11.04.2022 Views

Empresas do Vale_105_Abril_Maio

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

nº <strong>105</strong> - <strong>Abril</strong>/ <strong>Maio</strong> - 2022 - ano 19<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

&<br />

19<br />

<br />

TERESINA<br />

HISTÓRIA, BELEZA<br />

E CULTURA<br />

Ponte Metálica - Teresina (PI)


02


Í<br />

ndice<br />

Outras matérias:<br />

Matsuda pág 37<br />

Bruno Omori pág 38<br />

03<br />

Teresina - PI<br />

23<br />

Santiago <strong>do</strong> Chile<br />

20<br />

Lacte 17<br />

Expediente<br />

Diretor responsável:<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Departamento Jurídico:<br />

Dr. Luis Antonio Ravani<br />

Jornalista Responsável:<br />

Camões Filho - MTB 18411<br />

Editoração:<br />

Letícia Casoni Peres<br />

Diretora de Fotografia:<br />

Lourdes A. Antunes de Oliveira<br />

Jornalista :<br />

Simone Galib (colabola<strong>do</strong>ra)<br />

Tiragem: 5.000 exemplares<br />

Distribuição gratuita e dirigida<br />

Publicação Bimestral<br />

Contato<br />

Revista <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong><br />

CNPJ: 12.530.626/0001-99<br />

Rua <strong>do</strong> Correa, 255<br />

Bairro: Jardim Santa Cruz<br />

Cep: 12080-290<br />

Taubaté -SP<br />

www.empresas<strong>do</strong>vale.com.br<br />

www.facebook.com/empresas.<strong>do</strong>vale<br />

e-mail: tvempresas<strong>do</strong>vale@gmail.com<br />

Dpto. Comercial<br />

(12) 99787-6329<br />

Editorial<br />

José Carlos Reis de Souza<br />

Diretor Responsável<br />

Caro leitor!<br />

Após a liberação das máscaras,<br />

o mun<strong>do</strong> começa a rever seus<br />

conceitos. Grande maioria da<br />

população que tem o hábito<br />

de viajar a trabalho ou a passeio<br />

começa a respirar melhor, pois a<br />

pós-pandemia da Covid-19 fez<br />

com que to<strong>do</strong>s repensassem<br />

suas vidas e seus hábitos. Boa<br />

parte está em busca de novas<br />

viagens, novos destinos, novas<br />

experiências, descobrin<strong>do</strong><br />

lentamente os prazeres locais e<br />

viver momentos inesquecíveis.<br />

Nesta edição, apresentamos os<br />

destinos: Teresina (PI) e Santiago<br />

(CL). Além das matérias: 17ª<br />

Edição da Alagev, 1º Encontro<br />

anual da ABIH-SP, Projeto Reflora<br />

Vida, entre outras.<br />

Parceria:<br />

Apoio:<br />

As fotos de divulgação foram cedidas pelas<br />

empresas e/ou pessoas mencionadas nos textos.<br />

Não é permitida a reprodução sem autorização<br />

expressa <strong>do</strong>s autores, por escrito. Os textos,<br />

informações e anúncios publicitários são de inteira<br />

e exclusiva responsabilidade <strong>do</strong>s autores e empresas<br />

anunciantes.<br />

03


TERESINA - PI<br />

HISTÓRIA, BELEZA E CULTURA<br />

Por: José Carlos Reis de Souza<br />

Mirante da Ponte Estaiada,Teresina (PI).<br />

Vamos conhecer Teresina (PI), a única capital nordestina que não é banhada pelo mar, e uma<br />

população estimada em 868.075 habitantes conforme estatísticas <strong>do</strong> IBGE. Cidade histórica,<br />

bonita, com parques, lagos, áreas verdes e <strong>do</strong>is importantes rios Parnaíba e Poti, que banham<br />

a capital e ajuda a formar a Bacia Hidrográfica rio Parnaíba. As primeiras povoações datam <strong>do</strong><br />

século XVII, com um agrupamento de bandeirantes capitanea<strong>do</strong>s por Domingos Jorge Velho,<br />

estabelecen<strong>do</strong> uma feitoria e um criatório de ga<strong>do</strong>. Também foi habitada por pesca<strong>do</strong>res e<br />

planta<strong>do</strong>res de fumo e mandioca. Está localizada na divisa <strong>do</strong>s Esta<strong>do</strong>s <strong>do</strong> Piauí e Maranhão.<br />

Outro detalhe importante é a culinária típica e o artesanato local produzi<strong>do</strong>s em madeira,<br />

cerâmica e barro.<br />

COMPLEXO TURÍSTICO PONTE ESTAIADA<br />

A Ponte Estaiada Mestre João Isi<strong>do</strong>ro França com<br />

seus 363 metros de extensão e 28 metros de largura<br />

foi projetada para a comemoração <strong>do</strong>s 150 anos de<br />

Teresina, mas só foi inaugurada em março de 2010,<br />

e o Mirante foi inaugura<strong>do</strong> em fevereiro de 2011, a<br />

principal atração com seus 95 metros de altura pode<br />

ser acessa<strong>do</strong> por <strong>do</strong>is eleva<strong>do</strong>res panorâmicos, ten<strong>do</strong><br />

uma visão privilegiada de 360º de toda a capital. Faz<br />

parte <strong>do</strong> “Complexo Turístico João Isi<strong>do</strong>ro França”,<br />

onde você pode fazer trilhas, andar de bicicleta ou<br />

curtir o visual <strong>do</strong> rio e da vegetação <strong>do</strong> entorno,<br />

além de poder comprar artesanato e lembrancinhas<br />

vendidas nas barracas que se encontram no local.<br />

Endereço: Av. Raul Lopes, s/nº<br />

Aberto: terça a sexta-feira, das 09:00h às 18:00h /<br />

sába<strong>do</strong>, <strong>do</strong>mingo e feria<strong>do</strong>s, das 09:00h às 19:00h<br />

04


Palácio Karnak (PI).<br />

PALÁCIO DE KARNAK<br />

É sede oficial <strong>do</strong> Governo <strong>do</strong> Piauí. Com sua fachada principal branca e arquitetura em estilo neoclássico<br />

inspirada em templos gregos. Na década de 1970 recebeu jardins de arquitetura contemporânea projeta<strong>do</strong>s pelo<br />

paisagista Burle Marx. O interior <strong>do</strong> palácio é decora<strong>do</strong> com móveis de carvalho e jacarandá, poltronas estilo<br />

Luís XVI presente no gabinete <strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r, quadros da pintora piauiense Naza e Alfre<strong>do</strong> Volpi, lustre de cristal<br />

importa<strong>do</strong>, peças sacras de casarios coloniais <strong>do</strong> século XVI, e muito mármore que reveste o piso de to<strong>do</strong> o<br />

palácio.<br />

Endereço: Av. Antonino Freire, 1450<br />

Sala <strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r.<br />

Mesa <strong>do</strong> Palácio Karnak.


TROCA-TROCA<br />

Troca-Troca.<br />

Produtos usa<strong>do</strong>s expostos à venda.<br />

O Troca-Troca existe há 30 anos. Trata-se de uma feira<br />

tradicional de venda e troca de merca<strong>do</strong>ria existente<br />

desde o século XX, situa<strong>do</strong> às margens <strong>do</strong> rio Parnaíba,<br />

aonde as negociações aconteciam sob o sombreamento<br />

de uma figueira. Entre os anos de 1986 e 1987, o Governo<br />

Municipal construiu uma cobertura em abóbada de<br />

cerâmica armada projeta<strong>do</strong> Júlio Medeiros e Goretti<br />

Mendes. O conjunto é composto por oito abóbadas,<br />

estruturada em pilares distancia<strong>do</strong>s em seis metros<br />

entre si. Influência <strong>do</strong> engenheiro e arquiteto uruguaio<br />

Eladio Dieste, que desenvolveu o sistema construtivo da<br />

cerâmica armada. A edificação é um símbolo da paisagem<br />

urbana de Teresina, tem uma composição marcada pela<br />

leveza, transparência, pureza e pelo uso de materiais<br />

regionais. Alguns conhecem por feira ou mercadão. É<br />

um <strong>do</strong>s pontos mais antigos da cidade, e faz parte <strong>do</strong><br />

centro histórico e roteiro turístico. Surgiu da iniciativa de<br />

algumas pessoas que sentiram a necessidade de vender<br />

ou trocar produtos novos e usa<strong>do</strong>s, muitas vezes sem a<br />

contrapartida <strong>do</strong> dinheiro. No local existe 13 vende<strong>do</strong>res<br />

cadastra<strong>do</strong>s que possuem ponto fixo e contribuem com<br />

um valor simbólico para manutenção e pagamento<br />

<strong>do</strong>s funcionários que vigiam e limpam o local. Quem<br />

visita o Troca-Troca vai encontrar quase tu<strong>do</strong>: bicicletas,<br />

produtos eletroeletrônicos, botijão de gás, celulares,<br />

utensílios <strong>do</strong>mésticos e muitas quinquilharias.<br />

Endereço: Av. Maranhão - Centro (Sul) / Teresina (PI)<br />

Localiza<strong>do</strong> na zona norte da<br />

cidade, o Parque Ambiental Encontro<br />

<strong>do</strong>s Rios é uma área de preservação<br />

permanente, um <strong>do</strong>s pontos turísticos<br />

mais visita<strong>do</strong>s de Teresina, onde os<br />

rios Poti e Parnaíba se encontram.<br />

No local você tem uma estrutura<br />

com um Centro de Recepção ao<br />

Turista, <strong>do</strong>is mirantes, espaço para<br />

pequenas exposições, quiosques<br />

para comercialização de produtos<br />

artesanais, área para pesca, esporte<br />

aquático e restaurante flutuante, onde<br />

o visitante tem a oportunidade de<br />

saborear deliciosos peixes e outros<br />

pratos da culinária local. Além <strong>do</strong><br />

monumento à lenda “Cabeça de<br />

Cuia”, que representa umas das lendas<br />

folclóricas mais famosas de Teresina.<br />

PARQUE AMBIENTAL ENCONTRO DOS RIOS<br />

Endereço: Av. Raul Lopes, s/nº - Tel. (86)<br />

3232-0245 - e-mail: turismoteresina.<br />

com.br<br />

Aberto: segunda à sexta-feira, da<br />

09:00h às 16:00h / sába<strong>do</strong> e <strong>do</strong>mingo,<br />

das 09:00h às 19:00h<br />

Restaurante Flutuante - Parque Encontro <strong>do</strong>s Rios.<br />

06


Museu de Arte Sacra Dom Paulo Libório.<br />

Sala de visita.<br />

MUSEU MUNICIPAL DE ARTE SACRA DOM PAULO LIBÓRIO<br />

O Museu Municipal de Arte Sacra Dom Paulo Libório, inaugura<strong>do</strong> em 15/08/2011, conta com um acervo de<br />

aproximadamente duas mil peças <strong>do</strong>s séculos XVII a XX, dentre eles: imagens sacras, alfaias, oratórios, paramentos<br />

e mobiliários. Grande parte das peças expostas pertencia a Dom Paulo Libório, primeiro arcebispo da cidade.<br />

Alguns pertencentes da Arquidiocese da cidade e de <strong>do</strong>ações feitas por coleciona<strong>do</strong>res da comunidade. Além<br />

de <strong>do</strong>is mil livros disponíveis na biblioteca.<br />

Endereço: Rua Olavo Bilac, 1481 - Centro<br />

Aberto: segunda a sexta-feira, das 09:00h às 17:00h / sába<strong>do</strong>, das 09:00h às 12:00h<br />

Espaço <strong>do</strong>s evangeliários.<br />

Sala Mãe <strong>do</strong> Amparo.<br />

THEATRO 4 DE SETEMBRO<br />

A ideia da construção <strong>do</strong> teatro partiu de um<br />

grupo de senhoras e da primeira-dama <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>,<br />

que ansiavam por uma casa de espetáculos<br />

confortável e moderna para a nova capital. O<br />

projeto foi executa<strong>do</strong> pelo engenheiro civil Alfre<strong>do</strong><br />

Modrak, e a colocação da pedra fundamental no<br />

dia 21/09/1888. Com a Proclamação da República<br />

<strong>do</strong> Brasil, as obras não tiveram continuidade em<br />

virtude <strong>do</strong>s acontecimentos políticos <strong>do</strong> país. No<br />

dia 04/09/1889, o então presidente da Província <strong>do</strong><br />

Piauí, Theophilo <strong>do</strong>s Santos deu início à obra. No<br />

dia 21/04/1894 foi inaugura<strong>do</strong> o teatro com uma<br />

solenidade e visitação pública, apesar de ainda não<br />

possuir cenários, camarins, mobiliário e decoração.<br />

Em 1952, passou por reforma, sen<strong>do</strong> prepara<strong>do</strong> para<br />

sediar as comemorações <strong>do</strong> primeiro Centenário.<br />

Endereço: Praça Pedro II, 14 - Centro (Sul) / Teresina<br />

(PI)<br />

Fachada <strong>do</strong> Theatro 4 de setembro.


