25.04.2022 Views

Condominium_40Web

Do you know the secret to free website traffic?

Use this trick to increase the number of new potential customers.

A REVISTA DO SÍNDICO

WWW.REVISTACONDOMINIUM.COM.BR

Inadimplência

WHATSAPP...

Síndicos se utilizam da ferramenta

para se comunicar. Isso ajuda ou atrapalha?

Leia como fazer a cobrança dos

valores atrasados sem correr o risco

de danos morais

Fotovoltaica

Cada vez mais condomínios buscam

alternativas para diminuir a conta de

energia

Repúblicas

Reportagem especial mostra se os

condomínios podem barrar a locação

de moradias para os estudantes

Ano VIII • N°40

Abril 2022

Entrevista

Presidente da AACEP revela planos

e apresenta soluções para as

administradoras de condomínio


sumário

06 Editorial

08 Notas

18 Principal

22 Cobrança

24 Energia

26 Legislação

30 Perfil

32 Artigo

36 Gente que cuida

38 Entrevista

04


Customer Sucess Stories on


Leia como fazer a cobrança dos

valores atrasados sem correr o risco

de danos morais

Cada vez mais condomínios buscam

alternativas para diminuir a conta de

energia

Reportagem especial mostra se os

condomínios podem barrar a locação

de moradias para os estudantes

Presidente da AACEP revela planos

e apresenta soluções para as

administradoras de condomínio

WWW.REVISTACONDOMINIUM.COM.BR

Ano VIII • N°40

Abril 2022

editorial

A Revista do Síndico e dos Condôminos www.revistacondominium.com.br Ano VIII • N.40 • Abril 2022

A REVISTA DO SÍNDICO

WHATSAPP...

Síndicos se utilizam da ferramenta

Inadimplência

para se comunicar. Isso ajuda ou atrapalha?

Fotovoltaica

Repúblicas

Entrevista

A capa desta edição

mostra as vantagens

e desvantagens

da comunicação

via whatsapp nos

condomínios

Ano VIII | Edição nº 40 | Abril 2022

Diretores

Comercial: Fábio Alexandre Machado

Executivo: Pedro Bartoski Jr.

revistacondominium@revistacondominium.com.br

Respeito para

ser respeitado

Departamento Comercial

Marcelo Marcet de Andrade - Teaser Comunicação

comercial@revistacondominium.com.br

Redação

Guilherme Maurer - Marina Geiger

jornalismo@revistacondominium.com.br

Em cada edição que produzimos, os assuntos preparados

são sempre visando ser de interesse atual e necessário

para a administração do síndico. Muitos deles, inclusive,

servem para esclarecer e chamar a atenção do Leitor a cerca

de temas que regem um bom e adequado andamento

do funcionamento de um condomínio. De qualquer forma,

não podemos esquecer do quão importante é mantermos

o respeito e o direito de cada cidadão. Recentemente, um

caso no mínimo intrigante chamou atenção do público,

em um prédio comercial em Curitiba (PR). Um pai, ao se

deslocar para uma consulta para levar a filha portadora de

mobilidade especial, teve que passar por constrangimentos

desnecessários até chegar ao consultório do médico, ainda

no estacionamento do prédio. Além de toda a dificuldade

imposta pelo síndico em tornar a acessibilidade do pai para

levar a filha até o consultório, o mesmo aplicou uma multa à

clínica sobre o pretexto de que a criança chorava muito alto,

durante a consulta. Produzimos uma reportagem alertando

sobre esse tipo de comportamento desproporcional do síndico,

principalmente por se tratar de um prédio comercial,

em que o bom senso tem que ser ainda mais praticado. O

velho ditado popular que diz: dê poder à pessoa e verá do

que ela é capaz; infelizmente pôde ser averiguado neste

caso, que no mínimo envergonha a classe de síndicos, mas

que também serve para alertar que não são mais aceitáveis

tais comportamentos na sociedade em que vivemos. Após

tentarmos vários contatos com o síndico e o prédio, não

obtivemos respostas, nem retorno. De qualquer forma, nada

justifica tal comportamento e que o caso se trata de um fato

isolado, lembrando sempre que da mesma forma a função

de síndico precisa ser respeitada, levando em consideração

que o equilíbrio é a base de todo o bom andamento do funcionamento

de um condomínio. Até a próxima!

Projeto Gráfico

Supervisão: Fabiana Tokarski

Crislaine Briatori Ferreira

Gabriela Bogoni

Larissa Purkotte

criacao@jotacomunicacao.com.br

Midias Sociais

Cainan Araújo

Depto. de Assinaturas

Pedro Moura

assinatura@revistareferencia.com.br

0800 600 2038

www.revistacondominium.com.br

A Revista CONDOMINIUM é uma publicação

da JOTA Editora

Rua Maranhão, 502 - Água Verde

CEP 80610-000 - Curitiba (PR) - Brasil

Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

A Revista CONDOMINIUM é uma publicação bimestral independente,

dirigida ao público curitibano, síndicos e condôminos da capital paranaense

e Região Metropolitana. A CONDOMINIUM não se responsabiliza

por conceitos emitidos em artigos e colunas assinadas, por serem de

responsabilidade de seus autores. A utilização e reprodução pode ser feita

desde que informada e citada a fonte. A Revista CONDOMINIUM também

não se responsabiliza por fotos de divulgação, bem como, por anúncios e

imagens enviadas por terceiros, por entender serem de responsabilidade

de seus produtores.

06


notas

Eficiência

em locação

O trabalho em obras exige uma equipe muito

capacitada, e é igualmente fundamental equipamentos

e máquinas adequados, que podem

agilizar os procedimentos de construção, ajudar

a manter a organização no espaço, facilitar a

vida dos funcionários, e exercer segurança. Para

isso, a Elevasul, é especialista e referência na locação

de máquinas e equipamentos para construção,

possui uma visão privilegiada na hora

de planejar, dimensionar e adequar os fatores

e equipamentos necessários para cada projeto

de construção, com destaque em geradores

de energia portáteis, equipamentos Makita e a

nova linha de politrizes Husqvarna. No mercado

desde 1995, a empresa oferece uma equipe

treinada e capacitada, máquinas, ferramentas,

e equipamentos qualificados, preventivos e com

um catálogo vasto e constantemente atualizado.

Certamente o melhor custo benefício para

qualquer obra ou mesmo reforma.

