EmPrEGo no brasil - Jardim Acapulco

jardimacapulco.com

EmPrEGo no brasil - Jardim Acapulco

ano 07 n° 29 fevereiro 2012

®

RUGBY NO BRASIL

esporte olímpico na rio 2016 aporta no país e vira alvo de altos investimentos

ENTREVISTA COM PRESIDENTE DA OAB MOTOR RENAULT F1

®


direção executiva

Alexandrina M. A. Vilar

Jeifferson R. Moraes – MTb 59.536

reportagem

Sheila Almeida – MTb 59.816

Roberto Aló Filho

assessoria digital

Thais Alonso Carlos Rocha

Todas as publicidades, textos

assinados, informes e fotos fornecidas

são de responsabilidade exclusiva de

seus autores, não representando

a opinião da Revista

Proibida a reprodução total ou parcial

de texto e imagem sem a prévia

autorização da Almav

para anunciar

(13) 4062.0125 ou (11) 2626.3896

anuncios@almav.com

críticas ou sugestões

(13) 2138.3398

sac@almav.com

na internet

www.acapulco.com.br

A Revista Acapulco Magazine é uma

publicação da Almav Comunicação

Ltda ME, Caixa Postal: 73.915

Santos - SP - CEP: 11025-972

Jornalista responsável:

Jeifferson R. Moraes – MTb 59.536

sobre o jardim acapulco

Loteamento aprovado em 1974.

O lançamento oficial ocorreu em

1976. Hoje, com 4 milhões de metros

quadrados e 2 mil residências.

Localizado na região da Praia de

Pernambuco em Guarujá - SP

circulação e distribuição

Uma publicação exclusiva dirigida

gratuitamente ao público do

Jardim Acapulco – Guarujá (SP),

distribuída nos principais pontos de

visitação do loteamento.

A revista também é encaminhada

aos melhores restaurantes, hotéis,

pousadas e condomínios.

assinaturas

(13) 4062.0125 ou (11) 2626.3896

assinaturas@almav.com

impressão

(11) 4446.6800

®

ANO 07 • NÚMERO 29 • 2012

SUMÁRIO Fotos da Capa: TMorris9 e Rtimages | Dreamstime

06 DESIGN DEcOR 20 RUGBY NO BRASIL

10 bistro saint malo 28 tunísia

12 ENtREvIStA 30 vINhOS NO URUGUAI

14 jet sky 32 cine dica

16 RENAUlt F1 34 BUSINESS NEwS

AO LEITOR

Se tudo só começa depois do carnaval, não sabemos. Mas a

Acapulco Magazine já vem se preparando desde dezembro do ano

passado para esta edição. Nosso colaborador, o jornalista Roberto

Aló Filho, realizou uma excelente reportagem sobre a evolução do

rugby no Brasil. Do Rio de Janeiro, Aló entrevistou jogadores, cobriu

jogos e falou com os principais personagens desse “gigante” do

esporte. O rugby agora faz parte dos jogos Olímpicos do Rio de

Janeiro em 2016, e o Brasil terá a sua Seleção na competição. Isso

é só um aquecimento para esse jornalista, que em breve irá assumir

como editor chefe de uma revista esportiva no Rio.

Em nossa editoria de Entrevistas e Perfis, um ping-pong com

o presidente da OAB de SP. E no mundo dos negócios, aprenda

como contratar um funcionário estrangeiro e quais os requisitos

para que isso seja possível.

E mais uma vez, a tradicional dica gastronômica da revista

com o Bistro Saint Malo: um prato tradicional, repleto de história e

claro: francês. Uma leitura saborosa!

E nossa dica motor, deste mês, veio das pistas e do mar.

A Renault F1 faz sucesso com o fornecimento de motores no

automobilismo e acirra ainda mais a disputa deste ano nos GPs.

A Yamaha apresenta o jet mais rápido do mundo com especificações

técnicas e valores de mercado. Boa leitura!

www.acapulco.com.br

Moderna: visite a nova página na internet da Revista Acapulco Magazine

twitter

http://twitter.com/revistaacapulco

®

facebook

http://facebook.com/revistaacapulco


DESIGN_decor

6 a 9 de março

6 acapulco_magazine

BORDAS EM AlUMÍNIO

A Mesa de Jantar Mantova caracterizase

por seu aspecto rústico e imponente.

Os pés são produzidos em

madeira de demolição, garantindo o

reaproveitamento e evitando que mais

uma árvore seja derrubada. Já o tampo

da Mesa é produzido em aço corten. A

pátina do aço, além de ser responsável

pelo efeito enferrujado, cria uma

barreira para a corrosão, sendo três

vezes mais resistente que o aço comum.

Em ambientes agressivos, como a orla

marítima, o material é uma excelente

opção. Conta com linhas retas e design

contemporâneo. R$ 4.985,00

INFORMAÇÕES. armandocerello.com.br, (11) 3085.3400

A SCA foi pioneira na América Latina

a dominar o processo de aplicação

de bordas de alumínio verdadeiro

em peças de mobiliário. O efeito é

semelhante ao de um delicado perfil

de alumínio, porém, no processo fabril,

as bordas são incorporadas às peças

de mobiliário com o revestimento

selecionado. O produto, além de

durável, fica incorporado ao móvel, sem

produzir destaque sobre o conjunto.

Na foto, a funcionalidade minimalista:

dentro das novas tendências do

design do mobiliário em que todos os

elementos se incorporam ao móvel sem

produzir destaque sobre o conjunto.

INFORMAÇÕES. sca.com.br, (13) 3382.1745

MESA DE JANtAR

EXPO REvEStIR

Em sua 10ª edição, a Fashion Week de Arquitetura e Construção apresentará as

últimas tendências para o mercado de luxo. Exclusivas padronagens e texturas,

estilo sóbrio e elegante, materiais nobres e design único serão algumas das

novidades. Soluções e iniciativas para minimizar o impacto no meio ambiente

também serão destaque nos lançamentos do evento. Acontece de 6 a 9 de

março, das 10 às 19 horas, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

INFORMAÇÕES. exporevestir.com.br, (11) 3289.7555

Fotos: divulgação

Al. Gabriel

Monteiro da Silva,

1264 - São Paulo - SP

Tel. (11) 3085-3400

Outlet:

Via das Paineiras, 3178

Bairro Pinhal - jacaré - Cabreúva - SP

tel: (11) 4529-5308 . (11) 4529-4330 . (11) 4529-5557

Bellagio Com. e Rest. de Móveis Ltda. Foto: Fernando Delfini


DESIGN_decor

8 acapulco_magazine

MóvEIS EM MADEIRA

BANCO HIMAlAIA REtANgulAR

Em dois tamanhos diferentes: 2,10 x 0,40 x 0,44m (altura) ou 0,60 x 0,40 x 0,44m (altura). Em madeira Teka

CAdEIRA HIMAlAIA COM BRAÇO

0,55 x 0,55 x 0,80 m (altura). Em madeira Teka

MESA dE JANtAR HIMAlAIA REtANgulAR

2,40 x 1,20 x 0,75m (altura). Em madeira Teka

A Breton Actual, tradicional rede de lojas de móveis e objetos de decoração

para ambientes internos e externos, acaba de lançar coleção de móveis em

madeira para áreas externas, todos em linhas retas. A cor natural da madeira

Teka dá o tom à coleção Himalaia, composta por bancos, mesas de jantar

e cadeiras. Ideal para a decoração de casas de praia ou campo. Os preços

podem ser consultados diretamente nas lojas da Breton.

INFORMAÇÕES. breton.com.br, (11) 3062-5052

início em 29 de maio

cASA cOR 2012

A 26ª edição de Casa Cor em São Paulo ocupará

uma nova área dentro de um dos endereços mais

badalados da cidade: os prédios da Tribuna 1 e da

Tribuna 2 do Jockey Club de São Paulo.

Com o tema moda, estilo e tecnologia. O evento

retratará o universo fashion que está cada vez

mais presente em projetos de decoração. No dia 7

de fevereiro, foi realizado o lançamento oficial ao

mercado que reuniu profissionais e representantes

de empresas, no Salão Nobre do Jockey.

