15.08.2022 Views

Biomais_52 - Opps-compactado

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

Entrevista: Biomassa do cavaco gera fonte de energia sustentável em Goiás

ENERGIA LIMPA NA

PRODUÇÃO DE FERRO-GUSA

BIORREDUTOR NA TERMORREDUÇÃO

DO MINÉRIO DE FERRO É A CHAVE

PARA SUSTENTABILIDADE

BIOMASSA

CRESCE INVESTIMENTO EM GERAÇÃO

DE ENERGIA INDUSTRIAL

PELO MUNDO

CHINA PROMETE CONTINUAR TRANSIÇÃO

PARA ENERGIA RENOVÁVEL


GERADOR DE AR QUENTE PARA

SECAGEM DE PRODUTOS

INDÚSTRIA DE GERADORES DE CALOR LTDA.


HÁ UMA DÉCADA

TRANSFORMANDO BIOMASSA

EM ENERGIA TÉRMICA

Estrada Geral Pitangueira n° 1 - Agrolândia - SC

(47) 3534 - 0396 (47) 99935 - 8124

comercial@imtab.com.br www.imtab.com.br


SUMÁRIO

06 | EDITORIAL

Gusa-verde exportação

08 | CARTAS

10 | NOTAS

20 | ENTREVISTA

24 | PRINCIPAL

30 | INOVAÇÃO

Inovação em biomassa

34 | PELO MUNDO

Energia limpa

38 | BIOMASSA

Fábrica de pellets

44 | COLUNA

Indignação cidadã

46 | CLIMA

50 | PRÊMIO

Prêmio REFERÊNCIA 2022

56 | ARTIGO

64 | AGENDA

66 | OPINIÃO

Milho, à mesa e no

tanque de combustível

04 www.REVISTABIOMAIS.com.br


EDITORIAL

Na capa deste mês, maquinários da

produção de ferro-gusa da Vetorial, de

ponta a ponta da cadeia produtiva

GUSA-VERDE

EXPORTAÇÃO

D

etentora da ISO 9001 e reconhecida pelo Brasil como benchmarker na produção sustentável

de ferro-gusa, a Vetorial está investindo em expansão para o setor logístico, depois de 2 anos

batendo recordes de produtividade com uso de biorredutor na produção de ferro-gusa. Além

de fornecer matéria-prima renovável, suas florestas plantadas preservam os biomas e reduzem

os impactos sobre a mata nativa. Nesta edição, apresentamos ainda expectativas para o mercado brasileiro

de biomassa e planos de expansão para 2023, em uma entrevista exclusiva com a Enebra Energia, além

de matérias sobre mercado, negócios, máquinas e equipamentos, pellets de madeira e muito mais. Uma

ótima leitura!

EXPEDIENTE

ANO IX - EDIÇÃO 52 - AGOSTO 2022

Diretor Comercial

Fábio Alexandre Machado

(fabiomachado@revistabiomais.com.br)

Diretor Executivo

Pedro Bartoski Jr

(bartoski@revistabiomais.com.br)

Redação

André Nunes

(jornalismo@revistabiomais.com.br)

Dep. de Criação

Fabiana Tokarski - Supervisão

Crislaine Briatori Ferreira - Gabriela Bogoni

(criacao@revistareferencia.com.br)

Mídias Sociais

Cainan Lucas

Representante Comercial

Dash7 Comunicação - Joseane Cristina Knop

Dep. Comercial

Gerson Penkal - Carlos Felde

(comercial@revistabiomais.com.br)

Fone: +55 (41) 3333-1023

Dep. de Assinaturas

Cristiane Baduy

(assinatura@revistabiomais.com.br) - 0800 600 2038

ASSINATURAS

0800 600 2038

A REVISTA BIOMAIS é uma publicação da JOTA Editora

Rua Maranhão, 502 - Água Verde - Cep: 80610-000 - Curitiba (PR) - Brasil

Fone/Fax: +55 (41) 3333-1023

www.jotaeditora.com.br

Veículo filiado a:

A REVISTA BIOMAIS - é uma publicação bimestral e

independente, dirigida aos produtores e consumidores de

energias limpas e alternativas, produtores de resíduos para

geração e cogeração de energia, instituições de pesquisa,

estudantes universitários, órgãos governamentais, ONG’s,

entidades de classe e demais públicos, direta e/ou indiretamente

ligados ao segmento. A REVISTA BIOMAIS não se

responsabiliza por conceitos emitidos em matérias, artigos,

anúncios ou colunas assinadas, por entender serem estes

materiais de responsabilidade de seus autores. A utilização,

reprodução, apropriação, armazenamento de banco de dados,

sob qualquer forma ou meio, dos textos, fotos e outras

criações intelectuais da REVISTA BIOMAIS são terminantemente

proibídas sem autorização escrita dos titulares dos

direitos autorais, exceto para fins didáticos.

06 www.REVISTABIOMAIS.com.br


CARTAS

BONS EXEMPLOS

Conhecer bons exemplos como o da Rocha Equipamentos, na última reportagem de capa, que

oferece equipamentos de biomassa para as indústrias, é muito importante. Principalmente para

incentivar a adoção dessa fonte de energia que nunca vai se esgotar, na geração de calor.

Thiago Borges – Sorocaba (SP)

Foto: divulgação

EVENTO

Estamos ansiosos para visitar a Fenasucro & Agrocana, em agosto, maior evento do setor de bioenergia no mundo, ainda

mais nesse momento de retomada da economia e dos eventos presenciais. É tudo promissor, tanto nos investimentos, quanto

nos novos projetos da indústria.

Rogério Queiroz – Sinop (MT)

INCERTEZAS

O cenário da guerra entre Rússia e Ucrânia deixa muitas dúvidas no horizonte dos negócios internacionais, mas também

levanta possibilidades para o mercado brasileiro de biomassa. É preciso estar atento a esse segmento nos próximos meses.

Marisa Toledo – Ponta Grossa (PR)

POSSIBILIDADES

São muitas as possibilidades de se investir em energias renováveis, mas muitos

segmentos ainda insistem em poluir o planeta. O movimento precisa ser acelerado, ainda

bem que o setor da indústria florestal conta cada vez mais com a biomassa.

Amilton Gomes – Rio de Janeiro (RJ)

Foto: divulgação

www.revistabiomais.com.br

na


energia

biomassa

dia informação

@revistabiomais

/revistabiomais

Publicações Técnicas da JOTA EDITORA

08 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Máquinas e

equipamentos

para a indústria de

PELLETS DE

BIOMASSA

•Capacidade de produção

acima de 1.5 TPH

PELETIZADORA

JNMX630 - 132 KW

(41) 3308-5688 | (41) 99283-8871

comercial@jsicomex.com.br |

@jsicrotexmaster

www.jsicomex.com.br


NOTAS

32 ANOS PROJETANDO

SOLUÇÕES PARA BIOMASSA

A Industrial Dujua Máquinas e Equipamentos completa 32 anos de fundação.

Neste período, a empresa já entregou várias soluções para seus clientes

em todo o mundo.

