Views
5 years ago

ABL-076 - Sonetos e rimas - L... - Academia Brasileira de Letras

ABL-076 - Sonetos e rimas - L... - Academia Brasileira de Letras

OEsquife Rosa d’amor,

OEsquife Rosa d’amor, rosa purpúrea e bela. – GARRETT. Como é ligeiro o esquife perfumado Que conduz o teu corpo, ó flor mimosa! Mal pousaste entre nós, alma saudosa, Pouco adejaste, ó querubim nevado! Londres. E vás descendo ao túmulo sagrado, Igual à incauta e leve mariposa Que sem sentir queimou a asa ansiosa Do mundo vil no fogo profanado. Mas eu, que acabo de te ver perdida Nos abismos sem fim da Natureza, Ó minha filha! ó terna flor caída. Eu, que perdi contigo a fortaleza, As ilusões, o gozo, a crença e a vida, Ah! eu bem sei quanto esse esquife pesa! � Sonetos e Rimas 29

Poesia - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Ciclo dos Fundadores da ABL - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
prosa - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Guardados da memória - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Centenários - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Prosa 1 - Academia Brasileira de Letras
Poesia Estrangeira - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Poesia - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Prosa - Academia Brasileira de Letras
Guardados da Memória - Academia Brasileira de Letras
O estouro da boiada - Academia Brasileira de Letras
Elogio à preguiça - Academia Brasileira de Letras