INFORMAÇÕES. www.casacor.com.br/saopaulo, (11) 3819-7955

Fotos: divulgação


ROTEIRO_gourmet

10 acapulco_magazine

bistro saint malo

filet au poivre vert

A pimenta, depois do sal, é o

condimento mais utilizado no

mundo. Hipócrates, conhecido

como o “pai da medicina, dizia

que devemos fazer do alimento o nosso

remédio. E entre sua lista de alimentosremédios,

na Grécia, a pimenta ocupava

seu lugar de destaque. Até os romanos

adotaram com predileção a pimenta na

culinária, que virou símbolo de riqueza e

moeda de troca. Nos casamentos, servia

como dote. O Filet au Poivre (Filé com

Pimenta) é o prato clássico da gastronomia

francesa, com origem no século 14, mas

somente há quase 300 anos depois, com

o chef Auguste Joliveau do Café de Paris,

na Avenue de l’Opera, teve sua receita

consagrada quando ele reuniu antigos

conceitos de combinações de carnes com

pimenta. No Bistro Saint Malo, a chef

Jacquelline Roelandt serve o Filé com

Pimentas Verdes em grãos e do reino moída,

apresentado em molho cremoso ao Cognac

(conhaque), folhas verdes e batatas fritas.

pOIvRE. Há indícios de utilização da pimenta há 7 mil anos aC, quando já demonstravam os benefícios e suas propriedades na culinária

Um local intimista e para se comer bem. Aberto de terça-feira a sábado a partir das 19h. Na semana

do carnaval, aberto todos os dias a partir das 19h. Favor reservar: (13) 3355-2897 ou (13) 8117-4299.

rua iracema, 72, Praia da Enseada, Guarujá. Próximo da praia, na região dos restaurantes

Fotos: divulgação Saint Malo

DESFRUTE DAS DELÍCIAS

DO MAR SEM SAIR DA PRAIA.

No restaurante Mar Casado, você saboreia deliciosos frutos do

mar sem precisar sair da maravilhosa praia de Pernambuco.

Continue à vontade, livre e bem acomodado em um ambiente

descontraído, onde o acompanhamento é o visual.

Reservas: 13 2104-2000

sofiteljequitimar@sofitel.com

Mar Casado

Aberto de sexta-feira a domingo, das 12h30 às 16h.

Av. Marjory da Silva Prado, 1.100

Praia de Pernambuco | Guarujá - SP


ENTREVISTA_perfil

12 acapulco_magazine

onde nasceu e fixou residência?

Nasci em São Paulo, onde morei toda a vida.

Atualmente, moro em Santana, zona norte da capital.

É casado? tem filhos?

Sim, com Ancila Filizolla D´Urso e temos 4 filhos,

Adriana, Luiz Flávio, Luiz Gustavo e Luiz Eduardo.

Quais os principais hobbies, estilo musical,

gosto literário e passatempo cultural?

Tenho uma coleção de bonecos que retratam

advogados. Meu gosto musical é eclético, gosto de MPB,

country e clássico. Gosto de ler biografias.

Qual é o principal defeito e a maior qualidade?

Meu principal defeito é ser insistente, nunca

desisto de um sonho. Minha maior virtude é ser

conciliador; sempre busco uma solução diante de

um conflito.

Como foi a escolha da carreira?

Fui inspirado por meu pai, Umberto, que a vida

toda foi advogado. Quando adolescente pensava em ser

artista e cheguei a me inscrever em duas faculdades,

mas o Direito preponderou e segui carreira. Considero a

Advocacia a mais bonita das profissões porque luta pelos

direitos dos cidadãos.

onde se formou (universidade)?

Fiz graduação na FMU, onde sou atualmente

professor Honoris Causa, fiz mestrado e doutorado

na Faculdade de Direito da USP e pós-doutorado na

Faculdade Castilla-La Mancha, em Toledo, Espanha.

Qual assunto acadêmico mais o atrai?

Certamante, o Direito Penal, área em que atuo

enquanto advogado, sendo que já fui membro do Conselho

Nacional de Segurança Pública e do Conselho Nacional

de Política Criminal e Penitenciário, órgãos do Ministério

da Justiça. Tenho trabalhos pioneiros voltados às penas

alternativas, quando o assunto ainda começava a ser

debatido no Brasil e fui um dos autores dessa lei. Minha

PRESIDENtE OAB SP

O advogado criminalista, mestre e doutor em Direito Penal pela

USP, professor honoris causa da FMU e presidente da OAB SP,

Luiz Flávio Borges D’Urso em entrevista para a Acapulco Magazine:

Fotos: Nikolay Mamluke | divulgação

dissertação de mestrado foi sobre a privatização de

presídios, ideia que sempre defendi.

o que exatamente faz em seu trabalho e qual o

valor disso para você?

Sou advogado especializado em Direito Penal e

presidente da OAB SP. Não há como mensurar o trabalho que

realizo porque gosto do que faço e me dedico inteiramente.

Trabalho para salvaguardar a honra, a liberdade, os bens, a vida

de meus clientes. Na OAB SP, trabalho pela valorização dos

advogados e pela consolidação da cidadania.

idealizava chegar onde chegou?

Entendo que os sonhos devem ser transformados em

realidade. Ocupei inúmeros cargos dentro e fora da OAB antes

de chegar à presidência em 2004, sendo que hoje estou no

terceiro mandato por escolha de meus pares.

o que diria para os jovens universitários?

Advocacia é uma profissão em expansão, em

crescimento, especialmente diante do Pré-Sal e de eventos

internacionais que o Brasil vai sediar, como a Copa do Mundo

e as Olimpíadas, abrindo muitas oportunidades no mercado

de trabalho. Mas é fundamental estudar e se especializar para

aproveitar as oportunidades

o que você mais valoriza na vida? E no trabalho?

A família, pela importância em nossa vida, e a

lealdade, que torna as lutas possíveis e vitoriosas. Ninguém

vence ou constrói algo importante sozinho.

Quais são seus projetos futuros?

Primeiramente quero advogar até meu último suspiro.

Quero continuar atuando para fortalecer a Advocacia, por

entender que dela depende a democracia e o Estado de Direito.

Há algo que quer ressaltar sobre você ou

sua carreira?

Sou filho de advogado, meu único irmão é advogado

e três dos meus quatro filhos maiores de idade seguem carreira

na advocacia e o menor deve ingressar também.

A Advocacia está em nosso sangue, de nossa família e sua

importância cresce nesse mundo, onde os litígios se ampliam.

Não há Justiça sem advogado e cabe a eles assegurarem a

defesa dos direitos e dos cidadãos. A advocacia é uma paixão.

É a profissão mais linda que existe!!!!


INFO_náutica

14 acapulco_magazine

VXr 2011

design veloz

INFORMAÇÕES. Jetco (Concessionária Oficial), R$ 46 mil, (11) 5042-9977, www.jetcobrasil.com.br

O novo jet Yamaha VXR 2011, com

4 tempos, 4 cilindros e 1812 cilindradas,

consegue atingir a incrível marca das

68.4mp/h (110km/h), tornando-se assim

o jetski aspirado mais veloz do mundo!

Com extrema economia de

combustível e preço acessível, o VXR

apresenta um moderno sistema de

nanotecnologia na construção do seu

FiCHa tÉCniCa

Motor 4 Cilindros, 4 Tempos

Cilindradas 1812cc aspirado, Injeção eletrônica

Furo 86 Stroke x 78mm

Deslocamento 1812cc

Comprimento 3,26 m

Largura 1,17 m

casco. É mais leve e mais resistente.

Oferece todos os equipamentos de série

como marcha ré, escada, limitador

de velocidade, bloqueador de partida

acionados por controle remoto e

banco ergonômico com apoio para

piloto. Possui um design confortável

e desenvolvido pela Yamaha para um

desempenho excepcional.

Altura 1,16 m

Peso 330 Kg

Capacidade de combustível 60 Litros

Capacidade de óleo 4.3 Litros

Capacidade de pessoas 3

Capacidade de armazenamento 57 Litros

Material do casco NonoXcel

Garantia 1 ano

Fotos: divulgação

Para andar Seguro

Sem Perder o

Prazer de dirigir

Desde 1993, a OREGON BLINDADOS fornece soluções avançadas em

blindagem veicular, sem comprometer a dirigibilidade e

as características originais do seu veículo.

Credenciada pela HYUNDAI e SUBARU, oferece também blindagem para

todas as marcas de mercado com garantia e total credibilidade.

Leandro Sylvestre - Consultor Técnico

(11) 7749-1866 / ID: 100*18279

e-mail: leandro@oregon.com.br

Aceitamos seu veículo usado.

José Cerchiai Junior

celular: (11) 9983.9525

e-mail: jcerchiaij@gmail.com


INFO_motor

16 acapulco_magazine

rEnaUlt rs27

propulsor confiável

FÓRMulA 1. À esquerda, o motor RS27 e ao lado o carro Lotus-Renault de Bruno Senna no GP de Cingapura de 2011

O motor Renault RS27 é utilizado

na Fórmula 1 desde a temporada de 2007.

Este propulsor é um V8, atmosférico, capaz

de desenvolver uma potência máxima de

aproximadamente 750 cavalos.

O RS27 foi reconhecido como um dos

mais confiáveis motores do grid de 2011,

sendo capaz de percorrer mais de 3.000

km, com uma perda mínima de potência

entre o início e o final de sua vida útil.