Com sede em Agrolândia (SC), a Dujua fornece produtos de alta qualidade

e investe continuamente em inovações para manter seu padrão de

mercado. Conta com uma equipe profissional, especializada na comercialização,

projeto, fabricação e instalação de sistemas completos de biomassa para

o mercado mundial, com maior atuação no continente americano.

Sob nova direção desde 2021, a Dujua é liderada pelo diretor geral Altair

Klöppel. "Seguimos firmes e conscientes em nosso propósito de projetar,

fabricar e montar equipamentos da mais alta qualidade e durabilidade

aos clientes. Agradecemos nossas origens, aos nossos clientes e

fornecedores, colaboradores e a toda a sociedade por esses 32

anos de realizações", celebra Altair.

Ciente do compromisso e corresponsabilidade socioambiental,

associados à prática industrial, a Dujua tem como

desafio atuar concretamente na transformação e aproveitamento

absoluto de resíduos sólidos nos processos

aos quais desenvolve. "Estamos nos qualificando cada

vez mais, para entregar os produtos com alta qualidade,

zelando pela sustentabilidade ambiental e produtividade",

afirma Altair.

Fotos: divulgação

10 www.REVISTABIOMAIS.com.br


BIOMASSA EM ALTA

Dados da Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo, da Fundação

Seade, indicam investimentos de R$ 5,8 bilhões em energia de biomassa, entre 2018

e maio de 2022. Quase dois terços dos recursos são empreendimentos cuja fonte de

biomassa são resíduos da cana-de-açúcar, como bagaço, palha, vinhaça e/ou torta de

filtro (R$ 3,6 bilhões). Mais R$ 1,7 bilhão estão direcionados para resíduos sólidos urbanos

depositados em aterros sanitários. Outros R$ 503 milhões relacionam-se ao uso de

resíduos florestais, essencialmente cavacos de madeira. Em relação ao montante dos investimentos,

R$ 3 bilhões foram destinados à geração de eletricidade e o restante para

produção de biocombustíveis, sendo R$ 2 bilhões para etanol e R$ 773 milhões para

biometano. Os maiores investimentos anunciados em eletricidade envolvem resíduos

sólidos urbanos (Lara, em Mauá; Orizon, em Paulínia), resíduos de cana (Tereos, nas RAs

de Barretos, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto; Raízen, em Guariba e Paraguaçu

Paulista; Zilor, em Lençóis Paulista) e florestais (IBS, em Lençóis Paulista). Mais de 25%

dos anúncios em energia de biomassa (R$ 1,5 bilhão) foram direcionados para a região

metropolitana de São Paulo.

Foto: divulgação

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

11


NOTAS

HIDROGÊNIO VERDE

DO PAÍS

Polo de produção e armazenamento de hidrogênio

verde está sendo desenvolvido no Complexo

Industrial e Portuário do Pecém, no Ceará.

De acordo com o estudo World Energy Transition,

feito pela Irena (Agência Internacional de Energia

Renovável), o H2V (hidrogênio verde) e seus derivados

vão representar 12% do uso final de energia até

2050. Junto com a eletricidade, serão 63% do consumo

final de energia, substituindo combustíveis com

alta emissão de carbono como os fósseis. Por essa

razão, o Brasil, detentor de uma das matrizes energéticas mais limpas do planeta, vem dando prioridade a pesquisas envolvendo

o hidrogênio verde. Aposta de fundos de investimento e governos ao redor do mundo, a geração de hidrogênio verde está

ganhando amplo espaço no Complexo do Pecém, no Ceará, onde está sendo implantado o primeiro hub energético do tipo no

nordeste. São mil hectares disponíveis e infraestrutura adequada para receber empresas do setor interessadas em implantar

uma cadeia de produção, armazenamento e transporte do hidrogênio.

A ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), que esteve recentemente no Complexo

onde fica o Porto do Pecém, afirma que o projeto é um dos mais inovadores do segmento. Os projetos de expansão do

Complexo serão incorporados ao portfólio de investimentos da ApexBrasil a fim de apresentá-lo a investidores brasileiros e

estrangeiros interessados. "Existem muitas oportunidades, dentre elas, destaco os investimentos em infraestrutura de energia,

gás natural e renováveis, como o projeto da planta de hidrogênio verde o qual já conta com o interesse de diversos investidores

internacionais e memorandos de entendimento formalizados entre empresas interessadas e a companhia administradora

do Complexo", pontua o analista de investimentos de óleo e gás da ApexBrasil, Carlos Padilla.

O hidrogênio verde é obtido sem qualquer emissão de carbono, ao contrário das outras classificações como o preto, cinza

ou marrom. É um subproduto da eletrólise de fontes de energia limpas e renováveis, como da água com energia de fontes

renováveis, o que inclui solar e eólica, por exemplo. O H2 gerado a partir dessa reação química pode ser usado em veículos

movidos a célula a combustível, ou a querosene para aeronaves com baixo impacto climático e ambiental.

Foto: divulgação

ENERGIA DO FUTURO

Nota técnica da EPE (Empresa de Pesquisa Energética) explica que o hidrogênio se tornou um objetivo estratégico de governos

e empresas em todo o mundo e que deve ganhar relevância global a partir de políticas energéticas pós-pandemia para

a retomada da economia e para acelerar a transição energética em diversos países. A força motriz deste crescimento é a visão

de governos, especialmente em países desenvolvidos, como Alemanha e EUA (Estados Unidos da América), e de empresas de

que o hidrogênio será o caminho para viabilizar a descarbonização da economia mundial, requerido para a consecução das

metas do Acordo de Paris no horizonte 2050.

O Complexo do Pecém pode se tornar um player global na produção de hidrogênio e derivados com preços competitivos

para distribuição e exportação local. Conforme a companhia, o Hub de Hidrogênio Verde reúne a infraestrutura necessária para

produção do elemento, tais como geradores eólicos on e offshore, painéis solares, linhas de transmissão de energia e espaço

para armazenamento. Além disso, possui hub logístico estruturado, incluindo o Porto do Pecém, com fácil rota para EUA,

Europa e Oriente Médio. Uma empresa já fechou pré-contrato e mais de dez outras empresas já assinaram memorandos de

entendimento para se instalar no ambiente. "O hidrogênio é a nova tendência mundial no âmbito da energia renovável. Ainda

que, por enquanto, o assunto não tenha regulamentação completamente estabelecida, há potencialidade natural para atrair

projetos. Há um grande interesse internacional em projetos dessa natureza e a ApexBrasil está pronta para apoiar a implementação

no Brasil. O Hub de Hidrogênio do Complexo do Pecém é um dos primeiros projetos do tipo no país e o mais avançado. É

um local estratégico por causa da localização e por ser um hub logístico, também", destaca Carlos Padilla.

12 www.REVISTABIOMAIS.com.br


USINA DE ENERGIA

A rede de supermercados Bahniuk, da cidade de Mallet (PR), vai inaugurar em agosto

a própria usina remota de energia fotovoltaica. Com investimento de R$ 7 milhões, a

estrutura terá capacidade de 150 mil KW/h (quilowatts hora), o equivalente ao consumo

de mil residências, e será a maior usina remota a atender supermercados no estado. A

energia solar irá abastecer integralmente nove das 11 lojas do grupo na região sul do

Paraná. Esse é o primeiro passo da rede de varejo que já planeja estender a operação,

produzindo e vendendo energia limpa e renovável para outros consumidores.