Foto: divulgação

Tecnologia

e inovação

Foto: divulgação

O grupo STV Segurança tem como missão: Proteger a

Vida e o Patrimônio dos Clientes. A empresa oferece serviços

de portaria presencial e remota, vigilância, produtos

de alarmes monitorados, controle de acesso, seguros,

entre outros, tudo pensado na proteção eficiente dos

moradores. Com destaque em inovação, com equipamentos

de tecnologia avançada de segurança, 100%

monitorados, preparação de projeto realizado por consultores

especializados em diagnosticar e implementar

soluções conforme a necessidade de cada cliente, além

da instalação e manutenção, contando com profissionais

treinados que garantem um nível máximo de qualidade

e utilização do sistema de segurança. A fiscalização e

o acompanhamento atuam de forma estratégica e geográfica,

garantindo rapidez no atendimento, agindo de

forma preventiva e participativa. Com uma central de

monitoramento 24h e pronta resposta, uma equipe de

vigilantes apta a interferir em situações de emergência

do sistema de segurança. Afinal, todo morador precisa

ter qualidade de vida e segurança dentro de seu lar.

08


gerência de atendimento

na Administradora Paraná

cada cliente tem a sua

identidade

Atendimento personalizado ao

síndico e conselho

Carteira segmentada

Agilidade nas informações

Realização de estudo orçamentário

Análise financeira e fluxo de caixa

Acompanhamento nas assembleias

e reuniões

Canal direto de comunicação via

Whatsapp

www.administradoraparana.com.br

Rua Conselheiro Laurindo, 809 | Centro | 80.060-100 | Curitiba - PR

Fone: (41) 3883-1700 | admparana@admparana.com.br


notas

Valorização do

patrimônio

Foto: divulgação

Testil Pinturas e Reformas, fundada em 2000,

traz a valorização do patrimônio em suas especialidades;

troca de telhados, manutenção

hidráulica, restauração de fachadas, pintura

interna e externa de condomínios prometendo

agilidade e competência, impermeabilização,

gerando resistência contra infiltrações e umidade,

aumentando a durabilidade dos imóveis,

entre outros. Desenvolvem e executam projetos

de construção e reformas em geral de

acordo com o gosto e necessidade do cliente.

Realizam os orçamentos sem compromisso. A

Testil possui diversos prêmios em qualidade,

em excelência, gestão, atendimento, e meio

ambiente. Agilidade no término da obra, além

de ótimo preço, são os grandes diferenciais

da empresa.

Foco em

soluções

Para uma administração condominial

completa, moderna e inteligente, a

CMPremium oferece o suporte personalizado

que o síndico precisa para

gerenciar bem o condomínio, e a transparência

e a agilidade que o morador

merece para viver com tranquilidade.

Conta com uma equipe capacitada, e

um corpo gestor com mais de 20 anos

de experiência no setor, assessorando

clientes na resolução de demandas, na

busca por soluções e no desenvolvimento

de eficiência por meio de serviços

de qualidade. A empresa promete

competência, transparência, agilidade

e experiência. Com mais de 350 condomínios

atendidos, 1000 síndicos assessorados,

25.000 famílias atendidas

e 400 colaboradores. Possui sede em

Curitiba (PR), Balneário Camboriú (SC)

e Londrina (PR), e atua em outras 26

cidades do Paraná e Santa Catarina.

Foto: divulgação

10


notas

Qualidade e

transparência

Fundada em 1999, a Intersept

surgiu com o objetivo de proporcionar

segurança e tranquilidade. E

realiza isto por meio de serviços de

segurança confiáveis e de qualidade,

com uma gestão transparente

em cada contratação. Além dos

profissionais envolvidos e clientes

que contratam os serviços, oferece

segurança para as pessoas que

quiserem contratar desde proteção

veicular a cercas elétricas, para condomínios,

comércios e empresas

em geral. Possui experiência e soluções na área de locação de mão de obra, segurança privada, monitoramento de

sistemas de segurança eletrônica, apoio administrativo, portaria, limpeza e conservação de ambientes, jardinagem

e rastreamento de veículos. Inicialmente em Curitiba e região metropolitana, e depois ampliando sua visibilidade

em todo o Estado do Paraná, mediante escritórios regionais nas cidades de Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Maringá

e base operacional em Londrina.

Foto: divulgação

Feira volta após

a pandemia

Foto: divulgação

Com o slogan: Do Projeto à Construção,

do Acabamento à Administração; a Habitacon-10

tem o objetivo de posicionar

e associar marcas, promover produtos,

serviços, tecnologias para habitação,

construção e condomínios, tudo aquilo

que é utilizado nas fases de planejamento,

projeto, construção, reformas, decoração,

manutenção e administração. Frente a um

evento direcionado a um público altamente

qualificado, profissional e consumidor,

promete, para quem visita e para quem

expõe na feira, realização de negócios,

incrementação nos conhecimentos e

atualização nas novidades da construção

e arquitetura. Vale a pena conferir!

12


Há 16 anos no mercado de segurança eletrônica,

a Qualiti é especialista em soluções inteligentes

para o seu condomínio e a sua empresa.

Uma empresa diferenciada, para clientes diferenciados,

que decidiram investir uma única vez e se

beneficiar por muitos anos de um sistema tecnológico

e eficiente, proporcionando segurança e

satisfação aos seus usuários.

(41) 99855-0105 @qualitisistemaseletronicos


notas

Administradora

Paraná

Foto: divulgação

A Administradora de Condomínios Paraná,

presente desde 1990 no mercado imobiliário,

é uma administradora de condomínios

dos mais tradicionais da cidade, que atua

exclusivamente na gestão condominial,

com foco na melhoria contínua. A Administradora

Paraná está sempre na vanguarda

do mercado, acompanhando as novas

tendências, investindo em infraestrutura

e tecnologia, para melhorar cada vez mais

seus serviços, oferecendo transparência,

segurança e agilidade nas informações para

mais de 25.000 condôminos. Tem como

propósito promover para seus clientes

uma gestão patrimonial proficiente, com

foco na melhoria contínua e com objetivo

de proporcionar tranquilidade, bem estar e

segurança para todos aqueles que residem,

trabalham e convivem em condomínios.

Instalação de

segurança

Há mais de 10 anos no mercado, a empresa

Qualiti Sistemas Eletrônicos presta

serviço a grandes empresas e condomínios

de Curitiba e região, comercializam

produtos de primeira linha, realizam a

aplicação de conceitos de segurança,

além de um atendimento personalizado.