MUSEU DO PIAUÍ - CASA<br />

ODILON NUNES<br />

Galeria de arte.<br />

Retrato oficial de Dom Pedro II em 1875.<br />

A construção data de 1859, com característica<br />

neoclássica, pela beleza da disposição das<br />

aberturas bem marcada por pilastras em arco<br />

plenas, emolduradas por cunhais em massa<br />

muito utilizada nas construções mais antigas. Está<br />

ligada diretamente com a história da fundação<br />

de Teresina (PI), sen<strong>do</strong> esta uma das primeiras<br />

residências da província, uma vez que as casas<br />

<strong>do</strong>s fazendeiros eram construídas no entorno<br />

da Igreja Nossa Senhora <strong>do</strong> Amparo. No ano de<br />

1873, o local passou a ser sede <strong>do</strong> governo na<br />

província. De 1926 a 1975, funcionou o Tribunal<br />

de Justiça <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>. Na década de 1980, o prédio<br />

foi restaura<strong>do</strong> e passou a funcionar o Museu<br />

<strong>do</strong> Piauí (Casa Odilon Nunes), um espaço de<br />

referência na preservação da história <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>.<br />

O Museu possui um acervo eclético com perfil<br />

histórico constituí<strong>do</strong> em torno de sete mil peças,<br />

sen<strong>do</strong> objetos de caráter pré-histórico, louças<br />

da Companhia das Índias, porcelanas chinesas e<br />

inglesas, mobiliários, quadros <strong>do</strong> século XIX, obras<br />

de arte contemporâneas de artistas piauienses,<br />

cédulas moedas, medalhas, indumentárias da<br />

guarda nacional, macha<strong>do</strong>s primitivos, urna<br />

funerária, arcos, flechas, artesanato piauiense,<br />

entre outras relacionadas à história <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>. Os<br />

caminhos percorri<strong>do</strong>s dentro <strong>do</strong> Museu <strong>do</strong> Piauí<br />

levam os visitantes aos mais diferentes perío<strong>do</strong>s<br />

históricos da sociedade piauiense, através das 12<br />

salas de exposição permanente: Terra Molhada;<br />

Homem Homem; Colônia; Império; República<br />

Velha; República Nova; Arte Sacra; Arte Popular;<br />

Rádio; Heráldica; Numismática; Pinacoteca; Pátio<br />

com cenário de fazendas e com ático da Câmara<br />

Municipal de Parnaíba com Brasão <strong>do</strong> Império <strong>do</strong><br />

Brasil em frontaria pórtico. Além de uma galeria<br />

de arte composta por 04 salas, que abrigam<br />

exposições de curta e média duração.<br />

Endereço: R. Areolino de Abreu, 900 - Centro<br />

(Sul) /Teresina (PI)<br />

08<br />

Sala império.<br />

Fardas militares.


CASA DE CULTURA DE<br />

TERESINA<br />

A casa eclética piauiense da segunda metade<br />

<strong>do</strong> século XIX construída em 1870 serviu de<br />

residência para João <strong>do</strong> Rego Monteiro (Barão<br />

de Gurgueia) e sua família. Após a morte <strong>do</strong><br />

barão o prédio foi vendi<strong>do</strong> pelos seus herdeiros<br />

para a Diocese de Teresina e transforma<strong>do</strong> em<br />

residência episcopal. No perío<strong>do</strong> de 1906 a 1911<br />

funcionou como seminário. As obras de instalação<br />

da Casa da Cultura iniciaram em 1993, através de<br />

acor<strong>do</strong> firma<strong>do</strong> entre a Prefeitura de Teresina e<br />

o Governo <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Piauí. Depois de meses<br />

de reparo e restauração, a Casa foi entregue em<br />

agosto de 1994 sob a gestão <strong>do</strong> prefeito Wall Ferraz<br />

e <strong>do</strong> governa<strong>do</strong>r Guilherme Melo. Desde então,<br />

Casa da Cultura de<br />

Teresina (foi residência<br />

<strong>do</strong> Barão de Gurgueia).<br />

abriga duas bibliotecas com acervo de 6.827 livros e 1.918 periódicos, em<br />

homenagens ao jornalista Carlos Castello Branco e ao prefeito Raimun<strong>do</strong><br />

Wall Ferraz, museu, sala de vídeo, sala de artes plásticas, e o Memorial<br />

Raimun<strong>do</strong> Wall Ferraz, com fotos e objetos pessoais. O local também<br />

possui em seu acervo uma coleção <strong>do</strong> fotógrafo piauiense José Medeiros.<br />

Após sofrer várias alterações em sua estrutura, foi tombada em 1986 pelo<br />

Departamento <strong>do</strong> Patrimônio Histórico, Artístico e Natural <strong>do</strong> Piauí. O turista<br />

Pinturas.<br />

durante visitação ao casarão tem a oportunidade de apreciar os detalhes da fachada, de cada viga, corre<strong>do</strong>res e salas ocupadas<br />

pela arte, um pouco da história da cidade.<br />

Endereço: Rua Eliseu Martins, 1426 - Centro (Sul), Teresina (PI).<br />

MUSEU DE ARQUEOLOGIA E PALEONTOLOGIA<br />

Museu de Arqueologia e Paleontologia. Peças arqueológicas. Exposição de um esqueleto.<br />

Funda<strong>do</strong> em 2012 com objetivo de apoiar pesquisas desenvolvidas em Arqueologia e<br />

Paleontologia. Recebe materiais vin<strong>do</strong>s de to<strong>do</strong> o Esta<strong>do</strong> <strong>do</strong> Piauí, como fósseis, cerâmicas,<br />

artefatos líticos e até esqueletos humanos.<br />

O Piauí é conheci<strong>do</strong> por seus sítios arqueológicos e paleontológicos, como os da Serra da Capivara e Sete<br />

Cidades. Você pode conhecer mais sobre objetos de interesse arqueológico e paleontológico provenientes<br />

de todas as partes <strong>do</strong> Piauí, como fósseis, cerâmicas, artefatos líticos e até esqueletos humanos, no Museu de<br />

Arqueologia e Paleontologia (MAP/UFPI), funda<strong>do</strong> em 2012 com objetivo de apoiar pesquisas desenvolvidas em<br />

Arqueologia e Paleontologia, tem a missão de cuidar e preservar to<strong>do</strong> esse rico acervo para as futuras gerações. O<br />

acervo <strong>do</strong> MAP possui cerca de 30 mil peças e, aproximadamente, três mil fósseis provenientes de diversas regiões<br />

<strong>do</strong> Piauí, que ficam resguarda<strong>do</strong>s na reserva técnica <strong>do</strong> museu, em armários especializa<strong>do</strong>s, qual o público não<br />

possui livre acesso. Já nas áreas de exibição, o MAP apresenta ao público em torno de 40 peças arqueológicas,<br />

entre cerâmicas, líticos e um esqueleto humano.<br />

Endereço: Centro de Ciências da Natureza (CCN 2) - Campus de Teresina<br />

Aberto a visitação: de terça a sexta feira, das 08:00h às 20:00h / sába<strong>do</strong>s, das 09:00h às 13:00h


MEMORIAL ESPERANÇA<br />

GARCIA<br />

Em 2007, através de um projeto de lei, o local<br />

se tornou o “Memorial Zumbi <strong>do</strong>s Palmares”. Em<br />

2017, passou a se chamar “Memorial Esperança<br />

Garcia”, nome de uma escrava que no século<br />

XVIII, escreveu uma carta denuncian<strong>do</strong> os<br />

maus-tratos, e veio depois se tornar a primeira<br />

advogada <strong>do</strong> Piauí. O memorial além de<br />

promover a cultura, passa a ser um importante<br />

espaço de oficinas de dança, estética, música,<br />

culinária, cinema e realização de apresentações<br />

culturais. Além de uma sala de inclusão digital<br />

com dez computa<strong>do</strong>res novos. As salas também<br />

podem ser reservadas para reuniões. Além disso,<br />

são realiza<strong>do</strong>s diversos eventos como o “Café<br />

com Conversa” e “Poesia Negra”, que acontecem<br />

uma vez ao mês. Os muros foram grafita<strong>do</strong>s<br />

dentro e fora <strong>do</strong> espaço, com frases e fotos de<br />

grandes personalidades, como Nelson Mandela,<br />

Malcon X, Martin Luther King, Francisca Trindade,<br />

Julião Romão, entre outros. Ganhou também<br />

acessibilidade com rampas na entrada principal<br />

e no palco.<br />

Endereço: Av. Miguel Rosa, 3400 - Centro (Sul),<br />

Teresina (PI).<br />

Frontispício <strong>do</strong> Memorial Esperança Garcia.<br />

Pintura com a escrita da carta original de Esperança Garcia.<br />

Peças expostas no Memorial Esperança Garcia.<br />

Muro grafita<strong>do</strong> com personalidades negras.<br />

10<br />

Muro grafita<strong>do</strong> com personalidades negras.


IGREJA SÃO BENEDITO<br />

Igreja São Benedito.<br />

A pedra fundamenta da Igreja de São Benedito ocorreu<br />

no dia 13/06/1874, e sua edificação levou 12 anos para<br />

ser concluída, sen<strong>do</strong> a sua sagração no dia 03/06/1886. A<br />

Igreja São Benedito é uma suntuosa edificação em estilo<br />

toscano como igrejas italianas. Construída em alvenaria,<br />

telha<strong>do</strong> de cana industrial cerâmico, forro abobada<strong>do</strong>,<br />

vergas em arco pleno e piso externo em lajota cerâmica.<br />

Com torres piramidais que se elevam a mais de 40<br />

metros de altura, seguin<strong>do</strong> rigorosamente o modelo da<br />

basílica, com planta cruciforme, e tem inspiração com<br />

fachada trabalhada voltada para o Oeste, planta em cruz<br />

latina e abside posterior ao altar-mor, com zimbório e<br />

majestosa escadaria de pedra que leva a seu adro. Seu<br />

portal é arquea<strong>do</strong>. Uma estátua em tamanho natural<br />

<strong>do</strong> santo padroeiro encontra-se em seu frontispício,<br />

entre as torres sineiras de zinco dadas pelo Papa Pio XII.<br />

Suas portas são feitas de jacarandá e cedro, trabalhadas<br />

em motivos florais, são obras de Sebastião Mendes, e<br />

foram tombadas pelo Instituto <strong>do</strong> Patrimônio Histórico<br />

e Artístico Nacional (IPHAN).<br />

Endereço: Avenida Frei Serafim 1626 - Praça da<br />

Liberdade, Teresina (PI).<br />

Visão interna da Igreja São Benedito.<br />

Visão interna da Igreja São Benedito.<br />

MERCADO CENTRAL SÃO JOSÉ (MERCADO VELHO)<br />

O Merca<strong>do</strong> Central São José, mais conheci<strong>do</strong> como Merca<strong>do</strong> Velho é o mais antigo centro comercial da cidade de<br />

Teresina, que nasceu durante a transferência da antiga capital Oeiras. Funcionan<strong>do</strong> desde 1885, faz parte da história.<br />

O local é um <strong>do</strong>s principais centros comerciais e culturais de Teresina, que abriga centenas de comerciantes de<br />

diversos seguimentos. Está localiza<strong>do</strong> às margens <strong>do</strong> rio Parnaíba e na divisa com a cidade de Timon, no Maranhão.<br />

É um <strong>do</strong>s cartões postais da cidade e visita<strong>do</strong> por turistas e mora<strong>do</strong>res. O merca<strong>do</strong> vende praticamente tu<strong>do</strong> que<br />

você precisa, como: artesanatos (madeira, barro, couro e fibras naturais), roupas, souvenires, alumínios, raízes (usadas<br />

para fazer medicamentos naturais), frutas, verduras, grãos, cereais, carnes, peixes, entre outros. O merca<strong>do</strong> iniciou as<br />

obras de restauro estrutural e arquitetônico das instalações em 2014, respeitan<strong>do</strong> as características da arquitetura<br />

original da edificação. Porém! Devi<strong>do</strong> a problemas com repasses, a primeira etapa da reforma obra foi finalizada em<br />

dezembro/2017.<br />

Fachada <strong>do</strong> Merca<strong>do</strong> Central São José. Setor de artesanatos de madeira. Setor de artesanatos de palhas.