Serão abastecidos pela usina solar os mercados nas cidades de Mallet, Antônio

Olinto, Inácio Martins, Paula Freitas, Paulo Frontin, União da Vitória e a loja de Palmeira,

recém inaugurada. Nas outras duas lojas, de maior porte, o investimento na usina é inviável

pelo alto consumo de energia elétrica. Essas duas unidades vão comprar energia no

mercado livre também como forma de reduzir custos. Apesar de a energia ser consumida

pelos mercados Bahniuk no sul do Estado, a energia será produzida a 500 km (quilômetros)

de distância, em Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná. “A escolha pelo

local foi pelo fato de o oeste ser um dos melhores pontos de irradiação solar no Paraná.

Em Mallet a produção seria 15% menor do que será em Marechal Cândido Rondon”, explica

Eduardo Hahn de Castro, presidente da Sion Energia. A Sion Energia, de Curitiba, é

a empresa responsável pelo projeto e concepção da estrutura para o Bahniuk, administra

outras 17 usinas e desenvolve mais 16 projetos em seis Estados brasileiros.

Foto: divulgação

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

13


NOTAS

ENERGIA SOLAR SE TORNA A

TERCEIRA FONTE DE ENERGIA

EM POTÊNCIA DO BRASIL

A energia solar ultrapassou, em potência, a geração das termoelétricas

a gás natural e biomassa e se tornou a terceira fonte de energia do Brasil, de

acordo com mapeamento inédito feito pela ABSOLAR (Associação Brasileira

de Energia Solar). Agora, a geração pelo sol só fica atrás apenas da potência

das hidrelétricas e da fonte eólica, informou a entidade.

Segundo o mapeamento, ao todo são 16,4 GW (gigawatts) de energia

solar em grandes usinas e em pequenos projetos de geração própria, ante

os 16,3 GW do gás natural e os 16,3 GW da biomassa. Desde 2012, a fonte

solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 86,2 bilhões em novos investimentos, R$

22,8 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 479,8 mil

empregos acumulados nesses dez anos, segundo a associação.

As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez

vezes menores do que as termoelétricas fósseis emergenciais ou a energia

elétrica importada de países vizinhos, duas das principais responsáveis pelo

aumento tarifário sobre os consumidores, avalia o diretor da Absolar, Carlos

Dornellas. "Com isso, também evita a emissão de 23,6 milhões de toneladas

de CO2 na geração de eletricidade. A fonte ajuda a diversificar o suprimento

de energia elétrica do país, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e

o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população", afirmou.

Foto: divulgação

14 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Aponte sua câmera e

veja como é o

funcionamento do

Piso Móvel Hyva!

®

Líder no segmento, o Piso Móvel Hyva

é de fácil instalação e o sistema ideal

para carregamentos e descarregamentos

horizontais, garantindo a segurança e a

agilidade no transporte de diversos

materiais.

PRATICIDADE,

AGILIDADE E

ECONOMIA

em suas cargas e

descargas horizontais

R. Ernesto Zanrosso, 2794 – Caxias do Sul -RS

+55 (54) 3209 3464 | +55 (54) 9270 1448

@hyvadobrasil

www.hyva.com


NOTAS

Foto: divulgação

ETANOL MAIS BARATO NA BOMBA

O MME (Ministério de Minas e Energia) divulgou nova expectativa de redução no preço do

etanol hidratado. De acordo com a pasta, a expectativa é que, após a promulgação da PEC (Proposta

de Emenda à Constituição) 15/2022, ocorra uma redução potencial média no preço do combustível

que deve chegar a R$ 0,19 por litro. Promulgada em 14 de julho, a PEC reconhece o estado de

emergência para ampliar o pagamento de benefícios sociais e incentivos fiscais até o fim do ano, em

especial para produtores e distribuidores de etanol hidratado. Entre outros pontos, a emenda altera

a constituição para determinar a manutenção de um regime fiscal favorecido para os biocombustíveis

destinados ao consumo final. “Com a medida, fica preservado o diferencial de alíquota tributária

do preço ao consumidor do etanol hidratado em relação ao da gasolina comercializada, resultando

no aumento da competitividade do biocombustível”, explica o ministério. A pasta disse ainda que

a estimativa não considera a possibilidade de redução do preço do biocombustível aos Estados

que outorgarem créditos tributários do Imposto sobre ICMS (Circulação de Mercadorias e Serviços).

A emenda constitucional também autorizou a União a realizar um repasse de até R$ 3,8 bilhões,

por meio de créditos tributários, para os Estados que reduzirem a carga tributária do etanol para

produtores e distribuidores do produto. Na avaliação do MME, se a medida for aplicada poderá levar

o preço médio do litro de etanol hidratado a até R$ 4,04.

16 www.REVISTABIOMAIS.com.br


NOTAS

Foto: divulgação

SAFRA DE

CANA-DE-AÇÚCAR

De acordo com levantamento da Hedge Point Global Markets, a safra de cana-de-açúcar no centro-sul do

Brasil ainda está longe de ter uma recuperação. A produção deve continuar em 540 milhões de toneladas ou até

mesmo registrar queda.

Consequentemente, o cenário traz impactos para o açúcar e para o etanol. A avaliação foi feita por Lívea Coda,

analista Hedge Point Global Markets. O novo relatório divulgado pela Única (União da Indústria de Cana-de-Açúcar

e Bioenergia), indicando que o setor está longe da recuperação estimada anteriormente, pode ser explicado

por alguns fatores. "Essa mudança se refletiu principalmente no etanol, pois seu estoque não estava tão pressionado

quanto o do açúcar e, também, pela paridade continuar favorável ao adoçante. Não só isso, mas menos

produto torna whashouts mais difíceis. Nesse sentido, elevamos nosso mix de açúcar para 42,7%”, complementa a

especialista em açúcar e etanol.

Com a elevação do mix, a produção de açúcar sofreu pequena redução. Como resultado, o balanço global (de

outubro de 2021 a setembro de 2022) e os fluxos comerciais caminharam de lado, conforme aponta o relatório

da Hedge Point Global Markets. “No entanto, para a safra 2022-2023, quando já consideramos a safra brasileira

23/24, o mercado pode ficar mais apertado à medida que nos tornamos mais pessimistas quanto à recuperação

da cana-de-açúcar”, projeta Lívea Coda.

18 www.REVISTABIOMAIS.com.br


AUMENTE SUA PRODUÇÃO

COM EQUIPAMENTOS

MILL INDÚSTRIAS

LINHA COMPLETA DE SERRARIAS PARA EUCALIPTO, PINUS E TECA.

Número 1 em vendas de equipamentos do setor madeireiro no Brasil

BLOCO

SERRA FITA HORIZONTAL

PICADOR

Entre em contato conosco e faç

ócio!


ENTREVISTA

Foto: divulgação

ENTREVISTA

GUILHERME

ELIAS

Cargo: Sócio da empresa

Enebra Energia

Formação: Graduado em direito, com

pós-graduação em direito empresarial

pela FGV, direito sanitário pela Fiocruz.