Estes foram os fatores que destacaram

e consolidaram a marca nestes anos de

existência. A empresa garante mão de

obra técnica qualificada, equipamentos

de última geração, experiência e qualidade,

com a missão de desenvolver e

executar soluções profissionais e inteligentes

em segurança eletrônica, respeito

e valorização à vida dos clientes e dos

colaboradores. Tudo levando em consideração

a exata necessidade que cada

condomínio e ou residência necessita de

forma personalizada e exclusiva.

Foto: divulgação

14


sua empresa

GERANDO

ENERGIA

energia

Painéis Fotovoltaicos

A melhor opção na economia de energia

elétrica. Considerando o histórico da sua

unidade consumidora, realizamos um estudo

detalhado dos valores gastos hoje com a

ECONOMIA e retorno do valor investido.

www.otmaenergia.com.br

www.otmaenergia.com.br

(41) 3209-2486 | dario@otma.eng.br

Rua Amaro de Santa Rita,167

Fanny Curitiba / Paraná


notas

Controle de

pragas

Controle de pragas, além de indispensável,

também é essencial que seja realizado por

profissionais especializados e qualificados. A

Orkin oferece experiência e cobertura mundial,

com uma estrutura para atender rapidamente às

necessidades dos clientes, especialistas locais,

entomologistas altamente capacitados para dar

suporte aos consumidores sempre que necessário.

Além de tudo isso, tão importante quanto,

oferece segurança e confiabilidade com trabalho

periódico, ofertando revisão das práticas de

trabalho com objetivo de minimizar os riscos de

cada ambiente. Apresentam uma abordagem

científica, personalizada, fundamentada nos

princípios do MIP (Manejo Integrado de Pragas),

para controlar qualquer praga aplicando a menor

quantidade de produtos químicos possível.

Importante ressaltar, que ao menor indício de

qualquer praga, é fundamental a ação rápida e

eficaz para se eliminar possíveis focos.

Imagem: reprodução

Um novo conceito de

cuidar dos condomínios

Foto: divulgação

Desde 2016, a Entri entrega tecnologia de ponta,

aliada a um dos melhores padrões de serviços

do segmento. Oferece os benefícios de redução

das ações trabalhistas, economia e valorização

do imóvel, redundância de link, manutenção 24h

(horas), e sistemas com gerador nobreak. Tem

como valores integridade, comprometimento,

conhecimento, diálogo e paixão. Além disso,

é uma empresa ecologicamente responsável,

podendo alimentar todas as soluções por meio

de energia limpa, 24h por dia. Visando, ainda,

atender ao total da demanda de mão de obra

nos condomínios, possui um setor de facilities

com destacado corpo de profissional altamente

capacitado.

16


principal

Conversa

direta

18


DEVIDO ÀS NOVAS

TECNOLOGIAS, A

COMUNICAÇÃO ENTRE

MORADORES E SÍNDICOS FOI

FACILITADA, MAS CUIDADO

COM OS GRUPOS ABERTOS EM

QUE TODOS PODEM ENVIAR

MENSAGENS

Fotos: divulgação

whatsapp foi desenvolvido como uma

alternativa ao SMS, disponível para

O

download desde 2009, o aplicativo se

tornou uma das principais formas de comunicação

do brasileiro. Inicialmente, apenas para

fins informais, com o passar do tempo passou

a ser utilizado também como ferramenta para

trabalho, divulgação de informações, grupos

para interlocuções entre alunos e professores,

vizinhos e síndicos, além de empregadores e

funcionários.

www.revistacondominium.com.br 19


principal

Para moradores e sindicantes, passou a

ser muito recorrente a criação desses grupos,

com intuito de resolução de problemas e facilitação

de diálogos. Em alguns condomínios os

vizinhos utilizam um grupo entre eles, sem a

presença do síndico. Em outros, sem a possibilidade

dos residentes enviarem mensagens.

Entretanto em muitos casos, os moradores

utilizam do espaço para brigas, ofensas, anúncios

de vendas e assuntos alheios ao foco do

grupo. A possibilidade do administrador de configurar

o grupo de modo que somente o criador

tenha permissão de enviar mensagens foi um

método adotado pela maioria dos síndicos, para

evitar que a ferramenta seja usada de forma

inoportuna. A função é oferecida pelo aplicativo,

e pode ser ativada nas configurações do grupo.

O síndico Ilson Carlos da Silva, do

Pinewoods, localizado em Pinhais (PR), afirma

que em seu grupo ele utiliza dessa opção,

onde somente ele pode enviar mensagem, sem

a possibilidade de debate. Ele argumenta que

é uma informação que chega rápido aos moradores,

e desse modo, permite que somente

assuntos relacionados a copropriedade sejam

tratados.

Um dos moradores desse residencial, F.A,

não quis se identificar, relatou que em um

grupo composto somente por vizinhos ocorreu

uma discussão que desencadeou até um processo

judicial, e o realizador da acusação teve

que se retratar com o próprio grupo devido à

queixa falsa.

Gisele Sauner, síndica de cinco condomínios

em Curitiba, afirma ser contra grupos

abertos de whatsapp em condomínio, devido

aos condomínios administrados por ela serem

A meu ver as pessoas

pensam que podem falar

o que querem, porque

ninguém vai ver que é

aquela pessoa falando

20


O problema não é o

grupo de whatsapp em

si, mas alguns membros

que não sabem utilizar

a ferramenta

grandes, contando com mais de 300 apartamentos,

o grupo não comporta um representante

de cada domicílio, pois é limitado a 256

pessoas pelo whatsapp, não há a possibilidade

de considerar um canal de comunicação oficial,

então ela não se manifesta e não envia mensagens

relacionadas ao condomínio.

Para entrar em contato com os residentes

de maneira rápida, já que hoje em dia o

whatsapp está na palma da mão de todos, a

síndica criou grupos individuais por bloco, e

configurou o grupo para que somente ela envie

informações.

Mesmo assim, em mensagens enviadas

diretamente a ela, Gisele não chega a ler o que

mandam, pois acha desgastante. “Eles acham

que é uma terra sem lei, usam de maneira

imprópria. A meu ver as pessoas pensam que

podem falar o que querem, porque ninguém

vai ver que é aquela pessoa falando.”

Em um dos condomínios onde ela atua, um

morador que afirma não gostar de crianças,

chegou a mandar no grupo ofensa do tipo: filho

de chocadeira; enquanto uma criança brincava

no parque.

