Suplementos 2005.indb - Sociedade Brasileira de Pesquisa ...

sbpqo.org.br

Suplementos 2005.indb - Sociedade Brasileira de Pesquisa ...

Volume 19 - Supplement

September - 2005

Brazilian

Brazilian

Oral Oral Research

Research

Pesquisa Odontológica Brasileira

ISSN 1806 - 8324


GENERAL SESSION &

EXHIBITION IN BRISBANE

Troque experiências e informações com os

maiores pesquisadores do mundo na área

odontológica na 84ª General Session &

Exhibition em Brisbane, Autrália, de 28 de

junho a 1º de julho de 2006.

•••

Mark you calendar to network with the

leading dental researchers of the world at

the 84 th General Session & Exhibition in

Brisbane, Autralia, June 28 - July 1, 2006.

Para mais informações, acesse:

For more information, please visit:

http://www.dentalresearch.org/meetings/brisbane/index.html


Brazilian

Brazilian

Oral Oral Oral Research Research

Research


COPYRIGHT © BOR - Brazilian Oral Research, 2004.

All rights reserved. Previous authorization by BOR - Brazilian Oral Research is necessary for partial or total

reproduction, in any form or by any means.

CATALOGUING-IN-PUBLICATION

Serviço de Documentação Odontológica-Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo

Brazilian oral research.-Vol. 18, n. 1 (Jan./Mar. 2004) – São Paulo : SBPqO : Faculdade de Odontologia :

Universidade de São Paulo. 2004-

Trimestral

ISSN 1806-8324 = Brazilian oral research

Continuação de: Pesquisa odontológica brasileira = Brazilian oral research, 14(2000) – 17(2003),

ISSN 1517-7491.

1. Odontologia – Periódicos 2. Universidade de São Paulo

CDD 617.6005

Black D05

SOCIEDADE BRASILEIRA

DE PESQUISA ODONTOLÓGICA

Brazilian Division of IADR

BOARD OF DIRECTORS

President: João Humberto Antoniazzi

Vice President: Kátia Regina Hostilio Cervantes Dias

Former President: Fernando Ricardo Xavier da Silveira

Secretary: Antonio Carlos Bombana

Treasurer: Luiz Alberto Plácido Penna

Executive Secretary: Celso Augusto Lemos Júnior

Marketing Advisor: Esther Goldenberg Birman

International Affairs Advisor: José Luiz Lage-Marques

BOARD OF ADVISORS

Célio Percinoto

Giuseppe Alexandre Romito

Izabel Cristina Froner

Maria Rita Brancini de Oliveira

SPONSORS

National Council for Scientific

and Technological Development

CERTIFICATION AND FINANCIAL SUPPORT:

PROGRAM OF SUPPORT TO SCIENTIFIC PUBLICATIONS OF USP

CERTIFICATION COMMITTEE

BOR is a member of the

Electronic Journals

Database of SciELO


Brazilian

Brazilian

Oral Oral Oral Research Research

Research

PUBLISHING COMMISSION

Scientific Editor

Esther Goldenberg Birman

E-mail: egbirman@usp.br

Assistant Editors

José Luiz Lage-Marques

Antonio Muench

Célia Regina M. D. Rodrigues

Marcelo Gusmão Paraiso Cavalcanti

Editorial Board

Altair Del Bel Cury (FOP-UNICAMP)

Antonio Olavo Cardoso Jorge (FOSJC-UNESP)

Arlete E. Cury (FCF-USP)

Bruno König (ICB-USP)

Célio Percinoto (FO-UNESP)

Claudete R. Paula (ICB-USP)

Crispian Scully (GREAT BRITAIN)

David Williams (ENGLAND)

Elza Manae Mamizuka (FCF-USP)

Flavio Fava de Moraes (ICB-USP)

Frab Norberto Boscolo (FOP-UNICAMP)

Ii Sei Watanabe (ICB-USP)

Isabel Yoko Ito (FCFRP-USP)

Jaime Aparecido Cury (FOP-UNICAMP)

Jeroen Kroon (SOUTH AFRICA)

João Gualberto Cerqueira Luz (FO-USP)

Luiz Carlos Pardini (FORP-USP)

Márcia P. A. Mayer (ICB-USP)

Maria Regina Sposto (FOA-UNESP)

Mariano Sanz (SPAIN)

Mário Júlio Ávilla Campos (ICB-USP)

Marisa Semprini (FORP-USP)

Mônica Andrade Lotufo (FO-USP)

Newell W. Johnson (GREAT BRITAIN)

Nilza Pereira da Costa (PUC-RS)

Orlando Ayrton de Toledo (UNB)

Osley Paes de Almeida (FOP-UNICAMP)

Paulo Capel Narvai (FSP-USP)

Pedro Luis Rosalen (FOP-UNICAMP)

Ricardo Martins Oliveira Filho (ICB-USP)

Romulo Cabrini (ARGENTINA)

Rosa Helena Miranda Grande (FO-USP)

Salete M. B. Cândido (FOA-UNESP)

Stephen Bayne (UNITED STATES)

Vânia Célia V. Siqueira (FOP-UNICAMP)

The Editorial Board is composed of over 80 ad hoc

assistants, who specialize in dentistry and related

areas.

Secretary

Antonio Baikauskas Filho

Bibliographic Standardization

Lúcia Maria S. V. Costa Ramos

INDEXING

The Brazilian Oral Research is indexed in:

Base de Dados LILACS: 1991- ; Bibliografia

Brasileira de Odontologia (BBO): 1987- ; Biological

Abstract: 1988- ; Index Medicus: 1997- ; Index

to Dental Literature: 1987- ; MEDLARS: 1997- ;

Medline: 1988- ; PubMed: 1997- ; The Serials

Directory: 1988- ; Ulrich’s: 1988- .

SUBSCRIPTIONS

SBPqO members: R$60.00; SBPqO non-members:

R$150.00; Institutional: R$200.00; Abroad:

US$80.00

Phone/Fax number: (55-11) 3091-7855. Site: www.

sbpqo.org.br

ADDRESS FOR CORRESPONDENCE

Brazilian Oral Research

Av. Prof. Lineu Prestes, 2.227

Cidade Universitária “Armando Salles de

Oliveira”

05508-900 - São Paulo - SP - Brasil

Phone number: (55-11) 3091-7810

E-mail: pob@edu.usp.br

EDITORIAL PRODUCTION

Ricardo Borges Costa

EDITORIAL

A SBPqO e o destino da pesquisa

odontológica

pesquisa formalmente é terminada quando é dada a

A conhecer à sociedade, que a qualifica e dá-lhe utilização

apropriada. Portanto, a 22ª Reunião Anual da Sociedade

Brasileira de Pesquisa Odontológica é o berço, o depositório e o

local onde os pesquisadores dispõem para a comunidade, não

apenas acadêmica, mas para todos os cidadãos brasileiros,

os resultados e as conclusões finais de seu árduo labor

investigativo.

Nesse contexto, os Anais da Reunião – emanados do

processo avaliativo dos trabalhos submetidos que ocorre

previamente à Reunião e nela expostos – representam, na

sua forma impressa e eletrônica, disponível no portal da

SBPqO, a interface da comunicação científica com a sociedade,

destinatária final desta tarefa de desvendar e compreender o

mundo para torná-lo mais humano.

Daí a percepção da inserção histórica dessa busca do

saber e do interpretar das manifestações culturais, científicas,

artísticas e tecnológicas como parte da aventura humana

em sua dimensão cósmica. Nisto está o papel da SBPqO, que

agrega todos os pesquisadores da área odontológica e das

áreas subjacentes e disponibiliza anualmente a sua produção

intelectual, que é parte integrante deste construir contínuo

que o ser humano realiza.

A Reunião, conseqüentemente, além de proporcionar

o profícuo e desejável convívio social, promove o momento

de construir, pelo debate e pela reflexão, os caminhos da

pesquisa futura a ser desvendada e concretamente colocada

em prática pelos sócios ao retornarem aos seus laboratórios e

a sua academia.

Faz-se, finalmente, oportuno reconhecer e agradecer, em

nome de todos os sócios e dos Conselhos Diretor e Consultivo

da SBPqO, cada um dos colegas e colaboradores que

anonimamente viabilizam, por seu trabalho e sua dedicação,

esta 22ª Reunião e os seus Anais.

João Humberto Antoniazzi

Presidente da SBPqO


CONTEÚDO

Volume 19, Supplement - September - 2005

(ISSN 1806-8324)

22ª Reunião Anual da Sociedade

Brasileira de Pesquisa Odontológica

Expediente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7

Instruções aos Apresentadores . . . . . 12

Programa Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

Resumos dos Trabalhos

Apresentados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14

Prêmio Edward Hatton

H001 a H044 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15

Pesquisa-Ensino

PE001 a PE038 . . . . . . . . . . . . . . . . . 21

Pesquisa Odontológica

de Ação Coletiva

PO001 a PO074 . . . . . . . . . . . . . . . . 26

Pesquisador Iniciante

em Odontologia

PI001 a PI064 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

Fórum Científico

FC001 a FC008 . . . . . . . . . . . . . . . . 44

Fórum Myaki Issáo

A (Ia001 a Ia171) . . . . . . . . . . . . . . . 45

B (Ib001 a Ib170) . . . . . . . . . . . . . . . 67

C (Ic001 a Ic170) . . . . . . . . . . . . . . . 89

Painéis A

A1 (Pa001 a Pa044) . . . . . . . . . . . . . 111

A2 (Pa045 a Pa086) . . . . . . . . . . . . . 116

A3 (Pa087 a Pa120) . . . . . . . . . . . . . 121

A4 (Pa121 a Pa169) . . . . . . . . . . . . . 126

A5 (Pa170 a Pa250) . . . . . . . . . . . . . 132

A6 (Pa251 a Pa285) . . . . . . . . . . . . . 142

A7 (Pa286 a Pa330) . . . . . . . . . . . . . 146

A8 (Pa331 a Pa362) . . . . . . . . . . . . . 152

Painéis B

B1 (Pb001 a Pb044) . . . . . . . . . . . . 157

B2 (Pb045 a Pb085) . . . . . . . . . . . . 162

B3 (Pb086 a Pb120) . . . . . . . . . . . . 167

B4 (Pb121 a Pb168) . . . . . . . . . . . . 172

B5 (Pb169 a Pb250) . . . . . . . . . . . . 178

B6 (Pb251 a Pb285) . . . . . . . . . . . . 188

B7 (Pb286 a Pb330) . . . . . . . . . . . . 192

B8 (Pb331 a Pb362) . . . . . . . . . . . . 198

Painéis C

C1 (Pc001 a Pc043) . . . . . . . . . . . . . 203

C2 (Pc044 a Pc085) . . . . . . . . . . . . . 208

C3 (Pc086 a Pc119) . . . . . . . . . . . . . 213

C4 (Pc120 a Pc168) . . . . . . . . . . . . . 217

C5 (Pc169 a Pc250) . . . . . . . . . . . . . 224

C6 (Pc251 a Pc284) . . . . . . . . . . . . . 234

C7 (Pc285 a Pc330) . . . . . . . . . . . . . 238

C8 (Pc331 a Pc362) . . . . . . . . . . . . . 244

Índice de Descritores . . . . . . . . . . . . . 249

Índice de Autores . . . . . . . . . . . . . . . . 261


3 a 7 de setembro de 2005

Águas de Lindóia - SP - Brasil

SOCIEDADE BRASILEIRA

DE PESQUISA ODONTOLÓGICA

Divisão Brasileira da IADR


DIRETORIA DA SBPqO

CONSELHO DIRETOR

Presidente: João Humberto Antoniazzi

Vice-Presidente: Kátia Regina Hostilio Cervantes Dias

Ex-Presidente: Fernando Ricardo Xavier da Silveira

Secretário: Antonio Carlos Bombana

Tesoureiro: Luiz Alberto Plácido Penna

Secretário Executivo: Celso Augusto Lemos Júnior

CONSELHO CONSULTOR

Célio Percinoto

Giuseppe Alexandre Romito

Izabel Cristina Froner

Maria Rita Brancini de Oliveira

ASSESSORES

Editora: Esther Goldenberg Birman

Assuntos Nacionais: Sigmar de Mello Rode

Assuntos Internacionais: José Luiz Lage-Marques

COMISSÕES DA 22ª REUNIÃO

ANUAL DA SBPqO

PRÉ-AVALIADORES

Adalberto Bastos De Vasconcellos - UFF

Adalberto Luiz Rosa - FORP-USP

Adauto Emmerich Oliveira - UFES

Adriana Bona Matos - FO-USP

Adriana Campos Passanezi Santana - FOB-USP

Adriana Carla Rodrigues Mendes -UFPB

Adriana Cristina Zavanelli - FOA-UNESP

Adriana Etges - UFPeL

Adriana Marcia Beloti - CESUMAR

Adriana Paula de Andrade da Costa e Silva - UFPE

Adriana Silva de Carvalho - SL MANDIC

Adriane Tenório Dourado - UPE

Adriane Yaeko Togashi - UNIOESTE

Adriene Mara Souza Lopes - UNITAU

Alan Araujo de Jesus - UFBA

Alberto Carlos Botazzo Delbem - FOA-UNESP

Alberto Joao Zortea Junior - UFSC

Alberto Magno Gonçalves - UFG

Alcebíades Nunes Barbosa - ULBRA

Alcion Alves da Silva - UnG

Alessandra Aparecida Campos - UNIFRAN

Alessandra Castro Alves - UNICAMP

Alessandra Maia de Castro - UFU

Alessandra Marcondes Aranega - FOA-UNESP

Alessandra Reis - UNOESC

Alessandra Rinaldi Maliska - ULBRA

Alessandro Ceschin - UNITAU

Alessandro Dourado Loguercio - UNOESC

Alessandro Leite Cavalcanti - UEPB

Alessandro Moscal Checchinato - UNIFESP

Alexandre Andrade Moreira - FBDC

Alexandre Batista Lopes do Nascimento - SCES

Alexandre de Almeida Ribeiro - UFRJ

Alexandre de Araújo Lima Barcellos - UFF

Alexandre Luiz Souto Borges - FOSJC-UNESP

Alexandre Medeiros Vieira - UNINCOR

Alexandre Severo Masotti - UFRS

Alfredo Júlio Fernandes Neto - UFU

Alma Blásida C. Elizaur Benitez Catirse - FORP-USP

Alvaro Della Bona - UPF

Alvaro Francisco Bosco - FOA-UNESP

Alvimar Lima de Castro - FOA-UNESP

Ana Beatriz Alonso Chevitarese Cardinali - UFRJ

Ana Carla Ferreira Carneiro Rios - UEFS

Ana Carla Raphaelli Nahás - UNICID

Ana Christina Claro Neves - UNITAU

Ana Cristina Amaral Loureiro - UFMG

Ana Cristina Barreto Bezerra - UCB-DF

Ana Cristina de Oliveira Solis - FO-USP

Ana Elisa de Mello Vieira - FOA-UNESP

Ana Lia Anbinder - UNITAU

Ana Lucia Machado - FOAR-UNESP

Ana Lucia Marsilio - FOSJC-UNESP

Ana Lucia Pompéia Fraga de Almeida - FOB-USP

Ana Maria Abras da Fonseca - PUC-MG

Ana Maria Bolognese - UFRJ

Ana Maria Corrêa Braga - PUC-PR

Ana Maria Gondim Valença - UFPB

Ana Maria Trindade Grégio - PUC-PR

Ana Míryam Costa de Medeiros - UFRN

Ana Paula Gonçalves Pita - FOAR-UNESP

Ana Paula Martins Gomes - FOSJC-UNESP

Ana Paula Neutzling Gomes - UFPeL

Ana Paula Vieira Colombo - UFRJ

Ana Terezinha Marques Mesquita - FAFEID

Ana Vitória Imbronito - FO-USP

André Luiz Fraga Briso - FOA-UNESP

André Mallmann - EBMSP-BA

André Takahashi - UEPG

André Ulisses Dantas Batista - UFRN

Andréa Gonçalves - FOAR-UNESP

Andrea Lucia Almeida de Carvalho - UFMA

Andrea Mantesso - FO-USP

Angela Rita Pontes Azevedo - UFPA

Angelo Brito Pereira de Melo - UFPB

Angelo José Pavan - UEM

Angelo Stefano Secco - UNIP-CAMPINAS

Antonio Adilson Soares de Lima - PUC-PR

Antonio Carlos Bombana - FO-USP

Antonio Carlos de Campos - FO-USP

Antônio Carlos de Oliveira Ruellas - UFRJ

Antonio Carlos Pereira - UNICAMP

Antonio Giordani - PUC-CAMPINAS

Antonio José Ribeiro de Castro - UNESA

Antonio Lucindo Bengtson - UNIMES

Antonio Luiz Barbosa Pinheiro - UFBA

Antonio Miranda da Cruz Filho - UNAERP

Antonio Muench - FO-USP

Antonio Olavo Cardoso Jorge - UNITAU

Antônio Sérgio Guimarães - UNIFESP

Aparecida Maria Cordeiro Marques - UFBA

Ariana Soares Rodrigues - FO-USP

Arnaldo de França Caldas Junior - UPE

Arsenio Sales Peres - FOB-USP

Artênio José Ísper Garbin - FOA-UNESP

Beatriz Brandão Scarpelli - UEL

Beatriz Helena Sottile França - PUC-PR

Beatriz Silva Câmara Mattos - FO-USP

Blanca Liliana Torres León - FBDC

Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes - UNICAMP

Bruno Carlini Júnior - UPF

Bruno Orellana - UNICAMP

Cacilda Chaves Morais de Lima - UEPB

Camillo Anauate Netto - UMC

Carlos Alberto Campos - UFJF

Carlos Augusto Galvão Barboza - UFRN

Carlos Eduardo da Silveira Bueno - SL MANDIC

Carlos Eduardo Espindola Baraldi

Carlos Ferreira dos Santos - FOB-USP

Carlos Francci - FO-USP

Carlos Henrique Gomes Martins - UNIFRAN

Carlos José Soares - UFU

Carlos Menezes Aguiar - UFPE

Carlos Roberto Colombo Robazza - EFOA

Carlos Rocha Gomes Torres - FOSJC-UNESP

Carmen Milena Rodrigues Siqueira Carvalho - AEST-PI

Caroline de Oliveira Langlois - ULBRA

Cássia Cilene Dezan Garbelini - UNOPAR

Cássio Vicente Pereira - UNILAVRAS

Cassius C. Torres Pereira - UFPR

Catia Marisa Gazolla de Oliveira - UNINCOR

Cecilia Gatti Guirado - UNICAMP

Célia Maria Condeixa de França - UNIVILLE

Célia Marisa Rizzatti Barbosa - UNICAMP

Célia Regina Martins Delgado Rodrigues - FO-USP

Celiane Mary Carneiro Tapety - FOB-USP

Celio Jesus do Prado - UFU

Célio Percinoto - FOA-UNESP

Celso Afonso Klein Júnior - ULBRA

Celso Augusto Lemos Júnior - FO-USP

Celso da Silva Queiroz - UNITAU

Celso Kenji Nishiyama - FOB-USP

Celso Koogi Sonoda - FOA-UNESP

Celso Neiva Campos - UFJF

César Rogério Pucci - UMESP

Charles da Cunha Pereira- ULBRA

Christianne Feldmann - ULBRA

Christie Ramos Andrade Leite Panissi - FORP-USP

Cinara Maria Camparis - FOAR-UNESP

Cinthya Cristina Gomes - UERJ

Cláudia Ângela Maziero Volpato - UFSC

Claudia Helena Lovato da Silva - FORP-USP

Cláudia Maria Coêlho Alves - UFMA

Cláudia Maria de Souza Peruchi - UCB-DF

Cláudia Maria Navarro - FOAR-UNESP

Claudia Ota Tsuzuki - FMU

Cláudia Silami de Magalhães - UFMG

Claudio Antonio Talge Carvalho - FOSJC-UNESP

Claudio Costa - FO-USP

Claudio Heliomar Vicente da Silva - UFPE

Claudio Mendes Pannuti - UNIB

Cláudio Rodrigues Leles - UFG

Cléa Adas Saliba Garbin - FOA-UNESP

Clébia Cleriane Pereira Rabêlo - UFPE

Cleide Der Torossian Torres Neves - UNOESTE

Cleumara Kosmann - UNIVALI

Clovis Pagani - FOSJC-UNESP

Cristiana Marinho de Jesus - AEE

Cristiane Furuse - SL MANDIC

Cristiane Maria Montanari Figueira - CESUMAR

Cristiane Mariote Amaral - UnG

Cristiane Miranda França - UNIB

Cristiane Ueda - FO-USP

Cristina Braga Xavier - UFPeL

Cristina Giovannetti Del Conte Zardetto - FO-USP

Cristina Lougon Borges de Mattos - UFJF

Cristina Lucia Feijó Ortolani - UNIP-SÃO PAULO

Daniela Ap. Biasotto Gonzalez - UNINOVE

Daniela Atili Brandini - FOA-UNESP

Daniela Francisca Gigo Cefaly - UNOPAR

Daniela Gamba Garib - UNICID

Daniela Jorge Corralo - UPF

Daniela Rios - CESUMAR

Daniela Silva Barroso - EFOA

Daniela Soares Corrêa - PUC-MG

Danilo Alessandro de Oliveira - UNAERP

Danilo Furquim Siqueira - UMESP

Danilo Minor Shimabuko - UNICID

Danilo Teixeira - UFSC

Danyel Elias da Cruz Perez - UNICAMP

David Rivero Tames - UNIVALI

Débora Barros Barbosa - FOA-UNESP

Debora Pallos - UNITAU

Décio dos Santos Pinto Jr. - FO-USP

Denise Fonseca Côrtes - UVA

Denise Madalena Palomari Spolidorio - FOAR-UNESP

Denise Nicodemo - FOSJC-UNESP

Denise Pedrini - FOA-UNESP

Denise Pontes Raldi - UNIB

Denise Stadler Wambier - UEPG

Denise Tostes Oliveira - FOB-USP

Desirée Sant’Ana Haikal - UNIMONTES

Diego Augusto da Rosa Pretto - ABO RS

Diele Carine Barreto Arantes - UNICENTRO

Dione Dias Torriani - UFPeL

Durvalino de Oliveira - UNIC

Éber Luís de Lima Stêvão - GWECOO

Edevaldo Tadeu Camarini - UEM

Edgard Michel Crosato - UNOESC

Edmar José Borges de Santana - UFBA

Edmer Silvestre Pereira Júnior - EFOA

Edson Dias Costa Junior - UnB

Edson Jorge Lima Moreira - UNIGRANRIO

Eduardo Alvares Dainesi - USC

Eduardo Azoubel - UEFS

Eduardo Batista Franco - FOB-USP

Eduardo Batitucci - UFES

Eduardo Calil - UNISANTA

Eduardo César Almada Santos - FOA-UNESP

Eduardo Dickie de Castilhos - UFRS

Eduardo Diogo Gurgel Filho - UNIFOR

Eduardo Galera da Silva - FOSJC-UNESP

Eduardo Kazuo Sannomiya - UMESP

Eduardo Moreira da Silva - UFF

Eduardo Nunes - PUC-MG

Eduardo Passos Rocha - FOA-UNESP

Eduardo Piza Pellizzer - FOA-UNESP

Eduardo Saba Chujfi - UNICASTELO

Eduardo Shigueyuki Uemura - FOSJC-UNESP

Edvaldo Antonio Ribeiro Rosa - PUC-PR

Efigênia Ferreira e Ferreira - UFMG

Elaine Cristina Escobar Gebara - FO-USP

Elaine Maciel Cabral - UNINCOR

Elaine Manso Oliveira Franco de Carvalho - EFOA

Elaine Marcílio Santos - UMC

Elaine Maria Sgavioli Massucato - FOAR-UNESP

Elaine Quedas de Assis - UnG

Elcio Magdalena Giovani - UNIP - SÃO PAULO

Elen Marise de Oliveira Oleto - UFMG

Eleny Balducci Roslindo - FOAR-UNESP

Eliane Cristina Gava Pizi - UNOESTE

Eliane Pedra Dias - UFF

Eliete Conceição Giusti - UBC

Elifas Levy Nunes - UNESP-BOTUCATU

Elio Hitoshi Shinohara - FO-USP

Eliza Burlamaqui Klautau - CESUPA

Elizabete Brasil dos Santos - UEPG

Elton Gonçalves Zenóbio - PUC-MG

Emilia Angela Loschiavo Arisawa - UNIVAP

Emílio Barbosa e Silva - FOAR-UNESP

Eric Jacomino Franco - UCB-DF

Éricka Tavares Pinheiro - UNICAMP

7


Erika Barbara Abreu Fonseca Thomaz - UNICEUMA

Estevão Tomomitsu Kimpara - FOSJC-UNESP

Esther Goldenberg Birman - FO-USP

Eudes Gondim Junior - UNICAMP

Euler Maciel Dantas - UnP

Euloir Passanezi - FOB-USP

Eunice Teresinha Giampaolo - FOAR-UNESP

Evandro Piva - UFPeL

Evelise Machado De Souza - PUC-PR

Evelyne Pessoa Soriano - FOR

Ezilmara Leonor Rolim de Sousa - UFPeL

Fabian Calixto Fraiz - UFPR

Fabiana Mantovani Gomes França - SL MANDIC

Fabiana Soares Grecca - UFRS

Fabiana Sodré de Oliveira - UFU

Fabiane Piva - ULBRA

Fábio André dos Santos - UEPG

Fábio Carlos Kozlowski - UNICAMP

Fabio Correia Sampaio - UFPB

Fabio Daumas Nunes - FO-USP

Fábio Herrmann Coelho de Souza - ULBRA

Fábio Luiz Dal Moro Maito - PUC-RS

Fabrício Mesquita Tuji - UFPA

Fátima Ioko Mochidome - UFU

Fernanda de Carvalho P. Pires-de-Souza - FORP-USP

Fernanda Lopes da Cunha - SL MANDIC

Fernanda Lopes de Souza - PUC-RS

Fernando Carlos Hueb de Menezes - UNIUBE

Fernando da Cunha Ribeiro - FO-USP

Fernando de Oliveira Costa - UFMG

Fernando Fernandes - UEPG

Fernando Henrique Westphalen - PUC-PR

Fernando Jorge Mendes Ahid - UNICEUMA

Fernando Ricardo Xavier da Silveira - FO-USP

Flavia Artese - UERJ

Flávia Maia Silveira - UFF

Flaviana Bombarda de Andrade Ferreira - UNOPAR

Flávio Augusto Cotrim-Ferreira - UNICID

Flávio Domingues das Neves - UFU

Flavio Ricardo Manzi - PUC-MG

Flávio Vellini-Ferreira - UNICID

Florence Mitsue Sekito - UERJ

Francisco A. Limeira Júnior - UFPB

Francisco Carlos Groppo - UNICAMP

Francisco Haiter Neto - UNICAMP

Franco Arsati - UNIMEP

Frank Ferreira Silveira - PUC-MG

Frederico Barbosa de Sousa - UFPB

Gabriela Traldi Zaffalon - SL MANDIC

Gardenia Mascarenhas de Oliveira Zumaêta - UEFS

Gelson Luis Adabo - FOAR-UNESP

George Miguel Spyrides - UFRJ

Geraldo Bosco Lindoso Couto - UFPE

Gerson Francisco de Assis - FOB-USP

Getúlio Batista de Oliveira - UFBA

Gilberto Antonio Borges - UNIUBE

Gildo Coelho Santos Júnior - UFBA

Gilson Correia Beltrão - PUC-RS

Giorgio de Micheli - FO-USP

Gisele da Silva Dalben - FOB-USP

Gislaine Denise Czlusniak - UEPG

Giulio Gavini - FO-USP

Giuseppe Alexandre Romito - FO-USP

Gladys Cristina Dominguez-Rodriguez - FO-USP

Gláucia Helena Faraco de Medeiros - UNISUL

Gloria Fernanda Barbosa de Araujo Castro - UFRJ

Guaracilei Maciel Vidigal Junior - UNIGRANRIO

Guilherme Brião Camacho - UFPeL

Guilherme Elias Pessanha Henriques - UNICAMP

Gustavo Carvalho Romiti - UNIB

Gustavo Mendonça - UCB-DF

Gustavo Ribeiro Alvares - UERJ

Haroldo José Mendes - FOB-USP

Hébel Cavalcanti Galvão - UFRN

Helena de Freitas Oliveira Paranhos - FORP-USP

Helio Scavone Junior - UNICID

Heloisa Helena Pinho Veloso - UPE

Henrique Duque de Miranda Chaves Filho - UFJF

Hercules Jorge Almilhatti - CESUMAR

Horacio Faig Leite - FOSJC-UNESP

Humberto Carlos Pucci - ULBRA

Iêda Margarida Crusoé Rocha Rebello - UFBA

Ilan Weinfeld - FO-USP

Ilda Machado Fiuza Gonçalves - UFG

Ines Beatriz da Silva Rath - UFSC

Ione Suslik Baron - ULBRA

Iris do Ceu Clara Costa - UFRN

Ítalo Honorato Alfredo Gandelmann - UFRJ

Ivete Aparecida de Mattias Sartori - USC

Ivo Carlos Correa - UFRJ

Ivo Contin - FO-USP

Izabel Coelho Gomes Camões - UFF

Izabel Cristina Froner - FORP-USP

Izabel Yoko Ito - FORP-USP

Izo Milton Zani - UFSC

Jaime Carlik - UMC

Jamila Reis de Oliveira Haikal - UNICENTRO

Janete Dias Almeida - FOSJC-UNESP

Janir Alves Soares - FAFEID

8

Jefferson Luiz Traebert - UNISUL

Jesus Carlos Andreo - FOB-USP

João Carlos Gabrielli Biffi - UFU

João Carlos Gomes - UEPG

João de Jesus Viana Pinheiro - UFPA

João Eduardo Gomes Filho - FOA-UNESP

João Gualberto de Cerqueira Luz - FO-USP

João Humberto Antoniazzi - FO-USP

João Jorge Diniz Barbachan - UFRS

João Luiz de Miranda - FAFEID

João Paulo Filgueiras Ribeiro - UEPG

João Sarmento Pereira Neto - UNICAMP

Jorge Abrão - FO-USP

José Antônio Nunes de Mello - UEA

José Antonio Rossi dos Santos - PUC-PR

José Augusto Rodrigues - UnG

Jose Benedito Oliveira Amorim - FOSJC-UNESP

José Carlos Rabelo Ribeiro - UNINCOR

José Cássio de Almeida Magalhães - UNICASTELO

José Cícero Dinato - UFRS

José Claúdio Martins Segalla - FOAR-UNESP

José Eduardo Cezar Sampaio - FOAR-UNESP

José Fernando Castanha Henriques - FOB-USP

José Flavio Batista Gabrich Giovannini - UNICENTRO

José Guilherme Antunes Guimarães - UFF

José Leopoldo Ferreira Antunes - FO-USP

José Luiz Cintra Junqueira - SL MANDIC

Jose Luiz de Lorenzo - FO-USP

José Luiz Lage-Marques - FO-USP

José Massao Miasato - UNIGRANRIO

José Mauro Granjeiro - UFF

José Nilo de Oliveira Freire - UFSC

José Roberto Cortelli - UNITAU

José Roberto Lovadino - UNICAMP

José Rodrigues Laureano Filho - UPE

Jose Stechman Neto - UTP

José Tadeu Tesseroli de Siqueira - HCFM-USP

José Thadeu Pinheiro - UFPE

Josilda Floriano Melo M. - UFPI

Juan Ramon Salazar-Silva - UEPB

Juçaíra Stella Martins Giusti - FOAR-UNESP

Juliana Bezerra Saldanha - UNICAMP

Juliana Bisinotto Gomes Guimarães - UFU

Juliana Cama Ramacciato - SL MANDIC

Juliana Campos Junqueira - FOSJC-UNESP

Juliana Mazzonetto Teófilo - FAFIC

Juliana Rodrigues Praetzel - UFSM

Juliano Cardoso - ULBRA

Juliano Milczewsky Scolaro - UNIP - GOIÁS

Julio Cesar de Azevedo Carvalhal - UGF

Julio Cesar de Paulo Cravinhos - UESPI

Julio Cezar de Melo Castilho - FOSJC-UNESP

Jurandyr Panella - FO-USP

Karem López Ortega - FO-USP

Karin de Mello Weig - UFF

Karina Fittipaldi Bombonato Prado - FORP-USP

Karina Gottardello Zecchin - UNICAMP

Karina Maria Salvatore de Freitas - FOB-USP

Kátia Lucy de Melo Maltos - UFMG

Kátia Regina Hostilio Cervantes Dias - UERJ

Kelle Cristina Garcia - FOAR-UNESP

Kenio Costa Lima - UFRN

Kikue Takebayashi Sassaki - FOA-UNESP

Kristianne Porta Santos Fernandes - UNINOVE

Laiza Tatiana Poskus - UFF

Laura Guimarães Primo - UFRJ

Lawrence Gonzaga Lopes - UCB-DF

Leandro Azambuja Reichert - ULBRA

Leão Pereira Pinto - UFRN

Leda Maria Pescinini Salzedas - FOA-UNESP

Leonardo Eloy Rodrigues Filho - FO-USP

Leonardo Rigoldi Bonjardim - UNIT

Letícia Algarves Miranda - UNISC

Letícia Borges Jacques - UFSM

Levi Ribeiro de Almeida Júnior - UFF

Lídia Parsekian Martins - FOAR-UNESP

Lilian Ferreira Freitas - UFF

Lilian Marly de Paula - UnB

Liliana Ávila Maltagliati - UMESP

Lina Naomi Hashizume - UFRS

Linaena Méricy da Silva Fonseca - UNIVALE

Linda Wang - UNOPAR

Lino João da Costa - UFPB

Lourdes A. M. dos Santos-Pinto - FOAR-UNESP

Lourenço Correr Sobrinho - UNICAMP

Lucas da Fonseca Roberti Garcia - UNAERP

Lúcia Carneiro de Souza Beatrice - UFPE

Lúcia Coelho Garcia Pereira - UEv

Luciana Assirati Casemiro - UNIFRAN

Luciana Freitas Bastos - UNIGRANRIO

Luciana Machion - UNICAMP

Luciana Maria Pedreira Ramalho - UFBA

Luciana Reis Azevedo - PUC-PR

Luciane Monte Alto de Seabra - UNESA

Luciane Ribeiro de Rezende Sucasas da Costa - UFG

Lucianne Cople Maia - UFRJ

Luciano José Pereira - UNICAMP

Luciano Loureiro de Melo - UFPR

Lucilene Hernandes Ricardo - UNITAU

Lucimara Teixeira das Neves - FOB-USP

Lucineide de Melo Santos - UFAL

Luis Cardoso Rasquin - UEFS

Luis Eduardo Duarte Irala - ULBRA

Luís Geraldo Vaz - FOAR-UNESP

Luiz Alberto Plácido Penna - UNIB

Luiz André Freire Pimenta - UNICAMP

Luiz Antonio Pugliesi Alves de Lima - FO-USP

Luiz Carlos Pardini - FORP-USP

Luiz Carlos Santiago - UFRJ

Luiz Cesar da Costa Filho - PUC-RS

Luiz Eduardo Blumer Rosa - FOSJC-UNESP

Luiz Fernando Martis André - UNIMES

Luiz Flávio Martins Moliterno - UERJ

Luiz Guilherme Brentegani - FORP-USP

Luiz Gustavo Cavalcanti Bastos - FOB-USP

Luiz Henrique Burnett Jr. - PUC-RS

Luiz Renato Camargo Essenfelder - UTP

Malbely Fátima de Abreu Bastos - UFF

Mamie Mizusaki Iyomasa - FORP-USP

Manoel Brito Júnior - UNIMONTES

Manoel Damião de Sousa Neto - UNAERP

Manoela Domingues Martins - UNIMES

Marcel Fasolo de Paris - ULBRA

Marcelo Cavenaghi Pereira da Silva - SL MANDIC

Marcelo Coelho Goiato - FOA-UNESP

Marcelo de Gusmão Paraiso Cavalcanti - FO-USP

Marcelo Donizetti Chaves - FACIMP

Marcelo Drummond Naves - UFMG

Marcelo Ferraz Mesquita - UNICAMP

Marcelo Giannini - UNICAMP

Marcelo Gonçalves - FOAR-UNESP

Marcelo Lucchesi Teixeira - SL MANDIC

Marcelo Rocha Marques - UNICAMP

Marcelo Rodrigues Gonçalves - UNILAVRAS

Marcelo Sanmartin de Almeida - UFF

Marcelo Werneck Barata de Araujo - PFIZER INC

Márcia Boen Garcia Liñan - FO-USP

Márcia Cançado Figueiredo - UFRS

Marcia Maria Vendiciano Barbosa Vasconcelos - UFPE

Márcia Moreira - UNIBAN

Marcia Ribeiro Gomide - FOB-USP

Marcia Turolla Wanderley - FO-USP

Márcio Corrêa - UFSC

Marco Antonio Bottino - FOSJC-UNESP

Marco Antonio Compagnoni - FOAR-UNESP

Marco Antonio M. Rodrigues da Silva - FORP-USP

Marco Antonio Trevizani Martins - FO-USP

Marco Aurélio de Anselmo Peres - UFSC

Marcoeli Silva de Moura - UFPI

Marcone Reis Luiz - UNILAVRAS

Marcos Antônio Albuquerque de Senna - UNIVERSO

Marcos Antonio Torriani - UFPeL

Marcos Augusto do Rego - UNITAU

Marcos Da Veiga Kalil - UERJ

Marcos Eduardo Landgraf - SL MANDIC

Marcos Ribeiro Moysés - UNINCOR

Marcus Vinicius Reis Só - FOAR-UNESP

Margarete Elizabete Brzozowski - FO-USP

Margareth Maria Gomes de Souza - UFRJ

Margareth Oda - UNIP-SÃO PAULO

Maria Ângela Naval Machado - PUC-PR

Maria Angela Pita Sobral - FO-USP

Maria Antonieta Lopes de Souza - PUC-RS

Maria Aparecida A. Cerqueira Luz - FO-USP

Maria Aparecida Borsatti - FO-USP

Maria Aparecida de Albuquerque Cavalcante - UFRJ

Maria Augusta Bessa Rebelo - UFAM

Maria Beatriz Araujo Magnani - UNICAMP

Maria Beatriz Duarte Gavião - UNICAMP

Maria Bernadete Sasso Stuani - FORP-USP

Maria Carméli Correia Sampaio - UFPB

Maria Carmen Fonseca Serpa Carvalho - UFMG

Maria Cecília Veronezi - USC

Maria Cristina Almeida de Souza - USS

Maria Cristina Borsatto - FORP-USP

Maria Cristina Duarte Ferreira - UNIP-SÃO PAULO

Maria Cristina Teixeira Cangussu - UFBA

Maria Cristina Volpato - UNICAMP

Maria da Conceição Andrade - UPE

Maria da Encarnação Perez R. da Costa - UGF

Maria da Gloria Chiarello de Mattos - FORP-USP

Maria da Luz Rosario de Sousa - UNICAMP

Maria das Graças Afonso Miranda Chaves - UFJF

Maria de Fatima Malvar Gesteira - UFBA

Maria do Socorro Costa Feitosa Alves - UFRN

Maria Eliza Barbosa Ramos - UNESA

Maria Elizabete Carneiro de Saba - UNICASTELO

Maria Eneide Leitao de Almeida - UFC

Maria Esperanza Cortes Segura - UFMG

Maria Gabriela Haye Biazevic - UNOESC

Maria Gabriela Pereira de Carvalho - UFSM

Maria Guiomar de Azevedo Bahia - UFMG

Maria Helena Castro de Almeida - SL MANDIC

Maria Helena Chaves de Vasconcelos Catão - UEPB

Maria Helena de Sousa - PUC-PR

Maria Hermenegilda Grasselli Batitucci - UFES

Maria Inez Lemos Peliz Fernandes - FOAR-UNESP

Maria Inez Roda - FO-USP


Maria Isabel de Castro de Souza - UERJ

Maria Jacinta Moraes Coelho Santos - UFBA

Maria José de Carvalho Rocha - UFSC

Maria José Hitomi Nagata - FOA-UNESP

Maria Jose Santos de Alencar - UFRJ

Maria Laura Menezes Bonow - UFPeL

Maria Leticia Ramos Jorge - UFMG

Maria Ligia Gerdullo Pin - SMS-BAURU

Maria Lúcia Rubo de Rezende - FOB-USP

Maria Luiza Schmidt Simas Netta - PUC-PR

Maria Nadir Gasparoto Mancini - FOSJC-UNESP

Maria Regina Sposto - FOAR-UNESP

Maria Renata Giazzi Nassri - UMC

Maria Rita Brancini de Oliveira - FOAR-UNESP

Maria Rita Lopes da Silva de Freitas - PUC-MG

Maria Rozeli de Souza Quirino - UNITAU

Maria Salete Machado Candido - FOAR-UNESP

Maria Teresa Botti Rodrigues dos Santos - UNICSUL

Maria Teresa de Andrade Goldner - UERJ

Maria Tereza Moura de Oliveira - FORP-USP

Mariane Gonçalves - FORP-USP

Marilena Chinali Komesu - FORP-USP

Marilene Issa Fernandes - UFRS

Marileny Boechat Frauches - UNIVALE

Marili Doro Andrade Deonizio - PUC-PR

Marília Afonso Rabelo Buzalaf - FOB-USP

Marilia Nalon Pereira - UFJF

Marinilce Fagundes dos Santos - FO-USP

Mário Alexandre Coelho Sinhoreti - UNICAMP

Mário Sérgio Oliveira Swerts - UNIFENAS

Mario Taba Junior - FORP-USP

Mário Tanomaru Filho - FOAR-UNESP

Mário Vedovello Filho - UNIARARAS

Maristela Gutierrez de Borba - PUC-RS

Mariza Akemi Matsumoto - USC

Marlei Aparecida Seccani Galassi - FOAR-UNESP

Marlene Fenyo Soeiro de Matos Pereira - FO-USP

Marta Solange Rampani Duarte - FOSJC-UNESP

Martinho Campolina Rebello Horta - PUC-MG

Mary Caroline Skelton Macedo - FO-USP

Mathias Vitti - FORP-USP

Mauricio José de Oliveira Bastos - UNIG

Maurício Rodolfo Loiacono Nunes - APCD-SJC

Maurício Schneider - ULBRA

Maurício Tanji - UNIMEP

Mauro Antonio de Arruda Nóbilo - UNICAMP

Mauro D’Oliveira - UGF

Mauro Sayão de Miranda - UERJ

Maximiano Ferreira Tovo - ULBRA

Maximiliano Piero Neisser - UNITAU

Melissa Feres Damian - UPF

Micheline Trentin - UPF

Milton Satoiuqui Masuda - UNISA

Miriam Fatima Zaccaro Scelza - UFF

Miriam Lacalle Turbino - FO-USP

Miriam Pimenta Parreira do Vale - UFMG

Mírian Aiko Nakane Matsumoto - FORP-USP

Mirian Marubayashi Hidalgo - UEM

Mônica Andrade Lotufo - UNIB

Mônica Costa Armond - UNINCOR

Mônica Cristina Camargo Antoniazzi - UNITAU

Mônica da Costa Serra - FOAR-UNESP

Monica Tirre de Souza Araujo - UFRJ

Myriam P. Kapczinski - ULBRA

Nadia da Rocha Svizero - USC

Nádia Magalhães Moraes - UFRJ

Nadya Galvão Bengtson - UNIMES

Neila Maria de Almeida Smanio - SL MANDIC

Nelson Gnoatto - EBMSP-BA

Nelson Luiz de Macedo - FOSJC-UNESP

Nemre Adas Saliba - FOA-UNESP

Nilce Tomita - FOB-USP

Nildiceli Leite Melo Zanella - FOB-USP

Nilson Roberto Armentano - UNISA

Norberto Juarez Broon - FOB-USP

Norberto N. Sugaya - FO-USP

Nuno Filipe Dalmeida - UNIB

Oldemar Ferreira Garcia de Brito - UNIGRANRIO

Olivia Albertina da Silva Fraga - UERJ

Orlando Ayrton de Toledo - UnB

Osmar Aparecido Cuoghi - FOA-UNESP

Osnara M. M. Gomes - UEPG

Osvaldo Luiz Bezzon - FORP-USP

Oswaldo Crivello Junior - FO-USP

Patrícia Cristine de Oliveira - UNIP-DF

Patrícia de Almeida R. Silva e Souza - CESUPA

Patrícia Helena Pereira Ferrari - FO-USP

Patricia Maria Pereira de Araujo Zarzar - UFMG

Patrícia Meira Bento - UEPB

Patricia Ramos Cury - SL MANDIC

Patricia Zambonato Freitas - FOB-USP

Paula Cristina Trevilatto - PUC-PR

Paula Dechichi - UFU

Paula Mathias Rabelo de Morais - UFBA

Paulo Eduardo Alencar de Souza - PUC-MG

Paulo Henrique dos Santos - FOA-UNESP

Paulo Henrique Ferreira Caria - UNICAMP

Paulo Isaias Seraidarian - PUC-MG

Paulo Márcio de Mendonça Pinheiro - ITPAC

Paulo Nelson Filho - FORP-USP

Paulo Roberto Aranha Nouer - SL MANDIC

Paulo Sérgio Cerri - FOAR-UNESP

Paulo Sérgio da Silva Santos - FO-USP

Paulo Sérgio Lopes dos Prazeres - UNISA

Paulo Sérgio Mutarelli - UMC

Paulo Tambasco de Oliveira - FORP-USP

Paulo Vicente Barbosa da Rocha - UEFS

Pedro Luiz de Carvalho - UNITAU

Pedro Luiz Rosalen - UNICAMP

Plínio da Silva Macêdo - UFPI

Priscila Ladeira Casado - UFF

Rafael Barreto Cogo - ULBRA

Rafael Leonardo Xediek Consani - UNICAMP

Raphael Freitas de Souza - UNIVAG

Raquel Baroni de Carvalho - UFES

Raquel Sano Suga Terada - UEM

Regina Guenka Palma Dibb - FORP-USP

Regina Helena Lourenço Belluzzo - UNIP-CAMPINAS

Reginaldo Bruno Gonçalves - UNICAMP

Reinaldo Brito e Dias - FO-USP

Renata Antunes Esteves - CESUPA

Renata Cimões Jovino Silveira - UFPE

Renata Cunha Matheus Rodrigues Garcia - UNICAMP

Renata Garcia Fonseca - FOAR-UNESP

Renata Goulart Castro - UFSC

Renata Pardini Hussne - FOAR-UNESP

Renata Silva Melo Fernandes - UFPE

Renato Castro de Almeida - SL MANDIC

Renato Gomes Antoniazzi - USF

Renato Souza Queiroz - UFG

Renato Sussumu Nishioka - FOSJC-UNESP

Ricardo Alves de Mesquita - UFMG

Ricardo Della Coletta - UNICAMP

Ricardo Faria Ribeiro - FORP-USP

Ricardo Raitz - UNIB

Ricardo Sampaio de Souza - UNIPAR

Ricardo Souza Martins - UFC

Rita Cássia Menegatti Dornelles - FOA-UNESP

Rita de Cássia Loiola Cordeiro - FOAR-UNESP

Rivail Antonio Sergio Fidel - UERJ

Rívea Inês Ferreira - UNICID

Robert Willer Farinazzo Vitral - UFJF

Roberta Barcelos Pereira de Souza - UNIVERSO

Roberta Okamoto - FOA-UNESP

Roberta Tarkany Basting - SL MANDIC

Roberto Chaib Stegun - FO-USP

Roberto da Gama Silveira - UNIGRANRIO

Roberto Elias Campos - UFU

Roberto Fraga Moreira Lotufo - FO-USP

Roberval de Almeida Cruz - PUC-MG

Rodrigo Antônio de Faria - UNIT

Rodrigo Jardim Del Monaco - UNINOVE

Rodrigo Nogueira Aucélio - UFU

Rodrigo Nunes Rached - PUC-PR

Rodrigo Otávio Citó César Rêgo - ABO CE

Rodrigo Santanna A. dos Reis - UNIGRANRIO

Rodrigo Villamarim Soares - PUC-MG

Rogério Brasiliense Elsemann - UNISC

Rogério Heládio Lopes Motta - UNICAMP

Rogério Nogueira de Oliveira - FO-USP

Rogério Vieira Reges - UNICAMP

Romero Meireles Brandão - UNIVALE

Ronaldo Célio Mariano - EFOA

Ronan de Oliveira Fonseca - PUC-PR

Rosa Helena Miranda Grande - FO-USP

Rosana Barbosa Leal - UNILINS

Rosana de Fátima Possobon - UNICAMP

Rosana Maria Coelho Travassos - UPE

Roseana de Almeida Freitas - UFRN

Rosemary Sadami Arai Shinkai - PUC-RS

Rosilene Fernandes da Rocha - FOSJC-UNESP

Rossana Abud Cabrera Rosa - FOA-UNESP

Rossana Pereira de Almeida Antunes - FORP-USP

Rossana Vanessa Dantas de Almeida - FACIMP

Rubens Corte Real de Carvalho - FO-USP

Rubens Ferreira de Albuquerque Júnior - FORP-USP

Rui Barbosa de Brito Junior - SL MANDIC

Rui Fernando Mazur - PUC-PR

Saintclair`Rabelo Neto - PUC-MG

Samara dos Santos Rodrigues Gomes - UnB

Samuel Porfirio Xavier - FORP-USP

Sandra Beatriz Chaves Tarquinio - UFPeL

Sandra Chaves Daher - CESUPA

Sandra Helena Penha de Oliveira - FOA-UNESP

Sandra Kalil Bussadori - UNINOVE

Sandra Mara Maciel - UNOPAR

Sandra Márcia Habitante - UNITAU

Sandra Rivera Fidel - UERJ

Sandra Torres - UFRJ

Sandra Valéria H. S. Feitosa - UPE

Sandra Ventorin Von Zeidler - FAESA

Sandro Ribeiro da Silva - SL MANDIC

Saul Martins de Paiva - UFMG

Saulo Geraldeli - UnG

Sebastião Luiz Aguiar Greghi - FOB-USP

Selma Sano Suga - FO-USP

Sergio A. Torres - FOB-USP

Sérgio Adriane Bezerra de Moura - UFPB

Sergio Candido Dias - UNINCOR

Sergio da Silva Dias - UNIGRANRIO

Sérgio Eduardo Paiva Gonçalves - FOSJC-UNESP

Sérgio Estelita Cavalcante Barros - FOB-USP

Sergio Gomes de Oliveira - PUC-MG

Sergio L. Salvador - FORP-USP

Sérgio Luís Scombatti de Souza - FORP-USP

Sérgio Luiz Pinheiro - FO-USP

Sérgio Rocha Bernardes - UFU

Sergio Sualdini Nogueira - FOAR-UNESP

Sheila de Carvalho Stroppa - UnicenP

Sheila Rodrigues de Sousa Porta - UFU

Sheyla Cunha Charlier - UGF

Shirley de Souza Pinto - UFF

Shirley Suely Soares Veras Maciel - SCES

Sibele Sarti Penha - FO-USP

Sigmar de Mello Rode - FOSJC-UNESP

Sileno Corrêa Brum - USS

Silmara Aparecida Milori Corona - FORP-USP

Silvana Maria Orestes Cardoso - UFPE

Silvana P. Barros - UNICAMP

Silvana Pasetto - USC

Silvana Regina Perez Orrico - FOAR-UNESP

Silvana Soléo Ferreira dos Santos - UNITAU

Silvia Cristina Núñez - IPEN-USP

Silvia Cypriano - PUC-CAMPINAS

Sílvia Helena de Carvalho Sales Peres - FOB-USP

Silvio Castello Branco de Luca - PUC-RJ

Silvio Issáo Myaki - FOSJC-UNESP

Silvio Roberto Cribari Teixeira - FAESA

Silvio Roberto de Aquino Vasconcelos - CEPO

Silvio Rocha Correa da Silva - FOAR-UNESP

Simone Beatriz Alberton da Silva - ULBRA

Simone Cecilio Hallak Regalo - FORP-USP

Simone de Queiroz Chaves Lourenço - UFF

Simone Duarte - University of Rochester

Simone Gallão - UNIP - SÃO PAULO

Simone Guerra Vidal - ULBRA

Simone Helena Gonçalves de Oliveira - FOSJC-UNESP

Simone Saldanha Ignacio de Oliveira - UFF

Simonides Consani - UNICAMP

Solange Maria de Almeida - UNICAMP

Sônia Regina Panzarini - FOA-UNESP

Soraya Coelho Leal - UnB

Stella Vidal S. Torres - UNICAMP

Suely Maria Santos Lamarão - UFPA

Suhem Lauar - UFRN

Suzana Cantanhede Orsini M. Sousa - FO-USP

Suzane Rodrigues Jacinto Gonçalves - UNIT

Suzely Adas Saliba Moimaz - FOA-UNESP

Suzie Aparecida de Lacerda - FORP-USP

Sylvie Brener - PUC-MG

Taís Cristina Dinelli Esperança - FOAR-UNESP

Tânia Regina Grão Velloso - UFES

Tarcila Moreira dos Santos - UNIMES

Telma Nunes do Nascimento - FORP-USP

Teresa Lucia Lamano Carvalho - FORP-USP

Terezinha Rezende Carvalho de Oliveira - UFU

Thales Ribeiro de Magalhães Filho - UFF

Thereza Christina Lopes Coutinho - UFF

Thomaz Wassall - SL MANDIC

Tiago Braga Rabello - USS

Ticiana Sidorenko de Oliveira Capote - FOAR-UNESP

Tien Li An - UnB

Tomie Nakakuki de Campos - FO-USP

Túlio Pessoa de Araújo - UFPB

Urbino da Rocha Tunes - EBMSP-BA

Valdir Gouveia Garcia - FOA-UNESP

Vanderlei Luiz Gomes - UFU

Vanessa Pardi - USC

Vania Celia Vieira de Siqueira - UNICAMP

Vania Portela Ditzel Westphalen - PUC-PR

Vera Lúcia Bosco - UFSC

Vera Lucia Silva Resende - UFMG

Veronica Maria de Sa Rodrigues - UPE

Vinícius Pedrazzi - FORP-USP

Vitor Alexandre Marinho - UNIFENAS

Viviane Almeida Sarmento - UFBA

Viviane Elisângela Gomes - UNIPAR

Viviane Maia Barreto de Oliveira - UNIARARAS

Waldyr Romão Júnior - UNINOVE

Walmira Garcia Borges de Oliveira - UFRJ

Walter Leal de Moura - UFPI

Wander José da Silva - UNICAMP

Wanderley Ferreira da Costa - FORP-USP

Wantuil Rodrigues Araújo Filho - UNESA

Wildomar José de Oliveira - UNIUBE

Wilson Matsumoto - FORP-USP

Wilson Roberto Poi - FOA-UNESP

Wilson Roberto Sendyk - UNISA

Wilton Wilney Nascimento Padilha - UFPB

Wirley Gonçalves Assunção - FOA-UNESP

Yasmin Rodarte Carvalho - FOSJC-UNESP

Ynara Bosco de Oliveira Lima-Arsati - SL MANDIC

Zelma Lopes Valderramas Franco - UNIT

9


COMISSÕES DE TRABALHO LOCAL

Comissão Eleitoral

Presidente: José Fortunato Ferreira Santos (FO-USP)

Maria Carméli Correia Sampaio (UFPB)

Maximiliano Piero Neisser (UNITAU)

COMISSÕES AVALIADORAS

Fórum Científico (FC)

Coordenador:

Nelson Villa (UNISA)

Membros:

Maria Fidela de Lima Navarro (FOB-USP)

Elaine Manso Oliveira Franco de Carvalho (EFOA)

E. Hatton (H)

Coordenador:

Jarbas Arruda Bauer (FO-USP)

Membros:

Josimeri Hebling (FOAR-UNESP)

Márcia Martins Marques (FO-USP)

Pesquisa-Ensino (PE)

Coordenador:

Orlando Ayrton de Toledo (UnB)

Membros:

Rui Vicente Oppermann (UFRGS)

Elenice Aparecida Nogueira Gonçalves (SL MANDIC)

POAC (PO)

Coordenador:

Rielson José Alves Cardoso (SL MANDIC)

Membros:

Efigênia Ferreira e Ferreira (UFMG)

José Roberto Cortelli (UNITAU)

Gilberto Alfredo Pucca Júnior (Ministério da Saúde)

Áreas:

1 - Biologia Craniofacial, Cirurgia Bucomaxilofacial,

Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares

2 - Biologia Pulpar e Terapia Endodôntica

3 - Cariologia, Tecido Mineralizado, Controle de

Infecção, Microbiologia, Imunologia, Fisiologia,

Bioquímica, Nutrição e Farmacologia

4 - Ciências do Comportamento e Odontopediatria

5 - Materiais Dentários e Dentística

6 - Oclusão, ATM e Próteses

7 - Estomatologia, Radiologia, Sistemas de

Diagnósticos, Odontogeriatria e Patologia

Experimental

8 - Implantologia e Pesquisa Periodontal

Painel A (Pa)

A1 - Lucio Murilo dos Santos (FOSJC-UNESP)

A1 - Jesus Carlos Andreo (FOB-USP)

A2 - Maurício Rodolfo Loiacono Nunes (APCD-SJC)

A2 - Janir Alves Soares (FAFEID)

A3 - Brenda Paula F. de Almeida Gomes (UNICAMP)

A3 - Paula Dechichi (UFU)

A4 - Isabela Almeida Pordeus (UFMG)

A4 - Ana Maria Gondim Valença (UFPB)

A5 - Celso Luiz de Angelis Porto (FOAR-UNESP)

A5 - Denise Pedrini (FOA-UNESP)

A5 - Marcos Augusto do Rego (UNITAU)

A5 - Rosenês Lima dos Santos (UFPB)

A6 - Roberto Chaib Stegun (FO-USP)

A6 - Marco Antonio Compagnoni (FOAR-UNESP)

A7 - Luiz Carlos Pardini (FORP-USP)

A7 - Suzana Cantanhede Orsini M. Souza (FO-USP)

A8 - Vera Lucia Silva Resende (UFMG)

A8 - Paula Cristina Trevilatto (PUC-PR)

APOIO

10

Painel B (Pb)

B1 - Walter Domingos Niccoli Filho (FOSJC-UNESP)

B1 - Élio Hithoshi Shinohara (FO-USP)

B2 - Sandra Márcia Habitante (UNITAU)

B2 - Bruno das Neves Cavalcanti (UNIB)

B3 - Paulo Tambasco Oliveira (FORP-USP)

B3 - Pedro Luiz Rosalen (UNICAMP)

B4 - Célia Regina M. D. Rodrigues (FO-USP)

B4 - Maria José de Carvalho Rocha (UFSC)

B5 - Mauro Sayão de Miranda (UERJ)

B5 - Camillo Anauate Netto (UMC)

B5 - Eliza Maria Agueda Russo (FO-USP)

B5 - Adair Luiz Stefanello Busato (ULBRA)

B6 - Eduardo Piza Pellizzer (FOA-UNESP)

B6 - Cresus Vinicius Depes de Gouvêa (UFF)

B7 - Roselene Fernandes da Rocha (FOSJC-UNESP)

B7 - Vania Regina Camargo Fontanella (ULBRA)

B8 - Ilíria Salomão Feist (FO-USP)

B8 - Claudio Mendes Pannuti (UNIB)

Painel C (Pc)

C1 - Horácio Faig Leite (FOSJC-UNESP)

C1 - Osmar Aparecido Cuoghi (FOA-UNESP)

C2 - Celso Luiz Caldeira (FO-USP)

C2 - Marcio Luiz Fonseca Menin (PUC-RS)

C3 - Fabio Daumas Nunes (FO-USP)

C3 - José Benedito Oliveira Amorim (FOSJC-UNESP)

C4 - Marcia Turolla Wanderley (FO-USP)

C4 - Márcia Cançado de Figueiredo (UFRGS)

C5 - Rosa Helena Miranda Grande (FO-USP)

C5 - Maurício Rufaiel Matson (UNIB)

C5 - Alvaro Della Bona (UPF)

C5 - Ana Lucia Marsilio (FOSJC-UNESP)

C6 - Célia Marisa Rizatti Barbosa (UNICAMP)

C6 - Maximiliano Piero Neisser (UNITAU)

C7 - Yasmin Rodarte Carvalho (FOSJC-UNESP)

C7 - Décio dos Santos Pinto Filho (FO-USP)

C8 - Thomaz Wassall (SL MANDIC)

C8 - Rui Vicente Operman (UFRGS)

M. Issáo A (Ia), M. Issáo B (Ib) e M. Issáo C (Ic)

Coordenador:

Silvio Issáo Myaki (FOSJC-UNESP)

Membros:

Alberto Carlos Botazzo Delbem (FOA-UNESP)

Vera Lúcia Bosco (UFSC)

Wirley Gonçalves Assunção (FOA-UNESP)

Cristiane Miranda França (UNIB)

Débora Pallos (UNITAU)

Alexandre Luiz Souto Borges (FOSJC-UNESP)

Carlos José Soares (UFU)

Lino João da Costa (UFPB)

Jaime Carlik (UMC)

Fabio Correia Sampaio (UFPB)

Alfredo Júlio Fernandes Neto (UFU)

Clóvis Pagani (FOSJC-UNESP)

Rubens Corte Real de Carvalho (FO-USP)

Cristiane Yumi Koga Ito (FOSJC-UNESP)

Cleumara Kosmann (UNIVALI)

Programa Pesquisador Iniciante em

Odontologia – PIO

Coordenador:

Raphael Carlos C. Lia (UNAERP-RIBEIRÃO PRETO)

Membros:

Mário Tanomaru Filho (FOAR-UNESP)

Pantelis Varvaki Rados (UFRGS)

Roberval de Almeida Cruz (PUC-MG)

Assessores Orientadores de Projetos

Área 1:

Osmar Aparecido Cuoghi (FOA-UNESP)

Adriana Aigotti Haberbeck Brandão (FOSJC-UNESP)

Horácio Faig Leite (FOSJC-UNESP)

Área 2:

Luciano Loureiro De Melo (UFPR)

Mario Tanomaru Filho (FOAR-UNESP)

José Thadeu Pinheiro (UFPE)

Área 3:

Izabel Yoko Ito (FORP-USP)

José Luiz Di Lorenzo (FO-USP)

Robson Frederico Cunha (FOA-UNESP)

Antonio Olavo Cardoso Jorge (UNITAU)

Área 4:

Orlando Ayrton De Toledo (UnB)

Ana Cristina Barreto Bezerra (UCB-DF)

Isabela Almeida Pordeus (UFMG)

Nilce Emi Tomita (FOB-USP)

Área 5:

Antonio Muench (FO-USP)

Leonardo Eloy Rodrigues Filho (FO-USP)

Maria Salete Machado Cândido (FOAR-UNESP)

Mario Alexandre Coelho Sinhoretti (UNICAMP)

Área 6:

Estevão Tomomitsu Kimpara (FOSJC-UNESP)

Paulo Renato Junqueira Zuim (FOA-UNESP)

Renata Cunha M. Rodrigues Garcia (UNICAMP)

Maria Da Glória C. De Mattos (FORP-USP)

Izo Milton Zani (UFSC)

Marco Antonio Compagnoni (FOAR-UNESP)

Área 7:

Fabio Daumas Nunes (FO-USP)

Maria Carméli Correia Sampaio (UFPB)

Norberto Nobuo Sugaya (FO-USP)

Esther Goldenberg Birman (FO-USP)

Área 8:

Vera Lucia Silva Resende (UFMG)

Cassiano K. Rosing (UFRGS)

Roberto Fraga Moreira Lotufo (FO-USP)

Mauro Antonio De Arruda Nóbilo (UNICAMP)

COMISSÃO DE APOIO

Aldo Francisco Gomes (suporte logístico local)

Ana Cristina Claro Neves (sessão de painéis)

Ana Lúcia Farnezi Nogueira (secretaria geral)

Ângela Toshie Araki (POAC e PE)

Cácio de Moura Netto (SBPqO on-line)

Carlos Eduardo Francci (sessão de Painéis A)

Carolina Prata Fanelli (SBPqO on-line)

Claudia de Moura Carreira (SBPqO on-line)

Cleber Guimarães de Araújo (suporte logístico geral)

Denise Pontes (sessão de Painéis B)

José Moraes Souza (suporte logístico geral)

Kátia Martins Rode (secretaria geral)

Luciano Natividade Cardoso (sessão de Painéis C)

Luiz Bezerra Sandes (suporte logístico local)

Marina Beloti Ferreira (SBPqO on-line)

Mary Caroline Skelton Macedo (sessão de Painéis M. Issáo)

Michelle Lopes (secretária)

Mônica Lotufo (projetos de pesquisa)

Nathália Agueda Russo (SBPqO on-line)

Patricia Helena Pereira Ferrari (sala de painéis)


PATROCÍNIO

(Patrocinador Oficial)

REALIZAÇÃO

11


FÓRUM CIENTÍFICO (FC)

Informações para as apresentações no formato PAINEL:

Instalação: domingo (04/09) - 8:00 h

Local: Sala Florada

Apresentação: ímpares de manhã e pares à tarde

Retirada: domingo (04/09) - 17:00 h

Resultados dos finalistas: domingo (04/09) - 17:00 h

Após a apresentação sob a forma de painel, serão selecionados 6 trabalhos para

apresentação oral na segunda-feira. Portanto, todos os apresentadores deverão estar

preparados com o material didático apropriado.