Historicamente o artesanato <strong>do</strong> Piauí, é um <strong>do</strong>s mais ricos e varia<strong>do</strong>s <strong>do</strong> país em função<br />

da criatividade e talento <strong>do</strong>s artesãos piauiense, sobretu<strong>do</strong> é uma alternativa de renda<br />

para centenas de famílias envolvidas na produção de artigos feitos em madeira, palha de<br />

carnaúba, opala, argila, couro, entre outras matérias-primas típicas <strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>. Dentre os<br />

224 municípios, 180 têm o trabalho volta<strong>do</strong> à produção de peças artesanais.<br />

POLO CERÂMICO DO<br />

POTY VELHO<br />

O bairro Poty Velho está<br />

aproximadamente em<br />

torno de 10 km de Teresina,<br />

onde está o Polo Cerâmico<br />

Artesanal <strong>do</strong> Poty Velho. O<br />

local tem uma bela história.<br />

Após mais de duas décadas carregan<strong>do</strong><br />

tijolos na cabeça debaixo <strong>do</strong> Sol escaldante<br />

de Teresina, <strong>do</strong>na Raimunda Teixeira, saiu<br />

da olaria que era a sua geração de renda,<br />

e passou a vender lanche para pessoas<br />

que trabalhavam retiran<strong>do</strong> argila de uma<br />

lagoa, possibilitan<strong>do</strong> boas vendas para<br />

o sustento da família. Nesse perío<strong>do</strong>,<br />

uma senhora que pintava desenhos em<br />

cerâmica ofereceu a ela a oportunidade<br />

de ensinar a técnica de pintar. Em<br />

2003, <strong>do</strong>na Raimunda e um grupo de<br />

mulheres resolveu moldar a própria vida,<br />

transforman<strong>do</strong> o barro em superação<br />

de vida, crian<strong>do</strong> a “COOPERART”, para<br />

ampliar a produção e agregar valor<br />

comercial aos produtos. O que antes era<br />

apenas fabricação de tijolos, telhas, potes<br />

e filtros para água artesanais, atualmente<br />

oferece uma variedade de modelos de<br />

vasos decorativos, esculturas e peças<br />

com design exclusivo e acabamento<br />

esmera<strong>do</strong>. No local é possível<br />

acompanhar o processo de confecção de<br />

peças, desde a modelagem da argila em<br />

tornos movi<strong>do</strong>s pelos pés produzin<strong>do</strong><br />

uma verdadeira arte, até a queima e<br />

decoração. Essas mudanças devem-se<br />

principalmente ao trabalho das mulheres<br />

<strong>do</strong> barro, que fizeram desta empreitada<br />

meio de sustento da família.<br />

Endereço: R. Des. Flávio Furta<strong>do</strong>, S/N -<br />

Poti Velho, Teresina (PI)<br />

Polo Cerâmico Artesanal <strong>do</strong> Poty Velho.<br />

Raimunda Teixeira, uma das funda<strong>do</strong>ra da Cooperart.<br />

12<br />

Peças de cerâmica.


Fachada da Central de Artesanato Mestre Dezinho..<br />

CENTRAL DE ARTESANATO MESTRE DEZINHO<br />

A Central de Artesanato Mestre Dezinho é um espaço dedica<strong>do</strong> a produção de peças artesanais e<br />

comercialização de artes. O nome é uma homenagem a um <strong>do</strong>s mais importantes artesãos <strong>do</strong> Piauí, José<br />

Alves de Oliveira (Mestre Dezinho), grande expoente da Arte Santeira <strong>do</strong> Piauí, faleci<strong>do</strong> no ano de 2000. O<br />

local é uma parada obrigatória para to<strong>do</strong>s os turistas que visitam e procuram artesanatos produzi<strong>do</strong>s em<br />

fibra, couro, madeira, cerâmica, renda, borda<strong>do</strong>, tecelagem e tapeçaria. O prédio abriga o moderno Auditório<br />

Mestre Expedito; Escolas de Música e Balé; lojas para comercialização de produtos artesanais; pátio interno<br />

para estacionamento; palco para shows artísticos e culturais; restaurante de comidas típicas; Espaço Buriti<br />

(oficina aberta); Árvore Megafauna (homenagem ao homem pré-histórico), <strong>do</strong> artista plástico piauiense Carlos<br />

Martins, faleci<strong>do</strong> em 2013; monumento em homenagem ao vaqueiro piauiense; Jardim da História com 18<br />

esculturas de personalidades piauienses; a Escada das lendas, com lendas <strong>do</strong> folclore piauiense; monumento<br />

da imagem de Nossa Senhora da Vitória, Padroeira <strong>do</strong> Piauí; e 45 painéis retratan<strong>do</strong> momentos importantes<br />

da história <strong>do</strong> Piauí, desde o inicio de sua colonização até a atualidade.<br />

Endereço: Praça Pedro II - Centro (Sul) - Centro / Teresina (PI).<br />

MERCADO DA PIÇARRA<br />

Praça de Alimentação.<br />

Considera<strong>do</strong> como um <strong>do</strong>s mais típicos e atraentes centros<br />

gastronômicos de Teresina, a praça de alimentação é o ponto mais<br />

disputa<strong>do</strong> <strong>do</strong> merca<strong>do</strong> pelos teresinenses, turistas e pessoas que<br />

a<strong>do</strong>taram a cidade e desfrutam da gastronomia tradicional <strong>do</strong><br />

Esta<strong>do</strong>.<br />

O Merca<strong>do</strong> da Piçarra localiza<strong>do</strong> na Zona Sul<br />

da capital, é patrimônio histórico e cultural de<br />

Teresina. Como um merca<strong>do</strong> comum, possui<br />

setor de venda de carnes, aves, peixes, frutas,<br />

verduras, mercearias, entre outros. Considera<strong>do</strong><br />

como um <strong>do</strong>s mais típicos e atraentes centros<br />

gastronômicos de Teresina, a praça de alimentação<br />

é o ponto mais disputa<strong>do</strong> <strong>do</strong> merca<strong>do</strong> pelos<br />

teresinenses, turistas e pessoas que a<strong>do</strong>taram a<br />

cidade e desfrutam da gastronomia tradicional<br />

<strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>, como: Panelada, sarapatel, carneiro ao<br />

molho, galinha caipira e cuscuz acompanha<strong>do</strong><br />

de carne de Sol. No café da manhã o cardápio é<br />

forma<strong>do</strong> por comidas como: cuscuz, guisa<strong>do</strong> de<br />

bode, macaxeira, cal<strong>do</strong>s, entre outros.<br />

Aberto to<strong>do</strong>s os dias, inclusive feria<strong>do</strong>s, das<br />

04:00h às 15:00h / finais de semana, das 03:00h<br />

às 15:00h<br />

Endereço: Av. Higino Cunha, 610 - Ilhotas /<br />

Teresina (PI).


GASTRONOMIA<br />

O Piauí apresenta uma gastronomia diversificada, diferin<strong>do</strong> das outras culinárias<br />

típicas da Região Nordeste em muitos aspectos. A larga utilização <strong>do</strong>s temperos frescos,<br />

como a cebolinha e a pimenta-de-cheiro, tornam a cozinha piauiense única. Outro<br />

diferencial na sua culinária é a utilização constante da farinha de mandioca, tanto a<br />

farinha branca como farinha d’água. Apesar de a comida sertaneja ser à base de carne,<br />

e estar presente na cozinha piauiense, a região também dispõem de excelentes pratos<br />

à base de peixes e frutos <strong>do</strong> mar que satisfazem os mais exigentes paladares, como as<br />

caldeiras de camarão. Suas receitas envolvem tanto peixes de água <strong>do</strong>ce como peixes de<br />

água salgada.Os pratos típicos como: sarapatel, galinha caipira, carneiro ao molho e<br />

cuscuz acompanha<strong>do</strong> de carne de Sol faz parte da analogia gastronômica de Teresina.<br />

ARROZ MARIA ISABEL<br />

O Arroz Maria Isabel é um <strong>do</strong>s pratos mais<br />

conheci<strong>do</strong>s da gastronomia piauiense, que surgiu<br />

entre as famílias pobres e numerosas <strong>do</strong> interior<br />

<strong>do</strong> Esta<strong>do</strong>. O prato começou a ser prepara<strong>do</strong> para<br />

que as mulheres se alimentassem de carne, pois,<br />

na época só os homens a consumiam. Foi então!<br />

Que uma mãe decidiu pegar um pedaço de carne<br />

<strong>do</strong> alforje <strong>do</strong> mari<strong>do</strong> que ia trabalhar, e partiu em<br />

cubinhos, cozinhou com arroz para servir a toda a<br />

família e decidiu dar o nome das duas filhas ao prato:<br />

Maria e Isabel. A partir disso, ficou muito conhecida<br />

e amada por to<strong>do</strong>s, e não tem uma pessoa se quer<br />

que recuse, pois ela é deliciosa e especial.<br />

INGREDIENTES<br />

200gr de carne de Sol picada em cubinhos;<br />

1 copo de arroz (comum); 2 copos de água; 2<br />

pimentas de cheiro; 1/2 cebola picada; 1 dente de<br />

alho amassa<strong>do</strong>; Sal (se necessário, pois a carne já tem<br />

sal); Colorau (corante de urucum muito usa<strong>do</strong> na<br />

culinária Nordestina, especialmente no Piauí); 1 fio<br />

de óleo vegetal (soja, canola ou milho.) e Cebolinha<br />

ou coentro para finalizar.<br />

CARNE DE SOL<br />

O Piauí é considera<strong>do</strong> o lugar com a melhor Carne<br />

de sol, já foi destaque na imprensa nacional, como na<br />

revista Veja. A Carne de sol é muito confundida com<br />

a Carne-seca. Porém! É a carne bovina preparada<br />

com sal e depois exposta ao sol para secar. Ela não<br />

leva tanto sal como a Carne-seca, é “seca<strong>do</strong> em local<br />

coberto e ventila<strong>do</strong>, produzin<strong>do</strong> um processo de<br />

secagem mais rápida, permitin<strong>do</strong> que o interior da<br />

carne fique úmi<strong>do</strong> e macio.<br />

PAÇOCA<br />

14<br />

A paçoca é feita de farinha, carne de sol pisada no<br />

pilão, coentro e pedaços de banana. É um <strong>do</strong>s pratos<br />

mais requisita<strong>do</strong>s na mesa <strong>do</strong>s piauienses. Não tem<br />

nada a ver com <strong>do</strong>ce.