ParCEiros Da rEnaUlt Em 2012

red bull racing. Chassi: RB8 Pilotos: Sebastian

Vettel e Mark Webber. A parceria Red Bull Racing-Renault foi

iniciada em 2007 e já se tornou uma das parcerias de motor

e chassi mais bem-sucedidas da história do campeonato,

contando até hoje com 27 vitórias, 38 pole positions e o

bicampeonato dos Mundiais de Pilotos e Construtores, nos

anos de 2010 e 2011. Durante o Grande Prêmio da Itália de

2011, a Red Bull Racing e a Renault Sport F1 anunciaram a

renovação de sua parceria por cinco anos. As duas equipes

trabalharão juntas, pelo menos, até o final da temporada de

2016, com a criação de uma joint venture técnica destinada a

trabalhar em conjunto, visando as novas regras de motores que

deverão ser adotadas a partir de 2014.

Equipe lotus de F1. Chassi: E20. Pilotos: Kimi

Raikkonen e Romain Grosjean. A Renault vem realizando

um trabalho conjunto e de longa duração com a equipe de

Enstone. Este relacionamento começou em 1995, quando a

Renault forneceu motores para a equipe Benetton, pilotada

na época por Michael Schumacher. Desde o primeiro ano

da parceria, Schumacher levou o título de Pilotos e a equipe

levou o de Construtores. Após sua saída como fornecedora

oficial de motores, ao final de 1997, a Renault voltou a contar

com uma equipe própria, ao assumir o controle da Benetton,

em 2002, e criando a Renault F1 Team. A fábrica situada em

Enstone se tornou a base operacional no Reino Unido para

chassis, enquanto que a unidade fabril de Viry-Châtillon, na

França, se manteve como artéria principal das atividades de

motor. Sob a coordenação da Renault, a equipe voltou com

força total com Fernando Alonso, que conquistou os títulos

mundiais de 2005 e 2006. A decisão de focar suas atividades

na F1 no fornecimento de motores levou a Renault a vender

uma participação minoritária para a Genii Capital, em 2009. No

ano seguinte, cedeu o resto de suas participações à mesma

empresa, sediada em Luxemburgo.

Equipe Williams de F1. Chassi: FW34. Pilotos:

Pastor Maldonado e Bruno Senna. O ano de 2012 marca o

retorno da histórica parceria Williams-Renault no grid. As duas

começaram o seu relacionamento em 1989, com um sucesso

imediato. Logo de início, Nigel Mansell garantiu os dois títulos

da parceria, dominando a temporada de 1992, que Alain Prost

manteve com o título de 1993. Damon Hill e Jacques Villeneuve

conquistaram, respectivamente, os títulos de Pilotos, em

1996 e 1997, enquanto que os campeonatos de construtores

foram conquistados em 1994, 1996 e 1997, antes da saída da

Renault da F1. Durante os nove anos de existência, a parceria

Williams-Renault conquistou 63 vitórias, quatro títulos de

Pilotos e cinco de Construtores.

Equipe Caterham de F1. Chassi: CT01. Pilotos:

Heikki Kovalainen e Jarno Trulli. A equipe anglo-malaia

começou sua segunda temporada na F1 em 2011, equipada

com o motor Renault RS27. Durante todo o ano, a parceria

foi reforçada e a equipe evoluiu bastante em termos de

performance. A partir deste ano, quando os carros da equipe

estarão equipados com o KERS – desenvolvido em conjunto

pela Red Bull-Renault, esta parceria dará ainda mais frutos para

as duas empresas.

