10.03.2023 Views

edição de 13 de março de 2023

You also want an ePaper? Increase the reach of your titles

YUMPU automatically turns print PDFs into web optimized ePapers that Google loves.

VITACON ADOTA<br />

NOVO SlOGAN<br />

Famosa pelos empreendimentos<br />

compactos<br />

<strong>de</strong> alto padrão,<br />

incorporadora reforça<br />

conceito <strong>de</strong> reinvenção,<br />

conta o CEO<br />

Ariel Frankel. pág. 12<br />

SAC AINDA é DESAfIO PARA EmPRESAS<br />

Profissionais falam sobre os avanços e o que<br />

ainda falta concluir para que atendimento ao<br />

consumidor no Brasil seja referência. pág. 22<br />

KANTAR APRESENTA<br />

INSIDE VIDEO <strong>2023</strong><br />

Estudo coor<strong>de</strong>nado<br />

pela equipe da executiva<br />

Adriana Favaro<br />

mostra protagonismo<br />

do ví<strong>de</strong>o na publicida<strong>de</strong>.<br />

Tendência é <strong>de</strong><br />

crescimento. pág. 21<br />

propmark.com.br ANO 58 - Nº 2934 - <strong>13</strong> <strong>de</strong> Março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> R$ 20,00<br />

Unsplash<br />

Grupos <strong>de</strong> mídia preparam<br />

novo ciclo <strong>de</strong> expansão<br />

Disney e estúdios Warner celebram cem anos <strong>de</strong> história em meio a mudanças <strong>de</strong>mandadas<br />

após uma série <strong>de</strong> fusões. Tecnologia para distribuição <strong>de</strong> conteúdos cada vez mais<br />

diversos é o ponto central da trama, que tem o streaming como protagonista.<br />

Conglomerados apren<strong>de</strong>m a ven<strong>de</strong>r publicida<strong>de</strong> para marcas, e filmes e séries diretamente<br />

para os consumidores, que agora <strong>de</strong>finem o que será sucesso ou fracasso. pág. 14<br />

mercado publicitário brasileiro movimenta<br />

R$ 21,2 bilhões e cresce 7,6% em 2022<br />

pág. 29


editorial<br />

Armando Ferrentini<br />

aferrentini@editorareferencia.com.br<br />

Grupos <strong>de</strong> mídia se reorganizam<br />

Em um cenário <strong>de</strong> fusões e aquisições, as mudanças entre os<br />

gran<strong>de</strong>s grupos globais <strong>de</strong> mídia foram tantas que, na maioria<br />

das vezes, as pessoas ficam confusas sobre quais canais pertencem<br />

a quem. No ano dos centenários da Disney e dos estúdios Warner,<br />

o PROPMARK faz um raio X do setor, que movimentou US$ 99,7<br />

bilhões no mundo em 2021, alta <strong>de</strong> 24% em relação ao ano anterior,<br />

segundo a Motion Pictures Association (MPA).<br />

A cifra chega a US$ 328,2 bilhões, alta <strong>de</strong> 6%, somando negócios da<br />

TV por assinatura. Já o aumento <strong>de</strong> usuários <strong>de</strong> streaming foi <strong>de</strong><br />

26%, atingindo 1,3 bilhão <strong>de</strong> pessoas globalmente.<br />

recentes confirmam a busca por “escala, segurança <strong>de</strong> estratégias<br />

intermeios e multimeios e mais fonte <strong>de</strong> receita”, diz Paulo Cunha,<br />

coor<strong>de</strong>nador do curso <strong>de</strong> comunicação e publicida<strong>de</strong> da ESPM.<br />

Já o grupo Discovery adquiriu a Warner Media, que pertencia à operadora<br />

AT&T, por US$ 43 bilhões em 2022, formando a Warner Bros. Discovery,<br />

com receita estimada em US$ 33,8 bilhões. No mesmo ano, a<br />

ViacomCBS, fruto <strong>de</strong> união firmada em 2019, passou a se chamar Paramount.<br />

O principal serviço gratuito <strong>de</strong> streaming <strong>de</strong> televisão da Paramount<br />

no Brasil, a Pluto TV, acaba <strong>de</strong> fechar acordo com o UOL, agora<br />

responsável pelas vendas diretas e programáticas da plataforma.<br />

Impulsionadas pela integração <strong>de</strong> negócios, que assumiu papel<br />

principal no crescimento <strong>de</strong> marcas empurradas pela atuação do<br />

streaming, as marcas centenárias tiveram <strong>de</strong> acelerar <strong>de</strong>cisões para<br />

aumentar a oferta <strong>de</strong> tecnologia e conteúdo no ambiente multiplataforma.<br />

A Walt Disney Company concluiu a aquisição da 21st Century<br />

Fox por US$ 71,3 bilhões, em 2019; da Lucasfilm, por US$ 4,06<br />

bilhões, em 2012; da Marvel, por US$ 4 bilhões, em 2009; e da<br />

Pixar, por US$ 7,4 bilhões, em 2006. Em 2011, a operadora <strong>de</strong> TV<br />

a cabo norte-americana Comcast <strong>de</strong>sembolsou algo em torno <strong>de</strong><br />

US$ <strong>13</strong>,75 bilhões para adquirir a NBC Universal, que comprou a<br />

DreamWorks Animation por US$ 3,8 bilhões, cinco anos <strong>de</strong>pois.<br />

O canal DreamWorks chegou ao Brasil no ano passado com conteúdo<br />

infantil e familiar. Atualmente, alcança cerca <strong>de</strong> 35 milhões<br />

<strong>de</strong> lares em 43 países. Dos estúdios da Universal Pictures, vem<br />

um dos maiores blockbusters da história do cinema, E.T. o extraterrestre,<br />

além <strong>de</strong> A lista <strong>de</strong> Schindler, ambos <strong>de</strong> Steven Spielberg.<br />

As transações sugerem a centralização <strong>de</strong> empresas em poucos grupos,<br />

porém mais parrudos e com atuação diversificada. Negócios<br />

“O pano <strong>de</strong> fundo <strong>de</strong>ssas movimentações é a mudança <strong>de</strong> consumo<br />

da mídia linear, seja na TV aberta ou fechada, para a mídia on<br />

<strong>de</strong>mand, <strong>de</strong> fato”, confere Fábio Freitas, presi<strong>de</strong>nte do Grupo <strong>de</strong><br />

Mídia <strong>de</strong> São Paulo.<br />

Com a tecnologia evoluindo a todo momento e transformando o cenário<br />

<strong>de</strong> mídia, provavelmente as mudanças não <strong>de</strong>vem parar por<br />

aí. A avaliação é <strong>de</strong> que a reorganização <strong>de</strong>sses grupos <strong>de</strong> mídia sugere<br />

um novo ciclo <strong>de</strong> crescimento. A conferir.<br />

The Town<br />

Genial a sacada do anúncio impresso <strong>de</strong> página inteira veiculado<br />

nos principais jornais intitulado Papo <strong>de</strong> irmão. Escrito em primeira<br />

pessoa e em formato <strong>de</strong> carta, o Rock in Rio se dirige ao The Town<br />

- ambos eventos pertencem ao Grupo Dreamers - dando conselhos<br />

sobre a estrutura e i<strong>de</strong>ias para o novo festival, cuja primeira edição<br />

será em setembro, em São Paulo.<br />

Copy <strong>de</strong> trecho: “Mas, por favor, não vem com papo que sou <strong>de</strong> outra<br />

geração, beeeeem mais velho que você, que nasci em outra cida<strong>de</strong><br />

e tal. Se não quiser conversar, tudo bem, mas grava aí o que vou<br />

dizer, pois é importante. Irmão mais velho é assim, quem tem sabe.”<br />

as Mais lidas da seMana no propMark.coM.br<br />

1ª<br />

2ª<br />

3ª<br />

chevrolet traz o quarto<br />

branco <strong>de</strong> volta no BBB 23<br />

Em ação assinada pela Commonwealth//McCann, a Chevrolet<br />

participou do BBB trazendo o quarto branco <strong>de</strong> volta. O carro<br />

escolhido pela marca foi um Tracker.<br />

Globo terá participação<br />

na eletromidia<br />

A Globo comprou 12 milhões <strong>de</strong> ações da Eletromidia.<br />

Desse total, 11,5 mi estarão alienadas pelo Vesuvius FIP,<br />

e 482 mil por Alexandre Guerrero, sócio e CEO da Eletromidia.<br />

interrupção, assédio e racismo:<br />

li<strong>de</strong>ranças femininas contam o<br />

que já passaram por ser mulher<br />

O PROPMARK ouviu mais <strong>de</strong> 25 mulheres que, atualmente, estão<br />

em cargos <strong>de</strong> li<strong>de</strong>rança <strong>de</strong>ntro <strong>de</strong> agências para saber quais<br />

foram as dificulda<strong>de</strong>s que enfrentaram até chegar ao cargo <strong>de</strong><br />

gestão.<br />

4ª<br />

Sérgio Eleutério foi escolhido para ocupar a ca<strong>de</strong>ira <strong>de</strong> diretor<br />

<strong>de</strong> marketing do McDonald’s Brasil. Ele substituirá João Branco,<br />

e terá a missão <strong>de</strong> aprofundar a conexão com os consumidores.<br />

5ª<br />

Mcdonald’s apresenta<br />

novo diretor <strong>de</strong> marketing<br />

investimentos em mídia crescem e<br />

mercado movimenta r$ 21,2 bi em 2022<br />

Os investimentos em mídia em 2022 cresceram 7,6% em relação<br />

a 2021, chegando a uma movimentação <strong>de</strong> R$ 21,2 bilhões.<br />

Internet, OOH e cinema foram <strong>de</strong>staques, apontou o Cenp-Meios.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 3


Índice<br />

concentração <strong>de</strong><br />

grupos globais <strong>de</strong><br />

mídia visa avanço<br />

Após fusões e aquisições, Disney<br />

e estúdios Warner completam<br />

cem anos concentrando negócios<br />

e mirando crescimento.<br />

cApA 14<br />

Divulgação<br />

Fotos: Alê Oliveira e Divulgação<br />

mercAdo<br />

Fenapro se reúne com secom<br />

Dudu Godoy, Paulo Pimenta, Ricardo Menezes e Daniel Queiroz em<br />

encontro no Palácio do Planalto, em Brasília, a fim <strong>de</strong> promover<br />

aproximação e tratar <strong>de</strong> temas da indústria da comunicação. pág. 30<br />

AgênciAs<br />

Wmcann fecha parceria com coB<br />

O COB (Comitê Olímpico do Brasil) e a WMcCann anunciaram<br />

acordo para o ciclo olímpico. Na foto, Gustavo Herbetta (COB),<br />

Patricia Andra<strong>de</strong> e André França (WMcCann) com a torcida. pág. 9<br />

prêmios<br />

Brasil fica em 4º no<br />

creative 100 da Warc<br />

Os EUA continuam li<strong>de</strong>rando a lista <strong>de</strong><br />

países mais premiados, seguido pelo<br />

Reino Unido, França, Brasil e Austrália.<br />

A campanha The lost class, da Leo<br />

Burnett Chicago, foi a vencedora. pág. 20<br />

mercAdo<br />

Abramark escolhe<br />

novos integrantes<br />

A Aca<strong>de</strong>mia Brasileira <strong>de</strong> Marketing<br />

elegeu <strong>de</strong>z novos nomes para o seu Hall<br />

da Fama. Os homenageados atuam em<br />

empresas <strong>de</strong> diferentes segmentos do<br />

mercado da comunicação. pág. 28<br />

editorial ................................................................3<br />

conexões ...............................................................6<br />

curtas ....................................................................8<br />

Agências ...............................................................9<br />

Quem Fez ............................................................10<br />

entrevista ...........................................................12<br />

mídia ...................................................................14<br />

prêmios ...............................................................20<br />

pesquisas ............................................................21<br />

mercado ..............................................................22<br />

inspiração ..........................................................31<br />

opinião ................................................................32<br />

esg no mKT .........................................................33<br />

click do Alê .........................................................34<br />

We Love mKT ......................................................36<br />

supercenas .........................................................37<br />

Última página ....................................................38<br />

4 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


LÍDER ABSOLUTA<br />

NO STREAMING *<br />

NO MEIO DIGITAL A RÁDIO<br />

ANTENA 1 É A MAIS OUVIDA<br />

EM SÃO PAULO E NO BRASIL<br />

ANTENA 1 762.129<br />

ITATIAIA 336.025<br />

JB FM 99.9 301.363<br />

JOVEM PAN AM 250.730<br />

ALPHA FM 101.7 250.084<br />

RÁDIO MIX 106.3 232.021<br />

89 FM A RÁDIO ROCK 221.863<br />

JOVEM PAN FM<br />

178.347<br />

Fonte: Kantar Ibope Media - Exten<strong>de</strong>d Radio - das 05h00 às 24h00 Janeiro<br />

<strong>2023</strong> (Ranking Nacional - Ouvinte Digital) - *Streaming <strong>de</strong> Rádio


conexões<br />

neste grupo <strong>de</strong> feras!<br />

Sandra Martinelli<br />

última Hora<br />

Instagram:<br />

Post: PROPMARK elege <strong>de</strong>z lí<strong>de</strong>res<br />

<strong>de</strong> <strong>de</strong>staque no mercado<br />

publicitário<br />

Uma imensa alegria estar ao lado<br />

<strong>de</strong>stas mulheres tão incríveis!<br />

Melissa Vogel<br />

Muito honrada! Obrigada por estar<br />

dorinHo<br />

Que honra!<br />

Marcia Esteves<br />

Gran<strong>de</strong>s mulheres!<br />

Celio Ashcar Jr.<br />

Obrigada, time @propmark, vocês<br />

são incríveis e essenciais. Mulheres<br />

homenageadas, parabéns!<br />

Heloisa Renata <strong>de</strong> Santana<br />

LinkedIn:<br />

Post: Interrupção, assédio e<br />

racismo: li<strong>de</strong>ranças femininas<br />

contam o que já passaram por<br />

ser mulher<br />

Faça o que eu falo… Porque fazer…<br />

Sofri e quando ocupei meu cargo<br />

<strong>de</strong> li<strong>de</strong>rança farei igual fizeram comigo…<br />

Joseli Teixeira<br />

McDonald’s apresenta novo diretor<br />

<strong>de</strong> marketing<br />

Sucesso, mestre, você merece!<br />

Luiz Bill Nascimento Jr.<br />

LIDERANÇAS<br />

Foi realizada na semana passada a segunda edição do<br />

Festival GRLS!, projeto que objetiva ampliar o trabalho,<br />

visões e vozes <strong>de</strong> li<strong>de</strong>ranças femininas por meio <strong>de</strong> talks e<br />

shows musicais <strong>de</strong> artistas nacionais e internacionais. Em<br />

<strong>2023</strong>, os bate-papos, que tiveram curadoria e mediação da<br />

empresária e influenciadora Ju Ferraz (na foto acima com<br />

Carol Marra, Mayara Russi, Roberta Munis e Francesca<br />

Alterio), abordam temas como saú<strong>de</strong> mental, beleza<br />

plural e in<strong>de</strong>pendência financeira. “Precisamos cada vez<br />

mais pensar e promover oportunida<strong>de</strong>s que dão palco,<br />

visibilida<strong>de</strong> e a importância que a trajetória e a luta que<br />

cada mulher carrega consigo, merece”, diz Ju, que é sócia<br />

e diretora da Holding Clube. Os talks, com nomes como<br />

Gleici Damasceno e Mônica Martelli, estão disponíveis no<br />

YouTube (@festivalgrls1028/vi<strong>de</strong>os).<br />

MULHER<br />

Com mais <strong>de</strong> 50% <strong>de</strong> mulheres no time, 55 ao todo, a agência<br />

WT.AG promoveu na semana passada encontro para celebrar<br />

a data internacional do sexo feminino. O grupo (foto acima)<br />

se reuniu na se<strong>de</strong> em Novo Hamburgo (RS).<br />

CARREIRAS<br />

A Natura&Co, em parceria com a Tribo, realiza projeto<br />

com foco em carreira para mais <strong>de</strong> 5.500 colaboradores<br />

da empresa. Segundo a gerente <strong>de</strong> gestão em talentos da<br />

Natura, Nina Cotrim Kauss, existe um gran<strong>de</strong> movimento<br />

<strong>de</strong> mudança <strong>de</strong> mentalida<strong>de</strong> do que é carreira e trabalho<br />

<strong>de</strong> forma que transparência, segurança psicológica,<br />

protagonismo e autonomia estejam cada vez mais presentes.<br />

“Ainda são conceitos não praticados ou inseridos em discurso<br />

sem embasamento prático”, ela afirma.<br />

6 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


curtas<br />

eletrOmidiA Ven<strong>de</strong> PArticiPAçãO<br />

mcdOnAld’s APresentA li<strong>de</strong>rAnçA<br />

recOrd AumentA AudiênciA<br />

Viarpro<strong>de</strong>sign/Freepik<br />

Projeto realizado para o Santan<strong>de</strong>r em 2022<br />

A empresa <strong>de</strong> OOH Eletromidia fechou<br />

acordo para ven<strong>de</strong>r 12 milhões <strong>de</strong> ações à<br />

Globo Comunicação e Participações S.A.,<br />

o que equivale a 8,57% do capital total da<br />

empresa. Fato relevante divulgado no dia<br />

6 <strong>de</strong> março informa que 11,518 milhões <strong>de</strong><br />

ações estarão alienadas pelo Vesuvius FIP<br />

e 482 mil ações por Alexandre Guerrero,<br />

sócio e CEO da Eletromidia. O valor da<br />

transação não foi revelado, e o negócio<br />

ainda precisa passar pela aprovação do<br />

Conselho Administrativo <strong>de</strong> Defesa Econômica<br />

(Ca<strong>de</strong>). A Eletromidia já distribui o<br />

conteúdo dos portais g1, gshow e Receitas<br />

<strong>de</strong>s<strong>de</strong> outubro do ano passado.<br />

mAriAnA YOussef cHegA à sAigOn<br />

Sérgio Eleutério vai dirigir o marketing da re<strong>de</strong><br />

Sérgio Eleutério é o novo diretor <strong>de</strong><br />

marketing do McDonald’s. Ele substitui<br />

João Branco, que <strong>de</strong>ixou a marca em<br />

<strong>de</strong>zembro <strong>de</strong> 2022, após oito anos. “Chego<br />

para impulsionar a geração <strong>de</strong> valor para<br />

o negócio e para os consumidores” afirma<br />

Eleutério, que tem mais <strong>de</strong> 20 anos <strong>de</strong> carreira.<br />

O <strong>de</strong>safio é fortalecer a conexão com<br />

os dois milhões <strong>de</strong> clientes que interagem<br />

com a marca diariamente no país. Experiência,<br />

inovação e avanço da transformação<br />

digital estão entre os principais pilares do<br />

trabalho. Ele já li<strong>de</strong>rou o marketing da The<br />

Kraft Heinz Company, Grupo Boticário,<br />

ABInbev e NotCo.<br />

VmlY&r criA filme cOm l7nnOn<br />

Campeonato Paulista atrai telespectadores<br />

A Record atingiu 10,47% <strong>de</strong> audiência<br />

no domingo (5) durante partida entre São<br />

Paulo e Botafogo SP pelo Paulistão <strong>2023</strong>, o<br />

equivalente a uma participação <strong>de</strong> 36,54%,<br />

que garantiu a segunda posição entre os<br />

programas mais assistidos entre 16h e<br />

18h. A emissora conquistou os direitos<br />

<strong>de</strong> transmissão do campeonato em 2022,<br />

quando exibiu 16 partidas do torneio por<br />

temporada, sendo um jogo por rodada na<br />

primeira fase, uma das quartas, uma semifinal<br />

e as duas finais. Além da TV aberta, a<br />

Record apresenta a disputa pelo portal R7<br />

e por meio do serviço da sua plataforma <strong>de</strong><br />

streaming, a PlayPlus.<br />

AfricA cOntrAtA VP <strong>de</strong> culturA<br />

Diretora <strong>de</strong> cena é embaixadora do Free The Work<br />

A produtora Saigon Filmes anuncia Mariana<br />

Youssef (ex-Paranoid) como diretora<br />

<strong>de</strong> cena. Formada em cinema pela Aca<strong>de</strong>mia<br />

Internacional <strong>de</strong> Cinema, Mariana<br />

dirigiu três episódios da série Lov3 para o<br />

Amazon Prime Vi<strong>de</strong>o; As seguidoras, para<br />

o Paramount+; O beijo adolescente, para a<br />

HBO Max; e Desejos SA, para o Star+. No<br />

portfólio também estão filmes publicitários<br />

para Ford, J&J, Rolling Stone, Fiat, Sky,<br />

Natura, Samsung e Coca-Cola, entre outros.<br />

Mariana é embaixadora do Free The<br />

Work, iniciativa internacional que busca<br />

mudar o cenário <strong>de</strong> <strong>de</strong>sigualda<strong>de</strong> no setor<br />

audiovisual.<br />

Rapper reforça movimento Presença Preta, da Vivo<br />

Além <strong>de</strong> presença certa no festival Lollapalooza<br />

<strong>2023</strong>, L7nnon é também embaixador<br />

do movimento Presença Preta, da<br />

Vivo, que é patrocinadora do Lolla Lounge.<br />

O rapper está no filme que comunica o<br />

lançamento do conceito O futuro é um<br />

corre coletivo, criado pela VMLY&R. Mídia<br />

OOH divulga a ação partindo do aeroporto<br />

<strong>de</strong> Congonhas até a estação <strong>de</strong> trem da<br />

CPTM, cobrindo todo o percurso até o local<br />

do evento, que ocorrerá no Autódromo <strong>de</strong><br />

Interlagos, na capital paulista, entre os dias<br />

24 e 26 <strong>de</strong> março. A marca também estará<br />

presente nas transmissões do Lollapalooza<br />

no Multishow e no canal Bis.<br />

Renata Decoussau <strong>de</strong>senhará sprints criativos<br />

A convite do copresi<strong>de</strong>nte e CCO Sergio<br />

Gordilho, Renata Decoussau chega à Africa<br />

como vice-presi<strong>de</strong>nte <strong>de</strong> cultura. Processos<br />

ágeis centrados em tecnologia e voltados<br />

para comunida<strong>de</strong>s estão no escopo <strong>de</strong><br />

trabalho da executiva, que era responsável<br />

pela metodologia <strong>de</strong> sprints criativos da<br />

Meta. “Estamos <strong>de</strong>senhando um mo<strong>de</strong>lo<br />

<strong>de</strong> sprints criativos para a Africa que<br />

conecta uma nova visão <strong>de</strong> briefing aos<br />

entregáveis tangíveis. A criação continua<br />

no centro, mas iremos trabalhar junto <strong>de</strong><br />

todas as outras estruturas da agência e<br />

agentes externos, os tomadores <strong>de</strong> <strong>de</strong>cisão<br />

das marcas”, comenta Renata.<br />

Diretor-presi<strong>de</strong>nte e<br />

jor na lis ta res pon sá vel<br />

Ar man do Fer ren ti ni<br />

Editora-chefe: Kelly Dores<br />

Editores: Neu sa Spau luc ci, Paulo<br />

Macedo e Alê Oliveira (Fotografia)<br />

Editores-assistentes: Janaina<br />

Langsdorff e Vinícius Novaes<br />

Editor especial: Pedro Yves<br />

Repórter: Carolina Vilela<br />

Revisor: José Carlos Boanerges<br />

Edição <strong>de</strong> Arte: Adunias Bispo da<br />

Luz<br />

Diagramador Pleno: Lucas<br />

Boccatto<br />

Departamento Comercial<br />

Gerentes: Mel Floriano<br />

mel@editorareferencia.com.br<br />

Tel.: (11) 2065-0748<br />

Monserrat Miró<br />

monserrat@editorareferencia.com.br<br />

Tel.: (11) 2065-0744<br />

Diretor Executivo: Tiago A. Milani<br />

Ferrentini<br />

tamf@editorareferencia.com.br<br />

Assinaturas:<br />

assinaturas@propmark.com.br<br />

Tel.: (11) 2065.0737<br />

Demais estados: 0800 704 4149<br />

Site: propmark.com.br<br />

Redação: Rua Fran çois Coty, 228<br />

CEP 01524-030 – São Pau lo-SP<br />

Tels: (11) 2065-0772 e 2065-0766<br />

e- mail: re da cao@prop mark. com.br<br />

O PrO PMar k é uma pu bli ca ção da Edi to ra re fe rên cia Ltda.<br />

rua Fran çois Coty, 228 - São Pau lo - SP<br />

CEP: 01524-030 Tel.: (11) 2065-0766<br />

as ma té rias as si na das não re pre sen tam ne ces sa ria men te a<br />

opi nião <strong>de</strong>s te jor nal, po <strong>de</strong>n do até mes mo ser con trá rias a ela.<br />

