AzzurrA - Martins Empreendimentos

martinsempreendimentos.com.br

AzzurrA - Martins Empreendimentos

c o s ta

AzzurrA

INSPIRADO NO SEU SONHO


c o s t a

AzzurrA


Costa Azzurra

A Costa Azzurra é sinônimo de sol, mar e

sensualidade. Talvez por isso, que estas vilas

enigmáticas tenham encantado a burguesia

européia, pintores e escritores são atraídos

pelos seus encantos. Até porque são únicos os

ambientes assim com tanto charme.

Musa inspiradora de pintores como Matisse e

Chagall, é o lugar mais desejado pela maioria

dos franceses.

Com as suas praias banhadas por um mar

turquesa, repleta de palacetes da Belle Époque

ainda com a sua luz branca, encantadora.

Mas muito mais cosmopolita.

Costa Azzurra é a parte do litoral sul da

França no Mar Mediterrâneo, indo de Toulon

a Menton na fronteira com a Itália.


c o s t a

AzzurrA

Também chamada de Riviera Francesa, esta região

é considerada uma das áreas mais luxuosas, caras e

sofisticadas do mundo. Anualmente, a cidade de Cannes

hospeda o Festival de Cinema de Cannes, que atrai astros

internacionais da sétima arte.

Situada no departamento dos Alpes Marítimos, a Costa

Azul tornou-se uma zona da moda entre o fim do século

XIX e o começo do XX, particularmente entre as classes

altas britânicas. Inicialmente era um resort de inverno, dado

o clima temperado se comparado ao do norte e centro da

Europa, todavia, não é de forma alguma quente durante

este período do ano. Somente mais tarde tornou-se um

destino popular também no verão.


Futuras instalações do Costa Azzurra


Torres

Situada no litoral do Estado do Rio Grande do Sul, Torres é um dos

destinos de veraneio mais sofisticados do Estado. Seu clima agradável

e a vastidão de suas praias de areias brancas também fazem parte

das atrações locais.

A cidade possui uma grande variedade de belezas naturais,

formando um ecossistema único no Estado. Ali é possível encontrar

mar, ilha, praias, dunas, rochedos, mata atlântica, rio, lagoa e diversas

espécies da fauna e da flora, tudo em um mesmo lugar.

Torres é considerada a Capital Brasileira do Balonismo. Nenhuma

outra cidade no Brasil promove a tantos anos consecutivos este tipo

de evento na área. Há 20 anos o Festival de Torres reúne pilotos

e equipes do Brasil, da América do Sul e até da Europa. Voar em

Torres é um charme, um prazer para os pilotos, por suas belezas

naturais, sua linda topografia com rios, lagos, lagoas, vales e morros

e a proximidade com o mar, a cidade é um local apaixonante e

privilegiado para voar.

A matriz de São Domingos foi a capela e igreja mais antiga do

litoral nordeste do Estado. Em 1826, D. Pedro I passou pelo povoado

de Torres/RS. No dia 05 dezembro, a caminho do Sul do País por

motivo da guerra da Cisplatina. No dia 25 do mesmo mês e ano,

ele retornou pernoitando novamente no complexo administrativomilitar

da época, situado entre a igreja e o baluarte.

O clima de Torres é o temperado ameno seco. O calor é suavizado

por uma leve brisa refrescante que vem do mar.


Muitas vantagens para você

Pela entrada você logo percebe que o Costa

Azzurra é um projeto nobre e de qualidade.

Seu estilo moderno valoriza o conforto e

segurança que sua família merece.

Localizado na parte nobre de Torres - RS,

em um lugar único com estilo e glamour, um

dos pontos mais altos, rodeado pela melhor

paisagem da cidade. Com excelente vista para

o mar e para a lagoa, próximo ao centro.

Hall de entrada

c o s t a

AzzurrA


Areas de lazer

Salao ˜

de festas/espaco gourmet

Áreas comuns entregues equipadas e decoradas

c o s t a

AzzurrA

Lazer e diversão

Você vai encontrar tudo o que

precisa aqui,

• salão de festas / espaço gourmet;

• salão de jogos;

• kid’s place;

• fitness;

• piscina com vista para Lagoa do Violão


Kid’s Place


Areas de lazer

Deck da piscina com vista para a lagoa do violao

Salao ˜ de jogos


Fitness center


Living

315 m 2 de área total

1 APARTAMENTO POR ANDAR

203 m 2 de área privativa

Apartamentos modernos em harmonia com a funcionalidade dos espaços.