Foto: Renault Divulgação | Francois Flamand


casas terrenos venda locação

2262,75

1000

2044,25

1000

2652,50

pIStA dE COOpER

E pARquINHO

INFANtIl

2871

1000

1000

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

1000

1000

982,62 982,62

1000

841,38

800

1000

1191,28

1000

937,16

800

1000

1195,55

1000

1000

800

1159,79

1000

1000

982,62 982,62

800 1000

800

1000

911,96

1105,36

1000

808,78

1000

1092,68

841,38

800

982,62

911,96

1000 1000

1000

800

1000

982,62

982,62

1000

1000

1092,68

1000

982,62

1000

911,96

1000

783,76

800

1000

982,62 982,62

982,62 982,62 982,62 914,15

1092,68

1564,71

1000

1809,43

800

1000

1000

1000

1000

1000

1000

1000

1909,96

1149,93

1000

1486,47

1176,13

982,62 982,62

885,30

1000

997,29

1000

967

982,62 982,62

1000

1000

1420,12

1157,63

1000

1000

800

1000

1471,27

982,62

1000

1000

1000

982,62

982,62 982,62

1000 1000 1000 1000

982,62

1000

961,19

13 9712.3008 cel

ID 80*228640

* corretor@jairmoraes.com.br

www.jairmoraes.com.br

1000

1420,12 1420,12

982,62

1000

1200 1533,84

1032,62

1182,83

1000

1000

1000

982,62

1000

1000

982,62

1538,34

800

1000

1420,12 1420,12

982,62 982,62

982,62

982,62 982,62

1000

982,62

982,62

1000 1000

1000

1000

1000

1000

982,62

982,62

1000

1000

1000

1000

1000

885,30

1420,12

997,29

967

1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

982,62 982,62

982,62 982,62 982,62 982,62

1000

1251,44

2033,52

1482,62 1482,62

1000

1000 1000

1182,62 1182,62

914,15

1000

1000

1000 1000 1000

1000

950,78

1000

1319,54

1030,50

1166,88

1180,80

1134,50

1177,20

961,19

1000

1000

1533,84

1200

1000

1182,83

1000

1166,88

1180,80

1000

1177,20

1000

982,62

1000

1000

950,78

1032,62

1319,54

1030,50

1134,50

2033,52

áREA dE

lAzER pRIvAtIvA

982,62 982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

3371,72

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62

1000

1000

1000

1000

982,62

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

1000

1224,10

1136,20

1048,30

960,40

982,62 982,62

982,62 982,62

1132,62

1132,62

872,50

1000

1000

1000

1000

1000

1000

821,52

1000

1000

944,58

982,62 982,62

982,62 982,62

1005

1005

1000

1000

1000

1000

982,62 982,62

982,62 982,62

1132,62

1132,62

1000

1000

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

AdMINIStRAdORA

AMBulAtÓRIO

1005

982,62 982,62

982,62 982,62

1017,62

982,62 982,62

1000

1000

1000

1000

982,62 982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

1222,62

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

1000

800

982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

1132,62

1132,62

1000

1000

1000

1000

1000

1000

1000

1000

800

982,62 982,62

800

982,62 982,62

1000

1000

1000

1000

982,62 982,62

982,62 982,62

1132,62

1132,62

1000

1000

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

1000

1000

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

982,62 982,62

1000 1000

1000 1000

982,62 982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

982,62 982,62

1000

1000

1000

1000

800

544,37

544,37

504,12 504,12

518 518

540,12 540,12

518 518

540,12 540,12

518 518

Praia do

Guaiuba

542,50

542,50

577,62 577,62

560 560

560 560

577,62 577,62

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

SANTOS

518 518

504,12 504,12

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

524,60 524,60

526,49 524,49

526,49 524,49

524,60 524,60

Travessia

de Balsas

Praia do

Tombo

542,50 542,50

544,37 544,37

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

507,62 507,62

525 525

525 525

507,62 507,62

EMpÓRIO

Praia das

Astúrias

544,37

544,37

504,12 504,12

518 518

540,12 540,12

518 518

540,12 540,12

518 518

504,12 504,12

518 518

542,50

542,50

577,62 577,62

560 560

560 560

577,62 577,62

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

Praia das

Pitangueiras

acapulco.com.br/imoveis

518 518

504,12 504,12

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

518

518

504,12

504,12

542,50 542,50

544,37 544,37

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

507,62 507,62

525 525

525 525

507,62 507,62

588,29

588,29

548,04 548,04

518 518

548,04 548,04

518 518

540,12 540,12

518 518

504,12

504,12

504,12

518

595,12 595,12

525 525

595,12 595,12

525 525

518

518

542,50

542,50

577,62 577,62

560 560

560 560

577,62 577,62

525 525

595,12 595,12

525 525

595,12 595,12

SHOppINg

GUARUJÁ

Praia da Enseada

518 518

548,04 548,04

548,04 548,04

518 518

518 518

548,04 548,04

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

Jardim Acapulco

Bistro Saint Malo

518

518

518

504,12

504,12

504,12

542,50 542,50

588,29 588,29

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

548,04 548,04

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

542,62 542,62

511 511

511 511

542,62 542,62

588,29

588,29

548,04 548,04

518 518

548,04 548,04

518 518

540,12 540,12

518 518

Praia de Pernambuco

Sofitel

542,50

542,50

577,62 577,62

560 560

560 560

577,62 577,62

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

Praia do Perequê

518 518

548,04 548,04

548,04 548,04

518 518

518 518

548,04 548,04

540,12 540,12

518 518

518 518

540,12 540,12

577,62 577,62

525 525

525 525

525

525

1158,36

542,50 542,50

588,29 588,29

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

548,04 548,04

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

518 518

540,12 540,12

25 24

Praia do Iporanga

682,13

629,43

595,12

595,12

612,50

612,50

612,50

612,50

595,12 595,12

525 525

525 525

595,12 595,12

560,12 560,12

525 525

525 525

560,12 560,12

Travessia

de Balsas

595,12

595,12

BERTIOGA

Praia

Branca


MATÉRIA_capa

RUGBY

EsPortE ainDa Vai sEr GranDE no brasil

REpORtAgEM ROBERTO ALÓ FILHO – Rio de Janeiro

O esporte que mais cresce no Brasil

é um gigante adormecido. Quem investir

marcará um “try”. E pra quem não sabe,

try é o gol do futebol no rugby. Segundo

pesquisa feita pela empresa de consultoria

e auditoria Deloitte, o rugby é o esporte

que mais vai crescer em nosso País. Os

dados revelam que 17% dos entrevistados

acreditam em sua evolução e 3% já o

consideram como favorito. Além disso,

22% apontaram o esporte como aquele

que gostariam de conhecer. O Brasil tem

mais de 30.000 praticantes espalhados

por 230 clubes em 22 estados. A previsão

é que este número chegue a 42.900 até

2013. Segundo dados da Confederação

Brasileira de Rugby, há 10 mil atletas

federados no País. No mundo, há cerca de 5

milhões de praticantes. Com a inclusão do

esporte nas Olimpíadas de 2016, no Rio de

Janeiro, a tendência é que os números e os

investimentos aumentem cada vez mais.

O rugby é um esporte que tem a

disciplina e o trabalho em equipe como

pilares principais. Procura sustentar

uma filosofia baseada em princípios

como lealdade, amizade, perseverança,

autocontrole e tolerância. Parece violento,

mas não é. O contato físico é treinado

e controlado. O respeito pelo árbitro e

pelos adversários é fator preponderante

para disputá-lo – algo que dificilmente é

visto no futebol. Os praticantes fazem um

AudIÊNCIA.

São 4 bilhões de espectadores

ficando atrás apenas da Copa

do Mundo de futebol e das

Olimpíadas. Estádio Skilled

Park localizado na cidade de

Gold Coast na Austrália com

capacidade para 27 mil pessoas

comparativo que é no mínimo interessante:

“O rugby é um esporte de cavalos jogado

por cavalheiros e o futebol é um jogo de

cavalheiros disputado por cavalos”.

Esse conceito da prática do rugby

como formador de personalidade tem

atraído investimentos. O Rio Rugby é uma

equipe do Rio de Janeiro que recebeu do

governo australiano a quantia de R$ 35 mil

para a montagem de uma escolinha de

rugby na Praia de Copacabana com foco na

20 acapulco_magazine Foto: Leighleo | Dreamstime

acapulco_magazine 21


MATÉRIA_capa

SãO JOSé RugBy CluBE.

A equipe do Vale do Paraíba (uniforme

com calção branco) é sete vezes

campeã brasileira de Rugby XV

comunidade do Morro do Cantagalo e seus

arredores. O projeto se chama “A nossa

Paixão é rugby”. O nome foi escolhido

devido aos irmãos Paixão (Max, Marcos,

Maxwilian e Michael) que jogam na equipe

carioca e são da comunidade. Marcos,

que tem o apelido de “Careca”, é jogador

da Seleção Brasileira. Justin Thornycroft,

presidente do Rio Rugby, explica que

uma comissão australiana fará um

acompanhamento trimestral para analisar

o progresso do projeto.

No ano passado houve pela primeira

vez a transmissão do Campeonato

Brasileiro de Rugby, o Super 10, pelo

canal Sportv. É disputado por 10

equipes dos estados de São Paulo,

Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná,

Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A

final entre São José Rugby, de São José

dos Campos, e o Bandeirantes, de São

Paulo, teve cerca de 100 mil aparelhos

de TV por minuto ligados na emissora.

Até o término da partida estimou-se que

1 milhão de televisores passaram pelo

canal. Segundo a Sportv, esse número é

superior à média de modalidades como

natação e atletismo. A final foi disputada

no dia 19 de novembro, em Embu das

Artes (SP) e o São José conquistou

seu sétimo título nacional ao vencer o

Bandeirantes por 20 a 15.

O rugby é o segundo esporte mais

praticado no mundo. São 5 milhões de

atletas espalhados por 120 países. Sua

maior competição, a Copa do Mundo, é o

terceiro maior evento global em audiência.

São 4 bilhões de espectadores ficando atrás

apenas da Copa do Mundo de futebol e

das Olimpíadas. A última Copa do Mundo,

realizada na Nova Zelândia entre setembro

e outubro de 2011, teve 20 participantes

e a equipe da casa sagrou-se campeã. Os

“All Blacks”, apelido dos neozelandeses por

usarem uniformes negros, conquistaram

seu segundo título mundial ao vencerem a

França por 8 a 7. Os estádios tiveram grande

presença de público. A média ficou em

30.777 espectadores por partida. Cerca de

100 mil pessoas visitaram o país. A receita

comercial (incluindo direitos de transmissão

e patrocínio) gerou um lucro líquido de

aproximadamente US$ 127 milhões.

Na Europa, dois grandes torneios

agitam o continente: a Heineken Cup,

disputada por 24 clubes de seis países:

Inglaterra, França, Itália, Escócia, Irlanda e

País de Gales. O outro torneio é o Six Nations

protagonizado pelas seleções nacionais desses

países supracitados. Estes campeonatos já

têm transmissões no Brasil nos canais ESPN.

O canal Bandsports transmite o HSBC Sevens

World Series, um torneio jogado por Seleções

dos cinco continentes e transmitido para

mais de 130 países. Fatos que demonstram o

aumento do interesse pelo esporte.

No Hemisfério Sul as grandes equipes

se concentram na África do Sul, Austrália e

Nova Zelândia. Juntas elas participavam de

um torneio chamado Tri Nations. A nossa

vizinha Argentina, onde o rugby é uma prática

comum, evoluiu tanto seu nível de atuação

mundial, que foi convidada a participar desse

campeonato. Hoje ele é disputado pelas

quatro seleções e teve seu nome modificado

para The Rugby Championship. O rugby no

Brasil ainda não é profissionalizado, mas

não deixa de conquistar títulos. A Seleção

Brasileira feminina é heptacampeã Sul-

Americana enquanto que a masculina está

entre as quatro forças do continente. Nos

últimos três anos, o Brasil subiu da 45ª

para a 27ª posição no ranking mundial da

International Rugby Board (IRB) na categoria

Masculino Adulto. A IRB é órgão máximo do

esporte. É como a FIFA no futebol. Os números

mostram a evolução do rugby em nosso País e

a tendência é aumentar.

os números do rugby

NO MuNdO

5 milhões de praticantes em 120 países;

Segundo esporte mais praticado no mundo;

Rugby World Cup: terceiro maior evento do mundo

atrás da Copa do Mundo de futebol e das Olimpíadas;

Audiência de 4 bilhões de telespectadores no último

campeonato mundial de 2011, na Nova Zelândia;

Média de 30.777 espectadores nos estádios da Copa;

Aproximadamente 100.000 pessoas visitaram a

Nova Zelândia durante o evento. A receita comercial

(incluindo direitos de transmissão e patrocínios) gerou

um lucro líquido de aproximadamente US$ 127 milhões.

entenda o jogo e

as modalidades

O rugby não é jogado apenas de

uma forma. Possui modalidades variadas.

A principal é a Rugby Union praticada

por 15 jogadores em dois tempos de 40

minutos. O Sevens, jogado por sete atletas,

foi a modalidade escolhida para representar

o esporte nas Olimpíadas de 2016, no Rio

de Janeiro, por ser um jogo mais dinâmico –

são dois tempos de sete minutos. Traçando

um paralelo entre o Union e o Sevens seria

como comparar o futebol com o futsal.

As outras variações são o League, jogado

por 13 atletas; o Beach Rugby; o Touch

(onde o adversário não pode ser derrubado,

ele é tocado na cintura e a jogada para);

o Rugby Sobre Cadeira de Rodas e o

Subaquático, disputado na piscina.

