As suas colaborações com as principais universidades

(mais de 50) também são fundamentais.

Hoje, os “herdeiros de Emanueli”

estão envolvidos na gestão da aceleração

da inovação, como no caso dos veículos elétricos,

onde a Pirelli já está presente com a

gama Elect, um pacote de soluções tecnológicas

ad hoc para lidar com os diferentes pesos,

aceleração e consumo em comparação

com os veículos tradicionais. Mas também

novos produtos conectados como o Cyber

Tyre, com sensores que fornecem informações

em tempo real ao condutor.

INOVAÇÃO CONTÍNUA

Porque as tecnologias evoluem, a virtualização

acelera os tempos de pesquisa e

desenvolvimento. Os pneus são criados e

desenvolvidos no mundo digital através da

criação de alter egos virtuais para projetar e

produzir produtos seguros, de alto desempenho

e sustentáveis graças a materiais cada

vez mais renováveis.

No centro, como sempre, está a borracha

natural com a qual a Pirelli produziu o primeiro

pneu do mundo certificado pelo FSC

(Forest Stewardship Council), que atesta uma

cadeia de distribuição 100% sustentável.

Uma grande salvaguarda para o meio ambiente,

como ocorre, por exemplo, com a

participação da Pirelli no projeto Birdlife,

para conservar a biodiversidade na Indonésia.

Graças ao seu compromisso nos níveis

social, ambiental e económico, a Pirelli

encontra-se no topo dos mais importantes

índices de sustentabilidade.

NOVA CAMPANHA PUBLICITÁRIA

Uma nova campanha publicitária, lançada

na TV, imprensa, meios digitais e sociais, para

comemorar os 150 anos da Pirelli, oferece

uma reinterpretação do histórico slogan “O

poder não é nada sem controle”, convidando

as pessoas a refletir, através de um olhar visionário

e de uma história metafórica sobre

dois conceitos complementares e opostos.

Graças à tecnologia e às redes sociais, os

indivíduos têm hoje um poder enorme, mas

em qualquer momento podem perder o

controlo e ver o caos a instalar-se.

Mais do que nunca, é preciso estar ciente

de que o poder precisa de controlo, na vida

e não apenas na estrada. Filmado em Barcelona,

o anúncio comemorativo dos 150

anos da Pirelli deverá figurar igualmente nos

canais digitais a nível internacional.

Para celebrar digitalmente a história dos

150 anos, foi criado um website inovador

– www.pirelli.com/150years – que permite

“viajar” dentro do mundo da Pirelli. Através

de quatro salas virtuais dedicadas a “Produto

e Pesquisa & Desenvolvimento”, “Sustentabilidade”,

“Desporto”, “Arte & Cultura” onde

se pode mergulhar num ambiente 3D que

apresenta os produtos de ontem e de hoje,

o compromisso com a sustentabilidade, envolvimento

em competições desportivas e

iniciativas artísticas e culturais a partir do

Calendário Pirelli.

O 150º aniversário também será comemorado

com uma edição especial da “World”, a

revista da empresa que, desde 1994, continua

a herança da “Rivista Pirelli”, publicada

entre 1948 e 1972. A edição propõe 26

palavras, uma para cada letra do alfabeto,

escolhida pelo seu significado, força e capacidade

de descrever a Pirelli. Cada palavra,

graças à contribuição de ilustradores, autores,

romancistas e ensaístas, é explorada

de forma original.

OLHAR PARA O FUTURO

Antecipar a mudança é o que a Pirelli faz

há 150 anos, graças à solidez da sua cultura

empreendedora e à capacidade de ser

protagonista do presente. Coisas que lhe

permitiram alcançar esse número com uma

marca estabelecida em todo o mundo. Em

2020, num mundo afetado pela pandemia

54 | Revista dos Pneus | Março 2022


Pirelli comemora 150 anos

de Covid-19, a Pirelli conseguiu garantir a

continuidade das suas operações e lançou

numerosas iniciativas de apoio às comunidades

locais onde opera. Com uma decisão

que só tinha sido tomada em 1967 e de 1975

a 1983, o calendário Pirelli foi suspenso, regressando

em 2022 com as fotografias de

Bryan Adams num calendário, “On The Road”,

inspirado pela vida na estrada.

Após o abrandamento imposto pelo vírus,

em 2021 a Pirelli apresentou um novo plano

industrial centrado em novas formas de mobilidade.

Para os veículos elétricos, a empresa

criou o pacote tecnológico “Elect”, para os

novos produtos conectados o Cyber Tyre,

com sensores que fornecem informações

em tempo real ao condutor, enquanto no

segmento Premium se centrou em pneus

de mais de 19 polegadas.

O crescimento das dimensões das jantes dos

pneus também envolveu a Fórmula 1, com

a adoção em 2022 de novos pneus de 18

polegadas. Uma pequena mas significativa

revolução na pista que coincidiu com o 150º

aniversário da Pirelli, uma empresa que dia

após dia se renova e cresce, sempre com os

olhos no futuro. u

Após o abrandamento imposto pelo vírus, em 2021

a Pirelli apresentou um novo plano industrial centrado

em novas formas de mobilidade, tendo desenvolvido

o pacote tecnológico “Elect”, para os veículos elétricos

www.revistadospneus.com | 55


Notícias

Empresas

Michelin obteve

resultado operacional de 2.966 milhões de euros

As vendas do grupo Michelin aumentaram 16,3%, para 23 795

milhões de euros, e resultado operacional dos sectores situou-

-se em 2966 milhões de euros, ou seja, 12,5% das vendas. Florent

Menegaux, presidente, declarou: “A Michelin obteve muito bons

resultados em 2021 em condições extremamente difíceis, mantendo

a prioridade dada à proteção dos seus empregados. Gostaria de agradecer

calorosamente às equipas do nosso Grupo, que assumem os

muitos desafios que enfrentamos diariamente. Fiéis à nossa vontade

de partilhar o valor criado, reconhecemos o seu compromisso neste

contexto excecional, em particular através de um aumento substancial

da remuneração variável. Com estes resultados, o nosso Grupo

demonstra, uma vez mais, a sua solidez e resiliência. Ansiamos, com

confiança, a implementação contínua da nossa estratégia Michelin in

Motion”. Em 2022, num contexto ainda mais conturbado, os mercados

de Turismos e de Comerciais Ligeiros deverão exibir crescimentos

entre 0% e +4% ao longo do ano, os mercados de Camiões deverão

crescer entre 1% e 5%, e as Atividades de Especialidades deverão aumento

entre 6% e 10%.

Pneus do Alcaide Santeira

junta-se à rede Vulco

A Vulco continua a ampliar os seus pontos de serviço em toda a Península Ibérica, com o

objetivo de estar sempre disponível para qualquer consumidor que necessite de intervenção

no seu veículo. A oficina Pneus do Alcaide Santeira passa a fazer parte da rede Vulco,

sendo o segundo centro Vulco do grupo e representa um ponto de venda adicional para

a rede Vulco em Portugal Com a inclusão deste centro, a rede Vulco reforça o seu serviço

global ao cliente final, dando cobertura às variadas tipologias de veículos: ligeiros, pesados,

comerciais e 4x4. A renovação do centro da Benedita tem como objetivo principal a

melhoria contínua da experiência do consumidor final e também a captação de novos

clientes com uma imagem exterior atrativa e que reforça o profissionalismo e qualidade

de serviço. A Pneus do Alcaide, com mais de 40 anos de experiência no sector, é um dos

principais atores do mercado de pneus e serviços, com especialização na área dos veículos

pesados. Além das oficinas físicas , a Pneus do Alcaide conta com carrinhas de assistência

para veículos pesados, garantindo por isso a mobilidade dos seus clientes profissionais.

Yokohama distinguida

com prémio “Cinco Estrelas 2022”

A Yokohama acaba de ser distinguida com o prémio “Cinco Estrelas 2022” na categoria

de Pneus. O Prémio Cinco Estrelas é um sistema de avaliação que mede o grau de

satisfação que os produtos, os serviços e as marcas conferem aos seus utilizadores.

Utiliza a metodologia mais completa e rigorosa do mercado, tendo como critérios

de avaliação as principais variáveis que influenciam a decisão de compra dos consumidores.

Com esta avaliação, o Prémio Cinco Estrelas vem assim ajudar os consumidores

a identificar o que de melhor existe em Portugal, ao nível dos produtos,

serviços e marcas. Os resultados obtidos nos testes e estudo de mercado realizados

no âmbito desta avaliação, permitem afirmar que a Yokohama é considerada pelos

consumidores como muito boa, Cinco Estrelas.