Informações para a apresentação ORAL:

Dia: segunda-feira (05/09)

Local: Sala Florada

Apresentação: (30 minutos) e argüição (20 minutos)

Argüição: manhã (1, 2, 3, 4) e tarde (5, 6)

Após a argüição cada membro da comissão emitirá nota que será depositada em

uma urna lacrada. Ao final do dia, o coordenador da comissão fará a leitura dos

resultados que serão disponibilizados em uma tabela para apreciação dos presentes.

HATTON (H)

Instalação: segunda-feira (05/09) - 8:00 h

Local: Sala Camerino

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: de acordo com a comissão avaliadora

Retirada: terça-feira (06/09) - 17:00 h

Resultados dos finalistas: terça-feira (06/09) - 17:00 h

Serão selecionados 6 trabalhos para instalação e apresentação na quarta-feira

(07/09) com início às 8:00 h.

Informações para a apresentação dos FINALISTAS:

Instalação: quarta-feira (07/09) - 8:00 h

Local: Sala Camerino

Apresentação: 8:00 - 11:00 h

PESQUISA-ENSINO (PE)

Instalação: domingo (04/09) - 8:00 h

Local: Sala Camerino

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde de acordo com

a comissão avaliadora

Retirada: domingo (04/09) - 17:00 h

POAC (PO)

Instalação: domingo (04/09) - 8:00 h

Local: Sala de Painéis – 10º andar

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: domingo (04/09) - 17:00 h

Reunião de grupos: segunda-feira (05/09) das 8:00 às 10:00 na Sala Carrara

As reuniões de grupos de área constituem momento importante para discussão dos

experimentos realizados nos mais diferentes centros de pesquisa.

PAINEL A (Pa)

Instalação: domingo (04/09) - 8:00 h

Local: Salão Monumentale

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: domingo - 17:00 h

Reunião de grupos de área: segunda-feira (05/09)

As reuniões de grupos de área constituem momento importante para discussão dos

experimentos realizados nos mais diferentes centros de pesquisa.

Localize seu grupo observando a área e o nº do painel:

Área nº do Painel Horário Andar Sala

1 Pa001-Pa044 8:00 às 9:45 10 Torino

2 Pa045-Pa086 8:00 às 9:45 10 Verona

3 Pa087-Pa120 8:00 às 9:45 9 Padova

4 Pa121-Pa169 8:00 às 9:45 10 Novara

5 Pa170-Pa250 10:00 às 12:00 10 Torino

6 Pa251-Pa285 10:00 às 12:00 10 Verona

7 Pa286-Pa330 10:00 às 12:00 9 Padova

8 Pa331-Pa362 10:00 às 12:00 10 Novara

12

INSTRUÇÕES AOS APRESENTADORES

PAINEL B (Pb)

Instalação: segunda-feira (05/09) - 8:00 h

Local: Salão Monumentale

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: sexta-feira - 17:00 h

Reunião de grupos de área: sábado (06/09)

As reuniões de grupos de área constituem momento importante para discussão dos

experimentos realizados nos mais diferentes centros de pesquisa.

Localize seu grupo observando a área e o nº do painel:

Área nº do Painel Horário Andar Sala

1 Pb001-Pb044 8:00 às 9:45 10 Torino

2 Pb045-Pb085 8:00 às 9:45 10 Verona

3 Pb086-Pb120 8:00 às 9:45 9 Padova

4 Pb121-Pb168 8:00 às 9:45 10 Novara

5 Pb169-Pb250 10:00 às 12:00 10 Torino

6 Pb251-Pb285 10:00 às 12:00 10 Verona

7 Pb286-Pb330 10:00 às 12:00 9 Padova

8 Pb331-Pb362 10:00 às 12:00 10 Novara

PAINEL C (Pc)

Instalação: terça-feira (06/09) 8:00 h

Local: Salão Monumentale

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: terça-feira 17:00h

Reunião de grupos de área: domingo (07/09)

As reuniões de grupos de área constituem momento importante para discussão dos

experimentos realizados nos mais diferentes centros de pesquisa.

Localize seu grupo observando a área e o nº do painel:

Área nº do Painel Horário Andar Sala

1 Pc001-Pc043 8:00 às 9:45 10 Torino

2 Pc044-Pc085 8:00 às 9:45 10 Verona

3 Pc086-Pc119 8:00 às 9:45 9 Padova

4 Pc120-Pc168 8:00 às 9:45 10 Novara

5 Pc169-Pc250 10:00 às 12:00 10 Torino

6 Pc251-Pc284 10:00 às 12:00 10 Verona

7 Pc285-Pc330 10:00 às 12:00 9 Padova

8 Pc331-Pc362 10:00 às 12:00 10 Novara

ISSAO A (Ia)

Instalação: domingo (04/09) - 8:00 h

Local: Salão Paesaggio

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: domingo - 17:00 h

ISSAO B (Ib)

Instalação: segunda-feira (05/09) - 8:00 h

Local: Salão Paesaggio

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: segunda-feira - 17:00 h

ISSAO C (Ic)

Instalação: terça-feira (06/09) - 8:00 h

Local: Salão Paesaggio

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: terça-feira - 17:00 h

PROGRAMA PESQUISADOR INICIANTE EM ODONTOLOGIA (PIO)

Instalação: terça-feira (06/09) - 8:00 h

Local: Sala de Painéis – 10º andar

Apresentação: períodos manhã e tarde

Argüição: números ímpares período da manhã e pares período da tarde

Retirada: terça-feira - 17:00 h


Sábado - 3 de setembro

Horário Atividade Local Andar

7:00 Abertura da secretaria Salão Monumentale

9:00 - 12:00

14:00 - 17:00

16:00

Atividades preliminares

Curso: Treinamento para redação de artigo científico e

confecção de painéis

Curso: Metodologia experimental em células-tronco em

odontologia?

Reunião dos editores e autores de revistas científicas de

Odontologia

Atividades preliminares

PROGRAMA GERAL

Sala Carrara 8º

Sala Padova 9º

Sala Florada 1º

Curso: Redação de resumos para eventos e anais (em inglês) Sala Carrara 8º

Reunião sobre o estado atual da pós-graduação

em Odontologia

Como pesquisar as referências da sua tese utilizando a

biblioteca, a internet e os meios digitais

Sala Florada 1º

Sala Padova 9º

Reunião da Comissão Avaliadora da categoria POAC Sala apoio Torino 10º

Reunião da Comissão Avaliadora dos Painéis Sessão A Salão Verona 10º

Reunião da Comissão Avaliadora da categoria Pesquisa-Ensino Sala apoio Novara 10º

17:00 Reunião da Comissão Avaliadora dos Projetos Sala Novara 10º

17:30

Reunião da Comissão Avaliadora do Fórum Científico Sala apoio Torino 10º

Reunião da Comissão Avaliadora do Prêmio M. Issáo Salão Verona 10º

Domingo - 4 de setembro

Horário Atividade Local Andar

8:00

Instalação dos painéis da categoria POAC Sala de Painéis 10º

Instalação dos painéis da categoria Pesquisa-Ensino Salão Camerino 1º

Instalação dos painéis da Sessão A (Pa001-Pa362) Salão Monumentale

Instalação dos painéis da categoria M. Issáo A (Ia001-Ia171) Salão Paesaggio

Instalação dos painéis da categoria Fórum Científico Sala Florada 1º

8:00 - 12:00 Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

9:00 - 12:00

Apresentação dos trabalhos da categoria Fórum Científico sob a

forma de painel (ímpares)

Sala Florada 1º

Apresentação dos painéis da categoria POAC (ímpares) Sala de Painéis 10º

Apresentação dos painéis da categoria Pesquisa-Ensino

(ímpares)

Salão Camerino 1º

Apresentação dos painéis da Sessão A (Pa) (ímpares) Salão Monumentale

Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo A (Ia) (ímpares) Salão Paesaggio

Apresentação dos trabalhos da categoria Fórum Científico sob a

forma de painel (pares)

Sala Florada 1º

Apresentação dos painéis da categoria POAC (pares) Sala de Painéis 10º

14:00 - 17:00 Apresentação dos painéis da categoria Pesquisa-Ensino (pares) Salão Camerino 1º

Apresentação dos painéis da Sessão A (Pa) (pares) Salão Monumentale

Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo A (Ia) (pares) Salão Paesaggio

Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

16:00 Reunião da Comissão Avaliadora dos Painéis Sessão B Salão Verona 10º

17:00

17:30

Retirada dos painéis da Sessão A (Pa001-Pa362) Salão Monumentale

Retirada dos painéis da categoria M. Issáo A (Ia001-Ia171) Salão Paesaggio

Retirada dos painéis da categoria POAC Sala de Painéis 10º

Retirada dos painéis da categoria Pesquisa-Ensino Salão Camerino 1º

Retirada dos painéis da categoria Fórum Científico Sala Florada 1º

Reunião da Comissão Avaliadora da categoria E. H. Hatton Sala Carrara 8º

Reunião Comitê de Ética da SBPqO Sala apoio Torino 10º

19:30 Abertura Solene da 22º Reunião Anual da SBPqO Salão Serra Vale

20:00 Coquetel de boas-vindas Piscina

Segunda-feira - 5 de setembro

Horário Atividade Local Andar

8:00

8:00 -12:00

8:00 - 9:45

Instalação dos painéis da categoria Hatton Salão Camerino 1º

Instalação dos painéis da Sessão B (Pb001-Pb362) Salão Monumentale

Instalação dos painéis da categoria M. Issáo B (Ib001-Ib170) Salão Paesaggio

Fórum Científico - Apresentação oral dos trabalhos

selecionados (1, 2, 3, 4)

Sala Florada 1º

Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

Reunião de Grupo POAC Sala Carrara 8º

Reunião de Grupo A1 (Pa001-Pa044) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo A2 (Pa045-Pa086) Sala Verona 10º

Reunião de Grupo A3 (Pa087-Pa120) Sala Padova 9º

Reunião de Grupo A4 (Pa121-Pa169) Sala Novara 10º

Reunião de Grupo A5 (Pa170-Pa250) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo A6 (Pa251-Pa285) Sala Verona 10º

10:00 - 12:00

Reunião de Grupo A7 (Pa286-Pa330) Sala Padova 9º

Reunião de Grupo A8 (Pa331-Pa362) Sala Novara 10º

9:00 - 12:00

14:00 - 16:00

Apresentação dos painéis da Sessão B (Pb) (ímpares) Salão Monumentale

Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo B (Ib)

(ímpares)

Consultório Científico (agenda disponível na Secretaria)

Fórum Científico - Apresentação oral dos trabalhos

selecionados (5, 6)

Reunião dos Membros da Federação Latino-Americana da

IADR

Instalação da Comissão Eleitoral

Salão Paesaggio

Salas apoio

Paesaggio

Sala Florada 1º

Sala apoio Torino 10º

Sala apoio

Camerino

Apresentação dos painéis da Sessão B (Pb) (pares) Salão Monumentale

14:00 - 17:00 Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo B (Ib) (pares) Salão Paesaggio

16:00

17:00

Consultório Científico (agenda disponível na Secretaria)

Salas apoio

Paesaggio

Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

Reunião da Comissão Avaliadora dos Painéis Sessão C Salão Verona 10º

Reunião da Comissão Avaliadora da categoria Programa

Pesquisador Iniciante em Odontologia - PIO


Sala apoio Torino 10º

Retirada dos painéis da Sessão B (Pb001-Pb362) Salão Monumentale

Retirada dos painéis da categoria M. Issáo B (Ib001-Ib170) Salão Paesaggio

17:30 Assembléia Sala Florada 1º

18:30 Reunião PET Sala apoio Verona 10º

21:00 Confraternização Piscina

Terça-feira - 6 de setembro

Horário Atividade Local Andar

8:00

Instalação dos painéis da Sessão C (Pc001-Pc362) Salão Monumentale

Instalação dos painéis da categoria M. Issáo C (Ic001-Ic170) Salão Paesaggio

Instalação dos painéis da categoria Programa Pesquisador

Iniciante em Odontologia - PIO

Sala de Painéis 10º

8:00 - 12:00 Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

8:00 - 9:45

Reunião de Grupo B1 (Pb001-Pb044) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo B2 (Pb045-Pb085) Sala Verona 10º

Reunião de Grupo B3 (Pb086-Pb120) Sala Padova 9º

Reunião de Grupo B4 (Pb121-Pb168) Sala Novara 10º

Reunião de Grupo B5 (Pb169-Pb250) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo B6 (Pb251-Pb285) Sala Verona 10º

10:00 - 12:00

Reunião de Grupo B7 (Pb286-Pb330) Sala Padova 9º

9:00 - 12:00

14:00 - 17:00

17:00

Reunião de Grupo B8 (Pb331-Pb362) Sala Novara 10º

Apresentação dos painéis da Sessão C (Pc) (ímpares) Salão Monumentale

Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo C (Ic) (ímpares) Salão Paesaggio

Apresentação dos painéis da categoria Programa Pesquisador

Iniciante em Odontologia - PIO

Consultório Científico (agenda disponível na Secretaria)

Sala de Painéis 10º

Salas apoio

Paesaggio

Apresentação dos painéis da Sessão C (Pc) (pares) Salão Monumentale

Apresentação dos painéis da categoria M. Issáo C (Ic) (pares) Salão Paesaggio

Apresentação dos painéis da categoria Programa Pesquisador

Iniciante em Odontologia - PIO

Consultório Científico (agenda disponível na Secretaria)

Sala de Painéis 10º

Salas apoio

Paesaggio

Apresentação dos projetos Salas Camerino 1º

Retirada dos painéis da Sessão C (Pc001-Pc362) Salão Monumentale

Retirada dos painéis da categoria M. Issáo C (Ic001-Ic170) Salão Paesaggio

Retirada dos painéis da categoria Hatton Salão Camerino 1º

Retirada dos painéis da categoria Programa Pesquisador

Iniciante em Odontologia - PIO

Sala de Painéis 10º

Reunião do Grupo de Microbiologia Sala Verona 10º

21:00 Atividade social Salão Serra Vale

Quarta-feira - 7 de setembro

Horário Atividade Local Andar

8:00 - 11:00 Instalação e apresentação dos finalistas da categoria Hatton Salão Camerino 1º

8:00 - 9:45

10:00 - 12:00

Reunião de Grupo C1 (Pc001-Pc043) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo C2 (Pc044-Pc085) Sala Verona 10º

Reunião de Grupo C3 (Pc086-Pc119) Sala Padova 9º

Reunião de Grupo C4 (Pc120-Pc168) Sala Novara 10º

Reunião de Grupo C5 (Pc169-Pc250) Sala Torino 10º

Reunião de Grupo C6 (Pc251-Pc284) Sala Verona 10º

Reunião de Grupo C7 (Pc285-Pc330) Sala Padova 9º

Reunião de Grupo C8 (Pc331-Pc362) Sala Novara 10º

9:00 - 12:00 Consultório Científico (agenda disponível na Secretaria)

Salas apoio

Paesaggio

12:00 Sessão de Premiação/Encerramento da 22ª Reunião Salão Serra Vale

13


Resumos dos Trabalhos

3 a 7 de setembro de 2005

Águas de Lindóia - SP - Brasil

SOCIEDADE BRASILEIRA

DE PESQUISA ODONTOLÓGICA

Divisão Brasileira da IADR


H001 Radiographic assessment of condylar position after Le Fort I

osteotomy in asymptomatic temporomandibular joints

Cortez ALV*, Passeri LA

Diagnóstico Oral - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

andrecortez@hotmail.com

The research aimed to carry out a prospective radiographic study of condylar position, in eleven randomly

selected patients who were referred to the Division of Oral and Maxillofacial Surgery of Piracicaba Dental

School – Unicamp, for surgical correction of dentofacial deformity. All patients had the same diagnoses

of anterior-posterior deficiency of the maxilla, in which the final surgical goal was the isolated Le Fort I

osteotomy to advance the maxilla. The radiographic images were taken at the immediate pre-operative,

immediate post-operative (1-2 weeks) and late post-operative (minimum of 6 months) period. Tracings on

acetate paper were done for the submento-vertex radiograph, and for the tomographic images, in maximal

intercuspation, rest position and maximal opening, for the three periods. Linear measurements were made in

the tomographic images, over the posterior, superior and anterior articular spaces. Tomographic images with

the tracings were digitized and measured by means of computer software (UTHSCSA Image Tool 3.0), after

its adequate calibration. Data analysis was submitted to statistical analysis (ANOVA – 5% of significance).

The results were not statistically significant for the linear measurements of the articular spaces in any of

the periods, or for the axial angular measurements of the condyles, with significant difference only for the

maximal opening, in both sides.

In conclusion, Le Fort I osteotomy for maxillary advancement did not cause any significant changes in this

specific group of patients evaluated.

H002 The influence of bisphosphonates on induced tooth movement and

root resorption

Martins-Ortiz MF*, Pinheiro TN, Velloso TRG, Freitas PZ, Consolaro A

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: martins_ortiz@hotmail.com

Bisphosphonates are a class of drugs acknowledged for their ability to prevent bone resorption. The presented

study tested the following hypothesis: Could bisphosphonates prevent root resorption once incorporated

into dentin or cementum? Eighty-nine Wistar rats (Rattus norvegicus, albinus) with and without

bisphosphonate medication – alendronate, 1 mg/Kg twice a week – were submitted to induced tooth movement

for 0, 3, 5 and 7 days. The orthodontic appliance consisted of a coil spring moving the left first molar

forward, supported by the incisor. The rats were divided into 4 groups and submitted to different protocols

of medication. The Control Group received no medication whatsoever; Experimental Group 1 was submitted

to alendronate intake since intrauterine life until the end of the experiment; Experimental Group 2 received

alendronate during intrauterine life until de 60 th day of life. A month after medication interruption, the molars

were moved prior to the rats’ sacrifice. Experimental Group 3 consisted of a group of adult rats treated

with alendronate after the third month of life until the seventh, when dental movement took place. Microscopic

and statistical analysis revealed that animals submitted to alendronate therapy presented significantly

reduced amounts of root resorption. There was no further influence of alendronate on bone structure during

induced tooth movement.

These results allow us to conclude that the use of bisphosphonates, alendronate, to be more specific, may

increase the resistance to root resorption during induced tooth movement or even due to traumatisms.

H003 Periodontal effects of rapid maxillary expansion: a computed

tomography evaluation

Garib DG*, Henriques JFC

Odontologia - UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO. E-mail: dgarib@uol.com.br

This study aimed at evaluating rapid maxillary expansion (RME) periodontal effects by means of computed

tomography (CT). The sample comprised 8 girls aged 11 to 14 years, presenting with posterior crossbite.

All maxillary expanders were activated up to the full 7-mm capacity of the expansion screw. The patients

were submitted to spiral CT scan before expansion and after a 3-month retention period, when the expander

was removed. One-millimeter thick axial sections were performed parallel to the palatal plane, comprising

the dentoalveolar and basal areas of the maxilla. Multiplanar reconstruction was used to measure buccal and

lingual bone plate thickness and buccal alveolar bone crest level by means of the computerized method.

Paired t-test was used to compare the pre-expansion and post-expansion measurements (p < 0.05). Pearson’s

index evaluated the relationship between initial buccal bone plate thickness and buccal alveolar crest level

changes. Results showed that RME significantly reduced the buccal bone plate thickness of supporting teeth

and conversely increased the lingual bone plate thickness. RME induced significant bone dehiscences on the

anchorage teeth buccal aspect (7.1 ± 4.6 mm in first premolars and 3.8 ± 4.4 mm in the mesiobuccal area of

first molars), mainly in subjects with initial thinner buccal bone plates (r = -0.733; p = 0.039).

During RME, the supporting teeth were moved through the alveolar bone and not concurrently with it, leading

to buccal bone dehiscences. For this reason, the quality of the keratinized mucosa and the toothbrushing

technique should be strictly controlled in patients submitted to RME in order to prevent gingival recession

in the long run.

H004 Orthodontic movement in bone defects filled with xenogenic graft:

an experimental study in minipigs

Oltramari PVP*, Navarro RL, Henriques JFC, Taga R, Cestari TM, Ceolin DS, Granjeiro JM

Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: pvoltramari@ig.com.br

This study investigated if it was possible to orthodontically move teeth into a bone defect previously filled

with xenogenic graft, with emphasis on the reactions occurring on the teeth and adjacent tissues. Six minipigs

(Minipig BR-1) were used. The defect was created at the mesial aspect of the 1 st permanent molar and was filled

with the xenogenic graft at the test side, whereas the opposite side was allowed to heal spontaneously. Three

months later, an orthodontic appliance was placed in each quadrant to allow mesial movement of the 1 st molars.

When the experimental teeth were moved into nearly half the defect site, the animals were killed and biopsies of

the areas of interest were performed. The mesial roots of the 1 st molar and adjacent tissues were histologically

and morphometrically evaluated. Morphometric analysis to determine the bone densitometry and percentage of

root resorption, and the bone loss in height were evaluated with the aid of the image analysis software KS300

(Zeiss ® ). Data analysis revealed that: 1) the extension of tooth movement was similar for both groups; 2) the

percentage of root resorption was lower for the test group (4.16%) compared to the control (6.52%); 3) there

was no statistically significant difference between groups as to the bone density; 4) the bovine bone matrix was

almost totally replaced by structured bone tissue; 5) the test group revealed a significantly lower loss of bone

(2.18 mm) compared to the control group (3.26 mm).

It was concluded that the biomaterial allowed tooth movement, avoided bone loss in height, did not cause significant

damage to the tooth roots and was almost entirely replaced by new bone tissue after tooth movement.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

H005 The relationship between dentinogenesis and pulp superficial

blood vessels

Borba MG*, Kraether-Neto L, Severino AG, Souza MAL

Clínico - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

marisgborba@aol.com

This study aimed to analyze the pulp microcirculation of rats’ incisors, continuous growing teeth, in different

thirds, and relate it to dentinogenesis. Adult male Wistar rats were used. Mercox ® resin was perfused

through their ascending aorta. After resin polymerization, the rats’ mandibles were decalcified in (10%)

HCl, the soft tissues were corroded with (1%) NaOH and the pulp tissue was carefully pulled out from the

tooth through an apical aperture. The remaining vascular cast was coated (carbon/gold) and observed in

SEM. Descriptive and quantitative analyses were performed to evaluate the diameter and percentage of area

occupied by capillaries in the surface pulp vessels network. Data were analyzed by ANOVA and Tukey’s

test, p < 0.05. The arrangement of the pulp vascular network showed a fish-net-like configuration with different

spaces between the capillaries. In the apical third of the rats’ incisors, the superficial vascular network

arrangement had three layers (terminal capillary network, capillary network and venular network) and the

vessels that were the largest of superficial vessels (5.62 µm) occupied 54.15% of the total area. In the incisal

third, the vessels were the smallest (4.26 µm), the area occupied was 39.55% and they were organized as a

monolayer of vessels.

In rats’ incisors, the percentage of vessels and their diameter are closely related to their activity regarding

dentinogenesis.

H006 Microbial leakage and apical response in dogs’ teeth filled with

different sealers and exposed to the oral environment

Gomes MS*, Barletta FB, Della-Bona A, Vanni JR, Pereira CC, Figueiredo JAP

Odontologia Conservadora - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail:

endomax@ibest.com.br

This study evaluated the microbial leakage (ML) and apical inflammatory response (AIR) in dogs’ teeth

filled with different sealers, prepared for post and exposed to the oral environment, testing the hypothesis

that there is a positive correlation between these two histological parameters. Sixty-four root canals of 8

mongrel dogs were used. After dogs’ general anesthesia and rubber dam isolation of the teeth, canals were

cleaned, shaped and randomly distributed into the following groups, according to the sealer used: S26 -

Sealer 26 (n = 18); AP - AH Plus (n = 18); RS - RoekoSeal (n = 19); and C - Control, no sealer (n = 9). Root

canals were filled by lateral condensation technique. Post space preparation was done leaving 4 mm of filling

material in the apical third of the root and let them exposed to the oral environment for 90 days. The dogs

were killed and jaw blocks containing each root were histologically processed, using both Brown & Brenn

and H.E. staining techniques. ML and AIR were scored from 1 to 4. Results were statistically analyzed using

ANOVA, Duncan’s post-hoc and Spearman correlation. ML and AIR average score values were as follows:

S26 (2.44 and 2.50); AP (2.50 and 2.22); RS (1.84 and 2.63); C (2.56 and 3.11). Statistical differences were

found between Groups AP and C for AIR (p < 0.05).

Although RS showed the lower ML and AP the lower AIR average values after 90-day oral environment

exposure, no statistical differences were found among the three sealers tested and no correlation was found

between ML and AIR, rejecting the tested hypothesis.

H007 Sucrose-induced changes in dental biofilm fluid and in whole

plaque

Tenuta LMA*, Bortolin MC, Del-Bel-Cury AA, Vogel GL, Cury JA

PG Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: livia@tenuta.com.br

Dental biofilm formed in the presence of sucrose presents in its matrix high concentration of insoluble

polysaccharides (IP) and low concentration of fluoride (F), calcium (Ca) and inorganic phosphorus

(Pi). However, the concentration of these ions or their mobilization soon after sugar ingestion or after the

interruption of sugar exposure is still unknown. Sixteen volunteers wore, during 3 phases of 15 days, a

palatal appliance with 8 enamel blocks, which were exposed 8 times/day to deionized water (DW), 10%

glucose + 10% fructose (GF) or 20% sucrose (S) solutions. At the 14th day, treatments with DW or the

carbohydrates were inverted. Variables analysed were biofilm acidogenicity (pH), and F, Ca and Pi in the

biofilm fluid (after 10 h fasting or 5 min after an acidogenic challenge with 20% glucose), and F, Ca, Pi

and IP in whole biofilm. Biofilm pH was significantly lower (p < 0.05) for GF and S groups in comparison

with DW group, before and after the acidogenic challenge. F, Ca and Pi in the whole biofilm were lower

in the GF and S groups than in the DW one (p < 0.05), but this effect was not observed in the fluid. After

the cariogenic challenge, Ca in the fluid increased and Pi decreased significantly (p < 0.05), but F did not

change (p > 0.05). Ca and Pi in whole biofilm increased significantly 24 h after suspending the carbohydrate

treatments (p < 0.05), but this was not observed in the fluid (p > 0.05). IP were significantly higher in the S

group than in the GF and DW groups (p < 0.05).

The findings suggest that the changes induced by sucrose in the whole plaque do not reflect in the biofilm

fluid. (Support: FAPESP 02/00261-4, 03/07926-4, 04/06624-7.)

H008 Susceptibility of Streptococcus mutans biofilms to photodynamic

therapy using a HeNe laser or a LED light

Zanin ICJ*, Gonçalves RB, Brugnera-Júnior A, Hope CK, Pratten J

Diagnóstico Oral - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: irianaz@yahoo.com.br

The accumulation of bacterial biofilm on tooth surfaces may result in dental caries, one of the most prevalent

bacteria-induced human diseases. Previous studies have shown that photodynamic therapy using conventional

lasers is able to kill gram positive oral bacteria. However, the antimicrobial effect of toluidine blue O (TBO)

associated to a red Light Emission Diode (LED) has not been previously studied. The purpose of this study was

to evaluate the antimicrobial effect of toluidine blue O, in combination with either a Helium/Neon (HeNe) laser

or a LED light, on the viability and architecture of Streptococcus mutans biofilms. Biofilms were grown on

hydroxyapatite discs in a constant depth film fermentor fed with artificial saliva, which was supplemented with

2% sucrose 4 times a day, thus producing a typical ‘Stephan pH curve’. Photodynamic therapy was subsequently

carried out on biofilms of various ages with light from either the HeNe laser or LED using energy densities

between 49 Jcm -2 and 294 Jcm -2 . Significant decreases in the viability of S. mutans biofilms were only observed

when biofilms were exposed to both TBO and light, and reductions in viability of up to 99.99% were observed

with both light sources. In general, the results showed that the bactericidal effect was light dose-dependent and

that older biofilms were less susceptible to photodynamic therapy. Confocal laser scanning microscopy images

suggested that lethal photosensitization occurred predominantly in the outermost layers of the biofilms.

In conclusion, photodynamic therapy may be a useful approach in the treatment of dental plaque-related diseases.

15


H009 In situ evaluation of the effects of CO 2 laser and fluoride dentifrice

on caries development in human enamel

Rodrigues LKA*, Fried D, Featherstone JDB, Nobre-dos-Santos M

Odontologia Infantil - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

lidianykarla@yahoo.com

Previous in vitro studies have shown that the irradiation of dental enamel by CO 2 laser combined with fluoride

reduces the acid reactivity of enamel. However, no in situ studies have been performed on this subject.

Thus, this study aimed to evaluate the physical and chemical changes promoted by a TEA (transversely excited

atmospheric pressure) CO 2 laser, at 9.6 µm, and the combined effects of this laser and fluoride dentifrice use

on in situ enamel demineralization. Enamel surface changes after irradiation were monitored using FT Raman

Spectroscopy and Scanning Electron Microscopy (SEM). In this cross-over study, 17 volunteers wore palatal

appliances during two phases of 14 days each, and were submitted to 4 treatment groups, as follows:1) nonfluoride

dentifrice; 2) fluoride dentifrice; 3) laser irradiation plus non-fluoride dentifrice and 4) laser irradiation

plus fluoride dentifrice. A 20% sucrose solution was dripped on the slabs 8 X/day and the dentifrices were used

3 X/day. After the experimental period, mineral loss was assessed by enamel cross-sectional microhardness.

The Raman spectrum of the irradiated slabs showed a decrease in the organic matrix/phosphate ratio. SEM

analyses evidenced that fusion and melting occurred in the enamel. The results analyzed by two-way ANOVA

and Tukey’s test showed that the mean mineral loss for groups 1 to 4 were 1523.1a ± 939.8, 801.7b ± 533.4,

982.7b ± 445.5 and 235.8c ± 164.3 respectively. Percentage of caries inhibition for groups 2 to 4 was 47, 35

and 84% respectively.

The CO 2 laser treatment inhibits caries lesion in the human mouth, being more effective when combined with

fluoride dentifrice.

H010 Plaque F and Ca concentrations are correlated in areas with

different water F levels after placebo or F dentifrice use

Pessan JP*, Sicca CM, Souza TS, Silva SMB, Sampaio FC, Whitford GM, Buzalaf MAR

Ciências Biológicas - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: juliano_fob@yahoo.com

This double-blind, crossover study determined the relationships between plaque and salivary concentrations

of fluoride ([F]) and calcium ([Ca]) in three communities with drinking water with [F] of 0.05 (A),

0.8 (B) and 3.5 (C) ppm during a two-week period. The subjects (aged 8-10; n = 16-20) brushed their teeth

with a F dentifrice (FD; 1030 ppm as NaF) during one week and a placebo dentifrice (PD) during the other

week. On the 6 th day of each week the subjects brushed only the occlusal surfaces to allow accumulation of

smooth-surface plaque which was collected (half-mouth) the next morning about 12 h after brushing. Then

they then brushed the occlusal surfaces for 1.0 min and plaque was collected from the opposite side 1 h later.

F in plaque was extracted with 0.5 N HClO4, buffered with Total Ionic Strength Adjustment Buffer and

analyzed with the electrode. Salivary F was analyzed after hexamethyldisiloxane diffusion. Ca was analyzed

by atomic absorption spectrometry. The results were analyzed using repeated measures ANOVA and linear

regression (p < 0.05). The average [F] in plaque (± SE; mg/Kg dry wt) for PD and 1 h and 12 h FD were

27.9 ± 4.3 a , 144 ± 27 b and 75.9 ± 15.0 c for A; 41.4 ± 6.2 a , 172 ± 36 b and 70.1 ± 12.5 c for B; and 107 ± 15 a ,

231 ± 43 b and 115 ± 17 a for C, respectively. In saliva, a similar trend was observed, except that [F] obtained

12 h after the use of FD were significantly higher than with the use of PD for all communities. Positive correlations

(p < 0.01) were found between [F] and [Ca] in plaque in all the situations.

The results confirm our previous conclusion that plaque [F] are dependent on plaque [Ca].

H011 Biomineralization of polyanionic collagen-elastin matrices and

bone remodeling during calvarial bone repair

Rocha LB*, Adam RL, Leite NJ, Metze K, Rossi MA

Patologia - FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO - USP. E-mail:

lenaldo@yahoo.com

Polyanionic collagen-elastin matrices (PCEMs) are osteoconductive scaffolds that present high biocompatibility

and efficacy in the regeneration of bone defects. In this study, the objective was to determine if

these matrices are directly mineralized during the osteogenesis process and their influence in the organization

of the new bone extracellular matrix. Samples of three matrices, with different negative charge density,

were implanted into critical-sized calvarial bone defects created in rats and retrieved 3, 7, 15, 30, 60 days and

one year after implantation. Biomineralization was assessed by the detection of alkaline phosphatase activity,

macrophage activity, tracking the elastin, high resolution optical microscopy and transmission electron

microscopy. The organization of the new bone matrix was evaluated by image texture analysis techniques,

using the Shannon’s entropy and the fractal dimension of digital images. This combination of methods

revealed that PCEMs were directly biomineralized by osteoblasts and incorporated into the new bone, and

that the eventual removal of PCEMs occurred during the bone remodeling process. The changes in entropy

in the different periods of analysis were exponential, and the fractal dimension followed a power law. The

evolution of these values revealed that PCEMs were quickly remodeled, showing values increasingly similar

to the original bone structure.

These results show that PCEMs have improved biological properties, skipping the biomaterial resorption

phase, allowing the faster formation of new bone.

H012 Analysis of Hunter-Schreger Bands as a Biometric Method of

Human Identification

Ramenzoni LL, Line SRP*

Morfologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: liza@fop.unicamp.br

Dental enamel is characterized by layers of prisms of regularly alternating directions. These successive

layers form Hunter-Schreger Bands (HSB), which appear as dark and light bands when viewed with a powerful

source of light. In the present study, we evaluated the HSB singularity in human teeth as a biometricbased

method for personal identification, since differences in the pattern of HSB in teeth have never been

studied. The sample was composed of 265 lower central incisors. The following procedures were performed:

the teeth were photographed at low magnification. The contrast of the captured images was increased and

then they were analyzed in automated biometric-based identification software (Verifinger Demo 1.4 SDK/

Fingersec). The software generated a list of biometric data comparisons with a similarity measurement

(minutiae). The storage of database comparisons could be represented with a similarity matrix. We also

analyzed the thickness of the bands, since this parameter is very variable and could be used to confirm the

identification. The results demonstrated that the pattern of HSB is highly variable, being unique for each

tooth. HSB could be observed in 96.7% of the teeth examined. Teeth with 0 or 1 minutiae comprised 4.1%

of our sample. In these cases, the distinction could be made by simple visual comparison.

Thus, the biometric measurements of HSB proved to be a valuable method for personal identification, since

enamel can resist extreme environmental conditions and the images could be easily obtained. These characteristics

make HSB a potentially useful model for personal physical or biological measurements to give a

correct description of an individual.

H013 Radiodensity and hardness of enamel and dentin of human and

bovine teeth, varying the tooth’s age

Fonseca RB*, Carlo HL, Haiter-Neto F, Soares CJ, Signoreti MC, Correr-Sobrinho L

Materiais Dentários - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

rodrigogoiano@yahoo.com

Studies have evaluated the characteristics of hard dental tissues of animal species in order to substitute human

teeth usage. This study evaluated the radiodensity and hardness of enamel and dentin of bovine teeth varying the age

of animals, and compared them with human teeth. Five samples (1 mm thick) were obtained from bovine incisors,

from animals with 20 (G1), 30 (G2), 38 (G3) and 48 (G4) months of age, and from human third molars (G5). The

radiographic images were taken with a phosphor plate digital system (Digora). The radiodensity was obtained and

Knoop hardness (KHN) was recorded (100 g for 15 s - 5 indentations per sample). Data were analyzed by Kruskal-

Wallis test, ANOVA following Tukey’s test and Pearson correlation (p < 0.05). The results showed a strong correlation

between hardness and radiodensity (r = 0.832; p = 0.000). Radiodensity on enamel was similar for all the

groups (G1 = 78.37a; G2 = 77.71a; G3 = 79.38a; G4 = 81.74a; G5 = 75.79a), but bovine dentine presented higher

radiodensity than human dentin (G1 = 56.8a; G2 = 57.07a; G3 = 56.55a; G4 = 53.87a; G5 = 44.13b). Enamel was

always more radiodense than dentine and also presented greater KHN (p = 0.000). Enamel-KHN and Dentine-KHN

showed differences just between G2 and G4/G5 (G1 = 256.88ab; G2 = 228.68b; G3 = 261.04ab; G4 = 274.76a;

G5 = 261.6a), and G2 and G4 (G1 = 56.87ab; G2 = 50.85b; G3 = 51.55ab; G4 = 57.44a; G5 = 55.17ab), respectively.

In spite of the strong correlation between radiodensity and KHN, a standard variation behavior when these factors

are analyzed in separate was not observed. Bovine teeth characteristics seem to follow a particular randomized

variation in radiodensity and hardness, making it difficult to establish a similarity to human teeth when varying

the animals’ age.

H014 Biosecurity in public and private offices

Ferreira NF*, Garbin AJI, Garbin CAS, Arcieri RM

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA.

E-mail: nellyff@hotmail.com

Biosecurity is currently a concern for all health-related services, including dentistry, since infection control

has considerable importance. In dental practice, health-related occupations have contact with a great number

of individuals who are potentially capable of transmitting pathogens. This study comprised a descriptive

evaluation of the universal precaution measures for infection control adopted by dental practitioners working

at public and private offices in the city of Araçatuba, SP. Data collection was performed by a quiz with

questions about individual and collective protection equipments. The results showed that the use of caps was

reported by 55% of the professionals working in the public sector and 90% of those working in the private

sector. The use of masks and gloves was reported by all professionals surveyed; nevertheless, glove change

between patients was not reported by 40% of the professionals working in the public sector.

There were more flaws in public offices as to the use of protective barriers, since except for the use of

gloves, gowns and masks, the frequency of use of those barriers was smaller than at private offices. (Support:

Capes.)

H015 Effect of microwave irradiation on Candida albicans cell

suspensions

Campanha NH*, Pavarina AC, Vergani CE, Spolidorio DMP, Giampaolo ET

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. E-mail: narahell@hotmail.com

Microwaves have been used in the disinfection of acrylic resin dentures. However, controversy exists

about the lethal effects of microwave radiation on microorganisms. The presence of differences in cell

counts and substances released between irradiated and non-irradiated C. albicans cell suspensions was evaluated.

C. albicans (ATCC 10231) was cultured in tryptic soy broth. The cells were centrifuged, resuspended

in 400 ml distilled water (10 8 cell/mL) and divided into experimental (irradiated for 6 min at 650 W) and

control suspensions (non-irradiated). Cell counts were carried out in Agar Sabouraud dextrose (ASD) plates,

Neubauer chamber and with optical density (OD) at 550 nm. The intracellular substances released were

quantified by: Microprote and Sensiprote systems for protein; potentiometry for sodium and potassium ions;

Liquiform for calcium ion; OD at 260 nm for DNA. Experiments were carried out in duplicate and repeated

8 times. Data were analyzed by Student’s t-test or Wilcoxon’s z test, at a 5% level of significance, comparing

coupling data of means. No differences in OD at 550 nm were observed (p = 0.272). All control cells

presented membrane integrity whereas all experimental cells seemed ruptured. Viable C. albicans were not

detected in the experimental ASD plates. The protein-released contents of the experimental suspension were

higher than those of the control for Microprote (p < 0.001) and Sensiprote (p = 0.005) systems. The release

of potassium and calcium ions and DNA from the experimental suspensions was higher than that from the

control (p < 0.001, p = 0.012 and p = 0.046).

The experimental suspension presented lower values of cell counts and higher values of substance release.

H016 Distribution of Streptococcus mutans genotypes in caries-free and

caries-active children and evaluation of acid susceptibility

Lembo FL*, Mayer MPA

Microbiologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail:

fabioluislembo@hotmail.com

S. mutans is associated to dental caries. Several genotypes in the same subject could increase the ability of the

microorganism to stand environmental stress. This study aimed to evaluate if the specificity of colonization by

S. mutans genotypes exists, and to evaluate biofilm formation and sensitivity to acids of different genotypes.

Eleven caries-free (CF) and 10 caries-active (CA) children were evaluated considering SM levels and number of

S. mutans genotypes. S. mutans isolates were obtained from 4 distinct sites. A total of 339 samples were genotyped

with RAPD-PCR. The survival in pH 2.8 and biofilm formation were evaluated. A total of 51 genotypes

were identified. Fourteen individuals were colonized by more than one clone. Three genotypes were exclusive to

white spot lesion and 4 to biofilm over sound surface. Average susceptibility to acid shock in CA genotypes was

90.63 ± 14.58% and, in CF, 97.01 ± 6.6%. Biofilm formation was 0.96 ± 3.41 for CA and 0.36 ± 0.38 for CF

genotypes. No significant differences were observed between the groups, but a high diversity was observed in

the CA group. In the CA group, 20% of the genotypes exhibited higher acid resistance, and 17% of the genotypes

exhibited high formation of biofilm, whereas these characteristics were rarely found among genotypes from CF

subjects (4.5%). No isolate revealed high values for both analyses.

This study revealed that strains exhibiting higher resistance to acids or higher biofilm formation can be more

often found among genotypes of S. mutans harbored by caries-active than by caries-free subjects. Thus, the

greater fitness of these genotypes in a sucrose rich environment may lead to a more cariogenic challenge.

16 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 16

Annual SBPqO Meeting) 2005.


H017 Osteoclastogenesis induction by a novel Porphyromonas gingivalis

phospholipid

Napimoga MH*, Gonçalves RB, Dewhirst FE, Nichols FC, Kawai T

Diagnóstico Oral - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

napimogamh@yahoo.com

Porphyromonas gingivalis (Pg) synthesizes several classes of complex phospholipids (PLs) in addition to

LPS. However, little is known about the biological effects of these PLs on bone resorption. Mouse osteoclast

precursors, including RAW264.7 and bone marrow cells, were stimulated with a novel PL isolated from Pg,

Pg LPS, RANKL and a mammalian structural isomer of the PL (iso-PL). Tartrate-resistant acid phosphatase

(TRAP) staining and a dentine-pit formation assay were used for the identification of activated mature osteoclasts.

PL’s counter-ligand expressed on RAW264.7 cells was identified by affinity purification and mass

spectrometry-based proteomics, and counter-examined by confocal microscopy. Using Western-blot, signaling

pathways triggered by PL during osteoclastogenesis were examined with pharmaceutical drugs and RNAi technology.

PL, but not LPS or iso-PL, induced significantly higher number of TRAP+ multinuclear cells from osteoclast

precursors than RANKL, along with dentine-pit formation, which was not inhibited by RANKL decoy

receptor OPG. Pg LPS, but not PL, induced TNF-a and IL-1b by RAW264.7 cells. Proteomic analyses identified

a 110-kDa protein as a ligand for PL. Confocal microscopy revealed the co-localization of PL and its ligand on

the surface of RAW264.7 cells. PL induced stronger phosphorylation of p38 MAP kinase than RANKL, supported

by the inhibition of PL-mediated osteoclastogenesis with p38 specific blocker SB202190.

A novel P. gingivalis phospholipid that is distinct from LPS represents a new class of RANKL-independent

osteoclast differentiation factor.

H018 Expression of the CLA and alpha4beta1 integrin antigens by T

cell lymphocytes in gingival tissues

Silva-Júnior A*, Meiller T, Kelley J, Zhang M, Jabra-Rizk MA, Barata M, Ferreira SMS, Blattner W

Diagnóstico Oral e Radiologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. E-mail:

asj41@hotmail.com

This work tests the hypothesis that TCR α/β T cells that home to the oral cavity are closely aligned with TCR

α/β T cells in the cutaneous immune compartment and become activated in response to oral pathogens such as

Porphyromonas gingivalis (Pg). Using flow cytometry, Elispot, lymphocyte stimulation with peptides of Pg,

cultural data, clinical assessment and confocal microscopy of biopsy tissue, expression of antigens was assessed.

Adult patients with and without chronic periodontal disease were recruited. Peripheral blood and tissue samples

from the same patient were collected. Pg was cultured from the site where the gingival sample was taken.

Patients with clinical periodontitis were culture positive for Pg. Pg53-kDa peptides, Pg381 strain and staphylococcal

enterotoxin B were used to stimulate ex vivo derived lymphocytes. Periodontitis patients responded to

the peptides and a trend for a strong IFN gamma expression in lymphocytes was observed. We observed that

93.2% were CD4/CD45RO and 92.51% were CD8/CD45RO. These trends were strongest in positive culture

patients (p < 0.05). The subsets of CD4/CLA, CD8/CLA, CD8/CD29, CLA/CD29, CD4/CD49d, CD8/CD49d

and CLA/CD49d cells were elevated in the periodontitis and in the positive culture groups (p < 0.05). VCAM-1

and E-selectin were upregulated in the periodontitis group (p < 0.05), confirming the hypothesis tested. Confocal

microscopy supported the hypothesis that CLA and α4β1 integrin were predominant in tissue samples.

These results demonstrate that T lymphocytes home to the oral site of mucosal infection are activated by antigens

such as Pg. These findings add new information to mucosal immunity. (Support: Fogarty.)

H019 Dental scientific research in Brazil: quantitative aspects of

production

Dias AA*, Rêgo DM

Ciências da Saúde - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. E-mail:

aldo_angelim@hotmail.com

Scientific research has experienced considerable growth in recent years, expressed by a larger dissemination

of specialized journals. This paper aims at finding out the current stage of scientific production in Odontology

through the researches presented in the 20 th and 21 st Annual Meetings of SBPqO (Brazilian Society

for Oral Research). The methodology was based on the mailing of 1,350 questionnaires via electronic mail

to the presenters of scientific papers of the last two editions of the SBPqO Annual Meeting. According to

the questionnaires, the researches in 2003 were mainly concentrated on the following areas: Periodontology

(15.67%), Public Health (14.2%) and Pediatric Dentistry (13.5%). Of the papers presented, 65.15% were

quantitative and 34.85%, qualitative. The most common methodological illustrations found were related to

clinical research (34.1%), followed those related to laboratorial research (33.1%). In 2004, the most cited

areas were still Periodontology and Public Health, with 19.72% and 14.73% of the total answers. Quantitative

researches continued to outnumber the qualitative ones (64.6% over 35.4%). With regard to the answers

to the questionnaires sent out that year, the illustrations related to clinical research outdid those related to

laboratorial research with 40.81% against 25.39%.

From these results, one could claim that a large number of the researches presented in the SBPqO meetings

have been predominantly quantitative, with a clear focus on clinical and laboratorial studies, and that the

areas of concentration most commonly found were Periodontology and Public Health.

H020 Analysis of Fluoride Concentration in Mother’s Milk Substitutes

and Dental Fluorosis Risk

Pagliari AV*, Moimaz SAS, Saliba O, Delbem ACB, Sassaki KT

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. Email:

anapagliari@yahoo.com.br

Mother’s milk is the ideal food for children’s first months of life. However, there are situations that make

its consumption impossible and substitutes like cow’s milk, infant formula and soy milk are employed. This

research aimed to determine the fluoride content of some powder brands of these products and evaluate the

possibility of dental fluorosis development by its consumption. Three cans from different batches of 7 brands of

infant formula, 8 of cow’s milk and 3 of soy milk were obtained. Powder samples were reconstituted in deionized

water and analyzed with the specific electrode method, after HMDS facilitated diffusion. Estimations of

fluoride daily intake with the consumption of the products were calculated. Infant formulas, cow’s milk and soy

milk presented respectively 0.044 ± 0.038 to 0.326 ± 0.169 mg F/L, 0.014 ± 0.003 to 0.045 ± 0.022 mg F/L and

0.253 ± 0.035 to 0.702 ± 0.071 mg F/L. Significant statistical difference (p < 0.05) was found among cans of

different batches in the majority of the analyzed brands. The reconstitution of all products in water with optimal

fluoride concentration for consumption during the mineralization phase of primary teeth results in daily fluoride

intake above 0.07 mg F/Kg body weight/day. The same can be said in regards to one of the types of soy milk

analyzed, when children still forming their permanent anterior teeth consumed it.

Therefore, the consumption of these products may cause development of dental fluorosis, depend-

ing on the fluoride content of the water used for reconstitution and the fluoride bioavailability. (Support:

FUNDUNESP - 87503/2003.)

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

H021 In vitro wear of deciduous and permanent teeth - simultaneous

abrasion and erosion

Correr GM*, Alonso RCB, Consani S, Puppin-Rontani RM, Ferracane JL

Odontologia Infantil - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

giselefop@yahoo.com

The aim of this study was to evaluate the wear performance differences between deciduous and permanent

teeth caused by the association of abrasion and erosion. Fragments of forty human teeth (20 deciduous and 20

permanent teeth) were cast in acrylic rings, polished to expose a flat enamel area, and profiled with MTS 3D

Profiler using Capture software. The antagonists (enamel cusps) were made from deciduous and permanent

human molars. The specimens were distributed into 4 groups (n = 10), according to the type of slurry (Neutral

– PMMA, poppy seeds, water; and Acidic – PMMA, poppy seeds, 0.3% citric acid, pH 3.2) and the type of

substrate: DN – deciduous neutral; DA – deciduous acidic; PN – permanent neutral; PA – permanent acidic. The

specimens were cycled 100,000 times in the OHSU Oral Wear Simulator (1.9 Hz), cleaned and re-profiled. Volume

loss (mm 3 ) was determined using the profiler and Ansur 3D software. The area of the wear facet on the antagonist

was also measured. ANOVA and Tukey’s test were used for data analysis (p < 0.05). Deciduous enamel

(DN = 0.027; DA = 0.057 mm 3 ) showed more wear than permanent enamel (PN = 0.016; PA = 0.023 mm 3 ),

regardless of the slurry type used. The acidic environment increased the wear rate compared to the neutral

environment (p < 0.05). The association of abrasion and erosion increased the wear rate for deciduous teeth

only (p < 0.05). There was no significant difference among the groups for cusp wear. There was no correlation

between cusp wear and the wear of the samples.

Deciduous teeth showed greater wear than permanent teeth, and the association of erosion and abrasion increased

the wear of deciduous teeth.

H022 In vitro abrasive wear and microhardness analysis of two dental

composites filled with nanoparticles

Mayworm CD*, Camargo SAS, Bastian FL

Engenharia Metal e Materiais - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. E-mail:

camila@metalmat.ufrj.br

One of the most important properties of dental composites is their wear resistence. The presence of nanoparticles

in their composition appears to improve this property. The aim of this research was to compare the wear

resistance and hardness of two dental composites (EsthetX – Dentsply and Filtek Supreme – 3M), considering

the presence of nanometric particles (they present high specific surface area) in their composition. The influence

of artificial saliva storage in their properties was also valuated. Eighteen samples of each material (dimensions

4 x 8 x 30 mm) were fabricated according to the manufacturers’ instructions. Microhardness was measured with

a Vickers hardness tester through twelve indentations on three samples of each material (10, 25 and 50 g). The

wear test of six samples of each material was performed using a three-body abrasion wear machine (cycles of

50, 200, 500, 1,000 and 1,500, weight-100 g / alumina-1 µm-abrasive agent). Half the samples were stored in

artificial saliva during 62 days at 37ºC, and the tests were performed again. The data were analyzed by ANOVA

and Student’s t-test (p ≤ 0.05). EsthetX’s hardness, before and after storage in saliva, was 64.3 and 52.2 HV,

respectively. Filtek Supreme’s hardness was 60.8 and 53.1 HV. EsthetX’s wear rate, before and after storage in

saliva, was 3E -7 and 2E -7 mm 3 /N.mm, respectively. Filtek Supreme’s wear rate was 6E -7 and 5E -7 mm 3 /N.mm.

For the two tests, EsthetX presented better results than Filtek Supreme. Saliva caused a fall in the superficial

hardness of the two materials, although it increased their wear resistance, suggesting that post-cure took place

with both materials.

H023 Effects of potassium oxalate gel/adhesive agent combined

application on dentin permeability: an in vitro study

Silva SMA*, Marquezini-Júnior L, Manso AP, Tay FR, Pashley DH, Carvalho RM

Dentística, Endodontia e Materiais Dentários - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: safira@terra.com.br

The treatment of dentin hypersensitivity with precipitation of insoluble salts or application of adhesive agents

is usually not successful because precipitates are removed by brushing and current simplified adhesives are permeable

membranes. We tested a novel approach to reduce water permeation across dentin treated with combined

application of potassium oxalate followed by adhesive resins. Full crown preparations were cut on extracted human

molars to expose deep dentin. Roots were sectioned and the pulp was removed. Crown segments were connected

to an automatic flow-recording device. Minimum and maximum permeability were recorded after smear

layer removal and phosphoric acid treatment, respectively. New smear layer was created and the permeability

was measured after the crowns were bonded with Single Bond-3M-ESPE, One UP Bond F-Tokuyama and

AdheSe-Ivoclar, either according to the manufacturers’ instructions or after treating the acid-etched dentin with

a potassium oxalate gel. The results were expressed as a percentage of maximum permeability values. Impressions

and epoxy resin replicas of the crown segments were produced for SEM examination. Results showed that

no adhesive was able to eliminate the fluid flow through dentin. Two-way ANOVA revealed that for the three

bonding systems, the application of potassium oxalate prior to the bonding procedures was the most effective

technique in reducing the permeability of the crowns (p < 0.05). SEM micrographs showed that transudation of

dentinal fluid could be identified on the surfaces of all replicas examined, regardless of the treatment.

The new technique tested was effective in reducing the permeability of bonded dentin.

H024 Water sorption and solubility of dental adhesive resins

Malacarne J*, Carvalho RM, Góes MF, Svizero NR, Pashley DH, Tay FR, Yiu C, Carrilho MRO

Materiais Dentários - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

cella100@hotmail.com

It has been speculated that the incorporation of more hydrophilic and ionic functional groups into dental

adhesives may lead to increased water absorption by such materials. This study evaluated the water sorption,

solubility and kinetics of water diffusion in commercial and experimental methacrylate-based adhesives,

formulated to be used as dentin and enamel bonding agents. Four commercial adhesives were selected along

with their solvent-monomer combination: the bonding resins of Adper Scotchbond Multi-Purpose (MP) and

Clearfil SE Bond (SE) systems, and the “one-bottle” systems Adper Single Bond (SB) and Excite (EX). Five

experimental methacrylate-based resins of known hydrophilicity (R1-R5) were used as reference materials.