CARNE DE BODE COZIDO<br />

Na culinária piauiense, a carne de bode é servida<br />

assada, mas principalmente cozida, cujo preparo é<br />

com leite de coco. E tem até festa para homenagear<br />

esse animal, como no município de Batalha, que tem<br />

a festa <strong>do</strong> Bode.<br />

PANELADA<br />

A panelada tem a cara de boteco, é um prato<br />

prepara<strong>do</strong> com as partes <strong>do</strong> intestino <strong>do</strong> boi e<br />

cozinhada com bastante tempero. Além disso, é<br />

preparada com um cal<strong>do</strong> e servida com arroz para<br />

dar sustança para quem come. É um prato aprecia<strong>do</strong><br />

com farinha e pimenta.<br />

DOCE DE CAJU<br />

O Piauí é um <strong>do</strong>s maiores produtores de caju<br />

<strong>do</strong> Brasil, sen<strong>do</strong> assim, essa fruta faz parte da<br />

gastronomia. Uma sobremesa preparada com caju,<br />

açúcar, água e suco de limão.<br />

SARAPATEL<br />

O sarapatel é prepara<strong>do</strong> com rim de porco<br />

cozinha<strong>do</strong> com bastante tempero. Assim como<br />

a panelada, farinha e pimenta para acompanhar<br />

deixam esse prato bem irresistível.<br />

O folclore <strong>do</strong> Piauí reúne diversas lendas e tradições típicas desta região <strong>do</strong> Brasil.<br />

Os costumes folclóricos são passa<strong>do</strong>s de geração para geração, e envolvem mitos,<br />

festas populares, danças, músicas e poesias. Além <strong>do</strong>s folgue<strong>do</strong>s, cordéis e causos.<br />

A sua manifestação se dá espontaneamente através <strong>do</strong> linguajar corriqueiro descompromissa<strong>do</strong> com<br />

as regras gramaticais e da linguagem popular carregada de arcaísmo e de neologismo, de vocabulários<br />

típicos e de expressões peculiares. Aflora naturalmente através da língua na boca <strong>do</strong> povo: através da<br />

literatura oral, das lendas, das simpatias, <strong>do</strong>s causos, das histórias de trancoso, da música, <strong>do</strong> repente, <strong>do</strong><br />

cordel, das adivinhações, das loas, das lorotas, <strong>do</strong>s provérbios e broca<strong>do</strong>s, da música, da embolada, <strong>do</strong>s<br />

folgue<strong>do</strong>s, <strong>do</strong> sincretismo religioso, das crendices e superstições, <strong>do</strong>s mitos e das figuras populares, <strong>do</strong><br />

artesanato, da culinária, <strong>do</strong>s costumes e das tradições e de toda a sabe<strong>do</strong>ria popular. Entre as lendas que<br />

fazem parte <strong>do</strong> folclore da região, existem as estórias sobre a lenda <strong>do</strong> “Cabeça de Cuia” e o “Zabelê”, que<br />

falam sobre homens tradicionais <strong>do</strong> Piauí, como pesca<strong>do</strong>res e indígenas. Outra tradição folclórica famosa<br />

é o Bumba-Meu-Boi, um tipo de dança que surgiu entre os escravos e senhores. A quadrilha também é<br />

uma manifestação <strong>do</strong> folclore que acontece nas festas juninas. Os eventos representam a história <strong>do</strong> povo<br />

e fazem parte <strong>do</strong> patrimônio cultural da região.


LENDA DO CABEÇA DE CUIA<br />

A lenda <strong>do</strong> “Cabeça de Cuia” trata-se da estória de Crispim, um<br />

jovem pesca<strong>do</strong>r que morava nas margens <strong>do</strong> rio Parnaíba com a mãe e<br />

de família muito pobre. Conta à lenda que certo dia ele saiu para pescar<br />

e quan<strong>do</strong> retornou para o almoço, sua mãe havia prepara<strong>do</strong> como de<br />

costume, uma sopa rala, com ossos de boi, já que faltava carne na sua<br />

casa frequentemente. Nesse dia ele se revoltou, e no meio da discussão<br />

com sua mãe, atirou o osso da canela <strong>do</strong> boi contra ela, atingin<strong>do</strong>-a<br />

na cabeça e matan<strong>do</strong>-a. Antes de morrer sua mãe lhe amaldiçoou a<br />

ficar vagan<strong>do</strong> no rio e com a cabeça enorme no formato de uma cuia,<br />

que vagaria dia e noite, e só se libertaria da maldição após devorar sete<br />

virgens, de nome Maria. Com a maldição, Crispim enlouquecera, numa<br />

mistura de me<strong>do</strong> e ódio, e correu ao rio Parnaíba, onde se afogou.<br />

Historia<strong>do</strong>res estimam que a dança <strong>do</strong> bumba meu boi surgiu no século XVII, na região Nordeste.<br />

Nesse perío<strong>do</strong>, o boi tinha uma importância significativa, fosse pela simbologia, força, resistência ou<br />

por fatores econômicos, já que havia grandes cria<strong>do</strong>res de ga<strong>do</strong> e coloniza<strong>do</strong>res que faziam uso de mão<br />

de obra escravizada. O bumba meu boi é uma manifestação artística e popular <strong>do</strong> folclore brasileiro. É<br />

reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas<br />

para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), e como Patrimônio Cultural <strong>do</strong> Brasil, pelo Instituto <strong>do</strong><br />

Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Devi<strong>do</strong> à festa ter origem negra, o bumba meu boi já<br />

passou por perseguições das elites nordestinas e da polícia, sen<strong>do</strong>, inclusive, proibi<strong>do</strong> de 1861 a 1868.<br />

LENDA DO BUMBA MEU BOI<br />

A estória que envolve a dança <strong>do</strong> bumba meu boi está ligada à lenda de um casal escravizada. Catirina, esposa de<br />

Chico vaqueiro (capataz da fazenda), que estava grávida e começou a ter desejos por língua de boi. Seu mari<strong>do</strong>, para<br />

atender o desejo da esposa gestante, matou o boi mais bonito de seu senhor. Quan<strong>do</strong> o <strong>do</strong>no da fazenda notou a<br />

morte <strong>do</strong> animal, convocou curandeiros e pajés para ressuscitá-lo. O boi voltou à vida, e toda comunidade o celebrou<br />

com uma grande festa. Francisco e Catirina receberam o perdão <strong>do</strong> <strong>do</strong>no <strong>do</strong> boi.<br />

16<br />

Bumba meu boi.


QUADRILHA JUNINA<br />

Os festejos juninos no Piauí são rega<strong>do</strong>s de danças típicas, como<br />

as quadrinhas, que reúnem centenas de pessoas em compassos<br />

sincroniza<strong>do</strong>s e muito diverti<strong>do</strong>s.<br />

A Quadrilha junina com seus trajes típicos de chita,<br />

chapéus de palha e muita dança, também é uma<br />

manifestação <strong>do</strong> folclore <strong>do</strong> Piauí que acontece nas<br />

festas juninas. De acor<strong>do</strong> com historia<strong>do</strong>res, esta<br />

festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses,<br />

ainda durante o perío<strong>do</strong> colonial (época em que o Brasil<br />

foi coloniza<strong>do</strong> e governa<strong>do</strong> por Portugal). Nesta época,<br />

havia uma grande influência de elementos culturais<br />

portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França<br />

veio a dança marcada, característica típica das danças<br />

nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas<br />

quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio<br />

da China, região de onde teria surgi<strong>do</strong> a manipulação da<br />

pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica<br />

teria vin<strong>do</strong> à dança de fitas, muito comum em Portugal<br />

e na Espanha. To<strong>do</strong>s esses elementos culturais foram<br />

com o passar <strong>do</strong> tempo, misturan<strong>do</strong>-se aos aspectos<br />

culturais <strong>do</strong>s brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e<br />

imigrantes europeus) nas diversas regiões <strong>do</strong> país,<br />

toman<strong>do</strong> características particulares em cada uma delas.<br />

Como os festejos acontecem em junho, o ingrediente mais usa<strong>do</strong> nas<br />

receitas é o milho, uma vez que a época é marcada pela colheita <strong>do</strong><br />

grão.<br />

Os balões e bandeirinhas são responsáveis por dar o toque caipira<br />

à decoração. Geralmente sempre colori<strong>do</strong>s, esses apetrechos são<br />

vistos por toda parte.<br />

ONDE SABOREAR A TÍPICA CULINÁRIA REGIONAL DE TERESINA (PI)<br />

FLUTUANTE<br />

RESTAURANTE<br />

Restaurante Flutuante - Parque Encontro <strong>do</strong>s Rios .<br />

Um <strong>do</strong>s lugares mais procura<strong>do</strong>s<br />

para apreciar a culinária local é o<br />

“Flutuante Restaurante”, localiza<strong>do</strong><br />

no Parque Encontro <strong>do</strong>s Rios, no<br />

bairro Poti Velho em Teresina (PI).<br />

Uma passarela dá acesso até o<br />

barco flutuante. A especialidade<br />

da casa é a piabinha frita ou a<br />

peixada. Além de saborear uma<br />

boa refeição, tem a oportunidade<br />

de curtir o pôr <strong>do</strong> Sol tocan<strong>do</strong> a<br />

água <strong>do</strong>s rios Poti e Parnaíba.<br />

Endereço: Avenida Boa<br />

Esperança, s/n, São Joaquim,<br />

Teresina (PI)


RESTAURANTE SÃO JOÃO<br />

Quer comer a melhor carne de sol em Teresina?<br />

Esse é o lugar! Comer aqui é não esquecer jamais<br />

de tão bom que é. A comida é basicamente simples,<br />

mas de um sabor inesquecível. Peça carne de sol,<br />

baião de <strong>do</strong>is, macaxeira cozida e paçoca e saiba a<br />

tipicidade de nossa comida. Vai se sentir quase um<br />

piauiense ao degustar essa nossa dica. E ainda vai<br />

querer levar para casa. O São João tem três unidades<br />

em Teresina: uma na rua João Cabral, 2340, bairro<br />

Pirajá; outro na avenida Nossa Senhora de Fátima,<br />

2616, bairro Jóquei; e na avenida Centenário, 1189,<br />

bairro Aeroporto.<br />

RESTAURANTE ATELIÊ<br />

DO CHEF<br />

Aqui é para to<strong>do</strong>s os gostos. Têm pizza,<br />

hambúrguer, sobremesas e refeições que são de<br />

repetir a <strong>do</strong>se. Uma boa pedida no Ateliê <strong>do</strong> Chef é a<br />

carne de sol de filé mignon, que é grelhada no azeite<br />

de coco e ainda vem acompanhada com baião de<br />

<strong>do</strong>is cremoso, macaxeira cozida na manteiga da<br />

terra, farofa e molho especial.<br />

Endereço: Avenida Dom Severino, 1631 / Jóquei.<br />

O site é http://www.atelie<strong>do</strong>chef.com.br.<br />

Restaurante Camarão <strong>do</strong> Elias.<br />

Elias e Sayô Holanda, a filha que hoje administra o restaurante.<br />

RESTAURANTE CAMARÃO DO ELIAS<br />

O restaurante funciona desde 1980, um lugar em que várias celebridades passaram quan<strong>do</strong> estiveram na capital<br />

piauiense. O ambiente é meio poético e de guardar na memória, o que se comprova tanto na decoração, quanto no<br />

atendimento, nas atrações musicais e nas comidas. A especialidade <strong>do</strong> local é pesca<strong>do</strong>s. A refeição principal pode<br />

ser uma Moqueca à moda Elias, Lagosta ao Catupiry ou Tilápia à Moda <strong>do</strong> Faustino. Mas se quiser carne, tem o Filé à<br />

Mariazinha, Filé Nepomuceno ou Filé Pedro Almeida<br />

18<br />

HISTÓRIA<br />

Elias Araújo da Costa (Elias <strong>do</strong> Camarão), nasci<strong>do</strong> em Ilha Grande de Santa Isabel, litoral <strong>do</strong> Piauí, no dia 24/11/1938 é<br />

um verdadeiro patrimônio gastronômico <strong>do</strong> Piauí. Iniciou a carreira gastronômica como cozinheiro <strong>do</strong> hotel <strong>do</strong> seu pai,<br />

em Parnaíba. Fortemente liga<strong>do</strong> ao mar, viu nos peixes, frutos <strong>do</strong> mar e mariscos a chance de galgar um futuro próspero.<br />

Mas o camarão sempre teve um lugar especial em sua cozinha. O crustáceo, considera<strong>do</strong> um produto sofistica<strong>do</strong>, farto<br />

nos mares e rios <strong>do</strong> Brasil, sempre teve tratamento de classe nas mãos <strong>do</strong> seu Elias. E foi assim que ele tornou este nome<br />

inesquecível para o imaginário afetivo e paladar sensorial <strong>do</strong>s piauienses. No interior <strong>do</strong> restaurante, um mural repleto<br />

de registros, fotos de artistas, músicos, empresários, políticos, turistas, clientes cativos ou visitantes de primeira viagem.<br />

Atualmente o mural <strong>do</strong> seu Elias acontece em tempo real no Instagram segui<strong>do</strong> e curti<strong>do</strong> por milhares de pessoas.<br />

Aposenta<strong>do</strong>, seu Elias passou seus conhecimentos e o lega<strong>do</strong> à sua filha Sayô Holanda.<br />

Endereço: Rua Pedro Almeida, 457 - bairro São Cristóvão / Teresina (PI)<br />

Funciona: de terça-feira a sába<strong>do</strong>, das 17:30h às 00:00h / <strong>do</strong>mingo: das 11:00h às 15:30h. Contato: (86) 3232-5025.