IMPRESSO EM CASA<br />

8 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


agênCias<br />

WMcCann e COB são parceiros para<br />

comunicação dos Jogos Olímpicos<br />

Acordo permitirá que a agência apresente soluções para seus clientes<br />

<strong>de</strong>ntro do contexto da competição <strong>de</strong> 2024, que será realizada em Paris<br />

COB (Comitê Olímpico do<br />

O Brasil) e a WMcCann anunciaram<br />

na semana passada parceria<br />

para o ciclo olímpico.<br />

O acordo prevê que os clientes<br />

da agência tenham priorida<strong>de</strong><br />

comercial para compra <strong>de</strong><br />

mídia, patrocínio <strong>de</strong> eventos e<br />

ações do COB, além do direito<br />

<strong>de</strong> uso da marca e <strong>de</strong> <strong>de</strong>mais assets<br />

da organização até os Jogos<br />

Olímpicos <strong>de</strong> 2024, que serão<br />

realizados em Paris, na França.<br />

Além disso, a agência será a responsável<br />

por toda a comunicação<br />

do COB no período.<br />

“É um acordo que vai permitir<br />

que a WMcCann apresente solu-<br />

Alê Oliveira<br />

Gustavo Herbetta (COB), mascote Ginga, Patricia Andra<strong>de</strong> e André França (WMcCann)<br />

ções para seus clientes <strong>de</strong>ntro do<br />

contexto dos Jogos Olímpicos.<br />

Estamos trabalhando conjuntamente<br />

para <strong>de</strong>senvolver propostas<br />

comerciais customizadas<br />

para cada um <strong>de</strong>les, consi<strong>de</strong>rando<br />

as oportunida<strong>de</strong>s <strong>de</strong> cada<br />

segmento”, afirmou Gustavo<br />

Herbetta, diretor <strong>de</strong> marketing<br />

do COB.<br />

A responsável pela parceria<br />

é Patricia Andra<strong>de</strong>, vice-presi<strong>de</strong>nte<br />

executiva, diretora-geral<br />

em Brasília e head of growth da<br />

WMcCann. Ainda neste mês, a<br />

agência lançará a primeira peça<br />

publicitária <strong>de</strong>senvolvida para o<br />

COB no atual ciclo olímpico.<br />

A Mídia Exterior Brasileira<br />

se reúne em Foz do Iguaçu<br />

29 a 31 <strong>de</strong> Março <strong>2023</strong><br />

Foz do Iguaçu • Paraná<br />

• Networking<br />

• Palestras<br />

• Apresentação <strong>de</strong> Cases<br />

• Painéis <strong>de</strong> discussão<br />

• Stands<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 9


quEm fEz<br />

Paulo Macedo paulo@propmark.com.br<br />

ACESSIBILIDADE<br />

Dove cria ca<strong>de</strong>ira inédita no mercado após<br />

pesquisa apontar que pessoas <strong>de</strong>ixam <strong>de</strong> frequentar<br />

a praia por questões <strong>de</strong> acessibilida<strong>de</strong>.<br />

Marca também disponibilizou até semana<br />

passada o aluguel gratuito <strong>de</strong> ca<strong>de</strong>iras <strong>de</strong><br />

praia para corpos diversos na orla do Rio <strong>de</strong><br />

Janeiro com o objetivo <strong>de</strong> promover um verão<br />

inclusivo para todas as pessoas.<br />

SOKO<br />

DOVE BRASIL<br />

Fotos: Divulgação<br />

Título: Um Lugar ao Sol; CEO/CCO: Felipe Simi;<br />

CCO: Rafael Ziggy; ECD: Vinícius Chagas; head <strong>de</strong><br />

<strong>de</strong>sign: Fabiana Falcão; diretores <strong>de</strong> arte: Morgana<br />

Ávila, Rafa <strong>de</strong> Prada, Eduarda Nieto e Gabriela<br />

Kalix; aprovação: Thais Hagge, Paula Paiva, Marianna<br />

Ferraz e Thais Schreiner.<br />

ONCOLOgIA<br />

Localizado em edificação histórica na Av.<br />

Paulista (SP), grupo hospitalar está inaugurando<br />

um Centro <strong>de</strong> Oncologia e Hematologia,<br />

“projetado para uma melhor<br />

experiência do paciente”, nas palavras do<br />

diretor-executivo Rogério Quintela Pirotto.<br />

Projeto <strong>de</strong> comunicação 360º foi coor<strong>de</strong>nado<br />

por Giselle Freire, CEO da agência.<br />

DrEamONE<br />

HOSPItAL SAntA CAtARInA<br />

Título: Feito sempre ao seu lado; diretores <strong>de</strong><br />

criação: Ricardo Tarza e Bruno Aguilera; diretora<br />

<strong>de</strong> arte: Natalia Martins; planejamento: Fátima<br />

Pereira; produtora: F5 Films; diretor: Ricardo<br />

Camargo; aprovação: Fernando Ferragino,<br />

Patrícia Ortega e Carla Silva.<br />

CONSUMIDOR<br />

Plataforma <strong>de</strong> comércio eletrônico tem ação<br />

promocional focada no Dia do Consumidor<br />

(15 <strong>de</strong> março). Campanha marca o lançamento<br />

do novo slogan e jingle Olha na Shopee, inspirado<br />

na música Água Mineral, <strong>de</strong> Carlinhos<br />

Brown. Filme produzido pela Mixe teve como<br />

set o centro histórico <strong>de</strong> Santana <strong>de</strong> Parnaíba,<br />

cida<strong>de</strong> da região metropolitana <strong>de</strong> São Paulo.<br />

IN-HOUSE<br />

SHOPEE<br />

Título: Olha na Shopee; criação: João Gabriel<br />

Araújo e Fabricio Iglesias; produtora: Mixer Films;<br />

diretora: Camila Simon; diretor <strong>de</strong> fotografia:<br />

João Fröhlich; som: Comando S; produtor musical:<br />

Serginho Rezen<strong>de</strong>; aprovação: Felipe Piringer<br />

e Rodrigo Farah.<br />

10 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


REUNIMOS<br />

ESTUDANTES,<br />

PROFESSORES E<br />

PROFISSIONAIS DO<br />

MERCADO SÓ PRA<br />

FALAR DAS MULHERES.<br />

Abertura com<br />

Luiza Helena<br />

Trajano<br />

4 painéis<br />

imperdíveis<br />

com gran<strong>de</strong>s<br />

nomes do<br />

mercado<br />

As mulheres são minoria na<br />

indústria da comunicação.<br />

Dessa minoria, 4,3% é negra.<br />

Há viés estrutural, preconceito <strong>de</strong><br />

gênero, ida<strong>de</strong>, raça e orientação<br />

sexual.<br />

A ESPM fez uma parceria com o<br />

Círculo <strong>de</strong> Criativas Brasil e, juntos,<br />

criaram um evento pra discutir<br />

esse assunto <strong>de</strong> ponta a ponta,<br />

reunindo professores, estudantes e<br />

profissionais do mercado.<br />

De um lado, o evento vai avaliar o<br />

cenário e gerar insights pra acelerar<br />

a equida<strong>de</strong> e a inclusão. De outro,<br />

promoverá mais a conscientização,<br />

servindo <strong>de</strong> conteúdo <strong>de</strong> trabalho<br />

para os estudantes que ingressaram<br />

no curso <strong>de</strong> Comunicação e<br />

Publicida<strong>de</strong> da ESPM-SP.<br />

NÃO PERCA!<br />

Sua participação é fundamental.<br />

Dia: 28/3, terça-feira<br />

Horário: das 8h30 às 18h<br />

Local: ESPM<br />

Rua: Dr. Álvaro Alvim, 123.<br />

Auditório Philip Kotler.<br />

Evento presencial e gratuito.<br />

AGENDA DO EVENTO E INSCRIÇÕES:<br />

www.maismulheresnomercado.com/<br />

parceria<br />

apoio


entreVistA<br />

Ariel FrAnkel<br />

CEO da Vitacon<br />

nA VitAcon,<br />

80% dAs<br />

VendAs estão<br />

no digitAl<br />

Sinônimo <strong>de</strong> empreendimento compacto <strong>de</strong><br />

alto padrão, a Vitacon se <strong>de</strong>staca no mercado<br />

imobiliário por trabalhar o conceito <strong>de</strong> life<br />

style mo<strong>de</strong>rno, com serviços agregados<br />

aos prédios. Surfando na onda da economia<br />

compartilhada e no digital, a incorporadora também<br />

é pioneira no processo <strong>de</strong> tokenização <strong>de</strong> unida<strong>de</strong>s<br />

e já tem a maior parte das vendas concentradas<br />

nos canais online. “O nosso mindset é estar 100%<br />

do tempo sendo <strong>de</strong>safiado a mudar o status quo e<br />

trazer mais inovação e simplificar a vida do cliente”,<br />

ressalta o CEO Ariel Frankel. Nesta entrevista, o<br />

executivo fala também sobre o mercado imobiliário<br />

e, entre outros temas, a respeito do investimento em<br />

mídia da marca, cuja maior fatia é do digital, além do<br />

novo slogan A Vitacon inventa e você se reinventa.<br />

kelly dores<br />

Qual é a origem da Vitacon?<br />

A Vitacon é uma empresa familiar,<br />

já estamos na terceira geração,<br />

porque um lado da família<br />

tinha essa tradição <strong>de</strong> incorporar.<br />

Mas há <strong>13</strong> anos a gente enten<strong>de</strong>u<br />

que muito mais do que incorporar,<br />

construir e ven<strong>de</strong>r metro quadrado,<br />

tinha uma missão maior <strong>de</strong><br />

criar a Vitacon, que é uma marca<br />

<strong>de</strong> <strong>13</strong> anos, e <strong>de</strong> agregar um valor<br />

diferente. Uma frase que a gente<br />

gosta <strong>de</strong> trazer que reflete muito<br />

bem isso é que a Vitacon não ven<strong>de</strong><br />

metro quadro, ela ven<strong>de</strong> tempo<br />

ao quadrado. Ou seja, faz <strong>13</strong> anos<br />

que <strong>de</strong>cidimos adotar um mo<strong>de</strong>lo<br />

<strong>de</strong> negócio <strong>de</strong> construir empreendimento<br />

compacto, inteligente, <strong>de</strong><br />

uma maneira simples, com serviços<br />

e tecnologias no centro financeiro<br />

nervoso <strong>de</strong> São Paulo, no eixo<br />

Paulista e Faria Lima, on<strong>de</strong> se concentra<br />

a imensa maioria dos nossos<br />

empreendimentos.<br />

Como é esse mo<strong>de</strong>lo <strong>de</strong> negócio?<br />

Traz um conceito com unida<strong>de</strong>s<br />

que ajudam no life style mo<strong>de</strong>rno,<br />

em que as pessoas não utilizam<br />

carro no dia a dia, com muito esporte,<br />

networking, proximida<strong>de</strong> e simplicida<strong>de</strong>.<br />

Basicamente, a empresa<br />

veio se verticalizando e expandindo<br />

em cima do propósito que é dar<br />

mais tempo ao que realmente importa<br />

e fazendo empreendimentos<br />

cada vez mais mo<strong>de</strong>rnos no que diz<br />

respeito à tendência <strong>de</strong> moradia<br />

e <strong>de</strong>sse life style que <strong>de</strong>termina<br />

qual é a nova forma <strong>de</strong> consumo.<br />

Hoje se fala muito <strong>de</strong> compartilhamento,<br />

<strong>de</strong> que não precisa ter<br />

o bem, que o importante é ter a<br />

possiblida<strong>de</strong> <strong>de</strong> uso. A gente se<br />

orgulha porque começou a companhia<br />

com esse mindset e faz pelo<br />

menos oito ou nove anos que implementamos<br />

toda essa questão <strong>de</strong><br />

economia compartilhada, colaborativa,<br />

<strong>de</strong> serviços <strong>de</strong>ntro dos prédios,<br />

e hoje virou uma realida<strong>de</strong> e<br />

necessida<strong>de</strong>.<br />

Todos os empreendimentos da marca<br />

trazem apartamentos mais compactos<br />

e serviços ao morador?<br />

Nós fazemos tipologias que variam<br />

<strong>de</strong> 20 a 180 metros quadrados<br />

e todos eles trazem o mesmo<br />

conceito e propósito <strong>de</strong> otimizar o<br />

espaço, a conveniência e os serviços.<br />

A Vitacon criou muito renome<br />

em construir apartamentos compactos.<br />

A gente não se orgulha em<br />

compactar, mas sim <strong>de</strong> trazer uma<br />

solução que aten<strong>de</strong> aquele público.<br />

Se ele po<strong>de</strong> pagar R$ 500 mil num<br />

apartamento <strong>de</strong> dois dormitórios, a<br />

gente consegue entregar ultracompacto<br />

numa região nobre. Um bom<br />

resumo que gosto <strong>de</strong> trazer é que o<br />

prédio é o hardware on<strong>de</strong> estamos<br />

entregando o tijolo, a tipologia,<br />

a planta, e a gente se aprimorou<br />

muito nesse tema que é o software,<br />

com os serviços que colocamos<br />

<strong>de</strong>ntro dos prédios, como aca<strong>de</strong>mia<br />

e cozinha compartilhada,<br />

lojas, alimentação e espaço <strong>de</strong> coworking<br />

profissional, tudo <strong>de</strong> forma<br />

eficiente e barata. O nosso mindset<br />

é estar 100% do tempo sendo<br />

<strong>de</strong>safiado a mudar o status quo e<br />

trazer mais inovação e simplificar<br />

a vida do cliente. Uma das nossas<br />

missões é tornar o ativo imobiliário<br />

o mais líquido e simples possível.<br />

O foco dos empreendimentos são prédios<br />

resi<strong>de</strong>nciais?<br />

A maioria é resi<strong>de</strong>ncial, sim. A<br />

Vitacon está só em São Paulo, mas<br />

temos alguns projetos <strong>de</strong> fazer algo<br />

único fora. Temos praticamente<br />

100 empreendimentos <strong>de</strong>senvolvidos<br />

em São Paulo.<br />

E qual é a previsão <strong>de</strong> lançamentos<br />

para este ano?<br />

Este ano, <strong>de</strong>vemos lançar nove<br />

empreendimentos. Para 2024/2025<br />

estamos com a mesma projeção,<br />

tendo em vista terrenos que já adquirimos<br />

e estamos comprando. O<br />

objetivo é trazer empreendimentos<br />

mais arrojados e maiores, para que<br />

nosso volume <strong>de</strong> vendas cresça.<br />

Como está o mercado imobiliário atualmente?<br />

De 2014 para 2018, o mercado<br />

estava muito ruim, com todo o<br />

problema político, como o impeachment.<br />

A partir <strong>de</strong> 2018/19, reagiu<br />

muito bem. 2021 foi ano recor<strong>de</strong>,<br />

2022 praticamente foi muito próximo,<br />

apesar <strong>de</strong> os juros e outras<br />

complicações externas e internas<br />

terem atrapalhado o fim <strong>de</strong> ano,<br />

mas mesmo assim reagiu bem. Na<br />

própria pan<strong>de</strong>mia, o mercado travou<br />

três, quatro meses, mas <strong>de</strong>pois<br />

voltou com um ritmo muito forte.<br />

<strong>2023</strong> ainda é cedo para falar, porque<br />

existem dúvidas e incertezas<br />

para todo o lado, mas o que fizemos<br />

em janeiro e fevereiro já está superando<br />

o mesmo período <strong>de</strong> 2022 e<br />

a gente espera ter um crescimento,<br />

referente ao ano passado, <strong>de</strong> pelo<br />

menos 40% a 50%. Parte porque a<br />

gente adiou o lançamento <strong>de</strong> dois<br />

empreendimentos do fim do ano<br />

passado para o começo <strong>de</strong>ste ano e<br />

a outra parte porque estamos confiantes<br />

e muito bem preparados<br />

para enfrentar <strong>2023</strong>.<br />

Quando um empreendimento é lançado,<br />

as unida<strong>de</strong>s são vendidas em<br />

quanto tempo?<br />

Temos um histórico <strong>de</strong> ven<strong>de</strong>r<br />

entre 40% e 80% do empreendimento<br />

no primeiro mês.<br />

Como é trabalhada a comunicação da<br />

marca?<br />

Temos uma in-house que <strong>de</strong>senvolve<br />

trabalhos como mídias<br />

sociais, comunicações do dia a dia,<br />

e duas agências externas. A Z15 cuida<br />

mais do institucional/produto e<br />

é a Bob que nos apoia na parte <strong>de</strong><br />

vendas e divulgação online.<br />

E como estão as vendas online no mercado<br />

imobiliário?<br />

Eu diria que as empresas estão<br />

bastante plugadas numa jornada<br />

digital/tecnológica e tem um produto<br />

um pouco mais amigável,<br />

abaixo <strong>de</strong> R$ 1 milhão/R$ 2 milhões,<br />

“EstE ano, dEvEmos lançar<br />

novE EmprEEndimEntos E<br />

para 2024/2025 Estamos<br />

com a mEsma projEção”<br />

12 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


que tem mais facilida<strong>de</strong> em ter essa<br />

tratativa online. Já para a compra<br />

<strong>de</strong> um produto mais caro, o cliente<br />

ten<strong>de</strong> a colocar o pé no stand <strong>de</strong><br />

vendas. Resumindo, eu diria que<br />

uma empresa não muito preparada<br />

para o digital já <strong>de</strong>ve ter origem nas<br />

vendas em torno <strong>de</strong> 30% e 40% do<br />

mundo online. No caso da Vitacon,<br />

que consi<strong>de</strong>ramos ser uma empresa<br />

que surfa bem nessa divulgação<br />

online, 80% das vendas estão no<br />

digital, em uma venda totalmente<br />

apoiada em tecnologia e em contatos<br />

não presenciais.<br />

Qual é a tagline da marca e em quais<br />

mídias a Vitacon investe?<br />

A gente faz muita mídia online.<br />

Google, Facebook e Instagram<br />

continuam sendo as mídias principais.<br />

Aproveitamos para estar em<br />

diferentes eventos do setor e <strong>de</strong><br />

outros segmentos. Fazemos também<br />

muitos eventos com parceiros<br />

e clientes que ajudam a promover<br />

a marca.<br />

E quais são as tendências do mercado<br />

imobiliário hoje em dia?<br />

Tem público para tudo. O crescimento<br />

no Brasil é vegetativo positivo.<br />

O país tem sete milhões <strong>de</strong><br />

déficit <strong>de</strong> moradia, obviamente<br />

que a maioria é do público <strong>de</strong> classes<br />

mais baixas, D e C. Mas diria<br />

que tem duas gran<strong>de</strong>s tendências<br />

hoje. Primeiro, com o pós-pan<strong>de</strong>mia<br />

passando, há mudanças naturais<br />

que acontecem com o tempo,<br />

como a redução da família, ou<br />

uma pessoa que está indo bem no<br />

trabalho e quer um apartamento<br />

maior, ou está se mudando do trabalho.<br />

Isso é uma coisa constante<br />

e nunca vai parar. Nesse caso,<br />

logicamente, esses apartamentos<br />

<strong>de</strong> 2, 3 ou 4 dormitórios aten<strong>de</strong>m<br />

essa necessida<strong>de</strong>. O médio e alto<br />

padrão sofrem menos impacto<br />

numa economia mais volátil. Agora,<br />

tem essa questão <strong>de</strong> comportamento<br />

<strong>de</strong> consumo, que é on<strong>de</strong> a<br />

Vitacon entra. O público single <strong>de</strong><br />

São Paulo já passou <strong>de</strong> 50%, seja<br />

expatriado, jovem, divorciado, viúvo,<br />

casal mo<strong>de</strong>rno em que cada<br />

um mora no seu apartamento, e<br />

a empresa está majoritariamente<br />

nesse nicho. A gente percebe que a<br />

gran<strong>de</strong> tendência é esse novo estilo<br />

<strong>de</strong> vida, em que as pessoas querem<br />

usar o que precisam <strong>de</strong> fato. É<br />

uma vida mais minimalista. Temos<br />

convicção <strong>de</strong> que esse novo estilo<br />

<strong>de</strong> vida é uma tendência muito forte<br />

e ten<strong>de</strong> a crescer mais ainda em<br />

um centro urbano como São Paulo.<br />

Principalmente entre o público<br />

single, que se vira muito bem em<br />

apartamentos <strong>de</strong> 30, 40 e 60 metros<br />

quadrados.<br />

Divulgação<br />

Sobre o investimento da Vitacon em<br />

mídia, ele é concentrado no digital?<br />

Também fazemos bastante<br />

OOH, eventualmente em nossos<br />

terrenos ou em ativações em eventos.<br />

Os jornais impressos paramos<br />

<strong>de</strong> fazer há um bom tempo. Na<br />

nossa visão, o online consegue pegar<br />

essa força. Fazemos mídia impressa<br />

pontualmente para divulgar<br />

alguma informação. Rádio e TV<br />

não temos feito, mas estamos estudado<br />

um plano. Essas mídias tiveram<br />

redução <strong>de</strong> valor nos últimos<br />

tempos. Antes ficava muito caro<br />

para operar e hoje já tem algumas<br />

oportunida<strong>de</strong>s. O nosso slogan é<br />

A Vitacon inventa e você se reinventa.<br />

O slogan anterior era Invente a<br />

cida<strong>de</strong>, em que o nosso propósito<br />

era promover esse novo life style<br />

e reinventar a cida<strong>de</strong>. A última<br />

atualização é uma provocação no<br />

sentido <strong>de</strong> que agora tem mais serviços,<br />

mais tecnologia e produtos<br />

novos, e a gente ajuda a colocar<br />

uma tendência na mesa e o cliente<br />

se reinventa para ter uma vida mais<br />

prazerosa, com mais tempo e qualida<strong>de</strong>.<br />

O público que vocês aten<strong>de</strong>m é <strong>de</strong> alto<br />

padrão?<br />

Diria que nós somos especialistas<br />

em empreendimentos extremamente<br />

bem localizados, majoritariamente<br />

em áreas mais caras,<br />

próximas das avenidas Paulista<br />

e Faria Lima. Então, acaba sendo<br />

“a grandE tEndência é EssE<br />

novo Estilo dE vida, Em quE<br />

as pEssoas quErEm usar<br />

o quE prEcisam dE fato”<br />

um compacto inteligente <strong>de</strong> alto<br />

padrão. Mas óbvio que a Vitacon<br />

também tem uma parte menor do<br />

portfólio com empreendimento<br />

<strong>de</strong> médio padrão, com unida<strong>de</strong>s<br />

<strong>de</strong> dois e três dormitórios até 100<br />

metros quadrados. Porém, o nosso<br />

core está mais voltado para esse<br />

compacto <strong>de</strong> alto padrão.<br />

E como está o processo <strong>de</strong> tokenização<br />

<strong>de</strong> imóveis?<br />

A tokenização <strong>de</strong> imóveis ainda<br />

está engatinhando no Brasil. Ela<br />

vem literalmente para criar eficiência<br />

na transação, para ser mais<br />

rápida, menos burocrática e custosa.<br />

Isso é muito bom para a evolução<br />

do mercado. No nosso caso,<br />

o que a gente vê com ótimos olhos<br />

é que hoje não se po<strong>de</strong> ven<strong>de</strong>r<br />

um centésimo <strong>de</strong> uma unida<strong>de</strong> e<br />

uma vez que você coloca a tokenização<br />

po<strong>de</strong> fracionar em quantas<br />

vezes quiser. A Vitacon foi pioneira,<br />

lançou o primeiro prédio<br />

tokenizado há oito meses. Tokenizamos<br />

uma parte do empreendimento.<br />

Pegamos uma das lojas<br />

que tínhamos embaixo do prédio<br />

e tokenizamos ela em 180 frações,<br />

que é o número <strong>de</strong> unida<strong>de</strong>s que<br />

o empreendimento tem. E cada<br />

comprador ganhou literalmente<br />

uma fração tokenizada da loja, que<br />

vai ser alugada e o aluguel proveniente<br />

<strong>de</strong>ssa locação vai retornar<br />

para cada um <strong>de</strong>sses moradores.<br />

Isso vai fazer com que o custo <strong>de</strong><br />

condomínio <strong>de</strong>sse empreendimento<br />

se aproxime do zero. Essa foi a<br />

novida<strong>de</strong> que a gente trouxe e vê<br />

cada vez mais espaço para repetir<br />

isso, com um produto para ter um<br />

mo<strong>de</strong>lo <strong>de</strong> negócio apoiado nessa<br />

tokenização.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> <strong>13</strong>


mídia<br />

Negócios multimeios transformam<br />

atuação <strong>de</strong> grupos centenários<br />

Disney e estúdios Warner completam cem anos <strong>de</strong> uma história<br />

hoje marcada pela revisão <strong>de</strong> mo<strong>de</strong>los capazes <strong>de</strong> sobreviver<br />

