08.08.2022 Views

Industrial_243Web

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

ENTREVISTA Wilson Wolkweis, presidente do Sindusmad de Mato Grosso, é o entrevistado do mês

EFICIÊNCIA EM

EXPANSÃO

FERRAMENTAS AMPLIAM A PRODUTIVIDADE

NO CORTE DA MADEIRA E CHEGAM AO

MERCADO LATINO AMERICANO

EFFICIENCY IN

EXPANSION

TOOLS INCREASE WOOD CUTTING

PRODUCTIVITY AND ARE NOW AVAILABLE

ON THE LATIN AMERICAN MARKET


OMECO COMPLETA 77 ANOS

20 secadores e 7 linhas de prensagem entregues

de jan/21 até jun/22 para:

Parfino, Rússia: prensa 46 pratos

Parfino, Rússia: secador 8R-5.8/VI

com scanner de classificação e

stacker para lâminas de 1,15mm de

espessura

Somapar Ltda: secador 9R-5.8/IV

Specialty Laminates, Canadá:

prensa de melamina 5´x10´

Nereu Rodrigues e Cia Ltda: prensa

21pm com carregador

Avelino Bragagnolo SA: secador

6R-5.8/IV

VW Ind Com Ltda: secador

6R-5.8/IV

Industrial Arbhores EPP: secador

10R-5.8/IV

Wotan Forest, República Tcheca:

prensa 39 pratos

Compensados NM Ltda: secador

7R-5.8/IV

Tehnoles LLC, Rússia: serra SECII

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Palmas: secador 10R-5.8/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Ibaiti: secador 10R-6.2/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Ventania: secador 10R-6.2/IV

Smolstron, Rússia: secador

6R-6.2/IV

Chance Company, Rússia: secador

8R-6.2/IV

Compensados Laselva Ltda:

secador 6R-5.8/IV

Compensados Relvaplac Ltda:

secador 10R-5.8/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Palmas: secador 10R-5.8/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Palmas: secador 10R-5.8/IV

Dallo Madeiras: secador 6R-5.8/IV

Marini Ind de Compensados Ltda:

saida do secador com cross

transfer e roda de classificação

Aguer Luis Alberto, Argentina:

prensa 21 pratos com carregador

Formato Ind e Com de

Compensados Ltda: secador

10R-5.8/IV

Compensados Relvaplac Ltda:

prensa fenólico 11pm com

carregador

Agil Madeiras Eireli: secador

10R-5.8/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Ventania: prensa 21 pratos

com carregador

Aguer Luis Alberto, Argentina:

secador 8R-5.8/IV

Ind de Compensados Sudati

Ltda/Ventania: secador 14R-5.8/IV

Visite nosso novo site para ver fotos de todas estas máquinas

Medidor automático de umidade de lâminas Omeco/Mecano

Para ser instalado na saída do secador para checar a umidade de todas as

lâminas secas. Possibilidade de instalar o variador automático de velocidade

do secador controlado pela umidade das lâminas.

Secador com rolos de 6.200mm

Para secagem de eucaliptus que encolhe mais

que o pinus na secagem, equipado com câmara

de fumaça para trabalhar com até 100% de

umidade interna.

Omeco Ind. e Com. de Máquinas Ltda.

Av. das Industrias, 2450 | CIC | CEP 81.310-060 | Curitiba - PR | Brasil

Fone: (41) 3316.7100 | (41) 99659.0400 | omeco@omeco.com.br

www.omeco.com.br


COM A MAIOR PRODUÇãO Da SUA HISTóRIA

Exemplos de produção e consumo dos secadores extraídos das telas do IHM

Secador 14 câmaras, 4 pistas, 5,8m de rolos sem

piso isolado. Produção instantânea de lâminas

secas 14,2m 3 /h com lâminas de 2,8mm, 18kg/cm 2

de pressão de vapor e aproveitamento de 85% do

secador. Consumo de vapor 800kg/m 3 . Consumo

de energia elétrica dos ventiladores de secagem

22KW/m 3 .

Secador 10 câmaras, 4 pistas, 5,8m de rolos com piso isolado.

Produção instantânea de lâminas secas 11,3m 3 /h com lâminas de

4,4mm, com 20kg/cm 2 de pressão de vapor e aproveitamento de

85% do secador. Consumo de vapor 700kg/m 3 . Consumo de

energia elétrica dos ventiladores de secagem 19,5KW/m 3 .


SUMÁRIO

INDUSTRIAL

66

2022

46

56

52

MADEIRA

ANUNCIANTES DA EDIÇÃO

Abimci 43

Ágil Madeiras 39

Aimex 41

Alca Máquinas 13

Arte Diamante 44

Benecke 11

Cipem 55

DRV Ferramentas 17

Drytech 31

Encapp 59

Engecass 15

Eurothermo 37

Impacto 35

Indumec 25

Linck 07

Lions Machine 33

Máquinas Lampe 79

Mendes Máquinas 02

Mill Indústrias 84

Montana Química 09

MSM Química 23

MSP Industrial 83

Nazzareno 27

Omeco 04

Omil 21

Prêmio REFERÊNCIA 81

Rone Usinagem 77

Termolegno 29

Vantec 19

SUMÁRIO

08 Editorial

10 Cartas

12 Bastidores

14 Notas

30 Aplicação

32 Frases

34 Entrevista

42 Coluna ABIMCI

46 Principal Expansão pelas Américas

52 Economia

56 Manejo

60 Química na Madeira

62 Secundária

66 Feira

74 Artigo

80 Agenda

82 Espaço Aberto

06

referenciaindustrial.com.br JULHO 2022


TECNOLOGIA DE PONTA PARA SERRARIAS

Curitiba – PR - Brasil

: +55 41 3332 5442

@ : bkrick@bkrick.com.br

: www.bkrick.com.br

www.linck.com

Sucesso garantido com a nossa

competência e experiência

mais de 150 linhas de perfilagem em uso ao redor do mundo

serrarias com otimização de tábuas laterais e aumento de rendimento desde 1983

serrarias com corte em curva desde 1989

serrarias para corte de toras classificadas por dimensão e não classificadas

Inovação. Qualidade.

Economia.

MADE IN GERMANY


EDITORIAL

CORTE COM

ECONOMIA E

PRODUTIVIDADE

F

erramentas com precisão que ampliam as aplicações

dos cortes da madeira, desenvolvidas

há 39 anos por uma empresa catarinense em

expansão pelo mercado brasileiro, latino americano

e da América do Norte. Verdadeiro case

nacional, inovando em sistemas produtivos, automações

e maquinário, a Arte Diamante é a nossa matéria de

capa deste mês. Nessa edição, trazemos uma entrevista

exclusiva com o presidente do Sindusmad (Sindicato

das Indústrias Madeireiras do Norte do Estado de Mato

Grosso). O leitor também confere a cobertura da ForMóbile

2022, maior evento do setor moveleiro da América

Latina, matérias sobre o uso da produção industrial de

biomassa na geração de energia, mercado, marcenaria e

muito mais. Tenha uma ótima leitura!

NA CAPA

NA CAPA DESSE MÊS É

ESTAMPADA UMA FERRAMENTA

DE ALTA PRECISÃO NO CORTE

DA MADEIRA, DA EMPRESA

ARTE DIAMANTE

EXPEDIENTE

ANO XXIV - EDIÇÃO 243 - AGOSTO 2022

A Revista da Indústria da Madeira / The Magazine for the Forest Product

www.referenciaindustrial.com.br

Ano XXIV • N­243 •Agosto 2022

ENTREVISTA Wilson Wolkweis, presidente do Sindusmad de Mato Grosso, é o entrevistado do mês

EFFICIENCY IN

EXPANSION

TOOLS INCREASE WOOD CUTTING

PRODUCTIVITY AND ARE NOW AVAILABLE

ON THE LATIN AMERICAN MARKET

EFICIÊNCIA EM

EXPANSÃO

FERRAMENTAS AMPLIAM A PRODUTIVIDADE

NO CORTE DA MADEIRA E CHEGAM AO

MERCADO LATINO AMERICANO

Diretor Comercial / Commercial Director - Fábio Alexandre Machado

fabiomachado@revistareferencia.com.br

08

CUTTING WITH ECONOMY

AND PRODUCTIVITY

T

ools with a precision that expand wood

cutting applications were developed 39 years

ago by a company in the State of Santa

Catarina, extending through the Brazilian,

Latin, and North American markets. This

month, Arte Diamante is our cover story, a genuine national

case study, innovating in production systems, automation,

and machinery. In this issue, we have an exclusive

interview with the President of the North of the State of

Mato Grosso Business Union of Forest-based Companies

(Sindusmad). The reader also has coverage of ForMóbile

2022, the largest trade fair for the Furniture Sector in Latin

America, and articles on the use of industrial biomass

production in the generation of energy, market, woodworking,

and much more. Pleasant reading!

referenciaindustrial.com.br JULHO 2022

Diretor Executivo / Executive Director - Pedro Bartoski Jr.

bartoski@revistareferencia.com.br

Redação / Writing

André Nunes

jornalismo@revistareferencia.com.br

Colunista / Columnist

Paulo Pupo

Depto. de Criação / Graphic Design

Fabiana Tokarski / Supervisão

Crislaine Briatori Ferreira

Gabriela Bogoni | Larissa Purkotte

criacao@revistareferencia.com.br

Midias Sociais / Social Media

Cainan Lucas

Depto. Comercial / Sales Departament - Gerson Penkal - Carlos Felde

comercial@revistareferencia.com.br

fone: +55 (41) 3333-1023

Representante Comercial - Dash7 Comunicação - Joseane Cristina Knop

Tradução / Translation - John Wood Moore

Depto. de Assinaturas / Subscription

Cristiane Baduy

assinatura@revistareferencia.com.br

0800 600 2038

ASSINATURAS

0800 600 2038

Periodicidade Advertising

GARANTIDA GARANTEED

Veículo filiado a:

A Revista REFERÊNCIA - é uma publicação mensal e independente, dirigida aos produtores e

consumidores de bens e serviços em madeira, instituições de pesquisa, estudantes universitários, orgãos

governamentais, ONG’s, entidades de classe e demais públicos, direta e/ou indiretamente ligados ao

segmento madeireiro. A Revista REFERÊNCIA do Setor Industrial Madeireiro não se responsabiliza por

conceitos emitidos em matérias, artigos ou colunas assinadas, por entender serem estes materiais de

responsabilidade de seus autores. A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento de banco

de dados, sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras criações intelectuais da Revista RE-

FERÊNCIA são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais,

exceto para fins didáticos.

Revista REFERÊNCIA is a monthly and independent publication directed at the producers and

consumers of the good and services of the lumberz industry, research institutions, university students,

governmental agencies, NGO’s, class and other entities directly and/or indirectly linked to the forest based

segment. Revista REFERÊNCIA does not hold itself responsible for the concepts contained in the material,

articles or columns signed by others. These are the exclusive responsibility of the authors, themselves. The

use, reproduction, appropriation and databank storage under any form or means of the texts, photographs

and other intellectual property in each publication of Revista REFERÊNCIA is expressly prohibited without

the written authorization of the holders of the authorial rights.


A COMPANY PRESENTS

SOLUTIONS IN SPECIALIZED

SAWMILL EQUIPMENT FOR

PRODUCT DEVELOPMENT

ENTREVISTA Eduardo Leão, presidente da AIMEX avalia o cenário da exportação da madeira nacional

CARTAS

A Revista da Indústria da Madeira / The Magazine for the Forest Product

EFICIÊNCIA E

QUALIDADE

INDÚSTRIA APRESENTA SOLUÇÕES

EM SERRARIAS QUALIFICADAS PARA O

DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS

EFFICIENCY

AND QUALITY

CARTAS

CAPA DA EDIÇÃO 242 DA

REVISTA REFERÊNCIA INDUSTRIAL, MÊS DE JULHO DE 2022

APLICAÇÃO

www.referenciaindustrial.com.br

Ano XXIV • N°242 •Julho 2022

CAPA

Por Carlos Ramalho –

Lages (SC)

Por Márcia Batista –

São Paulo (SP)

Gosto bastante de conhecer as aplicações da

madeira no dia a dia das nossas casas. Mais ainda

nos espaços que passamos a ocupar também

como local de trabalho.

Muito interessante a

matéria sobre a Mill

Indústrias e as soluções

para serrarias. Conheço

a empresa em Lages

há alguns anos e sou

cliente. A equipe técnica

é bastante qualificada e

rápida no atendimento.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Foto: Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

CARTAS

Por Jorge Flores –

Cuiabá (MS)

“O mundo percebeu que o Brasil é uma potência

energética, além de um enorme mercado

consumidor.” Concordo com a análise do ministro

Paulo Guedes, o mundo depende do nosso país na

produção de alimentos e também na geração de

energia, ainda mais a Europa.

Foto: Emanuel Caldeira

ENTREVISTA

Por Leilane Pereira –

Curitiba (PR)

Sabemos que o trabalho

da indústria no Brasil

é muito desafiador,

principalmente para

chegar ao mercado

internacional. Por isso

é estimulante ver que

somos um dos principais

produtores e exportadores

de madeira do mundo.

Gostei da entrevista com

o presidente da AIMEX

(Associação das Indústrias

Exportadoras de Madeira

do Estado do Pará).

Leitor, participe de nossas pesquisas online respondendo os

e-mails enviados por nossa equipe de jornalismo.

As melhores respostas serão publicadas em CARTAS. Sua opinião é

fundamental para a Revista REFERÊNCIA INDUSTRIAL.

E-mails, críticas e sugestões podem ser enviados para redação ou siga:

jornalismo@revistareferencia.com.br

CURTA NOSSA PÁGINA

Referência Industrial Madeira

@referenciamadeira

10 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


BASTIDORES

BASTIDORES

Foto: divulgação

FORMÓBILE I

NA FEIRA FORMÓBILE, O COMERCIAL DA REFERÊNCIA

INDUSTRIAL, GERSON PENKAL, AO LADO DO DIRETOR

DA ARTE DIAMANTE, TÉO BOGO

FORMÓBILE II

NA FEIRA FORMÓBILE, O NOSSO COMERCIAL

GERSON PENKAL, RECEBEU EM NOSSO ESTANDE

A EMPRESA BORROZ, O GERENTE AIRTON

FAGUNDES E O DIRETOR OSMAR VOELZ.

Foto: divulgação

ALTA

INFLAÇÃO

O IGP-10 (Índice Geral de

Preços) subiu 0,60% em julho,

percentual pouco abaixo da

alta do mês anterior, quando

alcançou 0,74%. No ano, o indicador

acumula avanço de 9,18%

e de 10,87% em 12 meses. Em

julho de 2021, a elevação foi

bem menor, ficou em 0,18% e

o acumulado de 12 meses chegou

a 34,61%. Os índices foram

divulgados pelo Ibre/FGV (Instituto

Brasileiro de Economia

da Fundação Getulio Vargas).

O IGP-10 mede a evolução de

preços no período entre os dias

11 do mês anterior e 10 do mês

de referência. A série começou

a ser medida em 1993.

BAIXA

ATIVIDADE ECONÔMICA

O monitor do PIB (Produto

Interno Bruto), apurado pelo

IBRE/FGV (Instituto Brasileiro

de Economia da Fundação

Getulio Vargas), indicou

queda de 0,8% na economia

brasileira em maio deste ano,

comparativamente a abril,

considerando os dados com

ajuste sazonal. A retração

ocorreu depois de três meses

consecutivos de expansão.

Na comparação com maio de

2021, a atividade econômica

cresceu 4,4% e, no trimestre

móvel encerrado em maio

deste ano, 3,7%. A expectativa

é que esses números melhorem

até o final do ano.

12 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


NOTAS

REDUÇÃO

NO PREÇO DA GASOLINA

Com redução média de R$ 1,75 na gasolina em todo o

Brasil, a queda da cobrança do ICMS (Imposto Sobre

Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre diversos

produtos terá impactos positivos sobre a economia, em

especial para os microempreendedores, segundo informou

o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida,

em entrevista ao programa: A Voz do Brasil. De acordo

com Sachsida, um aspecto impactante da retirada da

cobrança do ICMS, em especial da energia elétrica, é

que a medida terá grande capacidade de impulsionar

empregos de base no mercado brasileiro. Houve grande

articulação política para trazer o que classificou como

alívio, após uma sequência de acontecimentos que reverberaram

na economia brasileira. “Em 2019, tivemos

o maior acidente ambiental da história do Brasil, o desastre de Brumadinho (MG). Em 2020, a maior pandemia da história,

que continuou em 2021 – com a maior crise hídrica da história do Brasil. Em 2022, a maior movimentação de tropas desde a

Segunda Guerra Mundial. É um ambiente muito difícil internacional e nacionalmente”, relembrou o ministro. Sachsida informou

também que haverá desconto significativo nos serviços de telecomunicação operados no Brasil, cujos efeitos poderão

ser sentidos a partir do mês de agosto. O ministro agradeceu ao Congresso Nacional pela viabilidade das leis sobre o ICMS,

mas criticou a forma como os estados concentraram parte significativa da arrecadação em certos tributos. “Do ponto de vista

econômico, é um erro. Porque o peso morto do imposto aumenta com o tamanho da tributação. Quando se aumenta demais

certos tributos, como a energia, você destrói empregos e produção. Avançamos no caminho correto”, complementou.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

COMPRAS

NO EXTERIOR

A falta de atenção após uma viagem internacional

pode custar caro aos brasileiros

que não declaram corretamente os bens

ao retornarem ao país. Os resultados são

multa e até sanções administrativas e penais,

caso tentem entrar no Brasil com bens

acima do valor permitido ou com itens proibidos.