56 | Revista dos Pneus | Março 2022


Continental reúne distribuidores em Óbidos

A Continental Pneus Portugal reuniu, em Óbidos, cerca de uma dezena de distribuidores

da marca para uma convenção onde o futuro digital do setor foi o grande protagonista.

Para além da partilha de experiências, o evento ficou ainda marcado pela intervenção

do especialista em Marketing Digital, Rogério Canhoto, que, em linha com o tema da

convenção, deixou no ar o “Desafio digital, como vencer uma Low Touch Economy”. O

evento decorreu no Evolutee Hotel Resort & Spa, em Óbidos, e ficou marcado por uma

“profícua e muito interessante troca de ideias e de experiências sobre o mercado e sobre

o setor e onde o digital assume um papel central na estratégia de negócio das empresas”,

refere Pedro Teixeira, Diretor Geral da Continental Pneus Portugal, destacando ainda a

excelente apresentação e discussão promovida pela intervenção do Rogério Canhoto,

“um expert no digital e que deixou pistas relevantes sobre o futuro da economia e a

importância do digital”.

Tiresur e Giti Tire

assinam acordo de distribuição exclusiva

O ano de 2022 começa com grandes novidades para o setor dos pneus ao formalizar-se

o acordo de distribuição exclusiva entre a Tiresur - um dos grandes distribuidores nacionais,

e Giti Tire - um gigante asiático de fabricação de pneus. Assim, a Tiresur converte-

-se no distribuidor exclusivo das marcas do grupo Giti e GT Radial para PCR (turismo,

SUV/4x4 e comercial) em Portugal e Espanha e TBR (camião) para Espanha. Com esta

aliança, tanto o fabricante como o distribuidor têm como objetivo impulsionar fortemente

o crescimento das suas marcas em todos os países assumindo-se como uma das

melhores opções dentro do segmento Quality. “A Giti Tire pretende confiar novamente

na Tiresur devido ao grande trabalho que esta tem vindo a desenvolver na península

ibérica há mais de 25 anos com a distribuição exclusiva da sua outra marca com insígnia

do grupo – GT Radial. Desde o inicio do acordo, a marca não fez mais do que crescer,

tanto em Portugal como em Espanha, levando a que um fabricante com a magnitude e

importância da Giti Tire volte a depositar a sua confiança na Tiresur e oferecer- lhe a exclusividade

da sua marca”, desvendou o departamento de comunicação da Tiresur. Deste

modo, fortalece-se a relação fabricante-distribuidor, indo mais além com este acordo

em que as oficinas e concessionários tornam-se assim os grandes beneficiários ao poder

contar com uma marca de qualidade e fiabilidade da Giti.

PUB

Pequenas Empresas continuam

sem utilizar “The Connected Truck”

O Software de Transporte Rodoviário da Continental “The Connected

Truck” continua a crescer, ainda assim, a marca verificou, através do

seu mais recente estudo, que um terço das empresas pesquisadas,

numa grande maioria, pequenas empresas, ainda não está a utilizar

todas as soluções que o software disponibiliza. A satisfação do setor

dos transportes com o software de gestão de condutores, veículos

e operações logísticas está a crescer, no entanto, mais de um terço

das empresas pesquisadas não está a utilizar essas mesmas soluções.

Essa é uma das principais conclusões do estudo “The Connected

Truck”, que foi realizado pela segunda vez desde 2016 pelo instituto

de pesquisa social em nome da empresa de tecnologia Continental.

A percentagem de não utilizadores - a maioria deles pequenas empresas

- é praticamente a mesma da pesquisa anterior. Refletindo os

desenvolvimentos atuais neste setor, também foi demonstrado que,

quando se trata de equipamentos, os fornecedores de logística estão

principalmente interessados em funções de assistência ao condutor

e tecnologias de economia de combustível.

www.revistadospneus.com | 57


Notícias

Empresas

Nomeações

Hankook anuncia novo diretor Portugal / Espanha

A Hankook acaba de anunciar a nomeação de Isaac Ortega como o novo Diretor Geral para o mercado espanhol

e português. Isaac Ortega tem mais de 25 anos de experiência como gerente na indústria de pneus, sendo o seu

último cargo vice-presidente de mobilidade conetada e diretor de marketing estratégico. Isaac assumirá a gestão

do escritório espanhol do fabricante de pneus em conjunto com Yang-Hun Kim, que

desde 2017 ocupa o cargo de Diretor Geral para Espanha e Portugal. “Estamos

muito satisfeitos por ter o Isaac como nosso novo Diretor Executivo para a Espanha

e Portugal”, disse Sanghoon Lee, Presidente da Hankook Tire Europe.

“Com mais de 25 anos de experiência de trabalho na indústria de pneus nos

mercados europeu e asiático, Isaac é alguém em cujo conhecimento confiamos

e de cuja experiência certamente nos beneficiaremos.” “Para mim, é um

privilégio e uma honra assumir o cargo de Diretor Executivo da Hankook Tire Espanha”,

disse Isaac Ortega, que chefiará a equipa do escritório de Madrid ao lado de Yang-Hun Kim. «Tenho a certeza

que poderei reforçar e desenvolver ainda mais a área de Vendas e Marketing da prestigiada marca Hankook no

mercado ibérico. Aguardo novos desafios e tenho a certeza que juntos iremos aprofundar o desenvolvimento dos

mercados de Espanha e Portugal nos próximos anos”.

Goodyear reformula Direção em Portugal e Espanha

A Goodyear anuncia a promoção do espanhol Mario Recio ao cargo de Diretor Geral Executivo de Consumer da Goodyear

Francia, efetiva a partir de 1 de janeiro de 2022. De igual modo, a Goodyear Iberia anuncia, com efetividade na

mesma data, que Alberto Villarreal é nomeado Diretor Geral de Vendas Consumer Iberia, cargo a partir do qual dirigirá

a empresa nos nossos mercados. Mario Recio, após a sua completa trajetória na Goodyear Iberia, empresa para a

qual entrou em 2012, liderando com êxito o negócio e as divisões de

Consumer e Retail, e dirigindo a organização em Espanha e em

Portugal durante os últimos anos, é promovido, com efeitos

a partir de janeiro de 2022, ao cargo de Diretor Geral Executivo

de Consumer da Goodyear França, com sede em Paris,

cargo a partir do qual dirigirá o negócio e a organização no

mercado francês, continuando a reportar diretamente a David

Anckaert, Vice-presidente da divisão de pneus de substituição

Consumer da Goodyear EMEA. Alberto Villarreal, por seu turno, regressa ao mercado ibérico após ter liderado a nível

EMEA, durante quase dois anos, e a partir do Goodyear Innovation Center do Luxemburgo, uma das áreas determinantes

do negócio de veículos industriais, a divisão de Proactive Solutions e Frotas.

Bridgestone nomeou novo diretor geral Europa do Sul

A Bridgestone nomeou José Enrique González como novo Vice-Presidente e Diretor-Geral para a Região da Europa

do Sul, em substituição de Stefano Parisi. Este novo cargo junta-se ao que ocupa desde 2018 como Vice-Presidente

e Diretor- Geral da Região Sudoeste. As suas responsabilidades em Espanha

e Portugal são assim alargadas à Itália, Roménia, Bulgária, Grécia e aos países

do Adriático. Stefano Parisi foi também nomeado Vice-Presidente de Soluções

para a Austrália e Nova Zelândia dentro da Bridgestone Ásia Pacífico (BSCAP).

Ambas as nomeações serão efetivas a partir de 1 de março. José Enrique conta

com uma vasta experiência na Bridgestone, onde trabalhou durante os últimos

25 anos. Desde 2018, como VP, trouxe para a Região Sudoeste tanto o seu

profundo conhecimento da empresa como a sua vasta experiência na indústria de

pneus, impulsionando o crescimento na região e o desenvolvimento da nova estratégia da Bridgestone para se

tornar líder em soluções de mobilidade, num contexto sem precedentes marcado pela Covid-19.

Grupo Andrés incorpora pneus

agroindustriais SEHA

O Grupo Neumáticos Andrés continua a melhorar o seu catálogo

como líder na distribuição de Pneus em Espanha e

Portugal e, neste caso, acaba de incorporar a marca SEHA à

linha de negócios agrícola. A recente inauguração do novo

macro armazém na sede e a abertura de novas instalações

no sul de Espanha abrem caminho para impulsionar a distribuição

neste segmento, em que se prevê um investimento

crescente em 2022. Com a atual estratégia logística do Grupo

Andrés, em constante crescimento e modernização, as

entregas de pneus agrícolas multimarca serão promovidas

em tempo recorde a todas as oficinas da Península ibérica. A

marca SEHA será distribuída através dos armazéns de Salamanca,

Barcelona, Madrid e Sevilha para ganhar imediatismo

e nível de satisfação nos clientes.