Reprodução<br />

Cena do filme Disney100 special look, lançado no Super Bowl, no dia 12 <strong>de</strong> fevereiro, abrindo o cronograma festivo da marca, que encanta gerações com suas histórias e parques<br />

Janaina Langsdorff<br />

história dos grupos <strong>de</strong> mídia internacionais<br />

é digna dos mais eletrizantes<br />

A<br />

filmes <strong>de</strong> ação. O roteiro é <strong>de</strong> tirar o fôlego.<br />

Fusões e integração <strong>de</strong> negócios assumiram<br />

papel principal no crescimento <strong>de</strong><br />

marcas empurradas pela atuação do streaming,<br />

que roubou a cena da indústria do<br />

cinema e do entretecimento em casa.<br />

O setor movimentou US$ 99,7 bilhões no<br />

mundo em 2021, alta <strong>de</strong> 24% em relação ao<br />

ano anterior, segundo a Motion Pictures Association<br />

(MPA). A cifra chega a US$ 328,2<br />

bilhões, alta <strong>de</strong> 6%, somando negócios da<br />

TV por assinatura. Já o aumento <strong>de</strong> usuários<br />

<strong>de</strong> streaming foi <strong>de</strong> 26%, atingindo 1,3<br />

bilhão <strong>de</strong> pessoas globalmente.<br />

Marcas centenárias tiveram <strong>de</strong> acelerar<br />

<strong>de</strong>cisões para aumentar a oferta <strong>de</strong> tecnologia<br />

e conteúdo no ambiente multiplataforma.<br />

A Walt Disney Company concluiu a<br />

aquisição da 21st Century Fox por US$ 71,3<br />

bilhões, em 2019; da Lucasfilm, por US$<br />

4,06 bilhões, em 2012; da Marvel, por US$ 4<br />

bilhões, em 2009; e da Pixar, por US$ 7,4 bilhões,<br />

em 2006. Em 2011, a operadora <strong>de</strong> TV<br />

a cabo norte-americana Comcast <strong>de</strong>sembolsou<br />

algo em torno <strong>de</strong> US$ <strong>13</strong>,75 bilhões<br />

para consumar a aquisição da NBC Universal,<br />

que comprou a DreamWorks Animation<br />

por US$ 3,8 bilhões, cinco anos <strong>de</strong>pois.<br />

O canal DreamWorks chegou ao Brasil<br />

no ano passado com conteúdo infantil e<br />

familiar. Atualmente, alcança cerca <strong>de</strong> 35<br />

milhões <strong>de</strong> lares em 43 países. Dos estúdios<br />

da Universal Pictures, vêm um dos maiores<br />

blockbusters da história do cinema, E.T. o<br />

extraterrestre, além <strong>de</strong> A lista <strong>de</strong> Schindler,<br />

ambos <strong>de</strong> Steven Spielberg. O serviço <strong>de</strong><br />

streaming da NBCUniversal é o Peacock,<br />

que ainda não opera no país.<br />

“Este tipo <strong>de</strong> movimento não é novo. Na<br />

década <strong>de</strong> 1960, houve um primeiro impulso<br />

estimulado pelo governo norte-americano<br />

para fusões e aquisições”, relembra<br />

Paulo Cunha, coor<strong>de</strong>nador do curso <strong>de</strong> comunicação<br />

e publicida<strong>de</strong> da ESPM.<br />

O professor explica que empresas <strong>de</strong><br />

setores diferentes foram reunidas, instaurando<br />

um cenário <strong>de</strong>licado, <strong>de</strong>finido por<br />

alguns historiadores como “fusões hostis”<br />

à época. “Somente na década <strong>de</strong> 1980, mais<br />

uma vez com o estímulo governamental,<br />

acontece nova onda <strong>de</strong> fusões e aquisições,<br />

buscando sinergias <strong>de</strong> negócios”, conta.<br />

IndústrIa do cInema<br />

e entretenImento<br />

movImentou us$ 99,7<br />

bIlhões no mundo<br />

em 2021, alta <strong>de</strong> 24%<br />

As transações sugerem a centralização <strong>de</strong><br />

empresas em poucos grupos, porém mais<br />

parrudos e com atuação diversificada. Negócios<br />

recentes confirmam a busca por “escala,<br />

segurança <strong>de</strong> estratégias intermeios e<br />

multimeios e mais fonte <strong>de</strong> receita”, observa<br />

Cunha.<br />

Coleção Completa<br />

A saga continua. O grupo Discovery adquiriu<br />

a Warner Media, que pertencia à operadora<br />

AT&T, por US$ 43 bilhões em 2022,<br />

formando a Warner Bros. Discovery, com<br />

receita estimada em US$ 33,8 bilhões. No<br />

14 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


Fotos: Divulgação<br />

Paulo Cunha, da ESPM: intermeios e multimeios Vera Buzanello, da Warner Bros.: oferta robusta Fábio Freitas, do Grupo <strong>de</strong> Mídia: po<strong>de</strong>r no indivíduo<br />

mesmo ano, a ViacomCBS, fruto <strong>de</strong> união<br />

firmada em 2019, passou a se chamar Paramount.<br />

O principal serviço gratuito <strong>de</strong> streaming<br />

<strong>de</strong> televisão da Paramount no Brasil,<br />

a Pluto TV, acaba <strong>de</strong> fechar acordo com o<br />

UOL, agora responsável pelas vendas diretas<br />

e programáticas da plataforma.<br />

“O pano <strong>de</strong> fundo <strong>de</strong>ssas movimentações<br />

é a mudança <strong>de</strong> consumo da mídia linear,<br />

seja na TV aberta ou fechada, para a mídia<br />

on <strong>de</strong>mand, <strong>de</strong> fato”, confere Fábio Freitas,<br />

presi<strong>de</strong>nte do Grupo <strong>de</strong> Mídia <strong>de</strong> São Paulo.<br />

A entrega <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong>, antes com hora<br />

e data marcada, agora só ocorre quando a<br />

pessoa aceita recebê-la.<br />

Da massa para a comunicação one-to-<br />

-one, a estratégia foi atropelada por uma<br />

mudança sistêmica, que leva entrada brutal<br />

<strong>de</strong> tecnologia para distribuição <strong>de</strong> conteúdo,<br />

turbinando fusões <strong>de</strong> conglomerados<br />

antes especializados apenas na produção<br />

<strong>de</strong> filmes e séries. “O po<strong>de</strong>r não está só em<br />

fazer bem o conteúdo, tem <strong>de</strong> distribuir da<br />

melhor forma e ter a melhor inteligência <strong>de</strong><br />

dados”, atenta Freitas. Hoje, as estruturas<br />

englobam jornalismo e esporte, entre outros<br />

segmentos que potencializam a força<br />

da entrega on <strong>de</strong>mand.<br />

streamIng cresceu<br />

26% em 2021, atIngIndo<br />

1,3 bIlhão <strong>de</strong> pessoas<br />

globalmente<br />

Mas a indústria teve <strong>de</strong> apren<strong>de</strong>r a sustentar<br />

o negócio com base na venda direta<br />

<strong>de</strong> conteúdo para o consumidor e <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong><br />

para o mercado anunciante. “Há<br />

15 anos, o único espaço publicitário que os<br />

estúdios vendiam era o product placement<br />

nos filmes. Eles não faziam venda <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong>.<br />

O ví<strong>de</strong>o on <strong>de</strong>mand é um negócio<br />

novo para eles”, situa Freitas.<br />

roteiro proNto<br />

A expectativa da Paramount e UOL é ajudar<br />

os anunciantes a alcançarem o público<br />

por meio <strong>de</strong> conteúdo premium, disponibilizado<br />

por “duas marcas digitais nativas,<br />

alimentada pela força <strong>de</strong> vendas do UOL”,<br />

frisa Eduardo Lebrija, vice-presi<strong>de</strong>nte executivo,<br />

diretor-comercial e lí<strong>de</strong>r regional da<br />

Paramount na América Latina.<br />

Paulo Samia, CEO do UOL, lembra que a<br />

oferta completa <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong> em ví<strong>de</strong>o<br />

possibilita projetos com entrega no inventário<br />

do UOL e do streaming, distribuído<br />

na web e em TVs conectadas. “Essa é mais<br />

uma oportunida<strong>de</strong> para as marcas aumentarem<br />

a sua visibilida<strong>de</strong>, estando presentes<br />

no momento <strong>de</strong> entretenimento dos consumidores”,<br />

sublinha Samia.<br />

Big teChs eNtram Na trama<br />

Outra marca nascida do mundo digital<br />

protagoniza parte importante da trama. Em<br />

2022, a Amazon finalizava a compra do estúdio<br />

Metro Goldwyn Mayer (MGM), anunciada<br />

um ano antes por cerca <strong>de</strong> US$ 8,45<br />

bilhões, incrementando a oferta <strong>de</strong> conteúdo<br />

do serviço <strong>de</strong> streaming Prime Vi<strong>de</strong>o,<br />

lançado pela big tech em 2006. O leão que<br />

ruge na abertura dos filmes a<strong>de</strong>ntrava à selva<br />

digital, selando acordo emblemático entre<br />

uma das gigantes da internet e um ícone<br />

da indústria cinematográfica.<br />

A MGM “complementará o trabalho do<br />

Prime Vi<strong>de</strong>o e da Amazon Studios na entrega<br />

<strong>de</strong> uma oferta diversificada <strong>de</strong> entretenimento”,<br />

<strong>de</strong>clarou a Amazon à época, em<br />

comunicado. As franquias 007 e Rocky, e os<br />

títulos televisivos Fargo e The Handmaid’s<br />

Tale estão entre os quatro mil filmes e 17 mil<br />

séries do catálogo. São mais <strong>de</strong> 180 estatuetas<br />

no Oscar e cem prêmios no Emmy.<br />

“A MGM tem legado <strong>de</strong> quase um século<br />

na produção excepcional <strong>de</strong> entretenimento,<br />

estamos dividindo o compromisso<br />

em distribuir filmes e séries <strong>de</strong> televisão<br />

para uma audiência global”, disse Mike<br />

Hopkins, vice-presi<strong>de</strong>nte sênior do Prime<br />

Vi<strong>de</strong>o e Amazon Studios. O aniversário <strong>de</strong><br />

cem anos da MGM é em 2024. Disney e os<br />

estúdios Warner, porém, já celebram os<br />

seus centenários neste ano <strong>de</strong> <strong>2023</strong>.<br />

Painel <strong>de</strong> lambe-lambe feito por <strong>de</strong>signers da Disney ilustra corredor <strong>de</strong> escritório da empresa, situado em São Paulo<br />

soNho realizado<br />

Encanto e magia arrancam lágrimas e<br />

sorrisos <strong>de</strong> multidões <strong>de</strong>s<strong>de</strong> que os irmãos<br />

Walt e Roy Disney fundaram a Disney Brothers<br />

Cartoon Studio. Alice no país das maravilhas<br />

foi a primeira produção, seguida<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 15


mídia<br />

Fotos: Reprodução<br />

O filme Coringa é um dos maiores sucessos da Warner Bros. Discovery com a DC Studios, e <strong>de</strong>ve ganhar a sequência Loucura a Dois, com o ator Joaquin Phoenix, em 2024<br />

por Oswaldo, o coelho sortudo. Em 1928 nasceu<br />

Mickey Mouse, que iria eternizar a marca.<br />

Rebatizada para Walt Disney Productions<br />

um ano <strong>de</strong>pois, a empresa chamou<br />

Pluto, Pato Donald e Pateta para a turma,<br />

que logo entraria na era das princesas.<br />

Primeira animação <strong>de</strong> longa-metragem,<br />

A branca <strong>de</strong> neve e os sete anões foi lançada<br />

em 1937. A bela adormecida, Cin<strong>de</strong>rela,<br />

A princesa e o sapo, Mulan e Frozen ajudaram<br />

a escrever o centenário da marca, oficialmente<br />

celebrado no dia 16 <strong>de</strong> outubro.<br />

Essas são algumas das obras que estão em<br />

Disney100 special look, peça lançada no Super<br />

Bowl, no dia 12 <strong>de</strong> fevereiro, abrindo o<br />

cronograma festivo. Peter Pan, Encanto,<br />

Avatar e Star Wars também aparecem na<br />

seleção montada para reverenciar sentimentos<br />

que contagiaram gerações.<br />

Fora das telas, a magia começava a se<br />

materializar nos parques temáticos, projeto<br />

iniciado na Califórnia (EUA) em 1955. O<br />

reino da Disneylândia mudaria para sempre<br />

o mundo da diversão. Em 1971, o Walt Disney<br />

World, em Orlando, na Flórida (EUA),<br />

abriu as suas portas, e o primeiro complexo<br />

internacional foi inaugurado em Tóquio, no<br />

Japão, em 1983. No total, são seis <strong>de</strong>stinos<br />

com 12 parques temáticos e 53 resorts nos<br />

Estados Unidos, Europa e Ásia.<br />

“Abra os olhos e pense em um lugar que<br />

você sempre quis ver”. O convite feito no<br />

início do filme combina frases, momentos<br />

célebres <strong>de</strong> superproduções e o fascínio<br />

Terceita temporada da série The mandalorian, da Lucasfilm, está em cartaz na plataforma <strong>de</strong> streaming Disney+<br />

dos parques para lembrar que “é daqui que<br />

a nossa mágica vem”. O colorido dos fogos<br />

<strong>de</strong> artifício não podia faltar e nem a presença<br />

<strong>de</strong> Walt Disney.<br />

Uma coletânea <strong>de</strong> memórias e <strong>de</strong>poimentos<br />

<strong>de</strong>ixados pelo homem que sonhou alto<br />

entonam notas <strong>de</strong> agra<strong>de</strong>cimento aos fãs.<br />

“Eu só queria dizer uma palavra <strong>de</strong> agra<strong>de</strong>cimento<br />

para todos os artistas, colaboradores,<br />

e todos vocês, os jovens, e os jovens <strong>de</strong><br />

coração. Vocês me ajudaram a tornar esse<br />

sonho realida<strong>de</strong>”. Essa é uma das frases <strong>de</strong><br />

Walt Disney no filme. Ele morreu em 1966.<br />

paixão<br />

Experiências, ações e lançamentos recheiam<br />

o calendário da empresa sediada<br />

em Burbank, na California (EUA). A premiere<br />

<strong>de</strong> Disney100: the exhibition aconteceu<br />

em fevereiro no The Franklin Institute, na<br />

Filadélfia (EUA), oferecendo aos visitantes<br />

um espaço <strong>de</strong> 15 mil metros quadrados disposto<br />

em <strong>de</strong>z galerias com exposições que<br />

utilizam tecnologia imersiva para dar vida<br />

às histórias. De obras <strong>de</strong> arte a objetos originais,<br />

mais <strong>de</strong> 250 rarida<strong>de</strong>s guardadas nos<br />

arquivos da Disney também serão exibidas<br />

nos Estados Unidos e Europa.<br />

“É memorável o legado <strong>de</strong> Walt Disney e<br />

sua perseguição apaixonada por uma excelência<br />

que continua a impulsionar a companhia.<br />

Agra<strong>de</strong>cemos às gerações <strong>de</strong> todo o<br />

mundo por serem parte especial <strong>de</strong>ssa história”,<br />

comenta Robert A. Iger, CEO da The<br />

Walt Disney Company.<br />

Dos estúdios Lucasfilm para a plataforma<br />

<strong>de</strong> streaming Disney+, acaba <strong>de</strong> chegar<br />

a terceira temporada <strong>de</strong> The mandalorian,<br />

16 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


Fotos: Reprodução<br />

Terceiro filme <strong>de</strong> Guardiões da galáxia, da Marvel, estreia em maio<br />

Consumidor ganha po<strong>de</strong>r e<br />

<strong>de</strong>fine sucessos e fracassos<br />

avanço proporcionado pela internet<br />

O é inegável. Mas trouxe uma complexida<strong>de</strong><br />

que até hoje <strong>de</strong>manda revisões na<br />

atuação do mercado. No passado, planos<br />

<strong>de</strong> mídia com TV, spots e anúncios impressos<br />

não <strong>de</strong>ixavam claro os resultados que<br />

po<strong>de</strong>riam ser obtidos a partir do aporte<br />

feito pelas marcas.<br />

No mundo digital, porém, qualquer ação<br />

é passível <strong>de</strong> ser medida e monitorada por<br />

dados. E é o consumidor quem escolhe o<br />

conteúdo, transformando-o em um fenômeno<br />

ou um fracasso. “A dinâmica do po<strong>de</strong>r<br />

no indivíduo mudou o ecossistema”,<br />

ratifica Fábio Freitas, presi<strong>de</strong>nte do Grupo<br />

<strong>de</strong> Mídia <strong>de</strong> São Paulo.<br />

O drama vivenciado pelos grupos <strong>de</strong><br />

mídia tem na Netflix um dos principais<br />

algozes. A plataforma lançada em 1997 antecipou<br />

hábitos <strong>de</strong> consumo <strong>de</strong> mídia que<br />

revolucionariam o setor. A primeira vítima<br />

foi o mercado <strong>de</strong> locação <strong>de</strong> filmes. Seria o<br />

fim da Blockbuster, incapaz <strong>de</strong> frear a concorrência<br />

instalada <strong>de</strong>z anos <strong>de</strong>pois pela<br />

transmissão instantânea <strong>de</strong> ví<strong>de</strong>os pela<br />

internet.<br />

FiNal Feliz<br />

Po<strong>de</strong>r assistir a séries e filmes prediletos<br />

quando e on<strong>de</strong> quiser seria o final feliz<br />

sonhado por todo consumidor. A sedução<br />

foi inevitável. De Stranger things a La casa<br />

<strong>de</strong> papel, não tardou a vir o primeiro Oscar,<br />

com Roma, que ganhou estatuetas nas<br />

categorias <strong>de</strong> Direção, Filme Estrangeiro e<br />

Fotografia em 2019.<br />

O valor <strong>de</strong> mercado da Netflix chegou,<br />

então, a ultrapassar cifras ostentadas pelos<br />

próprios estúdios <strong>de</strong> Hollywood. Com 231<br />

milhões <strong>de</strong> assinaturas pagas em mais <strong>de</strong><br />

190 países, hoje a marca está avaliada em<br />

US$ 16,37 bilhões, segundo a Interbrand. A<br />

Wun<strong>de</strong>rman Thompson é autora <strong>de</strong> ações<br />

como Stranger station e No coração da<br />

Netflix bate tuntum.<br />

Mas a história teve uma reviravolta. A<br />

enxurrada <strong>de</strong> serviços <strong>de</strong> streaming que<br />

hoje inunda o mercado, dividindo a preferência<br />

e confundindo o consumidor,<br />

obrigou a Netflix a rever o seu mo<strong>de</strong>lo <strong>de</strong><br />

negócios. No fim <strong>de</strong> 2022, a plataforma<br />

Reprodução<br />

stranger things é um dos maiores sucessos da Netflix<br />

anunciou a criação do plano Básico, com<br />

anúncios, disponível em 12 países. A média<br />

<strong>de</strong> publicida<strong>de</strong> será <strong>de</strong> quatro a cinco<br />

minutos por hora. Cada peça <strong>de</strong>ve variar<br />

entre 15 a 30 segundos, exibida no início e<br />

durante filmes e séries.<br />

No encalço da Netflix, está o Disney+,<br />

que também busca o seu lugar em meio<br />

a um mercado em ebulição. “Acredito<br />

que virá uma consolidação e a forma <strong>de</strong><br />

ven<strong>de</strong>r para o consumidor vai ficar mais<br />

acessível”, analisa Freitas. O streaming da<br />

Disney registrou a primeira diminuição <strong>de</strong><br />

assinantes <strong>de</strong>s<strong>de</strong> a sua estreia, em 2019.<br />

A base caiu <strong>de</strong> 164,2 milhões para 161,8<br />

milhões <strong>de</strong> assinantes no último trimestre<br />

<strong>de</strong> 2022 em relação aos três meses anteriores.<br />

O resultado consta em relatório financeiro<br />

divulgado no último dia 8 <strong>de</strong> fevereiro,<br />

quando o CEO Robert A. Iger admitiu<br />

durante conferência com analistas <strong>de</strong> mercado<br />

a <strong>de</strong>missão <strong>de</strong> sete mil pessoas. A otimização<br />

estampa a busca por lucrativida<strong>de</strong><br />

e expansão sustentável.<br />

JL<br />

indiana Jones and the dial of <strong>de</strong>stiny tem lançamento previsto para junho<br />

série do universo Star wars, criada pelo cineasta<br />

George Lucas em 1977. A obra não só<br />

ren<strong>de</strong>u bilheterias milionárias como trouxe<br />

Darth Va<strong>de</strong>r, um dos vilões mais famosos<br />

da história do cinema.<br />

A Disney escolheu Lucas Lima como o<br />

primeiro embaixador <strong>de</strong> Star wars no Brasil.<br />

O músico e ator atualizará o público sobre<br />

as novida<strong>de</strong>s <strong>de</strong> conteúdo no Disney+<br />

e lançamentos <strong>de</strong> produtos licenciados da<br />

franquia em suas re<strong>de</strong>s sociais. Divulgará<br />

ainda cupons e promoções especiais para<br />

os seguidores.<br />

Em breve, chegarão Elemental e The<br />

haunted mansion, além do live action <strong>de</strong><br />

The little mermaid. The Marvels e o terceiro<br />

filme <strong>de</strong> Guardiões da galáxia, ambos<br />

da Marvel, também estão na programação.<br />

Outra relíquia do cinema ganha continuação<br />

neste ano. O ator Harrison Ford retorna<br />

às telas em mais uma aventura como Indiana<br />

Jones and the dial of <strong>de</strong>stiny. Em novembro,<br />

será a vez <strong>de</strong> Wish.<br />

Festa No parque<br />

Nos parques da Disney, a festa inclui novas<br />

atrações do Mickey, além da estreia dos<br />

espetáculos World of color – One at Disney<br />

California Adventure Park e Wondrous Journeys.<br />

Membros do D23, clube oficial <strong>de</strong> fãs<br />

da Disney, ganharão eventos especiais em<br />

setembro. No Brasil, Disney on ice - 100 anos<br />

<strong>de</strong> emoção estreia no da 31 <strong>de</strong> maio no Ginásio<br />

Ibirapuera, na capital paulista, e ficará<br />

em cartaz até o dia 4 <strong>de</strong> junho. Porto Alegre<br />

e Rio <strong>de</strong> Janeiro também estão na rota do<br />

espetáculo.<br />

Sob o comando do CEO Robert A. Iger, a<br />

The Walt Disney Company opera hoje nos<br />

segmentos Disney Entertainment; Parks,<br />

Experiences and Products; e <strong>de</strong> esportes<br />

com a ESPN, fundada na cida<strong>de</strong> <strong>de</strong> Bristol,<br />

em Connecticut (EUA), no ano <strong>de</strong> 1979, e<br />

presente no Brasil <strong>de</strong>s<strong>de</strong> 1989. Maior grupo<br />

<strong>de</strong> entretenimento e mídia do mundo, com<br />

receita <strong>de</strong> US$ 82,7 bilhões no ano fiscal <strong>de</strong><br />

2022, a Disney passa por mudanças para entrar<br />

em um novo ciclo <strong>de</strong> crescimento.<br />

A empresa ocupa a nona posição entre<br />

as marcas mais valiosas do mundo, avaliada<br />

em US$ 50,3 bilhões, segundo o ranking<br />

Best Global Brands, divulgado pela consultoria<br />

Interbrand em novembro <strong>de</strong> 2022. Mas<br />

nem tudo é festa. “A nossa estratégia <strong>de</strong>volverá<br />

a criativida<strong>de</strong> para o centro da companhia,<br />

aumentará resultados e a garantia <strong>de</strong><br />

qualida<strong>de</strong> para os nossos conteúdos e experiências”,<br />

<strong>de</strong>clarou Iger, em nota divulgada<br />

em fevereiro.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 17


mídia<br />

Fotos: Divulgação<br />

E.T. o extraterrestre, da Universal Pictures, é um dos maiores sucessos do cinema<br />

Amazon concluiu a compra da MGM em 2022, ampliando a oferta do Prime Vi<strong>de</strong>o<br />