Specimen disks were prepared by dispensing the uncured resin into a mould (5.8 mm x 0.8 mm). After desiccation,

the cured specimens were weighed and then stored in distilled water for evaluation of the water diffusion

kinetics over a 28-day period. Resin composition and hydrophilicity (ranked by their Hoy’s solubility

parameters) influenced water sorption, solubility and water diffusion in both commercial and experimental

dental resins. The most hydrophilic experimental resin, R5, showed the highest water sorption, solubility and

water diffusion coefficients. Among the commercial adhesives, the solvated systems, SB and EX, showed

water sorption, solubility and water diffusion coefficients that were significantly greater than those observed

for the non-solvated systems, MP and SE (p < 0.05).

The kinetics of water diffusion in methacrylate-based resins was positively dependent on adhesives’ hydrophilicity.

17


H025 Antibacterial activity of resin cements with antibacterial agents

incorporated

Akaki E*, Mansur HS, Lana MA, Braga RRR

Odontologia - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. E-mail:

akakie@terra.com.br

Nowadays, indirect aesthetic restorations for posterior teeth have been more used due to our patient’s requests.

One way to decrease the leakage at the teeth/restoration interface could be to incorporate antibacterial agents

to resin cements. The aim of this study is to evaluate the antibacterial activity of resin cements with antibacterial

agents incorporation by agar diffusion test using Streptococcus mutans. Triclosan Irgasan DP-300 and

chlorhexidine diacetate were incorporated in different ratios (1 and 3% w/w) into C&B - Bisco ® and Fill Magic

Dual Cement - Vigodent ® resin cements. The incorporation was performed manually using metallic spatula and

a glass slab. The components were weighed using an analytical balance. After incorporation, the samples were

manipulated according to the manufacturers’ instructions and placed on the agar plates inoculated with the

bacteria. After 48 hours, the growth inhibition zone was observed and measured. All assays were carried out in

triplicate under aseptic technique. Control groups with the resin cements without incorporation and the groups

with triclosan incorporation did not show antibacterial activity. The groups with chlorhexidine incorporation

presented antimicrobial activity observed by the presence of an inhibition halo. Positive control plates showed

inhibition growth in all agar plates. The antibacterial effectiveness was influenced by the chlorhexidine concentration

(ANOVA - p < 0.05). The groups with 3%(w/w) were more effective than those with 1% (w/w) in both

resin cements (p = 0.03, Student’s t-test).

C&B and Fill Magic cements showed better antibacterial activity with chlorhexidine incorporation at 3% (w/w)

concentration.

H026 Influence of restorative materials and endodontic treatment on

stress distribution in maxillary premolar – 2D Finite Element

Analysis

Soares PV*, Araújo TC, Araújo CA, Martins LRM, Soares CJ

Dentística e Materiais Odontológicos - UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. E-mail:

paulovsoares@odon.ufu.br

The aim of this study was to investigate the effect of four restorative materials and presence of endodontic treatment

on stress distribution in mathematical models of maxillary premolar. To develop a 2-D mathematical finite

element analysis model, an intact normal extracted human maxillary second premolar was selected. The premolar

embedded resin block was sectioned on the long axis of the tooth (buccal-lingual direction). An image processing

system (Matlab) was employed to detect the boundaries of enamel, dentin and pulp from the section images.

Surrounding tooth tissues such as periodontium ligament and alveolar bone were generated by growing the outer

surface of the tooth model from 2 mm below the CEJ, processed in CAD design (MechanicalV14). These images

were exported to Ansys 7.1. A 2D mathematical linear, elastic and isotropic model was created. The wireframe

model was automeshed step-by-step according to boundaries and mechanical properties (Young’s modulus and

Poisson ratio) of materials and structures, using 8-node element PLANE183 and 90 N-load. Thirteen models were

confectioned: one intact, six MOD preparations (restored with amalgam, composite resin, preparation only, and 3

endodontically treated), six inlay preparations (restored with ceromer, ceramic, preparation only, and 3 endodontically

treated). Qualitative and comparative analysis of the stress distribution of models was performed.

Within the limits of this study, the authors concluded that reduction of the remaining structure influences the

concentration of stress distribution. The material properties and endodontic treatment promoted alteration and

concentration of stresses in the subjacent dentin, respectively.

H027 Influence of light-curing sources on in vitro interfacial gap

formation of resin composite restorations

Dalpino PHP*, Pereira JC, Svizero NR, Carvalho RM, Pashley DH, Rueggeberg FA

Dentística, Endodontia e Materiais Dentários - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: paulodalpino@yahoo.com

The influence of different light sources on the presence of an interfacial gap in bonded restorations was

evaluated using fluorescence microscopy. The combination bonding agent (Adper Single Bond (AD)) / composite

(Filtek Z250 (RC)) was used to restore Class I preparations (6.0 x 4.5, 2.5 mm deep) in extracted human

third molars, according to the manufacturers’ instructions. Restoratives were light-cured using XL3000

(QTH: 540 mW/cm 2 ); Elipar FreeLight 2 (LED: 750 mW/cm 2 ); and Arc Light II (PAC: 2,130 mW/cm 2 ). Nine

groups were formed with light combinations to cure AD/RC: QTH/QTH; QTH/LED; QTH/PAC; LED/LED;

LED/QTH; LED/PAC; PAC/PAC; PAC/QTH; PAC/LED. Fluorescent agent (Rhodamine B) was added to AD,

highlighting the bonded interface. A different color dye (Fluorescein) was placed in the pulp chamber (4 hs),

diffusing toward the interface. The teeth were then sectioned and microscopically analyzed (Two-Photon Laser).

Qualitative and quantitative evaluations were gap location (scores 1 to 7) and extension (in µm). Data

were statistically analyzed. No significant difference was found in gap location (Kruskal-Wallis, p > 0.05).

PAC/QTH and PAC/PAC presented significantly lower gap extension and LED/LED, the highest (two-way

ANOVA, p < 0.05). PAC/QTH presented more gap-free interfaces than other combinations. Using PAC for AD

provided lower gap extension and best scores for gap location. PAC/PAC presented superior results compared

to QTH/QTH and LED/LED.

Different light sources influence gap extension. Gap site and extension are more dependent on the polymerization

technique used for the adhesive than on the technique used for the resin composite.

H028 Resin-dentin interface degradation: ultramorphological, physicomechanical

and bond strength evidences

Reis AF*, Pereira PNR, Giannini M

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

reisandre@yahoo.com

The aims of this study were: to evaluate the ability of adhesive systems to prevent nanoleakage in resin-dentin

interfaces; and to analyze dentin bond strength, water sorption and solubility, ultimate tensile strength, elastic

modulus and ultrastructural characteristics of the bonding agents. Adhesive systems that use different etching

and infiltration strategies were used: two etch-and-rinse systems (Single Bond/SB and Prime&Bond NT/PB);

two two-step self-etching primers (Clearfil SE Bond/CF and Clearfil Protect Bond/CP); and a one-step self-etching

adhesive (One-up Bond F/OB). Tests were performed after 6 or 12 months of storage in water or mineral oil.

Ammoniacal AgNO 3 was used as a tracer for the nanoleakage test. Specimens were prepared for Transmission

Electron Microscopy (TEM). Bond strengths were analyzed by means of the microtensile test and failure modes

were observed. For measurements of water sorption and solubility, the mass of specimens was measured before

and immediately after water-immersion, and after desiccation. The volume of specimens was measured, and

sorption and solubility values were calculated and expressed in µg/mm 3 . Ultimate tensile strength and elastic

modulus were analyzed in a universal testing machine. Ultramorphological characteristics of bonding agents

were observed with TEM. Results showed that no adhesive system was able to prevent nanoleakage. SB and OB

were the most susceptible to degradation after storage in water.

Based on the tests performed and parameters analyzed, it can be concluded that degradation of resin-dentin

bonds is related to the hydrophilicity of the materials tested.

H029 In vivo study of pulpal healing after pulpotomy using three pulpcapping

agents and variable methodologies

Reston EG*, Costa CAS

Odontologia - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: ereston@dentalcore.com.br

This in vivo study was carried out to evaluate the reparative potential of pulps mechanically exposed

following pulpotomy with three different capping agents. Calcium hydroxide, Mineral Trioxide Aggregate

(MTA), and PROROOT ® MTA were evaluated considering the morphology, location, and extension of the

reparative hard-barrier deposition. Three methods were used to evaluate the images from the reparative

area (scanning electron microscopy - SEM, stereomicroscopy - Lupe, and optical microscopy). Five 12

month-old Beagle dogs were used. The exposed pulps were capped with the selected experimental or control

materials and the cavities were restored with amalgam. After 90 to 106 days, the animals were sacrificed and

the teeth surgically removed “en bloc” were processed for SEM assessment. An image analyzer was used to

measure the total area of the exposition and compare it to the area occupied by the hard-barrier. Data from

SEM were used to evaluate morphology and location of the hard-barrier formation as well as the percentage

of pulpal wound obliteration, which was also measured by stereomicroscopy and optical microscopy.

PROROOT ® exhibited the highest number of samples with complete hard-barrier formation when compared

to the tested materials. Calcium hydroxide samples presented the lowest number of total repairs and the

hard-barrier observed in a few samples exhibited amorphous histological characteristics. SEM evaluation

did not allow detailed assessment of the hard-barrier formation such as its extension and location, therefore

additional methods are necessary to determine the capacity of pulp tissue to respond to pulp therapy by

deposition of a hard-barrier.

H030 Image Scanner to Acquire Customized Prosthetic Components of

Dental Implants

Spinola AL*, De-Luca S, Mello-e-Souza E

Engenharia Elétrica - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO. Email:

alspin@biogenie.com.br

Recent developments in image-processing techniques allow for some exciting new medical and dental

applications, from CT enhancements that greatly increased diagnostic precision to the innovative new use of

optical scanners to deliver affordable customized prosthetic goods expediently. The downside so far is the

high cost of this new equipment. This study proposes a new method for acquiring full 3D reconstructions of

prosthetic parts from simple-to-obtain digital images of wax models. Furthermore, data extracted from these

images by computer-vision algorithms can later be used to mill final components in compatible CAD/CAM

systems. Briefly, a collection of cross-section images is processed to obtain sets of frontier points. They are

later combined using proper software to form the finished virtual 3D component, which may then be viewed

and edited on compatible CAD program, and subsequently sent for production.

Lab tests have shown great fidelity of digital models to their real models. Successful clinical applications

also reinforce our convictions that this system is ready for everyday use. Lastly, given the low cost of this

solution, it is hoped that dental labs will use it to provide better care to a larger segment of the population.

H031 Effect of relining, cyclic loading and water storage on the flexural

strength of a denture base acrylic resin

Reis JMSN*, Vergani CE, Machado AL, Pavarina AC, Giampaolo ET

Materiais Odontológicos e Prótese - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA -

ARARAQUARA. E-mail: reisunesp@hotmail.com

This study investigated the effect of relining, cyclic loading and water storage on the ultimate flexural

strength (FS) and on the flexural strength at the proportional limit (FSpl) of a denture base acrylic resin (Lucitone

550-L). Rectangular bars of L acrylic resin were made (64 x 10 x 2 mm) and relined (1.3 mm) with

four relining resins (Kooliner-K, Ufi Gel Hard-U, Tokuso Rebase Fast-T and New Truliner-N). In addition,

intact L specimens and specimens relined with L acrylic resin were made (64 x 10 x 3.3 mm). Forty specimens

were made for each material, divided into four groups (n = 10) and tested after 1) polymerization; 2)

water storage for 30 days; 3) cyclic loading (10,000 cycles at 5 Hz) and 4) water storage for 30 days followed

by cyclic loading. Data (MPa) were analyzed with 3-way ANOVA and Tukey’s HSD tests (p = 0.05). After

water storage, L-U and L-T demonstrated an increased FS (41.49 to 50.64 MPa and 49.95 to 57.36 MPa,

respectively) (p < 0.05). Only L-T demonstrated an increased FSpl (20.58 to 24.21 MPa) after water storage

(p < 0.05). After water storage, L-T demonstrated higher FS and FSpl than L-K, L-U and L-N. L-L specimens

presented the highest FS (between 78.57 and 85.09 MPa) and FSpl (between 31.30 and 34.17 MPa)

(p < 0.05). Cyclic loading decreased the FS and FSpl of all materials (p < 0.05).

Water storage improved the FS of L-U and L-T and the FSpl of L-T. L-L presented the highest FS and FSpl.

The FS and FSpl of all materials were detrimentally influenced by cyclic loading.

H032 Oral lichen planus: extra-hepatic manifestation of hepatitis C

Jham BC*, Almeida SMCG, Teixeira R, Aguiar MCF, Carmo MAV

Patologia, Cirurgia e Clínica - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. E-mail:

brunojham@ig.com.br

Studies of prevalence of the association between oral lichen planus (OLP) and hepatitis C conducted in

different countries show conflicting results, and some authors consider OLP an extra-hepatic manifestation

of the virus C infection. Thus, the aim of this work was to investigate the possible association between

OLP and hepatitis C. Following approval by the Ethics Committee of the Federal University of Minas

Gerais (UFMG), 50 OLP patients (Group 1) and 215 chronic hepatitis C patients (Group 2) were evaluated.

Group 1 patients were submitted to anti-HCV (hepatitis C virus) serological exams for investigation

of infection by the hepatitis C virus and Group 2 patients were examined for OLP lesions, which were histologically

confirmed. Data collected were analyzed by the Fisher’s exact test at 5% significance level. One

case of chronic hepatitis C was diagnosed in Group 1 (2.00%), with no significant difference (p = 0.464). In

Group 2, OLP was diagnosed in five patients (2.33%), which was statistically significant (p = 0.002).

In conclusion, our results strongly suggest OLP as an extra-hepatic manifestation of hepatitis C. Thus, we

believe that HCV carriers should be periodically and systematically submitted to intra-oral examination for

OLP investigation. Moreover, OLP patients in special should be submitted to hepatitis C tests, due to the

chronic, asymptomatic and high morbidity character of this liver disease.

18 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 18

Annual SBPqO Meeting) 2005.


H033 Is daily chewing gum really effective to increase stimulated whole

saliva?

Santos RB*, Dal’Agnol CZ, Moreira VM, Wiebbelling MM, Koplin DC, Bessel LF, Malgarim FG,

Zasso MA

Estomatologia - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: ruberaldo@terra.com.br

Subjects with low saliva output can suffer from dry mouth, present increased risk of oral infections, as

well as disturbed sleep. The effect of daily chewing gum on the unstimulated whole saliva has been demonstrated.

However, it remains inconclusive with regards to stimulated saliva. The aim of this experiment

was to evaluate the effect of chewing gum on whole stimulated saliva. The salivary flow rate of a sample of

30 women, with mean age of 57.16 years, was measured. This was done before and immediately after the

experiment with chewing gum and at the first day of this within-subject study. The chewing gum was used

daily for 15 min after breakfast, lunch and dinner, during three weeks. The data were analysed by descriptive

statistic and using paired Student’s t-test (p-value < 0.05 was considered significant). The dose-response

curve showed that an increase in the saliva output was observed at the moment that the chewing gum was

used, for all participants (p < 0.05). However, for only 15 of the subjects with initial salivary flow rate up

to 0.7 ml/min a statistically significant increase (p < 0.05) of 75 % was observed immediately after three

weeks of the experiment.

The authors suggest that there might be a persistent increase in the whole stimulated saliva only for subjects

with hyposalivation, and an increase can occur for all subjects at the moment of use of chewing gum.

H034 Comparison of hard tissue density changes around implants by

conventional radiographs and digital subtraction images

Bittar-Cortez JA*, Passeri LA, Bóscolo FN, Haiter-Neto F

Diagnóstico Oral - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: ajulianab@hotmail.com

The aim of this in vivo study was to compare peri-implant bone density assessed by the mean gray value

of the histogram in digitized radiographs and two digital subtraction radiography methods, linear and logarithmic.

Thirty-four patients were monitored by standardized periapical radiographs one week after surgery

and four months later. The radiographs were digitized and manipulated by means of EMAGO ® software.

Linear and logarithmic digital subtraction radiographs were obtained, and a filter was added to the logarithmic

image. Control and test regions were selected and the mean value of the gray level of the histogram of

these selected areas was obtained. This process was carried out in the digitized conventional radiographs

(DCR) and the two methods of digital subtraction radiography (DSR). After that, the images were divided

into two groups, with and without bone loss, and statistical analysis was carried out. The results indicate that

differences between the two groups with and without bone loss reached significance, in all the images and

in both jaws, which was expected. But no statistically significant difference was observed when assessing

radiographic density between the digitized radiographs and the two methods of subtracted images.

Monitoring of peri-implant bone density by the mean gray value of the histogram in a selected area can

be assessed either by linear and logarithmic digital subtraction images or by conventional digitized radiographs.

H035 Analysis of tooth/restoration interface in dental enamel by using

optical coherence tomography

Melo LSA*, Araújo RE, Freitas AZ, Carvalho MT, Zezel DM, Vieira-Júnior ND, Gomes ASL

Prótese e Cirurgia Bucofacial - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. E-mail:

lafonsodemelo@gmail.com

The integrity of the tooth/restoration interface is very important for the success of dental treatment. The

evaluation of this site can be done using visual and tactile inspection, which can be helped by the use of

radiographic exams. These diagnosis methods, however, may not show all the information needed for a final

and correct diagnosis. For this reason, alternative techniques have been proposed as auxiliary diagnosis

methods in Odontology. This presentation describes the use of Optical Coherence Tomography (OCT) as a

method to evaluate the tooth/restoration interface in dental enamel. Five extracted human molars were used

in the research. One tooth was restored by the standard way, while in the other samples a gap of ~ 50 µm

was purposely left at the tooth/restoration interface. The OCT system built for this research was based on

Michelson Interferometer and on a wideband light source. A Titanium-sapphire laser was the light source

that was employed operating at 800 nm, allowing 10 µm axial resolution and 32 µm lateral resolution. The

results were depicted as bidimensional images.

By using the OCT technique in the mentioned dental evaluation, it was possible to identify the exact location

of the restoration failure in the tooth, and also make a quantitative analysis. This was not possible using

the conventional methods. The research showed that OCT is a high-resolution non-invasive optical imaging

technique and can become an important diagnosis method for Odontology.

H036 A protocol standardization to be used in photodynamic therapy

in animals

Bolanho A*, Carmo ED, Kurachi C, Brandão AAH, Rosa LEB

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - SÃO JOSÉ DOS

CAMPOS. E-mail: bolanho@fosjc.unesp.br

Photodynamic therapy (PDT) has been applied mainly in neoplasia treatments in mucosa and skin surface

neoplasia. It is also indicated in cases where surgery and clinical procedures do not respond to conventional

treatments. Thus, PDT limited itself to very specific indications and poor prognostic cases, due to a lack of

clinical trial studies and its high costs. Nowadays, multidisciplinary studies are being conducted looking for

new drugs and lights sources that should be able to decrease the side effects of PDT and improve its specificity.

With the aim of introducing a PDT standardization protocol for animals, 25 golden syrian hamsters were

used in association with a hematophorphyrin photosensitizer drug (HpD), together with a diode compact

laser device (630 nm). After establishing an adequate drug dose and a correct pathway of administration,

PDT was applied on the left side surface of hamsters’ tongues after 12 hours of intraperitoneal administration

of 10 mg/kg of HpD in 50, 100, 150 and 200 J/cm 2 fluencies. Histological analyses were performed

6 days latter and showed epithelial alterations only at 50 J/cm 2 protocols. Positive correlations were also

observed between tissue alterations and fluencies related to necrosis deepness and vascular penetration at

100, 150 and 200 J/cm 2 .

Therefore, with these results, we may give support to clinical trials in animal models of carcinogenesis,

analysing the behavior of new drugs and new sources of lights, which should be more effective and economically

accessible.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

H037 E-cadherin abnormalities resulting from CpG methylation

promoter in metastatic and non-metastatic oral cancer

Moraes RV*, Oliveira DT, Landman G, Carvalho F, Caballero O, Nonogaki S, Nishimoto I, Kowalski LP

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: moraesrv@hotmail.com

Loss of E-cadherin expression resulting from CpG methylation promoter has not been investigated in nonmetastatic

oral cancers such as verrucous carcinoma (VC). To further understand the alterations in the methylation

profiles of E-cadherin in oral cancer, we analyzed nine cases of VC, twenty well differentiated squamous

cell carcinoma without lymph node involvement (SCC-pN0) and seventeen with lymph node involvement

(SCC-pN+) by methylation-specific polymerase chain reaction. Immunohistochemical expression of E-cadherin

was also performed. The frequency of E-cadherin gene methylation was 55.5% for VC, 60% for SCC-pN0 and

59% for SCC-pN+, and no statistically significant differences (p = 0.975) were found among the groups. The

immunohistochemical expression of E-cadherin in oral VC was significantly higher (p = 0.016) when compared

with SCC-pN0 and SCC-pN+ groups. E-cadherin gene methylation was not correlated with its abnormal immunohistochemical

expression in oral VC and SCC-pN0 groups. All tumors of the SCC-pN+ group with unmethylated

E-cadherin gene showed significant loss of E-cadherin immunoexpression (p = 0.044).

In conclusion, the alteration in immunohistochemical expression of E-cadherin resulting from CpG methylation

promoter is common and heterogeneous in metastatic and non-metastatic well-differentiated squamous

cell carcinomas. The presence of E-cadherin gene methylation in tumors with lower invasive and metastatic

potential as oral verrucous carcinoma suggests the early involvement of this epigenetic event in the multistep

progression of oral carcinogenesis.

H038 Nitric oxide deficiency inducing bone loss in vivo via imbalance of

cytokines and osteoclastic factor expression

Fukada SY*, Silva TA, Saconato IF, Garlet GP, Ávila-Campos MJ, Silva JS, Cunha FQ

Farmacologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - RIBEIRÃO PRETO. E-mail:

sfukada@usp.br

The inducible NO synthase (iNOS) derived NO plays important role in inflammation and bone metabolism.

The aim of this study was to evaluate the role of NO in the pathogenesis of periapical lesions in mice. Wild-type

(WT, C57/BL6) and iNOS knockout (iNOSKO) mice had the pulp of first molars exposed and inoculated with

4 bacterial strains (P. gingivalis, P. nigrescens, A. viscosus, F. nucleatum). Contralateral molars were used as

control. After 21 days, bone loss was evaluated by histomorphometry and inflammatory mediators expression by

real-time PCR and ELISA assay. WT and iNOSKO mice infected showed periapical lesions with intense inflammatory

infiltration accompanied by significant bone loss, while the contralateral periodontal ligament was intact.

However, in iNOSKO mice, the lesion size was approximately 75% larger than in WT (WT: 0.12 ± 0.02 mm 2 ;

iNOSKO: 0.21 ± 0.06 mm 2 ). In 25% of the iNOSKO mice with larger lesion, abscess in the jaw was present. The

increased bone loss in iNOSKO mice was associated with augment of osteoclast differentiation factor expression,

like RANKL (receptor activator of NFkβ ligand) and SDF-1 (stromal cell derived factor-1), and reduction

of OPG (osteoprotegerin), an inhibitor of resorption. Furthermore, iNOSKO mice also presented low levels of

IL-1β, TNFα and IFN compared with WT.

The results show an important role of NO in the pathogenesis of pulp infection, since NO deficiency was associated

with downregulation of pro-inflammatory cytokine production, important to the infection control, and with

an imbalance of bone reabsorption modulator factors, leading to a severe infection-stimulated bone loss.

H039 Association between p21waf1/cip1 cyclin dependent kinase

inhibitor gene polymorphism and oral squamous cell carcinomas

Neves AC*, Almeida FCS, Riveiro ERC, Durazzo MD, Nunes FD, Sousa SOM

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail: neves@usp.br

P21 is a potential tumor suppressor and has been identified as a p53 mediator and an inhibitor for cyclindependent

kinases (Cdks) and proliferating cell nuclear antigen (PCNA). Changes in p21 conformation

could adversely affect regulation of cellular proliferation and increase the susceptibility to cancer. This

study was conducted to investigate p21waf1/cip1 gene alterations and a possible association with immunohistochemical

expression of p21 in human oral squamous cell carcinomas (OSCC). Besides, p21waf1/cip1

genetic alterations and p21 imunoexpression were associated with clinicopathological parameters of oral

cancer patients. Matched normal and cancer tissues from 31 patients with oral carcinomas and 50 samples

of saliva from healthy individuals were screened for p21waf1/cip1 alterations by PCR (polymerase chain

reaction) and SSCP (single strand conformation polymorphism). The PCR-SSCP technique suggested the

presence of two polymorphisms in exon 2 and one in exon 3. Sequence analysis confirmed the presence of

the AGC (Ser), AGA (Arg) polymorphism in codon 31 of exon 2. This substitution was more frequent in

cancer patients (32.3%) than in healthy individuals (12%), which was considered statistically significant. No

significant association was observed between p21waf1/cip1 variant at codon 31 and imunohistochemical

expression of p21. There was no significant association between p21 expression, the presence of codon 31

polymorphism and clinicopathological parameters of OSCC.

Our results suggest that the polymorphism involving codon 31 of p21waf1/cip1 gene may be directly involved

in development and/or progression of oral squamous cell carcinomas.

H040 Hoxb13 transcripts in oral squamous cell carcinoma

Cazal C*, Almeida FCS, Silva-Valenzuela MG, Durazzo MD, Nunes FD

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail:

claudiacazal@yahoo.com.br

The aim of this study was to verify the HOXB13 gene expression in oral squamous cell carcinoma (OSCC)

using in situ Hybridization technique (ISH). Tumoral tissues and adjacent non-tumoral oral mucosa specimens

were obtained from 25 patients with OSCC. The samples were cDNA extracted, submitted to the

Reverse Transcriptase Polymerase Chain Reaction (RT-PCR) technique; direct sequence analysis was performed

on Polymerase Chain Reaction (PCR) products to confirm cDNA sequence. Digoxigenin-labeled

riboprobes were confectioned for in situ hybridization analysis. ISH technique exhibited a consistent and

invariable pattern of expression for HOXB13 transcript on both tumoral and non-tumoral tissue samples.

The present results point out to a correlation between HOXB13 expression and cell differentiation, and this

may represent a valuable tool to understand the biological behavior of OSCC.

19


H041 Detection of PITX1, PMX1 and TGIF transcripts in oral

squamous cell carcinoma by in situ hybridization

Acquafreda T*, Matizonkas-Antonio LF, Libório TN, Silva-Valenzuela MG, Ferraz A, Nunes FD

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail: thais_

acquafreda@yahoo.com.br

Oral squamous cell carcinoma (OSCC) is the eighth most common cancer worldwide. Homeobox gene family

encodes transcriptional factors during development; hence it could be involved in carcinogenesis. The purpose

of this study was to verify the presence of 3 homeobox gene transcripts (PITX1, PMX1, TGIF) in OSCC and

adjacent non-tumoral tissues (NT). Twelve OSCC samples and 8 NT were obtained at HC-FMUSP. For in

situ hibridyzation (ISH), serial sections were stained with digoxigenin-labeled sense and antisense riboprobes.

Signal was always located at the cell cytoplasm. For NT samples, PITX1 signal was seen at all epithelium layers

in 33% of the cases, only at basal layers in 50% and in dispersed cells of the epithelium in 17%. PMX1 stained

at basal and supra basal layers in 80% of the samples and at all epithelium layers in 20%. Transcripts of TGIF

were stained in 50% of the samples at basal and suprabasal layers, while in 50% of the cases they were disperse,

being more intense in the spinous cell layer. In OSCC, all genes were expressed in 100% of the cases. PITX1

staining was weak, although well-differentiated areas expressed more transcripts than poorly differentiated ones.

PMX1 showed a spread signal, though more intense in areas with isolated carcinoma cells. TGIF transcripts

were visualized in all tumor cells, but in poorly differentiated areas the signal was less intense.

These data show that PITX1 and TGIF have lower expression in OSCC compared with NT, while PMX1 has a

more intense signal. Our results strongly suggest that these genes might be involved in OSCC carcinogenesis.

H042 Stress analysis around implants’ external hexagon, internal

hexagon and internal conical connectors, and one piece implants

using photoelasticity

Bernardes SR*, Araújo CA, Fernandes-Neto AJ, Gomes VL, Neves FD

Protése fixa, oclusão e materiais dentários - UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. Email:

sergiorb@rediffmail.com

This work aims to analyze quantitatively stress distribution around implants. Implants were fabricated with the

same external design, differing only at the connectors: external hexagon (EH), internal hexagon (IH), internal

conical (IC) and no connection to the abutment (one piece, OP). The samples were embedded in photoelastic

models and submitted to two compressive loads: (1) axial, load I; and (2) 6.5 mm away from the center, load

II. Sixty-one points around the implants were analyzed. The maximum shear stress values were determined by

fringe orders, thickness of the models and optical constant of the photoelastic resin. Graphs were made using

the analyzed points, and their areas (distributed stress) were calculated in the two load situations, for the implant

body and at the platform. No statistical differences were found for load I (Kruskal-Wallis, p < 0.05). For load

II, when analyzing the body of the implant, IH presented significant difference (Mann-Whitney U, p < 0.05),

with the lowest values. The analysis of the platform region under load II revealed that IH presented significant

differences when compared with EH and OP, with the lowest values, but with IC did not present difference

(Mann-Whitney U, p < 0.05). The IH group presented the best results, with the lowest values, and EH the worst,

with 12.9% more stress than IH for the implant body and 17.4 % more stress at the platform region.

It could be concluded that for axial load the connectors did not influence stress distribution. For the load away

from the center, the IH implants presented the best stress distribution, whereas at the platform region the CI

also presented favorable results.

H043 Evaluation of hexagon integrity of internal torque implants after

simulating surgical placement under different torque levels

Davi LR*, Bernardes SR, Golin AL, Araújo CA, Fernandes-Neto AJ, Neves FD

Oclusão, Prótese Fixa e Materiais Odontológicos - UNIVERSIDADE FEDERAL DE

UBERLÂNDIA. E-mail: ldavi0306@netsite.com.br

In the controversial discussion about external and internal hexagon implants, the prosthetic predictability

of the first and the easiness of surgical placement of the latter have been shown. A product available in the

market with both qualities can mean an important technique improvement. The aim of this study was to

evaluate the integrity of the external hexagon of a conventional implant (EH) and of a new implant (Internal

Torque – IT, Neodent, Curitiba, Brazil), which is inserted by internal torque, without the need of a mount.

A device was made to measure the rotational freedom degrees between hexagons of implant and abutment.

Measures were obtained for EH and IT with the intact implant and after simulating surgical placement under

45, 60 and 80 Ncm torque levels. Data were submitted to Student’s t-test, showing no significant difference

(p < 0.05) for the degrees of the intact implant: EH (3.31 ± 0.41°) a and IT (3.14 ± 0.17°) a ; and after 45 Ncm

torque: EH (3.27 ± 0.38°) a and IT (3.20 ± 0.26°) a . However, after 60 Ncm torque there were significant differences

(p < 0.05): IT (3.53 ± 0.30°) a and EH (4.03 ± 0.54°) b . After 80 Ncm torque, IT showed values of

3.59 ± 0.38°, whereas EH did not support the highest torque.

It could be concluded that the IT implant reacted similarly to the EH implant when intact and after 45 Ncm

torque, and better than the EH implant after 60 and 80 Ncm torque. Furthermore, the external hexagon of

the EH implant became deformed after 80 Ncm torque, showing that the surgical placement of the IT implant

does not influence the integrity of the junction implant/abutment.

H044 Fc gamma receptors IIa and IIIb polymorphism in Brazilians

with generalized aggressive periodontitis

Souza RC*, Colombo APV

Clínica Odontológica - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. E-mail:

rodcaso@globo.com

This study aimed to determine the frequency of the FcgammaRIIa and FcgammaRIIIb haplotypes in Brazilians

with generalized aggressive periodontitis (GAP) and periodontal health (PH). Thirty-one GAP subjects

and 49 individuals with PH were selected. Pocket depth, clinical attachment level, bleeding on probing (BOP)

and supragingival biofilm (SB) were recorded at 6 sites/tooth for all subjects. Mouthwash samples were collected

for human DNA isolation. The genetic polymorphism was detected by PCR and hybridization with oligonucleotide

probes. Differences in clinical parameters and frequency of allotypes/haplotypes between the groups

were analyzed by Mann-Whitney, Chi-squared, and Configural frequency analysis. GAP patients presented

significantly more attachment loss as well as BOP and SB (p < 0.001) than healthy individuals. The alleles

H/131 - FcgammaRIIa and NA1- FcgammaRIIIb were the most prevalent ones in this population. There was an

over-representation of NA2 in GAP patients, whereas NA1 was more detected in PH individuals (OR: 32.5; 95%

CI: 10.6 – 99.8; p < 0.001). No significant differences in the distribution of the H/H-131, H/R-131 and R/R-131

haplotypes were observed between the groups. The prevalence of NA2/NA2 was significantly higher in GAP

patients, while NA1/NA1 was predominant in the PH group (χ 2 = 45.1; p < 0.001). The NA2/NA2-H/H-131

genotype was more frequently observed in GAP patients than expected from marginal frequencies (χ 2 = 12.5;

p < 0.001; configural frequency analysis).

The data suggest that the NA2 allele and/or NA2/NA2 haplotype may be associated with GAP, and the NA1and/

or NA1/NA1 haplotype with PH in Brazilians.

20 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.


PE001 Percepção dos alunos de odontologia em relação ao seu curso e

suas perspectivas em relação ao mercado de trabalho

Mello EDA*, Woitchunas GFP, Bertoja A, Kreisner PE, Oliveira MG, Engers MEA

Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO

RIO GRANDE DO SUL. E-mail: edam@bighost.com.br

O objetivo deste estudo foi o de verificar a percepção dos alunos de Odontologia em relação ao nível do

seu curso e suas perspectivas em relação ao mercado de trabalho. A pesquisa qualitativa foi feita aos alunos

formandos em Odontologia/2004, da Faculdade de Odontologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio

Grande do Sul, através da elaboração e aplicação de um teste com perguntas fechadas e um questionário

com perguntas abertas, a fim de conhecer qual é a percepção dos formandos em relação a sua formação

acadêmica e a sua inserção no mercado de trabalho. Somente participaram alunos voluntários, dentre estes

foram selecionados alunos de forma randomizada para responderem o questionário discursivo. Os resultados

apresentaram certo desconforto nos alunos ao responder as disciplinas consideradas deficientes, no entanto

grande maioria deles considera-se preparada para ingressar no mercado de trabalho, cada vez mais competitivo,

e exercer a profissão com segurança.

A aplicação regular de questionários aos alunos minimizaria as dificuldades relatadas e subsidiaria a

melhora do ensino dentro da faculdade.

PE002 Utilização dedeos no “Datashow”: uma estratégia didática no

ensino da endodontia

Trindade AC*, Renner D, Reis MS, Barletta FB, Wagner M, Ferreira R

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL. E-mail: endoale@terra.com.br

Atualmente tem sido constante a busca por diferentes recursos didáticos para o incremento do processo

ensino-aprendizagem da Endodontia. A inserção dedeos tem-se tornado uma importante ferramenta para

o ministrante, facilitando o aprendizado por parte dos alunos. O objetivo deste trabalho é apresentar uma

forma de inserção dedeos, produzidos em VHS, em aulas teóricas no “datashow”. Para a confecção deste

material foram gravadas as imagens de um tratamento endodôntico completo, num incisivo lateral superior

montado em manequim de acrílico, com uma microcâmera intraoral (Acu Cam TM 2000) usando uma fita

VHS na velocidade SP. As imagens foram digitalizadas e editadas em computador. Nesta edição foram

produzidos 60 vídeos, com cerca de 15 segundos cada, transformados em arquivos para inserção dentro dos

slides. Assim foram obtidas imagens em movimento das diversas etapas de um tratamento endodôntico que,

utilizadas com critério e bom senso, melhoraram o aprendizado, principalmente na disciplina de Endodontia

de Laboratório.

Concluiu-se que diante da importância da visualização dos procedimentos técnicos, a utilização de imagens

digitalizadas de diferentes etapas do tratamento endodôntico contribui de forma eficaz para o ensino e a

aprendizagem da Endodontia.

PE003 Avaliação da aprendizagem: O uso dos relatórios diários como

instrumento de avaliação formativa

Prado AS*, Lemos EM, Amaral KF, Calil E

Odontologia - UNIVERSIDADE DE GUARULHOS. E-mail: dra_andreasales@uol.com.br

Os termos ensinar e aprender compartilham a rotina diária do professor que, historicamente, tomou para

si a função de ensinar e fazer com que se aprenda num processo de mão única: o professor ensina e o aluno

aprende. Esta situação nunca satisfez nenhuma das partes, gerando processos de frustração dupla: “Ninguém

ensinou, ninguém aprendeu” bem como de hipocrisia dupla: “Eu ensinei, mas ele não aprendeu” ou “O professor

não ensinou, como eu poderia aprender?”. No atual cenário, não se justifica mais uma sociedade que

conviva com esta abordagem educacional. Busca-se a construção de um indivíduo socialmente participativo,

intelectualmente crítico e que disponha de recursos próprios para sua emancipação. Dentro desta proposta,

nossa disciplina, que utiliza a avaliação formativa e contínua, na busca da melhora da sua prática, apresenta

uma ferramenta que visa compor e extrair elementos para auxiliar e complementar sua estratégia didáticopedagógica.

Por meio de quadro-relatório diário, o aluno com identidade preservada, descreve em uma primeira

coluna o tema da atividade proposta pela Disciplina e em coluna adjacente relata a sua aprendizagem

(observações), expondo, de forma aberta e não indutiva, o conteúdo aprendido.

Os dados expostos são tabulados mediante confronto das informações, positiva ou negativamente, quanto

ao processo de ensino e aprendizagem, assim o professor pode ver e rever a trajetória de sua prática, avaliar

os rumos de sua metodologia, permitindo ajustes necessários através de “feedback” tornando factível

a sua proposta de trabalho.

PE004 Modificações na metodologia de ensino-aprendizagem em

Endodontia

Fioravante FS*, Faria RA, Franco ZLV, Bernardino-Neto M, Pereira MVR

Odontologia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO. E-mail:

fredericofioravante@yahoo.com.br

Visando ao aperfeiçoamento do processo de ensino-aprendizagem, as disciplinas de Endodontia do Curso

de Odontologia do Centro Universitário do Triângulo (Unitri) fizeram as seguintes modificações nos planos de

ensino a partir de 2004: uso de manequim no laboratório pré-clínico para o tratamento endodôntico em dentes

unirradiculares no 5º período e em dentes bi e trirradiculares no 6º período, além do atendimento a pacientes

em uma clínica exclusiva para tratamento endodôntico no 2º bimestre do 6º período. A avaliação cognitiva das

atividades práticas passou a ser diária adotando os critérios: uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI),

instrumental completo e domínio clínico-teórico. O objetivo do presente estudo foi avaliar frente os alunos da

Unitri a aceitação das modificações metodológicas implementadas. Após aplicação de questionários a 51 alunos,

selecionados aleatoriamente dentre os acadêmicos do 6º, 7º e 8º períodos, os resultados obtidos foram: 57% preferiram

trabalhar com os dentes fixados em manequim, principalmente para treinamento de isolamento absoluto

(74,5%) e irrigação e aspiração simultâneas (67%), apesar de 40% terem relatado menor visibilidade do campo

operatório e maior dificuldade para realização das radiografias; o uso de EPI foi aceito por 82% dos alunos e

86% consideraram que a avaliação diária proporcionou maior comprometimento nas atividades práticas e 95%

relataram maior aprendizado durante a realização de tratamento endodôntico em pacientes.

Conclui-se que os alunos entrevistados valorizaram positivamente a metodologia de ensino de Endodontia

apresentada e demonstraram maior interesse no desempenho das atividades práticas programadas.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PE005 Modelo de dentes artificiais com canais simulados para

treinamento da técnica endodôntica por alunos de graduação

Nassri MRG*, Carlik J, Souza NJA, Montezel JL, Maekawa LE, Oliveira S

UNIVERSIDADE MOGI DAS CRUZES. E-mail: renassri@umc.br

Na Disciplina de Técnica Endodôntica, dentes humanos foram, por muito tempo, a única possibilidade de

se adentrar à cavidade pulpar e treinar os passos da técnica. Com a evidente contraposição dos Comitês de

Ética em relação à obtenção muitas vezes ilícita desses dentes, e considerando a necessidade de repetição

para adestramento correto dos alunos, pensou-se em desenvolver modelos que pudessem substituir o dente

natural, simulando a anatomia e mantendo a fidedignidade para que não houvesse prejuízo no aprendizado

discente. Dessa forma, iniciou-se o processo de elaboração. A partir do estudo exaustivo das anatomias externa

e interna dentais os modelos foram sendo esculpidos. De cada exemplar de seu grupo de dentes – incisivos

central e lateral, canino, pré-molares e molares, tanto superiores quanto inferiores – foi feito um molde

dividido em duas partes, longitudinalmente. Este molde é preenchido com resina acrílica quimicamente ativada

e espera-se a polimerização da mesma. Em toda a extensão do canal radicular simulado é colocado um

gel corado artificialmente de vermelho, simulando o tecido pulpar, para que os alunos se familiarizem com

a sensação de vazio que há quando se chega à câmara coronária. Ao exame radiográfico, é possível verificar

as mesmas características dos dentes naturais, como contorno da anatomia e espaço do canal radicular. Há

muitas vantagens na utilização desse modelo didático: a facilidade de obtenção e o ajuste do diâmetro do

canal radicular – amplo, reduzido ou atrésico.

Acredita-se que esse recurso na prática da Técnica Endodôntica trará mais possibilidades ao ensino no

sentido de permitir o treinamento mais específico ao nível do aluno.

PE006 Avaliação do desempenho de estudantes na qualidade do preparo

de canais radiculares utilizando instrumentação rotatória

Capelli A*, Barroso JM, Guerisoli DMZ, Carrasco LD, Dultra F, Pécora JD

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - RIBEIRÃO PRETO. E-mail:

capelli@forp.usp.br

A proposta deste estudo foi avaliar a experiência laboratorial de estudantes de graduação da FORP-USP,

no que se refere à habilidade do uso de instrumentos rotatórios de níquel-titânio. Foram avaliados oitenta

alunos durante os meses de agosto a outubro no laboratório de Endodontia, que realizaram o total de setecentos

e vinte canais radiculares. A avaliação baseou-se na ocorrência de fratura de instrumentos e alguns

tipos de erros, tais como: desvios, perfurações e perda do comprimento de trabalho que foram analisados por

três endodontistas experientes, por meio de radiografias periapicais. Os canais foram instrumentados pela

técnica “Free Tip Preparation”. Para cada aluno foram avaliados os tratamentos endodônticos referentes aos

seguintes dentes: um incisivo lateral superior, um pré-molar superior com dois canais, um primeiro molar

superior e um molar inferior com três canais. Dos 720 canais instrumentados e obturados não foi observada

nenhuma fratura. Houve uma redução significante no tempo gasto pelos alunos para realizar o treinamento

laboratorial. Além disso, foi observada redução no número de erros durante o preparo do canal radicular,

como: perda do comprimento de trabalho, desvio e perfuração. Houve uma satisfação e motivação por parte

do aluno em realizar a instrumentação rotatória, considerando seu aprendizado simples.

Pode-se concluir que a inclusão da instrumentação rotatória no programa da Disciplina de Endodontia da

FORP-USP foi considerada sucesso. A continuidade desse trabalho será a fase clínica a ser realizada no

primeiro semestre de 2004.

PE007 Odontologia com Letras: Avaliação de um estágio supervisionado

interdisciplinar internacional da UFPB

Massoni ACLT*, Sampaio FC, Rodrigues FA, Van-Amerongen E

Programa de Pós-Graduação - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. E-mail:

andrezatargino@gmail.com

O presente estudo teve por objetivo avaliar a experiência de um estágio supervisionado interdisciplinar

dos cursos de Odontologia e Letras da UFPB (Universidade Federal da Paraíba). Utilizou-se um projeto de

pesquisa sobre restaurações atraumáticas (ART) junto a escolares da cidade de João Pessoa (Paraíba) como

campo de estágio. Este projeto internacional Brasil/Holanda foi desenvolvido em três meses quando os alunos

de Odontologia estrangeiros e brasileiros atuaram como cirurgiões-dentistas e auxiliares odontológicos

respectivamente. Simultaneamente, os alunos de Letras atuaram como intérpretes durante todas as atividades.

Participaram deste estágio 19 estudantes entre graduandos e pós-graduandos das duas áreas, sendo 16

brasileiros e 3 estrangeiros (Holanda e Alemanha). Um questionário foi aplicado a todos os participantes

como forma de avaliação do estágio. Observou-se que houve integração ensino-pesquisa-extensão com caráter

interdisciplinar (Odontologia e Letras), com ganho para os discentes de ambos os cursos. Dentre os

benefícios, foram citados: a interação com graduandos de outros países e entre graduação e pós-graduação, o

aprimoramento da língua inglesa para os brasileiros e portuguesa para os estrangeiros e os benefícios sociais

levados às comunidades assistidas.

Conclui-se que o Projeto ART Brasil/Holanda pode ser utilizado como campo de estágio para alunos dos

cursos de Odontologia e Letras da UFPB e de outras instituições internacionais, atingindo plenamente os

objetivos de ação em Ensino, Pesquisa e Extensão.

PE008 Aprendizado baseado em problemas: uma experiência em clínica

Integrada

Baron IS*, Gerhardt RE, Vargas J, Gomes J, Costa C, Salles A, Pillon F

Odontologia - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: isbaron@terra.com.br

Buscando alcançar mudanças de atitudes e práticas pedagógicas de um grupo de professores, foi implantada

a Metodologia denominada Aprendizado Baseado em Problemas (ABP) proposto por Morris e Maynard

(2000). Este processo ocorreu na disciplina de Clínica Integrada I, no curso de Odontologia da Universidade

Luterana do Brasil (ULBRA). Para avaliar essa mudança, foi realizada uma entrevista semi-estruturada,

com todos os docentes da disciplina. As perguntas buscavam avaliar as percepções desse grupo sobre a

implantação da metodologia ABP e o quanto isso se refletia sobre o seu desempenho no processo de educar.

A análise das entrevistas foi realizada pelo Método de Análise de Conteúdo proposta por Bardin (1977) e

Moraes (1994), revelando 8 (oito) categorias de análise. Ao longo do processo de implementação do método

ABP, por seu caráter participativo, contribuíram os alunos de forma substancial com dúvidas e sugestões,

facilitando, assim, a sua adequação.

Os resultados demonstraram que o Método ABP modificou a percepção da prática de ensino dos professores,

até então tradicional e reprodutora do conhecimento, para uma prática construtiva e dinâmica onde o

aluno participa ativamente desse processo.

21


PE009 PCR, o filme: a informática a favor da didática no ensino

presencial e à distância

Honório HM, Prestes MP*, Rios D, Machado MAAM, Santos CF

Odontopediatria, Ortodontia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail:

br.pires@uol.com.br

A reação em cadeia da polimerase (“Polymerase Chain Reaction”-PCR) é método laboratorial que permite

a amplificação enzimática de uma seqüência específica de DNA, a partir da utilização dos elementos básicos

do processo natural de replicação do DNA. Em Odontologia, a PCR pode ser utilizada principalmente para a

detecção de agentes infecciosos e estudo de amostras forenses. No entanto, apesar de ser uma ferramenta extremamente

útil para a classe odontológica, a compreensão de seus mecanismos moleculares apresenta algum grau

de dificuldade. Assim sendo, foi desenvolvido um filme, voltado a todos os acadêmicos e profissionais da área

de saúde, utilizando-se softwares de animação gráfica (Corel Draw 11, Adobe Photoshop 7.0 e FLASH MX),

com o objetivo de apresentar de forma simples e clara todo o protocolo laboratorial de realização desta técnica de

biologia molecular. Esta didática animação, disponível na Internet (http://pcrfilme.vila.bol.com.br), foi inicialmente

apresentada aos alunos de graduação e pós-graduação da FOB-USP, além de profissionais do Hospital de

Reabilitação de Anomalias Craniofaciais-USP. Frente à grande aceitação inicial verificada e considerando o fato

de que a Internet é uma poderosa ferramenta de difusão de conhecimentos, o material foi divulgado nos grandes

sites de busca, passando a receber semanalmente um grande número de e-mails de aprovação e atingindo um

índice médio de 65 visitas/dia de vários países.

de-se verificar após o trabalho realizado que a classe científica foi muito receptiva à disponibilização da

animação na rede, pois esta pôde claramente favorecer a didática docente e a compreensão discente em vários

lugares do Brasil e do mundo.

PE010 Ensino odontológico e extensão universitária: A experiência da

FOB-USP na Amazônia brasileira nas práticas extramurais

Oliveira FT*, Silva RHA, Sales-Peres SHC, Sales-Peres A, Caldana ML, Bastos JRM

Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail:

fernandotoliveira@bol.com.br

O ensino acadêmico que visa despertar as ações em saúde bucal coletiva é de extrema importância no contexto

social de nosso país, e uma forma de possibilitar a atenção odontológica a populações desfavorecidas social

e economicamente são os projetos de extensão universitária. Tal iniciativa propicia a integração dos futuros

profissionais à realidade da organização dos serviços, levando-se em consideração os aspectos de gestão do

sistema, estratégias de atenção, controle social e educação em saúde. Desta forma, a FOB-USP iniciou em 2002

o Projeto de Melhoria da Saúde Bucal da População de Monte Negro-RO com a análise e planejamento das

atividades, passando a contar, a partir de 2003, com atendimento odontológico de acadêmicos e pós-graduandos,

sob supervisão docente. Este trabalho objetiva realizar uma análise descritiva do projeto de 2003 a 2005. Os resultados

demonstram a abrangência das ações sendo executados 4.620 procedimentos no período, contemplando

as áreas de cirurgia (exodontias), periodontia (raspagem), dentística (restaurações de amálgama e resina, ART).

Observa-se, também, uma diminuição pela procura por tratamentos mais agressivos como as exodontias, sendo

em 2003 responsáveis por 33% dos procedimentos e em 2005 por 25%. Além das ações curativas, são realizadas

atividades educativas e preventivas abertas à população, através de instrução sobre cuidados em saúde bucal.

Os números demonstram uma necessidade de uma maior abrangência do serviço de saúde a populações econômica

e socialmente desfavorecidas, bem como a importância das universidades desenvolverem projetos de

extensão universitária em tais localidades.

PE011 O ensino do Código de Ética Odontológica na disciplina de

Orientação Profissional da FOB – Experiência multidisciplinar

Yarid SD*, Almeida CT, Silva RHA, Sales-Peres SHC, Siécola GS, Sales-Peres A

Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: sergioyarid@ig.com.br

O ensino odontológico na graduação busca aprimorar o aluno nos quesitos técnico e científico, porém

muitas vezes esquecendo-se da ética profissional. O Código de Ética Odontológica, referencial normativo

para os cirurgiões-dentistas de todo o território nacional, sofreu modificações por parte do Conselho Federal

de Odontologia em 2003, buscando, desta forma, orientar a atuação profissional de maneira mais honrosa

e benéfica aos que militam nesta área e à sociedade como um todo. O presente trabalho busca demonstrar a

metodologia de ensino desenvolvida pela Odontologia Legal da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-

USP) a fim de propiciar uma reflexão sobre os principais tópicos presentes no novo Código de Ética relacionando-o

com o dia-a-dia da clínica odontológica, proporcionando ao futuro profissional um correto entendimento

de tal código deontológico. A metodologia adotada baseia-se em situações clínicas com envolvimento

ético, apresentadas por escrito ou através de projeções, seguidas de um debate envolvendo profissionais da

área de Odontologia Legal e de matérias clínicas, a fim de facilitar a compreensão. Os resultados demonstram

uma boa aceitação por parte dos alunos e uma maior freqüência às aulas de Orientação Profissional.

Concluiu-se que, frente à obrigatoriedade do conhecimento do Código de Ética Odontológica, torna-se

importante a discussão de tal normativa, principalmente nos cursos de graduação, a fim de possibilitar uma

constante melhoria do exercício profissional da Odontologia.

PE012 Avaliação do conteúdo “História das Políticas Públicas de Saúde

no Brasil” por graduandos do Curso de Odontologia da USS

Madruga FF*, Souza MCA, Casotti E, Gouveia MV

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. E-mail: nanmadruga@hotmail.com

Na USS, o núcleo de Saúde e Sociedade assumiu a responsabilidade pela discussão e condução de práticas

e estágios junto ao Sistema Único de Saúde (SUS). A compreensão deste sistema pressupõe o conhecimento/problematização

de sua história e atuais desafios. O presente estudo objetivou analisar as percepções dos

acadêmicos de odontologia a respeito da condução pedagógica do conteúdo “História das Políticas Públicas

de Saúde no Brasil” tema desenvolvido com alunos do 6º período no curso de Odontologia da USS. O estudo

foi efetivado com acadêmicos que já haviam cursado a disciplina. Foram realizadas 22 entrevistas orientadas

por formulário com questões abertas. A análise qualitativa dos dados seguiu os preceitos da análise de

conteúdo de Bardin. Os depoimentos dos alunos foram agrupados em três categorias, identificadas com o

tema gerador central: o conteúdo trabalhado, o processo pedagógico utilizado, a avaliação da importância

do conteúdo na formação profissional. A análise dos relatos apontou para um reconhecimento da efetividade

dos recursos utilizados no desenvolvimento do tema e da importância do conteúdo para a compreensão

teórica do sistema de saúde vigente.

Observou-se uma frágil percepção da importância do conteúdo na formação profissional. Concluiu-se,

através do processo de indagação, que a condução pedagógica deve buscar aproximações sucessivas e

maior envolvimento com a realidade da rede de saúde local, visando diminuir as contradições entre o plano

da elaboração das discussões e o da prática acadêmica/profissional.

PE013 Expectativas de acadêmicos de Odontologia sobre cursos de

pós-graduação

Carvalho PR, Xavier SF, Fadel FJC*, Morais AP, Barcelos R, Mocarzel J, Senna MAA

Cirurgia e Traumatologia - UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail:

fernandofadel@uol.com.br

Esta pesquisa teve o objetivo de avaliar a expectativa de acadêmicos de Odontologia sobre cursos de

pós-graduação. Para tal, trabalhou-se com 183 estudantes de Odontologia do 1º ao 8º períodos, de ambos

os sexos de uma instituição privada de ensino odontológico do Rio de Janeiro. Como técnica de pesquisa

trabalhou-se com entrevista semi-estruturada, utilizando como instrumento um roteiro norteando o diálogo

entre os sujeitos e o pesquisador. Os resultados demonstraram que 70% dos entrevistados pretendem fazer

alguma especialização e já escolheram a especialidade, 10% pretendem, mas não escolheram o curso, enquanto

20% não pensaram no assunto. Dos que pretendem fazer especialização, 10% almejam ortodontia,

8% dentística, 8% cirurgia buco-maxilo-facial, 8% periodontia, 8% odontopediatria e 3% outras especialidades.

Quando perguntados sobre o que levou escolher tal especialidade, 46% responderam ter escolhido

por identificação com a disciplina teórico-prática, 15% por influência de alguns especialistas e 10% por ter

parentes que exercem a especialidade. Em relação a ingressar no magistério, 67% responderam que não

pretendem ser professor, embora quando questionados sobre a pretensão para fazer mestrado 44% responderam

afirmativamente.

De acordo com resultados conclui-se que existe uma alta expectativa na realização de cursos de especialização

dos alunos em todos os períodos pesquisados, inclusive do ciclo básico, demonstrando o importante

papel do docente e a influência de suas disciplinas na escolha do curso pelos acadêmicos.

PE014 Implementação do Conselho de Apoio Pedagógico (CAP) no Curso

de Odontologia da Unitri: Análise da Visão, Missão e Objetivos

Franco ZLV*, Faquim JPS, Correia CLM, Puentes RV, Muniz RA

Endodontia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO. E-mail: zlvfranco@netsite.com.br

O Conselho de Apoio Pedagógico (CAP) do Curso de Odontologia do Centro Universitário do Triângulo

– Unitri é um grupo de estudo, pesquisa e divulgação que tem a missão de contribuir para a elevação da qualidade

da educação universitária, oferecendo subsídios didático-metodológicos que ajudam a melhorar os processos

de ensino-aprendizagem e desempenho profissional docente. Dentre os objetivos do CAP, destacam-se a

contribuição para o aprimoramento do Projeto Pedagógico, criação de um espaço de trabalho e integração entre

diversas disciplinas do Curso, promoção de programas de educação continuada no campo da didática, da educação

e áreas afins; integração e promoção de estudos interdisciplinares voltados para a melhoria da qualidade do

desempenho docente; criação de grupos específicos de estudos vinculados à Docência no Ensino Superior; organização

de fóruns e eventos de caráter didático-metodológico para a qualificação dos professores e criação de

programas de cooperação interna que permitam superar os limites da hiperespecialização e potencializar os estudos

inter e transdisciplinares. A criação do CAP se justifica pela necessidade de aperfeiçoamento do processo

ensino-aprendizagem e realização de uma avaliação contínua, objetiva e sistemática do Processo Pedagógico.

Na medida em que o conselho se estabelece, as pesquisas se encaminham ao estudo de uma área do conhecimento

educacional, ainda negligenciado e os resultados podem ajudar sistematizar um modelo teórico oferecendo

uma análise do seu significado, visão, missão, objetivos e suas considerações metodológicas.

PE015 Programa de Formação Continuada de Professores de

Odontologia - Unitri: Desempenho Docente e Trabalho

Metodológico

Faquim JPS*, Correia CLM, Puentes RV, Muniz RA, Franco ZLV

Periodontia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO. E-mail: jfaquim@terra.com.br

O Papel do docente do Ensino Superior tem grande importância na legitimação dos padrões de qualidade dos

cursos de graduação. A definição de Capacitação de Docentes do Ensino Superior relata certa tradição na definição

e implementação de políticas nacionais, e a formação pós-graduada avançada dos docentes universitários

constitui requisito indispensável para a garantia do ensino, da pesquisa e da extensão. Os alunos reconhecem que

o professor universitário é mais reprodutor do conhecimento do que estimulador do desenvolvimento de habilidades

intelectuais dos estudantes, parecendo ser estes os que mais consensualmente apontariam os indicadores

relacionados à dimensão do ensino. Dessa forma, tem sido necessário e atual o debate sobre competência pedagógica

e docência universitária. Alguns autores têm mostrado, através de seus estudos, que titulação acadêmica

não sempre é sinônimo de competência didática. É preciso dar à docência o caráter de profissão e formar de

maneira adequada para exercício da mesma.

Dentro dessa perspectiva, a pesquisa se propõe a aplicar um modelo teórico de formação profissional do

docente universitário, elaborado por autores cubanos, no Curso de Odontologia do Centro Universitário do

Triângulo – Unitri. O modelo permite diagnosticar as necessidades pedagógicas dos professores, avaliar seu

desempenho docente na sala de aula, traçar um perfil de docente em correspondência com as demandas do Curso

de Odontologia e implementar um Programa de Trabalho Metodológico que ajude a melhorar sua formação

pedagógica e elevar a qualidade do processo de ensino-aprendizagem que tem lugar dentro do Curso.