Chaveca & Janeira adere à rede

Euromaster

A empresa Chaveca & Janeira terminou este final de ano em

grande, aderindo à rede Euromaster. Com este novo associado,

a rede Euromaster conta assim com três pontos de

venda localizados no Algarve. A Euromaster está presente

na Euromaster Algarpneus, em Almancil, Euromaster Anino

Pneus, em Lagos e Euromaster Pneurápido, em Albufeira.

Com a entrada das oficinas Chaveca & Janeira Lda., a Euromaster

marca agora presença nas localidades de São Brás de

Alportel, Faro e Portimão. O Algarve contará agora com uma

cobertura de seis oficinas Euromaster e a rede termina o ano

com um total de 81 pontos de venda. A Euromaster celebra

a identificação e entrada na rede destas novas oficinas e

continua a trabalhar para dar resposta às necessidades dos

seus clientes e franquiados, nas várias vertentes de negócio.

Goodyear anuncia vencedores no serviço Truckforce

A Goodyear congratula-se por anunciar os cinco novos vencedores dos Prémios Excelência no Serviço Truckforce,

correspondentes ao quarto trimestre de 2021. Os Prémios Excelência no Serviço Truckforce foram lançados no

início de 2021, para destacar os parceiros que proporcionaram um serviço excecional na rede pan-europeia da

TruckForce. A empresa alemã Duwald Reifen deu mostras, de forma consistente, de um serviço de primeira classe,

e registou uma taxa de aceitação de 100% na ServiceLine24h nos últimos seis anos. Tal significa que todas as solicitações

para serviço de emergência em estrada foram atendidas, com zero rejeições, demonstrando a eficiência

e a capacidade da empresa. Com sede à saída de Hamburgo, a Duwald Reifen foi mais além para satisfazer as

necessidades dos clientes da Goodyear, e merece totalmente este prémio.

58 | Revista dos Pneus | Março 2022


Notícias

BKT debate a questão

das Mulheres na Agricultura

A questão das Mulheres na Agricultura e da desigualdade de género no setor

foi o tema central do quarto episódio do Global Trends, o formato da BKT Network

que explora as principais questões da agricultura global com a ajuda de

especialistas e convidados internacionais. As mulheres são a espinha dorsal das

comunidades rurais e muitas vezes representam uma grande fatia da força de

trabalho agrícola em todo o mundo. No entanto, com frequência, as trabalhadoras

não têm acesso adequado aos recursos e serviços essenciais, como a terra,

a disponibilidade de crédito e a formação, e esta disparidade tem um impacto

decisivo no desenvolvimento agrícola e na produção de alimentos em todo o

mundo. Segundo a FAO, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação

e a Agricultura, as empresas agrícolas administradas por mulheres produzem

até um terço a menos do que as administradas por homens. E este fosso não se

deve a uma falta de competências e experiência, mas a condições e oportunidades

desiguais que muitas vezes penalizam as mulheres. Contudo, se a força

de trabalho feminina tivesse o mesmo acesso a recursos que a força de trabalho

masculina, a produção agrícola poderia aumentar em 30%, permitindo alimentar

cerca de 150 milhões de pessoas.

Valorpneu

celebra 20º Aniversário

A

Valorpneu está de parabéns! Este mês de março, a entidade gestora

do Sistema Integrado de Gestão de Pneus Usados em Portugal (SGPU)

em Portugal comemora 20 anos de atividade. Durante estas duas décadas,

a Valorpneu recolheu no âmbito do SGPU um total de 1.622.529 toneladas

(ton.) de pneus que correspondem, mais ou menos a 145 M de pneus.

Destes pneus, 1.570.294 toneladas foram geradas anualmente nesse período

e 52.235 toneladas já existiam em ‘stock’ antes da entrada em funcionamento

do SGPU, em diversos locais espalhados pelo país, e foram integrados e tratados

pela Valorpneu.

Desde o início da sua atividade, em 2002, a entidade gestora do Sistema Integrado

de Gestão de Pneus Usados em Portugal (SGPU) tem permitido, através

de uma rede de operadores que recolhem, recuperam e reciclam os pneus

em fim de vida, que estes ganhem uma nova vida, quer como pneus recauchutados,

quer através da sua transformação nos materiais que o compõem,

nomeadamente pó e granulado de borracha, aço e têxtil, servindo como

matéria-prima para outras indústrias e voltando a entrar no ciclo económico

tantas vezes quanto possível.

Ao longo destes anos, a Valorpneu tem promovido várias ações junto da comunidade,

inseridas no plano de Prevenção, de Sensibilização, Comunicação

e Educação. Estas iniciativas tiveram três objetivos essenciais, nomeadamente,

o aumento da eficácia e da eficiência na gestão do SGPU, o incentivo à

reconstrução, utilização sustentável e promoção de boas práticas para correto

uso e manutenção dos pneus e ainda a promoção da recauchutagem,

valorização e aplicações diversas dos pneus usados. Torna-se importante a

sensibilização dos cidadãos e empresas para as vantagens dos pneus recauchutados,

quer relativamente à redução do impacte ambiental proveniente

da sua produção, quer relativamente ao preço de aquisição, mas é igualmente

necessário transmitir confiança na sua utilização, para a qual tem um papel

preponderante a rotulagem dos pneus recauchutados.

Ao longo das suas duas décadas de atividade, a Valorpneu tem investido também

em programas de investigação e inovação para o desenvolvimento de

novas tecnologias e de novas soluções para os materiais derivados dos pneus

em fim de vida, potenciando o desenvolvimento deste sector.

A Valorpneu tem sido um elemento dinamizador para o desenvolvimento de

novas soluções para os destinos a dar aos pneus em fim de vida. Porque não

basta falar em economia circular, é necessário dar passos nesse sentido.

KTM premeia Dunlop

com prémio Excelência de Qualidade

A KTM anunciou que a Dunlop foi galardoada com uma classificação de Grau A

na mais recente auditoria de avaliação da empresa austríaca. O fabricante de

motos de alta performance irá apresentar o seu Prémio para a Excelência de

Qualidade de Fornecedor como reconhecimento do trabalho da empresa de

pneus nas funções de conceção e desenvolvimento, fabrico, cadeia de fornecimento,

administração e vendas. A KTM elegeu recentemente o Dunlop Geomax

MX33 como equipamento de origem (OE) para todas as motos da sua gama de

motocross, da topo de gama 450 SX-F à mais ligeira KTM 125 SX a dois tempos,

passando pela gama júnior. A Husqvarna, uma empresa do Grupo KTM,

também escolheu este pneu vencedor de corridas para toda a sua gama. Estes

dois fabricantes de motos de motocross selecionaram o Geomax MX-33 após

extensivos testes comparativos. O Geomax MX-33 foi concebido para terrenos

macios, de lama e intermédios, e a sua versatilidade proporciona aos utilizadores

das KTM e das Husqvarna a oportunidade de dar o máximo em condições de

superfícies variáveis.

60 | Revista dos Pneus | Março 2022


Empresas

Triangle Tyre desenvolve aplicação

do seu portfólio para a Europa

A

Triangle Tyre, um dos maiores fabricantes de pneus da China e um dos maiores

do mundo, lançou uma nova aplicação móvel chamada Triangle Tyre. A

aplicação, serve como um catálogo baseado na Europa para todas as categorias

de produtos, de passageiros a Pneus comerciais e terraplenagem. As principais

caraterísticas da Aplicação são: Informações detalhadas sobre cada pneu: tamanho,

velocidade e classificações de carga, valores de rotulagem europeia para travagem

em piso molhado, ruído e eficiência de combustível; Imagens e caraterísticas técnicas

de cada produto; Catálogos em PDF para download (PCR, TBR, OTR);

Notificações push; Consultas; Link para o site global da Triangle Tyre. O recurso de

notificação push mantém os utilizadores atualizados com as últimas introduções

de novos produtos e extensão de alcance. A possibilidade de descarregar o catálogo

dá aos utilizadores acesso offline aos detalhes e dados do produto, garantindo

que a informação está sempre acessível. A aplicação é a ferramenta ideal para distribuidores,

representantes de vendas e gerentes de frotas que precisam manter as

informações na ponta dos dedos.