Para evitar contratempos, a Receita

Federal elaborou o Guia do Viajante pelo

site www.gov.br/receitafederal/pt-br/assuntos/aduana-e-comercio-exterior/viagens-internacionais/

guia-do-viajante/entrada-no-brasil, que serve de fonte de consulta a

viajantes que tiverem dúvidas. A omissão ou declaração falsa ou inexata de bens enquadrados como bagagem resultará em

multa de 50% do valor excedente à cota de isenção. Os bens que não se enquadrarem como de uso pessoal são sujeitos ao

pagamento do Imposto de Importação, mas existe uma cota de isenção. Para viagens aéreas ou marítimas, o limite é de US$

1 mil. Para chegadas por lagos, rios ou por fronteiras terrestres, a cota corresponde a US$ 500 por pessoa. O contribuinte

tem direito a uma cota adicional de US$ 1 mil sobre as compras feitas em lojas free shops em aeroportos. Os limites de isenção

para chegadas por aeroportos, lagos, rios e fronteiras terrestres foram elevados no início deste ano. Para compras em

free shops, a cota foi reajustada em janeiro de 2020.

14 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


NOTAS

APORTE AO

MERCADO DE CAPITAL

O ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou que logo que o Congresso Nacional retome as atividades,

após o recesso, o governo vai procurar aprovar medidas de apoio ao mercado de capitais. Guedes destacou que o

Brasil está fazendo a mudança de marcos regulatórios em todos os setores da economia. Ele não detalhou as medidas

que pretende apoiar a aprovação.

Na avaliação do ministro, o mercado de capitais nacional vai receber muitos investimentos. “São trilhões de

dólares que estão circulando pelo mundo e vão ter que se reposicionar.” Muito capital produtivo vai continuar procurando

pouso seguro. O Brasil possui requisitos facilitadores para isso, que são proximidade e confiabilidade. “O

país que é amigo de todo mundo, não faz guerra com ninguém, somos nós.” Assinalou que a Europa precisa do

Brasil para garantir sua segurança energética e o resto do mundo para garantir sua segurança alimentar. “O Brasil

é perto e é confiável.” Guedes não tem dúvida de que o Brasil vai ser a grande nação que vai receber esses investimentos.

Para o ministro, o Brasil está entrando em um ciclo de expansão. Ele destacou que apesar da desaceleração

cíclica da atividade econômica feita pela política monetária (aumentos da taxa básica de juros, a Selic), o resultado

ainda é positivo. Lembrou que o Brasil já retirou os estímulos fiscais e monetários, adotado devido aos impactos da

pandemia de covid-19 na economia, e o mundo está começando esse processo.

Segundo o ministro, nos últimos 3 anos, o Brasil enfrentou vários desafios, que se iniciaram com o desastre

ambiental de Brumadinho, depois a pandemia de covid-19, a crise hídrica e, atualmente, a guerra entre Rússia e

Ucrânia.

Paulo Guedes avaliou, ainda, em seu discurso, que os fatos confirmam que estão sendo revistas as estimativas

de crescimento para cima, com redução da inflação e dos níveis de desemprego. “São fatos. O resto (são) narrativas”,

afirmou. “Os fatos são revisões de crescimento há seis, oito, dez meses, para cima, revisões de inflação para

baixo e revisões de desemprego para baixo. Pela primeira vez na história, vamos ter 100 milhões de brasileiros

trabalhando antes do final deste ano. Já são 97 milhões de brasileiros trabalhando no mercado formal e informal.

Criamos mais de 12 milhões de empregos nos últimos 3 anos e meio”, mencionou o ministro.

Foto: divulgação

16 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


A faca certa para

qualquer operação!

SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS


NOTAS

Foto: divulgação

INDÚSTRIA

DE SOFTWARES

A ISSTIC (Indústria de Software e Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação) no Brasil registrou uma produção

estimada em US$ 53,3 bilhões em 2021, valor que responde por 82,8% do total dos serviços produzidos pelo setor

de TIC e aponta para um crescimento de 6,5% em relação ao observado no ano anterior.

Os dados fazem parte do relatório Indústria de Software e Serviços de TIC no Brasil: caracterização e trajetória recente,

lançado pelo MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) e elaborado pela equipe de pesquisadores do

Observatório Softex, unidade de estudos e pesquisas da entidade.

O levantamento revela que o mercado brasileiro de TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) tem crescido a

uma taxa acima do setor global. Ainda de acordo com o estudo, as novas tecnologias devem impulsionar esse segmento

e se tornar cada vez mais relevantes para o avanço da TIC brasileira nos próximos anos. Além disso, o país tem aumentado

a oferta de serviços de suporte à infraestrutura de conectividade. “A pandemia acelerou a transformação digital

e isso demandou que o setor se organizasse. As informações que nós tínhamos eram informações que o setor contava

para nós, precisávamos identificar os números reais para que a gente conseguisse alinhar as políticas públicas dentro do

ministério. Esse estudo traz informações que estão alinhadas com as nossas expectativas, mas também informações adicionais

que vão agregar, não só as políticas do ministério, mas do governo federal como um todo”, observou o secretário

de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, José Gustavo Gontijo.

O relatório se baseia em dados oficiais e de institutos de pesquisa com o objetivo de ampliar a discussão sobre o setor,

criação de séries históricas, facilitando, inclusive, a realização de comparativos com outros mercados mundiais.

18 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


NOTAS

EXPORTAÇÃO DE

MÓVEIS DE MADEIRA

Líder nacional na exportação de móveis de madeira,

a indústria catarinense alcançou US$ 166,3 milhões

em vendas para o exterior no primeiro semestre de

2022, alta de 4,8% em comparação com o mesmo

período de 2021. Conforme análise do Observatório

FIESC (Federação das Indústrias de Santa Catarina),

o resultado positivo vai na contramão da média nacional,

que apresentou queda de 4,0% no período.

O Rio Grande do Sul e o Paraná, 2º e 3º colocados

no ranking entre os Estados exportadores de móveis

no Brasil, também apresentaram retração de 12,1%

e 19,5%, respectivamente, nas vendas para o exterior.

“Santa Catarina tem a tradição de uma indústria

moveleira competitiva, com clientes importantes no

exterior. O resultado no primeiro semestre deste ano

consolida essa posição e reforça a qualidade dos nossos

produtos”, avalia o presidente da FIESC, Mario

Cezar de Aguiar. Ele acrescenta que o setor tem grandes

oportunidades de avançar cada vez mais, tanto

no mercado interno quanto em âmbito internacional,

com a agregação de valor aos seus produtos.

Os EUA (Estados Unidos da América) despontam

como principal destino das exportações de móveis catarinenses,

com 58,2% de participação. Na sequência,

está o Reino Unido, com 9,3%, e a França, com uma

fatia de 5,7%. Entre os produtos catarinenses vendidos

para o exterior, o destaque são os móveis de madeira

utilizados no quarto de dormir.

O vice-presidente da FIESC para a região do

Planalto Norte e presidente da Câmara do Desenvolvimento

da Indústria do Mobiliário da entidade,

Arnaldo Huebl, ressalta que o resultado do primeiro

semestre do ano é consequência de pedidos firmados

ainda em 2021. “Na indústria moveleira, os pedidos

são feitos com o prazo médio de seis meses. Havia

muitas encomendas, principalmente das grandes redes

varejistas dos EUA, que foram embarcadas agora

no início deste ano”, afirma.

A produção industrial catarinense de produtos de

madeira apresentou alta de 4,8% em maio na comparação

com abril – expansão superior à média nacional,

de 3,2% no período, conforme dados do IBGE analisados

pelo Observatório FIESC. O ritmo de crescimento

se reflete também na geração de novos empregos formais.

De janeiro a maio, o setor de Madeira e Móveis

gerou 2.801 novas vagas, conforme dados do Novo

Caged. Na Indústria catarinense, o setor foi o terceiro

que mais abriu novos postos de trabalho no período,

segundo o Observatório FIESC.

Foto: divulgação

20 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


+55 (47) 3357-8300 | +55 (47) 9 9167-7145 | vendas@omil.com.br

www.omil.com.br

Beneficiamento

da madeira

HÁ 75 ANOS

PARCEIRA DO

SETOR

MADEIREIRO!

Plaina Moldureira

Advance Plus 200

Versões:

4, 5, 6 e 8 eixos

Opção de painel elétrico

com comando touch screen

Velocidade de avanço

de até 40m/min

Mesa de entrada em

ferro fundido

ECONOMIA . TECNOLOGIA . PRODUTIVIDADE


NOTAS

BALANÇA

COMERCIAL

A revisão da balança comercial para 2022, divulgada pela AEB (Associação de Comércio

Exterior do Brasil), aponta para um crescimento de 13,8% nas exportações, totalizando valor de

US$ 319,471 bilhões, contra os US$ 280,633 bilhões efetivados em 2021. Para as importações, o

aumento previsto pela AEB é de 21%, com resultado de US$ 265,345 bilhões, ante US$ 219,409

bilhões realizados no ano passado. Para o superávit, entretanto, a previsão é alcançar US$ 54,126

bilhões, redução de 11,9% em comparação aos US$ 61,224 bilhões apurados em 2021. Tanto as

previsões das exportações como das importações, caso se concretizem, constituirão recordes,

substituindo os recordes anteriores de US$ 280,633 bilhões das exportações, no ano passado, e

de US$ 239,621 bilhões das importações, em 2013. Do mesmo modo, a corrente de comércio,

projetada em US$ 584,816 bilhões para 2022, constituirá novo recorde, superando o resultado

recorde anterior de US$ 500,042 bilhões, registrado em 2021.

A guerra entre Rússia e Ucrânia é o principal fator para as projeções da AEB, segundo o presidente-executivo

da entidade, José Augusto de Castro. Segundo ele, o conflito no Leste Europeu

provocou a elevação de todos os produtos, de forma geral, tanto de exportação, como de

importação. “A guerra fez com que os preços das commodities (produtos agrícolas e minerais

comercializados no mercado internacional) aumentassem ainda mais e os produtos importados

passaram a ter um peso muito maior. Passou-se a pagar muito mais caro.”

Foto: divulgação

22 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


CIPERTRIN MD

• Líder no tratamento inseticida de painéis de madeira, (compensados,

aglomerados MDF, OSB e outros) por adição à cola;

• Mais concentrado dos inseticidas, diminui a quantidade de inertes

a serem aplicados na cola, como também a área de estocagem;

• Base água, com baixa toxicidade e baixo odor;

• Isento de solventes que atacam as borrachas dos equipamentos

industriais;

• Compatível com resinas de última geração;

• Fácil diluição em água, para tratamento por imersão de madeiras

serradas.

TBP 90

• O primeiro fungicida (antimofo) para madeira a base de

tribromofenol só poderia ser o líder de mercado e a MSM

Química a maior importadora deste ingrediente ativo.

• Produto de fácil aplicação não retirando da madeira

suas características naturais.

• Fácil diluição, não decantando ou criando borras dentro

do tanque de imersão.

Rua Cyro Correia Pereira, 3209 • CIC • Curitiba (PR)

(41) 3347-8282 msm@msmquimica.ind.br

www.msmquimica.ind.br


NOTAS

PROGRAMA

DA APEX-BRASIL

Empresas de Curitiba (PR), região metropolitana

e litoral paranaense podem se

inscrever no PEIEX (Programa de Qualificação

para Exportação), da Apex-Brasil

(Agência Brasileira de Promoção de Exportações

e Investimentos), serviço social

autônomo vinculado ao Ministério das Relações

Exteriores. A Fundação Araucária

é responsável pelo projeto nessas localidades

do Paraná. O programa está sendo

implementado em todas as regiões do

país por meio de parcerias da Apex-Brasil

com instituições de ensino (universidades,

parques tecnológicos e fundações de amparo à pesquisa) ou Federações de Indústria. Elas são responsáveis pela aplicação

da metodologia na qualificação de empresas. As empresas que passam pelo programa podem participar de ações de promoção

comerciais internacionais organizadas pela Apex-Brasil e por seus parceiros. Ao final do atendimento, que dura aproximadamente

38h (horas), a empresa recebe um plano de exportação para orientar a sua inserção internacional. No Paraná,

as macrorregiões de Maringá, Londrina e Cascavel também foram contempladas, mas empresas desses locais devem procurar

a Unioeste (monitor.cascavel@apexbrasil.com.br), no caso de Cascavel, e a Unicesumar (monitor.londrina@apexbrasil.com.

br e monitor.maringa@apexbrasil.com.br), para companhias das regiões norte e noroeste.

Foto: divulgação

MADEBAL RECEBE

CERTIFICADO FSC ®

A Madebal, empresa do Grupo Baldissera, foi oficialmente certificada pela

FSC ® , conquista importante que comprova as boas práticas trabalhistas e

produtivas da empresa. O objetivo do FSC ® é melhorar o manejo florestal

em todo mundo e, por meio da certificação, criar um incentivo para proprietários,

gestores florestais e compradores de produtos de origem florestal

utilizarem as melhores práticas sociais e ambientais. O manejo responsável

respeita o ciclo natural da floresta e causa o menor impacto possível, permitindo

sua renovação e permanência. Desta forma, a Madebal, após inspeção

presencial pela FSC ® , foi acreditada de acordo com os padrões internacionais

da certificadora, que inclui respeito a legislação trabalhista, normas

de segurança do trabalho e separação adequada entre madeira proveniente

de florestas certificadas e não-certificadas, entre outros critérios.

Além disso, a FSC ® mantém inspeções anuais para garantir que a indústria

continue conforme os padrões exigidos. “Este reconhecimento é muito

importante para nós, pois reafirma a filosofia da empresa, sempre em busca

de oferecer produtos de qualidade, além de fornecer uma experiência de

venda e pós-venda séria e comprometida com o nosso cliente, no mercado

nacional e internacional. Para o consumidor nacional, acreditamos que o

FSC ® é uma forma de reforçar que a Madebal é uma indústria preparada e

acostumada a atender exigências e padrões de mercados internacionais de

alto nível”, resume Bernardo Baldissera, gerente de processos da Madebal.

24 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


• Maior qualidade

de colagem

• Padronização e

otimização de tempo

• Carregadores e

descarregadores

automáticos

PRENSA

• Escala de produção:

máximo de chapas

prensadas juntas

www.indumec.com.br

Rua General Potiguara, 1115 - CIC | Curitiba-PR

excelência em cada detalhe,

qualidade superior

Indumec Industria Mec Ltda

+55 (41) 99103 8558 indumec.industria.mec.ltda


NOTAS

ETANOL

MAIS BARATO NA BOMBA

O MME (Ministério de Minas e Energia) divulgou nova expectativa de redução no preço do etanol hidratado. De

acordo com a pasta, a expectativa é que, após a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 15/2022,

ocorra uma redução potencial média no preço do combustível que deve chegar a R$ 0,19 por litro. Promulgada em 14

de julho, a PEC reconhece o estado de emergência para ampliar o pagamento de benefícios sociais e incentivos fiscais

até o fim do ano, em especial para produtores e distribuidores de etanol hidratado.

Entre outros pontos, a emenda altera a constituição para determinar a manutenção de um regime fiscal favorecido

para os biocombustíveis destinados ao consumo final. “Com a medida, fica preservado o diferencial de alíquota tributária

do preço ao consumidor do etanol hidratado em relação ao da gasolina comercializada, resultando no aumento

da competitividade do biocombustível”, explica o ministério.

A pasta disse ainda que a estimativa não considera a possibilidade de redução do preço do biocombustível aos estados

que outorgarem créditos tributários do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

A emenda constitucional também autorizou a União a realizar um repasse de até R$ 3,8 bilhões, por meio de créditos

tributários, para os estados que reduzirem a carga tributária do etanol para produtores e distribuidores do produto.

Na avaliação do MME, se a medida for aplicada poderá levar o preço médio do litro de etanol hidratado a até R$ 4,04.

Foto: divulgação

26 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


NOTAS

Foto: Emanuel Caldeira

O Prêmio REFERÊNCIA 2022 será realizado no dia 29 de novembro, às 19h (horas). Nessa que será a vigésima

edição da premiação, também será realizado novamente o Painel Panorama da Madeira: uma série de apresentações

com importantes nomes do setor de base florestal nacional. Na edição anterior o Painel foi um grande

sucesso, com perguntas para os convidados e uma forte interação entre as lideranças que representaram setores

diferentes do mercado de base madeireira e florestal.

Eduardo Leão, presidente da AIMEX (Associação das Indústrias Exportadoras de Madeiras do Estado do Pará),

falou sobre: O cenário da exportação de produtos florestais amazônicos. Segundo Eduardo, o setor florestal sofre

com uma imagem negativa, que muitas vezes é ligada a exploração irresponsável, como o garimpo. “Um dos nossos

trabalhos mais importantes é trazer uma comunicação muito clara sobre os reais benefícios que a indústria de

base florestal traz para a sociedade, baseada em transparência”, destacou Eduardo.