Mestre em direito

ENERGIA

VERDE E RENOVÁVEL

C

om sede em Anápolis (GO), o grupo Enebra atua no fornecimento de biomassa de

eucalipto e supressão nativa em todas as suas formas, trazendo uma fonte de energia

sustentável e renovável às indústrias em comparação às outras formas de combustível.

Entre os serviços oferecidos estão o transporte de máquinas pesadas, a terceirização

full service na produção de cavaco, e a locação de máquinas. Sócio da empresa e especialista

em Direito Empresarial, Guilherme Elias falou com exclusividade à REFERÊNCIA BIOMAIS sobre o

mercado brasileiro de biomassa, as expectativas e planos de expansão para 2023:

20 www.REVISTABIOMAIS.com.br


TRANSPORTADOR DE CORREIAs

Transporte de produtos com

agilidade e alta produtividade

Movimentação uniforme e

segura de materiais

Layouts exclusivos, com fácil

ajuste da correia transportadora

www.indumec.com.br

Rua General Potiguara, 1115 | CIC | Curitiba | PR | Brasil | CEP 81050-500

Fone +55 41 3347 2412 | 41 99103.8558 | @indumec.industria


ENTREVISTA

22 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Com mais de meio século de experiência a VETORIAL é

conhecida nacionalmente e internacionalmente pela sua

excelência e atuação no setor de siderurgia, energia e

mineração gerando emprego e renda onde atua.

Nossa missão é produzir ferro-gusa,

biorredutor e minério de ferro com alta

qualidade e sustentável

atendimento@vetorial.com.br | (67) 3389-0700

www.vetorial.com.br


PRINCIPAL

SUSTENTABILIDADE

DE PONTA

A PONTA

24 www.REVISTABIOMAIS.com.br


VETORIAL RETOMA CRESCIMENTO DEPOIS DE

LONGA CRISE DO SETOR MINERO-SIDERÚRGICO

MUNDIAL E VOLTA A INVESTIR EM EXPANSÃO

SUSTENTÁVEL NA PRODUÇÃO DE BIORREDUTOR,

FERRO-GUSA E MINÉRIO DE FERRO DE ALTO TEOR

FOTOS DIVULGAÇÃO

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

25


PRINCIPAL

C

om ampla experiência no mercado e operações

concentradas no Mato Grosso do Sul, a Vetorial

iniciou suas operações no setor de siderurgia e

mineração há 53 anos. Hoje, atua no setor siderúrgico

através da produção verticalizada do ferro, em uma cadeia

produtiva longa e sustentável que se inicia na aquisição

de florestas, passando pela produção de biorredutor, minério

de ferro, ferro-gusa e logística integrada em diversos modais.

Mesmo diante das incertezas durante a pandemia e do

ambiente de negócios adverso, a Vetorial registrou resultados

positivos e consistentes em seus indicadores operacionais e financeiros,

através da combinação de ações como redução de

custo, apoio aos clientes e fornecedores, zelo e gestão consciente

de fluxo de caixa, otimização de processos e aumento

de produtividade.

EMPRESAS DO GRUPO

Ao todo, de ponta a ponta da cadeia produtiva, a Vetorial

tem três grandes negócios: o ferro-gusa, que é o carro-chefe; a

extração e venda de minério de ferro; e a produção de carvão.

As três empresas: Vetria Mineração, Vetorial Siderurgia e a Vetorial

Energética, sem exceção, têm recebido grandes investimentos,

tanto para modernização do parque industrial, quanto

para a implantação de novas tecnologias, de forma a garantir

um futuro sustentável e perene.

A Vetorial é composta por empresas que se somam em um

negócio verticalizado, sustentável e robusto. Com foco na produção

de biorredutor, a Vetorial Energética possui capacidade

de produção atual de 45 mil m3 (metros cúbicos), com expectativa

de ampliação em sua capacidade produtiva para 75 mil

m3 até o final de 2023. Conta atualmente com 5 operações em

diversas regiões no Estado do Mato Grosso do Sul.

Suas operações consomem 100% de florestas plantadas

sustentáveis. Toda a operação é mecanizada, desde a colheita,

até a entrega do carvão vegetal nas usinas da Vetorial Siderurgia.

Responsável pela produção do ferro-gusa, tem capacidade

de produção atual de 670 mil toneladas anuais e conta com

quatro altos-fornos, dois na cidade de Corumbá e dois no município

de Ribas do Rio Pardo.

As unidades produtivas da Vetorial contam com equipamentos

modernos, com principais destaques para a tecnologia

na geração própria de energia elétrica nas duas usinas (UTE) a

partir de fonte renovável e limpa, fábrica de oxigênio (FOX) e

injeção de finos de biorredutor (PCI).

A Vetorial possui duas unidades operacionais de produção

de minério de ferro de alto teor, ambas em Corumbá, com

capacidade instalada anual de 4 milhões de toneladas. Parte

desta produção é destinada ao consumo interno da Vetorial Siderurgia

e parte é comercializada no Brasil e no exterior.

Para a empresa, o maior diferencial competitivo no mercado

nacional e internacional é ter minério de ferro próprio de

excelente qualidade e com alto teor de ferro, pois torna o negócio,

sobre tudo economicamente, viável e independente de

grandes corporações, garantindo o insumo no presente e no

futuro.

Buscar por alta performance em seus negócios é a marca

da Vetorial. “A empresa vem sistematicamente investindo na

capacitação da equipe, na melhoria de seus processos e ins-

26

www.REVISTABIOMAIS.com.br


28 www.REVISTABIOMAIS.com.br


REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

29


INOVAÇÃO

INOVAÇÃO EM

BIOMASSA

PICADORES DE MADEIRA ESTIMULAM O DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA

DE BIOMASSA NO MERCADO NACIONAL E INTERNACIONAL

FOTOS DIVULGAÇÃO

A

s mudanças climáticas e a constante

preocupação de governos e corporações

pelo mundo estão levando a um maior

estímulo de fontes renováveis de energia,

como a biomassa. Referência nesse segmento, com

produção voltada ao mercado nacional e internacional,

a Vantec Indústria de Máquinas oferece máquinas

para automação industrial, com linha de Picadores

Florestais e Elétricos desenvolvidos para a melhoria

contínua e aumento nos ganhos produtivos.

São equipamentos como empilhadeiras, laminação,

biomassa, equipamentos para reciclagem e serraria,

todos produzidos em Xanxerê, no Oeste de Santa

Catarina. Com 59 anos de experiência, a Vantec utiliza

tecnologia de ponta para a fabricação de máquinas e

equipamentos para processamento de madeira. “Os

picadores estão espalhados por todo território brasileiro,

América Latina e África. São várias as aplicações,

desde o aproveitamento de costaneiras, lâminas e

restos de podas urbanas a florestas plantadas, como

pinus e eucalipto, até o aproveitamento de biomassa

do pé de caju, seringueiras e pomares de laranjeira. E

também na supressão e manejo de florestas nativas”,

explica Fábio José Grainer, gerente comercial da linha

de Biomassa e Reciclagem, da Vantec.