O anúncio informava sobre a escolha <strong>de</strong><br />

Alan Bergman e Dana Wal<strong>de</strong>n como copresi<strong>de</strong>ntes<br />

globais da Disney Entertainment,<br />

que inclui estúdios e negócios <strong>de</strong> mídia,<br />

como re<strong>de</strong> ABC e National Geographic,<br />

além das plataformas <strong>de</strong> streaming Disney+,<br />

ESPN+, Hulu, Star+ e Hotstar. Quem<br />

assumiu a ESPN foi Jimmy Pitaro, enquanto<br />

Josh D’Amaro continua à frente da Disney<br />

Parks, Experiences and Products. Lego,<br />

Coach, Adidas, Pandora, Mattel, Hasbro e<br />

Funko são algumas das collabs feitas para<br />

traduzir os cem anos da marca em novas<br />

coleções e experiências.<br />

No Brasil <strong>de</strong>s<strong>de</strong> 1994, a The Walt Disney<br />

Company possui um escritório localizado<br />

na Zona Sul <strong>de</strong> São Paulo (SP), com mais<br />

<strong>de</strong> 900 colaboradores, que têm à disposição<br />

salas <strong>de</strong>coradas com painéis e grafites<br />

<strong>de</strong> animações. Um dos corredores é coberto<br />

por lambe-lambes feitos por <strong>de</strong>signers<br />

da The Walt Disney Company Brasil, em<br />

resposta à combinação <strong>de</strong> Mickey e Pato<br />

Donald.<br />

Já a princesa Leia, <strong>de</strong> Star wars, é homenageada<br />

por um grafite. Carrie Fisher, atriz<br />

que interpreta a personagem, morreu aos<br />

60 anos em 2016. “Desenvolvemos espaços<br />

colaborativos e salas <strong>de</strong> reuniões tematizadas<br />

a partir <strong>de</strong> gran<strong>de</strong>s produções dos<br />

estúdios, refletindo como tudo se conecta<br />

com o DNA Disney e nossa cultura baseada<br />

em valores como colaboração e inovação”,<br />

<strong>de</strong>screve Paula Valencia, diretora <strong>de</strong> Recursos<br />

Humanos da The Walt Disney Company<br />

Brasil. O escritório faz parte da divisão da<br />

empresa na América Latina, cuja se<strong>de</strong> é na<br />

Argentina.<br />

rival<br />

Outra lenda <strong>de</strong> Hollywood, os estúdios<br />

Warner Bros. também completam um século<br />

<strong>de</strong> história no próximo dia 4 <strong>de</strong> abril. Em<br />

<strong>de</strong>zembro <strong>de</strong> 2022, a Warner Bros. Discovery<br />

lançou a campanha global Celebrando<br />

cada história, que abraça ações implementadas<br />

ao longo do ano. Entre os <strong>de</strong>staques,<br />

está um documentário com três episódios,<br />

realizado pela WB Unscripted Television e<br />

veiculado na HBO Max.<br />

Com página <strong>de</strong>dicada à programação do<br />

centenário <strong>de</strong>s<strong>de</strong> janeiro, a plataforma utilizará<br />

acervos <strong>de</strong> filmes e programas <strong>de</strong> TV<br />

da Warner Bros. para sugerir seleções em<br />

homenagem a datas e eventos culturais,<br />

como o Mês da História Negra, Mês da His-<br />

“estamos agora focados<br />

em tornar os nossos<br />

negócIos melhores e maIs<br />

fortes a longo prazo”<br />

tória das Mulheres, Mês dos Descen<strong>de</strong>ntes<br />

<strong>de</strong> Asiáticos e <strong>de</strong> Povos do Pacífico (AAPI) e<br />

Mês do Orgulho LGBTQ.<br />

Já Amazon, Saks Fifth Avenue, Funko,<br />

Mattel, New Era e Running Press estão<br />

entre os parceiros escolhidos pela Warner<br />

Bros. Discovery Global Consumer Products<br />

para levar ativações, lançar roupas, utensílios<br />

domésticos, brinquedos, colecionáveis<br />

e publicações. Marco na história da Warner<br />

Bros., Looney Tunes ganhará uma nova<br />

linha <strong>de</strong> produtos. Os personagens serão<br />

apresentados como fãs <strong>de</strong> outras franquias<br />

da Warner Bros. Discovery, como DC e Harry<br />

Potter.<br />

Maratonas em mais <strong>de</strong> 40 emissoras da<br />

Warner Bros. nos Estados Unidos e em canais<br />

internacionais também estão previstas,<br />

além <strong>de</strong> eventos e marcas que conectem os<br />

fãs às franquias e personagens do estúdio<br />

na TV. A Warner Bros. Home Entertainment<br />

lançará uma série <strong>de</strong> filmes comemorativos<br />

e programas <strong>de</strong> TV nos formatos digital,<br />

Blu-ray e DVD, incluindo quatro volumes<br />

<strong>de</strong> 25 filmes e uma coleção <strong>de</strong> cem obras<br />

acompanhados <strong>de</strong> itens colecionáveis.<br />

Há ainda coleções completas <strong>de</strong> séries<br />

<strong>de</strong> TV disponibilizadas pela primeira vez,<br />

compilações <strong>de</strong> franquias aclamadas pelo<br />

público e títulos remasterizados em 4K<br />

UHD (ultra-alta <strong>de</strong>finição). A coleção vai<br />

<strong>de</strong>s<strong>de</strong> os cinco filmes do Superman ao especial<br />

do cinquentenário <strong>de</strong> Operação dragão<br />

e O exorcista.<br />

Na experiência ao vivo, está Candlelight<br />

concert series, com shows à luz <strong>de</strong> velas<br />

organizados em cem cida<strong>de</strong>s, que promoverá<br />

uma viagem musical pelo centenário<br />

do estúdio. São Paulo, Los Angeles, Nova<br />

York, Londres, Toronto, Melbourne, Paris,<br />

Singapura, Milão e Cida<strong>de</strong> do México<br />

são algumas das cida<strong>de</strong>s que receberão o<br />

espetáculo.<br />

Mas a mira da Warner Bros. Discovery<br />

vai além das lentes. “A maioria das nossas<br />

<strong>de</strong>cisões <strong>de</strong> reestruturação ficou para trás<br />

e estamos agora focados em tornar os nossos<br />

negócios melhores e mais fortes a longo<br />

prazo”, explica Vera Buzanello, country<br />

manager do Brasil e head of revenue das<br />

áreas <strong>de</strong> distribuição e publicida<strong>de</strong> da Warner<br />

Bros. Discovery para a América Latina/<br />

US Hispanic.<br />

As principais li<strong>de</strong>ranças são o CEO David<br />

Zaslav e o presi<strong>de</strong>nte da divisão internacional,<br />

Gerhard Zeiler. Gunnar Wie<strong>de</strong>nfels é o<br />

CFO e JB Perrette é CEO da área <strong>de</strong> streaming<br />

e entretenimento global. A América<br />

Latina é li<strong>de</strong>rada por Fernando Medin. Há<br />

um grupo <strong>de</strong> gestão formado por executivos<br />

vindos das duas empresas originais,<br />

responsáveis pelas diferentes áreas do negócio,<br />

hoje estabelecido no Brasil. Os escritórios<br />

estão instalados em São Paulo, Alphaville<br />

e Rio <strong>de</strong> Janeiro.<br />

siNergia<br />

A <strong>de</strong>cisão <strong>de</strong> unir Warner e Discovery<br />

evi<strong>de</strong>ncia o novo cenário da mídia global,<br />

que mudou o mo<strong>de</strong>lo <strong>de</strong> negócios e a configuração<br />

dos concorrentes. Investir em tecnologia<br />

se tornou vital para gerar e distribuir<br />

conteúdo com capacida<strong>de</strong> para ganho<br />

<strong>de</strong> escala global. Após a reestruturação,<br />

ações e estratégias implementadas há <strong>de</strong>z<br />

meses sinalizam o avanço dos negócios da<br />

companhia, que fechou 2022 com receita <strong>de</strong><br />

US$ 33,8 bilhões.<br />

“A operação conjunta das duas empresas<br />

respon<strong>de</strong> aos <strong>de</strong>safios <strong>de</strong> maneira mais efetiva.<br />

Agora, temos uma das mais robustas<br />

ofertas <strong>de</strong> conteúdo, marcas e personagens<br />

do mundo”, ressalta Vera. A ampliação<br />

da franquia O senhor dos anéis e uma nova<br />

fase da DC Studios com filmes <strong>de</strong> Super-homem<br />

e Batman, já estão confirmados para<br />

2025.<br />

Com Coringa, a DC ganhou em 2020 o Oscar<br />

<strong>de</strong> Melhor Trilha Sonora e Melhor Ator,<br />

para Joaquin Phoenix, colocando em evidência<br />

o mundo dos quadrinhos, explorado<br />

também pela rival Marvel, da Disney, com<br />

Homem <strong>de</strong> ferro, Capitão América, Thor, Viúva<br />

negra, Pantera negra, Doutor estranho e<br />

Homem-Aranha, entre outros. Prevista para<br />

2024, a sequência Coringa, loucura a dois,<br />

<strong>de</strong>ve marcar o retorno <strong>de</strong> Phoenix como o<br />

temido vilão <strong>de</strong> Batman.<br />

18 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


Nos jogos, Hogwarts legacy é um dos<br />

maiores sucessos da divisão Warner Bros.<br />

Games. Lançado em fevereiro para PC,<br />

PlayStation 5, Xbox Series X e Xbox Series<br />

S, o game faz parte do universo Harry Potter,<br />

que reúne oito filmes lançados entre<br />

2001 e 2011, e produzidos a partir da obra<br />

da escritora inglesa J.K. Rowling.<br />

“É um ótimo exemplo da nossa capacida<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> dar vida às proprieda<strong>de</strong>s em uma<br />

ampla varieda<strong>de</strong> <strong>de</strong> experiências e plataformas”,<br />

confirma Vera. Novos jogos <strong>de</strong> Mortal<br />

kombat e Esquadrão suicida já estão a caminho.<br />

Com 31 marcas entre canais básicos e<br />

premium no Brasil, a Warner Bros. Discovery<br />

cobre os gêneros <strong>de</strong> entretenimento,<br />

factual, lifestyle, esportes e notícias. TNT,<br />

Cartoon Network, Discovery Kids, Warner<br />

Channel, Discovery Channel e Space são algumas<br />

<strong>de</strong>las.<br />

Em 2022, foi a programadora internacional<br />

<strong>de</strong> maior audiência na TV por assinatura<br />

no país, com 26% <strong>de</strong> share, segundo dados<br />

da empresa. O ecossistema esbanja força<br />

digital. A TNT Sports, por exemplo, li<strong>de</strong>ra<br />

o ranking <strong>de</strong> esportes com mais <strong>de</strong> um bilhão<br />

<strong>de</strong> views atraídos mensalmente, o que<br />

equivale a um alcance <strong>de</strong> 110 milhões <strong>de</strong><br />

pessoas.<br />

próximo episódio<br />

O trabalho integrado entre TV por assinatura,<br />

cinema, games, licenciamento e<br />

os streamings HBO Max e Discovery+ abre<br />

oportunida<strong>de</strong>s “para conectar anunciantes<br />

com todos os públicos, em qualquer lugar<br />

que eles consumam nossos conteúdos”,<br />

atesta Vera. Champions League, Campeonato<br />

Paulista, NBA, Oscar, Corrida Cartoon,<br />

Vai por elas, Masterchef e Shark tank são<br />

alguns dos projetos que exemplificam a capacida<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> estimular conversas relevantes<br />

com diversas comunida<strong>de</strong>s <strong>de</strong> forma orgânica<br />

e cocriada com as marcas.<br />

“Sem falar da potência do nosso portfólio<br />

kids com as marcas Cartoonito, Discovery<br />

Kids e Cartoon Network”, lembra Vera. As<br />

plataformas da Warner Bros. Discovery impactam<br />

hoje cerca <strong>de</strong> 149 milhões <strong>de</strong> pessoas.<br />

“Somos o terceiro grupo <strong>de</strong> mídia do<br />

país em total <strong>de</strong> views mensais, incluindo<br />

as TVs abertas”, aponta Vera.<br />

Um novo streaming po<strong>de</strong> estar em curso.<br />

A nova plataforma, que possivelmente<br />

integrará HBO Max e Discovery+, ainda não<br />

tem nome confirmado, mas está prevista<br />

para estrear ainda neste semestre nos Estados<br />

Unidos. América Latina <strong>de</strong>ve vir na<br />

sequência. As duas plataformas atuais oferecem<br />

conteúdo exclusivo e complementar.<br />

Succession, House of the dragon, The white<br />

lotus e The last of us estão na HBO Max e 90<br />

dias para casar e Largados e pelados estão<br />

entre os sucessos da Discovery+. House of<br />

the Dragon é spin-of <strong>de</strong> Game of thrones,<br />

que angariou uma legião <strong>de</strong> fãs entre 2011<br />

e 2019 na HBO.<br />

“É a força <strong>de</strong>sse conteúdo amplo que<br />

impulsionará a nova plataforma. Há gran<strong>de</strong>s<br />

oportunida<strong>de</strong>s chegando com o novo<br />

serviço <strong>de</strong> streaming”, indica Vera. O plano<br />

é garantir a melhor oferta <strong>de</strong> produtos<br />

e experiências aos usuários. Da produção à<br />

distribuição, a Warner Bros. Discovery ainda<br />

trabalha para apoiar o ecossistema do<br />

audiovisual a partir <strong>de</strong> parcerias com operadoras,<br />

agências e marcas.<br />

1928<br />

Nasce Mickey<br />

Mouse, que iria<br />

eternizar a marca<br />

1937<br />

a branca <strong>de</strong> neve<br />

e os sete anões é a<br />

primeira animação<br />

<strong>de</strong> longa-metragem<br />

Começa o projeto<br />

dos parques<br />

temáticos<br />

1923 2022<br />

Surge a Disney<br />

Brothers Cartoon<br />

Studio<br />

1929<br />

Empresa passa a se<br />

chamar Walt Disney<br />

Productions<br />

1940<br />

Se<strong>de</strong> em Burbak, na<br />

Califórmia (EUA) é<br />

inaugurada<br />

1971<br />

Walt Disney World<br />

abre as suas portas,<br />

em Orlando, na<br />

Flórida (EUA)<br />

2019<br />

Compra da 21st<br />

Century Fox e<br />

lançamento do<br />

Disney+<br />

2009<br />

Aquisição da Marvel<br />

traz quadrinhos para<br />

o cinema<br />

1955 1996<br />

Acionistas aprovam<br />

fusão com a re<strong>de</strong><br />

ABC<br />

Robert A. Iger é<br />

apontado CEO da<br />

The Walt Disney<br />

Company<br />

2012<br />

Conclusão da<br />

compra da<br />

Lucasfilm, célebre<br />

pela saga star wars<br />

2006<br />

Pixar é comprada, e<br />

a próxima animação<br />

é Elemental, prevista<br />

para junho (foto)<br />

1983<br />

Primeiro complexo<br />

internacional <strong>de</strong><br />

parques, em Tóquio,<br />

no Japão<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 19


pRêmios<br />

Brasil fica na 4ª posição da WARC<br />

Creative 100; EUA seguem li<strong>de</strong>rando<br />

A campanha The lost class, assinada pela Leo Burnett Chicago para a<br />

Change The Ref, é a mais premiada; Publicis Milan está no topo da lista<br />

WARC revelou o ranking<br />

A anual com as empresas e<br />

campanhas mais criativas e<br />

premiadas, chamado Creative<br />

100. O compilado da empresa<br />

<strong>de</strong> insights <strong>de</strong> marketing combinou<br />

os resultados das premiações<br />

globais e regionais do<br />

setor <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong> que ocorreram<br />

em 2022.<br />

Segundo o relatório, os Estados<br />

Unidos continuam li<strong>de</strong>rando<br />

a lista <strong>de</strong> países mais<br />

criativos, seguido pelo Reino<br />

Unido, França, Brasil e Austrália,<br />

mesmo resultado <strong>de</strong> 2021.<br />

A novida<strong>de</strong> nesta categoria foi<br />

a Índia, que saiu da 23ª para a<br />

sétima posição.<br />

“Nas <strong>de</strong>z principais campanhas,<br />

há um forte tema <strong>de</strong> promoção<br />

<strong>de</strong> preocupações sociais<br />

por meio da criativida<strong>de</strong>. De<br />

questões femininas, como Data<br />

tienda, que chamou a atenção<br />

para o acesso das mulheres a<br />

crédito e serviços financeiros,<br />

e The bread exam, que apoia<br />

a saú<strong>de</strong> da mulher, enquanto<br />

Beyond the surface e Reverse<br />

selfie centraram-se na imagem<br />

corporal. Outras questões sociais<br />

abordadas incluem The<br />

lost class, sobre violência armada<br />

nos EUA; Piñatex, sobre ambientalismo;<br />

e The elections edition,<br />

sobre corrupção política”,<br />

afirmou Amy Rodgers, chefe da<br />

WARC Creative.<br />

A campanha The lost class,<br />

assinada pela Leo Burnett Chicago<br />

para a Change The Ref,<br />

foi a mais premiada. A peça,<br />

feita para tratar dos tiroteios<br />

em massa nos Estados Unidos,<br />

mostra uma cerimônia realizada<br />

para os mais <strong>de</strong> 3 mil alunos<br />

do ensino médio que per<strong>de</strong>ram<br />

suas vidas <strong>de</strong>vido à violência<br />

armada estaduni<strong>de</strong>nse.<br />

O segundo lugar ficou para<br />

The unfiltered history tour, assinada<br />

pela Dentsu Creative<br />

Bangalore para a VICE, seguida<br />

<strong>de</strong> Piñatex, assinada pela L&C<br />

Nova York para a Dole Sunshine<br />

Company/Ananas Anam.<br />

Na categoria <strong>de</strong> agências,<br />

Campanha The lost class, que trata dos tiroteios em massa nos EUA, é o <strong>de</strong>staque da WARC Creative 100 este ano<br />

o topo do ranking ficou para a<br />

Publicis Milan, que ocupa a posição<br />

pelo segundo ano consecutivo.<br />

Ela assina quatro peças<br />

para a Heineken e uma para a<br />

Bottega Veneta, que estão na<br />

lista das 100 principais campanhas<br />

<strong>de</strong> 2022.<br />

O segundo lugar ficou para a<br />

Area 23, que ocupou a 32ª posição<br />

no ranking <strong>de</strong> 2021 e, no<br />

atual, assina quatro campanhas<br />

no Top 100. Já o terceiro lugar<br />

ficou para a BETC Paris, com<br />

três campanhas no Top 50.<br />

O primeiro lugar da categoria<br />

<strong>de</strong> re<strong>de</strong> mais criativida<strong>de</strong><br />

da WARC ficou para a Ogilvy,<br />

que ocupa a posição pelo terceiro<br />

ano consecutivo, com 40<br />

agências diferentes contribuindo<br />

para o resultando, incluindo<br />

cinco <strong>de</strong>las no Top 50.<br />

Além disso, a re<strong>de</strong> foi responsável<br />

por <strong>de</strong>z das 100 melhores<br />

campanhas. O segundo<br />

lugar ficou para a DDB Worldwi<strong>de</strong>,<br />

com quatro agências<br />

“Nas <strong>de</strong>z<br />

priNcipais<br />

campaNhas, há<br />

um forte tema<br />

<strong>de</strong> promoção <strong>de</strong><br />

preocupações<br />

sociais por meio<br />

da criativida<strong>de</strong>”<br />

Divulgação<br />

no Top 50 e sete campanhas no<br />

Top 100, seguida pela FCB com<br />

quatro agências e nove campanhas<br />

classificadas.<br />

A WPP ficou em primeiro lugar<br />

no ranking <strong>de</strong> Holding, com<br />

sete re<strong>de</strong>s no Top 50 e duas no<br />

Top 10, sendo elas a Ogilvy e a<br />

VMLY&R. A marca mais premiada<br />

por criativida<strong>de</strong>, segundo o<br />

relatório da WARC, foi o Burger<br />

King, que ocupou o topo do pódio<br />

pelo quinto ano consecutivo,<br />

que possui quatro campanhas<br />

no Top 100, feitas por três<br />

agências diferentes. Na sequência<br />

vêm a Heineken, também<br />

com quatro campanhas entre o<br />

Top 100, e o Google, que estava<br />

na 31ª posição no ranking referente<br />

a 2021.<br />

Já na categoria <strong>de</strong> anunciantes,<br />

AB InBev li<strong>de</strong>ra a lista.<br />

A cervejeira conta com três<br />

marcas no Top 50, sendo elas<br />

Corona, Michelob Ultra e Budweiser,<br />

e quatro campanhas<br />

no Top 100.<br />

20 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


0,3%”, ela acrescenta.<br />

São 5h17m por dia assistindo<br />

à TV linear. Isso é vital para a<br />

publicida<strong>de</strong>. “Os altos índices<br />

<strong>de</strong> consumo no Brasil transformam<br />

o ví<strong>de</strong>o em um formato<br />

crucial para o mercado publicitário.<br />

Em 2022, 68% do investipesquIsas<br />

Insi<strong>de</strong> Vi<strong>de</strong>o traz os primeiros dados<br />

da análise Focal Meter com Google<br />

Kantar Ibope Media usa roteadores dos lares com People Meter para<br />

i<strong>de</strong>ntificar consumo híbrido <strong>de</strong> conteúdo multitelas que cresce no país<br />

Paulo Macedo<br />

Quando foi implantado no<br />

Brasil, a tecnologia People<br />

Meter revoluciou a medição <strong>de</strong><br />

audiência. Agora, a Kantar Ibope<br />

Media está trazendo os primeiros<br />

dados da tecnologia Focal<br />

Meter, que faz “uma medição<br />

híbrida e única”, como explica<br />

a executiva Adriana Favaro,<br />

diretora <strong>de</strong> <strong>de</strong>senvolvimento<br />

<strong>de</strong> negócios do instituto. Ou<br />

seja, todos os <strong>de</strong>vices com telas<br />

plugados em plataformas com<br />

ví<strong>de</strong>os: TV linear e streaming<br />

por meio <strong>de</strong> smartphones, tablets,<br />

<strong>de</strong>sktops, laptops etc. A<br />

régua coloca todos os players<br />

na mesma régua, dos produtores<br />

<strong>de</strong> conteúdo às agências <strong>de</strong><br />

publicida<strong>de</strong>, dos publishers aos<br />

anunciantes.<br />

A metodologia Focal Meter<br />

contempla parceria estratégica<br />

com o Google e já vinha sendo<br />

pon<strong>de</strong>rada há cinco anos pela<br />

Kantar Ibope Media. Em 2021,<br />

começou a ser implantado um<br />

processo, que foi acelarado no<br />

ano passado, e os primeiros resultados<br />

chegam na edição <strong>de</strong><br />

<strong>2023</strong> do Insi<strong>de</strong> Vi<strong>de</strong>o.<br />

“O mercado está bem receptivo”,<br />

resume Adriana, enfatizando<br />

que a TV conectada cresce<br />

no país e 59% dos monitores<br />

já saem das linhas <strong>de</strong> produção<br />

com esse feature. Em suas palavras,<br />

56% dos consumidores<br />

estão abertos às inserções <strong>de</strong><br />

publicida<strong>de</strong> nas plataformas <strong>de</strong><br />

streaming, com a ressalva <strong>de</strong><br />

que os preços das assinaturas<br />

sejam menores.<br />

“Preço é fator <strong>de</strong>cisivo para<br />

o streaming. Mas o catálogo<br />

também é importante assim<br />

como lançamentos. 79% do<br />

share <strong>de</strong> tempo <strong>de</strong> consumo<br />

domiciliar é direcionado para<br />

a TV linear (aberta e paga) e<br />

21% (streaming). As TVs e TVs<br />

Conectadas são as favoritas do<br />

público, representando 90,4%<br />

do total <strong>de</strong> tempo consumido.<br />

Já os smartphones estão com<br />

7,6%, <strong>de</strong>sktops 1,6% e tablets<br />

Adriana Favaro é diretora <strong>de</strong> business <strong>de</strong>velopment da Kantar Ibope Media: “Ví<strong>de</strong>o é formato crucial para o mercado publicitário”<br />

“Em 2022, 68%<br />

dE todo o<br />

invEstimEnto<br />

publicitário<br />

foram Em vídEo”<br />

Divulgação<br />

mento publicitário foram feitos<br />

em ví<strong>de</strong>o – um ponto percentual<br />

acima do ano anterior. Esse<br />

número sobe para 71% ao consi<strong>de</strong>rarmos<br />

as Top 10 marcas<br />

mais valiosas, e para 74% nas<br />

Top 10 marcas <strong>de</strong> bens <strong>de</strong> consumo<br />

mais escolhidas.”<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 21


Mercado<br />

Marcas <strong>de</strong>vem colocar atendimento<br />

ao consumidor no centro do <strong>de</strong>bate<br />

Dia do Consumidor po<strong>de</strong> ser comemorado nesta semana, mas o SAC<br />

ainda causa arrepios, apesar da evolução, em quem precisa do serviço<br />

Freepik<br />

Consumidor volta às compras nas lojas físicas, mas o e-commerce continua avançando; ele <strong>de</strong>scobriu as vantagens em adquirir produtos e serviços sem sair <strong>de</strong> casa<br />