NEXEN TIRE aumenta

preços dos pneus

A NEXEN TIRE acaba de anunciar que devido ao aumento dos preços

das matérias-primas, bem como aos custos de frete e logística, os preços

de todas as marcas da empresa no mercado de reposição devem

ser ajustados já a partir de fevereiro de 2022. Os preços de todas as

linhas de produtos de pneus de verão, inverno e todas as estações

da empresa no mercado europeu, incluindo Reino Unido, Turquia e

Rússia, serão aumentados e o ajuste de preços entrará em vigor em

1º de fevereiro de 2022. “O aumento nos custos das matérias-primas

e o forte aumento nos custos de logística estão a forçar a indústria de

pneus a aumentar os seus preços”, explica DC Kim, vice-presidente de

vendas e marketing da Europa, NEXEN TIRE Europe. “Por meio de aumentos

contínuos na eficiência, a NEXEN TIRE continua a esforçar-se

em todo o mundo para minimizar os efeitos do aumento dos custos

sobre os preços de seus pneus e para continuar a oferecer aos seus

clientes a melhor relação preço / desempenho do mercado no futuro”,

concluiu DC Kim.

PUB

O PRAZER DE UMA

CONDUÇÃO SEGURA

SPEED-LIFE 3

O pneu dinâmico


• Condução precisa em estradas secas

• Desgaste reduzido para uma

quilometragem aumentada

• Condução melhorada em superfícies molhadas,

para aumentar a segurança

Distribuído por

www.revistadospneus.com | 61


Notícias

Falken Tyres associa-se

à Federação Europeia Andebol

A Falken Tyres associou-se pela primeira vez à Federação Europeia de Andebol (EHF) para patrocinar

o 15º Campeonato Europeu de Andebol Masculino (Men’s EHF EURO 2022) a decorrer

na Hungria e na Eslováquia a partir de dia 13 de janeiro, e durará até 30 de o mesmo mês. Além

da presença no estádio, a marca Falken Tyres também terá destaque durante as transmissões. O

nome e o logotipo de Falken irá marcar presença nos canais digitais da EHF, onde se apresentará,

aparecerá em anúncios de pré-visualização da EHFTV, repescagens online e em publicações

da comunicação social. Martin Hausleitner, secretário-geral da EHF, comentou: “É um prazer

para nós receber um novo nome na família do Andebol europeu. Estamos muito satisfeitos por

ter Pneus Falken a bordo para o Men’s EURO 2022 EHF. O interesse da Falken em adicionar o seu

nome como parceiro na nossa icónica competição de seleções, é mais uma prova do apelo do

Andebol em todo o continente, e mal podemos esperar para ver o nome da Falken nas luzes

durante a competição em janeiro.

Vipal apresenta soluções

que geram economia para frotas

A Vipal Borrachas está consolidada entre as principais marcas mundiais que

desenvolvem e fabricam produtos para a recauchutagem e reparação de

pneus. Unindo qualidade e inovação em mais de 48 anos de estrada, a empresa

é líder do segmento na América Latina e vem conquistando cada vez mais

espaço e novos clientes em todos os continentes. Ao oferecer um portfólio variado

com soluções para as mais diversas aplicações e necessidades dos transportadores,

os produtos e serviços Vipal contribuem de forma determinante

para gerar economia aos frotistas e ainda favorecem a economia circular.

Falando em inovação, a Vipal detém a exclusiva tecnologia Eye Control, desenvolvida

a partir da necessidade de entregar ao utilizador final uma forma

prática e simples de identificar anomalias em alinhamento, geometria e desgaste

irregular. A Eye Control indica o momento correto para realizar rodízios

e, ainda, demonstra quando o pneu precisa ser retirado para o renovado. Desta

forma, a carcaça do pneu é preservada e a vida útil do produto se estende por

muito mais tempo, se submetido por um recauchutado de qualidade, como a

oferecida pelos recauchutadores parceiros da Vipal.

EuroMais aposta na Aplicação Móvel

A EuroMais remodelou e modificou a aplicação para telemóveis que já tinha desde há quatro

anos e começou a trabalhá-la comercialmente, lançando campanhas e preços exclusivos para

pedidos de pneus feitos por esta via. O resultado não poderia ser mais satisfatório, conta Manuel

Félix: “As pessoas estão a aderir e a criar as condições para que isso vá acontecendo, mais

do que triplicámos o número de encomendas desde que começámos a pôr o call center a falar

na aplicação às pessoas”. Esta nova ferramenta, é de navegação intuitiva, desenhada de modo

a proporcionar uma experiência mais cómoda, fácil e rápida a todos os que a visitam. A App dá

acesso a promoções exclusivas, preços e informações detalhadas em qualquer lugar. Permite

ainda registar encomendas em apenas quatro cliques e garante a habitual rapidez e excelente

capacidade de resposta já reconhecida no portal da Euromais. A funcionalidade “pesquisa

dupla” foi reforçada a pensar no conforto dos seus clientes, que agora podem pesquisar em

simultâneo duas medidas distintas para os pneus da frente e para os traseiros, como resposta à

cada vez maior tendência de os veículos terem diferentes medidas à frente e atrás.

Produtores aderentes à Valorpneu

mais cumpridores

O número de produtores que cumprem as suas obrigações enquanto aderentes

à rede Valorpneu está a aumentar. Se já entre 2019 e 2020 se registou um

acréscimo dos produtores aderentes que têm em dia as suas obrigações de

57% para 59%, respetivamente, esta percentagem voltou a crescer em 2021.

O ano passado foram mais de 60% os produtores que cumpriram com as suas

obrigações, levando a Valorpneu a emitir 1269 certificados aos produtores

em 2021. Este acréscimo deve-se a diferentes fatores, de que são exemplo as

várias auditorias realizadas e as várias ações de comunicação e sensibilização

que a Valorpneu vai desenvolvendo ao longo do ano. De relembrar que de

acordo com o DL 152-D/2017 de 11 de dezembro, que veio unificar o regime de

gestão de fluxos específicos de resíduos, incluindo a gestão de pneus e pneus

usados, o produtor transfere para a entidade gestora a sua responsabilidade

pela gestão dos resíduos, neste caso dos pneus usados, através do pagamento

do Ecovalor. Esta transferência de responsabilidade é objeto de contrato escrito

que determina a obrigatoriedade de transmissão de informação periódica

e da sua certificação. A entrega da declaração de colocação de pneus no mercado

nacional é obrigatória, mesmo que não tenham sido colocados pneus no

mercado nacional no período a que a declaração diz respeito.

62 | Revista dos Pneus | Março 2022


Empresas

Um pneu sem ar, capaz de resistir às condições

extremas se enfrenta um veículo

destinado à exploração na superfície da

Lua: foi este o desafio que enfrentaram as equipas

de I+D da Michelin, em colaboração com a

Northrop Grumman, para responder a uma solicitação

da NASA como parte do seu programa

Artemis. O projeto, liderado pela agência espacial

dos EUA, tem como objetivo enviar um homem

e uma mulher à Lua em 2025, com a missão

Michelin prepara-se para chegar à Lua

de localizar o lugar adequado para estabelecer

uma base que permita uma presença sustentável

no satélite da Terra. O Artemis também contempla,

no futuro, um voo espacial tripulado a

Marte. Participar nesta aventura, e acompanhar

estes trabalhos de exploração, está em linha

com o propósito da Michelin e com a sua paixão

pela mobilidade. Para o Grupo, trata-se de uma

oportunidade para continuar a inovar e adquirir

novos conhecimentos em matéria de soluções

de mobilidade. Os engenheiros da Michelin recorreram

à impressão em 3D e ao biomimetismo,

ciência que procura desenvolver soluções tecnológicas

inovadoras inspiradas nos exemplos da

natureza. O protótipo combina uma construção

leve, que permite uma elevada capacidade de

carga, com um design flexível, que permite ao

veículo adaptar-se ao terreno solto e às zonas

de crateras da superfície lunar, o que garante as

necessidades de mobilidade das futuras missões.

Goodyear parceiro oficial Campeonato ERA

A Goodyear foi escolhida como parceiro oficial de pneus do Campeonato ERA, o novíssimo

campeonato de monolugares elétricos que será lançado este verão, como corridas

de apoio à FIA ETCR – Taça do Mundo de Turismos, patrocinada pela Goodyear.

Enquanto parceiro oficial de pneus do Campeonato ERA, a Goodyear fornecerá pneus

a todos os pilotos e monolugares do campeonato de acesso da fórmula elétrica, que

promete lançar uma carreira profissional para jovens talentos prometedores em termos

de pilotagem e engenharia. Disputado num palco de elevado perfil, o Campeonato

ERA servirá de apoio à FIA ETCR, o campeonato de turismos elétricos de âmbito

mundial, de que a Goodyear é parceiro fundador e fornecedor de pneus. Para a ERA

SERIES EUROPE inaugural, a grelha será composta por dez monolugares Mitsu-Bachi

F110e idênticos. Baseados no chassi Dome F110, estes carros de corrida elétricos estão

equipados com uma bateria de 24 kWh, que produz 130 kW (175 cv), para uma

velocidade máxima de 210 km/h.