• 3 suítes;

• 2 vagas de garagem por apto;

• churrasqueira;

• espera para split em todos os dormitórios e living;

• vista panorâmica de todos os apartamentos;

• porcelanato em todo apartamento;

• excelente posição solar.


Suite master


z

o u

quatos

do

depois

a morarigitte

Bardot

eu nua no filme

Criou a Mulher

annes emplacou o

o no mundo quando

hanel voltou de lá

Nice ganhou destaque

electuais após Nietzsche

que suas cores “parecem ter

do uma peneira de prata,

rializadas, espiritualizadas”.

raque, Miró, Matisse, Picasso,

onet e Signac divulgaram a

ocal em suas obras. E esses são

lguns dos fatos que fazem da Côte

costa mais glamourosa da Europa.

quilômetros de praias de Saint-Tropez

onteira italiana são temperados com o

la crème da França: o festival de cinema

es, o mar azul de St. Raphael, a bela vista do

de Cap-Ferrat, os jardins da belle époque...

culta, chique e sofisticada, a Riviera Francesa

em cada esquina um potencial encontro com

e cinema. Mas há muito mais que fazer por lá. É um

ra deitar-se ao sol, tomar champanhe, comer frutos

badalar e esquecer da vida. A capital da sofisticada

c Riviera Francesa é o segundo maior balneário do

rrâneo, com quase 400 mil habitantes. Ainda que não

o glamour de Cannes e não seja um reduto de milionários

o Saint-Tropez, Nice resume muito bem a essência do sul

a França: é chique, extremamente turística e com paisagens

de encher os olhos. Ainda que não possa ser considerada

barata, a cidade está entre as opções mais econômicas para

quem deseja percorrer a azulada e famosa costa francesa.

A intensa freqüência turística faz o aeroporto de Nice ser o

segundo mais movimentado do país, mas também é possível

ir de trem: de Paris até lá são cinco horas de viagem. No

verão, o agito e a concentração de celebridades é maior,

mas os preços são estratosféricos.. O La Bastide De Saint

Antonie monta pratos deliciosos, como uma verdadeira

obra de arte, e o L’Oasis tem uma enorme variedade

de sobremesas. Uma tentação! Outro ótimo programa

é ficar na la Croissette, à beira-mar, vendo o

movimento das pessoas e os iates ancorados

bem em frente. aprender a língua francesa

em Nice é descobrir uma das mais belas

regiões da França, com cidades e vilarejos

reputados, há mais de 100 anos,

pelos numerosos atrativos turísticos

: Monaco, Cannes, Saint-

Paul de Vence, Antibes.

A

C o s t a

Azul (em francês:

Côte d’Azur, em

italiano: Costa Azzurra)

é parte do litoral sul da

França no Mar Mediterrâneo,

indo de Toulon a Menton na

fronteira com a Itália. Também

chamada de Riviera Francesa, esta

região é considerada uma das áreas

mais luxuosas, caras e sofisticadas do

mundo. Anualmente, a cidade de Cannes

hospeda o Festival de Cinema de Cannes,

que atrai astros internacionais da sétima arte.

Situada no departamento dos Alpes Marítimos, a

Costa Azul tornou-se uma zona da moda entre o

fim do século XIX e o começo do XX, particularmente

entre as classes altas britânicas, o próprio Winston

Churchill era um visitante freqüente. Inicialmente era um

resort de inverno, dado o clima temperado se comparado

ao do norte e centro da Europa, todavia, não é de forma

alguma quente durante este período do ano. Somente

mais tarde tornou-se um destino popular também no verão.

As localidades mais importantes da Riviera Francesa são:

Antibes é uma comuna francesa situada no departamento de

Alpes-Maritimes e na região de Provence-Alpes-Côte d’Azur.

A comuna tem uma superfície de 26,48 km² e 72 412 h (censo

de 1999), tendo uma densidade populacional de 2. 734 h/km².