Neusa spaulucci<br />

Dia do Consumidor, comemorado nesta<br />

O quarta-feira (15), <strong>de</strong>ve ser uma data especialmente<br />

diferente para o varejo neste<br />

ano, já que acontecimentos recentes abalaram<br />

o segmento nos últimos meses, como<br />

a crise das Lojas Americanas, Tok&Stok e<br />

Centauro, entre outras. É certo que o consumidor<br />

mudou <strong>de</strong> cara nos últimos anos,<br />

mesmo antes da pan<strong>de</strong>mia, evento que acelerou<br />

o processo <strong>de</strong> alteração do avanço do<br />

e-commerce. É claro que as re<strong>de</strong>s <strong>de</strong> lojas<br />

tiveram <strong>de</strong> investir no digital para aten<strong>de</strong>r à<br />

<strong>de</strong>manda. Passada a gran<strong>de</strong> crise sanitária,<br />

as coisas não voltaram aos lugares <strong>de</strong> antes.<br />

Ele gostou da experiência <strong>de</strong> fazer compras<br />

sem sair do lugar.<br />

Mas, às vezes, as empresas tiram o sossego<br />

do consumidor, quando ele precisa<br />

reclamar ou tirar uma simples dúvida e precisa<br />

enfrentar aquele <strong>de</strong>partamento <strong>de</strong> três<br />

letrinhas, o famoso SAC (Serviço <strong>de</strong> Atendimento<br />

ao Consumidor), que dá até arrepio<br />

só <strong>de</strong> falar. As marcas avançaram muito<br />

nesse quesito, porém têm muito ainda por<br />

fazer. Para Tatiana Thomaz, professora da<br />

pós-graduação da ESPM, as empresas precisam<br />

<strong>de</strong> fato colocar o consumidor no centro<br />

<strong>de</strong> suas estratégias, com o foco na experiência<br />

do cliente. “Experiência é a percepção<br />

causada pelas diferentes interações que o<br />

consumidor tem com os canais (físicos e<br />

digitais), dispositivos, funcionários, produtos,<br />

embalagem e <strong>de</strong>mais pontos <strong>de</strong> contato<br />

com a marca, em todas as etapas da sua jornada”,<br />

comenta.<br />

Parece que bater na mesma tecla não tem<br />

adiantado muito, no entanto, a professora<br />

fala que, para aten<strong>de</strong>r o consumidor corretamente<br />

e cuidar da sua experiência com a<br />

marca, é fundamental a realização do ma-<br />

“Quando falamos <strong>de</strong><br />

varejo, alguns itens se<br />

<strong>de</strong>stacam na preferência<br />

do consumidor”<br />

22 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


Fotos: Divulgação<br />

Renata Antunes: não há mais espaço para ladainha no discurso<br />

Tatiana Thomaz: mapeamento serve para enten<strong>de</strong>r cada ponto <strong>de</strong> contato do consumo<br />

peamento da sua jornada, assim como as<br />

emoções sentidas durante essa jornada.<br />

“Esse mapeamento serve para enten<strong>de</strong>r<br />

cada ponto <strong>de</strong> contato do consumidor com<br />

a sua marca e consegue-se enten<strong>de</strong>r on<strong>de</strong><br />

as emoções dos consumidores são positivas<br />

e on<strong>de</strong> são negativas, indicando os pontos<br />

<strong>de</strong> melhoria ou áreas <strong>de</strong> oportunida<strong>de</strong>”,<br />

aconselha Tatiana.<br />

Para Celso Andra<strong>de</strong>, CEO da UOTZ, a empresa<br />

<strong>de</strong>ve cuidar com o máximo <strong>de</strong> atenção<br />

<strong>de</strong> todos os processos que envolvem a<br />

jornada do consumidor - do momento em<br />

que ele conhece o produto ou serviço até<br />

sua fi<strong>de</strong>lização, passando inclusive pelo<br />

“<strong>de</strong>sligamento”. “Um cliente, por exemplo,<br />

que tenha dificulda<strong>de</strong>s para interromper a<br />

assinatura <strong>de</strong> um serviço, além <strong>de</strong> jamais<br />

reconsi<strong>de</strong>rar sua <strong>de</strong>cisão, testemunhará<br />

ativamente contra a empresa”.<br />

Marketing digital<br />

Já Thiago Pereira, head of business <strong>de</strong>velopment<br />

& innovation da MacFor, vai<br />

mais longe e afirma que, quando falamos<br />

em marketing digital, a experiência do usuário<br />

é o principal ponto <strong>de</strong> atenção que as<br />

marcas <strong>de</strong>vem ter. “Isso vai <strong>de</strong>s<strong>de</strong> o <strong>de</strong>sign<br />

do site até a facilida<strong>de</strong> <strong>de</strong> uso e a navegabilida<strong>de</strong><br />

- ele encontra <strong>de</strong> forma fácil tudo<br />

o que precisa? -, mas, principalmente, do<br />

processo <strong>de</strong> check out, ou seja, o caminho<br />

que o consumidor percorre até a conclusão<br />

da compra”, relata.<br />

Conforme opinião <strong>de</strong>le, o atendimento<br />

ao cliente também é um diferencial e<br />

tem ligação direta com a forma como os<br />

clientes se sentem cuidados. Para Pereira,<br />

outras questões que po<strong>de</strong>m mostrar o<br />

cuidado com o consumidor são a personalização,<br />

ou seja, que produtos você po<strong>de</strong><br />

recomendar para seu cliente que, <strong>de</strong> fato,<br />

são relevantes pra ele?; a transparência,<br />

ou seja, “<strong>de</strong>ixar claras as informações sobre<br />

preços, prazos <strong>de</strong> entrega e políticas<br />

“Quanto mais capacitado<br />

o time em enten<strong>de</strong>r<br />

Quem é seu consumidor,<br />

como ele fala e,<br />

principalmente,<br />

como ele espera ser<br />

atendido, melhor”<br />

<strong>de</strong> <strong>de</strong>volução; pedir e ouvir feedback”.<br />

“Quando falamos <strong>de</strong> varejo, alguns itens se<br />

<strong>de</strong>stacam na preferência do consumidor.<br />

Segundo um recorte tirado do estudo da<br />

Macfor, baseado em pesquisa da Allin com<br />

a Social Miner, em 2022, 62% dos pedidos<br />

realizados no Dia do Consumidor tiveram<br />

frete grátis. Depen<strong>de</strong>ndo do valor do frete<br />

58% dos consumidores po<strong>de</strong>m <strong>de</strong>sistir da<br />

compra”, conta ele, acrescentando: “Outro<br />

ponto é o método <strong>de</strong> pagamento. No Dia do<br />

Consumidor em 2022, 62,27% utilizaram o<br />

cartão <strong>de</strong> crédito, que muitas vezes é preferido<br />

pela possibilida<strong>de</strong> <strong>de</strong> parcelamento<br />

em vários meses ou po<strong>de</strong>r pagar ao fim do<br />

mês, e 36,42% preferiram pagar em boleto,<br />

o que po<strong>de</strong> ser causado pela oferta <strong>de</strong> <strong>de</strong>scontos<br />

pela loja, sem esquecer do PIX, que<br />

se <strong>de</strong>staca pela facilida<strong>de</strong> <strong>de</strong> pagamento”.<br />

Edu Cabral, diretor <strong>de</strong> estratégia da<br />

WMcCann, acredita que, antes <strong>de</strong> qualquer<br />

característica, o produto ou serviço final<br />

precisa genuinamente aten<strong>de</strong>r às expectativas<br />

que provocaram no consumidor. Segundo<br />

ele, converter a audiência em cliente<br />

não é só um processo <strong>de</strong> encantamento, é,<br />

no fim do dia, a <strong>de</strong> solucionar uma dor na<br />

vida daquela pessoa, prezando sempre pela<br />

qualida<strong>de</strong> e transparência daquilo que está<br />

sendo entregue. “Acredito que este é o sinal<br />

máximo <strong>de</strong> respeito entre marca e consumidor”,<br />

aponta.<br />

Renata Antunes, sócia e diretora <strong>de</strong><br />

criação da agência 11:11, fala que, para ela,<br />

transparência e coerência no posicionamento<br />

são pontos básicos para qualquer<br />

cuidado, seja ele para o consumidor, seja<br />

para a cultura empresarial. “Não tem mais<br />

espaço para ladainha no discurso. O anunciante<br />

<strong>de</strong>ve ser sharp naquilo que entrega.<br />

Quando o discurso é verda<strong>de</strong>iro e inovador,<br />

o consumidor sai com uma visão positiva,<br />

e a chance <strong>de</strong> ele retornar é infinitamente<br />

maior”, acredita.<br />

Marcelo Rullo, head <strong>de</strong> planejamento e<br />

conteúdo da Oliver Latin America, observa<br />

que o primeiro ponto é compreen<strong>de</strong>r que o<br />

atendimento ao consumidor via re<strong>de</strong>s sociais<br />

é diferente do atendimento que a marca costuma<br />

ter internamente, como e-mail, telefone<br />

e aplicativos. “Quando o consumidor se conecta<br />

com uma marca pelas re<strong>de</strong>s, seja através<br />

<strong>de</strong> uma DM do Instagram, em comentário<br />

no post ou em um thread do Twitter, a expectativa<br />

<strong>de</strong> SLA <strong>de</strong> resposta é bem menor, assim<br />

como a expectativa <strong>de</strong> um atendimento mais<br />

personalizado e intimista. Isso precisa estar<br />

bem claro em qualquer planejamento <strong>de</strong> atendimento”,<br />

sugere. Para ele, a partir daí, é importante<br />

ter uma FAQ muito bem estruturada<br />

e um time bem treinado para que o máximo<br />

do atendimento seja feito em “primeira instância”,<br />

ou seja, sem ter <strong>de</strong> envolver muitas<br />

áreas internamente. “Quanto mais capacitado<br />

o time em enten<strong>de</strong>r quem é seu consumidor,<br />

como ele fala e, principalmente, como ele espera<br />

ser atendido, melhor”, argumenta.<br />

As empresas po<strong>de</strong>m ficar meio confusas<br />

para i<strong>de</strong>ntificar on<strong>de</strong> o seu atendimento ao<br />

cliente está ruim. Por isso, a professora da<br />

ESPM resgata o que já dizia Philip Kotler:<br />

“o custo <strong>de</strong> atrair novos clientes chega a ser<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 23


Mercado<br />

cinco a sete vezes maior que o custo <strong>de</strong> manutenção<br />

dos já existentes, por isso é tão<br />

importante cuidar do cliente e proporcionar<br />

uma boa experiência, uma jornada sem atritos”.<br />

Ela levanta o estudo da Salesforce, State<br />

of the connected customer 5th edition, para<br />

ilustrar seu pensamento, segundo o qual<br />

88% dos clientes disseram que a experiência<br />

<strong>de</strong> compra é tão ou mais importante do<br />

que o produto ou o serviço que é comprado,<br />

ou seja, é vital que as marcas proporcionem<br />

uma boa experiência aos seus consumidores.<br />

“Há diversas formas para mapear e i<strong>de</strong>ntificar<br />

on<strong>de</strong> a experiência do consumidor<br />

está ruim, que vão <strong>de</strong>s<strong>de</strong> as métricas já<br />

consagradas como por exemplo, NPS, CSAT<br />

e CES, até pesquisas <strong>de</strong> mercado e acompanhamento<br />

<strong>de</strong> dados não estruturados como<br />

por exemplo sites <strong>de</strong> reclamação e re<strong>de</strong>s<br />

sociais. E tem-se <strong>de</strong> pensar nesta jornada<br />

como um ecossistema <strong>de</strong> CX, como uma<br />

corrente, on<strong>de</strong> colaboradores, diferentes<br />

parceiros e fornecedores formam os elos<br />

<strong>de</strong>ssa ca<strong>de</strong>ia, po<strong>de</strong>ndo impactar o cliente<br />

positiva ou negativamente”, analisa.<br />

ponto <strong>de</strong> contato<br />

Celso Andra<strong>de</strong> acredita que o anunciante<br />

po<strong>de</strong> <strong>de</strong>tectar on<strong>de</strong> não está muito bem <strong>de</strong>finindo<br />

KPIs, em cada ponto <strong>de</strong> contato na<br />

jornada física, digital ou “figital”. “E, através<br />

dos <strong>de</strong>svios percebidos, po<strong>de</strong>mos atuar<br />

rapidamente para mitigar os problemas<br />

para o consumidor, e consequentemente<br />

para a empresa”, garante.<br />

Já Thiago Pereira afirma que na Macfor<br />

tem um time <strong>de</strong> engenheiros e analíticos<br />

que trabalham com foco em tagueamento<br />

das páginas do site do cliente para enten<strong>de</strong>r<br />

o comportamento do consumidor. “Assim,<br />

a navegação do usuário e as ações que ele<br />

faz no site são mapeadas e conseguimos enten<strong>de</strong>r,<br />

por exemplo, se esse usuário inicia<br />

o processo <strong>de</strong> compra e para em algum lugar.<br />

A partir <strong>de</strong>sse levantamento <strong>de</strong> dados,<br />

tiramos insights dos pontos que po<strong>de</strong>m estar<br />

ruins e fazemos teste AB para verificar<br />

essas hipóteses”, afirma.<br />

Edu Cabral diz ser fã <strong>de</strong> dados quando<br />

se trata <strong>de</strong> i<strong>de</strong>ntificar on<strong>de</strong> a marca está<br />

errando com o consumidor. Para ele, pesquisa,<br />

experiência, avaliações e feedbacks<br />

são <strong>de</strong> extrema importância para a empresa<br />

se manter aliada à realida<strong>de</strong>. “Se apoiar<br />

<strong>de</strong> fato na opinião do consumidor auxilia<br />

totalmente no processo <strong>de</strong> i<strong>de</strong>ntificar o que<br />

funciona e o que precisa melhorar”.<br />

Já Renata Antunes fala que não precisa<br />

ir muito longe para <strong>de</strong>tectar se o SAC está<br />

ruim. Para ela, a experiência está ligada ao<br />

contato ou à percepção que o consumidor<br />

tem da marca. “E, a partir daí, o consumidor<br />

hoje po<strong>de</strong> se manifestar por inúmeros<br />

canais: pelas re<strong>de</strong>s sociais das marcas, pelo<br />

SAC e, claro, pelo mais antigo <strong>de</strong> todos, os<br />

números das vendas. Além disso, para nós<br />

que trabalhamos com criativida<strong>de</strong>, ainda<br />

existem a intuição e a bagagem <strong>de</strong> mercado.<br />

Esse é o cruzamento que acreditamos.<br />

Acompanhamos <strong>de</strong> perto essa percepção e,<br />

Marcelo Rullo: “Expectativa <strong>de</strong> atendimento mais personalizado”<br />

“Quanto menos pessoas<br />

precisarem entrar<br />

em contato com esse<br />

time, melhor a<br />

experiência será”<br />

se <strong>de</strong>tectamos qualquer falha, mudamos o<br />

curso da estratégia com velocida<strong>de</strong>”.<br />

Marcelo Rullo <strong>de</strong>clara que relatórios <strong>de</strong><br />

listening e <strong>de</strong> atendimento são essenciais<br />

para i<strong>de</strong>ntificar falhas no atendimento ao<br />

consumidor (seja <strong>de</strong> produto, comunicação<br />

ou atendimento propriamente dito). “É<br />

através <strong>de</strong>les que conseguimos enten<strong>de</strong>r, <strong>de</strong><br />

maneira bem <strong>de</strong>talhada, on<strong>de</strong> temos pontos<br />

fracos e como po<strong>de</strong>mos atuar”, revela.<br />

Tatiana Thomaz recorre mais uma vez a<br />

estudos para orientar como as marcas <strong>de</strong>vem<br />

agir, quando o assunto é a melhor maneira <strong>de</strong><br />

aten<strong>de</strong>r o consumidor, já que a maioria tem<br />

calafrios só em pensar contatar o bendito<br />

SAC e as suas eternas e viciadas falas. A professora<br />

fala que há um estudo da Zen<strong>de</strong>sk, o<br />

Trends 2022, que mostra a disparida<strong>de</strong> nas<br />

percepções <strong>de</strong> empresas X consumidores<br />

com relação ao atendimento ao cliente. Segundo<br />

ela, enquanto 72% das empresas entrevistadas<br />

dizem que em sua organização<br />

o atendimento ao cliente é uma priorida<strong>de</strong><br />

essencial para os negócios, 68% dos clientes<br />

dizem que parece que a maioria das empresas<br />

precisa melhorar o treinamento <strong>de</strong> seus<br />

agentes <strong>de</strong> atendimento ao cliente.<br />

“Há uma série <strong>de</strong> fatores para isso. Des<strong>de</strong><br />

equipes subdimensionadas, mal treinadas,<br />

Divulgação<br />

processos mal <strong>de</strong>senhados até uma questão<br />

que ao meu ver ainda está longe <strong>de</strong> ser<br />

resolvida, que é o equilíbrio entre o atendimento<br />

por inteligência artificial e o humano”,<br />

dispara.<br />

Celso Andra<strong>de</strong> lembra que existem<br />

muitas empresas que pecam no quesito<br />

atendimento, principalmente no pós-<br />

-venda, porém, percebe-se que, nos últimos<br />

anos, os consumidores se tornaram<br />

mais conscientes sobre seus direitos e,<br />

em paralelo, algumas empresas passaram<br />

a buscar diferenciar-se dos concorrentes<br />

com melhorias nas práticas <strong>de</strong> atendimento.<br />

“As marcas que não se reposicionaram<br />

ten<strong>de</strong>m a ficar mais expostas e<br />

ganhar reputação negativa por não respeitarem<br />

seus clientes”.<br />

Para ele, a situação do SAC ten<strong>de</strong> a mudar<br />

“para algo mais positivo”. “Po<strong>de</strong>mos<br />

dizer que a cobrança <strong>de</strong> órgãos <strong>de</strong> segunda<br />

instância (exemplo: Procons, Bacen,<br />

Anatel) são chave para que empresas cumpram<br />

as regras <strong>de</strong>finidas e façam com que<br />

os consumidores tenham suas necessida<strong>de</strong>s<br />

atendidas <strong>de</strong> forma transparente e<br />

ágil”. Para ele, serviços como o Reclame-<br />

Aqui também tornam essa jornada mais<br />

conveniente para o consumidor, que consegue<br />

manifestar suas queixas e ganhar<br />

repercussão e visibilida<strong>de</strong>.<br />

Thiago Pereira acha que há uma maior<br />

preocupação com o consumidor, que hoje<br />

dispõe <strong>de</strong> muitos meios diferentes para interagir<br />

com as marcas. “Essa pluralida<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> canais torna mais difícil aten<strong>de</strong>r esse<br />

consumidor conectado, mas é notável que<br />

as marcas evoluíram bastante nos últimos<br />

tempos nesse quesito, principalmente nos<br />

meios digitais. Temos vários cases <strong>de</strong> bom<br />

atendimento online, li<strong>de</strong>rados por marcas<br />

como Ponto Frio (hoje, apenas Ponto), Nubank<br />

e Magazine Luiza”, menciona.<br />

24 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


porta para fora<br />

A sócia e diretora <strong>de</strong> criação da agência<br />

11:11 afirma que o problema é que os avanços<br />

no atendimento ao consumidor se <strong>de</strong>ram da<br />

porta para fora das empresas. “Enquanto os<br />

SACs ficaram mais automatizados, burocráticos,<br />

impessoais e ineficientes, hoje é impossível<br />

uma empresa ignorar canais como Reclame<br />

Aqui, Consumidor.gov ou até as suas<br />

re<strong>de</strong>s sociais, por conta da exposição negativa.<br />

Então, a situação do SAC só vai mudar no<br />

dia em que as empresas se conscientizarem<br />

que, por bem ou por mal, o consumidor vai se<br />

fazer ouvir. Então, seria melhor e mais simpático<br />

que fosse por bem”, alfineta.<br />

Marcelo Rullo é taxativo. Para ele, a marca<br />

tem <strong>de</strong> zelar para que o consumidor nunca<br />

precise entrar em contato com o SAC. “Quanto<br />

menos pessoas precisarem entrar em contato<br />

com esse time, melhor a experiência<br />

será”, argumenta, acrescentado: “O time <strong>de</strong><br />

SAC costuma ser oneroso para a companhia,<br />

muitas vezes terceirizado, bem gran<strong>de</strong> e com<br />

alto turnover. Isso faz <strong>de</strong>le um gran<strong>de</strong> <strong>de</strong>safio<br />

para atingir excelência, exigindo treinamentos<br />

periódicos e um alto investimento, que<br />

nem sempre as marcas conseguem bancar<br />

como <strong>de</strong>veriam”.<br />

A transformação digital obviamente melhora<br />

a rentabilida<strong>de</strong>, mas, será que os clientes<br />

são beneficiados? Será que estão mais<br />

satisfeitos e leais? Tatiana Thomaz respon<strong>de</strong><br />

que as empresas estão avançando nessa direção<br />

a passos largos, mas, o que se percebe<br />

quando perguntado aos consumidores, segundo<br />

ela, não correspon<strong>de</strong> a essa realida<strong>de</strong>.<br />

“Novamente, citando o estudo da Salesforce,<br />

83% dos consumidores esperam interagir<br />

com alguém imediatamente quando entram<br />

em contato com uma empresa; 82% esperam<br />

resolver problemas complexos conversando<br />

com alguém; e 78% tiveram <strong>de</strong> utilizar múltiplos<br />

canais para completar a transação. Os<br />

bots, na maioria das interações, resolvem<br />

parcialmente ou não resolvem as questões<br />

dos consumidores e há uma dificulda<strong>de</strong> em<br />

chegarem a um atendimento humano, o bot<br />

faz uma série <strong>de</strong> perguntas antes, lembrando<br />

a navegação da URA, on<strong>de</strong> o ‘disque 9 para<br />

falar com um aten<strong>de</strong>nte’ é uma missão quase<br />

impossível”, lembra.<br />

Conforme análise da professora, tudo <strong>de</strong>ve<br />

começar com o foco nos clientes – foco <strong>de</strong><br />

fora para <strong>de</strong>ntro, contemplando o ponto <strong>de</strong><br />

vista do cliente e ter visíveis benefícios para<br />

os clientes, com uma real criação <strong>de</strong> valor.<br />

Já Celso Andra<strong>de</strong> vai direto ao ponto e diz<br />

perceber que um consumidor muito mais digitalizado,<br />

informado e menos fiel às marcas,<br />

ou seja, “muito mais propenso a experimentar<br />

novas categorias <strong>de</strong> produtos ou serviços”.<br />

Mudança<br />

O que se percebe é que o consumidor já<br />

vinha mudando <strong>de</strong> perfil e com o advento<br />

da pan<strong>de</strong>mia o processo acelerou. E a professora<br />

da ESPM <strong>de</strong>fine que hoje ele está<br />

ainda mais exigente, “quer ser atendido<br />

24/7, atendimento real time, omnicanalida<strong>de</strong>,<br />

e somando-se a isso quer produtos,<br />

serviços e atendimento personalizados,<br />

comparando a experiência com uma <strong>de</strong>terminada<br />

marca com todas as experiências<br />

vividas, não somente com suas concorrentes<br />

diretas, ou seja, o sarrafo subiu bastante<br />

crise na re<strong>de</strong> da americanas<br />

gera clima <strong>de</strong> incertezas<br />

Problemas nas gran<strong>de</strong>s re<strong>de</strong>s <strong>de</strong> lojas po<strong>de</strong>m arranhar a imagem do setor junto ao consumidor<br />