Outro caso que vivenciou foi quando excluiu

dois membros do grupo porque estavam

digladiando e marcando briga no estacionamento

do condomínio. A partir disso, foram

colocadas regras, mas mesmo assim ela segue

recebendo reclamações dos moradores. Cabe

aos moradores o discernimento de utilizar essa

ferramenta com compostura. O aplicativo permite

uma comunicação fácil e rápida, se usada

com presciência, gera resultados benéficos. “O

problema não é o grupo de whatsapp em si,

mas alguns membros que não sabem utilizar

a ferramenta”, avalia a administradora Gisele.

www.revistacondominium.com.br 21


cobrança

Deveres

dos síndicos

CONFIRA COMO OS SÍNDICOS DEVEM

SE COMPORTAR EM RELAÇÃO A

PRESTAÇÃO DE CONTAS E COBRANÇAS

AO CONDÔMINOS

Fotos: divulgação

22


O

condomínio é um ente cuja personalidade

jurídica possui um CNPJ, mas

não detém personalidade jurídica, portanto

o condomínio é a massa de condôminos

que o compõe. Os condôminos, como integrantes

da massa condominial, assemelham-se a

sócios de uma sociedade empresária, mas que

não possuem vontade de serem sócios.

Os moradores, assim como uma sociedade

empresária, possuem total direito a terem

acesso aos livros de prestação de contas do

condomínio e, inclusive, ao extrato das inadimplências,

entre outros acessos.

O artigo 1.350 do Código Civil determina

que ao menos uma vez ao ano deve ocorrer

uma assembleia geral de condôminos, por

meio da qual será realizada a previsão orçamentária

e, também, a prestação das contas do

exercício vigente. É dever do síndico, elaborar

anualmente a previsão orçamentária, assim

como deve prestar contas à assembleia ou

sempre que lhe for exigido.

mesmo que deliberada em assembleia de

condomínios com quórum qualificado.

Perante as formas de cobrança, a carta de

cobrança deve ser a primeira medida, porque é

possível que o pagamento tenha sido realizado.

Caso a carta não tenha o efeito inesperado, e a

inadimplência se estenda por mais de 3 meses,

o morador inadimplente deve ser acionado

judicialmente.

INADIMPLÊNCIA

Em relação aos moradores devedores, o

síndico deve adotar a postura de tratar de forma

particular com o próprio, e sem o direito de

aplicar uma punição exacerbada ou humilhante.

Previsto no código de defesa do consumidor,

Art. 42: Na cobrança de débitos, o consumidor

inadimplente não será exposto a ridículo, nem

será submetido a qualquer tipo de constrangimento

ou ameaça.

Alguns exemplos do que o sindicante não

deve aplicar como punição; impedir o uso de

áreas comuns do condomínio, interromper o

abastecimento de água e de gás, se for o caso

de lista de devedores, é proibido o sindicante

fixar a listagem em murais do condomínio, elevadores

ou corredores e encaminhar a listagem

por email aos condôminos.

A lista de devedores só deve ser divulgada

entre os interessados (moradores), sendo também

permitida sua divulgação em assembleia,

sem mencionar o nome do devedor.

As medidas cabíveis a essa situação seriam:

a proibição de voto em assembleia, mas com

a possibilidade de participar como ouvinte, e

também convocá-la, pagamento de multa e

juros. Contudo, a multa deve ser precedida

da oportunidade de direito prévio de defesa,

DICA:

Na cobrança de

débitos, o consumidor

inadimplente não será

exposto a ridículo,

nem será submetido

a qualquer tipo de

constrangimento ou

ameaça

www.revistacondominium.com.br 23


energia

Diminua sua

conta de luz

CONDOMÍNIOS INVESTEM

EM ENERGIA SOLAR PARA

DIMINUIR A CONTA DE

ENERGIA ELÉTRICA

Fotos: divulgação

24


nergia fotovoltaica é a energia elétrica

produzida a partir de luz solar, pode ser

E

feita mesmo em dias nublados ou chuvosos,

é gerada diretamente por placas solares,

que captam a luz do sol durante o dia e a transformam

em energia elétrica por meio do efeito

fotovoltaico. Sua produção é feita em grandes

usinas solares ou em micros e miniprojetos,

independente do tamanho do local, ou mesmo

do condomínio.

Desde 2013, a Otma Energia conta com profissionais

com mais de 20 anos de experiência,

atuando em mercado nacional e internacional,

além de equipe especializada com 5 engenheiros

e 1 arquiteto. Também elabora projetos profissionais

e oferece excelente suporte.

Considerando o histórico da sua unidade, é

realizado um estudo detalhado dos valores gastos,

com a economia e retorno do valor investido.

A empresa é especializada também em instalação

do sistema em condomínios. Principalmente

nos últimos anos, a procura está cada vez

maior por parte dos condomínios, justamente

pelo aumento da conta de luz, bem como, pela

facilidade de financiamento da instalação dos

equipamentos, oferecida pelo mercado.

“Com o custo alto de energia atual, ficou

viável o investimento no sistema de energia

fotovoltaico da Otma Energia, especialista em

instalar a sua usina em qualquer condição e

complexidade. Economize na conta de luz rapidamente”,

finaliza Fábio Sestrem, diretor da

Otma Energia.

“Com o custo alto de

energia atual, ficou

viável o investimento

no sistema de energia

fotovoltaico da Otma

Energia, especialista

em instalar a sua usina

em qualquer condição

e complexidade.

Economize na conta de

luz rapidamente”

Fábio Sestrem, diretor

da Otma Energia

www.revistacondominium.com.br 25


legislação

Um caso

inadmissível

SÍNDICO MULTA CLÍNICA

QUE ATENDE CRIANÇAS COM

CUIDADOS ESPECIAIS POR

CHORO DE PACIENTES

Fotos: divulgação

26


m odontopediatra de Curitiba (PR) foi

multado pelo condomínio comercial

U

onde trabalha no bairro Centro Cívico,

por conta do choro dos pacientes que ele atende.

Até ai pode parecer um caso simples de

pacientes que têm medo de dentistas ou algo

similar, porém o que causa suspeita e indignação

é a falta de noção e empatia do síndico,

pois a maioria dos pacientes atendidos pelo

profissional precisam de cuidados especiais. A

www.revistacondominium.com.br 27


legislação

As crianças

precisam de empatia

e de tempo para

se acostumar ao

ambiente

multa contra Edson Higa foi expedida ainda em

fevereiro, mas o caso só ganhou repercussão

neste mês após o dentista divulgar imagens

da penalidade. “É uma tristeza muito grande,

é um absurdo, estou até agora sem entender

como que as pessoas fazem isso”, indaga Edson.