A volta do rugby às Olimpíadas

remete ao início do século 20. A modalidade

participou apenas de quatro edições

olímpicas: em Paris (1900) a vitória foi da

Seleção francesa e em Londres (1908) o

ouro foi da Austrália. Os Estados Unidos

faturaram os títulos das Olimpíadas de

Antuérpia (1920) e Paris (1924). Os jogos

eram de Rugby Union, portanto o Rugby

Sevens fará sua estreia em Jogos Olímpicos.

O Barão de Coubertin, fundador do Movi-

NO BRASIl

Segundo pesquisa, para 17% dos entrevistados, o rugby é o esporte que

mais vai crescer nos próximos anos;

3% já o consideram como favorito;

22% apontaram como o esporte que gostariam de conhecer;

Há 30 mil praticantes espalhados por 230 clubes em 22 estados;

10 mil atletas federados;

Audiência de 100 mil televisores/minuto na transmissão do campeonato

brasileiro por um canal de TV fechado, número superior às transmissões de

natação e atletismo;

Sete títulos Sul-Americanos conquistados pela seleção feminina;

Evolução da seleção masculina no ranking mundial da IRB: do 45º ao 27º lugar.

mento Olímpico da Era Moderna, era

praticante e grande fã do esporte.

A bola é oval como no futebol

americano, mas essa é a única semelhança

com o esporte ianque. Basicamente o rugby

se joga dessa forma: os jogadores atacam em

linha e a bola deve ser passada com as mãos

sempre para um jogador que esteja atrás dela.

Se o passe for feito para um jogador à frente

é marcado o impedimento. Pode ocorrer o

passe com o pé, mas a situação é a mesma:

quem receber o passe deve vir de trás. Só o

próprio jogador que dá o toque com o pé pode

pegar a bola mais à frente.

O objetivo do rugby é cruzar a linha

de fundo do campo chamada de “in-goal” e

marcar um try (tento feito com as mãos onde

a bola deve tocar no solo dentro da área do

in-goal. Vale 5 pontos). No centro da linha do

in-goal há uma trave. Ela tem formato de “H”

e é utilizada para marcar gols com os pés.

Podem acontecer com a bola rolando (drop

goal – 3 pontos), por meio de cobranças de

penalidades (3 pontos) e a conversão após a

marcação do try (2 pontos). A bola tem que

passar entre as traves laterais e acima da

haste que as une.

22 acapulco_magazine Foto: divulgação Foto: Archideas | Dreamstime

acapulco_magazine 23


MATÉRIA_capa

Investimento

em centros de

treinamento e

popularização

do esporte com

a transmissão

dos principais

campeonatos

pelas redes

de televisão

são algumas

metas da

confederação

Brasileira de

Rugby. O

presidente da

entidade, Sami

Arap Sobrinho,

mostra porque

o rugby pode

ser um grande

negócio

Entrevista com Sami Arap Sobrinho

Presidente da confederação Brasileira de Rugby

o rugby é o esporte que mais irá crescer nos

próximos anos. Quais as perspectivas de investimentos para

clubes, federações e seleção brasileira?

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) possui

algumas propriedades que passaram a ter valor para empresas.

É o caso das Seleções Brasileiras Masculina e Feminina, além

dos campeonatos nacionais, todos com transmissão televisiva.

A CBRu hoje conta com o patrocínio de Topper, Bradesco,

Heineken, Probiótica, Terapêutica e Cultura Inglesa, além do

apoio através de Lei de Incentivo ao Esporte do Grupo CCR,

Raízen, Alusa, Tozzini, McKinsey e Tarpon. Conta também

com o apoio de Cremer e Companhia Athletica. As federações

estaduais já começaram a se movimentar para arrecadarem

recursos e os clubes, hoje com suas camisas mais valorizadas,

também estão mais confiantes para trazerem investidores.

o que o senhor achou do resultado da pesquisa

feita pela Deloitte? É o esporte que mais vai crescer para

17% dos entrevistados, porém é o menos conhecido entre os

abordados com 26% dizendo não conhecerem o esporte.

Retomando a pesquisa, apesar do crescimento da

internet e da popularização das redes sociais, observou-se que

os principais meios pelos quais os entrevistados conheceram

o rugby foi através da televisão e por intermédio de amigos.

Isso demonstra a importância de termos cada vez mais jogos

transmitidos na TV para a popularização do esporte, e o fato

de muita gente conhecer o rugby através de amigos nos

mostra a fascinação que o esporte traz para os que o praticam,

sempre divulgando o fato e levando familiares e amigos para

conhecerem o jogo. Além disso, a pesquisa também apontou

que 22% dos entrevistados colocam o rugby na segunda posição

entre os esportes que gostariam de conhecer e praticar.

Existe algum trabalho para as categorias de base

promovido pela Cbru? Haverá algum investimento em

centros de excelência como fizeram, por exemplo, o voleibol

e a ginástica rítmica?

A CBRu lançou, no ano passado, em São Paulo, um

projeto de Tag-Rugby (modalidade sem contato físico entre

atletas). É o melhor caminho para a iniciação das crianças

no esporte. Em 2012, avançaremos com esse projeto para

outros estados e com isso estaremos praticando o rugby

em muitas escolas. Temos também, para esse ano, um

projeto de fomento da categoria de base, no qual a CBRu

ajuda financeiramente as federações a organizarem melhor

seus campeonatos infanto-juvenis (15 à 19 anos) e assim

aumentar consideravelmente o número de jogos dessas

categorias, que serão a base de nossas seleções no futuro.

Quanto a um Centro de Treinamento e Excelência, qualquer

Confederação de modalidade esportiva que tenha planos para

atingir metas internacionais necessita um local adequado.

Em Outubro de 2011 inauguramos o Centro de Treinamento

da CBRu, em São José dos Campos (SP). É um espaço

muito bom, com alojamento, refeitório, auditório, academia,

dois campos e muito mais, no qual esperamos propiciar

crescimento e amadurecimento técnico para os atletas das

Seleções Brasileiras (adultas e categorias de base). O Centro é

provisório, já que ainda procuramos uma prefeitura que queira

acolher o rugby de forma definitiva, como fez Saquarema com

o vôlei e Curitiba com a ginástica.

Quais atrativos os empresários têm para investirem

no esporte? Por que o empresário deve investir no rugby?

Para essa pergunta temos uma infinidade de

respostas. O rugby é o segundo esporte coletivo mais

praticado no mundo. São mais de 5 milhões de jogadores

federados à International Rugby Board (IRB). A Copa do Mundo

de Rugby é o terceiro maior evento esportivo do planeta, com

os estádios mais cheios do que a própria Copa do Mundo de

Futebol. A modalidade “Rugby Sevens” estreia no Programa

Olímpico em 2016, no Rio, o que vai gerar um interesse maior

do público e da mídia pelo esporte. Outro fator importante é que

o Rugby é uma modalidade com valores muito fortes: trabalho

em equipe, disciplina, persistência, estratégia, companheirismo,

lealdade e integração social, o que contribui para a formação

e bom desenvolvimento pessoal. Portanto, o rugby não é

só divertimento ou atividade física, é – e sempre foi – uma

ferramenta transformadora, que forma cidadãos. Esse espírito é

algo muito valorizado em diversas culturas organizacionais.

Quais valores foram investidos pela Cbru?

A receita de 2011 foi superior a 3 milhões de reais.

as tVs fechadas começaram a transmitir campeonatos

nacionais e internacionais. Fale da importância

desse fato para a massificação do esporte.

A transmissão propicia uma chance única para a

descoberta de ídolos e a criação de torcidas locais para os

clubes brasileiros. Queremos gaúchos torcendo por Farrapos e

San Diego, catarinenses empurrando o Desterro, paranaenses

apoiando o Curitiba, cariocas incentivando o Niterói, e assim

por diante com os demais clubes que disputam o Super 10,

Campeonato Brasileiro de Rugby. Além disso, as transmissões

auxiliam muito para que as pessoas entendam mais sobre

a modalidade, desmistifiquem mitos e assim possam se

aproximar mais do esporte.

Por que foi escolhido o rugby sevens para os

Jogos olímpicos do rio 2016 e não o rugby XV?

O Rugby Sevens é uma modalidade mais fácil de

ser praticada devido ao número de atletas ser menor do que

o Rugby XV – no Sevens são sete atletas em cada equipe. É

também mais fácil de ser entendida pelo público leigo e tem

um dinamismo maior do que o rugby tradicional, com 15

jogadores em cada equipe. Acredito que o Sevens terá um

desenvolvimento mais acelerado do que o XV, mas as duas

modalidades serão beneficiadas por isso.

a seleção brasileira feminina já conquistou sete

títulos sul-americanos. Quando teremos uma seleção

masculina que chegue ao nível de uma argentina, por

exemplo? Quando seremos fortes?