Segundo o gerente comercial, a Vantec atende

diversos clientes e segmentos que necessitam de

energia térmica, do pequeno ao grande produtor de

biomassa, de quem já utiliza a biomassa até os que

estão migrando para essa fonte de energia.

30 www.REVISTABIOMAIS.com.br


CASES E EXPECTATIVAS

“Temos dois cases recentes de sucesso, em que

a linha Brutus 1020 atendeu os projetos dos nossos

clientes com toda a segurança proposta pela Vantec e,

principalmente, produzindo grande quantidade de cavaco

com baixo custo de manutenção e consumo de

diesel. O primeiro case foi na erradicação de pomares

de laranja, com nosso amigo e cliente da HBJ, Brancalhão,

no Estado de São Paulo. O segundo na supressão

de madeira nativa com nosso amigo e cliente da 2D

Madeiras do Brasil, no Mato Grosso”, cita Fábio.

A Vantec está bastante otimista com o crescimento

do mercado, duplicando a estrutura para a fabricação

dos modelos da Linha Brutus e as operações de campo

de vendas e assistência técnica. “Nossa equipe não

se dedica apenas a fabricar equipamentos para produzir

cavaco de alta qualidade: nossa maior motivação

é a melhoria da produtividade das safras e indústrias,

trazendo mais qualidade aos bens, produtos e serviços

para os nossos clientes.”

atendendo todos os tamanhos e necessidades de

nossos clientes. Categoria elétrica com potências de

75 cv (cavalos de força) a 700 cv. Categoria diesel 330

cv, 400 cv, 500 cv e 605 cv. Linha elétrica 500 e 600 R6

chegando à linha R8 nos modelos 500, 600 e 750. Linha

Florestal Compact 600, Florestal 750 R8, Rodoflorestal

750 R8. E completando com a nova geração de

picadores, a linha Brutus 1020. Equipamentos da linha

de Alta Performance Vantec, que são montados em

chassi florestal, rodoviário e autopropelido”, destaca o

gerente comercial.

MODELOS E INDICAÇÕES

A Vantec dispõe de uma linha completa de equipamentos

para produção de biomassa. “Comercializamos

equipamentos com várias faixas de potências,

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

31


32 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Para afiar facas:

você tem a opção

de parar no

tempo...

Ou evoluir

com a

tecnologia das

máquinas DRV!

MÁQUINA AFIADORA E

RETÍFICA DE FACAS SUPREMA

Porque você faz parte desta

evolução





SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS


PELO MUNDO

CHINA PROMETE SEGUIR

COM A TRANSIÇÃO PARA

ENERGIA

LIMPA

34 www.REVISTABIOMAIS.com.br


MAIOR EMISSORA DE GASES

ESTUFA DO MUNDO, NAÇÃO

ESTÁ PRONTA PARA EXPANDIR

ATÉ 2030 SUA FATIA DE

ENERGIA RENOVÁVEL

FOTOS DIVULGAÇÃO

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

35


PELO MUNDO

36 www.REVISTABIOMAIS.com.br


TECNOLOGIA,

EFICIÊNCIA E

CONFIABILIDADE


BIOMASSA

38 www.REVISTABIOMAIS.com.br


HAAS MADEIRAS INVESTE EM

ECONOMIA CIRCULAR COM

FÁBRICA DE PELLETS

COM 49 ANOS NO MERCADO,

EMPRESA GAÚCHA ESPECIALIZADA EM

TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO FOI A

PRIMEIRA DISTRIBUIDORA CERTIFICADA

COM O ENPLUS NA AMÉRICA LATINA

FOTOS DIVULGAÇÃO/ HAAS MADEIRAS

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

39


BIOMASSA

D

o centro gaúcho para a América Latina.

Especializada em grandes demandas do

transporte ao armazenamento, com venda

de paletes de madeira para o mercado nacional

e de exportação, a Haas Madeiras vem investindo,

nos últimos 7 anos, na geração de energia a partir

da biomassa originada em sua produção industrial.

No caso, os pellets, fonte de calor universal que une

economia, sustentabilidade e automatização. “A Haas

foi uma das primeiras serrarias a comercializar biomassa

no país. Fundada em 1973, a empresa convive

desde seus primórdios com montanhas de serragem,

cavaco e entulho, que não eram vistos como potencial

energético. Então a biomassa está presente em nossas

vidas há muitas décadas, mas os estudos sobre pellets

começaram há 7 anos, com comercialização nos

últimos 3 anos. Nossa motivação é colaborar com mais

uma energia limpa e gerar valor de um subproduto

que é inerente ao nosso processo produtivo”, explica o

diretor Junior Haas.

De acordo com o diretor, o retorno do mercado

tem sido incentivador, principalmente pelo aspecto

de economia circular, com o recolhimento dos

paletes usados dos clientes da Haas, que é sediada em

Venâncio Aires, na região central do Rio Grande do Sul.

“No mercado de calor brasileiro, que inclui pellets e

biomassa, a decisão ainda é bastante financeira, mas

gradualmente essa mentalidade já está mudando,

a partir da redução das emissões de carbono e das

vantagens que essas iniciativas podem trazer aos

negócios, com o movimento de ESG (ações sociais,

de sustentabilidade e governança). Somos a primeira

trader certificada ENplus da América Latina, única

distribuidora até o momento.”

FÁBRICA DE PELLETS

No segundo semestre de 2022, deve ser concluída

e entrar em operação a fábrica própria de pellet. A

nova e moderna unidade fabril de 50 mil m2 (metros

quadrados) de área que está sendo construída em

Linha Brasil, Venâncio Aires. A estrutura terá capacidade

para produzir 2,5 mil toneladas por mês e também

abrigará o depósito de pellets.

A partir do início da produção própria, a empresa

vai gerar autovalor a partir dos produtos que consome

da floresta, segundo Junior Haas. “Todos os insumos

40 www.REVISTABIOMAIS.com.br


BIOMASSA

42 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Qualidade e segurança

que você precisa

assistência

técnica

suporte

especializado

agilidade no

atendimento

Somos hoje a mais experiente montadora de piso móvel da marca

HYVA ® , desenvolvendo produtos cada vez mais adequados às

necessidades dos clientes, mantendo sempre a qualidade e

resistência dos nossos produtos reconhecidos nacionalmente.

carroceriasbachiega

(19) 3496-1555

www.carroceriasbachiega.com.br


COLUNA

INDIGNAÇÃO

CIDADÃ

Foto: divulgação

Waldemar Vieira Lopes

Consultor florestal e diretor da

LSS-Lopes Serviços e Soluções

Contato: waldemarvieiralopes@terra.com.br

A CONSCIÊNCIA QUANTO À INDIGNAÇÃO CIDADÃ

PODE SER VISTA INICIALMENTE A PARTIR DE UMA

CITAÇÃO DE PLATÃO QUANDO DIZ: “O CASTIGO

DOS BONS QUE NÃO FAZEM POLÍTICA É SEREM

GOVERNADOS PELOS MAUS”

O

s Verdadeiros Brasileiros têm que estar mais

atentos do que nunca às armadilhas preparadas

pela esquerda extremista e maniqueísta, ávida

por trazer o ex-presidiário novamente à cena do

crime e, é chegada a hora de posicionamento, a hora de decidirmos

quem queremos para governar o futuro de nosso

Brasil e o futuro de nossos filhos e netos.