EMBARQUE VIAGENS<br />

O grupo in<strong>do</strong> de bote para a praia e tomar banho de mar.<br />

A empresa Embarque Viagens e Turismo, e <strong>Empresas</strong> <strong>do</strong> <strong>Vale</strong> - Negócios & Turismo, acompanharam<br />

um grupo de turistas à cidade Arraial <strong>do</strong> Cabo (RJ) e conheceram os pontos turísticos mais visita<strong>do</strong>s,<br />

assessora<strong>do</strong>s pela guia de turismo, Pâmela Amorim, sócia da empresa Usk’as Tour, que carinhosamente<br />

descreveu a história da cidade Arraial <strong>do</strong> Cabo. O ponto alto da viagem foi o passeio no barco Liberdade<br />

Tour, visitan<strong>do</strong> a Gruta Azul, Fenda Nossa Senhora da Assunção, Buraco <strong>do</strong> Meteorito, Praia Ilha <strong>do</strong><br />

Farol, Praia <strong>do</strong> Forno e Prainhas <strong>do</strong> Pontal <strong>do</strong> Atalaia. Durante nossa permanência em Arraial <strong>do</strong> Cabo,<br />

conhecemos a gastronomia <strong>do</strong> Restaurante Água na Boca. No retorno, o grupo parou no Restaurante &<br />

Pousada Dominante, onde to<strong>do</strong>s foram recepciona<strong>do</strong>s pelo empresário Luíz Carlos e Douglas, gerente<br />

<strong>do</strong> restaurante.<br />

Animação na embarcação Liberdade Tour.<br />

A trás - Rejane e Maria Helena. Na frente -<br />

Ivone, Ivete e Marleni.<br />

Marleni, Rejane, Maria Helena, Ivete, Ivone e<br />

Maria Helena.<br />

José Carlos e Pâmela. Guia de turismo e sócia<br />

da empresa Uska’s Tour.<br />

Marleni, Rejane, Maria Helena, Ivete, Ivone e<br />

Maria Helena.<br />

Ivone posa com um peixe agulha.


LACTE 17 (LATIN AMERICA COMMUNITY TRAVEL AND<br />

EVENTS)<br />

A 17ª edição da Alagev aconteceu nas dependências <strong>do</strong> TWC Events Center<br />

em São Paulo e contou com 699 participantes (híbri<strong>do</strong>) presenciais e mais de<br />

400 online, onde gestores de viagens, de eventos, fornece<strong>do</strong>res e parceiros <strong>do</strong><br />

setor de viagens e eventos corporativos se reuniram presencialmente após <strong>do</strong>is<br />

anos <strong>do</strong> início da pandemia.<br />

A abertura <strong>do</strong> evento presidida pela diretora<br />

administrativa da Alagev Roberta Moreno, ressaltou<br />

a relevância da reforma <strong>do</strong> setor e o fortalecimento<br />

da equipe da associação, revalidan<strong>do</strong> a busca pela<br />

reconexão com uma experiência completa na Lacte.<br />

mesma idade, escolaridade e categoria de ocupação.<br />

Contu<strong>do</strong>, ainda não estamos na maior parte <strong>do</strong>s cargos<br />

de liderança, mas temos uma construção diária.<br />

A Latam Airlines abriu a série de palestras da<br />

17ª edição <strong>do</strong> Lacte, com a ação “Elas crian<strong>do</strong> Elos”,<br />

trazen<strong>do</strong> temas da inclusão mulheres em cargos de<br />

liderança, representatividade e valorização <strong>do</strong> trabalho.<br />

As palestrantes Leorgea Costa (capitã A32F), Ana<br />

Carolina Costa (gerente de Operações Estratégicas) e<br />

Camila Belinelli (gerente de vendas), todas da Latam.<br />

Todas compartilharam e abordaram suas experiências<br />

e desafios profissionais ao longo de suas carreiras.<br />

Roberta Moreno (BMS) e diretora administrativa da Alagev.<br />

Giovana Jannuzzelli, diretora executiva da Alagev<br />

disse: segun<strong>do</strong> pesquisa nacional <strong>do</strong> Instituto Brasileiro<br />

de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, as mulheres<br />

recebiam cerca de 20% menos <strong>do</strong> que os homens<br />

no Brasil e a diferença salarial entre os gêneros segue<br />

elevada, mesmo quan<strong>do</strong> se compara trabalha<strong>do</strong>res da<br />

Leorgea Costa (capitã A32F), Ana Carolina Costa (gerente de Operações<br />

Estratégica) e Camila Belinelli (gerente de Vendas da Latam).<br />

Para a diretora executiva da UNITED, Jacqueline<br />

Conra<strong>do</strong> está mais <strong>do</strong> que prova<strong>do</strong>s, que companhias<br />

com altos índices de diversidades em seus quadros<br />

de colabora<strong>do</strong>res em to<strong>do</strong>s os níveis, incluin<strong>do</strong><br />

representatividade na alta liderança, têm melhores<br />

resulta<strong>do</strong>s financeiros se compara<strong>do</strong>s com as que<br />

não têm. São mais inova<strong>do</strong>ras, tem maior índice de<br />

satisfação <strong>do</strong>s clientes, retenção de talentos e melhor<br />

reputação.<br />

20<br />

Giovanna Jannuzzelli - Diretora Executiva da Alagev.


Jaqueline Conra<strong>do</strong> (Diretora Executiva da UNITED).<br />

Toni San<strong>do</strong> (SPCVB e Unedestinos) e Raffaele Cecere (R1).<br />

Priscila Bibiano e Orlan<strong>do</strong> Souza (FOHB).<br />

Eloi Oliveira (BeFly) e Walter Teixeira (Skal - SP).<br />

Siderley Santos (Grupo Arbaitman), Diogo Elias (LATAM), Peterson<br />

Pra<strong>do</strong> (AVIPAM), Eduar<strong>do</strong> Vasconcellos (KONTIK) e Daniel Almeida<br />

(LATAM).<br />

Matt Teixeira, Sandra Roscito e Vivi Amadei ((BWH Hotel Group) e<br />

Venicio Car<strong>do</strong>so (BCD - Travel).


22<br />

Torre Entel vista desde la Alameda.


SANTIAGO<br />

DO CHILE<br />

Aos pés da Cordilheira <strong>do</strong>s Andes, Santiago <strong>do</strong> Chile com seus 481 anos<br />

de idade e mais de 5 milhões de habitantes, é uma cidade linda, moderna,<br />

charmosa, arborizada e alegre. Ela mescla um passa<strong>do</strong> bem atual em<br />

sua própria história. Suas principais atrações envolvem belezas naturais,<br />

gastronomia, história, conquistas da engenharia moderna, e lugares<br />

maravilhosos.<br />

PLAZA DE ARMAS<br />

A Plaza de Armas surgiu junto com a cidade em<br />

12/02/1541 sob o <strong>do</strong>mínio espanhol na América Latina,<br />

e sua localização não é aleatória. Os pesquisa<strong>do</strong>res<br />

Rubén Stehberg, <strong>do</strong> Museo Nacional de História<br />

Natural <strong>do</strong> Chile, e Gonzalo Sotomayor, da Universidad<br />

Andrés Bello, reuniram evidências em 1976, com as<br />

quais defendem que a cidade de Santiago também<br />

foi um assentamento Inca próximo aos rios Mapocho<br />

e Maipo. Segun<strong>do</strong> os estudiosos, o centro précolombiano<br />

teria si<strong>do</strong> a área onde hoje se encontra a<br />

Plaza de Armas, e tem si<strong>do</strong> desde a conquista o centro<br />

político, social, econômico e religioso da cidade. Todas<br />

as festas públicas e religiosas foram realizadas no<br />

local. Durante a colônia, a praça servia para exercícios<br />

militares, nos quais os habitantes da cidade exibiam<br />

suas habilidades bélicas. A Plaza de Armas é cheia de<br />

palmeiras e cercada por muitos edifícios históricos,<br />

como a bela Catedral Metropolitana, a Agência Central<br />

<strong>do</strong>s Correios e o Royal Court Palace, além da Estátua<br />

equestre em bronze de Pedro de Valdivia, <strong>do</strong>ada pela<br />

comunidade que representa o conquista<strong>do</strong>r no ato da<br />

fundação da capital chilena.<br />

Endereço: Plaza de Armas, Santiago, Región<br />

Metropolitana, Chile.<br />

“Segun<strong>do</strong> os estudiosos, o centro précolombiano<br />

teria si<strong>do</strong> a área onde hoje se<br />

encontra a Plaza de Armas, e tem si<strong>do</strong> desde a<br />

conquista o centro político, social, econômico e<br />

religioso da cidade.”<br />

Plaza de Armas.<br />

Equestre em bronze de Pedro de Valdivia.


Plaza de Armas.<br />

Plaza de Armas, Marco Zero da cidade.<br />

PALACIO DE LA MONEDA<br />

O Palacio de La Moneda é uma das mais tradicionais opções <strong>do</strong> que fazer em Santiago no Chile. Esse belo prédio<br />

construí<strong>do</strong> no final <strong>do</strong> século XIX para abrigar a primeira Casa da Moeda <strong>do</strong> Reino <strong>do</strong> Chile desde 1845. Em 1932<br />

foi transforma<strong>do</strong> para ser a sede <strong>do</strong> poder executivo da República <strong>do</strong> Chile. Abriga o gabinete <strong>do</strong> Presidente da<br />

República, Ministério <strong>do</strong> Interior e Segurança Pública, Secretaria-Geral da Presidência e Secretaria-Geral <strong>do</strong> Governo.<br />

Foi neste local que Pinochet deu o golpe de 1973 e a ditadura no Chile começou. A troca de guardas é um momento<br />

marcante, ela acontece todas as manhãs às 10:00 horas. Já a visitação ao palácio é gratuita, e acontece quatro vezes<br />

ao dia, mas é necessário agendar a vista pelo site.<br />

Endereço: Moneda S/N, Santiago, Región Metropolitana / Chile<br />

Aberto: segunda-feira a <strong>do</strong>mingo das 09:00 às 17:00 horas<br />

24<br />

Palacio de La Moneda, troca da guarda.


Merca<strong>do</strong> Central.<br />

MERCADO CENTRAL<br />

O Merca<strong>do</strong> Central de Santiago foi projeta<strong>do</strong> pelo arquiteto argentino Manuel Jose Aldunate Fernandez e<br />

inaugura<strong>do</strong> em 1872. Sua construção é estilo neoclássico e na época era considera<strong>do</strong> um <strong>do</strong>s prédios mais bonitos<br />

de Santiago. Durante décadas ocorreram diversas reformas, como restaurações e expansões, mas a tradicional<br />

estrutura resistiu ao tempo, pois alguns <strong>do</strong>s desenhos feitos nos arcos de ferro que sustentam o local simbolizam<br />

a agricultura e a paz, são características marcantes <strong>do</strong> Merca<strong>do</strong> Central. Além <strong>do</strong>s estandes como as de frutos <strong>do</strong><br />

mar, peixes, frutas, verduras, laticínios, entre outros, o merca<strong>do</strong> de Santiago também abriga farmácias, agências e<br />

lojas de jóias. A atração mais procurada pelos turistas são as lojas com os famosos vinhos chilenos e os frutos <strong>do</strong><br />

mar, que são especialidades <strong>do</strong> Chile. Além disso, lá estão diversos tipos de restaurantes que são opções boas para<br />

quem esta passan<strong>do</strong> o dia no “Centro Turístico de Santiago”. Os restaurantes mais famosos são o “Él Galeón”, o “La<br />

Joya del Pacífico” e o “Donde Augusto”. Já os pratos mais gostosos que existem no Merca<strong>do</strong> Central são a centolla,<br />

uma espécie de caranguejo <strong>do</strong> Chile, as machas a la parmesana e o ceviche, to<strong>do</strong>s feitos com frutos <strong>do</strong> mar. Para<br />

acompanhar, peça um vinho das vinícolas de Santiago. É um passeio que você deve fazer em sua viagem para<br />

explorar melhor a cultura e gastronomia chilena<br />

Endereço: San Pablo, Santiago, Región Metropolitana / Chile Aberto: de segunda a sexta das 9:00h às 17:00h, e<br />

finais de semana das 7:00h às 15:00h<br />

Visão interna <strong>do</strong> Merca<strong>do</strong> Central.