PE016 Conhecimento, conscientização e atitude do docente no que

respeita ao consentimento informado e a autonomia do paciente

Nunes DS*, Fernandes F

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. E-mail:

fernandfernandes@uol.com.br

Um problema fundamental na relação profissional-paciente é a tomada de decisão, principalmente no que se

refere aos procedimentos diagnósticos e terapêuticos a serem adotados. O consentimento do paciente, antes do

início de qualquer procedimento, é uma condição a ser respeitada. Observando-se o Princípio da Autonomia,

toda pessoa tem o direito de decidir o que deseja ou não para si próprio. A ausência do termo de consentimento

pode significar um desrespeito a esse direito básico. Analisar o conhecimento, a conscientização e a atitude do

docente em relação ao emprego do termo de consentimento informado e a autonomia do paciente nas disciplinas

clínicas do Curso de Graduação em Odontologia faz-se imperioso. Para tal desiderato, um questionário com 12

questões fechadas do tipo “sim” ou “não” foi entregue a cada um dos 42 docentes do curso; 24 responderam.

A análise percentual das respostas obtidas demonstrou que 95,8% sabem o que é termo de consentimento informado

e têm conhecimento da importância de sua utilização. De acordo com a indagação “saberia elaborar

um termo de consentimento informado”, 58,3% responderam sim. Apurou-se ainda que 66,6% dos sujeitos

da amostra têm consciência das implicações ético-legais da não utilização do consentimento informado. No

entanto, apenas 25% responderam conhecer o Princípio da Autonomia e, tão somente, a metade desses (12,5%)

colocava em prática tal princípio.

O docente do curso demonstra conhecimento e conscientização no que respeita ao termo de consentimento

informado, embora sua atitude o comprometa ao demonstrar que não coloca em prática o Princípio da Autonomia.

22 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 22

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PE017 Efeitos da avaliação de produtividade na realidade da clínica

integrada odontológica

Franco EJ*, Pedrosa SF, Carvalho DR

Odontologia - UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA. E-mail: eric@ucb.br

Na clínica integrada odontológica, o processo de avaliação torna-se um grande desafio, no sentido de criar

estratégias metodológicas que permitam o desenvolvimento integral de aptidões, habilidades, destrezas,

atitudes e valores, aliados às necessidades dos pacientes. A proposta do Curso de Odontologia da Universidade

Católica de Brasília vem ao encontro das diretrizes curriculares do MEC de discussões da ABENO,

visando uma formação generalista, com clínicas integradas desde o sexto até o décimo semestre do curso. A

implementação de uma avaliação clínica diária, abrangendo o procedimento operatório realizado, a conduta

clínica e o material envolvido é uma realidade em nosso processo de avaliação. Entretanto, observamos que

a produtividade clínica alcançada, ao final dos semestres, era inferior às expectativas planejadas para este

sistema. Com isso, propôs-se inserir uma nota de procedimento, conforme a produtividade dos alunos. Isso

não caracteriza o sistema de cotas e representa 20% da média final. Uma análise comparativa foi realizada,

no intuito de verificar os efeitos da avaliação da produtividade de 150 alunos matriculados nas clínicas

integradas (CL) I, II, III, IV e V, antes e após a implementação da nota de produtividade, durante o ano de

2004. As médias do aumento da produtividade foram de 29,6% na CL I, 21,7% na CL II, 20,8% na CL III,

41,7% na CL IV e 31% na CL V, sendo significativos estatisticamente.

Concluiu-se que a nota de produtividade é efetiva, produzindo resultados favoráveis ao andamento das

Clínicas Integradas, possibilitando o aprimoramento das aptidões de modo estimulante e refletindo também

no aumento de 21% nas altas definitivas dos pacientes.

PE018 Estratégia motivacional e interdisciplinar no processo de

ensino-aprendizagem em Metodologia Científica

Georjutti RP*, Faria RA, Ono R, Franco ZLV, Alvarenga CS

Odontologia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO. E-mail:

renatinhaodonto@yahoo.com.br

A disciplina de Metodologia Científica, ministrada no 1º período do Curso de Odontologia da Unitri – Centro

Universitário do Triângulo, introduziu a elaboração de Projetos de Pesquisa no plano de ensino, a partir de 2003,

como uma estratégia pedagógica para maior motivação no processo de ensino-aprendizagem. Inicialmente, cada

grupo de alunos escolheu um tema relacionado à Odontologia. A colaboração de professores do ciclo básico e/ou

profissional foi solicitada para atuarem como orientadores dos projetos, visando a interdisciplinaridade. Em cada

etapa os objetivos específicos da disciplina foram alcançados, tais como: leitura e resumo de textos científicos,

levantamentos bibliográficos e redação de trabalhos acadêmicos com respectivas referências segundo a ABNT

– Associação Brasileira de Normas Técnicas. Ao final de cada semestre letivo, foi criada uma Mostra de Projetos

de Pesquisa da Disciplina de Metodologia Científica permitindo ao aluno a apresentação do seu trabalho sob a

forma de painel. Para avaliação e seleção dos melhores projetos, 3 professores foram convidados para comporem

um comissão avaliadora seguindo os seguintes critérios: relevância do tema, viabilidade da metodologia e

avaliação da estrutura gráfica dos painéis, sendo que os 3 melhores foram premiados com diplomas de menção

honrosa. Ressalta-se que os 114 alunos matriculados na disciplina em 2003 e 2004 apresentaram 34 projetos de

pesquisa, sendo 17 com relevância social e 17 científica.

Diante do exposto, conclui-se que esta estratégia de ensino tem permitido ao aluno a aplicação do conhecimento

de forma prazerosa, além de iniciá-lo na pesquisa científica.

PE019 Uso de dinâmicas/oficinas na discussão sobre políticas públicas de

saúde na graduação de Odontologia da USS-Vassouras/RJ

Souza MCA*, Casotti E, Gouveia MV, Brum SC

UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. E-mail: mcas.souza@uol.com.br

O contexto político reafirma a necessidade de uma formação em saúde condizente com os desafios da

realidade epidemiológica e estrutural do país. Na USS, o núcleo de Saúde e Sociedade assumiu a responsabilidade

pela discussão teórica e condução de práticas junto ao Sistema Único de Saúde. A avaliação, capaz

de contribuir para a transformação da prática docente-discente, é um desafio permanente. Assim, o presente

trabalho teve como objetivo apresentar e avaliar dinâmicas e oficinas utilizadas na discussão sobre política

pública de saúde no Brasil, com alunos do 6º período. Para tanto, formou-se um grupo de trabalho envolvendo

docentes, monitores e discentes que já haviam passado pela disciplina. Partiu-se da definição dos

temas centrais considerados pelo grupo de pesquisa como eixos condutores: a) conceito de política social, b)

histórico, c) SUS. O próximo passo foi identificar as principais atividades e recursos didáticos referentes a

cada eixo e por fim, discutir e avaliar a efetividade das ações pedagógicas. Dentre as estratégias consideradas

mais efetivas podem-se elencar: construção de linha do tempo, representações gráficas produzidas pelos alunos

e júri simulado. Estratégias consideradas menos efetivas: leitura de textos, discussão de transparências,

sessões dedeo/documentários.

Observou-se que as estratégias que envolveram a participação ativa dos alunos em sua construção/condução

foram consideradas as mais efetivas. Considerando que os alunos não utilizam e desconhecem o

sistema público de saúde brasileiro, o trabalho com diversidade de recursos pedagógicos em aproximações

sucessivas pode representar maior adesão e desempenho no processo de ensino-aprendizagem.

PE020 O diálogo paciente/profissional na odontologia

Aquino BR*, Mourão J, Senna MAA, Mocarzel J, Barcelos R, Morais AP

Odontologia Social e Preventiva - UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail:

bra10@ig.com.br

O objetivo deste trabalho foi discutir a valorização do diálogo na relação profissional/paciente durante

formação acadêmica. Foi utilizada a observação direta extensiva com o uso de questionário, aplicada a

50 acadêmicos de odontologia de uma universidade privada no Rio de Janeiro, com atividades clínicas a

partir do 4º período da graduação. A importância do diálogo na relação profissional/paciente é enfatizada

em todas as disciplinas do curso para 10% dos entrevistados, principalmente em Semiologia Clínica (38%),

Periodontia (19%) e Saúde Coletiva (12%). A maioria dos acadêmicos (64%) gasta até 5 minutos explicando

o tratamento para seu paciente e apenas 14% dispensam mais de 10 minutos. Somente 42% dos entrevistados

responderam que normalmente há questionamentos por parte do paciente, mas 54% dos acadêmicos acreditam

que os procedimento técnicos podem sofrer modificações em função do diálogo. Durante o tratamento,

a principal ocasião em que o diálogo foi considerado de grande relevância é a anamnese para 76% dos

entrevistados, quando há a necessidade de prescrição medicamentosa (16%), ao final do tratamento (6%)

e quando há cuidados pós-operatórios (2%). O perfil do paciente considerado de difícil diálogo é de classe

social baixa, sexo masculino e menores de 12 anos.

Conclui-se que a prática do diálogo é pouco valorizada pelo profissional de odontologia em formação,

restringindo-se principalmente a dados anamnésicos. Esse fato pode refletir a prática de uma educação

bancária e tecnicista nas universidades, contrapondo-se com as demandas atuais baseadas no vínculo e

no acolhimento.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PE021 Análise Comparativa do Desenvolvimento da Clínica em Blocos e

da Clínica Odontológica Integrada da UNIARARAS

Morais ES*, Cardoso DS, Bozzo RO, Oliveira VMB

Clínica Odontológica Integrada - FACULDADES DA FUNDAÇÃO HERMÍNIO OMETTO. E-mail:

evilinsm@terra.com.br

O objetivo deste trabalho foi realizar uma análise comparativa dos anos 1998-1999, em que a Clínica

Odontológica era realizada em blocos; e 2001-2002, quando foi instaurada a Clínica Odontológica Integrada

da UNIARARAS. A partir de 200 prontuários, 50 para cada ano pesquisado, foi realizado um levantamento

quanto ao número de tratamentos concluídos e de serviços efetivados, através da análise quantitativa de tratamentos

concluídos para cada disciplina. Estes dados foram submetidos à análise exploratória, obtendo-se

como resultado: na Clínica em Blocos, 33% dos tratamentos foram concluídos, sendo que para cada disciplina

as porcentagens foram de: 9% para Prótese Parcial Removível, 20% para Prótese Total, 12% para Prótese

Fixa, 64% para Cirurgia, 93% para Periodontia, 47% para Dentística e 66% para Endodontia. Na Clínica

Integrada, a porcentagem de tratamentos concluídos foi de 20%, levando-se em conta que são atribuídas

altas parciais para a maioria dos pacientes, enquanto que as porcentagens de tratamentos concluídos para

as disciplinas avaliadas foram de: 35% para Prótese Parcial Removível, 67% para Prótese Total, 46% para

Prótese Fixa, 78% para Cirurgia, 89% para Periodontia, 54% para Dentística e 51% para Endodontia.

A Clínica Integrada superou a Clínica em Blocos em quase todos os âmbitos avaliados, ressaltando possibilidade

de formar um profissional generalista, com sólida formação técnica, científica, humanística e ética,

orientado para a promoção de saúde, com ênfase na prevenção.

PE022 A Internet como ferramenta de apoio pedagógico no ensino da

Odontologia

Nogi FM*, Matsuzaki R, Melani RFH

Odontologia Social - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail:

fabionogi@uol.com.br

O avanço tecnológico proporcionado pelas Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTIC) tem

ocasionado impactos profundos na sociedade, engendrando o surgimento de novos paradigmas no campo da

educação e da formação para o trabalho. Nesse contexto, a Educação à Distância (EAD) vem ocupando cada

vez mais destaque no cenário educacional, favorecida pela disseminação da Internet e das formas de aprendizagem

“on-line”. O escopo deste estudo foi avaliar o grau de fluência digital e familiaridade com a Internet dos

graduandos de odontologia da Universidade de São Paulo, verificando a viabilidade de utilização dessa mídia

como instrumento de apoio a aulas presenciais. Com esse propósito foi aplicado um questionário aos alunos dos

2º e 8º semestres da referida instituição de ensino, período diurno, contendo questões fechadas relacionadas ao

tema proposto.

Verificou-se que os estudantes avaliados estão habituados ao manejo de computadores e da Internet, demonstrando

capacitação técnica e cognitiva para utilizarem a Internet como veículo de transmissão de informações

e como ferramenta de auxílio pedagógico na aprendizagem e aprofundamento de conteúdos. Por outro lado, o

emprego da Internet como ferramenta de aprendizagem é ainda incipiente, existindo poucos sites com finalidade

didática de referência em odontologia. Ao considerarmos a expressiva quantidade de horas que os graduandos

despendem nesse ambiente, e as possibilidades de interatividade e acesso assíncrono de informações

proporcionadas pela Internet, fica patente a urgência em se instituir parâmetros e conceitos pedagógicos que

permitam a aplicação racional dessa mídia no ensino odontológico.

PE023 Avaliação da disciplina de Metodologia do Trabalho Científico por

alunos do 1º período de Odontologia da FACS/UNIVALE

Brandão RM*, Brandão MBF, Rosa JB

Odontologia Reabilitadora - UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE DA FUNDAÇÃO

PERCIVAL FARQUHAR. E-mail: romeromb@uol.com.br

O ensino da Metodologia do Trabalho Científico (MTC) no 1º período de Odontologia da FACS/UNIVALE

visa subsidiar os trabalhos científicos requeridos por diversas disciplinas do curso, instrumentar o acadêmico

para estudar e aprender, e estimular seu espírito crítico. O objetivo deste estudo foi verificar a importância do

aprendizado da MTC, de acordo com a percepção dos alunos do 1º período, considerando os objetivos da disciplina.

Para esta avaliação foi aplicado um questionário no início e outro no final do período, para 200 discentes

das turmas de 2003 e 2004. O primeiro questionário abordou a visão do ingressante na Universidade sobre o

estudo e a aprendizagem; a realização de trabalhos científicos; e seu conhecimento sobre MTC. De acordo com

os resultados obtidos, 47% dos discentes relataram que sabiam como orientar seus estudos, 74% afirmaram

ter domínio dos trabalhos científicos e 47% acreditavam que a disciplina iria contribuir para o sucesso de seus

estudos. Ao final do período, respondendo um segundo questionário, 92% dos acadêmicos afirmaram que os

conhecimentos em Metodologia melhoraram seu modo de estudar e facilitaram sua aprendizagem; 91% dos

entrevistados relataram melhor desempenho ao desenvolver os trabalhos científicos; e 82% acreditaram que a

MTC estaria contribuindo para o sucesso de seus estudos no curso de Odontologia.

Concluímos que os alunos de Odontologia da FACS/UNIVALE consideram a MTC relevante para sua formação

acadêmica e que as diretrizes da disciplina contribuíram para aprimoramento do processo ensino-apredizagem.

PE024 Análise do conhecimento e atitudes relacionadas à cárie dental e

doença periodontal de professores de ensino fundamental

Castro CF, Garcia PPNS*

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARARAQUARA. E-mail: chrica_castro@yahoo.com.br

Este trabalho teve como objetivo avaliar o conhecimento e as atitudes relacionadas à cárie e doença periodontal

de professores do ensino fundamental, da rede privada, da cidade de Araraquara. Para isso, um um questionário

foi aplicado a 57 professores, com questões abertas e fechadas, relativas à etiologia, prevenção e evolução

da cárie dental e doença periodontal, atitudes relacionadas à saúde bucal. Os dados foram armazenados em um

banco de dados utilizando-se o programa EPI INFO 6.04, e submetidos à análise estatística descritiva. Através

dos resultados pode-se observar que a média de idade dos professores avaliados foi de 26 a 41 anos; 81,5% dos

professores citaram o dentista como sendo a principal fonte de informações sobre os cuidados de saúde bucal;

62,9% citaram o tratamento dentário feito no consultório como sendo a forma de remoção da placa e 35,2% a

escovação; 32,7% associaram a cárie a uma dieta rica em açúcares e à má higiene bucal e 12,7% à presença

de bactérias; 64% mencionaram o sangramento e a inflamação gengival como manifestações da doença periodontal;

63,3% relataram que o flúor está presente na água de abastecimento público e 48,9% na pasta de dente;

52,6% revelaram que escovam seus dentes 4 vezes por dia; 12,3% usam o fio dental entre 3 e 4 vezes ao dia.

Os autores concluíram que, embora os professores avaliados tenham apresentado atitudes positivas com relação

à saúde bucal, os resultados observados quanto ao conhecimento odontológico indicam, de uma forma

geral, a necessidade de melhoria na formação dos mesmos através de programas educativos oferecidos por

profissionais da área.

23


PE025 Influência da Iniciação Precoce na Clínica Odontológica – Uma

Primeira Experiência

Sousa MH*, Westphalen VPD, Ribas MO, França BHS, Westphalen FH, Tacla M, Vieira S, Wojcik LR

Odontologia - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ. E-mail:

lena@mais.sul.com.br

A proposta do Curso de Odontologia é a de preparar um profissional generalista, com sólida formação técnico-científica,

humanística e ética, orientada para a promoção de saúde, com ênfase na prevenção de doenças

bucais e apto a identificar, tratar e manter a saúde bucal. Alunos do 1º período são voluntários no serviço de

triagem da clínica odontológica, tendo a oportunidade de se interarem com as várias áreas da Odontologia, bem

como conhecer uma parte da realidade e condições socioeconômicas e de saúde da sociedade local. O objetivo

da pesquisa foi avaliar o processo de aprendizagem e motivação dos alunos do 1º período que participam da

triagem (1º T), quando comparados aos que não participam (1º P) e os alunos do 9º período (9º P). Questionários

foram aplicados e analisados, sob o ponto de vista pedagógico, quanto a assimilação de conteúdos científicos.

Sobre o conceito da Odontologia, importância da anamnese, prontuário, doenças sistêmicas e relação entre

as várias especialidades, o 1º T obteve uma visão mais generalista e coerente do que o 1º P e 9º P. Quanto à

pretensão em especialização, a afirmativa foi quase unânime; os 1º T e 1º P não sabem a área e o 9º P a odontopediatria

e ortodontia. Como critério para a escolha de especialidade o 1º P e 9º P têm a afinidade e o mercado

de trabalho e o 1º P a afinidade.

Mesmo com uma proposta generalista, o aluno tende a ser tecnicista e elitista; com a vivência precoce das

várias áreas odontológicas, o aluno pode ser despertado para uma visão global da Odontologia; tem que haver

o envolvimento e motivação do professor e aluno, integrando-os à realidade social no país, propiciando uma

formação geral e preventiva.

PE026 Avaliação de habilidades e competências em atividades clínicas da

graduação de odontologia

Kaisermann RB*, Volschan B, Pimentel E, Seabra LMA, Sekito P, Sovieiro VM

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. E-mail: r.bretas@uol.com.br

Avaliar a aprendizagem tem sido um tema angustiante para professores e estressante para alunos, principalmente

quando diz respeito à atividade clínica, na qual critérios subjetivos e que dependem unicamente da

interpretação do docente estão sendo analisados. A avaliação deve considerar as habilidades e competências

previstas nas atuais diretrizes curriculares para o egresso de Odontologia. O objetivo deste trabalho é expor

o método de avaliação proposto pela disciplina de Odontopediatria da Universidade Estácio de Sá. O aluno é

avaliado segundo os seguintes critérios: assiduidade/pontualidade (1), biossegurança/organização (2), interesse

(3), conhecimento teórico (4), produção (5) e desempenho clínico (6). Nos itens 1 e 5, as notas refletem

de forma objetiva as faltas e a produção alcançada, respectivamente. Os demais itens são subdivididos de

acordo com as habilidades e competências do aluno, classificando-os em ótimos, bons, regulares e não

satisfatórios, conceituando-se e pontuando-se cada categoria.

A avaliação baseada nesses critérios tem-se mostrado eficaz e eficiente na medida em que os objetivos

propostos são relevantes e alcançados de forma útil, mais objetiva e racional.

PE027 Avaliação da ansiedade e da autoconfiança dos alunos de

graduação frente ao atendimento odontológico infantil

Mochidome FI*, Percinoto C, Cunha RF, Delbem ACB, Wanderley RL, Novaes MSP, Castro AM, Oliveira FS

Odontologia Pediátrica - UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. E-mail:

ceope@umuarama.ufu.br

O propósito deste trabalho foi investigar a ansiedade e autoconfiança dos alunos de graduação em certas

situações clínicas em odontopediatria, visto que são exigidas habilidades técnico-científicas dos mesmos para

controlar o comportamento infantil. A avaliação foi feita em 52 alunos de 6º, 7º e 8º períodos do curso de

Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia, no atendimento clínico. Foi aplicado um questionário onde

o aluno demarcou com um círculo o número apropriado abaixo de cada pergunta usado na escala de gerenciamento

de confiança de Baylor. Nela, deveria ser indicado o nível de ansiedade que cada situação descrita pode

causar em relação às suas habilidades no controle adequado de cada situação clínica apresentada. As respostas

totalizaram em 52 questionários respondidos e o perfil de alunos da pesquisa foram 40 do sexo feminino perfazendo

um total de 76,9% e de 12 do sexo masculino num total de 23,1%. O valor máximo encontrado foi de 10

e o menor o equivalente a 2 na escala de Baylor, sendo que a média geral do grupo da amostra foi 6,5 indicando

que os graduandos se sentem apenas parcialmente confiantes em suas habilidades. Pode-se dizer que, em média,

o 6º período apresentou maior insegurança ou ansiedade (6,0) do que o 7º (7,1) e o 8º (7,2). Nos três períodos

analisados, nota-se que o aluno talvez possa controlar tais situações de vez em quando.

Concluímos que foram observados os níveis de ansiedade segundo o sentimento de cada aluno participante, independente

do sexo ou período que cursa; e tais análises podem facilitar a conduta do docente em Odontologia

Infantil no preparo do aluno nas situações reais de atendimento clínico.

PE028 Perfil dos egressos do Núcleo de Odontologia para Bebês/UEL à

luz do exercício profissional

Alves-Souza RA*, Fava PC, Pinto LMCP, Ferelle A, Scarpelli BB

Núcleo de Odontologia para Bebês - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. E-mail:

alves-souza@uol.com.br

O conjunto de preceitos enunciados pelo movimento da promoção de saúde e de princípios do Sistema

Único de Saúde (SUS) tem servido de base norteadora ao planejamento de ações e serviços odontológicos.

Fundamentada na doutrina da Odontologia para Bebês, a participação do Núcleo de Odontologia para Bebês

(NOB) da Universidade Estadual de Londrina (UEL) na formação de recursos humanos em saúde tem sido

defendida e divulgada por várias instituições de ensino superior, bem como evidenciada nas diversas implementações

efetivadas por seus egressos em redes de serviços públicos odontológicos. Este estudo tem por

objetivo determinar o perfil dos egressos do NOB/UEL, com ênfase em suas percepções referentes ao curso

formador. A população alvo foi constituída de 106 egressos, correspondentes ao período compreendido entre

1991 a 2002. A fonte de dados é primária, coletados a partir de questionários estruturados visando à obtenção

de informações pessoais, acadêmicas e profissionais, avaliação sobre o curso e sugestões. A adesão ao

estudo foi de 56,7%, sendo a margem de erro calculada em 8%. Os resultados foram considerados positivos,

a julgar pelas competências e habilidades sugeridas ao perfil do egresso. As informações recebidas no curso

foram percebidas como importantes à prática profissional, sendo de modo muito satisfatório para 76,7% dos

egressos e de modo satisfatório para os outros 23,3%.

Os resultados apontaram para a necessidade de ajustes e releituras do órgão formador, a exemplo da

melhoria do acervo bibliográfico e do estímulo à participação em eventos.

PE029 A participação dos alunos de Odontologia nas atividades de

educação em saúde realizadas nos Centros de Educação Infantil

Scarpelli BB*, Garbelini CCD, Boer FAC, Pinto LMCP, Nakama L, Punhagui MF, Souza RAAR, Frossard WTG

Medicina Oral e Odontologia Infantil - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. E-mail:

biascarpelli@hotmail.com

O objetivo deste trabalho foi avaliar crianças dos Centros de Educação Infantil da UEL para desenvolver nos

alunos de graduação do curso de Odontologia a capacidade de operacionalizar soluções dos problemas encontrados

através do processo de educação permanente em saúde. O trabalho foi desenvolvido no Centro Odontológico

Universitário da UEL e nos dois Centros de Educação Infantil (CEI) desta instituição. Participaram deste estudo

60 alunos do quarto ano do referido curso e docentes da Disciplina de Odontopediatria. Inicialmente uma reunião

foi realizada com objetivo de informar os educadores dos respectivos CEI a respeito do trabalho que seria

desenvolvido e promover a integração de todos os participantes do projeto. Para investigação direta da realidade

nos CEI e conhecimento da saúde bucal, foram avaliadas 249 crianças, na faixa etária de 6 meses a 6 anos de

idade. Os dados coletados foram registrados em ficha clínica e analisados com o propósito de operacionalizar

soluções para a promoção de saúde bucal. Após análise dos dados encontrados, os alunos buscaram informações

através de levantamento bibliográfico, orientaram os educadores dos CEI sobre hábitos de higiene bucal

e alimentação, realizam e ensinaram técnicas de escovação nas crianças, desenvolveram trabalhos educativos

(cartilhas e jogos) com a finalidade de motivar as crianças a promover e manter a saúde bucal.

Conclui-se que de acordo com a situação bucal das crianças dos CEI, os alunos do curso de odontologia foram

capazes de desenvolver métodos educativos adequados para a promoção da saúde bucal desta comunidade.

PE030 Oficinas de promoção de saúde: uma proposta de interação

interprofissional

Volschan BCG*, Pimentel E, Bretas R, Sekito P, Alto LM, Soviero VM

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. E-mail: bartiravolschan@terra.com.br

As atuais diretrizes curriculares propõem a formação generalista, humanista e ética do egresso em Odontologia.

Ao final do curso o formando deve estar capacitado para atuar em todos os níveis de atenção à saúde

no sentido de resolver os problemas de saúde bucal do indivíduo e da comunidade, capaz de trabalhar em

equipe multidisciplinar ou multiprofissional. O objetivo deste trabalho é expor a atividade interprofissional

dos cursos de Enfermagem e Odontologia desenvolvida para os responsáveis das crianças atendidas na Clínica

Integrada Infantil da Universidade Estácio de Sá, mediadas por graduandos de ambos cursos. Os assuntos

abordados são: higiene corporal e bucal; hábitos alimentares: obesidade, desnutrição, potencial cariogênico;

traumatismo dentário; prevenção de acidentes domésticos, maus tratos infantis; prevenção de doenças sexualmente

transmissíveis; drogas na infância e na adolescência, criança especial e gravidez na adolescência.

A experiência demonstra que a interação dos cursos de Odontologia e de Enfermagem torna a atividade

bastante produtiva e enriquecedora para todos os participantes. Verifica-se que o conhecimento sobre os

temas é construído através da troca de experiências e vivências. Os alunos exercitam as habilidades de

comunicação com o público e o saber ouvir, ampliando suas capacitações como profissionais de saúde.

PE031 Avaliação dos mecanismos de aprendizagem no treinamento

do aluno em laboratório de Materiais Dentários da FOC

Maciel RMV*, Rozario HH, Linhares SMS, Gallito MA

Pré-clínico - FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE CAMPOS. E-mail: rmvmaciel@ig.com.br

O objetivo deste trabalho é avaliar os mecanismos de aprendizagem do aluno na disciplina de Materiais

Dentários da Faculdade de Odontologia de Campos. Foram distribuídos questionários para 115 alunos dos

períodos subseqüentes, que já estão cursando Disciplinas Clínicas com questões referentes aos mecanismos

utilizados no laboratório de Materiais Dentários, quando os mesmos cursaram a disciplina. Os questionários

foram respondidos e os dados foram submetidos a análise estatística descritiva para a obtenção dos resultados:

89,57% dos entrevistados acham que a disciplina deu embasamento para manipular os materiais nos

períodos subseqüentes e 10,43% não acham; 100% acham importante manipular corretamente os materiais

dentários; 66,96% acham as aulas práticas de Materiais Dentários claras e objetivas e 33,04% não acham;

98,27% consideram as aulas práticas importantes no curso e 1,73% não acham; 99,14% consideram importante

a manipulação e o emprego dos materiais em manequins e não somente manipulá-los e 0,86% não consideram;

90,44% acham importante a participação dos alunos de Materiais Dentários na Clínica Integrada

e 9,56% não acham; 84,35% lembram do que aprenderam em Materiais Dentários quando manipulam os

materiais nas Disciplinas Clínicas e 15,65% não lembram.

Com base na metodologia empregada, pôde-se concluir que a maioria dos entrevistados considera que os

mecanismos de aprendizagem no Laboratório de Materiais Dentários foram importantes para o emprego

clínico e científico dos mesmos nas disciplinas subseqüentes.

PE032 Uma nova ferramenta de ensino e atualização em Materiais

Dentários

Campregher UB*, Haake M, Machado CV, Fortes CBB

Odontologia Conservadora - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

ubcampre@ufrgs.br

A cada ano, muitos materiais e equipamentos são lançados no mercado odontológico antes mesmo de

terem um amplo respaldo de evidências científicas, comprovando suas qualidades. Recentemente, diversos

aparelhos fotopolimerizadores, que utilizam o diodo emissor de luz (LED), têm sido comercializados como

alternativa aos aparelhos convencionais de lâmpada halógena. Portanto, o objetivo deste trabalho foi produzir

um vídeo com narração sobre o princípio de funcionamento do LED e sua aplicação na Odontologia.

Após uma ampla pesquisa sobre o tema, escreveu-se o texto da apresentação. Em seguida, o texto foi gravado

no formato wav através do software Audacity. Posteriormente, foram produzidas todas as imagens, esquemas,

ilustrações e animações com o auxílio de uma câmera digital e dos softwares Photoshop, Fireworks,

CorelDraw e FlashMX. A montagem de todo o conteúdo produzido foi feita em FlashMX. Inicialmente, o

deo produzido será utilizado com alunos de graduação na disciplina de Materiais Dentários da Faculdade

de Odontologia da UFRGS. A qualidade didática do material e a assimilação do conteúdo serão verificadas

através de uma prova objetiva e de discussões sobre o tema em sala de aula. Posteriormente o material será

disponibilizado na biblioteca da Faculdade.

Busca-se assim, criar uma nova ferramenta de ensino e atualização em Materiais Dentários.

24 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 24

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PE033 O princípio da odontologia de mínima intervenção e sua

repercussão para o ensino odontológico

Leal SC, Mickenautsch S, Bezerra ACB, Toledo OA, Figueiredo MC*

Odontologia - UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. E-mail: soraya@opendf.com.br

O princípio da mínima intervenção é de primeiro paralisar a doença e depois restaurar a estrutura e a

função perdidas. A detecção precoce da cárie, tradicionalmente realizada com espelho, sonda exploradora e

com o auxílio de radiografias, pode hoje ser facilitada pela magnificação. Uma vez que o controle da doença

é alcançado, a perda irreversível de estrutura é solucionada utilizando-se opções de tratamento minimamente

invasivas. Esta pesquisa teve por objetivo avaliar o conhecimento de professores especialistas em odontopediatria

e dentística restauradora sobre estes conceitos. Um questionário contendo 21 questões de múltipla

escolha, extraído do site http://www.midentistry.com, foi distribuído para 200 professores sem necessidade

de identificar-se durante o Encontro do Grupo Brasileiro de Professores de Odontopediatria e do Grupo Brasileiro

de Professores de Dentística, respectivamente. Cento e vinte e nove questionários foram devolvidos

e os dados foram analisados em termos percentuais: de 90 a 100% de respostas corretas correspondeu a um

conceito “Excelente”, entre 70 a 89% um conceito “Bom”, entre 50 a 69% um conceito “Regular” e abaixo

de 49,99% correspondeu a um conceito “Insuficiente”. Os resultados mostraram que nenhum dos professores

alcançou o nível “Excelente”; 13,95% obtiveram um desempenho classificado como “Bom”; 61,29%

obtiveram um desempenho “Regular” e 24,80% alcançaram o nível “Insuficiente”.

Conclui-se que a maioria dos professores (75,19%) de Dentística e de Odontopediatria tem um conhecimento

entre regular e bom sobre os princípios da Odontologia de Mínima Intervenção, o que pode sinalizar

futuras mudanças conceituais no ensino das referidas disciplinas.

PE034 Um novo “design” para os dentes artificiais dos manequins

odontológicos para o atual paradigma do ensino da Dentística

Cristino PS*, Palma AJG, Martins-Filho RL

Clínica Odontológica - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE. E-mail:

drapatsuguri@uol.com.br

A Odontologia atual pauta-se por princípios de máxima prevenção e conservação e mínima intervenção.

Entretanto, o ensino da Dentística Laboratorial parece carecer de novos rumos metodológicos que venham

contribuir para esse novo paradigma. Desta forma, esse trabalho propõe a utilização de um manequim odontológico,

cujos dentes artificiais apresentam diferentes cores de resina acrílica para as áreas correspondentes

ao esmalte, dentina e tecido cariado. O recurso material proposto tem como objetivo mudar o foco de

atenção na construção dos preparos cavitários: dos princípios exclusivamente biomecânicos para princípios

também terapêuticos, a partir da remoção da lesão de cárie e adequação do preparo cavitário de acordo com

o material restaurador a ser utilizado, como parece ser mais adequado considerando a evolução das técnicas

e dos material restauradores.

Tem-se observado uma maior aprendizado e interesse do aluno que utiliza este manequim durante a dentística

laboratorial, tendo em vista que sua confecção está mais aproximada da realidade clínica.

PE035 Reformulação curricular e ampliação das clínicas integradas: a

experiência do Curso de Odontologia da Estácio de

Groisman M*, Soviero VM, Ramos MEB, Valente MI

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. E-mail: groisman@oralcare.com.br

O objetivo deste trabalho é apresentar o processo evolutivo da matriz curricular do Curso de Odontologia

da Universidade Estácio de Sá. Originalmente, em 1995, o curso foi implantado no sistema de módulos que

implicava no seqüenciamento das disciplinas. Em agosto de 2000, o Curso foi convertido para o sistema

de créditos, mantendo a essência da proposta inicial, principalmente, a busca por um ensino integrado e

o enfoque na promoção de saúde. Em 2004, a mais recente reformulação da matriz curricular visou favorecer,

ainda mais, o alcance dos objetivos do Curso e do perfil do egresso e foi pautada nas Diretrizes

Curriculares (Resolução CNE/CES 3/2002) e nas recomendações da ABENO (julho/2004). As principais

alterações implementadas foram: ampliação da carga horária de estágio supervisionado e das atividades de

clínica integrada, enfatizando a formação generalista; introdução mais precoce das atividades ligadas ao

SUS; introdução de disciplinas eletivas, permitindo ao aluno desenvolver interesses individuais; inclusão do

trabalho de conclusão de curso, como um meio de incentivar o desenvolvimento de pesquisa pelo graduando.

O projeto pedagógico e a matriz curricular dos cursos de graduação devem estar em constante processo de

avaliação e atualização de modo a acompanhar as demandas oriundas do contexto socioeconômico-cultural

e político do País e da região onde estão localizados.

A reestruturação da matriz curricular permitiu uma valorização do Núcleo de Formação Profissional e as

clínicas integradas foram organizadas em nível de complexidade crescente do quinto ao oitavo período.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PE036 Preparo de dentes para visualização em luz polarizada: uma

estratégia de ensino

Areal TC*, Carmo AMR, Netto HDMC, Chaves MGAM, Chaves-Filho HDM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. E-mail: thaisareal@bol.com.br

Os distúrbios de estrutura dentária constituem um desafio para a odontologia restauradora, e sua etiologia

deve ser bastante estudada e compreendida, para que o tratamento e proservação sejam adequados. Cinqüenta

dentes humanos extraídos foram seccionados, lixados em politriz, montados em lâmina de vidro e

analisados ao microscópio de luz polarizada, com o objetivo de estudar alterações estruturais de esmalte e

dentina. A visualização possibilitou estudar: a) progressão da cárie dental em esmalte e dentina nas diferentes

faces dos dentes; b) desenho estrutural das mesmas; c) hipoplasias de esmalte e dentina; d) infiltrações

sob diferentes materiais restauradores; e) abrangência e desenho de atrição, abrasão.

A técnica de preparo e visualização favoreceu o estudo das alterações estruturais dos elementos dentários

e a compreensão interdisciplinar que as mesmas acarretam, interferindo no tipo de tratamento a ser realizado,

assim como a orientação a ser feita ao paciente para a durabilidade de seu trabalho e a profilaxia

de novas alterações estruturais.

PE037 Análise da memorização da empunhadura de instrumental

cirúrgico por graduandos iniciantes em técnica cirúrgica

Vasques MT*, Santos PM, Corrêa L, Novelli MD

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail: mtvasques@uol.com.br

A correta empunhadura do instrumental cirúrgico é uma das primeiras habilidades em técnica cirúrgica que o

aluno de odontologia deve adquirir, sendo condição para esse aprendizado a memorização da posição das mãos

no instrumento. Objetivou-se avaliar o grau de memorização da empunhadura da tesoura, da pinça e do bisturi

no início e ao término da disciplina optativa “Patologia Experimental”, da Faculdade de Odontologia da Universidade

de São Paulo. Elaborou-se um questionário com 8 figuras da empunhadura dos instrumentos, das quais 4

eram corretas e 4, incorretas. Esse questionário foi entregue aos alunos do 3º (n = 129) e do 5º semestres (n = 90),

cursos diurno e noturno, sendo solicitado que assinalassem as figuras das empunhaduras que julgassem corretas

no início da disciplina e depois de 1 semana e 1 mês, respectivamente para o 3º e 5º semestres, após o fim do

curso. As respostas foram quantificadas em porcentagem e analisadas estatisticamente por regressão logística.

Observou-se maior porcentagem de acertos para o 3º semestre em relação ao 5º considerando-se o término do

curso, sendo essa diferença estatisticamente significante principalmente nas empunhaduras que exigem maior

adestramento manual. Não houve diferenças estatisticamente significantes entre os cursos diurno e noturno para

os 2 semestres na maioria das figuras analisadas.

Com a pesquisa concluímos que o ensino da empunhadura do instrumental cirúrgico deve levar em consideração

a necessidade de um período de adestramento maior para que haja memorização principalmente das

posições que não partem de conhecimento intuitivo do aluno.

PE038 Elaboração de um conteúdo programático para a disciplina de

Periodontia

Fried H*, Leao A

Clínica - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. E-mail: atleao@globo.com

Um ensino efetivo é alcançado com a construção de um currículo que requer, entre outros, a elaboração

cuidadosa do conteúdo do curso. Em relação à Periodontia este conteúdo deve refletir mudanças conceituais

ocorridas nas últimas décadas. Deve ainda contemplar o sistema de saúde vigente no país, a atenção integral

de saúde num sistema regionalizado e hierarquizado de referência e o trabalho em equipe. O objetivo deste

estudo é identificar o conteúdo programático da disciplina de Periodontia para graduandos de acordo com

o quadro docente das faculdades de odontologia do Grande Rio e Niterói. Todas as faculdades oferecendo

esta disciplina no ano de 2002 foram incluídas na amostra. Um total de 40 docentes participaram do estudo.

Para obtenção deste conteúdo programático a técnica de Delphi foi utilizada. A freqüência das respostas

foi calculada através do programa estatístico SPSS. Como resultado consensual foi obtido um conteúdo

que envolve conceitos de Periodontia de forma geral, incluindo saúde, doença, prevenção, etiologia, epidemiologia,

diagnóstico e tratamento. No entanto, o conteúdo obtido enfatizou o modelo de atendimento em

consultório particular em detrimento de atividades de promoção de saúde.

O conteúdo programático da disciplina foi elaborado com sucesso pelo quadro docente, contemplando

parcialmente as propostas sugeridas pelo MEC.

25


PO001 Estudo Longitudinal sobre Amamentação e Hábitos Deletérios em

Recém-Nascidos

Santos-Neto ET*, Silva BP, Matos AM, Moraes JR, Zandonade E

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO. E-mail: edson.neto@bol.com.br

A amamentação é eficiente nutricionalmente ao recém-nascido influenciando no crescimento físico, intelectual

e desenvolvimento craniofacial. Objetivou-se observar e analisar variações dos padrões nutricionais

nos primeiros meses de vida, referindo-se à amamentação, ao aleitamento artificial e à ingestão de dieta

semi-sólida; e correlacionar o aleitamento materno aos hábitos de sucção e às características materno-socioeconômicas.

O grupo inicial constituiu-se por 86 bebês com idade de 0 a 3 meses, sendo acompanhados

até a idade média de 8 meses. A partir desse grupo subgrupos formaram-se segundo padrões nutricionais e

hábitos deletérios. Realizaram-se visitas domiciliares bimestrais, coletando-se dados e orientando as mães

sobre a importância do aleitamento natural na biomecânica da morfogênese craniofacial, transição nutricional,

higiene bucal, respiração bucal e hábitos deletérios. Inicialmente 62,8% dos bebês faziam amamentação

exclusiva, diminuindo para 49,4% na 2ª visita e para 36,7% na 3ª visita. Na análise estatística observou-se

que a redução no tempo de amamentação está intimamente relacionada à instalação do hábito de sucção

de chupeta e uso de mamadeira (p < 0,05). O hábito de sucção de dedo não demonstrou estar relacionado

ao desmame precoce nem aos demais hábitos. Entretanto a sucção de chupeta e o uso de mamadeira estão

fortemente associados entre si (p = 0,004).

O aleitamento materno é imprescindível para desenvolvimento conjuntural do recém-nascido prevenindo a

instalação de hábitos deletérios e distúrbios na saúde. A promoção da saúde bucal deve-se iniciar desde a

mais tenra idade, tendo a odontologia um papel primordial no estímulo na maturação craniofacial.

PO002 Oclusopatias na dentição decídua: estudo da prevalência e fatores

de risco na cidade de Natal/RN

Lima RB*, Lima KC, Farias ACR

Odontologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. E-mail:

rejane_lima@hotmail.com

O propósito deste estudo foi verificar a prevalência de oclusopatias e fatores de risco na dentição decídua,

em pré-escolares da cidade de Natal, pois se faz necessário conhecer a distribuição e os fatores condicionantes

das doenças bucais, para que métodos de prevenção e interceptação possam ser adequadamente implantados.

Para tanto, realizou-se um estudo seccional (n = 765) com crianças aos 5 anos, sendo os elementos

amostrais identificados através da técnica casual sistemática. A prevalência de oclusopatias foi de 75,5%,

sendo o percentual de necessidade de tratamento ortodôntico moderado/severo de 36%, avaliado através

do índice proposto pela OMS, 1987. As principais oclusopatias foram a mordida aberta anterior (20,6%),

mordida profunda (16,6%) e sobressaliência positiva (14,7%). Na análise univariada, através do Qui-quadrado

(nível de significância de 5%), verificou-se associação significativa das variáveis classe econômica

(p = 0,019), espaço primata (p = 0,036), relação dos caninos (p = 0,000), hábitos (p = 0,002) e tempo de

hábito (p = 0,03) com a presença de oclusopatias. Na análise de regressão logística, observou-se que, renda,

etnia, hábito e relação canina constituíram fator de risco independente das outras variáveis.

A alta prevalência desse estudo sugere a adoção de estratégias para redução dessa morbidade, que devem

estar relacionadas com os fatores de riscos, principalmente, os passíveis de intervenção em nível de serviço

público, como os hábitos, onde métodos de prevenção devem ser instituídos, pois representam medidas

simples e de baixo custo e que precisam ser incorporadas aos modelos de atenção em saúde bucal.

PO003 Necessidade de tratamento ortodôntico em escolares da cidade do

Recife de acordo com o Índice de Estética Dentária (DAI)

Cardoso SMO*, Marques CR, Couto GBL

Prótese e Cirurgia Buco Facial - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. E-mail:

silvanaorestes@hotmail.com

O objetivo desse trabalho foi avaliar a prevalência da necessidade de tratamento ortodôntico em adolescentes,

entre 13 e 15 anos de idade, de escolas públicas municipais da cidade do Recife. A partir de uma amostra de 600

alunos (264 meninos e 336 meninas), selecionados em 12 escolas distribuídas por diferentes bairros da cidade,

foram realizados exames clínicos utilizando-se como ferramenta de avaliação o Índice de Estética Dentária

(DAI), preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como instrumento de medida recomendado

para se estimar a prevalência e a severidade das oclusopatias na população. A estética dentária de 77% dos

estudantes avaliados indicou algum grau de necessidade de tratamento ortodôntico, sendo que essa necessidade

variou de moderada, para 23,7% dos casos, a grande, para 53,3% dos indivíduos analisados. O tratamento

foi considerado bastante desejável para 47,5% dos escolares e obrigatório para 5,8% dos mesmos. Não foram

observadas diferenças estatisticamente significantes entre os gêneros. As principais alterações oclusais observadas

nos indivíduos considerados com necessidade de tratamento foram: apinhamento dentário (47,3%), perda

dentária (22,3%) e “overjet” superior a 3 mm (21,8%).

A estética dentária dos pesquisados demonstrou uma elevada prevalência de necessidade de tratamento ortodôntico

entre os adolescentes que freqüentam a rede pública municipal de ensino da cidade do Recife, apontando

para a necessidade da implementação de medidas preventivas mais eficazes nos serviços públicos de

atendimento odontológico disponibilizados à população de baixa renda, especialmente através da inclusão de

uma abordagem ortodôntica preventiva.

PO004 A Tipificação como uma alternativa aos índices oclusais na

avaliação das oclusopatias

Bandeira AS*, Lima RB, Lima KC, Torres TF, Tavares D

Odontologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. E-mail:

alinneflag@interjato.com.br

A tipificação identifica aspectos normais da oclusão em cada fase da dentição, diagnosticando, dessa forma,

alterações oclusais e, portanto, minimiza os “vieses” de diagnóstico, que podem ocorrer através dos índices

oclusais. Para comparar o diagnóstico das oclusopatias através da tipificação com os índices de necessidade de

tratamento ortodôntico (IOTN), estética dental (DAI) e o índice preconizado pela OMS para a dentição decídua,

realizou-se estudo transversal na cidade de Natal-RN com crianças (n = 765) nas diversas fases da dentição. A

prevalência de oclusopatias na dentição decídua, através da tipificação, foi de 75,5%. Segundo o índice da OMS,

verificou-se que 47% da crianças tinham alterações oclusais, moderada ou severa. Na dentição mista, 84,8%

dos examinados, através da tipificação, apresentaram oclusopatias. Através do componente dentário do IOTN –

DHC, verificou-se que 61% das crianças, tinham necessidade de tratamento. Para o componente estético do

IOTN – AC, a repercussão desse dano na face foi de 47%. Segundo o DAI, na dentição mista, 40% das crianças

apresentavam necessidade de tratamento. Na dentição permanente, a tipificação revelou que 70,5% das crianças

apresentavam oclusopatias. Os resultados para o DHC e AC foram respectivamente de 42,3% e 46%. No que

se refere ao DAI, 62% dos examinados possuíam necessidade de tratamento. A despeito das diferenças entre os

critérios utilizados, verificou-se uma alta prevalência de oclusopatias, bem como de necessidade de tratamento.

A tipificação revelou-se como ferramenta de diagnóstico simples, mais sensível e completa que pode ser adotada

pelos sistemas públicos na avaliação dos problemas oclusais.

PO005 Utilização da pulpotomia em dentes decíduos na rede pública de

saúde do município de Niterói

Scaldaferri V*, Barcelos R, Senna M

Semiologia - UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail: vscaldaferri@hotmail.com

O objetivo deste trabalho foi verificar a utilização da pulpotomia em dentes decíduos na rede pública de

saúde do município de Niterói, RJ. Na metodologia utilizou-se a técnica da observação direta extensiva

com um questionário sobre o tema distribuído nas 22 unidades de saúde da rede, para ser respondido pelo

cirurgião-dentista responsável pelo atendimento das crianças em cada unidade. Os dados obtidos foram tabulados

e analisados pela estatística descritiva. O índice de retorno dos questionários foi de 81,8% (n = 18).

Os resultados demonstraram que 93,6% dos dentistas utilizam a pulpotomia em dentes decíduos com as seguintes

indicações: tratamento de exposições pulpares durante o preparo cavitário (88,9%) e sintomatologia

dolorosa espontânea (40,0%) ou provocada (33,3%). Apenas um dentista indicou a pulpotomia para casos de

necrose pulpar. Durante o procedimento a maioria dos profissionais utiliza isolamento relativo (86,3%) bem

como curetas para a remoção da polpa coronária (63,2%), soro fisiológico para lavagem da câmara pulpar

(64,2,%) e formocresol para fixação do coágulo (78,5%). O acompanhamento clínico e radiográfico da pulpotomia

é realizado por 76,9% dos dentistas, embora poucos pacientes retornem para a revisão. Apesar desta

dificuldade de avaliação, 93,3% acreditam obter resultados satisfatórios com a pulpotomia.

Conclui-se que na maioria das unidades a pulpotomia é realizada seguindo os conceitos preconizados na

literatura e esta é uma técnica viável para utilização no setor público como opção conservadora para o

tratamento de dentes decíduos com comprometimento da polpa coronária.

PO006 Fluorose Dentária seria um problema de saúde pública? Percepção

do problema e discussão crítica de um levantamento

Meneghim MC, Kozlowski FC, Pereira AC*

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

apereira@fop.unicamp.br

Os objetivos deste trabalho foram verificar em 2 grupos etários (12 anos- G1 e 35-44 anos-G2): a) prevalência

da fluorose dentária, b) a percepção do problema e c) analisar criticamente se este problema seria considerado

de saúde pública. Para o cálculo da amostra utilizou-se o percentual de resposta esperada para uma das fotos

(90%), creditando-se um erro amostral de 3% e nível de confiança de 95%. A amostra probabilística consistiu de

401 escolares e 175 trabalhadores de Ponta Grossa (PR). O exame clínico foi realizado utilizando sonda OMS

e espelho com luz natural. Em seguida, um álbum com 24 fotografias constando de diferentes condições orais

foi apresentado, onde o entrevistado deveria enquadrar cada foto em uma escala de severidade. Dez por cento

dos voluntários foram reexaminados. A prevalência de fluorose dentária foi de 18,2% para G1 (81,8% destes

com T-F1) e nenhum caso foi encontrado no G2. No G1, 48,9% das crianças responderam que possuiam algum

problema bucal, sendo que, na checagem com o exame clíncio, constatou-se que 100% destas apresentavam

realmente algum problema, todavia somente 2 crianças, ambas T-F2, identificaram nas fotos a presença de

manchamento. No grupo 2 não foi possível correlacionar as respostas dos problemas bucais dos voluntários com

a possível presença de fluorose dentária, uma vez que os componentes deste grupo não registraram nenhum caso

de fluorose, mas, semelhantemente às crianças, os adultos também conseguiram melhor visualizar e detectar

algum problema de ordem bucal na bateria anterior.

Conclui-se que os voluntários não têm a percepção da fluorose dentária, sendo que esta não se configura como

um problema de saúde pública em Ponta Grossa.

PO007 O desafio da formulação de um plano municipal de saúde bucal

Guerra LM*, Guerra AB, Pereira AC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: aleoulu@aol.com

A história de luta dos profissionais de saúde no Brasil, desde o Movimento pela Reforma Sanitária até os

dias de hoje, nos ensina que um sistema de saúde só é viável se for praticado de forma descentralizada e com

integralidade. Com base nos princípios fundamentais do SUS (Sistema Único de Saúde), cada município

deve formular o seu próprio Plano Municipal de Saúde, do qual faz parte integrante e é fundamental a Saúde

Bucal. Este trabalho sugere um Plano Municipal de Saúde Bucal para o município de Santo Antonio de

Posse. Para tanto, baseado nos atuais indicadores epidemiológicos de saúde bucal fornecidos pela Secretaria

Municipal de Saúde e usando como parâmetros os indicadores nacionais, este trabalho faz a uma análise

crítica da situação atual da saúde bucal no município, apontando as soluções viáveis para as principais

disparidades.

Pretende-se, assim, desenvolver esta área da saúde no município de tal forma que a prevalência de cárie

siga a tendência nacional de queda; que a satisfação, tanto de profissionais da área quanto de usuários,

seja aumentada e que seja possível uma melhor avaliação periódica do serviço.

PO008 Avaliação da atuação dos cirurgiões-dentistas no Programa Saúde

da Família na região de Piracicaba - DIR XV

Toledo TB*, Queluz DP

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: tatefop@yahoo.com.br

O objetivo desse estudo foi avaliar a atuação dos dentistas pertencentes às cidades da região de Piracicaba

(DIR XV) que adotaram o Programa Saúde da Família (PSF), com inclusão das Equipes de Saúde Bucal

(ESB), como forma de democratização do acesso da população à saúde. A coleta de dados foi realizada

através de aplicação de questionário sobre características gerais das equipes de saúde bucal (ESB) em vinte

e seis dentistas de seis cidades pertencentes à região de Piracicaba. Após análise dos resultados observamos

que são: 69,2% do sexo feminino e 30,8% do sexo masculino; com faixa etária de: 30,8% com 23-30 anos,

26,9% com 31-39 anos, 38,5% com 40-49 anos e 3,8% com 50-59 anos; que apenas 6 cidades de 28 apresentam

ESB; sendo que a maioria dos dentistas é: clínico geral, não realizou curso de capacitação, foi contratado

através de concurso público, gasta apenas 20% do tempo com ações preventivas, é auxiliado por ACDs e não

oferece insumos odontológicos (dentifrícios e escova dental) às famílias.

Assim, pode-se afirmar que a ESB/PSF visa transformar o modelo tradicional, enfatizando o potencial de

saúde física, mental, social e ambiental do indivíduo inserido na família, porém falta a capacitação ainda

da maioria dos dentistas que se julgam atrelados aos problemas do antigo modelo de assistência, indicando

a demanda excessiva como um dos impedimentos ao bom desenvolvimento do principal foco do PSF: as

ações preventivas.

26 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 26

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PO009 Desigualdades em saúde: um desafio para a saúde bucal coletiva

Silva AM, Vargas AMD, Ferreira EF*

Colegiado de Pós-Graduação - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. E-mail:

alinemendessilva@hotmail.com

As desigualdade sociais têm grande impacto sobre a saúde das populações. As áreas rurais brasileiras

apresentam indicadores de renda, saneamento básico, níveis de escolaridade piores que as respectivas áreas

urbanas e configuram um importante pólo de concentração para agravos à saúde bucal. O objetivo deste

estudo transversal foi avaliar as diferenças na experiência de cárie em escolares de 4 a 14 anos de idade do

meio urbano e rural da cidade de Igaratinga, Minas Gerais (Índice de Desenvolvimento Humano = 0,67).

Uma amostra de conveniência estratificada segundo idade, sexo e regiões da cidade foi selecionada para

participar do estudo. A calibração da equipe foi realizada para assegurar uma interpretação uniforme dos

critérios. Foram examinados 744 escolares empregando-se os códigos e critérios preconizados pela Organização

Mundial de Saúde. A análise dos dados permitiu observar correlação significante entre a diferença do

índice de cárie dentária nas diferentes regiões do município. Observou-se o ceo-d e o CPO-D menos elevado

na área urbana, que possui água fluoretada, em relação às áreas rurais. O ceo-d e o CPO-D médio foi de 0,80

(± 0,64) para a área urbana e 2,06 (± 1,65) para a rural.

A fluoretação das águas permite uma redução dos níveis de cáries, bem como atenuam o impacto das desigualdades

socioeconômicas sobre a prevalência de cárie dentária. Em se tratando de um município com

médio desenvolvimento humano, conhecer a distribuição das necessidades de tratamento em cada segmento

da sociedade permite o planejamento de ações em saúde dentro do princípio da eqüidade, compatibilizando

os recursos assistenciais e preventivos às efetivas necessidades da população.

PO010 Avaliação de um programa educativo direcionado a crianças com

alto risco à cárie

Zanin L*, Assaf AV, Cortellazzi KL, Pereira AC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

penattizanin@hotmail.com

A placa bacteriana tem uma importante função no desenvolvimento e progressão, tanto da cárie dentária quanto

da doença periodontal. O objetivo deste trabalho foi avaliar 15 meses de um programa educativo, direcionado

a crianças de 6 anos de idade e alto risco à cárie. Participaram do estudo 60 crianças aleatoriamente divididas

em grupo controle (n = 30) e grupo experimental (n = 30). O programa oferecido ao grupo controle baseou-se

em palestras educativas e escovação supervisionada a cada 6 meses, aplicação tópica de flúor e selamento de

fóssulas e fissuras. O grupo experimental recebeu palestras educativas e escovação supervisionada, a cada 3 meses.

Os dois grupos foram avaliados através da verificação do índice de placa (Loe, 1967), índice gengival (Loe

& Silness, 1963), índices ceo-s e CPO-S (OMS, 1999). Estas avaliações foram repetidas trimestralmente nos

voluntários dos dois grupos. O teste não paramétrico de Mann-Whitney foi usado para comparar os resultados

dos dois grupos e o teste de Friedman foi usado para analisar os resultados dos dois grupos separadamente. Não

houve diferença estatisticamente significante em relação aos índices de placa e gengival, no grupo controle. O

grupo experimental apresentou redução estatisticamente significante em relação aos dois índices, após 12 meses

de programa. O grupo experimental não mostrou diferença estatisticamente significante em relação ao grupo

controle em relação ao índice de cárie.

O programa proposto foi eficiente na redução da placa bacteriana e sangramento gengival. Entretanto, não

houve redução estatisticamente significante entre os grupos em relação ao índice de cárie.

PO011 A inserção de Equipes de Saúde Bucal no Programa Saúde da

Família no Estado de Minas Gerais

Lourenço EC*, Pereira AC, Silva ACB, Meneghin MC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: eloisio@pcs.matrix.com.br

Buscou-se neste trabalho analisar aspectos administrativos e operacionais das Equipes de Saúde Bucal (ESB)

no Programa Saúde da Família (PSF) de Minas Gerais. Foram enviados a 267 municípios do Estado dois tipos

de questionários. Erro amostral 6%, nível de confiança 95%. Observou-se que: 70% das ESB foram implantadas

a partir de 2001; 53% são urbanas, 7% rurais e 38% urbana e rural; 54% atendem até 3 mil pessoas, 21% 4 mil

pessoas, 10% de 5 a 6 mil e 15% mais de 6 mil pessoas; 50% realizam agendamento nas residências, nas USF

ou por livre demanda; 93% trabalham 40 horas semanais; 56% dos municípios apresentam 1 ESB, 22% duas

e 22% três ou mais ESB; 22% dos dentistas foram selecionados por teste interno, 12% por concurso, 17% por

credenciamento e 49% relataram outras formas de seleção; 10% recebem menos de R$ 1.200,00, 50% entre R$

1.200,00 e R$ 1.800,00, 22% entre R$1.801,00 e R$ 2.200,00 e 18% acima de R$2.201,00; 43% estão na ESB a

menos de 1 ano, 30% entre 1 e 2 anos, 17% a 3 anos e 10% a mais de 3 anos; 51% participaram de capacitação;

80% atendem todas as faixas etárias; 50% fazem visitas domiciliares sempre que necessário, 16% não as realiza

e 34% semanal ou mensalmente; 98% realizam atendimentos clínicos, prevenção e promoção da saúde; 77%

afirmaram existir integração entre as ESB e ESF; 34% dos casos de especialidades são tratados no próprio

município, 48% encaminhados para município vizinho e 13% não são resolvidos.

Observa-se uma evolução qualitativa e quantitativa das ESB, possibilitando um maior acesso aos serviços de

saúde bucal; diferenças e dificuldades estão presentes em virtude das dimensões do estado e do aspecto político

em que esta estratégia está inserida.