Esse é um trabalho de longo prazo. No final de 2011,

detectamos que nossos atletas masculinos terminaram o ano

muito estafados devido a grande quantidade de competições,

pois os mesmos jogadores da Seleção de Sevens jogam no XV,

além de seus clubes e alguns até por suas universidades. Um

dos primeiros passos para que se melhore o rendimento a partir

de 2012 é criar uma Seleção ‘permanente’ de trabalho. Os atletas

que defenderem a Seleção de XV não serão convocados para a

Seleção de 7s, e vice-versa. Assim preservamos as condições

físicas dos jogadores e também podemos dar continuidade ao

trabalho de desenvolvimento de ambas as equipes, aumentando

o entrosamento e avaliando melhor o desempenho individual,

detectando os pontos fortes e fracos.

suas considerações finais.

Agradeço o espaço e a oportunidade de

esclarecer aos leitores sobre esta modalidade. Aproveito

para convidar a todos para o Rio Sevens 2012, o

campeonato sul-americano da modalidade e maior

torneio de rugby do continente, que acontecerá nos dias

10 e 11 de março no Estádio da Gávea, Clube de Regatas

Flamengo. Caso queiram saber mais sobre o rugby,

acessem o site: www.brasilrugby.com.br.

Saudações Ovaladas!

Entrevista com christiano Fonseca costa

Presidente do São José Rugby clube (SP)

segundo a pesquisa da empresa de consultoria e

auditoria Deloitte, o rugby é o esporte que mais irá crescer

nos próximos anos. Quais as perspectivas de investimentos

para o são José rugby?

O resultado da pesquisa confirmou-se no ano

passado, onde a Confederação Brasileira de Rugby (CBRu)

através de projetos incentivados e outras fontes de receita

conseguiu diminuir os custos dos clubes arcando com as

despesas mais pesadas como transporte entre outras. Não é o

bastante para resolver os problemas de falta de estrutura dos

clubes e o déficit de programas de capitação de novos adeptos

ao rugby. Sabemos que não dá para fazer tudo de uma vez,

acredito que a CBRu começou pela maior necessidade e a cada

novo exercício vem investindo em novas áreas da modalidade.

Existe um planejamento para o crescimento do clube?

A maior preocupação e trabalho do São José Rugby

no momento é com relação à infraestrutura do clube, onde

possuímos um projeto de construção da sede própria estimado

em aproximadamente R$ 2,1 milhões, que se encontra em

fase de licitação na prefeitura de São José dos Campos. A

efetivação dessa sede será o ponto de partida para novas

oportunidades na cidade.

o clube consegue se manter com o investimento

dos patrocinadores?

Não só estamos conseguindo nos manter,

como também crescendo a cada ano através de projetos

incentivados, entretanto, ainda somos carentes de patrocínios

diretos que são necessários na gestão de um clube, onde

a maior parte das empresas que estão investindo no rugby

aportam através das leis de incentivos ao esporte ou serviços.

Isso é natural. À medida que o rugby vai crescendo os

investimentos seguirão junto.

Qual o valor que o são José investe em todas as

suas categorias?

O São José Rugby possui mais investimentos nas

categorias de base do que nas categorias principais. Vamos

dividir em duas partes a categoria de base: 1º parte

-social e a 2º parte - alto rendimento. 1º parte: O maior

investimento vem de dois projetos sociais totalizando

R$300 mil, incluindo transportes, alimentação, uniforme,

materiais esportivos para os adolescentes de até 18 anos.

Os projetos foram aprovados pelo Conselho Municipal da

Criança e Adolescente (CMDCA) e aportado pela empresa

CCR Nova Dutra, parceira e apoiadora do clube há quatro

anos. O tempo deixa claro que são projetos vitoriosos

para a sociedade, clube e empresa apoiadora. 2º parte: A

prefeitura de São José dos Campos, através da Secretaria

de Esportes e Lazer possui um excelente programa de apoio

às categorias de base da cidade chamado “Atleta Cidadão”

que visa dar todo apoio necessário ao atleta até os 18 anos,

neste programa o clube dispõe de R$ 58 mil para, em 2012,

custear gastos voltados a dar condições ao atleta para

treinar e competir.

Qual os valores de premiação que a Cbru paga aos

campeões de XV e sevens?

Os clubes e/ou jogadores não recebem nenhuma

quantia financeira por vitórias ou títulos conquistados.

O rugby ainda é um esporte amador com potencial de

crescimento enorme. Costumo dizer “que é um grande

urso que estava hibernado durante anos e acordou com

toda força” alimentado através da inclusão do rugby

nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Quando

as entidades organizadoras conseguirem vender as

competições para a televisão, os clubes receberão recursos

financeiros. Acredito que só assim realmente seremos

grandes e profissionais.

Quanto ganha em média um jogador? Eles têm

salário ou jogam pelo amor e divulgação do esporte?

Todos ainda jogam por paixão. O São José

Rugby consegue ajudar alguns atletas através de bolsa

auxílio, mas é uma pequena parte dos jogadores que

recebem, a maioria estuda ou trabalha para seguir a vida

pessoal e familiar. Todos os jogadores da equipe adulta

treinam no período noturno após os compromissos

particulares. Hoje o clube consegue cobrir todos os

gastos básicos necessários para o atleta treinar e

competir. Infelizmente a realidade da maioria dos clubes

no Brasil ainda é outra, onde os atletas arcam com todas

as despesas de seu clube.

as tVs fechadas começaram a transmitir

campeonatos nacionais e internacionais. o que esse fato

pode contribuir para a massificação do esporte?

Além da importante massificação do esporte,

a entrada das TVs na modalidade trará as empresas e

consequentemente os recursos financeiros necessários para

o desenvolvimento das confederações, federações, ligas,

clubes e outros.

após a inclusão do sevens na rio 2016 você

acredita que esta modalidade pode “pegar” mais no

brasil ou o rugby XV é a coqueluche?

Não tenho dúvida que o rugby no Brasil já é

outro e será ainda maior num médio e longo prazo. O

rugby nacional e internacional de um modo geral está

pegando uma carona com a inclusão do Rugby Sevens nas

Olimpíadas do Brasil. Dessa forma todas as modalidades

deverão crescer. O glamour do Rugby XV é e sempre será o

mais importante e nobre do rugby.

Fale da importância do rugby no quesito formação

de personalidade dos meninos e meninas no que tange à

disciplina e o respeito aplicados.

A inclusão do rugby social através do São José

Rugby em 2003 mudou o panorama do rugby nacional.

Todas as equipes ao longo da história do rugby no país

sempre foram formadas por jogadores de classe média

para alta. Após a experiência de bons frutos colhidos

e promissores para equipe nacional, outros clubes

começaram a trabalhar as classes de baixa renda familiar.

O ganho de maior relevância é dos garotos que têm a

oportunidade de aprenderem valores inseridos na cultura do

rugby que serão usados para toda vida. Realmente não tem

preço o ganho dos jogadores.

Os próprios clubes estão abrindo as portas

para esses garotos com bolsas de faculdade e vários

tipos de trabalhos no próprio clube. A prova disso são

os países que possuem o rugby como a sua maior

paixão. Onde a sociedade vive de forma mais ética e

justa. Mesmo com o crescimento dos investimentos

sociais, não podemos esquecer de trabalhar as

classes sociais favorecidas.

o que a Cbru deve fazer para difundir melhor o

rugby no brasil?

A CBRu deve liderar um planejamento macro

juntamente com as federações através de projetos claros,

eficientes e transparentes com intuito de fomentar o rugby,

portanto, isso deve ser feito com certa urgência visando

acelerar o fomento do rugby nas regiões do País.

Mais informações: www.saojoserugby.com.br

Investir para

crescer. É nessa

tese que o

presidente do

São José Rugby

clube, christiano

Fonseca costa,

aposta para

alavancar de

vez o rugby no

Brasil. O clube

do vale do

Paraíba, interior

de São Paulo, é

heptacampeão

brasileiro e

octacampeão

paulista de

Rugby Xv com a

participação de

christiano

como atleta.

24 acapulco_magazine Foto: divulgação

acapulco_magazine 25


MATÉRIA_capa

rio beach rugby 2012

Cidade Maravilhosa. Dia 14 de

janeiro. Sol escaldante. Assim estava a Praia

do Leme na abertura do 7º Rio Beach Rugby,

o torneio de rugby de praia que reuniu 25

equipes de três estados: Rio de Janeiro, São

Paulo e Minas Gerais, além de um convidado

especial, o Lanús Rugby da Argentina.

O primeiro dia serviu de

classificatório para as finais do dia

seguinte. As 20 equipes masculinas

e cinco femininas disputaram várias

partidas que tiveram início às 11h30

e término às 18 horas. Não houveram

equipes eliminadas. Elas foram divididas

nas categorias Ouro (1º ao 8º lugar),

Prata (9º ao 16º) e Bronze (17º ao 20º)

para as disputas do dia seguinte.