Catedral Metropolitana de Santiago.<br />

CATEDRAL METROPOLITANA DE SANTIAGO<br />

Santiago foi comprometida por vários terremotos devasta<strong>do</strong>res ocorri<strong>do</strong>s por séculos devi<strong>do</strong> ao deslocamento de placas<br />

tectônicas na costa Oeste <strong>do</strong> Chile. A Catedral foi encomendada pelo funda<strong>do</strong>r de Santiago, Pedro Valdivia, como um local<br />

para o templo. Porém, antes de se feia, ali existiram algumas outras capelas menores que foram destruídas por terremotos,<br />

até que em 1748 sua construção finalmente começou.<br />

Sua construção teve início no governo de Domingo Ortiz de Rozas em 1748 conforme projetos <strong>do</strong>s irmãos jesuítas<br />

Bávaros, da comuna Calera de Tango. O bispo Manuel de Alday presidiu a sua consagração em 1775 ainda não<br />

concluída. Em 1800, com a adesão das torres, a Catedral foi declarada oficialmente concluída e, desde então passou<br />

por diversas reformas que a deixaram com o estilo neoclássico que se vê hoje em dia. Entre 2005 e 2006, o altar-mor<br />

e a cripta da Catedral foram restaura<strong>do</strong>s. Durante as obras, foram encontra<strong>do</strong>s os restos mortais de Diego Portales,<br />

umas das figuras proeminentes da formação da República chilena. Desde aquela época a catedral é um marco<br />

importante para a cidade, que tem uma grande concentração de católicos. Se você gosta de arquitetura e história,<br />

não pode deixar de conhecer a Catedral Metropolitana de Santiago, com uma cripta, três naves, vários altares e<br />

uma capela. Além <strong>do</strong>s afrescos ornamenta<strong>do</strong>s no teto e as colunas <strong>do</strong>uradas. No chão, os belos padrões em preto e<br />

branco cria<strong>do</strong>s por milhares de minúsculos azulejos, em contraste com o estilo ornamenta<strong>do</strong> da nave e das capelas.<br />

Endereço: Plaza de Armas, Santiago, Región Metropolitana / Chile<br />

Aberto: de segunda a sába<strong>do</strong>, das 09:00h às 19:00h e das 09:00h / aos <strong>do</strong>mingos das 09;00h às 12:00h.<br />

26<br />

Interior de Catedral Metropolitana de Santiago.<br />

Corre<strong>do</strong>r da Catedral Metropolitana de Santiago.


Funicular, tipo de transporte para turistas chegarem ao topo <strong>do</strong> Cerro<br />

San Cristóbal.<br />

Trilha para chegar ao topo <strong>do</strong> Cerro San Cristóbal.<br />

CERRO SAN CRISTÓBAL<br />

O Cerro San Cristóbal é um morro com uma linda vista panorâmica localizada no coração da zona urbana<br />

de Santiago <strong>do</strong> Chile. No topo encontram-se um pequeno centro comercial, onde você pode comprar<br />

camisetas, artesanatos e suvenires, várias terraças amplas e um mirante onde pode contemplar as montanhas<br />

e paisagens em meio à vegetação e paz <strong>do</strong> lugar. Essa elevação repleta de construções históricas é um <strong>do</strong>s<br />

principais pontos turísticos <strong>do</strong> Centro de Santiago. Lá está o Castillo Hidalgo, de 1816, que durante anos<br />

recebeu a maior festa de réveillon da cidade. Para chegar ao mirante, você pode optar por ir de teleférico,<br />

de funicular ou caminhan<strong>do</strong> pelas trilhas e escadarias. Também aproveite para conhecer o parque, onde<br />

existem diversas outras atrações; como o zoológico da cidade, o jardim botânico, entre outras.<br />

Teleférico para levar turistas ao topo <strong>do</strong> Cerro San Cristóbal.


Visão interna <strong>do</strong> Museo de La Moda.<br />

MUSEO DE LA MODA<br />

O Museo de La Moda se equipara a grandes museus <strong>do</strong> mun<strong>do</strong>. É uma instituição privada que reúne,<br />

preserva e exibe principalmente peças de vestuário que foram <strong>do</strong>adas ou adquiridas em leilões internacionais.<br />

Inaugura<strong>do</strong> em julho de 2007 pela Fashion Museum Foundation. A coleção <strong>do</strong> museu começou a tomar<br />

forma em 1999, com o lega<strong>do</strong> <strong>do</strong>s pais de Jorge Yarur Bascuñán, e destaca-se inicialmente por conter<br />

figurinos e artes decorativas das décadas de 50 e 60. Em 2007, após oito anos de trabalho, o projeto da<br />

Fundação Museu da Moda foi concluí<strong>do</strong> e abriu suas portas para a comunidade. Conta com uma equipe<br />

multidisciplinar responsável pelo cadastro, oficinas de restauração e conservação, centro de <strong>do</strong>cumentação,<br />

cura<strong>do</strong>ria, entre outros. Além disso, abriga um importante acervo de figurinos, croquis, acessórios e artes<br />

decorativas, chegan<strong>do</strong> a 17.000 peças. A coleção reúne peças que vão <strong>do</strong> século XVII a modelos cria<strong>do</strong>s por<br />

renoma<strong>do</strong>s designers nacionais como Marco Correa e internacionais como Issey Miyake e Paul Gaultier.<br />

Endereço: Av Vitacura 4562, Vitacura, Región Metropolitana, Chile<br />

28<br />

Os carros da família afunda<strong>do</strong>s na entrada <strong>do</strong> Museo de La Moda.<br />

Visão externa Museo de La Moda.


Modelo barroco <strong>do</strong><br />

Século XVII e XVIII<br />

Modelo neoclassicismo<br />

ou estilo império <strong>do</strong><br />

século XIX.<br />

Modelo da 2ª Guerra<br />

Mundial, século XIX.<br />

Modelo de 1914 a 1918<br />

da 1ª Guerra Mundial e<br />

Pós-guerra.<br />

Modelo romantismo <strong>do</strong><br />

século XIX.<br />

Modelo rococó <strong>do</strong> século<br />

XVIII.


Visão externa <strong>do</strong> Museo Nacional de Bellas-Artes.<br />

MUSEO NACIONAL DE BELLAS-ARTES<br />

Caso a sua agenda em Santiago só lhe permita visitar um <strong>do</strong>s vários museus da<br />

cidade, nós sugerimos que você visite o Museo Nacional de Bellas-Artes. Para os<br />

amantes da cultura e exibições de arte, existem várias razões pelas quais, este deve<br />

ser o número 1 na sua lista de visita aos museus de Santiago.<br />

O Museo Nacional de Bellas-Artes é uma das mais importantes instituições culturais <strong>do</strong> Chile e um <strong>do</strong>s<br />

mais antigos de arte da América Latina. Funda<strong>do</strong> em 18/09/1880, então sob a denominação de Museu<br />

Nacional de Pinturas, ocupa desde 1910 um edifício situa<strong>do</strong> no Parque Florestal no centro de Santiago.<br />

O Palácio de Belas-Artes, projeto <strong>do</strong> arquiteto franco-chileno Emile Jéquier, ergui<strong>do</strong> em comemoração ao<br />

primeiro centenário da independência <strong>do</strong> país e declara<strong>do</strong> monumento nacional em 1976. Desde 1880<br />

estas obras passaram por diferentes edifícios até que finalmente, em 1990, o atual Palácio de Bellas-Artes<br />

foi inaugura<strong>do</strong> para abrigar uma coleção de arte que se iniciou com 140 peças, mas que hoje conta com<br />

mais de 5.000. No andar térreo <strong>do</strong> museu,<br />

belíssimas estátuas de mármore recebem<br />

os visitantes com bastante elegância,<br />

as estátuas são criações de artistas<br />

nacionais e internacionais. Enquanto nos<br />

demais andares as salas são decoradas<br />

com infinitas pinturas a óleo seguin<strong>do</strong><br />

os mais varia<strong>do</strong>s temas que marcaram<br />

o desenvolvimento da arte nacional no<br />

Chile.<br />

Aberto: de terça a <strong>do</strong>mingo das 10:00h às<br />

17:30h.<br />

Endereço: José Miguel de la Barra, 650 -<br />

Santiago / Chile<br />

Contato: (56) 22997-8700<br />

30<br />

Visão interna <strong>do</strong> Museo Nacional de Bellas-Artes.


ALGUNS PINTORES PIONEIROS E FAMOSOS DO CHILE<br />

Mujer de Pueblo.<br />

PEDRO LIRA (1845-1912)<br />

Considera<strong>do</strong> por muitos estudiosos como “um <strong>do</strong>s<br />

grandes mestres da pintura chilena”, Pedro Lira desistiu<br />

da carreira jurídica para se dedicar à arte. Conheci<strong>do</strong><br />

por produzir obras de caráter mais figurativo e de<br />

elevada qualidade técnica, ele não só trouxe para seu<br />

país diversas técnicas que conheceu em suas viagens<br />

para Europa, como também promoveu boa parte das<br />

primeiras exposições nacionais. Entre as suas principais<br />

telas podemos destacar “Mujer de Pueblo”.<br />

Manzanas.<br />

JUAN FRANCISCO GONZÁLEZ<br />

(1853-1933)<br />

Ti<strong>do</strong> como um símbolo para as gerações criativas <strong>do</strong><br />

século XX, Juan Francisco González se deixava <strong>do</strong>minar<br />

pela emoção na hora de criar suas telas, tanto que<br />

aconselhava seus alunos a pintarem utilizan<strong>do</strong> os olhos<br />

da alma e <strong>do</strong> coração. Em seu imenso acervo de pinturas<br />

de natureza morta, uma das telas mais conhecidas é<br />

“Manzanas”.<br />

Ninfa de las Cerejas.<br />

ALFREDO VALENZUELA PUELMA<br />

(1856-1909)<br />

Entre os pioneiros pintores famosos <strong>do</strong> Chile, Alfre<strong>do</strong><br />

<strong>Vale</strong>nzuela Puelma é o mais conheci<strong>do</strong> por usar e abusar<br />

da perfeição formal da arte acadêmica e, assim, produzir<br />

telas surpreendentes. O artista também é apresenta<strong>do</strong><br />

como o primeiro a fazer uso <strong>do</strong> nu em suas criações,<br />

como é o caso de “Ninfa de las Cerejas”.<br />

Puente de Charenton.<br />

ALBERTO VALENZUELA LLANOS<br />

(1869-1925)<br />

Exímio paisagista e <strong>do</strong>no de um lega<strong>do</strong> de mais de<br />

1000 peças, Alberto <strong>Vale</strong>nzuela Llanos, um <strong>do</strong>s pintores<br />

chilenos mais famosos da história, e também um <strong>do</strong>s<br />

mais premia<strong>do</strong>s. Respeita<strong>do</strong> diretor da Academia de<br />

Pintura <strong>do</strong> Chile, o artista ficou conheci<strong>do</strong> por suas obras<br />

impressionistas bucólicas, e por fazer uso de cores tênues,<br />

como é o caso de “Puente de Charenton”.


PINTORES CHILENOS CONTEMPORÂNEOS E MODERNOS<br />

Escultura.<br />

FEDERICO ASSLER (1929)<br />

Federico Assler é hoje um <strong>do</strong>s principais artistas<br />

chilenos, uma vez que seu trabalho em escultura é<br />

aplaudi<strong>do</strong> tanto nacional como internacionalmente.<br />

Ganha<strong>do</strong>r de diversos prêmios e ousan<strong>do</strong> ao mesclar<br />

texturas e materiais em suas peças, Federico Assler<br />

consegue ao mesmo tempo inovar e demonstrar a<br />

tradição em seu trabalho.<br />

Segre<strong>do</strong>s.<br />

XIMENA ARMAS (1946)<br />

A pintora chilena Ximena Armas e suas peças encantam<br />

pelo teor abstrato e trazem elementos de sombras que se<br />

assemelham a silhuetas, as quais parecem brincar e fazer<br />

parte de um universo de sonhos repleto de símbolos,<br />

como a obra “Segre<strong>do</strong>s”.<br />

Elle Loge La Folie.<br />

32<br />

Escadria <strong>do</strong> Convento Santa Teresa (RJ).<br />

JORGE SELARÓN (1947-2013)<br />

Ceramista e pintor autodidata, Jorge Selarón foi um<br />

artista apaixona<strong>do</strong> pelo Brasil, tanto que morou em terras<br />

tupiniquins durante boa parte de sua vida. Autor de um<br />

<strong>do</strong>s cartões postais <strong>do</strong> Rio de Janeiro, a “Escadaria <strong>do</strong><br />

Convento de Santa Teresa”, uma obra bastante conhecida<br />

por sua explosão de cores e criatividade, essa peça não<br />

só simboliza o seu trabalho e personalidade, como ele<br />

mesmo. Isso porque o chileno foi encontra<strong>do</strong> morto na<br />

escadaria, acompanha<strong>do</strong> por uma lata de thinner.<br />

ROBERTO MATTA (1911-2002)<br />

Nesta seleção de pintores chilenos contemporâneos e<br />

modernos, não poderia faltar o nome de Roberto Matta,<br />

uma vez que o artista criou telas surrealistas célebres, que<br />

misturavam arte com poesia, como a pintura “Elle Loge La<br />

Folie”. Bastante envolvi<strong>do</strong> com política, o artista nasci<strong>do</strong><br />

em Santiago foi um grande apoia<strong>do</strong>r <strong>do</strong> presidente<br />

Salva<strong>do</strong>r Allende, o qual atuou como fonte de inspiração<br />

para a criação de um mural, que foi pinta<strong>do</strong> com 16<br />

camadas de tinta e foi derruba<strong>do</strong> na década de 1970 pelo<br />

governo militar.