atual momento do varejo não é lá essas<br />

coisas, mas profissionais do mer-<br />

O<br />

cado acreditam que po<strong>de</strong> <strong>de</strong>morar, mas a<br />

crise vai passar. Tatiana Thomaz, professora<br />

da pós-graduação da ESPM, fala que o<br />

caso da Americanas em especial tem sido<br />

exaustivamente noticiado e obviamente<br />

a imagem da empresa está arranhada perante<br />

os consumidores. “Embora a Americanas<br />

comunique que para o consumidor<br />

nada mudou, que a Páscoa <strong>de</strong>ste ano será<br />

incrível como as <strong>de</strong>mais, gera um clima<br />

<strong>de</strong> incerteza, pois em paralelo já houve<br />

fechamento <strong>de</strong> algumas lojas e percebe-<br />

-se uma diferença no mix <strong>de</strong> produtos nas<br />

lojas”, analisa.<br />

Ela lembra ainda que, junto com essas<br />

histórias, outros varejistas também têm<br />

sido citados com questões semelhantes relacionadas<br />

a inadimplência e fluxo <strong>de</strong> caixa,<br />

o que certamente impacta na imagem<br />

do setor. O problema da Americanas, na<br />

opinião da professora, é financeiro e também<br />

administrativo. Para ela, claro, a crise<br />

provoca o fechamento <strong>de</strong> lojas e a revisão<br />

das estruturas. O escândalo da varejista<br />

levou outras re<strong>de</strong>s a fazer uma varredura<br />

nas suas estruturas para <strong>de</strong>scobrir se os<br />

problemas vividos pela Americanas não<br />

po<strong>de</strong>m ocorrer também nas suas operações<br />

e querem prevenir para não chegar ou<br />

chegou a famosa re<strong>de</strong>. “Há muitas dúvidas<br />

sobre o que aconteceu na realida<strong>de</strong>. Por<br />

isso, é muito <strong>de</strong>licado falar no assunto”.<br />

Mas uma coisa ela tem certeza: vai levar<br />

algum tempo para se resolver a situação,<br />

pois envolve parceiros, fornecedores.<br />

Para ela, passado o período mais crítico<br />

da pan<strong>de</strong>mia, cujas empresas inflaram<br />

suas operações para aten<strong>de</strong>r à <strong>de</strong>manda,<br />

agora as coisas ten<strong>de</strong>m a voltar ao normal.<br />

“É a rea<strong>de</strong>quação. O equilíbrio”. Segundo<br />

ela, hoje é nem tanto ao digital nem tanto<br />

ao físico. O que Tatiana mais lamenta é<br />

o impacto social que todas essas mexidas<br />

<strong>de</strong>vem ocasionar.<br />

Freepik<br />

Celso Andra<strong>de</strong>, CEO da UOTZ, acredita<br />

que a imagem do setor como um todo não<br />

será afetada por conta da crise na Americanas,<br />

mas, segundo ele, certamente acontecimentos<br />

como esse elevam a conscientização<br />

dos consumidores que <strong>de</strong>verão se<br />

tornar mais seletivos na escolha <strong>de</strong> varejistas<br />

<strong>de</strong> sua confiança, “valorizando mais a<br />

qualida<strong>de</strong> da experiência <strong>de</strong> compra”.<br />

Já para Thiago Pereira, head of business<br />

<strong>de</strong>velopment & innovation da MacFor,<br />

casos como o da Americanas po<strong>de</strong>m preocupar<br />

mais os varejistas do que os consumidores.<br />

“Para quem compra não impacta<br />

tanto, ele vai continuar comprando <strong>de</strong> outro<br />

lugar. Já para os varejistas, sobretudo<br />

os menores, que usam o marketplace <strong>de</strong><br />

marcas como a Americanas, po<strong>de</strong> sim impactar<br />

e gerar uma preocupação, afinal, é<br />

um canal a menos <strong>de</strong> divulgação do seu<br />

produto. Isso po<strong>de</strong> ter um impacto significativo<br />

em suas vendas e faturamento”.<br />

Renata Antunes, sócia e diretora <strong>de</strong><br />

criação da agência 11:11, fala que o caso da<br />

Americanas foi um rombo bilionário, tanto<br />

para o caixa quanto para a marca. “Até índice<br />

<strong>de</strong> sustentabilida<strong>de</strong> a empresa tinha.<br />

Pois é, por isso, a transparência da marca é<br />

<strong>de</strong> extrema importância. A exposição dos<br />

problemas vem <strong>de</strong> forma muito rápida e<br />

mexe, sim, com a confiança do consumidor.<br />

O setor ainda está incerto pelo cenário<br />

<strong>de</strong>safiador, a inadimplência crescendo, o<br />

consumidor mira no essencial”, analisa.<br />

Já Marcelo Rullo, head <strong>de</strong> planejamento<br />

e conteúdo da Oliver Latin America,<br />

não acredita que afete a imagem do setor<br />

nesse curto prazo. Essa esfera <strong>de</strong> polêmica,<br />

para ele, ainda é muito “etérea” para<br />

o consumidor e tramita nos corredores<br />

da Avenida Faria Lima, por enquanto.<br />

“Quando a oferta <strong>de</strong> crédito e a concorrência<br />

diminuírem, aumentando o preço e<br />

dificultando o po<strong>de</strong>r <strong>de</strong> compra, daí, sim,<br />

po<strong>de</strong>mos dizer que o consumidor enfrentará<br />

problemas”.<br />

Ns<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 25


Mercado<br />

Fotos: Divulgação<br />

Thiago Pereira: marcas evoluíram bastante<br />

e com ele o <strong>de</strong>safio das empresas para aten<strong>de</strong>r<br />

e encantar seus clientes”.<br />

O head of business <strong>de</strong>velopment & innovation<br />

da MacFor afirma, sem medo <strong>de</strong> errar,<br />

que a maior e mais impactante mudança<br />

no perfil do consumo foi o crescimento<br />

do digital. “Inovação e tecnologia nunca<br />

foram tão importantes para o sustento das<br />

marcas. A pan<strong>de</strong>mia acelerou a tendência<br />

<strong>de</strong> compras online <strong>de</strong> um jeito que elas se<br />

tornaram uma parte ainda mais importante<br />

do consumo. Chamaria <strong>de</strong> o início <strong>de</strong> uma<br />

nova era, que veio pra ficar”, comenta. Para<br />

ele, o que também vale <strong>de</strong>stacar é a maior<br />

conscientização sobre as compras, o que<br />

engloba o maior interesse em produtos sustentáveis<br />

e menos compras por impulso.<br />

A sócia e diretora <strong>de</strong> criação da agência<br />

11:11 vai na mesma linha e afirma que a voz<br />

do consumidor está valendo <strong>de</strong> fato. “Para<br />

o bem e para o mal, é isso que torna as empresas<br />

mais vulneráveis e suscetíveis ao<br />

julgamento. O consumidor enten<strong>de</strong>u isso<br />

e está mais atento às marcas, se realmente<br />

são confiáveis, se carregam uma boa relação<br />

custo-benefício, eles pesquisam e criticam<br />

mais. Isso é extremamente valioso para as<br />

empresas enxergarem como po<strong>de</strong>m evoluir<br />

e proporcionar uma boa experiência para o<br />

seu público”, avalia.<br />

O head <strong>de</strong> planejamento e conteúdo da<br />

Oliver Latin America aponta que as principais<br />

mudanças no perfil do consumo foram<br />

a digitalização e a globalização. E ele explica:<br />

“Digitalização: as pessoas per<strong>de</strong>ram, na<br />

gran<strong>de</strong> maioria, o medo das compras digitais.<br />

A pan<strong>de</strong>mia forçou um ‘intensivão’<br />

digital que abriu muitas portas para públicos<br />

não a<strong>de</strong>ptos <strong>de</strong>ssa forma <strong>de</strong> consumo.<br />

Globalização: nunca foi tão fácil e acessível<br />

comprar produtos <strong>de</strong> outros países através<br />

<strong>de</strong> gran<strong>de</strong>s varejistas como Mercado Livre<br />

e Amazon. Isso amplia a competitivida<strong>de</strong><br />

nacional em um nível global”.<br />

Edu Cabral: com apoio, consumidor ajuda na melhoria<br />

“inovação e tecnologia<br />

nunca foram tão<br />

importantes para o<br />

sustento das marcas”<br />

O diretor <strong>de</strong> estratégia da WMcCann vai<br />

ainda mais longe e afirma que muitos serviços<br />

e produtos cresceram ou se ressignificaram<br />

“nesse trágico processo que o mundo<br />

ainda vive os resquícios”. “Marcas precisaram<br />

ganhar propósito. Essa foi a principal<br />

mudança no consumo, em muitas categorias.<br />

O carro, por exemplo, se transformou<br />

não só num meio <strong>de</strong> transporte, mas em um<br />

local <strong>de</strong> segurança – em vários aspectos, assim<br />

como o olhar para o conforto foi algo<br />

exponencial, afinal, as restrições pandêmicas<br />

alteraram inúmeras perspectivas <strong>de</strong><br />

como a socieda<strong>de</strong> se relaciona com diferentes<br />

produtos e serviços”, explica.<br />

Muitas re<strong>de</strong>s <strong>de</strong> varejo esperavam que,<br />

após a pan<strong>de</strong>mia da Covid-19, que provocou<br />

o isolamento social, o consumidor<br />

voltaria a circular pelas ruas <strong>de</strong> comércio e<br />

shopping centers. Mas isso parece que não<br />

aconteceu. Esta tese é contestada por Tatiane<br />

Thomaz. A professora da ESPM fala<br />

que o consumidor voltou, sim, à loja física,<br />

voltou ao nível <strong>de</strong> mixida<strong>de</strong> <strong>de</strong> canais<br />

que existia antes da pan<strong>de</strong>mia. “A diferença<br />

é que a expectativa e exigência <strong>de</strong>le<br />

Celso Andra<strong>de</strong>: consumidor muito mais digitalizado<br />

estão bem mais elevadas, pois teve a experiência<br />

da compra online e sua conveniência,<br />

portanto as lojas físicas não po<strong>de</strong>m<br />

reproduzir a compra online, precisa ser<br />

um local <strong>de</strong> experimentação, experiências<br />

sensoriais, precisam entregar algo a mais<br />

para que se diferenciem do e-commerce e<br />

façam com que o consumidor tenha vonta<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> entrar na loja”.<br />

Celso Andra<strong>de</strong> acredita que, talvez para o<br />

varejo, o principal legado da pan<strong>de</strong>mia seja<br />

que o consumidor apren<strong>de</strong>u e se acostumou<br />

com o online. “O momento agora é como<br />

trabalhar bem o omnichannel, operar realmente<br />

<strong>de</strong> forma integrada, e repensar o papel<br />

da loja física para que ela tenha um valor<br />

diferente no processo <strong>de</strong> compra”, opina.<br />

Já Thiago Pereira trabalha com as duas<br />

hipóteses: “Sim e não”. “O consumidor,<br />

em sua ânsia por sair <strong>de</strong> casa, voltou, sim,<br />

para as lojas físicas, mas o digital não per<strong>de</strong>u<br />

sua importância. Percebo que muitos<br />

usam a ida à loja física como um momento<br />

<strong>de</strong> <strong>de</strong>scontração e não tanto por necessida<strong>de</strong>,<br />

como antes. As compras online trazem<br />

uma facilida<strong>de</strong> que chama a atenção<br />

e, muitas vezes, traz também mais benefícios<br />

do que as compras físicas, como <strong>de</strong>scontos,<br />

comprar hoje e receber amanhã no<br />

conforto do seu lar”.<br />

Renata Antunes lembra que o consumidor<br />

passou dois anos comprando online e<br />

apren<strong>de</strong>u como escolher, tirar dúvidas,<br />

pagar e reclamar, tudo. “Ou seja, todas as<br />

suas inseguranças pré-pan<strong>de</strong>mia foram<br />

solucionadas. Então, qual motivo ele tem<br />

hoje para per<strong>de</strong>r tempo e combustível, se<br />

<strong>de</strong>slocar até uma loja física pra adquirir<br />

o mesmíssimo produto quando muitos<br />

sites possibilitam a entrega para o mesmo<br />

dia?”, questiona. Para ela, ou as lojas<br />

passam a oferecer uma experiência incrível<br />

ou ir até o espaço físico não tem mais<br />

justificativa.<br />

26 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


coMércio digital<br />

O e-commerce cresceu. Isso é inegável<br />

e daqui para frente é só <strong>de</strong>senvolver e mo<strong>de</strong>rnizar<br />

cada vez mais o formato, porque<br />

o consumo exige mais e mais. Para Tatiana<br />

Thomaz, é indiscutível que esse é um caminho<br />

sem volta. “Segundo dados do Relatório<br />

Webshoppers, da Nielsen IQEbit, embora<br />

a taxa <strong>de</strong> crescimento em 2022 tenha sido<br />

mais discreta que a <strong>de</strong> 2021, ainda segue<br />

crescendo com mais pessoas a<strong>de</strong>rindo ao e-<br />

-commerce. A integração entre o on e o off<br />

já faz parte da jornada dos consumidores e<br />

as empresas precisam conviver com essa<br />

realida<strong>de</strong> e trabalhar todos os canais <strong>de</strong> forma<br />

a oferecer uma experiência fluida aos<br />

consumidores, on<strong>de</strong> e como ele quiser”.<br />

O CEO da UOTZ acredita que toda evolução<br />

que ocorreu nestes últimos anos,<br />

com uma gran<strong>de</strong> quantida<strong>de</strong> <strong>de</strong> novas empresas<br />

que só aten<strong>de</strong>m no formato digital,<br />

fez com que os consumidores percebessem<br />

os gran<strong>de</strong>s benefícios nessa modalida<strong>de</strong> <strong>de</strong><br />

consumo.<br />

Thiago Pereira apresenta um estudo realizado<br />

pelo Statista que <strong>de</strong>monstra crescimento<br />

constante no número <strong>de</strong> usuários <strong>de</strong><br />

e-commerce <strong>de</strong>s<strong>de</strong> 2017. “Espera-se atingir<br />

<strong>13</strong>0 milhões <strong>de</strong> usuários em <strong>2023</strong> e 147,5 milhões<br />

<strong>de</strong> usuários <strong>de</strong> e-commerce no Brasil<br />

até 2027”, relata.<br />

Renata Antunes afirma que o cliente<br />

apren<strong>de</strong>u a consumir pelo e-commerce/<br />

<strong>de</strong>livery e enxergou também a diferença<br />

<strong>de</strong> custo, a comodida<strong>de</strong>, que muitas vezes<br />

nem vale a ida à loja física. “Em ano<br />

<strong>de</strong> alta da inflação e juros, o consumo vai<br />

<strong>de</strong>morar para equalizar com os números<br />

da pré-pan<strong>de</strong>mia”, afirma.<br />

Edu Cabral resgata o boom do digital e a<br />

sua linearida<strong>de</strong>, que simplesmente acabou.<br />

“Isso forma um consumidor muito diferente,<br />

que pesquisa e consome diferentes pontos<br />

ao <strong>de</strong>correr da jornada. Esse consumidor<br />

chega ao PDV ou ao carrinho <strong>de</strong> compra<br />

com outro nível <strong>de</strong> maturida<strong>de</strong> e <strong>de</strong>cisão.<br />

É, sem dúvida, um caminho sem volta e o<br />

segredo para as marcas é saber compor toda<br />

essa jornada ‘sem pé nem cabeça’ <strong>de</strong> forma<br />

relevante e engajadora para ser consi<strong>de</strong>rado<br />

e se construir em meio a todos estes possíveis<br />

e infinitos impactos”, avalia.<br />

Ele fala ainda que, em muitos mercados,<br />

o consumidor não abandonou a visita ao<br />

PDV, a diferença é como ele chega para consumir.<br />

“Muito mais munido <strong>de</strong> informação<br />

e já com a <strong>de</strong>cisão, este consumidor quando<br />

chega já sabe o que quer ver, consultar<br />

ou comprar. Entretanto, muitos segmentos<br />

<strong>de</strong> fato se reinventaram totalmente na pan<strong>de</strong>mia<br />

e o físico per<strong>de</strong>u até o sentido, mas,<br />

com a retomada, as pessoas estão mantendo<br />

o que é mais cômodo no <strong>de</strong>fault criado<br />

na pan<strong>de</strong>mia, mas também resgatando visitas<br />

a lojas físicas”, explica.<br />

o dia<br />

Tatiane Thomaz acha que há motivos<br />

para comemorar o Dia do Consumidor<br />

<strong>de</strong>ste ano, já que o mercado dispõe <strong>de</strong><br />

Novas diretrizes do Código <strong>de</strong> Defesa do Consumidor <strong>de</strong>vem ser motivo <strong>de</strong> comemoração<br />

“83% dos consumidores<br />

esperam interagir<br />

com alguém<br />

imediatamente Quando<br />

entram em contato<br />

com uma empresa”<br />

nova lei do SAC, Decreto nº 11.034, <strong>de</strong><br />

abril <strong>de</strong> 2022, que <strong>de</strong>termina novas diretrizes<br />

para o Código <strong>de</strong> Defesa do Consumidor,<br />

citando alguns exemplos, entre eles<br />

obrigatorieda<strong>de</strong> <strong>de</strong> ter ao menos um canal<br />

<strong>de</strong> atendimento 24/7; atendimento telefônico<br />

humano com 8 horas; informação<br />

sobre o tempo <strong>de</strong> espera; limite <strong>de</strong> transferência<br />

<strong>de</strong> chamada; e cancelamento e<br />

suspensão <strong>de</strong> serviços <strong>de</strong> forma imediata.<br />

“São queixas frequentes dos consumidores<br />

e, agora, as empresas têm <strong>de</strong> atendê-<br />

-los <strong>de</strong> uma nova forma”, comenta.<br />

Celso Andra<strong>de</strong> também acha que há o que<br />

comemorar nesta data. Para ele, nos melhores<br />

casos, as empresas brasileiras vêm<br />

proporcionando aos consumidores uma<br />

experiência similar à dos principais players<br />

americanos do e-commerce, simplificando<br />

Freepik<br />

a vida das pessoas, principalmente no pós-<br />

-venda. “Isso valoriza o mercado como um<br />

todo, na ótica do consumidor, porque traz<br />

confiança e ajuda a estabelecer habitualida<strong>de</strong><br />

em categorias cuja compra antes da pan<strong>de</strong>mia<br />

não era feita, principalmente, pelo<br />

online”. Andra<strong>de</strong> <strong>de</strong>staca também a responsabilida<strong>de</strong><br />

com que as empresas brasileiras,<br />

<strong>de</strong> forma geral, vêm tratando sua presença<br />

online em linha com as exigências da LGPD.<br />

“Esse é um outro sinal <strong>de</strong> amadurecimento<br />

do mercado e da socieda<strong>de</strong> brasileira”.<br />

Thiago Pereira revela dados <strong>de</strong> pesquisa<br />

in-app feita pela Shopee que aponta que<br />

45% das pessoas preten<strong>de</strong>m comprar no<br />

Dia do Consumidor, o que mostra, segundo<br />

ele, que a oportunida<strong>de</strong> é gran<strong>de</strong> e o conhecimento<br />

sobre esta data comemorativa<br />

ten<strong>de</strong> a aumentar, e o resultado <strong>de</strong>ve ser o<br />

aumento das intenções <strong>de</strong> compra.<br />

Já Renata Antunes acha difícil comemorar.<br />

“Somos um país otimista, mas ainda<br />

temos uma economia emergente e um ano<br />

<strong>de</strong> incerteza fiscal. O país está se reestruturando<br />

pós-pan<strong>de</strong>mia, Copa e eleições. Passamos<br />

por poucas e boas. Agora é hora <strong>de</strong><br />

ficar atento e esperar se o governo colocará<br />

uma meta <strong>de</strong> inflação, aguardar um crescimento<br />

econômico para que o consumidor<br />

aumente seu po<strong>de</strong>r <strong>de</strong> compra e o setor varejista<br />

se estabilize”, argumenta.<br />

Marcelo Rullo também acredita que este<br />

é um ano <strong>de</strong> gran<strong>de</strong> <strong>de</strong>safio econômico,<br />

com um período <strong>de</strong> recessão global que afeta<br />

diretamente o varejo. “Creio que o Dia do<br />

Consumidor vai nos dar um termômetro <strong>de</strong><br />

como está a economia e o bolso do brasileiro,<br />

e po<strong>de</strong>mos usar essa análise para traçar<br />

metas para o restante do ano”, conclui.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 27


mercAdo<br />

Abramark revela os <strong>de</strong>z profissionais<br />

<strong>de</strong>ste ano para o seu Hall da Fama<br />

Aca<strong>de</strong>mia Brasileira <strong>de</strong> Marketing apresenta os <strong>de</strong>z novos integrantes do seu Hall da Fama<br />

CONHEÇA O<br />

PROGRAMA DE<br />

APOIADORES DA<br />

ABRAMARK.<br />

EXPERIMENTE<br />

30 DIAS GRÁTIS<br />

CONTEÚDO<br />

CONHECIMENTO<br />

MARKETING<br />

SEJA UM ABRAMEMBER:<br />

ABRAMARK.COM.BR/ABRAMEMBERS<br />

VOCÊ NA ABRAMARK.<br />

A ABRAMARK COM VOCÊ.<br />

Divulgação<br />

Eleição segue três<br />

etapas e começa<br />

com a indicação<br />

dos profissionais<br />

Abramark (Aca<strong>de</strong>mia Brasileira <strong>de</strong><br />

A Marketing) elegeu os <strong>de</strong>z novos nomes<br />

para o seu Hall da Fama. São eles: Ana Paula<br />

Castello Branco, até fevereiro <strong>de</strong>ste ano,<br />

diretora <strong>de</strong> advertising & brand management<br />

da TIM Brasil, on<strong>de</strong> atuou por seis<br />

anos; Andrea Schwarz, CEO na iigual Inclusão<br />

e Diversida<strong>de</strong>, influenciadora digital,<br />

que tem conectadas às suas re<strong>de</strong>s cerca <strong>de</strong><br />

600 mil pessoas. Trabalha há quase duas<br />

décadas com inclusão e diversida<strong>de</strong>.<br />

Outro profissional é Fabio Nahoum, diretor<br />

<strong>de</strong> marketing da Claro, on<strong>de</strong> atua há<br />

mais <strong>de</strong> 10 anos, sendo que, <strong>de</strong>s<strong>de</strong> 2019,<br />

li<strong>de</strong>ra a diretoria <strong>de</strong> produtos da companhia.<br />