Rafael Mason, presidente do CIPEM, (Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado

de Mato Grosso), tratou sobre: A sustentabilidade do manejo florestal no Estado do Mato Grosso. Em sua participação,

Rafael destacou que o Mato Grosso vive hoje o que muitos Estados e países pensam apenas para o futuro,

que é a economia verde. “Temos conseguido avançar muito junto a órgãos ambientais em relação ao manejo, com

98% da madeira extraída feita de forma sustentável. Nosso trabalho é manter a floresta em pé”, relatou Rafael.

Álvaro Scheffer Jr., ex-presidente da APRE, (Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal), fechou o

Painel falando sobre: A participação do setor florestal na nova economia. Segundo Álvaro, apresentar para a sociedade

todos os benefícios que o setor florestal traz para sociedade é uma forma de fortalecer a nova economia.

“Temos trabalhado para mostrar como as florestas plantadas podem ser solução em várias áreas do cotidiano das

pessoas, como combustíveis, embalagens, e produtos que se tornarão regra com a nova economia”, completou

Álvaro.

28 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


TERMOLEGNO.COM

Secadores

de alta

temperatura

para madeira

STUDIOFABBRO.COM

TECNOLOGIA

E DESIGN ITALIANO

QUALIDADE

DOS NOSSOS

SISTEMAS

Utilizamos

componentes

e matéria prima

de alta qualidade

e durabilidade.

SISTEMAS DE

CONTROLE

Visualização dos

consumos dos

diversos atuadores

para cálculos

dos custos totais

elétricos e térmicos

de acordo com as

faixas horárias.

SISTEMA DE

RECIRCULAÇÃO

DE AR

Sistema especial

de recirculação de

ar para melhorar e

encurtar os tempos

de secagem.

Contacte-nos para aconselhamento técnico

Representante Brasil: Jorge Garghetti • +55 (43) 99677-6430 • brasil@termolegno.com • termolegno.com


APLICAÇÃO

TÁBUAS

ORGÂNICAS

Foto: divulgação

A história da floresta

trazendo riqueza de detalhes

para o seu ambiente.

Com traços únicos e exclusivos,

as tábuas orgânicas

podem ser utilizadas

como tábuas de carne,

bandejas, mesas de frios

ou até mesmo decorativas,

com azulejos estilizados.

Os materiais variam,

podendo ser de acapu de

demolição, até pau-amarelo

e angelim rajado,

com tamanhos que vão

de 20 cm a 32 cm (centímetros)

de diâmetros.

MESA

DE CENTRO

Bastante funcionais e estilizadas, as

mesas de centro trazem a elegância

da madeira para ambientes internos

de convivência da casa. Entre os modelos

em alta estão o louro vermelho

(burls) e o pau-amarelo (oco), da Movelaria

Pacajá.

Foto: divulgação

30 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


Lançamento!

EQUIPAMENTO COMPLETO

AUTOMAÇÃO E CONTROLE REMOTO DE PROCESSO

GVI

(Unidade Geradora de Vapor para estufas de até 100m 3 ,

com o melhor custo benefício do mercado)

AT100

(Estufa de secagem de madeira para eucalipto e pinus,

com capacidade para 100m³. Equipamento projetado para

dar o máximo de eficiência nos processos de produção

de madeiras plantadas)

Para a instalação do equipamento o cliente somente precisa disponibilizar o piso,

o restante da montagem é feita por nossa equipe.

contato@drytech.ind.br

www.drytech.ind.br

@dry.tech (51) 99425.1629 (51) 3575.6031 | (51) 3091.9922

Rua Manoel dos Passos Figueroa, 630 | Vicentina - São Leopoldo | RS


FRASES

“EM 2019, TIVEMOS O MAIOR ACIDENTE AMBIENTAL DA

HISTÓRIA DO BRASIL, O DESASTRE DE BRUMADINHO (MG).

EM 2020, A MAIOR PANDEMIA DA HISTÓRIA, QUE CONTINUOU

EM 2021 – COM A MAIOR CRISE HÍDRICA DO BRASIL. EM

2022, A MAIOR MOVIMENTAÇÃO DE TROPAS DESDE A

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. É UM AMBIENTE MUITO DIFÍCIL

INTERNACIONAL E NACIONALMENTE”

PAULO GUEDES, MINISTRO DA ECONOMIA

“O BRASIL

É O PAÍS QUE É

AMIGO DE TODO

MUNDO, NÃO

FAZ GUERRA COM

NINGUÉM. A EUROPA

PRECISA DO BRASIL

PARA GARANTIR SUA

SEGURANÇA ENERGÉTICA

E O RESTO DO MUNDO

PARA GARANTIR SUA

SEGURANÇA ALIMENTAR.

O BRASIL É PERTO E É

CONFIÁVEL”

“EM 2021, CHEGAMOS MUITO PRÓXIMOS DE

ATINGIR US$ 1 BILHÃO, MOSTRANDO A FORÇA DO

NOSSO SETOR, QUE É O SEXTO MAIOR PRODUTOR

DE MÓVEIS DO MUNDO E A OITAVA CADEIA DE

TRABALHO QUE MAIS EMPREGA”

IRINEU MUNHOZ, PRESIDENTE DA ABIMÓVEL, DURANTE

A FORMÓBILE 2022

“SANTA CATARINA TEM A

TRADIÇÃO DE UMA INDÚSTRIA

MOVELEIRA COMPETITIVA, COM

CLIENTES IMPORTANTES NO EXTERIOR.

O RESULTADO NO PRIMEIRO SEMESTRE

DESTE ANO CONSOLIDA

ESSA POSIÇÃO E REFORÇA A

QUALIDADE DOS NOSSOS PRODUTOS”

PAULO GUEDES,

MINISTRO DA

ECONOMIA

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

MARIO CEZAR DE AGUIAR,

PRESIDENTE DA FIESC (FEDERAÇÃO

DA INDÚSTRIA DO ESTADO DE

SANTA CATARINA)

32 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


Secador de lâminas

Especialista no desenvolvimento de projetos

especiais conforme a necessidade do cliente, tendo

sempre como visão o melhor custo benefício,

entregando um produto com qualidade e garantia.

+ qualidade

+ credibilidade

Gerador de ar quente

(Para secagem de madeira;

e todos os tipos de grãos

e demais itens que

necessitem de secagem)

Radiadores

Análise projeto entrega garantia

www.lionsmachine.com.br

Hélices


ENTREVISTA

UNIÃO

PELA FLORESTA

UNION FOR

HE FOREST

C

om 36 anos de atuação, o Sindusmad (Sindicato das

Indústrias Madeireiras do Norte do Estado de Mato

Grosso) é referência no setor mato-grossense e em

todo o centro-oeste brasileiro. Filiado ao CIPEM

(Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de

Madeira do Estado de Mato Grosso) e à FIEMT (Federação das

Indústrias de Mato Grosso), o Sindusmad vem levando desenvolvimento

para a região e incentivando a especialização da mão de

obra do setor, por meio das parcerias com o SESI e o SENAI. O

sindicato também criou a Escola de Floresta, em convênio com o

IBAMA, voltado para saúde, educação e lazer do trabalhador. O

presidente do Sindusmad concedeu entrevista exclusiva à Revista

REFERÊNCIA INDUSTRIAL:

ENTREVISTA

W

ith 36 years of experience, the North of the State

of Mato Grosso Business Union of Forest-based

Companies (Sindusmad) is a landmark in the

Forest-based Sector of the State of Mato Grosso

and throughout the Brazilian Midwest. Affiliated

with the State of Mato Grosso Center of Timber Producing and Exporting

Companies (Cipem) and the State of Mato Grosso Business

Federation (Fiemt), Sindusmad has been helping in the development

of the region and providing incentives for the training of the Sector’s

workforce, through partnerships with Sesi and Senai. The Business

Union also created the Forest School, in an understanding with Ibama,

focusing on worker health, education, and leisure. The President

of Sindusmad granted REFERÊNCIA Industrial an exclusive interview:

Foto: divulgação

WILSON JOSÉ VOLKWEIS

CARGO: PRESIDENTE DO SINDUSMAD (SINDICATO DAS

INDÚSTRIAS MADEIREIRAS DO NORTE DO ESTADO DE

MATO GROSSO) - SÓCIO PROPRIETÁRIO DA EMPRESA

WILSON JOSÉ VOLKWEIS EIRELI – EPP, ESPECIALIZADA EM

EXTRAÇÃO DE MADEIRA EM PLANO DE MANEJO FLORESTAL

SUSTENTÁVEL. FILIADO AO SINDUSMAD DESDE 1997, FAZ

PARTE DA DIRETORIA DESDE 2007

FUNCTION: PRESIDENT OF THE NORTH OF THE STATE OF MATO GROSSO

BUSINESS UNION OF FOREST-BASED COMPANIES (SINDUSMAD), OWNER-

PARTNER OF WILSON JOSÉ VOLKWEIS EIRELI – EPP, SPECIALIZED IN HARVESTING

TIMBER FROM SUSTAINABLE FOREST MANAGEMENT PLANS, AND AFFILIATED WITH

SINDUSMAD SINCE 1997, OF WHICH HE HAS BEEN ON THE BOARD SINCE 2007

34 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


SERRA FITA GEMINADA

Equipamento projetado para receber toras de diversos formatos, efetuando

cortes simultâneos nas extremidades para retirada das costaneiras. Sistema

de saída da costaneira automatizada.

Componentes

Posicionador de Toras

Tombador de Toras

Leitor de diâmetro por Scanner e

bitolador com servo motor

Características

Alta produção

Precisão de corte

Sistema de limpeza do volante

Braço preensor

Braço de apoio caída costaneira

Relê de segurança NR12 com acionamentos monitorados

Chave de segurança

Sensores protegidos contra choques mecânicos

Proteção contra distúrbios na rede elétrica de alimentação

Rua Heliodoro Muniz, 299 - Área Industrial | Lages-SC (49) 3021-2885 (49) 99816-6956

contato@impactomaquinas.com.br

impactomaquinas.com.br


ENTREVISTA

COMO VEM SENDO SUA ATUAÇÃO NA IN-

DÚSTRIA MADEIREIRA?

O setor de base florestal sempre se fez presente

na minha história. No passado, eu e meus

irmãos administramos uma indústria madeireira

por longos anos. Atualmente, com apoio da minha

família, esposa Generci, filhos Eduardo, Geane

e Arthur, trabalho exclusivamente com o extrativismo

através do Manejo Florestal Sustentável, e

abasteço as indústrias madeireiras de Sinop (MT) e

região, com a oferta de matéria-prima.

E SUA ATUAÇÃO DENTRO DO SINDUS-

MAD, QUAIS FORAM OS MOMENTOS MAR-

CANTES?

Foram muitos, mas destacaria a forma como

cada presidente anterior à minha gestão conduziu

essa instituição, todos de forma muito competente

junto com a diretoria e equipe técnica.

QUAIS OS MAIORES DESAFIOS QUE JÁ EN-

FRENTARAM NO SINDUSMAD?

A união dentro das nossas entidades junto aos

empresários e os avanços que tivemos com as instituições

e mercado sempre foram desafiadores e

até hoje continua assim.

QUAL A IMPORTÂNCIA DE AS INDÚSTRIAS

MADEIREIRAS ESTAREM REUNIDAS DENTRO

DE UMA ASSOCIAÇÃO COMO O SINDUS-

MAD?

Um de nossos slogans é: juntos somos mais

fortes. Acredito muito nisso, pois sozinhos vamos

mais rápido, mas juntos vamos mais longe. O Sindusmad

é uma casa democrática, onde prevalece

o coletivo. Todas as opiniões são levadas em consideração

e, com isso, ganhamos força por meio

dessa união e transparência.

ACHA IMPORTANTE MANTER PARCERIAS

COM OUTRAS ENTIDADES COMO O CIPEM?

Com toda certeza, pois instituições sérias como

o CIPEM fortalecem cada vez mais o nosso seg-

WHAT HAVE BEEN YOUR ACTIVITIES IN

THE FOREST-BASED SECTOR?

The Forest-base Sector has always been

present in my past. My brothers and I previously

managed a sawmill company for many years.

Currently, with the support of my family, my wife

Generci, and my children Eduardo, Geane, and

Arthur, the Company works exclusively with harvesting

through Sustainable Forest Management,

supplying forest product companies in Sinop and

the region with raw materials.

WHAT WERE THE DEFINING MOMENTS

IN YOUR ACTIVITIES WITHIN SINDUSMAD?

There were many, but I would highlight how

each president before my administration, along

with the board and technical staff, led this institution

competently.

WHAT ARE THE BIGGEST CHALLEN-

GES YOU HAVE FACED IN SINDUSMAD TO

DATE?

The union within our entities with entrepreneurs

and the advances we have made with institutions

and the market.

WHAT IS THE IMPORTANCE OF BRIN-

GING FOREST-BASED COMPANIES TOGE-

THER WITHIN AN ASSOCIATION LIKE SIN-

DUSMAD?

One of our slogans is “together we are

stronger”. I believe in this because alone, we go

faster, but together, we go further. Sindusmad is

a democratic house where the collective prevails.

All opinions are being taken into account; with

this, we gain strength through this union and

transparency.

DO YOU THINK IT’S ESSENTIAL TO PART-

NER WITH OTHER ENTITIES LIKE CIPEM?

Indeed, serious institutions such as Cipem

increasingly strengthen our segment, always defending

the collective and associative. It is worth

ESPERAMOS CONSCIENTIZAR A POPULAÇÃO DE

QUE SOMENTE COM O MANEJO FLORESTAL

SUSTENTÁVEL PODEMOS GARANTIR A CONSERVAÇÃO

DA FLORESTA

36 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


ENTREVISTA

mento, sempre defendendo o coletivo e o associativismo.

Vale destacar que o setor de base florestal

no Estado do Mato Grosso é totalmente organizado

e muito atuante. Ao todo, são oito sindicatos

empresariais madeireiros, que juntos formam o

CIPEM, que nos representa em nível estadual, federal

e até mundialmente.

QUE PERSPECTIVAS O SETOR TEM PARA

2023, DIANTE DO CENÁRIO BRASILEIRO E

MUNDIAL?

Nossas perspectivas são de aumentar áreas

manejadas e, com isso, conseguir um volume

maior de disponibilidade de matéria-prima para

abastecer o mercado nacional e internacional.

Também esperamos conscientizar a população de

que somente com o manejo florestal sustentável

é que vamos garantir a conservação da floresta. É

preciso ampliar a consciência entre as pessoas e a

sociedade de que estamos prestando um serviço

ambiental e social para o Brasil e para o mundo.

QUAIS INVESTIMENTOS E PARCERIAS TÊM

SIDO FEITAS E IMPULSIONADAS PELO SIN-

DUSMAD NOS ÚLTIMOS ANOS?

O Sindusmad tem investido na qualificação de

mão de obra, buscando instituições – a exemplo

do CIPEM e SENAI – para ofertar cursos de aperfeiçoamento

para os colaboradores das indústrias

madeireiras. Também realizamos constantemente

ações sociais, ajudando instituições beneficentes,

e visitando escolas públicas para ensinar às crianças

a importância do manejo florestal. Entendemos

que somos responsáveis por garantir a sustentabilidade

da floresta para as próximas gerações.

NA SUA VISÃO E EXPERIÊNCIA, O QUE

MAIS MUDOU NA INDÚSTRIA DA MADEIRA

NOS ÚLTIMOS ANOS?

Acredito que principalmente a modernização

no parque industrial, investimento na qualificação

de mão de obra, e, com toda a certeza, as indúsmentioning

that the Forest-based Sector in the

State of Mato Grosso is well-organized and very

active. In all, eight forest-based business unions

together form Cipem, representing us at the State,

Federal, and even global levels.

WHAT IS THE FORECAST FOR THE SEC-

TOR IN 2023, GIVEN THE BRAZILIAN AND

GLOBAL SCENARIO?

The forecast is to increase managed areas

and achieve a greater volume of available raw

materials to supply the national and international

market. We also hope to make the population

aware that only with Sustainable Forest Management

will we ensure forest conservation. Finally, it

is necessary to broaden the awareness between

people and society that we are providing an environmental

and social service to Brazil and the

world.

WHAT INVESTMENTS AND PARTNER-

SHIPS HAVE BEEN MADE AND SUPPORTED

BY SINDUSMAD IN RECENT YEARS?

Sindusmad has invested in labor training,

seeking institutions – such as Cipem and Senai

– to offer improvement courses for employees

in forest-based companies. We also constantly

carry out social actions, help charities, and visit

public schools to teach children the importance

of Forest Management. We understand that we

are responsible for ensuring the sustainability of

the forest for future generations.

IN YOUR VISION AND EXPERIENCE,

WHAT HAS CHANGED THE MOST IN THE

FOREST-BASED SECTOR IN RECENT YEARS?