PO012 Desigualdades na prevalência de cárie dental aos 12 anos por

macrorregião no Brasil: uma abordagem bioética

Busato IMS*, França BHS

Pós-Graduação Mestrado - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ. E-mail:

ivanabusato@ibest.com.br

Analisando as implicações morais na desigualdade da prevalência de cárie dentária aos 12 anos de idade

do Brasil, nas diferentes macrorregiões, numa abordagem bioética, pelas ferramentas analíticas e normativas

da bioética de proteção, principalmente nas diferenças que podem contribuir para situações de injustiça na

qualidade de saúde bucal. Foi realizada discussão dos resultados de cárie dentária aos 12 anos por macrorregião

do Projeto SB Brasil, Brasil, 2003, em comparação à meta proposta pela Organização Mundial de

Saúde/Federação Dentária Internacional para o ano 2000. Atingiram a meta de índice CPOD de 3 as macrorregiões

Sul e Sudeste. Norte, Nordeste e Centro-Oeste ficaram abaixo dessa meta. O Estado tem que assumir

suas obrigações sanitárias, reconhecer as situações de desigualdades regionais e desenvolver políticas

públicas para a sua resolução. Cumprindo a ética de responsabilidade social nas obrigações constitucionais

do Estado pela saúde e pela diminuição das desigualdades.

O Estado deve democratizar políticas públicas de promoção de saúde em especial a fluoretação de água de

abastecimento, incentivar a ampliação do acesso aos serviços públicos odontológicos nas macrorregiões

Norte, Nordeste e Centro-Oeste, estimular a realização de pesquisas em cada estado federativo, dessas

regiões, para monitoramento dos indicadores de saúde bucal para o desenvolvimento de políticas públicas

específicas.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PO013 Avaliação de preditores de risco de cárie dentária em estudo

longitudinal de sete anos

Tagliaferro EPS*, Pereira AC, Meneghim MC, Ambrosano GMB, Tengan C

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

tagliaferro@fop.unicamp.br

O objetivo deste estudo longitudinal foi identificar, em crianças de 6 a 8 anos de idade, potenciais fatores de

risco para o incremento de cárie na dentição permanente. Duzentas e seis crianças, matriculadas em três instituições

de ensino na cidade de Piracicaba, SP, participaram do exame clínico inicial (“baseline”) em 1997 e foram

reexaminadas em 2004, por dois cirurgiões-dentistas previamente calibrados (Kappa > 0,85). O exame clínico

foi realizado no pátio das escolas, sob luz natural, utilizando-se de espelho plano e sonda exploradora e seguindo

as recomendações da Organização Mundial da Saúde. No “baseline” foram coletados dados sobre cárie dentária

(índices ceo e CPO e presença de desmineralização inicial), índice de higiene oral, presença de selante, bem

como informações sobre nível socioeconômico, uso de produtos fluoretados, acesso a serviços odontológicos,

hábitos dietéticos e de higiene oral, por meio de um questionário semi-estruturado enviado aos pais. A variável-resposta

foi o incremento no índice CPOS no período 1997-2004. A análise de regressão logística múltipla

mostrou que o índice ceod (“odds ratio”, OR = 0,815; intervalo de confiança ao nível de 95%, IC: 0,725-0,916;

p = 0,001) e a escolaridade do pai (OR = 1,156; 95%IC: 1,007-1,327; p = 0,0375) foram as variáveis significativamente

associadas ao incremento de cárie dentária ao longo dos 7 anos de estudo.

Conclui-se que a experiência de cárie em dentes decíduos e o nível socioeconômico, representado pela escolaridade

do pai, foram fatores preditores para o desenvolvimento de cárie na dentição permanente. (Apoio:

FAPESP-04/06033-9, CAPES.)

PO014 Declínio da cárie dentária em um município sem água fluoretada

no período de 1998 a 2004

Martins RJ*, Garbin CAS, Garbin AJÍ, Moimaz SAS

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. Email:

rojema@terra.com.br

No Brasil, a cárie dentária ainda constitui o principal problema de saúde bucal. O objetivo do estudo

foi analisar os índices CPOD, ceod e a porcentagem de crianças livres de cárie, nos anos de 1998, 2000,

2002 e 2004, em escolares da rede pública de um município sem fluoretação das águas de abastecimento.

A população estudada foi constituída por todos escolares de 5 a 12 anos matriculados nas duas escolas da

rede pública de ensino, não sendo examinadas as crianças cujos responsáveis não assinaram o termo de consentimento

livre e esclarecido. Os exames foram realizados pelos quatro cirurgiões-dentistas pertencentes à

rede municipal de saúde bucal, devidamente calibrados. Realizou-se o teste estatístico Kappa para verificar

a concordância interexaminadores obtendo-se o resultado de 0,86, indicando ótima concordância. Ao longo

dos exames verificou-se a concordância de diagnóstico intra-examinador, obtendo-se um valor mínimo de

0,91. A apuração e análise dos dados foram realizadas através dos programas EPIINFO, versão 6.04 e EPI-

BUCO. Houve uma redução contínua do índice CPOD aos 12 anos, passando de 5,28 em 1998, para 4,11 em

2000, 3,47 em 2002 e 2,62 em 2004. No período existiu uma redução de 50,38% no índice. Na proporção

inversa, a porcentagem de crianças com 5 anos livres de cárie aumentou de 37,9% em 1998, para 40% em

2000 e 2002 e 45,3% em 2004.

Conclui-se que está ocorrendo uma redução contínua da cárie dentária e o aumento das crianças livres de

cárie, apesar do município não apresentar fluoretação das águas de abastecimento.

PO015 A influência da inclusão das lesões iniciais de cárie no

planejamento das ações de saúde bucal

Tengan C*, Assaf AV, Tagliaferro EPS, Meneghim ZMAP, Meneghim MC, Pereira AC, Ambrosano GMB

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: c.tengan@ig.com.br

Mudanças têm sido observadas no padrão epidemiológico da cárie dentária, com aumento de lesões em

seus estágios iniciais, suscitando a inclusão destas em levantamentos epidemiológicos. O presente estudo teve

como objetivo verificar a importância da inclusão das lesões iniciais no planejamento de ações de saúde bucal

em serviço público, em um grupo de baixa prevalência de cárie. A amostra constituiu-se de 692 escolares de

5 (n = 171), 6 (n = 203), 12 (n = 236) e 15 (n = 82) anos de idade, matriculados na rede pública de ensino do

município de Iracemápolis-SP. Os exames foram realizados com auxílio de espelho bucal plano, sonda IPC

(Índice Periodontal Comunitário), secagem e escovação prévia. Dois limiares de diagnóstico foram empregados

para a análise dos resultados: limiar de diagnóstico de cárie a partir da presença da lesão cavitada – referência

preconizada pela Organização Mundial de Saúde – e limiar de diagnóstico de cárie com a inclusão das lesões

iniciais. Aos 5 e 6 anos a média do índice ceod foi de 1,56 e 1,98, respectivamente, e nas idades de 12 e 15 anos

o CPOD foi de 1,19 e 2,90, respectivamente. Os índices ceod e CPOD aumentaram significativamente para

todas as idades (teste t pareado, p < 0,01) quando se incluíram as lesões iniciais no exame clínico, resultando em

aumentos percentuais de 29,59% (5 anos), 12,25% (6 anos), 21,71% (12 anos) e 26,82% (15 anos).

A inclusão das lesões iniciais em levantamentos epidemiológicos aumenta significativamente os índices de

cárie requerendo uma reestruturação do planejamento de ações de saúde bucal em serviços públicos.

PO016 Saúde Bucal da População atendida pela estratégia do Programa

de Saúde da Família do Município de Paraíba do Sul (RJ)

Gonçalves RM*, Charone S, Aires DF, Moraes NM, Groisman S

Odontologia Social Preventiva - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. E-mail:

rmgoncalves1980@hotmail.com

A cárie é uma das doenças crônicas mais freqüentes em todo mundo, e causa grande impacto na população,

devido a suas conseqüências debilitantes para saúde dos indivíduos. O objetivo deste trabalho é avaliar a prevalência

da doença cárie na população atendida pela estratégia do Programa de Saúde da Família do município

Paraíba do Sul, tendo como base índice CPOD para dentes permanentes e ceod para decíduos, para isto foi

realizado exame epidemiológico bucal na população escolhida aleatoriamente de diferentes bairros, entre os

dias 16 e 18 de novembro de 2004. Para alcançar os dados o estudo contou com 15 profissionais calibrados, que

atuaram nas equipes de campo situadas em espaços escolares e do PSF. Foram examinadas 1.022 pessoas, sendo

222 com faixa etária de 0-4 anos; 129 de 12 anos; 310 de 15-19 anos; 216 de 34-45 anos e 145 de 65-74 anos,

ambos os sexos. De acordo com levantamento epidemiológico os índices de doença cárie para as faixas etárias

de 0-4; 12; 15-19 anos foi próximo ao valor do SB-BRASIL, por serem respectivamente 1,22; 2,91 e 5,90. Já

para as faixas etárias de 35-44 anos e 65-74 anos os valores são consideravelmente menores 15,17 e 24,88. Com

os resultados foi possível observar que os índices de doença cárie no município estão bem próximos dos valores

encontrados em SB-BRASIL, com valores menores em adultos.

Conclui-se que a prevalência da doença cárie é significativa e o presente estudo poderá contribuir com a perspectiva

de estruturação do sistema de serviço de saúde do município, para que melhores níveis de saúde bucal

sejam alcançados, melhorando a qualidade de vida e melhor inclusão social da população em questão.

27


PO017 O uso do laser fluorescente (Diagnodent) em levantamentos

epidemiológicos para identificação da cárie oculta oclusal

Rando-Meirelles MPM*, Sousa MLR, Wada RS

Odontologia Social e Preventiva - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: mpaula_

rando@yahoo.com.br

O diagnóstico da cárie em levantamentos epidemiológicos normalmente é feito pelo exame clínico bucal com

espelho e sonda específica. Estudos têm descrito a queda na prevalência de cárie, a sua concentração em superfícies

oclusais de molares e a dificuldade de diagnóstico correto, havendo situações em que o exame radiográfico

é utilizado como método auxiliar. Entretanto o transporte e a radiação deste aparelho fez com que pesquisadores

procurassem alternativas. O objetivo deste trabalho foi verificar se o aparelho de laser fluorescente Kavo Diagnodent

(DD) pode ser utilizado como método auxiliar ao exame visual em levantamentos epidemiológicos. A

amostra foi de 90 escolares de 12 a 15 anos, nos quais foram examinadas 408 superfícies oclusais de 1º s e 2º s

molares permanentes, sorteados em 20 Escolas Estaduais. Foi realizado o exame visual (EV) segundo critérios

da OMS (1997). Após, foram realizados os exames radiográfico (RX) com película “insight” a 0,3 s de exposição

e o exame com o DD seguindo normas do fabricante, considerando cárie oculta aquelas identificadas em

dentina. O critério de inclusão do estudo foi a existência de superfícies oclusais hígidas no EV. Usou-se para

análise estatística sensibilidade (SE) e especificidade (ES), valores preditivos positivo (VPP) e negativo (VPN).

Das 408 superfícies, em mais da metade (206) houve coincidência no resultado de ausência de cárie oculta para

ambos os métodos (RX versus DD), seguido de 121 superfícies coincidentes com presença da cárie, resultando

em SE de 0,79 e ES de 0,80, com VPP de 0,80 e VPN de 0,78.

Os dados sugerem que o laser fluorescente auxilia o exame visual na detecção da cárie oculta sendo boa

alternativa ao RX.

PO018 Prevalência da doença cárie e condição periodontal de pacientes

com necessidades especiais da APAE - Piraquara

Romanelli MCMOV*, Czlusniak GD, Virgens-Filho JS, Ditterich RG

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. E-mail: marissol@uepg.br

O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência da doença cárie e condição periodontal utilizando-se

os índices ceo-d e CPO-D, o índice periodontal comunitário (IPC) para dentadura permanente ou mista e

o de alteração gengival (AG) para a dentadura decídua, segundo os critérios da OMS (1999), em pacientes

portadores de necessidades especiais, atendidos na APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais)

de Piraquara-PR. Participaram do estudo 38 alunos (12 do gênero feminino e 26 do gênero masculino) com

idade variando de 3 a 42 anos. Foram avaliados por um examinador calibrado (kappa = 0,93) e dentro das

normas de biossegurança. Os índices CPO-D e ceo-d médios foram iguais a 3,5 e 1,26. Nenhuma diferença

estatística foi encontrada com relação CPO-D e ceo-d e os gêneros, 4,1 (± 4,8) feminino e 3,3 (± 2,3) masculino

com p = 0,937 e 1,2 (± 1,8) com p = 0,540, respectivamente. Quanto ao índide periodontal comunitário

(IPC = 0) foi observado em 64,5% dos 138 sextantes examinados para o gênero masculino, e 74,1% dos 54

sextantes do gênero feminino. Nenhum sinal evidente de inflamação (AG = 0) foi observado nas 6 crianças

examinadas com dentição decídua.

Diante dos resultados, torna-se necessário motivar a atenção odontológica e as práticas preventivas para

a redução da doença cárie evidenciando a necessidade de um atendimento mais adequado aos deficientes

nas instituições nas quais são assistidos.

PO019 Desigualdades na distribuição da cárie e sua relação com diversas

variáveis

Pereira SM*, Ambrosano GMB, Pardi V, Kozlowski FC, Cortellazzi KL, Pereira AC, Meneghim MC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: aletsmp@yahoo.com.br

O objetivo deste estudo foi medir a distribuição da cárie em escolares provenientes de escolas públicas

e privadas da cidade de Piracicaba/SP e sua relação com fatores socioeconômicos, comportamentais e de

acesso aos serviços odontológicos. A amostra foi composta por 824 escolares de 12 anos de idade. Para a

análise da freqüência da distribuição da doença foi aplicado o índice “Significant Caries Index” (SiC), 1/3

da amostra que possui os maiores escores da doença. Um questionário foi aplicado para a avaliação dos indicadores

socioeconômicos e comportamentais. O acesso aos serviços odontológicos foi analisado através do

Índice de Cuidados (“Care Index”). A média do CPOD para a amostra total foi de 1,7 (dp = 2,07), enquanto

que a média para o grupo do “SiC” foi de 4,15 (dp = 1,65), sendo que 90% da doença concentra-se em 40,4%

da amostra. Através do Modelo de Regressão Logística “Stepwise”, as variáveis gênero, freqüência de escovação,

idade de início da escovação e a freqüência de visitas ao dentista apresentaram um papel significante

(p < 0,05) na classificação do indivíduo no grupo do SiC, enquanto a classe socioeconômica foi significante

tanto para o Índice de Cuidados quanto para o Modelo de Regressão Logística (OR = 1,44; 95%IC: 1,185-

1,764; p = 0,0001) na classificação desse mesmo grupo.

Conclui-se que a experiência de cárie para o grupo SiC é mais do que o dobro da experiência de cárie

para os indivíduos da amostra total, refletindo assim, a polarização da cárie no município, sendo o fator

socioeconômico um indicador de maior relevância para tal fato.

PO020 Saúde bucal em adultos no Sudeste de São Paulo, Brasil

Silva DD*, Rihs LB, Sousa MLR

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: diasdeb@yahoo.com.br

Tendo em vista a escassez de trabalhos sobre as condições bucais em adultos, buscou-se analisar a saúde

bucal desta população em relação à cárie dentária, a condições periodontal e protética, segundo a fluoretação

das águas de abastecimento público. Os critérios usados seguiram as recomendações da Organização

Mundial da Saúde (1997). A amostra foi de 1.159 adultos (35 a 44 anos), de 29 municípios representativos

do sudeste do Estado de São Paulo. Foram usados os testes Mann-Whitney e Qui-quadrado (p < 0,05). Dos

examinados, 92,3% eram dentados. O CPOD (21,0) e a média de dentes cariados (1,1) não apresentaram

diferença entre os adultos das regiões com ou sem fluoretação (p > 0,05). As médias de dentes restaurados

(9,81) e presentes (19,3) foram maiores para os adultos da região fluoretada (p < 0,05), entretanto, a

média de dentes perdidos (10,0) foi maior na região sem fluoretação (p < 0,05). A condição periodontal

mais prevalente foi o cálculo (37,9%) e as bolsas periodontais com mais de 6 mm corresponderam a 4,3%

dos examinados. As maiores necessidades de próteses foram as de mais de um elemento (12,8% superior

e 36,0% inferior), sendo que a região com fluoretação apresentou menor número de pessoas que usavam

próteses totais superiores (p < 0,05).

Os dados revelaram alta experiência de cárie e suas conseqüências, bem como um possível efeito benéfico

da fluoretação da água neste grupo etário no controle da cárie dentária. Recomenda-se que mais estudos

sejam realizados visando verificar o motivo das perdas dentais em adultos.

PO021 Efeito de diferentes limiares de diagnóstico para a calibração da

cárie dentária: uma avaliação de 12 meses

Assaf AV*, Meneghin MC, Zanin L, Tengan C, Pereira AC

Odontologia Social e Preventiva - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

thalesam@hotmail.com

Este estudo teve como objetivos: a) analisar a reprodutibilidade intra e interexaminadores no período de calibração,

mediante diferentes limiares de diagnóstico da cárie dentária; b) verificar a validade dos resultados

encontrados por meio do cálculo da sensibilidade (S), especificidade (E) e valores preditivos (positivo-VPP

e negativo-VPN). Para isso um grupo de 11 cirurgiões-dentistas (n = 11), com experiência prévia em levantamentos

epidemiológicos, participou do estudo. Uma fase inicial de treinamento teórico e prático e 5 exercícios

de calibração (inicial, 3, 6, 9 e 12 meses) foram realizados. Os critérios de diagnóstico adotados foram os da

OMS (1997), incluindo-se o registro de lesões iniciais, não-cavitadas e ativas em esmalte (LI). Os exames foram

realizados em crianças de 6-7 anos de idade, sendo que a pré-seleção das mesmas foi de acordo com o índice

ceo e atividade de doença. A análise dos dados foi realizada mediante dois limiares: OMS e OMS + LI, segundo

dente e superfície dentária. Excelentes resultados médios de reprodutibilidade intra e interexaminadores foram

observados para ambos os limiares de diagnóstico durante os períodos de calibração. Quando comparado a

um examinador padrão, verificou-se de baixo a altos valores médios de validade, com perda especialmente

da sensibilidade e valor preditivo positivo, ao se incluírem as lesões iniciais. Em geral, os valores de validade

não apresentaram grandes variações durante as avaliações longitudinais, apresentando maiores valores para o

limiar da OMS.

A metodologia proposta deste estudo foi possível e viável para o emprego em pesquisas epidemiológicas, mesmo

com a inclusão das lesões iniciais.

PO022 A Alta Experiência de Cárie em Escolares de 12 anos de idade da

região sudeste do Brasil

Cypriano S*, Hoffmann RHS, Sousa MLR, Wada RS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS. E-mail: silviacypriano@hotmail.com

Apesar da expressiva melhora em saúde bucal, permanece um grupo de crianças que apresenta elevada

experiência de cárie. Assim, este estudo teve como objetivos: coletar informações epidemiológicas disponíveis

de cárie dentária em escolares aos 12 anos de idade de 29 municípios da região de Campinas e analisar

a distribuição da cárie dentária através do índice CPOD (média de dentes cariados, perdidos e obturados),

do percentual de crianças livres de cárie (CPOD = 0) e do “Significant Caries Index” (SiC) em diferentes

prevalências de cárie. Para o diagnóstico da cárie, utilizou-se a metodologia proposta pela Organização

Mundial da Saúde (1997), totalizando 2.378 exames. De acordo com o CPOD obtido em cada localidade,

obtiveram-se 3 grupos de prevalência: baixa, moderada e alta. No grupo de baixa prevalência 32,4% das

crianças apresentaram CPOD = 0, o CPOD foi de 2,29 e o SiC foi de 4,93. Em moderada prevalência,

obtiveram-se 21,8% de livres de cárie, CPOD de 3,36 e o SiC foi de 6,74. Em alta prevalência apenas 6,9%

eram livres de cárie, o CPOD foi de 5,54 e o SiC foi de 9,62.

Pode-se concluir que há uma grande heterogeneidade na distribuição da cárie dentária, evidenciando-se

grupos da população com elevados níveis de cárie dentária tanto em baixa quanto em moderada e alta prevalências

de cárie. Recomenda-se que outros índices além do CPOD sejam incorporados nas avaliações de

saúde bucal, para que possibilitem planejamentos e intervenções mais adequados a cada realidade.

PO023 Condições de saúde bucal na cidade de Campinas: uma avaliação

crítica

Cortellazzi KL*, Pereira SM, Tagliaferro EPS, Cardoso SV, Pereira AC, Meneghim MC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: karine@merconet.com.br

O objetivo deste estudo foi descrever e discutir a prevalência de cárie e fluorose dentária, a condição

periodontal e de oclusão dentária de 460 pré-escolares e escolares de 5 e 12 anos de idade, examinados

durante o Projeto SB Brasil, na cidade de Campinas, SP, em 2002. Os exames clínicos foram realizados

por dentistas previamente calibrados seguindo a metodologia proposta pela Organização Mundial da Saúde.

Para a idade de 5 anos o ceod foi de 1,68, sendo o componente cariado o de maior prevalência (75,6%), e

5,98% das crianças apresentaram sangramento gengival. Aos 12 anos, o índice CPOD foi de 1,34 sendo o

componente obturado o de maior prevalência (59,43%), seguido do cariado (40,21%). Os resultados também

demonstraram que 35,89% dos escolares aos 12 anos apresentaram má-oclusão, segundo o Índice de Estética

Dentária, e que 28,31% dos sextantes examinados nestes indivíduos apresentaram-se com sangramento

gengival ou cálculo dentário. A prevalência de fluorose aos 12 anos foi de 23,45%, não sendo constatada

a condição severa.

Pode-se concluir que, embora houvesse acesso aos serviços odontológicos a um grupo considerável da população

amostrada, especialmente aos procedimentos curativos, há a necessidade de se adequar as ações,

direcionando procedimentos aos indivíduos de alto risco, cobrindo toda população-alvo e respeitando os

princípios de universalidade e equidade que regem o SUS.

PO024 Fatores de risco associados à fluorose dental com uma população

de baixa prevalência

Balen EA*, Celeste RK, Vecchia GFD, Cerutti D, Fontana-Junior A

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: edbalen@yahoo.com.br

O objetivo foi investigar a associação entre creme dental, suplementos de flúor, flúor gel e bochechos de flúor

com o índice de fluorose Dean e estudar a autopercepção da fluorose. Oitenta e uma crianças diagnosticadas

com fluorose em um inquérito representativo foram pareadas com 81 sem a doença. Foi aplicado um questionário

com 16 perguntas semifechadas para o responsável. Foi perdida 17% da amostra, sendo o mesmo número

em cada grupo. Os resultados, a partir de 67 pares, mostram que não houve associação com fluorose para as

seguintes variáveis: freqüência de escovação, idade para início da escovação, suplementos de flúor, flúor gel

aplicado profissionalmente e bochechos de flúor. Entretanto, crianças de mães que relataram que o filho fazia

ingestão intencional de creme dental tiveram OR = 3,31 (LS = 7,36, LI = 1,50; Qui-quadrado p < 0,01) contra

aquelas que relataram que o filho não consumia nada. Além disso, o fato de a criança utilizar escova adulta

com mais da metade de creme dental ou infantil com creme dental em toda extensão levaram a um aumento

nas chances de apresentar fluorose. Para o caso de escova para adulto o OR = 3,28 (LS = 10,39, LI = 1,07; Quiquadrado

p = 0,03) e escova infantil o OR = 5,38 (LS = 25,57, LI = 1,22; Qui-quadrado p = 0,02). Em relação à

autopercepção da fluorose, 74,6% dos casos não notaram manchamento e 22,4% destas não se incomodam. Para

os controles estes dados foram respectivamente de 85,3% e 14,7%.

Conclui-se que os fatores relacionados ao uso do creme dental são os principais fatores associados ao aumento

do risco à fluorose nesta comunidade de prevalência moderada e baixa severidade. A autopercepção de manchas

brancas parece não ser relacionada à presença de fluorose.

28 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 28

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PO025 Flúor em Saúde Pública: conhecimento, ações e dificuldades de

coordenadores municipais de saúde bucal de Santa Catarina

Cascaes AM*, Kamimura LCB, Peres MA

Saúde Pública - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. E-mail:

andreiacascaes@hotmail.com

O objetivo deste estudo foi aferir o grau de conhecimento dos coordenadores ou responsáveis pelos serviços

de saúde bucal de municípios de Santa Catarina sobre o uso de fluoretos em Saúde Pública. Uma amostra de 60

municípios, dentre os 293 existentes em Santa Catarina, foi investigada. Foi elaborado um questionário, pré-testado,

enviado via postal aos municípios. Aspectos referentes às diversas formas de utilização de fluoretos, como

água de abastecimento, dentifrício, gel, solução, verniz e suplementos foram investigados. Adicionalmente os

coordenadores foram questionados sobre informações epidemiológicas de cárie dentária no município. Constatou-se

que 86% dos municípios consomem água fluoretada, sendo que, 47% destes instituíram o heterocontrole

dos teores de flúor nas águas de abastecimento público. A fluoretação das águas abastecimento público

não foi considerada um método seguro por 15% dos participantes devido à ausência de sistemas de vigilância

sanitária dos teores de flúor de maneira sistemática e abrangente. As recomendações sobre o uso de fluoretos

em Programas de Saúde Bucal Coletiva foram respondidas corretamente pela maioria dos pesquisados. Quase

a totalidade soube informar sobre a existência de estudos epidemiológicos de cárie dentária em seu município.

Por outro lado, o custo da fluoretação é ignorado pela maioria dos pesquisados. Uma parte considerável (30%)

dos pesquisados revelou recomendar suplementos de fluoretos para gestantes a fim de beneficiar a saúde bucal

de seus filhos.

Aspectos fundamentais sobre a utilização de fluoretos são desconhecidos por parte considerável dos coordenadores

municipais de saúde do estado de Santa Catarina.

PO026 Atenção à saúde bucal na Bahia: processo de descentralização,

oferta de serviços e experiência de cárie dentária

Barros SG*, Vianna MIP, Chaves SCL

Odontologia Social - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. E-mail: sgdbarros@ig.com.br

Este estudo descritivo analisou a atenção à saúde bucal em 11 municípios da Bahia, a partir da experiência

de descentralização, da oferta de serviços e cárie dentária na população de 15 a 19 anos. A análise foi realizada

por agregados, caracterizando um estudo do tipo ecológico, utilizando dados secundários. Para cada

um dos municípios foram delineados o perfil sociodemográfico, a caracterização do sistema municipal de

saúde, a oferta de serviços odontológicos, a partir do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA-SUS),

e a prevalência e severidade da cárie dentária dos 15 aos 19 anos, obtidas a partir do banco de dados do

levantamento das condições de saúde bucal da população brasileira, concluído pelo Ministério da Saúde no

ano de 2003. Foi possível verificar que a descentralização das ações e serviços de saúde no âmbito do SUS

não tem correspondido ao aumento da cobertura de 1ª consulta odontológica, mas tem contribuído para a

expansão da oferta de serviços ambulatoriais e coletivos em saúde bucal. Apesar da redução da participação

percentual dos procedimentos cirúrgicos na produção ambulatorial, estes ainda prevalecem como principal

tipo de serviço ofertado em municípios de pequeno porte, onde também encontra-se a pior qualidade no

registro das informações no SIA-SUS. Para todos os municípios, o registro de Procedimentos Coletivos é o

que apresenta maiores problemas.

A metodologia adotada permitiu a análise proposta, apesar dos problemas encontrados no registro de informações

no SIA-SUS, e aponta para a necessidade de sensibilização e capacitação dos profissionais para

manejo adequado dos sistemas de informação e sua utilização como ferramentas de gestão.

PO027 Análise descritiva dos procedimentos odontológicos no Sistema de

Informação de Gerenciamento Ambulatorial Básico (SIGAB)

Mendes SF*, Portela MC, Castro RAL

Escola Nacional de Saúde Pública - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. E-mail:

simone.mendes@ensp.fiocruz.br

Sistema de informação em saúde é o mecanismo de coleta, processamento, análise e transmissão da informação

necessária para organizar e operar os serviços de saúde, sendo também necessário para investigação

e planejamento com vista ao controle de doenças. Dentre os inúmeros sistemas de informação atualmente

existentes, destaca-se o Sistema de Informação de Gerenciamento Ambulatorial Básico (SIGAB) que contém

informações a respeito dos cuidados em saúde na esfera municipal do Sistema Único de Saúde (SUS).

Dessa forma, são incluídos procedimentos odontológicos em diversos níveis de complexidade. O objetivo

deste estudo foi analisar de maneira descritiva os procedimentos odontológicos presentes no SIGAB do

Município do Rio de Janeiro no ano de 2003. Os dados do ano de 2003 disponibilizados pela Secretaria

Municipal de Saúde (SMS) desse Município foram analisados utilizando-se o pacote estatístico SAS.

Como resultado, foi observado que dos 4.896.720 procedimentos listados nesse sistema de informação em

2003, 1.088.985 (22,24%) eram procedimentos odontológicos. Do total de procedimentos, 1,58% (77.127)

eram consultas odontológicas de primeira vez, 14,28% (699.081) procedimentos odontológicos preventivos,

3,83% (187.777) restaurações básicas, 1,31% (64.385) periodontia básica, 0,84% (41.265) cirurgia oral,

0,40% (19.555) procedimentos odontológicos especializados.

Foi possível concluir que os procedimentos odontológicos (especialmente os preventivos) representam uma

parte significativa do total de procedimentos ambulatoriais prestados.

PO028 Polarização da cárie dental entre adolescentes de Santa Bárbara

d’Oeste, São Paulo

Vásquez RAC*, Vale GC, Hugo FN, Cypriano S

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail: renzetor@yahoo.com

Apesar de diversas evidências mostrarem uma associação entre polarização de cárie e fatores socioeconômicos

em crianças, há poucas evidências entre adolescentes. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência

de cárie e o índice SiC e avaliar o papel de variáveis socioeconômicas e de autopercepção da saúde bucal na

polarização de cárie entre adolescentes (15 a 18 anos) em Santa Bárbara D’Oeste, SP. Em 2002, foi realizado

um estudo transversal com 277 adolescentes. A amostra foi aleatória e o tamanho da amostra definido de acordo

com os critérios da OMS. O exame CPOD foi realizado por 5 dentistas previamente treinados (k-intra > 0,96

e k-inter de 0,91 a 0,96) seguindo os critérios da OMS (1997). A autopercepção da saúde bucal, o acesso aos

serviços de saúde e variáveis sociodemográficas foram avaliadas por meio do formulário do estudo SB Brasil

(2000). Foram realizados teste t de Student, teste qui-quadrado e regressão logística multivariada tendo o SiC

como desfecho. O valor para rejeição da hipótese nula foi p ≤ 0,05. A média do CPOD foi de 5,48 (± 4,22) e a

proporção de livres de cárie foi de 15,5%. A média do CPOD (9,71 ± 2,85) e a média do C (1,67 ± 2,18) dos

indivíduos SiC positivo foram significativamente maiores que a média do CPOD (2,88 ± 2,17) e a média do C

(0,45 ± 0,87) dos SiC negativo, p < 0,0001. Houve diferença significativa entre as médias de dentes cariados entre

brancos [0,76 (± 1,51)] e não brancos [1,32 (± 2,01)], p = 0,016. A única variável associada com o desfecho

SiC positivo foi dor de dente nos últimos 6 meses [OR = 1,83 (1,08 a 3,12)], p < 0,0001.

O desfecho SiC foi associado com dor de dente, mas não com fatores sociodemográficos na amostra estudada.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PO029 Inserção do dentista no programa de saúde PAIDÉIA:

desempenho na construção de uma nova agenda de saúde

Cerávolo MCS*, Queluz DP

Odontologia Social e Preventiva - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

mcceravolo@terra.com.br

O objetivo deste estudo é identificar o desempenho do dentista inserido no programa de saúde PAIDÉIA,

engajado na inversão do modelo assistencial. A coleta de dados foi realizada através de aplicação de questionários

em 200 dentistas da Secretaria Municipal de Campinas que integram o programa PAIDÉIA em 47

distritos de saúde. Foram analisados os questionários de 121 dentistas, sendo 76 do sexo feminino e 45 do

sexo masculino; na faixa etária de 27 a 67 anos, com tempo de trabalho na prefeitura de 6 meses a 42 anos

(65% de 6 a 15 anos); com forma de contratação por concurso público (90%); com jornada de trabalho de 20

horas para 52% e de 36 horas para 40%; sendo que 109 dentistas (90%) participam das reuniões de equipes

multidisciplinares de sua unidade básica de saúde com periodicidade semanal (72%); considerando a sua

participação muito importante (54%); estabelecendo vínculos com as famílias cadastradas de sua área de

abrangência (39%), trabalhando a equipe com critérios de risco para a identificação dos indivíduos/famílias

mais vulneráveis (88%); levando em consideração a classificação de risco para efeito da organização do

agendamento (86%).

Concluímos que a inserção do dentista no programa PAIDÉIA encontra muitos desafios que deverão ser

repensados. O novo modelo assistencial em todo o Brasil está sendo lapidado e se torna inevitável que se

busque um grande aprofundamento nas transformações ocorridas na forma de se fazer saúde.

PO030 Declínio de cárie dentária e a incidência de fluorose em hebiatras

Da-Silva RPR*, Goya S, Santanna RMF, Araújo JJ, Mendes-Silva H, Sales-Peres A, Bastos JRM,

Sales-Peres SHC

Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: pianta@usp.br

Os dados na literatura indicam que o declínio na prevalência e na incidência da cárie dentária parece estar

relacionado a maior incidência de fluorose. Este trabalho objetivou avaliar a prevalência de cárie dentária e

a ocorrência de fluorose em hebiatras, no município de Maringá-PR. Foram examinados 1.781 adolescentes

da faixa etária de 11 a 15 anos de idade, utilizando-se o formulário da OMS para cárie dentária e fluorose.

Os dados foram tabulados no Epi-Info 6.04, e os resultados apresentados por meio de freqüência relativa

(p < 0,05). O CPOD aos 11 anos foi de 1,05, aos 12 anos 1,25, aos 13 anos 1,75, aos 14 anos 2,36 e aos 15

anos 2,80. O percentual de adolescentes livres de cárie aos 11 anos foi 47,75%, aos 12 anos 50%, aos 13 anos

49,44%, aos 14 anos 35,46% e aos 15 anos 34,92%. Dos hebiatras examinados 82,04% não apresentavam

sinais de fluorose dentária, sendo a maioria encontrada em graus muito leve e leve, e apenas 0,33% apresentaram

o grau moderado, não sendo encontrado nenhum caso de fluorose severa.

Conclui-se que ocorreu declínio na prevalência de cárie dentária, sem elevar consideravelmente a incidência

e a severidade da fluorose na população estudada, demonstrando que o uso de fluoretos de forma

adequada pode ser utilizado como uma medida de saúde pública.

PO031 Professor: agente socializador de conhecimento em saúde bucal

Vellozo RCADM*, Queluz DP, Nunes LMN, Pereira AC, Batista SPR

Odontologia Social - FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA. E-mail:

rjdm@acessototal.com.br

O presente estudo visa avaliar a percepção em relação à saúde bucal, dos professores e funcionários de

1º ao 4º anos das escolas públicas estaduais e municipais selecionadas aleatoriamente da cidade de Campos

dos Goytacazes-RJ. A coleta de dados foi realizada através da aplicação de questionários a 167 professores

e funcionários de 8 escolas. A análise dos resultados demonstraram que são: 154 do sexo feminino e 13 do

sexo masculino; 110 de escolas municipais e 57 de escolas estaduais; grau de escolaridade: 78 com nível

superior, 55 com segundo grau, 34 com primeiro grau; Cargo: 11 secretárias/auxiliares, 82 professores, 26

auxiliares de serviços gerais, 8 diretores/vice, 40 outros; sendo que a maioria apresenta: mais de 5 anos de

tempo de serviço na escola (64%); sabe sobre a técnica de escovação adequada (87%), utiliza fio dental

(88%); sabe qual é a escova dental ideal (69%); recebeu informação sobre saúde bucal (88%). Foi observado

associação significativa (p < 0,005) entre orientação sobre saúde bucal e hábitos de higiene (técnica de escovação,

utilização de fio dental, conhecimento sobre escova ideal), entretanto não significativa em relação

a métodos preventivos e educativos. Os professores e funcionários acreditam que palestras são as melhores

formas de trabalhar a saúde bucal. Houve dificuldade dos professores em elaborar conceitos relativos à educação

em saúde bucal, mas reconheceram-se como agentes socializadores destas informações.

Concluímos a necessidade de se desenvolverem projetos nas escolas que permitam trabalhar a saúde de

forma integrada e participativa, fazendo com que professores e funcionários passem de receptores de informação

para agentes multiplicadores da saúde.

PO032 Elevação da qualidade de vida e condição de saúde bucal em

famílias do DF: medidas preventivas e promocionais funcionam?

Malnati PS*

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. E-mail: malnatipri@yahoo.com.br

Esse estudo busca avaliar a eficiência de medidas preventivas e promocionais em famílias de baixa renda e

sem acesso ao sistema de saúde público no Distrito Federal. Quatro famílias foram escolhidas aleatoriamente

e acompanhadas durante 1 ano. O estudo foi dividido em duas etapas de seis meses. Na primeira, realizaramse

palestras educativas, debates e esclarecimento de dúvidas de cada família em visitas mensais. No segundo

semestre as famílias foram avaliadas e depois motivadas a melhorarem a higiene bucal. Para o estudo foi

usado o IPV (índice de placa visível) e o CPOD (dentes cariados perdidos e obturados), iniciais, mensais e finais.

Por fim foi aplicada uma entrevista para avaliar, segundo a opinião dos beneficiados, se houve mudanças

na condição de saúde e qualidade de vida. Os resultados foram positivos, houve diminuição do IPV na

maioria dos participantes e uma modificação do CPOD: com aumento de manchas brancas inativas e lesões

cronificadas. Observou-se também melhora da Gengivite e do sangramento gengival durante a escovação.

Assim, conclui-se que as medidas preventivas e promocionais são eficazes uma vez que diminuíram a atividade

das doenças bucais mais prevalentes. Mas necessitam de acompanhamento profissional periódico

pois as famílias que tiveram acompanhamento mensal apresentaram melhoras mais significativas que as

outras.

29


PO033 Níveis de contaminação de chumbo em indivíduos residentes em

uma área contaminada na cidade de Bauru - SP

Rodrigues MHC*, Ramires I, Maria AG, Furlani T, Bardal PAP, Barbosa-Junior F, Santos JET,

Buzalaf MAR

Ciências Biológicas - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: helocorrea@yahoo.

com.br

Apesar das medidas de controle estabelecidas por lei, intoxicações aguda e crônica por chumbo ocorrem no

Brasil. O chumbo é um poluente ambiental comumente encontrado em cidades industrializadas, particularmente

nas regiões próximas a fábricas de baterias, semelhantes às existentes em Bauru. Este estudo objetivou avaliar a

concentração de chumbo no sangue total de moradores de uma área de Bauru, expostos a este tipo de contaminação.

Para tanto, foram coletadas amostras de sangue de 244 indivíduos adultos de ambos os sexos, fumantes

e não fumantes, após assinatura do termo de consentimento previamente aprovado pelo Comitê de Ética em

Pesquisa. A análise do sangue total foi realizada utilizando um espectrômetro de absorção atômica Perkin-Elmer

modelo 4100 ZL equipado com sistema de correção de fundo por efeito Zeeman e forno de grafite com plataforma

integrada e aquecimento transversal. Níveis inferiores a 10 µg/dL são considerados normais. Em 1994, a

Organização Mundial de Saúde definiu também que níveis superiores a 10 µg/dL no sangue indicam exposição

ao metal. A concentração de chumbo nas amostras de sangue variou de < 1,0 a 42,8 µg/dL. Cerca de 86% das

amostras apresentaram uma concentração inferior a 10 µg/dL e 14% superior a este valor.

O monitoramento epidemiológico do chumbo deveria ser feito com regularidade em cidades industrializadas

como forma de prevenir a ocorrência de efeitos adversos à saúde da população, causados pelo chumbo.

PO034 Percepção dos cuidadores domiciliares sobre a saúde bucal de

pacientes portadores de necessidades especiais

Patzsch ACC, Fraiz FC*

Estomatologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. E-mail: fabianfraiz@uol.com.br

Este estudo pesquisou a percepção sobre a saúde bucal de cuidadores domiciliares de portadores de necessidades

especiais (PNEs). Foram entrevistados 87 cuidadores de PNEs do Núcleo de Assistência Integral ao

Paciente Especial – Joinville. Os PNEs tinham idade média de 10,03 (± 5,66) anos. A partir de um formulário

com questões abertas, as respostas foram analisadas através da metodologia proposta por Lefèvre e Lefèvre

(2000). No texto narrativo (gravado e transcrito) foram identificadas expressões chaves (ECs) e idéias

centrais (ICs) e criadas categorias quantitativas. A análise qualitativa foi realizada a partir da interpretação

do discurso do sujeito coletivo (DSC), sendo que para sua construção, após o agrupamento das ICs de sentidos

equivalentes, as ECs foram seqüenciadas obedecendo a uma sistemática clássica de elaboração de texto

buscando coesão de discurso. Os principais resultados quantitativos foram: 52,8% dos cuidadores acharam

que sua saúde bucal não é boa ou poderia ser melhor; 43,7% disseram que saúde bucal de seus filhos não é

boa ou poderia ser melhor e 58,6% afirmaram que para melhorar a saúde bucal de seus filhos era necessário

higiene domiciliar, orientação e acompanhamento odontológico. A avaliação qualitativa permitiu uma aproximação

com o contexto sociocultural da população estudada, diminuindo-se a possibilidade de vieses.

Conclui-se que existem importantes contradições entre os achados quantitativos (análise descritiva) e qualitativos

(análise do DSC) sendo que a construção do DSC representa mais fielmente as crenças e opiniões

dos cuidadores.

PO035 Atenção à saúde bucal de pacientes HIV +: uma experiência

centrada em pesquisa, assistência, solidariedade e cidadania

Silveira FM*, Valladares CP, Noce CW

Odontotécnica - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. E-mail: flaviamaia@globo.com

O objetivo do estudo foi analisar um programa de atenção à saúde bucal de pacientes HIV +, onde além da

pesquisa e assistência odontológica, enfoca-se a solidariedade e estímulo à cidadania, com ações de promoção

de saúde integrais e participativas. Foi realizado com 224 pacientes (179 adultos/45 crianças) e 8 profissionais

da Coordenação de AIDS do Hospital Universitário Antônio Pedro-UFF, de maio/03 a março/05. Foram obtidos

dados quantitativos através de exames clínicos e laboratoriais, e dados qualitativos através de metodologia participativa

com análise de diário de campo e entrevistas realizadas nas ações integradas de assistência odontológica

e promoção de saúde que o estudo propôs. Os resultados dos exames mostraram médias de CPOD = 16,41/

CEO = 4,06; 28,6% apresentavam lesões orais (candidíase a mais freqüente, 13,9%); após as ações de promoção

de saúde, 63,41% tiveram redução do índice de biofilme (McNemar; p = 0,000) e 62,8% no Índice Periodontal

Comunitário (McNemar; p = 0,000), demonstrando melhora estatisticamente significativa nas condições de

higiene bucal e saúde periodontal. Quanto aos dados qualitativos, pacientes e profissionais foram unânimes na

percepção da importância do Programa num ponto fundamental na área da saúde: compromisso e responsabilidade

na qualidade da atenção integral ao paciente, com ética e solidariedade.

Concluiu-se que o Programa em questão, além de promover a saúde bucal e favorecer a qualidade de vida

dos pacientes, contribui para integrar comunidade envolvida – Universidade; favorece a superação do assistencialismo,

estimulando a participação com responsabilidade e cidadania, e possibilita colocar a pesquisa a

serviço de usuários do SUS.

PO036 Observação da ausência dentária associando-a ao grau de

instrução e ao nível socioeconômico da população estudada

Santos SM*, Dias LFM, Papa VNU, Stegun RC, Costa B

Prótese - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail: sergiomsantos@ig.com.br

Este estudo teve como objetivos: analisar a ausência de dentes e associar essa ausência ao grau de instrução

e ao nível socioeconômico da população estudada, com o propósito de auxiliar em futuros programas preventivos

em saúde coletiva e estabelecer a necessidade de reabilitação protética. Os dados foram coletados

por meio de questionários e exames não invasivos de 448 indivíduos com idade entre 14 e 88 anos. Foram

divididos em grupos quanto ao grau de instrução: 1-analfabeto/primário incompleto, 2-primário completo/ginásio

incompleto, 3-ginásio completo/colegial incompleto e 4-colegial completo/superior incompleto;

a classificação do nível socioeconômico se deu de acordo com a soma da posse de bens: a classe A tinha

valores maiores ou iguais a 25 pontos; B, entre 17-24; C, entre 11-16; D, 6-10 e E, valores < 6. Associados

todos ao número de dentes ausentes. Dos 12.544 dentes esperados, foram encontrados 7.866 dentes, dando

um total de 4.678 (37,3%) de dentes ausentes, destes 62% no grupo 1, 44,3% no grupo 2, 30% no grupo 3

e 18,9% no grupo 4; em relação às classes: 34,5% eram da classe C e 40% da D. Na associação das classes

com os grupos, a classe D sempre aparece com o maior número de dentes ausentes, sendo mais representativo

nos grupos 1-analfabeto/primário incompleto (78%) e 2-primário completo/ginásio (57%).

Observou-se que quanto menores o grau de instrução e o nível socioeconômico de um indivíduo há um

maior número de dentes ausentes.

PO037 Crença popular: relação do consumo de antibiótico e cárie

Carrilho SL*, Volschan BCG

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. E-mail: stlcarrilho@hotmail.com

Quando as crianças adoecem, seus responsáveis tornam-se menos exigentes em relação ao controle dietético

e aos cuidados de higiene bucal dos filhos, aumentando assim a suscetibilidade à cárie. Por outro lado,

observa-se com freqüência que os pais responsabilizam a ocorrência de problemas dentários dos filhos ao

consumo de antibiótico. O presente trabalho visa avaliar a existência e a influência desta crença na saúde

bucal infantil. Sendo assim, foi realizada entrevista com 51 responsáveis de crianças de 0 a 5 anos de idade

que aguardavam atendimento pediátrico em um hospital da rede pública do município do Rio de Janeiro.

O questionário constou de 7 perguntas fechadas, as quais abordavam a experiência de cárie da criança, freqüência

de episódios de doenças e de hospitalizações, consumo de antibiótico, e a opinião dos responsáveis

sobre a relação entre antibiótico e cárie. A análise dos resultados mostrou que 78,8% dos entrevistados

associam o consumo de antibiótico à ocorrência de cárie e 33,3% justificaram sua opinião baseada no consenso

popular de que o antibiótico traz malefícios aos dentes. A opinião dos pais não foi justificada pelo

acometimento de cáries e/ou uso de antibióticos, uma vez que não foi encontrada correlação entre estes

fatores (teste qui-quadrado).

Os resultados demonstram que o conhecimento popular equivocado faz com que as pessoas não se questionem

sobre suas próprias experiências. Desta forma, verifica-se a necessidade de esclarecer o assunto à

população a fim de evitar as influências negativas sobre a saúde bucal.

PO038 Universalidade das ações e Integralidade dos profissionais das

Equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde

Silva FSJFB*, Garbin CAS, Moimaz SAS, Saliba NA

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. E-mail:

fabiolaferro@terra.com.br

A inserção das Equipes de Saúde Bucal na Saúde da Família teve como intuito a melhora do quadro epidemiológico

brasileiro com o desafio de ampliar o acesso às ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde

bucal na população. Utilizando-se uma abordagem quanti-qualitativa, através da pós-categorização de respostas

fornecidas por um questionário semi-estruturado e auto-aplicado a 76 Agentes Comunitários de Saúde inclusos

no Programa de Saúde da Família de Araçatuba-SP, o qual abrangia questões sobre ações de capacitação e educação

continuada voltadas para a saúde bucal, participação em atividades de promoção e prevenção, bem como

a disponibilidade e fornecimento de recursos materiais para o desenvolvimento destas. Objetivou-se avaliar a

presença de forças tarefas específicas das ações, e integralizadas entre os profissionais destas equipes e seus

respectivos Agentes Comunitários de Saúde. Os resultados mostraram a não participação dos profissionais da

saúde bucal em reuniões com os demais, a capacitação nesta área através de um único dia de treinamento introdutório,

que por sua vez reflete nas poucas ações de promoção, prevenção e educação eficazmente realizadas

pelos Agentes, e a falta de fornecimento e disponibilidade de recursos materiais necessários para a realização

de atividades nesta área.

Concluiu-se que há necessidade de uma maior interação entre estes profissionais e um processo educativo e

continuado aos Agentes no sentido de que sejam multiplicadores e vigilantes das famílias de forma a causar um

real impacto na melhoria das condições de saúde da comunidade, considerando a promoção em saúde bucal

como instrumento indispensável ao processo de construção social.

PO039 Saúde bucal de pré-escolares e escolares do município de

Araraquara

Silva SRC*, Andrade CEF, Alves RX

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARARAQUARA. E-mail:

srcs@terra.com.br

Este estudo teve por objetivo avaliar as condições de saúde bucal, de escolares e pré-escolares, do município

de Araraquara, SP, no ano de 2004, bem como a tendência de cárie após 41 anos de fluoretação das águas de

abastecimento público no município. O estudo consistiu na realização de exame clínico em 1.297 crianças de 5 a

12 e 15 anos de idade, matriculados em estabelecimentos públicos de ensino do município, selecionadas através

de amostragem sistemática. Foram aplicados os seguintes índices: CPOD e ceod para a cárie dentária, CPI para

a doença periodontal, Dean para a fluorose e DAI (“Dental Aesthetic Index”) para a má-oclusão. Para analisar

a tendência de cárie nos últimos 41 anos foram utilizados dados secundários dos anos de 1979, 1989 e 1995.

As crianças com 5 anos de idade apresentaram ceod de 1,62 e 55% delas eram livres da doença. Aos 12 anos, o

CPOD foi de 2,01. Após 41 anos de fluoretação, a redução do índice CPOD foi de 65%, sendo observada redução

de 41% nos últimos 9 anos. A fluorose foi diagnosticada, principalmente nas formas “muito leve” e “leve”,

em 50,6% das crianças com 12 anos. Aos 15 anos, cada adolescente apresentava, em média, 3,04 sextantes

sadios, sem doença periodontal e 71,8% não apresentavam alterações na estética dentária.

Foi observado um importante declínio da cárie dentária entre escolares e pré-escolares de Araraquara, quando

se compara com dados dos últimos levantamentos, porém esta ainda continua sendo um importante problema de

saúde pública, assim como as outras doenças bucais pesquisadas. (Apoio: FUNDUNESP.)

PO040 Reprodutibilidade da autopercepção em saúde bucal e da avaliação

clínica

Pinelli C*, Loffredo LCM

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARARAQUARA. E-mail:

cpinelli@foar.unesp.br

A reprodutibilidade da autopercepção em saúde, ou seja, a consistência dos dados quando o exame se repete,

é constatada na literatura como maior para o relato do paciente do que para avaliação clínica médica. Em

Odontologia, a utilização de medidas de autopercepção tem sido incentivada por contribuir na descrição e monitoramento

da saúde bucal, determinar necessidades de tratamento e identificar populações-alvo, tanto em saúde

pública, quanto na prática clínica. Com o objetivo de determinar a reprodutibilidade da autopercepção em saúde

bucal e da avaliação clínica odontológica, 200 adultos de 35 a 44 anos de idade foram entrevistados, por meio

de um formulário de autopercepção, e examinados, segundo formulário da Organização Mundial da Saúde, em 2

momentos distintos, por 1 examinador calibrado. Utilizou-se o programa EPI Info 6.04 e aplicou-se a estatística

kappa (k), para determinar a reprodutibilidade intra-examinador da autopercepção e da avaliação clínica. A

classificação da concordância seguiu padrões propostos por Landis & Koch (1971). Para a autopercepção, a

reprodutibilidade foi boa, para as condições de cárie dentária (k = 0,69) e das necessidades protéticas (k = 0,75);

e foi ótima, para condições periodontais (k = 0,81) e protéticas (k = 0,90). Para a avaliação clínica, a reprodutibilidade

foi boa para condição periodontal (k = 0,73) e ótima, para condição de cárie dentária (k = 0,93), protética

(k = 0,97) e de necessidades protéticas (k = 0,90).

A autopercepção em saúde bucal e a avaliação clínica do examinador, por meio da ficha da OMS, alcançaram

excelente nível de reprodutibilidade, constituindo-se em parâmetros altamente confiáveis em saúde bucal.

30 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 30

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PO041 Estudo de prevalência do Índice de Desgaste Dentário (IDD)

Mendes-Silva H*, Sales-Peres SHC, Sales-Peres A, Lauris JRP, Bastos JRM, Buzalaf MAR

Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: henriqmendes@yahoo.com.br

Tendo em vista a possibilidade da erosão causar desgaste dentário, associada a outro fator causal como

atrição, abrasão e abfração, este estudo teve por objetivo identificar a prevalência de desgaste dentário e

fatores de risco, em indivíduos de 19 a 23 anos de idade. A amostra foi constituída por 100 jovens, estudantes

universitários, selecionados de forma aleatória e sistemática. Foi aplicado um questionário e em seguida foi

realizado exame utilizando-se um índice de desgaste dentário (IDD). O questionário contendo 18 questões

sobre hábitos diários, que recebeu escores 0-1 e dividindo em muito baixo, baixo, moderado e alto risco de

desgaste dentário. O único examinador foi devidamente calibrado (kappa > 0,85). Os dados foram tabulados

no Epi-Info 6.0. Utilizou-se freqüência relativa para análise estatística (p < 0,05). O IDD foi proposto para

avaliar dentes decíduos e permanentes, no qual utilizou-se como código letras e números, respectivamente.

Foram avaliadas 8.400 superfícies dentárias, sendo que 72,3% apresentaram-se sem desgaste, 19,0%

estavam incipientes, 4,1% moderada, severa 2,6%, 1,3% restaurada e 0,7% sem registro. Os dentes mais

acometidos foram os incisivos superiores e molares inferiores. Relacionando o questionário às condições

dentárias pode-se observar que todos os indivíduos que apresentaram desgaste dentário (27%) apresentaram

escore de risco entre moderado e alto.

Pode-se concluir que, em função do aumento na incidência e da dificuldade do diagnóstico do desgaste

dentário, a padronização da investigação é de grande relevância para estudos epidemiológicos.

PO042 Remineralização de Manchas Brancas Cárie-Ativas com uso de

Flúor-Xilitol

Araújo JJ*, Goya S, Sales-Peres SHC, Santanna RMF, Mendes-Silva H, Silva RPR, Sales-Peres A, Bastos JRM

Pós-Graduação - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: jujulianelli@uol.com.br

Este trabalho visa demonstrar as possibilidades de uso do xilitol na remineralização de manchas brancas

cárie-ativas com a utilização de um complexo flúor-xilitol. Foi realizado um estudo longitudinal com duração

de 24 meses, abrangendo escolares com idade média de 9 anos (n = 335), que foram divididos em 4

grupos, recebendo aplicações tópicas semanais durante 3 meses: Grupo A (NaF 2% em pH neutro); Grupo B

(gel de APF 1,23% F - em pH 3,0-3,5); Grupo C (gel de xilitol a 35% em pH neutro) e Grupo D (solução de

xilitol 10% pH neutro + NaF 2%). Após esta fase foi iniciada educação em saúde bucal e escovação supervisionada,

sendo Grupo A (dentifrício com NaF 1.100 ppm F em pH neutro); Grupo B (dentifrício com NaF

1.100 ppm F em pH 5,5); Grupo C (dentifrício contendo xilitol 10% em pH neutro) e Grupo D (dentifrício

com NaF 1.100 ppm F acrescido de xilitol 10%). Os dados “baseline” referentes aos valores do índice CPOS

foram analisados, obtendo-se os seguintes valores: A = 0,88; B = 0,82; C = 0,95; D = 0,84. O número inicial

de manchas brancas cárie-ativas foi de 244, sendo A = 63; B = 58; C = 59; D = 64. Após um período de 1

ano foram encontrados: CPOS de 0,96; 0,96; 1,11; 1,02, nos respectivos grupos A, B, C e D; e restaram 83

manchas brancas ativas, sendo grupo A = 23; B = 23; C = 26; D = 11.

Pode-se concluir que o uso do complexo flúor-xilitol pode ser adotado como método adicional e benéfico no

processo de “ajuste fino” no combate à cárie dentária. (Apoio financeiro: CNPq 303426/2002-0.)

PO043 Relação entre uso de serviços odontológicos e desigualdades

sociais: um estudo de base populacional em idosos

Biazevic MGH*, Michel-Crosato E, Crosato E, Nardi A

Ciências Biológicas e Saúde - UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA. E-mail:

gbiazevic@hotmail.com

Objetivou-se analisar associação entre desigualdade social e utilização de serviços odontológicos de população

idosa. Trata-se de estudo seccional. Participaram do estudo 183 idosos selecionados através de amostra por

conglomerado. Para verificar desigualdade social foi utilizado Critério ABIPEME. Instrumento de entrevista

estruturado foi aplicado para analisar utilização dos serviços de saúde. Foram utilizados os testes de Mann-Whitney

e Qui-Quadrado (significância de 5%). Dentre os 183 idosos, 84,15% (n = 154) foram atendidos por médico,

22,40% (n = 41) foram atendidos por cirurgião-dentista, e 2,73% (n = 5) foram atendidos por dentista prático;

28,42% (n = 52) foram atendidos por enfermeiro, e 45,90% (n = 84) receberam visita domiciliar de agente comunitário

de saúde. Além disso, 20,77% (n = 38) receberam atendimento farmacêutico. Do total de participantes

8,20% procuraram por tratamento odontológico de urgência, 15,85% procuraram por atendimento odontológico

curativo, e 2,73% por motivo de prevenção. Os tipos de serviço odontológico procurados foram: dentista particular

(14,75%), SUS (4,37%) e serviço universitário (1,09%). Os homens tenderam a realizar mais procura

por dentistas práticos do que as mulheres (p = 0,013) e as mulheres tenderam a receber mais visitas de agentes

comunitários de saúde (p = 0,018). Pessoas com pior condição socioeconômica tenderam a ser mais atendidas por

enfermeiros (p = 0,003) e por agentes comunitários de saúde (p = 0,001).

A população idosa teve acesso a serviços odontológicos. A condição socioeconômica mostrou-se relacionada

com atendimento realizado por enfermeiros e por agentes comunitários de saúde.

PO044 O uso do marketing televisivo a serviço da relevância social e do

desenvolvimento do mercado de trabalho

Coelho MF*, Cavalcanti BN, Neves ACC, Rode SM

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ. E-mail: maricafreire@hotmail.com

O desenvolvimento do mercado de trabalho deve contemplar o cenário do exercício da odontologia em

nosso país e o acesso da população aos serviços de saúde. Porém, observar os dados que ilustram o panorama

atual da saúde bucal no país não é suficiente para atender as “demandas esquecidas” de 30 milhões de

brasileiros que nunca foram ao consultório dentário. Cabe esclarecer que 90% dos brasileiros possuem TV

(Brasil, 2002) e que a mídia é concessão pública que deve prestar serviço à sociedade. Assim, seu alcance

e sua abordagem devem ser mais exploradas na odontologia, esclarecendo a população quanto aos avanços

e à qualidade de vida propocionada, desde que busque o bem, sem infringir a ética profissional. O objetivo

deste trabalho é apresentar duas maneiras pelas quais a TV no desenvolvimento do mercado de trabalho com

reflexos na qualidade de vida da população.