Vejam o exemplo da França, que agora se revolta com

a eleição de Macron e nada poderá fazer pelos próximos 4

anos. Entretanto mais de 16 milhões de franceses não compareceram

às urnas ou anularam seus votos, deixando claro

de que quando se terceiriza a escolha, perde-se o direito de

reclamar sobre qualquer resultado que seja.

Devemos ter cuidado com discursos de “Deuses do

Olimpo”, cultuadores do Álter Ego e vendo a si próprio como

detentores de toda a sabedoria do mundo, cegos e surdos

ao fato de que o comunismo matou mais gente que todas

as guerras juntas e, grande parte usando para sua batalha

diária nossas entidades de ensino, cargos públicos, meio

político e grande parte da mídia, com finalidade precípua e

objetivo maior de deseducar nossos filhos, incutindo-lhes

raízes comunistas para que se vejam deslocados ao viverem

em uma família de classe média, visando convencê-los

de que prosperidade só ocorre à custa de trabalho escravizante

ou meios espúrios, posto que acumular riquezas,

além de politicamente incorreto é por certo pecaminoso,

daí a estratégia de se incrementar votos nessa faixa etária,

contando que encontrarão nesse universo mentes mais

reativas e menos analíticas e, havendo desatenção de pais

que não discutem política em suas casas, tornam-se um alvo

facilmente cooptável para suas fileiras.

Nesses tempos cinzentos nos tornamos reféns de uma

Ciência Ideológica que jamais poderá ser chamada de

ciência, carregada com bateria emocional e contraditória,

necessitando de políticos e politização para se manter viva e

acusatória, responsável pela estagnação econômica no período

de pandemia e divisão por nichos pró e contra vacinas,

não permitindo raciocínio próprio à população como um

todo, empobrecendo o país pelo fechamento de inúmeros

postos de trabalho e buscando a visão de um Estado salvador

e caçador de votos.

Liberdade, coerência, decisão própria e não tutela do

Estado, esse é o oxigênio indispensável para sobrevivermos

nesse ambiente hostil criado por defensores da ditatura do

proletariado, capitaneada por inúmeros partidos que se

uniram para que a qualquer custo consigam a retomada de

poder, trazendo como alternativa para as próximas eleições,

o ex-presidiário que surrupiou a dignidade do povo

brasileiro, roubou seu futuro e quebrou inúmeras empresas

do Estado para investir em economias amigas e socialistas,

no seu próprio bolso e nos bolsos de seus maquiavélicos

amigos. Acorde Brasil, não tivessem havido um sem número

de crimes, não teria retornado tanto dinheiro para cofres

públicos por parte de dirigentes sindicais, caixas partidários

e amigos meliantes do governo petista.

Somos reféns de uma justiça política que tenta a todo

tempo nos calar e colocar viseiras, mancomunada com

Câmaras de Deputados e Senado com rabo preso e que de

há muito não nos representam e caberá na eleição que se

avizinha elegermos Presidente, Governadores, Deputados

Federais, Deputados Estaduais que tenham vínculo com

moral, ética e valores familiares.

44 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Vivemos uma época de culto à anormalidade com criação

de situações controversas; vendidas pelos “Deuses do

Olimpo” e intelectuais de plantão; como meias verdades ou

quem sabe meias mentiras:

Direito à desonra;

Fofoca – através de meios de comunicação e culturais;

Proliferação do medo;

Hegemonização dos objetivos;

Fusão entre a classe revolucionária e a classe política;

Sucessão de governos análogos e corporativistas, vendidos

como se opositores fossem;

Iguais se colocando em campos opostos, mas lutando

pelo mesmo objetivo de doutrinação do povo e sua catequização

ideológica;

Alianças espúrias entre as mais diversas vertentes políticas

brasileiras com interesse de novamente lotearem o país.

Fiódor Dostoiévski, pode nos fazer refletir sobre ideais que a

todo custo tentam nos empurrar goela abaixo:

“Nosso grupo não consiste apenas naqueles que cometem

assassinatos e incêndios criminosos, gente assim só

atrapalha, eu não suporto essa falta de disciplina, ora somos

vigaristas e não socialistas, ouça, seremos apoiados por

todos eles”;

“O professor que ri de Deus às crianças já em seu berço,

ele está conosco”;

“O advogado que defende o assassino, rico e convicto, já

é dos nossos”;

“Os colegiais que matam o mujique¹ para experimentar a

sensação são dos nossos”;

“Os jurados que absolvem criminosos a torto e direito,

são dos nossos”;

“O promotor que treme no tribunal por não ser suficientemente

liberal, é dos nossos”;

“Há administradores, escritores, um assombroso número

dos nossos e eles nem sabem disso ainda”;

“Hoje em dia ninguém tem idéias próprias, o Deus russo

foi derrotado pela vodca barata, as camponesas estão bêbadas,

as mães estão bêbadas e as igrejas estão vazias, apenas

espere essa geração crescer, apenas espere que cresçam,

uma ou duas gerações e o crime deixará de ser uma loucura,

mas o bom senso justamente o bom senso da Rússia o transformará

em dever”. Trechos retirados de Os Demônios - Dostoiévicz

1872

¹ camponês pobre

Despertem, se indignem! Já nos dividiram por demais,

o silêncio e o comodismo deixam efeitos colaterais de difícil

reversibilidade, decisão não se terceiriza e é o tijolo para

construção do Brasil que queremos, mais solidário, menos

burocrático, com liberdade plena de opinião e qualidade de

vida compatível com as riquezas e potencial que detemos.

Foto: divulgação

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

45


CLIMA

MEIO

AMBIENTE

EUA APROVAM PACOTE

CLIMÁTICO HISTÓRICO

FOTOS DIVULGAÇÃO

46 www.REVISTABIOMAIS.com.br


REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

47


CLIMA

O

Senado dos EUA (Estados Unidos da América)

aprovou o projeto para combater

o aquecimento global, por meio da Lei

de Redução da Inflação. A lei inclui um

pacote ambiental de US$ 370 bilhões que incentiva a

adoção de energias renováveis. A iniciativa é o mais

ambicioso investimento da história dos EUA.

Considerado controverso no Senado, o projeto de

lei proposto pelo presidente Joe Biden exigiu acordos

com representantes das indústrias de combustíveis

fósseis. Depois de 27h (horas) de debates, a votação

terminou empatada. Todos os 50 senadores republicanos

votaram contra, enquanto os 48 democratas e

mais dois membros independentes foram favoráveis.

A aprovação só veio com o voto de minerva de

Kamala Harris, presidente do Senado e vice-presidente

dos EUA. A proposta também irá passar pela Câmara

dos Deputados.

O objetivo do pacote climático é criar maior oferta

de energia renovável para frear a inflação, que vem

sendo impulsionada pela subida dos preços dos combustíveis

fósseis com a invasão russa na Ucrânia.