I believe that what has changed the most is

the modernization of the industrial park, investment

in the qualification of labor, and, indeed,

the forest product companies have reinvented

themselves so that they are an example in fostering

the use of timber. As a result, today, nothing

SOMOS RESPONSÁVEIS POR GARANTIR A

SUSTENTABILIDADE DA FLORESTA PARA AS

PRÓXIMAS GERAÇÕES

38 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


PRODUTOS DE

ALTA QUALIDADE E

O COMPROMISSO

COM A ENTREGA

www.agilcompensados.com.br

Rua Miguel Goetten Sobrinho 313 | Santa Cecília - SC

(49) 3515-1002 | (49) 9 9122-2183 | admin@agilmadeiras.com


ENTREVISTA

trias madeireiras se reinventaram e são exemplo

em fomentar o aproveitamento da madeira. Hoje

nada se perde, a exemplo da biomassa, o resíduo

da madeira que antes não tinha sua destinação

final adequada, como o pó de serra, hoje é destinado

para fabricação de cavacos, entre outros,

para abastecer usinas fabricantes de etanol a base

de milho, e outras empresas consumidoras de biomassa.

O EMPRESÁRIO MADEIREIRO DE HOJE É

DIFERENTE DE QUANDO COMEÇOU À FREN-

TE DO SINDUSMAD? COMO TEM SIDO LIDAR

COM A CHEGADA DE NOVAS TECNOLOGIAS

E AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE NO SETOR?

O empresário de hoje continua sendo o mesmo

de anos atrás, porém o que mudou foi o mercado

que se tornou mais competitivo e rigoroso

em relação à qualidade. Estamos nos adequando

para poder acompanhar as novas tecnologias e

avanços em sustentabilidade, que vêm acontecendo

perante o setor. Quem não conseguir acompanhar

essas mudanças, com certeza não se manterá

no mercado.

QUAL O MAIOR ENTRAVE PARA O CRESCI-

MENTO DO SETOR MADEIRA NO BRASIL?

Acredito que o maior entrave é a falta de

conhecimento da população de que somos responsáveis

por manter a floresta em pé, de que

exercemos uma atividade totalmente sustentável.

Com isso, surgem problemas como o pré-conceito

com a atividade, que confunde nossa atividade

com o desmatamento. Também a falta de linha de

crédito por parte das instituições financeiras. Mas

acredito que, com o passar dos anos, isso irá mudar.

Estamos mostrando para todos que somos os

verdadeiros guardiões da floresta.

is lost, for example, biomass, the timber residues

that previously did not have a functional final

destination, such as sawdust. Today, these residues

are destined for use in generating energy

for corn-based ethanol plants and other biomass-consuming

companies, among other options.

IS TODAY’S FOREST-BASED ENTREPRE-

NEUR DIFFERENT FROM WHEN YOU STAR-

TED WITH SINDUSMAD? HOW HAS IT BEEN

TO DEAL WITH THE ARRIVAL OF NEW TECH-

NOLOGIES AND SUSTAINABILITY ACTIONS

IN THE SECTOR?

Today’s entrepreneur remains the same as

in the past, but what has changed is the market

that has become more competitive and rigorous

in terms of quality. We are changing to be able

to follow the new technologies and advances in

sustainability that have been going on for some

time within the Sector. Those who cannot keep

up with these changes will certainly not remain in

the market.

WHAT IS THE BIGGEST OBSTACLE TO

THE GROWTH OF THE FOREST-BASED SEC-

TOR IN BRAZIL?

I believe that the biggest obstacle is the lack

of knowledge by the population that we are responsible

for keeping the forest standing and that

we carry out a sustainable activity. With this, problems

arise, such as preconceptions about our

activity confusing it with deforestation. As well,

financial institutions are not offering credit lines.

But I believe that over the years, this will change.

We are demonstrating to everyone that we are

the true guardians of the forest.

NOSSOS MAIORES DESAFIOS SÃO A UNIÃO

DENTRO DAS NOSSAS ENTIDADES JUNTO

AOS EMPRESÁRIOS E OS AVANÇOS QUE TIVEMOS COM

AS INSTITUIÇÕES E O MERCADO

40 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


COLUNA ABIMCI

A IMPORTÂNCIA DA

SEMANA INTERNACIONAL DA MADEIRA

Paulo Pupo

Superintendente da Associação

Brasileira da Indústria de Madeira

Processada Mecanicamente

Contato: abimci@abimci.com.br

N

o próximo mês de setembro, entre

os dias 13 e 16, acontece a Semana

Internacional da Madeira, em Curitiba

(PR). As diversas atividades e

ações organizadas serão novamente

uma mostra da força e relevância do setor madeireiro

de base florestal.

A programação da Semana se inicia no dia

13 de setembro com a realização do Woodtrade

Brazil, evento de avaliação e de abordagens sobre

o mercado, dividido em cada um dos principais

segmentos de produtos madeireiros como madeira

serrada, compensados, molduras, pisos, portas,

pellets, além de pautas de suprimento florestal e

logística. A organização deste evento é da Abimci

(Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada

Mecanicamente), da FIEP (Federação das

Indústrias do Estado do Paraná) e da Malinovski.

Além do Woodtrade Brazil, que aborda em especial

os cenários de mercado, outros dois eventos

técnicos acompanharão a programação da Semana:

o Wood Protection e Prowood, o primeiro

focado no segmento da preservação e o segundo

nas tecnologias e soluções para o beneficiamento

da madeira.

A programação da Semana Internacional da

Madeira contará também com a realização da

quarta edição da Lignum Latin America, única feira

do país que tem como foco a cadeia produtiva

da madeira. Nela, os profissionais do segmento

industrial madeireiro e florestal encontram novidades,

tecnologia e soluções produtivas para a transformação,

beneficiamento, preservação, energia,

biomassa, uso da madeira e manejo florestal.

Foto: divulgação

Em 2022, o ENCAPP, organizado pela Abimci,

através do PSQ-PME (Programa Setorial da Qualidade

de Portas de Madeira para Edificações)

acontecerá junto à Lignum Latin America, trazendo

para a feira e a Semana Internacional da Madeira,

as principais soluções e tecnologias de fabricantes

e fornecedores da cadeia produtiva da porta.

O grande objetivo de toda a movimentação

é reunir todos os agentes do setor de madeira

processada e de base florestal brasileira para que

juntos possam pensar, avaliar as novas tendências

e tecnologias para aumento da eficiência produtiva,

e, em especial, ter a correta percepção do

mercado nacional e internacional, após todas as

enormes transformações e mudanças de comportamento

e do consumo presenciados nos últimos

anos, em especial desde o início da pandemia da

Covid-19.

A realização dos eventos na Semana Internacional

da Madeira mostrará a abrangência e representatividade

do setor, os avanços alcançados na

qualidade e produtividade da produção brasileira,

as oportunidades e, sem dúvida, instigará a todos

do setor a ampliar suas visões de futuro para os

negócios.

Estratégias corretas a serem tomadas, bem

como, a união do setor são elementos essenciais

para superar os desafios que ainda estão pela

frente. Programe-se para participar da Semana

Internacional da Madeira e de todas estas oportunidades.

Você sabia?

Foi na década de 1990 que

a Abimci passou a ser a gestora

do CB-31 (Comitê de Madeiras)

da ABNT (Associação Brasileira

de Normas Técnicas). Este foi um

passo importante, que possibilitou

o desenvolvimento de normas

técnicas por segmentos de produtos. Com o desenvolvimento

e publicação, os fabricantes passaram

a ter padrões para seguir no momento da

fabricação dos produtos e, consequentemente, as

exigências do mercado nacional foram atendidas.

42 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


DA INDÚSTRIA

PARA O MUNDO

A presença de produtos madeireiros

brasileiros ao redor do mundo

comprova a qualidade das nossas

madeiras e reflete os avanços

tecnológicos e a sustentabilidade

das nossas indústrias.

#SEMPRE PRESENTE

+55 (41) 3225-4358 www.abimci.com.br abimci@abimci.com.br


PRINCIPAL

EXPANSÃO

PELAS AMÉRICAS

Fotos: divulgação

46 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


FERRAMENTAS DA ARTE DIAMANTE

AMPLIAM A PRODUTIVIDADE NO

CORTE DA MADEIRA EM BUSCA

DOS MERCADOS DOS EUA

(ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA)

E AMÉRICA LATINA

EXPANSION ACROSS

THE AMERICAS

ARTE DIAMANTE TOOLS INCREASE

WOOD CUTTING PRODUCTIVITY IN

SEARCH OF MARKETS IN THE UNITED

STATES AND LATIN AMERICA

I

n the last 39 years, the Brazilian Forest-based and

Furniture Sectors have had precision and quality

tools that have expanded wood applications and

cuts. Manufacturer of cutting tools for wood and

other materials, Arte Diamante, based in Corupá

(SC), has been growing in recent years within the Brazilian,

North American, and Latin American markets. “The differential

of the products is that they stand out in the quality,

finish, and precision of the material. When a woodworker

buys an Arte Diamante cutting tool, a differential is soon

perceived from the thickness of the cutting insert blade to

the durability of the cut, the balance, cutting angle, etc. It

is a differentiated material, just pass a hand over the surface

to realize the finish and care in the piece. There is no

comparison,” says Adriano Donato, Managing Partner of

Buriti Madeiras from Santo André (SP).

Over the years, Arte Diamante has been innovating

in production systems, automation, and machinery. “Recently,

we have acquired another machining center for the

production of interchangeable tools, and by 2023 further

investments in production technology are scheduled. As a

result, 2022 should end with more than 20% growth compared

to last year. For 2023, the planned growth is 30%,”

says Téo Bogo, Managing Director of Arte Diamante.

The Company was founded in 1983 by his father Teofanes

Bogo and Ronaldo Schalinski, his former partner.

Téo Bogo took over the management in 2021. However,

Teofanes Bogo still follows the progress of the Company

but without the administrative burden of 38 years. Today,

he focuses on development projects of differentiated machinery

for sharpening planers and heads, improvements

in the finger-jointer sharpening processes, and initiating

consulting work in machining and cutting wood processes,

an old desire of his. “My father uses all his knowledge as

a manufacturer of wood cutting tools to assist sawmill and

furniture companies in their wood machining processes.

Often, this is with less investment than one might imagine,

taking advantage of the same machinery, without unnecessary

costs,” says the current Managing Director Bogo.

According to the Managing Director, the almost 40

years, coupled with recent innovative projects, have put

the Company at a level where research and development

will dictate the audacious growth planned for the coming

years. “Arte Diamante is undergoing an overall restructu-

O

s setores madeireiro e moveleiro do Brasil contam,

nos últimos 39 anos, com ferramentas de

precisão e qualidade que ampliam as aplicações

e cortes de madeira. Fabricante de ferramentas

de corte para madeira e derivados, a Arte

Diamante – sediada em Corupá (SC) – está em expansão nos

últimos anos pelo mercado brasileiro, América do Norte e

América Latina. “O diferencial dos produtos é que eles se

destacam na qualidade, no acabamento e na precisão do material.

Quando o cliente compra uma fresa da Arte Diamante,

por exemplo, para trabalhos em madeira, logo se percebe

um diferencial desde a espessura da pastilha, até a durabilidade

no corte, o balanceamento e ângulo de corte... É um

material diferenciado, basta pegar na mão para perceber o

acabamento e cuidado na peça. Não tem comparação”, relata

o empresário Adriano Donato, diretor da Buriti Madeiras, de

Santo André (SP).

Ao longo dos anos, a Arte Diamante vem inovando em sistemas

produtivos, automações e maquinário. “Recentemente,

adquirimos mais um centro de usinagem para produção de

ferramentas recambiáveis, e em 2023 mais investimentos em

tecnologia de produção estão programados. O ano de 2022

irá fechar com um crescimento acima de 20% em relação ao

ano passado. Para 2023, o crescimento planejado é de 30%”,

afirma Téo Bogo, diretor da Arte Diamante.

Segunda geração à frente da empresa – que foi fundada

em 1983 por seu pai, Teofanes Bogo e por Ronaldo Schalinski

(antigo sócio) – Téo Bogo assumiu a diretoria em 2021. O

fundador acompanha o andamento da empresa, mas sem a

carga administrativa dos últimos 38 anos, hoje ele foca em

projetos de desenvolvimento de um maquinário diferenciado

para afiação de fresas e cabeçotes, de melhorias nos processos

de afiação de fresas finger-joint e iniciando um trabalho de

consultoria em processos de usinagem e corte de madeira

que era um desejo antigo. “Meu pai vai levar todo seu conhecimento

como fabricante de ferramentas de corte de

madeira para auxiliar as indústrias madeireiras e moveleiras

em seus processos de usinagem da madeira, muitas vezes

com investimento menor do que se imagina, aproveitando

o mesmo maquinário, sem custos desnecessários”, detalha

Téo, atual gestor.

Segundo o diretor, a maturidade de quase 40 anos, aliada

aos recentes projetos inovadores, colocou a empresa em

um patamar em que a P&D (Pesquisa e Desenvolvimento)

AGOSTO 2022 47


PRINCIPAL

irá ditar o crescimento ousado planejado para os próximos

anos. “A Arte Diamante está passando por um processo de

reestruturação geral, com implantação (em fase final) de um

novo sistema modernizado de gestão (ERP), que permite uma

melhor amplitude dos processos, apontamentos, indicadores,

carga-máquina, controle de qualidade e rastreabilidade de

produtos, em que cada ferramenta terá sua identificação exclusiva,

dando os primeiros passos para a indústria 4.0”, pontua.

Com uma equipe formada por aproximadamente 50 pessoas,

muitas delas com 25, 30, 35 anos de experiência, a Arte

Diamante investe em ampliar sua governança corporativa

(parte do movimento global de ESG ) também como estratégia

de expansão dos negócios. “Estamos fazendo uma modernização

nos controles e processos produtivos, com todas as

tecnologias e ferramentas mais modernas, para conseguir

honrar e expandir o legado do nosso fundador. Ele fez a parte

mais difícil, iniciando do zero em um pequeno barracão de

chão batido, com admirável persistência e criatividade em

administrar a empresa de forma idônea, inovadora e saudável

por 38 anos. Sempre digo que ele é a enciclopédia Teofanes

Bogo”, enfatiza o diretor.

Ainda sobre as ações para 2023, Téo Bogo antecipa que a

empresa está desenvolvendo um serviço pioneiro de e-commerce

B2B (comércio business to business, entre empresas)

para ferramentas especiais. “É um sistema ousado, voltado

especialmente para as regiões onde não temos representantes

comerciais. Essa é uma dificuldade, encontrar representantes

com conhecimento técnico em ferramentas. O sistema de

e-commerce vai inclusive apresentar as ferramentas em 3D,

de acordo com a necessidade do cliente em tempo real.”

MAIS LEMBRADA DO BRASIL

Durante 10 anos consecutivos, a Arte Diamante se destacou

entre as três marcas mais lembradas do Brasil no segmento

de fornecedores da indústria, na categoria de Ferramentas

de Corte. Lembrando que a Arte Diamante é a única 100%

brasileira entre os premiados, isto gera muito orgulho para a

empresa. Entre os segmentos atendidos estão os fabricantes

de móveis, painéis, portas, molduras, pisos, estruturas de

madeira, biomassa, madeireiras, fabricantes de esquadrias,

beneficiadoras de madeira.

ring process, with the implementation (in the final phase)

of a new modernized management system (ERP), which

provides for a better breadth of processes, scheduling,

indicators, machine loads, quality control, and product

traceability, where each tool will have its unique identification,

taking the first steps towards industry 4.0,” he points

outs.

With a team of approximately 50 people, many of

them with 25, 30, and 35 years of experience, Arte Diamante

invests in expanding its corporate governance

as part of the global ESG movement, also as a business

expansion strategy. “We are modernizing the controls and

production processes, with all the most modern technologies

and tools, to be able to honor and expand the legacy

of our founder. He did the hard part, starting from scratch

in a small beaten dirt floor shed, with admirable persistence

and creativity in running the Company in a proper,

innovative, and healthy way for 38 years. I always say that

he is the encyclopedia Teofanes Bogo,” emphasizes the

Managing Director.

Still, on activities for 2023, Téo Bogo anticipates that

the Company is developing a pioneering B2B e-commerce

service for special tools. “It’s an audacious system, especially

for regions where we don’t have sales representatives.

Finding representatives with technical knowledge in

tools is a substantial problem. The e-commerce system will

be able to present the tools, according to the customer’s

needs in 3D and in real-time”

MOST REMEMBERED IN BRAZIL

For 10 consecutive years, Arte Diamante stood out

among the three most remembered brands in Brazil in the

Cutting Tools category of the Industrial Supply segment.

The Company is very proud of this as Arte Diamante is the

only 100% Brazilian among the winners. Among the segments

served are furniture, panel, door, molding, flooring,

and wooden structure manufacturers, biomass producers,

sawmills, framers, and wood processors.

“Herval, Madem, Rohden, Esquadribrás, Sollos, Katzer,

Amazon Woods, Rosina Portas, Butzke, Marely, Renar,

Lega, 3 Irmãos, Madepar, Edentec, Madebal, Schmitz

48 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


“Herval, Madem, Rohden, Esquadribrás, Sollos, Katzer,

Amazon Woods, Rosina Portas, Butzke, Marely, Renar, Lega, 3

Irmãos, Madepar, Edentec, Madebal, Schmitz Agroindustrial,

Serpil, Salvaro, Nasa, Maclínea, Moldurarte, Rozene Rossini,

Regoso, Hence, Brixner, Fortimber, Koala, B&B, Art Lâminas,

Ipumirim, Sincol, Bagattoli, Rozini, Robel, Imacá, Sier, Colpati,

Sólida e Domus, AGF e Trada; são alguns dos nossos clientes

pelo país, que consomem produtos como cabeçotes para moldureiras,

sistemas de finger-joint, eixos pastilhados (cabeçotes

recambiáveis) para plainas de desengrosso e desempeno,

ferramentas recambiáveis para centros de usinagem, fresas

para respingadeiras, conjuntos de fresas para fabricação de

esquadrias, trituradores, projetos especiais, entre outros”,

detalha Bogo.