E também Felipe Silva, partner &<br />

creative director da Gana, da qual é cofundador,<br />

e se i<strong>de</strong>ntifica como uma agência<br />

criativa e in<strong>de</strong>pen<strong>de</strong>nte, formada por uma<br />

equipe 100% negra.<br />

Gabriela Comazzetto, general manager<br />

<strong>de</strong> global business solutions latam do<br />

TikTok, que tem 23 anos <strong>de</strong> experiência<br />

no mercado <strong>de</strong> marketing e publicida<strong>de</strong>,<br />

também entrou para o Hall da Fama. Outro<br />

nome é o <strong>de</strong> Gustavo Bastos – CEO e<br />

CCO da 11:21, presi<strong>de</strong>nte da Abap e vice-<br />

-presi<strong>de</strong>nte do Sinapro, ambas no Rio <strong>de</strong><br />

Janeiro. E Gustavo Giglio, head of content<br />

for brands, relacionamento e parcerias<br />

na Omelete Company, sócio do Update or<br />

Die, head/curador do Unlock CCXP e foun<strong>de</strong>r<br />

do Coffee Hunter. Mais um <strong>de</strong>staque<br />

é Ilca Sierra, chief experience marketing<br />

officer da VIA, atualmente responsável<br />

pelo marketing, branding e estratégia <strong>de</strong><br />

clientes das marcas Casas Bahia, Ponto e<br />

Extra.com.br. Thais Hagge, general manager<br />

beauty & wellbeing Brasil e CMO <strong>de</strong><br />

hair care latam da Unilever, também se<br />

<strong>de</strong>stacou nesta eleição da Abramark.<br />

A eleição para integrar o Hall da Fama é<br />

feita por etapas. Primeiro é a fase <strong>de</strong> indicações,<br />

quando acadêmicos e membros do<br />

Hall da Fama indicam os nomes daqueles<br />

que, no seu entendimento, fazem jus ao<br />

reconhecimento. Depois, os nomes com<br />

mais indicações são submetidos ao pleno<br />

da Aca<strong>de</strong>mia, em uma consulta para saber<br />

se alguém se manifesta contrário. Após<br />

isso, são realizadas entrevistas individuais<br />

com cada um dos indicados. Somente<br />

<strong>de</strong>pois acontece a consagração dos profissionais<br />

ao Hall da Fama.<br />

28 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


MerCado<br />

Cenp-Meios mostra crescimento <strong>de</strong><br />

7,6% nos investimentos em 2022<br />

Veículos movimentaram no período R$ 21,2 bilhões; internet, mídia out<br />

of home e cinema foram os que tiveram o maior aumento durante o ano<br />

Vinícius noVaes<br />

Os investimentos em mídia<br />

em 2022 cresceram 7,6%<br />

na comparação com 2021, chegando<br />

a uma movimentação <strong>de</strong><br />

R$ 21,2 bilhões – ante R$ 19,7<br />

bilhões no ano retrasado. Os<br />

números foram divulgados pelo<br />

Cenp-Meios na última quinta-feira<br />

(9).<br />

Internet, mídia exterior e<br />

cinema foram os únicos meios<br />

que, <strong>de</strong> acordo com relatório<br />

do Cenp, apresentaram alta nos<br />

investimentos – 2,28%, 1,6%<br />

e 0,18%, respectivamente. A<br />

maior queda ficou com a TV<br />

aberta, que registrou baixa <strong>de</strong><br />

3,7%, muito por conta das Eleições<br />

que aconteceram em 2022.<br />

Segundo a instituição, os dados<br />

confirmam a percepção <strong>de</strong><br />

um ano com sinais consistentes<br />

<strong>de</strong> evolução. A entida<strong>de</strong> ressalta<br />

ainda que, no primeiro semestre<br />

<strong>de</strong> 2022, o indicador <strong>de</strong><br />

evolução do mercado do Cenp-<br />

-Meios chegou a 12,5%, em relação<br />

a 2021.<br />

Naquele ano, o crescimento<br />

chegou a ser maior se comparado<br />

com o <strong>de</strong> 2022, por conta<br />

da pan<strong>de</strong>mia <strong>de</strong> Covid-19. Em<br />

meio à crise sanitária, à época,<br />

os investimentos ficaram em<br />

R$ 14,2 bilhões.<br />

Presi<strong>de</strong>nte do conselho do<br />

Cenp, Luiz Lara disse que a<br />

instabilida<strong>de</strong> com a então<br />

<strong>de</strong>finição <strong>de</strong> novo governo, o<br />

horário eleitoral nas gra<strong>de</strong>s <strong>de</strong><br />

programação e a Copa do Mundo<br />

fora da época, que canibalizou<br />

investimentos da Black<br />

Friday e do Natal, estão entre as<br />

razões que po<strong>de</strong>m explicar este<br />

cenário.<br />

“Foi um ano <strong>de</strong> retomada<br />

das ativida<strong>de</strong>s econômicas,<br />

mas ao mesmo tempo <strong>de</strong> muitas<br />

incertezas provocadas tanto<br />

pelas eleições quanto por fatores<br />

externos como a Guerra<br />

da Ucrânia. Mesmo assim, os<br />

investimentos publicitários tiveram<br />

crescimento acima da<br />

inflação”, diz Luiz Lara.<br />

O Fórum <strong>de</strong> Autorregulação<br />

Publicitária também registrou<br />

aumento no volume <strong>de</strong> agências<br />

participantes: a leitura <strong>de</strong><br />

2021 contemplava 298 agências<br />

e em 2022 são 326 empresas.<br />

Dona do maior investimento<br />

<strong>de</strong> 2022, o meio Internet<br />

abocanhou R$ 7,5 bilhões no<br />

período, tendo um share <strong>de</strong><br />

35,7%. Dentro <strong>de</strong>sse segmento,<br />

o display foi o que teve maior<br />

investimento: R$ 5,1 bilhões.<br />

Na sequência aparece Social,<br />

com R$ 1,5 bilhão. A divisão<br />

dos investimentos em outras<br />

áreas é: Search (R$ 85 milhões),<br />

Ví<strong>de</strong>o (R$ 436 mil) e Áudio<br />

“Foi um ano<br />

<strong>de</strong> retomada<br />

das ativida<strong>de</strong>s<br />

econômicas”<br />

(R$ 19,9 mil).<br />

Da parte mais baixa do<br />

ranking <strong>de</strong> investimentos do<br />

Cenp-Meios, a TV aberta amargou<br />

uma redução <strong>de</strong> 3,7%.<br />

Além <strong>de</strong> Televisão, tiveram<br />

redução os meios Jornal<br />

(-0,19%), Rádio (-0,12%), TV<br />

por assinatura (-0,04%) e Revista<br />

(-0,02%).<br />

Mídia out of hoMe<br />

Um dos segmentos <strong>de</strong> mídia<br />

mais impactado pela pan<strong>de</strong>mia<br />

<strong>de</strong> Covid-19, o out of home<br />

vem <strong>de</strong>monstrando recuperação<br />

ano a ano. Em 2019, o setor<br />

faturou R$ 1,8 bilhão, enquanto<br />

no ano seguinte, em 2020, os<br />

investimentos foram reduzidos<br />

para R$ 1,2 bilhão. Já em 2021, a<br />

mídia OOH começou a se recuperar,<br />

R$ 1,6 bilhão, até chegar<br />

ao ano passado, quando foram<br />

injetados R$ 2,1 bilhões, valor<br />

maior que o pré-pan<strong>de</strong>mia.<br />

Para este ano, o coor<strong>de</strong>nador<br />

do Comitê Técnico <strong>de</strong> Métricas<br />

e Indicadores do Cenp, Salles<br />

Neto, aposta em uma nova curva<br />

ascen<strong>de</strong>nte. “O mercado vai<br />

seguir investindo e apostando<br />

em presença na mídia para reter<br />

a atenção dos consumidores.<br />

Nunca se consumiu tanta<br />

mídia como reiteram os próprios<br />

dados do Cenp-Meios”,<br />

finalizou.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 29


mercado<br />

Lí<strong>de</strong>res da Fenapro se reúnem com<br />

ministro da Secom, em Brasília<br />

Dudu Godoy, Paulo Pimenta, Ricardo Menezes e Daniel Queiroz: aproximação<br />

Divulgação<br />

Encontro preten<strong>de</strong><br />

aproximar as partes<br />

e colocar entida<strong>de</strong> ao<br />

dispor da Secretaria<br />

Li<strong>de</strong>ranças da Fenapro (Fe<strong>de</strong>ração Nacional<br />

das Agências <strong>de</strong> Propaganda)<br />

estiveram no Palácio do Planalto, em Brasília<br />

(DF), na última terça-feira (7), on<strong>de</strong> se<br />

reuniram com o ministro-chefe da Secom<br />

(Secretaria <strong>de</strong> Comunicação Social da Presidência<br />

da República), Paulo Pimenta, a fim<br />

<strong>de</strong> promover uma aproximação entre as duas<br />

partes e colocar a entida<strong>de</strong> à disposição<br />

do órgão para tratar <strong>de</strong> temas relacionados<br />

à indústria da comunicação. Participaram<br />

do encontro, Daniel Queiroz e Dudu Godoy,<br />

respectivamente presi<strong>de</strong>nte e VP da Fenapro;<br />

Ricardo Menezes, diretor <strong>de</strong> relações<br />

governamentais, e Marcelo Ribeiro, executivo<br />

da entida<strong>de</strong>. O encontro foi uma excelente<br />

oportunida<strong>de</strong> para ampliar o fluxo<br />

<strong>de</strong> comunicação entre o Sistema Sinapro/<br />

Fenapro e a Secom. Falaram, segundo Queiroz,<br />

sobre pontos importantes do complexo<br />

ambiente da comunicação.<br />

Os representantes da entida<strong>de</strong> apresentaram<br />

à Secom um panorama da indústria<br />

da comunicação no país, e <strong>de</strong>stacaram sua<br />

contribuição para a geração <strong>de</strong> empregos e<br />

renda. Também foi <strong>de</strong>batida a importância<br />

da autorregulamentação como a melhor forma<br />

<strong>de</strong> se criar um ambiente concorrencial<br />

saudável, e foram <strong>de</strong>stacadas as diretrizes<br />

do Cenp (Conselho Executivo das Normas-<br />

-Padrão) como a referência mais a<strong>de</strong>quada<br />

para pautar a estrutura dos editais das licitações<br />

na área da publicida<strong>de</strong>.<br />

A Fenapro ofereceu à Secom apoio para<br />

tratar dos temas técnicos, da área legal e<br />

operacional da comunicação, a fim <strong>de</strong> auxiliar<br />

o governo e suas equipes em <strong>de</strong>finições<br />

relativas ao setor, e se disponibilizou<br />

para contribuir com a nova rodada <strong>de</strong> estruturação<br />

e publicação dos editais para<br />

contratação dos serviços <strong>de</strong> publicida<strong>de</strong>.<br />

“Os editais da Secom e das empresas públicas<br />

fe<strong>de</strong>rais pautam todo o setor público<br />

nacional, estadual e municipal, e por esse<br />

motivo são extremamente importantes não<br />

só para o negócio das agências, mas para todos<br />

os processos <strong>de</strong> contratação <strong>de</strong> serviços<br />

na área pública”, ressaltou o presi<strong>de</strong>nte da<br />

Fenapro, acrescentando: “Daí a importância<br />

<strong>de</strong> se ter editais tecnicamente corretos,<br />

embasados nas melhores práticas, inclusive<br />

na execução dos contratos, que preservem o<br />

ambiente <strong>de</strong> negócios e a segurança jurídica<br />

para todos os interessados”.<br />

30 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


inspiração<br />

previsão do tempo<br />

Fotos: Arquivo Pessoal<br />

“Ser mãe havia me proporcionado, até então, a minha maior realização,<br />

seguida pela minha profissão, que tanto me faz evoluir e ser feliz”<br />

Natasha szaNiecki<br />

especial para o PROPMaRk<br />

Onze <strong>de</strong> outubro <strong>de</strong> 2002.<br />

Foi neste dia que entendi, com mais<br />

clareza, o significado <strong>de</strong> algumas palavras:<br />

amor, orgulho, inspiração.<br />

Neste dia, <strong>de</strong>i à luz Sofia, minha primeira<br />

filha. Foi uma cesárea, no susto; <strong>de</strong>pois <strong>de</strong><br />

um exame <strong>de</strong> rotina, tive <strong>de</strong> correr para a<br />

maternida<strong>de</strong> - ela estava sem se movimentar<br />

e não havia tempo a per<strong>de</strong>r.<br />

“Vá para casa, pegue suas coisas e me<br />

encontre no hospital”, disse meu cunhado,<br />

médico anestesista e quem fez o parto. Eu<br />

já intuía algo <strong>de</strong> errado, senti na noite anterior<br />

que os chutes haviam diminuído.<br />

Apesar do susto, a danada nasceu linda,<br />

coração batendo forte, com os olhos azuis<br />

mais puros que eu já havia visto e senti uma<br />

explosão <strong>de</strong> emoção.<br />

Naquele momento, entre o seu choro alto<br />

e as conversas dos enfermeiros e médicos,<br />

<strong>de</strong>sejei um punhado <strong>de</strong> coisas, mas o que<br />

eu realmente <strong>de</strong>sejei foi protegê-la para o<br />

resto da minha vida. Era um amor que chegava<br />

a doer, ouso dizer que ardia.<br />

Meu coração batia forte, a respiração era<br />

curta, eu chorava <strong>de</strong> alegria. E <strong>de</strong> medo<br />

também. Que baita responsabilida<strong>de</strong> eu tinha<br />

em minhas mãos.<br />

Como não me comprometer para que<br />

nada <strong>de</strong> mal lhe acontecesse?<br />

Eu me atirei por completo à experiência<br />

da maternida<strong>de</strong>.<br />

Fui, aos poucos, fazendo várias promessas:<br />

ser uma mãe presente, carinhosa e<br />

acolhedora; brincalhona e engraçada para<br />

animá-la nos dias tristes; dura e com limites,<br />

na medida certa. Lógico que, na prática,<br />

tudo foi diferente. Quantas vezes me vi<br />

completamente perdida. Esses microsseres<br />

nos <strong>de</strong>sestabilizam com uma facilida<strong>de</strong><br />

enorme.<br />

Voltei ao trabalho <strong>de</strong>pois <strong>de</strong> quatro meses<br />

<strong>de</strong> licença. Dava a mamada da manhã e<br />

voltava o mais rápido que podia para a da<br />

noite. Gostava <strong>de</strong>ssa intensida<strong>de</strong> <strong>de</strong> ativida<strong>de</strong>s,<br />

ser mãe e trabalhar intensamente.<br />

Sair <strong>de</strong> casa e ir para o escritório, acreditem,<br />

era também uma forma <strong>de</strong> <strong>de</strong>scanso.<br />

Os anos foram passando, Sofia cresceu e, eu<br />

me inspirei a ter mais alguns filhos.<br />

Por que não duplicar, triplicar, quadruplicar<br />

este amor?<br />

Vieram mais três: Fernando, dois anos e<br />

meio <strong>de</strong>pois, e, mais tar<strong>de</strong>, os gêmeos André<br />

e Gabriel.<br />

Além dos meus amigos, do trabalho e<br />

família, os meus coalas (essa é a maneira<br />

que me refiro a eles), me motivam a ser essa<br />

mulher que sou hoje, cheia <strong>de</strong> funções, inquieta,<br />

apaixonada pela vida e orgulhosa da<br />

minha trajetória.<br />

Ser mãe havia me proporcionado, até então,<br />

a minha maior realização, seguida pela<br />

minha profissão, que tanto me faz evoluir<br />

e ser feliz. Trabalho e maternida<strong>de</strong>, para<br />

mim, sempre caminharam juntos. O trabalho<br />

me dá a chance <strong>de</strong> ser uma mãe melhor<br />

e vice-versa. Que privilégio eu tenho.<br />

Nos últimos meses, também estou vivenciando<br />

a alegria <strong>de</strong> ter uma cachorra, a<br />

Blue, que foi encontrada numa rua no extremo<br />

sul <strong>de</strong> São Paulo, enquanto um dos<br />

meus filhos fazia um passeio com a escola.<br />

Ficou internada, quase não sobreviveu.<br />

Foram dois meses <strong>de</strong> sofrimento. E <strong>de</strong> um<br />

novo amor imenso que nascia.<br />

Recentemente, fiz uma uma viagem ao<br />

Egito com os quatro. Uma viagem que proporcionou<br />

conhecimento, experiências novas,<br />

risadas. Mas, mais que tudo isso, ela<br />

gerou conexão. Sem wi-fi em gran<strong>de</strong> parte<br />

do dia, fomos “obrigados” a olhar as paisagens,<br />

conversar, rir <strong>de</strong> nós mesmos.<br />

Eu trabalho para quitar muitos boletos,<br />

mas, acima <strong>de</strong> tudo, para mostrar o mundo<br />

aos meus filhos. Esse é o meu lema <strong>de</strong> vida<br />

enquanto ainda consigo levá-los.<br />

Voltei recarregada da viagem e com o<br />

sentimento <strong>de</strong> missão cumprida. Ouvi gente<br />

dizendo que era uma loucura eu, uma<br />

judia, fazer turismo num país muçulmano<br />

- e ainda com quatro a tiracolo. Loucura é<br />

não ir.<br />

Retornei ao trabalho disposta e já começando<br />

a economizar para a próxima viagem.<br />

Os filhos crescem rápido e seguem os<br />

próprios caminhos.<br />

Outro dia li sobre a previsão do tempo:<br />

ele está passando, aproveite!<br />

Natasha Szaniecki é head <strong>de</strong> comunicação, RP,<br />

marketing e mídias sociais na En<strong>de</strong>mol Shine Brasil<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 31


opinião<br />

James Day/Unsplash<br />

A força do digital<br />

no Festival <strong>de</strong> Verão<br />

Geo Filho<br />

Os últimos meses marcaram o retorno<br />

dos gran<strong>de</strong>s festivais <strong>de</strong> música no mo<strong>de</strong>lo<br />

presencial, e um evento que também<br />

se reencontrou com o seu público foi o Festival<br />

<strong>de</strong> Verão <strong>de</strong> Salvador. Realizado pela<br />

Bahia Eventos <strong>de</strong>s<strong>de</strong> 1998, o FV é um símbolo<br />

da capital baiana e já recebeu gran<strong>de</strong>s<br />

nomes da música nacional e internacional,<br />

como Ivete Sangalo, Gilberto Gil, Caetano<br />

Veloso, Jason Mraz, James Blunt, Soja, Alanis<br />

Morissette, Fatboy Slim e Men at Work.<br />

Sem condições <strong>de</strong> ser realizado <strong>de</strong>s<strong>de</strong><br />

2020, por conta da pan<strong>de</strong>mia do coronavírus,<br />

o Festival <strong>de</strong> Verão reposicionou<br />

sua comunicação,<br />

dando mais atenção ao digital<br />

em uma linha criativa forte.<br />

Com foco na interativida<strong>de</strong>, a<br />

estratégia online foi <strong>de</strong>senvolvida<br />

pela Gente Propaganda,<br />

que reforçou a memória afetiva<br />

como um dos principais assets<br />

da marca.<br />

O FV tem uma marca expressiva,<br />

muito simbólica para a Bahia,<br />

e essa força apareceu nas re<strong>de</strong>s sociais. O<br />

<strong>de</strong>safio foi potencializar o evento com uma<br />

comunicação viva, que tivesse a capacida<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> falar com o Brasil inteiro, sem per<strong>de</strong>r<br />

a i<strong>de</strong>ntida<strong>de</strong> baiana. O conceito Somos<br />

Mundo assinou o FV23 e ganhou <strong>de</strong>staque.<br />

Ações online valorizaram a diversida<strong>de</strong> do<br />

público e <strong>de</strong> gêneros musicais que se apresentaram<br />

nos dois dias do festival.<br />

“A i<strong>de</strong>iA é<br />

que esse<br />

processo <strong>de</strong><br />

interAção<br />

intensA sejA<br />

mAntido o<br />

Ano inteiro”<br />

Os resultados foram muito acima do esperado.<br />

Somando todas as re<strong>de</strong>s sociais, o<br />

FV alcançou seus melhores números em<br />

<strong>2023</strong>, com quase 10 milhões <strong>de</strong> impressões,<br />

cerca <strong>de</strong> 861 mil pessoas impactadas e mais<br />

<strong>de</strong> 51 mil cliques em conteúdos do festival.<br />

O número <strong>de</strong> seguidores no Instagram aumentou<br />

28% em dois meses, sendo o pico<br />

<strong>de</strong> crescimento durante os dois dias do<br />

evento, resultado associado a uma cobertura<br />

em tempo real durante o festival. O FV<br />

tem uma gran<strong>de</strong> pluralida<strong>de</strong> <strong>de</strong> espaços,<br />

com muitas coisas acontecendo simultaneamente.<br />

O <strong>de</strong>safio foi dar uma noção do<br />

todo a quem estava fora e também <strong>de</strong>ntro<br />

do Parque <strong>de</strong> Exposições. Esta tarefa <strong>de</strong><br />

geração <strong>de</strong> conteúdo foi realizada por um<br />

time com mais <strong>de</strong> 20 pessoas, coor<strong>de</strong>nado<br />

por Natane Ferro.<br />

Além da interação, os números também<br />

alcançaram resultados expressivos na comercialização<br />

<strong>de</strong> ingressos, com mais <strong>de</strong> 15<br />

mil acessos ao site <strong>de</strong> vendas originados<br />

exclusivamente das ações<br />

<strong>de</strong> tráfego pago. A melhor forma<br />

<strong>de</strong> mensurar a efetivida<strong>de</strong> no digital<br />

é o retorno em vendas. A experiência<br />

do Festival <strong>de</strong> Verão <strong>de</strong>ste<br />

ano consolidou as re<strong>de</strong>s como um<br />

ambiente extremamente assertivo<br />

na estratégia <strong>de</strong> conversão.<br />

Após os altos índices <strong>de</strong> engajamento<br />

e interação durante os dias<br />

do festival, o planejamento da comunicação<br />

online do FV entra agora em um momento<br />

<strong>de</strong> consolidação da força da marca nas re<strong>de</strong>s<br />

sociais. A i<strong>de</strong>ia é que esse processo <strong>de</strong> interação<br />

intensa seja mantido o ano inteiro,<br />

e não apenas nos meses que antece<strong>de</strong>m o<br />

evento. Uma estratégia parecida com a experiência<br />

bem-sucedida executada no Festival<br />

<strong>de</strong> Inverno Bahia, realizado anualmente<br />

pela Bahia Eventos em Vitória da Conquista,<br />

que tem as campanhas on e off integradas e<br />

assinadas pela Gente Propaganda.<br />

O <strong>de</strong>safio agora é manter viva a comunicação<br />

do festival ao longo do ano, sustentada<br />

na robustez do evento e em conteúdo<br />

focado em música, capaz <strong>de</strong> mobilizar a audiência<br />

durante os 365 dias do ano.<br />

Geo Filho é diretor <strong>de</strong> atendimento da Gente<br />

Propaganda, <strong>de</strong> Vitória da Conquista (BA), filiada<br />

ao Sinapro (BA)<br />

geofilho@gentepropaganda.com<br />

32 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


ESG NO MKT<br />

Jeffrey Keenan/Unsplash<br />

A CEO hippie<br />

e o propósito<br />

De acordo com estudo da S&P, empresas<br />

sensíveis e conscientes lucram mais<br />

Alexis Thuller PAgliArini<br />

Uma matéria publicada na semana passada<br />

no Estadão me chamou a atenção<br />

por duas razões: 1- a surpresa <strong>de</strong> termos<br />

uma empresa brasileira como importante<br />

player no bombado setor <strong>de</strong> baterias elétricas<br />

e 2- o fato <strong>de</strong> sua copresi<strong>de</strong>nte, Ana Cabral-Gardner,<br />

ser chamada <strong>de</strong> CEO hippie.<br />

Quanto ao primeiro fato, o que coloca a<br />

empresa da CEO, Sigma Lithium, em <strong>de</strong>staque<br />

é que, a partir do mês <strong>de</strong> abril, ela começa<br />

a produzir comercialmente em Minas<br />

Gerais lítio <strong>de</strong> alto grau <strong>de</strong> pureza, insumo<br />

crucial para a produção das baterias.<br />

Atualmente, apenas outras quatro empresas<br />

no mundo produzem esse mineral.<br />

Quanto ao apelido <strong>de</strong> CEO hippie, reproduzo<br />

aqui parte do texto da matéria: ele surgiu<br />

no início da criação da companhia.<br />

O motivo foi o fato <strong>de</strong> a executiva ter<br />

aberto mão do equivalente a R$ 3 bilhões<br />

ao <strong>de</strong>ixar <strong>de</strong> explorar 25% <strong>de</strong> uma mina<br />

<strong>de</strong> lítio para preservar a água das comunida<strong>de</strong>s<br />

próximas, que utilizam o Rio Ribeirão<br />

Piauí.<br />

A empresa optou por utilizar a água do<br />

Rio Jequitinhonha, que chega à região altamente<br />

poluído. Para operar, a unida<strong>de</strong><br />

da empresa conta com um sistema <strong>de</strong> tratamento<br />

<strong>de</strong> esgoto e <strong>de</strong> tubulação que reutiliza<br />

a água tratada até a sua evaporação.<br />

Outra diretriz do projeto foi não usar<br />

agentes químicos no processo, o que possibilita<br />

a venda dos rejeitos da mineração<br />

para produção <strong>de</strong> baterias menos nobres,<br />

como eletrônicos e na produção <strong>de</strong> cerâmica,<br />

otimizando os ganhos da empresa.<br />

Além do tratamento da água poluída<br />

do Jequitinhonha, o que também beneficia<br />

a comunida<strong>de</strong> do entorno do projeto,<br />

a Sigma <strong>de</strong>senvolve iniciativas sociais na<br />

região, como o Volta ao Lar, que garantiu<br />

o retorno ao norte <strong>de</strong> Minas Gerais <strong>de</strong> pais<br />

<strong>de</strong> famílias da região que haviam <strong>de</strong>ixado o<br />

local por falta <strong>de</strong> trabalho.<br />

Hoje, segundo a executiva, esses homens<br />

já representam 60% da mão <strong>de</strong> obra do projeto.<br />

Também está investindo R$ 4,5 milhões<br />

na construção <strong>de</strong> duas mil cisternas<br />

para pequenos agricultores contra a seca.<br />

São reservatórios <strong>de</strong> água que vão ajudar na<br />

contenção das enxurradas, prevenção da<br />

erosão e agricultura sustentável. É até engraçado<br />

ver uma executiva com esse nível<br />

<strong>de</strong> consciência ser chamada <strong>de</strong> “hippie”.<br />

Na verda<strong>de</strong>, todas as suas atitu<strong>de</strong>s <strong>de</strong>veriam<br />

ser encaradas não como um exemplo<br />

exótico – <strong>de</strong> hippie –, mas, isso sim, como<br />

benchmark para outras empresas. Até porque<br />

o resultado das suas atitu<strong>de</strong>s aparece<br />

agora elevando enormemente seu valor,<br />

a ponto <strong>de</strong> ser paquerada por Elon Musk<br />

e outros players do bilionário mercado <strong>de</strong><br />

carros elétricos.<br />

A opção pelo respeito às pessoas e o planeta,<br />

mesmo que isso acarrete em perda <strong>de</strong><br />

receita momentânea, vem da crença <strong>de</strong> que<br />

atitu<strong>de</strong>s como essa geram valor no longo<br />

prazo. Não me refiro a valor intangível, mas<br />

valor mensurável mesmo.<br />

Uma empresa que age assim tem cada<br />

vez mais valor no mercado. Numa entrevista<br />

recentemente publicada na revista New<br />

Yorker, John Mackey, o lendário fundador<br />

da Wholefoods (adquirida em 2017 por<br />

Jeff Bezos) e corresponsável pela criação<br />

dos princípios do capitalismo consciente<br />

(ao lado do professor indiano Raj Sisodia)<br />

foi questionado sobre o papel do propósito<br />

e do lucro nos negócios, e se o primeiro po<strong>de</strong>ria<br />

minar o último.<br />

Ele respon<strong>de</strong>u: “O propósito é importante<br />

intrinsecamente, por si só. Quer gere<br />

lucro ou não, o propósito é importante. No<br />

entanto, o propósito engajado e autêntico<br />

também aumentará os resultados, mas<br />

é um fim em si mesmo. Tratar as pessoas<br />

gentilmente é um fim em si mesmo. Não é<br />

ou/ou. Não é uma troca. Propósito e lucro,<br />

não propósito ou lucro”.<br />

É o que vem apregoando o consultor<br />

inglês John Elkington há tempos, por intermédio<br />

do seu conceito <strong>de</strong> triple bottom<br />

line, resumido, em inglês, por 3 Ps: Profit<br />

(lucro), People (pessoas), Planet (planeta).<br />

Lucro e o cuidado com as pessoas e o planeta<br />

não são água e óleo. Ao contrário, <strong>de</strong><br />

acordo com estudo da S&P, empresas sensíveis<br />

e conscientes lucram mais. Que sirva<br />

<strong>de</strong> exemplo!<br />

Alexis Thuller Pagliarini é sócio-fundador da ESG4<br />

alexis@criativista.com.br<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 33


click do Alê<br />

Alê Oliveira aleoliveira@propmark.com.br<br />

Gustavo Herbetta, CMO do COB, ao lado do Mascote Ginga<br />

Manda Brasa Brasil<br />

A WMcCann reuniu clientes e parceiros no último<br />

dia (6), na se<strong>de</strong> da agência, em São Paulo,<br />

para anunciar, ao lado do Comitê Olímpico do<br />

Brasil (COB), parceria durante o atual ciclo dos<br />

Jogos Olímpicos Paris 2024.<br />

Na ocasião, André França, presi<strong>de</strong>nte da<br />

agência, comunicou também que os clientes<br />

da WMcCann terão priorida<strong>de</strong> comercial para<br />

compra <strong>de</strong> mídia, patrocínio <strong>de</strong> eventos e <strong>de</strong><br />

ações do COB e o direito <strong>de</strong> uso da marca e <strong>de</strong><br />