Tem uma longitude de 7° 07’ 26” Este uma latitude de 43° 34’ 51”

Norte. Atinge a altitude máxima de 2. 648 m de altitude. Antibes

está situada nas margens do Mar Mediterrâneo na Costa Azul,

a 205 km a este de Marselha, 23 km a sudoeste de Nice, 15

km a sudeste de Grasse e a 10 km de Cannes. La Brague lançase

no Mediterrâneo sobre o território da comuna de Antibes.

A comuna é constituída por várias zonas bem distintas,

cujas principais são as seguintes: Antibes propriamente dita;

Cabo de Antibes, famoso pelas suas mansões; Juan-les-Pins; O

bairro de Golfe-Juan pertence à comuna vizinha de Vallauris.

Antibes deu o seu nome antigo Antipolis a uma importante zona

de de actividades Sophia Antipolis, situada nos seus arredores,

sobretudo na comuna de Valbonne), onde estão estabelecidas

empresas que se dedicam à pesquisa e ao desenvolvimento no

domínio das novas tecnologias. Antibes terá sido fundada no século

V ou IV a.C. pelos Fenícios de Marselha também conhecidos por

massaliotas, que segundo o geógrafo Malte-Brun, lhe teriam dado

o seu nomes, pela sua «situação sobre a costa em frente de Nice»

afirmação que a geografia da costa exige uma certa atenção.

Antibes foi sede de um episcopado desde o século IV até 1244,

data em que a sede episcopal foi transferida para Grasse.

Chegada dos Grimaldi, uma família genovesa aliada dos Angevinos

e que a partir daí estiveram muito presentes na Provença oriental.

Entre os membros dessa família, Luc e Marc Grimaldi, filhos de

António, tinham avançado com fundos ao Papa de Avinhão que não

pôde reembolsar essa dívida. Por consequência, os irmãos Grimaldi

tornaram-se senhores de Antibes - o mais belo porto da região

- e aí estiveram até 1384. Foi integrada no território francês em

1860. Brignoles é uma localidade no sudeste da França com uma

população de 11000 habitantes. Cagnes-sur-Mer é uma cidade do

sudeste de França, situada nas margens do Mar Mediterrâneo,

entre Saint-Laurent-du-Var et Villeneuve-Loubet. Ela se estende ao

longo de uma enseada que oferece cerca de 4 quilómetros de

praia e está rodeada de colinas, entre as quais a que alberga

o castelo que atinge os 90 metros de altitude. Atravessam a

cidade dois rios: la Cagne e o Malvan. É a quarta cidade

do departamento Alpes-Maritimes, ela compreeende

um velho burgo medieval empoleirado sobre um a colina

dominada pelo castelo , uma cidade moderna ao pé e

uma aldeia piscatória, chamada Le Cros de Cagnes, na

orla marítima. Vila celto-ligúrica desde oppidum galoromano,

Cagnes-sur-Mer transformou-se no século

XI num burgo medieval. Devido à sua proximidade

com o rio Var que serve de fronteira entre o

Condado de Provença e o de Sabóia, tornouse

em 1388 num posto fronteiriço importante.

Depois de ter sofrido numerosos conflitos

fronteiriços no século XVI, o pequeno

burgo conheceu um período calmo

sob o reinado de Luís XIII .

Paisagens que

Inspiram seus

Sonhos

A

Côte

d `A z u r

é sinónimo

de sol, mar

e sensualidade.

Mas não só. Numa

das cidades mais

carismáticas, Nice, encontrámos

uma autenticidade

particular, em Cannes

centelhas de glamour e em

St.Tropez, espírito de pura sedução.

Não admira, por isso, que estas

vilas piscatórias tenham encantado a

burguesia europeia, pintores e escritores

e atraiam, actualmente, o star-system

internacional. Até porque são únicos os

ambientes assim com tanto charme. Andar

sem destino na zona mais antiga de Nice é um

ato obrigatório para quem pretende absorver a

essência desta cidade. É também uma forma de

conhecer as suas vielas labirínticas e pracetas pouco

iluminadas, invadidas pelos estabelecimentos comerciais.