NEMESIO ANTÚNEZ (1918-1993)<br />

Mural nº 16.<br />

Apesar de ser arquiteto de formação, Nemesio Antúnez se destacou<br />

mesmo como pintor e grava<strong>do</strong>r. Influencia<strong>do</strong> pela genialidade de<br />

Pablo Picasso, seu trabalho trouxe a estética cubista em suas peças.<br />

Porém, ele nunca se conectou com só um movimento, uma vez que<br />

foi fortemente a favor da experimentação e da liberdade artística.<br />

Uma prova disso é que fun<strong>do</strong>u a Oficina 99 (Taller 99), em 1953,<br />

baseada nesses conceitos. Com o grupo, deu uma nova perspectiva<br />

à arte chilena, inspiran<strong>do</strong> outras personalidades da cena artística a<br />

abraçar varia<strong>do</strong>s estilos e técnicas. Uma de suas principais obras foi<br />

o “Mural nº 16”.<br />

Entrada <strong>do</strong> Museo de la Memoria y los Derechos Humanos.<br />

Museo de la Memoria y los Derechos Humanos.<br />

MUSEO DE LA MEMORIA Y LOS DERECHOS HUMANOS<br />

Inaugura<strong>do</strong> em janeiro de 2010, o museu é “um espaço destina<strong>do</strong> a dar visibilidade às violações <strong>do</strong>s direitos humanos<br />

cometidas pelo Esta<strong>do</strong> chileno entre 1973 e 1990; a dignificar as vítimas e as suas famílias; a estimular a reflexão e o<br />

debate sobre a importância <strong>do</strong> respeito e da tolerância, para que esses feitos nunca mais se repitam”.<br />

O museu possui três andares que são dividi<strong>do</strong>s em 18 alas: “Direitos Humanos, Desafio Universal”, onde tem um<br />

grande mapa que mostra como as violações no Chile têm relação com o que aconteceu em outros países e como<br />

isso afetou a nação inteira; “Memoriais e Comissões da Verdade” apresenta por meio de fotos, vários memoriais<br />

cria<strong>do</strong>s em homenagem às vítimas da ditadura; “11 de Setembro de 1973”, fala sobre o dia <strong>do</strong> golpe militar e as suas<br />

consequências; “Dor das Crianças” mostra através de desenhos, fotos, cartas e diários como as crianças viveram<br />

nos anos da ditadura militar; “Ausência e Memória” é o centro <strong>do</strong> museu, e nela há um grande mural com as fotos<br />

das vítimas <strong>do</strong> regime militar chileno. Você vai precisar no mínimo duas horas para poder ver toda a exposição em<br />

detalhes.<br />

Endereço: Matucana 501, Metrô Quinta Normal / linhaa 5<br />

Aberto: de terça a <strong>do</strong>mingo das 10:00h às 18:00h, exceto janeiro e fevereiro que fecha às 20:00h<br />

Memoriais e Comissões da Verdade apresenta, por fotos, cria<strong>do</strong>s em<br />

homenagem às vitimas da ditadura.<br />

Visão interna <strong>do</strong> Museo de la Memoria y los Derechos Humanos.


Visita externa da Casa-museo la Chascona.<br />

Vista interna Casa-museo la Chascona.<br />

34<br />

CASA-MUSEO LA CHASCONA - CASA DE PABLO NERUDA<br />

O escritor, poeta, e diplomata, Pablo Neruda foi uma das maiores personalidades<br />

<strong>do</strong> Chile, ganha<strong>do</strong>r <strong>do</strong>s prêmios: Nacional de Literatura <strong>do</strong> Chile em 1945 e Nobel de<br />

Literatura em 1971, <strong>do</strong>is anos antes de sua morte. Sua casa no bairro de Bellavista se<br />

tornou museu, com uma mostra permanente de suas obras e objetos pessoais.<br />

HISTÓRIA<br />

Pablo Neruda começou a construir essa casa em 1953 para uma de suas amantes, Matilde Urrutia Cerda, cujo<br />

apeli<strong>do</strong> era la chascona por conta de seus cabelos ruivos. Os <strong>do</strong>is haviam se encanta<strong>do</strong> pelo terreno a venda<br />

no bairro Bellavista, próximo ao Cerro San Cristóbal. No local existia uma catarata e frutas que depois foram<br />

mencionadas pelo escritor em seu poema “La Chacona”. A casa foi desenhada pelo arquiteto catalão Germán<br />

Rodriguez Arias, mas na verdade suas formas surgiram a partir <strong>do</strong>s sonhos de Pablo Neruda, que queria ter a<br />

vista da Cordilheira <strong>do</strong>s Andes e a possibilidade de acompanhar o trajeto <strong>do</strong> Sol. Dessa forma, a casa adquiriu<br />

um formato engraça<strong>do</strong> com várias escadas e contornos interessantes. Ela também foi se expandin<strong>do</strong>, já que,<br />

no início, era composta somente por um quarto e uma sala, pois Pablo Neruda ainda vivia com sua esposa em<br />

outra residência. Somente em 1955, quan<strong>do</strong> o escritor se separou da sua mulher, que ele passou a viver em La<br />

Chascona. Foi nesse momento que um bar e uma biblioteca foram adiciona<strong>do</strong>s a casa. O arquiteto Carlos Martner,<br />

responsável pela obra de expansão, revelou que Pablo Neruda projetava os cômo<strong>do</strong>s para abrigar da melhor<br />

forma os seus objetos, por isso o local também ficou com uma arquitetura toda diferente. Durante a ditadura<br />

chilena a casa foi vandalizada e inundada, mas Matilde Urrita insistiu que o corpo <strong>do</strong> poeta fosse vela<strong>do</strong> nela e se<br />

esforçou para reconstruí-la até sua morte, em 1985.<br />

Hoje, além <strong>do</strong>s ambientes reconstituí<strong>do</strong>s, na casamuseu<br />

há uma pinacoteca com um acervo de obras<br />

de artistas chilenos e internacionais, uma coleção de<br />

artefatos africanos da época em que Pablo Neruda<br />

se dedicou como diplomata e objetos <strong>do</strong> escritor. As<br />

visitas à La Chascona são feitas com áudio guias, que<br />

estão disponíveis em português.<br />

Aberto: de março a dezembro, de terça a<br />

<strong>do</strong>mingo, das 10:00h às 18:00h e janeiro e fevereiro<br />

fecha uma hora mais tarde. A fundação também<br />

possui uma loja de lembranças onde são vendi<strong>do</strong>s<br />

livros de poesias de Pablo Neruda e outros objetos<br />

relaciona<strong>do</strong>s com sua vida e obra, artesanatos típicos<br />

<strong>do</strong> Chile, roupas, entre outras coisas.<br />

Endereço: Fernan<strong>do</strong> Márquez de la Plata 192,<br />

Casa Museu La Chascona.<br />

Bellavista – Metro Baquedano / Linha 1


Fachada <strong>do</strong> Museo Nacional de Historia Natural.<br />

MUSEO NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL<br />

O Museo Nacional de História Natural é um <strong>do</strong>s mais antigos da América, foi constituí<strong>do</strong> em 14/09/1830 pelo sábio<br />

naturalista francês Claudio Gay Moure, contrata<strong>do</strong> pelo governo chileno para realizar um estu<strong>do</strong> completo <strong>do</strong> Chile<br />

e “formar um gabinete de História Natural, conten<strong>do</strong> as principais produções vegetais e minerais <strong>do</strong> território”. Desde<br />

1876 ocupa o edifício de estilo neoclássico, no Parque Quinta Normal em Santiago, que foi construí<strong>do</strong> pelo arquiteto<br />

francês Paul Lathoud para a Primeira Exposição Internacional realizada em 1875.<br />

O Museo Nacional de História Natural em Santiago mostra a origem da vida e da Terra, em seguida, destaca as<br />

paisagens naturais e culturais de Norte a Sul <strong>do</strong> Chile enfatizan<strong>do</strong> biodiversidade da flora e fauna <strong>do</strong> país, além de sua<br />

relação com os povos indígenas. O passeio pelo museu é muito enriquece<strong>do</strong>r principalmente se você vai viajar para as<br />

outras regiões <strong>do</strong> país, já que explicam sobre a cordilheira <strong>do</strong>s Andes, o deserto <strong>do</strong> Atacama, os animais encontra<strong>do</strong>s<br />

nesses lugares, entre outros. A peça antropológica mais valiosa <strong>do</strong> museu é o corpo naturalmente liofiliza<strong>do</strong> de um<br />

menino com aproximadamente 8 anos de idade, <strong>do</strong> Cerro El Plomo (montanha nos Andes), enterra<strong>do</strong> vivo a uma<br />

altitude de 5.400 metros há mais de 500 anos, ofereci<strong>do</strong> em homenagem ao Deus Inca Inti (Sol) na cerimônia de<br />

Capacocha, um ritual religioso <strong>do</strong> Tawantinsuyu ou Império Inca, a primeira descoberta desse tipo no Chile em 1954.<br />

Para manter o bom esta<strong>do</strong> de conservação, está armazena<strong>do</strong> em uma câmara especializada, com umidade relativa<br />

entre 42% a 45% e temperatura entre -2º e -4ºC. Múltiplas investigações foram realizadas sobre ele para determinar<br />

a biologia de seu corpo e estabelecer como foi preserva<strong>do</strong> por cinco séculos. O menino foi retira<strong>do</strong> da exposição<br />

“Biogeográfica Chile” <strong>do</strong> Museu, e substituí<strong>do</strong> por uma réplica por motivos de conservação e de acor<strong>do</strong> com as<br />

recomendações da UNESCO, que sugerem não expor restos humanos.<br />

Endereço: Parque Quinta Normal – Metro Quinta Normal / Linha 5 - Telefone: +56229979229<br />

Aberto: de terça a sába<strong>do</strong> das 10:00h as 12:30h / <strong>do</strong>mingo e feria<strong>do</strong> das 11:00h as 17:30h<br />

Corpo naturalmente liofiliza<strong>do</strong> de um menino com aproximadamente<br />

8 anos de idade, <strong>do</strong> Cerro El Plomo (montanha nos Andes).<br />

Esqueleto de uma Balaenoptera borealis.