Iniciativa é o

investimento mais

ambicioso da história

dos EUA (Estados

Unidos da América)

48 www.REVISTABIOMAIS.com.br


REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

49


PRÊMIO

FOTOS EMANOEL CALDEIRA

MAIOR PREMIAÇÃO DO SETOR FLORESTAL

CELEBRA AS EMPRESAS QUE MAIS SE

DESTACARAM DURANTE O ANO

50 www.REVISTABIOMAIS.com.br


REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

51


PRÊMIO

O

Prêmio REFERÊNCIA, maior premiação do

setor de base florestal do Brasil, que é organizado

pela REVISTA REFERÊNCIA, já tem sua

data marcada. Será realizado no dia 29 de

novembro, à partir das 19h (horas), no restaurante Porta

Romana, em Curitiba (PR). A Cerimônia deste ano é muito

especial, pois além de ser a vigésima edição do Prêmio,

serão também vinte premiados, o dobro em relação aos

outros anos, fazendo menção ao período de realização

do evento.

O Prêmio REFERÊNCIA, foi idealizado por Fabio

Machado e Pedro Bartoski Jr., sócios fundadores da JOTA

Editora, responsável pela publicação das Revistas REFE-

RÊNCIA FLORESTAL, REFERÊNCIA INDUSTRIAL, BIOMAIS,

CELULOSE&PAPEL e PRODUTOS DE MADEIRA. O objetivo

do Prêmio é valorizar e celebrar, juntamente com os

representantes do setor, as conquistas do ano vigente. Os

vencedores são escolhidos através de análise detalhada

"Desde a seleção dos

premiados, o trabalho

interno de produção,

seleção do local do evento,

temos todo o time com

total dedicação para fazer

do Prêmio REFERÊNCIA

2022 uma noite

memorável"

Fábio Machado,

diretor comercial da JOTA Editora

Os sócios fundadores da JOTA Editora, Pedro Bartoski

Jr., Fabio Machado e a jornalista Mira Graçano, na

apresentação do Prêmio REFERÊNCIA do ano passado

52 www.REVISTABIOMAIS.com.br


53


54

PRÊMIO


29 DE NOVEMBRO

ÀS 19 HORAS

E D I Ç Ã O

VEM AÍ!

A N O S

Gostaria de participar do jantar do PRÊMIO REFERÊNCIA 2022?

Compre seu ingresso antecipado pelo whats: (41) 99968-4617 ou

pelo e-mail: comercial@revistareferencia.com.br

Vagas limitadas

Transmissão ao vivo em nosso canal:

@revistareferencia

PATROCINADORES:

ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE

MADEIRAS E DERIVADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS

www

revistareferencia.com.br

comercial@revistareferencia.com.br


ARTIGO

RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS COMO

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL NO BRASIL:

PANORAMA ATUAL

E PERSPECTIVAS

FUTURAS

FOTOS DIVULGAÇÃO

56 www.REVISTABIOMAIS.com.br


KAREN DE SOUZA DO PRADO

CHRISTIAN CUELLO BARRIOS

ANDERSON PIRES FERNANDES

JANE MARIA FAULSTICH DE PAIVA

Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Engenharia de Produção, Campus de Sorocaba (SP)

Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais, Campus de Sorocaba (SP)

Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Campus de Sorocaba (SP)

DE PAIVA, Jane Maria Faulstich. Resíduos Sólidos Urbanos como Fonte de Energia Renovável

no Brasil: Panorama Atual e Perspectivas Futuras. Revista Virtual de Química, v. 14, n. 1, 2022.

REVISTA + BIOMASSA + ENERGIA

57


ARTIGO

RESUMO

C

om o aumento da população brasileira

e da demanda por energia nas grandes

cidades, o uso de RSU (Resíduos Sólidos

Urbanos) como fonte renovável de

energia surge como uma alternativa promissora. No

entanto, ainda existe grande desinteresse no seu uso

devido à falta de informações compiladas sobre suas

potencialidades. Por isso, este trabalho tem como

objetivos apresentar o panorama atual da recuperação

energética dos RSU no Brasil e fazer uma análise dos

trabalhos publicados na área nos últimos cinco anos,

visando compreender quais são suas perspectivas

futuras e estimular seu uso no país. Por meio de um

levantamento bibliográfico atualizado, observou-se

que pelo menos 65% dos RSU possuem potencial para

reaproveitamento energético, na forma de resíduos

úmidos incluindo biomassa (51,7%) e de resíduos

poliméricos (13,5%). Os estudos analisados revelaram

grande preocupação com a gestão dos RSU, principalmente

na região sudeste do país, e que o reaproveitamento

energético dos RSU por meio das técnicas

de incineração, biodigestão e gaseificação apresenta

grande potencial econômico e ambiental. Apesar da

quantidade significativa de RSU disponível, maior

atenção deve ser dada a esta fonte de energia renovável

para que ela possa ter participação representativa

na matriz energética brasileira.

Palavras chave: Resíduos sólidos urbanos, biomassa,

resíduos poliméricos.

1. INTRODUÇÃO

Com o aumento da população brasileira, que

supera 212 milhões de habitantes, é também crescente

a demanda por energia, principalmente nas

grandes cidades. De acordo com dados da Empresa de

Pesquisa Energética, enquanto o consumo de energia

elétrica em 2018 foi de aproximadamente 424 TW/h

(terawatts por hora), é estimado que o consumo total

de eletricidade no Brasil aumente em 75% até 2026,

podendo chegar a 744 TW/h. Neste contexto, torna-se

necessário o estímulo ao uso de fontes de energia

renováveis, que possam suprir a demanda energética

do país com o menor impacto ambiental possível.

Enquanto fontes renováveis como solar, eólica,

geotérmica, hidráulica e biomassa correspondem a

apenas 14% da matriz energética mundial, as fontes

renováveis são responsáveis por suprir 42,9% da energia

usada no Brasil. A participação três vezes maior de

fontes renováveis na matriz energética brasileira quando

comparada à mundial deve-se, principalmente, à

grande disponibilidade de biomassa, notadamente

derivados da cana, lenha e carvão vegetal.