Hankook consolida vendas

com 5.279 milhões € em 2021

O fabricante de pneus Hankook Tire & Technology anunciou os seus resultados financeiros

de 2021 com vendas globais consolidadas de KRW 7,142 trilhões (€ 5.279 milhões)

e um lucro operacional de KRW 641 bilhões (€ 474 milhões). Com fortes vendas nas

principais regiões durante o primeiro semestre de 2021, a Hankook Tire conseguiu continuar

o seu crescimento constante, resultando num aumento de 10,7% nas vendas e

um aumento de 2,2% no lucro operacional A/A. À medida que o ímpeto desacelerou no

segundo semestre, com a economia mundial abordando coletivamente questões como

interrupção da cadeia de suprimentos global, escassez de semicondutores e custos crescentes

de matérias-primas, a Hankook demonstrou resiliência com forte desempenho

comercial. Os principais fatores contribuintes incluíram um aumento contínuo nas vendas

de pneus de reposição, uma estratégia de preços regional eficaz e fortes vendas

de pneus de grande diâmetro. As vendas de pneus UHP, de 18 polegadas e maiores,

aumentaram 3,1 pontos percentuais (pp) em relação ao ano anterior, respondendo por

37,7% do total de vendas de pneus para carros de passeio.

www.revistadospneus.com | 63


Notícias

Produto

Falken lança os primeiros pneus EV já em abril

A

Sumitomo Rubber Industries, Ltd. anunciou o lançamento dos seus penho possível em eficiência energética e redução de ruído. Os EVs, em

primeiros pneus para veículos elétricos (EV) em abril, na China. O particular, precisam de pneus com menor resistência ao rolamento para

novo pneu oferece uma das melhores eficiências energéticas de melhorar a quilometragem elétrica para que possam ir mais longe com

todos os pneus desenvolvidos e fabricados pelo grupo Sumitomo Rubber. uma única carga. Usando a tecnologia avançada de desenvolvimento de

Além disso, a Falken Tyre Europe também planeia lançar em 2023 o e. ZIEX, materiais do Grupo Sumitomo para compostos perfeitos, conseguiu desenvolver

pneus que não apenas estão entre os mais eficientes em termos

o seu primeiro pneu de reposição para veículos elétricos na Europa, onde

o mercado de veículos elétricos também está crescendo rapidamente. de energia até o momento, mas também equilibram essa eficiência com

No desenvolvimento de pneus EV, o objetivo é alcançar o melhor desem-

desempenho superior em piso molhado e maior estabilidade de direção.

Trelleborg apresenta o novo XP1000

A Trelleborg procura melhorar significativamente as operações de manuseio de materiais

com o lançamento da sua mais recente solução de pneus para aplicações de

intensidade máxima, o XP1000. Esta nova aposta, oferece aos clientes que movem

materiais em portos, armazéns e chão de fábrica, com ótima tração e vibração mínima

para trazer maior conforto, maior segurança, menor consumo de combustível e maior

vida útil do pneu para operações mais económicas e sustentáveis. Luca Sabelli, Gerente

de Produtos de Manuseio de Materiais da Trelleborg Wheel Systems, comenta:

“Trabalhamos duro para garantir que os nossos pneus estejam prontos para os veículos

de manuseio de materiais da próxima geração e os trabalhos intensos que precisam

realizar. Queremos oferecer aos nossos clientes um pneu de alto desempenho que promete

maior durabilidade, mais estabilidade e conforto, ao mesmo tempo que reduz o

impacto ambiental – mesmo ao lidar com trabalhos pesados. O pneu XP1000 faz tudo

isso – e muito mais.”

Continental deixa a sua marca

nos novos tratores New Holland

As linhas de produtos TractorMaster e VF TractorMaster fazem agora parte do portfólio

de pneus para as séries de tratores New Holland T5, T6 e T7. Estas séries de tratores da

New Holland também serão equipadas com pneus Continental de vários tamanhos

para atender às necessidades dos clientes. O portfólio de pneus varia até uma largura

de pneu de 710 mm e um diâmetro de aro de 42’’. Com a New Holland, a Continental

ganhou mais um importante fabricante de equipamentos agrícolas originais. “A

cooperação destaca as ambições de crescimento da Continental no setor agrícola. A

homologação dos pneus Continental para os tratores New Holland T5, T6 e T7 completa

o fornecimento a todas as marcas do grupo CNH Industrial”, afirma Jens Mund,

Key Account Manager para equipamento original de pneus agrícolas da Continental

Commercial Specialty Tires.

64 | Revista dos Pneus | Março 2022


Bridgestone equipa

Kawasaki Ninja H2 SX e SE

A Bridgestone acaba de anunciar que os seus pneus BATTLAX HYPERSPORT S22

foram selecionados como equipamento de origem pela Kawasaki Motors, nos

novíssimos modelos de alta performance sport tourer 2022, Kawasaki Ninja

H2 SX e Ninja H2 SX SE. As duas empresas têm uma longa história de cocriação

e a Bridgestone orgulha-se de ter contribuído com valor para a vasta gama de

motociclos da Kawasaki Motors. A Bridgestone apoia os desportos motorizados,

tais como FIM 1 Endurance World Championship (EWC) e MFJ 2 All Japan

Road Race Championship com os seus pneus BATTLAX, e aperfeiçoa as suas

tecnologias através dos desportos motorizados que exigem o máximo desempenho

dos pneus. Os pneus BATTLAX HYPERSPORT S22 para a série Ninja H2

SX foram desenvolvidos com base em tecnologias que foram fomentadas pela

experiência das atividades de competição da empresa.

Pirelli “Elect” para Ford Mustang Mach-E GT

O novo Ford Mustang Mach-E GT Performance Edition 2021, a versão mais rápida e potente

do primeiro SUV totalmente elétrico produzido pela Blue Oval, será equipado de origem com

pneus Pirelli. Da colaboração técnica entre as duas empresas resultou um pneu P Zero feito

à medida. O novo produto faz parte de uma família de pneus Ultra High Performance que,

graças aos conhecimentos da Pirelli obtidos no mundo do automobilismo, oferece o equilíbrio

perfeito entre manobrabilidade e conforto de condução, mantendo a sensação desportiva típica

do Mustang. Os pneus desenvolvidos para o Mustang Mach-E GT Performance Edition estão

disponíveis no tamanho 245/45R20 103Y XL, com a marcação ‘Elect’ na lateral, que distingue

os produtos Pirelli dedicados a veículos elétricos e híbridos, cujo desempenho é fortemente

influenciado pelos pneus. Graças às especificações técnicas dos compostos e da estrutura, os

pneus Pirelli com marcação ‘Elect’ oferecem uma série de vantagens: baixa resistência ao rolamento,

para incrementar a autonomia, níveis de ruído reduzidos, para melhorar o conforto

durante a condução, aderência instantânea, para lidar com o torque gerado pelos motores

elétricos; e uma estrutura específica para suportar o elevado peso, característico de um veículo

movido a bateria.

PUB

Trelleborg TM900 High Power.

Enriquece os teus cultivos.

A gama Trelleborg TM900 High Power proporciona alta eficiência para tractores

de 250 a 400 CV. Preserva a tua terra da compactação e faz as operações mais

produtivas. Protege os teus cultivos, como se fossem pedras preciosas.

www.trelleborg.com/wheels/pt

www.revistadospneus.com | 65


Notícias

Pirelli calça Alfa Romeo Tonale

com pneus P Zero

O

novo Alfa Romeo Tonale vai calçar pneus Pirelli P Zero, no tamanho

235/40 R20 96 V XL, com a marcação “AR”, que indica que foram

desenvolvidos especificamente para este veículo. Estes pneus vão

equipar de origem a várias versões do Tonale: Híbrido, Híbrido Plug-in Q4 e

diesel. O P Zero para o novo Alfa Romeo Tonale foi desenvolvido com o objetivo

de extrair ao máximo as características desportivas do modelo, além

de incrementar a sua segurança em asfalto seco e molhado. A sinergia entre

pneus e veículo é o núcleo da estratégia “Perfect Fit” da Pirelli, e a marcação

específica ‘AR’, nas paredes laterais do P Zero, atesta o desenvolvimento específico

destes pneus para o Tonale. A atual colaboração entre a Pirelli e a Alfa

Romeo é um novo capítulo na longa história que liga as duas empresas, que

começou há um século, com a chegada do automóvel e com as primeiras

competições. Tal é demonstrado pelo Pirelli Superflex Cord, o primeiro pneu

equipado pelo Alfa Romeo GT Tipo 2, que venceu o primeiro Campeonato do

Mundo para Automóveis, em 1925, com pilotos do calibre de Antonio Ascari,

Giuseppe Campari e Gastone Brilli Peri, que conquistou o título, após vencer

a prova decisiva, realizada em Monza.

