MOVIMENTOS LIBERAIS CAPITALISTAS - Educacional

educacional.com.br

MOVIMENTOS LIBERAIS CAPITALISTAS - Educacional

Abalar os tronos e

derrubar os

altares...

MOVIMENTOS LIBERAIS

CAPITALISTAS DOS SÉCULOS

XVII E XVIII


A REVOLUÇÃO

INGLESA


DEFINIÇÃO

FOI A PRIMEIRA REVOLUÇÃO

BURGUESA DA EUROPA.

ROMPEU DEFINITIVAMENTE

COM O FEUDALISMO,

DESTRUIU O ESTADO

ABSOLUTISTA E CRIOU

CONDIÇÕES PARA O AVANÇO

DO CAPITALISMO INDUSTRIAL

(REVOLUÇÃO INDUSTRIAL).


CONCEITOS

INTRODUTÓRIOS

�HENRIQUE PLANTAGENETA –

SÉCULO XII (TENTATIVA DE

ABSOLUTISMO);

�MAGNA CARTA (JOÃO “SEM-

TERRA): CRIAÇÃO DO

PARLAMENTO (COMMONLAW)


O Parlamento não era um órgão

permanente, mas uma assembléia

temporária e aconselhadora. O monarca

inglês podia ordenar a sua dissolução.

Tinha o encargo de recolher os impostos e

taxas do rei. O rei recebia os avisos do

Parlamento por intermédio dos chamados

bill of rights, mas sem obrigação de os

seguir.


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

SÉC. XVI - DINASTIA DOS TUDOR

� ABSOLUTISMO DE FATO;

� APOIO DA BURGUESIA E DA

GENTRY:

� CENTRALIZAÇÃO DO PODER COMO

GARANTIA DE ORDEM SOCIAL;

� UNIFORMIZAÇÃO DAS MOEDAS,

DOS PESOS E DAS TARIFAS

ALFANDEGÁRIAS;


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

�PERMISSÃO AS ATIVIDADES

DOS CORSÁRIOS;

�IGREJA ANGLICANA: FORMA

CATÓLICA E CONTEÚDO

CALVINISTA (MAIS ADEQUADA

AOS VALORES CAPITALISTAS).


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

DINASTIA DOS TUDOR

FUNDADOR: HENRIQUE VII

�PACIFICOU O PAÍS (FIM DA

GUERRA DAS DUAS ROSAS);

�CONSOLIDOU O ESTADO

NACIONAL INGLÊS.


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

HENRIQUE VIII

�IMPLANTOU O

ABSOLUTISMO;

�REALIZOU A

REFORMA

ANGLICANA (I ATO

DE SUPREMACIA


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

EDUARDO VI

�GARANTIU A

REFORMA

RELIGIOSA

MARIA I

�CASOU-SE COM

O REI CATÓLICO

ESPANHOL,

FELIPE II E

PERSEGUIU OS

PROTESTANTES.

�BLOOD MARY


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

ELIZABETH I

�II ATO DE

SUPREMACIA;

�MERCANTILISMO

AGRESSIVO;

�PIRATARIA REAL;

�DERROTA DA

INVENCÍVEL ARMADA

ESPANHOLA


MONARQUIA x BURGUESIA:

DA ALIANÇA AO CONFLITO

SÉC. XVII - DINASTIA DOS

STUART

�DESEJAVA O ABSOLUTISMO

DE DIREITO: CHOQUE COM O

PARLAMENTO.


DINASTIA DOS STUART

JAIME I

�Apoio ao rei: senhores

feudais, igreja anglicana

e alta burguesia.

�Apoio ao parlamento:

pequena e média

burguesia, gentry

(nobreza mercantil) e

puritanos (calvinistas

ingleses).


DINASTIA DOS STUART

JAIME I

�Anglicanismo rigoroso:

migração dos puritanos

calvinistas para a

América (Mayflower).

�Aumento de impostos.

�Dissolução do

parlamento (1614 – 1622).


DINASTIA DOS STUART

CARLOS I

�Carlos I, filho de Jaime I da

Inglaterra, sonhava em

reunir todas as ilhas

britânicas num só reino.

Como o seu pai, ele

acreditava no "direito divino

dos reis". Profundamente

católico e autoritário, uma

série de incidentes com os

membros do Parlamento

levaram a um grave conflito

entre os dois.