No começo do mês de abril, uma manifestação

favorável ao profissional foi realizada

na capital, em frente ao prédio. O movimento

é em protesto ao tratamento do condomínio,

que funciona um centro comercial na Avenida

Cândido de Abreu, dado ao odontopediatra

onde atende crianças PCD. No documento divulgado

pelo dentista o valor da multa expedida

foi de R$ 332,66, valor da taxa condominial. O

documento diz que, em caso de reincidência,

o valor pode ser multiplicado por 10. “O que

eu sinto é que elas são intolerantes, fico extremamente

triste de não poder executar meu

direito de atender crianças com necessidades

especiais”, desabafa Edson.

Segundo o profissional, antes de ser multado,

uma notificação foi enviada em 9 de

dezembro de 2021. Na ocasião, o condomínio

alegou que o barulho e o choro das crianças

extrapolavam o limite do seu imóvel. Na notificação,

assinada pela síndica, é solicitado que

o dentista tome providências para diminuição

ou eliminação do barulho. O documento solicitou,

também, que ele fizesse isolação acústica

do consultório, o que ele afirma ter acatado.

“Acatei os pedidos que me fizeram, contratei

uma empresa para fazer a acústica”, revela o

dentista. Contudo os pacientes são crianças,

logo um choro ou outro vai acabar sendo ouvido,

independente da qualidade da acústica,

em alguns casos sons e ruídos podem ser

ouvidos. Edson completa dizendo que mandou

28


os documentos, assinados por um engenheiro,

comprovando o isolamento ambiente, mas

mesmo assim foi multado.

Em nota, a defesa do Centro Comercial

Cândido de Abreu informou que o dentista

manipulou informações sobre a solicitação

do condomínio para que ele faça melhorias

estruturais na unidade para confundir a falta de

preparo do laboratório dele com a violação aos

direitos dos pacientes. Além disso, alegou que

não existe discriminação no caso ou objetivo

de prejudicar a atividade dele. Ainda de acordo

com Edson, no dia em que foi multado, ele

estava atendendo uma criança com paralisia

cerebral. O dentista lembra que o paciente

chorou e que, ao ouvir o barulho, um vizinho

bateu diversas vezes na janela do consultório.

Na hora, o dentista estava com um bisturi na

mão. “Podia ter acontecido algo grave, quando

isso aconteceu, liguei para a gerência do prédio

e reclamei. Depois, recebi a multa”, conta.

Edson explicou que o atendimento aos

pequenos requer todo o tipo de cuidado, para

que eles se acostumem ao ambiente. Mesmo

assim, muitos deles acabam chorando durante

a consulta. “As crianças precisam de empatia

e de tempo para se acostumar ao ambiente.

Tenho que contar uma história e sempre faço

massagens nas costas e nos pés para se sentirem

mais à vontade”. O dentista ainda explica

que é necessário todo um cuidado para fazer o

atendimento. Edson conta que até tentou colocar

isolamento acústico nas janelas, mas elas

precisam ficar abertas por conta da pandemia.

De acordo com o dentista o centro comercial

já tinha sido avisado.

DENÚNCIA

No último dia 12, o caso chegou à CRIAI

(Comissão de Defesa dos Direitos da Criança,

do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência),

da ALEP (Assembleia Legislativa do

Paraná). O presidente da Comissão, o deputado

estadual Cobra Repórter (PSD) apresentou um

ofício, que pede esclarecimentos ao NUCRIA

(Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente

Vítima de Crimes) sobre o assunto. “Onde

está o respeito e a inclusão? Pedimos rigor nas

investigações. Crianças e pessoas com deficiência

têm prioridade absoluta e preferência em

virtude de suas vulnerabilidades. No mínimo,

houve falta de bom senso para garantir os

direitos das crianças atendidas”, defendeu o

deputado.

NOTA: A EQUIPE DA REVISTA CONDOMINIUM TENTOU

ENTRAR EM CONTATO COM O CENTRO COMERCIAL

CâNDIDO DE ABREU, PORÉM NÃO CONSEGUIU RESPOSTA

ALÉM DA NOTA DIVULGADA PELOS MESMOS

www.revistacondominium.com.br 29


perfil

Amor

pelo

ofício

SATISFAÇÃO QUE REFLETE

NA PRÁTICA PROFISSIONAL

Foto: divulgação

30


muito bom o sentimento de estarmos

seguros onde moramos e, sem dúvidas,

É

devemos isso à figura do porteiro. Uma

dessas profissionais tão importantes é a Tandara

Cristina, que trabalha há 5 anos no Wood

Park Residence. Ela fala que gosta muito de

trabalhar no local e que isso reflete diretamente

no seu desempenho. “Não sinto dificuldade

nenhuma em trabalhar aqui, pois gosto muito

do que faço”, destaca.

Sobre sua relação com os moradores do

edifício, Tandara comenta que é muito bem

tratada por eles. “O respeito sempre está acima

de tudo aqui no prédio e tenho muito carinho

pelas pessoas daqui.” A profissional ressalta

que o ambiente de trabalho é bem seguro e

que valoriza muito o seu emprego. “Trabalhei

em outros lugares, mas aqui é o melhor lugar

por onde já passei.” Amor pelo que faz: essa

é a fórmula do sucesso para Tandara Cristina.

Ainda sobre a satisfação em desenvolver seu

trabalho, Tandara abre o coração quando o

assunto é família. “Aqui faço parte da família

dos moradores e eles da minha. Só tenho que

agradecer por esse tempo de serviços prestados”,

orgulha-se Tandara.

Aqui é o melhor lugar

por onde já passei

Tandara Cristina, porteira

• Tem uma história legal para nos contar de um funcionário (porteiro ou zelador) do seu condomínio? Entre em contato conosco pelo email:

jornalismo@revistacondominium.com.br. | As histórias mais interessantes serão publicadas nas seções: Gente que Cuida e Perfil

www.revistacondominium.com.br 31


artigo

Condomínios

estudantis

32


REPÚBLICA EM CONDOMÍNIOS

RESIDENCIAIS: PODE OU NÃO PODE?