Nokian Outpost AT

é o novo pneu quatro estações

A Nokian Tyres apresenta o seu novo pneu que foi criado para responder aos

maiores desafios e necessidades diárias de condução. O novo Nokian Outpost

AT é um pneu de quatro estações desenvolvido para SUVs, 4x4s e pickups

que garante uma condução segura e duradoura dentro e fora da estrada.

Neste sentido, a Nokian Tyres desenvolveu um novo produto de alto desempenho

que ajuda os condutores a lidar com as superfícies mais extremas,

para que sejam produtivos nas suas atividades diárias e não tenham limites

nos seus momentos de lazer. O fabricante de pneus mais setentrional do

mundo, oferecerá este novo pneu off-road em todos os mercados. Com este

novo lançamento, a nova gama de pneus Outpost fará parte do extenso catálogo

de produtos, o que contribuirá significativamente para o crescimento

da empresa nos próximos anos. Este novo pneu ajuda os condutores a ultrapassar

em segurança as dificuldades que podem surgir em qualquer viagem,

reforçando as experiências dentro e fora da estrada através de uma tração

suprema em todas as condições de condução

Falken AZENIS FK510

conquista 1º lugar no teste ADAC 2022

O pneu premium Falken AZENIS FK510 obteve a pontuação mais alta no teste de desgaste de

pneus ADAC 2022, que examinou as partículas de abrasão geradas por três pneus de verão e três

de inverno de 15 fabricantes. O Falken AZENIS FK510 ficou em primeiro lugar no tamanho 225/40

R18, enquanto o ZIEX ZE310 ECORUN foi o terceiro na dimensão 185/65 R15, o que ajudou Falken

a chegar ao quarto lugar geral. Ambos os pneus de verão Falken obtiveram sucesso repetido em

vários testes independentes, alcançando classificações de desempenho ‘Muito Bom’ e ‘Bom’. No

desenvolvimento destes pneus, foram utilizados os mais recentes processos de design 4D-Nano

e 4D-Nano avançados. Essa tecnologia fornece simulações mais precisas da estrutura molecular

dos polímeros do composto, o que, por sua vez, permite que a Falken atue positivamente na

resistência à abrasão e desenvolva pneus que ofereçam a maior segurança possível, mantendo o

baixo impacto ambiental, como demonstrado no pneu ADAC teste de desgaste.

MAXAM Tire lança composto EcoPoint 3

A MAXAM Tire acaba de lançar o novo composto EcoPoint3, para ser totalmente

integrado às suas linhas de pneus sólidos na nova fábrica de

automação pesada. Este composto inovador combinado com automação e

tecnologia de fabricação de última geração, revoluciona completamente o

desempenho e a durabilidade dos produtos de manuseio de materiais da

MAXAM. Além de incluir o novo composto de borracha nos seus pneus sólidos,

a nova fábrica da MAXAM aumentará o volume de produção existente,

a eficiência e a consistência por meio de automação avançada. Comparado

aos compostos de negro de fumo e compostos convencionais de sílica de

mistura seca, o processo EcoPoint3 fornece distribuição superior de ingredientes

durante o processo de mistura. Este processo inovador permite que

os compostos da MAXAM contenham menos carga inerte, maiores taxas de

estresse no alongamento e proporções mínimas de impurezas resultando

em produtos de próxima geração. Compreender as necessidades do cliente

é importante para a filosofia central da MAXAM. É por isso que a tecnologia

EcoPoint3 não apenas melhora a resistência ao rolamento de um pneu, mas

também aumenta a resistência à derrapagem e ao desgaste, produzindo um

pneu mais forte, seguro e eficiente em termos de energia que proporciona

um passeio confortável.

66 | Revista dos Pneus | Março 2022


Produto

MICHELIN Pilot Sport 5 - desportivo de alta prestação

A Michelin apresenta a quinta geração da sua gama Michelin Pilot Sport, um pneu de verão destinado

aos condutores de automóveis desportivos e berlinas de altas prestações: o MICHELIN Pilot Sport

5 oferece uma combinação única de prestações durante toda a vida útil do pneu, aderência em piso

seco, molhado, e estética desportiva. Alcançou o melhor resultado em rendimento quilométrico entre

os seus concorrentes diretos no segmento de pneus desportivos. A estrutura do pneu, com a tecnologia

MICHELIN MaxTouch Construction, reparte de forma uniforme as forças de aceleração, travagem

e deriva em curva, na área de contacto com o solo, oferecendo, assim, um desgaste mais uniforme, e

uma maior vida útil da banda de rolamento. Oferece precisão e grande reatividade em curva, graças

à tecnologia MICHELIN Dynamic Response, que já deu mostras da sua eficácia na competição. Uma

capa híbrida, composta por fios de aramida e nylon, forma uma cinta em redor de toda a estrutura do

pneumático, para garantir uma ótima transmissão dos movimentos do volante à estrada, e da estrada

ao volante, aumentando, assim, a precisão e o prazer de condução.

Dunlop apresenta pneu hypersport:

Qualifier CORE

A Dunlop lançou o mais recente membro da sua família de pneus

hypersport, o Qualifier CORE, capaz de proporcionar uma soberba,

mas acessível, performance a utilizadores de um amplo leque de motos

desportivas de nºivel de entrada e de gama média. Apresentando

a mais recente tecnologia Dunlop, o Qualifier CORE oferece as renomadas

habilidades hypersport da Dunlop a um preço acessível, combinando

desempenho com valor para pilotos de nakeds de nível básico e

médio, roadsters de tamanho médio e motos desportivas, modelos de

turismo desportivo e bicicletas desportivas. As principais tecnologias

Dunlop no Qualifier CORE incluem Dynamic Front Formula, Carcass

Tension Control System e Jointless Belt para garantir um excelente

manuseio e estabilidade, enquanto inovações como o seu composto

aprimorado com sílica, melhoram a aderência em superfícies molhadas

e em temperaturas mais baixas. O padrão da banda de rodagem

familiar é inspirado na primeira geração do Dunlop Sportmax SportSmart

e trabalha com as principais tecnologias para proporcionar rigidez

balanceada ao piso, uma pegada otimizada e desgaste uniforme.

PUB

www.revistadospneus.com | 67


Notícias

Produto

Nokian Tyres apresenta pneus ecológicos “Green Step”

A

Nokian Tyres, apresenta um pneu mais ecológico. O novo conceito

de pneu “Green Step” é uma obra-prima de inovação sustentável,

apresentando um design em que 93% do composto vem

de materiais reciclados e reutilizáveis. Nokian Tyres Green Step lidera o

caminho para uma condução mais sustentávelDurante anos, a Nokian

Tyres foi pioneira no design de pneus sustentáveis. Com os olhos postos

em 2030, a empresa finlandesa comprometeu-se a usar 50% de materiais

reciclados ou materiais que possam ser reciclados no futuro nos seus

pneus. Nesse sentido, o novo conceito Green Step é o resultado de uma

pesquisa constante no centro de P&D e do compromisso da Nokian Tyres

em tornar a condução mais sustentável. “Os condutores procuram maior

sustentabilidade nos pneus que compram, o que gera uma procura contínua

por esses tipos de padrões. Por outro lado, os fabricantes de pneus

estão a trabalhar continuamente para desenvolver produtos com materiais

duráveis e mais respeitosos para o meio ambiente. Acreditamos que,

ao projetar este novo conceito de pneu, contribuímos para um mundo

melhor”, explica Jouko Ilomäki, diretor de desenvolvimento da Nokian

Tyres.

BKT desenvolve gama de pneus

para condução na lama

Tração, aderência, resistência e segurança são apenas alguns dos muitos desafios derivados

da condução em terrenos lamacentos e molhados. A BKT desenvolveu novas gamas de

pneus que fazem justiça ao nome da marca na lama. É por isso que os pneus que enfrentam

o desafio da lama foram concebidos especificamente para esse fim. Aliás, o seu design visa

ultrapassar vários desafios relativos à tração em solos “flácidos”, onde a aderência não é

uniforme e onde o pneu tem de se autolimpar rapidamente. Também deve ser resistente a

rasgos e oferecer a máxima segurança e controlo da condução.

O design do piso destes pneus é mais agressivo, para uma maior aderência e para conduzir

através da lama, graças aos blocos mais altos e mais bem espaçados. Estes permitem

ao pneu cavar fundo, facilitando a aderência. Por seu lado, o maior espaçamento ajuda na

autolimpeza, uma característica extremamente importante quando se trabalha em superfícies

e terrenos lamacentos. Existem várias máquinas agrícolas, de tratores a sistemas de

aspersão, passando por manipuladores telescópicos, que têm de trabalhar em solos escorregadios.

Para elas, a BKT desenvolveu gamas específicas.