Pouco depois de subir ao trono em 1625, Carlos I

casa-se com a princesa francesa e católica

Henrietta Maria, contrariando a poderosa minoria

puritana, um terço dos membros do Parlamento. A

participação nas guerras européias agravou as

oposições entre o rei e os parlamentares.

Consideradas como cruzadas católicas, Carlos I

mandou como comandante um dos seus favoritos,

George Villiers, 1º duque de Buckingham. Desde

Jaime I, o Parlamento desconfiava de Buckingham

e pediu que caso ele não alcançasse os seus

objetivos, lhe fosse retirado o comando das forças.

Depois de desastroso raide na França, o

Parlamento demitiu Buckingham do seu cargo em

1626. Carlos I, furioso, estimando esta decisão

como uma insulta pessoal, dissolveu o Parlamento

incompetente.


Um novo Parlamento é reunido em Março

de 1628. É o terceiro parlamento do

reinado de Carlos I. Oliver Cromwell é um

dos eleitos. Em Junho, o rei aprova a

Petição dos direitos que exige:

�O fim das detenções arbitrárias;

�O consentimento do Parlamento para

todos os impostos;

�A proibição do aboleto de militares em

casas privadas;

�A proibição da lei marcial em tempo de

paz.


DINASTIA DOS STUART

CARLOS I

�Apesar de jurar o “Bill of

Rights” (Petição dos

Direitos), o rei

novamente aumenta os

impostos e fecha o

parlamento (1629)

�Tentativa de impor o

anglicanismo na Escócia

(revolta).

�1642: REVOLTA DO

CONGRESSO.


1ª FASE: GUERRA CIVIL

�CABEÇAS REDONDAS:

FORÇAS DO PARLA-

MENTO LIDERADAS POR

OLIVER CROMWELL,

CRIADOR DO

NEW MODEL ARMY .

�CAVALEIROS: FORÇAS DO REI,

LATIFUNDIÁRIOS, CATÓLICOS E

ANGLICANOS.


O mapa mostra a divisão da Inglaterra em áreas

dominadas pelos partidários da monarquia Stuart

(de lilás) e pelos adeptos do Parlamento (de verde)

durante a guerra civil, que culminou com a

implantação da República puritana.


2ª FASE: REPÚBLICA

O GOVERNO CROMWELL


2ª FASE: REPÚBLICA

�PROTETORADO: ditadura pró-

burguesia puritana (calvinista);

�Unificação da Grã-Bretanha;

�Repressão a opositores

externos (escócia e Irlanda) e

internos:

- levellers – niveladores

- diggers – escavadores


2ª FASE: REPÚBLICA

�Criação dos Atos de Navegação

(1650) – somente navios ingleses

transportariam mercadorias

inglesas ou de outros países para

a Inglaterra. Em caso de venda

para a Inglaterra só navios do país

de origem do produto estariam

autorizados a entrar na Inglaterra:


OS ATOS DE NAVEGAÇÃO


2ª FASE: REPÚBLICA

�Guerra contra a Holanda (1652

– 1654).

�Vitória da Inglaterra

(supremacia naval).

�Desenvolvimento da marinha e

do capitalismo inglês.

�Oliver Cromwell nomeia-se

Lorde Protetor da Inglaterra

(1653).


3ª FASE: RESTAURAÇÃO

�Após a morte de Oliver (1658),

seu filho, Ricardo Cromwell

assume o poder, porém, sem a

habilidade e carisma do pai,

enfrenta nova guerra civil no

país, que acaba com a sua

derrota e recoloca os

monarquistas no poder..


3ª FASE: RESTAURAÇÃO

A RESTAURAÇÃO NÃO ACABOU COM

OS PROBLEMAS. FOI MARCADA POR

ACONTECIMENTOS GRAVES COMO A

PARGA DE LONDRES E O INCÊNDIO DE

UMA CIDADE PORTUÁRIA EM 1666.


3ª FASE: RESTAURAÇÃO

�Carlos II (1660 – 1685).

�Jaime II (1683 – 1688).

�Católico.

�Tentativa de restabelecer o

absolutismo.

�Apoiado por Luís XIV

(FRA).


3ª FASE: RESTAURAÇÃO

�Parlamento temeroso com a

restituição do catolicismo

oferece a coroa a Guilherme de

Orange (HOL), casado com

Maria Stuart, filha mais velha

de Jaime II. Em troca, pedia o

parlamento livre e a

manutenção do anglicanismo.


4ª FASE: REV. GLORIOSA

� Revolução burguesa.

� 1689: Guilherme de Orange acata ao

Bill of Rights (Declaração dos

Direitos).