A cada esquina um restaurante, uma galeria de arte,

uma boutique, uma loja de artesanato. Os sabonetes

de Marselha, a lavanda, azeite e vinho são comuns a

quase todas as montras que os exibem orgulhosas, como

representantes do melhor da região. Neste bairro, um dos mais

indicados para conhecer os sabores e aromas da Riviera, o

cheiro a sardinha assada faz-nos sentir em casa. Mas, os pratos

típicos são, no entanto, a incontornável Salada Niçoise, os fritos

de legumes e a socca (uma panqueca elaborada a partir de grão

de bico). A oferta é variada. E, sem dificuldade, encontram-se tanto

restaurantes com menus já estabelecidos a preços econômicos como

ambientes mais sofisticados e consideravelmente mais dispendiosos.

Em comum todos exalam o doce perfume de ervas aromáticas. A partir

da movimentada Place Rossetti - ocupada pelas esplanadas soalheiras

da Pizzaria La Claire Fontaine e da mais emblemática das geladarias

de Nice, a Fenocchio (onde se fabricam e vendem dezenas e dezenas

de sabores, que vão desde o banal chocolate ao alfazema!) - pode

partir-se à descoberta dos detalhes desta zona histórica, que espaços

que convidam à contemplação: Café Senéquier, em St. Tropez e Croisette

remonta à Idade Média, quando o condado independente de Nice foi

integrado na Casa de Savoy (Itália). Zona de lazer por excelência, oferece,

no entanto, os monumentos mais representativos da particular arquitectura

barroca da cidade, em que se destaca o Palácio Lascaris (estilo genovês,

séc. XVII, Rue Droite), imponente com os seus frescos e escadarias, a

funcionar como museu de artesanato e folclore. E ainda vários exemplos

de arquitectura religiosa, edificada entre os séculos XVII e XIX, entre os

quais a Chapelle de La Misericorde (Cours Saleya), admirável pelos seus

excessos em dourado e a grandiosa Catedral Sainte-Réparate (Place

Rossetti). Do castelo, edificado pelos Duques, no cimo da colina, apenas

restam ruínas e um jardim magnífico, que preside, imperturbável, a todo

o movimento abaixo. A vista - das praias, da Promendade des Anglais,

dos telhados da velha e nova Nice e ainda das montanhas - vale a

escalada pelas escadarias, a partir do coração da cidade (embora os

mais preguiçosos possam optar pelo elevador ou automóvel). Quem

vagueia pela Vieille Nice acaba sempre por deparar com a Cours

Saleya, já próximo da baía. É notável pelo seu mercado diário

de flores, legumes, frutas e peixe, entre outras preciosidades

mediterrânicas, representando na perfeição a riqueza e beleza

dos mercados provençais (fecha apenas à segunda-feira, dia

reservado para o comércio de artigos em segunda mão). É

ladeada por esplanadas, espectadores assíduos do corropio

das compras, a abarrotar a partir do final da manhã.

Sob o sol quente da Riviera, o ambiente lembra-nos a

expressão talvez pouco patriótica “dolce fare niente”

(afinal Itália fica mesmo ao lado, o que é notório), mas

que descreve na perfeição a descontracção de

quem aqui saboreia gelados ou o rosé da região.

Já na não menos célebre Promenade des

Anglais - mandada construir e patrocinada

pelo inglês Lewis Way, em 1820 - o culto

pelo desporto, ou pelo corpo, sobrepõese

ao da preguiça e convívio. Num

vaivém um pouco entontecedor,

desportistas correm ou marcham

acelerados e gente de todas

as idades patina, exibindo

os seus dotes artísticos.

Dentro das cidades,

ande a pé, tudo

fica perto.

O

de tro

Grande e in

usadas também

Entre os anos de

de quinhentos mil í

das doenças introduzidas

Através da documentação existen

dóceis e interesseiros. Por este motivo

ao sul em busca de escravos, e os cac

famosos foram o cacique Tubarão, que deu

e o cacique Maracanã. Aos poucos, a região f

por volta de 1700, quando os lagunenses desceram

Desaparecidos os índios, mantiveram-se os caminhos. Era o elo

avançados do povoamento português, na Colônia do Sacramen

(1737). Assim Torres assumiu a importante função de controlar a estratég

um posto fiscal que logo se transformou em Guarita Militar da Itapeva

Colonos e açorianos, vindos do Desterro (atual Florianópolis) e de La

a instalar-se na região. O Título de Fundador de Torres se confere ao

Ferreira Porto, militar que veio para Torres tomar conta da guarda que

Em 1809, Dom Diogo de Sousa, conde de Rio Pardo, primeiro capitão-mor da ca

de São Pedro do Rio Grande, mandou reforçar a Guarnição de Torres e autorizo

a construção de São Domingos das Torres, além de um presidio militar. Os

trabalhos foram realizados por prisioneiros. Segundo o escritor Ruy Ruben

Ruschel, a atual localização se deve ao sargento Manuel Ferreira Porto,

Comandante da Guarnição, que em 1815 obteve a licença do Bispo

Dom João Caetano Coutinho para edificar a capela no local. Os

colonos a desejavam no Morro da Itapeva, mas ele mandou

construi-la junto ao Posto da Guarda, atual Morro do Farol.