A Buriti Madeiras iniciou as atividades em 1990 e, logo no

início das operações, comprava ferramentas que vinham de

vários fabricantes. “Uma ferramenta em específico chamou

nossa atenção, tanto que fomos conhecer o fornecedor. Era

a Arte Diamante. Ainda sem conhecer direito a empresa, mas

pela qualidade do produto, já solicitávamos as ferramentas

deles. Depois, tivemos contato direto e uma afinidade muito

maior com a empresa”, lembra Adriano Donato.

PRODUTIVIDADE COM CABEÇOTE

Adriano Donato explica que sua empresa ampliou o ganho

de eficiência e de produtividade após implantar os eixos pastilhados

para as plainas de desengrosso feitos sob encomenda

pela Arte Diamante – demanda que a Buriti Madeiras buscava

há alguns anos. “São maquinários que trabalham por longos

períodos todos os dias e originalmente fazem muito barulho.

Agroindustrial, Serpil, Salvaro, Nasa, Maclínea, Moldurarte,

Rozene Rossini, Regoso, Hence, Brixner, Fortimber,

Koala, B&B, Art Lâminas, Ipumirim, Sincol, Bagattoli, Rozini,

Robel, Imacá, Sier, Colpati, Sólida e Domus, AG, and

Trada are some of our customers across the Country, who

purchase products such as molding heads, finger-joint

systems, insert shafts (exchangeable heads) for planers,

exchangeable tools for machining centers, milling machines,

edger assemblies for the manufacture of frames,

shredders, and special designs, among others,” details

Managing Director Bogo.

Buriti Madeiras started operations in 1990 and, at the

very beginning of operations, bought tools that came from

various manufacturers. “A specific tool caught our attention,

so much so that we went to meet the supplier. It was

Arte Diamante. Not yet knowing the Company well, but

because of the quality of the product, we requested more

of their tools. Thus, we began to have direct contact and

a much greater affinity with the Company,” recalls Buriti

Madeiras’ Donato.

HEAD PRODUCTIVITY

Donato explains that his company increased efficiency

and productivity gains after beginning to use thinning

planer insert shafts made to order by Arte Diamante, a

request that Buriti Madeiras sought a few years ago. “They

produce machinery that works for long periods, every day,

substituting those that make a lot of noise. In the old system,

you have very time-consuming machine setup times

to change the knives. Our insert shafts were developed

O DIFERENCIAL DOS PRODUTOS É QUE ELES

SE DESTACAM NA QUALIDADE, NO

ACABAMENTO E NA PRECISÃO DO MATERIAL

ADRIANO DONATO, DONO DA BURITI MADEIRAS

AGOSTO 2022 49


PRINCIPAL

O setup ou regulagem de máquina é muito demorado para

trocar as facas do sistema antigo. Esses eixos pastilhados, que

desenvolvemos junto com a Arte Diamante, fomos testando e

dando o feedback para eles de como funcionava a ferramenta.

Fomos um dos primeiros a instalar um cabeçote desse nas

máquinas e o resultado tem sido fantástico.”

Segundo o madeireiro, a economia tem sido de cerca de

15% em comparação ao uso de ferramentas comuns na troca

do cabeçote do maquinário. “Traduzindo em números: em

duas plainas em que instalamos esse cabeçote, com o custo

de instalação na máquina, tivemos uma economia de R$ 4 mil

nos 2 primeiros anos. Nos outros 2 anos subsequentes, em

que não tivemos o custo de compra do cabeçote, apenas a

troca de pastilhas, economizamos cerca de R$ 25 mil. Além

disso, a troca das pastilhas é feita de forma mais espaçada,

reduzindo os períodos parados para manutenção. Com isso, a

troca de um jogo de pastilhas será a cada 2 anos (24 meses) no

nosso caso. Então tem-se o ganho financeiro, de economia na

troca das pastilhas, na qualidade do acabamento e na grande

redução de ruído sonoro”, recomenda.

QUALIDADE DE ACABAMENTO

Outro ponto de destaque das ferramentas, de acordo com

o empresário Adriano Donato, é a qualidade do acabamento.

“Não tem comparação, no corte com o eixo pastilhado em

relação às facas tradicionais, é muito superior porque estamos

sempre trabalhando com a ferramenta afiada, que vai gerar

um ótimo acabamento.”

O relato é compartilhado pelo empresário Carlos Alberto

Miguel, sócio-proprietário da Madeireira Modelo, de Siqueira

Campos (PR), cliente da Arte Diamante há cerca de 3 anos.

“Encontrei o contato da empresa na internet e vi que era o

que precisava para dar mais acabamento nas madeiras, além

de agilizar a mão de obra. O acabamento é o maior diferencial,

com 50% menos barulho das máquinas em comparação

com o sistema de facas. Isso sem falar no tempo de afiação.

São ferramentas que dão ganho de qualidade, desempenho,

praticidade e custo-benefício”, lista Carlos.

Fernando Belchior, sócio da Marcenaria Fina, em Cruzeiro

(SP), atua em capacitação de profissionais de marcenaria, projetos

de uso sustentável de madeira, ensino de marcenaria,

desenho, fabricação e comercialização de ferramentas para

marcenaria. “Usamos há mais de um ano as ferramentas de

corte da Arte Diamante. Um eixo pastilhado que temos, ao

together with Arte Diamante. We were testing and giving

them feedback on how the tool worked. We were one of

the first to install a head of this kind on our machines and

the result has been fantastic.”

According to the Buriti Madeiras Director, the savings

have been about 15% when compared to the use of

common tools for the change of the machinery head.

“Translating into numbers: for two planers in which we

installed this head, concerning the cost of installation in

the machine, we saved R$ 4 thousand in the first two years.

In the two subsequent years, in which we did not have

the cost of buying a new head, just changing the cutting

inserts, we saved about R$ 25 thousand. In addition, the

insert exchange is done in a more spaced way, reducing

maintenance downtimes. With this, the exchange of a set

of cutting inserts is every 2 years in our case. Thus, there

is the financial gain with savings in the exchange of the inserts,

in the quality of the finish, and in the large reduction

of noise,” he states.

FINISHING QUALITY

Another highlight of the tools, according to Buriti

Madeiras’ Donato, is the quality of the finish. “There is no

comparison, the cut using the cutting insert shaft compared

to traditional knives is much superior because we

are always working with a sharp tool, which generates an

excellent finish.”

The report is shared by businessman Carlos Alberto

Miguel, Managing Partner of Madeireira Modelo, from

Siqueira Campos (PR), an Arte Diamante customer for

more than three years. ‘I found the Company on the Internet

and saw that it had what I needed to provide a better

finish to the sawn wood, in addition to making better use

of labor. The finish is the biggest differential, with 50% less

noise from the machines compared to the knife system.

Not to mention the sharpening time. They are tools that

provide gains in quality, performance, and practicality with

a good cost-benefit,” Miguel states.

Fernando Belchior, Partner of Marcenaria Fina, in Cruzeiro

(SP), works with the training of woodworking professionals,

projects for the sustainable use of wood, teaching

of woodworking, design, and manufacture and marketing

of woodworking tools. “We have been using Arte Diamante

cutting tools for over a year. We have an insert shaft

O GANHO DE PRODUTIVIDADE PODE

CHEGAR A 10 OU 15 VEZES MAIS. TEMOS

EMPRESAS CLIENTES QUE TAMBÉM UTILIZAM A ARTE

DIAMANTE E RELATAM GANHOS COMO A GRANDE

DIMINUIÇÃO DE RUÍDOS

FERNANDO BELCHIOR, SÓCIO DA MARCENARIA FINA

50 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


A MATURIDADE DE QUASE 40 ANOS,

ALIADA A PROJETOS INOVADORES,

COLOCOU A EMPRESA EM UM PATAMAR EM

QUE A P&D (PESQUISA E DESENVOLVIMENTO)

IRÁ DITAR NOSSO CRESCIMENTO OUSADO,

PLANEJADO PARA OS PRÓXIMOS ANOS

TÉO BOGO, DIRETOR DA ARTE DIAMANTE

invés de usar um cilindro com facas, pois as facas tradicionais

têm uma resistência menor ao desgaste. Quando acontece

um dano nas facas tradicionais, em função da velocidade do

cilindro, acaba danificando todas, sendo necessário fazer a

reposição da faca, em um processo que pode levar horas para

a nova regulagem das facas ficar perfeita. Mas com o eixo

pastilhado, não precisamos fazer isso, porque a resistência

das pastilhas é muito maior. Então o ganho de produtividade

pode chegar a 10 ou 15 vezes mais. Temos empresas clientes

que também utilizam a Arte Diamante e relatam ganhos como

a grande diminuição de ruídos”, constata Belchior.

ATENDIMENTO SOB DEMANDA

“A equipe de projeto e venda da Arte Diamante dá um

suporte muito bom, com conhecimento: quando a gente descreve

uma função desejada com uma ferramenta, para fazer

o acabamento de um forro de madeira, por exemplo. Queria

desenvolver uma ferramenta para começar a fabricar para o

meu consumo. Só de falar como gostaria, a equipe já deixou

todo o processo preparado e mandou a ferramenta. Foi só

pegar a ferramenta, começar a produzir e ter um material com

perfeição”, elogia Adriano Donato.

O acabamento da madeira com uso do cabeçote com as

pastilhas intercambiáveis, segundo Carlos Alberto Miguel, fica

similar à quando é lixada. “O investimento é recompensado

em todos os sentidos, também pelo bem-estar da eliminação

de ruídos na planta. Já faz mais de um ano que estou utilizando

e, até o momento, só usei três faces das pastilhas, ainda há

mais um lado para ser utilizado antes de enviar para afiar.”

instead of a cylinder with knives because traditional knives

have a lower resistance to wear. When damage occurs in

traditional knives, depending on the speed of the cylinder,

everything ends up damaged, where it is necessary to

replace all the knives, in a process that can take hours for

the new regulation of the knives to be perfect. But with

the cutting insert shaft, we don’t need to do that, because

the resistance of the inserts is much higher. So, the productivity

gain can be 10 or 15 times. We have customer

companies that also use Arte Diamante and report large

gains in noise reduction”, notes Belchior.

ON-DEMAND SERVICE

“The Arte Diamante design and sales teams provide

excellent support, with much know-how: when I want a

certain function from a tool, for example, for the finish on

a wood ceiling. I would like to develop a tool for my use to

start manufacturing. I just have to say how I would like it;

the teams prepare the whole process, and then deliver the

tool. I get the tool, start producing, and produce the material

with perfection,” praises Buriti Madeiras’ Donato.

The wood finish using the head with interchangeable

inserts, according to Madeireira Modelo’s Miguel, is similar

to using a sander. “The investment is rewarded in every

way, also for worker well-being who benefits by eliminating

noise in the plant. It’s been over a year since I’ve been

using it, and so far, I’ve only used three insert faces, there’s

one more to use before sending the tool to be sharpened.”

AS FERRAMENTAS DÃO GANHO DE QUALIDADE,

DESEMPENHO, PRATICIDADE E CUSTO-

BENEFÍCIO. O ACABAMENTO É O MAIOR DIFERENCIALL

CARLOS ALBERTO MIGUEL, SÓCIO-PROPRIETÁRIO DA MADEIREIRA MODELO

AGOSTO 2022 51


ECONOMIA

PARANÁ FECHA

PRIMEIRO SEMESTRE

COM ALTA DE 15% NAS

EXPORTAÇÕES

MADEIRA CONCENTRA

10% DAS EXPORTAÇÕES

DO ESTADO NO

PERÍODO, SEGUNDO

DADOS DO MINISTÉRIO

DA ECONOMIA

Fotos: divulgação

52 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


D

ados divulgados pelo Ministério

da Economia, por meio da Secretaria

de Comércio Exterior, revelam

que o Paraná exportou US$

2,1 bilhões no mês de junho, com

aumento de 27% em relação ao resultado obtido

em junho de 2021, e em quase 7% a mais

do que o registrado em maio. Só no primeiro

semestre deste ano, o Estado acumula US$ 10,6

bilhões em vendas para o exterior, com alta de

15% na comparação com o que foi comercializado

no ano passado, no mesmo período.

As importações também tiveram crescimento

significativo de 40%, em relação a junho do

ano passado. Porém, em relação a maio, houve

queda de 11%. De janeiro até agora, as compras

do exterior somam US$ 10,7 bilhões, um

crescimento de 35% na comparação com o primeiro

semestre de 2021. Assim sendo, o saldo

da balança comercial do Paraná ficou positivo

em US$ 94,5 milhões no mês de junho – embora

o resultado no acumulado dos primeiros seis

meses seja de déficit de US$ 123 milhões.

Mesmo com esse déficit na balança comercial

do Estado, a atuação do Paraná no

mercado internacional continua forte, segundo

avaliação do economista da FIEP (Federação

das Indústrias do Paraná), Evânio Felippe. “O

AGOSTO 2022 53


ECONOMIA

que pode explicar o saldo negativo neste primeiro

semestre é que, diante das dificuldades

da pandemia e as geradas por conta da guerra

entre Rússia e Ucrânia, houve elevação no preço

de vários produtos no mercado internacional.

Como efeito estão a escassez de insumos e

matérias-primas no mundo todo. Por isso, as

indústrias antecipam a compra destes produtos

para garantir um preço menor, evitar que faltem

ou demorem a chegar, atrasando o ritmo de

produção nas fábricas. Isso resulta em um volume

maior de compras no exterior, gerando esse

descompasso no saldo da balança comercial

paranaense”, explica.

Com os resultados de junho, o Paraná é

o sexto Estado que mais exportou no Brasil,

representando 6,4% do total de mercadorias

comercializadas para fora do país. O Paraná responde

ainda por 41% do que é vendido pelos

três Estados do sul no exterior, sendo o principal

exportador da região. Nas importações, o

Paraná fica em quarto lugar no ranking nacional,

responsável por 8,4% de tudo que foi adquirido

do exterior, além de representar 37% do total

comprado pela região sul, na segunda colocação,

superado por Santa Catarina, com 40%.

NO PRIMEIRO

SEMESTRE, O

ESTADO ACUMULA US$

10,6 BILHÕES EM VENDAS

PARA O EXTERIOR, COM

ALTA DE 15% EM

RELAÇÃO A 2021

MADEIRA E CELULOSE

Os produtos do complexo soja são o principal

item vendido pelo Paraná para fora do país

no acumulado deste ano. Eles respondem por

29% da pauta total do Estado, seguido por carnes

(18,4%), madeira (9,7%), material de transporte

(7,7%) e celulose e papel (4,2%). Já entre

os mais comprados pelo Paraná estão produtos

químicos (40%), petróleo (11%), material de

transporte (9,8%), materiais elétricos e eletrônicos

e produtos mecânicos (8,8%).

O setor alimentício foi o maior responsável

pelas exportações do Estado em junho,

42% do total comercializado. Madeira (8,9%),

automotivo (8,3%) e celulose e papel (7,6%)

completam a lista das atividades que mais venderam

para fora do país. Já os setores químico

(44%), automotivo (11,2%), petrolífero (7,2%) e

máquinas e equipamentos (7,1%) foram os que

mais adquiriram produtos no mês. No primeiro

semestre, a mudança é apenas na porcentagem

de participação de cada setor: alimentos (39%),

madeira (10%), automotivo (7,9%) e celulose e

papel (7,7%).

PRINCIPAIS DESTINOS

Com cerca de 20% do total de mercadorias

vendidas no primeiro semestre, a China continua

sendo o principal destino das exportações

paranaenses, totalizando US$ 2,053 bilhões.

Embora seja o principal mercado consumidor

dos produtos do Estado, as vendas para o país

asiático este ano estão 31% abaixo dos US$

2,967 bilhões registrados no primeiro semestre

de 2021.

Na sequência, vêm os EUA (Estados Unidos

da América), com 8,4%, seguidos por Argentina

(6%), Índia (3,6%), México (3,5%), Holanda (3,2%)

e Chile (3,1%). Nas importações, quase 50% da

pauta está concentrada em cinco países principais.

China, com 24% do total e alta de 51%

nas compras neste primeiro semestre. Os EUA,

com 12%, também com elevação de 60% nas

importações. Em seguida, vem a Rússia, que

representa 4,4% do total adquirido pelo Estado,

mas que registrou o maior aumento percentual

no período, 124% a mais em comparação com

o primeiro semestre de 2021. E por último, Paraguai,

com 4,3%. Também houve uma alta expressiva

na aquisição de adubos e fertilizantes

vindos da Rússia, que somam 93% de todas as

importações do Paraná feitas de lá – o que, na

avaliação do economista Evânio Felippe, é mais

um reflexo do conflito entre russos e ucranianos.