� Parlamento decidiria sobre

impostos, garantia a propriedade

privada, as liberdades individuais e

divide o poder.

� Fim do absolutismo na Inglaterra.

� Burguesia assume o poder por meio

do parlamento (Monarquia

Parlamentar).

� Implantação do liberalismo.


CONSEQÜÊNCIAS

�No plano político: monarquia

parlamentarista: a teoria da

tripartição dos poderes;

�No plano socioeconômico: acordo

entre a burguesia urbana e rural;

consolidação das bases do

desenvolvimento industrial

(revolução industrial).


O ILUMINISMO

Século XVIII


DEFINIÇÃO

MOVIMENTO CULTURAL E IDEO-

LÓGICO, CRIADO E DEFENDIDO

PELA BURGUESIA, QUE COMBA-

TIA O ABSOLUTISMO MONÁRQUI-

CO, O MERCANTILISMO E O

PODER DA IGREJA.


FICHA TÉCNICA

�Onde? ING (início), FRA (auge);

�Quem? O iluminismo representou

basicamente a forma da burguesia

interpretar o mundo;

�Características básicas:

�Racionalismo;

�Cientificismo;

�Antiabsolutismo;

�Anticlericalismo;

�Defesa das liberdades individuais.


VALORES ILUMINISTAS

�IGUALDADE JURÍDICA;

�TOLERÂNCIA RELIGIOSA E FILO-

SÓFICA;

�LIBERDADE PESSOAL E SOCIAL;

� PROPRIEDADE PRIVADA.


PRECURSSORES DO

ILUMINISMO

�RENÉ DESCARTE: O

RACIONALISMO

DEFENDIA MÉTODOS

LÓGICOS E

RACIONAIS PARA

ATINGIR O

CONHECIMENTO.

“PENSO, LOGO

EXISTO”


PRECURSSORES DO

ILUMINISMO

�ISAAC NEWTON: O MECANISMO

CIENTISTA INGLÊS, DESCOBRIU

AS LÉIS FÍSICAS APLICÁVEIS AO

UNIVERSO. “MATÉRIA ATRAI

MATÉRIA NA RAZÃO DIRETA DAS

MASSAS E INVERSA DO

QUADRADO DA DISTÂNCIA.”


PENSADORES ILUMINISTAS

�JOHN LOCKE (1632-

1704): “PAI DO ILUMINIS-

MO”. OBRA: ENSAIO

SOBRE O ENTENDIMEN-

TO HUMANO. CONDE-

NOU O ABSOLUTISMO E

DEFENDIA A LIBERDADE

INDIVIDUAL DO CIDA-

DÃO.


PENSADORES ILUMINISTAS

�MONTESQUIEU (1689-

1755): OBRA: O

ESPÍRITO DAS LEIS.

DEFENDEU A

TRIPARTIÇÃO DOS

PODERES COMO

FORMA DE EVITAR

ABUSOS.


PENSADORES ILUMINISTAS

�VOLTAIRE (1694-1778):

MAIS FAMOSO

PENSADOR

ILUMINISTA. OBRA:

CARTAS INGLESAS.

CRÍTICO FERRENHO

DA IGREJA CATÓLICA

E DA PREPOTÊNCIA

DOS PODEROSOS.

ERA A FAVOR DE UM

SOBERANO

ESCLARECIDO.


“Posso não concordar com

nenhuma de suas palavras, mas

defenderei até a morte o seu

direito de dizê-las.”

VOLTAIRE


PENSADORES ILUMINISTAS

�DIDEROT E D’ALAMBERT (1713-1784):

PRINCIPAIS ORGANIZADORES DA

ENCICLOPÉDIA, UMA OBRA DE 33

VOLUMES QUE REUNIA OS PRINCIPAIS

CONHECIMENTOS ARTÍSTICOS,

CIENTÍFICOS E FILOSÓFICOS.

DEFENDIA O RACIONALISMO, A

INDEPENDÊNCIA DO ESTADO EM

RELAÇÃO A IGREJA E A CONFIANÇA

NO PROGRESSO HUMANO ATRAVÉS

DA CIÊNCIA.


DIDEROT

D’ALEMBERT


PENSADORES ILUMINISTAS

�JEAN-JACQUES ROUSSEAU

(1712-1778): O MAIS

RADICAL. OBRA: O

CONTRATO SOCIAL.