O dia 15 amanheceu mais ameno,

com aquele mormaço que, se não passar

o protetor solar, queima mais do que o

sol forte. E assim, logo depois das 10

horas, começaram as disputas pelos

troféus. Os campeões das taças de Prata

e Bronze foram respectivamente Volta

Redonda e O’Jays.

Antes das decisões houve uma

disputa curiosa entre os jogadores do Rio

Rugby C, todos estrangeiros, e a FEA USP:

o campeonato de virada de cerveja. Os

jogadores se dispuseram em filas e ficaram

Classificação final

1º - Rio Rugby - campeão da Taça Ouro

2º - São José

3º - Lanús (Argentina)

4º - Niterói

5º - Itaguaí

6º - Guanabara

7º - FFLCH / SP Barbarians

8º - Itaipuaçu

9º - Volta Redonda - campeão da Taça Prata

10º - Resende

11º - Rio Rugby C

12º - FEA USP

13º - UFRRJ- Rural

14º - Recreio

15º - 5 de Esparta

16º - Rio Rugby B

17º - O’Jays - campeão Taça Bronze

18º - Campos

frente a frente. A latinha de cerveja foi dada

ao primeiro jogador de cada equipe e a

disputa era para ver que equipe conseguia

beber primeiro. Na disputa “lata a lata”

prevaleceu a maior experiência alcoólica dos

gringos do Rio C.

Nuvens cinzentas ameaçavam no

céu carioca quando se iniciou a final

Ouro feminina entre o Niterói Rugby e o

BH Rugby. A equipe da cidade vizinha à

capital fluminense tinha mais experiência

e estava bem treinada. As niteroienses

ficaram com o título.

Chove chuva! Chove sem parar! A

grande final Ouro foi disputada debaixo de

um temporal por Rio Rugby (RJ) e São José

(SP). O jogo foi bem disputado terminando

em 3 a 3 no tempo normal. Na prorrogação,

havia a “morte súbita”, ou seja, quem

fizesse o primeiro try venceria o confronto.

Coube ao norte-americano Brian a proeza de

marcar o tento e a festa começou nas areias

molhadas do Leme.

O jogadores Marcos Paixão “Careca”,

e Babi “Futuro” foram escolhidos como os

melhores do torneio. Após a premiação,

seguindo a tradição do esporte da bola oval,

houve o “Terceiro Tempo”: confraternização

de todas as equipes regada com cerveja

acompanhada de um belo churrasco.

19º - Grandfather

20º - Direito Mack

Feminino

1º - Niterói - campeão

2º - BH Rugby

3º - Guanabara

4º - Resende

5º - Tamoios

todos os Campeões

beach rugby

2006 - NickTeroy - RJ - vice Conv. Italiano(Italia)

2007 - Rio Rugby - RJ - vice Niteroi

2008 - Rio Rugby - RJ - vice Guanabara

2009 - Niteroi - RJ - vice Rio Rugby

2010 - Rio Rugby - RJ - vice Rug Beer (Argentina)

2011 - São Jose - SP - vice Rio Rugby

2012 - Rio Rugby - RJ - vice São José - SP

um pouco de história

Conta a lenda que o rugby surgiu de um jogada

irregular. Em 1823, numa partida de futebol na cidade

inglesa de Rugby, em Warwickshire, o estudante William

Webb Ellis indignado com a monotonia do jogo, pegou a

bola com as mãos e partiu em direção à linha de fundo

adversária. Seus colegas tentavam impedi-lo, mas não

obtiveram sucesso. Ellis acabou configurando o primeiro try

da história. É a versão aceita até hoje, tanto que o troféu da

Copa do Mundo leva o seu nome: The Webb Ellis Cup.

No Brasil, a história foi diferente. A primeira equipe

a praticar rugby em solo tupiniquim foi o Clube Brasileiro

de Football Rugby em 1891. Luiz Leonel Mouro, recém

chegado da Inglaterra, apresentou o esporte que aprendera

no Elizabeth College aos amigos e o introduziu na equipe

carioca. Mouro também aprendera o futebol. Mais tarde, em

1895, Charles Miller, considerado o pai de nosso futebol,

trouxe também na bagagem as regras do rugby e tentou

montar uma equipe em São Paulo. Em 1896, Miller passou a

dedicar-se mais ao futebol e o rugby foi perdendo força.

O esporte passou a ser jogado com regularidade

a partir de 1925, quando os praticantes se reuniam nos

finais de semana para jogar nos campos do Paulistano e

do São Paulo da Floresta. A partir de então novas equipes

foram se formando em São Paulo e Rio de Janeiro e os

campeonatos interestaduais foram se desenvolvendo.

Com o início da Segunda Guerra, os ingleses residentes

no Brasil foram para o front. Após a guerra, os jogos

voltaram a ser realizados, mas sem o mesmo interesse.

Algumas equipes resistiram como o São Paulo Athletic

Club (SPAC) e o São Paulo Rugby Football Club.

A União de Rugby do Brasil foi criada em 1963

com o objetivo de reunir equipes e promover campeonatos.

Foi substituída em 1972 pela Associação Brasileira de

Rugby sob a chancela do Conselho Nacional de Desportos

(CND). Atualmente quem comanda o rugby nacional é a

Confederação Brasileira de Rugby (CBRu). O trabalho mais

importante da CBRu, além de organizar os campeonatos

e angariar federados, é massificar o esporte presente em

clubes de 22 estados brasileiros. O rugby nasceu amador

e continua assim até hoje. Não houve profissionalização.

Poucos jogadores recebem ajuda de custo ou patrocínio.

A maioria dos atletas brasileiros joga por amor ao esporte.

26 acapulco_magazine Fotos: Roberto Aló Filho

acapulco_magazine 27


VIAGEM_destino

nÃo É miraGEm

é a tunísia

Mar Mediterrâneo, Saara, ruínas

romanas e cenário cinematográfico estão

reunidos no mais novo roteiro da Visual

Turismo pela Tunísia, com duração de

dez dias. Para completar esse conjunto

de maravilhas naturais e históricas, os

passageiros têm uma noite de hospedagem

no deserto e transporte em carro privativo

durante todo o roteiro.

A programação começa na capital

Túnis, onde o Museu do Bardo é parada

obrigatória – por sua famosa coleção de

mosaicos romanos, esculturas, artefatos e

até achados pré-históricos. Pelas ruas da

Medina, pode-se conhecer vielas, artesões e

lojas da cidade antiga, declarada Patrimônio

da Humanidade pela Unesco.

O grupo parte para visitar a antiga

potência púnica, Cartago, hoje um bairro

de Túnis que tem como destaque as ruínas

romanas e as Termas de Antonio Pio.

Alguns minutos de caminhada separam

os viajantes da charmosa cidade de Sidi

Bou Said, cheia de casas brancas e portas

coloridas. O destino seguinte é a Ilha de

Jerba. Foi lá que Ulisses, na Odisseia,

teve enorme dificuldade de trazer seus

homens de volta para o navio, tamanha a

beleza do local.

O reduto paradisíaco abriga a

sinagoga mais tradicional da África, praias

de areias branquinhas e águas quentes e

cristalinas. No sétimo dia, a viagem segue

rumo ao famoso Deserto do Saara para

a experiência de pernoitar no deserto,

no sofisticado acampamento Pansea,

localizado em Ksar Ghilane.

O pacote de dez dias e sete noites

(duas em trânsito no aeroporto) sai a

partir de US$ 4.327 por pessoa.

Inclui passagem aérea, todas as

acomodações (sendo três em Túnis e três

na Ilha de Jerba com café da manhã, e

uma no deserto com pensão completa),

motorista e guia em português ou

espanhol, bem como passeios, assistência

no aeroporto, seguro viagem e bolsa de

viagem. Os embarques de São Paulo serão

realizados de 23 de janeiro a 16 de junho.

vISuAl tuRISMO

Informações e reservas: (11) 3235-2000

Acesse: www.visualturismo.com.br

28 acapulco_magazine Fotos: divulgação

acapulco_magazine 29

Publicidade


VIAGEM_destino

em março

uruguai

VinHos no

As mais reconhecidas vinícolas

uruguaias estarão mais próximas dos

viajantes brasileiros em março. Entre os

dias 21 e 24, a Flot Operadora Turística

leva um grupo de apreciadores da bebida

para um roteiro temático por Montevidéu

e Punta Del Este, em parceria com a

Sociedade da Mesa.

Esta é a segunda viagem que a

operadora promove para o Uruguai nesses

moldes. A primeira, realizada em outubro

do ano passado, gerou até fila de espera. “O

brasileiro descobriu as vantagens de viajar

com uma programação personalizada e ao

lado de pessoas com afinidades comuns”,

analisa o diretor da Flot, Eduardo Barbosa.