Em 1826, D. Pedro I passou pelo povoado de Torres/RS.

No dia 05 dezembro, a caminho do Sul do País por

motivo da guerra da Cisplatina. No dia 25 do

mesmo mês e ano, ele retornou pernoitando

novamente no complexo administrativomilitar

da época, situado entre a igreja

e o baluarte. Em 1836, devido a

Revolução Farroupilha, iniciada

em 1835, Torres sentiu as

Dentre

dificuldades da guerra

econômico local, da

civil que a deixou

em Porto Alegre/RS, mantend

no mais completo

Torres, em uma moderna Estação B

a b a n d o n o ,

Voges e outros torrenses, instalou seu Balne

prejudi-

através da Lei de 20 de dezembro de 1837, se

ca n d o .

O desenvolvimento da Freguesia deu-lhe o privilégio

que ocorreu em 21 de maio de 1878 pela Lei Provincial

22 de fevereiro de 1879. A rua Júlio de Castilhos foi a prim

origens datam de antes da descoberta do Br

trilha dos índios, talhada nos matos q

sopé do morro, ao long

rodeava a


Torres

é um

município

brasileiro do

estado do Rio

Grande do Sul.

Localiza-se a uma

latitude 29º20’07”

sul e a uma longitude

49º43’37” oeste, estando

a uma altitude de 16 metros.

Sua população estimada em

2004 era de 33 680 habitantes. A

população estimada, com os arredores

da cidade, é de 80 mil habitantes

Possui uma área de 161,76 km². O município

de Torres possui este nome devido à existência

de três grandes rochedos que se estendem à

Beira-Mar: Torre Norte - Morro do Farol, Torre Centro

- Morro das Furnas e Torre Sul - Junto a Praia da Guarita

Torres é um dos núcleos mais antigos do Rio Grande do Sul.

O primeiro navegador português a apontar em Torres foi Pedro

Lopes de Sousa, por volta de 1531. Desembarcando no Boipetiba,

atual rio Mampituba, fez registro dos indígenas no local. A região de

Torres era inicialmente habitada por indígenas Carijós, Minuanos e Arachanes,

que viviam da caça e pesca e se dedicavam a uma rudimentar agricultura.

s índios Carijós, de Santa Catarina, e Arachanes do Rio Grande do Sul, que em seu comércio

cas usavam uma picada, costeando os banhados dos sopés internos, começando na Praia

do até a Itapeva. Em 1500, estas trilhas, abertas em meio a matagais começaram a ser

por paulistas, compradores de índios, que os levavam a São Paulo como escravos.

1600 a 1640, estima-se que viviam, no Sul do Brasil, cerca

ndios, que aos poucos foram desaparecendo por causa

pelo contato com o branco, escravidão e lutas tribais.

te sobre os indígenas do litoral, sabemos que os Carijós eram

houve um comércio muito grande entre paulistas que viviam

iques. Entre os índios, os negociantes que ficaram mais

origem à cidade de Tubarão, em Santa Catarina,

oi ficando despovoada de índios. Sabe-se que,

pelo litoral, quase não encontraram índios.

principal entre o resto do Brasil e os núcleos

to (1679) e no presidio de Rio Grande

ica passagem, na qual foi instalado

e Torres (entre 1774 e 1776).

guna (SC) começaram

alferes Manuel

aqui existia.

pitania

u

alemães

c h e g a r a m

em 1826 e

foram separados,

pelo comandante da

fortaleza, conforme a religião

que professavam: os protestantes

formaram a colônia de Três Forquilhas. Os

católicos, por sua vez, foram inicialmente para a estrada de

Mampituba, depois junto ao Rio Verde e, finalmente, entre as lagoas do Forno e Jacaré, construindo a colônia de