Fotos: divulgação

studantes de diversos locais do Brasil,

com o intuito de ficarem próximos às

E

universidades, se reúnem, formam uma

república e vão em busca de uma moradia. Uma

questão polêmica é a constituição de repúblicas

em condomínios residenciais. Muitos vetam a

ocupação de apartamentos para esse fim, pois

consideram que os jovens estão mais propensos

a violar o sossego com festas, barulhos

em horários inadequados, grande volume de

pessoas, entre outros. Por serem mais jovens,

muitos condomínios vetam o uso das moradias

por parte desse perfil justamente por medo

que venham a criar problemas decorrentes de

comportamentos rebeldes. Porém, mesmo

diante desses fatos, essa proibição é por diversas

vezes questionada. A grande questão é

se os condomínios residenciais podem proibir

a república.

Em 2013, em um condomínio de Maringá

(PR), os moradores do prédio criaram uma

regra onde os apartamentos, no todo ou em

parte, destinam-se exclusivamente a fins

residenciais, sendo expressamente proibido

o uso, locação ou sessão para república de

estudantes. A regra, criada pelos moradores,

teve como objetivo, segundo a síndica na época,

garantir o sossego das famílias. Contudo,

um dos proprietários decidiu fechar contrato

de locação com quatro estudantes, o que não

foi bem recebido pelos moradores. “Os jovens

que moravam no prédio infringiram várias regras,

como deixar o lixo fora da área e deixar o

www.revistacondominium.com.br 33


artigo

portão aberto, afetando a segurança do prédio”,

explicou a síndica na época, Ana Paula Silveira

de Carvalho.

Foi quando começou a disputa judicial sobre

os direitos do condomínio em escolher os

moradores e o direito do dono do apartamento

de locar o imóvel a estudantes universitários.

Em 2013, poucos meses depois do aluguel, o

TJ-PR (Tribunal de Justiça do Estado do Paraná)

decidiu que o condomínio tem o direito de

proibir a formação de repúblicas estudantis. O

dono do apartamento, que prefere não ter o

nome completo divulgado, chegou a questionar

na justiça o conceito de república. A 4ª Vara

Cível de Maringá, que havia dado o ganho da

causa para o condomínio. “O prédio fica em

uma região de estudantes, mas é diferente. É

um edifício mais alto, os apartamentos têm 4

quartos, suítes com hidro. É diferente de prédio

de república. Tem quem fale que é preconceito,

mas não. Prezamos é pelo nosso sossego”,

afirmou a síndica.

Alguns condomínios acabam não tendo

controle de alguns jovens que estão residindo

em uma de suas unidades. Os problemas mais

comuns com repúblicas de estudantes, são

problemas por conta da bagunça, do barulho

devido a festas e que incomodam outros moradores,

visitantes que trazem de fora, geralmente

outros estudantes, quebram o sistema

de regras simples do dia a dia, entre outros. Por

outro lado, quando essas repúblicas são integradas

por pessoas mais centradas realmente

nos estudos, não trazem maiores problemas.

Geralmente, a dor de cabeça maior acontece

com repúblicas compostas por pessoas normalmente

menos experientes.

O fato é que não há um consenso sobre o

assunto, a lei não traz uma definição sobre o

tema. O que se tem é o que vem da própria

prática, que vem a ser a coabitação de um

grupo de pessoas que não mantém laços de

parentesco em uma unidade. Nas proximidades

de universidades se encontra esse agrupamento

de estudantes, que muitas vezes nem

se conhecem.

CÓDIGO CIVIL

O direito à tranquilidade condominial é assegurado

no Art. 1.336 do Código Civil: “São

34


deveres do condômino: IV – dar às suas partes

a mesma destinação que tem a edificação, e

não as utilizar de maneira prejudicial ao sossego,

salubridade e segurança dos possuidores,

ou aos bons costumes”. Pela lei, não existe

república, portanto, não existe a proibição. O

que se encontra na jurisprudência, que é antiga,

mas que vem tomando rumos atuais, é um

embate que precisa ser resolvido.

Pela lógica, por trás da jurisprudência há

um embate que deve ser resolvido: o lado de

propriedade do condômino, de utilizar e expor

da sua unidade como bem entender, dentro dos

limites da convenção e da lei. Onde se devem

cumprir as finalidades daquela edificação e, no

caso da república, o que se tem é uma ocupação

que é residencial, os estudantes usam

aquele espaço como habitação. Portanto, a

jurisprudência tende a responder que proibir

não é possível porque a finalidade, que é o

aspecto que geralmente é alçado, não está

sendo alvo de desrespeito.

MAS COMO EVITAR OS MAUS COM-

PORTAMENTOS?

Perante a lei, não existe diferença, são

todos locatários. Mas, na prática, existe. Para

inibir certos tipos de ação que possam trazer

algum mal-estar, o síndico deve apresentar,

logo na chegada dos novos moradores, um

documento com as normas do condomínio, a

convenção, o regimento interno, até mesmo

uma cartilha de procedimentos, que normalmente

foi aprovada previamente por uma assembleia.

O síndico deve explicar quais são as

regras principais, se tem dúvidas, se precisa de

ajuda, enfim, ele deve se colocar à disposição

do novo condômino. Deve dar uma disciplinada

inicial, para que ele se sinta muito bem vindo

ao condomínio e que ele também não traga nenhum

tipo de transtorno para os demais. Com

o contato direto com o gestor, tudo fica mais

fácil. Não só para os estudantes de modo geral,

mas para toda a massa condominial em si.

República em condomínios ainda é um

assunto que gera muitas polêmicas. O que a

coletividade condominial deve ter em mente é

que o fato de duas ou mais pessoas, sem grau

de parentesco, coabitarem uma unidade, por si

só, não se pode alegar violação da norma do

condomínio. Nos dias atuais, a jurisprudência

tem entendido que, o que se deve levar em

consideração é o mau comportamento ou

conduta incompatível com o bem-estar dos

demais moradores, independente de fazer

parte de uma república ou não.

E SE ACONTECER UM PROBLEMA?

O síndico deve esperar que o problema

aconteça para que o condomínio aplique o

meio repreensivo adequado segundo o processo

legal. Existem os meios extrajudiciais de

controle, multas, advertência, até ação judicial,

criminal, se for o caso, além de outras medidas

administrativas. O que o judiciário responde,

em termos simples, é isso. Atingir a unidade

concretamente nas indisciplinas perpetradas,

causadas, esse é o caminho recomendado.