O mercado encontra-se extremamente dinâmico, exigindo do profissional a atualização constante. Assim, o

projeto do canal de TV para a Odontologia, através de uma transmissão via satélite (ex.: Sky), poderia ser

um espaço para o profissional e o acadêmico se manterem informados. Obviamente os custos apresentados

são relativamente elevados. Por outro lado, no caso de inserções comerciais, em canais abertos, o formato

aproxima as empresas anunciantes de produtos odontológicos ao profissional e os dois conjuntamente à

população, aumentando o poder de persuasão de um creme dental ou de um fio dental, por exemplo. Já no

caso do canal de odontologia, além dos anunciantes de produtos dentais, entidades de classe, instituições

de ensino e, obviamente, os assinantes do canal poderiam viabilizar o custo deste.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PO045 Integração dos formandos de Odontologia da UFPI junto às

equipes do Programa de Saúde da Família de Teresina-PI

Quelemes PV*, Moura MS, Lages GP, Mendes RF, Oliveira RA

Patologia e Clínica Odontológica - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ. E-mail:

pquelemes@bol.com.br

As Diretrizes Curriculares do curso de graduação em Odontologia aprovadas pelo Conselho Nacional de

Educação (CNE) e a incorporação do Cirurgião-Dentista no Programa de Saúde da Família (PSF), tornaram

imprescindíveis mudanças e/ou adequações em seu ensino para adaptar o currículo do curso ao perfil

do profissional exigido pelo mercado de trabalho. Com essa finalidade, foi firmado um convênio entre

Universidade Federal do Piauí (UFPI) e a Prefeitura Municipal de Teresina para que os alunos formandos

participassem, durante o estágio supervisionado, das atividades do PSF. O presente trabalho objetiva avaliar

as atividades acompanhadas pelos formandos dos dois semestres do curso de Odontologia do ano de 2004

no referido convênio, além de destacar a importância desta parceria para os mesmos. Em cada semestre

foram selecionadas seis equipes do PSF, nas quais, em cada uma, um grupo de quatro alunos realizava

acompanhamento semanalmente. A cada semana era preenchido um relatório de produtividade. Foram realizados

90 turnos de atividades ambulatoriais, 41 procedimentos coletivos em escolas, 20 levantamentos

epidemiológicos (visitas domiciliares), 41 atividades educativas para escolares, 10 para gestantes, 5 para

idosos e 3 para diabéticos e hipertensos.

Concluiu-se que as equipes acompanhadas estão desenvolvendo satisfatoriamente as atividades propostas

pelo PSF e que este convênio contribuiu para que os alunos pudessem assimilar experiências positivas e

avaliassem possíveis deficiências, obtendo uma visão mais ampla e realista do programa.

PO046 A cárie e sua relação com o comportamento de um grupo

populacional

Gerhardt RE*, Oppermann RV, Comiotto MS, Baron IS

Odontologia - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: beteg@terra.com.br

Na busca de uma maior compreensão para a ocorrência e desenvolvimento da cárie em indivíduos e grupos

populacionais, foi desenvolvido este trabalho com enfoque qualitativo. O estudo foi desenvolvido no Município

de Colinas – RS, por ser o mesmo constituído, em sua grande maioria, de descendentes de alemães, caracterizando

assim uma população com aspectos culturais comuns. Foi realizada uma entrevista semi-estruturada com

12 (doze) participantes e suas mães. As perguntas abertas foram construídas buscando uma melhor compreensão

das crenças, atitudes, percepções, sentimentos e valores dos entrevistados, com a finalidade de associá-los

aos seus comportamentos em relação à doença cárie. A escolha dos entrevistados foi realizada através de um

levantamento epidemiológico de cárie, no total da população compreendida na faixa etária de 12 a 18 anos,

totalizando 198 adolescentes. Para conhecer a realidade socioeconômica e sociocultural das famílias, foi realizado

um questionário com todo o grupo. Foram selecionados os participantes com CPOD = 0 (total de 5) e os

participantes com CPOD > 12 (total de 7). A análise das entrevistas foi realizada pelo Método de Análise de

Conteúdo proposta por Bardin (1977) e Moraes (1994). O enfoque teórico foi amparado pela Fenomenologia,

permitido alcançar a compreensão dos significados das falas, revelando 11 (onze) categorias agrupadas em 4

(quatro) essências.

Os resultados confirmaram as relações entre a presença/ausência da cárie e o sentido – compreendido e expresso

por sua cultura, valores e percepções – desse grupo sobre esse fenômeno.

PO047 Pesquisa qualitativa sobre as dificuldades e desafios no

financiamento em saúde bucal

Moimaz SAS*, Ferreira NF, Gonçalves PE, Garbin CAS, Garbin AJI

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. E-mail:

sasaliba@foa.unesp.br

Os princípios de universalidade, integralidade, equidade do Sistema Único de Saúde-SUS só podem ser viabilizados

com a construção de um modelo de financiamento flexível e transparente, que permita o controle social

e ofereça a agilidade no uso dos recursos. O objetivo do presente estudo foi analisar as dificuldades e desafios

em relação ao financiamento da saúde bucal no Sistema Único de Saúde. Para tanto foi empregada metodologia

qualitativa, sendo a coleta de dados realizada por meio de entrevistas, as quais foram gravadas e transcritas para

análise qualitativa, preconizada por Bardin. Foram entrevistados: um técnico da Secretaria Estadual da saúde e

três gestores de municípios de pequeno, médio e grande porte da Direção Regional de Saúde VI do Estado de

São Paulo. As dificuldades relatadas pelos entrevistados foram expressas em frases como: “Procuro cumprir

a agenda, porém muita coisa não consegui, devido à falta de recursos”, “não se sabe o quanto pode gastar”,

“escassez de recursos para procedimentos de média e grande complexidade”, “falta de recurso para troca de

equipamento” e “a prioridade é para compra de materiais”. No que tange aos desafios foi relatada a necessidade

de “capacitação”, “formação” e “organização” dos recursos humanos em Saúde Pública.

Conclui-se com base na análise dos depoimentos que há dificuldade na realização completa do plano previsto

na gestão, especialmente devido à escassez de recursos, sendo o maior desafio relacionado aos recursos humanos.

Há necessidade de compromisso por parte dos gestores em acompanhar as etapas de todo processo de

repasse financeiro e aplicação do mesmo.

PO048 Modelo de competências para atuação do cirurgião-dentista no

Sistema Único de Saúde/SUS

Carcereri DL*, Bastos RC

Estomatologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. E-mail:

daniela.lemos@ibest.com.br

O modelo está ancorado em pressupostos de gestão do conhecimento e buscou descrever o perfil dos envolvidos,

valores, capacidades e necessidades de treinamento para o trabalho no Sistema Único de Saúde/SUS. Foi

concebido a partir de um estudo exploratório que avaliou, através da aplicação de questionários, o quadro de

estudantes do último ano e professores de saúde bucal coletiva dos sete Cursos de Graduação em Odontologia

de SC e de cirurgiões-dentistas que atuam nas Secretarias de Saúde dos municípios-sede dos referidos Cursos. A

base de dados reuniu informações de 595 respondentes (81% do universo). Para análise estatística utilizou-se o

software Statistica 6.0 e técnicas de análise multivariada. Nove competências essenciais de saúde pública foram

analisadas de acordo com quatro diferentes eixos de atuação e os resultados apontaram especificidades para

valores, capacidades e necessidade de treinamento, comprovados pelos diferentes graus registrados na escala do

tipo Likert, que variou de –2 a 2. Os professores demonstraram ter maior clareza da importância das referidas

competências, os dentistas as consideraram muito fundamentais e os estudantes moderada valorização. Os professores

se sentem muito capacitados para o desempenho de 33,33% e moderadamente capacitados para 66,67%

delas. Dentistas e estudantes sentem-se moderadamente capacitados para 88,89% e 77,78% e pouco capacitados

para 11,11% e 22,22%, respectivamente. Todos sentem necessidade de treinamento em grau moderado.

O modelo identificou lacunas e fortalezas presentes nos valores, capacidades e necessidades de treinamento,

trazendo subsídios para as discussões em torno da odontologia no contexto do SUS.

31


PO049 Desenvolvimento de metodologia para a implementação da atenção

odontológica para a população rural no PSF

Saliba NA*, Moimaz SAS, Garbin CAS, Casotti CA, Presta AA, Saliba O

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. E-mail:

nemre@foa.unesp.br

Poucos estudos retratam as condições de saúde bucal e o acesso aos serviços de saúde da população rural dos

municípios brasileiros. Nesse trabalho o propósito é apresentar o projeto realizado pelo Núcleo de Pesquisa

em Saúde Coletiva da UNESP, com o apoio da Fapesp, que objetivou conhecer: as condições de Saúde Bucal,

analisar o acesso aos serviços odontológicos e autopercepção em relação à saúde bucal da população rural do

município de Gabriel Monteiro, da região Noroeste do Estado de SP, com vistas à implementação do PSF na

zona rural. Foram realizados o mapeamento das famílias da zona rural do município, levantamento epidemiológico

das condições de saúde bucal da população, e por intermédio de questionários verificou-se o acesso ao

serviço de Saúde local. Para realização de ações educativas foi elaborado o “Manual de Saúde Bucal da Família”

e distribuído um kit de higiene bucal para todos os membros das famílias. Foram mapeadas 196 famílias, sendo

examinados 540 indivíduos e entrevistados 421. O CPOD aos 12 anos foi de 2,63 e de jovens de 15 a 19 anos foi

de 5,68; o edentulismo foi evidenciado na grande maioria dos adultos; 38% dos adultos de 45 a 64 anos e 60%

de 65 a 74 anos não iam ao dentista há mais de 3 anos; 43% nunca utilizaram o serviço odontológico municipal.

Foram realizadas discussões com o Conselho Municipal de Saúde e equipes do PSF sobre estratégias para

melhorar o acesso da população aos serviços e implementação do PSF.

O acesso ao serviço público odontológico é restrito e as condições de saúde bucal constatadas são insatisfatórias.

A metodologia empregada permitiu atingir os objetivos propostos.

PO050 Prevalência de cárie dentária no hebiatra (adolescente), residente

em Bauru-SP, no ano de 2004

Santanna RMF, Sales-Peres SHC, Sales-Peres A, Goya S, Lauris JRP, Araújo JJ, Mendes-Silva H,

Bastos JRM*

Ortodontia, Odontopediatria e Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: rute_santana@hotmail.com

O momento atual caracteriza-se por alterações profundas, que englobam desde aceleradas transformações

em perfis epidemiológicos até a reestruturação do sistema de assistência ao hebiatra. Este trabalho teve por

objetivo identificar a prevalência de cárie dentária em adolescentes, de 12 a 18 anos de idade, residentes

em Bauru, e compará-la aos dados do SB Brasil (2003). A amostra foi constituída por 564 adolescentes,

segundo a idade (12 anos n = 119; 13, n = 119; 14, n = 115; 15, n = 132; 17, n = 28; 18, n = 51), de ambos

os gêneros, selecionados de forma aleatória e sistemática. As superfícies dentárias foram limpas e secas

com gaze. O índice utilizado foi o CPOD, sob iluminação natural. Os examinadores foram devidamente

calibrados (kappa > 0,85). Os dados foram tabulados no Epi-Info 6.0. Utilizou-se freqüência relativa para

análise estatística (p < 0,05). O CPOD 15-18 anos foi 6,17 no Brasil e 2,8 em Bauru. O percentual de dentes

perdidos nesta faixa etária no Brasil foi de 45% e em Bauru foi de 3,02%, quanto à experiência de cárie aos

15-18 anos foi 88,94% e 49,02%, respectivamente. Tais resultados podem ser justificados pela associação de

flúor na água de abastecimento público há mais de 25 anos, uso de dentifrício fluoretado e a implementação

de programas educativos e preventivos em saúde bucal.

Esses dados mostram que políticas públicas de saúde bem implementadas podem melhorar sensivelmente as

condições de saúde bucal da população especialmente se refletir na saúde bucal do adolescente.

PO051 Avaliação de 2 anos do Tratamento Restaurador Atraumático

(ART) introduzido no Programa da Saúde da Família (PSF)

Cruz IC*, Figueiredo MC, Badaró DA, Damasio-Neto M, Sampaio MS, Rosa AC, Moro RD

Especialização em PSF - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

isoldacruz@bol.com.br

Utilizando a Saúde da Família como estratégia que incorpora diversos sentidos da integralidade da atenção à

saúde em suas diretrizes básicas nosso objetivo foi avaliar após 2 anos o programa instituído por 3 Equipes de

Saúde Bucal na Estratégia Saúde da Família/PSF. Inicialmente foi realizado o levantamento das necessidades

de 11.108 pessoas moradoras das regiões onde estas equipes atuariam, encontrando resultados que serviram

como base para sua implementação. Este caracterizou-se por utilizar o ART pela sua eficácia e resolutividade no

controle e tratamento das doenças bucais; distribuir e incentivar na preparação de um fio dental alternativo feito

de ráfia e priorizar o atendimento de população carente. Os resultados demonstraram a integração de toda equipe

do PSF, uma vez que todos estavam voltados para o refortalecimento da inclusão social. Realizaram-se: 11.742

consultas, 3.237 visitas domiciliares, 2.182 palestras, 10.317 escovações supervisionadas, 5.694 aplicações de

flúor, 2.253 ARTs. Após 2 anos os índices das doenças bucais foram melhorados, obtiveram-se 86,9% e 98,0%

de retenção de 969 restaurações avaliadas em dentes decíduos e permanente respectivamente e estatisticamente

significantes (teste Qui-quadrado/p < 0,0001).

Foi certeiro e importantíssimo ter optado por utilizar o ART reafirmando a capacidade de execução dos profissionais

envolvidos após terem sido capacitados e, também, a utilização de material/instrumento que motivaram

a população na educação para sua saúde. Mudanças de paradigma e redução dos índices de doenças foram

fatos. Esses elementos integrantes do sistema referem-se, ao mesmo tempo, às atividades de promoção, proteção

e recuperação da saúde.

PO052 Representações da população de Niterói sobre oferta de serviços

odontológicos no SUS municipal

Giraldes JM*, Mouzarte P, Mocarzel J, Morais AP, Barcelos R, Senna MAA

Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail: m.antoniosenna@ig.com.br

Esta pesquisa teve o objetivo de avaliar representações da população de Niterói sobre os serviços odontológicos

no Sistema Único de Saúde (SUS). Para tanto, trabalhou-se com 103 sujeitos, de ambos os sexos e faixas

etárias diversas, em dois pontos de maior movimento da região central do município. Trabalhou-se com entrevista

semi-estruturada, utilizando como instrumento um formulário norteador entre pesquisador e pesquisado. A

entrevista baseou-se em 3 pontos: perfil da amostra; grau de conhecimento do SUS e freqüência e utilização dos

serviços pelos usuários. Em relação aos sujeitos, 66,01% correspondiam ao sexo masculino, a média de idade foi

de 30 anos e 61,11% com 2º grau completo. Quanto ao conhecimento sobre o SUS, a pesquisa demonstrou que

93,20% dos pesquisados conhecem o SUS e 45,63% não tinham conhecimento sobre a gratuidade dos serviços

odontológicos no SUS. Entre os 54,36% que sabiam da gratuidade, apenas 11,65% utilizaram os serviços. Dos

que não utilizam o SUS, 72,80% buscam o setor privado quando necessitam de uma demanda odontológica.

Quando questionados o porquê da não utilização dos serviços de Odontologia no SUS, 98,05% mencionaram

preocupação com a qualidade dos serviços prestados. Os indivíduos que utilizaram o SUS foram questionados

sobre o seu grau de satisfação com os serviços prestados e 58,33% não estavam satisfeitos.

Diante dos resultados conclui-se que, embora grande parte dos entrevistados conheça o SUS, este ainda é visto

com desconfiança pelos usuários pesquisados, o que sugere a necessidade de divulgação acompanhada de uma

melhora qualitativa dos serviços de saúde bucal oferecidos à população.

PO053 Educação Permanente em Saúde: uma oficina locorregional

Mergulhao TM*, Tomita NE

Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU.

E-mail: tiagommergulhao@yahoo.com.br

A educação permanente em saúde é aprendizagem integrada ao trabalho e, por isso, propõe que os processos

de formação e desenvolvimento estejam referidos às necessidades de saúde das pessoas e populações,

à gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e à participação popular em saúde, buscando a qualificação das

práticas profissionais e da própria organização de trabalho. Visando identificar problemas que afastam os

serviços de saúde da integralidade e nós críticos do sistema local de saúde, foi realizada uma oficina na

região de Bauru-DIR-X. A divisão dos participantes (Gestores, Trabalhadores, Formadores, Prestadores,

Usuários e Estudantes) em quatro grupos obedeceu à estrutura das microrregiões pertencentes a DIR-X:

Bauru, Jaú, Lençóis Paulista e Lins. A condução dos trabalhos foi efetuada por dois monitores. Utilizando

metodologia do Planejamento Estratégico, foram levantados os problemas nos grupos e escolhidos os principais

que pudessem ser enfrentados com Ações de Educação Permanente. Para os problemas escolhidos,

foram identificados os atores e as ações e ao final dos trabalhos, um relator de cada grupo apresentou uma

síntese em plenária com todos os participantes. Como resultados, no que concerne aos problemas e nós

críticos, verificaram-se a falta de humanização, deficiência e mau funcionamento do sistema de referência e

contra-referência, gestão e pessoal, acesso reduzido aos serviços e baixa resolutividade.

A reflexão propiciada pelo encontro de representantes de diversos segmentos e instâncias do SUS representa

um passo importante no diálogo proposto pela educação permanente em saúde, por meio da qual o

aprendizado encontra significados nas realidades cotidianas.

PO054 Crescimento infantil e cárie dentária: o papel das desigualdades

sociais

Freitas GDR*, Lauris JRP, Tomita NE

Saúde Coletiva - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - BAURU. E-mail: freitas_usp@yahoo.com.br

Realizou-se um estudo transversal com 56 crianças de 5 anos de setembro de 2004 a março de 2005 em Bauru-

SP. Após a calibração dos dois examinadores (Kappa = 0,86), avaliou-se a prevalência de cárie segundo o índice

ceo-d, o desenvolvimento infantil através da tomada das medidas de peso e altura e aplicou-se um questionário

socioeconômico aos pais/responsáveis. O exame bucal e o questionário foram realizados nos domicílios, e a

tomada do peso foi realizada na Unidade de Saúde da Família, com balança antropométrica e nos domicílios,

com balança digital, e a tomada da altura, com fita métrica. A altura e o peso médios foram de 1,15 m e 20,50 kg,

e o ceo-d médio foi de 3,73. A porcentagem de crianças livres de cárie foi de 32,14%; por outro lado, 25,01%

apresentaram ceo-d maior ou igual a 8. Foi encontrado ceo-d mais alto em crianças cujas mães tinham um

grau de escolaridade mais baixo (4,13) do que nos filhos de mães com grau de escolaridade maior (3,45). As

crianças pertencentes ao quartil de menor peso e altura apresentaram índice ceo-d mais alto (4,15 e 3,53) do

que as crianças do quartil de maior peso e altura (2,59 e 3,06). A grande maioria das crianças (70,37%) não tem

acesso ao cirurgião-dentista.

O estudo caracteriza a necessidade de acompanhamento odontológico e de programas educativos/preventivos

para a população. Os índices relativos ao nível socioeconômico, peso e à altura apontam para uma relação

inversamente proporcional ao índice de cárie, isto é, quanto menor o nível socioeconômico, maior o índice de

cárie, e quanto menor o índice de cárie, maior é o peso e a altura das crianças. (Apoio: FAPESP - Nº 04/01532-

7.)

PO055 Implementação da Bebê Clínica nas Equipes de Saúde Bucal do

PSF no Município de São Sebastião do Caí, Rio Grande do Sul

Figueiredo MC*, Ely ES, Guarienti CAD, Sampaio MS, Melchior F, Ludwig MIT, Michel JA, Barreto VC

Cirurgia e Ortopedia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

marciacf@myway.com.br

Enfatizando a saúde da família como estratégia que incorpora diversos sentidos da integralidade da atenção

à saúde em suas diretrizes básicas, o presente trabalho propôs implementar o Programa Bebê Clínica em uma

Equipe de Saúde Bucal (ESB) na Estratégia Saúde da Família (PSF) do Município de São Sebastião do Caí,

RS, que possui 19.700 habitantes e um índice CPOD = 2,7 (2002). O programa iniciou-se unicamente com

atividades de caráter educativo/preventivo denominado Dia do Bebê. A população-alvo aceitou de imediato

a atenção odontológica voltada ao bebê, inclusive este programa foi considerado efetivo porque os melhores

resultados encontrados foram quando a atenção iniciou-se após o nascimento da criança e o limite de segurança

para que esta ocorresse foi até os 12 meses de idade da mesma. Além de ter reduzido o índice de cárie em 85%,

diminuiu a gravidade do ataque da cárie precoce da infância, desafogando as necessidades curativas presentes

e futuras, aliviando a demanda reprimida e facilitando o exercício da odontologia na prática de saúde pública

tornando-a mais humana.

A implementação da Bebê Clínica no PSF deste Município educou e conscientizou os pais; promoveu atendimento

odontológico priorizando a idade de 0 a 1 ano visando a manutenção da saúde e prevenção das doenças

bucais; treinou as ESB das UBS para atenção integrada em saúde bucal estimulando cursos de capacitação

e treinamento dos dentistas e outros profissionais de áreas afins, inserindo em sua prática diária um trabalho

transdisciplinar, disseminando o conceito de saúde bucal como um direito de cidadania com ênfase na atenção

a partir do nascimento da criança.

PO056 Pacientes com necessidades especiais e vínculo profissionalpaciente-família

Brucoli ALP*, Elias AS, Held-Filho A, Moreira MS

Odontologia Hospitalar - HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL. E-mail:

hbrucoli@bol.com.br

O atendimento de pacientes especiais requer infra-estrutura adequada, ação multiprofissional e vínculo

profissional-paciente-família. Este trabalho traça o perfil do atendimento aos pacientes com necessidades

especiais, do Serviço Odontológico do Hospital de Servidor Público Municipal de São Paulo, visando melhoria

do atendimento e do tratamento. Foram revisados 127 prontuários de pacientes, atendidos de agosto

de 2004 a abril de 2005, analisando doenças sistêmicas, motivos do atendimento odontológico, locais de

atendimento e tipos de contenção e condicionamento do paciente. Doenças sistêmicas: paralisia cerebral

(40,15%), síndrome de Down (20,4%), doença mental isolada (15,7%), doenças psiquiátricas (7,0%), seqüela

de acidente vascular cerebral ou de traumatismo craniencefálico (6,3%), autismo (3,93%), mielomeningocele

(1,6%), lesão fetal por talidomida, síndromes de Prader-Willi, de Rett, de Optiz-Frias, de Renauld, do

X-Frágil (0,78% de cada). Doença periodontal prevaleceu na Síndrome de Down e na paralisia cerebral com

uso de anticonvulsivantes (34,6%). Lesões cariosas encontradas em 46,4% dos casos. Prevenção realizada

em 15,0% dos casos. Pacientes ambulatoriais 95,5%, e atendidos em centro cirúrgico (5,5%) doença mental

severa. Contensão física ambulatorial utilizada em 17,3%. Condicionamento (vínculo) em 73,2% de todos

os pacientes.

A doença bucal é comum no paciente especial; o vínculo profissional-paciente-família favorece o atendimento

ambulatorial; casos selecionados necessitam atendimento em centro cirúrgico.

32 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 32

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PO057 Dinâmica do processo de trabalho no Programa Saúde da Família

na perspectiva dos produtores do modelo odontológico

Cruz DB*, Horta MS, Lucca TR, Gabardo MCL, Nascimento AC

Odontologia - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ. E-mail:

danielybaumel@hotmail.com

O PSF (Programa Saúde da Família) é uma estratégia de reorganização da prática assistencial, onde a equipe

de saúde bucal desempenha papel importante nas mudanças dentro dos serviços de saúde. O objetivo desta

pesquisa foi compreender a dinâmica do processo de trabalho no PSF na perspectiva dos produtores do modelo

odontológico e fazer uma análise/reflexão dos profissionais dentro das equipes de saúde bucal, quanto a

sua atuação frente aos princípios do referido programa integrados aos princípios do Sistema Único de Saúde.

Utilizou-se abordagem qualitativa e a população estudada foi composta por profissionais das equipes de saúde

bucal das 42 unidades de saúde do PSF do município de Curitiba, Paraná. Para cálculo da amostra considerou-se

IC = 95%, e = 7%. Os dados foram coletados por meio de questionário, permitindo sua distribuição em tabelas

de freqüência. Os resultados foram: 78% das equipes responderam que existe uma determinação de população

que gera vínculo e responsabilidade; 78,7% das equipes participaram do Conselho Local de Saúde; 45,3% dos

Cirurgiões-Dentistas não realizaram nenhum estudo epidemiológico nos últimos 12 meses; 86,8% dos Cirurgiões-Dentistas

avaliaram que 51% ou mais dos pacientes têm acesso dificultado às especialidades.

Com base nos resultados obtidos concluiu-se que as equipes incorporaram as bases conceituais e a forma de

atuar de maneira coerente aos princípios do PSF, porém, existe a necessidade de investimento institucional

quanto à capacitação em: atuação multidisciplinar, utilização da epidemiologia, utilização de ferramentas de

trabalho e investimentos em níveis mais complexos de atenção.

PO058 Análise do aleitamento em crianças de 0 a 24 meses que

freqüentam consultórios pediátricos na cidade de Piracicaba, SP

Guirado CG*, Cerezetti RV

Odontologia Infantil - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

gatti@fop.unicamp.br

O aleitamento materno exclusivo como única fonte de alimentação e hidratação para os lactentes até os

seis meses de vida tem sido preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenda ainda,

a partir desse período, a introdução de alimentos complementares nutricionalmente adequados, acompanhada

de amamentação continuada por, pelo menos, dois anos. O presente estudo teve por objetivo analisar o

aleitamento em crianças de 0 a 24 meses que freqüentam consultórios pediátricos particulares na cidade de

Piracicaba, SP. Para obtenção dos dados foi utilizado questionário que era respondido pela mãe na ocasião

da consulta. Num período de três meses, foram recolhidos 538 questionários, dos quais 215 representaram

uma amostra de crianças até seis meses de vida. Destas, 53,5%, isto é, 115 crianças, eram aleitadas no seio;

43% destas 115 crianças eram aleitadas exclusivamente no seio. Encontramos também que a introdução

do aleitamento parcial vem acontecendo, em média, aos quatro meses e meio e, em sua grande maioria,

pela mamadeira (90%). O desmame vem ocorrendo, em média, ao cinco meses de vida e também na sua

grande maioria na mamadeira (80,7%). Ao analisarmos as crianças com idade entre 19 e 24 meses de vida,

verificamos que 60% bebem leite somente na mamadeira; 23,1% na mamadeira e no copo; 4,6% no seio e

na mamadeira e apenas 1,5% das crianças não consomem leite.

Nesse sentido, observamos que a população por nós estudada segue padrões de aleitamento distintos daqueles

recomendados pela OMS.

PO059 Acurácia e efetividade do exame de triagem em saúde pública

Salazar M*, Rocha VG, Azevedo CP, Alexandre GC, Oliveira BH

Odontopediatria - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. E-mail:

m.salazar@bol.com.br

Este trabalho objetivou avaliar a acurácia e a efetividade do exame odontológico de triagem, em uma

unidade pública de saúde. A triagem foi realizada em consultório por dentistas experientes, sob a forma de

entrevistas e exames clínicos dos pacientes. As entrevistas forneceram informações sobre interferências na

vida diária por problemas bucais nas 4 semanas anteriores (como: dor, dificuldade para comer e dormir).

Nos exames, foram diagnosticados problemas e sugeridos tratamentos. Os pacientes foram tratados por

alunos de 8º período do curso de graduação, sob supervisão docente. Após a alta, os dados da triagem e as

informações dos prontuários dos pacientes foram comparados, calculando-se sensibilidade, especificidade e

o coeficiente kappa. A amostra foi composta por 32 crianças com 7,3 anos de idade, em média. Interferências

nas atividades diárias por problemas com os dentes foram relatadas por 31,2% delas. A prevalência de

necessidade de tratamento foi 82%. A acurácia do exame de triagem foi 75%, sendo a sensibilidade 0,88 e a

especificidade 0,16. A concordância entre os tratamentos sugeridos na triagem e os efetivamente realizados

foi baixa (Kappa: restauração = 0,18; exodontia = 0,39; endodontia = 0,58). As crianças que relataram alguma

interferência em suas atividades diárias tiveram acesso ao tratamento mais rapidamente que as demais

(Teste t, p = 0,04).

Os resultados sugerem que o exame de triagem é efetivo para o rastreamento de pacientes infantis com

elevada necessidade de tratamento, mas que a determinação do tipo de tratamento a ser realizado, nessa

etapa, tem utilidade limitada.

PO060 Aspectos relacionados ao atendimento odontopediátrico do

portador de deficiência mental: percepção de um grupo de pais

Oliveira ACB*, Paiva SM, Pordeus IA

Odontopediatria e Ortodontia - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. E-mail:

anacboliveira@yahoo.com.br

Este estudo analisou, através da perspectiva dos pais, alguns aspectos relacionados ao atendimento odontológico

dos portadores de deficiência mental. Foram entrevistados 209 pais de crianças com deficiência mental e

idade inferior a 15 anos, de duas Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAEs) do Estado de Minas

Gerais. A coleta de dados foi feita através de entrevista, após assinatura do termo de consentimento e aprovação

do CEP/UFMG. A análise estatística foi realizada através do Epi Info 2000 (versão 3), utilizando-se o teste quiquadrado.

Verificou-se uma relação estatisticamente significativa entre a idade dos portadores de deficiência e

a experiência odontológica dos mesmos. Entre as crianças que já foram ao dentista, um maior percentual está

na faixa etária de cinco a 14 anos (81,3%), enquanto, entre aquelas que nunca participaram de uma consulta

odontopediátrica, a maioria (63,2%) possui idade entre 9 meses e 4 anos. A idade das crianças não influenciou

estatisticamente na opinião dos pais sobre qual deve ser a atitude do dentista antes do atendimento de seus filhos

(p > 0,05) e sobre o fato de a criança chorar durante a consulta odontopediátrica (p > 0,05). Constatou-se também

que, entre as crianças com experiência odontológica (171), em 10,5% dos casos o dentista não conseguiu

realizar o atendimento devido a questões comportamentais do paciente.

A fim de aprimorar o atendimento odontológico ao portador de deficiência mental deve-se estabelecer, juntamente

com sua família, uma relação de conscientização, confiança e respeito, compreendendo os limites de

cada um, independente da idade que o paciente possua.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PO061 Heterocontrole da fluoretação das águas de abastecimento público

do município de Canoas-RS

Leivas LL*, Tovo MF, Feldens CA, Faraco-Junior IM, Ruschel HC, Kramer PF

Ciências da Saúde - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: liceli@pop.com.br

O objetivo do presente estudo foi avaliar a adequação da água de abastecimento público no município

de Canoas-RS em relação ao íon flúor. Foram coletadas no período de 8 meses 176 amostras em 22 pontos

representativos das 3 Estações de Tratamento de Água (ETA) do município: Niterói, Esteio e Base Aérea.

A medição da concentração de fluoreto foi realizada pelo método eletrométrico. As concentrações foram

descritas como variável quantitativa e posteriormente agrupadas em 2 categorias: adequada (0,6 a 0,9 ppmF)

e inadequada (< 0,6 ppmF; > 0,9 ppmF). A análise das amostras demonstrou grande amplitude na concentração

de flúor (0,185 a 1,605 ppmF), sendo que 96 (54,5%) estiveram inadequadas e 80 (45,5%) adequadas.

Das amostras inadequadas, a maioria (73/96) apresentou concentração superior ao limite máximo aceitável

para o padrão de potabilidade (> 0,9 ppmF). Foi observada diferença estatisticamente significante entre as 3

ETAs em relação à adequação da concentração de flúor (p < 0,001), verificando-se uma probabilidade maior

que o dobro (RP: 2,05; IC95% 1,46-2,89) da população abastecida pela ETA Base Aérea estar recebendo

água inadequada em relação à ETA Niterói. A inadequação de flúor da ETA Esteio também foi significativamente

maior (RP: 1,78; IC95% 1,32-2,38) em relação à ETA Niterói.

Concluiu-se que é grande a oscilação na concentração de flúor na água de abastecimento público de Canoas,

com a maior parcela da população recebendo teor inadequado. Além disso, a Estação de Tratamento é

uma variável importante a ser considerada no controle da adequação dos teores de flúor.

PO062 Avaliação de uma nova prática de educação em saúde da equipe de

odontologia em enfermarias de maternidades

Lima SL*, Teixeira MCB, Bertolasi GP, Silva M

Odontologia Social e Preventiva - UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail:

simone-lacerda@bol.com.br

A presente pesquisa teve por objetivo avaliar uma inovadora atividade de educação em saúde em uma maternidade

pública situada no município do Rio de Janeiro. Esta atividade consiste em aproveitar o espaço das

enfermarias para criar momentos de discussão sobre assuntos como saúde bucal da mãe e do bebê e sobre

aleitamento materno. Para isto, foi utilizado o livro de registro da visita ao leito, o qual inclui nome da paciente,

idade, bairro onde mora, se fez tratamento odontológico durante a gravidez e em que local, diagnóstico da saúde

oral, procedimento de encaminhamento e, caso não tenha sido examinada, o motivo. O período avaliado foi de

setembro de 2003 a agosto de 2004. Os resultados demonstram que um total de 1.534 pacientes recebeu visita da

odontologia no leito neste período, sendo que destas, apenas 447 (29%) tiveram atenção odontológica durante

a gravidez. Deste total de pacientes que receberam visita, 66% foram examinadas, 26% não foram examinadas

e 8% excluídas. Das pacientes examinadas, 464 (46%) tinham necessidade de tratamento e portanto foram

encaminhadas para a Unidade Básica de Saúde onde seus bebês farão a puericultura.

Concluiu-se que o trabalho da odontologia nas enfermarias é relevante, uma vez que durante o pré-natal uma

minoria recebe atenção odontológica, e portanto não recebe orientações ou atendimento de saúde bucal. Além

disso, a equipe de odontologia neste espaço consegue se inserir mais no campo de responsabilidade de uma

maternidade – o incentivo ao aleitamento materno, integrando-se ao restante da equipe do hospital.

PO063 Educação em Saúde Bucal Centrada na Escola de Ensino

Fundamental

Véo PCR*, Pereira MN, Teixeira CVMM

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. E-mail:

pauloveo@yahoo.com.br

O presente estudo trabalhou com abordagens didático-pedagógicas no Ensino Fundamental centradas no

escolar (estudo realizado na Creche Comunitária Leila de Mello Fávero-Juiz de Fora, MG). Envolveu todos

os órgãos dos sentidos para que obtivéssemos uma aprendizagem significativa que jamais seria esquecida.

A inter-relação entre o irreal e a cognição foi capaz de viabilizar intensamente a educação em saúde, tornando-a

também preventiva e educativa. Através de brincadeiras foi implantado o cuidado com o corpo,

com a saúde integral do aluno envolvendo escola e família. Esta integração foi concretizada pelo Projeto

de Extensão Escova-Ação - Faculdade de Odontologia, Universidade Federal de Juiz de Fora-MG - através

do “Acolhimento Familiar”, iniciando-se pela criança portadora de necessidades especiais, “aquela criança

conhecida como difícil”. A visita à família consistiu na escuta pautada em suas diversas necessidades, até

que era estabelecida a confiança na equipe para que fossem divididas as responsabilidades, sem buscar os

culpados, valorizando a pessoa humana em sua capacidade de vencer desafios, enfocando a beleza e função

dos dentes saudáveis. Desta forma, era firmada uma nova abordagem de promover Saúde em Odontologia.

Observamos durante todo o decurso do Projeto a evolução favorável de todas as crianças que, antes de nossa

intervenção, sequer conheciam fio dental e sua importância na higiene da cavidade bucal. As crianças

aprenderam o porquê da escovação dental, seus benefícios e a importância de se manterem saudáveis.

PO064 Critérios para implantação de tratamento ortodôntico em Saúde

Coletiva

Hebling SRF*, Pereira AC, Meneghim MC, Hebling E

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

sandrahebling@yahoo.com.br

Este trabalho visa discutir a ampliação do atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) com a implantação

de procedimentos ortodônticos. Baseado nos recursos físicos, humanos e financeiros locais e considerando a

complexidade dos problemas que demandam à rede de atenção básica com a necessidade de se buscar continuamente

formas de ampliar a oferta e qualidade dos serviços prestados, propõe-se a organização e desenvolvimento

de ações de inclusão de procedimentos mais complexos na atenção básica. Para tanto foi discutido o acesso

aos serviços, respeitando o princípio da universalidade e eqüidade do SUS, estabelecendo critérios para que durante

o processo de triagem seja possível priorizar e organizar a porta de entrada dos serviços. Uma listagem de

alterações oclusais que poderiam estar presentes foi discutida e as mesmas foram classificadas como prioridade

máxima ou intermediária de atendimento, além de desvios oclusais que não deveriam ser tratados precocemente.

Ainda com o intuito de priorizar e definir quem seria atendido, foi proposto a idade de dentição decídua e início

da dentição mista, principalmente na fase em que estiverem irrompidos os 8 incisivos e os 1º s molares permanentes,

idade estas que seriam adotadas medidas preventivas e interceptativas para correção da má oclusão.

Conclui-se que a utilização de protocolo de atendimento e o correto planejamento das ações ortodônticas é

possível de tal forma que ações preventivas e interceptivas possam ser realizadas nas próprias UBS, enquanto

maiores recursos devem ser alocados em Centros de Referência de Especialidades Odontológicas (CREO) com

a possível implantação de procedimentos em Ortodontia Corretiva.

33


PO065 Prevalência e fatores de risco para queilite actínica em 3 casas

geriátricas no sul do Brasil

Zasso MA*, Johann AN, Santos RB, Malgarim FG, Poitevin NA, Wiebbelling MM, Wagner NL, Weigert KL

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: fefamalga@yahoo.com.br

Num quadro de queilite actínica (QA), a qual é considerada lesão cancerizável, há atrofia epitelial, o limite do

vermelhão com a pele do lábio está mal definido e pode haver zonas focais de ceratose. Considerando esse fato,

realizou-se um estudo observacional transversal com o objetivo avaliar a prevalência e estabelecer fatores de

risco para a QA em indivíduos institucionalizados. As variáveis independentes foram idade, sexo, cor da pele,

tabagismo, alcoolismo e profissão previamente exercida, e o desfecho presença da QA. Foram avaliados 114

indivíduos, de ambos os sexos com a média de 72 anos de idade, institucionalizados em 3 casas geriátricas do

município de Cachoeira do Sul, RS. O exame clínico foi realizado por 1 examinador e 4 auxiliares. Os dados obtidos

foram analisados por estatística descritiva e o modelo foi ajustado pela Regressão Logística. A prevalência

da QA foi de 18,42%, o modelo ajustado apontou tabagismo (RC = 3,83; IC 95% = 1,12-12,93) e pele branca

(RC = 4,17; IC 95% = 1,26-6,32) como significantes para o desenvolvimento da QA.

Os autores concluíram que fumantes e de pele clara têm maiores chances de desenvolver QA. Além disso, medidas

educativas (antitabagismo e proteção solar), de prevenção e tratamento, como as que se implementou após

considerar as informações obtidas e a realidade dos habitantes da região central do Rio Grande do Sul, onde

grande parte da população é de pele clara e passou toda a sua vida produtiva trabalhando em lavouras de arroz

ou de fumo, podem contribuir para a redução da prevalência da QA e do câncer de lábio nessa comunidade.

PO066 Estudo epidemiológico dos casos de câncer bucal atendidos na

clínica odontológica da Universidade Estadual de Maringá-PR

Tanabe MN*, Koyama KK, Camarini ET, Iwaki-Filho L, Pavan AJ

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ. E-mail: maykotanabe@hotmail.com

O câncer bucal representa um dos maiores problemas de saúde tendo altas incidências nas diversas partes do

mundo. Infelizmente é diagnosticado em estágios avançados tornando o tratamento mais difícil. O objetivo deste

trabalho foi realizar um levantamento epidemiológico dos casos de câncer bucal diagnosticados no Projeto de

Lesões Bucais da Clínica Odontológica da Universidade Estadual de Maringá, no período de 1995 a 2003. Foram

consultados os prontuários de 51 pacientes que foram submetidos à biópsia incisional e coletados os dados

referentes ao gênero, idade, cor, vícios, tipo e local do tumor. Os resultados mostraram que o gênero masculino

foi o mais atingido com 40 pacientes (78,40%) e o feminino com 11 pacientes (21,60%); a faixa etária mais atingida

foi entre 51-60 anos (35,30%), seguida por 61-70 anos (27,45%) anos e 41-50 anos (23,55%); 45 pacientes

(88,25%) eram brancos e 6 pacientes (11,75%) eram não-brancos; 19 pacientes (37,25%) eram tabagistas, 14

(27,45%) associavam álcool ao tabagismo e os demais não relataram vícios algum; o laudo microscópico mostrou

que o carcinoma espinocelular foi o mais comum correspondendo a 43 casos (84,30%); o sítio anatômico

de maior prevalência foi o lábio com 12 casos (23,53%), seguido pelo assoalho bucal com 11 casos (21,57%) e

o restante foi encontrado nas outras regiões anatômicas bucais.

Concluímos que é de fundamental importância a atuação do Cirurgião-Dentista na prevenção e diagnóstico

precoce do câncer bucal, uma vez que o grupo de risco é bem conhecido atingindo principalmente homens

nas faixas etárias que vão de 41 a 70 anos, tendo o álcool e o fumo como principais fatores desencadeantes

da doença.

PO067 Absenteísmo de corpo presente por motivos odontológicos:

indicadores para avaliar o impacto da saúde bucal no trabalho

Elsemann EB*, Elsemann RB, Mazzilli LEN

Odontologia do Trabalho - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. E-mail:

estela@viavale.com.br

Absenteísmo de corpo presente por motivos odontológicos pode ser definido como um comportamento precário,

predisposto por desordens bucais, quando o trabalhador comparece ao trabalho mesmo sentindo dor ou

desconforto e, dessa forma, passa por estados ou comportamentos de ausência, que podem resultar em erros

técnicos, baixa produtividade e acidentes. No Brasil, o tema que se refere ao impacto da saúde bucal no trabalho

e o absenteísmo de corpo presente, bem como medidas para avaliação, pouco tem sido explorado. Assim, este

estudo torna-se relevante e, através de uma pesquisa bibliográfica básica, qualitativa, exploratório-descritivoexplicativa,

observou que a saúde bucal influencia na produtividade econômica e na qualidade de vida dos

trabalhadores. A prevalência de morbidade bucal na população trabalhadora sugere que desordens, como dor,

desconforto, limitação funcional ou insatisfação com a estética, têm grande potencial para provocar impactos

no trabalho, na medida em que afetam o bem-estar do trabalhador, e podem ser obstáculos responsáveis pelo

absenteísmo de corpo presente.

Considerando que a saúde bucal envolve também aspectos subjetivos, este estudo sugere a utilização de indicadores

sócio-odontológicos, tais como o “Oral Health Impact Profile” (OHIP), o “Dental Impacts on Daily

Living” (DIDL) ou “Oral Impacts on Daily Performances” (OIDP), aliados aos índices clínicos, para levantamentos

de saúde bucal da população trabalhadora. Dessa forma, poderá ser possível avaliar como e quanto

as desordens bucais condicionam e alteram o desempenho diário físico, psicológico e social, predispondo o

absenteísmo de corpo presente e afetando a qualidade de vida do trabalhador.

PO068 O Dentista como parte integrante da Equipe Interdisciplinar-

Serviço de Assistência Domiciliária

Dias MHMS*, Papaléo-Netto M, Soares R, Held-Filho A, Moreira MS

Odontologia Hospitalar - HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL. E-mail:

mirteshdias@bol.com.br

O Serviço de Assistência Domiciliária do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo foi criado

em 1994. Sua finalidade é assistir pacientes que apresentam dificuldades totais ou parciais de locomoção, levando

conforto, tratamento, medicações, coletas e resultados de exames, sem deslocá-los de seus domicílios.

O objetivo deste estudo é ressaltar a função desempenhada pelo cirurgião-dentista como integrante da equipe

interdisciplinar na prática da assistência domiciliária. Foram revisados 110 prontuários de pacientes atendidos

de maio/1998 a maio/2001, 63% eram mulheres e 37% eram homens, com idade variando entre 60 e 95 anos.

Dos 110, 75% eram edentados e 25% dentados. Entre os edentados, 35% não utilizavam próteses, e 65% tinham

próteses totais. Destas, 35% necessitavam troca, 46% necessitavam de reembasamento e 19% estavam boas.

Sete por cento dos edentados apresentavam lesões de mucosa bucal. Dos 27 pacientes dentados, 89% apresentavam

doenças periodontais e ou lesões cariosas. Apenas 11% apresentavam saúde bucal. A higiene bucal

foi considerada precária em 39% dos casos, aceitável em 34% e boa em 27%. Treze por cento dos pacientes

apresentavam apenas uma doença de base e 87% apresentavam duas ou mais. Sete por cento dos 110 pacientes

recebiam dieta por sonda e 93% por via oral. Após cuidados odontológicos, houve melhora da saúde bucal e

geral de 84% dos pacientes.

A análise desta casuística permite concluir que a população entre 60 e 95 anos de idade, assistidas em domicílio,

apresenta precária situação de saúde bucal. A atuação do cirurgião-dentista é considerada imprescindível

dentro do contexto da equipe interdisciplinar.

PO069 Análise das condições bucais e instituição de medidas de educação

preventiva em Odontogeriatria

Pizi ECG, Rocha SG, Caldeira AM, Simioni LRG*

Dentística Restauradora - UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA. E-mail: epizi@uol.com.br

Com o aumento da expectativa de vida no Brasil a previsão é que em 2020 tenhamos 27 milhões de

idosos, quase o dobro que no ano de 2000. Com isso torna-se importante uma ampliação do atendimento

especializado nesta faixa etária. Assim este trabalho teve como objetivo estimular e promover mudanças

comportamentais relacionadas aos cuidados bucais e conhecer melhor as condições bucais da população

idosa. Foram feitas visitas a um grupo de Terceira Idade onde foram ministradas paletras de orientação de

escovação específicas para as peculiaridades desta faixa etária assim como a prevenção ao câncer de boca.

Foram também avaliadas a situação bucal e condições sistêmicas de 43 idosos. No exame clínico foram

verificados índice CPOD, classificação de doença periodontal, condições de tecidos moles e uso ou necessidade

de próteses. Hipertensão, artrose e diabetes foram as patologias mais freqüentes e grande parte dos

isodos apresentaram xerostomia possivelmente relacionada com o uso de medicamentos para controlar as

patologias sistêmicas. O índice CPOD encontrado foi elevado (29,6). Os hábitos de escovação refletiram no

índice de classificação periodontal. Grande parte dos idosos examinados apresentaram alguma necessidade

de prótese e o tempo de uso das próteses foi bastante elevado.

O grande número de patologias sistêmicas apresentadas nesta faixa etária têm influência direta no tratamento

odontológico e na manutenção da saúde bucal destes indivíduos. Portanto, é importante que sejam

desenvolvidos novos projetos com caráter preventivo voltados para esta faixa etária, visando sempre a

manutenção do sistema estomatognático para o bom funcionamento do organismo como um todo.

PO070 Avaliação da saúde bucal de pacientes idosos do Lar São

Francisco de Assis

Rossato C*, Massucato EMS, Montandon AAB, Oliveira MP

Diagnóstico e Cirurgia - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARARAQUARA. E-mail:

cilianarossato@yahoo.com.br

O aumento da população idosa no Brasil tem colocado em evidência os processos fisiológicos dessa

faixa etária, bem como a preocupação em se somarem recursos para minimizar ou retardar as alterações

não desejáveis. O presente estudo teve como objetivo avaliar as condições bucais de 76 idosos do Lar São

Francisco de Assis. Os pacientes foram examinados no próprio local onde foram levantados dados anamnésicos

e realizado exame bucal. A maioria dos pacientes era do sexo feminino (61,8%) e a média de idade

era de 76 anos. Quanto às alterações sistêmicas, 92,4% dos idosos apresentava ao menos um problema de

saúde, destacando-se as doenças cardiovasculares (43,3%) e psíquico/neurológicas (28,9%). Quanto ao uso

de medicamentos, os anti-hipertensivos e os psiquiátricos eram os mais utilizados, perfazendo respectivamente

28,1% e 24,0%. Com relação à higiene oral, observou-se que 34,7%, dizia higienizar a boca pelo

menos três vezes ao dia, mas o que se observou foi uma péssima condição de higiene bucal e das próteses

removíveis na maioria dos pacientes. Também foram analisadas as lesões e/ou alterações em mucosa e

as mais prevalentes foram: a queilite actínica (13,4%), a língua despapilada (10,4%), a língua saburrosa

(10,4%) e a candidose (6,6%).

Portanto, este trabalho levantou as condições bucais destes idosos para que se possa instituir programas

de orientação direcionados a esta população e aos seus cuidadores, intencionando a melhoria de sua qualidade

de vida.

PO071 Prevalência de perda dentária, de cárie e de uso e necessidade de

próteses em idosos

Hebling E*, Christoforo SRM, Tagliaferro EPS, Pereira SM, Pereira AC, Meneghim MC

Odontologia Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. E-mail:

hebling@fop.unicamp.br

O objetivo desse trabalho foi analisar a prevalência de perda dentária, de cárie e de uso e necessidade de

próteses em idosos funcionalmente independentes, que residem no Distrito Leste de Campinas, Brasil. De

uma população total de 20.010 idosos, este estudo “cross-sectional” envolveu uma amostra não-probabilística

de 833 idosos, com idade de 60 anos ou mais, de ambos os sexos, sendo 464 (55,7%) mulheres e 369

(44,30%) homens. O exame clínico foi realizado de acordo com as normas da OMS para levantamentos

básicos em saúde bucal. O CPO-D médio encontrado foi de 27,68, sendo que o componente perdido foi o

de maior prevalência, em média 23,71 dentes perdidos por indivíduo. Dentre os idosos examinados, 32,42%

(n = 270) eram desdentados totais e 67,58% (n = 563) desdentados parciais. Quanto às condições protéticas,

82,24% (n = 685) da amostra utilizava algum tipo de prótese para substituição dos dentes perdidos, sendo

que 32,42% (n = 270) utilizava prótese total superior e inferior. A necessidade de uso de prótese encontrada

foi de 49,10% (n = 409) da amostra, sendo que, nos 685 idosos que utilizavam próteses, 25,40% (n = 174)

necessitavam de substituição e 74,60% (n = 511) apresentavam condições adequadas de uso das próteses.

A avaliação dos dados permitiu concluir que os idosos residentes no Distrito Leste de Campinas apresentaram

saúde oral deficiente, necessitando de ações coletivas de educação e prevenção, bem como de tratamento

protético de reabilitação bucal, inseridos dentro de políticas púbicas para este grupo populacional.

PO072 Odontogeriatria social: Assistência em comunidade carente de

Porto Alegre/RS - Ilha Grande dos Marinheiros

Hüttner EA*, Antunes AGF, Saueressig F, Pagnoncelli RM, Padilha DMP, Nascimento D

Gerontologia Biomédica - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO

SUL. E-mail: edhuttner@yahoo.com.br

A interação entre universidade, voluntariado e organizações não governamentais (ONGs) pode indicar

uma perspectiva para a efetivação de atividades odontológicas em comunidades carentes. A Ilha Grande

dos Marinheiros é uma área onde a principal fonte de renda é a reciclagem de lixo, apresentando altos

índices de soropositividade para HIV, violência doméstica, abuso sexual, desnutrição e falta de acesso à

assistência médico-odontológica. De acordo com um levantamento realizado em 60 pacientes idosos (> 60

anos/Organização Mundial da Saúde) foi constatado como a lesão mais comum a estomatite induzida por

prótese (25% dos pacientes), seguida da hiperplasia fibrosa (16,6%), queilite angular (10%) e líquen plano

bucal (um caso). Foi verificado que 100% dos 40 indivíduos que possuíam pelo menos um dente em boca

necessitavam de algum tratamento odontológico. A necessidade de confecção de próteses totais e próteses

parciais foi encontrada em 50% e 70% dos casos respectivamente. Além disso, 25% dos pacientes apresentavam

morbidade. A fim de realizar os tratamentos indicados pelo levantamento foi firmado um convênio com

a ONG AVESOL, que disponibilizou um equipo odontológico móvel, transporte e aquisição de material

odontológico para a reabilitação bucal durante o biênio 2004/2005.

O atendimento odontológico prestado por profissionais voluntários e alunos a idosos carentes tem uma boa

resposta da comunidade assistida devido às precárias condições de saúde bucal, sendo que a colaboração

de ONGs na alocação de recursos pode ser uma alternativa viável para a efetivação desses projetos.

34 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 34

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PO073 Ocorrência de doença periodontal em portadores de paralisia

cerebral institucionalizados

Grande SR*, Feng HS, Pinheiro ICM, Pannuti CM, Barros FJ, Candido AP

Estomatologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - SÃO PAULO. E-mail: sa_grande@ig.com.br

Pacientes especiais institucionalizados apresentam dieta controlada e conseqüentemente baixa incidência

de cárie dentária. Assim, o maior problema bucal dessa população é a doença periodontal. O presente estudo

teve como objetivo descrever a condição periodontal de 67 indivíduos (26 homens e 41 mulheres, média de

idade de 30,9 anos) portadores de paralisia cerebral institucionalizados (Casas André Luiz, Guarulhos). Os

sujeitos da pesquisa são rotineiramente atendidos a cada 1-3 meses no ambulatório odontológico da instituição.

Foi realizado exame clínico bucal e periodontal completo. Os sujeitos da pesquisa foram classificados

de acordo com a pior condição periodontal presente, ou seja: gengivite ou periodontite (presença de bolsa até

4 mm, presença de bolsa até 5 mm e presença de bolsa até 6 mm). Assim, 74,4% da população apresentava

apenas gengivite; e 25,6% dos indivíduos apresentavam pelo menos um sítio com bolsa periodontal, sendo

que 7,5% apresentavam profundidade de bolsa de no máximo 4 mm; 14,9% apresentavam profundidade

de bolsa de no máximo 5 mm; e 3% apresentavam profundidade de bolsa de no máximo 6 mm. Não houve

associação significativa entre grau de deficiência mental e condição periodontal. Também não foi observada

diferença significativa entre os grupos com deficiência mental leve, moderada e severa, com relação ao

Índice de Placa e Índice de Sangramento Interdental.

Os autores concluem que a prevalência de doença periodontal foi baixa na amostra estudada.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PO074 Avaliação Clínica da Doença Periodontal em Gestantes de

Teresina-PI como um Fator de Risco para o Baixo Peso ao Nascer

Macedo PS*, Costa KJR, Nascimento WMT, Lira DMMP

Patologia e Clínica Odontológica - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ. E-mail:

kellenjorge@bol.com.br

Foram analisados 97 prontuários médicos de gestantes (e recém-nascidos), com idade variando entre 15-38

anos, usuárias dos serviços de pré-natal de três maternidades públicas da cidade de Teresina-PI, dentre as

337 previamente selecionadas e estudadas no período de novembro de 2000 a maio de 2001, objetivando

estudar a doença periodontal como um fator de risco para o baixo peso ao nascer e características maternas.

Para tanto, realizou-se entrevista estruturada, abordando variáveis quantitativas e qualitativas, seguida da

aplicação dos índices CPI (Índice Comunitário Periodontal) e IHOS (Índice de Higiene Oral Simplificado).

A análise estatística dos resultados foi feita através de distribuição de freqüências, obtenção de média e desvio

padrão, teste do Qui-quadrado para os estudos de associação e intervalo de confiança a 95%.

Os resultados obtidos permitiram as seguintes conclusões: todas as gestantes apresentavam doença periodontal,

em algum grau, associada à higiene bucal “regular” ou “deficiente”; 9,30% dos nativivos apresentaram

baixo peso ao nascer; houve insignificância de outros fatores de risco, incluindo hábito de fumar

e álcool. Os resultados sugerem a associação da doença periodontal como um fator de risco para o baixo

peso ao nascer. (Apoio financeiro: PIBIC/CNPq/UFPI.)

35


PI001 Avaliação da necessidade de tratamento ortodôntico em escolares

na fase da dentadura mista da cidade de Cascavel-PR

Kaczam C*, Dresch KS, Morgenstern T, Souza RS, Gomes VE

UNIVERSIDADE PARANAENSE. E-mail: cesarkaczam@bol.com.br

Foi realizado um estudo para avaliar a necessidade de tratamento em escolares na fase da dentadura mista

da cidade de Cascavel-PR. Foram avaliadas 319 crianças, de 6 a 12 anos, estudantes das escolas particulares

e públicas da Cidade, sendo 165 (51,72%) crianças do gênero feminino e 154 (48,28%) do masculino. Para

avaliar a necessidade de tratamento ortodôntico foi utilizado o índice TPI (Treatment Priority Index), método

de análise internacional que registra seis características oclusais e fornece a severidade da maloclusão. A

avaliação foi realizada nas escolas, em local aberto e com luz natural, com o auxílio de espátulas de madeira

e régua. Foi solicitado anteriormente à avaliação o consentimento por escrito dos pais ou responsável. A avaliação

foi realizada por um único profissional especialista em ortodontia, devidamente calibrado com outro

profissional também especialista em ortodontia. Os resultados mostraram que 31,03% das crianças apresentavam

oclusão virtualmente normal ou clássica, 40,13% com manifestações menores e tratamento pequeno,

18,81% apresentaram má oclusão definida, mas tratamento eletivo, 6,9% apresentaram comprometimento

severo, com tratamento altamente recomendável, e 3,13% apresentaram comprometimento muito severo,

com tratamento obrigatório. Não foi encontrada diferença estatisticamente significante entre a necessidade

de tratamento ortodôntico com a idade e gênero.

Os resultados mostraram que não houve diferença estatisticamente significante entre a necessidade de

tratamento ortodôntico e a idade ou gênero. Foi observado que 31,03% das crianças apresentaram olclusão

normal, e 68,97% apresentaram algum tipo de anormalidade oclusal.

PI002 Avaliação do Hipoclorito de Sódio e Clorexidina como Agente

Desinfetante dos Cones de Guta-Percha

Piovesani JF*, Klafke ZG, Silva HC, Oliveira MV, Bianchi CMPC, Borges AH, Pedro FLM

Odontologia - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ. E-mail: indice@nettravel.com.br

A desinfecção dos cones de guta-percha cumpre importante papel quanto à manutenção da cadeia asséptica

durante o tratamento endodôntico. O propósito deste estudo foi avaliar a ação de hipoclorito de sódio

e clorexidina em várias concentrações e tempos de permanência, na desinfecção dos cones de guta-percha.

O hipoclorito de sódio e a clorexidina foram adquiridos comercialmente e na forma manipulada, sendo

utilizados como agente desinfetante nas respectivas concentrações: 0,5%, 1%, 2,5% e 0,12 e 2%. Em cada

uma, foram colocados dois cones de guta-percha; um proveniente de uma caixa lacrada e outro contaminado

por manipulação durante procedimentos clínicos, permanecendo por tempos de 1, 3, 5 e 10 minutos.

Em seguida, os cones foram imersos no álcool 70%, secos em gazes estéreis e transferidos para tubos de

ensaio contendo “Brain Heart Infusion”, incubados a 37°C por 48 horas. Posteriormente as amostras foram

subcultivadas em ágar-sangue em jarra de vela a 37°C. Os resultados evidenciaram crescimento bacteriano

nos grupos controle. O hipoclorito de sódio quando manipulado revelou-se mais eficiente que o comercial.

A clorexidina manipulada revelou-se mais eficiente em relação à comercial, e quando comparadas, a clorexidina

manipulada evidenciou maior eficiência em relação ao hipoclorito de sódio na desinfecção dos

cones de guta-percha.

de-se concluir que a desinfecção dos cones de guta percha antecedendo a obturação dos canais radiculares

é um procedimento que deve ser realizado rotineiramente colaborando com a manutenção da

sanificação do sistema de canais radiculares.

