02.01.2023 Views

As50MelhoresCronicasdoLerebomExperimente!Vol.1

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

O julgamento de

Zé Pinguinha

Autor: Everton Augusto da Silva Costa

Professora: Luciana F.S. Horvath

E.E Antônio Raposo Tavares

Osasco – SP

Zé Pinguinha acorda com fortes dores de cabeça, em um

lugar escuro e frio, e logo se depara com um homem vestido

todo de preto segurando uma foice. Zé Pinguinha se aproxima

do homem e pergunta:

- Onde eu estou?

E o homem responde:

- Você está no meu mundo.

Zé Pinguinha começa a dar altas gargalhadas e diz ao

homem.

- Seu mundo. Eu acho que não sou o único aqui que bebe.

Ah, claro, prazer, meu nome é Zé Pinguinha e o seu?

- Meu nome é Morte.

- Ah tá, você é a Morte? Eu, eu sou quem, então? O diabo?

E a morte responde friamente:

- Não, você é um morto à espera de seu julgamento.

Zé Pinguinha começa a ficar preocupado e ordena, como

se pudesse mandar:

- Para de brincadeiras e me leva para casa, agora!

- Eu não posso. Como eu disse você está morto!

- Como assim, morto? Como eu vim parar aqui?

- Escuta, pare de fazer perguntas tolas, daqui a pouco um

anjo virá te buscar.

35

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!