Fachada <strong>do</strong> Museo de Arte Contemporáneo <strong>do</strong> Parque Quinta Normal.<br />

MUSEO DE ARTE CONTEPORÁNEO<br />

O Museo de Arte Contemporáneo (Museu de Arte Conteporânea) de Santiago foi inaugura<strong>do</strong> em<br />

15/08/1947 no Parque Quinta Normal, como parte das políticas relacionadas à cultura que a Universidade<br />

<strong>do</strong> Chile desenvolveu desde a década de 1950, graças ao Instituto de Extensão de Artes Plásticas (IEAP). É<br />

um <strong>do</strong>s mais importantes museus <strong>do</strong> país e está sob coman<strong>do</strong> da Universidade <strong>do</strong> Chile. Ele tem como<br />

objetivo promover trabalhos <strong>do</strong>s artistas chilenos e mostrar um pouco da arte internacional. Desde 2005 suas<br />

exposições estão em duas sedes: uma atrás <strong>do</strong> Museo de Bellas-Artes, no Parque Florestal e a outra na Quinta<br />

Normal, em que o edifício de 1920 é conheci<strong>do</strong> como Parthenon ou Palácio de Versalhes, para onde o MAC<br />

retornou após 30 anos. O museu tem uma coleção de 3.000 obras de arte, com 2.000 grava<strong>do</strong>s, 600 pinturas,<br />

130 desenhos e aquarelas, 80 esculturas, esboços, gravuras e cerâmicas. Entre suas obras datadas <strong>do</strong> século XIX<br />

estão obras de artistas chilenos, como Roberto Matta, Nemesio Antúnez, Matilde Pérez, Garcia Barrios e José<br />

Balmes. Além de obras de artistas internacionais como Oswal<strong>do</strong> Guayasamin, Emilio Pettoruti, Friedensreich<br />

Hundertwasser, Isamu Noguchi, David Batchelor, Jesús Ruiz Nestosa Dino Bruzzone.<br />

Sua coleção consiste grande parte de <strong>do</strong>ações de pintores nacionais e artistas internacionais viven<strong>do</strong> no<br />

Chile. Além disso, ambos os locais também recebem exposições temporárias e outras atividades. Assim como<br />

o Museo Nacional de Bellas-Artes, o Museo de Arte Conteporáneo é considera<strong>do</strong> um <strong>do</strong>s melhores museus<br />

de Santiago.<br />

Endereço: Matucana nº 464, Santiago / Región Metropolitana / Chile<br />

Aberto: de terça a sába<strong>do</strong> das 11:00h às 19:00h e de <strong>do</strong>mingo das 11:00h às 18:00h<br />

Faça sua Empresa aparecer. Anúncie aqui!<br />

36


SUPERAÇÃO DE VIDA E<br />

PROFISSIONAL<br />

Superação, de acor<strong>do</strong> com o dicionário Aurélio, se trata de “ser superior a, ou melhor,<br />

<strong>do</strong> que; passar mais além <strong>do</strong> que; obter uma vitória relativamente a; suplantar”. Em<br />

seu senti<strong>do</strong> literal, significa cultivar uma “super ação”. Em outras palavras, é o mesmo<br />

que ter atitude, ousar ir além, sair da zona de conforto. É a<strong>do</strong>tar novos hábitos e<br />

comportamentos, ultrapassar suas limitações e bloqueios. Tanto profissionais quanto<br />

pessoais. É aperfeiçoar suas habilidades, talentos e desenvolver to<strong>do</strong> o potencial infinito.<br />

Para que, assim, você se torne a melhor pessoa e profissional que você pode ser. Dessa<br />

forma, a superação profissional, significa superar to<strong>do</strong>s os obstáculos, além de caminhar<br />

rumo a uma transformação permanente e genuína, com o propósito da conquista de<br />

to<strong>do</strong>s objetivos que você almeja alcançar em sua trajetória e carreira. É um percurso que<br />

irá de encontro à conquista de grandes e eficientes resulta<strong>do</strong>s.<br />

Construir uma carreira de sucesso<br />

exige muito trabalho, resiliência, disciplina<br />

e paciência. São tantas as dificuldades e<br />

obstáculos no caminho, que é normal<br />

sempre surgir aquele momento em que,<br />

cansa<strong>do</strong>s, ficamos tenta<strong>do</strong>s a chutar o balde.<br />

O desânimo, de fato, atrapalha e dificulta a<br />

conquista <strong>do</strong>s nossos objetivos, mas a forma<br />

como encaramos essas experiências faz<br />

grande diferença para não nos deixarmos<br />

abater e continuar perseguin<strong>do</strong> os nossos<br />

sonhos. Sem erros e fracassos não há evolução<br />

profissional, pois, são as dificuldades que nos<br />

permitem repensar nossos comportamentos e<br />

melhorarmos continuamente, transforman<strong>do</strong><br />

em aprendiza<strong>do</strong>. Ao invés de nos lamentarmos<br />

ou desistir diante de algum problema,<br />

podemos nos inspirar nessas atitudes e colher<br />

bons ensinamentos para vencermos. To<strong>do</strong><br />

mun<strong>do</strong> tem que enfrentar algum obstáculo<br />

para conquistar seus objetivos. Se isso não<br />

acontecer é porque a pessoa está estagnada<br />

em sua zona de conforto. Em praticamente<br />

to<strong>do</strong>s os locais, você pode encontrar esses<br />

personagens, seja na rua, em meio a seus<br />

amigos e familiares, ou nas histórias de<br />

celebridades.<br />

Matsuda Corretora de Seguros Ltda<br />

Rua Eduar<strong>do</strong> José Pereira, 345<br />

Jardim Eulália - Taubaté/SP<br />

12.010 - 590<br />

Fone/fax: (12) 3625 - 5500


EXCELENTE NOTÍCIA PARA<br />

MACROECONOMIA<br />

BRASILEIRA FORA APROVADO<br />

NA CÂMARA DOS DEPUTADOS<br />

OS JOGOS E CASSINOS!!!<br />

Bruno Omori (Presidente da IDT-CEMA).<br />

O dia 24 de fevereiro de 2022 fora um marco histórico para a Macroeconomia<br />

<strong>do</strong> Brasil, com a votação e aprovação <strong>do</strong>s JOGOS & CASSINOS NO BRASIL a PL<br />

442/91 passou com 55% <strong>do</strong>s votos vali<strong>do</strong>s na Câmara <strong>do</strong>s Deputa<strong>do</strong>s, resulta<strong>do</strong><br />

de grande articulação, trabalho e estratégia de lideranças públicas e privadas<br />

em prol de fortalecer o cenário econômico e social <strong>do</strong> nosso ama<strong>do</strong> Brasil.<br />

O presidente <strong>do</strong> IDT-CEMA Bruno Omori,<br />

especialista em turismo, hotelaria, jogos e<br />

gestão empresarial, defende a tese <strong>do</strong> impacto<br />

macroeconômico, que são baseadas na grande<br />

oportunidade estratégica de retomada econômica<br />

<strong>do</strong> Brasil, após crise econômica e social geradas pela<br />

pandemia, com o impulso impactante resulta<strong>do</strong> da<br />

aprovação desta PL liberal e abrangente <strong>do</strong>s Jogos<br />

e Cassinos. Fato este que possibilitará, a priori,<br />

a inserção aproximadamente de USD 70 bilhões<br />

em investimentos nacionais e internacionais, que<br />

ativarão diretamente os merca<strong>do</strong>s imobiliários,<br />

de construção, mobiliário, decoração, tecnologia,<br />

indústrias; na sequência entrarão a qualificação <strong>do</strong>s<br />

profissionais com a academia e entidades de ensino;<br />

para então chegar à operação potencializan<strong>do</strong> o<br />

destino Brasil como seus 52 segmentos <strong>do</strong> turismo<br />

como, a hotelaria, gastronomia, eventos, cultura,<br />

transportes, shows e assim como o comércio em geral.<br />

Os resulta<strong>do</strong>s da concretização destas ações trazem<br />

em prognósticos com projeções conserva<strong>do</strong>ras,<br />

a capacidade de gerar <strong>do</strong>is dígitos de milhões de<br />

empregos, mais de $ 20 bilhões em impostos e<br />

crian<strong>do</strong> inúmeras oportunidades sinérgicas para<br />

retomada <strong>do</strong> crescimento econômico <strong>do</strong> Brasil.<br />

Cabe ressaltar que o jogo já existe no Brasil, sen<strong>do</strong> os<br />

legais como a Mega-Sena, Tele Sena, Turfe e apostas<br />

esportivas que geram mais de $ 40 bilhões de<br />

faturamento, e infelizmente existem os ilegais como<br />

os bingos e cassinos clandestinos, jogo <strong>do</strong> bicho e<br />

outros que hoje estão nas mãos de contraventores<br />

com faturamento estima<strong>do</strong> de mais de $ 30 bilhões<br />

e que não recolhiam impostos ou geravam mão de<br />

obra formal, que com a aprovação da lei poderão se<br />

tornar legais, desta forma recolher impostos, gerar<br />

empregos na carteira, reduzir drasticamente evasão<br />

de divisas e lavagem de dinheiro.<br />

AS PRÓXIMAS ETAPAS<br />

A PL 442/91 entrará em votação no Sena<strong>do</strong><br />

Federal, e deve ser tramitada na Comissão de<br />

Constituição e Justiça (CCJ) e no plenário, todavia<br />

o presidente <strong>do</strong> Sena<strong>do</strong> Rodrigo Pacheco tem a<br />

tendência de apresentar a proposta diretamente<br />

para o plenário. Haven<strong>do</strong> alterações no texto pelo<br />

Sena<strong>do</strong>, o projeto retornará a Câmara para analise<br />

das sugestões da Casa revisora. A matéria entra em<br />

votação na Câmara, e sen<strong>do</strong> aprovada, seguirá para<br />

sanção presidencial, se o presidente Jair Bolsonaro<br />

vetar, o Congresso Nacional terá o poder de derrubar<br />

ou manter o veto. O presidente da IDT-CEMA<br />

Bruno Omori aproveitou para congratular todas as<br />

lideranças públicas e privadas que juntos, lutaram,<br />

persistiram e trabalharam para a aprovação desta<br />

primeira e importante etapa <strong>do</strong>s Jogos, em prol da<br />

melhoria macroeconômica <strong>do</strong> Brasil.<br />

38


Taubaté Shopping<br />

Contato: (12) 3629-2466<br />

Mauá Plaza Shopping<br />

Contato: (11) 4546-4484<br />

Taubaté - Independência<br />

Contato: (12) 3681-3090<br />

Suzano<br />

Contato: (11) 4748-5468<br />

Via Garden Shopping<br />

Contato: (12) 3681-3765<br />

Mogi Shopping<br />

Contato: (11) 4796-1986


CENTRAL ANALÍTICA - TAUBATÉ<br />

Rua Dr. Urbano Figueira, 100<br />

Centro<br />

UNIDADE - TAUBATÉ<br />

Av. Independência, 650<br />

Independência<br />

UNIDADE - CAÇAPAVA<br />

Av. Coronel Manoel Inocêncio, 577<br />

Centro<br />

UNIDADE- GUARATINGUETÁ<br />

R: Visconde de Guaratinguetá, 227<br />

Centro<br />

UNIDADE BURITI SHOPPING<br />

Av. Juscelino Kubitschek de<br />

Oliveira, 351 - Centro<br />

UNIDADE- CAMPOS DO JORDÃO<br />

Av. Dr Januário Miraglia, 1536<br />

Salas 4 e 5 -Vila Abernésia<br />

(Centro Comercial AMC)<br />

UNIDADE - SÃO PAULO<br />

Rua Santo Alexandre, 236<br />

Vila Guilhermina<br />

UNIDADE VILA MARIA<br />

Av. Morvan Dias Figueire<strong>do</strong>,<br />

3177, Vila Maria (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE ARICANDUVA<br />

Av. Rio das Pedras, 555<br />

Aricanduva (Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE - JACAREÍ<br />

Rua João Américo da Silva, 325<br />

Centro<br />

UNIDADE JACAREÍ SHOPPING<br />

Rua Olímpio Catão 500 - Luc 36<br />

UNIDADE - PINDAMINHANGABA<br />

Rua Dr. Frederico Macha<strong>do</strong>, 109-<br />

Centro<br />

UNIDADE SHOPPING PÁTIO PINDA<br />

R: Alcides Ramos Nogueira, 650 -<br />

Loja 63 Mombaça<br />

UNIDADE - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS<br />

CDA - Centro de Diagnóstico<br />

Andrade<br />

Av. Dep. Benedito Matarazzo, 5701<br />

Parque Residencial Aquarius<br />

(Galeria Carrefour)<br />

UNIDADE JARDIM ESPLANADA<br />

Av. São João, 1644<br />

Jardim Esplanada<br />

UNIDADE SHOPPING ORIENTE<br />

Rua An<strong>do</strong>rra, 500<br />

Loja 110 e 112<br />

Jardim Paraíso<br />

UNIDADE - CARAGUATATUBA<br />

Av. Anchieta, 196<br />

Centro (salas: 12, 13 e 14) Centro<br />

UNIDADE SERRAMAR SHOPPING<br />

Av. José Herculano, 1086<br />

Santa Marina<br />

Preza<strong>do</strong> Cliente<br />

Exclusivamente na cidade de São<br />

José <strong>do</strong>s Campos nossas unidades<br />

de atendimento são identificadas<br />

pelo nome fantasia “CDA – CENTRO<br />

DIAGNÓSTICO ANDRADE”.<br />

SAC: (12) 2123 - 9200<br />

www.oswal<strong>do</strong>cruz.com.br<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz<br />

laboswal<strong>do</strong>cruz

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!