PI003 Influência da medicação intracanal à base de Ca(OH) 2 na

reparação de extensas lesões periapicais supostamente císticas

Souza FKA*, Soares JA, Melo AF, Rego TM, Nunes E, Silveira FF, Souza LT

Odontologia - FACULDADES FEDERAIS INTEGRADAS DE DIAMANTINA . E-mail:

janirsoares@citel1.com.br

Radiolucidezes periapicais maiores que 10 mm têm significativa correlação com diagnóstico histológico

de cistos apicais, que são, convencionalmente, tratados cirurgicamente. Os granulomas e cistos expressam

a reatividade do sistema imunológico ao conteúdo séptico no sistema de canais radiculares. Neste contexto,

o tratamento endodôntico objetiva o efetivo controle da infecção e o estimulo à reparação periapical. A

proposta deste estudo foi avaliar, clínica e radiograficamente, a influência da medicação intracanal à base

de hidróxido de cálcio P.A. [Ca(OH) 2 ] na reparação de extensas lesões periapicais supostamente císticas. A

amostragem constou de 15 pacientes com necrose pulpar e extensas radiolucidezes periapicais, com média

de extensão de 20 mm, associadas a freqüentes abaulamentos das corticais alveolares. Após colheita microbiológica

e patência apical, verificou-se freqüente drenagem espontânea de exsudato seroso, amarelo citrino.

Após instrumentação, aplicaram-se pastas formadas por Ca(OH) 2 associadas às seguintes substâncias:

solução de digluconato de clorexidina a 2% (grupo I, n = 5), PMCC (grupo II, n = 5) ou solução anestésica

(grupo III, n = 5). As medicações foram renovadas mensalmente, por um período médio de 5 meses. Verificou-se,

independentemente do tipo de medicação intracanal, progressiva redução da exsudação intracanal e

acentuada involução das radiolucidezes periapicais.

Portanto, o uso prolongado da medicação intracanal à base de hidróxido de cálcio representa promissoras

perspectivas de tratamento conservador das extensas lesões periapicais supostamente císticas.

PI004 Avaliação da infiltração de tampões cervicais com diferentes

cimentos para o clareameto de dentes não vitais

Barros F*, Ardaya F, Carrasco LD, Cruz-Filho AM, Marchesan MA, Sousa-Neto MD

Laboratório de Pesquisas em Odontologia - UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO. E-mail:

barrosmatoso@ibest.com.br

O estudo teve como objetivo avaliar in vitro a infiltração marginal de tampões cervicais realizados com

diferentes cimentos: fosfato de zinco, ionômero de vidro restaurador e forrador para realização do clareamento

interno de dentes não vitais. Trinta e quatro caninos humanos extraídos foram instrumentados pela

técnica “step-back” e obturados com cimento à base de resina epóxica e guta-percha. O tampão cervical foi

realizado na junção cemento-esmalte com espessura de 2 mm conforme segue: GI utilizou o cimento fosfato

de zinco, GII utilizou o cimento ionômero de vidro restaurador, GIII utilizou o cimento ionômero de vidro

forrador e GIV o controle positivo (sem tampão) e o negativo (cianoacrilato). Os dentes foram imersos em

corante Nankin por 7 dias e em seguida diafanizados. A infiltração marginal cervical do corante foi quantificada

no microscópio de mensuração. Os resultados indicaram haver diferença estatística significante entre

os grupos avaliados (p < 0,01). GI (0 ± 0,00) não apresentou infiltração marginal cervical, assemelhando-se

ao controle negativo. GII (4,98 ± 2,05) e GIII (4,29 ± 3,17) apresentaram significante infiltração do corante

e não demonstraram diferença estatística entre si (p > 0.05).

Assim, este trabalho sugere que o tampão cervical realizado com 2 mm de cimento fosfato de zinco na JCE

pode ser utilizado para selar a entrada coronária e evitar a penetração de agente clareador no canal radicular

durante o clareamento intracoronário de dentes não vitais, um dos fatores iatrogênicos que podem

levar a uma reabsorção cervical externa.

PI005 Prevalência dos traumatismos dentários em cinco anos de Projeto

Trauma

Antunes KB*, Alvine M, Machado T, Abad E

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ. E-mail: karinnebueno@yahoo.com

O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência dos diferentes tipos de traumatismos dentários atendidos

no período de 2000 a 2004 pelo Projeto Trauma, associando-os aos seguintes fatores: sexo, idade, dentes

afetados, etiologia do traumatismo e os locais de encaminhamento. A amostra constou dos 459 casos atendidos

neste período. O consentimento livre e esclarecido foi obtido dos pacientes ou de seus responsáveis

e o projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estácio de Sá. As informações

foram inseridas em um banco de dados para análise exploratória. Os resultados demonstraram que as injúrias

mais observadas foram a fratura coronária sem exposição pulpar (26%) e a avulsão dentária (21,5%). Os incisivos

centrais superiores foram os dentes mais afetados (64,1%) e as quedas foram a causa mais freqüente

(51,9%). Os traumatismos dentários envolveram principalmente o sexo masculino (67,1%) e a faixa etária

de 5 a 10 anos (34,2%). O maior número de encaminhamentos teve origem dos Hospitais Municipais e Estaduais

do município do Rio de Janeiro (55,2%). Desde a implantação do projeto, tem ocorrido um aumento

crescente da procura pelo atendimento.

O traumatismo dentário deve ser considerado um problema importante na área de saúde pública, que

requer, muitas vezes, tratamentos de maior complexidade, além do atendimento emergencial. Seria interessante

o desenvolvimento de ações conjuntas entre instituições de ensino odontológico e escolas de ensino

fundamental e médio no sentido de se promover campanhas educativas sobre traumatismo dentário.

PI006 Efeitos Morfológicos Citotóxicos e Genotóxicos de diferentes

soluções irrigadoras do canal radicular sobre as células KB

Longo JPF*, Tapajós ECC, Valois CRA, Leal SC, Azevedo RB

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. E-mail: jplongo@uol.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar a citotoxidade e genotoxidade de soluções irrigadoras de canais radiculares

– Hipoclorito de Sódio (NaOCl) 1% e 2%, Hidróxido de Cálcio 0,2% (Ca(OH) 2 ), HCT20 – em culturas

celulares derivadas de queratinócitos bucais humanos (linhagem KB), após o período de 2 e 24 horas. Além dos

grupos experimentais, foram incluídos um grupo controle (meio de cultura) e um controle positivo (ciclofosfamida).

As células foram mantidas com meio DMEM, suplementado com 10% de soro fetal bovino, a 37°C,

5% de CO 2 e 80% de umidade. A morfologia celular foi analisada em microscópio invertido. A citotoxidade foi

avaliada por meio do teste de viabilidade celular, com o corante Azul Tripan, e a diferenciação da via de morte

celular (necrose/apoptose) com os corantes fluorescentes Alaranjado de Acridina/Brometo de Etídio. A genotoxidade

foi avaliada por meio do Ensaio de Micronúcleo. Os testes foram realizados em triplicata e os dados

analisados pelo teste PLSD de Fischer (p < 0,05). Foram observadas alterações na morfologia das células tratadas

com NaOCl 2% e HCT20. Em 2 horas, nos grupos experimentais as células morreram preferencialmente por

necrose, e os tratamentos com Ca(OH) 2 e HCT20 apresentaram citotoxidade em relação ao controle (p < 0,05).

Em 24 horas, todos os grupos, com exceção do controle e NaOCl 1%, apresentaram morte preferencialmente por

apoptose, e o NaOCl 2% e HCT20 apresentaram citotoxidade em relação ao controle (p < 0,05). O tratamento

com NaOCl 1% provocou aumento da freqüência de micronúcleos em relação ao controle (p < 0,05).

Sob as condições do presente estudo, todas as soluções avaliadas apresentaram algum grau de incompatibilidade

biológica.

PI007 Avaliação da alteração de pH intracanal, variando-se o método de

inserção do hidróxido de cálcio

Martins RG*, Benvenuti LHC, Shimabuko DM

Odontologia - UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO. E-mail: renatagiglioli20@hotmail.

com

Este trabalho avaliou a alteração de pH variando-se o modo de inserção do curativo hidróxido de cálcio, nos

tempos experimentais: logo após a inserção, 3, 7, 14 e 21 dias. Utilizaram-se 40 dentes unirradiculares, os quais

foram instrumentados com Endo-PTC associado a Hipoclorito de sódio 0,5%. Dividiram-se em quatro grupos

contendo 10 raízes cada, de acordo com o método de inserção utilizado e a irrigação final com EDTA-T. GRU-

PO 1 – Irrigação com EDTA-T e aplicação de Hidróxido de cálcio P.A. veiculado em anestésico condensando-se

com lima (calibre compatível ao conduto) e calcador Paiva. GRUPO 2 – Aplicação de Hidróxido de cálcio P.A.

veiculado em anestésico condensando-se com lima e calcador Paiva sem irrigação com EDTA-T. GRUPO 3

– Aplicação de Hidróxido de cálcio acondicionado em tubete anestésico com irrigação final com EDTA-T.

GRUPO 4 – Aplicação da medicação acondicionada em tubete anestésico sem irrigação final com EDTA-T. O

pH das cavidades dentinárias na superfície radicular foi medida utilizando-se pHmetro Corning modelo 5. Houve

aumento dos valores de pH imediatamente e 7 dias após inserção do hidróxido de cálcio, nos grupos 1, 2 e 4.

Já nos períodos 14 e 21 dias, sua redução. O grupo 3 apresentou redução dos valores de pH após 3 dias.

A análise estatística de variância não demonstrou diferença entre os tempos experimentais avaliados ao nível

de significância de 5%. O uso de EDTA-T não mostrou atuação nos valores de pH aferidos. Pelos resultados

obtidos recomenda-se a substituição da medicação de hidróxido de cálcio em no máximo 7 dias, período onde

terá atingido o limite máximo de dissociação iônica com liberação de íons OH - e conseqüente aumento dos

valores de pH.

PI008 Resistência à fadiga cíclica de instrumentos rotatórios de níqueltitânio

em razão do torque e velocidade de uso

Siqueira TO*, Almeida MNF

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO PARÁ. E-mail: terciasiqueira@yahoo.com.br

No preparo químico-cirúrgico do tratamento endodôntico são utilizadas limas de níquel-titânio (NiTi)

com a finalidade de modelagem e sanificação do canal radicular. As mesmas podem sofrer influência de

diversos tipos de forças que podem provocar modificações estruturais e/ou fratura do instrumento, comprometendo

o sucesso da terapia. Este trabalho tem a finalidade de comparar a resistência à fadiga cíclica entre

os instrumentos submetidos a ciclos de uso em alta e baixa velocidade e alto e baixo torque. Para o estudo

foram selecionados cinqüenta (50) instrumentos rotatórios de NiTi, calibre #25 e conicidade 0,04, que foram

divididos eqüitativamente em 5 grupos experimentais a saber: Grupo 1 (G1) – instrumentos sem nenhum

uso (controle); Grupo 2 (G2) – instrumentos com acionamento de baixo torque e baixa velocidade; Grupo 3

(G3) – instrumentos com acionamento de baixo torque e alta velocidade; Grupo 4 (G4) – instrumentos com

acionamento de alto torque e baixa velocidade; Grupo 5 (G5) – instrumentos com acionamento de alto torque

e alta velocidade. Os instrumentos foram submetidos a ciclos de uso em canais artificiais e então foram

testados em um dispositivo experimental idealizado por Pessoa (2003). O teste de Tukey apontou diferença

estatística significante somente entre os grupos G1 e G2 e entre G1 e G4 (p < 0,05).

Valendo-se dos resultados obtidos diante da metodologia aplicada no presente estudo, é coerente afirmar

que quanto maior a velocidade de acionamento menores as chances de ocorrer a fratura por fadiga

cíclica.

36 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 36

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PI009 Comparação entre três localizadores, Apex Pointer, Root ZX e

Bingo, utilizando simulador de ligamento periodontal Endo Q

Resende GS*, Sotelo PHO, Varella CH, Moreira EJL, Sabrosa L

Odontologia - UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO. E-mail: resende_gabi@yahoo.com.br

O objetivo do estudo foi comparar a precisão da mensuração entre três aparelhos localizadores apicais

eletrônicos – Apex Pointer, Root ZX e Bingo 1020. Foram utilizados 12 dentes caninos superiores selecionados

do banco de dentes da Unigranrio. Os mesmos tiveram as coroas removidas e o preparo do corpo foi

feito com brocas Gates Glidden na seqüência 4, 3 e 2 e a substância irrigadora utilizada foi o hipoclorito

de sódio 2,5%. Após esta etapa os espécimes foram colocados em água corrente por 24 horas e em seguida

deixados em um umidificador por um período de 02 semanas. Foi verificado o comprimento real dos dentes,

inserindo instrumentos endodônticos (lima tipo k nº 15) até visualizar a ponta do instrumento no ápice. As

raízes foram incluídas num “jig” especial contendo um simulador de ligamento periodontal, Endo Q. A

seguir realizaram-se as medições com os aparelhos supracitados e os dados foram analisados através da

análise de variância (ANOVA), revelando que não existe diferença estatisticamente significativa entre os

grupos testados (p = 0,934).

Os resultados obtidos no trabalho demonstram que os 03 aparelhos avaliados possuem boa precisão, porém

existe a necessidade de estudos complementares, in vivo.

PI010 Comparação entre três localizadores, Apex Pointer, Root ZX e

Bingo, utilizando simulador de ligamento periodontal Endo Q

Resende GS*, Sotelo PHO, Varella CH, Moreira EJL, Sabrosa L

Odontologia - UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO. E-mail: resende_gabi@yahoo.com.br

O objetivo do estudo foi comparar a precisão da mensuração entre três aparelhos localizadores apicais

eletrônicos – Apex Pointer, Root ZX e Bingo 1020. Foram utilizados 12 dentes caninos superiores selecionados

do banco de dentes da Unigranrio. Os mesmos tiveram as coroas removidas e o preparo do corpo foi

feito com brocas Gates Glidden na seqüência 4, 3 e 2 e a substância irrigadora utilizada foi o hipoclorito

de sódio 2,5%. Após esta etapa os espécimes foram colocados em água corrente por 24 horas e em seguida

deixados em um umidificador por um período de 02 semanas. Foi verificado o comprimento real dos dentes,

inserindo instrumentos endodônticos (lima tipo k nº 15) até visualizar a ponta do instrumento no ápice. As

raízes foram incluídas num “jig” especial contendo um simulador de ligamento periodontal, Endo Q. A

seguir realizaram-se as medições com os aparelhos supracitados e os dados foram analisados através da

análise de variância (ANOVA), revelando que não existe diferença estatisticamente significativa entre os

grupos testados (p = 0,934).

Os resultados obtidos no trabalho demonstram que os 03 aparelhos avaliados possuem boa precisão, porém

existe a necessidade de estudos complementares, in vivo.

PI011 Verificação in vitro da eficácia do óleo de laranja e do eucaliptol

no amolecimento da guta percha

Reis JJ*, Souza MCA, Silva FSP

Clínica Odontológica - UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA. E-mail: joriajesus@zipmail.com

O objetivo desta pesquisa foi verificar in vitro o desempenho dos solventes óleo de laranja e eucaliptol no

amolecimento da guta percha durante o retratamento endodôntico. Vinte dentes humanos obturados endodonticamente

tiveram as coroas parcialmente seccionadas de modo que todos os espécimes permanecessem com

cinco milímetros de altura coronária. Com a broca de Largo nº 03, removeram-se dois milímetros de material

obturador a partir do colo dentário, criando espaço de sete milímetros, confirmado pela introdução de uma

lima Kerr calibre 25 com a referida medida demarcada. Os espécimes foram divididos aleatoriamente em dois

grupos distintos (GI - dez elementos dentários em que se empregou o óleo de laranja e o GII - dez elementos

cujo solvente escolhido foi o eucaliptol). Preencheu-se a cavidade pulpar com o solvente selecionado por dois

minutos. Os corpos-de-prova foram adaptados ao penetrômetro, (calibrado com um peso de 0,215 g), que continha

um dispositivo no qual foi acoplada uma lima calibre 25. Cronometrou-se o tempo de quinze segundos com

o objetivo de permitir a penetração do instrumento na guta percha supostamente amolecida. Após, o cursor foi

ajustado na borda mais superior do dente. Mediu-se então o comprimento do instrumento. Os resultados foram

submetidos ao teste de aderência à curva de normalidade, resultando em amostra não normal. Optou-se pelo

teste estatístico de Mann-Whitney para comparação de duas amostras independentes, que resultou em diferença

significativa entre as amostras testadas.

Concluiu-se o óleo de laranja proporcionou melhores resultados.

PI012 Avaliação microbiológica da saliva antes e após bochecho de

clorexidina a 0,12%

Pereira MVR*, Faquim JPS, Zardini FA, Faria RA, Magalhães ME

Periodontia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DO TRIÂNGULO. E-mail: mvodonto@hotmail.com

Com o intuito de fundamentar cientificamente o protocolo de bochecho com clorexidina a 0,12% prévio

aos procedimentos odontológicos invasivos, o objetivo do presente trabalho foi realizar uma avaliação microbiológica

antes e após o uso da clorexidina a 0,12%. Após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, foram

selecionados 18 pacientes portadores de no mínimo 14 dentes e faixa etária de 20 a 50 anos em atendimento na

Clínica Odontológica do Centro Universitário do Triângulo. Coletaram-se 3 ml de saliva de cada paciente antes

e após bochecho com água destilada e estéril durante 1 minuto (grupo controle) e em seguida coletaram-se 3 ml

de saliva antes e após bochecho com 15 ml de solução não diluída de clorexidina a 0,12% durante 1 minuto

(grupo de estudo). As amostras foram encaminhadas ao Laboratório de Microbiologia-Unitri para avaliação

com relação à redução de microorganismos. Os dados coletados relataram uma diminuição média de 99,93% na

quantidade de bactérias presentes na cavidade bucal após o bochecho com a clorexidina a 0,12%. Os resultados

foram submetidos à análise estatística (U de Mann-Whitney, Siegel, 1975) a fim de verificar a existência ou não

de diferenças significantes entre as freqüências obtidas pelos dois grupos. O nível de significância foi estabelecido

em 0,05 em prova bilateral, demonstrando diferenças significantes entre as freqüências, sendo que os valores

mais elevados foram os relativos ao grupo experimental.

Diante desses resultados, conclui-se que a clorexidina a 0,12% é eficiente na redução da microbiota, fornecendo

informações sólidas para indicação e utilização do produto como protocolo no preparo prévio aos

procedimentos odontológicos invasivos.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PI013 Controle de infecções em Faculdade de Odontologia no Rio de

Janeiro

Menezes E*, Hiroce M, Ramos MEB

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. E-mail: erikamenezes@aol.com

A clínica odontológica é susceptível à infecções cruzadas, estando a equipe exposta a diversos microorganismos

no sangue e saliva dos pacientes. Embora as normas sejam amplamente divulgadas, a negligência na

clínica faz com que todos os estudos se tornem sem validade para a sociedade. O objetivo é avaliar os alunos

da FO/UERJ, quanto ao cumprimento das normas do Manual de Biossegurança da faculdade. Aplicaramse

167 questionários de múltipla escolha aos alunos que já realizavam atendimentos clínicos, abordando

acidentes biológicos, vacinação, desinfecção de moldagens, etc. 122 (73%) responderam aos questionários,

dos quais 26 (21,3%) já sofreram acidentes biológicos, porém 57,6% (15) não procuraram qualquer atendimento.

O perfil de vacinação dos alunos foi de 88,5% (108) vacinados contra tétano, 89,3% (109) contra

hepatite, e só 68% (83) contra difteria. Nunca ou raramente usam sobre-luvas 72,1% dos alunos e 52,4%

nunca ou raramente desinfetam com álcool 70º ou clorexidina as superfícies contaminadas. Para 77,9% (95),

biossegurança colaborando para nota influencia no seu comportamento, o que é reiterado pelo fato de 28,1%

(25) atentarem mais para a biossegurança na faculdade do que no estágio. Ao aplicar-se o teste qui-quadrado

na associação acidentes biológicos-período no curso, observou-se, com estatística significativa, que quanto

mais adiantado no curso, maior o nº de acidentes (p = 0,007).

Conclui-se que os alunos apresentam procedimentos satisfatoriamente biosseguros, contudo fica evidente

a necessidade de ênfase quanto aos acidentes biológicos, supervisão rigorosa dos professores e atenção às

normas de desinfecção de superfícies.

PI014 Eficácia clínica da solução de quitosana a 0,4% sobre o biofilme

dentário

Pereira MG*, Vieira LB, Lima KC

Odontologia - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. E-mail:

marcioguto@hotmail.com

Através de um ensaio clínico controlado, randomizado e duplo-cego, avaliou-se a eficácia clínica de uma solução

para bochecho de quitosana a 0,4% com alto peso molecular e alto grau de desacetilação sobre o biofilme

dentário. Foram selecionados 72 indivíduos de 11 a 13 anos que preencheram os critérios de inclusão, sendo

divididos aleatoriamente em 2 grupos. Um fez uso da solução teste e outro da solução controle, 2 vezes ao dia,

durante 15 dias. Procedeu-se a aferição dos índices de placa visível (IPV) e de sangramento gengival (ISG), por

um examinador previamente calibrado, no período inicial (Linha Base); no período exatamente após o término

dos bochechos (T0); e 15 dias após ter cessado o uso das soluções (T15). Para a análise estatística entre os

grupos, foi utilizado o teste t de Student não-emparelhado para o IPV e o teste de Mann-Whitney para o ISG.

Na comparação entre os tempos dentro do mesmo grupo, foi utilizado o teste ANOVA para o IPV e o teste de

Friedman para o ISG, todos com um nível de significância de 5%. Observou-se que não houve diferença significativa

entre os grupos, evidenciando uma similaridade entre os mesmos no período inicial, mas uma ausência de

efeito ao final da pesquisa. Na comparação entre os tempos tanto para o grupo teste quanto para o grupo controle,

verificou-se uma diminuição gradual do IPV até o T15, mas uma ausência de efeito sobre o ISG.

Esse fato pode ser justificado pelo efeito mecânico do bochecho e também pela melhoria das condições de

higiene dos participantes pelo simples fato de estarem envolvidos na pesquisa, revelando que não houve

influência da quitosana na concentração testada diretamente sobre a redução do biofilme.

PI015 Susceptibilidade in vitro de bactérias bucais a tinturas

fitoterápicas

Soares DGS*, Oliveira CB, Drumond MRS, Leal C, Padilha WWN

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. E-mail: diana.gabriela@terra.com.br

Objetivou-se avaliar a atividade antibacteriana de 7 tinturas fitoterápicas sobre as linhagens de S. mutans

(ATCC 2575), S. sobrinus (ATCC 27609), S. mitis (ATCC 9811), S. sanguis (ATCC 10557), L. casei

(ATCC 7469) e S. aureus (ATCC 25923). As tinturas avaliadas foram: (A) aroeira (Schinus terebinthifolius),

(B) jucá (Caesalpinea ferrea), (C) romã (Punica granatum), (D) hortelã da folha graúda (Coleus amboinicus),

(E) gengibre (Zingiber officinalis), (F) própolis (Apis mellifera) e (G) alfa vaca (Ocimum basilicum). O

controle positivo utilizado foi a clorexidina 0,12% (H). Determinou-se a diluição inibitória máxima (DIM)

em meio de cultura sólido pela técnica dos poços, em duplicata, nas diluições de 1:0 até 1:32. A DIM foi

considerada a maior diluição capaz de inibir o crescimento bacteriano. A DIM encontrada para A, B, C, D,

E, F, G e H foi, respectivamente, 1:8, 1:8, 1:1, 1:16, 1:1, 1:16, 1:0, 1:32, para S. mutans; 1:8, 1:16, 1:1, 1:1,

1:1, 1:4, 1:0, 1:32, para S. sobrinus; 1:8, 1:32, 1:2, 1:1, 1:1, 1:4, 1:1 e 1:32, para S. mitis; 1:8, 1:16, 1:4, 1:0,

1:1, 1:4, 1:4 e 1:8, para S. sanguis. L. casei apresentou DIM de 1:16, 1:16, 1:1, 1:8, 1:1, 1:8 e 1:32 para A,

B, C, D, E, F e H, respectivamente, não sendo encontrada atividade em G. Sobre S. aureus a DIM foi de

1:32 em todas as tinturas testadas.

Concluiu-se que: a) as bactérias obtiveram susceptibilidade variada frente às tinturas avaliadas; b) S.

aureus foi o mais sensível diante dos fitoterápicos testados, sendo a romã a mais eficaz; c) o jucá obteve o

melhor desempenho antibacteriano, seguido da aroeira sobre S. sobrinus, S. mitis, S. sanguis e L. casei; d)

a própolis obteve os melhores resultados sobre S. mutans.

PI016 Ocorrência de Candida albicans em pacientes com e sem

manifestações clínicas de candidose atrófica crônica

Braga RRR*, Camargos ML, Lana MA

Odontologia - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. E-mail:

renatobraga@superig.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de C. albicans no palato e na prótese total superior de

pacientes com diagnóstico clínico de candidose atrófica crônica. Foram selecionados pacientes usuários de

prótese total superior, 20 com manifestações clínicas de candidose e 20 sem característica de doença. A

colheita do espécime foi realizada friccionando zaragatoa esterilizada na mucosa do palato e na superfície

interna da prótese. Os espécimes foram semeados em Ágar Sabouraud com 100 mg/ml de cloranfenicol e foram

incubadas a 37°C, por até 5 dias. A identificação presuntiva se baseou nas características morfocoloniais

e morfotintoriais das leveduras. A identificação definitiva de C. albicans foi confirmada pela formação de

tubo germinativo, observada após 3 horas de incubação, em banho-maria, a 37ºC, em soro humano. Pôde-se

detectar C. albicans no palato de 65% dos pacientes com diagnóstico de candidose e em 80% das próteses

avaliadas. Em relação aos indivíduos sem manifestação clínica de doença, esta espécie foi encontrada em

35% dos espécimes obtidos do palato e em 40% das amostras coletas da prótese. Pôde-se observar um maior

número de colônias típicas de Candida spp. nos espécimes obtidos do palato e da prótese dos pacientes

portadores de lesão.

Estes dados confirmam a correlação entre dados clínicos e microbiológicos associados à candidose atrófica

crônica e demonstram o alto nível de contaminação das próteses dos pacientes com e sem lesão, sugerindo a

necessidade de tratamento não somente do palato mas também relacionado à prótese.

37


PI017 Diversidade genética e virulência de Streptococcus mutans de

crianças com manchas dentais extrínsecas

Kamaroski CF*, Ito ET, Rosa RT, Rosa EAR

Estomatologia - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ. E-mail:

claricekamaroski@bol.com.br

A despeito da constatação clínica de que indivíduos que apresentam manchas extrínsecas sobre seus dentes

apresentam menores valores para diferentes índices de cáries, muito pouco é sabido acerca dos supostos

efeitos protetores que tais manchas conferem, bem como sobre os fatores de virulência das bactérias cariogênicas

envolvidas. Neste estudo foram arrolados escolares (9-12 anos de idade) com (GCM) e sem manchas

dentais extrínsecas (GSM). Os genótipos de Streptococcus mutans foram determinados por RAPD (Randomly

Amplified Polymorphic DNA) com “primer” OPA-05. Os diferentes clones foram avaliados quanto

às diferenças nos fatores de virulência: a) produção de ácidos fixos, b) aderência em superfícies de vidro,

c) produção de polissacarídeos álcali-solúveis. As diferenças observadas entre os clones foram comparadas

pelo test t de Student. Nos diferentes grupos analisados foi detectada a ocorrência de 1-4 clones (média 2,28

clones) em crianças do grupo GCM e 1-4 clones (média 1,83 clones) em crianças do grupo GSM. Os diferentes

clones bacterianos dos voluntários dos grupos GCM e GSM não diferiram estatisticamente (p > 0,05)

entre si quanto aos resultados dos fatores de virulência.

Com base nos resultados conclui-se que não se pode atribuir as diferenças nas experiências de cárie das

crianças dos dois grupos às diferenças nos fatores de virulência das cepas de Streptococcus mutans.

PI018 Efeito in vitro de própolis sobre a parede celular e formação de

tubo germinativo de Candida albicans

Gomes RT*, Teixeira KIR, Mello AM, Alves JB, Cortes ME, Santos VR

Clínica, Patologia e Cirurgia - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. E-mail:

tomaz_bh@hotmail.com

A patogênese das candidoses orais tem sido parcialmente atribuída à aderência de espécies de Candida à

mucosa bucal devido à formação de tubos germinativos. Sabe-se que a própolis, substância natural produzida

por abelhas, possui atividade antifúngica, porém seu mecanismo de ação ainda se mostra desconhecido.

O objetivo deste estudo in vitro foi determinar a concentração inibitória mínima (CIM) de extrato de própolis

capaz de inibir a formação de tubos germinativos de Candida albicans (ATCC 18804) e analisar as alterações

induzidas na morfologia do fungo através de microscopia comum (MO) e eletrônica de transmissão

(MET). A CIM foi determinada utilizando-se a cultura do fungo em soro de cavalo após 3 horas (37ºC) com

concentrações diversas da própolis. Amostras das culturas foram analisadas em MO e MET. Utilizaramse

como controles nistatina e etanol 97ºGL. Constatação da ausência de formação de tubos germinativos

(MO) ocorreu em concentrações de própolis acima de 0,96 µg/mL. Para doses superiores a 1,91 µg/mL,

a análise ultraestrutural (MET) revelou rugosidades na superfície da parede celular, aumento de volume e

rompimento da célula.

Sugere-se com este estudo que a propriedade fungicida da própolis contra C. albicans baseia-se em alterações

da superfície da parede celular do fungo culminando em tumefação e lise da célula. A própolis se

mostra como um possível agente terapêutico em infecções fúngicas da cavidade oral como a candidose

pseudomembranosa e a estomatite protética.

PI019 Atividade antimicrobiana in vitro e in vivo de enxaguatórios

bucais à base de clorexidina disponíveis no mercado

Komiyama EY*, Souza LPA, Jorge AOC, Oliveira M, Oliveira NCP, Koga-Ito CY

Biociências e Diagnóstico Bucal - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - SÃO JOSÉ DOS

CAMPOS. E-mail: edsonkomiyama@yahoo.com.br

Enxaguatórios bucais com clorexidina possuem diferentes combinações de substâncias em sua composição. O

objetivo deste estudo foi comparar in vitro e in vivo a atividade antimicrobiana dos produtos “A” e “B” disponíveis

no mercado. Para a etapa in vitro foram incluídas Candida albicans (ATCC 18804 e 20 isolados clínicos),

Staphylococcus spp. (S. aureus ATCC 6538 e 20 isolados clínicos), S. mutans (ATCC 35688 e 20 isolados

clínicos) e 6 amostras padrão de Enterobactérias. Os testes foram realizados pelo método de diluição em ágar

RPMI ou Müeller-Hinton. Ainda nessa etapa, foram realizados testes de aderência in vitro para S. mutans e C.

albicans incluindo concentração subinibitória dos produtos testados. O estudo in vivo avaliou a contagem total

no “baseline” e após a utilização do produto por 24 horas e 7 dias (n = 20 em cada grupo). Objetivando-se complementar

os estudos, foi realizada análise sensorial comparando a sensação de amargor dos produtos pelo teste

de comparação pareada. Os resultados foram comparados por Kruskal-Wallis/Teste Dunn ou ANOVA/Tukey

(5%). Os resultados mostraram que o valor de concentração inibitória para o Produto “A” foi de 0,39% para

todos os microrganismos testados e 0,75% para o Produto “B”. Não foi observada diferença estatisticamente

significativa na aderência dos microrganismos na presença dos produtos testados. A redução das contagens

totais in vivo foi semelhante. A análise sensorial mostrou que a diferença entre os produtos foi estatisticamente

significativa e o Produto “A” apresentou-se menos amargo.

Conclui-se que o Produto “A” mostrou-se mais efetivo in vitro, no entanto, ambos tiveram atividade antimicrobiana

similar in vivo.

PI020 Avaliação microbiológica de embalagens para uso em esterilização

de instrumentais odontológicos

Reino DM*, Tognim MCB, Nomoto J, Garcia LB, Hidalgo MM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ. E-mail: danilomr2005@yahoo.com.br

O aumento da concorrência no mercado de trabalho tem levado o cirurgião-dentista a buscar materiais

alternativos de menor custo e maior praticidade que atendam às exigências de qualidade microbiológica

nos processos de esterilização dos instrumentais odontológicos. O objetivo deste trabalho foi avaliar, microbiologicamente,

a utilização de embalagens de polipropileno (Pp) e de nylon (Ny) comparando-as com

embalagens de papel grau cirúrgico (Gc) e papel Kraft para o processo de esterilização em autoclave. Corpos-de-prova

(480) de papel filtro e de aço inoxidável (2 cm x 7 mm) foram contaminados com 3 × 10 5 UFC

de esporos de Bacillus stearothermophilus, secos em câmara de fluxo laminar e acondicionados em embalagens

de Pp, Ny, papel Kraft e Gc. Estas foram esterilizadas em autoclave a 121ºC por 15 minutos, secas

e armazenadas em bancada aberta e armário fechado por 15 dias, com temperatura e umidade controladas.

Diariamente, embalagens de cada tipo de invólucro provenientes dos 2 locais de armazenamento foram

abertas em câmara de fluxo laminar e os corpos de prova incubados em meio de cultura BHI, a 56ºC durante

7 dias para verificar o crescimento dos esporos e depois por 24 h, a 37ºC e a temperatura ambiente para

verificação de contaminação ambiental, de bactérias mesófilas ou fungos. Não houve desenvolvimento de

microrganismos nos corpos-de-prova.

Os resultados demonstraram que todos os materiais testados podem ser utilizados como embalagens para

esterilização, sendo capazes de manter o conteúdo estéril ao longo de 15 dias, independentemente do local

de armazenamento.

PI021 Levantamento de produtos alimentícios à base de substitutos da

sacarose na rede de supermercados de Caruaru-PE

Silva JO*, Maciel WV, Rocha DN, Steinhauser HC, Maciel SSSV

Saúde Coletiva - SOCIEDADE CARUARUENSE DE ENSINO SUPERIOR. E-mail:

jord_oliveira@hotmail.com

O presente estudo objetivou investigar a quantidade de produtos sem açúcar oferecidos nas principais redes

de supermercados de Caruaru, bem como analisar a sua composição e custo. Teve como delineamento um

estudo epidemiológico do tipo corte transversal. Os dados foram coletados por meio de um formulário contendo

fabricante, discriminação, apresentação, composição e custo dos produtos que apresentaram em sua formulação

substitutos da sacarose (adoçantes/edulcorantes), bem como seus similares açucarados. A análise estatística

dos dados comparativos foi realizada através dos Programas Microsoft Excel 2000 e do Epi-info versão 3.3.2.

De 508 produtos avaliados, 37,4% (n = 190) são os similares açucarados, 37% (n = 188) light e apenas 25,6%

(n = 130) diet; 1,6% dos produtos descritos como diet contêm açúcar e glicose; dos 14 edulcorantes encontrados,

os mais comuns foram Ciclamato (17,5%), Aspartame (15,8%) e Acesulfame (9,5%), no entanto, variam de

freqüência de acordo com a consistência do produto; comparativamente, os produtos diet são, em média, 90%

mais caros do que os demais; não há diferença nos valores dos refrigerantes diet/light e seus similares; apenas

um fabricante de refrigerantes utiliza a denominação diet.

Muitos fabricantes não discriminam em suas embalagens, com clareza, a presença de adoçantes, como não

advertem quanto à utilização do produto por indivíduos que fazem dieta baseada na diminuição da ingestão

de açúcar, tendo sido observada, ainda, a presença do edulcorante Maltodextrina, insulino-dependente, em

produtos diet; como também o Xilitol, edulcorante, anticariogênico, não foi encontrado em nenhum dos produtos

analisados.

PI022 Prevalência de Distúrbios Osteomusculares em cirurgiõesdentistas

e fatores relacionados

Telles EZ*, Andreghetto ET, Horii JC, Brito-Júnior RB, Ambrosano GMB, Flório FM

Odontologia - CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO. E-mail: dra.manu@uol.com.br

Os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (LER/DORT) constituem-se um problema de saúde

pública com repercussões sociais e econômicas aos afetados. Com o objetivo de avaliar a sua prevalência em

cirurgiões-dentistas (CDs) e verificar associações com condições profissionais, foram entregues, a 270 CDs aleatoriamente

selecionados, questionários previamente avaliados, contendo 50 questões fechadas (devolução de

55,9%; n = 151). Após tabulação e análise das respostas verificou-se que, na amostra, composta por indivíduos

de ambos os sexos (51,7% mulheres e 47,0% homens) com idade média de 37,3 ± 9,4 anos, a prevalência de dor

ou tensão muscular nos membros superiores foi igual a 79,5% (IC: 72,8%-84,8%), com predomínio do sexo feminino

(Qui-Quadrado, p = 0,003). Os membros acometidos pelos sintomas foram: pescoço (62,9%; IC: 54,4%-

68,8%), ombro (48,3%; IC: 40%-54,4%), punho (24,5%; IC: 16,8%-30,4%) e cotovelo (8,6%; IC: 4%-12,8%).

Com relação aos questionamentos ter seguro profissional, estar satisfeito com a profissão e achar a atividade

profissional desgastante, o teste do Qui-Quadrado apontou relação significante com a presença de dor ou tensão

apenas com o critério achar a profissão desgastante (p = 0,002). Não foi verificada relação entre tempo de formado

e presença da sintomatologia dolorosa (Qui-Quadrado, p = 0,901). Dentre os profissionais que relataram a

sensação de dor ou tensão, apenas 38,3% (IC:30%-44,2%) procuraram atendimento médico no último ano.

Conclui-se que estratégias educativas focalizando formas de prevenção, principais sintomas e fatores relacionados

a LER/DORT devem ser direcionadas à classe odontológica, visando a diminuição da sua prevalência.

PI023 Esportes de Contato: prevalência de traumatismo oro-facial e

utilização de protetor bucal

Corrêa RBM*, Assis VAB, Morais AP, Senna MAA, Barcelos R

UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA. E-mail: faelle_borges@hotmail.com

Esta pesquisa teve o objetivo de verificar a prevalência de traumatismos oro-faciais em diversas modalidades

de esporte de contato bem como a utilização de protetor bucal por parte dos atletas. Para tanto,

trabalhou-se com 346 atletas, com faixa etária entre 18 a 30 anos, ambos os sexos, praticantes de esportes

de contato como judô, jiu-jitsu, boxe, rugby, basquete entre outros, em academias e clubes na cidade de São

Gonçalo-RJ. Trabalhou-se com entrevista semi-estruturada utilizando-se um roteiro com perguntas acerca

do tema. Os principais resultados demonstraram que 55,2% dos atletas não fazem uso do protetor bucal e

destes, 48,7% não o utilizam por não sentirem necessidade, 20,9% por não se adaptarem e 6,3% por não conhecerem

o produto. Dos atletas que utilizam o aparato, 69,3% usam o kit específico e apenas 7,7% utilizam

os confeccionados por dentistas. Entre os entrevistados, 29,2% já afirmaram ter sofrido algum tipo de traumatismo

oro-facial. O esporte que apresentou a maior ocorrência de trauma foi o judô com 20,2% seguido

pelo basquete com 16,3%, jiu-jitsu com 13,5% e o boxe com 11,5%. Em relação aos traumas sofridos, 30,8%

sofreram corte de lábio, 17,0% perda dentária, 15,5% fratura dentária e 18,2% hematomas faciais.

Diante dos resultados conclui-se que apesar do conhecimento da importância do protetor bucal nos esportes

de contato, muitos atletas não o utilizam, deixando-os vulneráveis a diversos tipos de trauma. Campanhas

educativas e preventivas são necessárias para a redução da prevalência dos traumas oro-faciais

nesta população sob risco.

PI024 O cirurgião-dentista no Programa Saúde da Família (PSF): um

estudo de representação social

Nascimento TAR*, Leite BO, Araujo LC, Alves MSCF

Odontologia Preventiva e Social - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE.

E-mail: thiago_raulino@ig.com.br

Este estudo se propôs a conhecer as representações sociais dos cirurgiões-dentistas sobre o Programa Saúde

da Família, as atividades realizadas por estes profissionais no âmbito do PSF e as carências sentidas com relação

ao Programa. Utilizou-se como instrumento metodológico a entrevista semi-estruturada realizada com 26 profissionais

das Equipes de Saúde Bucal, em unidades de saúde de cinco municípios. Como critério de inserção

utilizou-se o tempo de inserção no PSF, devendo ser igual ou superior a um ano. Caracterizou-se também os

sujeitos pesquisados quanto à idade, sexo, tempo de formado, especialidade e tempo de inserção no PSF. Os

profissionais tinham uma idade média de 42 anos, 65,38% do sexo feminino, uma média 18,5 anos de formado,

15 realizaram curso de pós-graduação e o tempo de inserção no PSF gira em torno de 2 anos e 8 meses. As entrevistas

foram analisadas através da Análise de Conteúdo de Bardin (1977). As principais atividades executadas

pelos dentistas são as atividades preventivas realizadas na unidade de saúde e em espaços sociais, incluídas aí a

visita domiciliar e as reuniões com grupos, mas ainda ocorre uma alta demanda de atividades curativas.

Para eles, a falta de apoio institucional e a falta de equiparação de um dentista para cada equipe aparecem

como principais pontos de estrangulamento. A falta de estrutura na oferta de serviços é outro obstáculo na

realização das atividades. Percebe-se um novo olhar dos dentistas sobre o papel da prática odontológica,

voltada à prática preventiva e de promoção à saúde. Várias estratégias estão sendo utilizadas por profissionais

comprometidos com a produção do cuidado, na realização das ações em saúde bucal.

38 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 38

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PI025 Sedação consciente em odontopediatria: observação de eventos

adversos

Brasileiro SV*, Costa LRRS, Rabelo LM, Souza AC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. E-mail: sarahvb@cultura.com.br

A avaliação de eventos adversos associados ao uso de sedativos em crianças é importante na determinação

da eficácia do controle farmacológico em odontologia. Verificou-se a ocorrência de eventos adversos trans

e pós-operatórios associados à sedação consciente de crianças submetidas a tratamento odontológico, no período

de novembro de 2001 a dezembro de 2004. Os sedativos empregados por via oral foram o midazolam

na dose de 1,0 ou 1,5 mg/kg e o hidrato de cloral 70 ou 100 mg/kg. Todo o atendimento odontológico foi

monitorado, desde a administração do sedativo até a alta da criança, sendo os dados registrados em uma ficha

a cada 15 minutos. As variáveis independentes foram tipo e dose do medicamento. Analisaram-se dados de

81 sessões de atendimento correspondentes a 32 crianças de 18 a 102 meses (média 40,9, mediana 38), sendo

16 do sexo masculino e 16 do feminino. Foram realizadas 57 sessões com midazolam e 24 com hidrato de

cloral. Eventos adversos ocorreram em 56 sessões, não havendo diferenças estatisticamente significantes

quanto ao sedativo (p = 0,096) ou à dose (p = 0,647). Durante o atendimento observaram-se: vômito (n = 2),

soluço (n = 2), alucinação (n = 2) e irritação (n = 1). Nas 24 horas seguintes, foram relatados sono excessivo

(n = 33), irritação (n = 16), tontura (n = 11), vômito (n = 5), mal-estar (n = 3), soluço (n = 2), náusea (n = 2)

e alucinação (n = 2).

Concluiu-se que a ocorrência de eventos adversos na sedação oral em odontopediatria é freqüente, porém

as reações não apresentam risco grave à integridade do paciente.

PI026 Estudo comparativo entre silicona modificada e amendoim na

avaliação de eficiência mastigatória em crianças

Teles CL*, Gonçalves SRJ, Bonjardim LR, Bravo APF, Silva SS

Odontologia - UNIVERSIDADE TIRADENTES. E-mail: candidoteles@ig.com.br

Com o objetivo de estudar a perda de material durante o processo mastigatório de alimentos-teste na

avaliação da eficiência mastigatória para verificar qual o melhor protocolo para realização desse teste em

crianças, foram estudados dois tipos de material: um à base de silicona modificada e outro constituído

por amendoim envolto em sacos de látex lacrados. Para tanto, 15 crianças com dentição decídua completa

(faixa etária: 5,0 a 6,0 anos), de ambos os sexos, normoclusão e sem lesões cariosas que comprometessem

dimensões mésio-distais e ocluso-cervicais foram selecionadas. Cada voluntário recebeu a silicona em forma

de cubo e posteriormente o amendoim, para realizar a mastigação durante 15 ciclos mastigatórios para

cada alimento. Para ambos, a eficiência mastigatória foi avaliada através do sistema de peneiragem, sendo

posteriormente calculadas médias para eficiência mastigatória e de perda de material. A análise estatística,

através de teste t não pareado, mostrou não haver diferença estatisticamente significativa (p = 0,1181) entre

os dois alimentos-teste referente à perda de material após a mastigação, sendo a média de perda para a silicona

igual a 18,787 (± 12,327) e para o amendoim igual a 11,333 (± 12,969). Os dados referentes à eficiência

mastigatória demonstraram que a silicona (45,10 ± 13,64) apresentou maior valor de média em relação ao

amendoim (32,84 ± 15,20), com diferença estatisticamente significativa (p = 0,0275).

de ser concluído que os alimentos-teste silicona modificada e amendoim envolto em sacos de látex apresentam

comportamento semelhantes no que se refere à perda de material, podendo ambos serem utilizados

em testes de eficiência mastigatória em crianças.

PI027 Validação do modelo de ciclagem de pH (remineralização) para

teste de dentifrícios fluoretados com cálcio e fosfato

Tiano GC*, Rodrigues E, Hirata E, Sassaki KT, Delbem ACB

Odontologia Infantil e Social - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARAÇATUBA. Email:

ttiano@bol.com.br

A função dos modelos in vitro é facilitar a geração de dados quantitativos para desenvolver pesquisas clínicas

com segurança. O objetivo do presente estudo foi validar um modelo de ciclagem de pH e o efeito do meio

de diluição (água deionizada ou saliva artificial) dos dentifrícios regulares e suplementados com cálcio (Ca)

e fosfato (P). Blocos de esmalte bovino foram selecionados (n = 120) através da microdureza de superfície

(SMH). Lesões cariosas artificiais foram produzidas e os blocos submetidos à microdureza pós-cárie (SMH1).

A seguir, foram divididos em dois grupos: a) dentifrícios diluídos em água deionizada (água) e b) em saliva

artificial (saliva). Os blocos foram submetidos a seis ciclagens para remineralização e ao tratamento 2x/dia com

dentifrícios placebos, 275, 550 e 1.100 µg F/g, 450 µg F/g + Ca e P, e Crest ® . Após, determinou-se microdureza

(SMH2), para cálculo da porcentagem de recuperação da SMH (%SMH), e flúor presente no esmalte (µg F/cm 2 ).

Aplicaram-se a análise de variância, teste de Tukey e análise de regressão para determinar diferença (p < 0,05)

e relação dose-resposta. Os dentifrícios diluídos em água apresentaram menor concentração de flúor presente no

esmalte. O dentifrício (Ca+P) apresentou %SMH igual quando diluído em saliva e água (p > 0,05). Comparado

ao 1.100 e ao Crest ® apresentou menor %SMH (p < 0,05) quando diluído em saliva e, igual, diluído em água

(p > 0,05). A análise de regressão mostrou relação linear (p < 0,05) entre a concentração de flúor nos dentifrícios

e µg F/cm 2 e %SMH.

Concluiu-se que o modelo de ciclagem e a diluição com saliva artificial validam a comparação de dentifrícios

regular e suplementado in vitro.

PI028 Prevenção de cárie e manutenção de saúde bucal: como as mães

estão sendo orientadas?

Lima NA*, Campos JADB

Ciências Exatas e Biológicas - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA. E-mail:

naty33333@uol.com.br

O objetivo deste estudo foi verificar a fonte de orientações e as informações transmitidas sobre cariogenicidade

do leite, transmissibilidade da cárie e momento de visita ao dentista recebidas por mães da cidade de

Araraquara (SP). A amostra, composta por 368 mães, foi delineada aleatoriamente. Para avaliação utilizou-se

um questionário com questões objetivas. As respostas foram agrupadas segundo “quem orientou”, analisadas

pela freqüência relativa e os grupos comparados pelo Teste Binomial. Os resultados demonstraram que 31,5%

das mães não receberam nenhuma orientação enquanto 29,6% receberam de um cirurgião-dentista e 23,9% de

um médico. Pode-se notar também que no grupo orientado pelo médico, 95,41% afirmaram que a primeira visita

ao dentista deve ser realizada antes da erupção do primeiro dente enquanto este número caiu para 30,68% no

grupo orientado pelo odontólogo e para 23,28% no grupo que não recebeu orientação (p < 0,05). Sobre a cariogenicidade

do leite materno, 17,05%, 14,68% das mães orientadas pelo dentista e médico, a conhecia. Daquelas

orientadas pelo cirurgião-dentista, 78,41% afirmaram que nenhum leite é capaz de causar cárie e 21,59% acreditam

que isto ocorre apenas com o leite de vaca enquanto no grupo orientado pelos médicos esta porcentagem foi

76,15% e 23,85%. Quanto à transmissão vertical da cárie, apenas 35,23% e 26,61% das mães orientadas pelos

dentistas e médicos apresentaram esta informação.

Conclui-se assim, que esforços devem ser despendidos na reciclagem de conhecimentos dos profissionais e para

a prática da educação em saúde, na qual se inclui o processo de comunicação, com o objetivo de atuar dentro

da filosofia de promoção de saúde.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PI029 Efeito de extrato de própolis na contagem de Streptococcus mutans

da cavidade oral

Almeida ICS*, Duailibe SAC, Falcão CB, Bezerra MFC

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO. E-mail: irandy@elo.com.br

Este trabalho pesquisou a ação antibacteriana de um extrato de própolis oriundo de geoprópolis de abelhas

do Maranhão – Mellipona compressipes fasciata – contra os Streptococcus mutans a uma concentração de

30% de própolis e 70% de álcool, em quarenta e um jovens voluntários. Foram propostos a esses voluntários

vinte e um bochechos divididos em três bochechos ao dia, durante sete dias da semana, sem qualquer outra

interferência em seus hábitos de higiene bucal e alimentação. A coleta da saliva desses pacientes ocorreu em

três momentos: a primeira, antes do primeiro bochecho, a segunda, uma hora após o primeiro bochecho e

a terceira, sete dias após o primeiro bochecho. Constatou-se a diminuição no número de colônias de Streptococcus

mutans em 49% do total das amostras coletadas, após o uso do extrato, 26% apresentaram-se sem

alteração e 25% demonstraram aumento, confirmando a possibilidade do uso de extratos de própolis como

meio auxiliar auxiliar no tratamento e na prevenção da doença cárie.

Constatou-se a diminuição no número de colônias de Streptococcus mutans em 49% do total das amostras

coletadas, após o uso do extrato, 26% apresentaram-se sem alteração e 25% demonstraram aumento, confirmando

a possibilidade do uso de extratos de própolis como meio auxiliar auxiliar no tratamento e na

prevenção da doença cárie.

PI030 Avaliação do Nível de Conhecimento dos Escolares do Distrito do

Saí (São Francisco do Sul/SC, Brasil) em Relação à Dieta

Kruger AR*, Fabre CA, Lopes CMCF

Odontologia - UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE. E-mail: alinerk@terra.com.br

Poucos estudos têm como foco o conhecimento sobre saúde bucal, principalmente da população infantil.

Além disso, a escassez destas informações pode prejudicar a avaliação dos resultados dos programas preventivos.

O objetivo deste trabalho foi avaliar a capacidade de reconhecimento de uma dieta cariogênica e de

recursos de higiene bucal pelos escolares de 6 a 12 anos do Distrito do Saí, São Francisco do Sul (SC). Foram

aplicados dois formulários ilustrados em 141 escolares. Ambos os formulários eram bastante simples – um

deles apresentava figuras relacionadas à uma dieta cariogênica e uma dieta não cariogênica; o outro apresentava

figuras de recursos de higiene bucal, recursos relacionados a hábitos bucais e um brinquedo. Todas

as crianças selecionaram algum alimento não cariogênico e algum recurso de higiene bucal. Os itens mais

selecionados foram: o creme dental (91,8%), a escova dental (90,3%), a maçã (80,8%) e a cenoura (77,3%).

Grande parte das crianças que selecionou os alimentos cariogênicos e objetos relacionados a hábitos bucais

encontrava-se com 6 anos de idade. Estatisticamente, o sexo masculino foi significativamente mais incapaz

no reconhecimento dos utensílios de higiene bucal e dos alimentos cariogênicos. A faixa etária de 6 e 7 anos

não apresentou discernimento quanto ao reconhecimento dos utensílios para a prática de higiene bucal.

Os resultados deste estudo demonstraram que os escolares pesquisados reconheceram os alimentos cariogênicos

e a importância da higiene bucal para a saúde dental.

PI031 Resistência flexural e à tração diametral de cinco resinas

compostas

Borba M*, Della-Bona A, Benetti P, Cecchetti D

Biomateriais - UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO. E-mail: marciaborb@bol.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar as resistências flexural e à tração diametral de cinco resinas compostas

fotopolimerizáveis, testando a hipótese de que há uma relação positiva entre essas propriedades.

Foram fabricados 20 corpos-de-prova (CP) de cada material (Z100 - 3M-Espe; Filtek Z250 - 3M-Espe;

AM-Amelogen, Ultradent; VE-Vit-l-escence, Ultradent; EX-Esthet-X, Dentsply/Caulk), seguindo as normas

ISO 4.049 e ANSI/ADA 27, além das instruções do fabricante. Para o teste de resistência à tração

diametral (Rd), os CP (n = 10) em forma de cilindro (4 mm x 6 mm) foram posicionados com o longo

eixo perpendicular à força aplicada, em compressão, a uma velocidade de 1,0 mm/min. Para o ensaio de

resistência flexural por 3-pontos (Rf) os CP (n = 10) em forma de barra (2 x 2 x 25 mm 3 ) foram testados

a uma velocidade de 0,5 mm/min. Ambos os testes foram realizados em uma máquina de ensaio universal

(EMIC 2000) registrando os valores de carga de fratura (N) que foram convertidos para MPa e analisados

estatisticamente usando ANOVA e Tukey. Os valores médios e desvio padrão (MPa) da Rd foram:

Z100 - 34,86 ± 4,1; Z250 - 45,06 ± 5,7; AM - 35,61 ± 5,4; VE -34,45 ± 7,8; EX - 42,87 ± 6,6; e os da Rf

foram: Z100-54,9 ± 1,1; Z250-126,52 ± 3,3; AM-87,75 ± 3,8; VE-104,66 ± 4,4; EX-119,48 ± 2,1. Os compósitos

EX e Z250 apresentaram médias de Rd e Rf estatisticamente maiores que as dos demais materiais

avaliados (p ≤ 0,05) que seguiram uma tendência decrescente de valores médios.

Os resultados confirmam a hipótese inicial mostrando uma relação positiva entre as duas propriedades

analisadas, para os materias estudados.

PI032 Efeito de fontes de luz e tempos de exposição na microdureza e

resistência ao amolecimento de um compósito

Corrêa MB*, Henn S, Marimon JLM, Almeida J, Rodrigues-Junior SA, Demarco FF

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS. E-mail:

marcosbcorrea@bol.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar a influência de diferentes unidades fotoativadoras na dureza Knoop

e na densidade de ligações cruzadas de uma resina composta variando o tempo de exposição. Quarenta

espécimes com 4 mm de profundidade foram confeccionados e divididos (n = 10) em grupos de acordo com

os seguintes fatores de variação: unidade fotoativadora halógena (400 mW/cm 2 ) e LED (180 mW/cm 2 ); e

tempo de irradiação – 20 s e 40 s. Após polimerizados os espécimes foram armazenados em ar à temperatura

ambiente e posteriormente submetidos ao teste de dureza nas profundidades 0-1, 1-2, 2-3 e 3-4 mm

com uma carga de 50 g aplicada por 30 s. Os espécimes foram então submersos em etanol por 24 h e após

submetidos novamente ao teste de dureza. Os dados foram submetidos aos testes ANOVA (três variáveis)

e teste t-Student. As diferenças entre os grupos foram determinadas pelo teste de Tukey (p < 0,05). Os

resultados obtidos apontaram efeitos estatisticamente significantes da profundidade, do tempo de exposição

e do armazenamento em etanol (p < 0,0001) na dureza do material. Não foram observadas diferenças entre

as unidades fotoativadoras testadas.

Com base nos resultados foi possível concluir que o aumento do tempo de exposição aumenta a dureza do

compósito. Não foi encontrada influência da polimerização com LED na dureza Knoop e na densidade de

ligações cruzadas.

39


PI033 Avaliação do nível de microinfiltração em restaurações realizadas

com adesivo autocondicionante

Correa JC*, Oliveira JC, Suarez AVG, Barceleiro CG, Barceleiro MO

Odontologia - FACULDADES UNIFICADAS SERRA DOS ÓRGÃOS. E-mail:

jujuclaussen@yahoo.com.br

O objetivo deste trabalho foi avaliar o nível de microinfiltração marginal em restaurações realizadas com duas

técnicas adesivas distintas, uso de sistema adesivo de 2 passos (Condicionamento ácido + Prime & Bond 2.1)

ou uso de sistema adesivo autocondicionante de passo único (One-Up Bond). Para isto, 13 terceiros molares

hígidos recém-extraídos receberam cavidades classe V padronizadas por vestibular e palatina, as quais foram

divididas em dois grupos: Grupo 1 (Controle – Prime & Bond 2.1 - vestibulares) e Grupo 2 (Teste – One-Up

Bond - palatinas). Após o uso dos sistemas adesivos segundo as instruções dos respectivos fabricantes, as cavidades

foram restauradas com resina TPH, pela técnica incremental. Em seguida, os dentes foram imersos em

solução de Nitrato de prata a 50%, e posteriormente foram seccionados para avaliação do grau de infiltração

marginal por dois avaliadores calibrados. O grau de infiltração foi comparado em relação à localização das

margens da cavidade e em relação ao tipo de sistema adesivo. Os postos médios obtidos foram analisados por

Kruskal-Wallis e Mann-Whitney (p < 0,05). Os autores observaram que a infiltração foi maior nas margens de

cemento do que nas margens de esmalte (38,02 x 14,98), independentemente do sistema adesivo, e observaram

que os sistemas adesivos tiveram comportamentos estatisticamente semelhantes quando comparados os valores

de microinfiltração em esmalte e em cemento (Gr.1 cervical = 41,5; Gr.2 cervical = 34,54; Gr. 1 oclusal = 16,31;

Gr. 2 oclusal = 13,65).

Concluiu-se que o sistema adesivo autocondicionante utilizado apresentou comportamento semelhante ao sistema

adesivo controle, com condicionamento ácido prévio.

PI034 Eficácia de um protótipo de aparelho fotopolimerizador de baixo

custo, utilizando um diodo emissor de luz (LED)

Leitune VCB*, Ogliari FA, Correa AM, Collares FM, Fortes CBB, Samuel SMW, Campregher UB

Odontologia Conservadora - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

vicenteleitune@gmail.com

O objetivo do trabalho foi desenvolver um protótipo de fotopolimerizador de baixo custo, utilizando um

diodo emissor de luz (LED). Foi projetado um circuito eletrônico com um temporizador, um regulador

de corrente e um “driver” de potência. A alimentação do circuito foi feita com uma fonte comercial de

9 V e o LED utilizado apresentava pico de emissão em 470 nm. A avaliação da eficácia do protótipo foi

verificada através de ensaios de profundidade de polimerização de um compósito odontológico comercial

e os resultados comparados com os obtidos por um fotopolimerizador convencional de lâmpada halógena.