São Pedro de Alcântara. Por volta de 1830, famílias de origem italiana, vindas de Caxias do Sul, fixaram moradia no distrito de Mor

as personalidades que deram forte impulso ao desenvolvimento de Torres, destaca-se quem lançou a “indústria turística”, qu

primeira até a segunda grande guerra: José Antônio Picoral. Filho da colônia São Pedro de Alcântara, tornou-se p

o, porém, vínculo com a terra de origem. Depois de um frustrante veraneio em Tramandaí, Picora

alneária e, em 1915, após entendimentos com João Pacheco de Freitas, Luiz A

ário Picoral, marco histórico da introdução do turismo em Torres

ria criada a Freguesia de São Domingos das Tor

de ser elevada a categoria d

n.º 1152, dando-s

e

c o s t a

AzzurrA

O s


c o s t a

AzzurrA

Uma vista privilegiada, complementada

por grandes áreas externas,

proporcionando conforto e privacidade.

Frente

Vista para o mar

ESTAR/JANTAR

51.34 m 2

SACADA

23.39 m 2

COZINHA

13.41 m 2

SUITE

14.00 m 2

ÁREA

DE SERVIÇO

3.11 m 2


BANHO

3.41 m 2

CIRCULAÇÃO

5.93 m 2

BANHO

3.41 m 2

SUITE

14.00 m 2

BANHO

3.18 m 2

SACADA

9.25 m 2

SUITE

18.33 m 2

SACADA

12.21 m 2

Fundos

Vista para a lagoa


Terreo

Sub solo

c o s t a

AzzurrA

BOX 13

BOX 01

BOX 02 BOX 03

BOX 04 BOX 05 BOX 06

BOX 12

BOX 14

BOX 11

BOX 24

BOX 24

BOX 23

BOX 18

BOX 17

BOX 16

BOX 15

BOX 10

BOX 09

BOX 08

BOX 07

BOX 22

BOX 21

BOX 20

BOX 19


As melhores opcoes para voce morar aqui

LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA

A localização é um ponto fundamental para escolha de um

empreendimento, pensando nisso a Martins Empreendimentos

sempre busca os melhor pontos da cidade, garantindo uma

excelente valorização do seu imóvel.

INFRA-ESTRUTURA DE LAZER COMPLETA

Amplos terrenos para você desfrutar o melhor da vida, isto

é o que a Martins Empreendimentos busca para você. Uma

completa infra-estrutura de lazer. Tenha à sua disposição

um clube particular com piscina, salão de festas, salão de

jogos, fitness e muito mais

BAIXO CUSTO DE CONDOMÍNIO

Um condomínio planejado, reduzindo os custos condominiais,

desde o início da obra, pensando em uma racionalização

de custos, gerando o melhor para você.

EMPREENDIMENTO ENTREGUE EQUIPADO E DECORADO

Áreas comuns e de lazer entregues decoradas e

equipadas, prontas quando você receber a chave do seu

apartamento.

PADRÃO DE QUALIDADE

A moderna tecnologia de construção com os melhores

fornecedores do mercado. Assim são produzidos os

imóveis da Martins Empreendimentos, garantindo sempre

a melhor qualidade.

CONSTRUTORA LÍDER DO MERCADO

A Martins é a construtora que mais incorporou em Torres,

foram 12 empreendimentos, com a mesma garantia e

qualidade que já é marca registrada.

Imóveis bem construídos, com excelente localização, amplos terrenos e uma marca forte, esta

é a melhor razão para você optar por mais este empreendimento.


c o s t a

AzzurrA


c o s t a

AzzurrA

LOCALIZAÇÃO

Rua José Antônio Picoral, nº 391 - Torres - RS

c o s t a

AzzurrA

CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO

Possuir a certificação ISO 9001/2000 e PBQP-H (Nivel “A”), significa que a empresa tem um sistema gerencial voltado para a qualidade e que

atende aos mais altos requisitos das normas internacionais, tornando-se sempre para os seus clientes referencial de ótimos negócios.

PROJETO ARQUITETÔNICO

ARQUITETURA

ISO

9001

Empresa Certificada

www.martinsempreendimentos.com.br

Perspectivas meramente ilustrativas.

Similar magazines