54 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


Diplomatas de seis países

conhecem manejo florestal

sustentável em norte de Mato Grosso

Mato Grosso recebe diplomatas dos Estados Unidos, México,

Panamá, Peru, Equador e Finlândia em evento promovido

para apresentar sustentabilidade do manejo de florestas

A terceira edição do Dia na Floresta reuniu aproximadamente

90 pessoas nesta quinta-feira, 14, em Sinop (500

quilômetros ao Norte de Cuiabá). O evento que tem como

finalidade apresentar a sustentabilidade e organização do

setor de base florestal de Mato Grosso é promovido pelo

Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeiras

do Estado de Mato Grosso (CIPEM), Fórum Nacional das

Atividades de Base Florestal (FNBF) e Secretaria Estadual de

Meio Ambiente (SEMA).

Além dos embaixadores dos Estados Unidos, México,

Panamá, Peru, Equador e Finlândia, o encontro também

recebeu representantes da Federação das Indústrias de Mato

Grosso (FIEMT); Frente Parlamentar Agropecuária (FPA);

Ministério Público Estadual (MPE); Polícia Rodoviária Federal

(PRF); Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Ministério das

Relações Exteriores (MRE); Ministério de Agricultura, Pecuária

e Abastecimento (MAPA); Instituto Brasileiro do Meio Ambiente

e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); Federação da

Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e

Juizado Volante Ambiental (Juvam).

A programação matutina contou com um ciclo de palestras

e visita técnica a uma área de manejo florestal. A Fazenda

Platina - que já está em seu segundo ciclo exploratório, há 50

quilômetros de Sinop - sediou esta primeira fase do evento.

O presidente do CIPEM, Rafael Mason, destacou que esta é

uma importante oportunidade para que o manejo sustentável

das florestas seja conhecido. “Este segmento econômico ganha

ainda mais força apresentando seus processos e respeito com

o meio ambiente, principalmente nesta edição, em que foi

apresentada a execução em uma área de 2º ciclo, confirmando

na prática a sustentabilidade da atividade.”, observou.

Falando sobre “a sustentabilidade da produção florestal de

Mato Grosso”, a secretária estadual de Meio Ambiente,

Mauren Lazzaretti, apresentou como o Governo do Estado

está gerindo a questão florestal do maior produtor de madeira

nativa do país.

Ela destacou ainda que atualmente existem 860 empreendimentos

cadastrados nos segmentos de beneficiamento,

industrialização e desdobro de madeira.

Quanto à gestão de resultados da Sema, a secretária

demonstrou que que houve redução de 56% no tempo médio

de liberação de processos florestais, contabilizando atualmente

prazos 45% abaixo do período legal de 180 dias. “Em

dezembro de 2018 a média era de 230 dias. Esse número

chegou a 100 dias em dezembro do ano passado”, comemora.

Durante a apresentação, a secretária de Meio Ambiente

também demonstrou o Programa Carbono Neutro. Segundo

ela, “o Programa tem a meta voluntária de redução de 80%

das emissões de gás carbônico até 2030 e 100% em 2035. É

uma integração entre o programa, estratégias do Governo de

Mato Grosso e do setor privado para produção sustentável e

de baixas emissões”.

Ainda durante a manhã desta quinta-feira, o diretor de Uso

Sustentável da Biodiversidade e Floresta do Ibama, João

Pessoa Riograndense, mostrou dados nacionais sobre o

manejo florestal sustentável.

O diretor frisou que a produção anual de madeira nativa

gira entre 9 e 11 milhões de metros cúbicos e que 88% da

produção é proveniente de Planos de Manejo Florestal

Sustentável. Mato Grosso é responsável por 85% da produção

sustentável de madeira, seguido do estado do Pará, com

28,2% e Rondônia, 19,8%.

Quanto ao mercado internacional, Riograndense disse que

10% dos produtos madeireiros são exportados para países

como Estados Unidos, França e China.

Após as apresentações a comitiva seguiu para uma área de

floresta manejada em exploração já no segundo ciclo, ou seja,

foi possível conhecer in loco a área que passou por colheita

há pelo menos 25 anos após a colheita primária.

CipemdeMT CipemMT cipemmt (65) 3644-3666 Manejosustentavel

www.cipem.org.br


MANEJO

O MANEJO

QUE PERPETUA A FLORESTA

Fotos: CIPEM/Ademir Junior

EVENTO ORGANIZADO

PELO CIPEM REUNIU

REPRESENTANTES DA

INDÚSTRIA DE BASE

FLORESTAL E DO

PODER PÚBLICO

M

ais de 60% da área do Estado do Mato

Grosso está dentro do bioma amazônico.

Entre as ações prioritárias realizadas

pelo setor industrial e poder público

no Estado estão o manejo florestal

sustentável, por ser uma estratégia consistente para a

manutenção das florestas. “O manejo sustentável promove

o desenvolvimento econômico da propriedade

rural e a justiça social como resultado do trabalho”,

assegura a secretária de Meio Ambiente do Estado do

Mato Grosso, Mauren Lazzaretti.

Organizada pelo CIPEM (Centro das Indústrias

Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de

Mato Grosso), a terceira edição do Dia na Floresta proporcionou

aos mais de 90 participantes experimentar

na prática como é feito o processo de manejo sustentável

na região amazônica. O evento contou com

o apoio do FNBF (Fórum Nacional das Atividades de

Base Florestal) e da SEMA (Secretaria Estadual de Meio

Ambiente).

56 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


Também participaram representantes da FIEMT

(Federação das Indústrias de Mato Grosso), da Femato

(Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de

Mato Grosso), da FPA (Frente Parlamentar Agropecuária),

do Ministério das Relações Exteriores e do

Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento,

do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e

dos Recursos Naturais Renováveis) e do JUVAM (Juizado

Volante Ambiental), o evento contou ainda com

representantes de seis países: EUA (Estados Unidos da

América), México, Panamá, Peru, Equador e Finlândia.

Rafael Mason, presidente do CIPEM, elogiou o resultado

do evento e sua importância para mostrar para

os representantes de indústrias, entidades e países

a seriedade do trabalho do setor florestal no Brasil.

“Muitas vezes a imagem sobre o setor madeireiro é

a de quem prejudica a floresta e estamos aqui para

mostrar que o manejo sustentável é a única forma de

manter as florestas em pé. Temos que desmistificar

essa imagem, pois garantimos a sustentabilidade e a

rastreabilidade dos produtos originados na floresta”,

ressaltou Rafael.

O evento foi dividido em três momentos, em que

os convidados foram levados até a Fazenda Platina, a

50 quilômetros de Sinop (MT), onde puderam acompanhar

o segundo ciclo de manejo sustentável, processo

iniciado há 40 anos. Pela manhã, representantes da

SEMA, do IBAMA e o engenheiro florestal responsável

pelo manejo na fazenda apresentaram os processos

de manejo e seus efeitos para a economia do Estado,

além dos procedimentos de segurança e regulamentação

para comercialização de madeira nativa e do

manejo realizado na fazenda.

Para o presidente do CIPEM, ver a realidade de um

manejo de segundo ciclo, como o da fazenda visitada

no evento, é um exemplo de como o manejo protege

e uma demonstração do trabalho sério que é feito

pelos produtos e representado pelo CIPEM. “Ficamos

muito felizes de ver o desenvolvimento da floresta, a

manutenção da floresta em pé e a perenidade para o

futuro, pois o setor de base florestal depende da floresta

em pé”, concluiu Rafael Mason.

O DESENVOLVIMENTO

E A MANUTENÇÃO DA

FLORESTA VIVA GARANTEM SUA

PERENIDADE PARA O FUTURO,

POIS A INDÚSTRIA DE BASE

FLORESTAL DEPENDE DA

FLORESTA EM PÉ

RAFAEL MASON, PRESIDENTE DO CIPEM

AGOSTO 2022 57


MANEJO

PROCESSAMENTO DA MADEIRA

Os participantes do Dia na Floresta foram levados

para conhecer o processamento da madeira em uma

serraria na região de Sinop (MT). Lá, foram apresentados

os tipos de cortes realizados na madeira, quais

os principais compradores de cada tipo de madeira e

representantes do IBAMA mostraram toda a documentação

necessária para que a madeira nativa, explorada

de madeira regular, precisa para ser exportada. Os

convidados seguiram para uma apresentação cultural,

realizada por crianças de uma escola da região, que

demonstrou a importância do cuidado com a floresta

para a população local.

João Pessoa Riograndense, diretor de uso sustentável

da biodiversidade e florestas do IBAMA, destacou

as ações para a promoção do manejo sustentável,

como o sistema integrado de controle facilita o trabalho

do instituto e a valorização da ampliação do quadro

de funcionários do IBAMA. “É importante destacar

o concurso público realizado esse ano, que possibilitou

a entrada de mais de 500 profissionais na instituição,

bem como, os avanços implementados nos sistemas

transacionais SINAFLOR e DOF nos últimos 3 anos”,

ressaltou João.

MANEJO SUSTENTÁVEL

Para o diretor do IBAMA, a integração de tecnologia

faz muita diferença no controle da madeira nacional.

A integração de sistemas tem garantido a melhoria

e o reconhecimento do produto nacional ao redor do

mundo. “As melhorias são contínuas nos sistemas transacionais

e o lançamento do DOF + Rastreabilidade,

previsto para o final de 2022, possibilitará que toda a

cadeia produtiva da madeira nativa no país seja rastreável

desde o corte na floresta, até o consumidor final,

no país ou no exterior”, aponta João.

A secretária valorizou a realização do evento pelo

CIPEM, pois entende que ainda existem muitos mitos

sobre manejo e o Dia na Floresta colabora para derrubar

esses paradigmas. “O manejo nada mais é do que

a colheita dos indivíduos adultos da floresta, para abrir

espaço para que as árvores mais jovens cresçam, garantido

que a floresta continue existindo. O manejo é

uma das chaves para o plano Carbono Neutro 2035 do

Mato Grosso, pois ele representa 16% das reduções de

carbono no Estado. Temos uma meta de subir o manejo

de 4,7 mi/ha (hectares), que temos hoje, para 6 mi/

ha em 2030”, projeta a secretária Mauren Lazzaretti.

O MANEJO SUSTENTÁVEL

NADA MAIS É QUE A

COLHEITA DOS INDIVÍDUOS ADULTOS

DA FLORESTA, ABRINDO ESPAÇO

PARA QUE AS ÁRVORES MAIS JOVENS

CRESÇAM. ISSO GARANTE QUE A

FLORESTA CONTINUE EXISTINDO

MAUREN LAZZARETTI, SECRETÁRIA DE MEIO

AMBIENTE DO ESTADO DO MATO GROSSO

58 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


5º ENCONTRO DA CADEIA

PRODUTIVA DA PORTA

Visite o principal

evento da cadeia

produtiva da porta!

14 a 16 setembro 2022

Horário de visitação: 14h00 às 20h00

Junto à Lignum Latin America na

Semana Internacional da Madeira

Centro de Exposições Positivo | Parque Barigui

Alameda Ecológica Burle Marx, 2518 - Santo Inácio - Curitiba (PR)

Realização:

Faça sua inscrição até 05 de setembro

no site do evento

Apoio institucional:

+55 (41) 3225-4358

www.encapp.com.br

contato@encapp.com.br


QUÍMICA NA MADEIRA

GANHAM ESPAÇO EM

PROJETOS CONSTRUTIVOS

Fotos: divulgação

PINUS E

EUCALIPTO

A

madeira ganha cada vez mais

espaço nos projetos construtivos

no Brasil. E duas espécies

têm grande destaque por aqui,

o pinus e o eucalipto. Ambas

podem ser utilizadas nas mais diferentes aplicações,

que vão desde as estruturas totalmente

feitas de madeira, aos sistemas construtivos

mistos (madeira associada a outros materiais,

como concreto, aço e vidro).

Atendendo aos mais diferentes setores,

como construção civil (sistemas construtivos

em madeira roliça, woodframe, MLC, entre

outros), rural (mourões, confinamentos para

animais e estacas para fruticultura), ferroviário

(dormentes de madeira) e elétrico (postes de

madeira para eletrificação).

De acordo com a pesquisa Produção da

Extração Vegetal e da Silvicultura (Pevs 2020),

do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística),

a área estimada de florestas plantadas

no Brasil alcançou 9,3 milhões de hectares

em 2020. Desse total, o eucalipto corresponde

a aproximadamente 80,2% das florestas plantadas

para fins comerciais no país. A pesquisa

aponta que, enquanto 44,3% das áreas de

eucalipto concentraram-se na região sudeste,

no sul há predominância de pinus (84,6% do

total).

Essas espécies de florestas plantadas,

têm uma grande vantagem por possuírem

ciclo curto de cultivo, ao contrário da madeira

nativa. Só essa característica já é um fator de

extrema importância quando se fala em logís-

60 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


tica e preço, uma vez que, quanto mais rápido

o ciclo de uma espécie, menos tempo se deve

esperar para o seu corte e processamento.

As madeiras de reflorestamento como

pinus e eucaliptos serão sempre opções interessantes

para as mais diferentes aplicações e

a escolha por uma das espécies será definida

especialmente pela aplicação que será dada

pelo projeto.

O processo de tratamento industrial da

madeira trouxe um grande ganho para essas

espécies. Hoje, tanto o eucalipto como o

pinus passam por processos industriais que

contribuíram muito para aumentar o desempenho

dessas madeiras, tornando-as grandes

alternativas para preservação de madeiras

oriundas de florestas nativas, possibilitando

mais espaço nos projetos construtivos devido

à sua versatilidade, podendo ser usados para

colocação de um simples forro ou piso, até na

estrutura e paredes de uma edificação.

Com as tecnologias atuais, problemas

como intempéries, ataques de xilófagos, principalmente

cupins, e falta de resistência às

chamas foram resolvidos com tratamentos químicos,

aumentando a durabilidade da madeira

e em muitos casos contribuindo até mesmo

com aspectos estéticos do projeto.

É bom lembrar que, como material de

construção, a madeira oferece muitas vantagens,

por ser um dos poucos materiais renováveis,

com baixa energia de processamento

(muito menor que o aço, o alumínio ou o

concreto), por fornecer isolamento térmico e

acústico superiores aos metais ou ao concreto,

maior relação de resistência e rigidez para

peso do que outros materiais. Além disso, é

relativamente fácil de trabalhar.

Outro motivo para a madeira chamar a

atenção na construção civil é que, na comparação

com o alumínio, o ferro e o concreto,

apresenta baixa emissão de CO 2

(gás carbônico)

no processamento industrial, além de reter

o dióxido de carbono, enquanto os outros são

grandes emissores.

Seja pinus, seja eucalipto, profissionais e

consumidores devem sempre escolher madeiras

que passaram por processos industriais

adequados e estejam conectados com as mais

diferentes soluções (produtos) que as indústrias

do setor disponibilizam atualmente para

aumentar o desempenho da madeira em seus

projetos.

HOJE, TANTO O

EUCALIPTO COMO

O PINUS PASSAM POR

PROCESSOS INDUSTRIAIS QUE

CONTRIBUÍRAM MUITO PARA

AUMENTAR O DESEMPENHO

DESSAS MADEIRAS

SILVIO LIMA

ADMINISTRADOR DE EMPRESAS PÓS-

GRADUADO EM GESTÃO EMPRESARIAL

PELO INPG, É ESPECIALISTA EM

MADEIRAS E GERENTE DA UNIDADE

INDUSTRIAL DA MULTINACIONAL

BRASILEIRA MONTANA QUÍMICA

AGOSTO 2022 61


SECUNDÁRIA

HAAS MADEIRAS

MESCLA PRODUÇÃO INDUSTRIAL

E ENERGIA RENOVÁVEL

62 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


COM 49 ANOS NO MERCADO, EMPRESA

GAÚCHA ESPECIALIZADA EM TRANSPORTE

E ARMAZENAMENTO FOI A PRIMEIRA

DISTRIBUIDORA CERTIFICADA COM O ENPLUS

NA AMÉRICA LATINA

Fotos: divulgação

D

o centro gaúcho para a América

Latina. Especializada em grandes

demandas do transporte ao armazenamento,

com venda de paletes

de madeira para o mercado nacional

e de exportação, a Haas Madeiras vem investindo,

nos últimos 7 anos, na geração de energia

a partir da biomassa originada em sua produção

industrial: os pellets, fonte de calor universal

que une economia, sustentabilidade e automatização.

“A Haas foi uma das primeiras serrarias

a comercializar biomassa no país. Fundada em

1973, a empresa convive desde seus primórdios

com montanhas de serragem, cavaco e entulho,

que não eram vistos como potencial energético.

A biomassa está presente em nossas vidas há

muitas décadas, mas os estudos sobre pellets

começaram há 7 anos, com comercialização nos

últimos 3 anos. Nossa motivação é colaborar

com mais uma energia limpa e gerar valor de um

subproduto, que é inerente ao nosso processo

produtivo”, explica o diretor Junior Haas.