Os ensaios foram realizados em uma matriz metálica de 6 mm de altura com um orifício central cilíndrico

de 4 mm de diâmetro. O tempo de polimerização foi de 20 s e para cada aparelho foram confeccionados

três corpos-de-prova, de acordo com a especificação 4.049:2000 da ISO. A mensuração da profundidade de

polimerização foi feita em mm com um penetrômetro similar ao sugerido por Harrington e Wilson (1993) e

os valores médios e desvios-padrão obtidos foram: 4,08 ± 0,02 para o aparelho convencional e 4,70 ± 0,03

para o protótipo. O teste t de Student mostrou que o protótipo avaliado obteve resultados estatisticamente

superiores (p = 0,00002) aos do aparelho convencional.

Com base nos resultados e considerando o baixo custo do protótipo desenvolvido conclui-se que a produção

do mesmo parece ser viável como alternativa aos aparelhos de lâmpada halógena.

PI035 Estudo por MEV/EDS da microestrutura e composição química

de materiais odontológicos: influência na densidade óptica

Castro RY*, Valadares BHA, Ferreira-Júnior S, Silva VV, Lameiras FS, Giovannini JFBG, Brasileiro

CB

CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA. E-mail: ricyuki@gmail.com.br

Para relacionar a microestrutura e a composição química de sistemas restauradores odontológicos com as

densidades ópticas, foram analisadas as resinas compostas fotoativadas Ae (híbrida/esmalte), Ad (híbrida/dentina),

Be (híbrida/esmalte), Bd (híbrida/dentina), C (microhíbrida), D (micropartículas) e o cimento ionômero de

vidro E para forramento, quimicamente ativado. Os materiais, cor A3, foram inseridos em matrizes de diâmetro

pré-determinado, nas espessuras de 1, 2, 3 e 4 mm. As amostras foram metalizadas para análise por MEV/EDS.

Três radiografias foram realizadas para as amostras de cada material. Após o processamento manual (tempotemperatura),

as imagens foram submetidas à leitura em um fotodensitômetro para determinação da densidade

óptica. Cinco leituras foram feitas em pontos distintos de cada amostra para a obtenção de uma média aritmética.

A análise estatística envolveu os testes de Kruskal-Wallis, ANOVA e Mann-Whitney (p < 0,05). Para todos os

materiais, o aumento na espessura resultou na redução da densidade óptica, sendo estes valores estatisticamente

significativos. Nas espessuras de 2, 3 e 4,0 mm, a resina C mostrou-se mais radiopaca. Entretanto, quando comparada

ao material E, na espessura de 3,0 mm, nenhuma significância foi encontrada. Na espessura de 1,0 mm,

a resina Ad apresentou-se mais radiopaca, embora, quando comparada a E, o valor encontrado não tenha sido

estatisticamente significativo. Através do MEV/EDS, foram observadas variações na morfologia, tamanho e

componentes das partículas de carga (BaO, Al 2 Ο 3 , ZrO 2 ).

Variações na microestrutura e na composição química dos materiais avaliados poderiam explicar as diferenças

no aspecto radiográfico.

PI036 Micromorfologia da dentina preparada com ponta diamantada e

de diamante ultra-sônica condicionada por “primer” acidulado

Martins MEL*, Faria MR, Matson MR

Dentística - UNIVERSIDADE IBIRAPUERA. E-mail: manonmartins@yahoo.com.br

Atualmente os procedimentos adesivos são essenciais para o sucesso das restaurações adesivas. Vários

trabalhos relacionam o “smear layer” às condições de adesão, além do fato do tipo de instrumentação interferir

na espessura desta estrutura. A proposta deste trabalho é avaliar, por meio de MEV, o padrão de condicionamento

da dentina após a aplicação do “primer” acidulado de um sistema adesivo autocondicionante

(MDP, HEMA, dimetacrilato hidrofílico, CQ, DEPT e água) e do ácido fosfórico a 37%. Foram realizados

18 preparos cavitários em 3 molares humanos recém-extraídos, sendo 3 preparos com ponta diamantada e

3 preparos com ponta de diamante acionada por ultra-som (para cada dente). Cada dente recebeu um tipo

de tratamento: sem condicionamento, condicionamento com ácido fosfórico a 37% por 15 s e aplicação do

“primer” acidulado. Os espécimes foram analisados por MEV, onde foram feitas imagens com aumentos

de 200, 2.000 e 5.000 vezes. Para os casos com o preparo por ponta de diamante acionada por ultra-som

percebemos uma camada de “smear layer” com aspecto de flocos além da presença de túbulos dentinários

expostos. Nos preparos com pontas diamantadas convencionais o “smear layer” apresentou uma forma mais

compacta, com a presença de resíduos na dentina intertubular.

Por esta análise podemos afirmar que com a utilização das pontas diamantadas acionadas por ultra-som

mais a aplicação de um “primer” acidulado temos uma camada de “smear layer” menos aderida, com um

padrão de condicionamento diferente da dentina dos preparos convencionais.

PI037 Avaliação da microinfiltração em classe V de resina composta

usando sistemas adesivos convencionais e autocondicionantes

Battistini V*, Simão JO

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO. E-mail: battistinivan@hotmail.com

O objetivo da pesquisa foi avaliar a microinfiltração em restaurações de resina composta utilizando sistemas

adesivos convencionais e autocondicionantes. Avaliaram-se, in vitro, a ocorrência e a intensidade da

microinfiltração inicial (24 horas) e aos 6 meses. Utilizaram-se 40 molares humanos extraídos nos quais

foram preparadas cavidades de classe V padronizadas nas faces vestibular e lingual. As amostras foram divididas

em 4 grupos com diferentes sistemas adesivos (A e B convencionais com condicionamento ácido, C e

D autocondicionantes) utilizados de acordo com as indicações dos fabricantes. Após os diferentes tempos de

armazenagem, as amostras foram imersas por 24 horas em Rodamina B a 2%, lavadas, secas e seccionadas

conforme um plano axial vestíbulo-lingual passando pelo centro das restaurações. Dois examinadores avaliaram

a microinfiltração e atribuíram escores de 0 a 5, de acordo com a penetração do corante. Os resultados

mostraram os seguintes valores para microinfiltração: 24 horas A - 2,5; B - 2,7; C - 2,9 e D - 3,0; 6 meses

A - 3,8; B - 4,1; C - 3,4 e D - 3,6.

Concluímos que os sistemas adesivos foram incapazes de impedir a microinfiltração e que houve aumento

da mesma entre 24 horas e 6 meses em todos os sistemas adesivos estudados.

PI038 Avaliação da capacidade antimicrobiana sobre S. mutans dos

sistemas adesivos associados a própolis ou antibióticos

Nascimento TC*, Bernardes T, Pinheiro SL, Ribeiro MC, Silvestre FHDS

Dentística - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS. E-mail:

tammy_kiss@yahoo.com.br

O objetivo deste trabalho foi avaliar, in vitro, a capacidade antimicrobiana dos sistemas adesivos (Excite e

Prime Bond) associados a 5% do extrato de própolis ou a antibióticos (metronidazol, ciprofloxacina e cefaclor

- 1% de cada) frente à cepa padrão de S. mutans. Seis grupos foram avaliados: G1 controle: Excite (EX); G2

controle: Prime Bond (PB); G3: Excite associado a 5% de própolis (EXp); G4: Excite associado aos antibióticos

(EXa); G5: Prime Bond associado a 5% de própolis (PBp); G6: Prime Bond associado aos antibióticos (PBa).

Placas de Müller-Hinton (MH) foram semeadas com a suspensão bacteriana e 0,1 ml de cada amostra foram

colocados em discos de feltro estéreis nas placas MH. Os procedimentos foram realizados em triplicata. As

placas foram incubadas em anaerobiose por cinco dias. Os halos de inibição de crescimento bacteriano foram

medidos (em milímetros) por um único leitor devidamente treinado. Os resultados obtidos foram submetidos

ao teste Kruskal-Wallis. As médias aritméticas e os desvios padrão foram: EX (0 ± 0); PB (0 ± 0); EXp (0 ± 0);

EXa (9 ± 0); PBp (0 ± 0); PBa (1,66 ± 0,57). Os sistemas adesivos EX, PB, EXp e PBp não apresentaram efeito

antimicrobiano frente à cepas de S. mutans. O sistema adesivo Excite associado aos antibióticos apresentou o

maior halo de inibição sobre S. mutans com diferenças estatisticamente significantes (p < 0,05) em relação ao

EX, PB, EXp e PBp.

Os sistemas adesivos EX e PB associados de 1% de cefaclor apresentam capacidade antimicrobiana sobre

S. mutans, possibilitando a utilização desses sistemas adesivos antimicrobianos em técnicas de remoção parcial

do tecido cariado.

PI039 Contribuição ao estudo da prevalência, diagnóstico diferencial e

fatores etiológicos das lesões cervicais não cariosas

Lima LM*, Humerez-Filho H, Osternack FHR, Lopes MGK

Odontologia - CENTRO UNIVERSITÁRIO POSITIVO. E-mail: luanamdelima@uol.com.br

As lesões cervicais não cariosas constituem um grupo de lesões de grande complexidade na prática clínica

odontológica, principalmente no que se refere à identificação do agente etiológico e ao tratamento proposto.

Estas lesões têm sido pesquisadas com maior interesse em decorrência da perda excessiva de tecido dentário

na região cervical (junção amelo-cementária) que causa sensibilidade dentinária, problemas funcionais e estéticos.

O objetivo desse trabalho foi avaliar a prevalência, o diagnóstico diferencial e os fatores etiológicos

relacionados com estas lesões. Foram examinados 108 pacientes que se apresentaram na clínica de odontologia

do Unicenp. Para participar do exame não houve restrição de sexo, idade, raça, classe social, presença

ou não de lesões cervicais. Foram coletados dados necessários e aqueles paciente que apresentavam lesão de

abfração severa foram selecionados, em seguida, foi realizada a análise estatística Anova e Tukey (p < 0,05),

totalizando 66%. Para estes, foram aplicados questionários específicos com abordagem no diagnóstico e nas

causas etiológicas, totalizando 341 dentes afetados severamente por esta lesão. Pode ser observado que as

lesões foram mais comuns em mulheres e existiu uma relação direta entre idade e dentes mais cometidos,

69% estando diretamente associada à má oclusão, 58% com hábitos nocivos e parafuncionais (apertamento

49% e bruxismo 61%).

Concluiu-se que a associação de fatores causais está, invariavelmente, presente.

PI040 Avaliação da força de união entre resina composta e cimentos de

ionômero de vidro com ou sem condicionamento ácido

Cavalcante A*, Coelho-de-Souza FH, Campos LM, Baumhardt-Neto R, Klein-Junior CA

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: andrecavalcante22@yahoo.com.br

Muitos preparos cavitários apresentam cavidades médias ou profundas, sendo indicado o ionômero de vidro

como material forrador. É discutido se o condicionamento com ácido fosfórico prévio ao sistema adesivo pode

ser realizado sobre o ionômero. O objetivo deste estudo foi avaliar a força de união por meio de cisalhamento

entre resina composta e dois tipos de cimento de ionômero de vidro (CIV), um quimicamente ativado (CIVQ)

(Vidrion F/SSWhite) e outro fotoativado (CIVF) (Vitrebond/3MESPE), não condicionados (NC) e condicionados

com ácido fosfórico 37% (Dentalvile) 15 ou 30 segundos (15S e 30S respectivamente). Espécimes (90) de

CIV (3,0 mm de diâmetro e 4,0 mm de espessura) foram produzidos em uma matriz de teflon, divididos em 6

grupos (CIVQ NC; CIVQ 15S; CIVQ 30S; CIVF NC; CIVF 15S; CIVF 30S). Os espécimes do grupo NC não

receberam aplicação do ácido fosfórico. Sobre a superfície de todos os espécimes foi aplicado e fotoativado o

sistema adesivo Scotchbond Multi Uso (3M/ESPE), e sobre este inserida resina composta (Z250/3MESPE)

em 2 incrementos com o auxílio da matriz de teflon. Os espécimes foram armazenados em ambiente úmido

por período de 24 h e em seguida submetidos ao teste de cisalhamento. A análise estatística (que os espécimes

não condicionados (CIVQ NC e CIVF NC) necessitaram de maiores valores de força para ocorrer a desunião

resina/ionômero, seguidos dos condicionados por 30 s e 15 s respectivamente; o CIVF NC também necessitou

de maiores valores de força quando comparado ao CIVQ NC.

A força de união entre resina composta e os CIV’s analisados é maior quando não é realizado o condicionamento

com ácido fosfórico 37% sobre o ionômero de vidro.

40 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 40

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PI041 Avaliação da microinfiltração marginal de cimentos de ionômero

de vidro convencionais e modificados por resina

Guedes-Neto MV*, Cabral MFC, Pontes DG, Bandeira PAC, Bandeira MFCL, Carneiro FC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS. E-mail: pibs0072004@ufam.edu.br

Os cimentos de ionômero de vidro (CIVs) convencionais e modificados por resina têm como característica

a capacidade de adesão química às estruturas dentais. Entretanto, diferentes propriedades mecânicas podem

interferir na capacidade de selamento marginal destes materiais. O propósito deste estudo foi avaliar in vitro

a microinfiltração marginal de CIVs convencionais e modificados por resina. Para tanto, 80 preparos classe

V foram realizados na junção cemento-esmalte das faces vestibulares e linguais de incisivos bovinos. Os

espécimes foram divididos aleatoriamente em: Grupo A: CIVs convencionais (subdividido em 5 subgrupos

com 5 dentes cada, destinados a cada cimento testado), e Grupo B: CIVs modificados por resina (subdividido

em 3 subgrupos com 5 dentes cada, como no grupo anterior). As restaurações foram feitas de acordo com

instruções dos fabricantes e protegidas com adesivo fotopolimerizável. Após estocagem por 24 h em ambiente

a ± 37°C e de 100% umidade, as restaurações foram acabadas e polidas. Após imersão em solução de

nitrato de prata 50% por 12 h, solução reveladora por 15 min e corte dos dentes, realizou-se a avaliação com

escores de 0 a 3, em uma escala crescente de microinfiltração. A porcentagem de escores 3 e 2 no Grupo A

foi de 83%. A porcentagem dos mesmos escores para o Grupo B foi de 13,3%. Os resultados foram tratados

pelo teste Kruskal-Wallis que demonstrou diferenças significantes entre os grupos (p < 0,05).

Conclui-se que os CIVs modificados por resina foram mais eficazes que os CIVs convencionais em evitar

a microinfiltração marginal.

PI042 Avaliação da efetividade de agentes clareadores em dentes

despolpados

Rodrigues CM*, Valera MC, Camargo CHR, Camargo SEA, Oliveira LD, Carvalho CAT

Restauradora - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Email:

crismartinsr@hotmail.com

Diferentes técnicas de clareamento para dentes desvitalizados são utilizadas. A proposta desta pesquisa foi

avaliar in vitro a eficácia do peróxido de carbamida 16% (PC 16%), do perborato de sódio tetraidratado (PS) e

da associação entre eles (PC 16% + PS), no clareamento interno de dentes desvitalizados e escurecidos. Em 60

premolares após tratamento endodôntico foi realizado tampão cervical com CIV modificado por resina. A cor

inicial dos dentes foi verificada com escala Vita e por fotografias padronizadas. Os dentes foram escurecidos

com eritrócitos de sangue fresco de coelho por 18 dias. Foram realizadas novas fotografias e registro da cor pósescurecimento.

Os dentes foram divididos em 4 grupos (n = 15) G1: gel de PC 16%; G2: gel de PC 16% + PS;

G3: PS + água destilada; G4 (controle): bolinha de algodão. O material clareador permaneceu por 7 dias sendo

este procedimento repetido mais duas vezes, totalizando 21 dias. A cada troca do agente clareador (7, 14 e 21

dias) foi realizada a análise da cor com escala Vita e pelas fotografias, por análise visual de 2 examinadores. Os

resultados foram submetidos aos testes de Kruskal-Wallis e de Dunn (p = 0,05).

Verificaram-se diferenças entre os grupos aos 7, 14 e 21 dias (p = 0,0001) sendo o G4 (controle) estatisticamente

diferente do demais grupos; os grupos experimentais não foram diferentes entre si nos intervalos avaliados.

As três técnicas de clareamento foram efetivas, entretanto a associação PC 16% + PS mostrou melhores

resultados, embora sem significância estatística. Conclui-se que as três técnicas de clareamento realizadas em

dentes escurecidos por produtos sanguíneos são eficazes, podendo ser utilizadas na prática clínica.

PI043 Avaliação clínica de restaurações em lesões cervicais não cariosas

utilizando quatro diferentes materiais

Zavadzki LF*, Gomes OMM, Lessa FMS, Gomes JC, Santos FA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA. E-mail: felipelz@uol.com.br

Lesões cervicais não cariosas são caracterizadas pela perda de estrutura dental, sendo que vários materiais

estão disponíveis como opção ao procedimento restaurador. O objetivo deste estudo foi comparar o

desempenho clínico de quatro materiais restauradores diretos fotopolimerizáveis. Os pacientes selecionados

receberam orientação sobre higienização bucal antes das etapas restauradoras. Foram realizadas 40 restaurações

cervicais (incisivos, caninos e pré-molares) por um único operador com os seguintes materiais: G1

(n = 10) - cimento de ionômero de vidro; G2 (n = 10) - resina composta de micropartícula; G3 (n = 10) -

resina composta microhíbrida e G4 (n = 10) - resina composta “flow”. As restaurações foram avaliadas após

o acabamento e o polimento (inicial) e reavaliadas com 180 dias (final) por meio dos critérios USPHS modificados:

alteração de cor (C), rugosidade superficial (RS) e integridade marginal (IM), utilizando os escores

“alfa” (1): restaurações clinicamente ideais, “bravo” (2): restaurações clinicamente aceitáveis e “charlie” (3):

restaurações clinicamente inaceitáveis. Todas as avaliações foram realizadas por dois pesquisadores previamente

treinados e calibrados. Os resultados mostraram diferenças significativas (p < 0,05 - Kruskal-Wallis)

para o critério RS na comparação entre os grupos após 180 dias. Houve diferenças significativas entre os

escores iniciais e finais para C, RS no G1 e para RS no G4 (p < 0,05 - Wilcoxon).

Concluiu-se com os resultados que todos os materiais apresentaram mesmo comportamento em relação a C

e IM, porém o cimento de ionômero de vidro apresentou maior RS.

PI044 Resistência de união entre sistemas adesivos simplificados e

cimentos resinosos em restaurações estéticas indiretas

Aguiar TR*, Cavalcanti A, Fontes CM, Marchi GM, Muniz L, Mathias P

Clínica Odontológica - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. E-mail: thaianeaguiar@bol.com.br

A popularização dos sistemas adesivos simplificados e o risco de comprometimento da cadeia adesiva necessária

à cimentação de restaurações indiretas estéticas torna necessário o estudo dessa interação química. Assim,

este trabalho avaliou a resistência de união e o modo de fratura de 2 cimentos resinosos associados a 3 sistemas

adesivos simplificados, após cimentação de restaurações indiretas. O esmalte oclusal de 30 terceiros molares

humanos hígidos foi removido e a superfície dentinária planificada. Após, os espécimes foram, aleatoriamente,

divididos em 3 grupos (n = 10) que receberam sistemas adesivos (Produtos A, B, C) e cimentos resinosos de polimerização

dual (Produtos D, E), utilizados segundo as orientações dos respectivos fabricantes: G1 - Produto A

e Produto D, G2 - Produto B e Produto D, G3 - Produto C e Produto E. Os produtos A e B representam sistemas

adesivos simplificados convencionais, já o produto C é um autocondicionante. Blocos de restaurações indiretas

com resina composta foram cimentados sobre a superfície dentinária de cada corpo-de-prova. Após 24 horas,

os espécimes foram cortados longitudinalmente em forma de palitos com áreas de união com ± 1,0 mm. Após

mensuração da área aderida dos palito e ensaio de microtração (EMIC DL500) realizou-se a avaliação do modo

de fratura em MEV. As médias em MPa por grupo foram (ANOVA e Tukey – p < 0,05): G1 = 27,76 (± 5,20);

G2 = 11,76 (± 5,035); G3 = 23,50 (± 7,83). Observou-se predominância de fraturas adesivas no G2; fraturas

coesivas em cimento no G1 e coesivas na camada adesiva no G3.

Assim, entre os sistemas adesivos simplificados, os convencionais (G1 e G3) demonstraram melhor comportamento

adesivo que o autocondicionante.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PI045 Resistência de união à microtração em dentina de sistemas

adesivos aplicados em uma ou duas camadas

Schamann LT*, Soares CG, Burnett-Júnior LH

Clínico - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL. E-mail:

leoschamann@yahoo.com

Este trabalho avaliou a resistência de união à microtração à dentina de sistemas adesivos aplicados em 1 e 2

camadas (A, B, C e D), mensurar a espessura da camada adesiva e determinar o padrão de falha após o teste de

resistência adesiva. Trinta e dois molares humanos extraídos tiveram a face oclusal desgastada até exposição

da dentina e sobre esta foram aplicados os adesivos de acordo com os grupos: A1 - 1 camada; A2 - 2 camadas;

B1 - 1 camada; B2 - 2 camadas; C1 - 1 camada; C2 - 2 camadas; D1 - 1 camada; D2 - 2 camadas. Para os grupos

A1, B1, C1 e D1 foram aplicados os adesivos conforme recomendação dos fabricantes. Para os grupos A2, B2,

C2 e D2 foram aplicadas duas camadas dos adesivos, fotoativadas individualmente por 20 s. Após a confecção

do platô de resina composta (6 mm) e armazenagem por 24 h/37°C, os espécimes foram cortados em palitos

com secção de 0,49 mm 2 . Os corpos-de-prova (n = 30/grupo) foram submetidos ao ensaio de microtração. Os

resultados (MPa) foram (médias seguidas de mesma letra não apresentam diferença estatística para ANOVA e

Tukey (p < 0,05)): A1: 32,35 ± 9,91 (c); A2: 36,12 ± 11,0 (bc); B1: 40,11 ± 12,48 (bc); B2: 43,92 ± 13,47 (ab);

C1: 50,41 ± 15,27 (a); C2: 17,88 ± 5,84 (d); D1: 32,33 ± 10,13 (c) e D2: 42,26 ± 7,62 (ab). A falha predominante

após o teste foi na interface adesivo/dentina/resina – tipo mista (92%). A espessura do adesivo em ordem

crescente foi: B1 < A1 < C1 < B2 < A2 < D1 < D2 < C2.

A aplicação de 2 camadas aumenta a resistência de união do adesivo D, porém reduz os valores para o C e

não altera a resistência de união para A e B. Os adesivos autocondicionantes apresentam maior espessura de

camada adesiva para 1 camada (D) e 2 camadas (C).

PI046 Comparação da resistência ao cisalhamento entre dois sistemas

adesivos de frasco único e um com “primer” autocondicionante

Homa MRP*, Santiago AM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. E-mail: raquelhoma@yahoo.com.br

O objetivo deste trabalho foi avaliar a resistência ao cisalhamento de dois sistemas adesivos de frasco

único, um com solvente à base de acetona, outro com solvente à base de água, e um sistema adesivo com

“primer” autocondicionante de dois frascos. Utilizaram-se 54 faces vestibulares e linguais de terceiros molares

incluídos em resina de poliestireno, que tiveram suas superfícies dentinárias expostas com a utilização de

discos de lixa. Foram divididos aleatoriamente em três grupos: G1: Adesivo A; G2: Adesivo B; G3: Adesivo

C, todos aplicados de acordo com as instruções dos fabricantes. Após a aplicação dos sistemas adesivos, um

cilindro de resina foi confeccionado sobre a superfície dentinária com a utilização de uma matriz de silicone

e em seguida fotopolimerizado. Os espécimes foram armazenados em água por 30 dias. A resistência ao

cisalhamento foi obtida numa máquina universal de ensaio com velocidade de 0,5 mm/min. Os resultados

foram submetidos ao ANOVA e teste de Tukey (p < 0,05). Os valores obtidos em MPa foram: G1 = 14,82ª

(6,22); G2 = 10,42b (4,72) e G3 = 18,33ª (4,38). Verificou-se que os grupos G1 e G3 não diferiram entre si,

mas foram superiores ao G2.

Concluiu-se, então, que a ausência de solvente volátil não diminuiu a resistência ao cisalhamento no sistema

adesivo C. O sistema adesivo B com “primer” autocondicionante apresentou menor resistência adesiva

à dentina comparado aos sistemas de condicionamento ácido total (Adesivo A e C).

PI047 Efeito da escovação com dentifrícios clareadores na rugosidade

superficial do esmalte e da dentina

Antonini B*, Santos CB, Marchi GM, Rodrigues JA, Amaral CM

Odontologia - UNIVERSIDADE DE GUARULHOS. E-mail: barbirita@ig.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da escovação com dentifrícios clareadores, compostos de diferentes

abrasivos ou peróxidos, na rugosidade superficial do esmalte e da dentina. Foram obtidos, de dentes bovinos,

65 fragmentos de esmalte e 65 de dentina com 4 x 4 mm, que foram incluídos em resina de poliestireno e polidos

até a obtenção de superfície lisa e plana. A rugosidade inicial foi calculada através da média de três leituras

realizadas em perfilômetro (Ra), com “cut off” de 0,25 mm e velocidade de 0,1 mm/s. Os corpos-de-prova foram

escovados por 7.500 ciclos com um dos dentifrícios (n = 13): Crest regular – controle, com sílica como abrasivo

(C), Crest extra-clareador com bicarbonato + pirofosfato de cálcio (CE), Dental Care com bicarbonato (DC),

Rembrandt plus clareador com peróxido de carbamida + alumina e sílica (RP), Experimental com peróxido

de hidrogênio + carbonato de cálcio (EX). Após a mensuração da rugosidade final, com os mesmos parâmetros,

os dados foram submetidos à Análise de Variância e teste Tukey (5%). Os resultados são apresentados

em µm, na seqüência antes/depois da escovação, para esmalte: C = 0,046Aa/0,162Ab; CE = 0,047Aa/0,105Ab;

DC = 0,047Aa/0,252Bb; RP = 0,043Aa/0,247Bb; EX = 0,045Aa/0,152Ab e para dentina: C = 0,054Aa/

1,717Ab; CE = 0,055Aa/2,639Ab; DC = 0,058Aa/0,234Ba; RP = 0,058Aa/3,092Ab; EX = 0,054Aa/1,666Ab

(letras maiúsculas comparam dentifrícios e letras minúsculas os tempos antes e depois).

A escovação aumentou a rugosidade do esmalte e da dentina para todos os grupos, com exceção do dentifrício

DC em dentina, que apresentou a menor rugosidade após escovação. Em esmalte, menores rugosidades foram

observadas após escovação com os dentifrícios C, CE e EX.

PI048 Distribuição dos Níveis de Mercúrio e Elementos Traço em

Estudantes de Odontologia

Vasconcelos FM*, Castro CFS, Zara LF, Pedrosa SF

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA. E-mail: flaviacatolica@hotmail.com

A determinação de mercúrio e elementos traço no cabelo humano não é apenas um meio de se avaliar a

exposição atual, mas também tem potencial para avaliar e reconstruir episódios passados relevantes à saúde.

Objetivou-se avaliar a distribuição de mercúrio e elementos traço nos estudantes do Curso de Odontologia

da Universidade Católica de Brasília. As amostras de cabelo (n = 49) foram coletadas na região occipital dos

alunos do 4º, 5º (grupo controle) e 10º semestres. As amostras foram digeridas em meio ácido, utilizando

sistema assistido por microondas e os elementos traço Hg, Al, Ba, Cd, Co, Cu, Fe, Mg, Mn, Mo, Nb, Ni, Pb,

Pd, Sc, Se, Sr, Te, Ti, V, Y, Zn, Zr, Ag, B, Ca, Na e K determinados por espectroscopia de emissão atômica

por plasma de argônio induzido (ICP-AES). A população de estudo apresentou nível médio de mercúrio de

3,38 ± 1,77 mg/kg, sendo que o valor de referência é igual a 2,0 mg/kg, podendo ser tolerados valores de até

4,0 mg/kg. Os resultados mostram que 69% dos alunos estão enquadrados no nível de tolerância, enquanto

que 14% apresentam níveis entre 4,0 a 5,0 mg/kg e 16% apresentam níveis acima de 5,0 mg/kg. Entretanto,

a Análise de Variância aplicada à população de estudo não apresentou diferenças significativas entre os grupos,

sendo possível inferir que os elevados níveis de mercúrio não estão associados à prática odontológica.

Os níveis dos elementos traço no grupo controle (n = 38) não apresentaram diferenças significativas quando

comparados aos do grupo de estudo (n = 11).

A contaminação humana por um metal tóxico ocasiona alterações dos níveis de outros metais no organismo,

portanto os resultados observados estão em conformidade com a literatura.

41


PI049 Microdureza e resistência ao cisalhamento do esmalte tratado

com verniz clareador contendo peróxido de carbamida a 18%

Sasaki RT*, Barbosa CM, Flório FM, Basting RT

FACULDADE DE ODONTOLOGIA SÃO LEOPOLDO MANDIC. E-mail: rsasaki@terra.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar a microdureza e resistência ao cisalhamento do esmalte dental humano

submetido ao tratamento com um verniz contendo peróxido de carbamida a 18%. Trinta fragmentos foram embutidos

e planificados, separando-se em 3 grupos que receberam a aplicação do verniz por 14 dias consecutivos

(n = 10): G1) uma aplicação de verniz ao dia; G2) duas aplicações de verniz ao dia com intervalo de 15 minutos;

G3) duas aplicações de verniz ao dia com intervalo de 5 horas. Após a aplicação, eram imersos em saliva artificial

trocada diariamente. O grupo controle (G4) foi constituído por fragmentos (n = 10) que não receberam aplicação

e permaneceram em saliva artificial por 14 dias. Realizaram-se ensaios de microdureza com penetrador

Knoop, carga de 25 gramas e 5 segundos nos tempos 0 (“baseline”), 7 e 14 dias da aplicação. Cilindros em resina

composta microhíbrida e sistema adesivo de frasco único foram confeccionados para os testes de cisalhamento,

realizados em máquina de ensaios universal (Emic) com velocidade de 0,5 mm/min, obtendo-se valores em

MPa. Para microdureza, o teste de Kruskal-Wallis mostrou que não há diferenças para cada grupo em função

do tempo. Para o tempo 14 dias, há diferenças entre G1 e G4 (p < 0,05), com menores valores de microdureza

para o grupo G1. Para cisalhamento, a ANOVA (p > 0,05) não mostrou diferenças significativas (G1 = 15,8a;

G2 = 15,2a; G3 = 19,0a; G4 = 15,1a).

Vernizes clareadores contendo peróxido de carbamida a 18% podem levar a alterações do conteúdo mineral

após utilização por 14 dias; entretanto, parecem não afetar a resistência adesiva do esmalte a sistemas restauradores.

PI050 Análise da topografia de superfície do esmalte humano e bovino

Lelis BC*, Straioto FG, Azevedo AM, De-Mello JDB, Soares CJ, Fernandes-Neto AJ

Reabilitação Oral - UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. E-mail:

barbara@aromata.com.br

Devido à dificuldade de obtenção de elementos dentários humanos sadios, este trabalho se propõe analisar

a topografia superficial do esmalte dentário humano e bovino por meio de interferometria a laser, técnica

digital de análise de superfície em 3D sem contato, usada para caracterização da topografia de superfície,

constituída por forma, ondulação e rugosidade. Foram coletados 15 dentes humanos (H) e 15 bovinos (B),

dos quais foram extraídas porções de esmalte vestibular com área de 10 mm 2 , metalizadas e submetidas à

interferometria a laser (Microfocus Expert IV) em área de 4 mm 2 sendo as imagens analisadas no software

Mountains Map Universal. Os parâmetros de topografia considerados para avaliação de superfície foram: Sa

(média aritmética das alturas de picos e vales), Sq (desvio padrão das alturas de picos e vales) e Ssk (coeficiente

de simetria). Os valores foram submetidos a análise estatística, aplicando teste t Student (p < 0,05).

Os resultados em micrômetros foram Sa: H – 1,14 ± 0,35 a e B – 0,65 ± 0,33 b ; Sq: H – 1,59 ± 0,50 a e B -

1,05 ± 0,39 b (letras diferentes representam diferença estatística significante). Os dentes humanos e bovinos

apresentaram mesma freqüência (80%) de valores negativos para o parâmetro Ssk indicando predominância

de vales.

Dentro da metodologia empregada e análise de dados pode-se concluir que o esmalte bovino apresentou

menor rugosidade que o humano, porém com coeficientes de simetria semelhantes.

PI051 Prevalência de Disfunção da Articulação Temporomandibular em

Portadores de Síndrome de Down - Estudo Clínico

Musse JO*, Beltrame M, Barbosa MS, Marques JAM

Saúde - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA. E-mail: musse_jo@hotmail.com

A Síndrome de Down, também conhecida como trissomia do 21, corresponde a uma alteração genética,

com sinais e sintomas próprios, proveniente da presença de um cromossomo a mais no par 21. Seus portadores

geralmente apresentam alterações crânio-faciais afetando ossos, língua, dentes, músculos, mucosa

e estruturas gengivais, sendo comum nos mesmos a maloclusão e a hipotonia muscular, o que sugere uma

investigação da ATM. O presente trabalho teve como objetivo verificar, através da anamnese e exame físico,

a presença de sinais e sintomas (hipotonia muscular generalizada, macroglossia, respiração bucal, boca aberta,

maloclusões e hipermotilidade das articulações) peculiares ao sistema estomatognático de 40 portadores

de Síndrome de Down da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Feira de Santana,

relacionando-os com as disfunções temporomandibulares, principalmente aquelas associadas aos hábitos

parafuncionais e à oclusão. Para isto a amostra foi dividida de acordo com a faixa etária em: grupo I (12-14

anos) e grupo II (20-30 anos).

A análise dos resultados mostrou que o portador de Síndrome de Down apresenta sinais e sintomas de

disfunção temporomandibular, estando estes relacionados à idade, além de existir correlação entre hipermobilidade

articular geral e disfunção temporomandibular, principalmente no grupo II.

PI052 Estudo comparativo da discrepância vertical em dois sistemas

cerâmicos livres de metal

Kapczinski MP, D’Arrigo LF, Fonseca MMR*

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: marimrf@hotmail.com

A adaptação das margens em restaurações protéticas é importante na manutenção da saúde dos tecidos

dentais e periodontais e conseqüente longevidade da restauração. Este trabalho comparou a discrepância vertical

de copings em alúmina de dois sistemas cerâmicos livres de metal (In-Ceram e Procera). Foi confeccionado

um modelo mestre em aço inox 308, simulando um preparo dental com altura de 6 mm, convergência

incisal de 9°, margem em ombro de 90° de ângulo interno arredondado, com um plano inclinado de 30° em

seu topo, gerando uma via única de inserção e demarcando a face palatina. O modelo mestre foi moldado

com uma moldeira padronizada de inox e foram confeccionados dois grupos de 9 troquéis cada um, em

gesso tipo IV. Os valores de discrepância vertical, presentes entre as margens dos 9 copings de cada sistema

cerâmico e a margem do modelo mestre metálico, foram medidos em microscópio eletrônico de varredura

em 5 pontos de cada infra-estrutura, padronizando o assentamento do conjunto coping e modelo mestre

no porta-amostras. Esses valores foram medidos em micrômetros (µm). Os resultados foram analisados

estatisticamente com o software SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) 11.0, através do teste t de

Student, considerando-se significativos os valores de p < 0,05. Os valores de discrepância marginal dos dois

sistemas mostraram diferença estatística entre si (p = 0,001), com valores médios de 39 ± 11 µm (Procera)

e 115 ± 56 µm (In-Ceram).

Os dois sistemas embora estatisticamente diferentes, apresentaram discrepância vertical dentro de limites

aceitáveis clinicamente.

PI053 Métodos utilizados por Cirurgiões-Dentistas durante o

planejamento e tratamento de pacientes parcialmente desdentados

Oro APP*, Santos JRD, Barbosa DB, Compagnoni MA, Camilotti V, Mendonça MJ

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ. E-mail:

aninha_oro@yahoo.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar os métodos utilizados por Cirurgiões-Dentistas para o planejamento e

tratamento de pacientes parcialmente desdentados. Para tal, 67 odontólogos responderam voluntariamente um

questionário acerca de sua formação profissional e métodos utilizados para o planejamento e tratamento desses

pacientes. Os resultados obtidos foram analisados utilizando-se o programa EPIINFO 3.3.2. A maioria dos

participantes, 71%, era advinda de faculdades públicas e 33% possuíam curso de aperfeiçoamento. A coleta de

história médica é realizada rotineiramente por 72% dos voluntários, já a tomada radiográfica periapical somente

de dentes pilares é realizada por 34% dos entrevistados. A avaliação quanto à sondagem era realizada em todos

os dentes dos pacientes por 57% dos voluntários. Com relação ao planejamento das próteses, 34% dos profissionais

nunca realizam análise dos modelos em delineador e 51 % dos participantes delegam o desenho da estrutura

metálica ao técnico em prótese dental. Os nichos em resina composta em dentes anteriores, quando indicados,

nunca são realizados por 40% dos entrevistados. As moldagens funcionais de extremidades livres são realizadas

por 52% dos profissionais. Quanto aos programas de proservação das próteses, 66% dos profissionais instituem

tais programas de forma rotineira.

Os métodos utilizados para o tratamento e planejamento das próteses parciais removíveis estão na maioria de

acordo com o descrito na literatura científica, porém, existem ainda dúvidas quanto à escolha de alguns dos

métodos que devem ser esclarecidas, através de maior difusão do conhecimento científico sobre as próteses

parciais removíveis.

PI054 Influência da Desinfecção nos Moldes de Alginato: Reprodução de

Detalhes e Estabilidade Dimensional

Ferreira CBJ*, Stangler LP, Model MP, Pucci HC

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: carlosjansen@terra.com.br

Este estudo avaliou a influência do desinfetante glutaraldeído a 2% sobre os moldes de alginato verificada nos

modelos de gesso (reprodução de detalhes e estabilidade dimensional). Foram realizados 30 moldes de alginato

Jeltrate (Dentsply) e 30 moldes com o alginato Orthoprint (Zermarck) de um bloco metálico padrão American

Dental Association (ADA), especificação nº 19, divididos em 6 grupos: Grupo 1 (Jeltrate); Grupo 2 e 3 (Jeltrate

desinfecção spray e imersão respectivamente); Grupo 4 (Orthoprin); Grupo 5 e 6 (Orthoprint - desinfecção spray

e imersão, respectivamente). Após, foram lavados em água corrente, secados, vazados em gesso (Durone) e

mantidos em umidificador por 60 minutos. Nos modelos, após 24 horas, avaliou-se a linha de melhor reprodução

utilizando um microscópio de medição tridimensional (exatidão de 0,001 mm). O bloco e os modelos de gesso

foram medidos com o microscópio anteriormente citado as suas ranhuras centrais nas suas extensões (teste

padrão ADA - alteração dimensional). Os dados foram analisados por teste t a 5%.

As medidas obtidas foram analisados através de análise de variância (ANOVA) a 5% (p= 0,05), mostraram que

as médias dos grupos foram estatisticamente diferentes (p < 0,05). Posteriormente, pelo teste de Tukey a 5%,

as médias foram comparadas e agrupadas em dois subgrupos: subgrupo 1 formado pelos grupos 5, 6, 2, 3 e 4

com resultados superiores, porém não diferiram estatisticamente dentro do subgrupo; e subgrupo 2 formado

pelos grupos 1, 2 e 3 e 4 com leituras requeridas pela ADA. Os grupos estudados alteraram estatisticamente

significante em relação ao modelo padrão, porém as alterações são clinicamente aceitas (0,1 mm).

PI055 Prevalência de Leishmaniose Tegumentar Americana com

repercussões na cavidade bucal em Alagoa Grande - PB

Albuquerque ACL*, Pereira JV, Araújo CRF, Carvalho SHG

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. E-mail: lina_lyra@hotmail.com

A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença não infecciosa, não contagiosa, causada por

protozoários do gênero Leishmania, que acomete pele e mucosas. O modo de transmissão habitual é através da

picada de insetos, que podem pertencer a várias espécies de flebotomíneos de diferentes gêneros (Psychodogygus,

Lutzomyia). Objetivou-se estudar a prevalência da Leishmaniose Tegumentar Americana com repercussão

na cavidade bucal, no município de Alagoa Grande - PB, por ser uma das áreas endêmicas do estado, tendo esta

sido realizada no setor de arquivo da Secretaria de Saúde da referida cidade, coletando-se os dados específicos

em ficha previamente elaborada pelo pesquisador, e os mesmos apresentados em forma de tabelas e gráficos com

seus respectivos percentuais. No período compreendido de 1996 a 2004, 53 pacientes apresentaram LTA, observou-se

uma prevalência de 0,67% casos por habitante, 64% eram do sexo masculino, a faixa etária encontrou-se

entre 20 e 24 anos e mais de 65 anos, 50,01% eram pardos, 45,16% analfabetos, 96,2% apresentaram lesões cutâneas,

3,8% lesões na mucosa, 3,8% apresentaram repercussões bucais, 100% realizaram a intradermorreação de

Montenegro para confirmar o diagnóstico clínico e 61,29% faziam uso de antimonial pentavalente.

Por ser a Leishmaniose Tegumentar Americana uma patologia que pode comprometer o complexo nasobucofaríngeo

é de suma importância o seu conhecimento por parte dos cirurgiões-dentistas, para que os mesmos

possam proporcionar ao seu paciente um tratamento precoce e eficaz, evitando-se, dessa forma, efeitos mutilantes.

PI056 Análise clínica, genética e da proliferação celular de uma família

com cinco gerações afetadas pela fibromatose gengival

Ferreira ST*, Coletta RD, Silva CO, Santos LAN, Martelli Júnior H

Odontologia - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS. E-mail: sol_moc@oi.com.br

Fibromatose gengival hereditária (FGH) é uma condição genética rara (1:750.000) caracterizada por maior

proliferação fibroblástica e acúmulo de matriz extracelular, resultando num crescimento gengival, podendo recobrir

parcial ou totalmente as coroas dentais. É transmitida na maioria dos casos como herança dominante,

podendo manifestar como fenótipo isolado ou componente sindrômico. O objetivo deste trabalho é apresentar

uma extensa família afetada pela FGH, discutindo diagnóstico e padrão de herança genética. Características

histológicas e potencial proliferativo das células epiteliais e mesenquimais também são enfatizados. Foram avaliados

109 descendentes da família, no intervalo de 5 gerações. O risco de recorrência da doença foi calculado

através de programas de análise genética e a proliferação celular foi avaliada utilizando imuno-histoquímica para

antígeno de célula nuclear (PCNA) e Ki-67. Análise histopatológica foi realizada através de coloração de HE. Os

pacientes receberam acompanhamento odontológico, além de orientação genética.

Avaliação genética mostrou que a FGH foi transmitida como herança dominante, com penetrância baixa e incompleta,

enquanto o risco de recorrência da doença foi de 0,061, 0,078 e 0,085, respectivamente, para os pais,

irmãos e filhos. Análise histológica revelou tecido epitelial hiperplásico, com longas cristas que projetam em

direção ao conjuntivo subjacente que apresenta-se denso e fibroso. Imuno-histoquímica evidenciou que o potencial

proliferativo das células epiteliais da FGH foi maior comparado a células de gengiva normal, enquanto as

células mesenquimais de ambos grupos foram negativas para os marcadores de proliferação.

42 Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22nd 42

Annual SBPqO Meeting) 2005.


PI057 Levantamento epidemiológico de lesões bucais em indivíduos da

terceira idade em Manaus, Amazonas

Oliveira LBF*, Mota RMS, Ono LM, Costa AMM, Carmo MAV, Santos PJB

Escola de Ciências da Saúde - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS. E-mail:

lbfo2003@yahoo.com.br

O cirurgião-dentista tem importante papel em diagnosticar precocemente as lesões cancerizáveis e do carcinoma

epidermóide bucal. O presente trabalho consistiu de um levantamento epidemiológico de alterações

da mucosa bucal entre indivíduos da terceira idade em Manaus. Foram examinados 293 indivíduos de ambos

os sexos nos centros de terceira idade da cidade de Manaus no período de nove meses, por meio de exame

clínico, questionário sobre o assunto e de critérios diagnósticos preconizados pela Organização Mundial da

Saúde (OMS). Observou-se uma freqüência de 83,3% de indivíduos com alguma alteração bucal, 95,0% dos

homens e 80,3% (p = 0,006) das mulheres. Dentre os 36 tipos de alterações, as mais freqüentes foram: língua

fissurada, grânulos de Fordyce e estomatite por dentadura. Foram observadas cinco leucoplasias e nenhuma

lesão de câncer. Por meio de regressão logística, os fatores “sexo masculino” e “hábito de fumar” foram

significativamente associados à sua ocorrência na população estudada (OR = 4,99 e 2,22, respectivamente).

Resultados do questionário mostraram que, entre os 222 pacientes que o responderam, 167 (75,2%) relataram

que desconheciam completamente o assunto, e somente 55 (24,8%) indivíduos tinham algum conhecimento.

Todos os participantes avaliaram a atividade educativa desenvolvida como sendo relevante.

É importante elaborar um programa de diagnóstico precoce do câncer bucal entre indivíduos de faixa etária

de risco mais elevado. Foram encontradas somente alterações benignas, porém houve o diagnóstico de

lesões cancerizáveis. Existe a necessidade de divulgação de maiores informações sobre o tema.

PI058 Proposta de uma nova metodologia para a avaliação da

radiopacidade de cimentos endodônticos

Togni L*, Santos C, Ingrassia G, Oliveira EPM, Fontanella VRC

Pesquisa - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: Liditgn@yahoo.com.br

Uma nova metodologia para a verificação da radiopacidade de cimentos endodônticos é proposta. Para

compará-la ao método tradicional, no qual se utilizam corpos-de-prova em forma de pastilhas, foram utilizados

cinco cimentos endodônticos, denominados marcas A, B, C, D e E, os quais foram manipulados de acordo

com as indicações do fabricante. De cada um deles foram obtidos seis corpos-de-prova, três na forma de

pastilhas (P) e três na forma de cilindros (C). Cada corpo de prova foi radiografado três vezes, de forma padronizada,

em aparelho de raios X com 66 kVp e 6,5 mA, 0,6 s de exposição e distância focal de 32 cm, sendo

as pastilhas posicionadas diretamente sobre o filme (sensibilidade E) e os cilindros inseridos no conduto

radicular preparado de um canino superior humano, montado em um simulador de tecidos. Os filmes foram

processados pelo método temperatura-tempo e digitalizados de forma padronizada. A radiopacidade média,

expressa em valores de densidade óptica obtidos de uma área padronizada da imagem, foi A: 215,40 ± 2,57

e 161,38 ± 5,03; B: 220,40 ± 2,50 e 158,04 ± 2,02; C: 171,60 ± 2,60 e 149,75 ± 2,31; D: 220,00 ± 3,12 e

161,40 ± 1,75; E: 211,20 ± 2,42 e 149,54 ± 3,40; para P e C, respectivamente. A ANOVA complementada

pelo teste de Tukey, com nível de significância de 5%, evidenciou interação significativa entre material e

metodologia, pois a diferença de radiopacidade entre as marcas foi maior no grupo P do que no C.

A metodologia proposta demonstrou que as diferenças de radiopacidade entre os cimentos endodônticos

testados diminuem quando é simulada a situação in vivo, na qual o material é radiografado associado aos

tecidos moles, osso e dente.

PI059 Estudo radiográfico, histológico e histométrico da reparação óssea

em alvéolos dentais após radiação X em doses baixas

Lacerda SA, Brentegani LG, Macedo RM*, Watanabe PAC, Monteiro SAC

Morfologia, Estomatologia e Fisiologia - UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - RIBEIRÃO

PRETO. E-mail: mmrander@hotmail.com

Retardo na cicatrização óssea em tratamentos combinando cirurgia e radiação X é uma complicação freqüente

na Odontologia. A dose de radiação X com fins de interpretação diagnóstica incapaz de produzir alterações

teciduais ainda não está bem estabelecida. O propósito deste estudo foi avaliar radiográfica, histológica e histometricamente

o efeito da radiação X em doses baixas (30 mGy) sobre o reparo ósseo em alvéolo dental.

Utilizaram-se 40 ratos (Rattus norvegicus, variedade Wistar) machos com peso entre 250 e 300 g, que foram

anestesiados e submetidos à extração do incisivo superior e divididos em: grupo controle 1 (simulação única),

simulação do procedimento de irradiação; grupo irradiação única, irradiação com 30 mGy em uma única dose;

grupo controle 2 (simulação fracionada), simulação por três dias consecutivos do procedimento de irradiação (0,

24 e 48 horas após a extração); grupo irradiação fracionada, irradiação com 30 mGy por três dias consecutivos

(0, 24 e 48 horas após a extração). Os animais foram sacrificados nos períodos de 7, 21 e 42 dias, suas maxilas

radiografadas em seguida processadas para a obtenção de secções finas (6 µm) e coradas com HE. A radiografia

mostrou menor concentração de elementos calcificados nos animais irradiados. Na histologia notaram-se trabéculas

ósseas imaturas nos alvéolos irradiados. A histometria evidenciou menor quantidade de osso estatisticamente

significante (ANOVA - p ≤ 0,01) nos grupos expostos à radiação (47% nos irradiados uma única vez e

55% nos irradiados por três dias consecutivos).

Concluiu-se que a radiação X em dose baixa de 30 mGy provocou um retardo no processo de reparação óssea

alveolar.

PI060 Análise de tensões na mandíbula pela simulação dos esforços

mastigatórios em próteses implanto-suportadas com cantiléver

Branco JS*, Vaz MAK, Pereira JT

Odontologia - UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. E-mail: juli.branco@bol.com.br

Este trabalho objetivou o estudo da distribuição das tensões em réplicas de mandíbula, pela simulação dos

esforços mastigatórios em próteses implanto-suportadas com cantiléver, avaliando o comportamento do campo

de tensões gerado pelas diferentes combinações de comprimentos de implantes. A análise foi realizada em modelos

do osso mandibular através do Método de Elementos Finitos e pela utilização do software ANSYS. Foram

confeccionados nove modelos numéricos com as dimensões compatíveis com as de uma mandíbula humana.

Em cada modelo foram incorporados dois implantes auto-rosqueáveis de 4 mm de diâmetro e comprimentos

variando entre 13, 15 e 17 mm na região correspondente aos pré-molares com um cantiléver para distal correspondente

ao primeiro molar. Estes modelos foram construídos através das possíveis combinações das dimensões

supracitadas. Uma carga padrão de 89 N foi aplicada no cantilever. Os resultados obtidos evidenciam: I) A

máxima tensão efetiva de von Mises sempre ocorre na interface osso/implante na região distal do 2º pré-molar.

II) A forte dependência deste valor máximo de tensões com relação ao comprimento implante correspondente

ao 2º pré-molar. III) A fraca dependência destas tensões em relação ao comprimento do implante correspondente

ao 1º pré-molar. IV) A melhor combinação de dimensões com o máximo comprimento possível do implante

distal (limitada pela anatomia da mandíbula), gerando uma tensão máxima de 69,3 MPa. V) As maiores tensões

efetivas são de 81,4 MPa e ocorrem com os menores implantes.

Este estudo fornece subsídios para a escolha da combinação de implantes que melhor preserve as estruturas

biológicas visando a longevidade da osseointegração.

Braz Oral Res, v. 19, Supplement (Proceedings of the 22 nd Annual SBPqO Meeting) 2005.

PI061 Autopercepção e conhecimento sobre halitose de pacientes

periodontais e em fase de reabilitação protética

Kopplin DC*, Picoli F, Silva M, Balen EA, Vecchia GFD

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL. E-mail: daizinhack@yahoo.com.br

As informações e instruções dadas a um paciente ao longo do tratamento devem possibilitar um maior conhecimento

sobre saúde bucal. Este estudo observacional transversal teve como objetivo verificar a percepção e o

conhecimento sobre halitose de pacientes no início do tratamento odontológico e de pacientes em estágio final

de tratamento reabilitador. Sessenta e três pacientes das Clínicas da ULBRA - Cachoeira do Sul (35 Periodontia

I, 16 Periodontia II e 12 Prótese VI) responderam 11 questões abertas e fechadas sobre causas, tratamento e

percepção da halitose. Além da análise descritiva dos dados, foi aplicado teste não paramétrico de Friedmann

para comparação das respostas entre as disciplinas. A partir dos dados coletados observou-se que independente

do estágio do tratamento, a grande maioria dos pacientes (75% a 80%) não sabem o que é halitose. Questionados

se percebem gosto ruim na boca, 58,3% dos pacientes da Prótese VI responderam que sim, enquanto na

Periodontia I e II os percentuais foram 48,6% e 31,3%, respectivamente. Para os paciente da Periodontia I, as

principais causas são: cárie (28,6%), má escovação (22,9%) e problemas estomacais (20%). Na Periodontia II

os problemas estomacais ficaram com 31,3% e fumo 25%. Cárie foi à resposta mais relatada pelos pacientes

da disciplina de prótese (33,3%) seguida de problemas estomacais (25%). A maioria dos pacientes (80%) não

lembrava da explicação sobre halitose que havia recebido no início dos tratamentos.

A halitose é mais percebida por pacientes no final do tratamento odontológico, entretanto os conhecimentos

não são maiores do que dos pacientes que estão iniciando tratamento. Não houve diferenca significativa entre

as respostas das três disciplinas.

PI062 Prevalência e características do sulco palato-radicular

Albaricci MFC*, Toledo BEC, Zuza EP, Gomes DAS, Rosetti EP

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS. E-mail: fernanda@sysnetwork.com.br

A presença do defeito morfológico denominado sulco palato-radicular (SPR) é considerada um fator etiológico

predisponente importante da periodontite crônica localizada, por favorecer o acúmulo de placa e a sua

atuação em profundidade no periodonto; na presença de sulcos profundos, essa má formação congênita pode

apresentar comunicação com a polpa, levando à formação de uma lesão periodontal-endodôntica combinada.

Poucos estudos sobre a prevalência do SPR foram relatados na literatura. Este estudo teve como objetivo

avaliar a prevalência e características do SPR de 376 dentes superiores (sendo 217 incisivos laterais e 159

centrais) do acervo de dentes da Disciplina de Anatomia do Curso de Odontologia da UNIFEB - Barretos,

que foram examinados por um único examinador, quanto à sua presença, localização, ponto de origem de

sua formação, extensão e profundidade em milímetros, utilizando uma lupa, um paquímetro de precisão

MITUTOYO e sonda milimetrada Hu-Friedy PCPUNC15BR. Os resultados mostraram uma prevalência do

SPR em 9,31% dos dentes estudados (IL: 11,05%; IC: 6,91%) destes 97,14% (IL: 95,83%; IC: 100,00%)

foram considerados rasos (< 1 mm); quanto às características 62,87% (IL: 66,6%; IC: 54,54%) com localização

mais proximal, 57,14% (IL: 66,66%; IC: 36,36%) de origem na fossa central, 62,85% (IL: 75,0%; IC:

36,35%) predomínio de trajeto oblíquo e 8,57% (IL: 8,30% e IC: 9,09%) que atingiam o ápice radicular.

de-se concluir que apesar da pequena prevalência dos sulcos palato-radicular e de sua pouca profundidade

existe uma grande variação nas características anatômicas dos mesmos.

PI063 Avaliação dos índices de biofilme bacteriano em crianças após a

conscientização dos pais

Luiz CLF*, Ribeiro AO, Pinto KRR, Fonseca DC

Odontologia - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE LAVRAS. E-mail: carmemluiz@yahoo.com.br

Dentre as medidas preventivas em saúde pública, os programas Educativos têm se mostrado forte aliado

na prevenção e promoção da saúde bucal em ambiente Escolar. O objetivo desse estudo foi avaliar o impacto

de uma palestra aos pais nos índices de biofilme bacteriano dos filhos. Inicialmente o projeto de pesquisa

foi submetido e aprovado pelo comitê de Ética em Pesquisa com seres humanos do UNILAVRAS. Foram

selecionadas 40 crianças na faixa etária de 05 anos, alunos de uma escola em Lavras – M.G. A princípio foi

realizado o índice de biofilme de O’Leary dessas crianças (IB1). Sete dias depois foi realizada uma palestra

para os pais abordando aspectos relacionados à prevenção de cárie e doenças periodontais. Posteriormente

foram realizadas mais duas avaliações do índice de biofilme de O’Leary com 07 (IB2) e 14 (IB3) dias após

a palestras. Os dados foram avaliados estatisticamente pelo teste t de Student para dados pareados com nível

de significância de 5%. Através das comparações de IB1 e IB2; IB1 e IB3; IB2 e IB3 observa-se diminuição

nos índices de biofilme de maneira estatisticamente significante.

Baseado na literatura e nos resultados deste estudo sugere-se que houve relação entre a palestra para os

pais e a redução dos índices de biofilme de seus filhos.

PI064 O uso de fitoterápicos nos processos inflamatórios da cavidade

bucal

Netto HDMC, Chaves-Filho HDM, Oliveira M, Pimentel RF, Chaves MGAM*

Clínica Odontolológica - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. E-mail:

henriquednetto@bol.com.br

Os pacientes portadores de processo inflamatório agudo constituem uma população bastante evidenciada

nos serviços de urgência odontológica de atendimento social. Mediante a escassez de recursos financeiros dos

usuários, a falta de medicamentos nos postos de saúde, e as propriedades farmacológicas das plantas, optou-se

por implementar no serviço de pronto-atendimento da FOUFJF o uso de agentes fitoterápicos, utilizando-os na

forma alternativa ou na complementar à alopatia. As patologias selecionadas para tratamento foram de etiologias

endodôntica e periodontal. Utilizou-se casca de romã ou folhas de goiabeira preparadas em infusões e administradas

para bochecho em intervalos regulares de 2 horas, excetuando-se o período do sono. Num total de 18

pacientes, com média de idade de 32 anos, de ambos os sexos, observou-se a regressão do edema em todos os

portadores de abcesso de origem endodôntica utilizando-se o bochecho com folha de goiaba e também todos que

utilizaram chá de romã para reações periodontais e gengivites. Verificou-se que os pacientes, quando seguiram

as prescrições, apresentaram redução dos sinais cardinais da inflamação aguda já nas primeiras 24 horas, tanto

nos casos de problemas endodônticos, como periodontais, diferenciando melhor resultado periodontal para romã

e a goiaba para os abcessos de origem endodôntica. Atribuiu-se a regressão dos sintomas à propriedade antinflamatória

destas plantas e ao uso correto da prescrição.

O uso alternativo ou complementar da fitoterapia favoreceu o processo de regressão do quadro inflamatório

agudo em tecidos moles na cavidade bucal.

43


FC001 Reparação periapical após tratamento endodôntico de dentes de

cães com ou sem vitalidade pulpar e lesão periapical

Tanomaru-Filho M, Pappen FG*, Leonardo MR, Silva LAB, Tanomaru JMG

Odontologia Restauradora - UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - ARARAQUARA. E-mail:

ferpappen@yahoo.com.br

O objetivo deste estudo foi a avaliação histológica do reparo apical e periapical de 55 raízes de dentes de

cão com vitalidade pulpar ou com necrose pulpar com e sem lesão periapical visível radiograficamente. No

grupo I, o tecido pulpar apresentava vitalidade no momento do tratamento. No grupo II, o tecido pulpar foi

removido e os canais radiculares mantidos expostos ao meio bucal por 30 dias para contaminação, sem o

desenvolvimento de lesão periapical radiograficamente visível. No grupo III, após remoção do tecido pulpar,

os canais radiculares foram mantidos expostos ao meio bucal por 7 dias, quando as aberturas coronárias