Yokohama BluEarth-XT AE61

equipa Lexus NX

A Yokohama anuncia que desde novembro de 2021 tem estado a fornecer os seus

pneus BluEarth-XT AE61 e o BluEarth-XT AE61 Z.P.S à Toyota Motor Corporation

para uso enquanto pneu de equipamento de origem (EO) num Lexus NX completamente

novo, o primeiro PHEV. O modelo PHEV está equipado com pneus de

tamanho 235/60R18 103H. A BluEarth é uma marca global de pneus da Yokohama

baseada no conceito de «respeito pelo meio ambiente, pelos seres humanos e

pela sociedade». O BluEarth-XT AE61 incorpora o design de base e as tecnologias

de materiais dos pneus da marca BluEarth da Yokohama. A condução superior,

o conforto e o desempenho ambiental do pneu tornam-no perfeito para carros

desportivos. Além disso, um desenho da banda de rodagem recentemente desenvolvido

melhora o rendimento em piso molhado, a resistência ao desgaste e

a estabilidade do pneu, contribuindo para a condução de elevada qualidade do

novo NX.

68 | Revista dos Pneus | Março 2022


Michelin e Fórmula E

juntam-se para desenvolver Pilot Sport EV

A Michelin utilizou a Fórmula E como laboratório de testes para o desenvolvimento de novas

tecnologias, por forma a conceber novos pneus para o futuro. Desde a sua estreia, em 2014,

foram colocadas em pista nada menos do que três gerações dos pneus MICHELIN Pilot Sport EV

desenvolvidos para o campeonato de monolugares elétricos. A Michelin entrou como parceiro

fundador da Fórmula E em 2013, um campeonato que teve a sua primeira temporada em setembro

de 2014, em Pequim (China), com três objetivos principais. Por um lado, demonstrar

o compromisso da Michelin com a mobilidade sustentável, afetando importantes recursos ao

desenvolvimento de pneus específicos para automóveis elétricos. Em segundo lugar, mostrar

a capacidade de inovação da Michelin, concebendo um pneu de competição revolucionário,

aproveitando a oportunidade para introduzir soluções como a utilização de jantes de 18 polegadas

para os monolugares de competição, uma medida inovadora, destinada a potenciar

a transferência de tecnologia da competição para os automóveis de estrada. E, em terceiro

lugar, voltar a utilizar a competição como o banco de testes mais exigente, para transferir essas

aprendizagens para os pneus de estrada.

BFGoodrich ACTIVAN 4S: seguro e ágil

A BFGoodrich iniciou a comercialização de um novo pneu All Season para veículos

comerciais ligeiros, o BFGoodrich ACTIVAN 4S. Um pneu que responde na

perfeição às expectativas dos profissionais que procuram segurança, agilidade

e poupança de tempo. O BFGoodrich ACTIVAN 4S permite aos condutores usufruírem

de uma maior segurança em estrada durante todo o ano. Este pneu All

Season oferece uma excelente performance em piso molhado, com um nível

de classe B na etiquetagem europeia; também conta com a certificação 3PMSF

para a mobilidade ma neve. Os pneus All Season são uma ótima solução no

segmento das carrinhas, pois oferecem a versatilidade de utilização que os

utilizadores procuram nas diferentes profissões em que este tipo de veículo é

utilizado. Uma versatilidade não só ao nível do tipo de terreno onde circulam,

mas também de poder enfrentar os diferentes tipos de clima e até circular na

neve. O BFGoodrich ACTIVAN 4S destaca-se pela sua eficiência, independentemente

das condições climatéricas, sem n que seja necessário substituir os

pneus nas regiões com invernos severos. Por isso, estes pneus oferecem aos

condutores uma maior tranquilidade e uma verdadeira poupança de tempo.

Hankook revela

pneu sem ar futurista i-Flex

Soluções de mobilidade autónoma do futuro requerem uma nova

geração de pneus que combinem uma manutenção mínima com

a máxima segurança e excelente conforto. Os pneus Airless (NPT)

destinam-se a este campo de aplicação. O fabricante global de pneus

Hankook Tire & Technology apresentou o seu pneu sem ar “i-Flex” numa

apresentação conjunta com a Hyundai Motor Company no maior evento

mundial de tecnologia de consumo, o CES 2022, que teve lugar de 5 a 8 de

Janeiro. No CES 2022, a Hyundai Motor Company mostrou pela primeira

vez o seu módulo Plug & Drive (PnD). Baseia-se em tecnologia robótica que

permite a Mobilidade das Coisas (MoT), um ecossistema em que todos os

objectos são móveis. O i-Flex do Hankook foi concebido para maximizar as

características e funções do módulo PnD. O i-Flex é um conceito futurista

de pneu airless com um desenho biomimético. O formato compacto de 10

polegadas, um diâmetro de 400 mm e uma largura de 105 mm, em combinação

com a construção airless, fazem desta última versão o companheiro

de transporte perfeito. Em contraste com os pneus convencionais, os acidentes

causados por furos serão coisa do passado. Além disso, este pneu

não requer controlo de pressão de ar ou reenchimento, o que o torna uma

solução ideal para veículos autónomos.

www.revistadospneus.com | 69


Técnica

70 | Revista dos Pneus | Março 2022


Anéis centrais dos cubos

Manter

a jante

centrada

Os anéis centrais dos cubos são anéis de ajuste

de jantes para veículos e devem ser utilizados se

o orifício central da jante for maior do que o orifício

central do cubo da roda do automóvel. Os anéis

centrais do cubo preencherão então o espaço

necessário para se conseguir um ajuste perfeito

O

orifício central de uma jante é

a abertura maquinada na parte

traseira da jante que centra

adequadamente a jante no

cubo de um veículo. Este orifício é maquinado

para combinar exatamente com

o cubo, de modo a que as jantes fiquem

rigorosamente posicionadas quando o material

de aperto é apertado. Manter a jante

rigorosamente centrada no cubo quando

está montada minimizará a possibilidade

de vibrações. Algumas jantes são específicas

para modelos de veículos e saem

de fábrica com um orifício maquinado

para corresponder àquele veículo. Algumas

jantes são concebidas para equipar

múltiplos modelos de veículos e utilizam

um sistema de anéis de centragem para

reduzir o tamanho do orifício para combinar

com os cubos de diferentes veículos.

Estes anéis mantêm a jante rigorosamente

posicionada quando o material de aperto

é apertado.

Algumas jantes não são centradas no cubo

propositadamente. Estas são conhecidas

como jantes centradas nas porcas. Com

estas jantes é crucial apertar o material

de aperto com o veículo sobre preguiças,

levantado do chão. Isto permite que as

porcas ou parafusos centrem a jante e apertem

sem que o peso do veículo empurre

os mesmos para fora do centro.

Os anéis centrais dos cubos também podem ser

designados como anéis de centragem, anéis

dos cubos ou anéis de ajuste. Estes são nomes

diferentes para a mesma coisa

www.revistadospneus.com | 71


Técnica

Algumas jantes são concebidas para equipar múltiplos

modelos de veículos e utilizam um sistema de anéis

de centragem para reduzir o tamanho do orifício

para combinar com os cubos de diferentes veículos

Convém esclarecer que os anéis centrais

dos cubos também podem ser designados

como anéis de centragem, anéis dos

cubos ou anéis de ajuste. Estes são nomes

diferentes para a mesma coisa, na maioria

dos casos. Neste artigo optámos por utilizar

o nome anéis centrais dos cubos para os

descrever.

O QUE SÃO E PARA QUE SÃO UTILIZADOS

Os anéis centrais dos cubos são anéis de

ajuste de jantes para veículos e devem ser

utilizados se o orifício central da jante (o

furo grande no meio da jante) for maior

do que o orifício central do cubo da roda

do automóvel (o desfasamento no meio

do cubo). Os anéis centrais do cubo preencherão

então o espaço necessário para se

conseguir um ajuste perfeito, basicamente,

algo tão simples quanto isto: fazem com

que o orifício central da jante fique com

uma medida mais pequena e precisa, que

coincide com o cubo da roda. Tenha em

atenção que isto se aplica sobretudo a jantes

do mercado de pós-venda ou jantes

utilizadas por outras marcas de automóveis,

visto que as jantes OEM, por norma,

encaixam sem quaisquer anéis.

Mas podemos pensar, porque não encaixar

simplesmente a jante sem quaisquer anéis

e apertá-la com os parafusos das rodas

ou com as porcas (consoante o que seja

utilizado) quando está “mais ou menos”

centrada? De facto, podemos fazê-lo, mas a

maioria dos automóveis e das jantes atuais

estão concebidas para ser “centradas no

cubo”, o que significa que se destinam a

ser montadas apenas se o orifício central

da jante tiver o mesmo diâmetro que o

cubo da roda.