De acordo com o diretor, o retorno do mercado

tem sido incentivador, principalmente pelo aspecto

de economia circular, com o recolhimento

AGOSTO 2022 63


SECUNDÁRIA

dos paletes usados dos clientes da Haas, que é

sediada em Venâncio Aires, na região central do

Rio Grande do Sul. “No mercado de calor brasileiro,

que inclui pellets e biomassa, a decisão

ainda é bastante financeira, mas gradualmente

essa mentalidade já está mudando, a partir da redução

das emissões de carbono e das vantagens

que essas iniciativas podem trazer aos negócios,

com o movimento de ESG (ações sociais, de sustentabilidade

e governança). Somos a primeira

trader certificada ENplus da América Latina, única

distribuidora até o momento.”

120 MIL PALETES POR MÊS

Com uma área industrial própria de 35 mil m 2

(metros quadrados), a Haas possui capacidade

instalada para a produção de 120 mil paletes

por mês, operando em dois turnos de trabalho.

“Produzimos e comercializamos paletes, embalagens

de madeira, biomassa e pellets a partir de

madeira do gênero eucalipto. Temos a cadeia do

64 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


processo completa, desde as parcerias florestais,

colheita florestal, transporte florestal, serraria,

montagem e entrega dos produtos. Segundo

nosso último relatório de Sustentabilidade, fechamos

2021 com 215 funcionários. Em 2019,

eram 120”, detalha.

Dentre as empresas que a Haas Madeiras

atende na região sul destacam-se: Tramontini,

Arauco, Votorantin, Yara, Tanac, Seara, BRF,

Brasken, Adama, Mor, Heineken, Docile, Adama

e Incobio, Afubra, empresas do setor leiteiro

como Santa Clara, Dália Alimentos e empresas

do setor do tabaco, como Universal, Brasfumo,

Phillip Morris.

FÁBRICA DE PELLETS

No segundo semestre de 2022, deve ser concluída

e entrar em operação a fábrica própria de

pellet. A nova e moderna unidade fabril de 50

mil m 2 (metros quadrados) de área está sendo

construída em Linha Brasil, em Venâncio Aires. A

estrutura terá capacidade para produzir 2,5 mil

t/m (toneladas por mês) e também abrigará o depósito

de pellets.

A partir do início da produção própria de

pellets, a empresa vai gerar autovalor a partir

dos produtos que consome da floresta, segundo

Junior Haas. “Todos os insumos florestais serão

transformados em produtos de alto valor agregado,

por meio do uso de energia renovável. Dessa

forma, queremos agregar ainda mais valor por

meio de toda a cadeia produtiva de economia

circular.”

CERTIFICAÇÃO

Em junho deste ano, a Haas Madeiras recebeu

o Certificado de Energia Renovável emitido

pela empresa Ludfor Energia Ltda., pelo uso de

energia renovável para os processos de produção.

Desde 2018, a Haas compra de forma antecipada

a energia consumida pela empresa.

Essa energia é proveniente de usinas de fontes

limpas – eólica, solar, biomassa e de PCHs

(Pequenas Centrais Hidrelétricas) e CGHs (Centrais

Geradoras Hidrelétricas). “Isso contribui para

manter uma matriz energética ambientalmente

limpa e sustentável, de acordo com os principais

valores da empresa. Ao buscar as melhores práticas

no consumo consciente de energia, a Haas

obteve indicadores interessantes. Em 2021, com

a utilização de energia renovável, a Haas auxiliou

na redução de 265,265 tCO 2

(toneladas de gás

carbônico) em emissões durante o ano. Desde

2018, já são 577,549 tCO 2

reduzidas no meio ambiente”,

enfatiza Junior Haas.

DIRETOR JUNIOR HAAS, DA

HAAS MADEIRAS

AGOSTO 2022 65


FEIRA

FORMÓBILE

2022

APÓS 4 ANOS FEIRA DE MÓVEIS E

INDÚSTRIA MADEIREIRA É REALIZADA

COM GRANDE IMPACTO NO SETOR

DE NEGÓCIOS

Fotos: REFERÊNCIA e formobile_f14fotografia

66 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


AForMóbile 2022 - Feira Internacional da

Indústria de Móveis e Madeira, foi marcada

por um alto volume de negócios

fechados, fato que reflete o momento

do setor. Além do sucesso de parcerias,

o número de visitantes também superou as expectativas.

Mais de 50 mil pessoas passaram pelo São

Paulo Expo nos quatro dias de evento. Nesta edição,

a feira contou com mais de 500 marcas expositoras,

ocupando 50 mil m 2 (metros quadrados) do pavilhão.

Tatiano Segalin, Show menager do evento, informou

que a edição presencial de 2022 superou todas as

expectativas, seja pela qualificação, seja pelo volume

de profissionais presentes ao longo dos quatros dias

de visitação, o público visitante tomou o São Paulo

Expo em busca das novidades que não puderam ser

lançadas nos anos de pandemia. “É evidente que o

mercado esperava com ansiedade este encontro e

fecha esta edição com a carteira de clientes renovada!”,

celebrou Tatiano. Segundo ele, outro destaque

do evento foi a consistência da presença da indústria,

com suas soluções em maquinários e equipamentos

que reproduziram a dinâmica da indústria 4.0, e

também dos fabricantes que trouxeram novos produtos

para o mercado. “Ponto em comum entre os

expositores foi a ênfase dada às matérias-primas e

processos produtivos mais eficientes e sustentáveis”,

acrescentou Tatiano.

AGOSTO 2022 67


FEIRA

ALCA MÁQUINAS

Eduardo Rechenberg, diretor da

Alca Máquinas, valorizou a visitação e

creditou o grande público ao trabalho

realizado pela empresa. Segundo o

diretor, a empresa tem construindo um

relacionamento com seus clientes, que

se tornaram amigos e veem no que a

empresa oferece soluções completas

para o trabalho desejado. “Nosso stand

cheio é resultado do amor que temos

pelo que fazemos e isso é reconhecido

pelo público”, ressaltou Eduardo.

ARTE DIAMANTE

A Arte Diamente, capa desta edição

da revista, aproveitou para levar à

feira uma linha completa de soluções.

Téo Bogo, diretor da Arte Diamante,

destacou as ferramentas de corte que

a empresa levou à Formóbile e o lançamento

da empresa: o eixo pastilhado.

“É um produto silencioso, que trabalha

mais leve no contato com a madeira,

com acabamento e durabilidade de

corte de alto padrão”, valorizou Téo.

DALLABONA

“A Dallabona Máquinas trouxe para

a Formóbile uma novidade para o mercado

nacional, a destopadeira automática

com empurrador, com uma sessão de

corte de 110 mm x 600 mm (milímetros)

de largura, e pode atingir até 6 m³/h

(metros cúbicos por hora)”, apresentou

Jussara Dallabona. A empresa catarinense

com quase 30 anos de história é

especializada na produção de máquinas

para o processamento de madeira e

está sempre investindo em novas soluções

para seus clientes.

68 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


FRANZOI

A Franzoi apresentou na Formóbile

a linha dedicada ao setor moveleiro: a

Santi Ferramentas. Tiago Martini, diretor,

explicou que a feira é uma grande

oportunidade para apresentar para o

público tudo que a Santi Ferramentas

oferece para o mercado de móveis.

“Estamos investindo em tecnologia

e na área comercial para atender e

participar especialmente no segmento

moveleiro, com serras específicas para

o setor moveleiro”, exemplificou Tiago.

MAFERCON

A Mafercon levou para a Formóbile

uma série de novidades para garantir

os melhores resultados na colagem da

madeira. Edson Prebitz comentou sobre

o grande investimento em tecnologia e

foco na qualidade dos produtos oferecidos

pela empresa especificamente para o

público nacional. “Trouxemos uma linha

importada da Alemanha de antiaderentes,

nossas já reconhecidas colas industriais,

a cola PRO altamente resistente à água e

a linha Gorilla Glue, importada dos EUA

(Estados Unidos da América), dedicada ao

trabalho de marceneiros”, explicou Edson.

MONTANA QUÍMICA

A Montana Química aproveitou a feira

para destacar a marca de acabamentos Flora,

destinada a interiores com finalizações

diferentes para cada tipo de público. Elaine

Guedes, diretora da Montana, explica que

a empresa projetou um espaço para trazer

ao cliente uma experiência diferente. “Projetamos

esse ambiente que assemelha a um

quarto para demonstrar todas as possibilidades

de acabamentos, metalizado, perolizado

e muito mais que a linha Flora oferece,

seguindo o slogan da Flora, que é: Cores a

base de sonhos”, comemorou Elaine.

AGOSTO 2022 69


FEIRA

ROTTENG

A Rotteng, especializada em mecanização

e automação industrial, expôs na

feira o lançamento Speed RottStop, uma

máquina mais rápida do que os modelos

anteriores da empresa. José Padoveze,

programador da Rotteng, destacou as

qualidades do novo equipamento. “Ela

é mais rápida e tão segura quanto qualquer

outra, pois o operador não tem

acesso à serra e sua programação garante

alta efetividade no processamento da

madeira”, exaltou José.

TIGRA

“O evento foi excelente, realizado

de forma muito qualificada, e para a

Tigra a feira foi uma surpresa altamente

positiva, superou todas as nossas expectativas”,

elogiou Lucca Burini, diretor

geral da Tigra. Para o diretor, o contato

novamente com o público e mostrar a

presença de marca da Tigra foi excelente

no evento. “Foi um grande sucesso e

já confirmamos nossa presença na próxima

edição”, completou Lucca.

É EVIDENTE QUE O

MERCADO ESPERAVA

COM ANSIEDADE ESTE ENCONTRO

E FECHA ESTA EDIÇÃO COM A

CARTEIRA DE CLIENTES

RENOVADA!

TATIANO SEGALIN, SHOW

MENAGER DA FORMÓBILE

70 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


TZURIEL

A Tzuriel conecta industrias pelo mundo,

oferecendo soluções e suporte aos

seus clientes com matérias-primas e equipamentos

de qualidade com comprometimento.

Brayan Zwiener, gerente comercial,

valorizou o reencontro com os clientes e

reiterou a qualidade dos serviços e produtos

oferecidos pela empresa. Comentou

que: “o público, nesse pós-pandemia, foi

mais assertivo.”

VANTEC

A Vantec, presente em todas as

edições anteriores da Formóbile, também

marcou presença em 2022. Fabio

Grainer, gerente comercial da empresa

explicou que a Vantec levou para a feira

suas inovações e máquinas dedicadas

para serraria e processamento de pinus

e eucaliptos. “Ficamos muito felizes

de estar aqui novamente e recebemos

todos os nossos clientes com muita

alegria e oportunidades de bons negócios”,

celebrou Fabio.

VOLLMER

“Estamos muito felizes de estar novamente

em uma feira, presencialmente, de

receber os clientes em nosso stand, com

esse contato direto com nossos parceiros”,

destacou Jan Stoesser, diretor técnico

da Vollmer. O diretor exaltou, ainda, a

confiança da marca no setor madeireiro.

“No primeiro dia já fechamos negócios

importantes e presenciamos o aquecimento

do mercado”, constatou Jan.

AGOSTO 2022 71


CLICK

Diego Dallabona, Rodrigo de Maragogi e

Jussara Dallabona, da Dallabona Máquinas

OS MELHORES

MOMENTOS DA

FORMÓBILE 2022

Elaine Guedes, Silvio Lima e Leandro Santos,

da Montana Química

Jhonata Cholici, Bernd Motzer, Luca Burini e Willian Meister,

da Tigra

Mark Andrey, Marcelo Valiati, Rudimar Pacheco,

Fabio Grainer, Ericsson Paludo, Fernando Brito,

Fabio Giroletti e Clefedir Bottesini, da Vantec

José Antonio Padoveze, Arlindo Muller e Rafael Muller,

da Rotteng

72 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


Edson Prebitz, Anita Jensen, Adailton Santos, Nicola Gerace,

Jaison Formentin e Fabio Cividini, da Mafercon

Eduardo Rechenberg, da Alca Máquinas e Fábio Machado,

diretor comercial da Revista REFERÊNCIA INDUSTRIAL

Luis Strujak, Cleiton Torres e Jan Stoesser, da Vollmer

Téo Bogo, Bruna Moratelli, Walter Sá e André Dewes,

da Arte Diamante

Bianca, Werner, Anderson, Brayan, Carmelita, Maiara

e Francisco, daTzuriel

Rudinei Bueno, Jackson Brati, Guilherme Secchi, Gilmar Galiotto

e Tiago Martini, da Franzoi

AGOSTO 2022 73


ARTIGO

MÉTODO PARA DEFINIR ÁREAS

PARA PLANTIOS DE ESPÉCIES

FLORESTAIS SUSCETÍVEIS A GEADAS

NO SUL E SUDESTE DO BRASIL

Fotos: divulgação

74 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


ELENICE FRITZSONS

JARBAS YUKIO SHIMIZU

MARCOS SILVEIRA WREGE

ANANDA VIRGÍNIA DE AGUIAR

IVAN VENSON

Documento 369 da Embrapa Florestas, junho de 2022

RESUMO

E

ste documento apresenta um procedimento

que poderá ser utilizado por empresas florestais,

para identificar grupos de locais mais

adequados ao plantio de espécies florestais

mais suscetíveis às geadas. Com o método

desenvolvido, todos os locais de plantio foram separados

em grupos, tendo como base as variáveis climáticas

locais submetidas à análise estatística multivariada.

Como resultado, dentro dos grupos a ocorrência e a

intensidade de geadas são semelhantes e entre os grupos

são diferentes, em diversos graus. A utilidade deste

trabalho está na possibilidade de comparação dos

mesmos materiais genéticos resistentes à geada, nos

diferentes grupos climáticos. Esta informação fornece

uma orientação sobre os melhores locais para plantios

experimentais ou de comprovação. Os resultados das

experiências de plantios, ao serem compartilhados

entre as empresas, contribuirão para o fortalecimento

da silvicultura de espécies e híbridos mais suscetíveis

às geadas. Apesar deste trabalho estar focado na

ocorrência de geadas, a metodologia proposta pode

ser utilizada para outras características que envolvem

o clima, por exemplo, tolerância à seca, incidência de

ventos, alta umidade relativa, e outras; para caraterísticas

edáficas, tais como classe, fertilidade dos solos,

profundidade, etc. e, ainda, avaliar a possibilidade de

ocorrência de pragas e doenças associadas ao clima.

Este trabalho apresenta aderência às diferentes metas

dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável),

representando os ODS 8, 12, 15 e 17, por ser direcionado

ao aumento da produtividade, à gestão sustentável

dos recursos florestais e ao incremento da capacidade

de adaptação aos riscos climáticos e às geadas.

Palavras-chave: Floresta plantada, geada, manejo

florestal, pinus, plantio florestal

AGOSTO 2022 75


ARTIGO

INTRODUÇÃO

A maioria das espécies florestais plantadas comercialmente

no Brasil foi introduzida há mais de 5 décadas,

vinda de países onde sofreram um processo de

seleção natural e adaptação ao longo de milhares de

anos àquelas condições ambientais de origem. Assim,

a escolha dos locais de plantio destas espécies exóticas

requer cuidados no sentido de se buscar condições

edafoclimáticas compatíveis com as de origem. Para

dar suporte a essa tarefa foram desenvolvidos diversos

zoneamentos climáticos para espécies florestais, tais

como os trabalhos de Golfari et al. (1978), Carpanezzi

(1986, 1988), Macedo et al. (2005), Marin e Barreto Júnior

(2005), Nappo et al. (2005), Wrege et al. (2014, 2017,

2018), Gonçalves e Wrege (2018), entre outros.

Os fatores climáticos limitantes para a distribuição

natural das plantas, sejam florestais ou não, e para a

expansão dos seus plantios, remetem sempre à combinação

entre a temperatura e a umidade (disponibilidade

hídrica). Essas são as variáveis que, em conjunto,

definem todos os biomas da terra.

Na região sul e sudeste do Brasil, a frequência das

baixas temperaturas no inverno, associada à ocorrência

de geadas, limita o desenvolvimento de muitas espécies

florestais, especialmente as oriundas de regiões

tropicais, ou de híbridos em que, pelo menos, uma

das espécies parentais seja de origem tropical. O local

adequado para o plantio de espécies suscetíveis às geadas

pode ser determinado por meio de zoneamento

climático específico que destaque as áreas sujeitas às

geadas, mais frequentes e intensas, como sendo de risco,

embora não necessariamente restritivas ao plantio.

Entretanto, neste trabalho optou-se pelo procedimento

de se agrupar locais de plantio já existentes que sejam

semelhantes quanto à incidência e frequência de geadas,

a partir de um conjunto amplo de informações

climáticas. Este procedimento configura-se melhor que

o zoneamento tradicional, no caso específico deste

trabalho, uma vez que há várias empresas reflorestadoras

com plantios comerciais e experimentações nos

estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Estes

empreendimentos podem atuar em conjunto, compartilhando

experiências de plantio e validação de espécies.

Os grupos climáticos identificados neste trabalho são

apresentados de forma comparativa e hierárquica, em

termos de distâncias e similaridades quanto à ocorrência,

frequência e intensidade de geadas. Isto constitui

um importante subsídio para a tomada de decisão

quanto ao estabelecimento de plantios comerciais ou

para experimentação com espécies suscetíveis à geadas.

Este trabalho foi idealizado como um método confiável

para identificar grupos de locais que apresentem

clima mais adequado ao plantio de espécies florestais,

tendo como foco a ocorrência de geadas, com base

nos dados geográficos das bases físicas das empresas

reflorestadoras associadas ao PCMP (Projeto Cooperativo

de Melhoramento de Pinus).