O síndico deve esperar

que o problema

aconteça para que o

condomínio aplique

o meio repreensivo

adequado segundo o

processo legal

www.revistacondominium.com.br 35


gente que cuida

De

sorriso

fácil

A zeladora que traz

leveza e bem-estar ao dia

a dia dos condôminos

Fotos: CONDOMINIUM

omo é bom começar o dia recebendo

um sorriso leve e sabendo que tem

C

alguém cuidando de onde moramos. A

zeladora Ana Gisele é uma dessas figuras tão

importantes. Há pouco mais de três anos, ela

trabalha no Edifício Amazonas, no bairro Água

Verde. Residente em Campina Grande do Sul

(PR), ela conta que sua rotina é cansativa e

que precisa pegar dois ônibus para chegar ao

trabalho todos os dias, mas demonstra carinho

36


pela profissão. “Todo esforço vale a pena. Sou

muito respeitada e valorizada pelos moradores

daqui. É uma tranquilidade trabalhar no edifício.

Gosto de ser zeladora e do emprego que

tenho”, destaca.

Perguntada sobre sua relação com os moradores,

a zeladora comenta que o convívio é

muito bom e que ela é bem tratada pelos condôminos:

“Os moradores são muito queridos e

acredito que, pelo tempo que estou aqui, eles

gostam do meu trabalho. Sinto como se fizesse

parte da família deles.” De sorriso fácil e jeito

cativante, Ana Gisele representa tudo aquilo

que uma zeladora tem que ser para aqueles à

sua volta. “Gosto do que faço. Gosto de ajudar

as pessoas. Faz parte de mim. Quando a gente

ajuda os outros, de alguma forma, também

somos ajudados”, garande Ana Gisele.

“Gosto do que faço. Gosto

de ajudar as pessoas. Faz

parte de mim”

Ana Gisele, zeladora

• Tem uma história legal para nos contar de um funcionário (porteiro ou zelador) do seu condomínio? Entre em contato conosco pelo email:

jornalismo@revistacondominium.com.br. | As histórias mais interessantes serão publicadas nas seções: Gente que Cuida e Perfil


entrevista

Luiz Fernando

Martins Alves

DIRETOR PRESIDENTE DA AACEP (ASSOCIAÇÃO DAS

ADMINISTRADORAS DE CONDOMÍNIOS DO ESTADO DO PARANÁ)

Foto: divulgação

eunir, representar e aprimorar as

Administradoras de Condomínios do

R

Paraná, a fim de aperfeiçoar e fortificar

as ações, agregando valor aos associados e

seus clientes. Essa é a missão da AACEP (Associação

das Administradoras de Condomínios

do Estado do Paraná). A associação busca

sempre manter seus associados informados

sobre assuntos pertinentes a administração

condominial, realizar o intercâmbio de informações,

experiências e conhecimentos do

mercado condominial, informar ao público

assuntos referentes ao seu ramo de atuação.

Lutar pela solidariedade da classe, promover

e divulgar campanhas sobre as vantagens de

confiar na administração de condomínios.

Conheça um pouco sobre a AACEP e mais

sobre seus valores nessa entrevista exclusiva

com o diretor presidente da associação, Luiz

Fernando Martins Alves.

38


COMO SURGIU A IDEIA DE CRIAR UMA

ASSOCIAÇÃO VOLTADA PARA A GESTÃO

DE CONDOMÍNIOS?

Foi uma iniciativa de alguns proprietários

de tradicionais administradoras de Curitiba

(PR). Transformar as conversas informais sobre

o mercado que aconteciam em encontros

eventuais em algo sério, com agenda, objetivos

para evoluir em conjunto, contando com as

experiências uns dos outros e ajudando uns

aos outros.

QUAL O PRINCIPAL OBJETIVO DA AS-

SOCIAÇÃO?

Desejamos contribuir com o desenvolvimento

do mercado condominial do Paraná e

do Brasil. Dessa forma, as administradoras se

tornam cada vez mais eficientes. Com isso, os

condomínios e seus moradores ganham com

um suporte ainda mais satisfatório, com serviços

de qualidade e agilidade, usam o que há

de mais moderno em tecnologia, inovação e

profissionalismo no segmento.

COMO SE CONSOLIDA A RELAÇÃO COM

AS ASSOCIADAS? QUAL A PRINCIPAL FUN-

ÇÃO DA AACEP NESTE SENTIDO?

A relação das administradoras associadas

é intensa. Além dos assuntos formais tratados

em reuniões e assembleias, a abertura que

temos por meio de encontros presenciais,

grupos de whatsapp e confraternizações torna

o relacionamento mais próximo. Isso possibilita

o envolvimento e a cumplicidade na abertura

de assuntos comuns aos interesses de todos.

Sem a AACEP, isso certamente se tornaria mais

difícil, principalmente com grande número de

participantes.

DE QUE FORMA DIVULGAM O CONCEI-

TO E OS SERVIÇOS DA ASSOCIAÇÃO?

Além do site www.aacepr.com.br temos

perfis no Facebook e Instagram. Também temos

uma Assessoria de Imprensa que nos abre

portas nos principais meios de comunicação

da região. É rotineira nossa participação em

programas de rádio, noticiários de TV e portais

de notícias na internet - sempre esclarecendo

a população sobre assuntos relevantes para

aqueles que vivem em condomínios. Problemas

de relacionamento entre moradores, cobranças

de taxas condominiais, cuidados com a

Covid-19 e aumentos de taxas públicas como

água e energia são os assuntos em que mais

somos requisitados para contribuir com os canais

de comunicação. Mas abordamos pautas

sobre tudo o que envolve a administração e a

gestão de condomínios.

DE QUE FORMA A ASSOCIAÇÃO BUSCA

PARTICIPAR DE QUESTÕES JURÍDICAS, NO

QUE SE REFERE À SOLUÇÕES QUE PODEM

TRAZER BENEFÍCIOS AOS CONDOMÍNIOS?

Desde a sua fundação, a AACEP não se

envolveu em demandas judiciais representando

o setor e nem é este nosso foco principal. Preferimos

o viés da prestação de serviços como

a divulgação de forma objetiva e clara sobre

assuntos de interesse do mercado condominial.

COMO A ASSOCIAÇÃO, JUNTAMENTE

COM AS EMPRESAS ASSOCIADAS, PROCU-

RA AUXILIAR O SÍNDICO EM SUAS RESPON-

SABILIDADES E COMPROMISSOS?

