20.06.2022 Views

Biomais_51 - OOPS

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

NOTAS

FORÇA DO SOL

As famílias do assentamento Padre Acácio, no sertão

paraibano – região com um dos mais altos índices

de incidência de sol do Brasil, descobriram na energia

solar uma forma de baratear a produção de alimentos

e garantir a segurança hídrica da comunidade. A área

de reforma agrária, situada no município de Malta, a

aproximadamente 330 km (quilômetros) da capital,

João Pessoa, sofre com a irregularidade das chuvas.

Registrando mais de 3,2 mil horas anuais de insolação,

a região foi escolhida para receber a Usina Solar

Malta. Pertencente ao Complexo Fotovoltaico Angico

e Malta e de posse da SPE Malta Energias Renováveis,

o empreendimento entrou em operação comercial no

segundo semestre de 2018 com capacidade instalada

de 27,2 MW (Megawatts) e 31,59 MW de potência

pico.

Os painéis fotovoltaicos foram implantados na

área comunitária do assentamento Padre Acácio em

agosto de 2021, por meio de projeto da Diocese da

Igreja Católica de Patos, município polo da região. A

energia solar obtida substituiu a energia elétrica na

alimentação da bomba hidráulica do poço que abastece

a comunidade. As famílias não tiveram nenhum

custo com o sistema.

De acordo com a presidente da associação dos

agricultores do assentamento, Giliane Garcia dos

Santos, a água do poço é utilizada para a irrigação das

lavouras de frutas (goiaba, mamão, pinha e acerola) e

para os animais de pequeno e grande porte (caprinos,

ovinos e bovinos) de 23 das 28 famílias do assentamento.

“Também aproveitamos para lavar pratos e

roupas e tomar banho. Só não para beber porque para

isso usamos a água de cisternas”, contou a agricultora,

acrescentando que a conta mensal de energia caiu de

cerca de R$ 30 para, no máximo, R$ 5.

A instalação do novo meio de geração de energia

solar foi uma surpresa para as famílias, segundo Giliane,

pois a comunidade não teria condições de investir

na tecnologia com recursos próprios. “A gente ficou

muito feliz porque não imaginava que nosso assentamento

pudesse ser contemplado com um projeto

como esse, mudou a nossa vida”, disse.

Foto: divulgação

20 www.REVISTABIOMAIS.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!