<strong>de</strong>mais assets da organização até Paris 2024,<br />

e que a agência será a responsável por toda<br />

a comunicação do COB no período. Gustavo<br />

Herbetta, CMO do COB, <strong>de</strong>u <strong>de</strong>talhes sobre<br />

os Jogos Olímpicos em Paris, e apresentou<br />

algumas iniciativas que o COB conduzirá<br />

regionalmente, como a Casa Brasil, em Paris,<br />

o projeto da primeira Fan Fest olímpica do<br />

país, que acontecerá em São Paulo, no Parque<br />

Villa-Lobos, além da parceria <strong>de</strong> conteúdo<br />

com a CazéTV, do influencer e streamer<br />

Casimiro Miguel, que terá uma programação<br />

<strong>de</strong>dicada a Paris 2024. Os benefícios para<br />

clientes WMcCann incluem ainda priorida<strong>de</strong><br />

na compra das cotas <strong>de</strong> mídia nas emissoras<br />

que <strong>de</strong>têm os direitos <strong>de</strong> transmissão, como<br />

a Globo. Patricia Andra<strong>de</strong>, VP executiva,<br />

diretora-geral em Brasília e head of growth da<br />

WMcCann, responsável pela parceria, afirmou<br />

que o papel da agência “não será somente <strong>de</strong><br />

intermediação <strong>de</strong> parceria comercial. Como<br />

parceiro oficial <strong>de</strong> comunicação do COB,<br />

conseguiremos construir com os clientes histórias<br />

<strong>de</strong> marca potentes, alinhadas a todos os<br />

valores do olimpismo”. O evento contou com<br />

a participação em ví<strong>de</strong>o <strong>de</strong> atletas do COB,<br />

já utilizando o conceito da campanha, que é<br />

Manda brasa Brasil, além do mascote Ginga,<br />

que recepcionou os convidados usando uma<br />

camisa da WMcCann. O encerramento foi com<br />

um pocket show com a Torcida Brasil.<br />

Gustavo Herbetta (COB), Patricia Andra<strong>de</strong> e André França (WMcCann) celebram a realização <strong>de</strong> parceria ao lado<br />

do mascote Ginga e da Torcida Brasil, que seguem rumo aos Jogos Olímpicos <strong>de</strong> 2024, torneio sediado em Paris<br />

Felipe Soalheiro (Effect Sport SP), Fred Muller (SBT)<br />

e André França (WMcCann)<br />

Gustavo Noronha Pessoa (COB), Laura Paes Leme Nogueira<br />

(COB) e Rodrigo Ferreira, consultor <strong>de</strong> marketing esportivo<br />

Andreia Kalvon (WMcCann), Aline Fregnani (Latam), Amira<br />

Ayoub (Latam), Chris Rego (GM) e Renan Tavares (GM)<br />

Eric Sulzer, Renata Bokel e Mariana Sá (WMcCann)<br />

Aline Barros e Alan Morais (EXA) e<br />

Ana Paula Gran<strong>de</strong> (WMcCann)<br />

Gustavo Herbetta (COB), David Pinski (Flora)<br />

e Janaina Yana (WMcCann)<br />

Carlos Alexandre Guimarães (Everest), Marcio Borges<br />

(WMcCann Rio), Bianca Almeida (WMcCann) e Gaspar<br />

Giacomini (BNDES)<br />

34 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


BH receBe aMigos do Mercado<br />

Amigos do Mercado promoveu mais uma edição do Encontros Regionais.<br />

O palco da vez foi a capital mineira. O evento, que tem como<br />

finalida<strong>de</strong> promover o networking entre profissionais da comunicação,<br />

foi realizado no último dia (7), no espaço Jabu Drinkeria, e<br />

contou com a palestra <strong>de</strong> Beatriz Cardoso Laborne, head <strong>de</strong> marketing<br />

da Itambé Alimentos. O evento é uma realização do Amigos<br />

do Mercado, e tem como mantenedor a NEOOH e a Logan, com o<br />

patrocínio da Warner Bros. Discovery.<br />

Barbára Luttembarck, Gilberto Andra<strong>de</strong>, Frank Alcantara, Raisa Genta e time da NEOOH<br />

Vitor Coelho (Atake), Dayse Pedrosa (Lápis Raro), Luiza Adas (Lápis Raro)<br />

e Fernanda Marques (Stalo IN)<br />

Carol Novaes (Casa Dois Mídia), Victor Vasconcelos (Warner Bros. Discovery), Giovana<br />

Leão (VEX), Carol Werneck (Casa Dois Mídia), Camila Lacerda (Agencia Pro), Letícia<br />

Xavier (Agência Pro) e Mauro Borges (Warner Bros. Discovery)<br />

Augusto Silva (Mix FM), Mar<strong>de</strong>n Ribeiro (AG Rua) e Cida Lopes (Kallas)<br />

Marco Tulio Oliveira (Eletromidia), Simone Scalabrini (Eletromidia), Mônica Mafra<br />

(Casablanca), Camila Esteves (AZ3) e Marcelo Barbieri (Eletromidia)<br />

Karina Matos (Club Chalezinho), Marcos Braga, Gabriella Paes e Luciano Ottaviani<br />

(Amigos do Mercado)<br />

Ana Matozo (Logan), Paula Albuquerque, Alexandre Borges e Luciana Dumont<br />

(Central Comm MG)<br />

Lucas Félix, Angélica Cabral e Vinicius Azevedo<br />

(Mediação Propaganda)<br />

Marcelo Gosen<strong>de</strong> (Diários Associados)<br />

e Rosangela Santana (Pontual Veículos)<br />

Luciano Ottaviani (PMP by Logan), Beatriz Laborne<br />

(Itambé) e Marcos Braga (Amigos do Mercado)<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 35


wE<br />

mkt<br />

O Estado brasileiro,<br />

por asfixia,<br />

Ewan Kennedy/Unsplash<br />

assassinando o Brasil<br />

“Para as esquerdas brasileiras o<br />

socialismo não fracassou; é apenas<br />

um sucesso mal explicado”.<br />

Roberto Campos<br />

Francisco alberto Madia <strong>de</strong> souza<br />

E<br />

, uma vez mais, volta-se a falar em reforma<br />

tributária. Claro, com o objetivo<br />

único <strong>de</strong> aumentar impostos. Um país que<br />

chegou ao nível <strong>de</strong> caos tributário em que<br />

vivemos, não precisa <strong>de</strong> uma reforma. Mais<br />

que carece <strong>de</strong> uma revolução tributária. De<br />

repensar-se do zero a política tributária do<br />

país, provi<strong>de</strong>nciar-se uma inadiável reorganização<br />

política do país, e, finalmente, partirmos<br />

para a criação <strong>de</strong> um Brasil mo<strong>de</strong>rno<br />

aproveitando-nos da espetacular, excepcional<br />

e única oportunida<strong>de</strong> <strong>de</strong>corrente do tsunami<br />

tecnológico.<br />

Em nenhum outro momento da humanida<strong>de</strong><br />

o mundo reinventou-se tanto e radicalmente<br />

como agora. Não po<strong>de</strong>mos per<strong>de</strong>r<br />

essa oportunida<strong>de</strong>! Assim como os moradores<br />

dos condomínios não suportam mais<br />

as <strong>de</strong>spesas, nós, brasileiros, sangrando,<br />

não suportamos mais o caos tributário e a<br />

incompetência e a corrupção generalizada<br />

que prevalece nos escaninhos do po<strong>de</strong>r. O<br />

novo governo conseguiu a proeza <strong>de</strong> falir, <strong>de</strong><br />

revelar-se e <strong>de</strong>monstrar-se <strong>de</strong>spreparado e<br />

absolutamente incompetente e caótico pela<br />

bateção <strong>de</strong> cabeça <strong>de</strong> suas principais li<strong>de</strong>ranças,<br />

em menos <strong>de</strong> 60 dias. O novo governo,<br />

recém-empossado, acabou. Brasil, 3 anos<br />

e 10 meses pela frente à <strong>de</strong>riva...<br />

ficativa do “sorvedor” e gastador <strong>de</strong> dinheiro<br />

em que se converteu o Estado em nosso<br />

país. O exemplo vem do Rio <strong>de</strong> Janeiro, e <strong>de</strong><br />

uma iniciativa da polícia militar. Que <strong>de</strong>cidiu<br />

consi<strong>de</strong>rar a possibilida<strong>de</strong> <strong>de</strong> <strong>de</strong>ixar <strong>de</strong><br />

produzir a alimentação <strong>de</strong> seus policiais internamente,<br />

e terceirizar. Na situação atual,<br />

produção interna, nos diferentes “ranchos”<br />

da Polícia Militar trabalha quase um exército.<br />

20 oficiais, 242 segundos-sargentos, 148<br />

primeiros-sargentos, 98 subtenentes, 84<br />

terceiros-sargentos, 120 cabos e 20 soldados.<br />

Que <strong>de</strong>veriam estar alocados exclusivamente<br />

nas funções da polícia, e não cozinhando,<br />

lavando arroz, escolhendo feijão, <strong>de</strong>scascando<br />

cebola e lavando pratos...<br />

Para não alongar mais esse tema constrangedor,<br />

e somando todos os <strong>de</strong>mais custos<br />

<strong>de</strong> matéria-prima, preparação, limpeza,<br />

etc., chega-se a um valor mensal <strong>de</strong> R$ 11,3<br />

milhões. Devidamente terceirizado, o custo<br />

seria num primeiro momento com tendência<br />

a cair mais com o correr do tempo, <strong>de</strong> R$ 8<br />

milhões. O que significaria uma economia <strong>de</strong><br />

R$ 40 milhões por ano, e mais ainda a liberação<br />

<strong>de</strong> quase 800 militares para cuidarem<br />

daquilo para que ingressaram na carreira,<br />

e que, <strong>de</strong>finitivamente, não é cozinhar. Em<br />

maiores ou menores proporções isso acontece<br />

em todo o Estado brasileiro, tanto em<br />

âmbito fe<strong>de</strong>ral, como estadual e municipal.<br />

Criamos um monstro – por indiferença,<br />

irresponsabilida<strong>de</strong> e omissão – que já comeu<br />

parcela expressiva <strong>de</strong> nossa carne e agora<br />

avança nos ossos. Se as taxas convencionais<br />

<strong>de</strong> administradoras <strong>de</strong> condomínios são <strong>de</strong>,<br />

no máximo, 10%, o mesmo <strong>de</strong>veria acontecer<br />

com os países. 10% do PIB para as <strong>de</strong>spesas<br />

e investimentos comuns e necessários.<br />

No Brasil, hoje, é <strong>de</strong> 45,6%! 10% mais que<br />

possível e viável pós-tsunami tecnológico.<br />

É para on<strong>de</strong> estão caminhando os chamados<br />

países novos. Absolutamente tecnológicos.<br />

Na semana passada, matéria <strong>de</strong> excepcional<br />

qualida<strong>de</strong> <strong>de</strong> O Globo, assinada por Felipe<br />

Grinberg, traz uma amostra mais que signi-<br />

Assim, insuficiente reformar. Necessário<br />

e urgente revolucionar. A cultura <strong>de</strong> incompetência<br />

e corrupção instalou-se e nada<br />

acontecerá se insistirmos, apenas, em reformar.<br />

Repito e assino embaixo. Se agregarmos<br />

todas as possibilida<strong>de</strong>s <strong>de</strong>correntes<br />

do tsunami tecnológico e construirmos,<br />

finalmente, um novo e mo<strong>de</strong>rno Brasil, os<br />

atuais mais <strong>de</strong> 40% do PIB que esse Estado<br />

custa, cairão para 10%. Ou seja, 30% seriam<br />

<strong>de</strong>stinados para ganhos extraordinários <strong>de</strong><br />

crescimento, prosperida<strong>de</strong> e, principalmente,<br />

inclusão e justiça social. O que estamos<br />

esperando para, mais que reformar, revolucionar<br />

o Brasil?<br />

Francisco Alberto Madia <strong>de</strong> Souza<br />

é consultor <strong>de</strong> marketing<br />

famadia@madiamm.com.br<br />

36 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


supercenas<br />

Paulo Macedo paulo@propmark.com.br<br />

Fotos: : Divulgação<br />

Hugo Rodrigues, o primeiro à esquerda, com os profissionais da agência <strong>de</strong>dicada à Chevrolet, a Commonwealth//WMcCann, eleita como “Supplier of the year” da General Motors<br />

DISTINÇÃO<br />

Concorrendo com mais <strong>de</strong> 33 mil fornecedores globais <strong>de</strong> serviços,<br />

a agência Commonwealth//WMcCann, exclusiva para a marca Chevrolet,<br />

foi eleita pela montadora como “Supplier of the year” da<br />

holding General Motors. Foram distinguidas <strong>13</strong>4 empresas <strong>de</strong> 16<br />

países. O atendimento ao anunciante começou no Brasil em 1945,<br />

com a McCann-Erickson. “Essa relação sólida <strong>de</strong> tantos anos entre<br />

a marca e a agência reflete em um trabalho assertivo. A Commonwealth/WMcCan<br />

conhece nosso DNA e nos ajuda a encontrar<br />

os melhores caminhos”, reconhece Chris Rego, diretora-executiva<br />

<strong>de</strong> marketing da GM na América do Sul. “É uma honra para a<br />

WMcCann estar pela quarta vez entre os melhores fornecedores da<br />

GM. Para mim, em especial, é uma emoção muito forte, por ser a<br />

sétima vez que tenho essa alegria, trabalhando para uma marca e<br />

um cliente que tanto amo. Esse resultado vai ao encontro do que<br />

sempre digo para nosso time: não existe prêmio mais valioso e verda<strong>de</strong>iro<br />

do que o reconhecimento do próprio cliente. Afinal, é o<br />

cliente que escolhe on<strong>de</strong>, quando e com quem quer estar”, <strong>de</strong>staca<br />

Hugo Rodrigues, chairman do McCann Worldgroup para WMc-<br />

Cann, Craft Brasil e Al<strong>de</strong>iah.<br />

O fotógrafo Bob Wolfenson faz exposição da sua obra e lança O livro falado<br />

RETROSPECTIVA<br />

Referência da fotografia brasileira, da publicida<strong>de</strong> à moda, Bob<br />

Wolfenson lançou semana passada em São Paulo O livro falado.<br />

Projeto feito em parceria com o Instituto Olga aborda toda a sua<br />

carreira. Até 16 <strong>de</strong> abril, o MIS/SP expõe a obra do artista.<br />

A atriz Camila Morgado é a estrela da campanha da Cresol criada pela agência Idéxis<br />

IMAGEM<br />

A atriz Camila Morgado é a estrela da campanha É simples, escolha<br />

a Cresol criada pela agência paranaense Idéxis. Iniciada em<br />

fevereiro, a ação terá novo flight nos meses <strong>de</strong> junho e outubro.<br />

A cooperativa financeira Cresol tem 27 anos <strong>de</strong> ativida<strong>de</strong>s.<br />

jornal propmark - <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> 37


última página<br />

upklyak/Freepik<br />

Funil, ralador, peneira<br />

e amassador <strong>de</strong> alho<br />

flavio waiteman<br />

funil <strong>de</strong> vendas criado em 1898 pelo<br />

O publicitário americano Elias St. Elmo<br />

Lewis inspirou milhares <strong>de</strong> marcas mundo<br />

afora a criarem suas estratégias <strong>de</strong> comunicação.<br />

A forma do utensílio culinário<br />

atravessou séculos e migrou para as mídias<br />

digitais com diversas configurações e a<br />

mais usada hoje em dia o subdivi<strong>de</strong> em três<br />

partes: conhecimento, consi<strong>de</strong>ração e conversão.<br />

Mas, nos últimos tempos, o ser humano e<br />

sua interação com a tecnologia <strong>de</strong>ixou tudo<br />

tão mais complexo, que fiquei<br />

imaginando novas ferramentas,<br />

inspiradas na cozinha, que po<strong>de</strong>riam<br />

nos ajudar a melhorar a indústria<br />

da comunicação.<br />

A peneira. A peneira, que separa<br />

cereais bons <strong>de</strong> impurezas,<br />

pedrinhas etc., como esquemática<br />

tecnológica <strong>de</strong>ntro da estratégia<br />

<strong>de</strong> comunicação, traria mais<br />

qualida<strong>de</strong> aos dados e resultados.<br />

Po<strong>de</strong>ria separar, por exemplo, os bots dos<br />

seres humanos reais nos resultados <strong>de</strong> engajamento.<br />

I<strong>de</strong>ntificar bots é mais do que uma<br />

questão técnica. É uma <strong>de</strong>cisão. Se o próprio<br />

Elon Musk sugeriu pagar menos pela plataforma<br />

<strong>de</strong> mensagens, alegando que a quantida<strong>de</strong><br />

<strong>de</strong> bots era maior do que anunciada no<br />

balanço (What?!!!) por que não fazermos o<br />

mesmo? Imagine selos antibots, valorizando<br />

cada click que os nossos clientes recebem.<br />

A peneira <strong>de</strong> dados traria mais qualida<strong>de</strong> e<br />

transparência à comunicação comercial.<br />

O ralador <strong>de</strong> quatro lados. Quando você<br />

<strong>de</strong>ixa as coisas em fatias, po<strong>de</strong> organizá-las<br />

melhor. O ralador <strong>de</strong> quatro lados, que retalha<br />

queijos, tritura beterrabas e <strong>de</strong>senha<br />

fatias <strong>de</strong> cenoura na cozinha, teria a função<br />

esquemática na comunicação, <strong>de</strong> separar<br />

“A i<strong>de</strong>iA do<br />

rAlAdor,<br />

Admito, veio<br />

do consórcio<br />

<strong>de</strong> imprensA<br />

nA épocA dA<br />

pAn<strong>de</strong>miA”<br />

a realida<strong>de</strong> que vivemos das tentativas <strong>de</strong><br />

manipulação <strong>de</strong> fatos, que na maioria das<br />

vezes geram muita atenção pela polêmica<br />

e acabam atraindo verbas publicitárias <strong>de</strong><br />

empresas que nem imaginam o que estão<br />

financiando. Governança pura. Cada face<br />

do ralador teria uma função. Uma <strong>de</strong>las po<strong>de</strong>ria<br />

ser um consórcio <strong>de</strong> meios <strong>de</strong> imprensa<br />

profissional, que separariam uma notícia<br />

falsa <strong>de</strong> fake news. Sem opinião. Ou seja, o<br />

jornalismo em essência.<br />

A i<strong>de</strong>ia do ralador, admito, veio do consórcio<br />

<strong>de</strong> imprensa na época da pan<strong>de</strong>mia.<br />

Eles se juntaram para assegurar a veracida<strong>de</strong><br />

do número <strong>de</strong> óbitos da Covid<br />

no Brasil. E, por mais que as<br />

re<strong>de</strong>s sociais tentassem sabotar<br />

ou <strong>de</strong>squalificar esses números,<br />

esse consórcio teve autorida<strong>de</strong> e<br />

respeito coletivo. Foi um sinal <strong>de</strong><br />

que fake news tem jeito.<br />

Todos aceitavam o número<br />

como verda<strong>de</strong>, pois errar para<br />

um veículo ou pessoa digital<br />

ainda é diferente <strong>de</strong> errar para<br />

uma empresa ou pessoa física. Enfim, essa<br />

invenção <strong>de</strong> François Boullier <strong>de</strong> 1500 po<strong>de</strong>ria<br />

ajudar a publicida<strong>de</strong> a evitar que veículos<br />

<strong>de</strong> comunicação extremistas ganhem<br />

dinheiro da publicida<strong>de</strong> comercial para<br />

seus projetos com fins pouco claros.<br />

E, finalmente, o amassador <strong>de</strong> alho. Imagine<br />

uma ferramenta <strong>de</strong> análise que mostre<br />

a real essência dos influenciadores e criadores<br />

<strong>de</strong> conteúdo, <strong>de</strong>scontando as fazendas<br />

<strong>de</strong> clicks, por exemplo. Assim como o que<br />

sai do espremedor <strong>de</strong> alho é pura massa <strong>de</strong><br />

alho, sem a casca, esse mo<strong>de</strong>lo matemático<br />

ajudaria a criar estratégias certeiras <strong>de</strong> conteúdo<br />

relevante para as marcas. Bem, está<br />

claro que a percepção humana está cercada<br />

<strong>de</strong> novos <strong>de</strong>safios. E você, qual outro utensílio<br />

sugeriria além do funil?<br />

Flavio Waiteman é CCO-foun<strong>de</strong>r da Tech and Soul<br />

flavio.waiteman@techandsoul.com.br<br />

38 <strong>13</strong> <strong>de</strong> março <strong>de</strong> <strong>2023</strong> - jornal propmark


APP<br />

CAST<br />

O APPCAST possui mais <strong>de</strong> 100 episódios<br />

com os mais variados temas e gran<strong>de</strong>s<br />

profissionais do mercado.<br />

EP # 116<br />

T ema :<br />

PODCASTERS DA PUBLICIDADE<br />

O APPCAST <strong>de</strong>sta semana trouxe o pessoal do<br />

Blinker Cast - um podcast que apresenta os<br />

novos talentos do mercado.<br />

Para conversar com a gente sobre este projeto,<br />

reunimos três profissionais <strong>de</strong> mídia: Iuellen<br />

Souza, Diretora <strong>de</strong> Mídia na FCB, Kayque<br />

Augusto, Analista <strong>de</strong> Mídia na Suno United<br />

Creators e Piero Rossi, Diretor <strong>de</strong> Mídia na<br />

Publicis Brasil.<br />

Vem com a gente conhecer mais sobre o<br />

Blinker Cast.<br />

Você po<strong>de</strong> acompanhar todos os<br />

episódios do APPCAST nas principais<br />

plataformas <strong>de</strong> streaming e no canal<br />

da APP Brasil no Youtube.<br />

Apoio:<br />

Realização:


Negócios, tendências<br />

e mercado. Um dia<br />

<strong>de</strong>dicado ao futuro<br />

da publicida<strong>de</strong>.<br />

30 <strong>de</strong> março<br />

<strong>de</strong> <strong>2023</strong><br />

–<br />

Teatro B32<br />

São Paulo<br />

O CenpHub trará <strong>de</strong>bates abertos sobre o “Impacto<br />

e Valor da Publicida<strong>de</strong>” num fórum que reunirá<br />

li<strong>de</strong>ranças e profissionais do mercado.<br />

Confira alguns dos temas que serão abordados:<br />

• O novo pacto <strong>de</strong> valor:<br />

a agenda da transformação<br />

• A gestão do marketing em<br />

tempos <strong>de</strong> incerteza<br />

• A força da autorregulação<br />

• A publicida<strong>de</strong> como motor<br />

da economia criativa<br />

• Novas dinâmicas <strong>de</strong><br />

criação e consumo <strong>de</strong> mídia<br />

• Negócios, sustentabilida<strong>de</strong><br />

e confiança.<br />

↘<br />

Acesse<br />

cenphub.com.br<br />

e confira a<br />

programação<br />

completa.

Hooray! Your file is uploaded and ready to be published.

Saved successfully!

Ooh no, something went wrong!