Além da maciça divulgação e posicionamento

sobre toda matéria que envolve a vida

em condomínio, em 2021 realizamos o Primeiro

Meeting de Administração Condominial, um

congresso online – em virtude da pandemia

- onde contamos com a participação de dez

palestrantes em dois dias de muito conteúdo

para o setor. O público elogiou e muito

www.revistacondominium.com.br 39


entrevista

a seriedade e o cuidado com a escolha dos

temas. A ideia foi levar aos síndicos e demais

participantes diversas informações e inovações

ao segmento condominial. Foram mais de 500

participantes no primeiro dia e 400 no segundo

dia. O evento foi um grande sucesso e vai se

repetir em setembro de 2022, em Curitiba. A

data ainda provisória do evento está prevista

para 21 de setembro.

PESSOALMENTE, COMO INICIOU E

CONSOLIDOU SUA RELAÇÃO EM QUES-

TÕES VOLTADAS PARA CONDOMÍNIOS E

SEU PÚBLICO?

Trabalhando no setor é normal o envolvimento,

justamente por querer melhorar sua

própria empresa, os serviços que realizamos

e estar com pessoas que atuam no mesmo

mercado é fundamental. É um exercício de

benchmarking constante participar da AACEP.

Inclusive, desejamos que mais administradoras

se juntem a nós. Representamos mais de mil

condomínios em todo Paraná e nossas portas

estão sempre abertas. Por isso, as novas administradoras

serão muito bem-vindas.

mercado condominial - ajudando pessoas e

empresas - é algo fundamental e diferencial.

Ou seja, a AACEP atua para melhorar a vida

de quem administra e reside nos condomínios.

Por isso, somos muito bem vistos por todos do

segmento e crescemos juntos.

QUAIS AS PRINCIPAIS CONQUISTAS ATÉ

AQUI?

Representatividade para o setor. Ganhamos

mais voz e visibilidade para o mercado condominial.

Nosso sindicato é uma instituição séria

e respeitada, mas também representa outros

setores como os próprios condomínios e imobiliárias.

Por isso, a AACEP ganhou muita credibilidade

pelo trabalho desenvolvido – sempre

com transparência e busca por melhorias no

segmento condominial. O Primeiro Meeting de

Administração Condominial, em 2021, foi um

exemplo disso. Nunca houve nada assim no Paraná.

Esse congresso online foi exclusivo para

assuntos de interesse do mercado condominial

e a participação foi excelente. A demanda foi

enorme e a edição de 2022 já está confirmada

para o mês de setembro.

DE QUE FORMA BUSCAM AMPARAR

OS CONDOMÍNIOS EM CASOS DE ROUBO,

ASSALTO OU OUTRAS SITUAÇÕES INDESE-

JÁVEIS?

Prestamos serviços com diversas informações

atualizadas e orientações sobre esses

temas. Quanto mais as administradoras atuam

junto aos síndicos, melhor é a relação de confiança

entre eles e melhor se torna a vida dos

condôminos. Ou seja, é uma relação em que

todos ganham juntos.

QUAIS AS PRINCIPAIS VANTAGENS E

POR QUE SE ASSOCIAR?

Hoje em dia é comum existir grupos de

mentoria empresarial. Pessoalmente, acho

que o principal motivo para estar na AACEP

é a possibilidade de fácil acesso às demais

administradoras, com troca de conhecimento

e amplo network. O relacionamento com

fornecedores de produtos e serviços também

melhorou bastante. Por estarmos neste grupo,

essas empresas nos enxergam com outros

olhos. Além disso, o servir ao grupo e ao

Nosso sindicato é uma

instituição séria e

respeitada, mas também

representa outros setores

como os próprios

condomínios e imobiliárias.

Por isso, a AACEP ganhou

muita credibilidade pelo

trabalho desenvolvido

40


O QUE OS MOTIVA A CONTINUAR OFE-

RECENDO ESSE SERVIÇO E APOIO?

Ainda há muito que fazer para o segmento

condominial. Sempre podemos melhorar

nossos trabalhos e serviços para que tanto as

administradoras e síndicos – quanto os condôminos

– tenham mais qualidade de vida no

condomínio. Queremos e vamos manter nossos

associados informados sobre todos os assuntos

pertinentes à administração condominial

e isso muda regularmente. Com a pandemia,

as mudanças foram enormes e recorrentes,

mas conseguimos comunicar rápido para se

adequarem rapidamente às leis e normas

municipais. O intercâmbio de informações

que fazemos, as experiências compartilhadas

e os conhecimentos do mercado condominial

trazem uma enorme diferença competitiva aos

filiados da AACEP. Da mesma forma, queremos

informar a sociedade sobre nossas ações, prestar

serviço de qualidade, promover e divulgar

campanhas sobre as vantagens de confiar na

administração profissional de condomínios.

Também cooperamos com órgãos públicos

em estudos e soluções de questões que se

relacionem à categoria, apoiando e sugerindo

decisões e projetos de leis que atendam aos

interesses da administração condominial. Por

fim, atuamos em um grupo coeso e bem integrado,

buscamos parcerias boas com todos

os envolvidos e favorecemos os clientes de

nossos associados.

QUAIS OS PLANOS FUTUROS DA AS-

SOCIAÇÃO?

Crescer cada vez mais. Desejamos que nossa

voz e nossa representatividade sejam mais

expressivas. Dessa forma, queremos contribuir

com o desenvolvimento do setor condominial

no Paraná e no Brasil e ser agentes ainda mais

efetivos na prestação de serviços de excelência

condominial. Também desejamos ter novos

associados em todo o Paraná e fazer com que

o Meeting de Administração Condominial de

2022 seja ainda melhor do que o primeiro. Estamos

trabalhando obstinadamente para isso.

ESPECIALISTA MUNDIAL NO

CONTROLE TOTAL DE PRAGAS

Oferecemos qualidade, confiabilidade e segurança incomparáveis.

Estamos mudando a maneira como as pessoas veem o controle de pragas.

Além de fornecermos manejo eficaz de pragas, oferecemos também um

serviço excepcional ao cliente, com resposta rápida e com foco na segurança.

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Orkin Paraná: (41) 99856-9258


®

a testil é especialista

em IMPERMEABILIZAÇÃO e

troca de telhados!


Outros serviços:

• Pinturas prediais

• Manutenção hidráulica

• Reformas em geral

• Troca de telhados

www.testil.com.br

(41) 99157 4177 (41) 3229 3359

contato@testil.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!