Quatro vinícolas serão visitadas na

época de fim da colheita. Logo no primeiro

dia, na capital, os viajantes se reúnem em

um jantar na Bodega Bouza, jovem vinícola

criada há menos de dez anos. Além da rica

e diversificada produção, está ao lado do

Museu do Automóvel. No dia seguinte, o

grupo ruma para degustação na Bodega

Carrau, dona de uma das melhores

castas de vinhos Tannat. À noite, o

jantar acontece na tradicional Bodega

Juanico. O roteiro parte para Punta del

Este, próximo à Viñedo de los Vientos,

na costa atlântica do país. Os viajantes

almoçam na vinícola e, na sequência,

terão a chance de visitar o afamado e

badalado balneário.

A tarifa custa a partir de US$ 1.397

por pessoa. Inclui aéreo, hospedagem em

empreendimentos de primeira categoria

com café da manhã, um jantar na Bodega

Bolza, um almoço em Montevidéu, um jantar

em Juanico e um almoço em Viñedo de los

Vientos, além de cartão de assistência.

Flot Operadora turística

Informações e reservas: (11) 4504-4544

Acesse: www.flot.com.br

www.sociedadedamesa.com.br

30 acapulco_magazine Fotos: Mikdam | divulgação Flot

acapulco_magazine 31

Publicidade


CINE_dica

em março

em fevereiro

EstrEias nos

cinemas

“O homem que mudou o

jogo”, drama, Columbia

Tristar. Elenco: Brad Pitt, Philip

Seymour Hoffman, Robin Wright,

Jonah Hill, Chris Pratt, Kathryn

Morris. Direção: Bennet Miller.

Brad Pitt vive Billy Beane,

gerente geral do Oakland

Athletics, time de beisebol que

usou um sofisticado software

de análise para conseguir

reunir um elenco de qualidade

sem gastar muito. Com pouco

dinheiro disponível, conseguiu se

equiparar às maiores equipes.

“Drive”, ação, Imagem Filmes.

Elenco: Ryan Gosling, Albert

Brooks, Christina Hendricks, Carey

Mulligan. Direção: Nicolas Winding

Refn. Ryan Gosling interpreta um

piloto profissional que trabalha em

cenas de perseguição de carros em

Hollywood. Além disso, ele usa sua

habilidade e precisão no volante

como motorista em assaltos.

“Anjos da Noite 4”, ação, Columbia

Tristar. Elenco: Kate Beckinsale, Charles

Dance, Michael Ealy, India Eisley, Stephen

Rea, Sandrine Holt, Kris Holden-Ried.

Direção: Måns Mårlind, Björn Stein. Após

ser mantida em estado de coma por

quinze anos, a vampira Selene descobre

que ela possui uma filha de quatorze anos,

híbrida de vampiro e lobisomem. Com a

ajuda dela, Selene deve impedir a empresa

BioCom de criar super lobisomens que

possam matar todos os vampiros.

“O Pacto”, ação, Imagem Filmes.

Elenco: Nicolas Cage, January Jones,

Guy Pearce, Jennifer Carpenter. Direção:

Roger Donaldson. A história se passa em

Nova Orleans e acompanha um homem,

desesperado por vingança depois que sua

esposa foi morta em um crime brutal.

Para isso, ele une-se com um grupo de

vigilantes undergrounds.

32 acapulco_magazine Imagens: divulgação

acapulco_magazine 33

Publicidade


BUSINESS_news

34 acapulco_magazine

EmPrEGo no brasil

mão de obra importada

tExtO Sheila Almeida

Cada vez mais o Brasil recebe

estrangeiros, não só para turismo, como

também para trabalho. Para mão de obra

especializada, nas telas da TV, no cinema

e até no futebol, é cada vez mais comum

encontrar esses profissionais em ação.

É certo que, para isso, é exigido que o

empregador comprove investimentos ou

gere empregos, mas para as empresas, além

da opção ser um diferencial, é uma ótima

oportunidade de trocar experiências.

Segundo o consultor de negócios

Gabriel Jacintho, da G.Jacintho Consultoria

e da Espaço Certo, a opção é muito

válida, tanto para o contratante quanto

para o contratado. “O Brasil se tornou um

mercado extremamente atraente e com

muitas oportunidades para profissionais

que enfrentam, em seus países de origem,

dificuldades para encontrar trabalho”,

afirma Jacintho, especialista no assunto.

Além disso, a “importação” de

funcionários também está ligada à

necessidade de mão de obra qualificada

para operar equipamentos e tecnologias

recém chegadas no Brasil, a fim de

aumentar o lucro e a produtividade. “As

empresas brasileiras estão, cada vez mais,

adquirindo equipamentos, máquinas

e tecnologias do exterior, e, com isso,

necessitam de técnicos e especialistas

estrangeiros para implementação. Isso é

um dos fatores para justificar o aumento da

vinda de estrangeiros ao Brasil. Outro fator

é a escassez de mão de obra qualificada no

Brasil”, avalia Jacintho.

Mas para trazer esses profissionais

de forma que sua permanência não seja um

problema, é preciso uma série de cuidados.

Com a ajuda de um especialista,

primeiro é preciso registrar o pedido no

Ministério do Trabalho. Esse orgão tem

uma subdivisão, a Coordenação-Geral

de Imigração (CGI), que lançou duas

ferramentas para quem deseja tramitar

um pedido de autorização de trabalho a

estrangeiro. Uma é o Certe, o Cadastro

Eletrônico de Entidades Requerentes de

Autorização para Trabalho a Estrangeiros.

O sistema digitaliza documentos, reduzindo

o volume de papelada necessária na

apresentação e protocolo.

Outro recurso é o Migranteweb,

sistema de controle da imigração que

visa acelerar a tramitação do pedido: o

“pré-cadastro” pela internet. Com ele, o

contratante pode cadastrar a solicitação

com a ajuda de um especialista e receber

um número, que informará junto ao envio de

documentos ao protocolo-geral.

NO muNDO DA bOlA

De acordo com o último levantamento

do Ministério da Justiça, dos

45 mil estrangeiros anistiados no Brasil

no segundo semestre de 2009, 40%

obtiveram residência permanente, o

que garante o fim dos problemas para

quem contrata. Mesmo assim, a atenção

deve ser constante. Para contratar um

estrangeiro é cauteloso obter ajuda

especializada. E o motivo é que, para cada

profissão, há uma exigência diferente.

O Ministério do Trabalho e Emprego

divulgou um Guia de Procedimentos no fim

do ano passado, disponível na Internet, para

explicar como se faz o trâmite para cada

profissional. E a paixão nacional, o futebol,

não ficou de fora.

Na categoria atleta profissional, por

exemplo, a principal papelada exigida é o

Formulário de Requerimento de Autorização

de Trabalho do requerente, o contrato de

trabalho, cópia do CNPJ, passaporte e

termo de responsabilidade sobre despesas

médicas. Depois, paga-se o Guia de

Recolhimento da União (GRU) e, com mais

alguns passos, é emitido um visto de

caráter temporário que pode durar de três

meses a dois anos prorrogáveis.

Assim, com a ajuda de um consultor

experiente e da Internet, o trâmite fica mais

rápido e menos preocupante, fazendo com

que cada vez mais aumente o número de

estrangeiros legalizados no País.

ESCRITÓRIOS INSTANTÂNEOS

RECEPÇÃO

ATENDIMENTO BILÍNGUE

AMBIENTE CLIMATIZADO

ESTACIONAMENTO

INTERNET RÁPIDA WIFI

TELEFONE EXCLUSIVO

SALAS DE REUNIÃO

SALA DE CAFÉ

AUDITÓRIO

IMPRESSÃO LASER

PLANOS FLEXÍVEIS

PLANO VIRTUAL

ENDEREÇO FISCAL

CONTABILIDADE

TENHA ACESSO IMEDIATO

NA UTILIZAÇÃO DE NOSSAS

SALAS CORPORATIVAS

LIGUE:

(13) 3229-1900

Avenida Ana Costa, 61

(Térreo. Esq. c/ Prof. Leonardo Roitman)

Gonzaga - Santos - SP

www.espacocerto.net.br


SÃO PAULO – Al. Gabriel Monteiro da Silva, 820 - tel. 11 3062-5052

D&D Shopping - tel. 11 5506-5248 Shopping Lar Center - tel. 11 2252-2903

RIO DE JANEIRO – CasaShopping - tel. 21 2108-8244

OUtLEt SP – Rua Joaquim Antunes, 747 - tel. 11 4362-5244

www.bREtON.COM.bR

Foto: OX Foto

More magazines by this user
Similar magazines