DEFENDIA UM ESTADO COM

BASES DEMOCRÁTICAS

(SULFRÁGIO UNIVERSAL),

MAS TAMBÉM ERA CONTRA

A GRANDE DESIGUALDADE

SOCIAL. DIZIA QUE “O

HOMEM É NATURALMENTE

BOM, A SOCIEDADE É QUE O

PERVERTE”.


PENSADORES ILUMINISTAS

�EMANUEL KENT (1724-

1804): FOLÓSOFO

ALEMÃO, ELABOROU A

TEORIA CRÍTICA DO

CONHECIMENTO.

SEGUNDO ELE, FOI NO

ILUMINISMO QUE A

MENTE HUMANA

ALCANÇOU A

MAIORIDADE.


TEORIAS ECONÔMICAS

DA BURGUESIA

�l FISIOCRACISMO: PRINCIPAL

DEFENSOR - FRANÇOIS

QUESNAY (1694-1774). DEFENDIA

UM CAPITALISMO AGRÁRIO. SE

OPUNHA A INTERVENÇÃO DO

ESTADO NA ECONOMIA.


TEORIAS ECONÔMICAS

DA BURGUESIA

� LIBERALISMO ECONÔMICO:

PRINCIPAL DEFENSOR - ADAM

SMITH. OBRA: ENSAIO SOBRE A

RIQUEZA DAS NAÇÕES. DEFENDIA

QUE A VERDADEIRA FONTE DE

RIQUEZA ERA O TRABALHO E ESSE

TRABALHO DEVERIA SER

CONDUZIDO PELA LIVRE INICIATIVA

DOS PARTICULARES (LAISSEZ-

FAIRE). SE OPUNHA AO

INTERVENCIONISMO ESTATAL.


DÉSPOTAS

ESCLARECIDOS

GOVERNANTES ABSOLUTISTAS

QUE ADERIAM A CERTAS IDEAIS

ILUMINISTAS, DE MANEIRA

DEMAGÓGICA, NO INTUITO DE

FORTALECEREM OS SEUS

PODERES.


DÉSPOTAS

ESCLARECIDOS

FREDERICO II: REI DA PRÚSSIA.

ABOLIU A TORTURA AOS

CRIMINOSOS, CONSTRUIU

DIVERSAS ESCOLAS

DESTINADAS AO ENSINO

ELEMENTAR, MANTEVE AMIZADE

COM VÁRIOS ILUMINISTAS COMO

VOLTAIRE.


DÉSPOTAS

ESCLARECIDOS

CATARINA II: RAINHA DA RÚSSIA.

MODERNIZOU CIDADES,

CONSTRUIU ESCOLAS E

HOSPITAIS E MELHOROU A

ADMINISTRAÇÃO DO PAÍS.

MANTEVE CORRESPONDÊNCIA

COM DIDEROT, D’LAMBERT E

VOLTAIRE.


DÉSPOTAS

ESCLARECIDOS

JOSÉ II: REI DA ÁUSTRIA.

DIMINUIU O PODER DA IGREJA

CATÓLICA, CONFISCANDO

TERRAS; LIBERTOU SERVOS E

ABOLIU AS OBRIGAÇÕES

FEUDAIS; INTRODUZIU O

SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO.


DÉSPOTAS

ESCLARECIDOS

MARQUÊS DE POMBAL: IMPOR-

TANTE MINISTRO DO REI DE

PORTUGAL, D. JOSÉ I.

MODERNIZOU A ECONOMIA

PORTUGUESA, EXPULSOU OS

JESUÍTAS DO PAÍS, DETERMINOU

A REFORMA DO ENSINO E

REORGANIZOU O EXÉRCITO.


CONSEQUÊNCIAS DO

DESPOTISMO

O DESPOTISMO VISAVA UMA

CONCILIAÇÃO DE INTERESSES

ENTRE A TRADICIONAL

SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

E A NOVA FORMAÇÃO

BURGUESA – CAPITALISTA. SUA

INTENÇÃO, AO EMPREENDER

PROJETOS DE MODERNIZAÇÃO

ERA PREVENIR REVOLTAS.


CONSEQUÊNCIAS DO

DESPOTISMO

NO ENTANTO, AO MODERNIZAR-

SE, O ESTADO ABSOLUTISTA

ACABOU POR EXPOR SEU

ATRASO POLÍTCO E CRIAR

MENTES CRÍTICAS DAUQELA

SITUAÇÃO. O FEITIÇO VOLTOU-SE

CONTRA O FEITICEIRO...

More magazines by this user
Similar magazines