Outra fonte de energia renovável com grande potencial

de uso no Brasil são os RSUs. Em 2018, a média

de geração de RSU por habitante no Brasil foi de 380

kg, totalizando 79 milhões de toneladas de resíduos

gerados. Deste total, 92% foram coletados e 59,5%

destes foram destinados a aterros sanitários (equivalente

a 47 milhões de toneladas), enquanto mais 29

58 www.REVISTABIOMAIS.com.br


R. Germano Niehues, 228 - Schreiber - SALETE SC

contato@nutherm.com.br | (47) 3562.2894 | (47) 99794.7565

CALDEIRAS | SECADORES DE MADEIRA

QUALIDADE E

COMPROMISSO

SOLUÇÕES PARA INDÚSTRIAS

nutherm.com.br


ARTIGO

60 www.REVISTABIOMAIS.com.br


ARTIGO

62 www.REVISTABIOMAIS.com.br


Equipamentos Industriais











www.rochaequipamentos.ind.br

Fone: (47) 3521-2301 | 3521-6082

comercial@rochaequipamentos.ind.br

R. Júlio Schlupp, 1076 - Bela Aliança | Rio do Sul - SC


AGENDA

AGOSTO 2022

FENASUCRO & AGROCANA

Data: 16 a 19

Local: Sertãozinho (SP)

Informações: https://www.fenasucro.com.br/pt-br.html

DESTAQUE

XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE

PLANEJAMENTO ENERGÉTICO

Data: 24 a 26

Local: Formato híbrido

Informações: www.xiiicbpe.com.br/

SETEMBRO 2022

ENERGY SOLUTIONS SHOW

Data: 27 a 29

Local: São Paulo (SP)

Informações: www.energysolutionsshow.com.br/

pt/home.html

CIBIO – VI CONGRESSO INTERNACIONAL

DE BIOMASSA

Data: 26 a 27

Local: Curitiba (PR) - edição híbrida, remota e presencial

Informações: https://www.congressobiomassa.com/site/

evento/

OUTUBRO 2022

BRAZIL WINDPOWER

Data: 18 a 20

Local: São Paulo (SP)

Informações: https://www.brazilwindpower.com.br/

pt/home.html

ENERGY SOLUTIONS SHOW

Data: 27 a 29

Local: São Paulo (SP)

Informações: www.energysolutions

show.com.br/pt/home.html

O Energy Solutions Show é uma das plataformas

de negócios mais completas do setor elétrico brasileiro,

conectando a cadeia produtiva às mais variadas

fontes de geração de energia presentes na matriz

elétrica brasileira, seja na geração centralizada ou

distribuída com o consumidor comercial e industrial

de médio e grande porte. Entre os dias 27 e 29 de

setembro, o evento oferece oportunidades para seus

participantes extraírem conteúdos do congresso,

além de workshops e networking. Para as empresas, a

principal plataforma de negócios no setor disponibiliza

múltiplas conexões. O Energy Solutions Show será

organizado de forma presencial seguindo o protocolo

de saúde e segurança AllSecure da Informa. A

Informa desenvolveu um conjunto de processos e

medidas de saúde e segurança para seus eventos,

com tranquilidade e confiança aos participantes em

um ambiente seguro e controlado.

64 www.REVISTABIOMAIS.com.br


ASSINE JÁ!

0800 600 2038

A melhor revista sobre

tecnologias, produtos e

serviços voltados para o

setor de celulose e papel

www

celulosepapel.com.br

assinatura@revistareferencia.com.br

/revistaceluloseepapel

@celulosepapel


OPINIÃO

Foto: divulgação

O

milho, o cereal mais plantado no planeta, dá o

que falar, aqui e no mundo. Sua cotação na Bolsa

de Chicago segue com sucessivas altas, junto com

a valorização do trigo, da soja e até do petróleo.

Com diversos usos, o milho é matéria-prima da alimentação

animal à indústria de alta tecnologia. Mais de 70% dos grãos

são destinados a rações para suínos, aves, gado leiteiro e até à

piscicultura. E é também matéria-prima para biocombustíveis.

O milho serve para abastecer os automóveis, graças à produção

de etanol combustível. Essa novidade do carro movido a

milho cresce no Brasil e também ajuda a aumentar a produção

de carne, a diversificar a agropecuária e a ampliar o desenvolvimento

regional.

O aumento mundial e generalizado dos preços dos combustíveis

suscitou um interesse renovado pela alternativa dos

biocombustíveis. Países como Índia, China, Indonésia, França

e EUA (Estados Unidos da América) ampliam o uso do etanol

e do biodiesel. E desenham novos programas nacionais de

produção e utilização dos biocombustíveis. No Brasil, o etanol

e o biodiesel já são programas consolidados e de sucesso. O

biodiesel é produzido essencialmente com óleo de soja e sebo

de boi. E o etanol, a partir da cana-de-açúcar.

Desde a década de 1920, o álcool já era testado como combustível

automobilístico. O grande salto ocorreu na década

de 1970, quando havia também uma crise internacional de

petróleo. O Brasil criou o Programa Nacional do Álcool, ou Proálcool,

em 14 de novembro de 1975, pelo Decreto n° 76.593,

com o objetivo de estimular a produção do álcool, atender

às necessidades do mercado interno e externo e a política de

combustíveis automotivos. O Proálcool abrangeu a produção

agrícola, as destilarias, os motores, a frota automobilística, as

refinarias e a distribuição.

A primeira usina para produzir etanol a partir de milho foi

instalada em Mato Grosso em 2012. Dez anos depois, 17 usinas

de etanol de milho estão em operação: dez em Mato Grosso,

cinco em Goiás, uma no Paraná e outra em São Paulo. Desse

total de unidades em operação, dez são flex (tanto processam

cana-de-açúcar como milho para produzir etanol) e sete são

MILHO, À MESA

E NO TANQUE DE

COMBUSTÍVEL

full (processam apenas milho).

A produção de etanol a partir do milho traz diversas vantagens.

Com 1 tonelada de milho é possível produzir mais de

400 litros de etanol. Na cana-de-açúcar, são cerca de 85 litros

por tonelada. As usinas de cana-de-açúcar só operam em parte

do ano, a maioria entre maio e setembro. Quando a colheita

da cana-de-açúcar acontece, a matéria-prima precisa ser logo

transportada e processada na usina. Não há hipótese de armazenar

cana-de-açúcar. Isso não ocorre com o milho.

Segundo estimativas da UNEM (União Nacional do Etanol

de Milho), a produção de etanol de milho deverá superar 4

bilhões de litros nesta safra. Nos próximos 10 anos, o país

deverá ter mais nove unidades flex e 24 full. Com os projetos

de construção de novas usinas de etanol é possível atingir

10 bilhões de litros por safra em 2030, um processamento da

ordem de 22 milhões de toneladas de milho.

Outro fator favorável à sustentabilidade do etanol de

milho é sua incorporação ao Programa RenovaBio. Ele busca

expandir a produção de biocombustíveis, fundamentada na

previsibilidade e na sustentabilidade ambiental, econômica

e social. É mais um incentivo à descarbonização da economia

por meio do uso de biocombustíveis. O milho colabora na

redução das emissões de gases de efeito estufa e o de segunda

safra, dita safrinha, ainda ajuda a acumular carbono nos solos e

a limitar a degradação das terras com sua cobertura vegetal no

outono e no inverno.

O crescimento da produção do etanol de milho e dos

coprodutos derivados é mais um caso de sucesso no agronegócio

nacional. Isso produz novas oportunidades na economia,

na geração e no crescimento da renda no campo e no

crescimento mais sustentável em várias regiões do Brasil.

Haverá cada vez mais etanol de milho no mercado. Seu carro

será movido, também, por etanol de milho, além do da cana-

-de-açúcar. O milho, além de nos alimentar, agora nos move e

dá o que falar.

Por Evaristo de Miranda

Pesquisador da EMBRAPA Florestal,

na área Ambiental, é professor, engenheiro agrícola e escritor

66 www.REVISTABIOMAIS.com.br


SERRAS E FACAS INDUSTRIAIS

Quem usa as

facas DRV,

está pronto para

picar todos os

tipos de madeira!

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!