Uma conceção centrada no cubo também

pode implicar uma folga em torno dos

parafusos das rodas, etc. Os parafusos da

roda ou as porcas de uma jante centrada

no cubo podem ter um flange que pode

ser em cone, plano ou arredondado, ao

passo que uma conceção centrada nas

porcas (a jante é centrada pelos orifícios

de aperto) tem frequentemente um flange

em cone no que respeita ao material de

aperto (parafusos ou porcas).

Assim, mesmo que possamos apertar a

roda muito bem quando o automóvel está

elevado (quando se trata de centrada no

cubo), será exercido um enorme esforço

sobre os parafusos/porcas da roda e, provavelmente,

o veículo irá tremer/vibrar a

algumas, ou mesmo em todas, as velocidades.

Isto deve-se ao facto de uma jante

centrada no cubo ser colocada no lugar

(centrada) através do cubo da roda, ao

passo que os parafusos ou porcas “prendem”

a roda juntamente com o cubo. O

cubo da roda (não os parafusos) devem

aguentar a maioria da força exercida verticalmente

sobre a roda.

Quando os parafusos ou porcas da roda

são submetidos a esforço, isso não implica

apenas que a circulação será desconfortá-

72 | Revista dos Pneus | Março 2022


Anéis centrais dos cubos

1

2

3

4

5

6

7

1 Exemplo de anéis centrais dos cubos em plástico

de cor vermelha

2 O orifício central de uma jante de liga leve

3 Um cubo da roda de um automóvel

4 Anel central do cubo montado diretamente

no orifício central da jante

5 Anel central do cubo montado diretamente

no cubo da roda

6 Conceção centrada no cubo (BMW mais recente)

- Jante de aço montada no cubo da roda. Neste

caso não foi necessário anel central do cubo, visto

que o diâmetro era o mesmo

7 Conceção centrada nas porcas (VW Beetle mais

antigo) - Jante de aço montada no cubo da roda.

Sem necessidade de anel central do cubo devido

à antiga conceção centrada nas porcas

vel, mas também um risco de segurança! É

sempre recomendável a utilização de anéis

centrais dos cubos! São muito baratos, pelo

que o preço não serve como desculpa.

OUTRAS COISAS QUE É BOM SABER

Os anéis centrais dos cubos são frequentemente

de plástico ou alumínio. Os anéis

de plástico (uma mistura de policarbonato

e plástico ABS ou apenas policarbonato ou

apenas ABS) são aqueles cuja utilização é

mais recomendável, uma vez que não vão

sofrer corrosão face ao metal da jante ou

do cubo. Caso sejam utilizados anéis de

alumínio, certifique-se de que é aplicada

uma fina camada de pasta de cobre ou um

lubrificante similar antes de os montar, ou

poderá ser difícil removê-los no futuro!

Atenção! Lembre-se de que os anéis de

plástico são feitos apenas de plástico, o

que significa que podem derreter se a

temperatura for demasiado elevada, por

exemplo, durante um “burnout” ou algo

do género, se for com o automóvel para

a pista! Nesse caso, anéis de alumínio são

uma escolha melhor.

Também vale a pena referir que os anéis

centrais dos cubos são utilizados sobretudo

com jantes de alumínio (ou outras jantes

de liga leve), não sendo assim tão habituais

com jantes de aço, mas se existir uma folga

e os anéis centrais dos cubos puderem ser

utilizados, então certifique-se de que os

utiliza! De outra forma, compre umas jantes

de aço com o orifício central correto, de

acordo com o automóvel.

Caso o orifício central da jante seja mais

pequeno do que o orifício central do cubo,

será necessário maquinar o orifício central

da jante para lhe aumentar o tamanho, o

que é recomendável que seja feito numa

oficina. u

Os anéis centrais dos cubos são frequentemente de

plástico ou alumínio. Os anéis de plástico são aqueles cuja

utilização é mais recomendável, uma vez que não vão sofrer

corrosão face ao metal da jante ou do cubo

www.revistadospneus.com | 73


Serviço

Cuidar das jantes

Acabamentos e Cuidados

As jantes são frequentemente a parte mais suja do automóvel, uma vez que são

constantemente expostas aos elementos. Neste artigo deixamos algumas dicas

sobre como manter o esplendor original das jantes

Danos provocados por uma exposição

prolongada a elementos

agressivos como o pó dos

travões corrosivo, sal marinho,

pedras, cinzas e alcatrão, danificam e sujam

as jantes, sendo importante limpá-las

bem e frequentemente. Uma camada de

cera ajudará a proteger as jantes e a fazer

com que seja mais fácil limpá-las.

Trate o acabamento das suas jantes tal

como trata o acabamento do seu automóvel.

Atualmente, a maioria das jantes de liga

leve apresenta um acabamento pintado e/

ou envernizado. A melhor forma de cuidar

das jantes sem danificar o acabamento de

proteção é lavá-las frequentemente com

uma solução de água e sabão neutro. Utilizar

um removedor de alcatrão e insetos pode

evitar as manchas permanentes de alcatrão.

O enceramento periódico protegerá o acabamento

das jantes contra os elementos.

Nunca utilize produtos de limpeza abrasivos,

esfregões de palha-d’aço ou compostos

de polimento. Tenha cuidado nas lavagens

automáticas de automóveis. Algumas delas

utilizam produtos de limpeza ácidos antes

ou durante a lavagem para remover lama

e sujidade. Outras utilizam escovas rígidas

para a limpeza das jantes e dos pneus. Qualquer

destes processos pode danificar o acabamento

das jantes. As jantes com pneus

de baixo perfil podem ser danificadas pelas

calhas de metal utilizadas na maioria das

lavagens de automóveis. Pergunte aos funcionários

da lavagem de automóveis acerca

do equipamento e dos procedimentos antes

de iniciar a lavagem.

Nunca permita que as jantes e os pneus sejam

limpos à pressão. A água à pressão pode

reduzir o brilho do acabamento com tinta e

verniz das suas jantes. Não limpe as jantes

enquanto estiverem quentes. Aguarde até

que arrefeçam. Limpar as jantes enquanto

estão quentes pode fazer com que a solução

de água e sabão neutro seque demasiado

rapidamente, deixando manchas ou uma

película de sabão nas jantes.

Limpe primeiro os pneus e as jantes, numa

roda de cada vez. Os pneus e as jantes tendem

a ser as partes mais sujas do veículo e

têm uma diversidade de superfícies a limpar.

Assim, vai ter de utilizar a máxima intensidade

da mangueira para lavar inicialmente toda

a sujidade solta e para enxaguar no fim a

solução de sabão. Se limpar primeiro os pneus

e as jantes, não irá expor o seu automóvel

lavado ao excesso de pulverização enquanto

o limpa. Limpar uma roda de cada vez faz

com que lhe dedique total atenção e garante

que o sabão não seca numa jante enquanto

limpa outra. Certifique-se de que utiliza uma

esponja diferente na restante carroçaria do

automóvel para evitar riscar a pintura com

partículas que se possam ter acumulado

durante o processo de limpeza das rodas.

Limpe as rodas regularmente. Os seus pneus

e jantes de liga leve são como qualquer outro

investimento valioso. Cuide desses elementos

como cuida de todo o seu veículo. u

74 | Revista dos Pneus | Março 2022


Organização Parceria Apoio

MELHOR MECATRÓNICO

DO ANO ESTÁ A CHEGAR!

Siga-nos nas redes sociais

Esteja atento ao site www.melhormecatronico.pt

A COMPETIÇÃO DO MELHOR MECATRÓNICO

ESTÁ QUASE A COMEÇAR. ESTEJA ATENTO, PARTICIPE

E TALVEZ SEJA UM DOS FINALISTAS NA GRANDE FINAL

NA EXPOMECÂNICA 2023

Patrocinadores 2022


A LONG WAY

TOGETHER

ONDE QUER QUE ESTEJA, A BKT ESTÁ CONSIGO

Por mais difíceis que sejam as suas necessidades, a BKT está sempre ao seu lado e oferece-lhe uma

extensa gama de produtos para qualquer tipo de aplicação no setor agrícola, do trabalho no campo aos

pomares e vinhas, passando pelos tratores de grande potência e pelos atrelados para transporte.

Soluções fiáveis, seguras, resistentes e duradouras, combinando tração e compactação reduzida do solo,

conforto e desempenho elevado.

BKT: sempre contigo, para maximizar a produtividade.

DISTRIBUIDOR PARA PORTUGAL

JOSÉ ANICETO & IRMÃO, LDA

Zona Industrial, Lote 38A

3060-197 Cantanhede

Tel: 231 419 290

info@sjosepneus.com

www.sjosepneus.com

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!