02.01.2023 Views

As50MelhoresCronicasdoLerebomExperimente!Vol.1

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

O Polvo e o Poste

Autora: Fernanda Silva Santos

Professora: Juliana Zanco Leme da Silva

E.E Professora Ângela Maria da Paixão Costa

Mogi Guaçu – SP

E lá estava o ‘Maluco Beleza’ de novo. Ele, e a sua mania de

colocar apelido em todos. Nem a sua namorada escapou disso.

Sempre que a via, ele pensava “lá vem a Magrela”.

Certo dia, eles estavam passeando. Era aniversário de

namoro, ele a levou para um restaurante. Chegou o garçom

para pegar os pedidos, ele logo imaginou: “Um Poste. Alto e

magro. É, sim, um poste!” Eles pediram a comida, e o ‘Maluco

Beleza’ começou a rir.

- Ciro, você está bem? - perguntou a namorada.

- Sim, estou – ele respondeu e parou de rir.

Chegou o garçom, novamente, dessa vez com o prato

solicitado. Porém, estava intragável. Então, Ciro pediu para

chamar o cozinheiro.

Alguns minutos depois, o cozinheiro, imediatamente,

ganhara o apelido de ‘Polvo’, por causa da longa barba branca.

O cozinheiro disse que não poderia fazer nada, só havia aquela

comida.

A namorada, então, estressou-se com Ciro por causa do mau

atendimento do restaurante. Ele disse:- Calma Magrela, não

precisa se estressar por causa de um polvo e de um poste!

A namorada olhou furiosamente para ele e foi embora. Ciro

fez uma longa corrida para a casa, pois havia um poste e um

polvo em disparada atrás dele.

41

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!