03.01.2023 Views

s306[online]

Create successful ePaper yourself

Turn your PDF publications into a flip-book with our unique Google optimized e-Paper software.

Claro que, gostaria de

ter feito muitas outras

coisas mas o que fiz foi

feito sempre com muito

amor, dedicação

e profissionalismo

lhava, sinto que houve uma estagnação em

termos de moda. Acredito que possa haver

um mercado português na moda e para isso

será fundamental, talvez, os criadores terem

mais apoios para que possam dar um

refresh no têxtil nacional.

E a Madeira, tem estilistas, modelos, o

público tem bom gosto? Os madeirenses

gostam de moda em geral? Há eventos de

moda que permitam mostrar o que se faz?

- Em relação a moda regional, confesso que

já não acompanho com regularidade, nem

em termos de criadores como manequins.

Pouco tenho visto mas comparando com a

minha altura, se é que se possa comparar,

havia imensos eventos de moda o que hoje

em dia já não se vê. Há muito poucos eventos

de moda na região e isso limita o trabalho

de novos criadores, e até mesmo as

lojas que na altura faziam muitos desfiles e

trabalhos fotográficos hoje em dia pouco ou

nada se ouve falar, o que é realmente uma

pena porque sinto que se perdeu muito a

dinâmica da moda regional e dessa forma

também torna se difícil para os manequins

da região poderem fazer da área algo mais

profissional. Eu cheguei a ter três desfiles no

mesmo dia, parecia realmente uma semana

da moda internacional aqui na Madeira.

Com muita tristeza da minha parte, muitos

dos criadores para quem eu trabalhava na

altura deixaram a área, outros continuam na

área mas não como criadores e tenho realmente

pena em relação a essa situação. No

que diz respeito às clientes, sim. Considero

que a mulher madeirense gosta de moda e

gosta de seguir as tendências, vejo isso nas

minhas clientes as quais “exigem” sempre o

melhor de mim e o melhor das tendências.

Tem apostado nas vendas online. Tem

corrido bem?

- As vendas online são de há 4 anos a esta

parte a minha verdadeira aposta. Muitas

pessoas perguntam-me porque não abro

uma loja. Mas a verdade é que as pessoas

não tem tanta paciência para andar em lojas

quando a própria loja pode “entrar” directamente

nas suas casas e fazerem as suas

compras confortavelmente em casa. Por

isso, acho que não se justifica ter um espaço

físico e sim apostar cada vez mais no online.

Quando eu tinha as lojas, eu apostava

no atendimento personalizado, mas nessa

altura eu mostrava uma peça a uma cliente,

enquanto que, na minha página mostro

a mesma peça a pelo menos 200 pessoas, o

que aumenta a probabilidade de venda.

Quem é que mais admira na Moda?

- A minha manequim de eleição será sempre

Naomi Campbell e também as manequins

da sua geração, uma Linda Evangelista,

uma Karolina Kurkova, e muitas outras. Elas

eram verdadeiras artistas na passerelle em

que tudo tinha muito mais magia. Havia paragens

nas passerelle, havia várias técnicas

de passerelle, enquanto que, hoje em dia,

acho que os manequins são simplesmente

verdadeiros cabides. Os desfiles são todos

corridos, não há paragens, não há magia.

Sinto que se perdeu muito nesse sentido e

os manequins perderam o protagonismo

que existia nos anos 80/90 e início de 2000.

Como é que vai ser a Moda no futuro

(sustentável, mais preocupada com o ambiente)?

- Em relação a esse tema não consigo me

manifestar mas espero que assim seja, sim,

pois é algo muito preocupante e considero

de extrema relevância. No que se refere aos

animais, cada vez mais usam as peles sintéticas

e isso para mim já foi um grande avanço.

O que vamos vestir em 2023/novidades

principais?

- As tendências desta estação são, sem dúvida

nenhuma, os tecidos lurex. Vieram realmente

em força e tem conquistado todas

as senhoras em geral. Continuam as peças

oversize, o conforto impera. As senhoras

já não procuram tanto peças estruturadas

que, na realidade, não são tão confortáveis.

E por fim, o que gostaria ainda de concretizar?

As vendas online são,

desde há quatro anos

a esta parte, a minha

verdadeira aposta

- Na moda, consegui realizar um pouco de

tudo. Fiz trabalhos regionais, nacionais e internacionais.

Claro que gostaria de ter feito

muitas outras coisas mas o que fiz foi feito

sempre com muito amor, dedicação e profissionalismo.

Tive uma boa escola na moda

e que formou a pessoa que sou hoje. s

Dulcina Branco

D.R. (direitos reservados)

saber novembro 2022

39

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!