76 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


METODOLOGIA

A partir das coordenadas geográficas das áreas

de plantio, foram obtidos os dados de risco de geada

(meses de maio a setembro), temperatura média das

mínimas e temperatura mínima absoluta dos meses de

outono, inverno, primavera e, especificamente, do mês

de julho, totalizando 28 pontos e 13 variáveis climáticas.

Estas são as variáveis que mais se relacionam com a

ocorrência de geadas (Wrege et al., 2018).

O risco de geadas foi calculado considerando-se o

número médio de ocorrências a cada 10 anos. Para isso,

foram utilizados dados de temperatura mínima registrados

no abrigo meteorológico. Foram considerados os

números de ocorrência de temperaturas mínimas inferiores

a 3°C (graus Celsius) a cada 10 dias, aplicando-se

a regra de distribuição de extremos (Wrege et al., 2018).

Foi usada esta temperatura, valendo-se do conhecimento

de que a diferença entre as temperaturas oficial

- medida a 1,5m (metro) de altura com termômetro

protegido - e a medida na superfície do solo é de 3°C a

4°C (Grodzki et al., 1996). Portanto, caso o valor estimado

tenha sido 0,5, isto significa que, na média, podem

ocorrer cinco geadas a cada dez anos nesse local.

Dados de clima de cada área de plantio foram

obtidos em ambiente digital de geoprocessamento,

O PROCEDIMENTO

ABORDADO NESTE

TRABALHO PROPORCIONA

AOS EMPREENDEDORES DO

SETOR FLORESTAL

SUBSÍDIOS ESSENCIAIS PARA

A TOMADA DE DECISÃO

QUANTO À ESCOLHA DE

ESPÉCIES OU DE HÍBRIDOS

SUSCEPTÍVEIS A GEADAS E

DOS LOCAIS PARA O SEU

PLANTIO

AGOSTO 2022 77


ARTIGO

cruzando-se a camada (layer) contendo as coordenadas

geográficas dos plantios com as camadas de clima obtidas

do Atlas Climático da região sul do Brasil (Wrege et

al., 2011). Assim, foi composta uma tabela de atributos

climáticos associados às coordenadas dos pontos. As

altitudes de cada local foram estimadas cruzando-se

a camada dos pontos com a camada do modelo numérico

do terreno (MNT) do SRTM (GTOPO30) (USGS,

1999).

As variáveis climáticas dos locais estudados foram

submetidas à análise de agrupamento (método Ward

e distância média de aglomeração) para formar os grupos.

Dados dos grupos formados foram submetidos à

análise de variância para determinar o grau de significância

estatística das diferenças entre eles e foi utilizado

o método de LSD de Fisher, com nível de confiança

de 95%, para compor o gráfico de médias.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

O conjunto de variáveis mais adequado para a formação

de grupos climáticos foi o composto pela média

da temperatura mínima de julho, a temperatura mínima

absoluta de julho e a ocorrência de geadas em julho,

por ter apresentado a maior coerência geográfica e estar

intimamente relacionado à ocorrência de geadas.

Desta forma, os grupos formados foram: Grupo A

- sul de São Paulo e Segundo Planalto do Paraná; Subgrupo

B1 - sul do Paraná (maioria) e Santa Catarina; e

Subgrupo B2 - todos de Santa Catarina.

Na literatura científica tem-se que as menores temperaturas

mínimas absolutas e, consequentemente, os

maiores riscos de ocorrência de geada (maiores que

60%) ocorrem entre o sul do Paraná e o Rio Grande do

Sul, nas zonas com altitudes superiores a 417m no Rio

Grande do Sul e 599m em Santa Catarina e acima de

1.029m no Paraná (Wrege et al., 2018). Todos os locais

de plantio inclusos neste estudo, em Santa Catarina,

estão em altitudes acima de 599m e, no Paraná, acima

de 1.029m (Pinhão). No entanto, deve-se observar que

o risco de geadas depende, também, do microclima.

Concavidades de relevo em planaltos, fundos de vale e

baixadas favorecem o acúmulo de ar frio por inversão

térmica noturna, criando topoclimas diferentes das

meias-encostas e espigões onde o ar frio pode ser escoado.

Portanto, para o plantio nas áreas deste estudo,

com espécies susceptíveis às geadas, como os híbridos

de Pinus adaptados às zonas subtropicais e tropicais,

devem ser escolhidas áreas com o menor acúmulo do

ar frio.

Nas regiões sul e sudeste do Brasil, os terrenos situados

na face norte são, em geral, mais ensolarados,

secos e quentes que os voltados para o sul. Pode-se

dizer que, nas vertentes voltadas para o sul, as temperaturas

são menores ao longo do ano. Esse diferencial

se acentua nos meses de inverno devido à maior inclinação

da Incidência dos raios solares, elevando-se o

POR SER

FUNDAMENTADO

EM DADOS COLETADOS IN

LOCO, ESTA METODOLOGIA

CONSTITUI UM RECURSO

VALIOSO PARA O

SEGMENTO DE FLORESTAS

PLANTADAS EM OPERAÇÃO

NA REGIÃO

risco de geadas. Esta face do terreno propicia, também,

maior frequência de geada de vento (geada negra), já

que os ventos predominantes durante os episódios de

frio intenso nas regiões sujeitas às geadas no Brasil são

de sudoeste. Nessas vertentes, em função da menor

irradiação solar, a umidade do solo e do ar são maiores,

propiciando o surgimento de doenças, principalmente

as criptogâmicas.

Em todos os locais incluídos neste estudo, o híbrido

Pinnus elliottii var. elliottii x Pinnus caribaea var. hondurensis

está sujeito aos danos causados pela geada,

principalmente nos brotos terminais em crescimento

que podem induzir à má formação do fuste ao longo

dos anos. Portanto, na escolha do local para o plantio,

deve-se dar prioridade às áreas onde geadas não ocorram

ou ocorram com a menor frequência e intensidade

possíveis. Desta forma, de acordo com os resultados

deste trabalho, os melhores locais para plantio desse

híbrido, considerando os possíveis danos relacionados

às geadas, seriam sul de São Paulo (SP) e segundo planalto

do Paraná.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O grupo a que pertencem as fazendas de Ponta

Grossa e São Paulo (Grupo A) é menos suscetível à

ocorrência de geadas, em comparação com o B. No

grupo B, o subgrupo B1 é menos suscetível que o

subgrupo B2; entretanto, condições diferenciadas de

microclima local podem afetar, tanto positiva quanto

negativamente, a ocorrência de geadas. Tais condições

78 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


microclimáticas podem ser mapeadas nos locais de

plantio, usando-se um modelo numérico de elevação

na escala 1:10.000 ou maior, gerando camadas de

classes de risco de ocorrência de geada, em nível de

propriedade.

Assim, esta informação serve como suporte para

o planejamento e tomada de decisão na propriedade

sobre o que e onde plantar, de acordo com as classes

de risco presentes na área e o grau de susceptibilidade

das espécies a serem plantadas. No caso de se plantar

uma espécie sensível à geada em regiões suscetíveis

à ocorrência desse fenômeno, pode-se minimizar as

possíveis perdas econômicas diversificando-se o plantio

com espécies tolerantes ao congelamento.

A sistematização da região de operação em grupos,

com base nas características adversas (ou mesmo favoráveis)

do meio, a exemplo deste trabalho, pode ser

utilizada, também, com relação a outras características,

tais como: ocorrência de ventos, umidade, precipitação

pluviométrica, altitude, temperaturas elevadas ou

favoráveis e até mesmo características pedológicas ou

de fertilidade do solo, utilizando-se para isto as variáveis

correspondentes. No que se refere ao método

utilizado, a separação em grupos climáticos hierárquicos

representa um recurso valioso nos programas de

melhoramento genético, pois pode-se escolher áreas

específicas para a instalação de testes genéticos e delimitar

as áreas onde certos materiais genéticos terão

maior probabilidade de êxito em plantios comerciais.

O procedimento abordado neste trabalho proporciona

aos empreendedores do setor florestal e, em

especial, aos membros do FUNPINUS (Fundo Cooperativo

para Melhoramento de Pinus), subsídios essenciais

para a tomada de decisão quanto à escolha de espécies

ou de híbridos susceptíveis a geadas e dos locais

para o seu plantio. Por ser fundamentado em dados

coletados in loco, inclusive com interpretações de dados

experimentais e confrontados com as limitações de

cada espécie ou híbrido, esta metodologia constitui um

recurso valioso para o segmento de florestas plantadas

em operação na região.

Link de acesso: https://www.embrapa.br/

florestas/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1143859/metodo-para-definir-areas-para-plantios-de-especies-florestais-suscetiveis-

-a-geadas-no-sul-e-sudeste-do-brasil

SISTEMA FINGER JOINT

3000mm 4000mm 6000mm

SUSTENTABILIDADE QUALIDADE PRODUTIVIDADE

Máquinas Lampe,

há 94 anos contribuindo para o

desenvolvimento e fortalecimento da

indústria moveleira.

Visite nosso site:

www.maquinaslampe.com.br

(47) 3203.3800 | (47) 3644.3288 | (47) 98856.2722

comercial@maquinaslampe.com.br

DESTOPADEIRA AUTOMÁTICA

PROGRAMÁVEL

PRENSA DE ALTA FREQUÊNCIA

PLAINA DUAS FACES PLAINA MOLDUREIRA LIXADEIRA DE CONTATO


AGENDA

AGENDA

2022

AGOSTO

16 A 19

EXPOMAC

LOCAL: CURITIBA (PR)

INFORMAÇÕES: HTTPS://WWW.

EXPOMAC.COM.BR/

AGOSTO

17 E 18

FLORESTAS UAÍ - ENCONTRO

DA INDÚSTRIA FLORESTAL DE

MINAS GERAIS

LOCAL: BELO HORIZONTE (MG)

INFORMAÇÕES: INFO@MALI-

NOVSKI.COM.BR

SETEMBRO

14 A 16

LIGNUM LATIM AMÉRICA

LOCAL: CURITIBA (PR)

INFORMAÇÕES: HTTPS://LIGNUM-

LATINAMERICA.COM/

MEC SHOW

02 A 04 DE AGOSTO

LOCAL: SERRA (ES)

INFORMAÇÕES: HTTPS://WWW.MECSHOW.COM.BR/

A MEC SHOW – FEIRA DA METALMECÂNICA + INOVAÇÃO INDUSTRIAL SERÁ

REALIZADA ENTRE 2 E 4 DE AGOSTO NA CIDADE DE SERRA, NO ESPÍRITO

SANTO, ESTADO RECONHECIDO NACIONALMENTE COMO IMPORTANTE

CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR METALMECÂNICO E COM GRANDES

INVESTIMENTOS PREVISTOS NAS ÁREAS DE P&G, SIDERURGIA, MINERAÇÃO,

CELULOSE E NAVAL. A FEIRA REÚNE UM PÚBLICO QUALIFICADO EM BUSCA

DO QUE HÁ DE MAIS MODERNO EM NOVIDADES, NETWORKING E NEGÓCIOS

COM FORNECEDORES E INDÚSTRIAS. O EVENTO É CONSIDERADO UMA

DAS PRINCIPAIS FEIRAS DO SETOR METALMECÂNICO E TRAZ AS ÚLTIMAS

TENDÊNCIAS E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A INDÚSTRIA, ATRAINDO

PROFISSIONAIS COM ALTO PODER DE DECISÃO E GESTORES DE COMPRAS DAS

GRANDES PLANTAS INDUSTRIAIS DO ESPÍRITO SANTO.

SETEMBRO

13

WOODTRADE BRAZIL

LOCAL: CURITIBA (PR)

INFORMAÇÕES: WWW.LIGNUM-

LATINAMERICA/WOODTRADE

NOVEMBRO

16 A 17

HDOM SUMMIT

LOCAL: SÃO PAULO (SP)

INFORMAÇÕES: HTTPS://WWW.

HDOMSUMMIT.COM.BR/

80 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


29 DE NOVEMBRO

ÀS 19 HORAS

E D I Ç Ã O

VEM AÍ!

A N O S

Gostaria de participar do jantar do PRÊMIO REFERÊNCIA 2022?

Compre seu ingresso antecipado pelo whats: (41) 99968-4617 ou

pelo e-mail: comercial@revistareferencia.com.br

Vagas limitadas

Transmissão ao vivo em nosso canal:

@revistareferencia

PATROCINADORES:

ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE

MADEIRAS E DERIVADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS

www

revistareferencia.com.br

comercial@revistareferencia.com.br


ESPAÇO ABERTO

QUALIDADE DE VIDA:

TRÊS DICAS PARA EXPRESSAR MAIS

FACILMENTE SEUS SENTIMENTOS

M

uitos acreditam que os sentimentos podem

desaparecer quando permanecem

apenas dentro de si, mas não é bem assim.

A realidade, e não é necessário ser

nenhum especialista para dizer, é que

se as emoções são retidas, podem se intensificar a ponto

de virar verdadeiras bombas-relógio prestes a provocar

prejuízos à saúde mental, psicológica e física.

A repressão, uma tentativa de defesa contra o sofrimento,

pode ocorrer devido ao crescimento em um

ambiente em que há pouco ou nenhum espaço para expressar

os sentimentos. Certas narrativas sociais e mitos

familiares dão a ideia de que externalizar as emoções é

sinal de fraqueza ou vergonha. Dessa forma, as pessoas

podem invalidar, mesmo que de maneira não intencional,

o uso construtivo emocional.

MAIS DE 500 SENTIMENTOS

Em 30 anos de estudo, já catalogamos mais de 500

sentimentos. Saber lidar, identificar e trabalhar o que se

sente é essencial para equilibrar a saúde mental e melhorar

a qualidade de vida.

Sendo cada pessoa única, com uma única história e

experiências de vida pessoal, fica difícil afirmar com precisão

o que exatamente leva uma pessoa a sentir dificuldade

para expressar o que sente. Entretanto, se torna possível

pensar que a ignorância sobre os sentimentos e a sua

dinâmica de funcionamento seria o fator que impõe maior

dificuldade às pessoas para expressarem o que sentem.

CADA PESSOA É ÚNICA, COM

SUA HISTÓRIA E

EXPERIÊNCIAS DE VIDA. É DIFÍCIL

AFIRMAR COM PRECISÃO O QUE LEVA

UMA PESSOA A SENTIR DIFICULDADES

PARA EXPRESSAR O QUE SENTE

POR

BEATRIZ BREVES

PSICÓLOGA,

PSICANALISTA E

ESPECIALISTA NA

CIÊNCIA DO SENTIR

AS DICAS

Para que mais pessoas saibam como expressar os

sentimentos, três dicas podem ajudar a falar sobre o que

sente:

1. Faça uma autorreflexão: um sentimento nunca anda

sozinho. Pode existir a predominância do medo para mascarar

o que sente, mas também é possível predominar

a timidez, baixa autoestima, fraqueza ou desilusão (falar

para quê? Não vai me ouvir mesmo?). Somente a pessoa,

ao fazer uma autorreflexão, se tornará capaz de acessar os

sentimentos, avaliar quais atuaram no momento ou foram

predominantes para impedir a externalização.

2. Pratique a fala: para começar a externalizar os sentimentos,

comece pela experiência de falar. Será por este

ponto, apesar do receio ou de qualquer outro sentimento

que esteja impedindo, que se dará a chance de vencer

o bloqueio. Até porque, feita a primeira vez, a própria

experiência irá mostrar os benefícios conquistados e

funcionará como alavanca para voltar a externalizar uma

próxima vez.

3. Confiança e atenção plena: um dos passos mais

importantes também é prestar atenção plena em seu

mundo interno. Feito isso, irá se deparar com mais de 500

sentimentos interagindo entre si, então, terá a chance de

verificar quais deles estão de fundo e quais predominam

no seu dia a dia. Esse conhecimento servirá de recurso

interno para que invista em sentimentos, que reforcem os

de confiança e de determinação e, assim, compartilhe o

que sente com mais facilidade.

Foto: divulgação

82 referenciaindustrial.com.br AGOSTO 2022


lançamento!

máquina 100% automatizada

Equipamentos

especiais

Aquecimento

POR INDUção

Coladeiras de

alta frequÊNCIA

A Coladeira Contínua conta com conjunto de saída de moldureira, (alimentador) e

conjunto aplicador de cola com sistema de pente com capacidade para passar

120 METROS DE SARRAFOS POR MINUTO. A mesa de montagem de madeira é

automática, possui braços pneumáticos e servomotores para montagem de até

dois painéis. O sistema de alimentação é com esteira em inox contínua, e o corpo

principal para colagem possui área útil de 1250 x 6000, composta por um gerador

de alto rendimento de 64 kw e sistema de prensagem hidráulica com descolador

de painéis. Possui conjunto de saída com descarga, corte longitudinal (esquadro

entre pontas) com capacidade para corte de duas medidas, sistema de descarga

e paletização automático. Com 28 metros de comprimento essa máquina parece

um sonho, mas é realidade!

(47) 3375-0272 | (47) 9 9991-3459 | (47) 9 9127-3477

vendas@mspindustrial.com.br | vendas1@mspindustrial.com.br

@mspindustrial_of www.mspindustrial.com.br

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!